Issuu on Google+

As vitrines desta semana atraem filhos para o Dia dos Pais. Só que os fiscais do Procon também as verão. No Dia das Mães, 277 lojas foram autuadas. Falta de preço e valor parcelado sem total rendem multas a partir de R$ 466.Sua vitrine bem feita (pág. 18) à prova de multa (pág. 22). Jornal do empreendedor

Ano 87 - Nº 23.928

Página 4

Conclusão: 23h47

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013 Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress

De que Neymar se lamentou no Muro das Lamentações?

Um Mercosul para ajudar nas estatizações. É uma ideia de Evo para Lula. Outras ideias do Foro, págs. 5 e 6

Oliver Weiken/Reuters

Esqueça Ahmadinejad. Agora no Irã é Rouhani.

Talvez da anemia, já sendo tratada. Neymar foi a Jerusalém em turnê da paz. Pág. 12

A rodada foi feliz para o Corinthians do aplicado Guilherme (foto): 2 a 0 no Criciúma. Esporte, págs. 13 e 14. ISSN 1679-2688

23928

9 771679 268008

Yahya Arhab/EFE/EPA

Cristiano Andujar/Folhapress

Embalado, Timão encosta nos líderes.

Hassan Rouhani quer administrar o Irã com "moderação e soberania". Mais de 100 governos prestigiaram sua posse, entre eles o brasileiro. O futuro nuclear iraniano poderá se tornar a medida da moderação. Pág. 7

EUA esperam terror por mais 6 dias com embaixadas fechadas Ataque da Al-Qaeda era esperado domingo. E ainda pode ser desferido. Alerta maior no Iêmen (foto) Pág. 7


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Dilma Rousseff tenta acalmar parlamentares e partidos aliados com tal generoso agrado. José Márcio Mendonça

pinião

As ruas pediram; o Congresso levou. Reprodução

F

ora da agenda oficial e pública, a presidente Dilma recebeu terçafeira passada, no Palácio da Alvorada, dez ministros e dois funcionários graduadíssimos – e donos de chaves de cofres de dinheiro público: o poderoso secretário do Tesouro, Arno Agustin, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, executor de algumas das mais liberais políticas de financiamento dos bancos oficiais. Diga-se de passagem que em qualquer país mais ou menos civilizado, tal encontro seria uma reunião ministerial completa – por aqui não passa de um mini-encontro de ministros. Mas vamos deixar isso para lá, até porque muitos dos ministérios presentes são absolutamente dispensáveis. O objetivo declarado da reunião era destravar as ações do governo federal. Estará enganado, porém, quem acreditar que a presidente reuniu seus ministros para cobrar deles mais eficiência na alocação dos recursos do Tesouro Nacional e mais presteza na execução dos programas e obras governamentais para atender aos chamados "anseios das ruas" por melhores serviços estatais.

A

medida dessa ineficiência, na visão da sociedade que sofre com ela, está retratada na pesquisa de opinião pública CNI/Ibope da semana passada: mais de 90% dos entrevistados acham que os governos (no caso tanto o federal, como os estaduais e os municipais) já arrecadam demais e não precisam subir impostos para

Políticos livres do JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA regime de pão e água levam verbas do tram muitos entusiasmados governo. como o apoio à recandidatura dela, depois que sua populariJá os dade começou a esfumaçar. pedidos um típico cala boca ou, das para ser mais direto, um quebra- chantagem. E o ruas...

É

cumprir com dignidade as suas obrigações. Essa ineficiência é comprovada diariamente na prática, como mostra mais um exemplo da incúria oficial, levantado em reportagem de André Borges, no jornal Valor Econômico de quarta-feira. com o título "Uma inauguração que não houve".

D

iz o texto: "Se a promessa feita por Lula em 2010 tivesse sido cumprida, o governo teria comemorado ontem a inauguração da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que será um importante corredor de exportação. Mas não houve festa na Bahia. Depois de ter suas obras contratadas há

mais de três anos, a Fiol, orçada em R$ 4,3 bilhões, ainda está distante da inauguração. Até hoje, nem um só metro de trilho foi instalado. Para entender como o projeto chegou a essa situação, o Valor percorreu cada lote do traçado da Fiol e cruzou, por estradas, mais de 40 municípios da região. Nos primeiros 500 km do traçado, que ligam Barreiras a Caitité, a ferrovia praticamente não existe. Entre Caitité e Ilhéus, outros 500 km, só 21% das obras foram concluídas." O motivo da reunião foi mais prosaico: a presidente convocou a turma para destravar a liberação das verbas das emendas dos parlamentares e tomar outras providências para agradar a congressistas

e partidos aliados – daí a presença de Agustin e Hereda no sínodo ministerial.

F

icou estabelecido que R$ 2 bilhões – como prometera em maio a ministra Ideli Salvatti e que não sairam, como quase sempre ocorre com as promessas dela –serão liberados imediatamente. Outros R$ 2 bilhões vão para as prefeituras beneficiadas em setembro e mais uma parcela do mesmo tamanho jorra em novembro. Mais sério é que a liberalidade surge apenas uma semana depois de o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ter conseguido, a duras penas, promover uma promessa de corte de R$ 10 bilhões nos gastos fede-

A

É

lamentável que o efeito "surpresa" tenha levado a uma reação esquizofrênica hiperativa daqueles poderes

que tentaram responder com ilusionismos, aprovando de forma apressada e inconsequente a concessão de subsídios e de gastos, com promessas de imaginárias receitas futuras que, todos sabem, não caberão nos orçamentos.

P

romessas que provavelmente nunca poderão ser honradas, a não ser à custa da maior destruição fiscal que levará – no final – ou a aumentar a taxa da inflação ou a um maior déficit em conta corrente (enquanto os credores tiverem paciência em tolerá-lo), ou, o que é ainda pior, a alguma forma de restrição à liberdade individual com a qual já namoram alguns de nossos vizinhos na América Latina. O movimento das ruas é uma daquelas circunstâncias que exigem maior reflexão sobre a natureza e o futuro da organização social em que vivemos. No mundo todo, as sociedades estão envolvidas numa profunda revolução, apoiada em novas tecnologias e no aumento

processo civilizatório que vivemos, em velocidade e profundidade sem precedentes, a insatisfação aumenta com enorme rapidez diante da péssima qualidade dos serviços de transportes urbanos, e se relaciona também com o atendimento precário à saúde e com o ensino público de baixa qualidade.

DELFIM NETTO

dramático da transmissão e acumulação de informações. Ela vai produzir ainda maior redução do trabalho material e imenso aumento da liberdade individual.

N

o Brasil, as implicações desse novo passo civilizador precisam ser antecipadas por um dramático aumento da qualidade de nossa educação, para elevar o espírito crítico dos cidadãos eleitores. Temos de aproveitar a circunstância que a "voz" que ocupou as nossas ruas está lembrando aos governos, nas suas três dimensões – União, Estados e Municípios – as prioridades que eles esqueceram. No

O

que os movimentos pacíficos nas ruas estão cobrando é que os governos invistam mais ativamente em sistemas de transporte e nas áreas de saúde e educação básica, para oferecer um mínimo de conforto e segurança à população que paga os impostos. Em síntese, exigem o que é essencial para salvar a economia e, principalmente, para garantir a continuidade do processo civilizatório e a própria democracia no País. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

contatodelfimnetto@terra.com.br

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Danilo Verpa/Folha Imagem

O QUE DE FATO IMPORTA insatisfação pela má qualidade dos serviços públicos essenciais, demonstrada nos movimentos que tomaram recentemente as ruas, em praticamente todas as capitais estaduais e nos grandes e médios municípios do País, não deveria ter produzido tanta surpresa nos gabinetes do Executivo ou Legislativo. Isso porque não há representante desses poderes que desconheça que a piora dos problemas de transportes e da saúde – principalmente – é vista pela população como consequência da má gestão e não por falta de recursos. Até porque aumentou muito, nos anos recentes, o interesse das pessoas quanto ao destino dos impostos que a administração arrecada, com eficiência crescente, mas sem uma destinação transparente.

ral – promessa que não convenceu muita gente e que mesmo sendo efetivada é considerada insuficiente para ajudar o Banco Central no combate à ameaça inflacionária. E, por coincidência, no mesmo dia em a imprensa – ela, sempre ela! – descobriu que o comando da Marinha, atingido pela tesoura de Mantega, havia suspendido atividades nas sextas-feiras para economizar luz, água, alimentação... Dilma tenta acalmar parlamentares e partidos aliados com tal generoso agrado. Não só porque eles ameaçam aprovar alguns projetos considerados "perigosos" pelo Planalto e derrubar pelo menos cinco delicados vetos presidenciais, como já não se mos-

mais cruel é que talvez nem com isso a presidente consiga enternecer os parceiros. O Congresso que deveria ter voltado ontem de um indevido recesso branco, mas de fato só volta a Brasília terça-feira dia 6, chega com gosto de sangue na boca, com vontade de recuperar o tempo em que considera ter sido tratado a pão sem água pelo Palácio do Planalto. E todos ainda têm coragem de inflar o peito e empostar a voz para dizer que estão afinados com a voz rouca das urnas. A população, nas passeatas, pediu melhores serviços públicos. Levou principalmente promessas. O Congresso ameaçou e está levando suas emendas. Para uns, o verbo apenas. Para outros, os de sempre, verbas.

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

o

3

TROCAR DE PARTIDO VISA A ATENDER A CONVENIÊNCIAS PESSOAIS, NUNCA A CONVICÇÕES.

pinião

E O GOVERNO FAZ ZIGUEZIGUE-ZÁ... "Escravos de Jó jogavam caxangá. Escravos de Jó jogavam caxangá. Tira. Põe. Deixa ficar. Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá. Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá."

E

Tudo como sempre

O

Papa voltou para Roma, parece que as grandes manifestações estão rareando e, ao olharmos em torno, acredito que muitos de nós concluiremos que, apesar de alguns artigos pretendendo avaliar eventos dos quais ainda não se tem boa perspectiva e diversos pronunciamentos altissonantes sobre a voz das ruas, nada mudou, pelo menos que dê para notar. No começo, não deixou de ter seu lado divertido, até cômico, o cagaço afobado que se instaurou entre os legisladores, depois de visões alarmantes, como a da multidão de manifestantes encarapitada na cúpula do prédio do Congresso Nacional. Trabalharam febrilmente, professaram com ardor sua dedicação à vontade dos governados e mal dava para reconhecer, em tal pugilo de denodados, os trezentos picaretas anteriormente apontados por um conhecedor da matéria. O Executivo também apresentou um número caprichado, uma ópera movimentada, cuja inteira exegese talvez venha a escapar-nos para sempre. A presidenta, como se tivesse sido alertada pela primeira vez para os problemas levantados, elogiou enfaticamente a opinião das ruas, logo reagindo de batepronto, através de uma série fulminante de medidas destinadas a atender às demandas com a presteza exigida pela situação, tais como uma constituinte específica para a reforma política e, logo em seguida, um plebiscito.

T

irou do ar verbas e recursos, passou uma para lá, outro para cá, trocou este daqui por essa de acolá e vice-versa, como naquele truque da bolinha embaixo de cascas de nozes, em que, depois que o mágico muda as cascas de lugar, a gente nunca sabe onde está a bolinha, e – abracadabra – não resolveu nem alterou nada. Tivemos ainda, na performance do governo, uma manobra inovadora, executada

ver com o resultado de nenhum Ba-Vi. E, nas decisões, mandava até desligar o canal de rezas de futebol.

JOÃO UBALDO RIBEIRO

pela presidenta. Ela não chegou a convidar o Papa a ingressar no PT, nem comunicou que ele fora aclamado membro honorário do partido, mas mostrou como aquilo que ele começa a pregar somente agora os governos petistas já de muito vêm fazendo no Brasil.

F

icou, talvez, faltando o trecho que proclamaria que nunca antes na história da Cristandade um partido político deu tantos bons exemplos a um Papa. E merece registro ter-se tratado da primeira vez em que um presidente, ou presidenta, brasileiro, ou brasileira, fez um relatório de governo ao Vigário de Cristo, isto é, o representante do Cristo neste mundo. Se Deus também tem dificuldade com matemática e também se deixa engabelar por estatísticas fajutas, o apoio lá de cima está garantido. Era convicção lá em Itaparica que, no decorrer do campeonato baiano de futebol, o Senhor do Bonfim pedia, a alguns santos menos solicitados e com tempo livre, para fazer uma triagem nas promessas e determinava o arquivamento dos pedidos de intervenção nos jogos, além de, em que pesem todas as inúmeras alegações em contrário, nunca ter tido nada a

C

reio que o mesmo pode ser dito de preces de candidatos, mas é claro que isso não impede que, a esta altura, com a eleição do próximo ano na cabeça de todos, já se tenha iniciado um acender geral de ventas pressurosas, um palpitar ansioso de corações sôfregos, um frêmito nervoso de mãos irriquietas, um entreabrir e entrefechar de bocas antecipando morder e mamar. São os que procuram garantir seu futuro e cumprir o ideal que norteia a maior parte de nossos homens públicos, ou seja, se fazer e permanecer no sacrifício da vida política o quanto se possa, aproveitando para encaminhar a família e favorecer os amigos. Se se derem bem, entrarão para uma casta superior, ou permanecerão nela.

O

s membros dessa casta, a depender de seu escalão, recebem muitas recompensas pelo esforçado empenho em chegar ao poder e nele permanecer, dele extraindo o máximo proveito possível. Não entram em filas, não se se expõem a nenhum dos desgastes que infernam o cotidiano dos súditos, do transporte à saúde, à aposentadoria, ao futuro dos filhos e a tudo mais que tira o sono e o sossego dos súditos. E, ao que parece, muitos não pagam rigorosamente nada, desde a conta do restaurante à passagem de avião, desde esmalte de unhas a papel higiênico. Os partidos, como sabem os

Os partidos, como sabem os manifestantes, são agrupamentos intercambiáveis, sem compromisso a não ser com truísmos vagos e alianças interesseiras, sem programas.

manifestantes, são agrupamentos intercambiáveis, sem compromisso a não ser com truísmos vagos e alianças interesseiras, sem programas, projetos, sequer slogans. Trocar de partido visa apenas a atender a conveniências pessoais, jamais a convicções.

F

icam até falando em esquerda e direita, como se alguém nesse balaio todo não estivesse disputando a mesma coisa, pelas mesmas razões e com os mesmos objetivos, e algum deles soubesse distinguir abstratamente esquerda de direita. Ninguém está vendo nem esquerda nem direita, o que se vê é um governo que administra de solavanco em solavanco, indo e vindo e tocando de improviso, reduzindo um imposto aqui, atamancando uma obra ali, voltando atrás acolá, nada que integre um todo coerente, nada estrutural, tudo conjuntural, como se dizia. Não há mais tempo para apresentar grandes realizações e vem aí a Copa, quase em cima da eleição. Não tem transposição do São Francisco, não tem ferrovia NorteSul, não tem obras de infraestrutura, o pré-sal por enquanto é só gogó, nada deu certo e receiam os mais aflitos que a canoa da presidenta esteja fazendo muita água e agora precisam, com perdão de uma metáfora em cima de outra, adivinhar onde amarrar seu burro, deve ser muito estressante.

Q

uanto aos governados, o que sabemos com certeza mesmo é que a presidenta não deu sorte novamente e o trigo está subindo de preço, o leite também, as hortaliças também. Ou seja, vem aí nova tomatada da inflação, provavelmente bem mais forte que a precedente. Acho que só tacando um plebiscito em cima dessa inflação, para acabar com ela de uma vez por todas. JOÃO UBALDO RIBEIRO É CRONISTA, ROMANCISTA E PERTENCE À

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.

scravos de Jó é uma brincadeira infantil. Todos conhecem. Por isso é fácil e sem maiores delongas comparar o governo Dilma Rousseff com uma brincadeira. O governo põe. Tira. Deixa ficar. Tira de novo – e assim vai, ziguezagueando, em busca de um rumo, atirando ao esmo, exigindo os limites máximos da paciência nacional. Governar, que um dia já foi na palavra de Washington Luis, abrir estradas, hoje é a capacidade de gerenciar os recursos e suas ausências públicas em favor do bem comum através de políticas públicas estudadas, planejadas, anunciadas e executadas com competência e precisão cirúrgica no trato da coisa pública.

N

o governo Lulilma isso tudo é zombaria. Vale o anúncio , o discurso, a propaganda, mesmo que se recue daqui a pouco, mesmo que ao se espremer o conteúdo das medidas saia o mesmo de sempre : ar vazio, corrupção, desmandos, falácias, acusações ao vento e teorias da Ilustração: Ivan Cruz conspiração. Esse é o Brasil da era Lulilma. Dilma anunciou plebiscito. Recuou. Anunciou Consulta Popular. Recuou. Anunciou medidas profiláticas na gestão pública – e nem precisou recuar porque não começou. Anunciou mexidas impensadas na medicina. Recuou. Anunciou portaria para tratamento de mudança de sexo. Recuou. E por aí afora, tantos são os exemplos recentes de um governo que corre como barata tonta dentro do galinheiro, fugindo das bicadas e sem saber o que fazer.

O

utra brincadeira do governo Lulilma: a governanta decidiu tirar o transporte urbano do cálculo de dívidas do governo. Visa desafogar as contas e ajudar na recuperação do crescimento econômico e aplacar o clamor das ruas por melhorias nos serviços de transportes públicos, segundo o Estadão noticiou. Esse governo tem sido "expert" em manipular orçamento para melhorar as contas públicas. Achou nova maneira se sair bem na foto: com fotoshop, manipulação

PAULO SAAB

que elimina as celulites que continuam a existir. Lembra a piada besta do cidadão que flagra a mulher com outro no sofá da sala e decide o assunto vendendo o sofá. É um governo especializado em vender o sofá .

E

nquanto isso, o TCU indica que descobriu fraudes, desvios, em 73% dos convênios no repasse verbas da educação para a compra de material escolar para a rede pública... Quem tem Mantega ou Mercadante, não precisa de mais ninguém. O modo lulilma de governar continua o mesmo. Não mudou nem vai mudar.

N

ão vão atender ao pedido de moralização, de decência, de dignidade. Por motivos óbvios. Sabem ser apenas agentes do marketing eleitoral. Enganar a população mais pobre comprando-a com esmolas chamadas bolsas. Criando sua dependência eterna. E iludir a classe média com um volume incansável de propaganda sem consistência prática, paga com dinheiro público. Usam o dinheiro de todos para se perpetuarem no poder.

Vão tentar. Não vão conseguir. Comecei hoje com uma brincadeira popular. Termino com uma canção popular, que diz, na voz de Zé Geraldo : "Tudo isto acontecendo e eu aqui na praça, dando milhos aos pombos..."

D

e volta às ruas, Brasil, sem violência, para dizer que ninguém mais é bobo. Não vamos ficar jogando milho aos pombos enquanto nos enganam.

DEBANDADA Sem falsa virtude e sem maiores motivos, nunca na vida usei drogas, nem mesmo experimentei maconha. Nunca me fez falta o experimento. Tem gente que gosta. Haverá até quem me deboche por isso. Não importa. Mas pelo que vejo de movimento em torno do tema, vai haver debandada ao Uruguai, em vias de legalizar o uso da conhecida marijuana. Triste sina... PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Levantamento na Bovespa MAIS: já homens caiu de revela que, nos últimos cinco anos, a participação das mulheres cresceu de 23,4% para 25,2%.

gibaum@gibaum.com.br

2 “Não tem humildade e se acha professora de Deus.”

Chapéu de outra

RONALDO CAIADO // líder do DEM na Câmara, sobre as idas e vindas das propostas de Dilma. Fotos: Koto Bolofo

Dose de vendetta Quando Guido Mantega, ministro da Fazenda, comunicou ao FMI o apoio do governo brasileiro ao plano de socorro à Grécia, desautorizando o diretor executivo do organismo financeiro, Paulo Nogueira Batista Jr., representante do Brasil e de outros dez países da America Latina e do Caribe, que havia negado apoio do Fundo para o plano (sem autorização do ministério), aproveitou também para carregar junto uma dose de vendetta. Quando trabalhava no Brasil e era um dos principais articulistas do país, vira e mexe, Paulo ia contra quaisquer ações ou pensamentos de Mantega.

TEM MAIS A Editora Abril acaba de anunciar que vai fechar quatro revistas: Alfa, Bravo! , Gloss e Lola . Serão demitidos 150 funcionários, mais nove diretores, oito de redação e um de publicidade. É apenas o primeiro round de uma superreforma que a editora está fazendo em suas finanças, que incluiu também a não renovação de seu contrato com a Viacom, livrando-se da MTV. A Abril mantém um portfólio com quase 50 títulos e outros cinco estão na lista dos futuros possíveis fechamentos.

A atriz Uma Thurman é a nova garota-propaganda da Campari. Vai estrelar a edição 2014 do calendário da marca, que se chama Worldwide Celebrations e terá como tema, a cada mês, um festival de uma cultura de diferentes partes do planeta. Ela sucede uma série de superstars no calendário: já foram clicadas anteriormente Penélope Cruz, Jessica Alba, Salma Hayek, Eva Mendes e Milla Jovovich. Nas fotos, Uma aparece vestindo looks de alta-costura vermelhos, cor padrão da Campari e foram feitas pelo sulafricano Koto Bolofo, que mora em Paris e, além de trabalhos editoriais, já fotografou campanhas da Louis Vuitton e Dior.

Dama de vermelho

A proteção do governo russo a Edward Snowden reforça tese do governo brasileiro que acha que ele, depois de ter trabalhado para a CIA e para a NSA, trocou mesmo Washington por Pequim. A Rússia é aliada da China nos grandes conflitos internacionais. Quando divulgou o arsenal que atingiu Barack Obama num momento dos mais delicados, Snowden usou Hong-Kong. Na época, o presidente americano mobilizava sua máquina de arapongas para denunciar infiltrações do serviço secreto chinês. A história de Snowden é bem diferente de Julian Assange, fundador do WikiLeaks, com histórico de anarquismo.

Trocou de lado

Efeito Francisco A tradicional loja de departamentos de Londres, Harrod´s está planejando seu desembarque no Brasil, no ano que vem. A empresa pertenceu

Mudança de sexo Enquanto a nova polemica envolve redução de idade mínima para cirurgia de troca de sexo, levantamento do Ministério da Saúde revela que, nos últimos cinco anos (desde 2008 a operação pode ser feita pelo SUS), foram realizados 2.714 atendimentos hospitalares e ambulatoriais para o processo de mudança de sexo masculino para o feminino (média de duas cirurgias por dia). No ano passado, foram feitas 896 cirurgias.

Depois de John Mayer, Beyoncé e Justin Timberlake, que aproveitarão a vinda ao Rock in Rio para se apresentar em outras cidades brasileiras, também Alicia Keys, que vem primeira vez ao país, vai se apresentar dias 12 e 13 de novembro em São Paulo e dia 15 no festival do Rio. Girl on fire é o novo sucesso de Alicia Keys, quem vem bombando nas rádios.

Lei do silêncio A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) está preparando total revisão de normas para melhorar a comunicação de empresas com seus acionistas e o mercado em geral. O foco principal é em torno das declarações das companhias nas redes sociais, que repercutem de maneira colossal e provocam grandes oscilações nos papéis da Bovespa. A CVM quer criar uma espécie de cartilha de princípios para a divulgação de informações.

O chapéu que Dilma Rousseff usava na missa celebrada pelo Papa Francisco, em Copacabana, ao lado de Cristina Kirchner e Evo Morales, não era dela. Não agüentando muito sol no rosto e na cabeça, a Chefe do Governo pediu a um assessor que saísse em campo em busca de um chapéu. Uma senhora que caminhava nas proximidades topou emprestar o chapéu que estava usando, sob condição especial: fotos ao lado da presidente. Depois da missa, o chapéu foi devolvido.

QUEM PODE Até a última hora, quando Dilma Rousseff sancionou projeto que torna obrigatória a distribuição da pílula do dia seguinte para vitimas de estupro ou mesmo para as mulheres que quiserem, Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, mediu forças com Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência: ela a favor; ele, defendendo o veto. Gilbertinho é católico praticante, pessoalmente não apoiava o projeto e de antemão, sabia que Dilma terá de enfrentar evangélicos e católicos.

MISTURA FINA INDEPENDENTE de uma candidatura ao Senado, Sérgio Cabral (PMDB) deve mesmo deixar o governo em abril do ano que vem. Se ficar, impedirá a candidatura de seu filho Marco Antonio, presidente nacional da juventude do PMDB, à Câmara Federal.

A JORNADA Mundial da Juventude acabou e só agora se sabe que o padre-cantor Fábio Mello não apareceu na vigília na praia de Copacabana porque estaria comemorando o aniversário de Sasha, na casa de Xuxa Meneghel. Só deu o ar da graça no domingo. Quanto ao padre Marcelo Rossi, igualmente ausente de todos os capítulos da celebração, fica evidenciado de que o alto clero do país não morre de amores por ele (o motivo apresentado é que estava adoentado).

FERNANDO Gabeira, que não quer concorrer a mais nada na política, acaba de assinar contrato com a Globo News: terá um programa semanal com seu nome, fará entrevistas no estúdio e reportagens de rua com um equipamento que carrega na mochila. Deverá participar igualmente de outras produções do canal. Antes, Gabeira tinha um programa de entrevistas na BandNews.

Ela cresceu em São Paulo e garante que nunca ter sentido morar fora para valer. Já passou meses em Budapeste, Toronto, Vancouver, México, Nova York e Los Angeles e continua achando que “meu cantinho é mesmo na Vila Madalena”, bairro paulistano. Alice Braga de filmar Elisium , com Jodie Foster, que tem estréia mundial neste mês e está num projeto com Daniel de Oliveira, do diretor Felipe Braga: são oito episodios pelo mundo, um homem e uma mulher, se encontrando em oito países. Sobrinha de Sonia Braga, 30 anos, Alice é capa e recheio da nova GQ .

Alice à paulista

Harrod's no Brasil A tradicional loja de departamentos de Londres, Harrod´s está planejando seu desembarque no Brasil, no ano que vem. A empresa pertenceu ao magnata egípcio Mohamed Al-Fayed, pai de Dodi Al-Fayed que morreu com Lady Di, no trágico episódio na noite de Paris. Hoje, a Harrod´s conta com investimentos do fundo Qatar Holding. A loja funcionou durante décadas em Buenos Aires, em plena Calle Florida e junto com a economia argentina, foi ficando decadente até fechar as portas.

/ IN

Jaqueta de chamois.

A REDE Dunkin’ Donuts volta ao Brasil no começo do ano que vem, começando por São Paulo, Rio e Brasília: quer ter 60 unidades nos próximos cinco anos. Entre os anos 80 e 90, já teve lanchonetes por aqui, mas acabou não dando certo. A Dunkin’ Donuts tem mais de 300 pontos na America Latina e Caribe.

/

QUEM VEM

76,6% para 74,5%. Hoje, a Bolsa conta com 468 mil investidores. Quer mais e não consegue: medo.

OUT

Jaqueta de jeans.

GolscomBach Lionel Messi anda encantado com o maestro brasileiro João Carlos Martins. Avesso a exaltações sobre seus talentos em campo, publicou um vídeo em seu canal no YouTube, que mostra uma seleção de seus melhores gols ao som da Cantata nº 29, de Bach, sob a regência de João Carlos. Depois, foi ao Facebook e agradeceu o maestro “por embalar meus gols com o maior compositor da música clássica”. Neymar, novo companheiro de Messi no Barcelona, confessa jamais ter ouvido qualquer composição de Johann Sebastian Bach.

ALEXANDRE Frota está denunciando que a Record manipula o resultado final de A Fazenda: quem vai ganhar, já sabe com antecedência e tem contrato de gaveta com a emissora. No caso da edição atual, a vencedora, segundo Frota, será a ex-bailarina do É o Tchan, Scheila Carvalho. Ele garante que igualmente as vitorias de Dado Dolabella, Karina Bacchi, Joana Machado e Viviane Araujo, foram devidamente combinadas antes.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

5 DILMA ASSUME NEGOCIAÇÃO Com a perspectiva da votação de propostas indigestas para o governo nesta semana, quando o Congresso volta de férias, a presidente Dilma Rousseff vai entrar em campo para enquadrar os aliados. Ela se reúne hoje com líderes da base para acertar a pauta dos próximos dias.

olítica

FORO DE SÃO PAULO

A melhor buzina é a da pressão, das causas justas que precisam de urgência e nem sempre a gente consegue responder com muita urgência. Gilberto Carvalho, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República

Evo elogia Corinthians por solidariedade

Verdades da História sempre vencem a propaganda política populista. Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente O Brasil não está preparado para um presidente negro. Acho que ainda há bolsões de intolerância muito fortes e não declarados. Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal

Presidente da Bolívia ressalta os US$ 50 mil que a família do garoto morto recebeu do clube de futebol Mário Tonocchi

O

presidente da Bolívia, Evo Morales, criticou ontem, no encerramento da 19ª edição do Foro de São Paulo (que reuniu partidos de esquerda da América Latina e Caribe), a Justiça boliviana pela atuação no caso dos torcedores corintianos que ficaram presos por quase seis meses na cidade de Oruro. Eles foram acusados de envolvimento na morte do garoto Kevin Beltrán Espada durante o jogo Corinthians e San Jose, no dia 20 de fevereiro, pela Copa Libertadores. "O

Eu não me deixo influenciar por pressão das ruas, temos que julgar com o que consta no processo, não com reivindicações exaltadas, com movimentos populares. O STF não pode submeter-se a pressões, venham de onde vierem. Celso de Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal, sobre o julgamento dos recursos do Mensalão Dida Sampaio/ EC

Aécio Neves, senador de Minas Gerais (PSDB)

que está se passando com a Justiça boliviana? Se tem que acusar, tem que acusar um, não onze", disse Evo Morales, ressaltando que em seu país há independência dos poderes Executivo e Judiciário e por isso "estava de mãos atadas". "Lamento a morte dele. Achei que eles (os torcedores corintianos) tivessem sido presos no estádio, não na rua." Morales disse estar contente com a liberação dos torcedores e elogiou a postura do Corinthians de "solidariedade" – já que o clube fez uma doação de US$ 50 mil (R$ 112,5 mil) à família do garoto de apenas 14 anos, atingido por um sinalizador.

plomática brasileira parece não ser tão efetiva no caso do senador boliviano Roger Pinto, asilado na Embaixada do Brasil em La Paz, desde maio de 2012 . Opositor de Morales, Pinto, acusado de corrupção na Justiça boliviana, alega estar sendo alvo de perseguição política. O governo boliviano, porém, não lhe dá salvo-conduto para que deixe a representação brasileira. "Esse tema está nas mãos da Justiça boliviana, não do governo . Antes de Pinto visitar a embaixada brasileira, ele já respondia a muitos processos por corrupção", disse Morales. (Com agências)

Boliviano propôs a Lula, e não à presidente Dilma, a criação de uma câmara para fortalecer nacionalizações.

E

A nossa aliança não pode se dar por interesses secundários, por interesses acessórios. A nossa aliança tem que se dar por identidade de propósitos, de objetivos. Ricardo Ferraço, senador (PMDB-ES)

Rodolpho Stuckert/ Ag. Câmara

Havia uma proposta de rever alianças, mas ela não dizia em qual direção e com quem. Rui Falcão, deputado e presidente nacional do PT

vo Morales quer evitar contro que eles tiveram na embaraços nas disputas noite do último sábado. "Tejudiciais internacionais mos que nos organizar para com empresas multinacionais defender os processos de liestatizadas por governos de bertação. Não podemos nos esquerda. E, para isso, defen- mobilizar apenas quando há deu a criação de problemas." uma câmara. "TeEle disse que mos de começar a apresentou a proorganizar esses posta a Lula e não Temos que nos conselhos econôà atual presidenorganizar para t e , D i l m a R o u smicos e jurídicos com especialistas seff, devido à sua defender os em temas internarelação de conprocessos cionais que posfiança com ele. de libertação. sam nos ajudar a "Se nossos goEVO MORALES, lidar com esses vernos fracassaprocessos que rem em seus paíPRESIDENTE DA BOLÍVIA surgem porque ses, não poderenacionalizamos os serviços mos seguir avançando no sobásicos, recursos naturais ou c i a l i s m o " , o b s e r v o u e l e , de telecomunicações", disse criticando as empresas tranpresidente boliviano. sacionais que sempre pedem Morales propôs a ideia ao segurança jurídica para invesex-presidente brasileiro Luiz tir. "Eles me pedem segurança Inácio Lula da Silva (PT) em en- jurídica e política. Para mim, o Paulo Pampolim/ Hype

Ed Ferreira/ EC

Michel Temer é um sabotador porque sabotou a tentativa da presidente Dilma de realizar o plebiscito. Markus Sokol, integrante da direção nacional do PT A mídia é desonesta, dá-se a entender que o papa liberou o que a bíblia proibiu. O papa disse que a igreja não muda seus posicionamentos. Ou seja, ela ama o pecador, mas não ama o pecado. Aceita o homossexual, mas não aceita o ato homossexual. A igreja não muda o que a bíblia diz. Marco Feliciano, deputado (PSC-SP) e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara

Chegada – Os cinco últimos torcedores corintianos chegaram no sábado ao Brasil e foram recebidos no aeroporto por familiares e integrantes das torcidas organizadas do Corinthians. Os outros sete já tinham saído da prisão no começo de junho. Os 12 alegaram inocência, mas foram mantidos presos em Oruro enquanto aconteciam as investigações sobre o caso. Em meio ao impasse, o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, foi à Bolívia no mês passado tratar do assunto com Morales e com integrantes da Justiça. Se pode ter ajudado a libertar os brasileiros, a pressão di-

E propõe se organizar para estatizar

O governo de Dilma chegou ao seu final de forma extremamente prematura. O governo do PT copia várias das iniciativas do governo do PSDB, mas perdeu a oportunidade de dar um passo concreto na direção do pacto pela verdade.

Realmente não pode existir o "volta Lula" porque ela é uma consequência do Lula. Eduardo Cunha, líder do PMDB na Câmara

Evo Morales, presidente da Bolívia, diz que estava de mãos atadas no caso dos corintianos.

Paulo Pampolim/ Hype

Ed Ferreira/ EC

Eu estava precisando mesmo de uma dose de humildade, errei por não ouvir. Aprendi, com a vinda do papa, a ouvir os outros lados, estou aberto. Sérgio Cabral, governador do Rio (PMDB-RJ)

HOMENAGEM – O sábado no Foro de São Paulo mostrou o quanto a presença de Hugo Chávez é forte entre os esquerdistas da América Latina. O Foro prestou uma homenagem ao líder bolivariano debatendo seus pensamentos e propostas socialistas. Esteve presidente ao ato Adán Chávez, irmão do falecido presidente e governador do Estado de Barinas. Segundo Adán, "o mundo mantêm dois sistemas que são antagônicos: o capitalismo e o socialismo. Um encarna a destruição. O outro, a construção." A plateia foi ao delírio com a declaração.

mais importante é a segurança da pátria e do povo." Comida – Mas a segurança dos governos de esquerda na América Latina e Caribe podem ser ameaçadas. Morales advertiu que os governos de esquerda podem enfrentar "levantes" populares se a economia do país "não desenvolver-se a contento ou ainda mais se houver escassez de alimentos". "Estou convencido de que se um país deixar de apoiar um presidente ou o governo , será por falta de comida, falta de crescimento eco-

nômico ou falta de energia. Penso se os governos de esquerda podem suportar tais levantes do povo." E citou como exemplo a derrota dos socialistas na Espanha, em 2011. "Se alguma coisa está faltando não é ideologia." No documento final da 19º Foro de São Paulo, o atual momento é chamado de "guerra de posições". O texto declara apoio a Dilma ante "manobras da direita" para "sabotar seu governo". A 20ª edição acontecerá, em 2014, em Cochabamba, na Bolívia.

Bradseg Promotora de Vendas S.A. CNPJ no 10.428.992/0001-06 - NIRE 35.300.381.718 Ata Sumária das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 30.4.2013 Data, Hora, Local: Em 30.4.2013, às 13h, na sede social, Cidade de Deus, Prédio Prata, 4 o andar, Vila Yara, Osasco, SP. Mesa: Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Ariovaldo Pereira. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade. Publicações Prévias: Os documentos de que trata o Artigo 133 da Lei no 6.404/76, quais sejam, o Relatório da Administração e as Demonstrações Contábeis, relativos ao exercício social findo em 31.12.2012, foram publicados em 28.3.2013, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, página 64, e “Diário do Comércio”, página 10. Leitura de Documentos: Os documentos citados no item “Publicações Prévias”, bem como as propostas da Diretoria foram lidos, colocados sobre a mesa e entregues à apreciação do acionista. Deliberações: Assembleia Geral Extraordinária: Aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele Órgão de 26.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para alterar o Estatuto Social, no Artigo 7o, relativamente à extensão do prazo de mandato dos membros da Diretoria. Em consequência, a redação do Artigo 7 o do Estatuto Social passa a ser a seguinte: “Art. 7o) A Sociedade será administrada por uma Diretoria, eleita pela Assembleia Geral, com mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, composta de 2 (dois) a 6 (seis) membros, sendo 1 (um) Diretor-Presidente e de 1 (um) a 5 (cinco) Diretores.”. Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento do Relatório da Administração, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2012; II) aprovada a proposta da Diretoria, sem qualquer alteração ou ressalva, registrada na Reunião daquele Órgão de 26.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para destinação do lucro líquido do exercício no valor de R$1.691.708,87, conforme segue: R$84.585,44 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$1.205.342,57 para a conta “Reserva de Lucros – Estatutária”; e R$401.780,86 para pagamento de dividendos, o qual foi feito em 28.3.2013; III) reeleitos, para compor a Diretoria da Sociedade, os senhores: Diretor-Presidente: Marco Antonio Rossi , brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55; Diretores: Lúcio Flávio Condurú de Oliveira , brasileiro, casado, securitário, RG 54.543.372-1/SSP-SP, CPF 236.703.472/91, ambos domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900; Marcio Serôa de Araujo Coriolano, brasileiro, divorciado, economista, RG 2.686.957-8/SSP-RJ, CPF 330.216.357/68, com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, parte, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20261-901; Norton Glabes Labes , brasileiro, casado, securitário, RG 3.594.614-3/SSP-SP, CPF 111.610.008/87; Tarcísio José Massote de Godoy, brasileiro, casado, securitário, RG 554.548/SSP-DF, CPF 316.688.601/04; e eleito o senhor Vinicius José de Almeida Albernaz , brasileiro, casado, economista, RG 08.191.044-0/SSP-RJ, CPF 013.908.097/06, todos com domicílio na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP, CEP 01311-925. Todos terão mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos Diretores que serão eleitos na Assembleia Geral Ordinária que se realizar no ano de 2014. Os Diretores reeleitos e o eleito, declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) não fixar remuneração aos Administradores da Sociedade, tendo em vista que todos já recebem remuneração pelas funções que exercem no Banco Bradesco S.A., controlador indireto, e em outras empresas do Grupo Bradesco de Seguros e Previdência, em consonância com a prática da Organização Bradesco. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes que a subscrevem. aa) Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Ariovaldo Pereira; Administrador: Norton Glabes Labes; Acionista: Bradseg Participações S.A., por seu Diretor, senhor Norton Glabes Labes. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Ariovaldo Pereira – Secretário. Certidão Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 265.087/13-2, em 18.7.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Estamos vendo que os EUA não brincam em serviço. Política de integração a gente não faz por telefone. Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente

olítica

FORO DE SÃO PAULO

Paulo Fischer/ Brazil Photo Press/ EC

Lula fala em debilidade da esquerda Ele afirma: 'estamos velhos e enfraquecidos'. Mário Tonocchi

O

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na última sexta-feira à noite, dia em que participou do Foro de São Paulo, que o movimento sindical está ficando velho diante da juventude que protesta contra a corrupção nas ruas brasileiras. "O movimento sindical, com todos os recursos que tem, nem sequer tem uma comunicação pela internet. Nós, na verdade, estamos ficando velhos", afirmou. O ex-presidente também lembrou que "existe de tudo" nos protestos que tomaram conta do País no mês de junho. "Essas manifestações têm de tudo, a maioria é coisa boa. Mas por trás disso tem fascistas também. Ao encontrar alguém na rua protestando seria melhor perguntar: por que você está protestando? E não achar que são inimigos", disse ele aos participantes.

SURPRESA Ainda sobre as manifestações, Lula disse que elas também pegaram de surpresa muita gente. "Nós não podemos mais continuar funcionando na forma de organização tradicional que nós tínhamos. Esses movimentos que aconteceram aqui no Brasil pegaram de surpresa todos os partidos de esquerda, todos os partidos de direita, pegaram de surpresa todo o movimento sindical e todo o movimento social", afirmou.  O ex-presidente petista também falou sobre a democratização dos meios de comunicação e observou que existe a necessidade da esquerda criar os seus próprios instrumentos de comunicação. "Nós não podemos apenas ficar chorando o problema da mídia conservadora em cada país. Ela é conservadora no Brasil, na Venezuela, na Colômbia, na Argentina,

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na sexta-feira, dá uma palavra de esperança: 'A América Latina pode ser o farol para a nova esquerda.' no Uruguai, em El Salvador. E nós não podemos ficar apenas reclamando que os nossos adversários utilizam a mídia conservadora. Agora com a internet, do jeito que funciona, temos a chance pela primeira vez de criar um instrumento de comunicação entre nós e não ficar devendo favor a ninguém em lugar nenhum do mundo", disse ele. ALFINETADA NOS EUA Lula pediu mais agilidade na integração regional da América Latina. "Estamos

vendo que os Estados Unidos não brincam em serviço. Evoluímos muito do ponto de vista da integração, mas precisamos avançar 50 ou 100 vezes mais. Política de integração a gente não faz por telefone", afirmou. "Pelo fato de a esquerda estar enfraquecida na maioria dos países do mundo, a América Latina pode, neste momento, ser o grande farol para a nova esquerda que queremos criar para o mundo. A esquerda europeia perdeu o discurso porque ficou muito semelhante

ao discurso da direita", completou o ex-presidente. CONSENSO DE ESQUERDA Lula defendeu ainda que seja criado para os partidos e governos de esquerda uma doutrina em resposta ao chamado "Consenso de Washington – conjunto de práticas recomendadas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) no fim dos anos 1980 para ajustar as economias dos países da América Latina – e hoje considerado um marco do neoliberalismo. "Estou querendo

criar uma doutrina sobre integração. Está na hora de construirmos um consenso das esquerdas na América Latina", afirmou ele. Criado em 1990, o Foro de São Paulo reúne partidos de esquerda de países da América Latina e Caribe. Participam do Foro, no Brasil, sete partidos: PT, PCdoB, PCB, PPL, PPS, PSB e PDT. Este ano foi registrada a presença de 1.330 participantes de 91 organizações socialistas de 39 países, segundo os organizadores do evento.

Fotos: Cris Faga/ Fox Press/ EC

Manifestantes gritam 'ladrão'

U

Cartazes com palavras contra a escola de formação política

SECRETARIA DA SAÚDE AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL Torna público que realizará no dia e hora a seguir determinado: Pregão Presencial nº: 242/2013 - Processo nº 2013-0.204.063-0 Objeto: AQUISIÇÃO DE ENOXAPARINA SÓDICA 100 MG/ML 0,6 ML, PARA USO NAS UNIDADES DA AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL. Data Abertura: 16/08/2013 - às 09:00 horas. Endereço: Rua Frei Caneca, 1398/1402, 2º andar - Consolação - São Paulo Capital. Custo do Edital: R$ 5,25. O edital do pregão poderá ser consultado e/ou obtido no site: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br ou no Núcleo de Licitações da Autarquia Hospitalar Municipal, situada na Rua Frei Caneca, 1398/1402 - 9º andar Consolação - São Paulo - Capital, das 9:00 às 16:00 horas, aquisição mediante depósito em nome da Autarquia Hospitalar Municipal - Conta-Corrente: 5.415-1 Agência: 1.897-X - Banco do Brasil - (Apresentar comprovante do depósito).

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: REABERTURA - PREGÃO ELETRÔNICO 068/2013-SMS.G, processo 2012-0.354.389-8, destinado ao registro de preços para o fornecimento de PRESERVATIVO FEMININO COM LUBRIFICANTE, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço unitário. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 14 horas do dia 16 de agosto de 2013, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 275/2013-SMS.G, processo 2013-0.121.621-2, destinado ao registro de preço para o fornecimento de ADRENÉRGICOS E ANTI-INFECCIOSOS I, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 16 de agosto de 2013, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 297/2013-SMS.G, processo 2013-0.135.006-7, destinado ao registro de preço para o fornecimento de RECIPIENTES PARA MATERIAIS PERFURO CORTANTE 3 LITROS E 7 LITROS, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 10 horas do dia 16 de agosto de 2013, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

m grupo de manifestantes realizou um ato pacífico, na tarde do último sábado, em frente ao Hotel Jaraguá, no centro da cidade, onde acontecia a reunião de partidos de esquerda do Foro de São Paulo. Com cartazes nas mãos, os manifestantes gritaram palavras de ordem chamando o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva de "ladrão" e fazendo coro contra atos políticos da atual presidente Dilma Rousseff (PT). O ato terminou por volta das 16h, cerca de uma hora depois de seu início. Um grupo de es-

tudantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) enfrentou os manifestantes contrários ao Foro gritando: "Fora capitalistas, a América Latina vai ser toda socialista!". Não houve incidentes. Na última quinta-feira à noite, entretanto, um grupo de cerca de 20 jovens ofendeu e chegou a tentar agredir um outro grupo de esquerdistas que jantavam em um restaurante ao lado do hotel onde aconteceu o Foro. A Polícia registrou a ocorrência, dois jovens, um deles adolescente, foram detidos e liberados. Ninguém ficou ferido. (MT)

Manifestantes na entrada do hotel que recebeu Lula e Evo Morales

Fontana pode rachar bancada do PT Deputado petista que perdeu o comando da reforma política avisa: vai fazer o possível contra a minirreforma.

O

deputado Henrique Fontana (PT-RS) vai trabalhar para que a bancada do PT na Câmara se posicione contra a minirreforma eleitoral que propõe alterações na legislação eleitoral diminuindo punições a partidos e candidatos, derrubando restrições às doações e colocando amarras no Judiciário e no Ministério Público. A bancada do PT se reúne hoje. Segundo Fontana, o texto da minirreforma traz medidas "cosméticas" ou pioram o cenário político. Ele critica especialmente a autorização de propaganda paga na internet e a liberação de doações aos partidos pelas concessionárias de serviços públicos. Fontana diz que estas medidas apenas

Luis Macedo/ Ag.Câmara

encarecem as campanhas e incentivam a ampliação das doações empresariais. "Vou trabalhar muito para que a bancada do PT se posicione contra esta votação. E que se a votação ocorrer, que vote contra o texto. Esta proposta é o anticlímax", disse Fontana. O texto da reforma é coordenado pelo deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), ex-líder do governo na Câmara e coordenador da comissão que discute a reforma política. Vaccarrezza se tornou desafeto de Fontana na disputa pelo controle do grupo que discute a reforma política. Fontana queria controlar os trabalhos, mas Vaccarezza foi convidado pelo presidente da Casa, Henrique Alves (PMDBRN), para o posto.

Henrique Fontana promete trabalhar contra a proposta de Vacarezza O texto da minirreforma altera quase todo o sistema eleitoral e deve ser votado neste mês pela Câmara. Coordenador da minirreforma, Vaccarezza nega que as mudanças tenham o objetivo de enfraquecer a fiscalização e

punição de candidatos. "Se houver algum ponto que estimule a impunidade, eu vou alterar. Não existe risco de facilitar a malandragem. O objetivo é coibi-la", disse. "O objetivo dessa reforma é tornar a eleição menos burocrática." (Folhapress)

Código de Processo Civil: votação em agosto.

A

segunda quinzena de agosto é o período previsto para a votação, em plenário, de um dos projetos mais complexos em tramitação na Câmara: o do novo Código de Processo Civil (CPC), que vai modificar as re-

gras de julgamento de todas as ações que não sejam penais, o que inclui Direito de Família, Direito do Trabalho, Direito do Consumidor e ações de indenização, entre outras. A proposta foi aprovada em comissão especial no último

dia 17, e a negociação conduzida pelo presidente do colegiado, deputado Fabio Trad (PMDB-ES), levou a um acordo quase unânime em torno da maior parte do texto. O presidente da Câmara, Henrique Alves, se compro-

meteu com a votação em plenário, que só depende de liberação da pauta. A principal função do novo CPC é dar mais velocidade às decisões judiciais. E prevê o uso, por exemplo, de processos eletrônicos. (Ag. Câmara)


sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7 ISRAEL Em desafio à paz, 91 assentamentos na Cisjordânia vão receber incentivos.

nternacional

'MÃE DA REVOLUÇÃO' Egito proíbe entrada de Prêmio Nobel da Paz, a iemenita Tawakul Karman.

Yahya Arhab/EPA/EFE

Mais uma semana à espera do terror Os Estados Unidos fecharam ontem 22 embaixadas e consulados em todo o Oriente Médio e no norte da África em meio a temores de um ataque terrorista da rede extremista Al-Qaeda. Diversas missões diplomáticas permanecerão fechadas até o dia 10 de agosto, diante de uma ameaça de ataque "comparável ao 11 de Setembro de 2001", segundo um senador norte-americano. Uma troca de mensagem entre líderes da Al-Qaeda, interceptada eletronicamente pela Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês), teria motivado a decisão de Washington. De acordo com fontes da Casa Branca, as interceptações captaram, sobretudo, movimentações suspeitas da célula da Al-Qaeda no Iêmen. Além das supostas ameaças de ataques, a fuga de prisioneiros em diversos países da região e a proximidade do fim do Ramadã, mês sagrado para os islâmicos, teriam sido determinantes para o alerta. Das 22 missões diplomáticas fechadas ontem, nove voltarão a funcionar a partir de hoje – entre elas, a de Bagdá, no Iraque, e a de Cabul, no Afeganistão. Às 13 restantes, o governo dos EUA adicionou outras seis que permanecerão fechadas até o dia 10 (à esq., embaixadas dos EUA no Iêmen e em Israel). O prolongamento do fechamento não tem a ver com "uma

Oliver Weiken/EPA/EFE

Abedin Taherkenareh/EPA/EFE

Em tom conciliador, o presidente eleito do Irã, Hassan Rouhani, tomou posse do cargo ontem e enviou um recado aos países ocidentais em relação ao programa nuclear iraniano: "a única solução é o diálogo, e não as sanções". Desde sua vitória eleitoral por ampla margem contra rivais conservadores em junho, muitos dentro e fora do Irã colocaram suas esperanças por uma solução diplomática em Rouhani, um clérigo cuja palavra-chave é moderação, mas que ainda assim é uma autoridade da República Islâmica. Pela primeira vez, a posse de um presidente no Irã contou com a presença de dignitários estrangeiros, incluindo o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, e diversos líderes regionais (acima, à dir.). "O único caminho para interação com o Irã é diálogo em condição de igualdade, construção de confiança e respeito mútuo, além de menor antagonismo e agressão", disse Rouhani em clara mensagem aos Estados Unidos, durante discurso após prestar juramento no Parlamento. "Se você quer a reação correta, não fale com o Irã na língua de sanções, fale na língua de respeito." O governo dos EUA, enquanto isso, manifestou a expectativa de que o novo presidente do Irã "siga a vontade" dos eleitores e faça escolhas que "melho-

O Irã quer diálogo. Começa a era de Rouhani.

rem a vida" dos iranianos. Por meio de nota, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse que a posse dá ao Irã "uma chance de agir rapidamente" em relação às preocupações de outros países sobre o programa nuclear iraniano. Segundo Carney, Rouhani encontrará nos EUA um "parceiro disposto" se decidir "engajar-se substancial e seriamente" no cumprimento de suas obrigações internacionais e trabalhar no sentido de uma solução pacífica para a questão nuclear. Rompimento - Rouhani herda um país em dificuldades econômicas ao suceder Mahmoud Ahmadinejad, cuja postura provocativa isolou internacionalmente o Irã ao longo de dois turbulentos mandatos de quatro anos. Sinalizando seu desejo de

começar a trabalhar rapidamente, Rouhani imediatamente apresentou sua lista de indicados ao gabinete ao presidente do Parlamento, embora ele ainda tenha duas semanas para fazê-lo. Para integrar sua equipe, Rouhani selecionou tecnocratas experientes e conhecidos da comunidade internacional. O destaque é o ex-embaixador do Irã para a Organização das

nova ameaça, simplesmente indica nosso compromisso em tomar precauções e as medidas adequadas para proteger nossos funcionários", explicou os EUA em comunicado. Reino Unido, Holanda, França e Alemanha também decidiram fechar suas embaixadas ontem por precaução. Passado - Segundo declarou à rede CNN o senador Saxby Chambliss, vice-presidente do Comitê de Inteligência do Senado dos EUA, as mensagens "lembram muito o que vimos antes do 11 de Setembro". "Não demos a atenção que deveríamos antes do 11 de Setembro, mas acho que agora nós deveríamos prestar atenção a esse tipo de planejamento", disse. "Se serão suicidas ou carros-bomba, não sabemos, mas temos ouvido o mesmo tipo de conversa que ouvimos antes do 11 de Setembro", advertiu. Vigilância - O alerta acontece no momento em que a NSA é alvo de fortes críticas após o ex-agente da CIA Edward Snowden ter revelado que a agência monitora a comunicação eletrônica de cidadãos dentro e fora dos EUA. "Se não tivéssemos esses programas, não poderíamos ouvir o que os 'caras maus' estão dizendo. Embora esses programas sejam controversos, esta é uma boa indicação de por que eles são importantes", defendeu Chambliss. (Agências)

Alessandro Bianchi/Reuters

Nações Unidas (ONU) Mohammad Javad Zarif, escolhido como ministro das Relações Exteriores. Zarif é um diplomata respeitado, bem conhecido por autoridades de alto escalão dos EUA, incluindo o vice-presidente, Joe Biden, e o secretário de Defesa, Chuck Hagel. Enviados ocidentais que conhecem Zarif expressaram esperanças de que sua indicação possa ser um sinal do interesse de Rouhani em romper o impasse entre o Irã e os EUA. Bijan Zanganeh, um tecnocrata apartidário, foi indicado para retornar ao posto de ministro do Petróleo, que ele ocupou entre 1997 e 2005. Brasil - O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, foi um dos dignitários que participou da posse de Rouhani. Durante sua visita, Patriota reuniu-se com o homólogo iraniano, Ali Akbar Salehi, que teria assegurado que Teerã está disposto a aprofundar as relações com o Brasil. (Agências)

'SOU INOCENTE' Condenado a quatro anos de prisão por fraude tributária, o ex-premiê da Itália Silvio Berlusconi reiterou ontem que é inocente". A declaração foi feita a uma multidão de partidários que se reuniu diante de sua man-

são em Roma (acima, com a namorada Francesca). Apesar da instabilidade criada pelo veredicto, ele disse que o governo "precisa seguir adiante". "Os interesses de todos e de nossa Itália vêm primeiro." (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

c

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Ecoabsorvente: opção ecológica.

idades Fotos: Paulo Pampolin/Hype

Pelo bem da casa, do trabalho e do planeta. Casal com estilo sustentável ensina como tornar a casa ambientalmente correta Mariana Missiaggia

A

vontade de se sentir parte da natureza e contribuir com o meio ambiente fez um casal, no Jardim Bonfiglioli, na zona oeste de São Paulo, transformar seu estilo de vida em profissão. Em casa, Claudio Vinicius Spinola de Andrade, 37 anos, e Ana Paula Silva, 29 anos, proprietários da Morada da Floresta, ensinam como é possível viver de maneira sustentável, seja lá onde você estiver - no campo, nas pequenas e médias cidades e, é claro, na metrópole. A fachada do número 47, da Rua Diogo do Couto, já diz muito do que se pratica ali. As plantas que crescem até acima do muro e os tonéis nas cores da coleta seletiva dispostos na calçada se destacam entre as casas vizinhas, onde o cinza é a cor que predomina. "Nosso pensamento é tão natural que nosso trabalho é a nossa residência, onde procuramos aplicar práticas sustentáveis visando a sustentabilidade do planeta. A partir de nossas experiências, mostramos para o outro que a sustentabilidade começa em casa através das práticas do cotidiano", explicou Paula. Tudo começou em 2006, quando Paula decidiu abandonar seu trabalho em uma concessionária e começar a estudar naturopatia e a permacultura, que tem como princípio estabelecer uma fonte de sus-

tento dentro do próprio lar. Em contato com práticas ecológicas, ela começou a modificar seus hábitos e conheceu Claudio, seu atual marido, que já levava uma vida um tanto quanto alternativa. Pouco depois, os dois se mudaram para o endereço atual, no Jardim Bonfiglioli. A casa escolhida para ser a residência do casal passou por uma reforma, ganhou madeiras de

demolição e recebeu o plantio de diversas espécies de mudas e ervas comestíveis. A residência também passou a contar com hortas sobre o muro, centro de compostagem de resíduo orgânico, telhado com captação de chuva que direciona a água para as privadas, torneiras externas, irrigação e lavagem. Além disso, há telhados verdes e sistema de iluminação e aquecimento solar. Empresa – Com todas essas adaptações, o lar da família, que tem dois filhos, recebeu o nome de Morada da Floresta e virou também uma empresa

que, além de espalhar boas práticas ambientais, tornouse o sustento da família. "É um ambiente onde recebemos muitas pessoas que buscam informações acerca de soluções ecológicas, que querem participar dos cursos e vivências", disse. Um exemplo deste trabalho é para quem deseja reutilizar os restos orgânicos da cozinha. A Morada da Floresta oferece um sistema pronto, chamado de composteiras (de R$ 170 a R$ 278), para ser usado em ambientes domésticos e empresariais, pois são adaptados conforme a necessidade do local. A universidade Presbiteriana Mackenzie, no Centro, é uma das instituições adeptas ao sistema. M i n ho c a s – O mau cheiro causado pelo resto dos alimentos é eliminado com o uso de serragem e folhas secas. Uma cama de centenas de minhocas da espécie californiana consome todo o material orgânico e o transforma num rico adubo. Outras alternativas de produtos criados a partir das necessidades rotineiras de Claudio e Paula foram as fraldas ecológicas feitas de pano (R$ 40, cada) e os ecoabsorventes de tecido (R$ 12, cada). O nascimento dos filhos do casal, Violeta Luz, 5 anos, e Micah, 3 anos, fez Paula procurar alternativas não-descartáveis. "Nossos filhos não produzem o lixo das fraldas descartáveis. São aproximadamente 6 mil fraldas descartáveis por bebê.

Ana Paula na horta plantada em casa pelo casal: legumes e verduras frescas direto da terra e sem agrotóxicos.

Claudio Andrade e Ana Paula Silva, donos do Morada Sustentável: estilo de vida do casal virou profissão. Cada fralda leva 450 anos para se decompor. Ou seja, até hoje, nenhuma fralda descartável que foi consumida se decompôs no planeta. Além disso, é um dinheiro que vai todo para o lixo e as fraldas de pano são bem mais confortáveis para os bebês. São soluções que sanaram as nossas necessidades e que, de uma certa forma, viraram produtos para facilitar a vi-

da de outras famílias", explicou Paula, que montou a confecção Bebês Ecológicos. Embora a lavagem e secagem das peças possam dar um pouco mais de trabalho, Paula garante bastante praticidade em seus produtos de algodão, velcro e botão. Muitos modelos e materiais estão disponíveis para a comodidade dos bebês e para o bem do meio ambiente.

S ERVIÇO Morada da Floresta Rua Diogo do Couto, 47 Jardim Bonfiglioli, São Paulo. Telefone: (11) 3735 4085 Na internet: www.moradadafloresta.org.br

Com soluções criativas, até os muros da casa recebem um tratamento ecológico e abrigam canteiros.

Claudio Peri/EFE/EPA

O papa, aos fiéis: "Não me esqueço do Brasil"

"Q

uero enfatizar meus a g r a d e c imentos aos brasileiros: é uma boa gente a do Brasil, um povo de grande coração. Não me esqueço de sua calorosa recepção, da sua cordialidade, de seus olhares, de sua alegria. É um povo generoso. Peço ao senhor que os abençoe", declarou o papa perante milhares de fiéis presentes ontem na Praça São Pedro apesar do calor intenso. No primeiro Ângelus desde que deixou o Brasil e regressou ao Vaticano, o papa Francisco agradeceu em especial a "todos os jovens que participaram com sacrifícios" e "ao Senhor, pelos encontros com

os pastores e o povo desse grande país que é o Brasil, assim como suas autoridades e os voluntários". "O Senhor recompense a todos aqueles que trabalharam por essa grande festa da fé", prosseguiu o pontífice. Na avaliação do papa, a JMJ deste ano, realizada no Rio de Janeiro, foi importante para "o Brasil, a América Latina e o mundo inteiro". Segundo ele, é preciso lembrar da JMJ não como "fogos de artifícios, mas como etapas de um longo caminho aberto em 1985 por iniciativa do papa João Paulo II". Francisco manifestou ainda o desejo de que a experiência da JMJ no Brasil "seja capaz de se incorporar ao caminho cotidiano, ao comportamento de

todos os dias, e que se possa traduzir também em decisões importantes na vida". Telefone, internet e os peregrinos - Os serviços de telefonia e internet foram os que receberam a pior avaliação dos peregrinos que estiveram no Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude. Conforme pesquisa da Embratur, 30,6% dos entrevistados os avaliaram como ruins ou péssimos. O levantamento ouviu 500 pessoas. O segundo ponto que menos agradou os visitantes foi a limpeza pública (13,3%). Telefonia e internet também foram os pontos mais criticados em relação a preços. Um a cada três turistas os avaliou como muito caros. Apesar das críticas, 89% dos

entrevistados se disseram satisfeitos ou muito satisfeitos com a viagem. Do grupo ouvido pelo estudo, 80% nunca havia visitado o Brasil antes. Nove em cada dez disseram pretender retornar ao país. O item mais bem avaliado pelos turistas da JMJ foi a sinalização da cidade, que 79,4% das pessoas classificaram como ótima ou boa. Em segundo e terceiro lugares ficaram, respectivamente, aeroportos (76,5%) e segurança pública (73,2%). Entre os serviços turísticos, os que menos agradaram foram acesso a serviços de câmbio --recebeu avaliação como ruim ou péssimo de 30,1% dos participantes-- e a oferta de cardápios em outras línguas (29,3%).


sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

9 COLETA E ANÁLISE O material que está sendo colhido e analisado servirá como base para a elaboração do projeto de restauro da fachada.

acsp distritais

Fotos: Newton Santos/Hype

Fechado às pressas O Museu do Ipiranga está fechado por tempo indeterminado. Em nota distribuída ontem à imprensa, a USP, gestora do museu, explica que a decisão é resultado de vistorias que mostraram a necessidade de uma reforma ampla. André de Almeida

O

Museu Paulista da Univerpriedades; coletores de águas plusidade de São Paulo (USP), viais e condutores da cobertura; porconhecido como Museu do tas, esquadrias e elementos decoraIpiranga, deverá ter, pela tivos; caixilhos de portas e janelas; primeira vez, sua fachada totalmencalçadas em torno da edificação; te reformada. As obras devem aconpontos de iluminação, que podem intecer em 2014, mas há 20 dias uma fluir na formação de fungos; e lumináequipe de restauradores e conservarias e estruturas metálicas fixadas na dores já trabalha no local. O objetivo é fachada do prédio. elaborar um diagnóstico do atual esTecnologia - A tecnologia é uma das tado do imóvel antes de iniciar a remaiores aliadas da equipe. Os técniforma. Materiais estão sendo colhicos utilizam, por exemplo, um aparedos e analisados e os resultados serlhos chamado termovisor, que pervirão como base para a elaboração do mite visualizar a temperatura das paprojeto de restauro da fachada, que redes para detectar problemas nas deve ficar pronto até o final do ano. argamassas, por exemplo, ou deterA última intervenção na fachada do minados tipos de fissuras. Para deMuseu Paulista foi no começo da décatectar tubulações nas paredes é usada de 1990, quando foi pintado. De do o georadar, cuja tecnologia se baacordo com a diretora do museu, Sheiseia na propagação e reflexão de onla Walbe Ornstein, as intervenções padas eletromagnéticas. ra a elaboração do projeto estão orçaEspecialistas também analisam no das em R$ 722,5 mil, verba provenienlocal algumas amostras por meio de te da USP. "É a universidade, inclusive, microscopia e granulometria. Outros que deverá, postemateriais, por sua riormente, executar vez, estão sendo enas obras. Mas estaviados ao Instituto de mos abertos para emPesquisas Tecnológipresas que desejacas (IPT) para análises rem patrocinar ou complementares. apoiar o projeto, pú"Está sendo um granblicas ou privadas", de aprendizado, já disse Sheila. que se trata de um Diagnóstico - Os edifício não homogêtrabalhos de análise neo. Cada centímetro e diagnóstico para a quadrado da sua fafundamentação do Sheila Walbe Ornstein, diretora chada tem suas pecuprojeto de restauro liaridade e manifestaestão sendo feitos pelo Estúdio Sarações", ressaltou Sarasá. sá, atendendo à solicitação do Museu Ampliação - Além do restauro da faPaulista e da Superintendência de Eschada, o Museu Paulista também tem paços Físicos da USP. Segundo o resum projeto de readequação de sua taurador e conservador responsável estrutura, incluindo acessibilidade e pelo projeto, Antônio Sarasá, o serviampliação. De acordo com Sheila, a ço será acompanhado de perto pelos ideia é transferir, em até quatro anos, órgãos de preservação do patrimôa área administrativa para o prédio nio histórico, uma vez que o museu é do Museu de Zoologia, também no tombado nas esferas dos governos Parque da Independência, no Ipiranmunicipal, estadual e federal. ga. Com a mudança, o acervo do MuO entorno do museu foi cercado seu de Zoologia iria para a praça dos com telas de proteção, com a devida Museus, na Cidade Universitária. sinalização dos trabalhos. No local "Também temos uma perspectiva também foram instalado dois contêide que o terreno onde hoje se situa o neres: um faz as vezes de escritório Corpo de Bombeiros, próximo ao Parcom banheiro e o outro funciona coque da Independência, seja desapromo laboratório, para manipulação e priado. Assim, teríamos um edifício análise das amostras. de apoio técnico e para onde seriam "Estamos mapeando os danos na transferidas as nossas reservas de fachada, identificando patologias e acervo. O objetivo é deixar o prédio analisando o avanço das degradado Museu Paulista apenas para expoções. Com base nestas informações, sições", afirmou a diretora. faremos uma proposta de intervenOs dirigentes da Distrital Ipiranga ção com procedimentos para lavada Associação Comercial de São Paugem da fachada, pintura, retirada de lo (ACSP) defendem, há anos, a revivegetação e escolha de materiais talização do Museu Paulista. Em seapropriados, entre outras diretritembro do ano passado, acompanhazes", afirmou Sarasá. dos por integrantes do Conselho da O diagnóstico leva em conta a avaMulher da ACSP, alguns diretores da liação de vários itens, como fissuras distrital visitaram o equipamento e nas paredes; argamassa, coletada verificaram de perto o mau estado de para análise de composição e proconservação do prédio.

Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

Estamos mapeando os danos na fachada, identificando patologias e analisando as degradações. ANTÔNIO SARASÁ, RESTAURADOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO.

G Ir

Agendas da Associação e das distritais

Hoje I Jabaquara – Às 15h, reunião Projeto

Empreender – Núcleo de Beleza. Avenida Santa Catarina, 641. I Tatuapé – Às 19h30, a distrital lança o ACCelular. Rua Apucarana, 1.388. I Noroeste – Às 13h30, o Conselho da Mulher e o Programa Empreender realizam workshop Beleza & Estética. Rua Luis Braille, 8. I São Miguel – Às 9h30, palestra em parceria com a Anvisa, Beleza com Segurança – Projeto Empreender. Av. Marechal Tito, 1042. I Pinheiros – Às 19h30, reunião do Conselho Comunitário de Segurança. Simão Álvares, 517.

Amanhã I Jabaquara – Às 9h30, reunião Projeto

Empreender – Núcleo Saúde e Bem-Estar. Avenida Santa Catarina, 641. I São Miguel – Às 18h30 – reunião Coordenação Leste. Av. Marechal Tito, 1042. I Noroeste –Às 19h, reunião Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor. Rua Luis Braille, 8 Pirituba.

Quarta I Butantã – Às 19h30, palestra gratuita em

parceria com o Sebrae: Marketing de Relacionamento. Rua Alvarenga, 591.

Quinta I Centro – Às 17h30, 5ª Reunião Ordinária da

Diretoria Executiva e Conselho Diretor e bate papo com o secretário Municipal de Coordenação das Subprefeituras, Chico Macena. Rua Galvão Bueno, 83. I Pinheiros – Às 19h, palestra Marketing de Relacionamento, em parceria com Sebrae. Rua Simão Álvares, 517. Museu do Ipiranga, ontem: fechado por tempo indeterminado.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

facesp

DA SUÍÇA Os cabos virão da Suíça e substituirão os originais, que são alemães.

regionais

TODOS OS DIAS Entre 15 e 20 mil veículos passam pela ponte pênsil diariamente.

São Vicente

Arquivo PMSV/Divulgação

Perto dos cem anos, ponte pênsil é revitalizada Os 16 cabos de aço que sustentam a ponte desde a sua construção serão substituídos. A reabertura será em julho de 2014, quando completará um século. A Tribuna/Arquivo

André de Almeida

U

m dos principais cartões postais do litoral sul paulista, a ponte pênsil Saturnino de Brito, em São Vicente, ficará interditada por um ano para reforma e recuperação estrutural. Serão investidos R$ 24,8 milhões nas obras e, pela primeira vez em quase cem anos, haverá a substituição dos 16 cabos de aço que sustentam a construção. A estimativa é de que a ponte seja reaberta para o tráfego em julho de 2014, quando completará um século. O órgão responsável pelo projeto de reforma é o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), vinculado à Secretaria de Logística e Transportes (SLT) do Governo do Estado de São Paulo. Outra companhia envolvida é a Sabesp, responsável pela tubulação que passa pela ponte, além de empresas de telefonia e fibra ótica. A interdição para o tráfego de veículos começou no dia 10 do mês passado. Até que seja reaberta, a ponte pênsil só poderá ser utilizada por pedestres e ciclistas desmontados. Troca – Segundo o engenheiro responsável pela obra e diretor regional do DER, Orlando Morgado Júnior, a cada dez anos, em média, a ponte pênsil passa por reformas em seus 180 metros de extensão. Quase toda a estrutura de madeira, incluindo o piso, é trocada. Na armação metálica, a ferrugem, provocada pela proximidade com o mar, também merece cuidados especiais. "A diferença é que agora, pela primeira vez em quase 100 anos, haverá a troca de todos os cabos de aço. Trata-se de uma obra inédita no Brasil", disse Júnior. Esta também será a primeira vez que a ponte ficará fechada por um longo período para veículos. Segurança - As intervenções

no local, incluindo a troca dos cabos de aço, serão realizadas por motivos de segurança. "Em todas as reformas, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) faz a medição do coeficiente de segurança dos cabos. Na última vistoria foi diagnosticada a necessidade da troca dos cabos, que foram avaliados como muito desgastados, podendo oferecer, inclusive, riscos aos usuários", afirmou. O engenheiro explicou que, no processo da troca dos cabos, será instalada uma torre provisória ao lado das já existentes. Assim, a estrutura sustentará a ponte por meio de cabos provisórios, enquanto realiza-se a troca dos definitivos. Os cabos serão importados da Suíça e substituirão os originais, que vieram da Alemanha. Como a ponte pênsil é tombada desde 1982 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat), as características originais serão mantidas. A ponte pênsil liga a parte insular de São Vicente, incluindo o centro da cidade, com os bairros Japuí, Parque Prainha e Jardim Bechara, localizados na área continental, onde residem aproximadamente seis mil pessoas. A passagem também é muito utilizada como para acesso à Praia Grande, ou por quem se dirige desta cidade para São Vicente e Santos. Dados do DER apontam que entre 15 e 20 mil veículos passam pelo local diariamente. Desvio - Durante o período de obras, que serão realizadas por cerca de 40 operários, a prefeitura de São Vicente recomenda que os motoristas utilizem a ponte Esmeraldo Soares Tarquínio de Campos Filho, conhecida como a ponte do Mar Pequeno, para se deslocar entre as partes insular e continental do município. O desvio, de aproximadamente quatro quilômetros, também será utilizado pelo transporte

Dia dos Pais premiado em Mogi das Cruzes

A

Em 1961: tráfego de veículos e de banhistas na ponte pênsil de São Vicente, construída para levar esgoto para o alto mar.

público municipal. Na opinião do presidente da Associação Comercial e Empresarial de São Vicente, Donizetti Teixeira Tavares, alguns comerciantes poderão sentir os reflexos da obra. "O comércio de pequeno porte e alguns hotéis localizados no Parque Prainha, próximos à ponte, terão sérios prejuízos com o fechamento da construção por um ano", disse. Para ele, no entanto, a reforma é necessária, mas a interdição será muito longa e afetará diretamente esses empresários. A opção de desvio pela ponte do Mar Pequeno, por sua vez, juntará o tráfego local com o que chega da Imigrantes. "O trânsito tende a ficar ainda pior, principalmente aos finais de semana", afirmou.

Antiga, mas atual.

A

ponte pênsil de São Vicente começou a ser construída em 1911, como parte de um projeto de saneamento para controlar epidemias que se alastravam pela cidade de Santos. O objetivo da obra era levar o esgoto coletado em Santos e São Vicente para o Oceano Atlântico, em mar aberto, mais precisamente na ponta do Morro do Itaipu, área que hoje pertence à Praia Grande. Foram implantados 12,5 quilômetros de tubulação até o local de despejo. Nos anos 1970, com a construção do emissário submarino, em Santos, a ponte perdeu sua função original, mas continuou servindo como meio de ligação entre as cidades. Hoje, outra tubulação transporta água.

Da Alemanha – A estrutura metálica utilizada na ponte, incluindo os cabos de aço, vieram da Alemanha em dez navios. Três anos depois, em 24 de maio de 1914, a construção foi inaugurada pelo engenheiro sanitarista Saturnino de Brito. A cerimônia teve a presença do então prefeito de São Paulo, Washington Luís, que, acompanhado de sua comitiva, atravessou a ponte de automóvel. "Apesar de antiga, a ponte pênsil tem técnicas construtivas atuais, muitas delas usadas hoje em pontes estaiadas. Se bem conservada, sua vida útil se estenderá por muitos séculos", garantiu o engenheiro responsável pela obra e diretor regional do DER, Orlando Morgado Júnior. (AA)

Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) lançou a campanha Dia dos Pais Premiado, que sorteará seis vales-compras para serem usados no comércio local. A iniciativa visa incentivar os consumidores a presentearem os pais, aquecendo as vendas. Pesquisa realizada pela ACMC aponta para um acréscimo de 8% nas vendas para o Dia dos Pais, em comparação com o ano passado. A pesquisa de vendas do Dia dos Pais 2013 foi realizada pela ACMC na última semana e priorizou os segmentos comerciais de roupas, calçados, eletrônicos, relojoarias, perfumes e restaurantes, os mais procurados nesta data. A maioria dos comerciantes apontou boas expectativas de vendas. Para incentivar os consumidores, a campanha dará seis vales de R$ 250,00 cada um que poderão ser trocados por roupas, calçados e artigos de perfumaria. A campanha, que tem como slogan 'Todo momento ao lado dele deve ser especial', terá distribuição de cupons até dia 11 de agosto. Os ganhadores desta promoção serão conhecidos por sorteio em 15 de agosto, às 10h, na sede da ACMC. O patrocínio da campanha é de Arrumando a Casa, Automovidros, CBR, Colégio MCE, Porto Seguro, Supermercados Shibata e Prever, com apoio de Amazon, O Boticário, Marilys e Rig Concept.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

11

Cinema judaico

d

cultura

Começa nesta terça (6) o 17º Festival de Cinema Judaico. A mostra reúne produções de vários países: serão exibidos dramas, comédias e documentários, cerca de 30 obras, até domingo que vem (11). No CineSesc (tel.: 3087-0500) e A Hebraica (tel.: 3818-8888).

O POETA E SUA CIDADE Luiz Carlos Lisboa

E

m alguma de suas narrativas assombrosas, Jorge Luis Borges conta a história de um artista que se propôs a tarefa de desenhar, ao longo dos anos, as imagens de lugares, montanhas, naus, ilhas e, afinal, de pessoas que mais o encantaram. A certa altura da vida ele tomou distância para contemplar seu trabalho, descobrindo que aquele paciente labirinto traçava quase com perfeição a imagem do seu próprio rosto. O livro Insólita Metrópole - São Paulo nas crônicas de Paulo Bomfim (Ateliê Editorial), refaz a seu modo esse resultado reunindo com graça e emoção as lembranças do poeta, falando de sua família ilustre e numerosa, devolvendo ao presente homens e mulheres admiráveis com os quais conviveu e convive, e cumprindo esse percurso

esculpiu, sem dúvida e certamente sem o desejar, a figura esguia de gentleman e homem talhado para o brilho e a naturalidade que ele de fato encarna. Bomfim traz nesse livro os recantos, os costumes, os pequenos hábitos e as grandes virtudes da sua cidade amada. Faz isso com simplicidade comovente e talento poético, que são os elementos com que lida em seu ofício de artista. Dessas evocações e da maneira como são realçadas sobressai o homem que as destaca como observador daquele mundo que lhe foi dado conhecer pelo nascimento, pela vivência e por uma inalterada capacidade de entender e expressar. Um livro de crônicas sobre uma grande cidade pode no mínimo tratar dos homens que a edificaram e enriqueceram espiritualmente, mas Insólita

Metrópole vai muito além disso porque mostra, meio oculta na garoa da saudade e da reverência, a solidez da vontade e da disposição paulistana, dedicadas ao trabalho, ousadas na decisão revolucionária quando um dia isso se impôs, assim como amor no convívio familiar e na hospitalidade. "Apenas um exercício de saudade", diz ele. "Embarcar no Vila Buarque e deixar que o condutor Eugênio pare o bonde em frente a casa de meu bisavô Magalhães e ajude o fundador da Estrada de Ferro Araraquarense a atravessar a rua apoiado em seu braço". Saudade,

Design e poesia. Em cartazes no Sesc do Carmo.

história e o traço de fraternidade que a cidade grande ainda conserva no seu sangue. Nesse reencontro com o passado no presente, lírico no Príncipe dos Poetas Brasileiros, contou com a sensibilidade de Ana Luiza Martins para organizálo, e foi com seu bom senso que ela aparou nessa memorialística afetiva - um gênero raro no Brasil -- sua excessiva e natural discrição. Mas é no traço talvez mais forte do homem que o poeta elabora a sua crônica de São Paulo. A lealdade parece inspirar seus passos, e nisso é como

Emerson que dizia: "A única recompensa da virtude é a virtude. O melhor modo de ter um amigo é ser um amigo". E num caleidoscópio gracioso ele passeia pela cidade de sua vida, convive com os que habitam suas ruas e entendem seu coração, revelando ternuras, costumes arraigados, escolhas e até excentricidades, sob seu olhar benévolo e admirado. E do desfile bem proporcionado emergem as figuras marcantes de familiares e antepassados, de amigos como Heraldo Barbuy e tantos outros de igual brilho, como os diferentes entre si Professor Salles Campos, os heróis de 1932, os frequentadores dos serões da Rua Abílio Soares - falta pouco para dizer que o cronista é São Paulo lembrando a própria vida, saudoso e reverente mas ainda esperançoso de um novo arrebatamento. Porque Paulo

Bomfim concilia, na arte poética como na crônica, o ousado e o sereno, o que venera e o que galanteia. No seu todo inconfundível de gentleman é, como se confessa, "um rebelde de paletó e gravata". Tem quase tudo dos varões de Plutarco que Eça de Queiroz recriou em sua obra imortal: é Carlos da Maia e é Fradique Mendes. "Amo a cidade de São Paulo com um sentimento que poderia chamar de consciência genética", diz ele. "É um estar em casa, que sempre senti em certos locais e em certos países, onde um dia um dos meus genes existiu". E confessa: "No Pátio do Colégio todos nós fomos possuídos pela alma da Metrópole".

Luiz Carlos Lisboa, escritor e jornalista, escreve de Princeton (EUA). Algute22@gmail.com

Yu Miwa

Passos espelhados A programação do Projeto Conexões, na Funarte, realiza dentro da Mostra Primeiras Obras, o espetáculo Para Reparar no Espelho, da Companhia Verso. A apresentação acontece na próxima quinta (8) e sexta (9) com as bailarinas Jéssica Moretto e Silvia Razuk, dançando ao som da trilha de Capileh Charbel. (RA)

Rita Alves O trabalho do poeta Sérgio Vaz, criador dos saraus da Cooperifa, inspirou o designer Rodrigo Kenan. O resultado pode ser visto até o dia 30 de setembro, no Sesc do Carmo, dentro da exposição Cartazes Poéticos Contra Fluxo. A mostra, em cartaz na Sala de Internet Livre, une design gráfico e literatura periférica em cartazes de poesia visual, todos baseados na obra de Sérgio Vaz. O local abriga 12 cartazes e apresenta ao visitante uma nova visão da literatura periférica. As obras criadas por Rodrigo Kenan fizeram parte do projeto de graduação do artista em design gráfico intitulado Design Mais Poesia Para Uma Transformação social, apresentado ao Istituto Europeo di Design, em 2012. (RA)

Complexo Cultural Funarte/SP (Sala Renée Gumiel). Alameda Nothmann, 1058 - Campos Elíseos, tel.: 3662-5177. Quarta (8), 20h e quinta (9), 21h. R$ 5 e R$ 2,50. Horário da bilheteria: uma hora antes do início do espetáculo.

Sesc Carmo (Sala de Internet

19h30. Grátis. Até 30 de setembro.

25 filmes de um mestre alemão O Museu da Imagem e do Som (MIS) abriga até a próxima quarta (7) uma retrospectiva do roteirista e diretor de cinema, teatro e ópera Werner Schroeter (1945-2010). A mostra inédita do artista, considerado símbolo do Novo Cinema Alemão dos anos 70, traz ao todo 25 filmes dirigidos por ele. Amanhã, terça (6), às 17h30, o público pode assistir ao longa-metragem Noite de Cão (Nuit de Chien, foto), de 2008. Mais tarde, às 19h30, é a vez de Os Flocos de Ouro (Goldflocken), de 1976. No último dia da retrospectiva (7), a programação traz o documentário De l'Argentine, exibido às 16h30, Noite de Cão, às 18h30, e À Procura do Sol, às 20h30. Divulgação

Rodrigo Ke

nan

Livre). Rua do Carmo, 147, Centro, tel.: 3111-7000. Segunda a sexta, das 9h às

MIS. Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo, tel.: 2117-4777. Grátis (retirar ingresso com uma hora de antecedência na Recepção MIS).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

www.dcomercio.com.br

Baleia apaixonada por livros Impossível olhar para este suporte de livros e não se lembrar do clássico da literatura Moby Dick, de Herman Melville. O produto é feito em ferro e está à venda na loja online Anthropologie. Custa US$ 68. http://anthrpl.ge/14olk7P

Letra metálica Milhares de aparas de cobre foram a inspiração para a criação dessa fonte, para cartazes e peças publicitárias. Pode ser obtida no site Handmadefonts.

Sagrado reciclado Totens de lata de Daniel Picon.

www.handmadefont.com

http://daniel-picon.over-blog.com/

I SRAEL P ERSONAGENS

Oliver Weiken/Reuters

Os craques na viagem da paz

O

s atletas do Barcelona, que fazem "turnê da paz" ao Oriente Médio, visitaram ontem o Muro das Lamentações, local sagrado dos judeus. E se encontraram com o presidente Shimon Peres e o primeiroministro Benjamin Netanyahu em Jerusalém. Ontem, também, o Barcelona informou que Neymar (foto) está com anemia, mas que poderá continuar participando normalmente dos treinamentos (veja pág. 14). (AE)

Pessoas incríveis Um homem que consegue puxar um trem com os dentes e outro que é tão magnético que os metais ao redor se grudam a seu corpo. Pessoas incríveis do site Mysterial.

NASA

http://bit.ly/16pEwQL

J USTIÇA

Greg Ginn contra a Black Flag Greg Ginn, um dos fundadores da banda punk Black Flag, está processando ex-colegas por uso indevido de nome e imagem. Segundo o site The Hollywood Reporter, Ginn acredita que a banda Flag formada por Keith Morris, Dez Cadena, Chuck Dukowski e Bill Stevenson infringe os direitos que ele e seu selo, SST Records, detêm. Ginn tenta uma liminar contra a atual turnê da Flag, que começou em maio e tem show marcado até dia 24 deste mês, em Los Angeles. O músico alega que ele e a SST Records possuem

direitos exclusivos sobre o nome Black Flag - e a variação Flag - e o icônico logo, que a Flag está usando durante sua turnê. O processo diz que o nome "Flag" é uma "imitação" que pode "causar confusão, erro ou engano entre os consumidores." Ginn ainda acusa Garfield e Morris de mentirem para o Escritório de Marcas e Patentes dos EUA usando capas e camisetas produzidas pela SST para simular que eles usam o logo da Black Flag desde 1979. O Black Flag de Ginn se apresenta hoje na Alemanha.

T URISMO

L

ENTRE O SOL E A LUA - A astronauta Karen L. Nyberg tuitou esta imagem com o sol e a lua nascendo. Se ampliada, mostra ainda Júpiter e Mercúrio. Um italiano retuitou ao espaço: "Mamma mia che bella". P ESQUISA

A USP e os estrangeiros

O Twitter virou hotel Sol Wave House é um hotel localizado na bela ilha de Maiorca, na Espanha, e só isso já bastaria para entrar na lista de possíveis destinos para sua próxima viagem. Mas a grande novidade do hotel é o título de primeiro "Hotel Twitter" do mundo. Ali, toda a decoração e as atividades fazem referência

ao Twitter: os quartos, bebidas e festas são inspiradas em ícones, tuítes e funcionalidades da rede social de microblogs. E as interações e paqueras entre os hóspedes acontecem em uma comunidade vistual, a #SocialWave. A conexão wifi do hotel, é claro, não falha. http://bit.ly/13t8J0G

Teclado verde Seu teclado pode ficar mais ecológico e bonito. Midori é uma criação da japonesa Filco, que tem grama em volta das teclas. http://bit.ly/16KjwSD

Estudo inédito do Observatório do Turismo, núcleo da SPTuris (empresa municipal de turismo e eventos), em parceria com a USP revela o perfil dos estudantes estrangeiros da instituição. A maioria dos intercambistas tem entre 18 e 24 anos. Os cursos da área de ciências humanas e sociais são os mais procurados (36%). Engenharia é a graduação de 28% dos estrangeiros. A França é o país que mais envia estrangeiros às 45 unidades da USP.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

13

SUPLEMENTO EXCLUSIVO PARA

SANTOS

PALMEIRAS

O presidente fica

Valdívia rindo à toa

NÚCLEO SANTOS reportersantos@lancenet.com.br

NÚCLEO PALMEIRAS reporterverdao@lancenet.com.br

l

l

É difícil definir se existe algum lado bom de disputar a Série B. Mas, se isso acontece, o Palmeiras está sabendo aproveitar ao máximo e, nove meses após a queda, vive o seu melhor momento, sobretudo graças à competição. Já são sete jogos invictos, com seis vitórias. E a ótima campanha no torneio fez muita coisa mudar no Alviverde. Não se fala mais em crise, até a parte política está mais tranquila, a relação com a torcida melhorou... Se antes o elenco era cobrado e até chegou a ser agredi-

Do

WESLEY RODRIGO

Está próxima de ser confirmada a reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Santos na qual será pedida a renúncia dos membros do Comitê de Gestão, órgão que dirige o clube. As 50 assinaturas de conselheiros necessárias para o pedido devem ser coletadas entre hoje e amanhã e encaminhadas à Paulo Schiff, presidente do Conselho, que terá de marcar o encontro em até 15 dias. Politicamente, este é o momento mais delicado no Peixe desde que Luis Alvaro Ribeiro

assumiu a presidência, no fim de 2009. Diversos conselheiros deixaram de apoiar a gestão, que também sofre críticas de torcedores organizados e sócios. No entanto, apesar de cogitada, a possibilidade de impeachment do presidente é muito pequena. Mesmo entre os opositores há quem veja tal medida como um golpe ou algo que possa prejudicar ainda mais o clube. Em caso de derrota para o Corinthians, quarta-feira, a tend��ncia é que a pressão aumente ainda mais. Nenhum dirigente atendeu o LANCE!.

do, hoje os palmeirenses voltaram a ir ao estádio. Contra o Bragantino, na sexta, mais de 20 mil pagantes estiveram no Pacaembu. O momento no Verdão é de total calmaria. E a Série B só tem sido tranquila e benéfica pelo bom trabalho da diretoria na montagem do elenco e pela competência em campo dos jogadores e comissão. Em campo, o Verdão tem “passeado” na Série B. Tem um dos melhores aproveitamentos da história da competição (veja mais ao lado), o melhor ataque do Brasil – ao lado da Chapecoense.

gol pro

banco

de reservas

FUTURO Juvenal Juvêncio quer manter Ceni no São Paulo após aposentadoria, já conversa, e vai oferecer projeto para formação como técnico no clube GUILHERME PALENZUELA guilhermepalenzuela@lancenet.com.br

l

Rogério Ceni deixará os campos no fim deste ano. Mas não deverá deixar nem o futebol, nem o São Paulo. Este é o plano do presidente Juvenal Juvêncio, que visualiza o futuro de Ceni como treinador, já conversou com o jogador, e se prepara para apresentar um projeto para que o capitão permaneça no clube em 2014, e se forme como técnico dentro do São Paulo. – Já falei com ele sobre isso, nas conversas que temos, e após sua parada continuaremos conversando, porque precisamos dele. No meu ideário, no futuro ele será um técnico de futebol. Acho que ficará conosco no São Paulo em atividade esportiva – disse Juvenal Juvêncio, em entrevista ao LANCE!. E Ceni deverá aceitar o projeto. O capitão quer seguir carreira como treinador a partir do momento que encerrar as atividades como goleiro, mas, assim como Juvenal Juvêncio, não tem pressa. O goleiro quer tempo para se preparar, quer estudar, e já disse a amigos que aceitaria em 2014 um cargo de auxiliar fixo da co-

missão técnica – alternativa que daria tempo para estudos e experiência prática enquanto de prepara para se lançar como técnico. O goleiro não projeta seu futuro mais próximo como dirigente de futebol. Ceni prefere pensar nos primeiros anos pós-aposentaria ainda próximo ao campo e à bola, mas não descarta seguir carreira política no São Paulo em um futuro distante. Ele se atrai pela ideia de tornar-se presidente do clube, mas prefere pensar antes em uma carreira como treinador. Juvenal Juvêncio segue o mesmo discurso, e diz que a primeira transição de Ceni será do campo para o banco de reservas. Ressalta, também, que as categorias de base em Cotia seriam “campo fértil” para que o novo profissional da comissão técnica fizesse seus primeiros trabalhos na possível nova função. Segundo o presidente, o futuro de Rogério Ceni no São Paulo será estruturado e programado durante o processo de aposentadoria como goleiro, no fim deste ano. Juvenal Juvêncio afirma que não há qualquer possibilidade de convencê-lo a atuar por mais uma temporada.

Com a palavra Guilherme Palenzuela REPÓRTER DO NÚCLEO SÃO PAULO

F Bate-Bola Juvenal Juvêncio EM ENTREVISTA AO LANCE!

R

ogério Ceni terá muito a oferecer ao São Paulo após a aposentadoria. O sucesso como atleta não garante carreira como técnico, mas empenho e am-

‘Ele pode e deve ficar. Esta é a minha torcida’

-1- Rogério Ceni fez boas partidas contra o Bayern de Munique e contra o Benfica. Não existe nenhum chance de tentar convencê-lo a jogar por mais uma temporada?

fim do ano para ele deixar de ser goleiro, mas para não deixar o futebol.

meu ideário, no futuro ele será um técnico de futebol.

ra determinada, eu conheço a história dele, você conhece a história dele. Ela é pública. Ele programou essa parada, e ele sabe por quê. É um momento que ele quer. Já foi posta a parada, e ele já está vendo o que fazer. Estamos trabalhando nesse sentido de estruturar uma programação no

-2- Existe algum plano de carreira ou proposta para que ele fique no São Paulo depois da parada? 3 Eu acho que ele pode e deve ficar.

-3- Entende que o Rogério prefere a carreira de treinador a uma carreira como dirigente do clube?

3 Não. Rogério sempre foi uma figu-

Ceni terá muito a oferecer ao São Paulo

bição justificam a tentativa. Na Europa, tantos outros treinadores se formam nos clubes que fizeram carreira como jogador. Pep Guardiola, o maior da atualidade, nasceu no Barcelona no qual foi ídolo. Pensar no garoto do sub-15 que ouvirá os ensinamentos de Ceni ou na ambição do capitão de se marcar como técnico campeão no São Paulo já são suficientes para a aposta, que parece natural.

Essa é minha torcida. Não há uma tramoia, mas é minha torcida. Não tivemos uma reunião formal, mas o Rogério já sabe. Já falei com ele sobre isso, nas conversas que temos, e após sua parada continuaremos conversando, porque precisamos dele. No

3 A minha perceptiva do Rogério não é a burocracia de uma diretoria. Ele pode até no começo começar a visualizar esse processo, não necessariamente imediatamente após a aposentadoria, mas no meu ideário ele será um cidadão que no futuro será um técnico. E eu o conheço bem.

-4- Nesse planejamento, onde o Rogério poderia começar em uma nova função no São Paulo?

3 Em Cotia ele tem um campo fértil, como também tem um campo fértil nos profissionais. Isso a gente não avança. Acho que ficará no São Paulo. Não como diretor burocrático. Não porque não tem a competência, porque tem. Mas porque quer estar mais junto na bola.

-5- Que impacto no elenco prevê com a vitória sobre o Benfica?

3 Não há ufanismo, mas, na minha

lógica, vitória leva a vitória, e derrota leva a derrota. Astral muda. Para o próprio jogador que está no campo, tem um significado, de concentração, de astral. Vencer foi importante. Esporte é competição, joga para ganhar. Em conseguindo, a mudança é a primeira coisa. Atleta não joga bem porque não tem alegria. Derrota não leva a alegria, na prática do desporto. Essa vitória tem significado da tentativa de mudança e astral positivo.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

CRISTIANO ANDUJAR

LÁ VEM

VISÃO DE JOGO

F

De pênalti Guerrero também deixou sua marca na vitória

RODRIGO VESSONI

vessoni@lancenet.com.br

O CAMPEÃO VEM AÍ... Com uma impressionante consistência, Corinthians vence a segunda consecutiva, se aproxima dos líderes e embala no Brasileiro

V

adão, técnico do Criciúma, deu a seguinte declaração antes do jogo ontem à tarde: “Nosso time é muito forte em casa, vamos para cima, vamos pressionálos desde o início. Não é porque do outro lado é o campeão do mundo que não teremos coragem pra isso”. A confiança do treinador rival do Corinthians, que soou como soberba pela maneira como falou, durou alguns segundos. Certamente, poucos toques na bola depois do apito inicial, ele percebeu que seu oponente não era qualquer um. Foi um baile. Foi uma diferença impressionante!

A equipe de Tite ganhou por 2 a 0, com gols de Renato Augusto (golaço!) e Guerrero (de pênalti). Mas poderia ter vencido por mais. Aliás, fez mais um com Romarinho, anulado de maneira errada pelo auxiliar de Sandro Meira Ricci. Um placar que foi pouco pelo que se viu em campo, mas que recoloca o Corinthians na briga pelo sexto título do Brasileiro. Após vencer a segunda consecutiva e chegar aos 17 pontos, o Timão diminuiu – e bem –, a distância para os melhores colocados da competição. Uma situação bem resumida por Renato Augusto depois do jogo: “Nós

0

2

CRICIÚMA

CORINTHIANS

Helton Leite Sueliton Matheus Ferraz Fábio Ferreira Marlon Amaral Elton D. Carvalho 14’/1º T Ivo Gilson Intervalo Leandro Brasília Fabinho 15’/2º T Lins W. Paulista T: Vadão

5,5 5,5 4,5 5,5 5,5 4,5 4,0 5,5

Cássio Edenilson Paulo André Gil Fábio Santos Ralf Guilherme Renato Augusto Danilo Douglas 34’/2º T Romarinho Emerson Sheik 20’/2º T Guerrero Ibson 37’/2º T T: Tite

n n n

5,0 6,5 6,5 7,0 6,0 6,5 6,5 7,5 6,0 n 5,5

voltamos para o campeonato”. E voltou porque se comportou como Corinthians, como é praxe do time. O Criciúma, que contou com o apoio da torcida, que lotou o estádio e ainda soltou inúmeros sinalizadores no fim da partida, não conseguiu

criar chances, não conseguiu atacar como queria seu treinador. Pressionar? Nem nos melhores sonhos... E não conseguiu porque o Corinthians não deixou. Desde o início, o que se viu foi uma equipe consciente e concentrada, sabedora do que fazia em campo. O golaço de Renato Augusto no início era o que precisava para que o toque de bola da equipe, que é mais entrosada, aparecesse. Guerrero, de pênalti, fez o segundo. E, ali, a diferença entre as duas equipes estava clara e evidente para quem via o jogo. Depois, foi apenas segurar o placar. Timão acordou!

BARCELONA

UFC

MUNDIAL DE NATAÇÃO

3 O atacante Neymar estaria com

3 O combate principal do UFC 163,

3 Thiago Pereira não queria nadar

Emerson levou cartão amarelo no último lance e desfalca a equipe quarta-feira

5,0 5,0 6,0 4,5 5,0 4,5 5,0

6,0 6,0 n 6,5 5,5 7,0

JUIZ: Sandro Meira Ricci (PE) 5,0. Deu pênalti a favor do Corinthians corretamente, mas confirmou anulação do gol de Romarinho por parte do auxiliar de forma errada. GOLS: 10’ 1ºT Renato Augusto (0-1) e 25’ 1ºT Guerrero (0-2) RENDA/PÚBLICO: R$ 459.285,00/17.211 pagantes LOCAL: Heriberto Hulse, em Criciúma (SP) GRAMADO: Bom

OUTROS LANCES BRASILEIRÃO

Flamengo surra o Galo em Brasília Neymar estaria com anemia 3 A 11 rodada do Brasileirão ter-

Aldo nocauteia Zumbi Coreano

CLEBER MENDES

a -

minou com o campeão da Libertadores na zona do rebaixamento. O Atlético-MG foi derrotado pelo Flamengo por 3 a 0, em Brasília, e caiu para a 17 a- colocação. No Maracanã, o Botafogo bateu o Vasco por 3 a 2 e manteve a liderança da competição, com 23 pontos. No clássico gaúcho, Grêmio e Internacional empataram em 1 a 1 na Arena do Grêmio. O Colorado fecha o G4 com 19 pontos. O mesmo placar ocorreu no Moisés Lucarelli, para Ponte Preta e Fluminense. Em Curitiba, o Atlético-PR venceu o Goiás por 2 a 0 e ,no Barradão, o Vitória bateu a Lusa por 2 a 1.

um quadro de anemia, publicou ontem o diário espanhol “El País”. O jogador, que na última sexta-feira esteve em campo pelo Barcelona na goleada de 8 a 0 sobre o Santos, está recebendo tratamento especial dos médicos do clube catalão. Ainda segundo o “El País”, o brasileiro já está sendo submetido ao uso de suplementos vitamínicos. Recentemente o atacante passou por uma cirurgia de amígdalas justamente para ganhar peso. A anemia é registrada quando ocorre baixa concentração de hemoglobina no sangue por falta de ferro.

Elias e Léo Moura festejam gol do Fla

que aconteceu sábado, no HSBC Arena, no Rio de Janeiro, deu ao campeão peso-pena do evento a disputa de cinturão mais difícil de sua carreira. Diante de Chan Sung Jung, o "Zumbi Coreano", José Aldo teve muito trabalho. Encarando um oponente com uma trocação potente, o atleta da Nova União teve de usar de derrubadas para se proteger até conseguir conquistar o triunfo por nocaute técnico no quarto round. Agora, o futuro de José Aldo pode ser a categoria dos leves do UFC. Ele já declarou que quer subir de peso.

Thiago Pereira ganha bronze os 400m Medley, prova em que foi vice-campeão olímpico em Londres. Decidiu de última hora entrar nas eliminatórias, passou para a final com o oitavo tempo e, ontem, na final, conseguiu o bronze, o segundo dele no mundial de Barcelona, com 4m09s48. O japonês Daiya Seto ficou com o ouro (4m08s69) e o americano Chase Kalisz com a prata (4m09s22). – Estou muito satisfeito com a competição. Era a medalha que faltava e saio daqui logo com duas. Estou bem confiante, até pelo ano que foi – disse Thiago.

8 a- RODADA A DEFINIR **

Atlético-MG x Ponte Preta

10 a- RODADA 31/7

TIME

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

V

1 o- Botafogo

23

11

7

2

2

18

10

8

2 o- Cruzeiro

21

11

6

3

2

23

9

3 o- Coritiba

20

11

5

5

1

17

12

4 o- Internacional 5 o-

11

5

4

2

19

16

E

D

V

5

0

0

14

5

1

5

5

1

3

3

0

FORA E

D

AP

PM

2

2

2

69.7%

104

0

1

2

2 63.6%

102

0

0

4

1 60.6%

101

1

2

4

1

57.5%

100

19

11

5

4

2

13

10

3

3

1

1

2

3

1

57.5%

100

6 o- Vitória

18

11

5

3

3

16

12

4

4

2

0

1

1

3 54.5%

99

7 o- Corinthians

17

11

4

5

2

10

5

5

2

3

1

2

2

1

51.5%

98

8 o- Atlético-PR

16

11

4

4

3

20

18

2

1

4

0

3

0

3 48.4%

97

9 o- Grêmio

16

11

4

4

3

12

11

1

4

2

0

0

2

3 48.4%

97

10 o- Vasco

14

11

4

2

5

17

21

-4

3

1

2

1

1

3 42.4%

95

11 o-

13

11

4

1

6

14

16

-2

4

0

2

0

1

4 39.4%

94

12 o- Flamengo

13

11

3

4

4

12

12

0

1

2

2

2

2

2 39.4%

94

13 o-

13

11

3

4

4

9

15

-6

2

3

0

1

1

4 39.4%

94

14 o15 o-

Bahia

19

CASA

Fluminense Goiás Santos Ponte Preta

12

9

3

3

3

12

10

2

2

3

0

1

0

3 44.4%

11

10

3

2

5

13

16

-3

1

2

3

2

0

2 36.6%

95

11

11

3

2

6

13

20

-7

3

1

2

0

1

4 33.3%

92

17 o- Atlético-MG

10

10

3

1

6

9

16

-7

2

1

1

1

0

5 33.3%

94

18 o- São Paulo

9

11

2

3

6

11

14

-3

1

0

5

1

3

1

27.2%

90

19 o- Portuguesa

8

11

1

5

5

12

18

-6

1

3

1

0

2

4 24.2%

89

20 o- Náutico

7

9

2

1

6

7

16

-9

1

1

2

1

0

4 25.9%

94

PG: pontos ganhos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols, AP: aproveitamento, PM: pontuação máxima.

CRITÉRIOS DE DESEMPATE: 1) vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos; 7) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados.

LIBERTADORES SUL-AMERICANA REBAIXAMENTO

1/8

Botafogo2x0 Vitória Goiás 1x1 Vasco

A DEFINIR ***

Náutico x São Paulo Internacional x Santos

11 a- RODADA 10/7 * 3/8

18h30

São Paulo1x2Bahia Cruzeiro1x0Coritiba

4/8 - ONTEM

Flamengo 3x0 Atlético-MG Criciúma 0x2 Corinthians Ponte Preta 1x1 Fluminense Atlético-PR2x0 Goiás Grêmio 1x1 Internacional Vasco 2x3 Botafogo Vitória 2x1 Portuguesa

99

16 o- Criciúma

REGULAMENTO: A Série A será disputada no sistema de pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) vitórias;2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos e amarelos e 6) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados. Os três primeiros (além do campeão da Copa do Brasil) disputarão a Libertadores 2014. Caso o campeão da Libertadores-2013 seja brasileiro, o terceiro se classifica, mas jogará o mata-mata da primeira fase. Para a SulAmericana (caso a CBF confirme que usará o regulamento de 2013) classificam-se os oito mais bem colocados excluindo os que estiverem disputando a quarta fase da Copa do Brasil-2014.

Atlético-MG 1x2 Atlético-PR Fluminense 1x0 Cruzeiro Portuguesa 1x1 Criciúma Coritiba 5x3 Ponte Preta Bahia 3x0 Flamengo Corinthians2x0 Grêmio

A DEFINIR ***

Santos x Náutico

12 a- RODADA 24/7 *

Independência Maracanã Canindé Couto Pereira Fonte Nova Pacaembu

19h30 Vitória x Fluminense 19h30 Criciúma x Cruzeiro 21h Flamengo x Portuguesa 21h Atlético-PR x Bahia 21h50 Santos x Corinthians 21h50 Goiás x Náutico 21h50 Atlético-MG x Botafogo

8/8 - QUINTA-FEIRA

Grêmio x Coritiba Vasco x Ponte Preta

PG

J

V

1 o- Palmeiras

28 12

9

2 o-

Chapecoense

E

1

D GP GC SG

2 26

8 18

26 11

8

2

1 26 12 14

3 o- Paraná

22 12

6

4

2 17

4 o-

Sport

21 12

7

0

5 21 19

2

5 o-

7 10

Joinville

20 12

6

2

4 24 15

9

6 o- Figueirense

19 12

6

1

5 24 21

3

Maracanã Serra Dourada

7 o-

América-MG

19 11

5

4

2 23 17

6

8 o-

Boa

17 12

4

5

3 11 14 -3

A. Pernambuco E. do Vale

9 o-

Icasa

Morumbi Mineirão M. Garrincha H. Hülse M. Lucarelli D. Britto A. do Grêmio Maracanã Barradão Vila Belmiro

São Paulo 0x1 Internacional Morumbi

7/8 - QUARTA-FEIRA

21h 21h

TIME

Independência

Barradão H. Hülse M. Garrincha D. de Britto V. Belmiro Serra Dourada Independência A. do Grêmio São Januário

16 12

5

1

6 17 24 -7

10 o-Bragantino

15 12

4

3

5 12 12

11 o-

15 12

4

3

5 15 18 -3

Avaí

12 o- Oeste

0

15 12

4

3

5 13 18 -5

13 o- Guaratinguetá 14 12

4

2

6 17 20 -3

14 o- Ceará

14 12

3

5

4 15 16

15 o- Atletico-GO

13 12

4

1

7

16 o-ASA

13 12

4

1

7 11 20 -9

17 o- São Caetano

13 12

3

4

5 14 14

18 o- América-RN

13 12

3

4

5 13 20 -7

19 o-Paysandu

12 12

3

3

6 14 19 -5

20 o-ABC

6 12

1

3

8

-1

9 16 -7

0

9 21 -12

P: pontos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols REGULAMENTO: A Série B será disputada no sistema de pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos e 7) sorteio. Se houver empate entre dois clubes na definção de título, acesso ou rebaixamento, não serão aplicados os critérios 5, 6 e 7, realizando-se um jogo extra em campo neutro (em caso de empate, pênaltis). O campeão será o time que conquistar o maior número de pontos. Os quatro últimos colocados serão rebaixados para a Série C do ano seguinte. Os quatro primeiros garantem vaga na Série A de 2014.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

15

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Estude agora, pague depois. Opções de financiamento estudantil, como o subsidiado Fies, podem ser uma saída para quem não tem condições de pagar a graduação. Escolher bem a escola é essencial.

REJANE TAMOTO

E

studar agora e pagar depois é uma opção para os jovens que conseguiram entrar em faculdades privadas e não tiveram uma poupança formada pelos pais para financiar sua graduação. Os gastos com educação, nessa etapa da vida, têm peso maior dependendo da escolha do curso universitário. Além disso, há a instituição – que pode cobrar um valor muito maior por causa de sua boa reputação no mercado e na avaliação de rankings educacionais nacionais e internacionais. O terceiro item que pesa no orçamento é a despesa que envolve o ato de fazer uma graduação: os gastos com transporte, alimentação, impressões, livros e demais materiais específicos do curso escolhido. Segundo especialistas em finanças pessoais, o crédito subsidiado pelo governo federal – o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) – é a melhor opção, principalmente por causa da taxa simbólica de 3,4% ao ano. "O juro é muito baixo, quase nem corrige a inflação. O Fies é importante para o País, que não tem ensino público superior para todos. Acaba sendo uma maneira de dar acesso", diz Samy Dana, professor da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EESP-FGV).

demia do Dinheiro, o financiamento permite que o estudante escolha uma faculdade que ofereça uma instrução mais sólida e tenha boas credenciais, que possam abrir portas no mercado.

Prepare o bolso

Segundo o educador, a graduação alavanca a vida de um jovem, abrindo a possibilidade de ele encontrar melhores oportunidades no mercado de trabalho. No entanto, o jovem não pode esquecer que – seja o Fies ou outra linha de crédito bancária – isso é uma dívida que deverá ser paga no futuro. "O estudante tem de ter na cabeça que vai iniciar a vida adulta endividado. Por isso, é bom que comece a fazer estágio para entrar na vida profissional mais cedo. Enquanto isso, deve separar uma verba em uma caderneta de poupança para pagar o Fies no futuro", recomenda. Calil diz que o universitário deve aproveitar, principalmente, o período de carência para fazer essa reserva e evitar o comprometimento da sua renda mais adiante, quando terá outros desejos de consumo. "Nesse período é bom esquecer baladas, roupas, viagens, presentes", diz.

Planejamento é a saída

Dívida versus retorno

Dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) – agente operador do Fies – mostram que o número de estudantes contemplados pelo programa é crescente. A Caixa, banco autorizado a conceder o Fies, já formalizou 580,9 mil contratos de 2010 até o mês passado. O Banco do Brasil (BB), que começou a oferecer o Fies em 2010, acumulou, até 23 de julho, 413 mil contratos. "O programa cresce num ritmo forte, o que é bastante positivo. As condições são favorecidas para os estudantes e o prazo é longo, com parcelas que não pesam no orçamento. E o jovem pode até antecipar o pagamento, caso queira ficar livre da dívida", afirma Edmar José Casalatina, diretor de empréstimos e financiamentos do BB. A expectativa do governo é que o número de contratos alcance 1 milhão até o fim deste mês. Segundo o FNDE, só no primeiro semestre deste ano

foram formalizados 327,8 mil contratos, que correspondem a 88% do volume total de todo o ano passado. O que ajudou a expandir o Fies, segundo o FNDE, foram as mudanças implementadas em 2010, com redução de taxa de juros, maiores prazos de carência e amortização e a possibilidade de o estudante contratar o financiamento em qualquer período do curso (veja mais no quadro). Dos estudantes que

usam o Fies, a maioria vem dos cursos de Direito, Administração, Enfermagem e Engenharia Civil. Além do Fies, há o financiamento oferecido por instituições financeiras privadas, que geralmente têm juros maiores e financiam os semestres conforme o pagamento em dia. Dana, da FGV, diz que não só o financiamento estudantil deve ser bem escolhido, mas também a faculdade onde o

estudante pretende se formar. "Será um investimento se, ao final do curso, ele conseguir um bom salário, até mesmo para pagar a dívida que restará da graduação. O problema é que há uma série de cursos de qualidade duvidosa e que não proporcionam retornos em salário e nem na formação acadêmica", observa o professor. Dessa forma, o estudante deve avaliar se o preço cobrado pela faculdade es-

tá de acordo com a qualidade do ensino que oferece. O professor da FGV aconselha o estudante a fazer busca nas avaliações do Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) e demais rankings (de mídia e internacionais) para avaliar a qualidade da instituição. O objetivo é evitar o risco de se endividar e não obter o retorno esperado no futuro. Para Mauro Calil, educador financeiro e fundador da Aca-

Para famílias que fazem (e seguem) um planejamento financeiro, a poupança acaba sendo uma saída para os filhos não precisarem de financiamento. Segundo Calil, a poupança para bancar a graduação dos filhos deve começar a partir do segundo dia de vida da criança. "Tire o RG e CPF do bebê e abra uma conta no nome dele. O casal deve depositar R$ 100 por mês até o filho completar 15 anos de idade", diz. Por causa do longo prazo e do perfil desse tipo de reserva, Calil recomenda aos pais que apliquem todo o dinheiro poupado no mercado de ações, com a formação de uma carteira diversificada, que possa garantir retorno nesse horizonte de tempo. "Escolha papéis com chances de valorização, faça depósitos com regularidade e reaplique os ganhos. Acredito ser possível, ao fim do prazo de 15 anos, pagar a faculdade que o filho escolher, no Brasil ou no exterior", completa.

Foto: Newton Santos/Hype

Crédito equilibra as contas de estudante Com "pendências" financeiras para resolver, o estudante de design André Araújo Cordeiro, de 23 anos, vai conseguir uma folga no orçamento após contratar o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), do governo federal, referente a 50% da mensalidade de seu curso no Mackenzie, hoje no valor de R$ 1,6 mil. "Antes meu salário era quase inteiramente destinado a pagar não só mensalidades, mas todos os custos envolvidos com o ato de

estudar, como impressões todos os dias. Muita gente acha que só gastamos com a mensalidade", afirma. Rumo ao quarto semestre da graduação em design, Cordeiro ficou interessado pelo Fies no início do ano e desde a inscrição até a assinatura do contrato levou mais de um mês. "Existem exigências, como a de ter um fiador que deixe em garantia bens para pagar o financiamento se tudo der errado. Eu trabalho há seis anos e tenho renda, mas isso não

contou. Consegui um familiar para ser meu fiador. Outra opção é buscar a fiança de vários amigos", relata. O estudante conta que primeiro teve de ter o aval da faculdade em que estuda e, depois, levar a documentação a um banco que participa do Fies, etapa na qual enfrentou burocracia. "Foi complicado porque eu precisava agendar no horário comercial, e eu trabalho. Além disso tive informações

André Cordeiro usou o Fies para pagar 50% da mensalidade

desencontradas e fui várias vezes à agência sem resolver o que precisava", queixa-se. A etapa final do processo, diz Cordeiro, foi levar o fiador para assinar a papelada e devolver os documentos na faculdade. "Já chegou o boleto com os

juros do serviço para eu pagar. Não sei se fiz bem, mas nem olhei as datas das parcelas que vou ter de pagar no futuro. Elas vão longe", comenta. Mesmo com uma dívida longa pela frente, o estudante acha que vale a

pena. "Comecei a trabalhar há muito tempo e sei que a faculdade é um diferencial na hora de ser contratado. É um investimento, não uma garantia. Sem a graduação fica bem difícil porque o mercado está competitivo", diz. (RT)


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

e

17 O Dia Internacional da Cerveja é comemorado desde 2007 em mais de 50 países, inclusive no Brasil, na primeira sexta-feira de agosto.

conomia

O CAÇADOR DE Jovem empreendedor vasculha o interior da Bélgica em busca de cervejarias artesanais e descobre aí um bom negócio.

CERVEJAS RARAS Fotos Newton Santos/Hype

Renato Carbonari Ibelli

A

loira estupidamente gelada já não é mais unanimidade nacional. É verdade que ela continua a ser a companhia mais requisitada nos bares e festas por aí afora, mas, aos poucos, o paladar do brasileiro começa a dar uma chance para a morena encorpada, para a ruiva doce, entre tantas outras variedades de cerveja, que nem mesmo precisam estar tão geladas para agradar. Foi este consumidor mais eclético que despertou a veia empreendedora do especialista em cerveja Diego Cartier, que decidiu garimpar os rótulos mais exclusivos que pudesse encontrar pelo mundo e trazê-los ao Brasil. Cartier montou uma importadora, a Hors Concours, especializada em bebidas raras. A primeira leva de cervejas exclusivas trazidas por ele chegou ao País há cerca de um mês, vinda da Bélgica. Elas são produzidas artesanalmente por pequenos produtores rurais, de maneira até rudimentar, com equipamentos antigos, mas que surpreendentemente resultam em produtos finais de uma sofisticação gastronômica ímpar. Nesta primeira remessa tem cerveja que poderia se passar por champanhe, não fosse a densa espuma na borda do copo. Outra é envelhecida em barricas de Bourbon e tem até uma feita para prestigiar uma raça de porcos à beira da extinção (foto ao lado, segunda a partir da esquerda). Faro – Descobrir tais raridades, diz Cartier, depende de faro. Mas, acima de tudo, de um trabalho de pesquisa constante. "Busco descobrir quais são as influências de mestres cervejeiros mais conhecidos, então vou atrás dessas influências". Cartier pode ser definido como um beer hunter (caçador de cerveja). E seu local predileto de caça – não poderia ser diferente – é a Europa, em especial a Bélgica. Se os alemães prezam pelo padrão impecável, até pragmático, das suas cervejas, os belgas preferem ousar, misturar ingredientes como cogumelo e flor dente-de-leão à cevada, malte e lúpulo, resultando produtos únicos. "Tenho uma atração especial pelos pequenos produtores que vivem em vilinhas no meio do nada. Eles sempre surpreendem". Uma das surpresas mais agradáveis de Cartier foi garimpada em Soy, uma vila daValônia, o pedaço de língua francesa no sul da Bélgica. Lá, no meio do nada, ele encontrou a Fantôme, cervejaria

considerada por ele como "uma das melhores e mais originais do mundo". A originalidade começa pelo fantasminha que estampa os rótulos dessa cervejaria, referência a uma lenda local. Contam que o fantasma da Condessa Berthe assombra as ruínas dos castelos das redondezas. É a principal atração turística da região. Não para um caçador de cerveja, que prefere se debruçar sobre os mistérios engarrafados pela Fantôme. Esta cervejaria sintetiza o que a importadora Hors Concours define como bebida rara. Apenas uma das suas cervejas, a Fantôme Saison, é produzida regularmente o ano inteiro. Mesmo assim, em quantidade limitada. São cerca de 3 mil garrafas por mês, ou 36 mil no ano. Quase nada no mundo das cervejas. Por isso é tão difícil encontrá-las até mesmo na Bélgica. Quanto às demais linhas dessa cervejaria, estas são ainda mais raras, produzidas uma única vez ao ano, de acordo com as flores, especiarias e ingredientes característicos de cada estação. A Fantôme é também a essência do artesanal. É a cervejaria de um homem só, Dany Prignon, o mestre por trás de cada criação. Os rótulos são colados à mão, as rolhas – é assim mesmo que são fechadas – são colocadas uma por uma. A produção é rústica porque Prignon prefere assim. "Grandes cervejarias já fizeram propostas para comprar sua marca, mas esse tipo de cervejaria encon-

O beer hunter Diego Cartier trazia bebidas na mala. Agora, ele enche contêineres.

Fantôme: Cervejaria mais cult da Bélgica, traz ingredientes inusitados como flores, cogumelos e especiarias. A Fantôme Saison (R$ 87) é considerada um clássico. A cervejaria faz séries beneficentes, como a Fantôme La Piétrain (R$ 107), para arrecadar fundos para a raça de porcos Piétrain.

desse na mala. Continuo fazendo o mesmo, só que agora eu encho um contêiner". E a amizade que fez com produtores de cerveja europeus ajudou a concretizar as importações, até porque a fila

cervejarias belgas: da Blaugies, vieram cervejas do tipo Saison, que são rústicas, mas refrescantes; da Struise, cervejas envelhecidas em barris de outras bebidas, como vinho e whisky; da 3 Fonteinen, cer-

Struise: Mestre em envelhecer cervejas em barris de vinho, whisky escocês e outras bebidas, este produtor belga é caracterizado pelas cervejas fortes, complexas, mas bem equilibradas. A clássica é a Struise Pannepot 2011, encontrada por R$ 33

trada na Europa não quer crescer, prefere manter a tradição da produção familiar", comenta Cartier. Mas se são tão raras, como a Hors Concours consegue distribuí-las no Brasil? Cartier conhece Prignon há algum tempo. Muito antes de se aventurar como importador, ainda trabalhando como músico, ele já fazia as vezes de beer hunter, só que low profile. "Eu passava férias na Europa atrás de cervejarias e trazia o que pu-

de países interessados na produção dessas cervejarias é grande, fora o fato de a maior parte das cervejas exclusivas já estarem comprometidas com o mercado norte-americano. Cerca de 90% da produção da Fantôme vai para os Estado Unidos. "É mais fácil encontrar uma Fantôme em Nova York do que em Bruxelas", comenta Cartier. Rótulos – Nessa primeira remessa a Hors Concours trouxe 21 rótulos distintos de quatro

é difícil garantir continuidade na distribuição de rótulos específicos. "Esses pequenos fabricantes produzem quando querem". Fora o fato de algumas das cervejas trazidas por ele desta vez serem as últimas da linhagem. "Consegui as últimas quatro caixas das safras 2008 e 2009 da Struise". Cartier pretende também trabalhar com um grupo ainda mais fechado, "uma espécie de clube Hors Concours", que vai vender todos os rótulos que distribui. Hoje, apenas o bar Aconchego Carioca, em São Paulo, tem os 21 rótulos importados por ele. Para manter a distribuição de produtos cuja produção não é garantida, a saída foi garimpar

Santos/Hype

O Aconchego Carioca, aberto em São Paulo.

A

raridade do rótulo dá charme à cerveja. Isso é indiscutível. Mas, acima de tudo, o que um bom cervejeiro busca é a qualidade do produto. Nesse contexto, as importações trazidas pela Hors Concours caíram como uma luva na carta de bebidas do Aconchego Carioca, bar tradicional do Rio de Janeiro trazido no final do ano passado para São Paulo por Edu Passarelli, um especialista em cervejas que até então esteve à frente do premiado Melograno. O Aconchego é

hoje o único local onde é possível encontrar os 21 rótulos trazidos pela Hors Concours. No geral, diz Passarelli, são cervejas mais complexas, que costumam agradar mais facilmente a quem gosta de vinho, por estes terem o paladar mais treinado. Os preços também se aproximam dos vinhos. "É difícil para quem não está acostumado a sentar no bar e beber uma única cerveja, de R$ 100. É normal relacionar cerveja à quantidade, o que não é necessariamente verdade". A complexidade dos

sabores de cervejas do tipo Saison ou Lambics, entre outras, fazem delas boas opções para harmonizar com cardápios distintos, assim como os melhores vinhos. Com a vantagem de as cervejas não terem a fleuma natural dos vinhos. "Cerveja é uma bebida alegre, que pode, simplesmente, ser apreciada conversando sobre futebol", comenta Passarelli. De fato, cerveja é bebida para se comemorar, tanto que até foi criado o Dia Internacional da Cerveja. A data, celebrada desde 2007 em mais de 50 países, inclusive no Brasil, é

mais raridades, que chegam nos próximos meses. Dentre elas está mais um produtor belga de Lambics, mantido em segredo pelo importador. Além de cervejas exclusivas da Itália e dos Estados Unidos.

3 Fonteinen - Instalada nas imediações de Bruxelas, esta cervejaria aproveita leveduras suspensas no ar existentes unicamente nesta região para produzir fermentação espontânea. As cervejas são do tipo Lambic. Seus blends são conhecidos como "Champanhe das Lambic". A Fonteinen Golden Blend custa, em média, R$ 104.

vejas do tipo Lambics, que resultam da fermentação espontânea de leveduras presentes no ar; além da produção da Fantôme. A proposta de Cartier é trazer remessas de cervejas raras a cada dois ou três meses. Hoje, ele distribui as cervejas para 15 clientes, principalmente bares de São Paulo. Não pretende crescer muito o número, talvez para uns 25 compradores, até porque o volume que importa é limitado. Além disso,

No cardápio, 21 novos tipos da bebida. Fotos Newton

Blaugies: Cervejaria familiar instalada na divisa da Bélgica com a França, produz cervejas do tipo Saison no fundo da garagem. As Saison usam ingredientes característicos das diferentes estações do ano em seus blends. As da Blaugies levam espelta (uma gramínea da família do trigo), como a d'Epeautre (R$ 55).

comemorada sempre na primeira sexta-feira de agosto – é o caso da última, dia 2. A carta de cervejas do Aconchego vai além das raridades trazidas pela Hors Concours. Ela traz cerca de 200 rótulos de todas as partes do mundo. Passarelli dá treinamento semanal à sua equipe de atendentes para que possa sanar as curiosidades dos clientes, que são muitas: com qual prato harmoniza, como são feitas, quais ingredientes levam. O Aconchego Carioca, de São Paulo, segue os padrões

S ERVIÇO Onde encontrar as raridades: Aconchego Carioca – Alameda Jaú, 1372 , nos Jardins (11) 3063-2752 Emporio Alto dos Pinheiros rua Vupabussu, 305 - Pinheiros (11) 3032-5514 Empório Sagarana - rua Marco Aurélio, 883 - Lapa (11) 3539-6560 Frangó - Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168, (11) 3932-4818. Cervejoteca - rua Sena Madureira, 659, Vila Clementino - (11) 5084 6047 do bar original, o que inclui o cardápio feito por Kátia Barbosa, um dos grandes nomes da cozinha de boteco, criadora do famoso bolinho de feijoada, entre outros petiscos premiados. (RCI)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Um atendente bem treinado transmite ao cliente todas as informações sobre produtos especiais para uma determinada data e para divulgar as ofertas. Bruno Zanith, consultor do Sebrae-SP

conomia

Um guia para vender no Dia dos Pais Sebrae-SP aproveita a data para lançar cartilha com orientações e dicas para quem deseja explorar melhor esta e outras datas comemorativas. Paula Cunha

Fotos Newton Santos/Hype

D

atas comemorativas são sempre uma oportun i d a d e i m p o rtante para o varejo. E os pequenos empreendedores podem criar estratégias simples e eficazes para explorar melhor essas oportunidades. O bê-a-bá, todos sabem, e isso vale para qualquer negócio: é preciso criar um plano que atraia os consumidores do seu entorno com ofertas específicas e investir na sua divulgação. Para atingir o objetivo, é necessário conhecer bem os clientes, antecipar as suas necessidades e adaptar as ações de acordo com cada data.Mas, como melhor fazer isso? Aproveitando a proximidade do Dia dos Pais, a ser comemorado no próximo domingo, dia 11, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de São Paulo elaborou uma cartilha, que disponibilizou aos empresários do varejo em geral, com orientações e dicas para quem deseja explorar melhor esta e outras datas comemorativas. Batizado "Venda Melhor – Dia dos Pais", o material foi elaborado para ensinar ao comerciante práticas que podem ser adotadas tanto em ocasiões especiais quanto no seu dia a dia e que, se colocadas em prática corretamente, contribuem para aumentar o fa-

A cartilha do Sebrae e a loja Leny Corrêa Presentes, que aproveitará o Dia dos Pais para liquidar o estoque.

turamento. Ele pode ser acessado no site w w w.s ebrae/sp/venda-melhor- diados-pais. Bruno Zanith, consultor do Sebrae-SP, explica que muitos lojistas estão preocupados em se aperfeiçoar e oferecer tanto um atendimento quanto produtos e serviços mais sofisticados a seus clientes. Eles têm consciência de que houve um crescimento do poder aquisitivo da população e que ela está mais exigente e tem mais acesso às informações atualmente, o que as habilita a comparar o que lhes é oferecido. Por isso, a cartilha enfatiza que o lojista deve conhecer bem

o seu público-alvo e lembrar que, em ocasiões especiais como estas datas comemorativas, as pessoas que podem frequentar a sua loja podem não ser apenas os seus frequentador habituais. Uma providência importante é treinar seus vendedores e funcionários para as datas e consultá-los sobre os pedidos necessários para compras. Essas práticas são essenciais e devem ser acompanhadas de medidas como recomendar aos vendedores que passem aos clientes informações detalhadas sobre os produtos oferecidos. "O treinamento dos

funcionários é essencial para que a venda seja realizada com sucesso. Um atendente bem treinado consegue transmitir ao cliente todas as informações sobre produtos especiais para uma determinada data e para divulgar as ofertas", diz. De acordo com o material, o recurso de se lançar mão de promoções deve ser utilizado com critério, pois ela não significa apenas baixar os preços. Zanith ressalta que o item a ser escolhido para fazer parte da promoção deve pertencer ao universo da data comemorada. No caso do Dias dos Pais, itens que in-

teressem aos homens podem ser oferecidos a preços especiais e colocados em lugar de destaque na vitrine e dentro da loja. O consultor do SebraeSP ressalta que há consumidores que já sabem o que desejam presentear e, por isso, a organização do visual da loja é essencial para atrair o cliente e mantê-lo dentro do estabelecimento até que ele se decida pelo produto a ser adquirido. Por isso, gôndolas bem organizadas e separadas por gêneros de produ-

tos facilitam tanto a circulação de clientes quanto de funcionários que precisam atendê-los e solucionar dúvidas. Banners e faixas indicativas também podem ajudar a destacar determinados itens que o lojista queira enfatizar, mas é preciso lembrar que o excesso de sinais, tanto no interior da loja quanto nas vitrines, podem causar o efeito contrário, de confusão e poluição visual, e afastar os consumidores. No caso dos veículos de divulgação das ações, Zanith ressalta que não existe fórmula fixa para se auxiliar na escolha do meio de comunicação. Ele acredita que o lojista deve conhecer bem os seus consumidores e adaptar as estratégias de divulgação às suas características. Em datas como o Dia dos Pais, em geral quem ajuda os filhos no momento da compra do presente são as mães, e a campanha pode ser dirigida tanto para os filhos quanto para elas. Atualmente, é praticamente impossível ignorar que a maioria da população tem acesso à internet, e perguntar aos frequentadores da loja se eles aceitam receber e-mails com promoções pode ser um diferencial.

Mais Dia dos Pais na página 22

Uma loja adaptada para a data

R

econhecer uma oportunidade de realizar bons negócios e se preparar para torná-la realidade é uma habilidade que é nata em alguns empresários. Há empreendimentos varejistas que podem obter bons resultados mesmo que os produtos que oferecem não sejam diretamente adequados ao públicoalvo a ser presenteado em datas específicas. No caso do Dia dos Pais, a Leny Corrêa Presentes, voltada para itens de decoração para o lar, a solução foi criar um espaço especial para a oferta de itens destinados especificamente ao universo masculino. A loja, localizada na zona Sul da capital paulista, foi adaptada com uma área para apresentar obras de arte de diversos artistas plásticos conhecidos e peças de cerâmica que podem enfeitar quartos, salas e escritórios. Nela também são oferecidos porta-lápis, revisteiros, suportes para garrafas de vinho e até pen drives em forma de chocolate. A proprietária do empreendimento, Leny Corrêa, enfatizou que a divulgação em redes sociais como o Facebook, além do próprio site da loja, o www.len y co r r ea p r es e n t es . c om . b r, já está sendo utilizada. A empresária conta que procurou o Sebrae para montar uma estratégia para esta e outras datas e foi surpreendida. Além de constatar que já adotava práticas positivas de atendimento, os técnicos lhe indicaram soluções nas quais ainda não havia pensado. Em razão da data, Leny decidiu prorrogar seu período de liquidação até o segundo domingo de agosto, para atrair mais consumidores para a loja e apresentar os itens especiais destinados à data. Ela está confiante no sucesso da iniciativa, porque seus clientes habituais são pessoas de bom poder aquisitivo.Como são pessoas de bom nível cultural, a empreendedora decidiu

Nas paredes, obras de arte; nas prateleiras, peças de cerâmica que podem enfeitar quartos, salas e escritórios. Foi a solução apontada pelo Sebrae para a comerciante Leny Corrêa aproveitar o Dia dos Pais para movimentar sua loja.

identificar os autores das peças de cerâmica e de outros itens para valorizá-los e tornálos mais atrativos. "Neste momento, quero estreitar o relacionamento com o Sebrae para obter orientações sobre controle de fluxo de caixa e estou aguardando para saber as datas de palestras sobre este tema", diz. Leny acrescenta que a loja, que tem pouco tempo de existência, pois foi inaugurada em dezembro do ano passado, foi

uma alternativa que buscou para continuar em atividade, porque está para se aposentar, depois de trabalhar 30 anos na área de saúde. Ela ressalta essa necessidade de aprofundar seus conhecimentos de gestão do negócio, pois a abertura da loja foi uma decisão planejada para que encontrasse uma atividade diferente de tudo que já havia realizado em sua vida. "Sempre gostei da área de artes e de decoração e decidi me planejar para criar alguma atividade ligada a elas. Gosto muito de ler e cheguei a pensar em abrir uma livraria, mas vi que é um setor difícil. Mas tive orientação adequada e encontrei uma atividade na qual me sinto realizada", conclui.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

e

19 Nosso papel acaba sendo ouvir as dificuldades do empresário e orientá-lo José Santiago da Luz, da BDO.

conomia

Auditoria, uma ajuda na hora certa. As pequenas e médias empresas, que em geral só utilizam esse serviço pontualmente, começam a se interessar mais por ele. E só têm a ganhar com isso. Rejane Tamoto

Fotos: Divulgação

G

anhar tranquilidade para trabalhar, fazer o aprendizado da transparência e conquistar credibilidade são as principais motivações das empresas de menor porte quando procuram empresas de auditoria. Isso porque sabem que ali não encontrarão apenas a validação de demonstrações financeiras, mas poderão contar com os diversos serviços de consultoria que essas empresas oferecem. No Brasil, a contratação de auditoria tradicional não é prática corrente entre os pequenos e médios empresários. Eles a consultam pontualmente – quando precisam captar dinheiro junto a bancos ou investidores, participar de concorrências e licitações e mesmo obter melhores condições com fornecedores. No entanto, há indícios de que a situação está mudando. Muitas PMEs têm contatado auditorias pedindo informações, segundo Adriano Roberto Legnari Faria, diretor de firmas de auditoria de pequeno e médio portes do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon). "A cada dia aumenta o número de empresários que conhece o trabalho de auditoria. Eles perceberam que precisam disso para se inserir no mercado", afirma. As auditorias agradecem: como as PMEs são 95% das companhias brasileiras, têm aí formidável mercado potencial. A lei não obriga que as demonstrações financeiras das PMEs sejam auditadas, mas há diversas razões para leválas a adotar esse procedimento. O diretor do Ibracon dá um exemplo: o credor – banco, investidor, fornecedor – fica tranquilo com os resultados auditados do cliente nas mãos, se mostram que não há risco de calote de uma empre-

Os especialistas (da esquerda para a direita) Faria, Santiago e Passetti recomendam: procura crescente por informações. sa. "No banco, o empresário pode até não precisar deixar bens em garantia e ainda consegue juro menor", afirma. Para Thiago de Carvalho, coordenador do centro de empreendedorismo do Insper, o papel da auditoria nas empresas menores é validar o que o empresário diz que fez – trabalho que acaba sendo exercido por bancos e investidores. "É a due diligence, durante a qual investidores de capital de risco (private equity, venture capital e seed capital) avaliam a veracidade das informações do empreendedor. Gerentes de alguns bancos também fazem isso antes de conceder crédito", explica. Mais transparente – Então, se os credores se dispõem a fazer o trabalho de auditoria, por que investir nisso? "Quando o investidor descobre uma incoerência nas informações financeiras e contábeis pode não confiar mais no empreendedor", diz Carvalho. Por isso, na opinião dele, a auditoria é importante para o empresário provar que a informação que passa é real. "O mais comum é o empreendedor fazer auditoria quando quer oferecer a empresa a alguém", diz.

O coordenador também vê vantagens em contratar auditoria quando a empresa precisa de certificações específicas para expandir seu negócio. "Exemplos são aquelas que querem mostrar à comunidade que adotam práticas socialmente responsáveis ou que seguem normas específicas de um setor, como o caso de quem vende produtos orgânicos. Empresas de auditoria costumam inclusive preparálas para seguirem normas com intuito de conquistarem certificações", diz Carvalho. Na opinião de Pamella Gonçalves, gerente de pesquisa e políticas públicas da organização não-governamental Endeavor, quanto mais cedo uma PME contratar uma auditoria, melhor, pois melhora a governança e a transparência sobre controles financeiros mais rapidamente. "Não é necessário mas sempre é bem visto. Por isso todas as 54 empresas selecionadas para serem aconselhadas pela Endeavor são orientadas a fazer auditoria em um ano ou, no máximo, em dois", conta a executiva. Para a gerente, outro bom motivo para começar a fazer

auditoria é a tranquilidade que isso traz. "Em determinado estágio de crescimento da empresa o empreendedor não está mais controlando o departamento financeiro de perto. A auditoria lhe garante que os processos estão sendo seguidos e que as obrigações fiscais e tributárias são cumpridas, ressalta Pamella. Por isso, a gerente explica que o empreendedor deve participar do processo prévio à auditoria, que também ajuda a empresa a manter documentos em ordem desde cedo. "Muita empresa deixa para fazer isso quando é gigante e, nesta etapa, as chances de ter perdido o histórico e algum documento são maiores", diz. Momento certo – José Santiago da Luz, sócio-diretor da BDO – auditoria com foco no middle market, que responde

por 70% de sua carteira –, conta que a demanda das PMEs por informações sobre o assunto aumentou 30% neste ano. "Há empresários que só querem saber se as contas do financeiro estão certas ou se tem alguém roubando. Explicamos que este é um trabalho de consultoria. Muitas outras querem aconselhamento", diz. O preparo para receber auditoria acaba sendo um trabalho de educação e aculturamento das empresas, prossegue Luz. "Nosso papel acaba sendo o de ouvir as dificuldades do empresário e orientá-lo na condução do negócio para que seja auditado no futuro". Segundo Luz, o custo médio que o mercado cobra pelo trabalho de auditoria oscila de R$ 80 a R$ 200 por hora. "Há trabalhos que podem levar 100 horas; em outros, gastam-se

Zé Carlos Barretta/Hype

Paschoalin Junior, do Grupo Via Veneto: "O custo financeiro baixou. A taxa anual de empréstimo diminuiu 6%".

SAIBA MAIS Abaixo, esclarecimentos sobre as dúvidas mais comuns que as pessoas têm em relação às auditorias. O que é auditoria? É um produto dentre vários que as empresas do setor oferecem. O objetivo é assegurar que as demonstrações contábeis de uma empresa não apresentem distorções relevantes em relação à aplicação das Normas Brasileiras de Contabilidade, determinadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), que hoje são convergentes com as Normas Internacionais de Contabilidade. Quem faz? Obrigatoriamente é executada por um auditor independente credenciado junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que deve executar o trabalho com o objetivo de assegurar a aplicação das normas contábeis e de auditoria O auditor obrigatoriamente identifica fraudes? Ele tem o dever de identificar fraudes oriundas de um desvio de conduta quando há um controle pré-definido pela empresa e/ou uma norma contábil estabelecida, desde que seja em montante relevante. "O auditor independente não deve nem pode ser responsabilizado por fraude oriunda de falsificação de documentos, de qualidade de produtos adquiridos

2011 2010 Ativo/Circulante 1.804.481,70 722.026,46 Disponível 1.317.486,53 636.397,74 Bens Numerários 4.340,34 4.307,04 Depositos Bancários 10.031,60 150,00 Aplicações Financeiras 1.303.114,59 631.940,70 Clientes 320.785,85 Estoques 143.157,81 81.347,10 Valores e Créditos Recuperáveis 23.051,51 4.281,62 Ativo Não Circulante 663.876,80 554.140,84 Valores Realizados a Longo Prazo 298.618,27 297.958,29 Imobilizado 199.154,17 154.588,92 Bens 266.473,49 189.974,46 Depreciação Acumulada (67.319,32) (35.385,54) Intangível 166.104,36 101.593,63 Bens Incorpóreos 184.539,68 105.593,54 (-) Amortizações Acumuladas (18.435,32) (3.999,91) Total do Ativo 2.468.358,50 1.276.167,30

1- Saldo no Início do Exercício (340.082,52) 9.943,84 2- Lucro ou Prejuízo do Exercício (240.548,56) (350.026,36) 3- Lucro / Prejuízos Acumulados (580.631,08) (340.082,52) 4- Reservas Legal 5- Reservas de Lucros 580.631,08 6- Saldo no Fim do Exercício 0,00 (340.082,52)

três mil horas. A quantidade é definida de acordo com o porte da empresa. Visitamos, fazemos uma captação e um questionário para definir a quantidade de horas", diz. Luiz Passetti, sócio de auditoria da EY – que tem grupos de trabalho só para atender PMEs –, o momento adequado para o empreendedor contratar o serviço de auditoria é aquele em que decide adotar transparência para fortalecer a credibilidade – e isso pode ocorrer em diversas fases da vida da empresa, até mesmo em start-ups. "Quando o empreendimento ainda não gera caixa, precisa transmitir ao investidor a segurança de que o plano de negócios foi revisado por um profissional independente. A execução do plano de negócios pode ser auditada por meio das demonstrações financeiras. O custo da hora para auditar um plano de negócios é de 30% a 40% menor", explica Passetti. Já em empresas que estão em fase de crescimento ou na trasição de pequenas para médias, a auditoria é importante para passar segurança ao proprietário de que as operações estão sendo executadas dentro de um ambiente controlado. De acordo com Passetti, outro grupo de empresas que também busca bastante o serviço é o das familiares. "Geralmente, passam por um diagnóstico e treinamento e são auditadas a partir do segundo ano. Quanto mais organizada é a empresa menor é o trabalho do auditor", completa.

ou vendidos e atos simulados de qualquer forma", diz Adriano Roberto Legnari Faria, diretor de firmas de auditoria de pequeno e médio portes do Ibracon. O que difere consultoria de diagnóstico? A empresa que nunca foi audiada deve contratar o levantamento de um diagnóstico, que lhe indique problemas de controles da empresa e se essa está em conformidade com as Normas Brasileiras de Contabilidade. O diagnóstico revela também se os tributos estão calculados e registrados corretamente e se as informações disponíveis estão em conformidade com o padrão exigido (chamado International Financial Reporting Standards, ou IFRS – que são as normas globais de contabilidade), a linguagem atual do mercado. Após o diagnóstico, a empresa pode corrigir os erros e se preparar para passar por uma auditoria no futuro. Já a consultoria é diferente, pois tem foco na instalação de mudanças nos processos da empresa. Exemplos são as consultorias de planejamento tributário e de contabilidade. Empresas que prestam consultoria não podem fazer auditoria para o mesmo cliente.Fonte: Ibracon

Receita Operacional Bruta 6.248.231,93 2.550.188,50 (-) Impostos s/ Serviços Prestados 488.024,06 189.369,98 Receitas Financeiras 171.373,40 25.909,60 Receita Líquida Operacional 5.931.581,27 2.386.728,12 2011 2010 (-) Custos 2.941.544,40 1.190.580,84 Passivo/Circulante 1.152.350,63 298.676,33 3.540.144,02 1.190.689,85 Obrigações a Curto Prazo 1.152.350,63 298.676,33 (-) Custos 109,01 Fornecedores 907.128,87 169.321,32 Deduções e Abatimentos compras 598.599,62 Lucro Bruto 2.990.036,87 1.196.147,28 Obrigações Tributárias 219.168,07 112.410,16 2.680.982,16 1.149.897,38 Obrigações 26.053,69 16.944,85 (-) Despesas Operacionais 2.657.312,67 1.131.310,47 Passivo Não Circulante 93.073,45 113.073,49 Despesas Administrativas 1.120,05 597,21 Empréstimos e Financiamentos 58.333,25 78.333,29 Despesas Tributárias 22.549,44 17.989,70 Obrigações Socios 34.740,20 34.740,20 Despesas Financeiras (-) Outras Despesas 169.460,87 Patrimônio Líquido 1.222.934,42 864.417,48 309.054,71 123.210,97 Capital Social 177.175,00 151.525,00 Prejuízo Operacional Capital Social Subscrito 190.000,00 190.000,00 Prejuízo antes dos Efeitos Fiscais 309.054,71 123.210,97 549.603,27 226.815,39 Capital Social Subscrito a Integralizar (12.825,00) (38.475,00) Contribuição Social e IR 240.548,56 350.026,36 Reservas de Ágio Realizadas 1.045.759,42 1.052.975,00 Prejuízo Líquido do Exercício Reserva de Ágio 1.332.934,42 1.914.500,00 4- Participações societárias: Reserva de Ágio a Realizar (287.175,00) (861.525,00) Sócio/Empresa Capital Social Patr. Liquido Resultados Acumulados - (340.082,52) 96.900,00 96.900,00 Total do Passivo e Patrim. Líq. 2.468.358,50 1.276.167,30 Marco Sandro Penha Oricchio Marco Rogério Penha Oricchio 7.600,00 7.600,00 85.500,00 85.500,00 1- As demonstrações financeiras foram elaboradas e Hayanna Participações LTDA acordo com a lei nº 6404/76, estando o plano de contas 5- O capital social é de R$ 190.000,00 representado por adequado a lei 11638/2007 e 11941/2009. 2- As receitas 190.000 ações ordinárias sem valor nominal. 6- O imposto de e despesas são reconhecidas no resultado pelo regime de renda e a contribuição social são apurados com base no lucro competência. 3- As depreciações foram calculadas pelo presumido. 7- A entidade exerceu a opção pelo parcelamento método linear as taxas permitidas pela legislação tributária. dos débitos tributários instituídos pela lei 11941/2009. Marco Sandro Penha Oricchio - Presidente Jorge Luiz Corregiari - CRC-SP nº 1SP 1093360/O-4

Moeda de troca na negociação com o banco

C

om cinco marcas no segmento de comércio de moda – Via Veneto, Brooksfield, Brooksfield Donna, Brooksfield Júnior e Harry's –, o Grupo Via Veneto ainda era uma empresa média quando optou por contratar uma auditoria, há três anos. A necessidade surgiu justamente em razão do crescimento da empresa, que começou a exigir maior controle sobre processos de todas as áreas. "O objetivo era ter tranquilidade em relação à gestão, à

2012 Ativo/Circulante 2.352.632,42 Disponível 1.210.751,31 Bens Numerários 460,85 Depositos Bancários 37.810,47 Aplicações Financeiras 1.172.479,99 Clientes 356.038,41 Estoques 750.601,92 Valores e Créditos Recuperáveis 35.240,78 Ativo Não Circulante 1.989.171,44 Valores Realizados a Longo Prazo Imobilizado 1.778.163,58 Bens 2.040.978,61 Depreciação Acumulada (262.815,03) Intangível 211.007,86 Bens Incorpóreos 251.061,48 (-) Amortizações Acumuladas (40.053,62) Total do Ativo 4.341.803,86

2011 1.804.481,70 1.317.486,53 4.340,34 10.031,60 1.303.114,59 320.785,85 143.157,81 23.051,51 663.876,80 298.618,27 199.154,17 266.473,49 (67.319,32) 166.104,36 184.539,68 (18.435,32) 2.468.358,50

1- Saldo no Início do Exercício 0,00 (340.082,52) 2- Lucro ou Prejuízo do Exercício 466.278,80 (240.548,56) 3- Lucro / Prejuízos Acumulados 466.278,80 (580.631,08) 4- Reservas Legal 5- Reservas de Lucros 580.631,08 6- Saldo no Fim do Exercício 466.278,80 0,00

legislação e demais riscos de curto, médio e longo prazos", explica Victor Paschoalin Junior, diretor do grupo. A tranquilidade e o conforto que o trabalho de auditoria proporcionou aos sócios se estendeu aos diretores da empresa e foram passados por eles o mercado. Segundo Paschoalin Junior, o trabalho de auditoria ajudou a integrar departamentos com as normas contábeis. "Fazer a lição de casa de governança

2012 Passivo Circulante 1.957.135,33 Obrigações a Curto Prazo 1.957.135,33 Fornecedores 1.637.094,67 Obrigações Tributárias 290.586,73 Obrigações 29.453,93 Passivo Não Circulante 1.011.687,53 Empréstimos e Financiamentos 38.333,21 Bens de Terceiros em Comodato 757.122,10 Obrigações Socios 216.232,22 Patrimônio Líquido 1.372.981,00 Capital Social 190.000,00 Capital Social Subscrito 190.000,00 Capital Social Subscrito a Integralizar Reservas de Ágio Realizadas 1.332.934,42 Reserva de Ágio 1.332.934,42 Reserva de Ágio a Realizar Resultados Acumulados (149.953,42) Total do Passivo e Patrim. Líq. 4.341.803,86

2011 1.152.350,63 1.152.350,63 907.128,87 219.168,07 26.053,69 93.073,45 58.333,25 34.740,20 1.222.934,42 177.175,00 190.000,00 (12.825,00) 1.045.759,42 1.332.934,42 (287.175,00) 2.468.358,50

1- As demonstrações financeiras foram elaboradas e acordo com a lei nº 6404/76, estando o plano de contas adequado a lei 11638/2007 e 11941/29. 2- As receitas e despesas são reconhecidas no resultado pelo regime de competência. 3- As depreciações foram calculadas pelo método linear as taxas permitidas pela legislação tributária. 4- Participações societárias:

corporativa e de controle se torna uma moeda de troca forte com o banco, que olha as demonstrações auditadas e não duvida de nada. Para nós o reflexo foi imediato e o custo financeiro de empréstimos baixou. A taxa anual que pagamos diminuiu 6%", conta. Essa vantagem competitiva foi importante para a expansão orgânica de lojas do grupo, que aumentou em 30% e hoje está presente em shopping centers em todo o Brasil. (RT)

Receita Operacional Bruta (-) Impostos s/ Serviços Prestados Receitas Financeiras Receita Líquida Operacional (-) Custos (-) Custos Deduções e Abatim. das compras Lucro Bruto (-) Despesas Operacionais Despesas Administrativas Despesas Tributárias Despesas Financeiras (-) Outras Despesas Prejuízo Operacional Prejuízo antes dos Efeitos Fiscais Contribuição Social e IR Prejuízo Líquido do Exercício

8.656.821,21 1.008.551,68 97.432,53 7.745.702,06 3.283.702,87 6.126.087,41 2.842.384,54 4.461.999,19 3.696.449,25 3.633.195,81 10.679,14 52.574,30 765.549,94 765.549,94 299.271,14 466.278,80

6.248.231,93 488.024,06 171.373,40 5.931.581,27 2.941.544,40 3.540.144,02 598.599,62 2.990.036,87 2.680.982,16 2.657.312,67 1.120,05 22.549,44 309.054,71 309.054,71 549.603,27 240.548,56

Sócio/Empresa Capital Social Patr. Liquido Marco Sandro Penha Oricchio 96.900,00 96.900,00 Marco Rogério Penha Oricchio 7.600,00 7.600,00 Hayanna Participações LTDA 85.500,00 85.500,00 5- O capital social é de R$ 190.000,00 representado por 190.000 ações ordinárias sem valor nominal. 6-Em 2011 o IR e a contribuição social são apurados com base no lucro presumido, em 2012 o IR e a contribuição social são apurados com base no lucro real. 7- A entidade exerceu a opção pelo parcelamento dos débitos tributários instituídos pela lei 11941/2009. Marco Sandro Penha Oricchio - Presidente Jorge Luiz Corregiari - CRC-SP nº 1SP 1093360/O-4


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20 -.ECONOMIA/LEGAIS

e

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Outras duas grandes alemãs também estão perto. A BMW anunciou planos para uma nova fábrica no Brasil em outubro e a Audi bate o martelo em 2014.

conomia Divulgação

Em São Paulo, a deflação dos protestos

Revista alemã garante que"Classe C" será fabricado no Brasil a partir de 2015

O

A

montadora alemã Daimler planeja construir uma nova fábrica no Brasil, uma vez que a elevação dos impostos sobre veículos estrangeiros dificulta a venda de carros importados no país, informou ontem a revista Der Spiegel. A marca de luxo da Daimler, Mercedes Benz, deve começar a montar o modelo Classe C no Brasil até 2015, capacidade inicial de 20 mil veículos por ano, de acordo com a revista, que não informou a origem da notícia. Um porta-voz da Daimler disse que a empresa está avaliando tal medida, mas que ainda não tomou uma decisão. "Estamos olhando para o Brasil, assim como para várias outras localidades", disse. A Der Spiegel informou que a Daimler vai decidir nos próximos meses o local da nova fábrica. Montar uma nova planta no Brasil não será a primeira inicia-

Este será o Mercedes brasileiro tiva da Daimler no quarto maior mercado de automóveis do mundo. Ela produziu seu Mercedes-Benz Classe A na fábrica de

GM tira o segundo posto da VW. Fiat ainda lidera.

A

s vendas de veículos novos no Brasil cresceram 7,4% em julho sobre junho, mas na média diária de emplacamentos houve recuo de 6,5%, segundo dados da associação de concessionárias, Fenabrave. A Fiat apurou vendas de 67.170 automóveis e comerciais leves em julho ante

63.847 em junho, numa participação de 20,7% sobre o total vendido no segmento. A General Motors passou a Volkswagen no segundo posto, e registrou 61.630 emplacamentos, ante 55.484 unidades em junho, fatia de 19%. A montadora alemã, enquanto isso, teve licenciamentos de 56.786 unidades, após 58.749

Juiz de Fora, em Minas Gerais, a partir de 1999. Mas encerrou a produção em dezembro de 2010 e remodelou o local para a fabri-

cação de caminhões comerciais. Outras duas grandes alemãs também p odem vir. A BMW anunciou planos para uma nova

no mês anterior, correspondendo a uma fatia de 17,5%. A Ford teve vendas de 33.062 carros e comerciais leves, fatia de 10,2%. Os licenciamentos de carros, comerciais leves, ônibus e caminhões novos em julho somaram 342,3 mil unidades, ante 318,6 mil em junho. Na comparação com as vendas de 364,2 mil unidades em julho de 2012, recordes para o mês, houve queda de 6%. Julho contou com três dias úteis a mais de vendas em re-

lação a junho. Com isso, a média diária de emplacamentos, um indicador usado pela indústria para acompanhar o desempenho do setor, caiu de 15.930 para 14.881 unidades. No acumulado dos primeiros sete meses de 2013, as vendas somaram 2,14 milhões de unidades, 2,9% acima do volume licenciado no mesmo período de 2012. A Fenabrave cortou sua expectativa para o crescimento das vendas de veículos no país em 2013, de 2,95% para

fábrica no Brasil em outubro e a Audi deve decidir no próximo ano se começará a fabricar carros aqui. (Reuters)

1,53%, num volume de 3,86 milhões de unidades. Incluindo expectativa de vendas de 1,5 milhão de motocicletas, a projeção total para o mercado de veículos brasileiro neste ano é de queda de 1,52%, para 5,357 milhões de unidades. Isoladamente, as vendas de carros e comerciais cresceram 6,94% sobre junho, a 323,9 mil unidades, enquanto as vendas de caminhões somaram 15.224 veículos, expansão mensal de 16,4%. (Reuters)

Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo fechou julho com deflação de 0,13%, ante avanço de 0,32% em junho, beneficiado pela forte queda dos preços de Transportes, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Em relação à terceira quadrissemana, o indicador mostrou perda do ímpeto deflacionário, após recuo de 0,16% na apuração anterior. Na quarta quadrissemana, o maior impacto veio do grupo Transportes, que recuou 1,30%, após alta de 0,92% em junho. Por outro lado, Habitação registrou avanço de 0,40%, representando 0,1245 ponto percentual do índice, após alta de 0,33% em junho. Com a ajuda de Transportes - após a revogação do aumento das tarifas do transporte público em várias capitais, por conta de manifestações populares - e de Alimentação, os indicadores de inflação vêm mostrando perda de força. Para agosto, porém, a previsão é de alta de 0,31% para alimentação e de 0,09% para transportes. De acordo com o coordenador do IPC, Rafael Costa Lima, "transportes devem acelerar um pouco, com combustíveis dando indícios de alta". No caso dos alimentos, a baixa, especialmente dos in natura, dá sinais de esgotamento. E ainda há efeitos sazonais, como a última frente fria, que tende a encarecer os produtos que usam o trigo como matéria-prima. (Agências)


DIà RIO DO COMÉRCIO

sĂĄbado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

ECONOMIA/LEGAIS - 21

Cogeração de Energia ElĂŠtrica ParaĂ­so S.A. CNPJ/MF nÂş 12.244.251/0001-09 - NIRE nÂş 35.300.381.432 Ata da Assembleia Geral OrdinĂĄria e ExtraordinĂĄria em 30/04/2013 1. Data, Hora e Local: 30/04/13, Ă s 14 hs, na sede da Cia. 2. Convocação e Presença: Dispensada a publicação de edital de convocação, nos termos do art. 124, §4Âş da Lei nÂş 6.404 e alteraçþes posteriores. 3. Mesa: Presidente, Sr. Osni de Lima, SecretĂĄria, Sra. Lucila Pedroso Cordeiro. 4. Ordem do Dia: I - em AGO: (i) tomar as contas dos administradores, examinar, discutir e votar as demonstraçþes ďŹ nanceiras do exercĂ­cio social encerrado em 31/12/12; (ii) deliberar sobre a destinação dos resultados do exercĂ­cio de 2012; e, II - em AGE: (i) tomar ciĂŞncia de renĂşncia de membro da Diretoria; (ii) eleger novo membro da Diretoria da Cia; (iii) Alterar o Estatuto Social da Cia; e (iv) Consolidar o Estatuto Social da Cia. 5. Deliberaçþes: Instalada a assembleia, os acionistas deliberaram, por unanimidade de votos, sem qualquer oposição, protesto, ressalva ou restrição: I - Em AGO: (a) Aprovar a dispensa da leitura das Demonstraçþes Financeiras, do RelatĂłrio da Administração e do Parecer dos Auditores Independentes do exercĂ­cio social encerrado em 31/12/12, tendo em vista jĂĄ serem tais documentos do conhecimento de todos os acionistas e declarar sanada a publicação extemporânea das contas de tal exercĂ­cio. (b) Aprovar as Contas dos Administradores, as Demonstraçþes Financeiras e o RelatĂłrio da Administração referentes ao exercĂ­cio social encerrado em 31/12/12, publicados no dia 30/04/13, nos jornais DOESP, pĂĄgs 225 e 226, e DiĂĄrio do ComĂŠrcio, pĂĄg. 32. (c) Tendo em vista a Cia ter apurado prejuĂ­zo operacional no exercĂ­cio social de 2012, nĂŁo haverĂĄ distribuição de dividendos. II - Em AGE: (a) Aceitar o pedido de renĂşncia apresentado em 30/03/13 e com efeitos a partir de entĂŁo, pelo Sr. Renato do Amaral Ferreira, CI RG 9.099.239 SSP/SP, CPF/MF 103.390.208-06, do cargo de Diretor-Presidente da Cia; e (b) Eleger o Sr. AndrĂŠ Marcondes Gohn, CI RG 12.319.187 SSP/SP, CPF/MF 125.675.758-63, para exercer o cargo de Diretor-Presidente da Cia pelo perĂ­odo remanescente do mandato do Sr. Renato do Amaral Ferreira, prorrogĂĄvel automaticamente atĂŠ a posse de seu sucessor. O Diretor ora eleito declara conhecer previamente as condiçþes de elegibilidade previstas em lei, bem como nĂŁo estar inabilitado ou impedido de exercer atividade mercantil na forma da lei, tampouco condenado por nenhum dos crimes previstos no §1Âş do art. 147 da Lei nÂş 6.404/76. (c) Alterar a redação do art. 12 do Estatuto Social da Cia, que passarĂĄ a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 12 - A Companhia somente poderĂĄ assumir obrigaçþes, renunciar a direitos, transigir, dar quitação, alienar ou onerar bens do ativo permanente, bem como emitir, garantir ou endossar cheques ou tĂ­tulos de crĂŠdito, mediante instrumento assinado pelo Diretor-Presidente, isoladamente, por 2 (dois) Diretores em conjunto, por 1 (um) Diretor e 1 (um) mandatĂĄrio ou, ainda, por 2 (dois) mandatĂĄrios, constituĂ­dos especialmente para tal, observado quanto Ă  nomeação de mandatĂĄrios o disposto no parĂĄgrafo 1Âş deste artigo. §1Âş-Os instrumentos de mandato outorgados pela Companhia serĂŁo sempre assinados pelo Diretor-Presidente, isoladamente, ou por 2 (dois) Diretores em conjunto, devendo especiďŹ car os poderes concedidos e terĂŁo prazo determinado, limitado a um ano, exceto no caso de mandato judicial, que poderĂĄ ser por prazo indeterminado. §2Âş-Excepcionalmente, a Companhia poderĂĄ ser representada nos atos a que se refere o caput deste artigo mediante a assinatura isolada de um Diretor ou de um mandatĂĄrio, desde que haja, em cada caso especĂ­ďŹ co, autorização expressa da Diretoria.â€? (d) Considerando a alteração ao Estatuto Social da Cia aprovada nesta data, bem como aquelas aprovadas nas AGEs realizadas em 23/09/10, 13/12/10, 17/12/10, 19/12/12 e 27/12/12, registradas perante a JUCESP, respectivamente, em 1Âş/10/10, 23/12/10, 05/01/11, 09/01/13 e 31/01/13, sob os nÂşs 359.162/10-1, 453.596/10-1, 15.516/11-8, 18.934/13-4 e 53.855/13-9, consolidar o Estatuto Social da Cia, que passa a vigorar com a redação contida no Anexo I a presente Ata. 6. Encerramento: Nada mais. Brotas, 30/0413. Assinaturas: Mesa: Osni de Lima-Presidente, Lucila Pedroso Cordeiro-SecretĂĄria; Acionistas: Rhodia Brasil Ltda., Solvay Energy Services SAS. Confere com o original, lavrado em livro prĂłprio. Brotas, 30/04/13. Lucila Pedroso Cordeiro-SecretĂĄria. JUCESP nÂş 281.079/13-4 em 29/07/13. Gisela Simiema Ceschin-Sec. Geral.

COMPANHIA METALĂšRGICA PRADA

CNPJ nº 56.993.900/0001-31 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 24 de Maio de 2013 (lavrada sob a forma de sumårio, de acordo com a autorização contida no parågrafo 1º do artigo 130 da Lei nº 6.404/76) Data, Hora e Local: 24 de maio de 2013, às 09 horas, na sede da Companhia, localizada na Rua Engenheiro Francisco Pitta Brito, nº 138, Santo Amaro, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Convocação: Realizada nos termos do artigo 13 do Estatuto Social da Companhia. Presenças: Totalidade dos membros do Conselho de Administração da Companhia. Mesa: Presidiu a mesa o Sr. Benjamin Steinbruch, que convidou a mim, Daniel Adriano Paulino, para secretariar os trabalhos. Ordem do Dia: Aprovar a reeleição dos membros da Diretoria. Deliberaçþes: Foi aprovada, por unanimidade de votos, a reeleição dos Srs. EnÊas Garcia Diniz, brasileiro, casado, engenheiro, portador da cÊdula de identidade RG nº 04.746.432-6 IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o nº 657.575.057-53, residente e domiciliado na Cidade de Volta Redonda/RJ, como Diretor Presidente; e Fúlvio Tomaselli, italiano, naturalizado brasileiro, casado, engenheiro mecânico, portador da cÊdula de identidade RG nº 5.435.905 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 857.101.568-68, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo/SP, como Diretor, ambos com prazo de gestão de 3 (três) anos a contar desta data, estendendo-se os mandatos atÊ a investidura de seus sucessores, nos termos do artigo 17 do Estatuto Social. Os Diretores ora reeleitos declaram que não estão impedidos de exercer cargos de administração de companhias, nem incursos em qualquer crime que os impeçam de ocupar tais cargos, nem impedidos por lei especial, ou condenados por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fÊ pública, ou a propriedade, ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, ou qualquer outro impedimento legal, nos termos do artigo 147 da Lei nº 6.404/76. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos, lavrada e lida a presente ata, que achada conforme, foi assinada por todos os presentes. Assinaturas: Benjamin Steinbruch - Presidente; Daniel Adriano Paulino Secretårio; Conselheiros: Benjamin Steinbruch, EnÊas Garcia Diniz e JosÊ Taragano. A presente ata, redigida sob a forma de sumårio, Ê cópia fiel daquela lançada no Livro de Atas de Reuniþes do Conselho de Administração da companhia, ficando autorizado o seu registro e publicação. São Paulo, 24 de maio de 2013. Daniel Adriano Paulino - Secretårio. Junta Comercial do Estado de São Paulo - Registro nº 237.192/13-5.Protocolo:0.547.630/13-0.Secretåria Geral:Gisela Simiema Ceschin.

Allis Participaçþes S.A. CNPJ/MF nº 08.648.295/0001-19 – NIRE 35.300.337.867 – Companhia Aberta Ata de Reunião do Conselho de Administração realizada em 1º de julho de 2013 1. Data, hora e local: Em 01/07/2013, às 17h00, na sede da Cia., na Av. Brig. Faria Lima, 1.355, 15º and., SP/SP. 2. Convocação: Dispensada, face a presença de todos os Conselheiros. 3. Mesa: Alexandre M. O. Campos (Presidente) e Fabiola Ribeiro dos Santos (Secretåria). 4. Deliberaçþes: Os Conselheiros presentes tomaram as seguintes deliberaçþes: 4.1. Aceitar, por unanimidade, o pedido de renúncia apresentado pelo Sr. Goldwasser Pereira Santos Neto, nesta data, do cargo de Diretor, ficando sua carta de renúncia arquivada na sede da Cia.. 4.2. Aprovar, por maioria, a eleição do Sr. Leonardo Carvalho D’Oliveira Porto, portador do RG nº 0547805276 e do CPF/MF nº 906.874.775-49, para atuar como Diretor Financeiro e de Relação com Investidores, com mandato vålido atÊ 30/04/2016, sendo que o termo de posse e declaração de impedimento foi lavrado em livro próprio da Cia.. Fica consignado, ainda, que para todos os fins estatutårios, o cargo de Diretor Financeiro e de Relação com Investidores equivale ao cargo de Diretor Adjunto. 4.3. Aprovar, por maioria, que o Diretor ora eleito (Sr. Leonardo Carvalho D’Oliveira Porto), seja tambÊm eleito Diretor das controladas da Cia. (Allis Agrícola Ltda.; Indica.Com Oportunidades Profissionais Ltda.; Alpen Consultoria, Recrutamento e Seleção de Executivos Ltda.; Allis Soluçþes Inteligentes S.A. e Allis Soluçþes em Trade e Pessoas Ltda.). 4.4. Consignar que a partir desta data a Diretoria passa a ser composta pelos seguintes membros Srs.: Alexandre Milani de Oliveira Campos (Diretor Presidente), Leonardo Carvalho D’Oliveira Porto (Diretor Financeiro e de Relação com Investidores), Rosemberg Macedo de Souza (Diretor Executivo) e Otåvio Augusto Lustosa Nogueira (Diretor Executivo), todos com mandato vålido atÊ 30/04/2016. 4.5. Aprovar, por maioria, a alteração da lista de beneficiårios do 2º Programa de Opção de Compra de Açþes da Cia., mais especificamente no que tange aos Beneficiårios do 1º Plano e do 2º Plano, a qual foi rubricada pelos presentes e serå arquivada na sede da Cia.. Em consequência da presente deliberação, determinou-se que sejam elaborados os competentes contratos ou aditamentos contratuais com os beneficiårios que tiveram suas condiçþes de participação no 2º Programa alterados pela presente ata. 4.6. Aprovar, por unanimidade, a atualização e consolidação da listagem de contratos bancårios celebrados pela Cia. e suas controladas, nos quais estas poderão figurar como tomadoras garantidoras e/ou avalistas, sendo que a listagem consolidada desses contratos ficarå arquivada na sede da Cia. após ter sido rubricada por todos os presentes. 4.7. Autorizar, por unanimidade, desde jå, a administração da Cia. a praticar todos e quaisquer atos e a celebrar todos e quaisquer documentos necessårios à execução das deliberaçþes ora aprovadas. 5. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a AssemblÊia, sendo lavrada a presente Ata. (ass.) Antonio Carminhato Junior, Cristiano M. Boccia, Danilo Gamboa, Thiago Emanuel Rodrigues, Eduardo Alcalay, Giovanni Giovannelli, Alexandre Milani de O. Campos. Fabíola Ribeiro dos Santos – Secretåria. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 289.468/13-9 em 31/07/2013. Gisela Simiema Ceschin – Secretåria Geral.

Locar Guindastes e Transportes Intermodais S.A. CNPJ/MF nÂş 43.368.422/0001-27 – NIRE 35.300.377.095 Ata da Assembleia Geral ExtraordinĂĄria realizada em 04 de junho de 2013 Data, hora e local: Aos 04/06/2013, Ă s 11 hs., na sede social. Convocação: Dispensada a convocação, diante da presença dos acionistas representando a totalidade do capital social da Cia.. Mesa: Julio Eduardo SimĂľes, Presidente e Gilmar Aparecido da Silva, SecretĂĄrio. Deliberação da Ordem do Dia, aprovada por unanimidade: Aprovada a inclusĂŁo do serviço de “engenharia subaquĂĄticaâ€? entre as atividades jĂĄ desenvolvidas pela Cia., passando o Art. 3Âş do Estatuto Social a vigorar com a seguinte nova redação: “Art. 3Âş – A Cia. tem por objeto social: a) a prestação dos serviços aqui descritos, nos âmbitos nacional e internacional, a saber: (i) transportes rodoviĂĄrios de cargas indivisĂ­veis e super pesadas; (ii) transportes rodoviĂĄrios de grandes lĂ­quidos, gases liquefeitos, produtos quĂ­micos e petroquĂ­micos; (iii) transportes coletivos de passageiros nos âmbitos municipal, estadual, federal e internacional; (iv) escolta rodoviĂĄria para veĂ­culos prĂłprios e de terceiros nos âmbitos municipal, estadual, federal e internacional; (v) remoção industrial; montagem industrial e içamento; (vi) armazenagem em geral; (vii) terceirização de mĂŁo-de-obra para operação de equipamentos diversos; (viii) operação de transporte multimodal; (ix) operaçþes portuĂĄrias e aeroportuĂĄrias; (x) navegação de apoio portuĂĄrio e marĂ­timo; (xi) navegação de cabotagem; (xii) fornecimento de apoio logĂ­stico, incluindo disponibilização de infraestrutura, cessĂŁo temporĂĄria de ĂĄreas de armazenagem e berços de atracação e movimentação de cargas; (xiii) hospedagem; (xiv) manutenção de equipamentos de terceiros; (xv) reparação de embarcaçþes de todos os tipos, incluindo navios, diques flutuantes, balsas e plataformas para exploração e produção de petrĂłleo; (xvi) metalurgia em geral, incluindo a fabricação e recuperação de maquinas, equipamentos, estruturas em aço, peças, partes e componentes, inclusive os de USP naval; (xvii) engenharia, projetos e montagens industriais; (xviii) construção de redes de transportes por dutos; e (xix) engenharia subaquĂĄtica; b) a locação, nos âmbitos nacional e internacional de mĂĄquinas, equipamentos e veĂ­culos de transporte de passageiros e cargas, incluindo, exemplificativamente, guindastes, andaimes, balancins, plataformas, escoramento, passarela, formas, palcos, arquibancadas, suas peças de reposição e outros equipamentos em geral; c) comĂŠrcio, importação e exportação de mĂĄquinas, equipamentos, veĂ­culos e demais materiais, bem como de suas partes e peças, que poderĂŁo ser destinados Ă  venda a terceiros ou Ă  reposição de mĂĄquinas, equipamentos e veĂ­culos prĂłprios; e d) a fabricação de embarcaçþes de todos os tipos, incluindo navios, diques flutuantes, balsas e plataformas para exploração e produção de petrĂłleo.â€? Encerramento: Nada mais havendo a tratar, a presente ata foi lavrada, lida e aprovada pelos presentes, que a subscreveram. Assinaturas: Julio Eduardo SimĂľes (Presidente da Mesa e Acionista), Gilmar Aparecido da Silva (SecretĂĄrio), Maria Fernanda SimĂľes, Julio Eduardo SimĂľes Filho e Marina SimĂľes. Guarulhos, 04/06/2013. (ass.) Julio Eduardo SimĂľes – Presidente, Gilmar Aparecido da Silva – SecretĂĄrio. JUCESP – Certifico o registro sob o nÂş 266.567/13-7 em 22/07/2013. Gisela Simiema Ceschin – SecretĂĄria Geral.

Alves de Lima & Paryzer Incorporadora e Construtora Ltda. CNPJ/MF nÂş 12.331.532/0001-90 ReuniĂŁo de SĂłcios - Edital de Convocação Serve a presente para convocar o Sr. Marcelo Malvio Alves de Lima e a Alves de Lima Construtora e Incorporadora Ltda. para a reuniĂŁo de sĂłcios,no dia 14.08.2013,Ă s 10hs,na sede do escritĂłrio Gasparini,De Cresci e Nogueira de LimaAdvogados,Av.Paulista, 1.842, Ed. Cetenco Plaza,T. Norte, 2Âş and., cjs. 25/28, SP/SP, a ďŹ m de ratiďŹ car a cessĂŁo de quotas representativas do capital social da Sociedade e das demais sociedades em queV.Sas.possuem participação societĂĄria,nos termos de instrumento particular ďŹ rmado anteriormente, e deliberar demais assuntos de interesse social. SP, 02.08.2013, p/seus sĂłcios Danny Paryzer e Ronny Paryzer.

ALP Business Tower Brigadeiro Empreendimento ImobiliĂĄrio SPE Ltda. CNPJ/MF nÂş 11.459.861/0001-59 ReuniĂŁo de SĂłcios - Edital de Convocação Serve a presente para convocar o Sr. Marcelo Malvio Alves de Lima e a Alves de Lima Construtora e Incorporadora Ltda. para a reuniĂŁo de sĂłcios,no dia 14.08.2013,Ă s 11hs,na sede do escritĂłrio Gasparini,De Cresci e Nogueira de LimaAdvogados,Av.Paulista, 1.842, Ed. Cetenco Plaza,T. Norte, 2Âş and., cjs. 25/28, SP/SP, a ďŹ m de ratiďŹ car a cessĂŁo de quotas representativas do capital social da Sociedade e das demais sociedades em queV.Sas.possuem participação societĂĄria,nos termos de instrumento particular ďŹ rmado anteriormente, bem como deliberar demais assuntos de interesse da Sociedade. SP, 02.08.2013, por seu sĂłcio Danny Paryzer.

Ativo Circulante Disponível Bens Numerårios Depositos Bancårios Aplicaçþes Financeiras Estoques Valores e CrÊditos Recuperåveis Ativo Não Circulante Valores Realizados a Longo Prazo Imobilizado Bens Depreciação Acumulada Intangível Bens Incorpóreos (-) Amortizaçþes Acumuladas Total do Ativo

722.026,46 636.397,74 4.307,04 150,00 631.940,70 81.347,10 4.281,62 554.140,84 297.958,29 154.588,92 189.974,46 (35.385,54) 101.593,63 105.593,54 (3.999,91) 1.276.167,30

Passivo Circulante Obrigaçþes a Curto Prazo Fornecedores Obrigaçþes Tributårias Obrigaçþes Passivo Não Circulante EmprÊstimos e Financiamentos Obrigaçþes Socios Patrimônio Líquido Capital Social Capital Social Subscrito Capital Social Subscrito a Integralizar Reservas de à gio Realizadas Reserva de à gio Reserva de à gio a Realizar Resultados Acumulados Total do Passivo e Patrimônio Líquido

298.676,33 298.676,33 169.321,32 112.410,16 16.944,85 113.073,49 78.333,29 34.740,20 864.417,48 151.525,00 190.000,00 (38.475,00) 1.052.975,00 1.914.500,00 (861.525,00) (340.082,52) 1.276.167,30

Vida Lavanderias Especializada Ltda. CNPJ nÂş 12.403.498/0001-12 – NIRE 35.224.428.828 - Ata de ReuniĂŁo de SĂłcios realizada em 20 de junho de 2013. Data, Hora e Local: 20/6/13, 10hs, na sede. Presença: Totalidade. Convocação: Dispensado. Mesa: Lilian Promenzio Rodrigues Affonso - Pres.; Antonio Carlos Penha Affonso - Secr.Deliberaçþes: (a) Foi aprovada a transformação do tipo societĂĄrio sob o qual a Sociedade se organiza, passando de Sociedade Ltda. p/ S.A. de capital fechado, passando a nova denominação social da Cia. a ser Vida Lavanderias Especializada S.A. (b) Os acionistas aprovam o Estatuto Social da Cia., anexo Ă  presente ata. (c) Os acionistas decidiram adiar por atĂŠ 90 dias a eleição dos membros que integrarĂŁo o Cons.de Adm.e elegeram para o cargo de Diretora Pres.:Lilian Promenzio Rodrigues Affonso, RG nÂş 7.272.063-3/SSP-SP, CPF/MF nÂş 011.808.668-51; e, p/ o cargo de Diretor de Operaçþes: AntĂ´nio Carlos Penha Affonso, RG nÂş 6.043.177/SSP-SP, CPF/MF nÂş 993.671.068-15. Nada mais.Santana de ParnaĂ­ba, SP, 20/6/13.Mesa: Lilian Promenzio Rodrigues Affonso - Pres.;Antonio Carlos Penha Affonso -Secr..Vida Lavanderias Especializada S.A.- Estatuto Social - CapĂ­tulo I - Denominação,Objeto, Sede e Prazo - Art. 1Âş: A Vida Lavanderias Especializada S.A ĂŠ Cia. que se rege pelo presente estatuto social e pelas disposiçþes legais aplicĂĄveis. Art. 2Âş: A Cia. tem por objeto social: a) Prestação de serviços de lavanderia que compreende lavagem e secagem de roupas e enxovais para hospitais da rede privativa ou pĂşblica em geral, - A prestação de serviços de lavanderia podem ser com ou sem fornecimento de roupas e enxovais a tĂ­tulo de locação ou de insumo da prestação do serviço; b) Prestação de serviços de coletas e entregas de roupas em hospitais da privada ou pĂşblica em geral;c) Prestação de serviços de esterelização de roupas, materiais e equipamentos em geral para hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral; d) Prestação de serviços de hotelaria em hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral; e) Prestação de serviços de lavanderias a ser efetuada nas dependĂŞncias dos hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral, - A prestação de serviços de lavanderia podem ser com ou sem fornecimento de roupas e enxovais a tĂ­tulo de locação ou de insumo da prestação do serviço f) Prestação de serviços de reparos e costura; g) Locação de roupas e enxovais para hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral; h) Lavanderia e tinturaria em geral para indĂşstria, comĂŠrcio e residĂŞncias; Art. 3Âş: A Cia. tem sede no MunicĂ­pio e Comarca de Santana de ParnaĂ­ba, Estado de SĂŁo Paulo, na Estrada de Marica Marques, nÂş 536 - galpĂŁo 01 - Jardim Represa, podendo, por deliberação da Diretoria, instalar ou encerrar ďŹ liais, agĂŞncias, escritĂłrios, representaçþes ou depĂłsitos em qualquer parte do territĂłrio nacional ou no exterior.Art. 4Âş: O prazo de duração da Cia. ĂŠ indeterminado. CapĂ­tulo II - Capital Social e Açþes - Art. 5Âş: O capital social subscrito da Cia. ĂŠ de R$ 1.900.000,00 (um milhĂŁo e novecentos mil reais), dividido em 1.900.000 de açþes ordinĂĄrias nominativas, sem valor nominal. §1Âş - Nas deliberaçþes da assemblĂŠia geral, cada ação ordinĂĄria darĂĄ direito a um voto.CapĂ­tulo III - AssemblĂŠia Geral - Art.6Âş:A AssemblĂŠia Geral reunir-se-ĂĄ,ordinariamente,dentrode4mesesseguintesaotĂŠrminodoexercĂ­ciosociale,extraordinariamente,semprequeconvocada,com observância dos preceitos legais: I - pelo Cons. de Adm., com a indicação da ordem do dia; II - pelo Cons. Fiscal ou pelos acionistas, nos casos previstos na lei.Art. 7Âş: A AssemblĂŠia serĂĄ instalada e presidida pelo Presidente do Cons.de Adm., que convidarĂĄ um dos presentes para secretariar os trabalhos. §1Âş - Na ausĂŞncia do Presidente do Cons. de Adm., a AssemblĂŠia Geral serĂĄ instalada por qualquer dos acionistas presentes e presidida por aquele que, dentre eles e por eles, for escolhido. §2Âş - O acionista poderĂĄ ser representado na AssemblĂŠia Geral nos termos do §1Âş do Art.126 da Lei nÂş 6.404/76, desde que o instrumento de procuração tenha sido depositado na sede social atĂŠ 24 horas antes da hora para a qual estiver convocada a AssemblĂŠia.Art. 8Âş: Somente poderĂŁo tomar parte da AssemblĂŠia Geral os acionistas cujas açþes estejam registradas em seu nome, no livro prĂłprio, atĂŠ 3 dias antes da data da AssemblĂŠia Geral. Art. 9Âş: A AssemblĂŠia Geral tem poderes para decidir todos os negĂłcios relativos ao objeto da Cia. e tomar as resoluçþes que julgar convenientes Ă  sua defesa e desenvolvimento.Art.10: As deliberaçþes da AssemblĂŠia Geral serĂŁo tomadas por maioria de votos, nĂŁo computados os votos em branco. §1Âş - A Cia. observarĂĄ acordo de acionistas, arquivado na sua sede, que tenha por objeto o exercĂ­cio de voto nas assemblĂŠias gerais. §2Âş - CaberĂĄ ao Presidente da AssemblĂŠia, a pedido do acionista interessado, declarar a invalidade de voto proferido contra disposição expressa de acordo de acionistas arquivado na sede da Cia., quando este estabelecer essa sanção para o cumprimento ou assegurar a execução especĂ­ďŹ ca das obrigaçþes. CapĂ­tulo IV - Administração da Cia. - Art. 11: A Cia. serĂĄ administrada pelo Cons. de Adm., como ĂłrgĂŁo de deliberação colegiada, e pela Diretoria, que a representa privativamente.Art.12: O Cons.de Adm.terĂĄ trĂŞs membros, que deverĂŁo ser pessoas naturais e de reputação ilibada. §1Âş - Os membros do Conselho da Administração serĂŁo eleitos pela AssemblĂŠia Geral e por ela destituĂ­veis a qualquer tempo, com mandato de dois anos, podendo ser reeleitos.§2Âş - Os Conselheiros serĂŁo investidos nos seus cargos mediante assinatura de termo de posse, no livro de Ata do Cons. de Adm.. §3Âş - O prazo de gestĂŁo estender-se-ĂĄ atĂŠ a investidura dos novos administradores eleitos. Art. 13: O Cons. de Adm. reunir-se-ĂĄ ordinariamente uma vez a cada quatro meses e extraordinariamente sempre que convocado por, pelo menos, dois de seus membros. §1Âş - Os Conselheiros serĂŁo convocados mediante carta ou telegrama, que especiďŹ carĂĄ a matĂŠria a ser tratada, sendo as deliberaçþes tomadas por maioria de votos dos presentes.§2Âş - Em cada reuniĂŁo, os membros do Conselho escolherĂŁo um deles para presidir os trabalhos e outro para secretariĂĄ-los. NĂŁo havendo unanimidade na escolha, prevalecerĂĄ a escolha por maioria de voto dos presentes.Havendo empate, proceder-se-ĂĄ a imediato sorteio.§3Âş - Sempre que se acharem presentes todos os membros do Cons. de Adm., poderĂĄ o ĂłrgĂŁo deliberar independentemente de formalidades de convocação. Art. 14: Compete ao Cons. de Adm.: (a) ďŹ xar a orientação geral dos negĂłcios da Cia. e aprovar o plano diretor de seus investimentos, o orçamento anual e a polĂ­tica e as condiçþes de prestação dos seus serviços; (b) quando for o caso, aprovar o rateio, entre seus membros, da remuneração global ďŹ xada pela AssemblĂŠia Geral e da participação da Diretoria nos lucros da Cia.;(c) ďŹ scalizar a gestĂŁo dos diretores, examinar, a qualquer tempo, os livros e papĂŠis da Cia., solicitar informaçþes sobre os contratos celebrados ou em via de celebração e quaisquer outros atos;(d) convocar a AssemblĂŠia Geral;(e) manifestar-se sobre os atos ou contratos quando o Estatuto assim o exigir; (f) manifestar-se sobre o relatĂłrio da administração e as contas da Diretoria; (g) apreciar as propostas da Diretoria e submetĂŞ-las Ă  deliberação da AssemblĂŠia Geral, se considerĂĄ-las pertinentes; (h) formular propostas Ă  AssemblĂŠia Geral, com prĂŠvio pronunciamento do Cons. Fiscal, se instalado e quando couber, principalmente a respeito das seguintes matĂŠrias: alteração do capital social, pagamento de dividendos e novas atividades sociais; (i) deliberar sobre o orçamento anual e o plano de investimento, os quais deverĂŁo estar aprovados antes do inicio do exercĂ­cio ďŹ scal correspondente. (j) escolher os auditores independentes da Cia.. §único - AlĂŠm das atribuiçþes discriminadas neste Art. o Cons. de Adm. exercerĂĄ as demais atribuiçþes que a lei lhe confere. Art. 15: Os Diretores, pessoas naturais, residentes no paĂ­s, acionistas ou nĂŁo, serĂŁo eleitos pelo Cons.de Adm.e por ele destituĂ­veis a qualquer tempo, com mandato de dois anos, podendo ser reeleitos.§1Âş- O prazo de gestĂŁo estender-se-ĂĄ atĂŠ a investidura dos novos diretores eleitos.§2Âş- Os membros da Diretoria sĂŁo dispensados da prestação de garantia de gestĂŁo. Art. 16: A Diretoria ĂŠ constituĂ­da por dois diretores, a saber: Presidente e Diretor de Operaçþes.Art. 17: Cabe aos Diretores tratar da administração geral dos negĂłcios da Cia.e, nos limites deste Estatuto, representĂĄ-la ativa e passivamente, com poderes para contrair obrigaçþes, emprĂŠstimos e ďŹ nanciamentos, adquirir, alienar e constituir Ă´nus reais sobre bens e direitos, transigir, ďŹ rmar compromissos, confessar e renunciar a direitos, cumprindo-lhes praticar as operaçþes e os atos necessĂĄrios ao funcionamento regular da Cia..§1Âş - A Cia.serĂĄ obrigatoriamente representada por dois Diretores (a) na celebração de contratos de qualquer natureza, (b) na outorga de mandatos “ad negotiaâ€? ou “ad judiciaâ€?, (c) na emissĂŁo de tĂ­tulos de crĂŠdito e (d) na movimentação de contas de depĂłsitos bancĂĄrios.§2Âş - Na movimentação de contas de depĂłsitos bancĂĄrios os Diretores individualmente poderĂŁo ser representados por seus procuradores, devidamente nomeados por instrumento que contenha a identiďŹ cação da conta bancĂĄria abrangida e os limites da investidura, respeitando os Diretores e procuradores a forma prescrita no §1° deste Art..§3Âş - O endosso de cheque para depĂłsito em conta bancĂĄria da Cia. ou de tĂ­tulo de crĂŠdito e duplicada para cobrança simples em instituição ďŹ nanceira poderĂĄ ser feito por um Diretor ou um procurador com poderes especĂ­ďŹ cos. §4Âş - As procuraçþes de mandatos “ad negotiaâ€? da Cia. deverĂŁo especiďŹ car os poderes outorgados e nĂŁo poderĂŁo ter prazo de vigĂŞncia superior a um ano, sob pena de sua ineďŹ cĂĄcia e invalidade.§5Âş - As procuraçþes de mandatos“ad judiciaâ€? daCia.deverĂŁoespeciďŹ carasdemandasenvolvidaseospoderesoutorgados,sobpenadesuaineďŹ cĂĄciaeinvalidade.§6Âş-Arepresentação ativa e passiva da Cia. em juĂ­zo, para receber citação ou notiďŹ cação, prestar depoimento pessoal ou atos anĂĄlogos, caberĂĄ ao Presidente, que poderĂĄ, nesses Ăşltimos casos, indicar por escrito outro membro da Diretoria para representar a Cia..Art.18: Compete, especiďŹ camente: (a) ao Presidente: representar a Cia. em juĂ­zo e receber as citaçþes e notiďŹ caçþes judiciais; presidir as reuniĂľes da Diretoria; coordenar e dirigir as ĂĄreas ďŹ nanceira e de controle da Cia.; propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas ďŹ nanceiras a serem adotadas pela Cia.; (b) ao Diretor de Operaçþes: coordenar e dirigir a ĂĄrea comercial da Cia.; angariar clientes e contratos; propor ao Cons.de Adm.as polĂ­ticas comerciais a serem adotadas pela Cia.;coordenar e dirigir as operaçþes da unidade produtiva, inclusive manutenção e reparos de equipamentos;propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas operacionais a serem adotadas pela Cia.; coordenar e dirigir as ĂĄreas administrativa, de qualidade e de recursos humanos da Cia., inclusive atividades de treinamento e desenvolvimento organizacional, propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas administrativas, de qualidade, de recursos humanos a serem adotadas pela Cia.; secretarias as reuniĂľes da Diretoria. Art. 19: Sempre que ocorrer renĂşncia, abandono de cargo ou morte de Diretor, o Cons. de Adm. se reunirĂĄ para escolher o substituto. §1Âş - Sem prejuĂ­zo da faculdade do Cons.de Adm.de, a qualquer tempo, promover a destituição de um ou de todos os Diretores, considerar-se-ĂĄ vago o cargo de diretor que, sem causa justiďŹ cada ou licença da diretoria, deixar de exercer suas funçþes por mais de 1 mĂŞs consecutivo.§2Âş - O substituto, eleito pelo Cons.de Adm., exercerĂĄ o cargo pelo tempo que faltar, relativamente ao mandato do Diretor substituĂ­do a qualquer tĂ­tulo.Art.20: O Cons. de Adm. e a Diretoria terĂŁo a remuneração que for ďŹ xada pela AssemblĂŠia Geral. Art. 21: A Diretoria reunir-se-ĂĄ, ordinariamente, no Ăşltimo mĂŞs de cada bimestre civil e, extraordinariamente, sempre que convocada por um Diretor, e das reuniĂľes serĂĄ lavrada ata em livro prĂłprio,assinadapelospresentes.§1Âş-AsdeliberaçþespoderĂŁoserespelhadasemResoluçþesextraĂ­dasdasatasdaDiretoria,numeradas em ordem cronolĂłgica anual. §2Âş - Os avisos de convocação indicarĂŁo a ordem do dia e deverĂŁo ser entregues aos membros da Diretoria com 2 dias, no mĂ­nimo, de antecedĂŞncia. §3Âş - SerĂĄ dispensado o prazo de que trata o §anterior quando a reuniĂŁo contar com a presença da totalidade dos membros da Diretoria.§4Âş - A reuniĂŁo da Diretoria poderĂĄ instalar-se com a presença da maioria dos seus membros, e as deliberaçþes serĂŁo tomadas por maioria de votos, nĂŁo computados os votos em branco. CapĂ­tulo V - ExercĂ­cio Social, Demonstraçþes Financeiras e Destinação do Lucro - Art. 22: O exercĂ­cio social terminarĂĄ a 31 de dezembro de cada ano, ďŹ ndo o qual a Diretoria farĂĄ elaborar as demonstraçþes ďŹ nanceiras do exercĂ­cio que serĂŁo submetidas Ă  AssemblĂŠia Geral OrdinĂĄria, apĂłs a prĂŠvia manifestação do Cons.de Adm..§1Âş - As demonstraçþes ďŹ nanceiras registrarĂŁo a destinação dos lucros do exercĂ­cio, segundo a proposta do Cons.de Adm. que, obrigatoriamente, observarĂĄ o seguinte: (a) 5% para a formação do fundo de reserva legal, atĂŠ atingir 20% do capital social subscrito; (b) pagamento do dividendo obrigatĂłrio (art. 23); (c) pagamento da participação dos Diretores e dos empregados no lucro; (d) o lucro remanescente terĂĄ a destinação deliberada pela AssemblĂŠia Geral. §2Âş - A reserva especial para restituição de capital aos acionistas nos casos de extinção do arrendamento estipulada na alĂ­nea c) do §anterior somente poderĂĄ ser utilizada para aquela ďŹ nalidade.Art. 23: A Cia. distribuirĂĄ como dividendo, em cada exercĂ­cio social, no mĂ­nimo de 25% do lucro lĂ­quido do exercĂ­cio, ajustado nos termos do Art.202 da Lei nÂş 6.404/76. §único - Por deliberação do Cons. de Adm. e Ă s contas de lucros acumulados ou reservas de capital, o dividendo obrigatĂłrio poderĂĄ ser pago antecipadamente, no curso do exercĂ­cio e atĂŠ a AGO que determinar o respectivo montante; esses pagamentos serĂŁo compensados, corrigidos monetariamente, com o valor do dividendo obrigatĂłrio do exercĂ­cio;e a AssemblĂŠia Geral OrdinĂĄria determinarĂĄ o pagamento do saldo do dividendo obrigatĂłrio que houver, depois de compensados os pagamentos antecipados, bem como a reversĂŁo Ă  conta de lucros acumulados ou reserva de capital do valor pago antecipadamente.Art.24: A Cia.poderĂĄ, por deliberação do Cons.de Adm., levantar balanços intercalares e distribuir dividendos intermediĂĄrios, observadas as disposiçþes legais. CapĂ­tuloVII - Liquidação - Art. 25: A Cia. entrarĂĄ em liquidação nos casos previstos em lei ou por deliberação da AssemblĂŠia Geral, que nomearĂĄ o liquidante e ďŹ xarĂĄ sua remuneração.Jucesp nÂş 256.670/13-4 em 05/07/2013.Gisela Simiema Ceschin-SecretĂĄria Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPĂƒO BONITO-SP REVOGAĂ‡ĂƒO DE LICITAĂ‡ĂƒO PREGĂƒO PRESENCIAL – REGISTRO DE PREÇO NÂş 89/2013 – Fica Revogado o referido procedimento licitatĂłrio tendo em vista a existĂŞncia de saldo remanescente decorrente de licitação anterior do gĂŞnero. CapĂŁo Bonito/SP, 01 de agosto de 2013. ABERTURA DE LICITAĂ‡ĂƒO PREGĂƒO PRESENCIAL – NÂş 91/2013 – Aquisição de 01 (um) veĂ­culo ano/modelo 2013, zero quilĂ´metro, 02 (duas) motos do ano/modelo 2013, zero quilĂ´metro e 01 (um) mini caminhĂŁo com cabine dupla, para uso do DEMUTRAN, desta Municipalidade, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 27 de agosto de 2013, Ă s 09:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, sita o Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sextafeira, das 09:00 Ă s 11:00hs e das 13:00 Ă s 16:00hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@ gmail.com . CapĂŁo Bonito-SP, 01 de agosto de 2013. Dr. JULIO FERNANDO GALVĂƒO DIAS - Prefeito Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINDAMONHANGABA COMUNICADO DE ADIAMENTO PREGĂƒO (REGISTRO DE PREÇOS) NÂş 123/2013 A Prefeitura comunica que o PPRP n° 123/13, que cuida da “AQUISIĂ‡ĂƒO DE CIMENTO PORTLAND (SACO DE 50 QUILOGRAMAS) CP II E 32â€?, fica ADIADO, para o dia 15/08/13, com abertura das propostas Ă s 9h, devido Ă s inclusĂľes dos ANEXOS VII e VIII. Pindamonhangaba, 02 de agosto de 2013. PREGĂƒO (REGISTRO DE PREÇOS) NÂş 124/2013 A Prefeitura comunica que o PPRP n°125/13, que cuida da “AQUISIĂ‡ĂƒO DE EMULSĂƒO ASFALTICA RL-1Câ€?, fica ADIADO, para o dia 15/08/13, com abertura das propostas Ă s 15h, devido Ă s inclusĂľes dos ANEXOS VII e VIII. Pindamonhangaba, 02 de agosto de 2013.

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA

Antonio Rocha da Cruz ME CNPJ 12.373.956/0001-18 Comunicado de Extravio Comunico a perda e extravio, de 10 talĂľes de notas fiscais, modelo D-1 nÂş 001 a 500, da empresa Antonio Rocha da Cruz ME, CNPJ 12.373.956/000118 e I.E. 147.390.428.119. (02, 03 e 06/08/2013)

EXTRATO DE CONTRATO - PROCESSO NÂş 57/13 - TOMADA DE PREÇOS NÂş 10/13. CONTRATANTE: Prefeitura do MunicĂ­pio de Andradina. OBJETO: Contratação de empresa especializada para execução de pavimentação asfĂĄltica tipo CBUQ, na Rua Santa AmĂĄlia, localizada no Jardim Santa CecĂ­lia, de acordo com a especificação constante no Anexo I - Proposta. DO PAGAMENTO: 05 (cinco) dias apĂłs a emissĂŁo da Nota Fiscal. DO PRAZO DE EXECUĂ‡ĂƒO: 60 (sessenta) dias contados da data da ordem de serviços. CONTRATADO: DEMOP PARTICIPAÇÕES LTDA. VALOR DO CONTRATO: R$ 255.848,06 (Duzentos e cinquenta e cinco mil, oitocentos e quarenta e oito reais e seis centavos). DATA DO CONTRATO: 31 de julho de 2013. JAMIL AKIO ONO - Prefeito

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA EXTRATO DE ADITAMENTO CONTRATUAL. PROCESSO NÂş 09/2012 PREGĂƒO NÂş 04/2012. Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de limpeza em ambiente escolar. CONTRATADO: Ana Natalia Araujo Prestação de Serviços – ME. Fica ajustado entre as partes que o contrato serĂĄ aditado no valor de R$ 20.779,56 (vinte mil, setecentos e setenta e nove reais e cinquenta e seis centavos). Todas as demais clĂĄusulas e condiçþes do contrato supra permanecem inalteradas. DATA: 02 de agosto de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA Aviso de Abertura de Licitação. Processo nÂş 72/2013 - PregĂŁo nÂş 39/ 2013. Objeto: Aquisição de diversos tipos de materiais de insumos. Tipo: Menor preço por item. Vencimento: 10 (dez) horas, do dia 16 de agosto de 2013. Edital por meio eletrĂ´nico e sem custo - (licita.andradina@hotmail.com) e na forma impressa - taxa no valor de R$0,48 por folha. Informaçþes: Prefeitura - Rua Dr. Orensy Rodrigues da Silva n° 341, fone/fax (18) 37021029, de 2ÂŞ a 6ÂŞ feira, das 8h30 Ă s 16h30. Andradina, 02 de agosto de 2013. Jamil Akio Ono - Prefeito. ALP - CAC Empreendimento ImobiliĂĄrio SPE Ltda. CNPJ/MF nÂş 12.995.955/0001-05 ReuniĂŁo de SĂłcios - Edital de Convocação Serve a presente para convocar o Sr. Marcelo Malvio Alves de Lima e a Alves de Lima Construtora e Incorporadora Ltda. para a reuniĂŁo de sĂłcios, no dia 14.08.2013, Ă s 13hs, na sede do escritĂłrio Gasparini, De Cresci e Nogueira de Lima Advogados, Av. Paulista,1.842,Ed.Cetenco Plaza,T.Norte,2Âş and.,cjs.25/28,SP/SP,a ďŹ m de ratiďŹ car a cessĂŁo de quotas representativas do capital social da Sociedade das demais sociedades em que V.Sas. possuem participação societĂĄria, nos termos de instrumento particular ďŹ rmado anteriormente,e deliberar demais assuntos de interesse social. SP,02.08.13,p/seus sĂłcios Danny Paryzer e Ronny Paryzer.

Receita Operacional Bruta 2.550.188,50 (-) Impostos sobre Serviços Prestados 189.369,98 Receitas Financeiras 25.909,60 Receita Líquida Operacional 2.386.728,12 (-) Custos 1.190.580,84 (-) Custos 1.190.689,85 Deduçþes e Abatimentos das compras 109,01 Lucro Bruto 1.196.147,28 (-) Despesas Operacionais 1.149.897,38 Despesas Administrativas 1.131.310,47 Despesas Tributårias 597,21 Despesas Financeiras 17.989,70 (-) Outras Despesas 169.460,87 Prejuízo Operacional 123.210,97 Prejuízo antes dos Efeitos Fiscais 123.210,97 Contribuição Social e Imposto de Renda 226.815,39 Prejuízo Líquido do Exercício 350.026,36 Marco Sandro Penha Oricchio Presidente Jorge Luiz Corregiari CRC-SP nº 1SP 1093360/O-4

1- Saldo no InĂ­cio do ExercĂ­cio 2- Lucro ou PrejuĂ­zo do ExercĂ­cio 3- Lucro / PrejuĂ­zos Acumulados 4- Reservas Legal 5- Reservas de Lucros 6- Saldo no Fim do ExercĂ­cio

9.943,84 (350.026,36) (340.082,52) (340.082,52)

1-As demonstraçþes financeiras foram elaboradas e acordo com a lei 6404/76, estando o plano de contas adequado a lei 11638/07 e 11941/09. 2-As receitas e despesas são reconhecidas no resultado pelo regime de competência. 3-As depreciaçþes foram calculadas pelo mÊtodo linear as taxas permitidas pela legislação tributåria. 4-Participaçþes societårias: Sócio/Empresa Capital Social Patr. Liquido Marco Sandro Penha Oricchio 96.900,00 96.900,00 Marco RogÊrio Penha Oricchio 7.600,00 7.600,00 Hayanna Participaçþes Ltda 85.500,00 85.500,00 5-O capital social Ê de R$ 190.000,00 representado por 190.000 açþes ordinårias sem valor nominal. 6-O imposto de renda e a contribuição social são apurados com base no lucro presumido. 7-A entidade exerceu a opção pelo parcelamento dos dÊbitos tributårios instituídos pela lei 11941/2009. 8-Essa publicação substitui a publicação efetuada no dia 25/2/2012.

Maxlav Lavanderia Especializada Ltda. CNPJ nÂş 15.046.859/0001-09 – NIRE 35.226.09821-3 Ata de ReuniĂŁo de SĂłcios realizada em 19 de junho de 2013. Data, Hora e Local: 19/6/13, 10hs, na sede.Presença:Totalidade.Convocação: Dispensada.Mesa: Lilian Promenzio Rodrigues Affonso - Pres.; Antonio Carlos Penha Affonso - Secr.. Deliberaçþes: (a) Foi aprovada a transformação do tipo societĂĄrio sob o qual a Sociedade se organiza, passando de Sociedade Ltda.p/ S.A.de capital fechado, passando a nova denominação social da Cia.a ser Maxlav Lavanderia Especializada S.A. (b) Os acionistas aprovam o Estatuto Social da Cia., anexo Ă  presente ata. (c) Os acionistas decidiram adiar por atĂŠ 90 dias a eleição dos membros que integrarĂŁo o Cons. de Adm. e elegeram p/ o cargo de Diretora Pres: Lilian Promenzio Rodrigues Affonso, RG nÂş 7.272.063-3/SSP-SP, CPF/MF nÂş 011.808.668-51; e, p/ o cargo de Dir. de Operaçþes: AntĂ´nio Carlos Penha Affonso, RG nÂş 6.043.177/SSP-SP, CPF/MF nÂş 993.671.068-15. Nada mais. JaguariĂşna, SP, 19/6/13. Mesa: Lilian Promenzio Rodrigues Affonso - Pres.; Antonio Carlos Penha Affonso -Secr.. MAXLAV Lavanderia Especializada S.A. - Estatuto Social - CapĂ­tulo I - Denominação, Objeto, Sede e Prazo - Art. 1Âş: A Maxlav Lavanderia Especializada S.A ĂŠ Cia.que se rege pelo presente estatuto social e pelas disposiçþes legais aplicĂĄveis. Art. 2Âş: A Cia. tem por objeto social: a) Prestação de serviços de lavanderia que compreende lavagem e secagem de roupas e enxovais para hospitais da rede privativa ou pĂşblica em geral, - A prestação de serviços de lavanderia podem ser com ou sem fornecimento de roupas e enxovais a tĂ­tulo de locação ou de insumo da prestação do serviço; b) Prestação de serviços de coletas e entregas de roupas em hospitais da privada ou pĂşblica em geral;c) Prestação de serviços de esterelização de roupas, materiais e equipamentos em geral para hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral; d) Prestação de serviços de hotelaria em hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral; e) Prestação de serviços de lavanderias a ser efetuada nas dependĂŞncias dos hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral, - A prestação de serviços de lavanderia podem ser com ou sem fornecimento de roupas e enxovais a tĂ­tulo de locação ou de insumo da prestação do serviço f) Prestação de serviços de reparos e costura;g) Locação de roupas e enxovais para hospitais da rede privada ou pĂşblica em geral. Art. 3Âş: A Cia. tem sede no MunicĂ­pio e Comarca de JaguariĂşna, Estado de SĂŁo Paulo, na Rua Vigato, nÂş 520, Distrito Industrial, podendo, por deliberação da Diretoria, instalar ou encerrar ďŹ liais, agĂŞncias, escritĂłrios, representaçþes ou depĂłsitos em qualquer parte do territĂłrio nacional ou no exterior.Art. 4Âş: O prazo de duração da Cia.ĂŠ indeterminado.CapĂ­tulo II - Capital Social e Açþes - Art. 5Âş: O capital social subscrito da Cia.ĂŠ de R$ 4.222.400,00, dividido em 4.222.400 de açþes ordinĂĄrias nominativas, sem valor nominal.§1Âş - Nas deliberaçþes da AssemblĂŠia, cada ação ordinĂĄria darĂĄ direito a um voto. CapĂ­tulo III - AssemblĂŠia - Art. 6Âş: A AssemblĂŠia reunir-se-ĂĄ, ordinariamente, dentro de 4 meses seguintes ao tĂŠrmino do exercĂ­cio social e, extraordinariamente, sempre que convocada, com observância dos preceitos legais:I - pelo Cons.de Adm., com a indicação da ordem do dia;II - pelo Cons.Fiscal ou pelos acionistas, nos casos previstos na lei.Art.7Âş: A AssemblĂŠia serĂĄ instalada e presidida pelo Presidente do Cons.de Adm., que convidarĂĄ um dos presentes para secretariar os trabalhos. §1Âş - Na ausĂŞncia do Presidente do Cons. de Adm., a AssemblĂŠia serĂĄ instalada por qualquer dos acionistas presentes e presidida por aquele que, dentre eles e por eles, for escolhido. §2Âş - O acionista poderĂĄ ser representado na AssemblĂŠia nos termos do §1Âş do Art. 126 da Lei nÂş 6.404/76, desde que o instrumento de procuração tenha sido depositado na sede social atĂŠ 24 horas antes da hora para a qual estiver convocada a AssemblĂŠia. Art. 8Âş: Somente poderĂŁo tomar parte da AssemblĂŠia os acionistas cujas açþes estejam registradas em seu nome, no livro prĂłprio, atĂŠ 3 dias antes da data da AssemblĂŠia . Art. 9Âş: A AssemblĂŠia tem poderes para decidir todos os negĂłcios relativos ao objeto da Cia. e tomar as resoluçþes que julgar convenientes Ă  sua defesa e desenvolvimento. Art. 10: As deliberaçþes da AssemblĂŠia serĂŁo tomadas por maioria de votos, nĂŁo computados os votos em branco. §1Âş - A Cia. observarĂĄ acordo de acionistas, arquivado na sua sede, que tenha por objeto o exercĂ­cio de voto nas assemblĂŠias gerais. §2Âş - CaberĂĄ ao Presidente da AssemblĂŠia, a pedido do acionista interessado, declarar a invalidade de voto proferido contra disposição expressa de acordo de acionistas arquivado na sede da Cia., quando este estabelecer essa sanção para o cumprimento ou assegurar a execução especĂ­ďŹ ca das obrigaçþes.CapĂ­tulo IV - Administração da Cia. - Art. 11: A Cia. serĂĄ administrada pelo Cons. de Adm., como ĂłrgĂŁo de deliberação colegiada, e pela Diretoria, que a representa privativamente. Art. 12: O Cons. de Adm. terĂĄ trĂŞs membros, que deverĂŁo ser pessoas naturais e de reputação ilibada. §1Âş - Os membros do Conselho da Administração serĂŁo eleitos pela AssemblĂŠia e por ela destituĂ­veis a qualquer tempo, com mandato de dois anos, podendo ser reeleitos.§2Âş - Os Conselheiros serĂŁo investidos nos seus cargos mediante assinatura de termo de posse, no livro de Ata do Cons. de Adm.. §3Âş - O prazo de gestĂŁo estender-se-ĂĄ atĂŠ a investidura dos novos administradores eleitos. Art. 13: O Cons. de Adm. reunir-se-ĂĄ ordinariamente uma vez a cada quatro meses e extraordinariamente sempre que convocado por, pelo menos, dois de seus membros.§1Âş - Os Conselheiros serĂŁo convocados mediante carta ou telegrama, que especiďŹ carĂĄ a matĂŠria a ser tratada, sendo as deliberaçþes tomadas por maioria de votos dos presentes. §2Âş - Em cada reuniĂŁo, os membros do Conselho escolherĂŁo um deles para presidir os trabalhos e outro para secretariĂĄ-los. NĂŁo havendo unanimidade na escolha, prevalecerĂĄ a escolha por maioria de voto dos presentes. Havendo empate, proceder-se-ĂĄ a imediato sorteio. §3Âş - Sempre que se acharem presentes todos os membros do Cons. de Adm., poderĂĄ o ĂłrgĂŁo deliberar independentemente de formalidades de convocação. Art. 14: Compete ao Cons. de Adm.: (a) ďŹ xar a orientação geral dos negĂłcios da Cia. e aprovar o plano diretor de seus investimentos, o orçamento anual e a polĂ­tica e as condiçþes de prestação dos seus serviços; (b) quando for o caso, aprovar o rateio, entre seus membros, da remuneração global ďŹ xada pela AssemblĂŠia e da participação da Diretoria nos lucros da Cia.;(c) ďŹ scalizar a gestĂŁo dos diretores, examinar, a qualquer tempo, os livros e papĂŠis da Cia., solicitar informaçþes sobre os contratos celebrados ou em via de celebração e quaisquer outros atos; (d) convocar a AssemblĂŠia ; (e) manifestar-se sobre os atos ou contratos quando o Estatuto assim o exigir; (f) manifestar-se sobre o relatĂłrio da administração e as contas da Diretoria; (g) apreciar as propostas da Diretoria e submetĂŞ-las Ă  deliberação da AssemblĂŠia, se considerĂĄ-las pertinentes; (h) formular propostas Ă  AssemblĂŠia, com prĂŠvio pronunciamento do Cons. Fiscal, se instalado e quando couber, principalmente a respeito das seguintes matĂŠrias: alteração do capital social, pagamento de dividendos e novas atividades sociais; (i) deliberar sobre o orçamento anual e o plano de investimento, os quais deverĂŁo estar aprovados antes do inicio do exercĂ­cio ďŹ scal correspondente. (j) escolher os auditores independentes da Cia.. § Ăşnico - AlĂŠm das atribuiçþes discriminadas neste Art. o Cons. de Adm. exercerĂĄ as demais atribuiçþes que a lei lhe confere. Art. 15: Os Diretores, pessoas naturais, residentes no paĂ­s, acionistas ou nĂŁo, serĂŁo eleitos pelo Cons. de Adm. e por ele destituĂ­veis a qualquer tempo, com mandato de dois anos, podendo ser reeleitos. §1Âş- O prazo de gestĂŁo estender-se-ĂĄ atĂŠ a investidura dos novos diretores eleitos. §2Âş- Os membros da Diretoria sĂŁo dispensados da prestação de garantia de gestĂŁo. Art. 16: A Diretoria ĂŠ constituĂ­da por dois diretores, a saber: Presidente e Diretor de Operaçþes. Art. 17: Cabe aos Diretores tratar da administração geral dos negĂłcios da Cia. e, nos limites deste Estatuto, representĂĄ-la ativa e passivamente, com poderes para contrair obrigaçþes, emprĂŠstimos e ďŹ nanciamentos, adquirir, alienar e constituir Ă´nus reais sobre bens e direitos, transigir, ďŹ rmar compromissos, confessar e renunciar a direitos, cumprindo-lhes praticar as operaçþes e os atos necessĂĄrios ao funcionamento regular da Cia.. §1Âş - A Cia. serĂĄ obrigatoriamente representada por dois Diretores (a) na celebração de contratos de qualquer natureza, (b) na outorga de mandatos “ad negotiaâ€? ou “ad judiciaâ€?, (c) na emissĂŁo de tĂ­tulos de crĂŠdito e (d) na movimentação de contas de depĂłsitos bancĂĄrios.§2Âş - Na movimentação de contas de depĂłsitos bancĂĄrios os Diretores individualmente poderĂŁo ser representados por seus procuradores, devidamente nomeados por instrumento que contenha a identiďŹ cação da conta bancĂĄria abrangida e os limites da investidura, respeitando os Diretores e procuradores a forma prescrita no § 1° deste Art..§3Âş - O endosso de cheque para depĂłsito em conta bancĂĄria da Cia.ou de tĂ­tulo de crĂŠdito e duplicada para cobrança simples em instituição ďŹ nanceira poderĂĄ ser feito por um Diretor ou um procurador com poderes especĂ­ďŹ cos. §4Âş - As procuraçþes de mandatos “ad negotiaâ€? da Cia. deverĂŁo especiďŹ car os poderes outorgados e nĂŁo poderĂŁo ter prazo de vigĂŞncia superior a um ano, sob pena de sua ineďŹ cĂĄcia e invalidade. §5Âş - As procuraçþes de mandatos “ad judiciaâ€? da Cia. deverĂŁo especiďŹ car as demandas envolvidas e os poderes outorgados, sob pena de sua ineďŹ cĂĄcia e invalidade. §6Âş - A representação ativa e passiva da Cia. em juĂ­zo, para receber citação ou notiďŹ cação, prestar depoimento pessoal ou atos anĂĄlogos, caberĂĄ ao Presidente, que poderĂĄ, nesses Ăşltimos casos, indicar por escrito outro membro da Diretoria para representar a Cia.. Art. 18: Compete, especiďŹ camente: (a) ao Presidente: representar a Cia. em juĂ­zo e receber as citaçþes e notiďŹ caçþes judiciais; presidir as reuniĂľes da Diretoria; coordenar e dirigir as ĂĄreas ďŹ nanceira e de controle da Cia.; propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas ďŹ nanceiras a serem adotadas pela Cia.; (b) ao Diretor de Operaçþes: coordenar e dirigir a ĂĄrea comercial da Cia.; angariar clientes e contratos; propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas comerciais a serem adotadas pela Cia.; coordenar e dirigir as operaçþes da unidade produtiva, inclusive manutenção e reparos de equipamentos; propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas operacionais a serem adotadas pela Cia.;coordenar e dirigir as ĂĄreas administrativa, de qualidade e de recursos humanos da Cia., inclusive atividades de treinamento e desenvolvimento organizacional, propor ao Cons. de Adm. as polĂ­ticas administrativas, de qualidade, de recursos humanos a serem adotadas pela Cia.; secretarias as reuniĂľes da Diretoria. Art. 19: Sempre que ocorrer renĂşncia, abandono de cargo ou morte de Diretor, o Cons.de Adm.se reunirĂĄ para escolher o substituto.§1Âş - Sem prejuĂ­zo da faculdade do Cons.de Adm.de, a qualquer tempo, promover a destituição de um ou de todos os Diretores, considerar-se-ĂĄ vago o cargo de diretor que, sem causa justiďŹ cada ou licença da diretoria, deixar de exercer suas funçþes por mais de 1 mĂŞs consecutivo. §2Âş - O substituto, eleito pelo Cons. de Adm., exercerĂĄ o cargo pelo tempo que faltar, relativamente ao mandato do Diretor substituĂ­do a qualquer tĂ­tulo. Art. 20: O Cons. de Adm. e a Diretoria terĂŁo a remuneração que for ďŹ xada pela AssemblĂŠia . Art. 21: A Diretoria reunir-se-ĂĄ, ordinariamente, no Ăşltimo mĂŞs de cada bimestre civil e, extraordinariamente, sempre que convocada por um Diretor, e das reuniĂľes serĂĄ lavrada ata em livro prĂłprio, assinada pelos presentes. §1Âş - As deliberaçþes poderĂŁo ser espelhadas em Resoluçþes extraĂ­das das atas da Diretoria, numeradas em ordem cronolĂłgica anual.§2Âş - Os avisos de convocação indicarĂŁo a ordem do dia e deverĂŁo ser entregues aos membros da Diretoria com 2 dias, no mĂ­nimo, de antecedĂŞncia.§3Âş - SerĂĄ dispensado o prazo de que trata o § anterior quando a reuniĂŁo contar com a presença da totalidade dos membros da Diretoria.§4Âş - A reuniĂŁo da Diretoria poderĂĄ instalar-se com a presença da maioria dos seus membros, e as deliberaçþes serĂŁo tomadas por maioria de votos, nĂŁo computados os votos em branco.CapĂ­tuloV - ExercĂ­cio Social, Demonstraçþes Financeiras e Destinação do Lucro - Art. 22: O exercĂ­cio social terminarĂĄ a 31 de dezembro de cada ano, ďŹ ndo o qual a Diretoria farĂĄ elaborar as demonstraçþes ďŹ nanceiras do exercĂ­cio que serĂŁo submetidas Ă  AssemblĂŠia OrdinĂĄria, apĂłs a prĂŠvia manifestação do Cons.de Adm..§1Âş - As demonstraçþes ďŹ nanceiras registrarĂŁo a destinação dos lucros do exercĂ­cio, segundo a proposta do Cons. de Adm. que, obrigatoriamente, observarĂĄ o seguinte: (a) 5% para a formação do fundo de reserva legal, atĂŠ atingir 20% do capital social subscrito; (b) pagamento do dividendo obrigatĂłrio (art. 23); (c) pagamento da participação dos Diretores e dos empregados no lucro; (d) o lucro remanescente terĂĄ a destinação deliberada pela AssemblĂŠia . §2Âş - A reserva especial para restituição de capital aos acionistas nos casos de extinção do arrendamento estipulada na alĂ­nea c) do § anterior somente poderĂĄ ser utilizada para aquela ďŹ nalidade. Art. 23: A Cia. distribuirĂĄ como dividendo, em cada exercĂ­cio social, no mĂ­nimo de 25% do lucro lĂ­quido do exercĂ­cio, ajustado nos termos do Art. 202 da Lei nÂş 6.404/76.§ Ăşnico - Por deliberação do Cons.de Adm.e Ă s contas de lucros acumulados ou reservas de capital, o dividendo obrigatĂłrio poderĂĄ ser pago antecipadamente, no curso do exercĂ­cio e atĂŠ a AssemblĂŠia OrdinĂĄria que determinar o respectivo montante; esses pagamentos serĂŁo compensados, corrigidos monetariamente, com o valor do dividendo obrigatĂłrio do exercĂ­cio;e a AssemblĂŠia OrdinĂĄria determinarĂĄ o pagamento do saldo do dividendo obrigatĂłrio que houver, depois de compensados os pagamentos antecipados, bem como a reversĂŁo Ă  conta de lucros acumulados ou reserva de capital do valor pago antecipadamente.Art. 24: A Cia. poderĂĄ, por deliberação do Cons. de Adm., levantar balanços intercalares e distribuir dividendos intermediĂĄrios, observadas as disposiçþes legais. CapĂ­tulo VII Liquidação - Art. 25: A Cia.entrarĂĄ em liquidação nos casos previstos em lei ou por deliberação da AssemblĂŠia, que nomearĂĄ o liquidante e ďŹ xarĂĄ sua remuneração. Jucesp nÂş 258.254/13-0 em 11/07/2013. Gisela Simiema Ceschin-SecretĂĄria Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ODESSA AVISO DE EDITAL DE LICITAĂ‡ĂƒO BENJAMIM BILL VIEIRA DE SOUZA, PREFEITO do MunicĂ­pio de Nova Odessa, torna pĂşblico que se acha aberta Tomada de Preços nÂş. 06/TP/2013, com encerramento dia 22/08/2013, Ă s 14 horas, junto ao respectivo Departamento de Compras, situado a Avenida JoĂŁo Pessoa, 777 - Centro, Nova Odessa/SP para a contratação de empresa especializada para execução de serviços de reforma e ampliação da Creche do Jardim Santa Rosa, localizada a Rua Herman Jankovitz, nÂş 600, Jardim Santa Rosa, com fornecimento de materiais, equipamentos e mĂŁo de obra, de acordo com o projeto que faz parte integrante do edital. ĂšLTIMO DIA PARA CADASTRO: 19/08/2013. Mais informaçþes poderĂŁo ser obtidas no endereço supra, das 9h00min Ă s 16h00min horas ou atravĂŠs do telefone (0xx19) 3476.8602 ou ainda pelo site: www.novaodessa.sp.gov.br. Nova Odessa, 02 de Agosto de 2013. ComissĂŁo de Licitaçþes COOPERATIVA DE PRODUĂ‡ĂƒO, COLETA, TRIAGEM E BENEFICIAMENTO DE MATERIAIS RECICLĂ VEIS – NOVA ESPERANCA – PROJETO PANTANAL CNPJ nÂş 09.462.903/0001-69 - NIRE 35400097337 EDITAL DE CONVOCAĂ‡ĂƒO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA O presidente da Cooperativa, DAVID ALMEIDA BARRETO, no uso de suas atribuiçþes que lhe confere o art. 38 da Lei 5764/ 71, convoca os sĂłcios para reunirem-se em Assembleia Geral ExtraordinĂĄria a ser realizada no dia 19 de agosto de 2013. Local: Sede, na Rua 24 de Julho, 205, UniĂŁo de Vila Nova - SĂŁo Paulo/SP, CEP 08071-050, Ă s 08:00 horas em primeira convocação, necessitando de 2/3 de seus associados, Ă s 08:30 horas em segunda convocação com a presença de metade mais um de seus associados, e Ă s 09:00 horas em terceira e Ăşltima convocação com a presença de no mĂ­nimo de 10 (dez) associados, para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: Ordens do Dia: 1- ELEIĂ‡ĂƒO DE CARGOS DO CONSELHO ADMINISTRATIVO EM VACĂ‚NCIA; 2- APROVAĂ‡ĂƒO DE CONTAS DA COOPERATIVA - EXERCĂ?CIO FINDO EM 31/ 12/2012; 3- ELEIĂ‡ĂƒO DO CONSELHO FISCAL. DAVID ALMEIDA BARRETO - Presidente da Cooperativa.

COOPERATIVA DE PRODUĂ‡ĂƒO, COLETA, TRIAGEM E BENEFICIAMENTO DE MATERIAIS RECICLĂ VEIS - VITĂ“RIA DA PENHA CNPJ NÂş 06.939.021/0001-53 - NIRE 35400080221 EDITAL DE CONVOCAĂ‡ĂƒO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA A presidente da Cooperativa, Elza Gonçalves Santos Ferreira,no uso de suas atribuiçþes que lhe confere o art.38 da Lei 5764/ 71,convoca os sĂłcios para reunirem-se em Assembleia Geral ExtraordinĂĄria a ser realizada no dia 19 de agosto de 2013, Local: Sede da Cooperativa, na Rua Lagoa de Dentro, nÂş 170, Vila SĂ­lvia,SP/Est.SP, CEP.03.820-290, Ă s 08:00 horas em primeira convocação,necessitando de 2/3 de seus associados, Ă s 08:30 horas em segunda convocação com a presença de metade mais um de seus associados,e Ă s 09:00 horas em terceira e Ăşltima convocação com a presença de no mĂ­nimo de 10 (dez) associados, para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: Ordens do Dia: 1- RERRATIFICAĂ‡ĂƒO DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINĂ RIA DE 30/08/2012, REGISTRADA NA JUCESP SOB NÂş 457.645/12-0, SESSĂƒO DE 30/10/2012. 2- ASSUNTOS GERAIS. Presidente da Cooperativa: Elza Gonçalves Santos Ferreira.

COOPERATIVA DE PRODUĂ‡ĂƒO, COLETA, TRIAGEM E BENEFICIAMENTO DE MATERIAIS RECICLĂ VEIS – VITĂ“RIA DA PENHA CNPJ NÂş 06.939.021/0001-53 - NIRE 35400080221 EDITAL DE CONVOĂ‡ĂƒO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA A presidente da Cooperativa, Elza Gonçalves Santos Ferreira,no uso de suas atribuiçþes que lhe confere o art.38 da Lei 5764/ 71,convoca os sĂłcios para reunirem-se em Assembleia Geral ExtraordinĂĄria a ser realizada no dia 19 de agosto de 2013, Local: Sede da Cooperativa, na Rua Lagoa de Dentro, nÂş 170, Vila SĂ­lvia,SP/Est.SP, CEP.03.820-290, Ă s 10:00 horas em primeira convocação, necessitando de 2/3 de seus associados, Ă s 10:30 horas em segunda convocação com a presença de metade mais um de seus associados,e Ă s 11:00 horas em terceira e Ăşltima convocação com a presença de no mĂ­nimo de 10 (dez) associados, para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: Ordens do Dia: 1-APROVAĂ‡ĂƒO NOVO ESTATUTO 5764/1971 / LEI 12690/2012. 2-ASSUNTOS GERAIS. Presidente da Cooperativa: Elza Gonçalves Santos Ferreira.

COOPERATIVA DE PRODUĂ‡ĂƒO,COLETA,TRIAGEM E BENEFICIAMENTO DE MATERIAIS RECICLĂ VEIS – NOVA ESPERANÇA – PROJETO PANTANAL CNPJ NÂş 09.462.903/0001-69 - NIRE 35400097337 EDITAL DE CONVOĂ‡ĂƒO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA O presidente da Cooperativa, DAVID ALMEIDA BARRETO, no uso de suas atribuiçþes que lhe confere o art.38 da Lei 5764/71, convoca os sĂłcios para reunirem-se em Assembleia Geral ExtraordinĂĄria a ser realizada no dia 19 de agosto de 2013, Local: Sede, na Rua 24 DE JULHO, 205, UNIĂƒO DE VILA NOVA – SĂƒO PAULO/EST. SP, CEP 08.071-050, nÂş 205, Ă s 10:00 horas, em primeira convocação, necessitando de 2/3 de seus associados, Ă s 10:30 horas, em segunda convocação, com a presença de metade mais um de seus associados, e, Ă s 11:00 horas, em terceira e Ăşltima convocação, com a presença de no mĂ­nimo de 10 (dez) associados para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: Ordens do Dia: 1-APROVAĂ‡ĂƒO DO NOVO ESTATUTO 5764/1971 / LEI 12690/2012; 2-ALTERAĂ‡ĂƒO DE ENDEREÇO DA SEDE SOCIAL; 2-ASSUNTOS GERAIS. Presidente da Cooperativa: DAVID ALMEIDA BARRETO.

Marie Nader Calfat Empreendimento ImobiliĂĄrio SPE Ltda. CNPJ/MF nÂş 10.449.422/0001-00 ReuniĂŁo de SĂłcios - Edital de Convocação Serve a presente para convocar o Sr. Marcelo Malvio Alves de Lima e a Alves de Lima Construtora e Incorporadora Ltda. para a reuniĂŁo de sĂłcios, no dia 14.08.2013, Ă s 15hs., na sede do escritĂłrio Gasparini, De Cresci e Nogueira de Lima Advogados, Av. Paulista,1.842,Ed.CetencoPlaza,TorreNorte,2Âşand.,cjs.25/28,emSĂŁoPaulo/SP,aďŹ mderatiďŹ caracessĂŁodequotasrepresentativas do capital social da Sociedade e das demais sociedades em queV.Sas.possuem participação societĂĄria,nos termos de instrumento particular ďŹ rmado anteriormente, bem como deliberar demais assuntos de interesse da Sociedade. SP, 02.08.2013.

#ITQVGP FQ $TCUKN 'SWKRCOGPVQU +PFWUVTKCKU .VFC

%02,/(  %QPXQECnlQ RCTC TGWPKlQ FG UxEKQU  (KEC C 5TC #00#.+5# /#)0#0+ KVCNKCPC PCVWTCN FG 4GIIKQ 'OKNKC +VhNKC 2CUUCRQTVG PÂ?  : %2( KVCNKCPQ /)0 0.5 2 *  G PQ $TCUKN %2(/( PÂ?  EQPXQECFC C RCTVKEKRCT FC 4GWPKlQ FG 5xEKQU C UGT TGCNK\CFC GZEGREKQPCNOGPVG RQT HQTnC FQ CTV  FQ %xFKIQ %KXKN PC 4WC 0CVCN 2CWNQ )WNNQ  ,CTFKO FC )NxTKC .KOGKTC iU J FQ FKC  FG CIQUVQ FG  EQO Q QDLGVKXQ FG FGNKDGTCnlQ FC UGIWKPVG 14&'/ &1 &+# C OWFCPnC FG GPFGTGnQ FC OCVTK\ FC 4WC *GPTKSWG $GTPCTFGNNK  Â? CPFCT EQP,  5lQ 2CWNQ 52 RCTC C 4WC 0CVCN 2CWNQ )WNNQ  ,CTFKO FC )NxTKC .KOGKTC52 G D CNVGTCnlQ FG CFOKPKUVTCFQT FC UQEKGFCFG


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 3, 4 e 5 de agosto de 2013

Ainda nos deparamos com um elevado número de problemas relacionados a um dos direitos mais básicos do consumidor: o direito à informação de preço. Paulo Arthur Góes, diretor executivo do Procon-SP

conomia

Fiscais do Procon-SP aproveitam as datas especiais de vendas para realizarem blitze no comércio. A principal autuação é a inadequação na informação de preços.

Dia dos Pais pode ser bom em venda e ruim em autuações

O

Dia dos Pais não tem o mesmo apelo comercial que o das Mães, mas, por ser também uma data comemorativa, o comércio tem uma expectativa positiva de vendas em relação ao período normal. A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) estima crescimento de 3% este ano nos resultados financeiros em comparação com o mesmo período do ano passado. Para atrair filhos que buscam presentes para os pais, uma vitrine bem elaborada pode se constituir num fator decisivo no aumento das vendas. Isso porque, cada vez mais os consumidores dizem ter menos tempo para “encontrar” o presente ideal. Portanto, a identificação visual do produto pode atrair o consumidor para o interior da loja. Só que a vitrine atrai também a fiscalização dos órgãos públicos de defesa do consumidor. Se ela não for elaborada seguindo os parâmetros estabelecidos pelas leis, quem está do lado de dentro do balcão poderá ter resultados financeiros negativos em decorrência de autuações. E as multas não são nada baixas. Se forem aplicadas pelo Procon-SP, o comerciante poderá arcar com valores entre R$ 466 a R$ 7 milhões de reais. “Conforme o Artigo 57 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), os valores das multas são estipulados com base em três critérios: a receita bruta mensal da empresa, a gravidade da infração e a vantagem auferida pelo ato”, já explicou a esta coluna Paulo Arthur Goes, diretor executivo do Procon-SP. Segundo ele, o propósito do Procon ao multar as empresas não é somente punitivo, mas educativo, objetivando a redução da violação dos direitos do consumidor.

A situação que mais gera autuação pelo Procon-SP em blitze nas datas especiais para o varejo é a inadequação da informação de preço, ou seja, a ausência da informação de preço, preço informado somente em parcelas, sem o total para pagamento à vista, preço sem ostensividade, sem correção e sem clareza. No Dia das Mães deste ano, por exemplo, os fiscais do Procon-SP visitaram 1.026 estabelecimentos e emitiram 277 laudos de autuações. “Infelizmente ainda nos deparamos com um elevado número de problemas relacionados a um dos direitos mais básicos do consumidor, decisivo para o exercício da sua adequada escolha no mercado: o direito à informação de preço”, ressaltou na época Paulo Arthur Góes. Para não ter problemas com a fiscalização, o comerciante deve atentar ao artigo 31 do CDC. É ele que estabelece as regras sobre a forma pela qual os preços devem aparecer nos produtos, nas

Mais Dia dos Pais na página 18

Pagar ou recorrer da multa? O que fazer?

O

auto de infração não significa que quem o recebeu terá de desembolsar imediatamente o valor da multa. O autuado pode recorrer no próprio Procon e no Judiciário. Se optar em ir até a última instância, ou seja, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), o processo pode durar entre cinco e oito anos. Além do tempo, gastará mais dinheiro. Isso porque pagará advogado para se defender e, caso perca a ação, assumirá o ônus de juros de mora, que são de 1% ao mês, mais a atualização monetária, as custas judiciais e os honorários de advogados de quem o autuou, normalmente fixados pela Justiça entre 10% e 20% do valor da

O QUE DIZ O CDC Artigo 31 A oferta e apresentação de produtos ou serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos

vitrines, nas gôndolas, etc. Não pode deixar de lado o artigo 52, que determina as condições para as vendas a prazo. E, ainda, observar o que dizem o Decreto 5.903/2006 e a Lei Estadual de São Paulo nº 12.733/200, que disciplinam a forma pela qual o preço de um produto deve ser apresentado ao consumidor. Resumindo, todas essas leis determinam que ao informar o preço de cada produto, o varejista deve mostrar o valor à vista, a prazo, o número de parcelas, o valor de cada parcela e, se forem cobrados juros, a taxa efetiva mensal e anual. Se não quiser afixar a etiqueta na própria peça, pode utilizar um código e as informações obrigatórias em uma tabela bem visível ao consumidor. Ou seja, a prática de informar o valor da parcela em letras grandes e os juros e o preço total em pequenas pode resultar em autuação.

que apresentam à saúde e segurança dos consumidores. Artigo º 52 No fornecimento de produtos ou serviços que envolva outorga de crédito ou concessão de financiamento ao consumidor, o fornecedor deverá, entre outros requisitos, informá-lo prévia e adequadamente sobre: I - preço do produto ou servi-

multa. “Se o autuado entender que tem provas suficientes para se defender, deve buscar o Judiciário”, entende a dra. Patrícia Yuriko Matsubara, advogada em Contencioso Cível, do escritório Lobo e De Rizzo. Isso porque, se pagar a multa sem nenhuma contestação, para aproveitar o desconto garantido no artigo 35 da Portaria Normativa Procon 33, de 1/12/2009, de até 25%, correrá o risco de ser considerado reincidente numa próxima autuação. “Em caso de reincidência, há o agravo da multa, que pode ser de um terço à metade do valor aplicado. Como nunca se sabe qual será a próxima autuação

ço em moeda corrente nacional; II - montante dos juros de mora e da taxa efetiva anual de juros; III - acréscimos legalmente previstos; IV - número e periodicidade das prestações; V - soma total a pagar, com e sem financiamento. Artigo 57 A pena de multa, graduada

do Procon, nem o motivo, tampouco o valor, ao assumir a culpa hoje, pagará muito mais lá na frente”, diz a advogada. Para a reincidência, o Procon considera as multas aplicadas nos últimos cinco anos, independentemente do fato causador. A advogada explica que, no caso de recorrer da infração na Justiça, o autuado pode depositar o valor da multa numa conta judicial. Feito isso, cessa a incidência de juros e correção monetária. Segundo ela, essa é uma forma de não ter de bancar todo o valor na decisão final da Justiça caso perca a ação. Para evitar autuações, Dori Doucault, advogado especialista do

de acordo com a gravidade da infração, a vantagem auferida e a condição econômica do fornecedor, será aplicada mediante procedimento administrativo, revertendo para o Fundo de que trata a Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985, os valores cabíveis à União, ou para os Fundos estaduais ou municipais de proteção ao consumidor nos demais casos. (Redação dada pela Lei nº 8.656, de 21.5.1993)

EMPRESA METROPOLITANA DE TRANSPORTES URBANOS DE SÃO PAULO S.A. CNPJ: 58.518.069/0001-91 AVISO DE LICITAÇÃO - CONCORRÊNCIA EMTU/SP Nº 008/2013 OBJETO: Contratação de empresa ou consórcio de empresas para a execução das obras civis, contemplando implantação de viários em pavimento rígido e/ou flexível, obras de infraestrutura, obras de arte especiais, muros e contenções, edificações (terminais, estações de embarque/desembarque, estações de transferência), instalações gerais, acabamentos, sinalização viária e urbanismo e paisagismo para a implantação do Lote 03, dos projetos do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo, trecho Jandira – Osasco, compreendido entre a Estação de Transferência de Jandira (exclusive) e o futuro Terminal Metropolitano de Carapicuíba entre os municípios de Jandira e Carapicuíba, na Região Metropolitana de São Paulo – RMSP. Poderão participar do certame os consórcios detentores do Certificado obtido na Pré-Qualificação EMTU/SP nº 002/2012 para o Lote 3. REALIZAÇÃO DA SESSÃO PÚBLICA: 04.09.2013, às 10h30min, no Auditório do CECOM da EMTU/SP, na Rua Joaquim Casemiro, 290 – Planalto – São Bernardo do Campo / SP. O Edital completo está disponível na Internet, no sítio www.emtu.sp.gov.br. Também poderá ser retirado gratuitamente, no endereço acima, no Departamento de Compras e Contratos – DCC, das 08 às 17 horas, mediante a apresentação da mídia DVD-R (gravável), necessário para cópia do arquivo até 03.09.2013. O invólucro contendo a proposta de preços deverá ser entregue no dia 04.09.2013, das 10 às 10h30min, no Auditório do CECOM da EMTU/SP. Outras informações poderão ser obtidas pelos tels.: 11 43411196 e 4341-1270 ou e-mail licitacao@emtu.sp.gov.br.

consumidor e do fornecedor, recomenda respeito ao consumidor. Entretanto, a legislação consumerista garante também ao fornecedor o direito à educação e à informação. “Está escrito no inciso IV do artigo 4º do CDC que tanto fornecedores quanto consumidores devem receber educação e informação quanto a seus direitos e deveres. Portanto, vejo que uma loja só deve ser autuada numa segunda visita da fiscalização. Na primeira, deve ser informada dos procedimentos errados. Caso persista no erro, aí sim caberia a multa. Infelizmente, essa prática não é corriqueira.”

FIQUE POR DENTRO INDENIZAÇÃO O deputado Major Fábio (DEM-PB), por meio do Projeto de Lei 5.179/13, propõe que o comércio eletrônico que não entregar a mercadoria no prazo previsto pode ser obrigado, além de devolver o dinheiro ao comprador, pagar indenização ao consumidor correspondente ao valor do produto. O dinheiro deverá ser entregue via depósito bancário ou cheque nominal – sempre no prazo máximo de cinco dias úteis.

Informa a Agência Câmara que o objetivo da proposta do deputado é evitar que empresas façam a chamada venda por demanda, quando ofertam um produto pela internet sem tê-lo em estoque. “O problema é que, depois da venda, esses comerciantes não conseguem o produto vendido no prazo acordado com o cliente, gerando frustração e diversos tipos de problemas ao consumidor”, alertou.

DECRETO Decreto do governo do Distrito Federal (nº 34.459) determina que as empresas estão obrigadas a encaminhar ao Procon-DF cópias das reclamações de consumidores recebidas pelas suas centrais de atendimento. Em caso de descumprimento, poderá ser aplicada multa entre R$ 414,67 e R$ 6,2 milhões e

WWW.DCOMERCIO.COM.BR

até a suspensão da atividade. As empresas têm o prazo de cinco dias, a contar do registro da reclamação, para remetê-la ao Procon e, ainda, são obrigadas a enviar as respostas. Por fim, o decreto estabelece o envio, no segundo mês de cada ano, de relatórios com todas as reclamações registradas anualmente.

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo; e-mail: doislados@dcomercio.com.br


050813