Page 1

TRT quer 100% dos trens nos horários de pico e pelo menos 70% nos demais horários. Descumprimento terá multa diária de R$ 100 mil.

Mariana Topfstedt/Estadão Conteúdo

Não vai ter

Metroviários na escadaria da Sé: pressão pela greve.

Ano 90 - Nº 24.138

Conclusão: 23h55

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quinta-feira, 5 de junho de 2014

Sem acordo, metroviários decidem entrar em greve hoje, por tempo indeterminado, prejudicando 4,5 milhões de usuários e impondo o caos à cidade. Marronzinhos também param. Rodízio foi suspenso. Pág. 8 Cris Faga/Estadão Conteúdo

Revoada de dólares

Para facilitar a entrada de divisas, governo reduz para zero a alíquota do IOF sobre empréstimos externos com prazo acima de 180 dias. Pág. 13 Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Torcida não vai ter Copa foi ao estádio

Maduro endurece contra oposição Enquanto Justiça venezuelana julga líder Leopoldo López, MP quer investigar suposto plano para matar o presidente. Pág. 7 ISSN 1679-2688

24138

9 771679 268008

Página 4

KASSAB Ex-prefeito condenado por improbidade administrativa Motivo: falta de pagamento de precatórios durante gestão. Cabe recurso. Pág. 6

O MTST marchou até o Itaquerão para reclamar que o dinheiro da Copa deveria ser gasto com habitação. Para eles. Págs.2 e 8


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A questão mais polêmica, contudo, é a proposta de Piketty para reduzir as desigualdades sociais. Everardo Maciel

NOSSA POSIÇÃO

O resultado da omissão coordenador do autointitulado MTST (Movimento dos Tr a b a l h a d o r e s Sem-Teto), Guilherme Boulos, após organizar a invasão das instalações das empreiteiras envolvidas com as obras da Copa do Mundo e da proprietária do terreno de Itaquera invadido por esse grupo, e paralisar a cidade de São Paulo com uma grande manifestação, afirmou que o Movimento vai continuar promovendo atos na cidade até a abertura do evento futebolístico.

O coordenador dos sem-teto não esclareceu se o sangue derramado será dos policiais que deverão executar a ordem, dos invasores ou de ambos os lados. De qualquer forma, além de tentar coagir a Justiça com essa ameaça, Boulos está claramente incitando à violência, pelo que as autoridades já deveriam tê-lo chamado – seja para explicar a ameaça como também a origem dos recursos que têm sido utilizados para promover as manifestações, as quais exigem uma ampla logística.

lém da irresponsabilidade de utilizar crianças e idosos nessas manifestações, o que representa risco para a integridade dos mesmos, Guilherme Boulos fez uma grave ameaça, afirmando que se a Justiça decretar a reintegração de posse do terreno de 150 mil metros quadrados invadido pelo MTST, "sem negociar, sem oferecer garantias reais àquelas famílias, vai haver resistência. Se eles insistirem, vai ter uma Copa de sangue".

que está acontecendo em São Paulo já era previsível e resulta da omissão e mesmo dos estímulos dados ao MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) que, há mais de dez anos, invade propriedades, usa de violência e promove destruição de patrimônio - sem que nada aconteça com seus líderes. Pelo contrário: os dirigentes do movimento utilizam recursos que o governo oferece para outras finalidades, são recebidos por presidentes da

O

A

O

República que lhes fazem promessas e concessões e contam com defensores intransigentes no governo, que são "contra criminalizar movimentos sociais", mesmo quando o movimento pratica ações criminosas. atual situação resulta, também, da passividade das elites urbanas, inclusive da maioria das entidades empresariais, que pareciam considerar que era um problema do setor rural e não de agressão às instituições do País. Os mesmos motivos e argumentos utilizados pelo MST servem para justificar as ações do MTST, a quem os sem-terra oferecem suporte,

A

Os mesmos argumentos usados pelo MST servem para justificar as ações do MTST.

uma vez que os objetivos dos dois grupos são claramente contestar a propriedade privada e o regime capitalista, embora apenas o primeiro tenha assumido claramente essa posição em diversas manifestações de seus dirigentes. Parece claro, também, que as ações do MTST devem continuar até as eleições e que se destinam a desgastar o governo de São Paulo, que fica num dilema: usar a polícia para defender a propriedade e o direito da população de circular normalmente pela cidade e ser taxado de autoritário em caso de alguma violência, mesmo que necessária; ou determinar que o policiamento se limite a acompanhar as manifestações, permitindo a paralisação da vida da cidade e ser considerado omisso. ão se pode descartar a possibilidade de que alguns grupos desejem provocar uma situação de confronto, a qual pode gerar alguma tragédia. A experiência mostra que, no geral, não são os próprios líderes desses

N

movimentos que se expõem nos confrontos: eles usam, na maioria das vezes, integrantes dos movimentos como massa de manobra. a m e aç a do coordenador do MTST não deve ser subestimada, mas não pode servir para impedir que a Justiça atue com independência e que sua decisão seja cumprida. Se for concedido aos invasores do terreno de Itaquera algum benefício que não seja extensivo ao resto da população, estar-se-á, mais uma vez, sinalizando que a violência é o melhor caminho para conquistar as coisas, e as invasões de propriedades aumentarão, não só em São Paulo. Será mais um passo para chegarmos ao estado de anomia de que fala Ralf Dahrendorf: "quando as normas sociais reguladoras do comportamento das pessoas perderam validade (...) e se as violações das normas não são punidas, ou não são punidas de forma sistemática, elas tornam-se em si, sistemáticas". O que virá depois?

A

PIKETTY, CHARME E FANTASIA. impressionante o sucesso editorial alcançado ão Reproduç por Capital in the TwentyFirst Century do economista francês Thomas Piketty, que tem como foco as desigualdades sociais nos últimos 100 anos. Ainda não editado no Brasil, o livro rapidamente converteu-se em best seller nos Estados Unidos, a despeito de ser um calhamaço de quase setecentas páginas, na edição inglesa, envolvendo sofisticadas construções econômicas, inúmeras tabelas e elegantes passagens de Jane Austin e Honoré de Balzac. O livro tem sido objeto de uma miríade de resenhas. Recebeu, dentre muitos, elogios de Paul Krugman e Robert Solow, ambos agraciados com o Prêmio Nobel de Economia. As críticas, ao menos por ora, são discretas.

É

iketty e sua equipe pesquisaram, durante quinze anos, inúmeras informações, dentre as quais declarações de imposto de renda e de espólio, abrangendo 30 países. Em síntese, afirma que

P

EVERARDO MACIEL

A luta pela redução das desigualdades sociais é um imperativo republicano. Mas não creio, em fórmulas salvacionistas, muito menos nas aventadas por Piketty.

as desigualdades aumentam sempre que a taxa de retorno do capital for superior à de crescimento da economia. A fórmula parece engenhosa. Ainda que não tenha argumentos para enfrentá-la, desconfio sempre de explicações tão prosaicas para questões tão complexas, como as desigualdades sociais. Henry Mencken (1880–1956), brilhante jornalista americano, dizia que "para todo problema complexo existe uma solução simples, elegante e completamente errada". Os dados utilizados na pesquisa foram duramente

contestados por Chris Giles, editor do Financial Times. A resposta de Piketty foi pífia. Alega que os dados podem ser melhorados ou corrigidos, sem que implique mudança de sua tese. Lembrei-me da frase atribuída ao humorista Groucho Marx: "Esses são meus princípios. Caso não lhes agradem, eu tenho outros". De minha parte, vejo com ressalvas informações coligidas de declarações de imposto de renda. Sua consistência pode ficar comprometida pelos históricos fenômenos da evasão e elisão fiscais. A questão mais polêmica, contudo, é a proposta de

Piketty para reduzir as desigualdades sociais: universalizar a tributação progressiva do imposto de renda, com alíquotas de até 80%, e das heranças. niversalização de tributos é algo impensável. No máximo, pode haver convergência de alíquotas em virtude de competição fiscal. Que tal reunir, para uniformizar tributação, americanos e nortecoreanos, russos e ucranianos, gregos e troianos? Os países que não aderissem à regra tornar-seiam, naturalmente, contentes paraísos fiscais. No ano passado, o ator

U

francês Gérard Depardieu assumiu a nacionalidade russa para escapar da escorchante alíquota de 75% estabelecida pelo governo de François Hollande. É simplismo imaginar que progressividade se efetiva por meio de alíquotas nominais, sem esquecer que a alíquota de 80% é francamente confiscatória,o que no Brasil é inadmissível por vedação constitucional. O exame da progressividade deve começar pela avaliação das deduções e dos tratamentos tributários diferenciados em razão da natureza do rendimento (por exemplo, trabalho assalariado e

aplicações financeiras). Em seguida, olhar para o gasto público, por meio do qual a progressividade se alcança, talvez, mais eficazmente. Programas de transferência de renda, educação e saúde, focalizados nos mais pobres, são poderosos instrumentos para reduzir desigualdades. É óbvio que a corrupção nos gastos fulmina qualquer pretensão de progressividade. A progressividade deve ser vista pela análise conjunta das alíquotas nominais por tipo de rendimento, deduções e gasto. ributação das heranças é inerente à história dos impostos. O equívoco é torná-la confiscatória. Nada em demasia, como ensinavam os gregos. Ninguém quer ter o governo como herdeiro. Alíquotas pesadas, nas heranças, produziriam um estímulo extraordinário ao consumo ou, mais provavelmente, faria a festa dos planejadores fiscais. A luta pela redução das desigualdades sociais é um imperativo republicano. Não creio, todavia, em fórmulas salvacionistas, e muito menos nas que foram aventadas por Piketty. O debate provocado é, entretanto, oportuno.

T

EVERARDO MACIEL É CONSULTOR TRIBUTÁRIO, EX-SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL (1995-2002)

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Sílvia Pimentel e Victória Brotto. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens: dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

3

O SISTEMA AMERICANO, APÓS BARACK OBAMA, JÁ NÃO É MAIS O MESMO

Do enigma ao desastre O

s historiadores do futuro, se houver futuro, talvez nos dêem a solução do maior enigma político de todos os tempos. Por enquanto, tudo são névoas e perguntas sem respostas. Um homem que veio não se sabe de onde, que nunca teve um emprego fixo, que pagou seus estudos nas universidades mais caras com dinheiro de fonte misteriosa, que trocou de nome pelo menos quatro vezes, que nunca exibiu um só documento de identidade válido mas apresentou pelo menos três falsificados, que tem uma história de vida toda repleta de episódios suspeitos e passou anos em companhia íntima de gangsters e terroristas, um dia se elegeu senador pelo estado de Illinois e, depois de somente alguns meses de experiência política – se é que se pode chamar de experiência a ausência na maioria das sessões –, foi guindado à presidência da nação mais poderosa do globo, sob aplausos gerais. Despertou em centenas de milhões de eleitores a maior onda de esperanças messiânicas de que se tem notícia desde Lênin, Mussolini, Stálin, Hitler e Mao Dzedong. Decorridos seis anos de uma administração indescritivelmente desastrosa, continua no posto, impávido colosso, sem que ninguém possa investigar as zonas obscuras da sua biografia sem ser xingado de tudo quanto é nome pelos maiores jornais do país, bem como pela elite dos dois partidos, Democrata e Republicano.

parentemente a obrigação mais incontornável do eleitor norteamericano, hoje em dia, é deixar-se governar sem perguntar por quem, fazendo de conta que tudo está perfeitamente normal.

A

eio, não posso negar que com surpresa, a notícia de que a China tornou-se em 2013 o maior comprador mundial de robôs industriais – logo o país qualificado universalmente como exportador de bens intensivos em mão de obra barata. A notícia esclarece que isso se deu em razão do crescimento dos custos associados aos salários e à crescente competição de algumas economias emergentes. Esses fatores teriam induzido a indústria chinesa a voltar-se para a tecnologia. A questão não se esgota aí. Estados Unidos e México estão se tornando mais atrativos como localização para a indústria. Essa mudança tem a ver tanto com um menor crescimento dos custos laborais nos dois países como pela expressiva redução dos custos da energia, particularmente dos custos do gás natural, nos últimos anos.

L

iferentemente, em alguns países ricos em recursos naturais, como o Brasil, a Austrália e a Rússia, junto com a França e a Itália, os custos vêm crescendo mais acentuadamente do que no México e nos Estados Unidos. Essa maior elevação de custos estaria reduzindo a

D

U.S Army/Reuters

OLAVO DE CARVALHO

Uma vez persuadido a acomodar-se a essa situação, sob pena de tornar-se um inimigo público, o cidadão está pronto para aceitar silencioso e cabisbaixo qualquer decisão que venha do governo, por absurda, imoral e inconstitucional que seja. A última foi essa incrível troca de cinco dos mais temíveis líderes do Taliban por um soldadinho desertor – sem consulta ao Senado, é claro, o que soma à injúria o insulto. as antes disso o número e a gravidade dos crimes do presidente já haviam ultrapassado as mais tétricas especulações futuristas: duplicou a dívida nacional que prometera reduzir, desmantelou o sistema de saúde para colocar em seu lugar a fraude monumental do Obamacare, pressionou hospitais religiosos para que realizassem abortos, entregou armas a traficantes mexicanos e terroristas sírios, encheu de dinheiro estatal firmas falidas de seus amigos e contribuintes de campanha, desmoralizou o dólar, estragou as relações diplomáticas com Israel, fez mil e um discursos culpando os EUA de tudo quanto acontece de mau no mundo, teve dezenas de encontros secretos com membros e parceiros da Fraternidade Muçulmana, usou o imposto de renda para perseguir inimigos políticos, instalou um monstruoso sistema de espionagem interna para chanta-

M

A última saia justa do presidente foi a troca de cinco dos mais temíveis líderes do Taliban por um soldado desertor, sem consultar o Senado, gear jornalistas, incentivou o quanto pôde o ódio racial, armou a polícia civil com equipamentos de guerra para aterrorizar cidadãos desarmados, acabou com a liderança americana no mundo, recusou socorro a um embaixador cercado por terroristas e, depois que ele foi assassinado, tentou enganar o país inteiro com a historinha ridícula de que foi tudo culpa de um vídeo do youtube. Nesse ínterim, tirou mais fé-

rias, deu mais festas e jogou mais partidas de golfe do qualquer dos seus antecessores, além de faltar sistematicamente ao "briefing" diário com seus assessores. Nas horas vagas, sua esposa se dedicava a uma campanha altamente humanitária para que as crianças comessem mais nabos e menos batatinhas fritas, provocando a ira da população infantil. A sucessão de ações maldosas e antipatrióticas, entre-

Obama, segundo escreveu recentemente Eileen Toplansky , não é um fracasso: é um sucesso. Sucesso num empreendimento frio e calculado de destruição do país.

meada aqui e ali de futilidades obscenas, é tão incessante, tão coerente, que toda tentativa de explicá-la pela mera incompetência vai contra o mais mínimo senso de verossimilhança. Como escreveu Eileen F. Toplansky no último número do American Thinker, o homem não é um fracasso: é um sucesso. Sucesso num empreendimento frio e calculado de destruição do país (ver em h t t p : / / w w w. a m e r i c a n t h i nke r.c om /20 14/ 05/ a_m os t_s uccessful_president.html). e, a despeito disso, ele continua blindado e inatingível, é porque a Constituição e as leis foram desativadas, sendo substituídas por um novo princípio de ordem: a autoridade da grande mídia, aliada à força de intimidação de uma vasta rede de colaboradores dispostos a tudo e amparada em corpora-

S

ções bilionárias interessadas em remover os EUA do caminho do governo mundial. O Sistema americano, em suma, já não é mais o mesmo, e a restauração do antigo, se for possível, levará décadas. A obra de devastação foi muito além dos seus efeitos políticos imediatos: mudou o quadro inteiro da autoconsciência americana, fez da grande potência um país doente e aleijado, incapaz de reagir às mais brutais agressões psicológicas. Incapaz até mesmo de escandalizar-se. passagem de Barack Hussein Obama pela presidência do país é o acontecimento mais desastroso que já se abateu sobre os Estados Unidos desde o bombardeio de Pearl Harbor.

A

OLAVO DE CARVALHO É JORNALISTA, ENSAÍSTA E PROF. DE FILOSOFIA

MAIS UMA LIÇÃO DOS CHINESES competitividade no primeiro grupo de países. É para fazer face aos aumentos de custos e aumentar a competitividade de seus produtos que a demanda por robôs na China estaria aumentando. No ano passado, as empresas tchinesas compraram 20% do total de robôs industrializados vendidos globalmente – substituindo o Japão como principal comprador.

começarão, no futuro imediato, a produzir em larga escala seus próprios robôs. O mercado é hoje dominado por empresas japonesas, os grandes fornecedores desses equipamentos para a China. Mas já há uma atividade de produção interna que poderá crescer acentuadamente nos próximos anos, permitindo que a fatia dos produtos nacionais chineses exceda o percentual atual de 5% no total demandado.

s compras de robôs das empresas chinesas têm aumentado, em média, a uma taxa anual de 36% entre 2008 e 2013. A despeito disso, o potencial de crescimento é muito grande: na China, existem 23 robôs por dez mil empregados na indústria, enquanto na Coreia o número é 396. Não se trata ainda, de um fenômeno que abarque toda a indústria chinesa. Em todo o mundo o emprego de robôs industriais se concentra na indústria automobilística. E não se trata apenas de aumentar a produtividade dos trabalhadores: tão importante quanto esse aumento, é a redução de defeitos ocasionados pela soldagem manual dos diversos componentes dos veículos. Carros defeituosos precisam voltar à linha de

D

A

montagem para reparo e, com isso, sobem os custos e a perda da produtividade no processo industrial. O uso dos robôs elimina esse problema. or outro lado, não são somente os fabricantes de veículos que estão se voltando rapidamente para os robôs. Empresas do ramo eletrônico também estão interessadas em substituir tarefas repetitivas nas linhas

P

de montagem por robôs. O que esperar no futuro? Por certo a maior parcela da mão de obra chinesa continuará trabalhando manualmente e os robôs continuarão a ser introduzidos nos segmentos industriais em que o trabalho repetitivo e o alto valor dos produtos justifiquem o investimento . Não há qualquer indicação de que os chineses

e qualquer forma, a estratégia econômica chinesa com respeito à substituição de importações é clara: somente empresas que tenham competitividade internacional sobrevivem em seu território. Com razão, os chineses raciocinam que mais importante para o país como um todo é produzir e vender competitivamente os produtos finais – em lugar de proteger alguns poucos "campeões nacionais" substituidores de importações, a um custo proibitivo para a indústria como um todo. É uma lição importante que, mais uma vez, podemos aprender com a China. Desde o início de suas reformas econômicas os chineses perceberam que só deveriam privilegiar a produção interna daqueles segmentos em que

ROBERTO FENDT

tivessem capacidade de competição no mercado internacional. Com isso, desenvolveram uma indústria de alta produtividade, que vai passo em passo melhorando o conteúdo tecnológico de seus produtos. mbora tenham um dos maiores mercados internos do mundo, eles preferiram produzir para e vender no maior dos mercados – isto é, o mercado mundial. Ao contrário deles, optamos na década de 1950 a nos voltar para dentro e produzir aqui tudo o que comprávamos fora anteriormente. A estratégia esgotou-se, embora alguns ainda relutem em perceber isso. É hora de abrir os olhos e seguir o que há de bom na estratégia chinesa de desenvolvimento.

E

ROBERTO FENDT É ECONOMISTA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

gibaum@gibaum.com.br

Em homenagem ao técnico da seleção brasileira, acaba de ser lançado o relógio Hublot Scolari, de tiragem limitada.

2 “Pelé é amigo de Deus. O resto é conversa fiada.”

Atração de inverno

RIVELINO // 68 anos, ex-jogador de futebol, perguntado se Messi era melhor que Pelé. Fotos: BusinessNews

O marqueteiro João Santana criou uma agenda de entrevistas a Dilma Rousseff em programas de esportes da TV, onde ela repete que o importante é o legado da Copa e que quem vier, nunca esquecerá da simpatia do povo brasileiro. Nessas aparições, como nos jantares a jornalista de diversas editorias, a Chefe do Governo surge bem-humorada, afável, tudo obedecendo a um mote que parece o de Lula: Dilminha, paz e amor. Nos bastidores, a presidente não gosta disso, mas acaba encarando. Agora, enquanto Santana começa a acertar sua presença em debates, ela avisa: “Se tiver réplica de quem perguntou e não gostou da resposta, não vou”.

QUEM MANDA A âncora do SBT Brasil, Rachel Sheherazade, virou discórdia dentro da emissora: Daniela Beyruth, diretorageral e filha de Silvio Santos quer que ela volte a seus comentários depois da Copa e Marcelo Parada, diretor de jornalismo, é contra, especialmente porque Rachel, vira e mexe, metralha o governo petista. Há quem garanta que Marcelo teria sido indicado por Rui Falcão, presidente do PT, para o cargo. Ele, a propósito, acaba de perder seu vice, Ricardo Mello.

Cílios da fé Numa matéria da edição online do The New York Times sobre alternativas de igrejas evangélicas no Brasil (são mais de mil), onde ganha destaque o Templo de Salomão, de Edir Macedo, um grande espaço foi dedicado ao pastor Marcos Lord, da Igreja da Comunidade Metropolitana, de Niterói, no Rio de Janeiro, homossexual assumido e professor de ensino fundamental da rede publica. A igreja é freqüentada por fiéis do bloco LGBT e Marcos, fora do templo e até mesmo nas festas de lá, se transforma na drag queen Luandha Perón, com direito a peruca, cílios postiços, salto alto e uma Bíblia na bolsa.

PASSEATA Amanhã, data de chegada de várias delegações estrangeiras a São Paulo, trabalhadores metalúrgicos, da construção civil e também da construção pesada, liderados pela Força Sindical, pretendiam fazer manifestações no aeroporto de Congonhas contra o risco de demissões devido à situação econômica do país. O governador Geraldo Alckmin conseguiu convencer o deputado federal Paulinho Pereira da Silva, presidente do Solidariedade, a transferir a passeata para a Praça da Sé. Ele atendeu, só que, de lá, os manifestantes querem seguir até o Itaquerão.

Em Nova York, o Lincoln Center acaba de ser palco da grande festa do Council of Fashion Designers of America, que premia os melhores da moda: desta vez, entre os vencedores do CFDA Fashion Awards, formavam Thom Browne, Jack McCollough e Lazaro Hernandez, Pamela Love, Ricardo Tisci e outros. O evento é considerado o Oscar da moda e estavam lá, entre tantas, da esquerda para a direita, a toda transparente Rihanna, num modelo de Adam Selman (levou o título de Icone Fashion ); a brasileira Alessandra Ambrósio, usando Mischa Nonoo; Solange Knowles, de Calvin Klein (ela é irmã de Beyoncé); Heidi Klum (Donna Karan); e Lupita Nyong’o, de Suno.

Oscar da moda

A falta de sintonia do Planalto com a política externa provocou o corte de 10% no orçamento de todas as embaixadas – e em pleno ano da Copa. Os serviços consulares reduziram seus horários para economizar, jantares e recepções foram cortados e nos últimos meses, não havia dinheiro nem para reproduzir o material turístico da Embratur na internet. Enquanto isso, o Brasil era presença diária nos jornais, revistas e emissoras de televisão devido a suas mazela, incluindo manifestações de rua, violência, estádios e aeroportos inacabados, falta de obras de mobilidade urbana, só para começo de conversa. Alugueis de imóveis de consulados e embaixadas e mesmo salários estão atrasando regularmente.

Embaixadas na penúria

A 19ª edição do Market Plaza, maior shopping sazonal de inverno do Brasil, será inaugurada dia 18 próximo e funcionará até o final de julho. O Market Plaza vem se consolidando nos últimos anos como a atração mais visitada da temporada de inverno em Campos do Jordão, cidade que carece de melhores serviços de hotelaria, gastronomia e mesmo turismo. Nas férias de inverno, ônibus fretados ocupam as ruas e desembarcam lá visitantes integrantes da chamada nova classe média.

CONTRA PELÉ Antes daquela entrevista ao Journal du Dimanche, quando chamou Ronaldo de “imbecil por ter dito que não é papel da Copa construir infraestruturas”, o escritor Paulo Coelho aparecia num vídeo no site do mesmo jornal, desancando Pelé: “Ele é uma pessoa que o Brasil detesta porque tem um lado um pouco mesquinho, um lado que não é conhecido no mundo inteiro”. Para quem não sabe: há anos, Paulo Coelho ataca Pelé, em rodas mais chegadas – e até usando palavras mais duras.

MISTURA FINA RONALDO Nazário, integrante do COL, falou que “tinha vergonha do atraso das obras da Copa” e anunciou seu apoio a Aécio Neves. Logo depois, reforçou que ele e o senador mineiro “são amigos há muitos anos” e garantiu que vai votar em Andrés Sanchez (PT-SP), expresidente do Corinthians, para deputado federal. Tudo por conta de telefonema de Lula, seu amigo de jogo e “cachacinhas”.

TAMBÉM por suposta indicação da cúpula do PT, Kennedy Alencar, ex-RedeTV!, deverá ancorar o jornal SBT Noite, que vai ao ar à uma da madrugada. Carlos Nascimento, em franca recuperação, deverá voltar ao SBT Brasil e Joseval Peixoto passaria a ser apenas comentarista.

Enquanto o casamento de Kim Kardashian com Kanye West, em Florença, ocupava colunas, revistas, blogs e programa de TV de celebridades de todo a planeta, a irmã mais nova dela, Kendall Jenner (é filha de Bruce Jenner, padrasto de Kim), 18 anos, debutava na capa e recheio da nova edição de Interview, com direito a fotos à base de topless. Na matéria, lembra seus tempos de criança: “Eu sempre mentia sobre coisas bobas, que tigres malvados viviam no seu sotão, em um quarto cheio de ouro”.

A irmã de Kim

Ladeira abaixo Nos últimos dias, novas matérias publicadas lá fora ajudam a imagem do Brasil rolar ladeira abaixo: esta semana, a revista de esquerda americana The Atlantic denúncia até violência policial contra prostitutas de Niterói, onde 100 delas teriam sido presas e muitas estupradas por policiais. No fim de semana passada, o The New York Times publicou nova matéria sobre o crescimento de mortes de PMs atacados por bandidos, fora outra reportagem (com foto de primeira página) sobre poluição na Baía de Guanabara.

/

Condição básica

MAIS: serão apenas 50 exemplares e cada um custará R$ 80 mil. Ainda não vendeu nenhum, mas Felipão já ganhou o seu.

/ IN

OUT

Assim não dá Patrícia Poeta apareceu no Jornal Nacional bufando sem saber que estava no ar, logo no primeiro dia em que ancorava o principal telejornal do país, direto da Granja Comary, ao lado de Galvão Bueno. A Globo corre e trata de avisar que não há nenhuma animosidade entre eles, mesmo porque os dois continuarão juntos até o final da Copa (e William Bonner permanece no estúdio). Grande parte da equipe que está por lá acompanha a irritação de Patrícia que, literalmente, não suporta o narrador que, de novidade, está exibindo gloriosa barriga. Patrícia é casada com Amauri Soares, diretor da Central Globo de Programação.

O PRESIDENTE russo Vladimir Putin chega ao Brasil dia 13 próximo pela manhã: ele e a comitiva (nela, perto de 100 agentes de segurança pessoal) voam em três aviões. Putin assiste a final do Mundial, no Maracanã e ficará na Base Aérea do Galeão, que terá sua segurança devidamente reforçada pelo Exército.

EM MEIO a vários tsunamis que desabam sobre seu governo, a presidente Dilma Rousseff, antes de dormir, encontra algum tempo para ler. Está terminando O homem que amava os cachorros, do cubano Leonardo Padura.

Cashmere fake.

Cashmere.

DEPOIS de Fabiana Scaranzzi, a Record também não renova o contrato de Janine Borba que, ao lado de Paulo Henrique Amorim, apresentava o Domingo Espetacular.

O DEPUTADO estadual Paulo Maluf (PP-SP), que já anunciou seu apoio a Alexandre Padilha, candidato ao governo paulista, quer subir no palanque do petista e aparecer no horário eleitoral da TV na campanha. Padilha já pediu que Lula entrasse no circuito para demover Maluf da idéia.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

quinta-feira, 5 de junho de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

5

Alves não vai colocar em pauta ação dos 9 partidos

JBatista / Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara não incluirá na agenda a ação contra os conselhos de Dilma (criados no decreto 8243)

pós reunião com líderes partidários na residência oficial, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que não colocará em pauta o requerimento de urgência para apreciação do projeto de decreto legislativo, proposto pelo DEM, que visa barrar os conselhos populares criados via decreto pela presidente Dilma Rousseff. "Não vou pautar porque não quero", disse Alves ao chegar a seu gabinete. A oposição reclama da pressão do Palácio do Planalto sobre o peemedebista e afirma que é a defesa da independência do Poder Legislativo que está em jogo. "Ele (Alves) não quer comprar o desgaste com o Planal-

A

to", avaliou o líder do DEM, Mendonça Filho (PE). Com o apoio de nove partidos (PPS, PSDB, PR, PRB, Solidariedade, PV, PSB, PSD e PROS), o líder do DEM disse que manterá o esforço para garantir a apreciação de seu projeto. "Não dá para a presidente, ao arrepio da Constituição, institucionalizar conselhos sem nenhum respaldo legal e legitimidade política e institucional", declarou Mendonça. Na semana passada, Dilma editou o decreto nº 8243 que cria nove instâncias de negociação e comunicação com a sociedade civil. Embora já estivesse programada pelo Planalto desde 2010, a norma teve sua redação acelerada a partir das manifestações de junho do ano passado.

DECRETO PROBLEMÁTICO O texto, que institui a Política Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema Nacional de Participação Social (SNPS), oficializa a relação do governo com os setores organizados. Os integrantes não serão remunerados e as propostas apresentadas não precisam necessariamente ser levadas adiante pelo governo. Logo que o decreto de Dilma foi publicado, Alves chegou a consultar sua assessoria jurídica para avaliar a constitucionalidade da decisão presidencial. Fontes revelam que o corpo técnico da Câmara considerou o decreto inconstitucional mas que, sob pressão do Executivo, o peemedebista decidiu não se indispor com Dilma e não colocar o assunto em pauta. Na terça-feira o jurista Ives

ESFORÇO EM RISCO O presidente da Câmara também teme que a discussão em plenário coloque em risco a semana de esforço concentrado. Ele quer garantir a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo, a PEC que prorroga por mais 50 anos o prazo de vigência da Zona Franca de Manaus, a Lei da Informática e a Lei do Direito de Resposta. O vice-líder da bancada do PT, Alessandro Molon (RJ), saiu em defesa do decreto 8243: "Quem é contra não leu que ele regulamenta uma lei. Só acha que é usurpação do Poder Legislativo quem não leu o decreto".

O petista afirmou que o decreto é constitucional e que qualquer cidadão poderá integrar os conselhos populares, estando ou não vinculados a

entidades civis: "Se os partidos de direita não têm inserção social, nós lamentamos Quem tem medo de ter o povo participando?" (Estadão Conteúdo)

políticos (com o perdão de Gramsci) etc. não são organizações de movimentos sociais, não pertencem aos grupos sociais que podem legalmente assessorar a administração federal – não pertencem à sociedade dita civil. A menos que estejam incluídos na palavra "coletivos" – mas ônibus são "coletivos"… A referência a que o "cidadão" está entre os que compõem a "sociedade civil", afora ser uma estultice, pois não se compreende “sociedade” sem "indivíduo" nem “Estado democrático" sem "cidadão”, só encontra explicação caso p e rm i t a q u e p a r t i c u l a re s "membros da sociedade civil", indivíduos, possam participar enquanto tal do "diálogo entre a sociedade civil e o governo para promover a participação no processo decisório e na

gestão de políticas públicas" note-se: "participação no processo decisório". Assim, eles serão representantes da “sociedade civil" que passam a integrar a Administração Federal. Há, no D8243, evidente abuso da prerrogativa de ”dispor, mediante decreto, sobre a organização e funcionamento da administração federal" na medida em que alguém do Governo escolherá os "cidadãos" e os "movimentos sociais" que decidem sobre políticas públicas. Quem? Quais? O Decreto cuida disso – li ás cuida de tudo, como se verá. O D8243 reforma toda a Administração Federal, criando estrutura burocrática como convém aos que pretendem eternizar-se no poder. Há os "conselhos de políticas públicas", que decidem sobre as políticas públicas e sua ges-

tão. Depois, as "comissões de políticas públicas", em que a "sociedade civil" e o "governo” dialogarão sobre "objetivo específico" dado pelo tema determinado para discussão. Segue-se a "conferência nacional", para debater, formular e avaliar "temas específicos de interesse público". Note-se que essa "conferência" não cuida apenas de políticas públicas federais: poderá " c o n t e m p l a r e t a p a s e s t aduais, distrital [sic], municipais ou regionais para propor diretrizes e ações acerca do tema tratado". Há uma "Ouvidoria", que cuidará também dos "elogios às políticas e aos serviços públicos prestados sob qualquer forma ou regime…". E há, finalmente, a "mesa de diálogo, mecanismo de debate e negociação com a participação de setores da so-

ciedade civil [não mais “movimentos sociais"] e do governo diretamente envolvidos no intuito de prevenir, mediar e solucionar conflitos sociais". Convém prestar atenção às finalidades das "mesas de diálogo" que devem "prevenir, mediar e solucionar conflitos sociais". A Justiça do Trabalho pode dizer "adeus" a uma de suas funções; os conflitos entre índios e proprietários de terra não irão mais à Justiça, mas passarão pela "mesa" que o resolverá, da mesma maneira que qualquer outro "conflito social". Criou-se uma "Justiça" paralela. Depois temos o "fórum interconselhos", que permitirá o "diálogo entre representantes de conselhos e comissões de políticas públicas… formulando recomendações para aprimorar sua intersetorialidade e transversalidade" [arre!].

Num arroubo de fato participativo, abre-se "consulta pública" de "caráter consultivo" a qualquer interessado disposto a se manifestar "por escrito"… A "consulta pública" é, pois, o consolo que se dá aos cidadãos que não pertencem aos “movimentos sociais" – e souberem escrever! Ao contrário dos participantes em debates – que são orais – nos conselhos, comissões, conferências, mesas e no fórum que, esses, não precisam ser alfabetizados… Pelo D8243, um Secretário Geral se preocupará com dar aparência democrático-formal às decisões do Governo. Eis o Primeiro Ministro do Governo democrático -participativo. Ninguém mais conveniente ao cargo que o Secretário-Geral da Presidência da República. Artigo publicado ontem em O Estado de S.Paulo

Gandra Martins disse com exclusividade ao DC que o decreto era "ditatorial".

Henrique Alves não quer virar as costas para a presidente Dilma

Decreto abre caminho da servidão

OLIVEIROS S. FERREIRA

om licença de Hayeck, podemos dizer que o Decreto 8.243 escancarou as portas para o caminho da servidão. É preciso ir devagar na sua análise para que aqueles que não crêem em fantasmas, e só os vêem quando aparecem com um porrete e um .45 nas mãos, acreditem neles. O Decreto ampara-se na Constituição: é competência exclusiva do Presidente da República expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução, e dispor, mediante decreto, sobre a organização e funcionamento da administração federal. O D8243 não é, no rigor constitucional, uma lei. Na prática administrativa característica dos regimes totalitários, é uma "norma" que, como toda norma da Administração, deve ser cumprida. Não é isso o que acontece com as Instruções normativas que a Receita baixa? O problema está quando seus autores abusam dessa prerrogativa, confiantes na passividade dos ofendidos. O D8243, a pretexto de organizar o funcionamento da administração, avança sem se deter em quaisquer limites, dividindo o Brasil em duas grandes massas de indivíduos, uns destinados a participar da administração e a auxiliar a produzir políticas públicas, outros que devem reger suas atitudes segundo as normas baixadas pelos novos órgãos da "democracia participativa e direta". A divisão da sociedade brasileira em dois grandes segmentos está clara no artigo 2º que define o que seja a sociedade civil: "Para os fins deste decreto, considera-se: I – Sociedade civil – cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações". Donde se segue que: Administração Federal está obrigada, desde o dia 23 de maio, a só permitir a colaboração de movimentos sociais, sejam institucionalizados, sejam não institucionalizados. Mas que se entende por “institucionalizado” não se sabe, nem se decretou –eguramente não serão as associações civis que têm estatutos registrados em cartório. Na medida em que os sindicatos, os institutos, as Ordens (como a OAB ), as associações profissionais, os partidos

C


DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Eu concordo com o marqueteiro-mor de Dilma: a coisa está realmente feia para o governo. Aécio Neves (PSDB-MG), presidenciável

.Ó..RBITA

DILMA FALA AO NEW YORK TIMES

A

presidente Dilma Rousseff defendeu em uma entrevista ao jornal The New York Times a Copa do Mundo no Brasil e afirmou ao diário norteamericano que, mesmo na época do regime militar, em que esteve em uma prisão em São Paulo, seguiu com interesse e torceu para a seleção brasileira durante a Copa de 1970. Sobre esta época e a Copa do Mundo, então realizada no México, Dilma afirmou que naquele momento, muitos brasileiros que se opunham ao regime militar questionavam se apoiar a seleção brasileira não seria uma forma de fortalecer os militares. "Eu não tive esse dilema". Ela e os companheiros de prisão acompanharam o torneio. A Simon Romero, o correspondente no Brasil, ela declarou que apenas uma "pequena minoria" é contra a

Copa no País e defendeu empréstimos de bancos públicos para financiar os estádios da competição. Dilma destacou ainda que está preparada para reaquecer as relações entre Brasília e Washington, desgastadas por conta das denúncias de espionagem da Casa Branca no Brasil. Disse que está preparada para considerar o reagendamento da visita que faria em Washington em outubro de 2013, cancelada em meio às denúncias, feitas pelo exfuncionário da inteligência dos EUA, Edward Snowden. Sobre a lei da anistia que permite que seus torturadores continuem livres, disse: "Eu não acredito em vingança, mas também não acredito em perdoar. É extremamente importante para o Brasil saber o que aconteceu, porque isso significa que não acontecerá de novo."

SENADO APROVA LEI DA PALMADA

O

Senado aprovou ontem o projeto de lei que proíbe pais e responsáveis legais de baterem em crianças e adolescentes. Chamada informalmente de Lei da Palmada, agora foi rebatizada como Lei Menino Bernardo (aquele cujo pai e a madrasta são suspeitos de assassinato). Agora a matéria seguirá para sanção a presidencial. A proposta estabelece que os pais que agredirem fisicamente os filhos sejam encaminhados a cursos de orientação e a tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência. O projeto não impõe punição criminal para quem cometer agressão física contra menores de 18 anos. Também não especifica que tipo de advertência pode ser aplicada aos responsáveis. Fica definido, no entanto, que cabe ao

Conselho Tutelar receber denúncias e estabelecer punição com multa de 3 a 20 salários aos profissionais do poder público, como professores e médicos, que tiverem conhecimento de casos de agressão e se omitirem. O texto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente para incluir trecho que estabelece que os menores de 18 anos devem ser "educados e cuidados sem o uso de castigo físico ou de tratamento cruel ou degradante" como formas de correção ou disciplina. A matéria define como “castigo físico” qualquer “ação punitiva ou disciplinar” com emprego de força física que resulte em sofrimento físico ou lesão, enquanto “tratamento cruel ou degradante” é definido como aquele que humilhe, ameace gravemente ou ridicularize a criança. Márcio Mercadante/Agência O Dia

Justiça condena Kassab por não pagar precatórios Ex-prefeito de São Paulo pode recorrer da decisão. Ele só fica inelegível se decisão se mantiver na 2ª instância. Thiago Chiaravalotti/Futura Press/EC

ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) foi condenado por improbidade administrativa por não respeitar a ordem judicial para pagar precatórios alimentares em 2006. A condenação ocorre no momento em que ele negocia o apoio do seu partido na eleição para o governo do Estado. O juiz Evandro Carlos de Oliveira condenou Kassab a pagar multa equivalente a 30 vezes sua remuneração recebida no último mês de seu exercício enquanto prefeito em 2006. O ex-prefeito também teve os direitos políticos suspensos por três anos e não poderá contratar com o poder público nesse período. A decisão cabe recurso. A suspensão dos direitos políticos só terá validade imediata se a condenação for confirmada em segunda instância – o que o enquadraria na Lei da Ficha Limpa – ou se a sentença for definitiva.

O

epois de presenciar as discussões entre os deputados estaduais do Rio, Cidinha Campos (PDT) e Domingos Brazão (PMDB), ontem, o deputado Comte Bittencourt (PPS), corregedor da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) classificou como "lamentável" o ocorrido. "Curioso foi ter começado (a discussão) no momento em que se discutia o Código de Ética da Casa. Em 12 anos eu nunca ouvi palavreado como aquele empregado por ambos os parlamentares", disse. Ele evitou comentar o teor da briga e só disse que ambos afirmaram que farão representações. A discussão começou na reunião que discutia alterações no Código de Ética da Alerj. Cidinha sugeriu alteração que proíba deputados de votar em casos de crimes respondidos por eles próprios. E sugeriu que os parlamentares que tivessem cometido crimes não julgassem questões de quebra de decoro. A deputada disse ao G1 que apontou outra emenda no Código de Ética na qual deputados que tivessem algum processo por enriquecimento ilícito também não pudessem

julgar questões relativas à quebra de decoro. Cidinha contou que durante a discussão sobre a emenda, sugeriu "que havia ali deputados que haviam roubado tanto que neste mandato atual não precisariam mais". Segundo ela, o deputado Brazão "surtou". "Ele me chamou de puta, vagabunda e ordinária, e ainda me disse que eu nunca fui mulher de um marido só. Foi um negócio tão surrealista que não dá para acreditar", revela. Segundo Cidinha, Brazão se desculpou "por qualquer excesso" em sessão plenária realizada em seguida. Ao RJTV, Brazão disse que Cidinha o chamou de assassino e afirmou que ele a teria ameaçado de morte. Disse ainda que já abriu representação no Conselho de Ética contra a deputada. E que vai ao foro competente contra ela, já que ela fez uma denúncia falsa contra ele na delegacia (foto acima). Os dois deputados estaduais foram procurados novamente ontem, mas nenhum deles foi encontrado nos gabinetes. "Fiquei sabendo que a coisa foi feia", contou um funcionário da limpeza.

Kassab foi acusado pelo Ministério Público de, em 2006, ter recebido determinação judicial de pagar R$ 240,7 milhões em precatórios alimentares, mas destinou apenas R$ 122 milhões. A diferença de valor teria sido desviada, por meio de decretos, para outras finalidades. Os advogados Igor Tamasauskas e Pierpaolo Bottini,

defensores de Kassab, alegam que "não se pode acusar o administrador público de agir com improbidade se não há capacidade financeira da Prefeitura para arcar com todas as dívidas herdadas de administrações anteriores". Ontem, em Ribeirão Preto (SP), Kassab manteve suspense sobre a decisão que o PSD vai tomar na eleição estadual.

Dilma quer produzir genéricos brasileiros em Cuba Empresas farmacêuticas brasileiras estariam sob pressão para produzir medicamentos na Ilha dos Castro Antônio Cruz/ABr

ilma tenta fazer indústria farmacêutica brasileira migrar para Cuba; se conseguir, provocará desemprego aqui e vai gerar empregos lá; uma comissão já negocia o assunto com o ditador da ilha." É assim que começa o texto do colunista Reinaldo Azevedo publicado ontem na Veja online. De acordo com o jornalista, uma delegação brasileira chefiada por Carlos Gadelha – que é Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde – está em Cuba. Fica lá até sexta-feira para discutir o plano. "Este blog apurou que a nossa 'presidenta', como ela gosta de ser chamada, está pressionando as empresas farmacêuticas brasileiras a abrir fábricas em… Cuba para a produção de genéricos naquele país. De lá, elas exporta-

"D

riam remédios para a América Central e América do Sul, inclusive o Brasil", escreveu. A interpretação dada por ele é a seguinte: "A nossa soberana cansou dessa história de o próprio Brasil produzir os remédios e de ser, sim, um exportador. A presidente quer fazer a nossa indústria farmacêutica migrar para Cuba, de sorte que passaríamos a ser importadores de remédios produzidos pelos próprios brasileiros, gerando divisas para os cubanos, danando um pouco mais a balança comercial, desempregando brasileiros e empregando… cubanos!". Outra informação publicada com exclusividade por Azevedo: "Não se limitaria à produção de genéricos, não! Entrariam no acordo também os chamados 'similares'. Dilma, assim, daria um golpe de morte numa das políticas mais bem-sucedidas

Carlos Gadelha está em Cuba do País nas últimas décadas: a produção de genéricos e o desenvolvimento da indústria farmacêutica nacional". De quem teria partido a iniciativa?, o próprio Reinaldo Azevedo responde: "Da determinação pessoal de Dilma de dar suporte à economia

Aécio ganha nanicos

CIDINHA CAMPOS X BRAZÃO

D

Gilberto Kassab é condenado por improbidade administrativa

Disse que seu partido definirá até o fim da próxima semana se apoiará o PSDB ou o PMDB no Estado nas eleições, ou se manterá a candidatura própria. "Esperamos ter essa aliança amadurecida. Evidente que não há unanimidade", afirmou Kassab, presidente nacional do PSD. Ele ratificou sua posição pessoal pela candidatura própria. Com o PDT já fechado com o pré-candidato do PMDB, Paulo Skaf, e o PR próximo de acertar com o petista Alexandre Padilha, o governador Geraldo Alckmin (PSDB)– que vai disputar a reeleição– aposta numa aliança com o PSD e o PSB para conquistar tempo de TV no horário eleitoral gratuito superior ao dos seus adversários. Por isso, Kassab é cotado como opção para vice do tucano. A aliança com o PSB enfrenta a resistência da ex-ministra Marina Silva, pré-candidata a vice-presidente na chapa do exgovernador Eduardo Campos. (Estadão Conteúdo)

"A coisa está realmente feia para o governo", afirma candidato do PSDB. Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

uatro partidos nanicos – PMN, PTdoB, PTC e PTN – anunciaram ontem, em ato promovido na liderança do PSDB do Senado, adesão à candidatura do senador Aécio Neves (MG) à Presidência. O PMN e PTdoB, que faz parte do bloco com o PR da Câmara, tem juntos seis deputados federais. Ao comentar a informação de que na reunião realizada no Palácio da Alvorada, com a presença do ex-presidente Lula, João Santana traçou um cenário negro para a presidente na campanha, Aécio disse que pelo menos nisso tem que concordar com o marqueteiro petista. "Eu concordo com o marqueteiro-mor de Dilma: a coisa está realmente feia para o governo. Mas ele deveria ter visto isso lá atrás, quando resolveram aparelhar o governo entregando empresas como a Petrobras. Deveria ter pensado nisso a cada medida autoritária e equivocada que tomam. O que sei é que o sentimento

cubana e de dar maior utilidade ao porto de Mariel, construído em Cuba com recursos do BNDES. Como sabemos, a Soberana entrará para a história da infraestrutura portuária de… Cuba!". Azevedo lembra o acordo feito para a importação de médicos cubanos, que também veio à tona só depois que os acertos já estavam devidamente arrematados pelo governo brasileiro e o cubano. "Alguns tentam fazer um Brasil melhor! Dilma está empenhada em fazer uma Cuba melhor à custa dos empregos dos brasileiros", afirma. E termina o artigo com um lembrete: "O secretário Gadelha, o homem encarregado do projeto, é aquele que teve um encontro agendado com o doleiro Alberto Youssef, por iniciativa do ainda deputado (petista) e ex-vice presidente da Câmara André Vargas".

Padilha usa slogan de Maluf pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, utilizou ontem o mesmo mote do aliado neste pleito, o presidente do PP no Estado, deputado Paulo Maluf, ao criticar a falta de obras em São Paulo nesses 20 anos de gestão do PSDB. Em evento promovido pela agência EFE, Padilha disse: "A última grande obra em São Paulo foi feita antes de 1994." A alusão é a mesma que Maluf está usando nas inserções partidárias de seu partido. O deputado diz que as últimas grandes obras no Estado foram feitas antes de 1993 e arre m a t a : " E v o c ê s a b e p o r quem", numa referência a ele próprio. Na crítica dirigida aos adversários tucanos, Padilha não citou o nome do aliado do PP. O exministro da Saúde falou da falta de investimentos da gestão do PSDB em setores essenciais, como o transporte. "O governo do PSDB é muito lento", afirmou, dizendo que o ritmo de construção do Metrô é de menos de dois quilômetros por ano. (Estadão Conteúdo)

O

Q

Aécio recebe apoio do PTdoB, do PTN e do PTC, no gabinete do PSDB. que vejo por onde ando é um só: já deu! Ninguém aguenta mais o que está acontecendo no Brasil e nós somos a alternativa para a mudança". Aécio comemorou a adesão dos nanicos como uma prévia do grande ato que acontecerá hoje no Rio para formalizar o movimento "Aezão" – Aécio e Pezão –, com a presença de presidentes regionais do PMDB, PP, PSD, SD, PTB e outros. O ato acontecerá na Churrascaria Baby Beef, na Barra da Tijuca. "Eu vejo um esforço enorme

da presidente, que está distribuindo espaço no governo a rodo em troca de alguns segundos a mais no tempo de tevê. Sem qualquer constrangimento ela loteia estatais e cargos em bancos e outros setores do governo. Sem problema. A Dilma ficará com o tempo de tevê e nós ficaremos com o trabalho e abnegação dos homens públicos que querem nos ajudar a mudar essa situação que aí está. Pelas regras atuais, Aécio tem 3min e 42segs e Dilma tem 10min e 14segs. (Agência O Globo)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

7 Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Líderes do G-7 não convidam Putin para a festa Países ricos ameaçam impor novas sanções por causa da crise ucraniana Yves Herman/Reuters

ela primeira vez em 17 a n o s , a Rú s s i a n ã o participa da reunião do grupo das sete economias mais industrializadas do mundo, conhecido como G-7. A crise ucraniana levou os líderes a suspender Moscou e transferir a cúpula, originalmente prevista para acontecer na Rússia, para Bruxelas. Ontem, no primeiro dia do encontro, eles disseram estar unidos contra a "contínua violação da soberania" da Ucrânia e ameaçaram impor sanções mais duras à Rússia se o país não ajudar a restaurar a estabilidade no leste ucraniano, onde milícias pró-Rússia continuam atuando à vontade. “Estamos prontos para intensificar sanções específicas e cogitar significativas medidas restritivas adicionais para impor custos maiores à Rússia caso os eventos nos forcem a fazer isso”, declarou o G-7, formado pelos Estados Unidos, Franç a , Re i n o U n i d o , I t á l i a , Alemanha, Canadá e Japão. A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que as potências ocidentais irão verificar “repetidas vezes” se a Rússia está fazendo o que pode para estabilizar a situação depois de ter anexado a península ucraniana da Crimeia em março. “Não podemos nos dar ao luxo de uma desestabilização ainda maior na Ucrânia", afirmou Merkel a repórteres. "Se não tivermos progressos nas questões que temos que resolver, há a possibilidade de sanções, até de sanções pesadas de fase 3”, disse ela, referindo-se a restrições em co-

P

Simpatizantes instalam cartazes com imagens do líder opositor Leopoldo López em Caracas

Plano para assasinar Maduro será investigado Opositores devem depor a partir de segunda-feira Ministério Público venezuelano irá investigar a ex-deputada María Corina Machado e outros opositores por "conspirar" contra o presidente Nicolás Maduro, disse a procuradora-geral do país, Luisa Ortega, ontem. O governo venezuelano ainda pedirá explicações "oficiais" aos Estados Unidos pelo envolvimento de funcionários de seu "mais alto escalão" no suposto plano para assassinar Maduro.

O A Rússia não participa da cúpula pela primeira vez em 17 anos Kevin Lamarque/Reuters

Em entrevista à TV Venevisión, Ortega disse que os depoimentos devem começar na próxima segunda-feira. Na semana passada, o dirigente do Partido Socialista (PSUV), Jorge Rodríguez, denunciou "um complexo plano" que, segundo disse, incluía um "magnicídio" e um "golpe militar" que já foi abortado. Ele mostrou vários e-mails atribuídos a Machado nos quais ela dizia que tinha chegado a

hora de acumular esforços e obter "o financiamento para aniquilar Maduro". As mensagens ainda mencionavam o novo embaixador dos EUA na Colômbia, Kevin Whitaker. Machado assegurou que os e-mails são falsos, e que ela não quer um golpe de Estado, mas que Maduro renuncie. López - Os venezuelanos aguardavam ontem o resultado da audiência preliminar que determinaria se o líder opositor Leopoldo López será julgado pelos protestos do dia 12 de fevereiro, que deixaram três mortos. Até o fechamento desta edição, a audiência, que já dura três dias, ainda não havia terminado. (Agências) Al-Emara/Reuters

Síria terá mais sete anos de Assad Obama oferece apoio moral e militar ao ucraniano Poroshenko mércio, finanças e energia. Embora Putin tenha sido cortado do G-7, ele irá se encontrar com Merkel, o presidente francês, François Hollande, e o premiê britânico, David Cameron, na comemoração do Dia D na França ainda nesta semana. Indagada sobre as conversas bilaterais e se elas despertam quaisquer temores no presidente dos EUA, Barack Obama, que tem evitado explicitamente qualquer contato com Putin, uma autoridade norte-americana disse à Reuters não ser importante com quem Putin se en-

contra, mas “o que as pessoas dizem nestas reuniões”. Antes da cúpula do G-7, Obama se encontrou com o presidente eleito da Ucrânia, Petro Poroshenko, em Varsóvia e o declarou uma “escolha sábia” para liderar a Ucrânia. Obama ofereceu US$ 5 milhões à Ucrânia em ajuda militar, incluindo uniformes de proteção e óculos de visão noturna. Mais significativo do que o valor é a natureza da ajuda. Até agora, os EUA haviam fornecido apenas ajuda não letal como roupas e alimentos. (Agências)

presidente da Síria, Bashar al-Assad, conquistou 88,7% dos votos na eleição presidencial síria, afirmou o chefe do Parlamento, Mohammad al-Laham, ontem, garantindo um terceiro mandato, apesar dos três anos de uma guerra civil que começou com protestos populares contra o seu regime. Opositores sírios e o grupo das sete economias mais industrializadas do mundo, conhecido como G-7, qualificaram a votação de terça-feira como uma farsa. O G-7 declarou ainda "não haver futuro para Assad na Síria" e condenou a "brutalidade" do regime no conflito que já matou mais de 160 mil pessoas. Os dois principais adversários de Assad no pleito, Hassan al-Nouri e Maher Hajjar, obtiveram 4,3% e 3,2% dos votos, respectivamente. A Suprema Corte disse que o comparecimento às urnas foi de 73,42%. (Agências)

O

O voo da liberdade Taleban afegão divulgou ontem um vídeo mostrando a entrega do sargento Bowe Bergdahl, mantido em cativeiro por cinco anos, aos militares dos EUA numa remota região da província de Khost no sábado. No vídeo, Bergdahl, parecendo atordoado, é conduzido por dois militantes, um deles carregando uma bandeira branca improvisada, até um helicóptero Blackhawk. Toda a operação teve a duração exata de um minuto. (Agências) (Leia mais na página 3)

O

PQEC 2014: UM VERDADEIRO GOL DE PLACA APROXIMADAMENTE 2,5 MIL PESSOAS PRESTIGIARAM A NONA SOLENIDADE DE CERTIFICAÇÃO DO PROGRAMA DE QUALIDADE DE EMPRESAS CONTÁBEIS, REALIZADA PELO SESCON-SP NO DIA 29 NO CITIBANK HALL E QUE CONTOU COM UMA APRESENTAÇÃO ESPECIAL DO CANTOR JORGE BEN JOR. CONFIRA ALGUNS MOMENTOS:

457 empresas receberam o selo de qualidade PQEC, sendo que, deste total, 65 foram condecoradas com o PQEC+ISO

“Nossos agradecimentos às empresas e seus colaboradores por acreditarem no PQEC e na valorização da profissão”. Humberto Sérgio Batella coordenador da Comissão do PQEC

O cantor Jorge Ben Jor cantou seus principais sucessos em homenagem às empresas certificadas em 2014

“A Contabilidade brasileira é campeã quando tem uma seleção de profissionais que valoriza a qualidade das informações”. Claudio Avelino Mac-Knight Filippi – presidente do CRC SP, em nome das entidades congraçadas

“Nós crescemos e evoluímos, é sinal que temos coragem de olhar o passado, enfrentar o presente e lutar por um futuro brilhante para a categoria”. Francisco Antonio Feijó – presidente do SESCON-SP na Gestão 1978, em nome dos ex-presidentes

“Quem se prepara sobrevive e tem sucesso. Vocês fazem parte dos profissionais vitoriosos que abraçaram a carreira contábil”. Mario Elmir Berti – presidente da FENACON

“Parabéns a todos, que lutam por um cenário melhor e mais justo para a classe empresarial”. Carlos Leony Fonseca da Cunha - secretário de Competitividade e Gestão da Secretaria da Micro e Pequena Empresa

“O trabalho destas empresas e profissionais reflete em todas as organizações do País e, principalmente, no desenvolvimento da Nação”. Itamar Borges – deputado estadual

“Este é o grande momento da Contabilidade e, se queremos grandes conquistas, certamente o gol de placa começa aqui. Parabéns às empresas que investem em qualificação”. Arnaldo Faria de Sá - deputado federal

“É um prazer dar apoio a estas empresas que estão em busca de uma gestão moderna e qualificada”. Antonio Parente - coordenador de Certificação de Sistemas de Gestão da Associação Brasileira de Normas Técnicas

“Estaremos sempre ao lado do SESCON-SP na busca constante pela valorização da profissão contábil”. Rodrigo Mendes Romão – gerente geral da Superintendência Regional Sé da Caixa Econômica Federal

“Estamos juntos com todas as empresas comprometidas com a qualidade. Contem conosco!”. Viviane Zanoni - superintendente comercial da ADMIX

“O PQEC é referência na área contábil e simboliza a busca das empresas por bons serviços, ética e qualidade em tudo que fazem, valores compartilhados por nós”. Adriana Maia - diretora de Marketing do Grupo Sage, Adriana Maia

“É um privilégio estar com o SESCON-SP na realização deste evento, que prima, parabeniza e reconhece as empresas que buscam se diferenciar em um mercado cada dia mais competitivo”. Amador Rodriguez - diretor de Captação de Dados e Serviços a Clientes da Serasa Experian

“Temos a honra de participar deste momento que agracia aquilo que há de mais importante em nossa economia: qualificação. Não pode se fazer gol sem celebrar, hoje é dia de comemorar mais um ano de dedicação de todos”. André Martins - presidente da VB Serviços

ANO IX . NO 457 05/JUNHO/2014

WWW.SESCON.ORG.BR

“A Contabilidade é a chave, pois ela é um poderoso instrumento que permite a qualidade dos dados corporativos, tanto para a prestação de contas como na gestão e tomada de decisão empresarial”. Sérgio Approbato Machado Jr. – presidente do SESCON-SP

SESCON-SP SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS E DAS EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS NO ESTADO DE SÃO PAULO . AESCON-SP ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO . PRESIDENTE: SÉRGIO APPROBATO MACHADO JÚNIOR . GESTÃO: 2013/2015 Filiado à:

ENVIE SUGESTÕES PARA: ESPACOSESCON@SESCON.ORG.BR

AV. TIRADENTES, 960 . LUZ . SÃO PAULO . SP . 01102-000 FONE: (11) 3304-4400 . FAX: (11) 3304-4510

CONTEÚDO DE QUALIDADE EM UM ÚNICO LUGAR! ACESSE: HTTP://NOTICIAS.SESCON.ORG.BR/

Iniciativa:


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quinta-feira, 5 de junho de 2014

JUSTIÇA MANDA METRÔ CIRCULAR O Tribunal Regional do Trabalho concedeu liminar a favor da Companhia do Metropolitano de São Paulo que determina a manutenção de 100% do funcionamento do metrô nos horários de pico e de 70% nos demais horários. O descumprimento da ordem judicial culminará em aplicação de multa diária de R$ 100 mil ao Sindicato dos Metroviários. Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

ITAQUERÃO 1

4,5

Sem-teto reclamam dos gastos com a Copa

milhões de pessoas utilizam todos os dias as linhas do metrô de São Paulo. A de maior fluxo é a linha 3 que liga Itaquera, na zona leste, à Barra Funda.

16,5% de reajuste salarial é o que pedem os metroviários. O governo do Estado de São Paulo ampliou sua proposta e ontem ofereceu 8,7% de reajuste. O piso da categoria é R$ 1.323.

654

trens do metrô são utilizados pela companhia nos horários de pico para transportar os usuários. E vão todos apertados nos vagões.

10

mil funcionários fazem parte do quadro da Companhia do Metropolitano de São Paulo. A primeira viagem de trem ocorreu em 1972.

Funcionários do Metrô decretaram a greve na escadaria da Catedral da Sé, horas antes da audiência de conciliação no Tribunal do Trabalho.

BOM DIA, CAOS. Metroviários de São Paulo anunciam greve por tempo indeterminado e marronzinhos devem também parar

sete dias da abertura da Copa do Mundo, no estádio Itaquerão, os funcionários do Metrô de São Paulo decretaram greve por tempo indeterminado desde o início desta desta quinta-feira. Os trens do metrô não devem circular já a partir da manhã de hoje e 4,5 milhões de usuários serão prejudicados ao longo do dia. Além disso, os agentes de trânsito da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os marronzinhos, também anunciaram paralisação para esta quinta-feira. A Prefeitura de São Paulo suspendeu o rodízio de carros previsto para hoje. Se as categorias aderirem as greves anunciadas pelas lideranças sindicais, será instaurado o caos no trânsito de São Paulo hoje, com engarrafamentos recordes, uma exibição dos problemas de mobilidade na cidade a poucos dias do campeonato mundial. O início do torneio vem sendo usado para pressionar as autoridades em movimentos de funcionários de serviços públicos. Ontem, chamou a atenção o fato de, antes mesmo da assembleia geral dos metroviários ser realizada no bairro do Tatuapé – o que ocorreu somente à noite –, as lideranças sindicais já estavam anunciando, no Centro, ofi-

A

A

todo o ano passado. A Polícia Militar em nota, afirmou que "trocas de comando fazem parte da rotina da Corporação". Mas a desistência do tenentecoronel Wagner Villares de Oliveira praticamente na véspera da estreia do campeonato mundial lança suspeitas sobre eventual crise na segurança pública do Rio de Janeiro. Segundo a PM, o subcomandante do BPGE, tenente-coronel Heitor Henrique Pereira, que assumiu o comando, também está no Batalhão desde a sua criação. Policiais ouvidos pelo site de Veja relatam que Villares entregou o cargo contrariado com a falta de estrutura do batalhão, formado por cerca de 600 homens. O excesso de horas trabalhadas é outro motivo de descontentamento, principalmente neste momento de Copa do Mundo. (Agências)

cialmente, a paralisação por tempo indeterminado dos funcionários do metrô. Durante a tarde, até os alto falantes das estações foram usados para declarar prematuramente o estado de greve. Justiça – O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) concedeu ontem à noite uma liminar em nome da Secretaria estadual de Transportes Metropolitanos e da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô)

que determina que os metroviários mantenham 100% das frotas de trens nos horários de pico hoje e pelo menos 70% dos trens nos demais horários. O descumprimento da ordem judicial, segundo informe publicado no site do Metrô ontem à noite, culminará em aplicação de multa diária de exatos R$ 100 mil. De acordo com a mensagem da companhia, nova reunião de conciliação está marcada para hoje. Paulo Lopes/EC

Na assembleia, ontem à noite: sindicato fala em paralisação total.

O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres, disse que não irá cumprir esta decisão de manter uma frota mínima porque no momento da assembleia geral ele não tinha sido oficialmente informado sobre a liminar do TRT. Somente hoje ficará claro até que ponto os grevistas vão atender ou não às determinações do Tribunal. Segundo o sindicato, vão parar os trens das linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás. Mas a linha 4-Amarela, administrada por um grupo privado, deve funcionar normalmente. A Companhia Paulista d e Tr e n s M e t r o p o l i t a n o s (CPTM) garante o funcionalmente normal dos trens. Reivindicação – Os metroviários querem reajuste salarial de 16,5%, mas na reunião de conciliação ontem à tarde, no TRT, a companhia ofereceu reajuste de 8,7%. Segundo informe da empresa, a proposta apresenta ganhos acima de 10% para a categoria. Além do reajuste de 8,7%, é oferecido vale-alimentação (R$ 290,00) e vale-refeição de R$ 699,16. "A proposta, bem acima da inflação apurada (5,2% segundo o IPC-Fipe), representa aumento entre 10,61% e 13,33% na remuneração dos metroviários", diz o comunicado do Metrô. (Agências)

ITAQUERÃO 2

Policiais militares protestam no estádio m protesto de policiais militares reuniu cerca de 500 pessoas na tarde de ontem em frente ao estádio Itaquerão, na zona leste de São Paulo. As vias ao redor do estádio ficaram congestionadas por causa do ato, e a Marginal do Tietê e a Radial Leste pararam por causa da movimentação dos policiais. Os manifestantes pedem um reajuste salarial de 19%. A Secretaria de Segurança Pública informou, em nota, que "tem mantido diálogo transparente e permanente com a Polícia Militar" e que "os índices de aumento salarial serão anunciados no tempo oportuno". Ainda segundo a Secretaria, na atual gestão já foram concedidos três aumentos salariais. (EC)

U

A COPA NAS CIDADES

O VELHO E SAUDOSO BONDE – O artista Jambeiro dá o toque final em seu grafite em um muro no Rio de Janeiro. O desenho mostra Hulk puxando o bondinho de Santa Teresa, e os arcos da Lapa ao fundo, com a seleção brasileira.

Pilar Olivares/Reuters

Comandante da segurança do mundial deixa o posto

segurança de grandes eventos no Rio de Janeiro é uma operação complexa e um dos principais desafios da Polícia Militar. Não bastassem os black blocs e os sem-teto, sempre prontos para tumultuar as ruas e uma multidão de turistas a caminho, o Rio de Janeiro é rota importante no tráfico de drogas e de armas. Entretanto, a poucos dias da Copa do Mundo, o Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) perdeu seu comandante, o tenentecoronel Wagner Villares de Oliveira, à frente da unidade desde sua criação, em outubro de 2013. O oficial entregou o comando na última sexta-feira (segundo reportagem do site de Veja) insatisfeito com as condições de trabalho e preocupado com o risco elevado de tumultos, no estado que mais teve protestos ao longo de

ntegrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) participaram ontem de protesto, na capital paulista, contra os gastos com a realização da Copa do Mundo no Brasil. Cerca de 4 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar, deixaram a Avenida Radial Leste e seguiram em passeata até a Arena Corinthians, o Itaquerão, onde ocorrerá a abertura do Mundial, no dia 12 de junho. Para os manifestantes, o Poder Público deveria ter priorizado gast o s e m h a b i t a ç ã o. O s sem-teto reivindicam a construção de moradias e a destinação de imóveis desocupados para habitação popular. O coordenador do MTST, Guilherme Boulos, diz que o movimento está disposto a continuar com as mobilizações contra a Copa, caso não tenha resposta às reivindicações. (ABr)

I


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

9

CBF PADRÃO FIFA A CBF inaugurou oficialmente na tarde de ontem sua nova sede na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O local, que custou cerca de R$ 100 milhões, abrigará também o museu da entidade. O espaço é a grande aposta da CBF para atrair visitantes. Além da exposição dos troféus conquistados pela Seleção em seus 100 anos, o acervo do museu conta com documentos, uniformes e outros objetos. Fabio Motta/Estadão Conteúdo

PELO

MUNDO

INGRESSO: FRUSTRAÇÃO E REVOLTA

A

esperança de adquirir um ingresso no último lote oferecido pela Fifa, ontem, se transformou em frustração e revolta. Em uma hora, o site da entidade já tinha vendido todos os ingressos para algumas das partidas mais esperadas, como a abertura e a final. Foram vendidos 160 mil ingressos em seis horas. Quem optou pelos pontos de venda físicos sofreu ainda mais e só foi avisado no local de que não havia mais ingressos. Houve tumulto, confusão e empurraempurra. Em São Paulo, a Polícia Militar precisou intervir. A Fifa abriu à 0h de ontem a venda do lote residual de 180 mil ingressos para os 64 jogos da Copa pelo site. Após enfrentarem dificuldades de acesso, muitos interessados esperaram em uma fila virtual por mais de três horas. E não conseguiram efetivar a compra. De acordo com a Fifa, a razão para a demora foi a alta demanda de acessos. Para os ingressos que sobraram, a venda física foi iniciada às 9h nas 12 sedes. Mas apenas os jogos menos atraentes ainda tinham ingressos disponíveis.

ESPANHA SOB PRESSÃO

A

S

a atividade normalmente. Eles não devem ser problema para o amistoso contra a Sérvia, na próxima sexta, no Morumbi. A decisão de poupar sete jogadores desse trabalho não surpreende e fará com que a Seleção só treine completa mesmo hoje, quando a equipe realizará um treino às 9h30, em atividade que antecede nova viagem, dessa vez para São Paulo, local do amistoso de amanhã contra a Sérvia Assim, a comissão técnica optou por poupálos da atividade de ontem. E eles ficaram na piscina realizando trabalhos regenerativos. . FELIPÃO DÁ UM ROLÊ – O grupo da Seleção está novamente completo em Teresópolis, mas a rotina de atividades ainda não foi retomada. Assim, a manhã de ontem foi de tranquilidade, com pouca movimentação, a não ser pela caminhada matinal de Luiz Felipe Scolari. Acompanhado de Flávio Murtosa, seu auxiliar, Felipão passou pelos campos da Granja e também pelo caminho que leva até os quartos do centro de treinamentos da Seleção, na parte mais alta da concentração, encerrando a sua atividade física. Com o retorno apenas no fim da noite de terça-feira, os jogadores da Seleção ganharam uma manhã de descanso ontem na Granja Comary. Fabio Motta/Estadão Conteúdo

Neymar: 'Entrando no clima da Copa'.

P

Fred: luz amarela piscando.

stá cada vez mais evidente para a comissão técnica que o desempenho de Fred na Copa é uma incógnita. O atacante vive, desde 2013, num vaivém de contusões, o que o fragiliza. A atuação ruim na goleada do Brasil sobre o Panamá (4 a 0), anteontem, não foi surpresa para quem observou com mais atenção seu rendimento nos dois coletivos realizados desde que a equipe chegou a Teresópolis, há 12 dias. Nos treinos e no amistoso disputado em Goiânia, Fred não fez nenhum gol, teve difi-

E

culdades para se livrar dos marcadores. Lento, desperdiçou ataques e chegou a tropeçar com a bola. Para ele, voltar a fazer gols é uma questão de tempo e de oportunidade. Diz que prefere não se afobar e reconhece que sua forma física é inadequada. "A falta de gols não me preocupa. Daqui a pouco, tudo vai mudar." Em 2013, Fred foi o artilheiro da Copa das Confederações e decisivo no título da Seleção . Mostrou poder de superação. Antes da competição, sofrera uma entorse no joelho direito e tinha dor nas costas. (EC)

CAPITÃO JÁ PENSA EM LEVANTAR A COPA – Thiago Silva, o encarregado de levantar a Copa caso o Brasil seja campeão, admitiu ontem que já pensa em repetir, em 13 de julho, os gestos de Bellini, em 1958, Mauro, em 1962, Carlos Alberto Torres, em 1970, Dunga, em 1994, e Cafu, em 2002 ainda mais diante das virtudes que enxerga na equipe comandada por Scolari. "Estaria mentindo se falasse que eu não pensei (em levantar a taça). É inevitável. É uma possibilidade grande, por ser em casa, por ter um time qualificado e também ter uma torcida apaixonada. Isso faz você ter confiança, pensar nesse momento único, nessa final. A pressão é muito grande, mas temos que pensar na estreia, que é o jogo mais importante." O zagueiro revelou ter conversado com Cafu sobre a responsabilidade de vestir a braçadeira de capitão e explicou que a força da equipe lhe dá mais tranquilidade para exercer uma função tão importante na Copa disputada em casa. "Conversei com o Cafu na premiação da seleção da Fifa, cheguei antes da cerimônia e nos falamos. Ele disse que a pressão é grande, mas me passou a importância de ficar tranquilo. O mais legal é sentir a equipe preparada, e isso me deixa mais tranquilo. A Copa pode ser decidida num pequeno detalhe e esse detalhe não pode nos deixar fora." (Estadão Conteúdo)

rincipal astro da Seleção, o atacante Neymar garante que a equipe já está no clima da Copa do Mundo. Após mais de uma semana de treinos na Granja Comary, o astro disputou o amistoso de anteontem, em Goiânia, contra o Panamá, e agora vai acelerar a preparação para o início do torneio, no dia 12 de junho, com a partida diante da Croácia, no Itaquerão, em São Paulo. "Agora já estamos entrando no clima de Copa do Mundo, já está dando aquele frio na barriga, de ver todo mundo, ver nossos treinos passando ao vivo. Fui torcedor, acompanhei as Copas do Mundo, especialmente a de 2010, treinando todos os dias, sempre via na TV. A ficha está começando a cair aos poucos e a gente vai se concentrando cada vez mais", disse, em entrevista à CBF TV. Neymar foi o grande nome da goleada do Brasil por 4 a 0 sobre o Panamá, numa partida em que a equipe apresentou dificuldades e cometeu faltas em excesso, especialmente até abrir o placar, com o gol marcado pelo atacante. Depois, ele ainda teve participação direta em outros dois gols. E o astro do Barcelona defendeu o estilo de jogo da equipe, mais eficiente e menos plástico.

"A vontade da nossa equipe sempre foi a mesma, sempre de vencer qualquer adversário, independentemente se tem muita ou pouca expressão. A gente sempre quer jogar, fazer gol e, se der, apresentar um futebol bonito. Mas o futebol bonito é a última coisa que a gente quer fazer, o importante é vencer", afirmou. ESTRELA DO MUNDIAL - O capitão do pentacampeonato, Cafu, disse ontem em Brasília que Neymar tem tudo para ser a estrela da Copa. O ex-lateral-direito afirmou que os possíveis protestos contra realização da competição não devem afetar a Seleção e crê em campanha excelente do time comandado por Felipão. "Mesmo com 22 anos, o Neymar está preparado. É um jogador com experiência, atua no Barcelona, e o fato de jogar a Copa em casa motiva muito mais", ressaltou o ex-atleta, que também se sagrou campeão mundial em 1994, antes de levantar a taça como capitão do Brasil em 2002. Cafu, que defendeu a Seleção em quatro Copas e é o recordista de jogos pelo Brasil, disse que confia no hexacampeonato e inclusive palpitou sobre o possível adversário na decisão do Mundial, em 13 de julho. "Devemos fazer a final contra a Argentina no Maracanã."

'NEY', QUAL 'NEY'?

U

m dia após a grande apresentação de Neymar na vitória da seleção brasileira sobre o Panamá, por 4 a 0, em Goiânia, o técnico da seleção da Croácia, primeira adversária do Brasil na Copa, negou, em entrevista em Salvador, ter preocupação especial com o atacante do Barcelona. "Não vou falar só sobre ele, porque o time brasileiro tem jogadores de nível mundial em todas as posições", argumentou Niko Kovac (foto). Ele contou não ter visto o amistoso brasileiro anteontem porque viajava para Salvador, e pareceu não se importar com a análise do jogo. "Talvez eu assista ao vídeo amanhã, ou após nosso jogo contra a Austrália (nesta sexta, em Salvador)", disse Kovac. O técnico ainda cravou que o Brasil "vai longe na competição", mas prometeu "jogo duro" no confronto diante da equipe de Felipão.

Conteúdo

em sete jogadores, poupados pela comissão técnica, o grupo da Seleção fez um leve treino físico-tático na tarde de ontem, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), onde a equipe se concentra para a disputa da Copa do Mundo. A atividade foi a primeira do time dirigido por Luiz Felipe Scolari após a vitória por 4 a 0 sobre o Panamá, terça-feira, no Serra Dourada, em Goiânia, no primeiro amistoso de preparação para o Mundial. A atividade não teve as presenças dos zagueiros David Luiz e Dante, do lateral-esquerdo Marcelo, do volante Luiz Gustavo, do meia Oscar e dos atacantes Hulk e Neymar. Os sete jogadores foram titulares na partida de terça e apenas realizaram trabalhos regenerativos na piscina da Granja. O restante dos jogadores realizou trabalhos em campo reduzido, inicialmente sem a presença dos três goleiros convocados por Felipão para a Copa. Logo nos minutos iniciais, o lateral-direito Daniel Alves deu um susto ao sofrer uma pancada nas costas, mas rapidamente voltou ao campo após receber atendimento médico. Em seguida, os jogadores passaram a disputar um minicoletivo com sete jogadores em cada time. O 15º atleta, o atacante Fred, funcionou como um curinga e treinou pelas duas equipes. E chamou a atenção a dificuldade dos jogadores em acertar a meta adversária. O zagueiro Thiago Silva e os volantes Paulinho e Fernandinho, que foram poupados da partida contra o Panamá, iniciaram

/Estadão

Felipão pega leve depois da goleada

seleção espanhola chega ao Brasil como uma das favoritas. Campeã em 2010, na África do Sul, a equipe conta com uma geração um pouco mais envelhecida, é verdade, mas nem isso tira a pressão pela conquista do bicampeonato. Para o experiente volante Xabi Alonso, aliás, saber administrar esse peso será fundamental para o sucesso no torneio. "Temos que saber administrar bem a pressão de defender o título e que ela não nos incomode ou atrapalhe. Creio que a equipe já tem experiência suficiente e sabe jogar esse tipo de campeonato", declarou ontem o jogador do Real Madrid. Atual campeã mundial e bicampeã da Eurocopa, a Espanha não é a única favorita para o Mundial. Pelo menos na visão de Xabi Alonso. "Brasil, Alemanha, Argentina, nós, Itália. São seleções que historicamente podem ter possibilidades, mas hoje em dia está tudo muito igualado e não descarto nenhuma surpresa", avisou.

Edson Ruiz

Parreira e Scolari orientam treino 'light' na Granja Comary: sete jogadores poupados.

VEXAME À ITALIANA

A

Itália deu vexame naquela que deveria ser a festa de despedida antes do embarque para a Copa no Brasil. Ontem, em Perugia, perdeu diversas chances de gol e pela 1ª vez na história empatou com a modestíssima seleção de Luxemburgo (1 a 1). O amistoso foi a nona partida entre os times. A Itália colecionava oito vitórias e só havia sofrido um gol, em 1976. Se serve de consolo para os italianos, em dezembro de 1981 eles haviam tido dificuldade para vencer por 1 a 0. Meses depois, já em 1982, com um time desacreditado, ganhariam a Copa na Espanha. Ontem, tudo começou bem: aos 9 minutos, Balotelli recebeu pela direita da área, dominou e acertou linda trivela na cabeça de Marchisio, que abriu o placar. Com mais volume e cinco jogadores de toque no meio de campo – De Rossi, Pirlo, Marchisio, Candreva e Verratti –, a Itália dominava a partida, mas não conseguia o 2º do gol. Aos 40 do 2º tempo, o 112º colocado no ranking da Fifa, empatou. Mutsch bateu escanteio da esquerda e Chanot cabeceou para marcar.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

Paulo Pampolin/Hype

Com vocês, o craque que descobriu Neymar. André de Almeida

N

as décadas de 1950 e 1960, quando jogava pelo Santos Futebol Clube, Zito não foi apenas o capitão do time considerado por muitos como o melhor de todos os tempos, e cujo ataque – cantado em verso e prosa – virou sinônimo de futebol arte: Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. O volante foi, acima de tudo, o líder e técnico da equipe dentro de campo, tanto é que ganhou o apelido de Gerente. Dizem que ele era o único que dava broncas em Pelé. O espírito de comando, aliado às capacidades técnica e tática, fizeram de José Ely de Miranda bicampeão do mundo com o Santos e com a Seleção. Vestindo a amarelinha, disputou as Copas de 1958 e 1962, tendo inclusive marcado um gol na partida final contra a Tchecoslováquia. Despediu-se dos gramados em 1967, depois de 15 anos defendendo a equipe da Vila Belmiro. Este ano, de certa forma, Zito poderá conquistar mais uma Copa pelo Brasil. Antes que alguém pense o contrário, o ex-jogador não faz parte da comissão técnica do Felipão. Nem pertence ao quadro de dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Na realidade, a conquista do hexa será especial para Zito, de 81 anos, porque foi ele quem descobriu Neymar, maior craque brasileiro em atividade e grande esperança do Brasil no Mundial. DC – Quais suas expectativas para a Copa do Mundo? Zito – O Brasil sempre entra nas

quinta-feira, 5 de junho de 2014

'Corró' bota fé no Brasil. E em Willian.

copas com ótimas chances. A Seleção tem tudo para ganhar o hexa.

"O

O fato de jogar em casa traz algum peso extra? Sim, pesa e muito, já que a torcida certamente vai cobrar por bons resultados. Às vezes, jogar fora de casa torna-se mais fácil. O senhor ficou conhecido como um exemplo de capitão, um líder dentro de campo. Quais virtudes um capitão deve ter? No meu caso, eu era muito chato (risos). Sempre procurei dar uma condição melhor aos jogadores e pedir mais garra quando o time se acomodava. O capitão tem que trazer o time para o lado dele. E como o senhor enxerga o Thiago Silva como capitão hoje? Devo entender que ele faz a mesma coisa. Tem que trabalhar muito e trazer o time para o lado dele. O excesso de expectativa em cima do Neymar é bom ou ruim? Ruim não é. Como fã do Neymar, aposto que ele vai saber lidar com isso.

Fotos: arquivo/Estadão Conteúdo

Que conselhos o senhor daria para ele nesta Copa? Jogar o futebol que ele sabe jogar. É só não querer inventar. Zito e Clodoaldo com a camisa da Seleção O que o senhor quer dizer com "só não inventar"? Não brincar em campo. Tem que jogar sério. Essa fama do Neymar de ser cai-cai procede? Não procede. Nunca o vi fazendo isso.

Brasil é o grande favorito para conquistar a Copa do Mundo de 2014, já que é o único pentacampeão mundial, joga em casa e possui um time no qual podemos acreditar”. Essa é a opinião de Clodoaldo Tavares Santana, exvolante do Santos Futebol Clube e da Seleção Brasileira, pela qual jogou como titular e conquistou o tricampeonato na Copa de 1970, no México. "A missão não vai ser fácil, mas Paulo Pampoli n/Hype temos grandes condições." Clodoaldo, de forma geral, aprovou a lista de jogadores convocados por Felipão. "Ele chamou os melhores. Poderíamos questionar a presença de um ou dois atletas, mas nada que fizesse muita diferença", afirmou. Um deles, na opinião de 'Corró', é Paulo Henrique Ganso, meia do São Paulo Futebol Clube, principalmente pelas últimas atuações. "O Felipão procurou ser conservador e levou, para cada posição, dois jogadores com características semelhantes. O Ganso destoaria dos demais meias convocados e poderia ser útil em determinadas ocasiões de jogo", explicou. Além de Neymar, Clodoaldo aposta no futebol do meia-atacante Willian, do Chelsea (Inglaterra). "Ele está numa fase excelente, é rápido e acostumado com um futebol de força. Tem tudo para ser um dos grandes destaques do Brasil." Sobre as expectativas depositadas em Neymar, Corró foi enfático: "Queria eu, com meus 20 anos, que todos confiassem no meu futebol. Na minha época, a responsabilidade era mais compartilhada. No entanto, o Neymar sabe que, no momento em que ele pisa no Brasil, ele é o melhor e joga com mais confiança”, concluiu. (AA)

Como o senhor descobriu o Neymar? Falar do Neymar é muito bom. Ele era bem novinho (11 anos) e jogava futebol de salão na Baixada. Certo dia, após insistentes convites de um amigo, resolvi ir vê-lo jogar. O Neymar me encheu os olhos.

Falei ao presidente do Santos na época (Marcelo Teixeira) que o garoto era fera e que tinha de ser contratado imediatamente, antes que outros o fizessem. Logo depois ele foi contratado. Hoje, trata-se do melhor jogador do Brasil e um dos melhores do mundo.,


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

11

ROLE O CELULAR. E...

udo o que estará rolando de interessante nas 12 cidades sedes da Copa do Mundo já está no alcance de um toque de tela. Para quem está de passagem, ou para os paulistanos que só querem curtir o que a Cidade tem a oferecer, o web app Cultura na Rede ( www.culturanarede.org.br)é uma boa ferramenta. Não é propriamente um aplicativo, mas sim, uma

T

página que só pode ser acesssada pelo navegador de celulares. São 400 dicas de shows, exposições, pontos turísticos, museus, etc. O site é bem organizado. Basta selecionar idioma (inglês, português ou espanhol )e a cidade. Depois, clicar nas áreas de interesse, como "cultura todo dia", para museus e centros culturais, ou "cultura em campo", para exposições em cartaz.

Zackery Michael

... faça gol de placa!

DIRETAMENTE DO ÁRTICO Desde o começo do ano havia boatos de que a banda de indie rock inglesa Arctic Monkeys viria ao Brasil. Mas, agora, parece que é oficial. De acordo com o jornalista Lúcio Ribeiro, do site Popload, os macacos do ártico se apresentarão em São Paulo, no Anhembi, e no Rio de Janeiro, no HSBC Arena. Nos dias 14 e 15 de novembro, respectivamente. A turnê, que divulga o ótimo AM, quinto álbum da banda, também passará por Chile, Colômbia e Argentina. Será a terceira vinda da trupe de Alex Turner por aqui. A primeira vez foi em 2007, para o Tim Festival, e a segunda, em 2012, no Lollapalooza. Só uma pergunta continua sem resposta: quando os devotos fãs de Artic Monkeys poderão comprar seus ingressos?

DICAS DO WEB APP Orquestra de cordas LAETARE toca músicas de países da Copa. Centro da Cultura Judaica. Dia 15, às 17h30. Exposição Futebol Brasileiro: Dos Pioneiros à

RESTAURANTE

Contemporaneidade. Museu Afro Brasil. Show da cantora Ana Canãs. Auditório do Ibirapuera. Domingo (8), às 21h.

Visite metáforas da vida

Carlos Orcesi tempo de Copa do Mundo; se para um México ou Inglaterra chegar à semifinal estará ótimo, para o Brasil é vencer ou vencer. Perder a final para uma Argentina de Messi ou Alemanha de Schweinsteiger relembraria o Maracanazo. Como é tempo de classificações, o famoso Guide Michelin desembarca no Brasil, guia que se tornou a maior referência de gastronomia na França e no mundo. Na minha classificação, que pelo menos é a minha, o Attimo está entre os cinco melhores do Brasil, entre DOM, Fasano, Mani e Sudbrack no Rio. Perguntei ao chefe Jefferson Rueda porque sua cozinha se define “ítalo c ai pi r a”. Já sabia a resposta, mas foi engraçado ouvi-lo: “porque sou de Santa Cruz do Rio Parrrdo”. Pensei que estivesse exagerando, mas não. Mistura cultural de caipirismo que já havia, com a influência italiana que a partir do século XIX, se espalhou pelo sertão de São Paulo. Da imigração italiana muito já se falou. Guerras da unificação, Cavour na política e Garibaldi nas armas, gente que fugia, São Paulo em 1900 tinha mais italianos do que nativos. Com língua que deu origem à nossa (apesar de que não pronunciarem o “esse”, donde as igreja e os vinho) e a mesma religião, se integraram imediatamente à terra, ao contrário, por exemplo, dos suíços das primeiras colonizações (Senador Vergueiro e Brigadeiro Jordão, cada um de um lado do Morro Azul, hoje Limeira) e dos japoneses que demoraram duas ou três gerações para se tornarem brasileiros. Pouco se fala do... caipira. São os portugueses absolutamente machos (quero dizer, inclusive na coragem) que da terrinha vieram povoar o nada, João Ramalho e suas 40 temericós, esposas indígenas ao mesmo tempo filhas e netas, a povoar o território. No século XVIII, atraídos pelo ouro, a metade da população de Portugal (3 milhões) imigrou ao Brasil. Foram eles que, ao fim do ciclo do ouro, voltaram às origens agrícolas nas terras espalhadas de São Paulo. Se não fora o Rio de Janeiro era o interior de São Paulo, sobrevivendo na cultura de subsistência até a explosão do café na 2ª metade do século XIX. A entrada de “creme de queijo grana padano, cogumelo e as-

É

partir de quarta (11), o público poderá conferir a exposição One Shot! Um Tiro!, que desembarcou diretamente da Bélgica para o país da Copa. A mostra, que entra em cartaz no MuBE, traz fotos, vídeos, esculturas e instações de 22 artistas contemporâneos de diversos países, como França, México e Suíça. As obras retratam as muitas facetas do Mundial, discutem política, questões financeiras, cultura e religião. Conforme o curador, Pierre-Olivier Rollin, cada obra é uma metáfora de uma problemática mundial. One Shot! Um Tir o ! . MuBE. Av. Europa , 218. Até dia 29.

A

Que ursada!

Desfile de clássicos

De acordo com a agência oficial chinesa Xinhua, um grupo de filhotes de pandas está sendo preparado para adivinhar quem ganhará a final do mundial. E de acordo com um twite do comediante americano Jimmy Fallon, que lidera o Tonight Show, os pandas irão chegar ao seguinte resultado: "Nenhum. Os estádios não ficarão prontos".

A rede Cinemark promove um festival de clássicos. Essa feliz iniciativa desfila, por exemplo, Grease, nos Tempos da Brilhantina (com John Travolta), O Poderoso Chefão (com a presença poderosa de Marlon Brando) e Lawrence da Arábia (com Peter O´Toole). Neste fim de semana, está programado Pulp Fiction - Tempo de Violência ( aterrador filme dirigido por Quentin Tarantino, com John Travolta). Consulte a rede Cinemark (www.cinemark.com.br)

Fotos: Divulgação

CINEMA

Amor de verdade grande estreia dos cinemas desta semana irá agradar aos teens. E fazer até marmanjo chorar. O longa-metragem A Culpa é das Estrelas (2014), versão cinematográfica do fenômeno editorial de John Green, conta a história de amor entre Gus (Ansel Elgort) e Hazel (Shailene Woodley), que se conhecem em um grupo de

A

Attimo: Cozinha Ítalo-Caipira

apoio de adolescentes com câncer. E se o livro lidera na lista de mais vendidos da livraria digital Amazon.com, o filme, que chega hoje aos cinemas, já bateu recordes: segundo o site da revista The Hollywood Reporter, A Culpa é das Estrelas é campeão de vendas de ingressos antecipados na categoria drama romântico.

Atrizes que cantam Esta é a penúltima semana de apresentações do projeto As Cantrizes, que na terça (10), às 19h, leva Zezé Motta ao palco do Centro Cultural Correios (Av. São João, s/n. Vale do Anhangabaú). O show será um tributo a Elizeth Cardoso e terá entrada gratuita.

pargo, com gema de ovo caipira”, para mim, é a melhor de São Paulo. Rivaliza com o creme de queijo de cabra, batata e também ovo caipira do Fasano. Os cinco porcos (linguiça, leitão crocante, codequim e panceta) são brilhantes para quem gosta de carne suína. No cardápio reformulado “ac ém ” é carne de segunda; mas de Wagyu, a famosa raça japonesa, aquela do criminoso confinamento, fica até melhor do que o famoso “p e q u eno pedaço” (filet mignon). E o que dizer do arroz agulhinha, galinha d’angola, milho e queijo meia cura? As novas sobremesas do cardápio estimulam os que não querem gastar e os que não querem engordar com sobremesa. Para quem gosta de banana, sorvete caramelizado, banana da terra brulée (queimada) e paçoca. Uma versão nova do creme de papaia com licor de Cassis e a que escolhi, “aromas de bosque”. Pois não é que parece saído do bosque úmido da Fazenda Morro Azul. O desafio foi casar o arroz ... com vinho. Prato semelhante ao “arroz Maria Isabel” do DOM, tem temperos de rezar, num conjunto picante e ao mesmo tempo integrado. Ouvi o someliê Rodolfo, que por sua vez desafiou o chefe Rueda: “um belo branco com muita acidez”. Não, os grandes chefes (como Alex Atala) pecam na escolha de vinhos. Branco limpa mas não harmoniza. Dois não somam três. É como amante em re l a ç ã o a e s p o s a ; d á p r a z e r mas... não casa. Harmonização é casamento, precisa de amor contínuo. Estou voltando, com um grande Carmenére chileno (Carmin de Peumo ou Purple Angel da Montes) para abrir, talvez, num duelo de gigantes, com o Brunello di Montalcino 1971 Col D’Orsia Riserva vs. Barolo Borgogno 1971 Riserva. Sim, dois vinhos e propostas diferentes, um vivo e especiado, outro idoso e compenetrado, a ver como reage o caipira agulhinha no duelo Brasil x Itália. Tudo para concluir que o Michelin francês deve descer do pedestal dos cremes, entender as raízes, e atribuir ao menos duas estrelas ao Attimo portuga-ítalo-índio de Jefferrrson Rueda que, depois de um século, voltou à Capital a nos desvendar a culinária sofisticada da roça.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Nasa/ESA

12

RECICLAGEM TECNOLÓGICA

Cores do universo

Componentes eletrônicos e fios usados em computadores e rádios são transformados pelo artista multimídia Leonard Ulian em delicadas mandalas perfeitamente simétricas e em embrulhos de livros. O artista usa a técnica da colagem sobre papel.

Composição de imagens obtidas pelo telescópio espacial Hubble entre 2003 a 2012 revela todas as cores das luzes do universo, da ultravioleta até a infravermelha. Para compor a imagem foram usados detalhes de cerca de 10 mil galáxias e registros feitos pelo Hubble em 841 órbitas diferentes.

www.leonardoulian.it

.R..ESISTÊNCIA

Reproduções

Bobby Yip/Reuters

25 anos de um massacre

ntre 100 mil pessoas (segundo a polícia) e 180 mil (segundo os organizadores) se reuniram ontem no Parque Victoria, em Hong Kong, para lembrar o 25º aniversário do massacre da Praça da Paz Celestial, na China. Os manifestantes vestiram preto e empunharam velas, que foram apagadas durante a leitura dos nomes das pessoas assassinadas na praça em 4 de junho de 1989. Um forte esquema de segurança foi montado para reprimir protestos em várias cidades. Em Pequim, as autoridades tentaram de todas as formas evitar a lembrança do massacre. A polícia cercou a praça com viaturas a cada 50

E

.F..ACEBOOK

Caricaturas geram violência na Índia Um homem morreu e dois ficaram feridos ontem em Pune, na Índia, após uma briga desencadeada pela publicação de uma caricatura do guerreiro histórico Chatrapati Shivaji e outra do último líder do partido Shiv Sena, Balasaheb Thackeray, no Facebook. As caricaturas

foram consideradas ofensivas por seguidores de algumas correntes políticas e religiosas do país. Segundo a polícia, as imagens foram divulgadas na rede social na última sexta-feira e causaram uma onda de violência que levou ainda à prisão de 144 pessoas.

metros. Para chegar ao local, pedestres eram obrigados a mostrar seus documentos e se submeter a revistas. Nas redes sociais, blogueiros, ativistas e dissidentes chineses burlaram a censura com um meme que reproduzia a cena icônica do massacre – um manifestante enfrentando sozinho os tanques do exército chinês [veja ao lado]. Além disso, as menções à data de "4 de junho" foram substituídas pelo termo "35 de maio", evitando assim os filtros de conteúdo e outros mecanismos de censura.

Criança perdida nunca mais. O Tinitell criado pelo inventor Mats Horn, é o menor celular do mercado. O círculo do centro é um botão que efetua imediatamente ligações para os contatos registrados. E o aparelho tem GPS para que os pais localizem os filhos. http://goo.gl/6pMrJe

MEME POLÍTIC O - Para burlar a ce nsura, a imagem icônica do massacre (no alto) foi citada em montagens na s redes sociais. .A..RTE

.L..OTERIAS

Inovando a tradição

Facundo Arrizabalaga/EFE

Ryosuke Otake inovou a técnica japonesa do jzai okimono, de criação de figuras articuladas em aço. Ele trocou o aço pela madeira e fez esta lagosta.

Concurso 1064 da LOTOFÁCIL

02

03

07

08

09

10

11

14

15

16

18

19

21

24

25

http://goo.gl/OvjD2K

Concurso 1457 da LOTOMANIA

04

05

15

23

28

34

36

39

40

47

61

70

73

77

83

89

90

91

92

97

Concurso 1605 da MEGA-SENA

09

s

NOVINHA - A rainha Elizabeth II da Inglaterra estreiou ontem sua nova carruagem, feita com peças de antigos navios de guerra britânicos.

19

21

30

31

Concurso 3506 da QUINA

32

41

71

73

80

42


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

13

Yuriko Nakao/Reuters

GOVERNO FACILITA A CATA AO DÓLAR

o mesmo tempo em que o Banco Central (BC) registra que sai mais dinheiro estrangeiro do que entra no País, o Ministério da Fazenda anunciou e publicou no Diário Oficial da União medida para facilitar a entrada de divisas. Foi reduzida para zero a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre empréstimos externos tomados por empresas e bancos com prazo acima de 180 dias, eliminando o último obstáculo relacionado a esse tributo adotado tempos atrás para conter a valorização da moeda brasileira. Até então, apenas captações externas com prazo acima de 360 dias tinham alíquota zero. Para os empréstimos feitos com prazos inferiores a seis meses, o alíquota de 6% continua valendo. Dados do BC divulgados ontem comprovam a necessidade de uma cata ao dólar. No mês passado, o fluxo cambial – entrada e saída de divisas estrangeiras – ficou negativo, pela segunda vez neste ano. A saída líquida foi de US$ 813 milhões, devido aos saques de recursos de investidores do mercado financeiro, que foram de US$ 2,7 bilhões. Essas saídas contribuíram para uma alta do dólar de 0,49%. De janeiro até agora, o Brasil acumula um fluxo positivo de US$ 4 bilhões; no mesmo período do ano passado, as entradas líquidas esta-

A

Um alerta: freio nos gastos.

vam em US$ 12,2 bilhões. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirma que a motivação foi outra: beneficiar o acesso a capital por bancos pequenos. "Eles têm diminuído o c ré d i t o n o Pa í s n o s ú l t i m o s anos e isso pode ajudar algum deles que queira ter um pouco mais de liquidez", diz, acrescentando que não houve um pedido específico desses bancos. Em nota divulgada pela manhã, enfatizou que a medida visa facilitar a captação de recursos externos, "com reflexos positivos sobre o custo e a oferta de 'funding' para os agentes econômicos no país". Câmbio normalizado “É para melhorar a economia como um todo” e não para beneficiar setores específicos, como as montadoras, reforça o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. Ele informa que daqui a dois meses o governo atualizará as projeções de arrecadação, com a publicação do relatório bimestral sobre receitas e despesas da União. Augustin afirma ainda que, no caso de tributos regulatórios, como o IOF, “é normal que, nessa ou naquela conjuntura, haja uma arrecadação que seja alterada por uma necessidade do próprio tributo”. Mantega nega que a medida tenha sido baixada para ajudar no combate à inflação; o

que houve, afirma, foi o aproveitamento de uma fase em que o mercado cambial está " n o rm a l " . "O câmbio brasileiro, que havia se desvalorizado, já se valorizou e está em patamar normal. Nos últimos seis meses, a moeda brasileira é a segunda que mais valorizou. Portanto, estamos com situação normal no mercado de câmbio, então estamos suprimindo o último IOF que existia daqueles que tomamos. Isso significa que o mercado cambial está funcionando normalmente. O câmbio é flutuante, cada dia pode ter cotação diferente. Não há necessidade desse instrumento (IOF)", argumenta. IED vs. especulação Analistas entenderam, no entanto, que a redução do imposto foi adotada para tentar segurar a inflação ainda elevada e após o Banco Central ter encerrado seu ciclo de aperto monetário, ao manter a taxa básica de juros, a Selic, em 11% na semana passada. Isso porque a medida, em teoria, tem potencial para atrair mais dólares ao país e, assim, evitar valorização da moeda norteamericana e o encarecimento de produtos importados. O raciocínio ganhou mais força ainda porque, nos últimos dias, o dólar voltou a subir com força, encostando no patamar

Mantega: "O câmbio é flutuante, cada dia pode ter cotação diferente. Não há necessidade desse instrumento".

Em tempos de juros baixos... última vez em que o governo mexeu no IOF de captações externas foi em dezembro de 2012, quando reduziu de dois anos para um o prazo dos empréstimos externos sujeitos à alíquota de 6%. A grande diferença é que, naquele momento, as taxas básicas de juros no Brasil estavam no patamar mínimo histórico de 7,25% ao ano. Em abril de 2013, no entanto, voltaram a subir e, após nove altas seguidas, chegaram a 11% ao ano em abril. Na última reunião, semana passada, a Selic foi mantida nos 11%. A alteração anunciada ontem tem custo fiscal estimado pelo governo em R$ 10,31 milhões para o ano de 2014, R$ 18,19 milhões para o ano de 2015 e R$ 18,44 milhões para o ano de 2016. (Agência O Globo)

A

Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

anto o ministro da Fazenda quanto o secretário do Tesouro alertaram o Congresso sobre a preocupação do governo em relação a medidas aprovadas que Augustin: apreensão com despesas com pessoal. possam culminar em aumento de gastos. "Estamos descumprimento dos limites da Lei de controlando despesas para cumprir Responsabilidade Fiscal (LRF). Vários metas fiscais. O resultado fiscal de estados têm o limite com pessoal já abril foi muito bom. Se novas ocupado; novos compromissos de despesas forem aprovadas, teremos salários fariam com que esses dificuldades para cumprir as metas", estados não cumprissem a lei”. afirma Mantega. O pedido do governo, segundo ele, "É muito importante que o é para que os parlamentares não Congresso não aprove medidas que votem “neste momento” o projeto aumentem os gastos do governo. que altera o indexador da dívida dos Vamos trabalhar para que não sejam estados e municípios. aprovados", completa Augustin. A proposta em discussão prevê que O secretário não cita uma matéria o índice de correção da dívida – específica, mas reitera a apreensão atualmente o IGP-DI mais 6,%, 7,5% com propostas que aumentem as ou 9% – seja trocado pelo IPCA mais despesas com pessoal. “Alguns 4% de juros ou pela taxa Selic, o que projetos têm impacto muito relevante for menor. A medida alteraria para os estados. Inclusive, também o estoque da dívida. provavelmente implicariam no (Estadão Conteúdo)

T

de R$ 2,30, considerado inflacionário por parte do mercado. Nos últimos dois meses, a moeda norte-americana tinha ficado presa na banda informal de R$ 2,20/R$ 2,25. Mesmo assim, os mercados financeiros praticamente não reagiram favoravelmente à nova medida. O dólar fechou a quarta sessão consecutiva em alta: subiu 0,24%, para R$ 2,28 na venda, maior patamar desde 26 de março passado. Nas últimas quatro sessões, a alta acumulada é de 2,68 por cento. A Bovespa fechou em baixa de 0,38%, a 51.832 pontos, pressionada pelas ações de Itaú Unibanco e Petrobras. "O efeito é limitado porque o Capital que atrai é de curto prazo, especulativo, para investidor fazer arbitragem. Mas o governo teve que tomar porque não quer o dólar demais valorizado", afirma o superintendente de câmbio da Advanced Corretora, Reginaldo Siaca. Mantega argumenta que o País tem recebido capital externo de boa qualidade, como os voltados para produção. "Não estamos chamando capital especulativo; ao contrário, o que mais vem para o Brasil é IED (Investimento Estrangeiro Direto). O Brasil é um dos cinco países que mais atraem IED no mundo", afirma, argumentando que 17% da dívida brasileira é bancada por investimento externo. (Agências)

William Volcov/Brazil Photo Press

Foi zerada a alíquota do IOF sobre empréstimos externos com prazo acima de 180 dias

A incerta retomada do IPI recomposição do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), prevista para julho, será gradual e seletiva. A alíquota sobre carros populares, que está em 3%, não subirá para 7%, no próximo mês, conforme estava programado. Além disso, o devem ser calibrados os percentuais, de modo que o imposto incidente em determinada categoria suba mais do que outra. Segundo interlocutores do governo, uma decisão final só será anunciada no fim deste mês. Mas, a equipe econômica está certa de que não há ambiente subir o imposto de uma vez, pela situação do mercado. Ontem, o ministro Guido Mantega disse que o aumento do IPI sobre veículos, dependerá da situação do setor automotivo antes da recomposição do tributo sobre o setor entrar em vigor. “O aumento poderá ser pequeno ou não, vamos avaliar a situação do mercado", disse. O setor automotivo atravessa

A

fase de vendas fracas mesmo com o IPI em nível baixo. Em maio, a comercialização de veículos novos no país recuou 7,2% na comparação anual, com os lojistas apostando em queda de mais de 3% no ano de 2014, informou na terça-feira a Fenabrave, entidade que representa as concessionárias. Na ocasião, o presidente da Fenabrave, Flávio Meneguetti, afirmou que nas últimas reuniões com o governo as explicações para a não prorrogação dos incentivos foram "bem enfáticas". Mesmo preocupado com a possibilidade de demissões, o governo não deverá anunciar medidas de estímulo ao setor automotivo, garante Mantega. "Estamos estudando maneira de melhorar o crédito para o setor, mas não é certo que teremos essa medida. O setor tem que andar com as próprias pernas." Ontem, uma fonte do governo ligada à área econômica garantiu que já foram engavetadas as

medidas de estímulos para destravar o crédito ao financiamento de veículos. Sabe-se que o Banco Central (BC) deverá aprovar a liberação direcionada de compulsórios (recursos que os bancos são obrigados a depositar na instituição) para um fundo que comprará carteira de veículos dos bancos das montadoras. Também deverá ser aprovada a redução da exigência de capital por parte das instituições financeiras, à medida que o cliente for pagando as prestações. O governo trabalhava com a ideia de criar um fundo garantidor de crédito para cobrir a inadimplência e incentivar os bancos a reabrirem as linhas de crédito, em condições mais facilitadas (entrada menor e maior prazo de pagamento). Mas como as instituições teriam que aportar recursos nesse fundo e assim, abrir mão de parte do lucro, a proposta não avançou. (Agências)


14

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

15

Bancos querem o fim do papel As instituições financeiras aguardam ainda para este ano a regulamentação de lei que acaba com a obrigação de arquivar, fisicamente, documentos.

Rejane Tamoto epois de investirem mais de R$ 2 bilhões em segurança eletrônica, ou 10% de R$ 20,6 bilhões alocados em tecnologia em 2013, os bancos têm outros alvos: avançar na digitalização total de documentos e criar novos canais, inclusive no atendimento pelo Google Glass (o óculos conectado do Google, ainda não disponível no Brasil), que é estudado pelo Bradesco e Banco do Brasil). Apesar do foco na segurança e com 40% dos investimentos dos bancos voltados para hardwares, a tendência é de crescimento na exploração de softwares que permitam às instituições promoverem inovações em análise de dados, Big Data, processos, canais e digitalização. A avaliação foi feita por Gustavo Fosse, diretor setorial de tecnologia e automação bancária da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), durante entrevista coletiva no primeiro dia Ciab (Congresso e Exposição de Tecnologia da

D

Informação das Instituições Financeiras), realizada na tarde de ontem. Ele destacou que uma das inovações, o fim da obrigação dos bancos de guardar papéis, ainda depende de uma regulamentação do Banco Central (BC). O diretor da Febraban disse que a medida pode permitir que um documento digital seja considerado legal, sendo desde o cadastro para abertura de uma conta corrente ou mesmo o depósito de um cheque. "O que será regulamentado é o que poderá ser guardado digitalmente e não mais fisicamente. Hoje, o cliente até preenche os dados pela internet, mas tem de ir à agência fazer a validação e o banco é obrigado a guardar esse dossiê físico. É isso que queremos eliminar. A mudança permitirá que a abertura de conta corrente seja mais ágil, mas antes será preciso estudar os padrões mínimos de segurança.

Esperamos que a regulamentação saia este ano", afirmou Fosse. Segundo ele, nos Estados Unidos os clientes de bancos já podem digitalizar um cheque e fazer o depósito sem que seja necessária a entrega do meio de pagamento físico no banco. Outra novidade da pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária foi o crescimento, no ano passado, de 65% no número de terminais aptos a fazer a leitura biométrica (que pode ser pelas digitais, geometria de dedos e mãos e geometria das veias). Assim, 43% dos 166 mil ATMs no Brasil já fazem a identificação por meio desta tecnologia. O número de dados coletados por meio da biometria também saltou de 6 milhões em 2012 para 26 milhões em 2013.

Depósito em tempo real Bradesco anunciou o lançamento de novo terminal de autoatendimento, que permite que depósitos realizados em dinheiro sejam creditados em tempo real na conta corrente, sem a necessidade de colocar as cédulas em envelopes. Atualmente, os depósitos feitos com envelopes são compensados no dia seguinte. De acordo com nota da instituição financeira à imprensa, o novo terminal já está disponível na agência Bradesco Next, localizada no shopping JK Iguatemi, em São Paulo. "Clientes e não clientes serão beneficiados com a transação, pois não será mais necessário ir até o caixa da agência para fazer um depósito para que o valor seja creditado no mesmo dia", disse Luca Cavalcanti, diretor de Canais Digitais do Bradesco, em nota. O novo ATM foi trazido ao Brasil pela empresa NCR, fabricante de máquinas de autoatendimento. (Estadão Conteúdo)

O

Mais crédito, mas em ritmo menor. A redução na disponibilidade de recursos, segundo a Febraban, não pode ser culpada pela queda no desempenho da economia, que está abaixo do esperado.

O ganho líquido dos bancos (no caso dos planos econômicos, que está no STF) fica entre R$ 8 bilhões e R$ 10 bilhões, não R$ 441 bilhões. MURILO PORTUGAL, PRESIDENTE DA FEBRABAN.

presidente da Febraban, Murilo Portugal, disse que o crédito no País segue crescendo mais rápido do que o Produto Interno Bruto (PIB), mas “desacelerando”. A previsão dele é de que os estoques de financiamento no País evoluam de 13% a 14% neste ano. A mais recente pesquisa do Banco Central com o mercado, na segunda-feira, apon-

O

Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

tou previsão de alta de 1,5% do PIB em 2014. Segundo Portugal, a queda na atividade de alguns setores da economia, como vem acontecendo em veículos, não tem menor oferta de crédito como causa. Na véspera, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) informou que as vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus caíram 5,5% nos primeiros cinco meses do ano, ante mesma etapa de 2013. O ritmo mais lento do crédito, somado ao aumento dos custos do spread –a diferença do custo que o banco paga para captar recursos e a que cobra do tomador – está mais relacionado à piora no cenário de recuperação de dívidas atrasadas, disse o presidente da Febraban. Na semana passada, o Banco Central informou que os juros bancários médios dos empréstimos para pessoas físicas subiram pelo quarto mês seguido em abril, a 42% ao a n o , o p i c o e m q u a s e t rê s anos. “Houve uma piora na taxa de recuperação de créditos inadimplentes”, afirmou. O presidente da Febraban elogiou a medida anunciada ontem pelo governo federal, de reduzir a zero o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para captações externas acima de 180 dias. “É uma medida boa porque aumenta a in-

tegração com os mercados internacionais”, disse. Caso da poupança O rumoroso processo das perdas decorrentes dos planos econômicos - cujo julgamento foi adiado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) - ganhou ontem um pouco mais de confusão. Agências noticiosas informaram que, segundo Murilo Portugal, as indenizações (caso o STF dê ganho de causa aos reclamantes) não passariam de R$ 10 bilhões, ao contrário de especulações anteriores que imaginavam bura-

cos de até R$ 441 bilhões. De acordo com a entidade houve, porém, um malentendido. No começo da noite divulgou a seguinte nota de esclarecimento: "Na verdade, o valor de R$ 8 a R$ 10 bilhões mencionado por Murilo Portugal não guarda nenhuma relação com as estimativas de impacto, dizendo respeito apenas às alegadas receitas dos bancos com a aplicação dos recursos das faixas livres dos depósitos de poupança, no período de julho de 1987 a setembro de 2008, objeto do Parecer Pericial nº 033/2010, da

5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal.” Traduzindo: a estimativa de que os bancos ganharam R$ 441 bilhões e deveriam devolvê-los não se sustenta, porque há nela erros de cálculo e até múltipla contagem. "Pela conta que fizemos", disse Portugal, "os valores de receita bruta seriam entre R$ 17 - 20 bilhões, de receita bruta, mas tem o imposto de renda, contribuição social, que é 40% deste valor. O resultado líquido é cerca da metade deste montante". (Agências)

BC teme hackers durante Copa Banco Central solicitou à Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que organizasse um comitê, do qual o órgão, outras áreas do governo e bancos façam parte, para acompanhar o período de Copa no Brasil em relação a ataques eletrônicos, segundo Murilo Portugal, presidente da entidade. "Temos uma preocupação permanente com os ataques eletrônicos que são hoje a principal forma de fraude que existe. Os bancos perdem bilhões de reais em ataques e fraudes eletrônicos e algumas dezenas de milhões de reais com ataques físicos, assaltos a agências, explosões de ATMS", disse ele, em conversa com a imprensa, após abertura do CIAB Febraban 2014, realizada ontem. Segundo Portugal, o comitê debate aspectos de segurança física e eletrônica e os bancos fizeram um trabalho especial para a Copa. Ele disse ainda que toda vez que há uma gran-

O

de concentração o assunto de ataques eletrônicos e fraudes é de atenção, mas que a Copa é um evento positivo para o Brasil. Em relação aos ataques físicos, o presidente da Febraban classificou a explosão de caixas eletrônicos como um "problema muito sério" e que tem crescido no Brasil. "Os bancos têm investido pesadamente em segurança física. Nós gastamos por ano R$ 9 bilhões em segurança física das agências e isso ocasionou uma queda grande nos assaltos, de cerca de 4 mil por ano no final da década de 90 para em torno de 400 por ano", disse ele. No entanto, Portugal lembrou que os crimes migram de ambiente e no setor bancário passou para a atividade de explosão de caixas eletrônicos. Para ele, a maneira de lidar com isso é controlar o transporte de explosivos. (Estadão Conteúdo)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Avanço consistente das franquias Projeção da ABF é crescer um pouco menos do que no ano passado (10% e 11,9%); de qualquer forma, trata-se de uma saudável expansão. Fotos: Tina Cezaretti / Hype

Karina Lignelli ndependentemente da incógnita do “efeito Copa” e da previsão menor de alta, projeções maiores de expansão no interior, internacionalização e mais segmentos em foco, como o de supermercados, ditam as tendências de crescimento do franchising em 2014. A informação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF), durante a abertura da ABF Franchising Expo 2014, que começou ontem e vai até sábado no Expo Center Norte, na capital paulista. Segundo Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF, para o mercado de franquias, junho ainda é “uma interrogação”, mas será “crucial” para o desempenho do setor em 2014. “Alimentação é um setor que deve ser incentivado, principalmente nas cidades-sede. Em vestuário, marcas nacionais, como Havaianas, tamb é m”, explica. Já o setor de shoppings pode ter prejuízo. “As vendas terão declínio principalmente em dias de jogo do Brasil”, afirma. A ABF informa que mantém o crescimento pouco menor em 2014, de 10% ante os 11,9% registrados em 2013. “A Copa é uma incógnita: potencializa alguns setores, mas prejudica outros. Mantemos a projeção, mas sempre querendo voltar aos 18% ou 20% que já crescemos no passado”, destaca. Camargo aponta a tendência forte de regionalização das redes de franquias, principalmente em locais onde o setor agropecuário tem apresentado bom desempenho, como M a t o G ro s s o , To c a n t i n s e Goiás. Outro sinal é que pela primeira vez, diz ele, equilibra-se o número de shoppings abertos no interior (251) com os das capitais (250). “Daqui em diante, as projeções são maiores no interior porque há uma mudança no mapa do franchising no Brasil. Mas para isso, as redes precisam de pla-

I

Cristina Franco e Ricardo Camargo, da ABF, abriram ontem evento do setor com fortes expectativas em duas direções: regionalização e internacionalização das redes.

no logístico forte para chegar aos clientes dessas novas fronteiras”, afirma. Internacionalização – Na ABF Expo 2014, a presença de marcas de 15 países, como a italiana 7 Camicie ou da norteamericana Dunkin’D onut s, que está de volta ao Brasil, assim como a participação da Apex-Brasil pelo nono ano consecutivo apontam para essa tendência cada vez mais forte. Atualmente, de acordo com Camargo, há 204 redes estrangeiras no País, que representam 8% do total do franchising, e há expectativa de entrada de mais 30 marcas em 2014. “A melhora da infraestrutura dos aeroportos por conta da Copa dá flexibilidade para essas marcas entrarem no mercado brasileiro começando por lá. Exemplo disso é a Red Lobster, de frutos do mar, que acaba de entrar em Guarulhos, e a Olive Garden, de comida italiana, que também está de olho. E tem ainda as redes de hamburgueria Carl’s Jr., Johnny Rockets... “O Brasil não

é mais bola da vez para investimentos, mas o franchising vem mantendo a dianteira no crescimento de investimentos de internacionalização”, explica. O caminho inverso também ganha força, já que, segundo Camargo, hoje há 121 marcas brasileiras espalhadas em 60

países – assim como interessados em levar outras para fora. Exemplo disso é o estande de Macau na feira, onde investidores vieram prospectar marcas para levar para lá. “A região tem as maiores cadeias de hotéis da China, que atraem mais de 2 milhões de consumidores de alto poder

aquisitivo por mês, além de muitos stripcenters”. D e a c o rd o c o m C r i s t i n a Franco, presidente da ABF, a feira ainda continua a maior do mundo, “mesmo em um ano complexo como esse”, e pretende atrair 66 mil visitantes e movimentar R$ 520 milhões em negócios.

A abertura da ABF Franchising Expo contou também com a presença do lutador Rodrigo Nogueira, o Minotauro, dono da franquia Team Nogueira e padrinho do Espaço Social da feira, e da atriz Giovana Antonelli, que inaugurou sua rede GIOlaser, de clínicas de depilação e estética.

Quantos clientes entram na sua loja? Alex Silva/Estadão Conteúdo

Paula Cunha Virtual Gate, empresa especializada em sistemas de monitoramento, lançou um sistema de câmeras que realiza a varredura de espaços comerciais para medir o fluxo de clientes. A ferramenta, já utilizada por grandes redes como C&A e Telhanorte, pode ser adaptada para pequenos empreendimentos, segundo a fabricante do sistema. Ter controle do público é essencial para que o varejista adote a estratégia de atendimento correta, reforçando a equipe de venda nos horários de maior movimento ou adequando os vendedores ao perfil dos clientes que varia ao longo do dia, por exemplo. Caio Camargo, gerente de vendas da Virtual Gate, explica que em uma loja de vestuário apenas um quarto das pessoas que entram acabam realmente realizando uma compra. "A ferramenta existe para

A

Sistemas ajudam lojistas a criar estratégias para vender mais agregar valor à informação que os empreendedores já possuem a respeito de seus clientes", diz Camargo. Segundo ele, com mais dados sobre os consumidores é possível avaliar se ações específicas de marketing em datas comerciais importantes ou em épocas de menor movimento são realmente eficazes. Pacote – Os preços dos pacotes para os pequenos empreendedores são avaliados a

partir de R$ 250 mensais. Para os maiores, os valores são superiores e dependem do total de câmaras a serem instaladas. O pacote inclui um serviço proativo de monitoramento de todas as câmeras instaladas que é capaz de detectar possíveis falhas de transmissão ou de geração de dados. O sistema é composto por câmeras instaladas em diversos pontos da loja. Ele é capaz de contar o número de pes-

soas em todos os pisos de um estabelecimento e detectar quais são os mais e menos visitados, além de identificar os horários em que estas ocorrências acontecem. Experiências – Após adotar o sistema, uma rede de lojas de calçados que fazia parte das promoções realizadas pela Shop Tour – rede de TV que apresenta em sua programação anúncios de ofertas de diversos tipos de produtos – adaptou o turno de seus funcionários para melhor atender os clientes, já que estes deram preferência ao período da tarde para realizar suas compras estimuladas pelo conteúdo veiculado pelo canal especializado. O Shopping ID – Interiores e Decoração, instalado em Brasília, também adotou o pacote de soluções, pois anteriormente a medição era realizada manualmente apenas em eventos e em ações pontuais, com margens de erro grandes, na avaliação de seus administradores.

Imposto na nota começa na próxima semana Sílvia Pimentel lei que obriga o comércio a discriminar no documento fiscal o valor aproximado dos tributos sobre o consumo começa a vigorar no dia 9 de junho. Conhecida como “Lei de Olho no Imposto” (Lei 12.741/12), a obrigatoriedade atinge cerca de 2 milhões de estabelecimentos, que podem ser multados em caso de descumprimento da norma, com base no Código de Defesa do Consumidor

A

(CDC). Para o presidente do Sindicato das Empresas de Contabilidade no Estado de São Paulo (Sescon-SP), a informação dos impostos nas notas fiscais significa uma revolução e um avanço para a cidadania fiscal. “Sabendo o quanto pagamos de impostos, fica mais tangível exigir do governo retorno em serviços públicos como educação, segurança, saúde e lazer”, afirma. Pela legislação, os valores aproximados dos impostos podem ser calculados e fornecidos semestralmente por instituições idôneas,

como o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), que fornece um sistema gratuito com os cálculos de tributos de milhares de produtos e mercadorias. A legislação entrou em vigor depois de uma ampla campanha de conscientização, liderada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que contou com o apoio do Sescon-SP, do IBPT e mais de 140 entidades. Para o comércio, a adequação é simples. O presidente da Afrac, que também apoiou a campanha da ACSP na definição da forma como os impostos aparecem na nota, Araquen Pagotto, explica que as impressoras fiscais não precisam ser modificadas. Para cumprir a lei, basta uma atualização de software que, dependendo do caso, pode ser feita sem custo. “Boa parte do comércio que utiliza automação comercial não apenas compra o software para processar as compras

dos consumidores, mas também contrata uma manutenção mensal, que inclui suporte técnico e, em alguns casos, atualizações”, explica Araquen. A Lei 12.741 estabelece a discriminação, em valores percentuais, dos seguintes tributos: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). É obrigatória a discriminação do valor dos impostos, de forma separada, por produto ou item, no documento fiscal. Além disso, o comerciante pode afixar painel com os valores em local visível ao consumidor no estabelecimento.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

17

Ensino à distância, negócio promissor. A concorrência é acirrada: 25% das matrículas do ensino superior inscrevem-se nessa modalidade e a expectativa é dobrar o contingente nos próximos anos.

om a perspectiva de dobrar o número de alunos em cinco anos, o ensino à distância no Brasil aparece como alternativa que oferece dois caminhos: flexibilidade aos estudantes e margens maiores para as companhias de educação, que investem em novos polos e cursos, como educação física e engenharia. Com isso, começa a tornar-se um negócio promissor. Cerca de 25% das matrículas do ensino superior são nesta modalidade atualmente e a expectativa é que esta fatia possa alcançar 40% a 45% nos próximos anos, de acordo com as estimativas do diretor-executivo de operações de ensino a distância (EAD) da Estácio Participações, Pedro Graça. A modalidade ganhou força com a popularização da banda larga no país, e agora uma nova geração de jovens nascidos em um ambiente 100% digital abre novas perspectivas. Enquanto isso, o preço da mensalidade, que chega a ser até 70% mais barato do que um curso presencial, aliado ao crescimento da classe C e aos 15 milhões de adultos entre 25 e 30 anos que ainda não possuem curso superior no Brasil, são os principais pilares para a expansão do EAD no país. "A tendência é o número de alunos dobrar nos próximos cinco anos", afirmou o diretor da Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed), Carlos Longo. Milhões de alunos - Os dados do Censo da Educação Superior divulgado em setembro do ano passado mostraram que o EAD no Brasil encerrou 2012 com 1,2 milhão de alunos matriculados, ante um total de 7 milhões do sistema tradicional. O ritmo de expansão de ingressantes foi de 12,2% no ensino à distância, enquanto na educação presencial o crescimento médio foi de 4,4% em 2012 ante 2011, segundo dados do Ministério da Educação MEC). A expectativa agora da rede de ensino privado é a liberação por parte do governo do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que abrange apenas o presencial, para o EAD.

C

"O ministro (da Educação) Henrique Paim demonstrou interesse por parte do governo em fomentar essa modalidade de ensino, até mesmo para atender a meta do Plano Nacional de Educação (PNE) sobre a expansão do ensino superior, que está muito aquém do previsto", disse o diretorexecutivo da Associação Brasileira das Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES), Sólon Caldas. Concorrência maior– Apesar das perspectivas de crescimento robusto, a concorrência tende a ficar mais acirrada, com outras empresas de olho nas margens maiores da modalidade. Atualmente pouco mais de 200 instituições atuam no segmento e outras 100 já pediram autorização ao MEC para oferecer o serviço, segundo o diretor da Abed. A Kroton Educacional é a líder do Brasil em número de alunos, com 444 mil estudantes de graduação e pós-graduação a distância, matriculados ao final do primeiro trimestre. Entre janeiro e março, o segmento representou 37,4% do lucro bruto consolidado da Kroton, com margem bruta de 81,3%, ante 67,5% do resultado total. Atualmente, os alunos EAD da Kroton representam 70% do total, mas após a combinação com a Anhanguera esta proporção vai cair para 50%. Ambas decidiram consorciarse e, para aprovar a fusão entre elas, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) determinou a venda de ativos de EAD da Uniasselvi, com 75 mil alunos. "A Uniasselvi é uma operação com base de alunos bastante representativa, com margem robusta, e que cresceu muito nos últimos anos. É bastante atrativa para o mercado", disse o diretor de operações EAD da Kroton Educacional, Dieter Paiva, sem fornecer mais detalhes sobre interessados na compra. A Estácio, enquanto isso, vai adicionar quase 34 mil alunos do segmento com a compra da Uniseb. Ao final do primeiro trimestre, a empresa tinha 78,4 mil estudantes de EAD. Segundo Graça, o EAD

Tarpon Investimentos e Abril Educação, agora sócios.

Abrilpar e a família Civita anunciaram ontem acordo em que a gestora de recursos Tarpon Investimentos ingressará no bloco de controle da Abril Educação. O acordo estabeleceu preço de R$ 35 por unit da empresa ante preço de fechamento na véspera de R$ 32. Com a operação, a Tarpon terá 24,21% do capital votante e 19,91% do capital total da empresa, que deverá migrar para o Novo Mercado, da Bolsa. Atualmente, a família Civita tem 45,9% da Abril Educação, enquanto outros sócios da empresa incluem as empresas de private equity BR Investimentos (8,9%) e Constellation (5,6%), e também sócios da rede de ensino de idiomas Wise Up (9,6%). Após a operação, o bloco Abrilpar, formado por família Civita e Abrilpar Participações, terá 37,72% do capital votante e 20,73% do

A

capital total da Abril Educação. O bloco Abrilpar terá 60% cento das ações do grupo de controle da empresa enquanto a Tarpon terá os 40% restantes. Pelos termos do negócio, além dos R$ 35 por unit, a Tarpon poderá pagar um adicional de até R$ 4 por pacote de ações, dependendo da performance. "A transação não resulta na alienação do controle, direto ou indireto, da companhia", afirmou a Abril Educação em comunicado ao mercado, afastando hipótese de oferta pública para units detidas por minoritários. O bloco Abrilpar poderá indicar presidente e dois conselheiros independentes, enquanto Tarpon poderá indicar três conselheiros e vicepresidente. O presidente da Abril Educação, Manoel Amorim, será substituído pelo vicepresidente de produtos e serviços pedagógicos da empresa, Mário Ghio. (Reuters)

representa 8% do faturamento da companhia. "Ainda é um percentual pequeno, mas a gente quer fazer crescer", disse o executivo da companhia. Novos cursos e polos – "Para

que a gente possa continuar crescendo, tem que lançar produtos novos. Nosso objetivo é lançar quatro, cinco cursos novos a cada ano", disse Dieter, da Kroton. A

companhia pretende oferecer o curso de engenharia para o vestibular de verão de 2015. Este ano, lançou o curso de educação física, com cerca de 20 mil alunos matri-

culados. Hoje, a Kroton oferece 31 cursos, divididos entre 48 polos Uniasselvi e 439 polos da Unopar, além do pedido no MEC de mais 225 polos para a Unopar. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Para a indústria, um tímido abril.

Eduardo Nicolau/Estadão Conteúdo

Produção recuou 0,3% sobre o mês anterior, de acordo com o IBGE. No acumulado do ano, a queda é de 1,2%. produção industrial brasileira iniciou o segundo trimestre do ano ainda contraída. Em abril recuou 0,3% sobre o mês anterior, afetada principalmente pelo segmento de bens de consumo duráveis. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, caiu 5,8%, queda mais forte desde setembro de 2009 (7,3%), informa o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado janeiro/abril, a queda é de 1,2% mas, nos últimos doze meses houve expansão de 0,8%. "Sob qualquer corte que se analise, há um predominância de taxas negativas, observando categorias econômicas e

A

observando atividades", afirma o economista do IBGE André Macedo. O índice de difusão da pesquisa destaca como a fraqueza no setor é generalizada, uma vez que mede a porcentagem de produtos pesquisados que tiveram aumento na produção. Esse índice ficou em 29,8%, o mais baixo da série histórica iniciada em janeiro de 2013. O destaque para o desempenho de abril foi o segmento Bens de Consumo Duráveis, que recuou 1,6% ante março e 12% na comparação anual. Segundo Macedo, a fraqueza nesse segmento decorre do encarecimento e da restrição do crédito, da evolução menor do mercado de trabalho e da

retirada de incentivos fiscais. Entre os ramos de atividade, o IBGE informou que 12 dos 24 pesquisados tiveram queda mensal em abril, sendo as principais influências negativas metalurgia (-2,7%), produtos de minerais não-metálicos (1,5%) e confecção de artigos do vestuário e acessórios (-1,6%). O mau desempenho da indústria foi um dos principais pesos sobre a economia brasileira no primeiro trimestre, levando-a a desacelerar o crescimento para apenas 0,2% sobre os três meses anteriores. O setor vem convivendo com níveis bastante baixos de confiança e as perspectivas não indicam melhora. Somente em maio o Índice de Confiança

Por ramo de atividade, a principal influência negativa foi a metalurgia. da Indústria (ICI) medido pela Fu n d a ç ã o G e t u l i o Va rg a s (FGV) recuou 5,1%, enquanto o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) apontou que a contração da atividade se aprofundou. "O significativo declínio na confiança, a queda do PMI

abaixo da marca de 50 e os mais recentes acontecimentos na Argentina ampliam os riscos a um cenário já sem brilho para a produção industrial em 2014", avalia o diretor de pesquisa econômica do Goldman Sachs para América Latina, Alberto Ramos, referindo-

se à contração da atividade e restrições de importações na Argentina. A pesquisa Focus do Banco Central mostra que na perspectiva dos economistas a indústria crescerá 1,24% em 2014 ante 1,5% para a economia como um todo. (Reuters)


ECONOMIA/LEGAIS - 19

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP

AVISO DE EDITAL Processo no 084/2014 - Edital da Tomada de Preços no 016/2014 – Objeto: Contratação de mão de obra com o fornecimento de todo material e equipamentos necessários para Reforma do Hospital Municipal Dra. Adoniran Correa Campos – Etapa 02, sito à Avenida São Paulo, no 826, no Bairro Centro - Mongaguá/SP, conforme anexos. O Arquivo do Anexo IV: Projeto Arquitetônico Básico retificado encontra-se no endereço eletrônico www.mongaguá.sp.gov.br, “Licitações” Tomada de Preços. Fica adiada para o dia 25/06/2014, com encerramento às 09h00min, e a abertura, às 09h30min. A Visita Técnica e Depósito da Garantia até o dia 24/06/2014, no horário previsto no Edital.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP

EDITAL DE LICITAÇÃO PROCESSO Nº 120/2014 - TOMADA DE PREÇO Nº 02/2014 A Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo torna pública a abertura da Tomada de Preço nº 02/2014 – Processo nº 120/2014. A presente licitação tem por objeto CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CONSTRUÇÃO CIVIL PARA CONSTRUÇÃO DE UMA Ç Ç UNIDADE DE CRECHE COM FORNECIMENTO DE MATERIAL E MÃO DE OBRA DE PRIMEIRA QUALIDADE, CONFORME PROCESSO FDE 6607/2012, PARA O MUNICÍPIO DE PEDRO DE TOLEDO/SP. Credenciamento: 23/06/2014, A PARTIR DAS 09:30 horas. Recebimento dos Envelopes Proposta, Documentação de Declaração de pleno atendimento aos requisitos de habilitação: 23/06/2014, A PARTIR DAS 09:30 horas. O edital em inteiro teor encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente através do site: www.pedrodetoledo.sp.gov.br ou no Depto. de Compras/Licitações da Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo, de 2ª a 6ª feira, das 09h00min às 11h30min e das 13h00min às 16h00min, na Av. Coronel Raimundo Vasconcelos, 230 - Centro, mediante pagamento. Informações poderão ser obtidas no endereço acima ou pelo telefone (13) 3419-7000. Pedro de Toledo, 02 de junho de 2014. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO (PRESENCIAL) no 07/2014 - PROCESSO no 214/2014 A Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo torna pública a abertura do Pregão Presencial no 07/2014 – Processo no 214/2014, A presente licitação tem por objeto a Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de conserto de pneus de várias medidas para os automóveis e maquinários que compõem a frota municipal de Pedro de Toledo/SP, na modalidade Pregão, por meio de sistema Presencial, através de SRP (Sistema de Registro de Preços). Recebimento do Credenciamento: Data: 17/06/2014 Horário: 09h00min. Recebimento dos Envelopes Proposta, Documentação de Declaração de pleno atendimento aos requisitos de habilitação: Data: 17/06/2014, a partir das 09h30min. O edital em inteiro teor encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente através do site: www.pedrodetoledo. sp.gov.br ou no Depto. de Compras/Licitações da Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo, de 2a a 6a feira, das 09h00min às 11h30min e das 13h00min às 16h00min, na Av. Coronel Raimundo Vasconcelos, 230 – Centro, mediante pagamento. Informações poderão ser obtidas no endereço acima ou pelo telefone (13) 3419-7000. Pedro de Toledo, 04 de junho de 2014. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP Processo Licitatório 21/14 – Concorrência 07/14 Termo de Homologação e Adjudicação. Processo Licitatório 21/14. Concorrência 07/14. Objeto: Contratação de empresa de engenharia especializada para execução de obras de construção de 04 (quatro) edifícios em alvenaria, destinados à Unidade Básica de Saúde (UBS) - Padrão I - Ministério da Saúde; a serem construídos no Assentamento Nossa Senhora Aparecida II - CTH 271, Projeto de Reassentamento Jupiá - Fazendinha - CTH 430, Bairro Laranjeiras - Rua Marcelina Gomes s/nº - lotes G e H da Quadra 107 e Conjunto Alípio Aparecido de Oliveira - Rua Benedito Rodrigues de Matos, s/nº - área institucional, objeto das Propostas 12.893.128.000.113.001 a 12.893.128.000.113.004 do Programa de Requalificação das Unidades Básicas do Ministério da Saúde. Considerando a regularidade do procedimento, hei por bem, com base no inciso VI, do artigo 43, da Lei Federal nº 8.666/93, de 21/06/1993, Homologar e Adjudicar os itens do objeto licitatório, à empresa abaixo delineada: Faben Construtora e Engenharia Ltda. Avenida Manoel Marques Rosa, 1.717 - Centro. Fernandópolis - SP. CNPJ (MF): 07.806.513/0001-33. Valor: R$ 2.080.285,44 (Dois milhões, oitenta mil, duzentos e oitenta e cinco reais e quarenta e quatro centavos). Castilho - SP, 04 de junho de 2014. Joni Marcos Buzachero - Prefeito. A Debitar (05.06.14)

TIETÊ VEÍCULOS S.A. CNPJ n°. 68.857.085/0001-62 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V. Sas., as Demonstrações Contábeis relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2013 e 2012. Agradecemos aos nossos colaboradores, clientes, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, nos deram apoio e confiança. Colocamos-nos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos. São Paulo, 12 de Março de 2014. Balanços Patrimoniais dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) Demonstração do Resultado dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) 31/12/2013 31/12/2012 ATIVO 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO 31/12/2013 31/12/2012 73.591 54.968 CIRCULANTE 83.930 90.343 CIRCULANTE 261.266 344.606 20.084 Receita Operacional Bruta Caixa e Equivalentes de Caixa 1.512 486 Empréstimos e Financiamentos (33.363) (51.283) 26.060 19.370 Impostos e Deduções da Receita Bruta Clientes 21.850 28.859 Fornecedores 227.903 293.323 10.955 2.643 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Estoques 20.358 19.516 Fornecedores – Veículos em Trânsito (Nota 4) (182.115) (263.805) 3.324 3.328 Custo de Vendas e Serviços 10.955 2.643 Salários e Obrigações Sociais Veículos em Trânsito (Nota 4) 45.788 29.518 1.693 1.670 LUCRO BRUTO Adiantamentos a Fornecedores 25.671 16.972 Impostos a Recolher (Nota 8) (39.069) (29.764) 2.472 3.498 (DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS Fundo de Capitalização Volkswagen 774 16.650 Contas a Pagar (9.482) (10.891) 29.087 4.375 Despesas com Vendas Outros Créditos 2.810 5.217 Outras Obrigações (37.106) (38.477) 797 2.630 Despesas Administrativas e Gerais NÃO CIRCULANTE 33.511 30.482 NÃO CIRCULANTE (8.503) (6.194) 54 Despesas Financeiras REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 30.257 26.387 Empréstimos e Financiamentos 14.749 25.450 797 2.576 Receitas Financeiras Depósitos Judiciais 116 116 Tributos a Recolher (Nota 9) 1.273 348 43.053 63.227 Outras Receitas e Despesas Créditos com Controladora 24.730 20.726 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 6.719 (246) 31.680 31.680 LUCRO (PREJUÍZO) OPERACIONAL Impostos a Recuperar 735 735 Capital Social (Nota 10.1) 511 132 11.373 31.547 Outras Receitas e Despesas 4.612 4.612 Reserva de Lucros (Nota 10.2) Outros Créditos (Nota 5) LUCRO (PREJUÍZO) OPERACIONAL Encargos a Apropriar 64 198 ANTES DOS IMPOSTOS 7.230 (114) 3.186 3.953 Imobilizado (Nota 6) Imposto de Renda e Contribuição Social (2.404) (18) 68 142 Intangível (Nota 7) 4.826 (132) 117.441 120.825 LUCRO (PREJUÍZO) ANTES REVERSÃO JCP TOTAL DO ATIVO 117.441 120.825 TOTAL DO PASSIVO Reversão de Juros sobre o Capital Próprio 3.161 3.543 tes. Os passivos estão demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáDemonstração das Mutações do Patrimônio Líquido dos Exercícios 7.987 3.411 veis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações monetárias LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) 7.987 3.411 correspondentes. 4. Veículos em Trânsito (Ativo E Passivo): Refere-se aos LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO (EM R$) Capital Reserva Lucros veículos faturados pela montadora e registrados como direitos no ativo Demonstração do Fluxo de Caixa dos Exercícios Social de Lucros Acumulados Total Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) Saldos em 31/12/2011 31.680 31.679 - 63.359 circulante, tendo como contra partida o passivo circulante na conta de forne31/12/2013 31/12/2012 Prejuízo Líquido do Exercício (132) (132) cedores, os quais integrarão posteriormente o estoque da Empresa. 5. Ou- Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais: tros Créditos: Inclui créditos contra terceiros que serão objeto de ação de Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício 4.826 (132) Destinações do Lucro: cobrança. A Empresa está no aguardo de finalização dos processos (Trânsi- Despesas (Receitas) Que Não Afetaram o Caixa Reserva p/ Investimentos e Capital de Giro (132) 132 - to em julgado) entre os devedores e órgão público, para então fazer valer Depreciação e Amortização 1.095 1.034 Saldos em 31/12/2012 31.680 31.547 - 63.227 seus direitos contratuais para o recebimento dos créditos. 6. Imobilizado: Baixa do Imobilizado 829 15 Lucro Líquido do Exercício 4.826 4.826 Está assim composto: Lucro Operac. Bruto Antes Mudanças Capital Giro 6.750 917 Descrição 2013 2012 Variações nos Ativos e Passivos Destinações do Lucro: 1.636 1.751 Reserva Legal 241 (241) - Móveis, Utensílios e Instalações Circulantes e Não Circulantes 1.632 1.826 Clientes Distribuição de Dividendos (25.000) - (25.000) Equipamentos de Informática 7.009 (2.026) Veículos 3.103 3.550 Reserva p/ Investimentos Estoques (842) 11.152 1.070 1.208 e Capital de Giro 4.585 (4.585) - Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Veículos em Trânsito (8.312) 55.816 178 179 Saldos em 31/12/2013 31.680 11.373 - 43.053 Outros Adiantamento a Fornecedores (8.699) 39.962 TOTAL 7.619 8.514 Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis 15.876 (14.478) Depreciação Acumulada (4.432) (4.561) Fundo de Capitalização Volkswagen Em 31 de Dezembro de 2013 e 2012. 2.407 2.016 Imobilizado Líquido 3.186 3.953 Outros Créditos 1. Contexto Operacional: A Tietê Veículos S.A., tem por objeto: distribuição, Empréstimos e Financiamentos (20.084) 20.084 7. Intangível: Está assim composto: compra, venda, locação, representação, exportação e importação de veículos Fornecedores 6.690 (21.033) Descrição 2013 2012 automotores em geral, o comércio de peças e acessórios em geral e a explo8.312 (55.816) 3.402 3.402 Fornecedores – Veículos em Trânsito Fundo de Comércio ração do ramo de oficinas mecânicas de conserto de veículos e partes. 2. (4) (831) Licença de Uso Software 853 854 Salários e Obrigações Sociais Apresentação das Demonstrações Contábeis: As Demonstrações 23 596 Marcas, Direitos e Patentes 2 2 Impostos a Recolher Contábeis foram elaboradas com observância dos critérios contábeis cons(1.026) 1.489 (-) Amortização Acumulada (4.189) (4.116) Contas a Pagar tantes na Lei das S/A, com a nova redação dada pelas Leis nº 11.638/07 e 24.712 (1.331) Intangível Líquido 68 142 Outras Obrigações 11.941/09 (Artigos 37 e 38), atendem plenamente os Pronunciamentos TécniTotal da Variação nos Ativos e Passivos 8. Impostos a Recolher: Está assim composto: cos CPC 26, item 16 e basearam-se nos fatos econômicos identificados na Circulantes e Não Circulantes 26.062 35.600 Descrição 2013 2012 documentação e informações da Administração da Empresa. 3. Principais 32.812 36.517 Imposto de Renda Retido na Fonte 511 562 Caixa Líquido Gerado nas Atividades Operac. Práticas Contábeis: a) Apuração do Resultado: As receitas e despesas ISS a Recolher 92 93 Fluxo de Caixa das Atividades de Investimentos são registradas de acordo com o regime de competência do exercício. b) ApliPIS a Recolher 31 43 Aquisição de Imobilizado (1.083) (2.584) cações Financeiras: Estão demonstradas pelo custo de aplicação, acrescido COFINS a Recolher 143 197 Aquisição de Intangível (7) dos rendimentos correspondentes, apropriados até a data do Balanço. c) CliParcelamento de Tributos 594 739 Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Invest. (1.083) (2.591) entes: São apresentados de acordo com valores de realização. Os valores Outros 322 36 Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamentos apurados com devedores duvidosos são baixados para perdas, atentando-se Total 1.693 1.670 243 para as regras da legislação vigente. Informamos que os saldos de clientes, 9.Tributos a Recolher: Corresponde à parcela dos tributos questionados ju- Depósitos Judiciais (4.004) (16.063) não diferem de seus valores justos dados a natureza de curto prazo. d) Esto- dicialmente, parcelados no ano de 2006 e que em 2009 a Empresa decidiu Créditos com Controladora Encargos a Apropriar 134 ques: Os estoques estão avaliados ao custo médio de aquisição, que não ex- pelo re-parcelamento, conforme disposições na Lei 11.941/09 de 27 de Maio 105 cede o valor de mercado. e) Imobilizado: É demonstrado pelo custo de aquisi- de 2009. 10. Patrimônio Líquido: 10.1 Capital Social: O Capital Social total- Outros Créditos (54) (18.253) ção deduzido da respectiva depreciação, corrigido monetariamente até 31 de mente integralizado está representado por 1.000 ações ordinárias nominati- Empréstimos e Financiamentos (2.033) Dezembro de 1995. A depreciação é calculada pelo método linear, conside- vas, sem valor nominal. 10.2 Reserva de Lucros: Constituída consoante a Lei Débitos com Controladora Tributos a Recolher (1.779) (504) rando a vida útil estimada dos bens. f) Intangível: Inclui os direitos que te- das Sociedades por Ações e o Estatuto, como segue: (25.000) nham por objeto, os bens incorpóreos destinados à manutenção da Socieda- Descrição 2013 2012 Distribuição de Dividendos Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Financ. (30.703) (36.505) de. A amortização é calculada pelo método linear, com base no prazo que o Reserva Legal 5.035 4.795 benefício é gerado. g) Fornecedores: O Valor justo não difere significativa- Reserva para Investimentos 28.991 26.752 Aumento (Redução) Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa 1.026 (2.579) mente dos saldos nos registros contábeis. h) Provisão para Férias: Constitu- Total 34.026 31.547 486 3.065 ída com base nos direitos adquiridos pelos empregados até a data do balan- 11. Cobertura de Seguro: É política da Sociedade, manter a cobertura de Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes 1.512 486 ço, acrescida dos respectivos encargos sociais. i) Outros Ativos e Passivos: seguros para os bens do ativo imobilizado e dos estoques sujeitos a risco, por Saldo Final de Caixa e Equivalentes Aumento (Redução) Líquído de Caixa e Os ativos estão demonstrados pelos valores de realização, incluindo, quando montantes julgados suficientes para cobrir eventuais sinistros, de acordo com Equivalentes de Caixa 1.026 (2.579) aplicável, os rendimentos, encargos e as variações monetárias corresponden- a natureza das atividades e a orientação dos consultores de seguros. Relatório dos Auditores Independentes Sobre as Demonstrações Contábeis - Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas da Tietê Veículos S.A. São Paulo – (SP). Examinamos as demonstrações contábeis da Tietê Veículos S.A., que compreendem o Balanço Patrimonial em 31 de Dezembro de 2013, e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da Administração sobre as Demonstrações Contábeis: A Administração da Tietê Veículos S.A. é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos Auditores Independentes: Nossa

Á Diretoria Rubens Pereira França - Contador - CRC 1SP239204/O-1 responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Empresa, para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas cir-

cunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Tietê Veículos S.A. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião: Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Tietê Veículos S.A. em 31 de Dezembro de 2013, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 28 de Fevereiro de 2014. AKW Auditores Independentes S/S - 2SP015438/O-0 Jozi Kimura - Contador - 1SP037445/O-0

DISTRIBUIDORA AUTOMOTIVA S.A.

MUNICÍPIO DE NOVA ODESSA AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL O Município de Nova Odessa leva ao conhecimento dos interessados que o edital de Tomada de Preços n.º 06/TP/2014, do tipo menor preço global, que trata da contratação de empresa especializada para execução de serviços de construção de quadra poliesportiva coberta, na Rua das Jacarandás, Jardim das Palmeiras, Nova Odessa – SP, com fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra, sofreu alterações na planilha orçamentária, itens 4 e 5 no quesito pintura, passando a ser “esmalte em estrutura metálica” e no item 9 (piso rústico em concreto) no quesito unidade de medida passando a ser “m²” e no edital em relação a alínea “b” do item 6.7.4 e ainda a inclusão da alínea “e” do item 6.7.5. A sessão pública para abertura dos envelopes de documentos fica prorrogada para o dia 23 de junho de 2014, às 10h:00min. Em decorrência da alteração de data no edital o último dia para cadastro para aqueles que não se cadastraram será em 16/06/2014. A vistoria é obrigatória e deverá ser realizada em horário de expediente, e agendada com antecedência pelo telefone (19) 3476-8600, ramais – Diretoria de Obras Públicas, ramais 218, 308, 335 e 340. Aqueles que já realizaram vistoria técnica ficam desobrigadas. O Edital em inteiro teor, com as alterações introduzidas, estará à disposição dos interessados para download no seguinte link de acesso: http://www.novaodessa.sp.gov.br/Licitacoes.aspx. Nova Odessa, 04 de junho de 2014. - Setor de Suprimentos e Licitações.

BNT S.A. CNPJ n.º 60.780.038/0001-56 - NIRE 35.300.021.436 - Ata da AGE realizada em 20 de Maio de 2014. 1. Data, hora e local: 20.05.2014, às 10:00 horas, na sede social da Companhia, na Capital do Estado de São Paulo, na Rua Gomes de Carvalho, n.º 1.507, Edifício Tenerife, Bloco B, 4° andar, conjuntos 41 e 42, sala 1, Vila Olímpia, CEP 04547-005. 2. Presença: Acionistas representando 60,384% do capital votante e total da Companhia, conforme assinaturas apostas no Livro de Presença dos Acionistas. 3. Publicações: Edital de primeira convocação publicado nas edições dos dias 10, 11 e 12 de abril de 2014 do Diário Oficial do Estado de São Paulo e do jornal “Diário do Comércio”, em conformidade com o art.124 da Lei n.o 6.404/76.Edital de segunda convocação publicado nas edições dos dias 13, 14 e 15 de maio de 2014 do Diário Oficial do Estado de São Paulo e do jornal “Diário do Comércio”, em conformidade comoart.124daLein.o6.404/76.Cópiasdetaispublicaçõesencontram-sesobreamesadiretoradostrabalhos,àdisposiçãodosacionistas. 4.Composição da Mesa: Flávio Elias Jabra - Presidente da Mesa.Mônica Arruda deToledo Piza - Secretária.5.Ordem do Dia:(i) alterar o mododefuncionamentodoConselhoFiscaldaCompanhia,quedeixarádeserpermanenteepassaráaserinstaladoapenasnosexercícios sociais em que houver pedido de acionistas, nos termos do §2 o do art.161 da Lei n.o 6.404/76; e (ii) alterar o Artigo 22 do Estatuto Social. 6. Deliberações: A Assembleia Geral: 6.1 aprovou, por unanimidade, ressalvada a abstenção da acionista Whitehouse Holding S.A., a alteração do modo de funcionamento do Conselho Fiscal, que passará a ser instalado apenas nos exercícios sociais em que houver um pedidodeacionistas,nostermosdoart.161daLein.o6.404/76;6.2aprovou,emdecorrênciadamudançadamodalidadedefuncionamento do Conselho Fiscal referida em 6.1, supra, a alteração do Artigo 22 do Estatuto Social, que passa a vigorar com a seguinte redação:“Artigo 22 O Conselho Fiscal, de caráter não permanente, será composto por 3 (três) membros efetivos e suplentes em igual número, acionistas ou não, residentes no país, que terão as atribuições previstas em lei.Parágrafo 1º Os membros do Conselho Fiscal, quando instalado, e os respectivos suplentes, serão eleitos em Assembleia Geral Ordinária para um mandato a encerrar-se na data da Assembleia Geral Ordinária seguinte àquela que os elegeu. Parágrafo 2º A remuneração dos Conselheiros Fiscais será determinada pela Assembleia Geral que os eleger, observado o limite mínimo estabelecido no art. 162, §3º, da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976.” 6.3 consignou um voto de agradecimento aos atuais membros do Conselho Fiscal pelos serviços por eles prestados até a presente data. 7. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e suspensa a assembleia pelo tempo necessário para lavratura desta ata no Livro de Registro de Atas de Assembleias Gerais da Companhia, em forma de sumário, nos termos do art.130, §1°, da Lei n.o 6.404/76, a qual, após ter sido reaberta a sessão, foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os acionistas presentes.São Paulo, 20 de maio de 2014. a) Flávio Elias Jabra - Presidente da Mesa. Mônica Arruda de Toledo Piza - Secretária. Acionistas:Whitehouse Holding S.A. (p.p. Livia Goncalves Buzolin).Flávio Elias Jabra.Marina Dabus Jabra (p.p.Mônica Arruda deToledo Piza).JUCESP - Certifico o Registro Sob o nº 208.636/14-6 em 30/05/2014.A) Flávia Regina Britto - Secretária Geral em exercício.

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S. A. - CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS CNPJ Nº 33.040.601/000l-87 - COMPANHIA ABERTA - NIRE 31300049655. 1 - Local, Data e Hora: Sede social, na Rua Rio de Janeiro, 654 - 5º andar, em Belo Horizonte, Minas Gerais, 06 de março de 2014, 10:00 (dez) horas. 2 - Presenças: Acionistas representando mais de 2/3 (dois terços) do capital social com direito a voto, estando também presentes o Dr. José Ribeiro Vianna Neto, membro do Conselho de Administração e o Sr. José Aloísio Martins Alves, membro do Conselho Fiscal. 3 - Mesa: Presidente: Marco Antônio Marques Cardoso. Secretário: Leonardo de Mello Simão. 4 - Convocação: Edital publicado nas páginas 3, 2 e 1 do “Minas Gerais”, edições de 30/01/2014, 31/01/2014 e 01/02/2014, nas páginas 8, 8 e 6 do “Diário do Comércio de Minas Gerais”, edições de 30/01/2014, 31/01/2014 e 01/02/2014 e nas páginas 15, 17 e 19 do “Diário do Comércio de São Paulo”, edições de 30/01/2014, 31/01/2014 e 01/02/2014. 5 - Lavratura da Ata: De acordo com o § 1º do artigo 130 da Lei 6.404/76. 6 - Ficarão arquivados na sede social, autenticados pela mesa, todos os documentos referidos nesta ata. 7 - Deliberações: I - Foi aprovada, por unanimidade, a homologação do aumento do capital social da Financeira, deliberado pela Assembleia Geral Extraordinária realizada em 02 de dezembro de 2013, em função da integralização total do valor de R$50.000.008,00 e da subscrição da totalidade das 6.250.001 ações escriturais emitidas, sendo 3.532.609 ações ordinárias escriturais e 2.717.392 ações preferenciais escriturais. Em obediência ao art. 13, § 2º, da Lei 6.404/76, o valor integralizado será desdobrado, sendo que o montante de R$43.750.007,00 correspondente ao valor nominal da ação, será incorporado ao Capital e o restante, no importe de R$6.250.001,00, será registrado em “Reserva de Capital - Reserva de Ágios por Subscrição de Ações”, até posterior deliberação. II - Em decorrência da homologação do aumento do capital social, realizado em estrita observância ao deliberado e definido pela Assembleia Geral Extraordinária realizada em 02 de dezembro de 2013, foi aprovada, por unanimidade, a alteração do art. 5º do Estatuto Social, que passa a ter a seguinte redação: “Art. 5º - O capital social da Sociedade é de R$126.070.000,00 (cento e vinte e seis milhões e setenta mil reais), dividido em 18.010.000 (dezoito milhões e dez mil) ações escriturais, sendo 10.179.565 (dez milhões, cento e setenta e nove mil, quinhentas e sessenta e cinco) ações ordinárias e 7.830.435 (sete milhões, oitocentas e trinta mil, quatrocentas e trinta e cinco) ações preferenciais, todas do valor nominal de R$7,00 (sete reais) cada uma.” Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembleia, da qual, para constar, lavrou-se a presente ata que, após lida e aprovada, vai por todos os acionistas presentes assinada. Belo Horizonte, 06 de março de 2014. Leonardo de Mello Simão - Secretário; Marco Antônio Marques Cardoso - Presidente; Marco Antônio Andrade de Araújo e Luiz Carlos de Araújo pelo Banco Mercantil do Brasil S.A., José Ribeiro Vianna Neto, Luiz Henrique Andrade de Araújo e José Aloisio Martins Alves. CONFERE COM O ORIGINAL LAVRADO NO LIVRO PRÓPRIO. MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS. José Ribeiro Vianna Neto - Diretor Executivo. Marco Antônio Andrade de Araujo Diretor Executivo. Atestamos que este documento foi submetido a exame do Banco Central do Brasil em processo regular e a manifestação a respeito dos atos praticados consta de carta emitida à parte. Departamento de Organização do Sistema Financeiro. Gerência Técnica em Belo Horizonte. Everaldo José da Silva Júnior Analista. Junta Comercial do Estado de Minas Gerais. Certifico o registro sob o nro.: 5280749 em 29/05/2014. Mercantil do Brasil Financeira S.A - Crédito, Financiamento e Investimentos. Protocolo:14/358.975-0. Marinely de Paula Bomfim - Secretária Geral.

CNPJ n° 61.490.561/0001-00 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V. Sas., as Demonstrações Contábeis relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2013 e 2012. Agradecemos aos nossos colaboradores, clientes, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, nos deram apoio e confiança. Colocamos-nos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos. São Paulo, 12 de Março de 2014. Balanços Patrimoniais em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) Demonstração do Resultado dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) ATIVO 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO 31/12/2013 31/12/2012 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 603.882 530.732 CIRCULANTE 202.986 191.876 1.679.496 1.459.985 Caixa e Equivalentes de Caixa 6.204 9.453 Empréstimos e Financiamentos (Nota 10) 83.817 56.432 Receita Operacional Bruta Impostos e Deduções da Receita Bruta (376.740) (311.048) Clientes 227.431 210.247 Fornecedores 81.313 69.618 1.302.756 1.148.937 Estoques 247.776 206.141 Salários e Obrigações Sociais 13.588 12.539 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Custo de Vendas e Serviços (1.004.843) (900.373) Impostos a Recuperar 77.093 68.710 Impostos a Recolher (Nota 12) 8.908 6.389 297.913 248.564 Outros Créditos 45.378 36.181 Outras Obrigações 15.360 46.898 LUCRO BRUTO (250.902) (218.566) NÃO CIRCULANTE 229.420 246.520 NÃO CIRCULANTE 88.251 87.230 (DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS (103.199) (96.719) REALIZÁVEL À LONGO PRAZO 72.697 69.902 Empréstimos e Financiamentos (Nota 11) 44.719 26.420 Despesas com Vendas (208.652) (177.451) Depósitos Judiciais 4.659 4.812 Tributos a Recolher (Nota 13) 1.000 4.573 Despesas Administrativas e Gerais Despesas Financeiras (33.773) (12.758) Créditos com Controladas e Coligadas (Nota 4) 16.054 11.684 Subscrição Empresa Coligada a Integralizar 4.466 4.793 42.599 33.412 38.066 51.444 Receitas Financeiras Tributos a Recuperar 4.151 4.151 Débitos Controladas e Coligadas (Nota 4) 52.123 34.950 542.065 498.146 Outras Receitas Subscrição Empresa Coligada 4.466 4.793 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 47.011 29.998 43.367 44.462 Capital Social (Nota 15.1) 273.182 249.502 LUCRO OPERACIONAL Outros Créditos (Nota 5) (78) (263) 124.727 142.818 Reserva de Lucros (Nota 15.2) 272.703 249.492 Outras Despesas Investimentos (Nota 6) 14.277 15.846 Ajuste Avaliação Patrimonial Imobilizado (Nota 7) (167) (836) LUCRO ANTES DOS IMPOSTOS 46.933 29.735 203 257 Ações em Tesouraria Diferido (Nota 8) (3.661) (22) Imposto de Renda e Contribuição Social (42) (45) 17.516 17.697 Reserva de Capital Intangível (Nota 9) 8 10 LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 46.891 29.690 TOTAL DO ATIVO 833.302 777.252 TOTAL DO PASSIVO 833.302 777.252 LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO (EM R$) 2.724 1.724 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 d 2012 (Em Milhares de Reais) Demonstração do Fluxo de Caixa dos Exercícios Capital Reserva de Reserva de Ajuste de Ações em Lucros Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) Eventos Social Capital Lucros Avaliação Patrimonial Tesouraria Acumulados Total Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais: 31/12/2013 31/12/2012 Saldos em 31/12/2011 234.652 234.652 (1.181) (66) - 468.057 Lucro Líquido do Exercício 46.891 29.690 Venda de Ações em Tesouraria 54 54 Despesas (Receitas) Que Não Afetaram o Caixa Ágio na Alienação de Ações Próprias 10 (10) - Depreciação e Amortização 5.134 5.951 Ajuste de Avaliação Patrimonial 345 345 Baixa de Imobilizado, Intangível e Diferido 143 2.196 Lucro Líquido do Exercício 29.690 29.690 Baixa de Investimento 38 Destinações do Lucro: Equivalência Patrimonial (48.517) (30.364) Reserva Legal 1.485 (1.485) - Lucro Operac. Bruto Antes das Mudanças Aumento de Capital Social 14.850 (14.850) do Capital de Giro 3.689 7.473 Reserva p/ Investimentos e Capital de Giro 13.355 (13.355) - Variação nos Ativos e Passivos Saldos em 31/12/2012 249.502 10 249.492 (836) (22) - 498.146 Circulantes e Não Circulantes Venda de Ações em Tesouraria 31 31 Clientes (17.184) (5.556) Deságio na Alienação de Ações Próprias (2) 2 - Estoques (41.635) (5.153) Compra de Ações em Tesouraria (3.672) (3.672) Impostos a Recuperar (8.383) 10.135 Ajuste de Avaliação Patrimonial 669 669 Outros Créditos (9.197) (8.992) Lucro Líquido do Exercício 46.891 46.891 Empréstimos e Financiamentos 27.384 (35.899) Destinações do Lucro: Fornecedores 11.695 1.319 Reserva Legal 2.345 (2.345) - Salários e Obrigações Sociais 1.049 977 Aumento de Capital Social 23.680 (23.444) - Impostos a Recolher 2.519 (1.868) Reserva p/ Investimentos e Capital de Giro 20.866 (21.102) - Outras Obrigações (31.538) (2.976) Saldos em 31/12/2013 273.182 8 272.703 (167) (3.661) - 542.065 Total da Variação nos Ativos e Passivos Circulantes e Não Circulantes (65.290) (48.013) Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Caixa Líquido Absorvido nas 1. Contexto Operacional: A Distribuidora Automotiva S.A., tem por obje- 5. Outros Créditos: Inclui créditos contra terceiros que serão objeto de ação Atividades Operacionais (61.601) (40.540) tivo: a) O comércio, representação, importação e exportação, peças, aces- de cobrança. A Empresa está no aguardo de finalização dos processos (TrânFluxo de Caixa de Atividades de Investimentos sórios e serviços inerentes à auto-veículos, pneus, câmaras de ar, artigos de sito em julgado) entre os devedores e o órgão público, para então fazer valer Aquisição Investimentos (4.028) (2.538) borracha, administração de bens móveis e negócios próprios, aluguel de ou- seus direitos contratuais para o recebimento dos créditos. 6. Investimentos: Ágio na Aquisição Investimentos (47) tros bens imóveis e intermediação de negócios; b) Prestação de serviços No quadro a seguir, apresentamos os investimentos relevantes avaliados pelo Aquisição de Imobilizado e Intangível (3.026) (3.987) por conta própria e de terceiros de: recauchutagem de pneus, cambagem, método de equivalência patrimonial. Venda de Ações em Tesouraria 31 balanceamento, alinhamento de rodas e outros inerentes ao ramo. 2. Apre- Descrição 2013 2012 Compra de Ações em Tesouraria (3.672) (22) sentação das Demonstrações Contábeis: As Demonstrações Contábeis Participações Controladas e Coligadas Dividendos Recebidos 70.868 12.838 foram elaboradas com observância dos critérios contábeis constantes na Lei - Bernina Adm. e Exportadora Ltda 25.848 48.799 Caixa Líquido Gerado nas das S/A, com a nova redação dada pelas Leis nº 11.638/07 e 11.941/09 (ar- - Cofipe Veículos Ltda. 29.852 26.291 Atividades de Investimentos 60.126 6.291 tigos 37 e 38), atendem plenamente o Pronunciamento Técnico CPC 26, - Tiete Veículos S.A. 12.209 17.957 Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamentos item 16 e basearam-se nos fatos econômicos identificados na documenta- - Matrix Distribuidora Ltda. 153 (1.093) 716 793 Depósitos Judiciais ção e informações da Administração da Empresa. 3. Principais Práticas - Q Corporate S.A. (4.370) 154 25.981 19.508 Créditos em Controladas e Coligadas Contábeis: a) Apuração do Resultado: As receitas e despesas são - Terraço Itália Restaurante Ltda. 327 608 3.296 3.735 Subscrição Empresa Coligada 1.095 121 registradas de acordo com o regime de competência do exercício. b) Aplica- - Distribuidora Veicular Ltda. 6.545 7.701 Outros Créditos 18.299 (4.331) ções Financeiras: Estão demonstradas pelo custo de aplicação, acrescido - Montecatini Imobiliária Ltda. 3.432 1.855 Empréstimos e Financiamentos (3.573) (3.321) dos rendimentos correspondentes, apropriados até a data do Balanço. c) - Santa Paula SRL 3.990 3.394 Tributos a Recolher (327) (608) Clientes: São apresentados de acordo com valores de realização. Os valo- - Rimini Empr. Imob. Ltda. 2.058 2.148 Subscrição Empresa Coligada a Integralizar (13.378) 45.722 res apurados com devedores duvidosos são baixados para perdas, atentan- - INC Imob. e Constr. Ltda. 440 Débitos em Controladas e Coligadas Caixa Líquido Aplicado nas Atividades do-se para as regras da legislação vigente. Informamos que os saldos de cli- - Ágio Participações Controladas 8.710 9.107 de Financiamentos (1.774) 37.252 entes não diferem de seus valores justos, dado a natureza de curto prazo. d) Sub-Total 122.637 141.728 Aumento (Redução) Líquido de Caixa Estoques: Os estoques estão avaliados ao custo médio de aquisição, que Outros Investimentos 1.090 1.090 e Equivalentes de Caixa (3.249) 3.003 não excede o valor de mercado. e) Investimentos: Os investimentos em Imóveis não Destinados ao Uso 1.000 - Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes 9.453 6.450 participações societárias estão avaliados pelo método de equivalência Total 124.727 142.818 Saldo Final de Caixa e Equivalentes 6.204 9.453 patrimonial, conforme demonstrado na nota explicativa nº 6. f) Imobilizado: 7. Imobilizado: Está assim composto: Aumento (Redução) Líquido de Caixa É demonstrado pelo custo de aquisição deduzido da respectiva depreciação, Descrição 2013 2012 e Equivalentes De Caixa (3.249) 3.003 corrigido monetariamente até 31 de Dezembro de 1995. A depreciação é Móveis, Utensílios e Instalações 16.358 15.279 calculada pelo método linear, considerando a vida útil estimada dos bens. g) Equipamentos de Informática 10.118 9.623 12. Impostos A Recolher: Está assim composto: 2013 2012 Diferido: É demonstrado pelo custo de aquisição ou formação, deduzido da Veículos 6.643 6.872 Descrição Imposto de Renda Retido na Fonte 1.035 331 respectiva amortização. A amortização é calculada pelo método linear, com Máquinas, Equipamentos e Ferramentas 9.334 9.047 ICMS Substituição Tributária 823 1.003 base no prazo que o benefício é gerado. h) Intangível: Inclui os direitos que Propriedades Agrícolas 8 Parcelamento de Tributos 3.863 3.663 tenham por objeto os bens incorpóreos, destinados à manutenção da Socie- Equipamentos de Comunicação e Telefonia 1.419 1.388 Outros 3.187 1.392 dade. A amortização é calculada pelo método linear, com base no prazo que Benfeitorias em Bens de Terceiros 1.007 1.007 TOTAL 8.908 6.389 o benefício é gerado. i) Fornecedores: O Valor justo não difere significativaOutros 48 48 13. Tributos A Recolher: Corresponde a parcela dos tributos questionados mente dos saldos nos registros contábeis. j) Provisão para Férias: ConstiTOTAL 44.928 43.272 judicialmente, parcelados no ano de 2006 e que em 2009 a Empresa decidiu tuída com base nos direitos adquiridos pelos empregados até a data do baDepreciação Acumulada (30.651) (27.426) pelo re-parcelamento, conforme disposições na Lei 11.941/09 de 27 de Maio lanço, acrescida dos respectivos encargos sociais. k) Outros Ativos e PasImobilizado Líquido 14.277 15.846 de 2009. 14. Contingências Passivas: Na opinião de nossos consultores jurísivos: Os ativos estão demonstrados pelos valores de realização, incluindo, 8. Diferido: Está assim composto: dicos, os processos movidos contra a Empresa estão classificados como uma quando aplicável, os rendimentos, encargos e as variações monetárias corDescrição 2013 2012 contingência possível ou remota, motivo pelo qual e de acordo com CPC nº 25 respondentes. Os passivos estão demonstrados pelos valores conhecidos Benfeitorias em Bens de Terceiros 576 862 não foi constituída nenhuma provisão na data do balanço. 15. Patrimônio Líou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações mo(372) (605) quido: 15.1 Capital Social: O Capital Social totalmente integralizado está renetárias correspondentes. 4. Transações com Partes Relacionadas: As Amortização Acumulada presentado por 17.217 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. 15.2 Diferido Líquido 203 257 transações com partes relacionadas estão representadas por operações de Reserva de Lucros: Constituída consoante a Lei das Sociedades por Ações mútuo entre as empresas, conforme demonstramos no quadro abaixo, e os 9. Intangível: Está assim composto: 2013 2012 e o Estatuto, como segue: empréstimos contraídos junto aos acionistas da empresa, conforme mencio- Descrição Descrição 2013 2012 Fundo de Comércio 7.164 7.164 nado na Nota nº 11. 36.889 34.544 4.850 4.530 Reserva Legal Empresa Ativo Passivo Licença de Uso Software Reserva para Investimento e Capital de Giro 235.814 214.948 15.607 15.607 2013 2012 2013 2012 Licença de Uso Software Andamento 272.703 249.492 414 414 Total Cofipe Veículos Ltda. - 10.144 13.980 Marcas, Direitos e Patentes (10.518) (10.018) 16. Cobertura de Seguro: É política da Sociedade, manter a cobertura de Tiete Veículos S.A. - 24.731 20.726 Amortização Acumulada seguros para os bens do ativo imobilizado e dos estoques sujeitos a risco, por 17.516 17.697 Leste Participações S.A. - Intangível Líquido montantes julgados suficientes para cobrir eventuais sinistros, de acordo com Bernina Adm. e Exportadora Ltda 930 14.243 10. Empréstimos e Financiamentos: Referem-se a empréstimos contraídos a natureza das atividades e a orientação dos consultores de seguros. 17. Distribuidora Veicular Ltda. - junto às instituições financeiras, com taxas usualmente praticadas no merca- Eventos Subsequentes: Em 2013, a Distribuidora Automotiva S/A assinou Terraço Itália Restaurante Ltda. 845 890 do. 11. Empréstimos e Financiamentos (Exigível a Longo Prazo): Está as- um Contrato de Intenções (M.O.U.) com a Pirelli Pneus Ltda, onde, em data INC Imob. E Constr. Ltda. 1.072 sim composto: futura, a Companhia deixará de comercializar produtos e prestar serviços re2013 2012 lacionados ao segmento de pneus, efetuando uma associação com a Pirelli Rimini Empr. Imob. Ltda. 266 167 - Descrição - Pneus Ltda, para que essa atividade seja consolidada pela Empresa ComerciMontecatini Imobiliária Ltda. 2.127 533 Instituições Financeiras 44.719 26.420 al e Importadora de Pneus Ltda (Pneuac), onde a Distribuidora Automotiva S/ Outros 14.942 11.517 134 - Recursos de Acionistas 44.719 26.420 A terá uma participação. TOTAL 16.054 11.684 38.066 51.444 Total A Diretoria Rubens Pereira França - Contador - CRC 1SP239204/O-1 Relatório dos Auditores Independentes sa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstra- desses controles internos da Distribuidora Automotiva S.A. Uma auditoria Sobre as Demonstrações Contábeis ções contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a Ilmos. Srs. Acionistas da Distribuidora Automotiva S.A. São Paulo - (SP) normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como Examinamos as demonstrações contábeis da Distribuidora Automotiva cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja pla- a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conS.A., que compreendem o Balanço Patrimonial em 31 de Dezembro de 2013, nejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as junto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriae as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio lí- demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria da para fundamentar nossa opinião. Opinião: Em nossa opinião, as demonsquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidên- trações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Res- cia a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Distribuidora ponsabilidade da Administração sobre as Demonstrações Contábeis: A contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do audi- Automotiva S.A. em 31 de Dezembro de 2013, o desempenho de suas opeAdministração da Distribuidora Automotiva S.A. é responsável pela elabo- tor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações rações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acorração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avalia- do com as práticas contábeis adotadas no Brasil. com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ção de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstra- boração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da EmpreSão Paulo, 28 de Fevereiro de 2014. ções contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada sa, para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas cirAKW AUDITORES INDEPENDENTES S/S - 2SP015438/O-0 por fraude ou erro. Responsabilidade dos Auditores Independentes: Nos- cunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia JOZI KIMURA - CONTADOR - 1SP037445/O-01SP037445/O-0


20 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

Sistema Fácil, Incorporadora Imobiliária - Porto Alegre II - SPE Ltda

quinta-feira, 5 de junho de 2014

CNPJ Nº 08.977.275/0001-91 - NIRE 35.221.571.735 15ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 15.04.2014.Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da SISTEMA FÁCIL, INCORPORADORA IMOBILIÁRIA – PORTO ALEGRE II- SPE LTDA, sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 04A, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, II do CC, passando de R$3.390.360,00 para R$2.390.360,00, representando uma redução de R$1.000.000,00, que serão devolvidos até 30.04.2014, em moeda corrente nacional, correspondendo à proporção de quotas que cada sócia possui na sociedade, sendo R$500.000,00 à cada uma das sócias. Sócias: Rodobens Negócios Imobiliários S/A e Capa Engenharia S/A.

ERBA Participações p ç S.A. - CNPJ/MF nº 17.820.679/0001-68 - NIRE 35.300.455.215 Extrato da Ata da Reunião do Conselho de Administração Data, Hora e Local: 17.04.2014, 12hs., na sede social, na Alameda Franca, 267, 7º and., sl. B, SP/SP. Presença: Totalidade dos membros. Mesa: Presidente:Andrey Alexandre Pedra Dantas, Secretário:Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia. Deliberações Aprovadas: 1. Aceitar o pedido de renúncia apresentado pelo Diretor sem designação específica, José Luiz Martins Pinto, CI RG 14.684.463-SSP-SP, CPF/MF 085.559.628-70, sendo consignado um voto de agradecimento pelos serviços prestados, o qual confere à Cia. a mais plena, geral, irrevogável e irretratável quitação. 2. Eleger como Diretor sem designação específica, Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia, brasileiro, casado, administrador de empresas, residente em SP/SP, CI RG 7.525.654-SSP-SP, CPF/MF 049.032.828-80, com mandato até a AGO que deliberará sobre as contas do exercício a se encerrar em 31.12.2015. O Diretor aceitou o cargo, tomando posse e declara que não está impedido de exercer atividade mercantil. Encerramento: Nada mais. SP, 17.04.14. Membros:Andrey Alexandre Pedra Dantas;Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia e Marcos Henrique Marques da Costa. JUCESP 196.421/14-7 em 19.05.14. Flávia Regina Britto-Sec. Geral em Exercício.

Brucianesi Participações S.A. - CNPJ/MF nº 17.164.834/0001-35 - NIRE 35.300.455.231

Realty V Empreendimentos Imobiliarios S.A.

Extrato da Ata da Reunião do Conselho de Administração Data, Hora e Local: 17.04.2014, 11hs, na sede social, naAlameda Franca, 267, 7º and., parte, SP/SP. Presença:Totalidade dos membros. Mesa: Presidente:AndreyAlexandre Pedra Dantas, Secretário:Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia.Deliberações Aprovadas: 1.Aceitar o pedido de renúncia apresentado pelo Diretor sem designação específica, José Luiz Martins Pinto, CI RG 14.684.463-SSP-SP, CPF/MF 085.559.628-70, sendo consignado um voto de agradecimento pelos serviços prestados, o qual confere à Cia. a mais plena, geral, irrevogável e irretratável quitação. 2. Eleger como Diretor sem designação específica, Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia, brasileiro, casado, administrador de empresas, residente em SP/SP, C.I. RG 7.525.654-SSP-SP, CPF/MF 049.032.828-80, com mandato até a AGO que deliberará sobre as contas do exercício a se encerrar em 31.12.2015. O Diretor aceitou o cargo, tomando posse e declara que não está impedido de exercer atividade mercantil. Encerramento: Nada mais. SP, 17.04.14. Membros:Andrey Alexandre Pedra Dantas;Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia e Marcos Henrique Marques da Costa. JUCESP 196.422/14-0 em 19.05.14. Flávia Regina Britto-Sec. Geral em Exercício.

EMBRAPORT - Empresa Brasileira de Terminais Portuários S.A.

CNPJ/MF nº 02.805.610/0001-98 - NIRE 35.300.157.109 Extrato da Ata de Reunião do Conselho de Administração de 10/04/14 Data, Hora e Local: 10/04/2014, às 14hs, na Estrada Particular da CODESP, s/nº, Ilha Barnabé, Santos/SP. Presença: Totalidade do Conselho de Administração. Convocação: Dispensada. Mesa: Presidente - Paulo Henyan Yue Cesena; Secretário - Bruno Dias Pereira. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: 1) PD CA-EMB 003/14: As Demonstrações Financeiras e da Destinação do Resultado do exercício social ndo em 31/12/2013, e do limite anual da remuneração global dos Diretores para 2014; 2) PD CA-EMB 004/14: Eleição do novo Diretor Financeiro, André Chamadoira Carracedo, brasileiro, casado, administrador de empresas, CPF/MF nº 781.364.235-04, RG nº 5751374-01 SSP/BA, endereço profissional em Santos/SP, em razão da renúncia de Rodrigo Vergílio Leite, CPF/MF sob nº 275.091.578-38, RG nº 23.269.430, eleito como Diretor sem designação específica na RCA de 19/10/2011; 3) PD CA-EMB 005/14 - Aprovação das novas diretrizes comerciais da EMB para Armadores; e 4) PD CA-EMB 006/14 - Aprovação de novas tarifas da EMB para Importadores e Exportadores. I) Matérias para Informação: 1) Atualização Área Comercial; 2) Atualização Operacional; 3) Resultados Financeiros; 4) Atualização sobre Sindicatos, Assuntos Jurídicos e Responsabilidade Corporativa; 5) Projetos em execução. II) Outros Assuntos: 1) Formalização de Documentos Societários. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Presidente, Paulo Henyan Yue Cesena, e Secretário, Bruno Dias Pereira. Santos, 10/04/2014. JUCESP nº 182.535/14-9 em 07.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

CNPJ/MF nº 14.406.699/0001-07 - NIRE 35.300.448.481 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária de 30/04/2014 Data, hora e local: 30/04/2014, às 19:30hs, na sede social, R. Amauri, nº 255, 5° andar, parte, SP/SP. Convocação: Dispensada (§ 4º do art. 124 da Lei nº 6.404/76). Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Marcelo Meth Presidente, Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro - Secretário. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: (i) as demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013, publicadas em 29/03/2014 no Diário Oficial do Estado de São Paulo e do jornal Diário do Comércio; e (ii) Tendo em vista o prejuízo apurado no exercício social encerrado em 31/12/2013 no montante de R$238.287,60, não há lucros a serem distribuídos aos acionistas, sendo que: (a) R$97.423,27 será absorvido por meio do saldo acumulado na conta de reserva legal; e (b) R$140.864,33 serão destinados à conta de prejuízos acumulados. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Mesa: Marcelo Meth - Presidente; e Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro - Secretário. São Paulo, 30/04/2014. JUCESP nº 205.554/14-3 em 26.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Extrato da Ata da Assembleia Geral Extraordinária em 18.02.2014 Data, Local e Hora: 10hs., 18.02.2014, na sede, R. Amauri, 255, 5º and., parte, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente Marcelo Meth; Secretário Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro. Deliberações Aprovadas por unanimidade: (i.1) Re-ratificação da distribuição de dividendos declarados em AGE de 30.12.2011, no valor total de R$14.710.302,17, cuja distribuição havia sido cancelada integralmente em AGE de 01.11.2013, de forma que neste ato fica aprovado, re-ratificado e consignado que: (a) o montante de R$5.210.302,17 foram efetivamente cancelados, devendo referido valor, portanto, permanecer na conta de reserva de lucros; e (b) o montante de R$9.500.000,00 foram efetivamente distribuídos e pagos aos acionistas. (i.2) Re-ratificação da distribuição de dividendos declarados em AGE de 31.12.2012, no valor total de R$ 63.000.000,00, cuja distribuição havia sido cancelada parcialmente em AGE de 01.11.2013, de forma que fica neste ato fica aprovado, re-ratificado e consignado que: (a) o montante de R$15.057.749,00 foram efetivamente cancelados, devendo referido valor, portanto, permanecer na conta de reserva de lucros; e (b) o montante de R$47.942.251,00 foram efetivamente distribuídos e pagos aos acionistas. (ii) Aumento do capital em R$ 2.450.000,00, passando de R$ 78.399.564,74 para R$ 80.849.564,74, com a emissão de 1.474.446 novas ações ON e sem valor nominal, pelo preço de emissão de aproximadamente R$1,66 por ação, conforme apurado em balanço patrimonial levantado em 31.01.2014, sendo que a acionista RB Capital Holding S.A. subscreve e integraliza, neste ato a totalidade das ações ora emitidas, com créditos relativos a Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC) no valor de R$ 2.450.000,00. Alteração do caput do Art. 5º: “Art. 5º: O capital social totalmente subscrito e integralizado é de para R$ 80.849.564,74, dividido em 83.289.566 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal”. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. São Paulo, 18.02.2014. Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro - Secretário. JUCESP nº 205.297/14-6 em 26.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Arese Participações S.A. - CNPJ/MF nº 17.820.693/0001-61 - NIRE 35.300.455.223 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária Realizada em 22.04.2014 Data, Hora e Local: 22.04.2014, às 10hs, na sede social, Al. Franca, nº 267, 7º and., sl. A, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade dos acionistas. Mesa: Andrey Alexandre Pedra Dantas - Presidente, José Luiz Martins Pinto - Secretário. Deliberações Aprovadas: 1. As Demonstrações Contábeis de 31.12.2013, publicados com parecer sem ressalvas emitido pelos Auditores Independentes, no DOESP e no “Diário do Comércio”, ambas as edições de 17/04/2014, aprovados pelo Conselho de Administração em reunião realizada em 07/04/2014. 2. O prejuízo apurado em 31.12.2013 no montante de R$176.241,22 permaneça na conta “Lucros ou Prejuízos Acumulados, para ulterior deliberação. 3. Fixar o montante da remuneração anual global dos administradores da Cia. em R$250.000,00, cabendo ao Conselho de Administração deliberar sobre a distribuição. 4. Renúncia dos membros do Conselho de Administração, Presidente: Andrey Alexandre Pedra Dantas, C.I. RG 28.498.003-1, CPF/MF 320.590.528-82; Membros: Marcos Henrique Marques da Costa, C.I. RG 16.520.024-SSP-SP, CPF/MF 065.025.538-00; e Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia, C.I. RG 7.525.654-SSP-SP, CPF/MF 049.032.828-80, os quais conferem à Cia. a mais plena, geral, irrevogável e irretratável quitação. 5. Eleger os novos membros efetivos do Conselho de Administração: André Rumi, brasileiro, casado, economista, C.I. RG 4.707.983-6-SSP-SP, CPF/MF 571.212.818-72, para Presidente; Luiz Carlos Silva Pereira, brasileiro, casado, empresário, C.I. RG 9.951.942-SSP-SP, CPF/MF 988.375.918-53, para membro; e Mauricio Rieger, brasileiro, casado, contador, C.I. RG 7.665.970-SSP-SP, CPF/MF 032.949.158-02. 5.1 Com mandato unificado de 1 ano, devendo tais membros permanecer em exercício até a investidura de seus sucessores, os quais declaram, sob as penas da lei, que não estão impedidos, do exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada mais. SP, 22.04.2014. Acionistas: Diamond Mountain Consultoria Financeira Ltda; e Fundo de Investimento em Participações Mezanino Brasil Multisetorial. JUCESP nº 199.387/14-0 em 23.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Ministério de Minas e Energia

AVISO DE ALTERAÇÃO DE DATA DE ABERTURA DO PREGÃO ELETRÔNICO PE.060.4.0011 Objeto: A Regional de Transmissão de Rondônia – ORD, Comunica a abertura do processo licitatório na modalidade Pregão Eletrônico, menor preço por lote, para contratação de empresa para fornecimento de materiais de expediente, conforme Planilhas com quantidade e descrição detalhada constante do edital. O edital e anexo encontram-se disponível no site da Eletronorte www.eletronorte.gov.br/ licitacao/portovelho/comprasnet.gov.br Processo PE.06.4.0011 Data da Publicação 27.05.2014 Data da Sessão de Abertura: 16.06.2014 Hora da abertura: 09h30min (horário Brasília) Robinson Percy Holder Gerente Regional

Nos termos do art.133, caput, da Lei nº 6.404/76, comunica-se aos acionistas que os documentos pertinentes aos assuntos a serem discutidos nesta assembleia, os quais incluem aqueles previstos no supracitado dispositivo, relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2013, bem como aqueles exigidos pela Instrução CVM nº 481/09, encontram-se à disposição dos acionistas na sede social da Companhia, bem como em seu site (www.pmet.com.br) e nos sites da CVM e da BM&F BOVESPA. São Paulo, 04 de junho de 2014 - Luiz AugustoTrindade - Liquidante

Arese Participações S.A. - CNPJ/MF nº 17.820.693/0001-61 - NIRE 35.300.455.223 Extrato da Ata da Reunião do Conselho de Administração Data, Hora e Local: 17.04.2014, 10hs., na sede social,Alameda Franca, 267, 7º and., sl.A, SP/SP. Presença:Totalidade dos membros. Mesa: Presidente:Andrey Alexandre Pedra Dantas, Secretário:Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia. Deliberações Aprovadas: 1.Aceitar o pedido de renúncia apresentado pelo Diretor sem designação específica, José Luiz Martins Pinto, CI RG 14.684.463-SSP-SP, CPF/MF 085.559.628-70, sendo consignado um voto de agradecimento pelos serviços prestados, o qual confere à Cia. a mais plena, geral, irrevogável e irretratável quitação. 2. Eleger como Diretor sem designação específica, Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia, brasileiro, casado, administrador de empresas, residente em SP/SP, CI RG 7.525.654-SSP-SP, CPF/MF 049.032.828-80, com mandato até a AGO que deliberará sobre as contas do exercício a se encerrar em 31.12.2015. O Diretor aceitou o cargo, tomando posse e declara que não está impedido de exercer atividade mercantil. Encerramento: Nada mais. SP, 17.04.14. Membros:Andrey Alexandre Pedra Dantas;Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia e Marcos Henrique Marques da Costa. JUCESP 195.365/14-8 em 16.05.14. Flávia Regina Britto-Sec. Geral em Exerc..

Salus Empreendimentos Logísticos S.A.

CNPJ/MF nº 09.426.513/0001-33 - NIRE 35.300.385.853 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária em 30 de Abril de 2014 Data, hora, local: 30.04.2014, 16:30hs, sede social, Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.941, 1º andar - cj. 101, SP/ SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente: Marcelo Meth; Secretário: Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro. Deliberações Aprovadas: (i) Contas dos administradores, o relatório da administração, as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes relativos ao exercício social que se encerrou em 31.12.2013, publicados no dia 29.03.2013, no DOESP e jornal “Diário do Comércio”; (ii) Destinação do lucro líquido do exercício que se encerrou em 31.12.2013, no valor de R$119.037,74 que deverá ser integralmente destinado para a compensação de prejuízos acumulados. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. São Paulo, 30.04.2014. Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro Secretário. JUCESP nº 205.373/14-8 em 26.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Southern Cross Investimentos S.A. RB Capital Commercial Properties S.A. - CNPJ/MF nº 09.272.156/0001-04 - NIRE 35.300.349.555

Em Liquidação Extrajudicial CNPJ/MF 56.994.924/0001-05 - NIRE 35.300.049.49-7

CNPJ/MF nº 11.074.641/0001-07 - NIRE 35.300.371.968 Extrato da Ata de Assembleia Geral Extraordinária de 27/05/2014 Data, Hora e Local: 27/05/2014, às 10hs, Av. Brigadeiro Faria Lima, nº 2.277, 6º andar, sala 604, (parte), Torre B, Edifício Plaza Iguatemi, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade dos acionistas. Mesa: Presidente: Rodrigo Lowndes; Secretário: Gustavo Pereira de Freitas Santos. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: 1. Redução do Capital Social, de R$ 186.222.024,32 para R$ 185.622.024,32, uma redução de R$ 600.000,00, mediante a restituição ao acionista SCG I Fundo de Investimento em Participações, de 600.000 ações nominativas, já totalmente integralizadas no ato de suas emissões no valor nominal de R$ 1,00 cada. 2. Os acionistas e os administradores declaram não existir em funcionamento um Conselho Fiscal. 3. O arquivamento da presente Ata na JUCESP, será somente após sua publicação no Diário Oficial e em jornal de grande circulação. 4. Os demais acionistas, concordam com a restituição das ações feita exclusivamente em favor da acionista SCG I Fundo de Investimento em Participações. 5. Alterar o caput do Artigo 5º do Estatuto Social: “Artigo 5º. O capital da sociedade é de R$ 185.622.024,32, dividido em 185.622.024 ações ordinárias nominativas sem valor nominal, as quais poderão ser representadas por títulos múltiplos ou singulares que serão assinados por dois diretores.” 6. Consolidar o Estatuto Social. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. São Paulo, 27/05/2014. Presidente: Rodrigo Lowndes, Secretário: Gustavo Pereira de Freitas Santos.

Brucianesi Participações S.A.

ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO BANCO MERCANTIL DO BRASIL S. A. - CNPJ Nº 17.184.037/0001-10 COMPANHIA ABERTA - NIRE 31300036162. 1 - Local, data e hora: Sede social, na Rua Rio de Janeiro, 654/680 - 5º andar, na sala de reuniões, em Belo Horizonte, Minas Gerais, 25 de fevereiro de 2014, 10:10 (dez horas e dez minutos). 2 - Presenças: Maioria dos membros do Conselho de Administração. 3 - Deliberações: I - Preenchendo as condições estabelecidas nas Resoluções CMN nºs 4.122/12 e 3.198/04, foram eleitos, por unanimidade, na forma do art. 35-A, os membros integrantes do Comitê de Auditoria, com mandato de 1(um) ano, a contar da data das respectivas posses: Delson de Miranda Tolentino, brasileiro, casado, administrador de empresas e contador, residente e domiciliado em Belo Horizonte - MG, na Rua Arquiteto Rafaello Berti, 837, Mangabeiras, CEP 30.210120, C.I. nº MG-392.323 - SSPMG e CPF nº 077.403.446-72; Enio de Melo Coradi, brasileiro, solteiro, administrador de empresas e contador, residente e domiciliado em Belo Horizonte - MG, na Rua Engenheiro Pedro Bax, nº 541, Santa Amélia, CEP 31.560-380, C.I. nº M-3.463.774 - SSPMG e CPF nº 526.204.506-59 e Glaydson Ferreira Cardoso, brasileiro, casado, advogado, residente e domiciliado em Nova Lima - MG, na Alameda das Aroeiras, 335, Condomínio Bosque da Ribeira, CEP 34.000-000, C.I. nº 81931 - OAB/MG e CPF nº 005.273.616-40. II - O Sr. Glaydson Ferreira Cardoso foi eleito, por unanimidade, Coordenador do Comitê de Auditoria. III - Foi aprovado por maioria e aceito pelo Conselheiro Glaydson Ferreira Cardoso, que o exercício no Comitê de Auditoria implica na não cumulação da remuneração com a remuneração recebida pelo exercício no Conselho de Administração, pelo que passará a receber apenas a remuneração como integrante do Comitê de Auditoria. IV - Foi aprovada, por unanimidade, a indicação do Sr. Enio de Melo Coradi como Membro Qualificado do Comitê de Auditoria, de que trata o art. 12, § 2° do Anexo à Resolução CMN nº 3.198/04, por se tratar de profissional com formação acadêmica adequada e vasta experiência nas áreas de contabilidade e de auditoria. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, da qual, para constar, lavrouse a presente ata que, após lida e aprovada, vai por todos os Conselheiros presentes assinada. Belo Horizonte, 25 de fevereiro de 2014. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: José Ribeiro Vianna Neto, Mauricio de Faria Araujo, José Carneiro de Araújo, Luiz Henrique Andrade de Araújo, Marco Antônio Andrade de Araújo, CONFERE COM O ORIGINAL LAVRADO NO LIVRO PRÓPRIO. BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. Luiz Carlos de Araújo - Diretor Executivo. André Luiz Figueiredo Brasil - Vice-Presidente Executivo. Atestamos que este documento foi submetido a exame do Banco Central do Brasil em processo regular e a manifestação a respeito dos atos praticados consta de carta emitida à parte. Departamento de Organização do Sistema Financeiro. Gerência Técnica em Belo Horizonte. José Geraldo Siqueira Reis - Analista. Junta Comercial do Estado de Minas Gerais. Certifico o registro sob o nro: 5280764 em 29/05/2014. Banco Mercantil do Brasil S.A. Protocolo: 14/358.983-1. Marinely de Paula Bomfim - Secretária Geral.

Odebrecht Engenharia Ambiental S.A.

O Município de Bragança Paulista torna público, para conhecimento dos interessados, a RERRATIFICAÇÃO referente ao PREGÃO PRESENCIAL Nº 79/2014, nos seguintes termos: 1-) Onde se LÊ: “10.1.3 – As Provas de Regularidade para com o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a Justiça do Trabalho deverão estar atualizadas para aprovação do pagamento.” LEIA-SE: “10.1.3 – As Provas de Regularidade para com o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a Justiça do Trabalho, bem como do cumprimento de todas as obrigações trabalhistas relativas aos empregados que executem os serviços, objeto da presente licitação, deverão estar atualizadas para aprovação do pagamento.” 2-) Em virtude do disposto no art. 21, §4º, 2ª parte, da Lei nº 8.666/93, FICA MANTIDA a data da SESSÃO DE ÚNICA DO PREGÃO, qual seja: dia 10 de junho de 2014, às 09 horas e 30 minutos. 3-) As demais disposições do Edital permanecem inalteradas. Bragança Paulista (SP), 03 de junho de 2014. PATRÍCIA MARIA MACHADO SANTOS Chefe Interina da Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado

CNPJ/MF nº 09.414.734/0001-91. - NIRE 3530035934-8 Ata da Assembleia Geral Ordinária. Data, horário e local: Em 17/04/2014, às 16hs, na sede da Cia., localizada na Rua Lemos Monteiro, nº 120, 11º andar parte, Butantã, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 05501-050. Convocação: Dispensada a publicação de Editais de Convocação, na forma do artigo 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76. Publicações: Relatório da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras, referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013, publicados nas páginas 49 e 50 do jornal DOESP e na página 23 do jornal Diário do Comércio, ambos na edição de 16/04/2014. Presenças: Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas constantes no Livro de Presença de Acionistas e do Sr. Maurício Dantas Bezerra, representante da administração da Cia., tendo sido dispensada a presença do representante da PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, em face da inexistência de quaisquer dúvidas em relação as Demonstrações Financeiras. Mesa: Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, Presidente; e Maurício Dantas Bezerra, Secretário. Ordem do dia: 1) exame, discussão e votação do Relatório da Administração e Demonstrações Financeias, contendo as Notas Explicativas e Parecer dos Auditores Independetes, referentes ao exercício findo em 31/12/2013; 2) destinação do resultado do exercicio findo em 31/12/2013; 3) reeleição dos membros da Diretoria da Cia., em virtude do término dos mandatos; e 4) fixação da remuneração global dos Administradores da Cia. para o exercício de 2014. Deliberações: 1) por proposta do Presidente, os acionistas deliberaram, por unanimidade, a lavratura da presente ata na forma de sumário dos fatos ocorridos, conforme faculta o artigo 130, §1º da Lei nº 6.404/76; 2) após esclarecimentos realizados pelo representante da administração da Cia., sobre os principais pontos relacionados ao desempenho da Cia. durante o último exercício social, foram aprovados, sem quaisquer ressalvas, o relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras, contendo as Notas Explicativas e o Parecer dos Auditores Independentes, referentes ao exercício social findo em 31/12/2013; 3) aprovada, sem reservas ou ressalvas, a destinação do lucro líquido do exercício findo em 31/12/2013, no valor total de R$ 109.181.341,53, que terá a seguinte destinação: (i) R$ 5.459.067,08, destinado à Reserva Legal, nos termos do Artigo 193 da Lei nº 6.404/76; e (ii) R$ 103.722.274,45, destinados para a conta de Reserva de Lucros a Realizar, nos termos do Art. 197 da Lei nº 6.404/76; 4) tendo em vista o término do mandato dos Diretores Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, Maurício Dantas Bezerra e Ticiana Vaz Sampaio Marianetti, os acionista aprovaram por unanimidade, a reeleição dos seguintes membros para compor a Diretoria da Cia., com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2016: (i) Diretor Presidente - Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, brasileiro, separado, industriário, inscrito no CPF/MF sob o nº 858.372.377-04, portador da Cédula de Identidade RG nº 04.401.594-9-IFP/RJ; (ii) Diretor - Mauricio Dantas Bezerra, brasileiro, casado, advogado, inscrito na OAB/BA sob o nº 17868 e no CPF/MF sob o nº 861.028.185-04, portador da Cédula de Identidade RG nº 547769610-SSP/BA; e (iii) Diretora - Ticiana Vaz Sampaio Marianetti, brasileira, casada, engenheira civil, portadora da Cédula de Identidade RG nº 04.835.223-33-SSP/BA, inscrita no CPF/MF sob o nº 544.408.075-34, todos residentes e domiciliados na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Rua Lemos Monteiro, nº 120, 11º andar, Butantã, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 05501-050. Os Diretores ora eleitos foram investidos em seus cargos mediante a lavratura e assinatura de termo de posse no Livro de Atas de Reunião da Diretoria da Cia.. Atendendo ao disposto no art. 147 da Lei nº 6.404/76, os Diretores ora eleitos declararam, sob as penas de lei, não estar impedidos de exercer a administração da Cia., por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa de concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade; ou, por pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; e 5) aprovado o montante global de R$ 1.000.000,00 como limite da remuneração dos administradores da Cia. para o exercício social de 2014, em observância ao disposto no artigo 152 da Lei nº 6.404/76, ficando a individualização a cargo do Diretor Presidente, conforme previsto no parágrafo 2º do Art. 7 do Estatuto Social da Cia.. Conselho fiscal: Não há Conselho Fiscal permanente, nem foi instalado no presente exercício. Encerramento: Após lida e aprovada por unanimidade, a presente ata foi assinada por todos os presentes. São Paulo/SP, 17/04/2014. Mesa: Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, Presidente; e Maurício Dantas Bezerra, Secretário. ACIONISTAS: ODEBRECHT S.A. e ODBINV S.A. Certifico e dou fé que esta ata é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. Maurício Dantas Bezerra - Secretário. Jucesp nº 208.929/14-9 em 30/05/2014. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Prime Realty II Empreendimentos Imobiliarios S.A.

EMBRAPORT - Empresa Brasileira de Terminais Portuários S.A.

CNPJ/MF nº 17.164.834/0001-35 - NIRE 35.300.455.231 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária Realizada em 22/04/2014 Data, Hora e Local: 22/04/2014, às 11hs, na sede social, Al. Franca, nº 267, 7º andar, parte, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade dos acionistas. Mesa: Andrey Alexandre Pedra Dantas - Presidente, José Luiz Martins Pinto - Secretário. Deliberações Aprovadas: 1. As Demonstrações Contábeis de 31.12.2013, aprovados pelo Conselho de Administração em reunião realizada em 07/04/2014. 2. O prejuízo apurado em 31.12.2013 no montante de R$176.092,22 permaneça na conta “Lucros ou Prejuízos Acumulados, para ulterior deliberação. 3. Fixar o montante da remuneração anual global dos administradores da Cia. em até R$250.000,00, cabendo ao Conselho de Administração deliberar sobre a distribuição. 4. Renúncia dos membros Efetivos do Conselho de Administração, Presidente: Andrey Alexandre Pedra Dantas, RG nº 28.498.003-1, CPF/MF nº 320.590.528-82; Membros: Marcos Henrique Marques da Costa, RG nº 16.520.024-SSP-SP, CPF/MF nº 065.025.538-00; e Alexandre Rangel Pestana Bueno Maia, RG nº 7.525.654-SSP-SP, CPF/MF nº 049.032.828-80, os quais conferem à Cia. a mais plena, geral, irrevogável e irretratável quitação. 5. Eleger os novos membros efetivos do Conselho de Administração: André Rumi, brasileiro, casado, economista, RG nº 4.707.983-6-SSP-SP, CPF/MF nº 571.212.818-72, para Presidente; Luiz Carlos Silva Pereira, brasileiro, casado, empresário, RG nº 9.951.942-SSP-SP, CPF/MF nº 988.375.918-53, para membro; e Mauricio Rieger, brasileiro, casado, contador, RG nº 7.665.970-SSP-SP, CPF/MF nº 032.949.158-02. 5.1 Com mandato unificado e de 1 ano, devendo tais membros permanecer em exercício até a investidura de seus sucessores, os quais declaram, sob as penas da lei, que não estão impedidos, do exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. São Paulo, 22/04/2014. Acionistas: Diamond Mountain Consultoria Financeira Ltda; e Fundo de Investimento em Participações Mezanino Brasil Multisetorial. JUCESP nº 199.385/14-2 em 23.05.14. Flávia Regina Britto - Sec. Geral em Exercício.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA RERRATIFICAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 79/2014

CNPJ/MF nº 13.745.847/0001-47 - NIRE 35.300.414.870 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária em 30.04.2014 Data, hora e local: 30.04.2014, 18hs, na sede social, R. Amauri, 255, 5° and., parte, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente: Marcelo Meth, Secretário: Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro. Deliberações Aprovadas: (i) aprovar as contas dos administradores, o relatório da administração, as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2013, conforme publicados nas edições do dia 29.03.2013 no DOESP e Diário do Comércio; e (ii) Destinação do lucro líquido do exercício social que se encerrou em 31.12.2013, no valor de R$2.844.105,18, sendo que: (a) o montante de R$142.205,26, conforme determinação legal, foi alocado para a conta de reserva de lucros; (b) o montante remanescente, no valor de R$2.701.899,92 foi alocado para a conta de reserva de lucros, com expressa renúncia dos acionistas com relação à distribuição do dividendo mínimo obrigatório previsto no art. 31 do Estatuto Social e observado o disposto no art. 202, §3º, inciso II da Lei 6.404/76. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. SP, 30.04.14. Mesa: Marcelo Meth - Presidente; e Thiago Luiz Pereira Rosa Ribeiro - Secretário. JUCESP 205.451/14-7 em 26.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S. A. - CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS - CNPJ Nº 33.040.601/000l-87 - COMPANHIA ABERTA - NIRE 31300049655. 1 - Local, Data e Hora: Sede social, na Rua Rio de Janeiro, 654 - 5º andar, em Belo Horizonte, Minas Gerais, 02 de dezembro de 2013, 10:00 (dez) horas. 2 - Presenças: Acionistas representando mais de 2/3 (dois terços) do capital social com direito a voto, estando também presentes o Dr. José Ribeiro Vianna Neto, membro do Conselho de Administração, o Sr. José Aloísio Martins Alves, membro do Conselho Fiscal e o Sr. Luiz Antônio Pires Macedo, pela Rio Bravo Investimentos Ltda. 3 - Mesa: Presidente: Marco Antônio Marques Cardoso. Secretário: Leonardo de Mello Simão. 4 - Convocação: Edital publicado nas páginas 1, 3 e 1 do “Minas Gerais”, edições de 30/10/2013, 31/10/2013 e 01/11/2013, nas páginas 7, 7 e 7 do “Diário do Comércio de Minas Gerais”, edições de 29, 30 e 31/10/2013 e nas páginas 19, 17 e 19 do “Diário do Comércio de São Paulo”, edições de 29, 30 e 31/10/2013. 5 - Lavratura da Ata: De acordo com o § 1º do artigo 130 da Lei 6.404/76. 6 - Ficarão arquivados na sede social, autenticados pela mesa, todos os documentos referidos nesta ata. 7 - Deliberações: Após análise e discussão da proposta da Administração, com parecer favorável do Conselho Fiscal, foi aprovado, por unanimidade, o aumento do Capital Social da Mercantil do Brasil Financeira S.A.-Crédito, Financiamento e Investimentos, nos seguintes termos: a) Subscrição particular de ações ordinárias escriturais e preferenciais escriturais, no montante de R$50.000.008,00 (cinquenta milhões e oito reais), com a emissão de 6.250.001 (seis milhões, duzentos e cinquenta mil e uma) novas ações escriturais, correspondentes a 53,146272% do total das ações do capital social da Companhia, sendo observada a mesma proporção das espécies de ações atualmente representativas do capital social (art. 171, §1°, “a”, da Lei 6.404/76), ou seja, emissão de 3.532.609 (três milhões, quinhentas e trinta e duas mil, seiscentas e nove) novas ações ordinárias escriturais, representando 56,52% do total de novas ações a serem emitidas e 2.717.392 (dois milhões, setecentas e dezessete mil, trezentas e noventa e duas) ações preferenciais escriturais, representando 43,48% das ações a serem emitidas; b) O preço das ações a serem emitidas é de R$8,00 por ação, com valor nominal atual de R$7,00, calculado com base no Valor Econômico da Ação - “Perspectiva de Rentabilidade da Companhia” - que é critério previsto no art. 170 da Lei 6.404/1976 e legislação complementar - medido pelo método do Fluxo de Dividendos Descontados, de conformidade com o definido no Laudo de Avaliação elaborado pela Rio Bravo Investimentos Ltda., CNPJ nº 03.864.607/0001-08. Esse método foi julgado o mais adequado, por refletir o valor justo da ação. Para a fixação do preço de R$8,00 (oito reais) por ação a ser emitida, observou-se o intervalo de fixação do preço entre R$6,40 (seis reais e quarenta centavos) e R$11,72 (onze reais e setenta e dois centavos) por ação do Capital Social, definido no Laudo de Avaliação. Para aferir a razoabilidade do intervalo de valor, foram considerados os demais métodos fixados pelo artigo 170 da Lei 6.404/1976, ou seja, o valor patrimonial das ações e a cotação média ponderada das ações em Bolsa de Valores. O valor patrimonial utilizado foi aquele já divulgado com base no Patrimônio Líquido de 31 de dezembro de 2012, de R$12,62 (doze reais e sessenta e dois centavos) por ação. Relativamente ao preço das ações em bolsa de valores, a avaliação foi realizada com base na cotação média ponderada apurada nos últimos 12 meses (de 01/01/2012 a 30/12/2012), de R$6,08 (seis reais e oito centavos) por ação ordinária (MERC3) e R$5,66 (cinco reais e sessenta e seis centavos) por ação preferencial (MERC4). O Preço Único também está a refletir o valor justo da ação na medida em que (i) o valor de mercado das ações atualmente existentes é inferior ao seu valor nominal (art. 13, da Lei 6.404/76) e (ii) tanto as ações ordinárias, quanto as ações preferenciais da Companhia, não possuem “significativos índices de negociabilidade”, motivo pelo qual o Preço Único está em conformidade com os parâmetros contidos no Parecer de Orientação da Comissão de Valores Mobiliários nº 5; c) A Administração da Companhia entende e acredita que as atuais condições de mercado fazem com que as cotações das ações da Companhia não estejam a refletir integralmente o valor econômico da ação, especialmente se considerados os parâmetros do Laudo de Avaliação e o recente desempenho da Companhia, sendo essa a justificativa para o ágio na fixação do preço; d) Em atendimento aos preceitos do artigo 13, §2º, da Lei 6.404/1976, o preço de emissão será desdobrado, sendo que o montante correspondente ao valor nominal da ação será incorporado ao Capital Social e o restante registrado em Reserva de Capital, até posterior deliberação. Nesses termos, o Capital Social passa de R$ 82.319.993,00 para R$126.070.000,00, representado por 18.010.000 (dezoito milhões e dez mil) ações escriturais, sendo 10.179.565 (dez milhões, cento e setenta e nove mil, quinhentas e sessenta e cinco) ações ordinárias escriturais, representativas de 56,52% do Capital Social e 7.830.435 (sete milhões, oitocentas e trinta mil, quatrocentas e trinta e cinco) ações preferenciais escriturais, representando 43,48% do Capital Social da Companhia. A diferença entre o valor nominal e o valor de emissão, no montante de R$6.250.001,00 (seis milhões, duzentos e cinquenta mil e um real), será registrada em “Reserva de Capital - Reserva de Ágios por Subscrição de Ações”; e) As ações ordinárias e preferenciais escriturais a serem emitidas no aumento de capital social terão características idênticas às das atualmente existentes e farão jus a dividendos e/ou juros sobre capital próprio que vierem a ser declarados, pro rata temporis a contar da data do início do prazo de subscrição e serão pagos após a aprovação desse aumento pelo Órgão Regulador competente; f) Considerando que o aumento de capital observará a exata proporção de ações ordinárias e preferenciais que atualmente representam o capital social (art. 171, §1º, “a” da Lei n. 6.404/76), o direito de subscrição está restrito aos acionistas detentores de ações ordinárias e/ou preferenciais da Companhia, os quais poderão exercer o direito de preferência sobre as ações de espécie idênticas as de que for possuidor, na proporção de 53,146272% da espécie de ações detida; g) Farão jus ao direito de subscrição os acionistas, detentores de ações ordinárias e/ou preferenciais, que estiverem cadastrados nos livros da Companhia até o dia 06 de dezembro de 2013. A partir do dia 09 de dezembro de 2013, as ações serão negociadas ex-subscrição; h) O pagamento da subscrição será em moeda corrente nacional, à vista no ato da subscrição, e durante o prazo de preferência para o exercício do direito de subscrição, que será de 31 (trinta e um) dias, contados do “Aviso aos Acionistas”, iniciando-se no dia 09 de dezembro de 2013, com término no dia 08 de janeiro de 2014 (Prazo de Exercício do Direito de Preferência). O Aviso aos Acionistas informará os procedimentos para subscrição de ações; i) Findo o Prazo de Exercício do Direito de Preferência, caso se verifiquem sobras de ações não subscritas, os acionistas que houverem manifestado interesse na reserva de sobras nos respectivos boletins de subscrição de cada espécie de ações (ordinárias e preferenciais), poderão subscrevê-las, na proporção das novas ações que tenham subscrito, na forma e prazo estabelecidos em novos Avisos aos Acionistas para efetuar a subscrição das sobras. Serão realizados até 3 (três) rateios para subscrição de sobras. Nos eventuais rateios de sobras, os acionistas que manifestarem interesse na reserva de sobras nos respectivos boletins de subscrição, serão informados sobre o prazo e o procedimento para retirada dos Boletins de Subscrição de Sobras, através de Aviso aos Acionistas para que possam realizar a subscrição dessas sobras de ações. O prazo para a subscrição das sobras, para cada um dos rateios previstos, será de 3 (três) dias úteis. Ao final do 3º rateio para subscrição de sobras, caso ainda remanesçam ações a serem subscritas, o Controlador da Companhia, Banco Mercantil do Brasil S.A., compromete-se a subscrever todas as ações porventura remanescentes, de forma que, ao final do 3º rateio para subscrição de sobras, não haverá sobra de ações; j) Após a efetiva subscrição da totalidade das ações emitidas, observados os prazos legais, deverá ser realizada nova Assembléia Geral Extraordinária, para homologar o aumento de capital subscrito e integralizado, e que será enviado ao Banco Central do Brasil a fim de que, nos termos da Lei 4595/64, obtenha a aprovação da autoridade competente. k) As ações emitidas serão creditadas aos respectivos subscritores em até 5(cinco) dias úteis após a homologação pelo Banco Central do Brasil deste Aumento de Capital. A homologação pelo Banco Central do Brasil será informada através de Aviso aos Acionistas; l) Estando o aumento de capital social devidamente subscrito e integralizado, o art. 5º do Estatuto Social, passa a ter a seguinte redação: “Art. 5º - O capital social da Sociedade é de R$126.070.000,00 (cento e vinte e seis milhões e setenta mil reais), dividido em 18.010.000 (dezoito milhões e dez mil) ações escriturais, sendo 10.179.565 (dez milhões, cento e setenta e nove mil, quinhentas e sessenta e cinco) ações ordinárias e 7.830.435 (sete milhões, oitocentas e trinta mil, quatrocentas e trinta e cinco) ações preferenciais, todas do valor nominal de R$7,00 (sete reais) cada uma.”; m) Autorização para que a Diretoria promova todos os atos necessários a implementação da presente subscrição particular de ações, inclusive elaborando e publicando todos os Avisos Aos Acionistas e Comunicados ao Mercado que se fizerem necessários. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembleia, da qual, para constar, lavrou-se esta ata que, após lida e aprovada, vai por todos os acionistas presentes assinada. Belo Horizonte, 02 de dezembro de 2013. Leonardo de Mello Simão - Secretário; Marco Antônio Marques Cardoso - Presidente; Marco Antônio Andrade de Araújo e Luiz Carlos de Araújo pelo Banco Mercantil do Brasil S.A., José Ribeiro Vianna Neto, Athaide Vieira dos Santos, Luiz Carlos de Araújo, José Aloisio Martins Alves e Luiz Antônio Pires Macedo, pela Rio Bravo Investimentos Ltda. CONFERE COM O ORIGINAL LAVRADO NO LIVRO PRÓPRIO. MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS. José Ribeiro Vianna Neto - Diretor Executivo. Marco Antônio Andrade de Araujo - Diretor Executivo. Atestamos que este documento foi submetido a exame do Banco Central do Brasil em processo regular e a manifestação a respeito dos atos praticados consta de carta emitida à parte. Departamento de Organização do Sistema Financeiro. Gerência Técnica em Belo Horizonte. Everaldo José da Silva Júnior - Analista. Junta Comercial do Estado de Minas Gerais. Certifico o registro sob o nro.: 5280751 em 29/05/2014. Mercantil do Brasil Financeira S.A - Crédito, Financiamento e Investimentos. Protocolo:14/358.966-1. Marinely de Paula Bomfim - Secretária Geral.

CONCAIS S/A.

CNPJ/MF nº 02.092.233/0001-97 - NIRE 35.300.151.321 Extrato da Ata da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Realização/Local: 28/04/2014, às 10h00, na R. Gomes de Carvalho, 1306, 8º andar, s/ 83, S. Paulo/SP. Convocação: Dispensadas as formalidades conforme § 4º, do Art. 124, da Lei 6404/76. Publicações: As demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013 publicadas em 03/04/2014, nos jornais “DOESP e DC”. Presenças: 100% do capital votante e do capital total. Mesa: Presidente: Carlos César Floriano; Secretário: Francisco Cassiani Filho. Ordem do Dia/Deliberações: “Aprovadas, por unanimidade” (a) Relatório de Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013; (b) O saldo do lucro apurado no balanço levantado em 31/12/2013, após a constituição das reservas legais e estatutárias, foi 100% destinado p/ pagamento de dividendo aos acionistas; (c) Foi re-ratificada e aprovada a remuneração total da Administração paga em 2013, no valor total anual de R$ 933.000,00 e aprovada a remuneração p/ o exercício 2014, no valor total anual de R$ 1.073.000,00. Encerramento: Esta ata foi lida sendo aprovada e assinada por todos os acionistas presentes. Confere c/ o original lavrado em livro próprio. Francisco Cassiani Filho - Secretário. JUCESP n° 208.653/14-4 em 30/05/2014.

CNPJ/MF nº 02.805.610/0001-98 - NIRE 35.300.157.109 Extrato da Ata de Assembleia Geral Ordinária realizada em 10.04.2014 Data, Hora e Local: 10.04.2014, 17h30, excepcionalmente fora da sede da Cia., contudo em sua localidade, na filial localizada na Estrada Particular da CODESP, s/nº, em Santos/SP. Presença: Totalidade do capital social. Convocação e Publicação: Convocação publicada no DOESP e no Jornal Diário do Comércio, em 02, 03 e 04.04.2014. As Demonstrações Financeiras, o Balanço Patrimonial e o Relatório da Administração, referentes ao exercício social findo em 31.12.2013, foram igualmente publicados no DOESP e no Jornal Diário do Comércio, em 08.03.2014. Mesa: Presidente: Paulo Henyan Yue Cesena; Secretário: Bruno Dias Pereira. Deliberações Aprovadas: 1. As Demonstrações Financeiras, o Balanço Patrimonial e o Relatório da Administração, referentes ao exercício social findo em 31.12.2013, bem como parecer a respeito, emitido pelos auditores independentes, representantes da PriceWaterHouseCoopers Auditores Independentes; 2. A destinação do prejuízo apurado no exercício social findo em 31.12.2013, no valor de R$ 94.546.003,00, levado à conta de Prejuízos Acumulados; 3. A reeleição, como membros efetivos e suplentes do Conselho de Administração, com mandato unificado de 2 anos, conforme o disposto no art. 7º, §2º, do Estatuto Social e item 6.2.2 do seu Acordo de Acionistas, dos Srs.: Membros titulares: (i) Paulo Henyan Yue Cesena, brasileiro, separado, engenheiro químico, RG nº 19.951.448-SSP/SP, CPF/MF 173.429.088-94, residente em SP/SP, como Presidente do Conselho de Administração; (ii) Matthew Wells Leech, cidadão norte-americano, casado, passaporte americano nº 133744573, endereço comercial nos Estados Unidos da América, como VicePresidente do Conselho de Administração da Cia.; (iii) Adriano Sá de Seixas Maia, brasileiro, casado, advogado, RG nº 066.32.857-80 SSP/BA, CPF/MF nº 900.602.025-72, residente em São Paulo/SP; (iv) Marcelo Schuetz Jardim, brasileiro, separado, engenheiro, RG nº 201557 SIDOM/RJ, CPF/MF nº 316.253.477-15, residente no Rio de Janeiro/RJ; (v) Juliana Sá Vieira Baiardi Sinay Neves, brasileira, casada, engenheira civil, RG nº 05.650.159-58 SSP/BA, CPF/ MF nº 930.530.705-10, residente e domiciliada em São Paulo/SP; (vi) Michael Andrew Bentley, cidadão canadense, casado, passaporte canadense nº BA 155082, com endereço em 63 Barre Drive, Barrie, Ontario, Canadá, L4N 7PI; (vii) Adnan Ali Rashid Alabbar, cidadão árabe, casado, passaporte árabe nº A2006646, endereço comercial em Dubai, UAE; (viii) Alessandro de Oliveira Nascimento, brasileiro, casado, economista, RG nº 44.350.969-4 SSP/SP, CPF/ MF nº 355.489.628-07, residente em São Paulo/SP; (ix) Fábio Lenza, brasileiro, divorciado, economiário, RG nº 612.666 SSP/GO, CPF/MF nº 238.544.131-49, residente em Brasília/DF; (x) Deusdina dos Reis Pereira, brasileira, casada, economiária, RG nº 2931438 SSP/DF, CPF/MF nº 539.512.396-20, residente em Brasília/DF; e Membros Suplentes: (xi) Marcelo Felberg, brasileiro, casado, economista, RG nº 4492881 IFP/RJ, CPF/MF nº 708.271.33715, residente e domiciliado em São Paulo/SP, suplente de Paulo Henyan Yue Cesena; (xii) TusharPatel, cidadão inglês, casado, passaporte inglês nº 099192101, endereço comercial nos Estados Unidos da América, suplente de Matthew Wells Leech; (xiii) Graziela Galli Ferreira Barioni, brasileira, casada, advogada, RG nº 22.697.214-8 SSP/SP, CPF/ MF nº 258.751.358-83, residente em São Paulo/SP, suplente de Adriano Sá de Seixas Maia; (xiv) Paulo Henrique dos Santos Quaresma, brasileiro, casado, engenheiro, RG nº 19.534.175-9 SSP/BA, CPF/MF nº 459.749.185-68, residente em São Paulo/SP, suplente de Marcelo Schuetz Jardim; (xv) Rodrigo Barbosa Veloso, brasileiro, solteiro, engenheiro civil, RG nº M9011428 SSP/MG, CPF/MF nº 037.976.086-08, residente em São Paulo/SP, suplente de Juliana Sá Vieira Baiardi Sinay Neves; (xvi) Gerardus Theodorus Van Den Heuvel, cidadão norte-americano, casado, passaporte americano nº 048285286, residente nos Estados Unidos da América, suplente de Michael Andrew Bentley; (xvii) Juan Carlos Sahdala, cidadão dominicano, casado, passaporte dominicano nº SC0803506, com endereço comercial em Dubai, UAE, suplente de Adnan Ali Rashid Alabbar; (xviii) Yoshio Marcos Hashimoto, brasileiro, casado, bancário, RG nº 4.356.583-4 SSP/PR, CPF/MF nº 719.229.209-59, residente em São Paulo/SP, suplente de Alessandro de Oliveira Nascimento; (xix) Flavio Eduardo Arakaki, brasileiro, solteiro, economiário, RG nº 25.769.192-3 SSP/SP, CPF/MF nº 283.844.958-31, residente em São Paulo/SP, suplente de Fábio Lenza; e (xx) Cássio Viana de Jesus, brasileiro, solteiro, economiário, RG nº 22.797.727-0 SSP/SP, CPF/MF nº 321.010.338-01, residente em São Paulo/SP, suplente de Deusdina dos Reis Pereira. 4. Em consonância com o art. 6º, §2º, do Estatuto Social, fica deliberado o montante global anual de R$ 200.000,00 para remuneração dos membros do Conselho de Administração, sendo certo que a remuneração individual dos Conselheiros resta estabelecida em documento próprio, devidamente arquivado na sede da Cia.; e 5. Fica deliberado o montante global anual de R$ 3.200.000,00 para remuneração dos membros da Diretoria, sendo certo que o Conselho de Administração, em momento posterior, definirá a remuneração individual de cada um dos Diretores. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Santos, 10.04.2014. Mesa: Presidente: Paulo Henyan Yue Cesena; e Secretário: Bruno Dias Pereira. Acionistas: Cia. Importadora e Exportadora Coimex; Odebrecht TransPort S.A.; e DP World Brazil BV. JUCESP nº 182.536/14-2 em 07.05.14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 10ª REGIÃO

AVISO DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico Nº 034/2014 Objeto: Contratação de empresa visando à prestação de serviços de limpeza e conservação nas unidades do TRT-10ª Região no Estado do Tocantins. Abertura: 18/06/2014, às 14 horas, no endereço Núcleo de Licitações, Ed. Sede do TRT- 10ª Região, SAS, Quadra 1, 1º andar, Sala 106, Brasília-DF. Informações: telefones: (61)3348-1258/1185 site www.trt10.jus.br. Brasília, 03 de junho de 2014 Anderson dos Santos Almeida Chefe do Núcleo de Licitações

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 4 de junho de 2014, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente : Monumento Tecnologia de Ativos e Fomento Mercantil Ltda. - Requerido: E C Gonçalves Produtos Elétricos e Eletrônicos EPP - Rua Domelia, 22 - Vila Mazzei - 1ª Vara de Falências


ECONOMIA/LEGAIS - 21

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 5 de junho de 2014

VOLKSWAGEN CLUBE

Comercial Lima Figueiredo S.A.

CNPJ 59.131.144/0001-20

ERRATA

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1

1 a 200 201 a 350 351 a 550 1 a 200 201 a 350 351 a 550

264927279708 310291136909 318146165809 264928888508 310290792909 363922132810

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1

1.501 a 2.000 2.001 a 2.500 2.501 a 2.750 2.751 a 3.000 3.001 a 3.250 601 a 1.100 1.101 a 1.400 1.401 a 1.650 1.651 a 1.900

112448996205 111675856206 230206479508 357282347810 401145347310 106496662505 257612241408 286011886208 387344419610

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1

1 a 200 201 a 400 401 a 600 1 a 200 201 a 400 401 a 650

255097030808 271078660308 287883592509 253783515008 271077917808 349642720310

Pró Metalurgia S.A. - Em Liquidação Extrajudicial CNPJ/MF 56.994.924/0001-05 - NIRE 35.300.049.49-7 Ficam os Srs. Acionistas da Pró Metalurgia S.A. - Em Liquidação Extrajudicial convocados, nos termos do Estatuto Social da Companhia e conforme deliberação da Assembleia Geral Ordinária que teve início em 30/04/2014, a comparecer à continuação dos trabalhos no dia 04 de julho de 2014, às 10:00 horas, em sua sede social, localizada na Rua Alfredo Vieira Arantes, nº 139, sala 11, Centro, Itatiba, São Paulo, SP, CEP 13251-184, tudo conforme ata disponibilizada na CVM naquela mesma data, para que seja dado prosseguimento às deliberações necessárias a respeito da Ordem do Dia da assembleia de 30/04/14, quais sejam: a) tomar as contas dos administradores, examinar e votar as demonstrações financeiras; e b) deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos. Poderão participar da continuação da Assembleia em questão, os acionistas titulares de ações de emissão da Companhia, por si ou por seus representantes legais ou procuradores, consoante o §1º do artigo 126 da Lei nº 6.404/76. Os acionistas deverão se apresentar antes do horário previsto para o reinício da Assembleia, conforme indicado neste Edital de Convocação, portando documentos que comprovem sua identidade e sua qualidade de acionista, nos termos do artigo 126 da Lei nº 6.404/76. São Paulo, 04 de junho de 2014. Luiz AugustoTrindade - Liquidante.

Andritz Hydro Inepar do Brasil S.A. C.N.P.J. Nº 02.216.876/0001-03 - NIRE 35.300.154.134 Edital de Convocação de Assembléia Geral Extraordinária Ficam os Senhores Acionistas da Andritz Hydro Inepar do Brasil S.A. (“Companhia”) convocados a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária (“AGE”) a se realizar no próximo dia 24 de Julho de 2014, às 10 horas, na sede social da Companhia, na Rodovia Manoel deAbreu, S/Nº, Km 4,5, Zona Rural, Prédio “2”, piso superior do prédio “H”, CEP: 14.806-500, Cidade deAraraquara, Estado de São Paulo, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: (i) apreciar e deliberar sobre o aumento do capital social da Companhia, com a consequente alteração do Artigo 5º do Estatuto Social da Companhia; e (ii) outros assuntos de interesse da Companhia. Informações Gerais - Documentos à Disposição dos Acionistas - Os documentos e informações relativos às matérias a serem discutidas na AGE ora convocada, a saber: (i) cópia do Estatuto Social consolidado da Companhia contendo, em destaque, as alterações a serem aprovadas; e (ii) outras informações e demais documentos relevantes para o exercício do direito de voto na AGE, foram disponibilizados aos Acionistas na forma prevista na Lei nº 6.404/1976 (Lei das Sociedades por Ações). Araraquara, 02 de junho de 2014. Sr. Luis Mário Bordini, Representante Legal - Andritz Brasil Ltda. (04, 05, e 06/06)

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica aos interessados, que foi INDEFERIDA a Impugnação interposta pela Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. - EMBRATEL, ao Pregão Presencial nº 09/2014 - Processo nº 2.965/2014, destinado a contratação de empresa para fornecimento de link de internet banda larga para o SAAE de Sorocaba. Informações pelo site www.licitacoes-e.com.br, pelos telefones: (15) 3224-5814 e 5815 ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 05 de junho 2014. Priscila Gonçalves de Toledo Pedroso Leite - Pregoeira.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços Nº 36/00461/14/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE KIT DE EQUIPAMENTO/MATERIAL, PARA USO EM LABORATÓRIO DE BIOLOGIA. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Kit de Equipamento/Material, para Uso em Laboratório de Biologia. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 05/06/2014, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 25/06/2014, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 05/06/2014, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI - Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2014 - PROCESSO Nº 161/2014 A Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo torna pública a abertura do Pregão Presencial nº 04/2014 – Processo nº 161/2014, para a presente licitação tem por objeto aquisição de ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO COM KIT PÉ DE CARNEIRO, NOVO, 0 (ZERO) HORA, DIESEL, 2014. Recebimento do Credenciamento: 24 de JUNHO de 2014, a partir das 14h. Recebimento dos Envelopes Proposta, Documentação de Declaração de pleno atendimento aos requisitos de habilitação: 24 de JUNHO de 2014, a partir das 14h. O edital em inteiro teor encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente através do site: www.pedrodetoledo.sp.gov.br ou no Depto de Compras/ Licitações da Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo, de 2ª a 6ª feira, das 09h00min às 11h30min e das 13h00min às 16h00min, na Av. Coronel Raimundo Vasconcelos, 230 – Centro, mediante pagamento. Informações poderão ser obtidas no endereço acima ou pelo telefone (13) 3419-7000. Pedro de Toledo, 04 de junho de 2014. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO (PRESENCIAL) n° 06/2014 - PROCESSO n° 213/2014 A Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo torna pública a abertura do Pregão Presencial nº 06/ 2014 – Processo nº 213/2014, A presente licitação tem por objeto a aquisição de TRATOR AGRÍCOLA NOVO, ENXADA ROTATIVA ENCANTEIRADEIRA, ROÇADEIRA DESLOCÁVEL, CARRETA AGRÍCOLA DE NO MÍNIMO 02 (DUAS) TONELADAS E NO MÁXIMO 04 (QUATRO) TONELADAS, ARADO DE 02 (DOIS) DISCOS E GRADE COM 20 A 24 DISCOS. Recebimento do Credenciamento: 24 de junho de 2014, a partir das 9h. Recebimento dos Envelopes Proposta, Documentação de Declaração de pleno atendimento aos requisitos de habilitação: 24 de junho de 2014, a partir das 9h. O edital em inteiro teor encontrase à disposição dos interessados, gratuitamente através do site: www.pedrodetoledo.sp.gov.br ou no Depto de Compras/Licitações da Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo, de 2ª a 6ª feira, das 09h00min às 11h30min e das 13h00min às 16h00min, na Av. Coronel Raimundo Vasconcelos, 230 – Centro, mediante pagamento. Informações poderão ser obtidas no endereço acima ou pelo telefone (13) 3419-7000. Pedro de Toledo, 04 de junho de 2014. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AVISO DE LICITAÇÃO Tomada de Preços nº 001/2014 - Processo nº 259/2014 Acha-se aberta, no Ministério Público do Estado de São Paulo, a Tomada de Preços nº 001/2014 - Processo nº 259/2013, que tem por objeto a contratação de empresa especializada para elaboração do projeto executivo e execução de obras e serviços, com fornecimento de material e mão de obra, visando a instalação de 38 (trinta e oito) equipamentos condicionadores de ar, tipo “Split”, e manutenção, preventiva e corretiva, com fornecimento de peças, por 12 (doze) meses após a emissão do TRD – Termo de Recebimento Definitivo, em imóvel com dependências do Ministério Público do Estado de São Paulo, localizada na Rua Voluntários de São Paulo, nº 3.539, Centro, São José do Rio Preto, estado de São Paulo. O Edital da presente licitação encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente, na Secretaria da Comissão Julgadora de Licitações, situada na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 506, ou através da Internet nos Sites www.mp.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br, bem como na íntegra em mídia eletrônica juntamente com seus Anexos. As licitantes deverão se dirigir à Secretaria da Comissão Julgadora de Licitações, no horário comercial, e entregar um CD virgem gravável (R ou R/W) ou pen drive, ocasião em que serão gravados os arquivos digitais, sem ônus. Os envelopes serão recebidos impreterivelmente até as 11h15min do dia 24.06.2014, na Rua Riachuelo, 115 - 5º andar, sala 506, e sua abertura dar-se-á às 11h30min do mesmo dia, no endereço acima, 5º andar, sala 504. Comissão Julgadora de Licitações, em 03 de junho de 2014.

Odebrecht Ambiental – Capivari S.A. CNPJ/MF nº 08.583.774/0001-02 – NIRE 3530033792-1 Ata das Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária Dia, hora e local: Em 28/04/2014, às 13 hs., na sede da Cia., localizada na Rua Lemos Monteiro, nº 120, 11º andar – parte, São Paulo-SP. Convocação: Dispensada a publicação de Editais de Convocação, na forma do Art. 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76. Publicações: Relatório da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras, referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013, publicados na pág. 59 e 60 do jornal DOE-SP e na pág. 22 do jornal Diário do Comércio, ambos na edição de 26/04/2014. Presenças: Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas constantes no Livro de Presença de Acionistas e do Sr. Rogério Tadeu Ramos Sarro, representante da administração da Cia., tendo sido dispensada a presença do representante da PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, em face da inexistência de quaisquer dúvidas em relação as Demonstrações Financeiras. Mesa: Rogério Tadeu Ramos Sarro, Presidente; e Daniela Almeida de Medeiros Ramos, Secretária. Ordem do Dia: Dispensada a leitura pela unanimidade dos acionistas presentes. Deliberações: Por proposta do Presidente, os acionistas deliberaram, por unanimidade, a lavratura da presente ata na forma de sumário dos fatos ocorridos, conforme faculta o Art. 130, § 1º da Lei nº 6.404/76. I) Em Assembleia Geral Ordinária: 1) Aprovados, por unanimidade, sem reservas ou ressalvas, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e respectivas Notas Explicativas, relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2013, bem como o parecer a respeito emitido pelos auditores independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes; 2) Aprovada, sem reservas ou ressalvas, a destinação de lucro líquido do exercício social findo em 31/12/2013, no valor total de R$ 4.141.739,61, que terá a seguinte destinação: (a) R$ 207.086,98 equivalentes a 5% do lucro líquido apurado, destinado à Reserva Legal, nos termos da lei e do Estatuto Social da Cia.; (b) R$ 3.494.011,48, retidos e destinados para a conta de reserva de retenção de lucros, nos termos do Art. 196 e 202, § 3º – inciso II, ambos da Lei nº 6.404/76; e (c) Ratificada a distribuição, no exercício encerrado em 31/12/2013, de R$ 440.641,15, a título de Juros sobre Capital Próprio, os quais não foram imputados na distribuição de dividendos; 3) Aprovado o montante global de R$ 1.500.000,00 como limite da remuneração dos administradores da Cia. para o exercício social de 2014, em observância ao disposto no Art. 152 da Lei nº 6.404/76, ficando a individualização a cargo do Diretor Presidente. II) Em Assembleia Geral Extraordinária: 4) Os Acionistas decidiram, por unanimidade, sem reservas ou ressalvas, aprovar o Código de Conduta que reafirma os princípios e conceitos éticos adotados nas empresas da Organização Odebrecht consolidados na Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO), a qual é a referência ética e cultural comum a todos os Integrantes da Odebrecht Ambiental e suas controladas. Conselho Fiscal: Não há Conselho Fiscal permanente, nem foi instalado no presente exercício. Encerramento: Após lida e aprovada por unanimidade, a presente ata foi assinada por todos os presentes. São Paulo/SP, 28/04/2014. Mesa: Rogério Tadeu Ramos Sarro, Presidente; e Daniela Almeida de Medeiros Ramos, Secretária. Acionistas: Odebrecht Ambiental S.A., Construtora Norberto Odebrecht S.A. e CBPO Engenharia Ltda. Certifico e dou fé que esta ata é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. (ass.) Daniela Almeida de Medeiros Ramos – Secretária. JUCESP – Certifico o registro sob o nº 204.680/14-1 em 23/05/2014. Flávia Regina Britto – Secretária Geral em Exercício.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA. Faz Saber que no edital publicado no Jornal Diário do Comércio em 03.06.2014, onde leu-se: “... PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO – CARLOS ONEY BRUST.” leia-se: “Maristela Alberini Loureiro Campana (Presidente)”. São Paulo, 04 de junho de 2.014.

CNPJ/MF 72.111.370/0001-07 – NIRE 35.300.041.496 Assembleia Geral Extraordinária Edital de Convocação Ficam convocados os Senhores Acionistas desta Companhia, a se reunirem em Assembléia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 13/06/2014, as 14:00 horas na sede da Companhia, na Fazenda Itaiquara, Município de Tapiratiba, Estado de São Paulo, para deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: 1) A alteração do objeto social da Companhia; e 2) Outros assuntos de interesse social. SP/SP, 05/06/2014. A Administração. (05, 06 e 07/06/2014)

LOBEA PARTICIPAÇÕES S/A CNPJ Nº 62.419.635/0001-85 Relatório da Diretoria 2013 2012 Srs. Acionistas: De conformidade com as disposições legais e estatutárias, submetemos à V.Sas., o Bal. Patrim., a Dem. do Result. do Exerc. e Demais Demonstração do Result. do Exercício 4.174.266,14 4.648.353,84 Contas e Documentos correspondentes ao exercício de 2013. Esta Diretoria permanece ao inteiro dispor p/esclarecimentos. SP, 28/04/2014. A Diretoria. Resultado Operacional .......................... Resultado de Equiv.Patrimonial............. 7.061.000,37 6.021.639,24 Balanço Patrimonial Encerrado em 31 de Dezembro de 2013 Ativo 2013 2012 Passivo 2013 2012 Resultado do Exercício....................... 11.235.266,51 10.669.993,08 Ativo Circulante ................................... 4.739.613,17 4.026.347,03 Passivo Circulante .............................. 3.485.200,00 3.519.200,00 Demonstração do Fluxo de Caixa 2013 Disponível.............................................. 263,17 50.497,03 Dividendos Propostos............................ 40.500,00 1.601.000,00 Fluxo Caixa das Atividades Operacionais C/C Coligada ......................................... 4.739.350,00 3.975.850,00 Lucros Distrib. a Pagar .......................... 3.444.700,00 1.918.200,00 Lucro Líquido do Exercício .................................................. 11.235.266,51 Ativo não Circulante............................ 40.350.676,61 33.289.676,24 Passivo não Circulante ....................... 595.118,79 661.118,79 Equivalência Patrimonial ..................................................... (7.061.000,37) Investimentos ........................................ 40.350.676,61 33.289.676,24 Exigível a Longo Prazo.......................... 595.118,79 661.118,79 Contas a Pagar.................................................................... (100.000,00) Total do Ativo....................................... 45.090.289,78 37.316.023,27 Patrimônio Líquido.............................. 41.009.970,99 33.135.704,48 Contas a Receber................................................................ (763.500,00) 1.300.000,00 1.300.000,00 Caixa gerado pelas atividades Operacionais ................. 3.310.766,14 Var.do Capital Circ.Líquido Início Período Fim Período variação Capital Social......................................... 6.021,02 6.021,02 Fluxo Caixa das Atividades de Investimento Ativo Circulante .................... 4.026.347,03 4.739.613,17 713.266,14 Reservas de Capital .............................. 39.703.949,97 31.829.683,46 Caixa gerado pelas atividades de investimento............. Passivo Circulante................ 3.519.200,00 3.485.200,00 (34.000,00) Reserva de Lucros ................................ Capital Circulante Líquido .... 507.147,03 1.254.413,17 747.266,14 Total do Passivo .................................. 45.090.289,78 37.316.023,27 Fluxo Caixa das Atividades de Financiamento 2013 2012 Distribuição de Lucros/Dividendos ...................................... (3.361.000,00) Notas Explicativas: 1)- As Demonstrações Financeiras foram eleboradas Demonstr.Lucros (Prej.) Acumulados 31.829.683,46 27.412.890,38 Caixa gerado pelas aitividades de financiamento.......... (3.361.000,00) de acordo com os princípios emanados da legislação societária e de acordo Saldo no início do exercício................... (50.233,86) (3.361.000,00) (6.253.200,00) Aumento Líquido de Caixa e Equivalente de Caixa ....... com os princípios contábeis na forma determinada em Lei; com utilizaçao Distribuição de lucros ............................ 50.497,03 11.235.266,51 10.669.993,08 Caixa e Equivalentes de Caixa - Início do Ano ............... das práticas, usualmente aceitas para esse fim. 2)-Os investimemtos do Resultado do exercício .......................... 263,17 39.703.949,97 31.829.683,46 Caixa e Equivalentes de Caixa - Final do Ano ................ Ativo não Circulante aumentaram no exercício, o valor de R$ 7.061.000,37, Saldo à disposição da AGO .................. devido aos lançamentos da Equivalência Patrimonial das empresas. Beatriz Jafet Chohfi - Diretor Presidente - CPF: 064.361.808-26 • Lourenço Chohfi Filho - Diretor Vice Presidente - CPF: 667.334.728-72 Claudia Chohfi - Diretor Vice Presidente - CPF: 149.092.648-84 • Maria Madalena P. Shimooka - CRC - TC 1SP 166.939/O-0 - CPF: 086.932.338-58 3) - O Capital Social é repres. por 870.000 Ações Ordin. Nominativas

Paradox Participações S.A. - CNPJ nº 10.302.694/0001-75 - Nire n° 35.300.436.750 - Relatório da Administração Srs Acionistas: Em atendimento às disp. Legais e estatutarias, submetemos à apareciação de V.Sas as demon. financ. relativas aos exerc. encerrados em 2012 e 31/12/2013. colocamo-nos à disp. de V.Sas. para quaisquer esclarecimentos. SP, 28/04/2014. A Diretoria Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2013 e 2012 (Em Reais) Ativo/Circulante N. E. 2013 2012 Passivo e patrim. líq./ Circulante N. E. 2013 2012 Caixa e equivalentes de caixa 3 380.692 212.115 Obrigações tributárias 9 1.720 1.147 Empréstimos a terceiros 4 50.000 Contas correntes - pessoas ligadas 10 1.191 Tributos a recuperar 5 34.095 30.967 2.911 1.147 Despesas Antecipadas 50.023 - Patrimônio líquido 464.810 293.082 Capital social 11 7.539.330 6.539.330 Não circulante Prejuízos acumulados (1.776.017) (2.578.729) Empréstimos a terceiros 4 931.459 219.890 5.763.313 3.960.601 Investimentos 6 4.340.118 3.411.403 Total do passivo e do patrimônio líquido 5.766.224 3.961.748 Imobilizado líquido 7 27.792 36.193 Demon. do Result. Abrangente Exerc. findos em 2013 e 2012 (Em R$) Intangível líquido 8 2.045 1.180 2013 2012 5.301.414 3.668.666 Lucro liquido (prejuizo) do exercício 802.712 (377.854) Total do ativo 5.766.224 3.961.748 Total do resultado abrangente do exercício 802.712 (377.854) Total do resultado abrangente atribuível a: Demonstração das mutações do patrimônio líquido (Em R$) Cap. social integr. Prej. acum. Total Acionistas da Companhia 802.712 (377.854) 802.712 (377.854) Saldos em 31/12/2011 5.039.330 (2.200.875) 2.838.455 Aumento de capital social 1.500.000 - 1.500.000 Dem. Resultado Exerc. findos 31/12/2013 e 2012 2013 R$ 2012 R$ Prejuízo do exercício (377.854) (377.854) Receitas (despesas) operacionais Saldos em 31/12/2012 6.539.330 (2.578.729) 3.960.601 Despesas administrativas (172.776) (813.682) Aumento de capital social 1.000.000 - 1.000.000 Despesas financeiras (395) (7.494) Lucro do exercício 802.712 802.712 Receitas financeiras 40.451 61.020 Saldos em 31/12/2013 7.539.330 (1.776.017) 5.763.313 Recuperação de despesas 6.716 Nota explicativa Resultado de equivalência patrimonial 928.715 382.302 O Parecer dos Auditores Indep. bem como os demais documentos da Adm. (=) Resultado antes das provisões tributárias 802.712 (377.854) encontram-se arquivados na sede da Cia. para a consulta dos acionistas (=) Resultado do exercício 802.712 (377.854)

Crilipar Participações e Empreendimentos S/A

Demon. dos fluxos de caixa Exerc. findos em 2013 e 2012 (Em Reais) 2013 2012 Lucro (Prejuízo) líquido do exercício 802.712 (377.854) Itens que não afetam o cx. operac.: Dep. e amort 8.401 7.300 Resultado de equivalência patrimonial (928.715) (382.302) (117.602) (375.002) Aumento e diminuição das contas de ativo e passivo (Aumento)/Diminuição nos impostos a recuperar (3.128) 68.351 (Aumento)/Diminuição nos demais ativos circulantes (23) 72.060 (Aumento)/Diminuição no realizável a longo prazo (711.569) 16.130 Aumento/(Diminuição) em obrigações e tributárias 573 (15.950) Aumento/(Diminuição) em outras contas do passivo 1.191 (42.902) Caixa líquido das atividades operacionais (830.558) (655.167) Fluxo de caixa das atividades de investimentos (Aumento) de intangível (865) (Aquisições) de investimentos em coligadas - (2.700.000) Recebimento de div. distrib. (invest. em coligadas) Caixa líquido das atividades de investimentos (865) (2.700.000) Fluxo de caixa das atividades de fi nanc. Aumento de capital social 1.000.000 1.500.000 Caixa líquido das atividades de financiamentos 1.000.000 1.500.000 Aum. (Redução) líquido de caixa 168.577 (1.855.167) Caixa no início do período 212.115 2.067.282 212.115 380.692 Caixa no final do período Aumento (Redução) líquido de caixa 168.577 (1.855.167)

José Messias Costa da Silva - CPF 060.181.058-96 Contador - CRC 151600/O-2

– CNPJ/MF nº 07.667.683/0001-84

Relatório da Administração Srs. Acionistas: Em cumprimento aos dispositivos legais e estatutários, temos o prazer de submeter ao exame e apreciação de V.Sas., as Demonstrações Financeiras relativas as atividades da empresa do exercício social referente ao período de 01 de Janeiro de 2013 a 31 de Dezembro de 2013 compreendendo o Balanço Patrimonial e as correspondentes Demonstrações de Resultado do Exercício, da Movimentação nas contas do Patrimônio Líquido e das Demonstrações do Fluxo de Caixa. São Paulo, 31 Dezembro de 2013 A Diretoria Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2013 e 2012 (Em Reais) Demonstração de Fluxo de Caixa – Fluxo das Operações Balanços Patrimoniais 2012 2011 2013 2012 Ativo 2013 2012 Passivo 5.678.482 3.396 Fluxo de Caixa Atividades Operacionais Circulante 47.582.550 47.589.241 Circulante 273.217 (1.179.748) Disponível 47.568 54.259 Fornecedores 5.557 – Resultado do Exercicio – – Caixa/Bancos 47.568 54.259 Obrigações com Pessoal 2.351 2.346 Clientes – – Créditos 47.534.983 47.534.983 Obrigações Tributárias 2.396 1.051 Impostos a Recuperar – (34.312.800) Adiantamentos 12.757.385 12.757.385 Contas a Pagar 5.668.178 – Estoques Outros Créditos – (10.247.319) Impostos a Recuperar 13.939 13.939 5.557 – Estoques 34.312.800 34.312.800 Não Circulante – – Fornecedores 6 2.346 Outros Créditos a Receber 450.859 450.859 Exigível a Longo Prazo – – Obrigações com Pessoal Obrigações Tributárias 1.345 (123.658) Não Circulante 96.192.391 81.839.605 5.668.178 – Realizável a Longo Prazo 61.394.573 55.901.805 Patrimônio Líquido 138.096.459 129.425.450 Contas a Pagar 8.397.792 – Títulos a Receber 61.386.701 55.893.933 Capital Social 2.500.000 2.500.000 Resultado de Exercícios Anteriores 14.346.095 (45.861.180) Outros Créditos 7.872 7.872 Recursos Adto Capital 127.540.000 127.540.000 (=) Caixa Líquido Operacional Investimentos 34.694.319 25.834.301 Lucros Acumulados 8.056.458,94 – Fluxo de Caixa Atividades Investimento – 82.536 Imobilizado: Imobilizado Liquido 103.500 103.500 Prejuízos Acumulados – (614.549,82) Aquisições de Imobilizado e Intangivel Titulos a Receber (5.492.768) 45.644.391 Intangivel – – Investimentos (8.860.018) – Intangivel – – (14.352.786) 45.726.927 Total do Ativo 143.774.941 129.428.847 Total do Passivo 143.774.941 129.428.847 (=) Caixa Líquido de Investimento Flx. de Caixa Ativ. Financ.: Partic. em socied. – (368.676) Demonstração dos Resultados Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (=) Caixa Líquido de Financiamento – (368.676) Receita 2013 2012 Recursos Lucr./Prej. Patrimônio Redução Liquida de Caixa (6.691) (502.930) Receita Liquida de Serviços – – Capital Adto. Cap. Acumul. Liquido Caixa Equivalentes ao Inicio do Período 54.259 557.188 Lucro Bruto – – Saldo em 31/12/2011 2.500.000 127.540.000 565.198 130.605.198 Caixa Equivalentes ao Final do Período 47.568 54.259 Despesas e Receitas Resultado do Exercício – – (1.179.748) (1.179.748) Diretoria Despesas Operacionais (194.704) (1.179.748) Saldo em 31/12/2012 – – – 129.425.450 Receitas Financeiras 5.695 – Rebeca da Silva Rodrigues dos Santos – Diretora – – – 8.397.792 Outras Receitas e Despesas Operacionais 462.226 – Ajuste Exerc. Anteriores Contador – – 273.217 273.217 Lucro antes da C.S.L.L e do I. Renda 273.217 (1.179.748) Resultado do Exercício Mozes Agamenon Mellado de Queiroz – CRC nº 1SP 224.966/O-6 – – – 138.096.459 Lucro Liquido do Exercício 273.217 (1.179.748) Saldo em 31/12/2013

Q CORPORATE S.A. CNPJ nº 09.156.734/0001-39 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V. Sas., as Demonstrações Contábeis relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2013 e 2012. Colocamos-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos. São Paulo, 12 de Março de 2014. Balanços Patrimoniais dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares De Reais) 31/12/2013 31/12/2012 ATIVO 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO 3.848 30 CIRCULANTE 76.266 21.705 CIRCULANTE 24 Caixas e Equivalentes de Caixa 9 70 Fornecedores 305 4 Títulos a Receber 45.000 - Salários e Obrigações Sociais 245 2 Imóveis a Comercializar 16.406 18.579 Impostos a Recolher 3.298 Imóveis em Construção 14.851 3.056 Outras Contas a Pagar 65.909 NÃO CIRCULANTE 16.200 - NÃO CIRCULANTE 4.709 Permutas de Imóveis a Receber 16.200 - Débitos com a Controladora – DASA Receitas de Operações Imobiliárias 61.200 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 22.709 21.675 Capital Social 27.001 27.001 Capital Social a Integralizar (4.466) (5.326) Reserva de Lucros 174 TOTAL DO PASSIVO 92.466 21.705 TOTAL DO ATIVO 92.466 21.705 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) Eventos Capital Social Capital Social a Integralizar Reseva de Lucros Lucros Acumulados Total Saldos em 31/12/2011 27.001 (6.001) 21.000 Integralização de Capital Social 675 675 Saldos em 31/12/2012 27.001 (5.326) 21.675 Lucro Líquido do Exercício 3.472 3.472 Destinações do Lucro Reserva Legal 174 (174) Integralização de Capital Social 860 860 Distribuição de Dividendos (3.298) (3.298) Saldos em 31/12/2013 27.001 (4.466) 174 22.709 Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) 1. Contexto Operacional: A Sociedade tem por objetivo: a compra, venda, permuta e locação de imóveis referentes ao empreendimento imobiliário “Edifício Grande Ufficiale Evaristo Comolatti”. 2. Apresentação das Demonstrações Contábeis: As Demonstrações Contábeis foram elaboradas com observância dos critérios contábeis constantes na Lei das S/A, com a nova A DIRETORIA

redação dada pelas Leis nº 11.638/07 e 11.941/09 (artigos 37 e 38), atendem plenamente os Pronunciamentos Técnicos CPC 26, item 16 e basearam-se nos fatos econômicos identificados na documentação e informações da Administração da Empresa. 3. Principais Práticas Contábeis: a) Apuração do Resultado - O resultado é apurado pelo regime de caixa do exercício. 4. Capital Social: O Capital Social subscrito no valor de R$ 27.001.000,00 divididos em 2.000 (duas mil) ações ordinárias nominativas sem valor nominal.

Ricardo Louzas Fernandes ( Contador ) CRC 1SP044049/O-8 - Rubens Pereira França - Contador - CRC 1SP239204/O-1

Demonstração do Resultado dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) 31/12/2013 31/12/2012 Receita Operacional Bruta 8.154 Impostos e Deduções da Receita Bruta (298) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 7.856 Custo de Vendas e Serviços (4.139) LUCRO BRUTO 3.717 LUCRO ANTES DOS IMPOSTOS 3.717 Imposto de Renda e Contribuição Social (245) LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 3.472 LUCRO LÍQUIDO POR QUOTA (Em Reais) 1.736 Demonstração do Fluxo de Caixa dos Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em Milhares de Reais) 31/12/2013 31/12/2012 Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais: Lucro Líquido do Exercício 3.472 Variação nos Ativos e Passivos Circulantes (50.804) (1.057) Títulos a Receber (45.000) Imóveis a Comercializar 2.173 Imóveis em Construção (11.795) (1.077) Fornecedores (24) 15 Salários e Obrigações Sociais 301 4 Impostos a Recolher 243 1 Outras Contas a Pagar 3.298 Caixa Líquido Aplicado nas Atividades Operac. (47.332) (1.057) Caixa Líquido Gerado nas Atividades de Financ.: 47.271 675 Permutas de Imóveis a Receber (16.200) Integralização de Capital Social – Q Classic S/A 86 67 Integralização de Capital Social – Distribuidora Automotiva S/A 774 608 Débitos com a Controladora – DASA 4.709 Receitas de Operações Imobiliárias 61.200 Pagamento de Dividendos (3.298) Redução Líquida de Caixa e Equivalentes de Caixa (61) (382) Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes 70 452 Saldo Final de Caixa e Equivalentes 9 70 Redução Líquida de Caixa e Equivalentes de Caixa (61) (382)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Profissão: xavequeiro! O "treinador de desenvolvimento social", inicialmente, ajuda o homem a ganhar confiança para convidar uma mulher a sair. Depois, é com eles! Fotos: Joshua Bright/The New York Times

John Leland The New York Times News

oda essa gente solitária, cantavam os Beatles – id e nt i fi c a nd o um público consumidor enorme e com uma necessidade quase ilimitada. Em outras palavras, uma ótima oportunidade. Em uma segunda-feira à noite, no Meatpacking District, esse mercado ia de vento em popa: homens e mulheres estilosos dando voltas em torno um do outro, oferecendo tiradas e piadas, e reunindo seus celulares. No lounge do Dream Hotel, dois homens não deixavam nada à mercê da sorte. Anthony Recenello, de 29 anos, é um treinador de desenvolvimento social, que não é, ele destaca, um artista das cantadas. Seu companheiro, John, que pediu para ser identificado apenas pelo primeiro nome, temendo o constrangimento, é gerente de restaurante e paga US$ 1 mil ao mês para Recenello por quatro sessões de acompanhamento prático, das quais o objetivo máximo não é conseguir muitas mulheres, destacou. Vamos fingir que acreditamos. Recenello, um homem bonito que não parece ser afetado pela dúvida, observava enquanto seu aluno se aproximava de uma mulher e começava a conversar. "Quero que ele olhe nos olhos", afirmou. "Isso mostra respeito pela pessoa". Ele demonstrou seu método preferido de fazer contato visual: com a cabeça levemente inclinada para baixo, olhos levantados, sinalizando o que ele chama de "conexão meditativa". "Você está presente, está no momento", disse. "Isso mostra que você sabe que a outra pessoa tem alguma coisa incrível dentro de si e quer deixar isso sair. E que você está pronto e só está esperando". Os smartphones apareceram; contatos no Facebook – "mais seguros que números de telefone", segundo John – foram trocados. John voltou ao professor, quase pulando de alegria. "Essa foi incrível", afirmou Recenello, abraçando seu protegido. "Agora eu quero que você passe para o próximo nível". Só os mais solitários procuram no Google por termos como "artista do xaveco" e "NYC" para descobrir a quantidade de soluções para os homens que querem conhecer mulheres – seminários de sedução, acampamentos, fóruns online, encontros, workshops e newsletters, frequentemente com a garantia da devolução do dinheiro. Durante boa parte da existência humana, os homens contaram com ferramentas tradicionais, como a astúcia ou a coragem, ou talvez um manual de cantadas anunciado na última página de uma re-

T

Anthony Recenello (esq.), o xavequeiro, aconselha seus clientes, como John (acima com uma moça) a serem eles mesmos, a não ter medo da rejeição. vista masculina e entregue em envelopes de papel pardo. Entretanto, isso tudo mudou em 2005, quando um livro chamado "The Game: Penetrating the Secret Society of Pickup Artists" (O jogo: Penetrando na sociedade secreta dos artistas do xaveco, em tra-

Quero que meu trabalho se torne algo comum, algo que todos tenham orgulho de dizer que estão fazendo ANTHONY RECENELLO, XAVEQUEIRO

dução livre), escrito por Neil Strauss, antigo repórter do jornal norte-americano The New York Times, revelou técnicas como "o negativo", um pequeno insulto que tem o objetivo de deixar uma mulher atraente em uma situação desconfortável. Tudo que acontecia longe dos olhos agora havia se tornado público e disponível para pessoas que jamais teriam coragem de entrar em uma sala de batepapo dos mestres do xaveco. Recenello já havia trabalhado como babá, instrutor de ginástica e treinador de vida para crianças – ele escreveu manuais para os pais chamados "Charismatic Kid: The New Breed of Superhero" (Criança carismática: um novo tipo de

super-herói) e "Let’s Let Kids Do Something Big" (Vamos deixar as crianças fazerem alguma coisa legal, em tradução livre). Ele teve poucos relacionamentos românticos de longa duração e não está em um atualmente, mas não sofre de falta de confiança ou energia. Conforme escreveu em "Charismatic Kid": "Finalmente eu tenho algo que realmente considero incrível. Algo que nunca havia sido feito. Nunca mesmo (pode acreditar, eu conferi)". Ele gosta de se distanciar da comunidade dos artistas do xaveco. Em uma tarde recente no Standard Hotel, ele bebia água mineral – não consome álcool – e traçava algumas diferenças fundamentais. "Quando vejo esse tipo de gente no bar, dá para perceber na hora", afirmou. "Eles estão à espreita, usam frases feitas e histórias decoradas. Eles só querem saber de conquistar todo mundo que não conseguiram no colegial. Estou longe de fazer o mesmo", disse. Ao invés disso, Recenello ofereceu alguns princípios comuns da literatura de autoajuda: seja você mesmo, não tenha medo da rejeição, seja vulnerável, esteja presente. Tenha paixão por seus interesses e homens e mulheres se sentirão atraídos por você. "Isso não apenas é mor a l m e n t e c o rre t o , c o m o é mais eficaz", afirmou o xavequeiro. "Essa coisa da negação já saiu de moda". Custo – Há alguns anos, ele começou a postar esses con-

Recenello (centro) cobra US$ 1 mil ao mês para dar dicas a homens; pelo padrão americano não deve ser caro.

selhos em diversos fóruns. Logo em seguida, recebeu uma ligação de alguém que precisava de ajuda. À medida que um protegido levava ao outro, ele começou a cobrar pelos serviços: primeiro US$ 400 por mês, depois subindo

liar em seu desenvolvimento físico; por que não fazer o mesmo para o desenvolvimento social, onde as recompensas são potencialmente maiores? Muito embora pareça estranho pagar por esse tipo de serviço, ele acredita que logo es-

bem específico a esse respeito. Quando isso ocorre, ambas as pessoas podem exibir quem são de verdade, e é nesse momento que elas podem realmente gostar umas das outras". No Dream Hotel, John se

sa mentalidade irá mudar. "Lembre-se dos sites de relacionamento. Antes eles eram uma coisa brega e as pessoas tinham vergonha de falar a respeito. As pessoas não gostam de falar sobre a comunidade dos artistas do xaveco por conta do que eles

aproximou de duas mulheres, com o acompanhamento de Recenello. Fez contato visual; ouviu com atenção; manteve uma conversa ativa. Recenello se moveu mais rapidamente, ficando de mãos dadas com a nova amiga, dando beijos no rosto, e conseguindo seu contato. Em seguida, na rua, John avaliou o resultado da noite. Ele conheceu uma pessoa que poderia ajudá-lo profissionalmente, e se sentiu bem pela coragem de se aproximar de desconhecidos. "Ele é quase um terapeuta", afirmou a respeito de Recenello. "O que prescreve é praticamente um remédio. Todos nós precisamos de um empurrão. Estamos cansados de ficar na zona de conforto". Recenello preferiu não ligar para a mulher com quem conversou. Ela foi divertida para bater papo por alguns minutos no bar, afirmou, mas não era compatível para um encontro completo. John afirmou que achava que o dinheiro foi bem gasto com a monitoria. "É difícil", afirmou, "mas a gente gasta dinheiro em muita coisa que não nos torna feliz. Esse é o melhor investimento, porque é um investimento em mim mesmo".

Enquanto aconselha John (esq.) a conquistar uma mulher, Recenello também se diverte.

gradualmente até chegar a US$ 1 mil. Afirmou ter entre cinco e uma dúzia de clientes por vez. "Fiquei impressionado com o cuidado, com a vontade de estar lá para fazer sua parte", afirmou Gustavo Sanchez, de 26 anos, que se tornou um dos primeiros clientes, depois de conhecer Recenello por meio de um workshop gratuito dado pela Real Social Dynamics, uma empresa internacional de treinamentos para encontros. "Seja qual for a parte de sua vida que precise de um incentivo, ele vai estar lá para ajudar", afirmou Sanchez. Seu programa começou com técnicas para se aproximar das mulheres, passando gradualmente para uma assistência contra a depressão, que levou Sanchez a passar por um tratamento médico. "Ele não ajuda a gente a conseguir sexo", afirmou Sanchez. "O que ele faz é ajudar a nos tornarmos pessoas mais confiantes e capazes de convidar estranhos para sair. Eu não diria que sou tímido, mas sinto que não mereço, que não tenho valor". Os homens realmente precisam disso? Recenello destacou que é comum que homens contratem pessoas para auxi-

A gente gasta dinheiro em muita coisa que não nos torna feliz. Esse é o melhor investimento, pois é um investimento em mim mesmo. JOHN, CLIENTE

representam. Quero que meu trabalho se torne algo comum, algo que todos tenham orgulho de dizer que estão fazendo". E as mulheres, também precisam? Recenello confirmou novamente. "Com a forma como eu ensino a interação, desejo que os caras sejam o mais limpos que puderem, ou seja, que estejam plenamente vulneráveis. É importante se expressar emocionalmente, ser

050614  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you