Page 1

No mínimo, duas crises. A disputa por cargos do 2º escalão inclui agora o salário mínimo de R$ 540. Se o PT não der o espaço que o PMDB quer, o PMDB vai buscar o máximo para o mínimo, atraindo o veto embaraçoso da presidente Dilma. As crises estão em cessar-fogo. Págs. 5 e 6 Ano 86 - Nº 23.283

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

Dilma ao general Elito:

Sentido! www.dcomercio.com.br

São Paulo, quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Max Rossi/Reuters

Conclusão: 23h35

A presidente repreendeu ontem ministro que, na véspera, defendeu regime militar. Pág. 6

LULA MATOU A JUSTIÇA

E ele foi pescar Após armar o imbróglio Battisti, ex-presidente seguiu para o Guarujá. Pág. 7

Era o que gritavam manifestantes em Milão. Também houve mobilizações contra a decisão do ex-presidente Lula de não extraditar Cesare Battisti em Veneza, Nápoles, Palermo, Bolonha, Bari e Roma (acima, centenas de pessoas diante da embaixada brasileira). Aqui, o STF determinou o desarquivamento do processo. Pág. 8

Ano gordo para o Leão: R$14,5 bi em 4 dias. Ração de impostos federais, estaduais e municipais baterá um novo recorde em 2011: R$ 1, 4 tri. Pág. 13 Kety Shapazian/DC

LIBRE Reforma: 500 mil vítimas O presidente Raúl Castro começou a demitir meio milhão de funcionários públicos para impulsionar a economia. Mas "ninguém ficará desamparado" – promete a Central dos Trabalhadores de Cuba. Pág. 8

AMANHÃ Pancadas de chuva à tarde e à noite. Máxima 29º C. Mínima 20º C.

ISSN 1679-2688

23283

9 771679 268008

Chuvas fatais: 20 mortes em 10 dias Esse é o saldo deixado pelas águas no Sudeste desde o Natal. Ontem, duas crianças e uma adolescente morreram em Petrópolis (à dir.). Pág. 10

Gabriel de Paiva/Agência O Globo

HOJE Muitas nuvens e chuva à qualquer hora. Máxima 19º C. Mínima 28º C.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Quanto às reformas previdenciária e trabalhista-sindical, nem um pio, nem uma referência sequer. José Márcio Mendonça

pinião

IVONE ZEGER

TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI?

T

FAZER MELHOR COM O MESMO

T

udo moído no bom processador de textos, discursos de posse de transmissão de cargos e entrevistas diversas, temperados com o linguajar da campanha e o que porta-vozes oficiais e oficiosos deixaram escapar a esmo, com intenção de informar ou desinformar, o que restou, em matéria de indicações para os primeiros meses do governo Dilma, quem sabe para sempre, não aponta em direção a inovações, a audácias (no bom sentido, sem aventuras), mas simplesmente para o velho " mais do mesmo". Ou seja, aprofundar o que está sendo feito, com mais eficiência. O próprio discurso de posse da presidente, recebido com entusiasmados aplausos pela plateia que foi ouvi-la (e teria sido diferente se o tom fosse outro) foi o melhor sinal dessa tendência. Não pelos longos períodos em que falou de Lula e do aprofundamento de sua herança, e das suas reafirmações de fé no que está em andamento, nos fundamentos da política econômico, nos compromissos sociais e tais e tais; isso faz parte da praxe e dos salamaleques devidos.

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA salto para o dito crescimento sustentado, sem sustos de inflação e fantasmas tais – a reforma política, a reforma tributária, a reforma previdenciária e as reformas trabalhista e sindical.

C

om ênfase, a presidente se referiu apenas à do sistema político e partidário, a mesma que Lula promete abraçar como um caixeiro viajante da política. Porém, se Dilma se refere ao projeto que está em andamento no Congresso, encampado pelo seu próprio partido, é melhor que o esqueça, se quer mesmo aperfeiçoar o que "está aí". Como já comentamos em outras colunas aqui, além

O

s indícios estão no que não foi dito ou no que foi dito apenas pela metade ou apenas insinuado. Peguemos, como exemplo, as quatro reformas consideradas, pela quase totalidade dos analistas , como imprescindíveis para que o Brasil possa dar o sonhado

de incompleto, ele traz retrocessos em lugar de avanços. Bom para quem está lá, não para renovar.

A

respeito da reforma do sistema tributário a presidente também ficou no meio termo. Falou apenas em aperfeiçoamentos, em torná-lo menos complicado. Não parece propensa a discutir o essencial: o papel do Estado brasileiro, suas funções, seus gastos, para depois então estabelecer o tamanho da carga tributária que a sociedade deve pagar para receber bons serviços e pagar a máquina administrativa. O que vem, se vier, deve ter o mesmo sentido do projeto envia-

Sobre a reforma tributária, a presidente também ficou no meio termo. Só falou em torná-lo menos complicado. Não parece propensa a discutir o essencial: o papel do Estado brasileiro.

do por Lula e relatado pelo deputado Sandro Mabel, cujo resultado final, segundo muitos analistas, no fim da linha pode representar mais impostos e não menos tributos. Quanto às reformas previdenciária e trabalhista-sindical, nem um pio, nem uma referência sequer. Há quem diga que foi estratégica a omissão, porque a presidente não poderia começar batendo de frente com os sindicalistas e com os funcionários públicos, dois dos setores que fazem parte da clientela política do governo e que detestam ouvir falar desses assuntos. Pode até ser, entretanto, não é da índole do petismo, mesmo o reformado, achar que essas reformas são necessárias.

S

e não quer agora – ou não tem condições políticas para tal – avançar nas reformas nem alterar substancialmente os rumos do governo herdados de Lula, a administração Dilma terá de apostar numa extraordinária capacidade gerencial para vencer os obstáculos que tem pela frente, de inflação em alta, cambio baixo, contas internas e externas problemáticas e imensos gargalos de infraestrutura a serem rompidos. E Dilma montou, de fato, uma boa equipe de gerentes para ajudá-la ou ficará tudo a cargo da supergerente? JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Continuação da edição de 4 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo O Presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo - Facesp e da Associação Comercial de São Paulo ACSP, Alencar Burti, agradece e retribui votos de Boas Festas a: Osmar Roncolato Pinho, Presidente da ABEL e Sindleasing; Oswaldo Julio Müller da Silva, Cônsul a.h. da República da Croácia em São Paulo; Paulo Barbonti, Grupo NotreDame Intermédica; Paulo Bornhausen e família; Paulo Korte Advocacia; Paulo Na-

thanael; Paulo Ricardo Morandin, Presidente da Associação Industrial e Comercial de Tambaú; Pe. Afonso Lobato e Assessoria, Liderança do Partido Verde; Pedro Rodrigues, Diretor-superintente e Odila Corvino, Coordenadora do Conselho da Mulher - Distrital Sudeste; Pedro Zidoi Sdoia, ABCFARMA; Perle Boutique; Procópio Ferraz, Construção de Eventos; Professor Marins; Próspera Eventos; Remaza Novaterra Adm. de Consórcio Ltda.; Renato Amary, Deputado Federal; Rinaldo Pirro; Roberto Manin Frias e Valéria Dib Frias, Distrital Pinheiros; Ronaldo Francisco Cabral, São Miguel Paulista; ROSMARY CORRÊA ,Presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina; Rubem Joalheiro; Ruy Martins Altenfelder Silva, Presidente do Conselho de Administração do CIEE; Sabrina Henrique, Nossa Caixa Desenvolvimento; São Paulo Companhia de Dança; Sergio Zaardo, presidente Abradif; Shopping Metrô Boulevard Tatuapé e Shoppin Metrô Tatuapé; SINCAMESP; Sincopeças-SP; Sindimasp -

ente se imaginar na seguinte situação: a exemplo de muitos casais que se amam e decidem levar uma vida em comum, você e seu parceiro (ou parceira) querem se casar. Mas a lei não deixa. Querem, então, que o seu relacionamento seja reconhecido como união estável. Mas a lei também não permite. Então vocês resolvem adotar uma criança em conjunto e descobrem que esbarraram em outra proibição. E se, assim como tantos casais, somam seus esforços para adquirir um patrimônio, não têm resguardados seus direitos em caso de separação ou de morte de um dos dois. Além disso, o sobrevivente também não pode receber a pensão do companheiro falecido, nem ser incluído no plano de saúde dele. Esses direitos, que qualquer casal unido pelo casamento civil ou pela união estável têm como garantidos, são negados a uma parcela da população apenas em razão de sua orientação sexual. Então, agora, como você responderia à pergunta que dá título à coluna? chamado "casamento" gay" é uma questão explosiva, capaz de despertar iras e paixões. Parte do motivo disso possui raízes culturais e religiosas. Para muitos, a família ainda é vista como a "celula mater" da sociedade – e famílias diferentes do que man da a "tradição" são vistas como uma ameaça à própria sociedade. Poderíamos aqui iniciar um longo debate, alegando que, com o advento do divórcio, já não se pode mais falar em família "tradicional". Também se poderia sugerir que as verdadeiras ameaças à família e à sociedade são a violência, a exclusão social, as deficiências crônicas nos sistemas de ensino e saúde... Entretanto, gostaria de chamar atenção para um outro aspecto: o de que um casamento é, também, um contrato legal. Por meio desse contrato, são definidas as regras que

O

Independentemente de questões morais ou filosóficas, a união gay envolve assuntos que dizem respeito aos direitos civis, assegurados pela Constituição aos brasileiros .

regem a vida do casal no que diz respeito à administração e à divisão de seus bens e a uma série de outros direitos e deveres, como pensões, benefícios e heranças. Portanto, independentemente de questões morais ou filosóficas sobre o significado da família, o assunto envolve assuntos que dizem respeito aos direitos civis que a Constituição assegura aos cidadãos brasileiros. or essa razão, o projeto de lei de Marta Suplicy – que concede a casais homossexuais os mesmos direitos dos casais heterossexuais em questões como partilha de bens, benefícios previdenciários, seguros de vida e Imposto de Renda – fala em união civil de pessoas do mesmo sexo, e não em "casamento". Ocorre que o projeto está parado há mais de dez anos no Congresso. E, enquanto isso, casais homossexuais se vêem forçados a lutar por seus direitos na Justiça. Dependendo do juiz, alguns são bem-sucedidos. Há casos de homossexuais que conseguiram receber bens ou pensão do companheiro falecido e até adotar uma criança em conjunto. Muitos, entretanto, não têm a mesma sorte. Como se vê, pois, a lei não é exatamente igual para todos.

P

IVONE ZEGER É ADVOGADA, CONSULTORA JURÍDICA EM DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÃO, AUTORA DOS LIVROS "HERANÇA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" E "COMO A LEI RESOLVE QUESTÕES DE FAMÍLIA" WWW.PARASABERDIREITO.COM.BR

Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo; Spya Express; Tamer Treinamentos; Theatro Municipal de São Paulo; Toledo & Associados; Tonico Ramos; Toninho Paiva, Vereador; Tony J. C. Chyou, Diretor da Taiwan Trade Center do Brazil Ltda.; Transmundi Viagens; Vaz de Lima, Deputado Federal; Vereador Antonio Carlos Rodrigues; Vereador Claudinho de Souza; Vereador Gilberto Natalini; Vereador Juscelino Gardelha; Viviano Ferrantini; Walter Feldman, Secretário de Esportes da Cidade de São Paulo; Walter Ihoshi, Deputado Federal; Walter Melo de Vargas, Presidente da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU; José Gomara Sobrinho; Everardo Maciel; Deputado Afonso Hamm, Família e Equipe; Ruy Altenfelder, Diálogo Nacional; José Eduardo C. B. Tibiriçá; Carlos Augusto Santos; "Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria"; Martins Dias & Cia. Ltda.; Sérgio Reze, Fenabrave; Regina, Júlia, Bernardo e Darcísio Perondi.

Fundado em 1º de julho de 1924 Presidente Alencar Burti Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto, Antonio Carlos Pela, Arab Chafic Zakka, Carlos Roberto Pinto Monteiro, Claudio Vaz, Edy Luiz Kogut, Gilberto Kassab, Guilherme Afif Domingos, João de Almeida Sampaio Filho, João de Favari, José Maria Chapina Alcazar, Lincoln da Cunha Pereira Filho, Luís Eduardo Schoueri, Luiz Roberto Gonçalves, Moacir Roberto Boscolo, Nelson F. Kheirallah, Roberto Macedo, Roberto Mateus Ordine, Rogério Pinto Coelho Amato, Sérgio Antonio Reze

CONSELHO EDITORIAL Alencar Burti, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo, Márcio Aranha e Rogério Amato Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Kleber Gutierrez, Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Tsuli Narimatsu Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Giseli Cabrini e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André Alves, Fátima Lourenço, Fernanda Pressinott, Geriane Oliveira, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vanessa Rosal, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Comercial Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações José Gonçalves de Faria Filho (jfilho@acsp.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Globo e Reuters Impressão Diário S. Paulo Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3344, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3030 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

o

3

RECURSOS LIMITADOS TAMBÉM MINAM O ESFORÇO DO COMBATE AO TRÁFICO NO MÉXICO.

pinião

O WIKILEAKS E A GUERRA ANTIDROGAS

O

escândalo WikiLeaks provocou discussões intermináveis sobre se os telegramas confidenciais deveriam ter sido divulgados e se eles retratam bem (ou mal) a diplomacia norte-americana. Só uma fração dos 250 mil telegramas do WikiLeaks se tornou pública, mas os despachos sobre a guerra do México contra as drogas têm sido excepcionalmente reveladores. Há dois anos o então presidente eleito dos EUA, Barack Obama, prometeu apoio ao combate às drogas promovido pelo presidente mexicano Felipe Calderón – aparentemente sem pensar muito em sua decisão. Agora Obama enfrenta perigos pouco discutidos em Washington – a não ser nos telegramas diplomáticos enviados do México. Ainda que apenas uns poucos dos cerca de três mil telegramas sobre o México tenham sido divulgados, eles retratam vivamente a perversa complexidade da luta contra as drogas: o enorme abismo na importância que Washington e a Cidade do México dão a esta guerra e os inadequados recursos americanos disponíveis para travá-la. Um bom ponto de partida é o um telegrama de janeiro de 2010, escrito por John Feeley, subchefe de Missão no Consulado dos Estados Unidos em Ciudad Juárez, no México. Após uma visita à fronteira México-Guatemala, Feeley escreveu: " Nenhum dos dois países trabalha seriamente na aplicação das leis (de imigração, antidrogas e contra o tráfico de armas). Há hoje quase tantas pessoas cruzando a fronteira ilegalmente quanto legalmente..." Disse ainda: "Autoridades da fronteira tentaram de todas as maneiras demonstrar uma passagem segura pela fronteira, mas suas explicações revelaram sérias inconsistências de procedimentos

que prejudicavam a eficácia do controle. Embora as autoridades das fronteiras inspecionassem 100% das pessoas e dos veículos que cruzam legalmente a ponte, as informações obtidas são armazenadas em uma base local de dados que não está conectada com bases de dados criminais federais ou internacionais..." Outro trecho diz que recursos limitados também minam o esforço: "Embora haja 30 mil funcionários da Alfândega e Proteção da Fronteira dos Estados Unidos nos 3.100 quilômetros na fronteira México-Estados Unidos, só 125 agentes mexicanos da imigração monitoram os 930 quilômetros da fronteira com a Guatemala. Os funcionários mexicanos da imigração confirmaram várias vezes que carecem de pessoal ou recursos para realizar esforços eficazes na fronteira sul (...) Uma das imagens mais memoráveis do dia foi o fluxo constante de balsas transportando pessoas e mercadorias para o outro lado do rio, ilegalmente, às vistas da passagem legal".

E

sse informe provém de um funcionário norte-americano de primeiro nível, tendo servido muito tempo no México e na Colômbia, e que está profundamente (e, em minha opinião, de forma errada) comprometido com a guerra de Calderón contra as drogas. Outros três telegramas merecem ser

mencionados. Em janeiro de 2009, Leslie Bassett, encarregado de negócios (charge d'affaires) na Embaixada dos EUA na Cidade do México, fez um relato assustador sobre a forma impiedosa de atuar dos cartéis das drogas: "Além de uma esfera de ação mais ampla, a natureza da violência dos cartéis mudou em 2008: a violência organizada se caracterizou por uma brutalidade significativamente maior e total indiferença pelo dano co lateral, como também por um enfoque contra militares e policiais (...). Mais de 60 dos melhores agentes da lei mexicanos, nos quais depositamos nossa confiança e com os quais temos colaborado em investigações delicadas, compartilhando informações e, em muitos casos, treinando e formando, foram assassinados pelos cartéis." Em novembro de 2009, Carlos Pascual, o novo embaixador dos Estados Unidos no México, dedicou dois longos telegramas a alguns dos principais problemas que enfrentam México e Estados Unidos: " A u t i l i z a ç ã o, pelos mexicanos,

de informação estratégica e tática. é frequentemente interrompida ad hoc e depende fortemente dos Estados Unidos para pistas e operações (...). As agências mexicanas de segurança preferem segurar informações a permitir que uma agência rival tenha sucesso". Em 2009, os fuzileiros navais mataram o famoso czar das drogas Arturo Beltrán Leyva. Mas, escreveu Pascual, "o grupo de interagências dos EUA tinha fornecido originalmente a informação ao Departamento de Defesa do

México, cuja recusa em agir rapidamente demonstrou uma aversão ao risco – o que custou à instituição uma grande vitória contra os traficantes de drogas". Pascual destacou a Marinha mexicana por agir prontamente e enviar os fuzileiros, mas lamentou a "falta de confiança entre e dentro das instituições do governo mexicano". O Departamento de Defesa do México possui unidades de informação bem instaladas que desenvolvem relatórios com os planos dos chefes dos cartéis. No geral, não compar-

JORGE G. CASTAÑEDA tilha informação ou análise com as forças no campo destinadas a combater os traficantes, como em Ciudad Juárez. Essas unidades compartilham informações de ameaças contra os militares, mas também descobrem que os comandos militares frequentemente são infiltrados pelo crime organizado. Para quem acompanha o modo como o México conduz a guerra contra as drogas, as provas do WikiLeaks indicam uma conclusão: como Calderón não pode ser presidente e czar antidrogas – e, corretamente, não está disposto e logicamente não pode levar a cabo a coordenação cotidiana entre as agências do México – o vazio tem de ser preenchido por alguém.

C

ada vez mais, esse alguém é a Embaixada dos Estados Unidos na Cidade do México, composta por diplomas de primeiro nível que talvez tenham nas mãos mais do que podem manejar. Uma vantagem do WikiLeaks, independentemente de seus inconvenientes, é que pessoas como Obama podem ler os telegramas que seus melhores embaixadores em campo enviam a seus superiores – que inevitavelmente os filtram e resumem. Se Obama ler os telegramas que chegam do México, talvez mude de opinião sobre se foi uma boa ideia enfrentar uma guerra contra as drogas – que ele não começou e não consegue terminar. JORGE G. CASTAÑEDA FOI MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO MÉXICO E É PROFESSOR NA UNIVERSIDADE DE NOVA YORK E MEMBRO DA THE NEW AMERICA FOUNDATION. SEU LIVRO MAIS RECENTE É EX MEX: FROM MIGRANTS TO IMMIGRANTS. TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

ADMINISTRANDO O INDESEJÁVEL E

m todo início de ano, uma multidão de astrólogos, videntes e oráculos de todo tipo anuncia previsões para os meses que se seguirão. Catástrofes, mudanças na política, surgimento ou desaparecimento de líderes, artistas e outras personalidades estão entre os fatos mais citados para o decorrer do ano. O cientista político húngaro George Friedman também faz previsões, mas não está em qualquer das categorias acima: presidente e fundador da empresa norte-americana Stratfor, especializada em análise geopolítica internacional, ele já publicou um livro com suas previsões sobre os próximos cem anos (The Next 100 Years: A Forecast for the 21st Century) e agora lança um novo sobre o período que está começando: The Next Decade: Where We've Been ... and Where We're Going ("A próxima década: onde estivemos... e para onde estamos indo", Doubleday, 272 páginas). Prever o futuro é uma das maiores ambições de qualquer ser humano. Geralmente, o futuro imediato é muito simples de prever: se você esbarra numa taça de cristal

que está numa mesa e ela começa a cair em direção ao piso de granito, o que acontecerá depois de instantes é perfeitamente previsível. Mas ninguém consegue prever o que acontecerá na política ou na economia, por exemplo, no médio ou longo prazos, seja para obter vantagens, seja para evitar prejuízos. Qualquer um gostaria de saber se este ou aquele papel valerá mais ou menos no futuro, para poder comprá-lo barato hoje e vendê-lo caro amanhã. Mas o máximo que se consegue é construir cenários – e é isso o que a empresa de Friedman faz todos os dias. egundo o próprio Friedman, o livro foi escrito sob dois conceitos: o primeiro é a idéia de que os Estados Unidos são um império não planejado, mas de grande poder, e agora profundamente ligado aos assuntos da maior parte do mundo. O segundo é que seus presidentes podem inspirar-se em O Príncipe, de Maquiavel, para governar e decidir. Hoje, diz ele, não está mais em jogo se os americanos querem ou não o império em que o país se transformou – já não podem se livrar dessa condição. A questão, agora, é o que fazer com isso: "É como um filho não planejado, e que não é bem-vindo. Ainda assim, é de nossa responsabilidade", compara. Ele entende que agora o país enfrenta a mesma crise que Roma enfrentou na antiguidade: o império começa a sufocar a república. "Acredito que de todas as instituições

S

desafio não só para os Estados Unidos como também para líderes do mundo inteiro.

PAULO BRITO estabelecidas pela nossa Constituição, a do presidente é a que pode preservar a república, ao mesmo tempo em que permite a administração do império", argumenta. A maior ameaça que pode existir neste momento para a república, diz ele, é negar que ela tenha se transformado num império: "A questão, portanto, é como administrar o indesejável e não planejado na próxima década", diz. inguém melhor do que o príncipe, de Maquiavel, para inspirar esses líderes durante a próxima década, opina Friedman. O comportamento do príncipe é justamente o modelo que ele escolheu para orientar suas previsões sobre o complexo jogo que é a geopolítica mundial. Seu livro questiona também as diretrizes para quem pretende ser um bom presidente (ou líder) numa década de extraordinários desafios, e coloca os líderes do mundo sob um microscópio para tentar explicar de que modo eles vão chegar a determinadas decisões. E de que maneira as consequências dessas decisões atingirão a todos nós. Diante de tudo o que viu, estudou, analisou, George Friedman concluiu que os

N

próximos dez anos serão um período de grandes, profundas transições – é o período que deverá moldar o século 21. E uma das marcas desse tempo será um enfraquecimento das guerras no mundo islâmico. No entanto, o fim do terrorismo está muito longe: é uma ameaça com a qual todos teremos de conviver, afirma o autor. No campo da economia, as crises serão menos agudas, mas começará a haver escassez de mão de obra em muitos setores. Cada um desses eventos será um teste e um

laro que qualquer dessas previsões está sujeita a chuvas e trovoadas – nunca é possível prever o comportamento de certos líderes como Kim Il-sung, na Coreia, ou Hugo Chévez, na Venezuela. Alguém poderia ter previsto que Evo Morales ia mandar invadir duas refinarias da Petrobrás na Bolívia? A resposta é não. Na verdade, o que Friedman faz é tecer alguns cenários, com base nas probabilidades de que eles se formem na próxima década, e em especial no comportamento maquiavélico que cada líder pode ter. Nesse aspecto, ele destaca três presidentes americanos: Abraham Lincoln, Franklin Roosevelt e Ronald Reagan.

C

Para Friedman, cada um tinha uma personalidade profundamente alicerçada na ética. E os três compreendiam com perfeição as conseqüências do uso do poder, da mentira, das violações da constituição e dos direitos humanos para conseguirem, respectivamente, a abolição da escravatura, a derrota da Alemanha e do Japão na segunda guerra mundial, e o fim da união soviética. "Para entender Roosevelt como maquiavélico, basta ver sua aliança com Stalin para derrotar Hitler", observa Friedman. PAULO BRITO É JORNALISTA, GRADUADO EM ECONOMIA E MESTRE EM COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

Giba Um

3 Ministros

veteranos já conhecem o caminho; os novos estão querendo saber como faz para pedir um jatinho da FAB.

gibaum@gibaum.com.br

3

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

MAIS: só que 50% da frota está virando sucata. Ou seja: quem pede antes, leva; para retardatario, sobra avião de carreira.

5 de Janeiro

e origem humilde, nasceu em 390, na atual Síria. Quando jovem, sentiu-se atraído pela vida eremita e tornou-se um penitente completamente devotado a Deus. O seu exemplo reforçou a fé dos fiéis e foi responsável pela conversão de inúmeros pagãos. Morreu em 453. Santo Simeão

k Se eu fosse uma mulher de 70 anos com um garoto de 20 e poucos, Lágrimas de viúva «

aí o mundo ia acabar!

MARCELA TEMER / / 27 anos, mulher do vice-presidente Michel Temer, 70 anos, sobre a diferença de idade entre eles.

Fotos: BusinessNews

É o que se pode chamar de uma família nobre e discreta: Caroline de Mônaco (à esquerda, com Andréa Dellal) e os filhos Pierre (namora a brasileira Tatiana Santo Domingo), Andrea e a direita, Charlotte (namora o brasileiro Alex Dellal, irmão da modelo Alice Dellal) passaram o reveillon no Rio, hospedados no Hotel Fasano, sem chamar a atenção de ninguém (com o grupo, um único segurança da família). Fizeram compras em Ipanema, visitaram a Floresta da Tijuca, foram conhecer Paraty, na maior simplicidade: sapatinhos de lona, maiôs comportados, nada de ostentação. 333

Nobres e discretos

Semcrucifixo 333 Maior país do mundo de população católica (hoje, são cerca de 155 milhões e perdeu 10% nos últimos anos, diante do avanço das igrejas evangélicas), o Brasil poderá assistir a retirada de crucifixos das repartições públicas, caso a Justiça Federal acolha uma ação pública. Entre janeiro e fevereiro, representantes de várias religiões serão ouvidos pela Justiça, incluindo D. Odilo Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo. Estima-se que poderá ser uma maneira de melhor entender as relações entre Igreja e Estado. Para quem tem memória curta: católico fervoroso, em seus tempos de Planalto, José Sarney mandou colocar a frase Deus seja louvado nas cédulas de dinheiro do país.

h

h IN

Elas: chapéu tipo Panamá.

OUT

Elas: chapéu tipo Borsalino.

Entendedehomem Cada vez mais, a filha da estilista venezuelana Carolina Herrera, que tem o mesmo nome, Carolina Herrera Jr., vai assumindo áreas no império de moda, acessórios e perfumes criado pela mãe. Com um knowhow a mais: Carolina Jr. entende de homem. Um de seus grandes sucessos é o perfume masculino 212 Man e mesmo as coleções de gravatas da marca, supervisionadas por ela. Ela é chique e conservadora. Considera blazers marinho, jaquetão, com botões dourados, verdadeiros clássicos, ao lado de sapatos Oxford. Uma de suas observações: “Não há nada mais ridículo do que homens usando bermudas abaixo dos joelhos com meias amassadas”. 333

333 AGORA, o Diário Oficial da União adotou o vocábulo presidenta nos atos e despachos iniciais de Dilma Rousseff. As feministas do governo gostam de presidenta e as conservadoras (maioria) preferem presidente, já adotado por jornais, revistas e emissoras de rádio e televisão.

A NOVA ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena de Bairros, que quer criar uma cota de vagas para negros no próximo concurso para diplomatas, quer também levar a mesma idéia para todos os setores da sociedade brasileira – e não apenas nas universidades. Luiza Helena, a propósito, é entusiasta do candomblé.

Solução

H

Neste inicio de ano, as vendas que estão em grande ascensão são mesmo as das capas de chuvas de plástico e dos guarda-chuvas populares, que já fizeram a festa dos vendedores das ruas até mesmo nas cerimônias de posse de Dilma em Brasília. Nas grandes capitais que estão sendo flageladas por chuvas constantes, os produtos são oferecidos em cada esquina: uma capa de chuva custa R$ 5 e um guarda-chuva, R$ 10. Se comprar mais de um, ganha desconto.

333

DURANTE muitos anos, Gilson Campos, 80 anos, era chamado de xerife do Galeão. Depois, foi porta-voz da Infraero e hoje, edita a Revista do Turismo. E foi uma das pessoas que mais felizes ficaram com a recondução de Solange Vieira ao comando da Agência Nacional de Aviação Civil – Anac. Sem desmerecer o lado técnico de Solange, justificou sua alegria de outra maneira: “Ela é um avião. E lugar de avião é no aeroporto”.

333

O

EM ALTA

333 AINDA Twitter: na virada do ano, Ronaldo ex-Fenômeno conseguiu chegar a um milhão de seguidores e, no ranking total, continua em 19º lugar.

O

Quando Dilma Rousseff assumiu a presidência do país, o Supremo Tribunal Federal atingia o recorde de 154 dias sem formação completa. Lula não havia escolhido, até então, o substituto do ministro Eros Grau, tarefa herdada pela nova presidente (o advogado-geral da União, Luis Ignácio Adams, ainda é o mais cotado). Em dois mandatos, Lula escolheu oito dos onze ministros do Supremo. Para os próximos quatro anos, Dilma deverá nomear, além do substituto de Eros Grau, também os ocupantes das vagas de Cezar Peluso e Ayres Britto, que se aposentarão em 2012 e provavelmente, também de Ellen Gracie, que pretende se aposentar antes do tempo.

333

LUCIANO Huck continua no topo do Twitter no Brasil: tem 2,6 milhões de seguidores. Agora, o jogador Kaká atingiu o segundo lugar, com 2,5 milhões. Em terceiro e quarto lugares, Ivete Sangalo (1,8 milhão) e Mano Menezes (1,7 milhões de seguidores).

333

L

Recorde no Supremo

Alex Gonçalves

MISTURA FINA

V E R

333 O transsexual Lea T. (de nascimento, Leandro Medeiros Cerezzo) quer realizar sua cirurgia de mudança de sexo em março. Só que acha que “nunca será mulher e também não será homem”. E emenda: “Serei sempre o do meio”. Na SP Fashion Week, Lea T. vai desfilar para Alexandre Herchcovitch e está desmentindo que seu pai, o jogador Toninho Cerezzo, o tivesse renegado: “Meu pai disse queeu vou ser sempreonegrinho dele. Que me ama se eu for homem, mulher ou cachorro. Minha mãe é religiosa, não aceita, mas jura que não vai me abandonar”.

333

333 Quem diria: ex-presidente daCUT,ex-ministrodoTrabalho e da Previdência e atual prefeito deSãoBernardo,Luiz Marinho está arrumando as malas. Vai à França conhecer os caças Rafale, a convite da Dassault, cuja compra ainda será decidida por Dilma. Marinho não pilotou aviãozinho nem em parque de diversões, mas, no ano passado, havia ido à Suécia ver os caças Gripen NG de perto. E até começou a defender os suecos. Agora, os franceses querem que Marinho troque de lado.

A M E N O

NEGRINHO DELE

Se comparações entre sua mulher, Marcela e Carla Bruni, modelo, atriz, cantora e primeira-dama da França, que já posou nua muitas vezes, já haviam irritado o vice-presidente Michel Temer, novas comparações, numa série de blogs, dela e Geisy Arruda, tiraram o humor também dela. Oficialmente, Temer foi casado apenas uma vez, mas teve, depois, dois relacionamentos estáveis. Além de Michel, filho que teve com Marcela, tem três do primeiro casamento e mais um, com uma jornalista. E durante toda sua vida política, sempre manteve sob a maior discrição sua vida pessoal: é de seu temperamento. Eleito vice-presidente, sabia que a exposição de Marcela seria maior. Só que já decretou, domesticamente, total recolhimento.

Preservandoa segunda-dama

TROCA DE JATO

O P S A D T O R V A C O O MA A B E I R C AN O I A C U L A L O D

333 Novas contas feitas e nunca antes na história deste país foi deixada para o ano seguinte uma conta tão grande, quanto o volume de restos a pagar (compromissos assumidos em anos anteriores rolados para os exercícios seguintes) herdado por Dilma Rousseff do período Lula. Inicialmente estimados em R$ 90 bilhões, acumulam em janeiro nada menos do que R$ 137,5 bilhões no Orçamento da União. Quando Lula assumiu, herdou de FHC R$ 22,6 bilhões em restos a pagar. O novo valor, caso nenhuma dessas despesas seja cancelada, representará o dobro de tudo o que o governo pretende gastar com investimentos em 2011 (R$ 64 bilhões) ou ainda o triplo do valor previsto para o PAC – Programa de Aceleração de Crescimento (R$ 40 bilhões).

333 A mineira Ana Beatriz Barros, 28 anos que, ficou de fora do último fashion show da Victoria’s Secret, tem seu nome incluído na lista das modelos mais bem pagas e das mais sexies do mundo. Agora, ela protagoniza a nova campanha da marca de lingerie VS, onde aparece cobrindo os seios e exibindo conjuntos estimulantes. O namorado (há três anos) Roberto Marinho Neto, 26 anos (os dois no destaque), um dos herdeiros da Globo, não reclama. Eles passaram o reveillon em Trancoso, na casa da família. O que Marinho Neto achou demais, contudo, foi a nudez de Ana Beatriz, fotografada por Terry Richardson, para o Calendário Pirelli: afinal, não precisava lamber o galo.

Aeleitado herdeiro

333 As lágrimas derramadas pela nova ministra do Planejamento, Miriam Belchior, lembrando seu ex-marido Celso Daniel e lembrando também que, anteriormente, sua ligação com o prefeito assassinado de Santo André, impediu que ela assumisse a Casa Civil, trouxe à cena episódios anteriores a 2002. Miriam havia sido secretária de Ação Social da administração de Daniel na cidade e Gilberto Carvalho era o secretário do Governo. Os dois teriam conhecimento, segundo depoimentos de familiares de Daniel, do suposto propinoduto da época que iria para José Dirceu, então presidente nacional do PT.

R A A P R E S O A C A D M I TI R T E A B C U R A R I M C M S O ME T A N L E R A V D AT T O MA F EL O

Mega-herança

D

Por: José Nassif Neto Deterioramento; decomposição.

Pronunciar; referir ou narrar declamando.

Alimento bá -sico da pri Orgão da -meira refei visão. -ção do dia.

Molusco comestível.

'Para', em inglês.

Aquele que age c/ medo de perder a hora.

Jeito infantil de falar avó.

Cachorro. Acordo; ajuste; pacto.

333

ANO NOVO, novos romances: a modelo Raica Oliveira namora o francês Marco Noyer Maingrad, executivo das empresas da família, a Reynold Venture; Letícia Birkheuer circula com o joalheiro Alexandre Furmanovitch; e até Caetano Veloso passou o reveillon na Bahia com sua nova namorada, Natalia, produtora teatral.

333

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

Consentir; aceitar.

Dioniso Deus grego do vinho.

Oceano.

Solução definitiva para uma doença. Víscera glandular que segrega a urina.

Indica o primeiro de uma série.

Enxergar.

Liga de ferro com carbono.

Mini aviões; (?) modelismo.

Mulher que zela pela educação dos filhos. Poder estar dentro. Serve para dar sabor às iguarias não doces.

Objetivo visado por alguém.

Sorri. De trato suave; afável.

Deixa-se vencer; sucumbi. Pequena embarcação sem teto.

Animal que transmite a 'Peste Bubônica'.

Conheça; interprete por meio da leitura.

Símbolo de Urânio. (quím.) Assinalar a época. Produto das abelhas.

'Sugestão', em inglês.

Serve para transportar roupas em viagens. Grande amargor.

500, em algarismo romano. Tem o corpo coberto de penas. Lama.

(1021) 2-to; vó; 3-aço; mãe; pão; cue; cão; 4-baco (para os romanos); meta; 7-admitir; recitar 9-apressado; 10-combinação.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

5 JOGO Governo é intimado a rever loteamento de cargos aos partidos

olítica

XEQUE-MATE PMDB precisa ser 'convencido' da impossibilidade de elevar o mínimo

Temer: negociações estão suspensas PMDB consegue tempo antes da definição de outros cargos estratégicos no governo. Quer tempo para dialogar e 'se convencer' sobre o salário mínimo. Marcelo Camargo/ Folhapress

I

nsatisfeitos com o trata- para tratar dos grandes temas mento recebido até agora nacionais", disse Luiz Sérgio. na distribuição de minisOs peemedebistas pediram térios e cargos no gover- a Temer, que preside a legenda, no Dilma Rousseff, os peeme- que levassem suas reclamadebistas ameaçam abandonar ções à reunião de coordenação o governo na primeira votação política do governo, realizada importante do Congresso: a da na segunda-feira. MP que definirá o novo valor O descontentamento diz do salário mínimo. respeito principalmente a Ontem, o vice-presidente duas situações: a mudança nas Michel Temer confirmou que direções da Funasa e dos Corestão suspensas as nomeações reios, que foram promovidos para o segundo escalão do go- por dois ministros petistas sem verno, como forma de conter a aviso prévio ao partido. animosidade deflagrada entre Acordo – A maior preocupaPMDB e PT. As exceções serão ção do governo e do PT neste apenas quanto às indicações início de governo é evitar que para a secretaa s i n s a t i s f aria executiva, ções no PMDB a chefia de gaacabem por binete e o resp re j u d i c a r a Esses tipos de ponsável pela eleição do penegociação e tensão t i s t a M a r c o á r e a d e i mpor cargos são e prensa. Maia (RS) à Temer afirpresidência da serão recorrentes. Câmara, em ma que "esses São assim mesmo. tipos de negofevereiro. "EsVão servir para que sa disputa por ciação e tenhaja diálogo agora. cargos é algo são por cargos são e serão redemocrático e MICHEL TEMER legítimo porcorrentes". "Essas coisas que os partisão assim mesmo. São repetiti- dos querem tentar ter mais esvas. Mas, quando se repetem, paço no governo", minimizou elas servem de experiência no Maia, que negou que a disputa futuro. Então, como já se repe- cause "impactos" na campatiram no passado vai servir pa- nha dele na Câmara. ra que haja diálogo agora." Paralelamente, o ministroNa segunda-feira, o PMDB chefe da Casa Civil, Antonio deu a primeira demonstração Palocci, tenta negociar uma pública de descontentamento. saída para o impasse. Os principais líderes do partiJá o presidente interino do do, incluindo Temer, não com- PMDB, senador Valdir Raupp pareceram à posse do novo mi- (RO), disse que apesar da disnistro das Relações Institucio- puta por cargos e da ameaça nais, Luiz Sérgio (PT), que será sobre a votação do salário míresponsável por negociar a di- nimo o "clima está tranquilo" visão de espaços na máquina e entre os aliados. Já o deputado a liberação de emendas parla- Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mentares. "A unidade dos par- diz que o PT antecipou as distidos é o nosso grande desafio. cussões sobre a distribuição Realizaremos reuniões siste- dos cargos no segundo escalão máticas do Conselho Político e irritou o PMDB. (Agências) Eduardo Naddar/AOG - 12.02.08

Jefferson: eles devem definir se serão 'parceiros ou inimigos íntimos'

Roberto Jefferson: PT e PMDB precisam fazer 'terapia em grupo'

R

esponsável por denunciar a existência do mensalão, o exdeputado Roberto Jefferson (PTB) criticou ontem, em seu blog, a disputa por cargos entre PT e PMDB. Ele alerta que essa é a atmosfera ideal para "severinadas", referindo-se ao exdeputado Severino Cavalcanti (PP), que foi eleito, em 2005, presidente da Câmara. Jefferson diz ainda que os dois partidos precisam fazer terapia de grupo para discutir a relação e definir se serão "parceiros ou inimigos íntimos". "O método, contudo, deve prescindir da ortodoxia, caso contrário a terapia se estenderá além do que a prudência exige. O clima de conflagração partidária é como fogo no palheiro cujo dono tem como meta austeridade nos gastos [um palavrão para os políticos]", diz

ele. O Planalto, segundo Jefferson, precisa atuar urgentemente devido "à complicada pauta de votações". "O clima das votações no Congresso em fevereiro será crucial para definir se Dilma Rousseff terá controle sobre a pauta do Congresso, ou se viverá meses turbulentos, principalmente por conta da ojeriza do meio político à palavras como "austeridade' e "enxugamento'", completa. Entre os pontos complicados estão a criação de um piso nacional para os policiais no País, o novo salário mínimo e as reformas política e tributária. Existe o temor de que as insatisfações por causa de cargos de segundo escalão contaminem a eleição à presidência da Câmara. Candidaturas alternativas podem crescer nesse ambiente hostil. (AE)

Michel Temer na posse do ministro de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco, confirma que definição do segundo escalão só sai em fevereiro

PMDB atrela salário mínimo a cargos Partido 'aliado' condiciona a partilha de vagas do 2º escalão a votações importantes, como a do salário mínimo Sergio Lima/Folhapress

A

lém de comunicar ao governo que não concorda com o novo valor de R$ 540,00 do salário mínimo, os peemedebistas decidiram ontem adiar as conversas sobre o preenchimento dos cargos do segundo escalão do governo. De acordo com o líder da bancada na Câmara, H e n r i q u e E d u a rd o A l v e s (PMDB-RN), esse debate foi postergado para fevereiro, com a reabertura do ano legislativo, quando os parlamentares estiverem em Brasília. "Não é a melhor hora para tratar desse assunto", afirmou. O líder peemedebista ressalvou, entretanto, esperar que quando a discussão for reaberta haja amplo diálogo, respeito e entendimento entre o governo e a base aliada. "Perdemos substância no governo, mas não vamos nos acotovelar em busca de mais espaço", declarou Alves no final da reunião de líderes do partido, que se estendeu por mais de duas horas na residência do vice-presidente, Michel Temer. As negociações que suspenderam, momentaneamente, as nomeações para o segundo escalão foram acertadas na segunda-feira, durante a primeira reunião da Coordenação Política no Palácio do Planalto, conduzida pela presidente Dilma Rousseff. Sem praia – A crise é tão aguda que o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), que descansava numa praia em Alagoas, foi chamado às pressas em Brasília para refor-

Henrique Alves alerta: ainda restam as presidências de estatais do setor elétrico e da área de petróleo

çar as conversas. Os peemede- contrariaram os peemedebisbistas não se conformam com a tas. "Bem feito ou mal feito, já perda de cargos de relevância foi feito", afirmou. Ainda exisno segundo escalão, como as tem dezenas de postos estratédiretorias dos gicos em disCorreios e da puta, como as Fundação Napresid ências cional de Saúde estatais do Perdemos de (Funasa) e a setor elétrico e Secretaria Nada área de pesubstância no cional de tróleo, como a governo, mas Atenção à recém criada não vamos nos Saúde, que Pré Sal Petróacotovelar passaram paleo S/A. em busca de ra o comando Mínimo – do PT. Em meio ao mais espaço. Pedidos – adiamento HENRIQUE EDUARDO ALVES Alves descardas negociatou, entretanções, o PMDB to, qualquer chance de recuo anunciou que não concorda por parte do governo nas no- com o reajuste do salário mínimeações já efetivadas, que mo e que precisa ser "conven-

cido pela equipe econômica" da impossibilidade de elevar o valor de R$ 540,00. Foi um recado do partido ao governo: se persistir a insatisfação dos peemedebistas com o espaço no segundo escalão, o partido pode não manter o apoio ao governo na votação da MP do salário mínimo. Participaram da reunião para discutir os cargos almejados, realizada na casa de Michel Temer, o presidente do Senado, José Sarney (PMDBAP); a governadora do Maranhão, Roseana Sarney; os líderes do PMDB na Câmara, Henrique Alves; no Senado, Renan Calheiros (AL); e o novo presidente do partido, senador Valdir Raupp (RO). (AE)

Mantega: acima de R$ 540, não! Diante das ameaças do PMDB, ministro avisa que o valor do salário mínimo não ficará acima de R$ 540

O

ministro da Fazenda Guido Mantega disse ontem que o governo federal vai vetar qualquer reajuste que aumente o salário mínimo para mais de R$ 540. "Neste momento, é temerário nós aumentarmos [o salário mínimo] para mais de R$ 540. Se vier alguma coisa diferente, vamos simplesmente vetar", disse ele, citando a necessidade de conter os gastos públicos para, entre outras coisas, facilitar uma queda maior nos juros e evitar uma maior valorização do real.

"É o cumprimento de uma política de aumento salarial que foi acertada com os trabalhadores. Ela deve ser posta em prática, se não vira uma brincadeira, uma hora a gente acerta uma coisa e, depois, não fica conveniente e muda", reiterou o ministro. O mínimo de R$ 540 foi calculado com base numa política que considera o crescimento da economia ocorrido dois anos antes do aumento ser concedido. Como em 2009 a expansão da economia brasileira ficou perto do zero por conta da

crise internacional, o ganho real do mínimo em 2011 também seria de zero. Os R$ 540 estão em vigor desde o começo do ano por força de uma medida provisória editada pelo governo, mas para vigorar definitivamente ainda é necessária aprovação no Congresso. No entanto, o próprio governo reconheceu, discretamente, que o reajuste do mínimo ficará abaixo da inflação, pela primeira vez desde 1997. A portaria que elevou os benefícios previdenciários

utilizou o percentual de 6,41%, mostrando qual é o cálculo oficial para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado no ano passado. Já o salário mínimo teve reajuste de 5,9% ao ser elevado para R$ 540, o que, considerando o INPC projetado, corresponde a uma perda de 0,5% de seu poder de compra. Para repor a inflação acumulada, o mínimo deveria subir para exatos R$ 542,69, valor que poderia ser arredondado para R$ 545. (Folhapress)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Sempre é inteligente a gente conversar para tomar decisões. Quanto mais diálogo e menos movimentos bruscos, melhor Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara

olítica

Dida Sampaio/AE

Petistas reagem ao 'bateu, levou' Apesar de negarem uma crise na base aliada, petistas confiam em negociações

O O líder do PT na Câmara dos Deputados, Fernando Ferro, avisa que o PMDB poderá sofrer revide

Primeira viagem de Dilma inclui três países sul-americanos Ministro brasileiro já viajou para a Argentina para negociar visita da presidente

O

ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, desembarcará na próxima segunda-feira em Buenos Aires para negociar a primeira viagem ao exterior da presidente Dilma Rousseff. Em pauta, reuniões com a presidenta argentina, Cristina Kirchner, e o ministro das Relações Exteriores, Héctor Timerman. A ideia é Dilma seguir para a Argentina entre os dias 25 e 30 deste mês. Segundo a agência oficial de notícias da Argentina, a Telam, Timerman afirmou que Argentina e Brasil devem trabalhar para "superar os desequilíbrios comerciais". "Faz parte da agenda ver como podemos superar esses desequilíbrios comerciais." Segundo ele, atualmente a relação é favorável ao Brasil. Cristina Kirchner faz uma série de viagens a países do Golfo Pérsico, como Kuwait e Catar. Timerman disse que a Argentina tentará se tornar "sócio" da Turquia para ser "a porta de entrada para produtos turcos na América Latina".

Alan Marques/Folhapress

Sobre a mesa da presidente, relato sobre vida da chilena Bachelet

"[Essa iniciativa] vai permitir o uso dos portos turcos e centros de distribuição em toda a área de influência turca". Até março, Dilma pretende ir ao Peru e ao Paraguai. No Peru, participará da Cúpula América do Sul-Países Árabes (Aspa) – mecanismo de cooperação interregional e um fórum de coordenação política, cujo objetivo é aproximar os líderes de duas regiões nas área política, econômica e cultural. A ida ao Paraguai tem por o ob-

jetivo é reforçar o relacionamento entre os dois países, como afirmou o ministro da Secretaria de Comunicação, Roque Gonzalez Benitez. Bachelet – Dilma está lendo Bachelet, En Tierra de Hombres, da jornalista Patricia Politzer, sobre a vida da ex-presidente do Chile Michelle Bachelet. O livro está no gabinete de Dilma, sobre a mesa: trata-se de relato não oficial com questões amorosas e uma eventual volta ao poder.(ABr/Folhapress)

Presidente repreende general José Elito por declarações Ministro da Segurança Institucional pediu desculpas por defender regime militar

A

presidente Dilma Rousseff repreendeu na noite de ontem o general José Elito de Carvalho Siqueira, ministro de Segurança Institucional, por dizer em entrevista, na segunda-feira, que não é motivo de vergonha para o País o desaparecimento

de presos políticos durante a ditadura militar (1964-1985). Foi o primeiro "puxão de orelha" de ministro dado pelo novo governo. Escolhido para comandar os seguranças e arapongas do governo, José Elito pediu desculpas a Dilma pela declaração

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontra-se aberto no Gabinete: PREGÃO PRESENCIAL 390/2010-SMS.G, processo 2010-0.200.686-0, destinado ao fornecimento de LENÇOL DESCARTÁVEL EM BOBINA, para a Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura da sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 20 de janeiro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO PRESENCIAL 393/2010-SMS.G, processo 2010-0.338.857-0, destinado ao fornecimento de CÂNULAS ENDOTRAQUEAIS SEM BALÃO, para a Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura da sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 21 de janeiro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO PRESENCIAL 394/2010-SMS.G, processo 2010-0.002.344-0, destinado ao registro de preços de COFFE BREAK E KIT LANCHE, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3, do tipo menor preço. A abertura da sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 26 de janeiro de 2011, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO PRESENCIAL 363/2010-SMS.G, processo 2010-0.258.856-8, destinado ao registro de preços de BROCAS DIAMANTADAS PARA PREPARO CAVITÁRIO, BROCAS PARA ACABAMENTO DE RESINA COMPOSTA E BROCAS PARA ACABAMENTO FINO DE RESINA COMPOSTA, para a Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC/Área Técnica de Material Odontológico, do tipo menor preço. A abertura da sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 27 de janeiro de 2011, a cargo da 5ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO PRESENCIAL 395/2010-SMS.G, processo 2010-0.325.785-9, destinado ao registro de preços de LENÇOL DESCARTÁVEL PARA CAMA COM ELÁSTICO, LENÇOL DESCARTÁVEL PARA MACA COM ELÁSTICO, LENÇOL DESCARTÁVEL EM FOLHAS E ATADURA DE RAYON ESTÉRIL 7,5 X 40 CM, para a Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura da sessão pública de pregão ocorrerá às 14 horas do dia 27 de janeiro de 2011, a cargo da 2ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão. RETIRADA DO EDITAL O edital do pregão acima poderá ser consultado e/ou obtido nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, www.comprasnet.gov.br, ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo.

polêmica, segundo fontes do Planalto. Ao longo do dia, ele já tinha recebido recados de assessores de que Dilma não gostou do comentário sobre as vítimas do regime militar. Ao ser recebido à noite pela presidente, ele chegou a jogar a culpa na imprensa, afirmando que sua declaração foi "mal interpretada". A presidente aceitou a desculpa. Torturada na época da ditadura, Dilma fez um discurso, no dia da posse em que afirmou não ter ressentimentos e rancores. Antes mesmo de assumir, ela chamou os comandantes das Forças Armadas para dizer que não haveria "revanchismo" e pedir que não houvesse por parte dos militares "glorificação" do golpe de 31 de março de 1964, que derrubou o presidente João Goulart e implantou um regime militar de 21 anos no País. Desde a distensão política, no final dos anos 1970, famílias de adversários da ditadura e entidades de direitos humanos cobram do Estado brasileiro a localização dos restos mortais de 138 vítimas da repressão consideradas "desaparecidas políticas". Choque – Dois generais de Exército ouvidos ontem avaliaram que José Elito "começou mal" seu trabalho no Planalto. O ministro, na avaliação deles, e n t ro u e m c h o q u e c o m a s orientações da presidente da República e tomou a dianteira de um debate que não lhe dizia respeito. (AE)

atual líder do PT na Câmara dos Deputados, Fernando Ferro (PE), disse ontem em entrevista ao UOL Notícias que o PMDB pode receber revide pela eventual instabilidade causada ao governo da presidente Dilma Rousseff. "O PMDB tem responsabilidade no governo e pretende disputar a Câmara daqui a dois anos. Se criar crise agora, daqui a dois anos nós estamos com a responsabilidade", declarou ele, referindo-se ao acordo entre PT e PMDB que prevê o revezamento na presidência da Câmara – a começar em 2011, com um presidente petista. No entanto, segundo peemedebistas que não quiseram se identificar, esse acordo pode não vir a se efetivar. Apesar do clima de "bateu, levou", Ferro avalia como normal a pressão por cargos no início de um governo. Para ele, nem um possível movimento do PMDB contra a proposta do governo de salário mínimo de R$ 540 em 2011 é indicativo de crise. A ameaça de contrariar a proposta orçamentária foi sinalizada ontem por Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), um dos principais porta-vozes do partido na Câmara. Irritação – O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), reagiu à ameaça velada do PMDB de transformar a votação do salário mínimo em moeda de troca por cargos do segundo escalão federal. Poucas horas depois da

reunião da cúpula peemedebista que decidiu rever o valor de R$ 540, fixado pelo governo, ele alertou: "Não se pode definir o valor do salário mínimo pela raiva, pelo ódio, vingança ou qualquer outra questão que não seja técnica. Isso não é uma brincadeira. O salário mínimo mexe com a vida das pessoas e com o desenvolvimento do País".

A vida parlamentar é uma vida de dissenso, da opinião e do conflito. O consenso é uma utopia autoritária. MOREIRA FRANCO Panos quentes – O atual presidente da Câmara e candidato a permanecer no cargo, deputado Marco Maia (PT-RS), tentou suavizar o embate e disse não acreditar que as insatisfações na distribuição de cargos no segundo escalão do governo contaminem as eleições da Mesa Diretora da Casa, a se realizarem no começo de fevereiro. Mesmo assim, Maia aprovou a decisão de congelar as indicações, anunciada mais cedo por Temer . "Sempre é inteligente a gente conversar para tomar decisões. Neste caso, quanto mais diálogo e menos movimentos bruscos, melhor para ajustar aqui na Câmara. O

que acontece no Executivo fica restrito ao Executivo, e o mesmo com o Legislativo", disse. Para o novo líder do PT na Casa, Paulo Teixeira (SP), a relação com o PMDB precisa ser menos "estridente daqui para frente". Segundo ele, toda essa situação será "pedagógica para criar um 'modus operandi' nas relações partidárias". "É uma relação que tem de ser muito bem cuidada". Tranquilidade – Já o novo ministro de Assuntos Estratégicos Moreira Franco – indicado pelo vice-presidente Michel Temer (PMDB) – afirmou ontem que "haverá sempre divergências" entre PMDB e PT, mas negou uma rebelião dos peemedebistas contra o governo Dilma Rousseff. Ele tomou posse pregando "tranquilidade" na negociação de cargos no segundo escalão federal. "É claro que haverá sempre divergências, mas isso não constitui uma crise", disse Moreira, sobre a relação entre PMDB e PT. "A vida parlamentar é uma vida de dissenso, da opinião e do conflito. O consenso é uma utopia autoritária". Ex-governador do Rio de Janeiro (1987-1991), Moreira Franco substitui o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da república. No discurso de posse, ele disse que os planos da pasta precisam ter prazo de execução e fonte de financiamento para saírem do papel. (Folhapress/ABr)

Beto Richa e Rosalba Ciarlini declaram moratória Governadores do Paraná e Rio Grande do Norte aanunciam saneamento financeiro

D

ecreto assinado ontem pelo governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que suspende o pagamento de fornecedores e prestadores de serviços por prazo máximo de 90 dias, deixou de fora os contratos com valor global até R$ 50 mil, desde que sejam autorizados expressamente pelos secretários responsáveis. Também foram excluídos da moratória a dívida que o Estado tem com a União e os gastos de caráter continuado. "Não são medidas de retaliação, de caça às bruxas, esse não é o meu estilo", afirmou Richa, durante reunião com os secretários. "É um conjunto de medidas que demonstra austeridade, absoluto rigor na aplicação dos recursos públicos", completou. Durante os 90 dias, cada secretário deverá fazer um levantamento de sua pasta em relação à situação funcional, despesas de custeio e obras em andamento. As ordens de serviço e convênios ainda não iniciados também estão provisoriamente interrompidos. "Os pagamentos serão suspensos até análise de todas as despesas que foram efetuadas, principalmente em final de Célio Azevedo/Agência Senado - 22.05.07

Aniele Nascimento/AGP/Folhapress

Richa: "É um conjunto de medidas que demonstra austeridade".

mandato, que nos chamaram um pouco a atenção", disse. O governador também determinou que as secretarias, com exceção de Saúde, Segurança, Educação e Promoção Social, façam corte de 15% nas despesas de custeio, o que se espera resultar em economia de R$ 480 milhões no ano. Além disso, anunciou a exoneração de todos os funcionários que tinham cargo de comissão no governo anterior. Rio Grande do Norte – A governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), também tomou medidas extremas para tentar reequilibrar financeiramente o Estado. Argumentando que encontrou um desvio de R$ 102 milhões no orçamento estadual referente a dezembro, ela decretou moratória em todos os contratos e anunciou Rosalba: moratória em todos os contratos e um pacote de medidas de redução de gastos que inclui o recolhimento de todos os aparelhos de telefone celular funcional, até o dela própria.

um pacote de medidas de redução de gastos, incluindo o recolhimento de todos os aparelhos de telefone celular funcional, até o dela própria. Rosalba afirmou que os R$ 102 milhões são referentes a repasses que deveriam ser feitos com a arrecadação de dezembro e foram gastos com outras finalidades. Ela citou como desvio de recursos promovido em dezembro pelo exgovernador Iberê Ferreira (PSB) os R$ 24,1 milhões que deveriam ter sido repassados aos municípios referentes a 25% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Também mencionou o não pagamento às prefeituras do Fundo de Desenvolvimento da Educação (Fundeb) no valor de R$ 14,4 milhões. Além disso, o Estado potiguar não pagou R$ 10 milhões referentes a parcela de dezembro da dívida fundada (com a União), R$ 18 milhões dos empréstimos em consignação descontados das folhas dos servidores e R$ 36 milhões da parcela do Programa de Apoio à Indústria, que deveriam ter sido repassados. Para pagar tudo isso, há na conta do Estado apenas R$ 600 mil. (Agências)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

7 O quadro clínico do ex-vice é estável e o sangramento está controlado. Boletim médico do Hospital Sírio-Libanês

olítica

Alencar volta para UTI depois de sangramento

O

ex-vice-presidente da República José Alencar voltou ontem para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após apresentar nova hemorragia intestinal. Ele retomou ontem o tratamento de quimioterapia contra um câncer no abdômen, depois de fazer os exames de imagem para saber se poderia voltar ao tratamento. Segundo o boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, o quadro clínico do ex-vice era estável e o sangramento estava sob controle. O tumor que atinge a região abdominal de Alencar teve "progressão clara", segundo o oncologista Paulo Hoff, da equipe médica resp o n s á ve l p e l o ex - v i c e : "Houve uma progressão do sarcoma. Não fizemos uma leitura específica sobre o tamanho, mas houve uma progressão clara". Para o médico, o avanço do câncer se deve à interrupção da quimioterapia.

Lula vai à pesca, à espera da mudança

Alencar chegou a perder cerca de um litro de sangue entre a madrugada e a manhã de ontem, afirmou o portal G1. Os médicos realizaram uma cintilografia e constataram que, momentaneamente, o sangramento havia parado. Nova cirurgia está descartada. Alencar estava consciente e respirava sem a ajuda de aparelhos. Boletim médico divulgado às 16h dizia que exames estavam sendo feitos para detectar o novo local de sangramento no intestino de Alencar e para definir "a melhor conduta". No dia 27 de de novembro, Alencar foi operado para reverter uma obstrução intestinal. Foram cinco horas de cirurgia para extrair dois nódulos e 20 centímetros de seu intestino delgado. Desde então, em idas e vindas no Sírio-Libanês, o político não chegou a passar mais de seis dias fora do hospital. A três dias do Natal, uma forte hemorragia intestinal fez o ex-vice voltar ao Sírio-Libanês. (Folhapress)

Ex-presidente troca São Bernardo pelo litoral, enquanto aguarda os onze caminhões de sua mudança

O

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está, desde ontem, hospedado no Forte dos Andradas, em Guarujá (SP). Segundo fontes do governo, a reserva para o expresidente foi feita do dia 3 até o dia 18 próximo. Lula está acompanhado de Dona Marisa Letícia, os filhos, as noras e netos. O decreto 6.381, de 27 de fevereiro de 2008, que regulamenta a legislação que dispõe sobre medidas de segurança aos ex-presidentes da República, não trata da possibilidade de ex-presidentes se hospedarem em dependências do Exército. Segundo informações de fontes do Planalto, se o ex-presidente for convidado pelo Exército, não há qualquer problema ou ilegalidade nisso. O ex-presidente deixou sua casa em São Bernardo do Campo por volta das 10h30 de ontem. No início da tarde, seus assessores informaram que ele iria a um lugar com sol, onde pode pescar. Depois veio a informação da assessoria do Exército dando conta de seu destino – o Forte dos Andradas, novamente. Perto da Praia do Tombo, a base militar sempre foi um dos locais preferidos do então presidente, para descansar durante seu mandato. Segundo seus assessores, ontem, o ex-presidente tomou café da manhã tranquilamente com a sua mulher, dona Marisa Letícia e depois saiu do prédio pela porta da frente, sem escolta, em um carro não oficial, com os vidros escurecidos. Festa – O ex-presidente retornou a São Bernardo na noite de sábado, depois de passar a faixa presidencial para a presidente Dilma Rousseff. Depois, seguiu para sua cidade, onde foi foi recebido com festa popular com cerca de 2 mil pessoas e subiu no palanque montado em frente ao seu prédio. "Eu volto para casa de cabeça erguida e com a sensação do dever cumprido", disse, parareafirmar em seguida: "Não vou abandonar a política". Nos dias seguintes, Lula não saiu de casa, onde leu jornais, assistiu televisão e almoçou arroz, feijão e pastéis preparados por dona Marisa. Mudança – Lula ainda não recebeu toda a sua mudança de Brasília – os últimos caminhões com seus pertences só sairão da capital nesta sextafeira. No total, serão usados 11 caminhões – um deles especialmente climatizado para adega – para transportar 1.403.417 fotos, cartas, vídeos, presentes, livros. De acordo

Banco Bradesco S.A.

Eu volto para casa de cabeça erguida e com a sensação do dever cumprido. Não vou abandonar a política. EX-PRESIDENTE LULA

com a lei 8.394 de 30 de dezembro de 1991, assinada no governo de Fernando Collor, apesar de a coleção ter sido formada ao longo da Presidência, agora tudo pertence a Lula como pessoa física. A lei determina que, a partir da posse, o acervo documental da pessoa eleita passa a ser considerado presidencial. Até a semana passada, o Departamento de Documentação Histórica da Presidência (DDH), reunia fotos de família ou a primeira bandeira do PT – costurada por dona Marisa Letícia.

A lei determina também que "ao final do mandato presidencial, os documentos tratados pela Secretaria de Documentação Histórica do Presidente da República serão entregues ao titular". Assim, tudo segue para São Paulo – incluindo presentes dados a Lula por chefes de Estado, obras de arte, joias caras, bebidas, as cartas e os presentes de populares. Doações – Fica na Presidência unicamente o que foi doado de forma específica ao governo brasileiro – umas poucas dezenas de itens, como um quadro do piauiense Francisco Galeno, presente do próprio artista ao Palácio do Planalto. A partir de agora, cabe a Lula organizar o acervo para consulta pública. Pela lei, ele pode deixar o material como herança de família, doar e até vender. Em caso de venda, a lei determina que a União tem preferência na compra e, se os documentos forem transferidos para o exterior, é preciso consultar a União antes. Financeiramente, a ajuda da

Presidência limita-se apenas à parte de transporte do material de Brasília à cidade natal do ex-presidente. A empresa Trê s P o d e re s M u d a n ç a s e Transportes Ltda venceu a licitação, e recebeu R$ 19.499,00 para fazer a mudança. A Presidência não divulgou o endereço do local para onde o carregamento segue, pois alega questões de segurança. Instituto Lula – A ideia de Lula é montar um instituto com seu nome, a exemplo dos institutos montados pelos expresidentes Fernando Henrique Cardoso, José Sarney e Itamar Franco. A estrutura do Instituto Fernando Henrique Cardoso foi montada com doações de empresários. O acervo reúne 3 mil horas de registro visual, 265 mil imagens digitais, cerca de 1,5 mil objetos preciosos ou curiosos, e 100 condecorações e prêmios. Somente 10% da documentação textual foi preservada no instituto. O restante foi doado ao Arquivo Nacional. (AE/ Folhapress)

CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Ata da Reunião Extraordinária no 1.705, do Conselho de Administração, realizada em 6.12.2010 Certidão - Secretaria da Fazenda - Junta Comercial do Estado de São Paulo Certifico o registro sob número 449.955/10-2, em 20.12.2010. a) Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

BBD Participações S.A. CNPJ no 07.838.611/0001-52 - NIRE 35.300.335.295 Assembleia Geral Extraordinária Edital de Convocação Convidamos os senhores acionistas desta Sociedade a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada no próximo dia 13 de janeiro de 2011, às 9h, na sede social, Cidade de Deus, Prédio Prata, 4 o andar, Vila Yara, Osasco, SP, a fim de examinar proposta do Conselho de Administração para aumentar o Capital Social no valor de R$810.000.000,00, elevando-o de R$735.612.550,05 para R$1.545.612.550,05, mediante a emissão de 61.132.075 novas ações preferenciais, nominativas-escriturais, sem valor nominal, ao preço de R$13,25 por ação, para subscrição particular pelos acionistas no período de 14.1 a 14.2.2011, na proporção de 32,545987282% sobre a posição acionária que cada um possuir na data da Assembleia (13.1.2011), com integralização à vista, de 100% do valor das ações subscritas. Documentos à Disposição dos Acionistas: Este Edital de Convocação e a Proposta do Conselho de Administração encontram-se à disposição dos acionistas na sede da Sociedade e no Departamento de Ações e Custódia do Banco Bradesco S.A., Instituição Financeira Depositária das Ações da Sociedade, Cidade de Deus, Prédio Amarelo, Vila Yara, Osasco, SP. Cidade de Deus, Osasco, SP, 4 de janeiro de 2011. Lázaro de Mello Brandão - Presidente do Conselho de 5, 6 e 7.01.2011 Administração.

Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Extrato da Ata da Reunião Extraordinária n o 1.683, do Conselho de Administração, realizada em 27.9.2010 Aos 27 dias do mês de setembro de 2010, às 16h30, na sede social, Cidade de Deus, 4 o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, reuniram-se os membros do Conselho de Administração sob a presidência do senhor Lázaro de Mello Brandão. Durante a reunião, os senhores Conselheiros: 1.

registraram, em face de modificações ocorridas no Organograma Funcional da Organização Bradesco, o pedido de renúncia formulado pelo senhor Roberto Sobral Hollander, ao cargo de Membro do Comitê de Conduta Ética, formalizada em carta desta data, cuja transcrição foi dispensada, a qual será levada a registro juntamente com esta Ata;

2.

nomearam com mandato até a 1a Reunião deste Órgão que se realizar após a Assembleia Geral Ordinária de 2011: a.

de conformidade com o disposto no “caput” do Artigo 22 do Estatuto Social, para membro do Comitê de Controles Internos e Compliance, o senhor Moacir Nachbar Junior, brasileiro, casado, bancário, RG 13.703.383-7/SSP-SP, CPF 062.947.708/66, com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900;

b.

de conformidade com o disposto no “caput” do Artigo 23 do Estatuto Social, para membro do Comitê de Remuneração, o senhor Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, brasileiro, casado, bancário, RG 6.448.545/SSP-SP, CPF 021.698.868/34, com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900;

c.

de conformidade com o disposto no “caput” do Artigo 24 do Estatuto Social, para membros do Comitê de Conduta Ética, os senhores Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, brasileiro, casado, bancário, RG 3.272.499/IFP-RJ, CPF 425.327.017/49; André Rodrigues Cano, brasileiro, casado, bancário, RG 8.487.985-3/SSP-SP, CPF 005.908.058/ 27; Josué Augusto Pancini, brasileiro, casado, bancário, RG 10.389.168/SSP-SP, CPF 966.136.968/20; e Moacir Nachbar Junior, já qualificado, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900.

Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Ata da Reunião Extraordinária no 1.775, da Diretoria, realizada em 22.11.2010 Aos 22 dias do mês de novembro de 2010, às 17h, na sede social, Cidade de Deus, 4o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, reuniram-se os membros da Diretoria da Sociedade sob a presidência do senhor Laércio Albino Cezar, na ausência do titular senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi, em férias. Ausente também o senhor Ademir Cossiello, em férias. Durante a reunião, os Diretores decidiram propor ao Conselho de Administração, que deliberará em reunião de 6.12.2010, o pagamento de Juros sobre o Capital Próprio Complementares aos acionistas da Sociedade, no valor de R$1.906.000.000,00, sendo R$0,482461664 por ação ordinária e R$0,530707830 por ação preferencial, cujo pagamento será pelo valor líquido de R$0,410092414 por ação ordinária e R$0,451101656 por ação preferencial, já deduzido o Imposto de Renda na Fonte de 15% (quinze porcento), exceto para os acionistas pessoas jurídicas que estejam dispensados da referida tributação, que receberão pelo valor declarado. Aprovada a proposta, o pagamento será feito em 18.2.2011, beneficiando os acionistas que se acharem inscritos nos registros do Banco em 6.12.2010, passando as ações a ser negociadas “ex-direito” aos Juros Complementares a partir de 7.12.2010. Os Juros Complementares a serem aprovados representam, aproximadamente, 36 vezes o valor dos Dividendos mensalmente pagos. Os Juros Complementares relativos às ações custodiadas na BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros serão pagos à referida BM&FBOVESPA, que os repassará aos acionistas titulares por intermédio dos Agentes de Custódia. A seguir, demonstrativo dos valores pagos e a pagar relativos a 2010: Em R$ Dividendos Mensais pagos

484.660.930,02

Juros Intermediários do 1 o semestre pagos Subtotal – Valores pagos*

558.538.294,80 1.043.199.224,82

Dividendos Mensais a serem pagos em 1o.12.2010 e 3.1.2011

104.444.046,84

Juros Complementares a serem pagos em 18.2.2011

1.906.000.000,00

Total

3.053.643.271,66

(*) Considera as bonificações aprovadas nas AGEs de 18.12.2009 e 10.6.2010. Por ação em R$ Espécie

Dividendos Mensais

Juros Intermediários do 1 o semestre

Juros Complementares

Total

ON

0,158631000

0,155520588

0,482461664

0,796613252

PN

0,174494100

0,171072647

0,530707830

0,876274577

Os Juros distribuídos serão computados, líquidos de Imposto de Renda na Fonte, no cálculo dos Dividendos obrigatórios do exercício previstos no Estatuto Social. A Sociedade poderá, com base no resultado a ser apurado no encerramento do exercício social de 2010, distribuir novos Juros e/ou Dividendos aos acionistas. Nada mais foi tratado, encerrandose a reunião e lavrando-se esta Ata que os Diretores presentes assinam. aa) Laércio Albino Cezar, Arnaldo Alves Vieira, Sérgio Socha, Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, Norberto Pinto Barbedo, Domingos Figueiredo de Abreu, José Alcides Munhoz, Milton Matsumoto, Odair Afonso Rebelato, Aurélio Conrado Boni, Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, Candido Leonelli e Maurício Machado de Minas. Declaramos para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. Banco Bradesco S.A. aa) Domingos Figueiredo de Abreu e Luiz Carlos Angelotti. Certidão - Secretaria da Fazenda - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 426.098/10-9, em 2.12.2010. a) Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Os nomes dos Membros ora nomeados para compor os mencionados Comitês serão levados à aprovação do Banco Central do Brasil, após o que tomarão posse de seus cargos, sendo que permanecerão em suas funções até que a Reunião do Conselho de Administração que nomear os novos Membros no ano de 2011 receba a homologação do Banco Central do Brasil e seja a Ata arquivada na Junta Comercial e publicada. Em decorrência das deliberações tomadas, os Comitês ficam assim compostos: Comitê de Controles Internos e Compliance: Mário da Silveira Teixeira Júnior - Coordenador; Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, Domingos Figueiredo de Abreu, Milton Matsumoto, Alexandre da Silva Glüher, Marco Antonio Rossi, Clayton Camacho, Moacir Nachbar Junior, Roberto Sobral Hollander e Frederico William Wolf; Comitê de Remuneração: Lázaro de Mello Brandão - Coordenador; Antônio Bornia, Mário da Silveira Teixeira Júnior, Luiz Carlos Trabuco Cappi e Carlos Alberto Rodrigues Guilherme; Comitê de Conduta Ética: Milton Matsumoto – Coordenador; Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, Arnaldo Alves Vieira, Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, Domingos Figueiredo de Abreu, Odair Afonso Rebelato, Alexandre da Silva Glüher, André Rodrigues Cano, Josué Augusto Pancini, Marco Antonio Rossi, Clayton Camacho, José Luiz Rodrigues Bueno, Júlio Alves Marques, Moacir Nachbar Junior, Glaucimar Peticov e Frederico William Wolf; ........................................................................................................... ........................................................................................................... Nada mais foi tratado, encerrando-se a reunião e lavrando-se esta Ata que os Conselheiros presentes assinam. aa) Lázaro de Mello Brandão, Antônio Bornia, Mário da Silveira Teixeira Júnior, João Aguiar Alvarez, Denise Aguiar Alvarez e Luiz Carlos Trabuco Cappi. -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.Declaramos que a presente é cópia fiel de trecho da Ata da Reunião Extraordinária no 1.683, do Conselho de Administração realizada em 27 de setembro de 2010, lavrada em livro próprio, homologada pelo Banco Central do Brasil, e arquivada conforme segue: “Secretaria da Fazenda - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 449.954/10-9, em 20.12.2010. a) Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.”. Banco Bradesco S.A. aa) Julio de Siqueira Carvalho de Araujo – Diretor Vice-Presidente e Antonio José da Barbara – Diretor Departamental.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

VENEZUELA 1 Governo e oposição protestam hoje durante posse da Assembleia Nacional

nternacional

VENEZUELA 2 A oposição ocupará 40% do Congresso, após cinco anos de domínio chavista.

Uma 'mão de ferro' contra Lula Itália se mobiliza em oposição à decisão de não extraditar Battisti; Berlusconi garante que caso não afeta 'amizade' com Brasil. Filippo Monteforte/AFP

recusou-se a extraditar Battisti, que disse temer ser perseguido se enviado de volta à Itália. Roma denunciou a decisão e disse que buscará todos os meios judiciais para revertê-la. União Europeia - O governo italiano indicou que estuda levar o tema à UE. O chanceler Franco Frattini encontrou-se com o embaixador da Itália no Brasil e com o representante italiano na UE, para estudar opções legais no nível europeu a fim de pressionar o Brasil. Não está claro, porém, o que a UE poderia fazer. "Isso é um assunto bilateral", disse um porta-voz da Comissão Europeia, Michael Mann. A Chancelaria da Itália contestou a declaração: "O caso é muito mais complexo e não pode excluir uma iniciativa europeia proposta pela Itália sobre a questão." Protestos - Um grupo de cem pessoas, liderado por deputados do Partido Democrático (PD, de centro-esquerda), e também por políticos de outros partidos, manifestou-se em frente à Embaixada do Brasil, em Roma, contra a decisão de Lula não extraditar Battisti. A maioria dos manifestantes pediu "Justiça e não vingança" e chamou Lula e Battisti de "covardes". O Movimento Res propôs um boicote aos produtos brasileiros. Os manifestantes também protestaram contra a primeira-dama da França, Carla Bruni, que teria pedido a Lula que intercedesse por Battisti. Em Milão, um grupo barulhento fez um protesto no Corso Europa, em frente ao Consulado do Brasil, chamando Battisti de "ladrão e assassino" e dizendo que "Lula matou a Justiça". "Não é uma manifestação contra o Brasil e os brasileiros, é contra a decisão de Lula", disse um dos manifestantes, ao jornal Corriere della Sera. (Agências)

Processo de extradição de Battisti é desarquivado

O

p re s i d e n t e d o S T F (Supremo Tribunal Federal), ministro Cezar Peluso, determinou ontem que o pedido de extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti seja desarquivado. Com a medida, Peluzo poderá analisar os dois pedidos encaminhados ao tribunal: o da defesa de Battisti, que pede a sua imediata soltura, e o do governo italiano, solicitando que Battisti

continue preso até que o plenário do tribunal analise a decisão do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva de negar a extradição do italiano. Não se sabe, porém, quando o presidente do STF tomará uma decisão. Na segunda-feira, a defesa de Battisti pediu ao STF a liberdade imediata do ex-ativista, alegando que Lula já tinha dado a palavra final sobre o assunto. Não haveria, portanto,

Protesto diante de embaixada em Roma pede extradição de Battisti. Faixa diz: 'Justiça pisoteada'.

Max Rossi/Reuters

C

entenas de manifestantes se reuniram ontem, em diferentes cidades da Itália, em protestos contra a decisão do expresidente Luiz Inácio Lula da Silva de não extraditar o ex-ativista Cesare Battisti. Houve mobilizações em Milão, Veneza, Nápoles, Palermo, Bolonha e Bari, além de Roma, onde a reunião ocorreu diante da Embaixada do Brasil, na Piazza Navona, a mais importante da cidade. Após reunir-se com as famílias de vítimas, o primeiroministro italiano, Silvio Berlusconi, prometeu "mão de ferro" e reafirmou que pode levar o caso aos tribunais internacionais. Berlusconi ressaltou que as relações diplomáticas permanecem inalteradas. "O Brasil é um país ao qual somos ligados por uma antiga e sólida amizade. Este fato não diz respeito à nossa relação, mas diz respeito à Justiça, e pela Justiça nós lutaremos", disse ele a jornalistas. Mas após se encontrar com Alberto Torregiani, cujo pai foi morto em 1979 pelo grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) de Battisti, Berlusconi disse que a Itália considera o caso uma questão judicial, que o país abordará em todos os níveis. "O ex-terrorista é um criminoso verdadeiro", disse o premiê. Torregiani, ferido no ataque de 1979, vive desde então numa cadeira de rodas. Battisti, um ex-rebelde de esquerda, foi condenado à revelia por quatro homicídios realizados nos anos 1970. Ele viveu como fugitivo no México e na França, antes de voar em 2004 ao Brasil, onde foi preso em 2007. Battisti admitiu ter integrado o PAC, mas nega ter atirado em alguém. Em seu último dia no cargo, 31 de dezembro, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva

razões para mantê-lo preso. Battisti está na penitenciária da Papuda, em Brasília. Mas o governo da Itália pediu ontem ao tribunal que Battisti permaneça preso pelo menos até fevereiro, quando os ministros voltam do recesso, e classificou como afronta à soberania italiana e insulto às instituições do país a decisão de Lula de negar a extradição do ex-ativista.

Em 2009, o STF autorizou a extradição, mas deu a Lula o direito de tomar a decisão final, desde que respeitasse o tratado. No decreto, Lula argumentou que, se Battisti fosse entregue para a Itália, ele poderia ter seu estado "agravado". Segundo o tratado, um dos países pode recusar-se a extraditar um réu diante do risco de que a outra nação desrespeite os direitos humanos. (Agências)

Marcelo Capece/AFP

Um assalto digno de Hollywood Ó RBITA

U

ma quadrilha aproveitou as comemorações de Ano-Novo do último fim de semana para esvaziar pelo menos 136 cofres de uma agência bancária de Buenos Aires, na Argentina. O grupo usou um túnel de 30 metros para chegar até a caixaforte, localizada no subsolo, e levou milhões de dólares de clientes do Banco Província. Estimativas extraoficiais calculam que o valor furtado varia de R$ 4,9 milhões a R$ 10,8 milhões. Conforme a polícia local, os ladrões alugaram um imóvel vizinho, há meio ano, e diziam es- Clientes da agência do Banco Província, no bairro de Belgrano, fazem fila em busca de informações. tar reformando o prédio, para disfarçar o ruído. nhã de ontem, quando os fun- mas do roubo. A maior dificul- R$ 164,7 milhões foram levados Até agora, o único sinal dos cionários da agência chegaram dade agora é negociar a indeni- do Banco Central de Fortaleza bandidos são imagens que mos- para trabalhar após o feriado. zação a cada cliente, já que o (CE), em 2005. Os ladrões alugatram três pessoas abandonando Os clientes do banco se aglo- conteúdo dos cofres é sigiloso. ram uma casa próxima à sede o imóvel de onde partia o túnel. meraram no local ontem para Brasil - Em um caso seme- do banco para fazer um túnel O golpe foi descoberto na ma- descobrir se haviam sido víti- lhante ao assalto argentino, que ia até o cofre. (Agências)

PALESTINOS

U

m dos fundadores da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), Ahmad Yamani, faleceu em um hospital em Beirute, informou a própria organização ontem. O comunicado, que não divulgou a data do falecimento, descreve Yamani, de 86 anos, como "um grande líder palestino que passou sessenta anos de sua vida lutando para a libertação da Palestina e pela unidade árabe". (Agências)

WIKILEAKS

O

presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, tentou chegar a um acordo de troca de combustível nuclear mais de um ano atrás, mas enfrentou pressões internas de linhas-duras que viam a medida como uma "derrota virtual", segundo telegramas diplomáticos norteamericanos divulgados pelo WikiLeaks ontem. A avaliação foi feita pelo chanceler turco, Ahmet Davutoglu, cujo país mantém uma relação de amizade com Teerã. (AE)

Daniel Munoz/Reuters

Começa a reforma na ilha de Fidel

C

uba começou ontem o processo de demissão de meio milhão de funcionários públicos em cinco importantes setores econômicos do país, entre eles os ministérios do Açúcar e da Saúde Pública. A medida é uma das principais reformas do presidente Raúl Castro para impulsionar a economia da ilha comunista. "A nós cabe a tarefa de sermos os garantidores do reordenamento trabalhista que começa hoje (ontem)", declarou o dirigente da Central dos Tra-

balhadores de Cuba (CTC), Salvador Valdés. Segundo ele, o sindicato iria supervisionar as demissões, inicialmente dirigidas aos trabalhadores dos ministérios do Açúcar, Agricultura, Construção, Saúde Pública e Turismo. Valdés disse que "ninguém ficará desamparado", já que a maioria dos trabalhadores receberá outras ofertas de emprego. Hoje, 80% da força de trabalho está no setor público. (Agências) leia mais nas páginas 15 e 16

AUSTRÁLIA

A

s fortes chuvas deram uma trégua ontem na maior região de minas de carvão da Austrália e a produção foi retomada parcialmente. Mas os moradores do Estado de Queensland continuam em

alerta: agora, a preocupação é com cobras e crocodilos (foto). As enchentes afetaram 200 mil pessoas e forçaram o esvaziamento de várias cidades. Em Rockhampton, o rio está 9,2 metros acima de seu nível normal. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

9

EDITAL DO IPTU - 2011 CALENDÁRIO DE ENTREGA DE NOTIFICAÇÕES

A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, nos termos do § 2º artigo 10 da Lei nº 14.107, de 12/12/05, com a redação que lhe foi dada pela Lei nº 14.865, de 29/12/08, comunica que os proprietários e/ou possuidores de imóveis localizados neste Município serão notificados dos lançamentos do IPTU relativos ao exercício de 2011 por meio da entrega das NOTIFICAÇÕES, pelo Correio, nas datas constantes da relação abaixo: COLUNA 1

COLUNA 2

COLUNA 3

COLUNA 4

Dia de

COLUNA 6

COLUNA 5

Limite para

Período para

vencimento

Vencimento da 1ª

Postagem

recebimento das

requerer a NOTIFICAÇÃO

(opção via

prestação ou da

das NOTIFICAÇÕES

NOTIFICAÇÕES

nas Subprefeituras

recadastramento)

parcela única

no Correio

pelo contribuinte

ou emitir 2ª via pela Internet

01

01/02/2011

14/01/2011

19/01/2011

20/01/2011

31/01/2011

02

02/02/2011

17/01/2011

24/01/2011

26/01/2011

01/02/2011

03

03/02/2011

18/01/2011

24/01/2011

26/01/2011

02/02/2011

04

04/02/2011

19/01/2011

24/01/2011

26/01/2011

03/02/2011

05

05/02/2011

20/01/2011

26/01/2011

27/01/2011

04/02/2011

06

06/02/2011

20/01/2011

26/01/2011

27/01/2011

04/02/2011

07

07/02/2011

20/01/2011

26/01/2011

27/01/2011

04/02/2011

08

08/02/2011

21/01/2011

26/01/2011

27/01/2011

07/02/2011

09

09/02/2011

24/01/2011

31/01/2011

01/02/2011

08/02/2011

10

10/02/2011

24/01/2011

31/01/2011

01/02/2011

09/02/2011

11

11/02/2011

26/01/2011

31/01/2011

01/02/2011

10/02/2011

12

12/02/2011

27/01/2011

01/02/2011

02/02/2011

11/02/2011

13

13/02/2011

27/01/2011

01/02/2011

02/02/2011

11/02/2011

14

14/02/2011

27/01/2011

01/02/2011

02/02/2011

11/02/2011

15

15/02/2011

28/01/2011

02/02/2011

03/02/2011

14/02/2011

16

16/02/2011

31/01/2011

07/02/2011

08/02/2011

15/02/2011

17

17/02/2011

01/02/2011

07/02/2011

08/02/2011

16/02/2011

18

18/02/2011

02/02/2011

07/02/2011

08/02/2011

19

19/02/2011

03/02/2011

08/02/2011

20

20/02/2011

03/02/2011

21

21/02/2011

22

Endereço das Subprefeituras para requerimento de NOTIFICAÇÃO não recebida até a data limite de entrega

BUTANTÃ

Rua Dr. Ulpiano da Costa Manso, 201

CAMPO LIMPO

Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 59

CAPELA DO SOCORRO

Rua Cassiano dos Santos, 499

CASA VERDE

Av. Ordem e Progresso, 1.001

CIDADE ADEMAR

Av.Yervant Kissajikian, 416

CIDADE TIRADENTES

Estrada do Iguatemi, 2.751

ERMELINO MATARAZZO Av. São Miguel, 5.550 FREGUESIA DO Ó

Rua João Marcelino Branco, 93/95

GUAIANAZES

Estrada Itaquera-Guaianazes, 2.565

IPIRANGA

Rua Lino Coutinho, 444

ITAQUERA

Rua Augusto Carlos Bauman, 851

ITAIM PAULISTA

Av. Marechal Tito, 3.012

JABAQUARA

Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 2.314

JAÇANÃ/TREMEMBÉ

Av. Luís Stamatis, 300

LAPA

Rua Guaicurus, 1.000

M’BOI MIRIM

Av. Guarapiranga, 1.265

MOOCA

Rua Taquari, 549

PARELHEIROS

Av. Sadamu Inoue, 5.252

PENHA

Rua Candapui, 492

17/02/2011

PERUS

Rua Ylidio de Figueiredo, 349

09/02/2011

18/02/2011

PINHEIROS

Av. das Nações Unidas, 7.123

08/02/2011

09/02/2011

18/02/2011

PIRITUBA/JARAGUÁ

Rua Dr. Felipe Pinel, 12

03/02/2011

08/02/2011

09/02/2011

18/02/2011

SANTANA/TUCURUVI

Av. Tucuruvi, 808

22/02/2011

04/02/2011

09/02/2011

10/02/2011

21/02/2011

SANTO AMARO

Praça Floriano Peixoto, 54

23

23/02/2011

07/02/2011

14/02/2011

15/02/2011

22/02/2011

SÃO MATEUS

Av. Ragueb Chohfi, 1.400

24

24/02/2011

08/02/2011

14/02/2011

15/02/2011

23/02/2011

SÃO MIGUEL

Rua Dona Ana Flora Pinheiro de Souza, 76

25

25/02/2011

09/02/2011

14/02/2011

15/02/2011

24/02/2011

Rua Álvares Penteado, 53

26

26/02/2011

10/02/2011

15/02/2011

16/02/2011

25/02/2011

V.ARICANDUVA

Rua Eponina, 82

27

27/02/2011

10/02/2011

15/02/2011

16/02/2011

25/02/2011

V. FORMOSA

Rua Eponina, 82

28

28/02/2011

10/02/2011

15/02/2011

16/02/2011

25/02/2011

V. MARIA/V. GUILHERME Rua General Mendes, 111

29

28/02/2011(*)

10/02/2011

15/02/2011

16/02/2011

25/02/2011

VILA MARIANA

Rua José de Magalhães, 500

30

28/02/2011(*)

10/02/2011

15/02/2011

16/02/2011

25/02/2011

VILA PRUDENTE

Av. do Oratório, 172

(*) excepcionalmente em fevereiro, com vencimentos nos dias 29 e 30 para os meses seguintes.

• Não recebendo a NOTIFICAÇÃO até a data limite (ver COLUNA 4), o contribuinte deverá requerê-la, no período indicado na COLUNA 5, em qualquer um dos locais relacionados na COLUNA 6 deste EDITAL. Caso o requerimento não seja feito, o contribuinte será considerado notificado nos termos do § 2º artigo 10 da Lei nº 14.107, de 12/12/05, com a redação que lhe foi dada pela Lei nº 14.865, de 29/12/08. O pagamento, à vista ou das parcelas, poderá ser efetuado por meio de 2ª via emitida pela Internet, em www.prefeitura.sp.gov.br, disponível a partir do dia 18 de janeiro de 2011. • O vencimento será: no dia escolhido, para os contribuintes que fizeram opção via recadastramento, nos termos da Lei nº 14.089, de 22/11/2005; no dia 09, para os contribuintes que não fizeram opção via recadastramento; no dia 20, para os contribuintes que optaram pela notificação por Administradoras de Imóveis e não fizeram opção via recadastramento, vencendo a primeira prestação no mês de março. • Os vencimentos nos dias em que não haja expediente bancário serão prorrogados para o primeiro dia útil seguinte, sem a cobrança de qualquer acréscimo.

• Os contribuintes isentos receberão a notificação de isenção a partir do dia 11 de janeiro de 2011. • O não pagamento de qualquer parcela do IPTU sujeita o contribuinte à inscrição no CADIN municipal.

Informações pelo telefone 156 e pela Internet em www.prefeitura.sp.gov.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

VÍTIMAS Minas Gerais é o estado com o maior número de vítimas fatais das chuvas.

idades

ALERTA Rio Atibaia transborda e famílias ficam desabrigadas no interior de SP.

Em 10 dias, chuvas matam 20 no Sudeste Minas Gerais é o estado mais afetado, com 12 vítimas fatais. Ontem, duas crianças e uma adolescente morreram em Petrópolis (RJ). No Sul, o problema é a falta de água.

A

s chuvas que atingem a Região Sudeste já causaram 20 mortes desde o dia 25 de dezembro, de acordo com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. São 12 vítimas em Minas Gerais, 5 no Espírito Santo e três no Rio de Janeiro, segundo o chefe do Centro Nacional de Gerenciamento de Risco e Desastres, Armin Braun. O caso mais recente foi em Petrópolis, região serrana do Rio. Um deslizamento de terra na madrugada de ontem deixou três vítimas fatais – duas crianças e uma adolescente. Por volta da meia-noite, a casa em que estavam as vítimas foi soterrada. Cinco pessoas conseguiram escapar com vida. Logo que chegaram ao local, as equipes da Defesa Civil e dos Bombeiros encontraram o corpo de Suelen Cipriano Botelho, de 14 anos. Durante a manhã, foi achado o corpo de Lívia, de 8 anos e, no início da tarde, de Jussara, também de 8 anos. A família estava dormindo na hora do desmoronamento.

Uma barreira de cerca de 50 metros atingiu a casa, localizada na comunidade Mata Cavalo. Segundo a Defesa Civil, era a única residência no local. Após o deslizamento, Hamilton Cipriano e sua esposa, Selma Botelho, conseguiram deixar a casa com dois netos, Josué, de 9 anos e Cleber, de 3, e uma filha, Délia, de 14 anos. Suelen era filha do casal e as outras duas vítimas, netas. Os pais das crianças não estavam no imóvel no momento do acidente. Estiagem – No Rio Grande do Sul, o problema é a falta de chuva. Desde o dia 22 de dezembro, três municípios gaúchos – Candiota, Pedras Altas e Herval – decretaram situação de emergência e um quarto, Bagé, recorreu ao racionamento da distribuição de água. Moradores de Aceguá, Hulha Negra e Pinheiro Machado também se queixam da falta de água. Não há perspectiva de chuvas abundantes na região esta semana. A estiagem já prejudica lavouras de milho, soja e feijão. (Agências)

Ernesto Rodrigues/AE

Nuvens carregadas cobrem a zona oeste da Capital, por volta das 12 horas de ontem. Chuva deve continuar hoje em todo o Estado de São Paulo.

Gabriel de Paiva/AOG

Interior paulista embaixo d´água Rio Atibaia transbordou 1,2 metro ontem, deixando centenas de famílias na região desabrigadas

P

or causa das chuvas, 26 municípios paulistas estão em estado de atenção, segundo o último balanço da Defesa Civil do Estado. A maior parte deles (22) na região de Campinas e quatro na Baixada Santista. Desde o início do verão, os temporais já deixaram 347 desabrigados no Estado. Em Santos, a Defesa Civil da cidade contabilizou 74 ocorrências causadas pelas chuvas desde anteontem, 70% relacionadas a deslizamentos. Por

causa dos riscos, 26 imóveis foram interditados. A circulação em algumas vias ficou prejudicada pela queda de barreiras. Mas a administração local já está promovendo a limpeza e desobstrução das ruas. Um deslizamento também interditou parcialmente a rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101), em Hortolândia, interior do Estado. A concessionária responsável pela operação da estrada já liberou via. O Rio Atibaia transbordou

ontem em 1,2 metro fora da sua calha e obrigou a Defesa Civil Estadual a remover 450 famílias de 11 bairros alagados em Atibaia. Cenas comuns em janeiro de 2010 voltaram a repetir-se na cidade de 110 mil habitantes, com famílias inteiras do bairro de classe média Parque das Nações removidas em barcos durante todo o dia. A elevação no nível de água do manancial, que chegou a 4,2 metros de profundidade, também causou enchentes em outras 14 ci-

dades na região de Campinas. A previsão de novos temporais hoje no interior de São Paulo pode elevar ainda mais o nível do Atibaia e colocar outros bairros e cidades debaixo d'água. Há também o risco de deslizamentos e de novas inundações em municípios cruzados pelo rio, como Nazaré Paulista, Piracaia e Bragança Paulista. Capital – Ontem, foi mais um dia de chuva forte na Capital. A zona leste da cidade ficou em estado de atenção. (Agências)

Bombeiros retiram vítimas de desmoronamento em Petrópolis, no Rio Daniel Castellano/Folhapress

Pane em avião da TAM obriga piloto a fazer pouso forçado Airbus seguia de Londrina para Curitiba. Ontem foi dia de atrasos nos aeroportos.

U

m Airbus A320 da TAM, que seguia de Londrina para Curitiba, fez na noite de segunda-feira um pouso forçado, acompanhado pelo Corpo de Bombeiros, no aeroporto Afonso Pensa, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Por volta das 22 horas, o comandante da aeronave avisou a torre que estava com uma pane hidráulica, o que afetaria o acionamento do trem de pouso. O avião levava 71 passageiros e ninguém se machucou. A TAM negou problemas na aterrissagem com o Airbus.

Atra sos – O alto índice de atrasos nos voos registrados esta semana levou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a estender, até sextafeira, a operação para evitar transtornos nos aeroportos. A prorrogação do esquema especial, iniciado em 17 de dezembro, vai se restringir aos aeroportos de São Paulo, Rio e Brasília. Mesmo assim, até as 18 horas de ontem, segundo balanço da agência, 28,7% dos voos domésticos programados decolaram depois do previsto. Os passageiros da TAM foram os mais afetados. Dos

658 voos da companhia, mais da metade atrasou. Na Webjet, 44 dos 104 voos saíram após a hora programada. O terminal mais afetado foi o de Brasília, com 62 voos atrasados até as 18 horas de ontem, seguido por Guarulhos (60), Salvador (44) e Congonhas (44), de acordo com a Infraero, estatal que administra os aeroportos. Segundo a Anac, as empresas alegam que os transtornos foram causados por problemas meteorológicos. Procuradas, nem a TAM nem a Webjet responderam. (Agências)

Movimento intenso no aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, ontem: paciência para enfrentar as filas na TAM

Divulgação

Uma mulher, um ideal e milhares de animais salvos

A

missa de sétimo dia em memória de Maria Aparecida das Graças Lellis, a Dona Cida, será celebrada amanhã. A exbancária e ex-funcionária de uma corretora da bolsa de valores em Nova York, foi também a fundadora da ONG Clube dos Vira-Latas, uma conhecida entidade paulista que protege animais que sofreram maus tratos. Atualmente, abriga cerca de 500 animais. A missa será celebrada a partir das 19h30, na Paróquia São Francisco de Assis, localizada na Rua Borges Lagoa, 1.209 A, na Vila Clementino.

Dona Cida foi vítima de um acidente vascular cerebral e era portadora de uma rara doença conhecida por Síndrome de Goodpasture, responsável pela degeneração dos pulmões e dos rins. Ao longo da vida, Dona Cida trabalhou como bancária e também em uma corretora na bolsa de valores de Nova York. Nos Estados Unidos, confidenciou a pessoas próximas que nunca tivera aulas de inglês. Dizia que aprendeu a falar e a escrever sozinha. De volta ao Brasil, ela interrompeu o trabalho para cuidar dos pais que necessitavam de cuidados. Há

Dona Cida aprendeu com os pais a amar os animais. E viveu por eles.

dez anos, eles morreram e deixaram um legado para Cida, a mais nova entre os cinco irmãos: o amor pelos animais. A partir daí, investiu todo o seu dinheiro na construção de uma entidade

em defesa dos animais. Os irmãos não aprovaram a ideia e se afastaram. Nunca foi casada nem teve filhos. Mesmo assim, seguiu com o projeto de um lar para animais que sofrem de mau

tratados. Por vezes, repetia para os amigos que o convívio com eles ajudou a superar a morte dos pais. "Com a perda, ela queria criar uma entidade em defesa dos humanos ou dos animais. No fim, optou pelos animais, que são mais indefesos", lembra Cláudia Demarchi, presidente interina da entidade. O Clube dos Vira- Latas ganhou projeção e possui escritório em bairro nobre de São Paulo. Nesses nove anos de existência, atendeu a quase cinco mil animais - a maioria cães e gatos. Além disso, recebeu outras espécies, como corujas, gambás e veados, entre outros. "Atualmente, todos os animais saem da nossa ONG castrados, chipados e vermificados", descreve

Cláudia. Nos últimos dois meses que antecederam à morte de Dona Cida, os animais foram os seus grandes companheiros, em especial dois deles: o vira-lata Esquisito ou Sito e o pastor alemão Constantino ou Tino. "Ela amava esses dois. Sito era realmente esquisito e parecia uma paca. Por isso, ela tinha um amor imenso por ele. Já o Tino era o seu braço direito. Era ele quem separava a briga entre os animais, mas sem mordêlos", relembra Cláudia. Mesmo com a morte de sua fundadora, a ONG continuará na defesa dos animais . "Lembro que ela me fez prometer que iria cuidar das crianças dela. Vou atender ao seu pedido, com muito amor", diz Cláudia. (IV)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

3

º

TERCEIRO SETOR - 11 ÍNDICE o autismo atinge de duas a cinco crianças em cada dez mil nascidas.

setor

UNIDADES A AMA, criada em 1983, tem cinco unidades e 200 funcionários.

Eles vivem num mundo diferente A Associação Amigos do Autista (AMA) trabalha para amenizar as dificuldades enfrentadas pelos portadores da síndrome. Atende hoje 200 pessoas. Kelly Ferreira Guilherme, de 6 anos, abraça a mãe, Marta, numa cena rara para autistas. A agressividade ficou para trás depois que o menino começou a frequentar as aulas na AMA.

G

uilherme tem 6 anos e muita energia. Pula, brinca e se diverte. Não tem problemas de audição, mas não conversa nem esboça nenhuma palavra desde que nasceu. A comunicação acontece por meio de gestos e objetos. Portador de autismo, descoberto quando tinha pouco mais de dois anos, ele também tem dificuldade para interagir com outras pessoas, crianças ou adultos. Mas a agressividade, também comum na rotina dos autistas, ficou para trás desde que passou a frequentar diariamente as aulas na Associação Amigos do Autista (AMA), no Cambuci, região Central de São Paulo. "Hoje ele está mais carinhoso. Demonstra o que quer, sabe ir ao banheiro sozinho e atende quando o chamamos pelo nome. A cada dia melhora mais", disse a mãe de Guilherme, Marta Lima, de 23 anos. Mas Guilherme não está sozinho na luta para conviver com o autismo com qualidade de vida. Desde 83 – A AMA, criada em 1983, atende outras 200 crianças, jovens e adultos, com idades entre dois anos e meio e 42, em cinco unidades na Grande São Paulo. Com 200 funcionários – estagiários, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e professores de educação física, entre outros –, a associação tenta amenizar as

Fotos: Lilo Clareto/Luz

dificuldades de seus alunos utilizando dois métodos de linguagem: a receptiva, por meio de informações visuais, e a expressiva, com a fala por meio de figuras e objetos. "O autista nunca terá alta do tratamento, das aulas. É um problema genético, mas é possível melhorar a qualidade de Marli Bonamini, coordenadora da AMA, tem uma filha autista de 36 anos, a quem não conseguia ensinar a falar. "Acho que ela não me reconhece como mãe, não tem noção de família", disse.

vida, como com a diminuição da agressividade, que não é própria do autista. Ela se desenvolve porque ele não consegue se comunicar", disse a coordenadora da AMA, Marli Bonamini Marques, mãe de Débora, de 36 anos, portadora de autismo. As crianças, adolescentes e adultos portadores de autismo ficam na AMA por quatro horas diárias, de manhã ou à tarde. Exceto na unidade de Parelheiros, na zona sul, onde o período é de oito horas por dia. Após a avaliação, cada um deles recebe um programa de desenvolvimento, com atividades para desenvolver habilidades nas quais tem mais dificuldade. As salas de aula da AMA são estruturadas para que todos possam enfrentar os processos de aprendizagem. São poucas crianças e um nú-

Garotos são mais atingidos

O

autismo é uma síndrome que tem como causa principal alterações biológicas, sejam hereditárias, ocorridas na gestação e/ou no parto. Possivelmente, dessas alterações decorrem os erros no funcionamento cerebral. A síndrome, geralmente, é identificada antes dos três anos de idade, por conta de desvios qualitativos na comunicação, na interação social e no uso da imaginação. Alguns permanecem indiferentes, não entendendo muito bem o que se passa na vida social à volta. Eles se com-

portam como se as outras pessoas não existissem, rejeitam o contato físico, olham através das pessoas, como se elas não estivessem lá, e não reagem a alguém que fale com eles ou os chame pelo nome. As emoções aparecem pouco nas faces, exceto quando ficam muito bravos ou agitados. Outros autistas são extremamente passivos, mas amigáveis se a interação é iniciada por outra pessoa. Permanecem estranhamente distantes e desinteressados pelo que ocorre ao redor. Há ainda os do tipo esquisito, excêntrico, que se aproximam e interagem com as

pessoas de forma inadequada, tocando-as, interrompendo-as e agindo de forma dissonante do contexto. Muitas vezes o simples fato de querer ir ao banheiro e não conseguir comunicar a necessidade a ninguém pode ocasionar auto-agressão ou agressão aos outros. A síndrome atinge de duas a cinco crianças em cada dez mil nascidas e é de duas a quatro vezes mais comum em meninos do que em meninas. O diagnóstico precoce e a pronta intervenção não trazem a cura, mas, sem dúvida, promovem uma melhor qualidade de vida para esses pacientes e suas família.

Crianças em aula na AMA: diagnóstico precoce e rápida intervenção melhoram a qualidade de vida

mero de profissionais adequado para atendê-las. O programa de aprendizado é individual e cada aluno tem uma pasta com um programa único, que é seguido no ritmo de cada um. As atividades visam desenvolver habilidades motora, sensorial, perceptiva, cognitiva, além da socialização. Ensinamentos de como usar o

banheiro, escovar os dentes, comer, vestir e calçar também fazem parte do dia a dia. As atividades também acontecem fora das salas de aula. As atividades de educação física são dadas por uma fisioterapeuta que desenvolve os exercícios com objetivos específicos, adequando-os as necessidades de cada um. Já o projeto

Brincar trabalha com diferentes brinquedos e jogos, respeitando sempre as habilidades e dificuldades individuais. Depois do lanche, é hora de ir brincar no parque. "Com o tempo descobri que o autismo não tem cura. Não conseguia ensinar a minha própria filha a falar. Acho que ela não me reconhece como mãe, não tem noção de família. Às vezes ela sorri, mas não sei se é para mim. Por isso, acho importante as atividades que realizam na AMA, para socializá-los”, disse Marli.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

Logo Logo

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Garota com rosto maquiado segura seu gato durante exibição de felinos, na Rússia.

Vladimir Konstantinov/Reuters

www.dcomercio.com.br

JANEIRO

12 -.LOGO

05

Escritor Marcelo Rubens Paiva lançava, em 1983, Feliz Ano Velho.

C RIME A UDIÊNCIA

E M FORMA...

O retrato do assassino

Mario Anzuoni/Reuters

Vereador filipino fotografava a família em frente à sua casa quando foi morto

O Médico de Michael Jackson no tribunal Começou ontem em Los Angeles (EUA) a audiência preliminar do médico Conrad Murray, acusado de homicídio involuntário do rei do pop Michael Jackson. O objetivo é determinar se há provas suficientes para a realização de um julgamento. O cantor morreu de overdose de remédio para dormir em julho de 2009, aos 50 anos, após sofrer um ataque cardíaco em sua mansão. E M

O médico admitiu ter dado uma injeção do anestésico propofol a Jackson. A droga é usada em hospitais, mas foi aplicada no astro como um sonífero. As audiências preliminares podem durar até duas semanas, um período ainda mais longo do que as audiências do julgamento de 1995 de O. J. Simpson pelo assassinato de sua ex-mulher. (Agências)

C A R T A Z

s policiais que investigam o assassinato de um vereador filipino na passagem do Ano Novo não tiveram de procurar muito para chegar aos suspeitos. Uma fotografia tirada pelo próprio Reynaldo Dagsa minutos antes de ser atingido pelos tiros levou à prisão de dois homens. A imagem, tirada do lado de fora da casa do vereador, em Manila, mostra claramente um homem segurando sua arma por trás da sorridente família de Dagsa, segundos antes de ele ser atingido. Em outro canto da fotografia há um homem que a polícia identificou como olheiro do assassino. A família disse que não ouviu o barulho do tiro por causa dos fogos que explodiam nas

Família Dagsa/AFP

proximidades. Eles só perceberam o que havia acontecido quando Dagsa caiu no chão. Os familiares entregaram a

imagem para a polícia e ela foi publicada na primeira página da edição de ontem do jornal filipino Daily Inquirer. (AE)

Ronaldo pronto na estreia do Paulista? O ano de 2011, o último de sua carreira de jogador, promete ser bastante intenso para Ronaldo. A preparação para a nova temporada, que começou ontem, em Itu, tem como objetivo colocar o atacante em campo já na estreia no Campeonato Paulista, dia 16, contra a Portuguesa, no Pacaembu. Em se tratando de Ronaldo, essa é uma decisão até certo ponto surpreendente. O que se esperava para este começo de ano era que ele – assim como o resto do time – se preparasse apenas para os confrontos da préLibertadores, contra o Tolima, nos dias 26 de janeiro e 2 de fevereiro. Mas é claro que o começo de temporada do Fenômeno não foi igual ao dos demais, que se reapresentaram na segunda-feira. Ele só chegou a Itu ontem à tarde, 'cabulando' o treino da manhã com a anuência da diretoria. (AE)

Jon Nazca/Reuters

M UDANÇA

ARTE

Paul Hackett/Reuters

Menos cerveja no copo do inglês

L

Mostra coletiva 20 e Poucos Anos exibe o trabalho de 12 artistas contemporâneos na Baró Galeria. Rua Barra Funda, 216, tel.: 3666-6489. Grátis.

Os frequentadores de pubs na Grã-Bretanha vão ter de se acostumar com uma nova medida (menor) para a cerveja. No lugar do tradicional pint, entra o schooner, anunciou o governo inglês ontem.

F IM

ECLIPSE - Silhueta de uma gaivota é fotografada em frente ao eclipse parcial do Sol na praia de Guadalmar, em Málaga (Espanha). O evento de ontem foi visível na maioria da Europa e em algumas regiões asiáticas.

'A JUDINHA'

Joseph Eid/AFP

V ISITAÇÃO

NY, a campeã do turismo nos EUA. Apesar da recessão econômica e do medo de percevejos, Nova York atraiu um recorde de 48,7 milhões de visitantes em 2010, se tornando o maior destino turístico dos Estados Unidos pelo segundo ano consecutivo. O prefeito Michael Bloomberg disse que o número de turistas teve um aumento de 6,8% sobre os 45,6 milhões de 2009. O ano passado marcou a primeira vez que a Big Apple atraiu a maioria dos turistas, superando Orlando, na Flórida. (Reuters)

Kazuhiro Nogi/AFP

L

Por 90 anos, o café Jemmayzeh, em Beirute (Líbano), resistiu a tudo – inclusive a 15 anos de guerra civil. Mas, no dia 10, ele fechará as portas após uma decisão da justiça em favor do novo dono do prédio.

E SPORTE

O destino de Ronaldinho

C INEMA

Uma prévia do Oscar 2011 Produtores dos EUA. Os ganhadores serão conhecidos no dia 22, três dias antes das indicações ao Oscar. A seleção do sindicato normalmente coincide com a da Academia. (AE)

L

O relato sobre o Facebook A Rede Social, o drama sobre a monarquia britânica O Discurso do Rei e o sucesso de ficção científica A Origem foram indicados ontem aos prêmios do Sindicato de

No primeiro dia útil após a virada do ano, executivos e empresários participam de cerimônia de purificação num templo em Tóquio, no Japão. Eles pedem bons negócios para 2011.

R ADAR C RÍTICA

Terremotos em tempo real na internet

Andrea Comas/Reuters

Se lhe parece que todo santo dia um terremoto sacode alguma parte do mundo, pois fique sabendo que você está certo. No mapa de ontem à tarde, inclusive, vários sismos estavam acontecendo ao redor do globo. ear thquake.usgs.gov/ear thquakes

A TÉ LOGO

L OTERIAS Concurso 930 da DUPLA SENA Primeiro Sorteio 09

Arcebispo de Brasília, d. João Braz de Aviz, é nomeado prefeito no Vaticano.

L

Maestro John Neschling deixa direção da Companhia Brasileira de Ópera

L

PM apreende em Sorocaba mais de 80 mil maços de cigarros contrabandeados

11

34

37

39

49

20

33

45

Segundo Sorteio 01

L

L

Se Jesus nascesse na cidade de Belém nos dias de hoje, segundo a visão do artista americano Leo Bassi, ele apareceria nos braços de um soldado do exército de Israel.

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

As negociações envolvendo Ronaldinho Gaúcho finalmente terminam hoje. É o que garantiu o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, que está no Rio de Janeiro e só retorna a Milão após o fim da novela. Seu desligamento do Milan foi acertado no fim de semana e o clube italiano agora busca compensação financeira para liberá-lo para assinar com uma equipe brasileira. Grêmio, Palmeiras e Flamengo estão na briga para contratá-lo. (AE)

02

13

Concurso 2488 da QUINA 02

04

26

49

55


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

e

13 PROPOSTA A Petrobras está interessada em deter 33,34% do capital da Galp

conomia

FUSÕES Levantamento mostra que operações no Brasil cresceram 76,1%

Patrícia Cruz/LUZ

Imposto supera geração de riqueza no Brasil Segundo IBPT, arrecadação deverá chegar ao recorde de R$ 1,4 tri neste ano. Ricardo Osman

O

Devolutômetro da Secretaria da Fazenda: programa da Nota Fiscal Paulista devolveu R$ 3,3 bilhões.

Governo quer conter alta do real

O

Marcelo Camargo/Folhapress

ministro da Fazenda, não temos definição em rela- melhora da economia americaGuido Mantega, afir- ção a isso", disse Mantega. Ele na", explicou Mantega. "A recumou ontem que a va- argumentou que os ministérios peração dos EUA ajuda na reculorização do real acendeu o si- estão com disponibilidade pe- peração da economia mundial, nal de alerta do governo, que, quena de recursos em janeiro, mas isso causa esse fato contrasegundo ele, está pronto para enquanto a definição do con- ditório que é a desvalorização tomar medidas para conter es- tingenciamento não está feita. do próprio dólar", disse. Comércio exterior – A equipe se processo. "Não mediremos "Estamos analisando o que poesforços para impedir que o dó- demos reduzir de custeio e o econômica procurará manter o lar derreta, seja direta ou indire- que podemos postergar de superávit da balança comercial em torno de US$ 20 bilhões tamente", afirmou. Apesar de projetos", afirmou. O ministro da Fazenda, Guido neste ano, disse o ministro. Senão ter anunciado medidas na entrevista coletiva concedida Mantega, atribuiu a recente des- gundo ele, esse objetivo pode ser alcançado tanto nesta terça-feira, o por meio de mediministro destacou das cambiais como que o governo já está de políticas de estítrabalhando em uma mulo à exportação "ação fiscal for te" e de melhoria da que, no médio prazo, comp etitividade. tende a contribuir "Há analistas projepara reverter o protando saldo positicesso de valorização vo de US$ 8 bilhões, do real. Isso porque, mas vamos trabaargumentou, um lhar para que pelo ajuste fiscal reduz a menos possa se demanda na econopreservar saldo comia, o que deve abrir Mantega: "ação fiscal forte" para conter valorização. mercial de US$ 20 espaço para, no futuro, quando o Banco Central jul- valorização do dólar nas últimas bilhões neste ano." Em 2010, o gar que é possível, os juros caí- semanas aos sinais de melhora Brasil exportou US$ 20,278 birem. Mantega lembrou que o da economia norte-americana. lhões a mais do que importou. juro alto é um fator de atração "Temos observado que houve O superávit foi o menor em oito de capital externo e sua redu- desvalorização do dólar nas ulti- anos, apesar de exportações e ção contribui para conter a va- mas semanas, que chegou a importações terem batido relorização do câmbio. R$ 1,65. Isso merece a nossa corde no ano passado. Mantega também defenEle explicou que a equipe atenção porque o dólar nesse econômica está preparando patamar prejudica nossas ex- deu o salário-mínimo de R$ uma redução de gastos fede- portações", disse. "O fato é que o 540, definido pelo governo rais, que não ocorrerá de forma dólar está se desvalorizando no por Medida Provisória que ainlinear. Ou seja, os cortes serão mundo todo em relação a outras da será examinada pelo Confeitos olhando-se individual- moedas. Por incrível que pareça, gresso. (leia matéria em Polítimente cada ministério. "Ainda a principal razão é uma certa ca, na página 5). (Agências)

Cai capital estrangeiro na bolsa

O

s estrangeiros deposit a r a m R $ 5 , 9 5 8 b il h õ e s n a B M & F B ovespa em 2010, cifra 71% inferior ao recorde registrado no ano anterior, quando a entrada de capital externo somou R$ 20,596 bilhões. No ano, o principal índice da bolsa acumulou alta de 1,05%. Tal resultado é ofuscado pela alta de 82,6% registrada em 2009, mas

deve ser comemorado diante da queda de 41,2% registrada pelo Ibovespa em 2008. Em dezembro, a BM&FBolsa acumulou um déficit de R$ 334,261 milhões em recursos externos contra saldo positivo no mês anterior (R$ 1,6 bilhão). O montante corresponde a compras de R$ 43,066 bilhões e a vendas de R$ 43,4 bilhões em ações, acumuladas

entre 1º e 30 de dezembro. No último pregão do ano, realizado na quinta-feira, investidores estrangeiros estiveram mais presentes na ponta compradora, o que resultou na entrada de R$ 212,928 milhões em recursos externos da bolsa. Naquele pregão, o Ibovespa fechou em alta de 0,51%, e o giro financeiro totalizou R$ 9,163 bilhões (AE)

Leão começou em 2 0 11 c o m m u i t o apetite. A previsão é de que a arrecadação dos impostos da União, dos estados e municípios chegue neste ano ao recorde de R$ 1,4 trilhão. O valor é 10% superior ao total de 2010, de R$ 1,27 trilhão, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). "Haverá um alto crescimento na arrecadação em 2011. Todo ano é bom para o governo, mas este será ainda melhor", disse o presidente do IBPT, João Eloi Olenike, destacando que o apetite do Leão já se fez notar nos primeiros quatro dias de 2011. Até ontem, já foram arrecadados R$ 14,7 bilhões em impostos das três esferas de governo neste novo exercício. A arrecadação é forte no início do ano por conta do incremento da atividade econômica registrado em dezembro, um dos melhores períodos para o varejo. Além disso, há a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Efeito cascata – Os números disponíveis mostram que o apetite do Leão vai muito além da capacidade do País em gerar riqueza. A previsão de crescimento de 10% no bolo tributário em 2011 está baseada na estimativa dos economistas de que o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) do País será de 4,5%. Portanto, o Leão exibe uma taxa de crescimento que equivale ao dobro da prevista para o PIB. Isso não ocorre à toa. É fruto do sistema tributário brasileiro, conforme explica Olenike. "A arrecadação no Brasil é sempre maior do que o crescimento da economia e será sempre assim", afirmou o presidente do IBPT. "Isso acontece por causa do efeito cascata (cum u la t i v i da d e ) presente na maioria dos impostos cobrados no País." Trata-se da tributação de impostos sobre impostos, o que ocorre, por exemplo, com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), presente em várias etapas da cadeia produtiva. E é o consumidor quem paga a conta. "A expansão da atividade econômica gera um efeito positivo na indústria, mas esta repassa o imposto a ser pago para

a distribuidora, e esta repassa para o comércio. Isso ocorre com a maioria dos tributos no País", afirmou Olenike. Ele contou que o avanço do Leão em 2010 sobre 2009 foi de 16,44% e que os recordes não devem parar. Ele não acredita em reforma tributária a ser feita pelo Congresso, neste novo governo da presidente Dilma Rousseff. "O que pode haver é a presidente fazer algumas desonerações pontuais. Nada mais." Impostômetro – Enquanto o painel eletrônico Impostômetro, localizado na sede da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), mostra o quanto o Leão está abocanhando do contribuinte, a poucas quadras dali outro painel indica o que está sendo em parte devolvido. É o Devolutômetro da Secretaria Estadual da Fazenda, instalado na sua fachada, na avenida Rangel Pestana. O Devolutômetro indica o total que o governo devolveu no programa da Nota Fiscal Paulista. O montante até agora é de R$ 3,3 bilhões. Mas o painel deve ser desativado no final deste mês. Ele surgiu pouco antes do Natal de 2010, como uma peça de marketing da Nota Fiscal Paulista.

Possíveis medidas elevam dólar

A

expectativa em torno do anúncio de novas medidas do governo federal para conter a valorização do real provocou ontem a alta do dólar, após a moeda ter fechado no menor patamar em mais de dois anos na véspera. A moeda norte-americana subiu 0,79%, a R$ 1,664. Na máxima do dia, o dólar chegou a valer R$ 1,672, com valorização de 1,27%. A alta da divisa ganhou mais força no meio do dia, quando o Ministério da Fazenda convocou a imprensa para uma entrevista coletiva com o ministro Guido Mantega. Apesar das expectativas em torno de novas ações do governo, ele não anunciou nada concreto (leia texto acima), mas afirmou que o atual patamar do câmbio prejudica as exportações e que "infinitas" medidas podem ser tomadas. "O mercado agora pode ficar mais cauteloso. Pode interpretar que ele (o minist ro G u i d o M a n t e g a ) e s t á dando um aviso", disse José Carlos Amado, operador de câmbio da corretora Renascença.

No ano passado, o governo triplicou o imposto sobre a entrada de capital estrangeiro para investimentos em renda fixa e ameaçou muitas vezes comprar dólares por meio do Fundo Soberano, com a finalidade de aumentar a demanda pela moeda. A ausência do anúncio de novas medidas na entrevista coletiva de ontem, porém, permitiu que o dólar diminuísse a intensidade da alta no final do dia. Na avaliação de José Roberto Carreira, gerente de câmbio da Fair Corretora, "basicamente ele só fez comentá-

rios, resumiu o que ele já fez e falou um pouco sobre como vai ser daqui para frente. Não acrescentou nada". Ontem, a intervenção do governo no mercado de câmbio continuou nas mãos do Banco Central (BC). A autoridade monetária realizou nesta terça-feira dois leilões de compra de dólares no mercado à vista. Perto do Brasil, o Chile viu a maior alta do dólar em pelo menos uma década após anunciar a maior intervenção cambial da história do país (leia mais na matéria abaixo). (Reuters)

Bruno Malfinati/AE

Dólar chegou a subir 1,27% ontem, na expectativa de medidas.

Chile intervirá no câmbio

O

Banco Central do Chile informou que vai intervir no mercado de câmbio local, aumentando suas reservas em moedas estrangeiras em US$ 12 bilhões em 2011. "O objetivo dessa intervenção é elevar as reservas internacionais para um nível compatível com os valores observados em economias similares à do Chile", disse o banco em comunicado. O programa de compra de dólares vai levar a "posição de liquidez internacional do banco central a 17% do Pro-

duto Interno Bruto (PIB)", informou o banco central. Atualmente, as reservas em moeda estrangeira do banco central chileno somam US$ 27,4 bilhões. A compra de dólares deverá ser esterilizada por meio de instrumentos de liquidez de curto prazo e de emissões de bônus de longo prazo. A primeira fase do programa vai começar em 5 de janeiro e terminar em 9 de fevereiro deste ano e vai consistir em compras diárias de US$ 50 milhões. O banco central afirmou que as pró-

ximas fases serão anunciadas oportunamente. Operadores esperam que a medida tenha um efeito imediato de curto prazo sobre a taxa de câmbio, embora um impacto de longo prazo dependa dos preços internacionais do cobre e do desempenho da economia de países desenvolvidos. Em razão do fato de o Chile ser o principal produtor de cobre do mundo, responsável por 35% da produção global, o peso geralmente é influenciado pela cotação desse metal. (AE)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ECONOMIA - 15

ESPECIAL Reprodução da internet

Oscar Elias Biscet Gonzalez, "o mais importante preso de consciência do regime".

"Fidel tem medo de um líder negro porque 60% da população da ilha hoje é negra."

!

Cuba libre! (Em Miami)

Kety Shapazian

Em Little Havana, o bairro cubano de Miami, parece que todos, exilados ou não, têm uma opinião sobre o futuro da ilha num mundo pós Fidel Castro (84 anos) e de seu irmão, Raúl (79 anos). Uma eventual aproximação com os EUA é sempre comentada com ressalvas e a maioria se diz contra o fim do embargo econômico. O Diário do Comércio foi conversar com o expert Jaime Suchlicki (à esq.) na Universidade de Miami. Segundo o diretor do Instituto de Estudos Cubanos e Cubanos-Americanos (ICCAS, na sigla em inglês), os estágios finais da sucessão de Fidel devem acontecer em abril, quando o partido comunista irá realizar seu congresso em Havana. Na próxima página, Calle Ocho e a incrível história da família Alonso, dona da La Época. Kety Shapazian

E

m abril, o Partido Comunista vai realizar mais um congresso. Para Jaime Suchlicki, o fato de o evento ter sido anunciado por Raúl Castro, que, apesar de presidente, continua sendo o segundo secretário do partido, tem todo um significado. "Fidel ainda é o secretário-geral e muito provavelmente entregará sua renúncia antes de abril, abrindo as portas para que seu irmão possa assumir todas as principais posições na estrutura política cubana. E o filho de Raúl se tornará membro do Politburo. Hoje, ele é um coronel e integra o ministério do Interior, mas seu poder vem crescendo e deverá ser o sucessor de Raúl", disse sobre Alejandro Castro. "Dos três pilares institucionais da maioria dos regimes comunistas – o partido, os militares e o aparato de segurança –, em Cuba o partido parece ser o menos importante. Fidel nunca gostou muito de instituições. Seu estilo de liderança sempre foi pessoal, estalinista, caudilhista. Já Raúl sempre fomentou o desenvolvimento do partido. E, neste momento, o partido é necessário para ajudar os militares a implementar os ajustes econômicos decretados por ele", explica. Autor de diversos livros sobre o assunto, como Cuba: de Colombo a Castro, Suchlicki recebeu a reportagem na Casa Bacardi, o

centro cultural do Instituto de Estudos Cubanos e CubanosAmericanos (ICCAS, na sigla em inglês), numa rua arborizada da Universidade de Miami. No final, ele deu um recado. O instituto não está mais recebendo verba do governo americano e qualquer ajuda é bem-vinda. Entre as diversas iniciativas do ICCAS, duas chamam a atenção: a Mesa Redonda dos Negócios Cubanos, que fornece assistência a corporações norte-americanas que no futuro queiram investir numa Cuba capitalista; e o Projeto de Transição Cubana, que Suchlicki explica logo abaixo. Nascido em Cuba, ele chegou a Miami em 1960 com apenas US$ 20 no bolso. Seu primeiro emprego foi numa loja de bebidas. Formou-se pela Universidade de Miami, fez doutorado no Texas e, em 1967, voltou para a Flórida. "Minha mulher me mandou estudar. Disse que eu deveria ser alguém na vida." Ele obedeceu. Suchlicki nunca voltou a Cuba, a apenas 397 quilômetros de distância. Leia os principais trechos da entrevista concedida em 30 de novembro. Primeiramente, o que é o Projeto de Transição Cubana? É um projeto que começou

com fundos da USAID (a agência americana para o desenvolvimento internacional) para estudar e analisar várias transições ao redor do mundo e depois ver o que pode ser aplicado em Cuba. Fizemos levantamentos sobre todas as transições no Leste Europeu, na Espanha, Chile, China, Rússia... Foram 40 estudos nos últimos seis anos. Eles são escritos em inglês e traduzidos para o espanhol e nós os distribuímos na ilha. Como? Através de outros países, de embaixadas em Havana, por email. Há diversas maneiras de entrar na ilha. Queremos dar aos cubanos uma ideia do que aconteceu após a transição no Leste Europeu, na Alemanha, no Chile. Muita gente tem computador, mas apenas 1,5% da população tem acesso à internet. Então, mandamos os estudos àqueles que têm acesso, mandamos a empresas estrangeiras em Cuba e eles distribuem. Nós colocamos também as informações em disquetes e na nossa página na internet. O senhor mencionou também a ajuda de embaixadas. Inclusive a do Brasil? Eu nunca irei lhe dizer quais embaixadas (risos). Acho que o governo cubano

ficaria muito bravo com elas se soubesse que nos ajudam a distribuir essa informação. Eu posso dizer quem não está ajudando. Os brasileiros não estão. O governo do PT é muito amigo de Fidel e muitos brasileiros mantêm uma visão quase que romântica da ilha. O que acha disso? No Foro de São Paulo, que foi criado em 1990, depois do colapso do comunismo, Fidel, (ex-presidente) Lula, Ortega (Daniel Ortega, presidente da Nicarágua) e todos esses esquerdistas se reuniram para organizar um movimento e ajudar uns aos outros a alcançar o poder, não através de violência, mas através de eleições. E Cuba apoiou a ascendência de (Hugo) Chávez na Venezuela e desde então Chávez tem dado dinheiro a todos esses países, ao (Rafael) Correa do Equador, e ao (Evo) Morales da Bolívia. Eles se ajudam, é uma relação muito próxima. Acredita numa Cuba diferente no futuro? Provavelmente, a situação irá evoluir como aconteceu na União Soviética. Depois de Kruschev, veio Brejnev, depois veio Chechenko, Andropov, Gorbachev (risos). Pode acontecer assim, ou então, com os cubanos tomando as ruas e fazendo uma revolu-

ção. Mas não acho que isso aconteça. O cenário mais provável é a mudança gradual depois de Fidel e Raúl. E as mudanças recentes? (Desde que assumiu o poder, Raúl distribuiu terras improdutivas à população, removeu proibições de acesso a serviços e legislou contra o igualitarismo salarial, mas os cubanos ainda esperam pela liberdade de criar pequenos negócios ou viajar.) Esse movimento está longe de ser uma tentativa de se instaurar o capitalismo em Cuba ou de colocar em prática algo parecido ao que fez a China. Todas as mudanças implementadas por Raúl são o que eu chamo de modelo da confusão, da bagunça. 'Nós vamos resolver as coisas sem mudar a sociedade', eles acham. Vão demitir 500 mil funcionários públicos e dizer a eles 'ok, agora vocês vão ter seu próprio negócio'. Mas onde está o dinheiro para isso? O equipamento? O conhecimento? Eles vão falhar! Vão virar encanador, eletricista ou qualquer outra coisa, mas isso não vai levar Cuba a ser uma economia aberta de mercado. (Leia mais à pág. 8) Eles não estão treinando ou ensinando ninguém. Se eles quisessem ensinar poderiam abrir a internet para que as pessoas aprendessem a fazer negócios. Muita gente em Cuba tem computador, mas só podem usar a intranet,

que tem filtros, assim como a internet. E os jovens na ilha? A juventude está bem chateada. Eles não querem nem saber de comunismo, muitos querem sair de Cuba. Muita gente espera sua vez para sair. Os governos americano e cubano têm um acordo: por ano, podem ser emitidos 20 mil vistos. Mas sabe quantos estão na fila de espera? 750 mil! Então as pessoas tentam escapar de qualquer maneira – para o México, para o Equador. (Exilados cubanos no Equador formam a segunda maior comunidade estrangeira no país, perdendo só para os colombianos). Ou por barco. Os cubanos americanos podem viajar para Cuba? Se eles tiverem família na ilha, podem ir a qualquer hora. Podem ficar por quanto tempo quiserem e depois voltar para os EUA. Os cubanos que não têm família lá podem ir como turistas e ficar até 30 dias. Americanos podem ir se estiverem envolvidos em atividades religiosas, culturais ou humanitárias. O senhor fica surpreso com a longevidade de Fidel? (Sua saúde é segredo de Estado. Documento vazado recentemente pelo site Wikileaks mostra que Fidel quase morreu em 2006) Claro, ele é um galego!


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16 -.ECONOMIA

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ESPECIAL Fotos: Kety Shapazian

Estátua de cacique ianque 'guarda' a frente da Cigar Factory, uma das várias lojas que vendem charutos cubanos na região. Lá dentro, é possível acompanhar uma parte da produção.

CALLE Principal artéria do bairro, a Rua Oito concentra lojas de charutos, restaurantes típicos e o famoso Maximo Gomez Park, com mesinhas para jogar dominó.

N

a Calle Ocho, em frente ao parque Maximo Gomez, onde homens e (poucas) mulheres passam a tarde jogando dominó e os ônibus que levam e trazem turistas fazem ponto, Enrique Milian vende charutos de fabricação própria. No momento, no entanto, o jovem de 25 anos está mais entretido é com um senhor que canta boleros enquanto dedilha um violão. Entre uma nota e outra, ele pausa para uma baforada de charuto e um dedo de conversa com a repórter. "Estou 100% convencido que Cuba irá mudar. Mas as mudanças somente irão acontecer após os irmãos Castro morrerem", diz Milian. Ele conta que seus pais chegaram em 1979, "um pouco antes de Mariel", o porto que ficou fa-

Enrique Milian canta um bolero

moso em razão do êxodo que aconteceu entre 15 de abril e 31 de outubro de 1980, quando cerca de 125 mil cubanos fugiram do regime e buscaram asilo em Miami. Entre os descontentes, no entanto, 40 mil eram criminosos ou doentes mentais que

8

Fidel 'exportou' para os EUA. Milian visitou a ilha apenas uma vez, em 2005, para ver a avó doente. "Fidel separou minha família", lamenta, antes de voltar a acompanhar Luis, o cantor, em mais um bolero "sobre amor e relacionamentos". No restaurante El Pub, a comida serviu como pretexto para quebrar o gelo com as garçonetes e os poucos clientes. Primeiro, uma porção de frituras de bacalao. Depois dos bolinhos, muito saborosos, um prato de arroz com feijão preto, mandioca e carne de porco. "Eu cheguei em 1959, aos 9 anos de idade. Se Cuba vai mudar? Você está perguntando para a pessoa errada. Eu não estou nem aí para Cuba! Os EUA são minha pátria, onde eu cresci e tenho família", fala Antonio Alonso.

Exilados falam sobre Cuba em Little Havana

Jose Cubas, sócio da Cuban Cigar Company, afirma que os negócios ainda não se recuperaram da última crise econômica mundial e agradece aos clientes russos, franceses, canadenses e brasileiros – os únicos que continuam gastando. A conversa ia bem até Fidel e Raul serem citados. Cubas reage com um "agora, preciso trabalhar" e encerra o papo. Na volta para o hotel, até o taxista dá sua opinião. O americano – um dos últimos que restaram? – palpita: "Os cubanos só não fizeram uma revolução ainda porque não têm como comprar rifles. No dia que eles tiverem..." (KS)

No pôster, Orlando Zapata Tamayo. O ativista político morreu em 2010 após uma greve de fome. Ao lado, um dos vários pontos que servem boa comida típica.

Fotos: Divulgação

Uma loja, 2 pontos distintos Família fugiu após perder La Época em Havana. Hoje, faz sucesso nos EUA.

A

história da família de Pepe Alonso, dono da loja de departamentos La Época, em Downtown, renderia um livro. Começou em 1927, em Cuba, quando seu pai, Diego Alonso, e o irmão dele, Angel, ambos imigrantes espanhóis, compraram uma pequena loja chamada La Época. Eles sonhavam em transformar o negócio, fundado em Havana em 1885, num grande endereço varejista. Deu certo. La Época chegou a ser a ter-

Pepe Alonso e sua loja em Miami. E em Havana, onde La Época funciona até hoje. Mas só são aceitos dólares.

ceira maior loja de departamentos da ilha e, em 1954, ocupava cinco andares de um prédio na esquina das ruas Galiano e Neptuno, no centro da capital. Empregava mais de 400 funcionários. Mas, em 1960, o recém-formado governo de Fidel confiscou a loja como parte de sua campanha para acabar com os negócios privados. A família fugiu para os EUA. "Eu tinha 11 anos quando isso aconteceu. Tiraram tudo dos meus pais e tivemos de

sair do país com a roupa do corpo e sem dinheiro porque o governo não compensava ninguém pelo confisco forçado de negócios e propriedades", conta o empresário. Demorou, mas a família conseguiu se levantar em solo americano. Em 1965, aos 57 anos de idade, o patriarca finalmente abriu uma nova La Época, agora em Miami, com a ajuda da esposa e dos dois filhos, Pepe e Tony. "Recomeçar foi difícil, mas meu pai era muito trabalhador e ético."

Em 1992, a família Alonso comprou um prédio histórico em Downtown: o Walgreen, na Rua Flagger. Com seis andares e construído em 1936 em estilo art déco, o edifício serviu de base para o terceiro endereço da Walgreens, a maior rede de farmácias dos EUA, fora de Chicago, onde foi fundada. A intenção era um dia transformar o prédio na sede da loja. Há cinco anos, o sonho foi realizado e La Época hoje tem um papel importan-

te na revitalização do centro de Miami. "Eu nunca mais voltei a Cuba. Não tenho interesse algum em ir lá enquanto esse regime estiver no poder. Também não acredito que os irmãos Castro farão mudanças. Mesmo se morrerem, eles estão treinando cada um um filho para continuar a dinastia. Eles realmente não querem mudar nada. Lembre-se de que a família e seus comparsas vivem como bilionários enquanto o resto do povo pas-

sa por um sofrimento imenso. É uma vergonha", lamenta. Havana – Pepe conta que a loja do seu pai continua funcionando em Havana e até o nome foi mantido. "Ela pertence ao governo, mas é operada por uma empresa estrangeira. Só são aceitos dólares americanos. Eu adoraria tê-la de volta um dia, reabrí-la sob nossa gerência e continuar o legado de minha família." (KS) A repórter viajou a Miami a convite da American Airlines.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

17

e Turismo: cadastro cresce 24% em 2010. A linha é voltada para investimento e capital de giro com condições bem favoráveis Hermano Carvalo, diretor de financiamento do MTur

conomia

Felipe Denuzzo/e-SIM

Bares e restaurantes se destacam no cadastro de olho nas linhas de crédito oferecidas pelo governo ao setor de turismo

Mesmo não sendo obrigados por lei, ao todo, 1.914 estabelecimentos do gênero se inscreveram no ano passado.

Fatima Lourenço

restaurantes e cafeterias acessem outras linhas de crédito oficial, como Cartão BNDES (com taxas mais atraentes em torno de 0,96% ao mês) e recursos dos fundos constitucionais, acrescenta o diretor. Ao todo, sintetiza, há aproximadamente 15 linhas de crédito para vários tipos de necessidades destas empresas. Adesão – O cadastramento no MTur é gratuito e pode ser feito inicialmente por meio da internet, pelo site do ministério www.cadastur.turismo.gov.br, indica a coordenadora Rosiane. O interessado preencherá uma ficha eletrônica e o sistema emitirá um termo de responsabilidade que ele levará, juntamente com os documentos relacionados no site, a um órgão delegado do ministério. Em São Paulo, ele fica na capital paulista, um dos 65 destinos indutores do turismo definidos a partir da Lei 11.771. O título também contempla as demais capitais brasileiras e cidades como a de Ilha Bela no litoral paulista. Outras 50 cidades também serão incorporadas neste início de ano, informa Rosiane.

O

dora geral de serviços turísticos do MTur, Rosiane Rockenbach, é de que ocorra um salto semelhante neste ano e que a adesão do grupo formado por bares, restaurantes e cafeterias se mantenha em alta por algum tempo. Os últimos dados do ministério mostram que eles somam 2.120 cadastros dos atuais 39.697. Rosiane explica que essa categoria de atividades passou a ter a oportunidade do cadastro desde 2008, quando a Lei 11.771 definiu os segmentos

América Latina lidera em otimismo

A

o presidente executivo da s empresas latinoGrant Thornton americanas são as International, Ed Nusbaum, o mais otimistas do alvo nas economias mundo em relação ao emergentes têm sido comportamento da concentrado nos últimos economia em 2011, anos nos BRICs, mas a conforme indica uma pesquisa mostra que a pesquisa divulgada ontem América Latina em geral está pela companhia em um bom caminho. "Se a internacional de atual confiança das empresas contabilidade Grant se traduzir em crescimento Thornton, como informa a generalizado e sustentado, a BBC. Segundo o estudo, os próxima década poderá ver a empresários latinoAmérica Latina atingir seu americanos mostram um potencial. Se a história índice de otimismo de 75%, econômica da em uma escala última década foi entre – 100% sobre os BRICs, (pessimismo total) esses resultados e 100% (otimismo sugerem que a total). As empresas Se a história próxima década será da América chilenas são as econômica Latina", afirmou. mais otimistas da última Segundo ele, o com a economia década foi sucesso da em 2011, com um economia índice de 95%. O sobre os brasileira teve Brasil, que aparece BRICs, os forte impacto em 5º entre os 39 resultados sobre a região, países sugerem com a pesquisados, é o que a disseminação do segundo latinootimismo entre os americano com o próxima vizinhos. maior índice de será da Além do Chile e otimismo (79%). América do Brasil, a As companhias Latina. pesquisa mostra da região da Ásia e um grande Pacífico (excluindo ED NUSBAUM, otimismo entre as o Japão), que no GRANT THORNTON companhias ano passado se argentinas (70%, mostravam as em 10º lugar no ranking) e mais otimistas na pesquisa mexicanas (64%, em 14º). anual da Grant Thornton, Maior otimismo – O neste ano aparecem em otimismo das empresas segundo lugar, com um brasileiras está em seu maior índice de 50%. nível, desde que o país Se considerados os países do grupo BRIC (Brasil, Rússia, começou a ser incluído na pesquisa, em 2007, quando o Índia e China), o índice de índice ficou em 47%. No ano otimismo entre as empresas passado, o índice de caiu de 60% para 54% em otimismo das companhias 2010, em contraste com o brasileiras foi de 71%. aumento de 2% para 22% Dos dez países mais entre os países da zona do pessimistas, oito são euro. europeus. (Agências) Impulso Brasileiro – Para

obrigados a efetuá-lo e mais oito que poderiam fazê-lo opcionalmente, como é o caso também dos bacharéis de turismo; centros de convenções; parques aquáticos; estruturas de apoio ao turismo náutico; casas de espetáculo; prestadoras de serviços de infraestrutura para eventos; locadoras de veículos para turistas, e prestadoras especializadas em segmentos turísticos. C ré di to – O estímulo que faltava à adesão dos bares, re s t a u r a n t e s e c a f e t e r i a s

aconteceu em 2010, com a criação de uma linha de crédito especial para o grupo, batizada de Fat Giro Setorial. "Ela é voltada para investimento e capital de giro com condições bastante favoráveis e recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)", explica o diretor de financiamento e promoção de investimento do turismo do Ministério do Turismo, Hermano Carvalo. O financiamento se destina aos restaurantes e outras prestadoras de serviços de alimen-

tação e bebidas com faturamento bruto anual de até R$ 5 milhões; tem limite operacional de R$ 100 mil para cada interessado, e prazo de pagamento de até 24 meses. A taxa mensal de juros gira em torno de 0,78%. Carvalho afirma que facilita muito (na análise bancária para a concessão do crédito), se a empresa estiver atrelada a uma entidade de classe ou sindicato, para comprovar que é do segmento. O cadastro no MTur também é exigido para que bares,

Crédito tributário mais rápido Genilson Araújo/Ag.O Globo

número de novos prestadores de serviços turísticos cadastrados junto ao Ministério do Turismo (MTur) – obrigatório para atividades como agências e transportadoras de turismo, guias turísticos e meios de hospedagem, entre outros – subiu 24% em 2010 ante 2009, somando 11.893. O grande destaque, entretanto, ficou para a categoria de bares, restaurantes e cafeterias. Ao todo, 1.914 estabelecimentos do gênero se inscreveram no chamado Cadastur. Ainda que a Lei 11.771/2008, que dispõe sobre a Política Nacional de Turismo, não os obrigue a efetivar essa inscrição muitos optaram por isso de olho nas linhas de financiamentos criadas especialmente para essas atividades em 2010. Além disso, o grupo pode se beneficiar de programas do Mtur, em especial os que contemplam os 65 destinos definidos como indutores do desenvolvimento, com o caso da capital paulista. A expectativa da coordena-

O

governo recuou e flexibilizou as regras para que as empresas exportadoras consigam recuperar, de maneira mais rápida, até metade de seus créditos tributários. A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou, ontem no Diário Oficial da União (DOU), a portaria 594 para diminuir o rigor para a devolução de créditos tributários a empresas exportadoras. "Nós havíamos tomado essa medida no ano passado, acelerando a devolução de créditos tributários para os exportadores. Estabelecemos uma série de condições e fizemos um balanço, seis meses depois, chegando à conclusão de que as condições eram rigorosas. Então, estamos aliviando um pouco", afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Antes, a medida determinava que, para receber os créditos de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), dos Programa de Integração Social (PIS) ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), a empresa precisava estar exportando há quatro anos. A partir da portaria publicada, esse tempo foi diminuído para dois anos. Também foi reduzido o volume de produção exportada

Governo flexibiliza regras de recuperação de créditos de exportação

para a companhia pleitear a devolução dos créditos. Antes, a empresa precisava vender 30% de sua produção para o exterior. Essa obrigatoriedade caiu para 15% de acordo com a portaria. "Estamos abrindo a possibilidade que mais empresas se habilitem a ter a devolução dos créditos de exportação. É uma maneira de ajudar os exportadores", disse. Concorrência – O ministro ressaltou ainda que outras medidas serão tomadas na área de comércio exterior com o objetivo de estimular as exportações e impedir a "concorrência des-

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI MIRIM ALTERAÇÃO DO EDITAL E REABERTURA DOS PRAZOS DO PRESENCIAL Nº 139/2010 Objeto: Registro de preços de materiais odontológicos, pelo período estimado de consumo 12 (doze) meses. Data de credenciamento e abertura dos envelopes proposta dia 18/01/2011 às 09:00 horas. Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1052/1059/1060. Disponibilidade do edital: Diretamente na Divisão de Licitações, mediante o recolhimento de R$ 10,00 (dez reais), conforme guia emitida pelo Setor Competente da PMMM e/ou através do site www.mogimirim.sp.gov.br, sem ônus, até o dia 17/01/2010. Pregoeira.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO Referente ao Pregão (Presencial) de Registro de Preços nº 36/01019/10/05 - Objeto: Aquisição de Armário de Aço 2 Portas AR-02 e Arquivo para Pastas Suspensas AQ-03. Tendo em vista a alteração no número de itens, comunicamos que a sessão de processamento do referido Pregão foi alterada para às 10:00 horas do dia 18/01/2011 e será realizada na Sala de Licitações da SLI, sita à Avenida São Luís, 99 - 1° andar - Centro - São Paulo/SP. Solicitamos, às empresas que já adquiriram anteriormente o edital, que retirem a sua versão atualizada.

leal" que às vezes ocorre com produtos de outros países. "Não podemos esquecer que ainda vivemos numa guerra cambial", afirmou, citando um dos artifícios usados por outras nações, que desvalorizam artificialmente suas moedas para aumentar a competitividade de suas exportações. Até meados de novembro, 4,1 mil empresas tentaram se habilitar no novo sistema, no entanto somente 90 foram aprovadas e apenas duas efetivamente tinham recebido o dinheiro, de acordo com dados da Receita Federal. (Agências)

Produção de açúcar sobe 19,5%

A

produção de açúcar subiu 19,46% no acumulado da safra 2010/11 do Centro-Sul, totalizando 33,39 milhões de toneladas de abril até 15 de dezembro de 2010, ante 27,95 milhões de toneladas obtidas em igual período do ano anterior, de acordo com a União da Indústria de cana-de-açúcar (Unica). Já a produção de etanol alcançou 25,13 bilhões de litros, sendo 17,78 bilhões de litros de etanol hidratado – alta de 8,51% em relação à safra 2009/2010 – e 7,35 bilhões de litros de etanol anidro – crescimento de 22,8% relativamente à safra passada. O diretor da Unica, Antonio de Padua Rodrigues diz que esses números garantem a segurança no abastecimento, mesmo havendo uma migração de consumo nos veículos flex de etanol hidratado para gasolina comum. A proporção de matéria-prima destinada à produção de açúcar atingiu 44,88% no acumulado, desde o início desta safra, ante 43,39% registrados em igual período de 2009. No comparativo quinzenal, 35,62% do total de cana moída nos primeiros 15 dias de dezembro destinou-se à fabricação de açúcar. (AE)

MATRIX IND. E COM. DE FERR INTERCAMBIÁVEIS E COMPONENTES LTDA.EPP torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação n° 33004369 , válida até 27/12/2014, para acessórios intercambiáveis para ferramentas manuais, mecânicas e máquinas sito à Rua Antonio Francisco França, 96, Socorro, São Paulo.

Associação Paulistana dos Cond. de Transporte da Zona Leste , torna público que requereu da Cetesb a Licença Prévia e de Instalação, para atividade de comércio de produtos derivados de petróleo, Rua Joaquim Marra, 1783 - Vila Matilde - São Paulo - SP. ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS, ARQUITETOS E AGRÔNOMOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO - SEAM Edital de Convocação A Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Municipais de São Paulo - SEAM convoca Assembleia Geral Ordinária, de acordo com item “b” do artigo 23 dos Estatutos da SEAM, para o dia 14 de janeiro de 2011 - sexta-feira, em primeira convocação, às 10:00 h e segunda convocação às 11:00 h. Local: Instituto de Engenharia, situado na Av. Dr. Dante Pazzanese, 120, sala Távola, com a seguinte Ordem do Dia: 1) Relatório de prestação de contas da Diretoria do Exercício de 2010.

QORCPJKC /GVCN}TIKEC 2TCFC

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL NOS TERMOS DO PROVIMENTO CSM CXC/84, INFORMAMOS QUE NO DIA 04 DE JANEIRO DE 2011 NÃO HOUVE PEDIDO DE FALÊNCIA NA COMARCA DA CAPITAL.

CNPJ nº 56.993.900/0001-31 AVISO AOS ACIONISTAS Conforme deliberado na Assembleia Geral Extraordinária (“AGE”) realizada em 30 de dezembro de 2010, na sede da Companhia, às 10h, foi aprovado o aumento do capital social em R$ 40.000.108,75 (quarenta milhões, cento e oito reais e setenta e cinco centavos), mediante a emissão de 289.625 (duzentos e oitenta e nove mil e seiscentos e vinte e cinco) ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, pelo preço de emissão de R$ 138,11(Cento e trinta e oito reais e onze centavos) por ação, sendo que, em respeito ao artigo 171 da Lei nº 6.404/76, fica garantido aos acionistas o direito de preferência na subscrição do referido aumento, na proporção em que participam do capital social, nos seguintes termos: (a) o eventual exercício de direito de preferência somente será aceito pela Companhia mediante integralização das ações subscritas à vista, em dinheiro ou com créditos líquidos e exigíveis detidos pelo acionista subscritor contra a Companhia, (b) a importância paga pelos acionistas que exercerem o direito de preferência será entregue à CSN nos termos do § 2o, do art. 171, da Lei nº 6.404/76, (c) a intenção de exercício de direito de preferência deverá ser comunicada à Companhia, por escrito, no prazo de 30 dias a contar de 30 de dezembro de 2010 e (d) o silêncio de qualquer acionista, decorrido o prazo aqui estabelecido, será entendido como renúncia ao direito de preferência. A ata da AGE de 30 de dezembro de 2010 encontra-se à disposição dos acionistas na sede da Companhia. A Diretoria (4, 5, 6)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Alguns dos maiores investimentos que a Copa do Mundo de 2014 demandará são na renovação dos sistemas de transportes coletivos e aeroportuários.

conomia

Jefferson Botega/ Folhapress

Os setores que vão puxar o crescimento em 2011

O segmento de turismo vai crescer com o aumento da renda dos brasileiros, que hoje têm condições de viajar mais, e para recepcionar os visitantes que virão para os megaeventos esportivos de 2014 e 2016.

Investimentos em infraestrutura serão necessários. Mas os setores que atendem a nova classe C também serão estimulados. Vanessa Rosal

A

economia brasileira em 2011 vai se movimentar em torno da infraestrutura para os grandes eventos esportivos de 2014 e 2016 (Copa do Mundo e Olimpíada, respectivamente) e o surgimento de novas oportunidades de negócios geradas pelo aumento do poder de consumo da população de baixa renda. Setores produtores e prestadores de serviços serão significativamente estimulados.

De acordo com economistas que analisam os diferentes segmentos econômicos, os principais destaques para os próximos anos serão as áreas de turismo, hotelaria, construção civil, shopping centers, informática, agricultura e cosméticos. Segundo o CEO da rede de auditoria BDO no Brasil, Eduardo Pocetti, é importante também destacar o início da exploração comercial em grande escala do petróleo da camada do pré-sal, previsto para acontecer em quatro ou cinco anos. "Percebemos que o setor

de construção de infraestrutura será um dos mais requisitados nos próximos anos", diz. Por causa dos eventos esportivos, ele destaca a necessidade de investimentos na renovação e ampliação dos sistemas de transportes coletivos, na estrutura aeroportuária nacional, na malha viária (estradas, pontes e viadutos) e na implementação de sistemas de telecomunicações mais eficientes e modernos. A exploração de petróleo e gás dos campos do pré-sal exigirá gigantescos investimentos que estimularão as indústrias naval, petroquímica, aérea, de mineração e metalurgia – esta pelo uso de metais em gasodutos e equipamentos.

Percebemos que o setor de construção de infraestrutura será um dos mais requisitados nos próximos anos. EDUARDO POCETTI, DA BDO DO BRASIL Modernização – Até o início da Olimpíada, o turismo receberá investimentos em suas duas principais vertentes: lazer e negócios. O professor de economia e finanças do Brazilian Business School (BBS), Ricardo Torres, afirma que serão necessários novos hotéis, além da modernização da rede de hotelaria já existente. "Além do mais, há a tendência de que a população brasileira viaje mais a partir deste ano, mesmo sem contar com a ajuda dos eventos esportivos", diz. A Classe C deve impulsionar ainda o setor de educação, com a maior procura por cursos rápidos pelas pessoas físicas e de treinamento pelas empresas, que administrarão mais equipes contratadas. O

setor de produtos de informática, segundo Torres, também ficará aquecido nos próximos anos. "O Brasil tem se destacado muito no desenvolvimento de softwares e os brasileiros estão preferindo itens nacionais," diz. Shopping centers – Outro segmento citado pelo economista, levando em consideração o aumento do poder de compra das classes C e D, é o da indústria de shopping centers, que tem hoje 408 empreendimentos. O s e t o r, re s p o n s á v e l p o r 18,3% do varejo nacional e por 2% do Produto Interno Bruto (PIB), desempenha importante papel na economia como geradora de 810 mil empregos diretos. De acordo com dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), estão previstas 29 inaugurações para 2011. Em plena expansão no País, a indústria de centros de compra fechou o ano de 2009 com faturamento de R$ 71 bilhões, ante os R$ 64,6 bilhões verificados em 2008, um aumento de 9,91% no período. Para 2010, a Abrasce prevê incremento de 15% nas vendas e faturamento de R$ 87 bilhões. Outras atividades devem apresentar alta significativa no faturamento até 2012. De acordo com projeções econômicas feitas pela Consultoria Lafis, as montadoras de veículos pesados e a indústria de cosméticos terão bons resultados no período. Uma das explicações está na pujança da economia brasileira verificada ao longo de 2010, que proporcionará melhores condições de crédito para esses setores. Máquinas agrícolas – Com o intuito de atender à elevação da demanda interna e repor estoques, a produção de máquinas agrícolas deverá cres-

Eduardo Knap

p/Folhapress

A indústria cosmética brasileira é uma das maiores do mundo. E tem tudo para crescer mais.

cer além dos 31,7% estimados para 2010. Segundo o estudo, o faturamento teve aumento de 27% no ano passado, em relação ao ano anterior, em função de uma revisão para baixo nos preços pagos pelo produtor. Para 2011, a expectativa é de um crescimento de 10,5% na produção e de 19,1% no faturamento. Já em 2012, o setor terá produção 4,6% maior e faturamento 9,9% superior ao ano anterior. Uma das atividades com grande perspectiva de crescimento avaliada pela consultoria também está atrelada ao aumento do poder de consumo da população de baixa renda. O setor de cosméticos brasileiro vem apresentando uma robusta expansão ao longo dos últimos anos por causa de fatores como o baixo valor médio dos itens, o largo acesso de novos públicos aos mesmos e, sobretudo, ao elevado nível de oferta de mão de obra nas vendas diretas. Conforme dados da Associação Brasileira da Indústria

O Brasil tem se destacado no desenvolvimento de softwares e os brasileiros estão preferindo itens nacionais. RICARDO TORRES, DA BRAZILIAN BUSINESS SCHOOL de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abhipec) o País ocupa a terceira posição no mercado mundial de cosméticos com faturamento anual de R$ 24,9 bilhões, atrás apenas de Japão e Estados Unidos. Levando isso em consideração, em 2011 e 2012 a probabilidade de ocorrência de bons resultados é grande, ainda mais quando se considera o desenvolvimento do setor de serviços brasileiro e a capacidade que essa indústria tem de diferenciar produtos, ampliando mercados e se inserindo nos mais diversos estratos sociais de consumo.

Diário do Comércio  

05 jan 2011