Issuu on Google+

São Paulo, terça-feira, 3 de setembro de 2013

R$ 1,40

Conclusão: 23h45

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor Ano 90 - Nº 23.949

L E V Í S S O P M I O Ã

o i r é p m I tra o

MISS

n o c a Dilm Depois do Fantástico, o dia começou com reunião e estado de emergência por causa da espionagem eletrônica dos EUA. Indignada, presidente exige explicações e cogita dar o cano em Obama. Págs. 2 e 5

CPI da Espionagem: hoje, com quatro eixos.

Arte com foto de Ueslei Marcelino/Reuters

Sessão que salvou Donadon perde a validade O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, suspendeu a sessão da Câmara na qual o mandato do deputado (e presidiário) foi mantido. A decisão vale até que o plenário do tribunal se manifeste. Pág. 6 Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Síria: EUA capricham no texto, França põe pressão. Christian Hartmann/Reuters

Enquanto os parlamentares americanos acertam detalhes, governo francês (à esq., o premiê Ayrault) pede coalizão contra a Síria. Pág. 8 Fotos: Luiz Prado/Luz

Um Jim com açúcar. Outro, com limão. A economia brasileira na visão otimista de Jim O'Neill (ex-Goldman Sachs, à esq.) e na pessimista do investidor americano Jim Rogers. Pág. 16

Ruim em SP? Console-se: Varejo de volta às vendas em Jacarta, é muito pior. ISSN 1679-2688

23949

São 9,9 milhões de veículos, 28 milhões de habitantes e nenhuma linha de metrô. Ah, mas tem faixa de ônibus, como na 23 de Maio (foto). Só que motos, carros e veículos oficiais a invadem. Os 400 mil passageiros/dia levam 4 horas até o trabalho. Pág. 10

Página 4

9 771679 268008

Comércio de São Paulo cresce 4,5% em agosto ante o mês de julho (vendas a prazo), segundo SCPC. Pág. 13


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Se acreditarmos na numerologia e a aplicarmos ao número 58 observaremos que ele está associado a "mudança". Roberto Fendt

pinião

É FANTÁSTICO!

A

espionagem americana focou na presidente Dilma Rousseff seus ouvidos e olhos sensíveis e poderosos para descobrir: como é que ela se comunica com "seus principais assessores"? Nem no próprio Palácio do Planalto se sabe quando, onde e como se estabelece contato da presidente com o ministro da Pesca, Marcelo Crivella. A superpotência, com 15 secretários, equivalentes a nossos ministros, tem muito a aprender com um País com 39 Ministérios e Secretarias. Talvez por isso o escopo dos espiões tenha sido "melhorar a compreensão dos métodos de comunicação" brasileiros. Uma contradição: se fossem assim tão bons, esses métodos estariam imunes à espionagem. Se um jornalista americano no Rio consegue blindar-se hermeticamente, exceto quando manda seu namorado buscar dados em Berlim, como é que um governo pode ser tão poroso e frágil?

O

s espiões devem ter ido mais a fundo, procurando dados ultrassecretos, porque a presidente, ultrajada, convocou ministros (só alguns) e proclamou "situação de emergência". Mas o que será que aconteceu em junho de 2012 para atiçar tanto a espionagem americana? Ah, o Brasil perdeu da seleção mexicana, 2 a 0. Daí a ope-

MOISÉS RABINOVICI

ração ser batizada de Goal? Não deve ter sido mera coincidência os espiões, ao mesmo tempo, se dedicarem ao então presidente eleito do México, Peña Nieto. Leram seus emails tratando de nomes para formar o novo governo (com 20 ministérios). Ou será que estavam atrás do ex-ministro Gilberto Gil? Afinal, ele estreava o Concerto de Cordas & Máquinas de Ritmo. Mais provável, os EUA queriam se antecipar aos resulta-

dos da Rio + 20, em que Dilma revelaria, afinal, qual O Futuro que Queremos. Suspeito também aquele encontro do expresidente Lula com Little Mouse, o Ratinho. E o que dizer da Marcha das Vadias, no Rio?

D

ois acontecimentos políticos devem ter atiçado a espionagem americana: (1) o encontro do rei Juan Carlos e de Dilma, encerrado com beija-mão e a promessa de que os brasileiros

serão melhor tratados no aeroporto de Barrajas, antes de deportados; e (2) o impeachment do presidente Fernando Lugo pelo Senado paraguaio. Para o Brasil, fora um golpe. E para muitos governos latinoamericanos, um golpe dos Estados Unidos, que logo apoiou o sucessor. O que o evidenciava? Um convite para a festa de 4 de julho, em Assunção, com certeza: "Estou sendo convidado para ir como presidente ou como cidadão?", pergun-

tou Lugo. E o embaixador Thessin o tranquilizou: "Como presidente, é claro". Ambos não compareceram. Nessa época, a presidente Dilma trocou e-mails com o então presidente Chávez, que, vivo, ainda não era o passarito que dialoga com seu sucessor, Maduro. E tem mais: com Cristina Kirchner ela falou ao telefone. Mas que espião aguentaria escutá-las? A presidente Dilma está tão inconformada com a espionagem que mandou convocar o "querido" embaixador americano em Brasília para um pito, algumas horas apenas depois das revelações na noite de domingo. Agora ela quer que os nossos Correios desenvolvam um sistema de e-mail indevassável. E já cogita não visitar mais o presidente Obama, na Casa Branca, em outubro. Mas espera que a próxima pesquisa de opinião reflita o embate entre ela e o império. Realmente, é Fantástico. MOISÉS RABINOVICI É DIRETOR DE REDAÇÃO DO DIÁRIO DO COMÉRCIO

A NUMEROLOGIA DA POLÍTICA FISCAL U

m número cabalístico ou simples coincidência? O número 58 vem aparecendo com frequência nas contas do governo. O crescimento nominal da despesa primária do governo federal foi de janeiro a julho deste ano de R$ 57,8 bilhões, ante o mesmo período do ano passado. Arredondando , estamos falando de R$ 58 bilhões de reais. Na proposta orçamentária do governo para 2014 o superávit primário inicialmente estipulado de R$ 116 bilhões terá um desconto de R$ 58 bilhões, situando-se portanto em R$ 58 bilhões. O que haveria de especial com o número 58 que justificasse sua repetida aparição nas contas públicas? Qual o seu significado? Se acreditarmos na numerologia e a aplicarmos ao número 58 observaremos que ele está associado a "mudança".

S

e assim for, tanto melhor. As contas públicas precisam de fato mudar. O superávit primário orçado para 2014 – diferença entre todas as receitas e despesas do governo exceto as referentes ao pagamento dos juros da dívida pública – será menor que o seu correspondente do ano passado. E medido como porcentagem do PIB,

ROBERTO FENDT

após o desconto de R$ 58 bilhões, o superávit do governo federal será de apenas 1,1%. É muito pouco, por diversas razões.

P

rimeiro, porque é o superávit primário que assegura a solvência da dívida pública. Se não for possível apartar do total da receita tributária um valor correspondente ao pagamento dos juros incidentes sobre o endividamento, esta crescerá em bola de neve. Portanto, há que regular receitas e despesas no setor público consolidado – União, estados e municípios – de forma a honrar os compromissos financeiros previamente assumidos. Segundo, o percentual de

1,1% do PIB é pequeno se comparado com o desempenho recente das contas públicas. Este ano o superávit primário de todo o setor público ficará, provavelmente, em torno de 1,5%. A diferença de 0,4% do PIB não é trivial e corresponde a R$ 16 bilhões.

T

erceiro, os estados e municípios não serão capazes de compensar a queda do superávit primário do governo federal. Estimase que o setor público consolidado produza um superávit de 2,1% do PIB em 2014. Neste ano a estimativa desse percentual é de 2,3%. Caso haja frustração no confronto de receitas e despesas dessas unidades subnacionais, o todo ficará

aquém da meta contida no orçamento para 2014. Finalmente, no próximo ano teremos eleições nos três níveis de governo. É quando, olhando o passado, ocorre um aumento de despesas com inaugurações de obras do governo que sai – de olho em fazer o sucessor. Embora o orçamento já mostre a intenção de manter expansionista a política fiscal, indicado pela queda orçada no superávit primário, talvez não seja possível sequer alcançar o percentual previsto. Se isso vier a ocorrer, a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB poderá deteriorar-se. Esse é um dos principais indicadores utilizados pelas

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

agências de rating para classificar o risco de crédito do País. Não se trata de matéria corriqueira: um aumento do risco Brasil traz diversas consequências para a rolagem de nossa dívida externa. Alguns fundos no estrangeiro requerem que seus investimentos somente possam se dirigir a países com bom grau de investimento. E, para investidores que não demandam essa classificação, as taxas de juros cobradas guardam relação inversa com a nota de cada país – isto é, quanto pior a nota, maiores as taxas cobradas.

É

claro que se pode argumentar que a dívida líquida não está aumentando, mas diminuindo. O que está aumentando é a dívida bruta. Quando ao aumento da dívida pública corresponde um aumento líquidos no ativos do governo

é correto deduzir o valor desses ativos para a mensuração da dívida líquida. É o caso, por exemplo, de um aumento nas reservas internacionais do País, financiado pelo aumento do endividamento. As reservas são ativos líquidos e, se necessário, podem ser vendidas e, com a receita da venda, resgatada a dívida.

A

situação é diferente quando o aumento da dívida é utilizado para capitalizar bancos públicos. O total desses recursos já é da ordem de R$ 438 bilhões. Com esses recursos, as instituições concedem empréstimos ao setor privado e oferecem ao Tesouro esses ativos como contrapartida dos recursos recebidos. Os empréstimos, entretanto, ao contrário das reservas internacionais, não podem ser resguardados a qualquer tempo para o resgate da dívida. Alguns deles podem até não ser repagos. Portanto, a dívida líquida real pode ser maior do que o governo declarou. Tudo isso sugere a necessidade de mudanças no rumo da política fiscal. Assim, se o número 58 augura essas mudanças, tanto melhor! ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Car valho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

o

pinião

3

A GRANDE PERGUNTA É QUEM JOGOU O GÁS SARIN QUE MATOU MAIS DE MIL PESSOAS NA SÍRIA.

Q

uem lançou o ataque com gás sarin que matou umas mil e cem pessoas na Síria? Foi Bashar al-Assad, parceiro dos russos, ou os jihadistas da Irmandade Muçulmana que o governo Obama apoia? O secretário de Estado americano John Kerry diz ter provas de que foi o primeiro, mas não mostra nenhuma. Diz que não é preciso. Que a credibilidade dos Estados Unidos já deve bastar para que todo mundo acredite na acusação sob palavra. Bem, pode ser que os Estados Unidos tenham alguma credibilidade, mas John Kerry não tem nenhuma. Ele estreou no palco do mundo mentindo contra seu próprio país para favorecer o inimigo. Em 22 de abril de 1971, recém-chegado do Vietnã, ele testemunhou perante o Comitê de Relações Públicas do Senado que soldados americanos haviam "estuprado mulheres, cortado orelhas e cabeças, amarrado genitais humanos com fios elétricos e ligado a corrente, amputado braços e pernas, explodido corpos, atirado a esmo em civis e arrasado vilas de uma maneira que lembrava Gengis Khan".

E

s s a p e r f o r m a n c e g arantiu-lhe a primeira página nos principais jornais e o horário nobre nos maiores canais de TV da América – nada mau como motor de arranque para uma carreira política que culminaria numa candidatura à presidência. Tal como agora não exibe as provas que diz possuir, na época ele não citou nenhuma fonte ou documento que desse respaldo às acusações. Talvez imaginasse que a credibilidade do movimento anti-guerra, então de grande sucesso nas universidades, na mídia e no show business, bastava como prova. Aconteceu que, poucos meses atrás, o mais alto oficial da inteligência soviética que já desertou para o Ocidente, o general romeno Ion Mihai Pacepa, publicou um livro (D isin for mat ion) em que conta várias operações de desinformação anti-americana, montadas pela KGB, das quais havia sido participante ou testemunha direta.

OLAVO DE CARVALHO

viva da "credibilidade americana" e se apoia nela para mais uma operação que, coerente com o programa Obama-Clinton, se destina a dar mais apoio militar aos jihadistas, como deu no Egito – com os resultados que todo mundo conhece –, e a transformar definitivamente os Estados Unidos, como disse o ex-deputado democrata David Kucinich, em Força Aérea da Al-Qaeda. Do outro lado, cada um sente vergonha de ter de concordar com Vladimir Putin e defender o governo Assad. Talvez por isso mesmo todos se veem obrigados a apresentar alguma prova. E as provas têm aparecido umas atrás das outras.

Em quem acreditar? U

ma delas consistiu precisamente em espalhar em todos os meios esquerdistas da Europa e das Américas o rol de acusações, totalmente inventado, que o depoimento de Kerry repetiu no Senado "quase palavra por palavra" (sic). Desinformação, stricto sensu, só existe quando a mentira comprometedora não é ouvida da boca do inimigo, mas de alguém de confiança da vítima. Estampadas no Pr av d a ou vociferadas pela Rádio Moscou, aquelas acusações seriam apenas notícias falsas vindas de uma potência hostil. Repetidas com ares de seriedade por um extenente condecorado da Marinha americana e reproduzidas no New York Times, no Washington Post e por toda parte na mídia "respeitável", tornavam-se desinformação de primeira ordem, uma contribuição essencial à trans-

mutação da vitória militar americana no Vietnã em uma humilhante derrota política e diplomática.

K

erry nunca pagou por esse crime, mas também não se pode dizer que a reputação tão facilmente obtida tenha permanecido intacta. Em 2004, no papel de porta-voz do movimento contra a invasão do Iraque, a qual ele mesmo havia aprovado como senador, apresentou-se candidato à presidência dos EUA. E ele

s a i u p o r t o d a p a r t e p a v oneando-se das condecorações militares que havia recebido – afirmava – por operações de alto risco nas quais padecera – dizia – ferimentos horríveis no Vietnã.

S

eus colegas de pelotão e dois dos seus ex-com a n d a n t e s a p a r e c eram então dizendo que Kerry havia se machucado por acidente numa operação sem risco nenhum, e o médico que tratara dele num hospital militar informou que os feri-

Desinformação, no sentido estrito, só existe quando a mentira comprometedora não é ouvida da boca do inimigo, mas de alguém de confiança da vítima.

mentos eram tão graves que ele os havia curado com um simples band-aid. Kerry perdeu a eleição para o inexpressivo George W. Bush. Seu companheiro de chapa, John Edwards, mocinho bonito que a plateia feminina anunciava como a futura grande estrela do Partido Democrata, não teve sorte melhor: viria a ter a carreira política destruída em 2007, quando se revelou que tivera um filho ilegítimo com sua amante Rielle Hunter, acusação que primeiro negou indignado e em seguida admitiu com o rabo entre as pernas.

E

dwards sobrevive no limbo, mas Kerry foi exumado por Barack Hussein Obama para ser seu secretário de Estado depois que Hillary Clinton se melou toda no episódio Benghazi. Tal é o homem que se apresenta como a personificação

A EXISTÊNCIA OU NÃO DE ZEUS C onheci Zeta Margulies quando ela trabalhava como copidesque num pequeno jornal em Washington, perto do Dupont Circle. Sabia que por volta das cinco da tarde, antes que as laudas chegadas da redação se amontoassem em sua mesa, nós nos encontraríamos no Café Lassale, ali perto, quase sempre na mesma mesa, para falar da nossa obsessão filosófica: o sentido da vida, o que está por trás das religiões, um universo imenso surgido do nada. Claro que nos intervalos namorávamos, ríamos e às vezes até discutíamos. O que havia em comum entre nós é que dávamos mais importância às intuições e dispensávamos qualquer rigor filosófico. Assim, sem cerimônia nem muitas explicações. Falávamos, falávamos e uma vez por semana nos encontrávamos à noite, quando então pouco se falava.

M

as ainda no Lassale, havia um jogo de espelhos no café que multlplicava as nossas imagens e nunca pude esquecer como gostava de

LUIZ CARLOS LISBOA

olhar minha amiga rindo ou falando em Kant e Spinoza, de perfil e de costas, sem imaginar que estava sendo observada por mim. Depois, o tempo, não me recordo exatamente como, levou tudo embora e só deixou momentos na memória, como cenas de um trailer que não permitem entender a história e deixam em nós pequenas iluminações. Sei que Zeta se casou com um colega de profissão, e mudaram-se para a Califórnia. Um dia, num restaurante do centro da capital, alguém me contou que Zeta e o marido haviam morrido em um acidente de carro em San Diego. Nos dias que se seguiram a essa notícia, a lembrança das nossas conversas sobre a vida e a morte me voltaram à memória, pouco a pouco.

A

história do homem que se algemava, Houdini, eu lembrava em detalhes: já muito doente, o stunt havia combinado com a mulher que o primeiro deles que morresse daria um sinal da existência de vida no além, e para isso combinaram um código que somente os dois conheciam. Nunca se soube

A

se o trato foi cumprido ou se o silêncio foi a resposta. Isso virou quase uma brincadeira entre mim e Zeta, saber qual de nós daria o sinal de que a vida continua após a morte. Mas o tempo e a distância engoliram as ideias, as frases, as alegrias e até mesmo as saudades. Uma noite o telefone tocou de modo diferente. Era um

som prolongado e mais fraco que o habitual, e quando atendi ouvi uma voz quase infantil dizendo alguma coisa sobre o New York Times. Logo pensei que aquela não era hora de vender assinatura por telefone – eu havia renovado a minha há pouco –, de modo que insisti nas perguntas sobre quem era e o que queria.

voz infantil repetia alguma coisa quase inaudível, que afinal foi tomando sentido. Ela pedia que eu lesse um artigo publicado na véspera naquele jornal americano, um artigo assinado por Gary Gutting sobre – qual era o nome? – Zeus, o nome era Zeus, o deus dos gregos antigos. Mas quem estava falando àquela hora da noite? "Leia o artigo, leia o artigo", repetia a voz do outro lado da linha, "Leia que você vai entender". Mas quem estava falando? E então eu escutei claramente a frase: "Alguém me pediu que lhe desse esse recado. Alguém que não pode falar no lugar onde está". E desligou. Fiquei sentado na cama e tomei algumas notas para me lembrar de tudo no dia seguinte.

O

artigo era Did Zeus Exist? (Será que Zeus existe?) de Gary Gutting, publicado no New York Times de 31 de julho de 2013. Para o autor,

P

rimeiro veio a denúncia, na ONU, de que os rebeldes sírios usam o gás sar i n ( h t t p : / / w w w. r e u t e r s . com/article/2013/05/05/us - syria-crisis-un-idUSBRE 94409Z20130505). Depois veio a prova de que o irmão de Barack Obama é membro da Irmandade Muçulmana, para a qual recebeu do governo Obama uma ajudinha de US$ 1,5 bilhão (h t tp : / / ww w. b re i tb a r t . c o m / B i g - P e ace/2013/07/01/Flashback- Obama-Administration- Gives-1-5Billion-To-Egypt-s -Muslim-Brotherhood). Depois, um vídeo em que os jihadistas apareciam panejando lançar foguetes carregados do gás fatídico (http://www.religiousfreedomcoalition.org/2013/08/28/ evidence -grows -that- syrian-rebels-use-sarin-gas/). Por fim, os próprios rebeldes sírios acabaram se gabando de usar o gás (h tt p: //w ww.i nfo wa rs. co m/ rebels -admit-responsibility-forchemical-weapons-attack/). O leitor está livre para escolher em quem deve acreditar. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

cabeças privilegiadas como as de Sócrates e Platão nunca puseram em dúvida a existência de Zeus no Olimpo. Para eles o comportamento humano era o que interessava, mas acima de tudo estava a crença inabalável e jamais discutida na existência de um Grande Fabricante. Os gregos dos tempos clássicos pressentiam a divindade em todos os momentos de suas vidas. Os êxtases eram chamados em Atenas de epifanias. A massa da população acreditava nos pequenos deuses que enfeitavam os oratórios, mas isso servia apenas a uma espécie de controle social para evitar o caos e o desespero. Zeus, que só metaforicamente morava no Olimpo, era uma realidade viva para os grandes da Atenas de Péricles.

A

ndei escavando na memória as conversas do Café Lassale, em Washington, há muitos anos, quando Zeta Margulies deixava por instantes sua mesa de trabalho para falarmos sobre a vida e a morte, sobre a eternidade e o absurdo da vida efêmera. E recolhi da memória uma frase dela, assim: "Todo amor é cego, como a fé". LUIZ CARLOS LISBOA É JORNALISTA E ESCREVE DE PRINCETON (EUA) ALGUTE@GMAIL.COM .


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Nas últimas semanas, em MAIS: "E se eu saísse tom de gozação, Lula, vira e mexe, surpreende assessores e visitantes com a pergunta - surpresa.

gibaum@gibaum.com.br

2 “Lula tem a grandeza de não querer um terceiro mandato.”

Bumbo global Os analistas que já previam que o governo iria bater o bumbo em cima do crescimento de 1,5% no PIB no segundo trimestre do ano, ficaram surpresos, contudo, com o rufar dos tambores da Rede Globo que, na sexta-feira passada, decidiu dedicar grande parte do Jornal Nacional (com direito a entrevistas todas a favor do governo) ao assunto. Esse resultado não deverá ser repetido no terceiro trimestre e até o final do ano, o crescimento total será muito pequeno. Há quem garanta que esse som global teria sido resultado de uma conversa entre Lula e Roberto Irineu Marinho, há duas semanas.

MONÓLOGO Rita Cadillac, quase sessentona, ex-chacrete, mais de 40 anos de estrada, mãe de um filho e avó de duas netas, está estudando arte dramática: quer percorrer o Brasil, no ano que vem, com um monólogo onde misturará histórias de sua vida pessoal e profissional – e com muito humor. Garantindo que “ainda se acha muito gostosa” e sem ter recorrido até agora a uma plástica (apenas reforço de silicone), também não se arrepende de seus filmes pornôs. Ganhou dinheiro para comprar imóveis. Detalhe: em seus shows, o que os homens mais pedem é para beijar a região mais famosa dela.

Casa da Mãe Joana O ex-assessor especial Eduardo Gaievski (preso por acusação de 23 estupros de menores e favorecimento à prostituição) não é o único caso embaraçoso envolvendo a Casa Civil. A ministra Gleisi Hoffmann tem outras figuras complicadas em sua Pasta: o subchefe de monitoramento Luis Antonio Tauffer Padilha teve a carteira de habilitação cassada depois de furar um bloqueio policial em Brasília e o subchefe de assuntos jurídicos, Ivo Corrêa, é pressionado pela oposição a dar explicações na Comissão de Ética por já ter sido diretor de relações governamentais do Google. Mais: em julho, ela foi a Toledo num jato da FAB e lá embarcou num avião fretado pelo PT. Na boca maldita de Curitiba acham até que Hugo Carvana acaba rodando na Casa Civil o filme Casa de Mãe Joana – 3.

CAMPEÃS A nova edição da revista GQ publica pesquisa, segundo a qual as mulheres de Brasília seriam as mais safadinhas do país. Entenda-se: 77% das entrevistadas garantem que fariam ménage a trois, sem maiores problemas. Ou seja: estão em primeiríssimo lugar e bem distantes das cariocas, colocadas em segundo lugar com 25% de vocação para a modalidade.

Um Oscar, um Grammy, um Emmy, três globos de Ouro e prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes, 100 milhões de álbuns solo vendidos no mundo e única artista a ter alcançado o primeiro lugar nas paradas da Billboard em cada uma das últimas seis décadas: é a cantora e atriz Cher, 67 anos, que prepara o lançamento – é o primeiro álbum dela depois de 12 anos – de seu novo trabalho Closer To The Truth. E ela própria antecipa as capas do novo disco, via Twitter, aparecendo com uma peruca feita de tiras de papel (destaque) e loiríssima, esbanjando sensualidade. E garante que as fotos não receberam quaisquer tratamentos de imagem.

A volta de Cher

O PT tem novas pesquisas que indicam que, até dezembro, Dilma Rousseff terá alcançado 50% de popularidade e essa retomada de índices positivos estaria ligada diretamente ao programa Mais Médicos. O marqueteiro João Santana aposta que, quanto mais entidades médicas e grandes nomes da medicina brasileira baterem no programa, melhor será para a Chefe do Governo. Se o governo não cometer mais erros, ela começará 2014 como a candidata mais competitiva. Do outro lado, contudo, estarão os quase 400 mil médicos em atividade no país que, hoje, abastecem as redes sociais de farta munição contra tópicos irregulares e mesmo ilegais do Mais Médicos .

Guerra de jalecos

Gulosemas aéreas O gabinete do Comandante da Aeronáutica está reforçando suas regalias alimentícias: acaba de empenhar R$ 34,1 mil para a compra de bolos, pães, doces e salgados, incluindo 50 tortas e 30 bolos caseiros. Além disso, 80 croissants com recheios diversos, mil docinhos finos, 100 petits four de diversos sabores, 40 rocamboles de massa de pão de ló e recheio de doce de leite e 500 minisonhos. E ainda 630 centos de salgados diversos, mais 50 tortas doces e 100 salgadas.

DECOLA! Só agora é que se sabe que, na volta de uma recente viagem internacional, o avião presidencial fez uma parada no Panamá para abastecimento e dois integrantes da comitiva resolveram ir fazer compras no free shop (eram dois interpretes). Como demoravam, a ordem de Dilma foi rápida: “Decola!” E deixou os dois lá que, por sorte, conseguiram dois lugares no avião reserva, que sempre acompanha a nave presidencial.

MISTURA FINA O CLIMA do Ministério das Relações Exteriores não está para festa, mas o cerimonial da Pasta acaba de reservar R$ 16,4 mil para a compra de 500 garrafas de espumantes brut . Deverão ser produzidos pelo método champenoise e que tenham recebido ao menos quatro premiações internacionais, relativas a concursos realizados a partir de 2008.

A PEDIDO de Marina Silva, o TSE definiu o número 99 será o da Rede Sustentabilidade. Já 77 será o do Solidariedade, do deputado federal Paulinho Pereira da Silva (PDT-SP). No jogo do bicho, 99 é vaca e 77, peru.

Atriz e bailarina, Sheila Mello, 35 anos, que surgiu quando ganhou o posto de sucessora de Carla Perez no grupo É o Tchan, ex-integrante de A Fazenda , casada com o ex-nadador Fernando (Xuxa) Scherer, reaparece agora, cinco meses depois do nascimento de Brenda, com onze quilos a menos, num ensaio especial para o site de moda retrô Garota Pin-Up. Nas fotos, caras e bocas, roupas curtíssimas e produção que remete aos anos 40 e 50. Sheila, agora, quer um período de descanso para se dedicar à filha.

Sheila, pin-up

Estourou no Norte Quem diria: o Porta dos Fundos, canal do YouTube, acaba de ganhar grande matéria no The New York Times, edição imprensa de fim de semana: o jornal diz que o grupo de humor de Gregorio Duvivier, Fábio Porchat, Antonio Pedro Tabet, João Vicente de Castro e Ian SBF “está desafiando e influenciando a sociedade brasileira trabalhando com temas como religião, drogas, política, sexualidade e corrupção”. Um dos vídeos comentados e o polêmico Oh, Meu Deus!, onde uma mulher, no consultório de seu ginecologista, tira uma imagem de Cristo de sua área mais intima. O jornal aborda o crescimento do Porta dos Fundos que já tem mais de cinco milhões de acessos, por vídeo, em média, no Brasil e é um dos cinco mais vistos do mundo.

/ IN

Transparências com pois.

/

Fotos: BusinessNews

ALOIZIO MERCADANTE // ministro da Educação e queridinho de Dilma, garantindo que o ex-presidente estará no palanque dela em 2014.

candidato, hein?". Alguns acham que ele está brincando, outros, não e até torcem a favor.

OUT

Transparências com flores.

Futuro acadêmico O vice-presidente Michel Temer (PMDB) não tem a menor duvida de que Dilma Rousseff será reeleita e com ele junto. No último ano do segundo mandato, ele estará com 78 anos de idade e seus planos serão a retirada da vida publica e dedicação exclusiva à carreira de escritor. Temer já lançou um livro de poemas este ano e, lá na frente, quer se dedicar a romances – e quem sabe, até ficar de olho na Academia Brasileira de Letras. Afinal, FHC tomará posse na Casa de Machado de Assis aos 82 anos de idade.

NA LISTA das exigências da inglesa Florence Welch, que vem ao Brasil para o Rock in Rio, com seu grupo The Machine, constam galões e garrafas de água mineral (com temperatura natural), comida orgânica, só pratos vegetariano, latas de cerveja gelada e – surpresa – cidra. Champanhe, não.

O ATACANTE Fred, do Fluminense, acaba de gravar uma participação especial em Flor do Caribe: será ele mesmo e aparecerá como namorado de Cristal (Moro Anghlieri). Antes dele, Neymar e Pato também participaram da novela.

ADEUS ao short bem pequeno e ao top: as ring girls, as moças que seguram placas indicando os rounds das lutas, vão aparecer, a partir do MMA Bitetti Combat, sexta-feira próxima, no Rio, usando calcinha e sutiã, numa jogada promocional da Duloren. Detalhe: a calcinha é fio dental.

TÃO LOGO souberam do jantar entre Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), os irmãos Ciro e Cid Gomes, governador do Ceará, reclamaram que não querer formar numa linha auxiliar dos tucanos. Eles defendem apoio a Dilma e podem deixar o partido em outubro, como fizeram em 2004, quando o PPS optou pela oposição ao governo Lula, do qual Ciro era ministro.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

terça-feira, 3 de setembro de 2013


p

terça-feira, 3 de setembro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

5 RETALIAÇÃO A EMPRESAS Dilma quer incluir na legislação brasileira um dispositivo que permita suspender a operação de empresas que cooperarem com esquemas de espionagem internacionais.

olítica

Viajar ou não viajar, eis a questão... Irritada, Dilma cogita a possibilidade de não ir aos Estados Unidos em outubro.

I

ndignada e bastante irritada, a presidente Dilma Rousseff cogita a possibilidade de cancelar a viagem oficial aos Estados Unidos programada para 23 de outubro, caso o presidente Barack Obama não dê "respostas satisfatórias" sobre as ações de espionagem da NSA (Agência de Segurança Nacional).

DILMA NÃO LIDA BEM COM GRAMPOS Irritada depois do Fantástico de domingo, presidente convocou reunião em petit comité, ontem.

MINISTROS EVASIVOS Ontem, os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, convocaram a imprensa para falar do assunto, mas foram evasivos quando questionados sobre o cancelamento de viagem de Dilma. "Eu não vou conversar sobre a viagem, porque o tema não é a viagem. Hoje o tema é o fato grave que aconteceu", disse Figueiredo. Cardozo também foi cauteloso: "O que chama mais a atenção é que a violação de sigilo atingiu à chefe do nosso governo. Se a violação do sigilo atingiu a presidente, o que não dizer de cidadãos brasileiros e de outras empresas?" Pela segunda vez em menos de dois meses o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, foi convocado pelo governo a dar explicações sobre a espionagem americana. Ontem ele esteve com o chanceler brasileiro: "Eu disse ao embaixador que o governo quer prontas explica-

ções, formais, por escrito." Shannon teria dito que, apesar do feriado nos EUA, a Casa Branca estava trabalhando e ele relataria o que ouvira. REPRESÁLIAS Ainda não está claro o que o governo brasileiro fará. Dilma cogita até mesmo chamar de volta o embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Mauro Vieira, caso o colega Barack Obama não dê "explicações convincentes" nem se desculpe pela espionagem da NSA. Tanto o cancelamento da visita oficial aos EUA como a retirada do embaixador representariam uma crise diplomática sem precedentes. Dilma ainda avalia esses gestos. Para articular um protesto de peso, Dilma levará o tema à reunião do G-20 (grupo de países mais poderosos), quinta e sexta, em São Petesburgo, Rússia. Ela montará uma estratégia contra a bisbilhotagem norte-americana no encontro dos Brics, fórum formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A administração de Barack Obama afirmou ontem que o governo americano não comentaria essas acusações. Segundo a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Caitlin Hayden, Washington responderá a seus "parceiros e aliados" por meio de canais diplomáticos. (Agências)

Uéslei Marcelino/ Reuters

Victoria Brotto

(NSA, na sigla em inglês) mos- Social), Paulo Bernardo (Cotram a presidente Dilma Rous- municações), Celso Amorim seff, e o que seriam seus prin- (Defesa) e José Elito (Gabinete gilidade e equilíbrio cipais assessores, como alvo de Segurança Institucional). é o que a senadora d i r e t o d e e s p i o n a g e m d a Antes, o embaixador dos EUA Vanessa Grazziotin agência norte-americana. no Brasil, Thomas Shannon foi (PCdoB-AM) espera Além de Dilma, o presidente ao Itamaraty tratar da denúnda Comissão Parlamentar de do México, Enrique Peña Nie- cia. Ao sair, ele não falou com a Inquérito (CPI) da Espionagem t o , t a m b é m imprensa. que será instalada hoje pelo foi monitoraEixos da CPI Senado. A CPI proposta por d o . O d o c u– " O q u e Grazziotin terá 11 titulares e 7 mento reveacontece é suplentes e investigará as de- lado pelo Fanum ataque e O Parlamento não núncias de monitoramento de tástico, da TV pode ficar de braços deve ser trae-mails e telefonemas pelos Globo, foi ao tado como cruzados diante de Estados Unidos no Brasil. ar no domintal", disse a situação tão grave. Ao Diário do Comércio, a se- go à noite e, autora da CPI Precisamos nadora disse que o "Parlamen- logo pela mad a E s p i o n ato não pode ficar de braços nhã, a presigem. Os 180 saber como isso cruzados diante de situação dente convodias de trabaaconteceu. tão grave" e acrescentou que cou reunião lho, explicou VANESSA GRAZZIOTIN pretende investigar "impren- de emergênVanessa Grasa e internet". "Precisamos sa- cia com os mizziotin, serão ber como isso aconteceu, se nistros José Eduardo Cardozo divididos em quatro eixos. foi via imprensa, internet". (Justiça), Luiz Alberto FigueiO primeiro será a "ampliaDocumentos classificados redo (Itamaraty), Gilberto ção do leque de informação" – como ultrassecretos da Agên- Carvalho (Secretaria-Geral), saber por onde e como se escia de Segurança Nacional Helena Chagas (Comunicação pionou – depois entrará o seJosé Cruz/ ABr gundo eixo, a fase de "mapeamento de dados". A análise de quanto as decisões norteamericanas foram afetadas pelo monitoramento será o terceiro eixo. Por último, explicou Grazziotin, apontaremos os "caminhos pelos quais o Brasil poderá se defender deste tipo de ataque". O ministro da Defesa, Celso Amorim, chegou a admitir, em meados de agosto, em audiência pública no Senado, que existem "fragilidades no sistema cibernético" do País e falou ainda que não usa o seu e-mail para tratar de assuntos importantes. "Estamos ainda nem na adolescência, na infância (no uso de softwares). As vulnerabilidades existem e são muitas." Histórico – No dia 05 de junho, o jornal britânico The Guardian publicou sua primeira reportagem, assinada pelo jornalista Glenn Greenwald, sobre o esquema de espionagem por parte da NSA dos usuários de nove grandes empresas americanas – como Google, Facebook, Apple e MicroVanessa Grazziotin, senadora (PCdoB-AM), explica os 4 eixos da CPI. soft.

A

Nos dias seguintes, 6 e 7, outras reportagens foram publicadas sobre o assunto – não só no tabloide britânico, mas também no norte-americano Washington Post. No dia 21 de junho, Edward Snowden, ex-funcionário da NSA que teria vazado os dados secretos para o jornalista britânico, foi acusado formalmente pelo governo dos Estados Unidos. Snowden já estava refugiado em Hong Kong, mas depois do agravamento da situação, ele pediu asilo para a Rússia (que o concedeu) e para mais 20 países – inclusive o Brasil, que também foi espionado pelos americanos, conforme revelou o jornal O Globo no dia 6 de julho. Em agosto, o jornalista autor da reportagem do The Guardian informou à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional que o Brasil era um dos países mais vigiados pelo governo norte-americano. Leia artigo sobre Dilma e a espionagem, na pág 2.

Ministros Cardozo (Justiça) e Figueiredo (Relações Exteriores): cautela.

Governo quer e-mail seguro

C

omo resposta às denúncias de espionagem de dados de cidadãos brasileiros por agências de inteligência dos Estados Unidos, o governo brasileiro pediu aos Correios que acelerem o desenvolvimento de uma ferramenta de e-mail criptografado e grátis ao povo. A informação foi confirmada pelo secretá-

rio executivo do Ministério das Comunicações, Genildo Lins. Ele disse que esse serviço deverá ser remunerado por meio de anúncios, como no Google. "É uma grande oportunidade de negócios para os Correios, que já vinha sendo estudada, mas diante dos novos fatos, o governo decidiu acelerar o processo." (Estadão Conteúdo)

Pedro Ladeira/Folhapress

SELEÇÃO EM RISCO – Dilma Rousseff recebeu ontem parte da delegação da Seleção Brasileira de futebol e parece ter alertado o técnico Luiz Felipe Scolari contra escutas e espionagem. Ele respondeu que "a Copa será ainda mais pesada" quando ela comentou o peso da taça.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Estamos propondo outro processo. É evidente que existe quebra de decoro porque ele foi preso. Beto Albuquerque (PSB-RS)

olítica

José Cruz/ ABr

Renato Silvestre/Estadão Conteúdo - 30.08.13

J.F.Dirio/Estadão Conteúdo - 20.02.13

Valdemar Costa Neto (PR-SP) foi condenado ao regime semiaberto

João Paulo (PT-SP) ganha munição para questionar perda de mandato

José Genoino (PT-SP) pode continuar deputado se dormir na prisão

Suspensa a sessão que cassou Donadon Ministro do STF, Roberto Barroso, abre discussão sobre prerrogativas de cassação automática de mandato em caso de regime fechado e pode mudar a sorte de João Paulo Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 28.08.13

O

ministro do Supre- der ao pedido de Sampaio mo Tribunal Fede- "não produz a perda automátiral (STF) Luís Ro- ca do mandato, cuja declaraberto Barroso sus- ção – ainda quando constitua pendeu ontem a decisão da ato vinculado – é de atribuição Câmara de manter o mandato da Mesa da Câmara." Além de do deputado Natan Donadon preso, Natan teve o mandato (sem partido-RO). Na última suspenso por determinação quarta-feira (28), os deputa- do presidente da Câmara, dos, em votação secreta, deci- H e n r i q u e E d u a r d o A l v e s diram não cassar o cargo do (PMDB-RN). Desta forma, não colega. Condenado a 13 anos, recebe salários nem tem direiquatro meses e dez dias de pri- to ao uso de verba indenizatósão por peculato e formação ria, por exemplo. Também foi de quadrilha empossado pelo STF, ele Amir Lando está preso des(PMDB-RO) no de 28 de junho cargo na conSuspendo os efeitos d i ç ã o d e s uno Complexo Pe nit enc iár io plente. da deliberação do da Papuda, em Plenário da Câmara Brasília. REGIME até o julgamento "Como conFECHADO definitivo do sequência, Para o minispresente mandado tro Barroso, o suspendo os efeitos da delifato de Natan de segurança. beração do Pleestar cumprinROBERTO BARROSO nário da Câmado pena de prira dos Deputasão em regime dos acerca da Representação fechado pelo resto do mandan º 2 0 , d e 2 1 d e a g o s t o d e to justifica a cassação do man2013, até o julgamento defini- dato por ofício da Mesa Diretotivo do presente mandado de ra. "Considero, ademais, hasegurança pelo Plenário do ver periculum in mora (perigo Supremo Tribunal Federal", na demora) pela gravidade afirmou Barroso na decisão. moral e institucional de se Além disso, o ministro pediu manterem os efeitos de uma informações à Câmara sobre o decisão política que, desconcaso e determinou a comuni- siderando uma impossibilidacação à Advocacia-Geral da de fática e jurídica, chancela a União (AGU) e à Procuradoria- existência de um deputado Geral da República (PGR). presidiário, cumprindo pena Na decisão, que precisa ser de mais de 13 anos, em regime avaliada pelo plenário do STF, inicial fechado", afirmou o miBarroso esclarece que aten- nistro Barroso.

João Paulo Cunha ganha esperança de continuar

N

o julgamento do Mensalão a maioria dos ministros entendeu que os parlamentares envolvidos perderiam seus mandatos devido à condenação penal. Com a nova composição do Supremo Tribunal Federal (STF), a Corte julgou e condenou o senador Ivo Cassol (PP-RO), mas, graças aos votos dos ministros Roberto Barroso e Teori Zavascki, o entendimento sobre a perda do mandato foi alterado. Ficou acertado que caberia ao Congresso, e não ao Supremo, decretar a perda. Na ocasião Barroso

não havia ponderado sobre a possibilidade da pena de prisão ser superior o período do mandato, como fez agora com Donadon. Esta semana, a matéria deve voltar ao STF via recurso do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), que questionou o fato de o STF ter decretado a perda de seu mandato devido à condenação no Mensalão. O entendimento do STF será menos decisivo no caso de José Genoino (PTSP) e Valdemar Costa Neto (PR-SP) porque eles foram condenados ao regime semiaberto. (Agências)

Natan Donadon na noite da votação na Câmara: triunfo estampado. Nélson Jr/STF - 29/08/2013

Na decisão, ele disse que a Constituição prevê, "como regra geral", que cabe a cada uma das Casas do Congresso a decisão sobre a perda do mandato de um parlamentar condenado sem possibilidade de recurso. Foi assim que ele se manifestou no caso do senador Ivo Cassol (PP-RO). Na oportunidade, ele se aliou à maioria e transferiu ao Senado a prerrogativa de cassar o mandato. "Esta regra geral, no entanto, não se aplica em caso de condenação em regime inicial fechado", disse. (Agências)

PSB alega quebra de decoro

O

PSB entregou ontem representação para que a Mesa Diretora da Câmara abra processo contra o deputado Natan Donadon (ex-PMDB-RO) por quebra de decoro parlamentar. Segundo o líder do partido na Casa, Beto Albuquerque (RS), a ideia é que este novo processo tramite no Conselho de Ética, diferentemente do outro processo, que passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara: "Estamos propondo outro processo. É evidente

que existe quebra de decoro porque ele foi preso." Na representação, o PSB pediu também que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 479/2001, que determina o fim do voto secreto no Congresso, seja votada em segundo turno. O caso– Na última quarta, em votação secreta, a Câmara manteve o mandato de Donadon. Com quórum de menos de 410 deputados, 233 votaram a favor de sua cassação, 131 contra e houve 41 abstenções. Para cassá-lo, eram necessários 257 votos,

a metade do total de deputados mais um voto. Após a decisão, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), determinou o afastamento de Donadon de suas funções e a convocação do suplente, Amir Lando (PMDB-RO). Donadon foi acusado de participar de desvio de cerca de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia em simulação de contratos de publicidade. O julgamento só ocorreu no STF por ele ser deputado e ter foro privilegiado. (Folhapress)

Raphael Belzunces/ Estadão Conteúdo

PROTESTO EM SP – Manifestantes pediam cadeia para "os bandidos do Mensalão e do PT", ontem no Viaduto do Chá, em frente à sede da Prefeitura de São Paulo. Outras frases estampadas em faixas brancas chamaram atenção: "Haddad mentiroso, cadê as creches?" e "PT mete a mão e traz de volta a inflação".

Barroso: perda de mandato é alterada. Caberia ao Congresso, e não ao Supremo, decretar a perda.

Embargo infringente, a salvação para onze réus. Dos 25 apenados, 11 se enquadrariam nesse caso – Dirceu, Genoino, Delúbio...

N

a reta final da análise de possíveis omissões e contradições nas sentenças do Mensalão, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, pautou para a próxima quinta-feira os debates sobre os chamados embargos infringentes – recurso que pode garantir aos réus novo julgamento. A pauta preliminar da Corte prevê que as discussões definam se os condenados por 5 votos a 4 têm direito a nova apreciação das condenações. Dos 25 apenados, 11 poderiam se enquadrar nesse caso, entre eles o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o expresidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares. A Lei 8.038, de 1990, que disciplina procedimentos dos tribunais superiores, não cita os embargos infringentes. Para o presidente do STF, Joaquim Barbosa, isso

significa que o recurso se condenação (e não 4) e o limita às cortes de 2ª pedido para que, se os instância. Em maio, ele infringentes forem aceitos, as rejeitou pedido de Delúbio defesas tenham prazo para que os infringentes dobrado para fazer os apelos. fossem acolhidos e disse que Se o STF decidir a favor dos "admiti-los seria o mesmo infringentes, 11 condenados que aceitar a ideia de que o teriam esse direito (além de STF (...) Dirceu, pudesse criar Genoino e ou ressuscitar Delúbio): vias recursais Marcos não previstas Valério, Admiti-los seria no Ramon aceitar que o STF ordenamento Hollerbach, (...) criasse (...) jurídico." Cristiano Paz, vias recursais Delúbio foi Kátia Rabello, não previstas condenado a 8 José Roberto anos e 11 Salgado, João no ordenamento meses por Paulo Cunha. jurídico. formação de João Cláudio JOAQUIM BARBOSA quadrilha e Genu e Breno corrupção Fischberg. ativa. O plenário do STF ainda Controvérsia – Como o precisa concluir o julgamento embargo infringente é dos embargos de declaração controverso, o caso será de João Paulo Cunha, João discutido em plenário sob a Claudio Genu, Henrique ótica dos embargos serem Pizzolato, Rogério Tolentino, aceitos em casos onde houve Pedro Corrêa e Breno ao menos 1 contrário à Fischberg. (Agências)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

7 Tudo que se relaciona à cultura pode ser patrocinado. Marta Suplicy, ministra da Cultura

olítica

Divulgação

Marta põe Lei Rouanet na moda Ministra tenta justificar patrocínio da moda em Paris Karina Lignelli

uma marca brasileira "abre espaço e atende milhares de lojas de departamento no mundo onceder incentivos que passam a se interessar por d a L e i R o u a n e t a um País que produz uma moda projetos ligados à interessante", e que isso "gera moda servem para destaque para a cadeia produlevar a marca do Brasil ao tiva toda". Marta também disse que a mundo. Essa foi a justificativa da ministra da Cultura, Marta moda está sendo patrocinada Suplicy, em evento na Asso- pois "tudo o que se relaciona à ciação Brasileira da Indústria cultura pode ser patrocinado". Têxtil (Abit) ontem, para expli- Antes, afirmou, não havia essa car como funciona a aplicação possibilidade, e as pessoas não sabiam que poda lei para o setor diam ter essa ter direito. chance. A partir Em discurso, Meryl Streep, da demanda em ela citou o filme O Diabo Veste Prada em O Diabo Veste d e z e m b r o ( d e (2006) como 2012) de alguns Prada, mostra exemplo para estilistas, que todo o processo explicar a imporqueriam apoio envolvido na tância da cadeia do Ministério da confecção de produtiva na moCultura – mas o d a . " É i n t e r e snão tinha recuruma roupa. sante como, num sos para apoiar, MARTA SUPLICY dos diálogos, a já que o recurso é personagem (de privado –, o MinC Meryl Streep, que interpreta começou a desenvolver uma uma editora de revista de mo- possibilidade para que possam da) mostra todo o processo ser apoiados dentro de critérios envolvido na confecção de que sigam uma política de Estauma roupa." do, que é de internacionalizaQuestionada se a ideia era fo- ção e inclusão social. Ela exemmentar desfiles de estilistas fa- plificou com eventos como o mosos no exterior – já que Ale- ano Brasil-Portugal, Brasil-Chixandre Herchcovitch, Ronaldo na e a Feira de Frankfurt. Fraga e Pedro Lourenço, os primeiros selecionados, recebeTRABALHO DE IMAGEM ram R$ 7,4 bilhões – ela respon"Estamos fazendo um tradeu que a ideia é mostrar que balho pesado nisso. Essa coisa

C

Marta Suplicy cita Meryl Streep, no filme O Diabo Veste Prada. Glamour, intrigas e a cadeia de empregos gerada pela moda no mundo. que todo país tem é uma questão da imagem. Como o País aparece para o mundo é uma coisa feita de pequenas intervenções que acabam por fornecer essa imagem. Quando se pensa na França é moda, gastronomia, museus... Estamos fazendo a moda, mas também levando 70 autores pra Frankfurt – nunca teve isso – traduzindo 20 livros pro alemão– nunca teve isso. É atuar em vários campos. Existem oportunidades, mas também têm que brigar por elas." Questionada sobre se quem trabalha com moda só consegue aprovação fora do Brasil ou dentro de uma São Paulo

Fashion Week (SPFW), Marta disse que nada foi feito nesse sentido porque ainda não houve demanda. "Aí não entra na internacionalização, entra no simbólico ou na formação de estilistas, se forem cooperativas ou grupos de jovens... É muito variável, tem que entender o conceito, que é novo. Vamos ter que estudar o conceito: se é formação de estilistas, chega um grupo de jovens da favela não sei das quantas que fez um desfile e quer um patrocínio. Vamos ver quem eles são, visitar, se é sério, se tem escola, se vai poder prosperar. Vai criar mão de obra? Interessa. É inclusão social? Interessa."

Suplicy escreve a Obama

O

senador Eduardo Suplicy (PT-SP) informou, em discurso no Plenário ontem, que enviou carta ao presidente dos EUA, Barack Obama, por meio da embaixada americana no Brasil. Ele pede que os EUA e as nações aliadas não usem a força com a Síria – diante da comprovação do uso de armas químicas pelo governo sírio contra a população civil: quase 1,5

mil pessoas morreram no ataque sendo mais de 400 crianças – e defende o uso de formas pacíficas de pressão. Ele se mostrou preocupado com a espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA no Brasil, inclusive em ações da presidente Dilma Rousseff. "Espero que esse episódio seja superado antes da viagem dela aos EUA." (Ag. Senado)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 3 de setembro de 2013

JULGAMENTO DE NAZISTA A Alemanha começou a julgar Siert Bruins, de 92 anos, que foi membro da SS, pelo assassinato de um holandês da resistência, em 1944.

nternacional

USINA DE FUKUSHIMA Japão pretende gastar US$ 402 milhões para combater o vazamento de água radioativa na usina nuclear de Fukushima.

EUA: regras para ação na Síria. P Parlamentares norte-americanos querem evitar qualquer interpretação que dê margem ao emprego de forças terrestres ou a ataques contra outros países. Christian Hartmann/Reuters

Parlamentares norteamericanos começaram a preparar ontem sua própria versão para a autorização do uso da força militar na Síria, com objetivo de evitar qualquer interpretação que dê margem ao emprego de forças terrestres ou a ataques contra outros países. A proposta inicial de Obama, divulgada no sábado, previa a autorização do uso da força "quando ele determinar que seja necessário e apropriado em relação ao uso de armas químicas e outras armas de destruição em massa no conflito na Síria". O texto autoriza ações militares para impedir a transferência dessas armas de e para a Síria. A Casa Branca acusa o governo de Bashar al-Assad de ter matado em 21 de agosto mais de 1.400 pessoas em um ataque com gás sarin. O governo sírio rejeita a acusação. O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Robert Menendez, e o líder da maioria no Senado, Harry Reid, ambos democratas, discutiam ontem o texto de uma nova versão a ser votada pelos senadores. A comissão deve começar a debater o documento na quarta e votá-lo na semana que vem, quando termina o recesso parlamentar. A Câmara ainda teria de aprovar a medida. Em 2001, a "Estou a u torização convencido para o uso da da força contra a ocorrência Al Qaeda, dada do ataque após os atentados de 11 de químico" setembro, era ANDERS FOGH tão ampla que RASMUSSEN, serviu para jusCHEFE DA OTAN. tificar atos que foram da guerra no Afeganistão a grampos telefônicos e ataques com drones. Parlamentares tentam evitar que isso se repita. França quer ataque O possível ataque à Síria teria o apoio francês. O ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, se encontrou com membros do Parlamento ontem. As reuniões visam criar meios para propor uma coalizão internacional que leve avante uma ação militar na Síria, já que o governo francês não tem dúvidas de que armas químicas foram usadas pelo governo sírio. O chefe da Otan, Anders Fogh Rasmussen, afirmou também não ter dúvidas sobre as evidências do uso de armas químicas. "Me apresentaram informações concretas e estou convencido não apenas da ocorrência de um ataque químico, mas também de que o regime sírio é o responsável", disse. O jornal francês Le Figaro divulgou em sua página na internet trechos de uma entrevista exclusiva com o presidente da Síria, Bashar Assad. Ele desafiou os EUA e a França a apresentarem provas que sustentem a acusação de que foram usadas armas químicas contra população civil. Na avaliação do presidente sírio, os líderes dos dois países "foram incapazes de fazê-lo, inclusive perante seus próprios povos". Enquanto EUA e França pressionam por uma ação militar, a Rússia mantém a busca por uma solução diplomática. O ministro russo de Relações Exteriores, Serguei Lavrov, salientou que o governo de seu país não está totalmente convencido sobre o ataque de 21 de agosto. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, tem planos de enviar uma delegação aos EUA para discutir a situação da Síria com membros do Congresso norte-americano. (Agências)

Fabrizio Bensch/Reuters

O sírio Ahmad Jarba (à esquerda) e o alemão Guido Westerwelle.

20 milhões de euros para a oposição Alemanha e Emirados Árabes Unidos contribuem Jean-Yves Le Drian (à dir.), ministro da Defesa francês, chega para encontro com parlamentares em Paris. Hugh Gentry/Reuters

O

s governos da Alemanha e Emirados Árabes Unidos estão contribuindo, cada um, com uma quantia inicial de 10 milhões de euros (US$ 13,2 milhões) para um fundo que tem como objetivo fornecer ajuda não-militar para áreas controladas pela oposição síria. O fundo, criado pelo banco estatal alemão KfW, visa fornecer alimentos e ajuda médica e outros recursos, como energia e água, informou o portavoz do Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, Andreas Peschke. Os Estados do grupo próoposição Amigos de Síria e outros países podem também contribuir para o fundo, disse Peschke.

Ahmad Jarba, líder da oposição na Síria, foi recebido ontem por Guido Westerwelle, ministro das Relações Exteriores da Alemanha, para firmar acordos. A ajuda financeira é um passo que muda ligeiramente a postura do governo alemão em relação à Síria, que até aqui vinha reagindo com cautela diante dos recentes desdobramentos, sendo até criticada por analistas, como o cientista político André Blank, do Instituto de Estudos do Oriente Médio, em Hamburgo, que na semana passada declarou à agência de notícias alemã DW: "Uma atitude verdadeiramente independente não existe na política alemã para a Síria." (Agências)

O porta-aviões nuclear USS Nimitz se aproxima do Mar Vermelho. Frota está preparada para a ação. Jorge Silva/Reuters

Irmandade em risco Juízes recomendam a dissolução do grupo de Mursi. Amr Abdallah Dalsh/Reuters

U

Na embaixada norte-americana em Moscou, apoiadores de Assad protestam contra o possível ataque à Síria.

m painel de juízes egípcios recomendou a dissolução da Irmandade Muçulmana, o maior grupo político do Egito, do qual o presidente deposto Mohammed Mursi faz parte. Os magistrados dizem que a Irmandade tem operado em violação à lei. A recomendação não tem de ser obrigatoriamente seguida pelo tribunal, que realiza sua próxima audiência no dia 12 de novembro. Mas o episódio parece ser mais um passo para a proibição do grupo, cuja legalidade já era contestada antes da queda de Mursi. A Irmandade permaneceu proscrita durante a maior parte de seus 85 anos de existência, mas se manteve operante por meios de amplas redes de apoio social. Em razão de pro-

Grafite em parede do Cairo: Mursi. cessos judiciais que questionam o seu estatuto e o financiamento de suas atividades, o grupo apressadamente registrou-se em março como associação civil. (Agências)

Toru Hanai/Reuters

Trilha de destruição Passagem de tornado fere 63 no Japão

F

Casas destruídas pelo tornado na cidade de Koshigaya, norte do Japão, a mais afetada.

ortes ventos de tornados atingiram o leste do Japão ontem, deixando pelo menos 63 feridos, de acordo com a polícia do distrito de Saitama, perto de Tóquio. A cidade de Koshigaya foi a mais afetada. Não houve mortes, porque os habitantes foram removidos de suas casas e proibidos de voltar. Muitos viram ao longe suas residências serem devastadas. Seis casas foram totalmente destruídas em Saitama, enquanto 83 ficaram parcialmente danificadas, disse a polícia. A agência Kyodo News informou que os tornados derrubaram também cabos de alta tensão.

A televisão japonesa exibiu imagens impressionantes do tornado carregando e lançando para longe grandes objetos, virando carros e estilhaçando janelas de escolas. Um armazém foi catapultado sobre outro edifício. Os tornados atingiram ainda áreas próximas, como o distrito de Chiba. Tornados de grande escala são raros no Japão, especialmente na região de Kanto, onde fica Tóquio. Mas o clima extremo elevou a frequência desses fenômenos nos últimos anos. Em maio, um tornado matou uma pessoa e destruiu mais de 200 casas na província de Ibaraki, ao norte de Tóquio. (Agências)


terça-feira, 3 de setembro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

9


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

terça-feira, 3 de setembro de 2013

idades

TRÂNSITO

São Paulo é ruim. Mas em Jacarta é pior. Com 9,9 milhões de veículos transitando por suas ruas, a capital da Indonésia é um pesadelo para motoristas. Rony Zakaria/International Herald Tribune

Joe Cochrane *

mundo sem um sistema de trânsito rápido, apesar dos planos remontarem à década de ara alguém com nível 1980. O substituto mais próxidescendente de açú- mo, o corredor de ônibus de Jacar no sangue e nos carta, transporta menos de 400 primeiros estágios de mil pessoas por dia. E a faixa exdesidratação, Eva Roma, 33, se clusiva dos horários de pico não mostrava bastante estóica ao ajuda, enquanto carros, motocomeçar sua uma hora e meia cicletas e até mesmo veículos de viagem para ir da casa ao do governo e das forças armatrabalho, no centro de Jacarta. das transitam ilegalmente soA jornada começa com um tra- bre os minúsculos obstáculos jeto de uma hora em um ônibus de concreto que deveriam blono qual somente se viaja em pé, quear essa ação, atrasando seguidos por 25 minutos em ainda mais os ônibus. Não causa espanto, então, uma minivan e, por fim, cinco minutos de caminhada, saindo que 9,9 milhões de carros, mode sua casa, no longínquo con- tocicletas, caminhões e outros veículos tomem as ruas da capifim sul da capital indonésia. Quando chegou ao destino, tal todo dia útil; desse total, Roma, muçulmana, planejava aproximadamente dois mio "buka puasa" – refeição à lhões vêm de municípios vizinoite para quebrar o jejum no nhos nas províncias de Java Ocimês sagrado do Ramadã. Ir ao dental e Banten. Para se ter trabalho na manhã seguinte uma ideia, em São Paulo são cerca de 7,4 seria ainda milhões de pior, pois o veículos. deslocamenContudo, a to costuma a j u d a f i n a ldemorar Não existe saída mente pode duas horas. para Jacarta nos estar cheganA viagem próximos cinco do. Jacarta, o diária, ainda anos se o governo governo indomais quando não se apressar nésio e conse abstém de sórcios de incomer ou beSIMON HENDIWAN, 32, vestidores ber o dia inteiGERENTE DE ESCRITÓRIO NO privados esro, tem seu CENTRO DE JACARTA. tão injetando preço, disse US$ 4 bilhões Roma. Entretanto, faz tempo que ela se em projetos de infraestrutura acostumou à realidade física do de transporte público progratransporte em Jacarta, onde o mados para entrar em operatráfego horrendo e o sistema de ção até 2015. O programa inclui transporte público ineficiente o primeiro estágio do metrô e condenam muitas pessoas a um sistema de trilhos acima da sentar em carros, ônibus e mi- terra ligando o sul e o centro de nivans ou motocicletas por Jacarta, dois projetos de monoquatro horas por dia, ou mais, trilho, um trem expresso ligandurante o ano inteiro. "Eu fico do o centro da capital ao aeroestressada com isso, mas como porto e um trem elevado circuo governo não faz nada a res- lando nos limites do centro da cidade, que seria então ligado a peito, temos de aguentar." Com uma grande área me- linhas de trem de subúrbio a tropolitana de 28 milhões de oeste, sul e leste da cidade. "Sempre existe luz no fim do habitantes, Jacarta é uma das poucas grandes cidades do túnel, e o túnel está ficando

P

Trânsito caótico condena milhões de pessoas a sentar em carros, ônibus ou motos por quatro horas por dia, ou mais, durante o ano inteiro. Situação se agrava no mês sagrado do Ramadã, quando trabalhadores vão mais cedo para casa.

maior", disse, em entrevista, Bambang Susantono, subministro dos transportes da Indonésia. "Com a melhora na economia indonésia, temos espaço para tocar esses projetos." Também existe vontade política. Durante décadas, o governo ignorou o transporte como prioridade política, mas tudo mudou quando o presidente do país, Susilo Bambang Yudhoyono, assumiu em 2004, afirmou Milatia Kusuma Mu'min, chefe de comunicação da Sociedade de Transporte da Indonésia. Além disso, a descentralização permitiu que líderes locais, tais como Joko Widodo, governador de Jacarta, exercessem mais autoridade na execução de obras públicas, garantiu Mu'min. Porém, como os trilhos do metrô não devem entrar em operação antes de quatro anos, e com a maior prosperidade aumentando o número de automóveis e motocicletas

nas ruas, os especialistas em transporte asseguram que a curto prazo o congestionamento só deve piorar. Esperança – Essa perspectiva traz esperança e desespero para os motoristas e os trabalhadores de Jacarta. "Acho que o governo de Jacarta pode fazer algo a respeito", disse Roma, enquanto se apertava em um ônibus lotado ao voltar para casa. "Eu tenho esperança." Simon Hendiwan, 32, gerente de escritório no centro de Jacarta, não concorda. Não disposto a enfrentar as filas e o calor dos trens de subúrbio, ele vai ao trabalho de carro, demorando 90 minutos para percorrer 14,5 quilômetros. "Não existe saída para Jacarta nos próximos cinco anos se o governo não se apressar", afirmou, ao abastecer o tanque em um posto de combustível antes da viagem de volta em meio ao rush da tarde. O Ramadã só piora os problemas de trânsito. Aproxima-

PREFEITURA APERTA O CINTO Paulo Pampolin/Hype

Mariana Missiaggia

A

Prefeitura vai apertar o cinto para conseguir cumprir as obrigações de pagamento da dívida pública paulistana. Além de obras, a economia deve ser sentida nas áreas da saúde e da educação, áreas que devem receber, no máximo, as fatias obrigatórias do Orçamento. A previsão é do secretário municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico, Marcos de Barros Cruz. Segundo ele, a dívida pública de São Paulo com a União ultrapassa, hoje, R$ 54 bilhões. Em 2030, ela pode chagar a mais de R$ 160 bilhões, por causa dos juros previstos em contrato. Com o orçamento municipal limitado, a Capital terá de cortar gastos e buscar novos recursos. Na semana passada, o secretário esteve reunido com o Conselho de Política Urbana (CPU) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), para discutir o destino dos recursos de São Paulo. Esse ano, a Prefeitura deve arrecadar aproximadamente R$ 38 bilhões. É o quarto maior orçamento do País, atrás apenas dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas. "Do total, R$ 33 bilhões corresponde a despesas de pessoal, custeio e todos os serviços públicos. Isso inclui toda a operação de saúde, educação, assistência social, transporte, enfim, tudo o que é necessário para a cidade funcio-

Marcos de Barros Cruz (à direita) e Rogério Amato: orçamento apertado. nar", explicou. Nessa conta, lha com a ambiciosa possibilitambém entram os encargos dade de investir R$ 25 bilhões da amortização da dívida e pa- nos próximos três anos, o que gamentos de precatórios. significa dobrar a média de inEntre as cidades brasileiras, vestimento dos últimos anos. o nível de endividamento da caMínimo – De acordo com o sepital paulistana é considerado o cretário, saúde e educação são mais preocupr ior id ade s, pante. Segunmas ainda do o secretápossuem um rio, paga-se volume baixo A ACSP tem 20 de R$ 3 a 4 bid e i n v e s t ilhões por ano conselhos, cada um mentos. Este pela dívida, e ano, a educacuidando de uma ela só aumenção receberá determinada área, e R $ 8 , 6 b it a – R $ 4 b iestá junto do lhões por ano, lhões, somenmunicípio por em média. te o mínimo Além da díviexigido por dever do ofício. da federativa, lei. "O investiROGÉRIO AMATO a cidade tammento em bém deve hos a ú d e t a mje R$ 18 bilhões em precatórios bém é baixo, apenas R$ 6,4 bi– a maior parte gerada na déca- lhões, quando sabemos que falda de 1990. tam leitos, hospitais, remédios Com a missão de renegociar e médicos. No entanto, não tedívida de São Paulo com o go- mos de onde tirar mais verba", verno federal, Cruz ainda traba- lamentou Cruz.

O presidente da Facesp e da ACSP, Rogério Amato, ofereceu as ferramentas da entidade para o desenvolvimento da Capital. "A ACSP tem 20 conselhos, cada um cuidando de uma determinada área, e está junto do município por dever do ofício", disse o presidente. Amato também questionou o secretário sobre as parcerias público-privadas (PPPs). Para Cruz, as PPPs devem ganhar mais espaço no cenário municipal. "Até hoje a Prefeitura não conseguiu concretizar essa parceria (PPP) e eu ainda não consegui encontrar uma razão para isso. O município do Rio de Janeiro já fez, o Estado de São Paulo também, e nós não", explica Cruz. A nova agência pública criada pela Prefeitura, a SP Negócios e Parcerias, tem o objetivo de fomentar as parcerias público-privadas, atrair investimentos e melhorar o ambiente de negócios da cidade. O vice-presidente da ACSP e coordenador da CPU, Antônio Carlos Pela, acredita que a Prefeitura deve estudar medidas para atrair novas empresas e serviços para São Paulo, como, por exemplo, simplificar a obtenção das licenças de funcionamento. "A desburocratização na aprovação de plantas, na liberação de construções e nas licenças de funcionamento gerariam empregos, impostos, serviços, e também ajudaria a Prefeitura a sair desta situação financeira crítica", disse Pela.

damente 90% dos 240 milhões de indonésios são muçulmanos e durante o mês sagrado os trabalhadores podem sair mais cedo para encontrar os amigos e familiares e quebrar o jejum diário. Isso significa que milhões vão às ruas entre 15h e 16h. O centro de Jacarta parece um estacionamento toda tarde desde o começo do Ramadã, em dez de julho. As cenas diárias no Jalan Sudirman, principal corredor norte-sul, incluem gestos obscenos e quase colisões enquanto ônibus particulares ocupam espaços vazios aparentemente impossíveis, sem mencionar as buzinas ensurdecedoras que enraivecem os policiais do trânsito enquanto estes tentam fazer as coisas se movimentarem. E ainda tem a época das monções, na qual aguaceiros inundam a estrada pedagiada até o aeroporto internacional, deixando os motoristas senta-

dos durante horas a fio. O tempo das viagens poderia ser reduzido de forma significativa se o corredor de ônibus não fosse invadido por veículos sem autorização. Na mesma tarde em que Roma tentava voltar para casa, a faixa estava tão lotada de carros que os ônibus se arrastavam na mesma velocidade das caravanas de veículos das outras pistas. Como que para provar o argumento, Dian Anggraini, 29, cobradora do ônibus, desembarcou e correu até um caixa eletrônico na rua. Cinco minutos depois, ela voltou ao ônibus, que não tinha avançado nem sequer cem metros. "No geral, o problema é o tráfego que entra no corredor de ônibus, é isso que precisa ser consertado", Anggraini afirmou, após retomar o posto. "Muitos passageiros afirmam que é mais fácil tomar nosso ônibus do que encarar a loucura do lado de fora." * The New York Times

Turbulência deixa 15 feridos em voo

U

ma forte turbulência causou pânico durante um voo da TAM e obrigou a aeronave a fazer um pouso forçado no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, na madrugada de ontem. Quinze passageiros foram levados para o Instituto José Frota, maior hospital de emergência de Fortaleza, com luxações e fraturas. Uma passageira, a colombiana Tatiana Roncancio, 32, sofreu fratura na coluna. Segundo a assessoria do hospital, apesar disso ela está conseguindo mexer os membros do corpo, inclusi-

ve as pernas. Ela e outra estrangeira, a peruana Graciela Aguilar, 52, ainda permaneciam internadas no final da tarde. Graciela também teve um trauma cervical, mas os exames não apontaram fratura. Segundo a assessoria do hospital, elas se chocaram contra o teto do avião no momento da turbulência. O voo JJ8065 partiu às 18h11 (horário de Brasília) da Espanha e deveria chegar ao aeroporto internacional de Guarulhos às 4h55. Na aeronave estavam 168 passageiros e 16 tripulantes. (Agências)

Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo

EXPLOSIVOS – Um funcionário de uma empresa de ônibus teve explosivos amarrados no corpo por bandidos ontem na zona oeste de São Paulo. Os criminosos também tinham sequestrado a filha do funcionário, libertada após eles fugirem com cerca de R$ 50 mil.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

11

Balé do Uruguai

d

cultura

O Ballet Nacional de Sodre se apresenta no Auditório Ibirapuera. Parque do Ibirapuera. Portão 2. Tel.: 3629-1075. Sexta (6) e sábado (7). 21h. R$ 20. Livre.

Celebração da Nouvelle Vague O

Olimpo da Nouvelle Vague era a revista Cahiers Du Cinema. Nela, escreviam Jean-Luc Godard, François Truffaut, Alain Resnais, Jacques Rivette, Claude Chabrol, Eric Rohmer e Agnès Varda. A Europa encarava, então, as décadas de 1950-60, ainda marcada pela Segunda Guerra Mundial. Enquanto na Itália o cinema havia produzido obras-primas cuja essência fluía do neo-realismo (Humberto D (1951) e Ladrões de Bicicletas (1948), de Vittorio de Sica, são belos exemplos), o cinema francês, fascinado pelo poder narrativo de mestres como De Sica, militava em outro patamar. O gurus da Nouvelle Vague propunham filmes intelectualizados, de teor literário-filosófico, em contraposição ao sensorialismo italiano. Enquanto De Sica comovia ao flagrar dramas cotidianos do povo, Godard mergulhava em indagações sobre o alcan-

ce de certas teorias sócio-políticas. Enfim, aqueles jovens cinéfilos e críticos do C a hi er s queriam restabelecer o conceito de cinema de autor que vigorara nos anos de 1930. O marco inaugural da Nou vel le Vague é o filme Nas Garras do Vício (Le Beau Serge/1958), de Claude Chabrol. Na sequência, surgiram ícones como O Acossado (A Bout de Souffle/1959) e Alphaville (1965), de Godard, e Os Incompreendidos (Les Quatre Cents Coups/1959) e Jules Et Jim (1962), de Truffaut. No MIS É esse clima que o Museu da Imagem e do Som pretende reviver a partir de hoje na Mostra Nouvelle Vague, que vai até domingo (8). Ficará evidente que o que marcou aquele momento cultural foi propor a Nouvelle Vague não como uma escola, mas como um movimento que usava o cinema para falar dele mesmo. O elemento psicológico dos personagens se sobre-

punha, muitas vezes, à lógica das cenas (nisto Godard era expert). A Nouvelle Vague produziu admiradores até em Hollywood. Cineastas como Robert Altman, Francis For Coppola, Brian de Palma, Martins Scorsese e George Lucas lhe renderam justo tributo. Na programação da mostra, está prevista a exibição de clássicos como Trinta Anos Essa Noite (1963), de Louis Malle; Minha Noite Com Ela (1969), de Eric Rohmer; Paris nos Pertence (1961), de Jacques Rivette; Uma Mulher É uma Mulher (1961), de Jean-Luc Godard; O Ano Passado em Marienbad (1961), de Alain Resnais; e Beijos Proibidos (1968), de François Truffaut. Nesta terça (3), o destaque é Os Incompreendidos, de Truffaut. Sessão às 18h30. 14 anos.

MIS - Avenida Europa, 158. Tel.: 2117-4777. R$ 6.

O Incompreendidos, de Truffaut.

Semana de encontros e reencontros André Domingues Folhapress uivo DC

Fotos: Arq

Jards

N Pixinguinha e Louis Armstrong: encontro histórico.

O

Com a merecida reverência

disco Mundo de Pixinguinha, que o bandolinista brasiliense Hamilton de Holanda lança neste domingo, é um daqueles feitos que não podem passar em branco. Aproveitando o prestígio que rapidamente alcançou no cenário internacional de música instrumental, ele convidou uma seleção de craques de diversos países para, em formato de

duos, revisitar a rica obra de Pixinguinha. Estão ali, por exemplo, o acordeonista francês Richard Galliano, o pianista italiano Stefano Bollani e o pianista cubano Omar Sosa, que participam do show. Além deles, há faixas com o cubano Chucho Valdez, o americano Winton Marsalis, o português Mário Laginha, os brasileiro André Mehmari e Carlos Malta e a france-

sa radicada no Brasil Odette Ernest Dias. O mérito de Hamilton não se restringe ao de reunir gente tão boa, mas, sobretudo, ao de entabular um diálogo musical de igual para igual com rigorosamente todos eles, tal como se pode ouvir na interpretação de 1x0, dividida com o consagrado trompete de Marsalis. Nesta, não cabe outra palavra senão genial.

O sucesso da bossa-nova boa-vida Quem acusava a bossa-nova de americanista deve estar com ar de bemque-eu-disse c o m a c o m emoração dos 50 anos de carreira de Marcos Valle (foto), feita ao lado de uma refinada cantora dos EUA, Stacey Kent. Juntos, e com participação do saxofonista Jim Tomlinson, marido da moça, eles lançam Marcos Valle & Stacey Kent Ao Vivo, composto por versões em inglês de algumas das suas canções mais famosas (em geral, compostas com o letrista e irmão Paulo Sérgio), como Preciso Aprender a Ser Só, A Resposta e o clássico mundial Samba de Verão. Nada mais coerente, irão dizer, já que a bossa-nova sempre quis atender ao mercado externo. Só um deta-

lhe deve desmentir essa visão: a estética sofisticada e despojada que Stacey defende tão bem é completamente forjada no Brasil. Sua deslumbrante versão de Os Grilos, por exemplo, vertida como The Crickets, é tocada com um suingue que, por mais que se tenha tentado, nunca se conseguiu imitar do lado de cima das Américas. Parece, assim, muito mais um símbolo do triunfo do que da submissão nacional. Marcos Valle talvez tenha sido o representante mais autêntico da bossa-nova do ponto de vista da experiência humana que o gênero consagrou: a boa-vida das areias e calçadas da Zona Sul carioca, na virada dos anos 50 para os 60. Jovem, culto, atlético, pioneiro no surf, ligado às novidades estrangeiras, ele encarnava como ninguém o ideal moderno,

harmonioso e fundamentalmente cosmopolita da bossa. Tanto é, que, dentre os grandes bossa-novistas, foi o mais atento às relações que a música brasileira podia firmar com o exterior: primeiro, foi o compositor mais jazzista, depois, o mais familiarizado com o pop internacional, mais tarde, o principal incentivador da renovadora onda de bossa eletrônica nascida em Londres. Tudo isso sem, nunca, deixar de por em cena o suingue e os contornos melódicos sentimentais da música brasileira. Celebrar sua carreira com um pé na cultura global, portanto, não é nada mais do que reafirmar o impulso original de assegurar no mundo moderno um lugar respeitável para a brasilidade. Impulso que, aliás, não foi só dele, mas de uma geração inteira de 50 anos atrás.

Alceu

Moraes

E a história continua

os anos 70, Alceu Valença, Jards Macalé e Moraes Moreira estiveram na ponta da inovação na música brasileira, anunciando um futuro libertário. Nesta semana, por coincidência, os três se apresentam em São Paulo, mas com vistas ao passado. Alceu e Jards recordam obras gloriosas, a exemplo de Tropicana e Coração Bobo, de um lado, e Vapor Barato e Hotel das Est r e la s , do outro. Moraes, por sua vez, também apresenta uma antologia pessoal, mas inclui um pequeno bloco de canções futebolísticas, como O que É, O que É e Sangue, Suingue e Cintura. Herdeiro direto dos três, o pernambucano Otto volta à Cidade para mostrar o repertório do disco The Moon 1111, segu-

ramente um dos melhores lançamentos do ano passado. Inspirado no célebre LP Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, o álbum trouxe canções brilhantes, como Ela Falava, Exu Parade e O Que Dirá o Mundo, além de uma versão visceral para um antigo sucesso de Odair José, A Noite Mais Linda do Mundo. Dessa vez, Otto terá a valiosa participação especial do Mestre Galo Preto, cantador pernambucano, especialista no coco, cujo talento foi reconhecido logo na infância por ninguém menos do que o poeta regionalista Ascenso Ferreira. Os rappers Criolo e Emicida também sobem ao palco para divulgar um importante lançamento recente: o DVD Criolo & Emicida ao Vivo. É uma obra significativa por reunir o me-

lhor da produção de dois nomes fundamentais no cenário do rap nacional, com boas faixas como Não existe Amor em S P, do primeiro, e Tr iu nf o, do segundo. O roteiro de shows paulistano traz, ainda, uma ótima atração internacional: o show do grupo vocal americano Take Five, em turnê de divulgação do seu disco mais recente, One, de 2012. Formados na vigorosa tradição do gospel, os seis competentes vocalistas difundem uma linguagem de arranjo que renovou o estilo dos conjuntos vocais no mundo todo, usando a voz para substituir os instrumentos comuns. Não tivessem eles uma generosa musicalidade, esse prodígio de técnica justificaria, por si só, o interesse do espetáculo.

GARGAREJO Seleção dos espetáculos da semana Alceu Valença Gênero: antologia pessoal Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17955. Tel.: 4003-5588 Dia 7, às 22h R$ 60 - R$ 150 Criolo e Emicida - Criolo & Emicida Ao Vivo Gênero: rap-pop brazuca Sesc Santo André - Rua Tamarutaca, 302. Tel.: 4469-1200 Dia 7, às 20h R$ 30 Hamilton de Holanda, part. Richard Galliano, Stefano Bollani e Omar Sosa - Mundo de Pixinguinha Gênero: choro universal Teatro Alfa - Rua Bento Branco de Andrade Filho,

722. Tel.: 5693-4000. Dia 8, às 20h R$ 100 - R$ 120 Jards Macalé Gênero: antologia pessoal Teatro Sesc Ipiranga - Rua Bom Pastor, 822. Tel.: 3340-2000 Dias 4 e 5, às 21h R$ 18 Marcos Valle e Stacey Kent, part. Jim Tomlinson - Marcos Valle & Stacey Kent Ao Vivo Gênero: bossa-jazz Bourbon Street - Rua dos Chanés, 127. Tel.: 5095-6100 Dia 6, às 20h30 e às 23h R$ 190 Moraes Moreira Gênero: antologia pessoal Dias 6, às 21h, e 7, às 18h. Teatro Sesc Santo Amaro -

Rua Amador Bueno, 505. Tel.: 5541-4000 R$ 30 Otto, part. Mestre Galo Preto - The Moon 1111 Gênero: mangueprogressivo Choperia Sesc Pompeia - Rua Clélia, 93. Tel.: 3871-7700 Dias 5 e 6, às 21h30, e 7, às 19h. R$ 30 (ingressos esgotados para os dias 6 e 7) Take Six - One Gênero: gospel-pop vocalizado Hsbc Brasil - Rua Bragança Paulista, 1281. Tel.: 4003-1212 Dia 4, 21h30 R$ 90 - R$ 290 (Cotação AD)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

terça-feira, 3 de setembro de 2013

www.dcomercio.com.br

J OIAS

Adornos vivos Madeira e grama são as matérias-primas dessa série de colares e aneis desenvolvidos pelo designer Mr. Lentz. As peças podem ser encomendadas online no site da loja Etsy. www.etsy.com/shop/MrLentz

Dia e noite Fong Qi Wei é um artista de Cingapura que utiliza a fotos de longa exposição para capturar as variações das paisagens urbanas em 24 horas. Da manhã à noite, sua série "Dimensão do tempo" capta diferentes temporalidades de um único enquadramento. Mais fotos no site do artista. http://fqwimages.com/

F UTEBOL

Kaká volta 'para casa'

O iPhone no pé Capa para iPhone transforma seu gadget em sandália. http://bit.ly/17GaXgj

E SPORTE Andy Newman/Reuters

meia-atacante brasileiro O meia brasileiro Kaká concordou em retornar ao Milan na segunda-feira, depois de quatro anos infelizes no Real Madrid durante os quais ele passou de um dos melhores jogadores do mundo para um reserva, propenso a lesões. De acordo com a imprensa italiana, o jogador foi liberado de forma gratuita pelo Real Madrid e teria aceitado uma redução do salário para jogar na equipe italiana. Ele recebia no time espanhol 9 milhões de euros por temporada (aproxi-

madamente R$ 28 milhões). "Volto para casa, estou muito feliz. Temos um grande time, voltarei a vestir a minha camisa 22. Não posso esperar para voltar ao San Siro, há amores que não se esquecem", disse Kaká à rede de TV Sky Sports. O Milan disse que Kaká, nome completo Ricardo Izecson dos Santos Leite, assinou um contrato de dois anos para retornar ao San Siro. O anúncio de seu retorno veio dois dias depois do meia Kevin-Prince Boateng ser surpreendentemente vendido para o alemão Schalke 04.

Durante seu primeiro período de seis anos no clube italiano, Kaká causou um impacto imediato, marcando 10 gols em sua primeira temporada. Tornou-se um dos melhores jogadores do mundo, ajudou o Milan a vencer a Liga dos Campeões em 2007 e foi eleito o Jogador do Ano no mesmo ano. Sua carreira na selação brasileira praticamente acabou depois da Copa do Mundo de 2010, quando foi uma figura central na equipe, mesmo sem estar em plena forma após lesões. Ele não faz parte dos planos do Brasil para a Copa de 2014. (Agências)

Estadão Conteúdo

Andrew Innerarity/Reuters

A travessia de Diana Nyad, 64. Aos 64 anos, a norteamericana Diana Nyad se tornou a primeira nadadora a atravessar de Cuba até os EUA sem nenhum apetrecho de proteção contra tubarões. A travessia do Estreito da Flórida começou no sábado; 53 horas depois ela chegou a Key West [foto menor]. Diana se dedicou 35 anos à saga. Sua primeira tentativa de travessia foi em 1978. Entre

2011 e 2012, tentou mais três vezes. A última tentativa foi abortada devido a problemas com o barco de apoio, correnteza perigosa e águas-vivas.

S ELEÇÃO

Sai Fred, entra Pato. O atacante Fred foi cortado ontem dos próximos amistosos da seleção brasileira. Alexandre Pato foi convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Fred sofreu uma lesão muscular na coxa na partida do Fluminense contra o Santos, no fim de semana, e não poderá jogar contra a Austrália, no sábado, em Brasília; e Portugal, três dias depois, nos EUA, informou a Confederação Brasileira de

Futebol (CBF). Sob a assistência do médico da seleção Rodrigo Lasmar, Fred foi submetido a uma ressonância magnética que constatou lesão muscular e deve ficar afastado por dois meses. Com isso, Pato, que completou 24 anos ontem, ganhou nova chance na seleção, um dia depois de marcar dois gols pelo Corinthians, contra o Flamengo, em jogo pelo Campeonato Brasileiro.

P OLÍTICA

O Itaú Cultural divulgou ontem as mudanças de um de seus principais programas de fomento à cultura, o Rumos. Os investimentos totais neste ano serão de R$ 8 milhões e os projetos de teatro, dança, cinema, música, literatura e artes plásticas passam a concorrer no mesmo processo seletivo. As inscrições foram abertas hoje e vão até 14 de novembro. http://rumositaucultural.org.br

A NIMAIS Cristóbal García/EFE

Um dos seis gorilas machos que vivem no zoológico Loro Parque, de Tenerife, León, será trazido para Belo Horizonte (MG).

M ÚSICA

Morre a soprano Florencia Fabris A soprano argentina Florencia Fabris, 38, morreu no domingo em Mendoza, na Argentina, onde estava internada. A cantora teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) no palco do teatro Juan Victória, em San Juan, na última sextafeira. Ela interpretava Réquiem, de Giuseppe Verdi, quando se sentiu mal em cena e teve de terminar a apresentação sentada. Médicos que estavam na plateia atenderam a cantora.

NO AR

L OTERIAS Concurso 3281 da QUINA

L

http://bit.ly/15xIAKg

Programa 'Rumos' abre inscrições

Ilya Naymushin/Reuters

P UBLICIDADE

Estratégia de marketing da Nike na China: tênis em outdoor é "tricotado" no ar.

C ULTURA

L

NO PARQUE A modelo Gisele Bündchen levou seus filhos Benjamin Brady, Vivian Brady [foto] e o enteado Jack Moynihan para um passeio no parque em Boston (EUA), no domingo. A família estava na companhia de amigos.

O artista russo Vasily Slonov posa ao lado de algumas de suas obras: retratos do presidente Vladimir Putin e do líder soviético Josef Stálin. Sua série de retratos de figuras políticas russas gravados quimicamente em lâminas de machado de açougueiro está em exposição na cidade siberiana de Krasnoyarsk.

06

18

20

49

55


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

e

13 EX-BILIONÁRIO A revista Forbes afirmou que o empresário Eike Batista "deixou oficialmente de ser um bilionário". Sua fortuna, agora, vale menos de US$ 900 milhões. Leia mais na página 18.

conomia

DE VOLTA AOS BONS TEMPOS DE NORMALIDADE

Comércio de São Paulo voltou a crescer em agosto, após o final das manifestações de rua. E deverá continuar em ritmo moderado até o fim do ano.

Foto Alf Ribeiro/Folhapress

Karina Lignelli

D

epois das manifesInadimplência – No indicador tações e passeatas que mostra os registros em que deram uma ar- atraso, em agosto houve alta refecida no movi- e x p r e s s i v a a n t e j u l h o , d e mento do comércio paulistano 13,8%. No comparativo com no meio do ano, em agosto as agosto de 2012, aconteceu vendas se recuperaram e vol- uma ligeira elevação de 0,4%. taram a normal, registrando De acordo com o economista uma alta de 4,5% ante julho, e da ACSP, essa é uma alta sazode 3,3% em comparação a nal, típica do período, que reigual mês do ano passado. Os flete as vendas do Dia das dados são do Serviço Central Mães, em maio – a segunda d e P r o t e ç ã o a o C r é d i t o maior data do varejo. (SCPC), que é administrado Por outro lado, o índice de pela Boa Vista Serviços, e ana- c a n c e l a m e n t o d e r e g i slisados pela t ro s/ re cu peAssociação ração de créComercial de dito também São Paulo teve uma alta (ACSP). s ig ni fi ca ti va M e s m o em agosto, com a alta, no de 16,8% anpor cento foi a alta das entanto, a bate julho, e de vendas a prazo no se de compa2,5% ante ração (junho agosto de comércio paulistano e julho) foi 2012. "Essa em agosto, sobre fraca, ainda alta também impactada é sazonal, julho. Na comparação p e l a s m a n imas mostra com agosto de 2012, festações, e que a inadimalta foi de 3,3%. gerou um replência está sultado atípiestabilizada, co para o pemantém uma ríodo ante igual mês em 2012, leve propensão à queda, e dequando o indicador fechou ve continuar assim até o fim do agosto em 2,5%, explicou ano", completou Alfieri. Ele Emilio Alfieri, economista da lembrou ainda que, se a inaACSP. "As vendas melhora- dimplência continuar nesse ram em relação aos meses an- ritmo de queda "lenta e grateriores, mas devem conti- dual", no fim do ano, ao comnuar num ritmo moderado até parar o indicador com o acuo final do ano", completou Ro- mulado de 2012, será mais fágério Amato, presidente da cil visualizar o quanto o índice ACSP e da Federação das As- vem caindo. sociações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). Quanto às vendas à vista, o indicador ficou estável de julho para agosto, com leve queda de 0,3%. Por outro lado, registrou alta de 1,7% comparado a agosto de 2012. "Vale destacar que essa estabilidade nas vendas à vista sugere que o clima relativamente frio de agosto ainda não animou os consumidores para as compras da próxima coleção primavera–verão", destacou Alfieri.

4,5

Rua 25 de Março, no Centro: como no restante da cidade, movimento voltou ao burburinho cotidiano.

Agronegócio vai puxar a economia

O

varejo deve continuar a a crescer, mas em ritmo "morno", enquanto o agronegócio deve puxar o crescimento da economia. Pelo menos é o que sinaliza Emilio Alfieri, economista da ACSP. O governo anunciou, na semana

Para economistas, tudo vai subir: PIB, juro, inflação e dólar. Foto Marcelo Alves/Techimage/Folhapress

E

conomistas de instituições financeiras elevaram a perspectiva para a Selic no final de 2014, ao mesmo tempo em que passaram a ver crescimento e inflação maiores neste ano, além de um dólar mais alto. A mediana das projeções dos analistas consultados na pesquisa Focus do Banco Central divulgada ontem mostra que a expectativa para a Selic no final deste ano foi mantida em 9,50%. Mas, para 2014, subiu a 9,75%, ante 9,50% na semana anterior. O BC elevou na semana passada a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, para 9,0%, repetindo o comunicado utilizado nas duas últimas reuniões, o que foi interpretado pelo mercado como um sinal de que elevará novamente a taxa em 0,5 ponto percentual na próxima reunião, em outubro. Entretanto, a mediana das

Obras em São Paulo: mercado corrige previsões de crescimento. estimativas do Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, mudou para este ano, indicando um maior aperto monetário. A projeção agora é de que a Selic encerrará 2013 a 10%, ante 9,75% na pesquisa anterior. Mas em relação a 2014, a projeção foi mantida em 10%. O que deve influenciar a duração do atual ciclo de aperto

monetário, para analistas, é o comportamento do câmbio e da economia daqui para a frente. O mercado aguarda agora a divulgação da ata dessa reunião, na quinta-feira, em busca de mais sinais sobre os próximos passos da política monetária. No segundo trimestre, a economia brasileira surpreendeu ao crescer 1,5% ante os três primeiros meses do ano,

passada, que o valor do salário mínimo previsto para 2014, baseado na memória de cálculo em vigor desde 2006 (inflação do ano anterior mais PIB de dois anos anteriores) deve ficar em R$ 722,70. Mas, se é indiscutível que o aumento do piso também eleva o poder de compra das classes C e D – e, em consequência, as vendas do comércio –, o reajuste em 2014 deve ajudar apenas a controlar a inflação dos alimentos. "As vendas só vão crescer no setor de hipermercados (que representa o maior gasto das famílias)", afirma. Para Alfieri, o que vem estimulando o PIB nesse momento é o agronegócio, que subiu 13% e, em consequência, tem "tracionado" a indústria

no maior crescimento em mais de três anos. Mas a atividade econômica deve perder fôlego no terceiro trimestre, podendo ficar estagnada ou mesmo mostrar retração. A perspectiva no Focus para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano foi elevada a 2,32%, ante 2,20% na pesquisa anterior. Para 2014, entretanto, houve redução a 2,30%, ante 2,40%. Ao mesmo tempo, o momento é de preocupação com a valorização do dólar, dado o potencial impacto sobre os preços. No Focus, os economistas elevaram a expectativa para o dólar no final deste ano pela quarta semana seguida, para R$ 2,36, ante R$ 2,32. Diante desse cenário, os economistas ainda elevaram a perspectiva para a inflação neste ano a 5,83%, ante 5,80% na semana anterior. Para 2014, a projeção para o IPCA foi mantida em 5,84%. Enquanto isso, a projeção para a inflação em 12 meses foi elevada pela nona vez seguida, a 6,12%, ante 6,08%. (Reuters)

de bens de capital, com a venda de caminhões, além das máquinas agrícolas e tratores – a chamada "linha amarela". "Há também a construção civil, que está bombando com linhas de crédito para o Minha Casa, Minha Vida", relembra. Já as vendas do varejo devem continuar como estão, crescendo em um ritmo mais contido, já que as compras de bens de consumo se estabilizaram. "Esse vai ser o menor aumento do piso dos últimos anos, com um PIB ligeiramente inferior a 1% (0,9%, mais inflação prevista de 5,8%)", destaca ele, que lembra que, em 2012, o reajuste do mínimo foi baseado em um PIB de 7,5%, e por isso as vendas cresceram 8,4%. "O

consumidor correu para comprar, mas a inflação disparou e acelerou a inflação de alimentos – fora os problemas de safra. Com o PIB previsto de 3,3% para este ano, a tendência, para o IBGE, é que o varejo cresça só 3,5%". Para 2014, ano eleitoral, se não houver manifestações ou manobras políticas, como novas desonerações, a desaceleração deve continuar, segundo Alfieri – especialmente nas vendas de bens de menor valor que exigem crédito. "Pode ser que os bens de crediário não sejam afetados. Mas, até lá, muita água deve rolar e, a princípio, pelo menos na área de salários e bens de primeira necessidade, não há projeções mais otimistas" finaliza. (KL)

Hora de gastar. E poupar.

O

número de paulistanos dispostos a buscar financiamento nos próximos três meses aumentou, em 2,2 pontos percentuais, de 11,2% em julho para 13,4% no mês passado, de acordo com dados da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). Embora a intenção de financiamento tenha registrado leve alta, os analistas da Fecomercio destacam que os consumidores estão se mostrando conservadores, uma vez que nos últimos meses aumentou a aplicação de recursos na poupança. Além disso, a média de pessoas com al-

gum tipo de aplicação subiu em agosto, passando de 39,2% em julho para 41,1% em agosto. A poupança ainda é a mais procurada, com 75,7% das respostas. Depois, os investimentos mais citados foram renda fixa (14,4%) e previdência privada (4,2%). O número de não endividados com aplicações cresceu, passando de 47,8% para 51,2% no mês. Porém, o número de endividados com aplicação caiu de 33% para 32,2% em agosto. Os dados são da Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento, que ouviu 2,2 mil consumidores na cidade de São Paulo. (Folhapress)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

e Balança tem resultado positivo em agosto

15

Iremos gradualmente expandir as importações de milho para atender o crescimento do consumo Han Changfu, ministro chinês

conomia

Maurício de Souza/DC

Superávit foi de US$ 1,2 bi no mês passado. Entretanto, no ano, saldo é negativo em US$ 3,7 bi.

A

balança comercial voltou a ficar positiva no mês passado, ao registrar superávit de US$ 1,2 bilhões, mas ainda ficou abaixo do esperado por analistas. O resultado veio de exportações que somaram US$ 21,425 bilhões e de importações que atingiram US$ 20,199 bilhões, segundo informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), divulgadas ontem. Especialistas em comércio exterior esperavam um saldo positivo superior ao obtido, de pelo menos US$ 1,5 bilhão. Em julho, a balança comercial havia registrado déficit de US$ 1,897 bilhão. Acumulado –No acumulado do ano até agosto, a balança comercial registra saldo negativo de US$ 3,764 bilhões na comparação com um superávit de US$ 13,149 bilhões verificado em igual período de 2012. As exportações somam US$ 156,655 bilhões, enquanto as importações totalizam US$ 160,419 bilhões.

As vendas brasileiras ao mercado externo seguem afetadas pela crise internacional, que provocou retração do comércio global. Na ponta das importações, um dos destaques é o aumento das compras de combustíveis devido ao registro em 2013 de compras de gasolina feita pela Petrobras em 2012 e também por maiores aquisições de combustíveis para o atendimento da crescente demanda interna. As autoridades brasileiras avaliam que o dólar mais valorizado comparado ao Real vai melhorar o desempenho das exportações brasileiras. Mas ponderam que essa melhora não ocorrerá no curto prazo. O resultado ruim da balança comercial este ano é um dos principais fatores do elevado rombo nas contas externas do país. Em julho, no dado mais atualizado do Banco Central, a conta transações correntes do país registrou déficit de US$ 9,018 bilhões, ampliando para US$ 52,472 bilhões o saldo negativo em 2013. (Reuters)

As exportações brasileiras estão sendo afetadas pela crise internacional. Governo espera que dólar valorizado melhore a situação das vendas.

Frango As vendas externas de carne de frango somaram US$ 642 milhões em agosto, alta de 7,5% ante igual período de 2012. Em volume, os embarques totalizaram 333,6 mil toneladas, avanço de 5,1%. O resultado reduziu o saldo negativo das exportações. No acumulado de 2013, até agosto, as exportações alcançaram receita de US$ 5,413 bilhões, alta de 8,62%, com embarques de 2,562 milhões de toneladas, recuo de 2%. Em julho, a queda acumulada era de 3,1%. Já em agosto, a queda acumulada no ano foi de 2%. (EC)

Bruno Domingos/ Reuters

Interrupção programada da plataforma P-40 influenciou no resultado negativo de julho.

Com plataforma parada, produção de petróleo cai 6%.

A

produção de petróleo do Brasil em julho somou 1,974 milhão de barris por dia (bpd), uma queda de 2,4% na comparação anual e 6% ante junho, principalmente pela parada programada da plataforma P-40, no campo de Marlim Sul, por cerca de 15 dias, informou ontem a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção de gás do Brasil em julho foi de 78,5 milhões de metros cúbicos diários, alta 10,6% em relação a julho de 2012 e queda de 1,9% ante junho. Cerca de 93% da produção de petróleo e gás natural foi proveniente de campos operados pela Petrobras, que ainda não divulgou dados para a produção de julho. A estatal produziu 1,79

milhão de barris por dia no Brasil, uma queda de 4,8% ante 1,881 milhão de barris do mês anterior, segundo dados da ANP sobre produção por concessionária. A produção de gás da

de metros cúbicos diários. A plataforma com maior produção foi a P-56, que produziu 143,8 mil barris de óleo equivalente por dia (petróleo e gás), por meio de oito poços localizados no campo de Marlim Sul. Pré- sal –A produção do pré-sal foi de 296,4 mil barris diários de petróleo e de 9,9 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, mil barris totalizando 358,8 mil diários de barris de óleo equivalente por dia, uma redução de petróleo foram 4,6% em relação produzidos ao mês anterior. "O principal motivo nos campos do para a queda na produção pré-sal no mês observada no pré-sal foi a de julho. conclusão do Sistema de Produção Antecipada (SPA) do poço 3BRSA788SPS, Petrobras somou 66,5 milhões de metros cúbicos interligado ao FPSO Cidade de São Vicente e por dia em julho, 1,2% a localizado no campo de menos que em junho, quando foram produzidos Sapinhoá", justificou a ANP. (Reuters) 67,29 milhões

296

Milho A China pretende aumentar suas importações de milho a fim de atender à crescente demanda. As compras chinesas já tiveram um grande impacto sobre os preços do grãos. Quando o país comprou um volume recorde em 2011/12, acabou por elevar o preço referência do milho negociado em Chicago a US$ 8 por bushel – mais que o dobro da média da última década. "Nós iremos gradualmente expandir as importações de milho para atender o crescimento do consumo", disse o ministro chinês Han Changfu à imprensa oficial. (Reuters)

Açúcar As vendas de açúcar cristal no mercado de exportação tem garantido melhor remuneração do que no mercado doméstico. Uma análise da paridade entre exportação e mercado interno feita pelo Cepea mostram que no período de 26 a 30 de agosto as vendas externas remuneraram 5,6% a mais que as vendas no mercado spot paulista. O indicador Esalq/BVMF, referente ao produto posto no porto de Santos, sem impostos, fechou a R$ 46,19 por saca de 50 kg na sexta, pequeno aumento, de 0,06%, em uma semana. (Reuters)

Café As exportações globais de café totalizaram 9,05 milhões de sacas de 60 kg em julho, queda de 6,6% ante igual mês do ano passado, segundo a Organização Internacional do Café (OIC). Para os primeiros dez meses da temporada 2012/13, que começou em outubro, as exportações aumentaram 3,6%, para 94,48 milhões de sacas, As exportações de café robusta em julho somaram 3,6 milhões de sacas, contra 4 milhões em igual mês de 2012. As do arábica caíram para 5,4 milhões de sacas, ante 5,7 milhões em 2012. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Não acho que o País esteja tão ruim como os economistas que ouço aqui afirmam. Jim O'Neill, economista, criador da sigla BRICS

conomia

MR. JIM VERSUS MR. JIM

DUAS VISÕES DE UMA De um lado, otimismo. De outro, pessimismo. Dois grandes analistas da economia, ambos chamados Jim, têm visões distintas do Brasil. O Jim O'Neill criou a célebre expressão BRICS e está animado com o País. O Jim Rogers não está, e afirma que a presidente Dilma cometeu vários erros.

MESMA ECONOMIA Rejane Tamoto

O

crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e o impacto das decisões de política econômica na atração de investimentos foram discutidos em diferentes momentos no último fim de semana, durante o 6º

Congresso de Mercados Financeiro e de Capitais da BM&FBovespa, realizado em Campos do Jordão. De um lado, Jim Rogers, investidor norte-americano e autor de diversos livros, como o recente Street Smarts, e de outro o britânico Jim O'Neill, que deixou a presidência da Goldman Sachs Asset Management em maio deste ano, e é conhecido por ter

cunhado a sigla BRICS, que refere-se aos países emergentes com potencial de crescimento: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ambos compartilham o interesse pela economia brasileira, mas têm opiniões diferentes sobre o desempenho do País, que passa por um ano de baixo crescimento econômico, inflação pressionada,

incertezas sobre a situação fiscal, e câmbio em elevação por causa da expectativa pela redução de estímulos à economia dos Estados Unidos por parte do Federal Reserve (o Fed, o banco central norteamericano). Leia a abaixo, as duas visões sobre o desenvolvimento do País, na análise de dois nomes de peso na economia mundial.

Fotos: Divulgação/LUZ

O economista O investidor Jim O'Neill Jim Rogers está otimista. está pessimista Ele aposta em com o destino crescimento do Brasil. Ele surpreendente responsabiliza do País. Mas diretamente o alerta: o governo, a governo deve quem acusa de sair do desestimular caminho dos o investimento empreendedores. no País.

'Potencial para dar confiança'

O

Brasil tem potencial para impulsionar a confiança do empreendedor e chacoalhar os investimentos. Mas nada ocorreu para incentivar o setor privado nos últimos dois anos. "É preciso que o governo saia do caminho para permitir investimentos. E que a economia seja mais aberta. Não acho que o País esteja tão ruim como os economistas que ouço aqui afirmam. Eles estão influenciados por aquilo que acaba de

acontecer", afirmou Jim O'Neill, o criador da sigla BRICS, na sexta-feira em evento da BM&FBovespa. Em palestra sobre oportunidades e riscos no atual cenário de recuperação da economia, O'Neill destoou da maioria dos participantes, que dizem acreditar que o Brasil vai crescer 2% ou 2,5% neste ano. Para ele, a tendência de crescimento do Brasil no longo prazo é de 4% ao ano. Tampouco, O'Neill aceitou o rótulo de 'oti-

mista'. "Eu seria se dissesse que o País cresceria 5%". Embora reconheça que o Brasil teve um crescimento desapontador em 2011 e 2012, O'Neill lembrou que o País não fez nada a não ser crescer depois de 2003, quando as pessoas pararam de se preocupar com o ex-presidente Lula. "Será alto este ano, podendo emergir a 3,3%, se nada mais acontecer. No entanto, será preciso estimular o setor privado, mas sem que o País gaste tanto dinheiro para ser a China. Nem a China quer mais ser a China, com um crescimento de 7,5% (e não mais de 10% ao ano). Ela está preocupada com qualidade e não mais com quantidade. Vejo com preocupação formuladores de política econômica de tentarem fazer do Brasil uma nova China. É preciso que o Brasil siga uma direção correta, com o BC controlando a inflação, como fez a Austrália", afirma. O exemplo da Austrália também serviu para O'Neill fazer um alerta sobre intervenções na taxa de câmbio. "O dólar volátil na Austrália não pareceu um problema. O governo deve educar as pessoas no sentido de mostrar que a moeda é flutuante, e não estável. Vejo a queda do valor do real de forma positiva para a recuperação da competitividade nas exportações."

'Governo não quer o estrangeiro'

A

os 70 anos, Jim Rogers é um investidor que diz acreditar que o melhor ativo hoje em dia é a commodity agrícola e, embora o Brasil tenha enorme potencial nesse campo, ele disse que o entrave está nas decisões tomadas pelo governo atual. No último sábado, Rogers disse que investe em açúcar e analisa o café brasileiro. Já investiu no Brasil em 1973, mas agora está receoso. "Essa senhora está cometendo erros rapidamente para corrigir um mercado em baixa. As decisões erradas estão fazendo o Brasil não participar do mercado de alta das commodities. Só volto a investir aqui se houver mudanças", afirmou durante participação no congresso da BM&FBovespa em Campos do Jordão. Jim Rogers explicou que esses erros são a colocação de tarifa especial para produtos chineses e coreanos – ou seja, de países que são clientes do Brasil. Além disso, ele afirmou que o governo deveria remover os controles sobre a moeda e tornar o real aberto e livre, política adotada com o dólar australiano na Austrália. "Além disso, o governo tornou ilegal o investimento

de estrangeiros na agricultura. O Brasil precisa de investimento, capital e expertise, mas o governo não quer o estrangeiro aqui", disse. O investidor afirmou que vê o mercado de commodities com bons olhos porque os estoques históricos são baixos no mundo para os produtos agrícolas porque faltam produtores para agricultura, com os antigos

Essa senhora está cometendo erros rapidamente para corrigir um mercado em baixa. Só volto a investir aqui se houver mudanças. fazendeiros se aposentando e com jovens que não querem tocar o negócio. "Vejo os preços de produtos agrícolas subindo no futuro. E o Brasil tem terra, clima e cérebro", afirmou o investidor. Rogers tem muitas histórias, já que se aposentou do mercado financeiro aos 37 anos para realizar o sonho de viajar pelo mundo. Na década de 1970, o investidor já havia criado o fundo de

investimento global Quantum ao lado de George Soros. Ao se aposentar, deixou a América rumo a Cingapura. "O Reino Unido foi o principal país do mundo no século 19. Os Estados Unidos são do século 20 e a China será do século 21", disse. Desde então, ele cruzou 232 fronteiras de países e nessa jornada, a bordo de motocicleta e depois de automóvel, desenvolveu critérios para determinar os lugares que têm potencial para crescer e, que por isso, seriam bons para se investir. "Aprendi que os países demolidos por guerras e por grandes mudanças – e que estão em recuperação – são também boas oportunidades de investimento. O lugar que passa por desastre e inicia um período de mudança é ideal para se fazer fortuna. É assim em todas as partes do mundo, em qualquer idioma e religião. Isso porque todos nós queremos a mesma coisa da vida. Quem quer guerra é político ", afirmou o investidor. Ele avaliou que se os Estados Unidos realmente entrarem em guerra com a Síria, os preços de algumas commodities vão subir, como o petróleo, por exemplo. "As guerras não são boas para ninguém", completou.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

e Estatal das ferrovias será rebatizada

17

O Brasil em 2014 será um canteiro de obras

Vicente Abate, presidente da Abifer.

conomia

A Valec mudará o nome para Empresa Brasileira de Ferrovias (EBF) e ampliará suas atribuições para acompanhar melhor os leilões de concessões. Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

O

ministro dos Transportes, César Borges, anunciou ontem que a Valec, estatal que cuida de ferrovias, trocará o nome para Empresa Brasileira de Ferrovias (EBF). Passará também por uma reformulação, para que possa comprar toda a capacidade dos novos trechos ferroviários que serão licitados e revendê-la aos operadores de carga, conforme o modelo das concessões lançado no ano passado. "Atualmente a empresa não tem as atribuições necessárias. A mudança já poderia ter sido feita desde o lançamento do programa, mas agora estamos concluindo o texto para que tudo esteja pronto quando as ferrovias forem licitadas", disse o ministro. Todas as mudanças serão ordenadas por meio de Medida Provisória que será baixada nos próximos dias. Borges disse ainda que a nova empresa terá um "caixa robusto". "Já colocamos R$ 15 bilhões na Valec e esse caixa será repassado automaticamente à EBF", completou. Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, "havia dúvidas" se a Valec teria perfil para executar o projeto de concessões ferroviárias. Esclareceu que a mudança não implicará em criação de cargos ou de estrutura nova. A nova empresa, explicou, continuará "responsável pela execução das obras públicas

Antonio Cruz/A

Br

15 bilhões de reais já foram investidos na Valec. E esse caixa será repassado "automaticamente" para a nova empresa, segundo o governo. assim como hoje é a Valec, mas também será responsável pela venda da capacidade

O ministro dos Transportes, César Borges (acima) e a ministra do Planejamento, Míriam Belchior, garantem que as mudanças não causarão adiamento do leilão previsto para o dia 18 de outubro.

das ferrovias que serão construídas". Tanto Miriam quanto Borges foram enfáticos em descartar um adiamento de leilões das linhas férreas. A maioria dos especialistas, contudo, acredita em postergação do processo previsto para começar em 18 de outubro, com a licitação do trecho de 457 quilômetros Açailândia (MA)-Barcarena (PA). Esses especialistas dizem que a substituição da Valec por uma

nova estatal pode se mostrar uma medida inócua para atrair investidores, tendo em vista o que foi anunciado até o momento, porque não ataca o principal questionamento do modelo de concessão: a garantia de receita dos investidores ao longo dos contratos. O presidente da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), Rodrigo Vilaça, afirmou que a novidade levará ao adiamento dos leilões, mas considera a medi-

da positiva. "O governo encontrou um jeito de adiar os leilões e pensar mais e melhor sobre o assunto." O presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, vê a saída da Valec como uma ação necessária para dar credibilidade à gestão do governo nas concessões. Mas reconhece, no entanto, que o mercado quer garantia adicional de que terá receita que justifique o investimento durante

todo o contrato. O dirigente não considera atrasos como tempo perdido, porque o modelo em construção para o trecho AçailândiaBarcarena será utilizado nos demais. "O que aconteceu de um ano para cá não é perda de tempo, é um tempo de aperfeiçoamento para que, quando sair o edital, não haja tantas dúvidas", finalizou Abate, que se mantém otimista: "O Brasil em 2014 será um canteiro de obras". (Agências)

Vodafone sai do mercado dos EUA A empresa inglesa vendeu sua participação na bem sucedida Verizon Wireless

A

Verizon Communications anunciou ontem o desfecho de um negocio que tenta fechar há uma década: por US$ 130,1 bilhões comprou da sócia Vodaphone a participação de 45% que essa detinha na Verizon Wireless – a operadora de telefonia móvel mais lucrativa dos Estados Unidos. Pelos termos do acordo, a Vodafone receberá US$ 58,9 bilhões em dinheiro, US$ 60,2 bilhões em ações da Verizon e US$ 11 bilhões adicionais relacionados a transações menores. O acordo é a terceira maior aquisição da história e marca a saída da Vodafone do grande, mas maduro, mercado de telefonia

celular dos EUA. Após o anúncio da transação, a agência de classificação de risco Moody's abaixou a nota da dívida de longo prazo da Verizon. "A redução (...) é baseada em nossa expectativa de que, por extenso período de tempo, a alavancagem ficará mais alta que em nossas previsões anteriores", disse o vice-presidente sênior da Moody's, Dennis Saputo. Os conselhos da Verizon e da Vodafone aprovaram por unanimidade a operação e as companhias esperam que o negócio seja finalizado no primeiro trimestre de 2014. Em Londres, a Vodafone anunciou que seus acionistas receberão cerca de US$ 84 bilhões em

dinheiro e ações após a concretização da venda. A empresa informou ainda que investirá 6 bilhões de libras (US$ 9,3 bilhões) na melhoria de suas redes de telefonia celular e banda larga nos próximos três anos fiscais. A transação vai gerar cerca de US$ 5 bilhões em impostos para a Vodafone nos EUA. Nova onda – O negócio fechado entre a Verizon e a Vodafone pode ser o sinal de partida para uma nova onda de fusões no setor de telecomunicações na Europa. Ontem, as ações da Telecom Italia subiam fortemente na bolsa de Milão, com base nesses rumores. A expectativa é de que o maior grupo de telecomunicações do país esteja à procura de um

Tray Participações S.A.

CNPJ/MF nº 17.069.862/0001-73 - NIRE nº 35.300.393.163 Extrato da Ata da Reunião do Conselho de Administração de 26/11/12 Data, Hora e Local: 26/11/2012, às 13hs, na sede, na R. Itapaíuna, nº 2434, parte, Vila Andrade, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do Conselheiros. Mesa: Walter Leandro Marques - Presidente e Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: 1. Eleição da Diretoria: Walter Leandro Marques, RG nº 25.135.129-4 SSP/SP e CPF/MF nº 254.149.208-18, para Diretor Presidente; Paulo Narcélio Simões Amaral, RG nº 2.929.896 SSP-DF, CPF/MF nº 790.422.877-72, para Diretor Financeiro; Fernando Biancardi Cirne, RG nº 22.693.914-5 SSP/SP, CPF/MF nº 169.278.538-98, para Diretor de Marketing e Vendas; e Willians Cristiano Marques, RG nº 40.419.912-4 SSP/ SP e CPF/MF nº 320.058.868-31, para Diretor de Produtos, todos brasileiros e residentes em SP/SP, os quais declararam, que não estão condenados por crime, ou a pena que vede, ainda que temporariamente, o exercício de atividades mercantis. 2. Contratação de diretor não estatutário da Cia. que terá a designação de “Diretor de Tecnologia” e terá um salário nominal bruto anual de até R$ 180.000,00. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Conselheiros: Gilberto Mautner; Walter Leandro Marques; e João Alberto Santos. Diretores: Walter Leandro Marques; Paulo Narcélio Simões Amaral; Fernando Biancardi Cirne; e Willians Cristiano Marques. JUCESP 531.165/12-7 em 10.12.12. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

EMPRESA METROPOLITANA DE TRANSPORTES URBANOS DE SÃO PAULO S.A. CNPJ: 58.518.069/0001-91 CONCORRÊNCIA EMTU/SP Nº 008/2013 OBJETO: Contratação de empresa ou consórcio de empresas para a execução das obras civis, contemplando implantação de viários em pavimento rígido e/ou flexível, obras de infraestrutura, obras de arte especiais, muros e contenções, edificações (terminais, estações de embarque/desembarque, estações de transferência), instalações gerais, acabamentos, sinalização viária e urbanismo e paisagismo para a implantação do Lote 03, dos projetos do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo, trecho Jandira – Osasco, compreendido entre a Estação de Transferência de Jandira (exclusive) e o futuro Terminal p de Jandira e Carapicuíba, p , na Região Metropolitana de São Paulo – RMSP. Metropolitano de Carapicuíba entre os municípios ADIAMENTO DA SESSÃO PÚBLICA Em virtude do prazo necessário para a análise de pedidos de esclarecimentos recebidos, comunicamos que a sessão pública de abertura e entrega de envelope da Licitação em epígrafe, programada para 04.09.2013 fica adiada para dia 09.10.2013, às 10 horas, na Rua Joaquim Casemiro, 290 – Planalto – São Bernardo do Campo/SP e, às 10h30m, a abertura dos envelopes. O Edital completo alterado estará disponível para download no sítio www.emtu.sp.gov.br e também poderá ser retirado gratuitamente, no Departamento de Compras e Contratos, das 08 às 17 horas, mediante a apresentação da mídia DVD-R (gravável), necessária para cópia do arquivo a partir de 09.09.2013. JOAQUIM LOPES DA SILVA JUNIOR - Diretor Presidente.

Tray Participações S.A.

“PLASTICOS REGINA S.A. torna público que está requerendo a Licença de Operação - Renovação para a Fabricação de Artefatos de Plástico à Rua Juraci Aletto, nº 224, B. Sertãozinho - Mauá - SP”

CNPJ/MF nº 17.069.862/0001-73 - NIRE nº 35.300.444.981 Extrato da Ata de Assembleia Geral Extraordinária de 12/12/2012 Para a Re-Ratificação da Assembleia Geral Extraordinária de 26/11/12 Data, Hora e Local: 12/12/2012, às 11:30hs, na sede, R. ltapaiuna, nº 2434, parte, Vila Andrade, SP/SP. Presença: TotalidadedocapitalsociaI. Convocação: Dispensada. Mesa: Walter Leandro Marques - Presidente e Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: Re-ratificação da AGE de 26/11/2012, registrada na JUCESP nº 531.166/12-0 em 10/12/2012, no sentido de: (i) retificar e fazer constar o NIRE correto da Cia., ou seja, NIRE nº 35.300.444.981, que constou de forma incorreta; e (ii) ratificar todas as demais deliberações nela aprovadas. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Acionistas: Walter Leandro Marques, Willians Cristiano Marques e Locaweb Serviços de Internet S.A. São Paulo, 12/12/2012. Walter Leandro Marques - Presidente, Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. JUCESP nº 546.046/12-5 em 21.12.2012. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

Tray Participações S.A.

CNPJ/MF nº 17.069.862/0001-73 - NIRE nº 35.300.444.981 Extrato da Ata de Reunião do Conselho de Administração de 12/12/2012, Para a Re-Ratificação da Ata RCA de 26/11/2012 Data, Hora e Local: 12/12/2012, às 11hs, na sede, R. ltapaiuna, nº 2434, parte, Vila Andrade, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do Conselho de Administração. Mesa: Walter Leandro Marques - Presidente e Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: Re-ratificação da ata da RCA de 26/11/2012, registrada na JUCESP em 10/12/2012, sob o nº 531.165/12-7, no sentido de: (i) retificar e fazer constar o NIRE correto da Companhia, ou seja, NIRE nº 35.300.444.981; e (ii) ratificar todas as demais deliberações nela aprovadas. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Assinaturas: Conselheiros: Gilberto Mautner; Walter Leandro Marques; e João Alberto Santos. São Paulo, 12/12/2012. Walter Leandro Marques - Presidente, Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. JUCESP nº 546.045/121 em 21.12.2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

AUTO POSTO CHABIN LTDA, torna público que requereu da CETESB a Licença de Operação, para Comércio Varejista de Combustiveis e Lubrificantes, sito à Rua Santa Cruz, 965 - Vila Mariana - São Paulo/SP

parceiro de negócios. Seria a forma de ajudar a reavivar o dinamismo da companhia, no momento em que a recessão econômica e o aumento da competição prejudicam suas margens no mercado doméstico. A empresa é controlada por um acordo de acionistas – Mediobanca, Generali, IntesaSanPaolo e a rival Telefónica – que vence no fim de setembro. Além de retomar o mercado, a Telecom Italia precisa fortalecer sua base de capital para evitar um rebaixamento em sua nota de crédito. "Claramente o mercado aposta em algum negócio no horizonte, embora não haja nada de concreto ainda", disse Roberto Lottici, gerente de fundos na Ifigestm. (Reuters)

Bovespa entra no Google Finance

O

Google anunciou ontem que fez acordo com a BMF&Bovespa, para que essa se torne a primeira bolsa da América Latina a integrar o Google Finance. Com essa inclusão, a ferramenta passou a contar com informações de 44 bolsas ao redor do mundo, informou a companhia americana. O Google Finance permite que os usuários acessem por computador ou pelo smartphones – nesse caso, utilizando o assistente pessoal virtual Google Now – cotações de ações das empresas de capital aberto e os índices da Bovespa.

Fornece também notícias relacionadas aos mercados e informações sobre produtos de Fundos de Investimento Imobiliários e ETFs (Exchange Traded Funds, na sigla em inglês), entre outros. Um recurso adicional oferecido pelo serviço é a montagem de um portfólio de investimentos com a conta Google. O Google Finance concorre com a ferramenta Yahoo! Finance, da também norte-americana Yahoo!, que já contava com informações fornecidas pela bolsa brasileira. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18 -.ECONOMIA/LEGAIS

e

terça-feira, 3 de setembro de 2013

A ação (da OGX) fechou muito para baixo na sexta e hoje está ajustando o preço, o que causa um impacto muito grande. José Arivar, da Fram Capital.

conomia

No sufoco, Eike quer vender o Hotel Glória. Aquele que foi o 7º homem mais rico do mundo está se desfazendo do seu patrimônio para fazer caixa.

O

histórico Hotel Glória, que está sendo reformado pela REX, empresa do segmento imobiliário de Eike Batista, pode ser vendido para o fundo suíço Acron. Foi assinado um contrato de exclusividade para a compra do empreendimento no valor de R$ 225 milhões. A operação está sendo coordenada pelo Bradesco BBI. Procurada, a REX diz que não vai comentar o assunto. O Hotel Glória foi comprado em 2008 por Eike Batista. Com vista para a baía de Guanabara, ele fica de frente para o Aterro do Flamengo. Diante da crise que atinge os seus negócios, o empresário está se desfazendo de participações em suas empresas, assim como colocando à venda outros ativos, como o Hotel

Marcos de Paula/EC

Glória, que teve a inaug u r a ç ã o adiada diversas vezes. Ontem, a revista americana Forbes afirmou que o empresário brasileiro Eike Batista " d e i x o u o f icialmente de ser um bilionário". Após aparecer no ranking da Forbes como o 7º homem Tradicional Hotel Glória, no Rio de Janeiro: venda para grupo Acron por R$ 225 milhões. mais rico do mundo em 2012, com uma forObra – Com apenas 26% da de 2015, segundo o Portal da tuna de US$ 30 bilhões, agora obra concluída, a estimativa é Transparência. A última previo patrimônio de Eike é calcula- que a reinauguração de um são da REX, empresa do grupo do pela revista em menos de dos hotéis mais tradicionais EBX, era que a reinauguração US$ 900 milhões. do Rio ocorra apenas em maio seria em 2014. (Folhapress)

Ibovespa sobe 3,65%, a maior alta em 13 meses.

O

principal índice da Bovespa teve ontem a maior alta diária em mais de 13 meses, impulsionado por OGX e pelo otimismo com a China, que se somaram ao alívio com o adiamento de um possível ataque dos Estados Unidos à Síria. O Ibovespa avançou 3,65%, a 51.835 pontos, na maior alta diária desde 27 de julho de 2012, quando subira 4,72%. O giro financeiro da sessão foi reduzido, de R$ 5,8 bilhões, num dia em que as bolsas nos EUA ficaram fechadas devido ao feriado do Dia do Trabalho no país. O pregão marcou o início de nova carteira do índice, válida até 3 de janeiro de 2014 e que contou com a adição das ações das empresas de educação Kroton e Anhanguera. Após ter despencado 40% na sexta-feira, para o piso histórico de R$ 0,30, a

ação da OGX, empresa de petróleo do grupo EBX, subiu 33,3% ontem "A ação fechou muito para baixo na sexta e hoje está ajustando o preço, o que causa um impacto muito grande", afirmou o gestor José Arivar, da Fram Capital. Os papéis preferenciais da blue chip Vale também levantaram o índice. A alta, no entanto, foi generalizada – das 73 ações que compõem o Ibovespa, apenas seis caíram. Um dos motes da sessão foram dados sugerindo que a China, grande parceira comercial do Brasil, pode ter evitado uma forte desaceleração. A pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) mostrou que atividade industrial chinesa cresceu em agosto pela primeira vez em quatro meses, à medida que a demanda doméstica se recuperou. (Reuters)

25ª Vara Cível - 25ª VARA CÍVEL FÓRUM CENTRAL - EDITAL DE CITAÇÃO PRAZO 20 DIAS - Processo nº 013534636.2008.8.26.0100 (Nº Ordem 628/2008). A DRA. MARIA FERNANDA BELLI, juíza de Direito da 25ª Vara Cível da Comarca da Capital, na forma da lei, FAZ SABER a ALESSANDRO ARTHUR RAMOZZI CHIAROTTINO (RG21.571.570-6, CPF252.247.64831), que IMOBILIÁRIA COMERCIAL E ADMINISTRADORA SÃO MIGUEL LTDA lhe moveu ação DESPEJO por FALTA DE PAGAMENTO c/c COBRANÇA, ora em fase de execução de sentença nos moldes do Art.475-J, do CPC, relativamente ao imóvel situado na Rua da Glória, 754, 5º andar, apartamento 502, nesta Capital, sendo o mesmo na fase de conhecimento citado por edital e é representado pela defensoria pública. Estando o executado ainda em lugar ignorado, foi deferida a CITAÇÃO POR EDITAL, para que pague a dívida apurada pelo exequente no valor de R$.56.875,33 (atualizada até 01.04.2013), no prazo legal, a fluir após 20 dias supra sob pena de multa de 10%. Será o presente afixado e publicado. São Paulo, 19 de abril de 2013.

www.dcomercio.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 3 de setembro de 2013

K.A.F.S.P.E. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A.

ECONOMIA/LEGAIS - 19

VIDAGIRO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS, ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S/A. CNPJ 04.801.983/0001-16

CNPJ/MF Nº. 17.825.436/0001-12 - NIRE 35.300.451.112

Data, Hora e Local: 02/07/2013, às 11h, na sede social da Cia. Presenças: Totalidade dos acionistas. Mesa: Presidente - Bruno Duque Horta Nogueira; Secretária - Carolina Cury Maia Costa. Deliberações (i) aprovar a alteração da denominação social da Cia para BTG PACTUAL TTG PARTICIPAÇÕES S.A.; (ii) alterar o endereço da sede da Cia que passa a ser na cidade de SP/SP, na Av. Brigadeiro Faria Lima, nº 3477, 14° andar, parte, Itaim Bibi, CEP 04538-133; (iii) tomar conhecimento das renúncias do Sr. Cleber Faria Fernandes e da Sra. Sueli de Fátima Ferretti, atuais diretores da Cia, e, ato contínuo, eleger para compor a Diretoria da Cia, com mandato de 3 anos, a encerrar-se na data da AGO que aprovar as contas do exercício social findo em 31/12/2016, (a) Carlos Daniel Rizzo da Fonseca; (b) Marcelo Pechinho Hallack e (c) Rodrigo Cury Sampaio de Miranda Pavan. (iv) aprovar a emissão, pela Cia, de 20.219.839 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, a um preço de emissão unitário de R$1,00, totalizando R$20.219.839,00, dos quais (a) R$2.021.983,90 são destinados ao aumento do capital social da Cia, que passa de R$500,00 para R$2.022.483,90, e (b) R$18.197.855,10 são destinados à reserva de capital da Cia. As ações ora emitidas foram totalmente subscritas, nesta data, pelo BANCO BTG PACTUAL S.A., cia aberta inscrita no CNPJ/MF nº 30.306.294/0001-45, nos termos da relação de subscritores e com a anuência da acionista BTG Pactual WM Gestão de Recursos Ltda., que neste ato renuncia expressamente ao seu direito de preferência para a subscrição das ações ora emitidas; (v) renunciar ao direito de retirada decorrente da redução do dividendo obrigatório para 0,001% (um milésimo por cento) do lucro líquido do exercício, a ser distribuído entre todas as ações em cada exercício social; (vi) aprovar a reformulação e consolidação do Estatuto Social da Cia. Encerramento: Aprovada, assinada por todos os presentes. SP, 02/06/2013. (a.a.) Mesa: Bruno Duque Horta Nogueira - Presidente; Carolina Cury Maia Costa – Secretária. Acionistas: Banco BTG Pactual S.A. e BTG Pactual WM Gestão de Recursos Ltda. Jucesp resgistro no 320.034/13-6 em 21.08.2013.. Gisela Simiema Ceschin - Secretário Geral. Estatuto Social da - Cap. I - Denominação, Sede, Objeto e Duração - Art. 1º - A BTG PACTUAL TTG Participações S.A. é uma companhia que se rege por este Estatuto Social, e pelas disposições legais e regulamentares em vigor. Art. 2º - A Companhia tem sede e foro na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, e poderá, por deliberação da Diretoria, alterar o endereço de sua sede, manter e fechar escritórios, dependências, agências ou filiais em qualquer parte do território nacional ou do exterior, observadas as disposições legais e regulamentares em vigor. Art. 3º - A Companhia tem por objeto social a participação no capital de outras sociedades empresárias ou não empresárias, como sócia, acionista ou quotista, no Brasil e/ou no exterior. Art. 4º - O prazo de duração da Companhia é indeterminado. Cap. II - Capital Social e Ações - Art. 5º - O capital social é R$2.022.483,90, divididos em 20.220.339 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal. § Único - Cada ação ordinária dará direito a um voto nas deliberações da Assembleia Geral. Cap. III - Administração da Companhia - Art. 6º - A Companhia será administrada por uma Diretoria composta de 02 (dois) a 10 (dez) membros, acionistas ou não, dispensados de caução, sendo todos Diretores Executivos, residentes no país, eleitos e destituíveis a qualquer momento pela Assembleia Geral. § 1º - O mandato de cada Diretor será de 03 anos, admitida a reeleição. § 2º - A Assembleia Geral poderá deixar vagos até 08 cargos de Diretor Executivo. § 3º - Os Diretores tomarão posse, mediante assinatura do termo competente no livro de Atas de Reuniões da Diretoria, e manter-se-ão em seus cargos até que seus sucessores assumam. § 4º - Em caso de vacância no cargo de Diretor Executivo, a Assembleia Geral, dentro de 30 (trinta) dias, contados a partir da data da vacância, elegerá o novo Diretor que completará o restante do mandato, ressalvada a faculdade de a Assembleia Geral deixar vago o cargo, respeitado o número mínimo legal de dois Diretores. Art. 7º - A Diretoria reunir-se-á sempre que convocada por dois Diretores Executivos. § 1º Em qualquer reunião da Diretoria é necessário o comparecimento de metade dos Diretores eleitos. § 2º - Todas as decisões da Diretoria serão tomadas por maioria dos votos dos Diretores eleitos. § 3º - As decisões da Diretoria serão registradas em atas e transcritas no livro próprio, sendo que as decisões destinadas a produzir efeitos perante terceiros serão arquivadas no Registro do Comércio e devidamente publicadas. Art. 8º - A Diretoria tem amplos poderes de administração e gestão dos negócios sociais, podendo deliberar sobre quaisquer matérias relacionadas com o objeto social, bem como adquirir, alienar e gravar bens móveis e imóveis, contrair obrigações, celebrar contratos, transigir e renunciar a direitos. § 1º - Em todos os atos ou instrumentos que criem, modifiquem ou extingam obrigações da Companhia, esta será representada por 02 Diretores, agindo em conjunto, ou por 01 Diretor em conjunto com 01 procurador com poderes especiais, constituído por mandato assinado por 02 Diretores, ou por 02 procuradores com poderes especiais também constituídos por mandato assinado por 02 Diretores. § 2º - A Companhia poderá ser, excepcionalmente, representada por um único Diretor ou procurador com poderes especiais, servindo a ata da respectiva reunião como documento hábil para prática dos atos autorizados. § 3º - Os procuradores “ad negocia” serão constituídos por mandato com prazo não superior a 01 ano, assinado por 02 Diretores, no qual serão especificados os poderes outorgados. § 4º - É vedado à Diretoria coobrigar a Companhia por aceite, aval, fiança ou qualquer outra modalidade de garantia estranha aos objetivos sociais, salvo se diferentemente for deliberado pela unanimidade dos Diretores eleitos, respeitadas as restrições legais em vigor. § 5º - Na abertura, movimentação ou encerramento de contas de depósitos bancários, a Companhia será representada por 02 Diretores agindo em conjunto, ou por 01 Diretor com um procurador, o qual agirá nos limites do seu mandato, ou por dois procuradores com poderes especiais, os quais agirão nos limites de seus mandatos. § 6º - O endosso de cheques emitidos a favor da Companhia para depósito em conta bancária de terceiros só obrigarão validamente a Companhia se firmados por 02 Diretores, ou por 01 Diretor em conjunto com 01 (um) procurador com poderes especiais, constituído por mandato assinado por 02 Diretores, ou por 02 procuradores com poderes especiais também constituídos por mandato assinado por 02 Diretores. § 7º - O endosso de cheques para depósito em conta corrente da Companhia somente poderá ser efetuado mediante assinatura de 01 Diretor ou de 02 procuradores com poderes especiais. § 8º - Nas reuniões ou Assembleias Gerais de sociedades de que seja sócia quotista ou acionista, a Companhia poderá ser representada por qualquer Diretor ou por 01 procurador com poderes especiais, constituído por mandato assinado por 02 Diretores, observado o disposto no § Terceiro deste Art. 8º. Art. 9º - Compete ainda à Diretoria: I. cumprir e fazer cumprir as deliberações da Assembleia Geral; II. fixar a orientação geral dos negócios da Companhia; III. supervisionar todas as operações da Companhia acompanhando o seu andamento; IV. coordenar as atividades de relações públicas da Companhia; V. aprovar o Balancete mensal da Companhia; VI. aprovar as Demonstrações Financeiras anuais e semestrais; VII. declarar dividendos observado o Art. 20 deste Estatuto Social; VIII. aprovar a alteração do endereço da sede da Companhia, a instalação ou o encerramento de escritórios, dependências, agências ou filiais; IX. estabelecer funções e orientar os Diretores no exercício de suas atribuições; X. fixar a orientação do voto do representante da Companhia nas Assembleias Gerais ou Especiais das sociedades de que a Companhia é acionista, bem como aprovar previamente qualquer alteração contratual das sociedades de que a Companhia é sócia-quotista; XI. deliberar sobre a nomeação e a substituição dos auditores independentes; XII. decidir os assuntos não previstos neste Estatuto e que não sejam de competência da Assembleia Geral. Art. 10 - As reuniões de Diretoria poderão presididas e secretariadas por quaisquer dos Diretores Executivos da Companhia. Cap. IV - Assembleia Geral - Art. 11 - A Assembleia Geral Ordinária reunir-se-á uma vez por ano dentro dos 04 (quatro) meses seguintes ao término do exercício social. Art. 12 - As Assembleias Gerais Extraordinárias reunir-se-ão nos casos e segundo a forma prevista na lei e neste Estatuto. Art. 13 - As Assembleias Gerais serão convocadas por 02 Diretores Executivos. Art. 14 - A Assembleia Geral será instalada e presidida por um dos Diretores Executivos ou Acionista presente da Companhia, que deverá indicar um outro acionista, outro Diretor Executivo ou advogado presente para secretariar os trabalhos. Art. 15 - O acionista poderá ser representado na Assembleia Geral por procurador, constituído há menos de 01 ano, que seja acionista, administrador da Companhia ou advogado, desde que o instrumento de mandato tenha sido depositado, na sede social, até 24 horas antes da data para a realização da Assembleia Geral. Cap. V - Conselho Fiscal - Art. 16 - A Companhia terá um Conselho Fiscal de funcionamento não permanente, composto de 03 (três) a 05 (cinco) membros efetivos e igual número de suplentes, residentes no país, com as atribuições previstas em lei. § Único - O Conselho Fiscal somente funcionará nos exercícios sociais em que os acionistas solicitarem a sua instalação, devendo a Assembleia Geral competente eleger seus membros e fixar a respectiva remuneração. Cap. VI - Exercício Social, Demonstrações Financeiras e Destinação do Lucro - Art. 17 - O exercício social terminará em 31 de dezembro de cada ano. Art. 18 - Ao final de cada exercício social, e no último dia útil do mês de junho de cada ano, a Diretoria elaborará com base nos registros comerciais da Companhia, as Demonstrações Financeiras previstas nas disposições legais e regulamentares em vigor. § 1º - A Diretoria poderá declarar dividendos à conta de lucros ou de reservas de lucros, apurados em Balanços Patrimoniais, Anuais ou Semestrais. § 2º - A Diretoria poderá ainda determinar o levantamento de Balanços Patrimoniais intercalares no último dia útil do mês e declarar dividendos com base nos lucros então apurados, observadas as limitações legais. Art. 19 - O exercício social terminará no dia 31 de dezembro de cada ano. Ao fim de cada exercício a Diretora irá elaborar, com base na escrituração mercantil, as demonstrações financeiras previstas em Lei, observadas as normas então vigentes, as quais compreenderão a proposta de destinação do lucro do exercício. Art. 20 - Do resultado do exercício serão deduzidos, antes de qualquer participação, os prejuízos acumulados e as provisões para impostos. O prejuízo do exercício será absorvido pelos lucros acumulados, pela reserva de lucros e pela reserva legal, nesta ordem. § 1º - O lucro líquido apurado terá a seguinte destinação: a. 5% para a constituição da reserva legal, até que o saldo da reserva atinja 20% (vinte por cento) do capital social, sendo facultado à Companhia deixar de constituir a reserva legal no exercício em que seu saldo, acrescido do montante das reservas de capital previstas no Art. 182, §1º da Lei 6.404/76, exceder 30% do capital social; b. o valor necessário para o pagamento do dividendo obrigatório previsto no Art. 21 deste Estatuto Social; e c. o saldo poderá, conforme deliberado em Assembleia Geral, ser destinado, total ou parcialmente, à reserva de investimentos de que trata o § Segundo deste Art. 20 abaixo ou ser retido, total ou parcialmente, nos termos de orçamento de capital, na forma do Art. 196 da Lei 6.404/76. Os lucros não destinados na forma da lei e deste Estatuto Social deverão ser distribuídos como dividendos, nos termos do Art. 202, §6º, da Lei 6.404/76. § 2º - A reserva de investimentos tem o objetivo de prover fundos que garantam o nível de capitalização da Companhia, investimentos em atividades relacionadas com o objeto social da Companhia e/ou o pagamento de dividendos futuros ou suas antecipações. A parcela anual dos lucros líquidos destinada à reserva de investimento será determinada pelos acionistas em Assembleia Geral Ordinária, com base em proposta da administração, obedecendo às destinações determinadas nas alíneas do § Primeiro deste Art. 20 (cuja alínea (c) faculta a alocação de até 100% do saldo remanescente do lucro líquido para essa reserva), sendo certo que a proposta ora referida levará em conta as necessidades de capitalização da Companhia e as demais finalidades da reserva de investimentos. O limite máximo da reserva de investimentos será aquele estabelecido no Art. 199 da Lei 6.404/76. Quando a reserva de investimentos atingir seu limite máximo, ou quando a Companhia entender que o saldo da reserva excede o necessário para cumprir sua finalidade, a Assembleia Geral poderá determinar sua aplicação total ou parcial na integralização ou aumento do capital social ou na distribuição de dividendos, na forma do Art. 199 da Lei 6.404/76. Art. 21 - A Companhia distribuirá, a título de dividendo obrigatório, 0,001% (um milésimo por cento) do lucro líquido do exercício, entre todas as ações, em cada exercício social, ajustado nos termos do Art. 202 da Lei 6.404/76. Art. 22 - Os dividendos atribuídos aos acionistas serão pagos nos prazos da lei, somente incidindo correção monetária e/ou juros se assim for determinado pela Assembleia Geral, e, se não reclamados dentro de 3 anos contados da publicação do ato que autorizou sua distribuição, prescreverão em favor da Companhia. Art. 23 - A Companhia poderá levantar balanços semestrais, ou, em períodos menores, e declarar, por deliberação da Assembleia Geral, dividendos à conta de lucros apurados nesses balanços, por conta do total a ser distribuído ao término do respectivo exercício social, observadas as limitações previstas em lei. § 1º - Ainda por deliberação da Assembleia Geral, poderão ser declarados dividendos intermediários, à sua conta de lucros acumulados ou de reservas de lucros existentes no último balanço levantado, inclusive à conta da reserva de investimentos a que se refere o § Segundo do Art. 20 deste Estatuto Social. § 2º - Também, mediante decisão da Assembleia Geral, os dividendos ou dividendos intermediários, poderão se pagos a título de juros sobre o capital social. § 3º - Dividendos intermediários deverão sempre ser creditados e considerados como antecipação do dividendo obrigatório. Cap. VII - Dissolução e Liquidação - Art. 24 - A Companhia dissolver-se-á nos casos previstos em lei, ou por deliberação da Assembleia Geral. § Único - A Assembleia Geral nomeará o liquidante, determinará a forma de liquidação e elegerá o Conselho Fiscal, que funcionará durante o período de liquidação.

Elekeiroz S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47

Companhia Aberta NIRE 35300323971 ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 1º DE AGOSTO DE 2013 DATA, HORA E LOCAL: Em 1º de agosto de 2013, às 9:00 horas, na Rua Dr. Edgardo de Azevedo Soares, 392, Várzea Paulista (SP). PRESIDENTE DA MESA: Rodolfo Villela Marino. QUORUM: A totalidade dos membros efetivos, com manifestação por email. DELIBERAÇÃO TOMADA: Os Conselheiros deliberaram, por unanimidade, prover um cargo vago na Diretoria elegendo Diretor ELDER ANTONIO MARTINI, abaixo qualificado, que atende às condições de elegibilidade previstas nos Artigos 146, “caput”, e 147 da Lei 6.404/76 e na Instrução CVM 367/02 e que será empossado no cargo nesta data, passando a Diretoria da Companhia a assim se compor, com mandato anual que vigerá até a posse dos que vierem a ser eleitos na primeira reunião do Conselho de Administração que suceder a Assembleia Geral Ordinária de 2014: (i) Diretor Presidente e Diretor de Relações com Investidores: MARCOS ANTONIO DE MARCHI, brasileiro, casado, engenheiro, RG-SSP/SP 7.653.026-7, CPF 163.564.188-85, domiciliado em São Paulo (SP), na Av. Paulista, 1938 - 5º andar; e (ii) Diretores: CARLOS CALVO SANZ, engenheiro químico, RG-SSP/SP 7.652.218, CPF 216.853.714-34; ELDER ANTONIO MARTINI, engenheiro mecânico, RG-SSP/SP 13.645.926, CPF 094.831.888-06 e RICARDO JOSÉ BARALDI, engenheiro, RG-SSP/SP 4.103.074, CPF 364.031.218-04, todos brasileiros, casados, domiciliados em Várzea Paulista (SP), na Rua Dr. Edgardo de Azevedo Soares, 392. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a tratar e ninguém desejando manifestar-se, encerraram-se os trabalhos, lavrando-se esta ata que, lida e aprovada, foi por todos assinada. Várzea Paulista (SP), 1º de agosto de 2013. (aa) Rodolfo Villela Marino - Presidente; Olavo Egydio Setubal Júnior - Vice-Presidente; Cesar Suaki dos Santos, Henri Penchas, Reinaldo Rubbi, Ricardo Egydio Setubal e Rogério Almeida Manso da Costa Reis - Conselheiros. Certifico ser o presente cópia fiel do original lavrado em livro próprio. Várzea Paulista (SP), 1º de agosto de 2013. (a) Rodolfo Villela Marino - Presidente do Conselho de Administração. JUCESP sob nº 321.566/13-0, em 23.08.2013. (a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Avior Empreendimentos Imobiliários S.A. CNPJ/MF 10.685.047/0001-90 – NIRE 35300365399 Ata de AGE realizada em 05 de Junho de 2013 Data, Hora e Local. 5/6/13, 10hs, sede social. Convocação e Presença. Dispensada a publicação de Editais de Convocação, estando presente a totalidade dos acionistas. Mesa. Guilherme Von Nielander Bueno Netto, Presidente; e Burkhard Otto Cordes, Secretário. Ordem do Dia. (i) a reforma integral e aprovação do novo Estatuto Social da Cia., para adaptá-lo às disposições do Art.2º, §4º, da Instrução CVM nº 391, de 16/7/03, criando-se um Conselho de Administração para a Cia., entre outras alterações; e (ii) a eleição dos membros do Conselho de Administração da Cia..Deliberações. Após a discussão das matérias, os acionistas presentes, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, deliberaram o quanto segue: 1. Aprovar a criação do Conselho de Administração da Cia., que será composto por, no mínimo, 3 e, no máximo, 6 membros, acionistas ou não, residentes ou não no Brasil, eleitos e destituíveis pela Assembleia Geral, com mandato unificado de 1 ano, permitida a reeleição. 2. Aprovar a reforma integral do Estatuto Social da Cia., para adaptá-lo às disposições do Art. 2º, §4º, da Instrução CVM nº 391, de 16/7/03, em virtude do que o Estatuto Social da Cia. passa a vigorar com a redação constante do Anexo I desta ata, permanecendo inalterados a razão social, sede, prazo de duração, objeto e capital social da Cia.. 3. Aprovar a eleição das seguintes pessoas para os cargos de membros do Conselho de Administração da Cia., todos com mandato unificado até a data de realização da AGO que aprovar as contas do exercício social a encerrar-se em 31/12/13: (i) Ricardo de Sousa Gayoso e Almendra, RG nº 24.125.056 (SSP/SP), CPF/MF nº 273.621.808-61, que exercerá a função de Presidente do Conselho de Administração; (ii) Carlos Alberto Bueno Netto, RG nº 29.418.034-5 SSP/SP, CPF/MF nº 293.661.498-80; (iii) Burkhard Otto Cordes, RG nº 13.255.194 (SSP-SP), CPF/MF nº 286.074.808-39; e (iv) Sylvio Klein Trompowsky Heck, RG nº 104102785 IFP-RJ, CPF/MF nº 069.535.157-59. 3.1. Os administradores ora eleitos tomaram posse de seus respectivos cargos mediante assinatura de termo de posse em livro próprio. 3.2. Os demais cargos no Conselho de Adm. permanecerão vagos até outra determinação da Assembleia Geral. Encerramento. Nada mais. SP, 5/6/13. Guilherme Von Nielander Bueno Netto - Presidente; Burkhard Otto Cordes - Secretário. JUCESP nº 290.228/13-0 em 01/08/13. Gisela S. Ceschin-Secr. Geral.

K.C.P.S.P.E. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF Nº 17.831.443/0001-27 - NIRE 35.300.451.414 Extrato: Ata de AGE Realizada em 2 de Julho de 2013 Data, Hora e Local: 02/07/2013, às 11h., na sede social da Cia. Presenças: Totalidade do capital social da Cia. Mesa: Presidente - Bruno Duque Horta Nogueira; Secretária - Carolina Cury Maia Costa. Deliberações (i) aprovar a alteração da denominação social da Cia para Btg Pactual Investimentos Florestais S.A.; (ii) alterar o endereço da sede da Cia que passa a ser na cidade de SP/SP, na Av. Brigadeiro Faria Lima, nº 3.477, 14° andar, parte, Itaim Bibi, (iii) tomar conhecimento das renúncias do Sr. Cleber Faria Fernandes e da Sra. Sueli de Fátima Ferretti, atuais diretores da Cia, e, ato contínuo, eleger para compor a Diretoria, com mandato de 1 (um) ano, a encerrar-se na data da AGO que aprovar as contas do exercício social findo em 31/12/2013, (a) Marcelo Pechinho Hallack, (b) Rodrigo Cury Sampaio de Miranda Pavan e (c) Carlos Daniel Rizzo da Fonseca, (iv) aprovar o desdobramento das ações da Cia, à proporção de 1:18.792,528, sendo que cada ação ordinária da Cia passará a ser representada por 18.792,528 ações após o desdobramento. (v) aprovar a alteração do dividendo mínimo obrigatório para 0,001% (um milésimo por cento) do lucro líquido do exercício, renunciar ao direito de retirada decorrente da redução de tal percentual. Encerramento: Aprovada, assinada por todos os presentes. SP, 02/067/2013. (a.a.) Mesa: Bruno Duque Horta Nogueira – Presidente; Carolina Cury Maia Costa - Secretária. Acionista: BTG Equity Investments LLC. Jucesp resgistro no 319.222/13-5 em 20.08.2013. Gisela Simiema Ceschin - Secretário Geral.

SB Colina Empreendimentos e Participações S.A. - CNPJ/MF: 17.105.292/0001-20 – NIRE: 35.300.446.216 Extrato da Ata de Assembleia Geral Extraordinária de 20/01/13 Data, Hora, Local: 20/01/13, às 10h, Av. São João, 592, Centro, Bom Jesus dos Perdões-SP, CEP 12.955-000. Mesa: Olímpio Bueno de Souza-Presidente, Antonio Bueno de Souza-Secretário. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade. Deliberações aprovadas por unanimidade: i) Aumento do capital social de R$ 400,00 para R$ 25.900,00 mediante a emissão de 25.500 novas ações ON, sem valor nominal, com a integralização pelos acionistas Olímpio Bueno de Souza e Antonio Bueno de Souza no importe de R$ 12.750,00 cada, correspondentes a 12.750 ações ON para cada um; ii) Nova redação do art. 5º do Estatuto Social. Encerramento: Nada mais havendo lavrou-se a ata. Olímpio Bueno de Souza (Pres.), Antonio Bueno de Souza (Secr.). Samuel Godoi, OAB/SP 275.568. Protocolo JUCESP nº 2.116.583/12-3.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 02 de setembro de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: RECUPERAÇÃO JUDICIAL Requerente: Dunga Produtos Alimentícios Ltda. Requerido: Dunga Produtos Alimentícios Ltda. Rua Iososuke Okaue, 1.273 – Jardim Helian - 1ª Vara de Falências.

ATIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONIBILIDADES CAIXA GERAL Caixa BANCOS - CONTA MOVIMENTO REALIZÁVEL A CURTO PRAZO ADIANTAMENTOS Adiantamento a Fornecedores CONTAS A RECEBER Alugueis a Receber Outras Contas a Receber ESTOQUES Imóveis para Comercialização Terrenos para Comercialização ATIVO NÃO CIRCULANTE INVESTIMENTOS Partic. em Outras Sociedades IMOBILIZADO Edifícios e Imóveis Terrenos Veículos Depr.Acum./Edif. e Imóveis Depr.Acum./Veículos

Valor (2011) 18.374.827,67 365.203,33 136.007,08 2.396,77 2.396,77 133.610,31 229.196,25 3.745,43 3.745,43 225.450,82 225.450,82 0,00 0,00 0,00 0,00 18.009.624,34 3.677.373,60 3.677.373,60 14.332.250,74 15.813.289,28 607.450,00 162.099,22 -2.108.498,55 -142.089,21

Balanços Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício Valor (2012) Valor (2011) Valor (2012) Valor (2011) Valor (2012) 14.845.919,54 PASSIVO 18.374.827,67 14.845.919,54 RECEITA OPERACIONAL BRUTA 2.934.695,75 2.630.197,72 14.845.919,54 PASSIVO CIRCULANTE 111.277,12 91.653,32 Receitas de Aluguéis 2.934.695,75 2.630.197,72 102.914,27 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS 485,05 553,58 DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA -107.116,41 -96.002,25 5.927,47 Pró-Labore a Pagar 485,05 553,58 PIS - sobre Aluguéis -19.075,53 -17.096,28 5.927,47 OBRIGAÇÕES PREVIDÊNCIARIAS 168,95 192,82 Cofins - sobre Aluguéis -88.040,88 -78.905,97 96.986,80 I.N.S.S. a Recolher 168,95 192,82 RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA 2.827.579,34 2.534.195,47 14.743.005,27 OBRIGAÇÕES TRIBUTARIAS 55.656,76 46.387,02 RECEITA LIQUIDA - ALUGUÉIS 2.827.579,34 2.534.195,47 0,00 Imposto de Renda a Recolher 55.656,76 46.387,02 CUSTOS DAS RECEITAS DE ALUGUÉIS -804.355,69 -1.596.165,67 0,00 CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER 31.504,36 26.997,05 Mão de Obra Direta -7.836,00 -8.956,80 373.342,09 Contribuição Social a Recolher 22.196,43 18.859,33 Outros Custos -796.519,69 -1.587.208,87 218.060,66 P.I.S. a Recolher 1.657,58 1.449,18 RESULTADO OPERACIONAL BRUTO 2.023.223,65 938.029,80 155.281,43 Cofins a Recolher 7.650,35 6.688,54 RESULTADO BRUTO - ALUGUÉIS 2.023.223,65 938.029,80 14.369.663,18 OUTRAS OBRIGAÇÕES 23.462,00 17.522,85 DESPESAS/RECEITAS OPERACIONAIS 872.239,82 523.084,17 13.762.213,18 Rendimentos a Distribuir 17.516,00 17.516,00 Despesas Administrativas -7.154,50 -106.599,16 607.450,00 Contas a Pagar 5.946,00 6,85 Despesas Tributarias -46.739,48 -53.878,68 0,00 PASSIVO NÃO CIRCULANTE 4.584.019,25 0,00 Despesas Financeiras -418,40 -575,75 0,00 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 4.584.019,25 0,00 Receitas de Capital 80.000,00 6.085,91 0,00 Empr. / Sócios 4.584.019,25 0,00 Outras Receitas 846.552,20 678.051,85 0,00 PATRIMÔNIO LIQUIDO 13.679.531,30 14.754.266,22 RESULTADO OPERACIONAL LIQUIDO 2.895.463,47 1.461.113,97 0,00 CAPITAL SOCIAL INTEGRALIZADO 5.786.163,00 5.786.163,00 Resultado Antes da Contribuição Social 2.895.463,47 1.461.113,97 0,00 Capital Social - Pais 5.786.163,00 5.786.163,00 Contribuição Social -91.727,56 -76.297,45 66.700,00 RESERVA DE LUCROS 7.893.368,30 8.968.103,22 Result. Antes da Prov.P/Imp. de Renda 2.803.735,91 1.384.816,52 0,00 Lucro do Exercício 2.572.937,12 1.196.879,16 Imposto de Renda -230.798,79 -187.937,36 -66.700,00 Lucros a Disposição 5.320.431,18 7.771.224,06 RESULTADO LIQUIDO DO EXERCÍCIO 2.572.937,12 1.196.879,16

NOTAS EXPLICATIVAS: 1. Apresentação das demonstrações financeiras. As presentes demonstrações financeiras, Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado, Demonstração de Mutação do Patrimônio Líquido, Demonstração de Fluxo de Caixa, Demonstração de Valor adicionado deste trimestre, foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com base nas disposições contidas na Lei nº. 6.404/1976 e nas normas estabelecidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). 2. Práticas contábeis adotadas 2.1 Imobilizado: O ativo imobilizado é demonstrado pelo custo histórico de aquisição. A depreciação é calculada pelo método linear utilizando o critério de vida útil e taxas constante na IN SRF nº. 162/1998 e IN SRF nº. 130/1999. Tratando-se de bens adquiridos usados, o prazo de vida útil adotado para fins de depreciação é o maior entre os seguintes: (i) metade da vida útil admissível para o bem adquirido; (ii) restante de vida útil do bem, considerada em relação

à primeira instalação para utilização. 2.2 Apuração do Resultado: O resultado das operações foi apurado em conformidade com o regime contábil de competência. 2.3 Empréstimos e Financiamentos. Os empréstimos e financiamentos são tomados e reconhecidos inicialmente no recebimento dos recursos, líquidos dos custos de transação e posteriormente apresentados pelo custo amortizado, isto é, acrescidos de encargos e juros proporcionais ao período incorrido (“pro rata temporis”), e reduzidos pelos pagamentos efetuados. 3. Regime Tributário. A empresa é optante pelo regime de lucro presumido para apuração do IRPJ e CSLL e pelo regime cumulativo para apuração do PIS-PASEP e da COFINS conforme determina a legislação destes tributos.

TRAY PARTICIPAÇÕES S.A. ATIVO Ativo Circulante .............................................................. Disponível: Bancos - Contas Correntes ....................... Ativo não Circulante: Investimentos............................. Partic. Avaliadas Equivalência Patrimonial.................. E-Commerce Services Tecnologia Ltda ........................... Tray Services Tecnologia Ltda .......................................... TK Eletron Ingressos Eletrônicos Ltda ............................. Ágio s/Participações Societárias .................................. Superpay Tecnologia em Pagamentos Ltda ..................... TK Eletron Ingressos Eletrônicos Ltda ............................. E-Commerce Services Tecnologia Ltda ........................... (-) Deságio s/Participações Societárias ....................... (-) Tray Services Tecnologia Ltda...................................... Total do Ativo ..................................................................

CNPJ 17.069.862/0001-73 Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial - 31/12/2012 PASSIVO 1.000.000,00 Passivo Circulante.......................................................... 1.000.000,00 Empréstimos e Financiamentos Curto Prazo .............. 3.689.781,07 Empréstimos de Pessoas Ligadas ................................... 308.866,14 Contas a Pagar/Credores Diversos .................................. 218.743,42 Demais Contas a Pagar.................................................... 23.886,19 Provisão p/Perdas em Investimentos ............................... 66.236,53 Conta Corrente Terceiros.................................................. 3.384.649,47 Patrimônio Líquido......................................................... 216.964,91 Capital Social.................................................................... 269.217,48 Capital Social de Domiciliados no País ............................ 2.898.467,08 (-) Capital Social a Integralizar ......................................... (3.734,54) Resultados do Exercício................................................... (3.734,54) Total do Passivo ............................................................. 4.689.781,07 A Diretoria

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINDAMONHANGABA

Demonstração do Resultado do Exercício - 31/12/2012 Despesas Operacionais ................................................. (246.724,71) Resultado Negativo de Partic. Societária..................... (246.724,71) 470.241,60 (246.724,71) 107.900,00 Prejuízo............................................................................ 10.351,65 107.900,00 Resultado de Participações Societárias ...................... 10.351,65 362.341,60 Resultado de Equivalência Patrimonial........................ Prejuízo............................................................................ (236.373,06) 84.000,00 Outras Despesas ............................................................ (428.287,47) 241,60 Perdas.............................................................................. (428.287,47) 278.100,00 Perdas em Participações Societárias............................... (428.045,87) 4.219.539,47 Provisão p/Perdas em Investimentos ............................... (241,60) 4.884.200,00 Prejuízo do Exercício ..................................................... (664.660,53) 13.959.765,12 Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados - 31/12/2012 (9.075.565,12) Prejuízo Líquido do Exercício Depois (664.660,53) da Provisão para o Imposto de Renda ........................... 664.660,53 4.689.781,07 Lucros ou Prejuízos Acumulados................................. (664.660,53) Victor Carlos Monteiro Paiva - CRC 1SP069844/O-5

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

EDITAL RESUMIDO PREGÃO (REGISTRO DE PREÇOS) Nº 091/2013 A Prefeitura torna público que se acha reaberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PPRP nº 91/13, que cuida da “Aquisição de água mineral apresentada em galão de 20 litros, com tampa de pressão e lacre”, com encerramento dia 16/09/2013, às 14h, e abertura às 14h30. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. e maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 02 de setembro de 2013. PREGÃO Nº 146/2013 A Prefeitura torna público que se acha aberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nº 146/13, que cuida da “Contratação de empresa especializada de topografia em diversos locais no município”, com encerramento dia 16/09/2013, às 8h, e abertura às 8h30. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. e maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 02 de setembro de 2013. PREGÃO (REGISTRO DE PREÇOS) Nº 153/2013 A Prefeitura torna público que se acha aberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PPRP nº 153/13, que cuida da “Contratação de empresa especializada na prestação de serviço de manutenção de trocador de calor com reposição de peças para as piscinas do Centros Esportivos da SEJELP”, com encerramento dia 13/09/2013, às 8h, e abertura às 8h30. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. e maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 02 de setembro de 2013. PREGÃO (REGISTRO DE PREÇOS) Nº 154/2013 A Prefeitura torna público que se acha aberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PPRP nº 154/2013, que cuida da “Contratação de empresa especializada na prestação de serviço de manutenção mecânica nas piscinas dos Centros Esportivos da SEJELP”, com encerramento dia 13/09/2013, às 14h, e abertura às 14h30. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. e maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 02 de setembro de 2013.

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BISCOITOS SALGADOS TIPO APERITIVO E TIPO CREAM-CRACKER SABOR MANTEIGA. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 012/DAAA/2013 PROCESSO n° 00110/4444/2013 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00040 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 03/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/09/2013 - 09:00 horas

p ç Tray Participações S.A. - CNPJ/MF nº 17.069.862/0001-73 - NIRE nº 35.300.393.163

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES

Extrato da Ata da Assembleia Geral Extraordinária de 26/11/2012 Data, Hora e Local: 26/11/2012, às 11hs, na sede, Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, nº 5.200, Cond. América Business Park, Ed. Miami, Bloco C, 1º pavimento, sala 1, SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Walter Leandro Marques - Presidente e Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: 1. As renúncias de: Walter Leandro Marques, RG nº 25.135.129-4 SSP/SP e CPF/MF nº 254.149.208-18, ao cargo de Diretor Presidente; e Willians Cristiano Marques, RG nº 40.419.912-4 SSP/SP e CPF/MF nº 320.058.868-31, ao cargo de Diretor Vice Presidente. 2. Alteração do endereço da sede social para a R. ltapaiuna, nº 2434, parte, Vila Andrade, CEP 05707-001, SP/SP. 3. Alterar o art. 3º do Estatuto Social: “Art. 3º: A Cia. tem sede e foro na Cidade de São Paulo/SP, na R. ltapaiuna, nº 2434, parte, Vila Andrade, CEP 05707-001, podendo, por deliberação da Diretoria, criar e extinguir filiais, sucursais, agências, depósitos e escritórios de representação em qualquer parte do território nacional ou no exterior.” 4. Aumento do capital social pelo preço de emissão total de R$10.000.005,12, mediante a emissão de 1.355.354 novas ações ON e sem valor nominal, ora subscritas e a serem integralizadas, em moeda corrente nacional, em até 12 meses contados da presente data, por Locaweb Serviços de Internet S.A., sede em SP/SP, CNPJ/MF nº 02.351.877/0001-52, conforme boletim de subscrição, passando o capital social R$3.959.760,00, para R$13.959.765,12, representados por 5.315.114 ações ON e sem valor nominal. 4.1. O preço de emissão de cada uma das 1.355.354 novas ações ON e sem valor nominal, foi fixado em R$7,37815, com base no critério estabelecido no item I do § 1º do art. 170 da Lei das SA. 4.2. As ações ora emitidas terão as mesmas características e condições e gozarão dos mesmos direitos e vantagens atribuídos às ações ordinárias atualmente existentes. 4.3. Os demais acionistas renunciam ao seu direito de preferência na subscrição das novas ações ora emitidas, concordando com os termos para a emissão e sua forma de integralização. 5. Alterar o artigo 5º do Estatuto Social: “Art. 5º: O capital social da Cia. é de R$13.959.765,12, dividido em 5.315.114 ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal. §1º: A propriedade das ações presume-se pela inscrição do nome do acionista no livro de “Registro de Ações Nominativas” da Cia.. §2º: A transferência das ações de emissão da Cia. opera-se por termo lavrado no livro de “Registro de Transferência de Ações Nominativos” da Cia., datado e assinado pelo cedente e pelo cessionário, ou seus legítimos representantes, na presença de qualquer dos Diretores da Cia.. Se decorrente de decisão judicial, a transmissão far-se-á mediante averbação no livro de “Registro de Ações Nominativas” da Cia., à vista de documento hábil, que ficará em poder da Cia.. §3º - Todas as ações da Cia. são ordinárias, nominativas e sem valor nominal, sendo cada ação ordinária correspondente a um voto nas Assembleias Gerais.” 6. Criação do Conselho de Administração, formado por 3 membros, eleitos e destituíveis, a qualquer tempo, pela Assembleia Geral: 1 Presidente do Conselho de Administração; 1 membro sem designação específica; e 1 membro denominado independente, o qual deverá possuir certificação do IBGC, todos com um mandato de 3 anos, permitida a reeleição. 6.1. Em razão da criação do Conselho de Administração, a administração da Cia. passará a ser realizada pelo Conselho de Administração e por uma Diretoria, sendo a Diretoria composta por 4 membros, acionistas ou não, eleitos e destituíveis, a qualquer tempo, pelo Conselho de Administração, por maioria de votos, sendo: 1 Diretor Presidente; 1 Diretor Financeiro; 1 Diretor de Marketing e Vendas; e 1 Diretor de Produtos, todos com um mandato de 3 anos, permitida a reeleição. 6.2. A eleição e/ou destituição dos membros do Conselho de Administração e/ou da Diretoria deverá respeitar o disposto no Acordo de Acionistas celebrado nesta data entre Leandro, Willians e Locaweb. 7. Eleição do Conselho de Administração, cujo mandato se inicia nesta data e se encerrará na AGO que deliberar as demonstrações financeiras de 2015: (a) Gilberto Mautner, brasileiro, casado, engenheiro, RG nº 22.900.859-8 SSP/SP, CPF/MF nº 072.442.868-21, para Presidente; (b) Walter Leandro Marques, brasileiro, casado, administrador de empresas, RG nº 25.135.129-4 SSP/SP e CPF/MF nº 254.149.208-18, para membro; e (c) João Alberto Santos, brasileiro, casado, contador, RG nº 01235941-62 SSP/BA, CPF/MF nº 062.033.45504, para membro independente, todos residentes em SP/SP. 7.1. Os quais declaram, não estarem impedidos por lei especial, ou a pena que vede, o exercício de atividades mercantis. 7.2. Os acionistas concordam que o cargo de membro denominado independente, o qual deverá possuir certificação do IBGC, ficará temporariamente vago e o respectivo membro será eleito oportunamente. 8. Consolidação do Estatuto Social. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Acionistas: Walter Leandro Marques e Willians Cristiano Marques. Nova Acionista: Locaweb Serviços de Internet S.A. Conselheiros: Gilberto Mautner, Walter Leandro Marques e João Alberto Santos. SP, 26/11/2012. Mesa: Walter Leandro Marques - Presidente; Paulo Narcélio Simões Amaral - Secretário. JUCESP 531.166/12-0 em 10.12.12. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP TERMO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO 65/13 - PREGÃO 41/13 Objeto: Aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs). Considerando a adjudicação constante da ata dos trabalhos da sessão pública de julgamento, lavrada pelo Sr. Pregoeiro, designada pela Portaria nº 029, de 03/01/2013; e a regularidade do procedimento, hei por bem, com base na Lei Federal nº 10520, de 17 de julho de 2002, Homologar, os lotes do objeto licitado, às empresas abaixo delineadas e determinar que sejam tomadas as providências ulteriores. Data Equipamentos de Segurança Ltda. - ME. Rua Nhonhô do Livramento, 2.203 - Centro - Monte Alto/SP. CNPJ (MF): 12.904.870/0001-74. Lote: 01. Valor: R$ 6.978,31 (seis mil, novecentos e setenta e oito reais e trinta e um centavos). IDC Comércio de Epi’s Ltda.EPP. Rua Equador, 10-56 - Jardim Terra Branca. Baurú/SP. CNPJ (MF): 16.735.511/0001-91. Lotes: 02, 03 e 06. Valor: R$ 32.050,00 (trinta e dois mil e cinquenta reais). Express Produtos para Escritório Ltda. – EPP. Rua Maestro Francisco Fortunato, 360 - Jardim Bela Daria. Presidente Prudente - SP. CNPJ (MF): 14.046.784/0001-01. Lote: 04. Valor: R$ 3.800,00 (três mil e oitocentos reais). R A Ferreira Obras e Urbanização – ME. Rua José Ribeiro, 509 - Centro. Castilho/SP. CNPJ (MF): 13.454.276/0001-91. Lote: 05. Valor: R$ 7.920,00 (sete mil e novecentos e vinte reais). Castilho/SP, 30 de agosto de 2013. Joni Marcos Buzachero - Prefeito. A Debitar (03.09.13)

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS REAVISO DE LICITAÇÃO Processo nº 2574/2013 - Pregão Presencial nº 148/2013. Objeto: Contratação de empresa para transporte de alunos. Sessão de processamento do Pregão, recebimento e abertura dos envelopes “Proposta Comercial” e “Documentos de Habilitação”: 16 de setembro de 2013, às 15:00 horas. Local: Sala de Licitações da Prefeitura Municipal de Ourinhos, sita à Travessa Vereador Abrahão Abujamra, nº 70, fundos, Centro. O Edital completo poderá ser retirado gratuitamente na Diretoria de Suprimento da Prefeitura Municipal de Ourinhos, sita à Rua Euclides da Cunha, nº 522, Centro, no horário comercial, no site da Prefeitura (www.ourinhos.sp.gov.br) no link licitações ou mediante requerimento da empresa enviado via email para licitacoes.pmo@ig.com.br, sendo que quaisquer esclarecimentos a respeito da presente licitação poderão ser obtidos na mencionada Diretoria ou através do telefone (14) 3302-6000 – ramal 6076 e pelo fax (14) 3324-7945. Ourinhos, 02 de setembro de 2013. Belkis Gonçalves Santos Fernandes – Prefeita Municipal.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE PARQUES URBANOS - COMUNICADO Acha-se aberta na Coordenadoria Parques Urbanos da Secretaria do Meio Ambiente, a licitação na modalidade Pregão Eletrônico nº 14/2013/CPU, Processo nº 6.211/2013, destinada à contratação de empresa para prestação de serviços de manutenção, implantação, adubação e conservação de áreas verdes no Parque da Juventude. A abertura das propostas dar-se-á no dia 17/09/2013 às 09:00 horas, no site www.bec.sp.gov.br, através da Oferta de Compra 260121000012013OC00014. As propostas serão recebidas no site a partir do dia 03/09/2013. Os interessados poderão consultar o Edital completo nos sites http://www.e-negociospublicos.com.br; www.bec.sp.gov.br ou www.ambiente.sp.gov.br. Maiores esclarecimentos: (11) 3133-3979 ou email: licitacoes@ambiente.sp.gov.br

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE ARROZ POLIDO TIPO 2, LONGO FINO E ARROZ INTEGRAL TIPO 1, LONGO FINO. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 013/DAAA/2013 PROCESSO n° 00112/4444/2013 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00041 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 03/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/09/2013 - 09:00 HORAS EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MISTURA PARA O PREPARO DE ARROZ COM LEGUMES. PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 014/DAAA/2013 PROCESSO n° 00113/4444/2013 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00042 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 03/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/09/2013 - 09:00 horas EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MASSA DE SÊMOLA COM OVOS (TIPO PARAFUSO E PENA) PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 015/DAAA/2013 PROCESSO n° 00114/4444/2013 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00043 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 03/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/09/2013 - 09:00 horas EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE GELEIA COMUM DE MORANGO. PREÂMBULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 016/DAAA/2013 PROCESSO n° 00202/4444/2013 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00044 ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 03/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 16/09/2013 - 09:00 horas

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. CNPJ Nº 17.184.037/0001-10 - COMPANHIA ABERTA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - EDITAL DE CONVOCAÇÃO Ficam convocados os senhores acionistas do Banco Mercantil do Brasil S.A., para a Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 30 de setembro de 2013, às 10:00 (dez) horas, na sede social, na Rua Rio de Janeiro, 654/680 - 5º andar, em Belo Horizonte, Minas Gerais, a fim de discutir e deliberar a respeito da seguinte Proposta do Conselho de Administração, com parecer favorável do Conselho Fiscal: I - homologação do aumento do capital social deliberado pela Assembleia Geral Extraordinária de 10/06/2013, no valor de R$40.680.000,00 mediante subscrição particular de ações, com a emissão de 3.600.000 (três milhões e seiscentas mil) novas ações preferenciais escriturais; II - alteração do art. 4º do Estatuto Social para dispor sobre o aumento de capital. Todos os documentos relativos a pauta da Assembleia, exigidos a partir de 2010 pela Instrução CVM nº 481/09, estão disponíveis para consulta na sede do Banco, bem como no sítio da Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br). Somente as ações ordinárias terão direito a voto. Para participar da Assembleia, os acionistas pessoas físicas deverão exibir documento de identificação pessoal, sendo que os representantes dos acionistas pessoas jurídicas deverão exibir os documentos que legitimem a representação, inclusive contrato social ou estatuto social. Os acionistas que detenham ações custodiadas na BM&F Bovespa, deverão exibir extrato de ações custodiadas atualizado. Conforme normas estatutárias, quando da representação do acionista por mandatário, o respectivo instrumento de procuração deve ser depositado, contra recibo, na sede da Sociedade, até 05 (cinco) dias antes da data da Assembleia. Belo Horizonte, 22 de agosto de 2013. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. José Ribeiro Vianna Neto, Mauricio de Faria Araújo, José Carneiro de Araújo, Luiz Henrique Andrade de Araújo, Marco Antônio Andrade de Araújo, Glaydson Ferreira Cardoso, Leonardo de Mello Simão e Daniela de Araújo Coelho.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/01085/13/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE AGITADOR MAGNÉTICO - LQ 01 E DESTILADOR DE ÁGUA - LQ 11 A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Agitador Magnético - LQ 01 e Destilador de Água - LQ 11. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 03/09/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sextafeira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 16/09/2013, às 10:00 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 03/09/2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI - Presidente

Rochester Distribuidora de Auto Peças S/A CNPJ/MF n° 61.170.841/0001-31 NIRE n° 35.300.186.966 Ata da Assembléia Geral Ordinária Data e Local: 28/5/13, 09hs, na sede.Presença: Totalidade.Presentes ainda os representantes da Sagys Participações Ltda., Sr.Jayme AugustoPanizaSancheseGiselePanizaAparecidaSanchesRangel.Oconselhofiscalnãoepermanentenemestáinstalado.Convocação: Dispensada.Documentos:a) Publicadas as Demonstrações Financeiras do exercício social encerrado em 31/12/12, nos Jornais DOESP eDiáriodoComércio,naediçãode17/05/13.Mesa:JaymeAugustoPanizaSanches-Pres.;CláudioGilbertoMarques-Secr..Deliberações: a)Semressalva,asDemonst.ContábeisdoExercícioSocialencerradoem31/12/12,publicadosnosJornaisDOESPeDiáriodoComércio, na edição de 17/05/13; b) Eleição dos membros da Diretoria, que exercerão seus mandatos até 30/4/16, sendo que foram reeleitos os Srs.: Dir. Presidente: Jayme Augusto Paniza Sanches, RG nº 8.442.054-6 expedida pela SSP/SP e CPF nº 021.559.928-40 e Dir.Vice Presidente:CláudioGilbertoMarques,RGnº3.945.714expedidapelaSSP/SPeCPFnº297.503.348-68.Osdiretoresreeleitosdeclaram que, não estão impedidos de exercer a administração da sociedade, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra as normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade, estando no pleno gozo dos seus direitos políticos e civis, de acordo com o Art. 1011, § 1º do Novo Código Civil lei nº 10.406/2002. Encerramento: Nada mais. Assinaturas: Mesa: Jayme Augusto Paniza Sanches-Pres. e Cláudio Gilberto Marques-Secr.; Acionistas:JaymeAugustoPanizaSanches,CláudioGilbertoMarques,SagysParticipaçõesLtdarepresentadaporJaymeAugustoPaniza Sanches-Dir.e Gisele Paniza Aparecida Sanches Rangel-Diretora.Jucesp nº 322.093/13-2 em 26/08/2013.Gisela S.Ceschin-Secr.Geral.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha aberto o Pregão Presencial para Registro de Preços nº 47/2013 - Processo nº 7.319/2013, destinado à aquisição de peças automotivas. SESSÃO PÚBLICA dia 16/09/2013, às 10:00 horas. O edital completo será disponibilizado no site

www.saaesorocaba.com.br.

Informações

pelos

telefones:

(15)

3224-

5810/5811/5812/5813/5814/5815/5816/5817/5818/5819/5821/5822/5823/5824/5825 e 5826 ou pessoalmente na Avenida Pereira da Silva, nº 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 02 de setembro de 2013. Ivan Flores Vieira - Pregoeiro. HOLCIM (BRASIL) S.A. - CNPJ nº 60.869.336/0001-17 - NIRE 35.300.044.924 - (Cia. Fechada) Edital de Convocação - Assembleia Geral Extraordinária O Diretor Presidente da Holcim (Brasil) S.A. (“Cia.”), usando das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 9º do Estatuto Social da Cia. e pelo art. 123 da Lei nº 6.404, de 15/12/1976, conforme alterada, convoca os acionistas da Cia. para a AGE a ser realizada às 10 horas do dia 9/9/13, na sede da Cia., na R. Verbo Divino, nº 1.488, 5º and., Bloco “D”, Chácara Santo Antonio, CEP 04719-904, na Cidade de São Paulo/SP, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: exame, discussão e votação da proposta de emissão de até 45.000 debêntures simples, não conversíveis em ações, em série única, da espécie quirografária, para distribuição pública com esforços restritos de colocação, todas nominativas e escriturais, com valor nominal unitário de R$10.000,00, totalizando, na data de emissão, o valor de até R$450.000.000,00 em regime de melhores esforços de colocação (“Emissão”); autorização para a Diretoria da Cia. celebrar todos os documentos e praticar todos os atos necessários à realização da Emissão; e pedido de renúncia do cargo de Diretor feito pelo Sr. Eduardo Costa de Almeida. Encontram-se à disposição dos Srs. Acionistas, na sede da Companhia, a partir desta data, os documentos e demais informações relacionadas às matérias a serem discutidas e deliberadas na Assembleia Geral Extraordinária, conforme ordem do dia acima. São Paulo, 30 de agosto de 2013. Otmar Hübscher - Diretor Presidente. (31/08 e 03, 04/09)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

terça-feira, 3 de setembro de 2013

nformática

n IMPRESSÃO

Velocidade e nitidez, ideal para as PMEs. i m p re s s o ra ProXpress M3325ND, da Samsung, é voltada para empresas de pequeno e médio porte. A laser e monocromática, com velocidade de até 33 ppm (páginas por minutos) apresenta resultados impressos de boa qualidade, graças à tecnologia ReCP (Rendering engine for Clean Page) especial para compor textos nítidos. A resolução da impressão é de 1.200 x 1.200 dpi (pontos por polegada). A máquina tem função duplex embutida para a confecção de documentos impressos em frente e verso, brochuras e livretos profissionais. Preço sugerido: R$ 799.

A

ACESSÓRIOS

Mais conforto para os braços, mãos e pulsos.

Microsoft pesquisou nos Estados Unidos os hábitos das pessoas que trabalham com computadores todos os dias e como isso influi na sua saúde, conforto e produtividade. Uma das conclusões é que os usuários passam cerca de seis horas na frente de um computador no trabalho e mais uma hora em casa para assuntos pessoais. 85% dos trabalhadores queixam-se do desconforto, causado principalmente pelos periféricos. Com base nessa pesquisa, a empresa lançou uma nova linha de teclados e mouses ergonômicos, que dão mais conforto aos movimentos de braços, mãos e pulsos. O Sculpt Ergonomic Keyboard For Business segue as linhas naturais do corpo e mantém as mãos e os braços relaxados enquanto trabalham. O mouse, no formato de bola, é especial para o pulso porque ajuda a prevenir a doença do esforço repetitivo (LER). O valor do conj u n t o é d e U S $ 1 3 0 . h t t p : / / w w w. m i c r osof t.com/hardware/en-us/p/sculpt-ergonomicdesktop/L5V-00001

A

SMARTPHONE

Para quem quer trocar o aparelho antigo LG lançou uma linha de cinco smartphones Optimus LII, com telas mais brilhantes, processadores robustos e baterias de maior duração. Com esses produtos pretende atrair os consumidores que estão trocando seu aparelho antigo ou adquirindo seu primeiro smartphone. Eles têm slots para um, dois ou três chips. O modelo L4II tem como diferencial a capacidade de acessar a TV digital e, ao mesmo tempo, gravar e capturar a tela. Por ser compatível com o serviço de interatividade Ginga (padrão brasileiro de TV digital), traz conteúdos extras sobre os programas exibidos. A tela do L4II tem 3,8 polegadas e a câmera é de 3 MP e roda Android 4.1 Preço sugerido: R$ 469 com um único chip.

A

VÍDEOCONFERÊNCIA

Adaptação perfeita em qualquer ambiente Aver Information está lançando novidades em videoconferência para reuniões corporativas e remotas entre empresas. O modelo HVC310 oferece qualidade de voz e de imagens, é de fácil utilização e se adapta a salas grandes ou pequenas. O equipamento permite comunicação em 30 FPS (quadros por segundo) com resolução HD e uma câmera de 5 MPixel. Uma unidade multiponto de controle é integrada para conectar até quatro locais para o compartilhamento de conteúdos e gravação das reuniões em um dispositivo flash USB. O áudio é full duplex e tem cancelamento de eco, suporte para dois microfones externos além de dois outros multidirecionais. Smartphones e tablets com sistemas iOS e Android também servem como controle remoto na videoconferência desde que tenham um aplicativo para isso. Por R$ 14 mil. www.averlatinamerica.com/pt/videoconferencing

A

MOBILIDADE também pede SEGURANÇA Barbara Oliveira

N

ove em cada dez brasileiros não sabem se os dados arquivados em seus aparelhos móveis estão seguros. Ao mesmo tempo, se sentem confortáveis ao compartilhar informações pessoais com uma companhia em troca de um aplicativo gratuito. Mais: 71% dos usuários de smartphones e tablets estão dispostos a dividir seu endereço de e-mail com terceiros. Nos Estados Unidos, esse número baixa para 58%. Ou seja, os norte-americanos são mais conscientes sobre o risco desse compartilhamento de informações. As revelações são da pesquisa Global Omnibus, divulgada no final de agosto pela empresa de segurança Symantec. É resultado de nove mil entrevistas feitas entre junho e julho deste ano com pessoas em oito países (Austrália, Alemanha, Brasil, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e Japão). Só no Brasil, foram ouvidos mil usuários de dispositivos móveis. O estudo aponta também que os entrevistados se preocupam com a privacidade de seus dados armazenados nos equipamentos, mas desconhecem como manter essas informações em segurança. Levando em conta que as vendas globais de smartphones somaram 225 milhões de unidades no segundo trimestre deste ano, segundo o Gartner, revelando um aumento de 46,5% sobre o mesmo período de 2012, seria natural que a busca pela segurança e privacidade nesses dispositivos fosse proporcional ao crescimento do uso. Mas, ao contrário do que acontece com os usuários de PCs, que têm conhecimento e consciência sobre a necessidade de programas de proteção (antivírus, antimalwares), os usuários de smartphones e tablets, embora se preocupem, desconhecem ou "esquecem" os riscos de roubo ou perda de informações pessoais (senhas de banco, cartões de crédito, números de identificação, endereços, e-mails, telefones) ao utilizar a caixa postal, acessando sites de compras e de bancos ou baixando aplicativos. O especialista em segurança digital da Norton, Otto Stoetereau, observa que existem contradições nas respostas dos entrevistados brasileiros na pesquisa Global Omnibus. Embora 90% das pessoas ouvidas demonstrem preocupação em proteger a sua privacidade online e sete em cada dez se disponham a desinstalar um aplicativo móvel se ele estiver coletando informações pessoais, esses mesmos usuários não demonstram nenhum temor em compartilhar dados, fotos, vídeos de shows e festas e até da rotina do dia-a-dia em redes sociais. "Será que os brasileiros sabem lidar com a linha tênue entre privacidade na vida real e

digital com a realidade moderna da internet e das redes?", indaga Stoetereau. "O brasileiro demonstra estar preocupado com a segurança, mas não está maduro o suficiente para lidar com isso e se precaver". O mais grave, segundo Stoetereau é o usuário não reconhecer que corre o risco. "Como somos muito sociáveis, imaginamos que podemos baixar um aplicativo gratuito, postar nossas informações nas redes sociais e confiar que nada vai acontecer com a gente, não naquele momento. E aí que reside o perigo", destaca o especialista. Queda do mito – A conscientização sobre a necessidade de proteção do mundo móvel é um fato que ainda não foi totalmente assimilado pelos seus usuários, concorda Fábio Assolini, analista sênior de malwares (softwares maliciosos), da Kaspersky Lab. Assolini lembra que à medida que as plataformas iOS (da Apple) e Android se disseminam no mundo todo – as duas são líderes de mercado – maiores são as chances de carregarem consigo os mesmos perigos que anteriormente rondavam os computadores. "Os criminosos miram os dois sistemas operacionais porque são os mais usados no mundo. E eles estão atrás do dinheiro do consumidor". Só no primeiro semestre deste ano foram detectados pelos laboratórios da Kaspersky mais de 100 mil vírus para Android, contra 46 mil do segundo semestre do ano passado. "Não dá para pensar em ter um aparelho Android sem um antivírus embarcado. É inconcebível nos dias de hoje", enfatiza Assolini. Segundo Stoetereau, da Norton, o usuário precisa ficar atento aos aplicativos que baixa no celular e no tablet, especialmente se forem gratuitos e pedirem informações sem sentido. Vale o bom senso sempre. "Quando uma pessoa baixa um app como um jogo de futebol, de luta ou de carros, por exemplo, e percebe que na hora de instalar aparecem pedidos para acessar a lista de contatos do dono do aparelho, sua localização e até o CPF, precisamos desconfiar". E o mito da plataforma segura caiu para a Apple. O sistema iOS, por ser a segunda maior base instalada entre smartphones e ter entre seus clientes pessoas com poder aquisitivo maior, é muito visado pelos cibercriminosos. Mas os ataques não são de vírus, porque a empresa é muito criteriosa ao selecionar os aplicativos vendidos em sua App Store. O perigo para os iPhones e iPads são os phishings, aqueles softwares que roubam informações pessoais como senhas de banco e de cartões, através de links falsos dentro de e-mails. Até o Blackberry – "Os usuários da Apple são os que mais compram e estão na mira dos malfeitores", informa Assolini. "O ladrão está atrás de dinheiro, e ele consegue com esses phishings roubar o ID da pessoa e a sua conta

Pesquisa global mostra que os usuários de smartphones ainda desconhecem as regras que devem seguir para proteger seus dados e o próprio aparelho no cartão de crédito na App Store e iTunes", explica o analista de segurança. Do início de 2012 a julho deste ano foram registrados 200 mil ataques diários, em média, para a plataforma móvel da Apple. Assolini lembra que em 2011, eram apenas mil. Além de precisar prestar atenção nos aplicativos gratuitos e com o tipo de informação exigida para isso, o usuário deve ficar atento ao usar lojas online no mobile commerce e internet banking em redes abertas wi-fi (que não exigem senhas). Isso é perigoso, alertam sempre os especialistas. Mas nunca é demais lembrar. Quando se fala em proteção, não só antivírus devem ser lembrados. Pacotes de segurança para smartphones são eficientes porque além de barrarem malwares ou phishings nos e-mails recebidos (e muitos deles já são gratuitos ou muito baratos no mercado), protegem contra roubo ou perda do aparelho, bloqueiam o acesso de dados de forma remota e rastreiamo local onde ele se encontra. A "segurança pessoal vai além de um software antivírus ou antimalware", observa o especialista da Norton. "Devemos lembrar que o roubo físico do equipamento é importante, e o esquecimento ou perda de smartphones em restaurantes, lojas, cinemas e ônibus é comum", diz Stoetereau. Existem milhares de pessoas que se esquecem de bloquear o celular com uma senha na tela, providência simples mas que faz muita diferença. A conscientização sobre essa segurança é fundamental para se manter a integridade dos dados. Além do mais, a complexidade do mundo móvel é muito maior do que a do PC. Nem o BlackBerry, que perdeu espaço nos últimos meses para a Samsung e Apple, e cuja plataforma é considerada muito segura porque é usada especialmente no mundo corporativo, escapou dos falsários. Na semana passada, foi detectado um aplicativo malicioso do BlackBerry Messenger, o programa de mensagens instantâneas de quem usa o smartphone e que tem como alvos os usuários da América Latina. Segundo a Kaspersky Lab, o BBM falso pode ter acesso a informações sigilosas de arquivos, internet e localização geográfica do celular. A vítima, ao instalar o app, aceita os termos e condições em que é mencionada a aplicação Airpush, que vem junto com o BBM falso, que a partir daí, fica apto a coletar as informações que precisa para dar o golpe.


Diário do Comércio