Page 1

Eliária Andrade/O Globo-23/02/2010

Brizza Cavalcante/Ag. Câmara-04/05/2010

MOMENTOS DECISIVOS DO MENSALÃO

Lula Marques/Folhapress-20/07/2005

ATORES PRINCIPAIS ENTRAM EM CENA A partir das 14h: www. dcomercio. com.br

Depois de quatro votos que fecham o capítulo dos que venderam apoio político ao governo, em troca de Mensalão, entram em cena, hoje, no STF, os suspeitos compradores – astros de primeira grandeza no teatro político como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e os ex-presidente e ex-tesoureiro do PT, José Genoino e Delúbio Soares. Suspense: nova briga entre juízes? Pág. 5 Ano 87 - Nº 23.720

Página 4

Conclusão: 23h35

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, sábado e domingo, 29 e 30 de setembro, e segunda-feira, 1 de outubro de 2012 Levi Bianco/Brazil Photo Press/AE

Adeus, gracinha...

Leo Martins/Frame/AE

Ai, que gracinha! – dizia Hebe ao receber quem gostava. O aplauso final, pág. 7

Edu Saraiva/Frame/AE

Com os profundos e sinceros agradecimentos do Verdão Timão (foto), com 3 a 0 sobre o Sport, e Tricolor, com 1 a 1 contra Coritiba, ajudam o Palmeiras. Esporte

Manauare Quintero/EFE

Retrato da oposição a Chávez Multidão não assusta o ditador, que espera ser reeleito. Pág. 8 ISSN 1679-2688

23720

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Quando a parafernália que administra o conforto é suspensa, o beneficiário se sente lesado nos seus direitos. Luiz Carlos Lisboa

pinião

RESPONDENDO AO ESTÍMULO mo (sic) e passara a obedecer a uma ordem de Dilma". No fundo, trata-se de uma grande bobagem que nem o sistema bancário levou a sério.

E ANTONIO DELFIM NETTO da taxa básica de juros, a Selic, que estava em 12.5% ao ano. Os cortes continuaram inabalavelmente, reunião após reunião do Copom (a cada 40 dias), até os 7.5% atuais. Nas semanas que se seguiram ao início do processo, alguns "analistas" do mercado financeiro se esforçaram bastante (até cansar), para convencer a audiência que o Banco Central "tinha deixado de ser autôno-

ssa mudança é profunda e vai continuar. Ela começou, não só com uma mudança no Banco Central. Ela se mostrou visível quando o governo enfrentou o problema da caderneta de poupança: hoje os investidores sabem que têm que mudar a estrutura de seus portfólios, simplesmente porque terminou aquele negócio de ganhar dinheiro aplicando em títulos do Tesouro, que são líquidos. E todos estão, apenas, se ajustando à nova realidade. Os bancos estão fazendo o seu papel: não vejo nenhum banco ajustando as taxas para perder dinheiro, mas, sim, para manter o seu cliente. E para disputar novos clientes, num mundo que está nascendo: daqui pra frente vamos ter uma taxa de juro real correspondente à do mundo. Hoje é difícil dizer qual será,

diante de um mundo que está caindo aos pedaços, mas pode-se pensar que (até com um pouco de tranquilidade), quando os Estados Unidos, daqui a dois ou três anos, quem sabe, voltarem à normalidade, a taxa de juros real norte-americana será em torno de 2%. O Brasil não vai ter um risco maior do que uns 100 pontos. Não há razão, portanto, para imaginar que a taxa de juro real do Brasil vai ser muito diferente de 2,5% ou 3%. Nós estamos próximos disso hoje, mas com uma taxa que ainda é muito grande num mundo em que a taxa de juro real é perto

de zero, praticamente. Certamente foi dado um grande passo, no entanto, na direção do ajuste da economia brasileira: quando a taxa

Sergio Roberto Bichara/SXC

A

s taxas de juro caíram e vão continuar caindo. Não em razão de pressões do governo sobre o sistema bancário, mas porque os bancos estão se ajustando à realidade brasileira. A taxa real de juros no Brasil era a maior do mundo e durante duas décadas causou prejuízos gigantescos ao nosso desenvolvimento social e econômico, em virtude da combinação de más políticas econômicas com um comportamento defensivo dos bancos. Isso mudou e os bancos estão fazendo aquilo que é de seu interesse, respondendo aos estímulos do mercado. Eles estão se ajustando a um mundo novo que está nascendo, que é este de uma taxa de juro mais baixa. Não estão baixando as taxas de juro simplesmente por que o governo quer, embora todos saibam que o governo quer. Costumo lembrar uma data, 31 de agosto de 2011 quando, reunido no Banco Central, o Comitê de Política Monetária iniciou o processo de redução

de juro real interna for igual à externa, o Brasil será muito melhor do que é hoje.

PROFESSOR EMÉRITO DA FEAUSP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

ANTÔNIO DELFIM NETTO É

contatodelfimnetto@terra.com.br

SOBRE O LADO ESCURO DE TODO HOMEM Ole Jorgen Bratland e Gisele Jaquenod/SXC

O

primeiro livro do Antigo Testamento fala de um universo escuro e perigoso, que um dia foi resgatado por Deus com a criação da luz. Quando o homem primitivo aprendeu a dominar o fogo para acender fogueiras e se aquecer no inverno, ele foi mais adiante e aprendeu a cozinhar para manter seu alimento. Mas bastava que um vento soprasse mais forte para que ele fosse devolvido ao pesadelo das sombras e aos seus temores mais secretos. Os archotes trouxeram uma lembrança do sol às cavernas primitivas, como depois as lamparinas de óleo e as velas para adorar seus deuses e falar do céu. A partir da metade do século XVIII, a cânfora e o querosene iluminaram melhor os acampamentos e as grandes salas do poder, que pareciam perigosas quando o sol se punha. O bico de gás veio afinal e a ele se seguiu a grande magia da eletricidade controlada, com a lâmpada de vácuo de Thomas Alva Edison espalhando confiança e exorcisando os fantasmas da treva. Mas é claro que o medo do desconhecido - do espaço infinito, da cegueira e da não sobrevivência após a morte inevitável, esses exemplos temíveis – habitou e habitará sempre o fundo escuro da mente humana até o fim dos tempos. Os habitantes de Nova York viveram três experiências que mexeram com a sua confiança de homem moderno, morador seguro e

não encontra em nenhum outro lugar. No dia 9 de novembro de 1965 todos os aparelhos de ar condicionado pararam na imensa região que abrange o Estado de Nova York e o sudeste do Canadá. Antes que alguém pudesse explicar o que estava acontecendo, os aparelhos, as máquinas, os elevadores, as geladeiras daquela enorme área foram desligados. O homem venceu a escuridão, mas é escravo das tecnologias. meio cético das grandes metrópoles do século XX. Uma sociedade que já havia posto um homem na Lua e que se comunicava instantaneamente com seus semelhantes onde e quando quisesse, e dominava as máquinas como seu senhor, viu-se de repente abandonada quando o tapete lhe foi tirado de sob os pés.

O

s psicólogos que trataram as vitimas daquela convivência medonha com a escuridão absoluta em três ocasiões diferentes – uma vez em 1965, outra em 2003 e outra ainda em 2008 – dão seu depoimento sobre o descontrole da mente humana profundamente abalada com a perda de um mundo conhecido e o subsequente mergulho no não ser. Horas seguidas sem as "máquinas protetoras" que ajudam o homem no mundo noturno sem tecnologia onde morcegos e corujas se sentem totalmente à vontade e o dono humano do planeta vira uma espécie de criança

desamparada sem a mão amiga dos pais. Uma hora atrás ele era o controlador de tudo em redor, e agora era um ser perdido, sem rumo e sem sentido num meio absurdo. Estava então à beira do grande desconhecido, qualquer coisa definitiva como a morte.

V

árias outras cidades do mudo conheceram esse momento quase inexplicável para a mente ou a consciência do chamado homem civilizado. Quando a parafernália que administra o conforto e reduz o esforço é suspensa, o beneficiário dessas invenções modernas perde a paciência e se sente lesado nos seus direitos. Em diferentes países isso acontece em ritmos e intensidades diferenciados, mas as reações são sempre de indignação. Antes de ver o que acontece no Brasil e nos Estados Unidos, vale observar onde se diz que o homem goza do conforto e da segurança material que

A

cidade de Nova York foi a mais atingida e aquela onde a população ficou mais tempo sem saber o que estava acontecendo. O acidente foi explicado depois pelos técnicos mas a confiança das pessoas não se recompôs logo. O homem comum daquela área sentiu-se jogado no labirinto de um mundo apavorante e inesperado para ele. Quando a noite desceu sobre a região, uma espécie de pânico tomou conta das pessoas e houve um começo de quebraquebra no Harlem e no Queens. Alguns suicídios foram registrados porque nada voltava ao mundo conhecido de antes. De madrugada, grupos invadiam as lojas em busca de comida e acabavam saqueando joalherias. Era raiva, era ambição, era medo? Em agosto de 2003 o drama se repetiu no meiooeste americano e em novembro de 2006 os apagões aconteceram muito longe da América: na França, na Itália e na Alemanha. O problema era atriduído à má

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

administração, a imprevisão no planejamento, a aumento da população carente e já exigente, e algumas outras razões. Mas lá estava presente o horror de viver sem um bem conquistado e adquirido, sem uma explicação convincente. A coisa cheirava a desleixo e incompetência. Pela primeira vez, então, alguém viu no problema uma ameaça ao futuro, um sinal sinistro da desagregação que poderia um dia tragar a todos.

M

ichael Glos, ministro alemão da economia, disse na época: Os apagões não apenas irritam as pessoas como representam uma séria ameaça ao futuro econômico dos países". Em 2007 apareceu nos Estados Unidos um vídeo com o título de What If? (E se...?), examinando a possibilidade de um atentado terrorista estar por trás das falhas de energia que aqui e ali se multiplicavam. Mas logo essa versão foi arquivada porque aos poucos foi apurado que os apagões tinham como origem a incompetência, a incapacidade de previsão, a preguiça da burocracia e a politicagem, todas parte da cultura do nosso tempo. Nenhum dos economistas e governantes do mundo está convencido de que a civilização humana faz um lento retorno ao tempo das fogueiras e dos archotes. Não, nada desse tipo. Ao contrário, todos parecem

LUIZ CARLOS LISBOA concordar que a capacidade humana de se adaptar a novas realidades (e calamidades) é talvez praticamente ilimitada. Mas essa proximidade com a crise mundial em que estamos sem dúvida envolvidos é uma oportunidade de ver de perto o dragão da maldade – e assim entendê-lo melhor para aprender como escapar de suas garras e dentes.

O

que tememos no fundo de todas as crises é aquilo que não conhecemos, e não há nada que esteja mais à nossa disposição para desbravar e perceber do que nós mesmos, com os nossos temores e dúvidas. Contam os mais antigos documentos budistas que as últimas palavras do Buda foram para o seu discípulo Ananda, quando no leito de morte viu seu fiel seguidor chorando num canto. Perguntado por Buda porque chorava, ele respondeu: "Porque agora vai-se apagar a luz do mundo". E o Buda, com seu último sorriso murmurou: "Ananda, Ananda, acenda essa luz dentro de você". LUIZ CARLOS LISBOA É JORNALISTA E ESCREVE DE PRINCETON ALGUTE22@GMAIL.COM

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edito r-Ch efe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas @dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), .Repórteres: André de Almeida, Fátima Lourenço, Guilherme Calderazzo, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 , Fax 3180-3355 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela Oesp Gráfica.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

o

3

E X T I N G U I U - S E O P T , S O B R O U A P E N A S O L U L I S M O .

pinião

A hora da saideira

N

a semana passada, li um artigo do professor Marco Antonio Villa, que não conheço pessoalmente, mostrando, em última análise, como a era Lula está passando, ou até já passou quase inteiramente, o que talvez venha a ser sublinhado pelos resultados das eleições. Achei-o muito oportuno e necessário, porque mostra algo que muita gente, inclusive os políticos não comprometidos diretamente com o ex-Presidente, já está observando há algum tempo, mas ainda não juntou todos os indícios, nem traçou o panorama completo. O PT que nós conhecíamos, de princípios bem definidos e inabaláveis e de uma postura ética quase santimonial, constituindo uma identidade clara, acabou de desaparecer depois da primeira posse do ex-Presidente. Hoje, sua identidade é a mesma de qualquer dos outros partidos brasileiros, todos peças da mesma máquina pervertida, sem perfil ideológico ou programático, declamando objetivos vagos e fáceis, tais como "vamos cuidar da população carente", "investiremos em saneamento básico e saúde", "levaremos educação a todos os brasileiros" e outras banalidades genéricas, com as quais todo mundo concorda sem nem pensar. No terreno prático, a luta não é pelo bem público, nem para efetivamente mudar coisa alguma, mas para chegar ao poder pelo poder, não importando se com isso se incorre em traição a ideais antes apregoados com fervor e se celebram acordos interesseiros e indecentes. A famosa governabilidade levou o PT, capitaneado por seu líder, a alianças, acordos e práticas veementemente condenadas e denunciadas por ele, antes de chegar ao poder. O "todo mundo faz" passou a ser explicação e jus-

tificativa para atos ilegítimos, ilegais ou indecorosos. O presidente, à testa de uma votação consagradora, não trouxe consigo a vontade de verdadeiramente realizar as reformas de que todos sabemos que o Brasil precisa — e o PT ostentava saber mais do que ninguém. No entanto, cadê reforma tributária, reforma política, reforma administrativa, cadê as antigas reformas de base, enfim? O ex-Presidente não foi levado ao poder por uma revolução, mas num contexto democrático e teria de vencer sérios obstáculos para a consecução dessas reformas. Mas tais obstáculos sempre existem para quem pretende mudanças e, afinal, foi para isso que muitos de seus eleitores votaram nele.

JOÃO UBALDO RIBEIRO

pe, parecendo tirados de um jornal de trinta ou quarenta anos atrás, são um pseudoargumento patético e até suspeito, mesmo porque o ex-presidente não está ocupando nenhum cargo público. É triste sair do poder, como se infere da resistência renhida, obstinada e muitas vezes melancólica que seus ocupantes opõem a deixar de exercê-lo. O poder político não é conferido por resultados de pesquisas de popularidade; deve-se, em nosso caso presente, aos resultados de eleições.

O

resultado logo se fez ver. Extinguiu-se a chama inovadora do PT, sobrou o lulismo. Mas que é o lulismo? A que corpo de ideias aderem aqueles que abraçam o lulismo? Que valores prezam, que pretendem para o País, que programa ou filosofia de governo abraçam, que bandeiras desfraldam além do bolsa família (de cujo crescimento em número de beneficiados os governantes petistas se gabam, quando o lógico seria que se envergonhassem, pois esse número devia diminuir e não aumentar, se bolsa família realmente resolvesse alguma coisa) e de outras ações pontuais e quase de improviso? É forçoso concluir que o lulismo não tem conteúdo, não é nada além do permanente empenho em manter o expresidente numa posição de poder e influência. O lulismo é Lula, o que ele fizer, o que quiser, o que preferir. Isso não se sustenta, a não ser num regime totalitário ou de culto à personalidade semirreligioso. No momento em que o ex-presidente não for mais percebido como deten-

tor de uma boa chave para posições de prestígio, seu abandono será crescente, pois nem mesmo implica renegar princípios ou ideais. Ele agora é político de um partido como qualquer outro e, se deixou alguma marca na vida política brasileira, esta terá sido, essencialmente, a tal "visão pragmática", que na verdade consiste em fazer praticamente qualquer negócio para se sustentar no poder

e que ele levou a extremos, principalmente considerando as longínquas raízes éticas do PT. Para não falar nas consequências do Mensalão, cujo desenrolar ainda pode revelar muitas surpresas. O lulismo, não o hoje desfigurado petismo, tem reagido, é natural. Os muitos que ainda se beneficiam dele obviamente não querem abdicar do que conquistaram. Mas encontram dificuldades em ad-

A famosa governabilidade levou o PT, capitaneado por seu líder, a alianças, acordos e práticas veementemente condenadas e denunciadas por ele, antes de chegar ao poder.

mitir que sua motivação é essa, fica meio chato. E não vêm obtendo muito êxito em seus esforços, porque apoiar o lulismo significa não apoiar nada, a não ser o próprio Lula e seu projeto pessoal de continuar mandando e, juntamente com seu círculo de acólitos, fazendo o que estiver de acordo com esse projeto.

C

h e g a m m e s m o à e squisita alegação de que há um golpe em a n d a m e n t o , c o m o s e a lguém estivesse sugerindo a deposição da presidente Dilma. Que golpe? Um processo legítimo, conduzido dentro dos limites institucionais? Então foi golpe o impeachment de Collor e haverá golpe sempre que um governante for legitimamente cassado? Os alarmes de gol-

O

lulismo talvez acredite possuir alguma substância, mas os acontecimentos terminarão por evidenciar o oposto dessa presunção voluntarista. Trata-se apenas de um homem — e de um homem cujas prioridades parecem encerrarse nele mesmo. Mas sua saída de cena não deverá ser levada a cabo com resignação. Ele insistirá e talvez ainda o vejamos perder outra eleição em São Paulo. Não a do Haddad, que aparentemente já perdeu. Mas a dele mesmo, depois que o mundo der mais algumas voltas e ele quiser iniciar uma jornada de volta ao topo, com esse fito candidatando-se à prefeitura de São Paulo. JOÃO UBALDO RIBEIRO É CRONISTA, ROMANCISTA E PERTENCE À ACADEMIA

BRASILEIRA DE LETRAS

Fotos: Nelson Jr. / STF

PAULO SAAB

Acima, aqueles que ajudam a popularizar as ações do STF. À direita, o exercício dos contrários com os ministros envolvidos no julgamento do Mensalão.

POPULARIZADO, O STF MOSTRA SUAS BRIGAS. É

possível que nunca em toda a história da existência do Supremo Tribunal Federal (STF) a mais alta corte do País tenha alcançado um estágio tão elevado de popularização. O julgamento do Mensalão, com cobertura diária, direta, da mídia nacional, pôs, mais do que em qualquer outra circunstância , em evidência o nome dos ministros – é este o seu título – que compõem aquela casa de Justiça. Como consequência da exposição pública exacerbada era previsível que as idiossincrasias reinantes entre os membros daquela corte ganhassem maior notoriedade já que não nasceram agora. A divergência praticamente ideológica, no

caso do Mensalão, entre o relator Joaquim Barbosa e o revisor Ricardo Lewandowsky fez aparecer perante a opinião pública, de olhos fixos no julgamento, divergências que não são novas. Assim como não são também recém-nascidas disputas internas envolvendo todos os ministros juízes, como provou igualmente a discussão entre Barbosa e Marco Aurélio Melo, num nível longe de ser de tratativa cordial. A realidade é esta. Visivelmente aberto aos olhos do País, o antes sisudo e fechado STF escondia suas questões internas. Agora elas estão como veias abertas expostas numa situação

onde a sensibilidade política também aflora e a pressão existente é, certamente, a maior que possa haver.

A

"canonização" do ministro Joaquim Barbosa, pela forma como está em seu relatório condenando e provando de fato a existência do maior escândalo de corrupção do País, sob a égide do governo Lula, provoca – como é natural no ser humano – nele alguma soberba e nos demais pares, além de também compreensíveis ciúmes, divergências anteriormente existentes e as novas decorrentes da situação atual. Não se pode imaginar

que antes do Mensalão o STF não abrigasse diferenças entre seus integrantes. A composição de 11 ministros já indica, como no dito popular de que em cada cabeça de juiz há uma sentença diferente, que existe a busca do exercício do contraditório, do esgotamento das teses, de sua apreciação por ângulos e visões diferenciadas. Isso é normal. Anormal em comparação ao passado é o grau de sensibilidade pela importância dos réus no processo e a condenação que vem ocorrendo, mesmo nas divergências, pela maioria dos ministros. Antes as diferenças ficavam restritas, com

alguns vazamentos de menor monta, à área interna do envidraçado tribunal.

H

oje, Barbosa é observado já como uma espécie de herói nacional e seu temperamento forte, pouco complacente, internamente no STF cria um estresse que não é aliviado por seus pares não simpáticos ao seu modo de ser. A perspectiva de Barbosa assumir a presidência do STF em novembro também acirra os ânimos e transforma a mais elevada instância de Justiça do País numa instituição popular onde é capaz de, num avião, num restaurante, Barbosa ser aplaudido

e chamado de "Barbosão".

T

udo isso não pode ser visto como negativo. É mais um passo no processo de amadurecimento político e das instituições nacionais. Decisivo para eliminar da cena nacional a pecha de que o Brasil é o país da impunidade. E para frear os instintos predatórios de quem chega ao poder se veste de santo e rouba de forma desbragada o dinheiro da população em favor de interesses pessoais, pequenos. Não se faz omelete sem quebrar os ovos. Os do STF estão se estatelando para sair um tribunal melhor. PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

Giba Um

3 Delfim Netto, 84 anos e

3 MAIS: aí, Delfim espetou:

k O presidente é um coordenador. Ele é algodão entre cristais. Ele não

Na Quinta Avenida

FHC, 81, sempre discordaram em matéria de economia e se reencontraram num evento em São Paulo.

gibaum@gibaum.com.br

pode ser metal entre cristais.

MARCO AURÉLIO MELLO // ministro do Supremo, sobre a chegada do ministro Joaquim Barbosa, em novembro, na presidência da Alta Corte.

Foto: Zee Nunes

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

"Economistas são uma praga, só erram nas profecias". E FHC: "Problema seu, eu sou sociólogo".

Quem diria: manifestantes e agentes da Polícia Federal deram plantão, na semana passada, na Quinta Avenida, em Nova York, tentando chamar a atenção da presidente Dilma Rousseff, que estava hospedada no St.Regis. Os ativistas carregavam faixas e cartazes onde podia se ler S.O.S Brazilian Federal Police e Security in First Place. O protesto foi pacifico: os manifestantes estavam avisados de que quem fizesse qualquer tipo de agressão seria detido pela polícia. 333

NOVO LIVRO Balanço a favor 333 O balanço é de determinados ministros do Supremo, incluindo também a opinião de alguns advogados dos réus: quando apresenta seus votos, o relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, revela ter feito um trabalho mais que respeitável, técnico, detalhado, profundo e atento. Tem mais de mil páginas. É exatamente por isso que vem ganhando mais apoio do Pleno do STF que outras teses defendidas pelo ministro revisor, Ricardo Lewandowski. O que enlouquece Barbosa, acima de tudo, são os votos excessivamente longos do revisor, que poderiam ser mais curtos e objetivos, não prolongando as sessões. No mais, divergência no colegiado, é considerada natural.

DE GRAÇA O Ministério da Saúde acaba de lançar uma campanha publicitária para estimular a doação voluntária de órgãos no país. O mote é Seja um doador de órgãos. Seja um doador de vidas. É protagonizada pelo ator José de Abreu, o Nilo, da novela Avenida Brasil, que é amigo do ministro Alexandre Padilha. E ele está avisando que não recebe nada por isso. É a segunda campanha de graça que faz para o governo. Na vitoria de Dilma, Abreu apareceu muito atrás da presidente, a mídia o acabou classificando de papagaio de pirata e ele se defendeu, alegando ser amigo de Padilha e que faria comerciais de graça quando ele pedisse. 333

Mariana Ximenez estará de volta em Guerra dos Sexos, de Silvio de Abreu, remake (com modificações) da original de 1983. Enquanto a novela não chega, ela posa para Zee Numes para capa e recheio da nova edição de GQ, onde se divide em dois estilos: de um lado, lembrando a Lolita (1963), celebrizada no cinema por Sue Lyon em cima do romance de Vladimir Nabokov; de outro, fazendo a dominatrix . Ela falou sobre sua inspiração para as fotos: “Impossível não pensar em Marilyn Monroe, sempre sensual, mas também lúdica e inocente”. 333

De Lolita a dominatrix

Agora, a Advocacia-Geral da União será chamada para se manifestar se as Forças Armadas podiam ter – e legalmente – destruído documentos produzidos pelos centros da inteligência nos tempos dos militares no poder. A Comissão da Verdade está cobrando esses papéis e o Ministério da Defesa garante que tudo foi destruído. Os militares alegam que a lei amparava a destruição. Se for registrado algum impedimento jurídico para destruição desses papéis, a Comissão da Verdade vai querer saber quem destruiu, se por iniciativa própria ou obedecendo ordens. 333

Queima de arquivo

Comprinhas A presidente Dilma Rousseff, nessa sua viagem a Nova York, para o discurso de abertura da Assembléia da ONU, levou junto sua filha Paula. E no melhor estilo de duas mulheres à solta em Manhattan, desembarcaram de volta com as malas cheias de compras. Na manhã de domingo, escaparam dos jornalistas e cumpriram imensa peregrinação pelas lojas de Nova York, do Saks a Chanel. Afinal, ninguém é de ferro.

333

Troca complicada

CATEGORIAS Essa história começou, em Brasília, na base de gozação e não está tão longe da realidade. Quem melhor acompanhar o julgamento do mensalão, poderá chegar á conclusão de que o propinodutodividiabeneficiários nas categorias Ouro, Prata e Bronze, determinando o nível de pagamento. Dirigentes e figurões dos partidos recebiam todos os meses ou quando pediam, solicitam quantias altas: é o pessoal do Ouro. O bloco de Prata não recebia nada (e nem com regularidade) acima de R$ 100 mil e na categoria Bronze, estava o baixo clero. Quem recebia – e quando recebia – sempre ficava abaixo de R$ 30 mil. 333

333 Xuxa Meneghel, quase cinquentona, está levando a sério esse seu lado de cabelos escuros, transformado por força de contrato publicitário: agora, aparece em Vogue Beleza protagonizando o que se pode chamar de radical make over, na postura das fotos, na maquiagem e no vestuário. Ela começou como modelo, não perdeu o jeito e o resultado é um mix que faz lembrar uma musa existencialista, figura em alta hoje em dia. Surpresa: em menos de dois meses, ela vai virar ruiva.

Radical make over

Sócio da derrota 333 Também porque exibe cansaço devido à limitação física, o ex-presidente Lula não viajará na reta final do primeiro turno. Esta semana, sua prioridade é a candidatura de Fernando Haddad em São Paulo, cuja a colocação é diferente entre os diversos institutos de pesquisa. Deixa desamparados Humberto Costa no Recife e Patrus Ananais em Belo Horizonte, sendo considerado sócio da derrota de cada um deles.

h

333 Com a provável condenação pelo Supremo e também porque pretende se dedicar mais a seus problemas de saúde, o deputado cassado Roberto Jefferson deixará a presidência nacional do PTB. Pelo estatuto, quem assumiria é o primeiro vice, cargo ocupado pelo ex-deputado Benito Gama. E é aí que a cena fica complicada: em 1992, Benito Gama foi presidente da CPI do Congresso que cassou o então presidente Fernando Collor, hoje uma das estrelas do próprio PTB. Foi Jefferson que levou Collor para seu partido e de Gama, o atual senador quer a maior distância.

h IN

Maquiagem verde.

OUT

Mayra Dias Gomes, filha do autor de novelas e dramaturgo Dias Gomes, está lançando livro sobre seu pai, que estaria comemorando 90 anos. Este ano, também se comemora meio século da vitoria de O Pagador de Promessas em Cannes (foi para o teatro por Dias Gomes). Mayra, que já exibiu suas intimidades em revistas masculinas, mora em Los Angeles com o roqueiro Coyote Shivers e já escreveu dois livros antes, Fugalaça e Mil e Uma Noites de Silencio , misturando amor e drogas. 333

MISTURA FINA NESSES DIAS, em comício na cidade de Mauá, na Grande São Paulo, o ex-presidente Lula fez um apelo contra o preconceito e em favor da maior participação da mulher na política. O candidato do PT a prefeito de Mauá é homem, Donisete Braga – e sua principal opositora é Vanessa Damo (PMDB). 333

333 O JOGADOR Neymar foi convidado pela Mocidade Independente de Padre Miguel para desfilar no ano que vem. O enredo da escola é Samba e Rock in Rio. Roberto Medina, idealizador do festival, está ajudando a escola nos convites a superstars do gênero para também toparem desfilar na Mocidade Independente.

333 O AUTOR de novelas Aguinaldo Silva acaba de inaugurar, em Lisboa, na Praça das Nações, seu restaurante Brasileiríssimo. A casa servirá pratos típicos da culinária mineira, baiana e carioca. Também no cardápio estará a tradicional feijoada completa – e como manda a tradição, apenas dois dias da semana.

UMA DAS grandes gráficas brasileiras, a Plural, está comprando uma das plantas da Prol, outra gráfica, em Diadema. 333

333 QUANDO soube que o relatório de Joaquim Barbosa teria mais de mil páginas, o ministro revisor Ricardo Lewandowski, naquela época, também fez questão de ocupar mil páginas em seu trabalho. Agora, há quem aposte – e já teve gente que cronometrou – que o mesmo Lewandowski usa exatamente o mesmo tempo que Barbosa quando quer contrariar uma condenação dele.

Maquiagem ameixa.

Sem indiciamento Com muita discrição, o pedido de indiciamento de Paulo Okamoto, ex-Sebrae e hoje principal executivo do Instituto Lula, feito pelo Congresso em 2006, foi arquivado pelo Ministério Público. Não teria sido registrado nenhum avanço nas investigações da CPI dos Bingos e os procuradores decidiram não levar adiante a acusação de lavagem de dinheiro contra o amigo de Lula, que pagara contas do ex-presidente quando estava no poder. Okamoto voltou à tona, nesses dias, porque poderia ter sido o homem que ouviu as reclamações de Marcos Valério, há tempos. Para quem não sabe: Okamoto e Lula foram sócios numa pequena empresa, há muitos anos. Fecharam em seis meses porque os impostos eram muito altos. 333

333 A PRESIDÊNCIA da República está comprando por R$ 119,2 mil quatro novas bombas de aquecimento da piscina do Alvorada, embora a presidente Dilma Rousseff raramente resolva dar um mergulho. Nos tempos de Lula, ele também não era habitual usuário da piscina que, quando Fernando Henrique Cardoso era presidente, era usada cedo e diariamente, à titulo de exercício.

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

5 RETA FINAL Mensalão entra na semana decisiva. O réu é o núcleo político do PT.

olítica

JOVEM E VELHO Depois de 44 anos, José Dirceu pode voltar para a prisão. Pela segunda vez.

Agora chegou a vez deles O núcleo político começa a ser julgado a partir de hoje. No foco, José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoíno.

Para muitos, nós mulheres somos a metade do céu, mas queremos ser também a metade da Terra. Dilma Rousseff, em discurso na ONU, pregando a igualdade entre homens e mulheres.

Keith Bedford/Reuters

André Dusek/AE – 19.11.10

O

José Cruz/ABr

Eu acho que nós, como ministros, não podemos fazer vistas grossas a respeito do que consta dos autos. Ministro Joaquim Barbosa, relator do Mensalão, ao criticar o trabalho do revisor no Supremo Tribunal Federal. Policie sua linguagem; não há campo para Vossa Excelência ficar agredindo. Resposta do ministro Marco Aurélio Mello ao relator e em defesa do revisor Ricardo Lewandowski. Eu pensei que chegando à condição que eu cheguei, ia lá e ia aprovar projetos que iam beneficiar a população e essas coisas todas, mas não é assim. Há outros interesses. Deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR-SP), decepcionado com a política, já admite não concorrer à reeleição em 2014.

Cada dia, uma fofoca nova. Eu acho que não tem o que publicar e cada um publica uma coisa. Celso Russomanno, candidato a prefeito de São Paulo, sobre possível mudança no comando de sua campanha.

Eu queria fazer um curso de piano. E meu pai botou numa escola de datilografia. Sou datilógrafo, com diploma e tudo. Michel Temer, vicepresidente da República, lembrando a época da adolescência.

Antonio Cruz/ABr

Marcello Casal Jr./ABr

Eu gosto de fazer isso, eu mesmo. Eu nasci assim, gosto de fazer essas coisas. Sou filho de pobre. José Sarney (PMDBAP), presidente do Senado, ao pedir um band-aid para tapar um corte no rosto. Foi acompanhado de seis assessores até o serviço médico do Congresso. Lamentavelmente nosso País estimula a impunidade. Sustento que crimes graves não deveriam prescrever nunca. Cláudio Fonteles, integrante da Comissão Nacional da Verdade.

Quando eu ia na porta da fábrica, eu tomava uma caninha. Agora, tenho que tomar uma aguinha. Lula, sobre a mudança de comportamento após o câncer.

Ed Ferreira/AE

Mensalão

Essa sensação de impotência é que nos faz perder a razão de viver. Sim, ninguém em sã consciência pode querer viver só por diversão. A vida é dura demais. Katia Rabello, banqueira e expresidente do Banco Rural, em carta enviada aos amigos, na qual confessa, após a condenação no Mensalão, que está "com medo" e "sem esperança".

julgamento do Mensalão entra, a partir de hoje, em sua fase decisiva. Depois de condenar parlamentares e dirigentes de partidos políticos que venderam apoio ao PT, como Roberto Jefferson, do PTB, e Valdemar Costa Neto, do PR, chegou a vez de o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar "os compradores". E se aqueles que venO ex-ministro José deram apoio foram condenaDirceu (acima), o exdos, o destino do chamado nútesoureiro Delúbio cleo político, formado por José Soares (ao lado) e o exDirceu, ex-ministro da Casa presidente do PT, José Civil; José Genoíno, ex-presiGenoíno: réus no dente do PT, e Delúbio Soares, Mensalão, respondem ex-tesoureiro, não deverá ser por corrupção ativa. muito diferente. Condenação – Como ex-tesoureiro do PT e interlocutor do partido junto aos partidos ria revivendo agora as incerteda base aliada, Delúbio não zas dos anos 60, quando foi deve escapar da condenação preso há 44 anos em congrespor corrupção ativa. A situa- so da UNE. Como naquela époção de José Genoino, que pre- ca, o ex-ministro se angustia sidiu o PT à época dos acor- com o julgamento e reafirma a dos, também é delicada – e pessoas próximas que é inoagrava-se diante do fato de cente. Depois de capturado que ele foi avalista dos em- pelo regime de exceção, José préstimos tomados junto aos Dirceu de Oliveira e Silva foi bancos mineiros. obrigado a deixar o País. A maior dúvida diz respeito Agora também corre o risco ao ex-ministro José Dirceu, de voltar à prisão, só que na vique não exercia nenhum car- gência da democracia na qual go partidário, mas deverá ter a instituições como o STF funsua condenação proposta pe- cionam sem a tutela do goverlo ministro Joaquim Barbosa, no. Daquela vez, em 1968, lírelator do processo, seguindo der estudantil, foi aprisionado a tese do "doem Ibiúna, mínio do fato". nos arredores Barbosa e o de São Paulo, Com interlocutores é procuradore seguiu para possível constatar geral da Repúo exílio no Méque José Dirceu blica, Roberto xico e depois Gurgel, presupara Cuba. aguarda pela mem que era Dirceu e mais condenação. Ele teria 1 3 c o m p aimpossível que Dirceu até tratado do assunto nheiros da lunão soubesse ta armada focom o ex-presidente. dos acordos ram trocados com os partipelo pelo emdos, para dar baixador sustentação ao governo. americano Charles Burke ElJulgamento – A partir das 14 brick. Aos 66 anos e 44 anos horas será retomado o julga- depois, Dirceu está no banco mento da Ação Penal 470, com dos réus. Não é mais Carlos a conclusão do voto do minis- Henrique Gouveia de Mello, tro Antonio Dias Toffoli, inter- nome que adotou na clandesrompido no dia 27 para que pu- tinidade, e a articulação que desse participar da sessão do lhe atribuem agora é outra, a Tribunal Superior Eleitoral de mentor do Mensalão, maior (TSE). Depois dele, votarão os escândalo do governo Lula. ministros Marco Aurélio Mello, Uma certeza – Nos autos é Celso de Mello e o presidente acusado de formação de quado STF, Ayres Britto. drilha e corrupção ativa. Seu Na ação, os parlamentares julgamento deve ter início na são acusados de corrupção quarta-feira, com o voto do repassiva. A fase de votação que lator. Com amigos é possível será retomada refere-se à constatar que ele espera a compra de apoio político entre condenação. Dirceu já teria 2003 e 2004. Os denunciados até ligado para o ex-presidensão acusados de terem recebi- te Lula para tratar do assunto. do dinheiro das empresas de Também reservadamente Marcos Valério para garantir tem comentado sobre o minisapoio na votação de matérias tro Antonio José Dias Toffoli, de interesse do governo. que advogou para o PT e não O relator – Após a conclusão se deu por impedido. da votação desta fase, chaDirceu lembraria nas conmada de corrupção entre par- versas reservadas que não há tidos, Barbosa vai iniciar a lei- precedente no STF da suspeitura do seu voto sobre a de- ção. Cita sempre Gilmar Mennúncia de corrupção ativa na des, que teria de se declarar qual vai acusar Dirceu, Delú- impedido em pelo menos dez bio e Genoíno. Até esta etapa, casos graves que ele votou no já se tem maioria de votos na governo Fernando Henrique Corte Suprema para conde- Cardoso. A expectativa é de nar seis dos sete parlamenta- que Dirceu seja absolvido do res dos partidos que compu- crime de formação de quadrinham a base aliada do gover- lha (pena de um a três anos), e no – PP, PL (atual PR), PTB e condenado por corrupção atiPMDB. Ao todo, 19 dos 37 acu- va. Neste caso, a pena vai de 2 sados já foram condenados e a 12 anos, acrescida de um terquatro absolvidos. As penas ço se, "em razão da vantagem somente serão discutidas ao ou promessa, o funcionário refinal do julgamento. tarda ou omite ato de ofício ou Inocente – Ciente do risco de o pratica infringindo dever condenação, José Dirceu esta- funcional". (Agências)

Dida Sampaio/AE – 20.07.05

Brizza Cavalcante – 26.05.10

BIU Participações S.A. CNPJ no 08.845.753/0001-00- NIRE 35.300.341.988 Ata Sumária da Assembleia Geral Ordinária realizada em 4 de setembro de 2012 Data, Hora e Local: Em 4.9.2012, às 10h, na sede social, Cidade de Deus, Prédio Prata, 4o andar, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900. Mesa: Presidente: Domingos Figueiredo de Abreu; Secretário: Luiz Fernando Peres. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da KPMG Auditores Independentes. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no § 4o do Art. 124 da Lei n o 6.404/76. Aviso aos acionistas: Sanada a falta de publicação, conforme faculta o § 4o do Art. 133 da Lei no 6.404/76. Deliberações: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes e aprovaram as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2011, de conformidade com as publicações efetivadas em 8.8.2012, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 3 e 4, e “Diário do Comércio”, páginas 31 e 32; II) aprovada a proposta da Diretoria da Sociedade, registrada na Reunião daquele Órgão, de 8.8.2012, para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31.12.2011 e distribuição de Dividendos, conforme segue: O lucro líquido de R$101.964.520,53, foi destinado da seguinte forma: R$5.098.226,03 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; e R$96.866.294,50 para pagamento de Dividendos, levando-o à conta “Reserva de Lucros a Realizar de 2011”, e cujo pagamento será efetivado até 31.12.2012, se houver a sua realização; III) fixado o montante global anual da remuneração dos Administradores, no valor de até R$36.000,00 (trinta e seis mil reais) a ser distribuída em Reunião da Diretoria, conforme determina o Parágrafo Primeiro do Artigo Sétimo do Estatuto Social. Quórum das Deliberações: Unanimidade de votos. Documentos Arquivados: as Demonstrações Contábeis, os Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes. Também arquivada na sede e autenticada pela Mesa da Assembleia a Proposta da Diretoria. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que para as deliberações tomadas o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período e como ninguém se manifestou, foi a Ata lavrada no livro próprio e lida, sendo aprovada por todos e assinada. aa) Presidente: Domingos Figueiredo de Abreu; Secretário: Luiz Fernando Peres; Administrador: Luiz Fernando Peres; Acionistas: Banco Bradesco S.A. e Embaúba Holdings Ltda., ambos por seu Diretor, senhor Domingos Figueiredo de Abreu; Itaú Unibanco S.A., por seus Diretores, senhores Sérgio Ribeiro da Costa Werlang e Caio Ibrahim David; e Dibens Leasing S.A. - Arrendamento Mercantil, por seus Diretores, senhores Luís Otávio Matias e Marcos Vanderlei Belini Ferreira; Auditor Independente: André Dala Pola. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Luiz Fernando Peres – Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 420.226/12-6, em 24.9.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Rico não precisa de prefeito, de presidente, de governador. O pobre precisa. Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

olítica

Esta semana é decisiva para os candidatos

Os líderes nas pesquisas em São Paulo usarão todas as armas à sua disposição para tirar votos dos concorrentes e conquistar os indecisos. É ganhar, ou ganhar – o que inclui obter votos para disputar o segundo turno. É o vale-tudo nas ruas, no rádio e na TV.

Rodrigo Dionísio/AE – 17/9/2012

Mário Tonocchi

A tendência dos partidos em atrair os eleitores que eles estavam perdendo para Russoreta final da campa- manno começou a aparecer nha eleitoral deste no final da semana passada. A ano deve esquentar pesquisa Datafolha divulgada a propaganda políti- na última quinta-feira, mostra ca no rádio e na televisão. Serra passando de 61% para De hoje até a próxima quin- 74% na preferência de votos ta-feira, inclusive, só podem entre os eleitores tucanos. Já ser veiculadas mensagens de Russomanno caiu de 23% pac a m p a n h a e l e t r ô n i c a , d e ra 8% nesse quesito. Entre acordo com o calendário do eleitores petistas, Haddad Tribunal Superior Eleitoral passou de 37% para 50% en(TSE). Na sexta-feira, as cam- tre os simpatizantes do partipanhas ainda podem veicular do. Nos votos da esquerda, divulgação paga na imprensa Russomanno registrou queda escrita e a reprodução na in- de 33% para 28%. ternet do jornal impresso. A t aq u e s– A intensificação Antes do dia da votação, no dos ataques aos adversários domingo dia 7, os partidos ain- deverá ser direcionada. Ferda podem, até às 22h do sába- nando Haddad, segundo a codo, distribuir panfletos, fazer ordenadoria de sua campacarreatas e utilizar equipa- nha, tem que voltar suas batementos sonoros para divulgar rias com maior carga contra os candidatos. José Serra, na A q ue c i m e nt o – tentativa de pasMas a aposta real sar para o segundas campanhas do turno que, até O eleitor só se fica mesmo para o momento, só engaja no final a mídia eletrônit e m a p a r e n t eda campanha ca, que atinge um mente certa a quando o número muito participação de maior de eleitoRussomanno. processo toma res que as demais Já o candidato conta das formas de comudo PRB deve amconversas de nicação eleitoral. pliar suas críticas rua. De acordo com ao petista, que o especialistas, o EMMANUEL PUBLIO DIAS a t a c a p e l a p r oaquecimento das posta de fraciocampanhas nos últimos dias nar o custo do transporte coledo processo é natural, pois tivo para quem não utiliza a neste momento os eleitores condução em todo o percurso. que até então não prestavam A coordenadoria de Russoatenção na propaganda políti- manno considera mais fácil ca passam a se interessar. disputar com Haddad do que O especialista em marke- com Serra o segundo turno. ting político e professor da EsDebates– Um dos momentos cola Superior de Propaganda e mais preciosos para as camMarketing Emmanuel Publio panhas políticas são os debaDias afirma que os programas tes entre os candidatos na teeleitorais gratuitos no rádio e levisão, principalmente na retevê não influenciam o eleitor ta final do processo eleitoral. no primeiro momento, pois Com o cancelamento do deeles ainda não prestam aten- bate marcado para hoje pela ção na disputa eleitoral: "O TV Record, o evento da Rede eleitor ainda não está engaja- Globo, marcado para a próxido na campanha. Isso só ocor- ma quinta-feira, pode ser decire no final da disputa, quando sivo. A preparação para um o processo toma conta da mí- debate, de acordo com as codia e das conversas nas ruas". ordenações das campanhas, Caça aos indecisos – Nos co- passa principalmente pela comitês de campanha dos três leção de temas que cada um candidatos mais bem coloca- tem para atacar o adversário, dos nas pesquisas eleitorais, tentando desmoralizá-lo dianCelso Russomanno (PRB), José te dos eleitores-espectadoSerra (PSDB) e Fernando Had- res. Dois temas podem aparedad (PT) a ordem é não apenas cer no debate, dependendo da subir o tom com os adversá- atuação dos candidatos: o esrios quando for necessário. A cândalo do Mensalão e o livro ideia, principalmente dentro Privataria Tucana, que acusa do PT e do PSDB, é falar direta- membros do PSDB paulistano, mente aos eleitores cativos principalmente José Serra, de que ainda estão indecisos. desvio de dinheiro.

A

Nesta semana que antecede a eleição, os partidos aproveitam para marcar presença nas ruas, fazer carreatas e usar carros de som. José Patrício/AE – 23/9/2012

Renato S. Cerqueira/AE – 23/9/2012

Fernando Haddad: carreata em São Mateus. Paulo Liebert/AE – 23/9/2012

Gabriel Chalita, campanha no Ibirapuera. Diogo Moreira/AE – 27/9/2012

Celso Russomanno, mobilização em Cidade Tiradentes.

Serra não fez carreata. Caminhada no Bom Retiro.

Tucano critica Dilma. E Lula sugere que ele se aposente. Serra acusa Dilma de tratar o governo como "propriedade privada" ao nomear Marta Suplicy. E ex-presidente recomenda que candidato se despeça da vida pública. Gero/Futura Press/AE - 29.09.12

O

candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, disse ontem que a presidente Dilma Rousseff usou o governo como "propriedade privada" ao demitir a ex-ministra da Cultura Anna de Holanda e nomear a ex-prefeita e senadora Marta Suplicy (PT) para o cargo. Em comício na Vila Matilde, zona leste da capital, Serra afirmou que não tem padrinhos políticos, em referência ao adversário Fernando Haddad, cuja candidatura teve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como defensor. "A Marta não queria apoiar o Haddad. Ela disse que achava ele fraco. Teve que ser (a nomeação para a pasta da Cultura) na hora, porque não havia confiança. Não tinha o fio do bigode. Nós não fazemos isso", disse Serra. Recomendação – O ex-presi-

Lula, sobre o candidato tucano José Serra: "Ele deve estar desesperado porque não tem mais idade para disputar a Presidência".

dente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu ontem mesmo. Recomendouque o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, 70, se aposente da vida pública. No palanque

de seu afilhado político, o petista Fernando Haddad, Lula disse que o tucano "deve estar desesperado porque não tem mais idade para disputar a Presidência".

Após dizer que Serra tomou uma surra na corrida pela Presidência em 2010, Lula ironizou: "Agora volta para São Paulo como se São Paulo fosse um cabide de emprego. Ai,

meu Deus! Requer a aposenMarta e Lula participaram tadoria, que é melhor". de dois comícios na zona leste, Sem citar o nome de Serra, onde o PT sua para recuperar ele afirmou que um dos adver- os eleitores hoje simpáticos a sários de Haddad elegeu-se Russomanno. prefeito e "se Lula frisou mandou". "Deque é o PT que pois, ficou três se dedica aos anos no goverp o b r e s , b a nno e se mandou A Marta não queria d e i r a e m p upara disputar a nhada por Rusapoiar o Haddad. Presidência. somanno. "RiEla disse que Tomou uma co não precisa achava ele fraco. chulada". de prefeito, de C o n t r a o l ípresidente, de Teve que ser na der da disputa governador. O hora, porque não pela prefeitup o b r e p r e c ihavia confiança. ra, Celso Russa", disse Lula. JOSÉ SERRA s o m a m n o Também (PRB), Lula insem fazer sistiu na ideia de que adminis- menção ao julgamento do trar São Paulo exige experiên- Mensalão no STF (Supremo cia. "Não é coisa para ama- Tribunal Federal), Lula afirdor", endossou a ministra da mou que "a elite tentou dar um Cultura, Marta Suplicy, recém- golpe em 2005", a exemplo do nomeada para a Esplanada que acontecera com Jango e dos Ministérios. Getúlio Vargas. (Agências)


g

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

7

eral

Thays Bittar/AE

+ 08/03/1929  29/09/2012 Eu espero que vocês, que estão chorando ou tristes, prestem homenagem, agora que ela está com Deus, contribuindo para o Teleton.

A Hebe é a pessoa mais maravilhosa. É um símbolo. Ela vai deixar saudades no meu coração e no coração de todos os brasileiros.

SILVIO SANTOS

ROBERTO CARLOS

Ernesto Rodrigues/AE

O

Silvio Santos se despediu da apresentadora com um selinho Nelson Antoine/AE

O cantor Roberto Carlos foi ao velório na noite de sábado André Lessa/AE

Quase uma centena de coroas de flores rodearam o jazigo

O

corpo da apresent a d o r a H e b e C amargo, morta sábado, foi enterrado ontem no cemitério Gethsemani, no Morumbi, zona sul de São Paulo, sob aplausos de amigos, familiares e fãs. Rodeado por quase uma centena de coroas de flores, o jazigo foi cercado por aproximadamente 600 pessoas, que se dividiram entre aplausos e canções como Como é Grande o Meu Amor Por Você, de Roberto Carlos. Houve também quem puxasse gritos de "Hebe maravilhosa!" e "gracinha", expressão usada pela apresentadora para se referir aos convidados do seu programa de TV. Personalidades de mídia como os apresentadores Serginho Groisman, Otávio Mesquita, Ticiane Pinheiro e a atriz Maria Paula, acompanharam a cerimônia. Antes do sepultamento, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez um pequeno discurso ressaltando a importância de Hebe para a história da TV, sua personalidade expansiva e a sua identificação com São Paulo. O caixão com a apresentadora estava coberto com uma bandeira do Brasil e deixou o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, por volta das 10h, em um caminhão do Corpo de Bombeiros. Batedores – Durante o trajeto, acompanhado por batedores, pessoas acenavam em despedida. Pela manhã, o padre Marcelo Rossi rezou uma missa de corpo presente. O religioso disse ter escolhido duas canções prediletas da apresentadora para puxar coro: Como é Grande o Meu Amor Por Você e Jesus Cristo, também de Roberto Carlos.

Morre Autran Dourado Ana Carolina Fernandes/Folhapress

r o m a ntão, estava cista miem casa. Douneiro Autran rado deixa a Dourado, aumulher, Lúcia tor de Ópera Campos, com dos Mortos quem ficou (1967), morcasado mais reu aos 86 de 60 anos, anos ontem, quatro filhos, em sua casa, dez netos e em Botafogo, dois bisnetos. no Rio. A A c a d eSegundo mia Brasileifamiliares, ra de Letras ele sofria de concedeu, problemas em 2008, o Romancista mineiro em foto tirada em julho de 2005 re spi rat óri os p r ê m i o M acrônicos e techado de Asve uma hemorragia estoma- pouco depois das 16h. sis a Dourado pelo conjunto cal ontem de manhã, que o leEle havia ficado internado de sua obra. vou a morte. Em 2000, veio o reconhecipor cerca de cinco meses no O corpo do escritor foi vela- Hospital São Lucas, em Copa- mento máximo, com o Prêmio do na capela do cemitério São cabana, para tratamento de Camões, o mais importante da João Batista, também em Bo- problemas respiratórios. Teve literatura em língua portuguetafogo, e enterrado no local alta há dois meses e, desde en- sa. (Folhapress)

Cabelo – Bem-humorado, o padre brincou que deveria ter cuidado para não desarrumar o cabelo da apresentadora, coisa que a chatearia. Parte do velório, a missa de corpo presente e o sepultamento foram transmitidos ao vivo pelo SBT. Na quinta-feira, a emissora havia anunciado o retorno da apresentadora ao seu quadro, sem detalhes de formato ou horário de exibição de um novo programa. Ela estava, desde 2010, quando assinou contrato com a RedeTV!, afastada do canal pelo qual esteve mais tempo no ar – ao todo, 25 anos. Na noite de sábado, o apre-

sentador Silvio Santos esteve no velório. Mais cedo, ele havia gravado seus programas normalmente e dado ordem para que um especial sobre Hebe fosse exibido ao longo do dia pelo canal. E m 2 0 1 0 , Hélvio Romero/AE ela se submeteu a cirurgia e quimioterapia por conta de um câncer no peritônio, membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo. Entre março e julho

deste ano, ela foi internada para a retirada de um tumor no estômago, da vesícula e para a realização de exames. Leia mais sobre a vida da apresentadora em www.dcomercio.com.br (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

nternacional

Jorge Silva/Reuters

David Fernández/EFE

A uma semana das eleições presidenciais, o líder venezuelano Hugo Chávez deixou as costumeiras críticas aos Estados Unidos de lado e mostrou um surpreendente endosso a Barack Obama ontem – e afirmou que o mandatário norteamericano, sem dúvida, sentia o mesmo. "Eu espero que isso não o prejudique, mas se eu fosse dos EUA, eu votaria em Obama", disse o socialista Chávez sobre um homem a quem inicialmente pediu ajuda em 2009 mas que, desde então, insulta. Chávez é candidato a um novo mandato de seis anos contra o desafiante Henrique Capriles. As eleições

venezuelanas acontecerão neste fim de semana. Ontem venceu o prazo para se apresentar pesquisas eleitorais, sem que elas mostrem uma tendência única, embora o panorama esteja dominado por estudos que dão uma vitória a C h á v e z s obre Capriles. Já Obama busca a reeleição em novembro Em clima de vitória, Chávez contra o candidato repudiz que até Obama votaria nele blicano Mitt nas eleições presidenciais de Romney, a q u e m C h ádomingo. E ele também votaria pela vez chamou reeleição do norte-americano. de "uma coi-

Até as orelhas

sa verdadeiramente irracional''. "Obama há pouco disse algo muito racional e justo: a Venezuela não é nenhuma ameaça para os interesses dos EUA'', declarou. "Obama é um bom sujeito... Acho que, se Obama fosse de Barlovento ou algum bairro de Caracas, votaria em Chávez'', disse o presidente à TV, em referência a uma pobre cidade costeira conhecida por sua população com raízes africanas. Um dos mais estridentes críticos dos EUA, Chávez disse esperar que, depois de ambas as eleições, "possa começar um novo período de relacionamento normal'' entre os países.

Em comício, o opositor Capriles critica patrocínio de R$ 1 milhão dado à escola Vila Isabel, durante o Carnaval carioca de 2006.

'Fútil' - Capriles, por sua vez, exibiu o poder da oposição ao liderar um comício em Caracas, que segundo os organizadores, reuniu mais de 100.000 pessoas. No palanque, ele prometeu aumentar o salário mínimo e acabar com o que chamou de "entrega" dos recursos gerados pelo petróleo e zombou da ligação que Chávez faz com Simón Bolívar, herói da independência. Capriles ainda classificou como "fútil" o patrocínio de R$ 1 milhão dado à escola de samba Vila Isabel em 2006. Naquele ano, a agremiação foi campeã do Carnaval carioca com um enredo alusivo à integração da América Latina. (Agências)

Reuters

2.000 mortos no Afeganistão. E o número aumenta.

No Bangladesh, a fúria é contra os budistas.

Muçulmanos atearam fogo a pelo menos cinco templos e a dezenas de residências budistas no sul de Bangladesh, ontem, em protesto contra uma foto ofensiva ao Islã que foi publicada na rede social Facebook. A foto estava no perfil de um jovem budista e mostrava o Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos, queimado. Segundo o jornal Daily Star, o garoto alegou que a foto não era sua e ele tinha sido vinculado à imagem por engano. Após o início da violência, o mesmo jornal reportou que a conta do garoto na rede social foi fechada e sua família passou a ter proteção policial. Oficiais da polícia disseram que a multidão, estimada em 25 mil pessoas, ateou fogo a templos budistas e a dezenas de casas em Ramu, 350 quilômetros ao sul da capital, Daca, e nas aldeias vizinhas (acima). "Vi 11 templos de madeira, dois deles com

mais de 300 anos, serem queimados pela multidão. Saquearam itens preciosos e estátuas de Buda dos templos. Lojas de budistas também foram saqueadas", disse o jornalista local Sunil Barua. Segundo o chefe da polícia do distrito de Cox Bazar, Nojibul Islam, 20 pessoas ficaram feridas nos ataques. O ministro do Interior de Bangladesh, Mohiuddin Khan Alamgir, disse que os ataques foram premeditados e tiveram o objetivo de iniciar um conflito no país. Ele prometeu reconstruir os templos destruídos. Nas últimas semanas, milhares de muçulmanos manifestaram em Bangladesh contra o filme "Inocência dos Muçulmanos", que satiriza o profeta Maomé. Os budistas representam menos de 1% dos 153 milhões de habitantes do país, enquanto 90% são muçulmanos. (Agências)

O número de norte-americanos mortos no Afeganistão alcançou 2 mil no fim de semana, num conflito iniciado há 11 anos que agora atrai pouca atenção, à medida que os EUA se

preparam para retirar a suas tropas até 2014. Ontem, um oficial dos EUA confirmou as vítimas mais recentes, ao revelar que um soldado e um empreiteiro civil foram mortos

no leste do Afeganistão. Pelo menos outros 1.190 militares de outros países que integram as forças de ocupação também morreram no período, segundo a icasualties org. (Agências)


sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

c

DIÁRIO DO COMÉRCIO

9

Fotos de Chico Ferreira/Luz

idades

RUMO AOS 50 Na avenida São João, centro de São Paulo, o Shopping Center Grandes Galerias, conhecido como Galeria do Rock, se moderniza para comemorar meio século.

À esquerda, Antônio Souza Neto, o síndico Toninho da Galeria. Acima, a lojista Carolina Teixeira. À direita (dir. na foto), Marco Antonio dos Santos, o Joe. Os três têm boas histórias para contar sobre a Galeria do Rock e sua evolução, desde a época de decadência aos tempos atuais de recuperação e mergulho no mundo virtual.

Rumo aos 50, Galeria do Rock mergulha no marketing virtual.

Ponto de encontro de várias tribos urbanas de São Paulo, o Shopping Center Grandes Galerias, ou a quase cinquentona Galeria do Rock, vai figurar no Google Street View.

Ivan Ventura

U

m velho e conhecido ponto de encontro das várias tribos urbanas da cidade completará meio século de vida em março de 2013. O cinquentão (que mais parece um adolescente) é o Shopping Center Grandes Galerias, mais conhecido pelo seu apelido – Galeria do Rock –, na avenida São João. Para celebrar a data, o espaço já passa por mudanças e reformas internas. Mas é no universo virtual que pode estar o maior dos seus presentes: o Google promete um passeio virtual pelo shopping, com imagens de suas lojas em 360 graus. A proposta para uma reprodução virtual da Galeria do Rock surgiu em junho, por intermédio dos filhos dos donos das lojas, que respondem pelo marketing e divulgação da marca nas redes sociais. "A ideia surgiu há um ano e meio como alternativa à antiga forma de divulgação, muitas delas por meio de flyers (panfletos) e fanzines", lembra o síndico e dono de lojas na galeria, Antônio Souza Neto, o Toninho da Galeria. Em pouco tempo, o espaço se transformou em um fenômeno nas redes sociais, com mais de cinco milhões de pessoas em suas páginas na internet. No Facebook são 130 mil deles, além de outras 240 mil pessoas no serviço Google Mais. Os números, de tão expressivos, chamaram a atenção da gigante norteamericana que comanda a mais popular ferramenta de busca na internet. Segundo Toninho, o Google procurou a administração do espaço e ofereceu um passeio virtual pela galeria, com imagens em 360 graus. O Google confirmou o processo de captura das imagens. Elas serão usadas como um serviço agregado ao Google Street View (que permite passeios pelas ruas das principais cidades do mundo, inclusive São Paulo), chamado Special Collect. A coleção também terá imagens internas da Vila Belmiro e do Morumbi entre outros estádios. Mundo real - Enquanto a Galeria do Rock mergulha no universo virtual, todo seu espaço interno real passa por ampla restauração. Ainda existem rachaduras e manchas no teto, mas a situação é bem diferente do

Projeto arquitetônico da Galeria do Rock é de Alfredo Matias, o mesmo do Shopping Iguatemi e da Câmara Municipal de São Paulo.

O Google Street View já colheu as imagens para o passeio virtual

o andar. ows no últim sh ra a p ço a ck e esp emorial do ro No papel: m degradante aspecto observado nas décadas de 1980 e 1990. Naquele tempo, na galeria, era frequente o consumo de drogas. Também foram registradas mortes em brigas entre grupos de punks e skinheads. "Pouca gente tinha interesse por qualquer uma das lojas. Eram comuns os confrontos entre usuários de drogas e até brigas que acabavam dentro das lojas", lembra a lojista Carolina Teixeira, 27 anos, filha de uma das mais antigas proprietárias

de lojas da Galeria. A situação começou a mudar com a fundação do Instituto Cultural Galeria do Rock, constituído há 20 anos. Toninho da Galeria é um dos responsáveis pela recuperação e modernização do edifício projetado pelo arquiteto, Alfredo Matias, que também assina os projetos de outros importantes edifícios da cidade, caso da Câmara Municipal de São Paulo (o Palácio Anchieta) e do Shopping Iguatemi – o

Corredores já testemunharam brigas e consumo de drogas primeiro do Brasil. O primeiro passo da revitalização foi adequar o edifício às leis e normas da Prefeitura. Depois, Toninho e o conselho decidiram cuidar da aparência da galeria. Há três anos, foi concluída a limpeza da poluição que degradava a fachada da galeria, fazendo ressurgir detalhes do mármore de Carrara. Mais do que isso, a limpeza ressaltou as formas arredondadas do shopping, inspiradas no desenho do edifício Copan, de Niemeyer.

Nos corredores, o piso decorado com desenhos do artista italiano Bramante Buffoni foi recuperado. Também foram montadas telas de LCD que exibem a localização e publicidade das lojas, a exemplo de outros shoppings. Escadas rolantes – A Galeria do Rock está prestes a receber duas novas escadas rolantes. Para aqueles que frequentaram o espaço no passado, esse será o ponto final em um antigo problema no equipamento,

constantemente avariado. Há alguns anos, os próprios lojistas procuraram dar um jeitinho nesse problema, de modo mais economico. Além de buscar peças mais baratas, algumas delas foram feitas pelos próprios comerciantes. Um exemplo foi o pente de metal por onde passam os degraus, nas extremidades da escada. As lojas também mudaram para se adequar à nova imagem da galeria. Das primeiras casas que vendiam máquinas fotográficas, em 1963, apenas uma resistiu. Atualmente, a imensa maioria das 450 lojas é de roupas e acessórios relacionados a bandas de rock e hip hop. Os novos estabelecimentos comerciais (e mesmo os mais antigos) reformaram suas fachadas, reduziram a propaganda em suas vitrines e modernizaram seus espaços internos. Futuro - Toninho da Galeria ainda tem outros projetos de modernização, mas eles dependem de ajuda financeira. Um deles é a construção de um memorial do rock e um espaço para shows no último andar do edifício. "Trabalho na Galeria do Rock desde 1986 e há 15 dias inaugurei uma loja de CDs e DVDs. Se fosse em outro lugar, não teria uma loja como essas. Mas aqui é a Galeria do Rock, o espaço perfeito para a música, em especial o rock", disse o proprietário da Volumen Brutal, Marco Antonio dos Santos, o Joe.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

acsp

CUSTO E PRAZO O custo total das obras do complexo viário é de R$ 478,2 milhões. A previsão de conclusão: março de 2014.

distritais

Guilherme Lara Campos/A2/Governo do Estado

Complexo viário melhora acesso e valoriza imóveis em Itaquera

À esquerda, obras do complexo viário. Abaixo, Itaquerão, governador Alckmin no canteiro de obras e vista de Itaquera, com o shopping metrô.

As novas avenidas, passarelas e ligações beneficiarão cinco milhões de moradores daquela região. O valor do metro quadrado já quase triplicou e há otimismo com relação à criação de novas empresas.

tabelecimentos comerciais. mado Polo Institucional de "Até os empreendimentos já Itaquera, que será construído existentes se modernizarão e em uma área próxima das esinvestirão na melhoria de tações Itaquera do Metrô e da suas infraestruturas", disse o CPTM e ao lado do Shopping dirigente, que também é cor- Metrô Itaquera, será formado retor imobiliário. de diversos equipamentos: Complexo viário - Em uma rodoviária, primeira fase, serão construífórum, unidadas duas novas vias: uma dedes da Fatec, las, chamada avenida NorteEtec e Senai, Sul, ligará as avenidas Itaquepavilhão de r a e J o s é P iex pos içõe s, n h e i r o B o rcentro de ges, também c on v e nç õ es , conhecida hotel e incuA zona leste, que como Nova badora de sempre forneceu Radial, com o empresas. respectivo "Com isso, a mão de obra para conjunto de zona leste, outras regiões, viadutos; agora terá dinâmica q u e h i s t o r ialém de outra camente econômica própria ligando a Nors e m p r e f o rte-Sul e a aveneceu mão ANTÔNIO ABRÃO ASSEM, nida Miguel de obra para SUP. DISTRITAL SÃO MIGUEL Inácio Cury. o u t r a s r eTambém hagiões da cidaverá uma adequação viária da de, agora terá ainda mais ligação entre a avenida Miguel uma dinâmica econômica Inácio Cury e a Estação Corin- própria", ressaltou Assem. thians-Itaquera, e a moderniA segunda fase das obras zação viária da Radial Leste compreende a construção de nas proximidades da Estação alças de acesso da Jacu-PêsseCorinthians-Itaquera, com a go e da maior passarela de São implantação de uma via ex- Paulo, que passará sobre a Rapressa subterrânea. dial Leste, com extensão de O estádio do Corinthians 185 metros. As novas alças será apenas um dos empre- deverão facilitar a interligae n d i m e n t o s b e n e f i c i a d o s ção entre a Nova Radial (avecom o complexo viário. O cha- nida José Pinheiro Borges) e a

G Ir Agendas da Associação e das distritais

Amanhã I Jabaquara – Às 17h, reunião do Comitê

Técnico de Política Urbana da distrital. Avenida Santa Catarina, 641. I Pinheiros – Às 19h30, reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor . Simão Álvares, 517.

Quinta I Pinheiros – Às 19h, Workshop de TI em

parceria com o Sebrae. rua Simão Álvares, 517

Segunda (08/10) I Conselho da Mulher – Em

comemoração ao mês do Empreendedor, o Conselho da Mulher da ACSP e o Sebrae convidam para o evento "Empreender - O Caminho do Sucesso". Às 9h no auditório do Sebrae, rua Vergueiro, 1.117, 6º andar.

Pablo de Sousa/Luz/Arquivo

O

início das obras de implantação do Complexo Viário do Polo Institucional de Itaquera, na zona leste da Capital, não representa apenas mais facilidade de acesso ao futuro estádio do Corinthians, que será o palco da partida de abertura da Copa de 2014. As novas avenidas, passarelas e ligações beneficiarão aproximadamente cinco milhões de moradores daquela região, que há décadas sofrem com os intensos congestionamentos, causados principalmente pela falta de opções viárias numa das área mais populosas da cidade. Na opinião do superintendente da Distrital São Miguel da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Antônio Abrão Assem, as intervenções previstas valorizarão ainda mais a região, fomentando o desenvolvimento comercial e empresarial ao longo de importantes vias, entre elas a avenida Jacu-Pêssego. "O valor do metro quadrado em Itaquera, e até em São Miguel, quase triplicou nos últimos anos", disse. Segundo o superintendente, o complexo viário, como facilitará o acesso à região, também irá fomentar a chegada de novas empresas e es-

Jacu-Pêssego. O custo total das obras do complexo viário é de R$ 478,2 milhões, e será dividido entre o Estado (R$ 345,9 milhões) e a prefeitura (R$ 132,3 milhões). Segundo informações do governo do Estado, as obras devem terminar em março de 2014. Legado - Segundo o coordenador do Comitê Técnico de Política Urbana (CTPU) da Distrital São Miguel, Júlio Batista, as intervenções viárias não servirão apenas para facilitar o acesso à Itaquera durante a Copa de 2014. "Essas obras são permanentes e deixarão um legado extremamente positivo para a região e seus milhões de moradores", afirmou. Para a Copa do Mundo, Batista defende a utilização do Metrô como meio de deslocamento para Itaquera, mesmo com o complexo viário concluído. "É sempre uma forma de transporte mais rápida e segura. No entanto, as novas vias incentivarão o estabelecimento de novos empreendimentos comerciais e industriais, que irão gerar novos postos de trabalho, e, consequentemente, impactarem positivamente em toda a economia da zona leste", concluiu o coordenador do CTPU da Distrital São Miguel da ACSP.

Vila Rubi: terminam as obras de urbanização.

F

oram entregues semana passada as obras de urbanização da Vila Rubi, em Cidade Dutra, zona sul da capital. O projeto compreendeu a construção de redes de água, esgoto e drenagem, canalização de córregos, pavimentação de vielas e calçadas, além de áreas de lazer com equipamentos para ginástica, playground, jardins e quadra poliesportiva. As ações beneficiam aproximadamente 500 famílias. A urbanização da Vila Rubi começou em dezembro de 2009. Antes, os moradores viviam em área de risco. Não tinham água potável e o esgoto era despejado diretamente no córrego onde hoje está a rua principal. Além disso, a grande quantidade de casas aglomeradas dificultava o escoamento da chuva, causando inundações agravadas pelo lixo que era despejado na região.

Para urbanizar a Vila Rubi foi preciso transferir 104 famílias que viviam em condições precárias às margens do córrego. Algumas dessas famílias vão morar em 84 unidades que serão construídas em áreas vizinhas, e as demais serão transferidas para outros empreendimentos. Até lá, continuarão recebendo auxílioaluguel. Para a Prefeitura, a urbanização da Vila Rubi representa a inclusão social nas comunidades. A pavimentação de uma rua onde existia um córrego a céu aberto, estabeleceu a convivência entre vizinhos que eram divididos pelo leito. O Programa de Urbanização de Favelas da Prefeitura recebeu R$ 5,2 bilhões em investimentos desde 2005 e já atendeu a comunidades carentes de Paraisópolis, Heliópolis, Jaguaré, Jardim São Francisco e Cantinho do Céu.

Carlos Pupo/AE

André de Almeida

Guilherme Lara Campos/A2/Governo do Estado

Divulgação/Arquivo/DC

Em seis meses, um novo parque na Barra Funda.

O

bairro da Barra Funda, na zona oeste da capital, deverá ganhar, em aproximadamente seis meses, uma área verde de 45,9 mil metros quadrados, espaço um pouco menor do que o do parque Trianon, localizado na avenida Paulista. O novo parque terá uma ciclovia com quase um quilômetro, pista para a prática de cooper e também acesso a internet sem fio. A área verde está sendo construída em um loteamento residencial e comercial, que terá 30 torres, ao lado do viaduto Pompeia, no terreno onde ficava o clube da Telesp. A área do parque já foi transferida para a Prefeitura e também já

ganhou um nome oficial: Jardim das Perdizes. A maioria das plantas do parque é composta de ipêsroxos, amarelos e brancos, que irão se misturar a outras árvores. Serão instalados também no local bancos, lixeiras, bebedouros, paraciclos e equipamentos de ginástica para serem usados pelos visitantes da terceira idade. Os custos do parque estão sendo bancados pela Tecnisa, empresa responsável pelo empreendimento, que também pretende cuidar da área por três anos, mas ainda aguarda autorização da Prefeitura para isso. A adoção do parque pela construtora foi voluntária.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

facesp

11 DESDE 1962 As obras tiveram início em 1956. A inauguração foi em 1962.

regionais

FOTOS A mostra tem 20 painéis com fotos antigas, atuais e textos explicativos.

Jurumirim: onde a água conta história. Usina hidrelétrica, com sua represa de águas limpas, faz 50 anos. Exposição itinerante de fotos retrata do início das obras até os dias atuais. Fotos: Duke Energy Geração Paranapanema.

André de Almeida

tembro de 1962. Sua estrutura permite a geração de 98 MW para o sistema usina hidrelétrica Ju- energético brasileiro – sufirumirim, localizada cientes para abastecer uma na região do Médio cidade com aproximadamenP a r a n a p a n e m a – te 900 mil habitantes. Além perto das cidades de Piraju e disso, a barragem, com a reCerqueira Cesar –, completou gularização levada ao Paranarecentemente meio século de panema, tornou possível a existência. Desde sua inaugu- operação da usina Salto Granração, em setembro de 1962, a de em todo o seu potencial. usina e seu reservatório de 449 "Quando a construção terquilômetros quadrados assu- minou, Piraju ficou vazia, pois miram um importante papel na todos os trabalhadores foram vida dos moradores daquela para Chavantes, onde estava área do Estado. A represa, com sendo construída outra usisuas águas ainda limpas, im- na", lembra Antonio Carlos pulsionou o turismo local, se Bento dos Santos, que era tornando uma importante fon- criança na época da obra e que te de renda para a economia posteriormente trabalhou por dos municípios, pois atrai ba- muitos anos como vigilante da nhistas, pescadores e os adep- usina. Ele foi um dos que contos dos esportes aquáticos. tribuíram para o resgate da Para as comunidades locais, memória de Jurumirim no proo reservatório é uma opção jeto da Duke Energy. não somente de lazer, pois Exposição - Aqueles que não puderam ver de perto a construção da usina, poderão agora conhecer um pouco da sua história visitando a exposição 'Jurumirim 50 anos'. Entre os dias 4 e 14 deste Montagem da turbina 1, também em 1961. mês, a mostra estará também serve para o abasteci- aberta ao público na Bibliotemento das cidades da região, ca Municipal de Piraju. A mosirrigação de lavouras e pisci- tra irá também para as cidacultura. Para comemorar a da- des de Cerqueira Cesar, Aranta, a Duke Energy, atual con- du e Avaré, ainda neste ano, e cessionária, em parceria com a para outros municípios do MéFundação Cesp, realizará a dio Paranapanema no inicio mostra fotográfica itinerante de 2013. Depois disso, retorna 'Jurumirim 50 anos'. A exposi- definitivamente para Piraju. Ao todo, são 20 painéis ção será inaugurada quartafeira e percorrerá as cidades da com fotos antigas e atuais, todas acompanhadas de texregião até o próximo ano. Construção - Quem reside tos explicativos. "Podemos ver desde o nas cidades período de daquela área construção – há mais de c i d a d e s i mmeio século pactadas pecertamente la obra e conse lembrará texto do País da construção na época – da usina, um a t é a b i o d iprojeto consiversidade da derado granPreparação da unidade 1 região e do dioso para a R i o P a r a n aépoca e que só foi finalizado graças ao tra- panema", afirma a gerentebalho de milhares de trabalha- geral de Relações Instituciodores vindos de diversas par- n a i s d a D u k e E n e r g y , A n a tes do País. As primeiras obras Amélia de Conti Gomes. "É uma viagem por esses 50 tiveram início em 1956 e a usina, o segundo grande aprovei- a n o s , a t r a t i v a t a n t o p a r a tamento hidrelétrico do rio Pa- q u e m v i u a u s i n a n a s c e r , ranapanema, depois de Salto quanto para as gerações mais Grande, foi inaugurada em se- jovens, que usufruem de seu

A

No ABC, R$ 45 milhões para o Dia das Crianças.

O

s gastos com presentes para o Dia das Crianças, no próximo dia 12, deverá movimentar cerca de R$ 45 milhões na região do Grande ABC. Esta é uma das conclusões da Pesquisa de Intenção de Compra - Dia das Crianças 2012 realizada pelo Observatório Econômico da Faculdade de Administração e Economia da Universidade Metodista de São Paulo. O valor significa um aumento de R$ 5 milhões em relação a 2011, quando a pesquisa apontou uma expectativa de movimentação de R$ 40 milhões. Considerando a inflação acumulada nos últimos 12 meses de aproximadamente 5,62%, o mercado do Grande ABC deve crescer em torno de 8%. De acordo com os dados levantados na pesquisa, o valor médio a ser gasto por

presente é de R$ 115,22. Já o valor total que os consumidores pretendem gastar com presentes no Dia das Crianças é de R$ 198,93. Os principais presentes deverão ser bonecas (25,8%) vestuário (21,6%), para as meninas, e aviões e carros de brinquedo (13,3%) e vestuário (13%), para os meninos. O principal meio de pagamento deverá ser o dinheiro (36,4%), seguido pelo cartão de crédito (34,5%) e de débito (21,3%). Os que usarão o cartão de crédito apresentaram maior disposição em gastar. 28,2% dos consumidores pretende comprar em um município diferente do que reside. Os principais estabelecimentos apontados foram shoppings (42,6%) e comércio formal do centro das cidades (33%). Santo André lidera como local preferido das compras, com 29,8%.

A hidrelétrica Jurumirim em dois momentos: casa de força da usina em foto de abril de 1961 e nos dias atuais.

legado. Assim, esperamos um público de todas as idades", ressalta Ana Amélia. Importância - De acordo com o presidente da Associação Comercial e Industrial de Piraju (Acip), Roberto Zanella, desde sua inauguração, a cinquentenária usina, que se localiza a apenas 15 quilômetros do centro do município, representou um importante passo para o desenvolvimento da região do Médio Paranapanema. Antes abastecidas por pequenas hidrelétricas, entre elas a Usina de Piraju, ou até mesmo por geradoras das próprias prefeituras, cidades como Piraju, Avaré, Cerqueira César, Itaí e Tejupá puderam regularizar o fornecimento de

energia com o início da operação da Jurumirim. Outro aspecto importante da usina é que seu reservatório de acumulação funciona como uma grande caixa d'água e desempenha o papel de amortizar os picos das cheias do Paranapanema, já que no inverno as águas acumuladas são usadas na geração, abrindo espaço para acomodar as chuvas que ocorrem de novembro a março e reduzindo seus impactos nas comunidades ribeirinhas. "A represa da usina é um dos mais importantes pontos turísticos da região, principalmente para quem pratica esporte aquático. Essas pessoas, na maioria turistas, beneficiam o

Palestra e consultoria na ACE de Holambra

T

omar decisões corretas pode significar sair na frente do concorrente, aumentar lucros, evitar prejuízos ou emplacar com mais facilidade um produto. Mas decidir não é tarefa simples e requer subsídios, que podem ser oferecidos pela pesquisa de mercado, um assunto que poucas empresas conhecem. Para aproximar o tema dos empresários de Holambra, a Associação Comercial e Empresarial (ACE) do município promove palestra gratuita dia 10, às 10h. As inscrições já estão abertas e a atividade será realizada via Posto Sebrae de Atendimento ao Empreendedor. Apresentada por profissional do Sebrae, a palestra mostrará a pesquisa e a análise de mercado como ferramentas para decisões mais seguras. A realização e a

aplicação da pesquisa de mercado também estão entre os tópicos. Podem participar empresários, gerentes e supervisores das áreas relacionadas ao tema, além de empreendedores individuais formalizados. Após a palestra, o profissional do Sebrae dará consultoria sobre Marketing O atendimento é individual, gratuito e tem duração de uma hora. A consultoria vai das 14h às 17h. Por se tratar de atendimento individual, as vagas deve se esgotar rapidamente. Para reservar um lugar é preciso ligar para (19) 3802-1593/2020 ou entrar em contato pelo cursos@aceholambra.com.br, ou ainda diretamente na ACEHolambra, avenida das Tulipas, 103, Centro. A palestra e a consultoria acontecem na sede da entidade.

segmento de hotéis e o comércio em Piraju, principalmente nos finais de semana", afirma Zanella. Segundo ele, além de Cerqueira César, outra cidade

que aproveita todo o potencial da represa é Avaré, onde mais de 50 condomínios residenciais foram construídos nas margens do lago.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Sempre em foco

D ECORAÇÃO

A Lytro é uma câmera que promete acabar com um problema de quase todos os fotógrafos amadores: as imagens fora de foco. A máquina possui um mecanismo capaz de corrigir a foto mesmo depois do clique. http://bit.ly/QKlfiT

Iluminação acorrentada Correntes e aros de bicicleta constituem quase todo o material básico destes lustres da Facaro. A criação é da artista Carolina Fontoura e as peças são feitas manualmente. Os produtos podem ser encomendados na página da Facaro no site Etsy. Os preços variam de acordo com o tamanho. http://etsy.me/RoPaj4

Memória eterna A empresa japonesa Hitachi desenvolveu um processo de armazenamento de dados que pode revolucionar o mundo dos pen drives e HDs externos. Os dados são arquivados em uma placa de vidro e nunca são apagados. Ou melhor, a fabricante afirma que isso pode acontecer em alguns milhões de anos. http://bit.ly/Q0AIe2

Logo Logo www.dcomercio.com.br

E M

C A R T A Z

H ABEAS CORPUS

Google se previne

O E UA

Armas de Bonnie e Clyde são leiloadas Duas armas que pertenceram ao notório casal de bandidos americanos Bonnie e Clyde foram vendidas ontem em um leilão nos EUA. As armas faziam parte de um lote de 134 artefatos que pertenceram a bandidos famosos e que rendeu no total US$ 1,1 milhão em vendas. O revólver calibre 38 que Bonnie Parker tinha preso junto à coxa quando foi morta em 1934 foi vendido por US$ 264 mil. A pistola calibre 45, de Clyde Barrow, foi vendida por US$ 240 mil. A mesma pessoa adquiriu as duas armas. (Agências)

diretor financeiro do Google Brasil, Edmundo Luiz Pinto Balthazar, obteve habeas corpus preventivo contra o pedido de detenção feito pelo juiz eleitoral Sylvio Ribeiro de Souza Neto, de Ribeirão Preto (SP), por desobediência a ordem judicial. A medida foi concedida pelo desembargador do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo Antônio Carlos Mathias Coltro no sábado, um dia após ele ter negado pedido de liminar em

mandado de segurança no mesmo processo. O juiz já se manifestou sobre a decisão ontem e acatou a decisão do tribunal. Na última sexta, Neto determinou a detenção de Balthazar porque o Google não havia retirado do blog do jornalista Márcio Francisco seis textos considerados ofensivos à prefeita Dárcy Vera (PSD), candidata à reeleição. A decisão do juiz é do dia 13 e Ribeiro Neto concedeu um prazo de 24 horas para a suspensão dos textos.

A defesa recorreu da decisão sobre a detenção, afirmando que os textos no blog devem ser vistos como "exercício da liberdade de expressão e de pensamento" e que é impossível se responsabilizar pelo conteúdo. Coltro afirmou que a sanção é decorrente de descumprimento da decisão do juiz, e não pelos textos publicados. No entanto, após um novo escritório de advogados pedir a concessão do habeas corpus a Balthazar, o desembargador voltou atrás de sua decisão.

VÍDEO

M EDICINA

Júlio Costa/AE

Sua vida sexual pode correr riscos

S ÃO PAULO

Livro com fundo falso usado em furto

L

Uma promotora de vendas, de 24 anos, foi flagrada furtando um DVD com imagens de crime e três livros de uma loja de departamento na avenida Paulista, no centro de São Paulo, na manhã de sábado. A suspeita colocou os objetos dentro de um livro maior com fundo falso, mas foi descoberta pelos seguranças da loja, que acionaram a Polícia Militar. De acordo com os policiais, a suspeita alegou que estava com dificuldades financeiras e por isso furtou os objetos.

O Velho Hemingway no Mar de Tubarão, de Daniel Santiago, é uma das obras expostas na Galeria Jaqueline Martins. Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 74, Pinheiros. Grátis.

ROOSEVELT – A nova praça foi inaugurada oficialmente ontem após uma reforma que custou R$ 55 milhões. Agora há parquinho para crianças, quiosques onde devem ser instaladas floriculturas e uma base da Guarda Civil Metropolitana. Também foram registradas as primeiras pichações.

O funcionamento sexual tanto do homem quanto da mulher não está imune aos efeitos colaterais dos mais variados tipos de remédios usados para males que nada têm a ver com a sexualidade. De acordo com José Carlos Reichelmann, médico sexologista, isso ocorre porque diferentes tipos de remédios afetam negativamente alguma das três fases do funcionamento sexual: o apetite, a excitação e o orgasmo. O efeito colateral de cada medicamento, no entanto, varia de pessoa para pessoa. "Em geral, quando a dose é muita alta, afeta todo mundo'', afirma Vicente Renato Bagnoli, ginecologista e obstreta. Um medicamento que pode se transformar em vilão do bom funcionamento sexual do homem é o antihipertensivo. Assim como deve ocorrer na sua indicação, parar de tomar qualquer medicamento é uma decisão que cabe ao médico. (Folhapress)

A RTE C ONCURSO

Miss Brasil 2012

Para o artista, a pintura é uma forma de representar que nenhum desejo humano é impossível.

Realismo mágico O pintor canadense Rob Gonsalves cria imagens que foram classificadas de realismo mágico, devido à perspectiva e ao estilo. Suas obras, a maioria usada para ilustrar livros, resultam em ilusões de ótica e interagem entre o mundo real e o imaginário fazendo com que o espectador reflita sobre o que está vendo. www.robgonsalves.com

A gaúcha Gabriela Markus, 23, eleita Miss Brasil no sábado à noite, vai representar o País no Miss Universo 2012, em 19 de dezembro.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

13

sábado, domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Ouro foi o MELHOR INVESTIMENTO de setembro Mike Segar/Reuters

Bolsa deve reagir, dizem analistas de mercado: revés no mês se deu por causa da Espanha.

22 por cento foi o rendimento do ouro como investimento no acumulado de janeiro a setembro deste ano

REJANE TAMOTO

Central Europeu (BCE) fará a compra de bônus em maiores volumes. Do outro lado do globo, a China anunciou duas injeções de recursos que, somados, são de mais de US$ 100 bilhões no mês passado. "Estas notícias fizeram o volume de recursos de investidores estrangeiros aumentar", disse Cataldo. No mês passado, até o dia 20, o fluxo de recursos de investidores estrangeiros estava positivo em R$ 2,6 bilhões. Na última semana, os investidores realizaram os lucros e a saída superou a entrada de dinheiro. Segundo dados da BM&FBovespa de 3 a 26 de setembro, a entrada de recursos de investidores estrangeiros foi de R$ 56 bilhões e a saída, de R$ 60,8 bilhões.

O

desenrolar do pacote de austeridade e o pedido de socorro aos bancos na Espanha ditaram o comportamento dos investidores na última semana de setembro. O clima de nervosismo ajudou a derrubar a bolsa brasileira. Desta forma, mais uma vez, o ouro foi o campeão de rentabilidade em setembro, com alta de 4,46%, segundo ranking elaborado pelo administrador de investimentos Fabio Colombo. No ano, o metal rendeu 22%, e é um ativo considerado porto seguro para a carteira dos investidores estrangeiros, já que não é um investimento popular no Brasil. A bolsa de valores, que até quinta-feira tinha chances de ter o segundo melhor resultado mensal do ano desde janeiro, sofreu um revés na sextafeira em razão das notícias da Espanha e da queda dos papéis do setor financeiro no Brasil. Em setembro, o Ibovespa subiu somente 3,8% e retornou ao patamar abaixo dos 60 mil pontos, alcançando os 59.175 pontos. No ano, o ganho da bolsa de valores foi de 4,27%, menor do que o da poupança. Ainda assim, analistas esperam que a bolsa reaja até o final do ano.

Intervenções do governo

Para o analista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi, a volatilidade deve continuar no mercado acionário, com as atenções voltadas ao desenrolar da crise na Europa. "O quarto trimestre será decisivo para a Espanha. Vamos ver se conseguirão implementar o plano de austeridade", diz. Em um único dia, a perda do Ibovespa foi de quase 2% e parte desse resultado foi atribuído à queda das ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Cielo, que caíram 7,43%, e os papéis do Banco do Brasil (-3,88). A ação preferencial (PN, sem direito a voto) do Itaú Unibanco caiu 2,89% e a do Bradesco, 1,75%. O movimento de baixa do setor é resultado da pressão do governo para reduzir as ta-

O campeão de rentabilidade em setembro foi o ouro, com alta de 4,46%.

Euro ganha musculatura

Ranking de investimentos Setembro Ouro Bolsa Euro Títulos indexados ao IGP-M IGP-M Fundos de Renda Fixa Títulos indexados ao IPCA Fundos DI Poupança Dólar

4,46% 3,70% 2,08% 1,05% a 1,25% 0,97% 0,65% a 0,85% 0,65% a 0,85% 0,40% a 0,60% 0,43%* -0,05%

2012 (janeiro a setembro) Ouro Títulos indexados ao IGP-M Fundos de Renda Fixa Dólar Euro IGP-M Títulos indexados ao IPCA Fundos DI Poupança Bolsa

22% 10,51%** 8,73% 8,56% 7,67% 7,10% 7,03%** 6,77% 4,74%* 4,27%

* rendimento líquido para caderneta com aniversário em 1º de outubro. ** indicativo Fonte: Fabio Colombo, administrador de investimentos

xas de administração cobradas do lojista pela credenciadora Cielo e também as tarifas de serviços dos bancos. "O governo quer que o Banco do Brasil reduza sete tarifas, que foram reajustadas em janeiro. Isso vai atrapalhar a rentabilidade da instituição. Esta série de intervenções, inclusive no setor de energia elétrica, está impedindo a bolsa de subir", afirma o trader da Mirae Asset Corretora, Julio Pimentel Algodoal Neto. Ele diz que a bolsa poderia subir até 15% neste ano se não houvesse intervenção do governo no setor de energia elétrica e nem pressão para baixar o spread bancário. Estas notícias, afirma, derrubaram papéis que tradicionalmente ofereciam um bom retorno ao acionista. "O que deve puxar a bolsa neste fim de ano são os papéis

Reinaldo Canato/AE

Projeções para a bolsa apontam avanço de 7,4% para o Ibovespa

de mineração, commodities e alimentos. Também acredito que as empresas mais dependentes do mercado externo sejam opções melhores do que as que dependem da economia interna", diz Algodoal Neto. Para Galdi, da SLW, as medidas do governo vão surtir efeito no crescimento da indústria em 2013, e as quedas destes setores ocorrem apenas no curto prazo. Mesmo com o revés de sexta-feira, os analistas esperam que a bolsa encerre o ano no azul. "Só a saída da Grécia do Euro ou outro evento forte mudaria uma projeção positiva para a bolsa neste ano", afirma Colombo, que elaborou o ranking de investimentos.

Recuperação do Ibovespa Em setembro, a bolsa teve um mês de boas notícias vindas do exterior, que fizeram o investidor estrangeiro voltar ao mercado acionário brasileiro. O cenário do mês passado alimentou boas perspectivas para o fechamento da bolsa neste ano. Uma pesquisa feita pela Agência Reuters, com estimativas de 30 analistas, mostrou que a mediana de todas as projeções aponta para uma alta de 7,4% para o Ibovespa, o que corresponde a 65 mil pontos, até o final deste ano. Para o primeiro semestre de 2013, o prognóstico de 23 ana-

listas sugere um avanço de 15,7%, ou 70 mil pontos. O levantamento foi divulgado na semana passada. O estrategista de pessoa física da Bradesco e Ágora Corretoras, José Francisco Cataldo, projeta 69 mil pontos para a bolsa neste ano. Segundo ele, em setembro vieram finalmente as boas notícias que os investidores esperavam desde julho. Entre elas, o anúncio da terceira rodada do Quantitative Easing (injeção de dólares para ajustar o crescimento da economia norte-americana), e indícios de que o Banco

Os anúncios de pacotes para a Espanha e de compra de títulos pelo Banco Central Europeu fizeram o euro ganhar força ante o dólar. Em setembro, a valorização foi de 2,08% e este foi o ganho de investidores que tem no portfólio fundos cambiais atrelados à moeda europeia. Para o investidor desses fundos, o euro gerou uma rentabilidade de 7,67% no ano. De acordo com Colombo, este tipo de aplicação é indicada para investidores com perfil conservador e moderado, e com visão de longo prazo, já que a moeda tem uma oscilação forte. Mesmo com a injeção de dólares pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), o dólar não disparou. No mês, quem aplicava em fundos cambiais atrelados ao dólar teve prejuízo de 0,05%. Como o fundo cambial é investimento de longo prazo, o investidor que apostou na moeda norte-americana teve retorno positivo no ano, de 8,56%, que ocupa a quarta colocação do ranking de investimentos.

RENDA FIXA PERDE DA INFLAÇÃO Com a taxa básica de juros (Selic) em 7,5% ao ano – no patamar mais baixo da história – os investimentos em renda fixa estão rendendo cada vez menos. Em setembro, apenas o título público indexado ao Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) superou a inflação de 0,97% medida por este índice. O rendimento do papel foi de 1,05% a 1,25% no mês passado e de 10,51% no ano, sendo o segundo mais rentável depois do ouro. Os demais investimentos perderam da inflação. Os fundos de renda fixa renderam de 0,65% a 0,85% em setembro, o mesmo que os papéis do governo indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A diferença entre os investimentos, é que os fundos de renda fixa superaram o IGP-M no ano, com rendimento de 8,73%, contra uma inflação medida pelo índice de 7,1%. Já os papéis que seguem o IPCA renderam menos no ano, 7,03%. Com a Selic baixa, o rendimento dos fundos DI encostou na poupança. No mês , este tipo de fundo deu retorno de 0,4% a 0,6%, de acordo com a taxa de administração. Próximo do rendimento líquido da caderneta de poupança com aniversário em 1º de outubro, de 0,43%. No ano, os fundos DI tiveram rentabilidade de 6,77% e se destacaram da caderneta . A poupança no acumulado do ano teve rendimento líquido de 4,74%. (RT)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012


sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO A ACSP apoia todas as medidas que resultem em agilidade e desburocratização para o empresário. Marcel Solimeo, economista da ACSP

conomia

Paulo Pampolim/Hype

Documento em papel persiste Consultores especializados na organização e gestão de arquivos alertam para a importância de se guardar documentos em papel Paula Cunha

E Marcel Solimeo, na expectativa.

Nova Jucesp poderá agilizar licenças

É

15

Fátima Lourenço

aguardada para os próximos dias a sanção, pelo governador de São Paulo Geraldo Alckmin, da lei que reestrutura a Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) e transforma o órgão, atualmente vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, em uma autarquia especial. O Projeto de Lei Complementar (19/2012) com esse objetivo foi aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 28 de agosto. A proposta, em síntese, é promover a modernização da instituição para agilizar os processos. "A Jucesp é uma instituição essencial no processo de desenvolvimento do País, porque todo o empreendedorismo começa com a abertura de uma empresa. Ali é o começo da história, mas também pode ser o meio, se o empreendedor, além do registro (da empresa), tiver o licenciamento", comenta o presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Luiz Fernando Nóbrega. Ele se refere a um dos aspectos contemplados no Projeto de Lei: a integração do órgão com o Sistema Integrado de Licenciamento (SIL). "Hoje, há casos que se arrastam por meses", comenta Nóbrega. "É claro que uma indústria petroquímica não sairá de lá com o registro e as licenças. Mas se for uma microempresa e estiver descartado o risco ambiental; se estiver descartada a vistoria do Bombeiro, por causa do tamanho, ela já pode sair com alguns licenciamentos, pronta para funcionar", exemplifica. "A obtenção de janela única para a obtenção das licenças é um objetivo nosso há muito tempo", ratifica o economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo. "Agora, vamos aguardar a implementação lei. A ACSP apoia todas as medidas que resultem em agilidade e desburocratização no atendimento para o empresário". A reestruturação da Jucesp, que tem 122 anos, é uma das medidas da Política Estadual de Estímulo ao Empreendedorismo e Favorecimento às Micro e Pequenas Empresas, lançado no início do ano.

m plena era digital ainda existe a necessidade de armazenamento de documentos, notas fiscais, recibos e contratos de prestação de serviços em papel. A regra , detalhada em leis federais estaduais e municipais, vale tanto para pessoas físicas quanto jurídicas e a falta deles pode acarretar sérios problemas em caso de fiscalização. Para empresas de pequeno e médio porte as dificuldades aumentam em razão da falta de espaço e de pessoal especializado para a tarefa. Mesmo assim, consultores especializados na organização e gestão de arquivos alertam para a importância de se guardar documentos em papel. A Confirp Consultoria Contábil, empresa especializada na organização e digitalização de documentos, orienta empreendedores de todos os ramos de atuação através de consultorias e palestras. Um dos palestrantes da Confirp, Juan Cacio Peixoto, bibliotecário da Acervo – que também oferece consultoria neste campo – explica que muitas empresas desejam digitalizar todos os seus documentos, mas esbarram nas dificuldades que poderão ter. Os órgãos públicos ainda não estão preparados para receber e enviar arquivos digitais. Um dos exemplos é a Justiça do Trabalho, que ainda exige os tradicionais cartões de controle de ponto como prova física no caso de reclamações sobre horas extras não pagas.

Ele lembra que apesar da Lei de Digitalização (de nº 12.682), sancionada em julho deste ano, ainda são necessários ajustes. Inicialmente foi vetada a permissão para destruir os arquivos após a transformação digital deles. Prazos – Pessimista, Peixoto diz que a geração que está nascendo agora é que será beneficiada por estes avanços tecnológicos. Por isso, recomenda que as empresas consultem os prazos determinados pela legislação e encarreguem seu departamento jurídico de verificar se ainda há processos em andamento, já

que a eliminação de documentos em papel poderá deixá-las sem provas em caso de fiscalização ou necessidade de apresentação de documentos (leia os prazos acima). Ele opina que muitos empreendedores arcaram com custos enormes decorrentes de ações perdidas porque não foram cuidadosos ao arquivar documentos ou ainda pensam que esta prática representa um passivo para suas empresas. "Entre as dúvidas mais frequentes dos empresários que atendo está a validade dos documentos digitais que substituem os físicos (em papel)", afirma.

Valor histórico – Para Adriano Damato, sócio-diretor da unidade de São Paulo da empresa Arquivar, "estes documentos são essenciais para o funcionamento de uma empresa e devem ser considerados como parte da sua história". Segundo Damato, os prazos de arquivamento variam de acordo com cada legislação. As informações podem ser encontradas no Conselho Nacional de Arquivos (Conarq), órgão colegiado, vinculado ao Arquivo Nacional do Ministério da Justiça, que tem por finalidade definir a política nacional de arquivos públicos e priva-

dos, como órgão central de um Sistema Nacional de Arquivos. Ele é encarregado de oferecer orientação normativa nos campos de gestão e proteção de arquivos e documentos. Os prazos para notas fiscais, recibos e documentos referentes a tributos, recibos e contratos de aluguel, contas (água, luz, telefone e gás), contratos de compra e escrituras de imóveis, fazem parte dos itens controlados por estas leis. Atualmente, a Arquivar é procurada por empreendimentos de todos os portes e de diversos ramos, pois a fiscalização foi intensificada nos últimos anos, principalmente por parte da Receita Federal. Os preços dos serviços variam de acordo com o seu porte. O comércio varejista e atacadista segue as mesmas normas e, segundo o sócio-diretor da Arquivar, os grandes grupos são os que dispõem de mais recursos e pessoal para arquivar toda a sua documentação. Já os estabelecimentos de pequeno e médio portes encontram mais dificuldades tanto do ponto de vista físico (instalações com espaço reduzido) quanto do organizacional e financeiro. Outro segmento que requisita mais serviços deste tipo são as importadoras e exportadoras, pois na sua avaliação, "os documentos são verdadeiros dossiês, com uma legislação que conta com regras muito específicas". Damato acredita que, neste momento, apenas a Nota Fiscal eletrônica conta com um sistema já consolidado e confiável.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O IPT estuda o comportamento de barras de aço inoxidável no concreto como possível alternativa para a construção de pontes.

conomia

Fotos: Paulo Pampolin/Hype

Professor da Escola Politécnica, Landgraf lembra que as empresas que tiverem inovações tecnológicas podem obter subsídios de até 100% para testarem suas ideias. Acima, um simulador solar.

Novo presidente quer ampliar a presença do IPT na economia Fernando José Gomes Landgraf diz que esse é um desafio proposto pelo governador do Estado ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Fátima Lourenço

O

I n s t i t u t o d e P e squisas Tecnológicas (IPT) está sob o comando de um novo presidente, seu ex-diretor de Inovação, Fernando José Gomes Landgraf. A instituição, criada há 113 anos, opera desde 1976 como uma sociedade anônima, instalada em 240 mil metros quadrados, junto à Cidade Universitária, na Capital. Ali estão seus 12 centros de especialidades (da área têxtil à de engenharia naval e oceânica) e 28 laboratórios. Entre eles, o de Bionanotecnologia, o primeiro do gênero na América Latina, inaugurado no dia da sua posse, em 27 de agosto. Na ocasião também foi apresentado o mais moderno simulador solar do Brasil, parcialmente desenvolvido no próprio instituto. "O mercado brasileiro de coletores solares movimenta US$ 500 milhões por ano", afirmou Landgraf, engenheiro metalurgista e também professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Confira a seguir os principais trechos de sua entrevista ao Diário do Comércio.

Diário do Comércio – O IPT é uma empresa do governo do Estado de São Paulo? Fernando José Gomes Landgraf – O IPT é uma sociedade anônima do grupo de empresas independentes do Estado. Temos uma dotação do governo. Do orçamento anual, de R$ 145 milhões em 2011, R$ 84 milhões foram recursos próprios, resultado de vendas de serviços do IPT.

DC – Qual é a dotação de 2012? La ndg raf – É da ordem de R$ 50 milhões. As receitas próprias caem um pouco, porque a crise nos atingiu também.

DC – Pelo reflexo nas empresas privadas? L a nd g r af – Nas empresas e

no governo, porque, da nossa receita própria, 40% estão ligados às políticas públicas do governo – vendas de serviços para empresas do governo estadual. E o governo também deu uma enxugada, este ano. DC – O IPT tem de retribuir o dinheiro de sua dotação à sociedade? Landgraf – Claro. E a gente tem falado da importância de quantificar o impacto do IPT. Essa dotação do governo está fortemente ligada com o investimento próprio em projetos de pesquisas. Hoje, o IPT conduz 70 projetos de pesquisas que têm por objetivo criar conhecimentos que permitam apoiar o governo e a indústria no futuro. Um deles é a avaliação ambiental estratégica, um estudo da indústria sucroalcooleira de São Paulo, para identificar seu impacto, tanto ambiental quanto social e econômico. Outro projeto é da nossa área de metrologia. É um estudo de desenvolvimento dos métodos de análise de fitalatos, que são substâncias químicas que podem estar presentes em brinquedos e objetos de plástico e têm teores controlados, para proteger o usuário final. E também o estudo do comportamento de barras de aço inoxidável no concreto (como possível alternativa futura às pontes com armação deteriorada). DC – O senhor acaba de assumir a presidência do instituto. Quais são as suas metas básicas? Landgraf – Nós definimos como objetivos desta gestão aumentar o impacto e a relevância do IPT para a indústria e para a sociedade. Temos de aprender a medir o impacto do IPT na economia. É um desafio que o governador de São Paulo nos colocou. O MIT (Massachusetts Institute of Technology) sabe qual é o impacto dele para a sociedade americana. Além disso, vamos seguir com o que a gente vem fazendo. O IPT vende R$ 90 milhões por ano

para uma empresa do Grupo Camargo Corrêa.

O mercado de coletores solares movimenta US$ 500 milhões por ano. FERNANDO JOSÉ GOMES LANDGRAF de serviços para a sociedade. Mas qual é o impacto, além desse valor? E outra coisa é saber qual é a relevância na sociedade. Esses são os grandes objetivos. Agora, a gente quer fazer isso continuando co m o nosso tripé: vender pesquisa e desenvolvimento; metrologia; e apoio às políticas públicas. DC – O IPT está inserido num contexto nacional de institutos de pesquisa? L an dg ra f – Claro. A gente não trabalha só para empresas e o governo estadual. Nosso maior cliente é a Petrobras. E também trabalhamos para órgãos federais.

DC – Vocês acabaram de inaugurar laboratórios novos. Isso sinaliza prioridades? Lan dgraf – Na medida em que nós trabalhamos muito com o mercado, quem estabelece a nossa prioridade é o mercado. Vou mencionar nossos grandes projetos de pesquisa – alguns, em negociação, são sigilosos. Um deles é a purificação do silício, para melhor aproveitamento da energia solar. É para a Minasligas, um projeto de R$ 10 milhões, um dos maiores que temos hoje. Outro é o de desenvolvimento de equipamentos para reciclagem de resíduos da construção civil,

às vezes, é a empresa descobrir o que ela quer e em que o IPT pode ajudar. Nos últimos DC – Todo serviço prestado ao três anos, o IPT realizou 622 Estado é remunerado por ele? atendimentos do Prumo e 109 L a n dg r a f – Sim. Por exem- do Progex. O instituto acabou plo, existe um Programa de de assinar contrato com a SeAtendimento aos Municípios. cretaria de Desenvolvimento O governo aloca recursos pa- Econômico, Ciência e Tecnolora a Secretaria do Desenvolvi- gia do Estado de São Paulo, mento e ela transfere esses dentro do orçamento do Prorecursos ao IPT, para fazer os grama de apoio às Micro, Pemapas geotécnicos e identifi- quenas e Médias Empresas do car áreas com risco de desa- governo estadual, para realizar bamentos em caso de chuva 184 atendimentos do Prumo e muito forte. 30 de adequação de produtos para DC – Qual o pero mercado interfil das aproximano e/ou externo, A gente não damente 4 mil emalém de dez trabalha só presas que o IPT atendimentos repara empresas atende por ano? ferentes à produLandgraf – É ção mais limpa, e o governo supervariado. estadual. Nosso n o s p r ó x i m o s Eu diria que 80% seis meses. maior cliente delas são pequeé a Petrobras. nas e médias, DC –Neste moque vêm ao IPT mento, o IPT parmedir coisas, como análises ticipa de quantos projetos? químicas e calibração de me- São de longo prazo? didores. Landgraf – São cerca de 170 projetos ativos, com prazos DC – Há projetos específicos variando de seis meses até para a pequena empresa? O cinco anos. Há projetos e serProgex, programa de aprimo- viços específicos. O IPT presta ramentos tecnológicos visan- serviços desde R$ 1 mil até R$ d o à ex p o r t a ç ã o , c o n t i n u a 80 milhões. existindo? Landgraf – Continua. E contiDC – Nesse contexto, a penua existindo o Prumo, com as quena empresa consegue ter unidades móveis, vans que le- acesso? vam laboratórios às empresas Landgraf – Exatamente, com e as ajudam a evoluir na dire- os serviços de menor tamanho. ção da qualidade. São proje- E o IPT presta alguns serviços tos com apoio do governo de que são compulsórios, análiSão Paulo. São dois progra- ses que só são feitas aqui, ou mas que precisam de um aper- então, por exigência da Procufeiçoamento de formato. A radoria Geral do Estado. Mas gente constatou diminuição não é uma fração grande do na demanda por esses servi- nosso trabalho. Agora, o dono ços. E para nós foi surpreen- de uma empresa que tenha dente, porque a fração do cus- uma ideia inovadora pode obto coberto pelo governo é sig- ter recursos da Fapesp para nificativa. Então, por que será viabilizar essa ideia. São recurque as pequenas empresas sos da ordem de R$ 1 milhão. E não estão interessadas em in- muitas vezes é em parceria vestir R$ 500 ou R$ 1 mil na so- com uma instituição de pesquilução de problemas? sas como o IPT. Então, ele pode, junto com o IPT, testar a DC – Qual seria o motivo, na ideia aqui, com o apoio da Fasua opinião? pesp. Não é um financiamento, Landgraf – Estamos na fase é 100% subsidiado. Mas precide diagnosticar. O mais difícil, sa ser inovação.


sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

17 Segundo estudo da GS&MD – Gouvêa de Souza, há 29 milhões de cães no Brasil.

conomia

O professor Pardal do mercado pet Empreendedor do interior de São Paulo abre o próprio negócio com equipamento destinado a salvar o melhor amigo do homem do afogamento Frâncio de Holanda/Folhapress

José Maria dos Santos

S

e os cachorros pudessem votar, Eduardo de Souza Teixeira, 44 anos, teria assento em qualquer parlamento deste planeta. Ele é veterinário e essa condição já seria suficiente para ganhar a simpatia dos caninos. Porém, Teixeira, que mora em Descalvado, a 242 km da Capital paulista, na região de Araraquara, foi mais longe. Ali é conhecido como uma espécie de Professor Pardal, criador de inventos para melhorar a vida desses seres que se caracterizam por revelar o estado de espírito através do rabo, metendo-o entre as pernas, se estão tristes, ou abanando alegremente quando felizes. Um deles é a plataforma de salvamento, sem dúvida o mais necessário e engenhoso. Consiste em um equipamento instalado nas piscinas para permitir a saída de cães que venham a cair na água. Em princípio, pode parecer algo fútil com a finalidade de tirar proveito da acentuada preocupação que os proprietários costumam dedicar aos seus animais. Por outro lado, há quem, por desconhecimento, despreze o equipamento, apoiado na ideia formada de que os bichos sabem se virar sem dificuldade. De fato, nadando instintivamente, escapam de uma lagoa ou rio em busca de uma pedra ou de onde der pé, ou melhor, pata. Numa piscina essas duas possibilidades não existem. Para piorar, os cães, ao contrário dos humanos não conseguem apoiar seus membros nas bordas e dar o impulso salvador devido às suas limitações anatômicas. Evidentemente, também não teriam habilidade para utilizar as escadas de alumínio que guarnecem as piscinas. E nesse tópico, Eduardo tem uma observação a fazer: no caso de acidente, o entorno da piscina fica marcado pelo sangue do animal, proveniente das unhas feridas, na sua tentativa desesperada de sair. Embora não haja estatísticas, esses acidentes caninos são comuns e tendem a crescer, uma vez que hoje o País

Setor deve movimentar R$ 12,7 bi

O

mercado de produtos e alimentos de animal de estimação deverá movimentar neste ano no Brasil R$ 12,7 bilhões, segundo estudo da GS&MD – Gouvêa de Souza concluído neste mês. Trata-se de um mercado que vem exibindo crescimento de mais de 10% ao ano. Em 2010, o faturamento total foi de R$ 10,1 bilhões e em 2011, de R$ 11,3 bilhões. Ainda conforme o estudo, existem hoje no País 50 milhões de animais de estimação, o que equivale a dizer que um em cada quatro brasileiros tem a companhia de um cãozinho, um gatinho ou até um coelhinho. Os cães são 29 milhões deste total. Mas o estudo realizado nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste do País revela que o ambiente da internet é uma novidade no setor. Do total de lojas (pet shops) consultadas, 74% disseram que não têm website e 87% afirmaram que não vendem produtos ou ração pela internet. (DC)

Plataforma de salvamento da Save Dog ajuda os cães a saírem das piscinas. No destaque da foto ao lado, o inventor Teixeira. soma mais de 1,8 milhão de piscinas residenciais. O número indica que Eduardo está no caminho certo e que valeu a pena fazer MBA em marketing na Fundação Getúlio Vargas (FGV) para empinar o diploma de veterinário. Os desastres colhem cachorros grandes e pequenos, provocados por um único motivo: distração. No primeiro caso, quando os grandões estão brincando entre si e se desafiando com corridas e simulação de lutas. No segundo, como convém aos cãezinhos fofos, há até um toque de graça no contexto do drama. "Estão seguindo uma borboleta, uma libélula e até passarinhos que dão voo rasante para be-

ber água, e caem na piscina", acabam charmosamente com explica o inventor. tudo, pois é até divertido vêA eficiência da plataforma los destruindo roupas e pés de será maior se o cão for treina- móveis, a menos que você sedo para proja o dono da curá-la em casa. A cama um ponto fixo deles não foda piscina. ge desse desEstão seguindo O segundo tino, com o uma borboleta, ou produto do agravante de seu catálogo haver efeitos um passarinho que é a cama cacolaterais codá voo rasante nina à prova m o , p o r para beber água, e de qualquer exemplo, flocaem na piscina. fúria roedora cos de espuque acomete m a e n g o l iEDUARDO DE SOUZA TEIXEIRA, cachorros d o s , p r o v eDA EMPRESA SAVE DOG nos seus vernientes de redes anos e, cheios, cujo em muitos casos, na vida adul- desfecho é a cirurgia obrigatóta. Quem já teve um, sabe do ria em função das obstruções que estamos falando. Eles gastrointestinais. "Já tive pela

frente uns 40 casos", argumenta Eduardo para defender seu invento. Esta cama, medindo 90cm X 50cm, com três de altura, elaborado em plástico maciço, resiste, por trás da aparência frugal, a qualquer ataque. Tem, portanto, sua melhor virtude na economia que proporciona. Não por acaso, são prioritárias para canis, entre eles os das polícias militares, Exército e Marinha. E antes que alguém venha a fazer piadas sobre cães que enfrentem ladrões de barcos, Eduardo explica que o corpo de fuzileiros navais cumpre missões em terra com apoio de cachorros. Por uma questão de sigilo comercial, o veterinário não esclarece qual é o

pulo do gato, melhor dizendo, do cão – desculpem, mas, outra vez, o trocadilho é inevitável –, embora reconheça que, mais dias ou menos dias, seu invento será copiado. Informa apenas que se baseia em minúcias da fisiologia canina. Essas duas descobertas – a plataforma e a cama – garantem a sobrevivência confortável da Save Dog, sua empresa. Aliás, ele faz todas as suas vendas pela internet. Não se cansa de agradecer à tecnologia da informática, que lhe permite viver na tranquilidade do interior, com o alcance imediato de clientes que, em outros tempos, eram privilégio dos empreendedores que moravam nas grandes cidades. No momento, ele está empenhado em finalizar um comedor à prova de formigas que atenderá cães e gatos. Já está concluindo os testes. Por falar em testes, os pastores alemães Rufus e a cadela Ceres foram suas cobaias. Trata-se de seus cães de estimação.


DIà RIO DO COMÉRCIO

18 -.ECONOMIA/LEGAIS

sĂĄbado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

e Recursos para investimento arriscado Com o tempo isso vai aumentar as opçþes dos fundos de pensão que terão que alongar seus prazos e correr algum risco, mas poderão ter bons retornos. Armínio Fraga, diretor da Gåvea Investimentos

conomia

O ex-presidente do BC, Armínio Fraga, acredita que haverå mais aplicaçþes em fundos de pensão direcionados à infraestrutura do Brasil com juros menores.

A

redução nas taxas de juros para patamares menores e a consequente necessidade de grandes investidores, como fundos de pensão, em tomar mais risco para ganhar vão canalizar investimentos para setores-chave para o desenvolvimento do País, avalia o ex-presidente do Banco Central (BC) e sócio da Gåvea Investimentos, Armínio Fraga. "Nossa taxa caminha para ser mais normal, o que vai canalizar recursos para investimentos mais arriscados, mas que, de certa forma, casam com as necessidades do País, como em infraestrutura e educação. Isso Ê muito bom", afirmou Fraga em seminårio promovido pela Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência (Abrapp) na semana passada. O atual cenårio, apontou ele, deve aumentar o espaço para o mercado de títulos corporativos de longo prazo, que começam a ocupar um papel antes preenchido apenas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Com o tempo isso vai aumentar o leque de op-

Newton Santos/Hype

çþes dos fundos de pensão que terão que alongar seus prazos e correr algum risco, mas poderão ter bons retornos. Não hå por que ter medo", disse Fraga. Indagado pela plateia de gestores de fundos de pensão sobre qual seria hoje a melhor opção para a alocação de in-

Para investidores de longo prazo, sou fĂŁ da estratĂŠgia baseada em valor. ARMĂ?NIO FRAGA, GĂ VEA INVESTIMENTOS

vestimentos dessas instituiçþes, o ex-presidente do BC destacou que a chamada EstratÊgia Baseada em Valor – de escolher açþes negociadas a um valor menor que o intrínseco da empresa, definido a partir dessa anålise fundamentalista – tem apresentado os melhores retornos, especialmente em se tratando de

bolsa de valores. Isso significa que gestores que vêm fugindo de ativos óbvios, como açþes de estatais, têm obtido desempenhos superiores. "Para investidores de longo prazo (caso dos fundos) sou fã da estratÊgia baseada em valor", disse. Convidado a debater o potencial investimento de recursos dos fundos de pensão no exterior em busca de maior rentabilidade, ele reforçou a importância do hedge cambial nesses casos e se disse avesso a "grandes aventuras". "Não Ê hora de fazer isso. Jå Ê suficiente agregar o grau de complexidade internacional. Fugiria dos produtos mais complicados", aconselhou. O economista destacou que o sentido de investir internacionalmente Ê procurar melhorar o perfil de risco e retorno de uma carteira. No caso de fundos de pensão isso passa por promover o aumento do patrimônio do fundo em termos reais. Assim, a aposta no exterior deve se basear na possibilidade de evitar riscos domÊsticos como a inflação e o risco de um menor crescimento econômico via diversificação. (AE)

Bancos terĂŁo de explicar tarifas

C

om mais oferta de crÊdito no País, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do MinistÊrio da Justiça, quer monitorar os custos efetivos das operaçþes financeiras e vai começar colocando uma lente de aumento sobre as tarifas dos bancos. "Queremos verificar quanto,

2ÂŞ Vara CĂ­vel do Foro Distrital de Paulinia Comarca de Campinas / SP Edital de 1ÂŞ e 2ÂŞ Praça de Bens ImĂłveis e para intimação da Executada Companhia ComĂŠrcio e Construçþes (CNPJ NÂş 33.586.082/0001-57), na pessoa de seu representante legal e demais interessados, extraĂ­da dos autos da Ação de Carta PrecatĂłria Oriunda da 3ÂŞ Vara Judicial da Comarca de Cruzeiro/SP, Proc. 428.01.2012.001778-3, Ordem NÂş 427/2012, requerido por Paulo Roberto de Oliveira.O Dr. Ricardo Augusto Ramos Junior, Juiz de Direito Substituto da 2ÂŞ Vara CĂ­vel do Foro Distrital de Paulinia Comarca de Campinas / SP, na forma da lei, etc.FAZ SABER que, com fulcro no artigo 689-A do CPC e regulamentado pelo Prov. CSM 1625/2009 do TJ/SP, atravĂŠs da ZUKERMAN LEILĂ•ES (www.zukerman.com.br) portal de leilĂľes on-line, levarĂĄ a pĂşblico pregĂŁo de venda e arrematação na 1ÂŞ Praça com inĂ­cio no primeiro dia subsequente ao da publicação do edital, as 09:00 horas, e com termino no dia 23 de novembro de 2012 as 09:00 horas, entregando-o a quem mais der valor igual ou superior ao da avaliação, ficando desde jĂĄ designado para a 2ÂŞ Praça com inĂ­cio no dia 23 de novembro de 2012 as 09:01 horas, e com termino no dia 13 de dezembro de 2012 as 09:00, caso nĂŁo haja licitantes na 1ÂŞ, ocasiĂŁo em que os bens serĂŁo entregues a quem mais der, nĂŁo sendo aceito lance inferior a 50% do valor de avaliação (Art. 692 do CPC e art. 13 do Prov. CSM n. 1625/2009) o imĂłvel abaixo descrito, conforme condiçþes de venda constantes do presente edital.IMĂ“VEL: MĂłdulo nÂş 96 situada na gleba nÂş 5 da ĂĄrea denominada Cascata, localizado no Municipio de Paulinia, nesta Comarca de Campinas-SP, e 4ÂŞ Circunscrição ImobiliĂĄria, com a seguinte descrição; mede 58,00 metros de frente para a PLN 140; 62,41 metros no fundo, confrontando com o mĂłdulo nÂş 91; lado direito mede 160,00 metros, confrontando com o mĂłdulo nÂş 97; do lado esquerdo mede 136,95 metros, confrontando com o mĂłdulo nÂş 95, encerrando a ĂĄrea de 8.611,60m². Encontra-se registrado sob o nÂş MatrĂ­cula 13.012 junto ao 4Âş CRI de Campinas/SP. OBS: Segundo consta do laudo de avaliação, Ă s fls. 38 dos autos, existe um galpĂŁo nos fundos com aproximadamente, 690m², que necessita de reparos, e na sua parte frontal possui uma construção que aparentemente serve de escritĂłrio com aproximadamente 150m². Na entrada contempla uma guarita e um portĂŁo.AVALIAĂ‡ĂƒO R$ 659.906,91 (Abril/2012), que serĂĄ atualizada atĂŠ a data da praça.Ă”NUS: Consta da referida matrĂ­cula, conforme Av.1 (25/10/2007), PENHORA nos autos da ação de procedimento ordinĂĄrio (processo nÂş 583.00.2006.169662-4) perante a 3ÂŞ Vara CĂ­vel Central de SĂŁo Paulo, em favor de Habib Azir Nader; conforme Av.2 (26/05/2011), PENHORA nos autos da ação trabalhista (processo nÂş 114006820085150040) perante a Vara do Trabalho de Cruzeiro/SP, em favor de Sergio Zeferino da Silva; conforme Av.4 (30/11/2011), a PENHORA EXEQUENDA.CONDIÇÕES DE VENDA: DisponĂ­veis no site www.zukerman.com.brLEILOEIRO: O leilĂŁo serĂĄ realizado pelos leiloeiros, Fabio Zukerman, JUCESP nÂş 719, Dora Plat, JUCESP nÂş 744 e Jhonni Balbino da Silva, JUCESP nÂş 795, acompanhados pelo gestor e leiloeiro Mauro Zukerman, JUCESP nÂş 328.PAGAMENTO e RECIBO DE ARREMATAĂ‡ĂƒO - Os preços dos bens arrematados, deverĂŁo ser depositados atravĂŠs de guia de depĂłsito judicial do Banco do Brasil S.A. (obtida em suas agĂŞncias) ou atravĂŠs do site www.bb.com.br no prazo de 24 horas da realização do leilĂŁo, bem como deverĂĄ ser depositada a comissĂŁo do Leiloeiro atravĂŠs de pagamento em dinheiro na rede bancĂĄria, DOC ou TED – TransferĂŞncia EletrĂ´nica DisponĂ­vel, no prazo de atĂŠ 01 (um) dia Ăştil a contar do encerramento do leilĂŁo na conta do Leiloeiro Oficial: Mauro Zukerman – CPF 837.311.058-53, Banco ItaĂş, AgĂŞncia 3756, C/C 27618-8. Em atĂŠ 5 horas apĂłs o encerramento do LeilĂŁo, cada arrematante receberĂĄ um email com instruçþes para depĂłsito – recomendamos esperar o recebimento deste email antes de efetuar o depĂłsito. Decorridos o prazo sem que arrematante tenha realizado o depĂłsito, tal informação serĂĄ encaminhada ao MM. JuĂ­zo competente para a aplicação das medidas legais cabĂ­vei s. A comissĂŁo devida ao gestor serĂĄ de 5% sobre o valor da arrematação, nĂŁo se incluindo no valor do lanço. A arrematação serĂĄ feita mediante pagamento imediato do preço pelo arrematante conforme condiçþes de pagamento acima indicadas. Alternativamente, serĂĄ ainda admitido pagamento no prazo de 15 dias, mediante caução de 30% do valor de arrematação (art. 690 do CPC).REMIĂ‡ĂƒO DA EXECUĂ‡ĂƒO: Se a(o)(s) executada(o)(s), apĂłs a publicação do edital em epĂ­grafe, pagar a dĂ­vida antes de adjudicado(s) ou alienado(s) o(s) bem(ns), na forma do artigo 651, do CĂłdigo de Processo Civil, deverĂĄ apresentar atĂŠ a data e hora designadas para o leilĂŁo, a guia comprobatĂłria do referido pagamento acompanhada de petição fazendo menção expressa quanto Ă  remição da execução, sendo vedado para tal finalidade o uso do protocolo integrado. Neste caso, deverĂĄ a(o) executada(o) pagar a importância atualizada da dĂ­vida, mais juros, custas, honorĂĄrios advocatĂ­cios e a comissĂŁo devida ao Leiloeiro Oficial de 5% (cinco por cento) sobre o valor pago (dĂ­vida exeqĂźenda). ACORDO: Sendo firmado acordo entre as partes, deverĂĄ o(a) executado(a) arcar com as custas de publicação de edital assumidas pelo leiloeiro/exeqĂźente.DĂšVIDAS E ESCLARECIMENTOS: Pessoalmente perante a Vara onde estiver ocorrendo Ă  ação, ou no escritĂłrio dos leiloeiros oficiais, localizado na Avenida AngĂŠlica, nÂş 1.996, 6Âş andar, HigienĂłpolis, Capital – SP, ou ainda, pelo telefone (11)2184-0900 e email: contato@zukerman.com.br.Ficam os executados, INTIMADOS das designaçþes supra, caso nĂŁo sejam localizados para a intimação pessoal. NĂŁo consta dos autos haver recurso ou causa pendente de julgamento. "Eventuais Ă´nus sobre os imĂłveis, correrĂŁo por conta do arrematante", exceto eventuais dĂŠbitos de IPTU/ITR e demais taxas e impostos que serĂŁo sub-rogados no valor da arrematação nos termos do art. 130, “caputâ€? e parĂĄgrafo Ăşnico, do CTN, mediante apresentação de extrato pelo arrematante. SerĂĄ o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei. PaulĂ­nia, 12/09/2012. Eu, Escrevente, digitei. Eu, EscrivĂŁ (o), subscrevi. Ricardo Augusto Ramos Junior Juiz Substituto

de fato, se cobra na ponta ao consumidor", disse a secretåria Juliana da Silva, que discutirå hoje com representantes do Banco Central (BC) como se darå esse monitoramento. Esta não Ê a primeira batalha da Senacon em relação ao setor. A secretaria esteve, junto com o BC, por trås da unifi-

cação dos nomes das tarifas bancårias, mas o avanço Ê considerado insuficiente para que o consumidor compare os serviços oferecidos pelos diferentes bancos. Outra frente que a Senacon quer explorar Ê a dos juros embutidos nos produtos comprados em vårias parcelas. (AE)

'FKVCN RCTC %QPJGEKOGPVQ FG 6GTEGKTQU  2TQE P�   P� FG QTFGO  1 &T 0KNUQP 9KNHTGF +XCPJQo 2KPJGKTQ ,WK\ FG &KTGKVQ FC œ 8CTC %sXGN FC %CRKVCN PC HQTOC FC .GK GVE (C\ 5CDGT C VQFQU SWCPVQU Q RTGUGPVG GFKVCN XKTGO QW FGNG EQPJGEKOGPVQ VKXGTGO G KPVGTGUUCT RQUUC SWG RQT RCTVG FG (NCXKC 4KDGKTQ FG %CUVTQ 4) 55252 G %2(  HQK CLWK\CFQ 2TQVGUVQ EQPVTC #NKGPCnlQ FG $GPU FG OQFQ C RTQVGIGT QU KPVGTGUUGU FG UGWU HKNJQU (GNKRG 4KDGKTQ FG %CUVTQ 2CKXC 4)  G %2(  6JQOCU 4KDGKTQ FG %CUVTQ 2CKXC 4)  G %2(  G &CPKGN 4KDGKTQ FG %CUVTQ 2CKXC 4)  EQPUVCPFQ FC KPKEKCN SWG C CWVQTC G ,QlQ 2CKXC 0GVQ SWG UG GPEQPVTCO FKXQTEKCFQU EQPVTCsTCO OCVTKOQPKQ GO  UGPFQ QU RCKU FG (GNKRG  CPQU 6JQOCU  CPQU G &CPKGN  CPQU  3WCPFQ FC JQOQNQICnlQ FQ FKXxTEKQ QU 5TU (NCXKC G ,QlQ EGNGDTCTCO 2CTVKNJC FG DGPU QDLGVQ FG RGFKFQ FG CPWNCnlQ RTQEGFGPFQ PQ OGUOQ FKC i FQCnlQ C HCXQT FQU HKNJQU EQOWPU RQT GZKIqPEKC FG 5T ,QlQ EQO TGUGTXC FG WUWHTWVQ C HCXQT FQ XCTlQ Q KOxXGN TWTCN UKVWCFQ GO +VCECTo$# EQPJGEKFQ RQT (C\GPFC 6KLWsRG EQPUVKVWsFQ RQT  FQ KOxXGN FGPQOKPCFQ $CTTC FQ 6KLWsRG GZ2CVK\GKTQ  5sVKQ $QEC FQ 4KQ G 5sVKQ FC 5JKXC OCVTsEWNCU   G  FQ 4GIKUVTQ FG +OxXGKU FG +VCECTo$# VQFQU EQPVsIWQU UGPFQ SWG HQK GTKIKFC UQDTG QU KOxXGKU EKPGOCVQIThHKEC NWZWQUC TGUKFqPEKC 1EQTTG SWG Q 5T ,QlQ XKUCPFQ C VGPVCT HTWUVTCT C FKUEWUUlQ UQDTG C CPWNCnlQ FC RCTVKNJC EGNGDTCFC SWCPFQ FG UGW FKXxTEKQ EQO C 5TC (NCXKC RTQEGFGW i TGP}PEKC FQ WUWHTWVQ CVTKDWKPFQ C RNGPC RTQRTKGFCFG CQU HKNJQU 'ODQTC C CnlQ #PWNCVxTKC FG 2CTVKNJC VGPJC UKFQ FKUVTKDWsFC GO  C TGP}PEKC CQ WUWHTWVQ UG FGW CRxU C TGURGEVKXC PQVKHKECnlQ GZVTCLWFKEKCN FQ 5T ,QlQ QPFG EQPUVCXC SWG GNG HQTC EQPVGORNCFQ EQO DGPU C SWG PlQ HC\KC LWU 1 KPVWKVQ FQ 5T ,QlQ RCTC C TGP}PEKC o Q FG DWUECT EQNQECT UGWU HKNJQU EQPVTC C OlG EQPXGPEGPFQQU SWG GNC SWGT FGNGU VKTCT C (C\GPFC 6KLWsRG 0C XGTFCFG Q 5T ,QlQ FGUGLC Q DGO RCTC UK RTxRTKQ VCPVQ SWG QDVGXG FG UGWU HKNJQU (GNKRG G 6JQOCU OCKQTGU FG KFCFG RTQEWTCnlQ RCTC CIKT GO PQOG FGNGU EQO RQFGTGU RCTC IGTKT CFOKPKUVTCT FCT GO EQOQFCVQ TGCNK\CT QDTCU PGEGUUhTKCU i EQPUGTXCnlQ G UGIWTCPnC FQU KOxXGKU FQU 1WVQTICPVGU RCICT KORQUVQU  RQFGPFQ FKVQ RTQEWTCFQT KPITGUUCT NKXTGOGPVG PQ KOxXGN Ux QW CEQORCPJCFQ CNK RGTOCPGEGPFQ RGNQ VGORQ SWG HQT PGEGUUhTKQ CQ HKGN FGUGORGPJQ FQU HKPU RTGUGPVG OCPFCVQ TGRTGUGPVCT QU 1WVQTICPVGU RGTCPVG TGRCTVKn|GU R}DNKECU (GFGTCKU  CNGICPFQ G CUUKPCPFQ VWFQ Q SWG RTGEKUQ HQT G SWG UG HCnC PGEGUUhTKQ CQ DQO G HKGN EWORTKOGPVQ FQ RTGUGPVG KPUVTWOGPVQ G SWG EQO EGTVG\C Ux GURGTC Q HKNJQ &CPKGN EQORNGVG  CPQU GO CIQUVQ FG   RCTC VCODoO VQTPCT UGW RTQEWTCFQT 5GPFQ C TGP}PEKC NGXCFC C GHGKVQ RQT 5T ,QlQ C HCXQT FQU HKNJQU OGTC GUVTCVoIKC RCTC VGPVCT DWTNCT Q FKTGKVQ C GZGURQUC GO CPWNCT C RCTVKNJC EGNGDTCFC UGT KPFGPK\CFC KPENWUKXG EQO Q TGVQTPQ i TGURGEVKXC VKVWNCTKFCFG FG DGPU SWG CQ GPVlQ OCTKFQ EQWDG RCTC RTGXGPKT TGURQPUCDKNKFCFGU C EQPUGTXCnlQ G TGUUCNXC FG UGWU FKTGKVQU G RCTC SWG UGWU HKNJQU PlQ UGLCO RTGLWFKECFQU DGO EQOQ RCTC GXKVCT SWG VGTEGKTQU FG DQCHo CFSWKTCO C (C\GPFC 6KLWsRG CLWK\QW C CWVQTC Q RTGUGPVG 2TQVGUVQ UGPFQ FGVGTOKPCFC C RWDNKECnlQ FQ RTGUGPVG GFKVCN RCTC EQPJGEKOGPVQ FG VGTEGKTQU QU SWCKU PlQ RQFGTlQ PQ HWVWTQ CNGICT KIPQTjPEKC ' RCTC SWG EJGIWG CQ EQPJGEKOGPVQ FG VQFQU UGTh Q RTGUGPVG GFKVCN RQT GZVTCVQ CHKZCFQ G RWDNKECFQ PC HQTOC FC NGK


sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

ECONOMIA/LEGAIS - 19

e França protesta contra pacto europeu O governo francês manteve a meta de 0,8% de crescimento econômico em 2013.

conomia

O plano determina que cada país da zona do euro se comprometa a limitar o déficit estrutural a 0,5% do produto interno bruto.

D

Christian Hartmann /Reuters

ezenas de milhares de franceses saíram às ruas de Paris ontem para protestar contra o pacto fiscal da União Europeia, que obriga os governos do bloco a respeitarem estritos limites de déficit. O protesto foi convocado por organizações ligadas à esquerda francesa. Em meio a gritos de "resistência", 80 mil manifestantes marcharam pelo centro de Paris. "Hoje (ontem) é um dia no qual o povo francês lança um movimento contra as políticas de austeridade", disse o líder da Frente de Esquerda, JeanLuc Mélenchon. Um dos candidatos derrotados nas eleições presidenciais deste ano na França, Mélenchon negou que o protesto tenha como alvo o governo do presidente François Hollande. "Esta é uma manifestação da esquerda sob um governo de esquerda", afirmou. Amanhã, o primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault deverá iniciar o debate sobre o pacto fiscal na Assembleia francesa. O pacto exige que cada país se comprometa a limitar o déficit estrutural a 0,5% do produto

Economia da Grécia deve recuar 3,8% Rejeição às políticas de austeridade levou cerca de 80 mil pessoas às ruas de Paris para protestarem.

interno bruto. Carga tributária – As famílias e empresas francesas podem esperar impostos mais baixos em dois anos, mas escolhas difíceis para corrigir um sistema de bem-estar endividado ainda são necessárias, disse o mi-

nistro do Orçamento da França, Jerome Cahuzac. O governo socialista apresentou um difícil orçamento para 2013 na sexta-feira, que impõe taxas superiores a empresas e um imposto de 75% sobre os super-ricos, mas não

reduz os gastos públicos, para o desespero de empresários e a maioria dos economistas. Cahuzac, o homem forte por trás de um orçamento que procura recuperar uma receita extra de 30 bilhões de euros para o Estado, disse que os im-

QLL LOGÍSTICA E ARMAZENAGEM LTDA.

CNPJ nº 12.610.534/0001-19 - NIRE 35.224.745.351 REGULAMENTO INTERNO O presente regulamento interno, deverá ser aplicado, à QLL Logística e Armazenagem Ltda. Avenida Sargento da Aeronáutica Jaime Regalo Pereira, 58, Jardim Cumbica, Guarulhos, São Paulo/SP, CEP 07182-000, CNPJ 12.610.534/0001-19, NIRE 35.224.745.351, cujo galpão destina-se à armazenagem e logística de cargas líquidas e secas em geral, produtos para a saúde e correlatos, cosméticos e outros similares de acordo com o Decreto Federal nº 102 de 21/11/1903. 1. Das nalidades da empresa: 1.1. Das mercadorias: a) A empresa receberá em seu depósito mercadorias nacionais e ou nacionalizadas guardando-as e conservando-as; b) A empresa poderá receber em depósito, qualquer mercadoria, contanto que suas instalações estejam em condições de receber, armazenar e conservar; c) A juízo da administração da empresa, o depósito poderá ser recusado se o recebimento de qualquer forma vier a prejudicar as mercadorias armazenadas e não existirem condições, para que o armazenamento se realize; d) Toda a mercadoria deverá ser armazenada em condições normais de conservação. 1.2. Operações e Serviços: 1.2.1. Procedimento: a) No recebimento da mercadoria, a empresa fará contar ou pesar a mercadoria, registrando em documento especíco a sua quantidade e peso e serviços a serem efetuados para seu perfeito armazenamento; b) A empresa registrará todas as entradas e saídas de mercadorias em livros próprios; c) A empresa emitirá recibo de depósito, especicando os dados do depositante e da mercadoria depositada, com a quantidade, peso, especicação e classicação. Poderá o depositante, mediante a devolução do recibo retirar a sua mercadoria na totalidade ou em lotes recebendo novo recibo da mercadoria que car armazenada; d) O cliente deverá emitir nota scal conforme as normas vigentes no país, constando como natureza da operação (simples remessa para depósito); e) As saídas de mercadorias só serão efetuadas, quando for reconhecido o pedido de liberação, por QLL Logística e Armazenagem Ltda., devendo esta emitir nota scal de (retorno de mercadoria), ou com carimbo, constando informações pertinentes, no verso da nota scal; f) Quando solicitado pelo depositante a empresa emitirá dois títulos únicos, mas separáveis à vontade, denominamos o conhecimento de depósito e warrants, tendo que constar nos dois as designações, para sua validade e identicações nos termos da legislação vigente, devendo, ambos, serem assinados por um dos depositários éis do armazém e por sócio da empresa depositária, podendo este último ser representado por procurador; g) Até 15 dias do trimestre vencido, a empresa deverá remeter um balanço em resumo, das mercadorias que tiverem entrado e saído e das que existirem, bem como a demonstração do movimento dos títulos que emitirem a importância dos valores que com os mesmos títulos forem negociados, as quantias consignadas, conforme Art. 22 do Decreto Federal 1.102/1903; h) Até o dia 15 de março a empresa deverá apresentar o balanço detalhado de todas as operações e serviços realizados, durante o ano anterior. 1.2.2. Prazo: a) O prazo de depósito será de até seis (6) meses a contar da data da entrada da mercadoria no armazém podendo ser prorrogado livremente por acordo entre as partes; b) Vencido o prazo de depósito, a mercadoria reputar-se-á abandonada, e o armazém geral dará aviso ao depositante marcando-lhe o prazo de oito (8) dias improrrogáveis para a retirada da mercadoria contra a entrega do recibo ou dos títulos emitidos; c) Findo este prazo, que correrá do dia em que o aviso for registrado no correio, o armazém geral mandará vender a mercadoria por corretor ou leiloeiro. 1.2.3. Seguro: a) A empresa fará em seu nome, seguro das mercadorias depositadas, e em caso de sinistro esta será indenizada, pelo valor declarado na apólice, tendo que ressarcir o depositante conforme preço de mercado na data de sinistro. 1.2.4. Restrições Legais: a) Não pode o Armazém Geral estabelecer preferência entre os depositantes a respeito de qualquer serviço, recusar o depósito, exceto se a mercadoria que se desejar armazenar não for tolerada no item 1.1; se não houver espaço para sua acomodação; se em virtude das condições em que se acha, puder danicar as já depositadas; abater o preço marcado na tarifa em benefício de qualquer depositante; exceder o comércio de mercadorias idênticas as que se propõem receber em depósito; emprestar ou fazer, por conta própria ou alheia, qualquer negociação sobre os títulos que emitirem. 1.2.5. Horário de funcionamento: a) As mercadorias deverão ser manuseadas em dias úteis, tendo em vista que o manuseio de mercadorias fora deste horário implicará em acréscimo entre 20% e 30% dos valores expressos na tabela, acréscimo este que será de comum acordo entre as partes. 1.3. Responsabilidade: a) A empresa é responsável pela mercadoria depositada, obrigando-se ao ressarcimento indenizatório caso ocorra dano, inerente à má conservação, manipulação e sinistro ocorrido durante a vigência do contrato de armazenagem; b) Responde pela culpa fraude ou dolo de seus empregados e propostos e pelos frutos acontecidos aos gêneros e mercadoria dentro dos armazéns; c) O armazém geral não é obrigado a restituir a própria mercadoria recebida, mas pode entregar mercadoria da mesma qualidade; d) O direito de indenização prescreve em três (3) meses, contados do dia em que a mercadoria foi ou devia ser entregue. 1.4. Inadimplência: a) As empresas de Armazéns Gerais têm o direito de retenção para garantia do pagamento das armazenagens e despesas com a conservação e com as operações, benefícios e serviços prestados às mercadorias, a pedido do dono, dos adiantamentos feitos com fretes e seguros e das comissões e juros, quando as mercadorias lhes tenham sido remetidas em consignação; b) Também têm direito de indenização pelos prejuízos que lhes venham por culpa ou dolo do depositante; c) Inadimplemento de pagamento de armazenagem acarretará o vencimento do prazo de depósito e se adotará o procedimento previsto em casos no item 1.2.2. (letra b e c). 2. Disposições Gerais: 2.1. Os seguros e emissões, circulação e extinção dos títulos emitidos pela empresa serão regidos pelas disposições do Decreto Federal 1.102 de 21/11/1903. 2.2. O pessoal auxiliar e suas obrigações, bem como o horário de funcionamento dos armazéns e também os casos omissos serão observados pelo uso, conforme praxe comercial. 2.3. As alterações ao regimento interno e à tarifa entrarão em vigor 30 (trinta) dias depois da publicação, por edital, da Junta Comercial, e não se aplicarão aos depósitos realizados até a véspera do dia em que elas entrarem em vigor, salvo se trouxerem vantagens ou benefícios aos depositantes § 3º do Art. 1º do Decreto Federal 1.102/1903. 2.4. Os casos omissos e no que couber, serão aplicadas as disposições do Decreto 1.102 de 21/11/1903. 2.5. Assim, para todos os efeitos, vai o presente regulamento devidamente assinado pelos sócios da empresa em três vias de igual teor. Tarifas Remuneratórias 1 - Armazenagens: 1.1. Mercadorias diversas em caixas ou sacos em páletes de 600 kg a 1.000 kg. Por período de 15 dias ou fração = R$ 30,00 por pálete o fração. 1.2. Mercadorias diversas leves em caixas ou sacos formando páletes com até 599 kg. Por período de 15 dias ou fração = R$ 20,00 por m³. 1.2. Bobinas de papel ou páletes remontáveis. Por período de 15 dias ou fração = R$ 20,00 por tonelada. 2 - Serviços Acessórios: 2.1. R$ 110,00 por m² - mensal; 2.2. R$ 55,00 por m² - quinzenal; 2.3. Movimentações: R$ 20,00 por pálete por movimentação; 2.4. Movimentações: R$ 20,00 por m³ movimentado; 2.5. Movimentações de caixas ou sacos de R$ 1,00 a R$ 5,00 conforme peso e quantidade de caixas ou sacos; 2.6. Advalorem por quinzena 0,5% sobre o valor da mercadoria; 2.7. Gris de 1 % a 2%; 2.8. Emissões de Warrants e recibos de depósito: preço = R$ 100,00 por emissão; 2.9. Taxa de administração quando serviços forem pagos pela fatura do sindicato: 20%; 2.10. Impressões de DANFE e outros documentos: R$ 1,00 por folha; 2.11. Picking de mercadorias: R$ 1,50 por volume; 2.12. Serviços extraordinários executados fora do horário normal de funcionamento têm os seguintes acréscimos sobre as taxas normais: a) De 2ª a sexta-feira = 50%; b) Sábados = 70%; c) Domingos e feriados = 100%. Guarulhos, 19 de setembro de 2012. Kátia Cilene Brito de Souza - Fiel Depositário. JUCESP nº 422.348/12-0 em 27/09/12. Gisela Simiema Ceschin - Secretária-Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00398/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS MÉDICO HOSPITALARES PARA ATENDER O PROJETO DE PERÍCIAS MÉDICAS DA SEE A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS MÉDICO HOSPITALARES PARA ATENDER O PROJETO DE PERÍCIAS MÉDICAS DA SEE As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 01/10/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 15/10/2012, às 09:30 horas e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer rigorosamente ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 01/10/ 2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. Álvaro Rogério Veiga Garcia Respondendo pela Presidência Portaria FDE nº 122/2012 ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA Seleção de Fornecedores - Modalidade Coleta de Preços nº 035/2012 - Processo ASF nº 098/2012 A ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA - ASF comunica às empresas interessadas que se acha aberta a Seleção de Fornecedores modalidade coleta de preços nº 035/2012, Processo ASF nº 098/012 QUE TEM POR OBJETO A AQUISIÇÃO DE NASOFIBROLARINGOSCÓPIO COM CÂMERA, FOCO DE LUZ E TELEVISÃO - CRITÉRIO MENOR PREÇO UNITÁRIO. O edital na íntegra poderá ser consultado no sítio ASF: www.saudedafamilia.org e/ou retirado na sede da Associação, sita à Praça Mal Cordeiro de Farias, 65 (11) 3154-7050. Informações no endereço eletrônico: nmarussi@saudedafamilia.org Data da Sessão Pública : 16/10/2012, às 09h30 - Local da Sessão: Associação Saúde da Família, Praça Marechal Cordeiro de Faria, 65 - Higienópolis - São Paulo.

Braxis Tecnologia da Informação S.A. - CNPJ/MF n° 07.837.195/0001-78 - NIRE 35.300.328.299 Ata da AGE realizada em 02/7/2012 - Certidão Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Jucesp. Certifico que a ata em epígrafe foi registrada sob o nº 421.866/12-3 em 26/09/2012. Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 28 de setembro de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Reqte: Prepon Sistema Nacional de Protensão Ltda. - Reqdo: Singulare Pré-Moldados em Concretos Ltda. - R. das Olimpíada, 66 13° Andar Conj. 132 – Vila Olímpia - 01° V. de Falências Reqte: Banco Safra S/A - Reqdo: Auto Posto Escocia Ltda. - R. Chafic Maluf n° 381 – Santo Amaro 02° - V. de Falências Reqte: Pollem Grupo Assistêncial Polivalente S/C Ltda – Auto-Falência - Reqdo: Pollem Grupo Assistêncial Polivalente S/C Ltda – Auto-Falência - Av. Conselheiro Carrão, 2893 – Vila Carrão - 02ª V. de Falências

postos não subiriam em 2014 e poderiam começar a cair no ano seguinte, se as condições econômicas permitirem. Cahuzac disse que o governo mantém a meta de 0,8% de crescimento econômico no ano que vem. (Reuters)

A

economia da Grécia deve registrar em 2013 uma contração maior do que a projetada anteriormente, segundo rascunho da proposta de orçamento a ser apresentada pelo governo ao Parlamento hoje. Duas fontes graduadas com acesso ao documento disseram que a redução econômica será de 3,8%, de acordo com novos cálculos. A expectativa é de que 2013 seja o sexto ano consecutivo de contração do produto interno bruto grego. A proposta de orçamento prevê corte de gastos de 7,8 bilhões de euros somente em 2013, ou mais da metade dos 13,5 bilhões de euros em cortes e medidas adicionais de austeridade exigidos pelos credores internacionais de Atenas. (AE)

Dereck Participações S/A CNPJ 08.440.805/0001-68 Demonstrações Financeiras (Valores expressos em reais) Balanços Patrimoniais 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 2011 2010 2011 2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO ATIVO Obrigações tributárias 4.118 1.386 Caixa e equivalentes de caixa 622.197 384.365 66.937 – Dividendos a pagar Impostos a recuperar 8.775 3.671 Total do passivo circulante 71.055 1.386 Patrimônio líquido Total do ativo 630.972 388.036 Capital social 549.443 549.443 Partes relacionadas 646.280 346.280 Reserva de avaliação patrimonial reflexa (551.325) 166.302 Reserva de reavaliação reflexa 45.398 59.610 Investimentos 4.212.069 5.188.059 5.374.750 5.145.634 Reserva de lucros Total do ativo não circulante 4.858.349 5.534.339 5.418.266 5.920.989 Total do ativo 5.489.321 5.922.375 Total do passivo e patrimônio líquido 5.489.321 5.922.375 Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010

Saldos em 31 de dezembro de 2009 Realização de reavaliação reflexa Ajuste de avaliação patrimonial na investida Lucro líquido do exercício Constituição da reserva legal Transferência para reserva de lucros Saldos em 31 de dezembro de 2010 Realização de reavaliação reflexa Ajuste de avaliação patrimonial na investida Lucro líquido do exercício Constituição da reserva legal Dividendo mínimo obrigatório Transferência para reserva de lucros Saldos em 31 de dezembro de 2011

Capital social 549.443 – – – – – 549.443 – – – – – – 549.443

Avaliação patrimonial na investida 251.931 – (85.629) – – – 166.302 – (717.627) – – – – (551.325)

Reserva de reavaliação reflexa 74.520 (14.910) – – – – 59.610 (14.212) – – – – – 45.398

Reserva de lucro Reserva Reserva legal de lucros 25.293 4.122.121 – 14.910 – – – – 49.166 – – 934.145 74.459 5.071.176 – 14.212 – – – – 14.092 – – – – 200.812 88.551 5.286.199

Lucros/ (prejuízos) acumulados – – – 983.310 (49.166) (934.145) – – – 281.841 (14.092) (66.937) (200.812) –

Total 5.023.308 – (85.629) 983.310 – – 5.920.989 – (717.627) 281.841 – (66.937) – 5.418.266

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 1. Contexto operacional: A Dereck Participações S/A (“Companhia”) foi emitidas pelo CPC e aprovados pela CVM. 3. Resumo das principais práconstituída em 01/11/2006 e tem por objeto social a participação no capital ticas contábeis: Apuração do resultado: O resultado é apurado em cone nos lucros de outras empresas nacionais ou estrangeiras. 2. Apresenta- formidade com o regime de competência. Caixa e equivalentes de caixa: ção das demonstrações financeiras: 2.1. Base de apresentação: Incluem recursos de caixa, em dinheiro, em contas bancárias com liquidez As demonstrações financeiras da Companhia para os exercícios findos em imediata. Investimento: Representado por investimento na Metalfrio, 31/12/2011 e de 2010 foram preparadas de acordo com as práticas contá- avaliado pelo método de equivalência patrimonial. 4. Investimentos: beis adotadas no Brasil, que compreendem aquelas previstas na legislação O investimento na Metalfrio é composto por 761.410 ações ordinárias societária brasileira e nos pronunciamentos, orientações e interpretações nominativas, calculado por meio do percentual de participação de 1,87%, A Diretoria

Demonstrações do Resultado para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 2011 2010 (+/–) Despesas e receitas operacionais Despesas administrativas e tributárias (26.980) (20.609) Resultado de equivalência patrimonial 261.451 1.050.625 – (74.533) Outros resultado de investimentos (=) Lucro antes do resultado financeiro 234.470 955.483 Resultado financeiro 51.488 29.304 (=) Lucro antes do imposto de renda e contribuição social 285.958 984.787 (4.117) (1.477) (–) Imposto de renda e contribuição social (=) Lucro líquido do exercício 281.841 983.310 0,5130 1,7896 Lucro líquido por ação (em reais) Demonstrações dos Fluxos de Caixa para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 2011 2010 Das atividades operacionais 285.958 984.787 Lucro líq. do exerc. antes do IR e CS Ajustes para conciliar o resultado às disp. Outros resultados em investimentos – 74.533 Resultado de equivalência patrimonial (261.451) (1.050.625) Imposto de renda e contribuição social pagos (4.117) (1.477) Decréscimo/(acréscimo) em ativos (5.105) (1.862) Acréscimo/(decréscimo) passivos 69.668 (8.787) 84.954 (3.431) Caixa líq. prov. das/(aplicado nas) operações 452.492 Fluxo de caixa das atividades de investimento 519.815 Caixa líq. proveniente das ativ. de investimento 519.815 452.492 Caixa líq. aplic. nas ativ. de financ. com acion. (366.937) (340.000) Variação líq. de caixa e equiva. de caixa 237.832 109.061 Caixa e equivalentes de caixa No início do exercício 384.365 275.304 622.197 384.365 No final do exercício Variação líq. de caixa e equiv. de caixa 237.832 109.061 apurado com base nos balanços patrimoniais de 31/12/2011 e de 2010, os quais foram auditados por outros auditores independentes que emitiram pareceres sem ressalva, datados de 10/02/2011 e 18/02/2011, respectivamente. 5. Patrimônio líquido: a) Capital social: O capital social subscrito e integralizado em 31/12/2011 era de R$ 549.443, dividido em 49.443 ações preferenciais e 500.000 ações ordinárias, ao valor de R$ 1 cada.

Contador: Luiz A. Rossi Jr. - CRC: 1SP193663/O-6

As demonstrações financeiras completas encontram-se arquivadas na sede da Companhia e foram auditadas pela Grant Thornton Auditores Independentes que emitiram parecer sem ressalvas em 31 de maio de 2012

Thema Participações S/A CNPJ 08.489.851/0001-51 Demonstrações Financeiras (Valores expressos em reais) Balanços Patrimoniais em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 2011 2010 ATIVO 2011 2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Obrigações tributárias 3.199 – Caixa e equivalentes de caixa 1.138.840 658.863 Contas a pagar 18.074 328 Créditos diversos 3.228 – 688.737 – Dividendos a pagar 36.635 24.287 Imposto a recuperar 710.010 328 Total do passivo circulante 1.178.703 683.150 Total do ativo circulante Patrimônio líquido Ativo não circulante Capital social 2.530.879 2.530.879 Partes relacionadas 2.978.628 178.628 Reserva de avaliação patrimonial reflexa (3.276.589) 1.594.856 Investimentos 34.118.559 39.416.419 Reserva de reavaliação reflexa 295.136 387.529 51.754 – Imobilizado 38.068.207 35.764.605 Reservas de lucros 37.148.941 39.595.047 Total do ativo não circulante 37.617.634 40.277.869 38.327.644 40.278.197 Total do ativo 38.327.644 40.278.197 Total do passivo e patrimônio líquido Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 Lucros/ Ajuste a avaliação Reserva de Reservas de lucros Capital patrimonial reavaliação Reserva Reserva (prejuízos) Total social reflexa reflexa legal de lucros acumulados Saldos em 31 de dezembro de 2009 3.178.722 1.678.227 484.457 187.707 48.900.519 – 54.429.632 Cisão parcial (647.843) – – – (10.976.253) – (11.624.096) Ajuste de avaliação patrimonial – (83.371) – – – – (83.371) Realização de reavaliação reflexa – – (96.928) – – – (96.928) Distribuição de dividendos – – – – (3.100.000) – (3.100.000) Lucro líquido do exercício – – – – – 752.632 752.632 Reserva legal – – – 37.632 – (37.632) – – – – – 715.000 (715.000) – Destinação dos lucros acumulados para reserva Saldos em 31 de dezembro de 2010 2.530.879 1.594.856 387.529 225.339 35.539.266 – 40.277.869 Ajuste de avaliação patrimonial – (4.871.445) – – – – (4.871.445) Realização de reavaliação reflexa – – (92.393) – 92.393 – – Distribuição de dividendos – – – – – (688.737) (688.737) Lucro líquido do exercício – – – – – 2.899.947 2.899.947 Reserva legal – – – 144.997 – (144.997) – – – – – 2.066.213 (2.066.213) – Destinação dos lucros acumulados para reserva 2.530.879 (3.276.589) 295.136 370.336 37.697.871 – 37.617.634 Saldos em 31 de dezembro de 2011

Demonstrações do Resultado para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 2011 2010 (+/–) Despesas e receitas operacionais Despesas administrativas e tributárias (132.246) (26.656) Resultado de equivalência patrimonial 2.952.913 7.490.767 – (6.809.011) Outros resultados de investimentos (=) Lucro antes do resultado financeiro 2.820.667 655.101 Resultado financeiro 79.280 119.971 (=) Resultado operacional 2.899.947 775.072 – 22.440 (–) Imposto de renda e contribuição social 2.899.947 752.632 (=) Lucro líquido do exercício Lucro líquido por ação (em reais) 1,1458 0,2974 Demonstrações dos Fluxos de Caixa para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010

2011 2010 Das atividades operacionais Lucro líquido antes do IR e CS 2.899.947 775.072 Ajustes p/conciliar o result. às disponib. Resultado de equivalência patrimonial (2.952.913) (7.490.767) Outros resultados de investimento – 6.809.011 (Acréscimo)/decréscimo em ativos 67.329 10.571 Acréscimo/(decréscimo) em passivos 709.682 21.175 Imposto de renda e contribuição social pagos – (22.945) Caixa líq. proveniente das atividades operac. 589.387 59.766 Fluxo de caixa das ativ. de investimento Caixa líq. proveniente das ativ. de invest. 3.379.327 3.678.890 Caixa líq. utilizado nas ativ. de fin. c/acion. (3.488.737) (3.100.000) Aumento líq. de caixa e equivalentes de caixa 479.977 638.656 Caixa e equivalentes de caixa No início do exercício 658.863 20.207 No final do exercício 1.138.840 658.863 Aumento líquido de caixa e equiv. de caixa 479.977 638.656 Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2011 e de 2010 1. Contexto operacional: A Thema Participações S/A (“Cia.”) foi constituí- O resultado é apurado em conformidade com o regime de competência. respectivamente. (b) O saldo de investimento na Restoque é composto por da em 01/11/2006 e tem por objeto social a participação no capital e nos Caixa e equivalentes de caixa: Incluem recursos de caixa, em dinheiro, 1.361.512 ações ON, calculado pelo método de equivalência patrimonial lucros de outras empresas nacionais ou estrangeiras. 2. Apresentação e em contas bancárias com liquidez imediata. Investimentos: Representa- por meio do percentual de participação de 2,38%, apurado com base nos das demonstrações e principais práticas contábeis: 2.1. Base de apre- do por Metalfrio e Restoque, avaliados pelo método de equivalência balanços patrimoniais da Restoque de 31/12/2011 e de 2010, os quais fosentação: As demonstrações financeiras da Companhia para os patrimonial. 4. Investimentos: (a) O saldo de investimentos na Metalfrio é ram auditados por outros auditores independentes que emitiram pareceres exercícios findos em 31/12/2011 e de 2010 foram preparadas de acordo composto por 4.949.945 ações ON, calculado pelo método de equivalência sem ressalva, datados de 15/03/2012 e 23/02/2011, respectivamente. com as práticas contábeis adotadas no Brasil, que compreendem aquelas patrimonial por meio do percentual de participação de 12,13%, apurado 5. Patrimônio líquido: a) Capital social: O capital social subscrito e inteprevistas na legislação societária brasileira e nos Pronunciamentos, nas com base nos balanços patrimoniais da Metalfrio de 31/12/2011 e de 2010, gralizado em 31/12/2011 é de R$ 2.530.879, representado por 2.530.879 Orientações e Interpretações emitidas pelo CPC e aprovados pela CVM. os quais foram auditados por outros auditores independentes que ações, sendo 218.684 ações ordinárias e 2.312.195 ações preferenciais, 3. Resumo das principais práticas contábeis: Apuração do resultado: emitiram pareceres sem ressalva, datados de 10/02/2012 e 18/02/2011, todas nominativas e sem valor nominal. A Diretoria

Contador: Luiz A. Rossi Jr. - CRC: 1SP193663/O-6

As demonstrações financeiras completas encontram-se arquivadas na sede da Companhia e foram auditadas pela Grant Thornton Auditores Independentes que emitiram parecer sem ressalvas em 31 de maio de 2012

VENTILADORES BERNAUER S/A CNPJ (MF) 61.413.852/0001-03 Convocação - Assembleia Geral Extraordinária Ficam convocados os Senhores Acionistas desta Empresa a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária a se realizar no dia 09 de outubro de 2012, às 10:00 horas, em primeira convocação, e às 10:30 horas em segunda convocação, à Rua Professor Aprígio Gonzaga nº 78, 1º andar - São Paulo - SP, para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: a) Leitura, discussão e votação do relatório da Diretoria e exame das Demonstrações Financeiras encerradas em 31/12/2011; b) Outros assuntos de interesse social. Encontram-se à disposição dos senhores acionistas os documentos a que se refere o artigo 133 da Lei 6404. São Paulo 01 de outubro de 2012. VENTILADORES BERNAUER S/A Rodolfo Kurt Bernauer Diretor Presidente

COOPBEL COOPERATIVA DE TRABALHO, ASSISTÊNCIA, QUALIFICAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM CLÍNICAS DE ESTÉTICA CNPJ nº 07.395.356/0001-10 Edital de Convocação Ficam convocados os Srs. e Sras. da comunidade COOPBEL COOPERATIVA DE TRABALHO, ASSISTÊNCIA, QUALIFICAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM CLÍNICAS DE ESTÉTICA, inscrita no CNPJ nº 07.395.356/0001-10, para a Assembleia Geral Extraordinária de Extinção da Cooperativa a realizar-se no endereço da Rua Capricho, 315-A CEP 02254-000, em Vila Gustavo, nesta Capital, em data de 18 de maio de 2007, às 14h30 em primeira convocação e às 15h30 em segunda convocação, com qualquer número de membros, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1. Explanação dos Motivos; 2. Encerramento das Atividades Sociais (artigo 58º do Capítulo XIII do Estatuto Social); 3. Destinação dos Bens e Documentação Legal. São Paulo, 04 de maio de 2007. Sônia Maria Pereira dos Santos Seixas - Presidente em Exercício.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00399/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS MÉDICO HOSPITALARES PARA ATENDER O PROJETO DE PERÍCIAS MÉDICAS DA SEE A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS MÉDICO HOSPITALARES PARA ATENDER O PROJETO DE PERÍCIAS MÉDICAS DA SEE As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 01/10/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 15/10/2012, às 10:00 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer rigorosamente ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 01/10/2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. Álvaro Rogério Veiga Garcia Respondendo pela Presidência Portaria FDE nº 122/2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A sanção penal é a última instância para se barrar crimes contra as relações de consumo, mas ela não exclui as administrativas e civis.

conomia

Uma situação de lesão coletiva que coloca em risco a saúde pública pode virar ação penal.

Empresas também estão sujeitas a sanções penais

A

s empresas conhecem muito bem as punições a que estão sujeitas no caso de descumprimento às normas do Código de Defesa do Consumidor (CDC) e/ou outras determinações legais sobre relações de consumo. A própria lei consumerista estabelece sanções administrativas, civis e penais. As administrativas estão descritas do artigo 55 ao 60. Já as civis podem ser consultadas do artigo 81 ao 104. As penais, por sua vez, estão discriminadas do artigo 61 ao 80. Para quem ainda não sabe diferenciar esses três tipos de sanções e como elas são aplicadas, é importante frisar que as administrativas são apostas pelos Procons de todo o País ou outros órgãos fiscalizadores, como as agências reguladoras. Geralmente redundam em multas às companhias, o que significa um ônus, mas é também um forte indicador de que a empresa ainda deixa em segundo plano o cultivo ao bom relacionamento com seu cliente e, pior, às legislações. Os valores podem

ser altíssimos. No Procon-SP, elas variam entre R$ 400 e R$ 6 milhões e dobram em caso de reincidência. As irregularidades por parte das empresas no âmbito administrativo podem ser detectadas em operações de fiscalizações ou denunciadas por consumidores. Um exemplo foi a recente multa aprovada pelo conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) à Oi no valor total de R$ 30 milhões (ainda cabe recurso). A empresa de telefonia infringiu o regulamento do serviço de telefonia fixa e o Plano Geral de Metas de Universalização da Anatel. O Procon-SP também recentemente aplicou multa de valor altíssimo (R$ 2,5 milhões) ao Habib's pela veiculação de publicidade de alimentos acompanhados de brinquedos colecionáveis, considerada pelo CDC como venda casada. Justiça – Qualquer consumidor pode recorrer ao Judiciário se sentir lesado por uma empresa. E a Justiça pode impor sanções civis, com o propósito de reparação de dano moral

ou material. E são inúmeras as ações impetradas nos Tribunais e estes têm garantido algumas altíssimas indenizações se comparado com o valor do dano. Na semana passada, publicamos nesta página uma dessas sentenças, cujo juiz determinou à empresa o pagamento de R$ 15 mil a uma consumidora que gastou

R$ 30 numa loja, mas foi parada por um segurança e policiais sob a alegação de que havia indícios de furto. O CDC, em seu artigo 81, estabelece que a defesa dos interesses e direitos dos consumidores e das vítimas poderá ser exercida em juízo individual ou coletivamente. A consumidora que irá receber os

R$ 15 mil entrou com ação individual, mas o Ministério Público assim como as entidades públicas e civis podem defender os direitos dos consumidores de forma coletiva e individual e a indenização por perdas e danos poderá ser aplicada sem prejuízo de multa. Penal – A sanção penal, por sua vez, é a última instância para se barrar crimes contra as relações de consumo, mas ela não exclui as administrativas e civis. Isso está determinado no artigo 56 do CDC. Ou seja, uma empresa pode receber a multa, mas também ter apreendido os produtos e até a cassação do registro do produto nos órgãos competentes. Só que a sanção penal por crimes contra as relações de consumo, conforme o advogado Márcio Holanda Teixeira, ainda é uma parte do CDC que não é aplicada corriqueiramente, embora a lei consumerista esteja em vigor há 22 anos. Para o advogado especialista em direito do consumidor e coordenador da área consultiva e criminal do Gaiofato Advogados Associados, a parte penal da lei consumerista tem aspecto mais educativo do que repressivo.

A maioria dos crimes nas relações de consumo é acompanhada pelas Delegacias do Consumidor e são raros os casos de prisão, ressalta o advogado. "Uma situação de lesão coletiva que coloca em risco a saúde pública pode virar uma ação penal, principalmente se há grande repercussão na mídia, mas dificilmente veremos os responsáveis indo para a cadeia." Teixeira elenca infrações cometidas diariamente que seriam passíveis de ações penais. Elas estão expressas do artigo 63 ao 74 do CDC. Exemplos de casos de polícia nas relações de consumo são deixar de chamar recall para produtos que expõem o consumidor a risco, fazer afirmação falsa ou enganosa, empregar na reparação de produtos peças ou componentes de reposição usados, furto e danos a veículos em estacionamentos, venda de alimentos vencidos ou estragados, produtos falsificados, etc. "As infrações ao artigo 71 são as mais recorrentes. Trata-se da cobrança de dívidas, cujos cobradores não têm preparo e, algumas vezes, excedem o razoável", finaliza.

Delegacias apuram crimes de consumo

E

m São Paulo, a Divisão de Investigação sobre Infrações contra o Consumidor é a responsável pela apuração dos crimes de consumo. Os policiais fazem diligências sempre que recebem denúncias do próprio consumidor ou de órgãos governamentais e civis de defesa do consumidor. A base do trabalho da "polícia

do consumidor' é o próprio Código de Defesa do Consumidor (CDC) e seus artigos 61 a 74, que tipificam o que são crimes contra as relações de consumo e estabelecem as punições legais, que podem ser prisão, inclusive em flagrante (pena máxima de dois anos) e multa ou apenas multa. A Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, que define

os crimes contra a ordem tributária, econômica e as relações de consumo, assim como o Código Penal, também são usados pelos delegados das Delegacias do Consumidor. Constatado um crime contra o consumidor, não apenas o dono da empresa é responsabilizado penalmente, mas também o gerente ou o diretor da

unidade, uma vez que são os responsáveis pela colocação do produto à venda. Os crimes contra o consumidor, são de conduta, ou seja, ocorrem no momento da ação ou omissão. Portanto, podem ser investigados tanto pela Polícia Civil da origem do produto como pela da cidade em que está sendo comercializado.

O QUE DIZ O CDC Artigo 61 Constituem crimes contra as relações de consumo previstas neste código, sem prejuízo do disposto no Código Penal e leis especiais, as condutas tipificadas nos artigos seguintes. Artigo 63 Omitir dizeres ou sinais ostensivos sobre a nocividade ou periculosidade de produtos, nas embalagens, nos invólucros, recipientes ou publicidade: Pena - Detenção de seis meses a dois anos e multa. § 1° Incorrerá nas mesmas penas quem deixar de alertar,

mediante recomendações escritas ostensivas, sobre a periculosidade do serviço a ser prestado. § 2° Se o crime é culposo: Pena Detenção de um a seis meses ou multa. Artigo 64 Deixar de comunicar à autoridade competente e aos consumidores a nocividade ou periculosidade de produtos cujo conhecimento seja posterior à sua colocação no mercado: Pena - Detenção de seis meses a dois anos e multa. Parágrafo único. Incorrerá nas mesmas penas quem deixar de retirar do merca-

do, imediatamente quando determinado pela autoridade competente, os produtos nocivos ou perigosos, na forma deste artigo. Artigo 65 Executar serviço de alto grau de periculosidade, contrariando determinação de autoridade competente: Pena - Detenção de seis meses a dois anos e multa. Parágrafo único. As penas deste artigo são aplicáveis sem prejuízo das correspondentes à lesão corporal e à morte. Artigo 66 Fazer afirmação falsa ou en-

ganosa, ou omitir informação relevante sobre a natureza, característica, qualidade, quantidade, segurança, desempenho, durabilidade, preço ou garantia de produtos ou serviços: Pena - Detenção de três meses a um ano e multa. § 1º Incorrerá nas mesmas penas quem patrocinar a oferta. § 2º Se o crime é culposo; Pena - Detenção de um a seis meses ou multa. Artigo 67 Fazer ou promover publicidade que sabe ou deveria saber ser enganosa ou abusiva:

MULTA Câmara, o descumprimento da medida sujeitará os infratores ao pagamento da multa em dobro, sem prejuízo de outras sanções previstas no CDC. "Atualmente, os consumidores não se beneficiam das multas.Na maior parte das vezes, ele tem despesas, porque precisa perder tempo e dinheiro para registrar suas reclamações nos órgãos de defesa do consumidor ou ir à Justiça para fazer valer seus direitos", justifica Mendonça.

ACORDO

Os sete maiores site de compras coletivas têm até dezembro para reduzirem o número de reclamações e aumentarem o de atendimento das queixas registradas pelos consumidores. É isso o que diz um termo proposto pelo Procon-SP às empresas. Peixe Urbano, ClickOn, Groupon

e Caldeirão de Ofertas já aderiram. Caso as empresas não melhorem seus índices, diz Paulo Arthur Góes, diretor-executivo do Procon-SP, poderão ser tomadas outras medidas contras, como a suspensão temporária de atividade e multas. O crescimento expressivo do número de reclamações contra os si-

Artigo 70 Empregar na reparação de produtos, peça ou componentes de reposição usados, sem autorização do consumidor: Pena - Detenção de três meses a um ano e multa. Artigo 71 Utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, a ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer: Pena - Detenção de três meses a um ano e multa.

Justiça diz que empresa responde por dano aos consumidores

Fique por dentro

O consumidor lesado poderá receber 30% do valor da multa aplicada a um fornecedor de produto ou serviço caso seja aprovado o Projeto de Lei 3861/12, do deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), que tramita pela Câmara Federal. Atualmente, o valor arrecadado com as multas é destinado aos fundos de proteção ao consumidor. De acordo com o projeto, informa a Agência

Pena - Detenção de três meses a um ano e multa. Parágrafo único. (Vetado). Artigo 68 Fazer ou promover publicidade que sabe ou deveria saber ser capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma prejudicial ou perigosa a sua saúde ou segurança: Pena - Detenção de seis meses a dois anos e multa: Parágrafo único. (Vetado). Artigo 69 Deixar de organizar dados fáticos, técnicos e científicos que dão base à publicidade: Pena - Detenção de um a seis meses ou multa.

tes de compra coletiva foi o que motivou a proposta. Nos seis primeiros meses do ano, o órgão paulista de defesa do consumidor registrou 400% mais reclamações sobre sites de compras coletivas do que no mesmo período do ano passado. Foram aplicados R$ 250 mil em multas no primeiro semestre.

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo. E-mail: doislados@dcomercio.com.br

O

s desembargadores da 6ª Câmara Cível do Rio Grande do Sul mantiveram a sentença de 1º grau contra uma empresa de eletricidade, que terá de pagar quase R$ 2,5 mil a uma consumidora que teve perda de alguns eletrodomésticos após forte temporal, que culminou com a queda de energia elétrica. A autora da ação relatou que procurou a empresa após o ocorrido para que os itens avariados fossem reparados ou repostos, mas teve seu pedido negado. Na Primeira Instância, a juíza comentou

o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que dispõe que "o fornecedor do serviço responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos c o n s u m i d ores por defeitos relativos à prestação dos serviços". Quando da apelação, os d e s em b a r g a do r e s referiram-se ao artigo 22 do CDC, que diz: "Os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qual-

quer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Nos casos de d e s c u m p r imento, total ou parcial, d a s o b r i g aç õ e s r e f e r idas neste artigo, serão as pessoas jurídicas compelidas a cumpri-las e a reparar os danos causados, na forma prevista neste código." Fonte: Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

e

21 SANTOS Neymar é expulso, mas time consegue empatar com o Grêmio. Pág. 22

sporte

ALMANAQUE Semana marca aniversários das despedidas de Pelé. Pág. 24

O PALMEIRAS AGRADECE Miguel Schincariol/AE

O

C o r i n t h i a n s g a- zembro, no Japão. Assim como nhou, o São Paulo o técnico, os jogadores do Coe m p a t o u , m a s o rinthians também exaltaram maior beneficiado a atuação na segunda etapa. por esses dois resultados obti“A gente veio para o segundos por seus maiores rivais foi do tempo com a ideia de mosmesmo o Palmeiras. trar que dentro de casa quem Graças a eles, o Sport, der- manda somos nós”, disse Rorotado pelo Corinthians por 3 a marinho, artilheiro da equipe 0, no Pacaembu, estacionou neste Brasileiro, com seis em 17º lugar, com 27 pontos, e gols. “O Sport estava muito feficou a apenas um do Alviver- chado. Na segunda etapa eles de, 18º com 26. não conseguiram nos marcar O Coritiba, após o 1 a 1 dian- e os gols saíram”, analisou te do São Paulo, na capital pa- Paulinho, autor do gol que ranaense, segue fora da zona abriu o placar. “Não consegui de rebaixamento, com 29 pon- o meu gol, é verdade, mas o tos. Mas, agora, está a três importante é que o time gapontos do próprio Palmeiras, nhou os três pontos e a torcida com quem tem encontro mar- e s t á c o n t e n t e ” , c o n c l u i u cado daqui a duas rodadas, Guerrero. em local a definir, já que os palApesar de não ter conquismeirenses perderam o mando tado os três pontos fora de cade quatro partidas (veja abai- sa (objetivo do time para não xo os confrontos que faltam deixar o Vasco abrir vantagem para cada um desses três ti- na luta por uma vaga na próximes com possibilidades de re- ma edição da Libertadores), baixamento). os jogadores do São Paulo fesA maior ajuda ao Palmeiras tejaram o empate com gostinesta rodada veio do Corin- nho de vitória,diante do Coritithians, que, ba, no Paraná, jogando em por 1 a 1. Justacasa, não enmente por controu maiocausa das sires dificuldat u a ç õ e s a ddes em fazer 3 versas que ena 0 no Sport, frentaram. pontos Corinthians gols de Pauli“Na minha e São Paulo tiraram nho e Romario p i n i ã o , g anho (dois), tonhamos um nesta rodada dos dos marcados ponto”, comeadversários diretos no segundo morou Lucas, tempo. lembrando do Palmeiras na luta O técnico que o time fez contra o Tite elogiou o o gol do emparebaixamento d e s e mp e n h o te, marcado de principalpor Osvaldo, mente dois joquando já esgadores, os atacantes Guerre- tava com um jogador a menos ro e Romarinho. Para o treina- (o zagueiro Rhodolfo havia sid o r , o p e r u a n o t e v e u m a do expulso). “atuação exemplar”, e o brasiO capitão Rogério Ceni tamleiro mostrou estar “cada vez bém lembrou que a equipe mais maduro e pronto para conseguiu reagir após estar atuar pela equipe”. atrás no placar mesmo tendo Tite também destacou a apenas dez em campo e citou atuação de seu time no segun- a maratona de viagens que o do tempo. Após uma primeira elenco passou na última seetapa travada e com poucos mana, que fizeram com que o ataques, foi somente na reta fôlego não estivesse 100%. final do jogo que saíram os três “Essa viagem foi um pouco pugols da vitória corintiana. xada e acho que nosso time Mesmo assim, o técnico re- deixou a desejar no primeiro velou ser necessário pressio- tempo. Mas com dez jogadonar a equipe a ir para cima dos res e só dois atacantes, depois adversários, neste momento de termos começado a partida em que os corintianos não pre- com três, fizemos o gol.” cisam se preocupar tanto com No meio da semana, o São o Campeonato Brasileiro. Paulo enfrentou quase 40 ho“Tem de pilhar o grupo o tem- ras, ida e volta, entre avião e po todo para que eles se mobi- ônibus, para a cidade equatolizem”, afirmou o comandante riana de Loja, onde empatou corintiano, visando afastar de com a LDU local por 1 a 1, no jovez o risco de rebaixamento e go de ida das oitavas de final voltar suas atenções apenas da Copa Sul-Americana. Sábapara o Mundial de Clubes da Fi- do, embarcou para Curitiba fa, que será realizado em de- para jogar pelo Brasileiro.

5

Cálculos para fugir do rebaixamento

C

om Atlético-GO e Figueirense distanciados nas últimas colocações, Palmeiras, Sport e Coritiba aparecem como os maiores candidatos a ocupar as duas outras vagas do rebaixamento. Nessa briga, em que somente um deverá se salvar, a vantagem, por

enquanto, é da equipe paranaense, a única que ainda está fora da zona de rebaixamento. Confira os jogos que faltam (entre os quais há os confrontos diretos Palmeiras x Coritiba e Sport x Palmeiras) e calcule o que cada um deles precisará fazer para fugir dessa incômoda situação.

Jogos que faltam para cada um Coritiba Ponte (4/10-C) Palmeiras (11/10-F) Bahia (14/10-C) Náutico (17/10-C) Grêmio (21/10-F) Fluminense (27/10-F) Atlético-MG (4/11-C) Corinthians (11/11-F) Vasco (18/11-C) Cruzeiro (25/11-F) Figueirense (2/12-C)

Sport Portuguesa (4/10-F) Grêmio (11/10-C) Atlético-MG (14/10-F) Ponte (18/10-C) Atlético-GO (21/10-F) São Paulo (27/10-C) Vasco (4/11-F) Figueirense (11/11-F) Botafogo (18/11-C) Fluminense (25/11-C) Náutico (2/12-F)

Palmeiras São Paulo (6/10-F) Coritiba (11/10-C) Náutico (14/10-F) Bahia (21/10-C) Cruzeiro (24/10-C) Inter (28/10-F) Botafogo (4/11-C) Fluminense (11/11-C) Flamengo (18/11-F) Atlético-GO (25/11-C) Santos (2/12-F)

No Pacaembu, o corintiano Romarinho marca duas vezes nos 3 a 0 de seu time sobre o Sport, que acabaram ajudando o maior rival Giuliano Gomes/AE

No Paraná, Osvaldo empata para o São Paulo um jogo que, além de aumentar as esperanças alviverdes, deixou o Tricolor mais longe do G-4

Campeonato Brasileiro 2012

Artilheiros

14ª Rodada

P

J

V

E

D

GP GC

S

1º Fluminense

59

27

17

8

2

44

18

26

2º Atlético-MG

53

27

15

8

4

41

20

21

3º Grêmio

50

27

15

5

7

38

22

16

4º Vasco

47

27

13

8

6

35

27

8

5º São Paulo

43

27

13

4

10

39

29

10

6º Internacional

41

27

10

11

6

33

23

10

7º Botafogo

40

27

11

7

9

41

35

6

8º Corinthians

39

27

10

9

8

33

26

7

9º Cruzeiro

36

27

10

6

11

32

36

10º Náutico

34

27

10

4

13

33

11 Flamengo

34

27

9

7

11

12º Bahia

34

27

8

10

13º Santos

34

27

8

14º Ponte Preta

34

27

15º Portuguesa

33

16º Coritiba

26/9 Flamengo

2x1

Atlético-MG

21ª Rodada 29/9 Palmeiras

0x0

Grêmio

Figueirense

2x2

Fluminense

Vasco

2x0

Portuguesa 30/9

Sport

2x1

Santos

Corinthians

1x0

Atlético-MG

Bahia

1x0

São Paulo

Internacional

4x1

Flamengo

-4

Botafogo

2x0

Coritiba

42

-9

Ponte Preta

3x1

Atlético-GO

28

37

-9

Cruzeiro

3x0

Náutico

9

29

30

-1

10

9

32

36

-4

8

10

9

30

35

-5

27

8

9

10

29

31

-2

29

27

8

5

14

39

47

-8

17º Sport

27

27

6

9

12

23

38 -15

18º Palmeiras

26

27

7

5

15

28

36

19º Figueirense

22

27

5

7

15

30

20º Atlético-GO

20

27

4

8

15

27

Classificam-se para a LIbertadores

28ª Rodada 4/10 Flamengo

x

Portuguesa

x

Bahia Sport

Coritiba

x

Ponte Preta 6/10

São Paulo

x

Palmeiras

Santos

x

Internacional

Atlético-GO

x

Vasco

48 -18

Náutico

x

Corinthians

48 -21

Grêmio

x

Cruzeiro

Fluminense

x

Botafogo

Atlético-MG

x

Figueirense

-8

Caem para a Série B

13 GOLS: Fred (Fluminense) 11 GOLS: Luis Fabiano (São Paulo); Bruno Mineiro (Portuguesa) 10 GOLS: Vágner Love (Flamengo) 9 GOLS: Wellington Paulista (Cruzeiro); Aloísio (Figueirense); Kieza (Náutico); Barcos (Palmeiras); Alecsandro (Vasco) 8 GOLS: Andrezinho e Elkesson (Botafogo); Caio (Figueirense); Leandro Damião (Internacional); Neymar (Santos) 7 GOLS: Bernard (Atlético-MG); Souza (Bahia); Borges (Cruzeiro); Marcelo Moreno (Grêmio); Roger (Ponte Preta) 6 GOLS: Jô (Atlético-MG); Seedorf (Botafogo); Romarinho (Corinthians); Samuel Rosa (Fluminense); Araújo (Náutico); Osvaldo (São Paulo); Juninho Pernambucano (Vasco)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Nosso trabalho a gente fez, e graças a Deus está bem feito.” Marcos Assunção

sporte

EMBOLOU LÁ EMBAIXO Almeida Rocha/Folhapress

P

almeiras com 26 pontos, Sport com 27, Coritiba com 29. A luta na parte de baixo da tabela, para escapar do rebaixamento à Série B do ano que vem, ficou mais embolada. Graças principalmente à vitória do Palmeiras sobre a Ponte Preta (3 a 0, sábado, no Pacaembu), à derrota do Sport para o Corinthians (3 a 0, no d o m i n g o , t a m b é m n o P acaembu) e o empate do Coritiba, em casa, com o São Paulo (1 a 1 no Paraná). No sábado, o Palmeiras, assim como já havia acontecido no jogo diante do Figueirense, em Florianópolis, teve a felicidade de marcar dois gols nos primeiros minutos, ambos com Barcos, aos 11 e aos 14. Marcaria ainda uma vez mais, com Marcos Assunção, aos 14 do segundo. No domingo, o Alviverde viu seus dois maiores rivais ajudarem na luta contra o rebaixamento. Nas duas últimas partidas, a equipe marcou seis gols (com Luiz Felipe Scolari como técnico, a média do time no Campeonato Brasileiro foi de 0,92 gol por jogo). Além dos gols marcados, só foi vazado uma vez, na vitória por 3 a 1 contra o Figueirense, na penúltima rodada. “Estamos jogando de um jeito agressivo na frente e sem cometer erros grosseiros atrás”, apontou Valdivia. Após a partida de sábado, no Pacaembu, o técnico Gílson Kleina também falou sobre esse bom aproveitamento ofensivo. “O que mais me chamou a atenção é que perdemos mais gols do que fizemos. Isso é legal porque o time criou

Com dois gols de Barcos (e um de Marcos Assunção), Palmeiras faz 3 a 0 na Ponte Preta e agora está mais perto de Sport e Coritiba na luta para escapar do rebaixamento à Série B bastante.” Também pela primeira vez neste Brasileiro o Palmeiras conseguiu duas vitórias consecutivas. Mas Kleina ainda não quer saber de comemorações — afinal a equipe ainda está na zona e rebaixamento, com 26 pontos. “Temos mais 11 guerras”, afirmou. “Não podemos deixar a euforia bater, sabemos que temos de ter foco pra seguir nesse planejamento.”

Amanhã tem Copa Sul-Americana

A

ntes do clássico contra o São Paulo, sábado, no Morumbi, o Palmeiras encara o desafio de amanhã pela Copa Sul-Americana, no primeiro jogo das oitavas de final contra o Millonarios, da Colômbia, no Pacaembu. O técnico Gílson Kleina deve dar des-

canso a alguns atletas. “É bem provável. Temos alguns jogadores que estão jogando e se tratando, como o Maikon Leite, o Valdivia e o Marcos Assunção”, disse o treinador, já apontando quem deve ser poupado. “Temos de ter cuidado pra não perder jogadores dessa qua-

lidade para o final do ano. Claro que temos de ter o foco no Brasileiro. Contra o Millonarios devemos jogar com um pouco mais de tranquilidade e, aí sim, focar o clássico, que nos é de grande valia.” Na quarta, em Santiago, jogam Universidad Católica e Atlético-GO.

Edu Andrade/AE

N

Craque santista recebeu o cartão vermelho, mas o time conseguiu chegar ao empate: 1 a 1 com o Grêmio

O

Um ponto ganho, apesar da expulsão de Neymar

perigo do rebaixamento ainda não está totalmente afastado - afinal, a diferença entre o Santos e o Sport, 17º colocado, é de sete pontos. Mas o empate de ontem com o Grêmio, em Porto Alegre, por 1 a 1, tem de ser bastante comemorado. Afinal, o resultado foi conquistado contra um Grêmio empolgado, que jogava para diminuir a distância em relação ao líder Fluminense e abriu o placar ainda no primeiro tempo, com Werley. Pior: logo aos 7 minutos do segundo tempo, Neymar foi expulso depois de pisar em Pará, que havia feito falta sobre ele. Um minuto antes, o atacante, que carregava a faixa de capitão do Santos, havia recebido amarelo por reclamação. E apesar de tudo isso o Santos conseguiu empatar, aos 12 minutos, com o zagueiro Bruno Rodrigo, após cobrança de escanteio. Chegou aos 34 pontos, ultrapassou Portuguesa e Ponte Preta,

chegou ao 13º lugar e manteve-se a uma distância mais segura em relação à zona de rebaixamento. Ao final da partida, no entanto, o técnico Muricy Ramalho estava furioso com a arbitragem de Nielson Nogueira Dias, por causa da postura do juiz em relação a Neymar. Chegou até a avisar que o craque só terá sossego longe dos gramados brasileiros. “Ele (o craque) toma porrada o tempo todo e eles (árbitros) não fazem nada”, reclamou. “Ele tem de ir embora do País, não tem jeito.” “Acho que tem que ter bom senso. Não falei o jogo inteiro com ele e só fui naquele lance”, disse o próprio atacante santista à Rádio Estadão ESPN. “Tem que ter esse momento de conversa em campo para tentar acertar as coisas, não é só o juiz levantar o rosto e não falar com ninguém.” Para Muricy, se Neymar não tivesse levado o cartão vermelho o Santos poderia ter saído

de campo com um resultado ainda melhor. “Assim é complicado para a gente. Já não temos jogadores e ainda expulsam o nosso melhor”, lamentou Muricy. Críticas à arbitragem à parte, o elenco santista comemorou bastante o empate. “Pelas circunstâncias do jogo, a equipe mostrou que tem um bom elenco e por detalhes ainda não conseguimos a vitória”, disse o volante Arouca. Ele se referia mais especificamente ao último lance da partida, em que Felipe Anderson foi derrubado por Léo Gago na entrada da área, o gremista também acabou expulso e Bernardo acertou o travessão na cobrança da falta. “Foi no peito e na raça”, disse Arouca. Para Bruno Rodrigo, autor do gol de empate, o Santos soube como se portar após a expulsão de Neymar. “Já sabíamos que com 11 seria difícil. Estão todos de parabéns pelo empenho”, enfatizou.

ada mudou nas duas pontas da tabela da Série B em relação à semana passada: Vitória, Criciúma, Goiás e São Caetano continuam ocupando o G-4, que garantirá o acesso à Série A do ano que vem, enquanto Guaratinguetá, Bragantino, Barueri e Ipatinga seguem na zona de rebaixamento. A única diferença é a troca de posições entre Barueri e Ipatinga, que são agora o penúltimo e o último colocados. A diferença que separa o líder Vitória do vice-líder Criciúma diminuiu de cinco para dois pontos, pois na sexta-feira o time catarinense fez 2 a 0 no CRB, jogando em Maceió (AL), enquanto no sábado os baianos perderam para o Avaí, em Florianópolis, por 2 a 0. Terceiro colocado, o Goiás fez 3 a 0 no Guaratinguetá, jogando em São José dos Campos (SP), na

sexta. Apesar da derrota por 2 a 1 para o Paraná, em Curitiba, também na sexta, o São Caetano conseguiu se manter no G4, pois seu mais direto perseguidor, o Atlético-PR, também perdeu (2 a 1 para o Bragantino, em Bragança Paulista, no sábado) e caiu para sexto. Em quinto, agora, está o Joinville, que na terça-feira, jogando em casa, fez 3 a 0 no Boa. Demais resultados: na terça, ABC 1 x 1 ASA e América-MG 1 x 2 Grêmio Barueri. No sábado, Guarani 0 x 0 América-RN e Ceará 1 x 1 Ipatinga. A 28ª rodada começa amanhã, com ASA x Avaí, Goiás x Bragantino e São Caetano x Guaratinguetá. Na sexta-feira, jogam Grêmio Barueri x Joinville, Ipatinga x Guarani, América-RN x CRB, Boa x Paraná e Criciúma x Ceará. No sábado, Atlético-PR x América-MG e Vitória x ABC.

57 17 19 47

2 Criciúma-SC

55 17 14 57

3 Goiás-GO

52 15 17 45

GOLS

1 Vitória-BA

SALDO

Classificação

PONTOS

Tudo como antes nas duas pontas da tabela

VITÓRIAS

SÉRIE B

4 São Caetano-SP 49 14 13 41 5 Joinville-SC

47 14 19 44

6 Atlético-PR

46 14 16 42

7 Avaí-SC

43 13 5 33

8 Ceará-CE

42 11 6 43

9 América-MG

40 12 3 38

10 América-RN

40 11 6 40

11 Guarani-SP

36 9

2 28

12 Paraná-PR

35 9

-1 34

13 Boa-MG

34 9

-3 38

14 ABC-RN

33 8

1 37

15 ASA-AL

31 9

-3 34

16 CRB-AL

28 8 -18 31

17

25 7 -20 27

18 Bragantino-SP

24 6 -15 29

19 Barueri-SP

17 4 -30 21

20 Ipatinga-MG

17 4 -31 24

Sobem para a Série A

Caem para a Série C

PELO BRASIL

 Na Série C, faltam ainda

Grupo A o Santa Cruz-PE,

Chapecoense-SC (3 a 1 no

quatro rodadas para o

que voltou a ter uma

Duque de Caxias-RJ),

final da primeira fase, mas

posição privilegiada após

Duque de Caxias-RJ e

dois times, ambos do

a vitória por 1 a 0 sobre o

Oeste-SP (2 a 1 no Santo

Grupo A, já garantiram

Cuiabá-MT, domingo, no

André-SP). Demais jogos

presença entre os oito que

Recife, e o Salgueiro-PE.

da rodada: no sábado,

disputarão os mata-matas

Demais resultados do

Madureira-RJ 1 x 1 Caxias-

valendo o acesso. Um

Grupo A: Guarany-CE 1 x 2

RS e Tupi-MG 1 x 1 Vila

deles é o Luverdense-MT,

Icasa-CE e Águia-PA 1 x 1

Nova-GO.

que no domingo fez 3 a 2

Paysandu-PA, ambos os

no Salgueiro-PE e lidera

jogos realizados no

com 32 pontos. O outro é

sábado.

o Fortaleza-CE, que no sábado fez 2 a 0 no Treze-

 Jogos de ida das

semifinais da Série D: Baraúnas-RN 1 x 1

 No Grupo B, o líder é o

Sampaio Corrêa-MA e

PB, em Campina Grande, e

Macaé-RJ, que fez 3 a 1 no

Mogi Mirim-SP 1 x 1 CRAC-

é o vice-líder, com 29.

Brasiliense-DF, jogando

GO. Os quatro times

Completam o G-4 do

fora de casa, seguido por

jogarão a Série C em 2013.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

e

Kaká é um jogador que vai chegar e mostrar a condição que esperamos.” Mano Menezes

sporte

K

23

A VEZ DE KAKÁ Sergio Perez/Reuters

aká vai voltar à Seleção Brasileira para os amistosos contra Iraque, no próximo dia 11, e Japão, no dia 16. Ele foi a principal novidade da convocação feita pelo técnico Mano Menezes para essas partidas, e terá a chance de defender a equipe depois de mais de dois anos de afastamento - sua última partida foi a eliminação na Copa do Mundo de 2010, contra a Holanda. O técnico Mano Menezes contou que acompanha de perto a rotina do meia no Real Madrid, onde ele ainda é reserva - ontem, por exemplo, entrou no segundo tempo na vitória por 5 a 1 sobre o La Coruña. Na semana passada, Kaká fez três gols na goleada de um mistão do Real sobre o Millonarios, da Colômbia, por 8 a 0. Mano, que chegou a chamar Kaká para os amistosos contra Gabão e Egito, em novembro do ano passado, mas teve de cortá-lo por contusão, diz que tem monitorado seu trabalho no Real, inclusive em treinos. “Jogadores que passam pelo que ele passou começam a se

reinventar. Kaká vem treinando numa posição um pouco mais adiantada no campo, não é a mesma função que o Oscar faz hoje. Em termos de treinamento, dedicação, o nível que ele está apresentando faz a gente criar a expectativa de uma boa atuação”, disse. Mano admitiu esperar bastante do jogador que vestiu a camisa 10 na última Copa. “Temos que ter cada vez mais jogadores com a capacidade de liderança, e Kaká pode ser um deles”, disse. A outra novidade para os amistosos é o zagueiro Leandro Castán, ex-Corinthians e hoje na Roma. Mano se reúne novamenta com a Seleção hoje, mas não a que terá Kaká, e sim a formada apenas por atletas que atuam no futebol brasileiro, para o jogo de volta contra a Argentina pelo Superclássico das Américas, na quarta-feira, em Resistencia. O time treina hoje e amanhã no CT do Corinthians e viaja em voo fretado. Como venceu por 2 a 1 o jogo de ida, em Goiânia, o Brasil joga por um empate para levar o título pelo segundo ano seguido.

Meia terá a chance de jogar na Seleção de Mano Menezes, contra Iraque e Japão; nesta quarta, só com “locais”, equipe reencontra a Argentina

PELO MUNDO

Barça e Real vencem no embalo do clássico

N

o fim de semana que vem tem o superclássico do primeiro turno do Espanhol, em Barcelona, e o time da casa chega animado, depois de manter o aproveitamento de 100% com uma vitória por 3 a 2 sobre o Sevilla, fora de casa, de virada, com gols de Fábregas e Villa nos cinco minutos finais.

O Real também foi bem no fim de semana: 5 a 1 sobre o La Coruña, resultado que pôs o time em sexto lugar, com 10 pontos. No meio de semana, porém, ambos têm fortes “aperitivos” na Liga dos Campeões: o Barça visita o Benfica, amanhã, e o Real encara o Ajax, também fora, na quarta-feira.

Juventus atropela a Roma e segue na ponta

C

om três gols nos primeiros 20 minutos de jogo, a Juventus goleou a Roma por 4 a 1 no sábado e manteve a liderança do Italiano, com 16 pontos e melhor saldo de gols (12 a 10) que o Napoli, que venceu a Sampdoria por 1 a 0. Quem entrou na briga pelo título foi a Inter, que bateu a

Fiorentina por 2 a 1 e, depois de finalmente vencer duas seguidas, está em terceiro, com 12 pontos, ao lado da Lazio, que fez 2 a 1 no Siena, mas com melhor saldo (3 a 2). O Milan só empatou com o Parma por 1 a 1 e está em 11º, com 7 pontos, mas pela primeira vez emendou dois jogos seguidos sem perder.

PSG enfim encosta na liderança do Francês

O

milionário time do Paris Saint-Germain venceu a quinta seguida no Francês, 2 a 0 sobre o Sochaux, e encostou no líder Olympique de Marselha, que perdeu seu aproveitamento de 100% com requintes de crueldade: levou 4 a 1 do Valenciennes, fora de casa, num daqueles dias em que nada dá certo.

STOCK CAR

O Marselha tem 18 pontos, contra 15 do PSG e 14 do Lyon, que viu a vice-liderança ir embora com uma derrota por 2 a 0 para o Bordeaux. Na quarta, o PSG faz seu primeiro jogo da temporada fora do país, contra o Porto, pela Liga dos Campeões - na estreia, em casa, goleou o Dínamo de Kiev por 4 a 1.

PELO MUNDO

Divulgação

Farfus faz história com Nelsinho Piquet vence vitória na Alemanha mais uma na Nascar

P

ouco conhecido entre os brasileiros, o piloto Augusto Farfus Jr. conseguiu uma vitória histórica neste domingo, ao ganhar a etapa de Valência da DTM: foi o primeiro brasileiro a vencer na categoria alemã de carros de turismo, considerada a mais forte da Europa - é uma espécie de “F-1 do turismo”. Farfus já havia feito a pole, que também era inédita para um brasileiro. Ele está em sua primeira temporada, depois de vários anos no WTCC, competição de turismo da FIA, que nunca teve a mesma relevância da DTM.

N

elsinho Piquet conquistou no sábado à noite seu quarta vitória na Nascar, ao ganhar a etapa de Las Vegas da Truck Series (espécie de terceira divisão da categoria) com uma ultrapassagem sobre Matt Crafton na última volta. Ele superou uma “raspada” no muro a 15 voltas do fim, quando brigava pela ponta, para vencer a prova. “Não foi só uma vitória, foi um momento maravilhoso que com certeza não vou esquecer tão cedo. Vai ser um dos mais lembrados da minha carreira”, comemorou.

Pedrosa vence na MotoGP em Aragão

D

Barrichello recebe dicas de Xandinho Negrão, seu companheiro nas três últimas corridas do ano na Stock Car; Kanaan também vai correr

T

Coadjuvantes de luxo

hiago Camilo venceu a etapa de Tarumã da Stock Car disputada ontem no tradicional circuito localizado em Viamão (RS), e Cacá Bueno manteve a liderança da temporada, com apenas dois pontos de vantagem para Ricardo Maurício, mas a grande novidade da principal categoria do automobilismo brasileiro nos últimos dias foi a presença anunciada de Rubens Barrichello e Tony Kanaan nas corridas finais. Rubinho vai correr pela equipe Medley/Full time já a partir da próxima corrida, no dia 21, em Curitiba, e disputa também as provas de Brasília,

em 11 de novembro, e São Paulo, em 9 de dezembro, a “Corrida do Milhão” deste ano, com prêmio de R$ 1 milhão para o vencedor e pontução dobrada. Tony corre pela equipe Bassini nas duas últimas provas, e os dois prometem doar o cachê para o Instituto Barrichello-Kanaan, que mantêm em parceria para ajudar crianças e jovens carentes. “Nunca escondi minha paixão pela Stock e agora vou ter a chance de unir o útil ao agradável. A iniciativa já é vitoriosa antes mesmo de começar”, disse Barrichello, que neste ano, o primeiro fora da Fórmula 1 depois de 19 temporadas,

correu na Fórmula Indy pela KV Racing, ao lado de Tony. O piloto baiano, que fez carreira nos EUA e já foi campeão da Indy, em 2004, também comemorou a chance. “Sempre acompanhei a categoria de muito perto, mesmo estando longe, e quando recebi o convite aceitei na hora”, contou. Quinto colocado na corrida de ontem, Cacá Bueno ficou feliz pela chance de encontrar os amigos na pista, mas já avisou que não vai aliviar para ninguém. “Fico bastante feliz, mas ninguém vai ter moleza, não. Na hora que liga o motor e todos estão de capacete, não tem essa. Seja o Rubinho ou

qualquer outro, não tem moleza para ninguém”, avisou. Barrichello escolheu usar no carro o número 17 como homenagem ao maior campeão da historia da Stock, Ingo Hoffman, hoje aposentado. “Minha vida começou com um capacete dado pelo Ingo”, recordou o piloto de um presente recebido aos 7 anos. O "Alemão” era amigo do pai de Rubinho e usava a loja dele como um escritório improvisado. “É legal saber que esse gesto teve tanta importância. Ninguém poderia imaginar até onde ele chegaria. É incrível como as histórias se cruzam no automobilismo”, disse Ingo.

ani Pedrosa venceu ontem o GP de Aragão, uma das quatro provas disputadas na Espanha nesta temporada, e encostou no compatriota Jorge Lorenzo na briga pelo título. A diferença agora é de 33 pontos: 290 a 257. Lorenzo chegou na segunda posição, a 6s de seu compatriota.

O italiano Andrea Dovizioso chegou em terceiro lugar, após uma disputa acirrada com o britânico Cal Crutclow, seu companheiro na Yamaha, que terminou a corrida em quarto lugar. O italiano Valentino Rossi, em suas últimas corridas pela Ducati antes de voltar à Yamaha, foi o oitavo colocado.

Judoca brasileiro leva ouro na Copa em Roma

Bruno Soares ganha título na Malásia

R

enan Nunes conquistou a medalha de ouro para o Brasil na etapa de Roma da Copa do Mundo de Judô, depois de vencer por ippon o sueco Martin Pacek na final da categoria até 100 kg. O Brasil levou uma equipe renovada, sem nenhum atleta que esteve nos jogos de Londres, e ganhou também uma prata, com David Moura, na categoria acima de 100 kg - ele perdeu para o francês Jean-Sebastien Bonvoisin, por ippon. Bárbara Timo (até 70 kg) e Katherine Campos (63 kg) foram as mulheres com melhor resultado, em quinto.

B

runo Soares ganhou mais um título de duplas, no Torneio da Malásia, em Kuala Lumpur. Ele e o austríaco Alexander Peya venceram os britânicos Colin Fleming e Ross Hutchins por 2 a 1 (5/7, 7/5 e 10/7), numa partida bastante equilibrada, que durou 1h44min. Foi o primeiro título da dupla, em seu quarto torneio juntos. “Todo título é realmente especial, com uma história diferente e uma atmosfera diferente. A semana foi especial, porque sentimos que estávamos jogando melhor a cada partida”, contou Bruno.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24 -.ESPORTE

sábado e domingo, 29 e 30 de setembro e segunda-feira, 1 de outubro de 2012

FIM DE JOGO

L

Orçamento russo para a Copa de 2018 já chega ao dobro do previsto

L

França prende bicampeão olímpico de handebol por manipular resultados

L

Thiago Alcântara rompe ligamento do joelho e desfalca Barça por 60 dias

L

Vídeo em destaque - Problemas com a arbitragem - www.dcomercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

A DIFERENÇA CASAMENTO À VISTA

Com ele, o Palmeiras não cai

Reprodução/Instragram

Com Marcos Assunção, o time tem 39% de aproveitamento; sem ele, faz apenas 27% dos pontos Léo Barrilari/AE

A

nimados com as duas vitórias consecutivas que devolveram ao time a esperança de escapar ao rebaixamento no Campeonato Brasileiro, os palmeirenses estão fazendo festa para o técnico Gílson Kleina, mas não podem esquecer que a estreia do substituto de Luiz Felipe Scolari coincidiu com o retorno aos campos do volante Marcos Assunção, autor de várias assistências e dois gols nos 3 a 1 sobre o Figueirense e nos 3 a 0 sobre a Ponte Preta. Desde o começo da competição, o Palmeiras tem se dado melhor quando o volante joga. Curiosamente, o time ganhou 13 pontos com Marcos Assunção em campo e outros 13 sem ele. A diferença é que o volante fez apenas 11 jogos - o que significa um aproveitamento de 39% dos pontos disputados, com quatro vitórias, um empate e seis derrotas. Sem Marcos Assunção, o Palmeiras precisou de 16 jogos para chegar aos 13 pontos - ou seja, o aproveitamento cai para 27%, com três vitórias, quatro empates e nove derrotas. Em toda a campanha, o aproveitamento palmeirense é de 32%, o que coloca o time em 18º lugar no campeonato. Os 39% obtidos com Marcos Assunção valeriam o 16º lugar, uma posição além da zona de rebaixamento, para onde iria o Coritiba, atualmente com quase 36% de aproveitamento. O capitão do Palmeiras tinha, pois, bons motivos para sair do Pacaembu, sábado à noite, com o sentimento de dever cumprido: "Nosso trabalho a gente fez e era conseguir ganhar da Ponte". Sobre o futuro, ele é discreto: "Vamos esperar os adversários e ver o que acontece, mas o mais importante é fazermos bem o nosso trabalho. Graças a Deus, estamos fazendo". É verdade - pelo menos, nos jogos em que o Palmeiras conta com o talento e a experiência do veterano camisa 20 no meio-de-campo.

 Ainda em recuperação da lesão na coxa esquerda, Paulo

Henrique Ganso recebeu uma má notícia do fisioterapeuta Luis Rosan no meio da semana: talvez só tenha condições de voltar a jogar em 2013. Na vida pessoal, porém, as coisas andam bem: “Hoje foi um dos dias mais especiais das nossas vidas, enfim, Te amo!!” - registrou no Twitter a namorada Giovanna Costi, após um jantar com amigos em que o casal anunciou o noivado. O casamento fica para depois da estreia do craque com a camisa do São Paulo. Sexta-feira, 28 de setembro

ATRAÇÃO

Parisienses curtem estátua que irrita Zidane Christian Hartmann/Reuters

P

arece que Zinedine Zidane não está gostando, mas a estátua que reproduz a cabeçada no italiano Marco Materazzi durante a final da Copa do Mundo de 2006, exposta em frente ao Centro Pompidou, tem atraído cada vez mais a atenção dos parisienses. A obra, do argelino Adel Abdessemed, tem cinco metros de altura e foi exposta em Nova York antes de ser levada para Paris. Domingo, 30 de setembro

EM CURITIBA Heuler Andrey/AE

O PESO DE CADA UM

Ronaldo faz força, Adriano foge do trabalho

Torcida cerca garota com camisa de Lucas

A

pós o 1 a 1 com o Coritiba, o são-paulino Lucas acabou participando sem querer de uma confusão com torcedores paranaenses no estádio Couto Pereira. O meia jogou sua camisa para uma garota que lhe tinha pedido a peça, mas torcedores do Coritiba cercaram a criança e seu pai nas arquibancadas, ameaçando-os e xingando até que os

dois fossem retirados do local. “Fiquei muito assustado, é lamentável o que aconteceu”, reagiu o jogador nas entrevistas à beira do campo. Em seguida, Lucas fez questão de se reencontrar com a garota e o pai no vestiário, entregou uma nova camisa do São Paulo a ela e posou para algumas fotos ao lado dos dois. Domingo, 30

Foto: André Luiz Mello/AE

E

xemplo de superação ao longo da carreira, Ronaldo Fenômeno indicou o amigo Adriano como sucessor no Corinthians quando se aposentou em 2010. O Imperador chegou em 2011, contundiu-se seriamente e levou tão pouco a sério o tratamento que acabou tendo de sair do clube em 2012. Enquanto isso, sem as obrigações profissionais de um jogador de futebol, o amigo Ronaldo engordava. Ao chegar a 118 quilos, resolveu participar do quadro Medida Certa, do Fantástico, "para voltar à forma". No sábado seguinte, Adriano faltou pela terceira vez a um treino do Flamengo, que estuda rescindir o contrato com o jogador sem que ele tenha atuado uma vez sequer.

dução

Repro

Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

almanaque Celso Unzelte

Há 35 anos, Pelé se despedia do futebol

T

arde de 1º de outubro de 1977, um sábado. Há 35 anos, Pelé fazia o último de seus 1.367 jogos como profissional: Cosmos 2 x 1 Santos, amistoso em New Jersey, Estados Unidos. Na foto, ele chora consolado por Carlos Alberto Torres, seu companheiro no Santos, na Seleção Brasileira de 1970 e no Cosmos, onde ambos encerraram suas carreiras.

Love, love, love.” Palavras pronunciadas por Pelé ao microfone do Giant Stadium, antes do início de seu jogo de despedida, que depois foram transformadas em música por Caetano Veloso.

P

elé jogou um tempo para cada lado. Fez seu gol 1.280, de falta, aos 42 minutos, para o Cosmos (Reinaldo fez Santos 1 a 0 aos 14). No segundo tempo, aos 4, já com Pelé no Santos, Miflin fez Cosmos 2 a 1. O Cosmos jogou com Messing (Yasin), Nelsi (Hunter), Roth, Carlos Alberto (B. Smith) e Rildo (Formoso); Garbett (Vitor), Beckenbauer e Tony Field (Ord); Chinaglia, Pelé (Miflin) e Hunt (Oliveira). O Santos tinha Ernâni, Fernando, Joãozinho, Alfredo e Neto; Zé Mário, Aílton Lira (Pelé) e Carlos Roberto; Nílton Batata, Reinaldo (Juary) e Rubens Feijão (Bianchi).

8

CURTAS

 Amanhã, 2 de outubro,

faz 38 anos que Pelé se

ar: despediu no Brasil, no vezes Pelé voltou a jog is do em e, ns pelo Flumine jogo Santos 2 x 0 Ponte amistosos (1978); pelo Preta, em 1974. o Flamengo, em amistos 9); com o Atlético-MG (197  E na quarta, 3 de outubro, e pelo Cosmos (em 1980 do completam-se 22 anos da em 1984); pela seleção última vez em que Pelé sudeste (1983); pela ; 7) 98 (1 rs te as m seleção de esteve em campo, em sta fe a su em il, e pelo Bras sua festa de 50 anos: de 50 anos (1990). Amigos de Pelé 2 x 1

Brasil, em Milão.

Diário do Comércio  
Diário do Comércio  

01 Out 2012

Advertisement