Page 1

CORRUPÇÃO DO CÉU AO INFERNO

'Voto envergonhado e sem vergonha'

'A covardia do voto secreto'

Espírito de corpo, marca registrada do Congresso, salvou deputada, escreve José Márcio Mendonça. Pág. 2

Cientista político Roberto Romano fala ao DC sobre os perigos da absolvição de Jaqueline. Pág. 6

Ano 87 - Nº 23.449

Conclusão: 23h45

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quinta-feira, 1 de setembro de 2011

E eira/A Ed Ferr

Fotos: Nilto

n Cardin/AE

A coisa é tão grave que, após a absolvição da deputada Jaqueline Roriz (à dir., manifestante protesta na Câmara), o senador Cyro Miranda teve a ideia de criar o Dia da Corrupção e a oposição intensificou campanha por uma CPI. Já o prefeito de Taubaté foi a Aparecida pagar promessa – acusado de desvios, escapou de impeachment. Págs. 5 a 7

Cadastro Positivo ao ritmo das redes sociais A cada mês, triplica o número de consumidores que autorizam a inclusão de seus nomes na lista de bons pagadores. Pág. 13

Dragão soluça e baixa juro a 12%

Orçamento prevê mínimo de R$ 619,21 Correção do salário mínimo, de 13,6%, já vale a partir de janeiro, segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Pág. 11

Mais um G8 de rebelados do PMDB

Pela 1ª vez desde 2009, o Copom reduz a taxa básica de juro. O corte, de 0,5 ponto, visa acelerar a economia frente à crise mundial. "A decisão mostra que o BC está atento", diz Rogério Amato, presidente da ACSP, que espera mais medidas. Pág. 11

Depois do G8 do Senado, vem o dos deputados. O grupo, liderado por Eduardo Cunha (RJ), defende que o partido devolva todos os cargos no governo. Pág. 6 Nilton Fukuda/AE

Wilson Dias/ABr

Num dia, 32,7°C (recorde neste inverno) às 13h. No outro, no mesmo horário, 12°C. O paulistano tem de ser um forte mesmo. Pág. 9 HOJE Muitas nuvens durante o dia. Máxima 16º C. Mínima 8º C.

AMANHÃ Nublado. Pode garoar à noite. Máxima 16º C. Mínima 7º C. ISSN 1679-2688

23449

9 771679 268008

Feirinha 'mundial' da Madrugada na 25 de Março Pelo menos metade do espaço que deveria servir para tirar camelôs da ilegalidade está nas mãos de alguns estrangeiros, principalmente chineses. E eles não têm custos, como água e luz, para manter cerca de duas mil barracas. Pág. 9

Uma sereia no piscinão da UNE Lula Marques/Folhapress

São Paulo, terra de contrastes.

Camila Vallejo, musa do movimento estudantil chileno, participou do protesto da União Nacional dos Estudantes em Brasília por mais verbas para a educação. Dilma recebeu lista de reivindicações. Pág. 7


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O voto secreto, nessas circunstâncias é, ao mesmo tempo, um voto envergonhado e um voto sem vergonha. José Márcio Mendonça

pinião

Voto envergonhado e sem vergonha

SAMIR KEEDI

BRASIL E MÉXICO:

Ed Ferreira/AE

LAÇOS SOLTOS

O

relacionamento algum dos ACE - Acordo de entre Brasil e México Complementação Econômica, sempre foi muito temos de verificar se está no bom. Diríamos até excelente. PTR 4. Porém, há uma lista São dois países com muitas de exceções: o que está nesta afinidades – inclusive nas lista precisa ser importado suas crises econômicas. com pagamento normal do Aparentemente, ambos Imposto de Importação. poderiam trabalhar juntos, Isso é um mistério para numa parceria de bons nós. É, no mínimo, surreal. resultados, principalmente Não sabemos como explicar. no que tange ao comércio O mais plausível a se cogitar é exterior. Até porque os que um acordo abrangente mexicanos formam, com EUA entre Brasil e México não e Canadá, um dos mais é interessante, importante importantes blocos ou conveniente. Será uma econômicos do mundo, o questão de governo? Ou NAFTA - North América Free de empresários? Precisamos Trade Agreement. É um bloco pensar seriamente sobre de preferências tarifárias, com isso e, se houver arestas a o intento de chegar ao livre serem aparadas, que o sejam. comércio e que que poderia ser, mais uma porta de ode até ser que o entrada para o maior mercado problema seja o individual do mundo, os EUA. Mercosul, com outros No entanto, como sabemos de seus países-membros. que há mais coisas entre o céu O bloco não permite acordos e a terra do que as nuvens, individuais: a única fórmula chuvas e aviões, algo não bate aceitável é "4 + 1", ou seja, nesse relacionamento. O lógico acordos do bloco com outro(s) seria termos – o Brasil ou o país(es). A situação piorará Mercosul – um acordo de livre muito quando tivermos o comércio, ou caminhando "'azar" da decisão ter que ser para ele após um período 5 + 1 – o que não está distante. de preferências tarifárias. No Falta só a anuência do entanto, o relacionamento do Paraguai para a entrada do Brasil/Mercosul com o México famigerado 5º país-membro. está muito aquém do Evelson de Freitas/AE - 02/04/2008 desejável. Embora tenhamos três acordos comerciais com o país, eles são muito tímidos se comparados aos que temos com diversos outros países.

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA

S

alvou o mandato da deputada do Distrito Federal, Roriz Filha (como diriam os colunistas sociais de antanho, née Jaqueline) o espírito de corpo que é marca registrada do Congresso Nacional. O medo de um chamado "efeito Orloff" – eu sou você amanhã. A acusação que envolvia a parlamentar brasiliense, flagrada com a mão na cumbuca, era, no fundo, de recebimento indevido de "recursos não contabilizados de campanha" (apud "o nosso querido Delúbio"), popularmente chamado de "caixa dois". E em matéria de caixinha ou de caixa maior na política, quem no Congresso pode atirar o primeiro voto? Mas o instrumento que salvou a deputada Roriz – coisa, aliás, que Brasília inteira, mais as torcidas do Corinthians e do Flamengo juntas já sabiam que aconteceria desde sempre – foi o maldito voto secreto que impera em várias instâncias de decisão do Congresso Nacional. Uma das muitas excrescências da peculiar democracia dessas terras tupiniquins. O mesmo voto secreto que salvou alguns "mensaleiros" federais, hoje com a corda no pescoço no Supremo Tribunal Federal (STF). Quando o processo de cassação da Roriz Filha foi votado na Comissão de Ética, com um contundente relatório do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), a perda de mandato foi aprovada com facilidade, pois lá o voto foi aberto e a turma não quis mostrar sua verdadeira cara aos eleitores. Acobertada pelo capuz do voto secreto no plenário, na terça-feira, a maioria ganhou coragem para votar em causa própria, sem deixar digitais. E ainda por cima criando uma espécie de "jurisprudência": desvio de conduta ou crime cometido antes do mandato não merecem ser julgados no Congresso.

A

berração maior, impossível. O parlamentar, vale repetir o óbvio, não é dono daquela cadeira, daquele mandato: ele é apenas um representante do eleitor, do cidadão. Deve, portanto, satisfação de seus atos a quem o elegeu. E como o eleitor poderá julgar corretamente seu parlamentar, se em momentos decisivos ele se esconde por detrás da máscara do voto secreto? Como agora o fizeram 265 parlamentares (fora os que se omitiram, quase 100) em relação à filha do exgovernador e ex-senador Joaquim Roriz, cinematograficamente flagrada recebendo dinheiro escuso

P

T

Deputada Jacqueline Roriz fala na Câmara: salva da cassação pelo espírito de corpo do Congresso. para fazer política. O voto secreto em votações no Legislativo somente se justifica em alguns poucos casos, raras exceções, quando se trata de proteger o parlamentar de pressões que podem se tornar insuportáveis, vindas principalmente de outros poderes. É o caso específico, por exemplo, das apreciações dos vetos presidenciais e mais algumas questões diplomáticas e de segurança externa. É isso e pouco mais. O voto do parlamentar, de modo geral, tem de ser limpo, aberto, confessado e ponto final. Quando alguns mensaleiros começaram a ser salvos, encobertos

pelas nuvens dos votos envergonhados dos deputados de então, reações mais indignadas de setores formadores de opinião pública levaram a um movimento no Congresso pela extinção do voto secreto.

A

proposta chegou a ser discutida pelos parlamentares e passou inclusive por votação até em primeiro turno na Câmara. Passado o estardalhaço da absolvição da maior parte dos mensaleiros, a emenda constitucional do fim do voto secreto foi para o limbo ainda em 2006, e apagou-se da memória parlamentar. Na oca-

O instrumento que salvou a deputada Roriz foi o voto secreto, que impera em várias instâncias de decisão do Congresso Nacional.

sião, dos 12 deputados acusados de receber vantagens do esquema do mensalão que tiveram cassação recomendada pela Comissão de Ética (voto aberto) só três perderam o mandato. Os outros nove foram libertados pelo voto oculto. O voto secreto, posteriormente, liberou o "deputado do castelo", o mineiro Edmar Moreira, só "cassado" posteriormente pelo eleitor. O voto secreto nessas circunstâncias é, ao mesmo tempo, um voto envergonhado e um voto sem vergonha. E não há no parlamento quem queira mudá-lo. Na reforma política, fala-se, com chances de sair, em dar mais dinheiro público para a campanha, sem coibir duramente o caixa dois. É assim, infelizmente para a democracia brasileira, que o Legislativo vai deslizando sempre e seguramente ladeira abaixo. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

emos acordos abrangentes, dentro do Mercosul, com o Chile, com a Bolívia, com o Peru, e com a Colômbia, Equador e Venezuela, em conjunto. Raramente há algo não enquadrado nesses acordos, necessitando a utilização do acordo realizado com todos os países em conjunto. É o PTR 4 – Acordo de Alcance Regional –, apenas de preferência tarifária. Estabelecido entre os 12 países que constituem a Aladi – Associação Latino Americana de Integração – sucedeu a ALALC - Associação Latino Americana de Livre Comércio, aquela que nunca funcionou . Estranhamente, não temos acordos abrangentes com o México. Temos três acordos válidos com aquele país: o ACE 55, automotivo; o ACE 53 para demais mercadorias e o PTR 4, da Aladi (fora o ACE 54, que nunca foi implementado). Cada um abrange certa quantidade de mercadorias, mas os três juntos não abrangem a totalidade do que existe e do que é transacionado entre as partes. Quando a mercadoria não está enquadrada em

Mas achamos que o problema é brasileiro e por alguma estranha razão que a própria razão talvez desconheça. Precisamos também, independentemente de qualquer acordo abrangente com o México, fazer acordos com outros países. Temos de acompanhar o México e o Chile – cada um tem acordos com cerca de 50 países. Precisamos parar de sermos avessos a acordos comerciais, o que é flagrante, em vista dos que temos. Uma das primeiras coisas a fazer é sair do Mercosul. Ou retroceder na união aduaneira e transformá-lo num simples acordo de preferências tarifárias. É só verificar os eternos problemas que o bloco apresenta para ver que ele talvez não compense tantos acordos que deixamos de fazer com outros países. SAMIR KEEDI É PROFESSOR, ECONOMISTA, AUTOR DE VÁRIOS LIVROS EM COMÉRCIO EXTERIOR. SAMIR@ADUANEIRAS.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Fernanda Pressinott, Kleber Gutierrez, Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli, Evelyn Schulke, e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Geriane Oliveira, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

o

3

OS PAÍSES E AS EMPRESAS ESTÃO O TEMPO TODO NUMA B A TA L HA PELO PETRÓLEO.

pinião

Petróleo ainda dita os rumos do futuro

D

aniel Howard Yergin é e c o n omista, considerado uma das maiores autoridades do mundo em energia. É um homem que assessora chefes de Estado e empresários quando há dúvidas sobre o rumo tomar nas questões energéticas. Ye r g i n g a n h o u mais notoriedade quando publicou, em 1992, O Prêmio: a Busca Épica por Petróleo, Dinheiro e Poder, que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer desse ano. Nessa obra ele já provava que a energia é o que de fato impulsiona as mudanças políticas e econômicas do mundo. Agora, mostra os detalhes e novas explicações sobre esse assunto em The Quest: Energy, Security, and the Remaking of the Modern World (em português, "A Busca: Energia, Segurança e a Reconstrução do Mundo Moderno", The Penguin Press HC, 816 páginas). Quatro anos atrás ele esteve no Brasil para um encontro em que especialistas de diversas partes do mundo discutiram as possibilidades para o álcool brasileiro (agora etanol) no mercado de combustíveis. Yergin chegou ao anunciar que em três anos o etanol brasileiro se transformaria n u m p ro d u t o d e e x p o r t a ç ã o muito relevante, mas suas expectativas foram até modestas em relação à realidade atual.

A

s decisões sobre energia não se originam apenas na mente dos governantes e empresários. Yergin mostra que elas surgem nas ruas de Pequim, nos conflitos do Oriente Médio, nas praias do Mar Cáspio, no Vale do Silício ou no Rio de Janeiro e precisam ser bem compreendidas, caso contrário, podemos estar abrindo mão dos rumos que escolheremos para o futuro. Todas essas decisões afetam, de um ou de muitos modos, o equilíbrio do meio ambiente e o aquecimento global. O livro acaba centralizado nas questões do petróleo por razões óbvias – os dados mais recentes da Energy Information Administration, dos EUA, mostram que o petróleo responde por 35% da energia consumida e o carvão, por 21%, enquanto o gás natural responde por 21% do consumo e as fontes renováveis apenas por 8%. A Agência Internacional de Energia (AIE) calcula que serão necessários investimentos da or-

PAULO BRITO dem de US$ 10,5 trilhões até 2030 para que esse quadro se torne mais confortável em termos de dependência de uma fonte ou de outra. A situação ficou assim por causa das decisões tomadas pelas empresas e governos em relação à energia. Yergin mostra o caminho percorrido pelo mundo até esse ponto, com a ascensão do que ele chama de "petrostate", a corrida pelo controle dos recursos energéticos do antigo império soviético, e as gigantescas fusões corporativas que transformaram o mercado mundial de petróleo para sempre. Com tal grau de dependência, países e empresas estão o tempo todo numa batalha pelo petróleo – acesso e controle, manutenção de estoques e de fornecedores, para aliviar a insegurança do abastecimento. Todas essas ações, garante Da-

niel Yergin, continuarão a moldar a geopolítica e o mundo. E por trás delas sempre haverá questões difícieis de responder. Como, por exemplo: China e EUA poderão em algum momento entrar em guerra por causa de petróleo?

T

odos os países investem em alternativas justamente para evitar que se chegue a esse ponto, mas isso já aconteceu. A invasão do Kuwait pelo Iraque, por exemplo, foi feita sob a acusação de que o Kuwait estava roubando petróleo iraquiano por meio de sondas inclinadas. Na verdade, o Iraque tinha outras razões para a invasão, entre elas a necessidade de vender mais petróleo para pagar uma dívida de médio prazo da ordem de US$ 80 bilhões. Uma dívida contraída para pagar as

Yergin: energia é que impulsiona as mudanças políticas e econômicas do mundo.

despesas de outra guerra, contra o Irã. Yergin conta que há turbulências também em relação às outras fontes de energia – nuclear, carvão, eletricidade e gás natural oferecem cenários nada tranquilos, mas há esperança: as energias alternativas continuam um caminho importante a ser trilhado pelos governos e empresas. Hoje, os bancos de investimento estão de olho nas empresas que produzem biocombustíveis e equipamentos para geração de energia eólica ou solar, que poderão ser importantes no crescimento da economia mundial durante as próximas décadas.

N

os EUA, uma das alternativas que começa a se consolidar é a extração de gás de xisto, que recentemente se tornou viável. Até o ano 2000, ele representava apenas 1% do suprimento americano de gás natural. Hoje, já participa com 25% e pode subir para 50% dentro de duas décadas. Com sua entrada na matriz energética, as reservas de gás do país subiram para cerca de 70 trilhões de metros cúbicos de gás, sem falar em outros 14 trilhões que existem no Canadá, maior fornecedor de petróleo para os EUA. Isso representa um estoque de gás suficiente para mais de 100 anos de fornecimento. O Brasil, por ora, tem reservas conhecidas da ordem de 6 trilhões de metros cúbicos de gás de xisto. No entanto, como se não faltassem incertezas no horizonte, entra agora a questão da queda de produção da Líbia. Depois dos combates e do ataque a bases, refinarias e poços, os rebeldes acreditam que é possível restaurar a produção em alguns meses, mas a maioria dos especialistas acha que vai levar ao menos um ano para que os níveis de produção se igualem aos anteriores à guerra civil. "A história mostra que é um trabalho pesado e complexo administrar uma indústria petrolífera nos momentos de incerteza sobre quem está no poder", disse Yergin numa entrevista ao jornal The New York Times. "Agora", completou, "é preciso descobrir que estragos foram feitos e quem irá administrar essa indústria". PAULO BRITO É JORNALISTA, GRADUADO EM ECONOMIA E MESTRE EM COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA

O que não pode parar C

om a crise crescendo lá fora, ninguém mais duvida que teremos de promover um ajuste nas contas públicas. As despesas do setor já chamam a atenção dos mercados e não podemos correr o risco de entrarmos na zona de desconfianças quanto à nossa condição de enfrentar o momento econômico. Seja como for, o Brasil não pode parar. Precisa crescer e estamos defasados na infraestrutura. Logo, os projetos do PAC, concebidos no governo anterior e sob gerenciamento da hoje presidente da República, seriam suficientes para elevar a nossa capacidade de crescer, apesar da crise. Energia e transportes são pontos fracos. Não temos portos nem aeroportos em condições de atender a uma demanda maior. E os projetos ferroviários, excelentes, que resgatam um

ARISTÓTELES DRUMMOND modal fundamental, em pontos importantes do País, precisam recuperar os atrasos no cronograma planejado e, em menos de um ano, oferecer um outro quadro . Na energia, nada a acrescentar, exceto os cuidados políticos e jurídicos para que intervenções ambientais, indígenas e afins não prejudiquem o andar das obras iniciadas. Além de Santo Antônio e Jirau, que dependem de uma linha de transmissão enorme, Belo Monte não pode sofrer mais atraso para não se tornar um projeto desacreditado. E Manaus precisa receber o

linhão de Tucuruí e aproveitar a geração do gás de Urucu, projetos antigos do ex-presidente e atual diretor da Eletrobras, José Antonio Muniz Lopes.

M

elhorar a credibilidade de nosso Judiciário com a reforma dos códigos, tornando uma realidade a sonhada celeridade desde muito reclamada, é ponto que não depende de muito investimento. Pelo contrário. Com a simplificação desejada, diminuindo a carga de processos, a maioria de origem no próprio

poder público, não haverá necessidade de mais pessoal e muito menos novos prédios. Se for aplicada a Lei de Responsabilidade Fiscal, ampliando a "ficha limpa", tornando o setor público cada vez mais transparente, poderemos enfrentar a crise com mais conforto e confiança na breve retomada. Não podemos também permitir que as categorias mais organizadas promovam aumentos salariais inflacionários e levem todo o esforço até aqui feito ao descrédito. Competência e autoridade são pontos a serem exaltados pelos que ocupam postos de comando. E muita coragem . ARISTÓTELES DRUMMOND É JORNALISTA E VICE-PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO

RIO DE JANEIRO. ARI.DRUMMOND@YAHOO.COM.BR

OLAVO DE CARVALHO

A APOTEOSE DA PREPOTÊNCIA MENTAL

T

al como previ anos atrás – sendo por isso chamado de paranoico pela milésima vez –, a Associação Psiquiátrica Americana, atendendo à ruidosa exigência de grupos de pressão, está estudando seriamente a possibilidade de eliminar a pedofilia da sua lista de doenças mentais, como fez em 1973 com o homossexualismo (v.http://dailycaller.com/ 2011/08/15/conference-aimsto-normalizepedophilia/?print=1). Normalizada e legitimada pela "ciência", aquela conduta sexual especialmente abjeta será protegida pelas leis: quem quer que ouse erguer a voz contra ela será acusado de "discurso de ódio", exatamente como hoje acontece com aqueles que, sem nem mesmo condenar a prática homossexual em si, digam algo contra o movimento gay. O professor que tenha relações sexuais na escola com um aluno de oito, dez ou doze anos estará garantido pelo Estado, e os pais que se rebelarem contra essa brutalidade terão de curtir sua revolta em segredo, sem comentá-la nem mesmo com os vizinhos, por medo de serem denunciados à polícia.

A

o mesmo tempo, a administração Obama, gentilmente secundada pela grande mídia, faz o que pode para impedir que os militantes da Al-Qaeda, do Hamas e de entidades congêneres sejam chamados de "terroristas" e para fomentar, em vez disso, o uso desse termo como qualificativo adequado para os membros do Tea Party e das organizações religiosas conservadoras em geral. Há várias décadas todos os atentados terroristas do mundo são cometidos por muçulmanos radicais ou por organizações esquerdistas; nenhum por qualquer grupo de conservadores ou cristãos (a tentativa de assim rotular o norueguês Anders Breivik revelou-se uma farsa grotesca). Bem ao contrário, por toda parte os cristãos são vítimas de uma política de extermínio que os elimina à base de cem mil por década, mas isso não vem ao caso. "Terrorista", segundo a elite obamista, não é quem mata pessoas a granel: é quem vota ou fala contra Barack Hussein

Há muitas décadas todos os atentados terroristas são cometidos por muçulmanos radicais ou por organizações esquerdistas.

Obama, contra o abortismo ou contra o excesso de gastos públicos.

N

o Egito, um dos líderes elevados ao poder com a ajuda do governo Obama já prega abertamente a matança generalizada de cristãos, mas não há nisso o menor sinal de uma política de terror: terror é sugerir, mesmo por hipótese, que o atual presidente americano se elegeu com documentos falsos ou que ele tenha algum interesse em comum com os inimigos do seu país. Dentro de alguns anos, a opinião pública terá se habituado aos novos sentidos das palavras, ao ponto de não conseguir mais conceber um ataque terrorista senão sob a forma de pregação bíblica com sotaque Redneck.

P

ara maior glória da reforma semântica, a chefe da Homeland Security, Janet Napolitano, divulgou recentemente a nova descrição oficial do terrorista típico. Qual a raça do cidadão? "Caucasian". É o branco de origem europeia. Isso exclui os árabes in limine. Claro, quem não sabe? As hostes do Hamas e da Al-Qaeda compõem-se eminentemente de loiros de olhos azuis. Só um maldito racista ousaria pensar que não. O desafio satírico de Groucho Marx – "Afinal, você vai acreditar em mim ou nos seus próprios olhos?" – tornou-se política oficial. Será possível continuar não enxergando por trás dessa confluência de iniciativas uma estratégia geral de mutação psicológica das massas, a mais ambiciosa, prepotente e louca de todos os tempos? OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA


DIà RIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Solução

            

      

  

             

                     

             







     





4 -.GERAL

   '(    )*        % +       ,   

/  )* 

    

    

!    

       

'    

 

 ) 

$   !( 

& 1   

 &

 - 

 

#  

/+  :     /  '    

& 

        

!   

"       

 ) 

      /0   !(  

;& +       

 (   "   

.       

1( &    $   

6   

  0 

9   

)    

&       

"       

  

2   + 34      + 

 #$ %& '   

5   

   

7     $     

8         

==>? 3     + >       @     A +      B   

<    

  


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

NEM A CAPETA É ACEITA Para a Câmara, receber propina não é crime, quando a envolvida é a deputada Jaqueline Roriz. Mas protestar vestida de capeta, não pode. Fere o regimento.

olítica

Absolvição de Roriz pode gerar 'Dia da Corrupção' Ed Ferreira/AE

O

senador Cyro Miranda (PSDB-GO) fez ontem duras críticas à absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) no processo de cassação da Câmara e pediu, em discurso na tribuna, que o dia 30 de agosto seja reconhecido como o Dia da Corrupção. Para que isto ocorra, o tucano prometeu encaminhar projeto nesse sentido. "Parece que a vergonha não existe mais", afirmou Miranda. "Receber propina, pegar caronas em jatos, desviar dinheiro público, para tudo existe argumento". Para o senador, "nem mesmo o vídeo comprovado pela Polícia Federal mostrando uma candidata recebendo dinheiro ilegal para financiar a campanha teve força para convencer os deputados a votarem pela cassação". O senador Pedro Taques (PDT-MT) reforçou as críticas à absolvição da deputada. "Mandato não apaga o passado, não passa uma borracha". Ele defendeu o aumento da pena para os crimes de corrupção e revelou que o País perde R$ 69 bilhões por esse tipo de crime por ano. O deputado federal Romário (PSB-RJ) também criticou a decisão. Segundo o ex-atacante, a Câmara desperdiçou uma oportunidade ao manter Jaqueline no cargo. Ele garantiu que votou pela cassação. "Não questiono a legalidade da decisão e não tenho pessoalmente nada contra a deputada", escreveu em seu blog. "Mas acho que

5

desperdiçamos uma grande oportunidade de dar uma resposta política à sociedade brasileira, cansada de tantos desvios, de tantos escândalos de corrupção". Em sua mensagem, Romário se disse decepcionado e aproveitou para defender os seus atuais colegas. "Antes de ser eleito, eu achava, como muita gente acha, que 99,9% dos parlamentares não trabalhavam. Hoje vejo, pela minha própria experiência, que não é bem assim". Por 166 votos favoráveis à cassação, 265 contra e 20 abstenções, Jaqueline Roriz foi absolvida na noite de terça-feira pela Câmara dos Deputados, mesmo com a recomendação do Conselho de Ética pela cassação. A votação foi secreta. Ela foi filmada recebendo dinheiro de Durval Barbosa, delator do mensalão do DEM do Distrito Federal. Na época, a deputada admitiu que o dinheiro seria para o caixa 2 de campanha. Capeta – Uma manifestante vestida de capeta protestou ontem no Salão Verde da Câmara contra a absolvição de Jaqueline. Dizendo-se motivada por uma "indignação com a impunidade", Leiliane Rebouças conseguiu ficar por dez minutos no local até ser retirada pelos seguranças. O pretexto foi de que não estava vestida apropriadamente, como manda o regimento da Casa. Além da fantasia, ela levou um cartaz com os dizeres "Senhores (as) deputados (as) que

Vestida de capeta, Leiliane Rebouças protesta na Câmara contra a absolvição de Jaqueline Roriz. A decisão chocou o senador Cyro Miranda. "Não há mais vergonha".

salvaram Jaqueline Roriz vão para o inferno e que o diabo os carregue". Leiliane disse que faz parte do grupo "Adote um Distrital", que acompanha os trabalhos dos políticos de Brasília. (Folhapress) Leia mais sobre corrupção nas esferas federal e municipal nas páginas 6 e 7

Waldemir Barreto/Ag. Senado

A proposta vai ser encaminhada pelo senador Cyro Miranda (PSDB-GO) que, em discurso na tribuna, disse que há argumento para tudo. "Para receber propina, para desviar dinheiro público, para pegar caronas em jatos". Nem vídeo da Polícia Federal consegue convencer os deputados federais.


p Oposição se revolta contra impunidade DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Temos pesquisas de falta de confiança nas instituições, tudo preparado pelos políticos. São cegos guiando cegos. Roberto Romano, cientista político e professor (Unicamp)

olítica

Lideranças promoveram uma manifestação após absolvição de Jaqueline Roriz. E grupo peemedebista, injuriado, pede entrega de cargos e ameaça apoiar a CPI Ed Ferreira/AE

U

m dia depois de a Câmara absolver a deputada Jaqueline Roriz (PMNDF), as principais lideranças da oposição no Congresso fizeram, ontem, um novo manifesto contra a impunidade e a favor da CPI da Corrupção, para apurar irregularidades em diversos ministérios. Até agora, a CPI já conta com o apoio de 126 deputados e 20 senadores. Para sair do papel, precisa da assinatura de 171 deputados e 27 senadores. Estavam presentes no ato PSDB, DEM, PPS e PSol. "Nunca, em tempo algum, essa CPI se justificou tanto como agora. Ontem, em um momento infeliz da Câmara, provocamos mais um desgaste e uma razão de desesperança para a sociedade", lamentou o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), referindo-se à sessão que absolveu Jaqueline. PMDB rebelado – Depois do G8 do PMDB do Senado – grupo de senadores independentes que contestou a lide-

rança de Renan Calheiros (AL) na relação com o governo – surge agora o G8 da Câmara, pregando que o partido devolva os cargos que ocupa à presidente Dilma Rousseff. Liderados pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sete deputados do PMDB do Rio assinaram um manifesto em que reafirmam o apoio ao líder da bancada, Henrique Eduardo Alves (RN) e à presidente Dilma, mas "expressam o seu descontentamento com a participação do partido no governo". "Não estamos brigando com ninguém nem pedindo nada. Atese é a de entregar tudo. Se é para o PMDB ficar com a gorjeta, é melhor deixá-la para o garçom", diz Cunha. Segundo ele, o manifesto reúne apenas a bancada fluminense do partido, mas poderia ser maior porque o descontentamento é mais amplo. O primeiro dos seis itens do manifesto é o que apoia Alves e reafirma o "engajamento" na candidatura dele à presidência da Câmara em 2013, dentro do

revezamento no posto com o PT do atual presidente Marco Maia (RS). Em seguida, vem o apoio ao governo da presidente Dilma. "O melhor seria estarmos fora da ocupação de cargos públicos, já que o tamanho do partido não está representado adequadamente". D e nú n c ia s – No quarto ponto, o grupo manifesta o "desconforto com as denúncias envolvendo quadros do partido, em situações onde os fatos denunciados são anteriores à gestão comandada pelo PMDB, mas vêm provocando desgaste em todos nós". O texto também destaca que "o apoio ao governo não significa deixar de apurar e investigar qualquer denúncia existente, seja por instrumento tradicional ou por CPI". Além de Cunha, integram a lista de signatários os deputados Adrian Musse, Alexandre Santos, Edson Ezequiel, Fernando Jordão, Nelson Bornier, Solange Almeida e Washington Reis. (Agências)

Líderes da oposição participam de ato no Congresso: indignação contra a corrupção nos ministérios.

Corrupção pode levar o Brasil a nova ditadura Mário Tonocchi

Um debate para discutir a Venezuela sem Chávez Paulo Pampolin/Hype

Victória Brotto

Newton Santos/Hype -16.05.06

E

m encontro com empresários na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o ex-embaixador da Venezuela, Milos Alcalay, pediu apoio ao ex-candidato opositor à Presidência, Alejandro Peña Esclusa, que está com câncer e continua sob intensa vigilância do presidente Hugo Chávez. Esclusa estava preso acusado de terrorismo, mas foi libertado após o Supremo Tribunal Federal venezuelano conceder liberdade a 54 presos políticos em estado grave de saúde, a pedido do presidente. Mas Peña está proibido de sair do país e de dar entrevistas. Reunião– O ex-embaixador deixou claro que uma aliança entre venezuelanos e empresários brasileiros é fundamental para manter o oposicionista vivo e também para fortificar o movimento anti-Chávez. "Ele (Alejandro) está sendo manti-

Marcel Solimeo, da ACSP, e Milos Alcalay: pedido de apoio a Esclusa.

do vivo graças à alianças, como essa com a Associação Comercial de São Paulo". Na reunião, empresários, o ex-embaixador e seu assessor, Pedro Paúl, conversaram sobre encontro futuro para dis-

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontram-se abertos no Gabinete: PREGÃO ELETRÔNICO 251/2011-SMS.G, processo 2011-0.170.319-5, destinado ao registro de preços de CÂNULAS ENDOTRAQUEAIS SEM E COM BALÃO, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 10 horas do dia 19 de setembro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 273/2011-SMS.G, processo 2011-0.225.439-4, destinado ao registro de preços de PULSEIRA DE IDENTIFICAÇÃO ADULTA E PEDIÁTRICA, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço por item. A abertura/ realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 21 de setembro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 245/2011-SMS.G, processo 2011-0.191.481-1, destinado ao registro de preços de MEDICAMENTOS DIVERSOS XI, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 26 de setembro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 259/2011-SMS.G, processo 2011-0.197.463-6, destinado ao registro de preços de MEDICAMENTOS DIVERSOS XII, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 10 horas do dia 28 de setembro de 2011, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital. RETIRADA DO EDITAL O edital do pregão acima poderá ser consultado e/ou obtido nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, www.comprasnet.gov.br, ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo.

cutir os rumos de uma Venezuela sem Chávez. Democracia– Em oposição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disse que o governo de Chávez poderia ser chamado de tudo, menos de anti-democrático, o ex-embaixador esclareceu: "Se a democracia que Lula fala é a democracia de Fidel, tudo bem. Mas a democracia nos moldes liberais não tem nada a ver com o que existe na Venezuela. Democracia não é só ter eleições. O problema do país é um só, e atende pelo nome de Hugo Chávez". Para Alcalay, Chávez inaugura um novo tipo de socialismo – o que utiliza ações democráticas para destruir a própria democracia. "O referendo em 2007 é um exemplo disso. Esse tipo de socialismo deve ser intensamente monitorado". Ele ainda caracterizou como "grande blefe" os planos de Chávez de estatizar as mineradoras. "O setor já é do Estado desde Simón Bolívar". O ex-embaixador confessou ter ficado receoso quando ouviu falar de Dilma, e hoje se diz aliviado com a política bilateral entre Brasil e Venezuela. "É uma parceria de Estado para Estado, como deve ser. E não ideológica, como com Lula". O ex-presidente, diz ele, "cometeu erros graves" em relação à América Latina, principalmente ao apoiar o regime de Manuel Zelaya. "Honduras é uma mancha do Itamaraty". Mas não negou os grandes passos da diplomacia brasileira sob comando do petista.

A

escalada no volume de casos de corrupção e a falta de ética dos políticos brasileiros para combatê-los afeta cada vez mais a legitimidade das instituições democráticas diante da população. Isso pode levar o País a um novo regime de exceção, inclusive, com apoio popular. A antevisão é do cientista político e professor-titular do Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Roberto Romano, ao analisar a absolvição da deputada Jaqueline Roriz no processo de cassação de seu mandado, anteontem, na Câmara federal. Em entrevista ao Diário do Comércio, o filósofo observa que a instituição do foro privilegiado para políticos os deixaram "mais arrogantes, mais ousados e mais delinquentes". A seguir, os principais pontos da entrevista. Diário do Comércio – A absolvição pode ser considerado um caso clássico de conflito entre a norma e a ética? Roberto Romano – Temos dois princípios que regem a atuação dos poderes na era moderna. O primeiro. é o princípio da legalidade, que define os procedimentos legais. O segundo é o princípio da legitimidade. A questão é que, embora legal, aquele ato do poder corresponde à vontade soberana do povo. Não podemos esquecer que as constituições democráticas modernas co-

locam o povo como soberano e não seus representantes. No caso da deputada Jaqueline Roriz tivemos uma aplicação de normas legais, que distanciaram enormemente o Congresso e sobretudo a Câmara dos Deputados da legitimidade. Temos aqui uma espécie de tiro no próprio pé dados pelos deputados. Eles estão ampliando o campo da opinião pública no sentido de fechar o parlamento e acabar com o sistema representativo como forma legítima de governo. DC – Com a declaração de inocência de Roriz, que exemplo os políticos oferecem para a sociedade brasileira? Romano – Os exemplos da arrogância e da covardia, porque se esconderam atrás do voto secreto e de irresponsabilidade, pela falta de respeito pelos princípios da ética. DC – Seria o caso de alterar a norma para atender a necessidade ética? Romano – O que ocorre no caso brasileiro é que desde a instauração do privilégio de foro para os políticos, a situação da corrupção e da falta de ética pioraram muito. Eu não tenho nenhuma ilusão de que em qualquer governo ou sociedade deixe um dia de existir a corrupção. É um fato devido a um grande conglomerado de interesses. Agora, desde o privilégio de foro, os políticos se tornaram mais arrogantes, mais ousados e mais delinquentes. Enfim, se você não muda essa norma – e eu me espanto de o Supremo Tribunal Federal aceitá-la – evi-

Patrícia Cruz/Luz 9/4/2010

Para o cientista político Roberto Romano, os políticos estão cada vez mais "ousados, arrogantes e delinquentes".

dentemente não podemos esperar nada mais dos políticos. Veja que até a Ficha Limpa está sob ameaça de não ser cumprida. DC – Essa situação de corrupção deve, entretanto, ficar por isso mesmo? Romano – Não vai ficar por isso mesmo, vai ficar pior. Veja, nós temos uma visão muito ligada ao cotidiano, a um tempo curto. Esquecemos de ver a curva do tempo. Temos que pensar em termos macros, históricos. O que acontece com o Brasil é que ele está caminhando rapidamente para termos um regime plenamente corrupto, sem legitimidade e cuja legalidade vai depender da força econômica ou da força política do jogo de interesses. Estamos, na verdade, preparando uma ditadura pior que as vividas no período Vargas e no regime militar. Estamos inoculando na população a ojeriza ao princípio representativo. Isso aconteceu no século 20, na Itália e na Alemanha, e o resultado foi o fascismo e o nazismo. Isso aconteceu aqui no Brasil, com a República Velha, altamente corrompida e ligada a grupos de interesses, e, em 64, tínhamos os processos de corrupção política que deram inclusive origem a mitos, como o caso de Jânio Quadros, que se apresentou como o político que iria lutar contra a corrupção e o resultado foi a ditadura. É bom lembrar que o golpe de 64 foi feito contra a corrupção e contra a subversão. Na verdade eles conseguiram, na cabeça deles (militares) acabar com a subversão, mas eles se deram muito bem com os corruptos. Com o que vemos hoje, podemos concluir que foram 20 anos de regime autoritário para nada! DC – Não aprendemos com nossos erros... Romano – Estamos novamente caminhando para uma ditadura pior, com apoio popular. Já temos pesquisas de falta de confiança nas instituições. Tudo preparado pelos próprios políticos. São cegos guiando cegos.


p Livre, prefeito vira pagador de promessa DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

7

Mais investimento em educação, fim do superávit primário e meia-entrada nos jogos da Copa de 2014. Itens da lista de 43 reivindicações dos estudantes à presidente Dilma

olítica

Acusado de corrupção, Roberto Peixoto, de Taubaté, faz peregrinação pela Dutra até Aparecida por ter sido absolvido no processo de impeachment aberto pela Câmara

D

epois de escapar da cassação de seu mandato por oito votos contra e seis a favor, o prefeito de Taubaté (130 km de São Paulo), Roberto Peixoto (PMDB), resolveu por em prática a promessa que tinha feito e realizou uma peregrinação que começou à meia noite de terça-feira, em Taubaté, e terminou na manhã de ontem, na Basílica Nacional, em Aparecida. A peregrinação se justifica. O prefeito paga a promessa que fez à Nossa Senhora Aparecida caso fosse absolvido no processo de impeachment aberto pela Câmara de Vereadores da cidade. Em junho, ele e a primeiradama, ex-secretária de Ação Social do município, foram presos temporariamente pela Polícia Federal. O prefeito de Taubaté é suspeito de participar de um esquema de superfaturamento e de desvio de dinheiro federal na compra de merenda e na contratação irregular de empresas para fazer a distribuição de medicamentos. Em sessão extraordinária nos dias 12 e 13 de agosto, os vereadores decidiram mantêlo no cargo. Dos 14 membros da Casa, seis votaram contra a cassação, e oito, a favor. Para tirar o prefeito, eram necessários 10 votos favoráveis. A sessão durou 13 horas e meia. Aliviado, ele resolveu cumprir a promessa e o percurso dos 40 quilômetros que ligam Taubaté ao santuário de Aparecida. A romaria foi feita às margens da via Dutra, principal rodovia que liga São Paulo ao Rio de Janeiro.

Fotos: Nilton Cardin/AE

'Burro' – Durante o trajeto, Roberto Peixoto carregou a imagem da santa, confeccionada por artesão de Taubaté, vestindo a camisa do "Burro da Central" (em homenagem ao time de sua cidade). "Ele tem o costume de fazer essas peregrinações até Aparecida. Só há um motivo a mais para agradecer", disse a chefe de gabinete, Sônia Ragazzini. "Essa minha ida a Aparecida é uma homenagem às famílias de minha cidade e um pedido especial para que Nossa Senhora sempre esteja do lado dos justos, dos mais necessitados e dos oprimidos", afirmou Peixoto, em nota oficial. Mais denúncias – Promessa paga, o prefeito, que foi absolvido no legislativo municipal, pode até estar de consciência tranquila. No entanto, ele ainda é alvo de investigação da Polícia Federal. Além disso, também é réu em uma ação civil na Justiça. Entre outras denúncias, o prefeito de Taubaté é acusado de fraudar licitações e de receber propina das empresas vencedoras. Peixoto nega todas essas irregularidades. Durante o trajeto até Aparecida, o prefeito recebeu apoio de vários moradores da Taubaté. "Ele merece, é um rapaz honesto. A gente gosta dele e a gente veio fazer essa homenagem a ele mesmo", disse a doméstica, Edna Moraes. Mas Peixoto também enfrentou manifestantes que protestaram contra a atitude dele com uma faixa em viaduto com os dizeres: "Não use a Padroeira em vão, Taubaté não quer corrupção". "Infelizmente em tudo tem

política. Então você vê que o pessoal do contra, infelizmente, continua agindo ainda. Isso não é bom, mas como eu disse, quando chegar vou fazer minhas orações para que eles também amansem o coração, quem sabe?", explicou o pagador de promessa. Por volta das 9h30, Roberto Peixoto chegou ao Santuário Nacional. Além do grupo que o acompanhou na caminhada, outras pessoas da administração municipal se juntaram para assistir a missa das 10h30 na Capela São José, que fica no interior da Basílica. (Agências)

Na basílica de Aparecida, fiéis pedem proteção da padroeira contra o prefeito (acima). Ao lado, Peixoto e a mulher. No trajeto, uma faixa o alertou: "Não use a Padroeira em vão, Taubaté não quer corrupção". O prefeito ainda prestará contas por supostas fraudes. Pedro Ladeira/AFP

Chile e Brasil: estudantes cobram educação de qualidade

A

União Nacional dos Estudantes (UNE) promoveu ontem, em Brasília, uma manifestação para defender, entre outros pontos, investimento de 10% do PIB na educação e melhorias na assistência estudantil. O protesto contou com a participação de Camila Vallejo, presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile (Fech). O ato começou com a lavagem simbólica da entrada do Banco Central. Em meio a palavras de ordem contra a taxa de juros, os estudantes, com ajuda de um carro-pipa, jogaram sabão em pó e usaram vassouras para escovar o chão. Depois, seguiram em passeata até o gramado em frente ao Congresso Nacional, onde continuaram a reivindicar, por exemplo, 50% do fundo social do pré-sal para investimentos em educação. Segundo estimativa da Polícia Militar, o protesto reuniu 2,5 mil pessoas

na Esplanada dos Ministérios – a UNE fala em 20 mil. Chile– Líder do movimento estudantil chileno, Camila Vallejo, considerada uma musa dos protestos no Chile, falou aos brasileiros sobre a situação de seu país, onde alunos do ensino fundamental ao superior ocupam escolas e fazem barricadas para exigir do governo federal educação pública e gratuita. Na semana passada, o presidente da UNE, Daniel Iliescu, foi a Santiago apoiar a causa dos colegas chilenos. Para Iliescu, os atos realizados no Brasil atraem menos participantes a Brasília, mas os jovens daqui são 'muito mais participativos'. "O número de 20 mil pessoas aqui hoje, somado às mobilizações que têm ocorrido no País, é muito expressivo. O que não nos isenta da vontade de colocar milhares, milhões na rua, para manifestar nossos interesses". Agenda lesiva – O presidente da UNE disse ainda que a si-

tuação no Chile é atípica e lembra o movimento que ocorreu em 1992 no Brasil, quando milhares de jovens pintaram os rostos e pediram o impeachment do presidente Fernando Collor de Mello. "O presidente do Chile (Sebastian Piñera) está comprometido com uma agenda lesiva a seu país". À tarde, os presidentes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) estiveram com a presidente Dilma Rousseff – e os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) e Fernando Haddad (Educação). Eles cobraram mais empenho do governo na aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita em comissão especial na Câmara dos Deputados. Também apresentaram uma lista de 43 reivindicações: mais investimento em educação, fim do superávit primário e meia-entrada nos jogos da Copa de 2014. (AE)

Camila Vallejo, líder estudantil chilena, e Daniel Lliescu, presidente da UNE: "Educação é prioridade".

Turismo: 21 denunciados por desvio de verbas

Wilson Dias/ABr

A

Procuradoria da República no Amapá denunciou 21 pessoas por envolvimento em desvio de verba do Ministério do Turismo. Entre os denunciados estão os dois ex-secretários-executivos Frederico Silva Costa e Mário Moysés, além de Colbert Martins, afastado do cargo de secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo. Os três chegaram a ser presos pela Operação Voucher, da Polícia Federal (PF), no dia 9 de agosto. Nas denúncias, o Ministério Público menciona os crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato – obtenção de vantagem em razão do cargo – e uso de documento falso. As ações criminais foram protocoladas ontem na Justiça Federal. A informação foi divulgada ontem (31) pela Procuradoria da República. Os indícios contra a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) serão encaminhados à Procuradoria-Geral da República (PGR), que tem a prerrogativa de investigá-la e denunciála ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde ela tem foro privilegiado. Depoimentos de presos

Manifestações e atos públicos em Brasília: estudantes entram em espelho d'água em frente ao Congresso.

na operação da PF afirmam que a deputada ficou com parte do dinheiro do esquema, o que ela nega. Ao todo, 36 pessoas foram presas na Operação Voucher, que desmontou um esquema de desvio de recursos num convênio de R$ 4 milhões entre o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi), uma entidade de fachada, e o Ministério. O dinheiro era oriundo de uma emenda parlamentar de Fátima. Os diretores do Ibrasi também foram denunciados pela Procuradoria da República. Segundo a investigação, o instituto deveria usar o dinheiro para capacitação profissional no Amapá, mas jamais realizou o serviço, tendo desviado os recursos para empresas fantasmas. Além da cúpula do Ministério, outros exfuncionários da Pasta também foram denunciados, entre eles Antônio dos Santos Júnior, que era braço direito de Frederico Costa. Os dois aparecem em uma gravação telefônica, autorizada pela Justiça, em que orientam um empresário a montar uma entidade de fachada. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

FRANÇA Testemunha acusa Sarkozy de ter recebido doação ilegal durante campanha eleitoral

nternacional

ARGENTINA Congresso debate veto a posse de terras por estrangeiros Eric Feferberg/AFP

Reuters

Racha na família Kadafi. Em qual filho acreditar?

Rebeldes cumprimentam moradores de Bin Jawad, perto do bastião governista de Sirte. Esam Al-Fetori/Reuters

D

Meninos posam com armas de brinquedo durante o primeiro dia do Eid al Fitr, em Benghazi.

Líbios em festa. Enfim, a liberdade.

L

íbios satisfeitos com a queda de Muamar Kadafi comemoraram ontem o fim do mês islâmico sagrado do Ramadã, embora o líder deposto continue foragido, e forças leais a ele desafiem um ultimato imposto pelo governo provisório. Na recém-rebatizada praça dos Mártires (ex-praça Verde), em Trípoli, centenas de pessoas se reuniram para as orações matinais que celebram o Eid al Fitr, feriado que marca o fim do mês muçulmano de jejum. "É a prece mais bonita. Estamos cheios de alegria, Kadafi nos fez odiar nossas vidas... Viemos aqui expressar nossa alegria pelo fim de 42 anos de

repressão e privação", disse o comerciante Hatem Gureish, de 31 anos. A felicidade também foi compartilhada por outros líbios. "Acho que este é o Eid mais feliz da minha vida, porque é o primeiro no qual me sinto livre", explicava Mohammed Khalid, um funcionário de 36 anos, à Agência Efe. Homens, mulheres e crianças compartilhavam sorrisos com as dezenas de milicianos e policiais que vigiavam o acesso ao local perante o temor de possíveis ataques. A segurança foi reforçada na praça onde Kadafi pretendia comemorar o 42º aniversário do golpe de Estado que o levou ao poder, nesta quinta-feira. Cães farejadores circulavam entre os fiéis, e atiradores estavam a postos nos telhados, atentos à presença de seguidores do regime deposto. "Pode haver alguns bolsões das forças de Kadafi, mas no ge-

AFP

ois dos firomper o derramalhos de mento de sangue. Muamar "Estamos falando Kadafi deram deem negociações bapoimentos contraseadas em acabar o ditórios ontem, siderramamento de nalizando divisões sangue", afirmou. no regime do líder Além disso, Allíbio. Enquanto Seif Saadi declarou que al-Islam, herdeiro " o s re v o l u c i o n ápolítico de Kadafi, rios são nossos irprometia continuar mãos" e acrescenlutando até a morte tou que não tinham Al-Saadi (à esq.) quer diálogo, mas Seif nega rendição. e d i z i a q u e n i nnenhum problema guém iria se render, em entregar o poo seu irmão Al-Saadi declara- o regime não tem mais poder der a eles. va-se pronto para dialogar sobre a capital. "Vocês foram Em seguida, a rede CNN discom os rebeldes. tolos, tolos. Deixaram que eles se ter recebido um e-mail de Seif al-Islam disse ontem tomassem o controle de Trípo- Al-Saadi no qual ele recuava que seu pai está bem e pediu li. Vocês vão se arrepender dis- da decisão de negociar. aos simpatizantes que sigam so". Afirmando estar nos arrePor sua vez, o comandante lutando contra os rebeldes dores da capital líbia, ele disse: das forças anti-Kadafi em Trípoapoiados pelo Ocidente. "Este é o nosso país. Vamos lu- li, Abdel Hakim Belhadj, confirO discurso, uma gravação de tar por ele até o fim". mou à Reuters que foi procurado áudio transmitida por uma TV O filho de Kadafi disse que há por Al-Saadi, que teria pedido pró-Kadafi sediada na Síria, so- integrantes da rede Al-Qaeda para aderir ao Conselho Nacioou como resposta ao ultimato nas fileiras insurgentes e afir- nal de Transição (CNT) se a sua dado pelos insurgentes que mou que a Organização do Tra- segurança fosse garantida. cercam Sirte, terra natal do di- tado do Atlântico Norte (Otan) é "Falei com ele pessoalmentador e bastião governista, para composta de "idiotas". te", disse o comandante. "Ele lique ele se renda até sábado. Ele acusou as forças ociden- gou e revelou sua intenção de Seif também desmentiu o ir- tais que apoiam os rebeldes de vir para o lado dos rebeldes... mão Al-Saadi, que diz nego- recorrer a "mercenários" britâ- Dissemos a Al-Saadi que lhe ciar uma solução pacífica. nicos e franceses. garantiríamos um tratamento "Ninguém está com medo. EsO paradeiro de Kadafi conti- decente, compatível com os ditamos bem, tomando chá com nua sendo desconhecido, e ele reitos humanos e os direitos junossas famílias. Vamos conti- fez apenas dois discursos sem rídicos de qualquer líbio". nuar atacando esses gângste- imagens desde que seus adverBrasil - Pistolas brasileiras res e ratos. Ataquem dia e noi- sários chegaram a Trípoli e ocu- foram encontradas ontem em te, até que estejamos livres des- param o complexo governa- uma fábrica de alimentos enlases traidores", disse Al-Islam à mental de Bab al-Aziziya, que tados em Trípoli que funcionaAl Rai TV, de Damasco. segundo Seif sofreu 64 bombar- va como depósito de armas de Seif disse que o cerco de com- deios nos últimos sete meses. Kadafi, segundo a BBC. No lobatentes a Sirte por leste e oeste Já outro filho de Kadafi, Al- cal, o repórter Wyre Davies não passa de propaganda. Ele Saadi, declarou à TV Al Arabiya identificou também armas rusalertou que 20 mil jovens arma- que, com autorização do seu sas. Os rebeldes acusam o ditados esperam as forças anti-Ka- pai, manteve contatos com o dor de esconder armas sob fadafi na cidade natal do ditador. comandante dos rebeldes em chadas civis. Futuro - Emissários de cerca No entanto, Seif admitiu que Trípoli com o objetivo de interCarl de Souza/AFP de 60 países – entre eles o Brasil – devem participar da conferência hoje em Paris para discutir o futuro líbio. Líderes do CNT devem abrir o encontro com um plano que prevê a realização de eleições em 18 meses e uma nova Constituição. Em uma movimentação considerada essencial para engatar a transição, países ocidentais trabalhavam na terça-feira para desbloquear bilhões de euros em fundos congelados ao redor do mundo e para levantar as sanções econômicas contra o Estado e contra empresas líbias, impostas pela ONU. O Reino Unido despachou o equivalente a US$ 1,55 bilhão em dinares líbios para o Banco Central do país africano. Uma questão pendente é o fato de nem todos os participantes reconhecerem como legítima a CNT. Entre eles estão Brasil, China e Rússia. (Agências) Insurgentes avançam e descobrem casas luxuosas de Kadafi

LONDRES Jovem de 11 anos recebe pena de 18 meses de reabilitação por furtar lixeira durante distúrbios

Ó RBITA

APÓS O FURACÃO IRENE, COMEÇA A FAXINA.

COLÔMBIA O ministro de Defesa, Rodrigo Rivera, renuncia após críticas sobre segurança.

s inundações finalmente começaram a recuar no A nordeste dos EUA, que foi

ão/AF Divulga ç

ordem de deportação e precisa deixar os Estados Unidos após ter vivido no país durante quase duas décadas, informou um funcionário do governo. Onyango Obama, de 67 anos, foi detido na semana passada pela polícia em Massachusetts após ser flagrado enquanto dirigia embriagado. Natural do Quênia,

P

ADEUS, EUA.

tio do presidente norteO americano, Barack Obama, recebeu de um juiz a

Onyango (acima) é meio-irmão do falecido pai de Obama. Ele vive nos EUA como imigrante clandestino desde 1992. (AE)

ral a capital está segura", disse o ministro interino do Interior, Ahmad Darat à Reuters. "Criamos uma equipe de segurança para gerenciar a crise e preservar a segurança na capital." Rebeldes- Em Benghazi, epicentro da revolução, uma multidão se aglomerou na praça dos Julgados. O barulho de fogos de artifício substituiu as palavras de ordem políticas e as luzes decoravam o céu. Crianças e adolescentes, que estreavam roupas, como é costume na festa, faziam fila para entrar no castelo flutuante instalado para a ocasião, enquanto outros brigavam para serem os primeiros a subir nos karts em uma improvisada pista criada em uma das ruas adjacentes à praça. A alegria contrastava com a Benghazi de dias atrás, que parecia uma cidade fantasma, já que o comércio ficou fechado e seus moradores passavam o dia em família. (Agências)

Moradores de Wilmington, no estado de Vermont, removem sujeira de casa atingida pelo furacão.

devastado pelo furacão Irene, mas muitas comunidades permanecem submersas, e equipes de emergência precisam passar por estradas interrompidas e rios cheios para entregar mantimentos. A tempestade causou até 380 milímetros de chuvas no sábado e domingo na Costa Leste. Muitas áreas de Nova Jersey, do interior de Nova York e de Vermont tiveram as piores inundações em décadas. Somente no estado de Nova York, o prejuízo foi de US$ 1 bilhão. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

c

9

Paulo Pampolin/Hype

CRESCIMENTO Segundo contagem feita na semana passada pela Prefeitura, o número de boxes na Feirinha da Madrugada saltou de 300 para 4.100 ao longo de seus seis anos de funcionamento.

idades

Feira da Madrugada vira bom negócio para estrangeiros

Foto: Gabinete do vereador Adilson Amadeu

Mário Chinês (centro) que, segundo vereador, teria mais de cem bancas. Prefeitura, porém, não confirma esse número.

Newton Santos/Hype - 10/08/2011

Ela nasceu em 2005 como a proposta de tirar da ilegalidade camelôs que atuavam na região da 25 de Março. Hoje, 50% da Feirinha da Madrugada estão sob o comando de chineses, bolivianos e tailandeses, entre outros

Paulo Pampolin/Hype

Ivan Ventura

R

eaberta na última sexta-feira após um período de 20 dias de fiscalização pela Prefeitura, a Feirinha da Madrugada voltou à ativa com uma certeza: de proposta para legalização de camelôs, ela se transformou em um lucrativo centro de comércio onde 50% de suas quatro mil bancas estão nas mãos de alguns poucos empresários estrangeiros, chineses na grande maioria. Mas também há bolivianos e tailandeses. Mais: eles nada pagam para manter seus boxes, já que contas de água e de luz, além de outros gastos, são custeados pela Prefeitura, à razão de R$ 1,5 milhão mensais. Os chineses estão de olho no potencial de lucro da Feirinha, que pode movimentar cerca de R$ 15 milhões por mês, graças aos 30 mil turistas de negócios que circulam diariamente pelo espaço, entre ele até compradores de Manaus (AM). Inauguração – A construção desse lucrativo centro de negócios, muitas vezes envolvido em compra e venda de produtos piratas, foi rápido. Inaugurado em nove de agosto de 2005, o terreno de 140 mil m² que pertencia à inventariança da antiga Rede Ferroviária Federal (RFFSA), surgiu como alternativa ao comércio ambulante ilegal na cidade. A maioria trabalhava na primeira versão da Feirinha da Madrugada, na região da rua 25 de Março. O primeiro administrador da Feirinha, o empresário carioca Geraldo de Souza Amorim, lembra que a ideia surgiu no fim da gestão da ex-prefeita

Box lacrado pela Prefeitura durante 20 dias de fiscalização Paulo Pampolin/Hype

O vereador Adilson Amadeu tentou invadir a Feirinha da Madrugada

Marta Suplicy. "Na gestão seguinte, do ex-prefeito José Serra, o espaço foi recebido com desconfiança, mas logo ganhou a simpatia da Prefeitura", lembra Amorim. Lucro – Para explorar espaço por meio da empresa GSA, Amorim pagava aluguel mensal de R$ 130 mil à RFFSA. Em troca, ele cobrava uma mensalidade de cada lojista, no valor de R$ 300. Ou seja: a proposta de cunho social rapidamente se transformou em um lucrativo negócio para a GSA, que em maio de 2010 informou em balanço um faturamento mensal de até R$ 2,2 milhões. Além disso, o valor do box (para venda) seria de R$ 400 mil - informação não confirmada pelos antigos administradores. Parte desse sucesso está atrelado ao aumento do número de boxes na Feirinha, ao longo de seis anos de existência, além da expansão do estacionamento para os ônibus e criação de lanchonetes, benfeitorias que também eram convertidas em mais ganhos para a GSA. Sobre

o número de boxes, sabe-se que houve um espantoso salto: de 300 bancas para 4.100, segundo contagem feita na semana passada. A grande movimentação de dinheiro e o aumento do número de bancas no Shopping Feira da Madrugada (nome oficial da Feirinha) devem-se, principalmente, ao assédio de estrangeiros, especialmente de chineses. Quando saiu da administração da Feirinha, em maio do ano passado, a GSA contava 30% das quatro mil bancas nas mãos de chineses. Mom e Pap – Nesse cenário, surgiram três representantes dessa comunidade que constantemente são vistos na feira – mas que não foram localizados pela reportagem do DC. De acordo com Amorim, eles são conhecidos apenas pelos seus apelidos: o casal Mom e Pap, além do sobrinho Mario Chinês. Este último, segundo o vereador Adilson Amadeu, presidente da subcomissão que investiga supostas irregularidades no Shopping Feira da Madrugada,

Um dos corredores da Feirinha da Madrugada. Alguns boxes voltarão a ser fiscalizados pela Prefeitura de São Paulo.

teria mais de cem bancas. Responsável pela fiscalização desse espaço, o secretário municipal da Segurança Urbana, Edsom Ortega, confirmou que metade das bancas não era representada por seus titulares. "Quando chegamos à feira, quase 50% eram ocupadas por estrangeiros, sendo que uma boa parte não era titular da banca. Os outros 50% não eram os titulares da banca", disse em entrevista ao Diário do Comércio, poucas horas da reabertura da Feirinha, na sexta-feira. A concentração de quase 170 bancas nas mãos de um homem identificado como Mário Chinês não foi

confirmada ontem pelo secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo. "Há pessoas com, no máximo, 16 bancas. Mais do que isso não existe", disse. No entanto, na semana passada, a reportagem encontrou um setor inteiro com quase cem bancas interditadas com a inscrição "Mário" e que seria do Mário Chinês. Perguntado sobre isso, Camargo disse que essas bancas, todas de alvenaria, serão fechadas. Clandestinos - A presença chinesa, em si, não representa irregularidade. Ocorre que alguns deles trabalharam na feira de maneira ilegal no País.

De acordo com o secretário Ortega, na recente operação de fiscalização pela Prefeitura, 58 chineses foram apreendidos pela Polícia Federal e deportados para seu país de origem. O que chama a atenção é que o espaço, outrora administrado pela empresa GSA, passou por outros gestores (entre eles, a própria inventariança da Rede Ferroviária Federal) até chegar às mãos da Prefeitura em outubro do ano passado. Um mês depois, deu início a um cadastro que só terminou em fevereiro e foi coordenado pela Secretaria de Subprefeituras. No dia 4 de junho, a Prefeitura publicou a lista com os nomes dos titulares das bancas, tendo inclusive solicitado dados como abertura de empresa e produtos vendidos no espaço. Na lista, surgem grande número de nomes chineses. Apreensões – Mesmo assim, a Feirinha da Madrugada continuou a funcionar. Após 20 dias de fiscalização, a Prefeitura fez um balanço do que ocorria no seu interior. "Houve apreensão de cinco milhões de itens, mas essa quantia pode crescer. Uma parte das bancas passará por uma segunda vistoria. Das quase quatro mil bancas, se fossem aplicados todos os requisitos, inclusive do ponto de vista fiscal, 80% não poderiam funcionar. Apenas 20% mostraram notas fiscais", informou Ortega. Na lista de irregularidades, além da pirataria, Ortega citou outros problemas. O mais comum é a ausência de nota fiscal e a não constituição de uma empresa junto à Prefeitura. Combate – Mesmo com um alto índice de reprovação, 1.300 bancas foram liberadas para funcionar e receberam um selo de aprovação. No início da semana, esse número subiu para 1.600. Para evitar o uso do espaço para a venda de produtos pirateados, o secretário Ronaldo Camargo confirmou que a Guarda Civil Metropolitana (GCM) ficará por tempo indeterminado encarregada da fiscalização do espaço. Lojistas chineses ou de origem chinesa evitam a imprensa. Os não chineses disseram ter um bom relacionamento com eles. "São tranquilos, trabalham bastante e direitinho. Não criam confusão", disse Cristiane Oliveira Lopes, de 32 anos, dona de duas bancas de roupas, já liberada pela fiscalização municipal.

Luiz Guarnieri/AE

Temperatura desaba mais de 20 graus na Capital

A

Termômetro registra 16°C no Centro de São Paulo. Previsão é de mais frio até o fim de semana na cidade.

pós bater recorde de temperatura neste inverno, a cidade de São Paulo teve queda de 20,7°C em 24 horas. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura chegou aos 32,7°C às 13h de anteontem. Às 13h de ontem, os termômetros registraram 12°C. Por volta das 15 horas, a sensação térmica em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, chegava a 6ºC. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura, os termômetros da estação marcavam 12ºC, mas por causa dos ventos a sensação térmica era ainda mais baixa. De acordo com o Inmet, a forte oscilação foi provocada por uma frente fria chegou à cidade. A queda era para ser sentida ontem, mas a massa de ar ganhou força no sul do estado e avançou para a

capital paulista na tarde da terça, causando chuvas na madrugada. Durante a manhã, o trânsito ficou prejudicado e foram registrados vários pontos de alagamento. Com a volta das chuvas e fim da estiagem, a umidade relativa do ar na cidade, que estava seriamente afetada, aumentou de 20% para 62% em apenas duas horas. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), índices de umidade relativa do ar inferiores a 30% caracterizam estado de atenção. Frio continua – Não há previsão de chuva para hoje e amanhã, mas as temperaturas devem continuar muito baixas em São Paulo. A temperatura mínima prevista será de 8°C hoje, com máxima de 16°C. Já na sexta, os termômetros devem variar entre 7°C e 17°C. O sol deve voltar apenas no final de semana. (Da Redação)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10 -.LOGO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

OLHAR BIÔNICO O engenheiro Rob Spence criou uma minúscula câmera sem fio que substitui o olho e transmite as imagens em vídeo para monitores. O dispositivo se chama Eyeborg. http://bit.ly/r3MIH4

Logo Logo www.dcomercio.com.br

F UTEBOL G @DGET DU JOUR

Gomes: quadro é positivo

O Gravador disfarçado Um chaveiro de carro que é um gravador discreto que registra áudio e vídeo. O espião se chama 808 Car Keys Micro e custa US$ 19 na Amazon. http://amzn.to/rmmv48

técnico do Vasco da Gama, Ricardo Gomes, apresentou ontem os primeiros sinais de melhora, após passar por uma cirurgia no domingo para tratar de um acidente vascular encefálico (AVE) sofrido durante o jogo entre seu time e o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. A sedação que mantinha o treinador em coma foi retirada ontem. De acordo com os

médicos do Hospital Pasteur, no Méier, na zona norte do Rio de Janeiro, ele reagiu aos estímulos de forma satisfatória. Depois de duas horas sem os sedativos, Ricardo Gomes , abriu os olhos e fez movimentos motores, em especial no lado esquerdo do corpo. "Estamos muito otimistas com a recuperação dele. Não tenho dúvidas que além de todos os esforços médicos, a força e a energia de todos está ajudan-

do nesse processo", disse o médico neurocirurgião, José Antônio Guasti, responsável pela cirurgia a que o treinador foi submetido. Ricardo Gomes permanece respirando com a ajuda de aparelhos, mas a ventilação mecânica será retirada aos poucos conforme a reação do treinador. Ele deve permanecer ao menos mais três dias no centro de terapia intensiva no hospital. (Reuters)

M ÚSICA Fotos: Sergei Karpukhin/Reuters

FESTA Dançarina da companhia mexicana Tenochtitlan durante ensaio para o Spasskaya Tower, festival de música militar que acontece na Praça Vermelha, em Moscou. Bandas militares de vários países participam desde ontem do evento, que termina no domingo. Um público de 7 mil pessoas é esperado.

E UA

Crânio perfurado, sem sequelas Leroy Luetscher, um morador do Arizona de 86 anos, teve o crânio perfurado pelo cabo de uma tesoura de poda em um acidente em seu jardim. Segundo seus médicos, ele deve se recuperar e não terá a visão comprometida. Segundo o Centro Médico da Universidade de Tucson, onde Luetscher foi atendido, ele trabalhava no jardim no dia 30 de julho quando deixou a ferramenta cair apontada para baixo. Ao se abaixar para pegá-la, Luetscher perdeu o equilíbrio e caiu sobre o

cabo, que perfurou sua órbita ocular e desceu para dentro de seu pescoço [como mostra o raio-X acima]. O homem foi levado de ambulância ao hospital, onde uma equipe de cirurgiões removeu a ferramenta, reconstruiu a cavidade ocular com uma malha de metal e salvou o olho. A alça estava sobre a artéria carótida externa no pescoço, mas Luetscher saiu da cirurgia apenas com um inchaço das pálpebras superiores e inferiores e visão dupla no olho afetado, o que pode ser corrigido com lentes.

AFP

M ÍDIA

Morre o jornalista José Meirelles Morreu ontem, aos 62 anos, no Hospital Samaritano, em Botafogo, Rio de Janeiro, o jornalista José Meirelles Passos. Excorrespondente do jornal O Globo em Washington, Meirelles voltou ao Brasil em 2009 e era repórter especial do jornal. Considerado um dos profissionais de jornalismo mais experientes do País, ele participou de coberturas em mais de 40 países, inclusive a Guerra das Malvinas (1982) e as duas guerras do Iraque (1990 e 2003). Também participou da cobertura da Copa do Mundo da África do Sul, em 2010.

Meirelles ganhou vários prêmios de jornalismo, como o Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, o Esso, o Febraban e o da Sociedade Interamericana de Prensa (SIP). O jornalista recebeu um diagnóstico de câncer no peritônio, doença grave e rara, pouco depois que voltou da cobertura da Copa de 2010. Submeteu-se a cirurgia e tratamento médico e voltou a trabalhar. Deixou duas filhas, que moram em Washington e dois netos. Foi enterrado no fim da tarde de ontem, no Cemitério de São João Baptista, em Botafogo.

Membros da banda das Forças Armadas Jordanianas durante o ensaio para o festival internacional de música militar Spasskaya Tower. Ao todo, 40 bandas de 15 países se apresentam ao longo de sete dias de festival.

Com base em imagens do Very Large Telescope, astrônomos europeus descobriram uma estrela na Via Láctea que muitos pensavam não poder existir. A estrela é composta quase inteiramente por hidrogênio e hélio, o que era considerado impossível. A descoberta obrigará a ciência a rever suas teorias sobre a formação de estrelas.

Um vírus que combate o câncer Cientistas da Universidade de Otawa, no Canadá, lideraram uma equipe internacional que descobriu que o implante, na corrente sanguínea, de uma versão modificada do vírus vaccinia, intitulada JX-594, combate exclusivamente células doentes, deixando incólume tecidos saudáveis. A pesquisa, publicada pela revista Nature nesta semana, foi feita com a aplicação do JX-594 em 23 portadores de tipos de câncer que se espalham rapidamente. No grupo de oito pessoas que recebeu alta dosagem, sete tiveram resultados positivos. E M

C A R T A Z

CILDO 'Ocupação Cildo Meireles - rio oir' apresenta obras do artista plástico no Itaú Cultural. Avenida Paulista, 149, tel.: 21681776. Grátis. E SPANHA Heino Kalis/Reuters

120 toneladas de tomate Essa foi a quantidade de tomate usada ontem por 40 mil pessoas na abertura da tradicional "guerra" conhecida como "Tomatina", na cidade de Buñol, a 40 quilômetros de Valência, (leste da Espanha). A festa é iniciada na última quarta-feira de agosto, desde 1944. A batalha dura, sempre, uma hora, na Plaza Mayor, a praça central da cidade, que tem 10 mil habitantes. A maioria dos participantes são turistas e a guerra começa quando caminhões esvaziam sua carga de tomates diante da multidão. No final, as ruas ficam inundadas do suco espesso. L OTERIAS Concurso 1315 da MEGA-SENA

E SPAÇO

Uma nova estrela

C IÊNCIA

01

Mobilidade para cães Cachorros que sofrem algum acidente e têm a mobilidade das patas traseiras comprometida temporária ou permanentemente sensibilizam o estudante de design industrial israelense Nir Shalom. Ele criou esta cadeira de rodas para cães chamada "Amigo", mais leve e durável do que as que existem atualmente no mercado. http://bit.ly/qHuLyu

27

29

35

50

52

Devido ao elevado número de acessos, a área de loterias do site da Caixa Econômica Federal (CEF) apresentou instabilidade ontem e não foi possível obter os resultados oficiais dos concursos 2685 da QUINA e 1171 da LOTOMANIA. Para conferir os números, acesse o site.

www.caixa.gov.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

e

11 SUPERSIMPLES Câmara aprovou novo limite de enquadramento das empresas

conomia

NA HORA Entra em vigor hoje o ponto eletrônico para companhias que aderiram

Novidade no governo Dilma: juros caem.

A

substancial deterioração do quadro econômico global nas últimas semanas e a pressão de última hora vinda do próprio governo fez o Banco Central (BC) mudar o rumo da economia. Influenciado pela percepção de que a crise deve manter a economia mundial em ritmo lento por "um período de tempo maior do que o antecipado", a instituição preferiu interromper o ciclo de alta iniciado em janeiro e anunciou a redução da taxa básica de juros do País em 0,5 ponto percentual, para 12% ao ano. Após cinco aumentos seguidos do juro entre janeiro e julho – que somaram 1,75 ponto à taxa Selic –, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC entendeu que não havia razão para continuar a alta. Pelo contrário, mudou radicalmente de opinião em 45 dias. Assim, os diretores do BC mostram que, após meses de trabalho para segurar a alta da inflação e esfriar a economia, agora é necessário acelerar a atividade em reação à crise global. "O Comitê avalia que o cenário internacional manifesta viés desinflacionário no horizonte relevante", cita o comunicado após a decisão que, pela primeira vez em muito tempo, tem duas páginas. A principal mudança para essa a avaliação do BC veio do exterior. O rebaixamento da nota de risco dos Estados Unidos no início do mês deflagrou uma série de revisões para pior das projeções dos economistas

Cenário externo e pressão do governo levam Copom a dar guinada nas últimas decisões sobre a Selic, que agora cai meio ponto percentual, a 12% ao ano. É o primeiro corte da taxa desde julho de 2009.

sobre o que deve acontecer com a economia mundial nos próximos meses. A percepção geral é que países centrais devem demorar ainda mais para sair da crise e crescer. Para o BC, o quadro representa maior incerteza da influência externa sobre o mundo e, claro, sobre o Brasil. "Para o Copom, a transmissão dos desenvolvimentos externos para a economia brasileira pode se materializar por intermédio de diversos canais, entre outros, redução da cor-

'Decisão mostra que BC está atento', diz Amato, da ACSP.

A

pesar da repercussão positiva sobre a queda da Selic anunciada ontem, analistas lembram que o País ainda é o campeão no ranking das nações de todo o mundo com os mais altos juros reais. O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, elogiou a atitude do Comitê de Política Monetária (Copom). "A decisão de reduzir a taxa Selic em 0,5 p o n to p e rcentual mostra que o Banco Central (BC) está atento não apenas a o s p o s s íveis impactos negativos da crise inter nacional sobre a economia brasileira, como, também, em relação aos sinais de desaceleração muito rápida da produção industrial. Esperamos que o BC utilize também outros instrumentos para evitar que a desaceleração, observada nos vários setores, se aprofunde", disse Rogério Amato, ontem à noite. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) aprovaram a decisão do BC. As entidades, porém, afirmam que a medida ainda é insuficiente. Emprego – Para João Guilherme Ometto, presidente em exercício da Fiesp, o BC deveria se preocupar mais

com o crescimento econômico e com o emprego. "Só uma forte redução de juros pode fazer com que o País mantenha o ritmo de crescimento, sem comprometer o controle dos preços", disse ele. Em nota, a CNI afirmou que a redução da taxa básica de juros é "um importante passo". Para a entidade, a decisão é um sinal de que o BC "priorizou a sustentação da atividade econômica em um momento de menor ímpeto da inflação". Ainda de acordo com a CNI, a redução indica um "novo ciclo de flexibilização monetár ia" que pode ajudar a manter a estabilidade econômic a, mas alertou para a necessidade de "maior esforç o n o c o ntrole dos gastos". O deputado e presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (PDTSP), avaliou que a decisão do Copom foi "extremamente tímida e insuficiente". "O BC acertou no remédio, mas errou na dose. Com a medida, o governo aplica um antídoto contra o crescimento econômico", disse ele em nota. Segundo Pereira, "infelizmente está prevalecendo uma maléfica simpatia da equipe econômica pelo mercado especulativo". Ele disse que o BC está "surdo aos apelos da classe trabalhadora" e defendeu que há espaço para redução mais drástica na taxa Selic. (com Agências)

rente de comércio, moderação do fluxo de investimentos, condições de crédito mais restritivas e piora no sentimento de consumidores e empresários", cita o documento. Se economias centrais crescerem menos, a demanda por produtos e serviços brasileiros seguirá fraca. Isso vai reduzir o ritmo da economia doméstica. O Bradesco, por exemplo, prevê que, se a economia mundial crescer 1 ponto percentual menos, a expan-

são no Brasil deve perder pelo menos 0,65 ponto. Menos crescimento reduz a pressão de alta nos preços e diminui a necessidade de elevar a taxa de juros. Mesmo sem o quadro externo, o noticiário local já apontava para o fim do ciclo de aperto. Um dos principais sinais veio do Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), dado que antecipa o comporta-

mento do PIB e mostrou e m j u n h o a p r imeira queda desde dezembro de 2008. No mercado de trabalho, a criação de empregos tem perdido força e o próprio BC divulgou números que mostram desaceleração no ritmo de concessão de empréstimos. Mas essa virada na política monetária teve uma ajuda política. A redução do juro 45 dias

após o último aumento era um desejo do Palácio do Planalto e de membros da equipe econômica, como o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Houve um esforço de última hora em anunciar aumento da economia feita pelo governo para pagar a dívida (superávit primário) como forma de abrir caminho para os cortes do juro. Com isso, o BC ignora a inflação que segue em ritmo elevado. Nos últimos 12 meses, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve alta acumulada de 6,87%, acima do teto da meta de inflação, que é de 6,5%. Para os próximos 12 meses, a expectativa para o IPCA é de 5,47%. "O sinal do BC é que, após a piora recente, o quadro internacional não está feio, está horroroso. O quadro externo é que determinou essa decisão", disse o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves. Bovespa – O corte da taxa básica de juros poderá alimentar uma forte alta da Bovespa, segundo analistas e investidores estrangeiros. "A Bovespa poderá entrar em um período de recuperação se o BC passar a sinalizar um cenário econômico que favoreça o corte da taxa Selic no futuro", disse a estrategista de ações para mercados emergentes do banco UBS em Nova York, Jennifer Delaney. (AE)

Orçamento de 2012 com PIB de 5% Projeto de lei foi entregue ontem pelo Ministério do Planejamento ao Congresso Nacional

O

projeto de lei orçamentária de 2012, encaminhado ontem ao Congresso Nacional, projeta taxa de inflação acumulada no próximo ano de 4,8%, superior ao centro da meta de 4,5%, segundo informou o Ministério do Planejamento. Isso significa que o projeto de lei não referenda a convergência do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) à meta no ano que vem, como assegura o Banco Central (BC). A projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2012 é de 5%, mesmo percentual previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) aprovada pelo Congresso Nacional. A manutenção do crescimento do PIB sinaliza que o governo não trabalha com desaceleração maior da atividade econômica. O projeto de lei orçamentária também mostra que o impacto do aumento do salário-mínimo em 2012 – esta-

belecido em R$ 619,21 mensais meta de superávit primário – será de R$ 13,3 bilhões nos para 2012 foi fixada no valor gastos públicos no período. nominal de R$ 114,2 bilhões, o O documento prevê um Ín- que corresponde a 2,5% do dice Geral de Preços - Dispo- PIB. Os dados mostram que o nibilidade Interna (IGP-DI) governo abaterá parte dos inacumulado de 5% em 2012. vestimentos do Programa de A taxa de câmAceleração do bio média proCrescimento jetada para a ( PA C ) p a r a elaboração do atingir essa meorçamento foi ta – serão redude R$ 1,64 por zidos R$ 25,6 bipor cento é a dólar e a taxa de lhões, ou 0,6% juros Selic estido PIB. previsão da mada para deA contribuiinflação de 2012 zembro do próção do governo dentro do ximo ano é de central (Tesouprojeto de lei. 12,5%. O projero Nacional, to prevê tamPrevidência Sobém elevação cial e Banco nominal da massa salarial em Central) para a economia em 2012 de 9,8%. Os parâmetros 2012 será de R$ 97 bilhões econômicos do projeto de lei (2,1% do PIB). Com o abatisão elaboradas pela Secretaria mento de parte dos recursos de Política Econômica do Mi- do PAC, o esforço do governo nistério da Fazenda. central na verdade será de Superávit – O Ministério do R$ 71,4 bilhões, o que equivale Planejamento informou que a a 1,6% do PIB. Os governos re-

4,8

Mínimo a R$ 619,21 no ano que vem

O

governo propõe no Projeto de Lei do Orçamento da União para 2012 a correção do valor do salário-mínimo em vigor em 13,6%. Isso representaria reajuste dos atuais R$ 545 para R$ 619,21, a partir de janeiro de 2012. A informação é da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que ontem entregou aos presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, Marco Maia (PT-SP) o projeto de lei e o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2012 a 2015. O valor seguiu acordo firmado entre o então governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o Congresso, de ter como regra para o reajuste anual do salário-mínimo a inflação do ano anterior e o crescimento do

Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Por essa fórmula, o mínimo de 2012 considera a inflação de 2011 mais o crescimento do PIB de 2010. A maior parte do impacto do salário-mínimo (R$ 21,5 bilhões) cairá nas contas da Previdência Social. A estimativa do governo é que o reajuste contribua com R$ 13,2 bilhões no aumento do déficit com pagamento de aposentadorias e pensões dos trabalhadores da iniciativa privada. Para cada um real de elevação do mínimo, há uma ampliação de R$ 177,6 milhões no rombo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O orçamento considera ainda que o mínimo deverá chegar a R$ 817,97 em 2015. (Agências)

gionais terão que alcançar um superávit primário de R$ 42,8 bilhões, ou 0,9% do PIB. Os investimentos previstos para 2012 somam R$ 165,3 bilhões. Desse total, R$ 106,8 bilhões são de investimentos previstos pelas empresas estatais. O restante, R$ 58,5 bilhões, é referente ao orçamento fiscal e da seguridade. O total de investimentos é 8,3% maior do que o disponível neste ano. Grande parte desses recursos refere-se ao PAC, que receberá R$ 111,3 bilhões, sendo R$ 42,5 bilhões do orçamento fiscal e R$ 68,7 bilhões das estatais. Mas a parcela que cabe ao Minha Casa Minha Vida, programa habitacional do governo para a população de baixa renda, sofreu corte. Segundo os números do governo, os recursos do Minha Casa Minha Vida em 2012 som a r i a m R $ 11 , 0 8 b i l h õ e s , 12,96% menos do que o patamar previsto para 2011, que é de R$ 12,73 bilhões. (Agências)

Previsão de R$ 78 bi para Petrobras

A

ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou que o orçamento de investimento da Petrobras no País previsto para 2012 é de R$ 77,9 bilhões. No exterior, os investimentos previstos para a estatal somam R$ 9 bilhões. Para a Eletrobras, o investimento previsto em 2012 é de R$ 10,1 bilhões e, do Banco do Brasil, de R$ 3 bilhões. A previsão de investimento da Caixa Econômica Federal no próximo ano é de R$ 1,3 bilhão. A ministra explicou que o governo vai continuar com o objetivo de cumprir a meta cheia de superávit primário das contas do setor público em 2012. Ela destacou que, apesar do projeto de lei orçamentária prever a possibilidade de abatimento das despesas do PAC de R$ 25,6 bilhões, o governo continua empenhado na direção da meta cheia. "Continuamos com rumo da meta cheia, mas consideramos que é importante a margem de manobra para fazer investimentos. O rumo geral é trabalhar com o cenário de meta cheia", disse ela. (AE)


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

e Cadastro Positivo triplica a cada mês

13

O Cadastro Positivo premia aqueles que cumprem suas obrigações. Rogério Amato, presidente da ACSP

conomia

Autorizações para incluir o nome de consumidores em banco de dados aumentam principalmente por estímulos na mídia social, segundo a Boa Vista Serviços. Sílvia Pimentel

Newton Santos/Hype

A

provado por lei há menos de três meses, o Cadastro Positivo – que mostra o histórico de pagamentos em dia do consumidor, e que promete levar à queda dos juros na medida que reduz o risco ao crédito –, tem mostrado que vem ganhando espaço entre os consumidores brasileiros. D e a c o rd o c o m D o r i v a l Dourado, presidente da Boa Vista Serviços (BVS), que administra o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), a tecnologia tem papel importante para divulgar o instrumento de crédito. "As redes sociais serão mecanismos excelentes e importantes para chegar até o consumidor. A cada estímulo ou notícia nova na mídia, a rede social aumenta em dez vezes o número de autorizações para a utilização do Cadastro, capturadas pela internet", disse. Segundo ele, no balcão de atendimento da BVS, o número de autorizações triplica mês a mês desde a criação do birô de crédito. Neste pouco tempo, o Cadastro já ganha aceitação popular. Uma pesquisa inédita (A Expectativa do Brasileiro sobre o Cadastro Positivo) realizada pela BVS, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que publica este Diário do Comércio com 1,3 mil entrevistados, mostrou que 82% aprovam a ferramenta. Apesar disso, o levantamento, divulgado ontem na Capital paulista, indica que o Cadastro Positivo é ainda um grande desconhecido. Apenas

As redes sociais serão mecanismos excelentes e importantes para chegar até o consumidor. DORIVAL DOURADO, BVS

82

Para reverter a falta de informação, trabalhamos junto aos clientes, às instituições financeiras e aos prestadores de serviços continuados.

por cento dos consumidores brasileiros aprovam a criação do Cadastro Positivo, segundo pesquisa da Boa Vista Serviços (BVS)

LEONARDO SOARES, BVS

28% dos entrevistados ouviram falar no banco de dados. Antes de maio deste ano, apenas 14% sabiam alguma coisa sobre o birô de crédito. Segundo o gerente de produtos da Boa Vista Serviços, Leonardo Soares, é natural o baixo nível de conhecimento sobre o assunto, pois trata-se

de uma legislação nova e complexa. "Para reverter essa falta de informação, estamos trabalhando junto aos clientes, às instituições financeiras e aos prestadores de serviços continuados (públicos) para atrair a massa de clientes, trazendo informação sobre educação financeira e mostrando os bene-

fícios da ferramenta", disse. Para divulgar o Cadastro e capturar autorizações dos consumidores, o birô de crédito fechou recentemente acordo com uma rede varejista e uma instituição financeira. Embora seu índice de aprovação seja elevado, a pesquisa mostrou que há uma resistên-

cia do consumidor em participar da lista de bons pagadores. Pelo levantamento, o indice de avaliação "bom ou ótimo" cai para 50% quando o consumidor é informado de que precisa assinar uma autorização para ter seu nome incluído no sistema. Pela legislação aprovada, essa autorização deve ser dada

por escrito. "Além do desconhecimento sobre o funcionamento da ferramenta, há uma tendência do consumidor em associar a novidade ao cadastro negativo", explicou Soares. A boa notícia é que o nível de aprovação é maior entre os clientes bancarizados. No levantamento, 72% dos entrevistados possuem conta-corrente, cartão (crédito ou débito), financiamento ou talão de cheques. Desse universo, 55% autorizariam participar do Cadastro Positivo. Para o presidente da Boa Vista Serviços, a pesquisa sobre o Cadastro Positivo é um importante instrumento para a atualização do conhecimento sobre o perfil do consumidor brasileiro. "Vamos compartilhar a pesquisa com o mercado e com os clientes", informou Dourado. Na opinião do executivo, o Cadastro Positivo será um incentivo para o consumidor ter e manter seu nome livre de débitos, diferenciando-se no mercado de consumo. Presente ao evento de apresentação da pesquisa, o presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, lembrou que o Cadastro Positivo é uma conquista da sociedade, e que foi aprovado graças ao movimento das associações comerciais. "Veio em boa hora, embora atrasado. A sua principal vantagem é premiar aqueles que cumprem com a sua obrigação, que é a esmagadora maioria da população", disse o líder empresarial. O levantamento foi feito entre 15 e 19 de agosto, com pessoas de várias classes sociais, de 709 municípios brasileiros.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

e Indústria retoma expansão

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

No período de janeiro a julho deste ano, a atividade industrial acumula alta de 1,4%.

conomia

Marcos Peron/Virtual Photo

Cade aprova fusão de área de seguro do Itaú com a Porto

O

Pesquisa do IBGE mostra que empresas do País recuperaram parte do ritmo em julho

A

produção da indústria brasileira recuperou forças no mês de julho e conseguiu expansão de 0,5% em relação ao mês anterior. De acordo com o economista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) André Macedo, o patamar da produção está, porém, 2% abaixo do nível recorde do setor, registrado em março desde ano. "Julho foi um mês de aumento da produção, mas esse crescimento não foi suficiente para reverter a queda observada um mês antes, de 1,2%. Esse resultado aponta um menor dinamismo na indústria, indica que o setor opera com menor intensidade", avaliou o economista do IBGE.

Resultado – De acordo com Macedo, esse cenário é reforçado pelas comparações com os dados de 2010. Em relação a julho do ano passado, houve queda de 0,3%. Mas no período de janeiro a julho deste ano, o setor acumula alta de 1,4%. Na opinião do economistachefe da MB Associados, Sérgio Vale, a deterioração do cenário internacional contribui para uma perspectiva pior para a indústria. "No início do ano, muita gente trabalhava com a perspectiva de expansão entre 4% e 5% neste ano. A trajetória dos últimos meses deve indicar crescimento próximo de 2% no ano", afirmou Vale. Conforme os dados do IBGE, o crescimento acumulado da indústria nos últimos 12

Metalurgia (foto), produtos de refino, borracha e celulose estão entre os setores que reduziram produção.

meses permanece em trajetória descendente desde outubro passado, saindo de 3,7% em junho para 2,3% em julho. Os estoques em níveis elevados e o aumento das importações no País estão prejudicando, sobretudo, o desempenho da indústria de bens intermediários. "Houve perdas nas atividades de metalurgia básica, extrativa, outros produtos de refino, borracha e plástico, e celulose", disse Macedo. Livros – O documento do IBGE, divulgado ontem, aponta

ainda na comparação com o mês anterior (junho) que houve aumento de atividade em 14 dos 27 ramos pesquisados, com destaque para o setor de edição e impressão (16,8%), que foi impulsionado pelo aumento na demanda de produção de livros, principalmente, por encomendas do governo. Por outro lado, a principal pressão negativa partiu da indústria farmacêutica (9%). Já na comparação com julho de 2010, 15 das 27 atividades pesquisadas registraram que-

da, principalmente as indústrias têxtil (20,9%), farmacêutica (12,9%), refino de petróleo e produção de álcool (5,6%), metalurgia básica (6,5%), outros produtos químicos (4,2%), vestuário (13,9%) e também alimentos (1,%). O economista André Macedo ressaltou que esse resultado de desaceleração do ritmo da indústria do País pode ser explicado, em parte, porque julho teve um dia útil a menos em 2011 do que teve no ano passado. (ABr)

Índice de confiança cai em agosto

P

elo oitava vez consecutiva, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) mostrou queda. O indicador recuou 2,2% em agosto, após cair 2% em julho, segundo informou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O indicador, que vai até 200 pontos, caiu de 105 pontos para 102,7 pontos de julho para agosto. Este é o menor nível de confiança da indústria desde agosto de 2009 (100,2 pontos), ficando ainda abaixo da média registrada desde 2003 (104 pontos). O recuo da confiança em agosto foi influenciado princi-

palmente por uma piora nas expectativas dos empresários. Entre os dois subindicadores componentes do ICI, o Índice da Situação Atual (ISA) caiu 3,6%, após mostrar um recuo de 0,3% em julho. Já o segundo componente do ICI, o Índice de Expectativas (IE), teve uma queda mais modesta, de 0,7%, ante uma retração de 3,7% apurada em julho. Fraco – A FGV alertou que ambos os indicadores estão abaixo de suas médias históricas recentes, sinalizando um desempenho fraco da indústria no terceiro trimestre. Na comparação com agosto

ANO XXV ANO XXV

APOIO:

CENOFISCO Apoio: Cenofisco

A

Embraer assinou ontem, em cerimônia realizada em Hong Kong, um acordo com a Metrojet, nomeando esta empresa como o primeiro centro autorizado de serviços na região. A Metrojet deverá estar totalmente equipada para fornecer serviços de manutenção programada e não programada para os clientes de jatos Legacy 600, Legacy 650 e Lineage 1000, fabricados pela Embraer. A Metrojet tem sede em Hong Kong e é um provedor de serviços para a aviação executiva na Ásia. Oferece serviços como manutenção de aeronaves, gerenciamento de frota e voos fretados, entre outros. A empresa possui certificados de outras autoridades dos Estados Unidos e Canadá. Bombardier – A gigante dos transportes Bombardier informou que seu lucro líquido no segundo trimestre avançou 52,9% ante igual período do ano passado, para US$ 211 milhões (ou US$ 0,12 por ação), de US$ 138 milhões (US$ 0,07) em 2010. O lucro por ação ficou acima do previsto pelos analistas, de US$ 0,10. Segundo a Bombardier, as receitas avançaram tanto na

www.agenda-rural.com.br

A LICENÇA PATERNIDADE É TAMBÉM ESTENDIDA AO PAI ADOTANTE? QUANTOS DIAS? Informamos que inexiste previsão expressa em lei, desta forma, a licença paternidade não é estendida ao pai adotante salvo cláusula expressa em documento coletivo. TEMPO DE SERVIÇO O aviso-prévio integra o tempo de serviço? Saiba mais acessando a íntegra no site: [www.empresario.com.br/legislacao]. GRATIFICAÇÃO POR CARGO DE GERÊNCIA Funcionário contratado para o cargo de“gerente” deverá receber uma gratificação por esse cargo, para que fique legalmente caracterizado para tal função? Saiba mais acessando a íntegra do conteúdo no site: [www.empresario.com.br/legislacao]. CARGO DE CONFIANÇA Desconto de atrasos e faltas para cargos de gerência ou cargos de confiança, ou seja, que não têm cartão ponto pode ser descontado em folha? Saiba mais acessando a íntegra do conteúdo no site: [www.empresario.com.br/legislacao]. CONTRATO DE APRENDIZAGEM Como rescindir contrato de menor aprendiz antes do término? Quais são seus direitos? Saiba mais:[www.empresario.com.br/legislacao]. HORÁRIOS PERMITIDOS PARA AMAMENTAÇÃO Licença amamentação,qual o prazo e horários permitidos pela legislação? Saiba mais acessando:[www.empresario.com.br/legislacao]. OPERAÇÕES COM CARNE – BENEFÍCIOS FISCAIS É permitida a manutenção do crédito nas saídas internas de carne amparadas com isenção do ICMS? Saiba mais acessando a íntegra do conteúdo no site: [www.empresario.com.br/legislacao].

• GESTÃO FISCAL • ADMINISTRAÇÃO DO RH • CONTABILIDADE • LEGALIZAÇÃO • MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM

Nilton Cardin/Folhapress

Jato da família Legacy: empresa Metrojet irá fazer a manutenção das aeronaves no Oriente.

divisão aeroespacial como na de transportes. Além disso, uma taxa de imposto de renda menor ajudou a impulsionar os resultados. O lucro antes de juros e impostos (Ebitda) subiu para US$ 296 milhões, de US$ 249 milhões no segundo trimestre do ano passado. Já a receita disparou 18%, para US$ 4,7 bilhões. O fluxo de cai-

xa livre quase dobrou, para US$ 1,1 bilhão, embora a posição de caixa tenha recuado para US$ 3,2 bilhões, de US$ 4,2 bilhões em 31 de janeiro. A carteira da companhia de pedidos firmes a entregar (backlog) totalizava US$ 56,9 bilhões no fim do segundo trimestre, de US$ 52,7 bilhões em 31 de janeiro.

A Bombardier Aerospace, terceira maior fabricante de aviões do mundo, teve um Ebitda de US$ 105 milhões, de US$ 101 milhões no mesmo trimestre do ano passado. A companhia, conforme divulgou, entregou 56 aeronaves no segundo trimestre deste ano, de um total de 49 em igual período do ano passado. (AE) DC

ORIENTADOR GERENCIAL® AcolunaAgendadoEmpresário®éleituraobrigatóriadoAdministrador, Advogado, Contador e RH, para a orientação do dia a dia empresarial. Acesse a íntegra das informações:[www.agenda-empresario.com.br].

© HÍFEN – todos os direitos reservados

AGENDA

www.contabil.com.br

QUINTA-FEIRA, 1º DE SETEMBRO DE 2011

CONTABILIDADE E ASSESSORIA

por cento foi a queda do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em agosto em relação a julho, segundo levantamento divulgado ontem pela FGV.

desaceleração e ficou em 83,6% em agosto, após atingir o patamar de 84,1% em julho último. Este foi o menor nível desde agosto de 2009 (82,9%), segundo a FGV. Ainda de acordo com a fundação, o nível atual supera em 0,3 ponto percentual a média registrada desde 2003, mas está 1 ponto percentual abaixo da média apurada nos 12 meses até agosto. Na série de dados sem ajuste sazonal da pesquisa, o Nível de Utilização de Capacidade Instalada em agosto foi de 84%, ficando estável em relação a julho último. (AE)

Embraer terá serviço em Hong Kong

2010

www.agenda-empresario.com.br

2,2

do ano passado, o ICI registrou queda de 9,2% em agosto deste ano, mais forte que a apurada em julho (8%), no mesmo tipo de comparação. Ainda na comparação com agosto do ano passado, houve quedas de 10,3% e de 8,1%, respectivamente, para o Índice de Situação Atual e para o Índice de Expectativas. O levantamento para o cálculo do índice foi feito entre os dias 4 e 26 deste mês, em uma amostra de 1.174 empresas. Ca paci dad e – O Nível de Utilização de Capacidade Instalada (Nuci) da indústria, com ajuste sazonal, mostrou

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou ontem, por unanimidade e sem restrições, a unificação das operações de seguros residenciais e de automóveis dos grupos Itaú Unibanco e Porto Seguro. "Apenas gostaria de reafirmar a posição do Cade em relação a processos envolvendo instituições financeiras", salientou o relator, conselheiro Olavo Chinaglia. O comentário se deve ao impasse que está na Justiça em relação à competência do órgão antitruste para julgar processos envolvendo operações do setor financeiro. A tarefa caberia exclusivamente ao Banco Central (BC), mas o Cade mantém a posição de que tem condições de também avaliar. Depois de um acordo costurado com a BRF - Brasil Foods no mês passado, o Cade aprovou, também ontem, por unanimidade e sem restrições, a compra da Seara pela Marfrig, que atuam no mesmo setor. Etanol – O orgão aprovou a criação da joint venture formada entre a Cargill e a Usina São João para atuar na produção e comercialização de açúcar, etanol e energia elétrica. Cada uma das empresas deterá 50% das ações. O Conselho deu o aval para uma operação de alienação por uma das empresas da Cargill, a Finexcor SRL, de uma unidade frigorífica de bovinos (Bernal), localizada na Argentina, para o Frigorífico Gorina, Arrebeef e Ecocarnes O Cade aprovou ainda a criação de uma joint venture formada entre a Cosan Lubrificantes e a Amyris Brasil. O caso da TAM e da LAN deve ser julgado em outubro ou novembro deste ano. (AE)

11

escritório imobiliário CRECI: 22305-J

5565-0994 3433-4412

Rua Palestina, 409 São Paulo


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

e

15 As empresas empreendedoras são grandes geradoras de empregos. Cristiano dos Santos, analista do IBGE

conomia

Fotos: Patrícia Cruz/LUZ

Apesar do aumento no faturamento das pequenas empresas, muitas ainda fecham no primeiro ano de operação por falta de planejamento.

Tempo bom para abrir seu próprio negócio

O importante é planejar e experimentar. ALINE LIMA, EMPRESÁRIA

Cenário atual favorece novos empreendimentos – e o faturamento das MPEs tem crescido. Neide Martingo

Q

uem colocou em prática o projeto de ser dono do seu próprio negócio neste ano não se arrependeu. Os números mostram que a boa fase da economia brasileira tem sido generosa para os pequenos empreendedores. A empresária Aline Lima é formada em gastronomia, e se especializou em chocolates e doces. Ela começou a trabalhar em casa, em 2006, formou uma grande carteira de clientes, e abriu a Chocolateria Brazil no final de junho deste ano.

Os fatores para a abertura do negócio eram favoráveis: Aline aproveitou um imóvel que estava vazio, de propriedade da família, para montar a chocolateria. Com suas poupanças, ela viabilizou a compra do equipamento d a c o z i n h a i ndustrial, de R$ 50 mil. O ponto fica na Vila Mariana – bem em frente há um prédio comercial, que representa potenciais clientes, e outros dois serão inaugurados na mesma rua até o final do ano. Com isso, foi possível dupli-

car o faturamento entre julho e agosto. "Os meses de janeiro, fevereiro e julho são os piores para o setor, já que as famílias viajam em férias. Mas aproveitei exatamente este período para resolver problemas – como, por exemplo, o desperdício dos alimentos", disse. O negócio vai tão bem que Aline já pensa em ampliar as instalações, oferecendo também um café e criando uma linha de produtos para presentes. "O importante é planejar e experimentar", ensina.

Empreendedoras são fortes geradoras de empregos salariadas, 8,3% puderam ser classificadas como empresas de alto crescimento, sendo 12.359 delas consideradas empresas gazelas, ou seja, com até cinco anos de idade no ano inicial de observação. Apesar de pequeno, o percentual coloca o Brasil entre os países com mais alto nível

57,4

por cento das empresas com mais de dez funcionários geraram 59 milhões de vagas

de empresas com características empreendedoras, segundo um ranking da OCDE, publicado em 2009. Apenas Bulgária, Letônia e Eslováquia tinham taxas de companhias de alto crescimento maiores que o Brasil, que estava no nível de países como Estados Unidos e Israel. A importância dessas empresas em termos de geração de emprego é sentida, sobretudo, na região Norte, onde 19,9% da força de trabalho assalariada estavam nas compa-

nhias empreendedoras. O mesmo foi verificado na Nordeste, onde o percentual da massa assalariada nas empreendedoras ficou em 18,4%. A Sudeste teve a maior participação (53,6%) na distribuição das empresas de alto crescimento brasileiras, seguida pela região Sul (19,6%) e pela Nordeste (14,8%). A Sudeste lidera também na proporção de pessoal ocupado assalariado nas empreendedoras do País (56,1%), seguida, nesse caso, pela Nordeste (16,4%) e pela Sul (16,2%). "A inversão de papéis entre Sul e Nordeste, com o segundo tomando a frente do primeiro na ocupação nas empreendedoras, mostra um movimento interessante: o Nordeste se desenvolvendo", disse a técnica do IBGE Denise Guichard, também responsável pelo estudo. Setores – As empresas empreendedoras aparecem espalhadas em todos os setores, ainda que sua distribuição não ocorra de maneira uniforme. O setor da Construção Civil figura como a principal atividade, com 2,9% de empresas de alto crescimento, seguido da Indústria (2,1%), Serviços (0,7%) e Comércio (0,4%). Os demais setores, juntos, registraram 0,9% de taxa de companhias de alto crescimento. (AE)

números continuarão positivos no segundo semestre – mas com desaceleração de crescimento. "Os efeitos da alta dos juros farão com que os investimentos das empresas sejam menores. E as compras a prazo ficarão mais caras." A pesquisa feita pelo Sebrae a cada dois anos (a mais recente é de agosto de 2010) detalha que 27% das empresas fecham as portas no primeiro ano de funcionamento. "Isto acontece por que os empreendedores não seguem os aspectos básicos de planejamento – como os hábitos dos clientes, quem são os consumidores, a localização do negócio. E, depois de

Comissão aprova criação da secretaria da MPE

F

oi aprovado ontem pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) da Câmara dos Deputados o projeto de lei que estabelece a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que terá o mesmo status dos demais ministérios. A criação da nova secretaria, que será vinculada à Presidência da República, partiu de um projeto enviado pelo próprio poder Executivo. Agora, a proposta ainda precisa passar por outras comissões da Câmara e do Senado antes de seguir à sanção da presidente Dilma Rousseff. O novo órgão – para o comando do qual chegou a circular, há algumas semanas, o nome da empresária Luiza Trajano, dona da rede varejista Magazine Luiza – irá representar as empresas de pequeno e médio portes, cooperativas, associações e profissionais do ramo do artesanato. Esses negócios estão atualmente sob a responsabilidade do Ministério

do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Além disso, a secretaria terá autonomia para desenvolver políticas públicas voltadas especificamente para esses setores. Há cerca de duas semanas, Luiza Trajano afirmou, por meio de sua conta no Twitter, que "ainda não decidiu e pediu um tempo" à presidente Dilma Rousseff para aceitar o convite para comandar o órgão. "A secretaria ainda não foi criada, por isso nem é necessário dar uma resposta agora." Na época, a empresária disse que estudava "com muito carinho" a proposta, e que estava "lisonjeada com convite". "Incentivar o desenvolvimento da micro e pequena empresa sempre foi minha missão pessoal." De acordo com o texto da lei que cria o órgão, o impacto orçamentário previsto para custear a nova secretaria é de R$ 6,5 milhões em 2011, e outros R$ 7,9 milhões nos próximos anos. A lei estabelece também 70 cargos comissionados. (Agências)

aberta, a empresa deve ser monitorada constantemente – o mercado muda a toda hora", ponderou Gonçalves. Opção – Atualmente o empreendedor está mais preocupado com as oportunidades – e não deixa de abrir um negócio por falta de opções, como acontecia anteriormente. Segundo Juliano Seabra, diretor de educação e pesquisa do Instituto Empreender Endeavor Brasil, o governo federal promoveu neste ano o reajuste da tabela do Simples, e criou políticas públicas para inovação, entre outras novidades. "Isto favoreceu os negócios do empreendedor", disse.

Desemprego fica estável em julho

A

taxa de desemprego em julho ficou em 11% da população economicamente ativa (PEA) – o mesmo índice de junho. O dado consta da Pesquisa de Emprego e Desemprego, feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados por cento (Seade). da PEA O total de está hoje d e s e m p regados nas sem seis regiões emprego m e t ro p o l itanas analisadas e no Distrito Federal somou 2,441 milhões, 14 mil a mais do que em junho, o que, para os pesquisadores, indica estabilidade. Foram geradas 67 mil vagas, número inferior ao total de pessoas que ingressaram no mercado de trabalho (81 mil). O nível de ocupação aumentou em Belo Horizonte (1,2%), Salvador (1%) e Fortaleza (0,7%). A taxa ficou estável em São Paulo (0,3%), Porto Alegre (0,1%) e Distrito Federal (0,1%). Em Recife houve queda de 1,2%. (ABr)

11

• Leva e traz gratuito para a cidade de São Paulo er hec • Visita técnica con todos a h • Orçamento sem compromisso Ven loja e viços. sa er • Projeto de som ambiente nos ssos s o n • Radio virtual s o • Projeto de Sonorização profissional para: Igrejas, Casas Noturnas, Auditórios etc.

DC

E

mbora minoritárias, as empresas consideradas empreendedoras mostraram-se de grande importância para a geração de empregos no País, segundo o levantamento Estatísticas do Empreendedorismo, referente a 2008, divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As 30.954 empresas brasileiras de alto crescimento foram responsáveis pela geração de 2,9 milhões de postos de trabalho entre 2005 e 2008, 57,4% das 4,9 milhões de vagas formais criadas no período. "É por isso que as empresas empreendedoras são importantes, porque são grandes geradoras de empregos", disse Cristiano dos Santos, analista do IBGE e responsável pela pesquisa. O levantamento considera como empresas empreendedoras, ou de alto crescimento, as que têm dez ou mais pessoas ocupadas no ano inicial de observação e apresentam expansão média do pessoal ocupado assalariado maior de 20% ou mais ao ano, por um período de três anos, conforme os critérios da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Em 2008, das 371 mil empresas brasileiras ativas com dez ou mais pessoas ocupadas as-

Bons ventos – Os especialistas mostram que Aline está no caminho certo. Dados do Sebrae-SP apontam que o faturamento real das micro e pequenas empresas paulistas cresceu 4,7% no primeiro semestre do ano, ante igual período de 2010. "O resultado já vem de um patamar positivo. O aumento do faturamento de 2010 em relação a 2009 foi de 10,7%. Ou seja, a alta do primeiro semestre foi registrada na comparação a um montante favorável", disse o consultor do Sebrae-SP, Pedro Gonçalves. Levando em conta o cenário atual, a expectativa é de que os

Autorizada e especializada nas marcas:

Assistência técnica e especializada em toda linha de áudio profissional.

A sua empresa, sem pós-venda, não vende. Qualidade em atendimento pós-vendas. ZERO DB SERVICE CENTER. Conte com os nossos serviços.

Rua Mauá nº 44 Santa Efigênia São Paulo - SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Poupança de agosto, com aniversário hoje, tem rendimento de 0,71%.

conomia

Bancos: crédito para o Natal. Instituições lançam linhas de crédito para empresas pagarem o décimo-terceiro salário dos funcionários

Ouro lidera ranking dos melhores investimentos. Bolsa é lanterninha.

Rejane Tamoto Fátima Lourenço

A

temporada de abertura de linhas de crédito dos bancos para os clientes pessoa jurídica (PJ) pagarem o décimo-terceiro salário aos funcionários já começou. Além da taxa de juros, o empresário deve ficar atento às garantias, aos limites, às carências e aos prazos de pagamentos (confira no quadro ao lado). Em geral, as condições variam de acordo com o relacionamento com o banco. Especialistas em finanças recomendam aos empresários que, antes de contratarem uma linha de crédito, observem se há sincronia entre o valor financiado e os recebimentos futuros. O professor de mercado financeiro da Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Quem Atuariais e Financeiras (Fipecafi), Silvio Paixão, disse pega um empréstimo que o empresário deve buscar a linha de menor custo e agora terá utilizá-la no menor prazo de pagar possível, de preferência em em 2012 e até 120 dias. "Além disso, ele deve prever quitar esse ficom juros. nanciamento com o contas a LUIZ GRECCO, receber, com o que os clientes DO SEBRAE pagarão. É preciso sincronizar os pagamentos com os recebimentos para evitar que os custos cresçam e eliminem os ganhos e margens de lucro ", afirmou. Segundo ele, esse recurso é muito utilizado por empresas que deram prazos maiores para o pagamento de seus clientes. O analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Luiz Ricardo Grecco, afirmou que o décimo-terceiro salário e os demais encargos trabalhistas não são custos imprevistos. Assim, o empresário deve fazer provisões ao longo do ano para esses pagamentos. Embora o final do ano seja de sazonalidade positiva, o começo do próximo costuma ser de gastos e de poucas vendas. "Quem pega um empréstimo agora terá de pagar no ano que vem e com juros. Quem tomar o crédito deve procurar quitar antecipadamente para não coincidir com o pagamento do décimo-terceiro do ano seguinte", disse Grecco.

O

ouro se manteve em destaque em agosto, com a melhor rentabilidade do ranking elaborado pelo administrador de investimentos Fábio Colombo, com alta de 7,93%. O metal permanece como uma opção conservadora para diversificação dos investimentos. No extremo oposto desse mês, a bolsa de valores recuou 3,96%, alinhada com as oscilações e quedas observadas nos mercados de todo o mundo. No acumulado do ano não foi diferente. A bolsa brasileira caiu 18,48%. Colombo analisa que com a expectativa de redução do crescimento, como consequência da crise mundial, "já se antevê a possibilidade de redução dos juros no futuro, diferentemente do que se previa até um mês atrás". Ele recomenda a compra gradativa parcial da carteira de ações. Fundos – Os fundos continuam bem. Em agosto, os de Renda Fixa ofereceram ganhos brutos superiores aos dos fundos de Depósito Interbancário (DI). Segundo Colombo, eles se mantêm como opções de diversificação para investidores moderados e agressivos. Para os fundos DI, com melhora do rendimento real no mês de agosto devido ao recuo da inflação, Colombo prevê, para setembro, rendimento bruto na faixa de 0,75% a 1,05%. A crise mundial e as me-

didas do governo para conter a queda do dólar contribuíram para os bons resultados dos fundos cambiais (dólar e euro) em agosto. Colombo analisa que eles se mantêm como opções para diversificação do portfólio de investidores com perfil conservador e moderado, "caso o cenário continue incerto". Os títulos indexados ao Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) também permanecem como opções de diversificação, pois renderam na faixa de 5,7% ao ano. A poupança de agosto, com aniversário hoje, gerou rendimento líquido de 0,71%.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

e Desoneração para fibras ópticas

O setor pressionará o governo por mudanças na tarifação de cartões. Sussumu Honda, presidente da Abras

conomia

Proposta para construção de rede deve ser entregue à presidente Dilma Rousseff em uma semana, segundo ministro Paulo Bernardo.

O

ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou ontem que a proposta de desoneração para a construção de redes de fibras ópticas deve ser entregue à presidente Dilma Rousseff em até uma semana. Segundo ele, a isenção de Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) para investimentos na ampliação das redes de banda larga do País deverá sair via medida provisória (MP). Bernardo destacou que o Ministério das Comunicações fará a habilitação dos projetos, para garantir que as empresas beneficiadas pelo incentivo fiscal também invistam nas regiões Norte e Nordeste. "Vamos dificultar para quem quiser investir apenas em regiões já atendidas", completou. Assinatura – O Projeto de Lei (PLC) 116, que foi aprovado no mês de agosto pelo Senado Federal, deve aumentar em 11 milhões a quantidade de assinantes de TV por assinatura no País nos próximos quatro anos, segundo avaliação feita ontem por Bernardo. O projeto, que ainda será

Ed Ferreira/AE

sancionado pela presidente Dilma Rousseff, abre o mercado de TV a cabo para as companhias de telecomunicações. Além disso, a iniciativa reduz as limitações atuais de capital estrangeiro nas empresas de TV paga. "Vamos dobrar a quantidade de assinantes nos próxi-

mos anos, todos eles com acesso também à internet de alta velocidade", declarou Bernardo, em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado. Segundo o ministro, o projeto possibilitará a entrada de grandes companhias de telecomunicações no mercado,

O

fluxo cambial registrou ingresso líquido de US$ 5,404 bilhões em agosto até o dia 26, conforme dados atualizados pelo Banco Central (BC). Na quarta semana do mês, entre 22 e 26 de agosto, o fluxo cambial seguiu trajetória contrária e registrou saída líquida de US$ 2,357 bilhões. Segundo o BC, o fluxo financeiro do mês está

negativo em US$ 1,043 bilhão, resultado de ingressos de US$ 25,239 bilhões e saídas de US$ 26,282 bilhões. Na quarta semana do mês, a saída é ainda mais forte, com fluxo financeiro negativo de US$ 2,143 bilhões, fruto de ingressos de US$ 5,379 bilhões e saídas de US$ 7,522 bilhões. Na conta comercial, o mês acumula entrada líquida de

Mercado de cartões eleva concentração

concentração no mercado de cartões aumentou nos últimos anos. Em 2005, os cinco maiores bancos emissores de cartões detinham 68% do mercado. Neste ano, a participação saltou para 81%, de acordo com o levantamento da CardMonitor, empresa especializada em estatísticas do mercado de meios eletrônicos de pagamentos. Para José Antonio Camargo de Carvalho, sócio-diretor da CardMonitor, essa concentração se acelerou como reflexo das fusões e aquisições recentes no setor bancário. De acordo com ele, mesmo com a competição, as vendas de novos cartões estão difíceis. Estima-se que 65 milhões de brasileiros tenham um plástico. Mapeamento da CardMonitor junto aos bancos mostra que existem 585 tipos de cartões de crédito diferentes. O Itaú Unibanco oferece 116 versões, e o Bradesco tem 104. Va r ej o – O comércio quer mudar a forma como são taxadas as operações com cartão de débito. De acordo com representantes do setor, a ideia é que os lojistas, que hoje pagam às credenciadoras um percentual sobre cada venda, tenham que repassar apenas uma tarifa fixa por operação. "O custo da transação eletrônica é o mesmo em todas as operações. Quando você emite um cheque, por exemplo, não paga diferentes taxas por ele de acordo com o valor de cada folha", afirmou o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro. Ele disse que o varejo tem o apoio do Banco Central (BC) em medidas que aumentem a concorrência no setor de cartões, e que o setor já discute com o Congresso como alte-

rar o tipo de cobrança. A intenção é conseguir que o Congresso aprove a classificação das credenciadoras de cartão como instituições financeiras, o que permitiria sua regulação pelo BC. A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) também está na campanha para o fim das taxas no débito. Sussumu Honda, presidente da entidade, diz que se as próprias empresas de cartões não se mexerem para baixar as taxas, o setor de consumo pressionará o governo por mudanças na tarifação de cartões, assim como ocorreu com a abertura do mercado de credenciamento de lojistas. O argumento dos varejistas é que nos países desenvolvidos, como os Estados Unidos, é cobrada uma taxa por cada operação de débito. O presidente da Cielo, Rômulo Dias, rebateu o pedido, afirmando que "o lojista não é obrigado a utilizar o débito". "O débito veio substituir o dinheiro e o cheque para trazer mais segurança, menos custo. Se tivesse uma desvantagem em relação ao que era anteriormente, o débito não seria utilizado", afirmou. "Para nós, o sistema está adequado em função dos benefícios que ele traz para o lojista." Preferido – De acordo com pesquisa divulgada ontem pela Visa, o cartão de débito já superou o dinheiro como forma de pagamento dos consumidores paulistanos nas compras entre R$ 51 e R$ 500. O estudo, realizado para conhecer o perfil e os hábitos dos usuários de cartão de débito no País, mostra que 79% população bancarizada de São Paulo possui apenas um cartão de débito, e 67% deles utilizam-no pelo menos uma vez por semana. (Agências)

bem como abrirá as portas a centenas de empresas menores, com interesses voltados para os pequenos e médios municípios que atualmente não tem o serviço. "Já nas grandes cidades, as empresas vão se estapear pelos clientes, o que vai melhorar a qualidade e diminuir o preço", completou.

Microsoft – O presidente da Microsoft do Brasil, Michel Levy, se encontrou ontem com o ministro das Comunicações para apresentar projetos da companhia de inclusão digital, capacitação em tecnologia da informação e suporte à educação. De acordo com Levy, a visita também serviu para conhecer melhor o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) do governo, que pretende universalizar o acesso à internet rápida no País nos próximos anos. "Viemos conhecer melhor as prioridades do governo para ver como e onde podemos nos aliar", disse o executivo. Para Levy, não há nada concreto sobre a instalação de um centro de dados da Microsoft no Brasil para cuidar especificamente da computação em nuvem, ou seja, a manutenção de documentos e aplicativos diretamente na rede ao invés de terminais fixos. (AE)

Tavis Wright/ Folhapress

US$ 6,446 bilhões porque as exportações acumuladas até o dia 26 somaram US$ 22,462 bilhões e as importações atingiram US$ 16,016 bilhões. Na quarta semana do mês, o segmento comercial teve saída de US$ 213 milhões porque as importações atingiram US$ 4,956 bilhões e superaram as exportações de US$ 4,743 bilhões no período. (AE)

Na 4ª semana do mês, houve a saída líquida de US$ 2,357 bilhões.

Ambev Brasil Bebidas S.A.

CNPJ/MF nº 73.082.158/0001-21 - NIRE 35.300.391.713 - Companhia Fechada Assembleia Geral Extraordinária - Edital de Convocação Ficam convidados os acionistas da Ambev Brasil Bebidas S.A. (“Companhia”) para se reunirem no dia 08 de setembro de 2011, às 11 horas, na sede social da Companhia, localizada na cidade de Jaguariúna, Estado de São Paulo, na Avenida Antarctica, nº 1891 (parte), Fazenda Santa Úrsula, em Assembleia Geral Extraordinária para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: (i) retificação do Anexo I - Estatuto Social constante da ata da Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada em 29 de abril de 2011, a fim de registrar a redação correta do artigo 5º, que versa sobre o capital social da Companhia; e (ii) ratificação dos demais termos e condições constantes da Ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 29 de abril de 2011. Informações Gerais: - O acionista ou seu representante legal deverá comparecer à Assembleia munido de: a) documento que comprove sua identidade; b) o respectivo comprovante de ações escriturais, expedido pela instituição financeira depositária; e c) se for o caso, instrumentos de mandato para representação do acionista por procurador, outorgado nos termos do Artigo 126, §1º, da Lei n. 6.404/76, conforme alterada. - Solicita-se que os instrumentos de mandato com poderes especiais para representação na Assembleia Geral a que se refere o presente edital sejam depositados, na sede da Companhia, no Departamento Jurídico, com antecedência de até 3 (três) dias úteis da data marcada para a realização da assembleia. Jaguariúna, 30 de agosto de 2011. João Maurício Giffoni de Castro Neves. Diretor Geral.

Morena Distribuidora de Bebidas S.A.

CNPJ n.º 03.051.050/0001-96- NIRE 35.300.391.705 - Companhia Fechada Assembleia Geral Extraordinária - Edital de Convocação Ficam convidados os acionistas da Morena Distribuidora de Bebidas S.A. (“Companhia”) para se reunirem no dia 08 de setembro de 2011, às 10 horas, na sede social da Companhia, localizada na cidade de Jaguariúna, Estado de São Paulo, na Avenida Antarctica, nº 1891 (parte), Fazenda Santa Úrsula, em Assembleia Geral Extraordinária para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: (i) retificação do Anexo I - Estatuto Social constante da ata da Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada em 29 de abril de 2011, a fim de registrar a redação correta dos artigos 4º e 5º, que versam, respectivamente, sobre o objeto e o capital social da Companhia; (ii) ratificação dos demais termos e condições constantes da Ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 29 de abril de 2011; (iii) Aprovar a alteração de endereço e o encerramento de determinadas filiais da Companhia; e (iv) ratificar a existência das filiais da Companhia ora em funcionamento. Informações Gerais: - O acionista ou seu representante legal deverá comparecer à Assembleia munido de: a) documento que comprove sua identidade; b) o respectivo comprovante de ações escriturais, expedido pela instituição financeira depositária; e c) se for o caso, instrumentos de mandato para representação do acionista por procurador, outorgado nos termos do Artigo 126, §1º, da Lei n. 6.404/76, conforme alterada. - Solicita-se que os instrumentos de mandato com poderes especiais para representação na Assembleia Geral a que se refere o presente edital sejam depositados, na sede da Companhia, no Departamento Jurídico, com antecedência de até 3 (três) dias úteis da data marcada para a realização da assembleia. Jaguariúna, 30 de agosto de 2011. João Maurício Giffoni de Castro Neves. Diretor Geral.

OPINIÃO S/A CNPJ 03.729.970/0001-10 - NIRE 35.300.196.392 Edital de Convocação - AGO Ficam convocados os acionistas a se reunirem em AGO, a ser realizada às 9hs do dia 08.09.11, na sede social, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: a) aprovação de contas do exercício findo em 31.12.10 e destinação dos resultados; b) remuneração da Diretoria; e c) outros assuntos de interesse social. São Paulo, 31.08.11. A Diretoria. (31/08, 01 e 02/09)

SIFRA S/A CNPJ 04.455.612/0001-20 - NIRE 35.300.184.904 Edital de Convocação - AGO Ficam convocados os acionistas a se reunirem em AGO, a ser realizada às 10hs do dia 08.09.11, na sede social, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: a) aprovação de contas do exercício findo em 31.12.10 e destinação dos resultados; b) remuneração da Diretoria; e c) outros assuntos de interesse social. São Paulo, 31.08.11. A Diretoria. (31/08, 01 e 02/09)

APAFRAM - Associação Paulista de Franqueados da Marca Microlins CNPJ nº 13.396.576/0001-61 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Convocamos os Associados da APAFRAM - Associação Paulista de Franqueados da Marca Microlins, devidamente constituída no CNPJ nº 13.396.576/0001-61, para Assembleia Extraordinária a ser realizada em 16/09/2011, às 10:00 h, na sede da associação, a fim deliberar sobre a mudança do nome da Associação. São Paulo, 30 de agosto de 2011. Fátima Iria Monteiro de Oliveira - Presidente

Correa Galvanoplastia Ltda.-EPP torna público que recebeu da Cetesb a Renovação da Licença de Operação nº 29005299, para Prestação de Serviços de Galvanoplastia, sita à Rua Desembargador Galvão, 68, Jd. Cabuçu, São Paulo, SP.

Correios terão mais atribuições

O

Bernardo: "vamos dificultar para quem quiser investir apenas em regiões já atendidas".

BC: US$ 5,4 bi entraram no País.

A

ECONOMIA/LEGAIS - 17

Senado aprovou ontem projeto que amplia a área de atuação dos Correios, permitindo a exploração de serviços postais eletrônicos, financeiros e de logística integrada. Como a validade da Medida Provisória (MP) que tratava da proposta termina um dia depois do feriado de 7 de setembro, os senadores ficaram impedidos de alterar o texto dos deputados. A proposta permite aos Correios explorar serviços típicos de um banco, além de criar subsidiárias e atuar no exterior e participar de companhia aérea de transporte de cargas e oferecer serviços de internet. Etanol – A MP autoriza ainda a redução do percentual mínimo do etanol anidro na gasolina, de 20% para 18%, e atribui à Agência Nacional do Petróleo (ANP) a fiscalização e a regulamentação da produção. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) apresentou emenda especificando que a competência se restringiria ao álcool combustível, mas sua proposta foi rejeitada. "No limite, a ANP vai poder fiscalizar até o álcool da barraquinha do pipoqueiro da praça." O líder do DEM, Demóstenes Torres (GO), anunciou que o partido recorrerá ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a inclusão no projeto de conversão em lei da MP a autorização para os Correios criarem uma subsidiária, sem a aprovação de uma lei específica pelo Congresso. Já o líder do governo, Romero Jucá (PMDBRR), afirmou que o projeto deverá ser sancionado na íntegra. (AE)

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: TOMADAS DE PREÇOS A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Obras: TOMADA DE PREÇOS Nº - OBJETO - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - PRAZO - ÁREA (se houver) - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 69/00199/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE/DER Prof. Bruno Pieroni/Futura DER de Sertãozinho - Rua Luis Obert Escudeiro, 240 - CEP: 14510-000 - Centro - Sertãozinho-SP - 180 - R$ 82.028,00 - R$ 8.202,00 - 09:30 - 20/09/2011. 69/00247/11/02 - Reforma (Restauro) de Prédio na DER Araraquara - Sede - Oficina Pedagogica - Nucleo de Tecnologia - Rua Goncalves Dias, 291 - CEP: 14801-290 - Centro - Araraquara-SP - 180 - R$ 19.478,00 - R$ 1.947,00 - 09:50 - 20/ 09/2011. 69/00283/11/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de Prédio Escolar na EE Dr. Presciliano Pinto de Oliveira - Rua Paraná, 268 - CEP: 15240-000 - Centro - Nipoã-SP - 150 - 46,47 - R$ 45.095,00 - R$ 4.509,00 - 10:10 20/09/2011. 69/00284/11/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de Prédio Escolar na EE Cel. Marcelino Braga Rua dos Nogueiras, 433 - CEP: 14930-000 - Jd. Progresso - Boa Esperança do Sul-SP - 120 - 39,14 - R$ 33.130,00 - R$ 3.313,00 - 10:30 - 20/09/2011. 69/00289/11/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de Prédio Escolar na EE Profº Bento de Siqueira - Rua Bom Jesus, S/Nº - CEP: 15845-000 - Centro - Marapoama-SP - 150 - 47,26 - R$ 62.382,00 - R$ 6.238,00 - 10:50 - 20/09/2011. 69/00290/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE/EMEF Sta Rita de Cássia - Rua Dois, S/Nº - CEP: 11850-000 - Santa Rita - Miracatu-SP - 150 - R$ 56.958,00 - R$ 5.695,00 - 11:10 - 20/09/2011. 69/00291/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE Prof. Adahir Guimarães Fogaça - Rua Auriflama, 2568 - CEP: 15043330 - Eldorado - São José do Rio Preto-SP - 150 - R$ 69.645,00 - R$ 6.964,00 - 11:30 - 20/09/2011. 69/00292/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE Prof. Elias de Mello Ayres - Rua Fernando Febeliano da Costa, 429 CEP: 13416-250 - São Dimas - Piracicaba-SP - 240 - R$ 67.709,00 - R$ 6.770,00 - 14:00 - 20/09/2011. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI, na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 01/09/2011, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 40,00 (quarenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: TOMADAS DE PREÇOS A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Obras: TOMADA DE PREÇOS Nº - OBJETO - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - PRAZO - ÁREA (se houver) - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 70/00245/11/02 – Reforma de Prédio Escolar na EE Profª Neusa Figueiredo Marçal - Rua Lucia Zincaglia, 401 - CEP: 09810800 - Assunção - São Bernardo do Campo-SP - 210 - R$ 42.808,00 - R$ 4.280,00 - 14:30 - 19/09/2011. 70/00250/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE Prof Antonio de Oliveira Camargo - Rua Eng Carlos Grazia, 500 - CEP: 03685-110 - Vila União - São Paulo-SP - 180 - R$ 68.609,00 - R$ 6.860,00 - 15:00 - 19/09/2011. 70/00266/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE Sinhá Pantoja - Rua Simão de Lemos, S/N - CEP: 05816-220 - Rec. Sto. Antônio - São Paulo-SP - 180 - R$ 44.097,00 - R$ 4.409,00 - 15:30 - 19/09/2011. 70/00271/11/02 - Reforma de Prédio Escolar na EE Prof Luis Gonzaga de Carvalho Mello - Rua Antônio de Toledo Lara Filho, 116 - CEP: 03678-050 - Vila S. Francisco - São Paulo-SP - 150 - R$ 53.634,00 - R$ 5.363,00 - 16:00 - 19/09/2011. 70/00310/11/02 - Reforma de Prédio Escolar e Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador na EE Profa Idalina Ladeira - Rua Taubaté (Rua Barra da Estiva), S/N - CEP: 07161180 - Cid. Soberana - Guarulhos-SP - 210 - 38,46 - R$ 82.821,00 - R$ 8.282,00 - 16:30 - 19/09/2011. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI, na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 01/09/2011, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 40,00 (quarenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 31 de agosto de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Nos termos provimento CSM CXC/84, informamos que hoje (31/08/2011) Não houve pedido de falência na comarca da Capital.

Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de São José do Rio Preto – SeMAE Aviso de Abertura de Licitação – Tomada de Preços 11/2011 – Proc. 104/2011 Entrega dos envelopes: até 20.09.2011, às 08h45. Abertura da licitação: 20.09.2011, a partir das 09h00. Objeto: Contratação de serviços de engenharia para levantamento topográfico cadastral em coordenadas Universal Transversa Mercator (UTM), de áreas de servidão administrativa para passagem de interceptor e emissário de esgotos na margem direita e esquerda do Rio Preto, desapropriação de área para construção de Estação Elevatória de Esgotos (EEE) e licenciamento ambiental. Custo global estimado: R$140.294,08 – Prazo de execução: 4 meses. Demais informações e retirada do edital com a C.L., na Rua Antônio de Godoy, 2181, Jd. Seixas, S. J. do Rio Preto/SP, das 7h30 às 12h00 e das 13h30 às 17h00, de segunda a sexta, fone/fax: (17) 3211-8105, e página do SeMAE na internet: www.semae.riopreto.sp.gov.br. S. J. Rio Preto, 31.08.2011. Sonia Maria Franco da Silva Gomes – Presidente da C. L.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e Alemanha: sinal verde para fundo de resgate.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O comércio online oferece grandes oportunidades no Brasil. Reportagem da revista Forbes

conomia

Tobias Schwarz/Reuters

A chanceler alemã Angela Merkel (centro da foto) aprovou elevação de recursos do fundo. E o ministro das Finanças português, Vitor Gaspar (foto abaixo), prometeu mais cortes.

Projeto dá à União Europeia recursos para conter a atual crise da dívida rir bônus soberanos. Assim, o fundo terá 440 bilhões de euros e os estados da zona do euro deverão fornecer 780 bilhões de euros em garantias, dos quais 211 bilhões de euros proviriam da Alemanha (27%). O objetivo desta reforma é favorecer a estabilidade dos países com problemas de crédito, como a Grécia, Portugal e Irlanda, e de seus respectivos setores financeiros, assim como a do conjunto da zona do euro e sua moeda comum. Grécia – O ministro das Finanças grego, Evangelos Venizelos, classificou ontem de "cruciais" para o país as próximas semanas, nas quais se esperam decisões dos inspetores internacionais que avaliam a recessão da economia grega. Venizelos informou que seu ministério e os inspetores enviados pela UE, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI)

estudam medidas para resistir à recessão. Segundo as novas estimativas, a contração da economia grega crescerá neste ano 5,3%, contra 3,8% previsto inicialmente. Ele também descartou que Atenas adote novas medidas de austeridade e ajustes fiscais até o final do ano, dados os duros cortes já aprovados. Portugal – O ministro das Finanças de Portugal, Vitor Gaspar, anunciou ontem "um corte sem precedentes" na dívida pública do país por meio de novas medidas de ajuste, especialmente no âmbito tributário. Ele estimou ainda que a economia voltará a crescer até 1,2% em 2013.

AT&T e T-Mobile: fusão rejeitada. Justiça norte-americana considerou o negócio danoso ao mercado

O

Departamento de Justiça dos Estados Unidos bloqueou ontem os planos da operadora de telefonia AT&T de adquirir a T-Mobile naquele país. De acordo com o órgão, a fusão teria como resultado a redução da concorrência no setor e a consequente elevação dos preços aos consumidores. Ao bloquear o acordo, avaliado em US$ 39 bilhões, o Departamento de Justiça justificou que o pacto poderia ser considerado uma violação da lei antitruste (sobre práticas restritivas da concorrência) dos EUA. O acordo de fusão, anunciado em março, despertou a contrariedade de inúmeros de clientes, assim como de outras operadoras de telefonia celular. Para eles, a

Etienne Franchi/AFP

Gaspar previu que, após uma queda acumulada no Produto Interno Bruto (PIB) de 4% em 2011 e 2012, a economia, impulsionada pelo setor exportador, se recuperará e conseguirá reduzir a dívida pública a partir de 2014. Ela subirá de 100,8% do PIB neste ano para 106,8% em 2013, quando começará sua tendência de queda, para até 105% em 2014. Segundo Gaspar, o país alcançará "a sustentabilidade" da economia em 2015 e, a partir daí, estará "quase eliminado" o desequilíbrio orçamentário externo que pesa sobre as contas de Portugal, cujo déficit foi de 9,1% no ano passado. O documento também in-

clui previsões sobre a taxa de desemprego, que subirá para 13,2% no próximo ano, mas cairá até 12,3% em 2015, e so-

bre o déficit, que como já se anunciou diminuirá progressivamente até 3% em 2013 e 0,5% em 2015. (EFE)

Brasil já é o Bric mais atrativo

Forbes vê expansão do e-commerce

Iene forte prejudica o Japão

O

A AT&T é a 2ª maior empresa de telefonia celular. A T-Mobile é a 4ª.

concretização do negócio criaria um gigante no setor, com o qual seria muito difícil manter algum nível de competição no mercado. AT&T é a segunda maior empresa de telefonia celular nos EUA pelo número de

assinantes. Já a T-Mobile atualmente ocupa a quarta colocação. Prejuízos – Em entrevista para anunciar a decisão, o secretário adjunto de Justiça, James Cole, indicou que "a fusão da AT&T e T-Mobile resultaria em dezenas de milhões de consumidores em todo os EUA tendo de conviver com preços mais altos, menores opções e produtos de menor qualidade para os serviços de telefonia sem fio". Por sua vez, a subsecretária-adjunta de Justiça para a luta contra os monopólios, Sharis Pozen, indicou que, "a menos que esta fusão seja bloqueada, a competição e a inovação se reduzirão e os consumidores serão prejudicados". A decisão do Departamento de Justiça, que chega antes da definição sobre a fusão da Comissão Federal de Comunicações, põe em interdição o futuro nos EUA da T-Mobile, que pertence à alemã Deutsche Telekom e teve dificuldades para concorrer com suas rivais de maior tamanho. A AT&T obteve receita no ano passado de US$ 53,5 bilhões por seus serviços de telefonia celular, e sua receita total superou os US$ 124 bilhões. Já a T-Mobile, que tem cerca de 33,6 milhões assinantes nos EUA, gerou receita de US$ 18,7 bilhões por essas mesmas operações. (EFE)

Brasil é o país preferido entre os Bric – grupo que inclui ainda Rússia, Índia e China – por investidores norte-americanos no mercado acionário. A avaliação partiu de um estudo divulgado ontem, segundo o qual cerca de 60% dos gestores baseados nos Estados Unidos colocam o Brasil como principal destino de recursos dentro do universo dos quatro emergentes. A China aparece logo em seguida, com 27% das preferências. Realizada pela consultoria de comunicação Financial Dynamics (FD), a pesquisa ouviu investidores como BlackRock, Franklin Templeton e Boston Company Asset Management. "Eles acreditam que os fundamentos das companhias brasileiras são o ponto mais importante para as decisões de portfólio", disse em comunicado o vice-chairman da FD, Gordon McCoun. "Mas em um tempo em que a incerteza macroeconômica (global) está retardando a alocação de capital em mercados emergentes, as companhias brasileiras precisam trabalhar duro para aumentar sua visibilidade com a comunidade financeira dos EUA." O levantamento mostra ainda que 12,5% dos investidores consultados estão muito otimistas com as empresas brasileiras, com outros 66,7% relativamente otimistas e 18,8% neutros. Não houve respostas indicando pessimismo. No total, 33 grupos que investem na América Latina e no Brasil participaram do estudo – e 39% deles ampliaram os investimentos em ações no País no último ano, outros 24% mantiveram suas aplicações, e cerca de 36% reduziram suas posições. Quanto aos setores e indústrias citados pelos investidores norte-americanos, o preferido no Brasil é o financeiro, seguido por construção, energia e consumo. O levantamento foi conduzido de 26 de julho a 15 de agosto. (Reuters)

Patrícia de Me

lo Moreira/AF

M

esmo sem ter o gigante do e-commerce Amazon presente no Brasil, o País já se destaca mundialmente em termos de comércio eletrônico. Em reportagem publicada ontem em sua edição online, a revista norte-americana Forbes avaliou que o setor passa por um momento de expansão. Baseando-se em números da consultoria especializada em tecnologia E-consulting, a Forbes informou que o e-commerce teve no primeiro semestre do ano negócios de US$ 5,5 bilhões no País (alta de 19,1% ante igual período de 2010) – e deverá concluir 2011 com um total de US$ 11,5 bilhões. O texto também incluiu dados da consultoria e-bit, segundo a qual o setor faturou US$ 5,2 bilhões no período – uma expansão de 24%. "É difícil dizer qual estudo é mais preciso, mas é fácil predizer que o comércio online oferece grandes oportunidades no Brasil", avaliou a reportagem. Graças às medidas do governo para conter o consumo e controlar a inflação, o e-commerce deverá crescer menos no segundo semestre. Mas a Forbes argumentou que a popularização de smartphones e redes 3G no Brasil deverá aproximar mais as redes sociais e o comércio eletrônico.

A

P

produção industrial do Japão desacelerou em julho, quando teve um crescimento de 0,6% em relação ao mês anterior. A queda foi causada pela forte valorização do iene e pelo recuo nas exportações para a China. A economia de energia elétrica imposta pelo governo japonês também contribuiu para a retração. Segundo a avaliação divulgada ontem pelo Ministério da Economia, "a tendência é de recuperação". I E D – Os mercados emergentes receberam 60% do investimento estrangeiro direto (IED) do Japão no ano fiscal 2010, refletindo a busca das companhias japonesas por acordos de aquisição e fusão nessas regiões, afirmou o jornal Nikkei. O IED feito pelo Japão encolheu 20% no ano fiscal 2010 em comparação ao ano fiscal anterior, para 4,86 trilhões de ienes (US$ 63,52 bilhões), de acordo com o Ministério de Finanças do país. Deste total, cerca de 2,91 trilhões de ienes (US$ 37,9 bilhões) foram para países emergentes, 7% a mais que o registrado no ano fiscal 2009. O total de investimentos nos Estados Unidos, Europa e outros países desenvolvidos encolheu 42% na mesma base de comparação. (Agências)

Mandel Ngan/AFP

O

conselho de ministros alemão aprovou ontem a reforma do Fundo Europeu de Estabilidade Financ e i r a ( E F S F, n a s i g l a e m inglês), estipulada em 21 de julho na cúpula de líderes da União Europeia (UE) e que concede ao órgão mais recursos para frear a crise da dívida. Em sua reunião semanal, os ministros do governo de centro-direita alemão sancionaram o projeto de lei que reforça este mecanismo. Agora, ele passará pelo Parlamento federal para ser estudado e ratificado, o que prolongará o processo até o final de setembro. O documento aprovado pelo gabinete da chanceler alemã, Angela Merkel, sancionou o aumento do volume disponível para empréstimos que o EFSF pode conceder aos países em dificuldades financeiras e permitiu ao organismo adqui-

PACOTE – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apresentará seu plano econômico e de criação de empregos em uma sessão conjunta de ambas as Câmaras do Congresso no dia 7 de setembro, anunciou ontem a Casa Branca. (EFE)

Diário do Comércio  

01 set 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you