Issuu on Google+


Editorial

Direção Armandio do Nascimento armandio@destaqueimobiliario.com (47) 9104-7233 Jornalista Responsável Francine Mirele da Silva (3317-SC) jornalismo@destaqueimobiliario.com (47) 9156-7289 Comercial Mário Junior comercial@destaqueimobiliario.com (47) 9205-0007

Tem gente que não gosta de frio. Mas, para os insatisfeitos com

Designer

a estação mais fria do ano, vale lembrar que as baixas temperaturas tem

Aline Pessatti

lá as suas coisas gostosas. Esquentar-se na lareira, tomando um café

diagramacao@destaqueimobiliario.com

quentinho e lendo um bom livro é uma delas. Aliás, se aquecer é a palavra de ordem: tem coisa mais gostosa que ficar debaixo das cobertas

Administrativo e financeiro

em uma cama bem quentinha? Tudo bem, ter que levantar da cama para

Carolina Tolentino

ir trabalhar pode não ser tão bom assim... mas um banho bem quentinho

destaque@destaqueimobiliario.com

após sair dela, tem um poder reanimador.

Também é preciso descontrair, mas com tanto frio lá fora, nada

como reunir os amigos dentro de casa! Que tal uma adega cheia de bons vinhos a serem servidos com um delicioso fundue? Inverno dá uma vontade de comer, não é?

Para mim, preparar a casa para o inverno é essencial, pois nessa

estação parece que nada é melhor que a casa da gente. Ela fica tão mais

Assinaturas assinaturas@destaqueimobiliario.com Fone: (47) 3022.1441 Circulação Jaraguá do Sul, Joinville, Blumenau, Balneário

Piçarras,

aconchegante e atrativa! O que acha de preparar a sua também?

Camboriu e Itapema.

Periodicidade - Mensal

Este mês chegou o inverno. E foi por isso que fizemos uma ma-

Itajaí,

Balneário

téria especial, cheia de requinte e de ideias, produtos e delícias que só a estação mais fria do ano proporciona. Aproveite para deixar o seu lar

Editora Top Ltda - Rua Reinoldo Rau,

ainda mais gostoso!

nº 60 Centro Empresarial Market

Place Sala 607

Bom inverno.

Centro - Jaraguá do Sul - SC

Francine M. da Silva

Fone (47) 3055.2777 .3055.2696 www.destaqueimobiliario.com Impressão Gráfica Impressul Tiragem - 7.000 exemplares

Arquitetos, designers e paisagistas interessados em publicar seus projetos devem encaminhar um e-mail para jornalismo@destaqueimobiliario.com, com as fotos dos ambientes e uma breve descrição da obra para análise.

‘‘Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas’’. (Mateus 6:33)

12

Artigos assinados não expressam, necessariamente, a opinião da revista.


14


PRETO É A AUSÊNCIA DE CORES. E ELAS NÃO FIZERAM FALTA NENHUMA.

A linha DOCOLCOLORS é mais um lançamento Docol com tecnologia e design único.

0800 474 333 docol.com.br

0800 474 333 docol.com.br

A linha DOCOLCOLORS é mais um lançamento Docol com tecnologia e design único.

BRANCO É A UNIÃO DE TODAS AS CORES. E ELAS FIZERAM UMA FESTA.


Agenda

Fotos: divulgação

Casa Cor Com o tema Moda, Estilo e Tecnologia, seguem abertas as edições da Casa Cor do Rio Grande do Sul, até 24 de julho, e de São Paulo até 22 de julho, trazendo tecnologias e novidades de arquitetura e decoração. Mais informações: www.casacor.com.br/rs www.casacor.com.br/saopaulo

Construfair

Um

dos

maiores

eventos de Santa Catarina, relacionado a construção e segmentos do mercado imobiliário, acontece em Florianópolis entre os dias 21 a 26 de agosto, das 15h às 22h de terça a sexta-feira, e das 10h às 20h no final de semana.

A 19ª Feira de Pro-

dutos para Construção Civil

e

Mercado

(Construfair) produtos,

Imobiliário

traz

serviços,

inúmeros máqui-

nas e equipamentos para a construção civil. Paralelo ao evento acontece o Salão do Imóvel, com diversas opções de imóveis em Florianópolis e região, a expocondominio, com

produtos,

serviços

e

assessoria para condomínios,

Formóbile

16

A 5ª Feira Internacional de Fornecedores da Indústria Madeira e Móveis (ForMóbile), que acontece entre 24 e 27 de julho, reúne empresas do Brasil e do exterior, representando os diversos setores da tecnologia para a indústria moveleira. Estão presentes os principais fornecedores de máquinas, matérias-primas, ferragens, acessórios e serviços. O evento acontece no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, em São Paulo Mais informações: www.feiraformobile.com.br

além da Decormóveis, abrangendo o ramo de arquitetura e decoração. Tudo isso no Centrosul. Mais informações: www.construfairsc.com.br

Concrete Show 2012 South America De 29 a 31 de agosto acon�������������������������� tece o Concrete Show, um dos maiores eventos da cadeia produtiva de concreto. Será no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Site do Evento: www.concreteshow.com.br


Construsul Porto Alegre recebe, entre os dias de 1 e 4 de agosto a 15ª Feira Internacional da Construção. Produtos e serviços relacionados ao setor da construção, inovações, tendências e tecnologias construtivas. Com cerca de 550 expositores, o evento acontece no centro de Exposições Fiergs e será aberto das14h às 21h. Mais informações: www.feiraconstrusul.com.br

Cachoeiro Stone Fair A 34ª Feira Internacional do Mármore e Granito reúne as principais indústrias de máquinas, equipamentos, insumos e, ainda, as tradicionais empresas de rochas ornamentais. O evento acontece de 28 a 31 de agosto no Parque de Exposição Carlos Caiado Barbosa em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo. Mais informações: www.cachoeirostonefair.com.br

14ª Feira e Encontro Nacional de Instalações Elétricas Automação de sistema elétrico e predial, iluminação, aterramento, compatibilidade eletromagnética, gerenciamento e conservação de energia, motores e acionadores e outros produtos de instalações elétricas estarão na 14ª Feira e Encontro Nacional de Instalações Elétricas que acontece de 14 a 16 de agosto no Expo Center Norte, Pavilhão Branco, em São Paulo, das 12h às 20h (feira) e das 9h às 18h (congresso). Mais informações: www.arandanet.com.br

Abimad Expo Rio Móbile De 14 a 18 de agosto acontece a Expo Rio Móbile. O evento irá mostrar as novas tendências de mercado para ambientes residenciais e profissionais, evidenciando novos designs, projetos assinados por profissionais conceituados com alto padrão de qualidade e, como não poderia deixar de ser, a preocupação global com o meio ambiente. Acontece no pavilhão 3 do Riocentro, no Rio de Janeiro. Mais informações: www.exporiomobile.com.br

O inverno chegou e com ele chega a segunda edição do ano da Abimad – Feira Brasileira de Móveis e Acessórios da Alta Decoração, que tem como principal objetivo apresentar as principais propostas, tendências e novidades exclusivas do que há de mais sofisticado no setor moveleiro e décor de luxo. A 14ª edição do evento acontece de 25 a 28 de julho, das 10h às 19h, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Mais informações: www.abimad.com.br


Giro

Governo Municipal de Balneário Piçarras planeja investir cerca R$1,3 milhão em infraestrutura urbana O Governo Municipal de Balneário Piçarras lançou o edital da concorrência pública para a reconstrução de toda a infraestrutura urbana da Avenida José Temístocles de Macedo (Beira Mar). A maior parte da pavimentação e

da rede de drenagem foi destruída pelo avanço do mar e precisará ser refeita. Este processo faz parte da 3ª etapa da recuperação da praia, que começou em dezembro. Já foram construídos dois molhes de contenção da areia e desvio da corrente, na segunda fase será feito o aterro hidráulico, e por fim e a reurbanização da Avenida Beira Mar. Ao todo serão investidos cerca de R$13 milhões para as três etapas e a previsão é que nesta etapa sejam investidos R$1,3 milhão. Uma área de 4,9 mil metros quadrados será reconstruída no trecho central da orla com novo calçadão, adaptado para deficientes físicos e visuais, instalação de bancos e lixeiras em madeira, nova iluminação, replantio de árvores e rede coletora de águas pluviais.

Parque de Inovação e Sustentabilidade na Construção tem início previsto para 2013 A partir do próximo ano, o setor da construção poderá contar com mais um aliado: o Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído (Pisac), ligado ao Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade (Lacis), da Universidade de Brasília (UnB). O Pisac vai abranger uma área de 20 mil metros quadrados dentro do campus da UnB e o investimento inicial será de R$ 25 milhões. O objetivo do Parque é permitir a realização de pesquisas para conscientizar a Indústria da Construção

18

sobre a importância da utilização de materiais pouco poluentes, a diminuição na geração de resíduos e a necessidade de redução do consumo de água e energia. Além disso, o projeto prevê a identificação de fragilidades e gargalos na cadeia produtiva, permitindo a prospecção de novos métodos de engenharia e tecnologia para o setor. No último dia 19 de junho, os governos brasileiro e britânico firmaram um acordo de cooperação técnica que vai permitir a continuidade do projeto. Um dos modelos utilizados

Fotos: Divulgação

Crédito imobiliário cresce 5,2% no ano Os empréstimos para financiamentos imobiliários com recursos da caderneta de poupança aumentaram 5,2% no primeiro quadrimestre deste ano, na comparação com igual período de 2011, segundo dados divulgados pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança). De acordo com a associação, nos quatro primeiros meses de 2012, foram emprestados R$ 23,3 bilhões de recursos da poupança para este tipo de financiamento. A comparação entre os últimos 12 meses, até abril, e os 12 meses anteriores demonstram que os financiamentos com recursos das cadernetas de poupança evoluíram 27%, passando de R$ 64 bilhões para R$ 81 bilhões.

pelo Pisac será o parque tecnológico que a empresa inglesa Building Research Establishment (BRE) mantém em Londres, na Inglaterra. Em uma pequena vila constituída por dez casas, os ingleses fazem simulações de tecnologias de adaptação para os efeitos das mudanças climáticas, a fim de testar a resistência dos mais variados materiais. Também há experiências com diferentes modelos construtivos que contemplam os conceitos de sustentabilidade e inovação.


Santa Clara inova ao produzir peças de acrílico em formato 3D Atenta às novidades do mercado e investindo fortemente em tecnologia, a Acrílicos Santa Clara, de Jaraguá do Sul, vem se destacando no cenário nacional ao produzir peças em acrílico em três dimensões. O efeito só é possível graças ao Centro de Usinagem de Cinco Eixos, recém-adquirido pela empresa e que permite fazer, praticamente, qualquer coisa em 3D. A nova tecnologia trouxe mais precisão às peças assinadas pela marca, como por exemplo, os para-brisas de embarcações, fornecidos para a indústria naval brasileira, já que o equipamento permite 99,99% de acerto. Mas, é no campo da decoração que as possibilidades são infinitas. As peças de acrílico em formato 3D colorem, divertem e imprimem personalidade aos ambientes, sejam eles

Fotos: divulgação Domp

residenciais ou corporativos. Um dos destaques são as luminárias feitas de chapas acrílicas termotransformadas, que graças ao Centro de Usinagem da Santa Clara são fabricadas em diversos formatos e recor-

tes. O resultado e um mix de peça arrojadas, funcionais, que conquistam o cliente pela riqueza de detalhes e pela qualidade no acabamento.

Construção civil emprega mais 17,2 mil em maio O crescimento do nível de emprego na construção civil brasileira desacelerou em maio, com a geração de mais 17.202 novos empregos com carteira assinada, segundo pesquisa elaborada pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas). O resultado, embora seja inferior aos 33,8 mil novos contratados em maio de 2011, ainda indica acréscimo, de 0,51%, em relação a abril de 2012. Nos primeiros cinco meses do ano, o setor empregou mais 186.921 trabalhadores (crescimento de 5,89%). No acumulado dos últimos 12 meses, foram contratados mais 238.962 pessoas (expansão de 7,65%). No final de maio, o setor empregava 3,361 milhões de trabalhadores em todo país.


Sinduscon Blumenau recebe prêmio de responsabilidade social em Belo Horizonte Dia 27 de julho o Sindicato da Indústria da Construção de Blumenau (Sinduscon) recebeu um dos prêmios da Câmara Brasileira da Indústria da Construção - CBIC de Responsabilidade Social 2012 -, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, durante a solenidade de abertura do 84º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic). O projeto Escola da Construção – Es

trelas do Futuro venceu a categoria “Entidade”. Esta é a segunda vez que o Sinduscon é destaque. Em 2008, a entidade foi premiada no 80º Enic em São Luiz do Maranhão, em função da “Reurbanização do Passeio Histórico de Blumenau, a Rua das Palmeiras”, obra realizada pelo Sinduscon em comemoração aos seus 50 anos. A Escola de Construção, inaugurada em 2010, é um projeto do Sinduscon

Blumenau, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). O intuito é profissionalizar e aprimorar a mão de obra na construção civil, ensinando detalhes técnicos aos futuros pedreiros, serventes e mestres de obra. O prédio que abriga a escola tem 282 metros quadrados e conta com laboratórios e salas de aula.

Balneário Camboriú é 1ª classificada em qualidade urbana no país

De acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada recentemente, Balneário Camboriú está em primeiro lugar entre as cidades brasileiras com melhor qualidade urbana. O estudo do IBGE analisou dados de 5.565 municípios brasileiros,

20

baseado no senso de 2010. De acordo com o documento do IBGE, na época Balneário Camboriú já tinha 91,3% das residências atendidas adequadamente pelos serviços básicos. Ao todo foram analisados dez itens, como mobilidade urbana, coleta de lixo, iluminação e saneamento


Exposição “Art & Concept” homenageia Itajaí e Balneário Camboriú Em comemoração ao aniversário das cidades de Itajaí e Balneário Camboriú o Grupo Riviera abriu as portas para a exposição coletiva “Art & Concept”. Um grupo de 13 artistas mostrará as cidades sob diferentes olhares, revelando um pouco da história e dos principais pontos turísticos e culturais de cada uma. A mostra é uma homenagem aos 152 anos de Itajaí, comemorados no dia 15 de junho, e ao 48º aniversário de Balneário Camboriú, dia 20 de julho. Ao todo, serão cerca de 80 obras e interferências artísticas no espa

ço da mostra. A coletiva reúne artistas de diversas técnicas, como pintura, escultura, instalação, poesia, graffiti, literatura, documentário, instalação, desenho e fotografia. Do valor de cada peça vendida durante o período da exposição 10% será revertido para as instituições Hospital Pequeno Anjo, de Itajaí, e Lar dos Velhinhos São Vicente de Paula, de Balneário Camboriú. A visitação à exposição Art & Concept, no showroom do Riviera Concept é gratuita. As obras ficam expostas até o dia 31 de agosto. Lindinalva Deolla

Jorge Schröder

Beto Bocchino

Marcinho Albani

Indústria quer incentivo para ser mais verde Durante a Rio+20, Confederação Nacional da Indústria iniciou uma luta por incentivos fiscais para ampliar a produção de forma sustentável. O presidente da entidade, Robson Andrade, afirmou que ainda não há um projeto finalizado, mas que vai levar o assunto para ser debatido no governo. “ Estamos colocando essa proposta: que os governos estudem uma redução de impostos para quem realmente investe em responsabilidade ambiental. É uma forma de se reconhecer o trabalho de setores importantes”, disse, durante o evento “Encontro da Indústria para a Sustentabilidade”. De acordo com ele para a indústria, a questão ambiental não é apenas uma questão de responsabilidade ambiental, é uma questão de sobrevivência.


Escritório jaraguaense executa obra da rede Mc Donald’s Inaugurou no dia 28 de junho o restaurante Mc Donald´s construído junto à Parada Havan, em Barra Velha. A obra foi executada pelo escritório Lima & Lima Arquitetos, de Jaraguá do Sul e funcionará diariamente, das 7h às 23h. Além do Mc Donald´s de Barra Velha, a Lima & Lima Arquitetos também gerenciará outras duas construções da mesma rede em Curitiba, no Paraná.

ViaTrade participa do Concrete Show 2012 com novidades Entre os dias 29 e 31 de agosto, a ViaTrade apresentará seus produtos e novidades das exclusivas marcas Macroza, Umacon, Baier e Escoras Metálicas europeias no Concrete Show 2012. O maior e mais importante evento da América Latina em soluções para a cadeia produtiva do concreto e da construção civil, acontecerá no Centro de Exposições Imigrantes,

em São Paulo, SP. No estande da ViaTrade, será apresentado o mais recente lançamento Macroza, a cortadora de paredes SC200, um equipamento moderno, de alta tecnologia e resistência, de fácil manuseio e que garante alta produtividade nas obras. A renomada linha de cortadoras de paredes Macroza (também nos modelos M-90, SC-100) conta com má-

quinas rápidas e precisas que com 7 tipos de fresas diferentes e chegam a cortar 1 metro de tijolo em menos de 20 segundos em cortes retos ou curvos. E ainda, reduzem em até 80% no tempo de execução dos trabalhos e evitam a formação de pó. Outros produtos de sucesso que estarão expostos no Concrete Show.

Tabela de Indicadores econômicos Indice

Instituição

Mês

Indice

Variação

Ano*

12 meses*

CUB

Sinduscon/SC

Julho

R$ 1.190,16

0,59%

-

-

IGMI-C

FGV

Jan/fev/Mar

4,3%

0,3%

-

-

IGP-M

FGV

Junho

0,66%

-

3,1876%

5,1397%

INCC-M

FGV

Junho

1,31%

-

4,9967%

7,0492%

* Valor acumulado

22


TOUR

CHAPELLE AS ILUSTRAÇÕES DO MATERIAL DE VENDA BEM COMO OS MATERIAIS UTILIZADOS NA UNIDADE MODELO SÃO MERAMENTE ILUSTRATIVAS E NÃO FAZEM PARTE DO CONTRATO DE COMPRA E VENDA. EMPREENDIMENTO EM CONFORMIDADE COM A LEI Nº 4591/64, INSCRITO NO 1º OFÍCIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS, SOB Nº 99341.

RESIDENCIAL

1 APTO POR ANDAR

3 SUÍTES

A PRINCIPAL COM CLOSET E HIDROMASSAGEM + DEP. DE EMPREGADA

3 VAGAS DE GARAGEM

SACADA

COM CHURRASQUEIRA

QUADRA DO MAR RUA 2300, 86

ESQ. COM AV. BRASIL BALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

47 3361.0002 47 3367.0505 www.ciaplanempreendimentos.com.br

PATRIMÔNIO HISTÓRICO RESTAURADO E PRESERVADO


Marketing

Priscila Fernandes

acerte o alvo Vamos começar com uma definição básica! Os aplicativos mobile são softwares desenvolvidos especificamente para dispositivos móveis como celulares, smartphones e tablets. Eles podem ser baixados de plataformas compatíveis com o sistema operacional de cada dispositivo, as chamadas lojas virtuais, como a App Store, Google Play, Windows Phone Marketplace, Blackberry App World entre outras.

24


Com uma quantidade tão grande de dispositivos e sistemas disponíveis, a compatibilidade de um app não é algo universal, ou seja, um app desenvolvido para iPhone não funcionará em Blackberry, para Android não funcionará em Windows Phone. Além de sofrer alterações de um sistema para outro, também é preciso verificar os modelos diferentes de dispositivos, as resoluções de tela, para só então definir em quais formatos o app será desenvolvido. Isso mesmo, caso você queira ver seu app nesses quatro exemplos citados, ele precisará ser programado pelo menos quatro vezes. E ainda sofrerá alterações na parte visual, se você quiser que ele seja compatível com diferentes formatos de tela. Além de ser interativo e interessante, ou até mesmo bonito, um aplicativo precisa ser fácil de usar, ter uma navegação intuitiva. Pois assim como na web, é preciso planejar uma estrutura de fácil navegação e redução máxima de cliques para o usuário chegar ao conteúdo de seu interesse. Esse planejamento é chamado de arquitetura de informação. Portanto, além da ideia e do design, a estrutura é um fator muito importante num aplicativo. Um app mobile tem como uma das suas vantagens a conveniência oferecida pelos dispositivos mobile, eles acompanham as pessoas em qualquer lugar, a qualquer hora. Esses aplicativos estão se popularizando sem controle, estão sempre à mão, no bolso ou na bolsa, parece que não sabemos mais viver sem eles. Como disse a escritora e consultora Lígia Fascioni “o celular é o novo cigarro”. E com tudo isso você já parou para pensar que se o seu app está dentro do dispositivo de alguém, vocês estão diretamente ligados? Isso

mesmo, você pode interagir com seu cliente via aplicativo. Algumas empresas quando querem entrar para o mundo mobile, logo pensam em transformar seus sites em app, não que isso seja errado,

conveniência e vantagem em ter um app ao invés do site tradicional são enormes, pois ele deixa de ser algo trivial e se transforma em utilitário de grande valia para quem está em pleno domingo, procurando imóveis pela

Além de ser interativo e interessante, ou até mesmo bonito, um aplicativo precisa ser fácil de usar, ter uma navegação intuitiva

mas pode ser desperdício quando os próprios browsers mobile permitem navegar em sites desenvolvidos para plataforma web. Por isso é preciso ter atenção com o software escolhido para programar o site, pois sites desenvolvidos em HTML são compatíveis com iOS (sistema operacional encontrado nos equipamentos Apple), caso o seu site seja em Flash, não abrirá nos dispositivos desta marca. No segmento imobiliário a

cidade. Portanto fica a dica, antes de lançar um aplicativo planeje com cautela cada detalhe dele e será sucesso garantido.

Priscila Fernandes é publicitária, pós-graduada em administração estratégica e analista de comunicação na 8D Digital, produtora de games, aplicativos e soluções digitais em São Paulo.


Jurídico

Cláudio Klement Rodrigues

A importância do Planejamento Societário e Tributário nas obras da Construção Civil Este artigo não tem como objetivo esgotar o assunto, menos ainda trazer receitas prontas ao leitor, mas sim apresentar alguns dos benefícios e contribuições que um planejamento societário e tributário eficaz pode trazer aos empresários da construção civil. Planejamento é uma atividade preventiva, anterior à ocorrência do fato gerador da obrigação tributária, com vistas a maximização do resultado financeiro da atividade. Sua correta aplicação depende da escolha societária e regime de tributação adequado ao desenho do negócio que se pretende. Concomitantemente o empresário deve atuar para a inibição

Assim, surge a figura do planejamento societário e tributário, com o intuito principal de obter vantagem econômica e fiscal, esta última devido ao seu pesado sistema tributário que onera demais as atividades de qualquer organização. É preciso ter em mente que tal planejamento é o procedimento pelo qual o contribuinte, através de meios lícitos, busca o resultado econômico-fiscal que possibilite obter resultados satisfatórios para sustentar e alavancar as atividades de sua empresa. A legislação vigente no país, complexa e extensa, pode ser usada como ferramenta para maximização de resultados, desde que o gestor saiba

As empresas que utilizam um planejamento eficaz alcançam resultados financeiros superiores em até 30% comparado ao modelo anterior e aos concorrentes

dos passivos ocultos e dos riscos fiscais marginais. Caso contrário, serão medidas corretivas. Atualmente as atividades produtivas estão cada vez mais concentradas em pequenos grupos econômicos, tendência esta que ocorre em virtude da acirrada luta pela concorrência em otimizar o máximo de sua produção possibilitando crescimento competitivo no mercado. Através destas tendências, surge a necessidade de realizar um bom planejamento, para que o retorno financeiro seja satisfatório com o investimento que se pretende efetuar.

26

como se beneficiar dela. Ai entra a prestação de serviços de empresas especializadas na área! A experiência diária tem comprovado que embora a voraz sanha arrecadatória do fisco, planejar eficazmente o resultado tributário das obras de construção civil pode gerar um resultado tão bom quanto, ou até melhor, que a praxe comum da sonegação fiscal praticada por algumas empresas do ramo. Basta ver que as empresas que utilizam um planejamento eficaz alcançam resultados financeiros superiores em até 30% comparado ao modelo anterior e aos concorrentes.

Tão importante quanto saber aplicar cálculos matemáticos para elaborar projetos de edificações e construções, construir por um preço menor, construir melhor e entregar no prazo prometido, é de suma importância que os empresários conheçam os principais tributos envolvidos no segmento da construção civil, tais como IR, CSLL, ICMS, ISS, PIS e Cofins, INSS e IPI, e como trabalhar com eles em favor do melhor resultado para a empresa. Fica evidente que cada empresa deve ser analisada individualmente, cabendo uma profunda análise para a opção do melhor regime de tributação e estrutura societária, determinando o sucesso ou fracasso dos negócios, independentemente do porte da empresa. Na prática, é muito importante conhecer, planejar, entender e aplicar a melhor forma de tributação, aliada a uma organização societária adequada, diante da longa análise contábil, fiscal e jurídica, para o sucesso financeiro da empresa. Por fim, cabe enfatizar o quanto a carga tributária se minimiza quando se opta por um regime correto, sendo estas as considerações a respeito da aplicação de modelos de otimização de resultados, provando-se que é possível sim, através de um correto planejamento, reduzir o pagamento de impostos se uma empresa optar pelo sistema adequado. Cláudio Klement Rodrigues é advogado tributarista, especialista em Direito Econômico, Financeiro e Tributário, especialista em Procedimentos Contábeis e Diretor do Grupo Tributare.


Economia

Leandro Corrêa

Pare de rasgar notas de

100

R$ Tem muita gente rasgando notas de R$ 100. De muitas maneiras e sempre que compramos alguma coisa e não pesquisamos nem comparamos o melhor custo x benefício. Eu pressuponho que ninguém goste disso. Então, este artigo foi escrito para esclarecer como as pessoas rasgam notas de R$ 100 todos os meses porque não comparam seus investimentos. Em qualquer aplicação, devemos acompanhar a rentabilidade para sabermos se ela está indo bem ou não. Para isso, precisamos entender sobre juros. Muitas pessoas acompanham apenas o ganho de juros nominais. Mas o que importa mesmo são os juros reais. Qual é a diferença entre os dois? A fórmula é simples:

JUROS REAIS= JUROS NOMINAIS – INFLAÇÃO

Ou seja, juros nominais representam o resultado líquido da aplicação em um dado período. Em contrapartida, os juros reais são o resultado líquido da aplicação menos a inflação do período. Já a inflação é a alta dos preços dos produtos e serviços que consumimos. Explicando: é a perda do poder de compra do dinheiro com o passar do tempo. Por exemplo, se você aplicou R$ 100 mil na poupança em 01/01/2012,

28

seu rendimento até o dia 30/04/2012 foi de R$ 2,3 mil. Mas isso não é a rentabilidade real do seu investimento. É preciso descontar desse montante a inflação que faz seu dinheiro perder valor. Assim sendo, a inflação do período foi de 1,87%. Para chegar aos juros reais, devemos descontar do ganho o valor de R$ 1.870.

Resumindo o exemplo: Os juros nominais foram de R$ 2,3 mil. R$ 1.870 é inflação no período. Os juros reais são apenas R$ 430. Ou seja, os R$ 100 mil aplicados renderam R$ R$ 107,50 por mês, isso quer dizer 0,1% de juros reais.

Sendo assim, deixar o dinheiro aplicado na poupança e não comparar com outras aplicações é como rasgar notas de R$ 100. Por quê? Porque, no Brasil, o mercado financeiro oferece pelo menos duas alternativas mais rentáveis e garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (até R$ 70 mil por CPF e por instituição financeira), assim como a poupança:

1. CDB´s Certificados de Depósitos Bancários; 2. LCI´s Letras de Crédito Imobiliário (isentas de IR).

Nessas aplicações, a rentabilidade pode chegar a ser até 30% melhor do que a poupança. Mas atenção: compare as taxas oferecidas! Existe bastante diferença de uma instituição financeira com outra. E não aplique mais de R$ 70 mil em uma só instituição financeira. Assim você estará protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Pontos importantes: A poupança é isenta de imposto de renda. As LCI´s também são. Já os CDB´s pagam IR (que varia de 22,5% a 15% conforme o tempo de aplicação). A poupança tem liquidez diária. Os CDB´s também podem ser resgatados diariamente. As LCI´s podem ser resgatadas apenas no vencimento que vai de 30 dias a dois anos. A poupança rende mensalmente na data de aniversário. Os CDB´s e as LCI´s rendem diariamente. O ideal é compor uma carteira diversificada e que atenda às suas necessidades. Compare, poupe mais, gaste menos e aproveite a vida!

Leandro Corrêa é bacharel em Direito, pós-graduado em Finanças e profissional CPA 20 – ANBIMA e sócio da Patrimono, um agente de investimentos da XP Investimentos em Jaraguá do Sul. Este artigo tem por finalidade apenas informar e partilhar experiências com o leitor. O material aqui publicado não deve ser interpretado como sugestão de investimento ou como uma oferta de compra e venda de qualquer título de valor mobiliário ou outro produto financeiro.


Feira

Fenahabit

R$ 150 milhões em negócios Em cinco dias de feira, cerca de 42 mil pessoas passaram pelos pavilhões da Vila Germânica Mais de 42 mil visitantes passaram pelos pavilhões da Vila Germânica em Blumenau, entre os dias 13 e 17 de junho para participar da Fenahabit, uma das maiores Feiras da Habitação e Imobiliário de Santa Catarina. Cerca de 200 expositores, que projetaram cerca de R$ 150 milhões em negócios, até dezembro, mostraram as suas últimas novidades da área de imóveis, construção civil e decoração. Este ano as principais novidades foram o lançamento do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), a participação de alguns expositores do exterior, e a participação de imobiliárias que trouxeram inúmeras ofertas de imóveis também no litoral, além do Seminário de Tecnologias de Construção e

30

Habitação, que promoveu palestras gratuitas e abertas ao público. A organização já encomendou uma pesquisa ao IPAC, instituto de pesquisas renomado na região, que esteve durante dois dias do evento entrevistando os visitantes e todos os expositores. Serão dados precisos do impacto do evento na hotelaria, percentuais de satisfação, fluxo de visitantes de Blumenau e região, do estado e do país, além de aspectos organizacionais. A nona edição da Fenahabit já está marcada para 12 a 16 de junho de 2013 no Parque Vila Germânica, em Blumenau.


Cubas artesanais A empresa Uruguaia Bacha de Los Reyes, apresentou belíssimas cubas de madeira feitas em processo artesanal. As peças são únicas, numeradas, com cores, tamanhos e texturas diferentes. Cada peça leva cerca de uma semana para ficar pronta.

Cabines de banhos A blumenauense Dimys, trouxe para a feira inúmeros móveis e opções para os banheiros. Um destaque fica com a linha de cabines de banho. Esta já vem na versão quadrada, mais atual, com cromoterapia, painel de controle de som e hidromassagem com jatos verticais.

Madeira Plástica Embora não seja mais uma novidade no mercado, muita gente ainda não conhece a madeira plástica e suas aplicações. A Eplast, de Rio do Sul, está distribuindo o produto no estado. A madeira plástica é produzida a partir da reciclagem de vários tipos de plástico. O produto está disponível em padronagens diferentes e é muito semelhante à madeira e pode ser usada com as mesmas finalidades.

Morar Contemporâneo O escritório de arquitetura Estúdio Terra, de Blumenau, lançou na feira o site morarcontemporaneo.com.br. Por meio de uma parceria com construtoras e lojas de decoração, a ideia dos arquitetos é disponibilizar vários projetos de decoração, para as plantas dos imóveis das construtoras participantes, utilizando móveis e produtos decorativos das lojas parceiras. Assim, quem compra um apartamento novo tem um auxilio on-line e gratuito na hora de decorar a sua casa.


Investimento

A perder de vista Os juros caíram e os prazos aumentaram. É hora de comprar um imóvel? Desde 11 de junho começaram a valer as novas regras da Caixa Econômica Federal para o financiamento da casa própria. Os juros, que já haviam caindo recentemente baixaram novamente, de 9 para 8,85% ao ano, para imóveis de até R$ 500 mil. Dependendo do cliente, a taxa é ainda menor, de 7,8%. Já o prazo máximo para financiar passou de 30 para 35 anos. “As regras valem apenas para os novos contratos”, relembra o gerente da Caixa, Donaldo Kobus. Embora as medidas sejam válidas apenas para clientes com renda familiar superior a R$ 5,4 mil mensais e que financiem imóveis construídos com recursos da poupança (de qualquer valor), as mudanças já estão sendo vistas como um estímulo para o setor, principalmente por conta do aumento do prazo “As medidas reduzem significativamente o valor da prestação, aumentando o acesso ao crédito para uma parcela maior de pessoas que antes não conseguiam contratar o financiamento”, diz a corretora de imóveis Frederica Richter. Para demonstrar na prática os impactos das mudanças, a Caixa fez uma simulação. Para uma pessoa com renda familiar de R$ 10 mil, o limite de financiamento sobe de R$ 267 mil para R$ 280

34

mil. Se for cliente do banco, esse valor chega a R$ 303 mil. O cliente ainda pode optar por reduzir o valor da prestação do financiamento. Para uma operação de R$ 267 mil, a prestação cai de R$ 3 mil para até R$ 2.604. Contudo, é preciso fazer as contas. Embora o valor da prestação fique menor, quanto maior o prazo do financiamento, mais juros o consumidor vai pagar. Também é preciso lembrar que o valor da prestação não deve comprometer mais que 30% da renda. Para o economista Ricardo de Castro Guedes as dicas permanecem as mesmas. “Planejamento e disciplina são as palavras chave para qualquer empreendimento, tanto pessoal quanto comercial. Fazer um orçamento dentro de nossas possibilidades de pagamento, com um bom fluxo de caixa, é a condição para uma vida melhor e dentro de nossas condições de adquirir o bem-estar social que tanto almejamos”, diz. Nos quatro primeiros meses deste ano, foram 137 mil imóveis financiados no país. Apenas a caixa já financiou R$ 36,66 bilhões nos cinco primeiros meses do ano e a estimativa do banco é que até o final do ano o valor chegue a R$ 100 bilhões, contra R$ 80 bilhões de 2011.


Calhas Wilson A Calhas Wilson, quer ir muito além de ser apenas sustentável, queremos agir de fato como parceira do meio ambiente. Além de reciclar todo o lixo produzido pelos nossos produtos e nossas obras, queremos também fazer parte do seu projeto sustentável. Toda obra que utilizar um sistema de reutilização de água, terá os nossos produtos vendidos com custos subsidiados, impulsionando a reutilização da água da chuva. Juntos cuidando do que é nosso e das nossas próximas gerações.

Há mais de 30 anos no mercado a Calhas

filhos, Fernando e Thiago, o trabalho na família

Wilson é uma empresa de funilaria especiali-

Finder foi passado de geração a geração, com

zada na produção de calhas, dutos de exaus-

cuidado e dedicação, sempre criando soluções

tão, coifas, caixas de correspondência e no

eficientes e que acompanhassem as tendências

desenvolvimento de peças especificas em

funcionais e estéticas da arquitetura atual.

alumínio, aço zincado, aço inoxidável, cobre

São gerações de qualidade e confiança que

seja para área industrial, residencial, constru-

mostram o que a Calhas Wilson tem de melhor:

ção civil, automotiva entre outras.

tradição, preocupação com a estética das obras,

Administrada por Wilson Finder e seus dois

e a busca constante por novas tecnologias.


36


CONSTRUÇÕES

VERDES Tecnologia, aproveitamento dos recursos naturais, materiais modernos e a preocupação constante com o meio ambiente tem resultado em novas práticas no setor

Em outubro do ano passado o planeta contabilizou seus sete bilhões de habitantes. No último século, a população da terra quintuplicou e a metade das pessoas do mundo já vive nas cidades. Até 2040, estima-se que serão 70% dos habitantes da Terra, nas áreas urbanas. O setor da construção e sua imensa cadeia produtiva estão na base do desenvolvimento dos espaços urbanos e influenciam fortemente a evolução das cidades, das edificações e da infraestrutura em todos os países. O impacto e os reflexos que o setor gera sobre o meio ambiente, principalmente durante a fase de utilização da infraestrutura dos edifícios e dos espaços urbanos, contabilizam números que surpreendem. Segundo o UNEP-SBCI, o setor da construção civil é responsável por um terço dos recursos naturais consumidos pela sociedade, incluindo 12% de toda a água potável do planeta, sendo responsável também pela produção de 40% de todo o lixo sólido, além dos 35% das emissões de carbono. Estima-se que apenas os edifícios consumam atualmente 40% de toda a energia produzida no mundo. Os números colocam a construção civil como uma das vilãs da degradação do planeta. Contudo, a preocupação mundial com o meio ambiente, tem feito com que as construções (e seus construtores) comecem a ter maiores preocupações com o meio ambiente na hora de construir. A conselheira da Câmara Brasileira de Cons-

trução Sustentável (CBCS), Cristina Montenegro, chama o movimento de onda verde, e afirma que há uma visível mobilização do setor, por parte tanto dos construtores, arquitetos, engenheiros e demais profissionais do ramo imobiliário, quanto da indústria de materiais e equipamentos de construção. “A certificação da conservação de energia e outros recursos naturais são requisitos cada vez mais exigidos por empresas financiadoras e também pelos consumidores. Esta ampla gama de instituições e indivíduos envolvidos demonstra por si só o crescente interesse e engajamento da sociedade neste tema”, afirma. Contudo, os especialistas ressaltam que para ser considerada sustentável, uma construção precisa, além de respeitar o meio ambiente, ser economicamente viável e cumprir com o seu papel social, respeitando o ser humano e o local onde a construção está inserida. Assim, o setor está diante de uma oportunidade única de impulsionar o desenvolvimento das cidades com maior eficiência, tecnologia, e principalmente planejamento, para gerar mais economia, qualidade de vida e reduzir o consumo de bens naturais. Os bons exemplos rodam o mundo. Na China, o governo pretende construir 500 cidades ecológicas nos próximos anos, e assim diminuir o impacto do seu imenso projeto habitacional. Outro exemplo é a cidade de Songdo, na Coréia do Sul, à beira mar está sendo erguida a cidade global do futuro, uma metrópole com o que há de


mais moderno em tecnologia sustentabilidade e noções de urbanismo. Com um investimento de quase R$ 80 bilhões, em um terreno de seis quilômetros quadrados, a cidade deve ficar pronta em 2015 e contabilizar 80 mil apartamentos residenciais, 4,6 quilômetros quadrados de escritórios e 40% de sua área destinada para parques e praças. Entre a lista de itens sustentáveis, a água de todas as residências, por exemplo, será reutilizada na irrigação. Já o lixo, tanto o orgânico quanto o reciclável, será transportado por meio de canos pressurizados, dispensando a necessidade de coleta. Na cidade, o sistema viário será totalmente planejado. Além dos altos investimentos em metrô e bondes elétricos, as ruas terão sensores no asfalto, para ajudar a entender em tempo real os deslocamentos, aumentar o tempo dos sinais em caso de congestionamentos e até diminuir a iluminação das vias quando ninguém estiver passando, para economizar energia.

É possível construir edifícios “verdes”? Investir em novas alternativas que promovam a ecoeficiência é fundamental para diminuir os impactos da construção civil. No Brasil, por exemplo, na construção de casas e edifícios estima-se que 30% dos materiais sejam perdidos, principalmente por conta do sistema construtivo convencional onde são gerados entulhos provenientes do quebra-quebra de tijolos e de um gerenciamento de obras pouco eficiente. Alguns sistemas construtivos têm mudando esta realidade, gerando obras mais limpas e com menos desperdício de materiais (veja exemplo na página 43), mas

38

eles ainda representam uma pequena parcela das construções brasileiras. “Já existem muitas construções sustentáveis no país, mas de forma geral o que vemos é uma construção muito artesanal, que ainda tem técnicas, ferramentas e métodos ineficientes do ponto de vista da sustentabilidade”, afirma Fernanda Medeiros, Coordenadora da Câmara Técnica de Biodiversidade do CEBDS. Para que seja considerada ambientalmente sustentável, uma construção precisa aproveitar ao máximo os recursos naturais, como iluminação, ventilação e água, gerando eficiência energética e economia de água. “É preciso também reduzir os impactos ambientais causados pelos processos construtivos, com o uso racional de materiais e a destinação correta dos resíduos da edificação, além de escolher materiais e produtos que agridam menos o meio ambiente durante a sua produção, e que colaborem para a economia dos recursos naturais”, explica a arquiteta Juliana Jagelski Daniel. De acordo a diretora do CBCS, Diana Csillag a sustentabilidade é alcançada quando há um equilíbrio entre os impactos ambientais e sociais com a viabilidade econômica. “Não devemos pensar apenas na construção do imóvel, o foco precisa ser o ciclo de vida do edifício, desde seu planejamento, passando por sua construção e sua operação, que é o período onde ocorre a maior parte dos impactos ambientais e sociais e dos custos da utilização do edifício, até a fase da demolição”, afirma. Em relação aos custos, mesmo com um bom projeto as construções sustentáveis tem um custo um pouco maior para construção, mas que é diluído em forma de economia ao longo do uso do imóvel. Os construtores que arcam com o custo inicial maior,

O setor da construção na Rio + 20

A Câmara Brasiliera da

Indústria da Construção (CBIC) e outras cinco instituições nacionais e internacionais entregaram um documento durante a Rio + 20 propondo o estabelecimento de um Grupo de Trabalho, sobre a construção sustentável, eventualmente coordenado pela UNEP, que terá como mandato elaborar conceitos, indicadores e metas para o setor da construção e garantir a coerência com outros indicadores intersetoriais, especificamente aqueles relativos ao uso de recursos naturais, à eficiência energética e à redução das emissões de gases.

Cidade Sustentável. Songdo, na Coréia do Sul.

acabam se valendo da sustentabilidade como um argumento de marketing. “Em geral, os prédios sustentáveis são 5% mais caros para serem construídos, mas economizam 30% de recursos ao longo de sua vida útil”, afirma Fernanda, do CBEDS.


Certificação Os números da busca por certificações ambientais não deixam dúvidas de que os construtores e consumidores estão preocupados em construir com sustentabilidade. “Esta é a melhor forma do consumidor garantir que está adquirindo um produto sustentável, e este é um processo continuo, quanto mais os consumidores perguntarem pelas certificações, mais os construtores vão procurar por elas”, afirma a Coordenadora da Câmara Técnica de Biodiversidade do CEBDS, Fernanda Gimenenes. Recentemente os dados da UC GBC (internacional Green Building Council) mostram que o país já recebe mais de um pedido de certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), por dia útil, uma das certificações mais comuns do país. Eles estão aparecendo tanto por conta da iniciativa pública quanto privada. Das 12 arenas que sediarão a Copa do Mundo em 2014, por exemplo, dez já pediram o selo que atesta o atendimento de vários critérios de sustentabilidade ambiental durante a construção e operação dos

Edifício comercial da Pedra Branca, em Palhoça, é um dos primeiros em Santa Catarina a receber pré-certificação da certificação ambiental LEED.

empreendimentos. O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, vai contar com 9,6 mil painéis solares e será a maior estrutura de captação de energia solar do país. Em Santa Catarina, o edifício comercial Office Green em construção na Pedra Branca, bairro planejado e sustentável em Palhoça, será o primeiro

Estádio Mané Garrincha. Das 12 arenas que sediarão a Copa 2014, dez já pediram certificação LEED.

prédio verde em Santa Catarina. No mês de junho o edifício recebeu a pré-certificação LEED. Depois de concluído no fim de 2013, o Office Green deve ser o primeiro a conquistar o selo no estado. De 2007 até abril de 2012, o Brasil registrou um total de 526 empreendimentos sustentáveis, sendo 52 certificados e 474 em processo de certificação certificação LEED. O país já ocupa a quarta posição no ranking mundial de construções sustentáveis e começa a despontar como um dos países líderes desse mercado, que vem crescendo muito nos últimos anos. Até 2007, eram apenas oito projetos brasileiros certificados. O ranking mundial é liderado pelos Estados Unidos, com um total de 40.262 construções sustentáveis, seguido pela China, com 869, e os Emirados Árabes Unidos, com 767. Nos Estados Unidos, esse processo começou 15 anos antes do que no Brasil.


PROJETO

PILOTO Baseada no conceito de arquitetura bioclimática, casa sustentável conta com itens que respeitam o meio ambiente, do projeto à decoração A construção

05

04

06 07

03

08 09

02

10

01 01: Aproveitamento da água da chuva captada a partir do telhado, que com pequenas adequações no sistema hidráulico e esterilização acessível pode ser usada também em descargas e na lavagem de roupas. 02: Esquadrias acústicas e térmicas em PVC, com baixa manutenção e longa vida útil. 03: Telhado Verde. O sistema de brita, terra e vegetação sobre a laje resfria o ambiente por meio da evapotranspiração das plantas. 04: Telhas recicladas. 05: Painéis solares, para aquecer a água dos chuveiros e gerar energia para a residência. 06: Estruturas metálicas das lajes, que diminuem o peso da estrutura do telhado e a carga da fundação, evitando também o uso de madeiras. 07: Ventilação cruzada, que permite que o ar externo entre naturalmente no ambiente interno, igualando as temperaturas e gerando conforto térmico ao usuário.

08: Paredes, lajes e escada em EPS. O sistema construtivo é feito por placas e blocos de EPS, um tipo de isopor leve, resistente, de fácil manuseio, que proporciona agilidade e limpeza na obra e evita desperdícios. Os blocos servem para a construção das paredes e são preenchidos internamente com concreto e aço. Já as placas, são envoltas por malha de aço galvanizado, que depois de revestidos, formam uma estrutura de argamassa armada, e servem para as lajes e escadas. 09: Coleta seletivo de lixo para a separação do lixo doméstico. 10: Fachadas envidraçadas, quando posicionadas e projetadas corretamente geram grande luminosidade natural. 11: Fundação Radier, rasa, tipo laje maciça. Distribui o peso da construção de maneira uniforme e apresenta bom custo e rapidez para a obra.


Há cerca de seis anos a arquiteta Juliana Jagelski Daniel estuda uma forma de construir imóveis com qualidade e sustentabilidade. Para provar aos clientes que é possível ter um imóvel sustentável, que seja bonito, funcional, com excelente padrão, e que tenha preços viáveis, ela resolveu fazer de sua própria casa, um projeto piloto. “Quando as pessoas visitam um showroom ou conhecem alternativas sustentáveis em feiras, não conseguem transferir para a sua realidade. Aqui, tudo será mais real, vamos mostrar na prática que é possível criar um projeto ecologicamente correto, socialmente justo e economicamente viável”, explica Juliana. Depois de muito planejamento a casa da arquiteta começou a ser construída em fevereiro e deve ficar pronta em dezembro. O imóvel segue os conceitos de arquitetura bioclimática, que busca a harmonia das construções considerando as condições e características climáticas locais. A forma e os elementos arquitetônicos utilizados foram definidos pela equipe de Juliana para diminuir os impactos ambientais, gerar conforto e racionalização do consumo energético. “Nós observamos a luminosidade e a ventilação natural para aproveitá-las ao má-

ximo e ainda criamos formas de captar, acumular e aproveitar os recursos naturais”, afirma. As escolhas cuidadosas e sustentáveis seguem desde o sistema construtivo (feito de forma pré-moldada, com painéis de EPS - uma espécie de isopor, que economiza ferro, cimento, etc.) às tintas sem solventes, chuveiros de baixa vazão, revestimentos, etc. (veja ao lado). Em relação aos custos, Juliana garante que com um bom projeto é possível comparar os custos do processo de construção da casa sustentável com o de uma construção convencional. “Os custos adicionais, como reaproveitamento de água e energia são considerados um investimento, já que em cerca de cinco anos você tem o retorno do valor”, explica. “Quando falamos em tecnologia, como vidro acústico e esquadrias de PVC, estamos falando em um padrão mais elevado de construção, então são itens que tem um preço extra”, completa. Para ela, o maior desafio de construir com sustentabilidade é cultural e é por isso que segue com este projeto, para mostrar que além de falar em sustentabilidade é possível colocá-la em prática.

Acabamento

11 07

04

08

05

03

06 09 10 02

12

01

01: Placa Cimentícia de alta resistência e durabilidade. Tem alto desempenho térmico e absorve menos calor que as pedras naturais ou pisos cerâmicos. 02: Corian, material durável, produzido com rígidos padrões de qualidade. 03: Pastilhas produzidas com 65% de material reciclado, com resíduos sólidos da própria empresa. 04: Chuveiro de baixa vazão. Mistura água e ar, gerando economia de até 240L de água por dia, sem perder conforto. 05: Banheiro com bacias ecológicas e válvulas Hydra Duo, de fluxo duplo (3 ou 6 litros) que permitem o controle do fluxo da água. 06: Fechadura Ecoinox, com maçaneta, roseta, testa e contra-testa feitas em aço inoxidável e cilindro em latão maciço. 07: Lâmpadas com eficiência luminosa maior e menor consumo de energia, como as fluorescentes, fluorescentes compactas e LED.

08: Climatizadores Splits Inverse, com compressores de velocidade variável que se utilizam de gases ecologicamente corretos e economizam cerca de 50% de energia elétrica, em relação aos Splits comuns. 09: Piso laminado de madeira reflorestada 10: Misturador monocromado, que não deixa interferir a temperatura da água quente, e possui filtro de água para que se torne potável. 11: Tintas ecologicamente corretas, biodegradáveis, com alto poder de recobrimento e durabilidade. Também será usada tinta natural, cujo principal componente é a terra crua. 12: Piso drenante e blocos intervalados, feitos com base cimentícia mas que permitem a permeabilidade do solo. 13: Impermeabilizantes Atóxicos, à base de borracha líquida e sem solventes à base d’água.


GIGANTE SUSTENTÁVEL Tecnologia e sustentabilidade estão presentes no maior prédio residencial do Brasil O mega empreendimento Infinity Coast, da FG Empreendimentos, marcará a construção civil do país. Com 66 andares, 240 metros quadrados e vista definitiva para o mar de Balneário Camboriú, o prédio será o maior residencial do Brasil. O edifício é um misto entre residencial e empresarial e começa a ser construído em agosto. O projeto prevê muitos focos na tecnologia e sustentabilidade e conta com uma arquitetura moderna inspirada em construções de Dubai, com uso de iluminação natural e esquadrias diferenciadas. Exclusivas, as esquadrias Infinity privilegiam maiores vãos maximizando a utilização de iluminação natural e dissipação da energia térmica através de vidros refletivos. Além da captação de água da chuva para uso em espaços comuns, coleta seletiva de lixo, óleo de cozinha e recolhimento de pilhas e baterias, muitos outros itens completam a lista do projeto. O Infinity Coast conta com energia eólica e solar. “A opção de utilizar também a energia eólica vem para aproveitarmos o potencial dessa energia limpa em função da altura da edificação”, explica o engenheiro Rogério Sade Bark. O isolamento acústico de todos os apartamentos será de piso a piso com o uso de mantas para proteção acústica feita de pneus reciclados. As telhas

42

do prédio também são ecológicas e de maior durabilidade, produzidas através da reciclagem de garrafas pet e pneus, e funcionam como isolantes térmico e acústico. Uma novidade é o reaproveitamento de energia dispensada no uso do elevador. Devido à altura do empreendimento, a energia de descida do equipamento será armazenada e utilizada para iluminação das áreas comuns, as quais terão em sua maioria lâmpadas de LEDs. Os quatro elevadores serão de alta performance com velocidade de 3,5 metros por segundo. O projeto prevê também tomada para carros elétricos e espaço para lavação de automóveis com reaproveitamento da água da chuva armazenada em cisternas. O engenheiro explica que a preocupação com o meio ambiente começa junto com a obra. Durante a execução a utilização de escoramentos metálicos e formas plásticas reutilizáveis são uma alternativa à madeira, aplicada em todas as obras da construtora. “O programa de gerenciamento de resíduos da construção orienta para a separação e destinação responsável ou reciclagem dos resíduos gerados. Bem como a minimização da produção de resíduos, o que significa economia de recursos naturais”, afirma. As unidades tem um valor de venda estimado entre R$ 1,8 milhão a R$ 7 milhões


REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR Tecnologia e sustentabilidade estão presentes no maior prédio residencial do Brasil A indústria de materiais tem colaborado, e muito, com as construções verdes. É possível encontrar muitos itens que cumprem com um (ou todos) os chamados 3 R’s do desenvolvimento amigo do meio ambiente: reduzir, reutilizar e reciclar. Já para um produto ser considerado sustentável, ele precisa ter a qualidade comprovada por testes laboratoriais, não fazer mal à saúde e ter uma cadeia produtiva com responsabilidade social e ambiental. Para quem quer construir, reformar ou decorar selecionamos alguns produtos e ideias ecológicas e sustentáveis:

Placa fotovoltaica de fibra de coco

Criador da tecnologia, Fernando Ximenes (à esquerda) testa o sistema em casa piloto na cidade de Itaitinga, no Ceará Foto: Divulgação

O engenheiro mecânico cearense Fernando Alves Ximenes desenvolveu a placa PVT - fotovoltaica e térmica, que capta energia solar e a transforma em eletricidade em água quente, utilizando fibra de coco de praia. Com uma casa piloto em Itaitinga, Ceará, a Caixa Eco

nômica Federal estuda a possibilidade de utilizar a placa no programa Minha Casa Minha Vida. O sistema tem capacidade de produzir até 120 quilowatt-hora (KW/h) por mês e tem baixo custo, cerca de R$ 3 mil, já incluindo instalação, baterias, lâmpadas e chaves.

Tinta refletiva A tinta refletiva especial isola o calor e ajuda a diminuir custos do ar-condicionado. A tinta reflete 99% dos raios do sol e está sendo usado nos tetos da construção para evitar a invasão de calor nos ambientes, sendo utilizada para economizar energia. A eficiência é comprovada por laudos técnicos. O segredo da tinta está em flocos (microesferas) de vidro, invisíveis e preenchidas com ar, que impedem a passagem do calor. Misturadas com resina e pigmentos a tinta adere qualquer material: aço, alumínio, madeira, plástico.


Blocos de Isopor

Torneira eficiente

Tapetes de Capim

À base de concreto leve e

A escolha correta de mistura-

Em uma parceria com a de-

isopor (EPS) a empresa Termbobloco

dores e torneiras significa economia de

signer Baba Vacaro, a sanitarista Te-

produz blocos de concreto ecologi-

água. No caso da torneira Self-power,

reza do Carmo Melo, de Teresina (Pi),

camente correto, com vedação e bom

da fabricante Toto é possível economi-

criou a marca de tapetes chamada

isolamento térmico e acústico. Além

zar também energia, já que a energia

Trapos e Fiapos, que produz peças

disso, o produto é muito mais leve

necessária para o seu funcionamento

com matéria-prima natural, o capim

que os blocos convencionais, o que

vem de um gerador que utiliza a força do

que vem da taboa, planta típica de

reduz o peso da estrutura e facilita o

movimento da água para gerá-la. A tor-

manguezais e que é pouco apro-

manuseio durante as obras.

neira também possui um microssensor

veitada, além de renovável. Nem os

automático localizado na ponta de sua

animais a comem. O material é resis-

bica que permite acionar uma quantida-

tente (os tapetes duram de oito a dez

de mínima de água.

anos).

Lixo eletrônico

A indústria de re-

vestimentos aderiu mesmo ao reaproveitamento de materiais. A Lepri tem mais de 800 produtos de revestimentos

rústicos

e pastilhas que utilizam em sua composição materiais como restos de lâmpadas fluorescentes, telas de TVs e monitores de computador.

44


Criatividade e estilo Reaproveitar. Esta foi a premissa dos arquitetos Marcelo Possionio e Bianca Gatto neste ambiente. As cadeiras de Sérgio Rodrigues convivem com banquetas feitas de lata de óleo, lustres de roda de bicicleta e azulejos de plástico reutilizado (na parede da pia) e uma bela mesa de madeira de demolição.

Massa pronta

Para a produção, a massa aproveita

A empresa AGS MASSAS comercia-

não precisam da mistura comumente

liza a Massa Pronta MIXFORT, um

usada na construção civil (cal, areia,

produto que evita desperdícios de

cimento). “O custo-benefício é de no

massa para o assentamento de tijo-

mínimo 40% se comparado com a

los. Utilizado em bisnagas, a massa

massa comum”, afirma o gerente co-

pronta é de fácil aplicação e aumenta

mercial Odinei Tironi. De acordo com

a produtividade dos operários, além

ele, a busca pelo produto tem cresci-

de eliminar entulho e sujeira na obra.

do de forma acelerada.

restos minerais e aditivos especiais e

Móveis

A linha Caruaru, produzida

pela Artefama e comercializada pela Brasita, é um dos exemplos que mostram que mesmo os móveis de madeira podem ser amigos do meio ambiente. Estes tem como material principal a madeira pinus cultivada, natural, e leva design de Marcelo Rosembaum.

Origem: ferro velho

Seguindo a tendência Upcycling (transformar produtos

inúteis e descartáveis em novos materiais ou produtos), o designer Fabrício Dobner, há dois anos retira peças de ferro velho e transforma em novos objetos cheios de personalidade e design. Nas criações, ele utiliza referências de livros, viagens e feiras. O trabalho de garimpar a matéria prima não é fácil, demanda tempo e sorte e na hora de transformar os objetos é preciso muita criatividade. Nas mãos de Dobner, iluminação industrial já virou pendente, placas de trânsito viraram móveis, entre outros. Mais informações: www.moobil.com.br


Engenharia

Empilhamento de

carros Estacionamentos verticais são uma alternativa para a falta de vagas. Em Florianópolis, sistema começa a operar em agosto

Fábrica de carros em Wolfsburg, na Alemanha, virou ponto turístico.

48


Engenharia e muita criatividade fizeram com que uma fábrica de carros em Wolfsburg, na Alemanha, virasse ponto turístico. Trata-se de um estacionamento vertical, ou edifício garagem, localizado dentro de uma fábrica de carros da Volkswagen. A estrutura tem duas torres circulares de 48 metros de altura, 20 andares e capacidade para abrigar cerca de 400 automóveis. Braços robóticos são responsáveis por estacionar os veículos nas vagas. Estruturas semelhantes e com sistemas parecidos a este tem se multiplicado pelo mundo. Em Santa Catarina

um estacionamento vertical da empresa criciumense I-Park deve entrar em funcionamento em agosto. Em Florianópolis, ao lado da Catedral Metropolitana, o edifício de oito andares terá capacidade para 256 vagas e é totalmente robotizado, dispensando o auxílio de pessoas. “O usuário deixa seu veículo em uma das três “cabines de transferência” no térreo e leva sua chave consigo. No retorno, enquanto paga, o veículo já é trazido para uma das cabines. Os funcionários estarão apenas nos caixas”, explica o diretor de Tecnologia da empresa e inventor da solução I-PARK, Paulo Guimarães. Além da praticidade para estacionar, e não precisar ficar procurando pelas vagas, este sistema de estacionamento vertical tem diferenciais em relação aos sistemas utilizado em outros países. “Outros sistemas estrangeiros operam de forma sequencial, isto é, toda a máquina fica comprometida quando um veículo está sendo inserido ou retirado. O I-Park faz várias operações ao mesmo tempo, podendo atender a vários usuários simultaneamente”, explica o arquiteto Felipe Schneider, da Schneider Martins Arquitetura, responsável pelo

Estacionamento vertical em Florianópolis tem capacidade para 256 carros.

projeto arquitetônico. O carro é estacionado, ou devolvido ao proprietário, em um tempo médio de apenas 70 segundos, e o valor para estacionar será semelhante aos cobrados nos estacionamentos da região.

Como funciona? No pavimento térreo do I-PARK existem três cabines. O motorista estaciona seu veículo em uma delas e ao sair do local retira um ticket de entrada na porta da própria cabine. Depois disso um sistema robotizado executa todas as operações para que o veículo seja inserido na vaga, selecionada pela inteligência computadorizada do equipamento. No retorno, após o pagamento, o sistema robotizado já inicia o processo de retirada do veículo da vaga, indicando no cupom fiscal impresso (do pagamento realizado) em qual cabine o motorista deve se dirigir para buscar seu veículo. Não existe a figura do manobrista, tampouco de um operador apertando botões. Tudo é automatizado. A única interação humana é na hora de efetuar o pagamento.


Expansão O I-Park Catedral é o primeiro projeto da empresa para uso comercial. Em desenvolvimento a cinco anos, o protótipo funciona há aproximadamente três anos em Criciúma, longe dos olhos do público. A ideia é levar o modelo para outros locais do Brasil, “Fizemos em Florianópolis um bela vitrine para todo o país, mas com a proximidade da Copa do Mundo e Olimpíadas queremos instalar esta tecnologia também no Rio de Janeiro e São Paulo”, afirma Guimarães. E, considerando que a falta de vagas de estacionamento é um problema na maioria das grandes cidades do Brasil e do mundo, a procura por este tipo de projeto deve crescer. “A robotização das operações controlada por inteligência computadorizada agiliza o processo, traz mais segurança e conforto para o usuário e permite maior

concentração de veículos por metros cúbicos”, explica Schneider.

Solução x problema A grande discussão que este estacionamento tem gerado na capital é que vai na contramão da ideia de que é preciso desestimular o uso do transporte individual coletivo. Para o professor Luciano Tricárico, que é doutor em arquitetura e urbanismo, edifícios garagens são soluções emergenciais e necessárias para cidades com problemas crônicos de estacionamento, como Rio de Janeiro e São Paulo, mas, de modo geral classifica os estacionamentos como um problema para as cidades. “Eles utilizam uma área urbanizada e infraestruturada onde pouco oferecem emprego e renda para a população, promovem ilhas de calor, e estimulam a emissão de gases e

ruídos para áreas de habitação”, diz. Para ele é preciso criar outras soluções alheias ao uso de automóveis. Ele concorda que é difícil. Principalmente em um país como o Brasil, que sempre teve parte de sua economia motivada pela indústria automobilística, como acessórios, combustível, serviços, deslocamento entre outros. Além disso, as cidades com os maiores problemas de congestionamento e faltas de vagas, são, justamente, as que mais sofrem com a falta de transporte urbano de qualidade. “O poder público e até privado desconhece uma série de alternativas para o problema, por exemplo: o ‘car sharing’ que é uma espécie de propriedade do automóvel somente quando se precisa dele e principalmente o estabelecimento de áreas com uso misto onde o trabalhador mora e trabalha em um mesmo bairro, evitando deslocamento”, explica.

Estacionamento vertical em Hong Kong O escritório de design e arquitetura Interface Studio Architects criou um projeto de estacionamento vertical para cerca de 1,2 mil vagas de automóveis. Com estrutura vertical pensada para a gestão e reutilização da água da chuva, o projeto é futurista e conta com outros espaços como lojas, cafés e academias. A ideia do escritório é, além de aproveitar o espaço maneira inteligente é criar um ponto turístico para a cidade.

Projeto de Interface Studio Architects


Mundo

De Dubai, Vinícius de Thomaz Rodrigues

Um mosaico cultural Antes de mais nada, para se entender Dubai é necessário que se tenha em mente algumas coisas. Dubai é um dos sete Emirados que compões os Emirados Árabes Unidos. A população de pouco mais de oito milhões de habitantes do país é composta por um mosaico de aproximadamente 80% de estrangeiros, principalmente indianos, filipinos e europeus. Isso demonstra que, apesar de se tratar de um país islâmico, as boas relações com a cultura ocidental são uma verdadeira marca dos Emirados Árabes Unidos. Em um grande centro urbano como Dubai, com seus pouco mais de dois milhões de habitantes, essa miscelânea cultural é ainda mais evidente. As ruas são uma verdadeira cacofonia de roupas, trajes tradicionais, línguas e cores das mais diversas culturas. Até mesmo o

52

Dubai é uma metrópole cosmopolita, ao mesmo tempo muito igual e muito difernte daquilo que estamos acostumados

idioma inglês, que é o segundo idioma oficial do país - assim como o árabe - por aqui ganha um sotaque peculiar. Apesar de toda essa predisposição do país em ser um centro multicultural, a observação das leis e dos costumes locais são fundamentais. Tendo em vista que coisas comuns para a maioria dos países ocidentais, como uma mulher usando uma roupa muito curta ou demonstrações explícitas de intimidade entre um casal em locais públicos, são considerados transgressões sérias, o melhor a fazer é se informar junto às autoridades locais quanto ao assunto.


Uma cidade que explora os sentidos Para aqueles que chegam pela primeira vez em Dubai a sensação é de deslumbre. Toda a infraestrutura urbana foi desenvolvida para se criar uma cidade moderna, quase utópica. Dos viadutos ricamente decorados e suas ruas largas aos magníficos edifícios de arquitetura ímpar, Dubai é uma cidade que se sobressai em quase todos os aspectos. Cada praça, canteiro e parque apresentam ricos jardins, que graças ao enorme sistema de irrigação mantêm-se verdes o ano todo, apesar do clima desértico e das altas temperaturas que ultrapassam facilmente a casa dos 45 graus durante o verão. A paisagem é plana e arenosa, recortada pelos altos edifícios que margeiam a Sheik Zayed Road, principal rodovia que liga os sete emirados e corta Dubai de norte a sul, com destaque para o Burj Khalifa com seus mais de novecentos metros de altura e sua fachada em aço e vidro. Em contraste com a arquitetura contemporânea e ousada, entretanto, diversas construções mantêm as características tradicionais da arquitetura árabe,

como arcos ogivais agudos, domos gigantescos e a proliferação de ornamentos em intrincadas formas geométricas e motivos florais. No que se refere aos espaços internos, além da rica decoração dos ambientes, é muito comum o uso da água como elemento estético. Sua prin-

shoppings e hotéis. Os bairros mais antigos da cidade concentram diversos aspectos tradicionais da cultura árabe, como os Souqs (termo genérico em árabe para mercado ou feira). Na região central da cidade, em Deira, se encontram os Souqs de temperos e tecidos, além do deslumbrante

cipal função, entretanto, é auxiliar na climatização dos ambientes, de modo a manter as temperaturas em níveis mais agradáveis. Fontes, chafarizes e até mesmo cachoeiras artificiais são facilmente encontrados, principalmente em

mercado de ouro, o Gold Souq. A cidade ainda conta com boas praias, como na região de Jumairah Beach Residential e seu belíssimo calçadão que apresenta excelentes opções de cafés e restaurantes.

O que podemos esperar para o futuro?

Assim como em diversos outros países, a crise econômica de 2009 e a atual crise da Zona do Euro deixaram marcas profundas na economia emirati. A suspensão de investimentos estrangeiros no país resultou no atraso e até mesmo a paralização de importantes empreendimentos, como a World Island. Além disso, a saída em massa dos estrangeiros que voltaram aos seus países de origem durante a crise fez com que o mercado imobiliário sofresse severas perdas, deixando inúmeros edifícios praticamente vazios. Apesar disso, o clima atual é

de confiança, com a chegada de novos recursos do exterior e programas para a estabilização econômica sendo implementados pelo governo. Com isso a população estrangeira volta a crescer e a economia local apresenta sólidos sinais de aquecimento. Outro importante fator econômico do país é o foco no turismo e no comércio internacional. Uma vez que as reservas de petróleo locais já mostram os primeiros sinais de esgotamento, a busca por novas matrizes econômicas já começou, abrindo um novo panorâma para o futuro.


56

Entrevista


Nos passos da

construção Fundador da Procave e presidente da Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Construção Civil, Nivaldo Pinheiro, fala sobre a empresa e os desafios e expectativas da construção civil no Estado Natural de Agronômica, no Alto Vale, aos 54 anos Nivaldo Pinheiro é um homem tranquilo, com uma voz firme que inspira confiança. Embora seja dono de uma das maiores construtoras de Balneário Camboriú, ainda carrega as lembranças e o aprendizado do longo caminho profissional percorrido, iniciado em 1972, quando tinha apenas 14 anos e começou a trabalhar em um posto de gasolina da prefeitura de Blumenau. O primeiro investimento, com esforço e boa administração do seu salário, foi a compra de um lote na praia de Armação, pagos em longas e fixas parcelas. Depois de muitos anos, esforço e dedicação, fundou a Procave, em 1978. “Era uma imobiliária em Blumenau, que se dedicava bastante à compra e venda de terrenos em praias. Depois começamos a construir casas, uma a uma. Até chegar ao primei-

ro prédio foram cerca de oito anos”, relembra. Hoje a Procave é especializada na construção de imóveis de alto padrão e contabiliza mais de 25 empreendimentos entregues e 190 mil metros quadrados em edificação. O empresário também é sócio de outras três empresas: Ibiza Towers, Hotel Marambaia e Aquavit. As participações e atuações em entidades sempre fizeram parte do seu cotidiano. Em 2001 foi presidente do Sinduscon de Balneário Camboriú, e atualmente é vice-presidente. Além disso, é presidente da CDIC (Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Construção) da FIESC (Federação das indústrias de Santa Catarina). Por isso, nesta entrevista, além de falar sobre a Procave, Nivaldo Pinheiro fala sobre os desafios e expectativas da construção civil em Santa Catarina.


RDI: A Procave nasceu em Blumenau. Quando e como vieram para Balneário Camboriú? Nivaldo Pinheiro: Começamos a construir em Blumenau por volta de 1986 e depois começamos a construir também em Balneário Camboriú. Nós queríamos trabalhar com imóveis de alto padrão e na época o mercado de Blumenau não era favorável. Por isso, em 2000, optamos por transferir a empresa para cá. Embora não pensássemos que a cidade cresceria tanto, nós já sabíamos que a região iria se desenvolver, por conta da força industrial e portuária ao seu entorno e, principalmente, por sua vocação na qualidade de vida, lazer e turismo. RDI: Então houve um pouco de sorte em estar no lugar certo, na hora certa. Mas o negócio vai muito além disto. Como a Procave chegou ao que é hoje? Pinheiro: Eu diria que sempre tivemos uma preocupação muito forte com o cliente, em trabalhar com um produto de qualidade e modernidade e que possa trazer um grande prazer a quem adquire o imóvel. Por isso sempre investimos muito em projeto e qualidade, além de investir nas melhores localizações, para ter um produto diferenciado e exclusivo. RDI: A Procave também tem apostado na entrega de apartamentos prontos para morar, totalmente decorados. Há uma grande procura por este tipo de imóvel? Quais as vantagens? Pinheiro: Eles são uma opção para as unidades que não comercializamos durante a fase de construção. Por isso criamos um diferencial de mercado, fazendo o complemento com mobília e decoração. Ainda temos uma parcela muito grande de clientes que não mo-

58

Brava Home Resort. Primeira fase do mega empreendimento na Praia Brava será entregue em julho.

ram aqui. Para eles, mobiliar um apartamento aqui é muito demorado e acaba se tornando até mais caro, pois ele nem sequer pode acompanhar a obra. Nós temos uma estrutura para isso, compramos com melhor preço, por conta da quantidade, e transferimos este diferencial para o cliente. Ele certamente gastaria mais para fazer a mesma decoração, além de ganhar em termos de conforto e praticidade por não ter que dispor do seu tempo. RDI: E como a Procave pretende crescer ainda mais? Pinheiro: A tendência da construção em Balneário Camboriú é uma curva no sentido contrário, pois os terrenos estão cada vez mais escassos e caros. Hoje as construtoras estão buscando novos nichos de mercado. Nós vamos fazer uma expansão de negócios nas cidades de Florianópolis e Itajaí, onde já adquirimos terrenos e temos projetos em desenvolvimento. Vemos Itajaí com um potencial muito grande, com um

importante nível de crescimento, principalmente por conta do Porto. Identificamos na cidade um nicho de mercado em carência e temos projetos para ele. RDI: São imóveis de alto padrão? Pinheiro: Com certeza. Hoje a Procave é uma empresa reconhecida neste nicho de mercado. Itajaí não tem muitas opções deste segmento, e temos intenção em partir também para outros tipos de empreendimento, com estruturas que nenhum outro prédio ofereça. Em 2013 devemos lançar um projeto empresarial e hoteleiro, duas grandes carências da cidade. No empresarial, por exemplo, estamos buscando um projeto de prédio que tenha condições de oferecer uma quantidade de vagas para o cliente, com estacionamento rotativo. RDI: Você é presidente da Câmara do Desenvolvimento da Indústria da Construção Civil (CDIC) da Fiesc. Como o CDIC atua? Pinheiro: Dentro da Fiesc existem várias câmaras setoriais. O objetivo é dar


apoio às indústrias e fazer com que consigam cumprir com a sua função social, de gerar emprego e riquezas. O CDIC funciona com os Sinduscon do Estado e tem como objetivo apoiar os sindicatos e as empresas da construção civil. Nós desenvolvemos trabalhos na área de legislação, com normas de segurança, de produtos, etc; na qualificação de mão de obra; na área de educação, saúde e segurança do trabalhador; e na busca por informação e novas tecnologias que ajudem as empresas a terem mais produtividade. RDI: Como está a construção civil em Santa Catarina? Pinheiro: Santa Catarina tem acompanhado o grande crescimento da construção no Brasil nos últimos anos. A

imóvel alugado você faz apenas o básico para morar. Na casa própria, geralmente as pessoas tem um ambiente melhor para viver, que traz mais felicidade. RDI: E em relação a tecnologias e Sistemas Construtivos que vem sendo usados nestas moradias, eles não deixam a desejar? Pinheiro: É neste segmento que se exige das empresas que usem as melhores tecnologias. Como a margem de lucro é muito pequena, não pode haver desperdício, qualquer descuido significa prejuízo. Por isso as construtoras precisam pesquisar, projetar, buscar novos materiais, e controlar todos os passos da construção. Neste ponto a construção ainda é um pouco atrasada em relação a outros países. Nossa legislação é anti-

Enquanto houver crédito, a construção civil vai continuar crescendo

disponibilidade de crédito tem sido uma importante alavanca para o setor. Enquanto houver crédito, ela vai continuar a crescer. A grande diferença é que hoje está se atingindo um nicho de mercado que antes era distante da realidade, são imóveis de cerca de R$ 80 mil, pelo Minha Casa Minha Vida, que tem um alcance social extraordinário. Pessoas que jamais imaginavam que teriam seu próprio imóvel conseguem realizar este sonho pagando prestações inferiores ao que pagaria em um aluguel. Isso aumenta o bem-estar das pessoas. Ter o seu imóvel é muito diferente do que morar em um local alugado. Na sua casa você está mais interessado em fazer uma boa mobília, em ter bons equipamentos. No

ga e pode ser diferente em cada estado. Às vezes você tem uma solução elétrica boa, por um preço competitivo, mas não pode usar, pois não é aceita pelo órgão fiscalizador. RDI: Estamos muito atrasados em relação aos outros países? Pinheiro: Em geral a construção no Brasil tem melhorado. Mas precisa melhorar muito. Hoje a nossa construção ainda é muito artesanal e temos um grande problema que é a falta e o custo da mão de obra, que aumentou muito. Então é preciso investir em tecnologia, para trocar a máquina pelas pessoas, e diminuir os custos. Isso causa muito impacto nos resultados das empresas, temos visto grandes empresas com re-

sultados ruins. RDI: E não temos estas tecnologias e sistemas construtivos aqui, por conta do preço? Pinheiro: Também. Mas na verdade são muitas coisas. Em primeiro lugar é preciso mudar a cultura e entender que as mudanças são necessárias. Precisamos fazer mais eventos para propagar as novas tecnologias e expor novas técnicas e este é um dos interesses da FIESC. RDI: E em relação à falta de mão de obra, o que tem sido feito? Pinheiro: Hoje a Fiesc tem uma parceria com o SENAI, por meio de uma ideia muito interessante que são os ônibus escolas, que ficam à disposição dos sindicatos, que fazem convênios com as empresas para agendar os treinamentos que acontecem na própria obra. O resultado deve começar a aparecer daqui a algum tempo. A construção civil é uma atividade muito especifica. Mesmo com a remuneração, que foi um dos salários que mais teve aumentos nos últimos anos, não é qualquer pessoa que se propõe a trabalhar nela. RDI: Este ano foi de desaceleração no crescimento do setor. Quais são as expectativas? Pinheiro: Em termos de volume de construções não tivemos grandes mudanças, pois os prédios que já começaram a ser comercializados tem compromissos com o prazo de entrega. O que houve foi uma desaceleração na parte de vendas e isso vai refletir nos lançamentos. Vamos ter um reflexo maior em 2014 ou 2015 se continuar esse clima de crises mundiais, que deixa as pessoas inseguras para assumir compromissos, embora não falte emprego e poder de consumo no Brasil.


Turismo

Fotos: divulgação

Abaixo de 0º Grandes geleiras glaciais, lagos, rios, montanhas, vales e visões de horizontes infinitos, fazem da Patagônia um destino inesgotável e perfeito para quem gosta de curtir o frio

Parque Nacional Torres Del Paine

64


Uma boa dose de disposição - e de casacos - é indispensável para seguir viagem à Patagônia. Lá, esta época do ano é indicada para quem quer curtir o branco e o fascínio da neve, e aproveitar o frio com uma boa gastronomia e os famosos vinhos na beira da lareira. Rica em belezas naturais, a Patagônia está localizada ao Sul da América do Sul e abrange quase um terço dos territórios da Argentina e do Chile. De seus quase 800 mil quilômetros quadrados de território, grande parte é pouco explorada e de escassos habitantes. Aos turistas, a viagem proporciona paisagens únicas, de grandes geleiras glaciais, lagos, rios, montanhas, vales e visões de horizontes infinitos. Cheia de mistério e sedução, na Patagônia não faltam

destinos para aqueles que gostam de contemplar belas paisagens, e nem para os que preferem uma dose a mais de aventura. Sem dúvida, as imensas geleiras são o destaque da Patagônia. Aos pés da Cordilheira dos Andes, o El Calafate é uma charmosa cidade com bares e lojas de artesanato e serve como porta de entrada para o Parque Nacional dos Glaciares, o maior atrativo da Patagônia Argentina. É lá que fica o famoso Glaciar Perito Moreno, considerado pela Unesco um patrimônio natural da humanidade com suas geleiras milenares, em constante movimento, e a maior reserva de água potável conservada do mundo. É possível caminhar por passarelas próximas à geleira, e visualizar diferentes ângulos do glaciar.


Puerto-Piramides, na Península Valdez.

Terra do fogo Passarelas de observação do Glaciar Perito Moreno

Península Valdez. Um zoológico natural onde é possível observar inúmeros animais.

66

Penílsula Valdez


Glaciar Perito Moreno

Ao leste, a glória fica por conta da Península Valdez, um mega zoológico natural com elefantes marinhos, pinguins, entre outros animais. O espetáculo fica por conta da baleia franca austral, que chega entre os meses de junho e dezembro e encanta os turistas que podem observar os gigantescos animais no mar. No extremo sul, um lugar conhecido como “fim do mundo” faz sucesso. É próximo a cidade de Ushuaia, na fronteira com o Chile, que está o Parque Nacional da Terra do Fogo, onde,

além das admiráveis vistas de lagos e florestas é possível realizar atividades como o trekking e passeios de caiaque pelo Rio Lapataia, de águas tranquilas e transparentes. Ou até passar pelo Canal de Beagle, onde são avistados animais como lobos marinhos e pinguins. Na região dos Andes, as opções de hospedagem vão de simples pousadas até luxuosos hotéis e estâncias. É nesta área que reinam os esportes de inverno, a pesca esportiva, a navegação por glaciares milenares, trekking

por gelo continentares, além de escalada e montanhismo. É possível entrar tanto por Buenos Aires, na Argentina, quanto por Santiago, no Chile, dependendo de qual o destino que você vai escolher. A novidade que está fazendo sucesso são os cruzeiros pelos mares do sul, passando pela Patagônia Argentina e Chilena. Apesar de estar tão perto do Brasil, a maior quantidade de turistas da Patagônia vêm da Europa e dos Estados Unidos, mas o número de visitantes brasileiros vem crescendo a cada ano. Que tal ser você o próximo?


É um luxo

Para os apaixonados por golf uma nova coleção de “sonhos de consumo”, repleta de “cavalinhos”, começa a ser vendida este mês. É a Ferrari invadindo os gramados. Em parceria com a Cobra Puma Golf a nova coleção Ferrari Golf inclui de tudo: de tacos à roupas, passando por acessórios. Muitos itens da coleção são feitos à mão e com o mesmo couro utilizado nos carros da Ferrari. Além dos acessórios como tênis e luva e das roupas, como jaqueta e camisa (que prometem encantar também os não golfistas), o que mais chama atenção é o Golf Driver (taco) especialmente desenvolvido pelos engenheiros de aerodinâmica da mais famosa fabricante de carros do mundo, para reduzir ao máximo o atrito com o ar. Feito para nem Tiger Woods colocar defeito.

68

Fotos: Divulgação


Destaque social

Francine Mirele da Silva

O engenheiro Mauricio Busato Scoz assumiu a direção geral do grupo Brava Beach. Há três anos ele atuava como gerente de obras e engenharia e agora assume esta nova missão. Nova gestão também na área de comunicação, com a chegada da administradora curitibana Ana Wippel para a coordenação de comunicação do Grupo. Com muita experiência profissional, Ana já atuou em empresas como Coca Cola, Claro e Cyrela. Sucesso! A festa rolou solta no arraiá da G. Laffitte, que aconteceu dia 30 de junho na fazenda Alfedrão, em Camboriú. Gabrielle Laffitte e seu pai Gilberto Laffitte, receberam os convidados com muita alegria.

A empresária Catia Suanir Cóta, da Raymann Móveis, conquistou o prêmio Mulher Empresária 2012, da Associação Empresarial de Itajaí (ACII). Parabéns e sucesso! Foto: João Souza

70

Dia 15 de junho a anfitriã Carla Fock, da Larinox, recebeu convidados para uma deliciosa tarde gastronômica com o Chef de Cuisine Guilherme Guzela, que é especialista em Gastronomia, integrante da Federazione Italiana Cuochi, e parceiro da Tramontina.

Dia 13 de junho a Müller e Marquardt Incorporadora, de Jaraguá do Sul, promoveu um coquetel para apresentar a corretores, imobiliárias e investidores o Residencial Gamaliel, um dos últimos lançamentos da empresa. Na foto, Luciane Marquardt, proprietária da Lua di Pano Boutique, e Albert Alexander Marquardt, da incorporadora.


A Formus, de Balneário Camboriú, reuniu arquitetos, decoradores, amigos e pareceiros para uma conversa informal sobre viagens e experiências criativas. O evento aconteceu dia 5 de julho, na Casa Conceito e marcou o lançamento de uma publicação sobre o tema e a apresentação do programa de pontuação da marca.

A arquiteta Carol Cavichiolli com Maurélio Weber e Austin Boing

Viviane Bugallo, Claudia Silvestre, diretora da Formus e Eduardo Bugallo

Os lojistas Scheila, Sidney, Kelyne, Claudia, Luana e Marcio, e Haiko.

Lojistas e profissionais na Casa Cor São Paulo.

Dias 07 e 08 de junho 19 renomados profissionais da arquitetura e decoração de interiores de Santa Catarina embarcaram para São Paulo no TOUR DE MOSTRAS 2012, para prestigiar as grandes mostras de decoração do país: Mostra Artefacto, Hyundai MostraBlack e Casa Cor SP. A iniciativa foi das lojas Maison du Banho, 4 Elementos, Cia da Luz, Brinna, Syncrovision e Natur Pisos – associadas ao Núcleo de Decoração do Vale, de Balneário Camboriú, que presentearam os arquitetos com a viagem.


Social Núcleo Catarinense de Decoração entrega 218 prêmios A noite de 21 de junho foi de festa em todas as regionais do Núcleo Catarinense de Decoração (NCD). Os coquetéis de premiação do NCD aconteceram simultaneamente nas quatro Regionais: Florianópolis, Blumenau, Balneário Camboriú e SUL (Criciúma). Em reconhecimento e fomento ao setor o NCD entregou 218 prêmios aos profissionais mais atuantes do décor catarinense no programa

de fidelidade NCD, onde os profissionais acumulam pontos nas lojas associadas. Mas o prêmio mais esperado da noite foi o Top Year NCD, que levará os profissionais à festa anual do Núcleo, que este ano será internacional. Um grupo de 200 pessoas viajará em agosto para o evento no Conrad Casino & Resort, em Punta del Este. Os vencedores do Best NCD, maior prêmio da endidade, serão revelados somente em território uruguaio.

01

02

04

05

06

07

08

09

01: Márcia Maurano da Saccaro Móveis e Vice-presidente NCD; Carlos Machado da Luxaflex by Carlos Machado e Vice-Diretor Regional Florianópolis, Paulo Veronese da Cama Pimenta e Diretor da Regional Florianópolis NCD com Marcela Medeiros, Diretora Executiva NCD. 02: Moacir Schmitt Junior da CASADesign Interiores, Eunice Mariano e Salvio Moraes Junior da CASADesign Interiores. 03: Adriana Piva da Adriana Piva Arquitetura, Sirlene Castilho da Via House Persianas e Diretora Regional Balneário Camboriú e o decorador Érico Luiz Conceição 04: Helen Rampinelli da Hellen Rampinelli Galeria Atelie e Vice-Diretora Re-

72

03

gional SUL, Alfredo Vanelli da Studio Ambientes e Presidente do NCD e Adriana de Lucca, da Addri Objetos e Ambientes e Diretora Regional SUL. 05: Eunice Mariano, da Artezanalle Móveis e Verlandia Avi da Sierra Móveis e Vice-Diretora Regional Balneário Camboriú. 06: Arquitetos Rosane Girardi e Alcides Theiss da TheissGirardi Arquitetos 07: – Maurício Christen e Cláudio Schramm da Maurício Christen Interiores. 08: Arquitetas Sherlana Reis e Silvana Silvestre. 09: Cereni Frizzo da Florense e Diretora Regional Blumenau com Marcos Luz, da Portobello Shop e Vice-Diretor Regional Blumenau.


01

Entrega do Dolce Vitta Residence A A3 Incorporadora entregou seu empreendimento Dolce Vitta Residence, em Jaraguá do Sul, no ultimo dia 04 de julho. Os sócios Andréa e Hamilton, recepcionaram seus clientes no salão de festas para a entrega das chaves. A Mais Design Arquitetura se fez presente com o projeto de toda a area social do empreendimento.

02

C

M

Y

CM

03

MY

CY

CMY

K

04

e Mais caunrn ca do que n

Brinquedoteca

01: Fachada do empreendimento 02: Hamilton Evaristo Jr. Andréa Belli Evaristo, Cleyton Feírico, Vanessa Feírico e Jean Dalmarco. 03: Fernando Klein, Bruna C.Fraga, Bryan R. Custódio, Hamilton Evaristo Junior, Andréa Belli Evaristo e Jean Dalmarco. 04: Hamilton, Evaristo Jr, Eloisa P. Gieseler, Andréa Belli Evaristo, Joe Marcio Gieseler, Jean Dalmarco.

Amplo Estacionamento Ambiente Climatizado

mrbeef.com.br mrbeef1 DELIVERY 3275-2230


Especial Inverno Foto: Kelly Knevels.

Artfire no projeto de Fernando Schwerterner.

74


Por um inverno mais quente Lareiras, roupas de cama, vinhos e gastronomia para aquecer a estação mais fria do ano

As baixas temperaturas já tem aparecido por aqui em alguns dias deste inverno. O clima frio, com temperaturas mais baixas que o habitual, ainda devem continuar por algum tempo e servem como um convite para que as pessoas busquem formas agradáveis de se aquecer.

Na decoração dos ambientes, assim como na moda, o inverno pede mais requinte e sofisticação. Aliás,

esta estação pede ambientes favoráveis para unir a família e os amigos dentro de casa. Tapetes, cortinas mais pesadas e estofados já dão aconchego para o lar, mas, que tal investir em lareiras, roupas de cama especiais e um belo fundue com vinho para reunir os amigos e aquecer ainda mais a sua casa neste inverno?


Foto: Kelly Knevels.

As lareiras comuns à queima de le-

nha, salamandras e lareiras elétricas ainda estão por aí. Mas, nos últimos anos, quem vem roubando a cena são as chamada Biolareiras, ou lareiras ecológicas. Em seu funcionamento elas utilizam apenas álcool etanol (aquele de cozinha), ou fluído específico (dependendo da marca), feitos da cana de açúcar, ou seja, um recurso totalmente renovável. Além da característica sustentável, a praticidade é outra característica relevante do produto. Elas já vêm prontas para utilização e não precisam de nenhuma instalação prévia, pois não tem chaminés, dutos e nem sequer geram odor, fumaça ou fuligem.

Belíssimas e adaptáveis a qualquer

projeto de decoração, seja ele interno ou externo, a primeira impressão de quem vê é que as biolareiras são objetos decorativos. Contudo, elas proporcionam um aquecimento real. De acordo coma fabricante Artfire Lareiras, elas elevam a temperatura em até 5° C em ambientes de referência com 35 metros quadrados ou 90 metros quadrados. As câmaras de combustão ainda permitem a regulagem da temperatura. Tecnológicas e eficientes, podem até ser acionadas por controle remoto.

Diferente das lareiras à lenha, que

perdem cerca de 70% do calor pela chaminé e paredes, as lareiras a álcool aproveitam cerca de 99% do calor produzido. O consumo de álcool é, em média, de 0,5 litro/hora, que representam um baixo custo operacional. Contudo, todos estes itens podem ser consulJardim Alameda das Palmeiras, de Marcelo Calixto para a Casa Cor Paraná 2012.

76

tados no manual de cada produto e marca.


Foto: Kelly Knevels.

Lareira Artfire no ambiente de Daniele Viesser, para a Casa Cor Paraná 2011. Foto: Marco Pinto

Decoração

As biolareiras completam a de-

coração com o charme e requinte do fogo. São vários modelos, formatos e cores de lareiras que podem se adaptar perfeitamente ao projeto de decoração. Contudo, na hora de escolher, é preciso avaliar a funcionalidade do produto e se tem capacidade suficiente para aquecer o ambiente onde será instalada. Além de belas e elegantes, as lareiras contribuem para a sensação de aconchego e bem-estar das pessoas em um determinando ambiente. Artfire no projeto de Daniela Francfort.


Coleção Blend Malha, da Altemburg.

78


Uma cama quentinha é um convite para descansar,

assistir televisão e até ler um bom livro. Melhor ainda se ela estiver bem aconchegante e bonita!

A Altemburg lançou uma nova coleção Blend Malha

para este Inverno. São jogos de colcha e edredons em dupla-face, que mesclam de um lado, o conforto e envolvência da malha e de outro, o toque macio da manta em microfibra. Para coordenar com a colcha e o edredom, jogos de lençóis em malha, completam a coleção com charme.

A linha da lepper para o inverno vem nas cores

como roxo, azul e o tradicional xadrez. A habitual estampa de flores também aparece na coleção da marca, com destaque para a Manta Dupla Toile de Jour, que possui detalhes na costura e um tecido macio, super aconchegante.

Perca-se na textura aveludada de Eliot colcha em

veludo de algodão, da Buddemeyer. O tecido macio é luxuoso, com brilho natural na nobre cor azul. Já para o banho, a marca tem toalhas especiais para se secar com muito mais conforto. As tolahas Baby Skin são feitas com algodão egípcio penteado, e dão um toque delicado e muita sofisticação para qualquer tipo de banheiro.

Eliot, colcha em veludo de algodão, da Buddemeyer.

Manta dupla Toile de Jour da Lepper.

Toalhas Baby Skin, da Buddemeyer, feitas com algodão egípicio.


Adega de Adriana Noya para a Casa Cor São Paulo 2012.

Montirius Vacqueyras Le Clos 2006

Pervini Archidamo Primitivo di Manduria 2009

A região de Vacqueyras, localizada a

poucos quilômetros da histórica cidade de Avig-

sivas variedades do sul da Itália, especifi-

non, tem sido nos últimos anos fonte segura de

camente da região da Puglia, calcanhar da

vinhos profundos, autênticos, de excelente guar-

bota. Enfeitiça no olfato com a explosão de

da. Este produtor trabalha seus vinhedos na má-

frutas vermelhas maduras, especiarias do-

xima harmonia com o meio ambiente e nenhum

ces e impressões balsâmicas (menta). Sua

de seus vinhos amadurece em barricas de car-

energia em boca é percebida na integração

valho. O resultado final é estonteante, muito rico

entre seu amável frutado e delicioso frescor.

no nariz, com frutas maduras (ameixa, amora),

Um tinto cheio de caráter mediterrâneo.

pimenta preta moída e couro.

80

A Primitivo é uma das mais expres-


A casa tem sido cada vez mais usa-

Dicas para armazenar, escolher e harmonizar bons vinhos

da como ambiente para receber amigos e confraternizar. Com tecnologia e criatividade, as adegas também têm conquistado espaço nas residências dos apreciadores de um bom vinho,

Por Sommelier Igor Maia.

em espaços próprios, ou incorporadas em ambientes de uso comum, como a cozinha ou o

espaço gourmet.

sempre devem atentar para a forma de

Os amantes de bons vinhos

Para quem vai criar um espaço de

como guardá-los em casa. Afinal o vinho

adega no próprio ambiente, investir em mate-

é uma bebida viva que sofre transfor-

riais diversos e acessórios de decoração po-

mações ao longo dos anos, não só na

dem dar mais requinte ao espaço que combina

sua percepção gustativa, mas também

muito com elementos mais rústicos, como pe-

aromática. Para tanto é importante ter

dra e madeira, mas que podem ser mesclados

em casa uma adega que esteja regula-

com itens modernos.

da entre 12-14°C e a umidade entre 65-

Para aqueles que não têm muito espa-

70%, isso permitirá que reações como

ço, a ideia é investir em adegas climatizadas,

oxidação e redução ocorram paulatina-

aquelas compradas prontas, que propiciam a

mente e quando você for desarrolhar seu

otimização do espaço e garantem a qualidade

vinho ele esteja perfeito. A luz excessiva

e temperaturas ideais para o vinho. É possível

é também uma inimiga do vinho, acele-

encontrá-las a preços bem acessíveis, a partir

rando sua oxidação. É preciso também

de R$250, dependendo da capacidade de gar-

manter as garrafas em ambiente longe

rafas e das funcionalidades.

de trepidação e odores fortes.

Independente do espaço, modelo ou

Hoje temos muitas opções no

da decoração o essencial é levar em conside-

mercado de adegas climatizadas para

ração questões como temperatura e incidência

uso doméstico, com diversos tamanhos,

de luz para que os vinhos não percam sabor e

cores e designs. Escolha uma para me-

qualidade. Confira as dicas e uma seleção de

lhor envelhecer seus vinhos e eternizar

vinhos feitas pelo sommelier Igor Maia, da Eno-

momentos comemorativos. Abaixo, qua-

teca Decanter, de Blumenau.

tro rótulos para começar a abastecê-la.

Riglos Gran Malbec 2008

Conde de Vimioso 2009

Produzido na região do vale de Uco,

Elaborado a partir de três uvas (Touriga

Mendoza – Argentina, a Riglos é uma vinícola

Nacional, Tempranillo e Cabernet Sauvignon), na

que entrega um Malbec profundo e com aro-

região do Ribatejo - Portugal, aqui está um cam-

mas bem delineados, exuberante no ponto

peão quando falamos em preço/prazer. Tinto

certo. Sua maciez em boca é incrível, com ta-

frutado, levemente floral, gostoso para qualquer

ninos sedosos e prometedores de ótima sur-

hora, no papo informal entre amigos mas também

presa aos que puderem esperar mais alguns

com bistequinhas de porco assadas na brasa.

anos. Maravilhoso agora com bife de chorizo mal passado.


A saborosa receita do Fondue de Queijo ‘’Marguerita’’, do Indaiá Restaurante

82


Nenhuma comida lembra tanto o inverno quanto o Fondue. Além da

cremosidade dos ingredientes básicos, como o queijo e o chocolate, a receita harmoniza com bons vinhos, e o fogo do queimador (peça do aparelho de fundue) promete aquecer quem sentar à mesa.

Esta receita secular surgiu na Suíça, em meados de 1699, mas ga-

Receita de Fondue de Queijo ‘’Marguerita’’ Ingredientes

nhou fama internacional apenas na década de 1950, quando o chef Conrad

200g de queijo gruyère

Egli, de Nova Iorque, passou a servir o prato em seu restaurante, “Chalet Suís-

300g de queijo estepe ou emmental

se”. Nesta época criou o ‘’fondue’’ de chocolate, que servia como sobremesa.

1 dente de alho

1 pitada de noz moscada

O fundue é uma das tentadoras delícias do Indaiá Restaurante, de Ita-

pema. Além da bela vista da cidade proporcionada pela localização, o Alto São

1 colher de sopa de amido de milho

Bento, a sequência de fundue do restaurante é considerada pelo Guia Quatro

1 cálice de conhaque (20 ml) (opcional)

Rodas a melhor de Santa Catarina.

3/4 de um copo de vinho branco seco (cerca de 180ml) 1 tomate médio sem sementes e cortados em cubos 30 folhas de manjericão

Modo de Preparo

Rale os queijos no ralador ou

processador. Dissolva o amido de milho no vinho branco e misture com o conhaque. Adicione a noz-moscada a este líquido. Passe o alho nas laterais e no fundo da panela. Coloque os queijos e o líquido que você preparou na panela e vá misturando, sempre em fogo baixo, até fundir totalmente o queijo. Continue mexendo até que a massa ganhe uma consistência homogênea, logo após levantar fervura. Caso fique muito líquido, dissolva mais um pouco de amido de milho em um cálice de água e adicione à mistura.

Serviço Indaiá Restaurante Rua 900, nº 1300 – Alto São Bento Itapema-SC Telefone / Reservas: (47) 3368 2745

Além disso, adicione as 30 folhas de Além da sequência tradicional (chapa de manjericão e os cubos do tomate. grelhados, 4 queijos e chocolate), este a Sirva preferencialmente com ano a casa inova servindo uma sequênpão italiano, mas você pode usar oucia “Prime’’, com ingredientes diferenciatro pão, desde que tenha consistência dos como a carne de avestruz, camafirme para não se despedaçar quando rão, queijo gruyére e ferrero rocher. Um for mergulhado no queijo. Sirva também toque especial para o paladar. tomate cereja, queijo provolone, chamUma das receitas “Prime” é a de Fundue pignon, brócolis e o mais importante: de Queigo Marguerita, que você confere goiabada em cubos! aqui:


Expressão

Casa,

espelho da alma

A casa expressa e acolhe um momento, uma história... uma vida. Espelho da alma. Proporciona a possibilidade de intensificar a relação consigo e com o tempo vivido. Casulo, ninho, santuário que protege e recebe. Espaço íntimo de uma existência. Quanto mais próxima e autêntica for a sinergia do morador com a sua casa, maior o valor e impacto . Passam distantes os estilos, modismos e cópias. A casa reflete seu morador e seu universo único. Encenação de si mesmo na medida que os espaços, formas, cores e cheiros traduzem quem somos e o que somos. Registros que possibilitam o verdadeiro conforto: o emocional. Precisamos de um lar no sentido psicológico tanto quanto no físico, para impedir que a verdadeira identidade não desapareça. O lar como resgate e manifestação de uma trajetória. Neste sentido, um contexto para refletir a respeito é vivenciar uma experiência multisensorial. Proposta inovadora de relacionar-se com a casa por meio de linguagens. A Casa Conceito FORMUS de Balneário Camboriú tem esta intenção, possibilitando reflexão, inquietação no morador em relação ao espaço onde vive. Forma diferenciada de apreciar o ato de viver a casa e transcender aos meros aspectos funcionais e comerciais. Atenção às emoções, aos sentimentos que cada espaço desperta. Onde está a nossa sustentação intelectual, física e espiritual senão na casa? Cenário de contemplação e apro-

86

Cozinha Toscana, inspiração na colonização italiana Casa Conceito FORMUS Balneário Camboriú. Arquitetura que emociona. Pavilhão flutuante com telhado verde em conexão com a natureza

priação. Conexão entre arquitetura, arte, natureza e cultura, onde o todo supera a soma das partes. As Casas Conceito FORMUS propõem uma expressão de viver a casa, uma arte de morar.


Nossas casas devem manifestar nossa identidade, nossa maneira de viver. Uma expressão de ser, uma arte de morar.

Natureza, design, arte e cultura. Espaço que transcende o contexto comercial propondo “um viver a casa” e não apenas um show-room

Casas Conceito FORMUS Joinville | Balneário Camboriú Florianópolis | Tubarão | Criciúma Casa Conceito Balneário Camboriú Rua 916, no 369 | (47) 3268-6473 www.formus.com.br


Casa Cor São Paulo

Universo Fashion O tema da Casa Cor 2012, Moda, Estilo e Tecnologia, esteve constantemente presente nos ambientes da edição de São Paulo. Lá, um misto de materiais, estampas, texturas e cores diferenciadas e inspiradas no mundo da moda fizeram o sucesso dos ambientes que servem de inspiração para a arquitetura e design de interiores. Além dos ambientes de Casa Cor e de Casa Hotel refletirem o tema, os visitantes também poderão conhecer o Casa Talento Fashion. A mostra segue até 22 de julho.

Living

A renomada arquiteta Brunete Fraccaroli sur-

preende com o “Living” que traz cores que criam um cenário alegre e acolhedor, arrematando o prêmio de projeto mais original. Nas paredes as pastilhas de vidro se misturam aos espelhos e entram em sintonia com o resto do ambiente. O destaque fica com a poltrona em formato de trono, de laca e veludo num vibrante tom grená.

88


Biblioteca

Bem iluminada e com móveis

aconchegantes, a “Biblioteca” da arquiteta Clélia Regina Angelo, é um convite ao relaxamento e a leitura. A grande estante de MDF branco provoca dinamismo visual, por conta dos nichos de 40 centímetros de profundidade, em diferentes tamanhos. Mas o destaque fica para a parede atrás da estante solta: um tecido de algodão com estampa de samambaia provoca efeito relaxante.

90


Living da casa de campo

O “Living da casa de campo” projetado por Cristina Ro-

cha, Patricia Rocha e Rosana Andrade, ganha um layout totalmente simétrico. Materiais e objetos diversificados, como a mesa tatame de madeira rústica e o grande lustre de cristal entram em harmonia.


Casa Cor Paraná

A sofisticação curitibana

Muitos ambientes cheios de requinte, com a sofisticação de tons sóbrios e o uso de esculturas e obras de arte estive-

ram presentes na 19ª edição da Casa Cor Paraná, em Curitiba. Além da moda, que é o mote de todas as franquias da Casa Cor em 2012, a edição paranaense aborda o tema “Retrofit” - expressão que significa “colocar o antigo em forma” (retro do latim “movimentar-se para trás” e fit do inglês, adaptação, ajuste), por isso está sendo realizada na Casa Cultural União Juventus, um casarão antigo e desativado, de 1,7 mil metros quadrados de área construída que foi totalmente revitalizado.

92


Cozinha Out Door

A Cozinha Out Door, assinada pelo arquiteto e Eduardo Mourão é

funcional e esbanja sofisticação e elegância. O projeto foi pensado para os amantes da boa conversa, da gastronomia e do convívio social.

A ilha central foi projetada para quem gosta de receber os amigos

e preparar refeições junto deles. Áreas livres ao redor da ilha constituem lounges, onde é possível aguardar a elaboração dos pratos e interagir com os presentes. São 48 metros quadrados de ousadia e modernidade.


94


Lounge Simmetria

O arquiteto e urbanista Jayme Bernardo trouxe requinte e luxo ao “Loun-

ge Simmetria”. São 65 metros quadrados de muito bom gosto, com diferentes texturas, cores suaves e efeitos luminotécnicos. Adentrando ao ambiente os olhos são atraídos primeiramente para o lustre de Cristais Baccarat e, também, para as obras de Marcos Coelho Benjamim e Carlos Eduardo Zimmermann.


Quarto do rapaz

Clássico e contempo-

râneo estão juntos no ambiente “Quarto do Rapaz”, dos arquitetos Christian Schönhofen e Richard Schönhofen. São 45 metros quadrados que transmitem acolhimento e vivacidade aos visitantes. Além do bom aproveitamento do espaço, que permitiu um quarto com closet e um pequeno estar para receber amigos, o destaque fica para as fotografias que estão na parede e foram feitas pelos próprios arquitetos.

96


Vitrine

Fotos: divulgação

Do lado de lá Não é só porque o inverno chegou que as áreas externas ficam esquecidas. Nos dias de frio se aquecer no sol em um lugar cheio de conforto é uma boa pedida, não é? Aliás, os móveis para o lado de fora estão cada vez mais elegantes.

Lançamento da Amazônia Móveis, a Poltrona Granada, da Linha Búzios, é um móvel de fibra sintética. Além do traço elegante o destaque fica para a cor azul.

A simplicidade do branco e um design sofisticado compõem a Chaise Long da Mac Móveis.

A Donaflor Mobília lançou a coleção Rosa, uma linha com poltrona, cadeira, chaise e este sofá de dois lugares.

98


Apartamento decorado

Sofisticação

100


nas alturas 240 metros de altura e 66 andares. Estes são os números que mais surpreendem no empreendimento Infinity Cost, da FG Empreendimentos. O edifício que começa a ser construído em agosto, em Balneário Camboriú, será o prédio mais alto do Brasil. Um projeto tão sofisticado quanto o prédio era necessário para apresentar o empreendimento aos clientes. Foi pensando em sofisticação, conforto e requinte, que a arquiteta Vanessa Schimdt projetou este apartamento modelo. Logo no living do apartamento, o tamanho da sala surpreende, dando a sensação de estar em uma casa. A amplitude permitiu que a arquiteta brincasse

com o layout. Cores neutras, brilhos e o toque de sofisticação compõem este espaço. As cadeiras em tons naturais de madeira, que são uma forte tendência, trazem a sensação de conforto e aconchego. As cortinas motorizadas quando abertas garantem uma vista exclusiva da praia de Balneário Camboriú.

Os objetos dourados entre a composição monocromática de beges garante a elegância do espaço. Detalhes em preto também aparecem para conferir sobriedade e sofisticação ao ambiente.


Por mais que seja integrada ao living, a Sala de Jantar foge dos tons beges, e surge na cor branca, compondo com a cozinha. A mesa redonda garante a total circulação entre os ambientes e quebra a sensação das linhas retas que o próprio apartamento possui.

102


O projeto de interiores da Suíte Máster foi desenvolvido para evidenciar e valorizar ainda mais o projeto arquitetônico baseado na integração dos espaços. Nele, quarto, sala de banho e banheira são totalmente integrados. A cor branca, com os tons bege dos móveis compõe o ambiente e ganham vida pelos detalhes na cor azul.


Projetada para acomodar os hospedes, esta suíte recebeu detalhes nas cores bege, cinza e preta. Como este não é um quarto com uso continuo as cores escuras não se tornam cansativas, e dão requinte ao espaço.

Serviço: Malibu Decorações (47) 3366-7582 malibufloreseplantas@gmail.com Apartamento decorado do Infinit Cost, da FG empreendimentos.

Arquiteta Vanessa Schmidt FG Empreendimentos arquitetura@fgempreendimentos.com.br

104


Vitrine

Fotos: divulgação

Recém-chegados Noronha

Inspirada

em

cores,

formas e mistérios do fundo do mar, a Saccaro apresenta a Coleção Noronha. Esta é a Poltrona Noronha, do designer Roque Frizzo. Além dela, a coleção traz sofás, espreguiçadeiras e mesas de centro, disponíveis em diversas cores.

Cristais

Chegaram à Malibu

Decorações

belíssimas

pe-

ças de cristais Di Murano. Os

Móvel

A catarinense Movelaria Boá criou uma linha

de móveis inspirado em embarcações. Este é buffet Costado, que tem acabamento arredondado nas laterais e madeiras contrastantes nos pés e no corpo. As portas, gavetas e áreas internas são pintadas

106

vasos e objetos decorativos ganham acabamento refinado, sofisticação dos detalhes e o requinte do trabalho artesanal, garantindo exclusividade - já que um produto jamais será igual ao outro.


Requinte para o descanso

A Bontempo resolveu investir nas protagonistas

de qualquer quarto: as camas. Alinhadas com as últimas tendências do Salão de Milão, a marca lançou a linha Stile Notte em diversos acabamentos e cores. As camas são estofadas em diferentes tecidos (com destaque para linho e couro), que combinam tanto com ambientes clássicos como modernos. As largas cabeceiras dão o toque especial ao produto.

Animale

Explorando a filosofia do “vestir a casa”, a Dell

Anno lança, em parceria com a Animale, a estampa Ashanti. A criação é inspirada em um grupo étnico de Gana famoso por seu conhecimento ancestral de tecelagem dos kentés, os têxteis mais preciosos da África.


Design

Roberto Mannes Jr.

Design para crianças não é brincadeira

Adentrar

o

universo

infan-

til não é simples para criadores em qualquer área, e se tornou tarefa para nomes como Monteiro Lobato, Lewis Carrol, Chico Buarque, e Vinicius de Moraes na música e na literatura. No design, gênios incontestáveis como Verner Panton, Charles e Ray Eames trataram da questão, e outros bons designers vêm se debruçando mais recentemente sobre o tema. A cadeira Panton sempre foi uma das favoritas entre as crianças. Além das cores alegres, os pequenos costumam se interessar pelas formas arredondadas. Logo após o lançamento da cadeira, em Cadeira Alma, de Javier Mariscal, Puppy, de Eero Aarnio e Dodo, de Oliva Toikka, da linha MeToo, da Magis.

108

1967, Verner Panton sugeriu a produção de uma versão proporcional para elas, mas isso só aconteceu 35 anos depois, quando a Vitra introduziu a Panton Junior, cuja produção é baseada nos pla-


Panton Junior: versão 25% menor de um clássico do design.

nos originais, sendo idêntica ao modelo

signers para compor a linha Magis Me-

original em termos de forma e material,

Too, com produtos para crianças entre

mas aproximadamente 25% menor.

2 e 6 anos. Desde então surgiram peças

Charles e Ray Eames, outros

como a cadeira de balanço Dodo, do fin-

dois nomes obrigatórios do bom de-

landês Oiva Toikka, o misto de cadeira e

sign, criaram em 1945 o banco Ele-

objeto decorativo Puppy, de Eero Aarnio,

phant, para a filha Marta. Antes em ma-

e a cadeira Alma, de Javier Mariscal.

deira moldada, o banco passou a ser

de produzido em plástico como forma

especificamente para crianças não é

de tornar viável a reprodução em série,

exclusivo do design internacional. Por

e hoje pode ser usado como brinquedo

aqui, o premiado Zanini de Zanine criou

ou objeto decorativo tanto em áreas in-

em 2009 a linha cadeiras Bambino e o

ternas ou externas.

Cavalinho Gioco, dando material e apa-

Cadeira Bambino e Cavalinho Gio-

rência contemporâneos ao bom e velho

co, premiado com o IDEA/Awards,

retor da italiana Magis, sentiu uma difi-

ambos de Zanini de Zanine.

culdade extrema em presentear a sobri-

Em 2004, Eugenio Perazza, di-

nha Ana – cada vez mais afeita ao design – com uma peça realmente boa e para a sua idade. Decidiu convidar ótimos de-

Esse cuidado em criar peças

cavalinho de balanço.

Roberto Mannes Jr. é designer. Trabalhou por dois anos no Metropolitan Design Center, em Nova Iorque, e atualmente cria suas peças em seu

próprio estúdio, o RMJ Design. Entre os clientes estão empresas como Mannes e Tok&Stok.

Elephant, do casal 20 do design mundial, Charles e Ray Eames.



Revista Destaque Imobiliário Julho 2012. Ed. 27