Page 1


Promessas para um novo ano 2011 chegou e com ele vieram muitas promessas a serem cumpridas. A lista de desejos e promessas é extensa, e tem de tudo. Emagrecer, praticar atividades físicas, viajar, casar, trocar de carro, sair do aluguel, ser promovido, entre muitas outras. Para quem pensa no tempo como algo que vai muito além do ciclo de 365 dias, a dica é simples: investir. Com baixo risco e boa rentabilidade investir em imóveis pode ser um grande negócio. Pensando nisso a Revista Destaque Imobiliário, do mês de janeiro, reuniu informações sobre diversos empreendimentos de conceituadas construtoras da região. As reportagens foram preparadas com as informações mais importantes para

seus próximos investimentos. Motivos e cuidados para investir em imóveis, financiamentos habitacionais, condomínios clubes e vantagens para comprar imóveis na planta estão entre os temas abordados nesta edição. De pequenos a grandes investimentos, temos uma entrevista exclusiva com um empreendedor de peso: Almeida Junior. O presidente do Grupo Almeida Junior, maior empresa de shopping centers de Santa Catarina, fala sobre os atuais e futuros investimentos do grupo no estado. Para começar o ano com boas energias vamos falar sobre Feng Shui Tradicional, uma corrente milenar originária da China, que por meio de cores, formas, e texturas da decoração promete harmonizar os

ambientes influenciando a vida e as relações entre as pessoas. Conheça mais sobre o assunto na matéria “Em busca de boas energias”. Boa Leitura.


Acontece

Marcelo Rosenbaum lança livro No mês de dezembro o designer Marcelo Rosenbaum lançou o livro “Entre sem Bater”. A publicação conta a história da reforma de sua primeira casa, que durou cerca de um ano. O livro tem 12 capítulos e traz relatos do antes e depois da reforma, percorrendo as memórias de Rosembaum desde sua infância. O objetivo é mostrar para os leitores o que significa uma reforma e também as dificuldades e frustrações que este processo pode causar para qualquer pessoa. O livro é da editora abril e o preço sugerido é de R$ 90.

Brasil supera China na preferência de investimentos imobiliários De acordo com a Associação de Investidores Estrangeiros em Mercado Imobiliário (Afire, na sigla em inglês), o Brasil superou a China na preferência dos investidores estrangeiros no setor imobiliário. A entidade internacional do setor, que tem sede em Washington, concluiu que o Brasil é o mercado emergente mais promissor de 2011, e ocupa o quarto lugar no ranking geral dos países com mais chances de valorização. Os EUA, que teve os preços dos imóveis abalado com a crise econômica, 14

lideraram a lista, com mais de 65% das opiniões dos investidores, que se revelaram mais entusiasmados com o futuro da economia americana. Os participantes da pesquisa controlam mais de US$ 627 bilhões em ativos imobiliários em todo o mundo. Em 2009 foi a primeira vez que o Brasil foi citado na pesquisa, ficando atrás da China, entre os mercados emergentes, empatado com a Índia.


Governo ampliará projetos do Minha Casa Minha Vida A segunda etapa do programa habitacional Minha Casa Minha Vida vai ampliar, de 500 para até 4 mil, o número de unidades por projeto. O aumento de moradias por projeto vai diminuir o custo das obras para as construtoras e deve também levar o programa ainda mais para a periferia, já que poucos terrenos comportam tantas unidades.

A meta de 1 milhão de contratos do programa foi atingida no governo de Luiz Inácio da Silva. No governo de Dilma Rousseff o objetivo é adicionar 2 milhões de unidades, até 2014. O programa habitacional ganhará novas regras neste mês.

Catarinenses entre as 100 cidades mais ricas do País Cinco cidades, entre os 100 municípios brasileiros com maior Produto Interno Bruto (PIB), estão em Santa Catarina. Joinville ocupa o topo da lista estadual e está em 30ª colocada no ranking nacional. É a terceira no Sul do país (atrás das capitais Curitiba e Porto Alegre). As outras quatro cidades destaques na lista nacional são: Itajaí (39ª), Florianópolis (50ª), Blumenau (56ª) e Jaraguá do Sul (92ª). Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em dezembro, são de 2008 e revelam também que o estado é o único do país em que a capital não é pioneira em receita.

Custo de mão-de-obra é o que mais sobe na construção civil O Índice Nacional da Construção Civil (INCC), medido pela Fundação Getúlio Várgas, registrou em 2010 uma alta acumulada de 5,36% no custo dos materiais. Já a mão-de-obra da construção civil subiu quase o dobro, 10,41% no ano. A elevação do gasto com a mão-de-obra é a maior desde 2003, quando a variação foi de R$ 16,21%. Comparado com 2009 (8,03%), o resultado de 2010 foi superior em 2,21%.


Jurídico

BRUNO TIMMERSNS NEVES

Construtoras e o ICMS Diante de inúmeros detalhes da legislação acerca da incidência do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), este se torna muitas vezes complicado e de difícil compreensão. Para melhor entendimento, é importante saber que as empresas de construção civil, prestadoras de serviços, não estão sujeitas à incidência de ICMS quando há execução por administração, empreitada ou subempreitada - reparação, conservação ou reformas - sem fornecimento de material, ou quando a movimentação do material ocorre entre estabelecimentos do mesmo proprietário. Entretanto, se houver o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local da prestação de serviços, como o fornecimento de peças pré-moldadas, por exemplo, incidirá o ICMS.

A substituição tributária é um regime em que a responsabilidade pelo recolhimento do ICMS devido é atribuída a outro contribuinte. Este regime foi criado para facilitar a fiscalização do fisco, já que todo o ICMS é cobrado por antecipação, sem aplicação desse regime, o ICMS é cobrado na sequência das vendas aos revendedores, até chegar ao consumidor final. Para aplicação da substituição é utilizada uma tabela que contém a margem de valor agregado (MVA) de cada produto, que tem como base a média dos preços usualmente praticados no mercado. Como exemplo, tubos e acessórios de plástico para construção civil, possuem no estado de Santa Catarina um MVA de 30,74%, ou seja, quando o fabricante vender tubos e acessórios para um revendedor, a base de cálculo

Exemplo da tabela de Margem de Valor Agregado:

16

para pagamento do ICMS será o valor da operação mais o MVA. Haja vista que a construtora utiliza o material para uso ou consumo, ou seja, é consumidor final, não haverá incidência de ICMS, e é este detalhe que passa muitas vezes despercebido. Quando a construtora compra o material direto do fabricante não se aplica a substituição tributária, o que diminui o custo. Agora cabe ao comprador e ao vendedor estarem atentos aos detalhes da legislação, sendo que a nota fiscal deve ser preenchida com o código adequado a situação tributária do ICMS. Bruno Timmermans Neves é advogado (OAB/SC 30.771) e presta consultoria tributária e administrativa para construtoras.


Imobiliรกria Engetec


www.engetecimoveis.com.br


Giro Imobiliário

Verão esquenta negócios em Balneário Camboriú As altas temperaturas do verão esquentam também as vendas na região litorânea de Santa Catarina. Um exemplo de que os negócios neste período tem crescido ano após ano vem da construtora FG Empreendimentos, de Balneário Camboriú.

O gerente comercial da empresa, Antônio José Roncáglio, calcula que os negócios fechados no verão representam cerca de 65% do volume total de vendas da FG durante o ano. “Para a temporada de verão 2011 nossa expectativa é que se registre um

aumento de 10% nas vendas. Isso se dá em razão das novas oportunidades na economia e novos lançamentos da construtora”, aponta.

Novidades para conquistar o público no verão As ações de marketing também entram no clima da estação promovendo os imóveis de luxo da FG Empreendimentos. Em parceria com o comércio local a empresa trouxe um dos três maiores veleiros do sul do

Brasil que vai circular por Balneário Cambo- dra Duwe, Vive La Vie e Original By Vanel, e riú até o dia 7 de março de 2011. O passeio dá direito a um acompanhante. exclusivo é um presente para os clientes da construtora e para aqueles que adquirirem mais de R$ 3 mil em compras nas lojas San-

Antônio José Roncáglio, gerente comercial da FG Empreendimentos. 22


Recanto das Águas Resort Spa será 100% revitalizado O Recanto das Águas Resort e Spa, localizado exclusivamente à beira da Praia dos Amores, distante cerca de cinco minutos da área central de Balneário Camboriú, será totalmente revitalizado. O empreendimento, já reconhecido como um dos melhores resorts e spas do país, ganhará muito mais requinte e sofisti-

cação. As atividades de reestruturação começarão a partir do dia 20 de maio de 2011 quando passará oficialmente para a direção do grupo Embraed, sob o comando do presidente-fundador, o empresário Rogério Rosa. Durante esse processo, as suas atividades continuarão funcionando normalmente. A proposta é transformar o Recan-

to das Águas em um resort aos moldes dos melhores do mundo no gênero. “Temos um projeto ousado para o Recanto das Águas que irá transformá-lo em um resort único, de padrão internacional”, diz Rogério Rosa.

O projeto ticas e reservadas, camarotes equipados e espaços amplos para a realização de shows e de festivais nacionais e internacionais. O grupo vai realizar um investimento de aproximadamente R$ 200 milhões ao longo dos próximos cinco anos. Além da equipe atual do resort, composta de 150 colaboradores, o empreendimento irá gerar cerca de outros 400 novos empregos diretos.

Atualmente, o Recanto das Águas conta com 118 apartamentos e esse número será quase quadruplicado através das obras de reestruturação. “Serão cerca de 400 apartamentos espaçosos para uso hoteleiro com áreas de no mínimo 50 metros quadrados cada, oferecendo todo o conforto necessário aos hóspedes, desde os detalhes de acabamento, mobiliário, eletrônicos, estilo, arquitetura, até os recursos tecnológicos como

portas e paredes anti-ruídos, sistema de automação e outros”, explica o empreendedor. O complexo de lazer é outro destaque. Será concentrado especialmente à beira da Praia dos Amores, incluindo opções para todas as faixas etárias. Em frente ao mar, serão implantados bistrôs, áreas de descanso e de eventos. Segundo o empresário, será o melhor centro de diversões noturnas do sul do Brasil, incluindo áreas temá-

Rogério Rosa, presidente do Grupo Embraed

Imagem atual do resort. Reformas pretendem transformar hotel em um resort de padrão internacional.


Marketing

ALFREDO PIERITZ NETTO

Reflexões sobre clientes Este artigo traz algumas informações importantes para os gestores das empresas em relação ao seu bem mais importante: o seu cliente. Trabalhe este texto com sua equipe de atendimento e vendas, além de todos os profissionais que trabalham com seu principal bem.

Muitas reflexões nos são apresentadas sobre os clientes de forma geral. Temos casos positivos aos negócios, em que os clientes foram valorizados, e casos negativos em suas mais diversas formas. Esta semana escutei uma frase muito interessante para quem trabalha em vendas e atendimento aos clientes que diz o seguinte: Uma venda somente termina quando tiramos o próxi-

mo pedido com o cliente. Reflita sobre esta afirmação e verifique se a sua empresa e seus funcionários realmente estão cuidando bem do seu maior patrimônio: o cliente. Revise as suas ações de relacionamento, ligue para seus clientes e peça uma opinião, faça com que o pós-venda realmente funcione e cative, ofereça algo a mais, entenda o seu cliente.

Tom Peter em um de seus livros escreveu que “o cliente é o bem mais escasso de um negócio”. Ainda assim vejo empresas que ficam desdenhando seus clientes, atendendo mal, colocando profissionais pouco preparados para atendê-los, atrasando entregas, descumprindo acordos, entre outros pontos mais. Para que isto não ocorra em seu negócio, reflita sobre os seguintes pontos apresentados por Paul Hanna no livro “Você Pode”, lançado em 2010:

Alfredo Pieritz Netto é consultor em gestão para resultados e vendas, professor universitário, pós-graduado em Marketing e mestre em Administração. pieritz.professor@yahoo.com.br 24


Reflita sobre estas informaçþes, interaja com a sua equipe, revise os processos, e cuide bem dos seus clientes.


Imóveis

GUSTAVO ARRUDA

Apartamentos na planta Valorização, facilidade na reforma e pagamentos parcelados estão entre as vantagens de comprar esse tipo de imóvel

Por todo o Brasil casas e edifícios, tanto residenciais quanto comerciais, surgem aproveitando o bom momento do mercado da construção civil. Para quem deseja investir na área, há bons motivos para apostar na aquisição de imóveis, principalmente na planta. Assim como o financiamento de automóveis, quem optar pela compra terá a disposição um volume de crédito inédito no país. Com valores de entrada baixos e parcelamentos que podem chegar até 30 anos, o comprador pode ter - além do fator moradia - uma espécie de aplicação financeira com a valorização do imóvel quando estiver pronto. Para a presidente da Associação de Corretores Imobiliários de Balneário Camboriú, Marli Dallamaria, a compra de um apartamento na planta é um dos melhores investimentos financeiros disponíveis atualmente. “Da aquisição até a entrega das chaves o imóvel pode valorizar de 20% a 30%. Algumas pessoas conseguem vendê-los até 50% acima do valor pago” comenta. “Além disso, a manutenção e a taxa de condomínio, 30


que tendem a serem menores nos prédios novos, também atraem os compradores”, diz. A utilização de novas técnicas de construção permite a interatividade do proprietário na customização do imóvel. É possível escolher quantos quartos, salas e banheiros um apartamento terá de acordo com a necessidade dos clientes e disponibilidade da construtora. Para a arquiteta Angela Fer-

rari, a adaptação do ambiente conforme a vontade dos proprietários reduz problemas futuros com reformas e também o custo de mão-de-obra. “A definição de como será o apartamento ainda na planta faz com que o proprietário encontre o imóvel pronto para o uso assim que as chaves são entregues, evitando reformas que nem sempre ficam de acordo com a expectativa do morador”, diz a

Vantagens • Condições de pagamento – Na maioria das vezes o comprador paga uma parte do valor do imóvel até a entrega das chaves e consegue financiar o restante com algum banco, ou quitar o valor. • Instalações modernas e condomínio baixo – Os novos projetos trazem alternativas sustentáveis como reutilização da água e tecnologias para economizar energia, o que reduz o valor do condomínio. • Documentação descomplicada – Como nunca foram habitados, em geral existem menores chances de ter problemas com documentação deste tipo de imóvel. • Facilidade de reforma - A personalização do ambiente, conforme a vontade dos proprietários, reduz problemas futuros com reformas que são feitas com mais facilidade e menor custo. • Valorização - Da aquisição até a entrega das chaves o imóvel pode valorizar de 20% até 50%.

arquiteta. O conforto dos novos condomínios também influencia na decisão. Boa parte das novas construções oferece serviços que vão além das tradicionais áreas de playground e piscina. Espaços gourmet, cinema, lavanderia e até mesmo restaurantes são oferecidos para a comodidade dos moradores. Uma forma de fazer de tudo, sem sair de casa.

Comprar imóvel na planta é vantajoso, mas exige alguns cuidados: • Procure informações sobre a construtora e visite outras obras realizadas por ela. • Confira a documentação do empreendimento. Alvarás, licenças e registros devem estar em conformidade com a legislação. • Avalie o contrato de compra e guardar todas as informações, incluindo os materiais promocionais. Você pode precisar no futuro.


Investimento imobiliário

FRANCINE MIRELE

De casa nova em 2011? Motivos não faltam para o sonho se tornar realidade Economia favorável, crédito facilitado e valorização estão entre os principais motivos para se adquirir um imóvel

Para quem colocou a compra de um imóvel na lista de resoluções para o ano novo, as notícias são boas. O ano de 2011 deve seguir o mesmo caminho de 2010, que foi muito generoso com aqueles que pretendiam adquirir um imóvel. Apesar da alta nos preços, a oferta de crédito abundante e longa, os juros baixos e os programas de incentivo federal, fizeram de 2010 o ano em que o “boom” imobiliário se espalhasse por todos os cantos do Brasil. A tendência é que este ano o mercado sofra pequenas alterações, mas que continue crescendo em decorrência do dé-

36


ficit habitacional do Brasil, que chega a seis milhões de unidades. Para avaliar este mercado e listar os motivos e cuidados que você deve ter ao investir em imóveis conversamos com o engenheiro civil e doutor em Administração e

Direção de Empresas, Carlo Enrico Bressiani. Bressiani, que estuda o mercado imobiliário há mais de oito anos, explica que os ciclos imobiliários costumam durar entre cinco e 15 anos. “Nem sempre é bom investir em imóveis, mas neste momento ainda é um

bom negócio. No Brasil o ciclo começou em 2005, não dá para saber com certeza quando vai terminar, mas deve durar mais alguns anos”, afirma.

Conheça os principais motivos para comprar um imóvel neste ano

1

Economia propícia Ao longo da última década o Brasil passou por uma intensa transformação econômica e social. Mais de 30 milhões de brasileiros entraram para a classe média e o desemprego, em 2010, fechou em apenas 5,7%. Nos últimos 16 anos a taxa básica de juros da economia (Selic) caiu de 54,51% para 10,44%. O poder de consumo dos brasileiros subiu, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) este consumo cresce desde o final de 2003, o que estimulou os setores produtivos. Em termos imobiliários, a classe C tornou-se a maior compradora de imóveis. O bom momento do país deve continuar, em 2011 o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve crescer 7,5%. Em geral, economistas do mundo inteiro concordam que o Brasil entrou em um ciclo de desenvolvimento sustentado e que deve se tornar uma das maiores potências econômicas nas próximas décadas. Assim, a estabilidade econômica do país cria um ambiente favorável para investimentos imobiliários.

2

Valorização maior que outros investimentos “Nos últimos dois anos os imóveis tem representado ganhos muitos maiores que as outras aplicações” diz Bressiani. “Em média a bolsa de valores ganhou três por cento e a renda fixa 9%, enquanto os imóveis valorizaram em até 50% na planta e cerca de 25 % para imóveis prontos”, compara. É claro que a valorização não acontece de um dia para o outro. É preciso saber o que está comprando e aguardar o momento certo para vender. “Investir em imóveis é algo que requer mais do que dinheiro. É preciso ter vontade, tempo para conhecer o mercado e paciência”, diz. Além da valorização o investimento em imóveis ainda pode gerar renda por meio dos aluguéis.


3

4

Crédito e juros O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, afirmou, dia 9 de janeiro, que o crédito habitacional brasileiro seguirá em alta em 2011. Para o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Luiz Antonio França, a estimativa é que haja crescimento entre 40% e 50% na liberação de recursos para a casa própria até o fim de deste ano. Com este cálculo seria possível financiar a compra de 1,2 milhão de imóveis novos e usados no país. Por conta da grande concorrência entre os bancos, o BC acredita que os juros para financiamentos imobiliários devem manter-se estáveis durante o ano. Os financiamentos foram os grandes responsáveis pelo crescimento do mercado imobiliário. “Até financiar para investir pode valer a pena. Quem financia por programas de habitação tem juros menores que a inflação. Não é um juro real, pois o governo subsidia”, explica.

Qualidade e comodidade Os novos empreendimentos aliam cada vez mais qualidade e novas tecnologias. Com a concorrência entre as construtoras é possível comprar produtos de alta qualidade a preços competitivos. O objetivo de agradar e conquistar o cliente tornou-se o foco principal dos negócios, trazendo a ele o que se deseja e precisa. Conforto, lazer e segurança são os principais desejos dos consumidores. A partir daí surgiram também os condomínios clubes, que agregam novos conceitos de moradia.

38

5

Sustentabilidade Para quem pretende colaborar com o meio ambiente, novos empreendimentos prometem ser cada vez mais sustentáveis. Desde a arquitetura, até o convívio no ambiente, é possível ter ações sustentáveis. Novos projetos, em geral, são pensados para aproveitar melhor a luz do dia, economizar energia, reutilizar água da chuva, entre muitos outros itens. Tais ações representam futuramente uma economia nos custos do condomínio.

6

Mercado em alta, preços também O mercado imobiliário apresentou o maior crescimento em 24 anos, em 2010 o PIB setorial ultrapassou os 11%, o que comprava a força do setor na economia do país. A consolidação do “boom” imobiliário nos últimos anos fez com que o valor dos imóveis disparasse. Para Bressiani não se trata de uma bolha imobiliária (supervalorização) e sim da atualização dos valores em relação aos demais mercados. “Se você fizer um comparativo com outros países o valor do imóvel no Brasil era muito baixo. Há alguns anos atrás era possível trocar um carro por um terreno. Um apartamento tinha o mesmo valor de um carro zero”, analisa. O valor dos imóveis não deve baixar já em 2011, mas na medida em que a oferta começar a acompanhar a demanda, os preços tendem a se estabilizar.


77

Demanda Como o déficit habitacional do Brasil é de seis milhões de moradias deve levar algum tempo para que haja um equilíbrio entre oferta e demanda. Para o engenheiro o mercado imobiliário ficará mais estável daqui a alguns anos. “A pressão da demanda ainda é muito maior que a oferta, este ano muitos empreendimentos serão aprovados, mas serão entregues apenas daqui a três ou quatro anos”, explica. “Por isso hoje ainda é um bom momento para comprar imóveis”, completa. Segundo as perspectivas apresentadas por ele, embora o preço dos imóveis tenha subido muito nos últimos anos, em média 21,5% por ano, e a construção civil esteja aquecida, o país ainda está longe de uma bolha imobiliária. “Só há bolha quando o preço não está equilibrando a oferta e demanda”, explica. “Antigamente não havia crédito e um número muito pequeno de pessoas eram capazes de comprar imóveis. Hoje a base de pessoas com poder de compra aumentou, e muito”, completa.No Brasil o preço dos imóveis sobe porque a demanda ainda é muito maior que a oferta.

Encare seu imóvel como um investimento e saiba o que é preciso observar para que ele gere retorno: • Saiba o que você está comprando, passe no local várias vezes, em diferentes horas do dia. Se possível fique uma noite no imóvel. • Conheça o entorno. Saiba que atividades acontecem ao redor do imóvel e estude o plano diretor da cidade e saiba para onde ela vai crescer. • Avalie a rentabilidade, o risco e a liquidez antes de adquirir um imóvel. • É preciso avaliar as características internas: planta, materiais utilizados, acabamento etc., assim como as características externas: infraestrutura e conectividade física (localização) e virtual. • Verifique a incidência de luz, ventilação e iluminação do local, isso pode valorizá-lo depois.

• Verifique se atende as suas necessidades, ou as de um possível locatário. Tem garagem? Possui bom isolamento térmico e acústico? • Não aplique todo o seu dinheiro em um único bem. É mais seguro ter um imóvel comercial e um residencial, do que dois iguais. Melhor ter dois imóveis pequenos do que um grande. • Invista quando é possível investir. Não negocie em muitas prestações.

8

Baixo risco “É muito difícil perder dinheiro investindo em imóvel”, afirma o engenheiro, dando como exemplo a recente bolha imobiliária dos EUA. “Em média o preço dos imóveis caiu 8%, quando se imaginava que ia despencar”, comenta. De acordo com ele, mesmo nos ciclos de baixa no mercado imobiliário, os preços dos imóveis tendem a ficar estabilizados, neste caso a liquidez (facilidade de transformar o bem em dinheiro) despenca. É claro que não é este o momento. “Para se ter uma ideia, em 2003 demorava em média 44 meses para vender um apartamento em Blumenau. Hoje em dia este período cai para quatro meses”, compara.


Entrevista

Jaimes Almeida Junior Construir e administrar Shoppings Centers, este é o negócio do catarinense Jaimes Almeida Junior, por meio do grupo que leva seu nome. Nascido em Florianópolis, tornou-se morador de Blumenau e em 1993 inaugurou na cidade o primeiro shopping do Grupo Almeida Junior, o Neumarket Blumenau. No ano seguinte a sede da empresa foi levada para São Paulo na intenção de ficar perto dos grandes varejistas e crescer cada vez mais. A estratégia deu certo. Hoje, o Grupo Almeida Junior está entre os oito maiores grupos brasileiros empreendedores deste setor. Seus investimentos são focados em Santa Catarina, onde é líder no segmento, responsável por 55% dos shoppings do Estado. Além de contar com mil colaboradores a empresa gera oito mil empregos diretos nos três shoppings que já estão em operação (Neumarket, Balneário Camboriú Shopping e Joinville Garten). Possui um shopping em construção (Blumenau Norte Shopping, que será inaugurado este ano), e outro em fase de lançamento (Continente Park Shopping, com inauguração prevista para 44


2012) no município de São José, na Grande Florianópolis. Juntos, esses empreendimentos somam 1.138 lojas e 167 mil metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL). Nos últimos quatro anos a Almeida Junior registrou crescimento real de 40% ao ano em seus principais índices. Entre os anos de 2006 e 2010, a empresa investiu R$ 380 milhões em Santa Catarina. E não para por aí, até 2014 o Grupo deve investir mais R$ 450 milhões no Estado. A meta é possuir um shopping em cada principal cidade de Santa Catarina. Conheça algumas ações e planos da empresa nesta entrevista concedida por Jaimes Almeida Junior à Revista Destaque Imobiliário. RDI: O que as pessoas querem de um Shopping Center? Almeida Junior: Hoje as pessoas querem se divertir e consumir com segurança, mas fogem do “modelo caixote” de shoppings. A tendência é procurar lugares que ofereçam opções em compras, lazer, gastronomia de qualidade e entretenimento, mas que sejam agradáveis. RDI: O que a Almeida Junior faz para entrar nesta tendência? Almeida Junior: Nossos projetos estão em sintonia com esta tendência, os chamados life style centers. Tudo é pensado para trazer o máximo de agradabilidade. Muita luz natural, corredores amplos, paisagismo, lounges modernos e confortáveis, cafés e praças gourmets com restaurantes, espaço VIP estacionamentos com manobrista, family room (espaço para toda a família como carrinhos

de bebê, locais para amamentação, fraldário etc). Enfim, um projeto pensado para atender esta tendência e fazer com que o cliente se sinta à vontade em nossos shoppings. RDI: Como vocês escolhem a cidade para a construção de um shopping? A empresa cuida de tudo, desde a escolha do terreno até a administração?

presente em cada cidade pólo das principais regiões de Santa Catarina, até 2014. RDI: Quais os planos da Almeida Junior para os próximos anos? Almeida Junior: Temos planos para o Oeste, Sul e Planalto, mais especificamente nas cidades de Chapecó, Criciúma e Lages.

Hoje as pessoas querem se divertir e consumir com segurança, mas fogem do modelo caixote de shoppings.

Almeida Junior: Sim, a Almeida Junior se envolve em todo o processo. Somos uma empresa full service, o que significa que estamos presentes em todas as etapas, desde a escolha do terreno até a operação do shopping. Eu faço questão de acompanhar tudo isso de perto. Temos como meta estar

Entendemos que a região Norte e todo o Alto Vale do Itajaí e Litoral estão atendidos com os cinco empreendimentos desta região. RDI: Em Blumenau a empresa já possui o Neumarkt, por que construir outro shopping na cidade? Almeida Junior: Temos bem claro que a ci-


dade comporta dois empreendimentos de qualidade como o Neumarkt e o Blumenau Norte Shopping. Os dois atenderão públicos diferenciados. Enquanto o Neumarkt está consolidado como shopping da cidade, pela sua localização central, o Blumenau Norte Shopping atenderá uma população de aproximadamente 1 milhão de habitantes das cidades vizinhas como Indaial, Pomerode, Taió, Timbó, Rio do Sul e também de Jaraguá do Sul, além dos bairros da Região Norte de Blumenau. RDI: Escolheram o local motivados pelo crescimento dessa região do município? Almeida Junior: Sim. Esta região irá crescer muito nos próximos anos. Existe um projeto da prefeitura, o Blumenau 2050, que estimula todo o planejamento urbano para o Norte da cidade e temos o nosso empreendimento em sintonia com este projeto.

O Continente Park com certeza terá a ousadia que seu tamanho permitirá. Será o maior shopping de Santa Catarina.

RDI: Nos empreendimentos já existentes o grupo está agregando produtos e serviços inovadores, como os cinemas 3D e salas de cinema VIP (com serviço de garçom e poltronas de primeira classe) que virão para Bluemenau. O segredo deste ramo é a inovação? Almeida Junior: Neste segmento em que atuamos não podemos parar. A Almeida Junior está constantemente investindo em seus shoppings. Este ano concluímos um projeto amplo de modernização e revitalização do Neumarkt, no qual investimos R$ 6 milhões. 46

Todo o pavimento superior está de cara nova e buscamos operações que atendam o perfil de um público mais exigente que vem frequentando o shopping.

RDI: A expansão do Balneário Camboriú Shopping também já está programada. O que será feito? Almeida Junior: Nossos empreendimentos já são concebidos pensando na ampliação. Em 2011 é a vez do Balneário Camboriú Shopping. Vamos começar o projeto de expansão a partir da ampliação do estacionamento e posteriormente da ampliação da área com a construção de um pavimento superior. RDI: De todos os empreendimentos do grupo, qual é o mais ousado e por quê?

Almeida Junior: Acredito que a cada empreendimento inaugurado a Almeida Junior se supera. No entanto, todos os shoppings têm características próprias e foram planejados para atender as regiões nas quais estão inseridos. O Neumarkt, nosso primeiro empreendimento, tem as características regionais que atendem bem ao mercado de Blumenau, especialmente à região central. Já o Blumenau Norte Shopping será um power center regional. O Balneário Camboriú Shopping inaugurou a geração dos shoppings horizontais, verdadeiros life style centers, mesmo padrão que foi seguido pelo Joinville Garten Shopping e que será feito o Continente Park Shopping, mas sempre tendo características regionais e inovações. O Continente Park com certeza terá a ousadia que seu tamanho permitirá. Será o maior shopping de Santa Catarina, com 100 mil metros quadrados de área construída e 44 mil de ABL.


Aonde está o Grupo Almeida Junior Shoppings em operação Neumarkt Blumenau Inaugurado em 1993 é o primeiro shopping da Almeida Junior. Com 34 mil metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL), o empreendimento está localizado no Centro de Blumenau e foi reposicionado em 2010. Foram R$ 6 milhões em investimentos para a modernização do empreendimento, com reforma, ambientação, criação de novos espaços, entre outros. Ganhou também novas lojas, algumas de marcas inéditas na região como a Calvin Klein e a Collins. Balneário Camboriú Shopping Apesar de novo, inaugurado em 2007, o shopping de Balneário Camboriú já é referência entre os shoppings da região. Com ambiente moderno e amplos corredores possui 24 mil metros quadrados de ABL e será ampliando ainda este ano.

gourmet com terraço externo, cafés boutiques, estacionamento com manobrista, entre outros.

Shopping em construção Blumenau Norte Shopping Está sendo erguido às margens da BR 470 e tem inauguração prevista para o primeiro semestre deste ano. Já possui cerca de 60% dos 32 mil metros quadrados da ABL comercializados. Entre os destaques estão sete salas de cinema Multiplex Stadium, sendo dois com tecnologia 3D.

Shopping em lançamento

Continente Park Shopping A construção será no município de São José, na Grande Florianópolis, e foi anunciada ano passado. Com 44 mil metros quadrados de ABL será um dos maiores shoppings do Sul do Brasil e o maior de Santa Catarina. O empreendimento será erguido às margens da Joinville Garten Shopping Inaugurado em abril de 2010, em Joinville, BR 101 e da SC 407 e deve inaugurar em possui 30 mil metros quadrados de ABL, 2012. com mais de 200 operações e ainda praça


Mercado de luxo

Costa Esmeralda, em SC, é o novo destino do resort Txai Região brasileira única de mar verde como a pedra esmeralda é a escolhida pelo empreendimento Txai Ganchos O que já é sucesso em Itacaré (BA) também vai se tornando sucesso no sul do país, mais precisamente em Santa Catarina. A BHG (Brazil Hospitality Group), em sociedade com Lindencorp Desenvolvimento Imobiliário S.A. (“Lindencorp”) e Cipasa Desenvolvimento Urbano S.A. (“Cipasa”), acaba de lançar em Governador Celso Ramos (SC) uma nova unidade Txai, o Txai Ganchos.

Em apenas 30 dias, 50% das unidades disponibilizadas para venda na primeira fase foram vendidas, antes mesmo do lançamento oficial. Quem conhece o local e o empreendimento não se surpreende com o sucesso. Com o início das obras previsto para meados de janeiro de 2011, a entrega das unidades será realizada em 2013.

Região de natureza única no Brasil Localizado no continente e distante apenas 45 minutos do aeroporto de Florianópolis, o município de Governador Celso Ramos está localizado na região conhecida como ‘Costa Esmeralda’, ao norte de Florianópolis. O local é privilegiado pela natureza e famoso por suas belas praias, baías, penínsulas e reservas ecológicas. O projeto, um dos mais sofisticados do litoral brasileiro, está localizado num trecho paradisíaco do litoral catarinense cujo tom verde do mar como a pedra esmeralda dá nome à área de belas praias e areia branca finíssima, onde pode-se frequentemente observar o balé dos golfinhos. Poucos lugares no mundo possuem a mesma tonalidade de mar verde, como a Sardenha, na Itália, Golfo do México e Pensacola, na Flórida. Para esta porção de terra e mar abençoados pela natureza, o Txai pensou num empreendimento hoteleiro único que


reforce o conceito Txai de hospedagem de bem estar e bem receber, que alia serviço impecável, preservação ambiental e respeito às comunidades locais. Ao todo serão 132 unidades hoteleiras implantadas em um terreno de 530.000 m², ocupando apenas 6,6% da área e preservando todo o restante. As

praias que circundam o Txai Ganchos são Praia Thomaz, Praia do Abricó, Praia do Engenho, Praia da Velha, Praia das Conchas, Praia de Fora e Praia da Árvore. “A existência de um local com natureza exótica e pouco conhecido são fatores fundamentais na hora de escolher um destino

para a implantação de uma unidade do Txai Resort. E a cidade de Governador Celso Ramos reúne todas essas qualidades”, explica José Romeu Ferraz Neto, vice-presidente da BHG, uma das sócias do empreendimento.

Modelos das unidades e arquitetura As 132 unidades do empreendimento refletem alto padrão em conforto, simplicidade e sustentabilidade, características da marca Txai Resorts. Pensando neste modelo, a empresa contratou os conceituados arquitetos paulistanos Patrícia Anastassiadis e Marcelo Montoro para projetarem os quatro tipos de unidades para venda – Residences, Lofts, Studios e Bangalôs. Patrícia é a

responsável pelo projeto dos Residences, Lofts e Studios, além do design de interiores. Já os Bangalôs são assinados por Marcelo Montoro. “Cada uma de nossas unidades é única, mas elas oferecem a mesma inspiração, o desejo de conduzir nossos hóspedes pelos autênticos locais, sabores e experi-

ências capazes de traduzir o coração e a alma de cada região do Brasil, combinando a sofisticação de ser simples e despojado com o objetivo de oferecer que cada pessoa desfrute de uma experiência de proximidade com a natureza com o aconchego de nossa infraestrutura”, explica José Romeu Ferraz Neto.

Responsabilidade socioambiental As unidades hoteleiras do Txai Resorts são concebidas e preparadas para operar em bases de sustentabilidade ecológica, desenvolvimento social responsável e respeito pela cultura e comunidade local, colocando sempre como princípio, a harmonia do homem com a natureza. O Txai desenvolve programas que auxiliam e integram as comunidades da região onde o resort está instalado. A unidade de Itacaré, por exemplo, situada na Área de Preservação Ambiental (APA) Itacaré/Serra Grande, é reconhecida pela excelência na estrutura de hospedagem oferecida e mantém projetos em favor da sustentabilidade que já renderam diferentes prêmios, como o de “Hotel Mais Sustentável do Ano”, em 2008

pelo Guia Quatro Rodas. O Txai Ganchos também já trabalha em conjunto com a população local em benefício dos moradores. Em dezembro de 2010, o resort fechou parceria com o SENAI/ SC para oferecer à comunidade do município Governador Celso Ramos 130 vagas para a realização de cinco tipos de cursos profissionalizantes tais como eletricista residencial, costura industrial, mecânico de motores marítimos, manutenção de computadores e pedreiro-alvenaria. Todos os cursos possuem o início programado para janeiro de 2011 com duração que varia entre 80 e 120 horas. “A nossa preocupação foi oferecer cursos que as pessoas da região tivessem interesse em fazer, que pudessem ajudá-

-las a se recolocarem profissionalmente, e não apenas cursos que fossem interessantes para o Txai”, afirmou Ferraz Neto. As políticas de administração do resort também favorecem a compra de produtos agrícolas e pescados necessários para o consumo dos hóspedes e colaboradores. A região é conhecida por seu cultivo de ostras.

Mais informações sobre o empreendimento: www.txaiganchos.com.br Loja Beira Mar: Av. Rubens de Arruda Ramos, 2082 - sala 2 Telefone: 48 3322-1700


Financiamento

JANARA NICOLETTI

A perder de vista Prestações em até 30 anos concretizam o desejo de muitos brasileiros: comprar a casa própria

Deixar a dependência dos pais, parar de pagar aluguel, ter seu próprio canto. Este é um desejo compartilhado por milhares de brasileiros que buscam concretizar seus sonhos e garantir sua independência com a casa própria. Um número cada vez maior de pessoas atinge este objetivo através dos financiamentos habitacionais. A economia aquecida, taxas e planos mais atrativos para o consumidor e maior estabilidade financeira da população são fatores que contribuíram para alavancar o crescimento do setor imobiliário. Neste cenário, a participação de jovens com até 30 anos de idade também está aumentando. São em geral recém-casados, a procura do seu primeiro imóvel. Ambientes mais populares, com em média dois quartos e cerca de 60 metros quadrados de área privativa, financiados por 20, 30 anos. Para se ter uma ideia, só o Minha Casa Minha Vida da Caixa Econômica Federal (CEF) fechou 2010 com cerca de R$ 70 bilhões em contratos de financiamentos habitacionais realizados ao longo do ano. 56


O programa federal lançado em 2009 permite financiar até 100% do imóvel, utilizar o dinheiro do Fundo de Garantia (FGTS) para dar entrada no imóvel, refinanciar prestações atrasadas e taxas de juros de no máximo 8% ao ano. Oferece ainda subsídios sobre imóveis novos que custem até R$ 130 mil. O valor financiado, dos descontos, quantidade de parcelas e as taxas de juros cobradas variam de acordo com a renda do comprador, que pode atingir, no máximo, R$ 4.900 ao mês. De acordo com as projeções da CEF, em todo o país devem ser disponibilizadas pelo programa federal mais de 2 milhões de unidades até 2014. Perspectiva de cerca de 500 mil por ano. “O programa foi um grande alavancador dos financiamentos imobiliários. Em um mês fazemos o mesmo número

de novos contratos que se fazia no período de um ano, a sete anos atrás”, comenta Roberto Carlos Ceratto, superintendente da Caixa Econômica Federal em Florianópolis. Segundo o executivo, a maior procura é por imóveis na planta. “Apesar de ter que esperar mais, o custo benefício é maior”, explica.

“O programa Minha Casa Minha Vida foi um grande alavancador dos financiamentos imobiliários”, comenta Roberto Carlos Ceratto, superintendente da Caixa Econômica Federal em Florianópolis.


Quando há muita procura A demanda é grande, mas a oferta deste perfil de imóvel é cada vez menor em regiões como a Grande Florianópolis. O crescimento habitacional, considerado um dos maiores de Santa Catarina nos últimos anos, faz da região um local pouco animador para aqueles que buscam um imóvel barato, novo e com área privativa razoável. “Como trata-se de uma região muito valorizada, às vezes não é rentável operar com este tipo de imóvel. Por isso, muitas construtoras optam em trabalhar com imóveis com um padrão um pouco mais elevado, mas que garantirão maior retorno”, explica Ceratto. Há seis anos no mercado imobiliário, o corretor de imóveis Guilherme Danzer ressalta a valorização de terrenos e áreas disponíveis como um limitador para empreendimentos de até R$ 130 mil. “Neste ano eu só consegui vender um imóvel deste tipo e não foi por falta de cliente. O que faltou foi imóvel disponível. O custo mínimo por metro quadrado é muito alto, além disso, os terrenos também estão supervalorizados”, analisa. Sandra Pereira é advogada e está entre aqueles moradores da Ilha de Santa Catarina que decidiram investir na compra do primeiro imóvel em 2010. Aos 34 anos de idade percebeu que era hora de deixar

a casa dos pais para morar em um imóvel próprio. “Eu não estava interessada em pagar aluguel porque julgo ser um dinheiro investido que jamais retornará, por isso, decidi comprar”, comenta. A advogada assumiu compromisso de 30 anos com o pagamento de um apartamento localizado no Norte da Ilha. Apesar de não ser o local desejado, considera um bom começo. “Morar em uma cidade próxima fica muito ruim, por causa do trânsito, mas é muito complicado você que é autônomo comprovar a renda, demora muito para aprovar e como não era um apartamento novo, eu não consegui o subsídio do Minha Casa Minha Vida”, declara. Mesmo com os contratempos na hora da aprovação do crédito, Sandra se diz satisfeita. Foi morar no apartamento em abril e desde lá já percebeu valorização do imóvel. Apartamentos semelhantes no mesmo condomínio - com cerca de 63 metros quadrados de área privativa - já foram vendidos a preços superiores ao cobrado da advogada. “Isso significa que a região está valorizando e é um bom sinal. Para começar já está valendo, mais pra frente eu dou esse como entrada em outro numa região mais próxima do centro”, planeja.

Cuidado na hora da escolha

Quem busca um imóvel para comprar deve ficar atento a todos os detalhes. O superintendente da Caixa Econômica Federal de Santa Catarina, Roberto Ceratto, explica que os imóveis financiados pelo banco federal possuem seguro que garantem continuação na obra e a entrega dentro do prazo previsto. “Este é um detalhe importante que precisa ser observado na hora de fechar o contrato de qualquer financiamento imobiliário, pois oferece segurança ao comprador”. Outra dica importante é quanto a procedência do construtor. É necessário investigar bem o histórico da empresa responsável pela obra, verificar o padrão de outros empreendimentos dela, ou seja, verificar se realmente é de confiança. A escolha da localização também precisa ser feita com cautela. “As pessoas às vezes escolhem o imóvel pela proximidade com o local do trabalho, mas esse é um fator que pode variar muito. A pessoa deve escolher o local pela característica, ou seja, aquela região que mais agrada o comprador”, aconselha Guilherme Danzer.


Home Club

JANARA NICOLETTI

Condomínios clubes aquecem mercado imobiliário Comodidade, conforto, segurança e muitas áreas de socialização estão entre os desejos de quem procura um condomínio clube

60


Os “condomínios clubes” ou “condomínios temáticos” nasceram da necessidade de valorizar as áreas comuns e também oferecer uma gama maior de serviços que garantissem a comodidade dos moradores. Sem sair de casa, o morador vai à academia, faz natação, oferece grandes festas e consegue ter maior integração com os vizinhos em áreas de lazer e desportivas. Para garantir a preferência do público, as construtoras investem cada vez mais nos espaços comuns dos condomínios. A procura por este tipo de empreendimento aumenta a cada ano. Mesmo sem haver uma pesquisa estatística do setor, o presidente do Sindicato da Construção Civil (Secovi) Florianópolis/Tubarão, Fernando Willrich, explica que esta é uma tendência que iniciou há cerca de oito anos e cresce de forma exponencial. “Oferecer áreas de lazer mais equipadas é quase como uma commodity que agrega valor e diferencia o empreendimento dos demais”, diz. Esses condomínios oferecem itens como salão de festas amplo e todo equipado, até espaços compartilhados como academia, quadras esportivas, saunas, cinemas, piscinas com raia, sala de jogos e de brinquedos para crianças etc. Alguns condomínios possuem área específica para instalação de equipamentos musicais, com isolamento acústico e instalação elétrica adequada. As opções são inúmeras e variam de acordo com o perfil do público-alvo de cada empreendimento. “O público que mais procura este tipo de construção são casais, famílias com filhos ou casais de idosos”, indica Cláudia Dutra Ferreira de Araújo, empre-

sária e engenheira civil. Em geral são pessoas das classes média e alta devido o valor de um imóvel com essas características. Um apartamento de 100 metros quadrados, por exemplo, num condomínio com este perfil pode custar entre R$ 400 mil e R$ 600 mil ou mais, em uma cidade como Florianópolis (SC). Isto significa que o valor do metro quadrado varia entre R$ 5 mil e R$ 6 mil. “Mas até os empreendimentos mais voltados para um público com menor renda aquisitiva já se preocupa em oferecer algum item comum. O mais frequente é o salão de festas equipado e área de parque para crianças”, conta Willrich. Como trata-se de condomínios com itens extras na área comum e que dependem de manutenção, geralmente paga pela cota condominal, algumas construtoras desenvolvem estratégias para evitar que este valor seja abusivo. A empresária e engenheira civil, Cláudia Dutra Ferreira de Araújo, comenta que uma das formas de garantir o preço do condomínio acessível é construir

empreendimentos com maior número de residências para diluir o valor da manutenção entre um número maior de moradores. “Fizemos uma pesquisa de mercado em 2010 e constatamos que as duas maiores preocupações dos interessados pela compra de um imóvel deste perfil é o valor do condomínio e a segurança oferecida por ele”, destaca Cláudia. De acordo com Willrich um elemento que é bastante valorizado pelos moradores é a questão de segurança. “Por isso, esses empreendimentos em geral primam em oferecer sistema monitoramento e portaria com alta tecnologia”. São itens que oferecem maior conforto e tranquilidade aos moradores e acabam se tornando um diferencial de mercado cada vez mais decisivo na hora da escolha da compra.


Característica de casas em apartamentos Para garantir maior segurança ou praticidade, muitas pessoas resolveram deixar suas antigas casas e trocá-las por apartamentos. Esta é uma tendência crescente, segundo a engenheira civil Cláudia Araújo e é considerada fator determinante para a expansão de condomínios clubes. “Como as pessoas estão migrando mais de casas para condomínio, elas buscam áreas livres para ficar com a família de forma segura, com maior conforto e qualidade de vida”. Esse perfil de público busca muito mais do que um lugar para morar, procura imóveis que tenham valor agregado e facilitem suas atividades diárias. “Hoje não é mais preciso sair de casa para ir à academia, fazer festas, nadar ou ir ao cinema. A pessoa faz tudo dentro do próprio condomínio”, afirma Fernando Willrich, presidente do Secovi Florianópolis/Tubarão. “No meu caso, a convivência com

outros moradores vai desde o chimarrão até o torneio de tênis”, comenta o empresário Jaime Luiz Sotoriva. Natural de Itatiba do Sul, no Rio Grande do Sul, mora há 11 anos em Santa Catarina e há três decidiu mudar para um condomínio clube. Para ele, este tipo de empreendimento reúne segurança, qualidade de vida e bom custo-benefício. “O valor

do condomínio é um pouco maior que o cobrado em outros prédios onde morei, mas é uma diferença que compensa pelas vantagens”, analisa. No local onde mora, a área comum possui piscinas sem cloro (infantil e adulto), bosque, praça, viveiro, dois salões de festas isolados dos blocos de residências, pista de caminhada, segurança 24 horas etc.

Mesmo neste padrão de condomínio é possível agregar as vantagens de comprar um imóvel na planta e a facilidade de pagamento. Um exemplo é empreendimento Nautilus, em Penha, que pode ser financiado na planta pela Caixa Econômica Federal (CEF). Lançado em fevereiro 2009, são 450 apartamentos, de dois até quatro quartos, distribuídos em 10 torres e um terreno de 35 mil metros quadrados. Próximo do mar, o empreendimento conta com mais de 30 opções de lazer e

confirma a aceitação e procura dos consumidores por este tipo de condomínio. A primeira e segunda etapas do projeto, com 270 apartamentos, estão totalmente vendidas. “A aceitação do Nautilus foi além das nossas expectativas. Um sucesso de vendas”, comemora o diretor da Rôgga Construtora e Incorporadora, Vilson Buss. A terceira etapa foi lançada recentemente e a conclusão total do empreendimento está prevista para abril de 2013.

Facilidade de pagamento

62


Balneário Camboriú PRÉ-LANÇAMENTO

SUÍTES 4 DORM SENDO 2 EM* 2 VAGAS DE GARAG

De acordo com a lei n° 459/64, informamos que as imagens neste material são apenas de caráter de sugestão. Os móveis assim como alguns materiais de acabamento apresentados nas ilustrações e plantas não constituem parte integrante do contrato, podendo haver modificações no projeto estrutural sem aviso prévio.

gas extras Possibilidade de va

∙ 2 Apartamentos por andar ∙ 240,76m2 de área total** ∙ Sacada com churrasqueira ∙ Ampla sala de jantar e estar ∙ Piso laminado de madeira nos dormitórios ∙ Áreas internas em porcellanato 90x90cm * Representadas por 2 (duas) vagas de garagem sucessivas. ** Incluso na metragem 2 (duas) vagas de garagem sucessivas.

v

O R. 1.111, 295 - CENTR

Vendas no local (47) 3360-6622 | R. 1.111, 295. Centro. Balneário Camboriú - SC adm@jarussi.com.br | www.imperialtower.com.br

PISCINA

realização e construção:


Mercado

JOSÉ PAIM DE ANDRADE

Liberdade e atitude: um novo estilo de morar Pesquisas mostram que os padrões familiares estão em constante transformação em um modelo bem distante àqueles dos antigos comerciais de margarina. Não me refiro aos valores e a importância da família, mas sim do formato tradicional que está ficando ultrapassado, criando uma grande lacuna entre as incorporadoras e o indivíduo que procura uma casa ou um apartamento na medida certa, seja no tamanho, nas divisões, na arquitetura, no design, adequando o seu estilo de vida ao seu espaço. São pessoas conectadas e independentes, público da terceira idade, casais modernos que já criaram os filhos - ou não os tiveram – e não querem algo pré-estabelecido. Com o aquecimento da economia e a maior abertura nos financiamentos imobiliários esse é um imenso nicho a ser explorado e o desafio é investir nesses novos grupos de grande crescimento que vêem na flexibilidade uma maneira de transformar a sua casa em um lugar, definitivamente, para chamar de seu. 64


Hoje, o Brasil está integrado com as mais recentes tecnologias e o mercado necessita dessa atualização constante e, principalmente, da aproximação maior com os seus consumidores. As pessoas não querem mais uma empresa que produza apartamentos iguais. Estamos na era da customização e ainda existe um caminho a ser estudado e praticado pelo setor imobiliário para gerar maior abertura aos clientes que desejam fazer absolutamente tudo do seu jeito. Quando alguém busca ou adquire um imóvel, ainda se depara com plantas pouco flexíveis e, muitas vezes - para configurar aquela área conforme as suas necessidades e idéias - surgem inúmeros transtornos como: quebra de paredes, vigas no meio dos ambientes, e assim por diante. O que na hora da compra deveria ser um bom negócio pode se transformar em um investimento bem acima do orçamento previamente estipulado. A combinação de tecnologia, técnica, qualidade, planejamento e pesquisa

resulta em soluções e estratégias inovadoras e, o melhor, sem onerar o bolso dos consumidores, e possibilita a geração de grandes negócios tanto para o comprador quanto para o vendedor. Estamos em um momento que, para a realização de negócios sustentáveis, é necessário e fundamental a valorização do indivíduo e, especialmente, focar naqueles que são cada vez mais numerosos em nossa sociedade. Eles têm seus próprios valores, senso crítico, ousadia, atitude para sair da rotina e querem criar a sua própria história. O segredo é interagir, compartilhar valores e se integrar à era atual. É enxergar o mundo com os olhos do seu público proporcionando uma experiência única.

José Paim de Andrade é Presidente da incorporadora MaxCasa e idealizador do projeto arquitetônico MaxHaus e do conceito ArquiteturAberta®.


Tendência

A vez do Retrô Decoração em 14

Frigobar com estilo

Um amor de cozinha

Enquanto a onda das tevês está nas gigantes de plasma, LCD e com sinal tecnologia 3D, a LG decidiu atender pedidos dos mais conservadores e lançou o modelo Retrô. Com tela plana e 14 polegadas pode ser assistida a cores, preto e branco, ou sépia. É claro que o mais legal está no design, que segue o estilo dos anos 60 e torna a tevê um produto fashion para a decoração. As pernas são cromadas e o controle remoto também possui design próprio. Custa R$ 499.

O mini refrigerador Brastemp Retrô é inspirado nos anos 50. Irreverente e divertido, segue a a tendência Vintage inclusive nas cores, disponível em amarelo e azul claros e vermelho. Os pés palitos são cromados e não riscam o chão. Retrô por fora, moderno por dentro. Além de alegrar a decoração o produto é compacto, tem capacidade para 76 litros, porta-latas, separador de garrafa e congelador. Custa R$ 899.

A Tramontina também se inspirou na onda retrô e lançou uma linha inteirinha de produtos com este conceito, a My Lovely Kitchen. Tem panelas, chaleiras, frigideiras, assadeiras, etc. Tudo para lembrar a cozinha da casa da vovó. Os produtos são de alumínio com revestimento interno em antiaderente Starflon e externo em poliéster. O valor é variável para cada item. A chaleira custa R$ 64,90.

* Valores pesquisados no mês de dezembro nas lojas virtuais submarino.com e ricardoeletro.com e podem sofrer alterações. 66


Sustentabilidade

5 ideias ecológicas para a sua casa Hábitos simples como economizar água, energia e separar o lixo doméstico para reciclagem, são atitudes que colaboram com a natureza e devem fazer parte do dia a dia das pessoas. Pequenas atitudes, tomadas por muita gente, fazem a diferença. Por isso, selecionamos cinco ideias para deixar a sua casa mais amiga do meio ambiente.

Colorido ecológico

Eletrodomésticos

Na hora de colorir sua casa opte pelas tintas ecológicas, que são recicladas, biodegradáveis e produzidas à base de leite. Caso utilize tintas tradicionais, opte por aquelas com base de água, bem menos agressiva que as de solvente. Para ajudar ainda mais, evite usar tintas em spray, prefira os pincéis e rolinhos.

Na hora de equipar a casa com eletrodomésticos prefira os que possuem o selo A do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), estes produtos são os que menos consomem energia.

A Tinta Solum é produzida com pigmentos minerais de terra e está disponível em 15 cores diferentes. Sua base não tóxica é livre dos metais pesados encontrado nos pigmentos sintéticos. É uma das poucas tintas livres de substâncias poluentes derivadas do petróleo e que agridem a camada de ozônio.

68

Madeira Verifique a procedência dos móveis e objetos de decoração e prefira aqueles que possuem selo verde. No caso de utilizar madeira na composição do ambiente, como no chão, escolha as sustentáveis, como o eucalipto e o bambu, ou substitua por similares, como a madeira plástica.


Diga adeus ao plástico O plástico, em geral, não é biodegradável. Sempre que puder escolha outros produtos. Utensílios de cozinha, cadeiras e objetos decorativos podem frequentemente ter a mesma função. Opte por itens artesanais feitos com material natural ou até recicla- Caixas de papelão que seriam descartadas são processadas e transformadas neste centro de mesa de do.

Assim como outros produtos desta linha, este moderno centro de mesa é fabricado em alumínio reciclado.

formato orgânico, produzido artesanalmente com papel Kraft reciclado e pigmentos naturais.

Têxteis Atenção também aos produtos que aquecem e confortam o seu lar. Prefira toalhas, lençóis, travesseiros, tapetes etc. feitos de materiais orgânicos ou reciclados. Algumas opções são o algodão, lã, fibras naturais como o sisal, fibra de coco, entre outros.

O Ecofriendly, da Altenburg, é o primeiro travesseiro ecologicamente correto do Brasil. Em percal 200 fios e 100 % algodão, as fibras do recheio são 100% recicladas de garrafas pet. Sua produção não utiliza componentes de alvejamento e estamparia, além de consumir menos água em seu processo de beneficiamento.


Feng Shui

FRANCINE MIRELE

Em busca de boas energias Com mais de quatro mil anos o Feng Shui procura harmonizar ambientes, equilibrar energias e promete trazer muito mais do que uma bela decoração

O objetivo do Feng Shui é integrar o homem e o espaço, trabalhando as energias que os ambientes, objetos e pessoas possuem. 70


Vento e água. Este é o significado da palavra Feng Shui, uma corrente milenar originária da China. Para muitos ocidentais é apenas mais uma crença ou misticismo na hora de decorar ambientes. Para quem estuda o assunto, é algo que influencia a vida e as relações entre as pessoas. O objetivo do Feng Shui é integrar o homem e o espaço. É possível trabalhar as energias que os ambientes, objetos e pessoas possuem, para que evitem problemas de saúde, financeiros e brigas trazendo prosperidade para os lugares”, explica a consultora de Feng Shui, Raquel Pereira Reis. Por meio do ano de construção de uma casa, da data de nascimento das pessoas que moram ou trabalham nela e da direção eletromagnética do imóvel, apontada por uma bússola chamada Lo Pan, os consultores conseguem avaliar a energia dos locais. Anualmente também é necessário ajustar es-

Lo Pan, bússola utilizada para identificar a direção das energias dos ambientes. sas energias, pois elas mudam a cada ano. A partir daí, indicam quais dos cinco elementos devem fazer parte de cada espaço, harmonizando as energias. “A supra-

energia (Chi) invade e circula livremente os espaços, cada objeto ou elemento também possui suas energias de acordo com sua cor, forma ou textura”, afirma. Os cinco elementos e os seus ciclos são a base do Feng Shui bem como da Medicina Tradicional Chinesa. É por meio deles que as energias vão circular de forma positiva ou negativa. Por isso, não basta dispor cores e objetos em qualquer lugar, é preciso que cada elemento esteja no local certo. “As pessoas misturam cromoterapia com Feng Shui. Nem sempre o verde ou o vermelho trazem saúde e prosperidade, vai depender das outras energias”, ensina Raquel. O Feng Shui tradicional, que Raquel estuda há mais de dez anos, tem muito mais a ver com os cálculos realizados do que com a decoração final do ambiente. Quando termina um trabalho, a consultora entrega para o seu cliente um relatório técnico com o tratamento e a planta baixa do imóvel to-


talmente mapeada. Cada pessoa decora sua casa da maneira que preferir, seguindo as instruções dadas por ela. “O relatório de Feng Shui Tradicional juntamente com o layout serve como um pré-anteprojeto de

decoração de interiores. Não é necessário encher a casa de objetos orientais. Muitos ambientes nem parecem que foram harmonizados”, diz.

Cinco Elementos

Madeira, fogo, água, terra e metal são os cinco elementos (movimentos ou energias) do Feng Shui. São as diferentes manifestações do “Chi” (supra-energia). Cada elemento possui suas relações com as cores e formas dos locais e objetos. Conheça algumas delas:

Fogo

Cor: vermelho Formas: triangulares, pontiagudas, cônicas Itens: tudo aquilo que ilumina, candelabros, velas, incensos

Terra

Neste espaço a consultora indicou o uso dos elementos metal e madeira. O projeto, executado pela Espaço Único Interiores, trouxe formas redondas e espelhos (metal) e bambu mussô (madeira).

Consultora de Feng Shui Há mais de dez anos a profissão de Raquel Reis, de Blumenau, é analisar a energia dos ambientes e das pessoas que vivem neles em busca de harmonia. Formada em engenharia civil, sempre gostou muito de decoração e percebeu que poderia trabalhar os espaços de forma diferenciada Fez vários cursos de aperfeiçoamento e hoje dedica-se ao Feng Shui. Raquel presta consultoria residencial e corporativa para todo o Brasil além da assessoria imobiliária que ajuda as pessoas a encontrarem o melhor local para seus estabelecimentos comerciais e empresariais.

Cor: amarelo e marrom Formas: quadradas ou retangulares horizontais Itens: vasos, cerâmicas, esculturas em pedra

Metal

Cor: branco Formas: redondas e ovais Itens: elementos em metal, como esculturas ou ornamentos

Água

Cor: azul ou preto Formas: assimétricas Itens: aquários, fontes d’água, piscinas, vidros, espelhos

Madeira

Cor: verde Formas: cilíndricas Itens: plantas vivas, flores e objetos de madeira


Arquitetura comercial

Andressa Dalmarco é Arquiteta e Urbanista de Jaraguá do Sul, SC E-mail: andressa@itaivan.com.br CREDITO FOTOS: Daniel Krepsky

Da antiga casa ao moderno consultório

Uma antiga casa e um desafio: transformá-la em um moderno e atual consultório odontológico. Para cumprir a proposta o espaço sofreu muitas transformações. Ganhou mais altura e imponência com a retirada de todo o telhado antigo, assim as platibandas e fachada puderam subir. Algumas paredes internas 74

foram quebradas e outras novas foram construídas para conseguir um layout que atendesse as necessidades do consultório. Por último todo o muro frontal da casa foi quebrado, dando mais visão, amplitude e integração à rua.


Por ser um im贸vel de esquina, a sala de espera ficou voltada para ela, dando maior visibilidade ao cruzamento das ruas que se formam em frente, e foi marcada por um p贸rtico de entrada com a logomarca do consult贸rio

O brise de madeira merece destaque. Ele esconde as janelas dos banheiros que est茫o voltadas para a fachada. As salas de atendimento foram projetadas com amplas janelas voltadas para a rua.


As floreiras embelezam a fachada e foram usadas como artifício para nivelar o terreno no nível do passeio.

A sala de espera é um espaço amplo e agradável que proporciona conforto e tranquilidade Detalhe: painel para TV e cantinho das crianpara os pacientes e acompanhantes. ças. 76


As janelas receberam molduras que foram elevadas acima do limite da janela para dar a impressĂŁo de que sĂŁo alongadas. Assim, ficam visualmente melhor distribuĂ­das com os volumes da fachada.

Para dar mais privacidade, o espaço das atendentes na sala de espera foi separado por uma parede de vidro.


ANA DARLI

Artes plásticas

Sua casa bem vestida Decorar a casa com quadros mostra um pouco da personalidade do proprietário do imóvel. Os quadros decorativos ficam bem em qualquer ambiente, seja na sala de estar, sala de jantar, quartos, biblioteca, escritório, cozinha e até na área de festas. Aquela parede branca e sem vida pode ser bem vestida com telas e painéis. Mas não vale sair pendurando qualquer coisa sem antes fazer uma análise do ambiente. É preciso escolher os melhores locais para cada peça e observar a distância entre elas

78

para criar um resultado harmonioso. Escolha as peças com cuidado. As imagens devem ter uma ligação entre si para que não poluam visualmente o espaço. Os quadros devem ser dependurados à altura da vista. Quando o quadro é muito grande, deve ser colocado mais alto para maior horizonte visual. Na sala, por exemplo, o sofá é o móvel de maior destaque do ambiente e geralmente a parede deste móvel é a mais atraente para pendurar todo tipo de peça. Contudo, as peças precisam se adaptar ao ambiente, suas dimensões devem ser proporcionais às paredes, mobiliário e tamanho do local. Por isso, os quadros devem ser comprados somente depois que o ambiente estiver pronto e mobiliado, pois o instinto vai sugerir quais paredes necessitam decoração. Paredes com papéis ou pinturas murais não necessitam quadros, pois já estão decoradas. Quando as cores do quadro e suas dimensões fornecem a combinação das cores da sala, eles precisam ser comprados antes. Os quadros nunca devem ser adquiridos somente para encher uma parede vazia, mas


para que exista a satisfação pessoal do morador e visitante na contemplação de cada peça. O mais importante é comprar o que você gosta, pois um quadro é para ser visto por muitos e muitos anos. Lembre-se, a sua casa é seu espaço e quem faz as regras é você.

Cuidados com os quadros Os quadros são objetos de decoração que merecem muitos cuidados. Por isso, se você mora em locais onde há bastante umidade a atenção precisa ser redobrada. Fique atento se ao retirar o quadro existirem manchas na parede, pois isso é sinal de concentração de umidade e até de infiltrações. Cuidado também ao pendurar os quadros em paredes que recebem luz do sol diretamente, isso pode provocar o desbotamento das cores e ressecamento das tintas. Ana Darli Forlin é artista plástica, professora de pintura e proprietária do atelier de pintura Ana Darli, em Jaraguá do Sul. anadarli@anadarli.com.br (47) 3273-2176


Arquitetura comercial

Donna Anna boutique

80

CREDITO FOTOS: Franco Giovanella


Combinando linhas retas e detalhes retrôs, a boutique Donna Anna foi projetada aproveitando a grande intuição e confiança na relação entre o arquiteto e cliente. Localizada em uma das avenidas centrais de Jaraguá do Sul, a nova loja tem vários pontos ao seu favor: boa visibilidade, estacionamento próprio, pé-direito duplo, entre outros. O projeto buscou a versatilidade do espaço graças ao desenho funcional das araras feitas com barras metálicas sob base de madeira com rodízios. A mobilidade das araras faz com que o layout da loja possa ser alterado de acordo com a necessidade do


82


momento como promoções, lançamentos e desfiles. O rebaixo de gesso revestido com papel de parede listrado nas cores da loja faz uma moldura na lateral da mesma, sendo finalizada pela cortina do mesmo padrão que desce pelos seis metros de altura da vitrine. Painéis de vidro servem de apoio de vitrine e podem receber adesivos sazonais como natal, páscoa, dia dos namorados, etc. A bancada do atendimento e caixa, assim como os provadores, seguem o mesmo tom marrom escuro das duas torres de nicho do corpo da loja, executados pela LH Móveis. Mesa e aparadores de demolição, assim como cabides bandejas e acessórios de decoração do atelier Andrea Vieira compõem todo o espaço da loja garantindo um ar acolhedor e intimista aos clientes.

DG Arquitetura Daniella Vedana Gilson Postai danyv@terra.com.br


Silvana Pretto Arquitetura sapretto@terra.com.br

Hotel

Um encanto de hotel

O Hotel Butique Quinta das Videiras nasceu quando os proprietários adquiriram um terreno na Lagoa da Conceição ,em Florianópolis, com o desejo de fazer uma pousada aconchegante. O projeto tinha algumas limitações que iam além dos recuos legais, como árvores e videiras que deveriam ser mantidas intactas. Assim, algumas ideias foram se consolidando, como criar um clima históri84

co trabalhando com materiais de demolição, de restauro, madeiras de assoalho, tacos e afins. Estilos e tecnologias formaram uma obra clássica e requintada, com uma linguagem universal, onde o conceito estético de arquitetura se justifica a partir da beleza e atmosfera tranquila. Hoje, o empreendimento é um sucesso para os hóspedes, muitos deles es-

trangeiros que acabam adorando ainda mais ainda a Ilha de Florianópolis, e também para a comunidade local, que tem simpatia pelo projeto. No ano de 2009 ganhou do respeitado Guia 4 Rodas o Escudo de Hotel de Charme do Brasil e já se encontra entre os Hotéis Boutique do Circuito Elegante.


Com apenas três anos de funcionamento o empreendimento sentiu necessidade de ampliação de áreas de lazer e serviços para seu público exclusivo.

O SPA oferece banhos de ofurô e espaço de massagem, onde os futons para descanso, executados pela CH Marcenaria, tornam-se macas de massagem.


A construção acompanha os moldes da Pousada e faz o coroamento da piscina. O conjunto de banheiros compõem o cenário e conferem ainda maior sofisticação .

Preocupados com os pequenos hóspedes a piscina tem uma prainha alimentada pela cascata de marmoglass executada pela Kraisch Granitos, de Guaramirim.


O espaço para lanche recebe uma sutil cobertura, detalhada por nosso escritório e executada pela Ferraria Artística de Joinville.


Detalhe do Banheiro: bancada em mármore de Carrara, pela Marmoraria Kraisch. Aqui as linhas retas das molduras, por Casa Leve, ganham atenção com a pintura dourada.

A recepção dá o tom da preocupação com os detalhes, a riqueza da decoração acontece por conta de tapetes persas, peças exclusivas como o aparador, vindo do Hotel Copacabana Palace, peças do Império garimpadas pelos proprietários por todo o Brasil.


A construção da recepção é toda em ferro e vedada com vidros martelados coloridos. A cobertura é em telha de cobre.


O ambiente externo é coberto pela videira sustentada em mãos francesas de ferro. As vigas de baldrame neste local foram suspensas garantindo assim a saúde da planta . Estas videiras foram mantidas e resguardadas por toda obra e deram origem ao nome da Pousada, que atrai muitos casais em lua de mel e artistas que passam pela Ilha, por conta do seu clima romântico e tranquilo.

90


Revista Destaque  

Publicação - Janeiro 2011

Revista Destaque  

Publicação - Janeiro 2011

Advertisement