Page 1

Órgão Oficial da Diocese de São José dos Campos • Ano XXI • Março de 2014 • N0 343 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

jexpress@diocesesjc.org.br | www.diocesesjc.org.br

Página 3

›› Consistório Papa Francisco cria novos cardeais, entre eles Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro. Página 4

Dom Orani João Tempesta

›› Fraternidade e Tráfico Humano Saiba como estudar à distância sobre o tema da Campanha da Fraternidade deste ano. Página 7

›› Quaresma Papa Francisco nos ajuda a refletir inspirado por versículo de São Paulo aos Coríntios. Página 8

“Fez-Se pobre, para nos enriquecer com a sua pobreza” (cf. 2 Cor 8,9)

Douglas Cândido - Pascom São Judas Tadeu

›› Palavra do Administrador O primado da graça, um elemento imprescindível de uma vida cristã profunda.


2 | EXPRESSÃO | Março

Editorial

Quaresma: caminho para a paz

C

asos de violência têm crescido assustadoramente em nosso país. Assaltos a pessoas e instituições, crimes bárbaros e coisas do gênero são conteúdos constantes dos noticiários. Essa situação descortina aos olhos de todos uma série de misérias às quais as pessoas estão expostas: econômica, cultural, política, familiar, religiosa, humana. Ao lado disso, e como reação desesperada a um quadro que parece sem controle, cresce também o número de iniciativas pessoais de defesa ou de ataque, que em muitos casos, termina em tragédia. Vê-se com tristeza a violência gerando violência e forçando pessoas de bem a se tornarem criminosas. É como ver ressurgir a Lei de Talião, que prega “Dente por dente, olho por olho”; O que fazer diante disso? Parece que não há uma resposta decisiva a essa pergunta. Mas questionar-se acerca do que fazer diante de situação tão complexa é dispor-se a atitudes que, se não resolvem instantaneamente os problemas que rodeiam a sociedade brasileira, ao menos não os tornam cada vez mais frequentes. Ainda que não se possa acabar com a violência da noite para o dia, as pessoas de bem podem contribuir para diminuí-la. Para tanto, ouvir e praticar a palavra de Jesus: “Não enfrenteis quem é malvado, conforme” (Mt 5, 39), pode ser um bom começo e isso pode ser assumido no cotidiano da vida familiar, nos círculos de amigos ou companheiros de escola e trabalho, para se formar os semeadores da paz, que irão atuar onde ela está ausente. O Tempo Quaresmal, que está para iniciar, apresenta-se como ocasião privilegiada para que cada pessoa se questione acerca do que pode fazer não só em vista de uma melhoria pessoal, mas também em vista de contribuir para a diminuição da violência e para a construção da paz. A Quaresma pode ser oportunidade de exercitar-se para um maior autocontrole das atitudes instintivas e agressivas, a fim de que não contribuam para que se tenha uma sociedade de violentos. Esse tempo também convida a priorizar a reflexão como momento propício de refazer-se interiormente, de curar feridas da alma, de reconhecer as próprias fraquezas e de preparar-se para agir com responsabilidade. Oferece ainda condições para o cultivo da esperança, que faz enxergar além das dificuldades e, por isso, dá força para continuar caminhando. Quaresma é também tempo de exercitar-se na prática da fraternidade, um grande escudo que defende o ser humano de ver os outros, mesmo aqueles que são problemáticos, como adversários. A fraternidade preserva de cair no desespero e na revolta e estimula a ver os outros como lugar de encontro com Deus e consigo mesmo. No tempo que está para iniciar, se poderá aprofundar a experiência da fé como encontro com uma realidade maior, dentro da qual o ser humano se percebe conduzido não para o caos, mas sim para a liberdade, a verdade e a felicidade. Que a riqueza do Tempo Quaresmal seja aproveitada para transformar interiormente as pessoas e habilitá-las a fazer diferença na sociedade, contribuindo para que seja menos violenta e se mostre campo fértil da paz.

Caminho Pós-Sinodal

Comunidade de comunidades: uma nova paróquia Desafios no âmbito da sociedade Na tarefa de renovar-se para cumprir melhor a sua missão, a Paróquia deve também defrontar-se com alguns desafios no âmbito social, marcado por diversas mudanças que geram novas experiências e novas consciências, mas também desencadeiam um novo quadro de problemas a serem enfrentados. Positivamente vemos que o progresso científico (novas tecnologias, avanço da informática) trouxe comodidades e experiências inexistentes e impensáveis no passado. Vemos também a emergência da subjetividade, a preocupação com a ecologia, o crescimento do voluntariado, o empenho pela tolerância e o respeito pelo diferente despertando uma nova consciência de pertença ao planeta e de integração entre tudo e todos. Contudo, negativamente, percebemos que os índices de pobreza e miséria continuam desafiando as consciências e que o consumismo e o utilitarismo nas relações sociais deterioram as possibilidades de fraternidade. Com isso aumentam as propostas de “espiritualidades”da prosperidade e da felicidade individual e diminui o interesse pelo bem comum e o compromisso solidário. Em nosso tempo, caracterizado como “mudança de época”, há uma forte tendência para que a sociedade seja laicista e a religião não interfira na esfera pública. Com isso, pretende-se chegar a uma sociedade totalmente independente da religião. A sociedade atual, marcada por uma cultura secularizada impede a influência do cristianismo nas decisões morais. Parece até que estamos numa sociedade pós cristã, na qual não se busca mais o verdadeiro, mas o desejável. A verdade se torna relativa às diferentes necessidades das pessoas. Numa sociedade onde há pluralidade de valores, crenças e normas, falta orientação e há muita insegurança e solidão. Por isso, cresce a cultura do imediatismo na qual as pessoas querem tudo rápido,

não têm paciência para que as coisas aconteçam, não há perseverança em vista dos grandes ideais. Embora haja uma rejeição do sagrado e do religioso, permanece no ser humano uma sede de interioridade que o leva a buscar algo de mais profundo para a sua existência em qualquer coisa, algo que se apresente como diferente. Percebemos também que diferentes formas de viver e pensar convivem em nossa cultura. Por um lado libertam as pessoas de normas fixas, mas por outro, as desorienta pela perda das referências fundamentais. A religião também vive esse pluralismo. Há católicos que frequentam outros cultos e centros religiosos, buscando conforto para suas dificuldades. A sociedade em tempo de mudanças é marcada pela instabilidade e mobilidade, manifestadas pela correria do cotidiano, a competição e a produtividade. Nessa sociedade de contrastes, a paróquia, a comunidade e os cristãos precisam rever a forma como comunicam sua fé publicamente. Muitas vezes, expressamos uma fé opaca e tímida para um tempo que clama por beleza, verdade e bondade. O contato com essa realidade complexa leva muitos cristãos a pensarem que a paróquia perdeu seu valor e há quem queira restabelecer uma estrutura paroquial pré-conciliar e outros que desejam construir uma nova Igreja no terceiro milênio. Mas, o caminho não é nem saudade nem utopia. Esse quadro exige da paróquia a atitude de conversão ao Evangelho, tanto no âmbito pessoal quanto pastoral, em vista da geração de novas estruturas comunitárias. Trata-se de inserir de modo crítico e construtivo, nesta nova realidade, tudo aquilo que é permanente e precioso na tradição cristã. Pe. Edinei Evaldo Batista

Coordenador Diocesano de Pastoral

Faça download do Documento Conclusivo do Sínodo - www.sinododiocesano.com.br

›› Rede de comunicadores - Envie sua notícia! Fale com o Expressão 3928-3929 ou 3928-3926, com Ana Lúcia e Pedro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Fundação Sagrada Família - Publicação Mensal da Diocese de São José dos Campos Administrador Diocesano: Pe. Djalma Lopes de Siqueira • Supervisão Geral: Pe. Edinei Evaldo Batista • Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - MTB 28.496 • Revisão: Diácono José Aparecido de Oliveira Reportagem: Pedro Luvizotto. Colaboraram nesta edição: Pe. Thiago D. Dias, Pe. Vicente Benedito Simões, Pe. Luciano Barbosa, Pe. Fabiano Kléber Cavalcante Amaral, Luiz Henrique Ferfoglia Honório – CDL, Maiara Borges – Prq. N. Sra. de Fátima, PASCOM, RECOP e Secretários Paroquiais - Diagramação: AB&G Comunicação e Marketing Ltda. Tiragem: 20 mil exemplares Impressão: Gráfica Katu • Redação e Publicidade: Pça. Monsenhor Ascânio Brandão, 01 - Jd. São Dimas - São José dos Campos - CEP 12245-440 • Tel.: (12) 3928-3929 – e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br Se você identificar alguma informação errada ou falta de dados, escreva para a redação do Jornal Expressão ou envie um e-mail. Mande também suas críticas, comentários e sugestões. As matérias assinadas e opiniões expressas são de responsabilidade de seus autores. Edição concluída em 25 de fevereiro de 2014 .

Para tornar o conteúdo deste veículo mais abrangente, o Jornal Expressão precisa da sua participação enviando sugestões e notícias da sua paróquia. Você, agente da PASCOM ou da RECOP (Rede de Comunicadores Paroquiais e Pastorais), auxilie os coordenadores das pastorais, movimentos e espiritualidades de sua paróquia para que lhe deem informações para que você as encaminhe para a Redação do Jornal Expressão. Fique atento também às atividades de sua paróquia. Festas, Solenidades, Retiros, Encontros,

›› Aviso

Formações, Cursos, Shows podem ser divulgados na nossa Agenda. Você pode enviar também fotos e as artes dos cartazes dos eventos, com alta resolução. As informações recebidas vão ser colocadas na pauta e podem ser selecionadas e passar por correções e ajustes. QUANDO E COMO ENVIAR SUA INFORMAÇÃO: As informações têm que chegar à Redação até o DIA 20.

Mande por e-mail: jexpress@diocesesjc.org. br - Ligue: 12 3928-3929 Pessoalmente: Pça. Monsenhor Ascânio Brandão, 01 – Jd. São Dimas – São José dos Campos Site da Diocese: www.diocesesjc.org.br e Redes Sociais – Envie sua notícia! Envie seu cartaz, texto, foto e sugestão para ser divulgado no site da Diocese de São José dos Campos e nas Redes Sociais. Fale com o Pedro Luvizotto. Mande por e-mail: pedro@diocesesjc.org.br Ligue: 12 3928-3926

O Jornal Expressão é distribuído GRATUITAMENTE nas paróquias da Diocese de São José dos Campos. Não pode ser vendido e não possui nenhum representante para arrecadar fundos para publicidade, assinaturas ou outra contribuição.


Março | EXPRESSÃO | 3

Mensagem do administrador diocesano

O Primado da Graça e comunitária significa respeitar um princípio essencial da visão cristã da vida: o primado da graça” (NMI 38).

Djalma Lopes Siqueira * Padre Administrador Diocesano

1. Um princípio irrenunciável da vida cristã A Carta Novo Millennio Ineunte, escrita pelo Papa Beato João Paulo II, é tida por muitos como um dos seus documentos mais ricos. Chegou a ser comparada com a Evangelii Nuntiandi de Paulo VI, considerada a carta magna do seu pontificado. O objetivo da Novo Millennio Ineunte foi de apresentar diretrizes fundamentais para a Igreja, na sua ação pastoral no início do terceiro milênio. Dentre as diretrizes que o Papa apresentou, está o primado da graça que é um elemento imprescindível de uma vida cristã profunda. “No âmbito da programação que nos espera, apostar com a maior confiança numa pastoral que contemple o devido espaço para a oração pessoal

2. Elemento integrante do discipulado missionário Para se viver o primado da graça é necessário cultivar uma consciência absoluta de que “sem Cristo, nada podemos fazer” (Jo 15,5). Isto nos deve fazer muito zelosos no sentido de se cultivar uma vida de oração. “É a oração que nos faz viver nesta verdade, recordando-nos constantemente o primado de Cristo e, consequentemente, o primado da vida interior e da santidade” (Ibid). Quando meditamos sobre a vida de Jesus, nos Evangelhos, vemos o quanto Ele priorizava momentos de profunda intimidade com o Pai. Vemos Jesus, ao mesmo tempo em que se dedica à atividade messiânica junto às multidões ou formando os seus discípulos, encontra tempo, nas manhãs ou noites para se retirar para um lugar a parte e se colocar a sós com o Pai. Lucas é o evangelista que mais retrata esta dimensão tão

profunda da vida de Jesus. Os discípulos de Cristo, chamados a configurarem suas vidas com o Mestre, devem imitá-lo também na sua vida de oração. A alegria daquele que ama é estar com o amado. Após a Páscoa, a oração é a possibilidade de os discípulos entrarem numa relação de intimidade com o mestre, aprendendo as lições do seu coração e aprofundando os segredos da vida no Espírito. 3. Segredo para uma ação evangelizadora fecunda Por ser a ação evangelizadora, antes de tudo, concretização do desígnio salvífico de Deus na história, ela só será fecunda se for realizada em total dependência da graça. Sem o primado da graça, a ação evangelizadora tende a se transformar num mero método e fica desprovida da força dinamizadora do Espírito Santo que é o agente principal da evangelização (cf. EN 75). O Papa Francisco na Evangelii Gaudium convida os evangelizadores do nosso tempo a invocar incessantemente o Espírito Santo, pois sem o dina-

mismo da sua presença “a ação evangelizadora corre o risco de ficar vã e o anúncio, no fim das contas, carecer de alma. Jesus quer evangelizadores que anunciem a Boa Nova, não só com palavras, mas sobretudo com uma vida transfigurada pela presença de Deus” (EG 259). Neste sentido, o Papa Beato João Paulo II falou da falta de consciência do primado da graça, como uma verdadeira “tentação que sempre insidia qualquer caminho espiritual e também a ação pastoral: pensar que os resultados dependem da nossa capacidade de agir e programar” (NMI 38). 4. A vivência do primado da graça neste tempo de vacância Este tempo de vacância da diocese não significa paralisação da ação evangelizadora, pois a caminhada pastoral da diocese não para, visto que a presença do Ressuscitado e do seu Espírito é permanente nas comunidades, impulsionando sempre a ação evangelizadora. Neste sentido é muito importante continuarmos incentivando a vida de

oração nas comunidades, a fim de que toda a ação missionária e pastoral esteja regada pela oração. “A diocese, na sua pastoral de conjunto, a paróquia e as comunidades menores (comunidades eclesiais de base e família) integrem em seus programas evangelizadores a oração pessoal e comunitária” (DP 952). O princípio espiritual do primado da graça deve ser vivido em todos os âmbitos da vida eclesial. O lema de toda atividade eclesial deve ser “tudo com oração, nada sem oração”. Neste sentido a própria realidade da vacância da diocese deve ser vivenciada numa perspectiva de muita oração. Já estamos há mais de oito meses em vacância na diocese. Tudo indica que o processo de nomeação do nosso bispo caminha numa fase já adiantada para sua definição. Por isso, é muito importante intensificarmos nossas orações nesta intenção, para que os que estão empenhados neste processo tenham muita sabedoria e discernimento espiritual para escolherem aquele que o Senhor deseja.


4 | EXPRESSÃO | Março

O primeiro Consistório do Papa Francisco

N

o dia 22 de Fevereiro de 2014 realizou-se o primeiro consistório para a criação de novos cardeais convocado pelo papa Francisco. Antes, porém, nos dias 20 e 21, os cardeais e os escolhidos discutiram sobre o tema da família em preparação para o Sínodo dos Bispos que acontece nos dias 5 a 19 de Outubro. No dia 23, o Papa presidiu uma Missa concelebrada pelos novos cardeais. O Papa manteve a prática de se ter 122 cardeais eleitores com menos de 80 anos. Atualmente havia 13 lugares “vacantes”, outros 3 serão “vacantes” até o próximo mês de maio. Por isso, o Papa escolheu 16 eleitores. Dos 16 eleitores, 4 são membros da Cúria, portanto um quarto do total, e 12 são Arcebispos ou Bispos residenciais de países diferentes. A distribuição dos prelados residenciais eleitores está bem dividida entre os diversos continentes: Europa 2; América do Norte e Central 2; América do Sul 3; África 2; Ásia 2. A escolha de cardeais do Burkina Faso e do Haiti indica a atenção pelos povos provados pela pobreza. Foram escolhidos prelados residenciais também de sedes não tradicionalmente “cardinalícias”, como Perúgia na Itália, Cotabato na Ilha de Mindanau nas Filipinas. Entre os cardeais não eleitores destaca-se a criação de Dom Capovilla, Secretário do Beato Papa João XXIII, que será canonizado no mês de abril. O mais idoso é Dom Capovilla, 98 anos, e o mais jovem, Dom Langlois, 55 anos. Destaque para nós no Brasil a escolha por parte do Papa Francisco de Dom

Dom Lorenzo Baldisseri, Secretário Geral do Sínodo dos Bispos.

Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, e do Arcebispo Dom Lorenzo Baldisseri, que por quase 10 anos foi Núncio Apostólico no Brasil e hoje é o Secretário do Sínodo dos Bispos. Eis a lista completa dos novos cardeais: 1 – Dom Pietro Parolin, Secretário de Estado. 2 – Dom Lorenzo Baldisseri, Secretário Geral do Sínodo dos Bispos. 3 - Dom Gerhard Ludwig Muller, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. 4 – Dom Beniamino Stella, Prefeito da Congregação per o Clero. 5 – Dom Vincent Nichols, Arcebispo

Dom Orani João Tempesta, O.Cist., Arcebispo do Rio de Janeiro

de Westminster (Grã Bretanha). 6 – Dom Leopoldo José Brenes Solórzano, Arcebispo de Manágua (Nicarágua). 7 – Dom Gérald Cyprien Lacroix, Arcebispo de Québec (Canadá). 8 – Dom Jean-Pierre Kutwa, Arcebispo de Abidjã (Costa do Marfim). 9 – Dom Orani João Tempesta, O.Cist., Arcebispo do Rio de Janeiro (Brasil). 10 – Dom Gualtiero Bassetti, Arcebispo de Perúgia-Città della Pieve (Itália). 11 – Dom Mario Aurelio Poli, Arcebispo de Buenos Aires (Argentina). 12 – Dom Andrew Yeom Soo jung, Arcebispo de Seoul (Coreia). 13 – Dom Ricardo Ezzati Andrello, S.D.B., Arcebispo de Santiago do Chile

(Chile). 14 – Dom Philippe Nakellentuba Ouédraogo, Arcebispo de Ouagadougou (Burquina Faso). 15 – Dom Orlando B. Quevedo, O.M.I., Arcebispo de Cotabato (Filipinas). 16 – Dom Chibly Langlois, Bispo de Les Cayes (Haiti). O Papa também criou cardeal 3 arcebispos eméritos, que se distinguiram por seu serviço à Santa Sé e à Igreja. São eles: 1 – Dom Loris Francesco Capovilla, Arcebispo emérito de Mesembria. 2 – Dom Fernando Sebastián Aguilar, C.M.F., Arcebispo emérito de Pamplona. 3 – Dom Kelvin Edward Felix, Arcebispo emérito de Castries.

Rezemos pelo nosso novo bispo Recorramos ao patrono da Diocese pela nomeação do nosso novo bispo, especialmente neste mês de março, dedicado a São José. Nosso administrador diocesano, Padre Djalma Lopes Siqueira, nos pede para rezarmos a Ladainha de São José, durante todo este mês. Recorte, guarde com você e faça a oração diária nesta intenção.

PAPA NO TWITTER

Aprendamos de Jesus a rezar, a perdoar, a semear paz, a estar junto de quem precisa. Papa Francisco@Pontifex_pt

Ladainha de São José Senhor, tende piedade de nós. R/. Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. R/. Cristo, tende piedade de nós. Jesus Cristo, ouvi-nos. R/. Jesus Cristo, ouvi-nos. Jesus Cristo, atendei-nos R/. Jesus Cristo, atendei-nos. Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós. Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós. Deus Espírito Santo, tende piedade de nós. Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós. Santa Maria, rogai por nós. São José, rogai por nós. Ilustre descendente de David, rogai por nós.

Luz dos Patriarcas, rogai por nós. Esposo da Mãe de Deus, rogai por nós. Casto guarda da Virgem, rogai por nós. Nutriente do Filho de Deus, rogai por nós. Zeloso defensor de Jesus, rogai por nós. Chefe da Sagrada Família, rogai por nós. José justíssimo, rogai por nós. José castíssimo, rogai por nós. José prudentíssimo, rogai por nós. José fortíssimo, rogai por nós. José obedientíssimo, rogai por nós. José fidelíssimo, rogai por nós. Espelho de paciência, rogai por nós. Amante da pobreza, rogai por nós. Modelo dos operários, rogai por nós. Glória da vida doméstica, rogai por nós. Guarda das virgens, rogai por nós. Amparo das famílias, rogai por nós. Consolação dos Infelizes, rogai por nós

Esperança dos doentes, rogai por nós. Padroeiro dos moribundos, rogai por nós. Terror dos demônios, rogai por nós. Protetor da Santa Igreja, rogai por nós. Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, R/. perdoai-nos, Senhor. Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, R/. atendei-nos, Senhor. Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, R/. tende piedade de nós. V/. Deus o estabeleceu Senhor de sua casa. R/. E fê-lo príncipe de todas as suas possessões. Oremos. Ó Deus, que por inefável providência Vos dignastes escolher ao Bem Aventurado São José para esposo de vossa Mãe Santíssima; concedei-nos, Vo-lo pedimos, que venerando-o aqui na Terra como protetor, mereçamos tê-lo como intercessor no Céu. Vós que viveis e reinais por todos os séculos. Amém.


Março | EXPRESSÃO | 5

Agende-se

Mutirão de Confissão em preparação para a Páscoa Confira as opções de retiros de carnaval que não precisam de inscrição para participação: Paróquia de Sant’Ana Pregação, louvor, teatro, shows e evangelização todas as noites. Dias 1 a 4 de março a partir das 15h, iniciando sempre com a missa. Local: Salão Paroquial João Paulo II (Travessa Manuel Prianti, nº 211 – Santana São José dos Campos Santuário São Judas Tadeu Dia 01/03 - 14h às 22h na Capela dos Sacramentos do Santuário São Judas Tadeus. Dias 02 e 03/03 - Madrugada Renovada - das 18h às 06h na Sede dos Vicentinos - Jd. Paulista. Dia 04/03 - das 14h30 às 21h na Sede dos Vicentinos - Jd. Paulista. Valor: R$10 por dia ou R$30 todos os dias. Informações: (12) 988255076 / 98286-9265. Endereços: Santuário São Judas Tadeu - R. Ceci, 37 – Jd. Paulista - SJC / Sede dos Vicentinos - Sede dos Vicentinos, próximo ao Estádio Martins Pereira. Paróquia Coração Eucarístico de Jesus “Encontro de Carnaval com Cristo” Data: de 1 a 4 de março (sábado a terçafeira), na Matriz da Paróquia Coração Eucarístico de Jesus, todos os dias a partir das 17h, com Louvor, Pregações, Adoração e Missa. “Carnaval Cristão”

Dia 4 de março (terça-feira), na Matriz, a partir das 19h. Local: Praça 1º de maio, 241 – Parque Novo Horizonte, São José dos Campos Paróquia São Sebastião 30ª Festa do Povo de Deus A Renovação Carismática Católica da Paróquia São Sebastião promove de 1º a 4 de março a 30ª Festa do Povo de Deus, na igreja matriz da paróquia com o tema: “Reunidos num só corpo pela força da cruz” (Ef 2, 16b). Iniciando todos os dias às 15h, as tardes de Carnaval contarão com palestras, missas, pregação da Palavra de Deus e adoração ao Santíssimo. Não é necessário fazer inscrição. A Paróquia São Sebastião fica na Praça José Molina, 20, na Vila Industrial, em São José dos Campos. Informações: (12) 3912-2627 / www. saosebastiao.org.br Paróquia Nossa Senhora de Lourdes Dia 2 de março (domingo) com início às 9h e encerramento às 19h com a Santa Missa. Endereço: Rua Palmares, 895 Parque Industrial – São José dos Campos. Informações: (12) 3931-1611

Paróquias em festa

Festa do Padroeiro da Diocese De 16 a 19 de março A Diocese celebra juntamente com a Igreja Matriz de São José dos Campos o padroeiro, São José, com tríduo de 16 a 18 de março e festa no dia litúrgico. Confira os horários e participe. Dia 16, 17 e 18 de março (domingo, segunda e terça-feira): 19h Dia 19 de março (quarta-feira), dia de São José, missas às 07h, 12h e 19h. A Paróquia São José fica na Praça Cônego João Guimarães, 69 Centro de São José dos Campos. Informações: (12) 3921-5516 / paroquiasaojose@diocesesjc.org.br

Paróquia São João Batista (Jacareí) Dias 01, 02, 03 e 04 de março, com início às 14h30 e encerramento com a Missa às 18h00. Reflexões, pregações, muita música e louvor nestes dias. Endereço: R. Santa Helena, 145 – São João – Jacareí – SP Informações: (12) 3951-2906 / paroquiasaojoaobatista@diocesesjc.org.br Comunidade Senhor da Vida - Jacareí De 01 a 04 de março, das 15h às 19h, na Casa de Maria (fundos do Hospital São Francisco, em Jacareí). Informações: (12) 99652-2904 fernanda@comunidadesenhordavida.org.br Paróquia Nossa Senhora do Boncucesso (Monteiro Lobato) Dias: De 1º a 4 de março. Atividades na Matriz. Endereço: Rua Cônego Antônio Manzi, 130 Centro – Monteiro Lobato. Informações e inscrições: (12) 3979-1129 Paróquia Santo Antônio (Paraibuna) De 1º a 4 de março na quadra de esportes do Bairro do Cuba - Paraibuna Não é necessário inscrição. Informações: (12) 3974-0043

No início de Abril iniciam-se os Mutirões de Confissão nas paróquias da Diocese. Os locais, datas e horários em todas as Regiões Pastorais estarão disponíveis no site da Diocese www.diocesesjc.org.br.

Confira a programação Região Pastoral V (Região Sul de São José dos Campos) De 3 a 11 de abril Dia 3 - Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Jd. Colonial) - 18h Dia 4 - Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (Vila das Acácias) - 19h30 Dia 4 - Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Parque Interlagos) - 19h30 Dia 7 - Paróquia São Bento (Jardim Morumbi) - 19h Dia 8 - Paróquia Espírito Santo (Jardim Satélite) - 18h Dia 9 - Paróquia Nossa Senhora de

Lourdes (Parque Industrial) - 18h Dia 9 - Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Jardim Oriente) - 18h Dia 11 – Paróquia Coração de Jesus (Bosque dos Eucaliptos) - 18h

Região Pastoral VI Dia 25/03 - Santa Branca, 18h Dia 26/03 - São José Operário, 18h Dia 27/03 - Nossa Senhora da Santíssima Trindade, 15h e 18h Dia 01/04 - Nossa Senhora de Guadalupe, 15h e 18h Dia 02/04 - Nossa Senhora do Paraíso, 18h Dia 03/04 - Santa Cecília, 18h


6 | EXPRESSÃO | Março

Serviço ›› Móveis Doe seu móvel usado A Cáritas Diocesana aceita doações de móveis usados – sofás, poltronas, cadeiras, camas – eletrodomésticos em bom estado. Ligue e agende a retirada da sua doação na Cáritas Diocesana, tel.: 3911-3225. ›› Serviço Capelania Hospitalar A Capelania Hospitalar “Thalita Kum” da Diocese de São José dos Campos possui um espaço para aproximar os atendentes hospitalares com os fiéis e enfermos. No site você pode encontrar reflexões diárias, deixar seus pedidos de oração, além de conhecer a equipe da capelania com os hospitais assistidos e assistentes e também as atividades realizadas assim como os horários e locais de atendimentos. Viste o site: www.capelaniahospitalarcatolica.com Empregadas domésticas, cuidadores de idosos e babás Quem está à procura de uma empregada doméstica, cuidador de idoso ou babá pode consultar o cadastro do Serviço Social da

CONVITE

Catedral São Dimas. A consulta deve ser feita pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h, com Célia. A Sala do Serviço Social, fica junto à Igreja, na Praça Mons. Ascânio Brandão, 01, São Dimas, em São José dos Campos. Colabore Projeto Óleo Vale Criado em 2009, o projeto Óleo Vale faz a coleta do óleo a ser reciclado em bares, restaurantes, estabelecimentos comerciais, residências e indústrias da região do Vale do Paraíba. O óleo recolhido passa por um sistema de filtragem, aquecimento e limpeza, um avançado sistema de filtragem, passa pela separação de água e óleo e então o óleo com 99,9% de pureza. E depois vendido para indústrias de biodiesel gerando renda para os cooperados. Para seguir adiante, o projeto conta com o apoio da sociedade. Ajude alcançar a meta. Saiba como doar o óleo de cozinha usado – (12) 3431-1702 / coopsv@bol.com.br Empregadas domésticas e babás Quem está à procura de uma

Participe do Dia Mundial da Oração Com os tema “Mananciais do Deserto”, convidamos a todos os irmãos e irmãos em Cristo a se unirem em um dia comum de oração e juntos celebramos o Dia Mundial de Oração - Egito. A celebração Ecumênica acontecerá no dia 07 de Março, às 19h, no Templo da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Rua Mário Alves de Almeida, 175, Jardim Satélite, São José dos Campos. Neste ano somos chamados/as a nos unirmos em oração a partir da história, dilemas e vitórias das mulheres do Egito. É aberto a todos os cristãos. Venha participar você e sua Igreja!

O dia mundial da oração O Dia Mundial da Oração (DMO) é um movimento iniciado por mulheres cristãs no século XIX e realizado em mais de 170 países e regiões. Através do DMO, mulheres são encorajadas, através das experiências de fé vividas por cristãos de outros países a se conscientizarem do que acontece no mundo e a não viverem isoladas. Pastor Marcus David Ziemann

empregada doméstica ou babá pode consultar os cadastros do Serviço Social da Paróquia Sagrada Família (Vila Ema). A consulta deve ser feita pessoalmente, de terça a sexta-feira, das 8h30 às 11h e das 14h30 às 17h. A Sala do Serviço Social, fica junto à Igreja, na Rua Padre Rodolfo, 28, Vila Ema, em São José dos Campos. Cadastro de doméstica, diarista, babá e acompanhante de idosos A Obra Social São Dimas oferece cadastro de Doméstica, diarista, babá e acompanhante de idosos. Os interessados deverão entrar em contato, de segunda a sexta-feira, das 08h às 12h pelo telefone: (12) 3322-0543. ›› Vida Nova Filhos no céu Para os pais que querem andar no caminho da fé e esperança, em perfeita comunhão e alegria, com os filhos que os precederam na eternidade. O Grupo se reúne no terceiro domingo de cada mês, às 15h, iniciando-se com a Santa Missa, seguida da reunião de reflexão, na Capela do Hospital Antoninho da Rocha Marmo, em São José dos

Campos. Mais informações e reflexões no blog www.filhosnoceu.org.br. Missa de São Peregrino Proteção para pessoas em tratamento contra o câncer e curadas da doença. A Ordem dos Servos de Maria e a Fraternidade São Peregrino convidam todas as pessoas afetadas pela doença a pedir a proteção de São Peregrino. A missa é celebrada, todo dia 4 de cada mês, na Paróquia Sagrada Família, Rua Padre Rodolfo, 28 – Vila Ema, São José dos Campos. Fazenda da Esperança Se você quer se livrar da dependência de drogas ou de álcool, ou encaminhar um parente ou amigo, a Fazenda da Esperança é uma alternativa. Em São José dos Campos, você pode tirar suas dúvidas sobre os encaminhamentos com Bita pelo telefone (12) 9102-4137. Ele atende, de terça a sexta, das 13h30 às 17h, na Catedral de São Dimas. Os interessados podem participar também das reuniões mensais, no terceiro Domingo do mês, às 14h, do grupo Esperança Viva, (GEV), na Catedral São Dimas.

Ministério mais que vencedores O Ministério mais que Vencedores é um projeto desenvolvido dentro da Paróquia Espírito Santo, unindo os trabalhos da Pastoral da Sobriedade e grupos de Irmandades Anônimas (AA, NA, Naranon, Amor Exigente etc). É voltado para as pessoas com dependência química e alcóolica e alia técnica (tratamento psicológico e terapias) com a espiritualidade. O atendimento do Ministério Mais que Vencedores acontece nas quartas-feiras, das 9h às 11h, das 15h às 17h e das 19h às 21h. O grupo de apoio, nas sextas-feiras,das 22h às 24h. Se você passar por esse tipo de dificuldades, participe ou indique para alguém que necessita de apoio. Local: Paróquia Espírito Santo, Av. Cassiopéia, 461, Jardim Satélite, em São José dos Campos. Divulgue aqui o trabalho de sua Obra Social, Paróquia, Grupo ou Movimento. Ligue para o Jornal Expressão 12 3928-3929 ou envie um e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br


Março | EXPRESSÃO | 7

Campanha da Fraternidade 2014 Na Quaresma, a Igreja no Brasil realiza a Campanha da Fraternidade. Há mais de 50 anos, diversos temas ligados aos direitos humanos, à defesa da vida e da família, à exclusão social, entre outros foram trazidos à tona pela Campanha da Fraternidade. Ao tratar de um assunto específico, a Igreja

no Brasil abre caminhos para gestos concretos, ações efetivas para encontrar e aplicar soluções para erradicar o problema. É a oportunidade de a sociedade unir forças. Com este fim, existe a“Coleta da Solidariedade”, realizada no Domingo de Ramos, neste ano dia 13 de abril. Todas as paróquias recebem um

envelope próprio da Campanha. Gesto concreto - Todas as doações realizadas vão compor o Fundo Nacional e o Diocesano de Solidariedade, que irão patrocinar projetos sociais. Do total arrecadado 60% do total da coleta permanecem na diocese e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade (FDS) e 40%

são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS). A Cáritas é a responsável pelo gerenciamento do Fundo. A Cáritas Brasileira teve papel importante na criação do FNS e dos FDS. A experiência na gestão de fundos de apoio a pequenos projetos credenciou a Cáritas Brasileira para assumir

os processos de animação, administração e gerência do FNS. A Cáritas compõe o Conselho Gestor do FNS – instância de aprovação das iniciativas a serem apoiadas pelo Fundo. As ações apoiadas pelo FNS contribuem para a melhoria das condições de vida de muitas pessoas.

Tema: Fraternidade e Tráfico Humano Lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1) O objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2014 é “identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humanas, mobilizando cristãos e pessoas de boa vontade para erradicar este mal com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”. Objetivos específicos: - Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos sofridos por esta exploração; - Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando

para a solidariedade e o cuidado às vitimas dessas práticas; - Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador desta realidade aviltante da pessoa humana; - Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano; - Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania dos atingidos; - Reivindicar, aos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar, eclesial e social;

CNBB apoia Curso à distância sobre a CF

O

Curso à distância sobre a Campanha da Fraternidade 2014 está com inscrições abertas para novas turmas. O curso é uma novidade e conta com a supervisão da equipe executiva da CF da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os participantes terão acesso às informações das práticas de tráfico humano em suas várias formas, bem como reflexão bíblico-teológica, indicações sobre o enfrentamento e canais de denúncia de situações de tráfico. De acordo com o secretário executivo da CF, padre Luiz Carlos Dias, o objetivo do curso é “oferecer uma

nova modalidade de capacitação sobre os conteúdos da Campanha da Fraternidade e, assim, contribuir com a formação que ocorre nos regionais e em várias dioceses do Brasil”. Módulos O curso é oferecido em quatro módulos, com total de 40 horas e duração de 40 dias. Abordará especificamente o Texto Base da CF 2014, focado no método: ver, julgar e agir. As unidades do curso são: 1-) O tráfico humano no contexto da globalização, com foco na mobilidade e trabalho, e as formas de enfrentamento ao tráfico humano, 2-) A iluminação no Antigo e Novo Testamento, 3-)

Propostas para o enfrentamento do tráfico humano e canais de denúncia e 4-) Histórico e sentido da Campanha da Fraternidade no Brasil. Durante o curso, os alunos entenderão as condições de denúncias e aprenderão como agir concretamente nos casos de tráfico humano. “A CNBB tem buscado meios para cumprir a missão de capacitar os agentes que atuam nas pastorais para que estejam cada vez mais preparados”, destaca padre Luiz Dias. As inscrições para o curso podem ser feitas pelo site: www.solarconsultoria.com Informações: (61) 3364.2097

Denuncie sobre o Tráfico de Pessoas Pesquisas apontam que existem no país mais de 240 rotas de tráfico de pessoas. Os principais países de destinos das vítimas brasileiras são os europeus como Espanha, Bélgica e Portugal. Denúncias de pessoas que se encontram no exterior, ligue: Tels.: (61) 3411-8803 / 8805 /8808 /8809 /8817 /9718 E-mail: dac@mre.gov.br Disque Denúncia para pessoas que estão em território nacional: (61) 3311-8270 e-mail: ddh.cgdi@dpf.gov.br Tráfico de crianças e adolescentes, as denúncias devem ser encaminhadas à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, pelo Disque 100 ou pelo telefone: (61) 3429-9907. O Disque 100 é um número gratuito e recebe ligações de todo território nacional.


8 | EXPRESSÃO | Março

Mensagem do Santo Padre para a Quaresma de 2014 “Fez-Se pobre, para nos enriquecer com a sua pobreza” (cf. 2 Cor 8, 9) Queridos irmãos e irmãs! Por ocasião da Quaresma, ofereço-vos algumas reflexões com a esperança de que possam servir para o caminho pessoal e comunitário de conversão. Como motivo inspirador tomei a seguinte frase de São Paulo: «Conheceis bem a bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, Se fez pobre por vós, para vos enriquecer com a sua pobreza» (2 Cor 8, 9). O Apóstolo escreve aos cristãos de Corinto encorajando-os a serem generosos na ajuda aos fiéis de Jerusalém que passam necessidade. A nós, cristãos de hoje, que nos dizem estas palavras de São Paulo? Que nos diz, hoje, a nós, o convite à pobreza, a uma vida pobre em sentido evangélico? A graça de Cristo Tais palavras dizem-nos, antes de mais nada, qual é o estilo de Deus. Deus não Se revela através dos meios do poder e da riqueza do mundo, mas com os da fragilidade e da pobreza: «sendo rico, Se fez pobre por vós». Cristo, o Filho eterno de Deus, igual ao Pai em poder e glória, fez-Se pobre; desceu ao nosso meio, aproximou-Se de cada um de nós; despojou-Se, «esvaziou-Se», para Se tornar em tudo semelhante a nós (cf. Fil 2, 7; Heb 4, 15). A encarnação de Deus é um grande mistério. Mas, a razão de tudo isso é o amor divino: um amor que é graça, generosidade, desejo de proximidade, não hesitando em doar-Se e sacrificar-Se pelas suas amadas criaturas. A caridade, o amor é partilhar, em tudo, a sorte do amado. O amor torna semelhante, cria igualdade, abate os muros e as distâncias. Foi o que Deus fez conosco. Na realidade, Jesus «trabalhou com mãos humanas, pensou com uma inteligência humana, agiu com uma vontade humana, amou com um coração humano. Nascido da Virgem Maria, tornou-Se verdadeiramente um de nós, semelhante a nós em tudo, excepto no pecado» (Conc. Ecum. Vat. II, Const. past. Gaudium et spes, 22). A finalidade de Jesus Se fazer pobre não foi a pobreza em si mesma, mas – como diz São Paulo – «para vos enriquecer com a sua pobreza». Não se trata dum jogo de palavras, duma frase sensacional. Pelo contrário, é uma síntese da lógica de Deus: a lógica do amor, a lógica da Encarnação e da Cruz. Deus não fez cair do alto a salvação sobre nós,

como a esmola de quem dá parte do próprio supérfluo com piedade filantrópica. Não é assim o amor de Cristo! Quando Jesus desce às águas do Jordão e pede a João Baptista para O batizar, não o faz porque tem necessidade de penitência, de conversão; mas fá-lo para se colocar no meio do povo necessitado de perdão, no meio de nós pecadores, e carregar sobre Si o peso dos nossos pecados. Este foi o caminho que Ele escolheu para nos consolar, salvar, libertar da nossa miséria. Faz impressão ouvir o Apóstolo dizer que fomos libertados, não por meio da riqueza de Cristo, mas por meio da sua pobreza. E todavia São Paulo conhece bem a «insondável riqueza de Cristo» (Ef 3, 8), «herdeiro de todas as coisas» (Heb 1, 2). Em que consiste então esta pobreza com a qual Jesus nos liberta e torna ricos? É precisamente o seu modo de nos amar, o seu aproximar-Se de nós como fez o Bom Samaritano com o homem abandonado meio morto na beira da estrada (cf. Lc 10, 25-37). Aquilo que nos dá verdadeira liberdade, verdadeira salvação e verdadeira felicidade é o seu amor de compaixão, de ternura e de partilha. A pobreza de Cristo, que nos enriquece, é Ele fazer-Se carne, tomar sobre Si as nossas fraquezas, os nossos pecados, comunicando-nos a misericórdia infinita de Deus. A pobreza de Cristo é a maior riqueza: Jesus é rico de confiança ilimitada em Deus Pai, confiando-Se a Ele em todo o momento, procurando sempre e apenas a sua vontade e a sua glória. É rico como o é uma criança que se sente amada e ama os seus pais, não duvidando um momento sequer do seu amor e da sua ternura. A riqueza de Jesus

é Ele ser o Filho: a sua relação única com o Pai é a prerrogativa soberana deste Messias pobre. Quando Jesus nos convida a tomar sobre nós o seu «jugo suave» (cf. Mt 11, 30), convida-nos a enriquecer-nos com esta sua «rica pobreza» e «pobre riqueza», a partilhar com Ele o seu Espírito filial e fraterno, a tornar-nos filhos no Filho, irmãos no Irmão Primogênito (cf.Rm 8, 29). Foi dito que a única verdadeira tristeza é não ser santos (Léon Bloy); poder-se-ia dizer também que só há uma verdadeira miséria: é não viver como filhos de Deus e irmãos de Cristo. O nosso testemunho Poderíamos pensar que este «caminho» da pobreza fora o de Jesus, mas não o nosso: nós, que viemos depois d’Ele, podemos salvar o mundo com meios humanos adequados. Isto não é verdade. Em cada época e lugar, Deus continua a salvar os homens e o mundo por meio da pobreza de Cristo, que Se faz pobre nos Sacramentos, na Palavra e na sua Igreja, que é um povo de pobres. A riqueza de Deus não pode passar através da nossa riqueza, mas sempre e apenas através da nossa pobreza, pessoal e comunitária, animada pelo Espírito de Cristo. À imitação do nosso Mestre, nós, cristãos, somos chamados a ver as misérias dos irmãos, a tocá-las, a ocupar-nos delas e a trabalhar concretamente para as aliviar. A miséria não coincide com a pobreza; a miséria é a pobreza sem confiança, sem solidariedade, sem esperança. Podemos distinguir três tipos de miséria: a miséria material, a miséria moral e a miséria espiritual. A miséria material é a que habitualmente designamos por pobreza e atinge todos aqueles que vivem numa condição indigna da pessoa humana: privados dos direitos fundamentais e dos bens de primeira necessidade como o alimento, a água, as condições higiénicas, o trabalho, a possibilidade de progresso e de crescimento cultural. Perante esta miséria, a Igreja oferece o seu serviço, a sua diakonia, para ir ao encontro das necessidades e curar estas chagas que deturpam o rosto da humanidade. Nos pobres e nos últimos, vemos o rosto de Cristo; amando e ajudando os pobres, amamos e servimos Cristo. O nosso compromisso orienta-se também para fazer com que cessem no mundo as violações

da dignidade humana, as discriminações e os abusos, que, em muitos casos, estão na origem da miséria. Quando o poder, o luxo e o dinheiro se tornam ídolos, acabam por se antepor à exigência duma distribuição equitativa das riquezas. Portanto, é necessário que as consciências se convertam à justiça, à igualdade, à sobriedade e à partilha. Não menos preocupante é a miséria moral, que consiste em tornar-se escravo do vício e do pecado. Quantas famílias vivem na angústia, porque algum dos seus membros – frequentemente jovem – se deixou subjugar pelo álcool, pela droga, pelo jogo, pela pornografia! Quantas pessoas perderam o sentido da vida; sem perspectivas de futuro, perderam a esperança! E quantas pessoas se veem constrangidas a tal miséria por condições sociais injustas, por falta de trabalho que as priva da dignidade de poderem trazer o pão para casa, por falta de igualdade nos direitos à educação e à saúde. Nestes casos, a miséria moral pode-se justamente chamar um suicídio incipiente. Esta forma de miséria, que é causa também de ruína econômica, anda sempre associada com a miséria espiritual, que nos atinge quando nos afastamos de Deus e recusamos o seu amor. Se julgamos não ter necessidade de Deus, que em Cristo nos dá a mão, porque nos consideramos autossuficientes, vamos a caminho da falência. O único que verdadeiramente salva e liberta é Deus. O Evangelho é o verdadeiro antídoto contra a miséria espiritual: o cristão é chamado a levar a todo o ambiente o anúncio libertador de que existe o

perdão do mal cometido, de que Deus é maior que o nosso pecado e nos ama gratuitamente e sempre, e de que estamos feitos para a comunhão e a vida eterna. O Senhor convida-nos a sermos jubilosos anunciadores desta mensagem de misericórdia e esperança. É bom experimentar a alegria de difundir esta boa nova, partilhar o tesouro que nos foi confiado para consolar os corações dilacerados e dar esperança a tantos irmãos e irmãs imersos na escuridão. Trata-se de seguir e imitar Jesus, que foi ao encontro dos pobres e dos pecadores como o pastor à procura da ovelha perdida, e fê-lo cheio de amor. Unidos a Ele, podemos corajosamente abrir novas vias de evangelização e promoção humana. Queridos irmãos e irmãs, possa este tempo de Quaresma encontrar a Igreja inteira pronta e solícita para testemunhar, a quantos vivem na miséria material, moral e espiritual, a mensagem evangélica, que se resume no anúncio do amor do Pai misericordioso, pronto a abraçar em Cristo toda a pessoa. E poderemos fazê-lo na medida em que estivermos configurados com Cristo, que Se fez pobre e nos enriqueceu com a sua pobreza. A Quaresma é um tempo propício para o despojamento; e far-nos-á bem questionar-nos acerca do que nos podemos privar a fim de ajudar e enriquecer a outros com a nossa pobreza. Não esqueçamos que a verdadeira pobreza dói: não seria válido um despojamento sem esta dimensão penitencial. Desconfio da esmola que não custa nem dói. Pedimos a graça do Espírito Santo que nos permita ser «tidos por pobres, nós que enriquecemos a muitos; por nada tendo e, no entanto, tudo possuindo» (2 Cor 6, 10). Que Ele sustente estes nossos propósitos e reforce em nós a atenção e solicitude pela miséria humana, para nos tornarmos misericordiosos e agentes de misericórdia. Com estes votos, asseguro a minha oração para que cada crente e cada comunidade eclesial percorra frutuosamente o itinerário quaresmal, e peço-vos que rezeis por mim. Que o Senhor vos abençoe e Nossa Senhora vos guarde! Vaticano, 26 de Dezembro de 2013 Festa de Santo Estêvão, diácono e protomártir Papa Francisco


Março | EXPRESSÃO | 9

13º Intereclesial das CEBs

D

e 7 a 13 de janeiro, aconteceu o 13º Intereclesial das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), em Juazeiro do Norte (CE). No dia 5 de janeiro, às 5h10 da manhã, saiu da Catedral São Dimas, um ônibus com 44 Delegados do Sub-Regional de Aparecida, sendo 38 da Diocese de São José dos Campos e 06 da Diocese de Taubaté na companhia de padre Fabiano Kleber Cavalcante do Amaral, Assessor Diocesano das Comunidades Eclesiais de Base . O grupo ficou instalado na Comunidade Nossa Senhora dos Milagres, no Bairro Parque São Geraldo, hospedado nas casas de famílias da comunidade. No dia 7 de janeiro, às 19h, participou, na Igreja de São Francisco, a Celebração de Abertura, presidida por Dom Fernando Panico – Bispo da Diocese de Crato. Nos dias 8, 9, 10 e 11, tiveram uma agenda de atividades muito intensa, que começava com a concentração na capela Nossa Senhora dos Milagres às 6h30, para ir até o Caldeirão (Ginásio Poliesportivo), onde as atividades se iniciavam às 8h com um momento de Espiritualidade. Destaque também para os momentos de profundas reflexões sobre a realidade da Igreja, da Vida e da Fé e para as missões. “ Também tivemos a oportunidade de entrar nas casas de Juazeiro do Norte, fazendo nossa missão, convivendo com as alegrias, dores e esperanças desse povo tão maravilhoso

Fotos: Divulgação

– foi um momento forte para todos os Delegados”, conta padre Fabiano. Outro momento marcante neste Intereclesial foi a subida até a Colina do Horto, onde fica a grande estátua de Padre Cícero, local de peregrinação. “No último dia, 11 de janeiro, fomos até o Memorial Padre Cícero, ali entramos na história e na fé de Juazeiro do Norte, que está intimamente ligada à vida de Padre Cícero. Visitamos o seu túmulo, que se encontra dentro da capela

e na praça nos concentramos para a caminhada em direção à Basílica Nossa Senhora das Dores, onde foi celebrada a Missa de Encerramento do 13º Intereclesial, presidida por Dom Fernando Panico e concelebrada por vários Bispos, Padres e todo o Povo de Deus”, relatou padre Fabiano. “Quero manifestar minha gratidão a todos que colaboraram para que este Intereclesial acontecesse e também a todas as pessoas que não puderam ir, mas, participaram conosco

através da oração, da partilha e da fé. Um agradecimento especial às nossas famílias, de São José dos Campos, de Taubaté, e às de Juazeiro do Norte, que cuidaram da gente com todo carinho, afeto e amor”, escreveu padre Fabiano em sua carta no Informativo das Cebs. O Intereclesial acontece sempre em uma arqui (diocese) escolhida durante a realização do encontro. A sede do 14º Intereclesial será a cidade Londrina – Paraná.

Participaram e colaboraram com a realização do 13º Intereclesial em Juazeiro do Norte (CE), 5.036 pessoas, sendo: 4.036 delegados dos 18 regionais da CNBB: 2.248 mulheres e 1.788 homens. Os bispos presentes somam 72; os padres, 232 e os religiosos e religiosas, 146. Representantes de 75 comunidades indígenas; de 20 de outras Igrejas cristãs, 35 de outras religiões, 36 estrangeiros e 68 assessores e membros da coordenação ampliada.


10 | EXPRESSÃO | Março Pedro Luvizotto

Missa em honra ao Servo de Deus Franz de Castro Na data do falecimento do Servo de Deus Franz de Castro Holzwarth, 14 de fevereiro, a Diocese de São José dos Campos celebrou missa na Igreja Matriz São José, onde diariamente participava da Santa Missa e hoje se encontram seus restos mortais. A celebração foi presidida pelo administrador diocesano, padre Djalma e concelebrada pelo pároco da Matriz e amigo de Franz de Castro, Pe. José Cândido e pelo divulgador da causa de beatificação, Pe. Dimas (da Diocese de Mogi das Cruzes).

CNLB São José dos Campos, inicia ano de 2014 realizando atividade na cidade de Jambeiro/SP cal, falou sobre a importância da participação do Leigo na vida em sociedade. A atividade propiciou aos presentes, a oportunidade de introduzir conceitos fundamentais da vocação laical aos novos e os já conhecidos componentes. Finalizando o dia, foi realizado um planejamento das atividades para o ano de 2014, demonstrando as metas e os desafios que o ano exige. O momento permitiu a participação mais efetiva dos participantes, ao possibilitar a construção coletiva do calendário de atividades desse ano. Além dos trabalhos, o dia também propiciou uma maior interação dos presentes, já que muitas vezes as reuniões mensais não são suficientes para permitir tal interação.

Divulgação

O Conselho Diocesano de Leigos de São José dos Campos reuniu-se no dia de ontem (09/02/2014) para sua primeira atividade do ano no Salão Paroquial da Paróquia Nossa Senhora das Dores, na cidade de Jambeiro/SP. Buscando iniciar o ano de forma organizada, o Conselho aproveitou o dia para realizar uma manhã de Espiritualidade, assessorado pelo professor e Deputado Estadual Marco Aurélio de Souza, que transmitiu a todos a importância e a necessidade do tema no dia-a-dia de cada um de nós. A palestra para dar subsídio para aos demais trabalhos ao longo do dia. O Conselho também realizou um momento formativo, onde Luiz Henrique Ferfoglia Honório, membro do Conselho lo-

Em pé, da esquerda para a direita: Emília, Guto, Ivo, Gilson, Maria Morena e seus filhos, Érika, Maria Célia, Marco Aurélio, Neide, José Carlos, José Carlos e José Rubens. Agachados: Albino, Luiz Henrique, Maria Melo e Fábio Reis.


Março | EXPRESSÃO | 11

Jovens da Diocese ingressam em seminários religiosos Após anos de caminhada pastoral em paróquias de nossa Diocese, oito jovens ingressaram em seminários e casas de formação de congregações diferentes. Leia o relato seus relatos das etapas de discernimento vocacional. Dehonianos

David Cordeiro da Silva Paróquia Nossa Senhora de Fátima Jd. Oriente “Levar Cristo ao coração do mundo; Trazer o mundo ao coração de Cristo.” (Padre Dehon) “Meu despertar vocacional começou numa conversa com o antigo vigário da nossa então comunidade Nossa Senhora de Fátima, que me questionou: “Você vai ser padre?”. Fiquei surpreso e mexido com o questionamento. Após um tempo incomodado com isso, resolvi perguntar a Deus o que Ele realmente queria de mim e Ele revelou em dias de intensa oração que me queria seguindo o caminho de entrega total a Igreja, me bastava coragem para a resposta. Após um tempo conhecendo as diferentes atuações vocacionais me encontrei no carisma do Sagrado Coração de Jesus, os Dehonianos. Além de todas as características que me encantaram foram a vida religiosa como viver, trabalhar e rezar em comunidade, fazer os votos de castidade, pobreza e obediência como amor a Deus. O carisma missionário de IR AO POVO como fonte de amor e reparação, pregado e vivido por Pe Dehon - fundador da congregação, me fez ter a certeza de onde Deus me chamava a ser seu discípulo missionário, e respondi “Ecce Venio”, expressão em latim que significa “Eis que venho”, e para nós Dehonianos configura-nos a disponibilidade de aceitar os desígnios de Deus para nossa vida. Agradeço a Deus por ter me chamado para servir de forma específica, sendo seu missionário em minha frágil juventude, cheia de vida e incertezas, cheia de coragem e medos, mas com a confiança no que não se vê, mas se sente em tudo que se vê!”

Salesianos

Vinícius Nogueira Santos Paróquia Nossa Senhora de Fátima Jd. Oriente “Não temas: doravante serás pescador de homens” (Lc 5, 1-11). “O caminho que me levou até aqui não foi muito simples. Acredito que Deus foi muito insistente comigo, já que esse caminho não era o sonhado por mim e persistia o meu silêncio em relação à proposta que Ele fazia. Todo chamado exige uma resposta, independente de ser ‘’sim “ou ‘’não’’. Mas vejo que, o que realmente me prendia era o medo. Se perguntarem para um jovem qual o objetivo de sua vida, provavelmente responderá ‘’ser feliz’’, ou algo parecido, que terá como finalidade a felicidade. Comigo não era diferente. Procurando me envolver em tudo na comunidade, percebia que não era o bastante, sentia que Deus pedia mais de mim, sentia o Seu chamado. Aquilo realmente me assustava. ‘’Buscar o sacerdócio’’ não estava em meus planos. Um dia, por um acaso, recebi uma proposta para fazer um caminho de discernimento vocacional com os Dehonianos, foi um convite de um frater dehoniano. Conheci várias congregações, mas a Congregação dos padres do Sagrado Coração de Jesus não estava entre elas, na verdade tinha até um certo preconceito, talvez por minha paróquia pertencer à Congregação. O caminho vocacional realmente me ajudou muito, primeiramente me senti acolhido. Conforme ia conhecendo mais a congregação, mais sentia que este era o meu lugar, visto que o carisma (amor e oblação) e o ‘’fazer’’ reparação, da congregação era que atualmente já buscava indiretamente em minha vida. Eis que hoje aqui estou. Peço a todos humildemente, que se lembrem de mim em suas orações. Desde já, muito obrigado e Deus os abençoe.

Guilherme de Freitas Paróquia Santa Inês. “Santidade é alegria” (Dom Bosco) Escolhi os Salesianos por me identificar com o carisma da congregação e o trabalho com os jovens. Comecei meu discernimento vocacional na Diocese no ano de 2012 e em 2013 continuei com os salesianos.

João Paulo Godoy Rigobello Paróquia Sagrada Família “Ser sinais e portadores do amor de Deus aos jovens” (Constituições Salesianas) Escolhi ingressar no Seminário Salesiano por ser um apaixonado pela maneira de Dom Bosco de seguir a Jesus Cristo e anunciar o evangelho à juventude. Meu despertar vocacional começou no cotidiano, sendo aluno do Instituto São José - das irmãs salesianas, e participando ativamente das atividades da paróquia - confiada aos Salesianos. Sempre tive grande admiração pelo trabalho desenvolvido, e me perguntei “por que não eu?”. Aceitei o desafio, de viver esta aventura de gastar a vida pelos jovens.

Victor Bruno de Souza Sermarini Paróquia São Vicente de Paulo. “A quem você quer servir, o servo ou o Senhor?” (São Francisco de Assis) Escolhi a Congregação dos Salesianos por me identificar com o carisma e o método de trabalho com a juventude. Sinto o chamado desde criança, mas no ano de 2012 comecei a buscar respostas para a vocação e em 2013 iniciei o acompanhamento vocacional na Diocese e após a JMJ continuei com os Salesianos.

Ordem dos Frades Menores

Thiago Augusto dos Santos Paróquia São João Batista “O importante é ser menor.” (Frei Wilson Steiner)

Escolhi a Ordem dos Frades Menores pela simplicidade e modo de vida dos Frades, que estão sempre em fraternidade, sempre procurando ajudar o irmão que precisa, sem distinções, e estão sempre com um sorriso acolhedor no rosto. É difícil na história da nossa vocação achar apenas um começo de discernimento, foram vários pontos que nos fazem escutar esse chamado. Mas eu me lembro que em 2007 com a canonização de Frei Galvão (santo pertencente a Ordem) eu fui buscar saber a história dele até que descobri a história de vida de São Francisco e me apaixonei por esse ideal que mesmo após 800 anos continua sempre presente, o tempo foi passando, comecei a fazer faculdade, também a experiência do namoro, até que em 2012 resolvi procurar a Ordem e iniciei o acompanhamento vocacional, e em cada encontro o desejo de estar ali se fazia cada vez mais forte.

Também iniciam etapas de acompanhamento os jovens Julio Oliveira, da Paróquia São Bento na Ordem dos Servos de Maria e Lucas Moura, da Paróquia de Santa Branca, na Ordem dos Frades Menores.

Julio

Lucas


12 | EXPRESSÃO | Março

15º Encontro Nacional de Presbíteros Divulgação

Caros amigos diocesanos, eu Pe. Vicente e o Pe. Edi Carlos, tivemos a alegria de participar do encontro nacional de presbíteros. Momento rico para o padre que dele participa, encontrar com seus irmãos presbíteros de todas as regiões do nosso país. Aqui a minha gratidão a toda a diocese e aos meus irmãos presbíteros, por este momento ímpar. O encontro foi realizado de 05 a 11 de fevereiro em Aparecida-Sp, estávamos ao todo 531 presbíteros, mais 10 bispos, das diversas regiões do nosso Brasil. Para participar desse encontro nacional, cada estado realiza o seu, em nível regional e de lá saem os representantes do nacional, no nosso caso este encontro realizou-se em setembro de 2013, o chamado paulistão. O que eu gostaria de partilhar com vocês uma das falas do bispo Dom Angélico que pregou o retiro para nós na sexta-feira dia 07/02, “o presbítero é o homem da esperança”, animado para animar. Presbíteros homens de Deus e da comunidade, não somos funcionários do sagrado, pop-stars. Tivemos também a análise da conjuntura social eclesial. Segue abaixo alguns temas: • Uma das realidades que temos que olhar com carinho é o aumento população carcerária, é

• O crescimento das uniões livres. Repetindo as palavras do papa Francisco: vivemos na presença de Deus, convencidos de que é, o Deus da nossa vida, o Deus da nossa história, daqui deriva uma conseqüência para a nossa vida: despojar-se dos numerosos ídolos, pequenos ou grandes, que temos e nos quais no refugiamos, nos quais buscamos e muitas vezes depositamos a nossa segurança. Deus lhes pague! Pe. Vicente Benedito Simões, Pároco da paróquia Coração Eucarístico de Jesus (Parque Novo Horizonte-SJCampos)

TEMA: Concílio Vaticano e os presbíteros no Brasil: Testemunhas de Fé, esperança e caridade. LEMA: “Estai sempre prontos as dar razão da esperança as quem a pedir” (1Pd 3,15) Presidente Nacional do CNP (Conselho Nacional de Presbíteros - Padre Anselmo Matias Limberger Bispo Referencial da CNP: Dom Pedro Brito Guimarães Assessores do Encontro: Pe. Dr. Ney de Souza e Pe. Dr. Edson Donizete Toneti Análise da conjuntura Política: Pedro Ergnaldo Gontijo – Comissão Brasileira de Justiça e Paz – CBJP Análise da Conjuntura Eclesial: Pe. Thierry Linard de Guertechin SJ ( Instituto Brasileiro de Desenvolvimento - IBRADES

necessário fortalecer a presença da Igreja na periferia. • Não basta construirmos casas, onde está o espaço para o lazer, cultura e estudo? • Poucos avanços aconteceram na educação. • Sobre a análise eclesial: Os padres mediáticos, perigo não ajudar o povo a refletir a fé, respostas rápidas diante de realidades complexas. • O crescimento Igrejas Pentecostais na periferia. • O crescimento de cristão não praticante. A crise religiosa, nossa credibilidade.

Jovens em missão Divulgação

Jovens da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, do Jd. Oriente, participaram da Missão Dehoniana Juvenil (MDJ) de 10 a 26 de janeiro, em Barretos, a 400 quilômetros da capital paulista. Reunidos com mais oitenta e cinco jovens de dezesseis cidades e seis estados do Brasil, os três jovens de São José dos Campos, Maiara Borges, David Cordeiro e Vinícius Nogueira, juntos com o padre Reinaldo Braga, scj, ficaram na Paróquia São João Batista. A Missão Dehoniana Juvenil é um projeto missionário dos Padres Dehonianos com origem na Argentina e que desde 1990, acontece no Brasil. O projeto busca levar os jovens a vivenciarem uma experiência de missão e de vida comunitária. São pequenas comunidades missionárias espalhadas na paróquia que acolhe o projeto, que realizam a evangelização de porta em porta e através de encontros com crian-

ças, jovens, casais, de celebrações penitenciais, celebrações eucarísticas nas casas. Confira os depoimentos dos missionários Maiara Borges e David Cordeiro. “A MDJ é um lindo trabalho que proporcionou para mim um momento único de intimidade com Deus. Chegando a Barretos, fomos recebidos com muito carinho pela comunidade, todas aquelas pessoas que não nos conheciam preparando tudo da melhor forma para nos receber, naquele momento comecei a ver o amor de Deus se manifestando. Durante as visitas ás casas, pude conhecer um pouco da cultura e da vida dos moradores da Comunidade Barretos 2. Em cada oração, cada partilha do evangelho observava a simplicidade, o carinho com que nos recebiam. Foram 15 dias de graça e crescimento espiritual. Foi por um amor maior que nós deixamos

casa, família, amigos, férias para ir ao encontro do povo, formar uma nova família, partilhar a vida, trocar experiências, evangelizar. ‘Obrigado por nos deixar encontrar a ti Jesus em cada irmão e em cada família’. Agradeço à Família Dehoniana e à Paróquia Nossa Senhora de Fátima pela oportunidade de viver a missão e levar a Palavra àquela comunidade. Pude viver o que dizia pe. Dehon: devemos ir ao povo e ser presença entre os mais pobres.” Maiara Borges “A missão me proporcionou viver o verdadeiro ir ao povo pregado por pe Dehon. Sair do meu lugar, me mexer, ir até onde precisamos de nós e acabar saindo de lá mais preenchidos do que imaginávamos.” David Cordeiro E ai jovem, ficou interessando em conhecer o trabalho da Juventude Missionária Dehoniana? Entre em contato com a Paróquia N. Sra. de Fátima - (12) 3931-6491.


Março | EXPRESSÃO | 13

Instalada Faculdade Católica de São José dos Campos

N

o dia 1º de fevereiro, a Diocese de São José dos Campos oficializou a instalação da Faculdade Católica de São José dos Campos. Dom Moacir Silva, arcebispo de Ribeirão Preto, presidiu a Missa em Ação de Graças e descerrou as placas que marcaram a inauguração. Membros do clero, funcionários, autoridades civis, alunos e amigos participaram da Solenidade. “É um momento muito especial para esta instituição, e por extensão para toda nossa diocese, porque esse reconhecimento abre perspectivas muito boas para a faculdade. Poder ter um curso de Teologia reconhecido pelo MEC tem uma importância muito grande, além dos nossos seminaristas poder sair com um curso reconhecido”, disse Padre Djalma Lopes Siqueira, administrador diocesano. A FACULDADE - A Diocese de São José dos Campos já mantinha o Curso “Livre” de Teologia, no Instituto de Teologia e Filosofia Santa Teresinha – ITEFIST, que continua existindo para fins canônicos. O credenciamento da CATÓLICA-SJC e a autorização do curso foram publicados pelo Ministério da Educação em novembro de 2013. A CATÓLICA-SJC é responsável pela formação teológica dos futuros padres, diáconos e está aberta a todas as pessoas interessadas em buscar, no conhecimento teológico, uma fé esclarecida e melhor capacitação para os seus trabalhos pastorais. Com excelente corpo docente, formado por mestres e doutores nas respectivas áreas teológicas e áreas afins, a CATÓLICA-SJC prima pela excelência no ensino, pesquisa e extensão. Possui apropriada infraestrutura com salas de aula equipadas com data-show, som e iluminação; auditório para 400 pessoas e uma biblioteca especializada. O curso de graduação em Teologia tem duração de quatro anos. A primeira turma terá início em 2014 e o processo seletivo é por meio de vestibular.

Ana Lúcia Zombardi

Para os que vão se dedicar ao magistério, dar aulas, é algo muito importante. Abre perspectivas no currículo. O fato desse reconhecimento pode incentivar a frequência no nosso curso em mais pessoas, quem está no mercado de trabalho. Padre Djalma Lopes Siqueira, administrador diocesano.

“Um sonho que se tornou realidade e esperamos que essa faculdade seja um instrumento de evangelização a serviço da Diocese de São José dos Campos.”

Missa em Ação de Graças foi presidida por Dom Moacir Silva

Padre José Roberto Fortes Palau, diretor geral da Faculdade.

“ Ao centro, Carlinhos Almeida, prefeito de São José dos Campos

Padre José Roberto Fortes Palau e Dom Moacir Silva no descerramento das placas

Diretores, funcionários e professores

Padre José Roberto Fortes Palau, Diretor Geral da Faculdade Católica de São José dos Campos

“A data de hoje não é um ponto final, apenas uma vírgula, ou seja, mais uma etapa importante, mais um capítulo de nossa história, ou melhor, a continuação da importante missão de capacitar teologicamente nossos leigos e futuros sacerdotes. (...) Ainda durante o processo de instalação de nossa FACULDADE, ouvi muitas vezes o seguinte questionamento: Por que estudar Teologia? Para seminarista é condição indispensável para a ordenação sacerdotal. E para o leigo? Afinal de contas, são quatro anos de intensos de estudos! Vejo pelo menos três razões que justificam o estudo da Teologia : a FÉ, a VIDA e a ÉPOCA em que vivemos”. A FÉ pede Teologia, a VIDA pede Teologia e nossa ÉPOCA pede TEOLOGIA. Portanto, sem delongas, necessário e urgente estudar Teologia. A teologia é a fé inflamada pela luz do saber. Sem

“Não tenho dúvida que essa será uma grande contribuição, o curso de teologia para a formação dos padres, diáconos, dos leigos e de todas as pessoas que tiverem interesse em ampliar o seu conhecimento. A Igreja Católica no país sempre contribuiu muito para a educação.” Carlinhos Almeida, prefeito de São José dos Campos.

uma ‘Fé curiosa’, no bom sentido do termo - PAIXÃO PELA VERDADE - nunca será um bom teólogo. A Paixão pela verdade sustenta o empenho intelectual do teólogo, tanto em suas leituras, estudos e reflexões, quanto em suas pesquisas, elaborações e criações. Para ser um bom teólogo é preciso se ‘encantar’ com a Teologia. Válido o testemunho de um teólogo e jurista do século XVI, Francisco de Vitória: ‘Ainda que alguém passe toda a vida no estudo da Teologia, não avançaria tanto quanto reclama a matéria. Eu, que por mais de vinte anos me dediquei com todas as minhas forças ao estudo da Teologia, a mim me parece que ainda não passei das portas. Se pudesse viver cem anos, passá-los-ia agradavelmente estudando Teologia’.” Palavras de Padre José Roberto Fortes Palau, Diretor Geral da Faculdade Católica de São José dos Campos na solenidade de Instalação.


14 | EXPRESSÃO | Março

Regional Sul 1 da Pastoral Juvenil realiza encontro

N

o dia 15 de fevereiro, na casa de encontros da Legião de Maria, na Diocese de Mogi das Cruzes, realizou-se um encontro da Pastoral Juvenil do Regional Sul 1 da CNBB. Contou com a participação de aproximadamente cinquenta pessoas, representando cerca da metade das dioceses do Estado de São Paulo. Entre os participantes, a maioria era composta de jovens. Compareceram também assessores adultos e significativo número de padres que acompanham o Setor de Juventude nas dioceses do Regional. O encontro contou com a assessoria de Dom Eduardo Pinheiro, presidente da Comissão Episcopal de Pastoral para a Juventude da CNBB. Iniciou-se com a celebração da Eucaristia, presidida por Dom Pedro Luiz Stringhini. Dom Eduardo fez duas exposições. A primeira foi sobre a

Francisco Isaias Ferreira

Evangelização da Juventude. Mostrou diversos aspectos de como a Igreja no Brasil quer falar ao coração dos jovens. Sinal desse interesse é o Documento 85, de 2007; a criação da Comissão episcopal

para a Juventude (2012); a Campanha da Fraternidade e a Jornada Mundial, em 2014. Dom Eduardo lançou um olhar positivo sobre a Juventude, refletindo sobre o contexto social e a visão que os jovens

PJ lança concurso para arte, hino e oração do ENPJ da juventude dos regionais Norte I, Norte II, Norte III e Noroeste da CNBB.

A Pastoral da Juventude (PJ) lançou edital do concurso para escolha da Arte, Hino e Oração Oficiais do 11º Encontro Nacional da PJ. As inscrições e envio das propostas acontece de 11 de fevereiro a 11 de abril de 2014. O Edital do Concurso

está disponível para download no site da Arquidiocese de Manaus (www.arquidiocesedemanaus.org.br). O resultado deverá ser publicado durante o Encontro do Bloco Norte da PJ entre os dias 1 e 5 de maio, em Manaus/AM, que irá reunir as coordenações da pastoral

Encontro Nacional da PJ O XI Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ) vai acontecer de 18 a 25 de janeiro de 2015, na Arquidiocese de Manaus, Regional Norte I (AM/RR) da CNBB. O lema deste encontro é “NO ENCONTRO DAS ÁGUAS, PARTILHAMOS A VIDA, O PÃO E A UTOPIA”, com iluminação bíblica: “MESTRE ONDE MORAS? VINDE E VEDE” (Cf. Jo 1, 38b.39a). Este Encontro acontece com periodicidade de três anos e está sendo preparado para receber centenas jovens de todos os 18 Regionais da Igreja no Brasil.

de hoje têm do mundo, da Igreja, da família. A segunda exposição foi sobre a Pastoral Juvenil, a partir do Documento de Estudos 103. Os participantes apreciaram o encontro e,

no final, antes da oração de encerramento, foram lembrados três grandes desafios que, do encontro de Brasília (dezembro de 2013) os que representavam o Regional Sul 1 levantaram: aprimorar metodologia na pastoral juvenil, criar projetos que visem a superação da violência e a dimensão missionária. Constatou-se que quase todas as dioceses do Regional realizam, no segundo semestre, o Dia Nacional da Juventude e que muitas não realizam, no primeiro semestre, a Jornada diocesana da Juventude. Ficou o apelo para que isso aconteça. E propôs-se também pensar numa Jornada Regional da Juventude e tudo o que ajude os jovens a terem um encontro profundo com Jesus Cristo. Vale a pena continuar sonhando; vale a pena apostar na Juventude. Dom Pedro Luiz Stringhini

Bispo de Mogi das Cruzes


Marテァo | EXPRESSテグ | 15


16 | EXPRESSÃO | Março

Espaço do leitor

›› Escreva para o Jornal Expressão e participe! O Espaço do Leitor mudou! Em cada edição será divulgada a foto de um detalhe ou de um ângulo da fachada da Igreja Matriz de cada paróquia. Você pode ganhar um lindo presente se a sua resposta for selecionada. Para participar basta enviar sua carta ou e-mail com a resposta da pergunta deste mês.

Qual é a paróquia desta foto? A – Paróquia Sant’Ana B – Paróquia São José C – Paróquia Santa Branca Envie sua resposta até o dia 20 de março. Espaço do Leitor/Jornal Expressão. Pça. Mons. Ascânio Brandão, 01 CEP 12245-440 São José dos Campos – SP. Ou pelo e-mail: jexpress@diocesesjc.org.br. Na sua mensagem por e-mail ou na carta, informe seu nome completo e paróquia onde participa.

Brinde do mês: Livro Vencendo meus Medos Flavinho Ao escrever este livro, Flavinho foi inspirado pelo cotidiano da missão evangelizadora e na partilha da vivência de tantas pessoas atormentadas pelos seus medos mais terríveis. Ao identificar essa fragilidade, começou a pesquisar, estudar e buscar na Palavra de Deus, primeiramente, as respostas e, em seguida, as armas para vencê-los. Resposta anterior: A foto é da Paróquia São Sebastião que celebrou seu padroeiro em janeiro. Ganhador: Alcione Pereira da Silva, da Paróquia São Vicente de Paulo. O brinde deve ser retirado na Cúria Diocesana, com Ana Lúcia, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira Pça. Monsenhor Ascânio Brandão, 1 – Jd. São Dimas – SJCampos - Tel.: 3928-3911

Aniversariantes Natalício 3 Pe. José Bento Vichi de Paula (Pe. Bentinho) 4 Diác. João Roberto Queiroz 4 Diác. João Mendes Dunhão 7 Diác. Sylvio de Barros Bindão 10 Diác. Oscar Ivo 12 Pe. Pedro José Graciano Júnior 13 2013 Papa Francisco (Eleição Papal) 14 Pe. Edinei Evaldo Batista 14 Pe. Francisco José da Silva 15 Pe. Geraldo Magela dos Santos 18 Diác. Sebastião Marques Andrade Filho 19 2013 Papa Francisco (Início do Pontificado) 19 Diác. José Maria da Silva 20 Pe. Mário Lúcio Adrião 21 Diác. José Antônio Monteiro de Carvalho (Zico) 22 Pe. Mário Teodoro Batista 24 Diác. Coriolano Edson Rosa 26 Pe. Luiz Fernando de Siqueira Fonseca 29 Pe. Antônio Silva França 31 Diác. José Roberto dos Santos Ordenação 1 2003 Pe. João Alves da Silva Sobrinho 12 1995 Pe. Luiz Fernando de Siqueira Fonseca 19 1980 Diác. Geraldino Grégio 20 2004 Pe. Celso José Machado 20 2004 Pe. Lindomar Francisco Ferreira 20 2004 Pe. Paulo Renato F. G. Campos 27 1983 Diác. Rubens Dantas

Jornal Expressão - Março 2014  
Jornal Expressão - Março 2014  

Fique bem informado sobre os acontecimentos na Diocese e também enriqueça seu conhecimento com artigos formativos lendo o Jornal Expressão,...

Advertisement