Issuu on Google+

CARTILHA INTERNA DE PROCEDIMENTOS


APRESENTAÇÃO Você está recebendo a cartilha de procedimentos internos do Grupo De Moraes, desenvolvida especialmente para você, colaborador e profissional atuante do ramo de vestuário feminino. Aqui você irá encontrar procedimentos utilizados internamente para criar condições indispensáveis à harmonia entre pessoas que trabalham em conjunto além de aperfeiçoar, padronizar e principalmente para organizar o seu dia a dia e irá ajudá-lo a compreender e fixar os pontos essenciais que pretende colocar em prática em seu trabalho. Lembre-se que esse material foi desenvolvido especialmente para você, que é a pessoa mais importante nesse processo. Portanto qualquer observação, crítica, sugestão ou comentário, irá ajudar a tornar essa cartilha sempre melhor e atualizada.

1


INTRODUÇÃO Todos sabem que hoje a troca de informação se dá de maneira quase instantânea. A revolução tecnológica é algo que ocorre constantemente em todo o mundo, e, essa velocidade nos obriga a manter-nos atualizados e em nosso dia a dia isso se torna um desafio que temos que enfrentar e vencer. Hoje o sucesso de uma organização está diretamente relacionado ao conhecimento, seja ele maior ou menor, do mercado atuante. Com a globalização é cada vez mais difícil acompanhar as alterações e inovações do mercado por conta da velocidade em que as informações são modificadas e atualizadas, ainda mais num país em constante desenvolvimento e com dimensões continentais como o Brasil. As informações não estão disponíveis e os dados não são alterados somente para os profissionais, os consumidores também possuem acesso a grandes informações, o que os tornam mais críticos e entendidos. Hoje podemos afirmar que o mundo evoluiu de forma muito rápida e que muitas das inovações que vemos hoje não seriam sequer imaginadas por ninguém em um passado não tão distante. Com isso, aqueles que não acompanharem permanentemente o ritmo das mudanças serão deixados para trás, dando espaço para seus competidores tomarem seus lugares, pois, a necessidade de consumo aumenta a cada dia de maneira equivalente a competição entre os profissionais, que buscam ganhar a preferência e fidelizar seus clientes.

2


MERCADO DA MODA EVANGÉLICA Quando o assunto é moda evangélica, para os que não vivem o dia a dia da igreja, é difícil retirar da cabeça a imagem da mulher que usa uma saia longa, pouco trabalhada, o rosto limpo sem nenhuma maquiagem e o cabelo longo e preso. Há anos a imagem da mulher evangélica tem sido essa, uma mulher pouco preocupada com questões de estilo. Essa imagem vem se perdendo ao longo do tempo. Hoje em dia, com a presença cada vez mais forte de jovens na igreja, o mercado da moda evangélica cresceu tanto que tomou tal proporção, a ponto de criar um nicho de mercado próprio. Numericamente, o aumento de jovens presentes em igrejas evangélicas foi de 17,72% para 21,59%, entre 2003 e 2009, de acordo com a pesquisa “O Novo Mapa das Religiões”, publicada em agosto de 2011 pelo economista Marcelo Neri. Muitas igrejas têm suas doutrinas que precisam ser seguidas. As roupas, normalmente são pouco chamativas, sem decotes e saias mais longas que o convencional. Hoje vemos que, mesmo com esses aspectos que limitam alguns detalhes e formas, as roupas das mulheres evangélicas estão mais sofisticadas e o próprio público está cada vez mais exigente. O desafio de incorporar a sofisticação e elegância a roupas feitas, especificamente, para atender as doutrinas das mais variadas denominações de igrejas, está cada vez mais superado. É possível encontrar roupas extremamente sofisticadas, porém discretas, para atender o público evangélico, e, essa é a aposta de muitos empresários.

3


GRUPO DE MORAES A história do grupo inicia-se em 1993, em São José dos Campos, quando Suzana Claudia de Moraes ficou responsável por vender algumas peças de roupas deixadas a ela por sua tia Ana que se mudou para Pouso Alegre. Bastaram apenas poucos dias para que a maior parte das roupas fosse vendida para suas amigas, descobrindo em si o dom para venda. Nesse tempo, adquiriu experiência e conhecimento lançando na cidade a moda evangélica, na qual a Suzana trabalhou como vendedora autônoma durante 10 anos. Com o aumento da demanda, Suzana não conseguia mais atender todos os clientes e então decide abrir sua loja, que passa a se chamar Suzana Modas. Em dezembro de 2010, a Suzana Modas da mais um passo ao crescimento e a modernização, abrindo sua nova loja, ampla, e com mais conforto para atender melhor suas clientes, além de abranger e focar outro nicho de mercado. Dois anos após, Suzana da um passo ainda maior e ousado, abrindo assim a nova loja do grupo, a Via Tarra, localizada em um dos mais importantes shoppings da cidade de São José dos Campos, sendo esse o principal ponto forte da loja, o que cria uma abertura maior para atender clientes de outra região da cidade.

4


CAPÍTULO I – ROTINAS DE TRABALHO INTERNO VENDEDORAS Etapas a serem seguidas: a) Abordar o cliente; b) Triagem (bate-papo) para estabelecer relacionamento pessoal com cliente; c) Criação de Looks; d) Acompanhar cliente ao provador, colocando se a disposição para verificar as peças experimentadas; e) Observar o que ficou bom e separar as peças mesmo que o cliente dizendo que não vai ficar com tudo; f) Fazer os ajustes necessários e se houver dúvida chamar sua superior; g) Perguntar ao cliente a forma de pagamento (Cartão, Cheque ou Dinheiro). OBS: Se a cliente costuma comprar em boleto, ela mesma vai falar. Na dúvida, consulte o CPF. h) Preencher o cadastro do cliente para realização da venda; i) Fechar venda; j) Se houver ajustes, fazer ordem de serviço e entregar via do cliente; k) Pedir indicações para novos clientes; l) Acompanhar cliente ate a porta agradecendo a compra e entregar a sacola com o cartão da loja e o seu nome; m) Guardar as peças que você mostrou para sua cliente; n) Ligar para cliente e convida-la para novas coleções e/ou promoções.

5


VENDEDORAS

Criaçã o de

ro da

Looks

or

te en

cli

er belec a esta nte o) par lie te-pap soal com c s m (ba Triage amento pe n relacio

Ab Liga par r para a no c vas liente e cole çõe convid s e/ á ou p -la rom o

çõe s.

Fazer os ajustes necessários e se houver dúvida chamar sua superior

Guardar as peças que você mostrou para sua cliente

Se ho u e entr ver ajustes ,f egar v ia do azer ordem client de se e rviço

cli en te s

ara no vo s

aç õe sp dic ir i n

venda

Pe d

r Fecha

6

Per (Ca gunta r r OB tão, C ao cl S i ela : Se a hequ ente a e me c sm liente ou D forma i av ai f costu nheir de p o ala aga r. N ma c ). me o ad nto úvi mpra da, r em con b sul olet te o o, CPF .

e nt lie oc od a str nd da ve ca da r o ão he aç nc liz ee ea Pr ra r pa

do a cen a loj ade tão d r g car ta a por m o te a ola co a te ac lien a s ar c regar h n t a n ee mp Aco mpra me o o c n a seu eo


GERENTE DE VENDAS Etapas a serem seguidas: a) Conferir abertura de caixa; b) Dar baixa nas vendas externas; c) Orientar as vendedoras, trabalhando em conjunto a elas; d) Orientar vendedoras nos ajustes; e) Enviar ajustes para costureira, atentando-se no prazo; f) Avaliar procedimento de troca; g) Auxiliar no fechamento das vendas; h) Avaliar conflitos internos; i) Incentivar diariamente as vendedoras; j) Apresentar comprovante de compras efetuadas para o financeiro; k) Fechar o caixa; l) Entregar faturamento para o financeiro; m) Fechar a loja.

7


oc aix

rtu ra d be rir a

na

Co nfe

Fechar a loja

Fe ch ar

ec aix a

GERENTE DE VENDAS

na

s

a

nd

e sv

a aix

r xte e s

rb

a

Da

endedoras, Orientar as v a elas em conjunto o d n a lh a b a tr

iam

diar

nta

r ve nde d

oras

ar no Auxili

a e troc

8

,

nto d

fecha m

e edim

ento d

r proc

as ven

Avalia

das

In

ira re tu os ac o ar raz sp op s te n ju se r a ovia nd En enta at

ivar cent

ente

Orie

s dora nde e v s a

nos

ajus

tes


ADMINISTRATIVO Etapas a serem seguidas: a) Tirar o saldo de todas as contas; b) Pagar as contas do dia e dar baixa no sistema; c) Separar cheques a ser depositado e já dar baixa no sistema financeiro; d) Tirar listagem de títulos pagos no banco e já dar baixa para que fique atualizado em tempo real; e) Puxar diariamente títulos pagos na loja e já dar baixa na lista de títulos pendentes; f) Conferir o restante dos títulos que sobraram em sua lista de pendentes; g) Pagar os títulos no correspondente; h) Lançar na planilha de pagamento de contas; i) Conferir notas fiscais com os pedidos; j) Lançar preço de custo de cada compra; k) Conferir a forma de pagamento de cada nota fiscal; l) Verificar se os boletos para pagamento estão corretos e não há duplicidade; m) Passar todos os boletos para consultoria lançar no sistema; n) Separar as notas fiscais do mês vigente; o) No final do mês, somar as notas fiscais de entrada e saída e passar os valores para a consultoria; p) Separar todas as contas pagas, inclusive holerites e encaminhar para consultoria semanalmente; q) Contas fixas que não forem apresentadas comprovantes, baixa no sistema após 5 dias a consultoria encaminhará email de aviso de débito; r) Fechar o cofre; s) Ir embora somente com a reserva exata.

9


a istem no s dar b aixa ia e do d

om a

fre co

xata

r va e

rese

as co ntas

c ente som

Paga r

bora Ir em

o ar ch Fe

Tirar o saldo de todas as contas

ADMINISTRATIVO

Separ a e enc r todas as c amin har p ontas pag ara co a nsulto s, inclusiv e ria se mana holerites lmen te

loja os na s pag endentes lo u ít t p s e ment a de título diaria st Puxar baixa na li r e já da

Conferir o re stante dos títu los que sobraram em sua lista d e pendentes

ra da comp

ca custo de reço de

10

r os

títu los no de nça cor pa r n resp ond a ga p ent m la e en ni to lha de co nt as La

Lançar p

ra pa ma s o te let sis o o s b ar n o os nç od ia la t r ar ss ulto a s P n co

Pag a


TROCAS Etapas a serem seguidas: a) Identificar o problema da peça; b) Analisar os parâmetros da troca com a Gerente; c) Informar sistematicamente todo o processo; d) Informar o prazo troca 30 dias; e) Informar o prazo de conserto da peça; f) Realizar a troca.

11


TROCAS

ar a aliz Re a

c tro Informar o prazo de conserto da peça

Analisar os parâmetros da troca com a Gerente

so

ces pro

Inf orm

ar

oo od te t

op

en

raz

cam

ti ma

ot roc

iste

a3

ar s

0d

ias

orm Inf

12


CAPITULO II DISPOSIÇÕES EXCLUSIVAS DE CADA SETOR COMPETÊNCIA VENDEDORAS a) Zelar pela harmonia no serviço, bem como pelo espírito de cordialidade e colaboração com relação a seus subordinados e superiores; b) Manter a boa ordem e segurança no serviço de sua responsabilidade; c) Manter sempre a cordialidade e a atenção para cada cliente; d) Ter pleno conhecimento das características, aplicabilidade, benefícios e resultados dos produtos vendidos.

COMPETÊNCIA GERENTE DE VENDAS a) Zelar pela harmonia no serviço, bem como pelo espírito de cordialidade e colaboração com relação a seus subordinados e superiores; b) Manter a boa ordem e segurança no serviço de sua responsabilidade; c) Ter pleno conhecimento das características, aplicabilidade, benefícios e resultados dos produtos vendidos; d) Manter-se disposto a ajudar e aconselhar os clientes mediante suas necessidades; e) Orientar seus subordinados e manter-se a disposição para esclarecer as dúvidas f) Motivar seus subordinados, a fim de manter a equipe unida.

13


COMPETÊNCIA SETOR ADMINISTRATIVO a) Zelar pela harmonia no serviço, bem como pelo espírito de cordialidade e colaboração com relação a seus subordinados e superiores; b) Manter a boa ordem e segurança no serviço de sua responsabilidade.

COMPETÊNCIA TROCAS a) Zelar pela harmonia no serviço, bem como pelo espírito de cordialidade e colaboração com relação a seus subordinados e superiores; b) Manter a boa ordem e segurança no serviço de sua responsabilidade.

14


Todos os direitos desse material s達o reservados a Via Tarra e Rossato Consultoria.

15


Nova expans達o Vale Sul Shopping (piso superior)


Cartilha interna via tarra