Page 1

Prefeito eleito Pedro Bigardi anuncia governo Luiz Fernando ro turno. dos ao adversário. "Vamos para o povo Machado, candidato do Emoção e planos governar para todos", disse.

Com número recorde de votos, 139.614, Pedro Bigardi foi eleito, ontem, o novo prefeito de Jundiaí. Além de ter contribuído para um segundo turno também inédito na cidade, o candidato carrega uma renovação partidária ao Paço Municipal - venceu pelo PCdoB, coligado com PT. Aos mais de 20 anos de gestão tucana que marcam o município, Bigardi responde com o objetivo de governar para

o povo. "Agradeço a população que acreditou no nosso trabalho. Quero começar fazendo o melhor por Jundiaí, levantando projetos e mantendo o contato com todas as pessoas." Em festa nas ruas e na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí, ontem, durante e após apuração completa dos votos, o peso da responsabilidade e emoção era evidente.

Bigardi falou sobre a comissão de transição e os desafios da cidade, tanto os de estrutura quanto os pontuais: chuvas de janeiro, trânsito e saúde, sobretudo, a superlotação do Hospital São Vicente, que já era pauta discutida em sua campanha. Os votos de Bigardi correspondem a 65,57% dos votos válidos deste segundo turno: 212.919 (93,17%). O total de votos apurados foi 228.529.

PSDB, ficou com 34,43% (73.305). No primeiro turno em que disputaram com mais outros três candidatos, Bigardi teve 101.528 votos (49,98%) e Luiz Fernando, 87.263 (42,95%). Os 38 mil votos a mais do novo prefeito são atribuídos, por ele mesmo, ao apoio de B.A., Cláudio Miranda e Ibis Cruz neste segundo momento, além de uma avaliação dos próprios eleitores.

"Acredito que os boatos e ataques feitos pela campanha adversária também não agradaram a população", considerou. Os nulos (4,58%) e brancos (2,25%) - em menor quantidade que no primeiro turno - não influenciaram, na opinião de Bigardi. A abstenção ficou um pouco maior - 11,13% frente aos 9,89% do primei-

- Em meio às bandeiras erguidas por cerca de 2 mil pessoas na associação e nas ruas do entorno (rua Prudente de Moraes), Bigardi recebeu amigos, militantes, eleitores e familiares. Chorou ao ver a irmã. "Lembro muito dos meus pais, já falecidos, que sempre me apoiaram." Mesmo emocionado, foi preciso quanto aos planos: entrega até dia 1º de novembro sua comissão de transição. "Será técnica. Vou discutir os nomes com a coordenação da campanha", informou. Na terça-feira, deve ir à Assembleia Legislativa de São Paulo, onde atua como deputado estadual. Ao seu lado no palco, o vice-prefeito eleito, Durval Orlato (PT), lembrou que a futura gestão também irá alcançar os votos direciona-

Este também foi o tom de Paulo Malerba, presidente do PT, eleito vereador neste ano.

"Vamos conseguir maioria na Câmara. Temos condições para dialogar e construir uma cidade de forma republicana." "Vamos devolver esta confiança e esperança de vida que depositaram nele", disseram a filha, Patrícia, e esposa, Margarete, bastante emocionadas. Uma mobilização com milhares de pessoas encerrou a festa de Bigardi ontem. Uma carreata tomada por entusiasmo fechou a avenida Prefeito Luiz Latorre. O prefeito e vice eleitos agradeceram a população, que se manifestou unida entre gêneros, idades e classes distintos.


02


Fernando Haddad (PT) é o novo prefeito de São Paulo

Com o apoio da presidenta Dilma, presidente Lula, Marta Suplicy e muitos outros companheiros do Partido dos Trabalhadores e partidos aliados Fernando Haddad conquista a prefeitura de São Paulo. Lula diz da importância da eleição de Haddad a prefeito na cidade de São Paulo: “Nos vivemos o momento mais importante da história de um candidato do PT aqui em São Paulo e essa vitória mostra a necessidade do paulistano em renovar sua história”. Telmo Morais Foto: Ricardo Stuckert


04

Vitória nas urnas confirma o excelente mandato de Guinho

Tenório agradece a população pelos votos e apoio recebidos Disso a obter a reeleição é uma história, até porque nosso partido cresceu com nomes de peso, a questão do coeficiente também pesou, enfim, mas estou feliz da mesma forma. Senti neste período que o povo reconhe“Sou grato a Deus e ceu os esforços que ao povo de Franco da fiz”, destacou. Rocha. Disputei uma eleição muito concor- Tenório encerrará seu rida dentro do próprio mandato em 31 de partido. Ainda assim dezembro e se diz de obtive 1325 votos consciência tranqüila. Segundo secretário da de Franco da Rocha (1,97% dos votos vá- “Fiz o que pude para Mesa Diretora da Câ- por dois motivos eslidos), reforçando que melhorar a cidade e mara Municipal, o ve- peciais: votos recetenho credibilidade ajudar as pessoas”, frireador Tenório (PV), bidos no pleito deste perante as pessoas. sou. agradeceu ao povo mês e pelo apoio que tem tido ao longo de seu primeiro mandato como vereador. O parlamentar, no entanto, não conseguiu reeleger-se para a próxima legislatura que se inicia em 2013.

Figurando como o terceiro mais votado da legenda tucana, o vereador Guinho se valeu da recondução ao parlamento municipal para justificar o trabalho sólido que desenvolveu, durante os quase quatro anos que permaneceu como vereador na Câmara Municipal. “Tenho ainda o restante do primeiro mandato a cumprir, mas ficou claro que o trabalho que realizei me reconduziu à próxima legislatura”, avaliou. Dos seis vereadores que conseguiram se manter no parlamento, Guinho foi o único do PSDB a garantir cadeira por mais um mandato. Na atual legislatura, o partido havia eleito Guinho, TG, Toninho Reis e Zé Panta. “Preciso deixar claro minha gratidão às pessoas que confiaram e aprovaram o meu trabalho. Obter 1171 votos é tarefa das mais árduas em uma legenda onde concorri com nomes de destaque. Agradeço de coração e saibam que estou com forças redobradas para dar sequencia ao trabalho que tenho mantido como representante do povo”.

Agradecido, Toprê se diz pronto para iniciar seu terceiro mandato Na 14ª Legislatura (05 – 08), após 5 de julho de 2005, o vereador Toprê, primeiro suplente na coligação PTB/PRP assumia a vaga na Câmara, em substituição ao vereador Carlos Aparecido da Silva, o Carlinhos, cassado na ocasião. Com 830 votos, desde que ascendeu ao cargo passou a fazer uma ótima legislatura,

se reelegeu em 2008, intensificou suas ações, de forma que novamente foi consagrado pela população, obtendo no último dia 7 expressivos 1.278 votos que assegurarão sua presença na 16ª Legislatura (13 – 16). “Sou grato ao povo de Franco da Rocha que percebeu o trabalho que faço nessa cami-

nhada. Humilde, correto e atencioso aos cidadãos, tenho tido a oportunidade de trabalhar pelos munícipes. É só gratidão. A votação vem aumentando e a responsabilidade caminha junto. Estou pronto para concluir este (mandato) e iniciar 2013 com muita ação, trabalho e liderança”, avaliou.

No pleito deste ano, Toprê, que é do PSB, coligou com o PTB e diante disso, fortaleceu sua representatividade na Casa de Leis, depois que dois vereadores foram eleitos pela legenda petebista, conferindo à coligação um peso maior no parlamento, mediante as três cadeiras que ocuparão a partir do ano que vem.


05


06

Conheça os melhores do ano de 2012 No dia 24 de setembro foi entregue o Prémio os Destaque de 2012. Oo evento aconteceu na Churrascaria “O Espetão” onde foram homenageados cerca de trezentos e cinquenta pessoas, esse ano o Grupo News não pode divulgar o site de votação porque muitos deles eram candidatos a prefeitos e vereadores em nossa região e a justiça eleitoral não permitiu a divulgação.


07


08

Liderança faz de George o vereador mais votado na história do PT na cidade Após tentar por três vezes uma cadeira no parlamento franco-rochense, o vereador George (PT) chegou à Casa de Leis em 2 de setembro do ano passado, ocupando a cadeira de um outro legislador eleito pelo partido. Primeiro suplente da coligação, remiu o tempo e durante os 12 meses que teve pela frente, trabalhou de forma sistemática, alcançando credibilidade junto aos seus eleitores, liderou debates em importantes votações e foi reconduzido ao cargo, quando exercerá um novo (e completo!) mandato a

partir de janeiro.

Mais que reeleger-se, George conseguiu um feito inédito – se tornou o vereador mais votado da história da cidade pelo Partido dos Trabalhadores. Em 7 de outubro, recebeu expressivos 1284 votos (1,91% do total válido), consagrando-o neste quesito. “O que prova a qualidade do trabalho que fiz em curto

espaço de tempo. A tendência é melhorar isso (votação) no decorrer do próximo mandato”, estimou. Grato a Deus, aos amigos, eleitores e deixando claro ser vereador de toda a cidade, George sonha em implementar um ritmo diferenciado em sua atuação parlamentar. “Até porque tive de praticamente resumir

um mandato em algo próximo a 15 meses e isso não foi fácil. Espero que com o gozo total do tempo que farei a vereança na próxima legislatura, consiga trabalhar muito mais em prol dos interesses de nossa comunidade”, calcula o dono do recorde de votos para a Câmara Municipal pelo PT.


09

Franco da Rocha: renovação da Câmara Municipal alcançou cinco das 11 cadeiras Concorreram à vereança 201 candidatos. Reuniam condições de acessar às urnas 91.206 eleitores. Desses, 14.648 (16,06%) se abstiveram perante as mesmas. Os 76.558 (83,94%) decidiram o pleito, vencido pela coligação PT/ PMDB/PPS/DEM/ PSDC/PTC/PC do B/PT do B e PR mediante os 33.598 votos recebidos.

O pleito ocorrido em 7 de outubro patrocinou uma respeitável renovação no parlamento municipal de Franco da Rocha. Dos 11 vereadores que caminham para concluir a 15ª legislatura em 31 de dezembro, seis conseguiram reeleger-

-se. Exceção ao tucano Zé Panta, que por ser vice na chapa de Pinduca e que por tal motivo não voltaria à Casa de Leis em quaisquer circunstâncias, ficaram pelo meio do caminho TG, Tenório, Toninho Reis e Bebé (PT).

Em suas cadeiras ascenderam aos cargos Valdir da Santa Casa (PTB/ PSB), Rafael (PSDB/ PSD), Kinho (PSC/PV/ PPL), Júnior do Sindicato e Eric Valini (ambos do PT).

Diante dessa configuração, as bancadas na Casa de Leis igualmente foram alteradas: o PT fez três cadeiras (George, Junior do Sindicato e Eric Valini), PSDB/PSD também três (Toninho Lopes, Rafael e Guinho), mesma quantidade da coligação PDT/PSB (Valdir da Santa Casa, Toprê e Pablo Cunha) enquanto que o PV com-

pletou as vagas no parlamento, preenchendo as últimas duas (Neiva Hernandez e Kinho. Visível a redução da bancada do PSDB: dos quatro vereadores que se elegeram para a atual gestão, o partido, dono da maior bancada até então, emplacou apenas metade, mediante a reeleição de Guinho (1.171 votos) e a vitória de Rafael (2.045 votos). Por outro lado, o Partido dos Trabalhadores cresceu 50 por cento em relação ao que representava na Casa. As duas cadeiras se transformaram em três. E mais. Reelegeu George (1.284 votos) – montante que o transformou no vereador mais votado do

PT na história da cidade e ainda emplacou Junior do Sindicato (1.051 votos) e Eric Valini (822). Na atual legislatura, cujo término se dará em 31 de dezembro, o partido tinha eleito dois vereadores – Léo e Bebé, que mesmo em gozo de mandato, não teve forças para reeleger-se. Segundo a Justiça Eleitoral, foram destinados 60.555 (89,99%) votos para os candidatos a vereador e depositados em legendas 6.735 (10,01%). Para a vereança foram considerados como válidos 67.290 (87,89%) votos. Anularam os respectivos votos 4.240 (5,54%) eleitores enquanto que votaram em branco 5.028 (6,57%).

Após 16 meses, DER atende Toninho Lopes e instala lombada em trevo de acesso

Insistente, persistente (Rod. Luiz Salomão e atuante. Chamma), sentido Caieiras - FrancisCom essas qualida- co Morato, ocorrida des em sua trajetória, há cerca de 15 dias, o vereador Toninho por conta do DeparLopes (PSD), presi- tamento de Estradas dente da Câmara Mu- e Rodagem (DER). nicipal, comemorou A solicitação foi exmuito o que qualifi- pedida pelo gabinete cou como “vitória da do vereador em 6 de comunidade regio- junho de 2011. nal”, ao referir-se à implantação de uma Após a reformulalombada metros antes ção do trevo que dá do cruzamento da SP acesso à SP – 23, que - 332 (Estr. Velha de possui importância Campinas) x SP - 23 indiscutível ao per-

mitir ingresso não apenas no município de Franco da Rocha como ligar a SP – 332 (Estrada Velha de Campinas) à rodovia Fernão Dias, uma das artérias federais mais importantes, ligando São Paulo às Minas Gerais e vários estados do Nordeste, o cruzamento se tornou perigosíssimo. Diversas colisões foram assinaladas no local nos últimos meses.

“Muitos reclamos protocolados em meu gabinete fizeram com que me dirigisse ao local, enfim, vi procedência na questão. Pedi à diretoria regional do DER, através do Ofício 82/2011, uma remodelação ao trevo, inclusive dotando-o de uma lombada eletrônica. Por razões desconhecidas o dispositivo não foi instalado, mas minimizaram os riscos, instalando uma lombada convencional, que mesmo não resolvendo totalmente os problemas, ajudará muito os que precisam cruzar a pista, sentido Francisco Morato e ao mesmo tempo, os que deixam Franco da Rocha para acessar a movimentada estrada”, analisou Toninho Lopes.

TO

Salientando sempre que sua reeleição não se tratou de uma vitória do Toninho Lopes mas do povo de Franco da Rocha, o vereador do PSD apresentou seus agradecimentos à população, e em especial aos 3.122 munícipes que acreditaram em seu trabalho, reconduzindo-o ao parlamento municipal. “Sou grato a Deus, à família, amigos e eleitores que souberam entender o projeto em se trabalhar para fazer a diferença. Fizemos isso nesses quase quatro anos e sei que continuaremos a empreitada nos próximos que terei dentro da Câmara Municipal. Compromisso firmado sempre será respeitado por este AGRADECIMEN- vereador”, tranqüili-

za. Com a maior votação obtida em relação aos vereadores que lutaram e conseguiram se reeleger-se, Toninho Lopes arrebatou 4,64% do total de votos válidos, demonstrando o peso que sua candidatura representou em meio ao segmento político municipal. A partir de 1 de janeiro de 2013, Toninho exercerá o terceiro mandato junto ao Poder Legislativo (foi eleito em 93 – 96 e 09 – 12). Presidiu a Casa de Leis por duas oportunidades, sendo que na atual, ao lado dos demais pares, cuidou de remodelá-la totalmente, adequando-a à realidade exigida pelo município em relação ao local onde mais se pratica a atividade política.


10

Daniel Fonseca: O campeão de votos

Candidato do PSDB teve mais de 20 mil votos válidos. Cerca de seis mil a frente da segunda colocada Paula Ribas do PT Daniel Fonseca mostrou que trabalhar, apresentar propostas que garantam um futuro melhor e respeitar a população com uma campanha limpa, é o caminho para se conquistar uma grande e expressiva vitória. A eleição de Daniel com mais de 20 mil votos está sendo comentada nos quatro cantos de Cajamar e em toda a região como um divisor de águas para a cidade. De 42.264 votos válidos (92,48%), Daniel Fonseca do PSDB obteve 20.047 (47,43%), Paula Ribas do PT 14.245 (33,70%), Dr. Rogério do PSOL 5.349 (12,66%), Nenê Gonçalves do PSB 2.411 (5,70%) e Ancelmo Aldon do PHS 212 (0,50%). Votos nulos 2.049 (4,48%) e brancos 1.389 (3,04%). Após a apuração, mais de três mil pessoas se reuniram em Jordanésia para comemorar a vitória. “Primeiro quero

agradecer a Deus por me proporcionar uma vitória tão expressiva. Durante o meu primeiro mandato caminhei em todos os bairros, visitei milhares de moradores, fiz grandes obras, trouxe empregos, qualidade de vida e a população reconheceu este trabalho”, disse Daniel. “Quero agradecer a minha família que sempre esteve ao meu lado, meus amigos, todas as pessoas que votaram em mim e também as que não votaram, pois não sou prefeito apenas dos meus eleitores, sou prefeito da cidade inteira. Sou prefeito da família Cajamar. Todos os moradores saibam que podem contar com o meu trabalho, a minha dedicação e o meu esforço para garantir um futuro ainda melhor”, enfatizou Daniel. A conquista de Daniel foi tão avassaladora que ele venceu em mais de 95% dos locais e sessões de votação. Con-

quistando a maior vitória de um candidato a prefeito na história de Cajamar. “Agora vou trabalhar ainda mais para finalizar as obras que já comecei e realizar todos os projetos

que me propus a fazer para continuar honrando o voto de confiança das pessoas. Obrigado a toda a população de Cajamar”, finalizou Daniel.


11

E agora José? Crescimento Verde A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José? Nunca, na história recente desse país, se assistiu tanto a TV justiça. Com uma audiência de causar inveja aos canais abertos, o enfadonho canal de informações judiciais ganhou status de “big brother”, escancarando as entranhas tortuosas dos nossos tribunais com seus maneirismos. Fato que vem alterando nosso dia a dia. Expressões até então apenas usadas e conhecidas por advogados (alguns), e juristas estão na boca do povo. Ouvi, numa sofisticada discussão de bar, um dos debatedores pedir “vênia” para expor sua contrária opinião sobre a temperatura ideal da cerveja, enquanto apontava o garçom como parte fundamental na Teoria do Domínio do Fato. Se por um lado temos um aprimoramento da cultura popular, sem entrar no mérito, temos também o crescimento da expectativa da

conclusão da novela O Mensalão. Os ministros do STF adquiriam exposição nacional e são assediados nas ruas como verdadeiras estrelas de TV. Porém, queremos muito mais do que aprender novos jargões ou teorias. Queremos saber se as pessoas serão realmente punidas. Serão presas? Pois no entendimento popular é isso que se espera da última instância de julgamento no país. Não há pra onde correr. Ou há? É de importância suprema, sem trocadilhos, que a sentença seja exemplar e que seja cumprida. Ao custo da completa inversão de valores. Caso a pena aplicada não obtenha “aprovação” popular, o penalizado poderá ser o STF, que cairia em grande descrédito. Seria a oficialização do tudo vale, tudo pode. O grande penalizado seria o povo brasileiro. Além dos

quesitos técnicos jurídicos que devem ser observados pelos ministros, o clamor popular por exemplaridade deverá constar da sentença. Talvez o mestre Drummond já tenha nos dado um aviso,.... o dia não veio, o bonde não veio, o riso não veio, não veio a utopia e tudo acabou e tudo fugiu e tudo mofou, e agora, José? Eduardo Nunes (professor, músico, ambientalista atento às alterações e interações humanas).

Finalizadas as contas eleitorais onde demonstramos, não só, nossas preferências, mas também nossas expectativas o Partido Verde aparece como o grande vencedor desse pleito. Em Franco da Rocha, obteve a maioria dos votos com 17,36; Mairiporã com 15,65 foi a segunda legenda mais votada e em Francisco Morato na terceira posição com 12,18; porém nas duas últimas cidades elegeu o chefe do executivo. Com representatividade por todo o globo o PV tem demonstrado ano após ano, eleição após eleição, maturidade na condução das questões ideológicas que o cercam. Restringiu as discussões filosóficas que envolvem o meio ambiente, movimentos sociais e aspirações humanas para alguns círculos, ampliando o discurso de preservação, sustentabilidade e reciclagem (aqui cabe alguma ressalva), de maneira simples e direta, conquistando grande penetração em várias

camadas da população. Diminuir o discurso distópico, característica de militantes históricos do PV, não pode ser apontado como único e simples motivo dessa ascensão. Destaco a maior preocupação com a questão ambiental discutida em escolas, rodas de conversa, agremiações e a exposição midiática do tema bem como o aumento dos engajamentos. Outro fator que beneficiou o crescimento do PV é ter origem e propostas claras. Vivemos tempos de proatividade de “quem sabe faz a hora e não espera acontecer”. A geração Y (de nascimento digital) tem demonstrado aversão a grupos com princípios extremamente capitalistas bem como àqueles que se escondem sob um manto socialista retrógrado castrista. Essa geração, que detém a informação em seus smartphones ou tabblets, é intolerante às recorrentes ações tentaculares e obscuras à que somos impac-

tados. Para eles, o espírito de corpo que permeia governos e suas instituições não tem mais lugar na sociedade moderna que, agora, se esforça para entender os conceitos do consumo consciente. Políticas que pregam o crescimento desmedido subsidiando a obsolescência de bens de consumo mostram-se tão frágeis, rápidas e superficiais quanto seus produtos. É aí que reside a essência do crescimento Verde. Na produção de ENERGIA POLÍTICA LIMPA. Na REDUÇÃO do corporativismo. Na REUTILIZAÇÃO das ideias. Na RECICLAGEM de antigas práticas. Enfim na SUSTENTABILIDADE da vida. Um sentimento VERDE vem tomando conta de corações e, principalmente, de mentes. Eduardo Nunes (professor, músico, ambientalista atento às alterações e interações humanas).


12

Muito obrigado, Franco da Rocha! O trabalho de verdade comeรงa agora. Kiko e Nivaldo: prefeito e vice-prefeito eleitos

voto conf s de ianรง a


13

Agradecimento vereador Salsicha

Ao povo Moratense que mais uma vez me deu seu voto de confiança. À essas pessoas amigas que confiaram no meu trabalho, o meu muito obrigado, que Deus possa recompensar esse carinho com muitas bênçãos. Acredito que tudo é a permissão de Deus, vamos seguir em frente, juntos nessa caminhada, e de cabeça erguida para as próximas vitórias e derrotas. Gostaria de agradecer aos companheiros e companheiras que me proporcionaram esses 1.225 votos, pessoas que acreditaram que eu poderia fazer muito mais pelo nosso Município, os meus sinceros agradecimentos e um abraço. Vereador Salsicha


14


15


16


novembro  

Edição da segunda quinzena de outubro 2012

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you