Issuu on Google+

A

arte para os criadores conscientes do seu ofício apresenta uma infinita diversidade. Cada qual consegue, à sua maneira, expressar uma forma distinta de se relacionar com a realidade conhecida.

ANGELO BAGGIO tem na luz a grande força motriz da sua poética. As imagens que realiza de bailarinas privilegiam a poesia dessa arte e detalhes nem sempre tão valorizados como as sapatilhas. AURORA PATATAS explora figuras geométricas e suas possibilidades de composição num desafio lúdico e rigoroso de amplas possibilidades de combinações para atingir o resultado desejado. CAROLINA ANDREOTTI traz elementos que se aproximam dos brasões, com diversas alusões à natureza e ainda uma composição marcada por espelhamentos e pela riqueza de particularidades na circunstância de trabalhar os elementos compositivos. CELLO traz uma poética feita a partir de variados materiais, como alumínio e cobre. São o ponto de partida para um processo de criação que não se atém apenas ao que a luz oferece, mas explora diferentes processos de composição em busca de um resultado. CLÁUDIA LENTE vale-se da técnica desenvolvida com arame para atingir soluções visuais que alcançam seu ponto mais elevado de realização e valorização quando o jogo de luz valoriza a projeção de sombras. CLAUDIA SALLER ergue sua temática de flores que remetem a mandalas, com bastante cor num jogo que aponta para as possibilidades inesgotáveis das figuras circulares com suas múltiplas conotações. DANIEL SPALATO consegue, com as suas formas, inserir questões sobre a própria validade da representação da figura humana. As imagens que apresenta nos fazem refletir sobre o sentido da vida e sobre a ocupação do espaço na arte contemporânea. O artista argentino DIEGO UMEREZ apresenta um esmerado cuidado técnico na maneira como trata as suas naturezas mortas. A representação do real atinge um resultado que impressiona à primeira vista e mesmo após uma observação detalhada. EDUARDO PETRY valoriza as suas áreas do espaço de sua pintura com uma pesquisa progressivamente requintada da divisão de setores, utilizando seu aprendizado técnico na maneira de compor seu universo de manchas. O fotógrafo GUSTAVO OLMOS destaca o cotidiano, captando nos detalhes aqueles elementos plenos de sensibilidade que muitas vezes são deixados de lado na correria de cada dia. Saber olhar é um exercício que as imagens que ele apresenta trazem à tona. JULIANE PERES MERCANTE se vale do assunto bicicletas ou natureza para dar uma resposta poética em que o menos importante é o objeto retratado. O foco central está nas atmosferas estabelecidas, com efeitos de luz plenos de encantamento. LIESEL ANJA TRISKA lida com a cerâmica dentro de uma perspectiva contemporânea. Isso significa explorar ao máximo as potencialidades do material em busca de soluções surpreendestes no resultado e na técnica aprimorada. MARCOS PIFFER explora o espaço, buscando horizontalidades como mecanismos de composição. Há extrema delicadeza no trabalho sutil e lírico como as tonalidades que são oferecidas ao observador. MARIA ANTONIA PEDRO traz com o gesto de sua pincelada um fazer caracterizado pelo saber lidar com as tintas e pela capacidade de dar ao espaço uma dimensão próxima do mágico com certa economia de recursos. MARIA JORDÃO lida com as áreas de cor com bastante maturidade. Seu maior mérito reside na capacidade de dar às tonalidades um clima que encanta o público, construídas com apuro técnico. MARIA PENHA faz uma pesquisa com bordados e tapeçarias de exploração da técnica com a preocupação de verificar como variações no trato com a linha, componente plástico rico em abordagens, podem gerar excelentes resultados visuais. A artista portuguesa NATÁLIA GROMICHO possui um trabalho requintado com as cores e as formas. Seu diálogo com a abstração passa obrigatoriamente pela maneira primorosa como lida com o gesto para erguer espaços visuais plenos de significação. REH THEISS valoriza, em suas aquarelas, a paisagem, procurando criar universos imagéticos em que ocorra a exploração técnica do equilíbrio cromático. Já em suas fotografias a explosão da água no contato com o corpo estabelece intensa emoção. RICARDO AMADASI, originário do pensamento tridimensional e amplo conhecedor da cultura popular, vale-se de procedimentos que ele mesmo cria para ter imagens próximas da gravura, mas que se aproximam da força compositiva da escultura. SANDRA NETTO tem no lápis de cera uma técnica que permite efeitos diferenciados. Ao mostrar o domínio desse recurso, consegue passos decisivos para criar um espectro visual e plástico aprimorado. SAVÉRIO e CLARA ASBUN trabalham em conjunto para representar uma beleza enigmática. Partem daquilo que consideramos real e atingem um universo plástico repleto de indagações sobre a capacidade da arte de recriar o mundo. VIVIANE MENDES tem na sua poética repleta de cores, com o uso de pintura e botões, um desabrochar de amplidões visuais que tendem a surpreender pelas diversas combinações utilizadas para gerar ricos efeitos. O maior desafio entre tantos olhares diversos é manter a mente aberta para entender a realidade como a expressão visual de pensamentos e percepções que cada artista plástico desenvolve do seu jeito, com ampla capacidade de interpretar o mundo. OSCAR D'AMBROSIO, doutorando em Educação, Arte e História da Cultura na Universidade Mackenzie, é mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp. Integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil).

NOSSOS AGRADECIMENTOS:

2012


Angelo Baggio

Clรกudia Lente

Aurora Patatas

Cello

Carolina Andreotti

Claudia Saller

Daniel Spalato Diego Umerez


Eduardo Petry

Marcos Piffer

Maria Antonia Pedro Gustavo Olmos Juliane Peres Mercante Maria Jord達o

Liesel Anja Triska

Maria Penha


Savério e Clara Asbun

Natália Gromicho

Uiara Zagolin

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

Grande apreciadora de jóias e assuntos ligados à terra, principalmente pedras, Uiara Zagolin, interessou-se em conhecer o mundo da arte da transformação do sonho em matéria através das maravilhosas peças, hoje expostas na Itália, Alemanha, Japão, EUA, Canadá e Inglaterra. Busca inspiração na natureza e através das coisas mais simples e corriqueiras da vida; encanta-se com a possibilidade de criar, com as mãos, peças que poderão servir de testemunha a momentos de felicidade. Fabiana Vilella

Reh T heiss

Viviane Mendes Ricardo Amadasi Agradecimentos Após mais um ano de muito trabalho, dedicação, disciplina e excelentes resultados, gostaria de compartilhar mais esta conquista. Inicio agradecendo aos artistas que se mantiveram fiéis a esta jornada, contribuindo para a superação dos obstáculos, fazendo as coisas acontecerem, fortalecendo o sonho... Aos novos integrantes da passarela da arte que acreditaram e apostaram neste desafio, valorizando esta causa, todo o meu apreço e admiração. E, finalmente, a todas as pessoas que direta ou indiretamente participaram para tornar este momento único e especial... toda a minha gratidão!

Artistas participantes

Maria dos Anjos Oliveira | Anjos Art Gallery

Angelo Baggio . Aurora Patatas . Carolina Andreotti . Cello . Cláudia Lente Claudia Saller . Daniel Spalato . Diego Umerez . Eduardo Petry . Gustavo Olmos Juliane Peres Mercante . Liesel Anja Triska . Marcos Piffer . Maria Antonia Pedro Maria Jordão . Maria Penha . Natália Gromicho . Reh Theiss . Ricardo Amadasi Sandra Netto . Savério e Clara Asbun . Uiara Zagolin . Viviane Mendes

Sandra Netto

Ficha técnica

Realização ANJOS ART GALLERY.com.br | Organização e Curadoria MARIA DOS ANJOS OLIVEIRA Texto OSCAR D’AMBRÓSIO | Projeto gráfico e diagramação SALLER DESIGN


Catalogo Anjos Art Gallery Brasil