Page 1

O jornal de comunidade luso-venezuelana - Caracas, 16 a 22 de Dezembro de 2010

www.correiodevenezuela.com

Depósito legal: 199901df222 - Publicação Semanal ano 10 - N.º 388 | Venezuela: Bs.F. 3,00

Rif.: J-31443138-2

Prémio Talento da Comunicação Social 2009

Empresas ajudam pessoas afectadas pelas chuvas Na sequência das chuvas torrenciais que fustigaram a Venezuela nas últimas semanas, particulares e empresas têm contribuído para apoiar as vítimas e para minimizar o estado de emergência. | p.04

Varguenses revivem tragédia 11 anos depois

1º Festival do Bacalhau reuniu mais de 1200 amigos Valência foi sede do 1º Festival do Bacalhau, organizado pela Academia do Bacalhau de Valência, certame que realizou no Centro Social Madeirense e onde compadres e amigos provaram 22 maneiras de cozinhar o peixe preferido dos portugueses. | p.06

Gaélica oferece paz através da música Num momento em o país teme a chuva e se contabilizam prejuízos que afectaram milhares de famílias, os sobreviventes da tragédia do Estado de Vargas de 1999, receiam viver novamente uma situação difícil que ainda não esqueceram. Alguns portugueses que viveram e sobreviveram as enxurradas, recordam as suas mágoas. | p. 18-19 O grupo, do qual faz parte um lusodescendente, relançou o seu disco de música de Natal. | p.10

CORREIO estreia nova página na Internet | p. 32 pub

Esppor perde Torneio Abertura por um golo

Apesar de um grande esforço, os ‘merengues’ não conseguiram erguer a taça do torneio maior do futebol venezuelano. Valeu ao Deportivo Táchira apenas ter marcado mais um golo. | p.29-30


2 editorial Solidariedade reforça amizade Na noite do passado sábado, 11, chegou à Venezuela um carregamento com 2,8 toneladas de ajuda humanitária proveniente de Portugal, momento que foi acompanhado pela imprensa nacional e mundial. A fraternidade lusa não podia permanecer indiferente ante a difícil situação que este país atravessa, em consequência das fortes chuvas que afectaram milhares de pessoas, as quais estão a ser alojadas num número cada vez maior de refúgios improvisados. A ajuda portuguesa foi entregue às autoridades crioulas no aeropuerto de Maiquetía, com o apoio da Embaixada e do Consulado Geral de Portugal de Caracas, entidades que, mais uma vez, desempenharam um papel importante no âmbito do relacionamento bilateral luso-venezuelano. Não podemos também deixar de destacar o importante contributo de empresas e associações ligadas à comunidade lusa que, correspondendo com a graça que esta terra lhes ofereceu, realizaram importantes acções de recolha de produtos alimentares e artigos de primeira necessidade para abastecer alguns dos centros de acolhimento estão a prestar apoio aos muitos desalojados em distintas zonas do país. Uma vez mais, os portugueses radicados na Venezuela e o Governo de Portugal dão provas do grande carinho e apreço que nutrem por este país, sendo que estes gestos de solidariedade servem para aprofundar ainda mais os laços de amizade que existem entre ambas nações. Para todos aqueles que, directa ou indirectamemte, contribuíram para ajudar milhares de pessoas afectadas, aqui fica o nosso reconhecimento. Bem hajam.

PUB

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

a semana Muito Bom

Bom

Mau

Muito Mau

Nesta secção não é habitual mencionar pessoas, mas temos de ressaltar o espírito de luta de Manuel Alves de Oliveira, mais conhecido por Professor Jorge Amorim. Apesar do seu delicado estado de saúde, este incansável lutador está a escrever “Tríades de triadas”, um poemário baseado nos sentimentos mais íntimos do ser humano. Aqui fica o nosso reconhecimento e respeito a um homem que tanto tem contribuído para o ensino da língua portuguesa durante os 40 anos de experiência.

O discurso de união e de integração que os membros da nova Junta Directiva, Assembleia Geral e Conselho Fiscal do Centro Português pronunciaram na tomada de posse dos respectivos cargos, no passado domingo, 12 de Dezembro. Chegou tempo para unir esforços em prol do associativismo e deixar de lado o protagonismo e os interesses pessoais. Que este exemplo de irmandade e de trabalho em grupo perdure e ganhe mais adeptos.

Esta semana ficámos a saber que estão a vender ilegalmente os computadores “Canaimas”, na sequencia de investigações levadas a cabo por uma comissão do Corpo de Investigações Penais e Criminalísticas. É deveras lamentável que um projecto impulsionado em conjunto com o Governo Português para desenvolver o conhecimento de povo, seja utilizado com fins lucrativos por um grupo de pessoas sem escrúpulos.

Já passaram 11 anos desde a tragédia de Vargas mas ainda são bem visíveis os destroços que a natureza deixou durante a fúria que lançou sobre várias povoações do Estado em 1999 e onde milhares de pessoas perderam a vida, famílias e amigos. A tragédia continua bem presente na memória daqueles que mais sofreram e, no terreno, apesar de muitas coisas terem sido feitas, muitas outras ainda estão por fazer ou concluir.

FOTOFLASH: Sempre protegidos Tal como muitos outros profissionais do país, os motoristas de camiões encomendam o seu dia de trabalho às imagens sagradas, procurando protecção divina e prosperidade. Ainda que alguns prefiram divertir os condutores que os seguem com brincadeiras ou com frases interessantes ou por vezes grosseiras, escritas nos vidros traseiros dos seus veículos, outros aproveitam a oportunidade para enviar uma mensagem de paz e tranquilidade apenas com um foto, neste caso, da padroeira portuguesa, a Virgem de Fátima. A fé, como o esforço e a dedicação de muitos motoristas ao seu trabalho, é um ponto comum que une os cidadãos que residem nesta atarefada cidade.


actual

16 A 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

Detido casal que vendia ‘Canaimas’ ilegalmente CORREIO correio.prensa@gmail.com

Uma comissão de funcionários do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalistas (CICPC) adstritos à Divisão Nacional Contra os Delitos Informáticos conseguiu deter um casal que se dedicava à comercialização ilícita de computadores portáteis do projecto educativo ‘Canaima’ (computadores Magalhães).O director Nacional do CICPC, Wilmer Flores Trosel, informou que no passado sábado, 11, em San Fernando de Apure, foram detidAos Yessica Paola Bermúdez Rattia (19 anos) e José Waldino Villegas Montoya (41 anos), que, através de uma página na Internet, compravam e comercializavam estes equipamentos, que fazem parte de um projecto governamental entre a Venezuela e Portugal. Flores Trosel pediu às pessoas que denunciem este tipo de actos.• PUB

3

RELAÇÕES I Carregamento chegou na data prevista

Chávez agradece ajuda de Portugal CORREIO correio.prensa@gmail.com

"Está a chegar uma valiosa ajuda humanitária de Portugal para o povo da Venezuela. Obrigado Portugal. Obrigado amigo Sócrates“. Esta mensagem foi colocada pelo Presidente venezuelano, Hugo Chávez, na sua conta do Twitter no sábado à noite. Passava das 9 da noite quando chegaram ao Aeroporto Internacional de Maiquetía, estado Vargas, 2,8 toneladas de ajuda humanitária, num voo da TAP proveniente de Lisboa. O lote incluía 800 cobertores, 500 colchas, 100 colchões, 18 mil pastilhas purificadoras de água, 8.300 fraldas descartáveis, 250 biberões, 1.150 chuchas e 552 frascos de comida infantil, produtos para entregar às pessoas afectadas pelas intensas chuvas que caíram sobre a Venezuela nas últimas semanas. “Em nome de Portugal, manifestamos a nossa solidariedade com as vítimas desta emergência”, disse Patrícia Gaspar, adjunta do Comando Nacional de Operações de Socorro da nação euro-

Autoridades venezuelanas e portuguesas receberam o carregamento

peia, que qualificou a ajuda como um gesto de solidariedade. Dois elementos da Autoridade Nacional de Protecção Civil de Portugal vieram no mesmo voo para acompanhar a operação, que contou com o apoio da Embaixada de Portugal em Caracas, anunciou o Consulado Geral de Portugal na capital. “Quero agradecer em nome do nosso Comandante em Chefe, Hugo Chávez, e em nome de todo o povo, em especial os afectados pelas

chuvas, ao governo de Portugal por este gesto de solidariedade”, disse o ministro do Poder Popular para a Defesa, Carlos Mata Figueroa. O governante referiu que as Forças Armadas ficariam encarregadas de guardar os produtos e de prestar todo o apoio para que estes chegassem às mãos das pessoas que se encontram nos refúgios, para onde foram reencaminhadas depois de terem perdido as suas casas.•


4 venezuela

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

TRABALHO|Empresas luso-venezuelanas ajudam famílias afectadas

Solidariedade à flor da pele Os produtos recolhidos foram entregues aos executivos dos estados afectados Andrea Guilarte Rincón aguilarte.correio@gmail.com

São mais de 700 os albergues em vários estados do país que precisam de atenção. Depois das chuvas torrenciais que assolaram a Venezuela nas últimas semanas, habitantes e empresários prestaram-se a estender uma mão amiga perante a emergência.

Teixeira Duarte entrega produtos A Teixeira Duarte, fundada em 1921 em Lisboa, é uma das empresas portuguesas mais sólidas e está hoje na Venezuela, no ramo da construção civil. Perante a situação de emergência, a empresa entregou, no passado dia 2, uma série de artigos de consumo doméstico e de higiene à CANTV, na Avenida Libertador, e ao governo do estado de Vargas, que funciona também como centro de apoio, pois esta foi uma das regiões mais afectadas pela chuva. A empresa portuguesa ajudou, desta forma, centenas de pessoas que foram realojadas em diferentes pontos do país. Supermercados presentes Por seu turno, as 27 sucursais dos supermercados Unicasa em todo o país levaram a cabo uma operação de ajuda humanitária. Até ao passado dia 5, os funcionários receberam contributos PUB

voluntários de alimentos enlatados, água potável, entre outros. O resultado desta recolha: 20,2 toneladas de produtos doados pela empresa e 14,8 pelos clientes. A cadeia de supermercados pôs a sua logística de recepção, armazenamento e distribuição às ordens a fim de recolher os produtos doados pelos clientes de todo o país, trabalhando em conjunto

Artigos de consumo doméstico e de higiene foram entregues as autoridades venezuelanas

A empresa portuguesa Texeira Duarte entregou os productos em Vargas e Caracas

com os governos regionais e executivos municipais, assim como com grupos voluntários que estão a distribuir esta ajuda nas zonas mais vulneráveis, canalizando-a através dos governos e dos executivos camarários de Anzoátegui e Miranda, e das alcadias de Libertador e Metropolitana, em Caracas, bem como

a alcaldia de Zamora, estado Miranda, e Maneiro, estado Nueva Esparta; nos últimos dias os voluntários estiveram também no estado Falcón a distribuir mais de duas toneladas de produtos. A operação vai estender-se até novo aviso, continuado a ajuda ao crescente número de pessoas afectadas. A Central Madeirense também já entregou camiões de produtos diversos aos governos das zonas mais afectadas, segundo informou Alejandro Álvarez. “Desta forma contribuímos para ajudar nesta altura de emergência no país. Canalizámos a ajuda através dos governos, principalmente o de Miranda”, disse.

Contributo financeiro O Banco Plaza respondeu ao apelo da Associação Bancária da Venezuela e colocou à disposição da população uma conta corrente para as pessoas que queiram contribuir monetariamente. A conta foi denominada ‘Solidaridad Banco Plaza’. O montante conseguido será entregue aos executivos regionais, para que possam canalizar a ajuda.

Os jovens contribuíram Desde sexta-feira, 10 de Dezembro, a Associação de Luso Descendentes da Venezuela e o Grupo Filhos de Portugueses Nascidos na Venezuela começaram a apelar, através da rede social Facebook, para o contributo e participação no programa social “Luso Ajuda”, o qual pretende efectuar uma recolha de diferentes artigos destinados às pessoas mais afectadas pelas chuvas que fustigaram o país. “O programa social Luso Ajuda chegou para ficar. Foi iniciado por 11 membros de ambas as organizações, no entanto, muitas outras pessoas de diferentes estados do país estão a juntar-se à causa”, disse Mário da Silva, da Associação de Luso-Descendentes da Venezuela. “Durante este primeiro fim-de-semana, conseguimos cerca de meia tonelada de alimentos, mas esperamos chegar às duas toneladas antes do final do ano”, disse. Grande parte dos produtos será entregue a um refúgio da Ordem Católica, e outra parte a um refúgio em El Hatillo.•


CLUBES

16 A 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

5

CLUBE|Fernando Campos tomou posse como presidente

Nova junta directiva do CP já em funções Carla Salcedo Leal csalcedo.correio@gmail.com “Acredito muito na sorte, e descobri que quanto mais trabalho, mais sorte tenho”. Esta foi a conclusão do discurso do novo presidente do Centro Português em Caracas, Fernando Campos, que ocupa agora o cargo que nos últimos dois anos foi de António Gouveia, numa cerimónia que teve lugar no salão nobre no dia 12 de Dezembro, onde a nova junta directiva tomou posse. Apenas um voto fez a diferença e deu a vitória a Campos, que durante a tomada de posse comprometeu-se a trabalhar em prol do bem-estar de um dos clubes mais admirados da Venezuela. “Serei, a partir de hoje, o presidente de todos os sócios do Centro Português. Usarei uma frase do ilustre Uslar Pietri para dizer que aqui não há malandros e, definitivamente, não há gente como a nossa gente. A assembleia-geral de sócios terá sem-

pre a primeira e a última palavra”, disse, apelando aos sócios para que participem activamente. Nos planos desta nova direcção, formada por dois grupos diferentes, está trabalhar com a finalidade de garantir o bom funcionamento das instalações do clube a longo prazo. “A única coisa que nos falta é pôr mãos à obra. Quero dizer que Fernando Campos é um homem de carne e osso, com defeitos e com virtudes, mas sou correcto, justo e comprometido com o trabalho, sei conviver com as diferenças e com formas de pensar diferentes”, disse o novo presidente, que garante que não vai deixar de jogar futebol no clube. Os aplausos fizeram-se ouvir no salão nobre quando Campos referiu que pretende “servir o Centro Português e não servir-me do Centro Português.”

Novas experiências Desde o dia 13 que os membros da

Desde o dia 13 que os membros da nova junta directiva estão a exercer os novos cargos

nova junta directiva estão a exercer os novos cargos, pelo que a tomada de posse, um dia antes, serviu para que o ex-presidente do clube enviasse uma mensagem aos sócios: “Quero agradecer a todos os sócios que me apoiaram nos meus dois anos de gestão. Ser presidente do Centro Português é um orgulho e ter contribuído com o meu grão de areia para o clube é algo que jamais esquecerei. É a minha segunda casa, e vou continuar a vir e estarei disponível para ajudar no que puder”, garantiu António

Gouveia, no encerramento do acto. “Só espero que as damas do clube continuem a trabalhar para ajudar os pobres, os que menos têm, que continuem a acolher os que nada têm e que continuem a dar amor. E não devemos ajudar apenas os portugueses, vamos abrir o nosso coração como esta terra fez connosco e com os nossos pais. Recordem-se que viemos do mesmo lugar e vamos para o mesmo lugar”, acrescentou a esposa do novo presidente, Ana Maria Ornelas.• PUB


6 VENEZUELA

correio de venezuela • 16 a 22 dE dezmebro de 2010

EVENTOS|Em Caracas

Compadres celebraram o Natal Carla Salcedo Leal csalcedo.correio@gmail.com

A Academia do Bacalhau Caracas levou a cabo o seu tradicional jantar de Natal no salão nobre do Centro Português no passado dia 11. Cerca de 300 compadres e respectivas famílias marcaram presença, numa noite de partilha, com muita comida, música e amigos. O serão serviu para brindar ao prestígio desta associação ao nível mundial, que ficou evidente durante o encontro das Academias em Paris, evento em no qual participaram 154 compadres, convertendo o grupo não apenas no maior núcleo do Mundo, mas também na maior representação no encontro. O segundo maior grupo contava com 27 membros. PUB

Mas este não foi o único motivo de celebração. Os compadres festejaram ainda o facto de representarem uma sucursal da Academia do Bacalhau que, com 17 anos de existência, é maior organização, sendo também a mais solidária, pois reúnem-se todas as terças-feiras com o objectivo de ajudar as pessoas que precisam. “Os objectivos são os mesmos de sempre. Apoiamos operações de emergência e casos pontuais, como lares, bolsas alimentares e de medicamentos, e no ano que vem será o mesmo. Devido à situação vivida no país, fez-se um apelo a todos os compadres para darem apoio aos centros de acolhimento com os quais possam colaborar”, disse José Luís Ferreira, presidente da Academia em Caracas.•

Valência foi sede do Primeiro Festival do Bacalhau Carlos Balaguera carabal@cantv.net

Organizado pela Academia do Bacalhau de Valência, se realizou o Primeiro Festival do Bacalhau, no Centro Social Madeirense, onde compadres e amigos degustaram 22 pratos de bacalhau. O presidente da Academia, Casimiro Mota, afirmou que as expectativas foram superadas. “Esperávamos umas mil pessoas, mas posso dizer que tivemos cerca de 1200 neste primeiro festival, no qual servimos 6.550 pratos com diferentes apresentações, tudo à base de bacalhau, como três tipos de sopas, bacalhau à Brás, pastéis, bacalhau com natas, hallacas, bolinhos, uma grande paella de bacalhau, ao galeão, o famoso pão de massa folhada de bacalhau, cachitos,

Cerca de 1200 pessoas acompanharam os compadres no primeiro festival

entre outros, num total de 22 formas diferentes de cozinhar bacalhau.” O bispo de Valência, Monsenhor Del Prette, marcou presença no evento e referiu que tudo o que tenha um objectivo social é bem recebido. “Tanto assim que a participação de mais de 1200 pessoas é a demonstração de

que este primeiro Festival do Bacalhau realizado pela Academia de Valência significa que com organização os objectivos são conseguidos. Um objectivo de ajuda, neste caso para 115 seminaristas que fazem parte do Seminário Nossa Senhora do Socorro, situado muito próximo do Centro Social Madeirense.”•


venezuela

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

Assassinado apesar do resgate ter sido pago

Conselheiro apela à participação dos jovens

Jean Carlos de Abreu/ CORREIO

J.C.D.A

Um jovem com 24 anos de idade, filho de emigrantes naturais da Cámara de Lobos radicados na Venezuela, foi assassinado no final da semana passada apesar de a família ter pago uma elevada quantia de resgate aos raptores. O corpo da vítima, que apresentava vários ferimentos de bala, ao que tudo indica disparados à queima-roupa, foi encontrado na tarde de quinta-feira no interior de um canal de águas pluviais situado no sector de Santa Rosalía, nas imediações de empresa Central El Palmar de San Mateo. José Dennis Gómez Gómez tinha sido raptado na manhã do dia anterior, quando saía da sua residência, em Los Overos, município

Está prevista para Janeiro de 2011 uma reunião dos Conselheiros das Comunidades Portuguesas, secção Venezuela, para debater as actividades a realizar ao longo do novo ano e que beneficiem a comunidade portuguesa que vive no país. Manuel Martins, conselheiro das comunidades em Valência, apela aos mais novos para que se envolvam mais, como forma de preservar a identidade portuguesa. Segundo Manuel Martins, os seus colegas participaram em diversas reuniões em Portugal ao longo deste ano, a fim de passar informação sobre o estado da comunidade lusa na Venezuela, assim

ACTUAL I Filho de emigrantes naturais da Ribeira Brava

A mãe da vítima chora seu filho

Mariño. “Saiu de casa cedo rumo ao seu trabalho, em La Victoria mas foi interceptado por uns indivíduos, que depois entraram em contacto connosco para pedir o dinheiro”, disse aos jornalistas Carmen Gómez, mãe do jovem, à porta da morgue de Caña de Azúcar, onde

Foto: El Peridiquito

descreveu as horas de angústia vividas desde conhecimento do rapto até o momento em que foram informados acerca do impensável desfecho. Dennis tinha inaugurado o seu próprio estabelecimento para venda de peixe há três semanas.•

7

como falar de outros temas de interesse. Martins foi eleito conselheiro pelo Consulado Geral de Portugal em Valência. Segundo explicou, vai fazendo o que pode, “porque não recebemos ajuda de Portugal devido à crise”. “A partir daqui, estou a trabalhar em conjunto com a comunidade em diferentes actividades sociais e de beneficência. Se os portugueses têm algum problema, chamam-nos e nós orientamos segundo as nossas possibilidades e conhecimentos”, acrescentou. Um dos papéis dos conselheiros é interceder junto das entidades diplomáticas e de beneficência que estão no país a fim de ajudarem as pessoas em situação precária.• PUB


8 venezuela

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

COMUNIDADE| Reunidos na Festa de Natal Infantil

Crianças do CPVG despedem-se de 2010

Guayana estende uma mão ao resto do país

Silvia Karina Goncalves

S.K.G

O Centro Português Venezuelano de Guayana (CPVG) continuou a celebrar o Natal durante o fim-de-semana passado, com os mais pequenos como protagonistas. Também se levaram a cabo actividades de carácter social e cultural como colaboração com várias acções de beneficência. Na sexta-feira, o Grande Salão acolheu a Orquestra Sinfónica Juvenil e Infantil de Ciudad Guayana, dirigida por Rayner López. Durante o encontro, foi feita uma apresentação especial da obra ‘Quebra-nozes’, interpretada pelo grupo de dança Sandra Patrícia. Cerca de 120 músicos e de 100 pequenos actores encantaram o público pelas

O Centro Português Venezuelano de Guayana, em conjunto com a Federação de Centros Portugueses da Venezuela, transformou as suas instalações em centro de recolha nos dias 10, 11 e 12, como forma de ajudar os milhares de famílias que foram afectadas pelas chuvas. Os clubes associados juntaram-se e apelam agora à ajuda da comunidade portuguesa. No CPVG foram recebidas mais de 30 doações, entre empresas, a maioria de proprietários portugueses, e particulares, que quiseram contribuir com o seu grão de areia, doando artigos de primeira necessidade. Foram recebidas diversas toneladas de comida não perecível, roupa, produtos de higie-

PUB

O Pai Natal entregou prendas a todas as crianças

suas excelentes apresentações, uma forma de promover a integração cultural na cidade. No domingo, foi levada a cabo a Festa de Natal Infantil, onde um grupo de crianças desfrutou das actuações do ‘Chavo del 8’, magia, dança

ao ritmo do hip hop, e partilharam com os pais. Mas do que todos estavam à espera era da visita do Pai Natal, que entregou prendas as crianças, depois destas terem prometido portar-se bem, lavarem os dentes e fazerem as tarefas.•

ne pessoal e de limpeza, assim como colchões, água potável e doações em dinheiro. Os Comités de Eventos, de Cultura, Desportos, Virgem de Fátima, esposas dos dirigentes e funcionários do centro juntaram-se e organizaram-se durante os três dias para receber e tomar nota de tudo o que chegou. Dado que muitas pessoas contactaram o centro no sentido de continuarem a colaborar, o clube continua a recolha de bens ao longo desta semana. A FECEPORVEN, liderada por Víctor Vieira, enviou um comunicado aos centros associados para que se unissem a esta causa e activassem os clubes como centros de recolha, uma vez que a maior parte dos donativos será enviada depois para os estados mais afectados.


16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

publicidade

9


10 CULTURA

correio de venezuela • 16 A 22 dE dezmebro de 2010

TALENTO LUSO|Um grupo multicultural

Uma oferta de ‘Paz’ dos Gaélica O luso-descendente Gabriel Figueira compõe e toca gaita Carla Salcedo Leal csalcedo.correio@gmail.com

São muitos os luso-descendentes que se destacam nas diferentes áreas do espectáculo na Venezuela, e hoje faz-se notar a sua presença nos diferentes grupos que integram as listas de talento nacional. Ouvir o nome ‘Gaélica’ é ouvir um sinónimo de um projecto musical bem sucedido, que rompeu padrões estabelecidos e encheu as salas em que apresentam a sua música celta. É um grupo multicultural do qual faz parte um descendente de madeirenses. O grupo é formado por Gabriel Figueira (gaitas e flautas), Rubén Gutiérrez (guitarras), Daniela Padrón (violinos) e Armando Álvarez (percussão étnica), e faz a fusão entre instrumentos tradicionais e contemporâneos de diferentes países. As suas canções prestam-se a ser cantadas, trauteadas e até utilizadas em projectos teatrais ou cinematográficos, como o documentário ‘Extremos’, do ‘Projecto Cumbre’. Diferentes culturas são presença constante neste grupo, pelo que não é estranho que nos seus discos não se encontre apenas música celta, mas também outros ritmos do mundo,

como a bossa nova, o tradicional ‘bailinho’ ou o fado. No âmbito do relançamento do seu terceiro disco, ‘Paz’ (o disco foi lançado oficialmente o ano passado), o luso-descendente Gabriel Figueira e o seu companheiro de grupo, Rubén, falaram com o CORREIO sobre os planos para o futuro e a evolução da banda. O grupo planeia lançar um novo disco em 2011

A vossa carreira na música celta nasce numa obra de teatro. Em que momento se dão de conta que o projecto era exequível?

Gabriel: Começámos a tocar em bares (apesar de não ser o plano inicial) e uma das experiências que marcou a carreira dos Gaélica foi uma actuação no Circo Bar, onde havia um grupo de ‘roqueiros’ a brincar e a saltar, e começámos a tocar, ainda sem os microfones adequados. Toda a gente no bar se calou e sentou-se no chão. Fizemos o nosso concerto e demo-nos de conta de que algo nos ligava às pessoas, pelo que deixámos fluir. Rubén: Foram as pessoas que fizeram com que tivéssemos a iniciativa, pois ao vermos as suas reacções, nasceu o ‘bichinho’. De onde nasce a ideia de fazer um disco chamado ‘Paz’, com música de Natal?

Gabriel: No ano passado tivemos a oportunidade de fazer uma pequena digressão pela

Europa e quando regressámos à Venezuela, parecia que vínhamos de um outro planeta, pois aqui tudo era um caos, com a insegurança, a violência, e pensámos que seria uma boa prenda para as pessoas. Por decidiram relançar o projecto?

Gabriel: Queríamos reforçar a mensagem do disco porque foi um ano duro, e sobretudo porque no ano passado o disco chegou tarde, em cima do mês de Dezembro, apesar de num só mês termos vendido 100 mil cópias, tornando-se disco de ouro, mas este ano queríamos chegar a mais gente. Rubén: Uma das coisas que nos faltou o ano passado foi que não pudemos distribuir em condições, e este ano queríamos ter maior alcance. Este disco está agora em quase todas as lojas especializadas. No mercado venezuelano não é fácil parar, porque não há mercado como tal mas sim vontade dos artistas em querer chegar ao

público. Gabriel, que contributo têm as tuas raízes portuguesas na tua carreira musical?

A mistura, porque o meu pai é madeirense e a minha mãe é ‘gocha’, de Trujillo, e em casa sempre vivemos uma combinação de culturas, o bacalhau com a arepa ao lado, isso é multicultural. A Venezuela é um país multicultural. Em que é que se inspiram para compor? Colocam limites?

Rubén: O Gabriel fez um trabalho de investigação prévio quando fizemos a obra de teatro e foi um processo de maturação, não sou um perito na composição de música celta, mas deixo-me levar pela intuição e pelos sentimentos. Há ferramentas com as quais trabalhamos, mas ainda que tenhamos regras, vamos quebrando-as e acho que as músicas tradicionais e as formas de combiná-las dão material para

muito tempo. Podia haver 40 projectos como os Gaélica e nenhum chocaria. Gabriel: Queria fazer um fado, que é algo mais de saudades, muito emotivo, e trabalhámos a ‘Canção do mar’. Acabámos por dar-lhe sentimento. O que podemos esperar dos Gaélica em 2011?

Gabriel: Disco novo, sem dúvida! Cada vez que falamos disso saem ideias cada vez melhores, e queremos apostar na projecção internacional. Queremos fazer uma digressão por várias cidades do país, para além de diversos festivais internacionais, como a Feira Medieval em Portugal, na qual esperamos participar. Rubén: Queremos compilar todo o conteúdo da carreira dos Gaélica. Depois de ‘I/O’, crescemos muito ao nível conceptual, e é como que uma nova etapa, temos o sonho de fazer algo muito completo que inclua talvez um vídeo.•

'Cantos e Encantos da Madeira' com emissões especiais Correio de Venezuela correio.prensa@gmail.com

O programa radiofónico 'Cantos e Encantos da Madeira', conduzido por Elena Pita e Orlando Couto, prepara duas emissões especiais para os dias 19 e 26, das 7 ao 12h. São duas

verdadeiras maratonas, levadas a cabo pela primeira vez, e através das quais os ouvintes poderão desfrutar do melhor ambiente musical de Natal e de concursos com prémios. Serão ainda abordados diversos temas alusivos à época e ao turismo na ilha da Madeira.•


cultura

16 a 22 dE dezEmbro de 2010 • correio de venezuela

Música|Luisana Andrade dedica-se aos palcos

11

pensa verde

“Canto e comunicação Natal ecológico (V) é o que me define” Carla Salcedo Leal csalcedo.correio@gmail.com

Luisana Andrade: "O fado é algo diferente e que exige muito"

A jovem vai continuar a trabalhar na música ao mesmo tempo que termina o curso de Comunicação Social Jean Carlos de Abreu deabreujean@gmail.com

A comunidade luso-venezuelana continua a gerar talentos e Luisana Andrade é um dos exemplos. Esta jovem de 21 anos estuda no sétimo semestre de Comunicação Social na Universidade Santa Maria e paralelamente dedica-se à música. Recentemente, Luisana estreou a sua primeira produção discográfica no hotel Meliá Caracas, um disco dedicado ao fado. Segundo explicou, este é o primeiro disco de um projecto denominado ‘ArcoCD 2011’, uma proposta da Rádio Arcoense e da empresa K-tedra. Para este talento luso-venezuelano, cantar é uma das coisas de que mais gosta porque tem a aptidão e porque “amo a música”. Por isso, agradece a todas as pessoas que a ajudaram a conseguir alcançar os seus sonhos. Luisana Andrade diz que vai trabalhar em simultâneo na música e na conclusão da sua carreira universitária. “Amo as duas coisas e não as deixarei. Para além disso, uma é o complemento da outra. Canto e comunicação é o que me define”, disse, avançando ainda ao CORREIO que o CD é dirigido à comunidade venezuelana porque esta aprecia o fado, embora não conheça a profundi-

dade do género musical. “Quero mostrar mais da minha cultura a outras comunidades, não apenas à portuguesa. Sabemos que o mundo tem outras coisas com as quais podemos aprender e quero dar um pouco de Portugal à Venezuela”, enfatizou. Esta jovem canta desde os 5 anos de idade, e há três que se dedica ao fado. “É algo diferente e que exige muito, por isso, esforço-me cada vez mais para transmitir esse sentimento de melancolia que identifica o género.” A cantora referiu que no próximo ano irá visitar vários estados do país a fim de dar a conhecer o disco. “Em Caracas, actuei em La Estancia, e muitos venezuelanos assistiram e desfrutaram da minha actuação. Fiquei satisfeita porque cumpri uma das minhas metas”, disse.

Outras actividades Luisana Andrade participou diversas vezes no Festival da Canção organizado pela Federação dos Centros Portugueses na Venezuela (FECEPORVEN), em tertúlias realizadas pelo Instituto Português de Cultura (IPC), em várias noites de fados com os grupos ‘Guitarras de Lisboa’ e ‘Caravela da Saudade’ e em festas populares portuguesas. Para além disso, é locutora de um programa de rádio dedicado ao fado e a tudo o que diga respeito a este género musical, chamado ‘Xailes, Capas e Guitarras’, transmitido pela Rádio Arcoense. É também membro do grupo folclórico luso-venezuelano Estrelas Lusitanas.•

Durante as festas de Natal são gastas toneladas de papel e de cartão, utilizados sobretudo para embrulhar e proteger os milhões de prendas que são trocadas. Perante este facto, urge criar alternativas. A reciclagem de papel vai para além da prática tradicional de guardar as embalagens ou papel em que recebemos as nossas prendas para serem reutilizados, pois quando estes começam a deteriorar-se, é possível usálos para fazer cartões, por exemplo, ou então laços. Dar outra utilização ao papel das prendas é também sinónimo de forrar, pois as cores vivas destes materiais podem servir para fazer brilhar livros e cadernos, entre outras possibilidades. As caixas de sapatos ou de brinquedos também podem ser usa-

das como caixas de prendas, organizadores e até camas para os gatos. No que diz respeito aos sacos de prendas, podem ser usados durante vários anos, sobretudo porque podem servir para transportar artigos de uso diário. Note ainda que ao comprar papel de embrulho, a pior opção é o papel metálico, porque é difícil de reciclar, e porque os seus processos de fabrico são nocivos para o meio ambiente. Por isso, a melhor opção mesmo é o papel de prenda reciclado, fabricado com uma ampla gama de materiais recuperados, como o papel de escritório, os envelopes de cartão e jornais velhos. Este Natal, tenha em conta estes pequenos conselhos na hora de embrulhar as prendas, faça-o de forma ecológica e lembre-se que cuidar hoje é preservar o futuro das novas gerações. PUB


12 perfil

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

RELATO|Carlos Reverendo

Paixão pela natação Em Janeiro, começa o treino para os Jogos Mundiais de Verão Atenas 2011 Shary do Patrocinio shary.correio@gmail.com

“Eu quis que ele nadasse porque o médico recomendoume que isso seria o melhor para oxigenar o seu cérebro. Foi assim que os professores começaram a descobrir a sua força e o seu potencial”, conta a mãe do atleta Carlos Reverendo, Olga Pereira, principal responsável pelo êxito alcançado pelo filho. Já passaram 21 anos desde a altura em que iniciou a sua preparação na escola Don Bosco, aos 7 anos de idade, e hoje em dia Carlos pertence à Organização Olimpíadas Especiais Venezuela (OE), tendo uma grande proposta: Competir como nadador suplente nos Jogos Mundiais de Verão OE Atenas 2011, que se disputam de 25 de Junho a 4 de Julho. Apesar de não ser o nadador titular, Carlos inicia os treinos em Janeiro, a fim de estar em forma e pronto para a competição no caso da companheira não poder participar. “Ele tem que ter a mala pronta”, disse a senhora Olga, que este ano quis acompanhar o filho nesta travessia tão importante, mas no entanto há certos factores

Olga Pereira orgulhosa dos êxitos dos seus filhos

que têm de ser avaliados.

Um potencial a descoberto Par além de uma proeminente colecção de carros de diferentes modelos e marcas, o quarto de Carlos guarda ainda cerca de 70 medalhas, obtidas nos estilos Livre, Mariposa e Costas. A medalha mais importante data de 1998, quando ganhou o ouro ao cruzar o Rio Orinoco. “Oswaldo Parra, um senhor que trabalha com crianças especiais, conheceu Carlos e deu-se de conta do seu potencial, e desde então começaram a treiná-lo para competir no interior do país. Foi assim que se classificou para ir ao Orinoco”, disse, com orgulho, a mãe do atleta. Quando perguntamos ao Carlos como se sen-

te cada vez que mergulha na água, a resposta é “muito bem”, mas conta que também gosta de cozinhar e trabalhar com cerâmica, ofícios que aprende diariamente na Oficina Laboral de Palos Grandes e que combina com os seus treinos semanais de natação. “Tenho vários professores: Richard e Carlos no Centro Português; Victor em La Castellana e Juan Carlos em La Trinidad”, diz Carlos sem hesitar.

Apoio familiar “Um médico em Portugal disse-me que a melhor professora que Carlos podia ter para seguir em frente seria a sua irmã mais nova, Elisabeth”, disse Pereira, que recordou, com muita alegria, que o seu carro era praticamente uma

Ao longo de 21 anos de natação, Carlos conseguiu acumular quase 70 medalhas

casa ambulante, pois passava todo o dia com os filhos nas suas actividades escolares e desportivas. Elizabeth, de 25 anos de idade, foi a segunda bênção da família Reverendo Pereira, proveniente de Portugal continental. Para além de ser irmã e amiga de Carlos, converteu-se na sua luz guia, na pessoa que o acompanhava, que entendia os seus gestos e as suas palavras por concluir. “Nós sempre tratamos de orientá-lo para que faça as coisas bem, para que seja aceite pelos outros sem importar mais nada. Ainda que ele também tente conhecer muita gente, e tanto assim é que no clube conhecem-me como a irmã do Carlos”, diz Elisabeth,

entre risos. Elisabeth tem cerca de 100 medalhas, bem como alguns troféus e placas, como reconhecimento dos primeiros lugares conquistados nas competições entre clubes ao nível nacional nos estilos Livre, Costas e Bruços, e não foi por acaso que aos 7 anos de idade se tornou atleta federada do Centro Português. No entanto, quando iniciou o secundário, Elisabeth não tinha tempo de treinar e menos ainda quando entrou na universidade para estudar Engenharia Informática. Por agora, as energias da família Reverendo Pereira estão centradas no crescimento desportivo de Carlos, um apaixonado pelas águas.•

PUB

ENCONTRE O CORREIO DA VENEZUELA ATRAVÉS DOS SEGUINTES CONTACTOS Victor Vieira

Centro Portugués de Guayana

Trinidad Macedo

(0286) 962.6802 / (0414) 8776547

Puerto Ordaz - Edo. Bolívar

(0251) 262.8768

Barquisimeto - Edo. Lara

José E. De Abreu

Casa Portuguesa de Maracay

(0414) 345.6709

Maracay - Edo. Aragua

Antonio Dos Santos

Programa radial "Así es Portugal"

(0261) 755.7018

Maracaibo - Edo. Zulia

Carlos Balaguera

(0414) 341.2422

Valencia - Edo. Carabobo

Sandra Rodríguez

(0412) 434.5017 / (0412) 756.5448

La Victoria - Edo. Aragua

Jorge Ruíz

322.4246

Los Teques - Edo. Miranda

Gabriel Ferreira

Programa radial "Mocedades Portuguesas"

(0414) 244.5611

Los Teques - Edo. Miranda

Joao Nolasco

Consulado de Portugal en Margarita

(0414) 794.8239

Margarita - Edo. Nueva Esparta

Joao Luis Canha

(0426) 976.7221

Mérida - Edo. Mérida

Fernando David Urbina

(0414) 293.8170

HIguerote - Edo. Miranda

(0261) 743.2142

Prolongación Maracaibo

Restaurant El Fogón Emisora @lfa 100.9 FM

Programa Gente de Portugal y Venezuela

Valles del Tuy


PORTUGAL

16 A 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

13

O novo Centro para a Análise de Decisão em Energia e Alterações Climáticas da Carnegie Mellon University (CMU) vai ser liderado pela portuguesa Inês Lima Azevedo, anunciou a universidade norte-americana.

Administração|Função Pública

Idade média no Estado sobe para os 43,4 anos Administração Pública está a sofrer um envelhecimento médio CORREIO/LUSA

O secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos Santos, sinalizou a subida da idade média dos funcionários públicos, que se situará em 2010 nos 43,4 anos. “Há um envelhecimento médio da Administração Pú-

blica portuguesa”, disse o governante durante uma iniciativa organizada pelo Instituto Nacional de Administração. Aos jornalistas, Castilho dos Santos explicou que o valor da idade média dos funcionários públicos consta do último boletim observatório do emprego público (BOEP), publicado na sexta-feira, 10, e significa uma subida de mais de um ano, quando comparado com o valor médio de há cinco anos (42,3 anos). Os dados referem-se ao emprego público na Adminis-

tração Central, que representa dois terços do total dos empregos no Estado. “Trata-se de uma evolução que tem em conta as mudanças demográficas da sociedade portuguesa e para a qual temos que olhar com preocupação, procurando encontrar soluções técnicas para preparar para um embate demográfico”, disse o secretário de Estado. Castilho dos Santos lembrou que com as actuais regras de contenção “não há condições para iniciativas de rejuvenescimento”.•

A percentagem de trabalhadores com menos de 30 anos caiu entre 2005 e 2010 de 14 para 10,5% PUB


14 PORTUGAL

correio de venezuela • 16 A 22 de dezembro de 2010

A Confederação de Comércio e Serviços de Portugal (CCP) propôs o aumento de 2,2% do salário mínimo, a 01 de Janeiro, valor equivalente à inflação estimada no Orçamento de Estado para 2011.

Privatização da TAP pode arrancar no 1º trimestre de 2011

politica|Revelações

Líderes expostos no Wikileaks

LUSA/CORREIO

Sócrates e Cavaco são considerados aliados dos Estados Unidos

Telegramas revelam opiniões dos Estados Unidos sobre líderes portugueses LUSA/CORREIO

As opiniões da diplomacia norte-americana sobre os principais líderes portugueses, em que avaliam o presidente da República, o primeiro-ministro e os líderes da oposição, estão detalhadas em cinco telegramas revelados, domingo, 12, pelo jornal espanhol El Pais. Os cinco telegramas -produzidos entre Abril de 2008 e Setembro de 2009 pela embaixada dos Estados Unidos em Lisboa- analisam ainda temas como o relacionamento de Portugal com a Venezuela e a repatriação de detidos de Guantanamo. Trata-se de telegramas que a Wikileaks disponibilizou ao jornal El Pais mas que o site

ainda não divulgou publicamente, numa altura em que apenas divulgou 13440 dos cerca de 251 mil telegramas da diplomacia norte-americana que recebeu de fontes anónimas. Nos textos agora divulgados pelo jornal El Pais, a diplomacia norte-americana considera Portugal um “aliado firme”. José Sócrates é descrito nos textos como um político “carismático” mas a quem “desagrada partilhar o poder” e Cavaco Silva destacado pelo “seu esforços em ser um mandatário bipartidário” mas a quem a embaixada atribui “sérias vinganças políticas pelo simples facto de não ter sido convidado à Sala Oval na Casa Branca”. O El Pais refere ainda que os documentos confirmam que Portugal permitiu aos Estados Unidos “usar a base dos Açores para repatriar detidos de Guantanamo” tendo a “boa relação” com Washington sido afectada, entre outros temas,

“pelo tardio reconhecimento da independência do Kosovo, a redução na presença no Afeganistão e o grande impulso às relações com a Venezuela”. Cavaco Silva é relacionado pelos diplomatas norte-americanos como a causa para a redução de tropas no Afeganistão e com a situação no Kosovo, enquanto Sócrates é relacionado com o tema da Venezuela. Os documentos confirmam a excelente relação que os Estados Unidos mantêm com Luís Amado, tanto enquanto era ministro da Defesa como desde que é chefe da diplomacia, sendo considerado um homem “equilibrado” e que “prefere discutir discrepâncias, se as há, discretamente”. Sobre a oposição, os diplomatas destacam entre outros, Manuel Alegre, que definem como “um dinossauro esquerdista” e até “Alegresaurius” e referem a fragmentação do PSD.•

O presidente da TAP acredita que é possível o processo de privatização da companhia arrancar no final do primeiro trimestre de 2011 e que tem mantido contacto com vários interessados na transportadora portuguesa. “Pelo que temos observado a grande saída da TAP é a privatização e apesar da crise financeira actual nós vemos este momento como próprio para trabalhar a privatização”, disse Fernando Pinto, na sede da empresa em Lisboa. O presidente da TAP reiterou que “existem interessados” na compra da empresa, que se escusou a revelar, mas sublinhou que a administração tem estado em contacto com os mesmos. Ainda assim, o processo envolve uma decisão governamental -já inscrita no PEC II- e uma oficialização mais prática. “Há interessados mas eu diria que o processo tem que começar. Tem que haver a formação de um grupo para

a privatização, dentro do ministério das Finanças e das Obras Públicas”, disse Pinto, acrescentando que os decisores políticos têm outros problemas em mãos que os preocupam mais. “Não imagino esses dois ministérios, especialmente o das Finanças, preocupados neste instante com isso. Temos de esperar que passe a tempestade e então sim forma-se a comissão de privatização e abre-se o processo oficialmente. Imagino que a partir do primeiro trimestre de 2011 seja possível acontecer [o arranque do processo]”, disse Fernando Pinto. Questionado sobre se espera terminar o mandato com a empresa privatizada, o presidente da TAP respondeu que tal “seria bom”.

PCP diz que pobreza vai aumentar em 2011 O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, alertou em Torres Vedras que a pobreza vai aumentar em 2011 com o novo Orçamento do Estado, ao comentar a existência de 300 mil portugueses no limiar da pobreza. “Infelizmente, quando entrarem em vigor as medidas do Orçamento do Estado para 2011, tendo

em conta que se vai reduzir salários, congelar reformas, aumentar os impostos e reduzir o investimento, inevitavelmente que a vida vai piorar para a maioria dos portugueses”, afirmou à agência Lusa Jerónimo de Sousa, prevendo um aumento da pobreza em Portugal. DN-LISBOA


diáspora

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

15

As matrículas em cursos de língua portuguesa nas universidades norte-americanas cresceram 10,8% entre 2006 e 2009, mas ainda representam uma pequena percentagem do ensino de línguas estrangeiras, revelam dados da Associação de Línguas Modernas.

sociedade|Comunidades

Breves

Emigração continua, números é que não há

Suíça Há cada vez mais carenciados

Na Suíça há cada vez mais portugueses carenciados e a precisar de ajuda mas, ao contrário do que acontece em outros países, as associações portuguesas não estão direccionadas para lhes prestar apoio, disse o conselheiro Manuel Beja. “Existem cada vez mais portugueses carenciados, dependentes da assistência social dos municípios das diversas localidades”, admitiu à agência Lusa.

Reino Unido é, neste momento, o destino preferido por quem escolhe emigrar CORREIO/LUSA

Os madeirenses continuam a emigrar, nunca o deixaram de fazer, mas as autoridades regionais não têm números sobre o movimento migratório dos últimos anos. A ideia é que, quem parte, vai para o Reino Unido, uma comunidade que, neste momento, terá perto de 100 mil portugueses oriundos da Madeira. Quanto às estatísticas, é difícil recolher dados num País onde cada um é livre de partir e num espaço sem fronteiras para cidadãos da União Europeia. Brazão de Castro, o secretário que tutela estas áreas, explica que não é possível ter números. O Centro das Comunidades e o Instituto de Emprego apoiam, dão indicações. No entanto, é fácil perder o rasto, as pessoas podem ir ou não. “É uma decisão pessoal e individual. Vivemos numa democracia, num País livre, não há maneira de contabilizar essas decisões e essas saídas”. Não se sabe quantos saíram este ano, nem quantos partiram no ano passado, se foram de vez ou se ficaram apenas por uns meses. E também não é possível saber se são mais agora do que eram em 2000, ano em que o desemprego na Madeira bateu os recordes mais baixos. “Temos algumas indicações. Sei, por exemplo, que recentemente uma empresa hoteleira de uma das ilhas do Canal contactou o Instituto

As estimativas apontam para saída de 70 a 75 mil portugueses por ano. Na Madeira, não existem dados

de Emprego à procura de trabalhadores”.

Rumo a Londres O secretário dos Recursos Humanos admite que houve troca de informações, foram fornecidos contactos. “O que não sei é se as pessoas aceitaram as propostas e emigraram”. Do mesmo modo, há dados sobre quantos madeirenses estão na Europa a trabalhar através de propostas feitas na rede ‘Eures’. “Uma vez mais, as pessoas contactam os serviços, pedem informações e, depois disso, perdemos o rasto. A maioria, no entanto, até trata tudo via on-line”. Apesar da falta de estatísticas, Brazão de Castro admite que continua a existir um fluxo migratório para o Reino Unido, sobretudo para Londres. A comunidade terá perto de 100 mil madeirenses e é já a terceira mais importante, a seguir à Venezuela e a África do Sul. Mais recente, mais jovem e onde quem parte tem contactos, um endereço, amigos e familiares. Se se desconhecem os nú-

meros, também não há dados sobre as habilitações destes novos emigrantes. Terão mais estudos, serão licenciados? A pergunta não tem números oficiais, mas parece certo que, quem parte, procura, além da mudança de ares, melhores oportunidades, um emprego e um salário. Brazão de Castro não adianta explicações para estas saídas, nem mesmo com os actuais números do desemprego. “Os valores do desemprego são estes, nunca os camuflei e quem diz que são abaixo da média nacional é o Instituto Nacional de Estatísticas”. A situação não será brilhante em termos de emprego na Região. O secretário reconhece que não, mas lembra que a conjuntura de desemprego é esta em termos globais. “Se olharmos para Canárias percebemos as diferenças. A situação está difícil, mas não tão complicado como em Canárias, onde a taxa de desemprego está acima dos 20%”.

A declaração A saída

Depois de anos a anunciar que a emigração tinha acabado, Jardim reconheceu, numa inauguração em Machico, que esta pode ser a solução para os jovens. E vaticinou. Em breve, disse, “cada família vai ter um jovem a partir para o estrangeiro”.

Os números 70 a 75 mil O Observatório da Emigração garante que o movimento migratório é semelhante ao que se verificava nos anos 60. Por ano, as estimativas apontam para a saída de 70 a 75 mil portugueses para o estrangeiro. Vão para o Reino Unido, Suíça e também para Angola. Os anos de esperança Sem emigrar A emigração portuguesa só estancou nos anos da Revolução dos Cravos (1974-75) e no período da integração na União Europeia (1986-87). De resto, e segundo o Observatório da Emigração, foi mais ou menos constante nas últimas décadas.•

Luxemburgo Crise compromete quadra natalícia Para muitos portugueses residentes no Luxemburgo a crise significa apenas não passar o Natal em Portugal mas para outros traduz-se em carências e em ter de pedir ajuda. “Calcula-se que estejam nesta situação 160 portugueses e com probabilidade de aumentar”, disse à Lusa o presidente da Associação Cultural da Bairrada no Luxemburgo.

França Misericórdia oferece cabaz a carenciados Os detidos de origem portuguesa nas principais prisões francesas vão dispor este ano de um “cabaz de Natal” em dinheiro e géneros, afirmou o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Paris à Lusa. O mesmo responsável salientou que as situações de “miséria e exclusão” no seio da comunidade portuguesa obrigam as organizações de assistência a repensar a solidariedade fora do quadro do Natal.


16 funchal

2010

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro DE 2010

Exponatal

RAUL CAIRES DN-MADEIRA

Iniciativa regressa nos meses de Novembro e Dezembro dinamizando o comércio na baixa do Funchal durante a época natalícia

E

ste trabalho exaustivo resultou de um grupo de trabalho constituído pela Presidência e Vereação da Câmara, pela Associação dos Amigos do Parque Ecológico, pela Universidade da Madeira e pela Quercus. A Exponatal é uma iniciativa que ocorre anualmente, durante a época natalícia, com o intuito de dinamizar o comércio em contexto urbano. Para quem não se lembra, o projecto Exponatal aconteceu pela primeira vez no ano de 2001, e resultou de um protocolo celebrado entre a ACIF-CCIM, a Direcção Regional de Comércio, In-

dústria e Energia, a Direcção Regional do Turismo e a Câmara Municipal do Funchal. Em causa estava o interesse na promoção do Funchal como um espaço ideal para compras e animação, tendo a Exponatal como principal objectivo atrair os turistas e a população local para o coração da cidade na época natalícia e, ao mesmo tempo, criar condições para o alargamento do período de compras. Este ano, a Exponatal, que se realiza nos meses de Novembro e Dezembro, com o apoio da Direcção Regional de Comércio, Industria e Energia, mantém os objectivos que estiveram patentes na sua génese, ou seja, a criação de um ambiente propício às compras,

através da dinamização de um conjunto de actividades que sejam perceptíveis e valorizadas pelos consumidores. Neste âmbito, e tendo em consideração as preocupações que nos são diariamente transmitidas pelos empresários dos estabelecimentos comerciais situados no centro do Funchal, definimos dois objectivos prioritários que irão nortear a nossa actuação, mais concretamente a valorização do Funchal, enquanto espaço comercial, e a valorização dos estabelecimentos comerciais aderentes. Saiba mais em: http://www1.cmfunchal.pt/index.php?option=com_co ntent&view=article&id=344&Itemid= 176&menu=municipio


16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

funchal

17

Divisão de Atendimento e Informação da CMF renova compromisso com a Qualidade No dia 5 de Novembro, a TUV, entidade certificadora, auditou o Sistema de Gestão da Qualidade da Divisão de Atendimento e informação da Câmara Municipal do Funchal, com o objectivo de verificar a conformidade e o compromisso com a melhoria continua. Com a missão de acolher, atender, informar e orientar os clientes para a resolução dos seus problemas dentro ou fora da Autarquia, a Câmara Municipal do Funchal aposta numa constante dinamização dos princípios que regem a gestão pela Qualidade. Pretendendo ser reconhecida como um organismo que presta excelência no atendimento e bem-estar aos seus colaboradores, a DAI trabalha com empenho todas as suas competências no sentido de prestar dia após dia um melhor atendimento aos munícipes do Funchal. Certificada desde 2007, pela ISO 9001:2008 no âmbito do atendimento de munícipes na Divisão de Atendimento e Informação, a DAI renova assim o seu compromisso com a Qualidade. PUB

Funchal acolherá o Civitas Fórum em Outubro de 2011 Em Outubro de 2011 a Cidade do Funchal acolherá a Conferência do CIVITAS Fórum. Esta importante conferência internacional é uma oportunidade para a troca de experiências e de pontos de vista entre políticos e técnicos, na área da mobilidade. A rede CIVITAS engloba 182 cidades de 32 países europeus que estão formalmente empenhados na adopção de políticas de mobilidade sustentável. A escolha do Funchal como cidade onde se realizará o CIVITAS Fórum 2011, foi dado a conhecer em Malmo aquando da realização da VIII Conferência CIVITAS Fórum, entre os dias 27 e 29 de Setembro. Tendo havido seis cidades candidatas à realização deste importante evento, a cidade do Funchal recolheu a preferência dos votantes, tendo ficado colocadas em segundo e terceiro lugar uma cidade italiana e espanhola, respectivamente. Este evento normalmente conta com a participação de cerca de 400 elementos, reunindo políticos de cidades europeias, consultores, académicos.


18 especial

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

11 anos depois, sobreviventes temem uma

Vargas ainda luta p Muitas ruínas ainda podem ser vislumbradas no Estado Vargas. No entanto, os portugueses radicados nesta zona costeira não desistem de seguir o exemplo de luta face à adversidade que vem da sua terra Natal Shary Do Patrocinio Carla Salcedo Leal O receio por voltar a passar pela situação de emergência que vivida em 1999 brota dos olhares, silenciosamente. É uma recordação atípico, envolta entre chuvas e zonas declaradas em estado de catástrofe. Onze anos depois dos choques causados pela natureza no Estado Vargas, a população recorde aquele episódio como se fosse ontem, ainda que todos não estejam dispostos a deixar de lutar por uma região onde tudo se perdeu. Fruto da sua condição de estado costeiro, Vargas converteu-se, desde Chuspa até El Junquito, na casa de um grande número de portugueses, que chegaram à Venezuela com a ilusão de alcançar melhores oportunidades de vida. Como se se tratasse de um amor eterno à primeira vista, muitos dos que desceram dos navios que aportaram no Porto de La Guaira ficaram presos a esta povoação. Apesar dos escombros e das ruínas que ainda se vislumbram em Vargas, estes fervorosos crentes no progresso, não perdem a esperança de que no seu querido povoado ocorram mudanças radicais, tal como sucedeu na Madeira, ilha que

O apego dos sobreviventes lusitanos a esta terra, pesa muito mais que a implacável força destrutiva de da natureza se converteu num exemplo a seguir por muitos povos. O apego destes sobreviventes lusitanos a esta terra, pesa muito mais que a implacável força destrutiva de da natureza, e do mesmo medo que atraiçoa o subconsciente quando começa a cair água do céu. Viver para contar O presidente da Câmara de Comércio de Naiguatá, o comerciante Manuel Sardinha, reviveu a situação do aluvião de 99 no passado 29 de Novembro, quando foi obrigado a abandonar o seu veículo no

meio da auto-estrada para não ser arrastado, juntamente com o seu filho, pelas enxurradas que ocorreram na entrada de Carmen de Uria. “Pensava que tinha de me resignar a perder o carro outra vez, e não foi assim, mas pensei muito no ano de 99, quando estava no carro com toda a minha família”, disse. Ainda que muitos pensem que não se pode tropeçar duas vezes na mesma pedra, quem continua em Vargas fá-lo por amor à terra que lhes estendeu os braços. Sandinha encontrava-se com toda a sua família,

Números > Estima-se que 90% dos portugueses que vivem em Vargas são de origem madeirense, sendo que pelo menos metade vive na região desde a sua chegada. > Só em Carmen de Uria morreram 44 portugueses em Dezembro de 1999. em casa do seu sócio e compadre, Isidro Farías, em Carmen de Uria, na noite em que se iniciou a tragédia. Os seus carros ficaram presos e ele ficou por perto para os vigilar, até que um jovem fornecedor de carne de frango do negócio se

aproximou para o avisar acerca da situação. Paradoxalmente, o jovem morre à sua frente horas mais tarde. “Só quem viveu isto e hoje está aqui para contá-lo consegue entender. Em determinados momentos fechava os


especial

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

a segunda tragédia

O que é que ofereceria a La Guaira?

para esquecer estão as minhas raízes. Cheguei aqui e compenetrei com esta gente, passei a ser adepto de Los Tiburones de La Guaira desde o primeiro momento, e creio que aqui é tudo diferente. Chama-me a atenção o facto de compartimos as celebrações com o meu patrono São João. Sinto-me tão venezuelano e tão ‘naiguatarenho’ como qualquer outro”, disse Sardinhas.

A tragédia tornou-os mais unidos ao nível familiar olhos porque pensava que não existia amanhã”, comenta o comerciante, observando que “não deixa de ser psicologicamente forte porque o temos vivido repetidamente. Estamos atrás de uma montanha que nos atira escombros continuamente”. A tragédia tornou-os mais unidos ao nível familiar e profissional, pois foram os próprios empregados do Supermercado Río Mar que, ao escutar os rumores de que Manuel e Isidro estavam vivos com suas famílias, empreenderam uma busca para os resgatar. Em resposta a

esta acção, o estabelecimento se organizou para dar comida gratuita à comunidade. “Por alguma razão estávamos vivos e, de uma ou outra forma, havia muita gente com grandes necessidades”, lembrou. Sardinha sente a necessidade de ver o povo reagir para que o progresso chegue a Vargas. Justamente depois da tragédia de 99, declarou que em sete anos a região tinha recuperado, mas hoje em dia lamenta que isso não se tenha cumprido. “Tu vês a avenida principal com as novas paragem e os jardins que estão semeando e

tudo te parece muito bonito, mas cruzas a qualquer rua e dás-te conta que os destroços continuam lá. E não é só uma questão de governos, mas também de desleixo dos cidadãos, pois aqui ninguém é capaz de protestar por alguma coisa, a pessoas são conformistas com o pouco que fazem”, descreve o homem que já foi apontado como conspirador por grupos radicais da zona. No entanto, o amor por um povoação que se converteu no sua casa é muito mais forte que qualquer contrariedade ou desleixo. “La Guaira sou eu. Aqui

19

Um amor mais forte que a natureza “Eu pude dar a Macuto tudo o que tenho. Esta obra que estou construindo de novo foi feita com a ideia de levantar a auto-estima deste povo”, assegura António Freitas, quando é questionado sobre o seu apego a Vargas. “Vim com a ilusão do que tinha lido e escutado sobre a Venezuela. Um país petrolífero e de muitos outros recursos. Mas sofri uma grande decepção quando cheguei ao Porto de La Guaira e vi os ‘ranchos’”, contou sobre a sua chegada a La Guaira a 15 de Junho de 1955, pelas 7h00 da manhã quando desembarcou do barco Veracruz procedente da ilha da Madeira. Aos 74 anos de idade, o senhor Freitas conserva uma vitalidade surpreendente, não em vão conseguiu desenterrar a herança que lhe deixaram os seus pais na hora da morte. Há cinco anos depois começou a recuperar as ruínas do seu negócio Apolo 8, uma das padarias mais conhecidas que nasceram na avenida Álamo com Isabel La Católica, em 1969. “Quero abrir esta padaria, se é que Deus me permite essa graça de fazer muito mais do que tenho feito até agora”, assegurou Freitas, apesar das transacções que ainda faltam concretizar com o Cadivi para importar certos equipamentos. Ao contrário de António, Verónica Pereira de Calaça e María Magdalena Caires de Lobato perderam as suas casas,

António Freitas, comerciante de Macuto

“Aqui há muita gente que está vivendo em lugares instáveis e o Governo Nacional devia tomar medidas a este respeito para prevenir uma tragédia parecida à de 99”.

Manuel Sardinhas, comerciante de Naiguatá “Se pudesse oferecia tudo o que, em termos de tecnologia e infra-estrutura, foi feito nos últimos 20 anos na Madeira. Às vezes tenho vontade de pegar num político e levá-lo de avião para ele ver o que foi feito na ilha. Temos uma tacinha de prata que pode transformar-se em ouro. O que em outros países teria sido resolvido em cinco anos, aqui não sucedido”.

Verónica Pereira, comerciante de Macuto

“Aqui fizeram muitas ‘maticas’ e ‘placitas’, mas o que realmente se necessita não foi feito, como semear mais árvores, arranjar as vias para fazer avenidas para que a pessoas possam caminhar, culminar o Ferry. A pesar de termos perdido muitos bens materiais, estamos vivos e por isso temos que pedir muito à Virgem de Fátima para que nos continue a ajudar”.


20 especial

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

Antonio Freitas, há cinco anos começou a recuperar as ruínas do seu negócio que estavam situada em Macuto e em Carmen de Uria, respectivamente. No entanto, ambas continuaram a lutar na terra que lhes deu as boas-vindas quando chegaram da Madeira. “Não quero deixar Vargas porque é a minha casa. Cheguei com seis anos e já tenho 50. Casei-me na Igreja de San Bartolomé de Macuto, há 32 anos, e os meus três filhos nasceram aqui. Adoro Vargas e aqui vou ficar!”, disse Pereira com firmeza, embora resignada por ver o se maior sonho convertido numa grande montanha de escombros. No caso de María Magdalena, proveniente de Santo António, as enxurradas de 1999 cobraram a vida de quatro familiares, uma ferida profunda que continua bem presente e que marca sempre o seu Natal. “Isso, para mim, já acabou”, diz a dona Maria com a entrecortada. Depois de ter vivido 37 anos em Carmen de Uria, a força voraz do rio escavou as bases da sua vivenda. Sobre os escombros da sua constância e do seu trabalho viveu durante dois anos com os seus três filhos e os seus pais. O seu esposo tinha falecido quatro meses antes dos deslizamentos, enquanto que os seus pais não suportaram a dor da experiência vivida. “Lutei para que eles recuperassem comigo, mas morreram de tristeza”, lamentou Caires. Ante a adversidade há que seguir em diante e é por isso que a dona Maria, de 55 anos de idade, juntamente com a sua filha, ganha a vida confeccionado toalhas para o lar, as quais distribui de porta em porta. Ajuda que vale ouro Uma das virtudes que há que destacar do povo venezuelano, incluindo os milhões de imigrantes que este país recebeu durante anos, é o dom da solidariedade e dessa capacidade de ajuda desinteressada que se activa ante uma emergência. Prova disso é a proliferação de cen-

tros de acolhimento e refúgios que foram instalados em distintos estados da Venezuela para apoiar as pessoas afectadas pelas chuvas dos últimos meses. Esta história foi vivida há 11 anos, quando sem distinção de raça ou credo, os habitantes deste país caribenho se juntaram numa causa: ajudar o povo varguense. Incontáveis toneladas de produtos alimentares e artigos diversos, contributos milionários de empresas privadas e de outros países, mobilização de funcionários e a implementação de dispositivos de segurança e de comunicações foram movimentados durante 1999 e também em 2005. António Freitas lamentou, terrivelmente, ter cancelado, uns meses antes da tragédia, a apólice de seguro que cobria o seu negócio, pelo que não pôde cobrar um único cêntimo, nem tampouco receber ajuda do Governo Português. Fois através de um modesto financiamento do Banco Bicentenario que conseguiu reactivar a obra. Por seu turno, Verónica Pereira disse sentir-se muito agradecida com o Governo Português. “Sem a sua ajuda não teríamos conseguido comprar uma nova casa”, destaca, explicando que depois de perder a sua vivenda, obteve um empréstimo a uma taxa muito reduzida. Inclusivamente, cometa Pereira, no momento de pagar a última prestação, o Governo descontou 10 mil bolívares, pela pontualidade no pagamento. “Tínhamos que corresponder e agradecer”, observou. No caso de María Magdalena Caires, a ajuda veio de CorpoVargas, entidade que a indemnizou com 27 mil bolívares fortes e ela, juntamente com o seu pai, pôde reunir 32 milhões, quantia que pagou por uma casa no sector Tirima de Carayaca, há sete anos. A dona Maria demonstrou o seu agradecimento por toda a colaboração oferecida pela vizinha de Carmen de Uria, Dolores Cruz.

Seguir em frente olhando para trás A urbanização Carmen de Uria, situada a Este do estado Vargas, tal como Naiguatá, era uma das zonas com maior número de habitantes portugueses e a mais afectada da região. As feridas deixadas nas pessoas que sobreviveram às enxurradas de terras e pedras que invadiram a então tranquila urbanização, ainda são motivo de lágrimas e sentimentos pesados. Uma das portuguesas que saiu de Carmen de Uria, na companhia do seu esposo e dos suas duas filhas, é Dolores Cruz. Desde então, tem formado parte da Associação “O Coração de Uria ainda palpita”, que não só procura resgatar a Igreja do agora campo santo, missão para a qual solicitou a ajuda do Governo português, senão que também se tem empenhado na tarefa de elaborar projectos viáveis na zona de risco com o fim de evitar uma nova tragédia. Segundo explica, desde há mais de um ano, a associação entregou um projecto à Governação no qual propõe realizar um parque ecológico que sirva para o usufruto da população varguense e visitantes, através do qual se procuraria arranjar uma forma de manter o rio dentro do seu curso original. Ainda estão há espera de respostas sobre este plano. Todos os anos, a 16 de Dezembro, pelas 12 horas, esta organização convoca para uma missa no que resta da Capela de Carmen de Uria, para assinalar o aniversário da tragédia. A este acto unem-se em procissão sobreviventes de Macuto e Tanaguarenas, transportando a imagem de Nossa Senhora de Fátima. No final de casa emocionante missa, os assistentes descem até ao mar, onde cada um lança uma flor em nome dos falecidos. “No ano passado veio a Cônsul e foi a primeira vez que uma autoridade portuguesa se juntou a nós com um gesto de carinho”, comentou Cruz, quem costuma dizer que no momento da tragédia se sentiu mais venezuelana que nunca. Cruz continua a viver em Vargas, ainda que tenha voltado a viver uma situação difícil em 2005. Deus converteu-se na sua grande fortaleza. “Não há governo, nem ninguém no mundo que detivesse aquela tragédia. Eu só quero é não esquecerme disto nunca, porque o momento de humildade que tivemos aí é o que Deus queres de nós”, sentencia.


16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

publicidade

21


22 opiniÃo PALAVRAS ›

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

Deixar-nos actuar? Ao longo dos anos, a juventude da comunidade portuguesa tem sido fundamental para o êxito e progresso, e exemplo disso foram os milhares de portugueses que chegaram a estas terras, muitos sem qualquer formação, apenas com o desejo de progredir. Muito deles, hoje adultos e idosos, conseguiram munir-se de ferramentas que lhes permitiram grandes êxitos ao nível familiar, económico e em muitos casos chegar a lugares cimeiros em associações e outros. Terão esquecido, muitos deles, o que conseguiram, e as suas lutas? Hoje em dia, a nossa juventude não vive o mesmo que nesses anos, em que tudo começava do zero até que se atingissem os objectivos, havia que lutar, às vezes o triplo, para que um português conseguisse as coisas há 50 anos. Hoje em dia, a nossa juventude não vive esses anos onde se começava do zero. Haverá muitos luso-descendentes que hoje possam dar mais do

alta tribuna

Carlos Marques Delegado por Mérida da ASOLUDEVEN

“Muitos falam e falam e não deixam fazer”

que esses portugueses conseguiram? Na minha experiência ao longo de 10 anos passei decepções, vi como os portugueses se criticam entre eles, em que muitos falam e falam e não deixam fazer, mas acima de tudo são vistos como excelentes membros de uma comunidade em muitos casos tornada medíocre por estes adultos que “falam barato”. Hoje em dia há que pensar que se não nos abrem as portas de Portugal, desde as mentalidades dos nossos pais e familiares, passando por entidades consulares, lojas portuguesas, entidades educativas, associações culturais, grupos folclóricos, até chegar ao Governo português, jamais poderemos ser vistos como líderes com potencial. Um potencial que não deve ser visto apenas pela quantidade de dinheiro que tenhamos nos nossos bolsos. Uma coisa que posso demonstrar com factos é que em muitos casos, mes-

mo com o limite imposto pelo dinheiro, com boas ideias, sem pensamentos negativos, podese alcançar o que queremos, com lideranças novas, frescas e juvenis, pelo que faz falta deixarem-nos actuar. Não digo que estes adultos que hoje fazem parte da lista de personalidades que nos representam em todas as áreas da comunidade não sirvam. Há que dar-lhes mérito, mas a situação deve ser avaliada, pois assim como lhes foi dada uma oportunidade quando eram jovens, eles devem fazê-lo connosco e integrar-nos em todos os assuntos. Se continuam a afastar os jovens dos assuntos importantes e só nos têm em conta em certos momentos, e porque precisam, cultivaremos uma comunidade sem nenhum respeito pelas tradições de Portugal. Se ao contrário, nos integrarem activamente, isso trará, uma comunidade florescente por muitos mais anos.

Jornalistas: Shary Do Patrocinio, Andrea Guilarte, Carla Salcedo António da Silva, Sergio Ferreira Soares, Victoria Urdaneta, Jean Carlos de Abreu Correspondentes: Edgar Barreto (Punto Fijo) Carlos Balaguera (Valencia-Maracay) Trinidad Macedo (Barquisimeto) Silvia K Gonçalves (Guayana) Sandra Rodriguez (La Victoria) Ricardo Santos (Margarita) Fernando Urbina (Higuerote) Colaborações: Raúl Caires (Madeira), Arelys Gonçalves, Antonio López Villegas, Luís Barreira, Álvaro Dias, Luis Jorge, Ysabel Velásquez, Carlos Agostinho Perregil R. Administração: Gloria Cadavid Publicidade e Marketing: Carla Vieira Paginação: Elsa de Sá Assessoria Gráfica: Raimundo Capelo Fotografia: Paco Garret, Silvia Di Frisco

As auto-sabotagens diárias QSe calhar já teve momentos na sua vida em que, apesar de acreditar ter feito tudo ‘correctamente’, os resultados não aparecem, e o tempo vai passando assim, e pergunta a si próprio: ‘Porquê que isto acontece? É porque não mereço? Ou talvez não tenha feito o suficiente para ganhá-lo?’ Estas são algumas das perguntas que todos colocamos, num ou outro momento da nossa vida, e a resposta é que quando achamos que já estamos perto da resposta, surge outra pergunta, e assim sucessivamente. Muitas vezes, seguramente, ganhamos justamente o que achamos que merecemos, mas ainda não chega para as nossas vidas. Parece que falta

Director Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Coordenação Sergio Ferreira Soares

Antonio López Villegas

“Quando achamos que já estamos perto da resposta, surge outra pergunta”

algo, ou que existe uma barreira entre nós e os resultados desejados. Trabalhamos muito para alcançar os resultados apenas para bloquear-lhes a entrada na nossa vida devido à nossa atitude de auto-sabotagem. A partir de agora foque-se na forma como trata aqueles que o rodeiam e em se está a ser coerente com aquilo que pensa. Pense que é um exercício mental ou uma tarefa que o mandaram fazer na escola e na qual deve tomar nota sobre aquilo que diz e o que faz: Está a ser justo, cruel, malcriado, violento, teimoso, soberbo, invejoso ou ciumento? Acha que é “a mamã de Tarzan”? Deixa-se guiar pelos que são mais sábios? Ouve

Secretariado: Anaís Salazar

os seus conselhos e põe-nos em prática? Duvida de que as pessoas com mais experiência estão melhor preparadas que você para dar uma orientação? Não percebe que muitas vezes essas pessoas se calam perante uma situação em que estão em desacordo consigo simplesmente porque você acha sempre que tem razão? E acha que “a estás comendo” todo o tempo? Faça o exercício, quanto mais não seja por curiosidade, reveja cada detalhe, e é bem possível que desapareçam essas barreiras que até agora impediram que chegue ao que procura alcançar. Marque no calendário o início da permissão ao processo de mudança.

"Se queres ser colunista de opinião neste meio de comunicação, candidata os teus textos através do correio electrónico correio. prensa@gmail.com. Necessitamos do teu nome completo, um título para a coluna e um texto de 2500 caracteres máximo"

Distribuição: Enrique Figueroa Impressão: Editorial Melvin C. A Calle el rio con Av. Las Palmas Boleita Sur - Caracas Venezuela Endereço: Av. Veracruz. Edif. La Hacienda. Piso 5, ofic. 45H-3. Urb. Las Mercedes, Baruta - Caracas. Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: correio@cantv.net www.correiodevenezuela.com Tiragem deste número: 15.000 exemplares Fontes de Informação: Agência de Notícias Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa, de diferentes partes do Mundo.


cartas

16 a 22 DE DEZEMBRO de 2010 • correio de venezuela

Cartas

23

Favor enviar as suas cartas e comentários ao endereço electrónico: correio.venezuela@gmail.com

Dor em Acarigua

A nossa Vanessa

Mais apoio. Vamos, comunidade!

Fiquei com uma sensação agridoce após a leitura do artigo sobre o clube luso em Acarigua. Não vivo lá, mas tenho conhecidos que conhecem a grandeza do centro social e do impulso de cada um dos seus membros. Senhores, recordem que os dirigentes passam e nós, a comunidade lusa, fica. Estamos à cabeça, contribuímos para o seu crescimento. Deixem de discutir, para isso existem os governantes. Aproveitemos que temos tantos espaços de partilha na Venezuela.

Obrigada ao CORREIO, muito obrigada por ter escrito essas palavras em defesa da nossa Miss Venezuela 2010, mulher que não perdeu a sua condição humana apenas por ser bela. Sei que não poderíamos viver sem os meios de comunicação, mas o sensacionalismo com que estão a ser tratados alguns temas tão relevantes para o nosso país, e neste caso para a nossa comunidade, é uma vergonha. O meu apoio sincero à Vanessa. Ainda que não a conheça, tive oportunidade de vê-la e sentir que é uma mulher sentimental, com muita força. Desejo que os seus êxitos continuem.

Vi nos supermercados próximos da minha casa que foram dispostas caixas para recolha de produtos para as pessoas afectadas pelas chuvas, no entanto, gostaria de ver, por parte das associações da nossa comunidade, e antes que acabe o ano, que se unam e que demonstrem à Venezuela que correspondemos a tudo o que o país nos deu. Está na hora de estender a mão e dizer: VAMOS IRMÃO. Saudações e espero que as minhas palavras tenham eco.

Maria Ferreira

Gerónimo Caires

Madeleine Silva

inquérito

Convite ao CORREIO Agora que a nomeação da cônsul honorária de Portugal em Mérida é um facto, convido a equipa do CORREIO a visitar o estado e reunir a comunidade lusa. Seria bom dar a conhecer os frutos e as desgraças pelas quais os nossos compatriotas em terras andinas têm de passar. Ainda que seja um dos estados mais pacíficos e bonitos, Mérida representa um desafio. Convido-vos e espero poder encontrá-los por aqui.

Beatriz Dias

Ainda faltam duas semanas para a chegada de 2011… Mas já sabe o que deseja para o ano novo?

Mónica Pérez Aguiar Estudante Saúde, paz, melhor qualidade de vida, isto é, menos insegurança, e o regresso da RCTV. Quanto aos meus desejos pessoais: Viajar até Portugal, poder realizar uma viagem ao estrangeiro com os meus amigos, poder ir viver a uma casa e que Deus me de energia para continuar a seguir em frente com os meus projectos, porque todo depende de nós.

Ángela Simoes Comerciante Que a economia se reanime, que sejam reduzidos os índices de violência e que, de uma vez por todas, a comunidade portuguesa se una para poder compartir a mesma cultura e tradições. A ideia é que se forme uma comunidade verdadeiramente forte no núcleo da sociedade venezuelana.

Douglas Molero Jornalista Que aumentem os meus rendimentos três vezes, que possa comprar o meu carro e que ganhem as ‘Águias do Zulia’ na temporada do beisebol venezuelano.

Corina Zorrilla TSU em Radiologia Para este ano desejo menos pobreza, não só na Venezuela como em todo o mundo, que exista menos conflitos entre países e que as pessoas pensem mais nos interesses de todos em vez dos particulares.


24 publicidade

correio de venezuela • 16 a 22 DE DEZEMBRO de 2010


16 a 22 DE DEZEMBRO de 2010 • correio de venezuela

Publicidade

25


26 especial

correio de venezuela  16 a 22 de dezembro de 2010

TRANSPORTE|A maioria está organizada em cooperativas

‘Moto-taxistas’: Solução para os engarrafamentos de Natal Shary do Patrocinio shary.correio@gmail.com

As famosas ‘moto-táxis’ converteram-se numa alternativa para os dias de filas de trânsito intermináveis e falhas no metro, e podemos dizer que fazem já parte das deslocações diárias dos venezuelanos. Num percurso por diferentes paragens de ‘moto-táxis’, ficámos a saber que este ofício dá bons dividendos, sobretudo quando a quadra natalícia se aproxima. “Aí sim há dinheiro. Faço cerca de cinco mil bolívares”, responde Regi Vargas, quando se pergunta quanto ganha fazendo pequenas carreiras entre Novembro e Dezembro. “Há vezes em que se faz mais e outras em que se faz menos, tudo depende como esteja o tráfego e o clima”, disse Vargas, que tem 21 anos de idade que se dedica há três a este trabalho. O preço de uma carreira curta (2 a 3 quilómetros de distância) oscila entre os 20 e os 30 mil bolívares, enquanto que um percurso até ao Aeroporto de Maiquetía, La Guaira, pode custar entre 150 a 200 bolívares. Isto sem contar o tempo de espera que em alguns casos os clientes pedem, e isso pode ir até aos BsF 40. Com cinco anos de trabalho como ‘moto-taxista’, Willian Caldera afirma que o que faz dá para viver e para manter a sua mulher e as suas duas filhas. Do seu ponto de vista, a melhor temporada é entre Setembro e Dezembro, quando pode tirar entre 4 a 5 cinco mil bolívares mensais.

E os benefícios? Trabalhar como ‘mototaxista’ não tem outro tipo de vantagem para além da monetária. Não trabalham ao abrigo dos benefícios da lei, só de uma apólice de Responsabilidade Social contra danos a terceiros,

Willian Caldera afirma que o que faz dá para viver e para manter a sua família

Dicas para apanhar uma ‘moto-táxi’ Dany Benitez, há seis anos ao volante

obrigatória para circular na Venezuela, e um seguro de vida pago por alguns motoristas organizados em cooperativas. “O bom deste trabalho é que temos o nosso próprio horário e não temos chefe. Se saímos para fazer algumas carreiras, ganhamos dinheiro, se não as fazemos, não ganhamos, mas também não temos um superior que nos ralhe”, sublinhou Vargas. Dany Benitez, há seis anos ao volante, considera que a sua experiência neste ofício foi enriquecedora, pois foi uma forma de seguir em frente. “Há empresas que dão alguns benefícios como motorizados, mas temos que cumprir um horário que muitas vezes limita-nos para fazer outras coisas. Eu prefiro trabalhar a despacho, levando encomendas e fazendo pequenas carreiras”, disse.

Ordem no negócio Perante a proliferação deste tipo de transporte, surgiram, há cerca de seis anos, as chamadas ‘linhas de moto-táxis’, e que se foram organizando sucessivamente em cooperativas. Trata-se de um requisito fundamental para que as respectivas ‘alcaldias’ lhes permitam estar nas esquinas das zonas mais concorridas da capital à espera

de clientes. Com esta modalidade, os motorizados mostram-se mais organizados, com horários de chegada e saída, no entanto, cada um administra o seu tempo e o seu ganho diário. O número de motorizados por cooperativa varia, dependendo da quantidade de clientes da zona. Pode haver grupos de 21 ou 30 ‘moto-taxistas’ e os turnos de trabalho distribuem-se por ordem de chegada. Em alguns casos, os membros da linha preferem dar uma quota semanal para pagar o salário de um ‘fiscal de parada’, uma pessoa encarregue de controlar a hora de chegada dos ‘moto-taxistas’ e de dar-lhes as carreiras. É isto que Jonathan Ahuela tem vindo a fazer nos últimos dois meses num local da zona Este de Caracas. Na maioria das paragens, os motorizados são donos das motos e o dinheiro que conseguem fazer durante o dia é deles. Não obstante, também existem cooperativas que alugam motos a pessoas que queiram trabalhar como ‘moto-taxistas’ e que não tenham veículo. Os montantes desta concessão podem variar entre os BsF 70 diários, se o interessado alugar apenas um lugar na cooperativa, ou BsF 120, se alugar o lugar e a moto.•

-O ‘moto-taxista’ deve estar numa paragem devidamente identificada - Deve ter uniforme com o logo da cooperativa -Verificar se a moto tem matrícula -Conversar antes com a pessoa e olhá-lo nos olhos -Não ir com qualquer ‘moto-taxista’ mesmo que esteja com pressa

Membros da linha preferem pagar o salário de um ‘fiscal de parada’

Estratégias dos delinquentes No percurso realizado, ficámos a saber que há duas estratégias que ultimamente estão a ser seguidas pelos delinquentes, que se fazem passar por clientes para roubar o veículo aos ’moto-taxistas’: 1.- Pedem um percurso de longa distância e depois no caminho ameaçam o motorista com uma pistola e conduzem-no até uma zona solitária onde finalmente os roubam 2.- Outra maneira de os delinquentes actuarem é fazerem-se passar por compradores de motos, pedindo ajuda aos ‘moto-taxistas’, e quando chegam ao sítio da suposta compra, o cliente rouba a moto dos vendedores fictícios e o motorista fica automaticamente implicado no delito de roubo.


desporto

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

FUTEBOL|Liga Zon Sagres

Sporting volta ao ‘local do crime’ CORREIO

Uma semana depois de ter sido eliminado da Taça de Portugal no Estádio do Bonfim, o Sporting volta ao ‘local do crime’ para defrontar o super moralizado Vitória de Setúbal. Praticamente afastado do título e já fora da Taça, no jogo de segunda-feira, resta ao Sporting curar as feridas e não deixar fugir o Benfica no segundo lugar, que dá acesso à pré-eliminatória da Liga dos Campeões da UEFA. Na última jornada de 2010, no que diz respeito ao calendário dos três grandes, apenas o Benfica joga em casa. Frente ao Rio Ave, este sábado, 18, a equipa de Jorge Jesus está obrigada a vencer para continuar a exercer pressão sobre o líder do campeonato. Também no sábado, o FC Porto desloca-se a Paços de Ferreira, um campo tradicionalmente difícil para os grandes. No entanto, a equipa de André Villas Boas quer manter a invencibilidade. Depois das duas vitórias consecutivas, o Marítimo joga com o Portimonense, no Estádio dos Barreiros. A atravessar o melhor momento da

27

Arouca escorrega e Oliveirense aproveita CORREIO correio.prensa@gmail.com

Os leões vão tentar limpar a má imagem deixada no jogo para a Taça

temporada, e após o triunfo por 5-1 em Coimbra, a equipa madeirense tem a oportunidade de ficar mais perto dos lugares de acesso às competições europeias. Já o Nacional efectua o último jogo do ano, no Algarve. É frente ao Olhanense, precisamente a equipa que afastou a formação madeirense da Taça de Portugal, no mês passado. Assim, os alvinegros querem que a história não se repita nesta segunda visita a Olhão.•

14ª Jornada SC Braga - Académica Benfica – Rio Ave Beira-Mar - Guimarães Naval - UD Leiria Marítimo- Portimonense Olhanense - Nacional P. Ferreira - FC Porto Setúbal - Sporting

À semelhança do que habitualmente acontece, a edição 2010/2011 da II Liga continua a ser marcada pelo equilíbrio. À partida para a 11.ª jornada, o líder e o 9.º classificado estão separados por apenas três pontos. Ao contrário do que acontece relativamente ao escalão principal, na II Liga faltam ainda duas rondas até final do ano. O Arouca continua na liderança, mas no passado fim-de-semana foi surpreendido em casa, ao perder por 3-1 com o Desportivo das Aves, em jogo antecipado da 12.ª jornada. De resto, num jogo entre dois candidatos à subida de divisão, a UD Oliveirense foi a Barcelos derrotar (1-0) o Gil Vicente, numa partida em atraso da 10.ª ronda.• PUB


28 desporto

correio de venezuela  16 a 22 de dezembro de 2010

futsal|1º Torneio Mundial

Selecção feminina perde final para o Brasil As portuguesas sagraram-se vice-campeãs na cidade espanhola de Alcobendas CORREIO correio.prensa@gmail.com

A selecção de portuguesa de futsal em femininos foi vice na primeira edição do Torneio Mundial da categoria, ao ser goleada pelo Brasil, por 5-1, numa competição organizada pela Federação Espanhola de Futebol. Na cidade espanhola de Alcobendas, a selecção feminina fez uma boa campanha, depois PUB

de seis anos sem competir, tendo apenas perdido o jogo de sábado, 11 de Dezembro, frente ao Brasil. A equipa das “quinas” chegou ao intervalo a perder por 2-0, graças aos golos de Lú (cinco minutos) e Cilene (17), com a segunda parte a começar com mais um tento de Lú (22). Aos 34 minutos, Catarina Silva ainda reduziu a desvantagem lusa, mas, a jogar com guarda-redes avançada, Portugal sofreu mais dois golos, apontados por Vanessa (39) e Jéssica (40). Apesar da derrota, o seleccionador português, Jorge Braz, disse que “foi um orgulho fantástico ter trabalhado com estas jogadoras”.

“A qualidade que demonstraram, o empenho, vontade e espírito de grupo fazem delas um conjunto de enorme potencial. As 14 que aqui estiveram representaram de forma extraordinária o futsal feminino português”, disse, citado pelo site da Federação Portuguesa de Futebol. Jorge Braz adiantou: “Perante esta prestação, o futuro desta selecção e do futsal feminino português só pode ser risonho. Atingimos todos os objectivos formativos e atingimos uma qualidade apreciável”. A selecção portuguesa discutiu com a sua congénere brasileira o título da Taça Mundial após ter derrotado a Espanha por 4-3 em jogo das meias-

Um dos jogos mais renhidos da selecção lusa foi disputado contra a Vinotinto

finais. Na fase de grupos, Portugal bateu por 2-1 a Venezuela, no jogo que marcou a despedida da competição para a Vinotinto.

As venezuelanas terminaram a sua actuação com duas derrotas em um empate. Primeiro caíram ante Brasil, por 14-0, e depois empataram 4-4 com a Tailândia.•


desporto

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

29

1.ª DIVISÃO|Abertura decidido pela diferença de golos

Esppor aproximou-se a glória

Corpo técnico e dirigente mostrou-se satisfeito com os resultados Carla Salcedo Leal csalcedo.correio@gmail.com

Com uma vitória por 2-0 frente ao Yaracuyanos, a formação ‘merengue’ terminou em grande a sua participação no Torneio Abertura da 1ª divisão do futebol venezuelano, ainda que o triunfo não tivesse sido suficiente para quebrar a ‘profecia’ que apontava para que se os tachirenses conseguissem um empate a zero ante o Deportivo Petare, sagrar-se-iam vencedores do campeonato e classificar-se-iam para a Taça dos Libertadores. Uma vez mais, os adeptos não se contiveram e não lhes bastou o confronto com os petarenhos, tendo provocado grandes estragos no Estádio Olímpico ao derrubar a as

vedações que os separavam do terreno de jogo. Jornalistas, jogadores e dirigente, chegaram a apelar à consciência das pessoas para que a violência não se convertesse numa ferramenta de celebração dos adeptos.

De mãos atadas Apenas um golo teria feito a diferença numa jogo que devia ter sido disputado à porta fechada, devido à presença de pessoas afectadas pela chuvas nas instalações do Brígido Iriarte. Foram eles os únicas testemunhas do que se passou em campo e de como uma equipo se fez grane perante a adversidade, pese o facto de ter vivido momentos de desespero, nos último momentos da partida, para conseguir concretizar as jogadas que ia organizando. Esta foi a primeira época em que o Real Esppor Club se aproximou do título, o qual perdeu a pesar de ter acumulando o mesmo número de pon-

Os merengues foram a equipa com maior número de jogos ganhos

tos (+36) que o líder, o qual só venceu porque marcou mais um tento que os ‘merengues’. Castellín e Ortiz foram jogadores que deram a alegria ao conjunto ‘blanco’, ao marcar os dois golos na primeira parte do encontro, enquanto que Toyo

Foto: Silvia Di Frisco

brilhou fechando as portas da baliza, ainda que os rapazes de Maldonado tenham desfrutado de oportunidades para marcar com facilidade. Desde a tribuna, o Samurai, Camilo Ramírez, observava atento e desesperado o desenrolar do encontro que foi arredado, PUB


30 DESPORTO

correio de venezuela  16 a 22 de dezembro de 2010

PUB

TABELA DE CLASSIFICAÇÃO

No próximo dia 17 de Dezembro, os telespectadores poderão assistir, no programa ‘Contacto Venezuela’, a diferentes eventos organizados pela comunidade portuguesa radicada na Venezuela. Marcámos presença no X Aniversário da Associação Luso-descendente; daremos a conhecer um pouco da história do Centro Português e o recente processo eleitoral; veremos ainda a colocação da primeira pedra nas novas instalações do Centro Português de Caracas. ‘Contacto Venezuela’ é transmitido quinzenalmente, todas as sextas-feiras, em três emissões, na RTP Internacional, e aos sábados pela RTP Madeira. É produzido pela Roteiro Filmes C.A., Produtora Nacional Independente que desde Novembro de 2007 é responsável do

Sexta-feira às 5:00 p.m.

17

10

6

1

31

11

+36

2. Real Esppor

17

11

3

3

30

11

+36

3. Caracas

17

11

2

4

24

15

+35

4. Deportivo Petare

17

9

6

2

25

17

+33

5. Trujillanos

17

11

2

4

24

15

+35

programa ‘Contacto Venezuela’ para a RTPI. Através do endereço electrónico: http://ww1.rtp.pt/multmedia/ lindex.php?tvprog=17736 poderão consultar o arquivo dos programas emitidos recentemente. CONTACTO VENEZUELA Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010 Hora venezuelana (ou de acordo com o fuso horário): 4:30am 3:30 p.m. – 9:30 p.m.

roteirofilms@gmail.com

No próximo dia 17 de Dezembro, sexta-feira, apresentamos, no nosso resumo especial de Natal, o primeiro programa dedicado ao Mundialito 2010. Na primeira edição, poderá desfrutar dos treinos prévios, aquecimento e reconhecimento do campo, necessários para desenvolver as estratégias de jogo em campo, para além da visita de grandes figuras do futebol mundial. Não perca esta sexta-feira, 17, às cinco da tarde, o programa ACADEMIA DE CAMPEÕES, pela Meridiano Televisión. E lembre-se que se quiser saber mais sobre o futebol jovem na Venezuela, junte-se ao grupo Academia de Campeões no facebook. Receberemos os seus comentários e

1. Deportivo Táchira

Os merengues foram a equipa com menos golos sofridos e com mais marcados

Noel Sanvicente : “Estou muito orgulhoso dos jogadores que trabalharam duramente”

por ter sido expulso no último jogo. “Não vou voltar a ser expulso, pois estar aqui fora é pior”, escreveu durante o jogo via Twitter (@camiramirez8). No fim do encontro, Cristian Cásseres não foi capaz de conter as lágrimas perante a realidade, mas logo os adeptos merengues mostraram-se através das redes sociais, manifestando o seu apoio à equipa. “Lamentavelmente, não se pôde concretizar o objectivo, mas estou orgulhoso desta equipa”, expressou Javi Campos. “Estamos contentes com o que conseguimos, mas em Janeiro vamos reforçar a equipa para continuar com os objectivos propostos”, disse Ricardo González, presidente do clube.

Para muitos, o Esppor devia ser campeão por mérito, pois os mesmos números que colocaram a equipa em segundo lugar, certificaram a qualidade de jogo do conjunto que se manteve na liderança da tabela durante mais de metade do torneio, quando ainda tinham um jogo a menos em relação aos seus perseguidos mais directos. Até à jornada 15, os merengues foram a equipa com menos golos sofridos e com mais marcados, além de apresentar o maior número de jogos ganhos, pelo que a ninguém estranhou a vitória na última jornada, ao contrário do que aconteceu nos encontros ante o Táchira e Caracas. Sem dúvida alguma, o Real Esppor demonstrou que não há um “inimigo pequeno” no terreno de jogo e que pode dar muito mais do que era de esperar. Em Janeiro a equipa vai retomar as actividades e carregar as baterias para tentar alcançar a outra metade da estrela.•

Análise a frio “Estou muito orgulhoso dos jogadores que trabalharam duramente durante estes meses e que deram todo para vencer e sagrar-se campeões”, confessou Noel Sanvicente. convites para escolas que pratiquem esta disciplina desportiva. Academia de Campeões é uma Produção da Roteiro Films, C.A. Na Direcção Geral: António Vieira Pita; na Produção e Condução: Bibiana Vieira; na Pós-produção: Ivanoscar Rasquin. Câmara: Ivanoscar Rasquin e Luís António Vieira.

academiadecampeones@gmail.com

venezuelacontacto@gmail.com Av. Principal San Luis,Torre Mayupan, Piso 1, Ofic. 1-4, Urb. San Luis El Cafetal. Distrito CApital. Caracas-Venezuela. Zona Postal 1061


16

publicidade

16 a 22 de dezembro de 2010 • correio de venezuela

Vivir acá con estilo

E

l complejo “Palheiro” fue diseñado para ofrecer a sus propietarios y huéspedes un estilo de vida único, cuando se trata de confort, relajación y servicios. A continuación, se ofrece una excelente calidad de vida. Aquí se descubre el ‘estilo de vida Palheiro’! UNA OFERTA DE RESORT Implantados a propósito en zonas de fácil acceso, los complejos resort en general, saben cómo combinar un clima agradable y un entorno natural único. “Palheiro Estate” es un buen ejemplo de eso, ya que sigue el prototipo insertado en torno a una actividad de disfrute. La inclusión de un magnífico campo de golf de 18 hoyos en este complejo, es el resultado de las mágnificas áreas verdes del complejo, puesto que éste ofrece un estilo de vida muy atractivo - el reto del juego se suma a la interacción social que proporciona el lugar. Su “Clubhouse” se convierte, por tanto, en un punto de encuentro para esta comunidad, trayendo la oportunidad de relajarse en un lugar agradable y tranquilo. En el caso de “Palheiro Estate”, el campo de golf y el “Clubhouse” se complementan no sólo por los históricos Jardines de Palheiro, sino también por el Spa, con piscinas cubiertas y al aire libre, gimnasio, sauna y baños turcos, listo para renovar las energías

de sus habitantes. En el corazón de la zona residencial - el condominio privado de “Palheiro Village”- añade una fantástica piscina exterior de agua caliente con bar y un solarium con vistas panorámicas hacia al mar. SERVICIOS Dentro del complejo, los propietarios y los huéspedes tienen una increíble variedad de servicios. Para mayor comodidad o para una vida libre de preocupaciones, los propietarios pueden dejar su casa bajo la responsabilidad de la inmobiliaria, que también se encuentra en el complejo, quedando asegurada a la administración de la residencia, visitándo regularmente el inmueble, inspeccionándolo y haciéndole servicio de limpieza y mantenimiento. En el caso de un invitado de última hora a su residencia en “Palheiro”, basta sólo que el propietario notifique a la empresa para que éste abastezca los alimentos necesarios y decore el lugar donde se encuentren. Hoy en día, la gente necesita saber que pueden contar con los servicios disponibles cuando los necesiten. Y así es en el pajar del pueblo: es un "nanny" para permitir a los padres una noche más relajada, es una lección para mejorar ese swing de golf o incluso un masaje para relajar los músculos cansados. Hoy en día, la gente necesita saber

publicidade

31

correio de venezuela • 16 a 22 de dezembro de 2010

que pueden contar con los servicios disponibles cuando los necesiten. Y así es en el “Palheiro Village”: sea una "baby sister" para darles a los padres una noche más relajada; tome una lección de golf para mejorar ese “swing” o incluso un masaje para relajar los músculos cansados. HOSPEDAJE Y ALIMENTACIÓN Los complejos resort, por regla general, están preparados para ofrecer varias opciones según la necesidad y preferencias. En el caso de “Palheiro Estate”, la Casa Velha do Palheiro ofrece alojamiento 5 estrellas en un ambiente de casa de campo, mientras que el “Palheiro Village” dispone de apartamentos y villas para periodos vacacionales o arrendamiento a largo plazo. De la elegante y sofisticada cena en la “Casa Velha do Palheiro” — miembro de la cadena ‘Relais & Chateaux’— en el “Clubhouse”, el ambiente es más relajado y práctico, ideal para el día a día. “Palheiro Estate” ofrece opciones de restaurantes de referencia. Y ¿por qué no probar el té por la tarde con una rebanada de pastel en la tranquila y verdosa área que rodea la Casa de Té? OFERTA INMOBILIARIA Para aquellos que quieren calidad de vida, el complejo permite, además de alquilar, se puede comprar la vivienda en el condominio privado “Palheiro Village”. Esta oferta puede variar, por departamentos, entre los tipos T1 y T2, y en materia de vivienda entre T3, T4 y T5. Cada habitación ofrece a sus residentes una calidad de construcción inigualable, donde salta a la vista la generosidad del espacio, el brillo y los servicios que pueden acceder. Los precios de este pequeño condominio oscilan a partir de €295.000 para un apartamento de 1 dormitorio y a partir de €595.000 para un T3, y €1,650,000 para el caso de la villa de ensueño T4 con piscina privada. El complejo aumenta su oferta de venta de parcelas de tierra, que podría oscilar entre 2.000 y 4.000 m² con magníficas proyectos personalizados que pueden ofrecer una auténtica vida de lujo. Aquellos que buscan lo mejor, pueden optar por este estilo de vida!

Ventajas de los Propietarios • PALHEIRO GOLF

- Green fees: 50% descuento -Inivitados(enjuegoconlospropietarios): 30% descuento - Alquiler de buggies y tacos: 15% descuento hasta las 14h00, 50% descuento a partir de las 14h00 -Comidasybebidas(Clubhouse):15%descuento

•POSADASCASAVELHADOPALHEIRO - Cuartos: 30% descuento -Comidasybebidas:10%descuento - Campo de tennis: 5€/hora -TratamientoenelSpa:10%descuento • SPA DE PALHEIRO -OfertadelacuotadelossociosdelSpa hastafinalesde2014.Despuésdeeste período,ydesdequeseaportador deuna“TarjetadePropietariodel PalheiroVillage”,recibiráundescuento del50%enlacuotascomosocio en vigor. • JARDINS DO PALHEIRO -EntradaalosJardines:10%descuento •PESCADEPORTIVAYOBSERVACIÓN DE BALLENAS Y DELFINES -PodráutilizarelyateBalancalpara hacer3viajesdemediodía,durantelos primeros dos años después de la compra.

real.estate@palheiroestate.com www.palheiroestate.com


O jornal da comunidade luso-venezuelana Caracas,

16 a 22 de Dezembro de 2010

www.correiodevenezuela.com

encontro com|Ángel Casallas

“Nunca pensei que seria actor” Depois de passar por diferentes etapas, o jovem de 23 anos continua em busca de oportunidades

Correio de Venezuela correio.prensagmail.com

Fernando Urbina fernandodavidurbina72@gmail.com

Participou em vários anúncios publicitários para a televisão quando era criança e o seu interesse pelo mundo da comunicação despertou. O rosto de Ángel Casallas é reconhecido ainda das passerelles do país, um trabalho que começou a afinar em Puerto Ordaz, onde viveu durante algum tempo, e onde terminou os estudos universitários. De volta a Caracas, recebeu uma proposta: Participar no concurso Mister Venezuela, que foi o trampolim para entrar no canal RCTV, no programa ‘La pareja dispareja’. Mais tarde, na Academia de Actores, recebeu uma bolsa e começou a explorar o campo da representação até conseguir um papel na telenovela ‘ Libres como el viento’. Agora experimenta os palcos e continua no mundo dos anúncios. O homem que é agora assemelha-se ao que desejava ser quando era pequeno?

Eu nunca pensei que seria actor, pensei que ia ser engenheiro. Mais tarde, uns 10 anos depois, queria ser arquitecto, até que tudo mudou e dei-me de conta de que a minha vocação real era a representação. Se fosse Deus por um dia, qual a primeira coisa que faria?

A primeira coisa seria clarificar muita coisa nos pais, porque acho que cometemos muitos erros ao criar os nossos filhos e as suas falhas como filhos são as nossas como pais. Diz tudo o que pensa ou pensa em tudo o que diz?

Digo tudo o que penso (risos), mas acho que isso me trouxe muitos pro-

CORREIO apresenta nova página na Internet

Participar no Mister Venezuela, foi o trampolin para entrar no canal RCTV

blemas. Por isso digo tudo o que penso mas depois fico a pensar em tudo o que digo.

levantarmos e quando nos levantamos temos mais força e mais impulso para fazer o queremos.

Qual a sua maior paixão?

Que opinião tem da comunidade portuguesa que reside na Venezuela?

As minhas maiores paixões são a minha filha, a recordação da minha mãe, a minha família e a minha carreira. Está a preparar algum projecto?

É uma comunidade muito trabalhadora, muito unida e com metas muito importantes no campo comercial.

Há uma série que fizemos para vender e há outra da qual me falaram mas que anda não se concretizou.

Quando ouve a palavra português, qual a primeira coisa que lhe vem à cabeça?

De que se queixa com frequência?

Que mensagem enviaria aos leitores do Correio da Venezuela?

Das horas para dormir.

Na sua opinião, qual é a chave para o êxito?

O esforço. Não importa quantas vezes caímos, será para aprender a nos

Supermercados e o vinho do Porto.

Envio uma cordial saudação, apresento-me perante vós, e apesar de não ser muito conhecido, espero que me acolham e recebam na comunidade.•

Aproveitando a quadra natalícia, o CORREIO operou mudanças na sua página da Internet com o objectivo de disponibilizar mais e melhor informação aos seus leitores. Tendo também em conta o início de um novo ano, quisemos oferecer uma nova imagem, sempre acessível através do endereço habitual: www. correiodevenezuela.com Neste sítio virtual, os leitores poderão aceder facilmente às notícias das nossas edições semanais, consultar os eventos promovidos pela comunidade, desfrutar do nosso habitual inquérito numa versão animada, assim como conhecer as nossas novas secções ‘Álbum de Família’ e ‘Responsabilidade Social’. Desde já, convidamos todos os leitores a interagir com o semanário através do correio.prensa@gmail. com, através do envio dessa foto familiar a preto e branco que certamente está guardada no baú de recordações. Não perca a oportunidade de partilhar um momento pessoal e histórico com toda a comunidade! Os leitores também poderão apreciar da fotogaleria dos eventos mais relevantes da comunidade, assim como os enlaces directos dos nossos principais parceiros: Diário de Notícias da Madeira e o grupo financeiro Banif. Graças a um convénio com a publicação ISSUU, temos a possibilidade de disponibilizar na Internet as edições imprensas num formato digital moderno e inovador, o qual permite ao leitor visualizar o semanário como se estivesse com ele entre as mãos. Só falta que os visite para conhecer o que preparamos para si.•

Correio da Venezuela 388  

Edición 388

Correio da Venezuela 388  

Edición 388

Advertisement