Page 1

01 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Primeira.qxp

19/12/2007

08:12 p.m.

PÆgina 01

www.correiodevenezuela.com

O jornal da comunidade luso-venezuelana

Dinâmica em Mérida Fundação Casa da Madeira registou 80% dos portugueses p. 7

DEPÓSITO LEGAL: 199901DF222 - PUBLICAÇÃO SEMANAL ANO 08 – N.º 238 CARACAS, 20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007 - VENEZUELA: BS.: 1.500,00 / BS.F.: 1,50 / PORTUGAL:

0,75

Recusa de Cavaco gera mal estar Presidente do Centro Português, em Caracas, considera uma “indelicadeza” a ausência de representação do PR nos 50 anos da instituição p.11 FOTO ARQUIVO DN-MADEIRA

Relançamento das relações Novo impulso PortugalVenezuela marca ano de 2007 p.3

CORREIO volta a 10 de Janeiro Devido às solenidades da quadra festiva, o jornal da comunidade regressa às bancas na segunda semana de Janeiro. Boas Festas!

qêÉòÉ ~åçë ÇÉéçáë ÇÉ íÉê îáëáí~Çç çÑáÅá~äãÉåíÉ ~ sÉåÉòìÉä~ J É ç `Éåíêç mçêíìÖìðëI Éã `~ê~Å~ë JI `~î~Åç páäî~ ÇÉÅäáåçì ç ÅçåîáíÉ é~ê~ çë RM ~åçë Çç `m Éã OMMUI éêÉëÅáåÇáåÇç í~ãÄÐã ÇÉ Ñ~òÉêJëÉ êÉéêÉëÉåí~ê å~ë G S Q I Q S V E ä ıÉë èìÉ íÉêłç äìÖ~ê Çìê~åíÉ ç ~åç áåíÉáêçK

Polícia em buscas nos bairros Duas semanas depois do assassinato do casal Oliveira, o CICPC continua com pistas frágeis sobre a autoria do crime p. 6

Con esta edición del Correio de Venezuela circula el Suplemento Especial de Navidad PUBLICIDADE


02 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Editorial.qxp

2

EDITORIAL

19/12/2007

07:24 p.m.

PÆgina 2

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Mais que palavras Director: Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Coordenação em Caracas Délia Meneses Jornalistas: António da Silva, Erika Correia, Jean Carlos de Abreu,Tomás Ramirez, Victoria Urdaneta, Sandra Rodríguez Correspondentes: Carlos Balaguera (Maracay e Valencia) Carlos Marques (Mérida) Edgar Barreto (Punto Fijo) Trinidad Macedo (Barquisimeto) Colaborações: Raúl Caires (Madeira) António de Abreu, Arelys Gonçalves Antonio López Villegas, Luís Barreira, Álvaro Dias, Luis Jorge Gerente Executivo Aurelio Antunes Contabilidade Sandra Agosta Publicidade e Marketing: Carla Vieira Ventas Ricardo de León Relaciones Públicas María Amelia Da Rocha Eventos Yamilem González Preparação Gráfica: DN-Madeira Produção: María Alexandra Monteverde C. Secretariado: Emmanuel Vieira Fotografia Paco Garrett Distribuição: Juan Fernández e Enrique Figueroa Impressão: Editorial Melvin C. A Calle el rio con Av. Las Palmas Boleita Sur - Caracas Venezuela Endereço: Av. Principal Las Mercedes. Edif. Centro Vectorial (Banco Plaza). Pent House, Urb. Las Mercedes, Baruta Caracas (Ao lado de CONAVI). Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: correio@cantv.net URL: www.correiodevenezuela.com Tiragem deste número: 15.000 exemplares Fontes de Informação: Agência de Notícias Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa, de diferentes partes do Mundo.

PUBLICIDADE

Em todas as quadras natalícias exageramos nas palavras e nos votos de fraternidade e de solidariedade. Não se trata de nada negativo, bem pelo contrário, porque é nestas alturas que a generalidade das pessoas se mostra mais disponível e mais sensível às questões que perturbam a humanidade, seja algures noutro continente, seja aqui ao virar da esquina. Por isso, nunca é demais deixarmo-nos levar pela bondade das palavras e das intenções. O que se pretende chamar à atenção é que, pelo menos por uma vez, não nos deixemos ficar pelas palavras e intenções. Há imensa gente a viver abaixo do limiar do que é humanamente aceitável e são essas pessoas que precisam de ser acarinhadas, com algo mais que palavras. Noutro patamar, temos imensas pessoas que nem na quadra natalícia têm o conforto de uma companhia amiga, o prazer de uma tarde sem isolamento ou de um simples tele-

fonema. Esse é o outro tipo de ‘pobreza’, que deixa tantas ou mais mágoas que a falta de alguns bens materiais. Neste enquadramento, é justo que se recorde as pessoas e instituições que lidam dia-a-dia com os menos favorecidos. É uma justa homenagem evocar esses homens e essas mulheres que, muitas vezes sem qualquer contrapartida, se dedicam a cuidar dos outros, seja lidando directamente com eles, seja tratando de arranjar apoios e de organizar maneiras de tornar o seu dia-a-dia menos doloroso. Tudo o que aqui ficou dito ganha ainda maior peso se se juntar o factor emigração. As comunidades lusas espalhadas pelo mundo – em particular a da Venezuela – têm um acréscimo de nostalgia, por estes dias. As tecnologias têm encurtado distâncias, mas não eliminam a saudade. Um santo e feliz Natal para todos!

O cartoon da semana O que é que queres receber como prenda de Natal?

- Ficava muito feliz se pudesse aceder à ‘pagina web’ do Cadivi...

A semana Muito Bom Uma nota positiva que talvez noutros países do mundo seria de todo negativa: a libertação de um emigrante português sequestrado há duas semanas . Valeu a excelente intervenção da polícia venezuelana com a colaboração da polícia portuguesa presente na Venezuela no caso. Com o a devida autorização das autoridades venezuelanas, as duas polícias trabalharam de mãos dadas no caso . Daí a nossa nota positiva a este exemplo que se quer repetido em situações futuras.

Bom O ambiente e a alegria natalícia que se vive nas ruas, nas casas particulares, nos clubes.Um ambiente positivo cheio de esperança, misturado com a nostalgia devida da quadra natalícia.Um ambiente de festa nas empresas, nas escolas e também nos clubes, um ambiente de reencontros, de

visitas, enfim, um ambiente cheio de tradições de todas as partes. Também um autêntico reencontro com as diversas tradições.Por parte dos portugueses, a carne de vinho e alhos, o bacalhau, o bolo preto, as ‘filoas’, as bailarinas, a canja de galinha, etc., tudo lembra o Natal.

Mau A droga e o tráfico ilegal de pessoas para Portugal tem vindo a ser tema de grande preocupação para as autoridades venezuelanas e portuguesas. Destacamos aqui, negativamente, o aumento de casos de passageiros transportadores de droga, assim como de documentação ilegal para Portugal. Situações que geram

confusões nos aeroportos, atrasos nas viagens e grande movimentação de funcionários da policia portuguesa para acompanhar os deportados. Enfim, postos de passageiros que bem podiam ser ocupados por pessoas de viagem normal, e atrasos que significam grandes aborrecimentos por culpa de terceiros.

Muito Mau A duas semanas do crime macabro que vitimou dois anciãos portugueses, ainda não foram encontrados os assassinos do caso. Sabemos da eficiência da policia venezuelana neste tipo de casos e estranhamos que até

esta data ainda não tenham encontrado os responsáveis do caso que abalou a Avenida La Salle em Los Caobos, Caracas. Um crime macabro que não pode ficar impune para bem de toda a sociedade venezuelana.


03 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Actual.qxp

19/12/2007

07:43 p.m.

PÆgina 3

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

ACTUAL

Novo impulso Portugal-Venezuela marca ano de 2007 ano de 2007 foi marcado por um relançamento das relações entre Portugal e a Venezuela que atravessam actualmente "uma fase excelente e muito dinâmica", declarou o Embaixador de Portugal na Venezuela, João Caetano da Silva, num primeiro balanço do ano 2007. Três membros do Governo Português das áreas das comunidades Portuguesas, Justiça e Comércio visitaram a Venezuela no decurso deste ano. O Presidente Hugo Chávez visitou também Portugal no passado 20 de Novembro tendo tido uma reunião de trabalho com o Primeiro Ministro Português, José Sócrates. "Desde que assumi estas funções, seleccionei os empresários e os jovens luso-venezuelanos como sectores prioritários da minha actuação diplomática. Os empresários porque são um instrumento fundamental para o fortalecimento das relações económicas bilaterais que estão a um nível muito baixo. Por outro lado, os jovens representam o futuro

O

e torna-se crucial interessá-los mais por Portugal e pela cultura portuguesa", comentou o diplomata. Na sua mensagem de Natal e Ano Novo, Caetano da Silva referiu que foi possível organizar uma série de iniciativas em colaboração com parceiros locais. No plano económico, uma pequena missão empresarial portuguesa do sector das conservas e cutelarias visitou a Venezuela em Maio e estabeleceu contactos com os empresários luso-venezuelanos para concretizar negócios futuros. Em Novembro, a Embaixada esteve envolvida na organização da Feria da Câmara de Comércio, Industria e Actividades Afins dos empresários luso-venezuelanos e, pela primeira vez, esteve representada com um Stand. "Foi igualmente organizado um Festival Gastronómico no Hotel Meliá que mostrou a excelência da nossa cozinha e vinhos e que se espera tenha periodicidade anual". No âmbito cientifico, a Associação de Médicos Luso-Venezuelanos organizou dois Sim-

Um ano marcado pelo relançamento das relações entre Portugal e a Venezuela.

pósios sobre Sida e Medicina Tropical tendo os mesmos contado com a participação de um dos maiores peritos portugueses nesta matéria. A nível artístico, a comunidade contou com a presença das grandes cantoras portuguesas, Teresa Salgueiro e Dulce Pontes, que realizaram dois concertos memoráveis na Aula Magna da Universidade Central de Vene-

zuela. O Embaixador de Portugal na Venezuela participou em reuniões em Valência, Maracay e Caracas que permitiram conhecer melhor os interesses e prioridades dos jovens. Foi organizado um Fórum de Jovens Empresários no âmbito da Feira da Câmara de Comércio e Industria e criado um prémio para os melhores licenciados Luso-Vene-

3

zuelanos de 2006/2007 que foi entregue no final do mês passado. "Iniciei também um bloque chamado "Contacto -Jovem" que me vai permitir ter um diálogo mais directo com eles". No próximo ano 2008 o Embaixador pretende dar seguimento a estas acções. "Lançarei uma campanha de imagem de Portugal que permitirá levar ao conhecimento da sociedade civil venezuelana a realidade actual de Portugal moderno, desenvolvido e europeu e o muito que nosso país tem para oferecer. Esta campanha que terá ampla divulgação nos órgãos de comunicação social venezuelanos permitirá também realçar o papel que os portugueses desempenharam nas últimas décadas neste país e a contribuição que as diferentes gerações de luso-venezuelanos estão a dar para o desenvolvimento da Venezuela". Caetano da Silva agradeceu toda a ajuda que lhe foi prestada numa perspectiva "de que só a través de colaboração mútua será possível concretizar os objectivos definidos". PUBLICIDADE


04 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

4

VENEZUELA

19/12/2007

07:13 p.m.

PÆgina 4

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Casos de dengue duplicam em relação ao ano passado A medida de suspender a publicação de relatórios epidemiológicos é uma "violação" da constituição vigente e do acordo que a Venezuela mantém com o resto dos países da América Latina de informar as cifras de contaminados por dengue, doença que não tem fronteiras e que não distingue entre classes sociais. Os únicos países da América Latina que proibiram estes relatórios foram Cuba e Venezuela. Calcula-se que provavelmente o número actual de infectados por dengue na Venezuela ronde as 60 mil pessoas em todo o território nacional, cifra que duplicaria o total registado no ano passado. O ex-ministro da Saúde e Assistência Social, José Félix Oleta, em declarações à imprensa regional, insistiu que a decisão do Ministério para a Saúde de proibir a publicação de relatórios epidemiológicos desde o passado 28 de Julho é um "erro" do Estado. O antigo professor da Escola de Medicina da Universidade Central da VePUBLICIDADE

O número actual de infectados por dengue na Venezuela ronde as 60 mil pessoas

nezuela indicou que esta doença, que tem afectado principalmente os estados Miranda, Aragua, Carabobo, Portuguesa, Zulia e Distrito Federal, é uma "problemática epidemiológica", citando o caso do Estado Zulia onde a quantidade de infectados por dengue este ano duplicou comparativamente a 2006. OS NÚMEROS OFICIAIS De acordo com o último relatório

publicado pelo Ministério do Poder Popular para a Saúde na sua página oficial da Internet (www.msds.gob.ve), correspondente à semana de 15 a 21 de Julho de 2007, boletim número 29, registraram-se em todo o país um total de 1.387 casos nesse período, dos quais 128 foram infectados por dengue hemorrágica. O total acumulado foi de 28.119, desde Janeiro até a essa data. Para a mesma semana de 2006 (de

16 a 22 de Julho), foram reportados 714 casos de dengue, 67 deles inseridos no quadro hemorrágico. O total acumulado de infectados foi de 24.447 pessoas, o que representa um aumento de 28% relativamente ao período homólogo de 2007. Actualmente não se conhece a cifra exacta devido à proibição que, desde Julho passado, entrou em vigor. Segundo o ex-ministro da Saúde, Rafael Orihuela, actual investigador do Instituto de Medicina Tropical da Universidade Central da Venezuela, para a semana 30 - uma semana depois do último boletim publicado - já se tinham registado 29.400 casos em todo o território nacional. Apesar de que as investigações jornalísticas tenham contabilizado mais de 34 mortes causadas pelos vírus transmitido através da picada do mosquito fêmea "Aedes aegypti", o presidente de Insalud, Ricardo Hernández Lanz, assegura que até ao momento não há registo de qualquer morte com essa causa.


05 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Publicidade.qxp

19/12/2007

07:12 p.m.

PÆgina 5

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

PUBLICIDADE

5


06 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

6

VENEZUELA

19/12/2007

07:10 p.m.

PÆgina 6

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Polícia procura homicidas nos bairros próximos Duas semanas depois do assassinato do casal de portugueses em Colinas de Los Caobos, em Caracas, o Cicpc ainda não tem pistas sobre a autoria do crime Jean Carlos de Abreu deabreujean@gmail.com

pós o homicídio do casal Oliveira, o medo apoderou-se de La Salle. Os dias que se seguiram ao crime macabro apresentaram umas ruas desoladas. Os moradores de Los Caobos não têm vontade de falar. Refugiam-se em casa, atemorizados com a recordação do que aconteceu recentemente com Ana e Jaime Correia, naturais de Aveiro, assassinados com requintes de selvajaria. Alguns vizinhos optaram inclusivamente por tomar calmantes para dormir, procurando assim ajuda para vencer as noites de insónia passada a tentar compreender o sucedido. Passadas duas semanas desde o crime, a polícia prossegue com investigações nos bairros próxi-

A

PUBLICIDADE

mos na tentativa de dar com os homicidas. As diligências têmse centrado nas zonas de Los Manolos, Los Erazos de San Bernardino e Pinto Salinas, mas o Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc), tanto quanto se sabe, não conseguiu qualquer pista que possa levar à identificação e detenção dos culpados. Nem sequer tem as características dos seus rostos. Carlos Oliveira, filho das vítimas, referiu ao CORREIO que a divisão do Cicpc que investiga os crimes de homicídio, mas especificamente a brigada F, "não quer revelar dados nem explicar em que ponto se encontra a investigação", isto porque ainda não possuem pistas concretas sobre o assassinato. No entanto, confia que o Cicpc está empenhando todos os recursos pa-

ra resolver o caso. O quiosque de Ana Correia de Oliveira, em La Salle, está sendo administrado actualmente por Carlos, que é o filho mais novo do malogrado casal. Adiantou que o motivo do crime que está sendo explorado pela polícia é o de roubo à mão armada e não o de vingança, como algumas pessoas ventilaram inicialmente. "Pela forma como os assassinos deixaram a casa, vê-se que estavam à procura de objectos de valor e dinheiro. Os meus pais eram pessoas honradas e trabalhadoras, não tinham fortuna, mas humildade", assevera Oliveira, contando ao Correio que segundo os primeiros comentários feitos pelos agentes policiais, o casal tentou opor-se aos ladrões para evitar ser roubado.

Os dias que se seguiram ao crime macabro apresentaram umas ruas desoladas.

Um presente: Justiça! "Peço a Deus e à Virgem que me dêem como presente de Natal a satisfação de saber que apanharam os assassinos dos meus pais", pede Oliveira, clamando por justiça.Sem deixar cair a voz, apesar de emocio-

nado, apela às autoridades portuguesas estabelecidas no país para interceder junto das instituições venezuelanas para que sejam dadas respostas rápidas quanto ao desfecho das investigações.


07 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

19/12/2007

07:08 p.m.

PÆgina 7

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

VENEZUELA

Fundação Casa Madeira quer sede própria em 2008

7

Délia Meneses

a cidade de Mérida, um dos feitos mais importantes no decurso de 2007 foi o surgimento da Fundação Luso-venezuelana Casa Madeira. Constituída a 30 de Abril, tem desde então procurado fortalecer os laços de união entre os portugueses e as suas famílias no Estado que dá pelo mesmo nome da cidade capital. Para 2008, o desejo é poder continuar a servir a comunidade luso-emeritense. O primeiro a idealizar esta fundação foi Bernardino Rodrigues do Quintal, entretanto falecido. Desejava deixar as suas terras para criar uma associação portuguesa em Mérida. Mas foi só muitos anos depois que um grupo, liderado pelo funchalense Rui Marques de Sousa, traçou várias metas nesse sentido, entre elas a realização de um censo entre a comunidade lusa de Mérida. Até à data, a fundação Casa Madeira já tem registada mais do 80% da população, sendo notória a preocupação de muitos por actualizar os seus documentos portugueses, outros em aprender o idioma de Camões, alguns em jogar futebol ou em bailar no grupo folclórico. Através da Comissão de Bem-estar Social da associação, vários portugueses vão ser apoiados para que possam deslocar-se aos consulados portugueses conseguir documentos que por alguma razão não puderam requerer anteriormente. No campo do folclore, muitos têm sido os bons contactos com o Governo Regional da Madeira, já que é de-

N

A fundação encontra-se sem uma sede própria. O objectivo é obter uma casa, situada no sector San Juan do Estado Mérida.

vido a estes que foi concretizada a obtenção de trajes folclóricos e instrumentos que, apesar de ainda não terem chegado às mãos do Grupo Folclórico, espera-se que venham no início de 2008. A colaboração da representante da Caixa Geral de Depósitos, Irene Alves, também poderáser determinante para a futura obtenção de trajes regionais do continente. A nível informativo, foi publicado um pequeno boletim e um blogue na Internet (www.funluvecma.blogspot.com), para dar informações à comunidade, tais co-

mo requisitos para nacionalizar-se ou legalizar o matrimónio. A nível social, o destaque vai para a visita do Cônsul de Portugal em Valencia. Até à data, a fundação encontra-se sem uma sede própria. Os seus membros estão a procura de criar um fundo com o objectivo de obter uma casa, situada no sector San Juan do Estado Mérida. Para isso estão a pedir a colaboração para se conseguir comprar estas instalações e assim poder criar um centro recreativo capaz de oferecer áreas destinadas a famílias e pessoas carenciadas. PUBLICIDADE


08 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

8

VENEZUELA

19/12/2007

CORREIO DA VENEZUELA

07:07 p.m.

PÆgina 8

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Bingo do Centro de Punto Fijo deu 50 milhões em prémios Edgar Barreto de Gouveia ebarreto@correiodevenezuela.com

pós uma intensa promoção por via da rádio e televisão regionais durante três meses, a nova Junta Directiva do Centro Português de Punto Fijo (CPPF), realizou, no passado sábado, 15 de Dezembro, o seu primeiro bingo milionário nas suas instalações, oferecendo uma casa cheia de 30 milhões de bolívares. A actividade contou com a presença de 600 pessoas, as quais participaram ainda na sessão de tomada de posse da nova Junta do CPPF, equipa que foi eleita para estar à frente da associação em 5 de Agosto, por um período de dois anos. O vencedor dos 30 milhões de bolívares foi conhecido pelas 2 horas de domingo, 16. António João de Matos Tavares, oriundo de Aveiro, gritou "Bingo!", reclamando a avultada

A

PUBLICIDADE

O vencedor dos 30 milhões de bolívares acompanhado da directiva do clube

quantia. Aquele que é um dos antigos fundadores do clube, doou depois um milhão de bolívares ao centro português 'paraguanero' e assegurou que vai continuar a trabalhar para melhorar a associação. "Eu iniciei a obra da instituição há muitos anos, por isso desejo continuar a levar o

CPPF em frente e convertê-lo, juntamente com a minha equipa, numa das melhores associações sociais da zona", assegurou. Os prémios distribuídos ascenderam ao montante de 30 milhões de bolívares, na modalidade do cartão cheio; e em dois bingos especiais de 5 mil-

hões e cinco regulares de 2 milhões de bolívares. José de Matos, actual presidente da instituição, notou que a assistência ao evento "traduziu-se num grande êxito para nós. Com esta actividade queremos conseguir a confiança de todos os portugueses associados ao clube e não procu-

rar um ganho financeiro". O dirigente indicou ainda que a actual directiva recebeu o clube em condições difíceis, com um fundo monetário de 10 milhões de bolívares. Tendo em conta esta situação, observou que deseja chegar aos 100 milhões de fundo até finais do mês de Dezembro. "É necessário o apoio de todos os sócios para conseguir esta meta. A ideia é levar o clube mais além", preconizou. A direcção actual do Centro Português de Punto Fijo está composta por José de Matos Tavares, presidente; João Gabriel dos Santos, vice-presidente; Maria Nunes de Sousa, secretária principal; José Luís Gomes, tesoureiro; Carlos Ruela, secretário de RRPP; Venâncio Barreto, secretário de desporto; Leandro Gouveia, director de relações sociais; Álvaro Ferreira, primeiro vogal; Reinaldo Viveiros, segundo vogal; Luís Gomes, terceiro vogal e Anselmo Soares, quarto vogal.


09 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Publicidade.qxp

19/12/2007

06:24 p.m.

PÆgina 9

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

PUBLICIDADE

Instrumentos de apoio

9

Unidade de apoio ao Emigrante Empresário O IDE-RAM é o organismo na dependência da VicePresidência do Governo Regional da Madeira que presta apoio às pequenas e médias empresas. Na área da Emigração, dispõe de uma unidade de apoio ao Empresário Emigrante. Nesse âmbito, e em colaboração com o CORREIO de Venezuela, o IDE fará publicar uma série de esclarecimentos a potenciais investidores na Madeira. Qualquer pessoa poderá colocar as suas dúvidas através do CORREIO ou através do site do IDE que vem publicitado nesta página.

m dos grandes objectivos consagrados no Plano de Desenvolvimento Económico e Social da Região Autónoma da Madeira é assegurar níveis elevados e sustentados de crescimento económico e do emprego através da definição de um novo paradigma das políticas de desenvolvimento baseado na inovação, no empreendedorismo e na sociedade do conhecimento. Surge uma nova concepção de Instrumentos que potencia de uma forma efectiva o up-grade do tecido empresarial regional, nomeadamente através da aposta clara no cluster do turismo, na internacionalização das empresas regionais, na captação de investimento estruturante, na promoção do empreendedorismo como competência-chave da inovação, recorrendo a uma nova filosofia de Sistema de Incentivos e à consolidação e alargamento das formas de financiamento das empresas, complementares ou alternativas às oferecidas pela banca comercial ao tecido empresarial regional, contribuindo para que a envolvente financeira constitua um quadro de oportunidades ao equilíbrio financeiro e propício ao fomento de estratégias empresariais competitivas, promovendo junto das empresas perspectivas integradas de investimento, estimu-

U

lando a aposta na investigação e desenvolvimento tecnológico, na sociedade do conhecimento, nas tecnologias de informação e comunicação, na qualidade, ambiente e energia. De forma a consubstanciar os objectivos atrás referidos o IDERAM, através da Vice Presidência do Governo Regional definiu em Decreto Legislativo Regional, o enquadramento legal de referência de um conjunto de instrumentos de apoio ao investimento, financiamento e funcionamento das empresas, em coerência com as estratégias das políticas públicas de dinamização da envolvente empresarial para o período de 2007-2013. Este diploma aplica-se a todos os projectos potenciadores do upgrade do tecido empresarial da Madeira privilegiando as seguintes áreas de actuação: a)Empreendedorismo; b)Inovação Empresarial; c)Desenvolvimento Tecnológico; d)Sociedade do Conhecimento; e)Tecnologias de Informação e Comunicação; f)Qualidade, Ambiente e Energia; g)Expansão Empresarial para Novos Mercados; h)Captação de Investimento Estruturante; i)Revitalização Empresarial; j)Compensação dos Sobrecustos

Permanentes da Economia Regional. A actuação do IDE-RAM sobre as áreas anteriormente definidas, compreenderão as seguintes iniciativas: a)Promoção de iniciativas empresariais e favorecimento de estratégias empresariais inovadoras e competitivas através de sistemas de incentivos financeiros à base produtiva regional e ao funcionamento; b)Consolidação e alargamento das formas de financiamento das empresas; c)Promoção de áreas estratégicas de desenvolvimento; d)Melhoria da envolvente empresarial, visando promover a competitividade e a coesão para o crescimento sustentável através da aposta na criação de instrumentos facilitadores da acção empresarial. Os instrumentos de apoio a utilizar, e que serão brevemente disponibilizados, são os seguintes: a)Sistemas de incentivos; b)Dinamização de infra-estruturas de apoio directo às empresas; c)Dinamização de serviços de apoio à actividade empresarial. Complementarmente aos instrumentos atrás referidos, serão criados mecanismos facilitadores do acesso aos mercados de capitais

e financeiro, nomeadamente, Capital de Risco, Garantia Mútua, Business Angels ou outras formas de financiamento. Na concretização destes princípios e de forma a imprimir uma maior racionalidade na estratégia de actuação do Governo Regional, será privilegiado o desenvolvimento de parcerias entre o sector público e privado, visando uma actuação concertada indispensável ao desenvolvimento do tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira. Impõe-se assim uma nova geração de Sistema de Incentivos que potencie de forma efectiva o up-grade do tecido empresarial regional e que potencie o investimento feito na envolvente empresarial, nomeadamente quer ao nível das acessibilidades, nas telecomunicações e outras infra-estruturas digitais, Parques Empresariais, Universidade, Pólo Tecnológico, entre outros. O IDE-RAM aguarda a publicação do respectivo Decreto Legislativo Regional, para assim proceder á disponibilização dos diferentes instrumentos de apoio, nomeadamente e assumindo como prioridade: Os diferentes sistemas de incentivos á actividade produtiva, sendo de salientar que estes irão privilegiar, de forma clara e inequívoca, o investimento em factores

dinâmicos de competitividade. De realçar igualmente que estes irão majorar os projectos que se localizarem nos Parques Empresariais tendo o IDE-RAM inclusive “desenhado” um sistema de incentivos especifico para os Parques. Formas alternativas ao financiamento: de referir que o IDERAM criou em finais de 2004 uma Capital de Risco denominada “Fundo Madeira Capital”, está a implementar uma Agência de Garantia Mutua, prevendo a sua abertura no primeiro trimestre de 2008. Igualmente prevê-se o lançamento do Micro-Crédito. Para o efeito o IDE-RAM apostará numa gestão integrada dos mecanismos de investimento, funcionamento e de financiamento de forma a promover de forma mais activa o espírito empresarial e a promoção de iniciativas empresariais e de favorecimento de estratégias inovadoras, com o objectivo de contribuir para: Diversificação e sustentabilidade da economia regional; Clusterização dos sectores estratégicos; Manter ritmo elevado e sustentado de crescimento da economia e do emprego; Promoção de projectos de investimento integrados e inovadores; Promoção de competências humanas. PUBLICIDADE


10 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

10

VENEZUELA

19/12/2007

06:26 p.m.

PÆgina 10

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Emigrantes sem pressa de voltar O referendo do dia 2 de Dezembro deixou a comunidade apreensiva. Portugueses preferem esperar para ver o rumo que será seguido na Venezuela. com a intenção de ficar na ilha, mas não encontram trabalho e acabam por voltar à Venezuela. "Aqui têm facilidades de vida". No entanto, sublinha que nos últiindefinição quanto ao futuro da mos anos tem sido notória uma outra reVenezuela não levou a que os madeirenses se precipitassem no alidade. A dos lusodescendentes formaregresso à Região. A maior par- dos, que não encontram trabalho espete prefere esperar no país para decidir o cífico para aquilo que estudaram na rumo a seguir, embora haja sempre quem Venezuela e tentam a sorte na Europa. opte por voltar à terra natal, por moti- Para a Madeira mas não só. Já Olavo Manica, do Centro Social vos que mais além dos políticos. Há 22 anos, Maria da Graça Faria, na das Comunidades Madeirenses, no Funaltura com 20 anos, viajou para a Vene- chal, sublinha que este ano já chegaram zuela. Tinha casado há apenas sete dias. algumas famílias, embora acrescente que Aos 42 regressa para, finalmente, se es- não existem estatísticas que permitam tabelecer na ilha. Numa altura em que saber ao certo quantas regressaram, uma a Região não oferecia tantas possibilida- vez que têm nacionalidade portuguesa e não passam pelo Serviço de des de emprego, o destino Estrangeiros e Fronteiras para muitas famílias acaba(SEF). Mas mesmo os que esva por ser a emigração e a O número tão na ilha, mantém-se exVenezuela era um dos prinpectantes quanto ao futuro da de visitas cipais países de eleição. Era Venezuela, alguns porque não uma terra de oportunidades, à Região conseguem encontrar trabaltal como ainda hoje o é. Ali, ho na Madeira. será o dobro de uma forma ou de outra, a Maria da Graça Faria chemaior parte dos emigrantes das do ano gou no dia 1 de Dezembro, consegue vingar na vida, rapassado. com a filha Mary. O filho zão pela qual acabam por fiMichael estava já a viver na car, mesmo quando a situaRegião há sete anos. Ficou ção parece não ser a melhor. Maria da Graça Faria passou por por sua iniciativa. O medo constante dos muitos momentos de instabilidade polí- assaltos e dos sequestros e o receio de tica mas afirma não ter sido esse o moti- que algo pudesse acontecer aos filhos, de vo do regresso. Revela, no entanto, que 18 e 20 anos, foi o principal motivo do existe um clima de grande expectativa regresso. "Quando saem à rua, nunca se junto da comunidade. "Há muita gente sabe o que pode acontecer", afirma. A insegurança é tanta que os pais, que quer que a coisa se componha para não querendo "amarrar os filhos", vão ao ficar." A maioria dos madeirenses na Venezuela está plenamente integrada e pre- ponto de levá-los e buscá-los à discoteca. Maria da Graça Faria nunca foi asfere permanecer no país, pelo menos ensaltada. "Tive sorte", admite, sublinhando quanto a situação for sustentável. Os que vão definitivamente são ain- que vivia com um aperto no coração. A da poucos. António Abreu, proprietário par da criminalidade, refere que a vida da 'Ama Tours', agência por onde pas- na Venezuela é muito "rápida". A confusão na ruas, o desrespeito pesam na Venezuela muitos dos emigrantes que tencionam regressar ou viajar até à las regras de trânsito, a velocidade consMadeira para passar férias, afirma que tante, o stress diário fizeram com que eshouve momentos de menor tensão polí- ta família optasse por procurar um amtica que levaram à saída de um maior biente mais calmo, sobretudo agora que a filha acabou o secundário e tenciona número de madeirenses do país. "Neste ano, existe uma percentagem prosseguir estudos. Mudavam-se agora mínima de pessoas que vão embora de ou esperavam pela conclusão do curso. vez", disse. Muitos, refere, até viajaram A possibilidade de ficar definitivamente Sílvia Ornelas DN Madeira

A

PUBLICIDADE

Este ano deverá ser um dos melhores de sempre no que se refere às visitas de emigrantes madeirenses na Venezuela

Há muita gente que quer que a coisa se componha para ficar

na Venezuela nunca foi uma opção para Maria da Graça Faria, ainda mais quando há sete anos o filho mais velho decidiu ficar na Região, após as férias da família na ilha. "Nasci na Venezuela mas o meu sangue é lusitano", disse. Ao contrário de outros lusodescendentes, Michael sente a Madeira como a sua terra natal e, hoje em dia, até tem dificuldade em expressarse em espanhol. O pai de Michael está ainda na Venezuela para ultimar a venda dos bens que deixa no país, incluindo uma empresa imobiliária. Na Madeira, a família Faria, de Santo António, espera encontrar a tranquilidade, à qual tem também que se adaptar. Para já, quer gozar o Natal. Quanto ao futuro, o novo ano dirá. O QUE SE SEGUE? O referendo do dia 2 de Dezembro deixou a comunidade apreensiva. A incerteza quanto ao futuro que a Venezuela poderá seguir a preocupar os madeirenses, sobretudo os que dizem respeito à propriedade privada. Apesar de ter declarado que respeitaria o resultado do referendo, após a notícia de que o 'Não' à reforma venceu, foram várias as declarações do presidente Hugo Chávez que levam a supor que não irá deixar o assunto ficar por aqui. Este ano deverá ser um dos melho-

res de sempre no que se refere às visitas de emigrantes madeirenses na Venezuela. António Abreu, da Agência 'Ama Tours', afirma que o número de vendas em Dezembro aproxima-se dos verificados nos meses de Julho e Agosto, altura em que a maior parte dos emigrantes se desloca à Região. Embora não fale em valores, o empresário diz com toda a certeza que o número de visitas será o dobro das do ano passado. António Abreu afirmou que o Governo dá agora a possibilidade de ser gasto no exterior um dólar subsidiado, pelo que muitos emigrantes aproveitam para visitar a sua terra natal. Nesta altura, existem já dificuldades na marcação de viagens e os lugares que ainda sobram são nas tarifas mais caras. Mas mesmo assim, afirmou, ainda há pessoas a comprar bilhetes. Já no que diz respeito ao regresso, estão já esgotadas as viagens até 27 de Janeiro, entre Funchal e Caracas, até mesmo através de Lisboa. Actualmente existem sete voos semanais para Portugal, dois deles directos para a Madeira. Tendo em conta que 50% dos lugares nos voos para o continente são ocupados por madeirenses e a existência de dois voos directos, cada um com cerca de 200 passageiros, deverão chegar semanalmente à Região mais de mil emigrantes.


11 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

19/12/2007

06:29 p.m.

PÆgina 11

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

VENEZUELA

Ausência de representante de Cavaco Silva criticada no CP

11

João da Silva não gostou que o Presidente da República não tivesse indicado um representante para estar presente no 50 Aniversário do Centro Português a 31 de Dezembro com a festa de Fim de Ano no Salão Nobre. Mais ainda, tomasramirezg@gmail.com adiantou João da Silva, existe um proausência de um representante jecto para fazer um festival de música da Presidência da República portuguesa e exposições de pintura onnas celebrações dos 50 anos do de se exibirão obras de pintores lusoCentro Português, em Caracas, venezuelanas. Quanto às condições em que a sua mereceu críticas por parte do seu presidente, João da Silva, que tomou pos- lista foi eleita, o dirigente fez questão se esta semana para um segundo perío- de lembrar que, historicamente, no CP do. "Disse que não podia vir, mas nem quase todos os presidentes cumpriram sequer mandou alguém em sua repre- dois anos e que sempre foram reeleitos sentação", lamentou o presidente da jun- automaticamente quando faziam uma ta do CP, considerando que tal atitude boa gestão. "Eu talvez esteja fazenindiciava uma certa "falta de do uma gestão regular ou delicadeza". má, mas o único que sei é Na mesma declaração A lista única de João que estou fazendo o melhor dada ao CORREIO, em que da Silva tomou agora que posso, tal como a minconfirmou a vinda de Alha equipa. Só quando há berto João Jardim, presidenposse para um novo duas candidaturas é que te do Governo Regional da período à frente da existe motivação para as Madeira, Silva comentou direcção do Centro pessoas virem votar", explique, como o Presidente CaPortuguês. cou. vaco Silva não podia vir, "o A nova equipa da direcmais indicado seria enviar ção do CP sofreu cinco altealguém em representação do governo português tendo em conta a rações em relação à anterior. João da Silva acredita que os membros da actual importância deste acontecimento". "Penso que aqui existem 600 mil Junta são pessoas capazes, que conheportugueses e esta é a nossa casa-mãe. cem e, praticamente, vivem no clube. O Centro Português é a entidade que "O importante duma direcção é ter genmais representa a comunidade portu- te que venha todos os dias ao centro, guesa da Venezuela no mundo", acres- que saiba escutar as críticas construticentou, justificando assim a necessidade vas das pessoas que estão na fonte de de o Chefe de Estado de Portugal fa- soda ou no Caney, que escutem o sócio. zer-se pelo menos representar numa ce- Se elegermos um director que não vem rimónia tão importante quanto simbó- ao clube, isso não é bom", disse. lica como é a celebração do meio sécuA SEGURANÇA DO CLUBE lo de existência do CP. A lista única de João da Silva tomou "Lamentavelmente, tivemos este ano agora posse para um novo período à frente da direcção do Centro Português. que mandar encerrar o banco porque O acto decorreu na companhia de ami- ficava ao lado do parque das crianças e gos e familiares da junta directiva ree- era muito perigoso. Em duas oportunileita em 9 de Dezembro último. E o Sa- dades vimos como saíam com as bolsas lão Nobre engalanou-se para aceitar o de dinheiro e com as pistolas na mão compromisso dum grande desafio co- enquanto as crianças brincavam em mo será a celebração dos 50 anos do clu- frente do banco". As palavras de João da Silva abriram o capítulo do seu disbe. Para concretizar os projectos plane- curso dedicado à nova política de seguados no período 2006-2007, a junta di- rança que a junta directiva tem de imrectiva procurará conseguir apoio fi- plementar nos próximos dois anos. O presidente do CP deixou no ar a nanceiro dos sócios e da empresa privada para proceder aos arranjos necessários possibilidade de o banco voltar, mas disse que a concretizar-se o regresso, teria para os festejos. "Sabemos que não podemos fazer de ser instalado num sítio mais próximo tudo, mas pelo menos devemos melho- da porta, onde não se verifique muita rar a entrada do centro e, se os sócios passagem de pessoas, sobretudo de o aprovarem, pintar as instalações pa- crianças. "O banco deve investir muito em ra que no ano que vem tudo esteja em condições para receber os nossos con- segurança. Que instale uma porta dupla, vidados especiais", declarou o presidente que possua uma guarida e pessoal de segurança na entrada. Temos de estudo CP. Para celebrar o 50.º aniversário, a dar a fórmula para que o banco regresjunta directiva tem previsto levar a ca- se, mas em condições que levem o sócio bo diferentes actividades, com início já sentir-se seguro", exigiu. Tomás Ramírez

A

Presidente Cavaco Silva não enviará ninguém em representação do governo português ao 50 Aniversário do Centro Português PUBLICIDADE


12 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Historia de Vida.qxp

12

19/12/2007

06:31 p.m.

PÆgina 12

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

História de Vida "Preferia estar na minha casa"

Joana Vieira São Gonçalo, Funchal

Erika Correia oana Vieira nasceu na véspera de Natal, a 24 de Dezembro de 1917, em São Gonçalo, Funchal. Desde muito pequena que começou a conciliar os estudos com o trabalho, e até aos anos 50, o seu tempo livre era dedicado a trabalhar na fábrica de bordados dos seus padrinhos. Por casualidades da vida, conheceu, na mesma fábrica, aquele que seria o seu marido, também ele afilhado dos padrinhos de Joana. Pouco tempo depois de se terem conhecido, contraíram matrimónio. Para fugir ao serviço militar que os três filhos teriam de cumprir, decidiram preparar tudo e rumar à Venezuela. "Conhecíamos esta terra através da imprensa, e falava-se muito da Venezuela. Para além disso, tínhamos vários vizinhos que tinham vindo tentar a sorte e que nunca mais regressaram, e isso queria dizer que tudo lhes correu bem. Nós viemos e estou aqui há mais de 45 anos". A sua primeira impressão do país não foi agradável. Aquelas montanhas cheias de casinhas afectaram-na tanto que desatou a chorar até que chegou

J

Joana Vieira é um dos 60 idosos que residem no Lar Padre Joaquim Ferreira, em Los Anaucos. PUBLICIDADE

àquela que seria a sua nova casa. "Sentia que tudo isto era horrível, assustei-me, olhava para tudo em meu redor e perguntava-me se isto era a Venezuela, sentia a falta do meu ambiente, da maneira de viver, da minha família, recordavame sempre da minha pátria e das coisas a que estava acostumada". La Candelaria, em Caracas, foi o lugar onde passou a viver. Trouxe de Portugal vários quilos de telas para bordar, mas desistiu de continuar a trabalhar nessa área "já que aqui não se dava o valor suficiente aos desenhos madeirenses". Foi assim que tomou outros rumos. "Trabalhei durante 27 anos numa fábrica de lenços e gravatas, a partir da minha casa. Podia ajudar a minha família e ao mesmo tempo trabalhar e ganhar algum dinheiro". Recorda que os donos da fábrica deram-lhe muita ajuda na sua chegada, e agradece ter conseguido encontrar, no seu caminho, pessoas tão boas e honestas, tanto que os considera como a sua primeira família. "O meu marido dedicava-se a trabalhar como fiscal de autocarros, mas esteve sempre muito doen-

te, nunca chegou a trabalhar seis meses seguidos, estava sempre a interromper devido à sua saúde, até que morreu de cancro nos ossos há 12 anos". Desde que chegou à Venezuela há 45 anos que não sai daqui. Apesar de sentir a falta da sua família e da sua terra, não tem nenhum interesse em voltar, nem sequer de passagem. Joana Vieira é um dos 60 idosos que residem no Lar Padre Joaquim Ferreira, situado na urbanização Los Anaucos de Caracas, onde lhes é prestado todo o tipo de atenções necessárias a pessoas da terceira idade. "A minha família querme muito, estão sempre atentos, telefonam-me sempre que podem e se estiver ao seu alcance me virem visitar, vêm. Estou a viver aqui há dois anos e meio e apesar de estar bem, este não é o meu ambiente e preferia estar na minha casa". "Dedico o meu tempo livre a tecer, bordar, a limpar o meu quarto ou a lavar a minha roupa. Não posso estar sem fazer nada. Trato de colaborar em tudo o que possa, e dou graças às pessoas que nos ajudam, pois fazem muito bem o seu trabalho".


13 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Cultura.qxp

19/12/2007

06:32 p.m.

PÆgina 13

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

Talento musical em Carayaca

Alejandra Faria, membro do grupo folclórico infantil de Carayaca, fundado recentemente, onde é bailarina e cantora.

José Maria Nascimento

m Carayaca, terra fértil em hortaliças, abacates, laranjas entre outras furtas e leguminosas, e lugar de muitas lojas comerciais em mãos de gentes lusitanas: supermercados, mercearias, lojas de bebidas, salta à vista que no campo musical também a comunidade lusitana se destaca. É o caso de uma menina de dez anos, de nome Alejandra Faria, membro dum grupo folclórico infantil fundado recen-

E

temente em Carayaca, onde é bailarina e cantora. Filha de pais oriundos de São Roque do Faial, Santana, um concelho do norte da Ilha da Maderia, Alejandra gosta de cantar em português, "o que sempre fará", segundo garante com um grande sorriso. Destaca-se cantando algumas canções folclóricas. Mas não só. Dentro do grupo, músicas como "Apita o Comboio", "Bailinho da Madeira", "Ó malhão, malhão", entre muitas mais, são interpretadas por esta linda menina que

apesar de ter nascido em terras de Simon Bolivar, leva no coração a música de Portugal. A directora do grupo falou ao CORREIO sobre as enormes dificuldades para se conseguir as vestimentas (trajes típicos do folclore português) que precisam os seus membros, lamentando que por causa destas limitações, jovens e crianças com talento como é o caso de Alejandra Faria não possam destacar-se ainda mais no mundo do espectáculo e do folclore.

LAZER

13

Breves

Manoel de Oliveira completa 99 anos O mais premiado cineasta português de todos os tempos, Manoel de Oliveira, que completou 99 anos em 11 de Dezembro passado, disse à agência Lusa que está determinado a realizar todos os filmes que ainda tem em projecto. "Continuo enquanto me deixarem e enquanto tiver saúde", disse à Lusa Manoel de Oliveira, garantindo que quer realizar todos os projectos que tem, sem dar prioridade a nenhum em especial. "Não quero chegar a parte nenhuma, [o cinema] foi só a minha paixão, foi quase que instintivo", afirmou o cineasta. Manoel de Oliveira escusou-se a falar sobre o seu passado, sublinhando que está concentrado apenas nos planos para o futuro. "Não olho para os filmes que fiz", frisou. Manoel de Oliveira nasceu no Porto em 11 de Dezembro de 1908, mas foi registado como se tivesse nascido no dia seguinte. Com 76 anos de cineasta e 99 de idade, Manoel de Oliveira é o mais velho realizador de cinema do Mundo em actividade e o mais premiado do cinema português. "Douro, Faina Fluvial" (1931), "Aniki Bobó" (1942), "Benilde ou a Virgem Mãe" (1974), "Amor de Perdição" (1979), "Francisca" (1981), "Le Soulier de Satin" (1985), "Os Canibais" (1988), "Vale Abraão" (1993) e "O Quinto Império" (2004) são alguns dos mais de 40 filmes que realizou. "Belle Toujours" e "Cristóvão Colombo - O Enigma" (com estreia marcada para 10 de Janeiro) são as obras mais recentes de Manoel de Oliveira, que tem em projecto "O estranho caso de Angélica" e a adaptação para cinema do conto de Eça de Queiroz "Singularidades de uma rapariga loira". PUBLICIDADE


14 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Cultura.qxp

14

CULTURA

19/12/2007

06:33 p.m.

PÆgina 14

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Albi de Abreu no grande ecrã O novo filme venezuelano, "Puras Joyitas", é o cenário para o multifacetado personagem El Coqueto, encarnado pelo actor filho de madeirenses

O toque final na engrenagem das actuações, segundo Abreu, deu-se pela camaradagem vivida no set

Tomás Ramírez tomasramirezg@gmail.com

s calças à boca-de-sino, camisas coloridas e a atitude de 'latin lover' dos anos 70 caracterizam El Coqueto, personagem da nova película venezuelana Puras Joyitas. O personagem é encarnado pelo luso-venezuelano Albi de

A

PUBLICIDADE

Abreu, nesta obra-prima dos realizadores Henry Rive- fazer coisas, e saiu o que o público vai ver agora nas salas de cinema", disse o actor filho de pais madeirenses. ro e César Oropeza Esta longa-metragem, seleccionada na convocatóA longa-metragem conjuga o melhor talento, tecnologia e criatividade para oferecer ao público vene- ria de guiões 2006, foi financiada graças ao apoio do zuelano uma produção sem precedentes no cinema Centro Nacional de Cinematografia (CNAC), de uma nacional. Para além de Albi de Abreu, o elenco é for- empresa privada e da co-produção de companhias do mado pelos actores Mario Cimarro, Jorge Palacios, sector audiovisual (Prime Time, Cinemateriales, EFEErich Wildpret, Miguel Ferrari, Juan Pablo Raba, Pedro X Colômbia, Factor RH Produções, Anónimo Studio, Pérez (Budú - 3 Dueños), Gabriela Vergara, Julie Res- Futuro Films e Produrama). Segundo os seus realizadores, este é um bom exemtifo e Eileen Abad. A história versa sobre Los Entendidos, um grupo plo de como o privado e o Estado venezuelano podem de profissionais que é contratado para roubar a coroa juntar esforços para conseguir um fim comum e assim do concurso de beleza mais importante do país, dando conseguir um produto de qualidade. Para conseguir uma altíssima facturação, a equiinício a uma intricada trama, onde o mais importante pa de Puras Joyitas trabalhou com a mais avançada é descobrir quem se coroará primeiro. Albi de Abreu, El Coqueto, é um dos membros de tecnologia de colorização (Internegativo Digital), de Los Entendidos. O singular personagem é capaz de som (Mistura em 5.1 certificada pela Dolby) e pósabrir qualquer porta que tenha à frente e também de se produção (efeitos visuais e animações 2D/3D ), cuiligar com qualquer rapariga. Com um traje particular, dando de cada detalhe do produto. "Puras Joyitas" marcou a diferença no que diz respeito a esmuito à moda dos anos 70, El Coqueto é tratégias de promoção, marketing e um dos "pillos" mais apelativos do grupo colocação publicitário no cinema nacional. de quatro, que roubará muitas gargalhadas O actor lusoAbreu é da opinião que o filme gere ao público venezuelano. venezuelano explicou um humor bastante inteligente e digeríO actor luso-venezuelano explicou que, para construir este personagem, aplicou as que, para construir este vel. "É realmente um filme bastante divere acho que o público dos 12 aos 60 técnicas que aprendeu em Los Angeles dupersonagem, aplicou as tido anos, 70 anos, pode entendê-lo perfeitarante os seus anos de estudos de representécnicas que aprendeu mente, acho que vai ser um sucesso. Espetação. "O crescimento foi total. Antes, as em Los Angeles. ramos ter uma boa bilheteira para que se minhas estratégias para construir um percontinue a abrir portas aos cineastas que sonagem eram um pouco supérfluas. Dese seguem e aos que já estão". pois de ter ido estudar durante dois anos, No que diz respeito ao acolhimento internacional começo a conhecer outras ferramentas que começam a fazer-me entender que o guião pode ser analisado de que "Puras Joyitas" possa ter, Abreu pensa que isso diversos ângulos: do lado do personagem, do lado do dependerá do êxito que tenha na Venezuela. "Ainda que já haja propostas de Espanha, Colômbia, Argentiespectador, do lado do antagonista". O toque final na engrenagem das actuações, se- na e Miami, está toda a gente na expectativa do que gundo Abreu, deu-se pela camaradagem vivida no set. vier a acontecer aqui, de maneira que depende muito "Começou a surgir um nível de confiança mais eleva- de nós apoiarmos o cinema nacional e tratar de codo do que já tínhamos e começamos a nos atrever a meçar a criar uma indústria".


15 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Lazer.qxp

19/12/2007

06:34 p.m.

PÆgina 15

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

Mais que uma escola de folclore crioulo Carlos Marques prudentisnoble@gmail.com

anzas Ejido acaba de cumprir dez anos de dedicação ao ensino da difícil arte do folclore venezuelano. À frente desta academia surpreende a presença de Jorge Peñaranda da Costa, neto de portugueses naturais do Porto, quem dirigeesta instituição há oito anos. Peñaranda da Costa considera que Danzas Ejido além de ensinar as técnicas da dança tradicional venezuelana, "é uma escola de valores, onde a disciplina e a constância levam os bailarinos a alcançar o êxito". Sente-se contente por tudo o que têm conseguido até ao momento. Por exemplo, apresentar-se na Feria del Sol e realizar a celebração do 10.º aniversário num evento que reuniu mais de 500 pessoas nas instalações do Centro Cultural Tulio Febres Cordero, na sexta-feira, 15 de Dezembro, onde também se apresentaram Danko Danzas Barinas, um grupo de Maturín e dois grupos folclóricos da Colômbia. Esta academia de dança, subsidiada pela Câmara Municipal de Campo Elias, está inscrita no Ateneu de Eji-

D

do, no Estado Mérida e tem 130 integrantes. Está dividida em diferentes categorias: pré-infantil, infantil, pré-juvenil, juvenil e adultos. Esta última, que conhecida por Armonía sin Fronteras (Harmonia sem Fronteiras), é um conjunto de bailarinas e um bailarino com idades compreendidas entre os 40 e 60 anos. Dentro do grupo infantil, encontramos uma bailarina constante e apaixonada pelo folclore venezuelano, Astrid Ariadna Ramírez dos Santos, neta de José dos Santos, natural de Sosa - Vagos, que faz parte da academia desde os seis anos de idade (conta agora com nove). A celebração do aniversário foi impecável. O folclore se entrelaçou-se com a dança moderna, religiosa, como foi bem patente nos actos de Jesus Cristo Superstar que eles costumam realizar na Semana Santa e danças levadas ao palco noutros anos que os levaram a ganhar vários prémios, como nos casos do Festival de Juana La Avanzadora, em Maturín, El Vigía de Oro, entre outros. No final do evento, todos os membros da academia juntaram-se para a entrega duma placa a Jorge Pe-

Astrid Ariadna Ramírez dos Santos

Jorge Peñaranda da Costa e Karina Coelho

ñaranda da Costa, em reconhecimento da sua árdua e ampla luta por levar esta escola a muitos cantos da Venezuela. A animação do encontro esteve a cargo de Karina Co-

elho, jovem luso-descendente, filha de pai natural de Aveiro, estudante de comunicação social na UNICA e que actualmente trabalha na Televisora Andina de Mérida.

LAZER

15

Breves

Irene Pimentel vencedora do Prémio Pessoa O prémio Pessoa foi este ano atribuído à historiadora Irene Flunser Pimentel que, recentemente, publicou "A História da PIDE", um estudo sobre a polícia política portuguesa do antigo regime português. O Prémio Pessoa é uma iniciativa conjunta da Unisys e do Expresso, cuja primeira edição data de 1987. Nas primeiras declarações à RTP, após ter conhecimento da atribuição do prémio, Irene Pimentel não escondeu a surpresa. "Estou surpreendida, muito contente, muito honrada e muito emocionada", declarou a historiadora que entende ainda que o júri premiou acima de tudo "a história contemporânea portuguesa, os investigadores portugueses em geral e a dificuldade com que eles se confrontam todos os dias". É a terceira vez que o Prémio Pessoa é atribuído a um especialista em História tendo José Mattoso, em 1987, e Cláudio Torres, em 1991, recebido este mesmo galardão. Pimentel é autora de vários trabalhos sobre o Estado Novo, o último dos quais "Mocidade Portuguesa Feminina" que foi lançado esta semana. Irene Flunser Pimentel licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, em 1984, concluiu o Mestrado em História Contemporânea e este ano acabou o seu Doutoramento sobre a PIDE/DGS, Polícia Política do Estado Novo (1945-1974). O Prémio Pessoa é um prémio concedido anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período - e na sequência de uma actividade anterior - tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país.

PUBLICIDADE


16 17 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Porto Moniz.qxp

16

PORTO MONIZ

19/12/2007

06:36 p.m.

PÆgina 16

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007

PUBLICIDADE

Centro da Vila do Porto Moniz

transforma-se para o futuro Está em fase adiantada de construção o arranjo urbanístico da Vila com jardim e estacionamento.

uma obra a cargo da Câmara e cujo financiamento é assegurado pelo Governo Regional da Madeira. É mais uma centralidade que dignifica o Concelho e que tem como principal objectivo atrair consumidores ao comércio local, através da criação de mais lugares de estacionamento com a introdução de consideráveis melhoramentos na Praça do Lyra.

É


16 17 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Porto Moniz.qxp

19/12/2007

06:38 p.m.

PÆgina 17

20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

PORTO MONIZ

17

PUBLICIDADE

primeira fase da reconstrução do Miradouro do Véu da Noiva está concluída. Este miradouro localiza-se a nascente da Freguesia do Seixal e ocupa uma plataforma à cota 111 metros. Os trabalhos estiveram a cargo da Construtora do Tâmega S.A., e o projecto e Execução a cargo da Via Expresso. Desfruta de uma vista grandiosa sobre o lado Norte da Ilha da Madeira bem como sobre a ribeira de João Delgado de uma altura de 200 metros sobre o mar. O espectáculo da queda de água há muito transformou este lugar num miradouro de visita obrigatória para quem nos visita. Este sítio constitui um valor para o turismo da Madeira.

A

Entrega de presentes aos alunos das Escolas Primárias do Porto Moniz

stá em fase de conclusão a nova estrada da Pedra Mole. Tem uma extensão de cerca de meio quilómetro e está equipada com uma nova rede de água potável, com rede de saneamento básico, rega sob pressão, telecomunicações e rede eléctrica. Esta é sem dúvida uma obra de cariz eminentemente social, pois vem facilitar o dia a dia dos agricultores e dos habitantes locais. É uma mais-valia para os proprietários dos prédios, pois ficam com as suas propriedades mais valorizadas. A obra teve início no Miradouro da Pedra Mole e terminou na estrada Regional 101. Houve um melhoramento no percurso da antiga vereda até ao sítio do Jogo da Bola. Esta é uma obra que consta no Programa do Governo Regional e está sendo executada pela Câmara Municipal ao abrigo de um contrato-programa.

E

Entrega de prémios aos melhores alunos da Escola Secundária do Porto Moniz


18 19 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Portugal.qxp

18

PORTUGAL

19/12/2007

06:50 p.m.

PÆgina 18

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

O primeiro-ministro José Sócrates manteve terça-feira em Bruxelas a incógnita sobre a posição do governo quanto à forma de ratificação do Tratado de Lisboa, remetendo um anúncio para os primeiros dias de Janeiro.

Breves

Salário Mínimo: 426 euros O valor do salário mínimo nacional vai ser de 426 euros no próximo ano, o que traduz um aumento de 5,7% face ao montante actual de 403, anunciou o primeiro-ministro.

José Sócrates, que falava após uma reunião de concertação social, salientou que este é o "maior aumento da última década" e sublinhou que foi uma decisão aprovada por todos os parceiros sociais. O valor hoje fixado insere-se no acordo tripartido assinado no ano passado e que prevê uma evolução significativa do salário mínimo, de modo a atingir os 450 euros em 2009 e os 500 euros em 2011.

PJ do Funchal deteve 107 pessoas este ano A Polícia Judiciária (PJ) do aumentou consideravelmente o número de detenções durante o corrente ano, em comparação com 2006, segundo dados revelados pelo coordenador daquela polícia no Funchal, Carlos Farinha. Até terça-feira passada, em 2007, foram detidas 107 pessoas, em resultado de diversos crimes, quando no ano passado o número total se cifrou em 62.

Neve na Serra da Estrela A neve encerrou o trânsito na estrada Piornos - Torre Sabugueiro, disse font e do Centro de Limpeza de Neve dos Piornos, na Serra da Estrela.Foii a primeira vez nesta temporada

Estes dados foram revelados pelo inspector-coordendor da PJ na habitual apresentação de cumprimentos de Natal a Monteiro Diniz, representante da República para a Madeira. Na oportunidade, o responsável do Departamento de Investigação Criminal do Funchal anunciou que este órgão superior de polícia criminal vai ver o seu número de efectivos aumentado no próximo ano. Outono/Inverno que a estrada está fechada ao trânsito."A neve está a cair desde 9 horas e desde manhã que os limpaneves estão em circulação pelas estradas da montanha". Ainda assim, as estradas foram encerradas às 17h30, acrescenta.Nos Piornos, a temperatura ronda os zero graus. Até sexta-feira, 21, o Instituto de Meteorologia prevê céu encoberto e aguaceiros, mas não há previsões de queda de neve.

Optimistismo com a mudança do líder do ANC A vitória de Jacob Zuma na batalha pela liderança do movimento no poder na África do Sul não gerou instabilidade nem receios significativos entre a vasta comunidade portuguesa residente na África do Sul, apurou a agência Lusa. Contactado pela Lusa, logo após a confirmação da inequívoca vitória de Zuma sobre Thabo Mbeki na conferência nacional do ANC em Polokwane, o conselheirocoordenador do CCP, Silvério Silva, apressou-se a desdramatizar a mudança de

liderança no partido no poder, afirmando que apesar de Zuma constituir "uma incógnita para o futuro", é pouco provável que a situação se altere na África do Sul para centenas de milhar de portugueses e lusodescendentes. "A comunidade tem de ter calma e manter a fé porque entre o actual presidente e Jacob Zuma existem grandes diferenças de personalidade mas não de pensamento político", salientou o conselheiro da comunidade portuguesa.

lë áãáÖê~åíÉë E P G E R ä E V E Q ç ^äÖ~êîÉ ~ é~êíáê ÇÉ j~êêçÅçëK j~ë Ñçê~ã Ñçê~ã ÇÉáñ~Ççë ˛ ÇÉêáî~ éÉäç Ççåç Ç~ I Q F E V G E ä łçK

Detenção de imigrantes ilegais no Algarve pode tornar-se habitual A chegada de 23 imigrantes clandestinos a Olhão alerta para a necessidade de mobilização das autoridades Alto Comissário para a Imigração e Diálogo Intercultural classificou como um "fenómeno episódico" a chegada segunda-feira de 23 imigrantes clandestinos a Olhão, no Algarve, alertando para a necessidade de mobilização das autoridades portuguesas. "Não creio que deva constar da nossa agenda de preocupações este tema mais do que está; este fenómeno [de Olhão] creio que é episódico mas também não deve constituir motivo de desmobilização e falta de atenção pelo facto de ser pontual", declarou Rui Marques, à margem do lançamento do "Mapa de Boas Práticas de Acolhimento e Integração de Imigrantes em Portugal", na Fundação Gulbenkian. No entanto, Rui Marques alertou para o facto de esta questão da imigração irregular esconder "uma questão muito importante que é o desequilibrio entre países de origem e países de acolhimento". "Se a Europa não for mais proactiva em estreita cooperação com os países de origem, nomeadamente com os países africanos, para que se criem condições que combatam a imigração

O

forçada, esta situação vai continuar", considerou. Quanto às medidas de prevenção face a este fenómeno, o Alto Comissário reforçou a necessidade de "igualdade de rendimento entre zonas próximas e um maior equilíbrio na distribuição da riqueza". "Precisamos de uma forte cooperação entre países de origem e países de acolhimento, concretamente, no combate às redes de tráfico, é a única forma de o poder fazer eficazmente", disse ainda, frisando que "no caso dos países do sul do MediterrÂneo, estes têm uma responsabilidade partilhada com a Europa no combate a este fenómeno, porque é daí que partem estes barcos com imigrantes". Outra atitude a manter, segundo referiu Rui Marques, é "uma atitude positiva face à imigração, respeitando a dignidade da pessoa, promovendo a imigração legal e promovendo também a integração dos imigrantes legais". "Mas temos que ser inflexíveis no combate à imigração irregular porque se não o formos, estaremos a ser cúmplices destas redes", acrescentou.

As hipóteses previstas na Lei portuguesa são a prisão preventiva, a detenção em centro de acolhimento ou a aplicação do termo de identidade e residência. Abandonados na costa Os cidadãos de origem africana que deram à costa na ilha da Culatra, ao largo do Algarve, partiram de Marrocos e foram deixados à deriva pelo dono da embarcação quando se aproximavam de terra. As revelações foram feitas no Tribunal de Faro onde foram presentes ao juiz. SEF garante costa segura O director nacional do SEF refutou que Portugal seja um alvo da imigração clandestina por mar devido à maior vigilância da costa espanhola, considerando que a detenção de 23 clandestinos, segunda-feira no Algarve, foi um "caso isolado e casual". "Todos os indícios apontam para que se tenha tratado de um caso isolado e casual. O destino das pessoas não era Portugal, mas por força das condições climatéricas - do próprio mar e vento - acabaram por chegar à costa portuguesa", disse Manuel Jarmela Palos.


18 19 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Portugal.qxp

19/12/2007

06:51 p.m.

PÆgina 19

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

PORTUGAL

19

O Presidente da República, Cavaco Silva, fez segundafeira um apelo ao Governo e às autarquias para que “na medida do possível” tenham uma atitude generosa em relação às instituições de solidariedade social.

Desemprego é “fenómeno preocupante” Cavaco Silva previne que vai abordar o assunto em devido tempo Presidente da República, Cavaco Silva, considerou o desemprego em Portugal "um fenómeno preocupante" e admitiu abordar o assunto mais tarde. "O desemprego é um fenómeno preocupante ao nível do país. Hoje não quero misturar essas situações [do desemprego] com outras a que chamei de exclusão social extrema", afirmou Cavaco Silva, depois de visitar a Casa de Saúde da Idanha, do Instituto das Irmãs Hospitaleiras. "O desemprego pode conduzir, de facto, a algumas situações extremas, mas cada coisa a seu tempo", concluiu. Cavaco Silva visitava quatro instituições de solidariedade social, na região de Lisboa, que trabalham com situações de exclu-

O

são extrema. A taxa de desemprego em Portugal em Outubro foi de 8,2%, revelou no início deste mês o Departamento de Estatísticas das Comunidades Europeias (Eurostat). As estimativas do Eurostat têm como base os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) e os indicadores do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Os indicadores de Outubro do Eurostat revelam uma evolução positiva em relação ao trimestre anterior, mas Portugal continua a ser um dos países com maior taxa de desemprego na União Europeia. Na Zona Euro, a taxa de desemprego, corrigida das variações sazonais, estabilizou nos 7,2% em Outubro, face aos 7,35 veri-

^ í~ñ~ ÇÉ ÇÉëÉãéêÉÖç Éã mçêíìÖ~ä Éã lìíìÄêç Ñçá ÇÉ UIOBK

ficados em Setembro. Na União Europeia a 27, a taxa de desemprego manteve-se nos 7%, face ao mês de Setembro, e menos 0,8%, face ao mesmo período do ano passado. As mais baixas taxas de desemprego em Outubro ocorreram na Dinamarca (2,9%), Holanda (3,1%) e Chipre (3,8%). Na zona euro, a taxa de desemprego

Televisões portuguesas transmitem para a Galiza Governo português segue "com interesse" a possibilidade das televisões portuguesas passarem a transmitir para a Galiza, tendo o ministro dos Assuntos Parlamentares garantido à Lusa que irá colaborar no desenvolvimento do projecto. "Acompanho com interesse" a possibilidade de conseguir a transmissão de televisões portuguesas na Galiza, disse à Lusa Augusto Santos Silva, na sequência das declarações do primeiro-ministro espanhol que referiu quarta-feira passada estar aberto a estudar a hipótese. "No âmbito das minhas competências e

O

no respeito das normas legais aplicáveis, colaborarei nesse desenvolvimento", assegurou o ministro português que tutela a pasta da Comunicação Social. Admitindo que o processo é tecnicamente complexo, José Luis Zapatero afirmou quarta-feira estar a estudar a possibilidade de conseguir a transmissão de televisões portuguesas na Galiza. As garantias de José Luis Rodríguez Zapatero foram dadas no parlamento em Madrid, onde referiu que a maior dificuldade do processo se relaciona com a falta de espaço radioeléctrico, dadas as licenças de transmissão já concedidas na Galiza.

das mulheres situou-se em Outubro em 8,2%, contra 6,5% para os homens, o mesmo acontecendo em menor escala na UE, com taxas de desemprego de 7,6% para as mulheres e de 6,4% para os homens. A taxa de desemprego dos jovens com menos de 25 anos situou-se em Outubro em 14,3% na zona euro e 14,7% na UE.

C

Anabela Teireiro tinha ouvido nove dos 11 suspeitos detidos domingo na operação "Noite Branca". Desconhecia-se, por enquanto, qual a medida de coacção aplicada aos outros quatro arguidos que já foram interrogados. Também não se sabia quando é que os dois arguidos que ainda não tinham sido ouvidos seriam interrogados. Os detidos durante a operação "Noite Branca", realizada domingo, estão sob a acusação de terrorismo, de associação criminosa, homicídio voluntário, tráfico de estupefacientes, receptação e detenção de armas proibida

^ j~ÇÉáê~ Ñçá ~ êÉÖáłç éçêíìÖìÉë~ èìÉ ã~áë ÅêÉëÅÉì É ìã Ççë íÉêêáí³êáçë Åçãìåáíˇêáçë èìÉ ëÉ ÇÉëÉåîçäîÉì ÇÉ Ñçêã~ ã~áë êˇéáÇ~I ~Ñáêãçì åç cìåÅÜ~ä ç êÉëéçåëˇîÉä éÉäç nì~Çêç ÇÉ oÉÑÉêðåÅá~ bëíê~íÐÖáÅç k~Åáçå~ä EnobkFK kìåç sáíçêáåç Ñ~ä~î~ åç cìåÅÜ~äI åç ŁãÄáíç Ç~ ëÉëëłç çÑáÅá~ä ÇÉ E TV I W I RX E ä łç Ççë mêçÖê~ã~ë léÉê~Åáçå~áë Ç~ j~ÇÉáê~ é~ê~ ç éÉêÞçÇç ÇÉ OMMTJ OMNPI èìÉ êÉéêÉëÉåí~ã ~ íê~åëÑÉêðåÅá~ ÇÉ îÉêÄ~ë å~ çêÇÉã Ççë TPR ãáäÜıÉë ÇÉ Éìêçë é~ê~ ÉëíÉ ~êèìáéÐä~ÖçI ç èìÉ ëáÖåáÑáÅ~ ìã~ V I H Y ä łç ÇÉ OSB Éã G SQ TE V E ä łç Åçã ç èì~Çêç Åçãìåáíˇêáç ~åíÉêáçêK ?^ j~ÇÉáê~ ÇáëíáåÖìáìJëÉ åç ŁãÄáíç Ç~ë êÉÖáıÉë éçêíìÖìÉë~ë éçê íÉê ëáÇçI åç éÉêÞçÇç OMMMJOMMSI ~èìÉä~ èìÉ ã~áë ÅêÉëÅÉìI Éã èìÉ ç mf_ íÉîÉ ìã ÅêÉëÅáãÉåíç ã~áë ëáÖåáÑáÅ~íáîç É ã~áë êˇéáÇç?I ÇáëëÉK

Breves

Aprender com os erros l ëÉÅêÉíˇêáç ÇÉ bëí~Çç Ç~ë `çãìåáÇ~ÇÉë éçêíìÖìÉë~ëI ^åí³åáç _ê~Ö~I ÇÉÑÉåÇÉì èìÉ ëÉ ÇÉîÉ ~éêçîÉáí~ê ~ X V E RW Mä łç Çç båëáåç Çç mçêíìÖìðë é~ê~ ç bëíê~åÖÉáêç EbmbF é~ê~ ç fåëíáíìíç `~ãıÉë Ef`F é~ê~ Éîáí~ê çë Éêêçë Çç é~ëë~ÇçK ?eˇ ãİäíáéä~ë ÉñéÉêáðåÅá~ë Çç bmbI ܡ

Cinco suspeitos em liberdade inco dos nove arguidos da operação "Noite Branca" ouvidos terça-feira no Tribunal de Instrução Criminal do Porto saíram em liberdade, indicaram aos jornalistas os seus advogados. Os advogados Carlos Duarte, Fátima Castro e Luísa Macanjo referiram que três arguidos saíram do tribunal com termo de identidade e residência, a medida de coacção menos grave, e os outros dois com a obrigatoriedade de apresentações periódicas às autoridades. Até às 19h45, hora a que foram interrompidos os interrogatórios, a juíza

Madeira cresceu e pagou o preço do sucesso

Bermudas sem consulado mçêíìÖìÉëÉë êÉëáÇÉåíÉë å~ë _ÉêãìÇ~ë Éëíłç áãéÉÇáÇçë ÇÉ é~ëë~ê ç k~í~ä åçë % ä SV I W éçêèìÉ ç Åçåëìä~Çç ÇÉ mçêíìÖ~ä Éã e~ãáäíçå Éëíˇ åçî~ãÉåíÉ ÉåÅÉêê~Çç É åłç ÅçåëÉÖìÉã êÉåçî~ê çë é~ëë~éçêíÉëI ÇÉåìåÅáçì ˛ iìë~ ç äÞÇÉê Åçãìåáíˇêáç bÇÇó jÉääçK ?lë

ãİäíáéäçë êÉëìäí~Ççë É ãİäíáéäçë ÇÉëÉèìáäÞÄêáçë É Éëë~ Ð ìã~ èìÉëíłç èìÉ ÇÉîÉ ëÉê Éåèì~Çê~Ç~ é~ê~ èìÉ ëÉ ÉëíáéìäÉ ìã ãçÇÉäç ÇÉ ~ÄçêÇ~ÖÉã èìÉ åłç éçÇÉêˇ ÇÉáñ~ê ÇÉ êÉëéçåÇÉê ~ ÉëíÉ ÇÉëÉèìáäÞÄêáç?I ÇáëëÉ ^åí³åáç _ê~Ö~K l íáíìä~ê Ç~ é~ëí~ Ç~ ) Q MK V E ä łç Ñ~ä~î~ ~çë àçêå~äáëí~ë ˛ ã~êÖÉã Çç Åçä³èìáç ?mçäÞíáÅ~ë É mêˇíáÅ~ë ÇÉ båëáåç ÇÉ mçêíìÖìðë é~ê~ ~ë `çãìåáÇ~ÇÉë mçêíìÖìÉë~ë?I èìÉ ëÉ êÉ~äáòçì Éã iáëÄç~K lêÖ~åáò~Çç éÉä~ pÉÅêÉí~êá~ ÇÉ bëí~Çç Ç~ë `çãìåáÇ~ÇÉë É éÉäç `çåëÉäÜç Ç~ë `çãìåáÇ~ÇÉë mçêíìÖìÉë~ë E``mFI ç Åçä³èìáç éêÉíÉåÇÉ ÇáëÅìíáê ~ êÉëéçåë~ÄáäáÇ~ÇÉ Çç bëí~ÇçI ç êÉÖáãÉ ÇÉ ÑìåÅáçå~ãÉåíç É ç êÉÅêìí~ãÉåíç ÇÉ ÇçÅÉåíÉë åç bmbK

éçêíìÖìÉëÉë å~ë _ÉêãìÇ~ë ëÉåíÉãJëÉ ~Ä~åÇçå~Ççë É áåÇáÖå~Ççë Åçã ç ÖçîÉêåç ÇÉ iáëÄç~?I ÇáëëÉ bÇÇó ÇÉ jÉääçI ~Çá~åí~åÇç èìÉ çë ÉãáÖê~åíÉë Åçã é~ëë~éçêíÉë Å~ÇìÅ~Ççë åłç ÅçåëÉÖìÉã ë~áê Ç~ áäÜ~I åÉã ãÉëãç é~ê~ ëÉ ÇÉëäçÅ~êÉã ~ç Åçåëìä~Çç ÇÉ _çëíçåI åçë bëí~Ççë råáÇçëI éçëíç ã~áë éê³ñáãçK aÉëÇÉ OMMNI èì~åÇç ÑáÅçì ëÉã íáíìä~êI ç Åçåëìä~Çç ÇÉ mçêíìÖ~ä Éã e~ãáäíçå ÑìåÅáçå~ áåíÉêãáíÉåíÉãÉåíÉ Åçã ç jáåáëíÐêáç Ççë kÉÖ³Åáçë bëíê~åÖÉáêçë ~ ÇÉëí~Å~ê éçê ÄêÉîÉë éÉêÞçÇçë ìã ÑìåÅáçåˇêáç Ççë ëÉìë èì~ÇêçëK l İäíáãç ÑìåÅáçåˇêáç èìÉ é~ëëçì éÉä~ë _ÉêãìÇ~ë Ñçá Éã lìíìÄêçI éÉêã~åÉÅÉåÇç ÇÉëÇÉ Éåíłç Åçã ~ë éçêí~ë ÑÉÅÜ~Ç~ëK


20 21 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Camara de Lobos.qxp

20

CÂMARA DE LOBOS

19/12/2007

06:53 p.m.

PÆgina 20

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007 PUBLICIDADE

Programa de Natal

com muita animação

om as actividades agendadas pretende-se recriar o espírito natalício nos principais centros das freguesias do Concelho, com aspectos mais marcantes das tradições madeirenses. A iluminação das principais artérias da cidade é uma tradição que se mantêm nos centros da Vila do Estreito e Cidade de Câmara de Lobos. A exemplo de anos anteriores a aposta são os motivos alusivos à época natalícia. Paralelamente aos motivos, a iluminação estende-se a todas as freguesias do Concelho com gambiarra corrida. Em todo o Concelho a iluminação abre a 8 de Dezembro. Os presépios e os quadros natalícios são este ano uma novidade em Câmara de Lobos. Na Rua da Carreira será instalado a "Casa do Pai Natal", na Rua Padre Eduardo Nunes Clemente Pereira, será instalado um presépio. Na avenida Nova Cidade será igualmente instalado um outro presépio, idealizado e coordenado pelo

C

Esta Câmara programou para a época natalícia um conjunto de actividades que se iniciaram a 8 de Dezembro e que terminam a 8 de Janeiro do próximo ano. PUB

Centro de Actividades Ocupacionais de Câmara de Lobos. A exemplo de anos anteriores a Associação Cultural e Recreativa do Estreito de Câmara de Lobos e Junta de Freguesia do Estreito promovem um presépio naquela Vila e a Associação Refugio da Freira construí um presépio no Curral das Freiras. Na Casa da Cultura de Câmara de Lobos estará patente ao público, durante esta quadra, duas exposições. Uma no átrio denominada de "Presépios de Natal" e na sala de exposições, uma mostra colectiva de pintura denominada de "pintura NA TAL ilha". Trata-se de um reflexo do Natal através da pintura numa tela de 30x30 Como já é habitual nesta época, haverá também animação de rua, que passa pela actuação de grupos folclóricos, bandas municipais, grupos corais e grupos musicais de ritmos modernos. Junto ao Mercado Municipal de Câmara de Lobos a animação arranca a 8 de Dezembro com a

actuação da Banda Municipal de Câmara de Lobos e do Grupo Folclórico do Curral das Freiras a partir das 10 horas. A 9 de Dezembro a Banda Recreio Camponês e o Grupo Usos e Tradições Refugio da Freira actuam no Mercado Municipal do Estreito. A 15 de Dezembro é a vez da Banda Recreio Camponês e o Grupo Folclórico da Quinta Grande actuarem em Câmara de Lobos e a 16 de Dezembro, no Estreito de Câmara de Lobos actuam a Banda Orquestral Os Infantes e o Grupo Usos e Tradições Refugio da Freira. Na Casa da Cultura de Câmara de Lobos actuam a 14 de Dezembro o Coro de Câmara de Câmara de Lobos e Grupo Coral do Estreito. Estes mesmos grupos actuam a 15 de Dezembro, no Centro Cívico do Estreito, pelas 20 horas. A 29 de Dezembro, o Grupo Expressão Musical e Dramática "Sempre Jovem" da CMCL, apresenta a peça de teatro "Ah Mulher …não digas mal", pelas 20

horas no Auditório da Casa da Cultura da Câmara de Lobos. Esta mesma peça estará em cena, pelas 18 horas do dia 30 de Dezembro, no Centro Cívico do Estreito. A iniciativa "Reviver as Tradições Natalícias", será um dos pontos altos das festividades, que decorrerá na noite de 22 de Dezembro. Com esta iniciativa pretende-se relembrar uma das tradições desta quadra com a ida ao mercado. Nesta iniciativa que se realiza no Mercado Municipal do Estreito de Câmara de Lobos, Para esta noite a animação estará a cargo das Bandas Municipal de Câmara de Lobos, Os Infantes, Grupo Folclórico da Quinta Grande, Grupo de Expressão Musical e Dramática da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, grupo "Vozes do Mar" e os Sweet Dancers. As festividades natalícias terminam a 5 de Janeiro do próximo ano, na freguesia do Curral das Freiras, com o tradicional Cantar dos Reis, promovido pela Casa do Povo local.


20 21 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Camara de Lobos.qxp

19/12/2007

06:54 p.m.

PÆgina 21

20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

CÂMARA DE LOBOS

21

Noite do mercado no Estreito já é uma tradição A Câmara Municipal de Câmara de Lobos, a partir das 19 horas de 22 de Dezembro, no Mercado Municipal do Estreito de Câmara de Lobos, "Reviver as Tradições Natalícias". "Reviver as Tradições Natalícias", visa revitalizar a noite do mercado, oferecendo animação, que será proporcionada pelas bandas Municipal de Câmara de Lobos e Orquestral "Os Infantes", a Estudantina Académica da Madeira, o Grupo de Expressão Musical e Dramática da Câmara de Lobos, agrupamento "Vozes do Mar", grupo folclórico da Quinta Grande e os Sweet Dancers. Com esta iniciativa esta Câmara pretende retomar os velhos hábitos durante a quadra natalícia, já que são muitas as famílias que gostam de manter esta tradição que teima em resistir ao tempo e que, ao contrário de muitas outras

tradições natalícias, ganha cada vez mais "adeptos". Com as portas do mercado abertas ao longo de toda a noite, os vendedores de fruta, legumes e verduras asseguram igualmente as vendas. Para o efeito, serão montadas barracas para a comercialização das iguarias típicas desta época. Segundo a organização, este é o dia ideal para visitar o mercado e comprar todo o tipo de produtos regionais: frutas, legumes, flores, doces e bebidas típicas de Natal. Os bares e restaurantes à volta, são outros que beneficiam com azáfama chegando ao ponto de manterem-se abertos toda a noite. De facto, são alguns milhares de câmara-lobenses e forasteiros que neste dia dão a toda zona uma animação e um colorido típico da quadra natalícia que prolonga-se pela noite dentro, á semelhança de anos anteriores.

Câmara oferece árvores de Natal Com o propósito de proteger o ambiente e ainda ter um gesto de simpatia nesta quadra, o executivo da autarquia de Câmara de Lobos entregou nesta quadra aos munícipes mais de um milhar de árvores de Natal. Para a actual vereação liderada por Arlindo gomes, é necessário salvaguardar o meio ambiente e a nossa floresta, evitando que se faça o corte desmedido de

árvores. Assim, foi a pensar na política de preservação que a Câmara Municipal resolveu oferecer 1.200 árvores artificiais, uma medida ecológica que se desenrolou por todas as freguesias do município. A entrega decorreu na Junta de Freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, num acto que encheu de satisfação os populares que receberem a prenda.

PUBLICIDADE


22 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Opinion.qxp

22

OPINIÃO

19/12/2007

CORREIO DA VENEZUELA

07:02 p.m.

PÆgina 22

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Conversas para uma Cultura da Tradição Lino Mendes 1) POVO não tem, hoje, o significado de "grupo social de estatuto mais baixo, de plebe", podendo definir-se como o "conjunto de pessoas de um lugar, de uma região, de um país". Isto é, quando hoje falamos no POVO, não nos estamos a referir a uma classe ou camada social - e os da minha idade lembram-se certamente do "clero, nobreza e povo" da nossa História - mas sim de "um conjunto de indivíduos unidos entre si por laços comuns de ordem rácica, histórica, cultural, religiosa, etc.", digamos que de toda uma população, independentemente da sua actividade e condição social. Temos, assim, e por exemplo, o povo português, que por sua vez é constituído por vários grupos étnicos ou culturais, como o são as populações minho-

tas, alentejanas, ribatejanas, algarvias e beirãs, entre outras, que se consubstanciam nas diferenças que nos caracterizam e definem. Tendo cada uma delas algo que as caracteriza entre si, nem por isso deixam de, internamente, ter também as suas diferenças, o que mais enriquece a sua identidade. Entretanto, e por se falar em "grupo étnico", para Tomaz Ribas, é esta a designação correcta a ocupar o lugar de "raça", que hoje constitui um termo "sem verdade nem validade científica", "já que sobre o globo terrestre hoje já não existem raças puras." Desde há muitos milhares de anos que os povos se têm cruzado tanto e de tal maneira que já não é possível afirmar com verdade que um determinado grupo humano em determinado momento histórico se não cruzou com qualquer outro grupo humano." 2) Falámos de POVO. Mas acontece que a Etnografia e o Folclore estudam não O POVO mas sim UM POVO (sinónimo de grupo étnico). É que a expressão POVO "tem um significado social, visto que se refere a uma dada camada da socieda-

de, aliás, àquela camada da sociedade que engloba todas as classes que não são propriamente a burguesia", enquanto a expressão "UM POVO" "não tem exclusivamente um significado social, de classe social, mas sim um significado étnico. Digamos que (a Etnografia e o Folclore) estudam os "usos e costumes", as "tradições", que aliás só os povos evoluídos têm. Os outros povos (não evoluídos) não têm "tradição", têm a sua "Cultura", que em Ciências Humanas não tem o significado de "soma de conhecimentos", mas sim o de "cultura ancestral" de um povo que não evoluiu. Alguns exemplos: o Fandango, o Corridinho, a Chotiça, o traje de minhota ou de alentejano, um coral do Alentejo (para mais não citar) são "FOLCLORE", porque sendo manifestações populares, sãono de um povo que vive dentro dos padrões sociais actuais usando das conquistas técnicas universais. "Por sua vez, "um batuque no interior da África, uma doença ou uma canção da Polinésia" não são Folclore, são Cultura de um povo primitivo, que não evoluiu.

Problemas mundiais? Antonio López Villegas altatribuna@yahoo.com.mx

ecordo que há anos, quando adquiri o meu primeiro apartamento, a prestação inicial era de 7 mil bolívares. Não foi fácil para mim reunir o montante. No entanto, consegui e pude cumprir o compromisso. Essa quantia não dá, hoje em dia, para comer uma simples arepa recheada. Ou seja, a queda do poder de compra de uma moeda é directamente proporcional à gestão das finanças de um país, qualquer que seja. Noutras palavras, é algo que não pode ser ocultado, por mais ilusionista e malabarista que seja quem trate de esconder essa rea-

R

lidade. Quando vamos ao mercado podemos constatar que, a cada dia que passa, compramos menos com a mesma quantia de dinheiro que levamos. Isto tem vindo a acontecer desde que tenho memória e não parou em nenhum momento. Isso significa que nos afastamos cada vez mais das possibilidades de nos desenvolvermos como país porque os países desenvolvidos continuam nessa via do desenvolvimento. Que pretexto podem dar-nos aqueles que gerem as finanças públicas? O único que lhes ocorreu: "É um problema mundial". O mesmo se passa com o delito, com a escassez, com os sequestros, com a corrupção administrativa, a impunidade, e assim sucessivamente com todos os indicadores de desenvolvimento ou de subdesenvolvimento de um país. Claro que é uma grande mentira que estes são problemas mundiais. Por outro lado, a Venezuela jamais tinha tido ganhos tão

grandes produto da renda petrolífera como tem hoje, e mesmo assim, jamais havia tido indicadores tão desfavoráveis como tem agora. Para além disto, o governo juntou outro ingrediente bem feio: a confrontação, a divisão de classes, o ódio e a exclusão. Assim, entendo que o presidente do Governo não tem forma de defender-se das incriminações e críticas que se fizeram nestes dias e nos passados, simplesmente porque não há maneira de fazê-lo. As cartas estão na mesa, e o presidente tem a sua hora de saída. Naturalmente haverá que esperar com que argumento vai aparecer agora para adiar esse momento, que seguramente se lhe deparará em encontros com a justiça, tanto nacional como internacional. Tratarão por todos os meios evitá-lo, no entanto, como já todos sabemos, a justiça algumas vezes tarda em chegar, mas finalmente chega, e quem sabe não possa pôr de novo a venda nos olhos.

Chá, café, laranjada...

Notas de fim de ano chacafelaranjada@gmail.com

Começo de novo por agradecer as notas recebidas. Umas mais agradáveis que outras, mas como tudo na vida, o importante é gerarem este tipo de comentários. Recebi muitas notas de reconhecimento sobre o que escrevi acerca do comportamento dos portugueses nas reuniões sociais que assistem. Mais coisa menos coisa apenas quis expressar comportamentos generalizados que atentam contra o bom senso de qualquer pessoa que assiste a um evento social, seja ele da índole que for. Referia-me mais que tudo ao barulho que fazem quando alguém fala ao microfone desrespeitando o silêncio devido dos presentes. Se falar bem custa, então porque não ficar calados e ouvir para aprender. Li numa edição do jornal que Portugal assinou um acordo comercial com a Venezuela em matéria de petróleo e seus produtos derivados. Porque não, produto por produto, baptizamos a assinatura como o acordo dos azeites: a Venezuela envia lubrificantes de motor, e Portugal o tradicional azeite de oliva. Afinal a trégua prometida pelo Seniat ao sector alimentar na Venezuela não funcionou de todo. Pelo que me contam, se bem que é certo que a pressão sobre as padarias e supermercados cessou um pouco, a verdade é que ninguém percebe como fecharam o Rey David, empresa que engloba esse sector do comércio na Venezuela. Será que pensaram que os donos dessa empresa eram judeus? Como esclarecimento, são bem portugueses, da ilha da Madeira, e, como apontamento, escreveme um amigo que diz "é judeu do umbigo para cima". Pessoa simpática refira-se. Sobre uma nota escrita por um articulista que diz que "estamos a perder a RDP", pergunto onde estava, porque da minha parte nunca a pude ouvir na Venezuela. Não posso deixar de comentar o trágico acontecimento do macabro massacre de um casal de velhinhos, em Caracas. Porque o fizeram? Sei que a policia venezuelana trabalha bem nestes casos e mais dia, menos dia, vai aparecer com os responsáveis detidos. Mas também sei que não faltarão comissões de direitos humanos a defenderem esse tipo de seres humanos: "escumalha". Li na última edição do jornal, com o título principal "Corrida às divisas para visitar a família". Não sejamos hipócritas, senhor director. A corrida às divisas é para ganhar umas patacas com a diferença cambial. Agora todos querem visitar as suas famílias que amorosos são!... Não critico muito, porque se tivesse cartão de crédito em dia, também fazia o mesmo. A concluir, e por tratar-se desta época do ano, onde todos devemos ser amigos, tal qual a mensagem desta nota, desejo a todos os leitores do jornal um Feliz Natal um Feliz Ano Novo, e que o espírito de solidariedade da época se estenda ao longo de todo o ano. Não se esquecem de ajudar o Lar de Maracay ou lar de Los Anaucos, assim como todos aqueles que mais necessitam da ajuda dos que podem dar. Sigam os exemplos das academias do bacalhau, que bebem e comem para ajudar os outros. Já viram que não custa nada... Bom ano para todos.


23 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Opinion.qxp

19/12/2007

07:04 p.m.

PÆgina 23

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

OPINIÃO

23

Favor enviar as suas cartas e comentários ao endereço electrónico: correio@cantv.net

CARTAS De que lado está a violência? Sou Venezuelano de coração, embora Português de nascimento, e escrevo para o CORREIO da Venezuela para que percebam de uma vez por todas e não se deixem manipular pela oposição Venezuelana, e que percebam que a violência está do lado da oposição. Escrevo para que façam um exercício de imaginação acerca das últimas eleições, se o resultado tivesse sido ao contrário. Viram como o governo e os seus seguidores aceitaram os resultados sem violência e sem retaliações e sem desconfiança do CNE. Sei que

Desde o Luxemburgo

existem muitos venezuelanos de origem portuguesa a favor da oposição mas existem também muitos a favor do governo. A ideia desta carta é para que percebam que nós, os Chavistas, soubemos perder sem violência. Oxalá os Portugueses percebam que a violência não está neste lado da barreira. Digo isto por experiência própria e começo por citar exemplos da minha família, pois quase todos são da oposição e ainda hoje falam com desconfiança do CNE em todas as eleições que perderam. Manuel Garrido Lemos

Maracaibo merece mais II Parece-me que o trabalho que vocês desenvolvem através do "Correio da Venezuela" é excelente para divulgar a muita informação disponível sobre a comunidade portuguesa neste país, ao mesmo que contribuem para uma cada vez maior união da comunidade aqui radicada. Creio que é o meio ideal para ajudar a solucionar problemas, como o que descrevi numa carta anterior, a respeito do consulado no Estado Zulia, mais especificamente na cidade de Maracaibo. Creio que seria excelente que se mudasse tal política para benefício da comunidade no ocidente do país, que agrupa os estados Zulia, Táchira, Mérida, Trujillo e Falcon. Em todos eles

existem muitos cidadãos portugueses e descendentes. Creio que o novo responsável do consulado em Maracaibo, o senhor Juan da Silva Pereira, é uma pessoa excelente e capaz de desempenhar o cargo para o qual foi nomeado, mas deveria de ter um pouco mais de autonomia no exercício das suas funções e não ter de depender do consulado de Valência. Quando o senhor Nuno Lima Pereira (q.e.p.d.) desempenhava essas funções, quase tudo todo se resolvia por Maracaibo e não dependíamos de outra sede. Francisco de Abreu

Vivo no Luxemburgo e visito habitualmente a vossa página na Internet. Já estive na Venezuela por duas vezes, em visita a familiares que residem nesse país. Mas isso foi há muitos anos. Encontrei um país maravilhoso, embora um tanto perigoso para se viver. O que desconhecia acerca da comunidade Portuguesa que está radicada é o facto de ser dinâmica e empenhada em fazer tantas coisas, e também de estar organizada e com

tantos clubes Portugueses, por exemplo. Acho que é digno de registo tudo o que fazem e o quanto mostram querer essa terra apesar dos dissabores e contratempos que enfrentam passam no seu quotidiano. Estão todos de parabéns. Deviam fazer uma reportagem sobre "El Junquito", onde tenho alguns familiares a viver Um abraço desde a Europa Roberto Peixoto Fernandes

Aceitar sempre o resultado das eleições Olá, senhores do CORREIO da Venezuela. Queria dizer que gosto muito de ler o vosso jornal todas as semanas e cada dia fico mais surpreendido com a pujança dos Portugueses na Venezuela. Queria dizer que simpatizo com a tendência política do Presidente Chávez e queria dizer, através deste meio de comunicação social de um sector importante de

venezuelanos, que acho que foi dada uma lição à oposição Venezuelana com a forma pacífica com que os simpatizantes do governo aceitaram as eleições sem violência. Pergunto: se fosse ao contrário seria assim? Sou luso-venezuelano, filho de pais naturais da ilha da Madeira. Espero que publiquem esta carta no jornal. José Tiago Silva

INQUÉRITO: QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA 2008?

Maria de Jesus Administradora

"Desejo que o próximo ano seja repleto de muitas esperanças e ilusões. Com mais oportunidades de trabalho, quer para a minha família, como para o país também, de forma a seguirmos todos em várias frentes. Que 2008 traga paz e prosperidade."

Fernando Sousa Comerciante

"No plano laboral, por exemplo, espero que haja muita força de trabalho para contribuir para o progresso desta terra. Quanto à família e ao espírito, espero que haja muita alegria e um clima de harmonia e unidade."

Lúcia da Rocha Dona de casa

"Muita felicidade e prosperidade. Além disso, peço a Deus para ter bastante saúde para desfrutar de todos os momentos do ano que vai começar. Espero também que a Venezuela continue a superar todos os obstáculos."

Concepción de Figueira Dona de casa

"Em primeiro lugar, espero poder ter muita saúde, porque é o mais importante. Sem saúde nada podemos fazer. Depois, mas não menos importante, queria que o ambiente se enchesse de amor, tranquilidade e que pudéssemos estar bem economicamente."


24 25 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

24

ECONOMIA

19/12/2007

07:22 p.m.

PÆgina 24

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Vendas crescem 30% em Dezembro Erika Correia

reparar hallacas, pan de jamón ou torta negra, comprar roupa e brinquedos são costumes que, por diferentes motivos económicos, culturais e religiosos, os lares venezuelanos aspiram nesta época do ano. Como é tradição, o último trimestre do ano é considerado o melhor para os comerciantes e cidadãos em geral, devido à grande quantidade de dinheiro que circula nas ruas. Pagam-se prestações, serviços, gratificações, etc., levando tudo isto ao aumento das vendas nos comércios. Na zona de Guarenas e Guatire, no Estado Miranda, as vendas no sector de brinquedos e livrarias aumentou notavelmente em comparação com a mesma época do ano passado. Se-

P

PUBLICIDADE

gundo comerciantes do sector, as vendas tiverem um crescimento da ordem dos 30%, ultrapassando a fasquia colocada em 2006 pelas sondagens. É o caso de Marlene de Pontes, proprietária duma livraria e loja de brinquedos em Mariara, Estado Carabobo, e em Guatire, Estado Miranda, que assegura que as vendas na zona mirandina estão por acima das verificadas na carabobeña, o que na sua opinião se fica a dever ao crescimento populacional daquela área. Os brinquedos para crianças menores de 12 anos são os mais vendidos segundo Pontes, já que os mais velhos modificaram os seus gostos e optam por equipamentos de alta tecnologia como os Ipods, MP3 e nintendos Wii. "O gasto médio por criança atinge os 200.000 bolívares.

O último trimestre do ano é considerado o melhor para os comerciantes.

Qualquer coisa que se queira comprar que seja didáctica e que a criança possa divertir-se

aprendendo, não fica abaixo desse preço", observou. A incerteza económica, a in-

flação, a desvalorização e controlo cambial restrito que vive a Venezuela são os factores que


24 25 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

19/12/2007

08:04 p.m.

PÆgina 25

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

mais preocupam Pontes, já que deve ad- o que é charcutaria e venda de pernis". quirir a mercadoria que vende por meio Assegura que o pernil é bem vendide distribuidores acreditados a nível na- do. Dado que é um produto regulado, cional, mas que lhe vendem a mercadoria chega pouco ao mercado. "Temos cumpor um custo mais alto do que ela pode- prir com a regulação, com o cliente e ria comprar no exterior. Para ter algum com o governo. Mas, na verdade, é imlucro, nos brinquedos vê-se obrigada a possível vender o pernil por 4.320 bolívaaumentar o preço. res. É suposto termos algum lucro. As"Seria mais fácil trazer a mercadoria sim não faz sentido ter um negócio, pois e os brinquedos de fora sem necessidade ninguém vende para perder." de dar explicações, mas com o controlo "Disseram que o pernil iria escassear cambial é muito difícil fazer esta opera- este mês, por isso as pessoas vieram no ção. Com todos os problemas início de Novembro comprar que se colocado para solicipara guardar. Congelaram tar as divisas, uma pessoa A incerteza económica, para ter algo seguro para o acaba comprando aos distria inflação e o controlo jantar de Natal. Mas mesmo buidores e, logo, a ver-se assim as vendas foram melcambial restrito são obrigada a aumentar os prehores que no anos passado." os factores que ços. É uma cadeira que apeOutro ponto de vista é mais preocupam nas gera mais custos e gastos apresentado por Fernando para as pessoas", defendeu. Correia, que avalia a econoPara Manuel Freitas, domia deste ano por baixo da no do talho "La Ballena", situado no cen- do ano passado. Apesar de o ambiente tro de Guatire, este Dezembro tem sido político do país estar agora mais calmo bom em comparação com as vendas rea- após a vitória do "Não" no referendo, lizadas nos meses de Junho e Julho, quan- pensa que esta tranquilidade não se tem do a escassez de carne era evidente em reflectido na compra de materiais de todo o território nacional. construção. "Este mês é bom para todos os coDesde há aproximadamente cinco merciantes. Em meados deste ano vimo- anos que é o dono e o encarregado da lonos mal, não havia carne de nenhum tipo ja de ferragens "Ferreplaza", sedeada na em nenhum talho, mas graças a Deus se urbanização Valle Arriba da mesma zona regularizou o fornecimento e distribui- mirandina, tempo suficiente para ter visção", desabafou, explicando que "agora to o quanto têm decaído as vendas, soas nossas vendas estão centradas em tudo bretudo no plano ferreiro, da construção

e da pintura. "Em comparação com o ano passado, o custo das pinturas aumentou entre 15 e 20%, dependendo do tipo. Um galão económico custava, no ano passado, 49 mil bolívares. Actualmente custa entre 60 mil e 80 mil bolívares", esclarece. Para Correia, a pintura é um bom indicador para observar a reactivação económica. Se há crescimento económico, a venda deste produto cresce, já que em Dezembro é costume que todos os membros da família se ponham de acordo para operar uma mudança na cor, para sair da monotonia das cores, que resistiram aos embates de todo o tipo durante o ano. Correia comenta que este ano existe um menor poder de compra, pois as pinturas tipo B ou médias são as mais vendidas pela sua relação preço/qualidade, seguidas da de tipo C ou económicas. Este ano, defende, os preços dos materiais de construção de maior procura, como o cimento, os blocos, barras e tubagens aumentaram três vexes mais, pelo que decaíram significativamente as suas vendas. "Em toda esta zona estão construindo muitos edifícios e vivendas, mas estão sendo subsidiadas pelo governo, a quem não lhes perturba nem o controlo cambial nem a inflação. Isso só afecta os comerciantes, que têm de lutar contra os preços altos e a competição", lamenta.

ECONOMIA

25

Breves

ANSA celebrou festa de fim de ano No passado dia 14 de Dezembro, a Associação Nacional de Supermercados e Autoserviços (ANSA) celebrou a sua festa de fim de ano nas instalações da Quinta Villa Los Angeles em Cumbres de Curumo. Na reunião esteve presente o presidente da Associação, Carlos Carvalho, junto a toda sua directiva e representantes das distintas câmaras de comércio, ligadas à instituição. Como é costume, a reunião de Natal realizou-se com a finalidade de conviver com os associados e todo o pessoal que trabalha em cooperação.Como parte da animação, foi efectuado o quarto torneio de dominó, para dar um toque informal à festa. No jogo de dominó participaram também as mulheres, que se "atreveram" a "trancar o jogo", demonstrando que não só os homens dominam esta diversão de mesa. No 2007 a Associação Nacional de Supermercados e Autoserviços promoveu pelo 6º ano consecutivo o Fórum ANSA, desta feita subordinado ao lema “Assumimos o repto”.O evento celebrado no CIEC da Universidade Metropolitana, entre 17 e 19 de Outubro, esteve centrado numa introspecção sobre a realidade do sector para fazer frente às alterações que se vêm verificando no país.

PUBLICIDADE


26 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Religion.qxp

26

RELIGIÃO

19/12/2007

07:27 p.m.

PÆgina 26

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Faltam poucos dias…! do tudo o que são simples confianças e seguranças humanas, onforme se vai aproxi- para assim poder alcançar as mando o dia 24 de De- grandes certezas de tipo sobrezembro, as preocupa- natural. ções materiais, como a As sagradas escrituras diaquisição de bens, vão sendo ca- zem-nos: "Jesus disse aos seus da vez maiores. Em contraste discípulos: Nem todo aquele que com a riqueza superficial que diz "Senhor, Senhor!" entrará no vemos em redor, a Igreja, no Reino dos Céus, mas sim aquele Advento, insiste em que a po- que faz a vontade do meu Pai, breza espiritual é o verdadeiro que está nos Céus". Quantas vecaminho de aproximação ao zes nos pode acontecer o que Senhor. E a Igreja fá-lo para que acontecia aos judeus, que pennão esqueçamos savam que repetir que quem constrói uma oração várias o Natal no nosso vezes ao dia tinham “A salvação não se coração não é apeobtém com as nossas a salvação asseguranas o esforço, mas da. No entanto, Jesus seguranças ou com sim a espera de Cristo disse-lhes que as nossas Deus, a atitude que a salvação não se obcertezas” temos para com ele. tém com as nossas O Advento é o seguranças ou com tempo durante o as nossas certezas, qual, uma e outra vez, este tipo mas que para nos salvarmos era de mensagens têm de ir resso- preciso nos pormos nas mãos de ando no nosso espírito. A pre- Deus e fazer o que o Senhor nos paração do Natal deve ser um pediu. momento no qual vamos tirando Porque é que há, nas nossas da nossa alma e deixando de la- vidas, situações que nos perturPbro. Lic. David Rodríguez

C

PUBLICIDADE

bam de uma forma tão violenta? Porquê que há momentos em que sentimos que tudo se desmorona, tudo cai, tudo vem abaixo? No fundo, é porque não somos a cidade que confia em Deus, mas que com frequência somos a cidade que está na altura, e que tarde ou cedo acaba sendo humilhada e pisada pelos pés dos pobres, dos humildes. Não há outro caminho, ou vamos pelo caminho de Deus Nosso Senhor num esforço constante de aproximação, de apoio, de total confiança n'Ele, ou mais cedo ou mais tarde todos os nossos pequenos castelos acabam caindo uns atrás dos outros. Em que podemos nos apoiar, nos enraizar? Para nós, a vontade de Deus manifesta-se em Cristo: "a casa sobre a rocha", sobre a qual vão cair chuvas e ventos, e no entanto não se vai mover. Como podemos conseguir com que a nossa vida seja a casa sobre a rocha? Todos os dias estão cheios desses momen-

tos: a oração, a vida sacramental, as situações nas quais podemos dar testemunho cristão, mas acima de tudo estão os momentos através dos quais podemos serenar a nossa alma em Nosso Senhor. Convido-vos, neste Ad-

vento, a que reflictamos seriamente em que, para não trabalharmos em vão, é necessário pôr a nossa alma em Deus; é necessário edificar a casa sobre a roca, ser a cidade que confia e se afiança no Senhor.


27 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

19/12/2007

07:38 p.m.

PÆgina 27

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

CORREIO DA VENEZUELA

Gama-Club termina 2007 em grande G ama-Club, equipa de futsal na categoria Super Veteranos (mais 45 anos) voltou a brilhar na final da Taça de Natal 2007 que se disputou na semana passada contra o seu já clássico rival de mil batalhas como é a equipa do TercerTiempo. Depois de estar a perder 0-4 nos 25 minutos iniciais, devido a vários desacertos das suas principais "estrelas" e sofrendo todas as adversidades possíveis, incluindo a expulsão (justa) de dois jogadores. Pode-se dizer que o Gama-Club atrasou 15 minutos o relógio a uma iminente derrota e mudou a história uma emocionante final que parecia já praticamente decidida, pois acabou por se impor por 5-4 a um adversário que pecou por excesso de confiança e que por isso foi no final severamente castigado, pagando um alto preço por abusar da comodidade que lhes dava o resultado parcial. Será preciso muito tempo para que se apague da memória de todos os que participaram e também dos que assistiram a esta final imprópria para cardíacos. Na verdade, é justo felicitar tanto os vencidos como os vencedores. Os jogadores do Gama-Club depois desta vitória também celebraram a

DESPORTO

27

Breves

Doping vai dar prisão! O jornal Público avançou na sua edição de terça-feira que o Conselho Nacional do Desporto já discutiu uma proposta de lei, inovadora, que irá "revolucionar" o combate ao doping. A proposta prevê penas de prisão para os traficantes e para os atletas que se sujeitem ao uso de substâncias dopantes. Este é um projecto de lei que, seguindo o novo código mundial que apenas vigorará em 2009, será inovador e procurará apertar as malhas da luta contra o doping.Vicente Moura, presidente do Comité Olímpico de Portugal, concorda em absoluto com as sanções previstas no projecto de lei português.

Termina outro ano de êxitos para esta exemplar organização desportiva.

façanha dum novo recorde: 36 jogos de campeonato consecutivos sem conhecer a derrota (desde 24-04-2006). Há que reconhecer que esta última derrota 0-2 foi precisamente contra o Tercer-Tiempo. Termina assim outro ano de êxitos para esta exemplar organização desportiva. Arrasaram e somaram quatro novos campeonatos nas duas catego-

rias de mais idade que se organiza com um altíssimo nível nas instalações do Centro Português. Recorde-se que Gama-Club também se sagrou campeão destas categorias nos dois Torneios de Abertura 2007 e que no passado 12 de Dezembro os Súper-Master (maiores de 50 anos) de Gama-Club também derrotaram o Tercer-Tiempo por 2-0. PUBLICIDADE


28 29 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

28

DESPORTO

19/12/2007

07:33 p.m.

PÆgina 28

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Paintball marabino cresce em mãos lusas Carlos Marques prudentisnoble@gmail.com

á foram a Espanha, Equador, Colômbia e Aruba, onde conquistaram o primeiro lugar como os Melhores da América, participando para esse momento 19 equipas, entre a Holanda, Curaçau, Venezuela e o resto de Aruba. Também participaram em 1999 no Mundial de Paintball e entre 140 grupos conseguiram classificar-se entre os primeiros 10. Competiram com muitas equipas e souberam representar a Venezuela. Chamam-se Lluvia Negra (Chuva Negra) e entre os seus membros figuram vários luso-descendentes. Danilo Meneses juntamente com Helder e Jonny, todos filhos de portugueses, decidiram fundar este grupo há mais de nove anos, na cidade de Maracaibo. Depois juntaram-se-lhes Oscar dos Reis e os irmãos Javier e Carlos Arriol, filhos de madeirenses naturais da Madalena do Mar. "Só éramos seis. No princípio foi difícil, mas com esforço fomos em frente",

J

Todos os membros do grupo “Lluvia Negra” PUBLICIDADE


28 29 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

19/12/2007

07:36 p.m.

PÆgina 29

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

CORREIO DA VENEZUELA

DESPORTO

Momento quando conquistaram o primeiro lugar como os Melhores da América

Lluvia Negra têm-se destacado no Jogo de cinco em cinco

lembra Meneses, aproveitando a oportu- nezuela e o Brasil. nidade para acrescentar que o Paintball O paintball não é apenas praticado é um jogo de muita adrenalina e que é por homens. Também encontramos muiexcelente para libertar o stress. "Há mui- tas mulheres e crianças entre as suas comta gente que pensa que é um petições. Muitas vezes fazem desporto violento, mas conum "tudo contra todos", na O paintball não é vido a todos a experimentaVenezuela é apelidada de "Ráapenas praticado por faga", que é infantil; as Amarem para verem como é exactamente o contrário. Aqui sozonas e Apache são femininas. homens. Também mos todos bons amigos", Os luso-descendentes de encontramos muitas assegurou. Lluvia Negra pediram à Emmulheres e crianças Há dois anos a esta parbaixada Portuguesa na Venenas suas competições. zuela que os ajude a procurar te, formaram-se mais equipas, entre elas os de Caracas e de patrocinadores que os apoiem Valência. E já existe uma muito boa liga economicamente para a aquisição das essul-americana, especialmente entre a Ve- feras, já que são importadas da Colômbia

e todos os demais acessórios que são trazidos dos Estados Unidos. Este grupo está composto por pessoas com idades compreendidas entre os 22 e os 40 anos, divididos em duas categorias: novatos e veteranos. Estão situados no Paseo El Lago, onde esperam dar aulas para que nasçam novos grupos para assim poderem realizar mais competições nacionais. Os seis contactos são lluvianegra67@hotmail.com ou pelo telemóvel 0414-6314101 (Martín Peralta). COMO SE JOGA? Lluvia Negra têm-se destacado no Jogo de cinco em cinco. Consiste em ter

29

uma bandeira no meio e os participantes tem que procurar a bandeira, agarrá-la e conseguir levá-la para o lado contrário, eliminando os antagonistas, disparando com um marcador de esferas de tinta que devem atingir os jogadores para desclassificá-los num campo simétrico com obstáculos. Obtendo a bandeira, ganha-se o jogo. Quando há jogos, a arbitragem é dividida, ou paga-se a um árbitro para um torneio em específico. O tempo é de 5 minutos no máximo, mas geralmente não passa de 2 ou 3 minutos. Se não se eliminar todos após o tempo, haverá uma pontuacão por jogadores não eliminados. PUBLICIDADE


30 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Desporto.qxp

30

DESPORTO

19/12/2007

07:49 p.m.

PÆgina 30

CORREIO DA VENEZUELA 20 A 26 DEZEMBRO DE 2007

Sporting 'dá a volta' ao Marítimo e ascende ao terceiro lugar ois golos de Vukcevic, na recta final do jogo de domingo com o Marítimo (2-1) da 13ª jornada, colocaram o Sporting na terceira posição da Liga de futebol, a 12 pontos do líder FC Porto e dois do Benfica, segundo. A perder desde os 60 minutos, com golo de Bruno Fogaça, a equipa leonina regressou aos triunfos (o último para a Liga datava de 9 de Novembro, frente à Naval), valendo-se da garra de Vukcevic que, contra a apatia da quase totalidade dos jogadores, arrancou dois tentos e, sobretudo, três preciosos pontos. O montenegrino empatou aos 72 minutos, num golpe de cabeça feliz e com a ajuda de um adversário que traiu o guarda-redes insular e, aos 88, num lance individual, ofereceu ao Sporting a segunda vitória fora e a sexta no campeonato português (a terceira consecutiva em jogos oficiais), impondo ao Marítimo a terceira derrota seguida. Depois do desaire do Benfica em Belém por 1-0 e do triunfo do FC Porto sobre o surpreendente Vitória de Guimarães (2-0), no sábado, a margem de erro leonina era reduzida, mas os "leões" conseguiram "puxar dos galões" e, com alguma felicidade, voltaram ao terceiro pos-

D

PUBLICIDADE

to, mas mais perto que os "encarnados". A equipa de Paulo Bento, que podia ter caído para a sétima posição, em caso de derrota, ou sexta, caso tivesse empatado nos Barreiros, ultrapassou o Vitória de Guimarães na tabela classificativa e reacendeu a luta pelo chamado "campeonato da Segunda Circular". O Vitória de Setúbal, que venceu na Amadora por 1-0, com um golo de Edinho, aos 57 minutos, chegou a estar provisoriamente na terceira posição, mas acabou a 13ª jornada no quarto posto, ainda assim dignificante e surpreendente. Vitória de Guimarães, com 22, e Sporting de Braga, com 21, são os "senhores" que se seguem na tabela, à frente de Belenenses, Marítimo e Naval 1º de Maio. No Porto, o Boavista somou a segunda vitória na Liga (2-0, à Naval 1º de Maio), depois de já ter triunfado sobre o Vitória de Guimarães, na 11ª jornada. A equipa de Jaime Pacheco parece ter reencontrado o caminho do êxito e bastaram os golos de Fary, aos 20 minutos, e Grzelak, aos 34, para a conquista do 13º posto, com 12 pontos. A Naval mantém-se na nona posição, com 15 pontos. Em Coimbra, a Académica, que não vencia há precisamente três meses, na es-

treia de Domingos Paciência como técnico, triunfou sobre o Nacional da Madeira por 1-0 e "fugiu" dos lugares de despromoção. Os "estudantes", que somaram apenas a segunda vitória na competição, graças ao golo de Cris, aos 85 minutos, estão agora na 14ª posição, com 11 pontos, mais dois que Paços de Ferreira, que tinha perdido sexta-feira em casa com o Sporting de Braga (2-0) e joga no sábado em Al-

valade. A União de Leiria deslocou-se a Matosinhos para tentar o primeiro triunfo na Liga principal, mas o Leixões não deu qualquer hipótese, impondo-se por esclarecedores 3-0. Roberto, aos três minutos, Diogo Valente, aos 25, e João Paulo, aos 90, construíram o resultado e deixaram a equipa do Liz novamente na última posição, com cinco pontos.


31 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Venezuela.qxp

19/12/2007

07:40 p.m.

PÆgina 31

20 A 26 DEZEMBRO DE 2007 CORREIO DA VENEZUELA

Braga na Taça UEFA

Sporting de Braga qualificou-se para os 16 avosde-final da Taça UEFA de futebol, ao derrotar em casa os sérvios do Estrela Vermelha, por 2-0, em jogo da quinta e última jornada do Grupo F. No Estádio Axa, em Braga, o austríaco Roland Linz, aos 11 minutos, e o brasileiro Wender, aos 66, marcaram os golos que garanti-

O

ram aos "arsenalistas" o triunfo e o segundo lugar do grupo, atrás dos alemães do Bayern Munique. Com três empates e a vitória sobre o Estrela Vermelha, o Braga somou seis pontos, menos dois do que a equipa alemã, que goleou hoje em casa o Aris de Salónica por 60 e afastou os gregos da próxima fase da Taça UEFA. O Braga, que terminou em

igualdade pontual com os ingleses do Bolton - estavam já qualificados -, estará pela segunda época consecutiva nos 16 avos-de-final, no qual marcam presença também o Benfica e o Sporting, provenientes da Liga dos Campeões. As equipas portuguesas ficarão a conhecer os seus adversários sexta-feira, no sorteio que se realiza em Nyon, Suíça.

DESPORTO

31

Breves

Olegário Benquerença será quarto árbitro A UEFA anunciou os 12 árbitros e 24 assistentes para o Europeu de futebol de 2008, numa lista sem qualquer árbitro português, com Portugal a ter apenas um nome na lista dos quartos árbitros. Desta forma, nenhum árbitro português vai dirigir ou ser fiscal de linha nos encontros do Europeu, que será co-organizado pela Áustria e pela Suíça em Junho próximo, no qual Portugal está inserido no Grupo A. Nas listas divulgadas , o leiriense Olegário Benquerença faz parte dos oito juízes que vão ficar como quartos árbitros, podendo este apenas dirigir um encontro caso surja algum impedimento ao árbitro designado para a partida. Para a constituição das equipas de arbitragem, a UEFA optou por trios do

mesmo país e que tivessem participado com regularidade nos encontros das competições europeias, particularmente na Liga dos Campeões, no último ano. A UEFA pretende assim reunir equipas de arbitragem com experiência e com um grande entendimento entre si. "Nunca é fácil escolher a lista final dos árbitros que vão dirigir um torneio tão prestigiado como o Europeu de futebol", disse Angel Maria Villar Llona, presidente do Comité de Arbitragem da UEFA. O dirigente acrescentou que os árbitros escolhidos "são os melhores no momento e que merecem a sua hipótese", adiantando que a ideia de nomear os trios começou no Europeu de 2004, disputado em Portugal.

PUBLICIDADE


32 20-12-2007 - CORREIO DE VENEZUELA - Ultima.qxp

19/12/2007

08:03 p.m.

PÆgina 32

RIF: J-31443138-2

w w w. c o r r e i o d e v e n e z u e l a . c o m CORREIO DE VENEZUELA - 20 A 26 DE DEZEMBRO DE 2007

Luso-venezuelanos chamados a integrar Parlamento dos Jovens

O programa desenvolve-se ao longo de 3 fases que antecedem a Sessão do Parlamento dos Jovens

O

Parlamento dos Jovens é uma iniciativa conjunta da Assembleia da República (AR) desenvolvida ao longo do ano lectivo com as Escolas de todo o país que desejarem participar culminando com duas Sessões Nacionais que se realizam anualmente na AR. Divide-se em Parlamento dos Jovens - Secundário e Parlamento dos Jovens - Básico e tem como objectivos: incentivar o interesse dos jovens pela participação cívica e política, sublinhar a importância da sua contribuição para a resolução de questões que afec-

tam o seu presente e o futuro individual e colectivo, fazendo ouvir as suas propostas junto dos órgãos do poder político, dar a conhecer o significado do mandato parlamentar e o processo de decisão do Parlamento, enquanto órgão representativo de todos os cidadãos portugueses, incentivar as capacidades de argumentação na defesa das ideias, com respeito pelos valores da tolerância e da formação da vontade da maioria. A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas apoia a participação dos jovens dos círculos da Eu-

ropa e Fora da Europa em ambas as Sessões, o que inclui aos luso-venezuelanos que desejem participar nesta iniciativa. O programa desenvolve-se ao longo de 3 fases que antecedem a Sessão do Parlamento dos Jovens na Assembleia da República: Debate do Tema e Processo Eleitoral, onde se inclui a formação de listas candidatas, dentro da Escola; Eleição dos deputados às Sessões Escolares para aprovação dum Projecto de Recomendação da Escola e eleição dos representantes às Sessões a nível distrital ou regional; Sessões Distritais/Regionais, onde se aprovam as Recomendações a submeter à Sessão Nacional do Parlamento dos Jovens e se elegem os deputados que representam as Escolas nesta Sessão. As inscrições deverão ser realizadas no sitio da Assembleia da Republica até dia 31 de Outubro. Agora é trabalhar com empenho para chegar à Sessão Nacional a 28 e 29 de Abril de 2008 na Assembleia da República. Este ano o tema proposto é: "União Europeia:participação, desafios, oportunidades" Os jovens alunos deverão analisar este tema e aprovar um Projecto de Recomendação em que proponham ao Parlamento, a adopção de medidas que considerem relevantes para as áreas referidas no tema.

CORREIO Busca Procura-se Manuel Rodrigues Loreto Carmen Escalante está a tentar entrar em contacto com alguém que saiba do paradeiro do seu pai, Manuel Rodrigues Loreto, um emigrante português que esteve muitos anos radicado em Valência à frente duma padaria. A única referência que dispõe é que estava situada atrás da Plaza de Toros de Valência. A sua mãe era venezuelana, Maria Esperanza Escalante, entretanto já falecida. Carmen sabe da existência de vários irmãos que vivem em Portugal.

Procura-se Gabriel, que viveu em La Guaira A irmã Maria Gabriela Vargas Rodrigues, da Congregação das Irmãs da Imaculada, procura o seu pai. O único dado que dispõe é o seu primeiro nome: Gabriel. Sabe também que é um luso-venezuelano que viveu durante os anos 80 em La Guaira e agora pode estar radicado nos estados centrais da Venezuela. A irmã Gabriela, nasceu em 1983, em Vargas. A sua mãe chama-se Maria Luísa Vargas Rodrigues. Agradece-se a quem possa disponibilizar qualquer informação.

Breves

Governo vai apostar no ensino do português em 2008 O secretário de Estado das Comunidades portuguesas, António Braga, anunciou que o governo vai apostar no próximo ano no ensino do português no estrangeiro através da definição de um programa de investimento.

"Pretende-se incrementar as respostas aos problemas pontuais e definir todo um programa de investimento prioritário nestas áreas, decisivas para a garantia dos elos de ligação essenciais entre a comunidade portuguesa e a sua cultura origi-

nária", escreve António Braga na mensagem de Natal dirigida aos portugueses residentes no estrangeiro. O secretário de Estado admite que "persistem os desafios relacionados com o ensino da língua e divulgação da cultura

portuguesa". Por isso, o governo vai reforçar a rede de professores espalhados pelo mundo, consolidar as escolas portuguesas nos países lusófonos e os leitorados nas universidades estrangeiros.

PUBLICIDADE

Correio da Venezuela 238  

Edición 238

Correio da Venezuela 238  

Edición 238

Advertisement