Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano IV - Edição 22 - Dezembro 2017 / Janeiro 2018

1


2


3


06 EXPORTAÇÃO Balança Comercial fecha 3º Trimestre com Superávit 10 e 11 INFO Benefícios da Equoterapia e os Cuidados com os Animais

08 e 09 ECONOMIA Escoamento de Grãos deve crescer em 2018

15 MÚSICA Cantor Joab renova canal no Youtube 16 INFO Batata Irrigada é sinônimo de qualidade e produtividade 22 ARTIGO Tripanossomíase Bovina Por Dr. Ricardo Paulino de Oliveira 24 INFO Fertilizante Protegido Beneficia Canade Açúcar

20 e 21 CAPA Cachaça Cabaré Prata e a Cachaça Cabaré Extra Premium

29 SAFRA Safra Mundial de Grãos deverá atingir 2,079 BI/Ton no ciclo 2017/18

27 SISTEMA Produtor Rural e a Nota Fiscal Eletrônica 38 TECNOLOGIA Tecnologia contra a fome no Brasil

32 e 33 CULTURA Consórcio de Seringueira e Cacau

R

Av. Alberto Andalo, 2641 / Sala 02 – Centro Cep: 15015-000 - São José do Rio Preto/SP Contatos Redação e Publicidade: (17) 3022-2527 / 98152-5400

Capa: Eduardo Costa & Leonardo Ilustração: DLM Ano IV - Edição 22 Dezembro 2017 Janeiro 2018

Diretor Geral Leandro Gasparetti contatoagrofest@gmail.com

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

Diretor Comercial José Eduardo Costa comercialagrofest@gmail.com

AGROFEST - Uma revista inovadora, informativa e de alto nível. Que foca em temas como a Suinocultura, Avicultura, Pecuária, Piscicultura, Agropecuária, Eventos, Feiras, Exposições e Rodeios, com o intuito de aproximar empresas, técnicos, produtores, parceiros, clientes entre outros.

*Jesus, eu confio em vós! 4

Distribuição em 35 cidades Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, São Pulo e Minas Gerais: Fronteira Colaboradores Embrapa, Secretaria de Agricultura de São Paulo, Ministério da Agricultura, Sindicato Rural de Rio Preto, Paulo Belarmino, Della Morena, Tonho Prado, André Silva, Kimberlit, Dr. Paulino de Oliveira e Guabi – Saúde Animal.

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP Jornalista Sabrina Braga - MTB 52001 Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico | Diagramação Rede A Comunicação - 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto - 17 3016-4000 Contabilidade RBB Assessoria e Consultoria Contábil CRC SP - 319624/O-1

*Reproduções totais ou parciais das matérias e fotos, aqui publicadas, só serão permitidas por meio de autorização expressa dos editores. As informações prestadas nas páginas de publicidade, são de inteira responsabilidade dos clientes. Artigos assinados por colaboradores não expressam a opinião da Revista.


5


AgroExpotação

Foto: Divulgação

BALANÇA COMERCIAL FECHA 3º TRIMESTRE COM SUPERÁVIT DE US$ 10,7 BILHÕES Exportações do agronegócio de São Paulo representaram 19,5% do total nacional. Sucos, produtos alimentícios diversos e complexo sucroalcooleiro puxam a fila.

D

e janeiro a setembro de 2017, as exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 37,95 bilhões (23,1% do total nacional) e as importações, US$ 40,72 bilhões (36,6% do total nacional), registrando déficit de US$ 2,77 bilhões. Em relação ao mesmo período de 2016, o valor das exportações paulistas aumentou 10,1% e o das importações cresceu 5,3%, reduzindo em 33,9% o déficit comercial, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O agronegócio apresentou exportações crescentes (+4,9%), atingindo US$ 14,43 bilhões; enquanto as importações setoriais subiram (9,9%), somando US$ 3,67 bilhões, resultando em um superávit de US$ 10,76 bilhões, o que representa aumento de 3,4% no saldo comercial do agronegócio em relação aos nove primeiros meses de 2016. As importações paulistas nos demais setores, excluindo o agronegócio, soma6

ram US$ 37,05 bilhões e as exportações US$ 23,52 bilhões, gerando uma diferença de US$ 13,53 bilhões. “O comércio exterior paulista seria muito mais deficitário não fosse o desempenho do agronegócio estadual”, destacam José Alberto Angelo e Marli Dias Mascarenhas, pesquisadores do IEA e José Roberto Vicente, pesquisador aposentado do Instituto, autores do artigo. Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio paulista, no período foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 6,52 bilhões), carnes (US$ 1,35 bilhão, em que a carne bovina respondeu por 75,5%), sucos (US$ 1,31 bilhão, dos quais 97,1% referentes a sucos de laranja), complexo soja (US$ 1,28 bilhão), e produtos florestais (US$ 1,28 bilhão). Esses cinco agregados representaram 81,4% das vendas externas setoriais paulistas. A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 53,27 bilhões no período analisado, com exportações

de US$ 164,60 bilhões e importações de US$ 111,33 bilhões. O aumento no excedente comercial ocorreu em função do crescimento das exportações (18,1%) maior do que o das importações (7,9%). De janeiro a setembro de 2017, as exportações do agronegócio brasileiro aumentaram 9,8% em relação à igual período do ano anterior, atingindo US$ 73,99 bilhões (45% do total), já as importações subiram 9,2%, somando US$ 10,69 bilhões (9,6% do total). O superávit do agronegócio foi de US$ 63,30 bilhões, 10% superior ao de 2016. Os cinco principais grupos do agronegócio brasileiro nas exportações foram: complexo soja (US$ 27,81 bilhões); carnes (US$ 11,51 bilhões); complexo sucroalcooleiro (US$ 9,50 bilhões); produtos florestais (US$ 8,41 bilhões); e café (US$ 3,79 bilhões). Esses cinco agregados responderam por 82,5% das vendas externas do agronegócio nacional.


7


AgroEconomia

ESCOAMENTO DEVE CRESCE A

expectativa pela renovação antecipada de cinco concessões ferroviárias, que começam a vencer daqui a 15 anos, movimenta os players do setor. Os contratos, previstos pelo governo federal para serem assinados entre este e o próximo ano, envolvem mais de 13 mil quilômetros de estradas de ferro e devem receber até R$ 25 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos. O diagnóstico é da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer). De acordo com a entidade, o intuito do governo em realizar esta renovação de forma imediata por mais 30 anos é promover uma repactuação dos compromissos assumidos em cada trecho 8

e estipular novas metas de investimentos, ocasionando aumento na malha ferroviária e na capacidade de transporte instalada no País. Para o presidente da Abifer, Vicente Abate, um dos segmentos que deve ter alta significativa no transporte ferroviário com as prorrogações é o de commodities agrícolas. Abate acredita que, assim que as renovações forem se concretizando o escoamento de grãos por ferrovias também deve crescer, algo que pode acontecer já em 2018. “Atualmente, as cargas agrícolas são responsáveis por aproximadamente 12% do transporte ferroviário nacional e este percentual deve se elevar ainda mais com as prorrogações, pois são

produtos cada vez mais movimentados por meio de ferrovias”, afirma. Segundo ele, outro fator que será responsável por essa alta é a super-safra que o País está tendo recentemente. Segundo dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a estimativa para a safra nacional de grãos é de um novo recorde. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve chegar a 242,1 milhões de toneladas em 2017, um aumento de 31,1% sobre 2016, ano que registrou 184,7 milhões de toneladas. “Para atender toda essa demanda, a indústria ferroviária está investindo ainda mais na fabricação de vagões,


Foto: Leandro Gasparretti

O DE GRÃOS ER EM 2018 produtos e serviços específicos para o mercado agrícola”, ressalta o dirigente. Abate enfatiza, ainda, que a perspectiva de aumento de demanda terá também impacto positivo na cadeia de fornecedores de manutenção e renovação de equipamentos e tecnologias. Concessões A primeira das cinco concessões que devem ser prorrogadas por mais 30 anos é a Malha Paulista, operada pelo Rumo Logística, que já está em processo de audiência pública. O trajeto interliga os Estados de São Paulo e Minas Gerais, por meio de uma linha férrea com 1.989 km atualmente.

Logo depois, será a vez dos trilhos da MRS Logística, que possuem 1.674 km de extensão e conectam os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Na sequência, virão a Estrada de Ferro Vitória-Minas (com 905 km, que atende aos Estados do Espírito Santo e Minas Gerais) e a Estrada de Ferro Carajás (com 892 km, que liga os Estados do Pará e do Maranhão) ambas operadas pela VLI Logística, por meio de concessão da Vale. Por fim, a Ferrovia Centro-Atlântica (que possui 8.066 km e passa pelos Estados de Brasília, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Sergipe, Rio de Janeiro e São Paulo), também sob gestão da VLI. 9


AgroInfo

BENEFÍCIOS DA E OS CUIDADOS

D

esde a antiguidade, estudiosos comprovam os benefícios terapêuticos da interação com cavalos. Para algumas pessoas montar é uma terapia. Conviver com os animais traz inúmeros benefícios para tratamentos de deficiência física, intelectual e/ou social: diminui a ansiedade e estresse; sedentarismo; alívio da depressão; desenvolve aspectos de afetividade; autoconfiança; socialização e concentração. Em 10 de Maio de 1989, o método chegou ao Brasil através da Associação Nacional de Equoterapia, responsável por estabelecer padrões para a prática dentro do país. Segundo a

10

Associação, também conhecida como ANDE-Brasil, a equoterapia utiliza técnicas de equitação para reabilitar pessoas com deficiência ou necessidades especiais. A prática é terapêutica e educativa, pois os movimentos realizados pelo cavalo estimulam diferentes áreas do cérebro, incluindo o sistema nervoso, ativam a circulação sanguínea e fortalecem os músculos. Segundo a Universidade de São Paulo, que desenvolve um projeto de equoterapia desde 2001, o tratamento promove a melhora física, psíquica, cognitiva e social. O projeto já foi realizado em pacientes com “paralisia cerebral, síndromes genéticas, microce-

falia, traumatismo craneoencefálico, traumatismo raquimedular, acidente vascular encefálico, parkinson, deficiência visual, esquizofrenia, hiperatividade, entre outros. “Uma questão extremamente importante para que a equoterapia atinja o objetivo desejado, é a escolha de um animal devidamente preparado para atender as necessidades do paciente. O gerente de produtos para Equinos da Guabi, Sigismundo Fassbender explica qual o perfil do animal adequado para a prática. “Primeiramente, é muito importante escolher um cavalo de natureza dócil e que esteja acostumado a conviver com pessoas. Estar


Foto: Divulgação Guabi

EQUOTERAPIA COM OS ANIMAIS em dia com os programas de profilaxia (vacinas, vermífugos, etc), sempre com boa higiene para não transmitir doenças para as pessoas. Mas para que este animal seja capaz de realizar o tratamento equoterápico, ele precisa ser devidamente treinado para a prática e, acima de tudo, ter uma nutrição adequada para esta rotina. ” A nutrição adequada é uma das questões mais importantes a ser considerada. O equino que se alimenta proporcionalmente a quantidade de exercícios que realiza, diariamente, e de acordo com a fase de desenvolvimento em que se encontra é capaz de repor todos os nutrientes perdidos

com o gasto energético e consequentemente, terá um rendimento melhor. “A má alimentação prejudica o crescimento e desenvolvimento dos equinos. Em muitos casos, o animal pode desenvolver doenças, entre elas: problemas ortopédicos, diarreias, cólicas e inflamação nas lâminas do casco”, ressalta a veterinária. Para a nutrição do animal, é importante incluir na dieta elementos ricos em carboidratos, principalmente do milho e da aveia. Outra fonte energética muito importante são os óleos, pois além de facilitar a digestão, aumentam a energia da dieta sem elevar o volume do alimento ingerido. A uti-

lização de sal mineral é fundamental, o aconselhável é que seja fornecido junto com a ração para garantir que o animal ingira o suficiente para recuperar os eletrólitos perdidos. Tanto o excesso quanto a falta de determinados nutrientes podem trazer riscos para o animal, portanto, é muito importante ter o acompanhamento de um veterinário ou zootecnista. Somente um profissional conseguirá indicar a quantidade de alimento que deve ser ingerido pelo cavalo em função da atividade que ele desempenha.

11


AgroDestaque

AGRISHOW 2018

A Agrishow é uma das maiores e mais completas feiras de tecnologia agrícola do mundo. Considerada uma das três principais feiras de tecnologia agrícola do mundo e a maior e mais importante na América Latina, a Agrishow é vitrine das mais avançadas tendências e inovações tecnológicas para o agronegócio. São 440 mil m², 159 mil visitantes, um público altamente qualificado, formado, em sua maioria, por produtores rurais de todo o território nacional e do exterior. Mais de 800 marcas em exposição, que levam inúmeras novidades em termos de máquinas, implementos agrícolas, sistemas de irrigação, acessórios, peças, entre outros produtos necessários ao aumento da produtividade do cultivo dos produtores rurais, necessário à redução dos custos e aumento da rentabilidade do agronegócio brasileiro. É onde o produtor rural encontra tudo o que precisa. E para 2018 já tem data marcada, de 30 de abril a 04 de maio, marque aí na sua agenda e faça bons negócios!

CAFÉ NO BULE O engenho Dom Tápparo, fecha parceria com o apresentador Ratinho do SBT, com o mais novo “Licor Café no Bule”, fazendo parte deste projeto também a Bebidas Poty, e a produção fica por conta deste tão renomado engenho da família Tápparo, que fica em Mirassol/SP, hoje o engenho é sucesso e possui parcerias com grandes artistas em alguns rótulos de suas bebidas, como: Zé Neto & Cristiano, Marília Mendonça, Maiara & Maraísa, Eduardo Costa, Leonardo, e agora com Ratinho. Na foto, os irmãos Giovanni e Bruno Tápparo com o apresentador Ratinho.

COLHEITADEIRA HÍBRIDA MF 4690 A AgroLíder Máquinas Agrícolas, na região de São José do Rio Preto, entregou no mês de outubro em Potirendaba/SP, a Primeira Colheitadeira de Grãos da Massey Ferguson, a nova “MF 4690”, sendo a primeira entregue no estado de São Paulo, no qual seu lançamento foi este ano durante a Agrishow. Com 200 cv de potência, a MF 4690 é ideal para propriedades que trabalham no sistema de agricultura familiar e se enquadra no sistema de financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do governo federal. O equipamento é dotado do motor eletrônico AGCO Power (sistema iEGR) e possui alto desempenho para equipamentos de sua categoria, com baixo consumo de combustível, perdas reduzidas, alta capacidade de processamento e baixo custo de manutenção. A MF 4690 trabalha com 18 pés de plataforma, proporcionando um alto nível de produção. Com taxa de descarga de 86 l/s, a maior da categoria, e tanque de grãos com capacidade de armazenamento de 5.500 litros, a MF4690 fica mais tempo disponível para a colheita. 12


13


14


AgroMúsica

Foto: Divulgação

JOAB RENOVA CANAL NO YOUTUBE “Ano intenso, de muito trabalho e progresso profissional”. É assim que o cantor Joab define 2017. Segundo ele, o ano foi de mudança positiva na carreira, marcado por recomeços, novas parcerias, muitos projetos e repertório renovado nos shows. “Tudo pensado para dar mais qualidade e visibilidade ao meu trabalho”, comentou o artista. Mesmo perante tanta dificuldade financeira que o país ainda enfrenta o cantor resolveu investir, remar contra a maré para dar mais informações ao público que o acompanha. “Investi em respeito aos meus fãs, hoje tenho mais conteúdo produzido para eles curtirem. A música leva alegria e muda pra melhor a vida das pessoas”, diz ele. Joab retomou recentemente o canal que possui no Youtube desde 2011. Toda quinta-feira posta um vídeo inédito e a aceitação tem sido além do esperado. “A retomada dos vídeos foi aprovada pelos fãs. Toda quinta-feira eles já ficam na expectativa para saber o que preparei”. Os vídeos são de músicas covers. “Gravo o que o público sertanejo gosta de ouvir”. O primeiro vídeo postado nesta nova fase foi com a música “Eu Era” do Marcos e Belutti e obteve mais de 3.200 visualizações. Os vídeos são acústicos. “Uso a voz e o violão. Mesmo sendo músicas de outros artistas mantenho meu estilo de cantar e inovo nos arranjos”. O Produtor Musical e Videomaker Thiago Tridapalli é o responsável pela produção e áudio dos vídeos. “A qualidade vocal do Joab impressiona e por isso não é necessário nenhum recurso de áudio para corrigir a voz na edição”. Joab tem 29 anos, 17 deles dedicados a música. Além dos vídeos no Youtube, o cantor mantém contato com os seguidores através do Facebook

MARKETING DE CONTEÚDO IMPULSIONE SUAS VENDAS!

e Instagran. Uma rotina que concilia com a atenção a família, os shows, entrevistas agendadas e também com o lançamento da música própria “To tentando” que em breve estará nas plataformas digitais. Canal do Joab no Youtube: Joab Oficial Facebook: Joab Fontes Instagran: Joab Oficial Contato para shows: 17 98139-3234

comunicação

widecomunicacao.com.br widecomunicacao.com.br 17 3353.0091 17 3353.0091 15 comunicação


AgroLeilão AgroInfo

Fotos: Divulgação

BATATA IRRIGADA É SINÔNIMO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE

F

rita, cozida, assada e até mesmo industrializada, para produção de fécula e chips, a batata é um dos alimentos mais consumidos do mundo. No Brasil, a batata é a principal hortaliça e tem uma produção anual de aproximadamente 3,5 milhões de toneladas em uma área de cerca de 130 mil hectares. Com raras exceções, seu cultivo no país é praticamente todo irrigado. A planta de batata tem raízes que se concentram na camada mais superficial do solo, o que faz com que seja uma cultura muito sensível à deficiência hídrica. Mesmo pequenos períodos de estiagem podem comprometer o sucesso da lavoura. Vale lembrar que plantas submetidas a condições de baixa disponibilidade de água são mais sensíveis a doenças e pragas, e em contrapartida, o excesso de água também pode ser muito prejudicial, já que reduz a aeração do solo, 16

dissolve nutrientes como o nitrogênio e o potássio, e dificulta a execução de algumas práticas operacionais, como as inspeções fitossanitárias e as pulverizações de agrotóxicos dos campos de produção. A adoção da irrigação no cultivo de batata, de acordo com a Embrapa, possibilita incrementos de produtividade de até 50%, além da obtenção de tubérculos mais graúdos e com melhor

aspecto físico. O grupo JCF - José Carlos Fernandes, em suas Fazendas Saltinho e Primavera em Itapeva-SP, é um dos grandes produtores de batata que contam com um manejo de irrigação eficiente garantindo, além de maior produtividade e menor risco de perda de produção, um produto final de extrema qualidade. São 5 mil sacos beneficiados diariamente na própria fazenda.


17


AgroVeterinário AgroVeterinário

Foto: Foto: Divulgação Lucas Neira

MANEJO REPRODUTIVO EM BOVINOSA ESTAÇÃO DE MONTA A importância da implantação de estação de monta para a reprodução em fazendas de cria

M

uito se houve falar a respeito do manejo reprodutivo em bovinos conhecido como “estação de monta”. Porém, muitas dúvidas ainda cercam os pecuaristas a respeito das verdadeiras vantagens desse manejo para a qualidade da desmama de bezerros, melhor aproveitamento das matrizes e concentração de mão de obra em determinada época do ano. A estação de monta consiste em concentrar, de forma controlada, a monta dos animais em uma determinada época do ano, seja de forma natural (touros cobrindo as vacas) ou de forma artificial (inseminação convencional ou IATF), para que os nascimentos aconteçam de forma generalizada em determinada época do ano em que as condições ambientais e climáticas sejam as mais favoráveis possíveis, tanto para as fêmeas, quanto para os produtos nascidos. A época mais propícia para o início da estação de monta, na média/nível Brasil, seria em meados de Outubro, no início das águas, onde os animais estão com ganho de peso positivo e melhor escore corporal, melhorando os índices reprodutivos, tendo uma duração mé-

18

dia de 90 dias de estação, sendo que após esse período é cessada a atividade de inseminação, ou são retirados os reprodutores do meio das fêmeas. Nesse modelo, teremos os nascimentos concentrados a partir do mês de Julho/ Agosto do ano seguinte, época com baixa incidência de chuvas, com menos fatores ambientais adversos agindo sobre os bezerros e menos parasitas nas pastagens, melhorando assim o desempenho do crescimento e reduzindo as taxas de mortalidade. As maiores vantagens da técnica são: evitar a sobrecarga dos touros reprodutores, já que estes passam a maior parte do ano descansando e sendo preparados para a próxima estação, para que assim possam dar o melhor de seu potencial na ocasião da monta; melhor aproveitamento do potencial materno das fêmeas, já que estarão em bom estado nutricional, favorecendo o aleitamento dos produtos e a maternidade de modo geral; maior ganho de peso dos bezerros ao desmame, já que durante a amamentação eles serão nutridos pelas fêmeas e ao serem desmamados já estarão na época das águas, com

pastagem de melhor qualidade, oque fará com que sintam menos o estresse do desmame; e por último e não menos importante, a concentração da mão-de-obra da propriedade, no sentido do cuidado com recém nascidos, em apenas um certo período do ano, deixando os funcionários livres o restante do ano para outras atividades. Lembrando que cada propriedade terá suas adaptações quanto à época de início da estação, qual técnica reprodutiva utilizar, entre outras. Porém, as vantagens da estação de monta se farão presentes em todos os casos. Consulte um veterinário de sua confiança para implantar este manejo e lucre com os resultados.

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com


19


20


21


AgroArtigo

Foto: Divulgação

TRIPANOSSOMÍASE BOVINA: A DOENÇA SILENCIOSA QUE ASSOMBRA PRODUTORES

A

ocorrência da tripanossomíase bovina tem aumentado no país, deixando muitos criadores de bovinos em alerta. Muitas vezes silenciosa esta doença causa inúmeros prejuízos econômicos, não só pelas mortes nos rebanhos, mas, principalmente, pela queda de produção dos animais afetados. No gado de leite essa doença é mais facilmente disseminada pelo uso contínuo de ocitocina (hormônio responsável pela descida do leite), através de seringas e agulhas contaminadas. Devido à aplicação deste fármaco via endovenosa, onde muitas vezes há resquícios de sangue nas agulhas utilizadas para a aplicação de todos os animais que estão em lactação, portanto, a disseminação é rápida e massal. Nos últimos três anos cresceu a disseminação da Tripanossomíase bovina na região de São José do Rio Preto/SP, devido à entrada de muitos animais contaminados vindos de regiões onde a doença já era mais intensa, como por exemplo, propriedades situadas no estado de Minas Gerais, onde a prevalência da doença era alta. A infecção natural por T. vivax em bovinos caracteriza-se principalmente por depressão, falta de coordenação motora, cegueira transitória, anorexia, febre, aumento 22

da frequência cardíaca e respiratória, perda de peso, abortamentos, infertilidade, anemia e alta parasitemia, e é causada por transmissão mecânica de insetos hematófagos como Tabanus spp. (mutucas) e Stomoxys spp. (mosca dos estábulos). Em bovinos, o diagnóstico da tripanossomíase por T. vivax é dificultado, uma vez que o parasito desencadeia sintomas pouco específicos, desencadeando a doença quando os animais são submetidos a qualquer tipo de estresse, como por exemplo: trocas bruscas de alimentação, viagens longas, estresse térmico, vacinações, animais imunodeprimidos, entre outras. Isso pode ser explicado pelo fato de que bovinos mantidos em bom estado sanitário e nutricional possuem capacidade de expressar resposta orgânica satisfatória frente à infecção por T. vivax. O diagnóstico é realizado pelo esfregaço sanguíneo de sangue periférico, técnica de Woo, Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), Ensaio de imunoabsorção enzimático (ELISA). O principal fármaco utilizado para o tratamento é o Cloreto de isometamidium, sendo também descritas na literatura outras drogas como o Diaceturato de diminazeno.

No Brasil, calcularam que o custo estimado da enfermidade causada pelo T. vivax em rebanhos bovinos é da ordem de US$ 14,65 por animal ou 4% do valor estimado do rebanho. Sem o tratamento, os custos se elevaram para 17% do valor total do rebanho. Foi estimado que no Pantanal, o gasto com tratamento pode chegar a US$ 37,80 por animal. De modo geral, os prejuízos devido à ocorrência de surto de T. vivax em sete rebanhos de bovinos de corte na região do Pantanal excederam um milhão de dólares. Por outro lado, em rebanhos leiteiros, a queda na produção pode chegar a 41,6%.

RICARDO PAULINO DE OLIVEIRA

Médico Veterinário Esp. Clínica, Cirurgia e Reprodução de Bovinos CRMV/SP nº 22.290


23


AgroLeilão AgroInfo

Fotos: Divulgação

FERTILIZANTE PROTEGIDO BENEFICIA CANA-DE-AÇÚCAR

A

nutrição das plantas deve estar presente numa boa receita de produtividade dos produtores de cana-de-açúcar. Dentro dessa nutrição, o manejo do fósforo merece atenção e é apontado como um dos mais promissores entre os macronutrientes para elevar os níveis produtivos da cultura. Uma das alternativas é utilizar os fertilizantes com fontes de fósforo protegidos (grânulos revestidos por aditivos especiais). Uma pesquisa realizada pela Kimberlit Agrociências, em conjunto com o Centro de Cana do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e departamento de Química da Unicamp (Universidade de Campinas) comprovou os benefícios e resultados positivos desse tipo de tecnologia no manejo da adubação. O experimento que foi conduzido sob condições de campo, demonstrou que

24

o Kimcoat, tecnologia e grânulo revestido e exclusivo da empresa, gerou 25% mais produtividade em comparação a área onde não foi aplicado o fertilizante protegido. O aumento na produtividade ocorreu principalmente porque as plantas conseguiram um maior aproveitamento de fósforo do fertilizante protegido, que atua na dinâmica de liberação e no fluxo difusivo do fósforo no solo. A pesquisa foi realizada em Olímpia, interior de SP e sede da empresa, e os dados são da colheita de outubro de 2016, avaliando o segundo corte. Conforme explica o pesquisador da Kimberlit, Juscelio Ramos de Souza foi possível observar que praticamente todo o fósforo fornecido pelo fertilizante com tecnologia Kimcoat foi absorvido por meio do contato com as raízes das plantas. “Essa tecnologia aliada ao ótimo manejo empregado na área de pesquisa agre-

gou benefícios para o solo e para a planta, e assim resultando em incremento de produtividade”, destaca Souza. MAIS BENEFÍCIOS O fósforo exerce função chave no metabolismo das plantas, particularmente na formação de proteínas, pois compõe a estrutura das moléculas de ATP e ADP. Além disso, atua na constituição de fosfolipídios e moléculas de DNA e RNA, ou seja, participa do processo de divisão celular, fotossíntese, armazenamento de energia, desdobramento de açúcares, respiração e formação de sacarose que é essencial para cana-de-açúcar. “São inúmeros os ganhos obtidos com a tecnologia Kimcoat, os resultados da pesquisa comprovam sua eficiência”, afirma o pesquisador da Kimberlit.


25


26


AgroSistema

Foto: Leandro Gasparetti

PRODUTOR RURAL E A OBRIGATORIEDADE DA NFE “SISTEMA PRATICKO É A SOLUÇÃO” Nos dias de hoje a informática indiscutivelmente se tornou uma ferramenta imprescindível na administração, gerenciamento e automação das empresas

N

os negócios do mundo rural não é diferente, hoje em dia existem no mercado soluções de software que podem ajudar nas mais diversas tarefas tanto para agricultores quanto pecuaristas. Segundo Ademir Rodrigues, analista de sistemas e desenvolvedor da Praticko Soluções, o produtor credenciado no Sistema Gerenciador de Crédito de Produtor Rural e de Cooperativa de Produtores Rurais (Sistema e-CredRural) é obrigado a emitir a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), em substituição à Nota Fiscal de Produtor, modelo 4, relativamente a todas as operações que efetuar. Com a descontinuidade do aplicativo emissor de NFe gratuito da Sefaz Nacional que não tem mais seu download disponibilizado nem atualizações referentes a alterações no layout da Nota Fiscal Eletrônica o contribuinte tem que encontrar alternativas no mercado.

Ademir Rodrigues da Silva, Gestor de TI

Visando atender esse mercado, a Praticko Soluções está lançando seu aplicativo gratuito, que será disponibilizado aos usuários como SAAS (Software as a Service, ou Software como Serviço), ou seja, o sistema é executado a partir dos servidores da Praticko utilizando um navegador de internet não sendo necessário a instalação local do aplicativo no computador do cliente. Através do aplicativo Praticko, o usuário poderá gerenciar seu cadastro de produtos e clientes, preenchimento e armazenamento dos dados das notas fiscais eletrônicas, sendo que essas informações poderão ser acessadas a partir de qualquer computador conectado a internet através do browser. Após o preenchimento da Nota Fiscal Eletrônica, o aplicativo gera automaticamente o arquivo XML e utiliza a ferramenta gratuita UNINFe para fazer a assinatura e envio do mesmo à SEFAZ. Após o envio do arquivo XML ele monitora as informações de retorno e gera o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica). Tudo isso é feito de forma fácil e prática em segundos. Para poder ter mais informações de como utilizar essa ferramenta simples, prática e gratuita, o produtor rural assim como as empresas devem entrar em contato com a Praticko Soluções através do site www.pratickosolucoes. com.br e efetuar seu cadastro. Após efetuar seu cadastro, o usuário receberá as instruções via e-mail para começar a utilizar o aplicativo.

27


AgroHumor

PROSAS & CAUSOS COM

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

www.tonhoprado.com.br

Numa livraria, o cliente pede ao balconista: — Por favor, queria comprar aquele livro... O “Como Ficar Milionário da Noite Para o Dia”, você tem?

FALTA DE RESPEITO

Um moço encontrou um homem porcalhão cuspindo no chão. O moço falou para ele: - Meu amigo, você não tem vergonha de ficar cuspindo no chão? Isso é falta de respeito. - Olhe, eu já tentei cuspir no teto mas caía no meu olho toda vez.

COISAS DA CHINA O aluno chinês confuso pergunta ao seu mestre: - Mestre Shi porque todos os chineses são tão parecidos? E o mestre respondeu: - Eu não sou o mestre Shi. 28

Como vocês já sabem, todas edições da Magazine AgroFest eu estou com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

LER É CULTURA RSRSRR

— Claro, só um minutinho que eu vou buscá-lo — responde o vendedor. Ele volta com dois livros e começa a embrulhá-los para o cliente:

— Moço, é... Desculpe, mas eu só pedi um livro! — argumenta o cliente. — Eu sei, o outro é o código penal. Vendemos sempre os dois juntos.

NOS TEMPOS DO FAROESTE No faroeste o cara chega no saloon com aquela pinta de durão e levantando a camisa mostrando as cicatrizes para o outro cara ele diz apontando a costela: — Essa foi em Mexico City! Todos admirando, então ele mostra outra no peito e dispara:

— New York City! E ele aponta uma nas costas: — Washington City! Então mandendo a pose de foda ele mostra uma do lado direito do abdômen: — Apendicite!

CORREIO

O meu amigo chega no correio e pergunta para a atendente: — Moça, se eu postar essa carta hoje, ela chega no Rio de Janeiro até o final do mês? — Com certeza. — Respondeu a moça.

— Pois eu creio que não. — Por que você acha isso? Nosso sistema é muito eficiente. — Retruca a moça. — Porque ela está endereçada para Curitiba.


AgroSafra

Fonte: IAC - Instituto Agronômico de Campinas

SAFRA MUNDIAL DE GRÃOS DEVERÁ ATINGIR 2,079 BI/TON NO CICLO 2017/18

Estimativa do IGC aponta crescimento no comércio e consumo, mas recuo nos estoques finais

E

m seu mais recente relatório de acompanhamento de safra, datado de novembro, o Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) prevê que a produção mundial de grãos (soja, milho, trigo e arroz) no ciclo 2017/18 deverá chegar a 2,079 bilhões de toneladas. Por sua vez, a produção da temporada 2016/17, que está se encerrando, deverá atingir 2,134 bi/ton. O conselho elevou a estimativa para o comércio global

de grãos no ciclo 2017/18 para 359 mi/ton, 6 mi/ton acima da projeção para a safra 2016/17. O consumo mundial também deverá crescer na temporada 2017/18 na comparação com a anterior, saltando de 2,091 bi/ton no ciclo 2016/17 para 2,107 bi/ton na próxima. Segundo o IGC, os estoques globais ao término do período 2017/18 deverão se situar em torno de 496 mi/ton, 27 mi/ton a menos do que o previsto para a safra 2016/17.

29


AgroHistorias

Foto: Divulgação

O contador de histórias DELLA MORENA

DELLAMORENA_OFICIAL DELLA MORENA site: www.dellamorena.com.br

O

O CORAÇÃO PERFEITO

rapaz estava no centro da cidade proclamando ter o coração mais belo da região. Foi cercado por uma multidão e todos admiravam seu coração. Realmente não havia marcas ou defeitos. Todos concordaram que aquele era o coração mais bonito que já haviam visto. O jovem ficou muito orgulhoso por possuir tão belo coração. De súbito, apareceu um velho diante da multidão e disse, serenamente: - Desculpem, mas o coração desse jovem não é tão bonito quanto o meu! O jovem e a multidão olharam para o coração do velho que, apesar de estar batendo com vigor, tinha muitas cicatrizes. Havia lugares em que pedaços haviam sido removidos e outros tinham sido colocados no lugar, mas estes não se encaixavam direito, causando muitas irregularidades. Até faltavam pedaços em alguns pontos! O jovem olhou para o coração do velho e disse: - O senhor deve estar brincando!... Compare nossos corações. O meu está intacto, perfeito, enquanto o seu é uma mistura grotesca de cicatrizes e buracos! - Sim, disse o velho. Olhando assim seu coração parece perfeito, mas eu jamais trocaria o meu pelo seu. Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para quem dei o meu amor. Tirei um pedaço do meu coração e dei a cada uma dessas pessoas.

30

Muitas delas deram-me, também, um pedaço de seus próprios corações, para que colocasse no meu, mas como não são exatamente iguais, há essas irregularidades. As estimo muito, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes dei pedaços do meu coração a pessoas que não retribuiram, daí os buracos que aparecem agora. Eles doem. Ficaram abertos, para lembrar do amor que senti por essas pessoas... Um dia espero que elas ainda retribuam, preenchendo esses vazios. E então, meu jovem? Você entende agora o que é a verdadeira beleza? O rapaz ficou mudo enquanto lágrimas escorriam pela sua face. Aproximou-se do velho, tirou um pedaço de seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho que retribuiu o gesto. O jovem olhou para seu próprio coração, não mais perfeito como antes, mas muito mais bonito. Então, os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a lado... Como deve ser terrivelmente triste passar a vida com o coração intacto!

Feliz Natal e um próspero Ano Novo a todos nossos leitores!


31


AgroCultura

O CONSÓRCIO DE SE P

romover o desenvolvimento rural sustentável por meio de ações participativas da comunidade e entidades parceiras é o objetivo dos técnicos especializados em Heveicultura da Secretaria do Estado da Agricultura e Abastecimento e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) de São José do Rio Preto. Há 3 anos eles acompanham duas propriedades rurais da região Noroeste do Estado onde projetos pilotos inseriram o cultivo consorciado da seringueira e o cacau. “O cultivo do Cacau é uma realidade nas regiões tradicionais como Bahia e Espírito Santo mas com adaptações necessárias o plantio está sendo muito viável por aqui graças as condições de solo e clima favoráveis para o desenvolvimento do fruto”, explica o Engenheiro Agrônomo da CATI Andrey Vetorelli Borges. Outras culturas anuais e semi perenes como milho, soja, mamão, banana e café também vem sendo introduzidas nas plantações de seringueiras. A grande importância sócio econômica da Heveicultura é caracterizada pela geração direta e indireta de empregos por unidade de área cultivada; fixação do trabalhador na zona rural e pela renda que ajuda a movimentar a economia dos pequenos municípios. O consórcio de seringais com outras culturas permite também o fortalecimento das atividades agrícolas de forma sustentável; diminui o risco econômico e permite melhor fluxo de caixa e aumentando a rentabilidade da área. O estado de São Paulo é o principal produtor de Borracha Natural do Brasil, com cerca de 110 mil hectares de florestas plantadas e responde por 57% da produção nacional. A região de São José do Rio Preto têm cerca de 33 mil hectares deste total distribuídas em em pequenas propriedades de até 20 hectares. Tanto a SAA quanto a CATI acreditam que a região noroeste paulista onde o cultivo de seringueiras é tradicional tem potencial para a implantação do consórcio com Cacau em definitivo, permitindo a médio prazo a inserção de uma área significativa à produção cacaueira do Brasil, além de possibilitar a melhoria da qualidade de vida da população envolvida. “Estamos acompanhando um projeto particular iniciado por um professor da Esalq que está com mais de 3 anos. Nessa área identificamos os melhores clones e formas de manejo para nossa realidade”, disse Andrey. Segundo o Engenheiro Agrônomo da CATI, pesquisadores da Ceplac Bahia, Esalq Piracicaba e Apta Pindorama estão trocando experiências e as opiniões são unânimes a respeito da viabilidade desse consórcio para o Noroeste Paulista.

32


Foto: Divulgação

ERINGUEIRA E CACAU

33


SocialWestern

Fotos: Leandro Gasparetti

BASTIDORES Os registros desta edição aconteceu durante a Apresentação da nova diretoria de Os Independentes, ocorrida no mês de outubro na cidade de Barretos, confraternização da sociedade dos engenheiros em Rio Preto, registros também em shows da região e social durante visita no Engenho Dom Tápparo.

www.LEANDROGASPARETTI.com.br 01 - Ademilson, Águeda, Giovanni e Bruno Tapparo 02 - Gilvan (Gilvan & Paulo Henrique) com os amigos Zé Neto & Cristiano 01

03 - Ricardo Rocha (Bodinho), com Emílio Carlos dos Santos, o Cacá de Barretos 04 - Ney Macedo com Sr. Klinger Ribeiro 05 - O casal Nivaldo Gomes Junior e Renata Barbara Gomes

06

02

03

07

04

05

06 - Cuiabano Lima com os Empresários artísticos Alexandre e Carlesse da Talismã 07 - Tião Procópio, Hussein Gemha, e Henrique Prata durante evento em Barretos 08 - A dupla Junior & Cristiano

08

09 - Benito Saes e Selma Faria 10 - Esnar Ribeiro com o Deputado Capitão Augusto 11 - O casal Juliana Darme Figueiredo de Oliveira e Marcelo Figueiredo 09

12 34

10

13

14

11

12 - Pedro Radade com o cantor Juliano Cezar 13 Igor Schiavinatto Pires com o ator Sandro Loroza 14 Jota Carvalho de Barretos e Pedro da Santa


35


AgroRodeio

ANDRE SILVA Photographer

Nesta temporada completei 11 anos fotografando a final mundial da PBR em Las Vegas, e escolhi a foto de Eduardo Aparecido como a melhor foto desta final. “Mude de angulo, mas nunca perca o foco� 36

WWW.PHOTOSILVA.COM


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negรณcios

37


AgroVeterinário AgroTecnologia

Foto: Divulgação Foto: Suzi Carneiro/ Embrapa

TECNOLOGIA CONTRA A FOME NO BRASIL

U

m produto desenvolvido pelo Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa Monitoramento por Satélite possibilita mapear, realizar análises territoriais e avaliar os programas sociais no País. Trata-se de uma plataforma virtual estratégica capaz de auxiliar a tomada de decisão de gestores públicos. A tecnologia foi lançada em novembro, em Brasília (DF) e está disponível ao público no site da Embrapa. Os usuários podem fazer o cruzamento entre um ou mais programas e filtrar os dados de acordo com qualquer uma das variáveis inseridas na análise. Os resultados das consultas são apresentados na forma de mapas ou em formatos para uso em softwares de geoprocessamento ou planilhas. A elaboração do GeoWeb é um apoio às políticas públicas, capaz de fornecer uma visão espacial de todos os municípios em insegurança alimentar e nutricional e do atendimento das famílias, em nível municipal, por cada um dos seus programas sociais. Na camada “Mapeamento da Insegurança Alimentar”, por sua vez, o usuário poderá obter detalhes como a quantidade de pessoas e famílias

38

em insegurança alimentar e nutricional, quantas dessas famílias estão no meio rural e urbano, o déficit de peso e altura das crianças com idade de zero a cinco anos acompanhadas pelo Programa Bolsa Família, percentual de famílias com renda até R$ 154,00, percentual de pessoas sem acesso à água e esgoto etc.

Na plataforma, foram consolidados também todos os produtos comercializados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). As informações mostram quais produtos da agropecuária são mais persistentes entre as famílias atendidas, servindo também como estratégicas para ações de transferência de tecnologias.


39


40

Revista Magazine AgroFest - 22ª edição  
Revista Magazine AgroFest - 22ª edição  

Magazine AgroFest, Edição Nº 22 - Dezembro 2017 | Janeiro 2018. Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 34 cidades da Região. www.ma...

Advertisement