Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano III - Edição 19 - Junho/Julho 2017

Funrural

O retorno da contribuição

Agro Novidades

Confira os destaques no setor do agronegócio

Agrishow 2017

Página 14

Páginas 20 e 21

Páginas 24 e 25 1

A rota oficial do Agronegócio


2


3


08 INFORMAÇÃO Nova espécie de doença está causando grandes perdas em plantações de bananas 10 ECONOMIA Sistemas integrados de produção e economia em propriedades rurais

06 PECUÁRIA Purunã, a mais nova raça bovina 100% Paranaense

16 CULTURA O cultivo do Urucum 19 SISTEMA Lançado pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, aplicativo ajuda a denunciar crimes ambientais 20 TECNOLOGIA Novas regras para uso de drones também servem para o agronegócio 28 TURISMO Nova atração turística em Barretos

12 e 13 SAFRA Safra citrícola 2017/2018 deve ser 14% superior à média

30 VETERINÁRIO Anemia infecciosa equina, o mormo equino e seus impactos na saúde públic, por Paulo Belarmino

17 CRÉDITO Recuperação do Crédito de ICMS, uma verdadeira “moeda de troca”

33 PESQUISA Censo Agropecuário 2017 começa em outubro 36 EVENTO Simpósio discute o mercado de carbono na região de Rio Preto 45 RODEIO 49ª Festa do Peão de Bálsamo 2017

34 RODEIO Festa do Peão de Barretos terá mais de 100 shows musicais e muito show de montarias

R

Av. Alberto Andalo, 2641 / Sala 02 – Centro Cep: 15015-000 - São José do Rio Preto/SP Contatos Redação e Publicidade: (17) 3022-2527 / 98152-5400

Foto Capa: Divulgação Valtra Ano III - Edição 19 Junho/Julho 2017

Distribuição em 35 cidades Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, São Pulo e Minas Gerais: Fronteira

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP Jornalista Assessore Comunicação Sabrina Braga Fotografia Leandro Gasparetti

Diretor Geral Leandro Gasparetti contatoagrofest@gmail.com

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

Diretor Comercial José Eduardo Costa comercialagrofest@gmail.com

AGROFEST - Uma revista inovadora, informativa e de alto nível. Que foca em temas como a Suinocultura, Avicultura, Pecuária, Piscicultura, Agropecuária, Eventos, Feiras, Exposições e Rodeios, com o intuito de aproximar empresas, técnicos, produtores, parceiros, clientes entre outros.

*Jesus, eu confio em vós!

*Reproduções totais ou parciais das matérias e fotos, aqui publicadas, só serão permitidas por meio de autorização expressa dos editores. As informações prestadas nas páginas de publicidade, são de inteira responsabilidade dos clientes. Artigos assinados por colaboradores não expressam a opinião da Revista.

4

Colaboradores IAPAR – Paraná, Ministério da Pecuária e Agricultura, Embrapa, Fundecitrus, Sindicato Rural de Rio Preto, Ministério do Meio Ambiente de São Paulo, Paulo Belarmino, Tonho Prado, Della Morena

Projeto Gráfico | Diagramação Rede A Comunicação - 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto - 17 3016-4000 Contabilidade RBB Assessoria e Consultoria Contábil CRC SP - 319624/O-1


5


AgroPecuária

Foto: IAPAR – Instituto Agronômico do Paraná

RAÇA BOVINA 100% PARANAENSE O

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reconheceu oficialmente a primeira raça bovina totalmente paranaense. É a Purunã, desenvolvida pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), órgão estadual de pesquisa agropecuária. O superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná, Alexandre Orio Bastos, entregou ao governador a portaria que reconhece a raça e dá autonomia aos criadores para expansão do rebanho no País. A Associação de Criadores de Gado Purunã (ACP) recebeu credenciamento para fazer o controle

6

genealógico da nova raça. Richa destacou a excelência do trabalho realizado pelo Iapar e prestou homenagens a equipe responsável pelo desenvolvimento da raça bovina. “A certificação e o reconhecimento oficial consagram o Iapar. Recebemos o instituto em uma situação crítica. Hoje é um dos orgulhos do Estado”, disse Richa na solenidade que teve a exposição de animais e degustação de carne. O nome da nova raça se refere à Serra do Purunã, onde fica a Fazenda Modelo do Iapar, local onde todo o trabalho foi desenvolvido. “A partir de agora, o criador que decidir pelo Purunã terá a certeza de contar com um material de origem pura”, garantiu o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. A Purunã é resultado de mais de 30 anos de trabalho, que começou com o experimento genético. As duas últimas décadas foram para consolidação e disseminação da nova raça. “É uma raça adaptada para qualquer tipo de criador. Mesmo os que não possuem grande aporte tecnológico podem obter bons resultados”, o presidente do Iapar, Florindo Dalberto.

A partir de agora a Associação de Criadores de Gado Purunã irá gerir a raça. Segundo o presidente da entidade, Piotre Laginski, com a entrega do registro oficial aumenta a perspectiva de parcerias para disponibilizar a genética no mercado. Hoje, existem embriões e sêmen em laboratórios, prontos para serem comercializados. A perspectiva é que em quatro anos pelo menos 10 mil matrizes de gado Purunã já estejam registradas. Atualmente, existem exemplares em Patos de Minas (MG) e em São Paulo.


7


AgroInfo

Fonte: Ministério da Agricultura

PLANTAÇÃO DE BANANAS ESTÃO AMEAÇADAS M

Nova espécie de doença está causando grandes perdas

al-do-Panamá é o nome popular de doença causada pelo fungo de solo Fusarium oxysporum fsp cubense (Foc), nova raça de fungos (raça 4 tropical), que está causando grandes perdas no sul da Ásia, Oriente Médio e Moçambique e é considerada a maior ameaça para a cultura da banana no mundo. O Brasil é livre da raça 4 tropical que atinge as variedades prata, maçã, nanica e nanicão. No continente americano, a raça ainda não foi encontrada e a sua introdução poderia trazer sérios problemas para a produção de bananas, alimento básico e considerado chave para a segurança alimentar. Diante da propagação dessa raça de fungo e o que representaria para a cultura de banana no Brasil, o Ministé8

rio da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do Departamento de Sanidade Vegetal (DSV), juntamente com pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura estão desenvolvendo o Plano Nacional de Contingência, que prevê a adoção de medidas capazes de evitar a sua introdução no território nacional. Segundo o diretor substituto do departamento, Marco Antônio Alencar, “como até o momento não existem variedades resistentes à praga, a melhor medida de controle é a exclusão, ou seja, evitar que o fungo seja introduzido no território”. Com esse objetivo, será realizada ampla campanha de informação, direcionada aos produtores e ao público em geral, visando alertar viajantes

que se dirigirem àqueles países com ocorrência da raça 4 tropical, que evitem trazer material vegetal e adotem medidas de mitigação de risco, como a realização da limpeza dos vestuários ou de qualquer outro material, a fim de evitar contaminação. “É preciso impedir a introdução, no país, de mudas de bananeiras sem garantias fitossanitárias adequadas, porque mesmo mudas assintomáticas podem estar contaminadas pelo fungo. Caso a raça 4 tropical seja detectada no país, medidas de erradicação de plantas, interdição de propriedades, restrições ao comércio de vegetais, a partir das áreas com a ocorrência do fungo, deverão ser adotadas, objetivando evitar a disseminação para novas áreas”, explicou Alencar.


9


AgroInfo

Foto: Divulgação - Fonte: Embrapa

SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO O

s sistemas de integração envolvem a produção de grãos, fibras, madeira, energia, leite ou carne na mesma área, em plantios em rotação, consorciação e/ou sucessão. O sistema funciona basicamente com o plantio, durante o verão, de culturas agrícolas anuais (arroz, feijão, milho, soja ou sorgo) e de árvores, associado a espécies forrageiras (braquiária ou panicum). Há várias possibilidades de combinação entre os componentes agrícola, pecuário e florestal, considerando espaço e tempo disponível, resultando em diferentes sistemas integrados, como lavoura-pecuária-floresta (ILPF), lavoura-pecuária (ILP), silvipastoril (SSP) ou agroflorestais (SAF). Esta solução tecnológica foi desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições.

Quem ganha com isso?

O produtor é beneficiado pelo uso mais eficiente dos seus recursos, como terra, mão de obra e insumos. Beneficia-se também com a melhoria da qualidade do solo e da água, a possibilidade de redução de uso de agrotóxicos, a melhoria do ambiente produtivo de 10

uma forma geral, além da redução da vulnerabilidade aos riscos climáticos. Os principais benefícios econômicos para os produtores são: aumento da renda com a diversificação das atividades, redução dos riscos de mercado, redução de custos no médio e longo prazo, melhoria na qualidade de vida do produtor e de sua família, entre outros.

Benefícios econômicos e sociais

Os benefícios econômicos são: maior produtividade das culturas anuais, da pecuária de corte ou de leite e produtos extraídos do componente

florestal, redução dos custos de produção com a estabilização do sistema, maior estabilidade de renda em razão da diversificação das atividades e redução da vulnerabilidade aos riscos climáticos e às oscilações de mercado. Os benefícios sociais compreendem: geração de empregos diretos e indiretos, aumento e distribuição melhor da renda, aplicação dos sistemas integrados em qualquer tamanho de propriedade, aumento da competitividade do agronegócio brasileiro e contribuição para a segurança alimentar do País.


11


AgroSafra

SAFRA CITRÍCOLA 201 DEVE SER 14% SUPER

A

previsão da safra 2017/2018 da citricultura do Estado de São Paulo é de 364 milhões de caixas de 40,8 quilos de laranjas de um total de 174 milhões de árvores, média 14% superior aos últimos 10 anos, informou o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), em evento realizado em Araraquara em maio. O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, que participou do evento, avaliou o resultado como positivo para a produção paulista, que detém o maior parque citrícola do mundo. De acordo com o secretário, o levantamento do Fundecitrus é importante para “uniformizar informações, evitar manipulação de mercado e dar ao pro-

12

dutor um cenário para que ele possa, com clareza e discernimento, decidir o melhor momento de negociar sua safra”. Para o presidente do Fundecitrus, Lourival Carmo Mônaco, os números apresentados na terceira edição do estudo dão credibilidade ao setor, uma vez que as estimativas apresentadas anteriormente aproximaram-se muito da real produção citrícola paulista. “A estimativa de safra permite dimensionar o parque citrícola, estimando com precisão e abrangência. É o resultado de um esforço significativo dos produtores para se defender e proteger das variações e oscilações do mercado”, afirmou. Neste ano, o levantamento foi feito

com a categorização das plantas adultas em quatro faixas etárias, garantindo maior precisão da estimativa, e com um novo sistema de pagamentos para o ressarcimento da derriça das árvores aos produtores. Conforme ressaltou o gerente-geral do Fundecitrus, Antonio Juliano Ayres, o trabalho é feito arduamente em uma área de mais de 500 mil quilômetros no curto período de três meses. “Neste ano tivermos adesão de praticamente 100% dos citricultores, que abriram as portas para o Fundecitrus. Também tivemos o apoio da Secretaria, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), na quantificação do que foi plantado anteriormente”, explicou Ayres.


Foto: Divulgação

17/2018 RIOR À MÉDIA O levantamento mostra que da safra estimada, 68,49 milhões de caixas são das variedades Hamlin, Westin e Rubi; 17,42 milhões das variedades Valência Americana, Valência Argentina, Seleta e Pineapple; 114,52 milhões da variedade Pera Rio; 123,04 milhões das variedades Valência e Valência Folha Murcha e 41 milhões da variedade Natal. As condições climáticas observadas nesse período também colaboraram para o aumento da produtividade, afirmou o especialista. Em julho, os estresses hídrico e termal provocados pelas noites frias (média de 12 ºC no cinturão citrícola) seguidas por dias quentes e secos (média de 27,3 ºC) favoreceram a indução floral com

a chegada das primeiras chuvas em agosto de 2016, exceção feita às regiões do Triângulo Mineiro, Altinópolis e Matão, que tiveram o início das chuvas regulares em outubro.

Diante desses fatos, o número médio de frutos apurado nesta safra é de 753 laranjas por árvore, podendo variar em 1,9% para mais ou para menos.

13


AgroInfo

Fotos: Divulgação | Leandro Gasparetti

A VOLTA DO FUNRURAL O

FUNRURAL, Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural foi julgado constitucional pelo STF, Supremo Tribunal Federal. A decisão aconteceu no último dia 30 de março e torna válida a cobrança de 2,1% sobre a comercialização do produtor pessoa física. A cobrança é tanto para o produtor que vende para pessoa física quanto para o que vende para pessoa jurídica. O tributo é lei federal desde 1.992 mas estava suspenso desde 2010, quando o Frigorífico Mataboi, do MS, entrou com uma liminar na justiça considerando inconstitucional a obrigatoriedade de criadores de gado, pessoas físicas, terem que recolher o imposto sobre o gado vendido para abate. De lá pra cá, através dessa liminar, a maioria dos produtores rurais do Brasil sejam eles de gado ou não deixaram de pagar o imposto aguardando uma decisão definitiva sobre o assunto. A volta do FUNRURAL já está causando dúvidas entre os agricultores e pecuaristas. Quem não recolheu o tributo desde 2010 terá que pagar os valores atrasados. “A liminar paralisou momentanea-

14

mente o recolhimento do FUNRURAL, ou seja, a cobrança ficou suspensa, mas não significa que deixou de existir”, explica o Presidente do Sindicato Rural de Rio Preto, Sérgio Expressão. Reuniões serão convocadas no Sindicato Rural de Rio Preto para debater o assunto. O imposto terá que ser pago através da GPS, Guia da Previdência Social. A FAESP, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo, o CNA, Conselho Nacional de Agricultura e Sindicatos Rurais estão tentando junto ao Governo Federal buscar alternativas para amenizar a forma de qui-

“A liminar paralisou momentaneamente o recolhimento do FUNRURAL, ou seja, a cobrança ficou suspensa, mas não significa que deixou de existir” Sérgio Expressão, presidente do Sindicato Rural de Rio Preto

tação dos débitos com o Funrural. As propostas ainda não aprovadas são: •à vista, com redução de 90% do valor principal e redução de 100% da multa ; •a prazo, em 120 meses ou 180 meses, em prestações mensais ou anuais, com redução de 80% do valor principal e redução de 90% da multa.


15


AgroLeilão AgroCultura

O

urucueiro é uma planta arbustiva, designada botanicamente de Bixa orellana L., que pertence à família Bixaceae. É uma planta ereta e que, normalmente, atinge alturas entre 3,5 a 4,0 m, porém, dependendo do manejo adotado, da idade da planta e das condições de clima e solo em que é cultivada, pode-se encontrar plantas de urucueiro de até 10 m de altura. Todas estas características dependerão também do tipo de cultivar escolhido para ser produzido. No Brasil, as cultivares de urucum que são mais indicadas para os cultivos comerciais são: Bico-de-Pato, Peruana Paulista, Piave

Foto: Divulgação

O CULTIVO DE URUCUM Vermelha e a Peruana Pará. Todas estas cultivares apresentam, basicamente, as mesmas exigências quanto à lâmina de água requerida, ou seja, em torno de 1.200 a 2.000 mm, bem distribuídos durante o ano. Elas necessitam também de solos profundos, com um bom sistema de drenagem natural e, de preferência, onde a fertilidade seja de média a alta. Já no primeiro ano de idade, haverá uma pequena produção de urucum, mas é a partir do segundo ano, que se inicia a produção considerada de interesse comercial. Aos quatros anos de idade, as cultivares de urucum já pode-

Fases do Urucum 16

rão ser consideradas adultas, pois, a partir desse momento, o máximo potencial produtivo será alcançado. Quanto à produtividade, ao teor de bixina, à altitude e à resistência ao Oídio, que é a doença mais preocupante do urucueiro, as cultivares são subdivididas em dois grupos. O primeiro grupo engloba as cultivares Bico-de-Pato e Peruana Paulista e o segundo, as cultivares Piave Vermelha e Peruana Pará. Na região de São José do Rio Preto/ SP, alguns agricultores estão se adaptando com a planta, e agregando maior valor ao seu ganho dentro da propriedade.


AgroCrédito

Foto: Divulgação

RECUPERAÇÃO DO CRÉDITO DE ICMS Uma verdadeira “moeda de troca”

C

P

rodutores rurais de todo o Estado contam desde 1991 com um benefício motivador para o crescimento do setor agrícola, trata-se do Crédito de ICMS Rural. Esta vantagem é muito importante principalmente neste momento de reestruturação econômica, onde o produtor rural pode utilizar o crédito de ICMS para adquirir máquinas, equipamentos e insumos, sem utilizar o capital de giro. Para ter acesso ao crédito do ICMS o agricultor precisa credenciar a propriedade rural junto ao e-CredRural, um sistema gerenciador de crédito de produtor rural da Secretaria da Fazenda do Estado. O benefício fiscal funciona como uma verdadeira “moeda de troca”. Há mais de 7 anos, o produtor rural, João Goulart da Silva Lima utiliza o crédito de ICMS. Ele é sócio proprietário do viveiro de mudas Vivati, na cidade de Zacarias e considera de extrema importância a recuperação e a transferência dos créditos para as atividades agrícolas. “O crédito do ICMS rural além de um benefício é também o método para que o produtor rural se fiscalize na compra e emissão de NFe. No meu ponto de vista, a classe produtora

M

rural em seus diversos segmentos é economicamente privilegiada com o recurso. Através do crédito do ICMS tive acesso a equipamentos importantíssimos que precisava. Comprei um trator, um aplicador de calcário com GPS, uma roçadeira e insumos. Se não tivesse o benefício do crédito do ICMS, teria que fazer um financiamento bancário e com essa prerrogativa não tive que colocar a mão no bolso. O único custo foi o levantamento do crédito do ICMS Rural, através do escritório especializado Palin & Martins de São José do Rio Preto. Há alguns produtores rurais que possuem algumas barreiras no sentido de não se apropriar do benefício concedido pelo Governo do Estado, pela falta de informações corretas”, afirma João Goulart da Silva. No período de 2.010 a 2017 o produtor rural já utilizou um montante significativo que proporcionou a aquisição de várias máquinas e insumos para sua produção. De acordo com Altair Heitor, sócio proprietário da Empresa Palin & Martins Organização Tributária, especializada em crédito de ICMS, em 2016, a empresa negociou mais de R$ 8 milhões em crédito de ICMS, o que comprova o quanto é vantajoso o serviço. Y

CM

MY

CY

CMY

K

17


18


AgroAmbiente

Foto: Divulgação

APLICATIVO AJUDA A DENUNCIAR CRIMES AMBIENTAIS Lançado pela Secretaria do Meio Ambiente, aplicativo já recebeu várias denúncias

U

m novo serviço para smartphones já está disponível para a fiscalização da Secretaria do Meio Ambiente. O aplicativo “Denúncia Ambiente” permite ao usuário tirar fotos, gravar vídeos e áudios, para realizar denúncias ambientais, como desmatamentos, queimadas, tráfico de animais silvestres, poluição do ar, emergências químicas e produção, soltura ou venda de balões. Além disso, tem sido utilizado para evitar problemas como o dos lixões.

Desenvolvido pela Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo), o Denúncia Ambiente teve seu funcionamento iniciado em maio e já recebeu quase 200 denúncias. Baixado por mais de 1000 pessoas, somente nos últimos meses, a Secretaria e a Companhia Ambiental de São Paulo (Cetesb) interditaram 16 deles lixões. Disponível para Android e iOS, o usuário pode optar por fazer a denúncia de maneira anônima, sendo obrigatório

anexar no mínimo uma evidência do que está sendo denunciado. O secretário do Meio Ambiente Ricardo Salles, explica que o aplicativo tem auxiliado na preservação ambiental. “A interdição dos lixões representa um avanço no ponto de vista da preservação do meio ambiente. Para ser ainda mais eficiente, a população precisa ajudar. O aplicativo foi feito pensando nisso, pois ele é acessível, muito intuitivo e dá mais agilidade ao processo”.

19


AgroTecnologia

Foto: Divulgação

NOVAS REGRAS PARA USO DE DRONES A

Diretoria Colegiada da ANAC aprovou, no dia 02 de maio, o regulamento especial para utilização de aeronaves não tripuladas, popularmente chamadas de drones. A norma (Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial – RBAC –E nº 94). O objetivo é tornar viáveis as operações desses equipamentos, preservando-se a segurança das pessoas. A instituição das regras também contribuirá para promover o desenvolvimento sustentável e seguro para o setor. O normativo foi elaborado levando-se em conta o nível de complexidade e de risco envolvido nas operações e nos tipos de equipamentos. Alguns limites estabelecidos no novo regulamento seguem definições de outras autoridades de aviação civil como Federal Aviation Administration (FAA), Civil Aviation Safety Authority (CASA) e European Aviation Safety Agency (EASA), reguladores dos Estados Unidos, Austrália e da União Europeia, respectivamente. A partir de agora, as operações de aeronaves não tripuladas (de uso recreativo, corporativo, comercial ou experimental) devem seguir as novas regras da ANAC, que são complemen20

tares aos normativos de outros órgãos públicos como o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). O regulamento sobre aeronaves não tripuladas foi amplamente discutido com a sociedade, associações e empresas interessadas, bem como com outros órgãos públicos. Foram realizados dois workshops e técnicos da Agência participaram de diversos eventos.

Licença, Habilitação e Certificado Médico Aeronáutico

Os voos acima de 400 pés exigem licenças e habilitações nos casos das aeronaves não tripuladas das classes 1, 2 ou 3. Os pilotos das classes 1 e 2 precisam possuir o Certificado Médico Aeronáutico (CMA) emitido pela Anac ou o CMA de terceira classe do Departamento de Controle do Espaço Aéreo.

Documentos Obrigatórios

Manual de voo, documento de avaliação e risco e apólice de seguro são obrigatórios para pilotar aeronaves não tripuladas (aeromodelos e RPA) com peso máximo de decolagem supe-

rior a 250 kg.

Fiscalização

Os órgãos de segurança pública são responsáveis por fiscalizar casos de infração ou crime que ocorrem nas operações com drones. A Anac fará a fiscalização por meio do programa de vigilância continuada e as denúncia recebidas serão apuradas administrativamente. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo e a Agência Nacional de Telecomunicações também participam da fiscalização.

Penalidades

O Código Brasileiro de Aeronáutica prevê sanções para aqueles que descumprirem o regulamento. Caso seja identificada alguma infração, a ANAC pode suspender temporariamente as operações. Além disso, o Código Penal também prevê pena de reclusão para quem colocar em perigo embarcação e aeronave própria ou de terceiros. Para aqueles que dirigem sem estar devidamente licenciados, a pena é de prisão simples e pagamento de multa. Saiba mais no site: www.anac.gov.br


21


AgroDestaque

Foto: Divulgação

25ª FENASUCRO & AGROCANA

Acontece no mês de agosto, entre os dias 22 e 25, a Fenasucro & Agrocana, maior evento mundial do setor sucroenergético, na cidade de Sertãozinho/SP. O evento reunirá toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, apresentando as principais soluções e inovações tecnológicas do mercado. Além de importantes marcas, está confirmada uma intensa programação com palestras, workshops, debates, encontros e seminários com o objetivo de fomentar o aperfeiçoamento técnico e profissional do setor canavieiro. Mais informações acesse: www.fenasucro.com.br

TRANSPLANTADEIRA MULTIUSO BUDNY Outra novidade do mercado é a Transplantadeira Multiuso para mudas de base cônicas ou piramidais de tabaco, tomates, couve, abobrinhas, brócolis e outras com características similares com altura adequada entre 12 e 30 cm. Regulagens em campo simples e rápidas para variar a profundidade de trabalho, bem como as medidas do transplante de mudas. É modulável de série de 1 a 6 filas com os elementos independentes entre si (outras configurações mediante solicitação). Utiliza materiais que reduzem os atritos tornando a transmissão mais fluída para transplantes de mudas mais precisos e maior nível de silêncio operacional. O agricultor pode encontrar na revenda Beniagro Budny na cidade de Nova Granada/SP.

FIDO LANÇA CARRETA DE MADEIRA REBAIXADA

A FIDO lançou no mercado o novo modelo de carreta de madeira rebaixada com Chassis Feixe de Molas 6000kg, destinado para o transporte agrícola de modo geral, seja produtos a granel ou embalados, mas sempre respeitando o limite de carga para até seis toneladas. Confira toda linha agrícola e demais produtos no site: www.fido.com.br

COOPERCITRUS AGORA É NEW HOLLAND

A Coopercitrus, uma das maiores cooperativas do Brasil no fornecimento de insumos, máquinas e implementos agrícolas, desde 2015 passou a ser uma das concessionárias New Holland e oferece em suas filiais em Andradina, Ribeirão Preto, Catanduva, Jales, Olímpia e São José do Rio Preto, SP, as mais tecnológicas e modernas marcas, entre elas, o lançamento que aconteceu na Agrishow 2017 de um novo conceito de colheitadeira de alto desempenho. A linha CR EVO é uma evolução dos atuais modelos, com aumento de potência e tecnologia, fortalecendo o trabalho do agricultor brasileiro, que está prestes a colher a maior safra de grãos da história, com quase 220 milhões de toneladas. 22


SÉRIE MF MASSEY FERGUSON

A Massey Ferguson apresentou também ao mercado quatro novas séries de tratores. Os lançamentos, MF 6700 Cabinado, MF 7200, MF 7700 Dyna-6 e MF 8700 Dyna-VT que integram a estratégia da marca de oferecer pioneirismo e modernidade. Ambos equipados com motor eletrônico AGCO Power, que atende à nova legislação ambiental MAR-1 de redução de emissão de gases, apresentando alta performance. A proposta é de aumentar o desempenho e a produtividade no campo, além de proporcionar economia de combustível ao produtor agrícola. O produtor pode encontrar em uma das revendas AgroLider nas regiões, de Votuporanga/SP, São José do Rio Preto/SP e Bebedouro/SP. MF 7700 Dyna-6 - Robustez e Alto Desempenho

LINHA BH GERAÇÃO 4 VALTRA

Outra novidade durante a Agrishow 2017, foi o lançamento da nova linha BH Geração 4, da Valtra, dedicados ao trabalho pesado. A linha é equipada com motores eletrônicos com sistema iEGR e traz seis opções ao produtor rural, com diferentes potências de motorização, sendo eles: BH144 (145cv), BH154 (159cv), BH174 (179 cv), BH194 (195cv), BH214 (210 cv) e BH224 (220cv). O BH224 é o maior trator com transmissão mecânica do segmento, com 220cv, atendendo todas as culturas, e vem com um novo design para sua carenagem, acompanhando o design global. O produtor pode encontrar em uma das revendas do Mercadão, nas regiões de Presidente Prudente/SP, Araçatuba/SP, Ourinhos/SP, Fernandópolis/SP, Assis/SP e São José Rio Preto/SP.

23


AGRISHOW AgroFeiras

A

agenda da maioria dos produtores rurais e empresários ligados a agricultura e pecuária do Brasil e do mundo ficou ocupada nos 5 primeiros dias do mês de maio. A rotina com as tarefas diárias do campo foi substituída e deu lugar ao conhecimento, bem estar e novidades em mais uma edição da Agrishow, a maior e mais importante feira de agronegócios da América Latina, que aconteceu na cidade de Ribeirão Preto. Segundo os organizadores, este ano a feira obteve um crescimento 13% maior na realização de negócios se comparado com o ano passado. Ao todo foram vendidos cerca de r$ 2.203 bilhões em equipamentos agrícolas. Os segmentos que mais venderam máquinas foram o de irrigação, grãos, armazenagem e pecuária. A Agrishow reuniu fabricantes,

24

importadores, distribuidores e representantes de equipamentos e implementos do Brasil, Argélia, Chile, Colômbia, Egito, Etiópia, EUA, Nicarágua, Nigéria e Peru. Durante 3 dias, a Agrishow também promoveu a Rodada Internacional de Negócios onde 12 compradores estrangeiros reuniram-se com 38 empresas brasileiras, em uma ação de promoção comercial que resultou em US$ 17 milhões, entre negócios fechados e futuros para os próximos 12 meses. Os números de visitantes este ano também foi maior que no ano passado. Passaram pelo evento cerca de 159 mil pessoas contra 152 mil em 2016. Os expositores disseram que a qualificação do público também mudou nessa edição. A maioria das pessoas eram compradores e produtores rurais de pequeno, médio e grande portes do Brasil e exterior.

Para o presidente da Agrishow e também da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo – Serviço Nacional de Aprendizagem


2017

Fotos: Leandro Gasparetti

Rural (FAESP-SENAR/SP), Fábio Meirelles, a prioridade este ano foi propiciar o acesso dos pequenos e médios produtores e trabalhadores rurais ao conhecimento sobre as novas tecnologias do mundo do agronegócio. De acordo como Fábio Meirelles, mesmo com a economia brasileira enfrentando desaceleração, a agricultura é a principal mantenedora para o crescimento do país. Segundo ele, o agronegócio coopera para atenuar os efeitos de uma aceleração na inflação oferecendo alimentos a preços competitivos e maior exportação, portanto, o sucesso da Agrishow é sempre incentivador.

potências: T 195, T 210, T 230 e T 250. Segundo Alfredo Jobke, diretor de marketing da empresa, todos os modelos possuem câmbio automático,

Tratores mais inteligentes

Os tratores deram um show à parte em tecnologia avançada na Agrishow 2017. Um dos lançamentos foi o T CVT, da Valtra. O trator de linha pesada foi apresentado em 4 diferentes 25


AgroFeiras são de fácil operação e livres de falhas operacionais.

Fotos: Leandro Gasparetti

Rio Preto e Região em peso na Agrishow O Sindicato Rural de São José do Rio Preto esteve presente em dois dos cinco dias da Agrishow 2017. Dois ônibus foram disponibilizados aos associados das cidades de Rio Preto, Bady Bassitt, Nova Aliança, Ipiguá e Guapiaçu. Para o presidente do Sindicato Rural, Sérgio Expressão, a Agrishow representa inovação tecnológica para o agronegócio. “É na Agrishow que os agropecuaristas tomam conhecimento de todas as vantagens e descon-

tos para aquisição de equipamentos, por este motivo, fazemos questão de levar o associado ao evento para assim ajuda-lo a fechar bons negócios”, destacou Expressão. Uma das paradas da caravana do Sindicato Rural de Rio Preto foi no espaço da FAESP-SENAR/SP onde participou de confraternização com os mais de 18 mil produtores rurais, de 173 regiões do estado que também compareceram a Agrishow a convite do então presidente Fábio Meirelles.

Osmair Guareschi, um dos proprietários do Mercadão dos Tratores e revendedor Valtra, informou que as vendas de tratores na Agrishow deste ano foram 50% maior do que no ano passado. Ele destacou ainda a venda de implementos para grãos como o segundo maior item comercializado durante a feira.

Fábio Meirelles, Presidente da FAESP e Sérgio Expressão, Presidente do Sindicato Rural de São José do Rio Preto/SP

O diretor comercial da Valtra, Paulo Beraldi disse em coletiva de imprensa que a empresa vendeu no primeiro trimestre deste ano, 20% a mais de tratores que no mesmo período de 2016. A região Sudeste foi a principal compradora por concentrar grandes plantações de cana de açúcar, café e citros, culturas que demandam manejo mecanizado. 26


QUEM TRABALHA COM JEEP RENEGADE JA´ COLHE OS FRUTOS NA HORA DA COMPRA

JEEP.COM.BR

Jeep é marca registrada da FCA US LLC.

Pedestre, use sua faixa.

CAC 0800 7037 150 facebook.com/jeepdobrasil

VOCÊ QUE É PRODUTOR RURAL TEM ISENÇÃO FISCAL NA COMPRA DE QUALQUER MODELO DO JEEP RENEGADE.

MOTOR 1.8L EVO FLEX E CÂMBIO AUTOMÁTICO DE 6 MARCHAS

7 AIR BAGS

TELA MULTIFUNCIONAL COLORIDA DE 7 POLEGADAS

NA SINAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO TEM UM JEEP RENEGADE ESPERANDO POR VOCÊ.

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO: AV. BADY BASSITT, 5.000 • (17) 3211-4610 Atendimento: Segunda a sexta: 08h às 19h • Sábado: 09h às 14h.

37

OUTRAS LOJAS: ALPHAVILLE: ALAMEDA ARAGUAIA, 1.993 • (11) 4706-6700 INDIANÓPOLIS: AVENIDA INDIANÓPOLIS, 2.200 • (11) 5070-3000 MIGUEL ESTÉFANO: AVENIDA MIGUEL ESTÉFANO, 1.911 • (11) 5067-2999 NAÇÕES UNIDAS: AVENIDA DAS NAÇÕES UNIDAS, 21.612 • (11) 5696-4777 PARAÍSO: RUA ESTELA, 615 • (11) 5906-9060 SÃO BERNARDO: AVENIDA PEREIRA BARRETO, 984 • (11) 4336-8100 SOROCABA: AVENIDA GENERAL CARNEIRO, 1.459 • (15) 3229-9555 PAMPULHA: AVENIDA PRESIDENTE CARLOS LUZ, 5.009 • (31) 2513-1400

Pedestre, use sua faixa.

VEÍCULOS A PRONTA ENTREGA

FAÇA UM

TEST DRIVE

VEÍCULOS A PRONTA ENTREGA

27

F

D


AgroTurismo

Fotos: Divulgação | Leandro Gasparetti

NOVA ATRAÇÃO TURISTÍCA BARRETOS

Integrado ao resort Barretos Country Hotel, o parque aquático Barretos Country Thermas Park anunciou no final de maio a chegada da água termal em Barretos. O empreendimento que busca pelo recurso natural desde sua implantação, em 2008, agora aguarda apenas o decreto para o aproveitamento do recurso mineral para o turismo. A nova atração foi anunciada pelos empresários, Eduardo Ferreira Leite e Winston Rezende, durante evento de inauguração da nova ampliação do parque aquático – o Water Country Kids, em Barretos, e 28

que contou com a entrega da placa de afiliação do Barretos Country Thermas Suítes à RCI- Resort Condominium International, empresa líder mundial em intercâmbios de férias. Protagonista da campanha comercial do empreendimento, o cantor Leonardo prestigiou o lançamento ao lado de empresários e autoridades de Barretos e região. Durante o evento ele falou de relação com a cidade. “Barretos tem tudo a ver comigo, faz parte da minha história, por isso é uma honra levar o nome do Barretos Country Thermas Park para o mundo

inteiro”. O diretor comercial do Grupo GR, Gustavo Rezende, destacou a importância do Parque Aquático para fomentar a venda de apartamentos de propriedade compartilhada, recentemente lançado no resort integrado ao parque - o Barretos Country Hotel. A diretora geral da empresa líder mundial em intercâmbios de férias – Resort Condominium International – RCI no Brasil, Maria Carolina Pinheiro, ressaltou a importância do atrativo turístico para compor os destinos afiliados à empresa.


29


AgroVeterinário AgroVeterinário

Foto: Foto:Divulgação Divulgação

A ANEMIA INFECCIOSA EQUINA, O MORMO EQUINO E SEUS IMPACTOS NA SAÚDE PÚBLICA

Doenças ocultas e que causam sérios prejuízos à equinocultura. AIE e Mormo merecem atenção especial por parte dos criadores

O

Mormo é uma doença contagiosa, que acomete principalmente os equinos, e que pode afetar algumas espécies de carnívoros e eventualmente pequenos ruminantes. Pode ser transmitida também ao homem, daí sua grande importância como zoonose e os riscos que representa para a saúde pública em geral. É uma zoonose considerada laboral, ou seja, a grande maioria dos casos ocorre em pessoas que trabalham em contato com os animais diariamente (criadores, tratadores e médicos veterinários) A infecção se dá pelo contato com a bactéria através de fluídos corporais dos animais doentes, como: pús, urina, secreção nasal e fezes. Este agente pode penetrar no organismo pela via digestiva, respiratória, genital ou cutânea (através de alguma lesão), alcançando a circulação sanguínea, indo alojar-se em alguns órgãos, em especial, nos pulmões e fígado. Os sintomas mais comuns da doença são a presença de nódulos nas mucosas nasais, nos pulmões, gânglios linfáticos, catarro e 30

pneumonia. A forma aguda é caracterizada por febre alta, fraqueza e prostração; pústulas na mucosa nasal que se transformam em úlceras profundas com uma secreção, inicialmente amarelada e depois sanguinolenta; e dificuldades respiratórias. A Anemia Infecciosa Equina (AIE) é uma doença viral crônica, causada por um vírus, limitada a equinos, asininos e muares, caracterizada por episódios periódicos de febre, anemia, depressão, edema e perda de peso. A AIE gera embargos ao trânsito de equídeos, além de interferir nos eventos esportivos equestres, assumindo assim uma relevância econômica considerável. O agente é transmitido primariamente por picadas de moscas dos estábulos e outras hematófagas (que se alimentam de sangue) sendo estes apenas vetores mecânicos. Os principais reservatórios da enfermidade são os portadores inaparentes do vírus, principalmente em tropas que não sofrem monitoramento sorológico periódico. A transmissão é mais comum nas épocas mais

quentes do ano e em regiões úmidas e pantanosas. A importância do exame de diagnóstico precoce de AIE e mormo são indiscutíveis para a manutenção da saúde pública e para se evitar possíveis epidemias da doença. Além da grande importância dos exames para o trânsito dos animais e a entrada em eventos de concentração. Em caso de dúvidas, ou da necessidade da realização de exames diagnósticos de mormo, procure a orientação de um Médico Veterinário capacitado e um laboratório credenciado.

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com


31


PROSAS & CAUSOS COM

AgroHumor

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

Como vocês já sabem, todas edições da Magazine AgroFest eu estou com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

MUSICO

www.tonhoprado.com.br

O TESTE Um sujeito entra um estúdio para um teste de um comercial para televisão. Depois de uma pequena entrevista o diretor pede para que ele escolha um produto famoso exposto em uma mesa junto com vários outros e elabore um comercial de improviso, mesmo que já tenha visto em outros comerciais. De imediato ele pega mais do que depressa um dos itens segura em uma das mãos e fala diante da câmera: - Neste produto contém: leite condensado, caramelizado, com flocos crocantes e uma cobertura do mais delicioso chocolate Nes... O diretor interrompe: - Opa, opa opa! Cortaaaa! E o sujeito pergunta; - O que foi? Não ficou bom? - Ficou ótimo! Só que isto não é um chocolate, é um sabonete!

Jacó vai colocar um anúncio no jornal. — Gostaria de colocar uma nota fúnebre sobre a morte da minha esposa — diz ao atendente. 32

Em uma festa de formatura da oitava série, duas garotas apresentam um dueto de violino. A mãe de uma delas se acaba em lágrimas. Aí ela olha para o lado e vê que tem um homem que também chora copiosamente. Ela deduz que

ele seja pai da outra menina e diz: — Não é lindo ver que nossos filhos estão resgatando nossos valores? — Eu não sou pai não! — diz o homem, enxugando as lágrimas. — Ah, não? Então por que o choro? — É que eu sou músico.

VELHO OESTE Esta é do tempo do Velho Oeste. Aquele bandido mal afamado entra no Saloon, arrastando as esporas prateadas. Silêncio. Ele se aproxima do balcão. Não se ouve nem um pio. Abre o casaco, exibindo um reluzente revólver no coldre, vira-se para um rapaz que estava sentando em uma das mesas e pergunta:

— Você aí... sabe quanto é um mais um? — É... é... é do-do-is! — responde o rapaz. Então, ele saca o revólver e bang... bang... dá dois tiros na testa do sujeito. Silêncio total, de repente uma vozinha fina de mulher, vinda lá do fundo: — Por que mataste o rapaz? — Porque ele sabia demais!

ATE NA TRIBO INDIGENA

O índio procura o pajé da tribo para reclamar do intestino que não funciona: — Pajé, índio... cocô... nada! O feiticeiro prepara um poderoso laxante à base das mais fortes ervas da selva e pede que o índio tome e volte de

CUITADO DO JACÓ

— Pois não, quais são os dizeres? — Sara morreu. — Só isso? — espanta-se o rapaz. — Sim, Jacó não quer gastar muito.

novo ao nascer do Sol. Na manhã do dia seguinte, o pajé recebe a visita do índio e pergunta: — E então, bravo guerreiro? Ainda índio... cocô... nada? — Não, agora índio... nada... cocô!

— Mas o preço mínimo permite até 5 palavras. — Então coloca: “Sara morreu. Vendo Monza 94.”


AgroPesquisa

Foto: Divulgação

CENSO AGROPECUÁRIO 2017 COMEÇA EM OUTUBRO

O

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciará, em outubro de 2017, as operações do seu 10º Censo Agropecuário. Durante cinco meses, serão realizadas cerca de cinco milhões de visitas em estabelecimentos agropecuários de todo o País. Nas ocasiões, serão levantadas informações sobre a área, a produção, as características do pessoal ocupado, o emprego de irrigação, o uso de agrotóxicos, entre outros temas. Os resultados do Censo Agro 2017 devem começar a ser divulgados pelo IBGE em meados de 2018. Este ano, o questionário será mais simplificado. O Censo Agropecuário 2017 vai subsidiar a implantação do cadastro de estabelecimentos agropecuários e do Sistema Nacional de Pesquisas Agropecuárias. A ação irá captar dados detalhados sobre receitas e despesas na produção, crédito e seguro rural, proteção de mananciais, conservação da fauna e flora, uso de agrotóxicos, técnicas de produção, além da situação social e familiar dos trabalhadores do campo, entre outros temas.

33


AgroRodeio

Foto: André Monteiro

FESTA DO PEÃO DE BARRETOS E

ste ano a 62ª Festa do Peão de Barretos acontece de 17 a 27 de agosto e irá receberá mais de 100 shows em seis palcos espalhados pelo Parque do Peão. Considerada a maior da América Latina, a festa possui um complexo de 2 milhões de metros quadrados. Este ano o embaixador do Rodeio é o cantor Gustavo Lima. Além dele, artistas famosos irão se apresentar nos palcos da Festa. Já estão confirmados os shows de Luan Santana, Henrique e Juliano, Marília Mendonça, Maiara e Maraísa, Simone e Simaria, Zé Neto e 34

Cristiano, Maria Cecília e Rodolfo, Felipe Araújo, João Neto e Frederico e Israel e Rodolffo. A “velha guarda” do sertanejo também estará presente, com apresentações de Chitãozinho e Xororó, Matogrosso e Mathias e Rionegro e Solimões. A grade de shows pensada para agradar diversos gostos musicais vai contar também com artistas como Wesley Safadão, Grupo Pixote, Mano Valter e Dennis. E de 24 a 27 de agosto, o chão vai tremer e a poeira irá levantar em Bar-

retos. Durante esses quatro dias, a Arena será tomada pela 25ª Edição do Barretos International Rodeo com disputas finais dos principais campeonatos de montarias em touro e cavalos. Na modalidade cavalo, os destaques serão os pulos em sela americana, bareback e cutiano. Além disso, as tradicionais provas dos Três Tambores e Team Penning farão parte do espetáculo esportivo. Maiores informações e vendas de ingressos, pelo site: www.independentes.com.br


35


AgroLeilão AgroEvento

Foto: Divulgação

SIMPÓSIO DISCUTE O MERCADO DE CARBONO NA REGIÃO DE RIO PRETO

N

os dias 26 e 27 de julho, o Instituto Ambiental Maria Peregrina realizará o 1º Simpósio de Crédito de Carbono, na Acirp (Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto). Entre os principais objetivos do simpósio estão a apresentação do mercado de carbono e a sua legalidade no Brasil para produtores rurais, empresários, estudantes, prefeituras e empresas que participam de licitações públicas. Créditos de carbono ou Redução Certificada de Emissões (RCE) são certificados emitidos quando ocorre a redução de emissão de gases do efeito estufa (GEE). Este mercado ficou estabelecido a partir da assinatura do Protocolo de Quioto, em 1997, que estabeleceu metas de redução de emissões de dióxido de carbono para os países mais industrializados do planeta. Os participantes vão conhecer também os modelos de levantamento do crédito de carbono nas diversas culturas e as vantagens deste mercado para a melhoria de receita do produtor rural. O que poucos produtores sabem é que podem ganhar dinheiro com o chamado sequestro de CO2 - quando está na fase de crescimento, a árvore precisa de uma grande quantidade de gás carbônico e busca esse elemento na atmosfera. É aí que ocorre o sequestro de carbono. Quanto mais árvores plantadas, maior será a absorção deste gás poluente que

36

contribui para o aquecimento global e o desequilíbrio ambiental. Dados de 2015 apresenta que cada árvore de seringueira gera uma receita de R$ 5,00 a R$ 15,00 de crédito de carbono. Por convenção, uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) sequestrada do meio ambiente é equivalente a um crédito de carbono, que é então vendido para empresas e até mesmo para países poluidores. Para realização do simpósio, foi constituído um grupo de trabalho, com a participação dos técnicos da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral de São José do Rio Preto), em parceria com o Instituto Ambiental Maria Peregrina e outras instituições, na qual já foram efetuados os primeiros levantamentos dos sequestros de carbono na cultura da seringueira.

“Com este modelo pronto de comercialização do crédito de carbono, é possível debater e conhecer outros trabalhos similares em andamento em outras culturas, diz o presidente do Instituto Ambiental Maria Peregrina”, Rogério Fisher Duque. Segundo ele, “vamos ouvir todos os envolvidos no simpósio, como membros do IEA (Instituto de Economia Agrícola), a CATI, da Bovespa – responsável pelos leilões de crédito de carbono – e as entidades do 3º setor que atuam neste segmento, para identificar os modelos de sistematização de reconhecimento do sequestro de CO2 e os mecanismos de comercialização do crédito de carbono.” Inscrições pelo tel. 17 3236 5566 ou pelo site www.escolamariaperegrina.org.br

Andrey Vetorelli, técnico da Cati, Takashi Yamauchi, da Apoio Brasil, e Rogério Fisher Duque, presidente do Instituto Ambiental Maria Peregrina


37


AgroHistorias

Foto: Divulgação

O contador de histórias DELLA MORENA

DELLAMORENA_OFICIAL DELLA MORENA site: www.dellamorena.com.br

H

AS MÃOS FEIAS

á muito tempo atrás, existiu uma menina, muito linda, saudável e amável. Não havia ninguém que não gostasse da menina, que tinha 8 anos. Mas a menina ficava constrangida sempre que a viam com a sua mãe. A mãe da menina era cheia de cicatrizes no corpo e no rosto. Mas as mãos da senhora eram ainda mais horrorosas. Eram vermelhas, constantemente saia pus e ficava em carne viva. Tinha ainda deformações horríveis. A menina detestava estar com a mãe em público. Não entendia porque a mãe era assim, e se constrangia com a sua presença na escola ou em festinhas a qual era convidada. Um dia, cansada de ser esculachada pelas colegas e ouvir comentários de pena dos professores, a menina chamou a mãe e perguntou: - Mãe, não há nada que você possa fazer em relação ao seu corpo e suas mãos? - Não minha filha. -respondeu a mãe. - Mas por que? - Os médicos disseram que era irreversível minha filha. - Por que você ficou assim? Por que você não é igual a mãe das minhas colegas, que são lindas e possui mãos mais belas ainda?

38

A mãe olhou para a filha e respondeu: - Há sete anos atrás, eu estava tomando banho e a minha empregada deixou uma vela acesa próximo da cortina. A cortina pegou fogo em contato com a vela. Saí do banho e fiquei desesperada, pois bem próximo a cortina estava o berço da minha filha. Desesperada e vendo o fogo se alastrar, puxei a cortina com as minhas mãos, e, sem querer a cortina se enrolou no meu corpo, com o fogo alto. A empregada trouxe um balde de água, e foi por isso que me salvei a tempo. Mas as cicatrizes se tornaram irreversíveis. Mas não me arrependo, e a feiura das minhas mãos foi um preço pequeno a pagar pela vida da minha filha. A menina chorou e se abraçou a mãe, pedindo perdão. Daquele momento em diante, nunca mais se envergonhou dela, e todos os dias repetia: Obrigada Mãe, você é a mais linda do mundo e as suas mãos são as mais bonitas. Agradeça sempre aos seus amigos e parentes por se preocuparem com você, e nunca se envergonhe das deficiências dos outros. Lembre-se que por amor fazemos qualquer coisa e que a beleza é algo secundário.


39


SocialWestern

Fotos: Leandro Gasparetti

ENCONTROS

Entre os meses de maio e começo de junho foi marcado por diversos eventos em nossa região, no qual esta edição retrata o encontro de empresários, parceiros, e pessoas de modo em geral ligadas a agropecuária, rodeios e grandes negócios. Sendo eles , AgriShow, Neves Paulista Rodeo Show, Festa do Peão de Palestina, inauguração da nova ampliação do parque aquático no Barretos Country Thermas Park e o Lançamento do Festival Vozes Sertaneja em Rio Preto. www.LEANDROGASPARETTI.com.br

01 - Adriano Santos, o cantor Leonardo, Hussein Gemha Júnior e Paulinho 1001 - 02 - Iderval Aparecido de Oliveira, Osmair e Nivaldo Guareschi 01 03 - Os amigos Rodrigo Garutti e Carlinhos Salvatierra - 04 - Anderson Lima (Route Eventos), Nelson bucater (Liwara Publicidade) e o humorista Matheus Ceará 05 - Adriano Nunes e Roberto Perosa

02

03

04

05

06 - O casal Gilmar e Carla Torres Peres - 07 - Gustavo Moraes e André Fachinetti 08 - O locutor Piracicabano com o cantor e filho Junior Castro 06

07

08

09 - Adelino Silva, o locutor Umberto Junior, Valdecir Marques (Leiteiro) e Joziel Afonso - 10 - Laís Ramos e Neto Garcia, da Senepol 3G 09

11 40

12

10

13

11 - Thomaz Mascaro e o cantor Seu Moço - 12 - Flávio Xavier e Clovis Takeguti 13 - Paulo Cassia, Gabriel Ribeiro e Mário Augusto Frederico


41


42


43


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negócios KIT RESERVATÓRIO EM GEOMEMBRANA PEAD 25 MASH

Já vem PRONTO Você mesmo INSTALA Todas as medidas Melhor CUSTO benefício

Maurício de Freitas

(11) 2374-9203 (11) 2831-9203

CONSULTE - PREÇOS ESPECIAIS

44


AgroRodeio

Fotos: Christiana Oliveira - Click Night

49ª FESTA DO PEÃO DE BÁLSAMO M

ais surpreendente, com um novo conceito e uma nova estrutura, foi assim a 49ª Festa do Peão de Bálsamo. A Festa aconteceu de 7 a 11 de junho no Recinto de Exposições da cidade. Rumo aos 50 anos, esta edição apresentou uma proposta diferente e mais moderna para o público. A nata do Rodeio Brasileiro competiu em montarias em touro, cavalos, desafio de genéticas do Cutiano, prova dos Três Tambores e Team Roping. Os peões que montaram em touros são da ACR – Associação de Campeões de Rodeio. Já na montaria em cavalos estilo Cutiano, modalidade que a Festa de Bálsamo mantém fielmente há 49 anos, os peões fazem parte da SBC – Seleção Brasileira de Cutiano. E pela primeira vez no evento, o Desafio de Genéticas do Cutiano foi entre os filhos dos renomados cavalos reprodutores, Rio Bravo, da WR e o Bandido, do Tito Cardoso. Os animais são frutos do cruzamento desses dois campeões com éguas também de rodeio, o cruzamento proporcionou uma “linhagem diferenciada”, segundo os donos das tropas Roberto Biasi e Nilton Cardoso respectivamente. Pelo palco passaram artistas reno-

mados como Rio Negro e Solimões, Wesley Safadão, Matheus e Kauan, Simone e Simaria e a dupla Marlon e Serginho E depois de alguns anos a festa resgatou a tradição e presenteou o público com as presenças da Rainha, Princesa e Madrinha do Rodeio. Jaqueline

Sartori, foi a Rainha do evento, Fabiana Prado foi a princesa e Lara Ríssoli, a madrinha dos peões. O ano que vem mais novidades já são esperadas. A Festa do Peão de Bálsamo é uma realização do Clube dos Cavaleiros da cidade e teve o apoio da Prefeitura e Câmara Municipal.

Foto coletiva com o prefeito Du Lourenço e o Pres. da festa José Fontes

45


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negรณcios

46


7º l e i l ã o

U M D O S M A I O R E S L E I L3º Õ E7º Sl DelOi eQlUiãAlRoãT OoD E M I L H A N O B R A S I L 3º l e i l ã o

07/JUL

08/JUL

2017

2017

SExTA, 20H

SÁBADO, 14H

7º l e i l ã o 3º l e i l ã o

7º l e i l ã o

lE ite Horses

LOCAL: Buffet MAnOeL CArLOs - sãO JOsé dO riO PretO/sP Coordenação:

Leiloeira / Lances:

Transmissão ao vivo:

Promoção: Grupo

BEST

HORSES

GENETICS

Novo Horizonte - SP (17) 3542-7749 / (17) 8111-3003 www.clinicaequus.com.br

(18) 3551 9696 www.wvleiloes.com.br

Polarização Vertical 960mhz

São

José

do

Rio

Preto

47

comunicação integrada

comunicação integrada

comunicação integrada

3º l e i l ã o


48

Magazine AgroFest - Junho/Julho 2017  
Magazine AgroFest - Junho/Julho 2017  

Magazine AgroFest, Edição nº 19 - Junho/Julho 2017 | Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 34 cidades da Região. http://www.magazin...

Advertisement