Page 1

R

Distribuição gratuita

Ano III - Edição 16 - Fevereiro/Março 2017

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

V ENH A PA RA A JEEP S I NAL E E N CONTRE O SUV PERFEITO PARA VOCÊ

JEEP SINAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO AV. BADY BASSITT, 5.000 • (17) 3211-4610

1


2


3


R

AGROFEST / Uma revista inovadora, informativa e de alto nível. Que foca em temas como a Suinocultura, Avicultura, Pecuária, Piscicultura, Agropecuária, Eventos, Feiras, Exposições e Rodeios, com o intuito de aproximar empresas, técnicos, produtores, parceiros, clientes entre outros. Diretor Geral Leandro Gasparetti contatoagrofest@gmail.com Diretor Comercial José Eduardo Costa comercialagrofest@gmail.com Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP Contatos / Redação e Publicidade: (17) 3022-2527 / 98152-5400 Jornalista André Luiz de Oliveira Souza MTB: 75680/SP Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico | Diagramação Rede A Comunicação 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto 17 3016-4000 Contabilidade RBB Assessoria e Consultoria Contábil - CRC SP - 319624/O-1 Colaboradores Abrahão Hackme, Embrapa, Polícia Militar Ambiental, Deputado Sebastião Santos, Valtra, André Silva, Luciana Omena, Paulo Belarmino, Tonho Prado, Secretaria de Agricultura de São Paulo, Instituto Agronômico (IACApta), Sérgio Expressão – Sindicato Rural de Rio Preto, Cooper Limão – Urupês/SP. Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita Reproduções totais ou parciais das matérias e fotos, aqui publicadas, só serão permitidas por meio de autorização expressa dos editores. As informações prestadas nas páginas de publicidade, são de inteira responsabilidade dos clientes. Artigos assinados por colaboradores não expressam a opinião da Revista.

4

EXPEDIENTE

2017 A TODO VAPOR

O

ano mal começou e estamos a todo vapor! Reunimos nesta edição os principais temas que estão ganhando destaque no agronegócio como o Primeiro Frigorifico paulista em abate de jacarés, o crescimento em 20% do mercado orgânico, o impacto da chuva na produção, 60% da produção de limão taiti fica no país, Policia Ambiental pode utilizar drones em ocorrências e o crescimento do mercado agrícola impulsiona renovação de frota canavieira. Leandro Gasparetti José Eduardo Costa Já na nossa cidade, o nosso amigo e parceiro, Osmair Guareschi foi homenageado e, o Sindicato Rural levou produtores rurais ao Show Rural Coopavel, um dos eventos mais importantes do país! E, claro, nossos colunistas com o que está movimentando os rodeios, com André Silva e Luciana Omena, o uso da fertilização in vitro, com Paulo Belarmino, uma pitadinha de humor, com Tonho Prado e, tudo que aconteceu nos eventos, com Leandro Gasparetti! Tudo isso e muito mais você só encontra na Magazine AgroFest a revista do agronegócio! Tenham uma boa leitura!

SUMÁRIO 16 E 17 AGROFEIRA

26 AGROHUMOR

18 AGROEMPRESA

28 AGROVETERINÁRIO

POLÍCIA AMBIENTAL UTILIZARÁ DRONES EM OCORRÊNCIAS

SÃO PAULO GANHA A PRIMEIRA FÁBRICA DE FAZER PAPEL ATRAVÉS DA PALHA DA CANA

10 E 11 AGROINFO

19 AGROSAFRA

33 AGROINFO

12 AGROINFO

22 AGROCULTURA

06 AGROINFO

PRIMEIRO FRIGORÍFICO ESPECIALIZADO NA CRIAÇÃO E ABATE DE JACARÉS

08 AGROSEGURANÇA

MERCADO AGRÍCOLA IMPULSIONA RENOVAÇÃO DE FROTA NO SETOR CANAVIEIRO

COOPERATIVA DE RIO PRETO QUADRUPLICARÁ PRODUÇÃO DE OLERÍCOLAS

14 E 15 AGROSAÚDE MEDICAMENTOS COM NANOTECNOLOGIA É APOSTA PARA TRATAR MASTITE BOVINA

PRODUTORES RURAIS DE RIO PRETO VISITARAM FEIRA NO PARANÁ

OFERTA RESTRITA E CHUVAS EM EXCESSO RESULTAM NA VALORIZAÇÃO DA SACA DE MILHO

60% DA PRODUÇÃO DE LIMÃO TAITI FICA NO MERCADO INTERNO

24 AGROEMPRESA

JF MÁQUINAS ANUNCIA PARCERIA COM O CANTOR E PECUARISTA, LEO CHAVES

PIADAS DO HUMORISTA TONHO PRADO

COLUNA PAULO BERLAMINO, A UTILIZAÇÃO DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO COM

MERCADO ORGÂNICO CRESCEU 20% NO MERCADO INTERNO

34 AGRORODEIO

ANDRÉ SILVA FOTÓGRAFO OFICIAL DA PBR

37 AGROCULTURAS

CONCENTRAÇÃO DA CHUVA CAUSA IMPACTO NA PRODUÇÃO DE MILHO, CANA, HORTALIÇAS, FRUTAS E FLORES

Av. Alberto Andalo, 2641 / Sala 02 – Centro - São José do Rio Preto/SP

DISTRIBUIÇÃO EM 35 CIDADES

NOSSA CAPA

Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, São Pulo e Minas Gerais: Fronteira

Ano III Edição 17 Fevereiro/Março 2017

Foto capa: Jeep *Jesus, eu confio em vós!


ouça nossa música

Uma Vida

é Pouco

novo cd disponível em nosso canal no you tube gilvanepaulohenrique

Shows: (17) 99682-6846 | 99733-0361 | 98132-6119 www.gph.art.br gilvanepaulohenrique

gilvanepaulohenrique

gilvanepaulohenrique 5


AgroÌnfo

Foto: Divulgação

SECRETARIA CERTIFICOU O PRIMEIRO FRIGORÍFICO ESPECIALIZADO NA CRIAÇÃO E ABATE DE JACARÉS PAULISTA

M

édicos veterinários da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, realizaram a inspeção final no Abatedouro de Pescado Aruman Ltda, em Porto Feliz - SP, para a emissão do laudo de vistoria do estabelecimento, que será o primeiro frigorífico paulista especializado na criação e abate de jacarés. Durante a vistoria, a equipe acompanhou um abate experimental para detalhar o processo de produção, supervisionado pelos médicos veterinários, Luis Basseti e Luciano Verdade, que desenvolveram a metodologia de

6

criação e abate que foi implantada na propriedade. “Todo o processo foi inspecionado para que o produto chegue ao consumidor dentro das normas estabelecidas para a comercialização dos produtos”, disse a médica veterinária Mércia Terezinha Mantovani, responsável pelo serviço de inspeção junto ao Escritório de Defesa Agropecuária (EDA). A inspeção foi guiada por um checklist e todos os procedimentos foram fotografados para certificar que tudo foi inspecionado e se apresentava dentro do estabelecido para o registro junto ao Centro de Inspeção de Produtos

de Origem Animal (Cipoa) e para comercialização dos produtos com o selo do Serviço de Inspeção de São Paulo (Sisp). A proposta é comercializar toda a produção no Estado de São Paulo, que possui demanda pela carne e pelo couro. “Vamos começar vendendo para butiques de carnes porque a produção ainda é baixa e ir expandindo isso com o tempo. O nosso foco hoje é desenvolver novos criadores para conseguir ter volume de produção”, finaliza Ari Palomo Del Alamo, um dos proprietários do estabelecimento.


7


AgroSegurança

Foto: Abrahão Hackme

SANCIONADO PROJETO QUE AUTORIZA A POLÍCIA AMBIENTAL NA UTILIZAÇÃO DE DRONES EM OCORRÊNCIAS Projeto de lei do deputado estadual, Sebastião Santos, foi uma das primeiras a ser aprovada em 2017

O

Governador Geraldo Alckmin, sancionou no final do mês de janeiro, a PL nº287/2016, que dispõe sobre a utilização de drones para fiscalização da Polícia Ambiental do Estado de São Paulo. Projeto de autoria do deputado estadual, Sebastião Santos, agora passa a ser um item importante na fiscalização e agilidade nas ocorrências da Polícia Ambiental. Com a autorização e utilização do novo equipamento de monitoramento real, o drone possibilitará auxiliar a Polícia Ambiental na medição de áreas de desmatamento, fiscalização de áreas de queimadas e caça, além de patrulhamento contra pesca predatória em locais públicos, com imagens ao vivo, já que o equipamento chega a percorrer 90 quilômetros por hora a uma altura de 500 metros de seu operador. Entre suas utilidades, ele permitirá fiscalizar rios e afluentes, que são utilizados por pescadores sem regulamentação, visão a áreas de difícil acesso por terra e monitoramento de locais de desmatamento irregular. “Estamos felizes com a aprovação desse importante projeto que irá facilitar os trabalhos dos policiais ambientais”, esclarece Sebastião Santos. O deputado reforça ainda sobre o equipamento ser utilizado pelas demais áreas da Polícia no Estado, ampliando, assim, setores importantes na prevenção e capacitação de profissionais para execução do drone. “O equipamento também poderá ser um recurso para os bombeiros na segurança de áreas urbanas, contra incêndios e auxiliando nas ocorrências cotidianas”, finaliza Santos. 8

Deputado estadual, Sebastião Santos e o governador, Geraldo Alckmin


9


CRESCIMENTO DO M DEVE IMPULSIONAR R FROTA NO SETOR CA AgroInfo

O

ano mal começou e já é visto com bons olhos pelo produtor rural brasileiro. Clima mais favorável, custos estáveis, aumento da demanda chinesa, créditos para investimentos e a retomada da confiança do produtor rural. Esses fatores devem refletir nos números esperados: crescimento de 0,5% no segmento, e aumento esperado de 24% na renda agrícola brasileira, totalizando R$ 494 bilhões. No mercado canavieiro as expectativas são de uma recuperação gradual: aumento nos preços do açúcar e etanol, safra com começo antes do planejado e maior uso da biomassa

10

como geração de energia, são alguns dos aspectos-chave para a projeção de melhora do segmento. Alguns números esperados para a próxima safra são: 650 milhões de toneladas produzidas de cana-de-açúcar, 134 ATR (açúcar total recuperável) por tonelada e um salto de 21% no potencial da biomassa para consumo energético do País até 2024. Um importante player global no setor sucroalcooleiro, no Brasil os resultados da melhor condição de preço no açúcar e no etanol começaram a estimular o cenário de operação da indústria, mas o retorno dos investimentos

nos canaviais deve começar a refletir em crescimento somente a partir de 2018. Apesar disso, o mercado de máquinas agrícolas no setor canavieiro tem necessidade de renovar a frota. Esse processo deve começar a ser eliminado em 2017. “Muitos clientes que adiaram os investimentos em renovação por conta das dificuldades nos últimos anos já iniciaram o planejamento, e alguns já estão confirmando os pedidos para a próxima safra”, declarou Marco Antônio Gobesso, gerente de marketing de produto cana-de-açúcar da AGCO. “O produtor rural compra máquinas


MERCADO AGRÍCOLA RENOVAÇÃO DE ANAVIEIRO

Foto: Arquivo Valtra

por dois motivos: ou porque aumentou a área de plantio ou porque a máquina alcançou o limite. Em 2017, apesar de não ser esperado um crescimento significativo da safra, existe a necessidade de renovação da frota envelhecida. Temos clientes que deixaram de renovar o maquinário por conta da baixa remuneração, e agora que eles estão com a remuneração melhor, a ideia é renovar a frota independente do crescimento no próximo ano”, destaca Gobesso. Diante desse cenário, a Valtra, com toda a tradição que seu nome carrega

no segmento, considera não só acompanhar esse crescimento, mas também aumentar sua participação por meio dos equipamentos canavieiros, a exemplo da colhedora de cana BE1035e.

BE1035e A colhedora de cana BE 1035e, a primeira a ser produzida na fábrica AGCO, em Ribeirão Preto (SP), é uma máquina perfeita para colher em canaviais de grande produtividade. É de alta performance, econômica e foi desenvolvida com um motor ajustado para ter

baixo consumo de combustível, baixa emissão de poluentes e, ainda, maior vida útil. Além de oferecer um pacote de soluções que combina uma cabine confortável, pensada de forma ergonômica para o operador, com um sistema que permite o monitoramento da máquina em tempo real, quer seja a partir da fábrica, da concessionária Valtra ou até mesmo do cliente. Além da BE1035e, a Valtra conta com uma linha completa de soluções canavieiras para o produtor rural que já está se preparando para 2017.

11


Agroinfo AgroInfo

Fotos: João Luis / Foto: Secretaria Leandro de Agricultura Gasparetti

COOPERATIVA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO QUADRUPLICARÁ PRODUÇÃO DE OLERÍCOLAS

Arnaldo Jardim

A

produção de olerícolas da Cooperativa de Produtores Rurais de São José do Rio Preto – Cooperiopreto, será quadruplicada com o apoio do Governo do Estado de São Paulo. As melhorias na infraestrutura somam R$ 724.517,62 e foram entregues no início do mês de fevereiro, pelo secretário de Agricultura e Abastecimento Paulista, Arnaldo Jardim, que anunciou ainda a liberação de mais R$ 700 mil em recursos, para recuperação de estradas rurais para escoamento da produção. A implantação de infraestrutura para processamento de vegetais e a compra de veículos para transporte, foram realizadas por meio do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II – Acesso ao Mercado, executado 12

Remo Tadeu Conforti, Diretor do Sindicato Rural de Rio Preto, com Arnaldo Jardim, Sec de Agricultura do Estado de SP pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral – CATI, da Pasta. Elas aumentarão a produção diária de 500 quilos, para 2 toneladas de olerícolas, como mandioca (o carro-chefe), cenoura, abóbora, brócolis e beterraba algumas com 1,5kg. “Temos que aplaudir quem sempre acreditou em nossos projetos. Isso que vocês, produtores, fazem aqui tem um resultado formidável. Esse patrimônio é todo de vocês. Queremos que isso se amplie, significando ampliar também a qualidade de vida de vocês”, ressaltou Jardim. As melhorias incluem itens como, caixas plásticas, câmara fria, placas fatiadoras, cortador de legumes, placa quadriculada, balanças, bancada e mesa de inox, embaladora, seladora, ar-condi-

cionado, projeto técnico de construção civil, assessoria técnica para implantação, lavador de tubérculos, caminhão, baú e refrigerador, veículo utilitário tipo furgão, computador, caixa d’água e centrífuga. “Essa estrutura que estamos recebendo faz com que o nosso produto tenha mais qualidade e receba um preço melhor no mercado”, contou Paulo Henrique Cardoso, presidente da Cooperiopreto. As olerícolas são vendidas em programas de compras públicas e para grandes redes de supermercados. “Esse investimento já está dando resultado graças ao esforço de vocês, porque vocês, produtores rurais, acreditaram no Projeto Microbacias II”, apontou João Brunelli Junior, titular da CATI.


13


AgroSaúde

MEDICAMENTO COM NAN APOSTA PARA TRATAR MA

U

m produto baseado na nanotecnologia é a mais nova aposta da pesquisa agropecuária para enfrentar a mastite bovina, a inflamação da glândula mamária que afeta rebanhos leiteiros em todo o mundo. Acredita-se que, uma em cada quatro vacas, apresente a mastite pelo menos uma vez ao longo de sua vida produtiva. Embora o Brasil não possua números oficiais dos prejuízos causados pelo problema, estima-se que o impacto alcance até 10% do faturamento das propriedades. O pesquisador, Guilherme Nunes de Souza, avalia que, somente nos Estados Unidos, onde as estatísticas sobre a doença estão mais avançadas, a mastite provoque perdas anuais da ordem de dois bilhões de dólares por ano. Uma das respostas da pesquisa agropecuária a essas perdas está na nanotecnologia, ciência que manipula partículas em escala microscópica (até um bilhão de vezes menor do que o metro) e tem revolucionado a farmacologia mundial. O pesquisador, Humberto de Mello Brandão, trabalha há dez anos 14

no desenvolvimento de nanoestruturas capazes de tornar mais eficiente a ação dos antibióticos contra a mastite. Brandão explica que nem todos os antibióticos conseguem atuar de forma ampla para combater os agentes que provocam a mastite. Segundo o especialista, com o tratamento convencional, bactérias como o Staphylococcus aureus, grande responsável pela doença, costumam ser eliminadas fora das células fagocitárias (de defesa do organismo), mas continuam vivas no espaço intracelular. Quando a célula fagocitária morre, a bactéria fica li-

vre e volta a se proliferar no interior do úbere da vaca, dificultando a cura dos animais tratados. Isso explica por que essa inflamação é tão difícil de ser combatida. De acordo com Nunes, a possibilidade de se eliminar o Staphylococcus aureus durante o período de lactação, via tratamento intramamário, gira em torno de 30%. Com o tratamento da vaca seca (início do período entre as lactações) é possível obter êxito de até 80%. “Dificilmente a eliminação se dá totalmente”, afirma o pesquisador. Numericamente, os resultados clíni-


Fotos: Divulgação

NOTECNOLOGIA É ASTITE BOVINA

cos obtidos com a nova formulação, resultaram num incremento de até 15% no combate ao Staphylococcus aureus em comparação ao medicamento convencional. Brandão ressalta que esses resultados foram obtidos com a metade da dose do antibiótico. “Em nossas pesquisas, o número de animais portadores de mastite infecciosa diminuiu”, comemora o pesquisador, que completa: “o medicamento também demonstrou potencial para prevenir novas infecções”.

Mastite

A inflamação da glândula mamária das vacas tem como consequência a redução da produção, a perda da qualidade do leite, o descarte prematuro ou até a morte do animal. O controle da doença se dá por meio de práticas de manejo corretas, entre elas, a desinfecção das tetas antes e após a ordenha. A prevenção e o tratamento são realizados em todo o rebanho no período de secagem das vacas, quando é administrado um antibiótico preventivo em todos os quartos mamários do animal. Esse é um dos momentos em

que o antibiótico nanoestruturado alcança maior eficiência.

Como atua a nanoestrutura

A diferença entre o tratamento convencional e a utilização de nanoestruturas está basicamente em como o medicamento é carregado no organismo. Em tese, nada muda em relação ao princípio ativo em si (o antibiótico), mas no seu transporte até as células. O antibiótico é encapsulado em uma nanopartícula menor do que a célula. Essa nanoestrutura possibilita que o medicamento chegue a compartimentos biológicos que formulações farmacêuticas convencionais não têm acesso como, por exemplo, o interior das células de defesa da glândula mamária. A partir daí, é feita uma liberação controlada e direcionada do antibiótico diretamente no local onde o agente causador da doença fica protegido das formulações convencionais. Por ser mais eficiente e utilizar de forma mais racional os antibióticos, a nanoestrutura dificulta a seleção de bactérias resistentes, aumentando a vida útil do fármaco. 15


AgroFeira

PRODUTORES RUR VISITARAM FEIRA

H

á 29 anos o Show Rural - Coopavel, realizada na cidade de Cascavel – PR, contribui com o aprendizado de produtores rurais e a economia do campo, sempre trazendo as maiores e melhores empresas do agronegócio nacional e internacional. Pensando nisso o presidente do Sindicato Rural de Rio Preto, Sérgio Expressão, liderou um grupo de 40 produtores rurais que, conheceram e participaram do evento, que é considerado um dos maiores eventos de agronegócio do País. “Os produtores rurais de Rio Preto e região precisam ter contato com no-

16

vos produtos e técnicas agrícolas, além de participarem das palestras e cursos que oferecemos no Sindicato, para sempre estarem atualizados e informados sobre o que acontece no agronegócio”, explica Expressão. Show Rural - Coopavel O Show Rural Coopavel é um evento tecnológico promovido pela Coopavel Cooperativa Agroindustrial, sendo referência mundial, além de ser uma vitrine tecnológica. O evento que, neste ano foi realizado de 06 a 10 de fevereiro, atrai mais de 235 mil visitantes, por ano, que buscam

aumentar a produtividade de suas propriedades, com o conhecimento e os negócios disponíveis no evento. A Feira ocupa um espaço de 720 mil m2, que é preparado aos produtores que querem aprender e fazer bons negócios. Além da presença de grandes empresas e marcas dos principais segmentos do agronegócio, disponíveis para comparação de produtos e apresentação de novas tecnologias, que podem aumentar a produtividade na lavoura com máquinas, implementos, defensivos, sementes, veículos, fertilizantes e acessórios das principais marcas do mercado.


Foto: Leandro Gasparetti

RAIS DE RIO PRETO NO PARANÁ

17


AgroEmpresa

Foto: Divulgação

SÃO PAULO GANHA A PRIMEIRA FÁBRICA DE FAZER PAPEL A PARTIR DA PALHA DA CANA

O

Estado de São Paulo foi o escolhido para sediar a primeira fábrica de papel produzido a partir da palha da cana-de-açúcar. O secretário de Agricultura e Abastecimento paulista, Arnaldo Jardim, representou o governador Geraldo Alckmin na inauguração da nova planta, em Lençóis Paulista, destacando o ganho ambiental trazido pela inovação. Resultado de seis anos de estudos, a tecnologia pioneira no mundo transforma a matéria-prima, abundante em território paulista, em pasta mecânica celulósica 100% sustentável para fabricação de papeis e embalagens. “Aqui se incorporam novos conceitos de sustentabilidade pelo uso que se fará da palha da cana, dando a possibilidade de uma nova fonte de produção de celulose”, 18

apontou Arnaldo Jardim. Serão gerados 62 novos postos de trabalho na planta de 60 mil metros quadrados, no Distrito Industrial Luiz Trecentti II. “Fiquei bastante surpreso e feliz de ver uma ideia como esta nascer e prosperar no Brasil, apesar das dificuldades que todos conhecemos”, disse Marcos Pereira, ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. A empresa terá capacidade para produzir até 72 mil toneladas de pasta celulósica por ano, com previsão de atingir esse volume já a curto e médio prazo. A escolha de Lençóis Paulista como sede se deu devido à grande quantidade de matéria-prima na região, com forte atividade canavieira. Com a inovação, a palha da cana-de açúcar não fica no cana-

vial – evitando pragas e prejuízos -, mas se torna mais uma fonte de renda aos canavicultores. Como funciona O biodispersante separa a lignina (molécula que dá rigidez às células das plantas) das fibras existentes na palha. Foi criado pela própria empresa e elimina a necessidade de calor. O processo envolve um circuito fechado que evita perdas e desperdício de água, e o pouco resíduo gerado na produção pode ser reutilizado como adubo no campo, entre outras finalidades. A pasta é livre de impurezas e não oferece perdas de matéria-prima em relação a outros processos já existentes no mercado. Não há custo do descarte do resíduo proveniente da reciclagem.


AgroInfo

Foto: Divulgação

OFERTA RESTRITA E CHUVAS EM EXCESSO RESULTAM NA VALORIZAÇÃO DA SACA DE MILHO

M

esmo com o início da colheita da safra de verão (2016/2017), os preços apresentaram alta, em decorrência das chuvas prolongadas que têm dificultado o andamento da colheita. Segundo levantamento da Scot Con-

sultoria, na região de Campinas-SP, a saca de 60 quilos ficou cotada em R$36,15, para a entrega imediata, sem o frete. Alta de 3,9% em sete dias. Considerando a praça de São Paulo, atualmente é possível comprar 4,15 sacas de milho, com o valor de uma arro-

ba de boi gordo. Na comparação com janeiro de 2016, o poder de compra do pecuarista melhorou 12,0%. Para o curto e médio prazos, a expectativa é de que, com o andamento da colheita e o consequente aumento da oferta do cereal, os preços caiam.

19


QUEM TRABALHA COM JEEP RENEGADE ´ COLHE OS FRUTOS JA NA HORA DA COMPRA

JEEP.COM.BR

Jeep é marca registrada da FCA US LLC.

Pedestre, use sua faixa.

CAC 0800 7037 150 facebook.com/jeepdobrasil

VOCÊ QUE É PRODUTOR RURAL TEM ISENÇÃO FISCAL NA COMPRA DE QUALQUER MODELO DO JEEP RENEGADE.

MOTOR 1.8L EVO FLEX E CÂMBIO AUTOMÁTICO DE 6 MARCHAS

7 AIR BAGS

TELA MULTIFUNCIONAL COLORIDA DE 7 POLEGADAS

NA SINAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO TEM UM JEEP RENEGADE ESPERANDO POR VOCÊ.

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO: AV. BADY BASSITT, 5.000 • (17) 3211-4610 Atendimento: Segunda a sexta: 08h às 19h • Sábado: 09h às 14h.

OUTRAS LOJAS: ALPHAVILLE: ALAMEDA ARAGUAIA, 1.993 • (11) 4706-6700 INDIANÓPOLIS: AVENIDA INDIANÓPOLIS, 2.200 • (11) 5070-3000 MIGUEL ESTÉFANO: AVENIDA MIGUEL ESTÉFANO, 1.911 • (11) 5067-2999 NAÇÕES UNIDAS: AVENIDA DAS NAÇÕES UNIDAS, 21.612 • (11) 5696-4777 PARAÍSO: RUA ESTELA, 615 • (11) 5906-9060 SÃO BERNARDO: AVENIDA PEREIRA BARRETO, 984 • (11) 4336-8100 SOROCABA: AVENIDA GENERAL CARNEIRO, 1.459 • (15) 3229-9555 PAMPULHA: AVENIDA PRESIDENTE CARLOS LUZ, 5.009 • (31) 2513-1400

Pedestre, use sua faixa. 20

VEÍCULOS A PRONTA ENTREGA

FAÇA UM

TEST DRIVE

VEÍCULOS A PRONTA ENTREGA

Planos sazonais para produtores rurais com 36 meses com 6 parcelas semestrais: consulte nossa equipe para mais informações. Banco Bradesco financiamentos. Condição válida até 31/03/2017.

F

D


CHEGOU O J E E P CO M PA S S

JEEP.COM.BR

Jeep é marca registrada da FCA US LLC.

Pedestre, use sua faixa.

CAC 0800 7037 150 facebook.com/jeepdobrasil

LEGÍTIMO SUV COM DESIGN URBANO E O V E R DA D E I R O D N A J E E P. V E N H A FA Z E R U M T E S T - D R I V E .

JEEP GR A ND CHEROK EE LIMITED DIE SEL DESIGN MODERNO, T E C N O LO G I A D E P O N TA E 2 7 1 CAVA LO S .

C O N S U LT E CONDIÇOES ESPECIAIS!

TAMBÉM NA OPÇÃO

BLINDADO

FAÇA UM

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO: AV. BADY BASSITT, 5.000 • (17) 3211-4610

TEST OUTRAS LOJAS: DRIVEALPHAVILLE: Alameda Araguaia, 1.993 • (11) 4706-6700 INDIANÓPOLIS: Av. Indianópolis, 2.200 • (11) 5070-3000

NAÇÕES UNIDAS: Av. Das Nações Unidas, 21.612 • (11) 5696-4777 23 DE MAIO: Rua Estela, 615 • (11) 5906-9060 MIGUEL ESTÉFANO: Av. Miguel Estéfano, 1.911 • (11) 5067-2999

SÃO BERNADO: Av. Pereira Barreto, 984 • (17) 4336-8100 SOROCABA: Av. General Carneiro, 1.459 • (15) 3229-9555 PAMPULHA - BH: Av. Presidente Carlos Luz, 5009 • (31) 2513-1400

Todas as propostas estarão sujeitas a aprovação de crédito pelo Banco Bradesco Financiamentos S.A. Consulte as condições gerais, tarifa, taxa de juros, encargos e o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento antes da contratação em qualquer uma de nossas concessionárias. Os valores das parcelas foram calculados para o Estado de São Paulo, podendo variar conforme a região (UF), considerando-se as despesas de registro de contrato. Imagens meramente ilustrativas.

21


AgroCultura

Foto: Divulgação

60% DA PRODUÇÃO DE LIMÃO TAITI FICA NO MERCADO INTERNO

O

limão taiti, o mais consumido no Brasil, não é um legítimo limão. Na verdade, ele é uma espécie híbrida – um cruzamento do limão-siciliano com lima-da-pérsia. Por esse motivo, ele não tem sementes, característica fundamental em qualquer tipo de limão. E, entre outros fatores, não ter sementes faz do limão taiti um produto que vem sendo mais apreciado mundo afora. Os últimos números oficiais mostram o país com uma produção de 1,2 milhão de toneladas, sendo o quinto maior produtor de limão do mundo, atrás apenas de Índia, México, Argentina e China. O limão taiti, além de não ter sementes, tem coloração e casca de que agradam muito aos consumidores internacionais, já que geralmente, não estão preocupados se o fruto tem muito ou pouco suco, diferente do consumidor brasileiro que, considera o bom limão aquele com a casca fina e com bastante suco, não importando se o fruto está com um verde mais escuro

22

Orlando Miranda dos Santos, presidente da CooperLimão de Urupês/SP

ou mais claro. “No ano de 2016, 100% da nossa produção foi para o mercado interno, já que nos últimos meses o valor pago no Brasil, está sendo melhor do que exportar” afirma Orlando Miranda dos Santos, mais conhecido como Fumaça, presidente da CooperLimão de Urupês.

No Brasil, a cidade de Itajobi, no interior paulista, pode ser considerada a capital do limão taiti no país. Ela e outras 20 pequenas cidades vizinhas produzem juntas pelo menos 70% do limão brasileiro, sendo que 40% do limão produzido, entra no packing-house e tem como destino final a exportação, enquanto os outros 60% ficam no país.


23


AgroEmpresa

E

Fotos: Divulgação

JF MÁQUINAS ANUNCIA PARCERIA COM O CANTOR E PECUARISTA, LEO CHAVES E FAZENDA PARAÍSO

m janeiro, a JF Máquinas, realizou um evento com o lançamento do novo site da marca, que conta com um layout inovador e totalmente interativo. Além disso, foi anunciada a parceria entre a JF Máquinas e a Fazenda Paraíso, em Uberlândia – MG. A parceria visa transformá-la em fazenda modelo, com equipamentos, processos e técnicas de produção, de última geração, em todas as áreas da pecuária, como por exemplo, inseminação, mapeamento genético, reprodução progressiva, cuidados veterinários, alimentação animal e também núcleo de referência, divulgação e melhores práticas, voltadas para a raça Senepol. O ponto alto do evento foi à palestra surpresa realizada pelo cantor, Léo Chaves, que cantou e contou sua trajetória de vida, dificuldades e superações, encantando todos os participantes. JF Máquinas Agrícolas A JF Máquinas é uma marca de máquinas agrícolas presente no mercado há mais de35 anos, com cobertura em todo o território nacional e exporta para mais de 50 países, nos cinco continentes. Sediada em Itapira-SP, possui um parque industrial com mais de 45.000 m2 e, mais de 600 colaboradores em duas plantas, com as mais avançadas tecnologias de produção e processos. Com uma completa linha de produ24

tos, destaca-se a colhedora de forragem JF, que é a mais vendida do mundo. A JF Máquinas Agrícolas é uma empresa 100% brasileira, fundada em 1981, com o objetivo de produzir máquinas e equipamentos para a pecuária e agricultura. As principais linhas de produtos são as colhedoras de forragens, plataformas, ensiladeiras, picadoras, desintegradores, vagões forrageiros, vagões misturadores, distribuidores e semeadeiras, enfardadeiras, segadeiras, enleiradores e espalhadores, extratoras e embutidoras de grãos para silo bolsa.


25


PROSAS & CAUSOS COM

AgroHumor

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

www.tonhoprado.com.br

Como vocês já sabem agora todas edições da Magazine AgroFest eu vou tá aqui com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

VOVÓ ITALIANA

BARBEIRO

O cara chegou ao barbeiro, trazendo um garotinho pela mão: - Dá um trato na juba aí, ô do avental! - pediu ao barbeiro. O barbeiro cortou seu cabelo e, em seguida o homem disse: - Agora, vai cortando o cabelo do garoto que eu vou comprar um jornal e já volto. O fígaro cortou o cabelo do garoto e ficou esperando o homem voltar. Após duas horas, o barbeiro comentou com o garoto: - Acho que seu pai se perdeu! Fazem duas horas que saiu e ainda não voltou... - Ele não e meu pai não, moço! Eu estava no meio da rua quando aquele homem me parou e perguntou: Tá a fim de cortar o cabelo de graça?

VELORIO

Um rapaz chegou em um velório e a primeira coisa que perguntou foi: - Qual é a senha do Wi-Fi? Um parente incomodado disse: - Respeite o morto! E ele perguntou: - É tudo junto? 26

Uma nonna italiana está indicando seu apartamento ao neto, que irá visitá-la com sua nova mulher. - Quando vocês chegarem no prédio, na porta da frente tem um grande painel. Io moro no apartamento 301. Apertem o botón do interfone com o cotovelo, que io abro a porta. Entrem, o elevadore é à direita.

Aperta o trê com o cotovelo. Quando vocês saírem do elevadore, mio apartamento é nas esquerda. Com o cotovelo, apertem a campainha. - Vó, parece fácil, mas... por que tenho que apertar todos esses botões com o cotovelo? - Máaaah quêê...... vocês tão vindo de mon vazia?????...

ENCAIADA

Já meio passadinha, a moça está louca pra se casar, mas não consegue encontrar o homem da vida dela. Resolve, então, consultar uma cartomante. - Sim, vejo algo nas cartas - começa adivinha. - Alguém muito especial vai

entrar na sua vida. - Como ele é? - pergunta a moça, ansiosa. - louro, muito simpático e falador. - É o meu príncipe encantado? - Não, é um papagaio.

DIPROMA Um velho fazendeiro do interior de Minas está em sua sala, prosenado com um amigo, quando um menino passa correndo pelo meio deles. Ele chama: - Diproma, vai falar para a empregada trazer um cafezinho aqui pra

visita! E o amigo estranha: - Mas que nome engraçado tem esse menino! É seu parente? - É meu neto! Eu chamo ele assim porque mandei minha filha estudar em Belzonte e ela voltou com ele!!


27


AgroVeterinário

Foto: Divulgação

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com

A UTILIZAÇÃO DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO COMO COADJUVANTE NA SELEÇÃO GENÉTICA DE ANIMAIS DE ALTO VALOR ZOOTÉCNICO

Uma ferramenta imprescindível para o melhoramento genético animal, porém, ainda muito pouco utilizada, a Fertilização In Vitro vem ganhando espaço entre os grandes selecionadores de genética animal, não apenas em bovinos e equinos, mas já em vários setores voltados à produção. A técnica da fertilização in vitro, consiste na recuperação e maturação dos oócitos colhidos de fêmeas doadoras, pela técnica de ultrassonografia, conhecida como OPU (ovum pick up). Posteriormente à coleta desses oócitos, é realizada em laboratório a fertilização dos oócitos maturados, com sêmen de machos de alto valor 28

zootécnico, onde em seguida realiza-se o cultivo in vitro dos embriões produzidos. Esses embriões então são transferidos em fêmeas (receptoras) que servirão de “barriga de aluguel” deste produto, até seu nascimento. As vantagens dessa biotecnologia são inúmeras, pois de uma única fêmea, que seja superior geneticamente, e de um macho com as mesmas qualidades, é possível se produzir muitos produtos, que serão gerados em uma receptora. Desta forma, não há a sobrecarga trazida pela gestação para a fêmea superior e dela pode-se produzir ainda mais produtos dentro de um curto espaço de tempo.

Outra grande vantagem é a pressão de seleção nos animais de um plantel, onde que com a utilização da FIV e a agilidade nos resultados por ela proporcionada, é possível se identificar os animais geneticamente superiores dentro de uma população e descartar aqueles que não tenham desempenho satisfatório. A Fertilização In Vitro é realizada apenas por profissionais Médicos Veterinários especializados e em laboratórios de alta tecnologia. Para melhor entendimento sobre as vantagens e utilizações da FIV, entre em contato com um médico veterinário capacitado de sua confiança.


29


AgroHorse

Fotos: Divulgação

LUCIANA OMENA

Jornalista Especializada em Cavalos lucianaomenacomunicacao@gmail.com

O DOUTOR DO RODEIO! S e você é apaixinado por rodeio, super fãs, ou transita nos bastidores, já deve ter ouvido falar do Dr. Luiz Fernando Teochi. Foi no rodeio que o conheci e também ao seu trabalho. Hoje, posso dizer que ele é um amigo e contar sua passagem pelo nosso esporte é uma honra. Acompanhei alguns anos o trabalho dele nos rodeios e, alguns anos depois, dei de cara com o doutor em uma prova de Rédeas, competindo. Surpresa boa! Sabe aquela luz que ascende em cima da nossa cabeça quando temos uma ideia? (risos). Pois ascendeu em cima da minha e lá fui eu entrevistá-lo. Descobri que ele formou em medicina pela Universidade de São Paulo em 1994, fez residência em ortopedia, e depois se especializou em Medicina Esportiva. No rodeio, ele encontrou uma forma de unir a sua profissão com uma grande paixão. Pesquisando, Dr. Teochi descobriu que havia pessoas dedicadas ao estudo

30

e tratamento de atletas do rodeio nos Estados Unidos e Canadá. Em um congresso médico em Calgary (Canadá), durante o rodeio mais antigo do mundo, conheceu o médico da PBR, o chefe da equipe médica da PRCA e o principal estudioso nessas lesões, o canadense Dale Butterwick. Voltando ao Brasil, passou a acompanhar de perto os atletas de rodeio, reconhecendo um grande número de lesões típicas deste esporte. Sentindo a necessidade de estar ainda mais de perto, e com a ajuda de Adriano Moraes, André Metzker e Flávio Junqueira, montou uma equipe de atendimento médico nas etapas da antiga PRT, hoje PBR Brazil. Com o passar do tempo, ficou mais difícil conciliar a agenda do consultório e das cirurgias com as etapas, mas ele continua engajado. Me contou que há uma grande incidência de lesões ortopédicas nesses atletas e é importantíssimo tratá-las adequadamente. Tendo feito cirurgias

em aproximadamente 50 peões, ele explica que em alguns casos essas intervenções são necessárias, para permitir o retorno pleno deles ao esporte de alto rendimento. O principal objetivo neste projeto é conseguir um plano de cobertura de atendimento médico-hospitalar para os profissionais do rodeio e montar uma unidade móvel para melhorar o atendimento médico durante as competições. E, claro, com tudo isso, ‘contagiar’ outros médicos a tornarem-se especialistas nas lesões do rodeio. Além dos atendimentos em São Paulo, da vida em Itu (onde mora), os rodeios, Teochi agora divide seu tempo com as provas e treinos de Rédeas. É uma modalidade clássica do cavalo de trabalho, que vem crescendo muito nos últimos anos, e é a mais nova paixão do doutor. Com sua experiência esportiva, ele já operou também atletas de outras modalidades, como a Rédeas. Referência no assunto!


Fotos: Leandro Gasparetti

AgroHomenagem

OSMAIR GUARESCHI RECEBEU HOMENAGEM DA PREFEITURA

Osmair ladeado pela esposa Neide e a filha Nikelly Guareschi em sua homenagem

Sergio Expressão e Osmair Guareschi

I

naugurada no final de 2016, a escola municipal Osmair Donizette Guareschi, situada no bairro, Vila Ercília, tem o nome do empresário no ramo agronegócio. A homenagem partiu da Prefeitura de São José do Rio Preto, por intermédio do ex-prefeito, Valdomiro Lopes, que também é amigo pessoal de Osmair. A nova unidade escolar fica na rua Regente Feijó, que é cheia de simbolis-

mo para a família Guareschi. “Comecei meus negócios nessa rua, vendendo tratores”, disse Osmair à coluna. Ele ficou emocionado com a iniciativa. “Que bom que ganhei a homenagem em vida, para poder sentir esse momento especial”, completou o empresário. Origem humilde Osmair, como é conhecido pelos amigos, teve origem simples e nasceu

em Potirendaba – SP, quando novo veio para São José do Rio Preto, onde viu uma oportunidade na venda de tratores usados e, atuando no comércio de tratores, montou a Mercadão de Tratores, que hoje possui cinco filiais espalhadas pelo Brasil. Além de empresário, Osmair, é produtor rural, pecuarista e diretor da Associação Renascer e está envolvido com outros projetos sociais. 31


AgroSocial

Fotos: Leandro Gasparetti

SOCIAL WESTERN

03

06

09

Por Leandro Gasparetti

www.LEANDROGASPARETTI.com.br

01 01

02

04

05

07

08

10

11

01 - Paulo Sader, Presidente da Acirp de Rio Preto com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin - 02 - Luiz Antonio Arakaki, Kosuke Arakaki, Riromassa Arakaki e o humorista Tonho Prado - 03 - Jackeline e Cassiano (KajaVet) 04 - Markito, Juíz de Provas Cronometradas e Marcos Muzetti - 05 - Jerônimo Muzetti e Bodinho (Os Independentes de Barretos) - 06 - Os amigos Kiko (Grupo Pera) e Márcio Aguiar - 07 - Andrea Oliveira e Du, da Roping Boots / Goyazes - 08 - Luciano Delarco e Alessandro Mendes durante o Campeonato Barretos - 09 - André Pereira, Gerente de Marketing e Celso Trevensoli, da Jf Máquinas Agrícolas - 10 - O locutor Morcy Trindade com o cantor Leonardo - 11 - Delourdes, Gabriel e Marianna Falcão (Falcão Botas) 32


AgroInfo

Foto: Divulgação

MERCADO ORGÂNICO CRESCEU 20% NO MERCADO INTERNO O mercado nacional de orgânicos aumentou 20% em 2016, com faturamento estimado de R$ 3 bilhões, menos que nos anos anteriores devido à crise econômica, segundo o Conselho Nacional da Produção Orgânica e Sustentável – ORGANIS. Nas exportações, o grupo com 54 empresas associadas ao Organics Brasil, fe-

chou US$ 145 milhões em negócios, 9,5% menos que o previsto, consequência da oscilação do câmbio, apesar de terem exportado 15% a mais em volume. “O produto brasileiro ficou barato. A diferença do câmbio prejudicou as empresas. A expectativa é crescer 10% nas exportações em 2017, pois o setor continua em crescimento no mundo todo”, explica Ming Liu, di-

retor do Organics Brasil e do ORGANIS. Ainda no primeiro semestre, o ORGANIS participará das feiras APAS e Bio Brazil Fair/ Biofach América Latina, que permitirão negócios qualificados para toda cadeia dos orgânicos. “A expectativa para 2017 é melhorar o ambiente de consumo no Brasil, apesar da lenta retomada na economia”, explica Ming Liu.

33


Olá amigos, começando mais um ano e gostaria de desejar a todos um 2017 com muita saúde, paz e sucesso. Na primeira semana estive presente no evento em New York, e entre vários fãs (famosos) da PBR, uma chamou a atenção, Shania Twain vibrou muito durante as montarias. Espero levar a todos um pouco da emoção das arenas através das minhas lentes. MUDE DE ÂNGULO, MAS NÃO PERCA O FOCO!

ANDRÉ SILVA

FOTOGRAFO OFICIAL DA PBR

34

WWW.ANDRESILVA.COM.BR


24ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação

rota oficial do Agronegócio

/agrishow

Realizadores:

Companhia Área:

Promoção & Organização:

35


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negócios

KIT RESERVATÓRIO EM GEOMEMBRANA PEAD 25 MASH

Já vem PRONTO Você mesmo INSTALA Todas as medidas Melhor CUSTO benefício

Maurício de Freitas

(11) 2374-9203 (11) 2831-9203

CONSULTE - PREÇOS ESPECIAIS

36


AgroCulturas

Foto: Divulgação

CONCENTRAÇÃO DA CHUVA CAUSA IMPACTO NA PRODUÇÃO DE MILHO, CANA, HORTALIÇAS, FRUTAS E FLORES

Í

ndices pluviométricos registrados, no início de 2017, estão dentro da média histórica na maioria das cidades paulistas, de acordo com informações do Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas - Ciiagro. Apesar do volume de chuva deste ano estar dentro da média histórica, a concentração e constância das precipitações, causaram impacto na produção de alguns produtos agrícolas, como milho safrinha, cana-de-açúcar, hortaliças, frutas e flores, além de ter dificultado o manejo de solo e tratos culturais. O pesquisador do Instituto Agronômico (IAC-Apta), Orivaldo Brunini, aponta que as chuvas podem ter causado impacto no plantio da cana-de-açúcar. “A baixa luminosidade e o alto índice de chuvas também favorecem o florescimento da cana em variedades sensíveis e a alta umidade é um fator prejudicial para o plantio da cultura”,

explica. Essas condições climáticas também afetam a produção de hortaliças folhosas, na qualidade das folhas e ocasionando o aumento da incidência de doenças, além de afetarem, também, frutas como figo e uva, e flores, que não estão sendo cultivadas em sistema protegido. Chuva De acordo com dados do IAC, em Campinas choveu 267,46 milímetros, sendo que a média de chuva para a cidade, em janeiro, porém, é de 272,9 milímetros. O volume de chuva na cidade foi superior ao volume total registrado para o mês todo em 2015, quando choveu 202,95 mm, e 2014, quando foram registrados 181,35 mm. Para o secretário Arnaldo Jardim, São Paulo é hoje o Estado com maior quantidade de informações meteorológicas do Brasil, um trabalho com

impactos positivos no campo e nas cidades. “No campo, as informações são usadas para orientar as etapas do processo de produção e indicar adequadamente variedades adaptadas às condições climáticas da região onde se pretende cultivar”, afirma. Banco de dados do IAC é o maior e mais antigo do País O IAC mantém 180 estações meteorológicas distribuídas, em todo o Estado de São Paulo, que possui um banco de dados desde 1890 e, se configura como o maior e mais antigo banco de dados meteorológicos do País. O Instituto realiza zoneamento agroclimático, que é condição para o agricultor obter empréstimos bancários e seguro agrícola e, está em fase de finalização do zoneamento de espécies florestais e contribuiu com o zoneamento de cerca de 50 espécies, entre elas algodão, milho, soja e feijão. 37


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negรณcios

38


39


40

Magazine AgroFest - Fevereiro / Março 2017  
Magazine AgroFest - Fevereiro / Março 2017  

Magazine AgroFest, Edição nº 17 - Fevereiro / MArço 2017 | Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 34 cidades da Região. http://www.m...

Advertisement