Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano II - Edição 10 - Dezembro / Janeiro 2015

AVIAÇÃO AGRÍCOLA NO BRASIL

Páginas 22, 23 e 24

SILAGEM DE MILHO DE QUALIDADE: PRODUTIVIDADE É FUNDAMENTAL

COBB, 20 ANOS DE BRASIL EM 100 ANOS DE HISTÓRIA

Páginas 30, 31

Páginas 09

1


VIAJE PELO MUNDO

NA CVC, MOMENTOS QUE VALEM MUITO CUSTAM POUCO.

VIAJE PELO

BRASIL

BUENOS AIRES

GRAMADO

PORTO SEGURO

NATAL

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

4 dias - Saídas diárias

HOTEL UNIQUE PARK CENTRAL A PARTIR DE

10X

SEM JUROS

145,80

8 dias - Saídas diárias

À vista R$ 1.458, Diárias com café da manhã.

HOTEL CASABLANCA

YAK HOTEL NATAL

A PARTIR DE

A PARTIR DE

A PARTIR DE

SEM JUROS

141,80

10X

REAIS

A PARTIR DE

10X

SEM JUROS

195,80

REAIS

À vista R$ 1.958, Diárias com café da manhã.

CVC São José do Rio Preto Hiper Walmart .............. 2137 7000 Hiper Carrefour ............. 3213 9333 Shopping Cidade Norte . 3219 9777 Andaló ........................... 2137 5910

SEM JUROS

178,80

PORTO DE GALINHAS

SALVADOR

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

8 dias - Saídas diárias

8 dias - Saídas diárias

HOTEL MARINAS MACEIÓ

POUSADA ÁGUA VIVA

HOTEL SOL PLAZA

A PARTIR DE

A PARTIR DE

A PARTIR DE

180,80

10X

REAIS

SEM JUROS

191,80

À vista R$ 1.918, Diárias com café da manhã.

VALE VIAGEM

Alameda Super Muffato .. 3305 3646 Rio Preto Shopping ........ 3121 1450 Praça Shopping ............... 3212 8112 Shopping Iguatemi ......... 3519 4747

10X

REAIS

CVC Fernandópolis Loja Centro ...........3465 5520 CVC Barretos Loja Centro ........... 3321 0320 North Shopping ... 3321 2121

SEM JUROS

148,80

REAIS

À vista R$ 1.488, Diárias com café da manhã.

NESTE NATAL, DÊ MOMENTOS QUE VALEM MUITO!

Você escolhe o valor e quem ganha escolhe o que quiser. São centenas de opções de troca: roteiros, hotéis, aluguel de carro ou como parte de uma viagem maior. CVC Mirassol Loja Centro ...........3242 9006 CVC Olimpia Loja Centro ...........3279 2525

CVC Votuporanga Loja Centro .............34233029 CVC José Bonifácio Loja Centro ............ 3245 5036

Prezado cliente: os preços são por pessoa em apartamento duplo com saídas de Rio Preto nas datas: Gramado: 20/fevereiro; Maceió: 22/maio; Porto Seguro: 12/março; Porto de Galinhas: 15/maio; Natal: 21/maio; Salvador: 06/abril. Saídas de São Paulo: Buenos Aires: 04/abril e Santiago 24/março. Preços calculados no dia 02/12/2015 com câmbio CVC US$ 1,00 = R$ 4,05. Válido por tempo limitado. Condições de pagamento: parcelamento 1+9 no boleto bancário. Consulte outras opções para pagamento. *Todos os valores dos pacotes CVC são publicados já incluindo taxa de serviço, ISS e todos os outros impostos governamentais. Não estão incluídos impostos sobre serviços extras adquiridos no destino, taxas de turismo cobradas por algumas cidades e taxas de embarque cobradas pelos aeroportos. Preços, datas de saída e condições de pagamento sujeitos a reajuste e alteração sem prévio aviso. Ofertas de lugares limitadas e reservas sujeitas a confirmação. Fotos ilustrativas. Reservamo-nos o direito de qualquer erro de digitação ou impressão. Ofertas válidas para compras até um dia após a publicação deste anúncio.

2

REAIS

MACEIÓ

À vista R$ 1.808, Diárias com café da manhã.

HOTEL CAPITAL APART

10X

REAIS

À vista R$ 1.788, Diárias com café da manhã.

SEM JUROS

Passagem aérea, hospedagem e traslados.

127,80

À vista R$ 1.278, Diárias com café da manhã.

10X

4 dias - Saídas diárias

SEM JUROS

À vista R$ 1.418, Diárias com café da manhã.

8 dias - Saídas diárias

SANTIAGO

8 dias - Saídas diárias

HOTEL ENCANTOS PORTAL 10X

REAIS

8 dias - Saídas diárias


TROUXEMOS 46 ANOS DE CREDIBILIDADE NA NOSSA BAGAGEM.

CONFIRA DESCONTOS ESPECIAIS PARA PRODUTOR RURAL E CNPJ.

RIO PRETO | Av. José Munia, 6400 | Tel.: 17 2139-9900 /JAVEPCHEVROLET

WWW.JAVEP.COM.BR

3


AgroFest

EDITORIAL

Leandro Gasparetti

AGROFEST COMEMORA 10ª EDIÇÃO!

A

José Eduardo Costa

gradecemos a todos que tem nos apoiado e incentivado nestas dez edições e, gostaríamos de ressaltar que desde o início não foi fácil, mas com a ajuda de todos conseguimos chegar até aqui e acreditamos que conseguiremos alcançar novas metas. Na última edição de 2015 focamos em temas como a aviação agrícola, novas regras para aposentadoria rural, semente de cana, 3º Leilão Astros da Arena, aplicativo Valtra, congresso da Ekip Rozeta, imposto zero na ração de bovinos, tecnologia na agricultura, a necessidade dos geradores na agricultura, entre outros. Desejamos a todos um feliz natal, um prospero ano novo e que 2016 seja melhor, que o ano que se passou, com muitas conquistas, novos desafios, sabedoria e que Deus abençoe a todos. Tenham uma boa leitura.

SUMÁRIO

06

AgroInfo

15 AgroRodeio

26

AgroVeterinário

34 AgroMúsica

07

AgroInfo

16

28

AgroEnergia

36 AgroModa

FENO É OPÇÃO

NOVAS REGRAS PARA APOSENTADORIA RURAL

08 AgroCultura

“SEMENTE DE CANA” CHEGA PARA INOVAR E FARÁ REVOLUÇÃO PRODUTIVA

BARRA MANSA LANÇA CIRCUITO DE RODEIO

AgroCultura

APLICAÇÃO DE ROTAÇÃO DE CULTURAS NAS PLANTAÇÕES

18

AgroRodeio

ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO SERÃO EMBAIXADORES DA 61ª FESTA DO PEÃO DE BARRETOS

10

AgroBeneficente

20

AgroRodeio

12

AgroLeilão

22

AgroCapa

1º QUEIMA DO ALHO EM PROL AO LAR DE IDOSOS DE ENGENHEIRO SCHMITT

ASSOCIAÇÃO RENASCER REALIZOU 7ª EDIÇÃO DO LEILÃO DE GADOS

14

AgroLeilão

ACONTECERÁ EM MARÇO DE 2016 O 3º LEILÃO ASTROS DA ARENA

EXPEDIENTE

POR ANDRÉSILVA

AVIAÇÃO AGRÍCOLA NO BRASIL

25 AgroCultura MORANGO AZUL POSSUI MAIOR RESISTÊNCIA

Diretor Geral Leandro Gasparetti 17 99151-5658 | 99756-7249 contatoagrofest@gmail.com

Diretor Comercial José Eduardo Costa 17 99774-0591 | 99129-9305

comercialagrofest@gmail.com

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP

Foto: Leandro Gasparetti 4

O MORMO EQUINO E SEUS IMPACTOS NA SAÚDE PÚBLICA

A NECESSIDADE DOS GERADORES NA AGRICULTURA

THIAGO & MATHEUS DE VOLTA A RIO PRETO

WESTERN SUMMER STYLE

30 AgroSilo

38 AgroSocial

32 AgroTecnologia

40 - 42 AgroEmpresas

SILAGEM DE MILHO DE QUALIDADE: PRODUTIVIDADE É FUNDAMENTAL

VALTRA DESENVOLVE APLICATIVO QUE AGILIZA AS ATIVIDADES OPERACIONAIS NO CAMPO

POR LEANDRO GASPARETTI

GUIA DE EMPRESAS & NEGÓCIOS

Distribuição em 34 cidades

Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, Minas Gerais: Fronteira

Jornalista André Luiz de Oliveira Souza MTB: 75680/SP Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico/Diagramação Rede A Comunicação 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto 17 3016-4000

Colaboradores

Andreza Regaccini, Associação Renascer, Portal Brasil, Embrapa, Ministério da Agricultura, Triângulo Aviação Agrícola, Phábrica de Ideias, Valtra, Nova Cana, André Silva, Paulo Belarmino, Tonho Prado, Patricia Marchi, Secretaria de Agricultura de SP, Embrapa.

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

*Artigos assinados representam opiniões dos autores. A opinião da Revista se expressa no editorial.

“Jesus eu confio em Vós”


5


AgroInfo

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP

FENO É OPÇÃO DE ALIMENTO EM PERÍODOS DE ESCASSEZ DE FORRAGENS

E

studo apresentado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Zootecnia, mostra que o feno é uma boa opção para a alimentação de animais em períodos de escassez de forragens, sendo uma alternativa para aproveitar o excedente produzido nos períodos de maior desenvolvimento, assim como utilizar áreas específicas para a produção do feno. Para evitar perdas na quantidade e na qualidade da forragem, é necessário executar corretamente uma sequência de atividades do processo de fenação como o corte, a desidratação,

6

o enfardamento e o armazenamento. “Embora muito se tenha evoluído no que diz respeito às técnicas de produção de feno, em termos gerais, a qualidade ainda é baixa, principalmente pelo fato do corte das forrageiras ocorrerem em idade muito avançada”, afirmou Evaldo Ferrari Junior, pesquisador da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, do Instituto de Zootecnia (IZ). Para a produção de um feno com elevado valor nutritivo, é necessário atentar-se para a idade da forrageira no momento do corte, que deverá ser de 6 a 9 semanas, para proporcionar um teor médio de 8 a 12% de proteína

bruta e 55 a 60% de digestibilidade, dependendo das circunstâncias de seu preparo. A importância da transferência de tecnologia como forma de aumentar produtividade e gerar renda ao produtor rural é defendida pelo secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, atendendo as diretrizes do governador Geraldo Alckmin. “A cada pesquisa que a Secretaria, por meio dos seus Institutos, a agricultura e pecuária paulista evolui, pois cada trabalho, colocando o Estado de São Paulo na vanguarda do conhecimento e inovação”, finaliza Jardim.


AgroInfo

Fonte: Portal Brasil

NOVAS REGRAS PARA APOSENTADORIA RURAL A sanção da Lei nº 13.183 pela presidente Dilma Rousseff, no mês de novembro, com novas regras para o Regime Geral de Previdência Social (RGPS), manteve o direito dos trabalhadores rurais à aposentadoria como segurados especiais aos 60 anos (homens) e 55 anos (mulheres). Eles podem continuar acessando a aposentadoria, mesmo sem ter cumprido a exigência feita ao trabalhador urbano, que deve contribuir com a Previdência por 30 anos (mulheres) e 35 anos (homens). A aposentadoria rural especial é permitida para o agricultor familiar, o meeiro ou o campesino que arrenda até quatro módulos rurais, cujo tamanho varia conforme o município. Para se aposentar, o trabalhador rural precisa comprovar que atingiu a idade de apo-

sentadoria realizando atividades no campo. A presidente manteve a sugestão do Congresso Nacional para que o trabalhador do campo associado à cooperativa agropecuária ou de crédito rural possa acessar o benefício previdenciário, o que até então não estava regulamentado em lei. Dilma vetou, contudo, a sugestão do Congresso para que trabalhadores rurais em idade de aposentadoria com cargo de vereador ou de dirigente em cooperativa de crédito recebam o benefício previdenciário especial. Na justificativa do veto, a presidente argumentou que “poderia restar afastada a característica de economia familiar, intrínseca aos segurados especiais.” Com isso, continua valendo a regra de contribuição ao RGPS por meio

de pagamento da tributação exigida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A regra também vale para quem tem outra fonte de renda além do trabalho no campo.

7


AgroCultura

Fonte: Nova Cana / CTC - Foto: Divulgação

“SEMENTE DE CANA” CHEGA PARA INOVAR E FARÁ REVOLUÇÃO PRODUTIVA

A

partir da safra 2018/2019, os plantadores de cana-de-açúcar do país poderão ter à disposição uma importante inovação tecnológica, a utilização da “semente de cana” (célula de cana clonada), cuja pesquisa está em desenvolvimento nos laboratórios do Centro de Tecnologia Canavieira - CTC, devendo provocar uma verdadeira revolução nos índices de produtividade do setor. A informação foi dada pelo presidente do CTC, José Gustavo Teixeira Leite, durante encontro com o presidente da Confederação da Agricultura e Pe-

cuária do Brasil (CNA), João Martins, na sede da entidade, em Brasília. Teixeira Leite disse ao presidente da CNA que o melhoramento genético da cana, permitirá o surgimento de novas variedades mais produtivas da cana, com maior teor de sacarose, tolerância à seca e resistência às pragas. A primeira variedade transgênica deverá ser colocada no mercado em 2017, antecedendo à “semente de cana” prevista estar à disposição dos produtores dois anos mais tarde. Para Teixeira Leite, em termos de biotecnologia, a cana-de-açúcar está

17 anos atrasada em comparação com os exemplos de sucesso obtidos com as sementes transgênicas desenvolvidas no país para as culturas de milho e soja. A partir da utilização da “semente de cana”, vai ser possível melhorar muito “a produtividade do setor, porque a forma de plantio do produto tem quase as mesmas características de 400 anos atrás, em relação ao desenvolvimento tecnológico”, comentou. Dentre as metas do CTC, está previsto dobrar a produtividade da cana por hectare, nos próximos dez anos.

Presidente do CTC, José Gustavo Teixeira Leite, durante encontro com o presidente da CNA, João Martins, na sede da entidade, em Brasília 8


9


AgroBeneficente

Fotos: Divulgação

1º QUEIMA DO ALHO EM PROL AO LAR DE IDOSOS DE ENGENHEIRO SCHMITT

O EVENTO BENEFICENTE DO ANO! No dia 29 de novembro, realizado no Parque Tríade, em São José do Rio Preto, um grupo de empresários encabeçados pela Comitiva Maquinas e Epi’s e mais de 60 voluntários, realizaram um grande almoço com característica das antigas comitivas. Esta em especial, foi feita pelo amigo Milton Liso e sua comitiva, ganhadores da queima do alho de Barretos 2015. Este evento que parecia impossível

10

de se realizar pelo pouco tempo que tiveram para preparar, divulgar e ainda o próprio tempo chuvoso que era esperado para o dia, fez tudo ficar ainda melhor. Com um público estimando com cerca de 400, todos puderam comer uma boa comida, além de ouvirem boa música e ganharem vários brindes. Para as crianças teve brincadeira na piscina, volta a cavalo, escorregador

e no pula pula, as famílias tiveram muita área verde para passear e bingos. “Foi um ótimo dia para a solidariedade e união de pessoas e podemos dizer que o evento foi sucesso absoluto, graças a colaboração de todos que nos ajudaram e, para o próximo ano pretendemos que seja melhor” finaliza Júlio Carvalho e Fabio Leme, organizadores da 1º Queima do Alho.


2 3 ª F e i r a I n t e r n a c i o n a l d e Te c n o l o g i a A g r í c o l a e m A ç ã o

MEDALHA DE OURO DO AGRONEGÓCIO

25 a 29 de Abril 8h 18h

Ribeirão Preto SP - Brasil

das

www.agrishow.com.br Realização:

às

/agrishow

Promoção & Organização:

MENORES DE 14 ANOS DEVEM ESTAR ACOMPANHADOS DOS PAIS E/OU RESPONSÁVEIS.

11


AgroLeilão

Fotos: Leandro Gasparetti

ASSOCIAÇÃO RENASCER REALIZOU 7ª EDIÇÃO DO LEILÃO DE GADOS

N

o dia 19 de novembro de 2015 ocorreu a 7ª Edição do Leilão de Gados da Associação Renascer, em parceria com o Recinto de Leilões Anísio Haddad em Rio Preto. Este ano o evento contou com 200 pessoas, o dobro em relação à edição passada. Foram leiloados 43 cabeças de gado, entre bezerros, novilhas, bois, cavalos, carneiros e garrotes que ao todo somaram R$ 100.000,00, enquanto que no ano passado o montante ficou em R$ 70.000,00. Todo o dinheiro arrecadado este ano será utilizado para o pagamento das Obras de Acessibilidade da Unidade I que fica no Jardim Soraia. O Leilão de Gados da Associação, organizado pela presidente Elisabete

12 12

Liso e pelos diretores José Alberto Liso, Milton Liso, Osmair Guareschi e Sidney Thiago tem como objetivo arrecadar fundos para manter a estrutura e todos os projetos da entidade, uma vez que o valor repassado pelo poder público é insuficiente para manter as despesas da Associação. Ao longo do ano, os diretores da Associação começam um trabalho com os amigos e conhecidos para arrecadar cabeças de gado para o Leilão Beneficente ou dinheiro para comprar os animais. Durante as quintas-feiras, dia em que ocorrem os leilões comerciais no Anísio Haddad, a Associação faz um trabalho, como por exemplo, apresentação de alguns projetos com

os alunos, para angariar gados doados pelos frequentadores dos leilões. A Associação Renascer, fundada em 1993, é uma instituição de assistência social, sem fins lucrativos, que atende atualmente 350 crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual e/ou física originada de lesão cerebral ou não, síndrome de down e nos demais casos, mediantes critérios avaliados pela instituição. A Associação conta também com 82 funcionários qualificados que participam do desenvolvimento dos atendidos e também com um grupo de voluntários como pais, amigos e pessoas da comunidade.


AgroSistema

Fonte: ABCZ- Foto: Divulgação

PRÓ-FÊMEAS SERÁ IMPLANTADO EM SÃO PAULO

O

s produtores de leite do Estado de São Paulo passarão a contar em 2016 com um novo sistema de incentivo para elevar a produtividade dos pequenos e médios rebanhos. O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Jônadan Ma, apresentou no dia 08 de dezembro, ao secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim, o programa Pró-Fêmeas. A proposta é estimular a adoção do uso, em larga escala, de fêmeas Girolando de alta qualidade genética nas pequenas e médias propriedades, incluindo agricultura familiar. São Paulo já foi o segundo maior produtor de leite do país na década de 1980 e, atualmente, ocupa a sexta posição. “A expectativa é que, com o Pró-

-Fêmeas, os produtores tenham oportunidade de melhorar a produtividade de seus rebanhos com a aquisição de animais de alto potencial de produção. Para facilitar a compra das fêmeas, o programa permite o uso de crédito rural, como, por exemplo, a linha PRONAF”, explica o presidente da Girolando, Jônadan Ma. O primeiro Estado a adotar o Pró-Fêmeas foi Minas Gerais, implantando-o em dezembro de 2014. O programa também deve ser implantado em outras regiões, como Rondônia. A reunião com o secretário Arnaldo

Jardim ainda teve a presença do vice-presidente da Girolando Nelson Ariza, do prefeito de Lins Edgar de Souza, do vice-prefeito Rogério Barros, do secretário municipal de Agropecuária, Meio Ambiente e Sustentabilidade Rodolfo Alves, do presidente do Sindicato Rural de Lins Luís Alfredo.

13


AgroLeilão

Foto: Leandro Gasparetti

AGENDA ACONTECERÁ EM eventos CURSOS - SIMPÓSIOS ENAGRO – Escola Nacional de Gestão Agropecuária – Acesse o portal e veja todos os cursos oferecidos: www.enagro. agricultura.gov.br Curso de Montarias em Touros com Adriano Moraes: Os Inscritos nos cursos com Adriano Moraes, Organizado por Matheus Carreiro. Os inscritos terão direito em participar de “Qualify” para montar em uma etapa de Acesso da PBR. Data: 04 e 06 de Janeiro Info: (16) 99702-5000 – Ibitinga/SP Eucalipto 2016 – Simpósio sobre Tecnologias de Produção Florestal – 11 a 14 de Abril - Center Convention – Uberlândia/MG

RODEIOS / FESTAS PROVAS CRONOMETRADAS Prova do ISSAO – 16ª Prova – 28 de Abril a 1 de Maio 2016 – Presidente Prudente/SP 61ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos – 18 a 28 de Agosto – Barretos/SP

EXPOSIÇÕES AgriShow 2016 – 25 a 29 de Abril – Ribeirão Preto/SP BeefExpo 2016 – 14 a 16 de Junho – Centro de Eventos Pro Magno – São Paulo/SP 24ª Feira Internacional de Tecnologia Sucroenergética – 23 a 26 de Agosto – Sertãozinho/SP

LEILÕES: Leilões Anísio Haddad – Todas as quintas-feiras às 18hrs - Local: Recinto de Leilões Anísio Haddad – Informações: (17) 3227-2299 / www. leiloesahaddad.com.br 14

MARÇO DE 2016 O 3º LEILÃO ASTROS DA ARENA A cidade de São José do Rio Preto, em março de 2016, será mais uma vez, palco de um dos maiores encontros do mercado de touros do rodeio brasileiro. O leilão Astros da Arena, organizado pelo médico veterinário, Paulo Belarmino, vem com sua 3º edição trazendo para a cidade os mais conceituados tropeiros e investidores do rodeio, ofertando o que há de melhor na genética de animais de pulos da atualidade. Além de animais renomados, o 3º Leilão Astros da Arena, trará também fêmeas de genética, sêmen dos melhores touros do país e filhos (as) dos mais conceituados no esporte do rodeio. Uma oportunidade imperdível de rever velhos amigos e fazer parte de um dos maiores intercâmbios de touros e genética de animais de pulos do Brasil. Tudo em um só lugar. Maiores informações: Paulo Belarmino - (17) 99772-5567 astrosdaarena@hotmail.com


AgroRodeio

Fotos: Leandro Gasparetti

BARRA MANSA LANÇA CIRCUITO DE RODEIO A

cerca de 35 anos atrás, devido as festas de peões que frequentava e pela emoção que sentia ao ver as montarias, José Rodrigues Pereira, mais conhecido como Barra Mansa, iniciava sua carreira como locutor. Nascido na cidade de Adolfo, no interior paulista, na Fazenda da Barra Mansa, de onde surgiu seu apelido, já que desde criança todos o conheciam como Zé da Barra Mansa. Na adolescência trabalhou em uma rádio na cidade de Novo Horizonte, como faxineiro, mas não demorou

muito para que fosse parar atrás do microfone e desse o primeiro passo para uma vida trilhada sobre versos, rimas e muita emoção, levadas para as festas de peão de todo o Brasil. Depois de narrar jogos de futebol e apresentar projetos de cultura popular do estado de São Paulo, quando trabalhou na Secretaria de Cultura, em 1977 começou a narrar os comerciais das festas de peão, ao lado do amigo e incentivador Zé do Prato, narrador oficial da Festa de Peão de Barretos. Em 1982 começou a narrar a Festa de Peão de Barretos, onde se

tornou locutor oficial e é até hoje. De origem e personalidade humildes, traz como marca sua voz grave e forte - que o fez ficar conhecido como o Tenor das Arenas - sua tranquilidade, sua experiência e seus versos, fazendo, em média, 43 festas por ano. Lançou outros nomes consagrados da locução de rodeios como Marco Brasil, Asa Branca, Della Morena, Mara Magalhães, Leandro Sato, entre outros. Fez participações especiais nas novelas “Ana Raio e Zé Trovão” e “Pantanal”, da antiga TV Manchete. CIRCUITO BARRA MANSA DE RODEIO Após anos de experiência em narrações de vários rodeios pelo país e pelo mundo, Barra Mansa, decidiu que é hora de alçar novos voos e, para 2016, vai lançar o Circuito Barra Mansa de Rodeio. “Tomei a decisão de lançar um circuito baseado nas necessidades que vejo dos rodeios, pois hoje, as festas são voltadas para os shows e, não para as famílias” comenta Barra Mansa. Já para 2016 pretendem realizar 20 etapas e uma final, com montarias em touros, cavalos e três tambores, onde contará com a participação de amigos e colaboradores que atuam há anos na organização dos rodeios pelo país. “Pretendo realizar eventos mais baratos, para que as famílias possam participar e presenciar os rodeios, claro que haverá shows, mas com cantores que não tenham caches tão altos, pois hoje cerca de 40% vai para os caches dos cantores, onde acaba encarecendo os rodeios” finaliza Barra. Contatos: (17) 99665-2259 e 98171-3007 15


AgroRodeio

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP

PARQUE CITRÍCOLA TEM 2% DE ÁREA COM POMARES ABANDONADOS Censo feito pelo Fundecitrus aponta 9.953 hectares de citros com alta infestação de pragas e em más condições

O

parque citrícola, formado por municípios de São Paulo e do Triângulo e Sudoeste Mineiro tem 9.953 hectares de pomares de citros abandonados, o que corresponde a 2% de sua área total, de acordo com o censo da citricultura, realizado pelo Fundo de Defesa da Citricultura - Fundecitrus. Estas áreas representam risco aos pomares sadios e produtivos devido à alta incidência de pragas e doenças, por estarem sem tratos culturais, com frutas apodrecidas no chão, mato alto, plantas com galhos secos ou mortas. A macrorregião Centro é a mais afetada pela presença desses pomares. Nela, estão as regiões de Duartina, primeira colocada do abandono com 1.889 hectares (3% de sua área), e Ma-

16

tão com 1.353 ha (2%) abandonados, além de Brotas, que tem a maior área abandonada proporcional ao seu tamanho, com 1.339 ha (mais de 5%). O Triângulo Mineiro é a macrorregião com menor área de pomares abandonados ou em más condições, com 0,88% do seu território nestes estados. O parque citrícola tem outros 24.672 hectares (5,5%) em condições ruins, com deficiência de tratos culturais, plantas com produtividade em baixa e manejo inadequado de pragas e doenças. Neste quesito, a região de Limeira está disparada na frente com 6.517 ha em mau estado, representando 14% da sua área. Seguida pela região de Porto Ferreira, com 3.674 ha (9%) e Brotas com 2.858 ha (12%). De acordo com o gerente geral do

Fundecitrus, Antonio Juliano Ayres, estes pomares representam um grande risco para a citricultura. “Essas plantações servem de constante fonte de doença e criadouro de pragas, sobretudo do psilídeo, transmissor do HLB (greening). Eles devem ser erradicados porque prejudicam os citricultores que estão cuidando de seus pomares e desenvolvendo um bom trabalho”, afirma. O Fundecitrus tem investido em ações para minimizar o impacto causado por estes pomares. A principal delas é a criação e soltura da vespinha Tamarixia radiata, inimigo natural do psilídeo. Também tem incentivado os citricultores a buscar soluções com os proprietários de pomares vizinhos que estão em más condições, entre elas a erradicação ou pulverização da área.


Foto: Divulgação

AgroCultura

APLICAÇÃO DE ROTAÇÃO DE CULTURAS NAS PLANTAÇÕES

A utilização da técnica ajuda na saúde do solo e do meio ambiente

P

ara obter máxima produtividade no cultivo, além de promover a conservação da saúde do solo e do meio ambiente é necessário utilizar rotação de culturas, já que beneficiam em vários aspectos, dentre eles, produção agrícola diversificada, melhoria das características físicas, químicas e biológicas do solo, controle de plantas daninhas, doenças e pragas, reposição

de matéria orgânica e proteção contra a ação dos agentes climáticos no solo. O planejamento da rotação deve considerar plantas comerciais e, sempre que possível, associar espécies que produzam grandes quantidades de biomassa e de rápido desenvolvimento, cultivadas isoladamente ou em consórcio com culturas comerciais, pois não basta apenas estabele-

cer e conduzir a melhor sequência de culturas. Já os sistemas contínuos de sucessão, como trigo-soja ou soja-milho safrinha, provocam degradação física, química e biológica do solo, resultando em queda de produtividade, e gera condições favoráveis para o desenvolvimento de doenças, pragas e plantas daninhas.

17


AgroRodeio

Foto: Divulgação

ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO SERÃO EMBAIXADORES DA 61ª FESTA DO PEÃO DE BARRETOS

Í

cones da música sertaneja e prestes a completarem 25 anos de carreira, os irmãos Zezé di Camargo e Luciano terão mais uma missão em 2016. A dupla será a representante oficial da 61ª Festa do Peão de Barretos, que acontecerá de 18 a 28 de agosto. Eles foram convidados pela organização do evento e aceitaram o título de Embaixadores do Rodeio de Barretos. Além disso, a organização e a produção da dupla confirmaram que o show que acontecerá em agosto durante o evento - em data ainda a ser divulgada

18

- será inédito e contará com a participação de convidados. “O formato e as participações especiais estão sendo definidos, mas o show será totalmente exclusivo”, explica Ricardo Rocha, Diretor Cultural de Os Independentes, associação que promove a Festa. O produtor que acompanha Zezé Di Camargo & Luciano, Cesar Augusto, será o responsável pela roteirização da apresentação. De acordo com o presidente da Festa, Hussein Gemha Junior, o papel dos embaixadores é muito significativo. “Zezé di Camargo & Luciano é uma dupla em-

blemática com uma enorme contribuição para a música sertaneja. E em Barretos eles tiveram apresentações que ficaram marcadas na história da Festa”, finaliza.


Coquetel Alcoólico

Irresistível coquetel com o sabor marcante da canela, KENGA é perfeita para curtir pura ou compor drinks extravagantes.

APRECIE COM MODERAÇÃO. VENDA PROIBIDA PARA MENORES DE 18 ANOS.

NTA ESQUE a sua festa! Um produto:

/domtapparoengenho @domtapparo Rodovia Feliciano Sales Cunha | Km 457 - Mirassol | Fone (17) 3253-4449 Rua Lino Seixas, nº 57 - São José do Rio Preto | Fone (17) 3224-2477 Av. Rio Preto, nº 118 - Bady Bassitt | Fone (17) 3258-3966 Av. Mário Vieira Marcondes, nº 666 - Olímpia | Fone (17) 3280-4818

19


20


21


AgroCapa

AVIAÇÃO AGRÍCO O surgimento da aviação agrícola no Brasil e

A

aviação agrícola é uma importante ferramenta no combate e prevenção de pragas, doenças e plantas infestantes (plantas daninhas) na agricultura, já que é utilizada para a aplicação de defensivos agrícolas, como inseticidas, fungicidas, herbicidas, adubo na forma liquida e sólida, semeadura de pastagens, coberturas, reflorestamento, povoamento de lagos e rios com peixes, o auxílio à saúde pública no combate a doenças endêmicas, entre diversas outras atividades. Poucos sabem que a aviação agrícola foi inventada em 1911 pelo agente florestal alemão, Alfred Zimmermann, mas só teve aplicação comercial, nos EUA, em 1921, já que na época a aplicação se dava por um passageiro jogando do avião de um saco. As técnicas modernas de aplicação, como a do baixo-volume (10 a 30 l/ha) só iniciaram a partir de 1943. Já no Brasil, o primeiro voo agrícola

22

aconteceu em 1947, no Rio Grande do Sul, com a Aeronave MUNIZ, modelo M-9, biplano de fabricação nacional, prefixo GAP, monomotor de 190 HP, autonomia de voo de 4 horas, equipada com depósito metálico, constituído em dois compartimentos em forma de moega e dosador próprio para o combate de uma praga de gafanhotos, mas só foi reconhecida oficialmente, no Brasil, em 1969, através do DL de nº 917. No ano de 1965 foi criada a empresa Seara Defesa Agrícola Vegetal Ltda. que desenvolveu a tecnologia de aplicação aérea UBV (Ultra Baixo Volume) na cultura do algodão, mas foi na década de 70 que houve um grande desenvolvimento nos trabalhos de aplicação aérea, mas na década seguinte, devido à falta de tecnologia, os trabalhos de aplicação aérea entraram em decadência. Na década de 90 muitas novas tecnologias começaram a ser utilizadas pela aviação agrícola no

Brasil, com novas pontas de pulverização desenvolvidas, novas barras de pulverização aerodinâmica, aperfeiçoamento dos equipamentos nacionais e o DGPS. De todas essas novas tecnologias foi o DGPS a que mais se destacou, pois funcionou como um certificado de garantia de boa aplicação e, com certeza, foi responsável pelo fechamento de muitos contratos de aplicação aérea com muitos produtores. Atualmente, no Brasil existem cerca de 1.500 aviões agrícolas em operação. O mercado potencial para essas aeronaves é de 10.000 unidades. Esse potencial de mercado leva em consideração somente as áreas agrícolas atualmente exploradas e não levam em consideração ainda as áreas com possibilidades de exploração. A Triângulo Aviação Agrícola atua há mais de 30 anos no Noroeste Paulista, focando nas plantações de cana de açúcar que é o forte da região. É claro,


Fotos: Leandro Gasparetti

OLA NO BRASIL

os prós e contras da atividade na agricultura

além de seringueiras, milho, soja entre outros. Na aviação agrícola também exigem normas da ANAC, Secretaria da Defesa Agropecuária e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para aplicação dos defensivos como, distância de 500 mts de matas, nascentes, rios e, de locais povoados a distância é de 1.000 metros. “O avião

não pode sobrevoar carregado, perto ou acima das cidades, tendo que descarregar ou sobrevoar na distância determinada” comenta sócio proprietário da Triângulo Aviação Agrícola, João Marcolino. SEGURANÇA OPERACIONAL - Aplicação aérea fica restrita a área a ser tratada;

- Não é permitida a aplicação aérea de defensivos agrícola em áreas situadas a uma distância mínima de 500 (quinhentos) metros de povoação (cidades, vilas, bairros), de mananciais com capitação de água para abastecimento de população e, de 250 (duzentos e cinquenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas e agrupamento de animais e cultura susceptí-

23


AgroCapa

Fotos: Leandro Gasparetti

André Luiz Matheus, Vitor de Oliveira Barbosa e João Marcolino da Silva Junior, sócios proprietários da Triângulo Aviação Agrícola veis a danos; - No caso de aplicação aérea de fertilizantes e sementes, em áreas situadas a distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoações, o aplicador fica obrigado a comunicar previamente aos moradores da área. BENEFÍCIOS DA AVIAÇÃO AGRÍCOLA A aviação agrícola surgiu para ter um melhor aproveitamento na aplicação dos defensivos, pois reduz o tempo de aplicação, já que numa área de 200 hectares o avião faz em 3 horas, já o trator gastaria em torno de 12 a 18 horas. Além da redução de recursos hídricos (agua), pois no avião utiliza-se de 3 a 50 litros por hectare, já no

trator são de 200 a 400 litros por hectare, como também na compactação de solo, pois o avião não compacta o solo, já o trator compacta o solo na aplicação dos defensivos e depois vai ter que repassar para fazer a descompactação, havendo o retrabalho. E, sem falar que o avião sobrevoa a cultura, não tendo contato com mesma e evitando a disseminação de pragas e doenças como pode acontecer na aplicação terrestre. “Com o avião fazemos as aplicações em horários pré-definidos (de manhã ou no fim do dia), com até 30ºC de temperatura, umidade acima de 55% e com até 10 km de ventos, para melhor rendimento da aplicação, já com

Atividades da Aviação Agrícola Na aviação agrícola pode-se atuar em vários setores, na tabela abaixo, poderá ver algumas opções:

24

O DGPS é uma tecnologia embarcada do avião que com as coordenadas consegue identificar os riscos potenciais além de calibrar o avião o trator é feito em qualquer horário, onde ocorre à evaporação do produto e não se aproveita quase nada” comenta Marcolino. Além dos benefícios citados, possui ainda, a questão da poluição com o combustível, já que com o trator se usa o diesel e no avião etanol, e da economia, pois o avião possui horários específicos para sobrevoo e com o trator roda-se o dia inteiro. Mas, claro, que cabe a cada produtor ver qual o custo beneficio se enquadra melhor ao seu bolso, pois na atual situação financeira do país é de suma importância aliar baixos custos operacionais com qualidade em aplicações de defensivos agrícolas, e nunca se esquecendo na preservação e conservação do meio ambiente.


AgroCultura

Foto: Divulgação - Fonte: Agência FAPESP

MORANGO AZUL POSSUI MAIOR RESISTÊNCIA

C

onhecido por sua cor avermelhada e sabor adocicado, o morango, agora será conhecido, também, pela cor azul. Modificado geneticamente, devido a utilização de proteínas (pT7blue e pT7blue2) que são do peixe chamado Ártico Solha, o morango que era vermelho agora ficou azul, mas não pretendiam mudar a coloração da fruta.

A transferência de genes que codificam a proteína anticongelante a partir do peixe antártico é um dos meios de aumentar a resistência ao gelo. Além disso, de morango é um produto macio e frágil e tem uma vida útil muito curta, que devem ser armazenados em baixas temperaturas para a vida de prateleira, mas cristais de gelo prolongados, a temperaturas de congelamento, po-

dem danificar gravemente a fruta. A intenção dos cientistas era que com a modificação a fruta possa suportar baixas temperaturas, além de maior resistência contra vírus, fungos, insetos, herbicidas entre outros. E, também, não irá disponibilizá-lo para comercialização, até finalizarem todos os testes para ver se a modificação obteve sucesso.

25


AgroVeterinário

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com

Foto: Divulgação

Cavalo com Mormo, doença contagiosa

O MORMO EQUINO E SEUS IMPACTOS NA SAÚDE PÚBLICA Conhecido também como Lamparão, o Mormo é uma zoonose pouco discutida, mas que apresenta grave ameaça à saúde pública, principalmente aos profissionais que estão diariamente em contato com os equinos.

O

Mormo é uma doença contagiosa, que acomete principalmente os equinos, e que pode afetar algumas espécies de carnívoros e eventualmente pequenos ruminantes. Pode ser transmitida também ao homem, daí sua grande importância como zoonose e os riscos que representa para a saúde pública em geral. É uma zoonose considerada laboral, ou seja, a grande maioria dos casos ocorre em pessoas que trabalham em contato com os animais diariamente (criadores, tratadores e médicos veterinários) A infecção se dá pelo contato com a bactéria através de fluídos corporais dos animais doentes, como: pús,

26

urina, secreção nasal e fezes. Este agente pode penetrar no organismo pela via digestiva, respiratória, genital ou cutânea (através de alguma lesão), alcançando a circulação sanguínea, indo alojar-se em alguns órgãos, em especial, nos pulmões e fígado. Os sintomas mais comuns da doença são a presença de nódulos nas mucosas nasais, nos pulmões, gânglios linfáticos, catarro e pneumonia. A forma aguda é caracterizada por febre alta, fraqueza e prostração; pústulas na mucosa nasal que se transformam em úlceras profundas com uma secreção, inicialmente amarelada e depois sanguinolenta; e dificuldades respiratórias. A doença não admite tratamento,

devido ao grande risco epidemiológico do manejo dos animais infectados. Sendo assim, todo o animal que tenha o diagnóstico confirmado para o mormo deve ser sacrificado e o corpo cremado no local onde se encontrar, realizando a desinfecção de todo o local e material que esteve em contato com o animal doente. A importância do exames de diagnóstico precoce de mormo é indiscutível para a manutenção da saúde pública e para se evitar possíveis epidemias da doença. Em caso de dúvidas, ou da necessidade da realização de exames diagnósticos de mormo, procure a orientação de um Médico Veterinário capacitado.


27


AgroEnergia

Fotos: Arquivo

A NECESSIDADE DOS GERADORES NA AGRICULTURA A

tualmente, todas as atividades agropecuárias dependem da energia elétrica e, por este motivo os produtores rurais tem adotado a utilização de geradores em suas produções. Como é o caso dos aviários, mais conhecidos por granja que, para não terem queda na produção e prejuízos, utilizam chocadeiras elétricas que aumentam a produtividade e reduzem o tempo de choca, de 30 para 15 dias e, para que não tenha falhas, necessita de um gerador para que a granja funcione a todo vapor. Outra atividade que necessita do gerador é a leiteira, já que no processo de ordenha, utiliza-se a ordenhadeira mecânica que depende da rede elétrica, além do sistema de resfriamento do leite que possui a finalidade de retirar o calor contido no leite, baixando a temperatura ao nível no qual a pro-

28

liferação de bactérias se torna quase zero, satisfazendo as normas e exigências internacionais. Não podendo haver, também, falha ou queda de energia para que não ocorram prejuízos. Pensando em solucionar esses problemas a Mega Geradores do Brasil que atua no segmento de Grupos Ge-

radores de energia, vendendo, projetando e instalando toda linha de geradores, alternadores, geradores agrícolas, painéis de automação e outros equipamentos, oferecendo suporte técnico, manutenção e locação. “Pensamos em solucionar os problemas de nossos clientes, para que não tenham prejuízos, além de realizarmos todo o suporte e manutenção no que for necessário” comenta a diretora comercial, Angelina Souza. Como atuam em diversos segmentos como indústrias, propriedades rurais, eventos, hospitais, aviários, ordenhas, shows, residências, shoppings entre outros, a Mega Geradores se preocupa com o meio ambiente. “Nossos geradores sempre são instalados com bacias de contenção para evitar a contaminação do solo, por eventuais vazamentos, além de realizarmos manutenção preventiva para diminuir o excesso de gases e o descarte de óleo ecologicamente correto” finaliza Souza. Mega Geradores (17) 3258-4752 / 3258-4753 www.megageradores.com.br


AgroHumor

PROSAS & CAUSOS COM

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

Como vocês já sabem agora todas edições da Magazine AgroFest eu vou tá aqui com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

LADRÃO DE CHOCOLATE!!!

www.tonhoprado.com.br

NO QUE É NOSSO Esses dia eu estava fazendo xixi perto de uma cerca de uma grande fazenda. Um homem que passava pela estrada á pé, observou o que eu falava enquanto fazia xixi: – Eta trem bão, sô! Nada como a gente fazê xixi no que é nosso, sô! O homem curioso aproximou-se do mineirinho e perguntou: – Boa tarde senhor, desculpe-me eu lhe perguntar mas este fazendão todo é do senhor? E o mineirinho respondeu: – Né não senhor, eu tô falando é das minhas botas.

COISAS DE SALIM

O Salim confere seu bilhete de loteria e vê que é o ganhador de um prêmio de 1 milhão de reais. A equipe de marketing da loteria vai até ele para entrevistá-lo. – E agora que você ganhou na loteria, o que pretende fazer com o dinheiro do prêmio? – Vou comprar um apartamento de 50 metros quadrados no Rio de Janeiro. – E o resto? – Bem, o resto eu financio pela Caixa… 29

Nelson e Eusébio entraram em uma loja de chocolates. Como os funcionários estavam todos ocupados olhando ao redor, Eusébio roubou 3 barras de chocolate. Logo quando saíram da loja, Eusébio disse a Nelson: – Eu sou o melhor ladrão, roubei 3 chocolates e ninguém me viu. Você não conseguiria fazer isso. Nelson respondeu: – Você quer ver eu fazer algo melhor? Vamos voltar na loja e eu vou lhe ensinar como roubar. Então eles foram até o balcão e Nelson disse ao lojista:

– Senhor, você quer ver um pouco de mágica? O lojista respondeu: – Sim, claro. Nelson disse: – Me dê um chocolate. O lojista deu um, e ele comeu. Nelson pediu o segundo e também o comeu. Ele pediu o terceiro e também o comeu. O lojista perguntou: – Mas onde está a mágica? Nelson respondeu: – Veja no bolso do meu amigo e você vai encontrar todas as três barras de chocolate.

PILULA DO REJUVENESCIMENTO

Dois caipiras estão proseando debaixo de uma árvore, quando um deles comenta: – Ôce sabia, que meu vô de 83 anos é inventô? E ele acabou de inventá uma tar de pílula do rejuvenescimento? –Rejuvesssc… O que é isso cumpadi? – Essa tar de pílula, ôce toma e vai ficando mais moço, e meu vô, isprementô nele mesmo! – E o que aconteceu? – Ele tomou uma pílula e vortou a ter sessenta anos! – Noooossa! E dispois?

–Ele quis fica mais moço ainda e tomou outra pílula a vortou a ter quarenta anos! – Eita, sô. – Num tava sastifeito e tomou mais uma pílula e vortou a ter vinte anos! – Uai! Aí ele sossegou? – Quar nada! ele falou qui quiria ficar iguar a um nenezinho novinho, tomou mais uma pílula e vortou a ficar com um ano e meio! – Nossa senhora, sô, e o que aconteceu dispois? – Aí, ele pegou sarampo e morreu!

JAPONES NO ONIBUS

Um japonês pega um ônibus na rodoviária e fala ao motorista: – Olha, meu amigo! Eu preciso descer em Ribeirão Preto e, como não dormi quase nada a noite passada, acho que vou desmaiar assim que me sentar naquele banco. Será que você poderia me acordar quando chegarmos em Ribeirão? – Claro, não tem problema! – Só mais uma coisinha! Costumo acordar extremamente mal-humorado, se eu lhe xingar, por favor me desculpe. – Tudo bem! – Olha, tome esse dinheirinho aqui porque eu sei que vou dar trabalho.

– Obrigado! – E se eu não quiser descer, pode me colocar para fora do ônibus! – Tudo bem. Então o japonês dormiu. Quando acordou estava em Franca, que fica há mais de 200 km adiante. Furioso, começou a discutir e xingar o motorista. Nisso, um dos passageiros cutuca o seu vizinho e comenta: – Que japonês bravo, hein? – Esse até que tá calmo! – observou o outro. – Você precisava ver aquele que desceu em Ribeirão Preto! 29


AgroSilo

SILAGEM DE MILHO D PRODUTIVIDADE É FU

C

onforme os preços pagos ao produtor de leite venham apresentando sinais de recuperação nos últimos meses e o preço da arroba do boi permaneça em patamares ainda elevados, os produtores precisam ter cautela na hora de planejar sua atividade. O equilíbrio entre preço e custo, certamente, é o maior desafio em toda atividade e não será diferente para nossa pecuária. O aumento de produtividade, de forma eficiente, será sempre o caminho mais viável. Por outro lado, todo o aumento de produção somente é alavancado pela maior produtividade e oferta de comida para o rebanho. A cultura do milho é melhor opção na

30

produção de alimento volumoso. Uma boa lavoura de milho produz grandes quantidades de energia digestível por hectare, que pode ser transformada em carne ou leite. A escolha do híbrido ideal para produção de silagem pelos produtores, cada vez mais, recai sobre a melhor opção agronômica para o planejamento alimentar do rebanho. Fatores intrínseco à planta como altura, digestibilidade da fibra, textura de grão, etc., tornam-se ainda mais secundários se não estiverem associados a maiores produtividades. Na prática, o produtor precisa produzir mas forragem (silagem de milho e outras culturas sucessivas) na mesma área disponível, o que explica

o crescimento de maneira significativa da produção de silagem de milho proveniente de uma segunda safra. Tradicionalmente, tínhamos a segunda safra de milho somente após da soja mas, recentemente, a segunda safra em sucessão ao milho tem sido cada vez mais comum entre os produtores de leite, que precisam de maiores quantidades de silagem ou mesmo grão em pequenas áreas. Dessa forma, fica evidente que precisamos ter híbridos cada vez mais produtivos para atender as diferentes demandas dos produtores. Para isso, são necessários, cada vez mais, por parte das empresas, investimentos no que poderíamos chamar de “genética de


Fotos: Divulgação - Fonte: BioGene

DE QUALIDADE: UNDAMENTAL produtividade”, ou seja, precisamos de híbridos sempre mais produtivos em ambientes cada vez mais desafiadores. o híbrido destinado à produção de silagem deve, primeiramente, ter boa produtividade de grãos. os grãos respondem por quase 70% da energia digestível presente na silagem de milho que, por sua vez, deve ser a característica nutricional mais importante em uma silagem de milho, já que os bovinos de corte ou leite, necessitam quase cinco vezes mais energia do que proteína na transformação em carne ou leite. A segunda característica a ser considerada, é a concentração e qualidade

de fibra na planta de milho. As fibras são necessárias para otimizar a função ruminal, mas quando associados à maior digestibilidade, o seu tempo de permanência (enchimento) no rúmem é menor, permitindo mais ingestão de matéria seca pelos animais, demandando menos alimentos concentrados ou aumentando a produtividade. A colheita de uma boa lavoura de milho para silagem deve ocorrer quando a planta acumula a maior quantidade de matéria seca de melhor qualidade nutricional, o que se dá quando os grãos atingem o estágio de farináceo-duro, com teores de matéria seca variando entre 32 e 38%. Híbridos com maior sanidade tendem apresentar

melhor qualidade de fibra (plantas ainda verdes – “atay Green”), mesmo em estágios mais avançados de maturação do grão. No processo de ensilagem, a compactação deverá ser intensa para maior aproveitamento da capacidade do silo (mais silagem armazenada) e eficiência na conservação. O Fechamento do silo deve ser feito com lona plástica adequada, com maior espessura e com “protetor” da ação do sol, no caso de lonas brancas. A partir daí, tem-se a redução e estabilidade da temperatura e predomina o processo de fermentação. Durante todo o tempo de conservação, até a abertura, não deve ocorrer entrada de ar no silo.

31


AgroTecnologia

VALTRA

DESENVOLVE APLICATIVO QUE AGILIZA AS ATIVIDADES OPERACIONAIS NO CAMPO

P

ioneira em criar soluções para agricultura de precisão, a Valtra disponibilizará, a partir de 2016, o aplicativo Go-Task, que tem como objetivo facilitar o gerenciamento de máquinas agrícolas, aumentando a segurança e reduzindo o tempo e os esforços necessários para transferir dados. Isto porque este recurso trans-

32

fere informações diretamente das máquinas para os smartphones ou tablets (e vice-versa) sem a necessidade de conexão de fios ou mesmo de internet: basta a proximidade do aparelho com a máquina agrícola para que os dados sejam enviados. A tecnologia de comunicação é altamente segura e promete agilizar a rotina dos agrôno-

mos e chefes de colheita, garantindo que o processo de programação do mapa de recomendação da colheita/ plantio e captura de relatórios de desempenho gerados ao final do dia de trabalho, por exemplo, sejam transferidos de forma rápida e sem risco de perda de dados ou transferência incompleta.


AgroInfo

Foto: Divulgação

PROJETO QUE ZERA IMPOSTOS SOBRE RAÇÃO DE BOVINOS É APROVADO A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL) 1503/15, que zera as alíquotas do PIS/Pasep e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) incidentes na importação e na venda no mercado interno de rações e suplementos para alimentação bovina. De acordo com o autor do projeto, deputado Covatti Filho, diversos produtos que impactam o custo de produção de leite e derivados estão submetidos à alíquota zero no PIS/Cofins,

como vacinas, fertilizantes, sementes, mudas, sêmens e embriões. Mas as rações não estão isentas dos impostos. De acordo com a assessoria, o PIS representa 1,65% e Cofins 7,6% nos custos da produção de leite. “A inclusão desses insumos no rol de produtos com alíquota zero do PIS/ Pasep e da Cofins torna-se necessária a fim de desonerar a produção agropecuária, uma vez que representam elevado ônus à bovinocultura, elevando os preços ao consumidor” comenta deputado Hélio Leite, relator da comissão.

33


AgroMúsica

Fotos: Divulgação

THIAGO & MATHEUS DE VOLTA A RIO PRETO

D

e volta à região de São José do Rio Preto, após temporada nos estados de Goiás e Tocantins onde estavam em tour, a dupla Thiago & Matheus está preparando seu quinto CD “Estações”, que também é a nova música de trabalho. A dupla pretende lançar o novo CD após o carnaval, além realizar nova turnê na região. Há 10 anos na estrada a dupla que é natural de Jacareí, despontou depois do Fest Record Sertanejo, que participaram em São José do Rio Preto. Para contratar a dupla basta entrar em contato com o empresário Piracicabano, da Pira Promoções. 17. 99774-3695 pira@granadanet.com.br

34


AgroRodeio

Foto: Leandro Gasparetti

EKIP ROZETA REALIZOU CONGRESSO EM RIO PRETO

A

conteceu entre os dias 24 e 25 de novembro, na Chácara Viva, em São José do Rio Preto - SP, o congresso da Ekip Rozeta onde foi abordado e discutido temas como as novas normas e regras para a temporada 2016. A temporada teve inicio no dia 10 de dezembro com rodeio em touros, em três etapas, onde foram definidos mais de 90 competidores para a categoria, além de vinte e cinco competidores para rodeio em cavalos e contando

com mais de quarenta profissionais na organização entre juízes, tropeiros, salva vidas, porteireiros, laçadores, comentaristas e locutores. “Esse congresso gostamos de realizar para fazer uma retrospectiva de tudo que ocorreu durante o ano, principalmente, para corrigirmos as falhas e melhorarmos a estrutura e organização dos rodeios, além de contarmos com os melhores profissionais do ramo” finaliza Enrique Moraes, presidente da Ekip Rozeta.

35


AgroModa

Foto: Divulgação e Paty Cowgirl

WESTERN SUMMER STYLE N

Patricia Marchi

www.blogpatycowgirl.com.br

36

ós amamos a aproximação do verão a oportunidade de mostrar nossas botas com vestidos e o Glamour da Country Life. É tempo de sombra e água fresca, ou pelo menos quase, mas já chegou a hora da gente te contar o que não pode faltar no seu closet de uma cowgirl no verão. Vestidos de todos os tecidos curtos longos com as botinhas de cano curto também vem com tudo nesse verão e as gladiadoras. Para dar mais personalidade ao seu look de cowgirl aposte em acessórios de pedraria detalhes em couros e franjas, há quem diga que essa moda “já deu”, mas, todos os dias, vemos releituras bacanas aparecendo por aqui e por ali. Todo mundo sabe do poder que uma bela bijuteria tem de levantar um look inteirinho, né? Já parou pra pensar quantas vezes uma blusa basiquinha ganhou vida depois que você acrescentou um belo maxicolar ou como seu rosto ficou iluminado com um incrível par de brincos? Mas, quem é fã do estilo boho, dos anos 1970, pode comemorar, pois ele continua em alta, e se prepare para uma invasão de batas, mangas evasês, muitos tops cropped em crochê, macaquinhos, detalhes em renda, franjas e bordados com linhas coloridas… As botinhas de cano curto também vem com tudo nesse verão e as gladiadoras. Opção é o que não falta, né? É só escolher aquela que mais combina com você e se jogar!


AgroEcológico

Foto: EPTV / Fonte: CompreRural

PRODUTOR RURAL CONSTRÓI CURRAL COM PNEUS USADOS

O

produtor rural é de Campos Gerais (MG), construiu um curral utilizando apenas pneus velhos. Além de ser ecologicamente correta, a ideia trouxe economia para seu João Batista Cândido. Ao invés de usar a madeira para cercar o espaço onde o gado fica confinado, o produtor decidiu usar os pneus sem uso, que seriam descartados. A economia girou em torno de R$ 15 mil reais. Na propriedade dele, cheia de árvores e com uma plantação de eucaliptos, ele usou apenas algumas partes de madeira para dar sustentação. Os pneus foram arrecadados depois de uma campanha feita por ele entre vizinhos e empresas. Em um mês, o produtor recolheu a quantidade suficiente de pneus velhos para dar início ao

projeto. “Jogar fora não pode, tem que reaproveitar, porque isso aqui na natu-

reza vai demorar anos para acabar e não pode ficar jogado por ai”, disse Cândido.

37


AgroSocial

Fotos: Leandro Gasparetti

SOCIAL WESTERN Por Leandro Gasparetti

01 01

03

06

09

02

04

05

07

08

10

11

01 José Paulo Saes e Sergio Expressão - 02 Daniel Guareschi, Arquimedes Celeri e Nilson Guareschi - 03 Nivaldo Guareschi e Paulo Pauléra - 04 Bruno, o cantor Leornardo, Giovanni e Breno Táppro #CachaçaCabaré - 05 Tais Santana e Wanderley Santana - 06 Turu, Jorge Cury, Maycon Sisto e Daniel Henrique Lobregat - 07 Jorge Menezes, Paulo Emílio e Luis Guilherme Garcia - 08 A dupla Mário Peres & Agroboy ladeados por Dr. Paulo Peres e Batista - 09 Arthur Agreli e Marcos Guimarães 10 Adelino Silva e o locutor Umberto Junior - 11 Thiago Paggiaro e Fabricio Brito 38


12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

12 Myrian Godoy e Fernanda de Oliveira - 13 Chaiani Zonato e Luciano Delarco - 14 Néia Oliveira Tassoni e Janaina Fernanda Batista - 15 Claudio Correa, Benito Saes, Marcelo Suzuki e José Paulo Saes - 16 José Miranda e Osni Mello - 17 Manoel Procópio, Manézinho Procópio, Guilherme Rocha e Roberto Poiani - 18 Michel Wintoniak e Enrique Moraes - 19 Renato Reis, o cantor Juliano Cezar e Hugo Resende Filho - 20 - Bruno Goudenbergue, Cacá Rossete, Edson Bergamo e Manezinho do Prado 21 - Priscila Demartini Bergamo com a dupla Fiduma & Jeca - 22 Paulo Corder, Ligiani Meirelles, Guilherme Meirelles e Marcos Corder - 23 André Luiz Poltronieri Miranda e Morcy Trindade - 24 João Roberto Camargo e Eduardo Durão - 25 - Della Morena e Eloy Gonçalves - 26 Quexada e Cristina Alves 39


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Neg贸cios

40


41


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Neg贸cios

42


43


44

Magazine AgroFest - Dezembro 2015 / Janeiro 2016  
Magazine AgroFest - Dezembro 2015 / Janeiro 2016  

Magazine AgroFest, Edição nº 10 - Dezembro 2015 / Janeiro 2016 | Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 33 cidades da Região. http:/...

Advertisement