Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano II - Edição 09 - Outubro / Novembro 2015

AS VENDAS DE TRATORES E AS LINHAS DE CRÉDITOS Páginas 22, 23 e 24

AGORA É LEI: RODEIO É PATRIMÔNIO CULTURAL BRASILEIRO Páginas 08 e 09

PRODUÇÃO DE CENOURAS DOBRA COM VARIEDADES HÍBRIDAS Página 14

1


2


3


AgroFest

EDITORIAL

Leandro Gasparetti

NOVAS TECNOLOGIAS E TENDÊNCIAS NO AGRONEGÓCIO!

José Eduardo Costa

Nesta edição abordamos assuntos importantes para o agronegócio como a utilização das linhas de créditos para aquisição de tratores, a recuperação do setor sucroalcooleiro, a 44ª edição da Expoinel, a produção de etanol com a utilização do capim-elefante, utilização do Programa Melhor Caminho, da Codasp, nas estradas rurais e a homenagem do Tribunal de Justiça de São Paulo ao Fábio Meirelles. Já no mundo do rodeio focamos os fotógrafos que se dedicam a registrar as arenas do país e do mundo, o 13° Campeonato Nacional de Três Tambores da ANTT, a história do locutor comercial Wilson Borges, entrevista com o Deputado Federal Capitão Augusto que foi o responsável pelo projeto de lei que transforma o rodeio como patrimônio cultural brasileiro, além de muitas outras notícias. Tenham uma boa leitura.

SUMÁRIO

06

AgroExpo

18

AgroEnergia

32 AgroLikeHorse

38 AgroHorse COLUNISTA LUCIANA OMENA

EXPO BARRETOS 2015

PESQUISAS AVLIAM PRODUÇÃO DE ETANOL COM CAPIM-ELEFANTE

COLUNISTA THIAGO MASTELLINI

08 AgroRodeio

20

AgroVeterinário

33 AgroSanidadeanimal 39 AgroExpo

22

AgroCrédito

AGORA É LEI: RODEIO É PATRIMÔNIO CULTURAL

10

AgroRodeio

COLUNISTA PAULO BELARMINE

OITO SEGUNDOS EM CLIQUES!

AS VENDAS DE TRATORES E AS LINHAS DE CRÉDITOS

14

MAPA INSTITUI NOVAS REGRAS PARA TRÂNSITO DE SUÍNOS NO PAÍS

EXPOINEL 2015 ENCERRA O ANO-CALENDÁRIO DA RAÇA NELORE

34 AgroCampo

40

PROGRAMA MELHOR CAMINHO

POR LEANDRO GASPARETTI

42

25 AgroHumor

36 AgroEnergia

PRODUÇÃO DE CENOURAS DOBRA COM VARIEDADES HÍBRIDAS

COLUNISTA TONHO PRADO

GUARANI AMPLIA PROJETOS DE COGERAÇÃO

16

27

AgroCultura

AgroComunicação

AgroRodeio

WILSON BORGES COMPLETA 23 ANOS DE ARENA

ANTT -TEMPORADA JÁ COMEÇOU AGITADA NOS TRÊS TAMBORES

17

30 AgroPolítica

AgroRodeio

COLUNISTA, FOTÓGRAFO ANDRÉ SILVA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO HOMENAGEIA FÁBIO MEIRELLES

EXPEDIENTE

Diretor Geral Leandro Gasparetti 17 99151-5658 | 99756-7249 contatoagrofest@gmail.com

Diretor Comercial José Eduardo Costa 17 99774-0591 | 99129-9305

comercialagrofest@gmail.com

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP

AgroSocial

AgroEmpresas

CLASSIFICADOS DE SERVIÇOS E PRODUTOS

Distribuição em 34 cidades

Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, Minas Gerais: Fronteira

Jornalista André Luiz de Oliveira Souza MTB: 75680/SP Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico/Diagramação Rede A Comunicação 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto 17 3016-4000

Colaboradores

Embrapa, Ministério da Agricultura, PMZG, Alta Genetics, Comunic, Phábrica de Ideias, BigTires, Luciana Omena, André Silva, Thiago Mastellini, Paulo Belarmino, Bruno Xavier, Tonho Prado, Patrícia Marchi, Carla Prado Silveira.

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

*Artigos assinados representam opiniões dos autores. A opinião da Revista se expressa no editorial. 4

“Jesus eu confio em Vós”


5


AgroExpo

Fotos: Leandro Gasparetti

EXPO BARRETOS 2015 SUPERA EXPECTATIVAS

D

e 5 a 11 de outubro o Parque do Peão recebeu a 48ª Exposição Agropecuária de Barretos, organizada pelo Sindicato Rural do Vale do Rio Grande que trouxe para a cidade as atualidades no setor agropecuário. A programação contou com exposição de gados finos da raça Nelore e Senepol, leilões, julgamento do ranking nacional da Raça Nelore, além de feira agropecuária da Coopercitrus e palestras sobre pecuária de corte e agricultura familiar. Na Abertura Oficial da 48ª Expo, que ocorreu no dia 07 de outubro, o Dr. Fábio de Salles Meirelles, Presidente do sistema Faesp/Senar recebeu o troféu Iris MEINBERG em nome de sua atua-

6

ção como um líder do agronegócio estadual e nacional. Além de Meirelles, José Jesus Aparecido Faria, o J Faria, também recebeu uma homenagem especial pelo seu destaque na pecuária barretense e nacional. A solenidade contou com a presença de várias autoridades como prefeitos, vereadores, presidentes de sindicatos rurais do estado, pecuaristas e o Secretário da Agricultura, Arnaldo Jardim. A Senepol 3G promoveu dois leilões, sendo um virtual e um presencial, ambos transmitidos pelo Canal do Boi. O leilão presencial contou com a presença do presidente do Hospital de Câncer, Henrique Prata e o cantor Sergio Reis.

Também aconteceu a 2ª edição Leilão Barretos Nelore Show, da Agropecuária J Faria. Foram 23 lotes da raça NELORE, prenhezes e animais de elite que foi transmitido ao vivo pela internet no site da Remate Web. No encerramento aconteceu o Leilão Direito de Viver, em prol ao Hospital de Câncer de Barretos, que teve arrecadação de R$ 400.000,00 reais. Entre os itens leiloados estavam à cela utilizada pelo Cavaleiro das Américas, Filipe Masetti, camisetas oficiais do Corinthians, Palmeiras e São Paulo autografadas, bota do cantor Americano Garth Brooks, além de gados de elite, de corte e comercial, embriões, sêmens e diversas prendas.


AgroExpo

Foto: Divulgação

2º BARRETOS MUAR DO SERTÃO

A

conteceram provas na pista da hípica do Parque do Peão dia 11 outubro A ultima noite do 2º Barretos Muar do Sertão foi aberta com a prova de marcha, categoria Burro, que reuniu 7 competidores. O primeiro lugar ficou com o animal Maestro, apresentado pelo cavaleiro Dan, de Baldim/MG. Em segundo, Lampião RF e Pedro em terceiro, Thiago com o Baladino, de Vargem Grande do Sul/SP. A categoria adulta foi a segunda a ser disputada e reuniu oito conjuntos. O primeiro lugar foi conquistado pelo cavaleiro Pimpão e a mula Alegria do Hebrom, de Patos de Minas/MG, em segundo ficaram Nilo e a mula Surpresa da Bambaça de São João da Boa Vista/ SP. O terceiro lugar ficou com Dan e Namorada, de Baldim/MG. Fechando a programação de provas de marcha de muares foi realizada a final da diagonalizada com a participação de 12 concorrentes. Os campeões

são Fama do Ozorinho, apresentado por Vítor, de Mirassol/SP. Estrela e Arthur, de Altinópolis/SP ficaram com o segundo lugar e em terceiro Damasca FAM e Didi, de Goiânia/GO. Já a tradicional e saborosa competição da Queima do Alho, nove comitivas participaram este ano: Água Doce Icém/SP, Água de Peão – S.J. Rio Preto/

SP, Ozorinho – Mirassol/SP, Direito de Viver – Pindorama/SP, São Jorge – Alexânia/GO, Vagar ca Pinga – Ubirajara/ SP, Montana – Osasco/SP, 3 Rios – Palestina/SP e Vida de Cowboy – Osasco/ SP. A comitiva campeã, foi a Água de Peão, seguida pela 3 Rios e em terceiro lugar a comitiva Ozorinho.

No concurso de berranteiros um empate definiu os campeões, Alceu do Berrante da cidade de Barretos/SP e Pedro Henrique da cidade de Orindiuva/SP.

7


AgroRodeio

Foto: Antonio Augusto

AGORA É LEI: ROD PATRIMÔNIO CULTU

R

ecentemente foi aprovada a lei 1.767/2015 que caracterizou o rodeio como manifestação cultural nacional no país, devido ao projeto que foi encaminhado ao plenário pelo Deputado Federal, José Augusto Rosa, mais conhecido por Capitão Augusto. Começou cedo na carreira militar, ingressando em 1988, como Soldado

na Policia Militar do Estado de São Paulo, já em 1992 ingressou na Academia do Barro Branco, sendo que 1995 assumiu o Comando do Policiamento Tático Móvel do 9 BPM/M. Também em 1995, foi promovido ao Posto de 2º Tenente PM, sendo classificado no 31º Batalhão de Policia Militar do Interior, onde exerceu várias funções, e em 1998 foi promovido ao posto de 1º

Tenente PM e em 2003 a Cap PM. Como sempre se preocupou com o bem estar da população, em 2006 e 2010, foi Primeiro Suplente para Deputado Federal e, eleito Deputado Federal ano passado. Em entrevista para a Magazine AgroFest, falou um pouco de sua vida e de como surgiu a ideia de criar a lei que defende o rodeio. Confira abaixo:

Capitão Antonio Augusto na Câmara dos Deputados Onde o Sr nasceu tinha contato com fazenda e animais? Sim, nasci no interior de São Paulo e sempre tive contato com fazendas, sítios, ranchos e contato com animais. Já chegou a montar em touro ou participar de rodeio? Nunca montei em touro ou participei de montaria em rodeios, mas sempre frequentei os rodeios.

8

Como surgiu a ideia de transformar o rodeio em patrimônio cultural? A ideia de transformar o rodeio em patrimônio cultural surgiu depois que percebi as diversas tentativas de proibir os rodeios no Brasil, sejam das Câmaras Municipais fazendo leis municipais para proibir, do Poder Judiciário com decisões para proibir e de ativistas atuando para que não pudessem ser realizados os rodeios nas cidades. Ao incluir o rodeio como patrimônio cultural, teremos um reconhecimento em âmbito nacio-

nal da sua importância para o povo brasileiro e, assim, proteção em relação a medidas como essas e projetos como o que tramita na Câmara Federal para extinguir os rodeios no Brasil. Qual o próximo passo que tomará em prol ao rodeio? O próximo passo é a profissionalização e também viabilizar a possibilidade dos rodeios receberem verbas tanto do Ministério do Turismo quanto do Ministério do Esporte.


DEIO É URAL BRASILEIRO Além do PL nº 1767/2015, o Deputado Federal Capitão Augusto instalou na Câmara dos Deputados a Frente Parlamentar dos Rodeios, que foi lançada na Festa do Peão de Barretos, em 29 de agosto de 2015, destinada a promover o aprimoramento da legislação federal sobre determinado setor da sociedade. No caso, como previsto no estatuto da Frente Parlamentar do Rodeio, esta terá por objetivo: I – acompanhar a política oficial de desporto, cultural e educacional que tenha interface com o Rodeio bem como suas manifestações artístico-culturais; II – promover debates, simpósios, se-

minários e outros eventos pertinentes ao Rodeio, divulgando seus resultados; III – promover o intercâmbio com entes assemelhados de parlamentos de outros países visando o aperfeiçoamento recíproco das respectivas políticas estatais da prática e da cultura do Rodeio; IV – procurar, de modo contínuo, o aperfeiçoamento da legislação referente ao Rodeio, influindo no processo legislativo a partir das comissões temáticas do Congresso Nacional; V – assumir o debate amplo de todos os aspectos do Rodeio, bem como suas manifestações artístico-culturais.

Para o Capitão Augusto, este é um marco em defesa desse esporte que faz parte da vida de milhares de brasileiros e que precisa do seu espaço e reconhecimento no trabalho do parlamento.

9


AgroRodeio

AGENDA eventos CURSOS - CONGRESSOS EaD SENAR - É uma iniciativa do SENAR e tem o intuito de contribuir com a formação e a profissionalização das pessoas. Nesse portal as pessoas do meio rural de todo território nacional tem acesso gratuito: conta com vários cursos na modalidade à distância, via Internet e com cartilhas, acesse e saiba como participar: www.ead.senar.org.br/cursos Ciclo de Palestras sobre Mercado de Hortaliças Hidropônicas Piracicaba/SP Informações: www.fealq.org.br

RODEIOS / FESTAS PROVAS CRONOMETRADAS 1ª Festa Morte da Mula Queima do Alho, Boi no Rolete e show com duplas sertanejas 08 de Novembro Chácara Viva 3 - Rio Preto Info 17 98101-6848 4ª Etapa + Mega Final CPLD (Circuito Paranaense de Laço em Dupla) – 12 a 15 de Novembro Maringá/PR Rodeio de Itatinga/SP – 12 a 15 de Novembro – Circuito Rancho Primavera Bady Bassitt Rodeio Festival 17 a 21 de Novembro - Bady Bassitt/SP Team Roping – 21 e 22 de Novembro – Prova Altair Balotari e Rafael Cotini – Floresta / Presidente Prudente/SP Rodeio de Herculândia/SP 26 a 29 de Novembro Circuito Rancho Primavera 4ª Prova de Laço em Dupla do Haras EZ – 05 e 06 de Dezembro Floreal/SP Rodeio de Altônia/PR – 10 a 13 de Dezembro - @Ekip_Rozeta Rodeio de Duartina/SP – 10 a 13 de Dezembro - @Ekip_Rozeta 10

Oito segun Novas tecnologias estão surgindo e, com isso, novos profissionais para fazer a cobertura dos rodeios

R

egistrar as melhores montarias do país e do mundo, em apenas 8 segundos, não é para qualquer um, principalmente, quando você tem que ficar dentro da arena próximo aos animais mais destemidos do mundo do rodeio. Estamos falando dos fotógrafos, profissionais que dedicam a sua vida registrando momentos que eternizam na memória dos amantes de rodeio. Não se tem registro de quem começou a fotografar os rodeios no país, mas o que realmente importa é a paixão que esses profissionais transmitem pelas lentes de suas máquinas. Citaremos alguns profissionais que vem se destacando nos rodeios do país e do mundo, dentre eles André Silva, Edson Silva, Adilson Silva, Jair José Bertolin, Ronaldo Lidon, Leandro Gasparetti e Guilherme Ferreira. ANDRÉ SILVA ganhou sua primeira máquina fotográfica em 1997, quando começou a carreira fazendo cobertura de festas, mas foi em 2001 que começou a se especializar em fotografia de rodeios. Em 2002 teve a sua oportunidade de trabalhar na Revista Rodeo Country “Como era fã de rodeio e assinava a revista, mandava e-mail pedindo uma oportunidade, foi quando me chamaram” comenta. Mas foi em 2005 quando soube que a PBR viria para o Brasil, que foi chamado pelo presidente da época, Flavio Junqueira e pelo comentarista André Metkzer, para fazer parte da equipe de profissionais que se dedicaria a PBR Brasil. “Desde então sou o fotografo oficial da PBR Brasil, esse ano completo 10 anos de PBR Brasil, sendo que nesse tempo, já fotografei nove mundiais em Las Vegas. Também fui o fotografo oficial da Copa do Mundo da PBR, que foi realizada em Barretos” comenta. De todos os rodeios em que trabalhou, André acredita que o mais marcante foi a final aqui no Brasil, por estar em casa e poder sentir a emoção de participar de um evento grandioso, como é a final mundial.


Fotos: Leandro Gasparetti / Ailson Rodrigues

ndos em cliques! ADILSON SILVA montou em touros por dois anos, mas devido a alguns problemas pessoais, percebeu que poderia ser fotógrafo. “Desde 1998 atuo como fotógrafo, já passei por várias situações inusitadas, mas não me esqueço de quando quebrei o braço e tive que fotografar com a mão esquerda por meses” comenta. FotoPerigo, como é mais conhecido, já trabalhou em diversos rodeios e provas mundo afora, tendo destaque o Mundial de Rédeas na França, Festa do Peão de Americana, EAPIC, Sumaré

Arena Music, Rio Preto Country Bulls, Festa do Peão de Iracemápolis, além de eventos da Federação Nacional do Rodeio Completo, da Associação Nacional do Cavalo de Apartação – ANCA, da Associação Nacional do Cavalo de Rédeas - ANCR, dentre outros. “Foram vários eventos que marcaram minha carreira, mas um dos momentos mais emocionantes foi quando fui atender a 3B e encontrei o touro Raio Lazer, já bem velhinho, passou um filme da minha vida e história na minha cabeça” finaliza Perigo. JAIR JOSÉ BERTOLIN foi diferente de alguns outros fotógrafos, que começavam na montaria e depois mudavam para a fotografia. “Comecei já como fotógrafo, em 1989, no começo cheguei a fotografar cerca de 30 rodeios por ano, acredito ter participado em mais de 1.000 rodeios” comenta. Bertolin Fotos, como é mais conhecido, completou este ano 26 anos de carreira, como fotógrafo de rodeios e já participou de vários rodeios como Facip de Jales, Expô de Fernandópolis, Festa do Peão de Barretos, Rio Preto Country Bulls e de toda a região. “Posso dizer que já estive em todas as festas da região e, creio que posso me considerar como o fotógrafo que mais fotografou nos rodeios do Brasil” finaliza.

EDSON SILVA montou em touros por vários anos até que, depois de ter sofrido acidente em rodeio, teve de passar por cirurgias plásticas e não pôde mais montar. Como já era apaixonado por fotografia e, na época que parou de montar tinha um irmão que participava de rodeios, decidiu unir o útil ao agradável e começou a seguir o irmão pelos rodeios fotografando suas montarias. “Comecei a tomar gosto pela fotografia nos rodeios e me espelhava nos grandes fotógrafos que atuavam nas arenas como o Almer Photos e o Jair Bertolin” comenta. Edson Photos, como é conhecido atualmente, já trabalhou em diversos rodeios pelo país, tendo destaque os

de Rio Verde em Goiás, Fernandópolis, Luziânia, Catanduva, Itajobi, São José do Rio Preto, Pilar do Sul, Novo Horizonte, todos no estado de São Paulo e

vários outros. “Desculpem se esqueci de algum rodeio, mas é que foram tantos na minha carreira que é difícil memorizar” finaliza. 11


AGENDA eventos

AgroRodeio

Foto: Guilherme Ferreira

EXPOSIÇÕES VI Expo MangaLarga Marchador 05 a 08 de Novembro - Feira Agropecuária de Guanambi/BA 7ª AgroCampo – 11 a 22 de Novembro - Maringá/PR – Mais Informações: www.srm.org.br 12ª Expo Mineral – Segmento de Minerais - 12 a 15 de Novembro Curvelo/MG Informações: www.amcm.com.br 3ª PetNor – Produtos e Serviços para linha Pet e Veterinária – 13 a 16 de Novembro / Olinda/PE Informações: www.autonor.com.br 17ª FIMAI - Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentável – 16 a 18 de Novembro São Paulo/SP – Mais Informações: www.fimai.com.br

RONALDO LIDON nascido em Colorado - PR, desde pequeno admirava os rodeios que aconteciam na cidade, que é considerada a capital do rodeio no estado. “Foi aos 18 anos que tive a oportunidade de trabalhar na Pro Rodeio Brasil, em São José do Rio Preto, nessa empresa foi onde conheci grandes rodeios do Brasil, como Guaxupé, Rio Verde, Cajamar, o Country Bulls” comenta. Ao contrário dos fotógrafos, Lidon, optou por se especializar na área de filmagem e, hoje, é considerado um dos poucos e melhores videomakers que

atua no rodeio. “Aos 21 anos comprei minha primeira máquina fotográfica, mas como sempre fui apaixonado por produção de vídeos, decidi me dedicar a esse ramo, tanto que minha primeira produção independente foi no Rodeio de Colorado, em 2013” explica. Foi com este vídeo que as portas se abriram para Lidon, tanto que no mesmo ano, fechou uma parceria com a Cia Rancho Primavera e hoje, junto com seu irmão, é um dos responsáveis pelo marketing do Circuito Rancho Primavera.

LEANDRO GASPARETTI começou a atuar no ramo do rodeio, em 2006, quando trabalhou em uma revista de rodeio, desde então, é frequentador assíduo das arenas. “Sempre gostei de ir aos rodeios e, depois que comecei a trabalhar no meio, acabei me dedicando a fotografia e em registrar os 8 segundos mais demorados na vida de um peão” comenta. Gasparetti, já participou de vários ro-

deios onde clicou várias montarias, dentre os principais eventos estão a Festa do Peão de Barretos, de Paulo de Faria, Orindiúva, Palestina, Monte Aprazível, Rio Preto Country Bulls entre outras. Atualmente, tem se dedicado a sua revista, Magazine AgroFest e seu site de notícias, onde aproveita para realizar matérias informando aos apaixonados pelo rodeio, além de clicar as melhores montarias durante as coberturas.

Dia de Campo Copagril – 22 a 23 de Dezembro - Marechal Cândido Rondon/PR Informações: www.copagril.com.br

LEILÕES: Leilão Nelore Cachoeira da Serra Nelore PO – 19 de Novembro – 21hrs Terra Nova Eventos Campo Grande/MS Leilão LeiloBoi – Machos, Fêmeas Nelore e Cruzamento Industrial, para cria, recria e engorda – 22 de Novembro ás 20hrs – Transmissão Canal do Boi – Virtual / Sede LeiloBoi Campo Grande/MS 28º Leilão Fazenda Novo Horizonte Animais para Cria, Recria e Engorda ás 13hrs – Transmissão Agro Brasil TV – www.agrobrasiltv.com.br Leilões Anísio Haddad – Todas as quintas-feiras às 18hrs - Local: Recinto de Leilões Anísio Haddad Informações: (17) 3227-2299 / www.leiloesahaddad.com.br 12


AgroProjeto

Foto: Leandro Gasparetti

GUILHERME FERREIRA já atuava como fotógrafo em rodeios, quando no ano passado, recebeu a oportunidade da Ekip Rozeta para fazer a cobertura do rodeio de Palestina. “Já estava me dedicando a produção de vídeos, mas nunca havia feito uma cobertura completa de rodeio, foi a minha maior oportunidade” comenta. Desde então, Ferreira, começou a atuar como videomaker, fazendo a cobertura de vários rodeios pelo país como Rio Verde – GO, Fernandópolis SP, Guaxupé - SP, Buritama – SP, Paulo de Faria – SP entre outros. Atualmente se dedica a cobertura dos eventos, além de publicar diariamente na página desse campeonato, os vídeos e fotos realizadas nos rodeios. A cada ano que passa surge novos profissionais espelhados em lendas que atuam há anos nas arenas como Bertolin, Edson Silva, André Silva, entre outros, que aperfeiçoam o que já existe nas arenas, colocando mais emoção no registro de um dos maiores esportes do país, o Rodeio.

13


AgroCultura

Foto: Divulgação

PRODUÇÃO DE CENOURAS DOBRA COM VARIEDADES HÍBRIDAS

A

Samuel Sant’Anna, especialista em Bulbos e Raízes da Agristar do Brasil 14

média de produtividade da cenoura no Brasil gira em torno de 30 toneladas por hectare, porém, em regiões mais tecnificadas e que usam sementes híbridas, este valor muitas vezes pode alcançar 80 toneladas por hectare. As sementes híbridas associadas à tecnologia de mecanização, como as semeadoras a vácuo de alta precisão, possibilitaram ao produtor uma redução de custos e uma melhor uniformidade na distribuição das sementes e, consequentemente, melhor uniformidade no tamanho das raízes e classificação. “Em algumas regiões do país, os produtores de cenoura estão realizando a colheita mecanizada. É comum encontrar colhedoras operando em algumas regiões do cerrado, chegando a colher de 1 a 3 linhas duplas ou triplas facilitando o processo de colheita, além de reduzir os custos do produtor”, explica o Especialista em Bulbos e Raízes da Agristar do Brasil, Samuel Sant’Anna. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Cepea, da Esalq, a cenoura é a 5º hortaliça mais cultivada no Brasil e 80% da produção é destinada ao mercado interno. Com uma produção de cenouras estimada em 760 mil toneladas por ano, o país possui uma área de cultivo superior a 20 mil hectares. “Foram os híbridos os grandes responsáveis pelo aumento significativo na produtividade, qualidade e adaptação em diversas regiões do país e épocas de cultivo”, conclui Sant’Anna.


15


AgroComunicação

Fotos: Divulgação

WILSON BORGES

COMPLETA 23 ANOS DE ARENA

E

Wilson Borges, completa 23 anos de carreira nos rodeios e 30 anos como comunicador

m 1985, Wilson Borges, iniciou sua carreira no meio da comunicação como apresentador em eventos, concursos de misses, desfiles de modas, além de fazer cobertura jornalística policial em uma emissora de rádio AM, passando depois, para locutor noticiarista. Foi em 1988 que conheceu o inigualável Zé do Prato e se apaixonou ainda mais pelo mundo do rodeio. “Já tinha muita admiração pelo rodeio, depois que conheci Zé do Prato e vi o trabalho que realizava nas arenas com maestria, decidi que era aquilo que queria para minha vida” comenta Borges. Mas foi só em 1992, com o incentivo do amigo e narrador, Piracicabano, que iniciou sua carreira profissional, como locutor comercial, nos rodeios do país. Em sua carreira profissional já foi apresentador de programa televisivo na Band, voltado para o rodeio, além de ter trabalhado em oito emissoras de rádio FM, como apresentador jornalístico e country. Diante de tanto profissionalismo e

16

dedicação o reconhecimento veio com o tempo, já que ao longo de sua carreira recebeu prêmios de como melhor locutor comercial de rodeios, por cinco vezes consecutivas, Prêmio Voz do Brasil, por quatro vezes consecutivas, além de ser reconhecido nacionalmente como o melhor locutor comercial, mais técnico, de rodeios do país. Além dos prêmios, outra forma de reconhecimento por seu trabalho é que, em toda sua carreira, até o momento, já participou em mais de 700 rodeios pelo Brasil, sendo que as cidades que mais marcaram sua carreira foram de Colorado - PR, Palestina - SP, Catanduva - SP, Cassilandia - MS, Votuporanga - SP, Fernandópolis - SP, Jales – SP, Rio Preto – SP, entre outros. “Só posso agradecer a Deus e a todos que confiam e acreditam em meu trabalho, pois se não houvesse confiança, não estaria tanto tempo no mundo do rodeio. Peço desculpas por não ter citado todas as cidades em que trabalhei, mas todas foram e, são importantes na minha carreira” agradece e finaliza.


17


AgroEnergia

Foto: Saulo Coelho - Fonte: Embrapa

PESQUISAS AVALIAM PRODUÇÃO DE ETANOL COM CAPIM-ELEFANTE

U

m estudo apresentado em setembro avaliou quatro genótipos do capim-elefante na produção do biocombustível. “O volume de etanol e rendimento da fermentação obtidos foram semelhantes para todas as biomassas”, conta a analista Thályta Pacheco, da Embrapa Agroenergia. Uma das características do capim-elefante como matéria-prima para produção de etanol 2G é a alta produtividade. Estudos indicam que a produção por hectare pode ficar entre 150 e 200 toneladas de massa fresca, considerando-se dois cortes anuais, o que tem sido visto como ideal para o mercado de energia. A primeira colheita pode ser feita apenas seis meses após o plantio e, se bem manejada, uma área cultivada pode continuar rebrotando por alguns anos. Ressaltando que o capim-elefante é produzido em áreas pequenas para ser usado como alimento para o gado,

18

atualmente. Plantios em grandes áreas que gerem biomassa para bioenergia precisam de sistemas de produção diferenciados. O trabalho com os quatro genótipos de capim-elefante avaliou que, para cada um deles, a produção de etanol com biomassa de um corte anual e de dois cortes anuais. Os resultados mostraram que, independentemente do genótipo selecionado, a recomendação é fazer dois cortes por ano, para se obter melhor rendimento tanto no campo quanto na produção do biocombustível. No manejo de um corte único no ano, mesmo as biomassas mais produtivas apresentam menor potencial para a produção de etanol, em razão da inferior conversão da celulose em glicose. “Este fato pode ser associado ao maior teor de lignina que, em geral, materiais mais maduros apresentam”, finaliza Thályta.

Fermentação no laboratório utilizando o capim-elefante como matéria-prima – feita por Daniela Collares


19


AgroVeterinário

Fotos: Paulo Belarmino

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com

IMPORTÂNCIA DA ANDROLOGIA NA PRODUÇÃO ANIMAL I

Pouco difundido entre os produtores, e muitas vezes até desconhecido por alguns, o Exame Andrológico nos mostra outra face da produção animal: A importância de um bom macho dentro do sistema produtivo de criação.

ndependente da espécie animal em questão, dentro de um sistema produtivo de cria, seja de bovinos, equinos, suínos, caprinos, etc., muitas vezes dá-se importância apenas às fêmeas, pois são delas que diretamente se observa o nascimento e o cuidado com o filhote, que é o produto final de um sistema de criação. Sendo das fêmeas também, toda a culpa em relação às falhas de prenhez, pelo extenso intervalo entre partos e por passarem um ciclo todo sem produzirem um só produto. Porém, muito mais importante do que voltarmos os olhos apenas às fêmeas, é nos preocuparmos diretamen-

20

te com os machos que estão sendo utilizados como reprodutores para essas fêmeas. Eis que surge o Exame Andrológico, que nada mais é do que a avaliação da capacidade reprodutiva de um macho, apontando diretamente as qualidades e os defeitos que cada animal tem em relação ao seu potencial reprodutivo e que pode ter resultados devastadores dentro de um sistema em larga escala de produção. Um dos sistemas que mais sofre com um reprodutor com baixa capacidade reprodutiva é o de criação de gado de corte, com o sistema de monta natural, no qual é possível haver um touro dominante sobre todos os

outros e este animal ter baixa capacidade reprodutiva. Sendo assim, ele realiza a monta na maioria das fêmeas, sem que haja como resultado uma prenhez positiva, além de não possibilitar a aproximação de outros touros, fazendo com que o índice reprodutivo do referido rebanho seja muito inferior ao esperado. Para se evitar esse tipo de problemas, seja em qual for o sistema de produção, ou a espécie animal, deve-se realizar o Exame Andrológico dos reprodutores, pelo menos duas vezes ao ano, ou nos períodos de pré-estação de monta, descartando-se os animais de baixo potencial reprodutivo.


AgroEstudos

Foto: Divulgação - Fonte: Agência FAPESP

RAÇÃO COM ERVA-MATE PARA BOI MELHORA QUALIDADE DA CARNE M isturar uma pequena quantidade de extrato de erva-mate à ração do gado de corte pode ser suficiente para produzir uma carne com mais benefícios à saúde, mais agradável ao paladar e com maior prazo de validade. O resultado vem de uma colaboração entre pesquisadores brasileiros e dinamarqueses, que durou três anos o projeto onde desenvolveu estratégias inovadoras para a produção de proteína animal e de pão. Além do efeito positivo do mate sobre o rebanho bovino, a equipe verificou benefícios semelhantes na alimentação do frango de corte, descobrindo maneiras mais eficientes e saudáveis de produzir carne curada (como o pre-

sunto tipo parma ou a carne-seca) e estratégias para incorporar até 30% de farinha de mandioca à fabricação de pão em escala industrial. “Se alguém quiser saber como determinada ração afeta o perfil metabólico da carne, conseguimos responder sem dificuldade a essa pergunta graças ao projeto”, disse Daniel Rodrigues Cardoso, professor do IQSC-USP e coordenador da iniciativa do lado brasileiro. De acordo com os pesquisadores, há uma série de indícios sobre os benefícios à saúde humana que podem estar ligados ao consumo do mate. É possível que a erva facilite o controle do peso e modere processos oxidativos e inflamatórios.

21


AgroCrédito

AS VENDAS DE E AS LINHAS D

Com a crise no Brasil as linhas de impulsionar a venda e não descapit

D

evido à crise que se alastra pelo país, desde o inicio do ano, muitas empresas tem buscado mecanismos para aumentar ou manter as vendas de seus produtos. Um desses mercados é o de tratores, já que, independente de como está à situação do país os produtores rurais precisam continuar produzindo e, para isso, precisam de novos maquinários para melhorar e aumentar sua produção. Muitas revendas têm procurado formas diversificadas de trabalhar para efetuar a venda e não perder o cliente. Na sua maioria, as revendas, procuram utilizar as linhas de financiamentos disponíveis para os produtores rurais, mas tem procurado outras soluções devido à demora. “No ano passado entravamos com o projeto na Casa da Lavoura e, em uma semana, estava liberado o crédito, mas a partir desse ano, entramos com pedidos em janeiro e tivemos propostas que foram liberadas apenas em julho, alguns casos chegaram a desistir devido à demora, então, oferecemos descontos para compras à vista ou parcelamos em algumas vezes” afirma Luiz Benittez, proprietário da Beniagro, revendedora da Budny, em Nova Granada. Os financiamentos servem para facilitar a compra de maquinários aos produtores rurais, que precisam aprimorar a sua forma de produção, mas a demora da liberação dos pedidos tem afetado as vendas. “Em relação aos anos anteriores, que demoravam no máximo 40 dias, esse ano o pedido de crédito está mais burocrático, pois entramos com o pedido em maio e uma parte dos equipamentos foi liberada apenas agora, em setembro e, ainda está pendente boa parte de nosso pedido” explica Flavio Hachich, produtor rural. No caso do Pró Trator, a ficha para

22

Luiz Benittez, proprietário da Beniagro revendedora da Budny, em Nova Granada/SP solicitação do crédito ficou mais rigorosa e mais extensa. “Hoje estamos com esse novo processo do Banco do Brasil, que é a esteira, onde a concessionária faz toda a documentação e corre atrás de tudo para concretização do financiamento - buscando facilitar e agilizar o andamento do processo -, mas mesmo assim ocorreu uma queda na procura dessa linha de crédito, devido a toda a burocratização que implantaram esse ano” completa Leandro Machado Romero, gerente de vendas da Itaeté Máquinas, revendedora John Deere, em São José do Rio Preto. E não foram apenas as revendas que

Flavio Hachich, produtor rural


E TRATORES DE CRÉDITOS Fotos: Leandro Gasparetti

créditos são opções para talizar o produtor

mos anos, principalmente com essa crise no país” comenta Leonardo Amendola, pecuarista. Mesmo com as dificuldades e queda nas vendas dos tratores, acredita-se, que a situação financeira esteja melhorando. “O mercado para venda de tratores, comparado ao ano passado, caiu cerca de 30% e não é nem tanto pela crise, pois temos compradores para trator e implementos, mas o que está faltando realmente é recurso do BNDES” afirma Osmair Guareschi, proprietário do Mercadão de Tratores, revendedora da Valtra, em São José do Rio Preto.

Leandro Machado Romero, gerente de vendas da Itaeté Máquinas, revendedora John Deere perceberam a complexidade para solicitar o Pró Trator, os clientes também perceberam e, alguns, não gostaram das novas mudanças. “O que percebi de diferença do ano passado para esse

ano, foi estimar o meu crescimento e rendimento nos próximos oito anos, que nos anos anteriores não tinham, como posso estimar algo que não sei como vai estar o mercado nos próxi-

Atualmente, as linhas de financiamentos disponíveis ao produtor rural são: Moderfrota - com 7,5% ao ano em até 72 meses, financiando até 90% do valor; PSI - de 6,5% a 7% ao ano em até 120 meses, financiando 100% para produtores beneficiários do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – Pronamp ou 90% para os demais bene-

23


AgroCrédito

Fotos: Leandro Gasparetti

Leonardo Amendola, pecuarista

Osmair Guareschi, proprietário do Mercadão de Tratores, revendedora da Valtra, em São José do Rio Preto/SP ficiários; Mais Alimentos – com 5,5% ao ano em até 120 meses; Pró Trator – com 0% em até 96 meses, financiando 100% do valor. “De todas as linhas de financiamentos que temos disponíveis no momento, a Mais Alimento não está tendo verba liberada e o Pró Trator, que é o melhor financiamento que temos, por ser juros zero e é custeado pelo governo do Estado - por ser uma verba que se aloca do Pronamp para o Pró Trator

- está muito demorado, por que antigamente liberava em 30 dias, agora, chega a demorar mais de 90 dias” comenta Guareschi. Já segundo a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral – CATI, os trâmites para a adesão ao Programa Pró-trator tiveram algumas modificações, como por exemplo, o aumento no prazo de financiamento de 6 para 8 anos, mas nada que afetasse a sua liberação. “A parte que diz respeito à Secretaria de Agricultura, vem sendo aprimora-

da desde sempre, o problema é que o Pró- Trator é um programa do governo estadual e não é uma linha de financiamento, e como o governo do estado arca com custo dos juros de mercado, então, o banco utiliza o recurso de linhas de financiamentos, como Pronaf, Pronamp, dependendo do perfil do produtor, chega à época de uma safra, não tem como financiar o bem pela linha de crédito, por não ter recursos” explica Isabela Bologna, Assistente de Planejamento da CATI em São José do Rio Preto. Entramos em contato com a regional responsável pela liberação do Pró Trator e, segundo Eduardo Marcellino Franceschini, assessor de comunicação e imprensa do Banco do Brasil, os trâmites estão normais e os prazos estão sendo respeitados, não tendo nada de anormal.

Atualmente, as linhas de financiamentos disponíveis ao produtor rural são: Moderfrota - com 7,5% ao ano em até 72 meses, financiando até 90% do valor; PSI - de 6,5% a 7% ao ano em até 120 meses, financiando 100% para produtores beneficiários do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – Pronamp ou 90% para os demais beneficiários; Mais Alimentos – com 5,5% ao ano em até 120 meses; Pró Trator – com 0% em até 96 meses, financiando 100% do valor. Isabela Bologna, Assistente de Planejamento do CATI em São José do Rio Preto/SP 24


AgroHumor

PROSAS & CAUSOS COM

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

Como vocês já sabem agora todas edições da Magazine AgroFest eu vou tá aqui com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

APARPANDO Mineiro velho era aquele. Levou a mulher ao médico. O médico mandou a mulher entrar, o mineiro entrou junto. O médico mandou a mulher se deitar e começou o exame. Apalpou a mulher na altura do pescoço e perguntou: - Dói aqui? A mulher disse que não. Mineiro só olhando. O médico apalpou na altura

da clavícula, depois na altura do peito, depois na altura do estômago e foi descendo, apalpando e perguntando se doía. Quando o médico chegou na altura do umbigo, o mineiro interrompeu: - Olha, doutor, daqui pra baixo o senhor pergunta só. Deixa que aparpar, eu aparpo!

A MARVADA CACHAÇA

www.tonhoprado.com.br

ESPERTEZA DE UM ADVOGADO O advogado tava viajando de carro quando um tatu atravessou na frente do veículo. Ele parou, pegou o bicho, o colocou no porta malas e seguiu viagem. Lá na frente uma blitz da Polícia parou ele. Pediram os documentos, pra descer do carro e abrir o porta malas. Lá dentro o policial viu o tatu e falou: – Isso é um animal selvagem! Se a polícia ambiental te pega com isso você mofa na cadeia. E o advogado responde: – Que nada, esse tatu é de estimação. Crio desde novinho. Se você soltá-lo no chão, eu dou um assobio e ele volta do meu lado. Ele é treinado. O policial falou: – Duvido. – Então solta ele pra você ver, disse o advogado. O policial pegou o tatu, soltou no chão e o tatu correu pro mato. O policial falou pro advogado: – Agora chama o tatu de volta. E o advogado: – Que tatu? 25

Dois bêbados ficaram até tarde no bar e perderam a última condução. Resolveram então passar a noite num hotel, mas o gerente, sonolento, disse: - Só temos um quarto vago, com uma cama de solteiro. - Não tem importância, nós somos como irmãos - respondeu um dos bêbados. No quarto, apagaram a luz e se deitaram um de costas para o outro. No

meio da noite um deles acordou e chamou o companheiro: - João, tem um cara deitado comigo na cama. - Engraçado, na minha também tem. Vou tirar ele daqui. - Eu também. Os dois se viraram e começaram a brigar, até que um deles caiu no chão. - João, o cara me derrubou! - E eu derrubei o outro aqui. Pode vir dormir na minha cama.

AI QUE FALTA DE AR

Sexta-feira à tarde, dois funcionários de um importante banco ficam presos no cofre. Ao perceberem o ocorrido, um deles entra em pânico: – Meu Deus! E agora? Essa porta é automática, só abre nos dias úteis! Imediatamente o outro, um pouco mais calmo, saca a sua calculadora financeira e depois de muitas multiplicações e divisões chega à seguinte conclusão:

– Tenho duas notícias pra te dar! – Fala, fala! Fala, logo! – De acordo com a média de consumo de oxigênio de um ser humano, se permanecermos a maior parte do tempo em repouso, o ar vai dar exatamente até segunda-feira às três e quinze da tarde! – Ufa! Graças a Deus! Qual a outra notícia? – Segunda-feira é feriado.

UM DIA NOIS CHEGA LÁ

Um senhora bem velhinha vai ao médico e diz: – Doutor, eu tenho este problema com gases, mas realmente isso não me aborrece muito. Eles não cheiram e sempre são silenciosos. Vou lhe dar um exemplo. Desde que entrei aqui, no seu consultório, eu soltei uns 20 gases, pelo menos. Aposto que o senhor não percebeu e nem sentiu. São silenciosos e sem cheiro…

O médico aconselha: – Tome estas pilulas três vezes ao dia e volte na semana que vem. Na semana seguinte, a senhora regressa: – Doutor – diz ela -, não sei que porcaria o senhor me deu, mas agora meus gases, embora silenciosos, fedem terrivelmente. Então, o médico fala: – Bom, agora que curamos a sua sinusite, vamos cuidar da sua surdez!! 25


AgroHorse

Foto: Leandro Gasparetti

LUCIANA OMENA

Jornalista Especializada em Cavalos lucianaomenacomunicacao@gmail.com

A competidora Amanda Salvatierra

É

A IMPORTÂNCIA DO PATROCÍNIO

praxe para algumas empresas atuar como patrocinadores da cultura, do esporte, do social, por exemplo, como fator de alavancagem das suas ações de marketing. Mas por que é tão difícil convencer essas empresas a patrocinar? Acompanho de perto essa batalha com dois clientes que eu trabalho. A Associação Nacional de Três Tambores e a Associação Nacional do Cavalo de Rédeas. Para ambos, o patrocínio é fundamental. Para fazer um campeonato, com mais ou menos dez etapas e a final, no caso da ANTT, por exemplo, com

26

premiação recorde, camisas, brindes, ações de marketing, antidoping, outdoor, anúncios em revistas e jornais, manutenção do site, entre outros, sem patrocínio, tendo somente arrecadação de filiação, não seria possível. A ANCR com três grandes provas oficiais por temporada, eventos grandes, onde também tem que pagar boa premiação, montar toda a estrutura do evento, ações de marketing, aluguel do espaço, pagamento de juízes, entre outros, depende também do apoio de patrocinadores. É fato comprovado que as empresas, principalmente quando são do mesmo

nicho, apoiando eventos como esses citados acima, têm sai visibilidade ampliada. As empresas precisam de publicidade e as associações precisam do apoio. É um binômio que deveria andar junto e forte, mas nem sempre acontece assim. Conseguir trazer uma grande empresa, ou mesmo os criadores de cavalos, para patrocinar não é tarefa fácil. A batalha é diária e necessária! A força de um somada a do outro fica ainda maior e os a tendência é de todos ganharem e crescerem juntos. Empresas, vamos apoiar a patrocinar nosso esporte equestre!


27


AgroRodeio

Foto: Ronaldo Lesse

TEMPORADA JÁ COMEÇOU AGITADA!

RESULTADOS Feminina 1 - Keyla Cristina Polizello – 47s104 2 - Julia Shin Yu – 47s213 3 - Patricia Ribeiro de Oliveira – 47s241 4 - Leticia Ferreira Valle – 47s247 5 - Keila Suelen Aparecida de Mendonça – 47s275

Mirim 1 - Maria Eduarda Rossi Krieck – 46s732 2 - Tarcila Ferguson Mendes - 47s227 3 - Yasmim Nogueira Rosa – 47s373 4 - Maria Eduarda Silva – 47s883 5 - Gabriella Alice de Faria – 153s060

A chuva não atrapalhou o brilhantismo das meninas da ANTT em Ibirarema

F

oi de 11 a 13 de setembro a primeira etapa do 13° Campeonato Nacional de Três Tambores, realizado pela Associação Nacional dos Três Tambores – ANTT. A prova, nas categorias Feminina e Mirim, aconteceu no Ibirarema Rodeio Fest, em Ibirarema – SP. Colocar as competidoras e seus cavalos na arena depois chuvas fortes nos dias que antecederam à etapa não foi

28

uma tarefa fácil. “Foi uma das etapas mais difíceis que já fizemos em relação à pista devido à chuva. Só conseguimos realizar a prova porque tivemos o apoio incondicional da organização”, comentou Flavia Cajé, presidente da ANTT. Mesmo não conseguindo acompanhar todo o campeonato, há alguns anos Keyla Polizello vai a uma etapa sempre que pode. Ela é bicampeã Na-

cional ANTT e sempre tem palavras de carinho e incentivo para a Associação. Em Ibirarema, ela foi a campeã na Feminina, montando Moon Apollo Moon HJS, ao somar 47s104. Ao fazer o record da pista na final (15s312), Maria Eduarda Rossi Krieck, com Wrangler’s Son Agae, foi a campeã na Mirim, com 46s732. Há dois anos ela é finalista ANTT na sua categoria.


29


AgroPolítica

TRIBUNAL DE JUSTIÇ HOMENAGEIA FÁBIO

Presidente da Federação da Agricultura do Estado, Fábio Meirelles, recebe homen

N

o dia 28 de setembro, foi feita homenagem pelo Tribunal de Justiça de São Paulo ao presidente da Federação da Agricultura do Estado, Fábio Meirelles. Meirelles recebeu do presidente do Tribunal, José Renato Nalini, o título Protagonista da Agricultura do Estado de São Paulo. O evento contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal – STF e do Conselho Nacional de Justiça - CNJ, ministro Ricardo Lewandowski e também do deputado Itamar Borges (PMDB), presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, além de outras autoridades.

30

O filho do homenageado e diretor-tesoureiro do Instituto Pensar Agro, Fábio de Salles Meirelles Filho, agradeceu em nome da família. “Para nós, da família, qualquer homenagem que seja prestada pelo Tribunal de Justiça a um brasileiro já é uma grande honra. Ainda mais, sendo nosso pai. Traz-nos uma paz interna ver o seu trabalho e o de todos os produtores reconhecido hoje. Nos orgulhamos muito”, disse. O deputado Itamar Borges parabenizou Meirelles pela homenagem e pelo trabalho em prol da agricultura. “Merecida homenagem feita pelo Tribunal de Justiça de São Paulo ao presidente Fábio Meirelles, defensor da agricultu-

ra do nosso Estado e de todo o país, merece todo o reconhecimento pelo trabalho que desenvolve”, enfatizou. Para o desembargador José Renato Nalini, Fábio de Salles Meirelles simboliza aquilo que o homem do campo faz para que o Brasil se torne cada vez melhor. “Receba da maior Corte de Justiça do Planeta essa singela homenagem com todo o reconhecimento por sua competência e habilidades. E também ao emblema, à legenda que representa, que é a agricultura brasileira. Estamos juntos na busca de um caminho que faça essa nação alcançar os tão sonhados dias melhores. Parabéns”, finaliza.


Fotos: Mariana Vicenti

ÇA DE SÃO PAULO O MEIRELLES

nagem como reconhecimento por seu papel na Agricultura do país

31


AgroLikeHorse

32


AgroSanidadeAnimal

Foto: ASCOM/CIDASC

MAPA INSTITUI NOVAS REGRAS PARA TRÂNSITO DE SUÍNOS NO PAÍS F Medida faz parte das ações de prevenção à peste suína clássica oram estabelecidas novas normas para trânsito nacional de suínos, seus produtos, subprodutos e material genético com destino ao Acre, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins e aos municípios de Guajará, Boca do Acre, sul do município de Canutama e sudoeste do município de Lábrea, ambos no Amazonas. A medida foi divulgada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e faz parte das ações de prevenção à Peste Suína

Clássica (PSC) no território brasileiro. Não será permitida a entrada de carnes frescas com ou sem osso, de linguiças frescas, de produtos enformados (hambúrguer, almôndega e outros), de produtos de curta ou média cura (salame, copa e outros) e de miúdos in natura e salgados (língua, fígado, rins, coração, pulmão, pés e outros) e gorduras nessas unidades da Federação e regiões. Só será permitida a entrada nessas regiões desde que estejam acompanhados de documento de Certificado de Inspeção Sanitária modelo “E” (CIS-E), Documento de Transporte de Resíduos

Animais, Guia de Trânsito de Produtos (GT) ou eventual documento que venham a substituí-los e que sejam elaborados em estabelecimentos sob fiscalização veterinária oficial ou que integrem o Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA). Os demais produtos também devem ser processados para garantir a destruição do vírus da PSC, de acordo com um dos tratamentos reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e publicados em seu Código Zoossanitário para os Animais Terrestres.

33


AgroCampo

PROGRAMA MELHO

A

ntigamente não existiam estradas asfaltadas apenas estradas de terra, quando foi criada, na década de 30, a Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização, mais conhecida por CAIC. Na época, o intuito era de desenvolver atividades voltadas à policultura e pequenas propriedades, oferecendo condições ais trabalhadores no campo. Com o passar dos anos, a CAIC, começou a ampliar o foco de atuação, chegando a comprar e vender imóveis rurais e urbanos, mas foi na década de 60 onde assumiu a execução do Programa de Revisão Agrária do Estado,

incorporando, na década de 70 a área de motomecanização, juntamente com o Departamento de Engenharia e Mecânica Agrícola – DEMA. Passando a prestar serviços remunerados aos agricultores em desmatamentos, destoca, terraplanagens, conservação e preservação do solo, construção de açudes, barragens de terra e drenagens, além de se envolver com atividades de reflorestamento do Estado. Na década de 80 que a antiga CAIC mudou de nome para a Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo, também conhecida por CODASP, onde, na época, já tinha como respon-

sabilidade atuar na reforma agrária do Estado, desenvolvendo e executando projetos de assentamento rural. Mas foi em 1997 que a CODASP começou a prestar serviços para o Governo do Estado no Programa Melhor Caminho. O programa foi implantado pela lei nº. 41.721 de 17 de abril de 1997, destinada à elaboração de convênios entre a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e prefeituras municipais para a execução de obras de recuperação de estradas rurais de terra, não se responsabilizando pelo revestimento asfáltico da estrada de terra.

Como funciona o Programa Melhor Caminho

T

em de ser feito um oficio (constando o nome da estrada, o bairro, o trecho e a quilometragem total, além de justificar a necessidade da obra para a região), solicitado pela Prefeitura ou Câmara Municipal do município, direcionando a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo pedindo a inclusão do município no Programa Melhor Caminho. A Secretaria encaminha o pedido à Casa Civil, sendo aprovado, a Secretaria de Agricultura entra em contato com o município para iniciar o processo.

Inicialmente é feito uma avaliação preliminar com levantamento de dados, sendo realizada uma visita técnica, percorrendo o trecho onde será realizada a obra e já fazendo o levantamento cadastral georreferenciado, registrando os pontos críticos e a vegetação ao redor. Após o levantamento é feito um pré-projeto, com plano de trabalho e orçamento, sobre a obra que será realizada na estrada rural, sendo definidas as ações apropriadas e os equipamentos necessários para execução da obra e, posteriormente, aprovado.

Antes 34

Na execução da obra é realizada a raspagem do solo onde será realizado o trabalho (entorno do leito da estrada e na área de empréstimo), já que o trabalho é realizado em uma faixa de trabalho aproximadamente com largura de 110 metros, após a raspagem vem a “quebra de barrancos”, sendo que a maioria das estradas era encaixada devido ao sistema incorreto de conservação adotado de “patrolagem” do leito da estrada e pelo natural processo erosivo que a plataforma está exposta. Entrando na fase final, onde ocorrerá o revestimento, com mistura de solo


Foto: Leandro Gasparetti / Arquivo CODASP

OR CAMINHO Atualmente, com 18 anos de existência, o programa já recuperou mais de 12.000 km de estradas rurais de terra em todo o estado de São Paulo, sendo que dos 645 municípios do Estado, 624 já foram atendidos pelo programa, somando mais de 2.228 obras com investimento de quase R$ 700 milhões. Ressaltando que Governo do Estado quem autoriza o convênio entre a Secretaria de Agricultura e o município, e também é o Governo quem libera o recurso para a recuperação e conservação de estradas rurais, através do Programa Melhor Caminho.

José Cezar Zoccal, Gerente Regional da Codasp do Centro de Negócios de São José do Rio Preto / SP

e brita ou material reciclado da construção civil (restos de obras que são triturados), para que depois ocorra o prensamento e proporcione a estrada boas condições de rolamento, aderência, segurança e conforto ao usuário. “Dos 100% de solo perdido no estado de São Paulo, 50% é proveniente das estradas rurais mal localizadas, então, dos 210 milhões de solo perdido anualmente, metade é por causa das estradas rurais e, além disso, cerca de 70% das erosões existentes no estado de São Paulo, são provocadas pelas estradas rurais” comenta José Cezar Zoccal,

Gerente Regional da Codasp do Centro de Negócios de São José do Rio Preto. Vale ressaltar que o Brasil possui 230 mil km de estrada sendo apenas 10% de estrada asfaltada o restante é estrada rural. “Contamos com a colaboração das Prefeituras, mas, principalmente, da população em nos auxiliar informando sobre as estradas que não estão bem conservadas e necessitam de melhorias, pois, com nosso trabalho, podemos adequá-las da forma correta para uma melhor conservação e maior duração” finaliza Zoccal.

Depois 35


AgroEnergia

GUARANI AMPLIA PROJETOS DE CO A

Guarani iniciou o projeto de cogeração de energia elétrica no ano de 2003 como parte de um programa de produção de energia limpa e renovável. Ao longo dos anos, o Grupo aumentou a sua capacidade de geração, passando de uma capacidade inicial de venda de energia para uma cidade com 50 mil habitantes para um 1,5 milhões de habitantes atualmente. A empresa projeta a produção de 1622 GWH durante a safra 2015/16, com a comercialização de 1082 GWH.

36

Hoje, seis unidades desenvolvem o projeto de cogeração de energia: Cruz Alta (Olímpia), Tanabi (Tanabi), Mandu (Guaíra), São José (Colina), Andrade (Pitangueiras) e Vertente (Guaraci). Fábio Pelegrini, gerente Corporativo de Cogeração de Energia, explica que a geração de energia com bagaço da cana contribui para com o meio ambiente, reduzindo a emissão de gases que causam o efeito estufa. “Essa é uma alternativa complementar a geração hídrica, pois acontece, principalmente, no período seco, re-

duz os investimentos necessários em grandes linhas de transmissão e, consequentemente, as perdas de energia por estarem localizadas próximas aos centros de consumo. Também garante a geração de empregos, pois a indústria nacional tem tecnologia para produção de todos os equipamentos necessários”, acrescenta Pelegrini. Para a implantação do processo de cogeração, a Guarani passou por uma grande transformação nas operações, incluindo a alteração do sistema de produção manual para mecanizado.


Foto: Ferdinando Ramos

OGERAÇÃO Com o aumento da mecanização, a Guarani investiu na capacitação das pessoas para conceber este novo modelo tanto da operação quanto da manutenção. “Tivemos também de preparar nosso canavial, implantamos novas tecnologias como o piloto automático e alteramos a recomendação de fertilizantes devido à presença da palha”, explica José Olavo Bueno Vendramini, gerente de Desenvolvimento Técnico da Guarani. No caso do plantio mecanizado, o entendimento como sistema de pro-

dução desenvolveu um melhor planejamento em relação aos viveiros por estarem mais próximos da área de plantio, idade, qualidade da muda e alterações nas plantadoras com um melhor controle da quantidade de mudas. “Com o resultado da mecanização da colheita mecanizada a presença da palha propiciou uma nova atividade de recolhimento de palha. Tal sistema resultou num projeto economicamente sustentável”, afirma José Olavo. 37


AgroModa

Foto: Divulgação e Paty Cowgirl

ESCOLA DE RODEIO AMERICANA DÁ BOLSA DE ESTUDOS AOS MELHORES COMPETIDORES Nesta edição, não falaremos sobre moda e sim sobre escola de rodeio nos EUA, que premia os melhores competidores com bolsa de estudos

A Patricia Marchi

www.blogpatycowgirl.com.br

38

National High School Rodeo Foundation – NHSFR, rodeio entre estudantes do colegial, foi fundada em 1970, sem fins lucrativos e com status de isenção fiscal, cinco anos mais tarde, começou a administrar os empréstimos de bolsas de estudo aos membros NHSFR, premiando os estudantes com melhor desempenho no campeonato com milhares de dólares em financiamento educacional a cada ano. Com uma adesão anual de aproximadamente 12.500 estudantes de 41 estados, sendo cinco províncias canadenses e australianas. O NHSFR é governado por um conselho nacional de administração, composto por um membro de cada estado ou província. Uma equipe de funcionários na sede nacional em Denver, no Colorado, lida com as operações do dia-a-dia. O NHSFR é o “maior rodeio do mundo”, com cerca de 1.500 participantes de todo os Estados Unidos, Canadá e Austrália. Os atletas disputam títulos nacionais, prêmios variados e sua premiação em milhares de dólares em bolsas de estudos universitários. Para os “cowboys” tem as modalidades Bareback Riding, Bull Riding, Saddle Bronc Riding, Tie-Down Roping, Steer Wrestling, Team Roping e Cutting Horse. Já para as “cowgirls” são as modalidades de Breakaway Roping, Barrel Racing, Pole Bending, Goat Tying, Cutting, Team Roping e de Rainha do Rodeio. Só a modalidade Team Roping é disputada por ambos os sexos, mas são separados nas outras modalidades. Em 2004, foi criada a divisão Junior, para alunos da 6ª, 7ª e 8ª séries do ensino médio, para trazer mais emoção ao esporte, (é a modalidade Junior que a minha filha Manuela Costa Marchi compete, vamos garantir a bolsa da Faculdade, rsrsrsr). Hoje, todos os 48 estados e províncias que pertencem ao NHSRA, também produzem uma alta divisão Junior, bem como, com mais de 2.500 membros no total. “Uma das exigências para competir no Rodeio entre estudantes é de não poder ter nenhuma nota abaixo da media (media 70.00) eu acho ótimo, pois impõe uma responsabilidade para os competidores. “ Patricia Costa Marchi


AgroExpo

Foto: Carlos Lopes

EXPOINEL 2015 ENCERRA O ANO-CALENDÁRIO DA RAÇA NELORE A 44ª edição da Expoinel, realizada de 17 a 27/09, terminou com o grande campeonato das raças Nelore, Brahman e Gir. O evento contou com os leilões oficiais que tiveram faturamento total de R$ 16 milhões. Durante a Expoinel, ocorreu o Circuito Expocorte, que realizou palestras e debates com renomados especialistas brasileiros. Para o presidente da Associação de Criadores de Nelore do Brasil - ACNB, Pedro Gustavo de Britto Novis, foi uma honra receber um evento como o ExpoCorte para agregar mais conteúdo à genética da pecuária regional e nacional e para a Expoinel. “É preciso qualificar tecnicamente o pecuarista para que seja possível produzir mais por hectare”. De acordo com o Gerente Técnico na ACNB, Marcos Pertegato “Os resultados da exposição foram muito

positivos, de maneira geral. Os animais eram de alto nível em relação à qualidade, e os jurados conduziram

com tranquilidade e muita técnica o julgamento. Parabenizamos todos os participantes desta edição” finaliza.

39


AgroSocial

Fotos: Leandro Gasparetti

SOCIAL WESTERN Por Leandro Gasparetti

01 01

03

06

09

02

04

05

07

08

10

11

01 - Osmar Trevizan e Alessandro Trevizan 02 - Almiro Henrique e Carlinhos Salvatierra 03 - Giovani Barroti e Renato Reis 04 - Wilson Anastácio Júnior e Renato Xavier de Barros Júnior 05 - Luciano Orlandi, Alessandra Orlandi e Aparecido Carlos Trindade 06 - O casal Igor Schiavinatto Pires e Gislei Zaccharias Schiavinatto 07 - Paulo Garcia, Wilma Brunini Garcia e Neto Garcia 08 - A dupla Junior & Cristiano 09 - Nestor Leonel dos Santos e José Faria 10 - Kaká de Barretos, Cyro Penna Junior e Chico Mello 11 - Fabio Campanholo (Jhow), Thomaz Mascaro, Rodrigo Spolon e Ricardo Sabino 40


12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

12 - Maria Helena Ribeiro Santos e Adriano Santos 13 - Os leiloeiros João Campo e João Gabriel 14 - Marcelo de Almeida Felicio e Mario Marcos de Almeida Felicio 15 - Marcos Massuia e Antônio Del Arco 16 - Danilo Taveira e Seu Moço 17 - Luciano de Oliveira, Della Morena, Valdiney Cunha e Alê Martins 18 - Alex Pereira, Helvécio Pereira e Adriano Pereira 19 - Paulo Roberto Nunes Cassia e Gabriel Barbosa Ribeiro com a dupla George Henrique & Rodrigo 20 - Fred Tonelli e Renato Espreafico 21 - Glaucio Antônio Ribeiro Borges e Ana Paula Frigeri 22 - Arnaldo Jardim e Renato Azeda 23 - Gleydson Fonseca (Comentarista de Rodeio) com o locutor Adauto Severo 24 - Sérgio Expressão e Ali Ramadan 25 - Cowboys Country Dance e Max Belcari 26 - Vinicius Vulpini e Marrom 41


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Neg贸cios

42


43


44

Magazine AgroFest - Outubro/Nobembro 2015  
Magazine AgroFest - Outubro/Nobembro 2015  

Magazine AgroFest, Edição nº 09 - Outubro/Novembro 2015 | Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 33 cidades da Região. www.magazinea...

Advertisement