a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios Ano V - Edição 35 - Fevereiro / Março 2020

Distribuição gratuita

Acesse o nosso

portal de notícias!

1


2


3


06 AVICULTURA Árabes se tornam terceiro maior destino da exportação 10 EXPORTAÇÃO Brasil bate recorde em exportação de frutas

14/15 MANDIOCA Mandioca: do campo para o prato

16 AGRISHOW Agrishow 2020 iniciou venda de ingressos 22 CANA Baixo consumo de mudas consolidam plantio mecanizado 24 FOTOVOLTAICA Escassez de água e alto consumo elétrico realça importância da energia solar

20/21 INFO Açaí do pé para a mesa

34 PISCICULTURA Grupos estrangeiros se interessam por criação de Tilápia no Brasil 37 TECNOLOGIA Volocopter e John Deere criam drone agrícola

30/31 EXPO Coopavel movimentou em negócios cerca de R$ 2,5 Bi

39 OVOS Em 2019, cada brasileiro consumiu 230 ovos 41 TREM Governos de MT, AC, RO e China se unem para construir ferrovia 42 SHOWBUSINESS Marcos & Mancini há 15 anos na estrada e o retorno de Maycon & Renato

36 ECONOMIA Baixa de juros e novas regras de financiamento atraem bancos para o agro

R

Av. Alberto Andalo, 2641 / Sala 02 – Centro Cep: 15015-000 - São José do Rio Preto/SP Contatos Redação e Publicidade: (17) 3022-2527 / 98152-5400

Capa: 65 anos da Casa Iguami Criação: Agência Doze26 Ano V – Edição 35 Fevereiro / Março 2020

Distribuição em 45 cidades Adamantina, Andradina, Araçatuba, Bady Bassit, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Birigui, Buritama, Cardoso, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Fernandópolis, Fronteira/MG, Frutal/MG, Guapiaçu, Ibirá, Icém, Ipiguá, Jaboticabal, Jales, José Bonifácio, Junqueirópolis, Matão, Mirassol, Monte Alto, Monte Aprazível, Nhandeara, Nova Granada, Novo Horizonte, Olímpia, Orindiúva, Palestina, Paulo de Faria, Penápolis, Potirendaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Riolândia, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Sertãozinho, Tanabi e Votuporanga.

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP Jornalista André Luiz de O. Souza - MTB 75680/SP Fotografia Leandro Gasparetti

Diretor Geral Leandro Gasparetti contato@magazineagrofest.com.br

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

Diretor Comercial José Eduardo Costa comercial@magazineagrofest.com.br

AGROFEST - Uma revista inovadora, informativa e de alto nível. Que foca em temas como a Suinocultura, Avicultura, Pecuária, Piscicultura, Agropecuária, Eventos, Feiras, Exposições e Rodeios, com o intuito de aproximar empresas, técnicos, produtores, parceiros, clientes entre outros.

*Jesus, eu confio em vós!

*Reproduções totais ou parciais das matérias e fotos, aqui publicadas, só serão permitidas por meio de autorização expressa dos editores. As informações prestadas nas páginas de publicidade, são de inteira responsabilidade dos clientes. Artigos assinados por colaboradores não expressam a opinião da Revista.

4

Colaboradores Embrapa, Secretaria de Agricultura de São Paulo, Paulo Belarmino, Della Morena, Tonho Prado, André Silva e Dr. Ricardo Paulino de Oliveira.

Projeto Gráfico | Diagramação Marcelo Arede - 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto - 17 3016-4000 Contabilidade ESCRITÓRIO CONTÁBIL GOTAS EIRELI CRC-SP É 2SP038831


5


Foto: Divulgação

AgroAvicultura

ÁRABES SE TORNAM TERCEIRO MAIOR DESTINO DA EXPORTAÇÃO

O

s países árabes passaram a ser o terceiro maior destino das exportações brasileiras em 2019, segundo dados da Câmara de Comércio Árabe Brasileira. Em 2018, a região ocupava o quinto no lugar no ranking de compradores internacionais do Brasil, com US$ 11,4 bilhões em importações, e em 2019 ela galgou duas posições, com importações de US$ 12,1 bilhões. O aumento nas exportações do Brasil para os países da Liga Árabe foi de 6,3% em 2019 sobre 2018. Juntos, os países árabes ficaram atrás apenas da China e dos Estados Unidos como destino dos produtos brasileiros no ano passado,

6

enquanto que no ano anterior estavam atrás também da Argentina e Holanda, além da China e Estados Unidos. Segundo a Câmara Árabe, os mercados árabes sustentaram a demanda e mantiveram fidelidade aos parceiros brasileiros, num ano em que compradores importantes reduziram compras. Isso aconteceu com a China, que por causa da febre suína exterminou parte do seu rebanho, o que impactou na demanda pela soja comprada do Brasil, e ocorreu com a Argentina, que passou por forte crise econômica. Enquanto o mundo todo comprou 7,5% menos do Brasil, cerca de US$ 224

bilhões, e o superávit recuou 19,46%, para US$ 46,674 bilhões, os países árabes, mais uma vez, ampliaram pedidos, reforçando a importância da parceria comercial com o país. O Brasil exportou para os árabes principalmente frango, açúcar, minério de ferro, carne bovina e grãos. As vendas de carne de frango avançaram 6,4% para US$ 2,3 bilhões, as de açúcar recuaram 23,6%, com US$ 2,1 bilhões, e as de minério de ferro cresceram 7,2%, para US$ 1,8 bilhão. A exportação de carne bovina avançou 2,6% e ficou em US$ 1,1 bilhão e a de grãos subiu 46,4% para US$ 1,1 bilhão.


7


8


9


AgroInfo

Foto: FreePik

BRASIL BATE RECORDE EM EXPORTAÇÃO DE FRUTAS

O

Brasil fechou 2019 batendo recorde nas exportações de frutas. Pela primeira vez, o país atingiu US$ 1 bilhão em negócios, segundo dados do Ministério da Agricultura. As exportações superaram 1 milhão de toneladas, volume 14,7% superior ao registrado em 2018. O resultado foi atingido quando consideradas as vendas de nozes e castanhas, cujo volume exportado caiu 15,6% no período, para US$ 160,12 milhões (26,3 mil toneladas). Dentre as frutas com maior crescimento, a banana se destacou. Foram 79,4 mil toneladas exportadas, aumento de 24,8% ante 2018, gerando divisas de US$ 24,4 milhões (avanço de 19,1%). Os países árabes se destacaram entre os destinos com maior crescimento. Só para o Barein, foram 1,8 toneladas em 2019 ante 37 quilos em 2018. Espaço no Mercosul Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB, o Mercosul também foi um destino importante para a

10

banana brasileira no último ano. Em seu relatório mensal de acompanhamento do setor, o Prohort, a instituição lembra que a instabilidade política e econômica em grandes produtores da região, como Bolívia, Equador e Chile, tem favorecido o Brasil. A situação política entre os parceiros comerciais do Mercosul também contribuiu para o resultado positivo nas exportações de mamão, embora em menor intensidade. Foram 43,3 mil toneladas exportadas, avanço de 1,5% e volume recorde nos últimos 20 anos, segundo a Conab. Outra fruta com forte aumento nos embarques no último ano foi a melancia. Foram 102,86 mil toneladas, avanço de 52% ante igual período de 2018, a um valor de US$ 43,9 milhões, alta de 38,36% na mesma comparação. Para 2021, também existe potencial de exportação do melão após a abertura do mercado chinês. No último ano, foram 251,64 mil toneladas enviadas ao mercado internacional, aumento de 27,34% em volume e de 17,9% em faturamento (US$ 160,4 milhões).


EVENTOS E S TÂ N C I A T R E V I Z A N 0 1

E S TÂ N C I A T R E V I Z A N 0 2

E F D ÃO SAL

AAUUUU

AS EST S.J.

RIO

PRE

13K TO (

M)

T

IZA V E R

N OLIMPIA-SP 800 ME TROS

TREVO GUAPIAÇU

17 3215-8181 17 99609-3771

www.trevizaneventos.com.br

TREVIZAN I

R O D . A S S I S C H AT E U B R I A N D , 8 0 0 M E T R O S APÓS O TREVO DE GUPIAÇU-SP GUAPIAÇU-SP

TREVIZAN 2 S A L Ã O D E F E S TA S RECINTO DE EXPOSIÇÕES

AVENIDA GUILHERME SPEZIAMIGLIO 900/1000 (AO LADO DO RECINTO DE RODEIO) G U A P I A Ç U - S P

11


AgroDestaque

Fotos: Leandro Gasparetti

ORÇAMENTO DE R$ 1,5 BI PARA SEGURO RURAL EM 2021

O Ministério da Agricultura vai negociar com a equipe econômica do governo um acréscimo no orçamento para o seguro rural de 2021, dos atuais R$ 1 bilhão para R$ 1,5 bilhão. O objetivo é dar continuidade à promoção do seguro rural como principal instrumento mitigador de riscos climáticos. Por meio do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), neste ano, o ministério espera apoiar a contratação de aproximadamente 250 mil apólices, possibilitando a cobertura de 18 milhões de hectares e um valor segurado de R$ 50 bilhões, após mudanças nas regras de adesão. A projeção considera o comportamento de contratações em anos anteriores e pode variar dependendo do perfil por atividade e tamanho de produtor. A expectativa é que 17% mais produtores sejam contemplados com seguro rural no PSR.

ORGÂNICOS MANTÉM CRESCIMENTO EM 2020 Mercado que tem crescido a uma taxa média anual de 20% nos últimos anos, o segmento de orgânicos deve continuar avançando em 2020. A previsão para este ano é de alta entre 10% e 15% no faturamento, que deve alcançar R$ 4,5 bilhões. Acredita-se que os produtos orgânicos devem ganhar espaço em diferentes tipos de alimentos. Como, por exemplo, os produtos “plant-based”, carnes feitas de vegetais e grãos, além de haver mais oferta de orgânicos na merenda escolar, de frutas orgânicas e produtos da cadeia animal, como frango, leite e derivados. Estima-se que os orgânicos também ganhem espaço no cenário de preocupações ambientais crescentes, podendo se firmar cada vez mais como parte relevante da solução na problemática ambiental, devendo atrair cada vez mais iniciativas e políticas públicas e privadas que fomentem o setor.

MORANGO BRANCO JAPÔNES Uma fruta tipicamente conhecida pela sua cor avermelhada forte agora possui uma coloração pálida, ou melhor, branca. O morango branco foi desenvolvido pela empresa japonesa Miyoshi Agri-Tech, em 2006, a fruta é branca porque possui uma quantidade muito pequena de antocianina, a substância responsável pela cor vermelha do morango tradicional. A fruta tem um sabor cítrico e doce, que pouco lembra o morango vermelho. De cultivo limitado, não é facilmente encontrada nem mesmo no Japão, além de requerer uma certa experiência para ser cultivada. Por isso, o morango branco costuma ser mais caro que o tradicional, uma unidade da fruta custa cerca de 600 ienes ou R$ 23. Outra curiosidade é o nome: Hatsukoi no Kaori, que significa “O aroma do primeiro amor”. Ele foi batizado assim pela forte fragrância e cor levemente rosada quando madura.

12

Foto - Freepik


13


AgroMandioca

MANDIOCA: DO CAMPO PARA O PRATO

P

opularmente conhecida como macaxeira, aipim, maniva, manaíba, entre outros nomes, dependendo da região, a mandioca (manihot esculenta crantz) é utilizada no cardápio nacional, quase que diariamente. Mas o que a maioria não sabe é que para ela chegar a nossa mesa, passa por um processo cuidadoso no plantio, mesmo que a mandioca se adapte bem a qualquer tipo de região e solo. Há plantação em todos os estados do território nacional, como na Bahia, Pará, Paraná e Rio Grande do Sul, que são os principais produtores, mas no Estado de São Paulo, não há uma cidade sem plantio de mandioca. Como é o caso de João Cotes Romero, que há nove anos é produtor profissional de

14

João Cotes Romero produtor


mandioca em Talhados, subdistrito de São José do Rio Preto. “Comecei buscando mandioca em cidades da região como em Monte Alto, Cosmorama e Votuporanga, até que consegui iniciar minha própria produção” comenta Romero, que cultiva mandioca em sua propriedade, utilizando cerca de 2,5 alqueires, de um total de 4 alqueires. Além de sua propriedade possui 25 alqueires de parceria em Bady Bassit, que produz boa parte e, recentemente arrendou 10 alqueires. “Estou preparando o solo e começando a plantar, pretendo terminar o plantio em meados de março, para que tenha mais mandioca no final do ano para atender a alta demanda” complementa Romero. Já que, em média, a mandioca está pronta em torno de 10 a 12 meses, mas com 9 meses já pode ser retirada para ser comercializada. E a produção já tem destino certo, cerca de 90% da produção vai para os supermercados de São José do Rio Preto e Votuporanga e, o remanescente é entregue nas escolas. Mas para quem pensa que é só arrancar e vender, não é assim que funciona, após a retirada do solo, a mandioca vai para um tanque com água e, chega a ficar cerca de 24 horas, já que se a mandioca ficar em contato com o oxigênio acaba oxidando, por este motivo fica na água, após esse período é descascada e embalada em

Fotos: Leandro Gasparetti

pacotes de 1 kg. Atualmente a produção semanal gira em torno de 350 caixas, ou seja, cerca de 10.500 quilos de mandioca,

são distribuídos. Com o acréscimo dos 10 alqueires a partir do final do ano, a estimativa é que a produção aumente em cerca de mais 720 mil quilos.

15


Foto: Divulgação Agrishow / Agavea

AgroEvento

A

Agrishow 2020 iniciou venda de ingressos

27ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, ou seja, Agrishow 2020, já iniciou as vendas de ingressos em seu site oficial. Para adquirir o ingresso, basta acessar o site (www.agrishow.com.br) e seguir as instruções para a compra online. O evento será promovido entre os dias 27 de abril e 1º de maio, na cidade de Ribeirão Preto. Reconhecida como a maior feira do setor, por movimentar e envolver todo o agronegócio nacional, a 27ª Agrishow reunirá mais de 800 marcas exposi-

toras nacionais e internacionais, que irão apresentar aos profissionais e produtores de todas as regiões brasileiras e do mundo as mais inovadoras máquinas e tecnologias do setor, lançamentos exclusivos e principais tendências do agronegócio. A expectativa da organização é receber, durante os cinco dias de feira, mais de 150 mil visitantes em uma área total de 520.000 m². Entre as principais atrações estão confirmadas a Arena do Conhecimento, para o debate dos principais temas ligados ao agro, e a Arena de Demons-

trações de Campo, com a curadoria da Coopercitrus, que apresentará plantio e tratos de hortifrúti. A Agrishow é uma iniciativa das principais entidades do agronegócio no país, como Associação Brasileira do Agronegócio - Abag, Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos - Abimaq, Associação Nacional para Difusão de Adubos - Anda, Federação da Agricultura e da Pecuária do Estado de São Paulo - Faesp e Sociedade Rural Brasileira - SRB.

O SEU DESAFIO

É O NOSSO

combustível! NÓS SOMOS UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL E OFFLINE WWW.WIDECOMUNICACAO.COM.BR

16

17 3305-6538

AVENIDA ROMEU STRAZZI, 2092

CEP 15085-520 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO


SUA MÁQUINA DE TRABALHO ESTÁ NO

DOZE26

VENDA DE TRATORES NOVOS E USADOS IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS E GERADORES

São José do Rio Preto-SP Av. Pres. Juscelino Kubistschek 111 17 3216-8055 Fernandópolis-SP Av. Litério Grecco 1981 17 3465-8055

Araçatuba-SP Rua Anhanguera 3125 18 3637-8055 Ourinhos-SP Rua Marginal 2595 14 3302-8055

Assis-SP Av. Dom Antônio 2424 18 3302-8055 Presidente Prudente-SP Av. Joaquim Constantino 6300 18 3345-8055

Tupã-SP Rod. Com. João R. Barros KM 529,8 18 3302-8055 WWW.MERCADAOTRATORES.COM.BR 17


Foto: Ricardo Paulino de Oliveira/ Divulgação

AgroColunista

CERATOCONJUNTIVITE INFECCIOSA BOVINA: A DOENÇA DO VERÃO!

A

ceratoconjuntivite infecciosa bovina é uma doença altamente contagiosa que afeta os olhos dos bovinos de todas as faixas etárias, principalmente bezerros. A moléstia raramente leva a morte do animal, mas as perdas produtivas são elevadas. Os custos advindos desta doença envolvem perda de peso, queda da produção de leite, despesas com tratamento. Os animais severamente afetados apresentam um grande desconforto e depressão. Há também, a possibilidade da ocorrência de surtos podendo envolver grande número de animais no curto intervalo de 3 a 4 semanas. Causada pela bactéria Moraxella bovis (M. bovis). Os sintomas iniciais são lacrimejamento excessivo e fotofobia, dentro de 24 horas ocorre a infecção conjuntival. Observa-se área de opacificação e edema na córnea, o quadro pode evoluir para a formação de múltiplas úlceras. A doença pode ser transmitida por contato direto, aerossol, secreções nasais e oculares. Uma boa alternativa para rebanhos onde a incidência é pequena é a segregação dos animais clinicamente afetados do restante do lote. O principal entrave na terapia da infecção ocular é a dificuldade de manejo do tratamento tópico. As injeções subconjuntivais são freqüentemente recomendadas por manterem elevadas as concentrações dos medicamentos na região afetada por períodos mais prolongados do que as aplicações tópicas de pomadas ou soluções. As drogas mais utilizadas são a Penicilina G ou a Gentamicina. Quanto mais cedo for instituído o tratamen-

18

to antibiótico, menos graves serão as lesões à córnea. Em rebanhos onde a administração das injeções subconjuntivais é impraticável, pode-se optar pela administração intramuscular de oxitetraciclina. Existem vacinas para controle da doença, mas seus resultados são ainda insatisfatórios, reduzindo apenas a incidência e a gravidade da moléstia. O controle das moscas é uma importante medida profilática, devendo-se atentar para o manejo do esterco e para a limpeza das instalações. Diversos fatores podem predispor à ocorrência desta infecção ocular, tais como a luz solar, a qual é capaz de lesionar o epitélio corneano e favorecer o acesso das bactérias, justificando o aumento da incidência do problema durante o verão.

RICARDO PAULINO DE OLIVEIRA Médico Veterinário CRMV/SP nº 22.290


Foto: Pitty

AgroInfo

NOVA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO DE GIROLANDO TOMA POSSE

O

produtor rural e engenheiro agrônomo, Odilon de Rezende Barbosa Filho, assumiu a presidência da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, o mandato vai até 2022. Atuando há mais de 30 anos na pecuária leiteira e no mercado de genética bo-

vina, Odilon disse estar otimista com o crescimento do setor e pretende intensificar os projetos focados no avanço genético da raça por meio do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando - PMGG. Com mais de 4 mil associados em

todo o país, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando foi fundada 1978 e, desde 1989, a entidade atua como delegada do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA para a execução do registro genealógico e do PMGG.

19


Fotos: Leandro Gasparetti

AgroInfo

AÇAÍ DO PÉ PARA A MESA U

ma fruta que caiu no gosto da população, o açaí é uma fruta que vale por uma refeição, tanto que no Pará a população se alimenta da fruta praticamente o dia todo, no café da manhã, comendo-o puro, no almoço e janta, misturando com farinha, peixe e outras opções saudáveis. E no interior paulista não é diferente, tanto que Nelcindo Donizeti Gonsalez, produtor apaixonado pela fruta, resolveu produzir em sua propriedade no subdistrito de São José do Rio Preto, em Talhados. “Atualmente possuo cerca de 2.300 touceiras - que variam entre 3 e 4 anos -, já estão produzindo, mas por enquanto consumimos na família e damos para os amigos mais íntimos. Plan-

tei no padrão da Embrapa, respeitando os espaçamentos entre elas, além de ter um sistema de irrigação feito à noite, para que a terra fique sempre úmida e tenha uma produção contínua”, comenta Gonsalez. Para plantar a fruta é importante manter um padrão no plantio, que se inicia com o tipo de terra, recomendando-se a utilização de áreas já desmatadas, o preparo da área deve contemplar as etapas de roçagem e as operações convencionais de limpeza e preparo do solo, como aração e gradagem, executadas durante o período da estiagem. Caso seja necessário, aplicar calcário para intervir na acidez do solo. Já as covas devem ter as dimensões

Aline Bruna de Souza Amadeu da Radan Distribuidora 20

Nelcindo Donizeti Gonsalez, produtor de açaí


de 40 cm x 40 cm x 40 cm de largura, comprimento e profundidade, sendo recomendável plantar duas mudas por cova, com idades entre 8 e 10 meses. Durante o preparo da cova, a terra mais escura da superfície (20 cm iniciais) deverá ser separada da terra amarelada do fundo da cova. A terra mais amarelada deverá ser distribuída na parte superior da cova. As mudas devem ser plantadas nas extremidades da cova, de modo que fiquem 30 cm distantes uma da outra, 30 dias após o enchimento das covas e de preferência no início do período chuvoso. Se bem cuidada, as touceiras podem ter um bom rendimento produtivo. “Cada touceira tem quatro estipes, sendo dois pais e dois filhos, sendo que cada estipe produz cerca de quatro a cinco cachos e, cada cacho, cerca 2 a 2,2 kg de fruto por cacho, ou seja, 8,6 kg por estipe, isso quando a touceira estiver com 8 a 9 anos. A nova recomendação da Embrapa é de 5x5, para não ter sombreamento, daria cerca de 400 touceiras por hectares, ou seja, cerca de 13 mil kg por hectare por ano, a cada quilo rende cerca de 450 gramas de poupa, cerca de 6 mil kg de poupa por hectare” explica Gonsalez. Estima-se que 70% a 80% da produção de frutos de açaí ocorra no período de julho/agosto a dezembro/janeiro, época considerada como safra, enquanto 20% a 30% são produzidos de janeiro a junho, período de entressafra, no qual os preços da lata do açaí, com peso de aproximadamente 14,5 kg, alcançam valores até 400% superiores aos verificados na safra. Visando esse mercado, Gonsalez, pretende, em breve, produzir o açaí para comercializar, mas com um diferencial. “Pretendo comercializar o açaí puro, sem adição de xarope como são vendidos atualmente, para que a população da região sinta a diferença do sabor e qualidade da fruta, que tem um sabor e textura que lembra o abacate” finaliza Gonsalez.

21


AgroCana AgroSegurança

Fotos: Divulgação DMD

BAIXO CONSUMO DE MUDAS CONSOLIDAM PLANTIO MECANIZADO

A

inda existem dúvidas no setor sucroenergético em relação à performance do plantio mecanizado de cana-de-açúcar. Há até quem diga que o interesse pelo plantio manual estaria crescendo novamente e porque algumas unidades produtoras e produtores de cana têm desistido da operação mecanizada? Usinas e produtores que realizam o plantio mecanizado de maneira correta estão obtendo resultados bastante positivos. Custo por hectare bem abaixo do plantio manual e quantidade de mudas próxima a que é utilizada pela operação não mecanizada são os

22

principais motivos da consolidação do plantio automatizado. Há casos, por exemplo, que foram constatados uma redução de custo por hectare que, antes era de R$ 8,3 mil e, utilizando o sistema automatizado, reduziu para R$ 4,5 mil, ou seja, uma redução de quase 46% em comparação com o plantio manual. Além do baixo custo, outro fator determinante devidamente comprovado é a redução na perda de mudas. No sistema manual utiliza-se cerca de 18 toneladas por hectare e com o plantio mecanizado automatizado reduziu para cerca de 15 a 14 toneladas

por hectare, além de manter a distribuição das mudas de maneira mais regular. Vale ressaltar que todos esses benefícios precisam ser agregados aos cuidados e preparo com o solo, como manter a umidade do solo e cobrição do tolete de cana no sulco de plantio, entre outras medidas, são fundamentais para a redução das falhas. O plantio mecanizado é uma operação bastante positiva, bastando ter gestão, treinamento constante da equipe e, realizar um manejo adequado do solo, desde o plantio à colheita. Quem faz isto, tem sucesso.


**Considerando a economia de 2ton/ha plantada

23


Foto: Divulgação Absolar

AgroTecnologia

Escassez de água e alto consumo elétrico realça importância da energia solar

F

onte solar fotovoltaica é estratégica para o país, já que alivia a operação do sistema elétrico nacional, economizando água das hidrelétricas e reduz o uso de termelétricas caras e poluentes. O baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas no país, conforme apontam o relatório recente da Agência Nacional de Águas – ANA, somado à projeção de um maior consumo de eletricidade em 2020, eleva a relevância da energia solar fotovoltaica no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica – ABSOLAR, a fonte solar fotovoltaica é cada vez mais importante ao país, pois ajuda a aliviar a operação do sistema elétrico nacional, economizando água dos reservatórios das hidrelétricas, sendo assim, reduz a necessidade do aciona-

24

mento de termelétricas, mais caras e poluentes. Os reservatórios das usinas hidrelétricas brasileiras, segundo dados da ANA, estão com níveis reduzidos de água para a época do ano. O nível médio dos reservatórios, se tomar por base 2019, que era de 38,11%, atualmente está em 31,67%, cerca de 6,5% menor, de um ano para o outro. Há ainda a tendência no aumento do consumo, em cerca de 4,2%, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, os principais motivos seriam o reaquecimento da economia nacional e a projeção positiva para o crescimento do PIB, deste ano. “Na minha opinião o país precisa se adequar as outras opções de energias, não tem como depender só das hidrelétricas, já que até as próprias

concessionárias de energia estão adotando a fotovoltaica que é o futuro do país. O sistema de energia fotovoltaica quase não possui manutenção, com garantia de 30 anos nas placas e, de 10 a 15 anos de garantia nos inversores e, não faz barulho, então o consumidor não precisa se preocupar de colocar fotovoltaica em seu telhado, pois não produz ruído. E o melhor de tudo, até os bancos estão financiando o sistema fotovoltaico, não ficando pesado a instalação do equipamento, podendo ser pago em várias vezes e, estamos tendo uma demanda muito grande, as pessoas estão vendo que essa é a melhor forma de economizar na conta de luz” finaliza Carlos Alberto Piton de Mello, proprietário da Econ Energy (Energia Solar Fotovoltaica).


25


Agradecemos aos parceiros, clientes e amigos por fazerem parte de nossa historia ´ desde 1955 e, que este vinculo ´ se fortaleca ainda mais, ´ ja´ que fazem parte da familia ´ Iguami! ANTIGA FACHADA

65 A NOS

26

AD

L O C  I R G A S O T N E M I M PL E N E F E D S A T N E M A R R E F S UBO


DOZE26

FACHADA ATUAL

M E G A N I D R A J S S LA E T N A Z I L I T R E F NSI VOS

17 3 2 24 - 59 81 | 3 2 24 .6 3 25 CA SA IGA M I@ YA HO O.C OM

.BR

PA Z 2 8 3 8 A D A R O H N E S A S S O N A ID N E AV P M AC E NO - S .J. R IO PR ETO -S 27


Foto: Divulgação

AgroColunista

O

IMPACTO DO CORONAVIRUS NO MERCADO DE BORRACHA NATURAL

s preços da borracha natural neste início de ano devem sofrer influência dos impactos do novo Coronavirus sobre a economia Chinesa. Quem fala é o economista sênior da Association of Natural Rubber Producing Countries – ANRPC, Jom Jacob.

Jom Jacob

Para Jacob, é provável que a economia chinesa reduza seu crescimento ao menos no primeiro trimestre de 2020, devido ao surto do Coronavirus com graves efeitos para a economia global. “Sendo a segunda maior economia do mundo e o maior país de origem do turismo no exterior, a China é um dos principais impulsionadores do crescimento econômico global, além de ser o maior país de origem do turismo internacional, sendo o maior contribuinte dos gastos do turismo no exterior, especialmente na Ásia” argumenta Jacob. Como segundo maior importador mundial de commodities, como petróleo, minério de ferro, soja e borracha natural, muitos mercados dependem da China, no que diz respeito a demanda. Igualmente, por sua importância como exportadora de produtos semiacabados, a China também exerce grande influência em países que dela dependem, para obter os materiais e

peças necessários para sua indústria. Ou seja, uma disrupção no seu ritmo de crescimento provavelmente atingirá a economia em escala global. Embora se espere que a produção global de borracha natural permaneça baixa nos primeiros meses deste ano (devido a coincidir com a entressafra de inverno na maior parte dos países produtores que se encontram no hemisfério norte), Jacob afirma que é improvável que a baixa produção se traduza em uma escassez no mercado devido à baixa demanda prevista pela indústria. “A atual situação de oferta e demanda não suporta uma recuperação acentuada dos preços em fevereiro. Como os preços caíram cerca de 15%, em apenas 15 dias desde meados de janeiro, eles têm espaço para sofrer uma correção. Porém, é provável que o ritmo de recuperação seja lento e hesitante, em vista da fraca demanda prevista durante os próximos meses” conclui Jacob.

Diogo Esperante - Diretor Executivo Apabor Com colaborações de Jom Jacob (ANRPC)

USINA SÃO MANOEL - Respeito e Compromisso com o Produtor Rural. Valorizar o trabalho do Seringueiro e do Seringalista, disponibilizar acesso à informação e tecnologia de ponta, é a nossa luta diária na busca da excelência do campo ao benefíciamento de borracha natural

Seja nosso parceiro, visite a São Manoel ou solicite a visita de um técnico. Cel.: 17. 99772-0707 28

ou pelo E-mail: recepcao@saomanoelsp.com.br / www.SAOMANOELSP.com.br


COAGULANTE

; ; ;

; ;

(17) 3223 3464

www.phriopreto.com.br

(17) 99788 4872

/phriopreto

RUA JORGE SAAD, 3107. / São José do Rio Preto SÍTIO SARANDI. DISTR INDL CARLOS ARNALDO SILVA

(17) 99113 7751

@phriopreto_

contato@phriopreto.com.br 29


Foto: Leandro Gasparetti

AgroExpo

COOPAVEL MOVIMENTOU EM NEGÓCIOS CERCA DE R$ 2,5 BI

E

m sua 32ª edição, o Show Rural – Coopavel, que aconteceu de 3 a 7 de fevereiro em Cascavel – PR, estima-se que tenha movimentado em negócios cerca de R$ 2,5 bilhões, esse número é reflexo de um momento especial no agronegócio, que teve safra recorde e preços equilibrados de pro-

dutos agrícolas e de carnes, que culminam em perspectivas de negócios para as empresas. Outro fator que gera otimismo no agronegócio, é a taxa Selic de 4,5% ao ano, estimando que os bancos privados apresentem opções atrativas de financiamentos aos produtores. A expecta-

Sérgio Expressão, presidente do Sindicato Rural de São José do Rio Preto 30

tiva é de que as instituições financeiras coloquem à disposição na feira mais de R$ 3 bilhões, sendo R$ 1 bilhão só do Banco do Brasil, que detém a maior participação no mercado de crédito para a agropecuária no país. O evento se destacou com o aumento de expositores, que no total foram 650, em 72 hectares, além de máquinas, equipamentos, empresas de sementes, químicos e diversos outros produtos para manejo da lavoura e universidades públicas e privadas. Sempre visando a apresentação de tendências, novas opções e aprendizado aos produtores rurais, tanto na parte de cultivo como na parte administrativa da propriedade. E, como não podia deixar de ser, mais um ano o Sindicato Rural de Rio Preto, representado pelo seu presidente, Sérgio Expressão, levou à Coopavel um grupo de produtores rurais, além de alguns sindicatos da região. “Esse é o quinto ano que o Sindicato Rural de São José do Rio Preto leva uma delegação de associados e não associados de produtores rurais, para conhecer a Co-


opavel, para mim uma das feiras mais importantes agropecuárias do Brasil. Esse ano, para nossa surpresa, foi muito maior do que os anos anteriores com muito mais maquinário e tecnologia, entre lançamentos e novidades e, todos que foram da delegação ficaram maravilhados com tudo o que viram, tanto que metade das pessoas que foram este ano já reservaram para o próximo ano. Outra surpresa foi a presença do Tirso Meirelles e Fabio Meirelles, vice-presidente e presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo - FAESP, não conheciam a Coopavel e ficaram admirados com a organização do evento”, finaliza Expressão. Show Rural - Coopavel O Show Rural Coopavel é um evento tecnológico promovido pela Coopavel Cooperativa Agroindustrial, sendo referência mundial, além de ser uma vitrine tecnológica. O evento este ano atraiu cerca de 300 mil visitantes e, contou com cerca de 650 expositores, chegando a movimentar em vendas cerca de R$ 2,5 bilhões. Além de ter contado com a presença de grandes empresas e marcas dos principais segmentos do agronegócio, como agricultura, avicultura, pecuária, suinocultura, entre outros. A sua 33ª edição, em 2021, será realizada de 1 a 5 de fevereiro.

31


AgroParceria

Fotos: Divulgação

PARCERIA DE SUCESSO A

migos a um bom tempo, Paulo Marcucci e Fadel Thomazini, já fazem sucesso no meio empresarial, cada um em seu segmento, sendo que Marcucci é um conceituado empresário no ramo de sucos, à frente da Kmais Rp, além de Também atuar no ramo artístico, empresariando duplas sertanejas como Rafa & Nando, João Vitor & Weslei, Luís Felipe & William, entre outros. Já Thomazini, é um renomado fotógrafo especializado em fotografia de shows conhecido na cidade como fotógrafo das estrelas, atuando no mercado há mais de 12 anos, já trabalhou e acompanhou grandes artistas de sucesso na atualidade, nomes como Zé Neto & Cristiano, Henrique & Juliano, Matogrosso & Mathias, Gusttavo Lima, entre outros famosos, Resolveram, já que ambos são formadores de opinião e possuem vários projetos visando o desenvolvimento de São José do Rio Preto, acreditando nesta parceria e mais novas idéias junto a Rede IBTV, com o parceiro Ivan Silva e, seus mais de 86 mil

32

Os amigos, Paulo Marcucci e Fadel Thomazini seguidores, uniram força a Thomazini, que será lançado como pré-candidato a vereador, em 2020. “Visando o melhor para São José do Rio Preto, que vem se destacando no cenário nacional, afinal, foi considerada a 2ª melhor cidade do país nas áreas da saúde, sustentabilidade, segurança, saneamento e educação. Pretendo desenvolver alguns projetos que estão prontos para serem implantados na cidade maravilhosa, eu amo e cresci nesta cidade, quem

sabe, eu posso ajudar Rio Preto ser a 1ª colocada” comenta Thomazini. Os amigos estão organizando tudo para a campanha e, prometem fazer barulho focando no melhor para a cidade. “Rio Preto precisa de sangue novo, que vista a camisa em prol do município, e aproveitando o ensejo gostaria de parabenizar a cidade que, em março mês do meu aniversário, completa 168 anos de existência e, a cada ano que passa, se desenvolvendo cada vez mais” finaliza Thomazini.


AgroInfo

Foto: Divulgação

VOLOCOPTER E JOHN DEERE CRIAM DRONE AGRÍCOLA

A

startup desenvolvedora de aeronaves autônomas Volocopter, revelou que está desenvolvendo um drone em parceria com a John Deere, fabricante de equipamentos agrícolas. O objetivo das duas empresas é o desenvolvimento de um drone para aplicações agrícolas, capaz de realizar a pulverização de grandes plantações de maneira autônoma. A aeronave possui 18 hélices e um motor totalmente elétrico, proporcionando uma autonomia de 30 minutos de voo. A máquina é capaz de transportar até 200Kg e é possível programá-lo para seguir uma rota pré-determinada ou pilotá-lo de maneira remota, através de um controle, caso seja necessário. Para realizar a pulverização das plantações, a John Deere conectou ao VoloDrone um conjunto de pulverizadores e tanques no ponto de conexão de carga, que fica embaixo da parte central da estrutura da aeronave. Nos tanques anexados ao drone é possível

abastecer com pesticidas, fertilizantes líquidos, agentes anticongelantes para evitar as adversidades do clima e muito mais. Ambas empresas acreditam que será possível também, no futuro, utilizar o drone para outras aplicações como, por exemplo, plantar sementes. De acordo com a Volocopter, o VoloDrone apresenta inúmeras vantagens

para a sua aplicação, pois ele consegue, por exemplo, em comparação com as máquinas agrícolas terrestres, ser mais econômico e mais preciso. A John Deere terá grande colaboração durante os testes, pois haverá pilotos especializados para manusear as aeronaves nas plantações e analisar como será o seu desempenho.

33


AgroPiscicultura

Foto: Shutterstock

GRUPOS ESTRANGEIROS SE INTERESSAM POR CRIAÇÃO DE TILÁPIA NO BRASIL

A

piscicultura brasileira entrou definitivamente no radar de grupos estrangeiros querendo investir e, o embaixador do país é a tilápia. O potencial de crescimento da espécie, que já foi a queridinha dos pesqueiros, desperta a atenção de grupos estrangeiros que veem com bons olhos a imensa reserva de água doce do país uma extraordinária oportunidade para elevar a produção da proteína mais consumida no mundo. Recentemente, um grupo alemão que é player mundial da piscicultura, adquiriu uma produtora de alevinos no Paraná e, decidiram investir no Brasil devido à demanda global e ao potencial de crescimento da atividade no país. Já que o país hoje é o quarto maior produtor mundial de tilápias e

34

tem perspectivas de se tornar o segundo. Para isso, é preciso um crescimento muito grande nos próximos anos, por isso, os grupos estrangeiros resolveram investir no país, visando o crescimento no segmento. Optaram por atuar com alevinos, já que é o primeiro produto que um piscicultor pode comprar, sem correr maiores riscos de mortalidade e depois dos juvenis, restam os peixes gordos, aqueles prontos para o abate e que são terminados em viveiros escavados ou em tanques-rede (gaiolas depositadas em rios ou lagoas). E o investimento não é tão alto se comparado com a tilápia pronta, pois os alevinos e os juvenis podem ser comercializados entre R$ 120 e R$ 650 o milheiro, dependendo do tamanho. Já a tilápia pronta é vendida

por quilo, o peixe nessa fase é repassado para outra empresa que já atua com a filetação. Outro investimento feito pelo grupo, que não é comum no país, é em biossegurança e desenvolveram uma incubadora artificial dos ovos de tilápia que simula as condições de nascimento dos alevinos. Na natureza, as fêmeas fazem ninhos onde depositam os ovos, que depois são fecundados pelos machos. A fêmea então recolhe os ovos na boca, onde os mantém até depois do nascimento. Se há perigo, eles voltam para a proteção da boca da mãe. A incubadora artificial acaba imitando a natureza fazendo com que as larvas de tilápia nasçam em laboratório, além de garantir o controle e a variabilidade genética dos lotes.


35


AgroEconomia

Foto: Leandro Gssparetti

BAIXA DO JUROS E NOVAS REGRAS DE FINANCIAMENTO ATRAEM BANCOS PARA O AGRO

C

om a redução da taxa de juros, chegando a mínima histórica de 4,25%, somada à flexibilização das formas de financiamento agrícola proporcionadas pela Medida Provisória 897/2019, a MP do Agro, deve transformar significativamente o crédito rural no Brasil. Diante das novas circunstâncias, bancos e cooperativas de crédito têm se movimentado para disponibilizar linhas de financiamento com capital próprio a juros livres. A taxa de juros no patamar atual, acaba viabilizando que as instituições financeiras aportem recursos que não os controlados para atender a demanda dos produtores rurais. Como é o caso do Sicredi, a cooperativa visa que

36

35% dos R$ 17,5 bilhões previstos para serem ofertados ao mercado sejam de capital próprio, à taxa média de 8,5% – uma marca inédita para a instituição. Já o Bradesco projeta uma carteira de crédito de R$ 50 bilhões até o final do ano, dos quais R$ 7 bilhões serão com recursos próprios, a taxas de juros que variam de 6,5% a 9,5% ao ano. Com estratégia agressiva no financiamento agrícola, o Santander avalia o novo cenário como uma oportunidade e espera um crescimento de 20% da sua carteira de crédito agrícola este ano. O detentor da maior carteira de crédito agrícola do país, o Banco do Brasil também ampliou a destinação de re-

cursos próprios para este ano. A instituição dispensou a equalização do governo federal para os financiamentos do Moderfrota, linha do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), destinada à aquisição de máquinas e equipamentos, que este ano será feito com capital próprio. Com a redução da taxa Selic nos últimos meses e o aumento da taxa de juros para o Plano Agrícola e Pecuário (PAP), ficou mais atrativo ao produtor rural acessar o financiamento através de recursos sem subsídio governamental, seja pela não limitação de recursos por CPF ou pelo menor tempo para aprovação do crédito.


37


AgroColunista

PROSAS & CAUSOS COM CACHAÇA

EITA CRIANÇADA

www.tonhoprado.com.br

PSIQUIATRA

Depois de varias idas a psiquiatra,meu primo Zé , queria saber oque ele tinha. foi então que o psiquiatra deu o diagnostico, olha seu Zé não tem jeito o senhor é louco, Ele ficou inconformado e disse ao doutor, espera ai num sai daqui sem uma segunda opinião. O doutor diz ta bem,O senhor é feio pra caramba também.

O AMOR É LINDO

Dois amigos conversam sobre as maravilhas do Oriente. Um deles diz: Quando completei 25 anos de casado, levei minha mulher ao Japão. Não diga? E o que pensa fazer quando completarem 50? Volto lá para buscá-la.

38

Assim que o garotinho entra na barbearia, o barbeiro disse ao cliente. Esse é o moleque mais burro do mundo, fica olhando vou lhe mostrar O barbeiro, então coloca uma moeda de 1 real numa das mãos e na outra duas de 25 centavos O que você vai querer? Pergunta o barbeiro pro menino, oferecendo a ele as mãos para o menino. Depois de pensar alguns segundos, o garotinho pega as moedas de 25 centavos. Não falei, diz o barbeiro ao clienteesse garotinho vem aqui quase todos dias, e nunca aprende Mais tarde o cliente vê o menino saindo de uma padaria, com algumas balas nas mãos Ei garoto –diz o cliente, Acho que você já tem idade pra saber o valor do dinheiro,então porque você pegou as moedas de 25 centavos ao invés da de 1 real? Enquanto abre uma bala, o menino da um sorrisinho e responde. Porque o dia que eu pegar a de 1 real acaba a brincadeira.

Um bêbado entrou num ônibus, sentou ao lado de uma moça e disse: - Mas como tu é feia, tu é a coisa mais horrível que eu já vi!! - A moça olha para ele e responde: - E tu seu bêbado nojento!!! E o bêbado imediatamente responde: - É, mas amanhã eu estou curado!!!

AOOO BICHARADA ESPERTA

Um cara só tinha 5 paus no bolso e estava com muita fome. Entrou num restaurante e pediu o cardápio. Percorreu todas as opções. Do filé mignon a 30, foi descendo... filé com fritas a 25... spaghetti a 12... Canja de Galinha a 6. - Eita! - disse ele. - Não tenho grana nem pra comer o prato mais barato!!! - Chamou o garçom. - Garçom, não existe nenhuma opção a 5 reais. É tudo que eu tenho!!! - Um momento que eu vou falar com o dono. Logo voltou e disse: - Falei com ele e ele me autorizou a oferecer pro senhor o nosso prato alternativo. - E qual é? - Canja de Papagaio. - disse o garçom. - Eita! Nunca ouvi falar nisso. Como a fome era muito, mandou bala. - Tá bom. Manda a canja de papagaio. Nesse momento, sentiu um puxão na barra da calça, por debaixo da mesa. Era o papagaio, que disse: - Pede a de galinha que eu entro com R$1,00.


AgroInfo

Foto: Luiz Agner-IBGE

EM 2019, CADA BRASILEIRO CONSUMIU 230 OVOS

A

alta dos preços das carnes puxou a cotação dos ovos em dezembro, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada - CEPEA. Em nota sobre o mercado do produto, o CEPEA lembrou que os preços dos ovos iniciaram 2019 em baixa, devido à maior oferta, típica de início de ano, e à menor demanda nessa época, por causa das férias escolares. As cotações voltaram a se recuperar no correr de 2019, encerrando dezembro em alta, devido à valorização das principais carnes consumidas pelos brasileiros (bovina, suína e de frango), o que aumentou o consumo de ovos. Já as exportações frustraram as expectativas do setor, conforme o CEPEA. De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior - SECEX, foram embarcadas 4,6 mil toneladas da proteína neste ano, volume 29,5% abaixo do registrado em 2018. Em termos de recei-

ta, o recuo (24,8%) foi menos intenso, devido ao alto patamar do dólar frente

ao real, que resultou numa receita de R$ 18 milhões.

REPRESENTANTE

REPRESENTANTE

BIG DUTCHMAN

www.agroavesguapiacu.com.br

Equipamentos para aves e suínos E conta também com a construção civil dos aviários.

FAÇA UM ORÇAMENTO

(17) 98199-0240 | (17) 3267-3283 39


AgroVeterinário AgroColunista

U

Foto: Divulgação Foto: Divulgação Senar.org

DIARRÉIA EM BEZERROS

m inimigo silencioso do pecuarista, a diarréia em bezerros é um dos principais fatores de mortalidade dos neonatos e traz grandes prejuízos ao sistema produtivo nas fazendas de cria. Caracteristicas desse sintoma é apresentar fezes líquidas que pode ter as mais variadas aparências, desde a amarelo-viva, passando por esverdeada, preta e vermelha, até mesmo com sangue vivo, não se podendo porém, dar um diagnóstico exato das causas da diarreia simplesmente baseando-se na cor das fazes dos animais. Podem ser causadas por vários agentes infecciosos de etiologia bacteriana, viral, infecção por protozoários, ou ainda, pelo conjunto ou associação de agentes que se utilizam de alguma condição de susceptibilidade intensificando o quadro clínico da doença em bezerros das mais variadas faixas etárias, nos primeiros meses de vida. Alguns agentes etiológicos são mais comumente observados como causadores de diarréias em bezerros jovens de até 10 dias de idade, sendo eles: Escherichia coli (causadora da colibacilose), Clostridium perfrigens (causador da enterotoxemia hemorrágica), Rotavírus, Coronavírus. Nos animais de 1 a 6 meses os agentes mais comuns são Salmonella spp (causadora do paratifo) ., Eimeria spp. e Cryptosporidium spp. O conhecimento de algumas características desses agentes facilita no direcionamento do diagnóstico, permitindo a definição da melhor estratégia de controle a ser aplicada no rebanho. Condições em que a higiene seja prejudicada, como alta densidade de animais, convívio de animais de diferentes 40

idades, umidade excessiva, presença de contaminantes são fatores que favorecem a presença e proliferação de microrganismos patogênicos e devem ser levados em consideração para o controle desta doença. A falta de imunidade associada à má cura do umbigo e condições sanitárias precárias, facilitam as diarreias de origem infecciosa, que, em geral, são causadas por diferentes agentes, já citados, que possuem sintomas semelhantes entre si e não demonstram características específicas, podendo, inclusive, ocorrer infecções mistas. Dentre os principais sintomas, pode-se observar um animal que apresenta a tristeza, apatia, não se alimenta corretamente, muitas vezes apresenta respiração acelerada e vai, aos poucos, apresentando sinais de desidratação, como pele seca, olhos fundos, entre outras e, por fim, as extremidades apresentam baixa temperatura e logo a seguir a morte. O tratamento da maioria dos quadros de diarréia baseia-se em primeiro lugar na reposição de líquidos e eletrólitos, visando à correção da desidratação, da acidose e do desequilíbrio eletrolítico. A terapia com antibioticos deve ser feita com medicamentos de amplo espectro de ação, como por exemplo, a Doxiciclina associada ao Benzetimide (Corta Curso, na dosagem de 1mL para cada 10 Kg de peso vivo, por via intramuscular, em dose única). Biobac (probiótico, que ajuda a repor a microbiota intestinal, protege o trato gastrointestinal, promove melhor aproveitamento dos nutrientes contidos no alimento). Nos casos de vírus, como o rotavírus e coronavírus, o tratamento mais indica-

do é o sintomático com a administração de soros (Fortemil), antitérmicos (Finador) e probióticos (Biobac). Em situações onde a diarréia é causada pela presença de vermes, recomenda-se fazer o exame de OPG (ovos por grama de fezes) para avaliar o grau de infecção. O tratamento deve ser feito com anti-helmíntico de amplo espectro de ação, como o Ricobendazole 10 ou Ricobendazole Oral. Para o acompanhamento de todas as etapas do processo orienta-se que haja a presença de um médico veterinário, pois será ele que irá direcionar o diagnóstico e o correto tratamento para que não surja um surto da doença, causando um prejuízo mais acentuado ao rebanho e possibilitando uma rápida recuperação dos animais já acometidos pela doença. Em caso de dúvidas, consulte um Médico Veterinário de sua confiança.

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com


AgroInfo

Foto: Leandro Gasparetti

GOVERNOS DE MT, AC, RO E CHINA SE UNEM PARA CONSTRUIR FERROVIA

U

m protocolo de intenções em prol da Ferrovia Transoceânica foi assinado pelo governador de Mato Grosso, Pedro Taques, do Acre, Tião Viana, e de Rondônia, Confúcio Moura e, contou com a presença do embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, e um grupo de 23 empresários chineses que fazem uma expedição pelas cidades que serão beneficiadas com a implantação da Ferrovia Transoceânica. O protocolo é resultado de uma parceria estratégica firmada entre os dois países e os 35 acordos assinados, um deles prevê o estudo de viabilidade de implantação da Ferrovia Transoceânica, que, pelo projeto, sai do Rio de Janeiro, passa por Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Acre e termina no Peru. A China quer aumentar os negócios na América Latina, e facilitar o acesso à produção brasileira, principalmente de soja, sem depender do Canal do Panamá, que tem forte influência dos

Estados Unidos. Mas para se tornar realidade, o projeto tem que enfrentar desafios de engenharia, ambientais e políticos. Especialistas afirmam que os investimentos na ferrovia podem ficar próxima

a R$ 30 bilhões. Os mais beneficiados seriam os produtores rurais do Oeste de Mato Grosso, que teriam um caminho mais curto para escoar a safra, principalmente de soja, reduzindo o transporte pelas rodovias.

41


AgroShowbusiness

MARCOS & MANCINI: HÁ 15 ANOS NA ESTRADA Nascidos e criados na cidade de Abatiá-PR, se conheceram na escola onde começaram a cantar, mas só começaram a cantar profissionalmente em 2005, sempre inspirados em seus ídolos como João Paulo & Daniel, Bruno & Marrone, Matogrosso & Mathias, Leandro & Leonardo, Chitãozinho & Xororó, as principais duplas da década de 90. Até o momento gravaram quatro discos, sendo que algumas músicas se destacaram como “Calendário” (2009), “Equilíbrio” (2012), “Fusquinha do papai” (2013), “Saudade de você” (2015) e o primeiro DVD foi gravado recentemente, com duas músicas inéditas e dez regravações de sucesso do mundo sertanejo, “Zé Botequeiro”, é a nova música que será lançada após o Carnaval, que faz parte do novo projeto “Churrasco”. A dupla já participou em programas nacionais, como o Boteco do Ratinho, entre outros, tendo como destaque a música “Fusquinha do papai” que foi tema de novela na Record, além de terem feito grandes shows em

Foto: Divulgação

Boa Vista - RO, Limoeiro - PE, Manaus AM, no norte do país como em Amazonas, Pará, Amapá, Tocantins, Roraima, entre outros estados. E para este ano promete mais novidades, como o projeto “Churrasco, cerveja e viola”, que

O RETORNO DE MAYCON & RENATO Com mais de 20 anos de carreira, a dupla Maycon & Renato, que são naturais de Palestina, iniciaram em 1999, sendo que o primeiro disco foi lançado em 2001, possuindo até o momento sete CDs e três DVDs, sendo que o terceiro DVD é um pocket que se chama “Tudo de novo outra vez” lançado no final de 2019, com doze músicas, sendo duas músicas inéditas, como a “Tema de novela” que já foi lançada e até o momento possui mais de cem mil views e, a “Era pra ser nós dois” música composta pela dupla e Zé Neto, da dupla Zé Neto & Cristiano. A dupla pretende lançar outras músicas como “Mais vale nosso amor”, que também foi composta pela dupla, com Mathias, da dupla Matogrosso & Mathias e Igor Valadares. “Depois de uma pausa na carreira da dupla, em 2019, retomamos a dupla com força total, tanto que já fizemos mais de cinquenta apresentações, além da gravação do novo DVD e ao longo do ano lançaremos várias músicas inéditas de nossa composição e de parceiros, além de voltar a atuar com shows” finaliza Maycon. 42

será a nível nacional e, contará com a participação de grandes nomes da música sertaneja brasileira como Eduardo Costa, Cesar Menotti & Fabiano, Mato Grosso & Mathias, Trio Parada Dura entre outros.

Foto: Divulgação


43


AgroColunista

Foto: Divulgação

O contador de histórias DELLA MORENA

DELLAMORENA_OFICIAL DELLA MORENA www.dellamorena.com.br

REGRAS PARA A VIDA

Conta-se que Bill Gates foi convidado por uma escola secundária para uma palestra e ele, apresentou 11 regras que os estudantes não aprenderiam na escola. Ele falou sobre como a “política educacional de vida fácil para as crianças” tem criado uma geração “sem conceito da realidade”, e como esta política tem levado as pessoas a falharem em suas vidas posteriores à escola. Todos esperavam que ele fosse fazer um discurso de uma hora ou mais, mas ele muito conciso, falou por menos de 5 minutos e foi aplaudido por mais de 10 minutos sem parar. Essas são as regras: A vida não é fácil… acostume-se com isso. O mundo não está preocupado com a sua autoestima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele antes de sentir-se bem com você mesmo. Você não ganhará R$20.000,00 por mês assim que sair da escola. Você não será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e telefone. Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você. Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social. Seus avós têm uma pa-

44

lavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade. Se você fracassar, não é culpa de seus pais. Então, não lamente seus erros, aprenda com eles. Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”. Então, antes de salvar o planeta para a próxima geração querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto. Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances

precisar até acertar. Isto não se parece com absolutamente nada na vida real. Se pisar na bola, está despedido. Rua!!! Faça certo da primeira vez! A vida não é dividida em semestres. Você não terá sempre os verões livres e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período. Televisão não é vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar. Seja legal com os CDFs (aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas). Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar para um deles.


45


SocialColunista

Fotos: Leandro Gasparetti

01

03 – As organizadoras da Feijoada da Villa Marisele C. Lobato e Vilma Carla Justiniano ladeadas pelos amigos Rafa & Nando, Edy Carlos e João Vitor & Wesley - 04 – O locutor Rafael Vilella

01 – José Alexandre S. Paiva, Kaká de Barretos, Daniel (Polícia Federal), o tropeiro Tércio Miranda e Dr Kiko de Almeida Prado (Médico Veterinário) 02 – As amigas Bia Mulato e Camila Yohana

02

03

05

04 05 – Os amigos João Eduardo e Adelino Silva - 06 - Gerson TC, Robson Aragão e Marco Brasil Filho - 07 – O Cantor Fiduma com seu pai Pedro Ernesto

05

08 – Juninho Gigante com o apresentador Raul Gil em São Paulo - 09 – João Vitor (Caroço), Silvinho e Kiko (Grupo Pera) - 10 – Liam Gonsalez Sloan com o avô Nelcindo Donizeti Gonsalez

06

08

07

09

10

11 – O tropeiro Paulo Emílio e Esnar Ribeiro - 12 – O humorista Bob Orla com o apresentador Ratinho - 13 – Ney Macedo com o tropeiro Marcondes Maia 11 46

12

13


47


AgroColunista

48


49


Fotos: Divulgação

AgroRodeio

MAX PEREIRA: DE TANABI PARA O BRASIL Há cerca de 8 anos atrás, no Rodeio de Embaúba, Max Pereira trabalhava na assessoria de comunicação da Prefeitura e, por motivos particulares Wilson Borges, conhecido locutor comercial, pediu que assumisse dando oportunidade. Como desempenhou um bom trabalho, Borges, o convidou para participar no Olímpia Masterbulls e, acabou tomando gosto pela locução. “Sempre tive vontade, até que surgiu essa oportunidade e não parei mais” comenta Max, que é fã de Daniel Tibiriçá. Já atuou em rodeios das cidades de Olímpia, Jaci, Mirassolândia, Tanabi, Nipoã, Planalto e região.

“Um fato que marcou minha vida e carreira foi no Rodeio de Guarantã, que um menino de uns 11 anos vendia trufa e não tinha condições, como no Rodeio não teria o Desafio do Bem, optei por ajudá-lo, contando a história dele ao público presente que, compraram todas as trufas pagando um valor maior do que ele vendia e, isso me marcou muito” fala emocionado. Na temporada 2020, Max, ainda possui datas disponíveis em sua agenda e é um dos locutores comerciais que valoriza as marcas e os produtos dos patrocinadores. Contato: (17) 99751.1190.

RODEIO DE MIRASSOL

COMPLETA QUATRO ANOS SOB CHANCELA DA WORKSHOW Evento muda de data e acontece entre o final de abril e início de maio

M

irassol recebe de 30 de abril a 03 de maio (no Recinto Municipal Leopoldo Gotardi) o seu tradicional rodeio, após um retorno triunfante em 2017. O evento continua com organização da empresa de entretenimento Workshow, maior escritório artístico do Brasil e promete ser mais uma edição histórica. A grade de shows traz grandes nomes da cena musical sertaneja e acontecem na seguinte seqüência: Jorge & Matheus (30), Marília Mendonça e Murilo Hunf (1º), Zé Neto & Cristiano (02) e Léo Santana e Dennis DJ (03). A estrutura do Rodeio de Mirassol 2020 será um espetáculo a parte, sendo dividida em quatro módulos: Lounge (recepção, boate e bares), camarotes (empresariais, patrocinadores, numerados e Workshow), palco principal e Área VIP.

50

O RODEIO O Rodeio de Mirassol 2020 será mais uma vez etapa oficial do campeonato Ekip Rozeta/Copa Wrangler, marca que vem se destacando no cenário nacional e que acontece atualmente em 60 cidades do país. A competição contará com o tradicional rodeio em touros e cavalos antes das apresentações musicais, a partir das 21h. A final da etapa acontecerá no domingo (03). Entre as Cias de Rodeio presentes no mega evento destacam-se: Paulo Emílio, Shalom e Dois M (Marcondes Maia). A locução oficial das provas ficará a cargo de Cuiabano Lima e Della Morena. Os ingressos podem ser adquiridos no Empório Alfredo Antunes (Mirassol), Iguatemi Rio Preto (Rio Preto),

Shopping Cidade Norte (Rio Preto) e ainda pelo site Bilhete Digital. ECONOMIA O Rodeio de Mirassol 2020 também movimenta a economia da cidade, tendo um maior movimento em restaurantes, hotéis e comércio local. Ao todo foram gerados 800 empregos diretos e indiretos, sem contabilizar ambulantes extra-oficiais. A festa chega a injetar cerca de R$ 1 milhão de reais na economia local, segundo a organização. Local: Recinto Municipal Leopoldo Gotardi (Rua: Adolfo Cândido de Souza, 142). Informações: (17) 99725-2630.


51


O PIVÔ DO BRASIL

CONHEÇA, COMPARE E ESCOLHA O MELHOR

SUA REVENDA KREBS NA REGIÃO

PS AVI 52

(17) 3322-0111 www.psavi.com.br

Profile for Magazine AgroFest

Magazine AgroFest - 35ª Edição  

Magazine AgroFest - 35ª Edição - FEVEREIRO/MARÇO 2020 - Distribuída em São José do Rio Preto/SP e Região. www.magazineagrofest.com.br

Magazine AgroFest - 35ª Edição  

Magazine AgroFest - 35ª Edição - FEVEREIRO/MARÇO 2020 - Distribuída em São José do Rio Preto/SP e Região. www.magazineagrofest.com.br

Advertisement