Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano IV - Edição 21 - Outubro/Novembro 2017

1


2


3


06 INSTITUCIONAL Conheça a Rio Preto Petróleo 10 INFO Fim da seca, é tempo de novas pastagens

08 ECONOMIA Maior frigorífico de jacarés do mundo

15 CRÉDITO Crédito de icms um benefício em boa hora 16 LEILÃO Leilão nelore é com a mundial 18 VETERINÁRIO A radiografia no diagnóstico de lesões podais 22 LEILÃO senepol 3g, o leilão de marcas e resultados

20 e 21 LEILOEIRO Leiloeiro: profissão promissora

28, 29 e 30 Entrevista Opinião de quem fez parte da expo rio preto 2017 33 PESQUISA Tangerina brasileira ganha registro

24, 25 e 26 EXPO RIO PRETO Expo Rio Preto movimenta a economia e se consolida no setor

44 INFO Tronco de contenção reduz perdas 43 RODEIO Eleito o novo presidente do clube “Os Independentes”

46 INFO Brasil pode produzir a melhor carne do mundo

R

Av. Alberto Andalo, 2641 / Sala 02 – Centro Cep: 15015-000 - São José do Rio Preto/SP Contatos Redação e Publicidade: (17) 3022-2527 / 98152-5400 Diretor Geral Leandro Gasparetti contatoagrofest@gmail.com Diretor Comercial José Eduardo Costa comercialagrofest@gmail.com

*Jesus, eu confio em vós! 4

Distribuição em 35 cidades Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Ano IV - Edição 21 Outubro/Novembro 2017 Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Tiragem Potirendaba, Palestina, Poloni, 5 Mil Exemplares Riolândia, Ribeirão Preto, São José Periodicidade Bimestral do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, São Pulo e Minas Gerais: Distribuição Gratuita Fronteira AGROFEST - Uma revista inovadora, informativa e de alto nível. Que foca em Colaboradores temas como a Suinocultura, Avicultura, Embrapa, Secretaria de Agricultura de Pecuária, Piscicultura, Agropecuária, São Paulo, Ministério da Agricultura, Eventos, Feiras, Exposições e Rodeios, Sindicato Rural de Rio Preto, Paulo Belarmino, Della Morena, Tonho Prado, com o intuito de aproximar empresas, André Silva, Grupo Unipetro, Senepol 3G, IAC técnicos, produtores, parceiros, clientes – Instituo Agronômico de Campina e Polifer. entre outros. Foto Capa: Senepol 3G

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP Jornalista Sabrina Braga - MTB 52001 Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico | Diagramação Rede A Comunicação - 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto - 17 3016-4000 Contabilidade RBB Assessoria e Consultoria Contábil CRC SP - 319624/O-1

*Reproduções totais ou parciais das matérias e fotos, aqui publicadas, só serão permitidas por meio de autorização expressa dos editores. As informações prestadas nas páginas de publicidade, são de inteira responsabilidade dos clientes. Artigos assinados por colaboradores não expressam a opinião da Revista.


5


AgroInstitucional

Foto: Divulgação

CONHEÇA A RIO PRETO PETRÓLEO

A

Rio Preto Petróleo, uma empresa do grupo Unipetro, a mais de 35 anos atua no fornecimento de Óleo Diesel e Arla32 diretamente em Propriedades Rurais, Industrias e Empresas que optam por um produto de qualidade, agregado a redução de custos e segurança. O compromisso em atender e satisfazer as necessidades dos clientes, fornecendo combustíveis de comprovada qualidade, com procedência garantida, respeitando e preservando o meio ambiente, à tornaram a maior referência no segmento. Sempre a frente do mercado, comercializa com exclusividade a linha de Óleo Diesel S500 e S10 “Aditivados”, sinônimo de proteção e garantia máxima de eficiência do motor. O produto age na redução de formação de depósitos no sistema de injeção e evita a corrosão das partes metálicas do motor, o que significa menos gastos de manutenção e maior vida útil para o equipamento. E ainda diminui a formação de espuma no abastecimento. Uma equipe de assessoria técnica completa para o seu atendimento está sempre à disposição, oferecendo toda a orientação e assistência necessárias desde o projeto para instalação dos equipamentos à operação de armazenagem e abastecimento da frota 6

ou equipamentos. A empresa ainda comercializa, e após análise de viabilidade fornece e instala em regime de comodato Tanques de armazenagem, Bombas de abastecimento e Filtros.

Benefícios de possuir Ponto de Abastecimento Próprio

- Garantia da qualidade do combustível consumido pela sua frota ou maquinas. - Eliminar os custos e riscos de deslocamento até um posto de abastecimento - Praticidade e rapidez de abastecimento, evitando tempo ocioso da frota

- Centralização e racionalização nos controles de consumo - Redução de custos Com a Rio Preto Petróleo, o cliente sempre ganha mais. Visite nossa empresa ou se preferir, solicite a visita de um assessor técnico. Rio Preto Petróleo Distribuindo confiança o ano todo. S.J. Rio Preto/SP Ribeirão Preto/SP Araçatuba/SP Uberlândia/MG Prata/MG

17 2136.9000 16 3797.7800 18 3622.2070 34 3235.9000 34 3431.4554

www.grupounipetro.com.br


7


AgroEconomia

F

MAIOR FRI DE JACARÉS D

oi inaugurado em setembro, na cidade de Corumbá (MS), o maior frigorífico de jacarés de cativeiro do mundo. Um investimento de R$ 35 milhões, o Caimasul tem capacidade para abater 600 animais por dia, mas processará 400 na primeira fase. O empreendimento tem grande potencial para contribuir com o esforço do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de elevar de cerca de 7% para 10% a participação do país no comércio mundial de alimentos nos próximos anos. “Nosso país é um grande exportador de produtos agropecuários. Hoje, exportamos cerca de US$ 85 bilhões por ano, o que representa em torno de 7% do comércio global de alimentos. Sabemos que não atingiremos 10% do mercado mundial apenas com algodão, milho, pecuária e soja. E este empreendimento se insere no contexto de vendermos mais para o exterior produtos com maior valor agregado, como o couro e a carne de jacaré de cativeiro”, destacou o Ministro da Agricultura Blairo Maggi. 8

O Pantanal é um dos únicos lugares em que o homem não destruiu a natureza para sobreviver, isso tudo por causa também da Embrapa Pantanal que construiu projetos e programas de desenvolvimento sustentável na região, apoiando, assim, o manejo adequado e responsável dos animais e a proteção

Blairo Maggi, Ministro da Agricultura

do meio ambiente. Por isso, o homem pantaneiro merece todo nosso respeito e admiração. Cadeia produtiva completa O frigorífico Caimasul conta com processo completo da cadeia produtiva de jacarés de cativeiro, que vai da cria,


Foto Pedro Cleve - Divulgação

IGORÍFICO DO MUNDO recria, engorda ao abate com certificação do Serviço de Inspeção Federal (SIF), passando pela transformação em produto (carne e couro tratado em curtume) e venda. O empreendimento emprega 70 trabalhadores e a previsão é que chegue a 150, quando estiver operando plena-

mente. A Caimasul é reconhecida no mercado por alto padrão técnico e por ser empresa ecologicamente correta e socialmente ativa. A exemplo do plano nacional coordenado pelo Mapa, o plano estadual é voltado à desburocratização e modernização do agronegócio.

9


AgroInfo

FIM DA SECA, É TEMPO

E

m algumas regiões do País, as chuvas já estão prenunciando que o período seco está chegando ao fim. Esse é momento em que os técnicos do setor recomendam como estratégico para dar início à preparação para a implantação de novas pastagens, não só com a reforma das áreas cultivadas com forragens, como também no planejamento para a suplementação do gado, necessária nesse período de transição da estação seca para o período das águas. Para o engenheiro agrônomo Marcelo Ronaldo Villa, do Departamento Técnico de Sementes, “o maior problema da pecuária tropical continua sendo a sazonalidade do pasto que,

10

durante o inverno perde a qualidade nutricional e diminui a produção de forragem. Nesse caso, se o pecuarista não se preparar com antecedência para aquele período, pouca coisa poderá ser feita quando o inverno chegar. Quem atua na área, sabe que o segredo da seca é um período chuvoso bem feito”, destaca. Por essa razão, o planejamento forrageiro tem sido a principal ferramenta para evitar o prejuízo. Um procedimento bastante simples é o aproveitamento do excesso de forragem produzida no período chuvoso e o plantio da cana-de-açúcar. Esta época é também de cuidado com o plantio, pois com o início das chuvas em algumas regiões do Bra-

sil, muitos têm vontade de começar a plantar. Porém, não é só a umidade que determina a germinação das sementes, processo que depende também da temperatura do solo e da intensidade luminosa. Temperatura noturna muito baixa, associada com temperatura diurna muito alta, compromete a germinação das sementes. Sementes tratadas industrialmente A escolha das sementes e a maneira correta de utilizá-las é um cuidado que todo produtor deve levar em consideração. É necessária a utilização de sementes que tiveram sua qualidade verificada e certificada através da análise de pureza, ger-


Foto: Divulgação

DE NOVAS PASTAGENS minação, viabilidade e presença de ervas daninhas, em laboratório especializado em forrageiras, pois uma das principais características dessas sementes é a sua dormência. As sementes de forrageiras são diferentes de todas as outras existentes no mercado, o diferencial começa lá, no início do processo, com a colheita que só é feita depois que as sementes maduras se despegam das espigas e se soltam no solo. O tratamento é um processo industrial pelo qual as sementes de forrageiras são revestidas com organominerais, inseticidas e fungicidas. “O investimento feito pelos produtores na formação da pastagem é a melhor forma de garantir longevidade e lucros na atividade, pois se evita problemas típicos das pastagens malformadas.

11


AgroDestaque

AGRITEMPO MÓVEL

Permite consultar informações meteorológicas e agrometeorológicas dos municípios e estados brasileiros. Entre as funcionalidades, estão mapas de monitoramento, o índice de seca e de chuvas, a disponibilidade de água no solo, as temperaturas máximas e mínimas e a precisão do tempo. Os dados são fornecidos por região por região ou estado e em tempo real. A localização do usuário é fornecida automaticamente pelo Sistema de Posicionamento Global (GPS) do celular ou tablet. As versões do aplicativo podem ser encontradas no Google Play.

CENSO AGROPECUÁRIO O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estuda criar uma espécie de Waze da zona rural brasileira, aproveitando as informações geradas pelos pesquisadores que estão trabalhando para o censo agropecuário. A coleta, iniciou em outubro e passará por 5,3 milhões de propriedades rurais em todo o país para gerar estatísticas sobre a produção agrícola nacional. Os cerca de 19 mil pesquisadores vão a campo munidos de um tablet, com um aplicativo desenvolvido pelo próprio IBGE para indicar as propriedades sob responsabilidade de cada um deles.

CAMDA PARTICIPOU DA EXPO RIO PRETO

Com filial em São José Rio Preto, a Camda, Cooperativa Agropecuária, participou com seu estande em outubro durante a 55ª Exposição Agropecuária, recepcionando clientes, parceiros e amigos com total conforto. Durante os dias ocorreu palestras e atrações voltadas aos seus cooperados. O gerente regional Odirley Maioli, parabenizou a retomada desta tão consagrada exposição de tradição Riopretense.

12


13


14


AgroCrédito

Foto: Divulgação

CRÉDITO DE ICMS UM BENEFÍCIO EM BOA HORA

MARKETING DE CONTEÚDO IMPULSIONE SUAS VENDAS!

Altair Heitor, diretor da Palin & Martins Consultores Associados

O

contribuinte paulista disponibiliza do benefício do crédito de ICMS, que poderá ser apropriado por algumas empresas, e por produtores rurais. No caso de empresas que atuam nos ramos de: Revenda de Máquinas e Implementos Agrícolas, Agropecuárias e Frigoríficos, Indústria em gerais que importam e exportam, podem obter esse benefício através do crédito acumulado. Para isso a empresa precisa transformar o saldo credor da GIA em crédito acumulado. As empresas Conforme Altair Heitor – Diretor da Palin & Martins Consultores Associados, saldo credor nem sempre significa crédito acumulado. Saldo credor é aquele decorrente da confrontação mensal entre débitos e créditos da GIA, devendo a diferença, se devedora ser recolhida aos cofres públicos, ou então, se credora, ser transportada para o mês ou período de apuração seguinte. Após a verificação e homologação do saldo credor pela SEFAZ-SP, o valor de crédito acumulado aprovado, passa a constar na conta corrente fiscal da empresa, mantida e aberta através do “Sistema Eletrônico

de Gerenciamento do Crédito Acumulado” E-CREDAC O produtor rural O produtor rural também pode utilizar deste benefício disponível no Estado de São Paulo. Para ter acesso ao crédito do ICMS o agricultor precisa fazer o credenciamento da propriedade rural junto ao e-CredRural, um sistema gerenciador de crédito de produtor rural da Secretária da Fazenda do Estado. Neste momento de reestruturação econômica, onde as empresas e produtores rurais com pouco capital de giro precisam investir e renovar suas máquinas, equipamentos e até mesmo comprar matéria prima, este benefício vem em boa hora, pois poderá ser utilizado para esta finalidade. ICMS para pagamento de auto de infração de empresa e de produtor rural Outra situação onde o crédito de ICMS também poderá ser utilizado e trará alivio ao caixa, é para quitação de dívidas de impostos junto a Secretária da Fazenda Estadual do próprio contribuinte e de terceiros.

comunicação

widecomunicacao.com.br widecomunicacao.com.br 17 3353.0091 17 3353.0091 15 comunicação


AgroLeilão

A

Fotos: Leandro Gasparetti

LEILÃO NELORE É COM A MUNDIAL

Agropecuária Mundial promoveu durante a Expo Rio Preto uma Semana de Negócios com ofertas de animais da raça nelore geneticamente comprovados. A intenção foi proporcionar aos neloristas a oportunidade de levar qualidade genética para o melhoramento do plantel nacional. O leilão Nelore Mundial & Convidados aconteceu no dia 14 de outubro em uma estrutura adequada especialmente para a venda de bovinos. Foram ofertados 70 reprodutores de doadoras e matrizes criadas nas Fazendas São Luiz, em Rio Preto. 50 fêmeas também foram colocadas a venda. Dante da Mundial foi o primeiro a se destacar no Folder do leilão. É um animal premiadíssimo. Filho de Ametista FIV CIAV, o garrote tem em sua genética o sangue do Basco da SM e da Reservada Grande Campeã Nacional pela Expozebu de 2011, Izabella FIV Fort. VR. O segundo animal do catálogo foi Mogiana da Mundial. É vista como uma futura doadora, motivo pelo qual é disponível apenas para sociedade. Em terceiro lugar no catálogo esteve a fêmea Estrela da Mundial com 100% da oferta. Estrela já faturou mais 16

de R$ 1,45 milhão com a venda de filhos e prenhezes. A Agropecuária Mundial existe há 15 anos em Rio Preto. A marca ficou co-

nhecida após fazer sua primeira campeã nacional, Gema da Mundial. Atualmente, Gema da Mundial pertence à Rima Agropecuária.

Destaque para o pecuarista Luiz Antonio Silva e sua filha Kátia Vieira


17


AgroVeterinário AgroVeterinário

Foto: Foto:Divulgação Divulgação

A RADIOGRAFIA NO DIAGNÓSTICO DE LESÕES PODAIS

T

A radiografia se mostra indispensável no auxílio ao diagnóstico de lesões podais

écnica altamente difundida e utilizada como exame auxiliar para lesões ósseas, como fraturas e luxa-ções, além de muitas outras enfermidades, a radiografia, conhecida como exame de raio-x, se mostra, atualmente, indispensável para o auxílio no diagnóstico de lesões podais em bovinos e equinos. A técnica possibilita que o médico veterinário tenha acesso a informações sobre estruturas internas dos cascos que são impossíveis de serem obtidas apenas com o exame clínico convencional, poden-do montar um plano de ação muito mais prático e efetivo do que simplesmente realizar os procedi-mentos comuns no animal. Garantindo assim altos índices de sucesso nos tratamentos de lesões gra-ves, como artrites sépticas, osteítes e perdas ósseas 18

devidas a contaminações bacterianas. Devido ao elevado custo a que se era atribuído o exame de radiografia em um passado não muito distante, nos dias de hoje ainda existe um grande receio por parte dos produtores em buscar a técnica ou autorizar que o médico veterinário o faça. Porém, atualmente, a radiografia é um exame comple-mentar com preços muito acessíveis e que valem cada centavo, levando-se em consideração a efetivi-dade da intervenção cirúrgica, pois o veterinário saberá exatamente onde está a lesão, e o menor tempo de tratamento, devido ao menor campo de acesso possível, mantendo intactas estruturas ínte-gras próximas a lesão. Cada centavo do investimento em exames complementares retorna ao produtor na forma de sucesso nas in-

tervenções cirúrgicas e menor tempo de recuperação dos animais atendidos, por isso, em caso de suspeita de lesões graves, exija do seu médico veterinário de confiança, que faça uso dos exames complementares necessários para o melhor resultado das intervenções clínico/cirúrgicas a que irão submeter seus animais.

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com


AgroInfo

Foto: Divulgação / Fonte: CPT Divulgação

MANUSEIO DO BOTIJÃO DE SEMÊN

O

botijão é um recipiente térmico com isolamento a vácuo, destinado a conservação do sêmen, sendo que para tanto ele deve receber Nitrogênio líquido, que conserva as doses congeladas de sêmen a uma temperatura

de -196ºC por tempo indeterminado. Em suas paredes, além do vácuo, possui folhas de alumínio e lã de vidro, que propiciam o necessário isolamento térmico. Para diminuir os riscos com o botijão, é aconselhável a construção de uma caixa de madeira para seu acondicionamento. O botijão não pode sofrer batida nem tombar derramando todo o seu conteúdo. O nitrogênio líquido evapora constantemente, devendo o inseminador estar atento para evitar perda de sêmen por falta de nitrogênio. O botijão nunca deve ficar com nível inferior a 15 cm. Para tanto, o inseminador deverá medir regularmente o seu nível.

Os cuidados com o Botijão de Sêmen:

- Medir regularmente o nível de nitrogênio; nunca deixar abaixo de 15 cm; - Manter o controle adequado do uso e aquisição de sêmen, com identificação dos touros e localização dentro do botijão; - Manter o botijão em ambiente ventilado, seco, ao abrigo de raios solares, fechando-o apenas com sua própria tampa; - O seu conteúdo é líquido e o manuseio incorreto pode causar sérios ferimentos, sempre que possível use óculos de proteção ; - Deve ser transportado em caixas de madeira, preso na posição vertical; - Não derrame o líquido em recinto fechado, pois pode provocar asfixia; - Movimentá-lo sempre com 2 pessoas para evitar que seja tombado e sua estrutura interna comprometida.

19


LEILOEIRO: PROFISSÃO PROMISSORA AgroLeilão

P

ersuasão e convencimento para venda, estas duas qualidades são fundamentais para se tornar um bom leiloeiro rural. Ser o mediador de vendas de bovinos, equinos, ovinos ou algo relacionado ao campo requer também disciplina, boa voz e profundo conhecimento do mercado pecuário e das raças dos animais que serão oferecidos aos possíveis compradores.

A Magazine Agrofest conversou com Oscimar Custódio e Rafael Villela, dois importantes leiloeiros e que abriram o

Rafael Villela

Oscimar Custódio 20

jogo sobre a profissão. Ambos são credenciados na Federação Agropecuária do Estado. Oscimar Custódio, tem 43 anos, é natural de Jales, foi locutor de rodeio por 17 anos. A experiência nas arenas e a desenvoltura com as narrações lhe

ajudaram a entender o mercado da pecuária e há 3 anos é leiloeiro rural, principalmente de gado de corte. Ele realiza três leilões por semana. Já chegou a narrar um leilão por 10 horas seguidas. “Gosto do que faço. Respeito o mercado e valorizo a mercadoria é assim que conduzo hoje os leilões”, diz Oscimar. Rafael Villela é locutor de rodeio há 23 anos. A experiência no setor o fez também leiloeiro. Natural de Pindamonhangaba, realiza leilões e rodeios por todo canto do país. Ele conta que durante um leilão a agilidade não pode ser confundida com correria. “O leilão deve ser didático, explicativo para passar segurança aos compradores”, explica. Nos leilões prefere trabalhar com touros de pulo por ter mais afinidade com as informações das raças. Virtual ou presencial o leilão é uma das principais atividades em Exposições e Festas Agropecuárias. Enganase quem acha que o leilão é um evento em que só ganham compradores e vendedores. Para Villela o tradicional formato de leilão presencial ainda é o mais importante da modalidade. “É uma ótima oportunidade para networking e rela-


Fotos: Leandro Gasparetti

cionamento”, ressalta. Você sabe o que fazem as Pisteiras? Nem só de leiloeiro, animais, vendedores e compradores é composto um leilão rural. Em um meio tão tradicionalmente masculino, a participação feminina vem crescendo e vencendo desafios, as pisteiras são um exemplo disso.

Elas são fundamentais para que o trâmite seja perfeito nesse tipo de evento. São as pisteiras que fazem a comunicação entre o leiloeiro, vendedores, compradores e consequentemente efetuam as vendas do leilão.Nos últimos 30 anos a participação feminina no agronégócio cresceu devido ao cuidado, a delicadeza e a facilidade de

Edilma Maria Barbosa

Amanda Belmiro Alonso

lidar com detalhes tão característicos no comportamento das mulheres. Há 21 anos Edilma Maria Barbosa é pisteira de leilão. Ela adora o que faz principalmente quando participa de leilões beneficentes. Chega a viajar para 6 Estados Brasileiros trabalhando. “O lado bom de ser Pisteira é ganhar popularidade, é um trabalho intenso, parece que estou em uma academia, não paro um minuto. O lado ruim é que nossa profissão não é regulamentada”, conta Edilma. Formada em Administração de Empresas deixou a profissão para seguir o coração que sempre bateu mais forte pelo agronegócio. “As mulheres vem deixando sua marca na pecuária brasileira”, ressalta Edilma. Amanda Belmiro Alonso, é outra representante feminina no leilão. Ela tem 15 anos de atividade como Pisteira. Amanda conta que pra ser Pisteira é necessário ter bons reflexos, raciocínio lógico e muito rápido. “Ter disponibilidade para locomoção e horários flexíveis também são quesitos que contam muito a favor para exercer esta função tão dinâmica”. 21


AgroLeilão

Foto: Leandro Gasparetti

SENEPOL 3G, O LEILÃO DE MARCAS E RESULTADOS U ma das grandes atrações da Expo Rio Preto 2017 foi o leilão Senepol 3G. Organizado pela Família Garcia, o leilão vendeu r$ 30 mil reais em fêmeas e r$ 2.300 em embriões. Foram 40 lotes, onde 09 eram de embriões das principais doadoras de plantel Senepol 3G. Entre os lotes destacam-se o da doadora Clone SCR1241, o da Aspiração e 30 lotes de doadoras para venda. “Foi um leilão de marcas e resultados com 100% de liquidez”, explicou Sebastião Garcia Neto, veterinário e diretor da Agropecuária 3G. Para Neto, a Expo Rio Preto propor-

cionou uma grande visibilidade da raça Senepol junto aos pecuaristas. “Além de vender os animais e embriões no leilão buscamos também novos clientes para futuras negociações. Ficamos satisfeitos com a reciprocidade obtida”, disse ele. Neto já faz planos para repetir a dose no ano que vem. “A expectativa para 2018 é grande, queremos promover ainda mais o leilão e trazer novidades, a parceria deu certo e a ideia é continuar por muitos anos”, ressaltou. São José do Rio Preto tem grande potencial para o agronegócio e o leilão é uma vitrine para mostrar a rentabili-

dade que raças como Senepol proporcionam ao longo do tempo. Investir nesse tipo de gado além de ser seguro está em grande expansão no Brasil. A história da Família Garcia com a raça SENEPOL começou em 2007, quando Sebastião Garcia Neto foi aos Estados Unidos fazer estágio na Fazenda Saramento Farms. Durante este período, constatou que a raça possuía características adaptáveis ao clima brasileiro. Além disso, por ser uma raça taurina tem alto rendimento de carcaça, precocidade sexual e habilidade materna. Quando retornou ao Brasil, Neto deu início ao plantel.

Paulo Eduardo, Neto e Wilma Garcia 22


23


Foto Aérea: Ricardo Mota

EXPO RIO PRETO MOVIMENTA A ECONOMIA E SE CONSOLIDA NO SETOR

C

om um formato inovador e puramente técnico, mas sem deixar o entretenimento de lado, a 55ª Edição da Exposição Agropecuária de São José do Rio Preto se consolidou no cenário nacional do setor agropecuário do país. Foram cinco dias de evento, que atraiu mais de 40 mil pessoas e movimentou R$ 4,7 milhões em negócios na cidade. A Expo 2017 trouxe para o Recinto de Exposições Alberto Bertelli Lucato números impressionantes: 1.012 animais de 11 raças bovinas em Exposição; Cinquenta e seis expositores de toda a cadeia do agronegócio, das mais diferentes áreas, tecnologia, implementos agrícolas, veículos, maquinários, alimentação animal e conhecimento. Além disso, a família foi valorizada, a coordenadoria de entre-

24

tenimento reuniu 322 artistas da cidade e da região em 65 atrações para divertir as crianças e adultos que passaram pelo local nos cinco dias. Com esses números expressivos a Expo Rio Preto, realizada de 11 a 15 de outubro, resgatou sua tradição e reposicionou-se como a maior feira agroempresarial do Noroeste Paulista. Para todos os envolvidos a realização da Expo 2017 foi sucesso de público com a volta das famílias para o evento que teve como consequência a movimentação da economia local. A palavra crise foi esquecida nesse período e foi dado um passo importante no sentido de aprimorar este setor, o do agronegócio. O apoio de todos os que apostaram na retomada de tradicional exposição foi importante para esse sucesso, nes-

se sentido, destaca-se a parceria com a Acirp, ABDI, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil e todos os parceiros, expositores e criadores que acreditaram na Expo. O presidente da 55ª Expo, Paulo Sader, ressaltou que o evento encontrou o caminho, inclusive para os próximos anos. E destaca a importância de se pensar as próximas edições, uma vez que esta – retomada após intervalo desde 2015 – superou em muito as expectativas da organização. Para o secretário de Agricultura e Abastecimento de Rio Preto, Pedro Pezzuto, a Expo Rio Preto foi pensada e realizada para atrair o maior número de pessoas envolvidas em toda a cadeia do agronegócio, sem deixar de lado a família. Na frente de entretenimento, a co-


ordenadora Cristina Bassitt lembra que o público no dia 12 (quinta-feira), feriado de N. Sra. Aparecida e Dia das Crianças, foi de mais de 10 mil pessoas registradas em catracas. Para quem participou, a sexta-feira foi especialmente emocionante, com a

carreata de 70 veículos entre a cavalaria da Polícia Militar, clube de motociclistas, trator e muitos outros, saindo da Basílica com um barco em que três artistas simularam o encontro da imagem de Nossa Senhora, onde um padre também abençoava a população. Já no Recinto, mes-

mo sob sol intenso, o público acompanhou a missa ministrada por Dom Tomé, com diversas manifestações de fé”. Nesse aspecto a Expo Rio Preto se superou e trouxe para o Recinto diversas atrações. A programação gratuita voltada às crianças agitou todas as áreas da Expo, com músicas, brincadeiras, encenações e outras atrações, até um parque de diversões com montanha russa foi montado para garantir a adrenalina das crianças. A Expo contou com o patrocínio da ABDI (Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial), da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, e apoio institucional da ACIRP e da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

NÚMEROS DA EXPO

5 dias de evento 4,7 milhões em negócios 1.000 empregos diretos e indiretos 40 mil visitantes 322 artistas 65 atrações 2 grandes leilões 1,6 mil m² área de palestras 56 expositores 11 raças de gado 1012 animais

25

O custo deste publi-editorial é de R$ 6.000,00 (Lei Nº 11.880/2016).

Fotos: Leandro Gasparetti e Divulgação


Fotos: Leandro Gasparetti e Divulgação

Conhecimento e tecnologia Além dos julgamentos de 11 raças a Exposição Agropecuária de Rio Preto reuniu os principais nomes do setor em um pavilhão de 1,6 mil m² voltado para a área de conhecimento e tecnologia. Foram 19 palestrantes durante os cinco dias de Exposição, que falaram sobre os mais diferentes temas do agronegócio. Entre os palestrantes, destaque para o Ex-Ministro da Agricultura, o rio-pretense, Antonio Cabrera Mano Filho, que falou sobre o tema: Liberdade Econômica Na Pecuária De Corte.

Sustentabilidade A reponsabilidade sócio-ambiental também estava presente durante os cinco dias da Expo Rio Preto 2017. A organização do evento convidou os catadores de reciclável da Associação Rio-pretense de Educação e Saúde – Ares – para realizar a coleta seletiva dentro do Recinto de Exposição “Alberto Bertelli Lucatto”. Esse trabalho, de acordo com a assistente social, coordenadora da Ares, Heloisa Fernanda Comar, contou com a participação de 17 coletores em todo espaço da feira, das 7 às 4 horas da manhã. “Os catadores fazem a separação específica de latas, pet, papelão, papel e plásticos”, destaca Heloisa. Nesse período foram recolhidos 30 bolsões, o equivalente a duas toneladas de recicláveis. O material era recolhido diariamente, e destinado ao depósito central da Ares, no jardim Sônia, para separação, prensagem e posterior comercialização. Assim que o material é comercializado a renda é dividida entre os catado26

res, o que rende, em média, um salário mínimo por colaborador. Além da coleta do material reciclável durante a Expo, ao fim do evento, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de Rio Preto destinou toda a matéria prima como palha de arroz, bagacinho e esterco para servir de adubo para os produtores da agricultura familiar de Rio Preto. Ao todo foram destinados 30 caminhões.

Sobre a Ares

A Ares conta hoje com 40 catadores. Foi fundada em 1981, por um grupo de cristãos sensibilizados pela extrema pobreza que se encontravam moradores de Rio Preto. Paralela a estas atividades a Ares contribuiu para a organização do movimento de mulheres de Rio Preto e região. As ações da Associação contam também com a parceria do Departamento de Educação da UNESP, que realiza pesquisa de visibilidade aos catadores, com a professora Luciana Nogueira Cruz.


27


AgroEntrevista

Fotos: Leandro Gasparetti

OPINIÃO DE QUEM FEZ PARTE DA EXPO RIO PRETO 2017

U

m resgate da tradição Agropecuária do Noroeste Paulista, este foi o propósito da 55ª Expo Rio Preto, realizada de 11 a 15 de outubro, no “Recinto de Exposições Alberto Bertelli Lucatto”. Cerca de 40 mil pessoas passaram pelo local. Foram 1.012 animais de 11 raças bovinas expostas. Cinquenta e seis expositores do agronegócio apoiaram o evento. A Magazine AgroFest conversou com algumas autoridades e personalidades importantes que participaram da Expo. Eles fizeram um balanço sobre a feira.

Edinho Araújo

Prefeito de Rio Preto “Rio Preto tem um ambiente favorável com potencialidades para o agronegócio. A agricultura e a pecuária são muito importantes para o desenvolvimento da cidade e da região. A união de todos os segmentos da cidade e o entusiasmo marcaram essa edição. Os leilões de gado projetaram a cidade para o mundo todo com o altíssimo nível das raças. Foi uma ação proativa para o desenvolvimento e geração de empregos. A expectativa para 2018 é melhor ainda”. 28

Paulo Sader

Presidente da Expo 2017 e da ACIRP “Já estamos pensando na próxima Expo Rio Preto. Este ano nos comprometemos a retomar a tradição da feira agropecuária. O objetivo foi realizar uma festa voltada para o empreendedor e para o empreendedorismo local, regional e nacional. Projetamos a cidade para o futuro do agronegócio, inovamos com tecnologia, entretenimento, simpósios e palestras. Colaboramos com os empresários do setor capacitando e dando conhecimento para novos empreendimentos rurais”.


Everton Lima de Castro

Pedro Pezutto

Gerente da DPaschoal

Secretário Municipal de Agricultura de Rio Preto

“Foi uma experiência bem positiva para mostrar nossos produtos e trocar experiências com outros segmentos. Participamos pela primeira vez da Expo e nos últimos dias fechamos negócios. Os pneus da linha agrícola e para caminhonetes foram os mais vendidos. Com certeza estaremos em outras edições da feira”.

“Alcançamos o nosso objetivo que foi resgatar a Expo Rio Preto. Fizemos uma feira para a família e para a realização de negócios. Colocamos 1.012 animais dentro do recinto, fizemos dois grandes leilões, um giro financeiro de r$ 4,9 milhões. Uma festa que deu certo por causa da união do Governo Municipal e dos Empresários do Agronegócio. Para 2018, vamos inovar ainda mais e aprimorar a infraestrutura”.

Júlio Cássio Hernandes Plaza Gerente da Coopercitrus New Holland

“Foi a primeira vez da empresa na Expo, um evento voltado para o nosso público. Levamos para a feira tratores agrícolas, máquinas agrícolas de pequeno porte, pneus da Pirelli e óleos lubrificantes. Nossa empresa foi preparada com condições especiais de preços para oferecer aos clientes e fizemos bons negócios”.

Luiz Henrique Machado Diretor Comercial da Selaria Campolina

“ A Expo foi importante para fortalecer nossa marca. Comemoramos os 25 anos de Campolina durante a feira. Nosso estande foi muito visitado por compradores, famílias e até crianças. Levamos pra lá botas, bonés e bichinhos de pelúcia rural de fabricação própria. Para os nossos clientes servimos churrasco e queima do alho durante os 5 dias de evento tornando o local ainda mais agradável”.

29


Ivan Camargo Lopes Filho

Osmair Guareschi

Mercadão de Tratores

Sócio Proprietário da Rio Alta

“O nosso intuito em participar foi para expor nossa marca e deixar claro para o público a proposta da empresa. A Expo também foi positiva para que futuras vendas aconteçam já que levamos para o Recinto as Máquinas Agrícolas e Tratores de última geração da Valtra”.

“Em 20 anos de mercado sempre estivemos presente na Expo de Rio Preto. Este ano foi uma surpresa muito grande ver a feira totalmente voltada para o agronegócios. Os contatos feitos durante a Expo estreitou a relação da empresa com o agropecuarista que agora está vindo a loja finalizar as compras”.

Michel Teixeira

Gerente de Vendas da Ford Caminho

Sebastião Garcia Neto

Diretor da Agropecuária 3G

“O balanço foi positivo, divulgamos a marca Caminho que é representante da Ford em Rio Preto e região. Tivemos vendas realizadas da nova Ranger com o desconto exclusivo oferecido pela Ford para Expo. O evento ofereceu clientes do agronegócios e este é o público para o segmento de picapes que a Ford Caminho vende. Então foi um prazer participar e fazer bons negócios”.

“A Expo proporcionou visibilidade positiva para o gado Senepol. A feira conseguiu reunir um grande volume de pecuaristas interessados em comercializar a raça. O leilão que realizamos foi um sucesso. Vendemos em uma média de R$ 30 mil em fêmeas e R$ 2.300 reais em embriões comercializados. Parabenizo os organizadores pela estrutura montada para o leilão e no ano que vem pretendemos estar juntos novamente.

Eloy Gonçalves Júnior

Sócio Proprietário da Agromonte e Coord. Comercial da Expo

“ A Agromonte participa da Expo desde 1980 e o modelo feito este ano deve ser seguido nas próximas edições. Foi um evento totalmente gratuito para as famílias e agropecuaristas. O nosso espaço foi montado para atender nossos clientes com muito conforto. Os produtos expostos estavam com preços muito menores que os da loja. Outro ponto forte da Expo foram as rodas de negócios e palestras que levaram informações tecnológicas aos produtores rurais. Enfim, foi uma grande confraternização”. 30

Sérgio Expressão

Presidente do Sindicato Rural de São José do Rio Preto e Arnaldo Jardim, Secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, durante jantar oferecido pelo chefe da Defesa Agropecuária do Estado, Fernando Buchala, ao Secretário Arnaldo Jardim, quando na abertura da 55ª Exposição Agropecuária de Rio Preto.


31


AgroHumor

PROSAS & CAUSOS COM

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

www.tonhoprado.com.br

AOOO INOCÊNCIA!!!

A loira chega gritando em casa… – Mãe, mãe, mãe , mãe – O que foi filha? – Um cara me deu 50 reais para eu subir numa árvore! – Sua besta ele só queria vê sua calcinha! – Pensa que sou burra ?? antes de subir eu tirei a calcinha pra ele não ver

A CAÇADA Estavam dois caipiras caçando no meio do mato, quando eles vêem lá no alto, no céu uma asa delta. Espantado um comenta com o outro: - Nossinhora! Qui passarinhão grande, sô! – Grandão mesmo cumpadi… Vamo caçá ele? – Vamu! E POW! um tiro bem na asa delta. – I aí parceiro, será qui o bichão morreu? – Ó si o passarinhão morreu num sei, não, mas que soltou o homi que ele tava segurano soltou!!! 32

Como vocês já sabem, todas edições da Magazine AgroFest eu estou com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

PAI BÃO DE PESCARIA!!!!

A menina foi pescar de manhãzinha com o pai e de tarde ela volta sozinha,chorando e com um hematoma bem grande do lado do rosto. - Que foi isso? Pergunta a mãe.

- Foi pernilongo! Responde a filha em meio a soluços. - Mas ele te picou e ficou assim inchado e vermelho? - Não. O papai o acertou com o remo primeiro.

NA CIDADE É MIO!!! A professora falou: Bastião, me fale uma frase com a palavra capacidade! João disse:

– Quando morava na roça eu era abestado, aí eu vim cápacidade e miorei

OIA A PRISÃO!!!!

O juiz pergunta ao réu mineirinho. – Sua idade? – 35 anos seu dotô! – É casado? – Sim! – Com quem? – Ca minha muié, uai sô! O juiz muito irritado com o mineiro

pergunta… – O sr. conhece alguém casado com um homem? – Sim! Quem? – A minha muié uai! Imagina o que aconteceu né, o mineirinho tá preso incomunicável


AgroPesquisa

Fonte: IAC - Instituto Agronômico de Campinas

TANGERINA BRASILEIRA GANHA REGISTRO

Uma tangerina, desenvolvida pelo Instituto Agronômico de Campinas, acaba de ganhar re-gistro do Ministério da Agricultura. Ela recebeu o nome de Maria

Q

uem gastou muito tempo tentando melhorar o que já é bom foi o IAC, Instituto Agronô-mico de Campinas. Até selecionar, no meio de centenas de plantas, um

cruzamento ideal, de tangerina murcote com laranja pera, foram 20 anos de testes. “A gente tem que provar que essa variedade que foi criada, obtida pelo Instituto é diferente das demais”, diz Mariângela Cristofani Yaly, engenheira agrônoma do IAC. Isso com o exame de DNA. Depois, provas de campo em diferentes regiões, avaliação de produtividade, de resistência a doenças, como a mancha marrom da alternária, causada por um fungo. E não é que a novata se mostrou praticamente imune? “A murcote, por exemplo, que é altamente suscetível, demanda de 20 a 30 aplicações de fungicida. Eu não aplicando isso, eu vou ter menos dano ao ambiente, à saúde, com certeza, e menos custo de produção”, explica Marinês Bastianel. Uma das principais qualidades é a questão da casca. Ela é mais fácil de tirar, é mais solta do que a da mãe dela, a murcote. E o gosto, segundo os pesquisadores, é um equilíbrio perfei-to entre acidez e doçura.

33


AgroHorse

Foto: Divulgação

REGISTRO DO CAVALO QUARTO DE MILHA SOFRE ALTERAÇÃO

Livro de Registro Genealógico sofre alterações para ½ sangue nascidos a partir de 01/07/2018

N

o dia 24 de abril de 2017, a Diretoria Executiva da ABQM, em reunião realizada com Conselho de Administração e o Conselho Deliberativo Técnico, deliberou o fechamento do Livro de Registro Genealógico, exclusivamente, para os machos mestiços ½ sangue, nascidos a partir de 1 de julho de 2018. Todos os animais anteriormente registrados manterão seus registros no Stud Book da ABQM, preservando integralmente os seus direitos, seja na participação de provas, leilões, vendas, transferências, etc… Em relação às fêmeas mestiças ½ sangue, nascidas a partir de 1 de julho

34

de 2018, elas poderão ser registradas normalmente. Entretanto, serão taxadas conforme nova Tabela de Emolumentos aprovada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e não se utilizarão do benefício financeiro de incentivo quando usadas como receptoras, passando a ser consideradas como receptoras comuns. De acordo com o destacado crescimento no número de registros de animais que vem ocorrendo com a raça Quarto de Milha, essa medida visa o aprimoramento do plantel brasileiro e todas as suas características raciais.

Sobre a raça Quarto de Milha

O cavalo Quarto de Milha é o primeiro cavalo de criação americana, selecionado a partir de 1611 através do cruzamento entre garanhões mustangs, de origem Berbere e Árabe, e éguas de origem inglesa. O cavalo Quarto de Milha é especialmente apto para o trabalho de condução do gado, principalmente por seu extraordinário arranque e por ser um cavalo capaz de percorrer curtas distâncias com incomparável velocidade.


35


AgroEvento

Fotos: Leandro Gasparetti / Flaviana Ribeiro

TEM CHOCOLATE NA BORRACHA

R

ealizada na pré-safra da seringueira, a terceira edição do Workshop Internacional de Heveicultura, o evento reuniu cerca de 400 pessoas no Ipê Park Hotel, em Rio Preto. A sustentabilidade econômica, o dia a dia na roça, a diversificação das culturas de seringueira e a forma de se comercializar o látex foram alguns temas discutidos. O Workshop contou com as presenças de dois grandes especialistas em heveicultura como Jom Jacob, da ANRPC (Association of Natural Rubber Producing Countries) e da Dra. Lekshmi Nair, economista sênior do IRSG (International Rubber Study Group). “O encontro foi importante para o agricultor planejar a produção de borracha e pensar em outras possibilida-

des para a propriedade dele”, contou o organizador do evento Aderbal Santos que também é diretor da Polifer. Um dos temas apresentados e bastante interessante, por Johnnes Lemke foi sobre a cultura consorciada de cacau e seringueira. O assunto ainda é novo na região Noroeste Paulista, onde há três anos um projeto vem sendo elaborado para a integração das duas culturas. “Com o cacau é possível manter as duas culturas na mesma área e obter retorno financeiro”, disse Lemke. Atualmente, 98% da produção mundial de borracha se encontra nos países do Sudeste Asiático, principalmente na Malásia, Tailândia e Indonésia. Até a primeira metade do século XIX só existia borracha no Brasil mas devido ao contrabando de sementes para a Ásia,

destacaram-se com a cultura da seringueira. A região de Rio Preto produz mais de 50% da borracha do Brasil. Grande parte dela é destinada a produção de pneus. De acordo com a Associação Paulista de Produtores e Beneficiadores de Borracha, Apabor, até 2020, é previsto um plano para a ampliação da área plantada no Estado passando a 250 mil hectares – inteiramente custeado pela iniciativa privada, visando reduzir o déficit entre a produção e o consumo de 289.000 toneladas pelas indústrias manufatureiras de borracha. Para o ano que vem, Aderbal Santos já pensa em renovar o Workshop Internacional de Heveicultura trazendo atualizações do mercado e tecnologia para o setor.

Aderbal Santos , diretor da Polifer

Dra. Lekshmi Nair, economista

Jom Jacob, da ANRPC

36


37


AgroHistorias

Foto: Divulgação

O contador de histórias DELLA MORENA

DELLAMORENA_OFICIAL DELLA MORENA site: www.dellamorena.com.br

E

Família, nosso maior bem

u estava correndo e de repente um estranho trombou em mim: – Oh, me desculpe “por favor”, foi a minha reação. E ele disse: – Ah, desculpe-me também, eu simplesmente nem te vi! Nós fomos muito educados um com o outro, aquele estranho e eu. Então, nos despedimos e cada um foi para o seu lado. Mais tarde naquele dia, eu estava fazendo o jantar e meu filho parou do meu lado tão em silêncio que eu nem percebi. Quando eu me virei, tomei o maior susto e lhe dei uma bronca. – Saia do meu caminho filho! E eu disse aquilo com certa braveza. E ele foi embora, certamente com seu pequeno coração partido. Eu nem imaginava como havia sido rude com ele. Quando eu fui me deitar, eu podia ouvir a voz calma e doce de Deus me dizendo: – Quando falava com um estranho, quanta cortesia você usou! Mas com seu filho, a criança que você ama, você nem sequer se preocupou com isso! Olhe no chão da cozinha, você verá algumas flores perto da porta. São flores que ele trouxe para você. Ele mesmo as pegou. A cor-de-rosa, a amarela e a azul. Ele ficou quietinho para não estragar a surpresa e você nem viu as lágrimas nos olhos dele. Nesse momento, eu me senti muito pequena. E agora, o meu coração era quem derramava lágrimas. Então eu fui até a cama dele e ajoelhei ao seu lado.

38

– Acorde filhinho, acorde. Estas são as flores que você pegou para mim? Ele sorriu. – Eu as encontrei embaixo da árvore. Eu as peguei porque as achei tão bonitas como você! Eu sabia que você iria gostar, especialmente da azul. Eu disse: – Filho, eu sinto muito pela maneira como agi hoje. Eu não devia ter gritado com você daquela maneira. – Ah mamãe, não tem problema, eu te amo mesmo assim! – Eu também te amo. E eu adorei as flores, especialmente a azul. Você já parou pra pensar que, se morrermos amanhã, a empresa para qual trabalhamos poderá facilmente nos substituir em uma questão de dias. Mas as pessoas que nos amam, a família que deixamos para trás, os nossos filhos, sentirão essa perda para o resto de suas vidas. E nós raramente paramos para pensar nisso. Às vezes colocamos nosso esforço em coisas muito menos importantes que nossa família, que as pessoas que nos amam, e não nos damos conta do que realmente estamos perdendo. Perdemos o tempo de sermos carinhosos, de dizer um “eu te amo”, de dizer um “obrigado”, de dar um sorriso, ou de dizer o quanto cada pessoa é importante para nós. Ao invés disso, muitas vezes agimos rudemente, e não percebemos o quanto isso machuca os nossos entes queridos. A família é o nosso maior bem!


39


SocialWestern

Fotos: Leandro Gasparetti

ACONTECIMENTOS Os registros da 55ª Expo Rio Preto 2017, que ocorreu entre os dias 11 e 15 de outubro e também o Workshop Internacional de Heveicultura, no qual a revista Magazine AgroFest foi parceira deste dois megas eventos tão importantes para a cidade de Rio Preto.

www.LEANDROGASPARETTI.com.br

01

02

03

1 - Sérgio Expressão com Juíz Evandro Pelarin 2 - Arnaldo Machado Borges (ABCZ), Paulo Camargo e Marcelo Ártico 3 - Della Morena ladeado por Luiz Henrique, Luiz Machado, Cristiane e Alex Machado

4 - Maria de Lourdes e Nelson Ariza 5 - Marcos Alberto Pavanelli, Romildo Beraldi e Priscila B. de Souza 6 - Julio Carvalho e Fabio Rogério Leme 04

05

06

7 - José Pascoal Costantini, Osmair Guareschi, Luiz Antonio Silva e Valdomiro Lopes 8 - Carlos Albertini e Cláudio Correa 09 - O casal Augusto e Zezé Polizello 07

08

09

10 - Guto Paglione e Odirley Maioli 11 - Ivan Lopes Filho e Flavio de Almeida 12 - Andrew e Cid Bretas

10

11

13 40

14

12

13 - Pedro Nimer, Pedro Pezzuto, Eloi Gonçalves, Paulo Garcia, o Deputado Itamar Borges, Neto Garcia e Paulo Sader 14 - Lupércio Ponce e Fernando Daud


41


AgroRodeio

42


AgroRodeio

Foto: Leandro Gasparetti

ELEITO O NOVO PRESIDENTE DO CLUBE “OS INDEPENDENTES” Chapa liderada por Ricardo Rocha foi escolhida por aclamação durante Assembleia Ordinária realizada no dia 8 de outubro

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

E

m assembleia ordinária realizada no dia 27 de outubro, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, Ricardo Rocha Bodinho assumiu e presidência da Associação Os Independentes, promotora da Festa do Peão de Barretos. Bodinho foi eleito por aclamação em eleição realizada no dia 8 de outubro. Também foram empossados na diretoria executiva Hussein Gemha Junior, vice-presidente, Jerônimo Luiz Muzetti, diretor financeiro e João Carlos Branco, 1º secretário. Durante seu discurso Bodinho afirmou que juntamente com o cargo de presidente, ele assume uma grande responsabilidade, a de fazer o principal evento da Associação, a Festa do Peão de Barretos, maior a cada ano. Ricardo também antecipou para o público presente alguns dos projetos para sua gestão. “O primeiro deles é levar o clima de Natal para o Parque do Peão e também para a antiga sede localizada na esquina da rua 18 com a avenida 23, com uma decoração natalina especial”, afirmou. Retomada do CarnaBarretos, resgate do Concurso da Rainha e do Baile Peão & Sambão, restaurante com funcionamento o ano inteiro no Parque, reformulação do palco principal, foram algumas das propostas apresentadas. “Quero, em minha gestão, ter um pouco da ousadia daqueles 20 jovens que tiveram a ideia de fazer uma Festa do Peão em 1955. Quero ter um pouco da coragem e entusiasmo que eles tiveram”, disse. Ainda na cerimônia Wilson Chubassi de Aveiro e Caio Teles Leite assumiram como membros efetivos da Associação e o deputado Capitão Augusto foi homenageado com o título de honorário. 43


AgroINFO

Foto: Coimma

TRONCO DE CONTENÇÃO

P

REDUZ PERDAS

ressionado pela agricultura, o pecuarista precisa ser mais eficiente produzindo mais carne, em menos área sem desperdício. Para conseguir superar esse desafio, é necessário contar com um manejo altamente seguro, eficaz e também com uma boa infraestrutura na fazenda. A lida do gado obrigatoriamente termina no tronco de contenção ou brete, local onde passa cada arroba do capital do produtor. Por isso, um equipamento inadequado, mal construído, sem manutenção ou utilizado de forma incorreta, pode impactar diretamente no resultado da produção, tanto no que se refere à lucratividade quanto na produtividade. Segundo o levantamento do Gru-

po de Estudos em Etologia e Ecologia Animal (ETCO), da UNESP-Jaboticabal/ SP, o Brasil perde por ano, cerca de 12 milhões de quilos de carne em função de contusões nas carcaças decorrente principalmente do mau manejo da fazenda. Parte disso poderia ser minimizado com uma boa escolha de tronco. O equipamento é um dos mais importantes na propriedade e o que mais necessita de cuidados. O tronco foi desenvolvido e projetado especialmente para conter e imobilizar bovinos de forma individual e assim facilitar os diversos tratos zootécnicos. Diversas opções de modelos de troncos já são fabricados sob medida a pedido de cada cliente com foco em tecnologia e eficiência. Entre eles, o tronco

Equipamento utilizado de forma correta facilita o manejo e evita o estresse e lesões dos animais

44

convencional. O equipamento foi desenvolvido com materiais de alta qualidade e resistência, ideal para pecuaristas que buscam facilidade e segurança para executar todos os procedimentos da fazenda com agilidade. O mercado também disponibiliza o tronco no modelo americano. O equipamento contém uma pescoceira com parede móvel que é fundamental para a contenção do animal em trabalhos na região da cabeça e ainda facilita a vacinação, prevenindo assim sangrias e abcessos. Isso resulta em menor sofrimento do animal, economia em vacina e medicamentos e ainda diminui o número de traumas na carcaça.


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Negรณcios

45


AgroVeterinário AgroVeterinário

H

BRASIL PODE PRODUZIR A MELHOR CARNE DO MUNDO

á 20 anos não se falava em programas de qualidade de carne bovina e tampouco havia melhores remunerações por qualidade de carcaça aos pecuaristas. Hoje, vivemos uma nova pecuária, na qual a cadeia produtiva está preparada para o abate de animais muito jovens, em torno de 16 meses de idade, com 20@ de peso bem distribuído e carne com boa presença de marmoreio. E muito desse sucesso passa pela raça Angus. De origem britânica, mas radicada na pecuária brasileira por muitas décadas, é reconhecida internacionalmente pela sua qualidade de carcaça e precocidade de terminação, bem como a incrível maciez, sabor e suculência dos cortes produzidos. A carne Angus tem sinônimo de qualidade. Ponto para o Programa Carne Angus Certificada, que alinhou fortes parcerias com os principais frigoríficos do País e ainda garantiu a possibilidade de os pecuaristas receberem bonificações acima de 12% da cotação convencional da arroba do boi gordo. E tal consolidação levou a uma corrida frenética por genética Angus. Além disso, um “café grátis” está surgindo na pecuária nacional. Países como a Turquia compraram mais de 80 mil bezerros, recentemente, de al-

46

Foto: Foto:Divulgação Divulgação

gumas fazendas brasileiras e todos nascidos do cruzamento entre as raças Angus e Nelore, o casamento perfeito para a produção de carne de qualidade. Este modelo de exportação de desmama cruza Angus tende a crescer muito no País. Os preços do gado Angus dispararam. O quilo vivo de um bezerro desmamado F1 (meio-sangue Angus x Nelore) já corteja os R$ 6,50, muito superior ao de qualquer outro bovino puro ou cruzado. Na década de 1990, a esmagadora maioria dos produtores desconhecia sobre o melhor uso de uma novilha F1. Atualmente, seu aproveitamento é otimizado. Pode ser encaminhada à reprodução, como matriz, ou ao abate, proporcionando uma carne rica em gordura Ômega 3 – fato comprovado cientificamente. Estima-se que existam cerca de 3 milhões de cabeças no rebanho nacional. Angus é propaganda no sanduíche, na churrascaria, nos restaurantes e na gôndola dos supermercados. E o pecuarista brasileiro já descobriu este diferencial. A própria Associação Brasileira de Angus regularizou junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento o serviço de Registro Genealógico de uma nova raça bovina chamada Ul-

trablack. Formado por meio do cruzamento entre Angus e Brangus 3/8 (ou vice versa), o Ultrablack é uma resposta ao crescente interesse dos produtores em atender os programas de cruzamento industrial que vão utilizar essas fêmeas F1 Angus para produção de animais com 65% de sangue Angus. Os bezerros nascidos serão encaminhados ao confinamento logo após a desmama e vão produzir carcaças ultraprecoces. Com alto índice de marmoreio e maciez, a carne produzida vai ser capaz de competir com os cortes mais sofisticados do mundo em pé de igualdade. Está aí a fórmula que Brasil buscava para produzir uma carne Prime reconhecida mundialmente, assim como acontece com a dos Estados Unidos. É a ferramenta perfeita para conquistar o paladar dos mais exigentes importadores do planeta.

VALDOMIRO POLISELLI JR.

Presidente da VPJ Alimentos


47


48

Magazine AgroFest - Outubro / Novembro 2017  
Magazine AgroFest - Outubro / Novembro 2017  

Magazine AgroFest, Edição Nº 21 - Outubro / Novembro 2017. Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 34 cidades da Região. http://www.m...

Advertisement