Page 1

R

O melhor da Agropecuária, Rodeio e Negócios

Distribuição gratuita

Ano II - Edição 12 - Abril / Maio 2016

AVICULTURA: EXPORTAÇÕES E CONSUMO PER CAPITA PODEM TER AUMENTO EM 2016 Páginas 24 e 25

ANO DO RECOMEÇO: DEVERÁ MOVIMENTAR FENASUCRO & AGROCANA

VENDAS DE INGRESSOS DO COUNTRY BULLS ESTÃO A TODO VAPOR

Páginas 32

Páginas 34

1


2


3


AgroFest

EDITORIAL

O CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO NO BRASIL E NO MUNDO

N Leandro Gasparetti

José Eduardo Costa

o segundo bimestre de 2016, estamos a todo vapor voltados para as notícias que movimentam o mercado do agronegócio e do rodeio, focados, principalmente, para as tendências do mercado, novas tecnologias, além dos eventos que movimentaram o primeiro bimestre e que irão movimentar os próximos meses e, do crescimento gradativo do agronegócio. Principalmente, devido ao aumento de exportação, já que o Brasil é o terceiro maior país produtor e, aos olhos voltados de bancos internacionais aos produtores brasileiros. Para a edição de número 12, produzimos matérias especiais voltadas para o agronegócio e rodeios, tudo isso e muito mais! Tenham uma boa leitura!

SUMÁRIO

06

AgroClina

CLIMA DESAFIA ALTA PRODUTIVIDADE DA SOJA

08 AgroMundo

CAVALEIRO DAS AMÉRICAS INICIA JORNADA RUMO “AO FIM DO MUNDO”

10

AgroLeilão

3º LEILÃO ASTROS DA ARENA

16

AgroBiotecnologia

BRASIL E EUA COMPARTILHAM DADOS GENÉTICOS ANIMAIS

18

AgroEquino

REPRODUÇÃO DE EQUINOS

EXPEDIENTE

20

AgroTecnologia

36 AgroRodeio

22

AgroCrédito

38 AgroTecnologia

SENSOR QUE DETECTA ALIMENTOS ESTRAGADOS

BANCO AGRÍCOLA ESTRANGEIRO INVESTE NA AGRICULTURA BRASILEIRA

27

AgroConcurso

COMIDA DI BUTECO GERA AUMENTO DE VENDAS

32 AgroFeiras

FENASUCRO & AGROCANA TERÁ AUMENTO DE MOVIMENTO

34 AgroRodeio RIO PRETO RODEO COUNTRY BULLS COMEMORA 20 ANOS

Diretor Geral Leandro Gasparetti 17 99151-5658 | 99756-7249 contatoagrofest@gmail.com

Diretor Comercial José Eduardo Costa 17 99774-0591 | 99129-9305

comercialagrofest@gmail.com

Jornalista Responsável Leandro Gasparetti MTB: 76039/SP

Foto capa: Divulgação 4

JACI RODEO FESTIVAL

ADUBAÇÃO E IRRIGAÇÃO AUMENTAM PRODUTIVIDADE DA CANA

41

AgroEcologia

SECRETARIA DE AGRICULTURA ESTRUTURA CÂMARAS SETORIAIS

42

AgroSocial

44

AgroRodeio

46

AgroEmpresas

SOCIAL WESTERN POR LEANDRO GASPARETTI

POR ANDRÉ SILVA

GUIA DE EMPRESAS & NEGÓCIOS

Distribuição em 35 cidades

Bady Bassitt, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Cedral, Cosmorama, Cardoso, Fernandópolis, Guapiaçu, Icém, Ipiguá, Jales, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Mirassolândia, Neves Paulista, Nova Granada, Novo Horizonte, Orindiúva, Onda Verde, Olímpia, Paulo de Faria, Potirendaba, Palestina, Poloni, Riolândia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santa Fé do Sul, Tanabi, Votuporanga, São Pulo e Minas Gerais: Fronteira

Jornalista André Luiz de Oliveira Souza MTB: 75680/SP Fotografia Leandro Gasparetti Projeto Gráfico/Diagramação Rede A Comunicação 17 99212-1016 Impressão Fotogravura Rio Preto 17 3016-4000

Colaboradores

Embrapa, Ministério da Agricultura, André Silva, Paulo Belarmino, Tonho Prado, Secretaria de Agricultura de SP, Cati-SP, Guabi, Sindicato Rural de Rio Preto, Faesp/Senar, Climb AirCraft.

Tiragem 5 Mil Exemplares Periodicidade Bimestral Distribuição Gratuita

*Artigos assinados representam opiniões dos autores. A opinião da Revista se expressa no editorial.

“Jesus eu confio em Vós”


5


AgroClima

Foto: Roberto Mattos

CLIMA DESAFIA ALTA PRODUTIVIDADE DA SOJA M ato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia e Rio Grande do Sul estão na lista de Estados que terão suas produtividades desafiadas pelo clima. A avaliação é da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), que alerta sobre a possibilidade de os resultados da safra 2015/16 não corresponderem às estimativas, devido ao excesso de chuvas no momento da colheita e os veranicos no desenvolvimento da safra. O presidente Associação, Almir Dalpasquale, não descarta quebra de safra em algumas regiões. “Consideramos ideal o volume entorno de 1.200 milímetros para todo o ciclo. Percebemos que esse índice foi ultrapassado já em Mato Grosso do Sul e em Mato

Sobre o CESB O CESB é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas, que se uniram para trabalhar estrategicamente e utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras e vivências, em prol da sojicultura brasileira.

6

Grosso, por exemplo, onde já atingiu 2.500 milímetros, prejudicando parte da colheita. Tínhamos um cenário ideal para uma safra impecável de novos recordes, mas no momento estamos dependentes da situação climática”, alerta Dalpasquale. Referindo-se ao Rio Grande do Sul, o presidente tem a expectativa de que as chuvas diminuam para completar uma safra pujante. Já na Bahia, o cenário é de precipitações em momentos não favoráveis para a safra. “Veranico na época de desenvolvimento dos grãos e chuvas no fim do ciclo. Esse é o desenho de uma safra não muito desejada e que pode impedir altas produtividades, mas ainda estamos muito otimistas”, afirma o representante dos agri-

cultores. Assim como Dalpasquale, o agricultor Rui Luiz Gaio, de Correntina (BA), mantém o otimismo. Ele venceu no ano passado na categoria Norte/Nordeste o Desafio de Máxima Produtividade da Soja, organizado pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB). Colheu 112,44 sacas por hectare na área inscrita e quer repetir o feito em 2016. “Superamos a média regional em 64 sacas. Neste ano investimos mais e inscrevemos três áreas com o objetivo de manter o título de maior produtividade da região, e ainda aplicamos técnicas que estimulam a produtividade na área comercial. Agora é aguardar a contribuição do clima”, pontua ao destacar que a colheita está atrasada na região.


AgroInfo

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

RAÇA GIROLANDO LIDERA PRODUÇÃO DE SÊMEN LEITEIRO NO BRASIL

O

relatório de produção de sêmen bovino no Brasil divulgado pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA) traz a raça Girolando como a maior produtora entre as raças leiteiras. Das 1.209.436 doses produzidas em 2015, quase 54% foram de Girolando. O total de doses vendidas das raças leiteiras ficou em 4.328.689, ante 4.921.341, no mesmo comparativo do ano passado. Essa ligeira queda é

explicada pelo aumento dos custos de produção em função da desvalorização do real e a manutenção dos preços do leite pago aos produtores, trazendo menor rentabilidade à atividade. “O custo de produção do leite ficou maior em 2015 devido ao fato da soja e do milho estarem com preços altos e crescentes no mercado. Como a alimentação responde por mais de 50% dos gastos com a criação de animais leiteiros, a elevação desses

preços desmotivou ainda mais os produtores, que optaram por inseminar menos em 2015”, ressalta o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Jônadan Ma. Minas Gerais foi o Estado com maior comercialização de sêmen leiteiro, respondendo por 30%, seguido de Paraná e Rio Grande do Sul com 16%, cada. Juntos, os segmentos de corte e leite comercializaram 12.606.703 doses, ante 12.037.346 no ciclo passado.

7


Foto:Foto: André Monteiro Fonte: Assessoria GuabiDivulgação

AgroEquino AgroMundo

CAVALEIRO DAS AMÉRICAS INICIA JORNADA RUMO “AO FIM DO MUNDO” A PARTIR DO PARQUE DO PEÃO, EM BARRETOS

O

ponto de chegada do Cavaleiro das Américas, Filipe Leite, em sua última jornada - quando saiu de Calgary no Canadá e percorreu 16 mil quilômetros a cavalo entre 2012 e 2014 - será agora a saída de sua próxima grande viagem. O jovem de 25 anos sairá do Parque do Peão, em Barretos, em direção a Ushuaia na Patagônia (Argentina) o extremo sul da América do Sul. O cavaleiro iniciou sua jornada ao fim do mundo, no último dia 11 de abril, mas antes acompanhou a Cavalgada Solidária do Município - que arrecada agasalhos e alimentos para famílias carentes, participando de um ato simbó-

8

lico no Hospital de Câncer da Fundação Pio XII. No total, Filipe Leite percorrerá 8 mil quilômetros por quatro países: Brasil, Argentina, Uruguai e Chile acompanhado de duas éguas da raça Quarto de Milha: Doll e Life. De acordo com ele, um dos principais objetivos dessa nova jornada é contribuir com o Hospital de Câncer de Barretos. “Vou difundir informações sobre prevenção do câncer infanto-juvenil junto com as campanhas do Hospital de Câncer por todos os vilarejos e cidades por onde passar. Quero levar mensagens importantes pelo meu caminho”, diz o cavaleiro. Sobre a escolha do ponto de partida

Filipe revela: “a minha primeira jornada tinha como objetivo chegar à Festa do Peão de Barretos, no Parque do Peão, que sempre foi muito significativo pra mim. Agora para este novo desafio achei que seria o lugar mais marcante”. A Associação Os Independentes é uma das apoiadoras da jornada. “O feito do Filipe Leite na Cavalgada das Américas, que saiu do Canadá e terminou aqui em Barretos, na Festa do Peão, já foi surpreendente. Agora vamos continuar apoiando seus novos desafios em difundir mensagens tão positivas e desbravar a América a cavalo.”, finaliza o Presidente de Os Independentes, Hussein Gemha Junior.


9


AgroLeilão

3º LEILÃO ASTROS DA E PROMETE NOVIDADE

A

conteceu no dia 02 de março, o 3º Leilão Astros da Arena, realizado pelo médico veterinário Paulo Belarmino, em São José do Rio Preto-SP. O leilão presencial de touros de rodeio e animais de genética de pulos mais esperado da categoria. O evento contou com a presença de grandes nomes do rodeio brasileiro entre criadores, profissionais da área e

10

simpatizantes. Reunindo todos para um tarde de reencontros e ótimos negócios, onde foram ofertados touros renomados, fêmeas e garrotes de genética comprovada e touros jovens que estão se destacando no esporte. Para este ano o evento contou com uma novidade, com sua leiloeira própria, o Portal dos Tropeiros Leilões, que se inicia ancorada na credibilidade alcançada

pelos eventos Astros da Arena, com a promessa de que em 2017, o leilão trará muitas novidades para os empresários e investidores do mundo do rodeio, principalmente na área da genética de pulos. “Agradeço aos parceiros e apoiadores do evento, o Leilão Astros da Arena, e nos despedimos de 2016, mas já estamos com os preparativos para 2017 à todo vapor” finaliza Belarmino.


Fotos: Leandro Gasparetti

A ARENA FOI SUCESSO ES PARA 2017

11


AgroSegurança

AGENDA eventos A IMPORTÂNCIA CURSOS - SIMPÓSIOS International Citrus Congress 18 a 23 de Setembro em Foz do Iguaçu/PR, participantes de mais de 15 países, para debater as mudanças no setor da citricultura nos últimos anos. Info: (43)3025-5223

Foto: Divulgação

DO USO DE EPI

VI Congresso Andav 15 a 17 de Agosto em São Paulo/SP - Evento da Distribuição de Insumos Agropecuários. Info: (11) 3214-1300 O Sebrae SP oferece cursos e palestras para pessoas físicas e jurídicas, confira no portal: www. sebraesp.com.br

RODEIOS / FESTASPROVAS CRONOMETRADAS CPTR 2016 – Campeonato Paulista de Team Roping 1ª Etapa – 27, 28 e 29 de Maio 2ª Etapa – 29, 30 e 31 de Julho 3ª e 4ª Etapa – Em Definição Haras Sulera – Pista Coberta Bálsamo/SP XX Rio Preto Rodeo Country Bulls 20 a 24 de Julho – S.J. Rio Preto/SP 39ª Festa de Peão de Boiadeiro de Orindiúva/SP - 18 a 21 de Agosto 61ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos – 18 a 28 de Agosto Barretos/SP

EXPOSIÇÕES 32ª Exponop – Exposição Agropecuária 08 a 12 de Junho – Local: Parque de Exposições Acrinorte - Sinop/MT BeefExpo 2016 – 14 a 16 de Junho – Centro de Eventos Pro Magno – São Paulo/SP 24ª Feira Internacional de Tecnologia Sucroenergética 23 a 26 de Agosto – Sertãozinho/SP

LEILÕES: Leilões Anísio Haddad – Todas as quintas-feiras às 18hrs - Local: Recinto de Leilões Anísio Haddad Informações: (17) 3227-2299 www.leiloesahaddad.com.br 12

T

odas as atividades profissionais que possam proporcionar algum tipo de risco físico para o trabalhador devem ser cumpridas com o auxílio de Equipamentos de Proteção Individual – EPI. O uso dos equipamentos de proteção é determinado por uma norma técnica chamada NR 6, que estabelece que os EPIs sejam fornecidos de forma gratuita ao trabalhador para o desempenho de suas funções dentro da empresa. O uso do EPI é fundamental para garantir a saúde e a proteção do trabalhador, evitando consequências negativas em casos de acidentes de trabalho. Além disso, o EPI também é usado para garantir que o profissional não será

exposto a doenças ocupacionais, que podem comprometer a capacidade de trabalho e de vida dos profissionais durante e depois da fase ativa de trabalho. Para que uma empresa possa conhecer todos os equipamentos de proteção individual que devem ser fornecidos aos seus funcionários, é necessário elaborar um estudo dos riscos ocupacionais, mas geralmente os equipamentos se restringem a óculos, protetores auriculares, máscaras, mangotes, capacetes, luvas, botas, cintos de segurança, protetor solar e outros itens de proteção. Esse tipo de trabalho facilita a identificação dos perigos dentro de uma planta industrial, por exemplo, e ajuda a empresa a reduzi-los ou neutralizá-los.


AgroInfo

A IMPORTÂNCIA DOS POLINIZADORES NA PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA U m estudo publicado recentemente pela revista Science revela que o processo de polinização, no qual as abelhas e outros insetos atuam como agentes, é responsável por cerca de 24% do déficit de produtividade agrícola observado em pequenas propriedades rurais. Fatores associados à irrigação, nutrientes e técnicas de cultivo também foram listados no levantamento e respondem pelos demais 76% do déficit nas áreas monitoradas. Durante cinco anos (2010-2014), os especialistas monitoraram 334 pro-

Foto: Divulgação

priedades pequenas e grandes de doze países da África, Ásia e América do Sul. Eles observaram o número de agentes polinizadores, a biodiversidade e o rendimento de 33 cultivos (maçã, pepino, caju, café, feijão, algodão e canola, entre outros). Uma mesma dinâmica foi identificada em todas as nações que participaram do levantamento: o rendimento agrícola cresce de acordo com a densidade de polinizadores. Esse resultado mostrou que populações reduzidas de abelhas e outros insetos poderiam ser parcialmente responsáveis pela queda de produtividade.

13


AgroRodeio

Fotos: Leandro Gasparetti/Foto Drones

1º GUARACI RODEO FESTIVAL MOVIMENTOU A REGIÃO

Foi emocionante poder organizar e contar com a participação da população de Guaraci, durante o Rodeio, é isso que nos faz ter ânimo e dedicação para pensarmos no próximo ano, com mais novidades e atrações Nelson Jacob Caminada Filho, presidente e organizador do evento

A

conteceu, de 10 a 13 de março, na cidade de Guaraci situada no interior paulista, o 1º Guaraci Rodeo Festival, realizado no Guaraci Clube. O evento contou, durante as quatro noites, com shows de destaques regionais, além de boate com o Dj Falcão e Dj Caio N. Para movimentar o rodeio teve o

Desafio do Bem, onde o peão Tim Maia enfrentou o touro Problema, da Cia de Rodeio Juninho Marruco, sendo toda a renda destinada à Apae da cidade. As vozes que fizeram a alegria da arena foram dos locutores Jonathan Barbosa, Junior César, Paker Show, Delson Righetti e Marrone, além dos comentários de Marcelo Câmara, mais

conhecido como Lalá e, Gleydson Fonseca. O melhor touro da disputa final foi o Balotelli, da Cia de Rodeio 2 Irmãos, que também levou o título de melhor boiada. Já o melhor touro do evento foi o Colorado, da Cia de Rodeio Tutela e o touro revelação foi o Veneno, da Cia de Rodeio 2 Irmãos. Confira a classificação final, com os cinco primeiros colocados: 1 - Emerson Bernardo do Nascimento - Olímpia/SP, que montou o Touro Fúria, da Cia Gold Company e, acumulou 261,75 pontos; 2- Fabiano Silveira Santos - Altair/ SP, que montou o Touro Jericó, da Cia Toca do Boi e, acumulou 253,25 pontos; 3 - Lucas Luan da Silva - Guaíra/SP, que montou o Touro Zeus, da Cia Juninho Marruco e, acumulou 245 pontos; 4 - Rafael César de Souza - Altair/SP que montou o Touro Messi, da Cia 2 Irmãos e, acumulou 172,5 pontos; 5 - Marcos Rosa Rodrigues da Silva - Guaíra/SP, que montou o Touro Balotelli, da Cia 2 Irmãos e, acumulou 163,75 pontos.

14 14


Fonte: Ministério da Agricultura

AgroExportação

DEFINIDOS VOLUMES DE COTA ADICIONAL DE AÇÚCAR PARA OS EUA PARA CADA EXPORTADOR O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) definiu quanto cada empresa brasileira exportadora de açúcar poderá comercializar para os Estados Unidos por meio da cota adicional de 13,1 mil toneladas. Inicialmente, a cota brasileira de exportação de açúcar para os EUA, este ano, era de 155,7 mil toneladas. Após consulta aos países detentores de cotas preferenciais, o escritório do Representante de Comércio dos Estados

Unidos identificou 86.533 toneladas em cotas não preenchidas do produto e resolveu redistribuí-las. Brasil, Filipinas, Austrália e República Dominicana foram os países beneficiados com a cota extra. As exportações realizadas dentro da cota são livres da cobrança de imposto de importação nos EUA. Em 2015, o produto do Brasil ocupou a segunda posição em valores importados pelo país, e terceira, em quantidade importada (222 mil toneladas).

15


AgroBiotecnologia

Foto: Divulgação

BRASIL E ESTADOS UNIDOS COMEÇAM A COMPARTILHAR DADOS GENÉTICOS ANIMAIS

B

ancos de dados brasileiros e norte-americanos de recursos genéticos animais começaram a ser partilhados por meio de uma base única. Trata-se do primeiro sistema internacional para armazenamento de informações genéticas, produtivas e de árvore genealógica. Chamado no Brasil de Alelo Animal, ele proporcionará acesso ágil e padronizado aos bancos de germoplasma e às informações genômicas animais dos dois países. A ferramenta é fruto de quase uma década de esforços conjuntos de pesquisadores e programadores da Embrapa e do Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA-ARS) e já despertou interesse de países como México, Uruguai, Argentina e Filipinas bem como de periódicos científicos internacionais interessados em padronizar dados-fonte citados nos artigos científicos. “Grande parte das pesquisas básicas e aplicadas relacionadas ao agronegócio dependem da existência de diversidade genética dentre outras espécies. Por isso, a importância de acesso a grandes acervos é fundamental à ciência”, afirma Samuel Rezende Paiva, pesquisador do Programa Embrapa Labex Estados Unidos, que há três anos atua junto ao Centro Nacional para Preservação de Recursos Genéticos (NCGRP) do USDA-ARS. O especialista, um dos coordenadores do sistema, acredita que um dos maiores frutos dessa ferramenta, a médio-longo prazo, será a intensificação do intercâmbio de germoplasma entre Brasil e Estados Unidos. Os parceiros norte-americanos partilham do entusiasmo de Paiva. “Conquistamos uma grande parceria. Talvez seja a primeira vez que dois países desenvolvem um sistema de dados abrangente para atender deman-

16

das por informações sobre recursos genéticos animais”, declara o geneticista Harvey Blackburn, pesquisador do NCGRP. Nos Estados Unidos, o Alelo Animal é chamado de Animal-GRIN, sigla em inglês para Rede de Informações de Recursos Genéticos. O Alelo Animal permite que qualquer pessoa acesse dados sobre materiais genéticos animais (sêmen, embriões, DNA) armazenados nos bancos de germoplasma do Brasil e dos Estados Unidos. Caso exista interesse em utilizar o material encontrado para fins de pesquisa, comerciais ou outros, o interessado deve preencher formulário que será analisado por um comitê gestor, o qual poderá cedê-lo, rejeitá-lo ou disponibilizá-lo sob determinadas condições. O sistema trabalha com diferentes níveis de usuários com restrições próprias para cada um deles e pode armazenar até mesmo informações sensíveis que

serão divulgadas somente quando o responsável permitir. Os dados norte-americanos já estão na rede e os especialistas brasileiros devem terminar de inserir as informações do País nos próximos meses. Armazém de dados genômicos Outra grande aplicação do Alelo será fornecer espaço para armazenamento de informações geradas em pesquisas genéticas. “Hoje em dia, um trabalho com marcadores moleculares em bovinos, por exemplo, pode facilmente usar 800 mil deles em cada animal analisado”, conta Paiva. Esse volume gigantesco de informação não é aproveitado em sua totalidade e muitos cientistas têm dificuldade em encontrar espaço para guardar todos os resultados. O sistema terá um módulo específico de genômica que oferecerá espaço para armazenamento e poderá ser partilhado pela comunidade científica.


17


AgroEquino

REPRODUÇÃO D

A

espécie equina apresenta algumas peculiaridades em relação às demais, apresentando menores índices de fertilidade com início da reprodução em torno dos 3 anos de idade, sendo normalmente apenas um único produto por gestação, que dura cerca de 11 meses, e é comum ocorrer reabsorção e abortos. Em parte, algumas dificuldades reprodutivas se agravaram devido à pouca seleção para fertilidade na espé18

cie, pois a prioridade são os animais vencedores de competições e provas, escolhidos para a reprodução, mesmo sendo subférteis. Baseado nisso, o interesse na aplicação de biotecnologias voltadas à reprodução equina vem se fomentando cada vez mais como ferramenta para maximizar o aproveitamento de animais férteis, e obtenção de melhores taxas na concepção de indivíduos portadores de subfertilida-

de. Dentre as biotécnicas destacam-se: a inseminação artificial, congelação de sêmen e embriões, transferência de embriões, transferência de oócito, fertilização in vitro, inseminação intracitoplasmática e transferência de gametas intra-falopiana. No entanto, as mais utilizadas dos criatórios, são inseminação artificial e transferência de embriões. A inseminação artificial vem sendo empregada com bons índices de fertili-


Foto: Divulgação

DE EQUINOS

Juliana Vilches Aprile, médica veterinária

dade, pois proporciona menor desgaste do garanhão possibilitando seu uso em um número maior de éguas que a monta natural, aumentando assim o número de produtos obtidos. Já a transferência de embriões é uma biotécnica baseada no princípio da multiplicação da progênie de fêmeas, consideradas superiores dentro de um rebanho, sendo definida como um método de reprodução assistida onde é retirado o em-

brião formado, com 6 a 9 dias de vida do útero de uma égua doadora, sendo manipulado e posteriormente introduzido no útero de outra égua receptora, que levará a gestação a termo. Sendo assim, a equinocultura atualmente ressalta a real necessidade do manejo reprodutivo dos equinos através destas biotecnologias, sendo de grande importância para o sucesso e lucratividade do criatório. 19


AgroTecnologia

Foto: Divulgação / Fonte: Agência Brasil

CIENTISTAS JAPONESES CRIAM SENSOR QUE DETECTA ALIMENTOS ESTRAGADOS

U

m grupo de cientistas japoneses criou dispositivo que pode ser colocado em película aderente, capaz de detectar o estado de conservação da carne ou do peixe. Trata-se de “material inteligente”, com 1 centímetro de comprimento, que reage ao ser colocado sobre os alimentos e cuja utilização poderá evitar casos de intoxicação alimentar, de acordo com o grupo de pesquisadores da Universidade de Yamagata, no Norte do Japão.

O sensor é capaz de detectar a histamina, uma substância gerada quando as bactérias começam a decompor os aminoácidos dos alimentos e que é responsável por sintomas de intoxicação alimentar, mesmo em pequenas quantidades. O aparelho integra um microcircuito impresso em material semicondutor, em película aderente e, no futuro, poderá ser instalado em embalagens de modo a fornecer informação automática sobre

o estado de conservação dos alimentos. A partir dessa experiência, os pesquisadores esperam desenvolver um dispositivo para comercialização no prazo de três anos. A equipe da Universidade de Yamagata, dirigida pelo cientista Shizuo Tokito, desenvolve ainda um sistema para ligar essa tecnologia a celulares, de modo que os consumidores possam receber informação a distância sobre o estado dos alimentos.

O sensor é capaz de detectar a histamina, uma substância gerada quando as bactérias começam a decompor os aminoácidos dos alimentos 20


Coopercitrus na AGRISHOW 2016 MKT Coopercitrus

25 a 29 de Abril- Ribeirão Preto - São Paulo

Shopping Rural Coopercitrus na Agrishow 2016, estande E3D.

Aproveite as ofertas e condições facilitadas de pagamento! 21


AgroCrédito

BANCO AGRÍCOLA DO AO GOVERNO DE SÃO INVESTIR NA AGRICU

O

banco agrícola estadunidense Cobank recorreu ao Governo do Estado de São Paulo para abrir perspectivas de investimento no setor. A reunião foi realizada entre a diretoria da entidade, representantes da analista de riscos internacional Eurasia Group, o governador, Geraldo Alckmin e o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim. Devido à importância do Estado, o banco enxerga em São Paulo a porta de entrada ideal para investir na agricultura brasileira – ciente de que o Brasil é um dos principais protagonistas mundiais na produção de alimentos. “Nós temos uma vocação natural para a agricultura em razão dos trópicos, com grande incidência de luz solar. Somos a mais eficiente agricultura tropical”, destacou Geraldo Alckmin, completando ainda que “o setor tem uma possibilidade de crescer ainda mais”. O

22

governador comentou com a delegação sobre a delicada atual situação política e econômica brasileira, mas reforçou que “o agronegócio vai muito bem”. Para Geraldo Alckmin, um banco é importante para gerar desenvolvimento e empregos, mas ganha ainda mais relevância quando é formado por cooperativistas. “Ficamos muito felizes por encontrar um governador que é entusiasta do cooperativismo. É um prazer vir ao Brasil para apresentar o que podemos oferecer”, apontou Thomas Halverson, diretor financeiro do banco – que somente nos Estados Unidos atende 75 mil agricultores. Para o diretor, os dois países devem caminhar cada vez mais juntos para liderar a crescente produção mundial de alimentos. Mas para essa liderança ser firmada, o Brasil precisa vencer desafios, como os apontados por Arnaldo Jardim em sua

apresentação “O potencial da Agricultura paulista e sua contribuição para a economia nacional”. O secretário elencou como pontos a serem melhorados em nível federal o financiamento, a infraestrutura e a logística para escoamento da produção. Líder Christopher Garman, diretor do Eurasia, revelou que a escolha por São Paulo se deu porque a cidade é a capital econômica do Brasil, além de ser um Estado agrícola muito importante, que pode oferecer uma visão do País como um todo - do setor agro mais especificamente. “E as principais empresas estão sediadas aqui. Dado o peso que ele tem, queremos tirar proveito da visão do governador Geraldo Alckmin para o setor agrícola e também para o cenário nacional”, revelou Garman.


Fotos: JoãoLuiz / Comunicação SA

OS EUA RECORRE O PAULO PARA ULTURA BRASILEIRA

23


AgroExportação

AVICULTURA: EXPORTA PER CAPITA PODEM TE A

avicultura brasileira encerrou o ano de 2015 com alojamento total acima de 50 milhões de matrizes, volume bastante próximo ao de 49 milhões de matrizes, registrado em 2014. Olhando somente por este lado essa diferença não representa muito, mas sabemos que com os ganhos genéticos a cada ano, acrescentamos quase 6% a mais de carne por cada matriz alojada, portanto, deveríamos manter o alojamento para mesmo assim ofertar mais carne de frango ao consumidor. O preço de venda do frango, que registrou aumento médio de 6%, em relação ao ano anterior, também foi comemorado pelo setor, possibilitando o aumento das margens operacionais e dando novo fôlego ao mercado. Desta forma, podemos considerar o ano que se encerra como um período marcado pela estabilidade. A exceção é apenas o alojamento de pintos de corte, que teve leve alta em relação ao ano passado, na casa dos 4%. Já o consumo per capita de frango encerrou, em 2015, na faixa de 46 kg, um aumento de cerca de 6 % em relação a 2014. Diversos fatores têm contribuí-

Fausto Ferraz é diretor de Negócios da Cobb-Vantress 24

do para esse crescimento, como o aumento do preço de proteínas concorrentes, como a carne bovina, e a maior disponibilidade e o melhor preço do frango. Já para este ano as perspectivas continuam positivas, caso o volume de alojamentos mantenha-se no mesmo patamar de 2015. Assim, é possível que o consumo per capita alcance os 47 kg, caminhando para abrir larga vantagem e chegar próximo dos 50 kg per capta em 2017. Esta projeção otimista dependerá da concretização das análises atuais e ainda de como se desenharão as exportações e a consolidação de mercados. Com novas ofertas para o setor de grãos, este campo concentra algumas incertezas sobre custos e disponibilidade. Para que as margens operacionais não sejam sacrificadas, nem os lucros tenham que ser estreitados, uma boa solução é seguir trabalhando com foco em custos, a fim de enxugá-los ou otimizá-los sempre que possível. Nesta área, é importante reavaliar os resultados de campo e, principalmente, olhar diretamente para o rendimento de abate, que muitas vezes propicia oportunidades de otimização, com redução de perdas e desperdícios. O rendimento de carne, aliás, tem se consagrado como uma das principais atenções dos produtores brasileiros, visto que este fator é responsável, em grande parte, pela lucratividade do setor e pela oferta diferenciada de carne. O ano de 2015, em relação às exportações, teve 5% de crescimento, em comparação a 2014, chegando a quase 4,2 milhões de toneladas exportadas, em especial para regiões como o Oriente Médio. Da mesma forma, o Brasil mantém sua posição de referência mundial em sanidade avícola, o que vem incentivando a manutenção de vendas ao mercado externo e, inclusive, a abertura de novos mercados, como, mais recentemente, a Rússia. Na área genética, as empresas cada vez mais buscam pacotes de linhagens equilibradas, ao invés de uma única ca-

racterística em particular. Assim, têm crescido a demanda por reprodutoras que entreguem os melhores resultados em campo, em um leque variado de áreas, desde melhor conversão alimentar, até o melhor rendimento e melhores resultados em matrizes, com consolidação efetiva da melhoria de índices que representam a lucratividade do produtor. A biosseguridade continuará na pauta do setor, assim como o modelo de compartimentação. As principais empresas deste mercado já trabalham fortemente para contribuir com a aprovação do compartimento, o que garantirá que a produção do próximo ano ganhe novos incentivos para alcançar o mercado externo, que já concentra cerca de 25% de nossa produção. Por isso, deveremos continuar trabalhando para que o Brasil continue livre de Influenza Aviária, o que nos confere um grande diferencial competitivo no mercado internacional. Outro grande benefício de nosso País é a mão de obra especializada em avicultura, que conhece profundamente o setor e é capaz de contribuir para a conquista de resultados cada vez melhores. O treinamento e a capacitação dessas equipes é o que estimulará a redução de perdas e a constante otimização dos resultados. Com um dos planteis mais saudáveis do mundo, um elevado grau de biosseguridade e um controle rigoroso de nossas aves, poderemos manter positivas nossas perspectivas para este e os próximos anos. Tudo isso nos dará respaldo para seguirmos com nossa posição de referência e de fundamental importância na oferta mundial de carne de frango.


Fotos: COBB

AÇÕES E CONSUMO ER AUMENTO EM 2016

25


AgroHorse

Foto-NRHA-Wattembery

LUCIANA OMENA

Jornalista Especializada em Cavalos lucianaomenacomunicacao@gmail.com

UMA SEMANA PARA OS BRASILEIROS NÃO ESQUECEREM! Quem acompanha meus textos sabe que faço questão de sempre exaltar as conquistas dos brasileiros pelas pistas e arenas mundo afora. E me deparei com uma semana recheada de boas notícias!

E

m uma época que sofremos com a corrupção, miséria, desastres naturais, o Brasil do esporte vai muito bem, obrigada. E o Brasil equestres, então, nem se fala. Rédeas, Apartação, Team Roping, Laço Individual..... A começar pela Rédeas, que teve a final da sua prova mais importante do ano no dia 5/12. Eu, como sempre, ligada em tudo e sofrendo de longe. Mais um ano que não deu (dólar nas alturas) para estar em Oklahoma. O 50° National Reining Horse Association (NRHA) Futurity, para a categoria Aberta (profissionais) premiou com mais de meio milhão de dólares e a disputa começou com quase 500 cavalos nas classificatórias. Como de costume, brasileiros fizeram parte dessa disputa e, para um deles, a competição terminou como um sonho. Empatando com a maior nota da final – 224 -, Franco Bertolani, com seu cavalo Inferno Sixty Six, foram para um desempate histórico. Não só por ser um brasileiro disputando título na prova de maior prestígio da Rédeas

26

mundial, mas por realmente apresentar um conjunto acima da média, já que as demais notas estavam bem abaixo do esperado. Não deu, uma penalidade deixou Franco em segundo lugar. Mas não foi um vice-campeonato com gosto de derrota. Esse posto jamais foi alcançado por um brasileiro antes. Alguns dias depois, em Forth Worth, Texas, Armando Costa Neto marcou ainda mais seu nome na história da Apartação mundial. Morando há alguns anos nos Estados Unidos, ele vem conquistando espaço e colecionando importantes vitórias. E no 2015 NCHA World Championship Futurity, um evento que acontece no Will Rogers Memorial Center e dura três semanas, também o mais importante do ano para a Apartação, Armandinho foi o campeão da categoria Non Pro, no dia 10/12. Ele apresentou Watch Me Whip, de propriedade de sua família, e marcou 224. Enquanto rolava tudo isso, em Las Vegas dois brasileiros viviam um sonho. Lucinei Nunes Nogueira Junior,

o Juninho Testa, participando de sua segunda NFR, e Marcos Alan Costa, pela primeira vez na grande final mundial do rodeio completo, deixaram milhares de fãs do rodeio arrepiados. Juninho no team roping teve que laçar com outro parceiro, já que Jake Barnes se acidentou às vésperas da competição. E sabe o que aconteceu? Ele arrebentou!!! No 10° e último round, disputado 12/12, tinha chance de voltar para casa como campeão da NFR e campeão mundial, mas um SAT deixou ele como quarto do mundo e terceiro na finals. Triste, pois todo mundo esperava o título, mas top demais pela importância do evento e de tudo que o envolve. Já o talento Marquinhos Alan no tie-down roping teve uma disputa muito dura, mas em sua primeira experiência no rodeio dos sonhos, não errou nenhuma laçada. As projeções apontavam que ele poderia chegar ao título, mas uma barreira no round 9 tirou essa chance. Ele terminou sua primeira NFR em quinto lugar e em 11º no mundial.


AgroConcurso

Foto: Divulgação

BOTECOS REGISTRAM AUMENTO DE VENDAS DURANTE COMIDA DI BUTECO

O

forte movimento nos bares durante os 28 dias de realização do Comida di Buteco é responsável por gerar empregos e aumentar as vendas, devido ao fluxo de pessoas

que vão em busca dos petiscos participantes. De acordo com a direção do concurso, baseado em levantamento feito diretamente com os bares em Rio Preto, as vendas chegam aos 40%, mesmo em tempos de economia enfraquecida. Tanto que, para colaborar ainda mais com este cenário positivo, este ano estipulou-se um valor máximo para os petiscos. “Nosso objetivo é que os bares consigam manter as boas vendas neste momento, com receitas novas e diferenciadas, e o público consuma também, sem Boteco: A Hora do Espeto que pese no bolso”, exNome do tira gosto: O gato de madame

plica Cristina Schimer, coordenadora regional do Comida di Buteco. Além das novas receitas e das vendas, o ganho principal dos bares é a profissionalização. “Os botecos participantes são incentivados a aperfeiçoar suas instalações e o atendimento, melhorando o trabalho do empresário”, diz Paulo Silva, presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Rio Preto. A grande maioria dos bares é responsável por gerar de três a seis novas vagas que vão de ajudantes e auxiliares de cozinha, garçom, caixa, ajudante geral, cozinheiro, entre outros. “Isso sem contar os colaboradores que já foram contratados, em partes, pela visibilidade do concurso”, finaliza Schimer.

27


AgroHumor

PROSAS & CAUSOS COM

TONHO PRADO Oi gente é ieu Tonho Prado!

Como vocês já sabem agora todas edições da Magazine AgroFest eu vou tá aqui com o cêis trazendo muito causo e muita piada boa, bom mas vamo para de prosa porque agora chegou a hora de você se divertir, vamo lá genti.

www.tonhoprado.com.br

APOSTA DOS ANTONIMOS Eu e o Cumpadre fizemos uma aposta de quem entendia mais de antônimos valendo uma leitoa :Ele começou - Gordo? - Magro! - Hômi? - Muié! - Verde! - Verde? Nada disso… verde é cor, não tem contrário não! - Craro que tem, sô! - E quar que é? - Maduro, uai! - Ai caramba, néquémemo? Vamo de novo valendo mais uma leitoa! Agora eu que vô cumeçá! - Podi cumeçá Tonho! - Saúde? - Duença! - Moiado? - Seco! - Deus? - Diabo! - Fumo? - Quê? Desde quando fumo tem contrário? - Cê é burro, sô! Ao contrário de fumo é vortemo! 28

O AMOR É LINDO Um casal estava completando 60 anos de casados. No dia da missa, que celebrava essa longa união, o padre pergunta ao casal: - Qual o segredo para o casamento durar tanto tempo?

O marido respondeu: - Lá em casa, cada um manda em um dia. No dia que eu mando, eu deixo minha esposa fazer tudo do jeito que ela quer. No dia que ela manda, ela faz tudo do jeito que ela quer também. Assim nós nunca brigamos!!!

A CONSULTA O Cumpadre Zé foi consulta um sábio e pergunto: - Mestre estou com vontade de matar todos da minha casa. - Filho, o que te faz pensar em tamanha atrocidade? - Não aguento mais mestre. Na nossa casa só tem um copo e toda vez que vou usá-lo ele está sujo na pia. - Filho, vá até a cidade e compre mais meia dúzia de copos e ficará livre desse tormento.- 2 meses depois ele retorna transtornadíssimo:

- Mestre a situação piorou. Agora já estou totalmente fora do controle. - Você comprou a meia dúzia de copos como te mandei? - Comprei mestre. Só que agora quando quero usar um copo, são os sete sujos na pia. - Com essas modernidades de hoje em dia, só vejo uma solução filho. - E qual é mestre? - Desligue o Wi-Fi da sua casa, sem que ninguém perceba, 30 minutos por dia.

VISITA INESPERADA

Um cumapre bate à porta de uma distinta senhora. - Bom dia, a senhora tem filhos? - Não senhor. - Tem cachorro ou gato? - Não senhor. - Tem rádio ou auto-falante potente?

- Também não. - Toca algum instrumento? - Não... Mas será que eu posso saber por que tantas perguntas? O senhor é fiscal? Trabalha no CENSO de ridículo? - Não, minha senhora. É que eu estou interessado em comprar a casa ao lado!


29


AgroVeterinário

Foto: Divulgação

PAULO BELARMINO

Médico Veterinário CRMV-SP: 30.174 / CRMV-MS: 4.833 p.belarmino@hotmail.com

Touro Dalit da 3B e seu filho da Genética Metzker, produto de Fertilização In Vitro

A INFLUÊNCIA DE FATORES GENÉTICOS NA CRIAÇÃO E PRODUÇÃO DE TOUROS ATLETAS Genética de Touros de Pulos, há tempos discutida, está se tornando fator primordial para os investimentos em animais no Brasil.

Coberta de dúvidas e especulações, a genética de animais de pulos no Brasil, vem a alguns anos se difundindo e ganhando espaço. Espelhada nos criadores dos EUA, que há quase quatro décadas já realizam a seleção genética de touros atletas, e que hoje têm alguns dos melhores animais, frutos dessa seleção, no mundo. Muito se discute sobre a real herdabilidade de características de aptidão para pulos e isso faz com que muitas dúvidas surjam a cerca do assunto. Segundo alguns geneticistas, tudo oque seja “habilidade”, não pode ser herdado, já que a habilidade que um animal adquire, depende única e exclusivamente do ambiente em que ele vive e das necessidades e fatores externos com os quais ele deve se adaptar. Sendo assim, a habilidade de pular, por se tratar de uma “Habilidade”, e não de uma “Característica”, não poderia ser herdada. 30

Porém, já é provado que o temperamento de um animal pode ser herdado. Docilidade, ferocidade e outras características envolvendo o temperamento já são fatores de seleção em vários segmentos de criação animal, e devemos lembrar que o temperamento de um animal de pulos influencia muito no fato do animal ter um bom desempenho ou não nas arenas. Outro fator determinante e que está associado totalmente com a herdabilidade genética são as características físicas desse animal, tamanho, peso médio, tipo físico (animal mais leve, com menor capacidade de acúmulo de massa muscular, ou um animal mais pesado, com maior capacidade para armazenamento de gorduras ou maior acúmulo de massa muscular) e que sem esses fatores atuando à favor do animal, seu desempenho atlético nem sempre pode ser satisfatório. Hoje na prática, encontramos resul-

tados nos números, e esses falam por si só, sendo que a estatística já nos confirmou algo entre 0,53% a 1% de animais aptos para pulos, quando selecionados aleatoriamente, e algo entre 35% a 50% de animais aptos para pulos, quando selecionados geneticamente, à partir de cruzamentos e reprodução assistida. Dito isso, o manejo desses animais na prática nos deixa claro que, mesmo que o animal tenha uma habilidade individual e natural de pular, e que isso não possa ser herdado, este animal tinha condições físicas e temperamentais para expressar esse potencial e desenvolver essa habilidade, e são esses fatores que são herdados pelos seus sucessores e que torna tão bem sucedida a seleção genética de touros atletas, e nos leva em direção a novos horizontes e com certeza visando sempre o melhoramento genético e aprimoramento na criação de touros de pulos.


31


AgroFeiras

Foto: Divulgação

ANO DO RECOMEÇO: DEVERÁ MOVIMENTAR FENASUCRO & AGROCANA E m agosto, Sertãozinho, é tomada por empresas e profissionais de diversas partes do mundo, em busca de soluções para os segmentos que compõem a cadeia produtiva da cana-de-açúcar. Durante a 24ª Fenasucro & Agrocana, de 23 a 26/08, são esperados 33 mil visitantes no Centro de Eventos Zanini. O objetivo é apresentar inovações e soluções para o setor, oferecer palestras, congressos, seminários e estudos de diversas autoridades do planeta sobre o tema, e, dessa forma preparar os profissionais para o que estão chamando de “nova era” do mercado da cana. De acordo com Paulo Gallo, presidente do Ceise Br (Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis), o evento é impres-

32

cindível para os profissionais do segmento, principalmente este ano, que promete uma importante retomada do setor e que está permeado de expectativas positivas. “Apesar de todos os problemas que temos enfrentado na economia como um todo, 2016 está se mostrando como o ano do recomeço; o ano da virada de tendências no setor.”, avalia. Para ele, o segmento inicia pela primeira vez em vários anos, uma safra com preços do etanol e do açúcar em patamares que permitem às usinas obterem receitas acima de seus custos de operação, com geração de caixa positivo, que irá permitir que boa parte das unidades produtoras obtenham um reequilíbrio financeiro, duramente castigado desde 2009. Entre os motivos estão o consumo de etanol, que vem

crescendo a largos passos em todo o país, e a necessidade de geração de recursos por parte da PETROBRAS. Arena mundial de oportunidades para o setor, o empresário acredita que a Fenasucro & Agrocana continuará com a missão de definir estratégias de negócios para as atividades do segmento, com o seu formato único, reunindo conteúdo, inovações tecnológicas, políticas governamentais, entre outras contribuições de peso. O evento é organizado pela Reed Exhibitions Alcantara Machado em conjunto com o CEISE Br. Mais informações: www.fenasucro.com.br Facebook: /Fenasucro Twitter: @fenasucro2015


33


AgroRodeio

Foto: Dawidson Pinheiro

VENDAS DE INGRESSOS DO COUNTRY BULLS ESTÃO A TODO VAPOR O s ingressos para a edição de 20 anos do Rodeo Country Bulls, uma das maiores festas do peão do país, podem ser encontrados em dois pontos de vendas: Plaza Avenida Shopping e Shopping Cidade Norte. É possível também comprar pela internet, no site oficial. A festa ocorre de 20 a 24 de julho, no Recinto de Exposições de São José do Rio Preto. Este ano, as atrações ficam por conta de Fiduma & Jeca, Gustavo Mioto e convidados, no dia 20, em prol às entidades assistenciais da cidade; Maiara & Maraisa e Zé Neto & Cristia-

34

no, no dia 21; Cabaré, com Leonardo e Eduardo Costa, no dia 22; Henrique & Juliano, no dia 23 e Bruno & Marrone finalizando o evento, no dia 24. Na arena, o público vai conferir os desafios das provas dos três tambores e laço em dupla. A adrenalina toma conta do ambiente durante as disputas do Monster Energy PBR, etapa do principal campeonato de montaria em touros do mundo, organizado pela PBR (Professional Bull Riders). Os pontos conquistados pelos competidores durante o evento contam para o ranking mundial da modalidade.

O Rodeo Country Bulls

Considerada uma das três maiores festas de peão do país, o Country Bulls movimenta mais de R$ 2 milhões em negócios para a região de Rio Preto, além de fomentar o turismo. A solidariedade também é destaque no evento. Parte da renda adquirida com a venda de ingressos na primeira noite é dedicada para entidades assistenciais da cidade. Ao todo, são gerados aproximadamente 1500 empregos diretos e indiretos. 20ª edição do Rio Preto Rodeo Country Bulls De 20 a 24 de julho de 2016, no Recinto de Exposições de Rio Preto. www.countrybulls.com.br


35


AgroRodeio

TRÊS NOITES LO RODEO FESTIVAL

O

Jaci Rodeo Festival, que aconteceu de 30 de março a 02 de abril, foi sucesso de público, lotando as arquibancadas todas as noites. O evento que contou com montaria em touros, teve a assessoria da Top Bozo, empresa que cuida de toda parte organizacional dos competidores, locutores, juízes, das boiadas, entre outros. “Atuo há 20 anos no mercado cuidando dessa parte nos principais rodeios

36

da região, entre eles, Jaci, Bálsamo, Tanabi, Iacanga, Cafelândia, Campo Gerais entre outros” comenta Bozo, proprietário da Top Bozo. Além da Top Country Assessoria de Rodeio, que também cuidou dos sorteios e classificação das notas. “Trabalhamos com profissionais de qualidade para que não houvesse problema no evento e, que a população fosse presenteada com um evento per-

feito e foi o que aconteceu” comenta Valdiney Cunha, organizador do evento. Durante as três noites do rodeio, após as montarias, a arena ficou lotada ao som das duplas Victor & Matheus, Carreiro & Capataz, Kleo Dibah & Rafael, além da Boate Gandaia Sertaneja. O Rodeo contou com o apoio da Prefeitura, Câmara Municipal e a produção foi da G4 Produções.


Fotos: Leandro Gasparetti

TADAS NO JACI CLASSIFICAÇÃO DOS CINCO PRIMEIROS COLOCADOS: 1 – Jeferson Oliveira de Buritama-SP 2 – Claudney de Brito Vilas Boas de Nova Itapirema – SP 3 – André Máximo da Silva de Macaubal – SP 4 – Carlos Vinicius Bernardo da Silva de Anaurilândia – MS 5 – Amadeu Campos Silva de Altair - SP

37


AgroTecnologia

Foto: Divulgação

ADUBAÇÃO E IRRIGAÇÃO FAZEM CANA AUMENTAR PRODUTIVIDADE NO CERRADO

R

esultados preliminares de pesquisas realizadas pela Embrapa Cerrados – DF, em usinas do Brasil Central, mostram que práticas como a adubação fosfatada corretiva e o manejo da irrigação da cana-de-açúcar podem levar a aumentos de produtividade da cultura. Em experimentos nas usinas em áreas sob pastagem e de primeira reforma, cujos solos têm baixa disponibilidade de fósforo, mostrou aumentos na produtividade de colmos de até 18 t/ha por corte para a cana-planta e socas, além de aumentos proporcionais na

38

produtividade de açúcares. Em uma das usinas também foi verificado aumento de 10 t/ha a 20 t/ha nos rendimentos de colmos por corte, devido à adubação fosfatada anual de manutenção da soqueira, aplicada superficialmente sobre o palhiço. Outros experimentos demonstraram a possibilidade de substituição total da adubação fosfatada no sulco de plantio pela adubação a lanço com incorporação, prática que propiciou maiores produtividades em experimentos na Embrapa Cerrados em solo argiloso e na Destilaria Veredas em solo de textura média.

Os pesquisadores Thomaz Rein, líder dos estudos na Unidade, e Djalma Martinhão ressaltam que as práticas de adubação fosfatada corretiva e de manutenção ainda são pouco usadas na região: “As condições climáticas desfavoráveis (na região do Cerrado) e outros fatores que restringem o desenvolvimento e a produtividade da cultura, como ausência de irrigação de salvamento para a rebrota e colheita em final de safra, geram diminuição nas respostas ao fósforo e modos de aplicação do fertilizante”, finaliza Martinhão.


39


AgroModa

Foto: Divulgação e Paty Cowgirl

S

CHAPÉUS

e tem um acessório que eu sou completamente apaixonada, é o chapéu! Um acessório que não pode faltar para aumentar o charme e estilo country. Ele é aquele tipo de peça que consegue deixar, qualquer look mega estiloso e com personalidade, o chapéu é um dos mais antigos acessórios que acompanham a mulher. Ele serve para enfeitar a cabeça, mas também para protegê-la do frio e do sol, um item indispensável para uma cowgirl. É um ótimo aliado para deixar o visual mais interessante. Eu separei alguns estilos que eu amo e que acho super estiloso, olhem só:

Patricia Marchi

www.blogpatycowgirl.com.br

Chapéus feitos de palha, perfeitos para combinar com um look suuuuper verão ou até mesmo pra manter o estilo country. Floopy, esse chapéu é ícone da década de 70 e tem uma pegada total boho, a característica dele é ter a aba bem grande e caída, independente da cor, ele fica lindo combinado com um vestidinho ou até mesmo com um look mais invernal, já para uma cowgirl mais western, fashion. Sou apaixonada nesse estilo!

40 40


AgroEcologia

Fonte: Secretaria de Agricultura-SP

Secretaria de Agricultura reorganiza a Câmara de Produtos Florestais

A

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo reorganizou a Câmara Setorial de Produtos Florestais, com o objetivo de fortalecer o segmento, que perdeu espaço, frente a outros segmentos da agropecuária paulista. De acordo com o secretário geral das Câmaras Setoriais vinculadas à Secretaria de Agricultura, Alberto Pereira Gomes Amorim, a reorganização foi importante para estimular a participação da indústria de papel e celulose na Câmara Setorial. “É preciso trazê-los para perto, a discussão perde qualidade quando se fala somente com um segmento da cadeia”, destacou. Das trinta CS existentes, 23 estão ativas. Dentre elas, as de Trigo, Amendoim, Carne Bovina, Leite e Derivados, Produtos Florestais e Heveicultura são as mais ativas. Além deste, integram a Câmara Setorial, o grupo que trabalha

com madeira para produção de móveis, construção, desenvolvimento de estruturas, forração e revestimento, utilizando desde madeira maciça até processados, e os que lidam com a produção de celulose e resinas e madeiras para uso náutico. Com a realização da COP-21, em 2015, em Paris, outro aspecto, nem sempre ser levado em conta quando aferimos a relevância do setor, passou a ocupar lugar de destaque: a importância das florestas para o controle das mudanças climáticas. “É possível perceber seu significado no cálculo do valor da produção. Mas, existem outros serviços com a captura de carbono, a produção de água, a polinização das culturas, etc. que são imensuráveis e a natureza nos dá graciosamente”, ressaltou o pesquisador da Pasta, que atua no IEA, Eduardo Pires Castanho Filho. 41


AgroSocial

Fotos: Leandro Gasparetti

SOCIAL WESTERN

03

06

09

Por Leandro Gasparetti

www.LEANDROGASPARETTI.com.br

01 01

02

04

05

07

08

10

11

01 - Ivan C. Lopes Filho e Saulinho Junqueira 02 - Sérgio Expressão Presidente do Sindicato Rural de Rio Preto e Dr. Fábio Meirelles, Presidente da Faesp-Senar 03 - Nestor Leonel, José Faria e Cacá de Barretos 04 - Neto Garcia com Arnaldo Jardim, Secretário de Agricultura do Estado de SP 05 - Guilherme Ávila, Prefeito de Barretos, Dr. Fábio Meirelles - Faesp-Senar e Cyro Penna Junior, Presidente do Sindicato Rural de Barretos 06 - Os locutores Almir Cambra e Gerson TC 07 - Jorge Menezes, André Vieira e o Deputado Campos Machado 08 - Victor Ferrarezzi e Heitor Agreli 09 - Goiano, Enrique Moraes e Michel Wintoniak 10 - Luiz Gustavo Medeiros de Almeida e Maurilho Neves da Silva 11 - Gledson Reis e Marina Ramalho 42


12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

12 - Rafael Santos e Juliana Batista 13 - Os locutores Jonathan Barbosa, Delson Righetti e Danilo Barbosa 14 - Josiel Araújo e Adelino Silva 15 - Reinaldo Cunha, Eduardo Romanholli e João Victor Nascimento 16 - Gleydson Fonseca e Esnar Ribeiro 17 - Rafael Vilella e André Metzker 18 - A dupla Victor & Matheus 19 - Ricardo Sabino e Carlão Comentarista 20 - Pedro Nimer, o Duputado Campos Macho e Jair Moretti 21 - Bruno Henrique e Paulo Henrique 22 - Nelson Jacob Caminada, o comentarista Lalá e Tomás Fabro, Médico Veterinário 23 - Carlinhos Rene e Milton Domingues 24 - Flávia Scanferla e Jerryer Nunes 25 - A dupla Riopretense Tato & Junior 26 - Paulo Roberto Nunes Cassia, Gabriel Barbosa Ribeiro e Mario Augusto Frederico 43


Olá amigos, durante os trabalhos que realizei nos EUA tive a honra de fotografar um mega evento, o The American, o maior que fiz até o momento neste ano. Em todos trabalhos procuro me concentrar o máximo possível, mas neste evento acredito que consegui atingir um grau ainda maior de concentração e com isso saíram grandes imagens que foram amplamente divulgadas. Fiquei muito feliz com o resultado deste trabalho.

Espero levar a todos um pouco da emoção das arenas através das minhas lentes.

ANDRÉ SILVA

FOTOGRAFO OFICIAL DA PBR

WWW.ANDRESILVA.COM.BR

Mude o angulo, mas nunca mude seu foco! 44


45


AgroEmpresas

Guia de Empresas & Neg贸cios

46


47


48

Magazine AgroFest - Abril/Maio 2016  
Magazine AgroFest - Abril/Maio 2016  

Magazine AgroFest, Edição nº 12 - Abril / Maio 2016 | Distribuída em São José do Rio Preto/SP e mais 34 cidades da Região. http://www.magazi...

Advertisement