Ed 014_Jun Jul 20_Conteúdo Compartilhado

Page 1

EDIÇÃO #14 / JUN JUL / 2020

ARTIGOS

ENTREVISTAS

pessoas

A importância de ter profissionais certificados nas empresas Inovação e gestão

Como as metodologias híbridas de gestão e inovação podem ajudar a alavancar a economia e os negócios

gestão

Laércio Ávila: A importância do conselho de administração tecnologia

Donald Reis: Processos e tecnologia, o diferencial da Qualitor csc

Flávio Feltrin: O papel da ABSC no segmento de Serviços Compartilhados


IDEALIZAÇÃO Eden Paz CEO e Sócio Fundador ConsulPaz CGP Associates

COLABORAÇÃO Camila Bordon Sócia ConsulPaz CGP Associates Donald Reis Diretor de Negócios Qualitor Software Eden Paz CEO e Sócio Fundador ConsulPaz CGP Associates Flávio Feltrin Diretor Presidente Associação Brasileira de Serviços Compartilhados e Diretor Superintendente CSC Algar Laércio Ávila Conselheiro ConsulPaz CGP Associates

DIAGRAMAÇÃO E CRIAÇÃO Muriã Ferri Marketing e Comunicação - ConsulPaz CGP Associates

APOIO Grupo Braun


EDITORIAL Caros amigos e leitores,

Tenho o prazer de trazer para vocês mais uma edição da nossa revista Conteúdo Compartilhado, na qual procuramos sempre compartilhar temas de interesse e atuais. Neste cenário, em que as incertezas e o desconhecido continuam muito presentes, temos o prazer e a grata satisfação de comunicar, com o objetivo de sempre “PRIORIZARMOS A BUSCA DE OPORTUNIDADES E GANHOS” para os nossos clientes, que fizemos uma ação muito rápida e adequamos nossos serviços para uma “plataforma digital”. Em menos de 15 dias, disponibilizamos a nossa CONSULTORIA DIGITAL, a qual tem flexibilidade de atender nossos clientes nas mais diferentes plataformas de comunicação e integração. Neste cenário, nossas ferramentas de trabalho foram adaptadas para assegurar, que, mesmo remotamente, a qualidade dos nossos entregáveis fosse preservada e permitisse nossa atuação nos mesmos padrões, se não melhores do que antes. Com isso, pudemos retomar o projeto de Mapeamento de Processos e GMO junto à nossa cliente Usaflex, concluímos a entrega do nosso projeto junto à COFCO International e iniciamos um projeto de GMO para implantação de um novo ERP [SAP] junto à SLC Agrícola. Aproveito também para agradecer aos nossos novos parceiros editoriais, que passam a fazer parte desta edição, espaço antes restrito à ConsulPaz e suas associadas, mas que agora se abre para que estes parceiros possam divulgar seus trabalhos e oferecer serviços de qualidade para nossos leitores, podendo complementar nossas soluções e serviços. Agradeço a nossa equipe de Marketing e Comunicação que procura constantemente inovar e oferecer uma revista de leitura fácil e agradável, e aos articulistas e entrevistados, que sempre estão dispostos a compartilhar seu conhecimento e experiência, suas visões de negócio e de cenários, com nossos leitores. A ConsulPaz, através de seus sócios e equipes, continua firme na luta por uma rápida recuperação da nossa economia e reafirma seu compromisso de sempre atender às normas sanitárias vigentes, contribuindo para mitigar os riscos e ajudar nosso país a superar este momento. Espero que apreciem a leitura, Um abraço fraterno.

CEO e Sócio Fundador da ConsulPaz CGP Associates Membro do Conselho da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados


NESTA EDIÇÃO

06

ENTREVISTA

Donald Reis: Processos e tecnologia, o diferencial da Qualitor

06

ARTIGO

a importância de ter profissionais certificados nas empresas

06

ENTREVISTA

Laércio Ávila: A importância do conselho de administração

06

ARTIGO

Como as metodologias híbridas de Gestão e Inovação podem ajudar a alavancar a economia e os negócios

06

ENTREVISTA

Flávio Feltrin: O papel da ABSC no segmento de Serviços Compartilhados

4


A CONSULPAZ

24

CAPA: Novos rumos na ConsulPaz Saiba as mudanças que 2020 vem trazendo

40

54

Consultoria focada em Gestão Empresarial, especializada na identificação de cenários e relações nas empresas, com soluções e serviços inteligentes, práticas inovadoras e que entregam valor ao cliente. Priorizamos a busca de oportunidades e ganhos para nossos clientes, Gerando Valor, Reduzindo Custos e implantando Melhorias Eficientes e Contínuas.

Notícias destaque U4u – Usa For You: Onboarding do Projeto Usaflex Webinar: Como a inovação e a gestão integrada podem ajudar a economia e negócios.

#EventosConsulPaz

PORTO ALEGRE / RS (51) 3026 0070 SÃO PAULO / SP (11) 2348 5395 RIBEIRIÃO PRETO / SP (16) 3505 0804 ITAJAÍ / SC (47) 3349 7280

contato@consulpaz.com 0800 000 11 12 consulpaz.com 5


PESSOAS

Imagem: Freepik

A IMPORTÂNCIA DE TER PROFISSIONAIS CERTIFICADOS NAS EMPRESAS CONTEÚDO COMPARTILHADO

ARTIGO

6


A IMPORTÂNCIA DE TER PROFISSIONAIS CERTIFICADOS NAS EMPRESAS

Em um passado não muito distante, concluir um curso superior era suficiente para ter sucesso no mercado profissional. Hoje em dia, o mercado de trabalho está cada vez mais exigente em relação à qualificação dos profissionais; e por mais completas e atualizadas que sejam as grades curriculares das universidades, é praticamente impossível se manter atualizado acerca das melhores práticas do mercado profissional num mundo de EVOLUÇÃO constante. Por isso, continuar estudando e aprendendo é essencial, e obter uma certificação tornou-se um dos caminhos para quem deseja continuar a crescer e destacar-se no mercado de trabalho. Empresas têm procurado investir mais no desenvolvimento de suas pessoas, proporcionando especializações, certificações e vivências, a fim de aproveitar ao máximo o potencial de cada uma delas. Essa estratégia, além de proporcionar conhecimento mais aprofundado sobre determinado assunto e desenvolvimento de algumas “soft skills”, tem como efeito

CONTEÚDO COMPARTILHADO

indireto, deixar os colaboradores mais satisfeitos e engajados. As empresas que possuem certificações corporativas, e/ou incentivam e valorizam profissionais certificados, tendem a obter maior credibilidade no mercado, sendo na maioria das vezes melhores avaliadas por seus fornecedores e clientes. Mais do que isso, demonstram que de fato estão investindo na melhoria contínua, quanto à qualidade na prestação dos seus serviços, colocando a empresa em vantagem competitiva em relação aos concorrentes. A seguir, apresento alguns dos benefícios que podem ser obtidos nas mais diversas certificações.

1 MELHORIA NOS PROCESSOS, PRODUTOS E SERVIÇOS

Os novos conhecimentos adquiridos nas certificações, fazem com que o

7


A IMPORTÂNCIA DE TER PROFISSIONAIS CERTIFICADOS NAS EMPRESAS

profissional e a empresa saiam da “zona de conforto”, gerando assim melhorias na qualidade dos processos, produtos e na prestação de serviços.

Os processos passam a atender as expectativas do negócio, fornecedores e clientes, onde contribuem diretamente para e eficiência e eficácia do negócio.

Cultura de Melhoria, identificando e reduzindo os desperdícios dos processos, produtos ou serviços e entregando apenas o que agrega valor. A atividade de eliminar o retrabalho e tarefas de baixo valor agregado passa a fazer parte da Cultura da Empresa.

3

2

REDUÇÃO DE CUSTOS

REDUÇÃO DE DESPERDÍCIOS

A capacidade de otimizar os processos, produtos ou serviços, reduzindo “gargalos”, desperdícios, atrasos, retrabalhos, com implementações de padronizações e automações, geram mais resultados para a companhia.

O profissional qualificado, começa a desenvolver a Cultura de Melhoria Contínua, onde passa a pensar mais adiante, entendendo as situações sob diferentes pontos de vista, buscando novas soluções. Essas novas habilidades são “levadas” para o ambiente de trabalho, onde os demais colaboradores passam a se beneficiar indiretamente com a

CONTEÚDO COMPARTILHADO


A IMPORTÂNCIA DE TER PROFISSIONAIS CERTIFICADOS NAS EMPRESAS

A organização passa a oferecer maior qualidade aos seus fornecedores ou clientes por um custo reduzido. Por consequência, a organização consegue se posicionar melhor no mercado em relação aos seus concorrentes, além de aumentar a satisfação dos fornecedores e clientes.

4 AUMENTO DE PRODUTIVIDADE

A empresa ganha por ter colaboradores mais produtivos e que realizam mais tarefas em menos tempo. O profissional se sente estimulado ao ver os novos conhecimentos aplicados, gerando resultados de curto prazo e acaba motivando também toda a equipe.

5 MELHOR HABILIDADES ANALÍTICAS

O profissional certificado possui habilidades analíticas melhoradas, onde gera informações e conhecimentos a partir da análise de dados que nem sempre são óbvios. Ou seja, ele consegue organizar de forma lógica informações de diferentes origens com precisão, sendo capaz de resolver situações complexas e gerar resultados satisfatórios. As análises estatísticas realizadas contribuem para evitar desperdícios e maximizar a lucratividade no negócio.

9


A IMPORTÂNCIA DE TER PROFISSIONAIS CERTIFICADOS NAS EMPRESAS

Existem inúmeras certificações no mercado de trabalho, tais como: ISO, PMI, PSM, GMO, Six Sigma, dentre outras. Independente de qual seja a certificação, todas elas proporcionam benefícios que irão agregar valor à cadeia produtiva, auxiliar na tomada de decisões e alavancar o negócio, tornando-o mais eficiente e eficaz. Um outro benefício das certificações, que vale ressaltar, é o fato que ela proporciona a chance de conhecer muitas pessoas (Palestrantes, Professores, Doutores entre outros) que acabam se tornando meios de aprendizado e troca, mesmo após o término das certificações. Por isso, é uma ótima chance de realizar networking, permitindo o contato com pessoas que já estão inseridas no mercado de trabalho de seu interesse

ou de conhecer novos caminhos. Porém, destaco que o importante é assegurar que a certificação e a prática caminhem juntas. De nada vale uma certificação, se o contexto dela, não for “inserido” no dia-a-dia. Se os conhecimentos adquiridos não forem utilizados, consequentemente os benefícios não aparecerão. Para concluir, o principal deste artigo é demonstrar que toda e qualquer forma de aprendizado é fundamental para o sucesso de qualquer pessoa e de qualquer organização. Portanto, nunca pare de estudar, pesquisar; seja através da educação formal, seja através de cursos e vivências que possibilitem o constante desafiar de nossas capacidades.

Com Bacharelado em Administração de Empresas na FACEF – Faculdade Municipal de Franca e MBA Executivo Junior, na FGV – Fundação Getúlio Vargas, Camila é sócia ConsulPaz há cerca de um ano. Recentemente, certificou-se com sucesso em Lean Six Sigma Black Belt e, agora, passou a assumir a liderança da filial ConsulPaz em São Paulo.

Camila Bordon Sócia ConsulPaz

Saiba mais! Acesse o site da ConsulPaz pelo botão ou pelo QR Code



Home office agrada a maioria: como será a volta ao escritório? Como os funcionários de escritório e empresas têm se mantido firmes durante a crise do novo Coronavírus? E como eles sentem que a vida profissional mudará quando os locais de trabalho reabrirem? Entrevista com 800 profissionais no Brasil – realizada pela Robert Half

O lado positivo da pandemia 78% estão trabalhando em Home Office

49%

Meu equilíbrio entre trabalho e vida pessoal melhorou por não haver necessidade de deslocamento

10% Eu me aproximei dos colegas

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Fonte: Robert Half. Acesse.

67% Sei que é possível realizar o meu trabalho em casa

25% Estou mais confortável usando tecnologia

9%

Eu me aproximei do meu chefe

12


ANALISTAS E ESPECIALISTAS EM GESTÃO DA MUDANÇA Se você é um profissional proativo, perspicaz, resiliente, inovador e criativo, tem habilidade de análise de cenários, vivência em áreas de comunicação ou capacitação, facilidade em lidar com processos de mudanças e pessoas, está aberto a novas ideias e tem mobilidade, este é o seu momento!

EXPERIÊNCIAS DESEJÁVEIS: • • • • •

Participação na condução da. implementação de ações de GMO necessárias para migração ou implantação de sistemas, preferencialmente SAP e na Indústria e em implantação de CSC; Mapeamento de Stakeholders e desenvolvimento de Plano de Integração e Desenvolvimento de Equipes; Identificação de impactos organizacionais decorrentes das mudanças dos processos e apoio para elaboração dos Planos para mitigação; Elaboração de estratégias de comunicação, capacitação e engajamento das equipes; Mapeamento da prontidão organizacional e elaboração de estratégia de sustentação.

CANDIDATE-SE


I N O VA Ç Ã O

Imagem: Freepik

COMO AS METODOLOGIAS HÍBRIDAS DE GESTÃO E INOVAÇÃO PODEM AJUDAR A ALAVANCAR A ECONOMIA E OS NEGÓCIOS CONTEÚDO COMPARTILHADO

ARTIGO

14


COMO AS METODOLOGIAS HÍBRIDAS DE GESTÃO E INOVAÇÃO PODEM AJUDAR A ALAVANCAR A ECONOMIA E OS NEGÓCIOS

Para falar sobre este tema, é importante, de forma breve, relembrar um pouco de algumas das definições de Inovação e de Gestão Integrada. Inovação, de forma simplista, é tudo aquilo que transforma uma situação, um produto, um serviço, para atender a uma necessidade demandada por alguém. Se desejarmos explorar um pouco mais este conceito, podemos citar Clayton Christensen, professor da Harvard Business School, que define inovação como “uma mudança no processo pelo qual uma organização transforma trabalho, capital, materiais ou informações em produtos e serviços de maior valor. Essa definição nos ajuda a entender que, do ponto de vista do desenvolvimento econômico, existem basicamente três tipos de inovação: criadora de mercado, sustentada e eficiente” em seu livro Dilemas da Inovação. Já, Gestão integrada, nada mais é do que a integração de diversos sistemas e métodos de gestão com o objetivo de implementar políticas e atingir objetivos de forma mais eficaz e que

CONTEÚDO COMPARTILHADO

busca benefícios como: • Satisfação dos clientes, funcionários, fornecedores e investidores; • Criação e manutenção de padrões de qualidade; • Melhoria da qualidade dos produtos e serviços; • Economia de tempo e custos; • Fortalecimento da imagem da empresa; • Prevenção de falhas, etc.; • Mitigar riscos; • Melhorar processos. Ainda, em Gestão Integrada, trazemos mais um elemento que, em nossa experiência, é uma das premissas de sucesso, uma excelente Gestão por Processos implantada, que pode ser definida como: “... uma abordagem disciplinar para identificar, desenhar, executar, documentar, medir, monitorar, controlar e melhorar processos de negócio, ..., para alcançar resultados consistentes e alinhados com os objetivos estratégicos da organização”. Este conceito é amparado por outras disciplinas como gerenciamento da

15


COMO AS METODOLOGIAS HÍBRIDAS DE GESTÃO E INOVAÇÃO PODEM AJUDAR A ALAVANCAR A ECONOMIA E OS NEGÓCIOS

rotina, gerenciamento pelas diretrizes, OKR e outras, que permitirão alcançar os objetivos da Gestão Integrada. Daí a importância de pensar e otimizar os processos, para poder medir e comparar de forma adequada e simples e ainda assegurar que o desdobramento das metas e objetivos estratégicos sejam disseminados dentro das empresas. Mas não é suficiente relembrarmos estas definições, todas, sem exceção, assim como quase tudo, nos últimos, talvez 10 anos, estão sendo transformadas de forma acelerada e intensiva graças à Transformação Digital, que, também, resumidamente, pode ser definida como o meio pelo qual as empresas estão saindo do analógico para o digital, a forma como as empresas e as pessoas estão utilizando uma infinidade de recursos tecnológicos, sendo que alguns dos mais conhecidos e já utilizados são: • • • •

Inteligência artificial [IA]; Machine learning; Internet das coisas [IOT]; Automação de processos [dentre eles RPA, por exemplo].

Com todos estes recursos e soluções disponíveis, começamos a identificar alguns dos conceitos que vem sendo praticados pelo mercado, como por exemplo: jornada de compra do consumidor; customer success, estratégia omnichannel; experiência do usuário; marketing de conteúdo e automação de marketing, e que somente são aplicáveis devido à Inovação, Gestão Integrada e Transformação Digital. Portanto, com este alinhamento dos conceitos, passo a tentar responder à questão deste artigo, ou seja, como estes elementos podem ajudar a economia e os negócios e abaixo listo alguns dos motivos pelos quais eles devem ser praticados.


COMO AS METODOLOGIAS HÍBRIDAS DE GESTÃO E INOVAÇÃO PODEM AJUDAR A ALAVANCAR A ECONOMIA E OS NEGÓCIOS

Mas estes são apenas alguns dos motivos pelos quais a Inovação e a Gestão Integrada ajudam a economia e os negócios, cada segmento do mercado ou tipo de serviço [governo, privado ou terceiro setor] deve avaliar CONTEÚDO COMPARTILHADO

17


COMO AS METODOLOGIAS HÍBRIDAS DE GESTÃO E INOVAÇÃO PODEM AJUDAR A ALAVANCAR A ECONOMIA E OS NEGÓCIOS

suas características e adaptar estes conceitos para atenderem as suas necessidades. Outro ponto que destaco, é o cuidado que se deve ter com a simplificação generalizada e a utilização de soluções, sem levar em consideração os pontos abordados acima, os conceitos citados possuem vasta literatura e que devem, no mínimo, ser levados em consideração antes de embarcar em qualquer tipo de “inovação” e ou “transformação digital”.

cultura, entender como os processos entregam seus produtos e soluções, considerar os diferenciais competitivos, as dores e necessidades de seu mercado e cliente, será fundamental para o êxito da aplicação destes conceitos e ferramentas.

É de bom senso utilizar e aplicar as novas metodologias ágeis e as ferramentas e/ou soluções disponíveis no mercado, porém, considerar as características do negócio e da

Mais de 30 anos de experiência profissional, iniciou a carreira na área de RH. Nos últimos 16 anos vem atuando diretamente em projetos e implantações de CSC, sendo os últimos 5 à frente da ConsulPaz, desenvolvendo e liderando projetos e iniciativas relacionadas a Serviços Compartilhados, Processos, Gestão e Negócios. Também é membro Conselho da ABSC, além de atuar como palestrante em diversos eventos.

Eden Paz

CEO e Sócio Fundador ConsulPaz

Saiba mais! Acesse o site da ConsulPaz pelo botão ou pelo QR Code


19


Saiba o que o seu negócio precisa!

Com o auxílio dos nossos serviços, alternativas poderão ser analisadas em conjunto e medidas poderão ser tomadas para o atendimento das necessidades do seu negócio.


Home office agrada a maioria: como será a volta ao escritório? Como os funcionários de escritório e empresas têm se mantido firmes durante a crise do novo Coronavírus? E como eles sentem que a vida profissional mudará quando os locais de trabalho reabrirem?

Planejamento de carreira

74% estão preocupados com a perda de seus empregos (28% estão 'muito preocupados' e 46% estão 'um pouco preocupados’).

35%

26%

20%

19%

Estou reavaliando meu equilíbrio entre vida profissional e pessoal e considerando possíveis novas opções de carreira

Como os impactos da pandemia são contínuos, as condições econômicas podem me impedir de mudar de carreira (mesmo que eu queira) CONTEÚDO COMPARTILHADO

Fonte: Robert Half. Acesse.

Estou feliz com minha carreira atual

Estou ativamente procurando uma nova carreira / cargo

21


C A PA

O ano de 2020 tem sido, além de desafiador, um ano importante para nos conhecermos melhor, pensarmos em novas ideias, estratégias e nos reinventarmos. Sempre buscamos estar conectados com o novo, trazendo cada vez mais propostas criativas para o nosso dia-a-dia de trabalho, resultando em grandes conquistas para nossos clientes. Mas, para que esse momento de reinvenção seja possível, é preciso olharmos para dentro de casa e contarmos com a expertise de todas as nossas pessoas, para construímos um caminho de sucesso. Portanto, esse momento está trazendo novos rumos na ConsulPaz. Muitas novidades para que possamos alcançar cada vez mais excelência em nosso negócio. 22


C A PA

O mês de Setembro traz mais uma grande novidade para a ConsulPaz: uma nova sede em Porto Alegre. A nova sede própria da ConsulPaz está recebendo seus retoques finais para em breve podermos receber nossos clientes e parceiros. Localizada no bairro Independência, em Porto Alegre, a nova sede está situada em um edifício extremamente bem localizado, próximo a diversos estabelecimentos da capital gaúcha. Além disso, a unidade conta com um excelente auditório e salas flexíveis para reuniões.

23


C A PA

Convidamos você para, em breve, visitar a nossa sede para discutirmos as melhores soluções para o seu negócio.*

Av. Independência, 925 - sala 1109 Bairro Independência - Porto Alegre / RS 24 *Lembre-se de que todas as visitas devem respeitar as normas de segurança e saúde, estabelecidas para evitar a proliferação do covid-19.


E N T R E V I S TA

GESTÃO

LAÉRCIO ÁVILA: A IMPORTÂNCIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Muitas surpresas ainda serão reveladas nos novos rumos da ConsulPaz. Sempre em busca de evoluirmos e nos conectarmos com boas práticas de diversos profissionais e empresas, recentemente apresentamos um de nossos mais novos Conselheiros: Laércio Ávila. Com sua expertise e competência, Laércio passou a integrar o time da ConsulPaz contribuindo para mantermos nosso direcionamento estratégico e nosso constante desenvolvimento.

Mas, você conhece o Laércio? Laércio Ávila é Diretor de Estratégia CONTEÚDO COMPARTILHADO

e Inovação, Presidente do Conselho da

ABSC (Associação Brasileira de Serviços Compartilhados) e exPresidente do Grupo Coopera+ de CSCs. Administrador de Empresas pela PUC Goiás, possui pós-MBA em Inteligência Empresarial pela FGV e pós-graduado em Negócios e Marketing pela Faculdade Ávila. Laércio também é especialista em Gestão Estratégica, em Governança para Nova Economia, Gestão por processo, Gestão da Inovação, Gestão de Centro de Serviços Compartilhados, Gestão de Riscos, Gestão Orçamentária, Gestão Ágil de Projetos e mentor de StartUps. Possui experiência em Consultoria Empresarial e implantação de projetos de alta complexidade e também atua como Professor de pósgraduação. 25


Clairton – Ficamos sabendo da sua chegada na ConsulPaz para ser um dos conselheiros, como você está encarando este convite? Com muito orgulho, para mim é muito gratificante ter recebido o convite, até porque eu sou um grande admirador do Eden como pessoa, como profissional, e sempre admirei o trabalho da ConsulPaz, verdade que um pouco mais de longe, mas eu e o Eden temos uma parceria, eu diria de longa data, através da ABSC, o que acabou nos aproximando e permitiu que através das nossas diferenças pudéssemos completar nossas competências, e que bom que cada um é diferente. A gente se completou na ABSC e acaba sendo natural, assim imagino, essa nova parceria mais próxima, de maneira a buscar contribuir com a evolução da ConsulPaz. Para mim, também é um processo de aprendizado, então este é um dos motivos de aceitar esse convite, de poder aprender, poder compartilhar, poder evoluir, poder enfrentar novos desafios e continuar a minha missão junto com os outros papéis que eu já executo e , também, poder contribuir CONTEÚDO COMPARTILHADO

com a ConsulPaz, ou seja, eu diria que encarei isso como um convite muito honroso. Clairton - Eden, como você avalia a importância de trazer uma pessoa de fora da organização, com as qualificações que o Laércio tem, e o como você avalia o impacto no dia a dia da ConsulPaz e também frente aos demais sócios? Eden – Primeiro, acredito que seja importante dizer que quando vamos procurar alguém para nos apoiar no conselho de administração, procuramos olhar as qualidades, aquilo que a pessoa pode contribuir, a integridade dessa pessoa, enfim várias características que possam vir a somar. Como o Laércio já bem relatou, tivemos uma parceria na direção da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados, que foi onde nós acabamos nos aproximando ainda mais, estivemos juntos na direção da entidade durante um tempo e lá tivemos a oportunidade interagir e obter muitos resultados, mesmo com todas as dificuldades que uma entidade de classe apresenta, nesses momentos de dificuldade é que 26


conhecemos os valores, a integridade das pessoas, e foi lá que eu aprendi a respeitar ainda mais o profissional Laércio, e percebi que a atitude dele poderia nos ajudar na ConsulPaz dentro daquilo que é papel de um conselho. E qual seria a missão de um conselho? Nos ajudar a proteger, a valorizar o patrimônio da ConsulPaz, ajudar a construir frente ao nosso propósito, uma jornada sustentável, duradora, longa e de sucesso.

com essas características na jornada da ConsulPaz. Clairton – Laércio, na sua visão, qual o seu principal papel neste novo desafio?

Então, quando apresentamos o nome do Laércio para assembleia de sócios, ele foi prontamente aceito, até porque vários dos sócios já o conheciam, já haviam interagido com ele e sabiam das possibilidades de contribuições, resumindo, quando você me pergunta o motivo de convidar o Laércio, foi justamente por conhecer essas características pessoais dele e as competências profissionais, esperamos poder contar

Como já conversamos em outras oportunidades, sou uma pessoa que tenta não fazer as coisas ao acaso, então, eu diria que aceitar esse convite, por mais que tenha sido uma surpresa positiva, para mim é algo que já vinha sendo pensado, estava alinhado à minha estratégia pessoal, e presente em um dos principais pilares sob os qual eu coloco meu foco, que é a gestão estratégica. Inclusive, eu já tinha declarado no meu mapa estratégico pessoal a meta de atuar em conselhos de administração, por entender que é uma maneira de você pensar na camada mais estratégica possível das

CONTEÚDO COMPARTILHADO

27


organizações, de ampliar sua visão sistêmica e multidisciplinar, realizando um papel relevante, além de outras funções que você já ocupa, sem puxar a questão operacional que acaba impossibilitando com que você escale a sua atuação, tudo isso eu havia declarado para mim. Eu não sabia especificamente que iria atuar com a ConsulPaz, mas como já havia colocado essas possibilidades na minha estratégia pessoal, quando conversamos e o Eden comentou da jornada que a ConsulPaz estava buscando percorrer, eu percebi que havia muita sinergia, então isso veio como um passo natural da caminhada que eu havia traçado, e que se conectou com a caminhada que a ConsulPaz também estava buscando.

Quando decidi trilhar esse caminho, estabeleci que gostaria de atuar como conselheiro, mas não conselheiro da velha economia, um conselheiro tradicional. Em função disso, busquei uma atuação voltada para a nova economia, a economia do pensamento compartilhado, além do pensamento escalável e exponencial, que acontecem por meio da validação estruturada e da Inovação. Inclusive, iniciei uma formação que o Eden fez comigo, para conselheiros para Nova Economia e isso também veio de maneira sinérgica ao desafio da ConsulPaz. Eu diria que um dos grandes desafios de quem recebe um conselho, de quem estrutura um conselho, como a ConsulPaz fez, e de uma maneira muito organizada, inclusive até me surpreendeu positivamente, como já comentei com o Eden, esse alguém precisa ter uma qualidade muito específica no meu entendimento, que é a humildade! Você precisa ser humilde para poder aceitar uma pessoa de fora, vinda de fora do seu contexto, de fora do seu negócio, abrindo espaço para que essa pessoa coloque as opiniões e

CONTEÚDO COMPARTILHADO

28


suas ideias. Já, quem vem de fora, precisa ter muito cuidado de como vai se colocar nesse espaço que é concedido, porque é muito fácil você chegar apenas para dar sua opinião, ou mesmo colocar defeito, é preciso ocupar esse espaço concedido com bastante respeito e com muito cuidado. E isso que eu tenho buscado fazer, ajudar as organizações. Hoje sou conselheiro de outras empresas também, de startups inclusive, de modo a apontar oportunidades e não somente problemas, mas também apontar caminhos. Entendo que o papel do conselheiro que verdadeiramente gera valor, passa por apontar caminhos, por apontar possíveis saídas ou conduzir as discussões para que as saídas possam ser possíveis.

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Eden - Posso dizer que nesse curto espaço de tempo já pudemos identificar oportunidades e conseguimos, rapidamente, trazer algumas respostas, que demostram a abertura da ConsulPaz, que apesar de ter uma governança muito bem escrita, como o Laércio comentou, traduzir isso para prática, para o diaa-dia, é o grande desafio. Eu acredito que a contribuição que o Laércio vem trazendo é justamente esta, a de nos provocar para a nova economia, de trazer esse espírito para a ConsulPaz e começar provocar toda a estrutura, de fazer toda a nossa empresa pensar diante daquilo que nós mesmos já temos estruturado, mas que às vezes praticamos pouco. Acredito que a ConsulPaz já tenha um ganho imediato, assim de curtíssimo prazo com essa provocação, justamente pela abertura que temos.

29


Clairton – Como você vê a nova economia, as conexões decorrentes dela, a integração de diversas soluções e transformando tudo isso em uma ação efetiva para atender o cliente? Eden – Primeiro, é um desafio. Nós, até o ano passado, antes de qualquer cenário de pandemia, você que está conosco já há três anos acompanhou um pouco, chegamos a pensar em um ecossistema, onde poderíamos junto com outras empresas, complementar o nosso portfólio de produtos e serviços, e, também, ajudar ainda mais as empresas, sem ficar uma estrutura grande, inchada e mais cara. Esta proposta acabou não decolando, mas fica um bom aprendizado. Eu penso que o grande desafio é como conseguiremos olhar para estas oportunidades e ver onde nos conectamos e, também, aquilo que podemos transformar. Não vejo como algo simples, mas vejo como uma grande oportunidade para a ConsulPaz olhar para este novo modelo, para essa nova economia e esse novo mercado com novas oportunidades, buscando encontrar CONTEÚDO COMPARTILHADO

qual será, diante das várias possibilidades, a melhor alternativa. O convite ao Laércio passa por esse contexto. Ele ter aceitado o desafio nos possibilita contar com essa visão mais de inovação, também uma visão empreendedora que ele tem e que pode nos ajudar no processo de transformação, nesta jornada que a gente também vem passando, por que não é só mudar a consultoria para um formato digital, isso não garante uma prontidão para nova economia, isso é uma adaptação frente a uma necessidade. Nós precisamos de fato fazer esta transformação. Como este é um exercício que a gente já começou internamente, que foi potencializado depois das provocações trazidas pelo novo conselho, fazer isso e não tem sido do exercício simples, penso que é um desafio e ao mesmo tempo uma grande oportunidade. Clairton – Laércio, como você vê este novo momento das empresas, de se conectarem e também, você comentou que está atuando em outros conselhos, como você 30


analisa esse momento da nossa economia, desses novos negócios? Eu vejo esse momento com muitos desafios, como o Eden também disse, e repito também as palavras dele: com muitas oportunidades. Talvez até com mais oportunidade do que desafios. Escrevi recentemente um artigo baseado em um livro cujo título é “O obstáculo é o caminho”, e que fala quando enfrentamos obstáculos muito grandes, nós também temos oportunidades muito grandes. Neste momento, estamos enfrentando um obstáculo enorme, a pandemia, que potencializa uma crise sistêmica, mas também temos a oportunidade, e talvez um momento histórico inédito de promover transformações improváveis, ou mesmo impossíveis, em um ambiente mais estável. Hoje, o cenário está aberto, todo mundo está mais complacente, você pode, inclusive, errar mais, porque está todo mundo reaprendendo como enfrentar esse momento de transformação. Neste sentido, as organizações que conseguirem gerar valor nesse ambiente mais volátil poderão também se posicionarem de maneira a saírem mais competitivas no futuro.

Mas não seria o ambiente que está tirando competitividade das empresas? Se só pensarmos no obstáculo sim, mas se encararmos o caminho de modo a buscarmos saídas ou soluções, ao invés do imobilismo, então o caminho passa a nos conduzir para um novo futuro de oportunidades.


Ou seja, como podemos entender as reais necessidades das pessoas e das organizações, até porque as organizações são feitas por pessoas e buscar entregar valor de maneira a potencializar ou mesmo transformar a proposta que você sempre entregou. No caso de uma empresa de consultoria, como utilizar a tecnologia de modo alavancar esse e outros negócios? Embora não seja algo trivial, é algo possível nesse novo cenário, para não dizer necessário. As organizações que fingirem que nada está acontecendo vão ser atropeladas pelo momento. Nesse contexto vejo, também, oportunidade para integração de organizações de base tecnológica com outras de foco em negócio, como a ConsulPaz. Ou seja, organizações que possuem DNAs diferentes podem se unir para criarem um modelo ainda mais poderoso, ainda mais atual. Clairton - Realmente, vocês dois apontaram a questão do humano. Eu sempre falo isso em marketing, sobre não vendermos de máquina para máquina, mas de Ser Humano para Ser Humano. As organizações são os caminhos de conexão e, independente do negócio que você

tiver, existe necessidade humana em cima daquele negócio. Muitas vezes, as pessoas esquecem isso e acham que o digital hoje é a única coisa que existe, mas não, o digital foi criado para Seres Humanos, por isso que são redes sociais, para socializar pessoas. Eden, como você vê, para os próximos meses, os negócios da ConsulPaz, os conselheiros, sócios, decisões tomadas e o novo rumo da empresa? Eden - Vendo a sua pergunta eu estava me recordando daquele batepapo que tivemos no BraunCast, no final do ano passado, aonde falávamos das expectativas, então positivas e otimistas para 2020, muito em função dos dados macros e microeconômicos que o mercado nos apresentava e nos acenava como positivos para 2020, o cenário atual que nos encontramos é bem diferente, com toda essa pandemia, impactando a economia. Vai parecer que eu sou otimista por natureza, e sou mesmo. E diria o seguinte: falando especificamente da ConsulPaz, depois que rapidamente nos adaptamos para esse momento digital aonde a


gente começou a atender, com a mesma qualidade, com a mesma resposta e, às vezes, até mais rápido eu começo a perceber o começo de uma retomada e de sinais muito positivos do mercado, mesmo nesse período de pandemia fechamos contratos importantes, continuamos tocando projetos estratégicos e, portanto, acredito que a ConsulPaz terá uma retomada do mercado muito positiva. Em relação ao conselho, o que a gente espera é que nos próximos meses, nos próximos anos, essa parceria possa se fortalecer cada vez mais, que a gente possa aprender e trocar cada vez mais com o nosso conselho, com o Laércio, enfim, e que a gente possa, dos dois lados se beneficiar. Como Laércio mesmo disse, está sendo um aprendizado para ele, e não tenho dúvida de que também é um aprendizado e uma grande contribuição para ConsulPaz, então, tenho certeza de que vamos conseguir trilhar um caminho, uma jornada bastante positiva frente ao conselho. Olhando mais à frente, nosso desafio será de posicionar a ConsulPaz CONTEÚDO COMPARTILHADO

diante da nova economia, como é que nós vamos estar frente a esta nova necessidade do mercado, e mais do que necessidade, dessas oportunidades que estão surgindo. Clairton – Laércio, acho que o Eden apontou muita coisa boa para o futuro e como é que você está encarando esses novos negócios? Qual, na sua perspectiva, será a evolução dessa nova economia para os próximos meses? Eu estou encarando com empolgação, eu sou considerado uma pessoa meio pragmática pela minha família, e eu tenho buscado, assim como foi ensinado pela minha mãe, ver o lado positivo das coisas. A minha mãe é psicóloga e ela me ensinou a olhar o copo meio cheio e meio vazio, e o tempo de home office tem sido um tempo interessante, um tempo em que eu tenho conseguido ser mais produtivo, conviver mais com os meus filhos e, assim como eu estou tendo essa oportunidade, eu reforço que as organizações também estão com muitas oportunidades na mesa.

A sociedade está aberta à mudança à 33


quebra de paradigmas, vamos usar isso para potencializar a geração de valor, vamos usar isso para melhorar nossa proposta de valor enquanto organização, entender quais são as reais necessidades, quais são os reais problemas e buscar criar caminhos que ajudem as pessoas e a sociedade a amenizarem esses problemas. Reforço que a tecnologia está sendo uma grande alavanca como meio. Temos, hoje, tecnologias que já estavam disponíveis, mas que não utilizávamos em função de alguns paradigmas. São exemplos: a vídeo conferência e Home Office que hoje são uma realidade, e para mim uma realidade que veio para ficar. As organizações precisam se adaptar e transformar essas possibilidades em alavanca de valor. Sendo assim, vejo com empolgação e como oportunidade de aprendizado, diante da possibilidade de atuar em vários lugares ao mesmo tempo. Por exemplo, estou em Goiânia e posso ajudar a ConsulPaz que tem sede em Porto Alegre, posso aprender com isso. Na realidade, as fronteiras já não existiam antes e CONTEÚDO COMPARTILHADO

agora menos ainda. Estamos vivenciando um marco na mudança de paradigma da humanidade, vamos usar isso ao nosso favor ao invés de ficar reclamando e sofrendo. Clairton - Para finalizarmos esta entrevista, pergunto ao Eden, o que a ConsulPaz busca nessas melhorias e o que que você deixa de mensagem para o empreendedor que tá nesse momento com muitas dúvidas e pensando no que fazer com seu negócio? Eden - A ConsulPaz busca continuar cada vez mais crescendo, se desenvolvendo, melhorando as suas entregas, com rapidez e qualidade, enfim, olhando para o mundo corporativo por meio da nossa visão.

Eu também lembro de uma conversa que tivemos no início deste ano, no início desta situação de pandemia, onde eu já dizia e eu volto a repetir para quem é empreendedor: Não espere a situação passar, não deixe para depois. O Laércio comentou anteriormente algo sobre aquelas empresas que não fizerem nada e que serão engolidas. Vão ser mesmo! 34


Então eu penso que o pequeno empreendedor, por mais difícil que seja a situação do caixa, ele não deve parar, não deve deixar de buscar alternativas, procurar se aproximar de outras empresas, de outros negócios que possam ser complementares. Sendo assim, a mensagem final que eu deixo é

Como mensagem final, uma vez que esta matéria também será a de inauguração do Podcast da ConsulPaz, e considerando também um pouco do que o Laércio trouxe no início da sua apresentação, acredito que é importante a gente agradecer sempre e eu gostaria muito de agradecer algumas pessoas que permitiram que a ConsulPaz chegasse até aqui, e obviamente que a família é fundamental.

Gostaria de começar agradecendo ao meu pai, mesmo ele já não estando presente fisicamente com a gente, mas não tenho dúvida que carrego muito do aprendizado que tive com ele e que ele estaria aí torcendo, vibrando e apoiando. Em especial, queria agradecer a duas mulheres, a minha mãe e a minha esposa, a dona Dora e a Juliana, que desde o início apoiaram e incentivaram a decisão de criar ConsulPaz e que tem sido meu alicerce, meus pilares para o andamento e crescimento. Também não posso deixar de falar dos meus filhos que acabam, às vezes, agora no Home Office tirando até um pouco mais de proveito, mas que nos cinco anos anteriores, o pai bastante ausente em viagens e tal, e eles acreditando e aos sócios que acreditaram na ConsulPaz, a cada um deles com seu papel em específico, e que permitiram que a gente viesse até aqui, que a gente tivesse a nossa revista, que agora a gente esteja lançando nosso PodCast, que a gente tem o nosso canal no YouTube e que a gente possa através deles continuar gerando todo esse conteúdo. Eu acredito ser muito importante

CONTEÚDO COMPARTILHADO


agradecer a todas estas pessoas, agradecer aos nossos parceiros, por exemplo, o Clairton do Grupo Braun que esta mediando esta entrevista e que está conosco há três anos e tem sido fundamental para nos ajudar nessa jornada, ao Laércio, que apesar ser novo como conselheiro, mas ele tem sido um parceiro informal já há algum tempo, e também agradecer a uma pessoa que não está formalmente mais conosco, mas foi o nosso primeiro conselheiro, o Inácio Fritsch, que nos ajudou na construção dos alicerces da empresa. Então, penso como mensagem final, deixo um agradecimento a todas essas pessoas que têm contribuído para história da ConsulPaz.

Clairton - Laércio qual mensagem você deixa para quem está empreendendo, para quem está no mundo dos negócios e também para encarar esse novo momento que estamos passando?

Tenham sempre um pensamento para o futuro, um olhar de busca de soluções, colocando as pessoas sempre no centro dessa busca, valorizando sempre mais as pessoas do que as coisas, para que esse futuro possa ser um futuro feliz, pois acho que a coisa mais triste do mundo deve ser você ter tudo material e não ter ninguém ao seu lado para comemorar, para compartilhar, isso deve ser muito triste.

Então, não se esqueçam das pessoas que estiveram ao seu lado, assim como o Eden valorizou todas as pessoas que ele lembrou aqui. Que os empreendedores foquem no resultado, na geração de valor, no EBITDA generoso, exponencial, mas

Eu queria deixar a mensagem para esses empreendedores e para todo mundo que faz parte de alguma de alguma organização, de que

CONTEÚDO COMPARTILHADO

36


Clique aqui e acesse

LAÉRCIO ÁVILA Conselheiro ConsulPaz

“Muito obrigado Clairton, muito obrigado Eden pelas oportunidades a mim concedidas, por esse batepapo aqui de hoje, pela oportunidade de aprender, de trocar experiências e de evoluir junto com vocês”. CONTEÚDO COMPARTILHADO

Ou escaneie o QR Code



Home office agrada a maioria: como será a volta ao escritório? Como os funcionários de escritório e empresas têm se mantido firmes durante a crise do novo Coronavírus? E como eles sentem que a vida profissional mudará quando os locais de trabalho reabrirem?

Protocolo de negócios em um mundo pós-pandemia

77% 64% 62% 72% 58% 52% planejam agendar menos reuniões presenciais

Vão repensar o ‘aperto de mãos’ nas relações de negócios

Vão reconsiderar participar de eventos de negócios

Acham que haverá menos atividades sociais e de engajamento dos times no formato presencial

Passarão menos tempo em áreas comuns do escritório

Vão reconsiderar viajar a negócio

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Fonte: Robert Half. Acesse.

39


E N T R E V I S TA

TECNOLOGIA

DONALD REIS: PROCESSOS E TECNOLOGIA, O DIFERENCIAL DA QUALITOR Eden – Donald, fale um pouco sobre a sua empresa e sua experiência, antes de abordarmos os temas de tecnologia, transformação digital e CSC’s. Para aqueles que ainda não me conhecem, meu nome é Donald Reis, sou um dos sócios e fundadores da Qualitor. Nossa empresa tem cerca de 18 anos de mercado e é uma plataforma de software focada na gestão de serviços. Foi criada como spin-off de outra companhia, cuja atuação também dá foco aos serviços e da qual também sou sócio: a Constat. A Qualitor nasceu para prover, inicialmente, abertura de chamados para processos de qualidade, mas

CONTEÚDO COMPARTILHADO

logo vimos a oportunidade de migrarmos para atividades de help desk na parte de TI, especificamente falando, service desk. Com o andamento da tecnologia, acabamos evoluindo nossas percepções de mercado, e também conhecendo a ConsulPaz, o que nos levou a reconhecer que nosso produto tinha muita aderência junto a processos de negócio e, automaticamente, às empresas que estavam implantando ou que já tinham implantado Centros de Serviços Compartilhados.

Ao longo ou em paralelo a essa história, sempre nos caracterizamos como uma empresa que todos os anos atualizava suas versões. Com a mudança da tecnologia, acabamos migrando, então, para a nuvem, que hoje é a nossa plataforma de atuação - o modelo Saas.

40


Salientando um pouco mais a apresentação da Qualitor, acho importante destacar que nossa gestão foi desde sempre pautada na especialização e valorização dos recursos humanos, entendendo que somos uma organização formada por e para pessoas, o que fez de nós uma empresa Great Place To Work. Em relação a nossos mercados de atuação, assim como a ConsulPaz, atendemos a alguns dos protagonistas em segmentos como da Educação, Saúde, Indústria de Serviços e Economia Digital. Acredito que este seja um bom resumo – muito breve - da história da Qualitor. Em relação à minha formação, fiz Administração de Empresas em São Paulo, na Mackenzie, e, mais tarde, complementei meus estudos na Fundação Dom Cabral. Clairton – Donald, como essas novas tecnologias, automação, transformação digital, tem ajudado os negócios hoje no Brasil, América Latina e no mundo? Proponho a seguinte reflexão: se tudo isso que nós estamos vivendo tivesse acontecido há pelo menos vinte anos, CONTEÚDO COMPARTILHADO

estaríamos em uma situação muito mais difícil do que a que estamos enfrentando. Então, já começo te respondendo que, graças às tecnologias hoje disponíveis, estamos conseguindo, de certa forma, amenizar todos os problemas. Se analisarmos a maior crise que estamos vivendo, inicialmente a crise da Saúde, veremos que já é passível contorná-la, ainda que em parte, por meio da tecnologia, que permite ao menos a realização de alguns atendimentos remotos. No campo empresarial, podemos usar as consultas remotas, chamar as empresas que precisarmos via chat, redes sociais ou plataformas que possuem chats acoplados. A tecnologia possibilitou que, mesmo em meio a uma crise épica, as organizações se movimentassem. O fato de nós termos, hoje, uma operação, uma tecnologia disponível em nuvem, ajudou muito a maioria das empresas. Por outro lado, quando se fala em Transformação Digital, eu sempre achei essa posição um tanto difusa: é claro que para alguns será, de fato, uma transformação no sentido de digitalização, mas a verdade 41


é que não estamos presenciando nada realmente novo, e sim tratando com tecnologias que já existem há muitos anos. Se a gente analisar que a IBM é uma empresa de mais de cem anos, o que vem acontecendo agora, neste exato momento, é uma “aceleração digital”, na qual a grande contribuição que estamos dando já está disponível. Assim, podemos pegar frameworks como Teams, da Microsoft, as acelerações dos “bots” - porque tecnologia de “bot” já estava disponível, mas está sendo mais empregada em termos de volumetria,, os RPAs... Em vários eventos de que nós participamos, inclusive junto com a ConsulPaz, seja na parceria do Eden, seja na Associação Brasileira de Shared Services (Associação Brasileira de Serviços compartilhados – ABSC) ou em outras ocasiões ligadas ao negócio e a TI, sempre analisávamos as vantagens e o retorno de investimento que essas tecnologias dariam, ou dão. O fato é que talvez o ponto a ser pensado agora é o que eu chamo de “ROI empático”, porque todas as

tecnologias são voltadas a automatizar os processos da empresa fazendo com que esta tenha uma maior excelência em seu Core Business Mas também, com a mudança que nós tivemos com o impacto da pandemia da Covid-19, eu já começo a analisar com mais calma questão da empatia em relação ao tempo que o nosso cliente está tendo para ser atendido e transmitir a ele, além da questão de uma boa jornada, uma confiança suficiente, ou seja, uma relação satisfatória no pós-venda, no atendimento, o “follow up” adequado, sério, uma proposta de lealdade, de fidelidade. Com isso, a gente consegue acompanhar a fortíssima mudança de comportamento que, nesse momento, estamos sendo obrigados a aprender. Clairton - Mas a questão de automação que você falou acho que, para mim, é primordial, porque a demanda aumentou de uma forma que não existe fator humano para isso. Então é nesse momento que 42


empresas como a Qualitor, a ConsulPaz como organização, entram, pois senão, com uma demanda tão grande, retraída e constante, além de promissora, um atendimento demorado traz prejuízo. Se você não atender nesse dia, esse cliente vai te descartar em 30 segundos, estou correto? Está tão correto que eu vou até aprofundar o grau de dificuldade, ou seja, o nível da régua está subindo. Se tu olhares os modelos de negócios de empresas consideradas até pouco tempo atrás tradicionais, estão mudando. Por exemplo: eu vi um programa de desenvolvimento de pós-graduação executivo na área de saúde, direcionado à área de tecnologia, então tecnologia serão empresas que anteriormente eram consideradas tradicionais. Todas as empresas podem ser consideradas de tecnologia. É capaz de os próximos concorrentes da ConsulPaz e da Qualitor não serem os atuais, nem as startups que estão vindo (os chamados entrantes), mas sim negócios tradicionais que se transformaram. Não quero citar CONTEÚDO COMPARTILHADO

nomes, mas eu te diria que teremos concorrentes da área de saúde que se tornaram consultorias de software, teremos players da área de metalurgia. Isto porque, anteriormente, a tecnologia era tratada como um “silo” dos negócios. Agora, não. Hoje, a tecnologia tem que fazer parte do todo, integrar a empresa como parte nativa dela.

Eden – Donald, podemos dizer, então, que a partir desta visão, deste posicionamento de que todas as empresas serão consideradas de tecnologia, que é a forma como a gestão e a tecnologia passaram a se integrar, para contribuir e na verdade conviver nesta nova economia?

43


Eu concordo totalmente. Sabe que

Então, eu não vejo outra forma a não ser uma economia compartilhada, e, muito importante: é o que está forçando as áreas de educação corporativa. Porque como todos vão se digitalizar e o ambiente, até segunda ordem, será Field Service e Home Office, as empresas terão uma obrigatoriedade, uma preocupação diferenciada sobre como manter seus quadros totalmente educados, atualizados para ser mais preciso. E essa demanda já está fazendo com que instituições de ensino e companhias focadas em educação corporativa, se adaptem. Há todo aquele “armário” que eu chamo de CONTEÚDO COMPARTILHADO

e-learning”, e dentro desse armário tem uma série de compartimentos, que são “e-books”, “microlearning”. São situações focadas em manter a atenção das pessoas por meio do autoaprendizado ou do ensino, que vão ser fundamentais para que se consiga acelerar também o processo de preparação de novos profissionais para o mercado, porque na área de Tecnologia da Informação a carência de recursos humanos está enorme – e crescente, inclusive. Eden - Você já comentou, no início da nossa conversa, sobre um pouco da atuação e de algumas soluções da própria Qualitor, mas eu sei que vocês vêm trabalhando numa solução muito direcionada para esse segmento que, eu como um dos representantes do segmento de CSC, fico lisonjeado, vamos dizer assim, quando você chama o segmento de visionário porque a gente também acredita nisso. Mas, fechados os parênteses, o que vocês estão trazendo de diferencial nesse modelo? Quais os principais ganhos que a gente sabe que a que a solução, que a proposta da Qualitor, alinhada com essa tecnologia, 44


com essa nova economia, pode ajudar neste segmento visionário, Donald? O que nós percebemos é que algumas tecnologias nas quais havíamos feito investimentos bem densos, por exemplo, o Intelichat, que é um bot que foi totalmente desenhado através de fluxo e não é um bot com alta complexidade por necessidade em código, requer somente que o profissional tenha lógica de processos para criação de um bot, se tornou uma das ferramentas que hoje estão sendo aceleradas para auxiliar, não só dentro de nossos sistemas, mas também em redes sociais, sites. Depois, com a pressão que o mercado trouxe de comportamento para o uso de ferramentas, como o WhatsApp, nós acabamos investindo CONTEÚDO COMPARTILHADO

fortemente também na integração do nosso bot, prestando serviços dentro do WhatsApp para, justamente, dar ganho às empresas. Porque não podemos esquecer que a gente está com uma série de protocolos empresariais, que exigem limitações, e estas podem ser superadas com tecnologia.

É possível atender mais pessoas e de melhor forma com o uso de bots, para, quando necessário, transportar o atendimento para um canal mais humanizado, pensado como uma parte de reforço, seja de um treinamento, uma informação, um alerta. Dentro do conceito WhatsApp e bots, nós investimos na tecnologia de microlearning, que é uma ciência que os bancos utilizam muito, há muitos anos, pois este tipo de instituição não tem condição de reunir 30, 40, 50 mil colaboradores para que se possa 45


fazer uma reciclagem. Nesta linha, o Citibank foi, há muitos anos, pioneiro, por exemplo, no uso de microlearning, que é, vamos dizer assim, um ensino cognitivo de forma paulatina, no qual se faz envios de mensagens, fazendo reforços de determinadas informações estratégicas. Há também o fato do Qualitor estar, hoje, mais ominichanel do que nunca. Óbvio que o grau de complexidade aumenta, porque é um produto muito focado em BPM, na gestão do BPM, que significa perceber, através dos motores de processo, como é que estão os mapas de calor da empresa e, portanto, quantas horas são levadas para o desenvolvimento de um processo, quanto custa este processo e quanto tempo é preciso para entrega-lo. Agora, eu também quero registrar: a gente aprendeu “uma barbaridade” em relação a Centro de Serviços

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Compartilhados no convívio que temos com a ConsulPaz, porque a empresa tem uma jornada, uma história, e se há uma coisa em que nós somos muito bons, é em aprender. E o que aprendemos ao longo dos anos de convívio junto a ConsulPaz foi uma oportunidade que levamos para nosso produto e, também, para nossa equipe. Onde a tecnologia funciona: esta sempre foi nossa preocupação maior. Agora, com o nosso time, implementamos uma área de “Customer Success”, que é o sucesso do cliente. Fazem parte desta equipe as mesmas pessoas que por 8, 9, 10 anos estão conosco na área de implementação do sistema, então estão aptos a resolver qualquer problema ou situação que a gente possa vir a ter, já que são os profissionais que por tanto tempo foram os responsáveis pela metodologia de implantação do Qualitor. Não significa que nós não iremos errar, mas sim que a nossa compreensão, a nossa simpatia com o tempo que nosso cliente está perdendo numa situação de problema, será muito mais sensível.

46


Clairton - eu sou de marketing, são sou de CSC, mas o Eden é de CSC e vocês dois têm uma conexão muito interessante mas, o CSC, por si só, já é uma inovação. Não sei se vocês concordam? E essa inovação vindo, da ConsulPaz, com as automações, também da Qualitor, está se tornando praticamente vital para qualquer empresa, vocês não acham isso?

E daí eu acho que essa parceria que a gente tem feito com a Qualitor, por exemplo, é fundamental para os dois porque permite para nós, que temos essa visão de processo do modelo de gestão de governança, de atendimento de demanda, que ele seja cada vez mais simples, mais rápido, mais robusto, através de soluções como estas que o Donald acaba de citar na Qualitor.

Eden - eu vou começar aqui a fazer o meu comentário: eu concordo que o CSC é uma inovação, porque o CSC tem uma característica, que inclusive eu já até escrevi um artigo sobre isso, que fala do modelo evolutivo e adaptativo dos CSCs. Então, ele, apesar de ter nascido ali no início dos anos 80, vem acompanhando todo o desenvolvimento do modelo de gestão, do processo dos modelos e das soluções de tecnologia, que permite nos dizer que nós estamos hoje em um “CSC 2.0”, “4.0”, enfim, tem “N” definições e que uma das principais características, na minha visão, é justamente que ele é um modelo que está se reinventando, se adaptando, inovando e aportando tecnologia o tempo todo.

Então, sim, eu concordo com o conceito inovação, mas principalmente por essa característica que eu comentei de ser modelo de gestão, que é o que o CSC é, que o “Serviço Compartilhado” é, nada mais do que um modelo de gestão, que ele realmente tem uma característica muito forte de evolução e adaptação constante desde a sua origem. E daí acho que vai aquela visão, aquele comentário de visionário que o Donald também trouxe quando ele falou de CSC.

CONTEÚDO COMPARTILHADO

47


Donald – Eu já fiz uma leitura do quanto nós tivemos oportunidade de aprender e continuaremos sempre aprendendo com esse convívio, com a visão, os valores e o propósito da ConsulPaz. O mundo passa por uma “matematização”, então os processos e as tecnologias estão aí para facilitar uma decisão inteligente, e a gente não pode deixar de olhar para ciência. Desde jovem, sempre estudamos sobre Darwin, e sabemos que vemos uma seleção natural absurda no que diz respeito às empresas e pessoas. Se a gente relembrar recentemente as empresas que “pivotaram” o mercado, que lançaram novas tecnologias, estas não eram as empresas tradicionais, em qualquer setor. Não foi a General Motors que fez decolar a ideia do carro elétrico. Com todo respeito à GM, mas eles possuem um produto elétrico, e foi a Tesla que se tornou símbolo disso. Empresas de busca já existiam antes: a Alta Vista, por exemplo, era uma empresa desta linha que poucos conhecem, mas veio a Google e a superou. Então a gente tem que estar muito preparado para sobreviver, e sobreviver bem.

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Quando eu falo isso, me refiro a ter um pensamento muito mais coletivo e ter consciência de que tudo isso que nós estamos colocando é matematizar os processos que não são core da operação. Já aquilo que é core, a gente facilita a tomada de decisão daqueles que são os executivos estratégicos. Como está tudo compartilhado, tudo colegiado, eu acredito que todos sairão melhores deste momento, falando em empresas. O Eden me fez um depoimento, há aproximadamente um ano, que era assim

48


Clairton Sem dúvida uma colaboração incrível de vocês dois e agora vou compartilhar também mais uma pergunta: quais as perspectivas de vocês, primeiro nosso convidado Donald, sobre os próximos meses, nesse novo cenário, nessas novas conexões? E você falou, também, um pouco de rede social, o que eu achei incrível, pois acho que a rede social hoje é um fomento de negócios, é um fomento de atualização. Como vê nos próximos meses o cenário para os negócios, para automação e, também, a integração entre empresas? Eu vou te dizer que o Brasil – claro que eu não gostaria de fazer grandes críticas ao Brasil, a única crítica que farei será esta -, mas é um país que, por hábito, sempre vem se tornando um país em que o segundo semestre sempre foi, historicamente, mais aquecido, mais tracionado. Parece que nós atuamos como formigas no primeiro semestre, temos uma série de implementações daquilo que nós planejamos - obviamente que tudo que planejamos, já descartamos há cinco meses -, mas o segundo CONTEÚDO COMPARTILHADO

semestre aponta para uma sinalização, para um aquecimento um pouco mais estável. Existem mercados em que as empresas já se adaptaram rapidamente, e outros, como turismo, aviação, que foram estupidamente agredidos, mas muitas organizações perceberam que a utilização de tecnologias está permitindo uma retomada. A minha perspectiva inicial é torcer para que, de fato, a gente consiga acelerar a questão da vacina, porque toda vez que eu acordo otimista em relação à proximidade de alguma dessas vacinas vencerem a questão, em paralelo percebo que na Europa, até mesmo em Israel, já há sinais de segunda ou terceira ondas de contaminação. Enquanto a ciência não conseguir resolver essa questão, a economia vai continuar muito impactada. Os países pelo menos não deixaram de fazer negócios internacionais. O Brasil continua exportando, então estamos com um olhar, digamos assim, muito atento, o que eu chamo de “Sweet Spot”, porque a área doce do mercado é a exportação de commodities. Temos olhado para esse 49


mercado, porque outros países continuam consumindo alimentos do Brasil e, portanto, toda a cadeia de valor desde o agronegócio ou a área de minérios, é vista com bons olhos. Vejo que o setor da educação vai passar por uma revolução muito forte, pois as empresas que já estavam preparadas para o ensino à distância são grandes candidatas a serem lançadas na bolsa, se quiserem, mas são companhias com alto valor de mercado e, obviamente, o que nós, estamos, neste momento, é preparados para continuar sobrevivendo. Ou seja: o nosso custo operacional foi reduzido ao máximo, da mesma forma como os nossos ouvidos e a nossa pele estão preparados para escutar o mercado e que as melhores práticas estão acontecendo, mas a gente precisa vencer a questão da vacina. Sem isso, será muito difícil enxergar mais do que dois dias na minha frente, desculpe a minha limitação. Clairton - Eu sou otimista por natureza, mas também sou realista, como um bom germânico. As economias, as commodities estão crescendo e as coisas vão CONTEÚDO COMPARTILHADO

acontecendo, mas realmente a vacina vai ser o calcanhar de Aquiles para a gente impulsionar ainda mais para onde a gente quer ir. E Eden, qual a tua colaboração neste tema? Eden – Como em outras conversas, que a gente vem mantendo, na parte de economia, eu vejo muito parecido com o que o Donald acabou de trazer, ou seja, eu vejo um aquecimento, mesmo que inicial, que de forma gradual e, para alguns segmentos, outros, como já citado, fortemente impactados e que ainda tem muito que fazer e ainda descobrir como fazer, que esse vai ser mais complicado. Mas, não sou tão germânico quanto você, Clairton, mas eu também tenho uma visão otimista, acredito muito na capacidade de que as pessoas têm de buscar soluções e buscar alternativas. Em relação à saúde, que é o mote desse ano, a gente querendo ou não, eu já vejo com um pouco mais de cautela e reservas a questão da vacina, apesar de terem centenas, 200, 300 pesquisas de vacinas no mundo, perto de 10 já em testes finais e tudo mais. Mas, eu ainda acredito 50


que é uma jornada longa e que a gente não vai ter uma boa solução antes do segundo semestre do ano que vem e isso me remete a um terceiro ponto que é a questão da Cidadania, e eu não falo só do Brasil, eu falo no mundo todo, eu não tenho dúvida de que a necessidade da retomada da economia é fundamental para sobrevivência, mas os cuidados que a gente precisa ter com essa flexibilização para que ela não perca o controle e que a gente não complique ainda mais o cenário, não só com novos ciclos, como o Donald trouxe, já segundo, terceiro em alguns países, mas colocando em risco vidas, inclusive de crianças e tudo mais. Então é um cenário que, para mim, apesar de estarmos aprendendo rapidamente, se adaptando rapidamente, o que às vezes nos confunde e gera a sensação de que as coisas estão resolvidas, mas na verdade não estão, na minha opinião, a gente ainda tem muito mais perguntas, dúvidas, questões a serem respondidas do que respostas. Então, até para fechar dentro desse contexto todo que o Donald trouxe, eu CONTEÚDO COMPARTILHADO

51


Clique aqui e acesse

DONALD REIS Diretor de Negócios Qualitor

Formado em Administração e Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com MBA em Gestão pela Fundação Dom Cabral, atua há mais de 30 anos no mercado de Tecnologia da Informação. Diretor de Negócios da Qualitor e do Intelichat.

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Ou escaneie o QR Code



Home office agrada a maioria: como será a volta ao escritório? Como os funcionários de escritório e empresas têm se mantido firmes durante a crise do novo Coronavírus? E como eles sentem que a vida profissional mudará quando os locais de trabalho reabrirem?

Quais medidas você acha que a sua empresa precisa tomar

91% 72% 69% 60% 60% 51%

Permitir que os funcionários trabalhem em casa com mais frequência Ter melhores procedimentos de limpeza

Horários escalonados de trabalho para os funcionários

Realizar menos reuniões e treinamentos presenciais

Exigir que os funcionários usem máscaras

Alterar o layout do escritório

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Fonte: Robert Half. Acesse.

54


NOTÍCIAS

U4u – USA FOR YOU: ONBOARDING DO PROJETO USAFLEX Nos dias 15 e 16 de junho, foi realizado o onboarding com todo o time do projeto, um encontro importante que marcou o início da fase de implementação do SAP S/4 Hana, onde as consultorias envolvidas e o time de projeto da Usaflex, tiveram a oportunidade de conhecer a metodologia de implantação do novo sistema, os próximos passos dessa jornada de transformação e também de fazerem uma integração entre as equipes. Os encontros ocorreram respeitando as melhores regras de segurança solicitadas para proteção de todos, como o distanciamento mínimo entre as pessoas, a utilização de máscaras, álcool gel e cuidados básicos para garantir a saúde dos colaboradores e parceiros envolvidos.

CONTEÚDO COMPARTILHADO

Mais um importante projeto onde a ConsulPaz, com sua equipe de consultores, prioriza a busca de oportunidades e ganhos para seus clientes.

#CONSULPAZ #USAFLEX

55


NOTÍCIAS

WEBINAR: COMO A INOVAÇÃO E A GESTÃO INTEGRADA PODEM AJUDAR A ECONOMIA E NEGÓCIOS. O período o qual estamos enfrentando tem trazido à tona inúmeras discussões sobre como as empresas podem se manter competitivas inovando e implementando uma gestão integrada e quais os principais desafios que enfrenta quem deseja inovar no cenário atual. Para debatermos essas e outras questões reunimos, no dia 06 de agosto, Rivadávia Drummond, Fernando Torelly e Fernando Barreto, líderes de algumas das organizações mais conceituadas, de diversos setores, no webinar "Como a inovação e a gestão integrada podem ajudar a economia e negócios".

#CONSULPAZ #QUALITOR

CONTEÚDO COMPARTILHADO

56



E N T R E V I S TA

CSC

FLÁVIO FELTRIN: O PAPEL DA ABSC NO SEGMENTO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS Clairton – Flavio, conta para gente sobre a tua experiência profissional e um pouco da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados. Flávio - Eu tenho uma formação bastante eclética, atualmente eu sou Diretor Superintendente do CSC da Algar e atual Presidente da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados. Sou Analista de Sistemas de formação, com uma Pósgraduação em Administração e Marketing. Tenho, também, um MBA de Gestão de Projetos e tive uma experiência muito bacana de fazer uma extensão em Business Management pela Ohio University. Também gosto muito de pessoas, sou especialista em Gestão de Mudanças,

CONTEÚDO COMPARTILHADO

sou Constelador Sistêmico Organizacional e Master Coach, é bem diversificado, não é? Eden - Eu diria que não é à toa que o Flávio está a frente de um importante CSC, que precisa de muita capacitação, de uma visão holística e sistêmica ampla, ou seja, tem o perfil adequado para posição. Eu diria que ao longo da nossa vida profissional nós vamos entendendo as necessidades e buscando as respostas. Buscamos isso através da formação. Um pouco do que eu fiz na minha carreira nesses mais de 20 anos de experiência em Serviços Compartilhados, em outsourcing e, também, consultoria de desenvolvimento

58


organizacional. A ABSC é uma entidade sem fins lucrativos, agregamos atualmente em torno de 60 CSC’s no Brasil e tem como principal missão facilitar a conexão dos diversos participantes desta comunidade, como empresas que queiram montar uns CSC, CSC’s em diferentes estágios de maturidade, fornecedores de serviços, tecnologia, governo, hubs de inovação para esse setor de serviços compartilhados e até pessoa física. Muitas vezes, funcionários de CSC ou exfuncionários que queiram continuar envolvidos com esse tema no mercado, também podem ser Associados da ABSC, então é um grande conector de toda essa comunidade de Serviços Compartilhados no Brasil. Eden - Conte um pouco sobre como tem sido a tua experiência de presidir, essa que é a maior iniciativa de serviços compartilhados do país, a gente não tem não tem dúvida disso, e, quais os principais desafios nesses quase dois anos à frente da ABSC? Eden, não é uma resposta simples. Até aqui, é uma experiência que tem CONTEÚDO COMPARTILHADO

sido muito rica e principalmente de muito aprendizado, no ponto de vista operacional tudo na ABSC já acontece de forma remota porque são vários diretores, são vários membros e, todos eles, cada um deles de uma localidade diferente do país, então, a gente já trabalha de uma forma bastante remota. Presidir a ABSC é um grande desafio porque todos os membros são grandes executivos, são executivos de mercado, são líderes dos seus CSC’s e todos eles possuem grande conhecimento de mercado, então, é uma liderança mais conciliadora, mais provocadora, no sentido de fazer as perguntas certas, com o grande desafio de manter todos os membros engajados, como eu disse, todos grandes executivos, com agendas muito apertadas, muito cheias.

Precisamos descobrir espaço para se dedicar à Associação, e é o que todo mundo faz com muito carinho. Isso é um grande desafio, que exige um estilo de liderança, que hoje em dia é muito moderno, que é um estilo colaborativo, que busque extrair o melhor dos executivos que estão ali dedicando parte do seu valioso tempo para a Associação, acho que esse é o 59


principal desafio em presidir uma associação como a ABSC. Eden - Um ponto interessante que você não comentou, mas que eu vejo que faz bastante diferença, quando você fala do envolvimento desses executivos, desses líderes e tal é que isso é um trabalho literalmente voluntário. Penso que isso é importante de comentar porque, apesar de ser uma associação, uma pessoa jurídica, é um trabalho voluntário de vocês, certo? De fato, é um trabalho voluntário de todos que estão ali na diretoria e, também, temos um conselho e os membros do Conselho são pessoas extremamente dedicadas ao assunto Serviços Compartilhados, com vasta experiência e que se propõem realmente a dedicar parte do seu tempo para a Associação, uma vez que como você disse, são cargos voluntários e que como todo cargo voluntário, a gente faz em horários não muito convencionais. Então, nossas reuniões acontecem à noite, nos feriados, ou eventualmente nos finais de semana, mas sempre encontramos uma forma de fazer. CONTEÚDO COMPARTILHADO

Eden - E, com todo esse cenário, conta um pouco para gente como é que a ABSC tem alcançado os seus resultados? Como é que está o crescimento de Associados, de mantenedores, as inovações que vocês trouxeram nessa gestão? Nós que acompanhamos de perto sabemos, mas o público que está nos lendo talvez não conheça, e essa é a oportunidade de compartilhar estas informações, de demonstrar, inclusive, a grandeza, o tamanho da ABSC através de números, de dados, que penso que sejam bastante interessantes para o todos conhecerem. Quando assumimos a diretoria, nós, em conjunto, definimos um uma ambição para ABSC que era transformar a ABSC na maior

60


referência de Serviços Compartilhados no Brasil. Para isso, era necessário a gente endereçar algumas questões um pouco mais estruturantes. Então, nós fizemos muitas coisas nesse sentido. Reformulamos totalmente nosso website de uma forma que as pessoas tivessem mais facilidade de ter acesso, de nos encontrar na internet, estruturamos um plano de comunicação que levasse a nossa informação de forma mais eficiente a todos os participantes dessa comunidade, como eu mencionei nós temos os mais diversos participantes, fornecedores, CSC’s estabelecidos, empresas que queiram estabelecer seu CSC ou, até mesmo, pessoas físicas. Conduzimos, também, um mapeamento de mercado de CSC’s no Brasil, então a gente mapeou quase 300 CSC’s e temos trabalhado bastante para acumular conteúdo relevante para os nossos associados. Por fim, nós entendemos também que precisávamos ampliar as fronteiras da ABSC e iniciamos um trabalho de conectar nossa comunidade com outras comunidades internacionais. CONTEÚDO COMPARTILHADO

Posso dizer que o trabalho que fizemos foi preparar a ABSC para, de fato, se tornar a maior referência do tema Serviços Compartilhados no Brasil, mas além de tudo, ainda conseguimos crescer alguns números. Crescemos em 53% na quantidade de associados, até esse momento, e acredito que até o final do ano este número possa aumentar, ampliamos bastante, também, a nossa base de mantenedores. Para vocês terem uma ideia, nós tínhamos três mantenedores, que foram praticamente os mantenedores que apostaram e criaram ABSC e hoje nós temos 16 mantenedores, dos quais sete são mantenedores startup, inclusive esta é uma das categorias que criamos ao longo desses dois anos, porque entendemos que nós precisávamos nos conectar com essa comunidade de inovação Eden - Fantástico sair de 3 para 16 mantenedores, e fora isso, Flávio, como eu disse, tenho o privilégio de poder acompanhar de perto o trabalho de vocês. Sei que também tiveram alguns eventos muito marcantes, desde o ano passado, e 61


mesmo agora durante a pandemia. Então, se você puder compartilhar um pouco sobre estas realizações, penso que tem muita coisa boa para ser para ser comentada. Claro, além das ações estruturantes que mencionei e que são, de fato, muito importantes para o futuro da ABSC, do crescimento de associados mantenedores, nós também procuramos dar continuidade a muitas coisas que a ABSC já fazia muito bem, em mandatos anteriores. Então, nesses dois anos, realizamos cerca de 8 webinars por ano, praticamente a cada 40, 45 dias tem um evento para levar conteúdo, com temas bastante novos, inovadores, para essa comunidade e temos como prática, também, a realização de dois encontros presenciais por ano, e que eu destaco o evento chamado CSC Innovation Day, que tem tido muito sucesso.

aí várias empresas que já trabalham com conteúdo, com eventos, com formação, com cursos relacionados ao tema Serviços Compartilhados. Então, a gente não só criou uma categoria de mantenedor Startup, mas também, criamos uma outra categoria de associado parceiro, para que ele estivesse mais próximo desse conteúdo. Fizemos, também, parcerias internacionais com a Costa Rica e com a Colômbia por enquanto, que com certeza abrirá novos horizontes para os nossos associados, com novos conteúdos e novos aprendizados, muitas vezes de situações diferentes das que temos aqui no Brasil e a gente tem sempre muito aprender com outras práticas.

Nós faremos uma nova edição neste ano, porém, será um formato diferente em função da pandemia. Eu ainda destacaria a criação da categoria associado parceiro, que tem como objetivo a aproximação com empresas de eventos e conteúdos no Brasil e no exterior, então nós temos

Eden - Querendo explorar um pouco mais essa questão das parcerias internacionais, eu acredito que seja um grande avanço que ABSC vem fazendo. O que vocês, na prática, estão imaginando de ganhos, de vantagens nessas parcerias? 62


Obviamente quando eu falo de grandes vantagens, falo para os dois lados, porque no exemplo que você deu, de Costa Rica e Colômbia, não tem dúvida que eles têm muito a aprender com a ABSC aqui no Brasil, mas a troca com eles deve ser muito rica. O que vocês estão vislumbrando, desenhando para essas parcerias? Nossa diretoria foi bastante estrategista na ABSC, porque nós entendíamos que temos que dar uma base e realmente fazer algumas ações estruturantes na ABSC antes de abrir as fronteiras para o exterior, mas a gente gostaria de fazer essas conexões já no nosso mandato, então já formalizamos parcerias com a Costa Rica e com a Colômbia e iniciamos, também, conversas com a SSON americana. Então, o que entendemos é que esse tipo de parceria vai possibilitar uma maior troca de experiência entre os nossos associados e os associados dessas organizações, de alguma forma isso vai ampliar as possibilidades de benchmark, visitas técnicas, missões, que a gente pode organizar tanto eles vindo conhecer CONTEÚDO COMPARTILHADO

centros no Brasil como nós conhecermos centros fora do Brasil, participação em eventos, dentre outros. No final do dia, o que a gente tem buscado é ampliar as possibilidades de conexão de empresas desses países. Clairton - E não é só isso, acho que a importância dessa conexão, nessa troca de experiências, também para acrescentar valor aos associados, entrega mais credibilidade para Associação. É, esse é o principal objetivo: é realmente trazer mais conteúdo, mais conhecimento e experiência diversificada de outros setores, de outros contextos, sociais, políticos, econômicos, inclusive para que a gente possa aprender mais, tanto eles com a gente, quanto nós com eles e dentro de Serviços Compartilhados, já temos muito esta prática de compartilhar as melhores práticas e conhecimento, e à medida que a gente ampliar as fronteiras é bom para todo mundo. Clairton – Como você descreve o CSC, que, por natureza é inovador, nesta situação? 63


Como o CSC enfrentou pandemia, antes, durante e agora? Como você vê esse futuro do Serviço Compartilhado? Eden - Vou complementar a pergunta, o que ABSC também fez junto aos seus associados? quais informações, iniciativas, além dessa questão relacionada ao antes, durante e depois, mas o que também foi feito pela ABSC para apoiar o segmento e os associados? São duas perguntas importantes. De tudo que nós vimos na experiência de mercado, nos eventos que nós fizemos durante a pandemia, o que percebemos é que em muitas situações os CSC’s estavam até mais preparados para esta situação do que as próprias unidades de negócios, digo isso porque o CSC, via de regra, já controla muito bem a sua produtividade, os seus fluxos de trabalho e, nesse sentido, me parece que os CSC’s se destacaram. Alguns, até estão ampliando o escopo de atuação durante a pandemia, pelo fato de ter controle dos seus fluxos de trabalho, da sua produtividade, em

especial à frente das unidades de negócio. Estas, por sua vez, começaram a perceber muito valor e muitas vantagens nos CSCs. Inclusive, tendo iniciado discussões de ampliação do escopo durante a pandemia, então, acho que foi um grande valor criado pelos CSC’s para suas companhias. Além disso, de uma forma, eu diria bastante significativa, a maioria dos CSC’s aceleraram muito a sua digitalização, existiam diversos planos um pouco mais cadenciados, mais a médio e longo prazo, e que todos foram absurdamente acelerados pela pandemia e com resultados excepcionais, então, é um pouco do que eu vejo do que aconteceu com muitos CSC’s no mercado. Clairton - Sem dúvida alguma, o CSC não só é atualizado, como já nasceu atualizado, já nasceu inovador e, acompanhando o trabalho da ABSC e, também o próprio do Eden, na ConsulPaz, eu não vejo hoje uma empresa sem um CSC robusto, eu não consigo entender uma empresa sem um CSC robusto.

64


CSC, Centro de Serviços Compartilhados é uma prática de meados dos anos 80. Costumo dizer que o CSC é uma prática de gestão, é um modelo de gestão então, sendo modelo de gestão, as companhias podem optar por ter ou por não ter. Mas, vejo uma prática que já existe há mais de 40 anos, que já sobreviveu a várias crises, não só o Covid, mas muitas outras crises econômicas anteriores e toda vez que tem uma crise econômica, o CSC se sobressai, porque o CSC acaba sendo uma unidade muito orientada a custo e produtividade e traz muitos outros benefícios, de compliance, de controle, de padronização, de processos. Então, você tem razão, é uma prática inovadora que já existe há muitas décadas, tem uma excelente perspectiva de continuar existindo ainda por muito tempo, e como você mencionou, é uma boa prática de gestão que traz independência, que gera valor para acionistas, enfim. Uma coisa também interessante, é que antigamente os CSC’s eram vistos como unidades puramente transacionais e para grandes CONTEÚDO COMPARTILHADO

companhias, e hoje isso já não é mais aplicável. Temos CSC’s que ainda são transacionais, mas muitos CSC’s já são Centros de Excelência que geram muito valor para suas companhias e, companhias de qualquer porte, então temos CSC’s para grandes companhias de 500,1000, 2000 pessoas e temos CSC de 30, de 25 pessoas e que geram valor da mesma forma. Eden – Costumo dizer e já escrevi sobre isso, que vejo o CSC exatamente como você. Ele é um modelo de gestão e o grande diferencial dele, é que o modelo tem duas características, para mim extremamente diferenciadas, ele é adaptativo e evolutivo. A cada desafio, a cada barreira, ele consegue rapidamente se adaptar e evoluir para uma próxima etapa, então, quando olhamos para sua origem, no início dos anos 80, realmente eles eram verticais, puramente transacionais, com foco em redução de custos e tudo mais, porém, ele vem caminhando até chegar onde nós estamos hoje, o chamado CSC 4.0 ou algo do tipo, e transformou aquilo que era 65


extremamente transacional. Talvez, na maior base de análise de dados de qualquer companhia que tem CSC, porque todas as informações de backoffice e não estou falando de informações de atividades core do negócio, passam por um CSC estruturado, robusto, que têm esses centros de excelência. Então, ouvindo você falar, soa como música, eu que acredito muito nesse modelo e assim como você. Eden, e por ser adaptativo e evolutivo, é um modelo extremamente resiliente. Eu gosto muito de usar o termo resiliente para CSC, pois é a prova de várias dificuldades e, pela natureza do modelo, isso realmente é muito bacana, é o modelo que já existe há tantos anos, vai continuar existindo e cada vez tem uma importância maior para suas organizações. Gostaria de falar o que a ABSC fez durante a crise. Nós também precisamos nos adaptar, não do ponto de vista de operação porque, como já mencionei, nossa operação sempre foi remota, nascemos online. A ABSC já atua de uma forma bastante online nos eventos e, também, nas nossas reuniões, mas fizemos algumas ações CONTEÚDO COMPARTILHADO

ações, buscamos apoiar os nossos associados de formas diferentes, primeiro financeiramente, onde oferecemos uma redução de 50% na mensalidade dos associados durante o período mais crítico da crise. Fizemos, também, várias lives, onde abordamos a questão da pandemia separando em três momentos que nós vivemos: o primeiro, o impacto inicial, os desafios que todo mundo teve para levar suas operações para home office; depois veio um segundo momento que foram as dificuldades durante a contingência, questões como o engajamento das pessoas, o fato de estarem a distância, a produtividade e tudo mais; no terceiro momento, discutimos muito sobre futuro do modelo pós pandemia. Também foi muito bacana essa divisão de três momentos que a ABSC fez em várias lives, porque acho que deu muita clareza, um pensamento bastante coerente para os nossos associados, para que cada um se situasse e conseguisse aprender com os outros na situação que estava e evoluir para um próximo momento.

Nós,

também

disponibilizamos 66


conteúdos específicos sobre o tema no nosso site, isso também é importante, aproveitamos vários conteúdos de várias consultorias renomadas no país, pesquisas com conteúdos que pudessem auxiliar os associados nesses momentos mais difíceis, eu diria que já estamos superando e, por fim, também precisamos ser bastante flexíveis e ágeis. Fizemos ajustes em nosso roadmap de webinars para que adequássemos os temas para aquilo que fosse mais importante naquele momento de pandemia, então reestruturamos e recombinamos com os palestrantes e, de uma forma muito ágil, muito rápido a gente se organizou para trazer, de fato, temas que eram mais relevantes para os nossos associados durante esse momento crítico.

Eden - Ou seja, Flávio, vocês, dentro dessa proposta de ser a maior referência em CSC no país, rapidamente tomaram ações que vieram ao encontro das necessidades dos associados e, muitas vezes, até de não associados que se beneficiaram de alguns webinars e algumas oportunidades, com a ABSC CONTEÚDO COMPARTILHADO

ajudando nesse momento de indefinição e dúvidas, que até hoje não temos todas as respostas, mas que puderam ajudar e compartilhar as experiências nesses três pilares, vamos chamar assim, que você dividiu das ações realizadas pela ABSC. Perfeito, Eden. E uma prova disso é que conseguimos crescer nosso número de associados durante a pandemia, mais crescemos do que eventualmente perdemos, e esta era uma preocupação, então, acho que isso é uma prova de que realmente essa comunidade, de quem também não fazia parte, mas que eventualmente teve acesso, porque muitos dos nossos seminários foram transmitidos pelo YouTube, que é um canal livre, e as pessoas sempre compartilham com outras pessoas que estão assistindo alguma coisa de relevância, de valor e a gente conseguiu ainda crescer a quantidade de associados durante esse momento. Então, acho que é uma evidência de que o conteúdo foi relevante. Clairton – E colaborou muito com as decisões dos associados. Essa 67


questão de compartilhar o conteúdo ABSC, digamos assim livre, é também um papel de vocês, mesmo como executivos, também como o Eden, que também além de CEO da ConsulPaz é Conselheiro da entidade, acho que isso não só gera valor, mas entrega a satisfação de quem está vendo o conteúdo, porque nesses momentos de pandemia, que a gente nunca passou, é quase como um direcionamento das decisões, não é? É fato de que nesse momento o que a gente mais precisa são duas coisas: informação e fatos e dados para poder tomar as melhores decisões. Nesse momento, também o que todo mundo busca, e aí eu acho que a ABSC é um canal fantástico para isso, é a troca de experiências, o que deu certo em um lugar e eu estava pensando em fazer alguma coisa aqui, mas conversei com algumas pessoas que não tiveram muito êxito, então, eles ajustaram e esse ajuste é que deu certo, então é um aprendizado muito rápido, a um custo muito baixo. Acredito que esse seja o valor principal, o valor que a ABSC gera para sua comunidade, realmente CONTEÚDO COMPARTILHADO

essa troca de experiência e conhecimento que ocorre em quase 60 CSC’s no mercado. Eden – Flávio, ajudando a complementar essa resposta, lembrei do grupo de Associados no WhatsApp, por exemplo, onde há trocas constantes de situações, de vivências e experiências, onde os associados colocam lá de forma muito transparente a sua dúvida, a sua dor e os demais associados, por estarem dentro desse guardachuva, dentro desta estrutura da ABSC, compartilham de forma muito transparente, contribuindo um com o outro e gerando essa troca que você citou aqui. Perfeito, esse é um valor enorme. Muitas vezes é até difícil a gente conseguir vender e verbalizar esse valor que ABSC entrega, mas é um valor enorme você saber que qualquer situação que você tenha dentro do seu centro, dentro da sua companhia, seja de melhores práticas, de dúvidas, de modelo, você tem mais 60 pessoas/empresas ali disponíveis à sua disposição para trocar informação e isso não tem preço. 68


Clairton – Qual a perspectiva deste novo cenário para a ABSC? Clairton, a ABSC, nesse momento está bastante estruturada e eu, pessoalmente, acredito que a ABSC vai ter um papel muito importante no mercado nacional, vamos falar de mercado nacional primeiro, depois podemos falar do mercado internacional. No mercado nacional, e nós não mencionamos isso antes, mas apesar de ser um modelo com mais de 40 anos, resiliente, que continua ativo, é um modelo que continua crescendo no Brasil e no mundo, então, ano após ano, o que a gente percebe é o crescimento do modelo de Serviços Compartilhados no mundo. Em uma última pesquisa de 2019 da SSON, essa taxa era de 17% no mundo, com empresas ainda planejando montar os seus Centros e no Brasil. Isso não é muito diferente, cresce na casa de dois dígitos todo ano. Então, nesse contexto, onde você tem uma entidade que conecta toda essa comunidade no modelo de sucesso resiliente, em crescimento, eu não tenho dúvida de que ABSC tem uma missão muito importante que é a de CONTEÚDO COMPARTILHADO

conectar toda comunidade e, principalmente, promover a excelência do modelo. Isso é fundamental para o mercado e a ABSC se presta muito bem a esse serviço. Eden – Fale também das ações previstas para este ano ainda, dos próximos passos da ABSC? Eden, esse ano está passando muito rápido, não sei se é o efeito da pandemia, mas nós temos ainda o nosso roadmap de webinars então. como eu já disse, temas super atuais que a gente traz e temos o CSC Innovation Day, que vamos fazer mais uma edição em novembro. A ideia desse evento é sempre falar de inovação em CSC, na conexão do CSC com esse mercado, com esses hubs de inovação que nós temos, também no mercado com Startup. Temos, também, uma tradição da ABSC que é uma premiação anual onde reconhecemos os principais executivos do ano, os principais Centros de Serviços, aqueles que evoluíram mais, aqueles que inovaram mais, premiação da mulher destaque do ano, também do jovem trabalhador em CSC destaque do 69


ano, então isso ainda vai acontecer esse ano no nosso evento de Novembro. Temos ainda um bom trabalho pela frente. Eden – Ou seja, tem muita contribuição ainda para os associados, para o mercado e para aqueles que tiverem interesse em se associar. Falando para aqueles que tenham interesse em se associar, como é que faz para ser uma empresa associada ou para ser um mantenedor? Como é que os interessados em participar desta, que é a maior iniciativa em

Serviços Compartilhados do país, podem fazer para se associar? É bem simples! Temos vários canais, mas eu acho que o mais simples aqui para gente falar é as pessoas buscarem nosso Website [www.abscweb.com] e lá existem os caminhos dos canais apropriados para se associarem. Basta preencher um formulário e que o nosso pessoal entra em contato e faz todo o trâmite, então é bastante simples para se tornar um associado, mantenedor ou mantenedor Startup.


Clique aqui e acesse

Ou escaneie o QR Code

FLÁVIO FELTRIN Diretor Presidente ABSC e Diretor Superintendente CSC Algar

Analista de Sistemas pela UNIMEP, pós-graduado em Administração e Marketing pelo INPG, MBA pela FGV – com especialização em Gestão de Projetos, MBA Executivo Internacional – Ohio University, College of Business, facilitador de constelações sistêmicas organizacionais - Talent Manager, Estoril-Portugal e master coach (Personal & Executive) - Instituto Holos. Como suas mais marcantes experiências, participou em todas as etapas da construção do primeiro CSC no modelo BPO no Brasil como executivo de TI e, também, participou da criação de 3 CSCs em sua carreira. Atualmente é Diretor Superintendente do CSC Algar e Presidente da ABSC. CONTEÚDO COMPARTILHADO


10 formas de melhorar os relacionamentos profissionais A cultura digital em crescimento tem papel fundamental na evolução das nossas relações pessoais e profissionais. Estamos observando mudanças no acesso à informação e no entretenimento. E agora, mais do que nunca, nos processos de trabalho.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Conecte-se às pessoas de sua lista de contatos ou banco de dados Seja consistente em palavras e ações Mantenha as mensagens simples e pessoais Responda e reconheça Forneça informações valiosas em todos os canais Conheça melhor seus stakeholders Aja de acordo com suas ideias Mostre empatia Seja flexível Demonstre otimismo e encorajamento

A “economia de relacionamentos” foca nas conexões, confiança e interação humana como moeda de troca. CONTEÚDO COMPARTILHADO

Fonte: Pequenas Empresas e Grandes Negócios. Acesse.

72


A ConsulPaz é uma empresa que busca estar sempre atenta às novidades do mundo dos negócios, Centros de Serviços, Projetos, Processos, imersa em discussões sobre tecnologia e antenada ao que há de novo no mundo digital. Para isso, procuramos participar de diversos eventos que nos proporcionem momentos para troca de experiências, compartilhar conhecimentos e fazer networking. Confira os últimos eventos os quais fizemos parte.

SHARED SERVICES & BPO SUMMIT Nosso CEO Eden Paz participará da 5ª edição do Shared Services & BPO Summit, evento realizado pela Blueprintt. No encontro, que será realizado nos dias 30 de Setembro e 01 de Outubro, Eden discutirá em sua palestra, o tema: “O novo papel do Shared Services e as principais tendências para os próximos anos”.

WEBINAR "EMPREENDEDORISMO, INOVAÇÃO E NOVA ECONOMIA: UM PAPO SOBRE GESTÃO, PESSOAS E NEGÓCIOS" Em mais uma edição do encontro online, promovido pela Qualitor e pela ConsulPaz, reuniremos os especialistas em gestão de pessoas e empresas Tatiana Godoi e Givanildo Luz para debater o tema "Empreendedorismo, Inovação e Nova Economia: um papo sobre gestão, pessoas e negócios”.

Dia 17 de Setembro das 17h às 18h30.

INSCREVA-SE 73


A ConsulPaz é uma empresa que busca estar sempre atenta às novidades do mundo dos negócios, Centros de Serviços, Projetos, Processos, imersa em discussões sobre tecnologia e antenada ao que há de novo no mundo digital. Para isso, procuramos participar de diversos eventos que nos proporcionem momentos para troca de experiências, compartilhar conhecimentos e fazer networking. Confira os últimos eventos os quais fizemos parte.

AGUARDE MAIS INFORMAÇÕES WEBINAR

Em mais uma edição do webinar, promovido pela Qualitor e pela ConsulPaz, reuniremos Professores Luís Lamb, Secretário de Inovação, Ciência e tecnologia do Estado do RS e Nivio Ziviani Fundador de inúmeras empresas e reconhecido como autoridade em IA para discutir o do impacto dos Papers na geração de riqueza e de IA .

Dia 08 de Outubro das 19h às 20h30.

CSC INNOVATION DAY 2020 O ano de 2020 trará mais uma edição desse importante evento do mundo dos CSC’s. Deixe na sua agenda que em breve teremos mais um CSC Innovation Day. Acompanhe nossas redes sociais e, também, as redes sociais da ABSC e fique por dentro de todos os detalhes.

74


ACESSE NOSSO CANAL



www.consulpaz.com