Page 1

\\Editorial\e\Concordia\Mensageiro\2011 - 08 - Agosto\Capa + AnĂşncios\Capa ML agosto_1.CDR segunda-feira, 18 de julho de 2011 18:49:35 Color profile: Disabled Composite Default screen

10

95

75

25

5

0

10

95

75

25

5

0


MENS AGEIR O LUTERANO | Ano 94 | Nº 1.161

Agosto2011

Leia nesta edição

Inclusão

social, religiosa e esportiva Surdos da AMIS de Novo Hamburgo, em participação inédita, conquistam o 4º lugar na Copa Brasil de Futsal para Surdos

28 06

VIDA COM DEUS

07

Adoração e louvor

09

Contraponto

11

Em foco

12

capa

17

Ética da decisão

19

EDUCAÇÃO TEOLÓGICA

22

Umas e outras

24

Igrejas pelo mundo

27

IELB EM Rondônia

30

Atualidade

32

DIVULGAÇÃO

34

VIRANDO A PÁGINA

MENSAGEM DO PRESIDENTE

Bíblia Sagrada: o centro da fé e da vida dos cristãos

Refletindo

Filhos alegram e entristecem seus pais

08

Resgate histórico

Hinário luterano faz 30 anos

20

TEOLOGIA

05

A Bíblia no cotidiano

31

Mensageiro | Agosto 2011

3


| AO LEITOR |

Nilo Wachholz Editor-Redator | editor@editoraconcordia.com.br

Filhos, presentes especiais de Deus!

H

á cerca de três meses, recebemos um pedido de ajuda de um pai que clamava por uma resposta para as seguintes perguntas: “Por que o meu filho nasceu com Síndrome de Down? O que eu fiz para o meu filho nascer assim? Estou triste e angustiado, pois vejo que a minha vida está passando e não consigo ajudar o meu filho. Por favor, orem por mim e me ajudem!”. Prometemos a esse pai duas coisas: orar por ele, pelo seu filho, pela sua família, e, de algum modo ajudá-lo a encontrar, não respostas, mas, sim, um “novo olhar” para esse seu filho tão especial. E a forma que encontramos foi conversar com outros pais que tiveram ou têm experiências, não iguais, porém, semelhantes. E fomos surpreendidos com depoimentos, com testemunhos, com sentimentos de alegria, de coragem, de realizações, de dedicação e amor que vão muito além da nossa compreensão. O nosso desejo é que, não só o pai que nos escreveu, mas cada leitor(a) do Mensageiro Luterano encontre, em nossa matéria de

capa desta edição, uma nova maneira de ver e conviver com pessoas tão especiais, filhos ou outros familiares, que por diversas razões nasceram ou adquiram alguma deficiência. Nesta mesma direção e visão de valorização da vida, trazemos uma reflexão sobre gravidez e aborto. Encontramos diferentes situações, pensamentos e opiniões sobre o assunto, contudo, a Palavra de Deus é uma só: Não matarás! Deus sempre quer preservar a vida, tanto da mulher/mãe como da criança/feto; e a nossa decisão precisa passar por esse crivo do Autor da Vida. Outro tema relacionado ao que já mencionamos acima é o trabalho da Associação Missão Surdos (AMIS), com sede em Novo Hamburgo, RS. Este é um belo exemplo de inclusão social, religiosa e esportiva das crianças, adolescentes e jovens que participam da AMIS. Por outro, de tempos em tempos, o ateísmo floresce e afronta a fé cristã especialmente. Nos dias em que preparamos esta edição, uma nova campanha ateísta ameaça ser colocada nas ruas das principais cidades do Brasil. A Constituição Federal nos

dá a liberdade de pensamentos, crenças e manifestações das nossas convicções, dentro dos limites da lei. Aos cristãos cabe, em qualquer circunstância, hastear a bandeira da sua fé com a sabedoria do alto que Deus nos concede pelo Espírito Santo. Neste sentido, trazemos em Igrejas pelo mundo, desta edição, a Igreja Luterana na Inglaterra, onde o ateísmo é um dois principais desafios no trabalho da evangelização. Aos pais, aos filhos, às famílias, nossos votos de que o FOTO: shutterstock Dia dos Pais não seja apenas uma data festiva no mês de agosto, mas que seja a cada dia do ano e da nossa vida! Obrigado, Papai do Céu, pelo seu amor e pelo pai que nos deste!

Mensageiro Luterano ISSN 1679-0243 Órgão Oficial da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) de periodicidade mensal (exceto janeiro e fevereiro - edição única). Registrado sob nº 249, livro M, nº 1, em dezembro de 1935, no Registro de Títulos e Documentos do Rio de Janeiro, conforme o Decreto-Lei de Imprensa nº 24776 de 14/07/1934. Projeto e Produção Gráfica Editora Concórdia Ltda. Redação mensageiro@editoraconcordia.com.br Editor Nilo Wachholz - MTb 42140/SP Assistente Editorial Daiene Bauer Kühl - MTb 14623/RS Revisão Aline Lorentz Sabka JORNALISTA-DIAGRAMADOR Leandro da Rosa Camaratta Designer Christian Schünke Colaboradores fixos Bruno Ries, Carlos W. Winterle, Luisivan V. Strelow, Marcos Schmidt, Mona Liza Fuhrmann, Rosemarie K. Lange, Vitor Radünz, Waldyr Hoffmann Assinaturas - DEPTO COMERCIAL Gilberto Ellwanger, Lianete Schneider de Souza, Marcelo de Azambuja Logística Luciano Azambuja Assinatura no Brasil Anual R$ 49,00; Bianual R$ 92,00 Assinatura para outros países Anual US$ 52,00; Bianual US$ 100,00 Tiragem desta edição 9 mil exemplares A Redação reserva-se o direito de publicar ou não o material enviado, bem como editá-lo para fins de publicação. Matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da Redação ou da Administração Nacional da IELB. O conteúdo do Mensageiro pode ser reproduzido, mencionados o autor e a fonte.

4

Mensageiro | Agosto 2011

Editora

Concórdia Filiada a Associação de Editores Cristãos (ASEC)

Endereço Av. São Pedro, 633, Bairro São Geraldo, CEP 90230-120, Porto Alegre, RS Fone/Fax (51) 3272 3456 Site www.editoraconcordia.com.br Twitter twitter.com/edconcordia Email editora@editoraconcordia.com.br Comercial comercial@editoraconcordia.com.br Diretoria Executiva Henry J. Rheinheimer (presidente), Clóvis J. Prunzel, Nilo Wachholz, Nilson Krick e Rubens José Ogg Gerente Nilson Krick - nilson@editoraconcordia.com.br Depto Financeiro Joel Weber - financeiro@editoraconcordia.com.br Editor Nilo Wachholz - editor@editoraconcordia.com.br Comissão Editorial Adilson Schünke, Beatriz Raymann, Clóvis J. Prunzel, Nilo Wachholz, Nilson Krick e Rubens José Ogg

IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL

ENDEREÇO Rua Cel. Lucas de Oliveira, 894 Bairro Mont’Serrat, CEP 90440-010 Porto Alegre, RS, Brasil Fone (51) 3332 2111 / Fax: (51) 3332 8145 site www.ielb.org.br twitter twitter.com/IELB_Brasil e-mail ielb@ielb.org.br Diretoria Nacional 2010/2014 Presidente Egon Kopereck 1º Vice-presidente Arnildo Schneider 2º Vice-presidente Geraldo Walmir Schüler Secretário Rubens José Ogg Tesoureiro Renato Bauermann A IELB crê, confessa e ensina que os livros canônicos das Escrituras Sagradas, do Antigo e do Novo Testamento, são a Palavra infalível revelada por Deus e aceita, como exposição correta dessa Palavra, os livros simbólicos da Igreja Evangélica Luterana, reunidos no Livro de Concórdia do ano 1580.


| MENSAGEM DO PRESIDENTE |

Egon Kopereck Pastor Presidente da IELB| presidente@ielb.org.br

Bíblia Sagrada: o centro da fé e da vida dos cristãos

N

o momento em que escrevo esta mensagem, está acontecendo o 4° Simpósio Internacional de Lutero, sob o tema: Lutero e as Escrituras Sagradas – Sola Scriptura. Eis um tema extremamente importante, especialmente nos dias atuais: incentivar a leitura da Bíblia, fazer com que pastores, líderes e a Igreja em geral abram mais as Sagradas Escrituras, meditem mais no tesouro que elas nos trazem, pratiquem, de fato, o que elas dizem.

International Lutheran Council - ILC Recentemente, participei na reunião do Comitê Executivo do International Lutheran Council (ILC) e, ali, entre outros assuntos, planejamos, organizamos e definimos o tema de estudo para o próximo Concílio Internacional da Igreja, que reunirá mais de 30 presidentes das Igrejas Luteranas no mundo, e que são filiadas à ILC, e o tema proposto e escolhido foi: “A centralidade da Bíblia nas Confissões Luteranas”. A Bíblia em destaque! A Bíblia, seu valor, seu conteúdo, sua mensagem para os dias atuais!

Ateísmo

FOTO: arquivo editora concórdia

Pois neste mesmo instante, recebo a notícia de que Porto Alegre, RS, será a pri-

meira capital a lançar a campanha ateísta no país. A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos tentou, no ano passado, fazer uma campanha de nível nacional, afixando cartazes em ônibus, repartições públicas e onde fosse possível. Essa campanha não foi aprovada pelas companhias de ônibus de São Paulo, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, e, agora, querem colocar outdoors, divulgando suas ideias e ideais. São mensagens que falam sobre fé, moralidade e ateísmo. Reclamam de discriminação e atacam com palavras e argumentos sem nenhum escrúpulo.

A voz do Bom Pastor A Bíblia nos diz em Jo 10.4: “(O Bom Pastor) vai adiante delas (das ovelhas), e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz”. Queridos irmãos! A cada dia, o inimigo da fé cristã se apresenta com roupa nova. De todas as formas, em todos os tempos, ele sempre procurou, procura e continuará procurando afastar uma ovelha do Bom Pastor para longe do seu rebanho. Por isso, façamos da Bíblia Sagrada, de fato, “a lâmpada para nossos pés, a luz para os nossos caminhos” (Sl 119.105). Encontremos tempo, no nosso tão agitado dia a dia para meditar neste livro (Js 1.8). Deixemos a mensagem de Cristo

habitar, penetrar fundo em nossos corações e em nossas vidas (Cl 3.16), para que a voz do Bom Pastor nos seja muito familiar e que estejamos bem firmados na Palavra quando falsos pastores, mestres e guias fizerem soar a sua voz. E, assim, com a ajuda de Deus Espírito Santo, tenhamos forças para resistir ao maligno, fugir das ameaças e permanecer firmes e fiéis ao Bom Pastor.

Devoção no lar Queridas famílias! Cuidem para encontrar tempo, diariamente em vosso lar, a fim de fazerem a devoção na Palavra de Deus. Leiam a Bíblia! Ensinem esta Palavra aos vossos filhos (Pv 22.6), pratiquem o que ela diz. Vivam a vossa fé, sejam luz, testemunhas do Salvador Jesus em palavras, atos, vida, exemplos. Que Deus nos guarde e preserve. Que iniciativas como o 4° Simpósio de Lutero, reunião da ILC e tantos outros que divulgam, incentivam e enaltecem o estudo da Palavra de Deus aconteçam sempre mais, para fortalecimento e edificação do povo de Deus.

Pais A todos os pais, as nossas felicitações pela passagem do seu dia. Grande e sublime é a nossa missão, como exemplo para os nossos filhos. Não esqueçamos jamais: os filhos seguem os nossos passos – para onde os estamos levando? Que Deus nos guie e ajude para que, seguindo os nossos passos, nossos filhos possam conosco, um dia, festejar e se alegrar, com todos os salvos, na bendita e gloriosa eternidade, bem juntos ao Bom Pastor Jesus. A todos, nossa saudação e um forte abraço. m Mensageiro | Agosto 2011

5


| VIDA COM DEUS |

Luisivan Vellar Strelow Pastor | lstrelow@hotmail.com

Antes de acolher, fui acolhido!

Q

uando fui morar em Salvador, BA, havia pessoas me esperando. Não eram pessoas contratadas para me receber; era um colega pastor e sua família, os membros da igreja e, especialmente, um grupo muito especial de pessoas no chamado “subúrbio ferroviário” da capital baiana, mais precisamente no bairro de Paripe. A vista mais bela da Baía de Todos os Santos, especialmente a vista do por do sol, é a que se tem na viagem de trem, da “Calçada” (na “Cidade Baixa”) até Paripe, estação final do trem suburbano. A praia mais bela de Salvador é a de São Tomé de Paripe, junto à Base Naval de Aratu, onde mais de um presidente da República já tirou férias. Neste lugar, havia pessoas que me esperavam. Recém-formado no seminário, aparentemente nada indicava que eu pudesse ser enviado para essa missão. Como é tradição, havia uma lista de igrejas e missões para onde os novos pastores, da turma de 1984, seriam enviados. Eu sabia que havia a missão em Paripe, mas contávamos como certo que um colega de turma, o qual havia feito estágio em Salvador, seria designado para lá. No entanto, recebi o chamado da igreja de Salvador para a missão em Paripe. Viajei com amigos que trabalham com turismo; conheci a região cacaueira, o recôncavo e, então, Salvador – o lugar, segundo o poeta, em que não se precisa dormir para sonhar, porque outra terra mais linda não há. Em Paripe, havia um pequeno grupo, formado em sua maioria por senhoras e jovens, que me recebeu como pastor, amigo, irmão. Não fui eu, missionário, que as acolhi, foram essas pessoas, juntamente com as da igreja de Salvador, que me acolheram. Teria de citar todos os nomes – como Paulo faz no final da Carta aos Romanos – daquelas pessoas que me acolheram e se fizeram minha

6

Mensageiro | Agosto 2011

família em Salvador e em todas as igrejas e missões do Nordeste (e em outros tantos lugares por onde tenho passado). A experiência mais marcante, contudo, foi na Bahia. Eu havia passado oito anos estudando e me preparando para acolher pessoas com a boa-nova do amor de Deus em Cristo e, no entanto, eu é que fui acolhido. Os luteranos de Salvador me receberam de corações abertos, como escreve Paulo aos Coríntios, porque me receberam em Cristo. Na igreja de Salvador, e nas igrejas e missões de todo o Nordeste, fui acolhido por pessoas que não se importaram que minha cor de pele fosse diferente, ou que meu jeito de falar fosse estranho, ou que minhas tradições culturais fossem outras. Receberam-me como um filho, como um irmão, por nenhuma outra razão senão a da comunhão na fé, na esperança e no amor; receberam-me, como vaso de barro que sou, porque receberam a Palavra de Cristo, a qual fui preparado para anunciar, não como palavra humana, mas como o tesouro da Palavra de Deus (2 Co 4.7; 1 Ts 2.13); receberam-me para, juntamente com eles, servir a Cristo em sua obra de reconciliação de todas as pessoas, sem distinção nem discriminação alguma. A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), como igreja de imigrantes e como igreja sulista, não precisa tanto

aprender a acolher como a deixar-se acolher; não precisa tanto integrar como deixar-se integrar. Para evangelizar, precisamos, antes, deixarmo-nos abrasileirar. Em Paripe, aprendi que fazer missão não é ensinar os outros a serem como nós somos, mas que compartilhar o Evangelho é também aprender a ser como os outros são. O Evangelho traz a liberdade de sermos gaúchos com os gaúchos, baianos com os baianos, goianos com os goianos, acreanos com os acreanos, porque, em Cristo, o que importa não é ser gaúcho ou baiano, mas ter um coração renovado dia a dia no amor de Deus (Gl 6.15). m FOTO: arquivo editora concórdia


| ADORAÇÃO E LOUVOR |

Emoções no culto david karnopp Membro da Comissão de Culto da IELB Pastor em Vacaria, RS

O centro do culto é Cristo e a sua Palavra Primeiro, é preciso compreender que o centro, a base e a direção do culto cristão, é Cristo e o seu Evangelho, e não o sentimento humano. O que estabelece a relevância do culto é a Palavra de Deus. O culto tem sempre o propósito de fortalecer nossa fé em Jesus pela Palavra e pelos sacramentos. As emoções, porém, são parte da nossa vida. Deus nos criou com elas até como forma de podermos nos expressar melhor. Amamos a Deus, com todo o coração, toda a alma, toda a mente e todas as forças (Mc 12.30). Nisso estão incluídas as emoções, e temos necessidade de extravasá-las. Assim, também é natural que no culto

haja manifestações emotivas. A obra de Cristo pela nossa salvação é grandiosa demais – não é possível ficar estático diante dela. Não está errado, ao ouvir uma música ou cantar um hino, romper em alegria ou marejar os olhos. Manifestações emotivas também podem vir através de palmas, sorrisos, abraços, aperto de mão, coreografias e até lágrimas, mas nenhuma dessas manifestações deveria ser forjada; elas podem fluir naturalmente.

As emoções não são sinal de culto agradável Um dos perigos por traz das emoções é quando se compreende que elas são um sinal de que Deus está aceitando o culto. Muitos compreendem que o culto agradável a Deus é aquele que é carregado por emoções. O culto depende da ação de Deus, da sua promessa, do seu perdão e do que a Palavra de Deus determina. Além disso, quando o culto é realizado para atender a determinados gostos e sentimentos, Cristo corre o risco de perder o seu lugar ali, porque o ser humano não se satisfaz com o que recebe. Ele precisa de novidades para ser atraído. É uma isca perigosa. Esta é uma forma de pensar que o Espírito Santo deve agir de acordo com os gostos e interesses humanos. Contudo, é bom lembrar que nossas emoções e sentimentos não motivam nem

bloqueiam a ação de Deus. Deus age dentro dos seus propósitos, e o que ele recebe de nós está firmado na obra de Cristo por nós. Na certeza do grande amor de Deus por nós, nossos sentimentos emotivos no culto poderiam ser mais visíveis. Por exemplo, dizendo um “Amém” quando o pastor o diz; ouvindo o sermão como uma reação mais positiva; recebendo a Santa Ceia com um sorriso no semblante, em vez de um rosto fechado como m se o pecado ainda pesasse sobre nós.

“É preciso compreender que o centro, a base e a direção do culto cristão, é Cristo e o seu Evangelho, e não o sentimento humano. O que estabelece a relevância do culto é a Palavra de Deus. O culto tem sempre o propósito de fortalecer nossa fé em Jesus pela Palavra e sacramentos.”

FOTO: arquivo editora concórdia

U

m aspecto marcante em muitos cultos religiosos é a emoção. As emoções funcionam como espécie de medidor da aceitação do culto e também como energia para culto. E não poucas vezes, cria-se um clima emocional como forma de “elevação do culto” e de manter as pessoas satisfeitas. A emoção é um sentimento que se manifesta pelo tom de voz, através de gestos e de expressões faciais; talvez, o jeito mais forte de ela se manifestar seja quando as lágrimas brotam dos olhos. As emoções mostram nosso jeito de ser. A tradição luterana não tem sido muito favorável a manifestações emotivas no culto. Inclusive já houve tempo em que se pensou que elas eram totalmente pecaminosas. Daí o máximo que se admitia era o cantar, o orar e as leituras em forma de responsos ao ministro oficiante. De resto, as pessoas deviam permanecer em silêncio e seriedade. Se, porém, olharmos os salmos, textos e contextos bíblicos, veremos que eles tocam na questão das emoções, por exemplo, da alegria e do choro. Jesus chorou e se alegrou; Jesus se enfureceu com os vendedores do templo. Isso nos leva a perguntar: até que ponto os sentimentos emotivos são possíveis no culto?

Mensageiro | Agosto 2011

7


| refletindo |

Ieda Clarisse Lang Porto Alegre, RS

Q

uantas vezes aquele pai olhava o horizonte, esperando a volta do filho... O quanto seu coração sangrava quando não via sinal algum. Um dia a maior alegria! No horizonte, surgiu a figura do filho querido, tão esperado. De longe, o pai o reconheceu e correu ao seu encontro. Logo, preparou uma grande festa! Um enorme banquete foi oferecido ao filho que retornou. Esse filho estava fazendo tanta falta no lar, na família, e era tão amado quanto o que havia ficado em casa. Em meio a grande alegria, surgiu um fato inesperado. O filho que havia ficado ao lado do pai por todo este tempo se revoltou: “Por que eu nunca recebi uma festa assim? Isso não é justo! Como pode o pai amar tanto o meu irmão fujão?”. O filho “caseiro” não gostou da volta do irmão. Parece que sentiu ciúmes, afinal, tinha o pai só para si, privilégios de um filho único. Somos assim. Medimos o amor do Pai por coisas que acontecem em nossas vidas sem analisarmos com clareza e honestidade as coisas que realmente acontecem! O filho que ficou teve, durante todo o tempo que o irmão esteve longe, o carinho do pai presente. Quantas festas deve ter feito com seus amigos sem dar-se conta do que estava ganhando! De quantas pequenas regalias e presentes ele foi alvo durante a ausência do irmão! Não se deu conta que tudo estava ali a sua disposição. Realmente, somos assim mesmo. Queremos tantas coisas de Deus! Geralmente, coisas materiais. Coisas “grandiosas” que nem sempre tem a ver com a felicidade. Talvez até sejam problemas a nos esperar. O principal, ele, nosso Pai Celestial, nos dá gratuitamente: paisagens maravilhosas,

8

Mensageiro | Agosto 2011

FOTOs: arquivo editora concórdia

Os filhos que alegram e entristecem seu pai

flores, animais lindos, frutas, verduras, tudo. É só querer enxergar. Lembremo-nos que o maior presente foi a vinda de Jesus: o amor, o perdão, a paz interior, a salvação eterna, o lugar preparado nos esperando no Céu. Haverá maior amor? Mas somos os dois: ora somos o filho que saiu de casa, arrependeu-se e voltou, ora

somos aquele que ficou em casa e se revoltou. Que o Espírito Santo nos torne filhos mais coerentes, sensatos, ajuizados e, principalmente, agradecidos por tudo o que recebemos de suas bondosas mãos: tudo o que temos de bens materiais, mas, em especial, os dons espirituais como a fé, o amor, o perdão, a paz, a salvação e a vida eterna no Céu.


| CONTRAPONTO |

Pare e pense • Crie filhos em vez de herdeiros. • Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete. • Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela. • Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama. • Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas. • Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho? • Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos. • Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas... e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã etc.) do mundo! • Você pode dar uma festa sem dinheiro, mas não sem amigos. • Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço. *Campanha publicitária (atribuída) ao Citibank. Fonte: Internet

A Palavra de Deus diz: “Temam o Senhor, nosso Deus, vocês, os seus filhos e os seus netos, e cumpram sempre todos os mandamentos e leis que eu lhes estou dando e assim vocês viverão muitos anos... Amem o Senhor, nosso Deus, com todo o coração, com toda a alma e com todas as forças. Guardem sempre no coração as leis que eu lhes estou dando hoje e não deixem de ensiná-las aos seus filhos...” (Deuteronômio 6.2,4-7).

E ainda: “Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele.” (Provérbios 22.6 – NTLH)

Omissão paterna Ismar Lambrecht Pinz Pastor da IELB em Pelotas, RS

H

á pouco tempo, programas um Pai perfeito que sabe de tudo, que nos de televisão e outras mídias conhece por inteiro (Sl 139) e que nos ama de falavam repetidamente sobre maneira integral. Esse Pai é o nosso Deus! E o aborto. Os veículos de co- Jesus nos ensinou a chamá-lo de Pai Nosso. A municação do mundo inteiro anunciavam a pessoa que conhece este Deus pode repetir as bárbara notícia de uma mulher que havia as- palavras bíblicas que dizem: “Ainda que o meu sassinado oito filhos recém-nascidos e enter- pai e a minha mãe me abandonem, o Senhor rado nos fundos de cuidará de mim” sua casa na França. (Sl 27.10). Somente “Neste mundo, todos somos Neste mês de este amor poderá culpados e, ao mesmo tempo, agosto, comemoracobrir e vencer as todos somos vítimas. Porém, mos mais um Dia atrocidades deste dos Pais, e me permundo. Como diz a de uma coisa todos podem ter gunto: onde estão Escritura: “nós amacerteza: há um Pai perfeito que mos porque Deus os pais das crianças abortadas todos os sabe de tudo, que nos conhece nos amou primeiro” dias? O pai daquelas (1 Jo 4.19). crianças assassina- por inteiro (Sl 139) e que nos ama O conselho para das na França alegou de maneira integral. Esse Pai é o pais e filhos é que que “não sabia dos um pounosso Deus! E Jesus nos ensinou a conheçam assassinatos”. É iroco mais do amor chamá-lo de Pai Nosso.” nia demais! O mariceleste. Pois é apedo não sabia das oito nas neste amor que vezes em que a mulher esteve grávida? Não deixaremos a “Omissão” e assumiremos sabia onde haviam parado as crianças após o nossa verdadeira “Missão” como pais resnascimento? ponsáveis ou como filhos obedientes. Que Algumas mulheres que viam e ouviam Deus nos abençoe! a mesma notícia, logo disseram: “Ah! É sempre assim! O pai nunca sabe de nada!”. Ali estava um desabafo não apenas de “algumas” mulheres, mas, creio eu, de uma sociedade inteira que sofre de omissão paterna e que clama: “O pai nunca sabe de nada!”. Sei que as grandes vítimas desta omissão são os filhos, mas também entendo que os pais omissos igualmente acabam perdendo. Afinal, perdem de presenciar muitos milagres, perdem de participar e acompanhar o crescimento de uma nova vida, os sorrisos, os abraços… Enfim, perdem algo tão grandioso e nobre que fica impossível comparar a qualquer outra perda. Neste mundo, todos somos culpados e, ao mesmo tempo, todos somos vítimas. Porém, de uma coisa todos podemos ter certeza: há Mensageiro | Agosto 2011

9


| LEIGOS |

Os grandes homens da Bíblia

Josué

um líder comprometido Após a saída do povo de Israel do Egito sob a liderança de Moisés, os Israelitas peregrinaram durante 40 anos no deserto antes de entrarem na terra prometida (Canaã). Levou todo esse tempo não por causa da distância, que poderia ter sido feita em menos de um mês, mas pela condição espiritual do povo. Após a travessia pelo Mar Vermelho, Deus fez seu povo acampar aos pés do monte Sinai, onde lhes entregou seus Mandamentos. O propósito de Deus para com Israel foi muito mais do que apenas conduzir um enorme grupo para uma nova terra. Deus estava preparando um povo para viver em aliança com ele, porém, o que determinou os 40 anos de peregrinação foi a ingratidão e desobediência daquela geração (Nm 14). Deus determinou que somente os filhos (a nova geração) é que iriam tomar posse da terra prometida – os únicos da primeira geração que puderam entrar foram Josué e Calebe. Josué fora escolhido por Moisés para ser seu sucessor, decisão aprovada por Deus (Nm 27.15-23), e desempenhou bem seu papel de Liderança ao conduzir o povo de Israel a possuir a terra prometida. Ele foi um brilhante líder, um estrategista que exerceu uma forte influência espiritual sobre o povo, servindo como exemplo de submissão a Deus. Quando o Senhor Deus falava, Josué o ouvia e obedecia, e, como resultado, Israel permaneceu fiel a Deus durante toda a vida deste líder. Pelo menos quatro fatores determinaram

a escolha de Josué como sucessor de Moisés: 1) O chamado (a escolha) de Deus; 2) Era testemunha dos feitos poderosos de Deus quando da saída do Egito; 3) Foi ajudante do grande líder Moisés; 4) Sempre confiou que Deus os ajudaria a conquistar a terra de Canaã.

Pontos fortes e êxitos na vida de Josué - Foi assistente e sucessor de Moisés, em quem se espelhou para liderar. - Apenas ele e Cabele saíram do Egito com mais de 20 anos e entraram na terra prometida, pois confiaram no Senhor. - Guiou os israelitas para entrarem na terra que Deus lhes prometera. - Era um brilhante estrategista militar. - Tinha fé para pedir a Deus orientação nos desafios que enfrentava. - Foi exemplo para o seu povo.

Lições de vida - Todo novo trabalho é um desafio e, sem Deus, pode ser assustador. Porém, com Deus, este trabalho se torna possível. Assim como Deus esteve com Josué, ele está conosco quando enfrentamos desafios. Podemos não conquistar nações, mas diariamente enfrentamos situações difíceis; no entanto, Deus promete nunca nos abandonar ou deixar de nos ajudar, principalmente quando este desafio é para a honra e glória do seu santo nome. - A liderança efetiva costuma ser resultado da boa preparação e encorajamento.

3º Encontro de Singulares Tema: Singular, acolhendo e integrando Lema: O Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas (Jo 10.11)

10 M

ensageiro

| Agosto 2011

_

- Como líderes, sempre estaremos exercendo influência sobre outros. - O comprometimento com Deus é o melhor exemplo.

Informações essenciais - Localidades: Egito, o deserto do Sinai e Canaã (a terra prometida). - Ocupações: Assistente de total confiança de Moisés, guerreiro e líder. - Familiares: filho de Num (Dt 1.38). - Contemporâneos: Moisés, Calebe, Miriã e Arão. Além do livro intitulado com seu nome, Josué também é mencionado nos livros de Êxodo 17.9-14; 24.13; 32.17; 33.11; Números 11.28; 13; 14; 26.65; 27.18-23; 32.11,12,28; 34.17; Deuteronômio 1.38; 3.21,28; 31.3,7,14,23; 34.9, Juízes 2.6-9 e 1Rs 16.34.

Versículo chave “Agora, pois, temei ao SENHOR e servi-o com integridade e com fidelidade; deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do Eufrates e no Egito e servi ao SENHOR. Porém, se vos parece mal servir ao SENHOR, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR” (Js 24.14-15). Estudo desenvolvido pelo pastor conselheiro da LLLB EMERSON ZIELKE

ÚLTIMA CHAMADA

Data: dias 20 e 21 de agosto de 2011 O valor do evento é de apenas R$ 50,00 e as inscrições estarão abertas até o dia 05/08.

As inscrições devem ser feitas através dos telefones: (51) 3342-1408, com Edgar (Secretaria CELC), ou (51) 3344-8210, com Augusto.


| EM FOCO |

Marcos Schmidt Pastor em Novo Hamburgo, RS| marsch@terra.com.br

A busca pela longevidade

U

m cientista britânico afirmou, no mês passado, que “a primeira pessoa a comemorar seu aniversário de 150 anos já nasceu e que a primeira a viver até os 1.000 anos pode demorar menos de 20 anos para nascer”. Ele acredita que, em breve, a medicina terá os meios para retardar o envelhecimento que, segundo ele, é causado pelo acúmulo de vários danos às moléculas e células do corpo. Sustenta ainda que chegará o dia em que as pessoas irão ao médico para uma “manutenção” regular, com terapias genéticas e das células-tronco, estimulação imunológica e outras técnicas avançadas para a longevidade.

O que diz a bíblia? Se depender da interpretação bíblica, isto ficará só na vontade. Conhecemos a capacidade humana com respeito à medicina, que nos últimos anos tem proporcionado melhor e mais tempo de vida. No entanto, como entender o decreto no capítulo 6 de Gênesis, em que as pessoas não viverão mais do que 120 anos? Conforme a história bíblica, antes do Dilúvio, o ser humano viveu o tempo que este cientista sugere – o mais idoso foi Matusalém, com 969 anos. Depois da grande enchente, o autor de Gênesis achou relevante divulgar a idade dos descendentes de Noé. O filho deste, Sem, viveu 600 anos; Arpaxade, 438; Selá, 433; Éber, 464; Pelegue, 239; Reú, 239; Serugue, 230; Naor, 148; e Terá, 205 anos. Abraão morreu com 175 anos; Isaque, com 180; e José, com 110. Interessante que depois de José até os dias atuais é difícil alguém ultrapassar os 120 anos. Há o registro de uma francesa que morreu em 1997 aos 122 anos, e, no último mês de junho, morreu a mulher mais velha do mundo (uma brasileira), aos 114 anos.

Os limites humanos e a resposta de Deus Tais registros históricos, somados à realidade dos limites humanos, transformam em utopia o desejo do cientista britânico. Ao comentar a notícia, um geriatra bra-

sileiro lembrou que “a busca pela eterna esta coisa útil? Para o cientista britânico é juventude se confunde com a própria his- aprimorar e prolongar a vida terrena, e por tória da humanidade, mas as células, em isso sua dedicação nas pesquisas nesta área. algum momento, morrem por si mesmas, No entanto, nós, cristãos, já temos o segredo independentemente de doenças ou da ge- para a longevidade eterna e também para nética”. “Morrem por si mesmas” por um uma qualidade de vida terrena. Assim, semotivo que a medicina não explica, mas guimos o conselho do apóstolo: “no meio que está lá no início da Bíblia: “se comer das pessoas más (...) vocês devem brilhar desta fruta, certamente morrerá”. Desde como as estrelas no céu, entregando a elas aquele momento, “o salário do FOTO: arquivo editora concórdia pecado é a morte”. Pensando bem, o que adianta viver 120 ou 1.000 anos sofrendo? Tem lugar para tanta gente neste planeta que também sofre as consequências do pecado? Tem comida, moradia, remédio, asilo? O INSS aguenta? Diz o salmista que “só vivemos uns setenta anos, e os mais fortes chegam aos oitenta, mas esses anos só trazem canseira e aflições” (Sl 90). O escritor gaúcho Paulo Sant’Ana, velho e doente, na crônica “A ideia da morte”, compartilha uma aflição pessoal: “Será que o homem teme a morte somente porque ela significa o fim? Ou o homem teme a morte “Onde está, ó morte, a sua vitória? porque não sabe o que acontecerá Onde está, ó morte, o seu poder de consigo logo depois dela? (...) Que ferir?”. A resposta vem em seguida: encrenca! A maior de todas as encrencas”. Seria uma encrenca sem saída “O que dá à morte o poder de ferir se a morte não tivesse sido destruída. é o pecado (...) Mas agradeçamos a Por isso, o desabafo de outro Paulo, o apóstolo: “Onde está, ó morte, a sua Deus, que nos dá a vitória por meio vitória? Onde está, ó morte, o seu do nosso Senhor Jesus Cristo!” poder de ferir?”. A resposta vem em seguida: “O que dá à morte o poder de ferir é o pecado (...) Mas agradeçamos a Deus, a mensagem da vida” (Fp 2.15,16). Em todo caso, não precisamos recusar os que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor modernos tratamentos da medicina, que são Jesus Cristo!” (1Co 15.55-56). presentes de Deus. Até porque, se vivermos Cristo, a garantia mais e melhor, poderemos ser um exemplo vivo do segredo da “eterna juventude” em Cristo. da longevidade Na carta aos Filipenses, Paulo confessa Enquanto isso, pedimos: “Agora que estou que a vida para ele é Cristo e a morte é lucro. velho, e os meus cabelos ficaram brancos, não Porém, se continuar vivendo, poderá ainda me abandones, ó Deus! Fica comigo enquanto fazer alguma coisa útil (1.21,22). E qual é anuncio o teu poder e a tua força” (Sl 71.18). m Mensageiro | Agosto 2011

11


| CAPA |

Pais e filhos

especiais

DAIENE BAUER KÜHL e nilo wachholz Equipe Editorial Concórdia

“Ore por mim, meu amigo! Pois estou passando por momentos difíceis, não entendo o porquê de meu filho ter Síndrome de Down. Ele é discriminado, pega infecções muito fácil e isso tudo me angustia muito. O que eu fiz para o meu filho estar passando por esta terrível síndrome, pois ela não tem cura, é para toda vida. Vejo meus dias indo embora e não consigo fazer nada para ajudá-lo, fico extremamente triste com esta situação.” (Leitor do ML, pai de mais três filhos, mais velhos do que este especial). Redação: Além das nossas orações, queremos ajudar este pai e tantos outros pais, mães e famílias que vivenciam experiências semelhantes, com os depoimentos e testemunhos que seguem. Todas as situações e nomes são reais. FOTO: shutterstock

12 M

ensageiro

| Agosto 2011


Maurício

Um filho igual aos outros FOTO: arquivo álbum de família

Maurício Campos de Araújo, nascido em 18 de novembro de 1984, é um filho muito especial de Nina e Renato Campos. A gravidez foi tranquila, assim como a da irmã Clarissa, hoje casada. “O nosso filho nasceu como todas as crianças, de forma natural, e com valores de referência no nascimento até melhores do que a sua irmã mais velha”, diz o pai. Segundo os pais, o pediatra demorou a perceber que o seu desenvolvimento estava defasado, e eles também não imaginavam que pudesse haver alguma coisa errada, pois a criança não apresentava nenhuma anormalidade ou deficiência visível. Aos 6 meses, Maurício teve uma convulsão. Na busca por respostas, percebeu-se que havia algo mais a tratar e entender. Então, Maurício foi encaminhado para um Centro de Reabilitação de Excepcionais para fazer fisioterapia. Após algumas seções, a responsável pelo centro, disse aos pais que o caso dele não era de fisioterapia, mas, sim, de estimulação precoce.

Diagnóstico tardio Na entrevista com a Assistente Social da instituição, esta questionou sobre a excepcionalidade do garoto, perguntando se já tinham um diagnóstico. “Também nos alertou para o fato de que cada pessoa tem a sua própria história, seu próprio desenvolvimento e não deveríamos criar expectativas erradas.” Foi com essa fala

objetiva da Assistente Social que os pais sentiram-se motivados a buscar a ajuda que fosse necessária para melhor desenvolvimento e qualidade de vida do Maurício. O tempo foi passando e, aos 6 anos, Maurício teve novas convulsões. Os pais levaram o menino ao neurologista indicado pelo pediatra, que solicitou o prontuário do filho no hospital, onde ele nascera. “Para a nossa surpresa, sem nunca alguém ter nos falado alguma coisa, constava no parecer um machucado na cabeça, o qual o neurologista afirmou ser o problema do nosso filho: ‘uma lesão cerebral’ que interrompeu o funcionamento de um dos lados do cérebro dele”, afirma Renato.

Um filho como os demais Questionados sobre o significado de ter um filho nestas condições, os pais responderam: “Nós não vemos ele como um filho especial, ou excepcional; para nós, o Maurício é igual a sua irmã. O acolhemos como uma criatura de Deus. Nós o amamos como amamos a Clarissa; ele é uma graça dada por Deus igual à irmã que nasceu antes. Ele tem a sua deficiência, a sua excepcionalidade, mas isso não o torna diferente.

Cuidamos dele como uma pessoa normal, lhe damos amor, carinho, bronca, instrução. Ele vai a todos os lugares, participa de todas as coisas, mas, em vez de ir sozinho, precisa estar acompanhado, devido à atenção e aos cuidados que precisa – até porque não fala.”

Dificuldades e cuidados especiais Eles não pensam em dificuldades, pois fazem o que é necessário com a força que vem de Deus. “Temos uma preocupação em relação ao efeito da medicação contínua que ele toma, que precisa estar sempre na dosagem certa para evitar crises/convulsões. Outra situação é o fato de ele não falar e precisarmos adivinhar o que está sentindo. Estamos sempre atentos a tudo. Os cuidados diários de higiene, limpeza, vestimenta, alimentação, é tudo como se fosse uma criança ainda bem pequena. Ele é um privilegiado, pois, além dos cuidados especiais, é amado por todos na família”. Na escola, a maior dificuldade é o fato de não poder falar. Para chamar a atenção dos colegas, Maurício os toca com a mão, e alguns não gostam disso. “Na Igreja, nunca tivemos problemas, pois, desde o Batismo, ele participa conosco dos cultos. Ele é muito sociável, vai ao encontro das pessoas, mesmo sem conhecê-las, as abraça e beija respeitosamente. As pessoas aprendem com ele que entre os filhos de Deus não devem existir distâncias, já que confessam a mesma fé e creem na comunhão dos santos. Ele está evangelizando do jeito dele – nós acreditamos nisso. DuMensageiro | Agosto 2011

13


| CAPA |

rante os cantos dos hinos, existe alguns que o pastor anuncia e ao ouvir o som do órgão, ele começa cantar (dá uns gritos, pois não fala). É a forma dele louvar a Deus e todos membros respeitam tal atitude. O que não deixamos de lado é o contato com a Palavra de Deus, em casa e na igreja.”

Mensagem aos leitores “Louvamos a Deus por nos ter agraciado com um filho tão especial. Para nós, os filhos são presentes que o Senhor nos confia. Tudo pertence a Deus, e para os filhos de Deus, nada é ruim, pois tudo coopera para o bem daqueles que o amam (Rm 8.28).

Camila

Se você vive uma situação semelhante, não procure encontrar repostas. Agradeça a Deus por este dom, faça a sua parte criando-o com muito amor, carinho e paixão. Busque por todos os meios o tratamento médico que ele precisa. Dedique o tempo que puder para o seu filho, pois o amor que ele tem por você é grandioso. Vale a pena qualquer esforço porque, além de Deus, você é o que ele tem de mais valioso. Por fim, concordar que Deus realize os seus propósitos através de nós realmente é um privilégio só dos que lhe pertencem. Nas dificuldades, procure ao Senhor e não tenha medo e nem dúvidas, mas fé. Foi ele mesmo que nos orientou a procurá-

-lo para aliviar o nosso fardo (Mt 11.28 e Lc 11.10). Não tenha vergonha de ter um filho excepcional, ele é especial, logo, tenha gratidão no coração. Confie no Senhor e deixe a sua vida em suas mãos. Afinal, somos feitura sua, ele está no comando, o que ele nos dá é o melhor que precisamos; a sua promessa é a certeza de que estaremos com ele no Céu; o nosso futuro está garantido, para isso entregou o seu Filho. O que enfrentamos aqui é passageiro e necessário, mas acreditamos que nada pode nos separar do amor de Deus agora a na eternidade; e o melhor, com todos os nossos filhos!”

Coragem para enfrentar desafios FOTO: arquivo álbum de família

A vida da família Fussinger de Novo Hamburgo, RS, é marcada por desafios. Camila, 14 anos, tem Atraso Global do Desenvolvimento Psicomotor (ADPM) – na opinião de um dos médicos, ela demorou muito para nascer. Os pais, Valdir e Carla, começaram a perceber o problema, pois ela não se desenvolvia como os primos. “O pediatra dizia que era coisa da nossa cabeça, que era normal, apenas mais devagar”, comenta a mãe. A mãe teve depressão, quando Camila ainda era pequena, e recebeu total apoio do esposo e pai. “Eu entrei em desespero e achei que não conseguiria cuidar, mas o Valdir me disse que se Deus tinha nos dado ela, era porque nos daria condições para dar tudo o que ela precisasse”, explica. Ela passou a frequentar grupos de ajuda. “Lá eu percebi que eu tinha apenas uma filha com problema, enquanto muitos pais tinham três ou quatro. A gente compreende que tem pessoas com

14 M

ensageiro

| Agosto 2011

problemas muito maiores”, afirma. A família, que é católica, sempre buscou ajuda na igreja (indo a missas, estudos, fazendo muita oração), nos mais diversos campos da medicina e na família. “Nós tínhamos muito amor e sempre corremos atrás de tudo para que ela ficasse bem”, garante Valdir. Eles dizem que sua filha é uma lição de esperança. “Ela nos ensinou a sermos melhores do que éramos. Mostrou que po-

díamos ser mais unidos e que deveríamos ter mais esperança, pois ela faz as coisas no tempo dela.” A Camila frequenta a APAE todos os dias, onde participa de atividades como culinária e artesanato. Além disso, fez equoterapia (terapia com cavalos), fonoaudiologia,


FOTO: arquivo álbum de família

hidroterapia e faz aulas de ballet há 4 anos na CEL Rei Jesus. No dia 20 de junho de 2010, um grande sonho pôde ser realizado: a Camila fez a sua comunhão, para alegria e orgulho da família, que precisou trocar de paróquia a fim de encontrar acolhimento, embora sempre tivessem assídua participação. “Quando mudamos, as pessoas e também o padre nos acolheram muito bem, e agora olham para a Camila normalmente. Nós achamos muito bonito o acolhimento na Igreja Luterana, onde a Camila faz ballet. Nos sentimos bem, e, sempre que a Camila vai se apresentar, é muito legal. Os padres deveriam se unir mais para ajudar o povo”, completam.

Saskia Pessoa de muitas habilidades

Novo desafio Como se não bastassem todas as batalhas enfrentadas pela família, Valdir e Carla queriam muito ter outro filho. Assim, o Rodrigo foi adotado há 3 anos, e hoje, com 7 anos, já está adaptado à família. O garoto passou por diversos problemas e precisou enfrentar seus próprios desafios desde muito cedo. “Mesmo com todos os problemas da Camila, às vezes, percebemos que talvez o Rodrigo precise mais da nossa ajuda do que ela. Para ele, tudo era atropelado, não tinha respeito. Ele só aprendeu o que era ruim. Tivemos que ensinar o que é o respeito, a vida em família”, asseguram os pais. Eles garantem que os filhos são extremamente carinhosos e sonham: “Nós apenas queríamos que a Camila pudesse falar um pouco mais para poder se expressar. E para o Rodrigo, sonhamos que ele se interesse pelos estudos para que possa ter uma vida muito melhor do que tinha”. Eles aconselham aos pais que vivem uma situação parecida que tenham calma, pois tudo se ajeita. “Assim é mais fácil aceitar. É preciso erguer a cabeça e não desanimar. Ter muita fé em Deus, pois sem ele não dará certo. Além disso, é importante não se deixar afetar pelo que as pessoas dizem. Lutar sempre e nunca comparar seus filhos com os filhos dos outros. As crianças não precisam evoluir de forma igual, pois elas não são iguais”, finalizam.

Saskia é a primeira de quatro filhos do casal César e Wybrich Müller. Aos 22 anos, bem desenvolvida e feliz, logo no início da entrevista se definiu: “Eu tenho um cromossomo a mais”. A Síndrome de Down não impediu que a menina simpática e falante de Dois Irmãos, RS, fosse longe; bem longe em vários sentidos: ela faz faculdade de pedagogia, trabalha em um projeto da prefeitura e participa de tantos eventos da juventude quantos forem possíveis, inclusive esteve nos dois últimos Congressos Nacionais da JELB em Caldas Novas, GO, e Foz do Iguaçu, PR. Além disso, tem uma coleção de medalhas obtidas através da patinação artística. Os pais souberam da síndrome de Saskia, quando ela tinha 3 meses. “O médico pediu o exame genético e quando veio o resultado, foi um choque. O geneticista ainda nos disse que teríamos um filho totalmente dependente e que seria uma eterna criança. Na volta do resultado, passamos na casa de uma amiga que

nos disse que os médicos dão o parecer, mas que é Deus quem determina e pode mudar o caminho”, comenta o pai. Wybrich conta que foram atrás da maior quantidade possível de informações, leram muito, conversaram com muitas pessoas, médicos, amigos e familiares, e receberam apoio de todos. Saskia, assim como os irmãos, sempre frequentou uma escola regular, onde foi bem aceita por colegas e professores, sempre contando com a atuante ajuda dos pais. “Começamos a fazer estimulação precoce com uma médica de Novo Hamburgo, RS, e fazíamos exercícios diariamente com ela em casa”, explicam. Além disso, ela fez curso profissionalizante de informática, dança folclórica alemã, natação e, no ano passado, participou do curso para professores de Escola Dominical – este ano, já ministrou algumas aulas. Os pais apontam que a maior dificuldade em todos esses anos foi a questão do ingresso no mercado de trabalho. “Foi algo que nos deu bastante preocupação. Ela largou currículo em muitos lugares e demorou até conseguir. Trabalhou no hospital da cidade por 11 meses, como atendente de serviço de saúde. Em fevereiro, iniciou como estagiária da prefeitura e, desde abril, está no Global – Centro integrado de Educação Complementar das Escolas Municipais de Dois Mensageiro | Agosto 2011

15


| CAPA |

Irmãos”, afirmam os pais. Para Saskia, poder trabalhar é uma vitória: “agora, tenho salário e eu mesma pago a natação e a patinação”. A relação entre os irmãos sempre foi muito boa. “Tratamos os quatro da mesma forma. Nos dedicamos a todos igualmente”, refletem. Para eles, a Saskia foi um grande

Entrevista A terapeuta ocupacional Mônica Paula Thomé trabalhou por oito anos e meio na AACD/RS (Associação de Assistência à Criança Deficiente), por um ano no Cerepal (Centro de Reabilitação de Porto Alegre) e na Clínica IDEA, com crianças e adultos autistas – ela conhece muito bem a rotina de crianças e adultos especiais. “Na AACD, realizava atendimentos individuais e em grupo. O público era crianças de 0 a 15 anos, com diagnósticos de Paralisia Cerebral (PC), Distrofia Neuromuscular, Mielomeningocele, Má Formação Congênita, Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE), Lesão Encefálica Adquirida (LEIA), Atraso no Desenvolvimento. No Cerepal, o trabalho era semelhante”, afirma. Atualmente, Mônica trabalha na Fundação de Saúde Pública, de Novo Hamburgo, RS, na Oficina de Geração de Renda (OGR) – serviço do Departamento de Saúde Mental que atende usuário da saúde mental, adultos, com o objetivo/perspectiva de reinserção no mercado de trabalho formal ou pela economia solidária. Os usuários são encaminhados pelo CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), local onde realizam o tratamento. Em conversa com a equipe do Mensageiro sobre a convivência com crianças especiais, ela dá dicas aos familiares: MENSAGEIRO LUTERANO - Como os pais devem encarar o nascimento de uma criança com problemas? Mônica Paula Thomé - Primeiro, os pais devem aceitar que aquela criança perfeita não veio. A partir daí, o amor deve ser a força para ficarem atentos e, ao mesmo tempo, estimular a comunicação junto ao bebê. É importante que os pais também não se culpem (ou culpem

16 M

ensageiro

| Agosto 2011

ensinamento, pois lhes mostrou a sempre reverem conceitos. “Eu gostava de tudo sempre certinho, bonitinho. Aprendi que não precisa ser assim. Podemos amar e conviver igual”, descreve Wybrich. César complementa: “aprendemos a ser mais compreensivos”. Aos pais que estão iniciando nesta

jornada, eles deixam um recado: “Claro que não é fácil, mas tem que confiar. Com a ajuda de Deus e orações, chega-se lá. Colocando nas mãos dele, tudo vai. Vivemos cada dia, sem pensar muito no futuro. Preocupar-se para daqui 2 ou 3 anos estraga o dia de hoje”.

Como lidar com especiais? um ao outro) pelo nascimento de um bebê com alguma deficiência. ml - Onde devem buscar ajuda? Mônica - Quando os pais percebem que o bebê não está respondendo a estímulos como normalmente se esperaria de uma criança, devem procurar um médico pediatra e, se ainda houver dúvidas, um médico neurologista. Também podem procurar atendimento em instituições de referência ou centros de reabilitação. Sabe-se que quanto antes a criança começar a receber estímulo/atendimento, maiores as chances de se conseguir bons resultados, melhorando o quadro clínico apresentado dentro de suas limitações. A princípio, os bebês já passam pelas consultas de rotina após o nascimento, e cabe ao médico observar como está o desenvolvimento neuropsicomotor da criança. ML - O que os pais podem fazer para evitar uma situação de exclusão da criança na sociedade? Mônica - Os pais devem ser os primeiros a aceitar e tratar seu filho com normalidade, pois, se nem eles fizerem isso, o que dirá as outras pessoas no contexto social. Claro que a criança com problemas irá necessitar de alguns cuidados especiais na realização das suas atividades diárias. A ideia é pensar em promover o máximo de independência para essa criança dentro das limitações apresentadas; os pais devem ser devidamente orientados e devem contar com o suporte de profissionais da reabilitação. A criança com alguma deficiência pode e deve frequentar a escola, supermercados, shoppings, igreja, enfim participar de toda a rotina da família, dentro do possível.

ML - Como a Igreja pode trabalhar melhor este tema em suas congregações? Mônica - Acho que paralelamente ao trabalho deste tema na igreja, as congregações precisam se preparar para receber as pessoas que possuem alguma deficiência. Por exemplo: comprando bíblias em braile (para deficientes visuais), ter membros da congregação que saibam a língua brasileira de sinais – LIBRAS (para deficientes auditivos). Existem barreiras arquitetônicas nas edificações das igrejas (escadas, portas estreitas, etc.), que impedem o deslocamento de cadeirantes, pessoas que usam próteses, muletas, andadores, ou mesmo de idosos, que precisam ser alteradas para facilitar a acessibilidade. Mas também existem as barreiras do preconceito, das pessoas não saberem lidar com o diferente. Faz-se necessário um movimento inicial por parte dos congregados e pastores em acolher, em amor cristão, os familiares e a própria pessoa com alguma deficiência. Deus não faz distinção de pessoas, porque a Igreja iria fazê-lo? Na sua congregação, existe alguma pessoa com necessidades especiais? Como é o seu relacionamento com ela? ML - Quais os ensinamento que essas crianças trouxeram para a tua vida? Mônica - A criança com alguma deficiência trás dentro de si uma naturalidade surpreendente com a qual encara sua limitação. Por ter nascido assim, ela aprende a realizar atividades como o brincar, comer, escrever, entre outras, de maneira única e criativa. Literalmente, a criança “se vira” com os recursos que tem. O olhar estranho, de pena e incredulidade vem do outro, que não consegue imaginar sua própria vida com alguma m limitação física ou mental.


| ÉTICA DE DECISÃO |

Reflexões sobre gravidez e aborto Carlos Walter Winterle Pastor da IELB na Cidade do Cabo, África do Sul

Segundo dados do Ministério da Saúde, o aborto contribui com 15% da mortalidade materna no país e é a sua quarta causa de morte. Em 2009, foram realizadas 183,6 mil curetagens (procedimento realizado após aborto espontâneo ou provocado para limpar o útero) só no Sistema Único de Saúde. Dentro das razões previstas em lei, foram realizados 1.850 abortos.

E

sses dados, mesmo incompletos, já dão uma ideia da gravidade e complexidade deste assunto na vida de muitas pessoas, famílias e, especialmente, das mulheres diretamente envolvidas na questão, voluntária ou involuntariamente. E a grande questão que não podemos deixar de levantar nesta edição de agosto, mês do Dia dos Pais, é: onde estão os pais das crianças abortadas? Eles precisam estar junto das mulheres, das mães, antes, durante e depois da gravidez, para que em todas as circunstâncias possíveis a vida seja preservada – tanto da mulher como da criança (feto). Afinal, a vida é dádiva de Deus, e só a ele cabe decidir a sua não continuidade terrena.

FOTO: arquivo editora concórdia

Dois casais, duas decisões Mário e Susana estavam casados há quatro anos. A tão esperada gravidez não acontecia. Após inúmeras consultas médicas e vários tratamentos, Susana engravidou. Quanta alegria! Quanta expectativa por parte das duas famílias: era o primeiro neto que estava por vir! Todo o cuidado era pouco, e poupava-se Susana de serviços pesados e esforços desnecessários. Uma ameaça de aborto espontâneo levou Susana a repouso absoluto durante várias semanas. Tudo era feito para preservar aquela gravidez e aquela vida em formação no ventre de Susana. Finalmente, nasceu o André, saudável e esperto! Foi levado ao Santo Batismo na segunda semana de vida, e todos davam graças a Deus por aquela vida! Cláudio e Ana também estavam casados há quatro anos. Tinham combinado que não teriam filhos, pois ambos optaram por progredir na carreira profissional com estudos e pós-graduação. Afinal, já havia tantas crianças no mundo... Porém, certo dia, Ana achou-se grávida. Começou a culpar o marido e a si mesma pelo descuido. Cuidou para não revelar a nenhum dos familiares sobre a gravidez. Procurou uma Mensageiro | Agosto 2011

17


| ÉTICA DE DECISÃO |

clínica, o médico a examinou e disse que a criança já estava de três meses e era um menino saudável... Mesmo assim, Ana rejeitou aquela criança, procurou outra clínica e fez um aborto.

Duas situações com finais tão diferentes Dois casais, duas crianças envolvidas, dois finais tão diferentes. Os defensores do aborto – e são muitos – alegam sempre em sua defesa os direitos da mulher sobre o seu próprio corpo. Negam que o feto em gestação seja uma criatura, dizendo que pode ser descartado sem maiores consequências. Enquanto alguns médicos fazem de tudo para segurar uma gravidez de risco e salvar aquela vida, outros abortam crianças sadias em formação. Quando alguns tentam desesperadamente engravidar, usando inclusive métodos artificiais, outros descartam a criança gerada com se estivessem indo ao banheiro... Por que tanta preocupação pela vida de um lado e tanto descaso de outro? A criança está indefesa, dependendo exclusivamente dos cuidados da mãe e dos médicos. Será que é a simples vontade dos pais, ou da mãe, que determina o futuro daquela criança gerada? Sinceramente, eu não entendo este “juízo de valores” neste debate.

Exemplos bíblicos e atuais Os que negam a vida, ou o valor da vida, ainda no útero desconhecem o encontro da Virgem Maria com sua prima Isabel (Lucas 1.39-56). Ambas grávidas: Isabel grávida de seis meses, gravidez de alto risco devido a sua idade avançada; e Maria, bem no início da sua gravidez, uma jovem adolescente. Quando Maria saúda Isabel ao entrar

em sua casa, a criança no ventre de Isabel se agita, pois percebe naquela voz a mãe do Salvador recém-concebido pelo Espírito Santo. O feto no ventre de Maria não tinha um mês de idade, mas já foi reconhecido como sendo o Salvador do mundo e foi glorificado pelas palavras de Isabel e pelo cântico de Maria. Alguém teria coragem de dizer que aquele feto não valia nada e poderia ter sido abortado? Ou de recomendar que Isabel abortasse seu filho João, pois ela correria risco de vida devido a sua idade avançada? Recebo semanalmente um relatório das igrejas de uma região da Índia, onde os cristãos são perseguidos sistematicamente. Hindus e budistas adentram as igrejas e reuniões de oração nas casas, agridem os fiéis verbalmente e com pancadarias, muitas vezes matam alguns, colocam fogo nas igrejas... Tudo isso sob os olhares complacentes da polícia local. Há algumas semanas, recebi um relato que me chocou muito: um grupo de hindus entrou numa igreja durante o culto e agrediu o pastor que estava oficiando; a mulher do pastor, grávida de quatro meses, recebeu vários chutes na barriga. Levados pelo grupo à delegacia sob alegação de impor o cristianismo às pessoas presentes ao culto, a mulher teve que ser socorrida, pois começou a sangrar. Levada ao hospital, ela perdeu o nenê. Antes de falarmos nos direitos da mulher, devemos falar nos direitos da criança gestada e na vontade de Deus. É uma gravidez não planejada? Procure aceitá-la, ou encaminhe a criança para adoção. São tantos os casais que não podem ter a felicidade de uma gravidez e que gostariam de adotar uma criança. Mas não assassine essa criança!

“Uma pergunta aos que defendem o aborto: Qual a diferença entre chutar com violência o ventre de uma mulher grávida, ou de aplicar uma anestesia e retirar o feto em formação? Com certeza, todos se revoltam com a violência cometida contra a mulher grávida, mas não se revoltam com a violência cometida diariamente contra milhares de crianças em gestação!”

18 M

ensageiro

| Agosto 2011

Controle da natalidade x legalização do aborto Ao mesmo tempo em que pessoas, organizações e inclusive o governo fazem grandes campanhas em favor da legalização do aborto, pouco se ouve a respeito de uma conscientização maior sobre o controle da natalidade. Controle da natalidade não se faz com aborto, mas com métodos aceitáveis e corretos. Os mesmos que defendem o aborto, muitas vezes, são contra uma legislação que regulamente a esterilização masculina e feminina dentro de critérios pré-estabelecidos (idade do casal, número de filhos, consentimento mútuo, etc.). Alegam que a esterilização é uma mutilação do corpo e um processo irreversível (nem sempre), mas não pensam que o aborto é a mutilação de uma vida e que o ato é igualmente irreversível! – Mesmo os planos de saúde e o próprio sistema de saúde pública normalmente não cobrem os gastos de uma vasectomia, mas cobrem os altos gastos das consequências de um aborto clandestino em caso de infecção ou outros problemas. FOTOs: arquivo editora concórdia


| EDUCAÇÃO TEOLÓGICA |

“Por que esta hipocrisia? Quais interesses estão por trás destas campanhas pró-aborto? Tantos direitos humanos de classes minoritárias estão sendo alardeados; alguns questionáveis dentro dos princípios cristãos. Por que não lutar pelo direito humano da vida de uma indefesa criança em gestação?” Palavra final Nenhum cristão de consciência tranquila pode apoiar o aborto ou quem o defenda. Não há argumentos diante de Deus nem diante de nossa própria consciência, a não ser que ela já esteja tão embotada que não haja mais sensibilidade para com a vida humana. Cidadão, médico, político, cristão: faça o que estiver ao seu alcance para preservar a vida e preservar a nossa sociedade. Kyrie m Eleison – Senhor, misericórdia!

Redação: No Brasil, pela primeira vez utilizando a coleta direta de dados, a Pesquisa Nacional do Aborto (PNA), realizada por pesquisadores da Universidade de Brasília e pela Anis (Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero), chegou-se a alguns resultados que mostram a situação do aborto no Brasil em 2010. Uma em cada cinco brasileiras até 40 anos já abortou. Cerca de 80% delas têm religião, 64% são casadas e 81% são mães. Estima-se que 5,3 milhões já tenham se submetido a algum procedimento abortivo. Dessas mulheres, 55% são internadas logo após o aborto. Leia mais em: http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/10/09/uma-em-cada-cinco-brasileiras-de-ate-40-anos-ja-fez-aborto-922756706.asp http://www.estadao.com.br/noticias/ geral,uma-em-cada-5-mulheres-de-40-anos-ja-fez-aborto,555140,0.htm http://www.boletimjuridico.com.br/doutrina/texto.asp?id=1094

O pastor da

FAMÍLIA

T

oda a família precisa de pastor. Pela sua configuração de grupo, pela necessidade da liderança e ensino quanto ao destino eterno das pessoas, a família precisa de alguém como pastor. Deus atribui essa missão ao pai. Por isso, podemos chamá-lo de pastor da família, ou, quem sabe, de sacerdote do lar e à mãe, de sacerdotisa. Será que no mundo de hoje ainda cabe essa palavra?

O plano original de Deus Quando Deus criou o mundo, não havia igreja e escola como as conhecemos hoje, mas Deus logo ordenou a pregação do Evangelho (da Palavra) e a educação cristã (ou bíblica, já desde o Antigo Testamento). A quem Deus atribuiu a tarefa de falar da vinda de Jesus e de educar os filhos para Deus? À família; e, dentro da família, aos pais, mais restritamente ao pai. Isso deveria acontecer em família e de geração em geração. Como soam fortes as palavras ditas por Deus ao pai como último responsável da família: “Estas palavras que hoje te ordeno, estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão e te serão por frontal entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas” (Dt 6.6-9). Esse modelo de educação nunca foi revogado por Deus e tem sucesso assegurado, afinal, trata-se de uma ordem do Senhor. Em Provérbios 22.6, Deus ordena e promete: “Ensina a criança no caminho em que

deve andar e, ainda quando for velho, não se desviará dele”. No cumprimento dessa tarefa, o pai se torna o primeiro pastor da família.

A educação em família A melhor educação é em família e com a Palavra de Deus. Feliz é o pai que não terceiriza a educação de seus filhos. Esta é uma perigosa tendência em nossos dias: passar essa tarefa para o governo, para a escola ou para a igreja. Alegar outras tarefas não é desculpa suficiente para não assumir a responsabilidade. A Bíblia nos ensina que, mesmo em tempos difíceis, é perfeitamente possível ter uma família cristã. É verdade que escola e igreja podem ajudar muito, mas nunca substituirão a família e a liderança do pai. A educação cristã que vem da família em que o pai, de modo especial, é crente em Jesus, submisso à Palavra de Deus e modelo de fidelidade, amor e humildade, tem tudo para ser uma bênção para todos. BENJAMIN JANDT | Provedoria do Seminário Concórdia Mensageiro | Agosto 2011

19


| RESGATE HISTÓRICO |

Hinário Luterano faz

30 anos H

á 30 anos, quando era pastor em Cachoeirinha, RS, fui convidado a participar da Comissão Revisora do Hinário Luterano da IELB. Por dois anos, vivi essa maravilhosa experiência e me sinto no dever de compartilhar isso com você. Reuníamo-nos semanalmente na sala 5 do Edifício Mahler (então Seminário Concórdia, hoje Centro Administrativo da IELB, Porto Alegre, RS). Todos foram importantes, mas destaco os líderes desta Comissão: Prof. dr. Otto A. Goerl – professor de Teologia Prática, Lógica e Oratória, foi um dos pastores formandos das primeiras turmas do Seminário Concórdia e autor de vários livros de Homilética História Bíblica e Comentários Bíblicos. Prof. Gastão Thomé – professor de Língua Portuguesa, Literatura e Gramática do Seminário Concórdia; era especialista em semântica, sintaxe e morfologia. Pastor Bruno F. Rieth – pastor, secretário executivo de Ensino e Ação Social da IELB. Pastor prof. Hans-Gerhard F. Rottmann – professor de Música, Liturgia, Hinódia, História da Música, tradutor, organista, regente do Coral Luterano e do Coro Orfeônico do Seminário Concórdia, ensaiador oficial do Coral Sinfônico da OSPA (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre).

Por que era necessário fazer isso? Embora fundadas a partir do trabalho de missionários americanos, as congregações

20 M

ensageiro

| Agosto 2011

da IELB criaram corpo agrupando famílias em sua grande maioria de origem e cultura alemãs. Por isso, também os cultos e assembleias eram celebrados em língua alemã. Lógico: Bíblias, Catecismos, Periódicos, Hinários e Devocionários também eram em língua alemã. Tal quadro se reverteu quando o Brasil integrou as Forças Aliadas durante a 2ª Guerra Mundial. Repulsa e perseguições se abateram sobre os imigrantes alemães, comprometendo a bibliografia e os cultos oficiados nessa língua. Pastores e líderes,

Desafio da Comissão Revisar e redefinir todo Hinário Luterano para suprir a Igreja de um manual de canto, louvor, adoração e enlevo, oração, confissão e pesquisa hinódica.

e a própria Editora, foram atacados, e todo acervo alemão encontrado acabou confiscado e destruído. A direção da Igreja determinou uma força-tarefa heróica, convocando pastores, professores e estudantes do Seminário Concórdia para compilar um Hinário Luterano em língua portuguesa. Foram compostos hinos, aplicados novos textos às melodias existentes e também traduzidos outros hi-

nos, além da adaptação de hinos de outras igrejas cristãs. O dinamismo da língua, que se modifica com o tempo, usos e costumes do povo, somado ao ritmo acelerado da produção do pós-guerra que já se prolongava por mais de 40 anos criaram a necessidade de uma revisão, profunda, cabal e definitiva, emoldurada por um trabalho criterioso, honesto, lírico, evangélico e consistente.

Como este trabalho foi feito? Todos os encontros eram iniciados com oração, invocando a Trindade, a presença e orientação de Deus, e encerrados com a bênção sacerdotal ou o entoar de um dos

ncó

itora co

quivo ed

FOTO: ar


órdia

hinos trabalhados na oportunidade. Havia, em cada participante, o sentimento de adoração, respeito e intuito de servir a Deus e ao povo de Deus. Cada hino, verso por verso, era revisado sem sede de mudança nem comodidade de deixar ficar. Revisados à exaustão (duas, três, 20 vezes) até que não restasse nenhuma resistência ou suspeita de inconformidade. Aos autores e tradutores vivos, foram apresentadas as sugestões de alteração para aprovação por escrito, o que sempre estreitou laços de respeito, reconhecimento e união. Ao contrário do recomendado pelo Oitavo Mandamento, esmerávamo-nos por interpretar tudo da “pior maneira”. Afinal, se a Comissão não detectasse e eliminasse os erros, cacofonias ou dubiedades antes da publicação, isso seria perpetuado na impressão e poderia vir a ser motivo de tropeço, chacota ou doutrina falsa para uma ou mais ovelhas do Bom Pastor Jesus. Para tanto, não nos permitíamos pressa ou comodismo, conivência ou exagero. Só seguíamos adiante após consenso. Mesmo assim, voltávamos à matéria aprovada, passado algum tempo, e com outras avaliações. Os temas – Doutrina Cristã; Ênfase Evangelística; Inerrância Bíblica; Amor ao Próximo; Serviço Social, Respeito aos Filhos de Deus Resgatados pelo Salvador; Praxe Cristã; Confissões da Reforma; Gramática e Sintaxe; Morfologia da Linguagem; Literatura; Prosódia; Poesia e Métrica; Comunicação e Objetividade; Hinódia Histórica; Pesquisa e Registro; Ensino; Educação; e Cultura – foram as molduras que enquadraram e nortearam cada minuto deste trabalho. Durante os 10 anos de atuação da Comissão, o próprio grupo apren-

deu a admirar os autores e suas produções, os tradutores e a inspiração divina de seu trabalho, e os próprios colegas de revisão pelo acerto da nomeação e preciosidade de suas experiências e inspiração. Sou testemunha de que cada reunião, cada debate, cada noite não dormida e cada ano de trabalho foram usados para que o Hinário Luterano viesse a ser o que de mais próximo está da Palavra de Deus e das Confissões da Igreja que cada um subscreveu.

Avaliação pessoal Para mim, o Hinário Luterano, como um todo, ou cada hino, liturgia, texto e oração, tem mais esmero, estudo e valor do que qualquer outra canção, cancioneiro ou gravação em uso nos cultos, reuniões de jovens, congressos, etc. pelo capricho e pelo cuidado com que tudo foi preparado. Publicado em julho de 1986, o HL já está com 25 anos e, graças à SBB (Sociedade Bíblica do Brasil), também está disponível em edição conjunta com a Bíblia Sagrada. Esta é uma ferramenta de louvor, de ensinamento, de unidade, de confissão. Aplica-se ao Hinário a recomendação divina registrada por Moisés: “tu a inculcarás a teus filhos”. Hoje, há listas e tabelas de sugestões de hinos para todo calendário eclesiástico, suas leituras e temas. Quantos enfermos e anciãos, fracos e moribundos em leitos hospitalares ou em casa, quando as forças lhes faltavam, a visão e audição já não lhes valiam, agarraram-se a versos e hinos decorados do Hinário Luterano. Se já me perfilo entre eles, começo a fazer parte do contingente que se apega aos textos do Hinário que fortalecem, encorajam e apaziguam a alma na dor e na morte, fiéis a entoar “Digno és, ó Cordeiro, de todo louvor. Graças te rendemos por teu amor”. Pertenço a uma congregação (Cruz, Petrópolis, Porto Alegre) que, com a graça de Deus, canta com empolgação, ritmo e exatidão todos os hinos do Hinário Luterano, mesmo tendo três corais e três grupos musicais de música jovem. Ela é prova de que a utilização frequente, o aprendizado e a motivação mantêm o conteúdo e a poesia deste instrumento de proclamação e treinamento para a eternidade. Algumas congregações da IELB vivem

a realidade de deixar de lado o Hinário Luterano em favor de outras canções que são consideradas mais “comunicativas” e “agradáveis a Deus”. Sem clemência nem piedade, deixam o HL e seu precioso conteúdo às moscas. Estas congregações deixam de usufruir de um trabalho oficial, piedoso e substancial, substituindo-o por refrões e canções de menos valia... Sei que sou voz cada vez mais fraca, desprezada e próxima da mudez. Contudo, continuo convencido de que se aplica ao Hinário Luterano o que Pedro, movido pelo Espírito Santo, registrou: “Lembrai-vos de vossos

guias que vos ensinaram a palavra [...] m e imitai a fé que tiveram.”

MARTINHO KREBS | Pastor emérito. Reside em Porto Alegre. Foi membro da Comissão de Música da IELB por 20 anos, professor de Música e Liturgia, regente, organista e arranjador.

Não perca seu tempo escolhendo a fábrica onde você vai replicar ou duplicar seu CD ou DVD. Fabrique seu CD ou DVD com a melhor qualidade, com o menor preço e o melhor prazo de entrega. Fabrique seu CD ou DVD na Disc Press.

www.discpress.com.br

Mensageiro | Agosto 2011

21


| UMAS E OUTRAS |

Malafaia ameaçado O pastor Silas Malafaia terá mais um embate pesado com homossexuais. No começo de julho, representantes de movimentos gays acionaram o Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro pedindo a cassação do registro profissional de Malafaia por práticas homofóbicas. No ano passado, o Conselho já abrira um procedimento semelhante para avaliar a conduta de Malafaia, que acabou não dando em nada. Por Lauro Jardim em veja.com/radaronline

ULBRA sob investigação interna “O Reitor da Universidade Luterana do Brasil, Marcos Fernando Ziemer, em função de matéria jornalística veiculada [em julho] pelo programa Teledomingo do Grupo RBS (sobre supostas irregularidades que estariam sendo cometidas no que diz respeito ao sistema de avaliação dos cursos oferecidos na modalidade à distância), vem a público comunicar que instaurou processo administrativo para investigar o assunto abordado pela reportagem. Pautada pelo compromisso da ética e transparência, a Reitoria também informa que irá colaborar com todos os meios necessários a fim de esclarecer os fatos junto ao inquérito da Polícia Federal”. Para mais detalhes, acesse:

O temor de Temer

Fusão autorizada

O vice-presidente da República, Michel Temer, foi vítima de uma impressionante tentativa de assalto na sexta-feira, dia 1º de julho, em São Paulo. Temer estava no carro oficial em plena Avenida Cidade Jardim quando o sinal fechou. Ato contínuo, surge um assaltante e bate com o cabo do revólver na janela do chofer. “Abre, abre”, gritou. Ninguém, claro, abriu. Temer assustouse, mas a blindagem do automóvel lhe dava alguma tranquilidade. Só que o inesperado aconteceu: o bandido abriu a porta, que, não se sabe por que, não estava trancada. O pânico cresceu quando o sujeito enfiou o cano do revólver na têmpora do chofer. Nesse momento, seis seguranças de Temer que o acompanhavam em dois carros apareceram e dominaram o assaltante. Mais tarde, constatou-se que a arma era de brinquedo. O incidente todo durou uns trinta segundos, que serão inesquecíveis na vida de Temer.

O CADE autorizou a fusão entre Perdigão e Sadia, que gerou a Brasil Foods. Entretanto, a nova empresa surge com restrições: o CADE obrigou a Brasil Foods a vender quatro fábricas de ração, oito centros de distribuição, quatro abatedouros e doze granjas – cerca de 30% de sua capacidade de produção instalada. Porém, isso só deve acontecer em 2012 ou 2013, de acordo com o prazo dado pelo próprio órgão antitruste do governo.

Fonte: www.twitter.com/RadarOnline

Fonte: www.r7.com

Troféu Promessas Vem aí a maior premiação da música evangélica – o Troféu Promessas. O evento, que será realizado em dezembro, tem como principal proposta reconhecer o trabalho daqueles imagens reprodução internet que exaltam fielmente o nome de Deus por meio da música, e o fazem com excelência, influenciando gerações. O Troféu Promessas chega com a marca de sucesso da Rede Globo de Televisão que, pela primeira vez, cobrirá um evento evangélico em rede nacional. Além da Rede Globo, a premiação é promovida e produzida pela GEO Eventos. Serão premiados os destaques da música gospel dos anos de 2010 e 2011.

http://www.ulbra.br/extensao/noticia/2108/ nota-da-reitoria/

22 M

ensageiro

| Agosto 2011

Fonte: www.trofeupromessas.com.br


Umas e outras na Internet • Estudo realizado pela Jobvite, uma rede social de recrutamento, mostra que 92% das empresas americanas já usaram ou planejam usar as redes sociais no processo de contratação. Segundo a brasileira Andreza Santana, gerente de RH, “as corporações não estão mais preocupadas apenas com as habilidades técnicas dos funcionários. Elas querem saber das habilidades emocionais e sociais, e as redes sociais escancaram essas características das pessoas”; • Alberto Azevedo, 28 anos, não conseguiu passar pela Imigração da Austrália, após oficial ter lido no Twitter de Alberto que o mesmo pretendia tocar em uma festa noturna, o que caracterizaria trabalho ilegal no país da Oceania; • Pesquisa da agência de recrutamento Robert Half mostra que 44% dos executivos brasileiros desclassificariam

o candidato em processo de seleção por causa do seu comportamento no Facebook e no Twitter; • Nos Estados Unidos, um em cada cinco divórcios traz a palavra Facebook e 81% dos advogados dizem que esse número tem crescido nos últimos anos; • A carioca Deborah Calazans, 26 anos, pediu divórcio após saber que seu marido mantinha um perfil secreto no Orkut, onde se relacionava com outras mulheres; • 4,2 bilhões de mensagens são postadas no Twitter por mês; • O FourSquare registra 90 milhões de check-ins por mês; • O Facebook possui 700 milhões de usuários. Isso significa dizer que uma em cada dez pessoas no planeta é usuária da rede social.

frase do mês

Não tecle nem poste nada que faça mal aos outros, mas use apenas palavras boas, que ajudem os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que o que você colocar na internet faça bem aos que acessem o seu perfil ou aos que estejam no seu Messenger. baseado em Efésios 4.29

Dicas para um bom uso das Redes Sociais: • Deixe as informações pessoais disponíveis apenas para amigos; • Aceite apenas convites para amigo de pessoas conhecidas; • Eduque seus filhos para evitar que passem informações pessoais e/ou particulares; • Cuidado com frases e comentários fora de contexto, pois podem ficar sem sentido e até mesmo ofensivas; • As empresas procuram informações em redes sociais. O que você coloca na sua página define quem você é.

Mensageiro | Agosto 2011

23


| IGREJAS PELO MUNDO |

A missão de Cristo e a

Igreja Luterana

FOTOs: arquivo editora concórdia

Inglaterra. Passados dois meses batalhando com o chamado, concluí que devia dizer “sim, aceito.” Passaram-se outros quatro meses de batalha com preparativos até que tudo estivesse resolvido para a mudança. Em 24 de maio de 2006, minha esposa, Lizani, nossa filha, Letícia, e eu chegamos de “mala e cuia” no aeroporto de Londres, onde fomos carinhosamente acolhidos pelo pastor Cláudio Flor e família.

A família e o desafio de ir para a Inglaterra Congregação St. Peter em 12 de junho deste ano

E

m todos os tempos e lugares, a missão de Cristo e a vida da Igreja se passam em um campo de batalha no qual as forças inimigas não dão trégua. Jesus disse aos seus apóstolos: “Eis que vos envio como ovelhas para o meio de lobos” (Mt 10.16). O apóstolo Paulo constatou: “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal” (Ef 6.12). Essa realidade é evidente no Brasil, onde o Cristianismo se confronta com o Espiritismo, por exemplo, que incha as suas fileiras e para o qual inclusive os luteranos se dobram. O campo de batalha no Brasil exibe multiplicação de denominações religiosas, comercialização da fé e promessas ilusórias, causando grande confusão e desapontamento. Enquanto isso, na Inglaterra e na Europa de um modo geral, a missão de Cristo e a vida da Igreja batalham contra o secularismo, o materialismo (para que Deus?), o ateísmo e o avanço do Islamismo. Consequentemente, quando um pastor aceita um chamado para atuar em um país do primeiro mundo, ele não

24 M

ensageiro

| Agosto 2011

vai em busca de “sombra e água fresca”, ou de um lugar onde “mana leite e mel”. Não, ele está posicionado na linha de frente do campo de batalha, onde os inimigos são ferozes e fortes, vestindo talvez apenas uniformes de outra cor.

O início do meu ministério Minha jornada no ministério começou em 1977, com o estágio em Cruz Alta, RS, onde conheci minha esposa, Lizani. Servi dois anos e meio na paróquia de Três de Maio, RS, onde nos casamos. Então, recebi bolsa de estudos para pós-graduação no Concordia Theological Seminary, Fort Wayne, Estados Unidos, onde nosso filho Charles nasceu. Ao retornar ao Brasil, servi durante cinco anos na missão de Boa Vista, RR, onde nosso filho Lucas nasceu. Em 1987, recebi e aceitei chamado para o Instituto Concórdia de São Paulo para servir de capelão escolar e pastor auxiliar da Congregação Ebenézer, Campo Limpo; ali, nasceu nossa filha, Letícia. Decorridos 19 anos em São Paulo, veio o chamado pastoral da St. Peter’s Lutheran Church de Plymouth (cerca de 390 quilômetros de Londres), sudoeste da

Além de pertences domésticos e pessoais, ficou para trás o nosso filho Lucas que não obteve visto de dependente para nos acompanhar. Esperávamos que, no entretempo, obtivesse visto de estudante e se juntasse a nós – fato que também não se concretizou. Isso nos causou ansiedade e preocupação porque os nossos planos familiares foram frustrados. Porém, um olhar retrospectivo aponta para o cumprimento da palavra bíblica: “O coração do homem traça o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos” (Pv 16.9). Hoje, a família está espalhada por três continentes: Charles, sua esposa, Magali, e seu filho, Daniel, estão nos Estados Unidos; Lucas e sua esposa, Danielle, estão em São Paulo; juntamente comigo na Inglaterra, estão minha esposa, Lizani, e minha filha, Letícia. A última vez que a família toda se encontrou foi em julho de 2008, por ocasião do casamento do Lucas com a Danielle. Os avançados meios de comunicação permitem contato frequente e fácil, mas não substituem o inestimável encontro pessoal. Fui perguntado inúmeras vezes sobre o que me trouxe para a Inglaterra. Minha resposta: “Não sei. Deus sabe.” Entretanto, dois fatores foram decisivos na aceitação do desafio: 1) A congregação de Plymouth esteve sem pastor por mais de dois anos por absoluta


vida da

na Inglaterra falta de candidatos neste país; 2) Deparei-me com o texto bíblico no qual Deus chamou o profeta Jonas para ir a Nínive. Na primeira instância, Jonas negou-se e tentou fugir. Depois, “veio a Palavra do SENHOR, segunda vez, a Jonas, dizendo: Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e proclama contra ela a mensagem que eu te digo. Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive” (Jn 3.1-3). Essas palavras tocaram o meu coração.

Primeiros passos na Inglaterra Chegando à Inglaterra, demo-nos conta que era preciso reaprender a viver. Outra cultura, outros hábitos, outro idioma, outro clima, outras leis, outra igreja, outros desafios – tudo estranho, como se tivesse que aprender de novo a andar de bicicleta. Parecia-me que nunca antes havia estado diante de uma congregação. No primeiro culto oficiado, tive sensação semelhante como aquela de quando dirigi o primeiro culto no tempo de estudante. A congregação, porém, foi – e continua sendo – muito compreensiva e amorosa, acolhendo e apoiando-nos de todas as formas porque “agora, temos novamente um pastor”. Ao escrever sobre a missão de Cristo e

a vida da Igreja, naturalmente, as pessoas perguntam sobre o número de membros, o tamanho da congregação, o templo, etc. Estatísticas e dados numéricos são importantes, sim, pois quem não gostaria de compartilhar grandes resultados numéricos? Porém, números não representam tudo na Igreja. [Se o objetivo dessa matéria fosse apresentar somas impressionantes, jamais começaria a escrever.] A Igreja Evangélica Luterana da Inglaterra é composta de 13 congregações e alguns pontos de missão, totalizando cerca de 900 membros batizados. A congregação que eu sirvo é pequena em número, constatando-se uma frequência média aos cultos de 25 pessoas. Algumas das congregações irmãs possuem mais membros e, consequentemente, uma frequência maior aos cultos, ao passo que outras são menores ainda do que a nossa e sem pastor residente.

Um contexto diferenciado

O leitor certamente está se perguntando: “Como assim? Por quê? Não se trabalha, não se evangeliza?”. Posso garantir que se trabalha duro. A proclamação do Evangelho aos de fora é objetivo constante na agenda. As causas do declínio do número de membros, não somente na Igreja Luterana, mas também em outras denominações cristãs, são várias e complexas, talvez até impossíveis de compreendermos. Porém, a Palavra de Deus resume a questão, afirmando: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura” (1Co 2.14). Última vez que a família Bessel esteve Ou, como o Catecismo o coloca: o ser humano é, por natureza, reunida, no casamento do filho Lucas, cego, morto e inimigo de Deus. em São Paulo, 2008.

Grandes centros como Londres recebem e veem partir cada dia um extraordinário número de imigrantes procedentes de todas as partes do mundo, falando-se os mais variados idiomas. As congregações dali recebem membros luteranos vindos de outros países, alguns dos quais fixam residência permanente, outros, temporariamente. Estas congregações têm sido abençoadas nos seus esforços de evangelização, especialmente junto a imigrantes. A nossa congregação situa-se em outro contexto, onde não ocorre esse fluxo. Muitos jovens deixam sua família, cidade e região e partem para grandes centros em busca de estudos e trabalho. Esses fatores geram forte impacto sobre a vida da Igreja, como se nota na nossa congregação, na qual a grande maioria dos membros está acima dos 60 anos e avançando para lá dos 80. Ao se trabalhar dentro de um contexto dessa natureza, algumas passagens bíblicas adquirem significado especial. Por exemplo, as palavras de Jesus: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou dar-vos o reino” (Lc 12.32). O rebanho é pequeno, mas cheio da vida do Bom Pastor; luta com dificuldades financeiras e com reduzidos recursos humanos, ainda capazes de se engajar em atividades, mas o Bom Pastor o sustenta, encoraja e guia. Mensageiro | Agosto 2011

25


| IGREJAS PELO MUNDO |

Atividades e destaques da congregação local A St. Peter’s Lutheran Church desempenha as seguintes atividades: cultos dominicais e em datas festivas, estudos bíblicos semanais, escola dominical (quando há crianças), reuniões de senhoras, grupo de canto, atividades comunitárias, encontros de confraternização, contatos com vizinhos e pessoas que alugam o salão da congregação. Há três anos, iniciou-se um ponto de missão na cidade de Bristol (190 quilômetros de Plymouth), onde foi localizada uma família luterana vinda do Brasil – cinco jovens foram confirmados e um bebê foi batizado. Neste campo de batalha, as alegrias superam as tristezas e os fardos. Dentre as alegrias, destaco as seguintes: • A fidelidade dos membros na participação dos cultos, estudos bíblicos e outras atividades. Faça chuva (e chove muito!), faça sol; faça calor (22º significa calor), faça frio, os fiéis marcam presença. • Batismos e confirmações, quando acontecem, são motivos de festa. • Coisas aparentemente insignificantes valem muito para os membros. Uma senhora viúva disse: “O que seria de mim sem a família da fé?!”. Outros expressam sua alegria com comentários como este, feito com voz embargada e lágrimas nos olhos: “pastor, essas palavras me tocaram fundo. Fantástico!”. • A recitação, por parte membros, de versículos bíblicos memorizados e o canto de hinos preferidos. “Ah, sim, as palavras de Isaías 53!” E aquele texto de Jó: “Eu sei que o meu Redentor vive” (Jó 19.25).

• Traz alegria e recompensa ao ministério quando os braços de membros, debilitados pela idade, engancham-se no braço do pastor para dar o passo decisivo que os leva para dentro do templo e, então, segue-se um sincero “muito obrigado”. • Traz alegria ao ministério quando o pastor ouve os “tique-taques” de bengalas tocando o chão do templo, pois é sinal inconfundível que os fiéis estão chegando, ansiosos para receber o Evangelho e a Santa Ceia. • Traz alegria ao ministério quando fiéis, no entardecer de sua vida, planejam seu funeral e compartilham seus pensamentos com o pastor. O quê? Sim, por trás desse ato está o vigor da fé e da esperança na ressurreição e vida eterna em Cristo. • Traz alegria ao ministério quando o pastor é apoiado pela esposa e pela filha, que, deixando longe filhos e neto, irmãos e sobrinho, parentes e amigos, cruzam o oceano e não medem esforços na participação da missão de Cristo e da vida da Igreja em outro lugar do globo.

Reino Unido – um contexto de desafios ampliados No Reino Unido, do qual a Inglaterra faz parte, atuam na Igreja Luterana pastores ingleses, americanos, canadenses, um australiano e dois brasileiros, além de mim. O pastor Cláudio Flor serve há dez anos uma congregação de Londres. O pastor Jaime Kriger formou-se no seminário da Igreja daqui. Este está num projeto especial de construção de uma rádio luterana para a internet (lutheranradio.co.uk), que deverá ir ao ar em março de 2012.

No Reino Unido, belíssimas catedrais centenárias e templos que resistiram ao tempo oferecem espaço suficiente para acolher multidões. O Reino Unido, onde jardinagem, conservação e recuperação da natureza são uma “religião” e onde o verde é extremamente exuberante, é o campo onde a semente do Evangelho precisa ser plantada. O Reino Unido, onde o cenário de ovelhas, cordeiros, currais e pastores descrito nas Escrituras, pode ser visto, não em quadros, mas, na realidade, é o lugar onde o Bom Pastor vai em busca das ovelhas doentes, machucadas, presas e perdidas. No Reino Unido, onde castelos e monumentos dão testemunho de batalhas internas e externas ocorridas no decurso dos séculos, a missão de Cristo e a vida da Igreja batalham para proclamar o Evangelho. Onde quer que a batalha do Evangelho e da fé cristã se trata, ali também há vitórias – vitórias concedidas pelo grande vencedor, Jesus Cristo, o Senhor. Faço minhas as palavras do apóstolo Paulo: m “Irmãos, orai por nós” (1Ts 5.25). Arno Bessel arnobessel@btinternet.com

REDAÇÃO: Incentivamos os nossos leitores do ML para que, além das orações, entrem em contato com os pastores, familiares e membros das igrejas que trazemos neste espaço. Compartilhem experiências e animem-se mutuamente na caminhada da fé. Deus se agrada e abençoa tais iniciativas!

AGENDAS • BLOCOS E CUBOS • CADERNOS • CALENDÁRIOS • ÍNDICES TELEFÔNICOS IMPRESSOS E LIVROS PADRONIZADOS • PORTA-CARTÕES • PRODUTOS PLÁSTICOS • RISQUE-RABISQUES

Rotermund S.A. Ind. e Com. Av. Mauá, 2400 - CEP 93020 -190 Bairro Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil Fone: (51) 3589 5111 - Fax: (51) 3589 3381 comercial@rotermund.com.br

26 M

ensageiro

| Agosto 2011


| IELB EM RONDÔNIA |

FOTOs: arquivo editora concórdia

IELB – 40 anos em Rondônia

U

ma caminhada que percorreu as ruas de Cacoal e reuniu cerca de 1000 pessoas, um culto que teve participação de mais de 2000 pessoas – assim foi a comemoração dos 40 anos de atuação da IELB em Rondônia, no dia 19 de junho. O presidente da IELB, pastor Egon Kopereck, dirigiu a mensagem no culto de gratidão e destacou: “Grandes coisas fez o Senhor por nós, por isso, estamos alegres” (Salmo 126). Durante a celebração também foi lembrado o aniversário de 107 anos da IELB. O pastor Egon Eidam, que esteve no primeiro culto ministrado em Pimenta Bueno, 1971, participou da cerimônia festiva. A celebração reuniu 28 pastores dos Distritos Alto Rio Madeira e Rio Machado. Atualmente, a IELB alcança 70% dos municípios de Rondônia, onde conta com 11 mil membros e mais de 30 pastores. O pastor Roberto Schultz destacou que a IELB em Rondônia tem muitos motivos para festejar com verdadeira alegria: “A promessa de Deus de abençoar a sua Igreja nos motiva a continuar pregando a Palavra em solo rondoniense”.

A IELB em Rondônia O início dos trabalhos da IELB em Rondônia se deu na década de 1970. Os primeiros pastores foram Evaldo Maron e Egon Eidam,

que vieram de Cuiabá para dar atendimento aos imigrantes luteranos. Em 1971, foi celebrado o primeiro culto luterano no então Território Federal de Rondônia, na casa do sr. Alfredo Strey, em Pimenta Bueno. Em 28 de agosto de 1971, foi oficialmente fundada a primeira congregação luterana em Pimenta Bueno. No mesmo ano, os trabalhos começaram em Espigão do Oeste, e daí por diante não parou mais. Hoje, a IELB tem trabalhos em mais de 30 cidades de Rondônia. Além disso, a Igreja Luterana também se preocupou com a educação regular e, seguindo um lema antigo, “ao lado de cada igreja, uma escola”, a igreja trouxe a escola Ulbra para Rondônia. Inicialmente alojada em Ji-Paraná, onde cresceu e se desenvolveu trazendo progresso científico para região, e logo depois instalada em Porto Velho, onde hoje atende mais de 1.500 alunos.

Assembleia Legislativa homenageia IELB A sessão solene em homenagem aos 40 anos de existência da IELB em Rondônia foi realizada no dia 21 de junho, no plenário da Assembleia Legislativa, e reuniu autoridades, pastores e convidados de todo o Estado. A propositura da homenagem foi de autoria do deputado estadual Luizinho Goebel (PV)

que é membro da congregação em Vilhena. O pastor Egon Eidam foi agraciado com o título de honra ao mérito, o pastor Jorge Luiz Kopper recebeu o título de cidadão honorário do Estado de Rondônia e o pastor Walter Adolf Baminger foi honrado com uma placa comemorativa pelos 40 anos da IELB em Rondônia. Durante a cerimônia, foi celebrado culto com o tema “A Igreja comunica a Vida, acolhendo e integrando”, ministrado pelos pastores Fabrício Sobrosa Iung e Jorge Luiz Kopper. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valter Araujo (PTB), presidiu os trabalhos durante a solenidade. Em reconhecimento ao árduo trabalho que a IELB realiza no estado, o deputado destacou que este é mais um dos momentos ímpares que engrandecem o trabalho da Assembleia Legislativa de Rondônia: “Devemos reconhecer o esforço de quem trabalha pelo bem comum da população”. Valter disse que teve a sorte de conhecer a Palavra de Deus por intermédio de uma senhora em Cacoal durante uma etapa muito difícil de sua vida. “Agarrei esta oportunidade e consegui dar alegria a minha mãe e ao meu pai”, disse o m parlamentar bastante emocionando. TATIANA SODRÉ | Assessora de Comunicação da IELB com colaboração da Assessoria de Imprensa da Assembleia Legislativa de Rondônia Mensageiro | Agosto 2011

27


| INCLUSÃO |

Inclusão social, religiosa e esportiva DAIENE BAUER KÜHL Equipe Editorial Concórdia

FOTOs: arquivo editora concórdia

Surdos da AMIS de Novo Hamburgo, em participação inédita, conquistam o 4º lugar na Copa Brasil de Futsal para Surdos

A

Associação Missão Surdos (Amis), com sede em Novo Hamburgo, RS, participou entre os dias 23 e 25 de junho da Copa Brasil de Futsal para Surdos, em Jundiaí, SP. Os meninos da Amis ficaram em 4º lugar e conquistaram o direito de disputar a Copa Sul Americana de Futsal para Surdos, competição que ainda está em estudo se realmente acontecerá. Participaram dos jogos 24 Associações de todo Brasil. Para chegar a Jundiaí, a Amis participou primeiramente da Copa Rio Grande do Sul e após da Copa Sul de Futsal para Surdos. Em ambas, sagrou-se vice-campeã. De acordo com o pastor Gilberto Lange, presidente da Amis, a Associação com sua equipe de futsal começou com sua inscrição junto à FDSRS (Federação de Desporto dos Surdos do Rio Grande do Sul) neste ano. Isso lhe deu o direito de participar oficialmente das competições organizadas pela FDSRS e CBDS (Confederação Brasileira de Desporto dos Surdos).

Delegação Entre ouvintes e surdos, 20 pessoas foram a Jundiaí. O grupo ficou hospedado na Congregação Esperança, Campo Limpo Paulista, SP. O contato foi feito com o pastor local, Tiago Frederico, que mobilizou a comunidade. “Ao pastor, servas e congregação, desejamos as ricas bênçãos de Deus e de coração agradecemos pela acolhida e pelo carinho com que nos receberam”, agradece o pastor Gilberto. Os recursos, em primeira instância, foram providos pelos próprios surdos e por

recursos que a entidade tinha em caixa. “Nós iremos reaver o valor gasto, pois a Amis elaborou um projeto pedindo recursos financeiros para cobrir esta despesa junto a Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo. O projeto foi aprovado e todo o valor gasto com esta competição será ressarcido pela Prefeitura”, comemora Lange. Para os surdos, participar deste evento foi algo marcante não só pela competição, mas, acima de tudo, pela diversidade de cultura. Muitos surdos nunca tinham saído do

abcdefghijklmn

28 M

ensageiro

| Agosto 2011


Estado, e este evento possibilitou esta troca de conhecimento, de amizade, de integração, inclusive no que se refere à comunicação e aos sinais que cada região utiliza. “Além de participar de um evento de tão grande proporção, de nível nacional, nós testemunhamos a nossa fé através da Amis. Levamos o nome de nossa IELB, pois das 24 delegações que lá estavam, a Amis é a única que tem um vinculo com uma igreja e isso chamou muito a atenção dos demais participantes”, afirma.

Como surgiu a Amis A Associação Missão Surdos surgiu em virtude do trabalho do Distrito Vale do Sinos com surdos, primeiramente na Congregação São Paulo de Novo Hamburgo, RS, onde eram realizadas traduções simultâneas de cultos e instrução de confirmandos. Por iniciativa das Servas e dos Leigos juntamente com o pastor Arnildo Figur, desenvolveu-se um projeto chamado Missão Surdos no Distrito. Assim, em 2005, o pastor Gilberto Lange foi

chamado para trabalhar e atender especificamente aos surdos e suas famílias. Através desta possibilidade, de ter um pastor trabalhando exclusivamente com os surdos, o projeto cresceu e se desenvolveu rapidamente, aumentando também o número de surdos luteranos. De acordo com Lange, com o crescimento, as exigências também aumentaram. “Os Surdos queriam mais, queriam estar integrados e envolvidos no âmbito espiritual e social. Em virtude disso é que se idealizou e planejou durante dois anos a possibilidade de desenvolvermos mais atividades. Queríamos que estas envolvessem o espiritual, o desporto, o cultural, o profissional, a formação, a capacitação através de cursos diversos e a ação social”, reflete. Para poder manter este trabalho, só com as ofertas dos Departamentos e da Igreja ficaria impossível – o projeto necessitava de mais investimentos para atender as necessidades desta comu-

nidade. Logo, a Associação Missão Surdos foi fundada no dia 20 de agosto de 2009. “Através da Amis os trabalhos sociais poderão ser intensificados por nos permitir buscar recursos financeiros junto ao governo e a empresas”, explica o pastor. A Amis está vinculada ao Distrito Vale dos Sinos, de onde recebe apoio e auxílios. Além disso, também conta com a contribuição mensal dos Sócios, e de projetos específicos de captação de recursos. “A Amis também vem cooperar com a Igreja por ser um canal em que as comunidades podem elaborar projetos e buscar os recursos para desenvolverem suas atividades de cunho social e assistencial”, completa. A associação atende em média 150 surdos e seus respectivos familiares.

Depoimentos

Experiência fantástica de conviver diretamente com um grupo de surdos no alojamento, nas refeições, nos passeios e na competição esportiva. São gente como a gente para se emocionar, rir, chorar, se abraçar, fazer aquelas brincadeiras sadias... Experiência que me fez ver a necessidade de acolher e integrar cada vez mais a todos, principalmente aqueles que, às vezes, julgamos serem diferentes, aqui no caso os surdos. Destaque: A CEL Esperança de Campo Limpo Paulista, SP, que nos acolheu com a hospedagem e algumas refeições. Eles simplesmente adotaram o grupo e se envolveram com muita alegria. Não posso deixar de mencionar aqui a prontidão do pastor Tiago Frederico e sua esposa. Ponto positivo: A determinação, cooperação, união e alegria do grupo da Amis, sempre capitaneada pelo pastor Gilberto Lange. Ponto negativo: Nenhum neste evento! Mas gostaria de ver mais pessoas se envolvendo com a Linguagem de Sinais (Libras).

Assim, poderemos integrar e acolher melhor, fazendo jus ao nosso lema da IELB para 2011.

Arnildo Figur, conselheiro do Distrito Vale do Sinos

Entre os dias 22 e 26 de junho, a Congregação Esperança viveu dias inéditos na sua história. Recebeu o time de futsal da AMIS. Foram dias de muito aprendizado. Uma rica oportunidade para pôr em prática o que diz o lema da Igreja para este ano: “Acolher e Integrar”. Toda a Congregação se mobilizou, especialmente o Departamento de Servas no preparo de refeições para o grupo. A Congregação ainda teve a oportunidade de assistir a um culto traduzido em libras pelo pastor Gilberto Lange. No mesmo culto, o pastor Arnildo Figur dirigiu a mensagem. Ainda ao final do culto,

contamos com o depoimento de um dos jovens da Amis que, em nome de todo o grupo, deixou um muito obrigado pela hospedagem e a alegria de participar pela primeira vez de um campeonato brasileiro de futsal para surdos. Que o bom Deus continue a abençoar o trabalho destes pastores que se dedicam a levar a Palavra de Deus a pessoas que não podem ouvir. A eles e a Amis, o nosso muito obrigado pelos dias que compartilhamos. Pastor Tiago Frederico, Congregação Esperança, Campo Limpo Paulista

m

nopqrstuvwxyz Mensageiro | Agosto 2011

29


| ATUALIDADE |

FOTOs: arquivo editora concórdia

Seminário Internacional discute o Estado Laico e a Liberdade Religiosa

O

Conselho Nacional de Justiça (CNJ) promoveu, no dia 16 de junho em Brasília, o seminário internacional “O Estado Laico e a Liberdade Religiosa”, para analisar as questões que envolvem a relação entre o Estado e as organizações religiosas. O evento foi aberto pelo presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Cezar Peluso, que disse ser importante a discussão “para que a sociedade compreenda como o Estado democrático consegue disciplinar as relações entre esse caráter não confessional, ou não religioso, de um Estado com esse impulso profundo e natural do ser humano em relação à religiosidade”. O idealizador e coordenador do seminá-

30 M

ensageiro

| Agosto 2011

rio, ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, salientou que o objetivo principal é “justamente esclarecer conceitos, acabar com preconceitos e encontrar posições que sejam aquelas de equilíbrio entre relação Igreja-Estado”. Todos os painéis convergiram para uma necessidade de compreensão entre os vários modelos de relacionamento entre o Estado e as organizações religiosas. Destacou-se que o Brasil adota uma posição de neutralidade em relação a confissões de caráter religioso sem, no entanto, criar qualquer hostilidade à liberdade de consciência e culto, antes, protegendo todas as formas de expressão religiosa. Temas como Religião e Dignidade Humana, Consciências Privadas e Razões Públicas, Democracia e Laicidade, além de uma análise do acor-

do entre Brasil e a Santa Sé foram debatidos. Foram palestrantes do seminário: dr. Jorge Miranda, professor da Universidade de Lisboa e magistrado jubilado da Corte Constitucional de Portugal; dr. Kent Greenawalt, professor da Columbia Law School de Nova York, Estados Unidos, além de outros juristas e teólogos. Ao final do evento, a corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, disse que foi uma forma de o Conselho se antecipar na discussão deste tema de grande complexidade em todo o mundo e, desta forma, evitar a geração de conflitos em questões a ele relacionadas. A IELB esteve representada pelos pastores Valdemar Arend e Roberto Kunzendorff Junior, bem como pelo advogado Jean Marques Regina.


| TEOLOGIA |

A Bíblia no cotidiano FOTOs: arquivo editora concórdia

O 4º Simpósio Internacional de Lutero destacou a importância da Escritura Sagrada como parte da vida diária

M

artinho Lutero lia a Bíblia duas vezes por ano; um vendedor de churros no centro de São Leopoldo, RS, tem uma Bíblia aberta em seu trabalho; relatos de pastores mostram projetos que estimulam o contato com a Bíblia em congregações luteranas. – No 4º Simpósio Internacional de Lutero, entre 5 e 8 de julho, no Seminário Concórdia, São Leopoldo, RS, não apenas a relação de Lutero com a Bíblia foi estudada; a ênfase junto aos 230 participantes do evento também esteve sobre a importância da presença da Palavra na vida do cristão. As palestras foram dirigidas pelos doutores: Robert Kolb, da LCMS; Vilson Scholz e Ricardo Rieth, da IELB; Gilberto Silva, da SELK (Igreja Alemã); e Albérico Baeske, da IECLB. Os preletores abordaram hermenêutica, exegese, sistemática e prática pastoral, além de tradução e interpretação. Foi reafirmada a centralidade da Bíblia para a Igreja e para a prática luterana e, por

isso, a necessidade de constante revisão da abordagem, estudo, interpretação e aplicação do texto sagrado. Na sexta-feira, último dia do encontro, três projetos de estimulo ao contato com a Bíblia foram apresentados pelos pastores Arthur Benevenuti (Guarulhos, SP), Cláudio dos Santos (Santo Ângelo, RS) e Gunter Pfluck (Passo Fundo, RS). O evento foi encerrado com um painel de discussão entre os palestrantes e o hino Castelo Forte. Já em sua quarta edição, o Simpósio

Internacional tem por objetivo fomentar a pesquisa em Lutero e estimular os teólogos e pastores a aprofundarem-se no conhecimento da obra do Reformador Protestante, destacando sua relevância para a prática eclesiástica atual. Na edição de 2011, além de dezenas de pastores da IELB, estiveram presentes muitos estudantes do Seminário Concórdia e do curso de Teologia da Ulbra. Lucas Albrecht | www.toquedevida.blogspot.com

“Foi com satisfação que participei do Simpósio. Fiquei impressionado com o número de participantes – pastores, estudantes e leigos – e com o interesse manifestado por todos. Os organizadores foram muito felizes ao escolher a temática. Foi possível refletir sobre a importância da Escritura Sagrada na vida e na teologia de Lutero, bem como debater a respeito de eventuais reflexos disso para nosso contexto eclesial e social de hoje em dia. Não menos significativa, para mim, foi a possibilidade de reencontrar amigos com quem há muito tempo não tinha mais convivido.” Pastor dr. Ricardo Willy Rieth | Palestrante. Pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Ulbra.

Mensageiro | Agosto 2011

31


| DIVULGAÇÃO |

Projeto CD Louvor e Adoração percorre o Brasil FOTOs: arquivo editora concórdia

O projeto CD Louvor e Adoração está percorrendo o Brasil registrando o trabalho de diversos corais. Além de uma música escolhida por cada coral, todos gravam, cada um em sua cidade, a música “A Cristo Coroai” – todos os corais serão reunidos posteriormente em uma faixa bônus cantando juntos essa canção do Hinário Luterano. “Nesta faixa, teremos um grande coral virtual com mais de 400 vozes”, comenta o produtor Jeferson Mundel. Há corais inscritos do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rondônia. Na foto, está o coral regido pelo pastor Adalmir Wachholz, da Congregação Rei Jesus, Novo Hamburgo, RS. Para mais informações e inscrições de novos corais, contatar o professor Raul Blum no Seminário Concórdia pelo e-mail raulblum@yahoo.com.br.

Cultos luteranos em Três Corações No dia 25 de junho, aconteceu um Culto Luterano na Capela da ESA, Três Corações, MG, celebrado pelo pastor Arnaldo Hoffmann Filho da Congregação Bom Pastor, Belo Horizonte. Estiveram presentes 24 pessoas, dentre luteranos de Três Corações, Varginha, além de visitantes. O grupo, que recebeu todo o apoio do sr. Alexandre Hartmann, presidente da CEL Bom Pastor, e do líder leigo do Distrito Mineiro, Frederico Reis, decidiu realizar cultos no primeiro sábado de cada mês no mesmo local. O próximo culto será no dia 6 de agosto, às 18 horas, e estão convidados todos os luteranos que porventura residirem em cidades do Sul de Minas Gerais. Contamos com a ajuda de toda a IELB para divulgar a parentes ou amigos luteranos que possam participar! Segue alguns telefones de contato para mais informações: Pastor Arnaldo (Belo Horizonte): (31) 3241-1540 Frederico (Líder Leigo do Distrito Mineiro): (31) 3313-9175; Roni (Três Corações): (35) 9185-5497; Arlei (Três Corações): (35) 9116-0002; Ademar (Varginha): (35) 8846-2790; Claúdio (Varginha): (35) 3222-2939.

32 M

ensageiro

| Agosto 2011

X Fórum Ulbra de Teologia Data: 5 e 6 de outubro de 2011. Local: Auditório do prédio 11 – Canoas, RS. Informações: secteologia@ulbra.br ou pelo telefone (51) 3477-9229 Tema: O sofrimento e suas interfaces: desafios e perspectivas para o cuidado humano. Desdobramento do tema: implicações teórico-práticas. 1) O sofrimento do ponto de vista bíblico/ teológico/pastoral; 2) O sofrimento do ponto de vista existencial/filosófico; 3) O sofrimento do ponto de vista psicossocial. Cinco conferências com cinco reatores, sempre trazendo uma perspectiva teológica/pastoral. Poderá haver pequenas variações nos títulos das conferências. 1) O sofrimento do ponto de vista bíblico/ teológico; 2) Depressão: desvelando o sofrimento da alma; 3) Perspectivas teológicas do sofrimento em C.S. Lewis (autor do livro O Problema do Sofrimento (1940) e da série As Crônicas de Nárnia); 4) Sofrimento na Família (diante de diferentes tipos de violência); 5) Sofrimento, resiliência e fé: perspectivas para a superação das adversidades. Serão também oferecidos minicursos, de 1 hora de duração, sobre diferentes temas ligados ao sofrimento, e espaço para a apresentação de trabalhos e pesquisas relacionados à área.

Acesse o novo site da Editora Concórdia www.editoraconcordia.com.br


ANEL promove encontro sobre Confessionalidade e Competitividade “A Organização Administrativa a Serviço da Confessionalidade e Competitividade” – esse é o tema do 12º Encontro Nacional de Diretores e Mantenedores

das Escolas da Rede Luterana de Educação e do 1º Encontro Nacional de Capelania Escolar da IELB, promovido pela Associação Nacional de Escolas Luteranas (ANEL). Os eventos acontecem, simultaneamente, no Harbor Hotel Batel, de 19 a 21 de agosto, em Curitiba, PR. Na

programação, constam devoções, palestras, dinâmicas e trabalhos em grupo. Informações e inscrições: aneluteranas@uol.com.br ou pelo telefone (48) 3024-5609. Confira todas as informações e a programação dos eventos no www.escolasluteranas.com.br.

Estudantes visitam Editora Concórdia No dia 30 de junho, os estudantes do 6º ano do Seminário Concórdia, estiveram na Editora Concórdia para conhecer os colaboradores e alguns processos da empresa. Inicialmente, foi preparado um café da manhã para recepcionar os alunos, depois, cada colaborador pode se apresentar e falar um pouco sobre seu trabalho. Para o estudante Geomar Martins, 36 anos, a ideia de visitar e realizar a aula do dia na Editora foi muito interessante. “É a Editora que publica o material da IELB, e assim ficamos conhecendo os profissionais que lá atuam. Foi uma grande oportunidade para nós, futuros pastores, sabermos como é a Editora que vai ser nossa parceira no trabalho”, afirmou. Outro estudante, René Gehm, 43 anos, comenta que conhecer a Editora pode ter grande importância no trabalho congregacional depois. “Sou um dos poucos que já conhecia a Editora Concórdia e algumas pessoas. Agora, sendo estudante de Teolo-

gia, vislumbrando um futuro ministério, penso que conhecer mais especificamente o trabalho que cada um faz fica mais fácil para um futuro contato para aquisição de material e também para divulgação dos

produtos na congregação”. Esta é a segunda turma do Seminário que realizou uma aula na Editora. O professor Adilson Schünke e o editor Nilo Wachholz viabilizaram as visitas. Mensageiro | Agosto 2011

33


| VIRANDO A PÁGINA |

Senhor Jesus, estende as tuas mãos Leopoldo Heimann Pastor e professor emérito da IELB, São Leopoldo, RS

E

m 2011, a IELB recomenda as Perícopes dos Evangelhos da Série Trienal “A” como textos para as pregações nos cultos públicos. Para o mês de agosto, os quatro textos são muito bonitos. Logo, pensei em trazer o destaque para cada domingo assim: 1) Mt 14.22-33: “Jesus, estende as tuas mãos; 2) Mt 15.21-28: “Jesus, tem pena de mim”; 3) Mt 16.13-20: “Jesus, tu és o Messias”; 4) Mt 16.2128: “Jesus, por que valho mais que o mundo inteiro?”. Porém, o espaço não permite. Sendo assim, faço uma meditação sobre o primeiro texto que poderia servir como uma introdução para os textos de agosto. Todavia, recomendo a leitura do texto bíblico antes desta reflexão.

Jesus, estende as tuas mãos É que eu preciso delas assim como Pedro precisou. Há momentos em que penso ser irmão-gêmeo de Pedro: – Vejo Jesus como um fantasma, lá longe. E Jesus fica com pena de mim e se identifica: – Coragem! Sou eu, Jesus! Teu Salvador! Feliz, procuro caminhar sobre as águas agitadas do lago. Quero ver quem é Jesus. E Jesus me estimula e me prova: – Podes vir! E eu vou, fico com medo, oscilo; as dúvidas invadem meu coração, e eu começo a afundar. Então, grito para o Salvador: – Senhor Jesus, salva-me! Estou mergulhando! E Jesus me olha, ouve o meu SOS e então

Estende as suas mãos para mim! E acrescenta um pequeno “puxão de orelhas”: – Como é pequena a tua fé! Por que duvidaste? – Eu sei. Perdão, meu Deus! Mas sou salvo. As mãos de Jesus me seguraram. O temporal se acalmou. A bonança voltou. E eu confesso: – Jesus, tu não és nenhum fantasma. Não estás longe. – Tu és o Filho de Deus. – Tu és o meu Salvador. E agora, Senhor Jesus, eu me ajoelho e te adoro!

34 M

ensageiro

| Agosto 2011

Estende as tuas mãos, Senhor! Pedro precisou delas. Eu preciso delas. Os cristãos precisam delas. O mundo precisa delas. É que as tuas mãos estendidas • fazem milagres • nos abraçam • nos convidam • nos salvam • nos consolam • tuas mãos, Jesus, enxugam nossas lágrimas. Senhor Jesus, estende as tuas mãos • sobre mim • sobre meus familiares • sobre a minha igreja • sobre meus amigos • sobre meus vizinhos • sobre o Brasil • sobre todos os povos. Sei que tu o podes fazer. Confio na tua promessa: – Eu estou com vocês todos os dias! Por isso, Senhor, segura-me em tuas mãos – bem firme. Não me solta. Assim vou chegar lá, lá na “Casa de meu Pai”. Eu preciso chegar lá para te abraçar e agradecer. Eu preciso chegar lá para abraçar os meus queridos! Estou com muita saudade, Senhor! m

ir ouv asa m ué ac alg m su se e ; i ato are igo. e b entr m a t , o ta or ,c à p a por e ele u , o r est ele bri RA ue z e a com .20 A q s i o i 3 v e E a ar Ap inh e ce am


IELB

notícias

ENCARTE DO MENSAGEIRO LUTERANO - AGOSTO/2011

Morro Redondo, RS

Primeira igreja luterana do Brasil reinaugura templo

+

DESTAQUES

foto: Erhardt Vitor Hoffmann

N

o dia 29 de maio, realizou-se um culto festivo de reinauguração do templo da Congregação São João, Colônia São Pedro, Morro Redondo, RS. O pregador deste culto festivo foi o presidente da IELB, pastor Egon Kopereck, que foi batizado neste templo e membro desta congregação na infância. Foi na Colônia São Pedro que, em 1º de julho de 1900, o pastor Christian Broders, juntamente com 17 famílias da localidade, fundou a primeira congregação da IELB em solo brasileiro, a qual, juntamente com outras congregações fundadas antes de 1904 (ano de fundação da IELB) esteve integrada ao Sínodo de Missouri, EUA. Com o intenso êxodo rural na região nas últimas décadas, a congregação conta atualmente com 61 membros (23 famílias). O templo atual foi inaugurado em 1908. “Havia a necessidade urgente de reforma, pois o telhado ainda era o original e tinha muitas goteiras. Porém, num marco histórico como este, não poderíamos realizar uma simples reforma: havia a necessidade de restaurar o templo para mantê-lo o mais fiel possível ao original; porém, isso era financeiramente inviável somente com os

Cerca de 350 pessoas estiveram presentes na reinauguração e no almoço de confraternização recursos financeiros da congregação. Felizmente, Deus moveu corações tementes e agradecidos, que por longos anos foram alimentados na Palavra de Deus neste primogênito altar, a abraçarem a causa, juntamente com os atuais membros da CEL São João, tornando possível a realização desta obra”, relatou o pastor Timóteo Ramson Fuhrmann.

Com a parceria entre a congregação e os denominados “amigos de São Pedro”, a restauração foi concretizada. À tarde, corais e grupos vocais da congregação local e do Distrito Sul I também abrilhantaram a festividade neste local histórico para a IELB, entoando louvores num belo encontro de corais.

Culto nos lares no Paraná Ação Social em Jaraguá do Sul Estratégia Missionária em Joaçaba


IELB

notícias Aniversário da Congregação da Lapa A Comunidade Bom Pastor, Lapa, São Paulo, SP, comemorou 48 anos de atividades no dia 2 de junho. O culto festivo foi realizado no dia 19 de junho e contou com a presença de 175 pessoas. Também participaram do evento o Coral da Congregação, a Banda Jovem do Distrito Paulista e o Grupo de Dança Litúrgica de Interlagos. Em comemoração ao Dia do Pastor, foi feita uma homenagem aos pastores presentes. Ainda nesta cerimônia, foram dedicadas as novas instalações da Igreja e dependências, inclusive acessos e banheiro para pessoas com necessidades especiais. Uma torre de 14 metros de altura foi construída, conforme projeto original, dando agora uma nova visão para a Igreja na Lapa. Ao meio dia, foi servido, graciosamente, um churrasco, que contou com a presença de 160 pessoas, e não faltou o tradicional bolo de aniversário.

CONFIRMAÇÕES 1) Esteio, RS – Foram confirmados 13 jovens pelo pastor Nestor Duemes. Mais de 200 pessoas estiveram presentes. Em 15 de maio, na Congregação São João. 2) Carlos Barbosa, RS - Cinco jovens foram confirmados pelo pastor Adolfo Neumann. A mensagem do culto foi baseada em Is 49.15,16. Em 27 de fevereiro, na Congregação São Lucas. 3) Peabiru, PR - Cinco jovens confirmaram sua fé em culto dirigido pelo pastor Cristiano Mendes. Em 14 de novembro de 2010, na Congregação Cristo Redentor.

1

3

2

5

4

2

6

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

4) São Miguel do Oeste, SC - Dez jovens foram confirmados no dia 17 de abril, na Congregação Paz. Já no dia 12 de Junho, foi a vez de cinco jovens do Alto Guamerim (Interior de São Miguel do Oeste) confessarem a sua fé. As cerimônias foram realizadas pelo pastor Marlus Seling. 5) Ibirubá, RS - Aconteceu a confirmação de seis jovens em cerimônia realizada pelo pastor João Gilberto Hall. Em 22 de maio, na Congregação Emanuel. 6) Colatina, ES – Foram confirmados seis jovens em cerimônia realizada pelo pastor Joênio José Huwer. Cerca de 180 pessoas estiveram presentes no culto. Em 20 de fevereiro, na Congregação Jesus Senhor.


Ação Social em Jaraguá do Sul A CEL São Mateus, Água Verde, Jaraguá do Sul, SC, firmou parceria, no dia 27 de maio, com a Clínica Terapêutica Novo Amanhã, que trabalha com a recuperação de adictos (dependentes químicos). Assim foi consolidada a decisão da comunidade que, em dezembro de 2010, confirmou o apoio ao trabalho e a aproximação com a Clínica Novo Amanhã. O atendimento começou em junho de 2010 a pedido de um interno, amigo de uma família da congregação, que mais tarde foi recebido por Profissão de Fé. Atualmente, o atendimento é realizado semanalmente pelo pastor Marcos Sander e por duas voluntárias, Inge R. Kassner e Talita S. Strutz.

Pastor é instalado em Jaraguá do Sul

“Nosso objetivo é dar apoio espiritual e material tanto para as pessoas que buscam o tratamento quanto aos funcionários”, afirma o pastor.

Culto nos lares

fotos: arquivo editora concórdia

O dia 3 de julho foi uma data festiva para a Paróquia Ebenézer de Jaraguá do Sul, SC. Depois de seis meses sem pastor residente, foi instalado na Paróquia o pastor Sirio Klein Gretschmann. A mensagem do culto foi proferida pelo pastor conselheiro Waldir Léo Sabka, que tinha como base as palavras de Jesus: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” (Mt 11.28). Estiveram presentes no culto sete pastores do Dinoca e aproximadamente 150 pessoas.

Instalação do pastor Sirio Klein Gretschmann em Jaraguá do Sul

A Congregação São Pedro, Marechal Cândido Rondon, PR, está localizada em um bairro onde o asfalto ainda não chegou, o Jardim Primavera – o que, entretanto, em nada atrapalha o trabalho. Nesta Congregação e na Congregação São Lucas, as duas que formam a Paróquia Unidos em Cristo, foi realizado uma experiência muito bem sucedida: um culto nos lares. A data escolhida foi o quinto domingo de maio e o tema: o profeta Samuel. As cópias, com os hinos, orações e leituras foram distribuídas prontinhas às famílias, que deveriam reunir-se em locais escolhidos pelos próprios membros das congregações, no horário normal de culto. “Uma família estava com o vovô hospitalizado. Com os demais familiares, reuniram-se em seu quarto de hospital, transformando-o em local de culto. Deixaram a porta aberta para que as enfermeiras de plantão e vizinhos de quarto pudessem ouvir. Deus diz que a sua Palavra não volta vazia e, com certeza, não voltou vazia. “Quando vamos realizar o próximo?”, foi o pedido dos integrantes de um grupo. Em vista disso, já está sendo preparado novo culto nos lares para o quinto domingo seguinte”, relatou o pastor interino Valdemar Martin. Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

3


IELB

notícias Na Congregação Cristo, Marechal Cândido Rondon, PR, foi realizado um Culto Pomerano, no dia 10 de abril, com a presença de muitos visitantes. O pastor convidado a ministrar o culto na língua pomerana foi Avelino Vorpagel, Santa Maria de Jetibá, ES, região onde também há muitos pomeranos. A programação foi concluída com um saboroso almoço organizado pelos leigos da congregação. Já no culto do dia 21 de maio, nove pessoas foram recebidas como membros na Cristo. O culto foi ministrado pelos pastores Emerson Zielke e Romildo Wrasse.

Leopoldina Fischer, no dia 29 de dezembro de 2010, completou 90 anos. Comemorou esta data ao lado de suas cinco filhas, que louvam e agradecem a Deus pela mamãe dedicada e sempre preocupada. Com muita luta, dedicação e fé, Leopoldina enfrentou e venceu dificuldades, sendo sempre um exemplo de vida e fé para a família. Dona Leopoldina é ativa nos cultos.

Reunião de líderes em Manaus Entre os dias 27 e 29 de maio, em Manaus, AM, aconteceu o encontro do Conselho Distrital Amazônico, no qual o Distrito teve o privilégio de ter a presença do presidente da IELB, pastor Egon Kopereck.

Neste mesmo encontro distrital, realizou-se o curso de aperfeiçoamento para pastores. O preletor foi o professor e pastor Paulo Pietzsch, com o tema: a prática da Santa Ceia na IELB na tensão entre a “Teologia Oficial” e a “Teologia Popular”.

CEL Castelo Forte recebe membros No dia 18 de junho, foi batizado o jovem Gilcimar Rodrigues da Silva, e recebido, por Profissão de Fé, Leonardo Almeida

4

Guimarães de Souza na Congregação Castelo Forte de Vitória, ES. O culto foi dirigido pelo pastor Eiter Schneider.

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

Noite do Pastel em Parobé O departamento de jovens da Congregação São Lucas, Parobé, RS, realizou a 5ª Noite do Pastel no dia 21 de maio. O evento teve ajuda do departamento de servas da congregação e contou com a presença de outras uniões juvenis do Distrito Hortênsias e distritos vizinhos. “O lucro do evento será revertido para a aquisição do equipamento de som para a congregação”, comentou o pastor Fabiano Brusch Müller.

fotos: arquivo editora concórdia

90 anos Atividades na Cristo de Marechal Cândido Rondon


Crianças se reúnem em Mondaí

Encontro distrital de professores de Escola Dominical

Aconteceu, no dia 1° de maio em Mondaí, SC, o Congresso das Escolas Dominicais do Distrito Oeste Catarinense, tendo a presença de 93 crianças, mais professores e pais que acompanharam as crianças. O Lema foi A Oração, destacando 1 Ts 5.17: “Orai sem cessar”. Foram realizadas várias atividades: gincana bíblica, maquetes sobre textos bíblicos que falam da oração, Louvor e outras brincadeiras.

Foi realizado, no dia 18 de junho, na Congregação Cristo, Turvo, PR, o Encontro Distrital de Professores de Escola Dominical. Os trabalhos foram coordenados pelo pastor Jaime M. Grieleitow e por Margarida Iurk. Estiveram participando 30 professores do Distrito Paraná Centro. Os palestrantes foram o pastor Felipe Born e a professora Graziele Diedrichs. Para 2012, o encontro já está sendo programado.

bodas de casamento

No dia 26 de março, na companhia de familiares e amigos, aconteceu a cerimônia religiosa e festiva em comemoração às bodas de Diamante de Antônio e Elzira Pinz, residentes em Fraiburgo, SC, e membros da Congregação São Paulo. A cerimônia foi dirigida pelo pastor Dilosani Penning, tendo como texto base da mensagem o Salmo 115.114.

No dia 7 de maio de 2011, o casal Joel e Eni Alberto comemorou Bodas de Ouro e renovou o seu voto matrimonial, com troca das alianças, em cerimônia realizada pelo pastor Marco Antônio Clemente e mais três pastores amigos da família. O local da cerimônia foi na linha 144 Sul, Novo Horizonte do Oeste, RO. A cerimônia foi encerrada com a bênção e desejos de felicidades por parte dos parentes e amigos.

No dia 11 de junho, Artur e Marta Arnt celebraram Bodas de Ouro. A cerimônia foi realizada na Congregação São Paulo, linha Campo Grande, Santa Terezinha do Progresso, SC. O oficiante foi o pastor local, Leandro Nilmar Konflanz. Na presença dos filhos, netos e da bisneta, além dos amigos e familiares, o casal louvou e agradeceu a Deus pelos 50 anos de matrimônio.

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

5


IELB

notícias Confirmações e Batismo de adulto em Camaquã No dia 18 de março, dez jovens da Comunidade Concórdia de Santa Auta, Camaquã, RS, renovaram o seu voto batismal. Já no dia 25 de março, quatro jovens foram confirmados na Congregação Cristo Redentor. A mensagem em ambos os cultos foi baseada em Ap 2.10b, “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”, e dirigida pelo pastor Lídio Reus Penning. No dia 10 de abril, foi realizado o Batismo (adulto) de Edimar de Souza Martins na Comunidade Pentecostes, Capela Santo Antônio, Camaquã.

Confirmação de 10 jovens

Quatro jovens são confirmados na congregação Cristo Redentor

Edimar de Souza Martins e pastor

Novos membros em Novos membros Chapadão do Sul em Carazinho Foi realizado, no culto de Sexta-Feira Santa, 22 de abril, a Confirmação de dois jovens da Congregação Cristo Rei, Chapadão do Sul, MS, bem como a Profissão de Fé de três pessoas que residem na cidade vizinha de Costa Rica, onde um trabalho missionário foi iniciado em julho de 2010. O culto, dirigido pelo pastor Ivan Tresman, contou com a participação de 96 pessoas. “Hoje temos em Costa Rica nove membros e mais dois alunos na instrução de confirmandos. O atendimento está sendo feito com cultos quinzenais, onde aproveitamos para visitas, contatos e instrução”, explicou o pastor Ivan.

6

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

No dia 19 de setembro de 2010 foram recebidos novos membros na CEL Do Redentor, Carazinho, RS – seis por Profissão de Fé e um por Batismo. O culto foi oficiado pelo pastor Paulo Roberto Monteiro.


Estratégia Missionária em Joaçaba fotos: arquivo editora concórdia

A Congregação Santíssima Trindade, em parceria com o Colégio Luterano Santíssima Trindade, Joaçaba, SC, e com o Projeto Macedônia, no dia 18 e 19 de junho, iniciou uma nova forma de evangelização. A ideia era atingir os pais dos alunos do Colégio por meio da estratégia missionária desenvolvida pelo Projeto Macedônia, que treina e capacita os leigos na evangelização. Entre jovens, servas e leigos, 25 pessoas se dispuseram para este trabalho de campo. “Após uma palestra sobre evangelismo e missão no dia 18 de junho à noite e treinament o n o do mingo pela manhã, à tarde fomos a campo. Visitamos e entregamos livretes da Hora Luterana para 32 pais de alunos que pediram

por uma segunda visita, que faremos no início de setembro. Os testemunhos dos participantes foram positivos e empolgantes”, comentou o pastor Alisson Schröpfer da Silva.

FalecimentoS Hugo Ernesto Drews, nascido em 5 de fevereiro de 1922, na cidade Solidez, Canguçu, RS, filho do pastor Augusto G. e Martha O. Drews, faleceu em Curitiba no dia 9 de dezembro de 2009, depois de alguns meses enfermo. O pastor Kurt Albrecht confortou seu filho, Paul Lucas, sua nora, Angela, e sua neta, bem como familiares e amigos no ato do sepultamento. Plínio Severo Guimarães, cunhado do Hugo Ernesto, o seguiu após sete meses, ao chamado do Senhor, em 9 de julho de 2010, Porto Alegre, RS. Nascido em Santa Vitória do Palmar, em 6 de novembro de 1926, era filho de Rui Moreira e Virgília Mendes Guimarães e membro da Congregação Concórdia. Os pastores Roberto

Kunzendorff Junior e Cristian Dolvitsch realizaram a cerimônia, dando, em sua mensagem de consolação, a certeza do reencontro à esposa, Eli Marta, às filhas, Regina, Marta e Vera Maria, bem como a familiares e amigos. A família, sensibilizada, agradece aos pastores e aos amigos pelo carinho e pelas palavras de conforto. Melides Fries Albrecht faleceu no dia 3 de junho, cinco dias antes de completar 89 anos. Nascida no dia 8 de junho de 1922 em Getúlio Vargas, RS, Melides foi casada com Otto Albrecht, com quem transferiu residência para

Marechal C. Rondon, PR, em 1959. Deixa enlutados filhos, genros, 33 netos e 37 bisnetos. A mensagem de consolo teve por base o hino do HL 88-8: Assim é bom morrer (Ap 21.4). Lucia Eisen Schenknecht faleceu no dia 23 de maio, aos 57 anos, vítima de infarto. Lucia era filha de Hermann e Hilda Eisen e membro da Congregação São Mateus, Nova Santa Rosa, PR. Deixou enlutados o pai, irmãos e enteados, por parte de seu esposo já falecido, além de muitos amigos. A cerimônia fúnebre foi dirigida pelo pastor local, Marcos Glass.

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

7


IELB

notícias

JELB - Juventude Evangélica Luterana do Brasil

Ofertar com dons e talentos Este tema já foi, é, e sempre será muito abordado nas comunidades, grupos de estudos e também em grupos de jovens. Mas apesar de se falar muito sobre o ofertar, muitas pessoas têm certa dificuldade em fazer suas ofertas regulares, e com os jovens não é diferente! Alias, é até mais comum do que se imagina. Quando se fala em ofertas, logo se pensa em dinheiro! Claro que a oferta em dinheiro é importante para o trabalho e a continuação da Igreja, das comunidades e da JELB também! Por exemplo, são as ofertas para a JELB que mantém o site no ar, que permitem a realização dos projetos, ajuda o CG a visitar uniões juvenis e a participar dos congressos regionais e distritais. Mas e aqueles jovens que ainda não

trabalham ou que não têm sua própria renda? Como vão ofertar? O que vão ofertar? Deus nos abençoou com diversos dons: na música ou no teatro; com números ou palavras; para falar e testemunhar; ser líder; ser organizado; ser criativo; saber cozinhar; criar figurinos, etc.; seja qual for sua habilidade, Deus quer que as usemos para o trabalho na Igreja! Pense nas coisas que você gosta de fazer e onde pode ajudar na sua comunidade ou união juvenil. Ou então, fale com seu pastor e diga que você quer ajudar! Seja nas leituras, fazendo cafezinho, arrumando as flores para o altar, dando escolinha bíblica, recepcionando os visitantes, ou em tantas outras atividades E para os jovens que já têm seu próprio

salário, quanto e como ofertar? A resposta é simples, oferte o que o coração disser! Mas sempre separe a primeira parte da sua renda e não o que “restar” desta. Oferte na sua comunidade ou na sua união juvenil, mas oferte também para a JELB! Nós, jovens, podemos ofertar diretamente para o trabalho da JELB! A JELB precisa do apoio de todos os jovens! Não importa o valor, mas se cada um ajudar com um pouquinho, seja cinco ou dez reais por mês (ou quanto você puder), a JELB poderá fazer muito mais pelas uniões juvenis e por seus jovens. Ou seja, por mim e por você! Enfim, ajude com seus dons e talentos! Entre em contato conosco (jelb@ jelb.org.br) para saber mais sobre como ajudar a JELB.

Você já conhece o GaragemJELB? O projeto GaragemJELB começou neste ano e já está com várias músicas de Uniões Juvenis (UJ’s) do Brasil inteiro. O vice-presidente do Conselho Geral da JELB e coordenador do projeto, Lucas Albuquerque, explica como o projeto funciona e quais são seus objetivos. Curte só: Como funciona o projeto GaragemJELB? O funcionamento do GaragemJELB é bem simples, sem mistérios. O jovem manda o vídeo ou mp3 com a letra cifrada, e nós do CG, após uma análise do seu conteúdo, publicamos no espaço do GaragemJELB no site da JELB. Qual é o seu objetivo? Sempre ouvi falar que a Igreja Luterana era conhecida como a Igreja que canta – e isso é verdade. O objetivo do GaragemJELB, primeiramente, é louvar a Deus nos diferentes ritmos, batidas, acordes e vozes. Queremos divulgar o que os luteranos estão cantando e escrevendo. Tem muita música boa sendo feita (ou reeditada) e o GaragemJELB vem para mostrar isso. Da mesma forma, para quem quiser aprender uma nova música para cantar

8

em sua juventude, basta entrar no site e visitar o Catálogo de Músicas. Quem pode participar? Você! Você pode participar – seja com sua banda ou com sua dupla, trio, quarteto, etc. Pode ser coral também. Ou seja, o GaragemJELB é um espaço aberto para você mostrar o seu dom dentro da área musical. Por que GaragemJELB? Quando pensamos em realizar o projeto nesses moldes, o primeiro nome que veio a nossa cabeça foi “Garagem do Faustão” (risos). É até engraçado pensar nisso, mas foi o nome que passou por nossa cabeça. E resolvemos adotar o “garagem”. Eis que surgiu o GaragemJELB. Ficou um nome legal, então decidimos ficar com ele. Como está a participação dos jovens no projeto? Até agora, devemos ter uns dez vídeos publicados em nosso site. Ainda é pouco para a Igreja conhecida como “a Igreja que canta”. Sabemos que têm muitas pessoas talentosas,

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

então, queremos motivá-las a gravar um vídeo ou mp3 e nos enviar. Não precisa ser uma superprodução hollywoodiana, basta ter um bom áudio. Onde as músicas podem ser encontradas? As músicas podem ser encontradas no site da JELB, no ícone do GaragemJELB, na seção últimas músicas, e também no Catálogo de Músicas, onde pode ser encontrado todo o material já enviado. Lucas, qual mensagem você deixa para os jovens? Estamos muito felizes pelas músicas que já recebemos para o GaragemJELB. Esperamos o envio de mais material dos jovens, pois ele poderá fazer a diferença em uniões juvenis de todo o nosso Brasil. Também não deixe de acessar o site para conferir tudo o que já foi lançado e assim começar a louvar com as novas músicas em sua UJ e congregação. Rogamos a Deus que nos guie neste trabalho para sua honra e glória. Confira as músicas no site http://www.jelb. org.br/garagem-jelb-2/


LLLB - Liga de Leigos Luteranos do Brasil

Congresso no Distrito Missioneiro Aconteceu, no dia 22 de maio, o 53º Congresso de Leigos do Distrito Missioneiro – DIMIS. O congresso aconteceu na Congregação Cristo, Linha Sete de Setembro, Santa Rosa, RS, sob o tema: Leigos – Braço Forte da Igreja – o trabalho conjunto de pastores e leigos no serviço de Deus. Foi palestrante o pastor Bertram Kaufmann, Giruá, RS. A LLLB foi representada por Dulcídio K. Figur e Otto Pinz, integrantes da diretoria, que deliberaram sobre os projetos da LLLB e levaram uma saudação fraterna da diretoria. À tarde, o congresso prosseguiu com um encontro esportivo.

Mais árvores plantadas pelos 40 anos da LLLB A Congregação São João, Porto Mendes, e a Congregação São Paulo, Santa Helena, ambas do Distrito Lago Itaipu, PR, comemoraram seus 50 anos de bênçãos e fizeram o plantio de uma árvore alusiva aos 40 anos da LLLB. Membros da diretoria da LLLB estiveram presentes nos dois eventos.

Fundação dos leigos em Belo Horizonte Os leigos da Congregação Cordeiro de Deus, Belo Horizonte, MG, em culto com mensagem dirigida pelo pastor Edson Oliveira, sob o lema “Vamos também nós para morrermos com ele” (Jo 11.16b), fundaram seu departamento de Leigos no dia 11 de junho. A cerimônia contou com o coral da igreja e com a participação dos leigos que, em momentos do culto, trouxeram testemunhos da sua vida na igreja, mensagens com palavras de incentivo ao grupo e hinos.

Congresso do Distrito Sete Quedas

Os leigos do Distrito Sete Quedas estiveram reunidos para o 5º Congresso de Leigos na Congregação Trindade, Maripá, PR, no dia 22 de maio. O Congresso, sob a presidência de Hedio Hettwer, contou com a participação de 50 pessoas além dos pastores do distrito. O lema do Congresso foi: Um só coração com Cristo e a Igreja (Ef 3.14-18). A palestra foi proferida pelo pastor conselheiro da LLLB Cleydes Kloss. Estiveram representando a LLLB o vice-presidente, Ildo Hoffmann, e o vice-secretário, Guido Hübner. Além da entrega dos botons por parte da LLLB aos pastores e presidentes de congregações, foi feito o plantio de uma árvore no pátio da igreja em comemoração aos 40 anos da Liga Nacional. (Confira a nova diretoria eleita no site da LLLB.)

XV Congresso Distrital Paraná Sul No dia 5 de junho, na Congregação Ressurreição, Imbituva, PR, os leigos do Distrito Paraná Sul estiveram reunidos em seu 15º Congresso Distrital. O encontro contou com a participação de 125 leigos e teve como lema: Acolher e Integrar o Leigo na Igreja. O Congresso foi presidido por Elio G. Pesck, presidente distrital, sendo assistido pelo pastor conselheiro Odil Sonntag. Os leigos da Congregação Paz, Irati, dirigiram a devoção. A palestra, sobre o lema do Congresso foi proferida pelo pastor Cleydes Kloss. A Banda Káris conduziu os momentos de louvor. Representando a LLLB estavam o presidente, Oldemar Rohloff, o vice-presidente, Ildo Hoffmann, e o pastor Kloss. Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

9


IELB

notícias Congresso Divali

Visita a Congregação Cristo de Caldas Novas

Leigos e Servas do Distrito Vale do Itajaí estiveram reunidos em Congresso Distrital no dia 22 de maio em Balneário Camboriú, SC. O evento aconteceu na Escola Municipal Armando C. Ghislandi, sob o lema: Tudo posso naquele que me fortalece (Fp 4.13). Leigos e Servas estiveram reunidos na parte da manhã para uma palestra com Sandra Regina A. Becker, com o tema: Acolhendo e Integrando na expansão da Igreja. Na parte da tarde, cada departamento se reuniu separadamente para tratar dos seus assuntos. A LLLB foi representada pelo secretário Rudi Bär, e estiveram presentes, aproximadamente, 300 pessoas.

Com muita alegria e entusiasmo, a LLLB, representada pelo seu presidente, Oldemar Rohloff, e pelo seu vice-presidente, Ildo Hoffmann, visitou a Congregação Cristo, Caldas Novas, GO, no dia 22 de junho. O pastor Milton Fernandes dos Santos e seus congregados foram os recepcionistas. Depois de falar dos projetos da Liga Nacional, cada membro recebeu um boton da Liga, firmando seu comprometimento com a LLLB. Para marcar os 40 anos da LLLB, foi plantada uma árvore no terreno adquirido para da congregação construção da capela. Participaram do evento cerca de 40 pessoas.

LLLB visita leigos da Expectativa

Liga visita Congregação Paz de Iguipora No dia 11 de junho, representantes da LLLB (pastor conselheiro Emerson Zielke, presidente, Oldemar Roholoff, vice-presidente, Ildo Hoffmann) foram convidados pela Congregação Paz de Iguipora, Distrito de Marechal Cândido Rondon, PR, para exposição dos trabalhos da Liga e do plantio da árvore alusiva aos 40 anos de fundação da LLLB. A CEL Paz através do pastor, Elmer Jagnow, e do seu presidente, Nilmo Schwanke, bem com o presidente da Paróquia, Teobaldo Borth, manifestaram todo apoio à Liga.

No dia 29 de junho, o pastor conselheiro Emerson Zielke, o presidente, Oldemar Roholoff, o vice-presidente, Ildo Hoffmann, e, da parte do Conselho Fiscal, Sandro Zastrow representaram a LLLB na CEL Expectativa de Cascavel, PR, a convite do pastor Sandro Krüger e do presidente do departamento de leigos da Congregação, Carlos Woss. Embora sendo uma noite muito fria, os leigos se fizeram presentes para ouvirem a respeito dos projetos e trabalhos da Liga Nacional, manifestando todo o seu apoio aos projetos e pedindo filiação do seu departamento, recentemente formado. O encontro foi finalizado com uma janta preparada pelas servas.

10 M

ensageiro

| Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

Avisos da LLLB Acessem o site da LLLB e façam seu cadastro para receberem o jornal eletrônico. Tesouraria: Winfried Arno Hübner (vice: Valdir Weirich) Conta: Caixa Economica Federal – Marechal Cândido Rondon, PR Banco 104 | Ag 0968 | Operação 013 (Poupança) | Conta 52674-1 Favor informar depósitos realizados para LLLB pelo e-mail lllb.secretaria@hotmail.com ou pelo telefone (45) 9948-0250 (Rudi).


Indicadores da IELB Valores Válidos para agosto/2011 IEG= 1,5913 POUP= 2,5537 IFAPAI= 3,3260 IFPP= 3,4429 Rentab. [Líquida] (mensal atual) FPP/FAPAI = 0,7714 % Poupança = 0,6235 Política de Subsistência Pastoral: Básico: R$ 2.017,00 (válido a partir de abril/2011) Anuênios (cada ano pós formatura) (1º ao 15º) =R$ 72,61 e (16º ao 20º) =R$ 36,31

Encontro da família Zielke Nos dias 5 e 6 de março, nas dependências da Congregação Cristo, Bom Jesus do Oeste, Paróquia Ebenézer, Tigrinhos, SC, reuniram-se para mais um encontro os descendentes da família de Rudolf Zielke. O encontro teve como tema: Família Acolhida e Integrada. O devocional de abertura foi dirigido pelo pastor Emerson Zielke e sua esposa, Ronsangela; a noite cultural, por Eldomar e Romilda Zielke (Toledo). No domingo, foi realizado o culto dirigido pelo pastor local, Nestor Hubner,

e pelo pastor representante da família, Emerson Zielke, de Marechal Cândido Rondon, PR. Como em todos os eventos, o encontro de gerações tem se mostrado uma bonita oportunidade de rever parentes e amigos. “Em todos os encontros que já foram realizados, sempre temos dado glórias a Deus que, de geração em geração, tem nos conduzido pela fé em Cristo Jesus rumo à Pátria Celeste”, afirmou o pastor Emerson, bisneto de Rudolf Zielke.

Contribuições das Congregações

Obs: Lembramos a ênfase da livre negociação entre congregações e pastores. Não deveria ser menor que os valores acima indicados.

renato bauermann Tesoureiro da IELB

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias

11


IELB

notícias

Ordenações e Instalações

Lucas Mesquita Barbosa – no dia 28 de novembro de 2010, instalado como pastor na CEL De Rio Claro, São José do Rio Claro, MT, pelo pastor Ilto Celvino Mathias. Era pastor em Rondonópolis, MT. Breno Cláudio Thomé – no dia 12 de junho de 2011, instalado pastor coordenador da CEL Cristo, Lajeado, RS, pelo segundo vice-presidente da IELB, pastor Geraldo Walmir Schüler. Era pastor emérito. Emerson Tyski – no dia 12 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL São João de Picada da Cruz, Cerro Grande do Sul, RS, pelo Secretário da IELB, pastor Rubens José Ogg. Era pastor em Cerro Branco, RS. Jonas Roberto Flor – no dia 12 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL Paz, Rio de Janeiro, RJ, pelo Conselheiro do Distrito Rio de Janeiro, pastor Joel Müller. Era pastor cedido à Igreja Evangélica Luterana Portuguesa. Marcelo Fiedler – no dia 12 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL Mestre Jesus, Gramado, RS, pelo Conselheiro do Distrito Hortênsias, pastor Arnildo Adair Schmidt. Era pastor no Jardim Eldorado, Caxias do Sul, RS. Valdomiro Hartwig – no dia 12 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL São Pedro, Três de Maio, RS, pelo conselheiro do Distrito Noroeste Gaúcho, pastor Herberto Much. Era pastor em Santa Clara do Ingaí, Quinze de Novembro, RS. Samuel Neunfeld Vorpagel – no dia 18 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL Cristo, Vivo de Jaru, RO, pelo presidente da IELB, pastor Egon Kopereck. Era pastor em Alto Barra Encoberta, Itarana, ES.

Eliseu Krummenauer – no dia 19 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL Ressureição, Nova Santa Rita, RS, da PEL São Paulo de Canoas, RS, pelo assessor de Ação Social e coordenador de Projetos da IELB, pastor Mario Lehenbauer. Era pastor em Toledo, PR. Fabiano Brusch Müller – no dia 19 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL São Lucas, Parobé, RS, pelo conselheiro do Distrito Hortênsias, pastor Arnildo Adair Schmidt. Era pastor em Campinas, SP. João Janke – no dia 19 de junho de 2011, instalado como capelão universitário da ULBRA no campus de Canoas, RS, pelo Conselheiro do Distrito Vale do Rio Gravataí, Rev. Iderval Strelhow. Era capelão hospitalar em Porto Alegre, RS. Thomas Heimann – no dia 19 de junho de 2011, instalado como coordenador do Curso de Teologia da ULBRA no campus de Canoas, RS, pelo conselheiro do Distrito Vale do Rio Gravataí, pastor Iderval Strelhow. Era professor de Cultura Religiosa em Canoas, RS. Waldemar Garcia Carvalho Júnior – no dia 26 de junho de 2011, instalado como pastor em atividade diversa na função de gerente do Centro de Distribuição da Sociedade Bíblica do Brasil, na CEL da Cruz, Porto Alegre, RS, pelo segundo vice-presidente da IELB, pastor Geraldo Walmir Schüler. Era pastor em Imbituva, PR. Walter Eidam Júnior – no dia 26 de junho de 2011, instalado como pastor na CEL Jesus Salvador, Butiá, RS, pelo conselheiro do Distrito Porto-Alegrense, pastor Paulo Kerte Jung. Era capelão escolar no bairro Estância Velha, Canoas, RS. Rony Ricardo Marquardt Pastor, Assessor da IELB

CONtatos da ielb PRESIDENTE - Egon Kopereck presidente@ielb.org.br

PEM - Adilson Schünke adilson@ielb.org.br

1º VICE-PRES. - Arnildo Schneider arnildo@ielb.org.br

PROJETOS - Mario Lehenbauer mario@ielb.org.br

2º VICE-PRES. - Geraldo Schüler geraldo@ielb.org.br

GERAL ielb@ielb.org.br

SECRETÁRIO - Rubens Ogg rubens@ielb.org.br

TELEFONE (51) 3332-2111

TESOUREIRO - Renato Bauermann renato@ielb.org.br

12 M

ensageiro

| Agosto 2011 | Encarte IELB Notícias


Mensageiro das Crianças Encarte do Mensageiro Luterano de agosto de 2011

Acolhendo e Integrando

MC Historia Keite - Estou curiosa e acho que nossos leitores também. Vamos saber qual viagem foi feita e que surpresa aconteceu. Dibbs - Jesus e os discípulos tinham alimentado muita gente. (Se quiser saber como e quantas ele pessoas, leia Mateus 14. 13-21.) Logo após terem alimentado aquelas pessoas, Jesus mandou que os discípulos entrassem no barco e seguissem viagem. Keite - Jesus não foi com eles? Dibbs - Não. Jesus foi a um monte para orar sozinho. Enquanto orava e o barco navegava, os discípulos tiveram algumas surpresas. Keite - Quais surpresas? Dibbs - Veio um vento forte e o barco balançou muito. De repente, eles olharam e viram um vulto que caminhava em cima das águas. Keite - Um vulto? Que susto! O que era este vulto! Dibbs - Pensaram que era um fantasma e gritaram de medo. Keite - Mas o que era?

MC agosto.indd 1

Dibbs - Era Jesus! Daí, Pedro disse: “Se é o Senhor, manda eu ir caminhando sobre as águas”. E Jesus disse: “Venha”. Ele foi e, enquanto olhava para Jesus, não afundou. Mas, na hora em que olhou para baixo, ficou com medo e começou a afundar. Keite - Ele afundou? Dibbs - Jesus deu a sua mão para ele e o salvou. Aí, os dois subiram no barco e Jesus acalmou o vento. Keite - Os discípulos ficaram alegres ao verem Jesus e o que ele fez? Dibbs - Eles se alegraram e adoraram Jesus. E Hoje, ele continua nos salvando das dificuldades pelas quais passamos e, principalmente, ele nos salva dos nossos pecados, pois ele é o Filho de Deus. Sendo Jesus o Filho de Deus que veio ao mundo para nos salvar, ele tem muitas histórias para nos contar e uma delas é sobre o valor que dá as crianças, portanto, não percam o próximo número desta revista para saber sobre isso. Célia Marize Bundchen

12/7/2011 17:20:45


MC Atividades Agora, vamos fazer as atividades deste mês. E, como filhos queridos do Pai Celeste, vamos lembrar também do nosso pai aqui na Terra, pois, em agosto, comemoramos o Dia dos Pais.

1

Pinte a figura e enfeite a mesma com papel celofane verde claro para fazer a água.

2

Coloque as palavras que estão no quadrado no lugar certo e verá o que aparecerá no destaque.

JESUS - MEDO - MADRUGADA - ONDAS - DISCÍPULO - BATIAM - EXCLAMARAM VENTO - FANTASMAS - ANDANDO - VULTO - ADORARAM - SALVOU

2

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte Mensageiro das Crianças

MC agosto.indd 2

12/7/2011 17:20:46


J E S U S S A L V A D O R

3

Complete as frases, usando as palavras que estão no quadrado acima.

Jesus estava _______________ no mar e um __________________ quis andar também. Este andou um pouco e teve _______________. Os discípulos pensaram que _______________ era um _______________. Era ________________ e tinha _______________ e muitas _______________. Os discípulos _________________ porque ele os _______________. Nós também adoramos a Jesus porque ele é o nosso ____________________.

4

Vamos lembrar que este é o mês do Dia dos Pais e vamos agradecer a Deus por cuidar e salvar também nossos pais Vamos dizer para Jesus: Obrigado, Senhor, porque também és o Salvador de nosso papai. Queremos que o Senhor continue abençoando e protegendo-o todos os dias. Em nome de Jesus. Amém.

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte Mensageiro das Crianças

MC agosto.indd 3

3

12/7/2011 17:20:46


5

Vamos fazer um cartão para o papai. Pegue um pedaço de papel, faça um desenho bem bonito, demonstrando alguma atividade que você adora fazer com o seu pai, e copie a mensagem que está no quadro abaixo: Querido Papai! Eu agradeço a Deus por ter você para me orientar e cuidar de mim. Obrigado, porque me ensinou sobre Jesus, nosso Salvador! Parabéns, nesta data querida. Abraços.

Vamos rever uma bela história Bíblica? “Que Homem é este que manda até no vento e nas ondas?” (Mc. 4.41b) Você já ouviu esta pergunta? Pois é, os discípulos de Jesus fizeram esta pergunta após um acontecimento em suas vidas.

Quando estamos com medo, ajuda ter alguém por perto. Quando os discípulos de Jesus estavam no barco com ele e a tempestade veio, ficaram com medo ao verem aquelas ondas enormes batendo com força contra o barco. Muitas vezes, ficamos com medo quando estamos sozinhos, ou quando a luz se apaga. Mas, se a mamãe ou o papai estiverem por perto, ou mesmo alguém que confiamos, sentimo-nos seguros. Esta história nos ensina que Jesus está sempre conosco. Ele é poderoso para cuidar de você e de mim. Não precisamos ter medo, pois podemos confiar em Jesus. Ele disse: “Estou convosco todos os dias” (Mt. 28.20). Você conseguiu descobrir o nome da história que narramos aqui? A história é _____________________________________________________________

Célia Marize Bundchen

Um dia, à tardinha, Jesus disse aos discípulos: − Vamos para o outro lado do lago. Então, eles mandaram o povo embora. Em seguida, entraram no barco em que Jesus estava e foram com ele. Começou a soprar um vento muito forte, e as ondas batiam de tal maneira contra o barco que ele já estava ficando cheio de água. Jesus estava dormindo na parte de trás do barco, com a cabeça num travesseiro. Então os discípulos o acordaram, e disseram: - Mestre! Nós vamos morrer! O Senhor não se importa. E Jesus os socorreu. Ele acalmou o mar e o vento. Jesus tinha e tem poder para isso. Ele se levantou e ordenou ao vento e às ondas: − Fiquem quietos! O vento parou e tudo ficou calmo. Aí Ele perguntou: − Por que é que vocês são assim tão medrosos? Por que não têm fé? E eles, apavorados, cheios de medo, diziam: − Que homem é este que manda até no vento e nas ondas?

Desafio do mês O desafio deste mês será diferente! Queremos que você recorte de revistas e jornais, e cole em uma folha, figuras que mostrem a beleza da primavera. Mande a sua montagem até o dia 20 de setembro para:

Andressa

4

Mensageiro das Crianças Av. São Pedro, 633 Bairro São Geraldo CEP: 90230-120 - Porto Alegre, RS

Mensageiro | Agosto 2011 | Encarte Mensageiro das Crianças

MC agosto.indd 4

12/7/2011 17:20:47


Mensageiro Luterano - Agosto 2011  

Mensageiro Luterano do mês de Agosto de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you