Issuu on Google+


IELB

notícias ENCARTE DO MENSAGEIRO LUTERANO - OUTUBRO/2011

Ivaiporã, PR

+

DESTAQUES

Foto: Arquivo Editora Concórdia

A Congregação São Paulo, Ivaiporã, PR, está desenvolvendo um trabalho em parceria com a Secretaria de Ação Social do Município. Através de trabalhos realizados em escolas, com a ajuda da Hora Luterana e da Secretaria Municipal de Educação, as autoridades locais conheceram o trabalho da IELB na cidade. A Secretaria de Ação Social confiou à Congregação a oportunidade de acolher e integrar, junto aos membros, as crianças sob tutela do abrigo municipal. Além de abraçar a oportunidade, a Congregação esta empenhada em melhorar a qualidade de vida dessas crianças, realizando campanhas de arrecadação de roupas infantis, brinquedos e alimentos a serem destinados ao abrigo e às famílias carentes. A Congregação, subsidiada pelo Distrito e pela IELB, trabalha para que os recursos sejam suficientes para manter as atividades. Segundo relato das professoras Cristina Velmer, Tereza Correia e Lucia Sheifer, as aulas poderiam ser ainda mais agradáveis

Trabalho da Escola Dominical em Ivaiporã

para as crianças se fossem utilizados recursos visuais como flanelógrafo, livros pop ups e materiais didáticos e musicais, como cancioneiros e CDs infantis. A fim de levantar fundos necessários para manutenção deste trabalho, a Congregação São Paulo conta com as ofertas

de culto das crianças e realiza a venda das latinhas de bebidas consumidas em eventos da comunidade. Na foto, o empenho das professoras da Congregação, junto aos alunos e membros, ao compartilhar com essas crianças o Evangelho de Cristo Salvador.

Família é recebida em Santarém Igreja Luterana de Alagoas faz 30 anos Congregação centenária em Erechim


IELB

notícias Igreja Luterana em IELB é homenageada Alagoas faz 30 anos em Ji-Paraná FotoS: Arquivo Editora Concórdia

“A Igreja Luterana celebra 30 anos e o presente é seu.” Foi com essa proposta que a Congregação Cristo Redentor, Maceió, AL, mobilizou os luteranos da região para as comemorações do 30º aniversário da Igreja Luterana em Alagoas. Com camisetas, adesivos e faixas, no dia 6 de agosto, os moradores da capital alagoana que passaram pelos principais sinais de trânsito da cidade receberam como presente o livrete Mensagem de Esperança para Você. Segundo o pastor Márlon Hüther Antunes, foram distribuídos 1.000 exemplares em menos de uma hora. O trabalho foi desenvolvido em parceria com a Hora Luterana, FAPI e ofertas especiais. Já no dia 7 de agosto, ocorreu um culto de Ações de Graças, contando com a presença de representantes distritais. A proposta da celebração foi reunir todos os luteranos de Alagoas. O encerramento das atividades foi marcado por uma feijoada, servida à sombra da área externa.

A Câmara de Vereadores de Ji-Paraná, RO, homenageou, no dia 28 de junho, a Igreja Evangélica Luterana do Brasil pelos seus 107 anos e pelos 40 anos de presença no Estado de Rondônia, através de moção de aplausos. Em discurso no plenário, o pastor Adalberto Gross destacou que a Igreja Luterana em Rondônia possui 12 mil membros e frisou a importância da Igreja no Brasil. “É melhor ter igrejas do que penitenciárias, pois quem socializa e restaura por completo as pessoas é a Igreja”, disse o pastor. Já o pastor Mauro Sérgio Hoffmann explicou que a IELB chegou na cidade de Ji-Paraná em 1976 e atualmente possui duas paróquias: Santíssima Trindade e Cristo Para Todos. O pastor e professor de Ensino Religioso do Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná, Paulo Rodrigues da Rosa, destacou a presença há 25 anos e o empenho da Ulbra em transmitir o amor de Deus para as pessoas. “O Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná possui 6.000 alunos, atendendo de forma presencial e também pelo ensino à distância. A instituição se preocupa em expressar para os acadêmicos que eles são filhos de Deus”, ressaltou o pastor. O vereador Marcos Rogério elogiou o trabalho da Igreja Luterana na cidade e destacou a importância da Igreja mundialmente. “A Igreja Evangélica Luterana é uma denominação comprometida com o resgate social, Igreja Mãe da Reforma Protestante. A maior prova de uma instituição é a prova do tempo que inspira na educação e na espiritualidade”, disse o vereador.

Aniversário em Ponta Grossa

92 anos

A Congregação Cristo Para Todos, Ponta Grossa, PR, comemorou, no dia 7 de agosto, 15 anos de fundação. Um culto em agradecimento foi celebrado pelo pastor Ervino Martim Spitzer. Os membros agradeceram a Deus pelas bênçãos derramadas. Após o culto, a Congregação realizou um almoço que contou com a participação de aproximadamente 200 pessoas.

Helena Venske completou 92 anos de idade no dia 16 de agosto. A data foi comemorada com seus filhos, netos e bisnetos, que louvaram e agradeceram a Deus pela pessoa dedicada a Deus e amorosa que ela é. Helena é da Congregação Ressurreição, Imbituva, PR.

2

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias


Família é recebida em Santarém FotoS: Arquivo Editora Concórdia

O Dia dos Pais foi um dia mais do que especial para a família de Sebastião Martins Coelho e Edilsa dos Santos Costa. Funcionário da ULBRA de Santarém, PA, ele e sua esposa fizeram Profissão de Fé e foram recebidos como membros na Congregação São Paulo. Além disso, seus filhos Cinara, Marta, Maycon e Alessandra e a neta Jackeline foram batizados. Maycon e Alessandra são surdos, e o culto contou com a presença de uma intérprete.

Casa pastoral

No dia 11 de julho, as congregações Cristo Salvador e Ebenézer, Alvorada, RS, deram início à construção de sua nova casa pastoral. O projeto conta com aprovação do Distrito Vale do Rio Gravataí, empréstimo da IELB e auxílio da arquiteta Raquel Krieser, que se encarregou do projeto e das documentações legais. A comissão de obras é formada pelo presidente da Congregação Ebenézer, Nilson P. Borth, pelo presidente da Congregação Cristo Salvador, Artidor Darci Alves, e por Paulo Ataides Pereira da Luz e João Guerreiro.

Ponto de missão em Tijucas A Congregação Bom Caminho, Itapema, SC, conta agora com mais um ponto de pregação. No dia 29 de maio, iniciaram-se os trabalhos no município de Tijucas, SC. O primeiro culto foi dirigido pelo pastor da Paróquia, Fernando Santos Boone, e a mensagem foi proferida pelo pastor emérito Ervino Skalee. Participaram 33 pessoas. Os cultos estão sendo realizados provisoriamente na garagem da casa de Albano e Lídia Vortmann. No dia 31 de julho, o pastor Ervino celebrou um culto de agradecimento pelos 40 anos de matrimônio do casal. A Paróquia Bom Caminho tem outros dois pontos de pregação: Canto Grande, no município de Bombinhas, e em São João Batista. Contatos com o pastor Fernando Santos Boone CEL Bom Caminho: Rua 442, 190, Morretes - Itapema, SC Telefone: (47) 9977-2577 E-mail: fsboone@yahoo.com.br

Novos membros na Cristo de Rondon

No culto do dia 20 de agosto, a Congregação Cristo de Marechal Cândido Rondon, PR, recebeu nove novos membros através da Profissão de Fé. Um momento marcante do culto foi o batizado da jovem Thais Beskow de Lima. O culto foi oficiado pelos pastores Emerson Zielke e Romildo Wrasse. Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

3


IELB

notícias 95 anos Congregação Cristo de Tramandaí conta as bênçãos A Congregação Cristo, Tramandaí, RS, recebeu, entre os meses de junho e agosto, inúmeras bênçãos em sua comunidade. Nesse período, o pastor Hélvio Veide recebeu 16 novos membros por transferência. Ocorreu ainda o Batismo de Guilherme Oliveira Ulrich, filho de Teodoro Ulrich e Ana Lícia Oliveira; de Emanuele Berwaldt Isidoro, filha de Enéias Isidoro e Patricia Klug Berwaldt; e de Murilo Bartz Bauer, filho de Clóvis Tadeu Bauer Breier e Jonéia Bartz. No dia 27 de julho, Emí Berta Goerl reuniu seus familiares e amigos no lar da Congregação para comemorar seus 70 anos de vida. Emí é filha do pastor Albert Feldmann (in memoriam), e casada com Nelson Goerl, com quem teve as filhas Simone e Adriana. Seu hino predileto é “A minha fé, Senhor”. Serva dedicada e fiel, demonstra em sua vida alegria e gratidão a Deus por todas as bênçãos. No dia 8 de agosto, foi a vez do casal Omero e Orlanda Silva da Rosa comemorar Bodas de Ouro.

tora Concórdia

FotoS: Arquivo Edi

No dia 2 de agosto, as servas da Congregação São Lucas, Porto Alegre, RS, comemoraram os 95 anos de Elsa Maschner. Entre os convidados estava o seu filho, Claudio, familiares e amigos. O aniversário foi celebrado com um momento de devoção conduzido pelo pastor Iderval Strelhow e contou com a participação das servas da Congregação. Após, as amigas confraternizaram em um delicioso chá. Querida por todos, Elsa sempre é atuante e participativa nos cultos e no Departamento de Servas. E, apesar da idade, ainda ajuda com trabalhos manuais.

Gerações No sentido horário: batizados de Guilherme, Emanuele e Murilo, o casal Omero e Orlanda e a aniversariante Emí

Errata Na edição do mês de setembro do Mensageiro Luterano, no encarte “IELB Notícias”, pág. 4, saiu errado o nome do pastor de Ji-Paraná, RO, que realizou a confirmação dos jovens. O pastor que realizou a cerimônia foi Mauro Sergio Hoffmann.

4

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

Geny Hobell (bisavó) Norma Hobell Souza (vó) Gisele Torres (neta) Maria Eduarda Sanchez (bisneta) A família reside na cidade de Jaraguá do Sul, SC.


Congregação O passado com carro novo e o presente

em Vila Valério

Após um tempo de planejamento e trabalho com o objetivo de trocar o veículo, a Congregação Expectativa, Cascavel, PR, recebeu seu novo carro. Esse é um investimento muito importante para o trabalho da Congregação e irá refletir na melhoria dos deslocamentos para atendimento e auxílio aos membros. Na foto, a entrega do veículo ao pastor Sandro Edgar Krüger e membros da diretoria.

A Congregação Ressurreição, Vila Valério, ES, inaugurou seu primeiro templo em 1955 (foto menor). Em 1973, foi construída a nova igreja, sendo totalmente reformada em 2010. Percebe-se a diferença do número de pessoas nas fotos. Segundo explica o pastor Dilson Lineu Glienke, o motivo da defasagem é porque na década de 70 muitas famílias se mudaram para Rondônia.

bodas de casamento foto: MATEUS GÜENTER

No dia 14 de dezembro de 2010, na Congregação São Marcos de Harmonia, São Lourenço do Sul, RS, o casal Alberto Klug Filho e Nelda Klug celebrou 50 anos de matrimônio. A cerimônia foi realizada pelo pastor Milton Vorpagel. A mensagem escolhida pelo casal foi baseada em 1 Sm 7.12b: “Até aqui nos ajudou o Senhor”. Esta data importante foi celebrada na presença dos filhos, netas e demais amigos e convidados.

O casal Rodolfo e Erna Ermina Sabka Güenter celebrou 60 anos de casamento no dia 23 de maio. Diante do altar da Congregação São Mateus, Sapiranga, RS, e na companhia dos seis filhos, noras, genros, 13 netos, quatro bisnetos e demais familiares e amigos, o casal louvou e agradeceu a Deus pelas muitas bênçãos recebidas.

O casal Oscar e Herta De Walle completou, no dia 22 de julho, 50 anos de matrimônio. A celebração das Bodas de Ouro foi realizada no culto da Congregação São Paulo, Corbélia, PR, no dia 24 de julho, e contou com a presença dos familiares e amigos. Sob o lema “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15), o casal agradeceu pelas bênçãos de Deus derramadas sobre eles.

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

5


IELB

notícias

foto: Jonathan Holdorf

Centenário da Congregação Trindade

No dia 26 de junho, foi comemorado o centenário da Comunidade Trindade, Erechim, RS. O início do trabalho de pregação aconteceu em julho de 1911 pelo pastor John Busch, residente em Getúlio Vargas, RS. O trabalho iniciou na residência de Joseph Maléski. Estiveram presentes 350 pessoas no culto de louvor e gratidão,

que foi celebrado pelo pastor Haroldo Holdorf, e pelos pastores Fredolino Mauer, Erebango, RS, e Huberto Hasse, Passo Fundo, RS. As mensagens, baseadas em Lucas 19.1-10 e no Salmo 84, foram pregadas pelos pastores Jaime Kriger, que trabalha em Londres, Inglaterra, e Haroldo Holdorf.

CONFIRMAÇÕES FotoS: Arquivo Editora Concórdia

1) Governador Valadares, MG – Dois jovens confirmaram sua fé em um culto que contou com a presença de 72 pessoas (35 eram visitantes). O tema do culto foi “Sacrifícios Vivos ao Senhor”. Em 21 de agosto, na Congregação Cristo. 2) Medianeira, PR – Confirmaram sua fé perante Deus e a comunidade cinco jovens. A celebração foi ministrada pelo pastor Claudio Ramir Schreiber. Em 14 de agosto, na Congregação Santíssima Trindade.

1

6

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

4.1

2

3) Serra Pelada, ES – Confessaram publicamente sua fé no Deus Triúno oito jovens. O pastor oficiante foi Edgar Buss Leitzke. Em 24 de julho, na Congregação Cristo. 4) Afonso Cláudio, ES – Foram confirmados 21 jovens nas três congregações da Paróquia Paz de Francisco Corrêa, Afonso Cláudio, ES. Na Congregação Concórdia (4.1), nove jovens confirmaram sua fé no dia 12 de junho; na Congregação Paz (4.2), sete jovens, no dia 3 de julho; e na Congregação Cristo Para Todos (4.3), cinco jovens, no dia 10 de julho. As celebrações foram feitas pelo pastor André Mülling.

4.3

1

3

2

4.2


Congresso de jovens no Distrito Cataratas

Os jovens do Distrito Cataratas estiveram reunidos nos dias 6 e 7 de agosto para o 35º Congresso Distrital. Realizado na cidade de Serranópolis do Iguaçu, PR, o evento reuniu cerca de 100 jovens. O tema do encontro foi “O jovem e a mis-

Instalação em Ji-Paraná

são da Igreja”. O pastor Albino Nerling, Assis Chateubriand, PR, palestrou sobre o tema “O conteúdo do nosso Testemunho” e o pastor Sandro Krüger, Cascavel, PR, falou sobre “Testemunhar na família e na sociedade”.

Jovens reunidos no Piauí Nos dias 22 a 24 de julho, os jovens do Distrito Vale do Tocantins (DIVATINS) estiveram reunidos em Teresina, PI, para o XII Congresso Distrital. O tema do encontro foi “Eu sou o Bom Pastor. O Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas” (Jo 10.11). A abertura do congresso ficou por conta das Uniões Juvenis de Teresina e Floriano, ambas do Piauí, onde foi apresentada a peça “Cristo e o Povo”, seguida por uma devoção. “Foi uma noite linda! As músicas que a banda selecionou tocaram a alma! Me emocionei, de verdade, várias vezes!”, disse a jovem Ana Karine. O segundo dia contou com a palestra do pastor Darlon Ulrich, Imperatriz, MA, além de oficinas, banhos de piscina e passeios. De noite, peças teatrais e danças litúrgicas invadiram o palco. O evento encerrou com culto e almoço no domingo.

A Congregação Cristo Para Todos, Ji-Paraná, RO, filiou-se à IELB em 2004. Visando o crescimento da missão no bairro Jardim Aurélio Bernardi, a Congregação novamente tem um pastor residente. A instalação do pastor Wendell Naitzel Siring ocorreu no dia 28 de agosto e foi oficiada pelo 2º vice-presidente da IELB, pastor Geraldo Schüler. A mensagem foi pregada pelo pastor Adilson Schünke, coordenador Nacional do PEM. Além dos membros da Congregação, estiveram presentes lideranças e pastores do Distrito Alto Rio Madeira, bem como o tio e padrinho do instalado, o pastor Valci Sering, Ministro Andreazza, RO. Neste dia, aconteceu também o Seminário de Liderança Distrital, coordenado pelos pastores Adilson e Geraldo.

Falecimento Faleceu, no dia 19 de junho, Eduardo Armin Schmidt, vítima de uma pneumonia aguda. Eduardo ajudou a construir a igreja luterana na cidade de Três de Maio, RS, e também auxiliou na construção da igreja em Castro, PR. Deixou enlutados a esposa, Lydia, três filhos, nora e duas netas.

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

7


IELB

notícias FotoS: Arquivo Editora Concórdia

Bênção de pai Comemoração das Servas para filho

Casaram-se, no dia 30 de julho, em Dionísio Cerqueira, SC, o teologando Abiel Lauri Pinnow e Carolina Rafaela Schüler da Silva. A cerimônia ocorreu na Paróquia Cristo Rei e foi celebrada pelo pastor Ivo Dreyer, Schroeder, SC, o mesmo pastor que realizou a cerimônia de casamento dos pais do noivo, Lauri e Inês, em 1988 na cidade de Horizontina, RS. Na hora da bênção aos noivos, o pastor Dreyer passou a palavra ao pai do noivo, pastor Lauri Pinnow, que conduziu as palavras finais.

O dia 26 de junho foi uma data especial para as servas do Departamento Feminino Trindade, Peabiru, PR. O grupo completou 50 anos de fundação no dia 22 de junho e a data foi lembrada com a realização de um culto festivo. A mensagem foi

dirigida pelo pastor Aldair Roos e baseada em João 10.1-8, mesmo texto apresentado na primeira reunião do grupo. No momento, foram homenageadas as servas Ilga Adélia Klein e Jacy Senger, fundadoras do departamento.

Chá das Servas do DIGRA

Matrimônio

O dia 30 de julho foi muito importante para a família de Abílio e Delma Maier de Serra Pelada, ES. Neste dia, realizou-se o casamento de sua filha Gláucia com Reginaldo. O casamento foi celebrado pelo pastor Edgar Buss Leitzke. Abílio e Delma, juntamente com os sete filhos, são membros da Congregação Cristo e agradecem a Deus por todas as bênçãos recebidas em toda a sua vida, lembrando as palavras de Josué 24.15: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.

8

Ocorreu, no dia 6 de agosto, na Congregação São Lucas, Canoas, RS, o Chá Distrital das Servas do Distrito do Vale do Rio Gravataí (DIGRA). Muitas mulheres estiveram presentes na confraternização que iniciou com um devocional dirigido pelo pastor Maiquel Hellwig, com o tema “O amor de Deus nos conduz ao arrependimento”, baseado no Salmo 51.

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

No evento, o pastor Hellwig apresentou o trabalho realizado pela Congregação nas comunidades terapêuticas Recomeçar e Casa D'Angelis, que atendem dependentes químicos em busca de recuperação. Na sequência, os residentes das comunidades terapêuticas apresentaram hinos de louvor, que são cantados nos momentos de reflexão ocorridos nas comunidades.


30 anos do templo em Serra Pelada

No dia 14 de junho, a Congregação Cristo, Serra Pelada, ES, comemorou 30 anos de inauguração da igreja. O culto festivo aconteceu no dia 12 de junho com a presença de membros e vários visitantes. O

Falecimento

pregador do culto foi o pastor Gilmar Klippel. O evento contou com a presença do coral da Congregação local e do coral da Congregação Advento de Jequetibá. A liturgia foi ministrada pelo pastor Edgar Buss Leitzke.

Faleceu, no dia 5 de julho, em Ajuricaba, RS, Alfredo Siede, aos 87 anos. Filho de Adolfo e Rosa Siede, Alfredo nasceu no dia 11 de agosto de 1923, em Ajuricaba, Linha 25, onde viveu toda sua vida. Foi casado com Joana Dolovitsch Siede, com quem teve nove filhos. Deixou enlutados esposa, filhos, noras, genros, 22 netos e 16 bisnetos. Alfredo era membro da Congregação Sião, Ajuricaba. Seu sepultamento foi oficiado pelo pastor Vilson Bubanz da Congregação Redentor, Vila Mauá, RS.

CONtatos da ielb

Congregação Expectativa realiza 6º Jantar de Casais

PRESIDENTE - Egon Kopereck presidente@ielb.org.br 1º VICE-PRES. - Arnildo Schneider arnildo@ielb.org.br 2º VICE-PRES. - Geraldo Schüler geraldo@ielb.org.br SECRETÁRIO - Rubens Ogg rubens@ielb.org.br TESOUREIRO - Renato Bauermann renato@ielb.org.br PEM - Adilson Schünke adilson@ielb.org.br

No dia 4 de junho, foi realizado o 6º Jantar de Casais da Congregação Expectativa, Cascavel, PR. O momento iniciou com uma palestra ministrada pelo pastor e psicólogo Flávio Hörlle, Ponta Grossa, PR, que falou sobre “Depressão”. Após, os participantes confraternizaram em um jantar. O encontro contou com a presença de

mais de 70 casais, batendo o recorde de participação, pelo segundo ano consecutivo. Dentre eles, muitos casais eram visitantes e membros de outras congregações, que prestigiaram o evento. Foi um momento para conversar sobre um assunto tão importante, levando os casais à reflexão sobre causas, sintomas, danos e prevenção da depressão.

PROJETOS - Mario Lehenbauer mario@ielb.org.br GERAL ielb@ielb.org.br TELEFONE (51) 3332-2111

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

9


IELB

FotoS: Arquivo Editora Concórdia

notícias Novo pastor em Witmarsum

Instalação em Santa Clara do Ingaí

No dia 21 de agosto, foi instalado o novo pastor da Congregação São Pedro, Witmarsum, SC, Rogério Treptow Behling. O culto e a cerimônia de instalação foram oficiados pelo conselheiro distrital, pastor Hilmar Stern. Estiveram presentes alguns pastores do Distrito e também o ex-pastor da Congregação, Edegar Muller, além de lideranças e membros de outras congregações. A Paróquia de Witmarsum é composta por três congregações: a sede São Pedro, a Congregação São Paulo, Gnadental, SC, e a Congregação Concórdia na cidade de Dona Emma, SC.

No dia 10 de julho foi realizada a instalação do pastor Ederli Liro Berle na Congregação São Pedro, Santa Clara do Ingaí, RS. O oficiante e pregador do culto foi o pastor João Gilberto Köhler Hall, conselheiro do Distrito Planalto. O texto destacado foi o do Evangelho de Mateus 13.1-9, e a mensagem estava baseada no tema “Em tudo semeamos a vida com Cristo”. O culto contou com a presença de 100 pessoas. Também participaram do momento os pastores do Distrito Planalto, Alex Éder Ziemann e Rodrigo Maurer Kurtz.

Encontro entre os jovens dos distritos Videiras e Concórdia

No dia 21 de agosto, na Congregação Concórdia de Caxias do Sul, RS, ocorreu um momento de integração entre os jovens do Distrito Videiras e do Distrito Concórdia. Cerca de 100 jovens estavam presentes no encontro que contou com devoção, cantos, brincadeiras e muita amizade.

10 M

ensageiro

| Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias


Encontro de eméritos em São Leopoldo Foto: RENATO KLEIN

Sob o lema “O céu anuncia a glória de Deus, e a Palavra revela sua graça” (Sl 19), a Associação de Obreiros Eméritos, Esposas e Viúvas (OBEM) realizou seu 7º Encontro no dia 10 de setembro. A reunião aconteceu no Seminário Concórdia, São Leopoldo, RS, e contou com a presença de mais de 60 obreiros eméritos, esposas e viúvas. O evento iniciou com um momento de recolhimento, meditação e oração e teve a participação do Coral Concórdia, regido pelo

professor Raul Blum. Para falar sobre assuntos relacionados à saúde do idoso, esteve presente o neurologista Dr. Paulo Oppitz. O secretário da IELB, pastor Rubens Ogg, o diretor da Secretaria Regional da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), pastor Waldemar Garcia e o diretor do Seminário Concórdia, pastor Gerson Linden, saudaram a todos os presentes. A Editora Concórdia ofereceu a cada família um devocionário Castelo Forte 2012.

“Temos pedido ao Pai Gracioso que nos inspire a continuar buscando nossos colegas mais afastados e retraídos e a identificar eventuais necessidades. De modo especial, preocupamo-nos com as viúvas de pastores e professores que serviram uma vida inteira, às vezes sob condições muito adversas, e hoje podem estar esquecidas, sozinhas na sua velhice. Assim como honramos nossos pais e avós, é agradável ao Senhor que honremos nossos obreiros de ontem e tratemos a todos com compaixão e solidariedade”, disse Bruno Rieth. Para alcançar o objetivo, a OBEM tem atualmente três núcleos ativos e dois em organização. A coordenação da OBEM é composta pelos membros Paulo Winterle, Lia Klagenberg, Eugênio e Edeltraud Dauernheimer, Johannes e Iris Gedrat e Bruno Rieth. A principal decisão do encontro foi a de produzir um devocionário direcionado a pessoas idosas.

In memoriam

Faleceu, em 23 de junho, aos 76 anos, em Curitiba, PR, Clara Wille Wachholz. Clara, que era natural de Iguatemi, município de Canguçu, RS, nasceu em 31 de julho de 1934. Filha de Mina Wille e Emílio Wille Sobrinho, foi casada com Helmut Ricardo Wachholz, falecido em novembro de 2002. Ambos tiveram uma participação muito ativa nas atividades da Igreja e no testemunho

pessoal, em todos os lugares onde moraram. Começaram na Congregação Redentor, Canguçu, depois foram para a Congregação São João, na mesma cidade, onde sempre exerceram funções de liderança. Clara foi uma das fundadoras e a primeira presidente do Departamento de Servas desta Congregação. Mais tarde, participaram das congregações Redenção e Emanuel, ambas de Pelotas, RS. Nesta última, entre muitos serviços e funções, lideraram a construção do templo. Também estiveram por dois anos no Paulistão, MA, onde coordenaram a construção da escola local e da casa pastoral. E, por último, participaram ativamente das congregações São Paulo, no bairro Portão, e da Unidos em Cristo, no bairro Fazendinha, ambas em Curitiba, PR.

A mãe, vó e bisavó Clara se despediu, por breve tempo, dos seus filhos Nilo (pastor/ editor da IELB), Eno, Elaine e Marlene, das suas noras, do seu genro, dos sobrinhos, netos, bisnetos, e dos irmãos, Erna, Flora, Humberto, Olinda, Ivo (pastor emérito da IELB), Rubens e Edna. A cerimônia de despedida, no templo da Congregação Unidos em Cristo, foi conduzida pelos pastores Valdir Mansk e Nelson Lautert, que reafirmaram as verdades da fé recebidas e cridas por Clara e sua família desde o Batismo. Os familiares e muitos amigos presentes saíram na certeza de que, em Cristo, nunca nos vemos e nos despedimos pela última vez, sempre haverá a oportunidade de um novo encontro – se não aqui, então LÁ!

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

11


IELB

notícias LLLB - Liga de Leigos Luteranos do Brasil

Convención Nacional de UCLP Congresso FotoS: Arquivo Editora Concórdia

Com muita alegria e entusiasmo, a LLLB, representada pelo seu vice-presidente, Ildo Vorpagel Hoffmann, conselheiro fiscal Dulcidio Figur e, como convidado, o leigo Arlindo Vorpagel, participou da XXI Convención Nacional de la Union de Caballeros Luteranos del Paraguay. O encontro aconteceu nos dias 6 e 7 de agosto, na localidade de Cassila Dos, Departamento de Caaguazú. Esta convenção teve como lema “Yo, Caballero, Guia de Mi Familia”. A palestra foi ministrada pelo pastor José Fernando Mikulas, de Gualeguaychú, Entre Rios, Argentina.

Liga de Caballeros Luteranos da Argentina visitam LLLB Uma experiência inesquecível vivida pela atual Diretoria Nacional da LLLB foi ter recebido a visita dos irmãos luteranos da Argentina. A comitiva de 13 pessoas, entre eles o pastor da Congregação São Paulo, município de Crespo, província de Entre Rios, estiveram em Marechal Cândido Rondon, PR, nos dias 8 e 9 de agosto a fim de conviverem com os luteranos do Brasil e compartilharem experiências para o crescimento do Reino de Deus. Essa visita foi resultado da participação de representantes da LLLB (Ildo Hoffmann e Arno Hubner) no Congresso Nacional de Caballeros Luteranos da Argentina, em 2010. Caballeros, que significa cavalheiro, é o termo que os irmãos argentinos usam para se referir aos leigos. Esse encontro deixou claro que não há fronteiras territoriais nem linguísticas que possam separar irmãos que confessam a mesma

12 M

ensageiro

fé e o mesmo amor ao Salvador Jesus Cristo. Os irmãos argentinos aproveitaram a oportunidade para conhecer o sistema de trânsito da cidade e o Colégio e Faculdade Luterana Rui Barbosa. Na ocasião, o secretário municipal de Trânsito, Ito Rannov, e o Diretor do Colégio e da Faculdade, professor Neander Kloss, deram as boas vindas.

| Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

do DIGRA

Nos dias 30 e 31 de julho, foi realizado o 8º Congresso de Leigos do DIGRA, na Congregação Ressurreição, Canoas, RS, sob o lema “Acolhendo e integrando todos os povos”. O palestrante foi o pastor Donato Pfluck que falou sobre “Acolhendo as diferentes etnias”. A programação contou com uma noite cultural e um culto, realizado no domingo. A LLLB foi representada pelo seu presidente, Oldemar Rohloff, que falou da importância do trabalho das congregações juntamente com seus pastores e fez o repasse dos “pins” aos participantes do congresso, firmando um pacto de comprometimento com a Liga. Outro momento de grande valia foi o repasse de um cheque no valor de uma bolsa de estudos integral ao Seminário Concórdia (a segunda bolsa repassada), ao presidente do Conselho Administrativo do Seminário, Antônio Malaszkiewicz, destinada à formação de novos pastores da IELB, sendo esse o grande projeto da LLLB.


Simpósio de leigos na Região Sudeste

Alegria e gratidão a Deus pela nobre iniciativa dos irmãos da Liga de Leigos da Região Sudeste pelo I Simpósio de Leigos Luteranos, realizado nos dias 27 e 28 de agosto, em Viana, ES. O encontro foi dirigido pelo presidente regional Jonas Gonçalves e contou com a participação de 66 leigos, representando os cinco distritos capixabas,

o Distrito Mineiro e o Distrito Rio de Janeiro. Dois temas foram trabalhados nesse encontro: “A Liga de Leigos e a sua história”, dirigida pelo pastor Benjamim Jandt, São Leopoldo, RS; e “Trabalhadores da seara”, pelo pastor Eduvino Krause Filho, Ponto Alto, ES. Também participaram do encontro Valdir Schindler que falou sobre

1º Encontro de leigos do Distrito Nordeste Catarinense

os projetos do FAPI, acompanhado pelo estudante, do sexto ano do Seminário, Ondiekson Lenke. Também estiveram presentes o pastor conselheiro Emerson Zielke e o secretário Rudi Bär. O resultado do encontro será trazido ao público por meio de uma “Carta Aberta” emitida à Liga Nacional e por ela divulgada.

Avisos da LLLB Acesse o site da LLLB e faça seu cadastro para receber o jornal eletrônico.

www.lllb.org.br OFERTAS

Ocorreu, no dia 17 de julho, na Congregação Emanuel, Jaraguá do Sul, SC, o 1º Encontro de Leigos do Distrito Nordeste Catarinense. O encontro contou com a

presença de 28 leigos do distrito e também da cidade de Pomerode, SC. A palestra foi dirigida pelo pastor Rudinei Valdir Mass, sob o tema “Educando filhos equilibradamente”.

Caixa Econômica Federal Banco 104 Agência 0968 Operação 013 (poupança) Conta 52674-1 É muito importante que todos informem os depósitos realizados pelo e-mail lllb.secretaria@hotmail.com ou pelo telefone (45) 9948-0250 (Rudi) a fim de sabermos a procedência.

Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

13


IELB

notícias

LLLB - Liga de Leigos Luteranos do Brasil

Encontro de Presidentes Distritais e Ex-Presidentes da Liga Nacional FotoS: Arquivo Editora Concórdia

Nos dias 6 e 7 de agosto, em Marechal Cândido Rondon, PR, aconteceu o 2º Encontro de Presidentes Distritais de Leigos, com representantes do Paraná e de Santa Catarina, e o 1º Encontro de Ex-Presidentes da Liga Nacional. O objetivo do encontro de presidentes distritais foi falar sobre o trabalho das ligas distritais e das ligas nas congregações, apresentar experiências, ideias e propostas de trabalho que visam melhorar o envolvimento dos leigos nas ligas e na Igreja. O grupo manifestou preocupação com

a pouca participação nos cultos, nas reuniões departamentais, no envolvimento e no compromisso dos leigos com o trabalho da Igreja. Estamos num período em que o “comprometimento” com a congregação e com o departamento de leigos parece não ser prioridade. Esse descompromisso se deve a um “esfriamento espiritual” e uma inversão ou perda dos valores cristãos, o qual se deve a influência negativa e acentuada dos meios de comunicação sobre a família e a vida das pessoas em geral. É preciso estar mais unido no trabalho, acolher me-

lhor nosso irmão e comunicar-se melhor. A importância do trabalho dos leigos numa congregação pode ser vista na liderança da Igreja e no surgimento de grandes projetos. Se a Igreja pensa em ser forte e atuante, é preciso que cada um reveja o quanto está comprometido com sua causa. Outra preocupação diz respeito à continuidade dos trabalhos da LLLB, daí a sugestão de se formar um Conselho de Ex-Presidentes da Liga Nacional. O resultado do encontro será publicado no site da LLLB por meio de uma “Carta Aberta”.

Congresso de leigos do DINORGA No dia 21 de agosto, o Distrito Noroeste Gaúcho realizou seu Congresso Distrital de Leigos, na Congregação Trindade, Novo Machado, RS. Foi um momento muito importante e edificante para os mais de 130 leigos, servas e pastores presentes. A palestra foi realizada pelo pastor conselheiro da LLLB, Cleydes Kloss, e teve como tema “A Igreja que queremos ser”. Ainda representaram a Liga Ildo V. Hoffmann e Rudi Bär, que falaram sobre os projetos e trabalhos desenvolvidos pela LLLB.

14 M

ensageiro

| Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias


JELB - Juventude Evangélica Luterana do Brasil

É hora de se encontrar

Congressos, retiros, encontros, eventos culturais e esportivos, reuniões semanais... Momentos assim não servem apenas para revermos nossos amigos, mas também para louvarmos a Deus e engrandecer o seu nome em comunhão entre irmãos em Cristo.

Essas oportunidades ocorrem diversas vezes durante o ano, e a expectativa para participar delas aumenta cada vez mais. Parece que quanto mais participamos, mais vezes queremos estar nesses momentos de alegria e louvor. Para quem gosta desses encontros, vamos dar duas sugestões de congressos que não podem ser perdidos: - O primeiro deles é o Congresso da Juventude Evangélica Luterana Gaúcha (JELG). Em sua quinta edição, o evento terá como tema Sinais, com base no texto bíblico de Apocalipse 1.3b: “Pois está perto o tempo em que todas essas coisas acontecerão”. O V Congresso da JELG será realizado de 2 a 5 de fevereiro de 2012 no Hotel Fazenda Pampas, em Canela, RS. As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site www.jelg.org.br. - A segunda sugestão é o VIII Congresso de Jovens da Região Evangélica Luterana do Sudeste (RELUS). O evento será realizado entre os dias 18 e 21 de fevereiro de 2012, no feriado de carnaval, na Casa de Retiro São Francisco Xavier, em Domingos Martins, ES. O tema do congresso será Os tempos do fim, baseado nas palavras do texto

de Lucas 21.28: “Erguei vossa cabeça, pois o fim está próximo!”. As inscrições deverão ser realizadas pelo site www.relusjelb.com. Ambas as inscrições são abertas aos jovens de todo o Brasil. Não perca tempo e inscreva-se.

Projeto FM-JELB está de volta Com o objetivo de reunir vários estilos musicais em uma só fita, o projeto Festival de Música da JELB (FM-JELB) foi lançado em 1992. O FM-JELB contou com a participação de vários compositores, que enviaram as músicas para que a comissão, formada por André Stern, Frederico da Silva Reis e pelo pastor Sérgio Valkinir, selecionasse as composições que fariam parte do projeto. Com 12 canções, a fita K7 FM-JELB foi gravada pela banda Boa Nova do Rio de Janeiro, RJ. Dezenove anos depois, a JELB resgata essas músicas e as disponibiliza em formato MP3 em seu site, para que os jovens de hoje possam reaprendê-las e cantá-las em suas uniões juvenis. Acesse o site da JELB e faça o download das canções. Em breve, estarão disponíveis outras músicas da história da Juventude Luterana.

NOTÍCIAS | AGENDA | EVENTOS | PROJETOS

Saiba mais sobre a

JELB

www.jelb.org.br Mensageiro | Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

15


IELB

notícias

Ordenações e Instalações

André Wandscheer – no dia 20 de março de 2011, instalado como pastor na CEL Cristo Para Todos, Simões Filho, BA, pelo conselheiro do Distrito Nordeste Coqueiros, pastor Walter Daniel de Oliveira. Estava sem chamado.

Jaime Paulo Link – no dia 7 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL da Paz do bairro São Cristóvão, Passo Fundo, RS, pelo conselheiro do Distrito Rio Uruguai, pastor Flávio Jandt. Era pastor em Planaltina, Brasília, DF.

Dario Mário Figur – no dia 21 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL Trindade, Caxias do Sul, RS, pelo conselheiro do Distrito Videiras, pastor Alessandro Gustavo Souto. Era pastor em Vila Valério, ES.

Mário Rafael Yudi Fukue – no dia 15 de maio de 2011, instalado como pastor na CEL Paz de Interlagos, São Paulo, SP, pelo conselheiro do Distrito Paulista, pastor Mário Rost. Era pastor no bairro São Cristóvão, Passo Fundo, RS.

Anderson Rodrigo Henn – no dia 11 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL Cristo Para Todos, Macapá, AP, pelo conselheiro do Distrito Pará Norte, pastor Valdir Klemann. Estava em licenciamento.

Rogério Treptow Behling – no dia 21 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL São Pedro, Witmarsum, SC, pelo conselheiro do Distrito Vale do Itajaí, pastor Hilmar Duarte Stern. Era pastor em Bela Vista, MS.

Ederli Liro Berle – no dia 10 de julho de 2011, instalado como pastor na CEL São Pedro, Quinze de Novembro, RS, pelo conselheiro do Distrito Planalto, pastor João Gilberto Köhler Hall. Era pastor em Salto do Jacuí, RS.

Delmar Adilson Köpsell – no dia 20 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL da Ressurreição, Dom Pedrito, RS, pelo conselheiro do Distrito Fronteira Sul, pastor Fábio André Neumann. Era pastor em Esquina Manuel, Roque Gonzales, RS.

Horst Siegfried Musskopf – no dia 31 de julho de 2011, instalado como pastor na CEL Concórdia, Porto Alegre, RS, pelo secretário da IELB, pastor Rubens José Ogg. Era pastor em Cuiabá, MT.

Evandro Josiano Bündchen – no dia 20 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL Martinho Lutero, Paragominas, PA, pelo vice-conselheiro do Distrito Pará Norte, pastor Marjon Sontag da Silva. Estava sem chamado.

Indicadores da IELB

Wendell Naitzel Siring – no dia 28 de agosto de 2011, instalado como pastor na CEL Cristo Para Todos do bairro Aurélio Bernardi, Ji-Paraná, RO, pelo segundo vice-presidente da IELB, pastor Geraldo Walmir Schüler. Era pastor em Vista Alegre do Abunã, Porto Velho, RO.

RONY RICARDO MARQUARDT Pastor, Assessor da IELB

Contribuições das Congregações

Valores válidos para outubro/2011 IEG=1,5962 POUP=2,5873 IFAPAI=3,3919 IFPP=3,5111 Rentab. [Líquida] (mensal atual) FPP/FAPAI=0,8376 % Poupança=0,6008 Política de Subsistência Pastoral: Básico: R$ 2.017,00 (válido a partir de abril/2011) Anuênios (cada ano pós formatura) (1º ao 15º)=R$ 72,61 e (16º ao 20º)=R$ 36,31 Obs: Lembramos a ênfase da livre negociação entre congregações e pastores. Não deveria ser menor que os valores acima indicados. renato bauermann | Tesoureiro da IELB

16 M

ensageiro

| Outubro 2011 | Encarte IELB Notícias

280.000,00 260.000,00 240.000,00 220.000,00 200.000,00 180.000,00 160.000,00 140.000,00 120.000,00 100.000,00

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Realizado 2010 145.659,30 132.607,53 224.557,49 170.273,78 157.706,27 203.393,26 211.234,13 190.341,07 205.947,14 209.755,96 236.089,60 261.318,42 Meta/11 178.037,50 141.879,58 209.697,10 183.816,04 188.394,24 196.299,47 205.971,71 193.309,32 225.246,72 212.012,80 209.301,38 278.034,15 Realiz.2011 193.461,25 162.870,93 227.148,70 189.028,10 210.000,28 240.265,42 203.265,43 230.825,19


MENSAGEIR O LUTERANO | Ano 94 | Nº 1.163

Outubro2011

Leia nesta edição

Mais de 3,5 mil pessoas no culto de 107 anos da IELB Celebração realizada em Pelotas marcou o aniversário da IELB

32 05

MENSAGEM DO PRESIDENTE

06

VIDA COM DEUS

09

EM FOCO

11

CAPA

14

HISTÓRIA DA IGREJA

educação teológica

17

MENSAGEIRO DAS CRIANÇAS

23

EVANGELIZAÇÃO

Biblioteca do Seminário Concórdia

24

MISSÃO URBANA

29

DESAFIOS DA IGREJA

30

ESTRATÉGIAS DE AÇÃO

31

reação do leitor

adoração e louvor

Crianças no culto. O que fazer?

vida e saúde

Envelhecendo com qualidade de vida

16 26

VIrando a página

Tecendo vidas

08

34

Mensageiro | Outubro 2011

3


| AO LEITOR |

Nilo Wachholz Editor-Redator | editor@editoraconcordia.com.br

A vida e a história da Igreja Nesta edição, tentamos contemplar os principais eventos que marcaram e continuam marcando a história e a vida da Igreja, em especial da IELB. Por absoluta falta de espaço, não conseguimos dar a todos o destaque devido. No entanto, ao louvarmos a Deus por suas bênçãos sobre a caminhada da sua Igreja, lembramos que ele dá a todos a devida honra e não se esquece de nenhuma pessoa e de nenhum só ato e evento. Ele corrige as nossas limitações. Começamos, com a matéria de capa, a resgatar um testemunho da história na terra da Reforma. Nessa matéria, somos contemplados com uma pequena amostra da promessa de Deus de que “nada prevalecerá contra a sua Igreja”. Nessa direção, lembramos outro personagem decisivamente importante usado por Deus na história da nossa Igreja, na Alemanha, nos EUA, na LCMS, e por consequência para a IELB, que foi o pastor dr. Carl F. W. Walther. Ainda olhando para as experiências do passado, mas também para o presente e o

futuro, trazemos como homenagem para os idosos e uma reflexão para todos, em Vida e saúde, “Envelhecendo com qualidade de vida”. A Educação Teológica e o nosso Seminário Concórdia, lembramos na Mensagem do presidente e na matéria sobre a Biblioteca do nosso Seminário, contemplando seu novo estágio após a reforma feita. Sobre as crianças, destacamos sua participação nos cultos, em Adoração e Louvor, passando pelo MC, na matéria sobre a “Escolinha ou cultinho” até “Tecendo Vidas” em Virando a página. Aliás, é também neste texto que abraçamos carinhosamente todos os professores, da Escola Dominical à Universidade! Na missão da Igreja de hoje, propomos uma reflexão sobre as suas estratégias de trabalho nas cidades em Missão Urbana e também na viagem missionária do pastor da Hora Luterana, Carlos Krack. Esse mesmo assunto, sob outra ótica, é apresentado no texto “Novo retrato religioso”, no espaço Em foco. Também está neste contexto o culto festivo dos 107 anos da

FOTO da capa: matias

c. auel

IELB, realizado em Pelotas, RS. No encarte IELB Notícias está a vida da Igreja no dia a dia das cong re g a ç õ e s , em todos os níveis de suas atividades, em todo o Brasil. Agradecemos muito à jornalista Daiene Bauer Kühl pelos dois anos de trabalho em nossa equipe editorial. Deus a abençoe em seus novos desafios. Ao mesmo tempo, damos as boas-vindas à jornalista Bettina Schünke para a função anteriormente exercida pela Daiene. Por tudo isso e muito mais que não abordamos aqui, louvamos a Deus e abraçamos todos, enquanto aguardamos a próxima edição do m Mensageiro Luterano.

Mensageiro Luterano ISSN 1679-0243 Órgão Oficial da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) de periodicidade mensal (exceto janeiro e fevereiro - edição única). Registrado sob nº 249, livro M, nº 1, em dezembro de 1935, no Registro de Títulos e Documentos do Rio de Janeiro, conforme o Decreto-Lei de Imprensa nº 24776 de 14/07/1934. Projeto e Produção Gráfica Editora Concórdia Ltda. Redação mensageiro@editoraconcordia.com.br Editor Nilo Wachholz - MTb 42140/SP Assistente Editorial Bettina Schünke - MTb 15047/RS Revisão Aline Lorentz Sabka JORNALISTA-DIAGRAMADOR Leandro da Rosa Camaratta Designer Christian Schünke e Raquel Amsberg de Almeida Colaboradores fixos Bruno Ries, Carlos W. Winterle, Luisivan V. Strelow, Marcos Schmidt, Mona Liza Fuhrmann, Rosemarie K. Lange, Vitor Radünz, Waldyr Hoffmann Assinaturas - DEPTO COMERCIAL Gilberto Ellwanger, Lianete Schneider de Souza, Marcelo de Azambuja Logística Simone Dutra Paiva, Claupe Onofre Assinatura no Brasil Anual R$ 49,00; Bianual R$ 92,00 Assinatura para outros países Anual US$ 52,00; Bianual US$ 100,00 Tiragem desta edição 9 mil exemplares A Redação reserva-se o direito de publicar ou não o material enviado, bem como editá-lo para fins de publicação. Matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da Redação ou da Administração Nacional da IELB. O conteúdo do Mensageiro pode ser reproduzido, mencionados o autor e a fonte.

4

Mensageiro | Outubro 2011

Editora

Concórdia Filiada a Associação de Editores Cristãos (ASEC)

Endereço Av. São Pedro, 633, Bairro São Geraldo, CEP 90230-120, Porto Alegre, RS Fone/Fax (51) 3272 3456 Site www.editoraconcordia.com.br Twitter twitter.com/edconcordia Email editora@editoraconcordia.com.br Comercial comercial@editoraconcordia.com.br Diretoria Executiva Henry J. Rheinheimer (presidente), Clóvis J. Prunzel, Nilo Wachholz, Nilson Krick e Rubens José Ogg Gerente Nilson Krick - nilson@editoraconcordia.com.br Depto Financeiro Joel Weber - financeiro@editoraconcordia.com.br Editor Nilo Wachholz - editor@editoraconcordia.com.br Comissão Editorial Adilson Schünke, Beatriz Raymann, Clóvis J. Prunzel, Nilo Wachholz, Nilson Krick e Rubens José Ogg

IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL

ENDEREÇO Rua Cel. Lucas de Oliveira, 894 Bairro Mont’Serrat, CEP 90440-010 Porto Alegre, RS, Brasil Fone (51) 3332 2111 / Fax: (51) 3332 8145 site www.ielb.org.br twitter twitter.com/IELB_Brasil e-mail ielb@ielb.org.br Diretoria Nacional 2010/2014 Presidente Egon Kopereck 1º Vice-presidente Arnildo Schneider 2º Vice-presidente Geraldo Walmir Schüler Secretário Rubens José Ogg Tesoureiro Renato Bauermann A IELB crê, confessa e ensina que os livros canônicos das Escrituras Sagradas, do Antigo e do Novo Testamento, são a Palavra infalível revelada por Deus e aceita, como exposição correta dessa Palavra, os livros simbólicos da Igreja Evangélica Luterana, reunidos no Livro de Concórdia do ano 1580.


| MENSAGEM DO PRESIDENTE |

Egon Kopereck Pastor Presidente da IELB| presidente@ielb.org.br

Outubro, mês de grandes celebrações Mês do Idoso, da Criança, do Professor, do Seminário Concórdia, da Reforma Luterana e da Educação Teológica.

Educação Teológica

Professores e Crianças

Reforma Luterana

A nossa Igreja adotou o mês de outubro como sendo o mês da Educação Teológica. Não se esqueçam de destacar na vossa comunidade o nosso Seminário que, em 27 de outubro, estará festejando seu 108º aniversário de fundação. São 108 anos dedicados à educação teológica, à formação de nossos pastores e líderes da Igreja. Quantos professores já passaram por essa escola de profetas! Quantos servos de Deus já dedicaram suas vidas, seu conhecimento, sua capacidade para preparar, ensinar, moldar obreiros, pastores para a seara do Reino de Deus e, através da ETE (Educação Teológica por Extensão), também bons líderes em nossas comunidades! Nosso abraço bem especial a todos os professores do nosso Seminário, e o nosso pedido a todas as congregações, a cada membro individualmente, de lembrar em suas orações esse nosso educandário, nossa educação teológica, nossos professores, para que sempre possamos nos manter firmes na verdade das Sagradas Escrituras, ensinando o que ela nos diz e contando com pastores dedicados e fiéis, que velem, cuidem, de fato, das nossas almas como quem deve prestar contas a Deus por isso (Hb 13.17).

Quando Deus diz, em Pv 22.6, “ensina a criança no caminho em que deve andar”, sem dúvida, em primeiro lugar, ele fala aos pais. Lutero disse: “Se os pais cristãos não se ocuparem com a educação dos seus filhos, então o diabo se encarregará de fazê-lo a seu modo”. Nossos professores são, na verdade, como pais adotivos que assumem o lugar paterno em muitas horas semanais, nas quais têm a oportunidade de lapidar, ensinando, orientando e ajudando na boa formação dos nossos filhos. Às crianças, nosso abraço especial. Aos professores, nosso carinho e nossa oração para que Deus vos dê sempre muito amor, paciência, dedicação e sabedoria a fim de fazerem o melhor pela educação das nossas crianças, jovens e adultos. Não esqueçam nunca que “o temor do Senhor é o princípio do saber” (Pv 1.7).

O dia 31 de outubro é um marco na história da Igreja Cristã. Foi nesse dia, em 1517, que Deus, fazendo uso de um servo, de um instrumento chamado Martinho Lutero, iniciou uma luta para trazer de volta a verdade que nos diz que somos salvos somente pela graça de Deus. Graça essa que se torna propriedade nossa somente pela fé, jamais por méritos ou obras próprias. Diz também que tudo isso, bem como toda a doutrina, toda a verdade, tem como fonte única a Bíblia Sagrada. Por isso, 494 anos depois, continuamos agradecendo e louvando a Deus por aquele dia em que Martinho Lutero, ousada e corajosamente, afixou as 95 teses na porta da Igreja de Wittenberg, na Alemanha. Com isso, desencadeou-se ali um debate, uma reflexão, proporcionando o início de uma mudança de direção que se voltava para aquilo que Deus, através da sua Palavra, nos deixou e pediu. Não deixemos de agradecer ao Pai Celeste pelas bênçãos da Reforma Luterana, as confissões claras baseadas nas Sagradas Escrituras que ainda hoje mantemos, praticamos e defendemos. Deus seja louvado! Deus nos conserve m sempre firmes e fiéis a sua Palavra.

Aos pais, fica o apelo: agradecidos a Deus pelos filhos que receberam, dediquem tempo, cuidado e muito amor na educação destes. Não deleguem pura e simplesmente essa responsabilidade aos professores, mas priorizem em vossa vida esse cuidado, para que vossos filhos possam crescer na disciplina e admoestação do Senhor (Ef 6.4).

Mensageiro | Outubro 2011

5


| VIDA COM DEUS |

Luisivan Vellar Strelow Pastor | lstrelow@hotmail.com

Lucas 15.31

Tudo o que é meu é teu

A

vida sem Deus é vida desperdiçada. Quem deixa a casa paterna tudo perde, até mesmo a própria vida. Quem se deixa acolher pelo amor de Deus tem a vida verdadeira e, em Cristo, todas as coisas que pertencem verdadeiramente à vida: “o Senhor é o meu pastor nada me faltará” (Sl 23.1). As parábolas do filho, da moeda e da ovelha que se perdem e, depois, são reencontrados falam da experiência humana de posse e de perda. “Quem acha a sua vida, perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa acha-la-á” (Mt 10.29). Quando temos Cristo como nosso Bom Pastor, nada nos falta: “recebi tudo e tenho abundância” (Fp 4.18). Se, contudo, perdermos a Cristo, tudo nos falta: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mc 8.36). Na casa paterna, isto é, na vida em comunhão com Deus, não há falta, mas abundância. Em Cristo, somos herdeiros da vida eterna. “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10.10). Ao filho mais novo, que estivera perdido em “uma terra distante” (v.13), o pai recebeu com as palavras: “esse meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado” (v.24). Ao filho mais velho, que estivera trabalhando “no campo” (v. 25) e não compreendia a atitude do pai, este lhe disse: “Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu” (v.31). Fora da casa paterna, separados do amor de Deus, não temos nada e nossa vida toda é de desperdício. Na casa paterna, na comunhão com o Criador, temos tudo, e nossa vida tem sentido e tem valor. Jesus fala do amor de Deus na linguagem da Aliança: misericórdia para com os que se arrependem e fidelidade para com todos. Deus é misericordioso e fiel. Em sua

6

Mensageiro | Outubro 2011

foto: arquivo editora concórdia

A casa paterna é o lugar onde se vive sob o amor de Deus. O Pai Celestial está à porta, sempre esperando a chegada de seus filhos

misericórdia, restabelece o filho perdido na comunhão para que ele possa, de novo, viver em obediência aos Mandamentos de Deus. Em sua fidelidade, orienta o filho mais velho a ser misericordioso com os pecadores e a alegrar-se pela salvação dos perdidos. Jesus é misericordioso e fiel: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade” (Jo 1.14). A Igreja de Cristo é a comunhão dos que estavam perto (“no campo”) e dos que estavam longe (“numa terra distante”) de Deus. “Já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Ef 2.19). Jesus reconhece o direito dos justos e fiéis: “tudo o que é meu é teu” (v. 31), mas nos lembra de que a misericórdia e a alegria pela salvação dos pecadores e gentios são o fundamento da aliança. “Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” (1 Jo 4.8). Esse, por fim, é o verdadeiro sentido da palavra do Pai ao filho mais velho. O amor está na base da Aliança de Deus com o seu povo e permeia toda a linguagem do Antigo Testamento. “De longe se me deixou ver o Senhor, dizendo: Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí” (Jr 31.3). As palavras do Pai ao filho mais velho são também as palavras da Antiga Aliança de Deus com Israel: “Meu filho, tu sempre estás comigo, tudo o que é meu é teu” (v.31). Praticamente, essas são as mesmas palavras ditas por Rute: “Aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o Senhor o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti” (Rt 1.16,17). Estas foram também palavras ditas por


Deus a Abraão: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13.5). As palavras do pai ao filho mais velho não foram de mera repreensão, muito menos de rejeição. O filho foi lembrado, carinhosamente, do amor de Deus como fundamento da salvação. Os ouvintes de Jesus foram lembrados,

nesta parábola, das palavras de Moisés a Israel, no deserto: “[o Senhor] amou teus pais” (Dt 4.37). Também nós, primeiro, fomos amados por Deus e, agora, vivemos no amor e na obediência aos seus mandamentos: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou [...] Nós amamos porque ele

nos amou primeiro” (1 Jo 4.10,19). A casa paterna é o lugar onde se vive sob o amor de Deus. O Pai Celestial está à porta, sempre esperando a chegada de seus filhos, dando as boas vindas aos seus filhos – os que vêm de longe e os que vêm de perto. Como o Pai Celestial é acolhedor, sejam mos nós também acolhedores.

Os grandes homens da Bíblia

Davi

Líder corajoso e temente a Deus O fracasso dos filhos de Samuel como juízes de Israel levou o povo a clamar por um rei que os governasse; o povo desejava ser organizado como as nações vizinhas (1Sm 8.1-5). Então, orientado por Deus, Samuel ungiu Saul como primeiro rei de Israel (1Sm 10), mas este não permaneceu nos caminhos do Senhor, o que resultou no seu declínio (1Sm 13.13, 14; 1Sm 31). Enquanto Saul ainda estava no trono, Deus ordenou que Samuel ungisse a Davi, um jovem pastor de ovelhas, como o próximo rei de Israel (1Sm 16). Este jovem, muito corajoso e temente a Deus, enfrentou e derrotou mortalmente o gigante Golias (um gladiador filisteu) com apenas cinco pedras, uma funda e em nome do Senhor dos Exércitos. Uma amizade vitalícia se estabelece entre Davi e Jônatas, filho do rei Saul (1Sm 18), porém, o ciúme e a inveja do rei coloca em risco a vida do jovem Davi, que é obrigado a se esconder até a morte do seu governante a fim de assumir o trono e tornar-se o segundo rei de Israel (1Sm 18 a 31). Contudo, a vida deste grande homem de Deus, antepassado de Jesus, infelizmente, não foi só de bons exemplos. A Bíblia mesmo registra atos de fraqueza e pecados do rei Davi. De um lado, as qualidades que todo líder cristão deveria ter (ousadia, coragem, confiança em Deus, motivação, comando); do outro, os erros que ameaçam o Reino de Deus e que, por isso, não servem de exemplos, antes, de alerta, a fim de não cairmos nos mesmos erros que Davi (traição, mentiras, adultério e morte). No entanto, Davi se arrependeu de todos os seus erros (2Sm 12, Sl 32 e 51) e aceitou as consequências desses. Davi sofreu muito por seus erros, por exemplo: a morte

do filho recém-nascido, fruto do adultério com Bate-Seba (2Sm 12), o incesto entre os filhos Amnom e Tamar (2Sm 13; 2Sm 15-17), a traição do seu filho Absalão (2Sm 15-17). A Bíblia não esconde os fracassos de Davi, antes os expõe a fim de revelar o quanto dependemos da graça e do amor de Deus para nos perdoar e nos fazer retornar ao seu caminho. Davi, apesar de suas fraquezas, possuía uma fé inabalável na fiel e perdoadora natureza de Deus. Ele pecou, mas foi rápido em confessar suas transgressões. Suas confissões eram de coração, e seu arrependimento, genuíno. Davi experimentou a alegria do perdão mesmo quando teve que sofrer as consequências de seus pecados. Ele aprendeu com suas falhas porque aceitou o sofrimento que estas lhe trouxeram, e isso o tornou um “homem segundo o coração de Deus” (At 13.22).

Pontos fortes e êxitos na vida de Davi - Corajoso e temente a Deus. - Maior rei de Israel. - Antepassado de Jesus Cristo. - Citado na galeria dos Heróis da Fé em Hebreus 11. - Descrito na Bíblia como o homem segundo o coração de Deus (At 13.22).

Fraquezas e erros - Polígamo. - Adulterou com Bate-Seba, planejando a morte de seu esposo, Urias, a fim de encobrir seu pecado. - Não soube lidar com os pecados de seus filhos.

Lições de vida - A disposição para admitir honestamente os nossos erros é o primeiro passo para lidar com eles. - O perdão remove a culpa, mas não as consequências do pecado. - Deus deseja a nossa total confiança e adoração.

Informações essenciais - Localidades: Belém e Jerusalém. - Ocupações: pastor, músico, poeta, soldado e rei. - Familiares: filho de Jessé; esposas Milca, Ainoã, Abigail e Bate-Seba; filhos Absalão, Amnom, Salomão, Tamar. - Contemporâneos: Samuel, Saul, Jonatas e Natã.

textos bíblicos A história de Davi está registrada de 1Samuel 16 a 1Reis 2. Seu nome também é mencionado em Amós 6.5; Mateus 1.1,6; 22.43-45; Lucas 1.32; Atos 13.22; Romanos 1.3; Hebreus 11.32. Além disso, Davi aparece como autor de 73 Salmos.

Versículo chave “O Senhor disse: [...] Eu não vejo a aparência e sim o coração[...] Então Samuel ungiu Davi na frente dos seus irmãos. E o Espírito do Senhor dominou Davi e daquele dia em diante m ficou com ele” (1Sm 16.7,13).

Estudo desenvolvido pelo pastor conselheiro da LLLB Emerson Zielke Mensageiro | Outubro 2011

7


| adoração e louvor |

As crianças no culto Se o culto é corporativo e quer acolher a família, tirar a criança para fora do local de culto não é algo contraditório? E como a criança interpreta esta situação? Culto é coisa para gente grande? O que fazer com as nossas crianças no culto?

foto: arquivo editora concórdia

david karnopp Membro da Comissão de Culto da IELB Pastor em Vacaria, RS

U

ma situação com a qual a Igreja tem tido certa dificuldade em encontrar solução é a questão da participação das crianças no culto. O problema começa pelos bebês que choram por algum desconforto ou para avisar que é hora de mamar. Não sendo atendidos de imediato, não se intimidam em abrir o berreiro. Depois, tem a fase das crianças que aprenderam a correr, que não fazem a menor cerimônia para se divertirem no culto. Outra fase é aquela em que as crianças até ficam juntas com seus pais, mas, a cada momento, pedem alguma coisa, atrapalhando a concentração destes. Há aquela fase em que as crianças já dominam boa parte dos recursos da computação; para estes, o culto parece não fazer muito sentido, pois está distante do seu universo. De outro lado, está a congregação para a qual as crianças, muitas vezes, são “invisíveis”. A presença delas só é percebida quando “aprontam”. Não é sempre que os cultos são preparados visando a participação dos pequenos. A linguagem e a forma do culto geralmente são incompreensíveis e até “chatas” para as crianças: os hinos cantados são de adultos, o sermão é dito numa linguagem adulta e sobre tema de adultos.

Diante disso, criaram-se algumas soluções - Primeiro, pelos pais que se revezam para ir ao culto. Em um culto vai a mãe; no outro, o pai. A criança, neste caso, fica em casa porque ela “incomoda” no culto. Esta é uma péssima opção. - Depois, há o caso das crianças que exigem que os pais, a todo o momento, as levem para fora. Os pais, com medo que as crianças perturbem, atendem aos seus

8

Mensageiro | Outubro 2011

apelos. Esta também não é uma boa escolha. É preciso estabelecer um controle. - A outra solução é o “culto infantil” que acontece em paralelo ao culto, em uma sala à parte. Em algum momento antes do sermão, as crianças saem do culto. Esta é a opção preferida pela maioria. Em parte porque representa uma solução que vai ao encontro das necessidades das crianças, mas também pelo sossego que o momento propicia, pois a igreja “se livra” do incômodo das crianças. Se o culto é corporativo e quer acolher a família, tirar a criança para fora do local de culto não é algo contraditório? E como a criança interpreta esta situação? Culto é coisa para gente grande?

O que fazer com as nossas crianças no culto?

1

Não tem jeito e não adianta fugir: as crianças sempre vão “aprontar”. É melhor pensar pelo outro lado: que maravilha quando podemos ver crianças “avisando” que estão no culto. É um forte sinal de que a Igreja está em crescimento e tem futuro. O choro e a correria delas, antes de incômodo, devia ser música para os nossos ouvidos e colírio para os nossos olhos. Afinal, a Igreja de agora e do futuro está se manifestando. Por outro lado, se os pais veem que a criança está perturbando, é melhor acalmá-la fora do ambiente cultual. A Igreja precisa se colocar no nível das crianças, mas não demais. Toda

2

criança quer ser adulta. E criança gosta de ficar atenta às conversas de gente grande, basta apenas que o papo seja interessante. Às vezes, elas captam mais do que os grandes imaginam. No culto não é diferente. Infantilizar demais a linguagem e a forma do culto é podar a oportunidade de aprendizado das coisas sagradas. O desafio é tornar a linguagem interessante aos seus ouvidos. Se a melhor solução é tirar as crianças do culto para um programa à parte, não deveria ser em todos os cultos. É importante que elas participem de alguns cultos por inteiro. E neste dia pode-se fazer um empenho para que o culto esteja o mais próximo possível delas. Também é importante integrá-las no culto. Além de apresentar cânticos e dizer versinhos, elas podem realizar pequenas tarefas: podem recolher as ofertas ou levá-las ao altar, podem distribuir algum material quando for preciso. As crianças maiores podem ler pequenas mensagens, fazer encenações – em alguns lugares há grupos de coreografia. Em algumas congregações, há um berçário com parede de vidro, que permite a mãe ver e acompanhar o culto, enquanto tenta acalmar o neném irritado. As palavras de Jesus: “Deixem quer as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso” (Mc 10.14) resume o compromisso que temos de acolher nossas m crianças na casa de Deus.

3

4


| EM FOCO |

Marcos Schmidt Pastor em Novo Hamburgo, RS| marsch@terra.com.br

Novo retrato religioso

Em um espaço de seis anos, quatro milhões de evangélicos deixaram de ter vínculo com uma Igreja. Não seria esta uma oportunidade para a Igreja acolher e integrar um mundo de gente decepcionada, pessoas que buscam coerência entre pregação e vida? O que a IELB tem para oferecer nesta corrida religiosa?

U

ma matéria da revista ISTO É pode servir para nós, cristãos da IELB, de excelente material no assunto “missão interna e externa da Igreja”. Ao divulgar na capa da edição de agosto o título “O novo retrato da fé no Brasil”, a reportagem expõe ao leitor um fato moderno que oferece desafios negativos, mas também oportunidades para a

Igreja de Cristo. Baseada nos últimos dados do censo do IBGE, estudos e entrevistas, a matéria começa afirmando que “pesquisas indicam o aumento da migração religiosa entre os brasileiros, o surgimento dos evangélicos não praticantes e o crescimento dos adeptos ao islã”. Que o islamismo está crescendo, isso não é fato novo. O que chama a atenção é a nove-

la “O Clone” que, conforme dados, ajudou na sua expansão. Exibida em 2001 e agora reprisada pela Globo, o seriado tornou-se uma eficaz ferramenta para a conversão de brasileiros à fé muçulmana, que cresceu 25% nos últimos 10 anos. A mídia, sobretudo as novelas, sempre exerceu enorme influência nos costumes, nos valores morais e na fé. Assim, a afirmação da ISTO É merece um alerta: atualmente, não só o padre ou o pastor produzem sentido à vida das pessoas, mas celebridades, empresários, esportistas e outros dividem este espaço.

As igrejas precisam considerar em suas ações este novo retrato Penso que, na tarefa de manter nossos congregados no rol dos membros e na pretensão de crescimento missionário, essa realidade do “novo retrato” oferece excelente indicativo para uma ação mais Mensageiro | Outubro 2011

9


criteriosa em nossas atividades congregacionais. Sobretudo, ao afirmarem que esse “fenômeno” enfraquece as tradições cristãs diante da prolifereção de novas igrejas e da intensa migração religiosa. Para a socióloga Sandra Duarte de Souza, da Universidade Metodista de São Paulo, o desafio das igrejas estabelecidas é maior porque a pessoa pode escolher uma religião hoje e outra amanhã. “Os vínculos são mais frouxos, o que exige das instituições maior oferta de sentido para o fiel aderir a elas e permanecer. É tempo de mobilidade religiosa e pouca permanência”, adverte a professora de ciências sociais. Mas, o que a IELB tem para oferecer nesta corrida religiosa? Qual é a “mobilidade” para manter os de dentro e atrair os de fora? Creio que o atual lema “Acolhendo e Integrando” deve apontar para uma resposta mais precisa. E percebo uma excelente oportunidade num fato descrito pela socióloga, que o bom momento econômico do Brasil reduziu a necessidade da bênção material, um dos principais chamarizes de uma parcela do pentecostalismo. “Isto desperta o olhar para valores inerentes ao cristianismo, como a ética e a moral cristã, bastante difundidas entre os protestantes históricos.” Em um espaço de seis anos, quatro milhões de evangélicos deixaram de ter vínculo com uma Igreja. Não seria a nossa oportunidade? De acolher e integrar um mundo de gente decepcionada, pessoas que buscam coerência entre pregação e vida? Sem dúvida, o atual caminho para fazer missão é viver o Evangelho de Cristo,

10 M

ensageiro

| Outubro 2011

Sem dúvida, o atual caminho para fazer missão é viver o Evangelho de Cristo, convidando parentes, colegas e amigos para nossos cultos e estudos bíblicos. Aliás, as estatísticas comprovam que o testemunho pessoal é o jeito mais eficaz para o crescimento de uma Igreja. convidando parentes, colegas e amigos para nossos cultos e estudos bíblicos. Aliás, as estatísticas comprovam que o testemunho pessoal é o jeito mais eficaz para o crescimento de uma Igreja.

A necessidade espirutual do ser humano continua Esse “novo retrato”, no caminho inverso do intenso consumismo tecnológico, secularização

e materialismo, revela outro fato positivo: a permanente necessidade espiritual das pessoas. Apesar do aspecto perverso pela confusão espiritual cada vez maior, a atual situação religiosa no Brasil aponta para aquilo que Jesus denominou de “ovelhas sem pastor” diante da multidão aflita e desesperançosa. Pesquisas indicam que um quarto dos brasileiros mudou de religião nos últimos anos. Isso demonstra a fome e sede pela Palavra. Portanto, basta descobrir os métodos eficazes para oferecer o legítimo e nutrivo alimento espiritual. Só que isso exige aprimoramento no “ser Igreja” nestes tempos de “autonomia religiosa”. Conforme sustenta a socióloga: “Deus é constituído de multiplicidade simbólica, é híbrido, pouco ortodoxo, redesenhado a lápis, cujos contornos podem ser apagados e refeitos de acordo com a novidade da próxima experiência”. Isso, bem sabemos: não é Deus, é ídolo; não é o Salvador, é amuleto. Este deus é aquele de quem Jesus advertiu: “Tomem cuidado para que ninguém engane vocês. Porque muitos vão aparecer fingindo ser eu e dizendo: ‘Eu sou o Messias!’ E enganarão muitas pessoas” (Mateus 24.4,5). Sem dúvida, um enorme desafio nesta moderna configuração da fé brasileira. Mas de uma sociedade que é alvo do amor daquele que proclamou: “Eu sou o Senhor e não mudo”. O que precisa mudar, na verdade, são os métodos dos cristãos que carregam o verdadeiro Evangelho. Foi para eles que Jesus disse: “Escutem! Eu estou mandando vocês como ovelhas para o meio de lobos. Sejam espertos como as cobras e sem maldade como as pombas” (Mateus 10.16). m


| CAPA |

Igrejas

queimadas

na terra da

Reforma

montagem sobre foto de matias c. auel

As igrejas, os templos que acolhem os membros do corpo de Cristo, também têm a sua história. Na nossa IELB, temos muitas igrejas, capelas e templos novos, que ainda não têm muita história a relatar. No entanto, entre as igrejas da IELB, conhecemos também a de Passo do Santana, em Cerrito, RS, que por causa da sua história é chamada pelo povo da região de “Igreja Queimada”. Pois eu quero relatar a história de duas “igrejas queimadas” de Dresden, antiga cidade residencial da Saxônia, no Sudeste da Alemanha, já perto da divisa com a Polônia.

Karl Hermann Gottfried Auel Pastor emérito, reside no Rio de Janeiro, RJ

Mensageiro | Outubro 2011

11


| CAPA | A Frauenkirche (Igreja da Nossa Senhora)

Foi construída no século 18, substituindo a antiga “Santa Maria”, na qual não cabiam mais os membros que pertenciam à Comunidade Evangélica Luterana no centro urbano de Dresden. Foi inaugurada em 1734, após dez anos de construção. Mas a construção desse monumento e joia em estilo barroco foi concluída somente em 1743, quando o arquiteto e mestre de obras já tinha falecido. Ao mesmo tempo em que esta igreja suntuosa se tornou um marco arquitetônico no Norte da Europa, a concepção de seu interior reflete de maneira marcante e exemplar a teologia luterana do culto. Além disso, o compositor luterano Johann Sebastian Bach, logo após a sua inauguração, foi um dos organistas do seu famoso órgão de tubos, da oficina Silbermann. A Frauenkirche também se tornou uma testemunha da fé evangélica luterana da ampla maioria do povo de Dresden ao lado da catedral católica romana (Hofkirche = Igreja da Corte), que foi construída quase na mesma época por caprichos políticos, pois o Príncipe Eleitor, da Saxônia, um racionalista indiferente, havia-se convertido ao catolicismo para se tornar Rei da Polônia. Esta igreja, que resistiu a muitas guerras ao longo da história, foi literalmente queimada quando forças aliadas, em 13 de fevereiro de 1945, bombardearem a cidade de Dresden. Bombas incendiárias foram lançadas na sua proximidade e puseram o interior da igreja em chamas. E esse fogo, alimentado também por muitos rolos de filmes, depositados no subsolo por causa da guerra, fez cair a construção com a sua cúpula de mais de 90 metros de altura e 40 de diâmetro. Isso ocorreu no dia 15 de fevereiro de 1945. Conta-se que as pedras dos pilares e da cúpula ficaram vermelhas de calor antes que o prédio tombasse. Em 1967, tive a oportunidade de ver a montanha de escombros intocados daquilo que restou. E em 1980, tornei a ver essa mesma montanha, agora já ajeitada para ser um monumento dos horrores da Segunda Guerra Mundial. Nessa época, já tinha sido reerguido e restaurado o monumento com a estátua do reformador Martinho Lutero, em bronze, que já em 1885 havia sido colocado na praça em frente à igreja. Em 2010, tive a grata oportunidade de ver a Frauenkirche reconstruída, de acordo

12 M

ensageiro

| Outubro 2011

fotos: matias c. auel

com as plantas originais. Graças à iniciativa dos cidadãos de Dresden que, em 13 de fevereiro de 1990, 45 anos após o bombardeio da cidade de Dresden, decidiram pela reconstrução deste monumento. Essa iniciativa teve uma impressionante repercussão mundial, de maneira que em poucos anos, de 1993 a 2005, a igreja toda foi reerguida, usando-se muitos blocos de pedra da montanha de ruínas. Foram gastos cerca de 180 milhões de euros, oriundos de doações do mundo inteiro (curiosamente também por muitos cidadãos e entidades da Inglaterra e dos Estados Unidos). Um vencedor do prêmio Nobel de Medicina, nascido em Dresden, agora cidadão norte-americano, dedicou todo o valor do prêmio, 1 milhão de dólares, a este projeto. Em 30 de outubro de 2005, aconteceu a reinauguração deste majestoso templo. Também tivemos em 2010 a experiência de assistir a um dos momentos devocionais, que ocorrem regularmente ao meio dia, seguido por uma explicação, do alto do púlpito, de toda construção e de sua história. À noite, assistimos a um recital no órgão de tubos restaurado. É impressionante a acústica da igreja, na qual há assentos para 1.800 pessoas. Ouve-se bem o tocar suave do menor tubo do órgão, e, quando são acionados os maiores tubos com todos os registros abertos, parece que os alicerces da igreja estão tremendo. Impressiona também a arquitetura do seu interior: o púlpito entra como a proa de um navio para dentro do espaço dos assentos da comunidade, sublinhando a importância da pregação da Palavra de Deus no culto luterano. O acesso para o batistério e para o espaço em frente ao altar acontece por duas escadarias que passam ao lado de dois confessionários abertos. O altar e a mesa da Santa Ceia ficam bem visíveis para todos os participantes do culto. Acima do altar, esculpido em pedra, se vê o retrato da cena

do Senhor Jesus em oração no Getsêmani, preparando-se para o seu sacrifício na cruz. A coroação deste quadro do altar é o magnífico prospecto do órgão de tubos, sendo guarnecido por colunas ricamente ornadas. Todo esse arranjo barroco, que se grava na mente de cada participante do culto, dá a ideia de que todo culto na congregação tem sua continuação certa no c+éu. Hoje a Frauenkirche de Dresden não é mais local de culto para uma determinada congregação, como era quando foi construída, pois atualmente no centro histórico de Dresden quase não há mais moradores. A igreja tem, em sua programação regular, dois momentos devocionais diários e a celebração de vários cultos aos domingos e feriados cristãos, sendo um destes cultos sempre em inglês. O público alvo principal são os muitos turistas – nos três primeiros anos depois da inauguração, passaram mais de sete milhões de pessoas pela igreja. E a principal mensagem que ela quer transmitir é a paz e o amor que Jesus Cristo veio trazer para uma humanidade que constantemente


se encontra em conflito, promovendo a reconciliação entre as pessoas e os povos. A igreja hoje está sob a administração da Igreja Evangélica Luterana da Saxônia.

A St. Petri Kirche (Igreja de São Pedro)

Esta é a outra igreja “queimada” de Dresden que quero apresentar (foto pág. 11). Sua descrição e história são bem mais resumidas. Sua elevada torre, de 68 metros, faz com que seja também um marco na cidade de Dresden. O crescimento da cidade e da comunidade evangélica no bairro fez surgir a necessidade de sua construção, e muitos membros da comunidade, com muita alegria e sacrifício, envolveram-se no projeto. A igreja foi construída em estilo neogótico no final do século 19 e inaugurada em 1890. No tempo do nazismo, a história da comunidade ficou manchada pela adesão à corrente dentro da Igreja Evangélica Luterana da Saxônia, que simpatizava com Hitler. Em consequência do bombardeio de Dresden, no dia 13 de fevereiro de 1945, esta

Estados Unidos, de onde vieram os primeiros missionários da IELB. Imagens da igreja Nossa Assim, aconteceu que a partir de 1º Senhora. Na frente do de julho de 2001 a igreja de “São Pedro”, templo, há uma estátua através de um contrato amigável assinado entre a Igreja Evangélica Luterana da de Lutero. Saxônia e da SELK, trocou de dono por um período de 75 anos. Sem desembolsar valores, a Congregação Evangélica igreja também queimou por dentro: a torre foi parcial- Luterana Trindade de Dresden poderá dispor mente demolida, pois na desta igreja, para proclamar a Palavra de Deus entrada do exército russo na em sua pureza, de acordo com as confissões da cidade, jovens “hitleristas” se Igreja Luterana. Que maravilha! Os membros da nossa congregação irmã esconderam nela tentando “Trindade” têm para o seu uso um dos temimpedir a invasão da cidade. De 1951 até 1958, a plos históricos da cidade de Dresden, que comunidade local se em- com a sua torre marcante, situada numa via penhou na restauração de principal da cidade, em meio a um bairro sua igreja e, em 1958, con- populoso, é um sinal público que aponta seguiu instalar um novo para o céu. Esta igreja dá testemunho de órgão de tubos. Mas em Deus, do criador e mantenedor do universo, consequência de muitos lembra também o nosso Bom Pastor, que anos de propaganda an- pela Palavra e Sacramentos quer conduzir ticristã, durante o regime a todos para o seu Reino, edificando e connazista e durante o regime servando a sua Igreja, apesar de “queimadas”. O atual pastor da congregação, Andreas comunista, o número de membros da comunidade Rehr, é neto de um missionário na IELB, decresceu constantemente. Georg Wilhelm Rehr, nascido na Alemanha. Apesar da igreja se en- Em correspondência, o pastor Andreas contrar em meio a um po- expressou a alegria e a satisfação dele e de puloso e próspero bairro e ficar numa das toda congregação, pois, além de ter um novo entradas principais da cidade de Dresden, não centro congregacional de acordo com suas muito longe do centro histórico, a adminis- necessidades, novas portas estão se abrindo tração da comunidade St. Petri e do Distrito e o trabalho de evangelização tem melhores da Igreja Evangélica Luterana da Saxônia, por perspectivas. Tudo isso já comprovado volta do ano 2000, não se viu mais em condi- pelo crescimento no rol de membros e pela satisfação e alegria dos membros de terem ções de mantê-la. Nesta mesma época, a Congregação recebido esta “igreja queimada” para os seus Evangélica Luterana Trindade, comunidade encontros com Deus. Os membros que resda nossa igreja irmã Selbständige Evangelisch- taram da congregação que antes era “dona” -Lutherische Kirche (SELK) da Alemanha, deste templo se reúnem ocasionalmente aos estava planejando construir uma nova igreja, sábados na Igreja de São Pedro. Este testemunho das duas “igrejas queimapois o salão de cultos ficou muito pequeno e a congregação experimentava um constante das” de Dresden me faz lembrar uma palavra crescimento. Esta congregação surgiu, no de Lutero que diz: “Não somos nós que século 19, em oposição à Igreja Territorial haveremos de manter a Igreja. Também da Saxônia, que deixou o racionalismo e o os nossos antepassados não a mantiveunionismo tomar conta de seus seminários, ram. Igualmente não serão os que nos púlpitos e altares. Por causa disso, na mesma sucederem. Quem manteve, mantém e época, outros cristãos destes mesmos territó- manterá a Igreja é unicamente este que rios, que antigamente eram luteranos, se viram disse: ‘Eis que estou convosco todos os obrigados a abandonar sua pátria. Emigraram, dias até a consumação do século’.” m por causa da sua fé, para se organizar em novas * Karl nasceu na Alemanha e reside igrejas, comprometidas com as confissões da atualmente na cidade do Rio de Janeiro. Igreja Evangélica Luterana, na Austrália e nos Mensageiro | Outubro 2011

13


| HISTÓRIA DA IGREJA |

Em outubro, Walther completaria 200 anos

1 Pastor em Steintal (1740-1826). Dedicouse à missão entre vagabundos e viciados, e conseguiu recuperar muitas pessoas.

14 M

ensageiro

| Outubro 2011

imagem arquivo editora concórdia

O

pastor Carl Ferdinand Wilhem Walther nasceu no dia 25 de outubro de 1811, em Langenchursdorf, Saxônia, Alemanha. É filho de Gottlob Heinrich Wilhelm Walther e Johanna Wilhelmine, nascida Schenderlein de Zwickau. Dos 12 filhos, ele é o oitavo. Seu pai, de uma longa linhagem de pastores, cresceu no racionalismo e ensinou a seus filhos que a Bíblia é a Palavra de Deus. Walther escreve em sua biografia: “Até os 18 anos, nunca tive uma Bíblia na mão, muito menos um Catecismo, só uma folha com algumas linhas sobre moral pagã. Eu queria ser músico, mas meu pai me disse: Se tu queres ser músico, trabalhe. Se estudares teologia, eu te darei a mesada de um Taler por semana”; com isso, seria possível subsistir como estudante. Walther decidiu pela teologia não tanto por causa da promessa de subsistência, mas porque ele leu a biografia de John Fr. Oberlino1, escrita por G. H. Schubert, e começou a interessar-se pelo assunto. Em outubro de 1829, ele se matriculou na Universidade de Leipzig, onde seu irmão Hermann já estudava; com poucas exceções, os professores eram todos racionalistas. Um dia, Walther tomou a decisão de comprar uma Bíblia. Mas com que dinheiro? Se gastasse meu Taler, como subsistiria durante a semana? A vontade de ter uma Bíblia venceu. Ele pensou consigo: “Estou dando o dinheiro para uma causa de Deus, ele há de me sustentar”. E vejam, após uns dias, um colono de sua cidade natal o procurou e lhe disse: “Eu viria para cá, por isso passei na casa de seu pai e lhe perguntei se ele não

O objetivo de Walther foi lutar para ser fiel à Escritura e às confissões luteranas. Ele estava sempre atento para estar nos ombros dos pais que vieram antes dele.

tinha nada a mandar para ti. Ele respondeu: Não! Mas, depois disse, espera. Buscou um envelope e disse: Entregue isso para meu filho”. Após o colono ter-se despedido, Walther abriu o envelope, e lá estava um Taler; foi a única vez em que seu pai lhe deu uma mesada extra. Certo dia, alguns estudantes o convidaram para participar de suas reuniões durante a semana; eram reuniões para o estudo da Bíblia e oração. Lá, eles liam também os sermões de August Hermann Franke (teólogo luterano pietista, que se empenhou pelo estudo da teologia, pela missão e um reavivamento, 1663-1727). O grupo era desprezado pelos demais universitários e chamados de pessimistas, visionários, pietistas, etc. Entre eles estavam muitos que, mais tarde, seriam os fundadores do Missouri Synod como Buenger, Fürbringer, Brohm e outros. Walther começou a ter muitas dúvidas e conflitos de consciência. Nos sermões do pastor Martin Stephan, ele encontrou orientação e consolo. Na Páscoa de 1833, Walther deixou a Universidade. Ele estava debilitado e precisou se recuperar. Foi para a casa do seu pai e, na biblioteca deste, encontrou as obras de Lutero e se aprofundou em estudá-las. Nelas, encontrou orientação e consolo. Em setembro de 1833, prestou seu primeiro exame (pro licentia condicionandi) em Leipzig, e, no ano de 1836, prestou seu segundo exame, em Dresden (pro condidatura). Em 15 de janeiro de 1837, foi ordenado pastor em Braunsdorf, Saxônia, uma comunidade destroçada pelo racionalismo. Walther se esforçou ao máximo para ensinar o povo e enfrentou oposição por parte do seu superintendente racionalista, que lhe proibiu batizar em nome do Deus triúno


e lhe ordenou que batizasse em nome da liberdade, fraternidade e igualdade. Walther encontrou amparo em Martin Stephan, de Dresden. Em fins de 1838 renunciou ao seu chamado, uniu-se ao grupo de Martin Stephan e deixou, com seu irmão Otto Hermann, a Saxônia com 800 emigrantes, em busca de uma nova pátria na qual poderiam exercer e confessar sua fé livremente. Em 5 de janeiro de 1839, chegaram a New Orleans. Dali, seguiram para St. Louis, onde chegaram no dia 19 de fevereiro. Os que ficaram ali chamaram como seu pastor o irmão de Walther, Otto Hermann Walther. Os outros seguiram para Perry Country, onde se dividiram em várias comunidades. C. F. W. Walther ficou com as comunidades “Dresden” e “Johannesberg”. A luta inicial foi muito dura. Pobreza e doenças dizimaram o grupo. Além disso, houve lutas no campo espiritual: Martin Stephan caiu em grandes pecados e não deu ouvidos às repreensões para o arrependimento. No dia 30 de maio de 1839, Martin Stephan foi deposto do cargo de bispo e expulso da colônia, sob as acusações de malversação do dinheiro, volúpia, adultério e obstinada impenitência2. O escândalo foi grande. Após, surgiram outras lutas espirituais, nas quais Walther prestou grande auxílio, por seus conhecimentos a respeito de Lutero. Dúvidas foram esclarecidas e, em maio de 1841, Walther aceitou o chamado da Congregação Trindade, de St. Louis, na qual permaneceu até sua morte. Nesse mesmo ano, em St. Louis, casou-se com Emilia Buenger, com quem teve seis filhos. No dia 26 de abril de 1847, foi fundada a Lutheran Church – Missouri Synod. Walther foi o primeiro presidente, onde ficou até 1850, e novamente entre os anos de 1864 a 1878. Nos 40 anos em que esteve envolvido no trabalho da Igreja, Walther ocupou vários cargos, inclusive de presidente do Seminário Concórdia de St. Louis (fundado em Perry Couty, Missouri, 1839), foi fundador da St. Louis Lutheran Bible Society (1853) e fundador e editor de vários periódicos: 2 Walther escreveu mais tarde: Não acredito que ele tenha sido um hipócrita desde o início. Penso que ele foi sincero. Mas os elogios e sua triste vida matrimonial (a família não o acompanhou), inflaram seu orgulho carnal e o fizeram cair.

Um dia, Walther tomou a decisão de comprar uma Bíblia. Mas com que dinheiro? Se gastasse meu Taler, como subsistiria durante a semana? A vontade de ter uma Bíblia venceu. Ele pensou consigo: “Estou dando o dinheiro para uma causa de Deus, ele há de me sustentar.

Der Lutheraner, Lehre u. Wehre. Ele escreveu vários e importantes livros sobre teologia, como Lei e Evangelho, Pastorale, Die rechte Gestalt, Kirche und Amt. Walther foi um vigoroso opositor à influência do maior movimento secular de seus dias, o humanismo, que ele definiu da seguinte forma: É um fato irrefutável que o humanismo não só suplantou o cristianismo numa grande parte da população, mas ele também infeccionou a teologia cristã no seu núcleo central, o envenenou e enfraqueceu. Definimos o humanismo como crença em um ideal humano, de que o homem tem dentro de si a capacidade de desenvolver e evoluir para um estado de perfeição e realizar a felicidade (Slavary, humanissm and the Bible). Walther faleceu no dia 7 de maio de 1887 e foi sepultado no Cemitério Concórdia de St. Louis, onde mais tarde foi lhe construído um mausoléu. O objetivo de Walther foi lutar para ser fiel à Escritura e às confissões luteranas. Ele estava sempre atento para estar nos ombros dos pais que vieram antes dele. Àqueles que se opuseram à Igreja Luterana e rejeitaram seu ensino, ou eram meramente curiosos e interessados em fazer perguntas zombeteiras, como, por exemplo, “onde estava a Igreja Luterana antes de Martinho Lutero?” (na época, já havia nos Estados

Unidos, muitos imigrantes luteranos da Suécia e da Dinamarca, das mais diferentes correntes, organizando igrejas e tentando formar Sínodos), Walter respondeu num artigo publicado no Der Lutheraner, intitulado: Com respeito ao uso do nome Luterano. Lemos ali num parágrafo: Onde quer que haja uma igreja ortodoxa no mundo, ali está a Igreja Luterana. Ela (por estranho que soe o seu nome) é tão velha quanto o mundo. Pois ela não tem outra doutrina do que a doutrina dos patriarcas, profetas e apóstolos. O nome luterano, na verdade, só surgiu há quase 300 anos, mas o nome não é significativo. Por isso, toda a vez que a pergunta é feita a nós: Onde estava a Igreja Luterana antes de Lutero? É fácil de responder: Ela estava em todo o lugar onde havia cristãos que creram de todo o coração em Jesus e em sua santa Palavra, a única que salva, que traz conforto e é refúgio certo para os aflitos. O ponto é simples. Usamos o nome luterano para distinguir a fé e a confissão da única católica, apostólica igreja de todas as outras igrejas errôneas. De certa forma, não há uma coisa como “Igreja Luterana”, mas por sermos pressionados a dizer com clareza qual é a Palavra de Deus ensinada e proclamada em nosso meio, então nós nos distinguimos dos outros e nos referimos a ela. Em si, ela não é outra coisa do que a boa e velha fé confessada pelos santos em todos os tempos. (Der Lutheraner. Com respeito ao nome luterano. 23/09/1844. Vol I, n° 2, p. 6.) Walther era um homem com uma memória fantástica, um extraordinário dinamismo e uma fervorosa devoção. Sua influência não se estendeu somente sobre a América, mas também sobre a Europa. Na dedicação e ampliação do Seminário Concórdia em St. Louis em 1883 (fundado em 1839, removido para St. Louis em 1847), compareceram 22 mil pessoas, 160 pastores. Quando Walther faleceu em 1887 e o dr. Schwan assumiu a presidência, a LC-MS contava com 1.424 congregações, 459.353 membros, 71.504 escolas paroquiais, 60 missionários itinerantes e 70 pastores em congregações missionárias. Impressionante! Que bênção! Queira Deus em sua graça m nos conservar estas bênçãos. Horst R. Kuchenbecker | Pastor emérito, São Leopoldo, RS Mensageiro | Outubro 2011

15


| VIDA E SAÚDE | foto: leandro r. camaratta

Envelhecendo com qualidade de vida O Dia do Idoso é comemorado no Brasil no dia 1º de outubro e tem como objetivo valorizar os idosos. Até o ano de 2006, esta data era celebrada no dia 27 de setembro, porém, em razão da criação do Estatuto do Idoso em 1º de outubro, o dia do idoso foi transferido para esta data de acordo com a Lei 11.433 de dezembro de2006.

Mona Liza Fuhrmann Psicóloga, Colaboradora do ML Vitória, ES

A

palavra velho e seus derivados (velhice, envelhecer, etc.) costumam despertar, especialmente nas últimas décadas, forte rejeição e preconceito. A humanidade passou a supervalorizar a juventude e desprezar a idade avançada, mal disfarçando essa rejeição através da utilização de eufemismos como “terceira idade” ou “melhor idade”. Como fui criada em meio a conceitos que sempre enalteceram e honraram a experiência e a sabedoria dos cabelos brancos, é muito difícil compreender essa inversão de valores. Depois de ter vivido muitos anos insatisfeita com minha pouca idade e com a falta de privilégios que isso me proporcionava, estou completando 57 anos com muito orgulho e disposição para usufruir, ao máximo, das prerrogativas que a idade me confere: maturidade, equilíbrio emocional, visão mais ampla e menos tendenciosa do mundo e uma maior indulgência com as idiossincrasias (características individuais “estranhas”), minhas e dos outros! Mas, como psicóloga, entendo que faço parte de um grupo bem reduzido de pessoas que sente aumentar sua satisfação pessoal

16 M

ensageiro

| Outubro 2011

com o passar dos anos. A maioria dos indivíduos que compõem as sociedades supostamente mais civilizadas e desenvolvidas do planeta é cruelmente sufocada pela inversão de valores mencionada anteriormente e, a cada aniversário transposto, sente-se menos aquinhoada pelas prioridades dessas mesmas sociedades, que são:

• Poder econômico As pessoas mais valorizadas em nosso mundo são as que denotam um alto poder aquisitivo, através da quantidade de bens que possuem e/ou da ostentação de um estilo de vida caro e requintado. Ter, em casa, três ou mais aparelhos de TV, um home theater com dimensões cinematográficas, um triturador de alimentos na cozinha, um laptop de última geração na bolsa e mais do que um carro na garagem, assim como frequentar bons restaurantes várias vezes por semana, viajar (de avião) ao menos uma vez por mês e usar roupas, calçados e acessórios de griffes renomadas são indicadores indispensáveis para quem deseja demonstrar sucesso econômico. Não poder exibir todos esses sinais de

riqueza é perfeitamente aceitável, pela sociedade, para os jovens – faixa etária que associamos, tradicionalmente, a um estilo de vida despojado e alternativo. Morar em uma quitinete alugada, vestir-se com sarja e algodão, andar de ônibus ou a pé são características “permitidas” à juventude, mas não à maturidade. Nosso mundo “cobra” das pessoas com mais de 35 anos as características sinalizadoras de conquistas profissionais e financeiras, que se traduzem no estilo de vida e na quantidade e qualidade dos bens adquiridos. Não poder evidenciá-los, sem estar apoiado em uma forte autoestima e um exacerbado senso crítico, que não permita sentir-se sufocado pelo rótulo de “fracassado”, é o início de muita frustração e desgosto.

• Poder social Ao par do poder econômico, também o social é extremamente valorizado pelo mundo em que vivemos. Frequentar festas e outros eventos importantes, ser citado em colunas sociais, ser reconhecido em público, ser convidado para inaugurações, pré-estreias e vernissages, ser recebido


Mensageiro das Crianças Encarte do Mensageiro Luterano de outubro de 2011

Acolhendo e Integrando

MC Historia Dibbs – Vocês se lembram da pergunta que estava na revista do mês passado? Keite – Eu me lembro. Era sobre o que vamos comemorar no mês de outubro. E também sei o que comemoramos neste mês: o Dia das Crianças, o Dia do Professor e também o Dia da Reforma Luterana. Dibbs - Pois é, as crianças são importantes no Reino do Céu, e Deus as ama muito. Deus também ama os professores que são seus instrumentos para ensinar às crianças. Keite - Outra data importante é a Reforma da Igreja. Deus usou um homem de muita coragem, chamado Martinho Lutero, para trazer novamente a pregação da Palavra de Deus para o povo. Ele voltou a falar na linguagem que o povo entendia e restabeleceu muitas verdades. Uma delas é que o justo viverá pela fé – o que salva as pessoas é a fé em Jesus Cristo. Dibbs - Isso mesmo! Lutero, que lia a Bíblia, descobriu nela a vontade de Deus para com as pessoas. A vontade de Deus é que todos sejam salvos e alcancem a vida eterna ao seu lado, no Céu. Keite - Eu também já li várias histórias na Bíblia e uma que chama a atenção é sobre uma festa dada por um homem. Jesus compara essa festa com o Reino do Céu. Nessa festa, seria comemorado o casamento de seu filho onde todos os convidados são importantes. Dibbs – Realmente, os convidados são importantes. Nós também somos convidados para a festa do Reino do Céu. Para que cheguemos à festa, Deus espera que confiemos nele de todo o coração. Keite - Somente quem crer em Jesus como Salvador fará parte da grande festa. Dibbs - Na história da festa que Jesus contou, muitos foram convidados, mas rejeitaram o convite. Jesus,

hoje, ainda convida as pessoas para a grande festa da salvação através de sua obra redentora. Porém, muitos rejeitam e acreditam em outras coisas que deixam Jesus de lado. Keite - Jesus fica triste quando é rejeitado. Contudo, ele deseja que todos sejam salvos e agradecidos pelo que ele fez: ele morreu na cruz para salvar toda a humanidade. Olhe o labirinto ao lado e veja o que Jesus fez por nós. Ele nasceu, morreu, ressuscitou e, agora, está no Céu acolhendo crianças e também adultos. Descubra o caminho entre uma cena e outra e agradeça pelo que Jesus fez. Dibbs - Será que nossos companheiros sabem ser agradecidos? Sabem agradecer pelo que recebem todos os dias? Keite - No próximo mês, vamos falar sobre o agradecimento e será a nossa professora Jeane Mary Chaves Muller quem vai preparar as atividades. Mas, enquanto aguardamos o que a professora Jeane trará para nós, vamos fazer agora as atividades preparadas pela professora Tânia Kopereck. Célia Marize Bündchen Mensageiro | Outubro 2011

17


MC Atividades Queridos amigos! A maioria de nós gosta de ouvir histórias. Meu neto Guilherme sempre pede para contarmos histórias a ele. Em Mateus 22, Jesus conta uma parábola, ou uma história, muito interessante. Começa assim: “O Reino do Céu é como um rei que preparou uma festa de casamento para seu filho...“. Se você puder, leia essa história na Bíblia ou peça para alguém contá-la. Ali, conta que muitas pessoas foram convidadas, mas não se importaram com o convite recebido. Ainda hoje, nós somos convidados. Se fomos convidados, é porque somos escolhidos. Que maravilha! Muitas vezes não nos damos conta de como somos felizes e nos esquecemos de agradecer a Deus por ele nunca se esquecer de nós. As atividades abaixo servirão para relembrarmos que somos escolhidos por Deus e que ele nos ama muito e quer que estejamos com ele para sempre!

OBRIGADO, Senhor, pela minha FAMÍLIA, pelos meus AMIGOS, pela minha CASA e pela minha ESCOLA. Eu te agradeço por cuidares de mim e por me escolheres para fazer parte do teu povo. Obrigado também por JESUS ser o meu SALVADOR. Amém.

1 F A M Í L I A

18 M

Procure, no diagrama abaixo, as palavras grifadas na oração, circulando-as:

R M J M N N M

U J U N B H K

ensageiro

O U H H V Y J

L O G U C T H

J B F Y A R G

G R D T S E B

| Outubro 2011

D I C R A D N

A G V E G S B

X A B S H X V

V D N A Y C C

N O M G T V D

M L E V R B E

K K S B E A R

O K C H W M T

U J O Y S I Y

H N L R D G U

B B A F C O I

V H C S V S O

F G V A B C K

R T B L N V J

E F G V M B H

D D T A K N G

S J N D J J F

W E H O H H D

C S H R G Y C

X U G M F T V

Z S F J D R B

S N R I S G N

D B D O A H M

K V B P W J K

L C V L E K I

P D F K R I O

M R R J T O L


2

Observe bem as figuras. Faça a “carinha” de acordo com o que você entende por:

fotos: arquivo editora concórdia

a j GRATIDÃO INGRATIDÃO

j

j

j

j

3

Nós somos escolhidos por Deus! Ele nos ama muito e nos acolhe em seus braços de amor. Descubra qual é a mensagem secreta para conseguirmos o tesouro! Para nós, cristãos, nosso maior tesouro é a vida eterna, ou seja, estarmos um dia com Jesus para sempre. Troque cada símbolo pela letra indicada e forme a palavra que nos mostra o que somos:

L=R C=z H=U

D=m O=v E=Q

I=O S=I

Complete a frase colocando a letra certa para cada símbolo e verá o que somos para Deus. Somos ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ ____ por Deus.

Q

I

z

v

R

U

O

m

v

I

No ano de 2011, nossa Igreja fala sobre acolher e integrar, ou seja, receber bem e fazer com que as pessoas se sintam felizes em nosso meio, vivendo nos braços do Bom Pastor Jesus. Em 2012, na igreja e em nossas casas, ouviremos muito sobre outro destaque dentro do lema CRISTO PARA TODOS e o tema A IGREJA COMUNICA A VIDA. Para descobrir, complete o exercício abaixo:

1 2 3 4 5 6

A A B C D E F

B G H I J K L

C M N O P Q R

D S T U V X Z

___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ - ___ ___ ___ ___ ___ A6 D3 C2 A4 A1 C1 A5 C2 D2 A1 C2 A4 C3 B4 A5 D1 D3 D1 ___ A1

___ ___ ___ ___ ___ C6 C3 A3 B2 A1

___ ___ ___ ___ ___. A6 B3 C6 C1 A5 Mensageiro | Outubro 2011

Tânia Eloisa Voigt Kopereck

4

19


Amanda Yahn Vinholis 10 anos Congregação Trindade Vila Cristal, Nova Santa Rosa, PR.

Olá, amigos do Mensageiro das Crianças! É com muita alegria que compartilhamos estes desenhos das crianças da Escola Dominical Emanuel, Ijuí, RS. As crianças desenharam com base no tema “Jesus e a Natureza – Jesus dentro do coração”. Sou a professora Jeane Müller e desejo a todas as crianças a paz de Jesus. Amém. Eduardo

Everton

Diego

Alex

Aisha - 2 anos

Pedro Müller

Luiza Milke

Kenu

Jonathas

Gabrielle

Emanuely - 2 anos

Fernanda

Hevelin

Olá, amiguinhos do MC! Meu nome é Bianca Kröning Schultz, tenho um mês e oito dias. Meu pai se chama Jonas Roberto Schultz e minha mãe, Kárin Kröning Schultz. Fui Batizada no dia 31 de julho de 2011 pelo meu pai e pelo meu vovô João Kröning. Estou muito feliz por estar escrito no livro de Jesus e agradeço a Deus pelo dom da vida. Beijos a todas as crianças do MC.

20 M

ensageiro

| Outubro 2011

Desafio do mês

No verão, temos férias, tempo para descansar. Conte para seus amigos do MC o que você quer fazer nas férias. Mande um desenho, uma foto ou uma cartinha até o dia 20 de novembro para: Mensageiro das Crianças Av. São Pedro, 633 - Bairro São Geraldo CEP: 90230-120 - Porto Alegre, RS


por autoridades são alguns dos muitos indicadores de status, influência e poder político, que, via de regra, acompanham os detentores de poder econômico ou, ao menos, ocupantes de cargos elevados em organizações públicas e privadas, e que milhares e milhares de pessoas veem como sinônimo de realização pessoal.

• Poder de sedução A correspondência a determinados padrões físicos, bem como a determinadas atitudes e comportamentos, é maciçamente enfatizada pela mídia como um identificador de “beleza” e “juventude” e é aceita, de forma quase unânime, por todos (quer se encaixem ou não nesses padrões). Para os homens, é ter um corpo “sarado”, com músculos bem definidos por horas e horas de malhação e a ingestão de alguns anabolizantes... Para as mulheres, é ser esquelética, com seios e nádegas avantajados e firmes – o que, geralmente, as modelos só conseguem através de uma combinação bizarra de doenças como a bulimia, ou a anorexia, e implantes de silicone nos locais “certos” da anatomia... Para homens e mulheres, esses padrões ainda ditam um rígido regime alimentar, esportes radicais, disposição para qualquer programa extenuante (sentir-se cansado é uma abominação intolerável!) e cirurgias de “reparação”, para moldar rostos e corpos de acordo com a estética que estiver em moda no momento. Tudo isso com a finalidade última de se tornar “atraente”, “sedutor(a)” e “desejável” aos olhos dos demais. Se esses padrões já são, para muitos, impossíveis de serem obtidos naturalmente na juventude (devido à bagagem genética), depois dos 40 anos, então, só com muitos recursos artificiais, alto investimento financeiro, risco para a saúde e irreparável déficit de qualidade de vida!

A sensação de perda Os valores já citados são, via de regra, as aspirações dos jovens, as metas de conquista vital. À medida que os indivíduos vão avançando na idade e não conseguindo atingi-las, uma sensação de perda e derrota vai se instalando. Se o sucesso econômico e social, nos moldes descritos, não for obtido até os 40 ou 45 anos, dificilmente o será mais tarde. E a natureza se encarrega de tornar mais difícil, a cada dia, a correspon-

Não podemos nunca, em nenhuma idade, perder a capacidade de sonhar e de estabelecer objetivos futuros _ seja aos 40, aos 60, ou aos 90 anos! Não sabemos qual será nosso último dia de vida: se hoje, amanhã, ou daqui a 120 anos. Precisamos viver cada dia de nossas vidas como se fosse o último, no tocante a pregar o Evangelho, fazer o bem e expressar nosso afeto e preocupação para com os que nos rodeiam. Mas também como se ainda tivéssemos, à frente, mais 50 anos de realizações e empreendimentos, em relação a tecer expectativas e planificar o futuro.

dência aos padrões de estética corporal. Assim, as pessoas, nessa faixa etária, costumam fazer um balanço de suas conquistas e considerarem-nas insatisfatórias. As mulheres são, ainda, as maiores vítimas desse sentimento de perda devido à diminuição (ou cessação) da capacidade reprodutora nessa mesma idade, quando é muito comum que quadros depressivos se manifestem. Os homens, menos suscetíveis à depressão (devido a fatores biológicos e culturais) geralmente respondem a essa frustração adotando comportamentos imaturos de irresponsabilidade que, muitas vezes, chegam às raias do ridículo, como: abandonar a família, namorar uma garota com idade para ser sua filha, comprar um carro esportivo, etc. (Nota-se que, com as mudanças culturais ocorridas com o advento das mulheres ao mercado profissional e

ao cenário econômico, muitas delas também reagem dessa mesma forma à chamada “crise dos quarenta”.) Ao lado dessas expectativas desfeitas, quase universais, existem outras, individuais, que também costumam “desmoronar” por volta dos 40 ou 50 anos. Celibato para quem desejava muito constituir uma família, casamentos desmoronados para aqueles que esperavam encontrar “uma alma gêmea”, permanência na cidade natal para quem sonhava com viagens ao redor do mundo, trabalho rotineiro para aqueles que aspiravam escalar o Himalaia, atravessar o Ártico ou fazer parte do grupo “Médicos Sem Fronteiras” em alguma savana africana... A meia-idade traz consigo, comumente, a necessidade de ajustarmos o foco de nossas expectativas para um patamar mais real do que o ocupado pela maioria das pessoas por volta dos 20 anos. E esse ajuste provoca, muitas vezes, forte desapontamento – porque, além da natural frustração de uma fantasia desfeita, a maior proximidade do final da vida gera também uma sensação de que não temos mais tempo para conquistar as metas que tencionávamos. Alguém disse que “envelhecer é perder a capacidade de sonhar”, e isso é, realmente, uma tragédia. Sonhar, fantasiar, “construir castelos nos ares”, fazer planos, delinear uma situação futura que almejamos, é muito mais importante e vital para a qualidade de vida do que efetivamente realizar o intento. Não podemos nunca, em nenhuma idade, perder a capacidade de sonhar e de estabelecer objetivos futuros _ seja aos 40, aos 60, ou aos 90 anos! Não sabemos qual será nosso último dia de vida: se hoje, amanhã, ou daqui a 120 anos. Precisamos viver cada dia de nossas vidas como se fosse o último, no tocante a pregar o Evangelho, fazer o bem e expressar nosso afeto e preocupação para com os que nos rodeiam. Mas também como se ainda tivéssemos, à frente, mais 50 anos de realizações e empreendimentos, em relação a tecer expectativas e planificar o futuro.

Velhice com qualidade Podemos, sem nenhum melindre, assumir a designação de “velhos” (como aceitávamos a de “jovens” aos 20 anos), sem que isso, contudo, signifique a perda de uma vida gratificante e de muita qualidade. No aspecto físico, é importante zelarmos Mensageiro | Outubro 2011

21


| QUALIDADE DE VIDA |

22 M

ensageiro

| Outubro 2011

foto: arquivo editora concórdia

com mais carinho pelas horas de sono e por uma alimentação rica e balanceada. Pessoalmente, sou favorável à reposição de suplementos alimentares recomendada pela Medicina Ortomolecular, com a ingestão de vitaminas, cálcio, zinco, ginko-biloba e correlatos, considerando que o corre-corre da vida moderna muitas vezes dificulta uma alimentação natural eficaz. Todavia, essa opção só pode ser adotada após um rigoroso check-up médico, em que são medidos os níveis orgânicos dessas substâncias, cujo excesso é tão prejudicial quanto a carência. Ainda no campo físico, são importantes alguns cuidados maiores com a pele, com as unhas e com os cabelos, que se tornam mais frágeis com o passar dos anos. Isso sem falar na necessidade óbvia de atividades físicas regulares, com o objetivo de evitar o acúmulo exagerado de gorduras (que impedem uma boa saúde) e minimizar Em vez de se isolar, como fazem alguos efeitos da perda de tônus muscular e elasmas pessoas, deve-se dar especial atenção ticidade dos tecidos orgânicos. Mesmo sem nos deixar dominar pela às relações afetivas e sociais e continuar a obsessão da vaidade imposta pela sociedade fazer novas amizades também com pessoas que nos cerca com seus padrões estéticos ar- de faixa etária diferentes. O convívio com tificiais, é importante que nos sintamos bem crianças e jovens é muitíssimo importante com nossa aparência. Ela é uma das peças- para a renovação de ideias e a manutenção de uma perspectiva ampla -chave na definição de e sincrética do mundo nossa identidade e na que nos cerca. manutenção de uma Deve-se também Deve-se também elevada autoestima. ter uma (ou mais) ter uma (ou mais) atiNo campo da saúde vidade produtiva, que atividade produtiva, mental e psicológica, é alto grau de imprescindível contique envolva alto grau de envolva responsabilidade, desanuarmos apreendendo responsabilidade, desafio fio e comprometimencoisas novas e manterto, cultivar hobbies, mos acesa a chama da e comprometimento, aumentar o número de curiosidade. Soluciocultivar hobbies, horas semanais resernar palavras cruzadas, vadas ao lazer e aprencharadas e problemas aumentar o número der (nunca é tarde!) a do tipo que se enconde horas semanais sentir prazer. E, a cada tra em revistinhas do dia, deve-se estreitar gênero, jogar dama, reservadas ao lazer e mais a comunhão com xadrez, ou jogos de aprender (nunca é tarde!) o Pai Eterno, expericomputador (como Coa sentir prazer. E, a cada mentando a inigualápas e Paciência Spider) vel certeza de que “Na e ler muito são algudia, deve-se estreitar velhice darão ainda mas atividades triviais mais a comunhão com o frutos, serão cheios que ajudam a manter de seiva e verdor” (Sl a agilidade intelectual. Pai Eterno

92;12-15) e que “Ele é [...] quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova com a da águia” (Sl 103;1-5). Para concluir, transcrevo um texto de suposta autoria de Madre Tereza de Calcutá, uma mulher incrível que, mesmo fragilizada por insidiosa enfermidade, demonstrou força, determinação e energia até seus últimos dias de vida, com mais de 90 anos: “Tenhas

sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em anos... Mas o que é importante não muda; a tua força e convicção não têm idade. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Atrás de cada conquista, vem um novo desafio. Enquanto estiveres vivo, sinta-te vivo. Se sentes saudades do que fazias, volte a fazê-lo. Não vivas de fotografias amarelecidas... Continue quando todos esperam que desistas. Não deixes que enferruje o ferro que existe em ti. Faça com que em vez de pena, te tenham respeito. Quando não conseguires correr através dos anos, trote. Quando não conseguires trotar, caminhe. Quando não conseguires caminhar, use uma bengala. m Mas nunca te detenhas!”


| EVANGELIZAÇÃO |

Hora Luterana promove viagem evangelística foto: arquivo hora luterana

E

ntre os dias 24 de junho e 3 de agosto, o pastor da Hora Luterana, Carlos Kracke, e sua esposa, Márcia, viajaram 9.000 quilômetros realizando atividades missionárias em diversas cidades do Brasil (veja quadro abaixo). A viagem teve como objetivo apoiar o trabalho missionário das congregações luteranas e de outras organizações do Nordeste e Sudeste brasileiro. Para isso, foram realizadas atividades que incluíram palestras, treinamento missionário, evangelismo pessoal, cultos e aconselhamentos. Durante 40 dias, foram distribuídos mais de 8.500 livretes, sempre com o apoio dos amigos pastores e dos demais irmãos, que não mediram esforços para que esta viagem e as atividades pudessem acontecer. Durante os 64 anos de trabalho no

Brasil, a Hora Luterana teve um papel importante no surgimento de diversas congregações luteranas, especialmente no Nordeste brasileiro. Algumas congregações visitadas nesta viagem são frutos de projetos desenvolvidos pela Hora Luterana. A viagem permitiu oferecer suporte, especialmente com material missionário, para que essas e outras congregações continuem semeando a Palavra de Deus no contexto cultural em que estão inseridas. Nós, da Hora Luterana, só podemos agradecer primeiramente a Deus, por toda proteção e cuidado na viagem do pastor Carlos e da Márcia. Também agradecemos às pessoas que ofertam para que este trabalho seja realizado. E o nosso muito obrigado à direção da IELB, aos distritos, às congregações e a todos que nos ajudaram nesta viagem para que a Palavra de Deus pudesse ser semeada em parceria com os nossos irmãos da IELB no Sudeste e Nordeste brasileiro. Mais informações sobre a viagem, visite o nosso blog http://blog.horaluterana.org.br. Ali você verá testemunhos, relatos e muitas fotos de todas as atividades realizadas.

Relatos de pastores visitados “A Palavra de Deus se cumpre: ‘Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos!’ (Sl 133). Esse foi o sentimento que aqueceu nossos corações ao receber em nossa Congregação Cristo, Salvador, BA, o pastor Carlos Kracke. Louvamos a iniciativa da Hora Luterana em estabelecer esse vínculo pessoal com as congregações, trazendo a Palavra que aquece, fortalece e preserva na fé verdadeira para nossa salvação. Foi de grande proveito, tanto que os irmãos nos pediram para reapresentar a palestra ‘A família e suas dificuldades na vida moderna’. Nosso incentivo é para que a Hora Luterana continue com este projeto, estreitando os laços com as igrejas locais.” Walter Daniel de Oliveira, Salvador, BA “A Hora Luterana tem sido um braço forte da IELB na área missionária. A presença do pastor Carlos Kracke em nossa cidade foi de fundamental importância para a vida congregacional, pela motivação que deixou nos corações daqueles que participaram da palestra sobre evangelismo. Pessoas motivadas passam a participar mais efetivamente nas atividades missionárias da Paróquia. A distribuição de folhetos e livretos continua, e com mais entusiasmo. A visitação hospitalar foi fortalecida e a atenção aos presos redobrada. A participação e a presença da Hora Luterana são muito importantes em nosso meio. Que possamos ser parceiros nesta obra de amor ao próximo no levar Cristo Para Todos! Obrigado, Hora Luterana, por sua presença em nossa cidade.” Holdair José Drefs, Campina Grande, PB

Cidades visitadaS • Espírito Santo: Cariacica, Guarapari, Vila Velha, Serra e Vitória; • Bahia: Eunápolis, Porto Seguro, Salvador e Simões Filho; • Sergipe: Aracaju, Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora do Socorro;

• Paraíba: Campina Grande e João Pessoa; • Rio Grande do Norte: Ceará-Mirim, Natal e São José do Mipibu; • capitais: Maceió, AL, e Recife, PE.

Mensageiro | Outubro 2011

23


| MISSÃO URBANA |

Uma igreja relevante para a cidade A maioria das pessoas hoje vive nas cidades (cerca de 80% ou mais), com a tendência em aumentar esse percentual nos próximos anos. Esse movimento populacional trouxe para as cidades demandas para as quais elas não estavam preparadas para lidar. E a igreja está preparada? Como ela está lidando com essa realidade?

gem monta

sobre

fotos

ar

córdia

ra con

edito quivo

Waldyr Hoffmann Pastor em Joinville, SC Colaborador do ML

S

empre fico me perguntando como tornar a igreja relevante para a cidade. A princípio, uma questão sem muitas pretensões, até porque as respostas ou possibilidades para o dia de hoje se tornam obsoletas amanhã. É como se estivéssemos sempre atrás do desenvolvimento geral em relação ao que ocorre com a sociedade. Por isso, esta questão nos faz refletir sobre quais parâmetros não podemos abrir mão e quais são suscetíveis a alterações, visando levar o Evangelho de forma mais relevante para as pessoas.

As mudanças são muitas A maioria das pessoas hoje vive nas cidades (cerca de 80% ou mais), com a tendência em aumentar esse percentual nos próximos anos. Esse movimento populacional trouxe para as cidades demandas para as quais elas não estavam preparadas para lidar. A infraestrutura da cidade, por mais que se queira adequar-se à nova realidade, ainda está aquém de sua real necessidade. Vivemos em meio aos grandes problemas sociais, econômicos e religiosos como consequência desse movimento rural-urbano. Uma prova disso são

24 M

ensageiro

| Outubro 2011

os índices de criminalidade e violência que têm tomado grandes proporções, alarmando as pessoas. O que se percebe é que as áreas da saúde, da educação, da segurança e do lazer estão em descompasso com o crescimento da cidade. Ao optar pela cidade, o indivíduo também estabelece novas rotinas para sua vida e sua família. Um exemplo disso é o mercado de trabalho cada vez mais exigente, fazendo com que novos formatos de vivência familiar sejam gerados. A família, que antes reunia todos os seus integrantes na hora das refeições, hoje está desenvolvendo um senso de individualidade sem precedentes. O tempo é corrido, o que contribui para instaurar um novo padrão de família.

Nessa nova realidade, o que a Igreja pode fazer? Diante desse quadro está a Igreja que precisa ser relevante para o novo contexto. O que fazer? Acredito que, teologicamente, a Igreja não muda – nem discutimos isso. Sua doutrina e seus princípios de interpretação bíblica permanecem inalterados. Porém, como vimos anteriormente, a sociedade está se estruturando em outro formato, e as famílias (que também compõe a sociedade)

estão sendo levadas a se integrarem nesse novo modelo a todo o custo. Isso significa que nem sempre os horários fixos das suas atividades podem ajudar. Um exemplo são os cultos quando realizados aos domingos bem cedo, como era no passado. Hoje, esse horário não ajuda mais. Horários alternativos precisam ser buscados a fim de garantir a presença de seus membros nos cultos e em outras programações.


Não estou concluindo que as cyber igrejas sejam a saída, mas queremos comunicar Cristo para todos também aproveitando os recursos da era digital. É evidente que nada substitui o aperto de mão, o abraço e o calor humano que sentimos quando estamos juntos, mas a igreja precisa ser relevante para a cidade.

Dessa forma, as igrejas podem diversificar as ações sem engessá-las. É evidente que a maturidade dos líderes deverá ser levada em conta, pois precisarão de muita sabedoria nas articulações a fim de garantir o maior número de presenças nos respectivos encontros, os quais deverão ser muito bem preparados para que haja crescimento espiritual do indivíduo e sejam supridas suas necessidades espirituais.

A importância dos meios de comunicação O uso adequado e responsável dos meios de comunicação é vital para a igreja urbana. A comunicação dessa forma é rápida e chega a todos aqueles que “estão na rede”. Sites, blogs, Twitter, Facebook, Orkut, MSN, e-mail podem ser bem aproveitados para comunicar o Evangelho às pessoas. A era digital é muito rápida e eficaz. Até mesmo pequenos vídeos poderão ser feitos e postados com vistas ao anúncio do Evangelho de Cristo (O programa Cristo Para Todos – CPT – é uma excelente mostra disso). Não estou concluindo que as cyber igrejas sejam a saída, mas queremos comunicar Cristo para todos também aproveitando os recursos da era digital. É evidente que nada substitui o aperto de mão, o abraço e o calor humano que sentimos quando estamos juntos, mas a igreja precisa ser relevante para a cidade.

A organização estrutural da Igreja

A relevância da questão cultural

A própria estrutura de departamentos pode ser revista. Antes era mais fácil reunir crianças, jovens, servas e leigos. Hoje, diante da diversidade de atividades, isso já não é possível em muitos lugares. Outras modalidades podem ser criadas para garantir o espaço às pessoas, tais como encontro de casais, universitários, famílias (células), dança litúrgica, teatro ou músicos.

O que pode se tornar um empecilho para essa adequação à nova realidade é a questão cultural. É necessário que haja uma boa comunicação entre as gerações que compõem a sociedade e as igrejas. Se, por um lado, não é possível manter um padrão antigo, por outro, a transição necessita de cuidados. As novas gerações precisam exercitar a paciência para “não escandalizar” alguns.

Havendo abertura dos membros, líderes e pastores, a Igreja conseguirá adaptar-se ao novo momento da cidade. Alguns perguntarão quais são os riscos disso. Será que não enfraquecemos a teologia, talvez até banalizando-a? Estar atrelado às tradições sem comunicar o Evangelho de Jesus seria um risco ainda maior. Se a demanda diária do indivíduo é grande, mas que lhe permite “cinco minutos com Jesus”, esse tempo poderá fazer a diferença para o restante do seu dia. Na era do fast-food, self-service, internet, o tempo dedicado à oração e busca pelo sagrado, alimentando a sua espiritualidade, é bem aproveitado.

O desafio da contextualização de cada realidade Esse novo momento traz enormes desafios para a vida da Igreja e seus líderes. Conversar com um congregado ou alguém interessado em ingressar na Igreja não necessariamente precisa ser feito no escritório pastoral ou na casa do indivíduo. Se o tempo e as demandas de trabalho do indivíduo não lhe permitirem uma visita pastoral em sua residência, que tal convidar o pastor e tomar um café com ele no intervalo do trabalho (almoço ou jantar)? Ou até mesmo o pastor oferecer-lhe uma carona para o trabalho e conversarem pelo caminho? Essas práticas já estão se tornando comum especialmente em grandes centros urbanos. Ou seja, alternativas precisam ser buscadas e construídas. Cada realidade vai indicar quais seriam as melhores estratégias para transmitir as mensagens do amor de Deus para as pessoas. Tais mensagens ou reflexões levarão em conta os temas atuais e que precisam de uma orientação bíblica, visando uma melhor contextualização. De uma ou outra forma, a Igreja precisará estar atenta a essas questões e ser m relevante para a cidade. Mensageiro | Outubro 2011

25


| EDUCAÇÃO TEOLÓGICA |

Biblioteca do Seminário é ampliada fotos: cárin ester prunzel

A Biblioteca do Seminário Concórdia ganha mais espaço e melhores acomodações para livros e frequentadores DAIENE BAUER KÜHL Jornalista em Novo Hamburgo, RS

B

ibliotecas podem ser consideradas recantos: recantos da alma, do saber, do silêncio, das relíquias, dos livros novos e antigos. De modo geral, elas são especialmente frequentadas pela população durante o período escolar e de faculdade. Os alunos do Seminário Concórdia, São Leopoldo, RS, também são assíduos frequentadores de uma biblioteca, mas não de uma qualquer. Eles se utilizam de uma biblioteca que guarda livros, bíblias e materiais que são utilizados para que mais tarde possam ser ministros de Cristo bem preparados para enfrentar o mundo. A Biblioteca do Seminário Concórdia possui um acervo de 30.222 volumes, a maior parte composta por obras teológicas e também das áreas de filosofia, psicologia

26 M

ensageiro

| Outubro 2011

e ciências sociais. Além disso, mais de 150 periódicos teológicos, 200 revistas teológicas nacionais e internacionais, materiais audiovisuais como fitas de vídeo, fitas K7 e CDs podem ser encontrados. Os alunos e os professores do Seminário são o público alvo imediato da Biblioteca. No entanto, ela está aberta para visitação e consultas por membros da IELB e pessoas interessadas. Atualmente, o acervo está em fase de catalogação, utilizando o software ALEPH de informatização de bibliotecas – o mesmo utilizado pela rede de bibliotecas da ULBRA. Esse trabalho está sendo desenvolvido desde 2003 pela bibliotecária Heloisa Helena Nagel. A Biblioteca do Seminário também possui um valioso acervo de obras raras

e históricas. São aproximadamente 3.600 volumes teológicos publicados entre os séculos 16 e 19. “O livro mais velho que temos em nosso acervo é de 1544, escrito por Filipe Melanchthon, e trata de auxílios para pregação”, revela o professor Clóvis Prunzel.

Reforma “No final de 2007, tive o prazer de conhecer a Biblioteca do Seminário Concórdia. Naquela ocasião, fiquei impressionado com o acervo de obras raras e com a grande quantidade de material teológico. Porém, tive profunda dor no coração de ver algo tão precioso, como os livros raros, acomodado de qualquer forma”, desabafa o aluno do 4º ano, Juan Iurk Nogueira. Neste ano, a Biblioteca passou por uma reforma e recebeu um mezanino de 140m².


O espaço que tinha vindos de diversos lucerca de 300 m² passou Agora, se tem um lugar gares. “Tivemos uma a ter 440 m². “Desta especial do mais adequado e melhor doação forma, foi possível dar orçamento da IELB, preparado para os uma melhor acomodadoações das congreção aos livros em geral. alunos dedicarem tempo gações e de doadores Foi criada uma sala de individuais, através à pesquisa teológica, estudos para os alunos da provedoria do Se(usuários), um espaço minário e o orçamento tão fundamental para especial para leitura, do próprio Seminário”, o aprofundamento de jornais e revistas e argumenta Prunzel. foi criada também uma Nesse sentido, alunos e necessário para a sala especial para os professores expressam formação do pastor. livros raros”, explicou gratidão. “Meu coração Prunzel. se enche de alegria ao De acordo com o professor, o benefício ver o cuidado que o Seminário tem tomana formação teológica dos alunos merece do. Aqui, quero deixar o agradecimento destaque. “Agora, se tem um lugar mais àqueles que fizeram com que esse projeto adequado e melhor preparado para os alu- acontecesse: a IELB, uma oferta especial nos dedicarem tempo à pesquisa teológica, das congregações para o aniversário de tão fundamental para o aprofundamento 107 anos do Seminário, e também a provenecessário para a formação do pastor.” doria do Seminário que trabalha por esse As melhorias também são sentidas Brasil todo buscando parceiros para os pelos alunos. Nogueira destaca as salas projetos e para cuidado do aluno”, alegraseparadas para estudo e para leitura dos -se Nogueira. jornais cotidianos, por exemplo. “Além do atual cuidado que está sendo tomado com Obras raras todas as obras, o mezanino proporciona A nova acomodação para os livros raros um espaço para estudo rápido e até atua- é a melhor disponível para esse tipo de obra. lização das notícias cotidianas com jornais Os livros que foram doados ao longo dos diários. Nessa área, também foi instalada anos receberam um ambiente adequado. uma sala de estudos, lugar onde o aluno “Em princípio, estas obras estarão dispotem mais privacidade e consequentemente níveis para pesquisadores, visto que sua a possibilidade de melhor atenção e prepa- maioria está em latim e alemão. Também há ração”, reflete. a possibilidade de visitação por parte dos m A obra foi realizada com recursos interessados”, lembra Prunzel.

Serviços oferecidos Catálogo on-line O Catálogo On-line das Bibliotecas da ULBRA, do qual a Biblioteca do Seminário faz parte, é um catálogo único que reúne o acervo das bibliotecas da instituição. Oferece, além da pesquisa ao acervo das unidades integrantes, na forma de um catálogo único, ou em catálogos independentes (por biblioteca ou tipo de material), a possibilidade de envio dos resultados por e-mail ou salvamento em arquivos. Através do catálogo, o usuário também pode verificar e renovar empréstimos, bem como efetuar, conferir e cancelar reservas e verificar débitos. O Catálogo On-line das Bibliotecas da ULBRA tem seu acesso através da Internet.

Serviço de Referência O serviço de referência tem por objetivo atender os usuários, guiandoos no uso e na exploração dos recursos informacionais disponíveis na Biblioteca. Este serviço visa proporcionar a excelência no atendimento aos usuários, orientandoos e disponibilizando informações no menor tempo possível. As solicitações podem ser feitas por e-mail, telefone ou presencialmente.

Circulação O serviço de empréstimo domiciliar é oferecido aos alunos, professores e funcionários do Seminário. À comunidade externa, é oferecido o empréstimo local e também domiciliar quando necessário.

O acervo on-line pode ser acessado através do site https://memphis.ulbranet.com.br/ALEPH/.

Mensageiro | Outubro 2011

27


| EDUCAÇÃO TEOLÓGICA |

Biblioteca, um projeto da razão e do coração Uma biblioteca começa com a razão, mas passa pelo coração. Se razão quer dizer cabeça, coração quer dizer gosto e amor por livros. E do amor por livros, o coração também desperta para o investimento e ofertas para a realização do projeto. Essa foi a grande diferença que aconteceu na construção do mezanino, da sala para livros raros e da climatização da biblioteca do nosso Seminário Concórdia, localizado em São Leopoldo, RS. Tudo começou quando sentimos a necessidade de conservar coleções de livros raros e criar mais espaço na biblioteca. A ideia da ampliação surgiu em uma das reuniões do Conselho Administrativo, e a Provedoria foi chamada para participar desse projeto. Percorremos muitos distritos da IELB. A cada ano, dez distritos fazem parceria com o Seminário na Provedoria de Alimentos. E, nessas visitas aos distritos, Deus nos permitiu encontrar empresários, pastores, professores e pessoas que nos ouviram quando apresentamos o projeto da biblioteca. Em alguns distritos, deixamos representantes que convidaram outras pessoas para se juntarem a nós nessa tarefa. Assim nasceu um grupo de mulheres, homens, empresários, pastores, professores que reuniram ofertas especiais para esse

28 M

ensageiro

| Outubro 2011

foto: CÁRIN ESTER PRUNZEL

projeto. Cerca de 50 pessoas participaram diretamente desse desafio. A obra foi feita. Foram construídos o mezanino, a sala para livros raros – mais espaço para pesquisa. Não tenho dúvidas: o que foi construído foi feito no espírito de ser para a honra e a glória de Deus e para a formação de pastoPastor Benjamin (D) agradeceu a todos que res mais preparados se empenharam no projeto da Biblioteca para o exercício do ministério pastoral. Seria justo mencionar, nominalmente, (pequenos apartamentos) que o Seminário todos os que participaram de um projeto precisará construir até março de 2012, para dessa natureza. Como alguns dos que ofer- abrigar casais que Deus está despertando taram pediram que não fossem ditos seus para o santo ministério. Queremos também nomes, respeitamos. Todavia, temos muito a parceiros para esta empreitada. agradecer em nome do Seminário a todos esMuito obrigado a todos os parceiros da ses colaboradores. O quadro que receberam, Provedoria. Que Deus recompense vosso alguns ainda vão receber, expressa a gratidão gesto com muitas bênçãos. pelo amor que dedicaram ao Seminário. Em nome do Seminário Concórdia, Ainda mais do que isso, temos e teremos sempre projetos para realizar no SemináBenjamin Jandt | Provedoria do Seminário Concórdia, São Leopoldo, RS rio. O próximo está aí: são dez vivendas


| DESAFIOS DA VIDA |

Entre pautas e pliés

Q

uando aos seis anos de idade, minha mãe perguntou se eu queria fazer balé, lembro de logo ter respondido sim, mesmo sem ter ideia do que era aquilo. A prefeitura da cidade em que nasci e até hoje resido, Novo Hamburgo, RS, tinha uma infinidade de projetos que eram oferecidos gratuitamente às crianças da rede municipal de ensino. Dancei pelo projeto do município por cerca de 10 anos e depois parti para o estudo da dança em outras escolas da cidade. Desde então já se passaram 21 anos. Aos 17 anos, fiz vestibular para jornalismo, comecei a trabalhar na área administrativa, e foi neste período também que recebi o primeiro convite para dar aula de balé. Passei então a ensaiar os primeiros textos na faculdade e a ensinar os primeiros passos a uma turma de crianças. Naquele ano, por incentivo do pastor Adalmir Wachholz, também comecei a dar aulas no salão da Congregação Rei Jesus. E já se passaram 10 anos desde então – há dois anos minha irmã, Daniele, e eu dividimos as turmas – e nosso grupo só cresce, com a graça de Deus.

Por algum tempo, fiquei sem pisar no palco. Apenas fazia minhas aulas como manutenção do corpo e repassava às crianças. Tinha algo que me entristecia no palco e eu não sabia bem o que era. Há três anos, as meninas da juventude começaram a fazer aulas de balé e dança contemporânea, e eu pude redescobrir, dando aula e dançando com elas, o prazer que a dança me trazia. Eu descobri que dançar para levar a mensagem da salvação às pessoas era muito melhor. Poder dançar para louvar e agradecer a Deus por tantas bênçãos que ele derrama sobre nós, todos os dias, me fazia sentir novamente a beleza da dança de forma integral e da maneira mais pura que eu jamais sentira antes.

O jornalismo Em 2005, comecei a trabalhar com jornalismo. Trabalhava para a universidade dando oficinas de jornalismo para crianças de dois bairros de baixa renda, onde produzíamos jornais comunitários. Depois, passei por uma revista e finalmente cheguei à Editora Concórdia, uma empresa diferente das outras, pois tem uma missão muito especial

que é levar Cristo para todos, por todos os meios e formas. O jornalismo e a dança têm espaços, se não iguais, muito próximos em meu coração. Quando comecei a trabalhar na Editora, o número de aulas teve que ser reduzido, ficando apenas às noites e aos sábados, pois a ida a Porto Alegre todos os dias consumia cerca de três horas diárias de deslocamento. Há algum tempo, minha irmã, eu e nossa família estamos conversando sobre a possibilidade de aumentar as turmas de dança na igreja – hoje são quatro turmas, cada uma tendo aula duas vezes por semana – e quem sabe, com o tempo, investirmos em uma escola de dança cristã. Queremos continuar levando Cristo às pessoas através de algo que nós amamos muito. Temos hoje 45 alunas no Grupo de Dança Rei Jesus e destas, 15 são luteranas. Com essa ideia veio também o problema de eu não conseguir estar mais presente, por causa do tempo. Depois de muita oração e de pedir que Deus guiasse minha decisão para onde ele quisesse, para o lugar onde eu pudesse ser mais útil para o seu Reino, decidi junto ao meu esposo que deveria voltar a trabalhar mais perto de casa. Doeu muito, pois a Editora é um lugar incrível, com pessoas maravilhosas, que levarei guardadas em meu coração para sempre. Agradeço a Deus e à Editora por ter tido a oportunidade de fazer parte deste time. E quero dizer que continuo, em oração, pedindo a Deus que abençoe este trabalho. E eu? Eu tenho certeza que Deus abençoará esta decisão e que estará comigo onde quer que eu vá. Quero continuar trabalhando com o jornalismo, porém, apenas mais perto de casa. Assim, posso também me dedicar a este projeto de vida que começou lá, aos seis anos, quando minha mãe me perguntou: Dai, tu queres fazer balé?

Daiene Bauer Kühl é casada com Paulo Sérgio Kühl, pastor na CEL Cristo Rei de Novo Hamburgo, RS Mensageiro | Outubro 2011

29


| ESTRATÉGIAS DE AÇÃO |

foto: arquivo editora concórdia

Escolinha ou cultinho?

Q

uando era criança, eu e meus coleguinhas saíamos do culto para a escolinha. Hoje, eu e minhas colegas professoras da Escola Bíblica Infantil levamos as crianças do culto para o cultinho. Desde 2007, a Congregação Paz, Vila Velha, ES, desenvolve um novo modelo de atuação com as crianças da Escola Bíblica Infantil (EBI) e hoje já compartilha essa ideia com mais de 200 professores e pastores. Tudo começou quando uma professora observou que as histórias bíblicas planejadas não coincidiam com as leituras utilizadas no culto e, muito menos, com as datas do calendário eclesiástico. Era difícil conciliar o que as crianças aprendiam na EBI e o que os pais ouviam no culto principal. Os temas, os assuntos e as leituras eram diferentes, não favoreciam, por exemplo, propor atividades em família utilizando a temática do final de semana. Didaticamente, também não ajudava muito a ideia de se sair do culto para ir à escolinha. Por que não sair do culto para ir ao cultinho? Começava aí uma nova proposta de trabalho com professores de EBI. As “salas de aula” se transformaram em “salas de culto”, ganhando altar e os respectivos objetos deste, como velas, cruz e para-

30 M

ensageiro

| Outubro 2011

mentos, além de um novo posicionamento das cadeiras, de acordo com os objetivos de cada plano de aula. Partes do culto cristão, como Invocação, Confissão e Absolvição, Ofertório e Oração Geral, Mensagem, Ofertas e Comunhão, foram introduzidas no plano de aula e trabalhadas de forma que as crianças entendessem e praticassem a linguagem dos cultos luteranos. Elas passaram a acender as velas do altar, a fazer as invocações, a ler os textos bíblicos, a orar, a ofertar seus bens e dons (atividades). Passaram a conhecer também símbolos e praxes litúrgicos, como o significado do número de velas do altar, como e por que fazer reverência diante do altar, como se comportar nas orações e no restante do culto. Elas fazem tudo isso e muito mais porque estão realizando o culto! A própria mensagem do culto principal serve de base para o preparo do professor de EBI que estará conduzindo o cultinho: o pastor responsável envia até a quarta-feira a mensagem do final de semana para que a professora responsável prepare o plano de aula e envie para todos os professores que atuarão no final de semana. Mensalmente, um pastor participa dos cultinhos, interagindo diretamente com o professor e as crianças na EBI. Além disso,

periodicamente, o culto principal se transforma em culto infantil, a fim de proporcionar às crianças um espaço para realizarem o seu cultinho dentro da igreja, junto aos seus familiares, havendo uma interação maior de toda a comunidade sobre como são realizados os cultinhos infantis. Quem sabe não seja essa uma proposta que vá ao encontro do anseio da IELB de que nossos jovens sejam mais ativos e frequentes em nossos cultos e apaixonados por nossa Igreja? Que Deus nos abençoe. Amém. Rosani Muniz Marlow | Autora dos cultinhos. Congregação Paz, Vila Velha, ES

Se você deseja receber semanalmente os cultinhos, faça contato conosco: Paróquia Paz: Pastor Nivaldo Schneider, pelo e-mail: nivaldoschneider@yahoo.com.br. NOTA DA REDAÇÃO A IELB, através da Comissão de Escola Dominical, disponibiliza anualmente para todas as congregações e professores de Escola Dominical, o material: Com Jesus – Auxílios para a Escola Dominical. Em 2011, as lições semanais acompanham as leituras bíblicas da Série Trienal A, do lecionário oficial adotado pela IELB. Em 2012, será a vez das leituras da série Trienal B. O material está disponível na Editora Concórdia.


| REAÇÃO DO LEITOR |

Prezado Editor! Creio que deves receber, junto com o autor, os parabéns pelo artigo de capa publicado no Mensageiro Luterano de setembro, de autoria do professor Marcelo Briones. De uma maneira sistemática, mas clara e didática, o autor derruba as teses ateístas de Richard Dawkins, tão aclamadas, comentadas e mesmo endeusadas na mídia. Artigos como este, e outros, como do professor Carlos Lange, “A lição mais difícil de aprender”, publicado no Mensageiro Luterano de julho, e sobre “vida extraterrestre”, no de março, e ainda os artigos do dr. Vitor A. Radünz, abordando temas da área médica, deveriam ter uma

maior presença nas páginas do nosso Mensageiro. Temas muito discutidos na mídia e que igualmente despertam interesse e curiosidade na “membresia” de nossa IELB são sempre bem-vindos, desde que escritos por especialistas que sejam conhecedores do assunto. Abraços e bênçãos divinas em seu trabalho! Ricardo Goerl Pomerode, SC

Pais e filhos especiais Recebemos o Mensageiro Luterano do mês de agosto e achamos que ficou muito boa a matéria sobre pais e famílias especiais. É um assunto muito melin-

droso para ser abordado, pois mexe com o sentimento das pessoas, com a culpa, com a esperança ou mesmo a falta desta. A coragem para falar vem com o tempo, e é bom poder ajudar a quem ainda não tem essa coragem. A realidade de cada família é diferente, e cabe a nós estarmos cientes de que o outro pode estar passando por mais dificuldades do que nós. Vemos tantas pessoas se lamentando por tão pouco... E aí começam as brigas, separações, intrigas e tudo mais que o mal adora. Muito obrigado pela oportunidade. César e Wybrich Müller, pais da Saskia Dois Irmãos, RS

Para entrar em contato com o Mensageiro Luterano, escreva para mensageiro@editoraconcordia.com.br.

PALLOTTI | COMGPS

Matéria de capa Setembro

PALLOTTI. UMA GRÁFICA GAÚCHA COM SOTAQUE NACIONAL.

Neste 7º Prêmio Gaúcho de Excelência Gráfica da ABIGRAF-RS a Pallotti levou para casa dez troféus.

pallotti@pallotti.com.br | www.facebook.com/graficapallotti www.graficapallotti.com.br

GRÁFICA EDITORA

imprimindo inovação

Mensageiro | Outubro 2011

31


| IELB 107 ANOS |

Mais de 3,5 mil pessoas culto de 107 anos da IELB

32 M

ensageiro

| Outubro 2011

sidente destacou a importância de estarmos em contato diário com “a Palavra de Deus, com a voz do Bom Pastor”, recomendou que os pais não deixem de levar seus filhos, sejam eles crianças ou jovens, para escutarem as boas novas do Evangelho e desejou que a IELB esteja cada vez mais unida e firme na missão de levar Cristo Para Todos. O evento contou com a participação dos corais dos Distritos Sul I, Sul II e Difronsul, além da participação das crianças, entoando duas canções da Escola Dominical. O Grupo Vocal Instrumental AjaLuz conduziu os hinos durante o culto, que também contou com a participação do grupo Bem-Aventurados e da Banda da Brigada Militar. Os jovens participaram com teatro e cantaram o hino da Juventude Luterana; os hinos da LSLB e

da LLLB também foram apresentados. O trabalho de Capelania Hospitalar, coordenado, na região, pelo pastor Adelar Munieweg, recebeu destaque especial. Foi apresentado um vídeo com todas as ações desenvolvidas e também depoimentos de pessoas que receberam apoio e consolo quando passaram por enfermidades. Também foram exibidos vídeos apresentando as comunidades locais. Representantes do poder público municipal e autoridades eclesiásticas de outras denominações religiosas acompanharam o culto. Ambos fizeram uma saudação destacando a seriedade e grandeza do trabalho da IELB na região e em todo o Brasil. Os integrantes da Diretoria Nacional também desejaram as mais ricas bênçãos de Deus para todas as congregações.

foto: arquivo editora concórdia

fotos: arquivo editora concórdia

A

celebração do 107º aniversário da Igreja Evangélica Luterana do Brasil aconteceu no dia 17 de julho no Centro de Eventos Fenadoce, em Pelotas, RS. Mais de 3,5 mil pessoas, vindas em caravanas de todo o Rio Grande do Sul e de outros estados, participaram do culto de gratidão, superando as expectativas dos organizadores. Os pastores do Distrito Sul I, Sul II e Difronsul foram os oficiantes do culto. A coordenação do evento foi do pastor Ismar Lambrecht Pinz, conselheiro do Distrito Sul I. O presidente da IELB, pastor Egon Kopereck, dirigiu a mensagem. O tema escolhido para a cerimônia foi “Ouvindo e seguindo a voz do Bom Pastor – As minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem” (Jo 10.27). Em sua pregação, o pre-


s no B

Segundo o pastor Ismar Lambrecht Pinz, apesar de o evento demandar custos relativamente altos, as comunidades se esforçaram nas doações para garantir que a oferta do culto especial fosse destinada, integralmente, para os projetos missionários mais carentes da região. O conselheiro do Distrito Sul I também afirma que todo esforço foi recompensado. “Organizar um momento assim não é fácil. Do ponto de vista da fé, o momento valia a pena por si só, afinal era um agradecimento a Deus; porém, na perspectiva humana valeu pela comunhão, a integração necessária para preparar e realizar foi edificante. Hoje, nos sentimos mais fortes. Nossa força vem de Deus. Somos direcionados pela voz do Bom Pastor. Com a força que ele nos dá, queremos

O presidente da IELB, pastor Egon Kopereck, foi o pregador no culto. No encerramento, bênção dos pastores e das pessoas anciãs presentes.

seguir sua voz”, concluiu o pastor Ismar. Os presentes também fizeram a doação de fraldas infantis e geriátricas, além de alimentos não perecíveis para o trabalho de Capelania Hospitalar da região.

Depoimentos O casal Ildo e Loriane Roll Madruga, da Congregação da Cruz, Cerrito, RS, estavam muito emocionados. Loriane declarou, em lágrimas, sobre a emoção de ver a sua Igreja comemorar mais um aniversário firme na missão de levar Cristo Para Todos. Também lembrou que a história da IELB começou na região e que isso, para quem vive ali, é muito significativo. Lígia Prestes, da Congregação Trindade, Vila Bom Jesus, Pelotas, RS, destacou a

oportunidade de compartilhar as bênçãos recebidas nestes 107 anos com tantos irmãos, e se disse ser grata a Deus por fazer parte da IELB. Membro na Congregação Cristo, Três Vendas, Gládis Peters desejou que a IELB se mantenha firme na missão de levar Cristo Para Todos e que possa acolher muitas pessoas, mostrando-lhes a salvação em Cristo Jesus. Os jovens Lislei S. Grützmann e Eduardo Soares Jr. enfatizaram que desejam que a IELB possa acolher e integrar muitas pessoas em seu trabalho diário nas congregações, escolas e entidades de assistência social. m Tatiana Sodré | Assessora de Comunicação da IELB Mensageiro | Outubro 2011

33


| VIRANDO A PÁGINA | Pelo Dia do Professor e pelo Dia das Crianças, dedicamos aos professores, alunos, e a todos os que se ocupam com a arte de educar e aprender para a vida, a reflexão deste espaço!

Tecendo vidas Beatriz Warth Raymann* São Leopoldo, RS

Q

uer ver uma coisa linda? Entre numa sala de aula, silenciosamente, de preferência fique meio invisível, e veja o brilho nos olhos do professor apaixonado pela profissão. Dizem que são poucos, não acredite, são muitos. Falo por experiência. Espere um pouco mais e troque de posição, veja os olhos das crianças1. No início, um pouco sonolentas, meio distraídas, achando graça de tudo. Mas aí acontece: o professor começa a ensinar, e os olhos delas brilham de um jeito inesquecível. Como um hábil tecelão, o professor vai unindo fios de conhecimentos, fazendo conexões, unindo os fios do que a criança já sabe com os fios do novo conhecimento, e o resultado é sensacional. Palmer2 diz que as conexões feitas por bons professores não estão nos métodos, mas nos seus corações. O coração é o tear onde os fios são atados – a tensão é mantida e o tecido é esticado. Não é milagre então que o ato de ensinar puxe os fios do coração, abra e até quebre o coração; e, quanto mais amamos ensinar, mais o coração poderá se partir. Mas o professor cristão se renova a cada dia buscando, na Palavra do Senhor e nos sacramentos, alento para continuar ensinando, mesmo com todas as conhecidas dificuldades da profissão. Palmer diz ainda que ensinar é espelhar a nossa alma. Ensinamos aquilo que somos em tempos bons e ruins, quando estamos felizes, em tempos de luz, e quando a tristeza recai sobre o professor como as trevas. Quando ensinamos, projetamos 1 Crianças e alunos em geral. 2 PALMER, P.J. The Courage to Teach. San Francisco: John Wiley & Sons, 2007. Pág.11.

34 M

ensageiro

| Outubro 2011

as condições de nossa alma sobre nossos alunos, sobre a disciplina a ser ensinada e sobre a forma como nos relacionamos. Em se tratando de professores cristãos, essa tarefa se torna muito mais complexa e multifacetada, pois espelhamos a imagem de Cristo; os cristãos são o rosto de Cristo. Lutero escreveu: “A Deus, aos pais e aos mestres nunca se poderá agradecer e recompensar de modo suficiente” 3. Então, é tempo de agradecer a todos os professores por seu trabalho dedicado, agradecer especialmente aos professores que atuam em educação cristã e/ou que atuam como cristãos. Uma palavra especial de agradecimento aos professores de Escola Dominical que de forma corajosa, entusiasmada e voluntária fazem o trabalho que Jesus quer que façam, trabalho de fundamental importância para suas congregações e missões e para a Igreja. Também é tempo de dar parabéns para as crianças que nos maravilham com suas capacidades, nos deixam exaustos com suas reservas incríveis de energia, nos surpreendem com suas novas ideias, nos desafiam com suas perguntas e nos emocionam com seu afeto. Nós, seus professores, pedimos que não percam nunca o brilho nos olhos e a curiosidade, que respeitem seus pais, seus professores e amigos, seu pastor e todas as pessoas (especialmente aqueles que os ensinam), que não aceitem opiniões e teorias como sendo verdades absolutas, que não tenham medo de falar de sua fé. Pedimos ainda que jamais deixem de falar que Jesus Cristo é o seu Salvador pessoal, que falem de Cristo, contando a mais importante história do mundo: 3 Catecismo Maior, I, 130.

“A Deus, aos pais e aos mestres nunca se poderá agradecer e recompensar de modo suficiente”. Então, é tempo de agradecer a todos os professores por seu trabalho dedicado, em especial, aos professores que atuam em educação cristã e/ ou que atuam como cristãos. Uma palavra especial de agradecimento, aos professores de Escola Dominical que de forma corajosa, entusiasmada e voluntária fazem o trabalho que Jesus quer que façam. MUITO OBRIGADO!!! “eu tenho um Amigo que me ama, que me perdoa, que me salva, o seu nome é Jesus”. Feliz Dia do Professor! Feliz Dia m das Crianças! Beatriz é Ph.D., professora e fonoaudióloga atuando em Educação Especial, Ensino Superior e Escola Dominical

o inh da m ca im no té o f e. a ç l a riandar, e rá de c a ia n que eve a e desv 22.6 u d E ue d o s bios q a nã ovér m e Pr vid


Mensageiro Luterano - Outubro 2011