Issuu on Google+


"Este recurso foi desenvolvido no âmbito do Plano de Formação dos Coordenadores de Projeto da 4ª Geração do Programa Escolhas, no período de janeiro de 2010 a junho de 2012”

Catarina Afonso Ponta Delgada, junho de 2012


ÍNDICE E Enquadramento teórico e conceptual .......................................................................................................................... 3

I Instrumentos.........................................................................................................................................................5 Narrativa da prática................................................................................................................................................... 6

F Ficha de auto-avaliação / grelha de validação ...............................................................................................................

A Anexo 1 Desenho .................................................................................................................................................................. 14 Anexo 2 Nome e Logótipo ..................................................................................................................................................... 15 Anexo 3 Ficha de Reflexão .................................................................................................................................................... 16 Anexo 4 Guião de entrevista ................................................................................................................................................. 17 Anexo 5 Registo de Vendas ................................................................................................................................................... 18 Anexo 6 O nosso Projeto ....................................................................................................................................................... 19 Anexo 7 Planeamento das atividades ................................................................................................................................... 20 Anexo 8 Ficha de Avaliação ................................................................................................................................................... 21 Anexo 9 Certificado ............................................................................................................................................................... 22

Certificado ............................................................................................................................................................... 23


a) Enquadramento teórico e conceptual Perante os desafios que as sociedades atuais nos apresentam torna-se urgente encontrar uma forma de combater o insucesso, absentismo e/ou abandono escolar. Assim sendo, entendemos, a a educação para o empreendedorismo ser uma das formas eficazes de o fazer.

O objetivo da educação é o de encorajar o desenvolvimento das potencialidades que cada um tem em si, do que é individual em cada ser humano. Assim sendo, a adoção de uma atitude empreendedora, perante a vida, torna-se fundamental nesse desenvolvimento. Pois é a criatividade que permite a evolução e o progresso, logo a originalidade e a capacidade de tornar os constrangimentos que a vida apresenta, em oportunidades, deve ser parte integrante da pedagogia atual. Existe uma necessidade crescente de se ser original e de se encontrar novas formas de resolução dos problemas que se nos apresentam todos os dias, e neste sentido, nós, técnicos de intervenção social, cujos destinatários são crianças e jovens, temos de assumir uma responsabilidade profissional de dotar estes com essas ferramentas base para uma cidadania plena.

A educação para o empreendedorismo tem um papel importante na construção de um futuro sustentável, sendo um meio de promoção de autonomia, e de capacidades criativas. Estas características apresentam-se como fundamentais para a construção de uma cultura emancipadora de igualdade e responsabilidade social, condições de partida para o desenvolvimento de um conhecimento disciplinar, pensamento crítico, resolução de problemas, abertura de espírito e criatividade que são os fatores implícitos nas competências a estimular nas crianças da sociedade atual.

A educação de públicos jovens deve ter como principio o desenvolvimento de capacidades criativas, imaginação e inovação, que devem estar de mãos dadas com uma atitude de empreendedorismo, ou seja, podemos afirmar que a educação empreendedora é um meio para melhorar a aprendizagem de outras matérias. A Agenda Política Europeia apela para a promoção da criatividade e inovação através da educação e formação:

3


A criatividade é a principal fonte de inovação, que por sua vez é considerada o principal motor de crescimento e riqueza, enquanto fator fundamental para melhorias no domínio social e instrumento essencial para enfrentar desafios globais como as alterações climáticas e o desenvolvimento sustentável.

Pela sua natureza holística a educação das artes pode, quando direcionada para a educação para a cidadania e para os valores de empreendedorismo, transformar o currículo e recriar a educação através de projetos transdisciplinares quebrando as barreiras entre áreas do saber e proporcionando espaços de aprendizagem únicos em contextos formais e não formais.

O programa “PEQUENOS ARTISTAS GRANDES NEGÓCIOS” foi desenvolvido com vista a conferir ao espaço de atividades de tempos livres, desenvolvido no âmbito do Projeto Renascer, uma vertente pedagógica, considerando que o trabalho desenvolvido no mesmo destina-se a públicos pouco sensibilizados para a questão do empreendedorismo, associado à necessidade de orientar as crianças para o conhecimento mais aprofundado da comunidade, no que respeita à realidade do mercado de trabalho, assim como à necessidade de capacitar as mesmas para a participação coletiva e promover o empowerment junto dos destinatários. Trabalhando estas vertentes, acreditamos estar a contribuir para a quebra de ciclos intergeracionais de reprodução da exclusão social.

Os utilizadores privilegiados do presente recurso são animadores socioculturais ou outros profissionais que trabalham com crianças em situação de vulnerabilidade.

Com a implementação deste programa delinearam-se os seguintes objetivos:

Orientar as crianças para a descoberta da comunidade, das empresas com recurso a metodologias de educação não formal; Envolver as crianças na dinamização de um projecto coletivo; Promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais; Transmitir valores de empreendedorismo com vista a quebrar os ciclos intergeracionais de exclusão social.

4


b) Instrumentos

5

Registo de assiduidade e pontualidade

Ficha de auto e hetero - avaliação


Narrativa da prática O presente programa é constituído por um conjunto de atividades que orientam as crianças

numa

descoberta

de

algumas

competências

associadas

ao

empreendedorismo, ao conhecimento de algumas empresas/organizações locais. As atividades propostas, parte integrante do programa “PEQUENOS ARTISTAS GRANDES NEGÓCIOS” foram alvo de experimentação junto de crianças com idades compreendidas entre os 8 e os 14 anos, destinatários do projeto RENASCER.

O presente programa nasceu no âmbito do trabalho desenvolvido no ATL do projeto Renascer, em que, o animador sóciocultural deparava-se com a dificuldade de garantir a assiduidade do grupo de crianças e jovens na frequência das atividades. Assim, após a aplicação de diversas estratégias de mobilização e motivação do grupo, percebemos, que os mesmos apreciam atividades empreendedoras, em que são eles os responsáveis por apresentar propostas de atividades, que vão desde a ideia à planificação, execução e comercialização. Após a experimentação desta metodologia, registamos uma melhoria significativa na assiduidade, pontualidade, assim como na participação ativa e responsável por parte de todos os elementos integrados.

O contexto de aplicação do programa deve ser em atelier’s informais onde devem ser privilegiadas metodologias de educação informal, como: roleplaying, visitas de estudo, simulações práticas, entre outras.

O programa desenvolve-se em doze sessões, de duas horas cada, excepto uma sessão que tem a duração de quatro horas, obrigando cada sessão à presença do animador sociocultural. As sessões estão agrupadas em nove atividades: 1- Imersão do programa; 2- Criação de um produto; 3- A minha empresa; 4- Vendo o meu produto; 5- Visita a empresa local; 6- Exposição e venda de produtos criados; 7Desenvolvimento de projeto coletivo; 8 – Avaliação; 9 – Entrega do Certificado. Para cada atividade será apresentada uma ficha com os seguintes conteúdos:

6


competências a desenvolver; duração; materiais de suporte (ferramentas) e metodologia.

O animador desempenhará um papel de facilitador em todo o processo, desde a atividade inicial de imersão no programa até à avaliação. Serão competências a mobilizar pelo animador: conhecer a realidade social do público alvo; ser assertivo; facilitar a comunicação no seio do grupo; ser capaz de favorecer o empowerment dos participantes; saber ouvir; ser capaz de motivar os participantes; saber gerir conflitos; facilitar a auto-reflexão dos participantes; elogiar os progressos individuais e coletivos dos participantes; promover o desenvolvimento da auto-estima e de auto-confiança dos participantes; conhecer noções básicas de empreendedorismo; ter competências de planeamento e avaliação.

Deve ser adaptada, o mais possível, a prática das atividades às características do grupo, valorizando sempre um espaço de atelier para a aplicação do mesmo.

Na construção deste recurso procuramos desenvolver uma metodologia de trabalho capaz de suscitar entusiasmo e curiosidade aos participantes, com vista a facilitar o desenvolvimento da motivação para a aquisição de competências artísticas e empreendedoras, pois o contexto onde as sessões são desenvolvidas (ateliers informais), é facilitador de um trabalho de competências pessoais, sociais e profissionais.

Ao

longo

do

processo

de

experimentação

deparamo-nos

com

alguns

constrangimentos, tais como: problemas de assiduidade e pontualidade de alguns participantes; dificuldades apresentadas por parte das crianças face à linguagem técnica utilizada; e adiamento da conclusão do processo de experimentação, devido ao reajustamento do cronograma de algumas actividades do projeto.

Face aos constrangimentos que se foram apresentando, o animador passou a fazer uma avaliação das características sócio culturais do grupo de crianças, com vista a


7 adaptar o programa e respetivas atividades propostas ao mesmo, assim como investir num trabalho de responsabilização, com vista a melhorar os registos de assiduidade e consequente pontualidade.

A proposta da atividade foi recebida pelas crianças com animação, por se tratar de uma metodologia diferente da que estavam habituados a realizar no espaço ATL do projeto Renascer, o que facilitou a mobilização das mesmas para as atividades propostas.

Assim, considera-se como potencialidades apresentadas por este programa a vertente pedagógica que é atribuída ao espaço do ATL, permitindo a sistematização do trabalho do Animador sociocultural, tornando-se um espaço diferenciado por se desenvolverem atividades lúdicas e criativas com uma vertente empreendedora.

8


c) Ficha de auto-avaliação / grelha de validação

9


Actividade Imersão do programa

Competências a desenvolver - Conhece o significado da palavra empreendedorismo

Duração

Material de suporte

1 sessão de 2 horas

Papel de cenário e canetas

- Conhece os objectivos do programa

Metodologia O animador deverá introduzir o programa e os seus objectivos, a partir da seguinte frase do Autor Paulo Coelho.

Anexo 1 “Se somos um peixe maior que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano”. Paulo Coelho A frase deverá estar visível para todo o grupo, e o animador deverá promover a participação de todos os elementos do grupo, introduzindo a temática do empreendedorismo. Após a discussão o animador poderá fornecer folhas e canetas aos participantes convidando-os a fazerem um desenho alusivo à frase.

Criação de um produto

10

- Cria um produto com recurso a diferentes matérias; - Utiliza diferentes matérias na concepção do produto - Desenvolve de forma criativa o produto - Desenvolve de forma autónoma o produto; - Identifica a utilidade do produto;

4 sessões de 2 horas

barro tintas…. pasta de fimo, material para reutilizar tesouras - diversos

O animador apresenta os objetivos da atividade e orienta as crianças para a produção de um produto. De forma a mobilizar as crianças deverão ser apresentados exemplos de produtos a produzir (produtos decorativos e /ou utilitários). De qualquer forma o animador deverá incentivar a criatividade dos jovens e incentivar inclusive a propostas de utilização de outros materiais. De seguida o profissional coloca à disposição dos


- Define o conceito de produção A minha empresa

destinatários os diferentes materiais e orienta as crianças na sua adequada utilização.

- Reconhece a importância das empresas na comunidade - Desenvolve um nome e um logótipo para a empresa de comercialização do produto criado - Reconhece a importância da comunicação numa empresa

1 sessão de 2 horas

Vendo o meu produto

- Adquire sensibilidade de estratégias de negociação

1 sessão de 2 horas

Anexo 3

Visita a empresa local

- Reconhece a importância das empresas na comunidade - Reconhece os conceitos de

1 sessão de 4 horas

Guião de entrevista Anexo 4

11

Papel Canetas Lápis de cor Anexo 2

O animador deve introduzir a actividade convidando os participantes a refletir sobre a importância das empresas na comunidade e apresentado exemplos de logótipos de empresas locais. O animador orienta os participantes a desenharem um logótipo e o nome da empresa de comercialização do produto criado. O animador convida os participantes a apresentarem o logótipo e o nome da sua empresa. O animador solicita a cada participante que “venda” ao grupo o seu produto. Apelando à sua criatividade os participantes deverão evidenciar os seguintes aspectos: - Mercado alvo (quem comprará o meu produto) - Características do produto (que materiais utilizei na confeção do meu produto) - Inovação associada ao produto (o que é que o meu produto tem de diferente dos outros); - Utilidade do produto (para que serve o meu produto); - etc. O animador deverá em articulação com um empresário local preparar a visita à empresa, tendo como premissa o desenvolvimento das competências associadas à actividade.


produto, preço, distribuição e comunicação

Exposição e venda de produtos criados

- Fica a conhecer os processos inerentes à criação

O animador deverá preparar com os participantes um pequeno guião com perguntas a colocar ao empresário. 1 sessão de 2 horas

Anexo 5

Os produtos criados deverão ser expostos e colocados à venda num stand, por ocasião de uma feira/festa na comunidade.

de um negócio Os participantes deverão ser envolvidos na decoração e organização do stand, na definição dos preços dos produtos, no processo de venda e divulgação.

- Melhora a capacidade de comunicação - Adquire sentido de responsabilidade

Desenvolvimento de projecto colectivo

12

- Capacidade de autovalorização - Desenvolve um trabalho em equipa, - Capaz de tomar decisões - Reconhece a importância de realização de um orçamento - Sabe ouvir; - É capaz de expor ideias; - Reconhece a importância do planeamento; - Reconhece a recompensa associada ao trabalho

4 sessões de 2 horas

Anexo 6 Anexo 7

Face às receitas obtidas com a venda dos produtos expostos no stand (conforme referido anteriormente), os participantes serão convidados a apresentarem propostas de realização de actividades, numa lógica de orçamento participativo. Deverão ser os jovens a decidir o fim a dar às verbas conseguidas. Para tal o animador deverá orientar os formandos para a constituição de grupos de 3 elementos, que deverão reflectir em função da ficha em anexo. Numa segunda sessão, cada grupo deverá proceder à defesa das suas propostas.


Posteriormente os participantes deverão seleccionar, por meio de votação, uma das propostas com vista à execução do projecto. O animador deverá orientar os participantes para o preenchimento de uma ficha de planeamento do projecto a concretizar e à sua respectiva monitorização Avaliação

Entrega de certificado

13

É capaz de reflectir sobre as aprendizagens realizadas;

1 sessão de 2 horas

Anexo 8

O animador deverá orientar os participantes para a reflexão sobre as aprendizagens realizadas (anexo 8)

Desenvolve a auto-estima

1 sessão de 2 horas

Anexo 9 – Certificado de Participação

A entrega dos certificados de participação no programa deverá ocorrer numa sessão pública com a presença de um actor chave da comunidade. Sugere-se a realização de um pequeno lanche por forma de mobilização dos participantes.


Anexo 1 Faz um desenho alusivo à seguinte frase: “Se somos um peixe maior que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano”

14


Anexo 2 Sê criativo na definição do nome da tua empresa e na criação do seu logótipo: Nome da empresa:

Logótipo:

15


Anexo 3 Ficha de Reflexão - Mercado alvo (quem comprará o meu produto?)

- Características do produto (que materiais utilizei na confecção do meu produto?)

- Utilidade do produto (Para que serve o meu produto?)

- Inovação associada ao produto (o que é que o meu produto tem de diferente dos outros?)

16


Anexo 4 Guião de entrevista Nome da empresa: Área de negócio: Morada: Nome do empresário: Pergunta: Resposta: Pergunta: Resposta: Pergunta: Resposta: Pergunta: Resposta:

17


Anexo 5 Registo de vendas: Produto

Nome do produtor

Preรงo

Nome do vendedor

Total das vendas

18

Valor da venda


Anexo 6 O nosso projeto…

Atividade:

Motivações:

Receitas:

Data de realização da atividade:

19

Custos:


Anexo 7 Planeamento das atividades necessárias à concretização do projeto Actividade

Responsável

Jan

P R P R P R P R P R P R P- previsto

20

R- realizado

Fev

Mar

Abril

Mai

Calendarização Jun Jul Ago

Set

Out

Nov

Dez

Data de realização

Observações


Anexo 8 Ficha de avaliação

O que aprendi

O que mais gostei?

O que menos gostei?

Sugestões:

21


Anexo 9 Certificado

22


Pequenos Artistas Grandes Negócios