Page 1

Bole tim d a

Edição 01 - Ano 01 Janeiro/2018

Informativo da Seção Sindical dos Docentes da UFSJ - ADUFSJ - SSIND

ADUFSJ vai às ruas na luta contra os retrocessos sociais do governo federal

A paralisação do dia 10 de novembro reuniu professores, servidores técnicos administrativos e alunos da UFSJ, além de outros sindicatos e movimentos sociais de São João del-Rei. Veja também, algumas mudanças que podem ocorrer na sua aposentadoria, caso a Reforma da Previdência seja aprovada.

Página 3

Relatórios financeiros dos três últimos meses Com o propósito de dar transparência às ações da ADUFSJ, será publicado nas edições deste informativo o resumo do balanço financeiro de cada mês. Esta edição traz as despesas, gastos e saldo de setembro, outubro e novembro deste ano.

Editorial

A união necessária Para comemorar o trabalho e as realizações dos docentes, a ADUFSJ ofereceu festas em São João del-Rei e em outros campi fora de sede

Página 4

Fala, Docente...

Que venha 2018! Maria Jaqueline de Grammont

Página 2

Página 4


OPINIÃO EDITORIAL

A união necessária

Que venha 2018! Maria Jaqueline de Grammont Machado de Araújo Professora do DECED/UFSJ Vivemos um tempo singular na contemporaneidade, em que se sobrepõe a falta de tempo, sobretudo a falta de tempo para aprofundamento das questões que nos afligem. No campo acadêmico, a intensificação do trabalho acirra os egos em disputa e esvaziam-se os espaços de discussão face a face. Sem dúvida, essa realidade nos afasta uns dos outros e nos distancia também da realidade social que nos rodeia. O conhecimento produzido nessas circunstâncias tem um caráter cada vez mais elitizado e burocratizado. Enquanto profissionais, deixamos de viver e nos sentir parte do mundo dos trabalhadores, não nos reconhecemos neles, não nos reconhecemos também como servidores públicos. Deste lugar privilegiado de elite intelectual, muitos de nós, professores universitários, disseminamos a crítica à lógica da reprodução, e, contraditoriamente, a mantemos e a perpetuamos. (Embora, é claro, ainda tenhamos aqueles que creem na meritocracia e em Papai Noel!). Mas essa lógica sofreu abalos nos últimos anos. É só voltar um pouco no tempo e lembrar, na década de 1990, da profunda desigualdade social que vivíamos e, na década seguinte, da atuação do governo de coalizão, que congregou forças conservadoras e forças progressistas. Desse governo não se esperava mudanças no quadro da desigualdade social, mas houve surpresas, as políticas de distribuição de renda tiraram milhões de pessoas da pobreza. Essas políticas, unidas a outras políticas públicas, possibilitaram também que grupos sociais, que nem sonhavam com um projeto de escolarização

em longo prazo, pudessem vislumbrar o acesso e até a permanência na universidade. Assim, com todas as contradições que esse tipo de coalizão gera, muitas famílias de classes populares viram seus filhos e filhas entrarem num caminho nunca dantes vislumbrado: a universidade. A classe popular, materializada em grande diversidade de gêneros, raças/etnias, grupos sociais, e até deficiências, começa, timidamente, a romper a barreira da reprodução social. Assim, também nós professores nos multiplicamos em gênero, número e cores.

A única esperança possível se pauta na construção coletiva de um movimento de resistência forte, diverso e, ao mesmo tempo, unido.

O que acontece então? O golpe jurídico midiático que põe fim a essa pequena e potencialmente grande revolução. Ao golpe contra a democracia sucederam-se os golpes contra a constituição, atingindo a educação, a saúde pública e os direitos trabalhistas e ainda preparam-se o golpe final na previdência e o golpe dentro do golpe nas próximas eleições para manter os grupos oligárquicos no poder. Mas a universidade não ficou parada. A UFSJ se levantou indignada. Em 2016, iniciou-se um movimento, protagonizado pelos alunos, denominado “UFSJ pela democracia, pelos direitos e contra o golpe”, congregando docentes, discentes e técnicos. Pela via sindical, impulsiona-

da por esse movimento e em parceria com outros sindicatos, realizou-se uma série de manifestações, aulas públicas, cine-debates e plenárias, que aglutinaram as pessoas nessa luta dentro e fora da universidade. Fomos também para Brasília nos manifestar várias vezes em 2016 e 2017. Vale ressaltar que os estudantes universitários, e, antes deles, os secundaristas, com suas ocupações, nos deram exemplos de construção de um conhecimento socialmente significativo e de processos inovadores de mobilização, organização e luta. Entretanto, a maioria de nós, professores universitários, continua acreditando que a crítica se faz em nossos gabinetes e salas de aula. Esvaziado o sindicato, não vislumbro nenhum outro espaço de resistência e de luta coletiva. O que fazer então? Se não temos o quorum em nossas assembleias, seremos dizimados em processos de trabalho considerados intermitentes. Já se avizinha a privatização da educação e uma ainda mais efetiva precarização do trabalho docente. Precisamos compreender a importância de cada um de nós nessa luta. Se o sindicato não tem conseguido nos mobilizar (essa é uma crítica recorrente) sejamos nós a mobilizar o sindicato. Podemos criar os espaços e as atividades de luta alternativas às greves que muitos de nós apregoam nos momentos de tensão, mas não temos ajudado a construir no dia a dia. Essa luta é de todos nós! A única esperança possível se pauta na construção coletiva de um movimento de resistência forte, diverso e, ao mesmo tempo, unido. Por acreditar em nossa força, desejo, além de Boas Festas, que as nossas indignações se traduzam em ações coletivas fortes e efetivas. Que venha 2018!

EXPEDIENTE

BOLETIM

ADUFSJ

|

Janeiro/2018

O ano de 2018 se avizinha e é o momento de refletir sobre as ações que trarão realizações mais concretas para a categoria. A nova gestão da ADUFSJ iniciou seus trabalhos há pouco tempo, mas desde o início procura mobilizar e convidar os sindicalizados para lutar contra as ameaças aos direitos adquiridos ao longo dos 30 anos de história da Instituição, comemorados há quase dois meses. E nessa busca por mobilizar os docentes, a Seção Sindical ampliou os canais de comunicação e passou a contar, a partir desta edição, com o Jornal da ADUFSJ. Aqui, o objetivo é levar informações que possam contribuir para a conscientização dos docentes para a necessidade de se envolverem na luta pelos seus direitos e por melhores qualidades de vida e trabalho. É isso que está em risco neste momento de crise econômica, política e social. O que pode acontecer em fevereiro do próximo ano, com a aprovação da Reforma da Previdência, se não houver uma resistência mais efetiva, é uma imensa perda na aposentadoria dos docentes. Por isso, é preciso lutar, reagir às ofensivas infundadas e que só desvalorizam os profissionais que dedicam sua vida em prol de uma educação de qualidade, laica, gratuita e referendada socialmente . Daí a importância de os docentes compreenderem que agora é o momento de se posicionar e integrar os movimentos de oposição ao que está sendo posto para a sociedade, a exemplo da ADUFSJ, que defende os interesses dos professores. Finalmente, desejamos muitas realizações em 2018 e esperamos você nesta batalha que também é sua.

FALA, DOCENTE...

Este é um espaço para as professoras e professores expressarem sua opinião sobre os problemas e dificuldades enfrentados pela classe. Convidamos você a particpar do “Fala Docente”. Para mais informações sobre o espaço de publicação, entre em contato através do e-mail: comunicacaoadufsj@gmail.com. Aguardamos a sua participação!

2

www.adufsj.org.br facebook.com/AdufsjSSindical

Presidente Prof. Wilson Camilo Chaves Vice-Presidente Prof. Élice Fernando de Melo 1ª Secretária Profª. Maria Teresa Antunes Albergaria 2ª Secretária Profª. Vânia Regina Velloso 1º Tesoureiro Prof. Sérgio Magno Mendes

2º Tesoureiro Prof. Artur Mariano Malafaia 1ª Suplente Profª. Enoi Miranda Barbosa 2º Suplente Prof. Geraldo Tibúrcio A. Silva Secretárias: Jaqueline Júlia de Resende Cíntia Rosana de Souza Fusatto

Praça Frei Orlando, 170 - Centro - São João del-Rei – MG - CEP: 36307-352 Telefone: (32)3379-2388 | (32)3371-7678 E-mail: adufsj@ufsj.edu.br Boletim da ADUFSJ - Edição 01 - Ano 01 Redação, edição e diagramação: Káthia Leal Revisão: Prof. Geraldo Tibúrcio A. Silva E-mail: comunicacaoadufsj@gmail.com Tiragem 1.000 exemplares Impressão: TGB Gráfica


Momentos de Lutas

Professores protestam contra reformas que prejudicam os trabalhadores

Diante das últimas manobras do Governo Federal para aprovar a Reforma Previdenciária, após ter conseguido vitória na Reforma Trabalhista, a ADUFSJ procurou mobilizar os sindicalizados para manifestarem contra o que propõe a PEC 287/2016. Nos meses de novembro e dezembro foram quatro participações em movimentos de protesto à reforma proposta. Na última delas, após deliberação na assembleia do dia 30 de novembro, professores da UFSJ foram a Belo Horizonte se unir às manifestações que ocorreram em 5 de dezembro. Uma maior participação dos belo-horizontinos teria dado mais visibilidade ao movimento, mas quem o integrou ou que estava próximo viu o quão importante é lutar contra as reformas e outros retrocessos propostos e aprovados pelo governo. Na ocasião, o professor da Universidade Federal de São João del-Rei Orlando José de Almeida Filho alertou a quem estava ou passava pela Praça Sete, na capital mineira, sobre os danos que a aprovação da PEC 287 pode trazer. “Nós não desistimos. Nós cansamos, mas não desistimos. Vamos lutar contra uma reforma que vai nos prejudicar imensamente. A reforma que aí está para os servidores públicos é praticamente a quarta em quatorze anos. Devemos cobrar [a defesa de nossos direitos] daqueles que nos representa, especialmente dos nossos representantes regionais.” Além do professor Orlando, os docentes Artur Mariano Malafaia, Maria Jaqueline de Grammont, Marcia Saeko Hirata e Márcio Falcão Santos Barroso participaram do ato público. Em Belo Horizonte, vários outros movimentos sociais, principalmente os ligados à educação, participaram do protesto. Dias antes, em 28 de novembro, marcado pela Greve Geral e comemoração dos 30 anos de existência da ADUFSJ, o presidente Wilson Camilo Chaves se juntou a outros manifestantes, em Brasília, em um ato de repúdio às agressões que a população tem sofrido e ainda pode sofrer com a reforma previdenciária.

ADUFSJ protestou contra as reformas previdenciária e trabalhistas e outros retrocessos do governo, em atos públicos realizados em São João del-Rei, Brasília e Belo Horizonte

Por que lutar contra a Reforma da Previdência?

Membros da Diretoria se reuniram com representantes das entidades para organizarem a manifestação

O presidente da ADUFSJ, representantes do SINDS-UFSJ e do Sindimental foram à Câmara pedir apoio para o ato público

de novembro, Jordano Carvalho, secretário Geral do Sindimetal, e Joaquim Rodrigues, coordenador do Sindicato dos Servidores da UFSJ. A paralisação de 10 de novembro teve a participação de docentes da UFSJ, representantes dos sindicatos dos Servidores da UFSJ (SINDS-UFSJ), dos Metalúrgicos (Sindmetal), dos Servidores de Santa Cruz de Minas (SINDSERVSC), dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São João del-Rei (SINTICOM), dos Trabalhadores dos Hospitais, Laboratórios e Consultórios Médicos e Odontológicos de São João del-Rei (Sintras), do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e do Movimento Mulheres em Luta (MML). Para conscientizar e mobilizar a população, houve panfletagem nas ruas e o evento foi finalizado com uma passeata até o campus Santo Antônio da UFSJ. O Sindmental também organizou, em São João del-Rei, um ato público no dia 5 de dezembro, para o qual a ADUFSJ convidou os professores a participarem.

|

ximo passo foi conscientizar os vereadores e a população em geral a integrarem e apoiarem o movimento. Além do presidente da Seção Sindical, estiveram presentes na reunião ordinária do legislativo municipal, no dia 06

ADUFSJ

realizada uma reunião, em 1º de novembro, para deliberar sobre a organização do ato público que ocorreu na Praça do Coreto, no Centro de São João del-Rei. Após a reunião na ADUFSJ, o pró-

BOLETIM

No âmbito local, a Seção Sindical dos Docentes da UFSJ participou da organização de paralisações. A manifestação do dia 10 de novembro foi preparada, anteriormente, junto com outros movimentos sociais e de classe da cidade e região. Para tanto, foi

Janeiro/2018

Atos públicos em São João del-Rei

3


COMEMORAÇÕES E SERVIÇOS O churrasco em Sete Lagoas foi um momento de descontração para os professores e seus familiares

Os docentes participaram da festa realizada no Centro Social e Cultural do Exército em São João del-Rei

ADUFSJ promove confraternizações para brindar datas especiais para os docentes

Perseverar na luta é essencial, mas também temos que comemorar as conquistas obtidas no decorrer do ano. Foram meses de trabalho e estudos, com o propósito de compartilhar conhecimentos com vários alunos. O fardo do trabalho docente exige muito do profissional que, muitas vezes, vê, inclusive, o tempo disponível para lazer ficar mais escasso. São finais de semana, feriados e até férias que muitos professores dedicam ao trabalho, ainda que informalmente. Por toda essa exigência que recai sobre os docentes é importante ter um dia para que todos possam confraternizar e se divertir com os demais colegas de trabalho. Afinal, os professores têm um papel central na oferta do ensino de qualidade da UFSJ, mesmo diante de tantas dificuldades e limitações, em especial, financeiras. Para propiciar esses momentos de encontro e comemoração, a ADUFSJ realiza eventos festivos em homenagem ao Dia do Professor, no final do ano. Em 2017, para comemorar a data dedicada aos que seguiram a carreira do magistério, a Seção Sindical organizou um churrasco, no dia 21 de outubro. Além dos docentes que vivem ou trabalham em São João del-Rei, os demais, que estão alocados nos campi fora de sede, também tiveram um momento de descontração e confraternização. Professores do Campus de

Um churrasco marcou a comemoração do Dia do Professor Sete Lagoas foram ao churrasco promovido pela ADUFSJ em 2 de dezembro e contaram com a apresentação do músico Pablo Ribeiro. Em Divinópolis, a Seção Sindical comemorou o final de ano com almoço oferecido aos docentes do Campus Centro Oeste, no restaurante Barroco Mineiro, no último final de semana (16). Já em São João del-Rei, a festa atravessou a madrugada ao som da banda Keywords, que animou os professores e seus convidados. Com buffet variado, os docentes brindaram o término deste ano, que foi de muita luta. Foram meses de trabalho árduo e, diante de tantas ameaças aos direitos sociais e profissionais, é importante revigorar as forças e energias na virada do ano, para que, em 2018, os docentes tenham força e energia para lutar contra os desmandos do governo.

O Restaurante Barroco Mineiro, em Divinópolis, foi palco de comemoração para os professores

BOLETIM

ADUFSJ

|

Janeiro/2018

Relatório Financeiro dos três últimos meses

4

A Seção Sindical dos Docentes da UFSJ publica o resumo dos relatórios financeiros de setembro, outubro e novembro de 2017. Nas próximas edições, serão divulgados os resumos dos demais meses.

Os professores, que desejarem ter mais informações sobre a movimentação financeira da ADUFSJ, podem procurar a secretaria da Seção Sindical, onde o relatório detalhado estará disponível para consulta e análise.

Boletim da ADUFSJ 1ª Edição  
Boletim da ADUFSJ 1ª Edição  

1ª Edição do Boletim Informativo da ADUFSJ - Seção Sindical dos Docentes da UFSJ

Advertisement