Issuu on Google+

Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas 170 Mil Exemplares

PARA USO DOS CORREIOS Mudou-se

Falecido

Desconhecido

Ausente

Recusado

Não procurado

Endereço insuficiente Não existe o número indicado Informação escrita pelo porteiro ou síndico Reintegrado ao Serviço Postal em ....../....../............ Responsável

Março de 2012 - Ano 46 - N 659 o

Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana - CEP 02011-000 - São Paulo - SP - Edição Nacional

@APCDCentral

facebook.com/apcdcentral

www.apcd.org.br


Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas 170 Mil Exemplares

Março de 2012 - Ano 46 - No 659 Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana - CEP 02011-000 - São Paulo - SP - Edição Nacional

@APCDCentral

facebook.com/apcdcentral

www.apcd.org.br

Jantar de Encerramento do Centenário da APCD Também será celebrado os 101 anos da associação! Venha para esta grande festa, no dia 24 de março, no Círculo Militar de São Paulo. Será uma noite de muita animação, com todo o requinte que esta data merece. Saiba mais na página 33. CIOSP 2013 Marque na agenda! A comercialização dos espaços do Congresso irá acontecer nos dias 27, 28 e 29 de março, das 10h às 18h, no Hall Nobre da APCD. Leia mais na página 23.

Autocuidado Acidentes com perfurocortantes são comuns aos Cirurgiões-Dentistas, e especialistas alertam para a necessidade de notificação ao Ministério da Saúde. Página 10

Centros de Especialidades Odontológicas Trabalho de CEOs tem crescido cada vez mais e governo começa a ampliar oferta de especialidades. Página 16


6

APCD Jornal - Março 2012

Índice Dia a dia em notícia 08. Novos biomateriais são desenvolvidos

com objetivo de regenerar o osso em casos de implantes

09. Pesquisa aponta alta ocorrência de

DTM em portadores de Fibromialgia

10. Acidentes com perfurocortantes: especialistas

08

alertam sobre autocuidado e a necessidade de notificação ao Ministério da Saúde

12. Estudo sugere que indivíduos com asma

19

têm mais riscos de desenvolver cárie

14. 3x4: Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, o APCD Jornal entrevista a Cirurgiã-Dentista que tem se destacado em diversos projetos de saúde pública e bem-estar da população

16. Universalizar tratamentos é objetivo dos

Centros de Especialidades Odontológicas

18. Pesquisadores afirmam que consumo

excessivo do açúcar é tão prejudicial quanto o de cigarros e de álcool

19. Comportamento: Traços marcantes da

personalidade podem estar ligados à obesidade

22. Orientando o clínico: Moldagem em Prótese Fixa

25. Teatro da APCD terá programação cultural

26. Coluna do Centenário da APCD: Ato Religioso

em Ação de Graças aos 100 anos da APCD

27. Confira as conferências programadas pelo

Conselho Científico da APCD para o mês de março

28. Informe da Diretoria 29. Notícias da ABCD

Cursos e Carreira 30. EAP APCD 32. Notícias da EAP

Lançamentos 34. Confira as últimas novidades das empresas do setor

Acontece 35. VII Confraternização da Macro 11 em Ilha Grande

Cultura e Lazer 36. Crônica: “No princípio éramos apenas

Fique por dentro da APCD

e entra no circuito comercial da cidade

parte de Adão - a Costela”

Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas

23. Comercialização do CIOSP 2013 – Venha

23

participar desse evento diferente de tudo o que você já viu!

24. Dados estatísticos do 30º CIOSP

comprovam sucesso do evento

Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas - Fundada em 1911 - Gestão 2010-2013 PRESIDENTE: Adriano Albano Forghieri 1o VICE-PRESIDENTE: Juscelino Kojima 2o VICE-PRESIDENTE: Wilson Chediek SECRETÁRIA GERAL: Maria Angela Marmo Favaro TESOUREIRO GERAL: Paulo Vianna Mesquita PRESIDENTE CORE: José Luiz Negrinho 1o VICE-PRESIDENTE CORE: Gilberto Gomes 2o VICE-PRESIDENTE CORE: Antonio Tadeu Martins SECRETÁRIO: Felipe Bedran PRESIDENTE COA: Adelson Barbosa de Oliveira VICE-PRESIDENTE COA: Ligia Maria Lima Andreatta PRESIDENTE CONOGE: Stephanie Alderete Feres Teixeira VICE-PRESIDENTE CONOGE: Thales Wilson Cardoso PRESIDENTE COCI: Maria Elizabete Carneiro de Saba VICE-PRESIDENTE COCI: Silvio Antonio dos Santos Pereira PRESIDENTE COFI: Reinaldo Brito Dias SECRETÁRIO: Ricardo César dos Reis PRESIDENTE CODEL: Ueide Fernando Fontana SECRETÁRIO: Waldyr Romão Júnior PRESIDENTE CEAP’S: Liris Silmar Jacintho Pereira VICE-PRESIDENTE CEAP’S: Richard Bulara Esper Kallas SECRETÁRIA: Ilka Maria Pantaleão Silveira Bonachella DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE COMPRAS E COTAÇÕES DE PREÇOS: Paulo Vianna Mesquita DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO: André Callegari DIRETOR DA REVISTA DA APCD: Marcelo Bönecker DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE CONGRESSOS E FEIRAS: Pedro Antonio Fernandes DIRETOR DA EAP: Artur Cerri DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE ESPORTES: Cláudio Darcie Diretora do Departamento de Prevenção e Promoção da Saúde: Helenice Biancalana DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS: Moacyr Natale Macedo DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE DEFESA DE CLASSE: João Augusto Sant’Anna DIRETOR DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS: Everaldo Alves Nazareth Junior DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO: Luiz Lincoln Cristino Costa DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE TURISMO: Silvia Sugaya DIRETORA DO DEPARTAMENTO SOCIAL E CULTURAL: Claudia Verônica Teizen ASSESSORA DA PRESIDÊNCIA: Ilka Maria Pantaleão Silveira Bonachella ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Nilden Carlos Alves Cardoso ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Airton Gottardo ASSESSORA DA PRESIDÊNCIA: Maria Cristina Dumit Sewell ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Bráz Antunes Mattos Neto CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Alcides de Souza CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Admar Kfouri CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Luiz Antonio Zamuner CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Heber Luis Nogueira Fontão


APCD Jornal - Março 2012

7

Palavra do Presidente Adriano Albano Forghieri

Mínimo articulador comum da humanidade Em visitas a várias instituições, nos deparamos com uma singularidade em comum: o indivíduo desejando ser maior do que a própria instituição. Essa atitude, própria da pessoa egocêntrica, tem que ser diariamente policiada para não prejudicar a entidade ou até mesmo correr o risco de destruí-la. Antonio Prata, brilhante articulista, deduziu o ‘Mínimo articulador comum da humanidade’, na crônica “As unhas dos pés”, publicada na editoria Cotidiano, do jornal Folha de S. Paulo, no dia 6 de abril de 2011: Li a história em algum lugar: toda vez que o poderoso general romano conquistava uma cidade e, parado no alto de uma colina, contemplava a extensão de seus domínios, vinha o subordinado para lhe cochichar no ouvido: “General, és baixo, gordo e calvo”. O sussurro impedia que a glória subisse à cabeça - ou à careca - do militar, trazendo-o de volta às solas de suas sandálias, à sua risível condição humana: frágil e decadente. Eu também tenho, instalado dentro da minha cabeça, um desses assessores. Não para me resgatar dos píncaros da glória - no meu caso, meros calombos na planície do dia a dia, dos quais os espelhos, o senso de ridículo e o passar das horas encarregam-se de me trazer de volta-, mas para rebaixar outros, a quem tendo a ver como demasiadamente poderosos, às suas chãs humanidades. Eis o sussurro, capaz de transformar qualquer herói, celebridade ou tirano no mais comum dos mortais: "Imagine-os cortando as unhas dos pés". É este o mínimo denominador comum da humanidade: Obama corta as unhas dos pés, Penélope Cruz corta as unhas dos pés, Jesus, na glória de seu ministério e Hitler, no auge de seu poderio, cortavam as unhas dos pés. Eles podem comer com talheres de prata, aparentar serem feitos de outro material, andar sobre as águas ou conquistar Paris, mas numa hora morta, encolhidos no banheiro ou no quarto, se verão sozinhos, segurando os pedacinhos de unha na mão em concha, ou depositando-os sobre a capa de uma revista, aberta no chão -assim como eu, você, o Jair Bolsonaro, a Preta Gil, a tia Lurdes, de Araraquara. Só há um momento na vida mais ínfimo do que ao cortar as unhas dos pés: quando nos preocupamos em cortar as unhas dos pés. Imagino Obama, antes de vir ao Brasil, no meio de uma reunião. Um militar lhe pergunta: "Presidente, iniciamos os bombardeios na Líbia?". Barack demora a responder. Está com a cabeça em outro lugar:

"O hotel lá no Rio é em frente à praia. Talvez eu consiga dar um mergulho. Mas... Humpf... Minhas unhas dos pés estão grandes. Será que corto hoje à noite? Ou amanhã, no Air Force One, quando a Michelle a as meninas estiverem dormindo?". Talvez as unhas dos pés sejam um castigo divino. Ao expulsar-nos do Éden, além de condenar o homem a comer o pão com o suor do próprio rosto e a mulher a sofrer as dores do parto, rogou-nos a seguinte praga, perdida em alguma tradução do Antigo Testamento: "E por tua insolência porei na última fronteira de tua carne pequenas lâminas, às quais terás que aparar até que o derradeiro sopro se esgote em tuas narinas; e ao podá-las, curvado sobre o teu corpo frágil, contemplarás o pó do qual viestes, o pó ao qual voltarás, e lembrar-te-á de tua pequenez, oh, arrogante nulidade!". Dizem que, mesmo nos mortos, quando postos em formol, as unhas continuam a crescer. Uma última ironia divina, quem sabe? O homem, único ponto em que o universo se percebe a si mesmo, apaga-se: aquelas ignaras células de queratina, contudo, continuam seu movimento, lento e inútil, em direção aos céus. Pois é, general: ainda que fosses alto, magro e cabeludo, serias mais frágil que as unhas dos teus pés. Que coisa, não? Um dos fatores para que as nossas instituições se fortaleçam dia após dia é o cuidado com as nossas atitudes. A instituição sempre deve ser mais importante do que o indivíduo.

Congresso A repercussão positiva do 30º CIOSP continua. São inúmeros registros de todos os setores da Odontologia parabenizando pelo sucesso alcançado. As estatísticas são surpreendentes e com certeza nos trazem mais responsabilidade na organização dos futuros congressos. Pensando em organização, a APCD já lançou o próximo congresso a ser realizado em 2013, e já está trabalhando para iniciar a organização do congresso de 2014. Muitas surpresas serão divulgadas. Aguardem!

Dia Internacional da Mulher O Dia Internacional da Mulher, 8 de março, está intimamente ligado aos movimentos feministas que buscavam mais dignidade para as mulheres e sociedades mais justas e igualitárias. É a partir da Revolução Industrial, em 1789, que estas reivindicações tomam maior representatividade com a exigência de melhores

condições de trabalho, acesso à cultura e igualdade entre os sexos. As operárias desta época eram submetidas a um sistema desumano de trabalho, com jornadas de 12 horas diárias, espancamentos e ameaças sexuais. Dentro deste contexto, 129 tecelãs da fábrica de tecidos Cotton, em Nova Iorque, decidiram paralisar seus trabalhos, reivindicando o direito à jornada de 10 horas. Era 8 de março de 1857, data da primeira greve norte-americana conduzida somente por mulheres. A polícia reprimiu violentamente a manifestação fazendo com que as operárias refugiassem-se dentro da fábrica. Os donos da empresa, junto com os policiais, trancaram-nas no local e atearam fogo, matando carbonizadas todas as tecelãs. Absurdo! Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres, realizada na Dinamarca, foi proposto que o dia 8 de março fosse declarado Dia Internacional da Mulher em homenagem às operárias de Nova Iorque. A partir de então, esta data começou a ser comemorada no mundo inteiro como homenagem as mulheres. Uma justa homenagem aprovada no século passado. Li em algum lugar o seguinte: “Mulher, você que busca no dia a dia sua independência, sua liberdade, sua identidade própria; você que luta profissional e emocionalmente para ser valorizada e compreendida; você que a cada momento tenta ser a companheira, a amiga, a ‘rainha do lar’; você que batalha incansavelmente por seus próprios direitos e também por um mundo mais justo e por uma sociedade sem violências; você que resiste aos sarcasmos daqueles que a chamam, pejorativamente, de feminista liberal e que já ocupa um espaço na fábrica, na escola, na empresa e na política; você que tem a capacidade de gerar outro ser, tem também o dever de gerar alternativas para que a sua ação criadora, realmente ajude outras mulheres a conquistarem a liberdade de Ser”. Viva as MULHERES, sem vocês não somos nada. Parabéns! Um forte abraço, Adriano Albano Forghieri

Fale com o presidente da APCD pelo canal direto: presidente@apcdcentral.com.br

EXPEDIENTE Diretor de Comunicação André Callegari Corpo Editorial Daniela Berci Luiz, Daniel Nuciatelli Pinto de Mello, Adelson Barbosa de Oliveira, Marco Antônio Manfredini, Maria Isabel Rodrigues, Maria Lucia Z. Varellis, Mário Botura, Mauricio Querido, Miguel Haddad, Patrícia L. Amélia Alpiovezza, Vitor Ribeiro, Victor Clavijo, Thales Wilson Cardoso, Wilson Chediek Coordenadora de Comunicação e Jornalista Responsável Bruna Oliveira (Mtb. 46.263) Edição de Arte e Projeto Gráfico Thiago Lemos Editor de Arte Bruno Lopes Assistente de Criação Juliana Nunes da Costa Jornalistas Mariana Ramos Pantano (Mtb. 62.558) Swellyn França (Mtb. 45.564) Redação Rua Voluntários da Pátria, 547 - San­tana CEP: 02011-000 - São Paulo - SP Tel.: (11) 2223-2553 E-mail: redacao@apcdcentral.com.br Atendimento ao Associado Tels.: (11) 2223-2369 / 2370 / 2371 Impresso na Plural Indústria Gráfica Publicidade Comercial APCD Tels.: (11) 2223-2332 E-mail: marketing@apcdcentral.com.br Periodicidade: Mensal Tiragem nacional: 170 mil exemplares As matérias publicadas passam pelo aval técnico do Corpo Editorial. O APCD Jornal é um órgão informativo da Associação Paulista de CirurgiõesDentistas, entidade de utilidade pública pela lei no 1.051 de 12 de junho de 1951, e registrada no Conselho Nacional de Serviço Social, sob no 91.315, em 12 de junho de 1960.

Siga-me no Twitter: @adrianoforghier

Aviso - As opi­niões expres­s as nas maté­rias publi­c a­das no APCD Jornal são de res­pon­s a­bi­li­da­de de seus au­to­res, e não refle­tem, neces­s a­ria­men­te, as da dire­to­ria da APCD, dos edi­to­res e dos anun­cian­tes, poden­do, inclu­si­ve, ser con­trá­rias `as dos mes­mos. É proi­bi­da a repro­du­ç ão total ou par­cial de maté­rias publi­c a­das neste jor­nal por qual­quer meio, sem auto­ri­z a­ç ão expres­s a, por escri­to, da reda­ç ão, de acor­do com o que dis­põe a lei 5.988, de 14/12/73. A repro­du­ç ão deve ser soli­ci­t a­da aos jornalistas-editores, para nego­cia­ç ão da venda dos direi­tos de publi­c a­ç ão. A APCD não tem qual­quer res­pon­s a­bi­li­da­de pelos ser­vi­ços e pro­du­tos das empre­s as anun­cia­dos em seu jor­nal. Todos os pro­du­tos e ser­vi­ç os estão sujei­tos às nor­mas do mer­c a­do, do Código de Defesa do Consumidor e do CONAR - Conselho Nacional de Au­to-Re­gula­mentação Publicitária. Serviços noti­cio­s os: AUN - Agência Universitária de Notícias (USP).


8

APCD Jornal - Março 2012

Dia a dia em notícia 3x4

Asma

Açúcar

Indivíduos asmáticos podem ter

No mês internacional da mulher, o APCD Jornal

Consumo excessivo do

mais chances de desenvolver cárie

entrevista a Cirurgiã-Dentista Helenice Biancalana

alimento é prejudicial à saúde

Página 12

Página 14

Página 18

Novos biomateriais são desenvolvidos com objetivo de regenerar o osso em casos de implantes

Por Mariana Pantano Pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo novos biomateriais que podem ser usados para aplicação nas áreas médica e odontológica. Essa nova abordagem terapêutica faz ligações com o tecido celular e auxilia na formação dos vasos sanguíneos e na rápida recuperação do osso. Entre esses materiais, uma membrana feita a partir da celulose produzida por bactérias que traz em sua composição peptídeos (pedaços de proteínas) sintetizados em laboratório, capaz de estimular processos que melhoram a reparação óssea, além de elementos constituintes dos ossos como o colágeno e a hidroxiapatita (composto sintético na forma de microesferas suspensas em gel aquoso). O material composto à base de celulose bacteriana e desenvolvido na Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara, no interior paulista, pode ser usado em implantes dentários em casos em que não há osso suficiente para colocação do pino de suporte ou em processos de extração de dente que resulta em encolhimento do osso. O professor do Instituto de Química, coordenador do projeto e líder de um grupo de pesquisa de Síntese, Estrutura e Aplicações de Peptídeos e Proteínas na Unesp de Araraquara, Reinaldo Marchetto, conta que a ideia dessa pesquisa surgiu com a chegada da Cirurgiã-Dentista, Sybele Saska, no grupo, que buscava aperfeiçoamento acadêmico na área de Biotecnologia. “A estudante trouxe-nos um problema: desenvolver membranas reabsorví-

veis para Regeneração Óssea Guiada (ROG), que fosse de baixo custo e com a capacidade de promover a regeneração do tecido ósseo em menor tempo, preferencialmente que fosse reabsorvível, de modo a se evitar uma segunda intervenção cirúrgica para sua remoção.” Marchetto explica que o grupo de pesquisa já vinha atuando em colaboração com o grupo de materiais fotônicos do Instituto de Química da Unesp, para incorporação de antibióticos em lentes produzidas a partir de celulose bacteriana. Com a experiência deste grupo na produção e caracterização deste polímero, decidiu-se por utilizá-lo como base para o desenvolvimento de compósitos. Dessa forma, o trabalho teve inicio com a obtenção da celulose bacteriana, sintetizada pela bactéria Glucanobacter xylinus a partir de um meio de cultura contendo glicose, aminoácidos, extrato de levedura e sais, por um período de 120 horas a 28°C. Quando a celulose, formada entre o meio e a superfície, tinha a espessura de cinco milímetros, retirava-se para um tratamento químico e posterior esterilização. O professor salienta que após a obtenção das amostras de celulose, adicionava-se colágeno tipo I, hidroxiapatita e peptídeos reguladores de fatores de crescimento ósseo (OGP e OGP 10-14), na tentativa de gerar biomateriais com propriedades próximas àquelas do tecido ósseo. “Foram realizados diversos estudos físico-químicos para melhor compreensão da interação do colágeno e cristais de hidroxiapatita à celulose bacteriana, dentre eles podemos citar: Microscopia eletrônica de Varredura (MEV), Difratometria de Raios X (DRX), FTIR, Raman, RMN, análise termogravimétrica, intumescimento, ângulo de contato, ensaios mecânicos de resistência a tração, entre outros.”

O pesquisador salienta que peptídeos OGP e OGP 10-14 foram sintetizados quimicamente, purificados e caracterizados para finalmente serem incorporados por adsorção; um estudo final de liberação controlada foi executado por Espectroscopia de Fluorescência. “Com os materiais em mãos, ensaio in vitro já foi realizado. A principio a nova matéria poderá ser utilizada na Odontologia para reposição de tecido ósseo para colocação de implante dentário e nos casos de cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial.” Para realização dos testes in vitro, cultura de células osteogênicas foi empregada através das análises de adesão e morfologia celular por medidas de fluorescência direta, proliferação e viabilidade celular, atividade de fosfatase alcalina (ALP) e formação de matriz mineralizada. “Resumidamente, a presença dos peptídeos OGP e OGP 10-14, conferiram aos compósitos, propriedades osteoindutivas. Com os peptídeos, o material compósito mostrou maior proliferação celular (aumento no número de células aderidas à membrana, quando comparado com as membranas sem os mesmos. Estes favoreceram o processo de mineralização - maior atividade de ALP). As células crescidas nas membranas contendo peptídeos estavam aderidas e espraiadas e em grande número, mostrando que os dois peptídeos influenciam na proliferação celular (células osteoblásticas). Foi observado um maior número de nódulos de mineralização em cultivos crescidos sobre membranas contendo os peptídeos”, destaca o professor. Reinaldo salienta que os estudos continuam. “Após liberação para ensaios em humanos, espera-se concluí-los o mais rápido possível, para que o produto seja utilizado comercialmente de modo a atingir os nosso principal objetivo

que é beneficiar a sociedade.” A pesquisa foi feita de forma multidisciplinar e contou com a participação de diversos pesquisadores com formações e campos de atuações distintos, sem os quais as chances de sucesso seriam muito pequenas. “Além disso, vale destacar a dedicação integral da Cirurgiã-Dentista e, agora, doutora em Biotecnologia Sybele Saska, que teve uma atuação intensa e decisiva nos resultados obtidos. O trabalho foi apresentado na 88ª IADR - International Association for Dental Research General Session, em julho de 2010, na cidade de Barcelona-Espanha, e a orientada recebeu o Prêmio IADR - Heraeus Travel Award in Dental Materials”, finaliza.

Imagem gentilmente cedida por Rosana Domingues

Cerâmicas e celulose são materiais capazes de regenerar a camada perdida

Rosana explica que o grupo trabalha com materiais cerâmicos especiais, com fins eletroquímicos e biológicos desde o fim da década de 1980. “Após um trabalho de doutorado na área de materiais compósitos implantáveis e substitutos ósseos a base de zircônia e hidroxiapatita, desenvolvido na UFMG sob minha orientação, continuamos a estudar este tipo de material e em 2000 fiz um pós-doutorado na Flórida na área de biovidros. Desde então trabalhamos com composições, morfologias e aplicações diversas usando esses materiais.” Esse biovidro traz como inovação o processo de síntese à temperatura ambiente. Além de gastar menos energia, o processo permite a incorporação de fármacos com Vidro Bioativo liberação controlada e ação localizada. Rosana explica que “o material poderá ser usado como substituto ósseo em cirurgias nas quais o paciente necessite de implantes, mas não possui tecido ósseo suficiente para a colocação dos pinos que darão suporte ao futuro implante. Outras aplicações são o recobrimento de peUma das etapas de fabricação do ças metálicas visando vidro bioativo contendo fármacos torná-las bioativas a fim de acelerar a osUm outro biomaterial, que foi teointegração das mesmas.” desenvolvido na Universidade FeA pesquisadora detalha que deral de Minas Gerais (UFMG) pela os estudos in vitro foram feitos professora do Instituto de Ciências em colaboração com outros proExatas da UFMG, coordenadora do fessores da UFMG e estão reporprojeto e sócia da Ceelbio – Cerâ- tados em trabalhos publicados em micas Eletrônicas e Biológicas, que revistas de renome internacional. tem participado de vários eventos a “Os testes avaliaram a viabilidade fim de facilitar a inserção dos pro- celular, a proliferação e metabodutos no mercado, Rosana Domin- lismo da atividade metabólica de gues, é um vidro bioativo composto osteoblastos em culturas primárias por sílica, cálcio e fósforo, indicado usando camundongos”, finaliza. n inicialmente para recuperação ósFonte: Pesquisa On-line Fapesp sea em implantes dentários.


APCD Jornal - Março 2012

9

Pesquisa aponta alta ocorrência de DTM em portadores de Fibromialgia Cirurgião-Dentista pode auxiliar no controle das dores faciais de pacientes com a doença e, também, deve encaminhá-los a outros profissionais para melhor orientação diagnóstica e terapêutica Por Swellyn França Em sua dissertação de mestrado apresentada na Faculdade de Odontologia de Piracicaba FOP-Unicamp - “Características de disfunção temporomandibular e qualidade do sono em portadores de fibromialgia” -, a Cirurgiã-Dentista, mestre e doutoranda em Clínica Odontológica pela PUC, Marcele Jardim Pimentel, verificou alta prevalência (77,5%) de Disfunção Temporomandibular (DTM) nas mulheres diagnosticadas com fibromialgia em tratamento no Hospital das Clínicas de São Paulo (HC/SP). Segundo Marcele, esse comprometimento foi classificado, de acordo com o instrumento utilizado (RDC/TMD), como dor miofascial. “Essa dor é de caráter muscular e pode sim ser decorrente do comprometimento muscular causado pela síndrome, que é caracterizada por dor muscular generalizada em pelo menos 11 pontos específicos dos 18 pontos pré-determinados distribuídos da nuca às pernas. Embora não haja pontos na face para o diagnóstico da síndrome, a dor facial esteve presente em 85% dos casos”, conta. O médico neurocirurgião especializado em fibromialgia e em tratamentos de dor aliada à neurocirurgia funcional, Claudio Fernandes Corrêa, explica que a fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática caracterizada por quadros de dor intensa e generalizada, fadiga, indisposição geral, distúrbio do sono, sensações parestésicas, edema subjetivo e com intensificação da dor à pressão dos pontos musculares sensíveis. “A prevalência mundial de pacientes fibromiálgicos é de 2% da população. A prevalência na população feminina é de 6 a 10:1 homem afetado, sendo mais comum na faixa de 30 a 50 anos de idade. Fatores genéticos justificam esta prevalência, ao menos no presente”, conta.

Justamente por ser mais comum em mulheres, na mostra da pesquisa de Marcele consta em sua totalidade deste gênero. “O trabalho é parte de um projeto temático que busca estudar esse grupo de pacientes idealizado pela professora Célia Marisa Rizzatti e desenvolvido no HC/SP em associação com o Grupo de Pesquisa Avançada em Medicina do Sono. A vertente de nossa pesquisa teve como objetivo estudar a associação da FM à DTM, buscando a prevalência de co-ocorrência considerada comum, caracterizando a DTM nos portadores de FM e verificando a influência destas condições na qualidade do sono”, lembra a Cirurgiã-Dentista. Foram selecionadas 40 portadoras de FM comparadas a 40 voluntárias saudáveis (livres de dor crônica). “Como se trata de um estudo clínico, este trabalho contribui de maneira significativa para conhecer e reunir características de dor facial em portadores de FM, visto que presença de dor na face não é considerada para o diagnóstico da síndrome, mas esteve presente em 85% das voluntárias. Foi observado que 77,5% dos portadores de FM foram diagnosticados com DTM e a limitação de abertura bucal foi 10 vezes maior na FM que no grupo controle, mostrando a importância de um direcionamento de tratamento específico a nível facial. A relevante influência da presença da dor crônica, decorrente tanto da síndrome da FM como da DTM, foi na qualidade do sono observada, sendo encontrada uma alta prevalência de má qualidade do sono dentro do grupo com FM (92,5%, sendo 37,5% das voluntárias também diagnosticadas com sonolência diurna excessiva). Também foi verificado que o aumento da intensidade de dor na face está moderadamente relacionado à piora na qualidade do sono e chega a interferir nas atividades sociais, de lazer e trabalho nos portadores de FM”, relata Marcele.

De acordo com o médico especialista em fibromialgia, como os músculos são o local principal da dor, os que envolvem a região temporomandibular não fazem exceção. “Muitas alterações funcionais desta importante articulação podem residir nos músculos e tendões envolvidos. Nessas circunstâncias, a dor relacionada com a Articulação Temporomandibular (ATM) é mais comumente causada pelo envolvimento dessa musculatura do que da articulação em si. Um terço dos pacientes com fibromialgia tem problemas de ATM e 20% dos pacientes com dores na ATM são portadores de fibromialgia”, revela.

Tratamento  multidisciplinar e  multiprofissional envolve Cirurgião-Dentista

A pesquisadora lembra que por ser uma síndrome prevalente, dolorosa e crônica, onde o tratamento não traz a cura, mas proporciona melhorias paliativas e adaptativas, estudos dentro desse grupo de pacientes reúnem informações que direcionam o tratamento trazendo melhorias específicas e multidisciplinares. “Reconhecer a presença de alterações faciais decorrentes da fibromialgia e despertar a classe odontológica para tratamento da dor facial em específico, de maneira paralela, pode reduzir a intensidade de dor e melhorar a qualidade de vida dentro desse grupo de pacientes”, enfatiza Marcele. Corrêa concorda que o tratamento do paciente fibromiálgico é multiprofissional e multidisciplinar. “Profissionais médicos nas áreas de reumatologia e fisiatria devem ser envolvidos, procuran-

do fazer diagnóstico diferencial com outras afecções que podem cursar com sintomas similares. A área da saúde mental, envolvendo psicólogos e psiquiatras, igualmente fazem parte do tratamento. Portanto, o Cirurgião-Dentista, ao excluir no diagnóstico de ATM causas próprias na articulação e considerar que o envolvimento dos músculos e tendões possam ser a causa, deve encaminhar aos profissionais acima discriminados para uma melhor orientação diagnóstica e terapêutica”, avalia. De outro lado, Marcele acredita que ao prestar atendimento à pessoa diagnosticada portadora de fibromialgia, o Cirurgião-Dentista já deve estar atento a possíveis alterações de caráter articular, “visto que foi observado no estudo que o portador da síndrome tem 31 vezes mais chance de desenvolver quadros de DTM com presença de dor facial, principalmente dor

muscular e limitação de abertura bucal. Essa dor está presente durante os movimentos mandibulares e é detectada à palpação.” Ela conta que todos os grupos musculares foram significativamente mais doloridos, sendo uma característica importante na síndrome. “Assim, atenção especial do clínico durante esse contato deve ser dada ao exame dos músculos faciais e ATM. O tratamento específico da dor facial, em paralelo ao tratamento médico que envolve campo reumático e neurológico, pode trazer benefícios aliviando as dores faciais e dores de cabeça, comuns na síndrome. Foi observado também neste trabalho que a dor facial chega a interferir nas atividades sociais e de lazer. O tratamento odontológico dentro deste contexto influencia na qualidade de vida dos portadores com FM como também melhora a capacidade de mastigação, refletindo no aspecto nutricional e enfatizando a necessidade do tratamento multidisciplinar. Por isso, acredito que este trabalho é importante para conscientizar a classe odontológica da necessidade do Cirurgião-Dentista no tratamento de condições que abrangem uma gama de profissionais e que, inicialmente o mesmo, bem como a classe médica, não está familiarizada para solicitar a integração multiprofissional requerida nesses casos, esquecendo, assim, de dar a merecida atenção que o sistema mastigatório necessita”, finaliza a pesquisadora. n


10

APCD Jornal - Março 2012

Acidentes com perfurocortantes: especialistas alertam sobre autocuidado e a necessidade de notificação ao Ministério da Saúde Exposições perfurocortantes a material biológico podem ocasionar consequências graves, por isso, a prevenção é o meio mais importante e imprescindível para evitar acidentes com esses objetos Por Swellyn França No que se refere aos perigos ocupacionais, os Cirurgiões-Dentistas estão exposto a três grandes riscos: os ergonômicos, que podem resultar em doenças osteomusculares; a exposição acidental ao mercúrio; e a exposição acidental aos materiais perfurocortantes. Segundo a pesquisadora da Fundacentro - entidade governamental vinculada ao Ministério do Trabalho e Emprego, que atua em pesquisa científica e tecnológica relacionada à segurança e saúde dos trabalhadores -, Érica Lui Reinhardt, os acidentes com perfurocortantes são os mais conhecidos e estudados, embora não se deva negligenciar os demais. “Nem todos os profissionais tomam os cuidados necessários para evitá-los. Apesar de os estudos indicarem que grande parte utiliza os equipamentos de proteção individual (EPIs), há pelo menos um relato de que esses

profissionais ainda mantêm atitudes inadequadas, como reencapar agulhas, não realizar a correta higienização das mãos e não fazer o descarte adequando dos materiais perfurocortantes. Outros riscos ambientais relevantes são a exposição ao ruído e à vibração”, salienta. Os tipos de patógenos que podem ser passados por estes instrumentos são vírus, bactérias e protozoários que infectam depois de penetrar na corrente sanguínea ou após o contato com as mucosas do profissional. A infectologista, mestre em Saúde Coletiva com área de concentração de epidemiologia em serviços de saúde, Luciana Teodoro de Rezende Lara, afirma que “embora vários microrganismos

possam ser transmitidos quando ocorrem estes acidentes, existem contaminações de maior magnitude do ponto de vista epidemiológico e que determinam ações de prevenção secundária imediata. Geralmente, as transmissões dos vírus da imunodeficiência humana (HIV) e das hepatites B e C são os mais enaltecidos, e para cada um desses existem recomendações de prevenção e/ou tratamento específicos”, esclarece Luciana. As informações do manual “Exposição a Materiais Biológicos, do Ministério da Saúde”, publicado em 2006, mostram que o risco de se contrair o HIV pela exposição ocupacional percutânea com sangue infectado é de aproximadamente 0,3%, e quando a exposição ocorre pela mucosa é de aproximadamente 0,09%. No caso de exposição ocupacional ao vírus da hepatite B, o perigo de se infectar varia de 6% a 30%, chegando até 60% dependendo do estado clínico do paciente-fonte; no caso da hepatite C, o risco é de 1,8%. No atendimento odontológico, o uso de instrumentos rotatórios e ultrassônicos favorece a ocorrência de respingos e a rotina de trabalho com instrumentos perfurocortantes num campo restrito de visualização eleva o risco de lesões percutâneas. Apesar destes dados, o perigo de o profissional acidentado adquirir uma infecção por meio de um acidente com perfurocortantes depende de

fatores como extensão da lesão, volume de fluído biológico presente, das condições sistêmicas do profissional, das características dos microrganismos presentes e das condições clínicas do paciente-fonte, bem como das condutas realizadas depois da exposição. Segundo dados da Secretaria de Saúde da Prefeitura de São Paulo, dentre os acidentes de trabalho com exposição a material biológico, ocorridos com trabalhadores dos serviços de Saúde que foram notificados no período de 2006 a 2010 na cidade de São Paulo, 79% ocorreu em procedimentos que envolveram, de alguma forma, materiais perfurocortantes, como em administração de medicamentos, punção venosa/arterial, reencape, descarte inadequado etc. O Boletim Epidemiológico de Aids HIV/ DST e hepatites B e C do município (Ano XIV – nº 13), de junho de 2010, mostra que ocorreram 172 casos de acidentes com material biológico com Cirurgiões-Dentistas, o que equivale a 2,6% dos casos.

Conscientização  dos profissionais e medidas de prevenção são as ferramentas mais importantes contra os acidentes

A pesquisadora da Fundacentro, Érica Reinhardt explica que, as primeiras medidas de prevenção devem ser aquelas relacionadas à exclusão ou isolamento do per-

furocortante. “Eliminar procedimentos desnecessários, adequar o número e a localização de coletores de descarte destes instrumentos, substituir objetos feitos de materiais potencialmente perfurocortantes como, por exemplo, vidro ou metal, por seus equivalentes feitos de materiais não-perfurocortantes como plástico ou borracha, e implantar os perfurocortantes com dispositivos de segurança disponíveis estão entre as primeiras providências que o profissional deve adotar. Em seguida, o Cirurgião-Dentista deve modificar seus procedimentos de maneira a diminuir o risco. Essas ações incluem não reencapar agulhas utilizando as duas mãos; remover as brocas das canetas antes de organizá-las para o uso e sempre que não forem necessárias; higienizar as mãos antes de colocar as luvas e após retirá-las; descartar adequadamente os perfurocortantes, imediatamente após terem sido empregados. Por fim, o profissional deve utilizar os EPIs apropriados como luvas, conjunto de óculos de proteção e máscara ou protetor facial, e vestimentas adequadas, incluindo aventais de mangas longas e calçado fechado”. Pode influir na ocorrência de acidentes, segundo a pesquisadora, a forma como o trabalho está organizado, as instalações físicas etc. Além disso, a prevenção dessas ocorrências requer vigilância, monitoramento e capacitação constantes, exigindo a implantação de um programa apropriado, que deverá ser adequado ao porte e recursos de cada estabelecimento. “Mais detalhes sobre essa questão podem ser encontrados no ‘Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde - manual de implementação’, disponível no site da Fundacentro”, comenta Érica. A infectologista, Luciana Lara, acrescenta ainda que a maioria dos acidentes ocorridos no mundo relaciona-se a grandes jornadas de trabalho, acompanhadas ou não de carga emocional ou estresse em alta. “Por isso, a prevenção deve ser fundamentada em ações de divulgação da sua importância e das consequências de possíveis contaminações para o profissional. Após a ocorrência de exposi-


APCD Jornal - Março 2012

ção a material biológico, deve-se atentar para a procura de assistência especializada do médico infectologista para que as medidas de prevenção secundárias possam ser iniciadas”, reforça. Especificamente em relação à hepatite B, Luciana afirma que é recomendada a vacinação de todo profissional da área da saúde, com o esquema de três doses da vacina. “Deve-se considerar que aqueles profissionais que iniciaram o esquema vacinal e não tiveram a oportunidade de conclui-lo, não têm a proteção garantida e, dessa forma, devem completar o esquema vacinal o mais breve possível. Exposições de profissionais que não sejam vacinados ou que não tenham completado o esquema de três doses da vacina deverão ser avaliadas quanto à indicação de imunização ativa com imunoglobulina (HBIG). Já no que se refere ao HIV, a prevenção após exposições consiste, em alguns casos, na administração de medicamentos antirretrovirais. Estes, quando devidamente indicados, deverão ser administrados por via oral,

no prazo máximo de duas horas após a exposição. Serviços especializados em todo o país estão habilitados a receber os profissionais que tenham sido expostos à doença, para avaliação da indicação da terapia antirretroviral. Por fim, em relação à hepatite C salientamos que a maior prevenção é a primária, pois não temos até o momento vacina para essa doença e uma vez ocorrida a exposição é necessário o acompanhamento especializado. Caso seja evidenciada a contaminação pelo vírus C, avalia-se a indicação de tratamento”, elucida Luciana. Outra vacina importante é a contra o tétano, pois a doença também pode ser transmitida por via sanguínea.

Notificações  podem ajudar em estratégias de prevenção

Todos os acidentes com perfurocortantes devem ser notificados por meio da ficha de notificação de acidente de trabalho com exposição a material biológico do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Si-

nan), padronizada pelo Ministério da Saúde. Além disso, deve-se abrir a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para todos os acidentes, mas somente aos acidentados contratados conforme a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) poderão usufruir os benefícios previdenciários obtidos por meio desse documento. Tanto a ficha de notificação de acidentes do Sinan quanto a do CAT devem ser preenchidas pelo estabelecimento de saúde contratante, que precisa providenciar o encaminhamento do documento e do profissional acidentado para assistência médica. Também é importante que o profissional autônomo acidentado procure diretamente as unidades de saúde para atendimento e notificação do acidente. Além de ser importante para o acompanhamento da saúde deste indivíduo, fazer a notificação também pode ajudar na elaboração de estratégias de atuação nas áreas de promoção e prevenção, controlando e enfrentando os problemas de saúde coletiva, relacionados com o trabalho. n

11

Condutas preconizadas pelas autoridades de Saúde em caso de acidentes com perfurocortantes: * A área deve ser lavada com água e sabão imediatamente após o acidente; * As mucosas devem ser lavadas apenas com água; * O profissional deve procurar assistência médica especializada imediatamente, que fará a avaliação da gravidade do acidente e indicará o que deve ser feito a seguir. O encaminhamento deverá ocorrer o mais rápido possível, para que, se indicada, a terapia antirretroviral se inicie preferencialmente em até 2 horas, e, no máximo, até 72 horas após o acidente; * Nos casos em que é indicada a profilaxia pós-exposição, o acidentado receberá tratamento com antirretroviral por 28 dias além do acompanhamento sorológico. “Basicamente, nesses casos as duas primeiras providências são: 1) levantar a sorologia do paciente-fonte e do acidentado o

quanto antes possível; 2) verificar se o acidentado foi vacinado para hepatite B e se é respondedor. Essas informações são importantes para que o médico avalie qual a melhor conduta a ser tomada, razão pela qual ele também deverá ser informado no caso de recusa do paciente, de acidente com fonte desconhecida ou de falta de informações a respeito do status vacinal do acidentado. Outras informações importantes para a decisão do médico quanto à conduta a seguir são os detalhes do acidente como o tipo de perfurocortante, o lugar do acidente, a profundidade do ferimento, o calibre da agulha, se for o caso, e se houve injeção de fluído, além do perfil epidemiológico do acidentado e do paciente-fonte, se conhecido”, explica Érica, pesquisadora da Fundacentro. n Fonte: Fundacentro e Secretaria de Saúde da Prefeitura de São Paulo


12

APCD Jornal - Março 2012

Estudo sugere que indivíduos com asma têm mais riscos de desenvolver cárie Para especialistas, diversos fatores estão ligados à doença bucal, por isso, é fundamental manter uma higiene oral adequada e realizar acompanhamento odontológico Por Mariana Pantano A asma brônquica é uma doença pulmonar caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas, o que determina o seu estreitamento e causa a dificuldade respiratória. Como tubos que dão passagem ao ar, as vias aéreas se iniciam no nariz, continuam como nasofaringe e laringe (cordas vocais) e, no pescoço, tornam-se um canal largo e único chamado traqueia. O estreitamento pode ocorrer em decorrência da exposição a diferentes fatores desencadeantes. Contudo, esta obstrução à passagem de ar pode ser revertida espontaneamente ou com uso de medicações. De uma maneira resumida, as classes de medicamentos que têm sido utilizadas para tratar a asma são: os broncodilatadores, que como o nome diz dilata os brônquios (vias aéreas) quando o asmático está com falta de ar, chiado no peito ou crise de tosse. Uns apresentam efeito curto e são usados conforme a necessidade e outros prolongado (que dura até 12h); e os antiinflamatórios, usados em quase todos os asmáticos para

combater a inflamação. Só não são utilizados pelos pacientes com asma leve intermitente (que têm sintomas esporádicos). Tais medicamentos são ministrados com o intuito de prevenir as irritações causadas pela doença ou minimizá-las e aumentar o tempo livre entre uma crise e outra. Uma pesquisa de dezembro de 2010 da Sahlgrenska Academy, vinculada à Universidade de Gotemburgo, na Suécia, revela que asma e cárie dentária podem ser um golpe duplo. A higienista dental e pesquisadora Malin Stensson comparou pacientes com e sem asma com 3, 6, 12 a 16 e 18 a 24 anos de idade. No primeiro estudo, com as crianças de três anos que tinham asma, foi verificado que elas apresentavam mais cárie do que as crianças de mesma idade que não tinham asma. Essas crianças pesquisadas foram acompanhadas até os seis anos e os dados mostraram que aquelas com asma desenvolveram mais cárie nesse período do que as sem asma. Outros estudos compararam adolescentes com idades de 12 a 16 anos e constataram que aqueles com asma de moderada a severa e de longa duração apresentavam mais lesões de cárie do que os jovens sem asma. O grupo com asma ainda apresentou mais doença gengival. Os adultos jovens com asma estudados nas idades entre 18 e 24 anos também exibiram índices mais altos de cárie, embora as diferenças entre os homólogos sem asma não fossem tão notáveis. O presidente da Comissão de Doenças Ambientais e Ocupacionais da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), Ubiratan de Paula Santos, afirma que muitos trabalhos mostram que crian-

Especialistas acreditam que um dos fatores que predispõe o surgimento da doença cárie são os medicamentos usados por indivíduos asmáticos

ças com asma tem um risco aumentado de desenvolver a doença cárie, tanto em dentes decíduos quanto em dentição permanente. “Uma das explicações para isso é a má-formação bronquial crônica que causa certa mudança no Ph e acidez na mucosa oral, aliado aos corticoides presentes nos medicamentos que facilitam a ocorrência de cárie nesses indivíduos asmáticos. A professora da disciplina de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (Fousp), Mariana Minatel Braga, explica que diferentes estudos que investigam a associação entre cárie e asma têm mostrado que, basicamente, essa relação pode ser devido às substâncias, especialmente, as inaladas, para tratamento da asma, “pois esses remédios parecem reduzir o fluxo salivar, o que, por conseguinte, culminaria na redução da capacidade tampão da saliva e menor atuação da mesma no processo de desmineralização versus remineralização. Há, ainda, pesquisas que mostram que a quantidade utilizada desse tipo de medicamento pode estar associada à prevalência de cárie”. Mariana afirma também que se especula a participação da imunoglobulina A no processo de desmineralização e remineralização, já que a substância pode estar relacionada tanto à prevalência de cárie como de asma. “Entretanto, o mecanismo exato pelo qual se explica e se fundamenta essa relação são ainda sombrios e mais estudos de acompanhamento e monitoramento desses pacientes devem ser conduzidos para esclarecer possíveis hipóteses levantadas.” Apesar dos medicamentos antiasmáticos parecerem predispor à ocorrência da doença cárie, é importante ressaltar que só vai se desenvolver se houver um desequilíbrio dos demais fatores envolvidos na etiologia. “Assim, mesmo havendo redução do fluxo salivar e da capacidade tampão,

se houver por parte do paciente (ou seus cuidadores/responsáveis) a preocupação em controlar a frequência do consumo de sacarose e, principalmente, em desorganizar o biofilme, por meio da escovação e do uso do fio, certamente, a doença não ocorrerá. O fato de algo aumentar a predisposição à doença, não é uma sentença de que a própria ocorrerá, mas sim um alerta de que esses pacientes com fluxo salivar reduzido merecem maior atenção por parte do profissional. Com o controle da higiene, mesmo asmático e tomando medicamentos que reduzam o fluxo salivar, o paciente pode permanecer toda a vida, com essa mesma condição sistêmica e sem cárie”, destaca a professora. A Odontopediatra acredita que é importante que os profissionais se atentem para algumas alterações sistêmicas, como a asma, que podem estar relacionadas a redução de fluxo salivar ou outras alterações que predisponha à cárie. “O fluxo salivar está representado entre os diagramas de fatores etiológicos da cárie dentária e é o parâmetro salivar mais fortemente associado com a predisposição à doença. Temos como exemplo não apenas os casos de asma, mas de cárie de radiação (associadas com danos das glândulas salivares por radioterapia de cabeça e pescoço) e também doenças que acometam as glândulas salivares como, por exemplo, Síndrome de Sjögren. Essas alterações, assim como a asma, predispõe à doença cárie e a importância de seu reconhecimento é justamente enfatizar a necessidade de outros fatores etiológicos, principalmente, a higiene bucal. Por isso, a necessidade da participação do Cirurgião-Dentista nesse interim”, finaliza. O pneumologista alerta que os profissionais de saúde devem ficar mais atentos à saúde dos pacientes asmáticos e os próprios Cirurgiões-Dentistas devem fazer alerta maior para a higiene oral nesses indivíduos. n


14

APCD Jornal - Março 2012

3x4

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, o APCD Jornal entrevista a Cirurgiã-Dentista que tem se destacado em diversos projetos de saúde pública e bem-estar da população

Por Mariana Pantano O livro “Perfil Atual e Tendências do Cirurgião-Dentista Brasileiro”, das autoras Maria Celeste Morita, Ana Estela Haddad e Maria Ercília de Araújo, revela que as mulheres são maioria na profissão em 25 dos 27 estados brasileiros. Há 40 anos elas eram 10% do total, hoje esse percentual é de 56%. A feminilização já é um fenômeno geral na área da saúde. Há algum tempo, as mulheres vem conquistando um papel relevante nas funções que ocupam e se tornaram essenciais tanto no âmbito familiar quanto nas empresas. Muitas se destacaram e fizeram história no mundo como, por exemplo, a estilista Coco Chanel que, no início do século XX, revolucionou o mundo da moda pela audácia e ousadia do seu estilo; Diana Francês Spencer, a Lady Diana, casada com o Príncipe Charles da Inglaterra, destacou-se mundialmente pelo seu trabalho humanitário e pela simpatia e simplicidade; Zilda Arns, médica e sanitarista brasileira, foi indicada três vezes ao Prêmio Nobel da paz, e também fundou a Pastoral da Criança, ligada à Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em 2010, morreu em missão huma-

nitária na cidade Porto Príncipe. Em um dos seus discursos Zilda Arns disse “...sabemos que a força propulsora da transformação social está na prática do maior de todos os mandamentos da Lei de Deus: o amor, expressado na solidariedade fraterna, é capaz de mover montanhas. ‘Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos’ significa trabalhar pela inclusão social, fruto da Justiça; significa não ter preconceitos, aplicar nossos melhores talentos em favor da vida plena, prioritariamente daqueles que mais necessitam.” Essa frase se encaixa perfeitamente no trabalho realizado pela Cirurgiã-Dentista e Diretora do Departamento de Prevenção da APCD, Helenice Biancalana, que tem se destacado em diversos projetos em prol da saúde pública. Nesse mês, em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher - 8 de março -, o APCD Jornal entrevistou Helenice para saber um pouco sobre o seu amor pela profissão e também sobre a importância do seu papel na Odontologia, uma vez que está à frente de projetos importantes como o OdontoComunidade, Saúde Coletiva e Encontro de Coordenadores de Saúde Bucal, que tem como objetivo promover uma saúde de qualidade para a população. Confira:

APCD Jornal - Ao longo da sua carreira, você obteve muitas conquistas. Conte-nos um pouco sobre sua história. Helenice Biancalana - A minha história é muito semelhante à de todos os colegas da minha geração. Sou filha de pai, cuja profissão era mecânico e minha mãe cuidava bravamente de quatro filhos. O maior objetivo deles era que todos nós estudássemos, já que eles não puderam fazer o mesmo. Tínhamos muitas dificuldades financeiras, por isso, queríamos estudar, trabalhar e melhorar a vida de toda a nossa família. Já durante a faculdade, sempre estive envolvida em atividades acadêmicas, fui membro da Comissão Organizadora da 1ª Jornada Acadêmica da FOUMC (Faculdade de Odontologia da Universidade de Mogi das Cruzes), participei e desenvolvi projetos de prevenção nas ações do Projeto Rondon Regional em São Paulo, em Instituições Assistenciais e fiquei 40 dias em São João do Piauí, no Piauí, pelo Projeto Rondon Nacional; naquela época ia e vinha de ônibus, mas foi uma experiência incrível, em que, muito jovem, me deparei com uma realidade ainda desconhecida por mim, porém com o pouco que sabia, tive de ter iniciativa, estudar e avaliar as comunidades ali da região, implantar e desenvolver ações de

Arquivo pessoal

Diretora do Departamento de Prevenção da APCD, Helenice Biancalana relata sua história e dedicação pela Odontologia

Helenice Biancalana

educação, prevenção e tratamentos curativos com restaurações e exodontias. Talvez tenha sido a primeira conquista dentro da minha carreira, e descobri que Deus havia conduzido o meu caminho em direção à profissão que me faria feliz. Depois me especializei em Odontopediatria e em Ortopedia Funcional dos Maxilares, durante esses 30 anos de carreira é a minha área de dedicação clínica e acadêmica. O mestrado em Saúde da Criança e do Adolescente coroou a oportunidade de trabalhar interagindo com todas as especialidades da ciência da Saúde, inerentes para o diagnóstico e para o

tratamento da criança e do adolescente, integrando conhecimentos para o benefício da Odontopediatria, foi uma grande conquista. Foram muitas dificuldades, não há mérito sem dedicação e comprometimento, sobretudo, quando há sede de conhecimento e não temos vergonha de querer aprender sempre. APCD Jornal - A senhora está à frente de muitos projetos importantes como o Projeto Saúde Coletiva e o OdontoComunidade, e também é diretora do Departamento de Prevenção da APCD. Como define a importância desses trabalhos para a Odontologia? Helenice Biancalana - O Departamento de Prevenção da APCD desenvolve e executa projetos de prevenção em muitos setores. Parcerias com Faculdades de Odontologia, Organizações Governamentais e Não-Governamentais, Instituições Assistenciais e, muitas outras, além de coordenar e participar ativamente do Projeto OdontoComunidade, durante o CIOSP e tantos outros trabalhos em Comunidades. Sem dúvida, conto com todo o apoio da Equipe do Departamento de Prevenção, sem eles o


APCD Jornal - Março 2012

Departamento não existiria. O objetivo principal do OdontoComunidade promovido no 30º CIOSP foi “Educar em Saúde” e avaliar a condição de saúde bucal das crianças participantes do projeto. Agora, vamos encaminhar para cada entidade um documento com informações e orientações sobre a situação e necessidades de cada criança com cárie ou sem cárie, as crianças com risco de terem dor serão encaminhadas para tratamento. O sucesso do OdontoComunidade só foi possível graças ao comprometimento dos professores de quatro faculdades de Odontologia junto com os Acadêmicos, dos Técnicos e Assistentes de Saúde Bucal, dos Doutores Mirins, dos membros da Comissão Organizadora, dos funcionários do Decofe, dos funcionários do Departamento de Prevenção e da Colgate. O Projeto Saúde Coletiva é uma Assembleia de Discussões para a Saúde Pública e, durante o 30º CIOSP, os Cirurgiões-Dentistas Paulo Capel Narvai, Marco Antonio Manfredini, Paulo Frazão e Celso Zilbovícius trouxeram os coordenadores de Saúde Bucal das Secretarias Estaduais de Saúde de cinco macrorregiões do País para relatar as experiências de suas gestões, além das discussões sobre as implicações das propostas aprovadas durante a 14ª Conferência Nacional de Saúde e as políticas públicas de Saúde Bucal. Entre os assuntos mais relevantes: a situação da fluoretação das águas no Brasil e

o grau da articulação entre serviços e universidades brasileiras. O evento foi muito produtivo e rico em propostas, o relatório final deverá ser enviados aos órgãos de competência. Já o Encontro de Coordenadores de Saúde Bucal, neste ano discutiu “O papel das três esferas de governo nas redes de atenção à saúde bucal”, com o objetivo principal de fazer um balanço das ações de saúde pública (SUS) em relação à Saúde Bucal e traçar novas metas e diretrizes para 2012. Assim como no Projeto Saúde Coletiva, também será enviado um relatório final sobre o Encontro. Todos esses trabalhos são de grande valor para a Saúde Pública e culminam com o esforço e perseverança de todos os envolvidos, somos somente um meio para que eles possam acontecer. APCD Jornal - Qual a gratificação de liderar esses projetos que trazem tantos benefícios não só para a Odontologia como também para a saúde pública de uma maneira geral? Helenice Biancalana – Acredito que quando estamos à frente de uma associação, devemos ocupar nosso espaço e fazer um trabalho em prol da classe odontológica que confia na instituição, e também reunir forças para aplicar os benefícios de pesquisa científica das especialidades, especificamente a Saúde Pública, em favor

da população. Como já descrevemos antes, não fazemos nada sozinhos, somos meramente instrumentos à disposição para que os grandes idealizadores, pesquisadores utilizem para a evolução da ciência. APCD Jornal - Como a senhora define essa paixão pela Odontologia e a importância de ocupar um espaço de destaque? Helenice Biancalana – Acredito que não ocupo espaço de destaque, simplesmente faço o que minimamente precisa ser feito, me cobro frequentemente por não ter ‘tempo’ de fazer melhores realizações. Como professores, sentimos que nosso trabalho, muitas vezes, é árduo. Nossa função é informar, formar, educar, motivar, estimular; a modernidade nos faz líderes, e ser líder é ouvir, escutar, saber diagnosticar cada aluno e fazê-lo render o máximo possível. Estamos diante de um tempo em que o amor, o carinho, a solidariedade, o afeto são tirados de cena, e em seus lugares entraram o egoísmo, a arrogância e as vaidades. Como lidar com isso? Só com muito amor e com muita dedicação. Respeitar o paciente é também despertar sua confiança em nossa capacidade, o que nos leva a procurar fazer sempre o melhor, a estudar mais para atingir a excelência. O amor que sentimos pela nossa profissão enobrece, é generoso e transforma-

15

dor e é este sentimento que nos alimenta e nos impulsiona para o futuro. APCD Jornal - Qual a mensagem que você deixa para as mulheres Cirurgiãs-Dentistas no Dia Internacional da Mulher? Helenice Biancalana – A família é o nosso grande esteio e o que realmente tem valor. É quem nos suporta e nos entende nas piores horas, assim como também compartilha dos momentos de alegria e sucesso. Inúmeras vezes abrimos mão de horas que poderíamos passar ao lado de familiares, dos filhos e do marido para nos dedicar aos nossos estudos, apresentações, e até abdicar do lazer. Fizemos de nossa profissão um sacerdócio, nos aplicando seriamente e procurando sempre se atualizar para corresponder ao que a sociedade espera de nós como profissionais. Mas sem dúvida, é o ser humano que tem o valor e é nele que reside a força e a fé que rege a nossa vida. Desejo a todas as mulheres que sejam muito felizes e que busquem sempre os seus sonhos e ideais, porque amar é o mais sublime dos sentimentos! n


16

APCD Jornal - Março 2012

Universalizar tratamentos é objetivo dos Centros de Especialidades Odontológicas Trabalho de CEOs tem crescido cada vez mais e governo começa a ampliar oferta de especialidades Por Mariana Pantano e Swellyn França Uma das frentes de atuação da Política Nacional de Saúde Bucal - Programa Brasil Sorridente -, os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) são realidade nas diversas unidades federativas do País. Regionalizados, atendem a cidade sede e aos municípios de sua área de abrangência. Por meio desses centros são oferecidos à população serviços de diagnóstico bucal, com ênfase na detecção do câncer de boca; Periodontia especializada; Cirurgia Oral Menor dos Tecidos Moles e Duros; Endodontia e Atendimento a Portadores de Necessidades Especiais. Trata-se de procedimentos mínimos obrigatórios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para o funcionamento do CEO. De responsabilidade das Secretarias de Saúde Estaduais e/ou Municipais, estes centros são uma continuidade do trabalho realizado pela rede de atenção básica e pelas equipes de saúde bucal. Os profissionais da Atenção Básica de Saúde são os principais responsáveis pelo primeiro atendimento ao paciente e pelo encaminhamento aos centros especializados, quando necessário. Classificados em tipos I, II ou III, os centros têm metas de produtividade para cumprir e recebem ajuda do governo federal para funcionar. Os CEOs tipo I (com três cadeiras odontológicas) devem atingir a produtividade mínima de 35 procedimentos/ mês. Para essas unidades, são destinados R$ 40 mil em parcela única para implantação - correspondente à custa com reformas, ampliação do espaço físico e aquisição de equipamentos e, mensalmente, R$ 6,6 mil para custeio; os CEOs tipo II (com quatro ou mais cadeiras) precisam realizar 60 procedimentos/mês; o valor repassado para implantação é de R$ 50 mil e de R$ 8,8 mil mensais. Já os CEOs tipo III (que possuem no mínimo sete cadeiras) têm de alcançar a meta de 95 procedimentos/mês e recebem como custeio de implantação R$ 80 mil reais e recurso mensal de R$ 15.400,00. Os CEOs ainda podem estar vinculados aos Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD), que são unidades próprias do município ou unidades terceirizadas credenciadas para confecção de próteses totais, parciais removíveis e coronária/intrarradiculares e fixas/adesivas. De acordo com o coordenador de saúde bucal do Ministério da Saúde, Gilber-

to Alfredo Pucca Júnior, o financiamento para esses tratamentos nos CEOs é um repasse direto para as secretarias estaduais e/ou municipais de saúde, que fazem a gestão dos centros. “Os pagamentos são liberados conforme a produção apresentada”, explica. Em relação à compra dos materiais e equipamentos para a oferta dos novos procedimentos, ele salienta que é a Secretaria Estadual e/ou Municipal de Saúde que adquire os materiais. “O recurso que o Ministério da Saúde oferece cobre o custo total dos novos tratamentos do Sistema Único de Saúde (SUS)”. Para Pucca, “a implementação do Pro-

A novidade é que o Ministério da Saúde passou a financiar tratamento ortodôntico e implante dentário na tabela do SUS, antes existente somente para pacientes com anomalias crânio e bucomaxilofacial. Esses procedimentos poderão ser realizados nos mais de 880 CEOs existentes em todo o Brasil. A iniciativa de oferecer gratuitamente esses tratamentos para toda a população é inédita em nível mundial. Mesmo os poucos países que oferecem esses serviços como Suécia, Reino Unido e Finlândia impõem limitações como, por exemplo, atendimento apenas para menores de 18 anos”, exemplifica Pucca.

decidimos iniciar este trabalho e colocar aparelhos móveis em algumas dessas crianças como forma de prevenção”. Chediek ainda revela que até o final do ano a cidade irá inaugurar mais um CEO, tipo III, e passará a oferecer as especialidades de Ortodontia corretiva e Implantodontia. “Tem sido grande a demanda para as especialidades no CEO de Araraquara. Como é dever de cada município a estruturação e a contratação de recursos humanos, dispomos de profissionais e equipamentos de qualidade, e todo o material necessário, além de oferecermos boa remuneração aos Cirurgiões-Dentistas, que ainda contam com Auxiliares em Saúde Bucal (ASB). Com isso garantimos melhores condições de trabalho ao profissional e, consequentemente, melhor atendimento à população.” Barretos Os dois CEOs da cidade são do tipo II, um foi credenciado em 2006 e o outro (na Fundação Educacional de Barretos), em 2007. Segundo o coordenador de saúde bucal da cidade, Alexander Stafy Franco, a demanda por atendimento nas unidades básicas é grande. “Recentemente credenciamos o Laboratório Regional de Prótese Dentária, possibilitando uma maior produção de próteses (aumento de 50%, totalizando 120 próteses mensais), e ofertando o serviço para os municípios de nossa microrregião”, conta. Franco aponta que um dos maiores problemas enfrentados no CEO é a questão do absenteísmo dos pacientes encaminhados.

grama Brasil Sorridente significou um marco na mudança do foco da atenção em saúde bucal, visando avançar a melhoria da organização do sistema de saúde como um todo e propondo um modelo com base nos princípios do SUS: a universalidade (a saúde é um direito de todos), a integralidade (a atenção à saúde deve considerar as necessidades específicas das pessoas ou dos grupos de pessoas) e a equidade (todos devem ter igualdade de oportunidade em usar o sistema de saúde)”. Além dos serviços mínimos obrigatórios, desde abril de 2011, os CEOs começaram a receber verba do Ministério da Saúde para passar a oferecer tratamentos ortodônticos e colocação de implantes dentários. A oferta destes procedimentos, no entanto, depende da organização das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, que ficam responsáveis pela disponibilização dos serviços e pela expansão da iniciativa na região. “Não é obrigatório ofertar esses novos tratamentos.

Experiências dos CEOs de algumas cidades de São Paulo Araraquara Possui um CEO do tipo II, que foi criado em 2007. Além das especialidades obrigatórias (Diagnóstico Bucal, Periodontia, Cirurgia Oral Menor dos Tecidos Moles e Duros, Endodontia e Atendimento a Portadores de Necessidades Especiais), o Centro de Araraquara dispõe das especialidades de Prótese Total e Ortodontia preventiva. O 2o vice-presidente da APCD e também coordenador de Saúde Bucal do município de Araraquara, Wilson Chediek, conta que a Ortodontia preventiva foi implementada depois de um estudo feito em pareceria com o Centro Universitário de Araraquara (Uniara). “Uma pesquisa realizada com crianças da rede pública de ensino de seis a 12 anos mostrou que mais de 80% delas tinham maloclusão. Assim,

Botucatu O CEO do município foi inaugurado em 2006. Classificado como tipo II, o centro cumpre as metas mensais de, no mínimo, 60 tratamentos endodônticos, 90 procedimentos de Periodontia e 90 cirúrgicos. “Os serviços mais necessitados pela população são Endodontia de molares, Cirurgia dos Terceiros Molares e raspagem/curetagem gengival”, aponta o coordenador do CEO de Botucatu, Walter Luiz Chaguri. Chaguri destaca que o atendimento a pacientes especiais realizado pelo CEO da cidade é de grande valia para as famílias desses pacientes por ser um trabalho diferenciado. Bragança Paulista O CEO tipo II foi criado em 2011 e, além da cidade de Bragança Paulista, esta unidade atende os municípios de Pedra Bela, Pinhalzinho, Socorro e Vargem (aproximadamente 208 mil habitantes). “Nosso CEO possui uma estrutura física compatível e adequada ao serviço proposto”, conta o coordenador de saúde bucal do município, Luís Fernando Kairalla de Queiroz. De acordo com Luís Fernando, desde


APCD Jornal - Março 2012

o início, o CEO é visto com bons olhos por todos os segmentos da sociedade que são unânimes em afirmar que ele vem atender a uma necessidade que existia há muito tempo na região. Em quase um ano de existência já passaram nas especialidades cerca de 1300 pessoas e cerca de quatro mil procedimentos foram realizados. “Além dos especialistas em cada uma das áreas de atuação obrigatória, completam o quadro de funcionários do CEO de Bragança, seis ASBs, uma auxiliar administrativa e servente. Todos concursados e sob a gerência do Cirurgião-Dentista, Edson Takashi Suzuki.” O coordenador de saúde bucal do município conta que também estão implantando o serviço de Prótese Total na unidade. “Todo o processo (de moldagem à confecção) será realizado nesse local.” Campinas A cidade possui dois CEOs - Ouro Verde que é tipo I e foi inaugurado em 2006 e o Florence que é tipo II e foi estabelecido em 2008. “Ambos vieram para preencher uma lacuna do setor público na área odontológica que são as ofertas de procedimentos especializados. Do ponto de vista epidemiológico, é extremamente alto no município a necessidade na área de atenção secundária, igualmente é a busca da população por essas referências especializadas;

esses fatores traduzem na prática uma alta demanda reprimida frente a uma limitada existência de ofertas. Apesar de contar com dois CEOs implantados, que realizam atendimentos de maneira regionalizada, o município necessita implantar mais três unidades para suprir a demanda dos três distritos restantes”, aponta o coordenador de saúde bucal da Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, Isamu Murakami. Além das cinco especialidades determinadas por portaria ministerial, o CEO de Campinas possui um projeto na área de Prótese dental que destina à população próteses totais, removíveis e placas miorrelaxantes. “Também incentivamos que os profissionais de algumas especialidades que trabalham nos CEOs desenvolvam trabalhos matriciais de suas áreas específicas junto às unidades básicas. Nessa lógica, o profissional do CEO se desloca para as unidades de saúde e desenvolve um trabalho de reciclagem, discussão de casos clínicos e realiza também atendimentos em conjunto com as equipes de saúde bucal; cria-se a partir daí um vínculo mais efetivo entre as especialidades e as equipes locais”, explica o coordenador. Para Murakami, a implantação do Programa Brasil Sorridente pelo Ministério da Saúde foi um marco dentro das políticas públicas do País, pois “trouxe a possibilida-

de de se levar atenção e assistência odontológica para segmentos da população brasileira que jamais tiveram acesso a tais benefícios”, finaliza. Ribeirão Preto Com dois CEOs tipo I implantados em 2006 e 2007 - um deles na Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp/USP) –, o coordenador de saúde bucal do município, Pedro José Bistane, afirma que a procura pelo serviço nas unidades é intensa. “O CEO é um modelo eficaz de organizar a demanda e oferecer um atendimento integral às pessoas, a repercussão é altamente positiva, e o paciente tem a percepção do atendimento preventivo, conservador e resolutivo. Para organizar este atendimento, elaboramos um protocolo que organiza a entrada dos casos novos através da central de regulação odontológica, o que possibilita maior aproveitamento da agenda dos profissionais e consequentemente uma agilidade no fluxo de pacientes.” Além de adicionar a Dentística para grandes reconstruções e restaurações complexas entre as especialidades oferecidas, Bistane ressalta que o CEO de Ribeirão Preto conta com profissionais com formação e titularidade específicas, motivados a realizarem em equipe, um trabalho de excelência, o que resulta em be-

17

nefício direto aos pacientes atendidos. “A integração multidisciplinar possibilita ao endodontista colaborar no atendimento de pacientes especiais, preservando dentes que fatalmente iriam para Exodontia; o periodontista trabalhando junto ao reabilitador ou ao endodontista; o cirurgião preparando o espaço protético e o protesista obtendo resultados altamente satisfatórios. Enfim, desenvolvemos a arte de compartilhar conhecimentos e habilidades em prol do mesmo objetivo, mantendo a motivação, a harmonia e o respeito mútuo.” Para o coordenador, a trajetória da Odontologia no serviço público está em alta; os conceitos modernos reconhecem a saúde do individuo na integralidade. “A Coordenação Nacional de Saúde Bucal veem trabalhando assiduamente na universalização dos procedimentos odontológicos, o que possibilitou recentemente nos CEOs o incentivo a outras especialidades como Ortodontia, Implantodontia e Reabilitação Oral sobre implantes. Os avanços que estão acontecendo gradativamente são irreversíveis, e os Cirurgiões-Dentistas e ASBs devem acompanhar esta evolução, mantendo-se atualizados e prontos para os novos desafios. Somente assim ocuparemos o espaço que nos é de direito no segmento da saúde”, finaliza Bistane. n


18

APCD Jornal - Março 2012

Pesquisadores afirmam que consumo excessivo do açúcar é tão prejudicial quanto o de cigarros e de álcool Apesar dos riscos, em vez de uma medida radical, especialistas defendem orientação profissional e intensificação de campanhas educativas Por Swellyn França Cientistas norte-americanos publicaram, em fevereiro desse ano, na revista inglesa Nature (uma das mais antigas e bem conceituadas revistas científicas do mundo), o artigo “A verdade tóxica sobre o açúcar” em que defendem que a substância “é um veneno e deveria ter sua venda controlada assim como o cigarro e o álcool”. Segundo eles, a ingestão desmedida de açúcares é responsável pela morte de 35 milhões de pessoas por ano, em todo o mundo. Os pesquisadores atribuem o consumo excessivo do alimento ao crescimento de doenças como o câncer, os males no coração e a obesidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde Brasileiro recomendam que o consumo de açúcares livres - que incluem o açúcar de adição (inclusão em pós de origem da cana-de-açúcar ou o de adoçantes) e o presente nos sucos de frutas naturais -, seja menor do que 10% do consumo calórico total diário de cada pessoa. De acordo com a ‘Análise de Consumo Alimentar Pessoal no Brasil’ divulgada em 2011, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a média brasileira ingerida é de 14%. No caso dos adolescentes brasileiros de 10 a

13 anos, o açúcar chega a representar 21,3% do consumo calórico total por dia. Esse consumo excessivo de açúcar observado nos dias de hoje se deve, principalmente, à industrialização dos alimentos. Além da ingestão de forma direta como ao adoçar o café, o chá, o leite etc.; o açúcar é adicionado a diversos produtos industrializados consumidos no dia a dia como, por exemplo, refrigerantes, bolos, sorvetes, chocolates e outras guloseimas. A endocrinologista, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Rosana Radominski, observa que os açúcares simples (refinados ou não) são os mais prejudiciais, enquanto os carboidratos complexos (existentes em alimentos ricos em fibras) fazem parte de uma alimentação saudável. Ela reforça, contudo, que é o excesso que aumenta o risco de obesidade, dislipidemias (crescimento dos triglicerídeos no sangue) e de diabetes. “Em decorrência da obesidade outras doenças também se tornam mais recorrente como hipertensão arterial e problemas cardiovasculares.” O cardiologista do Instituto do Coração (Incor), Heno Lopes, detalha que “aqueles que ingerem açúcar com frequência e em excesso apresentam aumento da produção de insulina no sangue, prejudicando os vasos sanguíneos e todo o sistema cardiovascular. Além disso, o consumo excessivo de carboidratos (ricos em açúcar), juntamente com alimentos gordurosos (presente na dieta da maioria dos brasileiros) está diretamente relacionado com a obesidade que, por sua vez, está

associada ao aumento da pressão arterial e diabetes. O diabetes do tipo 2 e a hipertensão são fatores de risco importantes para doenças como derrame, angina, infarto, insuficiência cardíaca, doença vascular periférica e aneurisma de aorta. Por esses fatores, pode se afirmar que, em longo prazo, o açúcar é muito prejudicial para o organismo em intensidade igual ou superior ao cigarro”. Os riscos da ingestão excessiva do açúcar fizeram o endocrinologista norte-americano, Robert H. Lustig preconizar que o consumo deveria ser proibido para menores de 21 anos. Para a endocrinologista da SBEM isso é um exagero. “Nos indivíduos com peso normal, o consumo com moderação não prejudica a saúde. O excesso deve ser evitado”, considera Rosana.

Açúcar e a saúde bucal

O papel do açúcar na etiologia da cárie dentária já é bastante conhecido. Segundo o professor associado da Disciplina de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (Fousp), Fausto Medeiros Mendes, que tem experiência em Cariologia, “desde o famoso estudo realizado na década de 1950 no hospital psiquiátrico de Vipeholm, na Suécia, foi estabelecida uma relação causal de açúcar e cárie dentária. Os autores observaram que quanto mais frequente a ingestão de alimentos doces, maior o número de lesões de cárie que os pacientes desenvolviam. Isso também era verificado com relação à pegajosidade dos

alimentos. A partir desse marco, várias pesquisas foram realizadas para confirmar essa ideia. Assim, o controle e a orientação da dieta nos consultórios dentários passaram a fazer parte de uma proposta de atendimento integral ao paciente, visando o controle e a prevenção da doença”. Hoje em dia, os refrigerantes e bebidas carbonatadas de um modo geral compreendem grande parte do açúcar consumido no mundo. “Muitos Cirurgiões-Dentistas têm a ideia de que alimentos sólidos e viscosos são mais cariogênicos do que bebidas ricas em açúcar. Entretanto, os estudos mais recentes mostram os refrigerantes como um dos alimentos mais associados atualmente com a cárie dentária, pois aliam a pegajosidade, o açúcar e a acidez. Outro fator a ser levado em conta é o papel destas bebidas na etiologia da erosão dentária”, lembra Fausto. Alguns carboidratos também apresentam potencial cariogênico, tais como a glicose, frutose, dextrose, a lactose ou a maltose e até o amido. “O açúcar que apresenta maior potencial cariogênico é a sacarose (utilizado para adoçar as bebidas e as sobremesas e mais comumente encontrado em doces industrializados e bebidas carbonatadas). Portanto, alimentos possuindo outros tipos de carboidratos podem ter potencial cariogênico, mas aqueles que contêm sacarose sem dúvida são piores. Agora, muitas pessoas se enganam achando que só o açúcar refinado causa cárie. Na verdade, o açúcar mascavo

ou o orgânico são tão cariogênicos quanto o refinado. Da mesma forma, o mel, que além de possuir alta quantidade de sacarose, tem consistência bastante pegajosa, e por isso, é extremamente cariogênico”, ressalta o professor Fausto. Para o especialista, os problemas de saúde causados pelo açúcar já são bastante conhecidos, e isso também se aplica à questão da cárie. “Assim, o Cirurgião-Dentista deve contemplar essa orientação na abordagem a seus pacientes. Esse assunto, contudo, deve ser intensificado apenas para aqueles que realmente tenham o problema evidente; já para os pacientes livres de cárie, as orientações de ordem geral são suficientes. Ainda devemos lembrar que o profissional deve trabalhar em conjunto na atuação sobre os outros fatores etiológicos da doença cárie, principalmente com relação à higiene bucal e ao uso racional de fluoretos.” Sobre a recomendação do endocrinologista norte-americano, o professor da Fousp comenta que “há uma tendência de se trabalhar com a abordagem de fatores de risco comuns. Preconiza-se a atuação sobre questões que representam risco para diversos problemas, agindo sobre toda a população e não apenas nos grupos de risco. Porém, a proposta de proibição do açúcar para menores de 21 anos é um pouco radical demais. Uma boa alternativa é a intensificação das campanhas para redução do consumo de açúcar, assim como se faz com o cigarro e o álcool”, finaliza. n

Anvisa estuda vetar açúcar na produção de cigarros No último dia 14 de fevereiro, os diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) chegaram a um consenso quanto à proibição do uso de aditivos como canela, menta e cravo, nos cigarros comercializados no Brasil. A proposta, apreciada em reunião pública da Diretoria Colegiada do órgão, não havia sido votada até o fechamento desta edição do APCD Jornal, pois os dirigentes decidiram aprofundar as discussões quanto ao uso de açúcar nesses produtos. A Gerência Geral de Produtos Derivados do Tabaco da Anvisa informou por meio da Assessoria de Imprensa que, durante os debates sobre a consulta pública 112/2010 também foi tratada a ques-

tão da adição de açúcar nos produtos derivados do tabaco. A Agência irá constituir um grupo de estudo técnico para avaliar a alegação da indústria de que o tabaco do tipo burley necessita da utilização do açúcar para repor a perda que sofre deste componente durante o processo de cura da folha. A Anvisa afirma que com essa medida o Brasil reafirma o compromisso assumido na Convenção Quadro de Controle do Tabaco. A iniciativa pretende diminuir a atratividade dos produtos derivados do tabaco e impedir que novas pessoas, principalmente jovens e crianças, comecem a fumar. Afinal, as doenças relacionadas ao fumo são, hoje, de acordo com a OMS, as maiores causas de mortes evitáveis do mundo. n


APCD Jornal - Março 2012

19

COMPORTAMENTO

Traços marcantes da personalidade podem estar ligados à obesidade Especialistas afirmam que emoções e sentimentos desempenham papel fundamental no comportamento alimentar Por Mariana Pantano Uma pesquisa realizada no Instituto Nacional do Envelhecimento, dos Estados Unidos, e divulgada no site da Revista Isto É, em 03 de fevereiro de 2012, revela que os traços mais marcantes da personalidade podem estar relacionados à obesidade. Por 50 anos, um grupo de pesquisadores americanos mediu o índice de massa corporal (IMC - medida que avalia a relação entre peso e altura) de uma população de 1.998 pessoas da cidade de Baltimore, no Estado de Maryland, nos EUA, e cruzou esses dados com avaliações psicológicas. Durante o estudo, os pesquisadores analisaram diversas características dos voluntários como a disponibilidade para novas experiências, a sensibilidade aos sentimentos dos outros, a extroversão, a capacidade de concordar e discordar e os níveis de preocupação. Depois de cinco décadas, os pesquisadores chegaram à conclusão de que o temperamento tem fortes conexões com as chances de desenvolver a obesidade ao longo da vida. Segundo a pesquisa, características como a impulsividade, a generosidade, o perfeccionismo e o neuroticismo (ação exagerada ligada às emoções negativas como tristeza, medo, culpa, raiva e vergonha), predispõem as pessoas ao ganho de peso. O estudo ainda mostra que desempenhar muitas tarefas ao mesmo tempo, especialmente quando se está sentado à mesa para uma refeição, e a dificuldade para dormir, também predispõe o maior

consumo de calorias. A psicóloga e mestre em Ciências, integrante do Grupo de Estudos da Obesidade pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Joana Pereira de Carvalho Ferreira, afirma que o entendimento de que mente e corpo não são duas coisas estanques ajuda a compreender a relação entre o temperamento e a obesidade. “A realização de pesquisas para avaliar a relação entre as emoções e o comportamento é crescente e fica cada vez mais claro que existe uma interdependência entre esses dois fatores. Assim, os sentimentos, as emoções, o afeto e a cognição são, por um lado, determinantes do comportamento e, por outro lado, as nossas respostas emocionais dependem da interação com o corpo e das experiências vividas através dele. Mais especificamente com relação à obesidade, entende-se que esses aspectos mais subjetivos desempenham papel fundamental no comportamento alimentar, favorecendo ou não o ganho exagerado de massa corporal.” A Universidade Federal de São Paulo desenvolveu um programa-modelo, coordenado pela pesquisadora e psicóloga Ana Damaso, do Grupo de Estudos da Obesidade, para tratar adolescentes obesos e mostra que aspectos como hábitos e emoções dos pacientes ajudam a balizar, inclusive, a quantidade maior ou menor de proteínas, carboidratos e lanchinhos distribuídos ao longo do dia. Joana Ferreira conta que “ao entender a obesidade como uma doença de etiologia multifatorial e que provoca sérias consequências à saúde física e mental, preco-

Os traços da personalidade mais fortemente associados à obesidade durante o estudo de Baltimore foram: Neuroticismo Uma variável do funcionamento negativo da personalidade. Refere-se a um nível crônico de instabilidade emocional, no qual o indivíduo apresenta alto grau de ansiedade, hostilidade, vulnerabilidade, autocrítica, impulsividade, baixa tolerância à frustração etc. Extroversão O indivíduo apresenta uma atitude go-

vernada por expectativas e necessidades sociais, orientada para a adaptação e as reações exteriores. Baixa Conscienciosidade Refere-se à contenção e ao sentido prático. Normalmente são indivíduos disciplinados, organizados e cautelosos. Impulsividade Indivíduos com tendência a agir impulsivamente diante de qualquer estímulo. n

niza-se a realização de um tratamento que englobe todos esses aspectos. Nesse sentido, a formação principal do grupo inclui intervenções interdisciplinares nas áreas de clínica médica, nutrição, psicologia e educação física e, mais recentemente, de fisioterapia. O principal objetivo do Grupo de Estudos da Obesidade são as mudanças no estilo de vida e controle da obesidade e doenças associadas. Inicialmente, o público alvo do grupo era adolescentes obesos e mais recentemente passou a atender também a população adulta” ressalta. Para a nutricionista do Grupo de Estudos da Obesidade, Flávia Corgosinho, algumas características como ansiedade excessiva, irritabilidade e depressão podem levar o indivíduo a ingerir mais alimentos, como uma forma de compensação, assim, um tratamento psicológico ou psicoterapêutico acaba sendo essencial no seguimento da dieta. “A primeira recomendação é procurar um profissional da área para auxiliar no tratamento da obesidade. Concomitantemente, alguns alimentos que possuem propriedades relaxantes, calmantes ou que proporcionam uma maior sensação de prazer podem ser incluídos no plano alimentar, tais como maracujá, chás de ervas ou até mesmo uma pequena porção de chocolate”, detalha. É muito importante que ao se fazer uma dieta, os traços da personalidade também sejam levados em conta. Nesse sentido, para haver mudança de temperamento é necessária a identificação do traço da personalidade que está favorecendo o consumo exagerado de alimentos ou o estilo de vida pouco ativo. Antes da pretensão de qualquer mudança comportamental, o indivíduo deve reconhecer em si mesmo o que é disfuncional e precisa ser mudado. “É importante se atentar para o fato de que a obesidade não é resultante de um ‘desleixo’ ou ‘falta de vontade’ de emagrecer, mas sim de uma doença que, como qualquer outra,

exige atenção profissional para tratamento. Dessa forma, a busca por ajuda especializada é também um importante passo no controle da obesidade”, destaca a psicóloga. Flávia Corgosinho ressalta que, na verdade, não existe um tipo de dieta para cada temperamento, mas sim regimes equilibrados que devem respeitar as preferências alimentares de cada indivíduo. “Como o temperamento pode estar ligado à obesidade, o nutricionista pode atuar no tratamento psicológico sugerindo alimentos que possam ser ingeridos nos momentos mais críticos de compulsividade e ansiedade e que ajudam também a minimizar esses episódios. Mas apenas com ajuda psicológica, o indivíduo consegue driblar e amenizar os efeitos da sua personalidade no comportamento alimentar.” Um método que vem sendo usado comumente no tratamento da obesidade é a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC). “Atualmente muitas pesquisas têm demonstrado a eficácia da TCC para o tratamento psicológico da obesidade. A abordagem inclui atividades psicoeducativas que têm como objetivo a ampliação dos conhecimentos sobre a obesidade; a utilização de técnicas comportamentais, com finalidade de desenvolver estratégias para o controle do comportamento alimentar e técnicas cognitivas, que incluem a identificação e modificação de pensamentos não funcionais relacionados ao comportamento alimentar. Além disso, inclui a promoção da aceitação do tamanho corporal acima da média e redução da depreciação da imagem corporal. Por fim, a psicóloga ressalta que “é fundamental enfatizar que como a obesidade é uma doença muito complexa, na qual múltiplos fatores interagem entre si, a terapêutica interprofissional é indicada. Por isso, o tratamento psicológico deve ser sempre somado ao acompanhamento nutricional, médico, do profissional de educação física entre outros profissionais da área da saúde”. n


22

APCD Jornal - Março 2012

ORIENTANDO O CLÍNICO Por Victor Clavijo

Moldagem em Prótese Fixa Uma das maiores dificuldades e preocupações para o clínico geral no dia a dia do consultório é quando chega o momento da moldagem do preparo e/ou dos preparos para posteriormente enviar para o laboratório de prótese. Bate um frio na barriga e logo pensamos, e agora? Será que essa moldagem vai ficar boa? Será que não vai formar bolhas? E essa gengiva sangrando? Estes questionamentos são muito comuns e ao contrário do que imaginamos a obtenção de uma moldagem perfeita não é difícil e com atenção a alguns detalhes podemos obter moldagens de excelência para que o laboratório possa confeccionar peças perfeitas e bem adaptadas. Apresentaremos a seguir cinco perguntas sobre as principais dúvidas do clínico geral quando o assunto é moldagem, vamos lá: 1) Qual material devo utilizar, ou seja, qual o material de moldagem mais adequado para moldagens em prótese fixa? Atualmente os silicones de adição são considerados os

materiais mais indicados devido às suas propriedades de reprodução de detalhes, não havendo formação de subprodutos ao final da moldagem, consequentemente permite uma excelente estabilidade dimensional. Outra grande vantagem é a possibilidade de vazamentos múltiplos, permitindo a obtenção de dois ou mais modelos com a mesma moldagem. Por esta razão, escolhemos esse material. Outro excelente material é o Poliéter, que também poderá ser indicado devido à sua hidrofilidade, porém, devido à sua rigidez, deverá ser usado com critério para moldagem de preparos longos e retentivos. 2) Por que minha moldagem não está dando certo? Antes da moldagem é importante a análise de alguns detalhes que vão fazer toda a diferença. Por exemplo, é muito difícil um molde perfeito quando temos uma gengiva inflamada, principalmente quando o término dos preparos está localizado no interior do sulco gengival ou intrassulcular. A correta adaptação das próte-

ses provisórias, com um bom polimento, principalmente nas margens cervicais favorecerá a saúde dos tecidos gengivais, assim como pontos de contato adequados, impedem o acúmulo de alimentos nas áreas interproximais e a instrução correta do paciente quanto aos métodos de escovação e higiene oral adequados. A atenção a estes detalhes faz toda a diferença para que consigamos moldagens precisas. 3) Não consigo afastar adequadamente a gengiva, minha moldagem sempre rasga nos bordos, o que fazer? Preparos com margens supragengivais não oferecem grandes dificuldades e na maioria dos casos não há necessidade de afastamento gengival prévio à moldagem, desde que seja feito um bom isolamento relativo, de preferência com roletes de algodão, afastadores labiais (usados para fotografia) e suctores de alta potência. Para os términos cervicais localizados abaixo da gengiva há sempre a necessidade de afastamento gengival através da inserção de fios específicos, como os da Ultrapack. Nossa preferência é pelo uso de dois fios, sendo o primeiro de menor calibre de acordo com a profundidade do sulco gengival (números 000 ou 00) e que fará o afastamento da gengiva no sentido vertical e o segundo apenas para fazer um afastamento lateral e não deverá ser introduzido totalmente (números 0 ou 1). 4) Qual é a melhor técnica? A que usamos uma moldagem simultânea (passo único) ou a em dois tempos, com alívio na massa pesada? As duas técnicas funcionam muito bem, desde que o profissional respeite o tempo de manipulação e presa dos materiais, ou seja, as duas técnicas estão em consonância com a maioria dos proce-

Moldagem total da Arcada Inferior ( vista parcial do lado direito - elemento 47)

Moldagem em close-up do preparo com presença do 1º fio de moldagem

Vista aproximada da moldagem, observem o detalhe da “pestana” gengival com a correta exposição e reprodução do término cervical

dimentos laboratoriais. É uma questão de preferência e domínio do profissional. 5) Devo fazer moldagem total ou parcial nas minhas moldagens? Sempre que possível, o profissional deverá optar por uma moldagem total do arco do paciente, principalmente quando for fazer uma coroa total. Desta forma, o laboratório terá uma visão melhorada do arco oposto, assim

como anatomia do dente homólogo e melhor visualização da oclusão. Preparos unitários para confecção de onlays ou inlays, onde o paciente tem uma boa oclusão poderão ser realizado com moldeiras parciais sem riscos. n

Entrevistado: Luciano Expedito de Sá Cabral Especialista em Prótese Dentária pela Faculdade de Odontologia de Bauru – USP e Técnico em Prótese Dentária


APCD Jornal - Março 2012

23

Fique por dentro da APCD Novidade

100 anos

Teatro da APCD terá programação

APCD realiza Ato Religioso em Ação

cultural a partir de 07 de março

de Graças ao Centenário da associação

Página 25

Página 26

Comercialização do CIOSP 2013 – Venha participar desse evento diferente de tudo o que você já viu! A comercializacão irá acontecer nos dias 27, 28 e 29 de março, no Hall Nobre da APCD

2013 terá enfoque na interdisciplinaridade e contemplará as especialidades de Im plantodontia, Periodontia,

Microscopia, Endodontia, Trauma/ Cirurgia, Câncer Bucal, Laser, Prótese Dentária e Ortodontia/Ortopedia Funcional dos Maxilares. Outro diferencial Por Mariana Pantano  do congresso é o período de realização: de quinta a domingo, em atendimento A classe odontológica mundial já tem a um pedido antigo das empresas exum novo encontro marcado: de 31 de ja- positoras da feira comercial.   Nem bem acabou o 30º CIOSP e a neiro a 03 de fevereiro de 2013, os profispreparação para o CIOSP 2013 já está sionais da área vão se encontrar novamenem pleno andamento, sempre com obte durante o I Congresso Interdisciplinar jetivo de levar o melhor da Odontoloda APCD – CIOSP 2013. gia para toda a classe odontológica.   O temário escolhido “Especialidade em foco”, já sinaliza que o CIOSP Uma importante etapa desse processo:

a comercialização dos espaços da Feira Comercial do evento - irá acontecer nos dias 27, 28 e 29 de março, das 10h às 18h, no Hall Nobre da APCD (Rua Voluntários da Pátria, 547 – Santana – Andar Térreo). A expectativa é de que a exposição seja completa e atraente, como um verdadeiro show de

tecnologia, novidades e serviços à disposição de todos os congressistas e participantes do congresso.  Para mais informações, entre em contato pelos telefones: (11) 2223-2521 ou 2223-2516 e pelos e-mails: comercial.decofe@apcdcentral.com.br ou comercial1.decofe@apcdcentral.com.br. n

No dia 30 de janeiro, ocorreu o pré-lançamento do CIOSP 2013 para as empresas expositoras do 30º CIOSP, na ocasião, algumas empresas já preencheram a proposta de interesse de compra de espaço do l Congresso Interdisciplinar da APCD. Confira abaixo: Acme Acrous Active Ware Adiel Aditek Airzap Alt Equipamentos Alva Doctor Aventais Aspen Baumer Bioex Biostilo Biotron Casa das Brocas Cia do Gel Claríssima Moda em Branco Colgate Condor Conexão Coraldent Cosmedent Criteria Crosp Cvdentus Dabi Atlante Deltra Dental Aragão Dental Moriá Dental Press

Dental Sao Paulo Dentscler Dentsply Designer Oral D-Express Dr. Sorriso Driller Drogasil Dsp Biomedical Dvdent Easy Equipamentos Odontológicos Editora Plena Endo Smart Endovita Ero Prótese Essence Dental Enterprises Fábrica Das Letras Fami Fava Fipase Fisio Medic Fórmula & Ação Funorte Gnatus Impacto Contabilidade Gsk Gutierre Odonto H. Strattner

Haydee Móveis Odontológicos Ice Implacil de Bortoli Indusbello Instrumentar Investmar J. Morita Brasil Jhs Johnson & Johnson do Brasil Kavo Kerr Konnen Kota Import Livraria Tota Max Relax Maximus Dhpro Microimagem Minitech Mk Life Mm Optics Morelli Ortodontia Multilabor Equipamentos N. Martins Neodent Nf Ortho Nobel Biocare Nova Ita Odontics Odontoclinic

Odontocompany Odontomar Odontoplay Odous de Deus Olsen S/A Only Uniforms Oral Line Oral-B Oralls Oraltech Orthocamp Pontal Calçados Poul Sorensen Pretty Procion Raio-X Propé Mágico - Raskalo Q2tec Quick Smile Quinelato Quintessence Editora Radio Memory Ravagnani Dental Brasil Real Odontológica Ind. e Comércio Renovatio Revista Dentistry Rhosse Rizax Ruca Salli Brasil

Sanders do Brasil Sdi Sercon Serson Implant Silcon Sin - Sistema de Implante Sirona Dental Sispack Medical Sistema Inp Sky Technology Sorridents Straumann Superdont Supermax Brasil Systhex Talladium Talmax Tempel Bio Electro Thimon Tri Halw Trident Trinity Ultradent Você Implantes Voco do Brasil Welfare


24

APCD Jornal - Março 2012

Dados estatísticos do 30º CIOSP comprovam sucesso do evento No fim de janeiro, entre os dias 28 e 31, Cirurgiões-Dentistas de diversos lugares do Brasil e do mundo estiveram reunidos em um dos maiores eventos da Odontologia, o 30º Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo (CIOSP), realizado no Centro de Exposições e Convenções Expo Center Norte. O evento superou as expectativas de público e de negócios. Os dados estatísticos finais do 30º CIOSP comprovam o sucesso do evento e ratifica a confiança que a classe odontológica e o setor industrial e internacional têm no trabalho e na organização que a APCD possui em promover um dos maiores congressos de Odontologia, sempre com a missão de oferecer conhecimento e inovação para a classe. Veja os números: Categoria por sexo Homens

Mulheres

47,37%

52,63%

41.727

46.360

Faixa etária 11 a 20 anos

3.338

21 a 30 anos

23.439

31 a 40 anos

24.873

41 a 50 anos

20.284

51 a 60 anos

10.284

61 a 70 anos

3.122

71 a 80 anos

2.009

81 a 90 anos

738

Categorias

Nº inscritos

Cirurgiões-Dentistas

60.475

Acadêmicos

12.049

Técnicos de Saúde Dental

668

Auxiliares de Saúde Bucal

2.011

Técnicos em Prótese Dentária

1.303

Outras profissões

185

Acompanhantes/Visitantes

10.533

Ministradores

291

Comissão Julgadora

62

Coordenadores de Curso

62

Assistentes de ministrador

62

Ativadores

1

Comissão Organizadora

92

Convidados

59

Apoio

213

Dealers

21

Total de Congressistas

88.087

Expositores

6.472

Apoio APCD

190

Montadores

2.350

Prestadores de Serviço

1.496

Representantes Comerciais

1.302

Expositores Institucionais

308

Expositores Alimentação

109

Expositores Boulevard

36

Total

12.263

Total de Participantes

100.350

Número de países participantes

20

Empresas Internacionais

70

Empresas Nacionais

223

Institucional

19

Praça de Alimentação

9

Total Exposição

321 M² disponível

M² ocupado

Área Nacional

18.159

16.715

Área Internacional

1.418

1.306

Área Institucional

469

434

Praça de Alimentação

714

618

20.760

19.073

Total


APCD Jornal - Março 2012

Teatro da APCD

terá programação cultural e entra no circuito comercial da cidade Mais um espaço para as artes cênicas entra no circuito comercial de São Paulo. O Teatro da APCD será inaugurado no dia 07 de março, às 21h, e contará com uma programação cultural cheia de novidades. Os primeiros espetáculos a ocuparem o espaço são as comédias I Love Neide (de Pablo Diego e Marcelo Saback, direção de Clarisse Abujamra) e Na Boca do Leão (direção e adaptação de Eduardo Martini, que atua em ambas as montagens). Localizado na Rua Voluntários da Pátria, 547, com estacionamento terceirizado ao lado, fica a 100 metros da estação do metrô Portuguesa/Tietê e a 100 metros da Marginal Tietê. O espaço funciona no interior da APCD e possui 1662m², 800 lugares na plateia e 44 luga-

25

Garanta já o seu ingresso VIP para a temporada da peça “I love Neide! Manual de Sobrevivência de um cinquentona atrevida”. Basta recortar o convite abaixo e apresentar no dia da peça. É indispensável a apresentação deste!

res distribuídos por dois camarotes. Com projeto arquitetônico de Heitor Coltro, o espaço possui poltronas vermelhas estofadas, palco de 7x6 metros, boca de cena de 16x5,80 metros, além de camarim com dois banheiros, equipado com mesa de som de 32 canais, possui completo sistema de iluminação com varas no palco e na plateia, além de tela de projeção de 12mx5m. Hall de entrada de granito e espelhado, com balcão que pode ser usado como lanchonete - espaço tem auxílio de cozinha e freezer. Acesso para deficientes na entrada com rampas. Estamos esperando você! n Fonte: Arte Plural Assessoria

Na boca do Leão O texto é uma das farsas mais bem escritas. É um enredo reconhecido nos EUA e montado diversas vezes. Uma história bem simples, com reviravoltas do destino, confusão de identidades e hilariantes cenas muito bem desenhadas. Ricardo e Darcy são amigos desde a infância. Para economizar dinheiro, Ricardo declara ao Imposto de Renda que Darcy é sua mulher. O dia do juízo final vem quando a Receita Federal informa que o ‘casal’ receberá a visita do investigador Elizeu Miranda. Darcy, forçado pelo amigo Ricardo, se traveste de mulher do mesmo e é ajudado por Carol, noiva de Ricardo. Para piorar a divertida situação,

Temporada: 16 de março a 29 de abril de 2012 Dias: sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h Local: Teatro APCD - Rua Voluntários da Pátria, 547 Telefones:  Departamento Cultural da APCD: 2223-2320 e Bilheteria 2223-2424 Ingressos: Inteira - 60,00, Meia-entrada – R$ 30,00, clientes Porto Seguro e associados da APCD, R$ 24,00 e VIP R$ 15,00 Duração: 70 minutos Classificação: 12 anos

Darcy e Carol estão tendo um caso secreto! Dona Alzira, mãe de Ricardo, chega de surpresa ao apartamento do filho para conhecer sua futura nora, Carol, mas se depara com aquela figura esquisita e feia: Darcy. E a história se complica ainda mais quando a namorada de Darcy também chega ao apartamento e é convencida por Ricardo que ele teve um surto psicótico e nunca mais voltará a vê-la. A confusão está formada e propiciará ao público gostosas gargalhadas e uma noite inesquecível de pura diversão. n Você não pode perder!

I love Neide!

Manual de Sobrevivência de uma cinquentona atrevida Na peça Eduardo Martini encarna a personagem Neide Boa Sorte, que saiu de uma “brincadeira” no programa Hebe, do SBT, uma psicóloga que destila todo o seu 'bom' mau humor quando trata de assuntos como a sinceridade feminina, casamento, família, comportamento etc. Abordando temas atuais e divertidos, a peça acompanha a trajetória de Neide não apenas em suas consultas como psicóloga, mas, também, em sua hilária viagem a Salvador onde por acidente vai parar no trio elétrico de Carlinhos Brown e na experiência surreal que vive em uma rave, até ter descoberto o seu talento como radialista e 'conselheira' finalizando com uma hilária palestra como cena de plateia que você nunca irá esquecer.

O sucesso de Neide Boa Sorte é tão grande, que a 'psicóloga' ganhou inúmeras comunidades criadas por fãs no Orkut, além de diversos vídeos postados no site You Tube. A peça estreou em Campinas em março de 2007. n

Temporada:  de 07 a 29 de Março de 2012 Dias:  Quartas e Quintas-feiras - às 21h Local:  Teatro APCD - Rua Voluntários da Pátria, 547 Telefones: Departamento Cultural da APCD - (11)  2223-2320 e Bilheteria (11) 2223-2424 Ingressos:  Inteira - R$ 40,00, Meia-entrada e clientes Porto Seguro - R$ 20,00 e Associados da APCD - R$ 16,00 Duração:  90 minutos Classificação:  12 anos


26

APCD Jornal - Março 2012

Coluna Centenário da APCD

Ato Religioso em Ação de Graças aos 100 anos da APCD No dia 31 de março de 2012, às 11h, será realizado um Ato Religioso em Ação de Graças, na sede da APCD Central, para encerrar com chave de ouro as comemorações dos 100 anos da APCD. Além de celebrar o Centenário da entidade, a cerimônia também será um momento para invocação a Deus, com uma mensagem otimista de fé, amor e esperança. O  Ato  Religioso será celebrado pelo Frei Airton, também conhecido como Frei Soneca, da Ordem dos Franciscanos de São Frei Galvão, localizado em Guaratinguetá, interior de São Paulo.

Contamos com a presença de todos nesta celebração! Também, na ocasião, às 10h, os ex-presidentes do Conselho Fiscal (Cofi) e do Conselho eleitoral (Coel) receberão uma homenagem. Os homenageados deverão confirmar presença até o dia 26 de março! Mais informações no Departamento Social pelo telefone (11) 2223-2474 ou pelo e-mail: cultural.social@apcdcentral.com.br, falar com Juliana. n

Comissão do Centenário da APCD

CONOGE

A Nova Geração em destaque Com o objetivo de prestigiar os novos profissionais que estão se destacando na Odontologia e incentivar outros, o Conoge (Conselho Nova Geração da APCD) e CNRF (Conselho Nacional de Recém-formados da ABCD) publicará esporadicamente a trajetória de alguns jovens. O primeiro entrevistado é Mario Francisco de Pasquali Leonardo, formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2007, especialista em Endodontia pelo HGeSP (Hospital Geral de São Paulo) e mestrando em Endodontia pela Fousp (Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo). Conoge - Por que escolheu a Endodontia como área de atuação? Mario Francisco de Pasquali - Na faculdade, sempre tentei fugir da disciplina de Endodontia, fiz até um curso de aperfeiçoamento em Cirurgia Oral Menor, mas em congressos, reuniões e discussões, sempre defendia a Endodontia. Um tempo atrás, meu avô (Mario Roberto Leonardo) me perguntou sobre qual matéria eu mais gostava na faculdade, e respondi: Cirurgia! E então fez o seguinte comentário: Ah! Então você fará cirurgia parendodôntica? Foi assim que comecei a estudar mais e consequentemente, gostar mais da Endodontia. No jantar de minha formatura, em fevereiro de 2008, o Professor de Endodontia e amigo, Gilson Sidney, fez o seguinte questionamento: e agora Ma-

rio, o que fará em sua vida profissional? Uma pergunta muito inteligente e de difícil resposta para um recém-formado. Confesso que fiquei pensando por uma semana. Após conversas e orientações familiares (com meu avô e o meu tio Renato de Toledo Leonardo), decidimos mudar de Curitiba (PR) para São Paulo, pois acreditávamos que seria muito importante para meu crescimento pessoal, bem como profissional. Conheci o Professor Titular de Endodontia da USP e Coordenador da Especialização de Endodontia do HGeSP Manuel Eduardo Lima Machado, e já me inscrevi em seu curso de especialização. Nos primeiros meses, foi muito difícil viver em São Paulo, uma vez que tinha saído de Curitiba, onde vivenciei intensamente a faculdade, sempre envolvido com o centro acadêmico e jornadas acadêmicas e rodeado por amigos. Já em março de 2008, estava morando em São Paulo, com novo ciclo de amizade e longe da família. Logo consegui emprego como endodontista, fato talvez que apenas São Paulo possa oferecer a um recém-formado, trabalhar exclusivamente com Endodontia. A partir de então, cada vez mais, fui me envolvendo com esta especialidade. Finalizei a especialização, prestei a prova para ingressar no mestrado em Endodontia da Fousp, e fui aprovado. Comecei a interagir com a pesquisa e aprender a arte de lecionar. E assim,

surgiu a oportunidade para fazer parte da equipe de professores do curso de especialização do HGeSP e dar aulas de curta duração em outras instituições tanto em São Paulo como no interior.

Conoge - Quais seus objetivos futuros? Mario Pasquali - Estou num momento de reflexão, mas já digo que gosto de ministrar aulas e pretendo continuar na carreira acadêmica.

Conoge - Qual o momento mais importante da sua carreira até agora? Mario Pasquali - Considero dois momentos como os mais importantes da minha vida profissional: em Outubro de 2010 fui a Salt Lake City, Utah – EUA, por intermédio da Ultradent products, e algumas pesquisas foram e estão sendo desenvolvidas com os seus produtos. Experiência incrível, pois fui respeitado, prestigiado e amizades ali nasceram. O outro momento foi recentemente no 30° CIOSP, onde fiz parte da grade científica. Em 2002, antes mesmo de entrar na faculdade, acompanhei meu vovô, Mario Roberto Leonardo, em seu curso no CIOSP, desde então, fui a todas as edições e, em 2012, tive a oportunidade de ministrar uma aula no maior congresso da América Latina: um sonho realizado. Agradeço ao convite feito pela comissão científica do 30° CIOSP, em especial ao Presidente do evento, Carlos Alberto Bataglini e Professora Mary Caroline Skelton Macedo (Maine Skelton).

Conoge - Deixe uma mensagem para os novos e futuros profissionais. Mario Pasquali - Vivemos num momento diferenciado em nossa profissão, onde principalmente o quesito financeiro está em evidência, mas expresso a importância de nunca deixarmos de lado a qualidade do tratamento odontológico e que precisamos desenvolver um atendimento diferenciado, não intrínseco apenas aos dentes 16, 47, 26 e sim um atendimento mais global, com maior atenção, amor e respeito ao ser humano que estamos oferecendo saúde bucal.

Conoge - O que acredita ser sucesso profissional? Mario Pasquali - Adquirir respeito pelos colegas de profissão e oferecer o melhor para o meu paciente.

Conoge - Agradecemos seu colaboração e desejamos a você muito sucesso e que continue sendo um profissional dedicado ao crescimento da Odontologia e ao bem estar dos pacientes. O contato do Cirurgião-Dentista Mario Pasquali é: e-mail: mfpleonardo@gmail.com facebook: Mario Leonardo. n

Stephanie A.F. Teixeira Presidente do CONOGE Thales W. Cardoso Presidente do CNRF


APCD Jornal - Março 2012

COCI Confira as conferências programadas pelo Conselho Científico da APCD para o mês de março: Departamento de Estomatologia Tema: “Acupuntura como Terapia Complementar na Saúde Bucal.” Ministrador: Profº Dr. Marco Bernardini - Membro da Equipe de Estomatologia do Instituto do Câncer. Data: 12/03/12 Horário: 20h Local: APCD Central Departamento de Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais Tema: “Osteoporose na Odontologia” Ministradora: Profª Dra. Emiko Saito Arita (Depto. Estomatologia - Fousp) Data: 15/03/12 Horário: das 20h às 21h Local: APCD Central Grupo de Estudo Terapia Floral Tema: “Terapia Floral - Novos Caminhos na Odontologia.” Ministradora: Dra. Mabel Christina Conde Data: 21/03/12 Horário: das 20h às 21h30 Local: APCD Central Departamento de Prótese Bucomaxilofacial Tema: “Prontuário Clínico aplicado à Prótese Bucomaxilofacial.” Ministrador: Dr. Ricardo César Reis Data: 28/03/12 Horário: 18h Local: Departamento de Prótese Bucomaxilofacial da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo. Grupo de Estudo de Odontologia Hospitalar Tema: “Discussão de casos clínicos do Departamento de Odontologia Hospitalar do Hospital Heliópolis.” Palestrantes: Claudia Perez Trindade Fraga, Elaine Cristina Cappellano e Marcelo Marcucci Data: 30/03/12 Horário: 20h Local: APCD Central

Cursos e carreiras Centro Técnico

Competência e Credibilidade Desde que foi fundado, em 2002, o Centro Técnico APCD já formou 1.519 alunos em cursos reconhecidos pela Secretaria Estadual de Educação (MEC). Atualmente, 312 alunos desfrutam da qualidade de ensino aliado à tecnologia de ponta oferecida pela APCD nos cursos técnicos e livres. * Não perca a oportunidade de se preparar para crescer no mercado de trabalho.

Inscrições ABERTAS! • Técnico em Saúde Bucal - TSB* • Técnico em Prótese Dentária – TPD* (a partir de março) • Especialização para o Técnico em Saúde Bucal – TSB (THD) no Âmbito Hospitalar – EAH* • Especialização em Radiologia Odontológica para o Técnico em Saúde Bucal – ERO* • Especialização em Prótese Ortodôntica para o TPD - EPO • Instrumentação Cirúrgica em Odontologia (ambulatorial e hospitalar) • Noções de Recepção e Acolhimento do Paciente • Cuidador de Idosos – CI* • Treinamento para Pessoal Auxiliar no Atendimento a Pacientes com Necessidades Especiais *** Gratuidade para 50% dos alunos matriculados (convênio MEC)***

Informações: Secretaria do Centro Técnico – APCD Central: (11) 2223-2464 / 2465 www.apcd.org.br/EAP/CTE - Cursos E-mails: secretaria.cte@apcdcentral.com.br, contato.cte@apcdcentral.com.br Atendimento: de segunda a sexta, das 10h às 19h

27


28

APCD Jornal - Março 2012

Informe da diretoria Por determinação judicial, a APCD foi obrigada a publicar o extrato da sentença condenatória abaixo, procedente de ação de indenização por danos morais proposta por Décio Paiola contra a APCD, em razão de uma matéria publicada no APCD Jornal de julho de 2001, ano 36, edição 531, na página 4, cuja diretoria à frente da entidade na ocasião é a da Gestão 2000-2002.

EXTRATO DA SENTENÇA CONDENATÓRIA CONTRA A APCD Poder Judiciário julga procedente ação de indenização por danos morais proposta por Décio Paiola contra a APCD Professor Doutor DÉCIO PAIOLA, acadêmico honorário da Academia Brasileira de Odontologia, sócio, benemérito, sócio remido e membro do Conselho

Deliberativo da APCD – ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS CIRURGIÕES-DENTISTAS durante os biênios de 19711972, 1989-1991, 1997-1999 e 1999-2001, ajuizou ação e indenização por danos morais contra a Associação em virtude de textos veiculados em junho e julho de 2001 no “ Informe da Diretoria” deste periódico. As matérias publicadas distorceram fatos e utilizaram termos ofensivos ao prof. Décio Paiola, cirurgião-dentista renomado com larga carreira acadêmica, referindo-se a ele como “irresponsável” e “oportunista”. O motivo dessas ofensas foi a inconformidade do Prof. Dr. Décio Paiola e de outros três membros do Conselho Deliberativo à época dos fatos com as eleições dos Conselhos Eleitoral, Fiscal e Deliberativo ocorridas em 30 de maio de 2001. Esta inconformidade foi manifestada através da propositura de ações judiciais. O Poder Judiciário considerou leviana e temerária a postura adotada pela APCD. Em trecho destacado da sentença proferida em primeira instância na ação de indenização, a MM. Juíza de Direito da 4ª Vara Cível do Foro Regional de Santana, Maria Pires de Melo, disse que: “em qualquer asso-

ciação humana, o pensamento das minorias deve ser respeitado, ainda que dele se discorde, ou seja, ainda que sustente ponto- de- vista diferente e, até oposto. Observe-se que o direito de participar de atividade associativa não é sinônimo de cega submissão à vontade da maioria e nem de concordância com tudo que essa maioria define como certo. A divergência de opinião sobre quaisquer assuntos ou de interpretação de quaisquer textos normativo não autoriza a ofensa à honra (objetiva ou subjetiva) de qualquer pessoa (física ou jurídica) e nem à represália ou à retaliação, mas, se necessário, o uso da ação judicial adequada, para quem (pessoa física ou jurídica) entender existir lesão a qualquer direito, que tenha legitimidade para defender”. Assim, a APCD foi condenada a pagar indenização de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), devidamente atualizados, a título de indenização por danos morais ao Prof. Dr. Décio Paiola e a publicar o presente extrato de sentença neste periódico, em duas edições consecutivas, para que o resultado desta ação fosse comunicado a todos os associados da APCD pelo mesmo meio e forma que foram divulgadas as ofensas. n


APCD Jornal - Março 2012

Notícias da ABCD Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas

abcd@abcdbrasil.org.br

Conheça as seções Regionais da ABCD Entre as deliberações da Reunião do 30º CIOSP está a divulgação, a partir desta edição do APCD Jornal, das estruturas e ações das Seções Nacionais da ABCD, valorizando o esforço e a dedicação dos dirigentes que se esforçam para que a ABCD marque sua presença nas diversas regiões do país. Nesta edição, vamos divulgar a Regional Centro-Vales, da Seção Rio Grande do Sul, que tem como Presidente Luis Carlos Lorenzoni Avila.

Um dos grandes diferenciais da Regional são os seus cursos. Sempre com o firme propósito de promover o intercâmbio de docentes de vários outros estados com a comunidade odontológica gaúcha. A Regional Centro-Vales tem oferecido cursos de pós-graduação (Especialização/Aperfeiçoamentos/Workshops) com grande sucesso. Quer saber mais? Acesse: www.abcdcentro-vales.com.br n

ABCD – Centro-Vales (RS) Prestes a completar cinco anos de existência, a Regional Centro-Vales tem mais de 100 associados e está sediada em Lajeado – RS. A Diretoria atual (20102013) é presidida por Luiz Carlos Lorenzoni Ávila. Reconhecida pelo CFO, desde 2009, como Entidade Representativa de Classe, a Regional tem atuado de forma sistemática contactando profissionais e acadêmicos de diversas instituições, fazendo com que a ABCD seja conhecida e reconhecida em todo o estado.

Reunião da ABCD Nacional durante o 30º CIOSP

A ABCD Nacional realizou a reunião do Conselho Nacional de Representantes e da Diretoria Executiva em São Paulo, no dia 29 de janeiro, durante o 30º CIOSP, com a presença de diversos Presidentes das Seções da ABCD instaladas pelo país. Além dos Presidentes, a Reunião contou com a participação de diversos Conselheiros Nacionais, e teve como uns dos assuntos da pauta: o balanço financeiro da entidade; as ações realizadas no ano de 2011, e também debateu o planejamento do ano de 2012. Neste planejamento, foi de-

terminado que a Reunião Anual da ABCD será realizada e promovida pela Seção Rio de Janeiro, no mês de agosto. O Presidente da ABCD, Silvio Jorge Cecchetto, comandou a reunião, que contou com a presença do contador geral da entidade, José Maria Giaretta Camargo, que apresentou os números relativos aos balanços dos últimos anos. Foi realizada também a apresentação dos funcionários da ABCD, para que as Seções pudessem conhecer aqueles que estão à disposição no dia a dia da Entidade. n

29


Confira os próximos cursos que a EAP APCD preparou para você!

ORTO/2012 - Especialização em Ortodontia

REDUZA A QUANTIDADE DE PARCELAS E GANHE 10% DE DESCONTO NOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO *Os valores serão atualizados a cada 12 meses de curso (IPC-FIPE)

Cursos de Especialização CIRUR/2012 – Especialização em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Ministrador: Antonio Castelo Branco Teixeira, João Gualberto de Cerqueira Luz e equipe Seleção: 05/04/2012 – 9h – prova escrita, entrevista e análise de currículo Referências Bibliográficas: ANDRADE - Terapêutica Medicamentosa em Odontologia MANGANELLO/LUZ – Tratamento Cirúrgico do Trauma Bucomaxilofacial PETTERSON - Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporânea SAILER - Cirurgia Bucal Início: 19/04/2012 Término: 20/04/2014 Realização: terças, quartas, quintas e sextas-feiras – semanalmente (terças, quartas e sextas atividade hospitalar. Quintas – aula teórica e clínica), das 8h às 17h Investimento: 24X de R$ 1.375,00 ou 18X de R$ 1.650,00 jgcluz@usp.br

CIRU/2012A – Especialização em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Ministrador: Henrique Camargo Bauer e equipe Seleção: 15/05/2012 – entrevista e análise de currículo – 13h Início: 07/08/2012 Término: 05/08/2014 Realização: terças-feiras – semanal – das 13h às 21h Investimento: 24X de R$ 1.375,00 ou 18X de R$ 1.650,00 wajorge@usp.br

PERIO/2012F – Especialização em Periodontia Ministrador: Luis Fernando Ferrarri Bellasalma e equipe Início: 14/03/2012 Término: 30/03/2013 Realização: quartas-feiras – semanal – das 8h às 17h Investimento: 12X de R$ 720,00 ou 6X de R$ 1.296,00 bellacon@uol.com.br

Ministrador: Luciano da Silva Carvalho e equipe Seleção: 19/03/2012 – entrevista e análise de currículo – 9h Início: 09/04/2012 Término: 30/03/2015 Investimento: 36 x de R$1.500,00 Realização: segundas-feiras semanalmente – das 8h às 18h Carga horária: 1.240h luscarvalho@uol.com.br

ORTOP/2012 - Especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares Ministrador: João Alberto Martinez e equipe Início: 19/04/2012 Término: 18/09/2014 Investimento: 30X de R$ 1.780,00 ou 24X de R$ 2.003,00 Realização: quintas, sextas e sábados mensalmente – das 8h às 18h Carga horária: 1.280h jamtz2@uol.com.br

IMPL/2012A - Especialização em Implantodontia

Ministrador: Adilson Sakuno e equipe Início: 26/03/2012 Término: 26/11/2014 Investimento: 33X de R$ 1.110,00 ou 27X de R$ 1.221,00 Realização: segundas, terças e quartasfeiras - mensalmente – das 14h às 22h Carga horária: 1.066h adilson.sak@gmail.com

PROTE/2012O - Especialização em Prótese Dentária

Ministrador: Orlando Magalhães Filho e equipe Seleção: 07/03/2012 – entrevista – 14h Início: 14/03/2012 Término: 19/03/2014 Investimento: 24X de R$ 950,00 ou 18X de R$ 1.140,00 Realização: quartas-feiras semanalmente – das 14h às 22h magalhaesfilho59@hotmail.com

ODONP/2012 – Especialização em Odontopediatria

Ministradora: Sandra Kalil Bussadori e equipe Seleção: 03/03/2012 – entrevista – 10h Início: 05/04/2012 Investimento: 20X de R$ 700,00 ou 15X de R$ 840,00 Realização: quintas, sextas e sábados - das 8h às 18h mensalmente Carga horária: 750h – 20 meses skb@osite.com.br

PACIE/2012 – Especialização para Pacientes com Necessidades Especiais

Ministradora: Maria Cristina Duarte Ferreira e equipe Seleção: 20/03/2012, às 14h –Prova escrita, entrevista e análise de currículo Início: 21/03/2012 Término: 24/08/2013 Investimento: 18X de R$ 800,00 ou 12X de R$ 1.080,00 Realização: terças, quartas, quintas e sextas-feiras – mensalmente – 18 meses duarteferreira@uol.com.br

Cursos de Atualização Cirurgia

TPC/122 A14 – Extensão em Cirurgia Oral e Bucomaxilofacial

Ministrador: João Gualberto de Cerqueira Luz e equipe Início: 15/03/2012 Término: 26/07/2012 Realização: quintas-feiras – semanal – das 8h às 17h Investimento: Associado APCD – 5X de R$ 380,00, recém-formado e melhor idade - 5X de R$ 190,00 jgcluz@usp.br

TPC/03 A14 – Cirurgia Oral para o clínico geral

Ministrador: Sidney Rafael das Neves e equipe Início: 16/03/2012 Término: 23/11/2012 Realização: sextas-feiras – semanal – das 8h às 12h Investimento: Associado APCD – 9X de R$ 400,00, recém-formado e melhor idade – 9X de R$ 200,00 srneves@uol.com.br

TPC/106 A14 – Cirurgia Oral Avançada

Ministrador: Sidney Rafael das Neves e equipe Início: 16/03/2012 Término: 23/11/2012 Realização: sextas-feiras – semanal – das 8h às 12h Investimento: Associado APCD – 9X de R$ 450,00, recém-formado e melhor idade – 9X de R$ 225,00 srneves@uol.com.br

TPC/107A14 – Aperfeiçoamento em Cirurgia Oral e Noções de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – Módulo I

Ministrador: Waldyr Antônio Jorge e equipe Início: 13/03/2012 Término: 10/07/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 13h às 21h Investimento: Associado APCD – 5X de R$ 400,00, recém-formado e melhor idade – 5X de R$ 200,00 wajorge@usp.br

TPC/127A14 – Aperfeiçoamento em Cirurgia Oral e Noções de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – Módulo II Ministrador: Waldyr Antônio Jorge e equipe Início: 06/03/2012 Término: 10/07/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 13h às 21h Investimento: Associado APCD – 5X de R$ 420,00, recém-formado e melhor idade – 5X de R$ 210,00 wajorge@usp.br

Endodontia

TPC/69 A14 – Endodontia com tecnologia para o clínico geral

Ministrador: Mario Luis Zuolo e equipe Início: 13/03/2012 Término: 03/07/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 8h às 12h Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 400,00, recém-formado e melhor idade: 4X de R$ 200,00 mlzuolo@uol.com.br

TPC/53A14 – Endodontia contemporânea

Ministradores: Marina Tosta, Noboru Imura, Shaiana Kawagoe, Marcelo Toshio e equipe Início: 08/03/2012 Término: 05/07/2012 Realização: quintas-feiras – semanal – das 16h às 20h Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 400,00, recém-formado e melhor idade – 4X de R$ 200,00 marinatosta@terra.com.br

TPC/92 A14 – Endodontia em Sessão Única - Módulo I

Ministrador: Eduardo Kado e equipe Início: 19/03/2012 Término: 25/06/2012 Realização: segundas-feiras – semanal – das 18h30 às 22h30 Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 390,00, recém-formado e melhor idade – 4X de R$ 180,00 edukado@hotmail.com

TPC/130 A14 – Endodontia em Sessão Única – Módulo II

Ministrador: Gustavo Meneghine e equipe Início: 19/03/2012 Término: 25/06/2012 Realização: segundas-feiras – semanal – das 18h30 às 22h30 Valores: Efetivos - 4X de R$ 400,00 recém formados e melhor Idade - 4X de R$ 200,00 meneghine@globo.com

Prótese

TPL/76A14 – Prótese Fixa Estética Ministradores: Aônio Genícolo Vieira e José Custódio Feres Vieira Início: 14/03/2012


57 anos dedicados à Odontologia em ensino continuado de qualidade

Término: 27/06/2012 Realização: quartas-feiras – semanal – das 19h às 23h Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 200,00, recém-formado e melhor idade 4x de R$ 100,00 aonio@aoniovieira.com.br

TPC/31A14 – Prótese Fixa Convencional e Metal Free

Ministrador: Alfredo Mikail Melo Mesquita e equipe Início: 19/03/2012 Término: 16/07/2012 Realização: segundas-feiras – semanal – das 18h30 às 22h30 Investimento: Associado APCD – 5X de R$ 500,00, recém-formado e melhor idade – 5X de R$ 250,00 alfmikail@ig.com.br

TPC/61A14 – Prótese sobre Implante

Ministradores: Jarbas Eduardo Martins, Eliane Maria Gabriel Braga e equipe Início: 20/03/2012 Término: 28/08/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 8h às 12h Investimento: Associado APCD – 6X de R$ 420,00, recém-formado e melhor idade – 6X de R$ 210,00 jarbas_martins@uol.com.br

TEO/39A14 – Curso Teórico – Cirurgia e Prótese – Otimizando a reabilitação com implantes

Ministrador: Giovanni de Almeida Prado Di Giácomo Início: 09/03/2012 Término: 09/03/2012 Realização: sexta-feira – das 15h às 19h Investimento: Associado APCD, recémformado, melhor idade e acadêmico: 1X de R$ 100,00 giovannidi@uol.com.br

Clínica Integrada TPC/126A14 – Clínica odontológica integrada com ênfase em Endodontia, Dentística, Periodontia e Prótese

Ministrador: Miguel S. Haddad Filho e equipe Início: 06/03/2012 Término: 30/10/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 8h30 às 17h30 Investimento: Associado APCD – 8X de R$ 150,00, recém-formado e melhor idade – 8X de R$ 75,00 haddadf@usp.br

Implante

TPC/39 A14 – Atualização em Implantodontia – Módulo Cirúrgico e Protético (APOIO CONEXÃO)

Ministrador: Adilson Sakuno e equipe Início: 14/03/2012 Término: 10/10/2012 Realização: quartas-feiras – quinzenal - das 8h às 18h Investimento: Associado APCD – 8X de R$ 600,00, recém-formado e melhor idade – 8X de R$ 300,00 adilson.sak@gmail.com

TPD/38A14 – Curso de Capacitação em Microimplantes para Ancoragem Ortodôntica Ministrador: Adilson Sakuno e equipe Início: 02/03/2012 Término: 03/03/2012 Realização: sextas-feiras, das 8h às 18h, e sábado, das 8h às 12h Investimento: Associado APCD, recémformado e melhor idade – 1X de R$ 500,00 adilson.sak@gmail.com

TPC/52A14 - Implantodontia com ênfase em Cirurgia Plástica Periodontal

Ministrador: Rodrigo Tadashi Martines e Equipe Início: 12/03/2012 Término: 18/06/2012 Realização: segundas-feiras – quinzenal – das 8h às 18h Carga horária: 64 horas/aula Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 450,00, recém-formado e melhor idade – 4X de R$ 225,00 tdmartines@yahoo.com

TPD/11 A14 – Curso de Credenciamento da EAP sobre Implante Zigomático – Sistema Conexão

Ministradores: Eduardo Mukai, Marcio Martins e Jamil Awad Shibli Realização: 21, 22 e 23 de março – quarta, quinta e sexta-feira – das 8h às 18h Carga horária: 24 horas Investimento: Associado APCD – 1X de R$ 2.500,00 emukai@allnet.com.br Pré-Requisito: É necessário ter experiência em implantodontia

TPC/62A14 – Implantodontia para o clínico geral Ministrador: Mauricio Teixeira Duarte e equipe Início: 02/03/2012

INSCRIÇÃO MAIS FÁCIL: As inscrições para os cursos da EAP poderão ser feitas pelo e-mail secretaria1.eap@apcdcentral.com.br ou pelos telefones:

11 2223-2307 / 2407

Término: 29/06/2012 Realização: sextas-feiras – semanal – das 14h às 22h Carga horária: 160 horas/aula Investimento: Associado APCD – 4X de R$ 350,00, recém-formado e melhor idade 4X de R$ 175,00 m.t.duarte@uol.com.br

TPC/72A14– Curso Clínico Cirúrgico de Implantodontia

Ministradores: Hid Miguel Junior, Mauricio Chebat e Shindi Nakajima Início: 14/03/2012 Término: 27/06/2012 Realização: quartas-feiras – semanal – 18h às 22h Investimento: Associado APCD, recém-formado e melhor idade: 4x R$ 350,00 hidmiguel@bol.com.br Pré-Requisito: É necessário ter experiência em implantodontia O curso será eminentemente clínico cirúrgico.

Ortodontia

TPL/82A14 – Mecânica Straight Wire em Typondont

Ministrador: Sergio G. Iafigliola e equipe Início: 07/03/2012 Término: 12/12/2012 Realização: quartas-feiras – quinzenal – das 8h às 16h30 Investimento: Associado APCD – 10X de R$ 410,00, recém-formado e melhor idade 10X de R$ 205,00 sergio_giamas@yahoo.com.br

TPL/83 A14 – Ortodontia e Ortopedia Facial: diagnóstico, planejamento e interceptação de má oclusões

Ministrador: Sergio G. Iafigliola e equipe Início: 05/03/2012 Término: 10/12/2012 Realização: segundas-feiras – quinzenal – das 8h às 16h30 Investimento: Associado APCD – 10X de R$ 380,00, recém-formado e melhor idade – 10X de R$ 190,00 sergio_giamas@yahoo.com.br

Dentística

TPC/87A14 – Atualização em Dentística com ênfase em Estética

Ministrador: Helio Rui Dutra e equipe Início: 14/03/2012 Término: 27/06/2012 Realização: quartas-feiras – semanal – das 8h às 13h Investimento: Associado APCD, recémformado e melhor idade – 4X de R$ 200,00 hrdutra@gmail.com

SECRETARIA DO CENTRO TÉCNICO - APCD: www.apcd.org.br / EAP / CTE / Cursos secretaria.cte@apcdcentral.com.br contato.cte@apcdcentral.com.br

11 2223-2464 / 2465

Disfunção Temporomandibular

TPD/50 A14 – Atualização em DTM

Ministrador: Guiovaldo Paiva e equipe Início: 09/03/2012 Término: 15/06/2012 Realização: sextas-feiras – mensalmente – das 8h às 18h Carga horária: 32 horas/aula Investimento: Associado APCD e melhor idade – 4X de R$ 250,00 p@cdtatm.com.br

Periodontia

TPC/07A14 – Periodontia e Cirurgia Periodontal Estética e Pré-Protética – Módulo I Ministrador: Eduardo de Mesquita Sampaio e equipe Início: 06/03/2012 Término: 11/12/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 17h às 21h Carga horária: 144 horas/aula Valores: Efetivos: 10X de R$ 470,00 recém-formados e melhor idade - 10X de R$ 235,00 eduardo@periodonto.net

TPC/06A14 – Periodontia e Cirurgia Periodontal Estética e Pré-Protética – Módulo II Ministrador: Eduardo de Mesquita Sampaio e equipe Início: 06/03/2012 Término: 11/12/2012 Realização: terças-feiras – semanal – das 17h às 21h Carga horária: 144 horas/aula Investimento: Associado APCD – 10X de R$ 480,00, recém-formado e melhor idade – 10X de R$ 240,00 Pré requisito: Ter participado do Curso de Periodontia e Cirurgia Periodontal – Módulo I eduardo@periodonto.net

Laser – Habilitação

TPC/ 86A 14 - Habilitação em Laser – Apoio: ECCO Fibras e Dispositivos

Ministrador: Walter J. Genovese e equipe Início: 16/03/2012 Término: 17/08/2012 Realização: sextas-feiras – quinzenal – das 14h às 20h30 Investimento: Associado APCD – 5X de R$ 30,00


32

APCD Jornal - Março 2012

Notícias da EAP Artur Cerri

Diretor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD

CURSO CLÍNICO DE IMPLANTODONTIA Início em 14 de março, às quartas-feiras, das 14h às 22h. O curso terá a duração de quatro meses com ênfase no módulo cirúrgico. É necessária experiência na área. Investimento 4x de R$ 350,00. Coordenadores: Hid Miguel, Mauricio Chebat e Shindi Nakajima.

Mauricio Chebat e Hid Miguel

CURSO DE TREINAMENTO DE GESTÃO PARA CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS COM 50% DE DESCONTO PARA ALUNOS E PROFESSORES DA EAP Início em 17 de março, das 9h às 18h. O curso será ministrado pela empresa Oralfix, e terá o valor de R$ 200,00. Porém alunos e professores da EAP tem 50% de desconto. O curso é mensal com duração de 10 meses (17 de março, 14 de abril, 19 de maio, 16 de junho, 21 de julho, 18 de agosto, 15 de setembro, 21 de outubro, 10 de novembro e 8 de dezembro). Os interessados poderão fazer inscrição diretamente na EAP, pelo e-mail: secretaria1.eap@apcdcentral.com.br. Basta colocar o nome completo e telefone para contato.

EXCELENTE OPORTUNIDADE A EAP está oferecendo uma excelente oportunidade aos associados da APCD: Habilitação em laser, por apenas R$ 30,00 mensais. O curso terá a duração de seis meses, com início em 16 de março. Coordenador: Walter João Genovese.

CURSOS NA EAP CENTRAL Antes de optar por um curso de sua preferência, convidamos você a visitar nossas instalações. Estamos esperando sua visita no 4º andar da sede da APCD Central.

BIBLIOTECA Novamente a Biblioteca da EAP consegue superar o número de atendimentos em janeiro em relação aos meses anteriores. Em janeiro, foram realizados pela biblioteca 423 atendimentos aos associados com média diária de 20.23 atendimentos.

arturcerri@uol.com.br

PAINEL ELETRÔNICO NA EAP Foi instalado na sala de espera das clínicas da EAP, um painel eletrônico para facilitar o atendimento dos pacientes. Os aparelhos instalados no 2º e 3º andar das clinicas foi uma doação da LUMIDENTE (SnapOn). É mais um benefício da EAP aos alunos e pacientes.

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM CLÍNICA INTEGRADA Aproveite essa oportunidade e faça sua inscrição no Curso de Atualização em Clínica Integrada, por apenas oito parcelas de R$ 150,00. O curso é semanal e realizado às terças-feiras, das 8h30 às 17h30. O curso é coordenado pelo professor Miguel S. Haddad Filho. ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA Inicio em 14 de março de 2012 e término em 19 de março de 2014. A periodicidade do curso é semanal (quartas-feiras, das 14h às 22h). Investimento 24x de R$ 950,00 ou 18x de R$ 1.140,00. Coordenador: Orlando Magalhães Filho. EXEMPLO DE DEDICAÇÃO, PROFISSIONALISMO E FIDELIDADE Milzo José Bellato e Homero Gastaldo são alunos da EAP no Curso de Atualização em Implantodontia. Até aí nada de mais! Ocorre que esses colegas

têm 76 e 77 anos, respectivamente. São alunos da terceira idade e possuem 50% de descontos nos cursos de atualização. Milzo José Bellato é formado pela USP de Ribeirão Preto e tem 55 anos de profissão. É casado, tem dois filhos e três netos. Fez curso de especialização em Radiologia na EAP ainda na Rua Humaitá. Desde então fez todos os cursos de atualização na EAP. Com orgulho relata que tem mais de 140 diplomas de cursos realizados na EAP. Optou pelo curso de Implantodontia, pois ainda realiza atendimentos na Praça da Árvore. Homero Gastaldo formou-se há 53 anos pela Fousp. Também casado, tem dois filhos e dois netos adultos. Sua esposa o ajuda na clínica e atende na Mooca. Homero participou de quase todos os Congressos realizados pela APCD. Estimulado por colegas e para ampliar seus conhecimentos resolveu cursar Implantodontia. Milzo e Homero são exemplos de dedicação e amor à profissão. A EAP se sente privilegiada em ter entre seus alunos os colegas Milzo e Homero que representam todos os demais profissionais da terceira idade.

MÉDICO ENALTECE A ODONTOLOGIA NA RÁDIO JOVEM PAN Mauricio Wajngarten, famoso e competente médico cardiologista e geriatra também é consultor médico da Rádio Jovem Pan e constantemente faz esclarecimentos a população sobre a saúde do coração. Não raramente Wajngarten orienta os ouvintes sobre a importância de uma higiene bucal adequada beneficiando o coração e que deve ser orientada pelo Cirurgião-Dentista. Mauricio é daqueles médicos que valoriza o exame clínico e atende seus pacientes com carinho. Sua sabedoria é conhecida internacionalmente. Está ligado ao Incor e a FMUSP, onde presta relevantes serviços. É irmão do Cirurgião-Dentista e Professor Isidor Wajngarten. Ao Dr. Mauricio, nossos agradecimentos por enaltecer a Odontologia na mídia.

Mauricio Wajngarten

Twitter da EAP Siga a EAP APCD pelo twitter @eapapcd. Fale conosco!

Homero Gastaldo e Milzo Bellato


34

APCD Jornal - Março 2012

Lançamentos Conheça o novo implante Cone Morse Inovador! É assim o design do novo implante Cone Morse da Dentoflex. Com um corpo com núcleo cônico e três formatos diferentes de espiras, o implante Supreme apresenta, também, microespiras na plataforma protética do implante, além de possuir um assentamento protético menor em comparação ao diâmetro de sua plataforma, o que confere ao implante um conceito de plataforma switch. O passo de rosca largo aliado a dupla rosca permite uma inserção mais rápida e menos traumática do implante em qualquer tipo de osso. Sua conexão do tipo Morse permite ao Cirurgião-Dentista a instalação em três situações clínicas possíveis – ao nível de crista, 1,0mm ou, ainda, 2,0mm abaixo da crista óssea. n

Informações: Tel.: (11) 2065-2155 ou 0800774-2155 Site: www.dentoflex.com.br E-mail: vendas@dentoflex.com.br

A FGM Produtos Odontológicos desenvolveu o Top Comfort, lançamento que oferece solução eficaz e exclusiva para prevenção de lesões em tecidos moles bucais provocadas por dispositivos ortodônticos. Top Comfort é uma resina fotopolimerizável indicada para revestir e arredondar partes agudas de bráquetes, tubos e outros dispositivos fixos que estejam em contato com a bochecha ou língua. Desta forma, evita e alivia lesões, proporcionando conforto para o paciente durante a mastigação e a fonação. Top Comfort vem pronto para o uso a partir da seringa e sua viscosidade torna fácil a aplicação, sem risco de escoamento excessivo. O

material é fixo aos dispositivos por embricamento mecânico e torna-se rígido após fotoativação. Devido a ficar retido ao bráquete por mais tempo (em média 40 dias), permite a recuperação de uma eventual lesão e evita necessidade de reaplicações constantes. Outra vantagem é a estética, pois tem alta translucidez não interferindo negativamente no sorriso. O produto proporciona alto rendimento – cerca de 125 aplicações por seringa – e, após aplicado ao dispositivo fixo, apresenta dosada resistência para não ceder durante os trabalhos das reconsultas mensais. Além disso, pode ser removido sem dificuldades com pequeno

alicate quando necessário. “Top Comfort é fácil de aplicar, possui excelente tixotropia, adere facilmente ao bráquete e não solta, proporcionando conforto e segurança pelo tempo que for preciso. Em casos onde a mucosa já apresentava lesões provocadas pelo aparelho, o produto foi aplicado e houve a regressão”, relata o Dr. Luis Fischer, mestre em Ortodontia (Unicid) e professor de Ortodontia da ACPPO, que realizou testes clínicos com o produto. n Fonte: FGM

Linha flex de suctores

Fonte: Dentoflex

Nova Bomba a vácuo super silenciosa Acrous Mais uma vez a Acrous surpreendeu seus clientes com um equipamento totalmente automatizado, muito prático e ultra-silencioso. n

Informações: Tel.: (16) 3011-4666 ou 3234-9000 Site: www.acrous.com.br A Acrous obteve muitos elogios e muito sucesso com o lançamento da nova Bomba a vácuo portátil, modelo Silent Vaccum no CIOSP 2012. Com mais de 10 anos de experiência na fabricação de Equipamentos a Vácuo, atendendo a muitos pedidos, a Empresa projetou um novo equipamento elétrico portátil, que não utiliza água, não requer instalação especial, é a mais silenciosa do mercado e proporciona ao profissional uma aspiração com fluxo contínuo, ideal para cirurgias com grande demanda de irrigação, sangue, coágulos etc.

FGM lança produto inovador para proteção de bráquetes ortodônticos

Fonte: Acrous

A atividade do Cirurgião-Dentista expõe seus pacientes, equipe, familiares e o mesmo a um ambiente microbiano altamente agressivo. Veja o risco em números, de acordo com Portal Biológicas e Portal da Saúde: Hepatite C: 180 milhões de infectados Hepatite B: 350 milhões de portadores crônicos HIV: 36 milhões de portadores Diante desse cenário, as preocupações dos Cirurgiões-Dentistas é ga-

rantir que o consultório esteja protegido contra estes agentes causadores de doenças infecciosas, garantindo a segurança de todos os envolvidos no tratamento odontológico. Nesse contexto, a Angelus desenvolveu uma linha de suctores produzida em polímero de alta performance que permite esterilização em autoclave, garantindo que todos os suctores, inclusive o de saliva, mantenha biossegurança. A Linha Flex apresenta uma série de vantagens para o profissional de Odontologia, tais como: •  Não oxida com o uso; •  Design que facilita o manuseio; •  Pré-angulação que permite melhor posicionamento na cavidade oral; •  Garantia de esterilização;

•  Formato e rigidez permitem o afastamento da bochecha e língua. Confira os suctores da linha flex: Suctor cirúrgico Estéril e mais conforto durante a manipulação, para sucção em procedimentos cirúrgicos. Suctor endodôntico Conjunto suctor e pontas cambiáveis estéreis, para sucção de líquidos irrigadores na Endodontia. Suctor de saliva Único suctor de saliva em polímero autoclavável do mercado, para sucção de saliva. n Fonte: Angelus


APCD Jornal - Março 2012

35

Acontece TESES E DISSERTAÇÕES

Da esquerda para a direita, Matsuyoshi Mori, Waldyr Antonio Jorge, Rubens Maciel Filho, Silvio Eduardo Duailibi (orientador), o doutorando Flávio de Ávila Kfouri e Israel Chilvarquer

No dia 12 de agosto, o Cirurgião-Dentista, Flávio de Ávila Kfouri, defendeu a tese de doutorado pela Unifesp, intitulada “Interface osso-implante dental de titânio produzida por cirurgia piezoelétrica”. A banca foi composta pelos Professores Matsuyoshi Mori, Waldyr Antonio Jorge, Rubens Maciel Filho, Silvio Eduardo Duailibi (orientador), Flávio de Ávila Kfouri e Israel Chilvarquer. n

Carlos Magno da Costa Maranduba, Glauco Fioranelli Vieira, Maria Stella N. A. Moreira, Leila Soares Ferreira, Márcia Martins Marques e Antônio Carlos Guedes Pinto (Professor Titular e Pró-Reitor de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade Ibirapuera)

No dia 15 de setembro, a Cirurgiã-Dentista, Leila Soares Ferreira, defendeu sua tese de doutorado em Dentística, intitulada “Efeitos da fototerapia com laser em baixa intensidade e dos fatores de crescimento PDGF e BMP-2, isolados ou em associação, na diferenciação ósseo/odontogênica de células-tronco de polpa dentária humana”. A banca foi composta pela orientadora Márcia Martins Marques (Profa. Titular do Departamento de Dentística da Fousp), Antônio Carlos Guedes Pinto (Professor Titular e Pró-Reitor de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade Ibirapuera), Glauco Fioranelli Vieira (Professor Associado do Departamento de Dentística da Fousp), Carlos Magno da Costa Maranduba (Professor Adjunto do Laboratório de Genética do Instituto de Ciências Biológicas da UFJF), e Maria Stella N. A. Moreira (Professora Assistente do Curso de Pós-Graduação em Biodontologia). n

VII Confraternização da Macro 11 em Ilha Grande Entre os dias 09 e 12 de fevereiro, foi realizado a VII Confraternização da Macro 11, com a participação de amigos e familiares das Regionais Ipiranga, Jardim Paulista, Lapa, Penha, Pirituba-Perus, Santo Amaro, São Miguel Paulista, Saúde, Vila Prudente e da Central, na paradisíaca Ilha Grande. Houve  passeios  diários de escuna para outras praias e ilhas com serviço de praia e lanche inclusos. As praias visitadas  foram  praticamente privativas do grupo. Também foi feito um passeio à Vila do Abraão, com muitas lojas de artesanato e roupas. Foi feita uma pequena travessia com a participação de

adultos e crianças, todos muito animados em nadar, e mais ainda com a premiação. Esse evento vem transformando o grupo em uma família.

A VIII Confraternização já está marcada para os dias 14, 15, 16 e 17 de março de 2013. n

Texto: Silvia Sugaya


36

APCD Jornal - Março 2012

Cultura e lazer Top 5

Twitter e Facebook

Confira as dicas

Siga a APCD no Twitter: @apcdcentral

culturais do momento

e curta a APCD também no Facebook: facebook.com/apcdcentral

Crônica Maria Lucia Zarvos Varellis

Cirurgiã-Dentista associada da APCD

varellis@uol.com.br

No princípio éramos apenas parte de Adão - a Costela Talvez porque as Costelas sejam o arcabouço do tórax, que abriga dois pulmões e um coração, vitais para a sobrevivência, Deus tenha escolhido uma parte nobre do esqueleto para criar a mulher. Do barro saímos. Veio então a possibilidade do estudo. Surge no Brasil, em 1827, a primeira legislação relativa à educação de mulheres; a lei admitia meninas apenas para as escolas elementares, não para instituições de ensino mais adiantado. Em 1879, o Governo Brasileiro abriu as instituições de ensino superior do país às mulheres; mas as jovens que seguiam esse caminho eram sujeitas a pressões e à desaprovação social. Assumimos a posição dos homens nas frentes de batalha do pós-guerra. O óbito ou a mutilação fizeram com que as mulheres assumissem os negócios, em busca da sobrevivência da família. Antes, porém, das frentes de batalha, em 1908, trabalhadoras de uma fábrica têxtil de Nova York, declararam greve. Para a incineração foi apenas mais um passo. Lutando por uma jornada de trabalho de 10 horas e direito à licença-maternidade, 129 mulheres viraram cinzas, quando o dono da indústria trancou-as no interior da mesma e mandou atear fogo, no dia 8 de março. Mas foi com a possibilidade do voto, que as mulheres foram ganhando mais força, conquistando o direito de eleger seus governantes. Um direito obtido por meio do Có-

CONTO Mariana parou o carro no único restaurante daquela cidadezinha, torrando ao sol das 11 horas. Uma garota beirando 15 anos veio atendê-la toda sorridente. O almoço ia começar às 12 horas, mas a moça nem perceberia a espera, podia ver a igreja, o cemitério ou a praça, era bonito, valia a pena. Mariana aceitou, estava com fome, morta de cansaço, ficava ali mesmo no terraço mais fresco, depois de comer seguiria viagem. Foi buscar a prima que ficara no carro, uma folgada, cuja filosofia era: em férias ninguém devia esquentar a cabeça. Julieta acompanhou Mariana meio contra a vontade, lugar modorrento e parado sem nada para ver, deveriam ter ido até a praia só mais quarenta quilômetros

digo Eleitoral Provisório, de 24 de fevereiro de 1932, mas uma conquista incompleta, uma vez que o código permitia apenas que mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar. O voto passou a ser livre a partir de 1934 e obrigatório em 1946. Já não nos satisfazia apenas o aprendizado de bordado e culinária, de puericultura e piano, queríamos mais e fomos para a universidade, optando por uma carreira profissional que garantisse a sobrevivência e um pouco mais de liberdade. E a presença da mulher nas universidades ganha força no século XX. Chegamos à engenharia civil, passando pelo direito, economia, medicina e administração, áreas antes essencialmente destinadas aos homens. A vida abriu-se num feroz carrossel. Rapidamente ocupamos os espaços que eram possíveis de serem ocupados. De repente já éramos não mais apenas o sexo frágil, as parideiras de uma grande prole, para a qual dedicávamos incansáveis, cada segundo de nossas vidas. Éramos também Cirurgiãs-Dentistas, médicas, juízas. Passamos a ter colocações e vencimentos antes nunca imaginados. Mas ainda era pouco. Não apenas abandonamos as trincheiras do pós-guerra e ganhamos a formação profissional, o direito ao voto e a remuneração justa, mas

passamos a caminhar lado a lado com o homem em cenários nunca antes imaginados – até chegar à Presidência da República, uma realidade no Brasil e em outros países. Quando pensamos em Joana D´Arc (ano 1412), Santa Cristina (ano 300), Santa Apolônia (ano 248), exemplos de mulheres que sofreram torturas até chegar à morte, por defenderem o direito de expressar suas opiniões, constatamos efetivamente que o mundo mudou. Longe de querer transformar este pequeno texto num discurso feminista, quero sair em defesa da mulher. O pulo do gato da história aí está: apesar de todos estes avanços, ela continuou mulher. Ela se perfuma para seu amado, aninha a cria em seu regaço, administra seu lar com maestria, prepara a refeição e a coloca sobre a mesa e regozija-se ao ver a família em torno dela reunida para se deliciar, com as crianças gargalhando, depois da sua jornada de trabalho, de ter cuidado da casa, não antes de ter choferado as crianças e ter feito as compras do supermercado. Esta mulher plural, multifacetada, capaz de realizar inúmeras tarefas ao mesmo tempo, profissional, mãe, esposa, filha, companheira, botão em flor que brota e desabrocha a cada amanhecer, esta mulher é você. E a coluna deste mês é especialmente dedicada a você, mulher encantadora, que com sua arte e ciência empresta graça, elegância e competência à Odontologia. n

Profissionais - Nordeste/Brasil adiante... Mariana fingiu que não escutou, as reclamações logo passariam. Mas não passaram. Para evitar discussão largou a "mãe das queixas" sem dizer nada, na rua decidiria que rumo tomar. Parou na calçada meio perdida, viu cinco ou seis rapazes sentados em um muro baixinho em frente ao restaurante. Um deles atravessou a rua, andar sossegado, jeito amistoso, camisa fora da calça, também com tanto calor. Chegou, cumprimentou tocando a mão na aba do chapéu. Mariana pensou: "É educado"! Estava certa, não teve medo, era apenas um matuto inofensivo que tinha visto a placa do carro dela: São Paulo. Alguma vez ainda queria conhecer, mas por enquanto não dava; e ela, procu-

rava o quê naquelas bandas? Mariana respondeu: - Estou passeando. O homem duvidou, ali ou nas redondezas não havia beleza nenhuma para ser vista, só quem carecia de um serviço bem feito aparecia naquele fim de mundo. Resolveu tomar a dianteira, mulheres sempre eram piores que os homens na hora do definitivo. Ofereceu seus préstimos, trabalho limpo, não deixava rastro algum, pagamento metade antes metade depois do feito. Se fosse longe, a despesa era por conta dela. Era profissional, ele e os amigos - os que estavam sentados na mureta. Contando no tempo, tinha para mais de 10 anos no ramo e nunca falhara. O coração de Mariana acelerou na medida em que foi ouvindo e entendendo

a conversa do homem; relanceou o olhar na direção dos outros, também profissionais, esperando tranquilos a chegada de algum "serviço”. Julieta veio chamar, o almoço ficou pronto. - Vai dona, depois a gente acaba a conversa - disse o homem. - Agradeço, mas não preciso, de verdade - respondeu Mariana. Ele ainda reclamou do calor, abanando a camisa, e mostrou despreocupado o revólver calibre 38 preso na cintura brilhando ao sol do meio dia. VERÍDICO. n

Por Odette Mutto Associada da APCD e Membro do Comitê dos 100 anos


APCD Jornal - Março 2012

37

ESPAÇO CULINÁRIO Roger Waters traz turnê The Wall Live para o Brasil

TOP

5

Roger Waters, um dos fundadores da extinta banda de rock britânica, Pink Floyd, traz sua turnê The Wall - Live para o Brasil. O show, escrito e produzido por Waters e apresentado pela primeira vez pela banda em 1980, contará com os efeitos especiais criados pelo cantor na época, como as imagens do cartunista Gerald Scarfe, o avião batido, o som quadrifônico e o porco voador. Tudo isso aliado às tecnologias mais recentes. As apresentações começam em 25 de março, em Porto Alegre, passa no dia 29 pelo Rio de Janeiro; e no dia 31 de março e 1º de abril por São Paulo. Informações: www.t4f.com.br

Filme brasileiro, Xingu, estreia dia 6 de abril

Com João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat no elenco, o filme conta a história dos irmãos Villas-Bôas que se alistam na expedição Roncador-Xingu e partem em uma missão desbravadora pelo Brasil Central. Numa viagem sem paralelo na história, os três conseguem fundar o Parque Nacional do Xingu. Baseado em uma história real, o Drama Xingu estreia nos cinemas em 6 de abril.

O Libertino: ainda dá tempo de assistir ao espetáculo

Ficará em cartaz até o dia 1o de abril, no Teatro Cultura Artística Itaim, a peça O Libertino. Com direção de Jô Soares e Cassio Scapin no elenco, o espetáculo é uma adaptação da comédia do dramaturgo Éric-Emmanuel Schmitt, um dos maiores nomes da dramaturgia contemporânea. O texto conta a história do filósofo francês Denis Diderot (1713-1784) e suas relações com temas como poder, sexo e ética. Tudo transformado em uma grande comédia. Informações: www.culturaartistica.com.br.

Exposição de Portinari fica até dia 21 de abril no Memorial da América Latina

“Guerra” e “Paz”, as últimas e maiores obras do artista plástico Cândido Portinari, ficarão em exibição no Memorial da América Latina, em São Paulo, até 21 de abril. Além das telas, estão sendo exibidos de forma inédita aproximadamente 100 estudos preparatórios da obra, bem como uma interface digital, com projeções e vídeos. Com entrada gratuita, a visitação deve ser feita de terça a domingo, das 9h às 18h. Saiba mais em www.memorial.sp.gov.br.

Titans Of Rock dia 22 de abril em São Paulo

21 de março é o início do outono. Época de renovação, em que as folhas velhas caem da árvore para dar lugar a uma nova paisagem. Pensando nisso, o APCD Jornal separou a receita de uma receita de bolo que tem a cara da estação, e é uma sobremesa deliciosa. Confira:

Bolo de Folha de Outono Ingredientes: 170 g de farinha; 170 g de açúcar; 3 gemas de ovos; 1 ovo; 200 g de manteiga; 2 colheres (chá) de fermento em pó; 1/2 xícara (chá) de cacau em pó. Cobertura 200 g de chocolate para culinária; 1 frasco de doce de damasco; 125g de miolo de amêndoa; 1 colher (sopa) de manteiga sem sal; 125g de açúcar em pó. Modo de preparo: Bata o açúcar com a manteiga muito bem e, depois, junte as gemas, uma a uma e o ovo inteiro. Acrescente a farinha misturada com o fermento e o cacau e por fim envolva as claras batidas em neve firme. Leve o bolo para assar num tabuleiro untado e polvilhado com farinha. Desenhe num papel uma folha de videira ou de hera com as dimensões aproximadas do tabuleiro. Depois do bolo assado, coloque o molde já recortado sobre o bolo e seguindo o molde recorte o bolo. Cubra todo com o doce de damasco, tampe com a cobertura de chocolate. Cole a amêndoa torrada e picada em toda a volta do bolo e, no topo, com glacê branca, desenhe os veios da folha. Deixe secar e sirva com chantilly, apresentado à parte numa taça. Cobertura Derreta o chocolate para culinária em banho-maria. Acrescente 1/2 xícara (chá) de água quente e a manteiga sem sal. Bata energicamente e coloque sobre o bolo. Depois de seca a cobertura, decore com glacê branca simples. Quer participar do Espaço Culinário do APCD Jornal? Envie sua receita com foto para o e-mail redacao@apcdcentral.com.br.

O baixista da banda Kiss, Gene Simmons, começa a rodar a América do Sul em abril para apresentar seu projeto paralelo, Titans Of Rock. No Brasil, a banda toca dia 21 de abril em São Luís do Maranhão (durante o festival Metal Open Air) e dia 22 em São Paulo. O Titans Of Rock conta com a participação de ex-integrantes de bandas clássicas como Guns N’ Roses, Metallica, Deep Purple e Mötley Crüe, além de convidados especiais. Ainda não há informações sobre a organização dos shows e venda de ingressos em São Paulo.

Por Swellyn França


38

APCD Jornal - Marรงo 2012

Didรกticos



Março de 2012 Ano 46 - N°659