Page 1

Viajantes PINTURA, ESCULTURA, JOALHARIA, GRAVURA E OBJETOS

Inês Almeida Saskia Moro Paulo Neves

Galeria Municipal do Montijo


Viajantes PINTURA, ESCULTURA, JOALHARIA, GRAVURA E OBJETOS

Inês Almeida Saskia Moro Paulo Neves

12 outubro a 23 novembro 2019 Galeria Municipal do Montijo

Realizada em parceria com


A Arte busca o pensamento crítico em relação ao mundo que nos cerca, criando uma relação entre a arte e a vida. A exposição coletiva “Viajantes” é disso um exemplo, convidando-nos a refletir sobre a vida, sobre o jogo da vida, que muitas vezes nos obriga a deixar o nosso local de origem em busca de uma vida melhor ou até em busca da nossa devoção. Saskia Moro faz uma reinterpretação de jogos tradicionais, dando-lhes um “novo contexto artístico, enquadrado por textos multilíngues” que descrevem “regras de vida e até novas regras”, para que os reinventemos. Inês Almeida reflete sobre migrações, sejam voluntárias ou não, construindo objetos para migrantes “com o poder de tornar o caminho melhor, objetos que nos fazem acreditar que não existem só portos de fuga, mas também portos de abrigo”. Paulo Neves traz-nos os seus “Romeiros” (peregrinos), figuras dotadas de “autoridade divina” que seguem numa viagem a um lugar sagrado, mostrando que a vida é também ela uma peregrinação, um jogo de causalidades que implica a entreajuda, tolerância, o respeito e tantos outros valores, muitas vezes esquecidos. Nesta segunda exposição do ciclo “Encontros e Reencontros”, que celebra os 20 anos da nossa Galeria Municipal, convidámos três amigos que se reencontram neste espaço que é de todos nós, por isso vos convido a participar neste reencontro com eles e com as suas obras artísticas!

O Presidente da Câmara Municipal

Nuno Ribeiro Canta


Inês Almeida Migrações ou ideias e peças em construção, aquelas que por vezes também migram. As migrações não param. São um assunto recorrente, impactante e muitas vezes trágico. Nos últimos anos as migrações do Médio Oriente, África ou América central têm entrado nas nossas vidas, nas nossas casas, nos nossos corações. Em 2001, tive uma experiência como voluntária com migrantes de África e Médio Oriente. Nesse período, em contexto escolar, construí um escapulário, uma peça que ajudasse o caminhante, protegendo-o do passado e lhe desse sorte para a sua jornada futura. Agora, volto a construir objectos para migrantes. Caixas cheias ou vazias com o poder de tornar o caminho melhor, objectos que nos fazem acreditar que não existem só portos de fuga, mas também portos de abrigo. As fotografias em Polaroid são um registo de algumas das peças em corpos que foram marcados pela viagem. “Corpos Viajantes” são protagonistas de viagens voluntárias ou involuntárias. Nestas fotos a jóia não é o foco, mas o corpo que a transporta e a história que traz consigo. Realizadas com uma técnica (pasta de pedra, as gravuras permitem-nos sentir toda a matéria impressa no papel. Transmitem a conquista, o silêncio, a perda, o vazio de uma viagem. Sensações de um mergulho no fundo do mar. Inês Almeida, 2019


Inês Vespeira de Almeida inesv.almeida@gmail.com Lisboa, 1977 Profissionalização em Técnicas Especiais. Universidade Aberta. Lisboa (2016). Mestrado de Ensino em Artes Visuais para o 3.º ciclo e Secundário, Universidade de Lisboa, (2014). Licenciatura em Design no Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing de Lisboa (IADE). Equivalência da licenciatura realizada na Escola Massana Centre d’Art i Disseny em Barcelona, (2008/2009). Licenciatura em Art & Design com especialização em Joalharia na Escola Massana Centre d’Art i Disseny, vinculada à Universidade Autónoma de Barcelona. Tese de licenciatura: “Forjadores de caminos. Los pueblos nómadas y el metal como simbolo de identidad”, com orientação de Ramón Puig Cuyás (Barcelona, Espanha), 2000/2003. Curso de Artes Aplicadas com especialização em Joalharia, Escola Massana Centre d’Art i Disseny (Barcelona, Espanha), (1996/2000). Curso Técnico Profissional de Ourivesaria e Metais de Arte na Escola Secundária Artística António Arroio (Lisboa, Portugal), (1992/1995). Exposições 2018 Inês Almeida, ring weimar Gallery. Weimar, Alemanha. 2017 “Matéria Comum”, Trabalhos de David de Almeida e Inês Almeida, Galeria Municipal, Montijo. 2013 “Luz que se enche de ar. Um caminho dois percursos”, Inês Almeida e Lia Morais, Galeria World Legend, Lisboa. 2009 “Longe, no outro lado”, Galeria da Biblioteca Municipal de Alcochete. 2004 “Exposició: Barcelona inside/ out”, Galeria Montcada Taller (Barcelona) 2003 Galeria Montcada Taller (Barcelona). Galeria Lino António, Escola António Arroio (Lisboa) 2002 “Materia Sensible”, Centre Catalá de Artesania (Barcelona); “Exposição colectiva final de ano”, Galeria Municipal do Montijo, (Montijo, Portugal). 2001 “Balanced”, Museu de l’Art de la Pell (Vic, Espanha). “La poética del origen”, Centro Cívic del Carmel, Exposição integrada na Primavera del Diseño (Barcelona, España); Exposição permanente na Galeria Valbom (Lisboa, Portugal). 2000 “Balanced”, Galeria Zijsprong (Antuérpia, Bélgica). “Tu y yo - Un encuentro”, Galeria Forum Ferlandina (Barcelona, Espanha). “Futurs Possibles”, La Capella (Barcelona,

Espanha). “The annual international graduate exhibition”, Galerie Marzee (Nijmegen, Holanda). “La Joia Creada”, Fachhochschule Düsseldorf (Düsseldorf, Alemanha). Exposição no Montcada Taller (Barcelona, Espanha). 1999 “Talente 99”, Exposição organizada pela Internationale Handwerksmesse München (Munique, Alemanha). “El diseño como compromiso”, exposição integrada no V Festival de la Primavera del Diseño, Escola Massana (Barcelona, Espanha). “La funció retrobada”, Ars Ornata Europeana - VI Simpósio Internacional de Joalharia Contemporânea, Escola Massana (Barcelona, Espanha). “Jov’Arte”, Câmara Municipal de Loures no Pavilhão Paz e Amizade (Loures, Portugal). 1998 “El paisage més próxim”, La Capella (Barcelona, Espanha). Prémios 2016 Certificado de excelência no Arts & Crafts Design Awards 2015 (Istrien, Croácia) 1999 Primeiro prémio e Menção honrosa na Exposição e Concurso de Joalharia Jov’Arte, organizado pela Câmara de Loures (Loures, Portugal). Bibliografia . GILBEY, Nina; CHEESEMAN, Bekkie - Colour and textures in Jewellery - Marlborought; Cromwood, 2019. Pág.64 . FENN, Mark - Narrative Jewelry: Tales from the Toolbox. Schiffer Publishing, 2017. Pág.14 . LEYS, Nika - Jewel Book, Internatinal Annual of contemporary Jewel Art 12/13. Bélgica: Stiching Kunsboek, 2012. Págs.42-43 . ESTRADA, Nicolas - Anillos, 500 creaciones artísticas de todo el mundo - Espanha: Promopress 2011, Pág.238 . BÖCK, Angela - Talente`99. In Kunsthandwerk & Design, Janeiro/Fevereiro 1999, Pág.9 . GASPAR, Mónica - Jovenes propuestas de la Joyería contemporanea em Barcelona. In Arte & Joya, Março 2000, Pág. 143 . “Do autor à autoria. Construção de uma caixa/relicário. Projecto e Tecnologias de ourivesaria, 11.º ano.”, Artigo publicado na revista Matéria-Prima N.º 1 Práticas Artísticas no Ensino Básico e Secundário. Janeiro-Junho 2013. Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Centro de investigação e de estudos em Belas-Arte. (P.276-283)


Saskia Moro Em Homo Ludens (1938) J. Huizinga afirma que ‘sem um certo desenvolvimento de uma atitude lúdica, nenhuma cultura é possível‘. Os jogos estão intimamente ligados à cultura de cada povo e ignoram fronteiras. Os jogos educam a nossa percepção e o modo de reação contra o acaso... são experiências formalizadas que nos ajudam e divertem. A reinterpretação de jogos, que aqui apresento, baseia-se em jogos tradicionais conferindo-lhes um novo contexto artístico, enquadrado por textos multilíngues, que servem de quadro ou registro. Textos que descrevem regras de vida, ou regras para reinventá-las, e porque não, para ignorá-las. Viagens que cada um faz, porque os caminhos da vida se escolhem jogando, uns a sério e outros a brincar. Saskia Moro, 2019


Saskia Moro www.saskiamoro.com Londres, 1967 Em 1985 iniciou os seus estudos na Faculdade de Belas Artes de Madrid e termina o doutoramento em 1993. Formou o Colectivo C.H.A.P.A.S. Em 1991 participou na XXI Bienal Internacional de São Paulo, Brasil. Bolseira da Fundación Pilar e Joan Miró, em Mallorca entre 1995 e 1996. Desde 1989 que participa em diversas exposições coletivas em Espanha, Portugal, Holanda, França, Brasil e Índia. Em 1995 realiza a sua primeira exposição individual ‘Pinturas, gravuras e objectos’ no Instituto Cervantes, Lisboa. Exposições (Resumo) 2019 ‘A vida é um jogo/ Life’s a game’, Flores do Cabo, Sintra, Lisboa 2018 ‘¡JUEGA! te toca...’, La Factoría de Papel, Madrid. ‘GRÁFICA’, La Maleta, galería de arte, Valladolid 2017 ‘MEMÓRIA, entre céu e água’, Galeria Municipal do Montijo, Lisboa 2016 ‘Ausência’ - Galeria Valbom, Lisboa

2015 ‘Foi no mar que aprendi‘ – CPS - C. C. de Belém, Lisboa 2013 ‘Distancia’ - Galería EGAM. ‘Alem Mar’ - Galeria Valbom, Lisboa 2011 ‘Schilderijen’ - Galerie Clement. Amsterdão 2009 ‘Terras de Azeite’ - Galeria Valbom, Lisboa 2008 ‘Landschappen van water en olijfolie’ Galerie Clement, Amsterdão 2004 ‘Olhar além’ - CPS, Lisboa 2003 ‘Tiempos de Silencio’- Sala El Brocense, Cáceres. ‘Sobre la raya’ - Sala COADE, Badajoz· Galería Milagros Delicado, Pto. Santa María, Cádiz 2002 ‘À procura do Tempo’ - Teoartis Galeria E, Évora 2001 ‘Mareas’ - Galería Estiarte, Madrid 1998 ‘Tajo/Tejo’ - Mãe d’Água, Lisboa Representada em colecções públicas e particulares, tais como: Biblioteca Nacional em Madrid, Congreso de los Diputados em Madrid, Museo del Grabado Contemporâneo em Marbella, Málaga, Argentaria Banco Bilbao Vizcaya, Banco Santander Central Hispano, Espanha, Companhia de Seguros Fidelidade e Tranquilidade/ Vida, Barclays Bank, Ordem dos Economistas, Lisboa e Pousadas de Portugal, Leiria.


Paulo Neves Como poderemos então admirar-nos se estas peças tornam presente a natureza sem imitar e é essa a sua modernidade, mas transfigurando-a à medida de energias ocultas, de formas imaginadas pelo artista, ditadas pelo imprevisto, pelo poder oculto da matéria? A natureza também cria, a criação na escultura de Paulo Neves é claramente partilhada, com uma humildade que não esconde a mestria técnica e a riqueza do seu imaginário. Assistimos a um ritual antigo, a um corpo a corpo com a matéria, a uma troca de poderes, de fluídos, de segredos até que a matéria é de novo habitada, se torna detentora de uma nova alma, de um ser, que é o ser das estátuas e o ser do mundo revisto pelo olhar do escultor. (...) A vida de que nos falam é uma vida de antes da vida, uma vida de depois da vida, um nascimento anunciado. Esfíngicas, com a majestade dos totens e das esculturas primitivas, eles guardam silêncio sobre o seu conhecimento e sobre o seu mistério. Elas são do mundo, das árvores, dos objetos... (...) Paulo Neves reencontra com o primitivo, o maravilhoso no quotidiano. E é esse encontro que hoje nos proporciona a sua escultura. Maria João Fernandes, in “Matéria Habitada”, 1989


Paulo Neves www.paulonevesescultor.com Nasceu em Cucujães, Oliveira de Azeméis, em 1959. De 1978 a 1981 conviveu e trabalhou com diversos artistas em vários países da Europa. Expõe individualmente em Portugal e no estrangeiro desde 1980. Foi em 1999 que começou por conquistar prémios e menções honrosas, ganhou vários concursos públicos e concebeu vários galardões e troféus. A sua obra pública encontra-se de norte a sul de Portugal e também no estrangeiro. Está representado em vários Museus, Universidades, Fundações, Bibliotecas, Câmaras Municipais, Empresas, Escolas e Hotéis por todo o país, nomeadamente nos Açores e Madeira. Portugal: Museu de Arte Moderna do Porto; Aeroporto Internacional do Porto Santo, Madeira; Águas do Douro e Paiva; Altar de S.ta Cristina, Felgueiras; Vila Franca de Xira “Monumento à Mulher”; Banco Borges & Irmão; Banco Português do Investimento; Biblioteca Camilo Castelo Branco, Famalicão; Biblioteca Raul Brandão, Guimarães; Biblioteca Municipal de Ponte de Sor; Capela do Seminário de Valadares; Capela de Santo Tirso; Casa da Cultura Barbot, Gaia; Casa da Cultura, Ovar; Casa da Cultura, Santa Cruz, Madeira; Estação CP, Guimarães; Fac. Medicina da Universidade do Porto; Fersil Portugal; Fundação Jorge Antunes; Grupo Eurico Ferreira; Grupo Ferpinta; Grupo SANA Hotels; Hotel Clift Bay, Madeira; Hotel Porto Santo, Madeira; ICEP, Palácio da Bolsa, Porto; Igreja de Baltar, Paredes; Igreja de S.to Andrião, Vizela; Igreja de Sto Estevão, Barrosas, Lousada; Igreja de São Jorge de Várzea; Igreja de Sernande, Felgueiras; Madeiporto, Porto; Monumento às Vitimas do Aluvião, Madeira; Monumento a Fernando Pessoa, S.ta Maria da Feira; Museu de Arte Moderna, Madeira; Museu Alberto Sampaio, Guimarães; Museu Amadeo Sousa Cardoso; Museu da Electricidade e Casa da Luz, Funchal, Madeira; Porto Palácio Hotel, Porto; Pousada de Arraiolos; Santuário de Fátima; Termas das Caldas de S. Jorge, Santa Maria da Feira; Universidade de Aveiro; Câmaras Municipais de: Alfândega da Fé, Belmonte, Braga, Câmara de Lobos, Cantanhede, Cascais, Chaves,

Esposende, Ílhavo, Macedo de Cavaleiros, Oliveira de Azeméis, Ovar, Penedono, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Sernancelhe, Vale de Cambra, Viana do Castelo, Vila Verde, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Famalicão, Vila Pouca de Aguiar, Vinhais, Viseu, Vouzela; Juntas de Freguesia de: Armação de Pêra, Birre, Canelas, Carcavelos, Darque Lugar das Eiras, Felgueiras, Lugar da Quintã, Margaride, Nogueira do Cravo, Ovar, Parede, S. João da Pesqueira, S. João do Estoril, S. Xisto, Vila de Cucujães, Vila do Prado; etc. Estrangeiro: Angola - Grupo Ferpinta; Luanda Grupo SANA Hotels; Viana Fil Tubos Angola; Bélgica - Antwerpen/Anvers; Brasil - Maracana; Alemanha - Donaueschingen Museum Biedermann; Espanha - Grupo Ferpinta; Coruña Mercado Elviña; Coruña Paços de Marinã; Coruña Union Fenosa Museo Arte Contemporanea; Galiza Museu de Lugo; Madrid Universidad La Salle; Vigo Parque de Castrelos, Jardins do Paço; Itália - Bélvi Sardanha; Sardenha San Sperate; Marrocos - Marrakeche Hotel Riad; Moçambique - Grupo Ferpinta; Maputo Grupo Eurico Ferreira; Roménia - Pitesti; Prémios: . 1.º Prémio Concurso ‘Elementos Escultóricos e Baixos Relevos para Revitalização da Zona Histórica de Viseu’, Câmara Municipal de Viseu, 1999; . Menção Honrosa no Concurso ‘Monumento ao 25 de Abril’, Porto, em 1999; . 1.º Prémio Concurso para Monumento ao Magriço, Penedono, em 2000; . Menção Honrosa no Prémio Nacional de Escultura/ Homenagem a Aureliano Lima, Gaia, em 2000; . Prémio Águas do Minho e Lima, XIII Bienal de Cerveira, 2005; . Prémio Aquisição XIV Bienal de Cerveira, Fundação Eugénio de Almeida, 2007.


Fichas Técnicas Ficha Técnica [catálogo] Título Viajantes: pintura, escultura, joalharia, gravura e objetos de Inês Almeida, Saskia Moro e Paulo Neves Edição Câmara Municipal do Montijo Autor Câmara Municipal do Montijo Organização Galeria Municipal do Montijo Fotografia Gabinete de Comunicação e Relações Públicas/ Autores Projeto gráfico Gabinete de Comunicação e Relações Públicas Divulgação Gabinete de Comunicação e Relações Públicas Tiragem 350 ex. ISBN 978-989-8122-64-3 Impressão Espírito de Papel Depósito Legal 462344/19

Ficha Técnica [exposição] Produção e Organização Divisão de Cultura, Bibliotecas, Juventude e Desporto/ Galeria Municipal Design Gráfico Gabinete de Comunicação e Relações Públicas Montagem Divisão de Cultura, Bibliotecas, Juventude e Desporto/ Galeria Municipal Divisão de Obras, Serviços Urbanos e Ambiente Gabinete de Comunicação e Relações Públicas Montijo, outubro 2019 Realizada em parceria com a Galeria Valbom

Galeria Municipal do Montijo Rua Almirante Cândido dos Reis, 12 • 2870-253 Montijo Telefone: 21 232 77 36 E-mail: cultura@mun-montijo.pt Horário: 2.ª a Sábado das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 www.mun-montijo.pt

www.facebook.com/cmmontijo


Profile for Câmara Municipal do Montijo

Viajantes: Inês Almeida, Saskia Moro e Paulo Neves  

Pintura, Escultura, Joalharia, Gravura e Objetos de Inês Almeida, Saskia Moro e Paulo Neves Galeria Municipal do Montijo | Galeria Valbom

Viajantes: Inês Almeida, Saskia Moro e Paulo Neves  

Pintura, Escultura, Joalharia, Gravura e Objetos de Inês Almeida, Saskia Moro e Paulo Neves Galeria Municipal do Montijo | Galeria Valbom

Profile for cmmontijo
Advertisement