Page 1

REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS – MG / SETEMBRO/2019 . Nº19

FELUMA E SEUS INSTITUTOS EM EXPRESSIVA ASCENSÃO

GESTÃO ADMINISTRATIVA EFICIENTE FAZ COM QUE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA SEJAM CONTÍNUOS EM TODOS OS INSTITUTOS

PÁGINA 20

CONHEÇA O CENTRO DE MEMÓRIA Página 4

ALUNOS ATENDEM NA COMUNIDADE DO TAQUARIL Página 8


S E J A

A

R E F E R Ê N C I A D O

S E U T E M P O .

Faça a sua pós-graduação em uma instituição que soma 70 anos de história à busca constante pela inovação. Prepare-se para se destacar na área da Saúde.

E n f E r m ag E m | fa r m ác i a fisiotErapia | fonoaudiologia m E d i c i n a | m u lt i p r o f i s s i o n a l

inscriÇÕEs aBErtas cmmg.edu.br/pos

|

(31) 3248-7230

posgraduacao@feluma.org.br

Especialização hospitalar Residências médica e multiprofissional Prova: 2 de novembro Inscrições de 30/9 a 21/10

Saiba mais: residenciaeespecializacao.institutoagos.com.br

NI

O

PROVA ÚNICA U

Leve a excelência dos melhores hospitais de Minas Gerais para a sua carreira. Faça uma única prova e concorra a diversas vagas.

CESS RO

O

Seu lugar entre os melhores.

P

odontologia | psicologia

FI C A D


Conselho Diretor da Feluma Presidente: Dr. Wagner Eduardo Ferreira Vice-presidente: Dr. José Maria Borges Secretária-geral de Administração e Finanças Prof.ª Débora Goulart de Carvalho

Diretoria Superintendente-geral: Flávio de Almeida Amaral Superintendente de Planejamento e Gestão: Túlio Pedrosa Gomes Conselho Deliberativo da Feluma Antônio Vieira Machado, Euler Pace Lasmar, Evilázio Teubner Ferreira, Geraldo Magela Gomes da Cruz, Jackson Machado Pinto, José Celso Cunha Guerra Pinto Coelho, José Cesário da Silva Almada Lima, Marcelo Miranda e Silva, Maria Cristina Martins de Araújo, Milton Ferreira Malheiros, Osvaldo Lucas Fernandes Sampaio, Rafael Duarte Silva, Wagner Eduardo Ferreira, Walter Antônio Prata Pace Conselho Fiscal da Feluma José Antonino Baia Borges, Lincoln Lopes Ferreira, Ricardo Valadares Gontijo, Gustavo Azeredo Furquin Werneck (suplente), Hudson de Araújo Couto (suplente), Luiz Wellington Pinto (suplente) Faculdade Ciências Médicas – MG Diretor Prof. José Celso Cunha Guerra Pinto Coelho Vice-diretor Prof. Rafael Duarte e Silva Secretária-geral Profª Marlene das Mercês Ferreira Caldas Pós-graduação Ciências Médicas – MG Diretor-geral Prof. Antônio Vieira Machado Diretor Acadêmico Prof. Marcelo Miranda e Silva Coordenador Acadêmico do Programa de Pós-graduação Stricto sensu Profª Maria da Glória Machado Hospital Universitário Ciências Médicas – MG Diretor-geral Dr. Antônio Carlos de Barros Martins Diretor Técnico Dr. Glauco Sobreira Messias Cirurgia Robótica Ciências Médicas – MG Diretor-geral Dr. Wagner Eduardo Ferreira Diretor Técnico Dr. José Eduardo Fernandes Távora Produção: Prefácio Comunicação – 3292-8660 www.prefacio.com.br Jornalista responsável: Ana Luiza Purri (MG 05523/JP) Reportagem e redação: Guilherme Barbosa (MTB/MG 12.630) Comunicação Feluma: Aparecida Queiroga, Danielle Esteves, Patricia Bento, Priscila de Melo, Renata Cipriani, Roberta Reis, Wadson Silva e Wanderson Alves Fotos: Divulgação Departamento de Comunicação Revisão: Luciara Oliveira Tiragem: 3.000 exemplares Impressão: Tamoios Koloro Editora Gráfica Departamento de Comunicação Feluma Tel.: (31) 3248-7128 cmk@feluma.org.br

SUMÁRIO Centro de Memória em pleno funcionamento

4

Editais para Internato Internacional

5

Novo espaço da Biblioteca

6

Novo espaço cultural está sendo criado pela Feluma

7

Alunos atendem na comunidade do Taquaril

8

Cátedra Lucasiana se consolida

10

Robótica tem destaque internacional

12

DRG implementado no Hospital Universitário Ciências Médicas

14

Cursos da Pós-graduação certificados pela American Heart Association (AHA)

15

Feluma em evolução administrativa e de infraestrutura

16

Estúdio de produção audiovisual em funcionamento

20

Unidade pediátrica revitalizada

21

Semana da Enfermagem focada na segurança do paciente

22

Residentes do IOCM premiados

24

Institutos certificados pela ISO 9001

25

Dr. José Maria Borges: um dos idealizadores do SUS

26

Siga nossas redes sociais Faculdade: faculdadecmmg Pós-Graduação: posgraduacaocmmg @cienciasmedicasmg @faculdadecmmg Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais

3


EVENTO

ESPAÇO DE CULTURA E HISTÓRIA DE PORTAS ABERTAS CENTRO DE MEMÓRIA MOSTRA A TRAJETÓRIA DA FELUMA, CIÊNCIAS MÉDICAS E ÁREA DE SAÚDE EM BH

Um dos homenageados na noite, Dr. Lucas Machado (segundo à esquerda), visita o Centro de Memória acompanhado de seus familiares

Foram dois anos de trabalho, com dedicação da equipe para avaliar todos os aspectos necessários à criação e construção do Centro de Memória da Faculdade Ciências Médicas – MG. Sob a orientação do Dr. Geraldo Magela, curador do espaço, higieni-

zação, seleção e catalogação do acervo, definição do formato arquitetônico, escolha dos recursos didáticos, entre outras atividades, precederam a inauguração do projeto, celebrada em maio. Um marco para contar a história da Instituição e também da

área de saúde de Belo Horizonte. O evento contou com a presença de cerca de 130 pessoas, entre representantes da Academia Mineira de Medicina, dirigentes de museus e centros históricos e lideranças da FELUMA e seus Institutos.

FAÇA UMA VISITA! O acervo do Centro de Memória conta com mais de 1.500 peças históricas, cerca de 350 em exposição. Aberto ao público, o espaço, localizado no térreo da Faculdade, pode ser visitado de segunda a sexta, das 10h às 17h. Finais de semana de 08h às 18h. Para saber mais, entre em contato pelo telefone 3248-7248 ou pelo e-mail centrodememoria.feluma@feluma.org.br.

4 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG


INTERNACIONALIZAÇÃO

EDITAIS PARA EUA E FRANÇA PROGRAMA DE INTERNACIONALIZAÇÃO ABRE INSCRIÇÕES PARA INTERNATOS EM 2019 E 2020 Um ano após o início das atividades, 17 alunos se inscreveram nos editais abertos pela FCM-MG, uma prova de que a iniciativa se mostrou acertada. A primeira parceria foi fechada com a Universidade de Miami, nos Estados Unidos, e logo se estendeu para instituições europeias e latino-americanas. Em 2019, 14 alunos se candidataram a diversos internatos oferecidos em Miami. No primeiro semestre, seis deles estagiaram nas áreas de Urgência/Emergência, Cirurgia e Pediatria, e, neste semestre, será feito um rodízio com os demais estudantes. Podem se inscrever alunos do 4º e do 5º ano de Medicina, que farão os estágios durante o 5º ou o 6º ano do curso. Os estudantes arcam com as despesas próprias, ficando a cargo da faculdade a taxa de internato e o seguro escolar. Para participar, o aluno precisa preencher alguns requisitos, entre os quais domínio da língua inglesa e média acima de 80% na Faculdade Ciências Médicas. Para 2020, estão sendo ofertadas duas vagas na Universidade de Lille, na França, no internato em Saúde do Idoso, além de outra em Cirurgia. A instituição francesa se destaca também na área do envelhecimento, e a parceria abre portas para residentes em Geriatria. O acordo está em fase inicial, mas, segundo a assessora de Relações Internacionais, Corinne Andree Imbs, as oportunidades vão se estender, também, aos alunos dos cursos de Fisioterapia, Psicologia e Enfermagem, além da Pós-graduação lato sensu e stricto sensu. Já o edital para a Universidade de Kansas, nos EUA, oferece vagas para alunos de Fisioterapia na dis-

Alunos da Faculdade são recebidos em instituições internacionais parceiras

CLEV – COORDENAÇÃO LOCAL DE ESTÁGIOS E VIVÊNCIAS Os estudantes de Medicina da CMMG participam da rede Denem (Direção Nacional dos Estudantes de Medicina), que propicia a integração com faculdades de Medicina que fazem parte da rede IFMSA em todo o mundo. Essa parceria possibilita enviar alunos brasileiros e receber estudantes estrangeiros de graduação em Medicina para experiências de quatro semanas. Durante o mês de julho de 2019, três graduandos estrangeiros estiveram no Hospital Universitário Ciências Médicas, e, em agosto, outros quatro desembarcaram aqui.

ciplina de fisioterapia ambulatorial. O estágio terá duração de seis semanas, entre os meses de outubro e novembro de 2019, com ajustes na grade curricular. A Faculdade se empenha para proporcionar a todos a oportunidade de aprendizado internacional. A profª Corinne avalia o processo de internacionalização como uma experiência de

sucesso. “O primeiro passo era colocar os acordos para funcionar e deu muito certo. E, daqui para a frente, muita coisa precisará ser feita”, adianta. O PROGRAMA

Hoje, tanto os alunos da Faculdade como da Pós-graduação encontram na

5


INTERNACIONALIZAÇÃO

Instituição diversas oportunidades internacionais. No lato sensu, um módulo do curso de especialização em Cirurgia Robótica pode ser feito em Miami. Em Portugal, uma parceria garante aos alunos da pós em DRG (Diagnosis Related Group), uma disciplina optativa na Unidade de Saúde de Matosinhos, que é referência na utilização dessa ferramenta de Grupo de Diagnóstico. Além dela, a Faculdade mantém parce-

ria com o Instituto de Oncologia de Porto para residentes e especializandos de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva. Já a Pós-graduação stricto sensu oferece opções de pesquisa nas universidades de Oxford e do Texas. Recentemente, a Faculdade também fechou acordo com a Universidade de Montevideo, onde alunos de graduação e pós poderão fazer residência e internato na área de Urologia.

ALUNOS DA FRANÇA NO INTERNATO RURAL

A Faculdade Ciências Médicas a começou a partir de agosto de 2109 uma nova experiência internacional. O Departamento de Saúde Coletiva recebeu duas alunas da Faculdade de Medicina de Estrasburgo, na França. Elas tiveram acesso às mesmas experiências vividas pelos alunos da CMMG no Internato Rural.

FACULDADE

ESTÍMULO AO ESTUDO ESPAÇO CONHECIMENTO E SABER AMPLIA CONFORTO E SUPORTE A USUÁRIOS DA BIBLIOTECA

Área de convivência ampla proporcionada pelas prateleiras móveis

Uma das obras mais aguardadas pelos alunos da Faculdade Ciências Médicas – MG, o Espaço Conhecimento e Saber Prof. José Rafael Guerra Pinto Coelho foi entregue em abril. Obras de infraestrutura foram realizadas para abrigar um local destinado, exclusivamente, a estudo e realização de reuniões em grupo. Também foram adquiridos novos computadores e tablets, e publicações digitais especializadas passaram a ser disponibilizadas aos frequentadores. Em caso de dúvidas, os alunos podem acionar os colaboradores da biblioteca para retirar os livros das novas prateleiras.

6 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG


EVENTO

ARTE E CIÊNCIA EM CENA FELUMA REÚNE COMUNIDADE ARTÍSTICA E ANUNCIA CONSTRUÇÃO DE NOVO ESPAÇO CULTURAL Por iniciativa da Fundação Educacional Lucas Machado, Belo Horizonte está perto de ganhar um novo espaço cultural. O sétimo andar do prédio da Faculdade Ciências Médicas – MG está sendo preparado para abrigar espetáculos musicais, de dança e teatrais, sala para ensaios e local para exposições e lançamentos literários. A previsão é que o Teatro Geraldo Magela Gomes da Cruz seja inaugurado até o final deste ano. O anúncio foi feito em evento que reuniu diversos artistas e produtores culturais de Minas Gerais. “Teremos um espaço cultural aberto aos artistas do Estado, para que possamos prestigiar todos os segmentos da cultura – teatro, dança, artes plásticas etc. A ideia é que o local tenha um valor de ultilização acessível para que produtores viabilizem eventos”, explicou Dr. Wagner Eduardo Ferreira, presidente da FELUMA. O objetivo da Feluma é otimizar o uso do espaço, realizando também seminários e congressos científicos. De acordo com o presidente, a ideia é ter, em igual medida, ações culturais e atividades dedicadas à área acadêmica. O curador do espaço será o neurocirurgião Prof. Jair Raso, que, além de lecionar na FCM-MG, é dramaturgo e diretor de teatro. “Temos a convicção de que a formação científica é tão necessária ao profissional da saúde quanto as questões humanas, e, para isso, a cultura tem um papel fundamental”, afirma o professor. ESTRUTURA

O espaço cultural terá um teatro com mais de 400 lugares, atendendo às exigências da legislação quanto a

Artistas plásticos, atores e coreógrafos comemoraram mais um teatro na capital

assentos para pessoas com mobilidade reduzida e para obesos. A estrutura inclui camarim e sala de ensaio, além de um foyer para exposições, de onde será possível ter uma bela vista do Parque Municipal Renné Giannetti. O estacionamento anexo dará acesso direto ao local. Rômulo Duque, presidente do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc), comemora o anúncio, principalmente em um momento em que salas de teatro estão sendo fechadas em BH. “Há uma carência de espa-

ços mais ajustados na cidade. Não adianta ter um grande teatro com 800 lugares se o custo é muito alto. Temos que aplaudir essa iniciativa da FELUMA.” Para Maria Magdalena Rodrigues da Silva, presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Minas Gerais, a estrutura do local será importante para resgatar a sinergia entre os indivíduos da classe artística do Estado. “Será uma oportunidade de nos aproximarmos novamente, ser um ponto de encontro.”

CULTURA PARA TODOS A previsão da FELUMA é que haja uma cota de ingressos para alunos participantes de programas de bolsa estudantil. A Fundação vai negociar com os produtores dos espetáculos para que haja percentual de ingressos destinados a acadêmicos com esse perfil.

7


FACULDADE

CONTATO DIRETO COM A POPULAÇÃO É IMPORTANTE PARA A FORMAÇÃO ACADÊMICA PROJETO IDEALIZADO PELA COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO LEVA ALUNOS DE LIGAS ACADÊMICAS À COMUNIDADE DO TAQUARIL, EM BELO HORIZONTE

Alunos e professores conhecem de perto as necessidades de saúde da população

“Saio de lá mais transformado do que eles, que se encontram em uma situação de vulnerabilidade. Foi a melhor experiência que tive na Faculdade até hoje.” A afirmação é de Gabriel Acácio Pena de Menezes, aluno do 4º período de Medicina e presidente da Liga Acadêmica de Saúde Mental (LASM), que está atendendo a moradores do Taquaril, na Região Leste de Belo Horizonte. Fruto de uma parceria da Faculdade Ciências Médicas – MG com a Obra Social Paróquia São Gabriel, o projeto de extensão oferece atendimento clínico às crianças da comunidade. O projeto de extensão foi desenvolvido pela Profa. Raquel Lana e coordenado pela Profa. Fernanda

8 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

Souza, ambas do setor de pesquisa e extensão. Teste de acuidade visual, cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC), aferição de pressão arterial, medição de circunferência abdominal, entre outros serviços, estão beneficiando centenas de moradores da comunidade. O mais importante, contudo, tem sido o trabalho de acolhimento e conscientização por meio de debates que abordam temas importantes como saúde mental, uso de drogas e doenças sexualmente transmissíveis. Gabriel conta que alguns casos têm sido marcantes, como o de uma paciente que apresentava sinais de forte depressão e, após ter sido avaliada, foi encaminhada à


LIGAS PARTICIPANTES DO PROJETO DE EXTENSÃO CIÊNCIAS MÉDICAS NO TAQUARIL • Liga de Puericultura, Pediatria e Adolescência (LAPPA) • Liga Acadêmica de Saúde Mental (LASM) • Liga de Psicanálise (PAPSI)

Alunos que se engajaram no projeto reunidos na comunidade

Psicologia do Centro de Saúde para ser acompanhada com maior atenção e receber o tratamento adequado ao diagnóstico. “São situações enriquecedoras para a nossa formação”, conclui o aluno. A Profa. Raquel explica que o contato com os pacientes, nessa etapa do curso, é extremamente importante. “É uma experiência que serve para que os alunos conheçam de perto uma realidade bem diferente da que estão acostumados.” Além disso, por serem semanais, as visitas oferecem a possibilidade de acompanhar cada caso e propor soluções de médio prazo aos pacientes. Esse contato direto tem sido valioso para Adhara Queiroz, aluna do 6º período de Medicina e presidente da Liga de Puericultura, Pediatria e Adolescência (LAPPA). Ela diz que a presença na comunidade do Taquaril, uma vez por semana, permite planejar o atendimento às crianças e realizar os procedimentos mais apropriados a cada situação encontrada. Antes de iniciar o trabalho, Adhara e representantes de outras ligas se reuniram com uma assistente social que atende à comunidade, promoveu rodas de conversa com os pacientes e coletou dados relacionados a 115 crianças beneficiadas pelo projeto. “Infelizmente, eles não têm a possibilidade de ter esse acompanhamento tão próximo. Nas entrevistas, levantamos um episódio de convulsão e, imediatamente, encaminhamos a criança para o Ambulatório. Tem sido uma experiência pessoal reveladora e enriquecedora do ponto de vista profissional e acadêmico.”

O cronograma de atividades dos alunos de Psicologia, para o segundo semestre, inclui dois temas a ser trabalhados com a população: drogas e violência. Também será reforçada a importância da vacinação à saúde. Além de um mutirão de oftalmologia, que fará um rastreio das crianças com déficit visual. MAIS PRÁTICA

A Faculdade tem como uma de suas estratégias pedagógicas promover uma maior interação dos alunos, independentemente do curso a que se dedicam, para fomentar a interdisciplinaridade. Atividades práticas são incentivadas desde o início da vida acadêmica, com a devida supervisão dos professores. Tudo para que os futuros profissionais tenham contato com situações reais que venham a contribuir com o aprendizado. Nos dias 31 de maio e 01 de junho, os alunos tiveram mais uma oportunidade de se aproximarem ainda mais da população. A Faculdade Ciências Médicas foi parceira da Unimed-BH no Festival Desperta, que reuniu atividades para o corpo, mente e alma. E as ligas de cardiologia, endocrinologia, ortopedia, geriatria e saúde mental ofereceram atendimentos gratuitos como aferição de glicemia, pressão arterial e análise da marcha (pisada) aos frequentadores das praças Milton Campos, em Betim, e Floriano Peixoto e JK, em Belo Horizonte.

INICIATIVA AMPLIADA

A experiência deu tão certo que, em maio, alunos de outras Ligas foram estimulados a aderir à iniciativa. A partir de então, o projeto Ciências Médicas no Taquaril levou outros 44 alunos à comunidade. Acadêmicos de Psicologia também promoveram rodas de conversa com a comunidade para conscientização sobre assuntos como saúde sexual e bullying. Além disso, por meio de dinâmicas que utilizaram desenho, foi possível diagnosticar transtornos em crianças ou observar a existência de algum tipo de abuso em casa.

Ligas Acadêmicas participaram ativamente do evento Desperta da Unimed-BH

9


FACULDADE

FOCO NA LONGEVIDADE E NO ENVELHECIMENTO POPULACIONAL SEXTA EDIÇÃO DA CÁTEDRA LUCASIANA DISCUTE TEMA QUE É UMA TENDÊNCIA PREDOMINANTE

Evento vem se consolidando na agenda da Faculdade e atrai alunos, professores e outros interessados nos temas especializados

Um em cada quatro brasileiros terá mais de 65 anos em 2060. Esse dado, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano passado, evidencia a necessidade de se debater o envelhecimento populacional no Brasil. Questões econômicas, políticas públicas de saúde e a própria mudança cultural e comportamental, que acompanha o fenômeno do envelhecimento precisam, portanto, estar

10 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

em pauta. O assunto foi abordado na sexta edição da Cátedra Lucasiana. Realizado em junho, o evento criado e coordenado pelo Prof. Dr. Geraldo Magela Gomes da Cruz, que abriu as apresentações mostrando a trajetória e o ciclo de vida humano, contou com grande público. “Isso se deve à escolha dos temas. São sempre questões atuais, que fizeram com que o evento se consolidasse”, comenta o Prof. Geraldo Magela.

A relevância e atualidade do tema da sexta edição foi o que atraiu Jéssica Soares, aluna do 7º período de Fisioterapia. Seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) será sobre tratamentos para idosos. “Após a formatura, meu objetivo é atuar nessa área. Faltam profissionais no mercado, assim como políticas públicas específicas para o idoso. É uma temática que me agrada muito.”


PALESTRANTES

O envelhecimento populacional é desafio comum à maior parte dos países do mundo. A Previdência Social, geralmente, ocupa maior espaço nos noticiários. As estratégias voltadas para a promoção da saúde também precisam, no entanto, ser divulgadas, uma vez que as diretrizes traçadas hoje são cruciais para o futuro. Na Cátedra, Dr. Ulisses de Vasconcelos Cunha, coordenador da Residência Médica e da Unidade de Geriatria do Hospital do Ipsemg, falou sobre as várias abordagens possíveis do tema: peculiaridades no diagnóstico do paciente idoso e os instrumentos da avaliação geriátrica que abrangem várias áreas, como funcional, neurológica e uso de drogas medicamentosas. “O atendimento ao idoso no Brasil está longe do ideal, e muito disso se deve à falta de informação sobre o tema na formação dos alunos.” Para o especialista, o fato de a FCM-MG se

propor a abordá-lo mostra o compromisso da Instituição com assuntos que já impactam a saúde e tendem a se intensificar. O médico Carlos André Freitas dos Santos, também palestrante da Cátedra, egresso da FCM-MG e docente da Escola de Geriatria da Escola Paulista de Medicina, acredita que algumas instituições de ensino, de fato, têm tratado o envelhecimento com a seriedade que merece. “Contudo, é preciso que as demais áreas da Medicina se envolvam na questão da melhoria da saúde do idoso para que se possa evoluir na promoção da qualidade de vida do indivíduo.” Ele alerta para um dado: o Brasil terá, no fim da próxima década, 30 milhões de idosos, número superior ao de jovens com menos de 15 anos. Analisando o indicador, Dr. Carlos explica que a atual geração de idosos não tem o hábito de fazer exercícios físicos e privilegiar a alimentação saudável. Com um trabalho educativo, a

próxima geração poderá ter melhor qualidade de vida. “Os idosos de hoje acabam tendo que praticar exercícios e ter uma dieta de forma forçada. O objetivo é conscientizar as pessoas de que vale a pena insistir nos bons hábitos de vida. A literatura médica comprova que, independentemente da idade que se tem, quando se tem hábitos saudáveis, há menos problemas cognitivos, maior eficiência do sistema imunológico, menos mortalidade por doenças cardiovasculares etc.”, explicou Dr. Carlos. O encerramento do evento contou com os comentários da geriatra Dra. Débora Pereira Thomaz. Ela destacou o déficit de profissionais na área e a importância da formação de médicos especializados para atender os 30 milhões de idosos no Brasil atualmente. “É uma parcela da população que necessita de cuidados especiais, inclusive, há uma legislação específica para eles, que é o Estatuto do Idoso.”

HOMENAGENS O evento foi uma oportunidade para homenagear profissionais que fizeram e que ainda fazem parte da história da Faculdade e da FELUMA. Prof. Eustáquio Araújo, atual coordenador da Pós-graduação em Odontologia (à esquerda), e Dr. Leonardo Cannabrava Turra (à direita), advogado que atuou na década de 1980 no Departamento Jurídico da Faculdade, ambos receberam da Instituição placas de agradecimento pela dedicação e serviços prestados.

11


ROBÓTICA

Dr. José Eduardo Távora ressalta os bons resultados do Instituto, em Roma

FELUMA É REFERÊNCIA EM TELESAÚDE EVOLUÇÃO DO INSTITUTO DE ROBÓTICA E NOVOS PROJETOS SÃO DESTAQUE EM EVENTO INTERNACIONAL Com mais de mil cirurgias realizadas, as experiências com o robô Da Vinci® foram compartilhadas na 7ª Conferência Internacional de Informática Médica e Telesaúde, realizada nos dias 12 e 13 de agosto, em Roma, na Itália. A comitiva brasileira da Ciências Médicas contou com os professores José Eduardo Távora, diretor Técnico do Instituto de Robótica, Lamara Laguardia, Dr. Gustavo Cardoso Guimarães, e Dr. Fernando Santos, coordenadores da Pós-graduação em Cirurgia Robótica, além do gerente do setor de inovação da FELUMA, Paulo Roberto Gentil. “As únicas instituições brasileiras convidadas a participar foram a Uni-

12 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

versidade de São Paulo (USP) e a FELUMA, uma mostra de que estamos em posição de vanguarda quando o assunto é tecnologia em Medicina”, comenta Prof. Távora. “É um grande diferencial da Fundação. Começamos a disseminar nossa maneira de lidar com a robótica para o mundo.” Em Roma, os professores também apresentaram a uma plateia especializada projetos da graduação que serão implantados. Um deles é um sistema desenvolvido pela Faculdade para ajudar os alunos do Internato de Saúde Coletiva nos atendimentos realizados no interior de Minas Gerais. “Buscamos criar um sistema dinâmico e intuitivo, para tornar possível o contato de pes-

soas de diversas regiões do Brasil com plataformas online e aplicativos construídos. A ideia é permitir, aos profissionais de saúde que trabalham longe dos grandes centros, o acesso a orientações transmitidas por outros especialistas de extrema qualidade técnica e expertise em diferentes áreas da Medicina”, explica Profa. Lamara Laguardia. A solução desenvolvida ainda será dotada de inteligência artificial, que vai auxiliar o médico em diagnósticos ao combinar diversos fatores associados, indicados durante a consulta com o paciente. O objetivo, segundo Profa. Lamara, é otimizar o tempo do profissional de saúde e dar subsídios tecnológicos para maior asser-


tividade no diagnóstico e na conduta que será adotada no tratamento. MAIS NOVIDADES EM TECNOLOGIA

Em três anos de atuação, o Instituto de Cirurgia Robótica Ciências Médicas se desenvolveu expressivamente. O primeiro parceiro foi o Hospital Vila da Serra, em Nova Lima, onde foram realizados mais de 350 procedimentos. Em outubro de 2017, a tecnologia foi levada para o Hospi-

tal Felício Rocho, e, em 2019, foi a vez de o Hospital Vera Cruz receber o Da Vinci®. O primeiro procedimento foi realizado de forma gratuita pelo sistema único de saúde, por meio de uma parceria beneficente firmada entre as instituições. O paciente agraciado tem 65 anos e passou por uma prostatectomia robótica (retirada total da próstata), em função de um câncer. Recentemente, a tecnologia robótica foi instaurada no Triângulo Mineiro em parceria com o Hospital

Uberlândia Medical Center (UMC). Outra novidade é que a FELUMA está assumindo toda a gerência de residência do Hospital Vera Cruz, provando a alta capacidade da aliança entre ensino e extensão em saúde. “Temos uma métrica de ensino tradicional, mas sentimos a necessidade de dar um passo à frente na formação do médico. Então, buscamos uma instituição que faz isso com excelência”, afirma Dr. Ernane Bronzatti, presidente do Hospital Vera Cruz.

PALAVRA DO CONSELHO DIRETOR

FELUMA: GRANDE TAMBÉM NA INFRAESTRUTURA Perto de completar 70 anos, a Faculdade Ciências Médicas – MG se orgulha de ter a Fundação Educacional Lucas Machado (FELUMA) como sua mantenedora, que com sua visão, governança e gestão de excelência se tornou essencial, diante do crescimento em volume e complexidade de suas atividades. A FCM-MG, por sua vez, tem seguido trajetória vitoriosa, e também crescido. Como símbolos desse desempenho bem-sucedido, podemos citar a autorização do MEC para o aumento de vagas do curso de Medicina, o fortalecimento dos demais cursos da graduação – nota máxima na avaliação do MEC para Medicina e Fisioterapia –, além do percentual expressivo de alunos participantes do PROUNI. Por outro lado, ao nos tornarmos uma das maiores faculdades de Medicina em número de entradas por ano no país, assumimos um enorme desafio institucional: manter este patamar é tarefa que exige a coordenação de um conjunto de competências e iniciativas para aperfeiçoar e tornar contemporâneo o padrão pedagógico do complexo ensino na área da saúde e interagir sinergicamente com instituições públicas e privadas. Sempre com o intuito de propiciar os melhores campos de estágios, conforme a moderna concepção de rede saúde-escola, e contribuir para melhoria da própria rede pública de saúde. Esse esforço busca formar profissionais de saúde aptos a entrar no mercado de trabalho e continuar seu caminho de aprendizagem na pós-graduação, dotados de todo ferramental disponível para vencer a intensa disputa profissional no pós-formatura, aliando ética profissional, postura humanística e capacidade técnica de utilização do que temos de mais moderno em aparato tecnológico e didático. Ao mesmo tempo, dar oportunidade ao passo acadêmico qualificado, cada vez mais necessário, na atenção primária à saúde e na

cirurgia robótica, fronteira exemplar do século 21. Essa intensa movimentação no campo genuinamente pedagógico perderia potência, entretanto, se, ao mesmo tempo, não houvesse uma decisão da diretoria da FELUMA e dos conselhos que compõem sua sólida governança de investir na infraestrutura da Faculdade e de seus Institutos. Tem sido empreendida uma agenda virtuosa de ampliação das estruturas físicas e de incorporação permanente de tecnologias seguras e eficientes, com o objetivo de cumprir e tornar realidade o mandamento institucional de buscar a excelência de forma permanente. Esta evolução da infraestrutura está demonstrada, ainda que de forma resumida, na matéria da capa deste número da revista. Chama a atenção a melhoria de infraestrutura da própria Faculdade e do expressivo aparato de unidades assistenciais próprias, como o Hospital Universitário, o Ambulatório de Especialidades – este em rota de expansão vigorosa –, e o Instituto de Olhos. Todos com a característica de serem 100% SUS, com alta relevância para a oferta de assistência gratuita para a população da capital e do Estado. É preciso destacar também o compromisso social da FELUMA, materializado na iniciativa de entregar à população um moderno espaço cultural ainda este ano, como incentivo às artes e à cultura, além de espaço de jornadas científicas. As marcas da evolução da infraestrutura física e dos recursos de ensino, nos fazem a todos e à população beneficiária lembrar sempre a grandeza das ações da Ciências Médicas/FELUMA em sua missão de ser uma exemplar e imprescindível instituição filantrópica em Minas Gerais, voltada para a promoção da saúde e da educação de qualidade. HELVÉCIO MIRANDA MAGALHÃES JÚNIOR CONSULTOR E ASSESSOR DE INOVAÇÃO DA FELUMA

13


HISTÓRIA FELUMA PÓS-GRADUAÇÃO

MÉTODO PARA GESTÃO ASSISTENCIAL DE EXCELÊNCIA PÓS-GRADUAÇÃO OFERECE CURSO SOBRE METODOLOGIA DRG, VOLTADA À GESTÃO ASSISTENCIAL QUALIFICADA A metodologia Diagnosis Related Groups (DRG – Grupos de Diagnóstico Relacionados) revolucionou a geração de indicadores de avaliação de desempenho das instituições de saúde mundo afora. A Pós-graduação Ciências Médicas – MG oferece curso para profissionais do mercado que tenham interesse em se especializar na metodologia e atuar como gestores para a prática de governança clínica eficiente. Em 2019, o curso ganhou mais um atrativo: a possibilidade de emissão de certificado de Analista em Saúde, conferido pela Academia Americana de Codificadores Profissionais, aos alunos que concluírem os módulos. O setor de Auditoria Hospitalar do Hospital Universitário Ciências Médicas, que realiza o trabalho de codificação, recebeu a visita de representantes da instituição americana para avaliar os procedimentos adotados no HUCM. A expectativa é de um parecer positivo – o resultado deverá ser divulgado em breve. APLICAÇÃO AO CONHECIMENTO

Com os gestores capacitados a utilizar a metodologia DRG, é possível avaliar com mais precisão o trabalho da equipe de uma unidade de saúde, considerando que os prontuários dos pacientes alimentam um banco de dados capaz de gerar informações que apontam os principais desafios e oportunidades registrados em cada um dos atendimentos. Os objetivos principais são redução do tempo de permanência dos internados, melhoria do socorro prestado aos pacientes e uso adequado dos recursos.

14 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

Análise minuciosa dos prontuários dos pacientes para garantir atendimento hospitalar de qualidade

OBJETIVOS

Entender a metodologia DRG (Diagnosis Related Groups – Grupos de Diagnósticos Relacionados) e suas aplicabilidades no sistema de saúde brasileiro, capacitando o aluno a realizar a gestão de saúde com foco em resultados assistenciais econômicos.

PÚBLICO ALVO

Profissionais que atuam no segmento da saúde, ou profissionais de outras áreas que tenham interesse de atuar profissionalmente como gestores em saúde utilizando a metodologia DRG para governança clínica. É interessante possuir conhecimentos básicos em processos assistenciais e/ou administrativos hospitalares.

CARGA HORÁRIA

379 horas – 18 meses. Módulo Internacional (opcional) - 40 horas de Gestão de Rede Assistencial em Saúde em Portugal. Informações (31) 3248-7230

Carolina Henriques Freitas, enfermeira do Hospital Universitário Ciências Médicas – MG, já trabalha com a metodologia há cerca de dois anos e concluiu o curso em 2019.

“O curso agregou ainda mais conhecimento para a interpretação dos dados gerados pelos prontuários de cada paciente e gestão do processo assistencial.”


FACULDADE CIÊNCIAS MÉDICAS DE MINAS GERAIS INAUGURA CENTRO DE TREINAMENTO DA AMERICAN HEART ASSOCIATION (AHA) CURSOS COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL ESTÃO SENDO REALIZADOS NO LABORATÓRIO DE HABILIDADES E SIMULAÇÃO REALÍSTICA O Laboratório de Habilidades e Simulação Realística (LabSim) da Faculdade Ciências Médicas – MG realiza três novos cursos com certificação internacional da American Heart Association (AHA). Os cursos ACLS (Suporte Avançado de Vida em Cardiologia), PALS (Suporte Avançado de Vida em Pediatria) e BLS (Suporte Básico de Vida), contribuem para o desenvolvimento de profissionais de saúde no atendimento das emergências cardiovasculares. A certificação internacional confere diferenciais a esses profissionais, os preparando para o mercado de trabalho e para atuar conforme as diretrizes recomendadas pela AHA. O curso Suporte Avançado de Vida em Pediatria (PALS) é voltado para profissionais de saúde – médicos, enfermeiros e seus acadêmicos em último ano de formação. O objetivo é possibilitar o desenvolvimento de habilidades e competências por meio de simulações que

incluem algoritmos de tratamento, ressuscitação efetiva e dinâmica de equipe no atendimento de urgências pediátricas. O Suporte Básico de Vida (BLS) possibilita o desenvolvimento de habilidades e competências no atendimento inicial à vítima de parada cardiorrespiratória e obstrução das vias aéreas por corpo estranho (Ovace). O curso Suporte Avançado em Vida em Cardiologia (ACLS), por sua vez, capacita profissionais de saúde para reconhecer as diferentes situações de emergência que antecedem uma PCR, oferecendo tratamento precoce e adequado a cada uma destas situações, proporcionando ao paciente a melhor chance possível de sobrevida, com adequado status neurológico em longo prazo. “O LABSIM oferece tecnologia de ponta e simuladores de alta fidelidade, que possibilitam ao professor orientar o aluno sobre seu desempenho em tempo real. A estrutura física ampla e

moderna favorece a execução de atividades práticas, em um ambiente que alia conforto e possibilidade de aprendizado efetivo”, explica o coordenador do LabSim, o médico e professor Augusto Scalabrini Neto. A estrutura do local é um dos diferenciais do curso para a aluna de Medicina do 10º período Angélica Coelho. “O Laboratório é muito bem equipado, proporciona uma interação com os equipamentos bastante fidedignos ao real. A sensação é que estamos tendo um curso realmente completo.” A acadêmica se interessou pelo conteúdo porque, segundo ela, é uma exigência quase obrigatória do mercado, além de estar com o currículo já enriquecido depois de se formar. Outro diferencial, segundo o Prof. Scalabrini, é o preparo do corpo docente para ministrar o conteúdo. “Os instrutores são capacitados e credenciados pela AHA, além de atuarem em unidades de urgência e emergência do Estado.”

As inscrições para o segundo semestre já estão abertas! Mais informações em www.cmmg.edu.br/pos 3248-7230

Alunos veem na pratica as técnicas dos cursos de PALS e BLS

15 15


HISTÓRIA FELUMA CAPA

Biblioteca adquiriu, recentemente, tablets para pesquisa de alunos

AÇÕES ARROJADAS BENEFICIAM A TODOS GESTÃO COMPETENTE E FOCADA EM OFERECER ENSINO DE ALTO PADRÃO ALAVANCA MELHORIAS A perenidade de uma instituição é determinada pela sua capacidade de adaptar-se à velocidade com que as mudanças ocorrem e de atender a contento às demandas do público com o qual se relaciona. Este, sem dúvida, é um dos predicados que possibilitam à Faculdade Ciências Médicas – MG alcançar quase 70 anos, mesmo em um país política e economicamente instável como o Brasil. De 2014 para cá, são evidentes os investimentos realizados nos institutos FELUMA – em especial na FCM-MG. A transformação envolveu a revitalização da infraestrutura, como a fachada da Faculdade, e se estendeu ao hall de entrada, para possibilitar melhor fluxo de acesso ao prédio e reforçar a segurança dos alunos, professores e colaboradores. No início de 2017, foi inaugurado no segundo andar um dos projetos mais ousados

16 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

da história recente da instituição – o Laboratório de Habilidades e Simulação Realística (LabSim). São quase 550 m² de área, que abrigam equipamentos de ponta para que os alunos vivenciem situações muito próximas do contexto real, com as quais vão se deparar como profissionais de saúde. Todos os investimentos importantes feitos nos últimos anos são resultado da gestão. O redesenho e aprimoramento dos processos são sustentados pelo sistema de qualidade adotado, que resultou na conquista da certificação ISO 9001 (leia mais na página 25). A fase de pré-auditoria permitiu que colaboradores e gestores avaliassem de forma aprofundada os procedimentos até então empregados, para diagnosticar eventuais oportunidades de melhoria e potencializar pontos fortes. É o


que explica, entre outros fatores, o salto de produtividade registrado nos últimos cinco anos. Além disso, a própria estrutura física e atuação das áreas foi expressivamente aprimorada. Em 2015, foi criado o Centro de Serviços Compartilhados (CSC), que é formado por áreas como Comunicação, Tecnologia da Informação, Departamento Pessoal, Recursos Humanos, Compras, Contabilidade, Financeiro, Ouvidoria, entre outros. Todos atuando para atender às necessidades dos Institutos que integram a FELUMA. Esse modelo gerencial reúne competências técnicas destinadas a dar o devido apoio à Instituição, de forma corporativa. Outra ação importante foi a transferência da gestão administrativa da Fundação para um prédio, localizado na Avenida Afonso Pena. Com isso, foi possível ampliar a utilização do edifício da Alameda Ezequiel Dias, construir novas salas, viabilizando o atendimento à demanda por novas vagas no curso de Medicina, abertas nos últimos dois anos. AMBULATÓRIO AMPLIADO

O Ambulatório, que funcionava no térreo e foi transferido para a Avenida dos Andradas, deu lugar a novas salas de aula. Com a mudança, foi possível ampliar a estrutura: o número de consultórios praticamente dobrou, totalizando 33 em uma área de 2.300 m². Além da melhoria dos serviços prestados, o novo Ambulatório ampliado trouxe maior conforto a alunos, professores e pacientes. Atualmente, sua capacidade é de 66 atendimentos por hora, todos via SUS.

DIÁLOGO ABERTO A decisão sobre quais investimentos serão realizados na Faculdade é tomada pelo Conselho Diretor da Feluma, com participação da Diretoria da FCM-MG e com base em resultado de pesquisa feita com os alunos. Os estudantes têm voz ativa e contribuem para nortear as ações por meio da participação em pesquisa semestral realizada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA). Os acadêmicos respondem um questionário para avaliar a estrutura da Faculdade, qualidade dos serviços, desempenho dos professores e estado de conservação dos equipamentos dos laboratórios, entre outros itens. A Diretoria considera os resultados e planeja ações para direcionar os investimentos. Uma série de ações foi implementada após análise das últimas pesquisas da CPA. As sugestões contemplaram desde adequações mais simples, como a inclusão de novas funcionalidades no Portal do Estudante e aquisição de tablets pela Biblioteca – facilitando o acesso dos alunos a mais de 4.000 títulos –, passando por melhorias na infraestrutura, como ampliação do restaurante, criação de uma área de convivência apropriada aos alunos e aumento da Biblioteca; até a adoção de novos procedimentos administrativos, que incluem a expansão de bolsas do Prouni e Fies e a capacitação de professores e colaboradores.

Ampliação dos laboratórios beneficia alunos, professores e comunidade atendida

17


CAPA

CRESCIMENTO

CONTÍNUO Restaurante

Laboratório Pós-graduação Lato e Stricto Sensu

Diretório Acadêmico

MARÇO

ABRIL

AGOSTO

SETEMBRO

2015

2015

2015

2015

2019

2019

2018

2018

MAIO

ABRIL

DEZEMBRO

NOVEMBRO

Centro de Memória

Ampliação da biblioteca

Pós-graduação Odontologia

Novo Térreo

Centro de Serviços compartilhados e Diretoria

18 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG


Fachada da Faculdade

Administração Pós-graduação

Instituto Robótica

Laboratório de Habilidades e Simulação Realística (LabSim)

SETEMBRO

JUNHO

OUTUBRO

OUTUBRO

2015

2016

2016

2016

2018

2018

2017

MARÇO

JANEIRO

AGOSTO

Nova sede da Feluma

Novo Ambulatório

Reestruturação da Anatomia

19


FELUMA

LUZ, CÂMERA, AÇÃO! ESTÚDIO DE PRODUÇÃO AUDIOVISUAL, UM ESPAÇO PARA ELABORAÇÃO E GERAÇÃO DE VÍDEOS Acostumada a adquirir equipamentos para a área de saúde, como microscópios, aparelhos para exames e instrumentação para cirurgia, a FELUMA recebeu, em maio, câmeras de vídeos, microfones, estandes de iluminação, chroma key e cenários artificiais. Tudo isso para compor o novo estúdio audiovisual da Fundação. A nova estrutura tem o objetivo de atender às demandas de produção de vídeo de todos os Institutos, além da produção de conteúdos educativos, informativos e institucionais a serem difundidos por vídeo nas redes sociais ou na intranet. O estúdio funciona no 3º andar do prédio da Feluma, e a ilha de edição está instalada no 6º andar. De acordo com a responsável pelo espaço, Mayra Santos, a Pós-graduação vem, por exemplo, utilizando a estrutura com a gravação de conteúdos para divulgar os cursos. No estúdio também foram produzidos alguns conteúdos para a campanha do vestibular do 1º sementre e vídeos institucionais para vários fins, como o convite para a inauguração do Centro de Memória Ciências Médicas, gravado pelo Prof. Geraldo Magela e enviado à comunidade acadêmica da Faculdade. PROFISSIONALISMO

Todos os equipamentos adquiridos possibilitam produzir conteúdo audiovisual com qualidade profissional. Foram adquiridas câmeras e um teleprompter, equipamento utilizado em telejornais para a leitura de textos. O recurso ajuda quando houver a necessidade de leitura de textos grandes e estruturas de conteúdo em tópicos para conduzir videoaulas. Vale

20 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

Equipamentos de estúdio profissional compõem novo espaço

FUNCIONALIDADE Caso seu setor tenha uma demanda relativa a vídeo, você pode agendar uma visita e avaliar se o estúdio FELUMA pode te atender. A utilização do espaço deve ser feita por formulário de reserva, que está disponível no SigQuali, no qual o usuário também confere o Procedimento de Registro Sistêmico (PRS), com todas as regras de uso, permanência, gravação e entrega do produto final, em vídeo. A divulgação desse conteúdo, produzido sobre a Instituição e seus serviços, deverá ser alinhada, previamente, junto ao setor de Comunicação da FELUMA.

destacar que os equipamentos também podem ser usados nas produções em áreas externas. “O estúdio FELUMA é um espaço estruturado que veio contribuir para o processo de educação e comunicação da Fundação e seus

Institutos. Além disso, possibilita produções de vídeos para divulgação e disseminação do conhecimento de uso interno e nas redes sociais”, conclui Flávio Amaral, superintendente-geral da Feluma.


HOSPITAL

MAIS SEGURANÇA E QUALIDADE ASSISTENCIAL NO CTI ESPAÇO FOI REVITALIZADO, COM MELHORIAS PARA EQUIPE E PARA OS PACIENTES Em maio, foram concluídas as obras de revitalização do CTI do Hospital Universitário Ciências Médicas – MG (HUCM-MG). Com isso, as duas alas antes separadas por um corredor foram unificadas, melhorando a logística do setor e a circulação dos profissio-

nais de saúde que ali atuam. De acordo com o diretor-geral do HUCM-MG, Dr. Antônio Carlos de Barros Martins, a iniciativa permitiu melhorias no acolhimento e conforto do paciente, com assistência ainda mais humanizada.

ESPAÇO DEDICADO AOS PEQUENOS UNIDADE PEDIÁTRICA DO HUCM-MG COM NOVO LAYOUT E DECORAÇÃO A unidade está preparada para receber 14 crianças e passou a contar, ainda, com um posto de enfermagem exclusivo, que garante mais agilidade e qualidade ao atendimento das crianças. O objetivo das mudanças foi deixar o ambiente mais lúdico para as crianças que estão em tratamento. “Temos que ter um espaço agradável, onde possamos acolher os pequenos e auxiliá-los”, comenta Dra. Nulma Souto Jentzsch, coordenadora da Pediatria do Hospital e professora da Faculdade.

Espaço lúdico e humanizado para os pequenos e acompanhantes

RESIDENTES TORNAM-SE ESPECIALISTAS MÉDICOS APROVADOS EM EXAME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA RESSALTAM O TRABALHO DE EXCELÊNCIA DO HUCM-MG EM SUA FORMAÇÃO Dra. Aline Carvalho Dinali atuava como residente em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário Ciências Médicas – MG e ouvia falar do rigor da prova para se tornar oficialmente uma cirurgiã plástica. O teste é realizado em duas fases: oral e teórica. “A prova oral é muito temida, mas a preparação do Hospital nos deu segurança. Felizmente, os meus dois colegas e eu passamos.” Ela foi convidada a integrar a equipe de Cirurgia Plástica do Hospital. Os outros dois novos cirurgiões do

mercado são Dra. Larissa Dias e Dr. Thiago Lisboa. Segundo Dr. José Cesário Almada Lima, coordenador da Residência Médica de Cirurgia Plástica do Hospital, os bons resultados dos residentes nos últimos anos são consequência do aprendizado de qualidade do Hospital, com preceptores focados no aprimoramento contínuo do médico. “A Ciências Médicas tem a tradição de colocar no mercado profissionais que são de qualidade em todas as áreas, e aqui, na Cirurgia, não é diferente”.

21


FACULDADES

SEGURANÇA DO PACIENTE É DESTAQUE NA SEMANA DA ENFERMAGEM ALUNOS DA FACULDADE E COLABORADORES DO HOSPITAL INTEGRARAM AS AÇÕES REALIZADAS

Alunos comemoram o bom resultado na apresentação do trabalho sobre Cirurgia Segura

A Semana da Enfermagem deste ano movimentou alunos da Faculdade e colaboradores do Hospital Universitário Ciências Médicas – MG. Acadêmicos de todos os períodos participaram das ações, que incluíram apresentação de trabalhos, minicursos, gincana e premiação dos melhores conteúdos expostos. Dr. Antônio Carlos de Barros Martins, diretor do Hospital, explica que a Semana da Enfermagem abordou um tema importante, que envolve todos os profissionais do Hospital: a segurança do paciente. “É um assunto em evidência, que exige a atenção e empenho de todos.” Rochane Nayara Lopes, aluna no 10º período de Enfermagem, observa que a integração entre Faculdade e Hospital foi importante para que alunos e profissionais de saúde se sensibilizassem quanto ao tema. “Visitamos o bloco cirúrgico, conhecemos de perto os processos adotados e propusemos um plano de ação para melhorar a segurança dos pacientes atendidos, tudo de acordo com as metas internacionais estabelecidas.” EXPERIÊNCIAS NO MERCADO

Como parte da programação, quatro egressas do curso de Enfermagem (Raíssa Cunha Mello Friche, Milena Morgano, Marina Dayrell e Clarissa Pimenta) foram convidadas a trans-

22 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

Segurança do paciente foi o tema central trabalhado pelos alunos

mitir aos alunos suas percepções sobre o mercado de trabalho. A coordenadora da Semana da Enfermagem, Profa. Luciana Monteiro, comenta que os trabalhos apresentados trouxeram conteúdos inovadores, e a troca de experiências entre os alunos dos diversos períodos foi importante para a disseminação e fixação dos temas abordados. As Professoras Camila Santos e Carla Silveira também colaboraram com a realização do evento.

TRABALHOS PREMIADOS 1º colocado – Cirurgia Segura

(orientação: Profa. Silvana Lage)

2º colocado – Comunicação Efetiva

(orientação: Profa. Shirley Almeida)

3º colocado – Redução do Risco de Infecções Associadas aos Cuidados em Saúde (orientação: Profa. Georgia Marques)

4º colocado – Identificação Correta dos Pacientes (orientação: Profa. Isabela Takeshita)


AGOS

CONFIANÇA E PRESTÍGIO EM TODO O BRASIL VESTIBULAR DE MEDICINA SEGUNDO SEMESTRE RECEBE INSCRITOS DE 22 ESTADOS; DIA DA PROVA CONTA COM AÇÃO VOLUNTÁRIA DE ACADÊMICOS DO CURSO

Veteranos apoiaram os candidatos a alunos

O vestibular de Medicina do segundo semestre de 2019 da Faculdade Ciências Médicas – MG teve expressiva abrangência. Responsável pelo processo seletivo, o Instituto Agos recebeu inscrições de 22 Estados da Federação. “Também tivemos o menor índice de ausência em dia de prova já registrado”, destaca Ana Carolina Giulianetti, diretora do Instituto. O Instituto Agos foi criado para oferecer ao mercado a experiência e seriedade da FELUMA na gestão de processos de seleção e avaliação. O Instituto Agos tem atividades que contemplam a elaboração de editais, instrumentos de avaliação, recebimento de inscrições, logística

de aplicação, correção e divulgação dos resultados. O trabalho desenvolvido consiste em  gerenciar  processos seletivos como  vestibulares, transferência externa, especialização hospitalar, residência médica e multiprofissional e médicos cooperados. Novas parcerias estão sendo estabelecidas com o objetivo de ofertar um número maior de vagas de especialização hospitalar, residência médica e multiprofissional aos candidatos do Instituo Agos. VOLUNTÁRIOS NO VESTIBULAR

Os candidatos que fizeram a prova do vestibular de Medicina da FCM-MG foram surpreendidos com mani-

festações de apoio antes do teste. Vinte veteranos fizeram uma gentil abordagem para amenizar o sentimento de tensão entre os estudantes, distribuindo mensagens de apoio, café, balas e chocolates. “A receptividade das pessoas foi incrível! Brincamos que a bênção de veteranos tem poder e desejamos boa sorte para eles de uma forma diferente”, conta João Pedro Araújo Brant, um dos líderes do Instante com Deus (ICD), movimento criado por alunos da Faculdade. Ele explica que a ideia nasceu dentro da Faculdade, quando os acadêmicos estavam prestes a fazer as provas de Anatomia. “Dávamos abraços espontâneos e procurávamos acalmar os futuros colegas.”

23


INSTITUTO DE OLHOS

EXCELÊNCIA PREMIADA RESIDENTES E PRECEPTORES DO INSTITUTO DE OLHOS CIÊNCIAS MÉDICAS CONQUISTAM MAIS DE 40% DOS PRÊMIOS DE UM DOS CONGRESSOS MAIS IMPORTANTES DO PAÍS Cerca de 90 instituições apresentaram seus casos no X Congresso Brasileiro de Catarata e Cirurgia Refrativa (BRASCRS), realizado entre 29 de maio e 1º de junho, em Brasília. O evento é uma das principais oportunidades para mostrar ao público especializado a qualidade do trabalho que vem sendo realizado em todo o país, com grande visibilidade para as instituições e os profissionais. Residentes e preceptores levaram temas livres para a apresentação. Fábio Kanadani, diretor Técnico do Instituto de Olhos Ciências Médicas (IOCM-MG), explica que um dos momentos mais aguardados do evento é O Grande Arquivo de Casos (GAC), em que 12 situações clínicas são compartilhadas, no prazo máximo de cinco minutos cada uma. Posteriormente, uma banca de experts das áreas debate o conteúdo exposto. O melhor caso é escolhido por votação do auditório e da banca avaliadora. E o resultado foi expressivo para o IOCM: o Instituto conquistou treze dos 27 títulos ofertados – melhores casos de córnea, catarata, refrativa e glaucoma. No último dia de Congresso, foi realizada ainda a premiação geral com todos os casos apresentados. O IOCM mais uma vez se destacou e levou sete troféus entre os 13 oferecidos. “Isso mostra nossa dedicação e alinhamento ao posicionamento de referência que a Instituição assume”, comenta Dr. Fábio.

Dr. Bruno Trindade, Case campeão nas áreas de catarata e córnea

24 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

Trabalhos técnicos elaborados e apresentados pela equipe se destacaram no evento

RESIDENTES E PRECEPTORES PREMIADOS NO CONGRESSO BRASILEIRO DE CATARATA E CIRURGIA REFRATIVA (BRASCRS) Dr. Bruno Trindade – Preceptor e chefe do departamento de Córnea do IOCM Melhor Caso Clínico Sessão Córnea – GAC 3 Melhor Caso Clínico Sessão Catarata – GAC 4 4º e 6º Melhores Casos Clínicos Gerais Grande Campeão Córnea Grande Campeão Catarata Dr. Frederico Miranda Cordeiro Residente do 2º ano de Oftalmologia do IOCM Melhor Caso Clínico Sessão Refrativa – GAC 6 Dra. Julia Carvalho Barbosa Residente do 3º ano de Oftalmologia do IOCM Melhor Caso Clínico Sessão Glaucoma – GAC 11 Dra. Senice Alvarenga Rodrigues Silva Residente do 3º ano de Oftalmologia do IOCM Campeã Jovem Talento Dra. Julia Carvalho Barbosa Residente do 3º ano de Oftalmologia do IOCM Vice-campeã Jovem Talento Dr. Marcos Pereira Vianello Preceptor e coordenador dos departamentos de Glaucoma e Catarata do IOCM Vice-campeão Master


FELUMA

EXCELÊNCIA COMPROVADA INSTITUTOS FELUMA PASSAM POR AUDITORIA EXTERNA E TÊM CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE RENOVADA A obtenção da certificação ISO 9001, em 2016, foi uma conquista muito comemorada pela FELUMA. Afinal, era a prova definitiva de que o engajamento e o empenho de toda a equipe para tornar a gestão dos serviços mais eficiente haviam sido reconhecidos. “A partir daí, iniciamos um ciclo de melhoria contínua”, comemora Célia Naves, gerente de Qualidade. “Hoje a cultura da qualidade já se consolidou em toda a instituição.” COMO FUNCIONA A RECERTIFICAÇÃO?

Os auditores da ISO visitaram as instituições que detêm certificação (Faculdade Ciências Médicas, Centro de Serviços Compartilhados, Hospital Universitário Ciências Médicas, Ambulatório Ciências Médicas, Instituto Agos e Pós-graduação Ciências Médicas) para verificar se os procedimentos exigidos continuam a ser adotados. Em caso positivo, a certificação é revalidada. Segundo Célia, os procedimen-

tos adotados a partir de 2016 amadureceram com o tempo. “As pessoas entenderam que não é possível ter uma gestão adequada sem pensar na qualidade.” As unidades que ainda não haviam sido auditadas foram preparadas para ser avaliadas em 2019.

É o caso do Agos, um Instituto relativamente recente, que ainda não havia sido criado no ano em que a primeira certificação foi obtida. Desde sua fundação, o Agos expandiu rapidamente sua atuação e já se mostra apto a também conquistar a ISO 9001.

AUDITORIA KPMG GESTÃO TRANSPARENTE E COMPROMETIDA COM A SUSTENTABILIDADE DA INSTITUIÇÃO Os conselhos Diretor, Fiscal e Deliberativo da Fundação Educacional Lucas Machado aprovaram, sem ressalvas, a demonstração financeira da Instituição referente a 2018, a partir de auditoria externa independente realizada pela empresa KPMG. Os resultados foram apresentados por três audi-

tores responsáveis após uma criteriosa análise. Durante a reunião realizada, os conselheiros tiveram a oportunidade de esclarecer ou elucidar aspectos que considerassem pertinentes. O processo de rigorosa verificação das contas considerou a integridade dos dados examinados

e colhidos, tais como: receita, despesa e fluxo de caixa, capacidade de operação, investimentos feitos. A direção da Feluma atua, de forma diligente, com um modelo de governança sólido e responsável, fundamentado em lisura e credibilidade na condução da Instituição.

25


FELUMA

UM DOS IDEALIZADORES DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) ESPECIALISTA EM SAÚDE PÚBLICA, HÁ QUATRO ANOS O DR. JOSÉ MARIA BORGES, VICE-PRESIDENTE DA FELUMA, AGREGA EXPERIÊNCIA À GESTÃO

O vice-presidente da FELUMA acompanhou a evolução e construção do sistema em BH e em Minas Gerais

Os primeiros contatos com a Faculdade Ciências Médicas – MG são de meados da década de 1960. De lá pra cá, os laços construídos naquela época nunca mais foram desfeitos ao longo desses mais de 50 anos. Dr. José Maria Borges se formou em Medicina pela Instituição e contribuiu, junto com alguns fundadores, para que ela se

26 - REVISTA CIÊNCIAS MÉDICAS-MG

firmasse e se tornasse referência de ensino e pesquisa, como nos dias de hoje. A contribuição dada por Dr. José Maria à área de saúde, no entanto, vai muito além da academia. A pós-graduação na Universidade de Londres, concluída em 1972, chamou a atenção do jovem médico para o gerenciamento da

saúde pública. Ele percebeu que havia potencial para adaptar o modelo assistencial adotado pelos ingleses à realidade brasileira. “O atendimento aos pacientes era feito de forma centralizada aqui. Tudo se concentrava nos hospitais, tratando a doença. Na Inglaterra, era adotado o modelo da atenção primária, focado na pre-


O SUS é o mais completo programa de saúde já implantado no mundo. Tem uma cobertura enorme, integral, que abrange desde os cuidados primários do paciente até procedimentos de alta tecnologia DR. JOSÉ MARIA BORGES, Vice-Presidente da FELUMA

venção e na promoção da saúde”, observou à época. No Brasil, a experiência foi levada à prática a partir da Constituição Federal de 1988, que aprovou a criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Após a regulamentação do novo formato, ao assumir a Secretaria Municipal de Saúde em duas gestões diferentes nos anos 90 em Belo Horizonte, Dr. José Maria viu a oportunidade de criar unidades de saúde em bairros mais afastados do Centro e ofertar serviços de atenção primária e imunização. “Adotamos o padrão inglês e o modelo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) já propunha. Acabou dando certo”, lembra Dr. José Maria.

tura enorme, integral, que abrange desde os cuidados primários do paciente até procedimentos de alta tecnologia”, pontua Dr. José Maria Borges. O médico não ignora o fato de que fragilidades como a incapacidade política e gerencial da maioria dos gestores e a escassez de recursos impossibilitam que o SUS atenda, com rigor, as determinações previstas na Constituição. Ainda assim, ele acredita que o sistema cumpre papel fundamental naquilo a que se propõe. Um bom exemplo é o Hospital Universitário Ciências Médicas – MG, reconhecido pela eficiência e pelo atendimento humanizado que dedica aos pacientes do SUS.

EXPANSÃO

SEMPRE COM A FCM-MG

Membro, na época, dos Conselhos Nacional e Estadual de Saúde, o médico estreitou o contato com gestores que atuavam na área em outros Estados, que logo se interessaram em conhecer o que estava sendo feito em Belo Horizonte e o novo modelo proposto se estendeu a outras regiões do país. “O SUS é o mais completo programa de saúde já implantado no mundo. Tem uma cober-

“Participei de praticamente todos os debates importantes que a Faculdade propôs nos últimos 50 anos. Criamos o Diretório Acadêmico (DA), lutamos por recursos públicos, fomos a Brasília para aumentar o número de vagas ofertadas, enfim, sempre tive uma atuação muito forte aqui”, relembra, embora nunca tenha atuado como professor da FCM-MG. Apesar da proximidade, somen-

te em 2015, quando se tornou vice-presidente da Feluma, o médico passou a ocupar um cargo na instituição, ao lado do Dr. Wagner Eduardo Ferreira, que assumiu a presidência naquele ano. Ele destaca que o contexto não era favorável e problemas financeiros fizeram com que os novos gestores tomassem a decisão de, em primeiro lugar, colocar as contas em dia e profissionalizar a administração. As ações agregaram capacidade de investimento à Fundação, que realizou uma série de obras de infraestrutura na Faculdade e ainda criou o Instituto de Robótica, uma ação pioneira no mercado de saúde mineiro. Para Dr. José Maria Borges, o vínculo com a Feluma está longe de acabar. O objetivo é seguir no Conselho Diretor e continuar contribuindo com a evolução dos Institutos. “É muito bom trabalhar em prol da saúde em uma Instituição que reúne tradição e seriedade. É o que me motiva ainda hoje.” O resultado dessa combinação é o que explica a credibilidade de que a Instituição desfruta junto ao mercado, resultado da excelência do ensino oferecido e dos constantes investimentos em pesquisa e extensão.

27


NÃO FIQUE PARA TRÁS. CORRA E APROVEITE OS ÚLTIMOS DIAS DE INSCRIÇÃO. 19 DE OUTUBRO DAS 7H ÀS 12H PARQUE MUNICIPAL

3º lote: R$ 90 *

Imagens ilustrativas

até 18/10 ou enquanto houver vagas.

*Desconto especial para alunos, professores e colaboradores. Consulte nosso site.

INSCREVA-SE NO SITE

CORRIDACIENCIASMEDICASMG.COM.BR

Realização:

Profile for CMMG

Revista Ciências Médicas, Setembro/19  

Revista Ciências Médicas, Setembro/19  

Profile for cmmg
Advertisement