Page 1

trimestral edição 62 abril 2018

Prevenir, por um Concelho sempre verde

pág. 8

informar

centrais

informar

Aprovada requalificação de antigas oficinas e zona envolvente

Mais de 2100 foliões presentes no desfile escolar e corso principal

Obras de restauro na capela do Cercal vão ser apoiadas

pág. 7

pág. 10

pág. 7


editorial

3

qualificar Obras estruturantes para o Concelho em bom estado de execução

4

informar Inaugurada requalificação do pavilhão do Clube Atlético do Cadaval

6

animar “Os Moinhos” foram tema de exposição de artesanato

9

centrais Carnaval: Mais de 2100 foliões presentes no desfile escolar e corso principal 10 educar Apurados alunos para fase regional do Concurso Nacional de Leitura

12

praticar Corta-mato infantil juntou 50 crianças, no parque verde da vila

13

apoiar Encontro “(In)diferenças” abordou inclusão social

14

parar pra conversar João Pereira, presidente da associação de caçadores

16

deliberar

18

contactar

19

Siga-nos:

2 REVISTA MUNICIPAL EDIÇÃO N.º 62 Abril 2018

índice | ficha técnica

Periodicidade trimestral

Capa Paisagem rural concelhia Propriedade Câmara Municipal do Cadaval Direção José Bernardo Nunes | Presidente Subdireção Fátima Paz | Vice-Presidente Ricardo Pinteus | Vereador Dinis Duarte | Vereador

Coordenação, redação e paginação Bruno Fialho / Serv. de Comunicação e Rel. Públicas | CMC Fotografia David Leiroz, Bruno Fialho, Augusto Ramos, Ângelo Oliveira | CMC Colaboraram, ainda, nesta edição: Ana Magueijo, Carla Serrenho, Sofia Mendonça, Teresa Carriche, Teresa Porfírio | CMC Ideia gráfica Paulo Fialho Impressão e acabamento A3 - Artes Gráficas, Lda. Tiragem 5000 EXEMPLARES DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Depósito Legal N.º 166330/01 ISSN: 0872-22129

Assine a Revista Municipal ou subscreva a Newsletter Municipal Digital (gratuitamente) • E-mail: comunicacao@cm-cadaval.pt


Caros Munícipes,

ÂÂ José Bernardo Nunes, Presidente da Câmara

«Fico agora naturalmente agradado com a possibilidade de, finalmente, podermos dar uma nova vida às velhas oficinas municipais e ao Largo da Fonte.»

3 cebível que o Estado coloque, nos municípios, a obrigação e a responsabilidade de dar resposta à recolha de cães e gatos, e depois não esteja disponível para apoiar a construção destas estruturas. Mesmo assim, iremos avançar com a construção de uma primeira fase, suportada inteiramente por ambos os municípios em partes iguais, para podermos dar resposta às solicitações de recolha de animais, que surgem recorrentemente. Com o aproximar do verão, aumenta o risco de incêndios, para os quais devemos, todos, estar atentos, de modo a que o alerta seja dado o mais rapidamente possível. Prevenir foi o que fizemos, levando, a todas as freguesias, a GNR e a APAS Floresta no intuito de alertar para a necessidade de limpeza dos terrenos, em redor das habitações, e explicar o que deve ser feito. Agora, está nas mãos de todos nós contribuirmos para continuar a ter um Concelho sempre verde. Ao Vosso dispor, O Presidente da Câmara.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

editorial

O tempo passa realmente rápido e já estamos em meados de maio quando preparo mais um editorial para a nossa Revista Municipal, tendo o último sido em fevereiro. Mesmo assim, só agora é tempo de darmos nota, na atividade municipal, de eventos como os desfiles de Carnaval, que mais uma vez foram um êxito, para os foliões e para o muito público que acorreu às ruas da vila para ver passar a cor e alegria das nossas crianças, na sexta-feira, e os grupos, no domingo e terça. A todos, o meu público agradecimento e apreço por continuarem a proporcionar momentos divertidos e a perpetuarem esta tradição, que já conta com várias décadas de realização. Quero também deixar um agradecimento ao Grupo Gente Gira, pela qualidade com que nos continua a brindar com a sua “revista à portuguesa”, sempre diferente e cada vez melhor, que estreia no Carnaval e está em cena durante várias semanas, constituindo atualmente um dos expoentes máximos da nossa cultura. Muitas, também, foram as atividades desportivas durante este período, do atletismo ao ioga, passando pela natação; permitam-me que destaque, desta vez, o desporto motorizado. Simbolicamente apelidada de “Aldeia TT”, Alguber voltou a acolher o passeio motard todo-o-terreno, organizado pelo Grupo Motard “Falcões de Montejunto”, que juntou 400 motociclistas, de todo o país, que percorreram o Concelho de lés a lés. Numa altura em que é cada vez mais difícil organizar este tipo de eventos, pelo grau de dificuldade e de logística envolvidos, é de louvar a iniciativa e de incentivar a continuidade de um evento que é já uma tradição. Foi com muita satisfação que recebemos, no Cercal, o Secretário de Estado das Autarquias Locais, que veio trazer mais um apoio para a recuperação e restauro do nosso património religioso. Depois da Igreja de São Tomé de Lamas, chegou a vez de podermos apoiar a Igreja de São Vicente do Cercal. Tive oportunidade de agradecer ao Dr. Carlos Miguel o facto de ter decidido aprovar esta candidatura, pois esta é uma das mais belas igrejas do Concelho, que precisa urgentemente de intervenção e merece toda a nossa atenção; agora é pôr mãos à obra. É também com satisfação que vemos aprovada a candidatura para recuperação das antigas oficinas municipais e do espaço envolvente. Se, em 2007, tive oportunidade de poder contribuir para melhorar substancialmente a qualidade de trabalho dos nossos funcionários, com a passagem para as novas oficinas, fico agora naturalmente agradado com a possibilidade de, finalmente, podermos dar uma nova vida às velhas oficinas municipais e ao Largo da Fonte. Menos agradado estou com o facto de não existirem apoios, dignos desse nome, para a construção do canil intermunicipal, pois a candidatura que apresentámos para o efeito, caso seja aprovada, terá uma comparticipação inferior a 10% do custo total da obra, o que onera substancialmente o orçamento da autarquia. Sendo uma ambição e uma necessidade identificada já há muitos anos no Concelho, foi relativamente fácil entendermo-nos com os nossos vizinhos do Bombarral, para a construção conjunta desta infraestrutura. No entanto, é incon-


Prosseguindo os trabalhos de valorização e requalificação, a nível geral

Obras estruturantes para o Concelho em bom estado de execução Neste período, ao nível das obras por empreitada e de maior envergadura, faz-se aqui uma especial referência à construção do Centro de Saúde – Unidade de Saúde Familiar do Cadaval, que se encontra em avançado estado de execução ao cimo da Rua dos Restauradores do Concelho, junto à central de camionagem e ao tribunal. A recuperação e valorização do Parque de Lazer da Mata da Misericórdia (parque verde da vila) encontra-se, agora, em bom andamento. A pluviosidade dos últimos meses condicionou a prossecução da obra, que teve de aguardar a secagem dos terrenos.

A 2ª fase da remodelação das redes de águas e esgotos da vila encontra-se ainda em execução. Adentro desta, foi já reparado pavimento em zonas já intervencionadas: Rua da Murteira, Largo da Adega e Rua do Campo da Bola. Em fase final está a rede de saneamento e estação elevatória de Alguber. Enquanto isso, decorre o concurso da empreitada da rede de saneamento do Casal Pinheiro e Casal da Boavista, bem como o da requalificação de infraestruturas na serra de Montejunto. A ser lançado está o concurso para a 1ª fase de construção do Centro de Recolha Oficial Intermunicipal (vulgo “canil intermunicipal”).

ÂÂ Novo centro de saúde, Cadaval (ainda em execução)

ÂÂ Remodelação de ponte pedonal, no parque verde da vila

ÂÂ Perspetiva parcial da zona intervencionada, no parque da vila

ÂÂ Quiosque erguido no âmbito da recuperação do parque verde

ÂÂ Asfaltagem da Rua das Fruteiras, Vermelha

ÂÂ Ligação entre a Rua de Alcântara e Estrada do Vale Matos, Vilar

qualificar

4


ÂÂ Asfaltagem da Rua 19 de Março, Póvoa

ÂÂ Transversal da Rua de Santa Ana, Póvoa

ÂÂ Asfaltagem da Travessa da Fonte, Póvoa

ÂÂ Transversal da Rua do Sobral, Póvoa

ÂÂ Construção de passeio em calçada, Casal Cabreiro

ÂÂ Passeio em calçada na Rua do Moinho, Chão de Sapo

ÂÂ Reposição de piso, no âmbito da remodelação de redes, Cadaval

ÂÂ Aquisição de duas novas retroescavadoras

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

qualificar

5


Uma iniciativa em prol do ambiente e da economia

Câmara vai erradicar lâmpadas de mercúrio

ÂÂ Reunião entre representantes da CMC e da EDP Distribuição

6

Arrancou recentemente, no Concelho, a substituição total das lâmpadas de vapor de mercúrio por luminárias LED, numa operação de erradicação da mais poluente tecnologia utilizada na rede elétrica, que deverá ficar concluída em 2019. A medida visa o aumento da eficiência energética da iluminação pública concelhia, traduzida em ganhos económicos e ambientais. O acordo entre o Município e a EDP/Distribuição prevê a substituição, na rede de iluminação pública, de 740 lâmpadas, com tecnologia de vapor de mercúrio, por luminárias com tecnologia LED. Consumar-se-á, assim, a erradicação de uma tecnologia baseada no mercúrio, que é considerado um dos elementos mais perigosos e poluentes dos constituintes das lâmpadas. A operação totalizará cerca de um milhar de luminárias substituídas, se considerarmos que esta parceria CMC/EDP remonta a 2016, ano em que haviam sido já colocadas 100 unidades LED em diversos pontos do Concelho, ao passo que em 2017 se trocaram cerca de 150 lâmpadas de mercúrio por aquela recente tecnologia.

informar

CMC adere a campanha para o não abandono de animais O Município alerta os cidadãos para uma campanha, à qual este se associou, numa iniciativa da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), com vista a sensibilizar para o não abandono de animais de companhia. Nesse sentido, a Câmara disponibiliza, no site municipal, material divulgativo, produzido pela DGAV, onde é fornecida informação útil para quem tem, ou pensa ter, animais de companhia. Saiba, por exemplo, o que fazer caso o seu animal tenha um problema de saúde, ou se tiver de ir de férias, ou mesmo sair do país, sem poder levá-lo. São também passados conselhos de sensibilização para o controlo da reprodução (que pode configurar mau trato) e para as vantagens da esterilização, assim como para a ponderação de diversos fatores antes de adotar ou adquirir um animal. De resto, as listas dos centros e alojamentos, bem como dos criadores autorizados, constam no portal www.dgav.pt. O seu animal de estimação é um amigo. Nunca o abandone!

Antiga escola de Pero Moniz cedida a associação

O Município assinou, a 26 de março, com a Associação Galgueira do Centro, um contrato de comodato de cedência, a título gratuito, do uso do edifício escolar de Pero Moniz, dando assim continuidade ao aproveitamento das escolas primárias desativadas, evitando a sua degradação e dando-lhes um destino útil. A AGC fica responsável pelas obras de conservação e adaptação que entenda necessárias, nos termos definidos por protocolo, que se prendem, sobretudo, com a não alteração da estrutura do edifício. A cedência é valida por um período de quatro anos, considerando-se tacitamente renovada por períodos de dois anos, salvo denúncia por qualquer das partes.

Cadaval entre os cinco melhores na reciclagem Dos 18 concelhos integrados no sistema da Valorsul - Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos das Regiões de Lisboa e do Oeste, S.A., o Cadaval registou um valor de 37kg de recolha seletiva por habitante, no ano 2017, o que coloca o Concelho na quinta melhor posição, em termos de desempenho na área da reciclagem. O objetivo é o de melhorar estes resultados, de modo a poder atingir, em 2020, a meta dos 49kg por habitante/ano. O Município apela assim, a toda a população, para a necessidade de aumentar a separação dos resíduos domésticos, de forma a podermos contribuir para uma menor deposição de lixo em aterro, promovendo a reciclagem dos materiais - em nome do ambiente e de todos nós!

Município volta a aderir à “Hora do Planeta” O Município voltou a associar-se, formalmente, à iniciativa internacional “Hora do Planeta”, tendo desligado, a 24 de março, das 20h30 às 21h30, todas as luzes dos Paços do Concelho, Biblioteca Municipal e Núcleo Museológico do Moinho das Castanholas. Tratou-se de uma medida simbólica assumida na “Declaração sobre o envolvimento do Município do Cadaval na Hora do Planeta 2018”. Nela inserem-se outros compromissos, tais como a (também aqui anunciada) erradicação das lâmpadas de mercúrio da iluminação pública. A iniciativa relembra, no lema deste ano, ser «mais do que um apagar das luzes. É um compromisso para unir e proteger o Planeta, a nossa única casa». A Hora do Planeta é promovida pela Associação Natureza Portugal e WWF – World Wide Fund for Nature (“Fundo Mundial para a Natureza”).


ÂÂ Representantes da DGAL, J. Freguesia, CMC, SEAL, Igreja, Ass. Municipal e CCDR-LVT

O secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, assinou a 19 de abril, na Igreja de São Vicente do Cercal, um contrato de financiamento para a recuperação da histórica capela cercalense. A obra de restauro e conservação estima-se em cerca de 100 mil euros, que serão comparticipados pelo Governo, através do Programa de Equipamentos Urbanos de Utilização Coletiva, em metade do respetivo valor. Participaram na assinatura Sónia Ramalhinho, diretora-geral da DGAL – Direção Geral das Autarquias Locais, José Pedro Neto, vice-presidente da CCDR-LVT – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, e ainda o padre Yovanny Frias, em representação da Fábrica da Igreja Paroquial de São Vicente do Cercal. Testemunharam o ato contratual o presidente da Câmara, José Bernardo Nunes, o presidente da Assembleia Municipal, Rui Soares, a presidente da Junta da União de Freguesias de Lamas e Cercal, Amélia Silva, entre outros autarcas e populares. Numa breve visita à capela, a comitiva pôde constatar a degradação do edifício de séc. XVII, de onde ressaltam fissuras e infiltrações de humidade nas paredes, bem como o mau estado do telhado. José Bernardo agradeceu ao Governo e afirmou a «disponibilidade total dos técnicos da Câmara, quer para o lançamento do concurso, quer para a execução da obra». Carlos Miguel realçou o caráter «valioso» daquele património e a importância de o preservar. «Tudo isto envolve uma parceria, onde está o Estado, as autarquias, mas também a população», sublinhou.

Nave do mercado municipal cedida para ação formativa Ao abrigo de um contrato de comodato entre o Município e a LeaderOeste (entidade enquadradora do Projeto CLDS-3G Melhor Cadaval) encontra-se a decorrer desde março, nas instalações do Mercado Municipal (nave superior, a qual estava devoluta), uma ação de formação em Confeção Industrial, com a duração de cerca de 10 meses, através da MODATEX – Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confeção e Lanifícios. O Município entende que a mesma permitirá criar mão-de-obra especializada nesta área, que poderá vir a integrar empresas locais.

© DDE

Capela do Cercal vai contar com apoio para restauro

Luz verde para requalificar antigas oficinas e periferia

Foram aprovadas, recentemente, duas candidaturas camarárias ao programa “Centro 2020” e integradas no Plano de Ação de Regeneração Urbana do Cadaval, que contarão com comparticipações de 85% por fundos europeus (FEDER). A Reabilitação e Reconversão das Antigas Oficinas Municipais e Edifícios Envolventes permitirá criar o Polo Cultural e Social da Fonte. Trata-se de um espaço polivalente projetado para iniciativas artísticas e culturais, assim como para prestar uma resposta social e auxílio a pessoas e famílias em situação de carência. Contando com um custo ilegível de cerca de 652 mil euros, contará com um cofinanciamento de perto de 571 mil euros. A Requalificação Urbana e Paisagística do Espaço Público Envolvente às Antigas Oficinas Municipais inclui, por seu turno, a criação de parque de estacionamento, no acesso ao Polo Cultural e Social da Fonte, bem como arranjo e reconversão do espaço dos antigos viveiros municipais, com valorização da fonte, minas e lavadouros. Tratando-se de um espaço em pleno centro histórico, a sua valorização permitirá a fruição pelo público. Com um investimento ilegível de perto de 377 mil euros, a obra será comparticipada em cerca de 320 mil euros.

Reabilitação Urbana: IFRRU alarga apoios Foram alargadas, em março, as elegibilidades para apoio por parte do IFRRU – Instrumento Financeiro de Reabilitação e Revitalização Urbanas, apresentado na anterior edição desta revista. Recorde-se que, num único pedido de financiamento, o IFRRU apoia, em condições mais favoráveis, o investimento na reabilitação urbana e na eficiência energética do imóvel a reabilitar, sem restrições quanto à utilização a dar-lhe ou à entidade requerente. Consulte mais informação no site municipal, em http://www.cm-cadaval.pt/reabilitacao-urbana.

7

“Marketing e Francês” com inscrições abertas Estão abertas inscrições para a formação “Técnicas de Marketing e Francês Comercial”, para maiores de 18 anos e com duração de 200 horas, a realizar no Cadaval e contemplando os habituais apoios (subsídios e, quando aplicável, bolsa de formação). Arrancou também em março, no edifício dos bombeiros, a formação “Aperfeiçoamento em cozinha”, de 150 horas, sendo os módulos práticos realizados na cozinha dos bombeiros. Para mais informações, contacte o GIP do Cadaval pelo 262 690 161 ou pelo email: gip@cm-cadaval.pt.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

informar

Secretário de Estado das Autarquias Locais veio à aldeia firmar acordo


A intervenção resultou de prejuízos decorrentes de intempérie

Inaugurada requalificação do pavilhão do C.A.C.

ÂÂ José Bernardo Nunes saudou jovens atletas do CAC, antes do jogo inaugural

informar

8

O CAC – Clube Atlético do Cadaval promoveu, a 17 de março, a inauguração da requalificação do Pavilhão Augusto Simões, com a especial presença do vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Rui Manhoso. A intervenção na infraestrutura – campo de treino dos escalões mais jovens do futebol de formação – incidiu, sobretudo, na recuperação da cobertura (destruída, por intempérie, em outubro de 2015) e na colocação de piso sintético, num investimento global a rondar os 37 mil euros, financiado pela FPF em 25 mil euros, contando também com apoio camarário. O ato inaugural teve ainda a presença do presidente da Assembleia Geral da Associação de Futebol de Lisboa (AFL), Carlos Teixeira, bem como presidente e vereadores da Câmara Municipal, representantes da Junta da União de Freguesias do Cadaval e Pero Moniz e do Sport Clube Escolar Bombarralense (SCEB), atletas e pais, entre outros. Na sessão solene intervieram os representantes da FPF e da AFL, António Correa e Carlos Jerónimo, respetivamente presidente e diretor do CAC, e José Bernardo Nunes, presidente da CMC. Seguiu-se um jogo inaugural “amigável”, disputado entre o CAC e o SCEB, envolvendo atletas dos quatro aos seis anos (escalão “Petizes”). José Bernardo destacou, na ocasião, a importância da cedência daquele espaço, há alguns anos, ao Clube Atlético do Cadaval, permitindo, com o apoio camarário, mantê-lo em atividade, ao invés de o deixar ao abandono. O presidente reforçou o facto de o pavilhão ser «muito dirigido às classes mais jovens», motivando-as para a prática do desporto, o que considera muito importante. (Notícia desenvolvida no site municipal)

Voluntariado para florestas aberto a entidades e jovens Estão abertas candidaturas para “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas”, novo programa que vem promover práticas de voluntariado juvenil no âmbito da preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas. As inscrições estão abertas, até início de setembro, para as entidades promotoras. A segunda fase destina-se a jovens dos 18 e 30 anos, que poderão inscrever-se até 10 dias antes do início do projeto candidatado pelas entidades. Mais informações em: https://juventude.gov.pt.

Ações ensinam a proteger casas e floresta de fogos

O Município promoveu no início de março, pelo Concelho, em parceria com a APAS Floresta e a GNR, o conjunto de ações de sensibilização “Como proteger a sua casa e a floresta dos incêndios”, decorrente da nova legislação sobre Faixas de Gestão de Combustível. Uma das questões levantadas prendeu-se com a obrigatoriedade, ou não, de cortar árvores de fruto ou florestais/ornamentais nos jardins. Foi esclarecido que jardins cuidados não são floresta, pelo que não obedecem às regras definidas na lei. Foi ainda clarificado que, sempre que há necessidade de cortar árvores protegidas (sobreiros/azinheiras) dentro das faixas, é preciso solicitar autorização ao ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas. Alertou-se, igualmente, para a necessidade de eliminar vegetação como silvas e canas, mais comuns em terrenos abandonados e que são o principal foco de incêndio. Foi ainda realçado que, depois de “limpos” os terrenos, o material resultante não poderá ficar no local, devendo ser destroçado ou queimado. As queimas de sobrantes deverão ser feitas o quanto antes e fora do período crítico, que, por regra, situa-se entre 1/7 e 30/9, que poderá ser antecipado ou prorrogado. Informese na CMC e previna-se! (Veja também artigo abaixo, sobre voluntariado para as florestas)

CMC monitoriza presença de Vespa Velutina No âmbito do Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina (VV) em Portugal, o Município, através do Serviço Municipal de Proteção Civil e em articulação com as juntas de freguesia, encontra-se a monitorizar a ocorrência da Vespa Velutina ou Vespa Asiática na área do Concelho. A espécie foi confirmada no Distrito de Leiria, o ano passado, tendo vindo progressivamente a deslocar-se para sul. É, pois, natural que, durante esta primavera, volte a ocorrer novo avanço para sul, neste caso até ao nosso território. Esta espécie de vespa invasora alimenta-se de insetos mais pequenos, como a vespa europeia ou as abelhas de mel, podendo causar graves prejuízos ambientais e económicos. Por ser mais agressiva que a vespa europeia, quando sob pressão ou proximidade, pode ainda desencadear ataques a humanos. Assim, foi providenciada a colocação de armadilhas, de modo a monitorizar a presença da VV no Concelho. Embora artesanais, as armadilhas são seletivas e de impacto reduzido, permitindo a fuga de insetos de tamanho inferior. Sendo a sua colocação feita no exterior dos perímetros urbanos, a CMC apela à sua não destruição.


“Os Moinhos” foram tema de exposição de artesanato

ÂÂ Alunos da EB1 do Cadaval de visita à mostra de artesanato

Cadaval divulgou-se na Bolsa de Turismo e no SISAB

Biblioteca e Museu voltam a preencher férias letivas

9 A biblioteca e o museu municipais promoveram de 26 a 28 de março e dias 2, 3 e 5 de abril, um conjunto de ateliês de preenchimento lúdico-didático de parte das férias da Páscoa. Num total de cerca de 60 inscrições incluíram jogos de mesa (sem esquecer o xadrez e o dominó, entre outros), ioga (com Cláudia Vieira), paleontologia, uma sessão com Ciência Divertida, sessões de cinema e uma Hora do Conto, que comemorou o Dia Internacional do Livro Infantil e que incluiu uma atividade de expressão plástica. Como sempre, os ateliês foram abertos, gratuitamente, a crianças e adolescentes dos seis aos 16 anos, em função das atividades propostas.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

© BMC

O Município voltou à BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, decorrida de 28 de fevereiro e 4 de março, na FIL – Lisboa, integrado no espaço da OesteCIM - Comunidade intermunicipal do Oeste e do Turismo do Centro. A BTL trata-se de um salão de referência para a indústria do Turismo Nacional e Internacional, tendo recebido 77 mil visitantes e mil expositores. O Concelho mostrouse através dos vinhos da Casa Agrícola Nicolau, Fazendas da Estremadura, Adega Cooperativa da Vermelha e Adega Cooperativa do Cadaval) e do típico Pão de Ló Ti’ Piedade, tendo levado ainda um filme promocional sobre a serra de Montejunto, com enfoque na Real Fábrica do Gelo. O Cadaval esteve também presente no SISAB – Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas, a 12 a 14 fevereiro, no Altice Arena, Lisboa, a maior feira mundial de produtos portugueses do setor, onde estiveram mais de 1700 compradores, vindos de mais de 110 países. Representaram-no as empresas Grazicar e Aviário do Pinheiro, e as adegas cooperativas do Cadaval e da Vermelha.

A Biblioteca Municipal mostrou, de 17 de março a 2 de abril, quatros de José Simões, pintor autodidata oriundo do concelho do Bombarral. Tratou-se da primeira mostra do autor, funcionário aposentado da embaixada da Alemanha em Bruxelas (Bélgica), e reuniu mais de 60 quadros, pintados a óleo e acrílico, aludindo a paisagens de várias partes do mundo. Foi há cerca de 40 anos que José Simões iniciou esta arte, a qual aprendeu sozinho, mas só há meia dúzia de anos, depois de reformado, é que retomou a atividade, recorrendo ao dossiê de fotografias que foi colecionando dos sítios por onde passou. Para além dos trabalhos expostos, em que refere “dar vida e movimento à Natureza”, o autor diz ter mais quadros em sua casa, entre os quais, pintura contemporânea ou retratos de família.

© BMC

No âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de abril), esteve patente ao público, no Núcleo Museológico do Moinho das Castanholas (Cadaval), de 18 a 30 de abril, uma exposição de artesanato constituída por cerca de 20 moinhos, fabricados em diversos materiais, como sejam: cimento, madeira, barro, papel e lata. Foram três os artesãos da região que acederam ao convite de expor nesta ocasião, nomeadamente Mário Albino (Cadaval), Rui Martins (Alguber), José Carlos (Barril, Mafra). O intuito da mostra foi o de, por um lado, assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, este ano dedicado ao tema “Património: de geração em geração”, neste que é, também, o Ano Europeu do Património Cultural. A iniciativa visou, para além disso, e segundo o Museu Municipal, «expor os trabalhos realizados por artesãos locais e regionais, e eventuais colecionadores, de forma a dar a conhecer o artesanato, os vários tipos de moinhos e a promover o espaço museológico».

Autor bombarralense estreou-se no Cadaval

animar

A assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios


Numa das edições mais participadas de sempre

Carnaval 2018: Mais de 2100 foliões presentes no desfile escolar e corso principal

ÂÂ As dinastias monárquicas e o passado histórico português a inspirar, satiricamente, o Carnaval do Cadaval

centrais

10

Mais de 2100 foliões, nomeadamente cerca de 700 figurantes no corso principal, e perto de 1400 no desfile escolar, constituem o rescaldo do Carnaval cadavalense, que suplanta, assim, a afluência do passado ano, fazendo desta uma das mais participadas edições. O tempo frio e chuvoso, que se fez sentir ao longo da festividade, não impediu o sucesso de mais uma edição do Carnaval do Cadaval. A começar pelo desfile escolar, realizado na sexta-feira, dia 8 de fevereiro, não se fizeram rogados crianças, jovens, docentes e auxiliares, que saíram mesmo à rua, atravessando a vila com máscaras trabalhadas em torno do tema escolhido para este ano, pelo Agrupamento de Escolas: “O Património: à descoberta de Portugal”. Participaram todas as escolas da rede pública do concelho (do pré-escolar ao secundário) e ainda a creche/jardim de infância “As Pintinhas” da Santa Casa da Misericórdia do Cadaval. Já o corso principal, que passou pelas principais ruas da vila no domingo e terça-feira de Entrudo, fintou, também, o clima desfavorável e desfilou sobre os mais variados temas, animando o muito público presente. A parada envolveu vários grupos a pé e carros alegóricos, em representação de associações, coletividades, juntas de freguesia ou grupos informais, não exclusivos do concelho, embora, na sua

maioria, naturalmente de proveniência local. Dos clássicos polícias e ladrões aos índios, passando por “cleópatras”, mimos e arlequins, também a comunidade cigana foi parodiada nesta quadra oficial da brincadeira, a que se juntaram varinas e pescadores ou ainda satíricas alusões à dicotomia Estados Unidos/Coreia do Norte, sem esquecer os bem atuais “emojis” das redes sociais, entre muitos outros assuntos destinados tão-só a provocar a boa disposição, fosse dos intervenientes, fosse sobretudo do público assistente. E foi de facto o espírito folião e a habitual originalidade que primaram no Carnaval cadavalense, onde os grupos participantes, de ano para ano, procuram superar-se em termos criativos, esquecendo os dissabores climatéricos e outros que tais. Cumpriu-se, igualmente, na noite de segunda-feira, o tradicional baile de Carnaval, decorrido no pavilhão dos bombeiros, com animação e diversão noite dentro. Para terminar, refira-se a estreia da revista à portuguesa “Pr’á frente que atrás gente gira”, mais uma produção do Grupo Gente Gira (GGG), companhia teatral cadavalense. Só nas seis exibições já realizadas, no cineauditório Valentina de Abreu (Cadaval) e no âmbito do cartaz carnavalesco, o grupo foi já aplaudido por cerca de um milhar de espetadores. Reservas de bilhetes e contactos para espetáculos pelo telefone 91 060 77 02 ou pelo email: grupogentegira@


gmail.com. Atente ainda na página de Facebook do GGG (@ grupogentegira.grupodeteatro), onde o grupo divulga os espetáculos. A comissão organizadora do Carnaval, constituída pela Câmara Municipal do Cadaval e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval, congratula-se pelo sucesso do evento, agradecendo, muito especialmente, a todos os intervenientes nos desfiles (escolar e principal), mas também a todos os que aderiram ao baile de máscaras. Os agradecimentos são extensivos a quem visitou a vila cadavalense, durante os cortejos carnavalescos, e a todos quantos contribuíram no peditório da associação de bombeiros e aos demais apoiantes do Carnaval 2018. Reportagens fotográficas e em vídeo disponíveis no Facebook da CMC e no canal Youtube (acesso via site municipal).

ÂÂ Uma alusão às cruzadas portuguesas, no desfile escolar

ÂÂ Trajes típicos portugueses na parada infantil

ÂÂ Ampla assistência aplaudiu a passagem de crianças e jovens

ÂÂ A atualidade internacional foi visada no corso principal

ÂÂ A boa disposição não faltou aos foliões, apesar do tempo sisudo

ÂÂ O apoteótico final do 2.º ato da revista do Grupo Gente Gira

ÂÂ “Mimos e arlequins” a desfilarem numa alegre coreografia

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

centrais

11


A fase concelhia foi promovida pela Rede de Bibliotecas do Cadaval

ÂÂ Apurada do 1.º ciclo (3ª da frente), restantes vencedoras desse nível e entidades

12

A Biblioteca Municipal foi, a 7 de março, palco das provas da fase concelhia do Concurso Nacional de Leitura, reunindo cerca de meia centena de estudantes locais, provenientes do 1.º ciclo ao secundário. Foram apurados os seguintes alunos: 1.º ciclo – Clara Soares (3.º ano), 2.º ciclo – João Félix (6.º ano), 3.º ciclo – Jorge Lima (7.º ano) e Secundário – Daniela Delgado (10.º ano). Integraram, o júri local, Rute Bento, coordenadora intermunicipal das bibliotecas escolares, Anabela Amaro, representante da direção do Agrupamento de Escolas do Cadaval, Maria de Fátima Paz, vice-presidente da Câmara do Cadaval, e Ana Cristina Pinto, escritora e jornalista do Jornal Região Oeste. Os alunos apurados irão representar o Concelho na semifinal intermunicipal, que integrará os 12 concelhos oestinos, e decorrerá na Biblioteca Municipal de Torres Vedras, a 16 de maio. Tânia Camilo, bibliotecária cadavalense, integrará o júri de três elementos. A final está, por seu turno, marcada para o dia 10 de junho. Recorde-se que a edição 2017 da fase regional aconteceu no Cadaval, numa organização da biblioteca local, e contou com a participação de quase 90 alunos da região. Na final do transato ano, o terceiro lugar coube mesmo a uma cidadã oestina, de seu nome Inês Louro, aluna de Alcobaça.

educar

Câmara integra ioga em horário extracurricular Com o objetivo de proporcionar, aos alunos que frequentam os Serviços de Apoio à Família – prolongamento de horário da tarde, uma atividade diferente, a partir de janeiro de 2018, o Município disponibilizou aulas de ioga uma vez por semana, em todas as escolas onde funcionam esses serviços de apoio. Estão a frequentar a disciplina cerca de 130 crianças do Concelho, nomeadamente 67 alunos de jardim-de-infância e 61 de 1.º ciclo. O “yoga” (estrangeirismo do sânscrito) ou “ioga” (forma adaptada) significa “unir”, “integrar”, “ligar”. Trata-se de uma filosofia de vida que propõe o relacionamento harmonioso das nossas potencialidades físicas, mentais e espirituais. Nas escolas, a prática deste ensinamento milenar com as crianças tem manifestado progressos ao nível de problemáticas relacionadas com agitação, nervosismo, falta de concentração, falta de vontade de estudar, excesso de ansiedade, dificuldade de aprendizagem ou mesmo problemas de relacionamento com professores e colegas.

Férias na Escola animaram 80 crianças © DAG

Apurados para fase regional do Concurso de Leitura

Na interrupção letiva da Páscoa, regressaram as “Férias na Escola”, contando com 80 crianças. A atividade física foi constante, incluindo natação e, como novidade, trampolins, numa colaboração com a Casa do Povo do Concelho do Cadaval, e ainda o ioga. Contaram ainda com ateliês de culinária, pintura de t-shirts e atividades plásticas, e uma prova de orientação de “Geocaching”. A pequenada pôde ainda visitar o Museu do Ar, na Base Aérea Nº 1 de Sintra, e participar em experiências no Pavilhão do Conhecimento (Lisboa). As atividades terminaram com o momento festivo “White Party”, em que a escola se decorou a rigor e os participantes trajaram a preceito. Uma vez mais, a CMC mostra-se reconhecida às assistentes da área da Educação, a quem se fica a dever o mérito das atividades.

Alunos locais participam em livro solidário Realizou-se, a 19 de janeiro, nas instalações da Biblioteca Municipal, a apresentação concelhia do livro “Histórias da Ajudaris’17”, numa organização da Rede de Bibliotecas do Cadaval. As turmas (do transato ano escolar), cujos textos foram selecionados para integrar o referido livro, foram: turma 8 da EB1 do Cadaval, turma 5.º C da EBS, turma da EB1 da Murteira e as duas turmas da EB1 do Painho. Parte das ilustrações das histórias coube a Elisabete Marques, docente local. Segundo Conceição Durão, “embaixadora” da Ajudaris, a venda dos livros reverte para famílias e crianças com necessidades a vários níveis. «Através da escola e da escrita criativa, podemos motivar os alunos para a solidariedade», referiu. A ação incluiu pequeno recital de violino, pelo projeto Musiforma, leitura dos textos publicados e sessão de autógrafos, pelos “pequenos autores”, e ainda beberete final, comemorativo do 3.º Aniversário da Biblioteca Escolar de 1.º Ciclo.

CMC apetrecha escolas com material desportivo A CMC adquiriu, recentemente, um conjunto de material desportivo, constituído por colchões, bolas e arcos de ginásio, a fim de proporcionar, a partir do corrente ano letivo, melhores condições para a prática da área de Expressão Físico-Motora, na componente curricular e no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC’s) do primeiro ciclo. O Município pretendeu ainda contribuir para a preparação da prova de aferição de Expressões Físico-Motoras, que os alunos do 2.º ano realizam, em maio, a nível nacional.


O espaço de lazer envolvente à biblioteca recebeu a prova

Cadaval recebeu 3ª etapa de circuito de natação © PMC

Corta-mato infantil juntou 50 crianças

O Município organizou, a 27 de janeiro, uma prova de Atletismo – Corta-mato, que foi aberta aos escalões petizes, traquinas e benjamins, envolvendo, assim, crianças nascidas entre 2007 e 2012, em distâncias que variaram entre os 200 e os 600 metros, de 1.º e 2.º ciclos do Concelho. O evento desportivo, inicialmente inserido nas comemorações do Feriado Municipal, acabaria por não se realizar na data programada (13 de janeiro), devido ao mau tempo que marcou esse dia. Ainda assim, a prova ultrapassou a meia centena de crianças participantes. (Lista de vencedores, por escalão, disponível no site municipal)

“Aldeia TT” de Alguber juntou 400 entusiastas Alguber recebeu, a 14 de janeiro, a 16ª edição do “Passeio Todo-o-Terreno – Motos e Quads”, evento que, dada a elevada adesão conseguida anualmente, lhe conferiu já o título de “Aldeia TT”. Este ano não foi diferente e quase 400 motociclistas marcaram presença no megapasseio, que regressa em janeiro de 2019, como sempre, pela mão do Grupo Motard “Falcões do Montejunto”. A legião de motoqueiros pôde, uma vez mais e com o tempo a favor, desfrutar de cerca de 100km de trilhos mistos, com vários obstáculos a ultrapassar e a fazerem as delícias dos muitos praticantes. A qualidade organizativa, que tem sido ponto de honra desta «grande reunião de amigos», voltou a não defraudar expetativas.

Cadaval sagra-se bicampeão em voleibol O Clube Atlético do Cadaval (CAC) sagrou-se, recentemente, bicampeão no 3.º Campeonato de Voleibol de Veteranos Masculinos 2017/2018, organizado pelo Sport Operário Marinhense (Marinha Grande), clube também participante, a par do Sporting Clube das Caldas, Grupo Desportivo da Martingança (Alcobaça) e Amigos do Voleibol de Leiria. O campeonato decorreu entre outubro de 2017 e março de 2018. O clube venceu o campeonato, totalizando 20 pontos, decorrentes de sete vitórias e apenas uma derrota sofrida, no total de oito jogos disputados. O CAC encontra-se, presentemente a participar no 1.º Campeonato Nacional deVeteranos.

13

Associação de Kempo arrecada mais 7 medalhas

© GMFM

A Associação de Kempo e Kajukenbo do Cadaval (AKKC) participou, uma vez mais, no campeonato do mundo de artes marciais – WAC 2018 (do inglês, “World All Styles Championship”), realizado em finais de março, nas Caldas da Rainha (Expoeste), tendo reunido cerca de 6 mil atletas e mais de 500 categorias de artes marciais. Invariavelmente, a AKKC, liderada pelo instrutor Carlos Marques, trouxe prémios de relevo para o Concelho, no total de duas medalhas Ouro, duas Prata e três Bronze. Ricardo Vieira foi 1.º classificado na vertente “Rumble WAC”, enquanto Rodolfo Geada venceu em “Semi WAC”. Tiago Santos foi 2.º em “Light WAC”, assim como Marcos Gião. Afonso Caetano foi, por seu turno, 3.º em “Rumble WAC” e “Semi WAC”, enquanto Sofia Vieira foi também 3ª, na categoria “Formas de mãos com arma”.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

praticar

ÂÂ Crianças deram o seu melhor e familiares aplaudiram o seu esforço

A Piscina Municipal acolheu, a 3 de fevereiro, a terceira etapa do 9.º Circuito de Escolas de Natação do Oeste, onde participaram sete escolas da região, entre as quais a do Cadaval, tendo juntado 130 jovens praticantes. Para além da escola de natação local, que participou com 20 alunos, integraram, ainda, esta etapa: Piscina Municipal de Bombarral, Piscina Municipal de Óbidos, Associação Nadar (Caldas da Rainha), Física de Torres Vedras, Piscina Municipal de Rio Maior e Junta de Freguesia de A-dos-Cunhados. O circuito, onde o Cadaval participa há quatro anos, pretende dinamizar a natação na região, promovendo a interação entre escolas. Compõe-se de sete etapas, cada qual com dez provas, repartidas por grupos etários.


Crianças e jovens com deficiência foi tema da conferência

ÂÂ Representantes do CLDS, Agrupamento de Escolas, CPCJ Cadaval, CMC e INR

© DAG

Encontro “(In)diferenças” abordou inclusão social

Município promoveu passeio da Páscoa

A CMC proporcionou, a 4 de abril, a cerca de noventa crianças do concelho, entre os 3 e os 12 anos, uma visita à Quinta Pedagógica dos Olivais e ao Pavilhão do Conhecimento – Centro de Ciência Viva, em Lisboa. No âmbito da visita ao Pavilhão do Conhecimento, o grupo, de acordo com a sua faixa etária, pôde participar nas diferentes atividades/experiências lúdicas patentes na exposição “Angry Birds”. Este passeio da Páscoa foi dirigido às crianças que se encontram a frequentar o Programa “Férias na Escola”, bem como a algumas que se encontram inseridas em agregados familiares acompanhados pelo serviço de Ação Social do Município. © DAG

A Biblioteca Municipal recebeu, a 22 de fevereiro, o encontro “(In)diferenças – Inclusão e crianças e jovens com deficiência”, numa iniciativa do Programa CLDS-3G Melhor Cadaval que trouxe a debate a legislação sobre o tema, visando oportunidades de melhoria.

Seniores do Concelho foram ao cinema © DAG

apoiar

14

A conferência teve como facilitadora Patrícia Oliveira, assistente social do CLDS, tendo contado com a presença de entidades com responsabilidade neste âmbito. Dora Jesus, coordenadora do Departamento de Educação Especial do Agrupamento de Escolas do Cadaval, apresentou o trabalho desenvolvido nesta área pelo dito agrupamento. A também docente defendeu uma educação “equitativa”, por oposição a uma educação “igual” para todos, adiantando que é esse, aliás, o caminho proposto pela nova legislação. Fátima Alves, técnica do Instituto Nacional para a Reabilitação, deu a conhecer esta entidade, enquadrou a educação das crianças e jovens nos instrumentos legais, de direito nacional e internacional, e identificou boas práticas. A registar da sua exposição, fica a ideia de que «os direitos de todas as pessoas começam no lugar onde habitam». Maria da Conceição Sá, presidente da Comissão de Proteção a Crianças e Jovens do Cadaval, revelou a importância de proporcionar, também aos pais de filhos com deficiência, o necessário suporte (psicológico). A responsável alertou para a existência de famílias muito isoladas no Concelho, a carecerem de atenção por parte estatal, nomeadamente a nível de apoio e de aconselhamento na autonomia que os pais procuram dar aos seus filhos. “Felizmente não temos tido muitos problemas com crianças ou jovens com problemas desta natureza, mas os que temos tido, tentamos dar-lhe tudo o que têm direito», disse a responsável. Patrícia Santos, técnica do INR (invisual) esclareceu que «cada vez mais, a intervenção está a abarcar outras dimensões, como a dos pais, e não só a centrar-se na pessoa com deficiência, que deve ser o alvo de toda a intervenção». E citou o exemplo do Banco de Informação de Pais para Pais, entre outras estruturas existentes. Dinis Duarte, vereador da Câmara Municipal, salientou que «todos têm o direito a uma vida com dignidade», sendo que tal depende muito de quem os rodeia, em termos de apoio e de aceitação. «O Município está, obviamente, disponível, naquilo que são os nossos recursos, para apoiar estes desafios», referiu o autarca.

No âmbito do projeto “Envelhecer Vivendo”, que envolve a CMC e as IPSS’s locais, teve lugar, dia 17 de abril, uma ida sénior a uma sessão de cinema, em Centro Comercial de Torres Vedras, onde participaram perto de 90 pessoas, designadamente idosos e pessoal acompanhante. Para além das sete instituições sociais locais (ASAVIDA – Dagorda, Associação S. Montejunto, Cáritas P. Vilar, CSP Alguber, CSP Lamas, Campus Social Olival, SCM Cadaval), a atividade foi aberta, também, a seniores com processo social camarário. “Jacinta – O milagre de Fátima visto pelos olhos de uma criança” foi o filme assistido pelo grupo sénior. Seguiu-se almoço no espaço de restauração do centro comercial, seguido de passeio no interior do espaço.


Educação Alimentar foi tema de ação de esclarecimento

ÂÂ A nutricionista Sheila Antunes falou sobre como evitar o desperdício alimentar

No âmbito da candidatura apresentada ao Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas – Fundo de Auxílio Europeu às Pessoas Mais Carenciadas, para além da distribuição de géneros alimentares às famílias desfavorecidas, foram previstas, também, ações de acompanhamento, cujas temáticas são: Educação Alimentar – Prevenção do Desperdício; Otimização e Gestão do Orçamento Familiar; Seleção de Géneros Alimentares. A primeira ação (Educação Alimentar – Prevenção do Desperdício) decorreu a 12 de abril e foi gentilmente dinamizada por Sheila Antunes, nutricionista da Santa Casa da Misericórdia do Cadaval. Estiveram presentes, na sessão, 23 beneficiários deste programa alimentar. O supracitado programa alimentar contempla 33 agregados familiares (90 pessoas) a nível do concelho do Cadaval. Nesta ação, participaram 18 agregados familiares; pessoas houve que, por contingências de trabalho ou transporte, não puderam participar. A sessão seguinte aconteceu a 7 de maio (já depois do fecho desta edição), sob a temática “Otimização e Gestão do Orçamento Familiar”, dinamizada através do Programa CLDS-3G Melhor Cadaval.

CMC atribui 3,5 mil euros em bolsas para ensino superior

A Câmara Municipal irá promover dia 21 de julho (sábado), das 9 às 13 horas, a 36ª Colheita de Sangue do Cadaval, como sempre a ter lugar no edifício-sede da Junta da União de Freguesias do Cadaval e Pero Moniz, numa parceria com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação. Podem dar sangue pessoas com saúde e hábitos de vida saudáveis, dos 18 aos 65 anos e peso igual ou superior a 50kg. Numa primeira dádiva, o limite etário é de 60 anos, segundo oo IPST. O Município passou, no corrente ano a promover três (em vez de duas) campanhas anuais, sendo que a última, realizada a 17 de março, contou com cerca de 40 inscritos, dos quais resultaram 35 colheitas de sangue. Marque já na sua agenda e venha dar sangue, ajudando assim os hospitais a salvar vidas. Participe!

250 idosos assistiram à revista do “Gente Gira” No âmbito do projeto “Envelhecer Vivendo” e da iniciativa intermunicipal “Festa Sénior”, realizaram-se, recentemente, duas idas ao espetáculo “P’rá frente que atrás vem Gente Gira”, produção da associação teatral local – Grupo Gente Gira. Assistiram ao espetáculo cerca de 250 pessoas idosas, maioritariamente de instituições sociais do Concelho. Neste sentido, foram realizadas duas sessões, que tiveram lugar nos dias 25 de fevereiro e 18 de março. Participaram as sete instituições sociais concelhias, nomeadamente: Associação de Solidariedade Montejunto, Cáritas Paroquial de Vilar, Campus Social do Olival – Murteira, Centro Social e Paroquial de Lamas, Centro Social e Paroquial de Alguber, Santa Casa da Misericórdia do Cadaval e ASAVIDA – Dagorda). Assistiram, também, à peça de teatro de revista, munícipes cadavalenses com processo no serviço de Ação Social camarário. De fora do concelho, participaram a Câmara Municipal da Lourinhã (idosos da comunidade), Retiro – Casa de Repouso (Bombarral) e Associação de Solidariedade e Ação Social de Matacães (Torres Vedras), num total de 50 participantes oriundos de outros municípios.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

15

© DAG

O Município voltou, em janeiro, a atribuir bolsas de estudo referentes ao ensino superior, desta feita a sete alunos do concelho (três dos quais, renovações), no valor unitário de 500 euros, conforme regulamento disponível no site municipal, totalizando 3500 euros. Foram contemplados, com esta quarta atribuição de bolsas, os seguintes estudantes: Bruna Rodrigues (Figueiros), Carolina Lourenço (Dagorda), Diana Dias (Cadaval), Miriam Lopes (Sobrena) e Nuno Gambóia (Cadaval), Rui Paças (Cadaval) e Viviane Rosário (Cercal). Recorde-se que a iniciativa visa, anualmente, incentivar a prossecução dos estudos, bem como promover a formação de quadros técnicos superiores, em particular a alunos com menores recursos económicos. Para ser considerado elegível, é requisito fundamental que o agregado familiar do aluno tenha residência no concelho. Por via de edital, a autarquia publicita o prazo de apresentação de candidaturas para cada ano escolar.

36ª Colheita de Sangue realiza-se a 21 de julho

apoiar

Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas


João Pereira, presidente da Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval

«Os caçadores contribuem para o equilíbrio da fauna do mundo» Com mais de 30 anos de existência, a Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval tem contribuído grandemente para o equilíbrio do ecossistema local e para a projeção do nome do Concelho. A ACCC manifesta-se, porém, preocupada com o futuro da atividade cinegética, pelos atuais constrangimentos e pela fraca entrada de novos caçadores. ÂÂ «Se não fossem os caçadores, a maior parte do tesouro cinegético já teria desaparecido»

parar pra conversar

16

A Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval (ACCC) surge na vida de João Pereira com o seu regresso de Lisboa, em 2003, para voltar a viver no Concelho, mais especificamente na Ventosa. «Uma vez que a Associação estava a definhar, houve um grupo de pessoas que quis agarrar nela, para que não morresse; desafiou-me e eu aceitei», conta. Fundada há mais de 30 anos, a organização conta com João Pereira na direção há cerca de 15 anos, para onde entrou logo como presidente. Possuindo, neste momento, entre 300 a 350 associados, o Concelho está esmagadoramente representado na ACCC, embora sócios haja provenientes do exterior. Sediada no Largo da Cadeia Velha, à entrada norte da vila, a associação conta com um colaborador permanente (guarda) e com um administrativo a tempo parcial. Para João Pereira, a atividade venatória está «extremamente mal regulamentada». Por outro lado, «como está na moda, os animalistas (como lhes chamam os espanhóis) são contra tudo e contra todos, sendo difícil nós explicarmos o que é a atividade venatória e tudo o que fazemos durante o ano. Porque nós trabalhamos o ano inteiro para fazermos as coisas com regras», explica. «Temos atividades que trouxemos para o Cadaval que não existiam. O ano passado, acabámos por aqui realizar a final do Campeonato Nacional de Santo Huberto». Como principais constrangimentos, menciona a Lei das Armas, por um lado, apontando, por outro, o exagero protecionista das espécies cinegéticas, em detrimento dos demais seres vivos. Defende que o importante é praticar a atividade «com rigor, com regras». «Atrevo-me a dizer que, se não fossem os caçadores, provavelmente a maior parte do tesouro cinegético de Portugal já teria desaparecido.» A época venatória começa, atualmente, em junho e acaba

em maio do ano seguinte. «Há a caça ao javali em espera, depois há os campos de treino, sendo que a ACCC tem dois, em que se pode treinar com espécies cinegéticas criadas em cativeiro o ano inteiro, e há toda uma panóplia de espécies e atividades que se podem desenvolver», afirma. João Pereira confirma o forte potencial concelhio, em termos cinegéticos. «O problema é a capacidade regeneradora, nomeadamente dos coelhos», diz, uma dificuldade sentida, aliás, em toda a península ibérica. Por outro lado, sendo o Cadaval um concelho eminentemente agrícola, a aplicação de fitofármacos dificulta, também, a criação. E que soluções preconiza a associação? Ressalvando não ser cientista, refere, todavia, já ter colaborado nalguns simpósios sobre o tema. «Quanto ao coelho bravo, estou convencido de que, antes de mais, tem de ser ele a regenerar-se. As perdizes, conseguimos injetar, tal como os faisões… É preciso dinheiro, essencialmente é preciso dinheiro. E na atividade venatória, toda a gente vem buscar dinheiro aos caçadores mas ninguém é capaz de pôr nada. Neste caso, louvo a Câmara do Cadaval, a GNR do Cadaval, as juntas de freguesia do Concelho, que têm colaborado connosco dentro das possibilidades, que são parcas, tratando-se este de um território agrícola», observa. No Cadaval, como em todo o território da Península Ibérica, a grande alavanca da caça era o coelho bravo, segundo nota João Pereira. «E é a espécie que nós não conseguimos controlar, até pela panóplia de doenças que eles têm, nesta altura, nomeadamente a doença hemorrágica viral, cujos surtos não se conseguem controlar, o que baixa drasticamente o número de efetivos», explica. «Portanto o coelho bravo, sim, era a mola real de toda a atividade cinegética. Agora há os javalis, e há também as perdizes e os faisões que se conseguem pôr, que, apesar de tudo, se reproduzem,


mas é muito mais apelativo estar atrás de um computador», lamenta. É com «muito pessimismo» que encara a continuidade da atividade cinegética. «Eu, para renovar a licença de uso e porte de arma, fui duas vezes à PSP, e tive duas manhãs “de castigo” para renovar a minha licença de uso e porte de arma. Isto, tendo tudo em dia! Nunca falhei um ano que fosse», assegura. «Nitidamente tudo se está a fazer para que a classe média e a classe baixa deixem de poder caçar. Claramente, tudo se inclina no sentido dos coutos turísticos. Em concelhos como o Cadaval e seus limítrofes, as pessoas pagam 7,5 euros por mês, durante um ano, para poderem usufruir da caça. Temos de inventar aqui uma panóplia de coisas para que isto resulte», defende. Confessa-se desgastado, quanto a prosseguir no comando da associação. «Quando queremos fazer as coisas bem, com honestidade e com transparência, não é fácil, mas é o caminho que escolhemos trilhar», diz. «Ao fim de quase 15 anos, acho que já está mais do que na hora de haver outra gente, quiçá com mais élan. Eu estarei sempre disponível para ajudar a ACCC porque, como referi, quando cheguei aqui, isto estava a definhar e dá-me algum gozo ir a qualquer sítio, em termos de cinegética, e toda a gente conhecer o Cadaval». Também a ingratidão sentida é, para si, desmobilizadora, embora garanta que a equipa jamais irá «deixar cair» a associação. Recorda a organização da “Caçagro”, no Cadaval, feira que considera ter resultado «muito bem» e que cresceu muito do primeiro para o segundo ano, mas afirma ter faltado capacidade financeira para lhe dar continuidade, acrescentando ainda que «as pessoas não souberam aproveitar». «Atrevo-me a dizer que, se calhar, merecíamos mais atenção. E isto não é uma crítica à Câmara, de maneira nenhuma! Com todos os executivos com que trabalhei foram maravilhosos, sempre de braços abertos; ajudaram-nos a concretizar os projetos e sempre nos animaram. Continuo a dizer, objetivamente a GNR e os comandantes que por aqui passaram foram pessoas maravilhosas», reforça. «As juntas de freguesia, sejam elas de que quadrante político forem, também sempre colaboraram connosco», reitera o responsável. Relembra ainda as montarias realizadas pela ACCC a favor de instituições do Concelho, atividades a que a associação continuará aberta. «Houve aqui uma realização de uma prova de Santo Huberto em que conseguimos angariar uns milhares de euros para uma associação de crianças. Este ano mesmo, já participámos noutra iniciativa, em que angariámos 1.175 euros para a reconstrução da igreja de Lamas, mas, neste caso, a associação apenas disponibilizou o campo de treino e as suas carrinhas», esclarece. João Pereira termina sublinhando ser possível fazer atividades, desde que haja pessoas para as fazerem e para nelas participarem. «As coisas não caiem do céu e dão muito trabalho, mas dão ainda maior gozo, sinceramente», conclui. João Duarte Ferreira Pereira nasceu a 8 de fevereiro de 1961, na Ventosa, localidade onde reside, é casado e tem três filhos. Tendo completado o 11.º ano de escolaridade em Lisboa, foi ajudante de despachante, trabalhando, atualmente, na coordenação de distribuição (logística), em Bucelas. Para além de presidente da ACCC, é deputado municipal no corrente mandato. Além de caçador, faz provas com “cães de parar” e criação dos mesmos.

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

17

parar pra conversar

embora não na quantidade que gostaríamos», acrescenta. Não há dúvidas de que a caça contribui para o equilíbrio do ecossistema, através da denominada “gestão cinegética”. Segundo adianta, nem os «mais esclarecidos defensores da natureza» podem negar o facto de os caçadores contribuírem para o equilíbrio do desenvolvimento da fauna mundial. «É preciso é que as pessoas sejam esclarecidas e que as direções das associações [de caçadores] sejam, essencialmente, gestores do património das espécies cinegéticas», salienta. Quanto à perspetiva contrária, de que a caça pode perigar a biodiversidade, João Pereira contrapõe: «No Quénia, proibiu-se a caça, e as espécies que lá estavam definharam todas. Estão quase em pré-extinção. Por outro lado, nos sítios onde há caça ordenada, as espécies desenvolveram-se». De acordo com o porta-voz, os caçadores desenvolvem uma panóplia de atividades, durante o ano, para tentar conservar e desenvolver as espécies. «Se calhar, vendemos mal a nossa imagem», observa. A associação cadavalense vive, essencialmente, da cotização dos seus sócios, bem como «de algumas boas vontades, quer da Câmara, quer das juntas de freguesias, que nos ajudam nas realizações», acrescenta o presidente da ACCC. «E eu pergunto: E nós não retribuímos? Retribuímos, certamente. Nunca se tinham feito montarias no Cadaval. Nós fizemo-las, trazendo cá gente de todo o país, e com isso estamos a tentar ter algum equilíbrio quanto ao número de javalis. Pergunte-se aos agricultores o que teria sido se não tivéssemos feito esse controlo, de há 12 ou 14 anos a esta parte. É que nós já matámos mais de mil javalis no Cadaval. Imagine isso tudo a procriar, o que é que seria da agricultura», sublinha. «Quanto a outro tipo de atividades, trouxemos a prova de Santo Huberto, que ninguém sabia o que é que era, e posso adiantar que o Cadaval já vai ter dois representantes na final do campeonato nacional de apuramento para o mundial. Há dois anos, dois representantes do Cadaval, conjuntamente com um da Lourinhã, conseguiram trazer, para a OesteCaça, o segundo lugar, a nível nacional, da Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses. E nós fizemos [no Cadaval], o ano passado, a final da Confederação, que foi unanimemente considerada uma das melhores realizações que já existiram», sublinha. «Estamos também disponíveis para fazer atividades de sensibilização, no entanto, todos nós trabalhamos, o que é uma dificuldade grande. É fora do nosso tempo de trabalho que dedicamos, o nosso tempo e o nosso dinheiro, a tentar desenvolver a atividade cinegética aqui no Cadaval», acrescenta. Reafirma a boa cooperação que tem havido das entidades oficiais locais, designadamente «da parte da Câmara e das juntas de freguesia do Concelho, e muito objetivamente da GNR do Cadaval», destaca. «Em termos nacionais, é moda não se assumir que estamos a apoiar as organizações do setor da caça. Claro que ninguém quer prescindir dos 500 milhões que a fileira da caça proporciona ao Estado português, mas não é politicamente correto assumir que gostamos da atividade cinegética», relata. Embora as cotizações dos associados estejam maioritariamente em dia, a sobrevivência da atividade afigura-se-lhe, no entanto, comprometida. «A atividade cinegética e da caça está numa faixa etária cada vez mais velha», afirma, explicando que a ACCC poupa os novos associados, que acabam de tirar a carta de caçador, do pagamento da joia. «Nós fazemos tudo para facilitar a entrada de jovens caçadores,


ASSEMBLEIA MUNICIPAL O órgão deliberativo municipal realizou, no período de janeiro a março, a seguinte sessão pública, tendo apreciado os seguintes assuntos: SESSÃO ORDINÁRIA DE 23 DE FEVEREIRO - Autorização da assunção do compromisso plurianual no âmbito do Contrato de Gestão de Eficiência Energética para implementação de Medidas e Melhoria da Eficiência Energética nos Sistemas de Iluminação Pública dos Municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Oeste, de acordo com o seguinte cronograma: ano 2018 – 15.413,12 euros; anos 2019 a 2029 – 28.453,24 euros/ano; - Aprovação da alteração ao Mapa de Pessoal de 2018, no âmbito do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários do Município do Cadaval; - Aprovação da proposta da 3.ª Revisão ao Orçamento e às Grandes Opções do Plano; - Aprovação da correção do valor referente a tarefeiros, do contrato interadministrativo de delegação de competências celebrado entre o Município do Cadaval e a Junta de Freguesia do Peral, no âmbito da educação, acrescendo o valor de 1.295,88€ ao montante contratualizado a pagar em 2018, que era de 2. 528,63€, totalizando 3.824,51€. - Aprovação de Voto de Pesar a Hélder Renato Vieira Rodrigues, «pelo contributo que deu para o desenvolvimento do Concelho do Cadaval e a sua atitude de verdadeiro “embaixador” do Concelho pelos locais por onde passou». - Aprovação da Moção “Dia Internacional da Mulher – Manifestação Nacional de Mulheres”. CÂMARA MUNICIPAL

deliberar

18

No período de reuniões compreendido entre 16 de janeiro a 27 de março, foram estes alguns dos assuntos apreciados pelo órgão executivo do município: - Emissão de pareceres a diversos pedidos de arborização e rearborização no âmbito dos procedimentos de autorização do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.; - Atribuição, à travessa que liga a Calçada de Santo António à Rua das Andorinhas, em Pragança, do nome de “Travessa António Pereira”; - Emissão de pareceres de diversos pedidos para constituição de compropriedade sobre prédios rústicos; - Aprovação do projeto de arquitetura para construção de residência para idosos, requerido por Braizinha Construção Civil e Obras Públicas, Lda, na localidade do Painho; - Aprovação da alteração das Áreas de Reabilitação Urbana caducadas e sua submissão à Assembleia Municipal; - Atribuição de bolsas de estudo a alunos para o ensino superior no valor individual de 500,00€, referente ao ano letivo 2017/2018, no valor total de 3.500,00€; - Submissão à Assembleia Municipal, para efeitos de autorização, da correção do valor referente a tarefeiras, do contrato interadministrativo celebrado entre o Município do Cadaval e a Junta de Freguesia do Peral, no âmbito da delegação de competências na área de educação, acrescendo o valor de 1.295,88€ ao montante contratualizado a pagar em 2018, que era de 2.528,63€, totalizando 3.824,51€; - Aprovação da 1.ª Revisão ao Orçamento e às Grandes Opções do Plano 2018 e sua submissão à Assembleia Municipal; - Aprovação de diversos pedidos de pagamento em prestações de faturas de consumo de água; - Manutenção da isenção em 25%, pelo prazo de um ano, das seguintes taxas de ocupação: bancas e lojas do Mercado Municipal, com efeitos a fevereiro 2018; lojas do Mercado Municipal, com efeitos a maio de 2018; Feira Mensal, com efeitos a fevereiro de 2018, dando, cada qual, continuidade à deliberação anterior; - Autorização da abertura dos procedimentos concursais, no âmbito do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários do Município do Cadaval, para ocupação dos 7 postos de trabalho previstos na alteração ao Mapa de Pessoal de 2018, em diversas carreiras/categorias, funções e serviços; - Aprovação das Normas de Funcionamento e Participação do Concurso de Empreendedorismo na Escola para o ano letivo 2017/2018; Aprovação e atribuição de subsídios às entidades participantes no Carnaval 2018, no montante global de 15.985,00€, como forma de custear as despesas inerentes; - Aprovação de diversos pedidos de retificação de faturas e pagamento do excedente de consumo de água pelo 2.º escalão; - Ratificação da assinatura do Acordo Coletivo de Empregador Público, aplicando-o a todos os trabalhadores em regime de contrato que exercem funções no Município; - Ratificação da aprovação do “Modelo de Protocolo das Condições e Funcionamento das Equipas de Intervenção Permanente”, a celebrar entre a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o Município do Cadaval – Câmara Municipal e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval para a criação de uma equipa de Intervenção Permanente no Município do Cadaval;

- Atribuição de subsídios (anuais e fracionados) a diversas entidades e organismos locais, como forma de apoio às atividades de caráter social, cultural, desportivo, recreativo e outras prosseguidas e que se revestem de interesse para o Município, no ano económico de 2018, totalizando 68.200,00 euros; - Atribuição de um apoio financeiro à Sociedade Cultural, Desportiva e Recreativa de Figueiros, no montante de 500,00€, como forma de apoiar as despesas com a utilização do edifício-sede, nomeadamente com água e energia elétrica, pelos alunos da Escola Básica de Figueiros, nas atividades extracurriculares; - Atribuição de um apoio financeiro à Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa, no montante de 1.888,00€, como forma de custear as despesas inerentes à realização do Jantar de Natal 2017 para funcionários e colaboradores da autarquia e animação musical; - Isenção da Associação de Apoio Cultural e Recreativo de Peral do pagamento de taxas referentes à legalização do seu edifício-sede, no valor de 36,30€, por reconhecer a natureza social do assunto, reembolsando a entidade dos valores já pagos; - Atribuição de um apoio financeiro à Associação Desportiva, Recreativa e de Melhoramentos do Avenal, no montante de 250,00€, como forma de apoiar as despesas inerentes à realização da tradicional festa dos reis; - Atribuição de um apoio financeiro à Associação Recreativa, Cultural, Desportiva e de Melhoramentos do Pereiro, no montante de 250,00€, como forma de apoiar as despesas inerentes à realização da tradicional festa dos Reis, dias 5 e 6 de janeiro de 2018; - Atribuição à APAC – Associação Protetora de Animais do Cadaval de um apoio mensal de 225,00€ para fazer face à despesa com recursos humanos, pelo período de 4 meses, com início em janeiro de 2018; - Atribuição de um apoio financeiro ao Centro Cultural, Desportivo e Recreativo das Barreiras, no montante de 500,00€, como forma de apoiar as despesas inerentes à realização de obras de substituição de portas no seu edifício-sede; - Atribuição de um apoio financeiro à Casa do Povo do Concelho do Cadaval, no montante de 3.065,00€, como forma de apoiar os encargos anuais com o edifício-sede; - Atribuição de um apoio financeiro à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval, no montante de 200,00€, como forma de apoiar o encargo com o fornecimento de 20 refeições de convidados do Município para as comemorações do 120.º Aniversário da Restauração do Concelho; - Aprovação de um “Voto de Pesar” pelo falecimento do Dr. João Francisco Ribeiro Corrêa, ex-Presidente da Câmara do Cadaval; - Aprovação do Acordo de Colaboração entre o Município do Cadaval e o Núcleo de Árbitros do Oeste para apoio à realização do XIII Torneio de Futsal do Concelho do Cadaval; - Atribuição de um subsídio de 1000,00 euros ao Grupo Motard Falcões do Montejunto para apoio à realização do “16º Passeio TT de Alguber” e das suas atividades anuais; - Atribuição de um subsídio de 750,00€ ao Clube Atlético do Cadaval para apoio às obras efetuadas no campo de jogos e instalações de apoio; - Aprovação da minuta do contrato de comodato, entre o Município do Cadaval e a Associação Galgueira do Oeste, de cedência do edifício escolar de Pero Moniz pelo prazo de 4 anos, sucessivamente renovável por períodos de 2 anos; - Atribuição de um apoio financeiro à Associação Murteirense, Cultura, Desporto e Solidariedade Social, IPSS, no montante de 2.175,00€, como forma de apoiar o encargo anual com as instalações de apoio ao desporto; - Atribuição de um apoio financeiro à Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa, no montante de 2.205,00€, como forma de apoiar os encargos com a aquisição de uma cadeira de rodas adaptada, para fazer parte do seu “banco de ajudas”; - Atribuição de um apoio financeiro ao Grupo Desportivo e Cultural da Dagorda, no montante de 375,00€, como forma de apoiar os encargos anuais com o edifício de apoio a atividades culturais; - Atribuição de um apoio financeiro ao GATTAL – Grupo de Amigos de Todo-o-Terreno de Adão Lobo, no montante de 500,00€, como forma de apoiar as despesas inerentes à 13.ª Rota do Lobo; - Isenção do pagamento de taxas de licenciamento de obras por parte da FRUTUS – Estação Fruteira do Montejunto, CRL, no valor de 4.064,03€, nos termos do previsto na alínea d) do n.º 2 do artigo 23.º do Regulamento e Tabela de Taxas do Município; - Atribuição de um apoio financeiro à Comissão dos Amigos de St.º António – Fábrica da Igreja de Alguber, no montante de 1.000,00€, como forma de apoiar a construção de um centro comunitário. Próximas Reuniões Públicas da Câmara Municipal • 5 de junho, 9h30 – Peral • 3 de julho, 9h30 – CMC • 14 de agosto, 9h30 – CMC Próxima Sessão Ordinária da Assembleia Municipal • 22 de junho, 21h00 – Auditório da CMC

Consulte atas e editais da CMC e AMC no Site Municipal (www.cm-cadaval.pt)


Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval. . . . 262691137 Associação Protetora dos Animais do Cadaval. . . . . . . 927295099 Biblioteca Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690160 Bombeiros Cadaval Urgência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699110 Secretaria. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699118 Câmara Municipal Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690100 Serviços Urbanos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690171 Águas | Comunicação de Leitura . . . . . . . . . . . . . . 800208118 Águas | Piquete de Urgência. . . . . . . . . . . . . . . . . 916172194 Posto de Atendimento ao Cidadão. . . . . . . . . . . . . 262690128 Camionetas de carreira Boa Viagem (Alenquer) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 263730500 Barraqueiro Oeste (T.Vedras). . . . . . . . . . . . . . . . . 261334150 Rodoviária do Oeste (Bombarral) . . . . . . . . . . . . . . 967449860 Cartório Notarial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698456 Centro de Saúde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696400 Extensões de Saúde Figueiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744216 Vermelha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696321 Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777733 Clínica Médica da Deleg. do Cadaval da CVP. . . . . . . . 262083536 Comboios | Bombarral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262605440 Comissão Proteção a Crianças e Jovens . . . 262695064 | 912232070 Conservatórias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691470 CRASM | Centro de Recup. de Animais do Montejunto . 910024789 CTT | Loja do Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698340 Cruz Vermelha | Delegação do Cadaval. . . . . . . . . . . 262083536 EDP Avarias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 800506506 Leituras do contador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 800507507 Escolas | Agrupamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699230 Farmácias Central (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696176 Ferreira (Figueiros). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744152

Atendimento do executivo camarário: Presidente Dr. José Bernardo Nunes Vice-Presidente Dra. Fátima Paz Vereador Eng. Ricardo Pinteus Vereador Dr. Dinis Duarte 2ª feira (08h30-10h30) | Atendimento presencial (marcação prévia) 2ª feira (10h30-12h30) | Atendimento telefónico E-mail do executivo municipal presidencia@cm-cadaval.pt Balcão Único Municipal 2ª a 6ª feira | 08h30 às 16h00

Luso (Vilar). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777153 Misericórdia (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696220 Montejunto (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696178 Parafarmácias Montejunto (Alguber) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262741274 Montejunto (Painho). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262741207 Finanças (Repartição) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696104 GIP | Gabinete de Inserção Profissional. . . . . . . . . . . . 262690161 GNR | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690010 Inst. Particulares de Solidariedade Social Associação de Solidariedade Montejunto. . . . . . . . . 262771363 Campus Social do Olival (Murteira). . . . . . . . . . . . . 262698283 Cáritas Paroquial do Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777982 Centro de Dia da Dagorda “ASAVIDA“ . . . . . . . . . . . 262691016 Centro Social Paroquial de Alguber. . . . . . . . . . . . . 262744140 Centro Social Paroquial de Lamas. . . . . . . . . . . . . . 262695444 Santa Casa da Misericórdia do Cadaval. . . . . . . . . . 262696147 Juntas de Freguesia Alguber. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262740242 Cadaval e Pero Moniz . . . . . . . . . . . . . 262188977 | 262691098 Lamas e Cercal. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695421 | 263486750 Painho e Figueiros . . . . . . . . . . . . . . . 262744011 | 262740074 Peral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695250 Vermelha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695504 Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262771060 LeaderOeste | Associação de Desenvolvimento Rural. . 262691545 Museu Municipal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690166 Parque de Campismo Rural (Serra de Montejunto). . . . 262777888 Pavilhão Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262188007 Piscina Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691680 Segurança Social (local). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 300512498/9 Táxis do Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696252 Tribunal do Cadaval (Juízo de Proximidade) . . . . . . . . 262095910 Turismo | Montejunto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777888 Veterinário Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 917568406

Divisão de Ordenamento do Território (DOT) Atendimento técnico 4ª feira | Manhã: ordem de chegada | Tarde: com marcação prévia Gabinete Técnico Florestal / DOT Atendimento técnico 2ª a 6ª feira | 08h30-10h30 | Ordem de chegada Gabinete de Inserção Profissional (edifício da biblioteca) Atendimento Geral: 08h30-12h30 | 13h30-16h00 (exceto terça-feira) Telef.: 262 690 161 | E-mail: gip@cm-cadaval.pt

19

Biblioteca Municipal 2ª a 6ª feira | 08h30 às 17h30 E-mail: biblioteca@cm-cadaval.pt

Serviço de Ação Social 3ª e 5ª feira | por marcação prévia

Café Pastelaria “O Abrigo” | Cadaval . . . . . . . . . . . . . 262696058 Café “Rosa” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 916968516 Café-restaurante “Petras Bar” | Adão Lobo. . . . . . . . . . 262691312 Churrasqueira “O Lavrador”| Cadaval. . . . . . . . . . . . . 262691313 Churrasqueira “Princesa de Alcântara”| Vilar. . . . . . . . 262098824 Pastelaria “Estrela“ | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696282 Pronto-a-comer “Gula“ | Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . 966925010 Rest. 108 Tapas Bar | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698002 Rest. “Adega do Padeiro” | Vermelha . . . . . . . . . . . . . 262691633 Rest. “Dona Tasca“ | Casal Cabreiro. . . . . . . . . . . . . . 262691324 Rest. “O Cantinho” | Casarão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744738 Rest. “O Escondido“ | Barreiras. . . . . . . . . . . . . . . . . 926709620 Rest. “O Garcia da Serra” | Pragança. . . . . . . . . . . . . . 262771080 Rest. “O Intervalo” | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691315 Rest. “O Jardim” | Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 917423384 Rest. “Manjar de Lobos” | Vermelha. . . . . . . . . . . . . . 262691132

Rest. “Quinta do Castro” | Pragança. . . . . . . . . . . . . . 262771117 Rest. “Sabores d’Aldeia” | Casarão . . . . . . . . . . . . . . . 262744264 Rest. “A Telha” | Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 913559545 Snack-Bar “Casa Pão-de-Ló“ | Caniço. . . . . . . . . . . . . 963317233 Snack-Bar “Castanholas Caffé“ | Cadaval. . . . . . . . . . . 262698471 Snack-Bar “D’Anina” | Dagorda. . . . . . . . . . . . . . . . . 262695606 Snack-Bar “De’gostar“ | Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . 913375278 Snack-Bar “Garphus & Copus” | Cadaval. . . . . . . . . . . 262382384 Snack-Bar “Girassol” | Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . 916775289 Snack-Bar “Morangos com Açúcar” - Cadaval. . . . . . . . 262382938 Snack-Bar “O Petisco” | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . 262696846 Snack-Bar “O Pirilampo” | Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . 262186795 Snack-Bar “Ponto de Encontro” | Cadaval. . . . . . . . . . 262695274 Snack-Bar “Tendinha da Praça” | Cadaval. . . . . . . . . . . 918091178 Taberna “Marquês de Rio Maior“ | Vilar. . . . . . . . . . . . 262771185

Abriu (ou fechou) um espaço de refeições? Informe-nos! Inclusão gratuita, aqui e no site municipal. Tel. 262 690 119 ou e-mail: comunicacao@cm-cadaval.pt

Aceda a notícias, eventos e vídeos em www.cm-cadaval.pt

contactar

Museu Municipal 2ª a 6ª feira | 08h30 às 16h30 (ou por marcação de visitas) E-mail: museu@cm-cadaval.pt


CARO ASSINANTE Em conformidade com o RGPD – – Regulamento Geral de Proteção de Dados (Regulamento [EU] 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016), aplicável a partir de 25 de maio de 2018, será necessário o seu consentimento expresso para continuarmos a enviar-lhe a Revista Municipal. Nesse sentido, terá de informar-nos, por e-mail ou via postal, que pretende continuar a recebê-la.

Câmara Municipal do Cadaval Av. Dr. Francisco Sá Carneiro 2550-103 Cadaval Tel: 262 690 100 • Fax: 262 695 270 geral@cm-cadaval.pt

Revista Municipal Nº 62  

Abril 2018

Revista Municipal Nº 62  

Abril 2018

Advertisement