Issuu on Google+

bimestral edição 33 janeiro 2011

Pintar e cantar os reis: preservar a tradição pág. 8

animar

informar

informar

Feriado municipal destacou voluntariado

Nova estrutura dos serviços municipais entrou em vigor

Orçamento 2011 dá continuidade a estratégia “Cadaval2015”

centrais

pág. 6

pág. 13


editorial

3

qualificar operação “qualificacadaval“ em bom andamento

4

informar orçamento 2011 dá continuidade a estratégia “cadaval 2015“

6

animar “pintar e cantar os reis“: preservar e valorizar a tradição

8

centrais feriado municipal destacou voluntariado

10

apoiar “cadaval para todos“ vai promover acessibilidade no concelho

13

educar “prevenção para a segurança“ é o tema do ano lectivo

14

praticar 6º campeonato de futsal a decorrer no cadaval

15

parar p’ra conversar josé carlos caetano, ex-comandante dos bombeiros

16

deliberar

18

contactar

19

índice

ficha técnica REVISTA MUNICIPAL EDIÇÃO N.º 33 janeiro 2011 Periodicidade bimestral

Colaboraram nesta edição: Mariana Ramos, Marlene Caetano Ricardo Coelho,Teresa Porfírio e Teresa Rocha (CMC)

Capa Pintar e cantar os reis 2011

Fotografia Bruno Fialho, David Leiroz (SCRP/CMC)

Propriedade e Edição CÂMARA MUNICIPAL DE CADAVAL

Concepção e Composição Gráfica Paulo Fialho (Serviço de Informática)

Direcção Aristides Lourenço Sécio (Presidente)

Impressão GRAFILIPE - SOC. ARTES GRÁFICAS LDA. CADAVAL

Coordenação Geral Eugénia Correia de Sousa (Vice-Presidente) Vitor Pinto Lemos (Vereador) Coordenação Editorial e Redacção Bruno Fialho (Serviço de Comunicação e Relações Públicas)

2

Tiragem 5000 EXEMPLARES DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Depósito Legal N.º 166330/01 ISSN: 0872-22129

Assine a Revista Municipal ou envie sugestões - Tel.: 262 690 119 ou e-mail: girp@cm-cadaval.pt


ÂÂ Aristides Sécio, Presidente da Câmara

pela restrição dos serviços de saúde no concelho, decretada pelo governo e que, como é do conhecimento geral, obrigou a que todos os casos de necessidade médica fossem canalizados para Torres Vedras ou Caldas da Rainha, os quais manifestamente não têm capacidade de resposta. O Núcleo da Cruz Vermelha Portuguesa, numa outra vertente, preocupada com a saúde e o bem-estar físico do próximo, tem condições e exerce o apoio à população nos cuidados profiláticos e na detecção de sintomas anormais na saúde, cedendo equipamento diverso para apoio a pessoas acamadas ou com necessidades especiais no seu domicílio. Mas, para além destas instituições regularmente constituídas, há um sem número de cidadãos que, no seu dia-a-dia, se preocupa com o próximo e exerce a caridade todos os dias. São disso exemplo muitas e muitos voluntários que se disponibilizam diariamente para apoiar crianças, idosos e participar em diversas acções de apoio social. Muitos são também os anónimos que, todos os dias, são o auxílio de vizinhos e de carenciados de vária ordem e que com “Caritas in Veritate” reforçam o elenco de solidariedade que caracteriza o nosso concelho. Não posso aqui deixar de referir os movimentos colectivos que acontecem um pouco por todo concelho, sendo de toda a justiça salientar, a propósito, a Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval e a sua federação, a FEDERCAÇA que, por diversas vezes no âmbito da sua actividade, tem conciliado o prazer da caça com o equilíbrio ambiental e louvavelmente com uma postura de caridade face aos projectos sociais do nosso concelho. São disso exemplo as diversas acções de angariação de fundos para as instituições sociais do Concelho, tendo sido já angariados e entregues mais de 11 mil euros que, por certo, muito ajudaram os projectos em curso. Para terminar, faz todo o sentido lembrar António Josué de Almeida Santos (“Saroca”), cuja vida profissional sempre esteve ligada à instituição Bombeiros, quer ao nível local quer ao nível nacional e que, com consternação, acabámos de perder.

editorial

Dirijo-me de novo a todos os Cadavalenses para, como é costume, aqui deixar algumas considerações relativamente a este período que medeia a última revista publicada e este número que agora vos chega às mãos. Muitos e importantes são os temas que, dizendo respeito ao nosso concelho e à nossa vida colectiva, aqui podia abordar, contudo, tendo em conta o reduzido espaço para o efeito e a telegráfica mensagem que importa deixar, gostaria desta feita de abordar uma questão que, infelizmente, sendo hoje especialmente muito necessária por um lado, constitui por outro, uma nobre característica, mais ou menos generalizada, da actual sociedade. Falo-vos de CARIDADE, se quisermos, de SOLIDARIEDADE, tendo em conta uma abrangência mais generalizada do acto de dar e darmo-nos ao próximo e à sociedade em geral. Bento XVI, na sua última encíclica papal, aborda esta temática sob o título “Caritas in Veritate” (A Caridade na Verdade), pois é desta “Caridade com Verdade” que hoje vos falo já que é meu entendimento que o Cadaval é um concelho onde a “Caridade com Verdade” constitui uma prática diária nos gestos de muita gente. Todos os dias, um conjunto de pessoas, de várias instituições de cariz social, desenvolve pelo concelho um trabalho extraordinário aos que dele necessitam, nas mais diversas valências. Na verdade, não há cidadão que, com seriedade, possa afirmar não necessitar ou vir a necessitar de tais apoios, independentemente da sua condição sócio-económica, face à pluralidade de serviços de apoio prestado. O apoio à infância, indispensável às famílias modernas cujos casais têm que angariar meios materiais através dos seus empregos; os serviços de apoio domiciliário, que vão desde a higienização ao serviço de refeições diárias, actos que, por si só, combatem o flagelo dos tempos modernos, que se chama SOLIDÃO; o internamento em lar de quem já não pode, no quotidiano, ser auto-suficiente; os serviços continuados, que dão dignidade a todos os que deles precisam na recta final da existência. Apesar destes serviços também serem um meio de emprego para muitas pessoas, não deixa, por isso, a sua missão de ser “Caridade feita com Verdade” por todos aqueles que optaram por este trabalho tão nobre. É disso exemplo a Santa Casa da Misericórdia, a Caritas Paroquial do Vilar, o Centro Social e Paroquial de Lamas, o Campus Social do Olival na Murteira, a Associação para o Desenvolvimento Social e Cultural do Concelho do Cadaval, o Centro Social e Paroquial de Alguber, a “Asavida” – Associação Apoio Social “Ajudar a Viver” da Dagorda, a Associação de Solidariedade de Montejunto (que se prepara para abrir as suas portas a breve trecho), a APC – Associação Paraíso das Crianças (que constitui, talvez, a maior expressão de caridade individual dos últimos tempos e que se prepara para arrancar com a construção de uma casa de acolhimento para crianças), para além de um outro conjunto de entidades privadas, um pouco por todo o concelho, que dão resposta na área social. Mas o concelho é rico nesta vertente; os Bombeiros Voluntários e as suas equipas de socorro nos mais diversos cenários de crise, pondo muitas vezes em risco a própria vida, dizem bem da “Caridade com Verdade” que põem no desempenho da sua honrosa missão. A Associação Mutualista da Freguesia do Vilar constitui já um pilar importante na acção de socorro e transporte de doentes, vindo assim a criar maior resposta às condicionantes impostas

Sempre ao serviço do Cadaval.

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

O Presidente da Câmara Aristides Sécio

3


qualificar 4

ÂÂ Calcetamento em Adão Lobo (c/J.F.)

ÂÂ Arranjo urbanístico no Largo Lusíada, em Martim Joanes

ÂÂ Execução de passeio na Rua 25 de Abril, em Chão de Sapo (c/J.F.)

ÂÂ Execução de passeio na Rua 20 de Janeiro, no Peral (c/J.F.)

ÂÂ Arranjo urbanístico junto à Adega da Vermelha

ÂÂ Substituição do telhado da EB1 Sobrena

ÂÂ Calcetamento na rua Principal de Casais de Montejunto (c/ J.F.)

ÂÂ Restauro de talude na estrada de S. Tomé - Lamas


ÂÂ Requalificação da Rua da Ponte, em Sobrena

ÂÂ Início da grande reparação da Piscina Municipal

ÂÂ Início da requalificação da envolvente à EB1 Figueiros

ÂÂ Requalificação do Largo D. Nuno Álvares Pereira, Cadaval

ÂÂ Requalificação da Praça da República, no Cadaval

Zona central e antiga da vila, alvo de intervenção

Operação “QualificaCADAVAL” em bom andamento No âmbito da Operação “QualificaCADAVAL”, encontra-se em avançada fase de execução a obra de requalificação da Praça da República, Jardim Infante D. Henrique e Largo D. Nuno Álvares Pereira, esperando-se que fique concluída durante o primeiro quadrimestre de 2011. A referida obra bem como a renovação urbana da Avenida dos Bombeiros, que se prevê que possa avançar ainda este ano, representam um investimento total de mais de 880 mil euros, com uma comparticipação do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) de cerca de

qualificar

ÂÂ Requalificação da Rua António Henriques, em Sobrena

696 mil euros. A reabilitação do núcleo antigo da vila (1ª fase) trata-se de um projecto composto por duas componentes: a requalificação da Rua do Rossio, que se encontra praticamente concluída, e a requalificação das Ruas João Santa Bárbara e Eugénio Pereira da Silva, que por seu turno irão ser começadas ainda este ano. Este projecto conta, por seu turno, com um investimento total de cerca de 321 mil euros e um co-financiamento FEDER de mais de 311 mil euros.

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

5


Melhorar o desempenho, aumentando satisfação dos munícipes

Nova estrutura dos serviços municipais entrou em vigor

ÂÂ Promover a satisfação do cidadão é o móbil da reestruturação

Entrou em vigor, no final de Dezembro, o novo regulamento da organização dos serviços municipais, bem como a sua nova estrutura orgânica flexível. Dando seguimento ao objectivo estratégico de promover a melhoria contínua do desempenho organizacional, visando o aumento da satisfação dos cidadãos e empresas em geral, o município do Cadaval implementou o processo de reestruturação e reorganização dos seus serviços. Este processo preconiza, entre outros aspectos, a diminuição das estruturas e níveis decisórios, evitando a dispersão de funções ou competências por pequenas unidades orgânicas. Com base na reestruturação, os serviços municipais passa-

Iluminação pública adopta tecnologia LED O município iniciou recentemente, na vila do Cadaval, a substituição das luminárias convencionais de 250 watts por luminárias LED (“Light Emitting Diode” ou seja, Diodo Emissor de Luz), de 120 watts. O objectivo é o de diminuir custos com iluminação pública e, ao mesmo tempo, reduzir dispêndio energético e emissão de C02 (dióxido de carbono) para a atmosfera. A Avenida dos Bombeiros constituiu a primeira “Rua LED” do Cadaval, onde inicialmente se experimentaram luminárias LED de 80 watts, disponibilizadas pela empresa TELLUS. Mas, no sentido de aperfeiçoar a tecnologia ao espaço, efectuou-se entretanto, na mesma avenida, nova substituição por lâmpadas LED de 120 watts, as quais, de acordo com a empresa fornecedora – “EnergiaViva”, são mais indicadas, devido às características da rede viária. Idênticas luminárias LED serão também colocadas na Rua do Rossio e na Praça da República. Esta medida vai ao encontro do “Pacto de Autarcas” e do “Cadaval A++” – projecto municipal de promoção da eficiência energética.

ram a estar organizados em seis unidades orgânicas flexíveis e um serviço de apoio e assessoria ao executivo. O Serviço de Apoio e Assessoria ao Executivo integra o Gabinete de Apoio à Presidência, o Serviço de Comunicação e Relações Públicas, o Serviço de Informática, o Serviço Municipal de Protecção Civil, o Gabinete de Assessoria Jurídica e o Serviço de Fiscalização Sanitária. Por fim, as seis unidades orgânicas flexíveis são as seguintes: Divisão Administrativa e Financeira; Divisão de Planeamento Estratégico e Recursos Humanos; Divisão de Urbanismo e Ordenamento do Território; Divisão de Obras Municipais; Divisão de Serviços Urbanos, Ambiente e Energias; Divisão de Educação, Intervenção Social e Turismo.

Intempérie de 2009

informar

Cadaval contemplado por Fundo de Emergência Municipal

6

O Município do Cadaval assinou, a 29 de Outubro, na Secretaria de Estado da Administração Local, o contrato de auxílio financeiro para a “Reparação da Rede Viária, Paragens Urbanas e Sinalética; Reconstrução de Equipamentos Municipais”, no âmbito dos estragos provocados no Concelho pela intempérie da madrugada de 23 de Dezembro de 2009, que afectou a zona Oeste. A criação, por parte do governo, de mecanismos de apoio permitiu a apresentação de uma candidatura ao Fundo de Emergência Municipal, tendo sido entretanto celebrado o respectivo contrato. O contrato de auxílio financeiro assenta em cinco componentes: a Rede Viária, Sinalização e Paragens Urbanas; o Pavilhão Gimnodesportivo Municipal; a Central de Camionagem; o Campo de Jogos Municipal; e a Recepção Geral do Complexo da Real Fábrica do Gelo. Representa um investimento total de 181 mil euros, dos quais 103 mil

euros são respeitantes ao apoio monetário concedido.

ÂÂ Asfaltagem na R. Principal do Pereiro, abatida na intempérie


Enfoque na Educação, Revitalização e Qualificação

Orçamento 2011 dá continuidade a Estratégia “Cadaval 2015”

Para o ano de 2011, as Grandes Opções do Plano e o Orçamento Municipal, aprovado em cerca de 19,85 milhões de euros, direccionam-se para a continuidade da concretização dos objectivos da estratégia “CADAVAL 2015 – Território Rural de Excelência”. O orçamento aprovado na Assembleia Municipal de 17 de Dezembro divide-se em despesas correntes, no valor de cerca de 9,82 milhões, e despesas de capital, que orçam em perto de 10,03 milhões de euros. Para além da Educação, que continua a ter um papel preponderante para o desenvolvimento concelhio, também o “Programa Estratégico de Revitalização das Aldeias e Núcleos Rurais” e a “Qualificação Urbana da Vila do Cadaval” se revelam extremamente importantes para que o concelho possa crescer de forma sustentada, promovendo o bem-estar e a qualidade de vida dos munícipes. Imbuído nessa visão, o município afectou parte significativa do orçamento a estas vertentes. A autarquia, para além da diminuição das receitas próprias, fruto da conjuntura económica, tem também de lidar com cortes nas transferências do governo, que para o município foi de 197 mil euros (no “PEC I”) e que no Orçamento de Estado para 2011 rondará os 413 mil euros. Neste contexto de medidas restritivas, com inevitáveis repercussões no nosso concelho, exige-se que os novos desafios para 2011 tenham de ser enfrentados com coragem, determinação e lucidez. As principais receitas que suportarão a execução orçamental advirão, essencialmente, das transferências do Estado, das receitas provenientes da água e saneamento, dos impostos locais, bem como das comparticipações comunitárias aos projectos aprovados. Quanto às despesas correntes, uma grande parte do valor

respeita, essencialmente, a gastos com pessoal, que ultrapassam os 4,54 milhões de euros; pagamento à “Águas do Oeste” (água e saneamento) e “Valorsul” (tratamento de resíduos sólidos), cerca de dois milhões de euros; despesas de educação (nomeadamente refeições e transportes escolares), cerca de 400 mil euros; combustível, cerca de 250 mil euros; protocolo de delegação de competências para as Juntas de Freguesia, cerca de 180 mil euros; subsídios a instituições sem fins lucrativos, cerca de 236 mil euros; encargos com instalações (iluminação pública bem como electricidade e comunicações em edifícios), cerca de 360 mil euros; e revisão do PDM, 132 mil euros. O aumento do IVA em dois por cento terá um impacto muito forte nas despesas correntes – se considerarmos toda a despesa da Câmara com a aquisição de bens, serviços e empreitadas –, rondando o dito imposto 1,6 milhões de euros. Quanto às despesas de capital, grande parte do valor em orçamento prende-se com as obras financiadas pelo QREN, dado que é imprescindível aproveitar ao máximo esta oportunidade, porque só nesta fase são financiadas em 80 por cento, orçando o investimento nas mesmas em cerca de 6,5 milhões de euros. No que respeita ao futuro Centro de Saúde, o valor inscrito em orçamento é de 1,6 milhões de euros, o qual não pode ser retirado por existir um compromisso firmado com o empreiteiro e com o governo. Mas, uma vez que o governo só inscreveu em PIDDAC a quantia de 400 mil euros, não se prevê que o Centro venha a ser executado este ano. Com este orçamento, o executivo camarário acredita que os projectos e as acções programados para o ano 2011 são os que melhor justificam a aplicação dos recursos financeiros e que melhor servem os interesses do concelho.

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

informar

ÂÂ Principais projectos e acções a realizar

7


Pintar e Cantar os Reis

Preservar e valorizar uma tradição secular

Biblioteca Municipal expôs «Buscar’artes» A Biblioteca Municipal do Cadaval expôs, de 13 a 26 de Novembro, o trabalho da pintora Maria Emília Silva, do Cadaval, numa mostra denominada “Buscar’artes”. Foi ao longo da sua juventude e aquando dos seus estudos liceais que a pintora começou a materializar o seu desejo de reproduzir o que tinha visto, quer na natureza, quer em livros, revistas ou gravuras. Contudo, só mais tarde teria oportunidade de receber formação em técnicas de artes visuais e decorativas, sendo de realçar o seu interesse pela pintura a óleo sobre tela. Tem feito o seu percurso ora executando reproduções, ora reinterpretações ou ainda criações originais.

ÂÂ De 5 para 6 de Janeiro, a tradição voltou a cumprir-se

Na sequência da edificação, em 2009, no centro da rotunda da EN115 (Cadaval) do monumento “Pintar e Cantar os Reis”, o município dá agora continuidade ao Projecto de Preservação e Valorização da Tradição Pintar e Cantar os Reis, nomeadamente às componentes “sinalética” e “divulgação”. No que concerne à sinalética, a Câmara Municipal propõe-se elaborar e colocar painéis interpretativos quer junto ao monumento, quer no centro das aldeias serranas de Avenal e Pereiro, a par de sinalética ao longo do percurso Vilar/Avenal/Pereiro, encaminhando os visitantes às aldeias concelhias onde a tradição ainda persiste. O projecto prevê também o desenvolvimento de uma campanha de divulgação (que inclui elaboração e distribuição de uma brochura explicativa), com vista à promoção da tradição dentro e fora-de-portas. A execução global do projecto (que inclui a já realizada valorização da rotunda) tem um valor final estimado em cerca de 81,2 mil euros, que conta com uma comparticipação aprovada de perto de 43 mil euros por fundos comunitários PRODER. Rescaldo do Natal 2010

animar

Município levou “fantasia” às escolas do Concelho

8

Decorreu, de 13 a 17 de Dezembro, a iniciativa natalícia “Carrinha da Fantasia” que percorreu todas as escolas do 1.º ciclo e jardins-de-infância públicos concelhios. Numa carrinha decorada de trenó uma equipa de animadores, trajados a rigor, provenientes da Câmara Municipal, Biblioteca e Museu, levou a perto de 900 crianças a narração de contos infantis, seguida da oferta de guloseimas e de um presente a cada escola ou jardim-de-infância. Na mesma semana, efectuou-se a distribuição de cabazes de Natal a famílias carenciadas do concelho (ver pág. 13). A autarquia promoveu ainda o tradicional Jantar de Natal, que juntou, a 18 de Dezembro, no pavilhão dos Bombeiros Voluntários, funcionários e colaboradores municipais, num momento de confraternização. Também o Museu Municipal dinamizou, na quadra natalícia, o ateliê “O Natal ao longo dos tempos”, que demonstrou aos mais pequenos a origem e evolução do Natal, através da realização de actividades lúdicodidácticas com crianças do Cadaval em regime de ATL. O ateliê incluiu ainda sessões de cinema e uma sessão fotográfica.

Grupo Gente Gira estreia “É de Miar a Rir” Estreia a 4 de Março, no cine-auditório dos Bombeiros Voluntários, a nova revista do Grupo Gente Gira “É de miar a rir!”. O genuíno humor revisteiro do grupo de teatro cadavalense promete constituir novo êxito, contando, para tal, com a colaboração de prestigiados nomes do meio teatral. A nova proposta sucede ao êxito conseguido com a anterior revista, “A escuta que os pariu!”, vista por mais de quatro mil espectadores e exibida não apenas no Cadaval, mas em localidades tais como Bombarral, Alverca, Usseira, Óbidos, entre outras. O grupo contará, pela primeira vez, com todos os textos originais, escritos por Carlos Mendonça, que também assina a encenação e figurinos, ficando a música a cargo de Carlos Dionísio. Para informações ou reservas de bilhetes: grupogentegira@gmail.com 912 153 971


Artesanato da autoria de casal ucraniano, residente no concelho

Moinho das Castanholas expôs “Arte na ponta dos dedos”

ÂÂ A exposição contou com cerca de duas centenas de visitantes

O Núcleo Museológico do Moinho das Castanholas, no Cadaval, acolheu, de 29 de Outubro a 11 de Novembro, a exposição de artesanato “Arte na ponta dos dedos”, visitada por público de diversos pontos do país. “Arte na ponta dos dedos” tratou-se de uma exposição decorrida entre 29 de Outubro e 11 de Novembro e composta por cerca de 30 quadros realizados em ponto cruz e em folha de madeira, por um casal de artesãos de origem ucraniana, Olga Glibko e Orest Glibko, residentes no Painho. Quanto a visitantes, o Museu Municipal contabilizou per-

to de duas centenas de visitantes, provindos de várias zonas do país, nomeadamente Cadaval, Caldas da Rainha, Bombarral, Óbidos, Mafra, Ericeira, Lisboa e Espinho. A mostra foi ainda visitada por turistas espanhóis e emigrantes de origem ucraniana. O Museu entende que a mostra, tendo sido realizada por ucranianos, veio contribuir para fortalecer os laços interculturais. Quis também a instituição dar oportunidade, ao público comparecente, de conhecer o Moinho das Castanholas, assim como divulgar outros pontos de interesse na região.

Numa iniciativa da Cruz Vermelha local

Cadaval acolheu “II Festival Tributos” anos, possa aumentar a afluência de público, condição essencial para apoiar as actividades humanitárias da instituição.»

animar

Realizou-se, a 26 e 27 de Novembro, no Cadaval, o “II Festival Tributos”, iniciativa de beneficência da Cruz Vermelha do Cadaval que promete regressar este ano. O programa englobou duas noites de concertos, decorridos no pavilhão do Campo da Feira, onde voltaram a ser homenageados quatro nomes de referência do panorama rock nacional e internacional, a saber: “One Vision”, banda de tributo a “Queen”, “Bang Bang Roses”, que homenagearam “Guns ‘n Roses”, Tributo a “Bon Jovi”, pelos “Bad Name”, e “Xarutos@Pontapés”, que homenagearam o rock português. O festival voltou a contar com serviço de bar e um espaço divulgativo da Cruz Vermelha, e teve diversos apoios, entre os quais o da Câmara Municipal. Segundo Cláudio Neves, vice-presidente da Cruz Vermelha, «A CVP – Cadaval orgulha-se de, uma vez mais, ter contado com a adesão dos seus voluntários na realização deste evento, sem os quais o mesmo seria inviável». O impulsionador do evento revelou ainda que a instituição «continuará a envidar esforços para que, nos próximos

ÂÂ O rock dominou o Cadaval por duas noites

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

9


Rescaldo do 113.º Aniversário da Restauração do Concelho

Feriado Municipal destacou voluntariado

ÂÂ Exposição de Pedro Monteiro mostrou vivências no Afeganistão

centrais

O destaque do 113.º Aniversário da Restauração do Concelho, celebrado a 13 de Janeiro, foi para o lançamento da foto-exposição “Guerra vivida, guerra sentida”, da autoria do cadavalense Pedro Monteiro.

10

A jornada festiva arrancou bem cedo na vila do Cadaval, junto aos Paços do Concelho, com o habitual hastear da bandeira, acompanhado musicalmente pela fanfarra dos Bombeiros Voluntários do Cadaval e, como sempre, perante as entidades oficiais presentes. A comitiva, constituída maioritariamente por representantes dos órgãos municipais e demais entidades locais comparecentes, deslocou-se, seguidamente, para a Biblioteca Municipal do Cadaval a fim de participar na inauguração da foto-exposição “Guerra vivida, guerra sentida”, da autoria de Pedro Monteiro. A exposição do jovem cadavalense, prestes a completar 29 anos, reúne retratos de momentos marcantes da sua presença no Afeganistão, enquanto comandante de equipa de uma Companhia de Comandos em 2005 e 2007. O jovem ex-comando guiou o séquito de convidados numa visita inaugural à mostra fotográfica, cuja partilha com o público representa, para si, «um dever cívico», para além

de «uma homenagem» aos que o acompanharam na missão afegã. Inaugurada a exposição, seguiu-se a palestra “Uma missão de voluntariado”, presidida por Aristides Sécio. O Presidente da Câmara Municipal do Cadaval salientou o espírito solidário subjacente à foto-exposição, congratulando Pedro Monteiro pela «feliz iniciativa» de querer partilhar com a comunidade a sua experiência. A este propósito, o autarca lembrou ainda a missão de voluntariado encetada, há 113 anos, por «muitos cadavalenses que se uniram em torno da nossa cultura, da nossa identidade, e quiseram reafirmar a autonomia do nosso território». Por seu turno, Carla Oliveira abordou a importância do voluntariado na perspectiva da Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa. A seguir, Pedro Monteiro partilhou memórias e sentimentos trazidos da sua estadia no Afeganistão, acompanhado pelo seu ex-capitão, que abordou a missão portuguesa em terras afegãs. «Um contributo para a paz mundial» foi como o capitão de Infantaria “comando”, Hermano Lee Chin, apelidou a presença lusa no Afeganistão. Ao meio dia, celebrou-se, na Igreja Matriz do Cadaval, a tradicional missa em honra dos beneméritos do concelho, momento que voltou a reunir muitos fiéis numa cele-


bração de homenagem às figuras mais proeminentes da história local. A festividade continuou à noite, no cine-auditório dos bombeiros, com um concerto musical pelas bandas filarmónicas de Pragança e Cadaval, intercalado com um momento de declamação de poesia por Ruy de Matos, antigo encenador português. O cartaz do Feriado Municipal do Cadaval ficou ainda marcado pelo arranque do “6.º Campeonato Concelhio de Futsal”, no pavilhão gimnodesportivo municipal, cuja primeira jornada se repartiu entre os dias 15 e 16 de Janeiro.

ÂÂ Entidades e fanfarra dos bombeiros no içar da bandeira

Biblioteca Municipal expôs “Guerra vivida, guerra sentida” A foto-exposição “Guerra vivida, guerra sentida” consistiu numa compilação de fotografias da autoria do exmilitar cadavalense Pedro Monteiro, que retratou, de 13 a 28 de Janeiro, na Biblioteca Municipal do Cadaval, vivências no teatro de operações do Afeganistão. Como o próprio refere, «no Afeganistão, deparei-me com variadíssimas situações, onde a pobreza e a falta de dignidade humana atingem os seus limites.» Motivado pelas situações que viveu, resolveu reunir um conjunto de fotos dessa sua missão afegã e nada melhor do que expô-las no Concelho onde cresceu – o Cadaval. Pedro Monteiro considera que todas as missões deverão ser relembradas e, na grande maioria, partilhadas e discutidas publicamente. «Só desta forma, a informação e a verdade pública de cada um de nós poderão ser usadas como partilha de conhecimentos e de experiências vividas, em cenários que não estão ao alcance do cidadão comum e que servem como uma verdadeira experiência de vida», explica. Mediante esta exposição, o ex-militar pretendeu homenagear todos os que com ele serviram naquele país, em representação da paz, dos Comandos e de Portugal, assim como a sua família, amigos e outras entidades que o apoiaram exemplarmente, aquando da sua estadia no Afeganistão. Foi naquele teatro de operações que, em 2005 e 2007, exerceu funções de Comandante de Equipa de uma Companhia de Comandos destacada como Força de Reacção Rápida, ao serviço da Força Internacional de Segurança e Assistência (ISAF) da NATO. O ex-militar cadavalense reconhece ter sido esta a fase da sua vida onde mais se realizou como profissional e, principalmente, como ser humano. Actualmente ausente da vida militar, Pedro Monteiro encontra-se a concluir o curso de Engenharia em Protecção Civil, no Instituto Superior de Educação e Ciências, em Lisboa.

centrais

ÂÂ Workshop abordou “Uma missão de voluntariado”

ÂÂ Ruy de Matos declamou poesia, no concerto musical

ÂÂ Pedro Monteiro demonstrou experiência afegã à comitiva

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

11


Ciclo de acções “Idosos em Segurança”

Teatro-fórum abordou problemáticas sociais

GNR ajuda idosos a prevenir burlas

ÂÂ Os idosos são o alvo preferencial dos burlões

O Destacamento Territorial de Alenquer da GNR está a promover, no Concelho, o conjunto de acções de sensibilização “Idosos em segurança”, que contam com o apoio da Câmara Municipal do Cadaval. Ajudar a prevenir burlas e assaltos na população da terceira idade, em casa e na via pública, é o principal intuito da iniciativa. Neste Concelho, a GNR já levou a iniciativa à Junta de Freguesia de Lamas, que foi aberta à comunidade, e a cinco instituições sociais, nomeadamente: Centro de Dia ASAVIDA (Dagorda), Centros Sociais e Paroquiais de Lamas e Alguber, Caritas Paroquial do Vilar e Lar do Campus Social do Olival (Murteira). O “Programa Apoio 65 – Idoso em Segurança” é uma iniciativa do Ministério da Administração Interna que visa, sobretudo, garantir as condições de segurança e a tranquilidade das pessoas idosas. Os mais velhos, por se encontrarem numa condição mais desprotegida/ vulnerável, em especial os que vivem mais afastados ou isolados dos centros populacionais mais activos, são alvo preferencial dos burlões.

“A Teia e os Outros” foi o teatro-fórum decorrido no cine-auditório dos bombeiros, a 6 de Novembro, e que retratou as temáticas desemprego, toxicodependência e violência doméstica, tendo contado com a participação do Grupo de Teatro do Oprimido de Coimbra. O teatro-fórum é uma técnica teatral que consiste em pôr em cena uma problemática, para depois ser debatida com o público assistente, no intuito de encontrar alternativas ou soluções. No final da representação da dupla de actores Apolinário Messias e Hamilton Francisco, três elementos do público subiram ao palco e “vestiram a pele” dos personagens, tentando mudar o rumo da história. Refira-se que esta actividade se enquadrou no Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social e no projecto “Sensibilização, Mobilização e Debate” e foi promovida pela REAPN - Rede Europeia Anti-Pobreza / Portugal, tendo o município do Cadaval constituído uma das entidades parceiras.

Para apoiar doentes com Esclerose Lateral Amiotrófica

apoiar

Pragança acolheu almoço de angariação

12

Realizou-se, a 28 de Novembro, na Quinta do Castro, Pragança, um almoço de angariação para apoio a doentes com ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) e para a divulgação da doença. A iniciativa foi promovida pela APELA – Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica, com o apoio da Câmara Municipal, tendo juntado cerca de 250 pessoas. No almoço participaram diversas entidades, nomeadamente o presidente da Câmara Municipal, Aristides Sécio, a vice-presidente Eugénia Correia, bem como o deputado da Assembleia da República, Rui Prudêncio, e a vice-presidente da Câmara do Bombarral, Joana Patuleia, entre outras individualidades. Também o músico João Afonso (músico sobrinho de Zeca Afonso) e elementos do Grupo Gente Gira se juntaram à causa. Para além do almoço e da animação, o evento solidário contou com uma breve apresentação da Associação APELA e com uma explicação médica da “ELA”, uma doença rara, neurodegenerativa, progressiva e fatal. A APELA foi

criada para promover a divulgação geral da natureza da doença e para prestar apoio a doentes com ELA, bem como aos respectivos familiares.

ÂÂ Durante o almoço falou-se sobre a natureza da doença


Cedida pela autarquia luxemburguesa de Kayl

Bombeiros reforçados com viatura auto-escada

Dia do Voluntário juntou Cadaval e Bombarral Os municípios de Cadaval e Bombarral comemoraram, a 5 de Dezembro, o “Dia Internacional do Voluntário”, através de uma tarde de convívio que juntou perto de 30 voluntários no Buddha Eden (Bombarral). Juntaram-se, neste convívio vespertino, as vicepresidentes das Câmaras do Cadaval e Bombarral, respectivamente Eugénia Correia e Joana Patuleia, que enalteceram, na ocasião, a importância do voluntariado para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa. O grupo de voluntários foi acompanhado pelo mestre Milton Baseggio, da Escola Pakua (Bombarral), a quem coube interpretar as estátuas existentes naquele jardim de inspiração oriental. Os participantes puderam ainda experimentar uma aula de Tai Chi (arte marcial), provar um vinho espumante da Quinta dos Loridos e degustar alguns doces, onde o Pão-de-ló do Painho não poderia faltar.

ÂÂ O momento da entrega formal da viatura, no Luxemburgo

Aprovada candidatura para elaboração de plano municipal

“Cadaval para todos” promove acessibilidade “Cadaval para todos” é o nome da candidatura, aprovada em Dezembro, para elaboração do Plano Municipal de Promoção da Acessibilidade do Concelho de Cadaval. O investimento total previsto para este projecto ultrapassa os 60 mil euros para um co-financiamento, pelo Fundo Social Europeu, de mais de 43 mil euros. O plano visa pensar estrategicamente a acessibilidade a nível municipal, envolvendo entidades e agentes locais, de modo a evitar medidas correctivas avulsas e erros nas novas intervenções em meio público. Nesse sentido, foi já formalizada a intenção de parceria com a Cruz Vermelha – Delegação do Cadaval, a Santa Casa da Misericórdia do Cadaval e a Associação para o Desenvolvimento Social e Cultural do Concelho do Cadaval. Com término no final do ano, este projecto terá como área de intervenção todo o concelho mas terá especial incidência na vila do Cadaval. É composto por diversas componentes, designadamente: estudo sobre a população-alvo, sessões de participação cívica, diagnóstico de acessibilidade e diversas acções de informação/formação.

“Cadaval Amigo” distribui 92 Cabazes de Natal Durante a quadra natalícia foram distribuídos um total de 92 cabazes de Natal a famílias sócioeconomicamente desfavorecidas do Concelho, fruto da bem sucedida campanha de angariação “Cadaval Amigo”. Foram parceiros do município nesta iniciativa as seguintes entidades: Centro Social Paroquial de Alguber, Centro Social Paroquial de Lamas, Santa Casa da Misericórdia do Cadaval, Caritas Paroquial do Vilar, Associação Murteirense de Cultura, Desporto e Solidariedade Social, Agrupamento de Escuteiros do Vilar, Banco Local de Voluntariado e paróquias do concelho. Outra campanha municipal de cariz solidário foi a 20ª Colheita de Sangue, realizada a 6 de Novembro, que reuniu 70 dadores no Cadaval, dos quais 58 puderam efectivar a dádiva. Em Junho, a iniciativa regressa à vila. Fique atento e participe!

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

apoiar

Os Bombeiros Voluntários do Cadaval (BVC) viram reforçado o seu parque com uma viatura auto-escada, cedida pela autarquia luxemburguesa de Kayl. Foi no passado dia 19 de Novembro que o presidente da Câmara Municipal, Aristides Sécio, se deslocou a Kayl – Luxemburgo, acompanhado do actual comandante dos BVC, Luís Gaspar, e de um director da Associação Humanitária dos BVC, para participar na cerimónia de entrega de uma viatura autoescada de bombeiros, cedida ao município do Cadaval pela “commune de Kayl”, sua congénere no Luxemburgo. A entrega decorreu no quartel de bombeiros de Kayl, com a celebração de um contrato de venda de valor simbólico ao município. A viatura foi depois formalmente cedida à AHBVC na reunião de câmara de 7 de Dezembro. Foi há cerca de dois anos que se iniciaram os contactos entre o cidadão cadavalense Amílcar Caetano (residente no Luxemburgo e com responsabilidades na autarquia luxemburguesa), o edil cadavalense e o então comandante dos BVC, José Carlos Caetano, acerca da possibilidade de cedência da viatura, que já se encontra ao serviço da população local.

13


Balanço do primeiro trimestre escolar

“Prevenção para a Segurança” é o tema do ano lectivo

ÂÂ O actual ano lectivo conta com mais de 1700 alunos

educar

Reuniu, a 12 de Janeiro, no auditório municipal, o Conselho Municipal de Educação (CME), para balanço do primeiro trimestre do ano lectivo.

14

Nesta segunda reunião do CME, o Agrupamento de Escolas do Cadaval apresentou o rescaldo do primeiro trimestre de gestão em tempo lectivo, salientando os resultados positivos da mesma e o facto de docentes e discentes não apresentarem sinais de desadaptação à nova realidade escolar. O presente ano lectivo de 2010/2011 conta, no concelho, com a frequência de um total de mais de 1.700 alunos. Destes, o 1.º ciclo ocupa uma faixa de 33 por cento, seguido do 3.º ciclo com 20 por cento, representando o préescolar e o 2.º ciclo, cada qual, 14 por cento do total de alunos do concelho. Por sua vez, o ensino secundário regular representa oito por cento do universo estudantil, seguido dos cursos EFA/ Secundário com quatro por cento, cursos CEF e profissionais com três por cento cada, e dos cursos CET com um por cento dos estudantes. Constata-se também que as disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa continuam a ser aquelas em que os alunos apresentam mais dificuldades na obtenção de resultados positivos. Também a Câmara Municipal e a Santa Casa da Misericórdia apresentaram, na presente reunião, o balanço do seu primeiro trimestre. A edilidade apresentou uma avaliação dos serviços educativos de responsabilidade municipal, nomeadamente o designado Serviço de Apoio à Família. No período em análise, 71 por cento dos alunos do 1.º ciclo estão a usufruir do serviço de refeições, 15 por cento do serviço de ATL e 24 por cento a beneficiarem de auxí-

lio económico. Por seu turno, no pré-escolar, as refeições abrangem 76 por cento das crianças, o complemento horário contempla 40 por cento e o auxílio económico abarca 17 por cento das crianças dos jardins públicos. A temática do Projecto Educativo concelhio fez igualmente parte da ordem de trabalhos, tendo sido constituído, no seio do CME, um grupo de trabalho para a sua elaboração. Quanto às actividades, de iniciativa municipal e dirigidas à comunidade escolar, todas elas trabalharão a temática da prevenção para a segurança. Assim, no Carnaval das Escolas o tema será «No Cadaval… Segurança Total», na Semana da Floresta, «Prevenir a Segurança na Floresta», e na ANIMARTE, «Prevenção para a Segurança». Está ainda prevista a realização da Exposição «Viver em Segurança» e do Colóquio «Prevenção e Segurança em Espaço Escolar».

ÂÂ Resultados positivos para 1.º trimestre escolar


Mais de 3 mil euros para Centro Social e Paroquial de Alguber

Montaria ao javali faz solidariedade

9.º Passeio TT de Alguber juntou 300 participantes O Grupo Motard Falcões de Montejunto realizou, a 9 de Janeiro, o 9.º Passeio Todo-o-Terreno – Motos e Quads de Alguber, o qual juntou cerca de 300 participantes, provindos de diversos pontos do país, nomeadamente dos distritos de Lisboa, Leiria, Santarém, Coimbra, Setúbal e alguns também das zonas norte e sul de Portugal. O percurso teve uma extensão de 100km, feitos quase totalmente por terra. Tendo a concentração sido feita em Alguber, o passeio seguiu depois por Cercal, Serra de Montejunto, Espinheira, S. Salvador, Cercal, regressando, por fim, a Alguber.

ÂÂ Um almoço-convívio encerrou a jornada solidária

Participam doze associações concelhias

Já decorre o 6.º Campeonato de Futsal

Murteira junta 155 bikers na 2ª Maratona BTT Decorreu, a 21 de Novembro, a 2ª Maratona de BTT da Murteira, numa organização do Montejunto Bike Clube (Associação Murteirense). O evento juntou cerca de 155 participantes que se dividiram pelas duas provas – de 30km e de 60km. Na prova mais curta, os mais rápidos a fazer o percurso foram Tiago Matias, com 1h47m35s, seguido de António Costa e de Sandro Vicente (SR Camarnal BTT Team). Quanto à prova mais longa, o melhor tempo coube a Joel Lucas, ao fazer a prova em 2h31m55s, seguido de Délio Ferreira e de Mário Jorge Amaro (BTTCampello). O vencedor recebeu uma “Smart Box” gentilmente oferecida por “Almeida Viagens”. De referir ainda que a prova de 30km foi terminada por 95 participantes, enquanto que ao fim dos 60 km chegaram 52 bikers.

Arrancou, a 15 de Janeiro, o “6.º Campeonato Concelhio de Futsal – Seniores Masculinos”, iniciativa municipal que está a envolver a participação de 12 associações locais. Participam este ano na competição os seguintes clubes: C.C.D.R. Rocha Forte, A.D.C.R. Painho, G.D.C. Dagorda, Ventosa A.C., C.C.D.R. Chão Sapo, U.A. Boiça do Louro, C.A. Cadaval, A.A.C.R. Peral, Adão Lobo S.C., A.D.Vermelha, G.R. Martinjoanense e A.F. Pragança. O campeonato realiza-se, numa primeira fase, em sistema de séries (duas séries de 6 equipas), jogando todos contra todos, a uma volta. Na fase seguinte, os jogos serão de carácter eliminatório. O campeonato está a decorrer no pavilhão municipal, aos sábados e domingos, a partir das 19h30, sendo de acesso gratuito ao público. O calendário de jogos encontra-se disponível no site municipal (www. cm-cadaval.pt), onde são regularmente publicados resultados e comentários às jornadas realizadas. Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

praticar

Alguber serviu de ponto de encontro para uma montaria solidária no concelho, que juntou perto de uma centena de caçadores e acompanhantes. A iniciativa foi promovida, a 23 de Dezembro, pela Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval (ACCC) numa parceria com a FEDERCAÇA – Federação de Caçadores do Centro. A verba angariada ultrapassou os 3 mil euros, que reverteram inteiramente a favor do Centro Social e Paroquial de Alguber, entidade que, em contrapartida, acolheu os caçadores com buffet matinal e almoço-convívio. Esta é já a terceira montaria da ACCC a reverter para instituições locais de solidariedade. Nos anos anteriores coube à Associação Paraíso das Crianças (Peral) e à Associação de Solidariedade Montejunto (Pragança) receberem o solidário contributo dos caçadores. Aderiram, este ano, à iniciativa monteiros provindos do concelho mas também de Pombal, Leiria, Caldas da Rainha, Lisboa, entre outros locais. Aristides Sécio, presidente da Câmara Municipal, e Henrique Pratas, presidente da Junta de Freguesia de Alguber, marcaram presença no evento, tendo-se também feito representar a Autoridade Florestal Nacional.

15


José Carlos Caetano, ex-comandante dos Bombeiros Voluntários do Cadaval

«Pensei sempre mais no interesse dos bombeiros do que no meu»

ÂÂ O ex-comandante considera que a associação está hoje bem apetrechada

parar p'ra conversar

José Carlos Lopes Caetano, 63 anos, dedicou 45 anos da sua vida à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval, primeiro como bombeiro e depois como comandante da corporação, na qual ainda hoje trabalha, embora noutras funções.

16

Nasceu no Casal da Lagoa, freguesia de Lamas, onde viveu até cerca dos 17 anos, altura em que vai morar para o Cadaval, onde casou e ficou a viver. Decide ser bombeiro voluntário aos 18 anos, por influência de colegas da mesma idade, vindo, mais tarde, a integrar a direcção da associação de bombeiros. Em 1978, estando desempregado, concorre a uma vaga de motorista e, a partir de então, torna-se funcionário dos bombeiros. «Fui progredindo na carreira até chegar a comandante, e com tudo isto passaram-se 45 anos e quatro meses como bombeiro no activo», relata. Desde Maio de 2010, e enquanto não chega a idade da reforma, trabalha na secretaria de comando e faz a coordenação do serviço de saúde no corpo de bombeiros cadavalense. Para se ser bombeiro é necessário ter 18 anos e passar por um período de formação, hoje mais intensa do que antigamente porque, como explica José Caetano, «noutros tempos não havia os equipamentos que existem hoje e por isso, não era preciso fazer determinadas formações». As coisas vão evoluindo e hoje um bombeiro voluntário tem de ter um período mínimo de formação de 250 horas, a somar aos cursos de socorrismo e desencarceramento, de 50 horas cada um, e a seguir prestar provas. O dia-a-dia depois é, como explica o ex-comandante, «fazer os piquetes, fazer formação e responder às solicitações, des-

de que se esteja por perto quando a sirene toca e quando há situações de emergência». A função principal de um bombeiro voluntário é prestar socorro a sinistrados, a doentes, a grávidas e responder a todos os sinistros no âmbito da protecção civil, que  são muitos, onde se incluem, claro está, os incêndios. O serviço de transporte de doentes, por seu turno, trata-se já de uma função quase totalmente assegurada por  bombeiros assalariados. Os bombeiros do Cadaval actuam em toda a área do município. Fora desse território só quando solicitado pelas corporações vizinhas ou pelo CDOS [Comando Distrital de Operações de Socorro] de Lisboa, que os pode requisitar para ocorrências fora do distrito. De acordo com José Caetano, são várias as dificuldades com que os bombeiros têm de lidar. «Um dos problemas são os equipamentos, que são caros e as instâncias oficiais nem sempre estão disponíveis para os subsidiar». Por outro lado, há a questão da subida do preço do gasóleo. Verifica-se também a crescente dificuldade de cativar os jovens para os bombeiros. «As associações têm muito para exigir e pouco para dar aos voluntários. Acho que o Estado é que deveria ter um pouco mais de atenção, para que as pessoas se sentissem mais motivadas para vir para os bombeiros. Felizmente, o novo comandante tem, actualmente, um grupo de jovens que acredito que darão um bom grupo de bombeiros para reforçar a corporação», refere. Se noutros tempos chegou a ter 80 bombeiros, actualmente a corporação conta com cerca de meia centena, somados os quadros activos e os estagiários. «Depois, temos os quadros de honra que têm uma série de bombeiros que já deram o seu contributo e agora estão neste quadro, que é uma forma de reconhecimento e de continuarem ligados à instituição»,


Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

parar p'ra conversar

José Carlos manifesta-se insatisfeito com o actual sistema de saúde. «Vamos ver até que ponto o hospital de Torres Vedras consegue corresponder às expectativas e às necessidades dos utentes transportados para o serviço de urgências onde, por vezes, temos de esperar duas horas para nos libertarem a maca». Sobre a criação de uma Unidade Móvel de Saúde, afirma nunca ter conhecido nenhuma. Entende, porém, que para pequenas questões e para as consultas domiciliárias talvez funcionasse. «Ao nível de serviço de urgências penso que não adiantaria de muito pois essa unidade móvel continuaria a ter de enviar os doentes para os hospitais de referência, Caldas ou Torres, para depois lá poderem ser atendidos e tratados convenientemente». Que algo precisa ser feito, disso o ex-comandante não tem dúvidas. «Dia 1 de Janeiro entrou em vigor um despacho em que os doentes não urgentes, para serem transportados de ambulância gratuitamente, têm de ter uma justificação clínica ou de fazer prova de carência económica». Por não estar ainda definido a quem compete aferir essa insuficiência económica, «saiu depois outro despacho para que, até final de Fevereiro, sejam passadas requisições de transporte para doentes acamados e de cadeiras de rodas, até que se consiga fazer a prova de carência». José Caetano defende que esta medida vai degradar a saúde das pessoas, indo prejudicar também instituições como a dos bombeiros. «Por exemplo, se um indivíduo que ganhe o ordenado mínimo já não tiver direito ao transporte gratuito, se tiver de ir fazer um tratamento de ambulância duas ou três vezes por semana, como é que ele vai pagar?» Sobre a sua saída antecipada do comando dos bombeiros, a um ano de concluir o mandato, o ex-comandante alega «desgaste» como principal motivo. «O stress é muito grande e quando um indivíduo chega aos 63 anos, com 45 anos de bombeiro, e a viver mesmo em frente à porta de um quartel, é muito complicado e desgastante. Achei por bem pedir a demissão, falei com a direcção e prometi manter o comando até haver condições de ser substituído. Assegurei a transição e continuo aqui a trabalhar até à idade da reforma. O actual comandante é jovem, cheio de vontade, tem todas as condições, assim o ajudem, para seguir em frente com a instituição». O espírito de missão cumprida é ponto assente para o exsoldado da paz. «Deixei na instituição um parque de viaturas que considero digno, o que quer dizer que se trabalhou e que consegui trazer a instituição ao nível em que ela se encontra. Tudo aquilo que fiz, a nível dos bombeiros, foi sempre com o espírito de manter vivo o interesse e a vida desta casa. Pensei sempre mais no interesse da instituição bombeiros do que no meu próprio interesse particular». Na vida de bombeiro não esquecerá situações, ao nível do socorro, que o marcaram de modo negativo, pela forma brutal que ocorreram. «Mas quando nós conseguimos resolver as situações e salvar as pessoas é um motivo de grande felicidade. Quando conseguimos cumprir a nossa missão é sempre motivo de orgulho!», confessa. O antigo comandante deixa um conselho aos mais novos: «Faço votos de que todos os jovens que tenham possibilidade, que não tenham medo de dar o seu contributo à causa dos bombeiros porque hoje a formação é muito importante e os riscos são riscos calculados. Quando nós dedicamos uma parte do nosso tempo a ajudar os outros, um dia olhamos para trás e sentimo-nos bem por ter feito algo de útil pelo próximo».

Entrevista realizada a 12 de Janeiro de 2010

esclarece José Caetano. A associação de bombeiros subsiste dos serviços que vai prestando e de alguns subsídios (poucos) estatais para aquisição de viaturas de emergência ou de incêndio. O exsoldado da paz ressalva, no entanto, que a actual viatura de emergência (ambulância) foi comprada, exclusivamente, com fundos da associação e com o auxílio da população, por intermédio de peditórios. O ex-comandante realça ainda a importância de ter a Câmara Municipal como parceira porque, como revela, «hoje, sem a ajuda da Câmara, seria difícil a associação sobreviver sem grandes dificuldades». Considera, porém, que a corporação está actualmente bem apetrechada. «Tem alguns equipamentos que começam a precisar de reforma, mas comparando com outras corporações congéneres  penso que estamos a um nível  bom». Essencialmente são os acidentes, as doenças súbitas e os incêndios os casos em que os bombeiros do Cadaval são chamados a intervir. «E depois, vêm por acréscimo aquelas intervenções ao nível de protecção civil, como é o caso da limpeza e desobstrução das vias, entre outros». Os temporais, por exemplo, são uma das situações que podem dar muitas dores de cabeça aos soldados da paz. O exbombeiro recorda o temporal de Dezembro de 2009, que, segundo ele, «exigiu um esforço muito grande, quer da Protecção Civil, quer dos próprios bombeiros». O incêndio que assolou a serra de Montejunto em 2003 tratou-se, reconhece, de «uma situação trágica que afecta sempre, e a mim também afectou psicologicamente e em termos de saúde. Porque a partir daí a minha saúde nunca mais foi o que era. Foi um desgaste muito grande, principalmente aquando do reacendimento, em que tive quatro noites e quatro dias sem ir à cama. Quando chegou ao fim, estava mesmo de rastos». O ex-comandante manifesta-se apreensivo quanto a hipotéticos futuros incêndios na serra porque, explica, «antes de 2003, havia já três grandes fogos na história dos incêndios em Montejunto, e em todos eles a serra ardeu toda, de uma única vez, numa semana. Desta vez tivemos duas semanas de incêndio, ardeu uma parte significativa mas também ficámos com uma parte muito importante por arder». Segundo José Caetano, os trabalhos de limpeza e de abertura de caminhos que decorriam na altura terão ajudado a travar o incêndio de 2003. Recorda, no entanto, terem existido vários problemas a nível de disponibilidade de meios de combate, devido à ocorrência simultânea de fogos, também muito graves, noutros locais. O antigo comandante sublinha a importância de realizar um trabalho de fundo a nível de prevenção, de modo a evitar a ocorrência de novos incêndios em Montejunto. De resto, considera que, tendo em conta a grande mancha florestal concelhia, «podemos dizer que os nossos incêndios são de pequena e média dimensão». Para o ex-soldado da paz, o encerramento do SAP Cadaval (“Urgências”) não veio aumentar o volume de serviço para os bombeiros, veio sim complicá-lo e torná-lo mais demorado. E explica: «uma ida de ambulância a Torres Vedras demora sempre, no mínimo, duas horas. Agora o que realmente é complicado é chegar a Torres com doentes acamados e lá dizerem que não se justifica. Isso é que veio aumentar a despesa para os bombeiros. Porque nós temos de ir, depois, tentar cobrar o transporte ao utente. E uns pagam, outros não».

17


Assembleia Municipal O órgão deliberativo do Município realizou, no período de Novembro a Dezembro, a seguinte sessão pública: SESSÃO ORDINÁRIA DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 - Aprovação, por 16 votos a favor (16 PSD), 14 contra (13 PS, 1 CDU) e uma abstenção (PS), da Proposta do Orçamento e Grandes Opções do Plano para o ano de 2011; - Aprovação, por 16 votos a favor (16 PSD), 14 contra (PS) e uma abstenção (CDU), do Mapa de Pessoal para 2011; - Aprovação, por 16 votos a favor (16 PSD), 15 contra (14 PS, 1 CDU), do Concurso público n.º 1/Cadaval/2010 – “Fornecimento de Refeições para as Escolas do Ensino Básico e Jardins-de-Infância do concelho do Cadaval para os anos lectivos 2010/2011, 2011/2012 e 2012/2013” – Aprovação da despesa para os anos económicos 2010 a 2013; - Aprovação, por unanimidade, da Doação de terreno para a construção do edifício sede da LeaderOeste – Associação para o Desenvolvimento e Promoção Rural; - Aprovação, por unanimidade, da Moção (constante no edital n.º 15/2010) de Apoio e Solidariedade para com a Assembleia de Freguesia do Cercal no que se refere ao encerramento da única Escola do Ensino Básico existente na referida freguesia, apresentada pelo Grupo Municipal do Partido Socialista.

Câmara Municipal No período de reuniões compreendido entre 26 de Outubro e 21 de Dezembro de 2010, foram estes os principais assuntos apreciados pelo órgão executivo do Município: LOTEAMENTOS Neste âmbito, deferiu-se o seguinte processo: - Processo n.º 02/2010, de João Paulo Nobre, Construção Unipessoal, Lda. – Loteamento urbano a ser edificado em “Sítio do Vale Moreira”, na localidade de Vilar, concelho do Cadaval.

deliberar

PEDIDOS DE APOIO / ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS: - Atribuição de um subsídio à Associação Murteirense, Cultura, Desporto e Solidariedade Social, no valor de € 250,00 (duzentos e cinquenta euros), como forma de apoio à associação; - Atribuição de um subsídio à Associação Recreativa, Cultural, Desportiva de Melhoramentos do Pereiro e Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento 601 do Vilar, no valor de € 250,00 (duzentos e cinquenta euros), como forma de apoio. APOIO SOCIAL - Aprovação dos escalões atribuídos aos diferentes requerentes, no âmbito da Acção Social Escolar 2010/2011 – Pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico, para o corrente ano lectivo; - Atribuição de um subsidio, no valor de 150,00€ (cento e cinquenta euros), como forma de apoio à realização da Ceia de Natal de famílias carenciadas. DIVERSOS - Aprovação da Proposta de Estrutura Orgânica Flexível dos Serviços Municipais; - Aprovação do reencaminhamento da Moção relativa ao encerramento da Escola do 1.º ciclo do Ensino Básico do Cercal; - Aprovação da proposta de venda “simbólica”, pelo Município do Cadaval à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval, da viatura auto-escada Magirus-Deutz; - Aprovação da autorização de abertura dos Estabelecimentos

18

Comerciais nos feriados 1 e 8 de Dezembro e nos Domingos 5, 12 e 19 de Dezembro; - Aprovação da doação de um terreno à LeaderOeste – Associação para o Desenvolvimento e Promoção Rural, para construção do seu edifício-sede; - Aprovação da proposta de questionar os diversos órgãos com responsabilidades na área, acerca da pretensa reorganização das Extensões de Saúde no Concelho.

MOVIMENTOS DE PESSOAL (Outubro a Dezembro de 2010)

RENOVAÇÕES DE CONTRATOS A TERMO CERTO Ana Sofia Casquilho Vidigal Frade Simões – Assistente Operacional Ana Adelaide Matos Sequeira Pintéus – Técnica Superior Vitor Manuel Dias Semedo Pereira – Assistente Operacional Luis António da Silva Ribeiro – Assistente Operacional Mario Jorge da Conceição Ferreira – Assistente Operacional Marco Filipe Silva Santos – Assistente Operacional FIM DE CONTRATOS A TERMO CERTO Dulcinea Marques Rosa Azevedo Oliveira – Assist. Operacional Vânia Filipa Rebelo Coelho Vitorino – Assistente Operacional Joana Margarida Gomes da Costa – Assistente Operacional Juliana Isabel Paulo C. Gomes Oliveira – Assist. Operacional Maria de Fátima Azevedo Pereira Nunes – Assist. Operacional Mariana Sofia Gabriel Cordeiro Ramos – Técnica Superior Eduardo Jorge de Oliveira Nunes – Assistente Operacional António José Rodrigues Ferreira – Técnico Superior NOVO CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO Catarina Filomena Morgada Gaspar – Assistente Operacional Juliana Isabel Paulo C. Gomes Oliveira – Assistente Operacional Clara Marisa Malhoa Arsénio de Deus – Assistente Operacional Maria de Fátima A. Pereira Nunes – Assistente Operacional Lara Vanessa Duarte Coelho – Assistente Operacional Mariana Sofia Gabriel Cordeiro Ramos – Técnica Superior Eduardo Jorge de Oliveira Nunes – Assistente Operacional António José Rodrigues Ferreira – Técnico Superior Próximas Reuniões Públicas da Câmara Municipal • 01 de Março / 12 de Abril Início das reuniões e atendimento ao público: 14h30 Local: auditório da CMC Próximas Sessões Ordinárias da Assembleia Municipal • 18 de Fevereiro / 22 de Abril Sexta-feira, 21 horas – Auditório da CMC Consulte actas e editais da CMC e AMC no Site Municipal (www.cm-cadaval.pt)


Associação de Caçadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691137 Associação Protec. dos Animais do Cadaval . . . . . . . . 927295099 Biblioteca Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696155 Bombeiros Cadaval Urgência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699110 Secretaria. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699113 Câmara Municipal Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690100 Serviços Urbanos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690171 Águas - Comunicação de Leitura. . . . . . . . . . . . . . 800208118 Águas - Urgência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 916172194 Cartório Notarial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698456 Centro de Interpretação Ambiental. . . . . . . . . . . . . . 262777888 Centro Saúde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696400 Extensões de Saúde Barreiras (Peral). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744206 Cercal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 263486750 Figueiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744216 Painho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262741023 Vermelha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696321 Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777733 Comboios – Bombarral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262605440 Com. Prot. Crianças e Jovens. . . . . . . . . . . . . . . . . . 912232070 Conservatórias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691470 CTT - Estação do Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698340 Cruz Vermelha - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262083536 EDP Avarias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 800505506 Informações. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 800505505 Escolas Agrupamento de Escolas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699081 E.B 2,3 Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699080 Sec. Montejunto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699230 Farmácias Central (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696176 Ferreira (Figueiros). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744152 Luso (Vilar). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777153 Misericórdia (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696220

Montejunto (Cadaval). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696178 Montejunto (Painho). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262741207 Montejunto (Vermelha) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698209 Finanças (Repartição) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696104 GNR - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690010 Inst. Particulares de Solidariedade Social Santa Casa Misericórdia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696147 C. S. Paroquial de Alguber. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744140 C. S. Paroquial de Lamas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695444 Cáritas Paroquial do Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777982 Campus Social do Olival. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262698283 Centro de Dia da Dagorda . . . . . . . . . . . . . . . . . . 932720104 Juntas de Freguesia Alguber. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744000 Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696841 Cercal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 263486750 Figueiros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262741139 Lamas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695421 Painho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744011 Peral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695250 Pero Moniz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691098 Vermelha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262695504 Vilar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262771060 LeaderOeste. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691545 Museu Municipal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691690 Parque de Campismo Rural. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262777888 Piscina Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691680 Posto de Atend. ao Cidadão. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690128 Residencial Lourenço. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696476 Rodoviárias Boa Viagem (Alenquer) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 263730500 Barraqueiro Oeste (T.Vedras). . . . . . . . . . . . . . . . . 261334150 Tejo (Bombarral). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 967449860 Segurança Social (local). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696326 Telefones – P.T. Avarias. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16208 Tribunal Judicial do Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262699010 GIP - Emprego.. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262690187 Veterinário Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 917568406

Presidente - Sr. Aristides Sécio 4ª feira de tarde - atendimento presencial (por marcação prévia) 4ª feira (11h00-12h00) - atendimento telefónico

Balcão Único Municipal 2ª a 6ª feira - 08h30 às 16h00

Vice-Presidente - Dra. Eugénia Correia 5ª feira, todo o dia - por marcação prévia

Serviço de Acção Social 3ª e 5ª feira - por marcação prévia Arquitectos (DUOT-Div. de Urbanismo e Orden. do Território) 4ª feira - manhã: sem marcação / tarde: com marcação prévia

Vereador - Sr. Vítor Pinto 4ª feira de tarde - por marcação prévia

Engenheiro (DOM-Divisão de Obras Municipais) 6ª feira - por marcação prévia

Procuradora das Comunidades Elo entre quem está longe e a Câmara Municipal tel.: 262 690 100 - e-mail: proc.comunidades@cm-cadaval.pt

Café “Rosa” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691115 Churrasqueira “O Lavrador”- Cadaval. . . . . . . . . . . . . 262691313 Churrasqueira do Leal - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . 262696542 Pastelaria “Estrela“ - Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696282 “Pit-Stop” Fast Food - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . 262696599 Rest. “A Brilhante” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696121 Rest. ”Casa d‘Avó” - Murteira. . . . . . . . . . . . . . . . . . 262696119 Rest. “Casa do Pão” - Vermelha. . . . . . . . . . . . . . . . . 262691633 Rest. “Manjar de Lobos” - Vermelha. . . . . . . . . . . . . . 262695572 Rest. “O Cantinho” – Casarão . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262744738 Rest. ”O Cantinho do Cigano” – C. Sapo . . . . . . . . . . . 262695153 Rest. “Chuva” - Vilar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 961054714 Rest. “O Garcia da Serra” – Pragança . . . . . . . . . . . . . 262771080 Rest. “O Intervalo” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691315 Rest. “O Jardim” – Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262691331 Rest. “O Ninho do Rato” – C. Cabreiro. . . . . . . . . . . . . 262695098 Rest. “O Telheiro do Caetano” – C.Cabreiro . . . . . . . . . 262696655

Gabinete de Inserção Profissional 2ª, 4ª, 5ª e 6ª feira: 09h00-12h30 / 14h00-16h00 Gabinete de Terapia Familiar 4ª feira: 09h00-16h00 - Tel.: 262 690 100 ou 262 690 183

Rest. “Sabores d’Aldeia” - Casarão . . . . . . . . . . . . . . . 262744264 Rest. “Quinta do Castro” - Pragança. . . . . . . . . . . . . . 262771117 Rest. “A Telha” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262082223 Snack-Bar “A Mafalda“ - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . 262282332 Snack-Bar “Castanholas Caffé“ - Cadaval. . . . . . . . . . . 262698471 Snack-Bar “Chama do Oeste“ - Cadaval . . . . . . . . . . . 915258557 Snack-Bar “Colombo” - Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . 262691339 Snack-Bar “D’Anina” - Dagorda. . . . . . . . . . . . . . . . . 262695606 Snack-Bar “Girassol” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . 262696844 Snack-Bar “Joaninha” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . . 262283122 Snack-Bar “Morangos com Açúcar” - Cadaval. . . . . . . . 262691303 Snack-Bar “O Chafariz” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . . 262105099 Snack-Bar “O Petisco” - Cadaval . . . . . . . . . . . . . . . . 262696846 Snack-Bar “O Pirilampo” - Cadaval. . . . . . . . . . . . . . . 262186795 Snack-Bar “Sabores do Campo” - Cadaval . . . . . . . . . . 963008594 Snack-Bar “Tendinha da Praça” - Cadaval . . . . . . . . . . 918091178

contactar

E-mail do executivo municipal presidencia@cm-cadaval.pt

Para alterações e/ou novos números - telef.: 262 690 119 ou e-mail: girp@cm-cadaval.pt

Aceda aos vídeos municipais em www.cm-cadaval.pt

19


Câmara Municipal de Cadaval Av. Dr. Francisco Sá Carneiro 2550-103 Cadaval Tel.: 262 690 100 - Fax: 262 695 270 geral@cm-cadaval.pt


Revista Municipal 33