Issuu on Google+

Revista de Bordo - Mar / Abr – Inflight Magazine - Mar / Apr

seu! Este exemplar é rs! This copy is you

A Conferência

Berlim

de e a “Diáspora ”

Cokwe

and the “Cokwe Diaspora”

N.° 102

Março/Abril • March/April 2014

The Berlin Conference

Pertinência dos Estudos de Epopeias em Angola The Relevance of Studying the Epic in Angola A Huíla, as Gentes, o Gado e os Ritos Huila, the People, the Cattle and the Rites O Mundial no País do Futebol The World Cup in the Land of Soccer

102

www.taag.com • call center 923 190 000

2014


Breguet, o criador. Classique Hora Mundi - 5717 Como um convite à viagem através dos continentes e oceanos, ilustrados no mostrador lacado e guilhoché, finamente manufaturado, o Classique Hora Mundi é o primeiro relógio mecânico com indicação instantânea do fuso horário. Graças a um sistema patenteado de memória mecânica, com dois cames em forma de coração, indica automaticamente a data e a hora do dia ou da noite da cidade selecionada, bastando pressionar um botão. A história continua ...


linha directa direct line

Estimado Passageiro Bem-vindo a Bordo Os nossos agradecimentos pela sua fidelidade que possibilita este diálogo periódico e regular que, desejamos, contribua para estreitar ainda mais os laços entre nós. Gostaríamos de recordar que este número da Austral está nas suas mãos no ano em que a TAAG comemora o 34º aniversário da sua elevação à Companhia Aérea de Bandeira de Angola, ocorrido a 13 de Fevereiro de 1980. Figura entre os primeiros temas deste número, a preocupação com o integral cumprimento das normas de segurança na aviação, o que na TAAG constitui uma prioridade absoluta. Em páginas já cativas desta revista dá-se a conhecer as restrições à entrada em Angola de alimentos, animais e troféus de caça. Também não são esquecidos conselhos e informações úteis sobre a forma como cada passageiro deve preparar a sua mala de viagem. A função social da TAAG perpassa também pelas páginas desta edição, com a sua participação no 1º Salão de Viagens e Negócio de Angola, como contributo para colocar o país no mapa internacional do turismo de negócios. O destacar de locais de referência a visitar em Angola, sugestões para um fimde-semana em qualquer ponto do país e o restaurante ideal para uma faustosa refeição continuam a fazer morada na revista. Como é habitual, não faltam referências a vários aeroportos do mundo, com curiosidades sobre as obras mais emblemáticas do planeta e ainda a nível do mundo, os habituais cartões postais. A Cultura permanece com espaço privilegiado nesta edição, dando-se a conhecer, entre diversos assuntos, a homenagem à soberana Njinga a Mbande pelo 350º aniversário da sua morte, o lançamento de novas obras literárias, exposições de Artes Plásticas e a valorização da nossa História demonstrada na atribuição dos Prémios de Cultura e Artes. A profundidade temática aborda a questão do género Epopeia em Angola, país que possui grande potencial épico. Outro assunto de fôlego prende-se com a relação entre a Conferência de Berlim de 1884 e a perda de muitas obras artísticas Cokwe, hoje expostas pelo mundo em museus e colecções privadas. Personalidades angolanas de destaque são também enaltecidas. Entretenimento a bordo diversificado, em que se inclui, a finalizar, um conto, também fazem parte do cardápio desta revista ao dispor dos estimados passageiros, aos quais endereçamos sinceros votos de boa leitura. Muito obrigado por ter escolhido a TAAG e Boa Viagem! A Direcção da Revista Austral

We thank you for your loyalty that enables this regular dialogue that we hope will help to further strengthen the bonds between us. We wish to remember that this issue of Austral is in your hands in the year that TAAG celebrates its 34th anniversary of its elevation to Flag Carrier of Angola, which occurred on February 13th, 1980. Among the main themes of this edition, there is the concern with the full compliance with safety standards in aviation, which for TAAG is an absolute priority. In other pages of this magazine we have informed you about the restrictions on entry into Angola of food, animals and hunting trophies. You can also find tips and useful information on how to prepare your suitcase. The social function of TAAG also pervades the pages of this issue, with its participation in the 1st Travel and Business Salon of Angola, as a contribution to put the country on the international map of business tourism. Highlighting reference locations to visit in Angola, suggestions for a weekend anywhere in the country and the ideal restaurant for a lavish meal continue to make part of our magazine. As usual, there are many references to various airports in the world, with curiosities about the most emblematic works of the planet. And the usual postcards about the world. Culture remains a privileged area in this edition, revealing, among many topics, the homage to the sovereign Njinga a Mbande for her 350th anniversary of her death, the launch of new literary works, exhibitions of Fine Arts and the appreciation of our History demonstrated in the award of Culture and Arts Prizes. The thematic depth addresses the issue of the Epic gender in Angola, a country that has great epic potential. Another important subject is related with the Berlin Conference of 1884 and the loss of many artistic Cokwe works, today exposed throughout the world in museums and private collections. Angolan prominent personalities are also honored. Diverse onboard entertainment, which includes in the end, a tale, is also part of this rich magazine available to our estimated passengers to whom we wish good readings. Thank you for choosing TAAG and have a nice flight! The Board of Directors of Austral Magazine


mapa de bordo inflight map

8

TORRE DE CONTROLO / CONTROL TOWER TAAG e a Prevenção Contra Actos Ilícitos TAAG and the Prevention against Unlawful Acts

Propriedade TAAG Linhas Aéreas de Angola www.taag.com call center 923 190 000

TAAG – Companhia de Bandeira há 34 anos TAAG - Flag Carrier for 34 years

Directora Executiva Agnela Barros Wilper

CHECK-IN / CHECK IN De olho na segurança With an eye on safety

34

Os sete mandamentos da bagagem ideal The seven commandments of the ideal luggage

Editor Executivo António Piçarra Colaboradores Alexandra Aparício, Brandão Lucas, Dario de Melo, Marta Lança, Miguel Gomes, Rui Galhanas, Sérgio Piçarra e Pedro Cardoso Colaboração Editorial Ciao Escritório de Conteúdos Fotografia António Bernardo, Carlos Lousada, Emídio Canha, Henrique Neto, Pedro Soares Produção Gráfica Iona - Comunicação e Marketing, Lda (Grupo Executive) Publicidade Paulo Medeiros (Angola) paulomedeiros.edicenterangola@gmail.com

Pedro Dias (Portugal) pdias.contacto@iona.pt

46

CARTÃO POSTAL / POSTCARD Pequeno guia gastronómico da Cidade do Cabo Cape Town's gastronomic short guide Jóia mexicana A Mexican jewel

46 52

CONEXÃO INTERNACIONAL Goa. Uma viagem na memória Goa. A trip in the memory

Esqui nos Alpes. Contos de fadas na neve Skiing in the Alps. Fairy tales in the snow

/ INTERNATIONAL CONNEXION

O Mundial no País do Futebol The World Cup in the Country of Football

70

UM FIM-DE-SEMANA EM... / A WEEKEND IN... Waholama Lodge, no Lubango. Ambiente acolhedor em local recatado Waholama Lodge, in Lubango. A place both welcoming and discreet

74

RAIO X / X-RAY Carlos Ferreira “Cassé”. Uma vida que dava um romance Carlos Ferreira “Cassé”. A life that could be a novel

84

CLASSE EXECUTIVA / EXECUTIVE CLASSE Maria do Carmo Medina. Uma vida de humanismo e consagração histórica Maria do Carmo Medina. A life of humanism and a warranted place in history

94

VIAGENS NO TEMPO / JOURNEYS IN TIME Conferência de Berlim e “Diáspora Cokwe” The Berlin Conference and the “Cokwe Diaspora”

Secretariado Aida Chimene

100

À MESA / AT TABLE Chill Out. Comida requintada e serviço de excelência à beira-mar Chilll Out. Exquisite food and excellent service by the coast

Administração, Redacção e Publicidade Edicenter Publicações Lda. Edifício Executive Center Bairro de Talatona, Zona CSI Luanda - Angola Tels. (+244) 222 011 866 / 67 / 68 Fax: (+244) 222 006 032 email: edicenterlda@gmail.com Delegação em Lisboa Rua Filipe Folque, n.º 10 J – 2.° Dto 1050-113 Lisboa Tel. (351) 213 813 566/7/8 Fax: (351) 213 813 569 iona@iona.pt Impressão e Acabamento Lisgráfica, SA Queluz - Portugal Tiragem 50.000 exemplares Registo Nº 17/B/92

94

106

EMBARQUE DOMÉSTICO / NATIONAL BOARDING A Huíla, as gentes, o gado, e os ritos Huila, the people, the cattle and the rites

116

ROTA CULTURAL / THE CULTURAL ROUND Colóquio Sobre António Jacinto em Lisboa Seminar on António Jacinto In Lisbon A História valorizada com o Prémio Nacional de Cultura e Artes History celebrated with the National Prize of Culture and Arts Modelo Angolana faz história em Concurso Internacional An Angolan model makes history in an international contest Rainha Njinga a Mbande e os 350 Anos da sua Morte Queen Njinga a Mbande and the 350 Years since her Death

106

Literatura Angolana Enriquecida com Novas Obras Angolan Literature Enriched with New Works

Veia Artística Angolana em Destaque Angolan Art on Show Na Rota dos Sabores de Angola e do Mundo On the Route for Tastes of Angola and the World

141

NOVOS VOOS / NEW FLIGHTS Feira de Artesanato Urbano em Luanda. Design e Criatividade à Beira-Mar The Urban Craft Fair in Luanda. Design and creativity by the shoreline

146

LONGO CURSO / LONG HAUL Pertinência do Estudo de Epopeias em Angola The Relevance of Studying the Epic in Angola

155 ENTRETENIMENTO A BORDO / INFLIGHT ENTERTAINMENT 167

PORTA DE SAÍDA / EXIT DOOR O homem que comia cabelo The man who ate hair

141


torre de controlo control tower

TAAG E A PREVENÇÃO CONTRA ACTOS ILÍCITOS TAAG AND THE PREVENTION AGAINST UNLAWFUL ACTS

Responsáveis da área de Safety da TAAG People responsible for TAAG’s Safety area

No âmbito da prevenção contra actos de interferência ilícita, a Direcção de Segurança da TAAG realizou no último trimestre de 2013, no Anfiteatro da Faculdade de Arquitectura da UAN (Universidade Agostinho Neto), um Seminário sobre Segurança Global, Alimentar e Económica, orientado pelo Dr. António Nunes, ex-Director Geral da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) de Portugal. O evento teve como objectivos “analisar e avaliar os principais quadros de ameaças e riscos à segurança global, económica e alimentar e identificar potenciais linhas de acção preventivas e protectivas”. Este seminário integrou-se nas cerimónias de encerramento do Curso de Ingresso de Oficiais de Segurança da TAAG e visava igualmente “sensibilizar os quadros da Segurança, Transportes, Hotelaria, Economia e Turismo, para as actuais questões da segurança”.

8 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Colaboradores da área de Security com o seu Director Employees from Security with their Director

In the prevention against unlawful acts, TAAG’s Security Directorate held in the last quarter of 2013, in the Amphitheatre of the Architecture Faculty of UAN (Universidade Agostinho Neto), a seminar on Global, Economic and Food Security, chaired by Dr. António Nunes, former Director General of the Authority for Food and Economic Safety (ASAE) of Portugal. The event had the intent to “analyze and evaluate the main threats and risks to the global economic and food security and identify potential preventive and secure actions”. This seminar was integrated in the closing ceremonies of the TAAG’s Course Admission of Security Officers and also sought to “promote awareness among the staff of the areas of: Safety, Transportation, Hospitality, Business and Tourism for the current security issues”. In the fascinating world of aviation, safety always comes first.

www.taag.com • call center 923 190 000


torre de controlo control tower

No mundo fascinante da aviação, a segurança vem sempre em primeiro lugar. Existem duas áreas de intervenção da segurança muito importantes e que é necessário destrinçar: a segurança operacional, relacionada com o voo (Safety), e a segurança contra actos de interferência ilícita, relacionada com problemas em terra (Security). No Safety, para combater o perigo estabelecem-se as especificações dos equipamentos, produtos e sistemas utilizados em serviços de voo que, para além disso, exige formação e certificação dos profissionais e empresas que fornecem esses serviços. O Security, por sua vez, refere-se à prevenção de actos ilícitos que possam prejudicar ou comprometer a segurança da operação de uma aeronave e aeroportos. Incluem-se nesta categoria o terrorismo, as ameaças de bomba, o desvio de aeronaves, entre outros. O sistema de segurança nos aeroportos é tão exigente, que qualquer passageiro se deve sentir seguro naquele espaço. A TAAG - Linhas Aéreas de Angola, tendo em vista a sua responsabilidade e compromisso com a excelência, tem sido intransigente no cumprimento das normas de segurança.

There are two very important security areas that is necessary to distinguish: the operational safety related with the flight (Safety), and security against unlawful acts concerning problems on land (Security). In Safety, to fight the danger the specifications of the equipment, products and systems used in flight services are settled which, moreover, requires training and certification of professionals and companies that provide these kind of services. On the other hand, security refers to the prevention of unlawful acts that may harm or endanger the safety of the operation of an aircraft and airports. In this category are included: terrorism, bomb threats, hijacking, among others. The security system at airports is so demanding that every passenger should feel safe in there. TAAG - Angola Airlines, given its responsibility and commitment to excellence has been inflexible in compliance with safety standards.

TAAG – COMPANHIA DE BANDEIRA HÁ 34 ANOS TAAG - FLAG CARRIER FOR 34 YEARS A TAAG comemora este ano 34 anos da sua elevação a Companhia de Bandeira, proporcionado pelo Decreto nº 15/80, de 13 de Fevereiro de 1980, publicado no Diário da República, passando a Unidade Económica Estatal – UEE na época. Actualmente, tem o estatuto jurídico de Empresa Pública – EP. Já atravessou épocas muito difíceis, sobretudo quando era o único elemento de ligação entre as demais províncias do país. Presentemente, reconhece que há muito que melhorar mas temse esforçado e conseguido resultados encorajadores. Está certificada pelo Instituto Nacional de Aviação Civil – INAVIC e cumpre com todos os requisitos para voar em qualquer parte do mundo, além de que tem apoiado as organizações de aviação africanas no sentido de colocar o continente em paridade com outras partes do mundo, em termos de segurança aeronáutica. A Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea - ENANA comemora também na mesma data o seu 34º aniversário. Realizou diversas actividades, com destaque para a inauguração do aeroporto Welwitschia Mirabilis, no Namibe.

10 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

TAAG celebrates this year 34 years of its elevation to Flag Carrier, provided by Decree Nº. 15/ 80 of 13th February 1980, published in the Official Gazette, becoming State Economic Unit UEE at the time. At present, its legal status is Public Enterprise - EP. It has gone through very difficult times, especially when it was the only connection between the other provinces. Presently, it recognizes that there is much to improve but it has been struggling and achieved encouraging results. It is certified by the National Institute of Civil Aviation - INAVIC and complies with all the requirements to fly anywhere in the world and it has supported the African aviation organizations in order to place the continent at the same level as other parts of the world, in terms of aviation safety. The National Exploration Company for Airports and Air Navigation ENANA also celebrates on the same date its 34th anniversary. It carried out several activities highlighting the opening of the airport Welwitschia Mirabilis in Namib.

www.taag.com • call center 923 190 000


função social social mission

1º SALÃO DE VIAGENS E NEGÓCIO DE ANGOLA The 1st Angola Travel and Business Salon O 1º Salão de Viagens e Negócio de Angola, realiza-

The 1st Angola Travel and Business Salon took

do no Hotel EPIC SANA, a 30 de Janeiro do corren-

place in the Hotel EPIC SANA on 30 January of this

te ano, sob o tema ÁFRICA VOA, foi prestigiado com

year, under the motto ÁFRICA VOA (Africa Flying)

a presença do Secretário de Estado do Turismo, Dr.

and was honoured with the presence of the

Alfredo Kaputo.

Secretary of State for Tourism, Dr. Alfredo Kaputo.

Dr. Alfredo Kaputo, Secretário de Estado do Turismo e Dr.ª Eulália Bravo da Rosa, Directora de Exploração Comercial da TAAG Mr. Alfredo Kaputo, Secretary of State for Tourism and Mrs. Eulália Bravo da Rosa, TAAG’s Director of Commercial Operations

Participaram do evento companhias aéreas angolanas e estrangeiras a operar em Angola (TAAG, SONAIR, Air France, Lufthansa, TAP, South African Airways, Fly Emirates); Hotéis (Sana Hotels, TD Hotels, Tivoli); Resorts existentes a nível nacional e Empresas de Rent a Car (Europcar e Hertz). Eulália Bravo da Rosa, directora de Exploração Comercial da TAAG, falou sobre “Angola: Destino Turístico”. De entre os prelectores constavam também o consultor Borges, da ADDWISE, Pedro Gonçalves, coordenador da Cadeia de Hotéis do Grupo TD, Carlos Rosado, director da Revista Expansão, Pedro

12 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Participants in the event included Angolan and foreign airlines operating in the country (TAAG, SONAIR, Air France, Lufthansa, TAP, South African Airways, Fly Emirates); Hotels (Sana Hotels, TD Hotels, Tivoli); Resorts in Angola and car rental firms (Europcar and Hertz). Eulália Bravo da Rosa, the Director of Commercial Operations at TAAG, spoke of “Angola: Destino Turístico” (Angola – Tourist Destination). Among the keynote speakers there were also the consultant Borges, from ADDWISE, Pedro Gonçalves, coordinator of the TD Group hotel chain, Carlos Rosado, director of the maga-

www.taag.com • call center 923 190 000


função social social mission

Delegação da TAAG presente no evento TAAG’s delegation present at the event

Tatiana Morais da Direcção do Serviço ao Cliente Tatiana Morais from the Directorate of Customer Service

Coelho, presidente do Standard Bank, e José Severino, presidente da AIA (Associação Industrial de Angola). Estiveram presentes cerca de 300 convidados. De acordo com uma informação do Salão de Viagens de Angola (SVN), esta é a primeira iniciativa fora de Portugal. Jéssica Cunha, directora-geral da Travelstore American Express Angola, responsável pela organização do evento, afirmou que “face ao crescimento económico que Angola tem vindo a registar, que potencia o desenvolvimento do tráfego de negócios, fazia todo o sentido desenvolver este evento em Luanda, naquilo que pretendemos que constitua um contributo para a crescente profissionalização do negócio e para colocar Luanda no mapa internacional do turismo de negócios”. No evento, foi feita a apresentação do 1º Barómetro das Viagens de Negócios - Angola, estudo que revela as tendências de consumo das empresas sedeadas em Angola. Incluiu um seminário/debate sobre diferentes temas e foram oferecidos como prémios mais de 12 pacotes de viagem, alojamento e Rent a Car. A companhia angolana de bandeira, TAAG, apoiou o evento e participou de todas as actividades, inclusivamente como expositora.

14 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Um dos Clientes no Stand da TAAG One of the customers at TAAG’s Stand

zine Expansão, Pedro Coelho, Chairman of Standard Bank, and José Severino, Chairman of the AIA (Associação Industrial de Angola – Industrial Association of Angola). There were around 300 guests. According to the information from the Salão de Viagens de Angola (SVN), this is the first of its kind outside Portugal. Jéssica Cunha, Director General of Travelstore American Express Angola, responsible for organising the event, said that “the economic growth recorded in Angola is a spur for the development of business traffic, so it made very good sense to hold the event in Luanda. We want to make a contribution to the growing professionalism in business and put Luanda on the international business tourism map.” At the event, a study was presented (the 1st barometer of business travel in Angola), revealing the trends in consumption of companies with registered office in Angola. The event also included a seminar/debate on a range of topics and there were prizes in the form of more than 12 travel packages, with lodging and Rent a Car. The flagship Angolan airline TAAG supported the event and took part in all the activities, including a stand as an exhibitor.

www.taag.com • call center 923 190 000


welcome aboard

TAAG hospitality

Hospitalidade

TAAG

The captain and crew are delighted to welcome you aboard this TAAG – Angolan Airlines flight. Thank you for choosing to fly with TAAG. All our passengers will enjoy the very finest Angolan friendliness and hospitality. The steward and crew are to make your flight as comfortable and enjoyable as possible.

O comandante e a tripulação têm o prazer de lhe dar as boas-vindas a bordo deste avião da TAAG - Linhas Aéreas de Angola. Agradecemos por escolher a TAAG para a sua viagem. Nos voos da TAAG, os passageiros são recebidos à boa maneira angolana, com simpatia e cordialidade. E será desta mesma maneira que vamos fazer tudo para tornar a sua viagem o mais agradável possível.

SEGURANÇA A BORDO

ENTRETENIMENTO

ON-BOARD SECURITY

– Os tripulantes de cabine ajudá-lo-ão na acomodação da bagagem de mão nos compartimentos próprios ou debaixo da cadeira à sua frente. – Antes da descolagem, o pessoal de cabine informará ou demonstrará a forma de utilização dos sistemas de emergência existentes a bordo. – Durante as descolagens e aterragens coloque as costas das sua cadeira na posição vertical. – Mantenha o seu cinto de segurança apertado enquanto estiver sentado e sempre que o sinal de ‘‘apertar cintos’’ estiver aceso.

A bordo dos aviões a TAAG dispõe de programação áudio (canais de música e CD's à sua escolha), programação Vídeo (filmes e documentários), jogos, auscultadores para a audição da música e som dos filmes. Para leitura a TAAG oferece: jornais, revistas e livros infantis. Este exemplar é seu e pode ser levado consigo quando chegar ao destino.

– Our crewmembers are available to help you stow your hand luggage in the lockers above your head or under the seat in front of you. – Before takeoff our crewmembers will introduce you to the safety measures aboard this aircraft. – During takeoff and landing, please place your seat in upright position.

SMOKERS This is a “Clean Cabin Air” flight (Blue Flight). All TAAG flights are non-smoking, in line with guidelines set out by the World Health Organization (WHO) for a healthier non-smoking environment.

ON-BOARD COMFORT On long-haul flights, the following items will be made available by TAAG to make your journey more comfortable: pillows, blankets, toiletry kit, cots for babies weighing up to 16Kg

PASSAGEIROS FUMADORES Este é um voo do tipo “Cabine ar puro” (voo azul). Todos os voos da TAAG são livres de tabaco, no quadro da adesão à iniciativa da OMS (Organização Mundial da Saúde) por um mundo sem tabaco. Não é, pois, permitido fumar em qualquer área do avião.

IN FLIGHT ENTERTAINMENT On board, TAAG provides audio programming (channels of music and CDs of your choice) Video programming (films and documentaries), games and headsets to hear music and movie sounds. To read TAAG has at your disposal newspapers, magazines and children’s books. This copy is yours and can be taken with you when you arrive.

CONFORTO A BORDO Para maior conforto e comodidade, nos voos de longa duração, a TAAG coloca à disposição dos seus passageiros: almofadas, cobertores, estojos de higiene individual, berço para bebés até 16 kg. 16 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

– Please fasten your seatbelts whenever you are seated and whenever the “fasten seatbelt” sign is lit up.

www.taag.com • call center 923 190 000

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 17


fleet

frota Boeing 777-300 ER Velocidade Cruzeiro / Max. Cruising Speed 930 Km/h Altitude Máxima / Max. Altitude 13.060m Raio de Acção/ Maximum Range 14.685m Capacidade de Combustível / Fuel Capacity 181.280 L Nº de Passageiros / Seating Capacity 12 (Primeira Classe / First Class) 56 (Classe Executiva / Executive Class) 225 (Classe Económica / Economic Class)

Boeing 777-200 ER Velocidade Cruzeiro / Max. Cruising Speed 930 Km/h Altitude Máxima / Max. Altitude 13.060 m Raio de Acção/ Maximum Range 14.316 Km Capacidade de Combustível / Fuel Capacity 171.170 L Nº de Passageiros / Seating Capacity 14 (Primeira Classe / First Class) 51 (Classe Executiva / Executive Class) 170 (Classe Económica / Economic Class)

Boeing 737-700 Velocidade Cruzeiro / Max. Cruising Speed 900 Km/h Altitude Máxima / Max. Altitude 12.424 m Raio de Acção/ Maximum Range 6.035 Km Capacidade de Combustível / Fuel Capacity 26.025 L Nº de Passageiros / Seating Capacity 12 (Classe Executiva / Executive Class) 108 (Classe Económica / Economic Class)

Boeing 737-200 Velocidade Cruzeiro / Max. Cruising Speed 750 Km/h Altitude Máxima / Max. Altitude 11.000 m Raio de Acção/ Maximum Range 2.250 Km Capacidade de Combustível / Fuel Capacity 19.000 L Nº de Passageiros / Seating Capacity 16 (Classe Executiva / Executive Class) 86 (Classe Económica / Economic Class)

18 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


Nacionais e internacionais Domestic and internacional

route maps

mapa de rotas Londres

Amesterdão

Bruxelas Frankfurt

Pequim

Paris

Porto Lisboa

Madrid

Casablanca

Havana Dubai

Sal Praia Addis Abeba

Lagos Douala

Bangui

São Tomé Ponta Negra

Brazzaville Kinshasa

Nairobi

Lusaka Lubango

Soyo

Harare Rio de Janeiro

Malange

São Paulo

Windhoek Joanesburgo

Maputo

Cape Town

rota TAAG / TAAG route Code Share

www.taag.com • call center 923 190 000

www.taag.com • call center 923 190 000 AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 21


JETCLASS TAILORED PRONTO PARA IMPRESSIONAR O MUNDO INTEIRO Jetclass tailored, pronto a impressionar o mercado global de luxo A Jetclass, empresa de mobiliário de luxo, reforça as suas áreas de negócio, apostando na área de projeto, tendo para isso criado o serviço Jetclass Tailored. Os projetos desenvolvidos à escala global, incluem o planeamento, design e conceção de mobiliário e decoração “made-to-measure”, integrando de forma harmoniosa a arquitetura e decoração interior e exterior do seu imóvel. d à escala global Serviço tailored Jetclass tailored é um serviço requisitado um pouco por todo o mundo, servindo clientes de países tão distintos como a Rússia, Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos, França ou Principado do Mónaco. O mercado africano está em franco desenvolvimento existindo uma aposta clara em consumidores de países como Angola, um mercado de luxo de grande potencial, de gosto requintado e exigente. Os serviços solicitados por este mercado incluem projetos inovadores para hotelaria, áreas comerciais de luxo e residenciais de alto nível de personalização, incentivando a Jetclass a superar-se, surpreendendo o mercado de luxo.

Internacionalização: Projetos tailored em Angola e no Brasil A assinatura Jetclass tailored está presente em projetos de mobiliário e decoração à medida em espaços e enquadramentos tão distintos como Cascais ou Luanda. Alguns dos exemplos de projetos são tão diversificados como quartos de princesa, quartos para jovens a simular estúdios de DJ, salões luxuosos, palácios preparados para receber convidados de elite ao mais alto nível. Os projetos tailored no Brasil encontram-se em franca expansão, destinando-se a unidades hoteleiras e residenciais e resultando de sinergias com gabinetes de arquitectos e decoradores de renome. Mobiliário de luxo para gosto exclusivo Além do serviço Tailored, a Jetclass disponibiliza para os mercados internacionais, as suas edições de design exclusivo e produção luxuosa: Capri, Luxus, Venezia, Glamour, New York e Spacium são linhas completas de mobiliário de luxo, exclusivas e de riquíssimo detalhe que têm conquistado mercado um pouco por todo o mundo. Junta-se a elas, agora, a nova coleção Luxus Neoclássica, lançada recentemente na Maison & Objet em Paris, tendo o mercado internacional demonstrado grande apetência pelas suas propostas.

Edições especiais by Jetclass A oferta inclui ainda edições especiais e de assinatura de autor, bem como soluções personalizadas em mobiliário. Além das edições já referidas, a Jetclass propõe ainda as Edições Especiais Crown, Graffiti, High Tech e Limited Edition Peacock. A marca Opium by Jetclass, apresentou-se de forma renovada recentemente em Paris, esta é a marca de design art da Jetclass, em que peças como a Evo ou a Ecstasy se destacam em design, riqueza de detalhe e nobreza de materiais. Presença em Feiras Com um calendário preenchido com presenças em feiras internacionais de renome no setor do mobiliário, a Jetclass está presente desde há alguns anos na Maison & Objet, em Paris, na iSaloni em Milão, grandes referências da decoração e mobiliário de interiores, onde tem definido tendências e espelhado a magia do seu mobiliário de luxo.

Email | Jetclass@jetclass.pt Site | http://www.jetclass.pt/


check-in check-in

notice for travellers

informação aos passageiros

Você pode, por desconhecimento ou negligência, e sem se aperceber, transportar pragas e doenças passíveis de infectar as culturas, os animais e as pessoas deste país. Please note that you may, through ignorance or negligence, be transporting diseases that could infect the animals and people of this country.

O QUE PRECISA DE SABER? O estimado passageiro poderá querer trazer para Angola alimentos de origem vegetal ou animal, animais e troféus de caça, mas sabe que existem restrições ao que pode transportar? O Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (MINADER), através dos seus serviços especializados, assegura a sanidade e salubridade dos produtos de origem vegetal e animal, salvaguardando assim a saúde das plantas e dos animais e o bem-estar dos angolanos e de todos os que visitam o país. Cada um de nós pode ajudar nesta tarefa, observando as normas e restrições relativas ao transporte de alimentos e de outros produtos de origem vegetal e animal: • As pequenas quantidades (1 a 5 kg) para consumo próprio ou oferta não precisam de autorização prévia. Porém, os viajantes devem estar informados sobre os riscos associados ao transporte e consumo de alimentos que não tenham sido inspeccionados pelas autoridades competentes dos países de origem; • Frutas e vegetais provenientes de qualquer parte do mundo são aceites, excepto das seguintes regiões: Sudeste Asiático, América Central, América Latina e outros países onde existam moscas da fruta (Ceratati capitata); • Não podem ser transportadas mais de 200 gramas de sementes e 3 plantas ornamentais por passageiro. É proibida a introdução de sementes de ervas e plantas silvestres, insectos vivos e microorganismos; • Grandes quantidades destes produtos requerem autorização prévia de importação. Para tal, são necessários os seguintes documentos: licença prévia de importação, Certificado Fitossanitário ou Sanitário de Origem e Alvará Comercial; • Animais ou aves selvagens de estimação só podem entrar no país, acompanhados de certificado sanitário, CITES de origem e de número de Microchip, a informar ao IDF; • Deve permitir que os produtos sejam inspeccionados pelas autoridades competentes do país. 24 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

WHAT DO YOU NEED TO KNOW? We understand that travellers coming to Angola may wish to bring in food from plants or animals, live animals or hunting trophies. But do you know that there are restrictions on what you can bring in from abroad? The specialist services of the Ministry of Agriculture and Rural Development (MINADER) are responsible for the quality of food from plants or animals. They apply norms regarding sanitation and safety to ensure the health of plants and animals for the well-being of the Angolan people and of our visitors. We can all help by observing the norms and restrictions relating to the transport of food and other plant and animal-based products: • No permit is required for small amounts of 1 to 5 kg. if these are strictly for personal consumption or gifts. However, travellers must be aware of the risks associated with carrying and consuming food which has not undergone checks by the authorities in the country of origin; Fruit and vegetables from any part of the world are accep• ted except from South East Asia, Central and Latin America, and other countries with fruit fly (Ceratati Capitata); • A maximum of 200 gr. of seed and 3 ornamental plants per passenger can be carried. Seed for grass and woodland plants, live insects and micro-organisms are forbidden; • Large quantities of these products require prior authorisation for import. For this the following documents are required: import licence, health certificate or proof of origin indicating plant free from disease, and a commercial licence. • Animals or wild birds carried as pets can only be brought into the country if they have a health certificate, CITES from the country of origin and microchip number. The IDF must be informed; • All products must be available for inspection by accredited Angolan authorities. www.taag.com • call center 923 190 000


check-in check-in

notice for travellers

informação aos passageiros

PORQUE RAZÃO ESTAS RECOMENDAÇÕES? Para evitar que, por desconhecimento ou negligência, o transporte de ovos ou larvas de insectos, esporos de fungos, bactérias e/ou doenças de animais e plantas possam causar prejuízos económicos, financeiros e sociais a este país. Algumas doenças dos animais, tais como a Febre Aftosa e a Peste Suína Africana, não são transmissíveis ao homem mas são doenças virais dos animais, altamente contagiosas, que podem causar prejuízos financeiros e económicos muito avultados em caso de infecção generalizada. Por seu lado, doenças virais dos animais como a Raiva e a Gripe Aviária são altamente contagiosas e transmissíveis ao homem. Formas de Transmissão Quase todas as pragas e doenças são transmitidas por produtos vegetais e animais infectados ou por roupas e sapatos contaminados. Se vai entrar em Angola solicitamos que informe o Inspector Fitossanitário, o Veterinário Inspector ou o Oficial da Alfândega no local de desembarque, nos seguintes casos: • Se transportar na sua bagagem produtos de origem vegetal para consumir em Angola, plantas ornamentais, sementes e partes de plantas para propagação; • Se vem de um país onde se identificaram animais infectados com as doenças já referidas (febre aftosa, peste suína africana, raiva e gripe aviária) ou se traz consigo um animal de estimação, peles, couros ou troféus de caça; • Se nas duas semanas anteriores à viagem visitou alguma exploração com bovinos, ovinos, caprinos ou aves. Se for o caso, deverá desinfectar os seus sapatos e roupas e evitar visitas a locais com animais sensíveis, durante o período de uma semana. Outras recomendações • Se esteve num país afectado pela gripe aviária e tiver febres altas (mais de 38ºC), depressão, tosse, congestão nasal, dor de garganta, dor de cabeça e muscular, deve ir imediatamente a uma consulta médica. Caso tenha estes sintomas durante o voo, informe, no momento, a tripulação. • Se traz consigo um cão ou outro animal de estimação sem vacinação actualizada, deve contactar o veterinário ou a clínica veterinária mais próxima. Solicita-se ainda que se cumpram estritamente os seguintes • princípios: não dê restos de alimentos que tenha trazido da sua viagem aos animais; guarde os restos de alimentos em sacos plásticos e coloque-os em contentores ou outros recipientes de lixo fechados, previstos para o efeito. OBRIGADO PELA SUA COMPREENSÃO E COOPERAÇÃO Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural Direcção Nacional de Agricultura, Pecuária e Florestas (DNAPF) Cx. Postal 1257 – Luanda, Angola Telefax: +244 222 321 429 – E-mail: dnapfminader@yahoo.com 26 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

WHY DO WE MAKE THESE RECOMMENDATIONS? We want to avoid you transporting, through ignorance or negligence, eggs, insect larvae, fungus spores, bacteria and/or animal and plant diseases that could cause economic, financial and social damage to Angola. Some animal diseases, such as FMD or African swine fever, cannot be passed to humans but they are highly contagious in the animal world and widespread infection can cause enormous financial and economic damage. There are also viral diseases, such as rabies and avian flu, that are extremely contagious and can be passed to humans. FORMS OF TRANSMISSION Almost all these scourges can be transmitted through infected plant and animal products, from clothes or from contaminated shoes. If you are entering Angola, please inform the health inspector, vet or customs officer in the following cases: • If you are carrying with you products of plant origin for consumption in Angola, ornamental plants, seeds or other parts of plants for propagating; • If you come from a country where animals infected with diseases already mentioned have been identified (FMD, African swine fever, rabies and avian flu) or if you are bringing in pets, furs, leather or hunting trophies; • If you have visited, within two weeks prior to your journey, any operation with cattle, sheep, goats or poultry. If so, you should disinfect your shoes and clothes and avoid visits within a week to places where there are animals that could be at risk. OTHER RECOMMENDATIONS • You should consult a doctor immediately if you have been in a country affected by avian flu if you are running a temperature (above 38ºC), or you are affected by depression, coughing, nasal congestion, sore throat, head ache or muscular pains. If these symptons start during your flight, you should inform the cabin crew immediately. If • you are bringing a dog or other pet without up-to-date vaccination, you should contact a vet or the nearest veterinary clinic. • We would also ask that you comply strictly with the following principles: if you have left-over food from your journey, do not feed the animals with it. Keep it in plastic bags and put it in containers or other purpose-made closed rubbish bins. THANK YOU FOR YOUR UNDERSTANDING AND COOPERATION Ministry of Agriculture and Rural Development National Directorate of Agriculture, Livestock and Forestry (DNAPF) C. Postal 1257 – Luanda, Angola Telefax: (+244) 222 321 429 E-mail: dnapfminader@yahoo.com www.taag.com • call center 923 190 000


alfândegas customs

Bagagem acompanhada dos viajantes passageiros e tripulantes

passengers and crew

É competência das Alfândegas efectuar o controlo da entrada, trânsito e saída de mercadorias e meios de transporte no país, incluindo a bagagem de passageiros e tripulantes, dispondo para o efeito de um sistema de duplo canal de identificação e revisão de bagagem, identificados pelas cores Verde e Vermelha. Sempre que o viajante optar por um ou outro canal, está formalmente a fazer uma declaração às Alfândegas.

It is Customs’ responsibility to verify the entry, transit and departure of goods and means of transportation in the country, including the baggage of passengers and crew, using for this purpose a dual channel system of identification and review of luggage, identified by colors green and Red. When travelers choose one or another channel, he is making a formal declaration to Customs.

Canal Vermelho: Mercadorias a Declarar Deve passar pelo Canal Vermelho, o viajante que transporta bagagem passível de pagamento de encargos aduaneiros, ou seja, cujo conteúdo possua carácter comercial ou esteja susceptível ao controlo aduaneiro. Em caso de dúvida na identificação de mercadoria com carácter comercial ou não, dirija-se sempre ao Canal Vermelho, sendo que as declarações incorrectas são consideradas falsas e passíveis de sanções, nos termos da legislação aduaneira (Decreto lei nº 05/06 de 4 de Outubro).

Red Chanel: Goods to Declare The Red Channel should be for travelers who carry luggage liable to pay customs duties, or whose content has a commercial nature or is subject to customs control. In case of doubt on the identification of goods of commercial nature or not, always go to the Red Channel, all the misstatements are considered false and subject to penalties under the customs legislation (Decree Law Nº. 05/06 of October 4th).

Canal Verde: Nada a Declarar Deve passar pelo Canal Verde, o viajante que transporta bagagem acompanhada, sem carácter comercial e que não seja passível do pagamento de encargos aduaneiros. Consideram-se mercadorias sem carácter comercial as pequenas remessas, cuja importação é de carácter ocasional, destinadas ao uso pessoal do viajante ou da sua família. Os artigos que se seguem consideram-se como bagagem 28 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Green Chanel: Nothing to Declare Must pass through the Green Channel, the traveler who transports non-commercial accompanied baggage and that is not liable for payment of customs charges. It is considered non-commercial goods small shipments, whose import is occasional, for traveler's personal use or his family. The articles below are considered as traveler’s accompanied baggage and don’t need be declared because they are free of customs duties and other charges: www.taag.com • call center 923 190 000

acompanhada do viajante e não precisam de ser declarados, pois são livres de direitos e demais imposições aduaneiras: • Objectos de uso pessoal: vestuário, calçado, bijuterias (novos ou usados), bem como lembranças adquiridas no exterior do país, ou compradas no freeshop, desde que o valor total, por viajante, não seja superior a AKZ 142.560,00 (1620 UCF) * • Tabaco manipulado (até 400 cigarros) ou tabaco fabricado (até 500 grs), por viajante maior de 18 anos de idade; • Até 1 litro de bebidas espirituosas ou alcoólicas com 40% de volume, por viajante maior de 18 anos de idade; • Até 2 litros de vinho fortificado ou espumante de mesa, por viajante maior de 18 anos de idade; • Até 50ml de perfume, 250 ml de água de toilete, loção de barbear ou o equivalente. São também considerados bens de uso pessoal, porém já usados e em apenas uma unidade de cada espécie, os seguintes objectos: • Câmara de filmar e máquina fotográfica acompanhadas de uma quantidade razoável de películas, cassetes e outros acessórios específicos ao seu uso; • Aparelho de reprodução de som portátil, incluindo gravador de cassete, discos compactos (CD’s) e máquina didáctica com fitas, gravador e discos;

• Personal belongings: clothing, footwear, jewelry (new or used) as well as souvenirs acquired outside the country, or purchased in the duty free shop, as long as that the total value per traveler does not exceed AKZ 142,560.00 (1620 UCF) * • Manipulated tobacco (up to 400 cigarettes) or manufactured tobacco (up to 500 grams) per traveler over 18 years of age; • Up to 1 liter of liquor or alcoholic beverages with 40% volume per traveler over 18 years of age; • Up to 2 liters of fortified or sparkling wine per traveler over 18 years of age; • Up to 50ml of perfume, 250 ml of eau de toilet, shaving lotion or equivalent. Also considered personal use items, but already used and only one of each kind, the following items: • Camcorder and camera with reasonable quantity of film, cassettes and other accessories specific to its use; • Portable sound device, including cassette recorder, compact discs (CDs) and didactic machine with tapes, tape recorder and disks; • Used portable radio receiver; • Mobile Phone; • Laptop and accessories for its use; • Stroller;

* UCF – Este valor é variável, calculado de acordo ao valor vigente que está estabelecido em AKZ 88,00.

* UCF – This value is variable, calculated according to the current value that is established in AKZ 88.00.

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 29


alfândegas customs

• Rádio receptor portátil usado; • Celular ou telefone móvel; • Computador portátil e acessórios para seu uso; • Carrinho de bebé; • Cadeiras próprias para doentes e diminuídos físicos. Nota: Os electrodomésticos, televisor, aparelho de vídeo ou DVD, sistema de som, computador e outros artigos similares novos, não estão classificados como objectos de uso pessoal e estão sujeitos ao pagamento de direitos e demais imposições aduaneiros. Considera-se ainda como bagagem acompanhada do viajante que venha residir no país por um período superior a seis meses, para além dos artigos referidos, os seguintes objectos: • Livros, ferramentas, instrumentos, utensílios portáteis, computadores e seus periféricos usados, próprios da profissão do viajante que os expede ou transporta; • Móveis e outros objectos de uso doméstico usados, que constituam o apetrechamento da habitação do viajante; • Aparelhos electrodomésticos usados e em apenas uma unidade de cada espécie, tais como: frigorífico, arca frigorífica, máquinas de lavar e de secar roupa, máquina de lavar loiça, fogão, aspirador, enceradora, ventoinha, aquecedor, aparelho receptor de rádio e televisão, gravador, gira-discos, máquina fotográfica, de filmar e de projectar, aparelho de gravação e reprodução de imagem em vídeo, usados; • Carrinho de bebé, bicicleta simples ou munida de motor com cilindrada igual ou inferior a cinquenta centímetros cúbicos e cadeiras próprias para doentes e diminuídos físicos, usados; • Objectos de higiene pessoal, tais como: pasta dentífrica, champô e sais para banho, até uma embalagem de cada. Os passageiros não residentes em território nacional, que transportem os bens de uso acima referidos, devem declará-los em formulários próprios junto da estância aduaneira de entrada, conservando o duplicado deste formulário em seu poder. No acto de saída do território angolano, os viajantes deverão

30 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

• Appropriate chairs for sick and disabled people. Note: Appliances, TV, VCR or DVD, stereo, computer and other new similar articles are not classified as personal items and are subject to the payment of customs duties and other charges. Also considered as accompanied baggage of traveler’s who will reside in the country for a period exceeding six months, in addition to the articles referred above, are the following items: • Books, tools, instruments, utensils, portable computers and its used peripherals, proper of the profession of the traveler that dispatches or transports them; • Furniture and other used household objects, which constitute housing equipment of the traveler; • Used appliances and only one of each kind, such as refrigerator, freezer, washing and dryer machine, dishwasher, stove, vacuum cleaner, polisher, blower, heater, radio receiver and television, record player, camera, camcorder, sound recording equipment and reproduction of video image; • Strollers, or simple bicycle or with a simple engine with capacity equal to or less than fifty cubic centimeters and chairs suitable for sick and disabled people, all used; • Objects of personal hygiene such as: toothpaste, shampoo and bath salts, up to a pack of each. Non-resident passengers in national territory, who carry the mentioned household goods, must declare them in the proper forms in the customs office, keeping the duplicate of the form. Upon exit of the Angolan territory, travelers should have the duplicate referred in the previous section, which allows passengers to leave with the goods declared. All imported goods not mentioned in the previous paragraphs, regardless of their value, are subject to payment of customs duties and other charges, which must be paid in local currency, according to Angolan law.

www.taag.com • call center 923 190 000


alfândegas customs

fazer-se acompanhar do duplicado referido no ponto anterior, que permite ao passageiro sair com os bens nele declarados. Todas as mercadorias importadas não mencionadas nos pontos anteriores, independentemente do seu valor, estão sujeitas ao pagamento de direitos e demais imposições aduaneiros, os quais devem ser pagos em moeda nacional, conforme a legislação angolana. O despacho aduaneiro de mercadorias com valor superior ou igual a AKZ 356.400,00 (UCF 4.050)* deve ser feito através de um Representante do Declarante (Despachante) ou outro agente autorizado pelas Alfândegas. Nota: Os montantes cobrados pelas companhias aéreas aos passageiros referentes ao excesso de peso da bagagem permitida, não têm qualquer relação nem dependência com o desembaraço aduaneiro e os impostos a pagar ao Estado angolano. DISPENSA DE REVISÃO DE BAGAGEM Nos termos do Decreto Executivo n.º 27/02 de 5 de Julho, conjugado com o Decreto Executivo n.º 68/05 de 11 de Julho, as entidades isentas de revista pessoal e de revisão de bagagem acompanhada são as seguintes: • Titulares e membros dos órgãos de soberania da República de Angola; • Membros do Corpo Diplomático e Consular acreditados em Angola e respectivas famílias que consigo coabitam, nos termos da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas e Consulares; • Personalidades estrangeiras que visitem o país a convite oficial do Presidente da República, da Assembleia Nacional e do Governo; • Pessoas que vivem em comunhão de mesa e habitação com o Presidente da República, com o Presidente da Assembleia Nacional, com o Presidente do Tribunal Supremo e os respectivos cônjuges. Nota: A revisão de bagagem é regulada pelo Decreto-lei nº 2/08 de 4 de Agosto-Pauta Aduaneira de importação e exportação de Angola, bem como pelo decreto Executivo nº 27/02. Em caso de dúvidas ou necessidade de esclarecimentos adicionais contacte o Gabinete do Director Geral, através do terminal telefónico 919737761, fale connosco através do correio

electrónico info@alfandega.gv.ao ou consulte o nosso site www.alfandegas.gv.ao. As falsas declarações são passíveis de multas e outras penalizações, em conformidade com as disposições da legislação aduaneira em vigor.

The customs clearance of goods with a value greater than or equal to AKZ 356,400.00 (UCF 4050)* should be done by a representative of the Dispatcher (Expeditor) or other agent authorized by Customs. Note: The amounts charged by airlines to passengers for the excess weight of luggage allowed, do not have any relationship or dependency on customs clearance and taxes to be paid to the Angolan State. EXEMPTION OF REVIEW OF BAGGAGE Pursuant to Executive Order Nº 27/02 of July 5th, in conjunction with Executive Order Nº. 68/05 of July 11th, entities exempt from personal inspection and inspection of accompanied baggage are as follows: • Members of the sovereignty of the Republic of Angola; • Members of the Diplomatic and Consular Corps accredited in Angola and their families with whom they live under the Vienna Convention on Diplomatic and Consular Relations; • Foreign dignitaries visiting the country at the invitation of the President of the Republic, National Assembly and the Government; • People who live with the President of the Republic, the President of the National Assembly, the President of the Supreme Court and their spouses. Note: The inspection of baggage is regulated by Decree-Law Nº 2/08 of August 4th - Customs import and export tariff of Angola, as well as by Executive Decree Nº 27/02. www.taag.com • call center 923 190 000

REGIME ADUANEIRO E PORTUÁRIO ESPECIAL PARA A PROVÍNCIA DE CABINDA Abrange as mercadorias importadas para a Província de Cabinda sob o Regime Aduaneiro e Portuário Especial, consumidas e usadas apenas na Província de Cabinda (Decreto Lei 4/04 de 21 de Setembro e Decreto Lei 6/06 de 20 de Dezembro). No caso das mercadorias com carácter comercial, importadas sob o Regime Aduaneiro Portuário Especial para Cabinda, saírem desta Província, os seus proprietários devem declará-las junto das Alfândegas de Cabinda, antes de fazer o check-in no Aeroporto ou de transportá-las por qualquer outro meio. Para fins desta declaração, é necessário apresentar os documentos que comprovem a importação das mercadorias, nomeadamente, a cópia do (s) DU (s) franqueado (s) pelas Alfândegas no momento da sua importação sob o Regime Aduaneiro Especial de Cabinda; a cópia da(s) Nota de Desalfandegamento e o(s) original (ais) do(s) DAR (s), respectivamente, a fim de efectuar o pagamento dos encargos aduaneiros adicionais correspondentes ao Regime Aduaneiro Geral. Recomenda-se aos proprietários das mercadorias conservar os documentos que comprovem o pagamento dos encargos aduaneiros adicionais. Recomenda-se ainda aos passageiros apresentarem-se no Aeroporto de Cabinda atempadamente antes do check-in, para poderem cumprir com este trâmite e evitar constrangimentos e demoras desnecessárias. As falsas declarações são passíveis de multas e penalizações de conformidade com as disposições da lei. www.taag.com • call center 923 190 000

If you have questions or need additional information, please contact the Office of the Director General, through the telephone nº 919737761, contact us via email: info@alfandega.gv.ao or visit our website: www.alfandegas.gv.ao. False statements are punishable by fines and other penalties, in accordance with the provisions of in force customs legislation. SPECIAL CUSTOMS AND PORT PROCEDURES FOR CABINDA PROVINCE Goods imported into the Province of Cabinda under the Special Customs and Port Procedures are to be consumed and used only in the Province of Cabinda (Decree Law 4/04 of 21 September and Decree Law 6/06 of 20 December). Any goods of commercial value which were imported under the Special Customs and Port Procedures of the Province of Cabinda and are being taken out of the Province must be declared at Customs by their owners before checking in at the airport or before they are transported by other means. For the purposes of this declaration, it is necessary to present documents confirming the importation of the goods, which means a copy of the DU stamped by Customs at the time of import under the Special Customs and Port Procedures for Cabinda, a copy of the Notice of clearance and the original copies of the DAR (Document confirming Collection of Revenue). This will serve as the basis for the payment of additional customs charges as per the General Customs Procedures. It is recommended that the owners of the goods keep the documents proving payment of additional customs charges. It is also recommended that passengers turn up in good time for checking in at Cabinda airport so as to carry out these procedures and avoid unnecessary constraints and delays. False declarations are liable to penalties in accordance with legislation in force. AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 33


check-in check-in

De olho na segurança With an eye on safety

• • •

Get ready for the new rules in force in all the world’s airports.

Prepare-se para as novas regras adoptadas nos aeroportos de todo o mundo. Desde os ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001, em Nova Iorque, o procedimento de segurança a que os passageiros são submetidos antes do embarque nos aeroportos de todo o mundo é cada vez mais minucioso. Em Agosto de 2006, uma nova tentativa (frustrada) de ataque utilizando aviões – desta vez com explosivos líquidos e em Inglaterra – tornou as medidas ainda mais severas. Imediatamente a Transportation Security Administration, órgão que controla a segurança aérea nos Estados Unidos, decretou uma série de novas regras seguidas por inúmeros aeroportos. Embora elas possam variar de país para país, há uma série de procedimentos recomendados para viagens por todo o planeta. Antes de fazer as malas e prepararse para o embarque, é prudente conhecer quais são eles e como evitar dores de cabeça antes da viagem:

É proibido levar grandes quantidades de líquido na bagagem de mão. Cada produto (inclusive gel, espuma de barbear, pasta de dente e sprays) deve estar acondicionado em recipientes com menos de 100 ml cada, que deverão ser colocados numa pequena bolsa de plástico transparente (de 20 X 20 cm) com fecho hermético, e que deve ser apresentada separadamente no raio-X. O limite máximo é de um litro e uma bolsa plástica por passageiro. Maiores quantidades de líquido continuam permitidas nas bagagens de porão. Medicamentos, comida de bebé e leite materno não têm

34 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

All over the world since the terrorist attacks in New York on 11 September 2001, there has been an ever more detailed scrutiny of passengers be fo re embarkation. In August 2006 there was another attempt (this one frustrated), again using planes, this time with liquid explosives and in England. Measures became even more stringent. The Transportation Security Administration, which controls air safety in the United States, immediately set out a new series of rules governing security. These are being followed by a great many airports. Procedures may vary from country to country but there are a number of precautions recommended for all passengers in whatever part of the globe they happen to be. Before you pack your bags and get ready for flying, it is a good idea to get to know the rules and avoid headaches before your flight leaves.

Large quantities of liquid in hand baggage are not allowed. Every product (including gel, shaving cream, toothpaste and sprays) must be in recipients of less than100 ml each, and should be placed in a small transparent plastic bag (20 cm x 20 cm) with a hermetic seal. It should be given in for X-ray separately. The maximum limit is one litre and one bag per passenger. Larger quantities of liquid are allowed for baggage stowed in the hold. There are no restrictions on medicine, baby food and mother’s milk, but items must be presented to airport

www.taag.com • call center 923 190 000

• •

restrição de quantidade, mas é preciso apresentá-los às autoridades aeroportuárias e justificar a necessidade do uso de tal quantidade durante o voo. Líquidos adquiridos em lojas, cafés e restaurantes localizados após os aparelhos de raio-X são permitidos a bordo. É recomendável não abrir as embalagens antes de entrar nos aviões. Passageiros com necessidades especiais devem comunicá-las às autoridades. É o caso, por exemplo, de diabéticos que precisam de viajar com seringas e dispositivos de insulina. Embora não seja obrigatório, é aconselhável calçar sapatos e vestir casacos que possam ser retirados facilmente. Muitos aeroportos pedem aos passageiros para tirálos para verificação no raio-X e, quanto mais demorado o processo, maior fica a fila e o seu mau humor – e também o dos demais passageiros. Portáteis e aparelhos electrónicos em geral serão analisados fora de suas bagagens e deverão estar prontos para isso no tapete do raio-X. Por todos os motivos acima mencionados, recomenda-se chegar aos aeroportos pelo menos duas horas antes da partida.

• • • •

authorities and the quantities needed for the flight must be justified. Liquids acquired in shops, cafés and restaurants after the X-ray procedure are allowed. You are recommended not to open packages before entering the plane.

Passengers with special needs must inform the authorities. This covers, for example, passengers with diabetes who are travelling with syringes and insulin. It is better to wear shoes and coats that can be taken off easily, though this is not compulsory. Many airports ask passengers to take off shoes and coats for X-ray, and the longer this takes, the longer – and more irritable – you and the queue can become. Laptop computers and electronic equipment are normally screened separately and should be ready for this when placed on the X-ray carpet. Given all the procedures mentioned above, arrival at the airport at least 2 hours before departure is recommended.

BEFORE DEPARTURE

• ANTES DA PARTIDA:

• • • • •

Durma bem antes da partida. Se viajar para países com diferença horária superior a cinco horas, altere uns dias antes os seus horários para aproximar-se do horário do país de destino. Coma refeições leves e evite o consumo de bebidas alcoólicas ou gaseificadas. Leve na bagagem de mão os seus medicamentos habituais e tome-os conforme a indicação do médico. Recomenda-se a utilização de roupa confortável em fibras naturais que tape os braços e as pernas. Os sapatos devem ser de couro, confortáveis e sem salto. Os praticantes de mergulho devem viajar cerca de 12 a 48 horas após o ultimo mergulho, devido ao risco de doença de descompressão.

www.taag.com • call center 923 190 000

• • • • • • •

Sleep well before you leave. If you're travelling to countries with more than 5 hours time difference, change your own timetable to get close to the time where you're going. Eat light meals and avoid alcohol and gassy drinks. Take with you in your hand luggage any medicine you need regularly and take as prescribed by your doctor. You should wear comfortable clothes made of natural fibres, long enough to cover your arms and legs. Shoes should be made of leather, comfortable and without high heels. If you go diving frequently, you should only travel 12 to 48 hours after your last dive to avoid risk of sickness brought on by decompression. If you have breathing or heart problems, or if you've had abdominal surgery or recent blood loss, you should check with your doctor before flying. There are procedures and special facilities for passengers with motor deficiency problems or special needs. If you are ill and being flown somewhere, the secondary effects you experience will depend on the pathology, the

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 35


check-in check-in

• • • •

Os passageiros com problemas respiratórios ou cardíacos não compensados, bem como aqueles com cirurgias abdominais ou hemorragias recentes devem obter autorização médica para viajar. Existem procedimentos e facilidades específicas direccionados para o serviço dos passageiros com limitações motoras ou necessidades especiais. As contra-indicações médicas absolutas para o transporte de doentes dependem do tipo de patologia, de avião, equipamento médico e técnico de saúde acompanhante. Muitas pessoas sentem ansiedade quando não podem usar um meio de transporte alternativo, por isso é importante tranquilizá-las através de ajuda especializada.

aircraft, the medical equipment available and the specialist who is with you on the flight. Many people suffer anxiety attacks when there is no alternative transport available, so keep them calm using specialist help.

ON DEPARTURE

When you are in the plane, look carefully at the safety instructions provided by the cabin crew and on leaflets that are available. Make sure your luggage does not hinder circulation and make your own movements difficult. Keep your seat belt on while seated, as there may be unexpected turbulence. During the flight, the atmospheric conditions are different from what you are used to on land. This is because atmospheric pressure drops as you climb. Cabin pressure in commercial aircraft corresponds to the pressure at 2000 metres, and a healthy organism adapts easily.

PARTIDA:

• • • •

Dentro do avião preste atenção às instruções de segurança facultadas pela tripulação e pelos folhetos disponíveis. Acomode bem a bagagem de mão de forma a não impedir a circulação e a não limitar os seus movimentos. Mantenha o cinto apertado sempre que estiver sentado porque pode surgir turbulência inesperadamente. Durante o voo, o ambiente é diferente daquele a que somos submetidos na superfície terrestre, dado que com a altitude surge a descida de pressão atmosférica. No interior da cabine dos aviões comerciais a pressão é correspondente a 2000 metros de altitude, a qual o organismo saudável se adapta.

ON ARRIVAL NO DESTINO:

• • •

É comum surgirem perturbações fisiológicas quando se atravessa vários fusos horários, tais como alterações de sono, problemas digestivos, dificuldade de concentração e cansaço. Adapte-se de imediato ao ritmo do país de destino, fazendo refeições e períodos de sono de acordo com a hora local. Exponha-se ao sol a faça exercícios físicos. Se a estadia for curta, mantenha os ritmos do país de origem.

PREPARAR A DESCIDA:

• • • •

Durante a descida, pode sentir desconforto ou tensão nos ouvidos devido à variação da pressão, que pode causar otite. Evite esta situação através da aplicação de gotas descongestionantes nasais, 15 minutos antes da descida. Faça movimentos de mastigação amplos ou masque uma pastilha. Se tiver crianças de colo coloque-lhes uma chupeta ou dê-lhes o biberão. Não deve aterrar adormecido.

36 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

• • •

If you travel across various time zones, don't be surprised if your system plays up. Common problems involve sleep patterns, your digestive system, difficulties with concentration and tiredness. Get adapted to the new country's rhythm as soon as possible: have meals and get to sleep in accordance with local time. Get some sunshine and do some physical exercise. If you're on a short trip, keep to your normal behaviour.

GETTING READY TO LAND

• • • •

As you come into land, you may feel some discomfort or problems in your ears. The change in pressure can cause ear pains. You can avoid this by taking nasal drops 15 minutes before going in to land. Move your jaw as much as possible or suck a sweet. If you have young children with you, give them a lollypop or a dummy to suck. You shouldn't be asleep as the plane lands.

www.taag.com • call center 923 190 000


Aeroportos

ECOS DO FAROESTE AMERICANO

do Mundo World Airports

ECHOS OF AMERICA’S WILD WEST Inaugurado em Janeiro de 1974, o aeroporto de Dallas Fort Worth ocupa uma posição estratégica no Velho Oeste norte-americano há quatro décadas. No coração do Estado do Texas, trata-se de um dos maiores hubs de todo o mundo: a cada ano passam pelos seus terminais cerca de 60 milhões de passageiros. E não pára de crescer desde a sua abertura – se no início eram três pistas, três terminais e 56 portões de embarque para servir as 12 companhias aéreas que operavam por lá, hoje estes números saltaram para sete pistas, cinco terminais e 155 portões, que atendem actualmente as 23 empresas aéreas que voam para 148 destinos dentro dos Estados Unidos e 59 no resto do mundo. A ocupar uma área de cerca de 70 quilómetros quadrados, é o quarto mais movimentado aeroporto do mundo, com 1.800 aterragens e descolagens diárias. Destacam-se no complexo o Skylink, um ‘Metro’ elevado que dá a volta completa ao aeroporto em apenas 18 minutos; as esculturas e obras de arte que estão a decorar os ambientes; e as amenities para os passageiros, como são os casos da Internet sem fio grátis por toda parte, do estúdio de ioga e dos seus hotéis e áreas de descanso. Actualmente, os terminais originais estão a passar por uma grande renovação – os trabalhos, orçados em 2,3 mil milhões de dólares, tiveram início em 2010 e terminarão em 2017. Até lá estão também previstos novos estacionamentos e uma linha férrea até ao centro de Dallas.

Curiosidades sobre as obras mais emblemáticas do Planeta Curiosities regarding the most symbolical works in the Planet

38 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

The airport of Dallas Fort Worth was opened in January 1974, and for four decades it has occupied a strategic position in the old North American west. Located in the state of Texas, it is one of the biggest hubs in the whole world: around 60 million people go through its terminals every year. And since it was opened, it has not stopped growing – at the start there were three runways, three terminals and 56 embarkation gates serving 12 airlines. Today these numbers have leaped to seven runways, five terminals and 155 gates, with 23 airlines flying to 148 destinations across the U.S. and 59 to the rest of the world. It covers an area of around 70 square kilometres and is the fourth busiest airport in the world, with 1,800 take-offs and landings every day. The things which stand out in the Skylink complex are the “underground” up in the air, which circles the airport in a mere 18 minutes; the sculptures and works of art that decorate the inside spaces; the amenities for passengers, with free Wifi internet access everywhere, from the yoga centre to the hotels and relaxation areas. The original terminals are currently undergoing a major facelift – the work began in 2010 with a 2.3 thousand million dollar price tag and is slated to be finished in 2017. By then there will also be new parking slots and a railway connection to the centre of Dallas.


check-in check-in

ELO DE LIGAÇÃO DAS AMÉRICAS

THE AXIS FOR THE AMERICAS A posição geográfica do Panamá, a meio caminho entre as Américas do Sul e do Norte, já é estratégica há séculos. Se no passado a sua importância resumia-se ao transporte aquático, hoje ela envolve também o aéreo. O Aeroporto Internacional de Tocumen, na Cidade do Panamá, é um dos maiores centros de passageiros em trânsito do continente e um dos principais hubs das Américas. Pelas suas duas pistas passaram, nos 11 primeiros meses de 2013, sete milhões de passageiros (um número 12% maior do que no ano anterior). Um total de 19 companhias aéreas transporta em média 21.109 passageiros por dia vindos de 73 destinos, especialmente do continente americano e da Europa. O primeiro aeroporto foi erguido no local em 1947, numa área de 720 hectares. Hoje toda a antiga estrutura resume-se ao terminal de cargas. A construção do actual terminal, em 1978, envolveu esforços hercúleos e até mesmo o desvio do Rio Tocumen.

40 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Panama is half way between North and South America, and its geographical position has been strategic for centuries. In the past, its importance may well have been the waterway, but now transport by air is also a key. The Tocumen International Airport in Panama City is one of the continent’s biggest centres for passengers in transit, and one of the main hubs in the Americas. It has two runways, and in the first 11 months of 2013, seven million passengers went through its gates (12% more than a year earlier). There are 19 airlines carrying on average 21,109 passengers a day from 73 destinations, mostly on the home continent and in Europe. The first airport on this spot was built in 1947, and covered 720 hectares. Today, the old structure is used as a cargo terminal. The new structure was built in 1978, and involved Herculean tasks, among them shifting the course of the river Tocumen.

www.taag.com • call center 923 190 000


check-in check-in

Os sete mandamentos

da bagagem ideal The seven commandments of the ideal luggage Um pequeno manual com conselhos e informações sobre cuidados especiais para preparar a mala antes da viagem

A small guide with advice and information on special care to prepare the baggage before the trip

1) Escolha o modelo ideal para si Pode ser uma mochila, uma mala de rodas, uma combinação entre os dois modelos... Tudo depende do destino e da ocasião da viagem. Mas, de maneira geral, o modelo mais recomendado pelos especialistas em viagens executivas é o de uma mala de material firme, resistente e leve, dotada de quatro rodas que se movam com facilidade em todas as direcções, com alça firme e regulável. 2) Evite os excessos Seja bastante razoável ao eleger a quantidade de peças de roupas, sapatos e acessórios. O excesso de volumes e peso pode ser bastante desconfortável. 3) Optimize a escolha das peças de roupas Dê preferência às roupas de cores neutras (tais como o preto, o branco, o bege e o marrom), que possam ser combinadas entre si. Tecidos sintéticos e microfibras são também bastante práticos, pois não costumam amarrotar muito. 4) Acondicione o conteúdo de maneira prática Os especialistas recomendam que se organize a mala da seguinte maneira: comece pelas calças dobradas ao meio, que devem forrar o fundo da mala. Deixe as “pernas” para fora e acrescente as camisas dobradas, sempre com o colarinho fechado. A seguir, disponha as peças de algodão, que devem ser enroladas para não amassarem muito e optimizarem a utilização do espaço. As meias devem ser colocadas dentro dos sapatos, que por sua vez devem ser acondicionados em embalagens individuais e colocados nas laterais da mala. Por fim, acrescente as roupas mais delicadas, que amarrotam com mais facilidade, e “feche” com as pernas das calças. 5) Leve uma sacola extra Uma sacola leve e dobrável, acondicionada dentro da bagagem principal, pode ser muito útil para acomodar as roupas sujas ou as compras feitas no destino. 6) Esteja atento (a) aos itens proibidos e não recomendados É proibido transportar explosivos, aerossóis, armas e munições, sprays de gás comprimido e todo tipo de substâncias inflamá-

1) Choose the ideal model for you It can be a backpack, a trolley bag, a combination between the two models... Everything depends on the destination and the occasion of the trip. But, in general, the most recommended model by most experts for executive travel is a firm, durable and light weighted suitcase, with four wheels that move easily in all directions, with a firm and adjustable strap. 2) Avoid excesses Be reasonable when you choose the number of pieces of clothing, shoes and accessories. The excess volume and weight can be quite uncomfortable.

42 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

ARTIGOS DE VALOR Não é recomendado levar quaisquer artigos valiosos na bagagem de porão. Desta forma, jóias, dinheiro, contratos, cartas de crédito, computadores, câmaras fotográficas e de vídeo, obras de arte e demais itens de alto valor devem ser levados sempre na mala de mão. Se for imprescindível despachá-los, será necessário fazer uma declaração especial, provar os valores e fazer uma apólice especial de seguro. Tudo isto dentro dos limites de horário do check-in e de acordo com as normas da empresa. Programe-se com bastante antecedência. VALUABLE ITEMS It is not recommended to take any valuable items in the checked baggage. Therefore, jewelry, cash, contracts, letters of credit, computers, cameras and video cameras, artwork and other high value items must always be carried in the hand luggage. If you must checked them, you must have a special declaration to prove the values and make a special insurance policy; all this within the limits of time of the check-in and in accordance with the company standards. Plan your trip in advance.

www.taag.com • call center 923 190 000

CUIDADOS EXTRAS Não se esqueça de identificar todas as peças da bagagem com uma etiqueta que contenha o nome completo, a morada, o telefone e o endereço de email. Recomenda-se colocar a mesma identificação também do lado de dentro da mala. A título de segurança, feche bem todos os volumes e tranque-os com cadeados. Por fim, ao efectuar o check-in, confira se a etiqueta da bagagem condiz com o seu destino. EXTRA PRECAUTIONS Don’t forget to identify your entire luggage with a label containing your full name, address, phone number and email address. It is also recommended to put the same ID inside the bag. As for safety, close all volumes and lock them with padlocks. Finally, when checking in, make sure the luggage label matches your destination.

veis. Não é aconselhável, ainda, acondicionar na bagagem despachada artigos frágeis que se quebrem facilmente, nem produtos perecíveis, medicamentos ou objectos de valor (veja quadro). 7) Prepare a bagagem de mão A mala de bordo perfeita deve conter os medicamentos de uso frequente e os artigos de higiene pessoal, desde que não seja excedido o limite de 100ml de líquidos por item (e um máximo de um litro por bagagem). Recomenda-se, ainda, levar um abrigo leve, já que as temperaturas são mais baixas dentro da cabina, e uma roupa extra para o caso de emergências (como um possível atraso da bagagem). Todos os documentos pessoais e artigos de valor também devem ser acomodados na bagagem de mão. Os objectos cortantes e pontiagudos, como tesouras, facas e estiletes, não são permitidos a bordo. Lembre-se, ainda, de respeitar os limites de peso e volume: a soma das dimensões da mala (altura + comprimento + largura) não deve exceder 115cm. O peso máximo permitido para os viajantes da classe económica é 5 quilos; da classe executiva, 7 quilos; e da primeira classe, 10 quilos.

www.taag.com • call center 923 190 000

3) Optimize your clothing choices Choose clothes with neutral colors (such as black, white, beige and brown), they can be combined. Synthetic fabrics and microfibers are also quite practical as they usually do not to be ironed. 4) Pack the bag in a practical way Experts recommend that you organize the bag as follows: start with the pants folded in half, which should line the bottom of the suitcase. Leave the “legs” out and add the folded shirts, always with a closed collar. Next, place the cotton pieces, which should be wrapped too not to be wrinkled and optimize the space. Socks should be placed inside the shoes, which must be packed in individual packages and placed on the sides of the suitcase. Finally, add the most delicate clothes that wrinkle more easily, and “close” with the pant legs. 5) Take an extra bag A lightweight and foldable bag, wrapped inside the main suitcase, it can be very helpful to accommodate the dirty clothes or any purchases made at the destination. 6) Be aware of forbidden and not recommended items It is forbidden to carry explosives, aerosols, weapons and ammunition, compressed gas sprays and all sorts of flammable substances. It is not advisable to pack in the checked baggage fragile items that can break easily, perishable or valuable items or medications (see box). 7) Prepare your hand luggage The perfect hand luggage should contain medication of frequent use and personal hygiene items, provided that the limit of 100ml of liquid per item (and a maximum of one liter per bag) is not exceeded. It is also recommended to take a light coat, since temperatures are lower inside the cabin, and extra clothes in case of emergencies (such as a possible delay of the luggage). All personal documents and valuable items should also be placed in the hand luggage. The sharp and pointed objects like scissors, knives and blades, are not allowed onboard. Also remember to respect the weight and volume limits: the sum of the dimensions of the bag (height + length + width) must not exceed 115cm. The maximum weight for the economy class is 5 Kg; business class, 7 Kg, and the first class, 10 Kg.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 43


cartão postal postcard

Pequeno guia gastronómico da Cidade

do Cabo

Cape Town's gastronomic short guide

Os restaurantes imperdíveis da mais atraente cidade da África do Sul

Must-visit restaurants in the most attractive city in South Africa

A gastronomia na África do Sul está em alta. Não apenas grandes chefs de fama mundial estão a abrir casas no país, como também alguns profissionais locais estão a revolucionar a arte gastronómica com propostas ousadas, modernas e o melhor: deliciosas. O maior expoente no cenário nacional é mesmo a Cidade do Cabo, um dos principais destinos turísticos e de negócios do país. Eis a lista dos melhores restaurantes do momento:

Gastronomy in South Africa is on a high. Not only are there worldfamous chefs opening up places across the country; there are also some local professionals revolutionising the food and drink scene with dishes that are daring, modern and, best of all, delicious. The top spot on the map is Cape Town, one of the main destinations in the country for tourists and business people. Here is a list of the best restaurants of the day:

CASAS DO CHEF LUKE DALE-ROBERTS EM WOODSTOCK O maior nome da actualidade é o chef Luke Dale-Roberts, dono de dois restaurantes vizinhos na região de Woodstock, o Soho da Cidade do Cabo. Tanto no The Test Kitchen (www.thetestkitchen.co.za) como no The Pot Luck Club (www.thepotluckclub.co.za) imperam as desconstruções e a moderna culinária de fusão, onde as texturas, formas e temperaturas são sempre surpreendentes. Para completar, a região abriga ainda uma feira gourmet imperdível, dentro dos galpões do The old Biscuit Mill (www.theoldbiscuitmill.co.za).

46 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

RESTAURANTS OF THE CHEF LUKE DALE-ROBERTS IN WOODSTOCK The name on everyone’s lips at the moment is the chef Luke Dale-Roberts, the owner of two restaurants close to each other in the Woodstock district, the Soho of Cape Town. The order of the day in both The Test Kitchen (www.thetestkitchen.co.za) and The Pot Luck Club (www.thepotluckclub.co.za) are deconstructions and modern fusion cuisine, where textures, shapes and temperatures are always a surprise. To complete the list, the local area is also home to another not-to-be-missed gourmet experience, housed in The old Biscuit Mill (www.theoldbiscuitmill.co.za).

www.taag.com • call center 923 190 000

RESTAURANTES DO HOTEL ONE & ONLY O luxuoso hotel localizado a poucos passos do complexo turístico Victoria & Alfred Waterfront está a concentrar algumas das melhores novidades da cidade. Recentemente, o resort juntou dois grandes nomes da cena gastronómica mundial no seu portfólio de restaurantes: Nobu Matsuhisa, o famosíssimo chef que fundiu receitas japonesas a latinoamericanas e espalhou-se com um estrondoso sucesso pelo mundo; e Reuben Riffel, uma das maiores celebridades sulafricanas, dono de um restaurante famosíssimo em Franschhoek, nas Winelands. As suas casas, Nobu e Reuben, estão entre as mesas mais concorridas da cidade. Mais informações: www.capetown.oneandonlyresorts.com

RESTAURANTS IN THE ONE & ONLY HOTEL This luxurious hotel, situated a stone’s throw from the Victoria & Alfred Waterfront tourist complex, is bringing together the town's top novelties in town. The resort has recently added two great names of the world gastronomic scene to its restaurants portfolio. Nobu Matsuhisa, the chef in the limelight who has merged japanese recipes with latin-american ones and has taken them with fantastic success across the world; and Reuben Riffel, one of the great South African celebrities, owner of a very famous restaurant in Franschhoek in the Winelands. His two restaurants, Nobu and Reuben, are among the most sought-after in the city. For more information, check out: www.capetown.oneandonlyresorts.com

VINHEDOS DE CONSTANTIA A poucos minutos do centro da cidade, a região de Constantia é forrada de belos vinhedos que descortinam lindas paisagens dos arredores. Estrategicamente instalados em algumas das mais belas propriedades vinícolas estão dois restaurantes invulgares: La Colombe (www.constantia-uitsig.com), um clássico que prepara carnes e frutos do mar na perfeição, e The Greenhouse (www.cellars-hohenort.com), a ocupar um bonito casarão colonial, onde o chef propõe um menu internacional que também contempla especialidades locais.

THE VINEYARDS OF CONSTANTIA In a few minutes distance from the centre of the city you will find the region of Constantia, clothed in beautiful vineyards that uncover the surronding wonderful countryside. There are two very special restaurants strategically located in some of the most beautiful vineyards. La Colombe (www.constantia-uitsig.com), which is a real classic, offering you perfectly prepared meat and seafood dishes, and The Greenhouse (www.cellarshohenort.com), housed in a fine colonial mansion, where the chef offers an international fare along with local specialities.

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 47


cartão postal postcard

Jóia mexicana A mexican jewel

Fundada pelos espanhóis em meados do século XVI, a pequena cidade de Guanajuato é uma deliciosa volta ao passado mexicano.

Guanajuato was founded by the Spanish in mid-sixteenth century, and this little town offers you a delightful tour back into the mexican past

Do alto, sobressaem as cúpulas arredondadas das suas igrejas e as fachadas de cores vibrantes das suas casas. Construída num belo vale cercado de montanhas, a cerca de 350 quilómetros da Cidade do México, Guanajuato, capital da região de mesmo nome, é uma encantadora cidadezinha de pouco mais de 70 mil habitantes. Fundada pelos colonizadores espanhóis no ano de 1559, teve um rico passado – cercada por minas de ouro e prata, durante séculos forneceu os metais preciosos para a metrópole Espanha. Declarada Património Mundial pela UNESCO em 1988, Guanajuato soube preservar a sua história e hoje é capaz de proporcionar uma viagem no tempo. Recheada de bonitas praças e edifícios históricos de arquitectura barroca e neoclássica, a cidade é ainda dona de uma das mais respeitadas universidades mexicanas. São os seus estudantes que animam as noites com as famosas callejoneadas, quando saem vestidos em trajes típicos a dançar e a cantar pelas ruas do centro histórico. Terra natal do grande muralista Diego Rivera, um dos maiores pintores do México, a cidade tem ainda uma curiosa atracção: o Museo de las Momias, bem ao lado do cemitério. Devido às características naturais da região, descobriu-se a certa altura que os corpos enterrados sofriam um processo natural de mumificação – dezenas deles estão em exposição neste museu bizarro, o que só reforça a obsessão do mexicano pelo tema da morte.

The rounded cupolas of its churches and the vibrant coloured façades of its houses stand out from up high. Guanajuato was built in a beautiful valley surrounded by mountains, about 350 kilometres from Mexico City. It is the capital of the same name region and an enchanting small town with little more than 70 thousand inhabitants. It was founded by Spanish settlers in 1559, and it had a rich past – it is surrounded by gold and silver mines that for centuries provided Spain with these precious metals. It was declared a World Heritage Site by UNESCO in 1988, and has managed to preserve its history. Visiting it today is like travellingback in time. It is full of beautiful squares and historic Baroque and Neo-classical buildings, as well as boasting one of the most highly respected universities in Mexico. Its students liven up the nights with their famous callejoneadas, coming out in typical garments, singing and dancing through the streets of the town’s historic centre. This is the birthplace of Diego Rivera, the famous painter of murals, who is regarded as one of Mexico’s greatest painters; but the town also has a curious attraction: a Museum of Mummies, right next to the cemetery. It was discovered at some point in the past that the natural features of the region caused a natural mummification process of the buried bodies – dozens of them are on display in this bizarre museum, serving to reinforce the country’s obsession with the dead.

48 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


cartão postal postcard

Esqui nos Alpes

Contos de fadas na neve Skiing in the Alps

Fairy tales in the snow

Ainda há tempo para aproveitar a mais esperada época do ano nas melhores estações de esqui da Europa

There is still time to enjoy the most awaited time of the year in the best Europe’s ski resorts

Desde o fim do mês de Novembro, a neve está a cobrir de branco as mais altas montanhas europeias e a fazer a festa dos apaixonados pelos desportos de Inverno. Quem ainda não descobriu os caminhos que levam rumo ao topo, deverá fazê-lo até aos últimos dias de Abril – quando a maioria dos resorts de Inverno dos Alpes encerra a temporada 2013/2014. É a oportunidade de deslizar pelas encostas branquinhas de destinos de eleição como St. Moritz, na Suíça, considerado berço dos desportos alpinos desde o final do século XIX, ou Courchevel, Chamonix e Méribel, em França. É possível, inclusive, deslizar entre dois países, já que as fronteiras algumas vezes ficam no topo das montanhas! Hotéis de luxo instalados em palacetes seculares, restaurantes de renome e bares animados no chamado aprésski completam o cenário de contos de fadas no gelo. Quem perder o timing terá que esperar até ao final do ano, quando a neve volta a cair – ou então rumar para Zermatt, na Suíça, onde é possível esquiar mesmo no auge do Verão. O glaciar chamado Zermatt Theodul mantém 21 quilómetros de neve fofa durante o ano inteiro, mesmo quando as temperaturas batem os 30ºC nas partes mais baixas e cálidas do continente.

Since the end of November, the snow has covered the highest mountains in Europe, making it party time for winter sports lovers. If you haven’t discovered the routes that take you to the top, you should do so up to the last April days – which is when most of the winter resorts in the Alps close the 2013/2014 season. It’s the chance to slide down the white slopes of choice destinations such as St. Moritz in Switzerland, considered the cradle of alpine sports since the end of the 19th century, or Courchevel, Chamonix and Méribel in France. It’s even possible skiing from one country to another, since the borders are at times on the mountain tops! To complete the scenario of fairy tales on ice, there are luxury hotels in centuries’-old palaces, well known restaurants and bars to liven up what is known as aprés-ski. If you get the timing wrong, you will have to wait until the end of the year, when the snow comes down again – or head for the Swiss town of Zermatt, where you can ski even at the height of summer. On the glacier known as Zermatt Theodul, there are 21 kilometres of soft snow the whole year long, even when the temperatures soar to over 30ºC in lower and warmer parts of the continent.

50 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


conexão internacional international connexion

GOA

UMA VIAGEM NA MEMÓRIA Texto/text: Carlos Brandão Lucas Fotos/Photos: Marina Brandão Lucas

GOA. A TRIP IN THE MEMORY

O destino dos povos não é o de terem impérios. Mas memórias. Alguém disse e escreveu. Recordei-me desta ideia agora que Goa voltou ao meu horizonte. Porque a certeza nasceu quando há uns anos visitei pela primeira vez o espaço que foi chamado “Índia Portuguesa”. Memórias são, para os portugueses, o Forte de Cranganore, edifício hexagonal construído em 1503 e agora monumento nacional do Estado de Kerala; o que resta do porto de Mangalore, que já no século XIV Ibn Bathuta referia como “porto de pimenta”; as ruínas de Baçaim, rodeadas de uma vegetação que quase a engolem e com uma Igreja tão grande de uma só nave, onde os pescadores tratam das suas redes de pesca; Cochim, a sinagoga e as ruas de comércio de especiarias; a ponte que liga Damão Grande a Damão Pequeno; o bairro de Santo António de Damão Praça e a fortaleza de S. Jerónimo com o aviso gravado na porta dos dois gigantes: “quem por aqui quiser entrar, com esta moca há-de pagar, que eu e o meu companheiro a vigiamos sem dinheiro”; a Porta do Mar, ainda em Damão, que marca a vivência do poeta Bocage, ali no século XVIII; a imponente fortaleza de Diu, naquele mar que já é chamado de arábico e onde nadam enormes tartarugas; e as Igrejas pintadas de um branco que fere os sentidos pelo Sol abrasador, que nos faz procurar o fresco no seu já desalentado interior; a praia de Pandalaini,

The fate of the people is not having empires, but memories. Someone said and wrote. I remembered this thought now that Goa returned to my horizon. Because certainty appeared a few years ago when I first visited the place that was called “Portuguese India”. For the Portuguese memories are: Cranganore Fort, hexagonal building built in 1503 and now a national monument of Kerala State; the remains of the port of Mangalore, which already in the fourteenth century Ibn Bathuta referred to it as “port of pepper”; the ruins of Baçaim, surrounded by vegetation that almost swallow it and with such a large single nave church, where fishermen deal with their fishing nets, Cochim, the synagogue and the streets of the spice trade; the bridge that connects Large Daman to Small Daman; the neighborhood of St. Anthony of Daman Square and the St. Jerome fortress with the notice written on the door of the two giants: “Anyone who wants to enter in here will pay with this bat, because my companion and I watch it without payment”, a Porta do Mar, (the Gate of the Sea), still in Daman, which marks the presence of the poet Bocage there in the eighteenth century; the imposing fortress of Diu, in that sea which is now called Arabic and where huge turtles swim; and the Churches painted of a white that hurts the senses by the burning sun that makes us search the freshness in its already dispirited inside; the beach of Pandalaini, the one of the

52 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 53


conexão internacional international connexion

Há memórias que teimam em resistir There are memories that stubbornly resist

a da chegada, e o caminho feito por Vasco da Gama até chegar a ser recebido pelo Samorim de Calecute; os enganos (erros meus, má fortuna!) sobre as deusas de muitos braços; o Forte da Aguada, o Arco dos Vice-Reis, todas as Igrejas e Conventos de Velha Goa... Rachol, Santa Catarina, S. Francisco Xavier... Memórias estas que se vão escoando no tempo, marcas de vermelho laterite de muros, panos de muralha, lápides, pedras de arma, canhões calados, sem o préstimo anterior mas sempre um bom local para uma foto mais ou menos artística; o Forte dos Reis Magos com vista para a entrada do grande mar e a colina de Dona Paula, para seguir o deslizar do rio Mandovi, já que o Zuari segue o seu percurso mais longe destes olhares. Mas há memórias que teimam em resistir. O bairro das Fontaínhas em Pangim, casas e caras com rugas às janelas, artistas que pintam e cantam em português, nomes de ruas – olhem como a Rua de Ourém se manteve firme, ali, bem perto de uma das pontes da cidade, e o restaurante Ferradura do meu amigo de Malange, Vasco Silveira, ganha fama e proveito todos os dias com a sua culinária internacional ! E como estão preservados os painéis de azulejos da entrada do edifício da Biblioteca, história contada em quadrados azuis e brancos. Ali, nesse corredor é uma história fechada, nem mais um ponto se acrescenta para aquele conto.

54 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

arrival, and the path made by Vasco da Gama until he was received by the Zamorin of Calicut; the mistakes (my mistakes, bad fortune!) about the goddesses of many arms; the Fort of Aguada, the Arch of the Viceroys, all the Churches and Convents of Old Goa... Rachol, Santa Catarina, S. Francisco Xavier... These memories that fade in time, traces of red laterite walls, wall sections, headstones, stone weapons, silent cannons, without the prior use - but always a good place for a more or less artistic photo, the Fort of the Three Wise Man with a view to the entrance to the great sea and the hill of Dona Paula, to follow the glide of the Mandovi river, since the Zuari follows its way farther than the eye can see. But there are memories that stubbornly resist. The neighborhood of Fontaínhas in Panjim, houses and old faces at the windows, artists that paint and sing in Portuguese, street names look how Ourém Street stood firm, right there near of one of the city bridges, and the restaurant Ferradura owned by my friend from Malanje, Vasco Silveira, gains fame and profit every day with its international cuisine! And how well preserved are the panels of tiles at the entrance of the library, story told in blue and white squares. There, in that corridor is a closed story, not even one more comma is added to that tale. I feel hypnotized. Because the statue of the Abbe Faria stands in a square in Panjim to remember, as Maria de Lourdes Rodrigues, librarian and writer tells us, “he was one of the most

www.taag.com • call center 923 190 000

Hipnotizado me sinto. Porque a estátua do Abade de Faria se ergue numa praça de Pangim para recordar, como nos conta Maria de Lourdes Rodrigues, bibliotecária e escritora, “que ele foi um dos maiores goeses, descobriu a ciência do hipnotismo e foi considerado um grande cientista – mas só muito mais tarde. Como não era um português europeu, mas asiático, não deram importância para o trabalho dele”. Tal como aos vice-reis, capitães, padres, soldados, aventureiros e aventureiras que foram chegando de Lisboa durante séculos, “quem não viu Goa não viu coisa boa”, surpreendem-me sempre os modos, os sons, os lugares dos deuses, as palavras, os sorrisos, as flores, a cor da terra, a chuva da monção que desaba de um céu cinza escuro e que alaga tudo num instante. Tenho que me abrigar, enquanto a monção vai procurando a calma. E até que os lagos que se formaram mostrem outra vez os imensos nenúfares rosa e brancos e o Sol acenda de novo as curvas dos caminhos, procuro memórias mais recentes. Como a do jornalista e escritor Mário Cabral e Sá que me confidencia: “aceitámos os portugueses durante 500 anos, aceitamos os indianos agora. Nós (os goeses) não temos força para expulsar os indianos, como não tivemos força para expulsar os portugueses. Portanto ...” Resignação ? Revolta ? Acho que sim, mais do que uma mera aceitação.

www.taag.com • call center 923 190 000


conexão internacional international connexion

“Quando éramos miúdos – o meu pai era um entusiasta de futebol – eu e os meus irmãos acompanhávamos os jogos. E continuou com ele trazendo equipas de fora para fazerem jogos em Goa. Depois, este amor pelo jogo cresceu e quando Portugal joga estou sempre a apoiar. O Figo, o Nuno Gomes e, claro ... o Cristiano Ronaldo. “ Pois é. O CR7 que é um poeta do futebol, com jogadas de sílabas métricas ao estilo de Camões, exerce este fascínio em Margarida Távora, dona de um Restaurante em Raia, chamado Nostalgia. Ouvi-la é seguir um dicionário de paixões. As histórias dos seus antepassados, nobres portugueses, o galo de Barcelos, as fotos de futebolistas, ementa com pastéis de bacalhau à mistura com culinária goesa, que é diferente da indiana.

important Goans, he discovered the science of hypnotism and was considered a great scientist - but only much later. Because he was not an European Portuguese, but Asian, his work didn’t have the due importance”. As the viceroys, captains, priests, soldiers, adventurers and thrill-seekers who were arriving from Lisbon for centuries, “who hasn’t seen Goa hasn’t seen a good thing”, I am always amazed with the customs, the sounds, the places of the gods, the words, the smiles, the flowers, the color of the earth, the monsoon rain which falls from a dark gray sky and that floods everything in an instant. I have to take shelter, while the monsoon calms down. And until the lakes that were formed show again the huge pink and white water lilies and the Sun illuminates again the curves of the roads, I seek for more recent

No Clube Vasco da Gama, em pleno centro de Pangim, perguntamos pela cultura de Goa. A resposta vem rápida na boca dos irmãos Ernesto e Vasco Alves: “Não é indiana, é mais mediterrânica”. Dono de um restaurante de praia, João Moreira, em Arambol, diz-nos que segue os noticiários pela televisão porque não pode ser de outro modo, porque lhe falam de um Portugal que ele sente, interiormente, como sendo ainda seu, apesar da distância. “É uma química, às vezes não sei explicar!” Mas como gosta de Goa ! – É bonita, não é? Pergunta ele sem admitir que eu possa dizer algo em contrário. Gosto de Goa, mesmo, responde a minha alma também. É uma química, que não consigo explicar. Mas isso será porque Goa, que Portugal chamava a “jóia da

memories. As the one that the journalist and writer Mário Cabral e Sá confides me, “we have accepted the Portuguese for 500 years, now we accept the indians. We (Goans) don’t have the strength to banish the Indians, just like we didn’t have the strength to banish the Portuguese. So... " Resignation? Rebellion? I guess so, more than a mere acceptance. “When we were kids - my father was a football enthusiast - me and my brothers always saw the games. And it continued with him bringing out teams to play in Goa. Then this love for the game grew and whenever Portugal plays I support the team. Figo, Nuno Gomes, and of course... Cristiano Ronaldo”. Indeed. CR7 who is a poet of football, with plays with metric syllables like Camões, exerts a fascination in Margarida Távora, owner of a restaurant in Raia, called Nostalgia. Hear her is fol-


conexão internacional international connexion

Vitalidade cultural tornada património universal? Cultural vitality made universal heritage?

coroa” à maneira inglesa, tentou preservar algo que tem apenas 500 anos, desde que Afonso de Albuquerque em 1510 “a ganhou, ficando a Índia segura”. Influências. No 1º milénio A.C. a região tinha sido invadida por povos de raça ariana, tempo do imperador budista Ashoka. E no século III os Kadambas, hinduistas, se tornaram senhores de Goa. Depois, no século XIV, os muçulmanos vindos do norte do planalto do Decão, destruíram os templos que encontraram e edificaram uma nova cidade nas margens do rio Mandovi.

58 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

lowing a dictionary of passions. The stories of her ancestors, Portuguese nobles, the rooster of Barcelos, the pictures of football players, menu with pastéis de bacalhau (codfish cakes) mixed with of Goan cuisine, which is different from the Indian. In the Clube Vasco da Gama, in the heart of Panjim, we ask for the culture of Goa. The answer is quick from the brothers Ernesto and Vasco Alves: “t's not Indian is more Mediterranean". Owner of a beach restaurant in Arambol, João Moreira tells us that he keeps up with the news on television because there's no other way, because people talk to him about a Portugal that he feels inwardly, as still being his despite the distance. “It's a chemical thing, sometimes I can’t explain!” But how he likes Goa! - It's beautiful, isn’t it? He asks without admitting that I can disagree. I really like Goa answers my soul too. It is a chemical thing that I can’t explain. But that is because Goa, which Portugal called “the jewel of the crown” in the British way, tried to preserve something that is only 500 years old since Afonso de Albuquerque in 1510 “conquer it, assuring that India was safe". Influences. In the 1st millennium BC the region had been invaded by people of Aryan race, a time of the Buddhist Emperor Ashoka. And in the third century the Kadambas, Hindus, became lords of Goa. Then, in the fourteenth century, Muslims from the north of the plateau of the Deccan

www.taag.com • call center 923 190 000


conexão internacional international connexion

Quem não viu Goa, não viu coisa boa... Who hasn’t seen Goa hasn’t seen a good thing…

Com os portugueses e a nova política de conversão, em meados do século XVI, foram destruídos quase 300 templos hindus em cada uma das três talukas de então, escreveu Teotónio de Sousa. A vida rural (educação e organização) sempre tinha sido controlada religiosamente - antes no templo, antes na mesquita, antes nas divindades de cada aldeia, antes na natureza. E assim foram crescendo inúmeras igrejas católicas para a continuação desse controlo. Até que, em Dezembro de 1961 o território foi incorporado na União Indiana, depois de uma luta que os Freedom Fighters ajudaram a levar a cabo. Pacifistas à maneira de Ghandi ? Há quem pense que sim. Há quem afirme que não ! Goa de hoje. Igrejas e templos coexistem. Festas religiosas hindus enchem as ruas de sons e cores gritantes. A missa nas igrejas diz-se em concanin e já muito raramente em português. Antigas casas senhoriais escondem-se ou mostramse em paisagens surpreendentes, varandas, janelas, arcos, expressões artísticas que falam de uma cultura indo-portuguesa. José Ribeiro Lume escreveu que “é o resultado de um relacionamento íntimo em que a aculturação deu lugar a formas de multiculturalismo”. Pois seja. É herança, é memória. E enquanto Nalini continuar a ensinar português às crianças, Sónia a soltar a voz para o fado e Margarida continuar a fazer pastéis de bacalhau, a memória de um passado/presente vai, talvez, “confirmando uma certa vitalidade de uma emoção cultural tornada património local, se é que não é universal”.

60 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

destroyed the temples they found and built a new city on the banks of the Mandovi River. With the Portuguese and the new conversion policy in the midsixteenth century, were destroyed nearly 300 Hindu temples in each of the three talukas of then, wrote Teotónio de Sousa. The rural life (education and organization) had always been religiously controlled - before in the temple, in the mosque, in the divinities of each village, in nature. And so many Catholic churches have been growing for the continuation of that control. Until in December 1961 the territory was incorporated into the Indian Union after a struggle that the Freedom Fighters helped carry out. Pacifists in the Ghandi manner? Some think so. Some disagree! Goa today. Churches and temples coexist. Hindu religious festivals fill the streets with sounds and colors. The Mass in churches is in concanin and very rarely in Portuguese. Ancient mansions hide or show up in amazing landscapes, balconies, windows, arches, artistic expressions that speak of an IndoPortuguese culture. José Ribeiro Lume wrote that “it is the result of an intimate relationship in which acculturation has led to forms of multiculturalism”. So be it. It's heritage, it’s memory. And as long as Nalini continues teaching Portuguese to children, Sónia sings fado and Margarida continues to make pastéis de bacalhau (codfish cakes), the memory of a past/present will, maybe, “confirm a certain vitality of a cultural emotion that became local heritage, if not universal”.

www.taag.com • call center 923 190 000


conexão internacional international connexion

THE SOUTHERN REGION CURITIBA This is the biggest city in the south of Brazil and is the capital of the state of Paraná. It has a population of 1.8 million inhabitants. It is full of parks and green areas, it has a European feel about it and is famous throughout the world for its exemplary public transport structure. The stadium is the Arena da Baixada, able to take 43 thousand spectators, and this will be the host for four of the games in the World Cup. Its main attractions are: the Ópera de Arame, built on an unusual tubular structure with transparent cladding; its Botanical Garden, with colourful parks laid out in geometric patterns; and the Oscar Niemeyer Museum, where the construction, resembling an eye, is suspended by a concrete pillar.

PORTO ALEGRE This is the capital of the state of Rio Grande do Sul, and it borders on Uruguay and Argentina in the far south of the country. It spreads out along the banks of the Guaíba lake, with a shoreline that is more than 70 kilometres long. It is cosmopolitan and houses 1.5 million people. Five games will be played here, in the Beira-Rio stadium, which can take 51,800 spectators. Its main attractions are: the Praça da Alfândega, which is the site of the old river port on the banks of the Guaíba, built in the 18th century and surrounded by beautiful historic buildings; and the Praça da Matriz, where you will find the imposing Theatro São Pedro, officially opened in 1858.

THE SOUTHEASTERN REGION BELO HORIZONTE

O MUNDIAL NO PAÍS

DO FUTEBOL

Texto/Text e Fotos/Photos: CIAO

THE WORLD CUP IN THE COUNTRY OF FOOTBALL O Brasil prepara-se para albergar, pela segunda vez na História, a segunda Taça do Mundo de Futebol. Entre os próximos dias 12 de Junho e 13 de Julho, serão realizadas 64 partidas em todas as regiões do país. Conheça cada uma das 12 cidades-sede e prepare-se para uma aventura que vai muito além das arenas 62 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Brazil is preparing itself to host the football World Cup for the second time. Between 12 June and 13 July of this year, there will be 64 games in every region of the country. Find out about each of the 12 cities and prepare yourself for an adventure that goes beyond the pitches. www.taag.com • call center 923 190 000

REGIÃO SUL CURITIBA Maior cidade do Sul do Brasil, a capital do Estado do Paraná tem 1,8 milhão de habitantes. Recheada de parques e áreas verdes, tem ares europeus e é famosa em todo o mundo pelo seu exemplar modelo de transporte colectivo. O seu estádio, a Arena da Baixada, com capacidade para 43 mil espectadores, será palco de quatro partidas do Mundial. As suas principais atracções são: a Ópera de Arame, erguida através de uma curiosa estrutura tubular, com revestimento transparente; o Jardim Botânico, com coloridos jardins geométri-

www.taag.com • call center 923 190 000

This is the sixth largest city in Brazil and the capital of the state of Minas Gerais. The metropolitan district has almost 5 million inhabitants. It is surrounded by scenic mountains and is at the start of the route that leads to some of the most important colonial cities in the country. It is also known as the national bar capital – there are 14 thousand of them! The grass in the Estádio Mineirão will be the stage for six games, with up to 65 thousand fans cheering on each time. The city’s main attractions are: the Praça da Liberdade, built at the end of the 19th century to house the state legislature (its beautiful gardens were inspired by the Palace of Versailles in France, and recently its historic manor houses and palaces have become very fine museums up to international standards); and the Complexo da Pampulha, on the banks of the lagoon with the same name, where some of the most important modernist buildings in Brazil were built in the 1940s. It was designed by the architect Oscar Niemeyer.

RIO DE JANEIRO The City of Marvels was declared a World Heritage Site for Humanity in 2012. It has 6.3 million inhabitants, and used to be the country’s capital. It is framed by idyllic beaches and possesses some of the most famous icons in the country. The Estádio do Maracanã has been completely renovated, and can hold 78,838 spectators. Seven games will be played here, including the final itself. Its main attractions are: the Morro do Pão de Açúcar, look-

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 63


conexão internacional international connexion

cos; o Museu Oscar Niemeyer, cuja construção, suspensa por um pilar de concreto, lembra a forma de um olho.

PORTO ALEGRE Capital do Estado do Rio Grande do Sul, que faz fronteira com o Uruguai e a Argentina no extremo Sul do Brasil, Porto Alegre esparrama-se às margens do Lago Guaíba, numa orla de mais de 70 quilómetros de extensão. Cosmopolita, é a casa de 1,5 milhão de pessoas. Receberá cinco jogos no estádio Beira-Rio, com lugares para 51.800 espectadores. Principais atracções: Praça da Alfândega, antigo porto fluvial às margens do Guaíba, construída no século XVIII e cercada de belos edifícios históricos; Praça da Matriz, onde fica o imponente Theatro São Pedro, inaugurado em 1858.

REGIÃO SUDESTE BELO HORIZONTE Sexta maior cidade brasileira, a capital do Estado de Minas Gerais tem uma zona metropolitana com quase 5 milhões de habitantes. Cercada por cenográficas montanhas, é a porta de entrada para algumas das mais importantes cidades coloniais do país, também conhecida como a capital nacional dos bares – são 14 mil! O relvado do Estádio Mineirão, para 65 mil torcedores, será palco de seis partidas do Mundial. Principais atracções: Praça da Liberdade, construída no final do século XIX para abrigar o poder estadual (os seus belos jardins foram inspirados nos do Palácio de Versailles, França. Recentemente, os seus casarões históricos deram lugar a óptimos museus de nível internacional); Complexo da Pampulha, nas margens da lagoa com o mesmo nome, onde foram erguidos alguns dos mais importantes edifícios modernistas do Brasil nos anos 40, da autoria do arquitecto Oscar Niemeyer.

RIO DE JANEIRO A Cidade Maravilhosa foi declarada Património Mundial da Humanidade em 2012. Com 6,3 milhões de habitantes, a antiga capital do país é emoldurada por praias idílicas e possuidora de alguns dos mais famosos cartões-postais nacionais. O Estádio do Maracanã, completamente renovado, com capacidade para 78.838 espectadores, vai receber sete jogos de futebol, incluindo a grande final. Principais atracções: Morro do Pão de Açúcar, debruçado sobre as águas da Baía de Guanabara, a cujo topo, a 396 metros de altura, se chega com recurso ao chamado bondinho; Cristo Redentor, que coroa o morro do Corcovado, a 710 metros de altura, descortina um incrível visual da cidade; Copacabana, a praia mais famosa do mundo, com a sua famosa calçada de pedras portuguesas que imitam o movimento das ondas do mar. E também as vizinhas praias de Ipanema e Leblon; Centro histórico, recheado de exemplares da arquitectura colonial brasileira; Museu MAR (Museu de Arte do Rio), de formas futuristas e belo visual, que narra a história da cidade; Jardim Botânico, mandado construir pelo Rei D. João VI em 1808, alberga a maior colecção de plantas do Brasil.

64 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

ing down on the waters of the Baía de Guanabara, and the top of which, at 396 metres above sea level, is reached by what is known as the bondinho; Cristo Redentor (Christ the Redeemer), which crowns the Morro do Corcovado, at 710 metres high, and which unveils an incredible view of the city; Copacabana, the most famous beach in the world, with its celebrated paving of Portuguese style cobblestones imitating the waves of the sea. And nearby there are the beaches of Ipanema and Leblon; the historic centre, replete with examples of the country’s colonial architecture; the Museu MAR (the Rio Art Museum), its forms beautiful and futuristic, in which you can read the history of the

www.taag.com • call center 923 190 000


conexão internacional international connexion

SÃO PAULO Sexta maior cidade do mundo e a maior de todo o Hemisfério Sul, São Paulo tem 19 milhões de habitantes na sua região metropolitana. Moderna, cosmopolita e por vezes caótica, guarda traços dos povos brasileiros dos quatro cantos e é a capital cultural e gastronómica do Brasil. O Estádio Corinthians, erguido especialmente para o Mundial, vai receber seis jogos, incluindo o da abertura, podendo albergar 69.160 espectadores. Principais atracções: Avenida Paulista, a sua principal e mais famosa artéria; Museu de Arte de São Paulo (MASP); Museu da Imagem e do Som (MIS), entre muitos outros; Pinacoteca do Estado de São Paulo; Centro, dono de bonitos edifícios históricos – entre os quais o Teatro Municipal, a Catedral da Sé, o Pátio do Colégio e a Estação da Luz.

REGIÃO CENTRO-OESTE BRASÍLIA Capital do país, totalmente construída para abrigar a sede do poder nacional, foi projectada pelo arquitecto Lúcio Costa nos anos 50, sendo um grande museu a céu aberto da arquitectura brasileira. Declarada Património Mundial Cultural da Humanidade pela UNESCO, possui ruas largas e arborizadas e estende-se por uma área de 112 quilómetros quadrados, com 2,5 milhões de habitantes. O Estádio Mané Garrincha, concebido para 72 mil aficionados, receberá sete partidas. Principais atracções: Conjunto Arquitectónico assinado pelo arquitecto Oscar Niemeyer, que inclui o Palácio do Planalto, a Catedral de Brasília e o edifício que abriga o Congresso Nacional; Lago Paranoá, que ocupa uma área de 48 quilómetros quadrados, é cercado de praias e reduto de desportos náuticos.

CUIABÁ Casa de 600 mil habitantes, a capital do Estado do Mato Grosso é uma das mais quentes do Brasil (regista uma média anual de 30ºC!), onde merece destaque o seu bonito Centro histórico, com casarões coloniais de fachadas coloridas e bem preservadas. O Estádio Arena Pantanal, capaz de receber 44,3 mil pessoas, será sede de quatro partidas do Mundial. Principais atracções: Centro histórico, onde fica o mais antigo templo religioso da cidade, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Cuiabá, do século XVIII; bonitos edifícios de fachadas coloridas; Pantanal, um dos principais parques brasileiros, que engloba uma savana alagada e é o habitat de mais de 600 espécimes de aves, para além de jacarés e onças-pintadas (o acesso pode ser feito a cerca de 100 quilómetros de distância, através das cidades de Poconé ou Barão do Melgaço).

REGIÃO NORTE MANAUS Capital do Amazonas, o maior Estado brasileiro, no extremo Norte do país, Manaus é a principal porta de entrada para a maior floresta do mundo. Estrategicamente localizada no

66 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

city; and the Botanical Garden, which the king, D. João VI ordered to be created in 1808, and where you will find the biggest collection of plants in the country.

SÃO PAULO This is the sixth biggest city in the world and the biggest in the southern hemisphere. There are 19 million inhabitants in its metropolitan region. It is modern, cosmopolitan and at times chaotic and it has vestiges of the people of Brazil from its four corners. It is also the capital in terms of the country’s culture and gastronomy. The Estádio Corinthians was built specially for the World Cup, and six games will be played here, including the opening match. It can take 69,160 spectators. Its main attractions are: the Avenida Paulista, its main street and most famous artery; the Museu de Arte de São Paulo (MASP); the Museu da Imagem e do Som (MIS), among many others; the Pinacoteca do Estado de São Paulo; and the centre, home to beautiful historic buildings – among which the Teatro Municipal, the Catedral da Sé, the Pátio do Colégio and the Estação da Luz.

THE CENTRE-WEST REGION BRASILIA This is the country’s capital, built from scratch to be the hub of its political and administrative power. It was designed by the architect Lúcio Costa in the 1950s and is a great open-air museum of Brazilian architecture. It was declared a World Heritage Site for Humanity by UNESCO, and has wide, tree-lined streets. It extends over 112 square kilometres and has a population of 2.5 million inhabitants. The Estádio Mané Garrincha was designed for 72 thousand football lovers and will be the stage for seven games. Its main attractions are: the Conjunto Arquitectónico designed by the architect Oscar Niemeyer, which includes the Palácio do Planalto, Brasilia Catedral and the building which is home to the National Congress; and the Lago Paranoá, which covers 48 square kilometres and is surrounded by beaches and has a centre for nautical sports.

CUIABÁ A town of almost 600 thousand inhabitants, Cuiabá is the capital of the state of Mato Grosso and one of the hottest in Brazil (its annual average is 30ºC!). The highlights are the beautiful historic centre, where there are large colonial houses with colourful and well preserved façades. The Estádio Arena Pantanal can take 44.3 thousand people, and will see four games. Its main attractions are: the historic centre, where there is the oldest religious building in the city, the church called Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Cuiabá, a construction dating from the 18th century; fine looking buildings with colourful façades; Pantanal, one of the main parks in Brazil, including a lagooned savannah which is the habitat for more than 600 bird species, as well as alligators and jaguars (the entrance is around 100 kilometres away, after you go through the towns of Poconé or Barão do Melgaço).

www.taag.com • call center 923 190 000

coração da Amazónia, a cidade fica no meio da selva. A despeito da sua localização invulgar, é uma metrópole cosmopolita e moderna onde vivem 1,8 milhão de pessoas. Receberá quatro partidas no Estádio Arena da Amazónia. Principais atracções: Complexo Histórico da cidade, que inclui belos exemplares arquitectónicos, como o imponente Teatro Amazonas, erguido no auge do Ciclo da Borracha, em 1896, e do Mercado Adolpho Lisboa, todo construído em ferro; Floresta Amazónica, onde um dos passeios mais famosos é o que leva, de barco, ao encontro dos rios Negro e Solimões. Por terem densidades e velocidades diferentes, as suas águas não se misturam e os dois rios correm lado a lado, com cores distintas, por mais de seis quilómetros.

REGIÃO NORDESTE FORTALEZA Um apaixonante litoral embelezado por coqueiros e grandes dunas conformam a cosmopolita capital do Estado do Ceará – uma das maiores cidades do país. Cortada pelo Rio Pajeú, com 2,5 milhões de habitantes, é um dos grandes destinos de férias do Brasil, com lindas praias. O Estádio Arena Castelão, com capacidade para 63.903 torcedores, será palco de seis jogos. Principais atracções: as suas praias de sonhos – incluindo algumas urbanas, como a famosa Praia do Futuro; os seus bonitos edifícios históricos, onde se destacam o Teatro José de Alencar, de 1908, e o Museu do Ceará, de 1857.

THE NORTHERN REGION MANAUS This is the capital of Amazonas, the biggest state in Brazil, in the country’s most northern region. It is the main way into the biggest forest in the world. It is strategically situated in the heart of Amazónia, and is a city surrounded by jungle. In spite of its unusual location, it is a modern, cosmopolitan metropolis which is home to 1.8 million people. Four games will be played in its Estádio Arena da Amazónia. Its main attractions are: the city’s historical complex, which includes some very fine architectural works such as the imposing Teatro Amazonas, built in 1896 at the height of the Rubber Cycle and the Adolpho Lisboa market, built entirely in iron; the Floresta Amazónica, where one of the most famous trips is the one taken by boat to see the way that the Negro and Solimões rivers run together. Their densities and speeds are not the same, so their waters do not mix but run side by side, their colours different, over a distance of more than six kilometres.

THE NORTH EAST REGION FORTALEZA A charming shore line adorned with coconut trees and large dunes forms a line around the cosmopolitan capital of the state of Ceará – and is one of the biggest cities in the country. The Pajeú

NATAL Pontilhada de dunas e de lindas praias de águas verdeesmeralda, é a capital do Estado do Rio Grande do Norte, com 400 quilómetros de um litoral recheado de belas paisagens. O seu skyline inclui alguns dos melhores hotéis do Brasil. Possui cerca de 800 mil habitantes. O Arena das Dunas, estádio todo revestido com lâminas metálicas, para 42 mil torcedores, vai albergar quatro embates de futebol. Principais atracções: as suas praias, especialmente a de Ponta Negra, onde fica o seu mais famoso cartão-postal – o Morro do Careca, uma imensa duna de areia coberta na sua maior parte por vegetação; Fortaleza dos Reis Magos, em forma de estrela, que é o grande marco do início da cidade, em 1599; Instituto Câmara Cascudo, com um bom acervo de arte indígena.

RECIFE Maior centro urbano de todo o Nordeste do Brasil, Recife ocupa a nona posição no ranking das grandes cidades do país, com 1,5 milhão de habitantes. Fundada em 1561, a capital do Estado de Pernambuco é também conhecida como “Veneza Brasileira”, uma vez que o seu Centro é recortado pelas águas dos rios Capibaribe e Beberibe, que formam grandes canais. O Estádio Arena Pernambuco vai

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 67


conexão internacional international connexion

acolher cinco jogos, que serão acompanhados de perto por 46 mil espectadores. Principais atracções: Recife Antigo, o centro da cidade, onde há bonitas construções históricas; Conjunto do Convento e Igreja de São Francisco, que engloba a bela Capela Dourada, do século XVI; as suas praias, como a da Boa Viagem, emoldurada por um moderno skyline.

river runs through it, and it has 2.5 million inhabitants. It is one of the major holiday destinations in Brazil and has beautiful beaches. The Estádio Arena Castelão can take 63,903 fans, and will see six games. Its main attractions are: its dream beaches – including some that are urban, such as the famous Praia do Futuro; and its beautiful historic buildings, salient among them being the Teatro José de Alencar, dating from 1908, and the Museu do Ceará, dating from 1857.

SALVADOR Trata-se da capital do Estado da Bahia, onde no ano de 1500 chegaram as caravelas portuguesas. Debruçada sobre a Baía de Todos os Santos, Salvador foi a mais importante cidade durante o período colonial, tendo sido a capital do país entre os anos de 1549 e 1763. Tem 2,7 milhões de habitantes. O Estádio Arena Fonte Nova, com lotação para 52.048 pessoas, vai ser palco de seis partidas. Principais atracções: Pelourinho, a grande estrela do centro histórico, com a sua ladeira calçada de pedras e recheada de fachadas em tons pastéis, declarado Património Mundial; as suas belas igrejas, entre as quais se destacam a Catedral Basílica de Salvador, a Igreja de São Francisco e a de Nossa Senhora da Conceição da Praia; Elevador Lacerda, que liga a Cidade Baixa à Cidade Alta desde o século XIX.

NATAL The capital of the state of Rio Grande do Norte, the surrounding area is dotted with dunes and beautiful beaches with emerald green waters. There are 400 kilometres of seaboard full of beautiful landscapes. Its skyline includes some of the best known hotels in the country, and it has close to 800 thousand inhabitants. The Arena das Dunas is a stadium clad throughout with metallic blades and can hold 42 thousand fans. Four games will be played here. Its main attractions are: its beaches, especially Ponta Negra, where its most famous icon will be found – the Morro do Careca, an immense sand dune covered almost entirely in vegetation; the Fortaleza dos Reis Magos, in the form of a star, which is the major landmark of the early city, built in 1599; and the Instituto Câmara Cascudo, which has a fine collection of indigenous art.

RECIFE This is the biggest urban centre in the whole north east of the country, with 1.5 million inhabitants, and that puts it ninth in the ranking of the major cities of Brazil. It was founded in 1561, and is the capital of the state of Pernambuco. It is known as the “Venice of Brazil”, with a centre cut by the waters of the Capibaribe and Beberibe rivers, forming great canals. The Estádio Arena Pernambuco will play host to five games, each one followed by around 46 thousand spectators. Its main attractions are: Recife Antigo, the city centre, with beautiful historic buildings; the Conjunto do Convento e Igreja de São Francisco, which includes the fine Capela Dourada, dating from the 16th century; and its beautiful beaches, such as the Boa Viagem, framed by its modern skyline.

SALVADOR This is the capital of the state of Bahia, where the Portuguese caravels arrived in 1500. It overlooks the Baía de Todos os Santos, and was the most important city during the colonial period. It was in fact the country’s capital from 1549 to 1763. It has a population of 2.7 million and the Arena Fonte Nova, with its 52,048 capacity, will showcase six games. Its main attractions are: Pelourinho, the great star in the historic centre, with its slope in small stones, and full of façades in pastel hues, a World Heritage site; its fine churches, among which the highlights are the Catedral Basílica de Salvador, the church of São Francisco and the church of Nossa Senhora da Conceição da Praia; and the Lacerda lift, which has connected downtown with the upper part of the city since the 19th century.

68 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


um fim-de-semana em... a weekend in...

WAHOLAMA LODGE, NO LUBANGO

AMBIENTE ACOLHEDOR

EM LOCAL RECATADO WAHOLAMA LODGE, IN LUBANGO. A PLACE BOTH WELCOMING AND DISCREET Texto/text e Fotos/Photos: Carlos Lousada

No sopé da colina da Senhora do Monte, na cidade do Lubango, em local recatado por entre a sombra de um arvoredo de eucaliptos apresenta-se o Waholama Lodge - aldeamento turístico com vocação para acolher visitantes de todos os gostos e destinos, na já de si acolhedora capital da província angolana da Huíla.

70 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Nestling near the bottom of the Senhora do Monte hill, in the town of Lubango, there is a discreet spot shaded by a eucalyptus grove, and it’s here that you’ll find Waholama Lodge – a tourist village developed to welcome visitors from all tastes and destinations, in the, by itself, cosy capital of the angolan province of Huíla.

Aldeamento turístico dotado de piscina em espaço ajardinado e arborizado Tourist village with swimming pool in a beautiful landscaped with a wooded garden


um fim-de-semana em... a weekend in...

Na língua local Nyaneka Nkhumbi, falada na Huíla, o termo 'Waholama' traduz-se em português para algo 'discreto' - o que acontece precisamente com este aldeamento turístico, porém inserido no cenário onde anualmente se realizam no Lubango as Festas da Nª Senhora do Monte. Por ocasião das festas, o Waholama Lodge é o estabelecimento hoteleiro melhor preparado e mais à mão para receber os participantes e assistentes do Grande Prémio da Huíla em automobilismo. O aldeamento compõe-se de bungalows do género casas rurais, das quais 13 do tipo suite e 15 quartos normais, cada um deles com divisões e recheio que dependem do seu nível, mas todos eles com geleira e Tv satélite. Dispõe ainda de duas suites familiares, com sala de estar, duas casas de banho e dois quartos (um com cama de casal e outro com três camas simples). São todos cobertos de colmo, o que mantém a frescura interna mesmo nos dias mais ensolarados, tendo em conta a altitude em que o estabelecimento se localiza e o facto de a temperatura amena ser a nota dominante nesta província planáltica. Os hóspedes dos bungalows têm ao dispor uma acolhedora piscina, implantada em área ajardinada onde despontam árvores, arbustos, plantas e flores que mantêm a vivacidade durante todo o ano, proporcionando ao local um ambiente acolhedor e familiar. A farta iluminação permite o acesso à piscina no período nocturno, tornando-se no local mais procurado pelos casais apaixonados após o jantar. E o restaurante funciona das 6horas da manhã às 23horas, que além de servir pequenos-almoços, almoços e jantares também tem capacidade para acolher, no salão de festas, cerimónias de casamentos, aniversários e outros ambientes de confraternização (o visual feminino e masculino podem ser tratados no salão de beleza). Possui um serviço de buffet invejável, sob a batuta de um chefe de cozinha com muita experiência em comida nacional e internacional, com relevo para a gastronomia angolana caseira. Para reservas e outras informações, os contactos devem ser feitos através do número de telefone 923527501.

72 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

In the local language which is spoken in Huíla – Nyaneka Nkhumbi – the term 'Waholama' means something 'discreet' – and this is precisely the case of this tourist village development, which is also part of the Lubango landscape when the Festival of Nª Senhora do Monte takes place every year. At festival time, Waholama Lodge is the best prepared hospitality accommodation and the easiest to get to for both those watching and those taking part in the Huíla Grand Prix motor racing event. The village is made up of bungalows designed as rural cottages, of wich 13 have suites and 15 have standard bedrooms, each one with rooms and fittings depending on the level, but all with ice-box and satellite TV. There are also two family suites, with a living room, two bathrooms and two bedrooms (one with a double bed and the other with three single beds). They all have straw roofs, keeping the interior cool even on the sunniest days, bearing in mind the altitude and the fact that the mild temperature is the dominant note in this province on the high plains. Guests who take the bungalows can use an inviting swimming pool, nestling in a la garden area where trees, bushes, plants and flowers sprout up, keeping their freshness all year long. All this provides a cosy and familiar atmosphere to the place. There is full lighting, allowing the swimming pool to be used at night, and this makes it the most sought-after place for the couples in love after dining. The restaurant is open from 6 am to 11 pm, and besides serving at breakfast, lunch and dinner time it can also cater for weddings, anniversaries and other gatherings in the banqueting hall (having a beauty saloon for men and women). It has an enviable buffet service, under the aegis of a chef with great experience in both local and international cuisine, the highlight being home cooking angolan style. For bookings and other information, contact should be made by phone, on 923527501.

www.taag.com • call center 923 190 000


raio-x x-ray

Carlos Ferreira

“Cassé” Uma vida que dava um romance

A life that could be a novel Texto/text: Miguel Gomes Fotos/Photos: Carlos Lousada

É irreverente no sentido mais nobre da palavra. Tem o

He is irreverent in the noblest sense of the word. His

coração aos sobressaltos com as injustiças e os descami-

heart trembles with the injustices and the disrup-

nhos da humanidade. Fala de humanismo todos os dias –

tiveness of mankind. He speaks of humanism every

como se fosse uma estratégia para evitar o esquecimen-

day – as if it was a strategy to avoid forgetting an es-

to de uma ideia essencial. Este é um resumo singelo de

sential idea. This is a simple summary of a path ma-

um trajecto feito de jornalismo, música e poesia. Este é

de of journalism, music and poetry. Carlos Ferreira,

Carlos Ferreira, ou simplesmente “Cassé”.

or just "Cassé".

Que influências teve no seu trajecto? Que ambiente se vivia em sua casa no que diz respeito à leitura, à política, à maneira de estar na vida? Embora pertencendo à burguesia – meu pai era um advogado prestigiado e minha mãe professora de Inglês há muitos anos – a minha formação desde miúdo foi naturalmente influenciada pelo modus vivendi de meus pais. Eu nasci muito tarde (meus pais tinham 55 e 40 anos, respectivamente) e tive uma infância comum, no sentido das brincadeiras idênticas a todos os que têm a mesma idade. O facto de haver hábitos consolidados de leitura, de música, de cinema, de teatro, junto com as histórias de ambas as famílias de onde descendo – embora de formas diferentes, mas ambas com grande sentido de autonomia, de liberdade, de consciência moral e ética, e sentido de honestidade, evidentemente que foram fundamentais para mim – a longo prazo, porque, no imediato a minha vida não era diferente da dos outros e das outras crianças da minha idade.

What influences did you have on your path? How were things in your house regarding reading, politics, and your way of being? Though belonging to the bourgeoisie - my father was a prestigious lawyer and my mother was an English teacher for many years - my training since I was a kid was naturally influenced by my parents’ modus vivendi. I was born late (my parents were 55 and 40 years old, respectively) and I had an ordinary childhood, I played the same games that all the kids with the same age played. The fact that there were consolidated habits of reading, music, cinema, theater, along with the stories of both my families - although in different ways, but both with a great sense of autonomy, of freedom, of moral conscience and of ethics, and a sense of honesty, of course, that that was fundamental for me – in the long term, because in then my life was no different from the other kids of my age.

Quando jovem e criança, em Luanda, que tipo de vida fazia? Como ocupava os tempos livres?

74 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

When you were young what kind of life did you had in Luanda? How were your leisure moments? I had a very difficult phase as a child. We never knew if it was

www.taag.com • call center 923 190 000


raio-x x-ray

Tive uma fase muito complicada quando criança. Nunca se soube se foi o que hoje se chama de poliomielite. Meus pais levaram-me para Portugal, para a Parede, uma praia famosa pelos efeitos curativos dos seus raios solares, e aí fiz a minha 4ª classe. Os melhores médicos que meus pais consultaram não foram capazes de me curar. Acabei por voltar para a terra, e com as mãos da minha querida tia Guinhas e muita natação, em seis meses estava curado. O resto é o comum. Fiz minibasquete no Benfica, ainda a sede era junto às instalações da LAC (Luanda Antena Comercial). Natação no Clube Nun´Álvares, ténis no Clube de Ténis de Luanda. E as brincadeiras habituais… bicicleta, futebol no quintal, carrinhos de rodas, por aí a fora… Em 2008, teve uma passagem por Portugal para estudar, mas rapidamente regressou à base… Foi mais uma passagem (risos) … Voltei a fazer o 12º ano, porque não aceitavam o meu antigo 7º ano. Queria mesmo formarme para poder fazer algo de que gosto muito. Tinha duas escolhas: Literaturas de Expressão Portuguesa ou História. Para poder dar aulas. Infelizmente, pela terceira ou quarta vez, não consegui ficar fora da terra por muito tempo e… voltei a desistir. Mas a vida dá tantas voltas, que um dia desses ainda volto a insistir. Olhe, se as profissões que abraço – o jornalismo, a literatura e a música – começarem a conseguir que a gente não viva quase na indigência… Entre nós, é bom lembrar, são profissões de pobre, principalmente quando se é independente e se quer ter vontade própria e autonomia de pensamento.

76 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

what today is called poliomyelitis. My parents took me to Portugal, to Parede, a famous beach for its healing sunlight effects and then I finished my 4th grade. The best doctors that my parents consulted were not able to heal me. I finally come back, and with the hands of my dear aunt Guinhas and with lots of swimming, I was cured in six months. The rest is common. I played mini basketball in Benfica, the headquarters was still adjacent to the facilities of LAC (Luanda Antena Comercial). Swimming in the Nun'Álvares Club, tennis at the Tennis Club of Luanda. And the usual games ... bike, backyard football, wheeled carts, and so on... In 2008, you had a brief passage through Portugal to study, but you quickly returned to base... It was just a stop (laughs)... I went back to graduate because they didn’t accept me with the grade I had. I really wanted to graduate to be able to do something that I really like. I had two choices: Portuguese Expression Literature or History, to be able to teach. Unfortunately, by the third or fourth time, I could not stay away from my land for a long time and I came back... so I had to quit again. But life takes many turns and one of these days I will try again. Look, if the professions I embrace - journalism, literature and music – someday will allow me not to live in the imminence of almost poverty... Between us, it is good to remember that these are professions of poor people, especially when we work as independents and want to have a will of our own and autonomy of thought.

www.taag.com • call center 923 190 000


raio-x x-ray

When did you start writing? What did you read when you were young that marked you and stimulate you to write? As I said, there is a set of circumstances that “pushed” me, not right away to writing but for specific cultural interests. I remember reading the Brothers Grimm, and try to invent a story from what I was reading. I remember accompanying my parents at home, listening to discs that my older brother, then in Paris for not having to join the colonial troops, sent us: Louis Cília, Ruy Mingas, Adriano Correia de Oliveira, Zeca Afonso, Patxi Andion. I remember my father taking me, at the age of 12, to the Rotary Club of Luanda, where he occasionally gave lectures, which were clearly marked by a Marxist training. From my mother, a true Catholic – I speak about the values advocated by John XXIII and Paul VI. I remember not finding a big difference between what each of them defended - he, communist democrat, with a long tradition of antiSalazar fight and pioneer in the struggle for the independence of Angola; and her, religious in the more humanistic and liberating sense that all beliefs can have.

Quando começou a escrever? E que leituras fez enquanto jovem e que o marcaram e deram estímulos para escrever? Como disse, há um conjunto de circunstâncias que me “empurram”, ainda não para escrever mas para interesses culturais específicos. Lembro-me de ler os Irmãos Grimm, e estar a tentar inventar uma estória num caderno do ciclo preparatório, a partir do que estava a ler. Lembro-me de acompanhar os meus pais em casa, a ouvir discos que o meu irmão mais velho, então em Paris para não fazer a tropa colonial, nos mandava: Luís Cília, Ruy Mingas, Adriano Correia de Oliveira, Zeca Afonso, Patxi Andion. Lembro-me de o meu pai me levar, com 12 anos, ao Rotary Clube de Luanda, onde fazia de vez em quando palestras, já claramente de quem tinha uma formação marxista. De minha mãe, católica de verdade – falo dos valores defendidos por João XXIII e por Paulo VI. Lembro-me de não encontrar grande diferença entre o que cada um deles defendia – ele, comunista democrata, já com uma grande tradição de luta anti-salazarista e pioneiro da luta pela independência de Angola; ela, religiosa no sentido mais humanista e libertador que todas as crenças podem ter.

78 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Those experiences and memories were important for the future? Absolutely! I remember the holidays in Portugal, in the Algarve, in Fuzeta beach, where we went with a couple who were friends of my parents, Carolina and António Duarte and where I met, I was ten/eleven years old, Zeca Afonso, who also had a great impact on me. I remember two plays that really touched me in 1972, the auditorium that would be called Rui Carvalho was still under construction, in the then Official Broadcaster today National Radio: “Fedra” and “Antígona”, by the Experimental Company of Cascais, by Carlos Avillez, that my parents took me to see. I even saw the Soviet version of the great “War and Peace”, around the same time, at the then Cinema Império, today Atlântico, in the midnight sessions that we already had available. I remember the lunches at “Mãe-Preta” with Angolan musicians, Dionísio Rocha , for example, in “Chá das 6”, or going with my mother to Maxinde, to listen to Elias Diá Kimuezo... The lunches at Vilela with Professor Maria Helena Fernandes Teixeira (my great English teacher) and Dr. Fernando Teixeira, among many others, whenever Dr. Arménio Ferreira came to Angola. From the age of 14, reading became endless - Romain Rolland, “Jean-Christophe”, “Os Subterrâneos da Liberdade”, “O Cavaleiro da Esperança” by Jorge Amado. Or the films “Z, Orgia do Poder”, “Chove em Santiago” and the story of the fall of the regime of Salvador Allende with the support of the Unites States. In the first 1st of May in Portugal, where we were due to my father’s health, right after the 25th of April. This could be a novel. According to my knowledge, you were the founder of the Brigadas Jovens de Literatura (Youth Brigades of Literature). What happened to it? Which reasons led to its creation? And in your opinion what work should be done in order to young people read more and have access to more books? Actually, I was co-founder of the Youth Literature Brigade of

www.taag.com • call center 923 190 000

Essas vivências e memórias foram importantes para o futuro? Claro! Assim de repente vêm à memória algumas férias passadas em Portugal, no Algarve, na Praia da Fuzeta, que frequentávamos com um casal amigo de meus pais, a Carolina e o António Duarte, e onde conheci, tinha eu dez/onze anos, o Zeca Afonso, que também me marcou profundamente. Lembro-me de duas peças de teatro que me atingiram “em cheio”, em 1972, estava ainda em construção o auditório que viria a ser chamado de Rui Carvalho, na então Emissora Oficial, hoje Rádio Nacional. A “Fedra” e a “Antígona”, da Companha Experimental de Cascais do Carlos Avillez, que meus pais me levaram a ver. Até a versão soviética do grande “Guerra e Paz” vi, por volta da mesma época, no então Cinema Império, hoje Atlântico, nas sessões da meianoite que já tínhamos à nossa disposição. Lembro-me dos almoços na “Mãe-Preta”, com músicos angolanos, do Dionísio Rocha, por exemplo, no “Chá das 6”, ou de ir com a minha mãe ao Maxinde, ouvir o Elias Diá Kimuezo… Dos almoços no Vilela com a Dra. Maria Helena Fernandes Teixeira (minha grande professora de Inglês) e o Dr. Fernando Teixeira, entre muita gente, sempre que o Dr. Arménio Ferreira vinha a Angola. A partir dos 14 anos, tornaram-se intermináveis as leituras – Romain Rolland, “JeanCristophe”, “Subterrâneos da Liberdade”, “O Cavaleiro da Esperança”, de Jorge Amado. Ou os filmes “Z, Orgia do Poder”,

Luanda, with other friends like Joaquim Boavida, António Fonseca, Carlos São Vicente, Victor Fontes, Kudijimbe, Luís Rita, who is now an ophthalmologist, among many others. It must be said that the idea of founding the Brigade had in common, besides liking literature, reading and writing, a certain agitation concerning the way the juvenile proceedings occurred. We had immediate support of the Union of Writers, we instigated debates, organized lectures, we published two notebooks we called “Aspiração” (Aspiration) (very interesting) and two or three little books. The understanding and strength, in addition to our own will, came to us from Luandino Vieira, António Jacinto, my father, Manuel Rui, Pepetela, Dario de Melo, Octaviano Correia... As for the other brigades we had nothing to do with them. In fact, because we anticipated what was coming next, ie , the loss of autonomy and independence of BJL (YLB), we organized an act in which we extinguished it. Period. How did you live your independence? And how did you end up in journalism and RNA? In a mix of some disquiet, of course, but with much hope; dreams, illusions, projects that time and reality, as everything in life, placed in the right place. The radio appears from a


raio-x x-ray

Sonhos e projectos que o tempo deu o devido lugar Dreams and projects that time placed in the right place

“Chove em Santiago” e a história da queda do regime de Salvador Allende com o apoio dos Estados Unidos. O primeiro 1º de Maio em Portugal, onde, por razões de saúde de meu pai, estávamos, logo-logo a seguir ao 25 de Abril. Isto dava um romance. Segundo julgo saber, foi fundador das Brigadas Jovens de Literatura. O que é feito delas? Que razões levaram à sua criação? E que trabalho deve ser feito, na sua opinião, para que os jovens leiam mais e tenham acesso a mais livros? Na verdade, fui co-fundador da Brigada Jovem de Literatura de Luanda, com outros amigos como o Joaquim Boavida, o António Fonseca, o Carlos São Vicente, o Victor Fontes, o Kudijimbe, o Luís Rita, que hoje é oftalmologista, entre muitos outros. É preciso dizer que a ideia da fundação da Brigada tinha em comum, além do gosto pela literatura, e daí pela leitura e pela escrita, um certo mal-estar relativo à forma como o processo juvenil decorria. Tivemos apoio imediato da União dos Escritores, provocámos debates, organizámos palestras, publicámos dois cadernos a que chamámos “Aspiração” (muito interessantes) e dois ou três livrinhos. A compreensão e a força, para além da vontade própria, veionos do Luandino Vieira, do António Jacinto, de meu pai, do Manuel Rui, do Pepetela, do Dario de Melo, do Octaviano Correia… Quanto às outras brigadas, não tivemos rigorosamente nada a ver com elas. Aliás, como já sabíamos o que viria a seguir, ou seja, a perda da autonomia e da independência da BJL, tratámos de organizar um acto em que a extinguimos. Ponto final. De que forma viveu a independência? E como foi parar ao jornalismo e à RNA? Numa mistura de algum desassossego, como é natural, mas também de muita esperança. Sonhos, ilusões, projectos, que o tempo e a realidade, como em tudo na vida, acabou por

80 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

response to an ad placed by the direction of the station, asking for writers, broadcasters... Already with Rui carvalho directing the radio station. I had finished the then 7th grade, at the age of 17, I wanted to work, to contribute, as it was then said, to deepen the process of national independence. And I remained there for 19 years, with a year and a half break, when I was in the press office of the Presidency, at the invitation of a close friend and respected colleague, José Patrício. I ended up returning to where I was born and where I felt more useful. They perfectly understood my point of view and I returned to the radio from where I had left in 1996, when I was program director. How did you begin to start writing lyrics to musicians? It is an activity that arises from poetry? Which works in this area gave you the most pleasure? I already wrote some poems - today I wouldn’t call “that” poems, but whatever. In 1982 I met Bruno Lara, and through him, Eduardo Paim. I immediately started writing, quickly and energetically, because while poetry is often accompanied by loneliness, writing to music, especially when it is done in the moment, gives you much more pleasure. The words appear over the musical notes, or the notes are being created around the words. It requires a lot of complicity and hours of great satisfaction. We had the full support of the National Radio, so we recorded the songs, sometimes until morning. Meanwhile, I have worked with several composers over the years: after Eduardo Paim (my brother in the roads of life...), Mamborrô,

www.taag.com • call center 923 190 000


raio-x x-ray

colocar no seu devido lugar. A Rádio vem de uma resposta a um anúncio posto pela direcção da emissora, a pedir redactores, locutores…Já com o Rui Carvalho na direcção da emissora. Tinha acabado o então 7º ano, com 17 anos, queria trabalhar, contribuir, como se dizia então, para o aprofundamento do processo de independência nacional. E por lá fiquei 19 anos, com um ano e meio de interrupção, em que estive na assessoria de imprensa da Presidência da República, a convite de um grande amigo e respeitado colega, o José Patrício. Acabei por voltar à casa onde nasci e onde me sentia mais útil. Entenderam perfeitamente o meu ponto de vista e regressei para a Rádio de onde saí em 1996, quando era director de programas. Como começou a escrever letras para músicos? É uma actividade que decorre da poesia? Que trabalhos nesta área lhe deram mais prazer? Já escrevia alguns poemas – hoje à distância não chamaria “aquilo” de poemas, mas enfim. Por volta de 1982 conheci o Bruno Lara e, através dele, o Eduardo Paim. Comecei logo a escrever, rapidamente e em força, porque enquanto a poesia é muitas vezes acompanhada da solidão, a escrita para música, principalmente quando é feita no momento, dá muito mais prazer. As palavras vão nascendo por cima das notas musicais, ou as notas vão sendo criadas à volta das palavras. Exige muita cumplicidade e horas de muita satisfação. Tínhamos todo o apoio da Rádio Nacional, então gravávamos as músicas, às vezes até de manhã. Entretanto, fui trabalhando com vários compositores ao longo dos anos: depois do Eduardo Paim (meu irmão das estradas da vida…), o Mamborrô, o Joseca, o Ângelo, o Dino Costa (que era do grupo de dança do nosso conjunto, o SOS). Mais tarde, o Paulo Flores – com quem é especialmente gratificante trabalhar – o Carlos Lopes, grande compositor, o Gabriel Tchiema, com quem tenho uma música lindíssima, ainda por gravar, a grande Ana Maria de Mascarenhas, uma experiência muito interessante com o Don Kikas, o Ciro Bertini, grande arranjador e músico de primeira água. Das gerações mais novas, essencialmente o Kizua Gourgel e a Aline Frazão, dois profissionais que admiro profundamente. Que opinião tem acerca da poesia que se vai publicando no país? Como em tudo, há o bom e há o mau. A poesia, como a música, como o teatro, parece ter acabado por se tornar, não numa actividade decorrente de uma opção de vida, mas numa forma de ascender socialmente, de aparecer aqui e acolá, de chamar à atenção para o nome do autor ou da autora. Uma espécie de “publico, logo existo, logo torno-me importante…”. Mas temos grandes poetas, nas gerações que dão corpo à sua carreira depois da independência. E das gerações seguintes também: assim de repente, lembro-me de Botelho de Vasconcelos, João Maimona, Maria Alexandre Dáskalos, José Luís Mendonça, Lopito Feijó, Nok Nogueira, a Irene Neto que, infelizmente pouco publica, Amélia Dalomba, Ondjaki, ainda são bastantes, felizmente…

82 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

A escrita para a música dá mais prazer Writing to music is more pleasant

Joseca, Ângelo, Dino Costa (who was part of the dancers of our group, the SOS). Later, Paulo Flores – with whom is especially rewarding to work - Carlos Lopes, great composer, Gabriel Tchiema, with whom I have a beautiful song, yet to be recorded, the great Ana Maria Mascarenhas, a very interesting experience with Don kikas, Ciro Bertini, great composer and musician. From the younger generations, essentially Kizua Gourgel and Aline Frazão , two professionals who I deeply admire. What is your opinion about the poetry that is published in the country? As with everything, there is good and there is bad. Poetry, like music, like theater, seems to have becoming, not an activity due to a lifestyle choice, but a form of social uprise, appearing here and there, to draw attention to the author's name. A sort of “I publish, therefore I am, so I become important...”. But we have great poets in the generations that developed their career after independence. And also the following generations: I remember Botelho de Vasconcelos, João Maimona, Maria Alexandre Dáskalos, José Luís Mendonça, Lopito Feijó, Nok Nogueira, Irene Neto, that unfortunately publishes very little, Amélia Dalomba, Ondjaki fortunately they are quite a few...

www.taag.com • call center 923 190 000


classe executiva executive class

Maria do Carmo Medina deixou bem vincado o seu nome à História Maria do Carmo Medina left her name imprinted in History

Maria do Carmo Medina Uma vida de humanismo e consagração histórica A life of humanism and a warranted place in history

Texto/text: Miguel Gomes Fotos/Photos: Bruno Miguel

Juíza Jubilada e Professora Doutora, Maria do

Maria do Carmo Medina, retired judge and a teacher

Carmo Medina faleceu por doença no dia passado

with a PhD, died in Lisbon from an illness on

dia 10 de Fevereiro, aos 88 anos, em Lisboa. “A

February 10, aged 88. Both the authorities and

Justiça angolana verga-se à memória de um dos

employees from her field agreed on the occasion

pilares do Direito e da Justiça da História da

“Angolan justice bows to the memory of one of the

Nação”, sublinharam a propósito as autoridades e

pillars of law and justice in the history of the nation.”

funcionários do ramo. Em sua memória, a Austral

Austral is reprinting (with a few changes) the article

reproduz, com pequenos ajustes, o texto que

that was published in number 86 (July/August 2011)

publicou na sua edição nº 86 (Julho/Agosto 2011)

in the Classe Executiva section, in the memory of a

em Classe Executiva, ela que enveredou pelo

woman who travelled down the paths to knowledge

caminho do conhecimento e da Academia, editou

and academia, published books and always defend-

livros e defendeu sempre os Direitos Humanos.

ed human rights.

84 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


classe executiva executive class

Homenagem - um abraço fraterno de bons amigos Tribute - a fraternal embrace of good friends

Maria do Carmo Medina nasceu em 7 de Dezembro de 1925, em Lisboa (Portugal). Desde criança passou por várias cidades e culturas, costumes e referências que acabaram por deixar subsídios para o futuro. Até 1938 dividiu o tempo entre Macau (hoje território autónomo integrado na China), à época uma colónia portuguesa, e a cidade do Porto, onde viria a concluir o Liceu e a sua formação superior em Direito. “Todo o percurso feito na viagem da minha infância para o Extremo Oriente, a vivência com culturas e raças diferentes, as fortes raízes de amizades que constituí com crianças de outras origens permitiram-me uma visão alargada do mundo e das suas diversas realidades”, contou a advogada à Revista Austral. A conversa, via correio electrónico, ocorreu pouco tempo depois de ter sido homenageada em Luanda, em Abril de 2011, pela Associação 25 de Abril (instituição angolana cuja denominação celebra o fim do fascismo e do colonialismo português). O motivo era homenagear uma figura antifascista e de profundas convicções democratas, além de ter sido a primeira mulher a exercer a advocacia em Angola. Na sua intervenção durante a homenagem, que marcou o ponto alto das celebrações do 37.º aniversário da “Revolução dos Cravos”, Maria do Carmo Medina referiu que, mais do que uma homenagem, a cerimónia foi “um abraço fraterno de bons amigos”. A advogada, professora e defensora dos Direitos Humanos destacou também a persistência de alguns “portugueses progressistas que, desde os anos mais

86 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Maria do Carmo Medina was born on 7 December 1925 in Lisbon (Portugal). From an early age, she moved through various cities and cultures, customs and references that left markers for the future. Up to 1938 her time was divided between Macao, at the time a Portuguese colony (now an autonomous territory integrated in China), and the city of Oporto, where she finished her secondary schooling and her university level studies in Law. The lawyer confides in Austral: “From my childhood in the far east, living cheek and jowl with different cultures and races, the strong ties of friendship that I built up with children from other backgrounds gave me a wider vision of the world and its multiple realities.” The conversation was by e-mail and took place soon after she was honoured in Luanda in April 2011, by the 25 April Association Angolan institution whose name celebrates the end of Portuguese fascism and colonialism). The purpose was to honour an anti-fascist figure with deeply held democratic beliefs, apart from being the first woman to practise Law in Angola. The moment marked the high spot in the 37th anniversary of the “Carnation Revolution”, and in her speech, Maria do Carmo Medina referred to the fact that the ceremony was more than a homage, it was “the fraternal hug of good friends.” The lawyer, teacher and defender of human rights highlighted the persistence of a number of “progressive Portuguese who, from the most difficult years that marked the rise of the Angolan nation, were present and helped to strengthen the ties of friendship between the two countries peoples.” But let’s go back in time, since looking at the past is to put the pres-

www.taag.com • call center 923 190 000


classe executiva executive class

difíceis que marcaram o surgimento do Estado angolano, estiveram presentes e ajudaram a fortalecer os laços de amizade entre os dois povos”. Mas recuemos na história, porque olhar para o passado é contextualizar o presente: em 1938, por altura da sua presença em Macau, a China estava a sofrer a invasão japonesa. Pela primeira vez, Maria do Carmo Medina soube interpretar o significado da palavra “refugiado”, ao ver milhares de pessoas à procura de refúgio no antigo território português. Nesse mesmo ano de 1938 regressa a Portugal, onde se confronta com “um país em pleno fascismo, retrógrado e opressivo”. Recorda-se de que o ambiente na Faculdade de Direito de Lisboa de então “era muito conservador, sendo frequentada na maioria ou por filhos de políticos do sistema ou por jovens brasonados, oriundos de famílias com o peso da tradição”. Começa aqui a actividade política de Maria do Carmo Medina. “Havia na Faculdade um pequeno núcleo de estudantes de esquerda e, a partir do segundo ano, comecei a tomar parte das actividades do MUD Juvenil. O período da 2ª Guerra Mundial foi muito difícil, mesmo em Portugal, dadas as restrições (políticas) que havia e seguíamos com ansiedade o decurso da guerra, que terminou com a vitória dos ditos Aliados”, explica. A actividade política ao lado de movimentos de esquerda marcaram-na junto das instituições portuguesas, que se encarregavam de espiar, coarctar e acompanhar os passos dos cidadãos através da tenebrosa polícia política PIDE – Polícia Internacional de Defesa do Estado. Chegou a subscrever documentos do MUD a pedir eleições livres em Portugal, pelo que foi chamada à PIDE pela primeira vez. Como ainda era menor de idade, tinha 19 anos, “concluíram que não podia assinar nada!” Com o curso de Direito terminado, fez o estágio obrigatório na Ordem dos Advogados de Portugal (era a única carreira aberta às mulheres), tenta encontrar trabalho em diversos lugares, o que lhe foi negado devido à má informação policial. Assim sendo, começou a desenhar-se algures no destino, em 1950, a sua relação com Angola, como Maria do Carmo explica: “nessa contingência, e sem conhecer o país, resolvi em menos de duas semanas embarcar para Angola!” Angola! Maria do Carmo Medina parece quase uma guardiã de factos históricos. Primeiro Macau, com as consequências da invasão japonesa à China. Depois Portugal e a febre fascista de António de Oliveira Salazar, o então ditador português. De seguida Angola, em 1950, e a constatação, in loco, das agruras de um sistema colonial falido à nascença. Em Luanda, “dei aulas nesse ano lectivo no Liceu Salvador Correia”, começa por contar Maria do Carmo Medina, onde se foi apercebendo do escalonamento racial dos alunos. “A minha primeira impressão sobre a sociedade colonial foi de grande choque. No entanto, só gradualmente me fui apercebendo como o sistema estava montado e toda a dimensão

88 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

O passado a contextualizar o presente The past contextualizing the present

ent in perspective: in 1938, when she was in Macao, China was being swept by the Japanese invasion. For the first time, Maria do Carmo Medina knew what the word “refugee” meant as she watched thousands of people looking for refuge in what was then a Portuguese land. In the same year, she returned to Portugal, where she was confronted by “a country deep in the grips of fascism, retrograde and oppressive.” She remembers that the atmosphere in the Lisbon Law School at the time “was very conservative. It was peopled mainly either by the sons and daughters of politicians who were part of the system or youngsters whose families had a coat of arms, with

www.taag.com • call center 923 190 000

das grilhetas impostas ao povo angolano. Aparentemente, era uma sociedade pacífica e ordenada”, mas... Inscreveu-se como advogada e abriu escritório no primeiro andar do prédio da Livraria Lello, em Luanda, onde começaram a afluir “uma série de pessoas que, por coincidência (ou não!), não encontravam quem as defendesse dos poderosos que estavam do outro lado. Tinha como chefe no meu escritório Álvaro Fontes Pereira Galiano, filho da terra, que me levou a conhecer muito melhor a verdadeira realidade do que estava subjacente ao regime colonial. E não era só a situação clamorosa do indígena, mas toda uma avassaladora estratégia para desapossar a pequena burguesia angolana dos bens que ainda lhe restavam”. Quando foram desencadeadas as primeiras prisões de presos políticos angolanos em 1959, a então jovem advogada já conhecia muitos deles e, “por questões ideológicas profundas, tinha que estar ao lado deles na sua luta titânica contra a opressão colonial”, afirma, acrescentando que teve a oportunidade de conhecer e conviver com destacados nacionalistas angolanos. Ela revela: “tive o privilégio de conviver com Joaquim Pinto de Andrade (nacionalista e um dos fundadores do MPLA, actual partido no poder), antes dele ter sido preso, e de manter conversas muito esclarecedoras com o grande intelectual Ilídio Machado, já na cadeia e enquanto sua advogada. Recolhi deles elementos esclarecedores que me fizeram abarcar melhor os fundamentos da sua luta pela independência de Angola”. Com efeito, ela participou, na altura, em julgamentos em quase todos os tribunais de Angola, elaborando petições e reclamações junto das autoridades administrativas e governativas, predominantemente em representação de funcionários angolanos relegados para as mais baixas categorias do funcionalismo público e defesa de direitos de propriedade de famílias angolanas. Interpôs recursos junto das mais altas instâncias então sedeadas em Lisboa, como o Supremo Tribunal de Justiça, Supremo Tribunal Militar, Conselho Superior Ultramarino. Participa em quase todos os julgamentos dos presos políticos angolanos e representa-os em inúmeras petições e recursos administrativos dirigidos às autoridades coloniais. Neste campo, destaca-se a sua intervenção na defesa dos acusados do famoso “Processo dos 50”, que constituiu um conjunto de três processos políticos, iniciado a 29 de Março de 1959 com as prisões de vários nacionalistas angolanos, terminando em 24 de Agosto do mesmo ano com a última prisão. O nome dado ao processo deve-se ao facto de Joaquim Pinto de Andrade, um dos detidos, ter enviado ao seu irmão que vivia no exterior, Mário Pinto de Andrade, um folheto denunciando a prisão de 50 nacionalistas. A denúncia internacional destas prisões deu a conhecer ao mundo o que se passava em Angola, desmascarando as verdadeiras intenções das autoridades coloniais. Segundo Maria do Carmo Medina, a sua intervenção foi no sentido da defesa do direito de autodeterminação dos povos, que já era

www.taag.com • call center 923 190 000


classe executiva

classe executiva

executive class

executive class

the weight of tradition on their shoulders.” This is when Maria do Carmo Medina’s political activism began. As she explained: “There was a small group of left-wing students at the Faculty and from the second year I began to take part in activities organised by the junior branch of the MUD. The 2nd World War was a difficult time, even in Portugal, given the restrictions that there were (political) and we followed the to and fro of the war, which finished with the victory.” Her political activity with the left-wing movement left its mark at the Portuguese institutions, where the order of the day was to spy, restrict and monitor the steps of people, using the PIDE – Polícia Internacional de Defesa do Estado (the International Police for the Defence of the State), the State’s shadowy political police. She even penned her name to MUD documents asking for free elections in Portugal, and for this she was called by the PIDE for the first time. As she was still under age (she was 19) “they concluded that I couldn’t sign anything!” When she finished her course in Law, she did the mandatory training period of the Portuguese Bar Association (this was the only career open to women), and then she applied for a number of positions, which she was refused because of the black mark from the political police. As this was happening, somewhere along the line, her destiny with Angola was being forged, and in 1950, as she explained: “given these circumstances and without knowing anything of the country, in two weeks I had made up my mind: I was going to take a ship to Angola!” Angola! Maria do Carmo Medina seems almost like a guardian of historical moments. First Macao, with the consequences of the Japanese invasion of China. Then Portugal and the fascist fever of António de Oliveira Salazar, then the country’s dictator. And then Angola, in 1950, where she saw, in loco, the vicissitudes of a colony system flawed from birth. Maria do Carmo Medina begins her story in Luanda, “where I gave classes at the secondary school called the Liceu Salvador Correia,” and it was here that she learnt about the racial ladder of the students. “My fist impression of colonial society was one of great shock. However, it was only bit by bit that I saw how the system was set up, and the dimension of the obstacles put in the way of the Angolan people. In appearances, it looked like a calm and orderly society” but... She registered as a lawyer and opened an office on the first floor of the block where there was the Lello bookstore and soon she had “a steady stream of people who, quite by chance or maybe not!) couldn’t find anyone who would defend them against the powerful on the other side. My office was headed by Álvaro Fontes Pereira Galiano, a son of the people, who brought me to see much more clearly the real facts underpinning the colonial regime. And it wasn’t only the pitiful state of the Angolans out in the country, but also a strategy to dispossess the Angolan middle classes of the few goods that they still had, and this was a strategy that swept all before it.” When the political arrests and imprisonment for Angolans first started, in 1959, the young lawyer, as she then was, already knew many of them, and, as she says “for deep ideological reasons, I had to be

90 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

visto na altura como direito internacional à liberdade, excepto nas colónias portuguesas. Na altura, os acusados incorriam em pena máxima, mas foram todos condenados à uma pena mínima de cerca de três anos e máxima de 12 anos. O princípio da autodeterminação dos povos e da liberdade foi sempre defendido pela advogada, visto que na altura já estavam consagrados no Direito Internacional. “Eu invocava as declarações e resoluções das Nações Unidas e as declarações do grande Papa que foi João XXIII, que foi dos primeiros Papas a reconhecer publicamente o direito de autodeterminação dos povos”. Em 1961, começa em Angola a guerra armada pela libertação, a caminho da independência, que foi oficialmente proclamada em 11 de Novembro de 1975. Logo, Maria do Carmo Medina, com a sua longa experiência acumulada e desde sempre ao lado da história, foi enquadrada nas mais importantes esferas do Estado angolano. Ainda em 1975, participa na elaboração da Lei Fundamental do país e na Lei da Nacionalidade. Em 1976, adopta a nacionalidade angolana e ingressa na Magistratura, sendo nomeada Juiz do Tribunal Cível de Luanda. Mais tarde, em 1980, é nomeada Juiz Desembargador do Tribunal da Relação de Luanda. Entre 1976 e 1990, colabora no estudo e preparação de diversos importantes projectos de lei e regulamentos nas áreas do Direito Civil, Direito de Família, Registo Civil, Direito Administrativo, Direito Penal, Organização

on their side in the struggle against colonial oppression”, adding that she had the chance to get to know and live alongside many renowned Angolan nationalist. And she opens up: “I had the privilege to live alongside Joaquim Pinto de Andrade (the nationalist and one of the founders of the MPLA, the party now in power), before he was imprisoned, and to have many elucidating conversations with the great intellectual Ilídio Machado, when I was his lawyer and he was behind bars. I collected these elements, that clarified a great deal for me and I came to a much better understanding of the fundamentals of the struggle for independence in Angola.” In fact she was present at the time in trials at almost all the courts in Angola, drawing up petitions and complaints against the administrative and governing authorities, mainly representing Angolan clerks relegated to the lowest categories in the public service, and also representing the property rights of Angolan families. She mad appeals to the highest courts in Lisbon, such as the Supremo Tribunal de Justiça (Supreme Court), the Supremo Tribunal Militar (Supreme Military Court) and the Conselho Superior Ultramarino (Senior Council for Overseas Territories). She took part in almost all the trials of Angolan political prisoners and represented them in countless petitions and administrative appeals lodged with the colonial authorities. In this area, one of the salient events was her work defending those accused in the famous “Processo dos 50” (The Cae of the 50), which


classe executiva executive class

Judiciária e na elaboração de inúmeros estudos e pareceres. Em 1982, é nomeada Assistente Graduada da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, leccionando a cadeira de Direito de Família e iniciando assim uma destacada carreira académica no país, onde chegou a professora titular e a regente da cadeira de Direito da Família. Em 1990, consolidando ainda mais a sua vida repleta de actividade, chega mesmo a vice-presidente do Tribunal Supremo (jubilada em 1997). Também se destacou ao nível da produção científica, quase sempre mostrando fidelidade aos temas da mulher, da família e dos direitos humanos. Maria do Carmo Medina faleceu aos 88 anos de idade, ela que já tinha visto morrer o seu esposo, Cochat Osório, que nasceu em Luanda em 1917, licenciou-se em medicina pela Universidade de Lisboa e exerceu intensamente e com brio a profissão de médico em Angola. Mãe de um piloto da companhia aérea angolana TAAG, o conhecido comandante Cochat Osório, cujas qualidades de competência, dignidade, rectidão e simplicidade em nada ficam a dever às da sua progenitora.

92 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

was made up of three political cases. It began on 29 March 1959 with the imprisonment of various Angolan nationalists and finished on 24 August with the last imprisonment. The name given to the case comes from the fact that Joaquim Pinto de Andrade, one of those detailed, had written a leaflet for his brother outside the country, Mário Pinto de Andrade, denouncing the imprisonment of 50 nationalists. The international denouncement of these imprisonments showed the world what was happening in Angola, unveiling the true intentions of the colonial authorities. According to Maria do Carmo Medina, what she was doing was to intervene in defence of the right of self-determination of peoples, something that was already seen internationally as a right to freedom, everywhere except the Portuguese colonies. The accused were all liable to maximum sentences at the time, but they got between the minimum term, of around three years, and twelve, which was the maximum. The lawyer always defended the right of people to self-determination and freedom, and in fact these were already statutory in international law. “I invoked the declarations and the resolutions of the United Nations and the declarations of the great Pope João XXIII, who was the first of the popes to publically recognise the right of people to self-determination.” In 1961, the armed struggle for liberation began in Angola, and the path was being paved to independence, which was officially proclaimed on 11 November 1975. At that point, Maria do Carmo Medina, with her long accumulated experience, always on the side of history, found herself among the most important spheres of the State in the country. The same year, she took part in drawing up Angola’s basic legal framework and the Law of Nationality. In 1976, she became an Angolan national, and was appointed to the position of judge in the Civil Court of Luanda. Later, in 1980, she was appointed to the position of Juiz Desembargador (Judge at Supreme Court level) for the Luanda Court of Appeal. Between 1976 and 1990, she collaborated on the study and preparation of a raft of important legal statutes and regulations in the areas of civil law, family law, civil registration, administrative law, criminal law and the organisation of the judiciary, along with countless studies and professional opinions. In 1982, she became Graduate Assistant at the Law School of the University of Agostinho Neto, where she gave classes in family law and in this way started on a distinguished academic career in the country, until she became lecturer and Head of Family Law. In 1990, she gave even more weight to a life already full of activity when she became Vice President of the Supreme Court (taking retirement in 1997). She also stands out for her scientific works, almost always loyal to her themes of women, the family and human rights. Maria do Carmo Medina died at the age of 88. Her husband, whose death she had already witnessed, was Cochat Osório, who was born in Luanda in 1917, took a degree in medicine at the University of Lisbon and was fully and successfully involved in his medical profession in Angola. She was the mother of a pilot in TAAG, the Angolan airline, the well-known commandant Cochat Osório, whose qualities of competence, dignity, rectitude and simplicity are on a par with those of his mother.

www.taag.com • call center 923 190 000


viagens no tempo journeys in time

Conferência de Berlim e “Diáspora Cokwe”

THE BERLIN CONFERENCE AND THE “COKWE DIASPORA” Texto/text: Gilberto Capitango e Agnela Barros Fotos/Photos: Carlos Lousada e Arquivo

Não obstante a irreversibilidade do processo histórico, há factos que, pela sua repercussão e transversalidade, obrigam a uma imersão no passado, na expectativa de que a sua compreensão ajude a melhor equacionar o presente. É o caso da Conferência de Berlim que, no fim do século 19, finda a hemorragia escravocrata diaspórica dos melhores filhos de África, permite às potências europeias encetar a disputa, partilha e ocupação de África, transformando-a num conjunto de territórios disfuncionais. Dir-se-ia que agiam como se o continente fosse terra de ninguém, com total desapreço pelos povos existentes, amordaçados desde então numa invisibilidade quase intransponível. Nesta conjuntura, o coração da terra Lunda é

94 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Despite the irreversibility of the historical process there are facts which, by their repercussion and transversality nature require an immersion in the past, in the hope that their understanding will help to understand the present. This is the case of the Berlin Conference, in the late 19th century, the end of the diaspora slave bleeding of the best sons of Africa, enables European powers to open dispute for the sharing and occupation of Africa, turning it into a set of dysfunctional territories. It could be said that they acted as if the continent was no man's land, with complete disregard for the existing people, silenced since then in a nearly insuperable invisibility. In this context, the heart of the land of Lunda is divided between the

www.taag.com • call center 923 190 000

repartido entre a Angola portuguesa, o Estado Livre do Congo do rei Leopoldo II da Bélgica e o noroeste da britânica Rodésia que, após as independências, tornam-se Angola, República do Congo e Zâmbia, respectivamente. Esta divisão traz consigo a limitação da circulação das pessoas entre as diferentes fronteiras, apesar de constituírem um único povo. As guerras sucedâneas que obrigam à participação de povos do mesmo império Lunda Cokwe, tanto de um como de outro lado das fronteiras, leva a que “gente da mesma tribo e até clãs familiares se tivessem defrontado no teatro militar e muitos encontrassem a morte”, como relatou amargamente um ex-militar das antigas FAPLA. Inexistência de fronteira cultural entre as zonas Todavia, a dispersão de um império por três países, protagonizada pela Conferência de Berlim, não consegue extinguir os laços históricos e de “consanguinidade” na perspectiva territorial, entre os povos. As linhas fronteiriças traçadas, enquanto marcos exógenos, são restritivas mas as populações continuam a fazer as suas vidas no âmbito da identidade cultural comum, bem visível a nível das artes. Especialistas, depois de terem visitado artistas na região angolana, fizeram a travessia da fronteira, respeitando as regras migratórias, e encontraram muitos traços convergentes e semelhantes que indiciam uma raiz comum entre os Lundas, desde a forma de execução das peças e artefactos até a mais simples forma tradicional de concepção, armazenamento e comercialização de blocos destinados a construção de casas. O império Lunda Cokwe era constituído não só por bravos guerreiros, caçadores e comerciantes mas também por muitos artífices de uma execução estética esmerada, com maior vocação para a escultura de carácter decorativo e de temática social, arte mágico-religiosa, arte de decoração corporal, cestaria, fundição tradicional e forja do ferro. A separação de muitas famílias conduz a uma dolorosa perda de partes dos seus bens, quer materiais quer espirituais, representativas da riqueza colectiva do povo. No seu trabalho de campo, os especialistas atrás referidos sentiram também que a actividade artística na região Lunda está a pagar um fardo muito pesado, com a fuga dos fazedores de artes para outras áreas, motivada pela necessidade de sustentação familiar e subsistência diária, tendo as artes passado de actividade artística primária a secundária, contrariando o que sempre foi costume na região, em que o artista ocupava um papel especialíssimo no império Lunda Cokwe. O papel das artes em África Na África ancestral as artes não são meras criações estéticas. Com efeito, assumem um relevo importante em rituais, representando a vida e a morte, a passagem da infância à vida adulta, a celebração de uma nova colheita e o começo da estação da caça. As máscaras produzidas transmitem sempre algum significado para a comunidade, de forma geral, e para cada pessoa, de forma singular. Na cultura Lunda Cokwe a máscara e o mascarado passam a ser uma só pessoa a partir do momento em que o mascarado se reveste dela, ou seja, este encarna o peso, a carga espiritual e simbólica da máscara. Os artistas encarre-

www.taag.com • call center 923 190 000

Portuguese Angola, the Congo Free State of King Leopold II of Belgium and northwestern British Rhodesia and after the independences, became Angola, Republic of Congo and Zambia, respectively. This division brings the limitation of circulation of people between different borders, although they constitute a single people. The surrogate wars that require the participation of people of the same Lunda Cokwe empire, from both side of the borders, leads to “people of the same tribe and even family clans fighting each other in the military theater and many died” as reported bitterly an ex-military of ancient FAPLA. Nonexistence cultural boundary between zones However, the dispersion of an empire for three countries, carried by the Berlin Conference, can not extinguish the historical ties and “consanguinity” in the territorial perspective, among the people. The border lines drawn as exogenous marks are restrictive but the populations continue to live their lives in the context of cultural identity, well visible in the arts. Experts, after having visited artists in the Angolan region have crossed the border, respecting migratory rules, and found many similarities and similar traits that indicate a common root between the Lunda, from the execution of the artefacts to more simple traditional way of designing, storage and selling construction blocks for building houses. The Lunda Cokwe Empire consisted not only by brave warriors, hunters and traders but also by many builders of an elaborate aesthetic execution, with greater vocation for decorative sculpture and social character themes, magical-religious art, art of body decoration, basketry, traditional casting and forging iron. The separation of many families leads to a painful loss of parts of their goods, whether material or spiritual, representing the collective wealth of the people. In their fieldwork, the above-mentioned experts also felt that the artistic activity in the Lunda region is paying a very heavy burden, with the escape of the arts makers to other areas, motivated by the need to support their families, having the arts become secondary, contrary to what has always been the custom in the region, in which the artist held a very special role in the Lunda Cokwe empire The role of the arts in Africa In ancient Africa the arts are not mere aesthetic creations. In fact, they assume an important role in rituals, representing life and death, the passage from childhood to adulthood, the celebration of a new harvest and the beginning of the hunting season. The produced masks always convey some meaning for the community in general, and for each person in singular. In the Lunda Cokwe culture the mask and the masked person become one from the moment the masked person wears it, ie, he embodies the weight, the spiritual and symbolic significance of the mask. The artists responsible for doing these masks should be the best and be within the circle of trust the sovereign or the council of people who gathers around the jango with the Soba. For this reason in the Lunda Cokwe Empire the masks are of a high aesthetic refinement. However, the most creative artistic productions of this culture were ultimately victims of unfair and illegal forms of ownership, having been taken abroad for commercialization.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 95


viagens no tempo journeys in time

Conferência de Berlim (1884) Berlin conference (1884)

Museu do Dundo (Lunda Norte) Dundo Museum (Lunda North)

gues de executar as máscaras deste calibre devem ser os melhores e dentro do ciclo das pessoas de confiança dos soberanos ou do conselho de pessoas, que se reúnem sempre à volta do jango com o Soba. Por esta razão é que, no império Lunda Cokwe, as máscaras são de um requinte estético elevado. Porém, as produções artísticas mais criativas desta cultura acabaram por ser vítimas de formas injustas e ilegais de apropriação, tendo sido levadas para o exterior para comercialização.

“acumular um imenso património intelectual, único a nível mundial, de documentação sobre a arte dos Cokwe e das populações culturalmente afins, nomeadamente Lwinbi, Songo, Lwena, Lucazi, Ovimbundu, Ngangela”. Foi o seu grande colaborador Elias Mwacefo, chefe de aldeia e filho de um prestigiado chefe na sociedade tradicional, que lhe desvendou os costumes, as técnicas e os valores subjacentes às expressões artísticas objecto do seu estudo. Depois deste conhecimento empírico, pormenorizadamente apresentado na obra “Arte Decorativa Cokwe”, publicada em francês em 1961, a especialista prosseguiu com o estudo de outras peças de Arte Cokwe fora de Angola. Assim aparecem os seus numerosos artigos científicos em revistas da especialidade, como “Arts d’Afrique Noire” (Paris), “African Arts” (Los Angeles) e outras. Pelo seu valor e competência, em 1972 é convidada para professora de arte africana na Universidade Livre de Bruxelas. Para Laranjeira (2010), “a familiaridade com as peças de arte africana do museu do Dundo levaramna a um sentido crítico e a um olhar atento sobre o mundo, por vezes ambíguo, do comércio da arte, em particular da arte africana”. Dada a sua competência neste campo, potenciais coleccionadores e compradores efectuam-lhe pedidos de pareceres, tendo ficado surpreendida com imagens de publicidade para venda de peças que lhe eram familiares.

Arte Cokwe da Diáspora Manuel Laranjeira (2010), retirando do conceito de diáspora a noção de “valores culturais desligados das pessoas que os produziram”, pronuncia-se sobre a “Arte Cokwe da Diáspora”. Refere-se principalmente “a peças de escultura, de origem Cokwe ou de populações da mesma área cultural, que saíram de Angola nas mais diversas circunstâncias: levadas por viajantes que as adquiriram por oferta, por troca, por compra, até por pilhagem, etc., objectos esses que estão dispersos (diáspora) por diversos pontos do mundo, principalmente em diferentes colecções europeias, públicas (como é o caso dos antigos museus coloniais) ou colecções privadas das mais diversas proveniências”. Para a divulgação e protecção do património artístico deste povo, contribuiu decisivamente a acção da investigadora francesa Marie-Louise Bastin. Investigação de M. L. Bastin Após conclusão e publicação do seu trabalho sobre as colecções do Museu do Dundo, segundo Manuel Laranjeira (2010), M. L. Bastin lança-se à procura e identificação de peças de Arte Cokwe em todas as colecções de arte africana que pode contactar. Trata-se de uma pesquisa que durou quatro décadas (a investigadora faleceu no ano 2000) e que permitiu

96 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Investigadora francesa Marie-Louise Bastin French investigator Marie-Louise Bastin

Cokwe Art of the Diaspora Laranjeira (2010), removing from the concept of diaspora the notion of “cultural values detached from the people who produced them”, pronounces himself on the “Cokwe Art of the Diaspora”. He mainly refers to “pieces of sculpture, of Cokwe origin or populations of the same cultural area, that left Angola in various circumstances: taken by travelers that acquired them as a gift, as exchange, purchase, even by pillaging, etc., those objects are dispersed (diaspora) by various parts of the world, mainly in different European collections, public (such as the former colonial museums) or private collections from various backgrounds. “For the disclosure and protection of the artistic heritage of this people, has decisively contributed the action of the French researcher Marie-Louise Bastin.

www.taag.com • call center 923 190 000

Dispersão mundial ou primeira diáspora Investigando as colecções angolanas, primeiro na Europa e depois nos Estados Unidos e Canadá, M.L. Bastin enriqueceu a sua documentação e assim foi possível reunir milhares de fotografias para estudos posteriores e esclarecimento de dúvidas. Procurou obras de arte, arte refinada, que classificava como arte de corte, inventariando o que de melhor os Cokwe produziram no auge da sua expansão política em mea-

www.taag.com • call center 923 190 000


viagens no tempo journeys in time

Cadeira de grande chefe Big Chief chair

dos do século XIX. M. L. Bastin destaca sobretudo as peças evocativas do herói – fundador Cibinda Ilunga e de grandes e prestigiados chefes que chamavam a si os mais exímios escultores. Circulação ilegal ou segunda diáspora M. L. Bastin deu um contributo muito importante e significativo em defesa da Arte Cokwe, ao alertar para a procura de peças que pertenciam a museus e de onde saíram ilegalmente. “É um segundo tipo de diáspora só detectável por verdadeiros conhecedores da matéria” (idem, 2010). Há casos de sucesso, em que as peças voltaram para o lugar de onde saíram ilegalmente. Mas a maioria ainda não apareceu, pelo que se impõe a continuação da divulgação das peças desaparecidas, na expectativa de que possam vir a ser recuperadas. Um caso emblemático de sucesso é o da estatueta de Cibinda Ilunga Katele, estudada por M. L. Bastin em 1956. Comparando as suas fotos com as do coleccionador comprador que pedia informações, apesar de a peça ter sido parcialmente mutilada para fraude comercial, foi possível a sua identificação. A especialista já tinha informado o International Council of Museums - ICOM na sequência da publicação da obra “Cent

98 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

The Research of M. L. Bastin After completion and publication of her work on the collections of the Museum of Dundo, according to Laranjeira (2010), M. L. Bastin decides to start searching and identifying pieces of the Cokwe Art in all collections of the African art that she can find. It is a search that lasted four decades (the researcher died in 2000) and that allowed “to accumulate a huge intellectual heritage, globally unique, of documentation on the art of the Cokwe and the culturally related populations, including Lwinbi, Songo Lwena, Lucazi, Ovimbundu, Ngangela”. It was her great collaborator Elias Mwacefo, chief of the village and son of a prestigious chief in the traditional society who unveiled to her their customs, techniques and fundamental values of the artistic expressions, object of her study. After this empirical knowledge, presented in detail in the book “Arte Decorativa Cokwe” (Cokwe Decorative Art), published in French in 1961, the expert continued with the study of other pieces of the Cokwe art outside Angola. Thus, appear her numerous scientific articles in specialty magazines, such as “Arts d'Afrique Noire” (Paris), “African Arts” (Los Angeles) and others. Due to her value and competence in 1972 she is invited to be a teacher of African art at the Free University of Brussels. To Laranjeira (2010), “the familiarity with the pieces of the African art of the Dundo museum led her to a critical sense and an attentive eye on the world, often ambiguous, of the art trade, particularly of African art”. Given her expertise in this field, collectors and potential buyers asked for her opinion, having been surprised with pictures advertising the sale of pieces familiar to her. First global dispersion or Diaspora Investigating the Angolan collections, first in Europe and then in the United States and Canada, M.L. Bastin enriched her documentation and so it was possible to gather thousands of photographs for further study and clarification of doubts. She researched works of art, fine art, which she ranked as the art of cutting, inventorying the best of what the Cokwe produced at the height of their expansion policy in the mid nineteenth century. M.L. Bastin highlights the evocative pieces of the Hero - founder Cibinda Ilunga and of great and prestigious chefs who summoned the most skilful sculptors. Illegal circulation or second diaspora M. L. Bastin made a very important and significant contribution in defense of the Cokwe art in alerting for the search for pieces that belonged to museums and from which they were taken illegally. “It is a second type of diaspora only detectable by true specialists in the matter” (ibid, 2010). There are success cases, in which the pieces returned to the place from where they left illegally. But most have not yet appeared, so it is necessary to continue the dissemination of the missing pieces in the expectation that they may be recovered. An emblematic case of success is the figurine Cibinda Ilunga Katele, studied by M. L. Bastin in 1956. Comparing her photos with the collector’s – buyer’s who requested information, even though the piece was partially damaged for commercial fraud, it was possible to identify it. The expert had already informed

www.taag.com • call center 923 190 000

Objets Disparus. Pillage en Afrique”. A Polícia francesa apreendeu a obra e estabeleceram-se contactos com o vendedor, para que o objecto pudesse voltar a Angola”. (Ibidem, 2010).

the International Council of Museums - ICOM following the publication of the book “Cent Objets Disparus. Pillage en Afrique”. The French police seized the work and established contacts with the seller, so that the object could return to Angola”. (Ibid, 2010).

Pseudo Arte Cokwe Nos circuitos comerciais, sobretudo na Europa e nos Estados Unidos, há “um conjunto numeroso de peças, ditas Cokwe, à venda a coleccionadores e antiquários, mas que não são peças vindas de África, nem necessariamente feitas por africanos: “é o comércio pujante de cópias das melhores peças Cokwe, feitas por habilidosos que muitas vezes nem sequer viram as peças originais conservadas em museus, que procuram imitar” (Laranjeira, 2010). As cópias das peças Cokwe são efectuadas a partir de imagens de catálogos da especialidade. O aspecto negativo verifica-se apenas quando se procura ocultar que são simplesmente cópias e se pretende atribuir, a estes objectos, datas e características que nada têm a ver com a realidade. Esta produção de pseudo - Arte Cokwe continua próspera e cria a ideia falsa de uma produção de obras de arte permanente, como se continuássemos a viver no século XIX, época da sua maior expressão. É contraproducente impor no século XXI uma arte de outra época, já que os artistas não pararam no tempo, nem estão à margem das transformações políticas, económicas e sociais que entretanto se processaram. Finalmente, (idem, 2010), “todo este património documental de uma vida de pesquisa (milhares de fotografias, muitos diapositivos, abundante correspondência científica, para além da sua biblioteca particular - 1239 publicações - sobre arte africana), foi doado ao Museu Antropológico da Universidade de Coimbra, hoje integrado no Museu da Ciência da mesma Universidade”.

Pseudo Cokwe Arte In the commercial circuits, mostly in Europe and the United States, there is “a numerous set of pieces, supposedly Cokwe, for sale to collectors and antiquarians, which are not pieces from Africa, nor necessarily made by African: ”it is the thriving trade of copies of the best Cokwe pieces, made by skillful man that often didn’t even see the original pieces preserved in museums, that they seek to imitate” (Laranjeira, 2010). The copies of the Cokwe pieces are made from pictures of specialty catalogs. The only negative aspect is when they want to hide the fact that they are copies and want to allocate to these objects, dates and characteristics that have nothing to do with reality. This production of pseudo - Cokwe Art remains prosperous and creates the false idea of a permanent production of works of art, as if we continue to live in the nineteenth century, a time of its greatest expression. It is counterproductive to impose in the twenty-first century an art of another era, since the artists have not stopped in time, and are not indifferent to political, economic and social transformations that have been processed. Finally, (idem, 2010), “all this documentary heritage of a lifetime of research (thousands of photographs, many slides, abundant scientific correspondence, in addition to her personal library - 1239 publications - about African art), was donated to the Anthropological Museum of Coimbra, today integrated in the Museum of Science in the same University".

Referências Bibliográficas

Bibliographic References

BASTIN, Marie-Louise (2010), Arte Decorativa Cokwe, Museu Antropólogico da Universidade de Coimbra e Museu do Dundu, 2 volumes, Coimbra CAPITANGO, Gilberto (2013) Das Chanas do Leste uma Arte que Vigora a Força e a Estética do Guerreiro Lunda Cokwe, texto inédito, Luanda I.C.O.M (1997) Cent objets disparus / One hundred missing objects: Pillage en Afrique / Looting in Africa, Paris. LARANJEIRA, Manuel (2010) Arte Cokwe da Diáspora, comunicação apresentada no colóquio “A Arte na Sociedade Cokwe e nas Ccomunidades Circunvizinhas” Organização ESCOM, Luanda.

BASTIN, Marie-Louise (2010), Arte Decorativa Cokwe, Museu Antropólogico da Universidade de Coimbra e Museu do Dundu, 2 volumes, Coimbra CAPITANGO, Gilberto (2013) Das Chanas do Leste uma Arte que Vigora a Força e a Estética do Guerreiro Lunda Cokwe, texto inédito, Luanda I.C.O.M (1997) Cent objets disparus / One hundred missing objects: Pillage en Afrique / Looting in Africa, Paris. LARANJEIRA, Manuel (2010) Arte Cokwe da Diáspora, comunicação apresentada no colóquio “A Arte na Sociedade Cokwe e nas Ccomunidades Circunvizinhas” Organization ESCOM, Luanda.


à mesa at table

Calma e frescura ao pôr-do-sol à beira-mar Calm and freshness in the sunset by the sea

Chill Out

Comida requintada e serviço

de excelência à beira-mar Exquisite food and excellent service by the coast

Texto/text e/and Fotos/Photos: Carlos Lousada

Chill Out é nome de restaurante, facilmente reconhecível pelo letreiro em caracteres árabes em paredes claras, à beira da areia branca da praia. A cozinha funde três componentes: angolana, protuguesa e mediterrânica. Mas o cenário é inteiramente angolano, à beira-mar da Ilha de Luanda!

100 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Chill Out is the name of the restaurant, easily recognised by the signpost in arabic characters against a backdrop of white walls by the white sand of the beach. The cuisine is a fusion of three elements: angolan, portuguese and mediterranean. But the scenario is totally angolan, by Luanda's Island shoreline!

www.taag.com • call center 923 190 000

O Chill Out apresenta-se como “um espaço panorâmico dedicado ao serviço de refeições, onde os clientes poderão apreciar uma conjugação harmoniosa de elementos elegantes e sofisticados. O espaço é brindado com cuidadosas selecções musicais e com níveis de iluminação envolventes e tranquilizantes. Um serviço de atendimento de excelência proporciona aos clientes uma sensação de exclusividade. O contacto directo entre a sala e a praia confere ao ambiente calma e arejo, fazendo com que as preocupações do quotidiano se desvaneçam”. Mas o Chill Out nem sempre é sinónimo de relaxe, de repouso, porque “nas noites de festa, o restaurante desaparece e a casa vira discoteca”, comenta-se meio a brincar. Na verdade, a casa funciona diariamente como restaurante, mas nas noites de sexta-feira, sábados e vésperas de feriados duplica o serviço com a entrada em cena da discoteca, ao ar livre, até às 5 horas da madrugada. Também serve refeições em plena areia da praia, organiza festas comemorativas e outras celebrações, mediante atempada marcação. Em 2013, foi premiado como melhor restaurante do ano pelo conceituado portal Luanda Nightlife e, mais recentemente, em Janeiro de 2014, foi destacado como referência nocturna pela revista Gente, o que deixa orgulhoso o seu

www.taag.com • call center 923 190 000

Chill Out describes itself as “a panoramic spot dedicated to meal service, where customers can appreciate elegant and sophisticated elements harmoniously blended. The site is awarded with carefully selected music and levels of lighting that draw you in and relax you. The service is excellent, and gives the customer an exclusively-for-me feeling. The dining room and the beach are connected directly, giving an atmosphere both calm and airy, and it is thus that one’s day-to-day concerns fade away.” Chill Out is not, however, always synonymous with relaxation or repose, because “when party nights arrive, the restaurant disappears and the house becomes a disco,” we are told with a knowing smile. In fact, the restaurant operates every day, but Friday, Saturday and the evenings before public holidays there is a double dish as the disco goes live, out in the open air, stretching through the night to 5 o’clock in the morning. Meals are also served on the beach itself, parties are organised for special dates and other commemorative events, but booking must be made in good time. In 2013, it won the best restaurant of the year award, given by the highly respected portal Luanda Nightlife and more recently, in January 2014, it was highlighted as a nightspot by the magazine Gente, much to the pride of its chef Jorge Alves,

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 101


à mesa at table

Além de restaurante, oferece discoteca ao ar livre Besides the restaurant it also offers an outdoor disco

chefe, Jorge Alves, português, versado em Cozinha de Fusão. Jorge Alves refere que a casa está moldada para o segmento médio-alto, em termos de oferta e preços, com gastronomia que combina as componentes angolana, mediterrânica e portuguesa. Portanto, à mesa surgem sabores com identidades combinadas, como o Calulu de Lagosta ou de Gambas, em que o funge é servido em forma de sticks fritos... E que tal um Funge de Ginguba? Mas tudo começa com as “entradas”, às quais se seguem os pratos de peixe, carne, massas e risottos. As “entradas” são uma espécie de “primeiro mergulho”: Carpaccio de Novilho, com mini-salada de rúcula; Bolinhos Panados de Bacalhau, com crosta de amêndoa; Gyoza de Frango, com legumes em molho agridoce; Rolinho de Sushi Hot Salmon, servido em tábua de pedra; Tártaro de Atum, folhado de queijo de cabra com toques de mel. Seguem-se os pratos de peixe: Polvo à Lagareiro, com batatas a murro e rúcula salteada; Medalhões de Garoupa, em crosta de amêndoa ao molho de champanhe; Lombo de Bacalhau Confitado, em cama de brás; Caril de Gambas, com ananás; Burger de Salmão, em pão de tinta de choco; o já referido Calulu de Lagosta ou Gambas, com stycks de funge. As carnes são a atracção seguinte: Entrecôte, com molho de mostarda,

102 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

who is Portuguese and well versed in fusion cuisine. Jorge Alves points out that the restaurant is designed to the middle/high segment, both in terms of the dishes served and the prices, with a combination of angolan, mediterranean and portuguese gastronomy. And this is why the meals can have mixed identities, with dishes such as the Calulu with lobster or prawns, with the funge served in fried sticks form... And what about a Funge de Ginguba? Of course, everything begins with the “starters”, followed by fish, meat, pasta and risotto dishes. The “starters” are a kind of “first dive in”: there’s the steak dish – Carpaccio de Novilho, with a small ruccola salad; slices of codfish in breadcrumbs with a topping of almonds; chicken – Gyoza de Frango, with vegetables in a sweet and sour sauce; Rolinho de Sushi Hot Salmon, served on a stone platter; tunny fish – Tártaro de Atum, accompanied by a puff pastry filled with goat's cheese and a touch of honey. This is followed by the fish dishes: octopus – Polvo à Lagareiro, with jacket potatoes and sautéed ruccola; grouper – Medalhões de Garoupa, topped by almonds in a champagne sauce; Portuguese-style codfish – Lombo de Bacalhau Confitado, on a bed of brás; prawn curry – Caril de Gambas, with pineapple; salmon – Burger de Salmão, on bread soaked in cuttlefish ink; and the lobster or prawn Calulu with funge

www.taag.com • call center 923 190 000


à mesa at table

Deliciosos sabores, identidades combinadas Delicious flavors, combined identities

dijon e ervas aromáticas; Bife na Frigideira, com esmagado de batata e farinheira; Leitão Crocante, com mix de chips; Magret de Pato, com batatas assadas e pedaços de maçã caramelizada; Bochechas de Porco Preto, com risotto de coentros. A oferta compreende ainda Risotto de Camarão, Massa Gambaretti Tagliatele e Massa Oriental de Vegetais e Algas. As sobremesas incluem Bolo Crumble de Maçã; Petit Gateau; Canoa de Frutos Tropicais (de origem nacional); Brownie de Chocolate Negro, com toques de goiaba e nata; Cheesecake de Maracujá; Pina Colada Chill Out, com coco em calda de ananás. Acompanham todos esses deliciosos manjares, vinhos das melhores castas de Portugal, África do Sul, Chile, Itália e Argentina. Não falta caipirinha de maracujá, sangria, cerveja nacional, a copo ou em garrafa, mas também uma grande variedade de marcas importadas, refrigerantes e sumos naturais. Aberto desde 2005, o Chill Out tem uma equipa de cozinha e de atendimento público constituída sobretudo por pessoal angolano, que irradia simpatia e cujos sorrisos fazem sintonia com o som das ondas do mar, a música de fundo, o ambiente requintado. Tudo isto na Ilha de Luanda: Avenida Mortala Mohamed – Telefone 924282810 - E-mail info@chillout-luanda.com

104 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

sticks. The next attraction is the meat: Entrecôte, with a Dijon mustard sauce and aromatic herbs; steak – Bife na Frigideira, with mashed potatoes and farinheira sausage; suckling pig – Leitão Crocante, with a chip mix; duck – Magret de Pato, with baked potatoes and slices of apple in caramel; pork – Bochechas de Porco Preto, with a coriander risotto. There are also Risotto de Camarão, Massa Gambaretti Tagliatele and Massa Oriental with vegetables and seaweed. The desserts include apple cake – Bolo Crumble de Maçã; Petit Gateau; Canoa de Frutos Tropicais (with fruit from Angola); Brownie de Chocolate Negro, with a touch of guava and cream; Cheesecake de Maracujá; Pina Colada Chill Out, with coconut in pineapple syrup. To go with all this delicious food there are wines from the best varieties of grapes from Portugal, South Africa, Chile, Italy and Argentina. You can also have passion fruit caipirinha, sangria, angolan beer, bottled or on tap, and there is also a wide range of imported brands, soft drinks and fresh fruit juices. Chill Out has been open since 2005, and the kitchen team and customer service staff is made up mainly of Angolans. They are friendly to a fault and their smiles blend perfectly with the sound of the sea, the background music, the special atmosphere. And all of this on the Luanda's Island: Avenida Mortala Mohamed – Telephone 924282810 – E-mail info@chillout-luanda.com

www.taag.com • call center 923 190 000


embarque doméstico national boarding

A Huíla as gentes, o gado, e os ritos Huila, the people, the cattle and the rites

Texto/text e/and Fotos/Photos: Carlos Lousada

A escolha para a visita recaiu na Província da Huíla, no Sudoeste de Angola, que foi buscar o seu nome ao subgrupo étnico Mwila. Assim sendo, a revista Austral desembarcou na sua cidade capital – Lubango – cujo nome provém do soba Kaluvangu, chefe tradicional da região no século XVII.

www.taag.com • call center 923 190 000

The choice for the visit was the Province of Huila, in southwestern Angola, which borrowed its name from the ethnic subgroup Mwila. Thus, Austral magazine landed in its capital city Lubango - whose name comes from the soba Kaluvangu, traditional chief of the region in the seventeenth century.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 107


A Huíla reflecte desenvolvimento industrial e agrícola Huila reflects industrial and agricultural development

A população original da Huíla é Khoisan, da qual ainda existem alguns pequenos grupos residuais, mas a actualmente predominante é a de agro-pastores Nyaneka-Khumbi, com destaque para os Mwilas que são os mais numerosos. Mas o mosaico étnico integra Ovimbundos, Ngangelas, Hereros e pastores Kuvale, numa terra propícia à agricultura e rica em gado bovino, com uma manada superior a 1 milhão de cabeças. O gado é tratado com carinho familiar, servindo sobretudo para utilização na lavoura da terra e para aproveitamento do leite, que é transformado em leite azedo, iogurte e manteiga (usada também como produto de beleza para as mulheres). Mas a presença do boi também se faz sentir nas cerimónias rituais, altura em que se abatem algumas cabeças e se come a sua carne. Um dos principais ritos é o denominado Efiko, que marca a passagem das raparigas adolescentes à fase de matrimónio, numa cerimónia onde então se come a carne acompanhada de cerveja e aguardente tradicionais. Não faltam danças apropriadas à ocasião onde as mulheres, como é habitual apanágio no seio Nyaneka-Khumbi, se apresentam embelezadas com abundantes adornos no corpo e longos penteados trançados. O mesmo acontece com o rito de iniciação masculina à fase adulta, denominado Etanda ou Ekwendje, que começa com o corte do prepúcio por um cirurgião tradicional, após o qual o jovem adolescente beneficia de um período de dois meses de aprendizagem para a vida matrimonial. No final, tem lugar uma festa onde não faltam raparigas casadoiras embelezadas, canções, danças, comidas e bebidas tradicionais.

108 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

The original population of Huila is Khoisan, of which there are still some small residual groups, but currently the predominant is the agro-pastoralists Nyaneka-Khumbi, highlighting the Mwilas which are the most numerous. But the ethnic variety integrates Ovimbundos, Ngangelas, Hereros and Kuvale pastors, in a land rich for agriculture and in a cattle herd estimated at more than 1 million heads. The cattle is treated with affection, serving mainly for farming and the use of milk, which is processed into sour milk, yogurt and butter (also used as a beauty product for women). But the bull is also used in ritual ceremonies, at which some of them are killed and their meat is eaten. One of the major rites is called Efiko, which marks the passage of adolescent girls to adulthood (or marriage stage), a ceremony where the meat is eaten accompanied by beer and traditional brandy. There are also the appropriate dances to the occasion where women, as is usual within the Nyaneka-Khumbi, present themselves embellished with abundant adornments and with braids in their long hairs. The same happens with the male initiation rite to adulthood, called Etanda or Ekwendje, which begins with the cutting of the foreskin by a traditional surgeon, after which the young teenager enjoys a period of two months of learning for married life. In the end, it takes place a party where there are many embellished girls ready for marriage, songs, dances, food and traditional drinks. Colonization It was in those lands where the Portuguese arrived in 1627, when they started the first expeditions to the highland region of

www.taag.com • call center 923 190 000


A colonização Foi nestas terras onde os portugueses chegaram em 1627, quando iniciaram as primeiras expedições à região planáltica da Huíla. Exploradores portugueses, provenientes de Moçâmedes, actual Namibe, atravessaram as areias do deserto, escalaram a serra da Chela e, após atingirem o seu topo, deparou-se-lhes abaixo o verdejante vale onde reinava o soba Kaluvangu. Dizem os registos históricos que esses exploradores, “depois de terem atravessado o deserto (do Namibe) e escalado a serra (da Chela), apresentava-se aos seus olhos um vale pleno de água límpida correndo por entre a vegetação viçosa de uma bacia hidrográfica abrigada das ventanias pela protecção da serra”. Era uma região propícia à agricultura e à pastorícia, com terrenos férteis, clima ameno, abundância de água, que aguçou o apetite da sua ocupação. Reza a História que, em 1769, era fundada a primeira povoação colonial na região, à qual foi dado inicialmente o nome de Alba Nova e que, mais tarde, viria a denominar-se Huíla (como já se disse atrás, nome proveniente da população local Mwila). Em 1850, foi criado o Concelho da Huíla pelo Marquês de Sá da Bandeira, então ministro português do Ultramar. Sá da Bandeira viria a ser o nome da actual cidade do Lubango, que perduraria até a independência de Angola, em 1975. Lubango E foi na cidade do Lubango, a 1.760 metros de altitude, onde a revista Austral desembarcou já no ano de 2014, em voo

110 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Huila. Portuguese explorers from Moçâmedes, current Namibe, crossed the sands of the desert, climbed the mountains of Chela and, after reaching the top, they saw the green valley below where the soba Kaluvangu reigned. Historical records say that these explorers, “after having crossed the desert (of the Namib) and climbed the mountains (of Chela), they saw a valley of clear water running through the lush vegetation of a river basin sheltered from the winds by the protection of the mountain”. It was a favorable region for agriculture and pastoralism, with fertile land, mild climate, abundant water, which stimulated the appetite of its occupation. History tells us that, in 1769, the first colonial settlement was founded in the region, to which initially was given the name of Alba Nova and which would later be renamed Huíla (as stated above, a name derived from the population from Mwila). In 1850 it was created the Council of Huila by the Marquis de Sá da Bandeira, then Portuguese Minister of Overseas. Sá da Bandeira would be the name of the current city of Lubango, which would last until the independence of Angola in 1975. Lubango And it was in the city of Lubango, about 1760 meters in altitude, where Austral magazine landed in the year of 2014 on a domestic flight from the Angolan airline TAAG, whose plane landed on schedule at the renovated Mukanka airport which impresses due to the futuristic architecture, as the whole province of Huila. At first sight its mild climate is confirmed, the scent drifting in the air, the spectacular scenery of the surrounding verdant hills - attributes that immediately captured the colonization to that ground.

www.taag.com • call center 923 190 000


embarque doméstico national boarding

Humpata A Humpata, agora convertida em município, a 22 Km do Lubango, também recebeu a visita da Austral, onde pode constatar a existência ainda de alguns descendentes de colonos boers, mas também de madeirenses. O principal factor económico dos seus cerca de 60 mil habitantes continua a ser a agricultura e a pecuária, onde se erguem a Estação Zootécnica da Humpata e a Barragem das Neves. Mas também possui um grande potencial turístico, com destaque para a Fenda do Alto Bimbi, o Miradouro da Boca da Humpata, a Escadaria da Serra da Leba e a Cascata da Estação Zootécnica.

Terras propícias à agricultura e à criação de gado Land suitable for farming and raising cattle

doméstico da companhia aérea angolana TAAG, cujo avião aterrou na hora prevista no remodelado aeroporto da Mukanka, que logo impressiona pela arquitectura futurista, à medida de toda a província da Huíla. Logo à primeira vista se confirma o seu clima ameno, o perfume vagueando no ar, a espectacular paisagem da verdejante serra circundante – atributos que prenderam de imediato a colonização à terra. Aliás, relatos históricos asseguram que a serra, totalmente arborizada, fazia lembrar a Ilha da Madeira e, daí, a ideia de se trazer de lá os primeiros colonos, com a intenção de erguerem no local “a mais bela povoação portuguesa em África, uma povoação de grande futuro”. Foi assim que, em 1884, chegaram os primeiros colonos madeirenses, depois de terem desembarcado em Moçâmedes. No mesmo ano, chegaria uma segunda leva, que passaram todos a viver em barracões de pau-a-pique e cobertos de capim, trabalhando no plantio de sementes. A área dos Barracões permanece até aos dias de hoje preservada no Lubango, fazendo parte do roteiro turístico da cidade e que remete os visitantes ao ano de 1885, quando foi oficialmente criada a “Colónia de Sá da Bandeira”. Uma colónia que, aos poucos, no quadro da expansão colonial, viu surgir “sucursais” nas suas proximidades, com os madeirenses a fixarem-se sobretudo nas povoações da Chibia, Gambos e Humpata. Nesta última povoação, já se encontravam desde 1881 centenas de emigrantes boers (de origem holandesa) com o seu gado, provenientes do Transval (África do Sul), fugidos da guerra entre ingleses e holandeses.

112 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Indeed, historical reports ensure that the mountain, fully wooded, reminded Madeira Island and, hence, the idea of bringing the first settlers from there, intending to erect on site “the most beautiful Portuguese village in Africa, a village with a great future”. It was thus that, in 1884, the first settlers from Madeira arrived, after having landed in Moçâmedes. In the same year, it would arrive a second group, which would live in huts of wattle and daub and covered in grass, working on planting seeds. The area of the Barracks remains preserved in Lubango till today, being part of the city sightseeing tour and which refers the year of 1885 to visitors, when the “Colonie of Sá da Bandeira” was officially created. A colony that, in the colonial expansion scene, gradually expanded "branches" within its surrounding area; with the Madeirans settling in the villages of Chibia, Gambos and Humpata. In the latter town, since 1881 hundreds of Boers (Dutch origin) emigrants were already there with their cattle, from the Transval (South Africa), escaping the war between the English and Dutch. Humpata Humpata, now converted into a municipality, 22 km from Lubango, was also visited by Austral magazine, where you can still find the existence of some descendants of the Boer settlers, but also from Madeirans. The main economic factor of its about 60 thousand inhabitants is still agriculture and livestock, where rise the Humpata Zootechnical Station and the Dam das Neves. But it also has a great tourism potential, especially the Cleft of Alto Bimbi, The Miradouro (viewpoint) of Boca da Humpata, the Staircase of Serra da Leba and the Cascade of the Zootechnical Station.

www.taag.com • call center 923 190 000

Quipungo Movendo-se por estrada asfaltada, a Austral chegou a Quipungo, sede do município com o mesmo nome, a 120 Km a leste do Lubango, com cerca de 220 mil habitantes. As crianças do ensino primário e jovens do secundário têm 166 escolas ao dispor, cujos pais se dedicam à agricultura, sobretudo à produção de milho, e à criação de gado bovino e caprino. Estima-se que neste município abundem pelo menos 250 mil bovinos e um indeterminado número de caprinos. Matala O destino seguinte seria a vila da Matala, já com foros de cidade, sede de um município com estatuto de principal produtor de milho e batata, além de cerca de 170 mil cabeças de gado bovino. Possui um perímetro agrícola de 45 Km provido de sistemas de irrigação e conservação de cereais e hortofrutícolas. Dispõe ainda uma indústria de moagem de milho, uma fábrica de concentrado de tomate e silos de cereais para 12 mil toneladas. A conhecida barragem da Matala e a ponte do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes encontram-se em fase de reabilitação. Os seus 220 mil habitantes orgulham-se de dispor de um Instituto Superior de Educação (ISCED), além de outros estabelecimentos para cerca de 68 mil estudantes.

Quipungo Via paved road, Austral arrived to Quipungo, head office of the municipality with the same name, 120 km east from Lubango, with about 220 thousand inhabitants. The children from primary school and young people in college have 166 schools available, whose parents are devoted to agriculture, particularly corn production and cattle, cows and goats, raising. It is estimated that in this municipality abound at least 250 thousand cows and an undetermined number of goats. Matala The next destination was the village of Matala, now with forums of town, head office of the municipality with the status of main producer of corn and potatoes, and about 170 thousand heads of cattle. It has an agricultural perimeter of 45 Km provided with irrigation, conservation of cereals and horticultural systems. It also has a corn grinding industry, a concentrated tomato factory and grain silos for 12 thousand tonnes. The known Matala dam and the bridge of the Railway of Moçâmedes are undergoing rehabilitation. Its 220 thousand inhabitants are proud to have an Institute of Education (ISCED), and other establishments for about 68 thousand students. Bicuar Park A visit to Huila would not be complete without going to Bicuar Park, 179 Km from Lubango, which extends its forest and animal wealth for four municipalities - Quipungo, Gambos, Matala and Chibia. Rehabilitated in 2008, after the effects of the war which had a great impact in the decline of the black buffaloes population, the areas are inhabited by various other animals of the Angolan fauna like elephants, sables, eland, zebras, wild dog, wild boar, monkeys and deer. It has lodging protected by guards and much sought on weekends by domestic and foreigner visitors. Academic vocation Lastly we returned to Lubango, elevated to city status in 1923, also the year of the arrival of the Railway of Moçâmedes. By the time of


embarque doméstico national boarding

Parque do Bicuar A visita à Huíla ficaria incompleta sem passar pelo Parque do Bicuar, a 179 Km do Lubango, que estende a sua riqueza florestal e animal por quatro municípios - Quipungo, Gambos, Matala e Chibia. Reabilitado em 2008, depois dos efeitos da guerra que provocaram sobretudo uma grande diminuição da população de búfalos negros, é habitado por vários outros animais da fauna angolana, como elefantes, palancas reais, gungas, zebras, mabecos, javalis, macacos e bâmbis. Possui hospedagem protegida por guardas, bastante procurada aos fins-de-semana por visitantes nacionais e estrangeiros. Vocação académica Por fim foi o regresso ao Lubango, elevado à condição de cidade em 1923, ano também da chegada do Caminho-deFerro de Moçâmedes. Por altura do final da colonização, a antiga Sá da Bandeira e áreas circunvizinhas tinham cerca de 60 mil habitantes, seis mil alunos no ensino primário, quatro mil no secundário e cerca de mil no médio e superior, possuindo escola do magistério primário, escola industrial e comercial, um liceu, cursos universitários com bacharelatos em românicas, história, geografia, pedagogia e matemática. A província dispunha ainda de uma escola de regentes agrícolas em Tchivinguiro. Actualmente, por entre uma população global da Huíla de mais de 3 milhões de habitantes, o Lubango abriga metade, possuindo oito estabelecimentos de nível superior – Universidade Mandume, Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), Instituto Superior Politécnico da Tundavala, Instituto Superior Politécnico da Arimba, Instituto Superior Politécnico Independente de Angola, Instituto Superior Politécnico Gregório Semedo, Instituto Superior de Teologia e Instituto Superior de Pangea. A antiga escola de regentes agrícolas do Tchivinguiro está convertida em Instituto Médio Agrário, ficando assim confirmada a tradicional vocação académica da Huíla. Principais pontos turísticos a visitar - Estrada serpenteada da Serra da Leba - Fenda da Tundavala - Cascata da Tundavala - Monumento Cristo-Rei - Parque e Capela da Nª. Sra. do Monte - Barracões - Miradouro da Boca da Humpata - Estação Zootécnica da Humpata - Quedas da Hunguéria - Grutas e Lago Ondimba - Lagoa do Tchivinguiro - Lagoa do Quipungo - Fortaleza de Caconda

114 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

the end of the colonization, the old Sá da Bandeira and surrounding areas had about 60 thousand inhabitants, six thousand students in primary school, four thousand in college and about a thousand in universities, having primary teaching, industrial and commercial school, a High school, high education courses with baccalaureate degrees in languages, history, geography, pedagogics and mathematics. The province still had a regents agricultural school in Tchivinguiro. Currently, among the global population of Huila of more than 3 million inhabitants, Lubango houses half, having eight higher education institutes - Mandume University, Institute of Sciences and Education (ISCED), Polytechnic Tundavala Institute, High Institute of Arimba, Polytechnic Independent Institute of Angola, Gregório Semedo, Theology Institute and the Institute of Pangea. The old school of agricultural regents of Tchivinguiro was converted in to Medium Agrarian Institute, thus confirmed the traditional academic vocation of Huila. What to visit - The road to Serra da Leba - Tundavala Crack - Tundavala Waterfall - Monument of Christ the Redeemer - Park and Chapel of Nossa Senhora do Monte - The Barracks - Miradouro (viewpoint) of Boca da Humpata - Humpata Zootechnical Station - The waterfalls of Hunguéria - Caves and lake Ondimba - Tchivinguiro Lagoon - Quipungo Lagoon - Fortress of Caconda

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

COLÓQUIO SOBRE ANTÓNIO JACINTO EM LISBOA SEMINAR ON ANTÓNIO JACINTO IN LISBON

Texto: Marta Lança

“Não é este ainda o meu poema / o poema da minha alma e do meu sangue / não / eu ainda não sei nem posso escrever o meu poema / o grande poema que sinto já circular em mim”. São versos de “Poema da Alienação”, um dos preferidos da escritora Ana Paula Tavares, que nos dias 27 e 28 de Novembro organizou o Colóquio Internacional “António Jacinto e a Sua Época. A Modernidade nas Literaturas Africanas em Língua Portuguesa”. Integrado na linha de Investigação do CLEPUL (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), vários investigadores portugueses, bra-

116 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

“Não é este ainda o meu poema / o poema da minha alma e do meu sangue / não / eu ainda não sei nem posso escrever o meu poema / o grande poema que sinto já circular em mim”. (“This is not my poem yet / the poem from my soul and from my blood / no /as yet I don’t know my poem nor can I write it / the great poem that I feel coursing through my veins). These are verses from “Poema da Alienação” (“Poem on Alientation”), one of the favourites of the writer Ana Paula Tavares, who organised an international seminar on 27 and 28 November on “António Jacinto e a Sua Época. A Modernidade nas Literaturas Africanas

www.taag.com • call center 923 190 000

sileiros e angolanos juntaram-se para colocar em debate e lembrar a importância da obra de um grande poeta angolano. Disto resultou uma boa articulação entre testemunhos, estudos e material da exposição “O Meu Poema Anda Descalço na Rua”, cujo acervo foi disponibilizado pela Associação Tshiweka ATD e a Biblioteca da Faculdade de Letras de Lisboa. Outro parceiro foi o CIDAC (Centro de Documentação Amílcar Cabral). Este Colóquio propunha-se alargar o campo dos estudos literários, históricos, culturais sobre uma época, um espólio, países de um continente, influências. A obra de António Jacinto, refere Ana Paula Tavares, trouxe ao de cima “além da poesia e dos contos, um conjunto importante de cartas escritas dentro e fora da prisão. Reforçou, como corpus documental, a importância do autor dentro de movimentos da literatura angolana e do mundo”. Contextualizada histórica e politicamente, a modernidade literá-

www.taag.com • call center 923 190 000

em Língua Portuguesa” (“António Jacinto and His Times. Modernity in African Literature in Portuguese”). This was part of a research line undertaken in CLEPUL (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – the Centre for Portuguese-speaking and European Literature and Cultures in the Humanities Faculty of the University of Lisbon). A number of Portuguese, Brazilian and Angolan researchers came together to debate and raise awareness of the importance of a great Angolan poet. The result was a seamless synthesis between witnesses, analyses and material on display in the exhibition “O Meu Poema Anda Descalço na Rua” (“My poem is walking barefoot in the street”). The work on show was made available by the Associação Tshiweka ATD and the Library of the Lisbon Humanities Faculty, together with another partner, CIDAC (Centro de Documentação Amílcar Cabral – the Amílcar Cabral Documentation centre). The aim of the seminar was to broaden the field of literary, historical and cultural studies relating to a period, along with items in collections, in countries ranging over continents and the influences that were brought to bear. As described by Ana Paula Tavares, the work of António Jacinto includes “apart from poetry and short stories, an important set of letters from inside and outside of prison. As a documentary “corpus”, it reinforces the importance of the writer in Angolan literary movements and in the world.” In a historical and political context, modernity in Angolan literature and that of other countries where Portuguese is the official language meshes with other literary movements in Africa and the world. And António Jacinto was alive to his times, concerned with making bridges. The seminar therefore also played a part in the “discovery of a whole period when literature and national identity

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 117


rota cultural the cultural round

ria em Angola e nos outros países de língua oficial portuguesa surge em sintonia com outros movimentos literários africanos e do mundo. E António Jacinto estava atento ao seu tempo, preocupado em fazer essas pontes. Assim, o Colóquio contribuiu também para a “descoberta de toda uma época de construção de uma literatura de afirmação nacional, de conquista e nomeação do lugar e de reposicionamento da literatura angolana nas discussões da época”, ainda nas palavras de Ana Paula Tavares. Francisco Soares, Carlos Serrano, Ana Maria Martinho, Lívia Apa e Inocência Mata foram alguns dos estudiosos presentes que apresentaram comunicações e moderaram mesas. António Jacinto nasceu no Golungo Alto (Kwanza-Norte) em 1924. Fez o liceu em Luanda, onde foi empregado de escritório e técnico de contabilidade. Destacou-se como poeta e contista da geração Mensagem e como membro do Movimento de Novos Intelectuais de Angola. Colaborou nas publicações emblemáticas “Notícias do Bloqueio”, “Itinerário”, “O Brado Africano”. Jacinto foi sendo associado à poesia de protesto e, devido a essa militância política, foi exilado no Campo de Concentração de Tarrafal, em Cabo Verde, por doze anos (de 1960 a 1972). Em 1972 foi transferido para Lisboa, sendo-lhe imposto o regime de liberdade condicional. Mas foge para Brazzaville, onde se junta à guerrilha do MPLA. Regressa a Angola em 1973, integrado no MPLA. Após a independência, em 11 de Novembro de 1975, António Jacinto foi Ministro da Educação e Cultura até 1978. Participa na fundação da União dos Escritores Angolanos (EUA), na vida política e cultural angolana. Ganhou vários prémios, nomeadamente o Prémio Noma, Prémio Lotus da Associação dos Escritores Afro-Asiáticos e Prémio Nacional de Literatura. Em 1993, o Instituto Nacional do Livro e do Disco (INALD), instituiu em sua homenagem o “Prémio António Jacinto de Literatura”. É um autor pouco estudado. Os seus poemas musicados (Monangambé, por Ruy Mingas, Carta de um Contratado e Castigo para o Comboio Malandro, por Fausto) muitas vezes são mais associados aos músicos, esquecendo-se a sua autoria poética. Ana Paula Tavares ressalta o seu “despojamento, o desprezo pelos bens materiais, o amor pela sua terra”.

were solidifying, when the repositioning of Angolan literature was asserted and cemented in the debates of the times,” to continue with the words of Ana Paula Tavares. Francisco Soares, Carlos Serrano, Ana Maria Martinho, Lívia Apa and Inocência Mata were some of the scholars who made presentations and acted as moderators on round tables. António Jacinto was born in Golungo Alto (Kwanza-Norte) in 1924. He went to secondary school in Luanda, where he worked as a book-keeper in an accounting firm. He stood out in the Mensagem generation as a poet and a story-teller and as a member of the Movimento de Novos Intelectuais de Angola (New Intellectuals’ Movement in Angola). He worked on the emblematic publications “Notícias do Bloqueio”, “Itinerário” and “O Brado Africano”. He became associated with the poetry of protest and as a result of this political activism, he was exiled to the concentration camp in Tarrafal, in Cape Verde, where he spent twelve years (from 1960 to 1972). In 1972 he was transferred to Lisbon, where he was given parole. But he fled to Brazzaville, where he joined the MPLA guerilla forces. He returned to Angola in 1973, and joined the MPLA. Following independence on 11 November 1975, António Jacinto became Minister for Education and Culture until 1978. He was a founder-member of the União dos Escritores Angolanos (Union of Angolan Writers – EUA), and was active in Angolan politics and culture. He won a number of awards, specifically the Prémio Noma, Prémio Lotus da Associação dos Escritores Afro-Asiáticos and the Prémio Nacional de Literatura. In 1993, the Instituto Nacional do Livro e do Disco (the National Instititute for Books and Records – INALD), set up the “Prémio António Jacinto de Literatura” in his honour. His work has not been studied much. He wrote the lyrics for songs (Monangambé, by Ruy Mingas, Carta de um Contratado and Castigo para o Comboio Malandro, by Fausto) but they are very often seen in terms of the music, with his work as a poet forgotten. Ana Paula Tavares highlights his “minimalism, his scorn for material possessions and his love for his land.”

Livros do autor Poemas (1961), Vovô Bartolomeu (1979), Poemas (1982, edição aumentada), Em Kilunje do Golungo (1984), Sobreviver em Tarrafal de Santiago (1985; 2ªed.1999), Prometeu (1987), Fábulas de Sanji (1988).

The author’s works Poemas (1961), Vovô Bartolomeu (1979), Poemas (1982, augmented edition), Em Kilunje do Golungo (1984), Sobreviver em Tarrafal de Santiago (1985; second edition1999), Prometeu (1987), Fábulas de Sanji (1988).

Alguns Poemas O Grande Desafio Poema da Alienação Carta dum Contratado Monangamba Canto Interior de Uma Noite Fantástica Era Uma Vez Bailarina Negra Ah! Se Pudésseis Aqui Ver Poesia Que Não Há! Vadiagem

Some of his poetry O Grande Desafio Poema da Alienação Carta dum Contratado Monangamba Canto Interior de Uma Noite Fantástica Era Uma Vez Bailarina Negra Ah! Se Pudésseis Aqui Ver Poesia Que Não Há! Vadiagem

118 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

A HISTÓRIA VALORIZADA COM O PRÉMIO NACIONAL DE CULTURA E ARTES

HISTORY CELEBRATED WITH THE NATIONAL PRIZE OF CULTURE AND ARTS A Gala de entrega do Prémio Nacional de Cultura e Artes, realizada em Novembro no Cine Tropical, em Luanda, com a homenagem ao Mestre Kamosso, de 85 anos, exímio tocador de hungo, reforçou a valorização da historicidade evidente na escolha dos laureados para a edição de 2013. Com efeito, o regulamento do galardão criado em 2002, que “constitui uma homenagem e incentivo ao génio criador e inventivo dos angolanos”, admite também a premiação pelo “conjunto geral (vários trabalhos) da obra ou carreira de um determinado autor ou criador”, o que se evidenciou nesta última edição. A atribuição do prémio na disciplina de Literatura ao escritor Manuel Pedro Pacavira, antigo embaixador de Angola em Roma, foi devido ao conjunto da sua obra, com destaque para o romance histórico “Nzinga Mbandi”, coincidindo assim com o ano em que se comemoram os 350 anos desta soberana. O coreógrafo Domingos Nguizani, com o seu trabalho desenvolvido em prol da dança tradicional angolana ao longo de 36 anos, justificou a sua premiação na

120 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

The Gala to award the National Prize of Culture and Arts held in November at Cine Tropical, in Luanda, with a tribute to the Master Kamosso, 85 years of age, a skilful player of Hungo (Angolan folk music) reinforced the appreciation of the historicity evident in the choice of the laureates for the 2013 edition. Indeed, the regulation of the award created in 2002, which is “a tribute and an encouragement to the creative and inventive Angolan intellect”, he also admits the award for the “general assembly (multiple works) of the work or career of a particular author or creator”, which was demonstrated in this latest edition. The award of the prize in the category of literature to the writer Manuel Pedro Pacavira, former ambassador of Angola in Rome, was due to all of his work, highlighting the historical novel “Nzinga Mbandi”, thus coinciding with the year in which we celebrate 350 years of this sovereign. The choreographer Domingos Nguizani with his work in favor of traditional Angolan dance over 36 years justified his award in the catego-

www.taag.com • call center 923 190 000

modalidade de Dança. Um dos grupos de teatro mais antigos, o Oásis, com um percurso de mais de 24 anos caracterizado pela preocupação pela matriz tradicional, nomeadamente com as peças “A morte do velho Kipakasa”, “O drama de Muyala” e “Michornas de Chongoli”, venceu na categoria de Teatro. Considerado um dos músicos mais estimados do planalto central, Justino Handanga, natural do município do Bailundo, iniciou a sua carreira em 1987. Venceu na categoria de Música, pelo conjunto da sua obra com profundas marcas da angolanidade. A docente universitária e investigadora Aurora da Fonseca Ferreira foi vencedora na disciplina de Investigação em Ciências Humanas e Sociais, com a sua obra “A Kisama em Angola do século XVI ao início do século XX - Autonomia, ocupação e resistência”. Após 37 anos de carreira, o escultor José Mununga, do Kuando-Kubango, vencedor na categoria de Artes Plásticas, vê reconhecido os vários anos dedicados às artes plásticas, na maioria das vezes em condições difíceis. Raúl Correia Mendes também venceu na disciplina de Cinema e Audiovisuais pelo conjunto das suas obras, que têm contribuído para o desenvolvimento das artes. Na mesma perspectiva, Mestre Kamosso também foi homenageado pela sua obra e vida dedicada à música, constituindo um dos momentos mais emocionantes desta Gala.

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

E apesar dos seus 85 anos demonstrou uma grande pujança na execução do seu instrumento monocórdico, agradando a todos com a sua actuação nesta celebração, que contou com a presença do Vice-Presidente da República, Eng.º Manuel Vicente, e da ministra da Cultura, Dr.ª. Rosa Cruz e Silva. Nesta homenagem também foi relevante o diálogo de gerações e de especialidades artísticas. O espectáculo contou também com Lutuima; Tony do Hungo; Ballet Tradicional Kilandukilu; Grupo Kina Umoxi e os cantores Karina Santos e Eddy Tussa. O poeta e jornalista José Luís Mendonça declamou dois temas inéditos e o canto lírico esteve presente com o Quarteto Lírico, constituído por licenciados pelo Instituto Superior de Arte de Cuba.

122 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

ry of dance. One of the oldest theater groups, Oásis, with a career of more than 24 years characterized by a concern for the traditional matrix, mainly with the pieces “A morte do velho Kipakasa”, “O drama de Muyala” and “Michornas de Chongoli”, won in the category of Drama. Considered one of the most esteemed musicians in the central highlands, Justino Handanga, natural from the Bailundo district, started his career in 1987. He won in the category of Music, for all of his work with deep marks of “Angolanity”. The university professor and researcher Aurora Fonseca Ferreira won in the category of Research in Humanities and Social Sciences, with her work “A Kisama em Angola do século XVI ao início do século XX Autonomia, ocupação e resistência”. After 37 years of career, the sculptor José Mununga, from Kuando-Kubango, winner in the category of Fine Arts, sees the recognition of several years dedicated to the arts, most of the times in difficult conditions. Raúl Correia Mendes also won in the category of Cinema and Audiovisual for all of his works, which have been contributing to the development of the arts. In the same perspective, Master Kamosso was also honored for his work and life dedicated to music, making this one of the most exciting moments of the Gala. And in spite of his 85 years of age he has demonstrated a great strength in the execution of its monotone instrument, pleasing everyone with his performance in this celebration, which was attended by the Vice-President, Mr. Manuel Vicente, and the Minister of Culture, Mrs. Rosa Cruz e Silva. In this tribute was also relevant the generational dialogue and the artistic specialties. The show also featured Lutuima; Tony Hungo; Traditional Ballet Kilandukilu; Kina Umoxi Group and singers Karina Santos and Eddy Tussa. The poet and journalist José Luís Mendonça recited two original poems and the lyrical singing was represented by Quarteto Lírico, consisting of graduates from the Higher Institute of Art, in Cuba.

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural

rota cultural

the cultural round

the cultural round

MODELO ANGOLANA FAZ HISTÓRIA EM CONCURSO INTERNACIONAL AN ANGOLAN MODEL MAKES HISTORY IN AN INTERNATIONAL CONTEST

Amilna Estêvão

A angolana Amilna Estevão, de apenas 14 anos, fez história em 30 anos e em 30 edições do concurso Elite Model Look Internacional, já que pela primeira vez uma modelo africana consegue estar entre as três primeiras classificadas. O certame aconteceu em Novembro de 2013, na cidade de Shenzen, China, e contou com a participação de cerca de 55 candidatas. A jovem, também vencedora da quarta edição do Elite Model Look Angola 2013, confessou que não estava à espera deste 3º lugar, compartilhado com a modelo húngara Dalma, o que lhe dá um contrato de três anos com a agência organizadora. O considerado maior concurso internacional de modelos é realizado desde 1983 pela agência Elite Model Management, fundada em 1972, em Paris. Inicialmente designado “The Look of the Year”, é uma iniciativa do fundador e dono da agência de modelos Elite Models Management de Nova Iorque, John Casablancas. Nas suas edições já revelou modelos como Cindy Crawford, Tatjana Patitz,

124 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

The Angolan model Amilna Estevão, who is a mere 14 years old, made history – in 30 years, during which there were 30 contests for Elite Model Look International, she is the first African model to be classified in the top three. The event was held in November 2013, in the Chinese city of Shenzen, and around 55 candidates took part. The young Amilna was also the winner in the fourth Elite Model Look Angola 2013, and confessed that she was not expecting to come in third, shared with the Hungarian model Dalma. Her reward is a three-year contract with the organisers. This is considered to be the major international contest for models and has been put on since 1983 by the Elite Model Management agency, which was started in 1972 in Paris. Initially called “The Look of the Year”, it is an initiative of John Casablancas, who founded and is the owner of the agency Elite Models Management in New York. It has been a showcase for models such as Cindy Crawford,

www.taag.com • call center 923 190 000

Modelo angolana Roberta Narciso Roberta Narciso, angolan model

Modelo angolana Verónica Bartolomeu Verónica Bartolomeu, angolan model

Stephanie Seymour Karen Mulder, Inês Sastre, Gisele Bündchen, Naomi Campbell, Cindy Crawford, Stephanie Seymour, Gisele Bundchen, Sigrid Agren e Constance Jablonski. A agência angolana Da Banda Model Management é a organizadora do Elite Model Look em Angola, Moçambique, Cabo Verde e África do Sul. Trabalha com agências de Paris, Nova Iorque, Milão, Londres, Tóquio, Portugal, Espanha e Alemanha. É a responsável pelo lançamento das carreiras de algumas das mais famosas “caras” novas angolanas, como Roberta Narciso, Elsa Baldaia, Verónica Bartolomeu, Kalumuezico Pedro, Maura Sebastião, Mauza António, Marcelina Kanzengay, Bruna Agostinho. A modelo Maria Borges começou a sua carreira após participar no concurso Elite Model Look em 2010. Não chegou a vencê-lo, mas conseguiu um contrato com a agência angolana Step Models, chefiada por Karina Barbosa, que agencia também Sharam Dinis, a primeira modelo angolana a fazer uma campanha para Victoria's Secret, dignamente seguida por Maria Borges, que também desfilou para a marca de roupas íntimas mais famosa do mundo. O sucesso desta nova geração, na maioria dos casos resultante do dinamismo da agência Da Banda Model Management, dir-se-ia que reside no profissionalismo reconhecido de modelos veteranas, no activo ou não, tal como Nayma Mingas, Cael Pascoal, Hassie Oliveira, Nádia Silva, Karina Silva, Ana Moura, Marta Faial, Victória Garcia, Tatiana Durão, Riquita e muitas mais. Se a industrialização da moda evolui lentamente em Angola, a prestação de serviços das agências de modelos e dos produtores tem-se desenvolvido de forma indiscutível: a descoberta de novos e bons talentos comprova-o.

Tatjana Patitz, Stephanie Seymour, Karen Mulder, Inês Sastre, Gisele Bündchen, Naomi Campbell, Gisele Bundchen, Sigrid Agren and Constance Jablonski. The Angolan agency Da Banda Model Management organises Elite Model Look in Angola, Mozambique, Cape Verde and South Africa. It works with agencies in Paris, New York, Milan, London, Tokyo, Portugal, Spain and Germany. It is responsible for the launch the career of some of most famous new Angolan “faces”, among them Roberta Narciso, Elsa Baldaia, Verónica Bartolomeu, Kalumuezico Pedro, Maura Sebastião, Mauza António, Marcelina Kanzengay, Bruna Agostinho. The model Maria Borges began her career after taking part in the 2012 Elite Model Look contest. She didn’t win, but she landed a contract with the Angolan agency Step Models, headed by Karina Barbosa, who also acts as agent for Sharam Dinis, the first Angolan model to be in a campaign for Victoria's Secret, worthily followed by Maria Borges, who also paraded on the catwalk for the most famous brand of underwear in the world. The success of this new generation, in most cases the result of the dynamism of the Da Banda Model Management agency, could be said to reside in the renowned professionalism of earlier models, some still working, others not, among them Nayma Mingas, Cael Pascoal, Hassie Oliveira, Nádia Silva, Karina Silva, Ana Moura, Marta Faial, Victória Garcia, Tatiana Durão, Riquita and many more. Fashion as an industry has developed slowly in Angola, but the supply of model agency services has been anything but: the discovery of new and quality talent is proof positive of this.

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 125


rota cultural the cultural round

RAINHA NJINGA A MBANDE E OS 350 ANOS DA SUA MORTE QUEEN NJINGA A MBANDE AND THE 350 YEARS SINCE HER DEATH

A celebração dos 350 anos da morte de Njinga a Mbande, ocorrida a 17 de Dezembro de 1663, foi ensejo para um conjunto de importantes realizações a nível nacional e internacional. Objecto de vários estudos e publicações, a lendária soberana angolana foi recordado na 4ªa edição da Feira do Artesanato do Dondo, cujo lema foi “Memória e História”.

126 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

December 17 saw the 350th anniversary of the death of Queen Njinga a Mbande. She died on 17 December 1663, and the anniversary was celebrated with a series of major national and international events. The legendary Angolan leader has been the subject of many studies and publications, and was remembered in the 4th Dondo Handicraft Fair,

www.taag.com • call center 923 190 000

No âmbito da Feira, também foram efectuadas visitas guiadas aos locais históricos dessa área geográfica, que pertenceu ao antigo reino do Ndongo e da Matamba, que teve como soberana Njinga a Mbande. Os feitos corajosos e argutos da soberana são ideais que continuam a inspirar muitas pessoas no mundo inteiro e um resumo deles foi apresentado num projecto cinematográfico, produzido pela Semba Comunicação. No próprio dia do seu passamento, a 17 de Dezembro, foi exibido um musical com o título “Nzinga Mbandi Semente do Tempo”, produzido pelo Ministério da Cultura e encenado pelo licenciado angolano José Silveira Teixeira. No exterior, a capital francesa já havia albergado, por ocasião do 38º aniversário da independência de Angola, uma Mesa Redonda sobre o papel histórico da soberana do Reino do Ndongo. Na altura, a historiadora e diplomata brasileira Annick Thebia Melson considerou-a “uma figura lendária do seu tempo, que com a sua gesta heróica soube preservar a soberania dos povos de Angola e, por isso, tornar-se num símbolo em toda a bacia do Congo”. Sublinhou também o facto de ela ser considerada “a primeira diplomata angolana”, por ter conduzido, em 1622, uma missão a Luanda a pedido do seu irmão Ngola Mbandi, então soberano do Reino do Ndongo, com o objectivo de negociar com os portugueses. Segundo o antropólogo angolano Virgílio Coelho, também animador da Mesa Redonda de Paris, a Rainha Njinga a Mbande aprendeu a falar português e professou estrategicamente a religião católica, pela qual se deixou baptizar com o cognome de Ana de Sousa. No entanto, “apesar de ter aceitado a religião católica, Njinga a Mbandi preservou sempre os valores e rituais fundamentais da cultura bantu”. É considerada uma heroína não só em An gola, mas em África e na Diáspora Africana. Em Espanha, integrado nas comemorações do 38 aniversário de Angola, realizou-se o Fórum Internacional da Cultura e Arte, que incluiu um colóquio sobre “História de Angola na Época de Felipe II e de Filipe IV”, igualmente em homenagem à soberana Njinga a Mbande.

Which was entitled “Memória e História” (Memory and History). As part of the organisation of the Fair, there were guided tours of the area, which belonged to the ancient kingdom of Ndongo e da Matamba, whose ruler was Queen Njinga a Mbande. The courageous deeds and shrewd moves of their leader are ideals that continue to inspire many people across the world and a summary of them was presented in a film show produced by Semba Comunicação. On the day that her death was remembered, 17 December, a musical was put on. It was entitled “Nzinga Mbandi Semente do Tempo” (Nzinga Mbandi and the Seeds of Time), produced by the Ministry of Culture and staged by the Angolan academic José Silveira Teixeira. Outside the country, in the capital of France, there was a round table on the subject of the historical role of the ruler of the Kingdom of Ndongo, on the 38th anniversary of the independence of Angola. At the event, the Brazilian historian and diplomat Annick Thebia Melson spoke of her as “a legend in her lifetime, who, with her heroics, was able to preserve the sovereignty of the peoples of Angola and because of this she became a symbol in the whole Congo basin.” She also underlined the fact that the queen is considered to be “the first Angolan diplomat”, because she led a mission to Luanda in 1622 at the request of her brother Ngola Mbandi, who was then the ruler of the Kingdom of Ndongo, with the aim of negotiating with the Portuguese. According to the Angolan anthropologist Virgílio Coelho, who was also a moderator at the round table in Paris, the queen, Njinga a Mbande, learnt Portuguese and took a strategic move: she converted to Catholicism, taking the name Ana de Sousa at her baptism. However, “although she accepted the Catholic religion, she always kept the values and rituals of Bantu culture.” She is considered to be a heroine not only in Angola, but across Africa and in the African diaspora. In an international forum in Spain (the International Forum of Culture and Art), as part of the celebrations of the 38th anniversary of the independence of Angola, there was a talk on “The History of Angola in the Times of Philip II and Philip IV” which was also in homage of the ruler Njinga a Mbande.


rota cultural the cultural round

Exposição conjunta com Aimé Césaire Durante dois dias, em Dezembro de 2013, realizou-se em Luanda o seminário “Njinga a Mbande e Aimé Césaire: Independência e Universalidade”. Se a soberana angolana era homenageada pelo 350º aniversário da sua morte, o africanista antilhano era lembrado por ocasião do centenário do seu nascimento, ocorrido a 26 de Dezembro de 1913. O Ministério da Cultura de Angola e a UNESCO davam as mãos para celebrar duas trajectórias associadas à resistência política, intelectual e cultural, à ética, estética e espiritualidade africanas – a rainha angolana no contexto da sua era (1582/1663) e o também poeta, dramaturgo e ensaísta antilhano já no século XX (1913/2008). Integrada na homenagem foi possível ainda visitar uma exposição documental e iconográfica sobre as duas personalidades, que mostrou documentos originais existentes em instituições angolanas e estrangeiras, uma selecção de textos literários, estudos e materiais audiovisuais. A exposição está patente até Março na SIEXPO, em Luanda, e depois poderá ser apreciada em três continentes: África, América e Europa.

128 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

A joint exhibition with Aimé Césaire A seminar was held in Luanda during two days in December 2013, on the subject “Njinga a Mbande e Aimé Césaire: Independência e Universalidade” (Njinga a Mbande and Aimé Césaire: Independence and Universality). The Angolan leader was honoured on the 350th anniversary of her death; and the African scholar from the West Indies was remembered on the 100th anniversary of her birth, which was on December 26 1913. The Ministry of Culture of Angola and UNESCO joined forces to celebrate two paths, one associated with political, intellectual and cultural resistance, and the other to the ethics, aesthetics and spirituality of Africa – the Angolan queen in the context of her era (1582/1663) and the poet, playwright and essayist from the West Indies in the 20th century (1913/2008). As part of the homage, it was also possible to go and visit an exhibition of documents and iconography on the two personalities with original papers from Angolan and foreign institutions, a selection of literary texts, studies and audiovisual material. The exhibition was open until March in the SIEXPO in Luanda, and it may be taken on tour then in three continents: Africa, America and Europe.

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

LITERATURA ANGOLANA ENRIQUECIDA COM NOVAS OBRAS ANGOLAN LITERATURE ENRICHED WITH NEW WORKS

A series of books were published towards the end of last year and the beginning of this, enriching the country’s literature. They are from the pen of a range of authors and on an array of different themes.

na curta-metragem “O Funeral”, Melhor Obra no Festival Internacional de Cinema do Algarve em 1992, mas também em várias outras obras de ficção e documentários. Maria do Carmo é doutorada em Ciências da Comunicação e faz pesquisas sobre cinema de propaganda e cinema colonial. Enquanto isso, o consagrado escritor Manuel Rui Monteiro lançou o romance “A Trança”, apresentado pela professora Amélia Mingas, decana da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto, segundo a qual o livro reflecte “transcendentalismo” sob a forma de abordagem da vida de uma jovem de origem angolana e alemã, que devido ao contacto com o avô angolano procura descobrir o que de africano nela existe. Na opinião do autor, o livro advém de “profundas observações em torno de vários aspectos sociais, sobretudo relacionados com o quotidiano angolano”. Manuel Rui Monteiro licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, exerce advocacia, é ensaísta, cronista, dramaturgo, poeta, autor do Hino Nacional de Angola. Já foi galardoado

Uma série de livros vieram enriquecer a literatura angolana em finais do ano passado e início do ano corrente, saídos da pena de diversos autores e sob diversificadas propostas temáticas. A cinematografia foi uma das propostas privilegiadas que, através do realizador Jorge António e da investigadora Maria do Carmo, viu surgir uma trilogia sobre esta arte, cujo primeiro volume, intitulado “O Cinema do Império”, reflecte o que foi feito no período colonial - época em que “o cinema não pode ser considerado verdadeiramente angolano”. Segundo Jorge António, o autêntico cinema angolano já vem espelhado nos segundo e terceiro volumes, respectivamente “Cinema da Libertação” e “Cinema da Independência”, que resultam de entrevistas “aos que fizeram a história do cinema angolano”. O cineasta Jorge António tem assinaturas na primeira co-produção luso-angolana “O Miradouro da Lua”,

130 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

www.taag.com • call center 923 190 000

Film-making was one of the topics that got pride of place. The director Jorge António, aided by the researcher Maria do Carmo, produced a trilogy focusing on this art form. The first part, “O Cinema do Império” (The Cinema of the Empire), looks at what was done during the colonial period - an era when “the cinema cannot be considered truly Angolan”. According to Jorge António, real Angolan cinema can only be seen in the second and third parts, entitled “Cinema da Libertação” (The Cinema of Liberation) and “Cinema da Independência” (The Cinema of Independence), which are made up of interviews “with those who made the history of Angolan cinema”. The director Jorge António worked on the first Portugal/Angola co-production “O Miradouro da Lua” (The Moon’s Viewing Point), and in the short “O Funeral” (The Funeral), awarded the prize for Best Film in the 1992 Algarve International Film Festival, though he has also done other works of fiction and documentaries. Maria do Carmo has a doctorate in Communication Sciences and does research on cinema as propaganda and the cinema in colonial times. In the meantime, the well-known writer Manuel Rui Monteiro published the novel “A Trança” (The Plait), presented by the teacher Amélia Mingas, deacon of the Humanities Faculty of the Agostinho Neto University. To use her word, the book uses the idea of “transcendentalism” under the form of an approach to life of a youngster who is Angolan and German. Through his contact with his Angolan grandfather, he tries to find how much of the African there is in him. In the opinion of the author, the book stems from “profound observations of various social features, above all those related to day-to-day life in Angola”. Manuel Rui Monteiro took a degree in Law at the University of Coimbra, works aas a lawyer, writes essays, chronicles, plays, poetry adn is author of Angola’s National Anthem. He has received countless distinctions, among

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 131


rota cultural the cultural round

com inúmeras distinções, entre as quais o Prémio Caminho das Estrelas, em 1980, pela emblemática obra “Quem Me Dera Ser Onda”, já adaptada para televisão e teatro em Moçambique, Portugal e Angola, e agora publicada em Braille. Os seus textos estão traduzidos para língua nacional umbundo, espanhol, francês, hebraico e mandarim. Por seu lado, o veterano do teatro José Mena Abrantes pôs nas bancas “Caminhos Des-encantados”, livro que consiste em 33 estórias ilustrativas do “sofrimento, a forma como a guerra destruía as pessoas”. Na opinião do apresentador da obra, o jornalista e escritor Filipe Correia de Sá, Mena Abrantes conta as estórias “numa prosa poética a raiar o realismo fantástico, onde o autor joga e brinca com os sentidos das palavras, libertando-as, para retratar tempos marcados pela violência de guerra”. Jornalista, escritor, dramaturgo, produtor e encenador de teatro, José Mena Abrantes licenciou-se em Filologia Germânica em Lisboa. Já publicou 18 peças de teatro, três obras de ficção e três de poesia, vários estudos sobre cinema e teatro. Além de vários prémios a nível nacional e internacional, foi recentemente homenageado no Festival de Teatro de Língua Portuguesa, no Rio de Janeiro. “A Lagoa Misteriosa” é o título infantil apresentado pela escritora Maria Celestina Fernandes, cujo personagem principal “é um jovem príncipe, curioso e destemido que pretende mergulhar numa lagoa para desvendar os seus mistérios”. A autora explica melhor: “é um conto infantil (com ilustrações de Aurélio de Sousa) que retrata a história de um príncipe, que tenta desvendar o segredo de um misterioso lago para salvar a vida da sua aldeia”. Segundo Maria Celestina Fernandes, a história (transportada para a realidade angolana) foi idealizada quando de uma visita ao Reino do Marrocos, onde teve contacto com “testemunhas de um lago misterioso” na cidade de Marraquexe. Maria Celestina Fernandes tem também publicadas as obra infantis “A borboleta Côr de Ouro”, “A Árvore dos Gingongos”, “As Amigas em Kalandula”, “A Rainha Tartaruga”, “Os Dois Amigos”, “A Estrela Que Sorri”, “A Maxiluanda” e “Os Panos Brancos”. Já no mês de Fevereiro do ano corrente foi lançado o livro “Boletim Cultura e a Sociedade Cultural de Angola”, com recolha e pesquisa de Irene Guerra Marques e Carlos Ferreira. No prefácio do livro, o escritor Henrique Guerra sublinha que se trata de “uma reedição do Boletim Cultura, da antiga Sociedade Cultural de Angola”, do qual ele fez parte, ao lado de Luandino Vieira, Eugénio Ferreira, Arnaldo Santos, Antero de Abreu, entre outros ainda vivos e já falecidos. Henrique Guerra diz que a Sociedade Cultural de Angola foi criada em 1942, tendo sido publicados 12 números do boletim até 1960, altura em que foi proibido e encerrado pelas autoridades portuguesas. Por seu lado, a Sociedade Cultural de Angola foi extinta em 1965, pelo então Governador-Geral. A obra constitui assim a reedição dos 12 números do boletim, em 210 páginas com uma tiragem de 3.200 exemplares.

132 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

them the 1980 Prémio Caminho das Estrelas (The Road to the Stars Award) for his emblematic work “Quem Me Dera Ser Onda” (How I Wish I Were a Wave). This has already been adapted for television and the theatre in Mozambique, Portugal and Angola, and has now been published in Braille. His works have been translated into the national language Umbundo, into Spanish, French, Henrew and Mandarin. For his part, the veteran of the trheatre José Mena Abrantes published “Caminhos Des-encantados” ((Dis)enchanted Paths), a work consisting of 33 stories focusing on “suffering, the way war destroys people”. When the journalist and writer Filipe Correia de Sá presented the work, he gave his opinion: that Mena Abrantes tells stories “in a poetic prose bordering on the fantastical, with the author playing – even toying – with the meaning of words, freeing them to create a picture of times marked by the violence of war”. José Mena Abrantes is a journalist, author, playwright, theatre producer and stage manager. He took his degree in Germanic Philology in Lisbon. He has published 18 plays, three works of fiction, and a number of studies on the cinema and the theatre. He has won a number of prizes, both in Angola and abroad, and was recently honoured at the Festival of the Portuguese Language Theatre in Rio de Janeiro. “A Lagoa Misteriosa” (The Mysterious Lake) is the title of the children’s book written by Maria Celestina Fernandes, whose main character “is a young prince both curious and bold, who resolves to dive into a lake to unveil its mysteries.” The author goes on in more detail: “it’s a children’s story (with illustrations by Aurélio de Sousa), telling the tale of a prince who needs to find the mystery in order to save his village”. According to Maria Celestina Fernandes, the story (transported into the real world in Angola) was thought up on a visit to the kingdom of Morocco, where she met “witness of a mysterious lake” in the town of Marrakesh. Maria Celestina Fernandes has also published other works for children: “A borboleta Côr de Ouro” (The Golden Butterfly), “A Árvore dos Gingongos” (The Tree of the Gingongos), “As Amigas em Kalandula” (The Girls who were friends of Kalandula), “A Rainha Tartaruga” (The Queen of the Turtles), “Os Dois Amigos” (The Two Friends), “A Estrela Que Sorri” (The Star that Smiled), “A Maxiluanda” (Maxiluanda) and “Os Panos Brancos” (The White Cloths). February of this year saw the publication of “Boletim Cultura e a Sociedade Cultural de Angola” (A Bulletin of Culture and the Cultural Society of Angola), with research and collation by Irene Guerra Marques and Carlos Ferreira. In the preface, the writer Henrique Guerra points out that this is a “a re-edition of the Boletim Cultura, of what was the Sociedade Cultural de Angola”, of which he was a part, alongside Luandino Vieira, Eugénio Ferreira, Arnaldo Santos, Antero de Abreu, and others still living or now passed away. Henrique Guerra says that the Sociedade Cultural de Angola was founded in 1942, and there were 12 numbers up to 1960, when it was prohibited and closed down by the Portuguese authorities. The Sociedade Cultural de Angola itself was closed in 1965, by the Governor General of the time. The new work is a re-edition of the 12 numbers of the Bulletin, with 210 pages and a print-run of 3,200 copies.

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

VEIA ARTÍSTICA ANGOLANA EM DESTAQUE ANGOLAN ART ON SHOW

134 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

Os artistas plásticos angolanos têm mostrado toda a

Angolan artists have shown their creative streak at

sua veia artística em várias exposições em Angola e

several exhibitions in Angola and beyond, showing

outras partes do mundo, na senda da criação de novos

their artworks in new markets, at auction, as well as at

mercados, leilões, mais escolas e galerias de arte.

art galleries and schools.

“Desenhos, Pau-a-Pique e Outros Registos” foi o título que Francisco Van-dúnem (Van) atribuiu às três expressões da exposição de 89 obras que apresentou, entre Dezembro e Janeiro últimos, no Centro Cultural Português, em Luanda. A vertente “Desenhos” foi uma retrospectiva de três décadas de trabalho e estudo. Em “Pau-a-Pique”, Van valorizou a habitação tradicional, utilizando nas obras materiais como o bordão, ramos e troncos de árvore, capim e barro. “Outros Registos” são trabalhos de pintura ao seu estilo característico, “mas com outras influências, técnicas e conteúdos”. Ele explicou que a exposição serviu para relembrar a sua trajectória a nível do Desenho, uma vez que tem estado mais virado para a pintura e a gravura”. Van tem optado por “uma pintura influenciada pelos ideogramas, arte rupestre e signos visuais tradicionais, adaptando os elementos figurativos à modernidade”. É mestre em educação artística pela University of Surrey Roehampton, Londres, co-fundador da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) e da Escola Média de Artes Plásticas de Luanda, na qual foi professor e director. Já participou em dezenas de exposições individuais e colectivas em diversos países e ganhou vários prémios. Enquanto isso, o estilo acrílico sobre tela esteve em destaque na exposição “Kukina – Ligações”, de Lino Damião, que repassou para as telas os laços culturais entre Angola e Portugal, sobre-

Francisco Van-dúnem (Van) called his exhibition of 89 artworks, ‘Desenhos’, ‘Pau-a-Pique’ and ‘Outros Registos’ (Drawings, Mud and Sticks and Other Works). There were shown between December and this past January, at the Centro Cultural Português (the Portuguese Cultural Centre – CCP) in Luanda. The ‘Desenhos’ exhibition was a retrospective look at three decades of work and study. In ‘Pau-a-Pique’ Van focused on traditional dwellings, sourcing materials such as sticks, branches and tree trunks, grass and clay. ‘Outros Registos’ are paintings in his characteristic style, “but with other influences, techniques and content”. He explained that the exhibition was an opportunity to remember his development in drawing, given that he had been concentrating more on painting and engraving. He has been trending towards “paintings influenced by ideograms, cave painting, and traditional visual symbols, adapting figurative elements to a modern context.” He has a Masters of Arts from the University of Surrey, Roehampton, London and is the co-founder of the National Union of Artists (UNAP) and the Luanda School of Arts where he was a teacher and the principal. He has shown his works in dozens of solo and joint exhibitions in a range of countries and has won multiple prizes. In a similar vein, the medium of acrylic on canvas was highlighted in the “Kukina-Ligações” collection presented by Lino

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 135


rota cultural the cultural round

tudo nos capítulos da dança e da música. A exposição “Kukina”, que em língua nacional kimbundo significa “Dança”, reflecte o saber e a experiência ganhas por Lino Damião em Portugal, onde criou uma residência artística em 2009. Acrescentou que a mostra, exposta em Dezembro passado na Galeria Soso - Globo, em Luanda, constituiu uma oportunidade destinada a “criar uma nova ponte artística e cultural entre Angola e Portugal”. Lino Damião, que nasceu em Luanda em 1977, começou a desenhar e a pintar muito cedo, tendo recebido o seu primeiro prémio de pintura em 1989, atribuído pela UNAP. Participou em várias exposições individuais e colectivas, como em “1ª Paragem: Lisboa”, na Feira de Arte Contemporânea de Lisboa, na I Trienal de Luanda e em Cabo Verde. As suas obras fazem parte de colecções em África, Europa, Ásia, América do Sul e Estados Unidos da América. Actualmente trabalha em pintura, serigrafia mas também fotografia (ramo profissional do pai). Tendo em conta o facto de ser filho de Paulino Damião, que utiliza o pseudónimo de “Cinquenta”, Lino é alegremente tratado pelos mais íntimos por “Vinte Cinco”. Mais recentemente, entre os meses de Janeiro e Fevereiro, a exposição “Agenda Angola” mostrou a pujança artística angolana no Museu Pigorini, em Roma, organizada pela Embaixada em Itália no âmbito da “Internacionalização da Cultura e Arte Angolana”. Foi inaugurada pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, sendo constituída pelas mostras “Angola em Movimento”, do acervo da Empresa de Seguros de Angola (ENSA), e “Luanda, Cidade Enciclopédica”, de Edson Chagas. O embaixador de Angola em Itália, Florêncio de Almeida, afirmou que a exposição teve o objectivo de “inscrever Angola no universo da globalização”. Por seu lado, a ministra Rosa Cruz e Silva sublinhou que a exposição procurou “divulgar as novas dinâmicas das artes nacionais”, no quadro do “vasto programa de internacionalização da cultura angolana”. A ENSA esteve representada pelo seu PCA, Manuel Gonçalves, que se manifestou disposto a continuar a apoiar a arte e os artistas angolanos. A ENSA participou na exposição com obras de arte moderna e contemporânea de 21 artistas angolanos de diferentes gerações. Entretanto, também nos meses de Janeiro e Fevereiro, Ana Silva expôs a mostra de pintura sob o título “Frágil”, com 15 quadros em técnica mista, entre as quais acrílico sobre tela, expostos no Centro Cultural Português, em Luanda. Ana Silva “faz uma abordagem sobre a fragilidade que caracteriza a dimensão humana, sempre exposta às maiores vicissitudes e intempéries”. Segundo uma nota de imprensa do CCP, “Ana Silva inspira-se nas transfigurações dessa fragilidade, ao nível dos contextos sociais, das relações humanas e dos sentimentos. A artista expressa uma linguagem poética, com recurso a transparências e outros materiais, como rendas e papel”. Após Luanda, a exposição deverá ser exibida em Lisboa, onde Ana Silva vive há dez anos e fez formação na Escola de Arte Independente. Ela reparte a sua actividade entre Angola e Portugal, onde nos dois países já efectuou e co-participou em cerca de uma dezena de exposições, além do seu “hobbie” de design de moda.

136 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Damião; his work depicted on canvas shows the links between Angola and Portugal, with a particular focus on dance and music. The name of the exhibition, Kukina, means ‘dance’ in the Angolan language Kimbundu, and reflects the knowledge and experience gained by Lino Damião in Portugal, where he worked as an artist in 2009. He added that his works exhibited last December in the Galeria Soso-Globo in Luanda gave him a perfect chance “to build a new artistic and cultural bridge between Angola and Portugal”. Lino Damião was born in Luanda in 1977, and started drawing and painting from an early age; he won his first art prize from UNAP in 1989. He has shown his work in several solo and joint exhibitions, such as “1a Paragem: Lisboa” (First Stop Lisbon) at the Lisbon Contemporary Art Fair, at the 1st Triennial in Luanda and in Cape Verde. His works can be found in collections in Africa, Europe, Asia, South America and the USA. He is currently working on his painting, but also in serigraphy and photography (his father’s profession). Given that he is the son of Paulino Damião, who used the pseudonym ‘Cinquenta’ (Fifty) Lino is fondly known as ‘Vinte Cinco’ (Twenty-Five) by his close friends. More recently, between the months of January and February, the exhibition “Agenda Angola” showed the artistic burgeoning of Angola at the Museu Pigorini, in Rome, organised by the Embassy in Italy, as part of the “Internationalisation of Angolan Culture and Art”. It was opened by Rosa Cruz e Silva, the Minister for Culture, and part of the collection “Angola em Movimento” (Angola on the Move) is from the collection of ENSA, Insurance company, and the Edson Chagas collection “Luanda, Cidade Enciclopedica” (Luanda, Encyclopaedic City). The Ambassador for Angola in Italy, Florêncio de Almeida, stated that the exhibit’s main purpose was for “Angola to join the universe of globalisation”. For her part, the Minister, Rosa Cruz e Silva, underlined that the exhibition sought to “share new trends in national art” against a backdrop of a “vast programme geared to bringing Angolan culture to the global stage.” ENSA was represented by its Chairman, Manual Gonçalves, who reasserted his commitment to continue supporting the arts and Angolan artists. ENSA took part in the exhibition, showing modern and contemporary art works by 21 artists spanning several generations of Angolan artists. In the meantime, also in the months of January and February, Ana Silva exhibited paintings under the titled “Fragile” with 15 canvases of mixed media, including acrylic on canvas, shown at the CCP in Luanda. Ana Silva “communicates the fragility that characterises being human, always exposed to trials and tribulations and inclement weather.” According to a press release from the CCP, “Ana Silva draws inspiration from the way this fragility, interpreted in a social context, morphs in the relationships between people, and in emotions. The artist expresses a poet’s language, using slides and other materials like lace and paper.” After Luanda, this show will put on in Lisbon, where Ana Silva has been living for the past 10 years and where she graduated from the Escola de Arte Independente (the Independent School of Art). She divides her professional life between Angola and Portugal, and in both countries she has put on and taken part in dozens of exhibitions, and all this on top of her ‘hobby’ – being a fashion designer.

www.taag.com • call center 923 190 000


rota cultural the cultural round

NA ROTA DOS SABORES DE ANGOLA E DO MUNDO ON THE ROUTE FOR TASTES OF ANGOLA AND THE WORLD rotas & Sabor

es

natura nature

22 23 otas & Sabor

es

42

r nooks 43 ntos quiet cantos e reca

Rotas & Sabores é a mais recente atracção em termos de leitura de relaxe – “um veículo de divulgação do potencial turístico do nosso país, do seu charme tão particular, da sua capacidade única de sedução e das suas características ímpares e inimitáveis”, diz o primeiro número da revista (Fevereiro/Março) em editorial. Propriedade da Edicenter Publicações, pertencente ao Grupo Executive, a direcção da revista assegura: “Vamos rasgar paisagens, arriscar destinos, mas também explorar o vasto e diversificado conjunto de ofertas e escolhas de lazer que já se encontram disponíveis – mesmo ao seu lado, à distância de um trajecto de carro ou de uma breve viagem de avião”. Além de espelhar a realidade nacional, Rotas & Sabores promete que “irá também espreitar o melhor dos destinos internacionais (…), saborear, sentir e vivenciar outros povos, culturas e roteiros”. A festa de lançamento teve lugar a 6 de Fevereiro no Espaço Shogun, em Luanda, na presença de mais de trezentos convidados de diversos sectores da sociedade angolana, em ambiente de sabores mistos de comida, luzes, música e da paisagem envolvente, onde não faltou o sorteio de uma via-

138 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Rotas & Sabores is the most recent easy reading attraction – “a way to spread the word about the our country’s tourist potential, along with its very special charm, its unique capacity to seduce and its features, both out of the ordinary and inimitable,” in the words of the magazine’s first editorial (February/March). The publication comes from Edicenter Publicações, which belongs to the Grupo Executive, and the management of the magazine states clearly: “We’re going to unveil landscapes and take a chance on a destination, but also explore the vast and diversified array of possibilities and choices for pleasure that are now available – at your very side, close enough to get to by car or by a short plane ride.” Apart from putting up a mirror to the real world of Angola, Rotas & Sabores promises that “it will also take a look at the best international destinations.” The party to launch the magazine took place on 6 February in the Espaço Shogun in Luanda, with more than three hundred guests from a wide range of Angolan society, against a backdrop characterised by the mixed flavours of food, lights, music and the surrounding landscape. And there was even a raffle for a trip to Cape Town in South Africa. The Director General of Edicenter, Helena

www.taag.com • call center 923 190 000

gem a Cape Town (África do Sul). A ocasião serviu para a Directora-Geral da Edicenter, Helena Costa, realçar a singularidade da publicação, a primeira do género em Angola. O Presidente do Grupo Executive, Nuno Fernandes, no seu discurso, sublinhou o facto de Rotas & Sabores pretender afirmarse como parceira das mais variadas entidades que promovam o sector do Turismo em Angola: “Com a Rotas & Sabores, o Grupo Executive e a sua empresa Edicenter pretendem potenciar as melhores relações com o Ministério do Turismo e Hotelaria, desejando, desde já, constituírem-se parceiros na empreitada da construção de um Turismo angolano na região Austral, no continente africano no seu todo e no Mundo”. Com tiragem de cinco mil exemplares, periodicidade bimestral e bilingue (Português e Inglês), a revista Rotas & Sabores apresenta na capa do primeiro número a sua principal matéria: Mussulo – um paraíso à porta de Luanda. Apresenta também trabalhos jornalísticos sobre algumas das “Maravilhas de Angola” e um perfil abrangente do poeta Ruy Duarte de Carvalho, entre outros textos variados e apelativos aos cinco sentidos. Encontra-se nas bancas desde 1 de Fevereiro.

www.taag.com • call center 923 190 000

Costa, took advantage of the situation to highlight the uniqueness of the publication, the first of its kind in Angola. The Director of the Grupo Executive, Nuno Fernandes, in his speech, underscored the fact that the aim of Rotas & Sabores was to become a solid partner of the vast range of organisations that are promoting the Angolan tourism sector: “With Rotas & Sabores, the Grupo Executive and its company Edicenter intend to bring about the best possible relationship with the Ministry of Tourism and the Hospitality Industry. Here and now, they want to be partners in the building of Angolan tourism as a focus in its southern region, in the African continent as a whole and in the world.” Rotas & Sabores has a print-run of five thousand copies, it is published every two months and is bilingual (Portuguese and English), and it showcases the main topic of the first number on its cover: Mussulo – a paradise in a stone’s throw of Luanda. There are also articles on some of the “Maravilhas de Angola” (Wonders of Angola) and a wide-ranging profile of the poet Ruy Duarte de Carvalho, which is just one of a raft of texts appealing to the five senses. On the stalls from 1 February.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 139


novos voos new flights

FEIRA DE ARTESANATO URBANO EM LUANDA

DESIGN E CRIATIVIDADE À BEIRA-MAR The Urban Craft Fair in Luanda Design and creativity by the shoreline

Texto/text: Miguel Gomes Fotos/Photos: Carlos Lousada

Luanda é uma cidade em franco crescimento, mas esta nova vida da velha capital ainda tem por anunciar alguns dos caminhos do futuro. Continuam a faltar ideias diferentes, espaços diferentes e conceitos que nos façam vivenciá-la de forma diferente. A Feira de Artesanato Urbano, que se realiza em todos os primeiros sábados de cada mês no calçadão da Ilha de Luanda, tem marcado a cidade pela positiva. No local podemos encontrar vários tipos de peças, desde bijutarias, peças para decoração, trabalhos em vidro, brindes – tudo feito à mão. A iniciativa surgiu como surgem muitas das coisas nos tempos modernos: pela Internet. Henda Traça, uma pequena empresária ligada (através da sua

www.taag.com • call center 923 190 000

Luanda is a city that is burgeoning, but this new life being infused into the old capital still needs a pointer for some of the paths to the future. There is still a lack of distinctive ideas, different spaces and concepts that give us a chance to experience the city in a different way. One positive flag for the city is the Feira de Artesanato Urbano (Urban Handicraft Fair), which is held on the first Saturday of each month on the cobblestones of the Ilha de Luanda. You can find a range of artefacts here, from jewellery, decorative items, glasswork, gifts – all of it handmade. The idea came up like many ideas in the modern age: through the Internet. Henda Traça, a lady with a small business connect-

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 141


novos voos new flights

empresa chamada Nha Luany) ao artesanato e aos trabalhos em vidro, sobretudo, conectou-se a outras pessoas interessadas neste tema e criaram o grupo, sedeado na rede social Facebook, chamado “Artesanato em Angola”. Mais tarde veio a Feira de Artesanato propriamente dita: “A ideia nasceu da necessidade, que todos sentimos, de mostrar o nosso trabalho num local apropriado”, explica Henda Traça em conversa com a Austral. Para além de Henda, a equipa que organiza os eventos é ainda composta por Verena Gois e Virgínia Inglês. “Todas somos artesãs. A Verena, por exemplo, faz velas (é responsável pela empresa Encanto da Vela) e trabalha com material reciclado e reaproveitado, enquanto a Virgínia também desenvolve as suas próprias peças no Atelier Shalom. Para nós este facto é fundamental, porque apenas queremos expositores na Feira que tragam os seus próprios trabalhos”, lembra Henda Traça. “Não aceitamos as pessoas que viajam, que vão comprar a determinados países e depois aparecem na feira apenas para revender esses produtos. Inclusivamente, quando temos dúvidas acerca da autoria das peças, pedimos às pessoas para enviar fotografias a trabalhar. Em último caso, podemos até visitá-las e confirmar a veracidade das informações”, frisa a artesã. Em média, a Feira de Artesanato Urbano junta cerca de 50 expositores. Ao longo do dia – a Feira funciona das 9 às 18 horas – circulam pelo espaço do calçadão da Ilha de Luanda (em frente à Casa do Desportista) entre 100 a 150 pessoas. A área inclui também um espaço infantil e o chamado Jango da Amizade, onde os visitantes podem reunir-se para conversar, conviver, trocar ideias, entre sumos naturais, acepipes da terra e comida tradicional. “Nós sentimos que há cada vez mais pessoas interessadas em visitar-nos e conhecer aquilo que fazemos. A Feira já conta com 25 edições. O espaço também foi pensado para ser acolhedor e para que as pessoas possam sentir-se bem”, explica Henda Traça. “Por exemplo, temos tido (para além do que já foi anunciado) pessoas a trançar cabelos, porque sentimos que havia essa abertura. Algumas pessoas acompanham-nos e fazem questão de estar presentes e de fazer do calçadão um espaço de cultura – referimo-nos, por exemplo, ao grupo Angolanas Naturais (que também se juntou à volta do Facebook para divulgar os penteados naturais, ou seja, sem a utilização de produtos químicos) ”. Para participar na feira como expositor, para além de serem autores das suas próprias peças, os interessados devem contactar a organização. Caso a resposta seja positiva, deverão contribuir com a quantia de 3 mil Kwanzas. Ela explica: “A nossa estrutura é muito pequena. A contribuição serve para pagar ao Governo Provincial pela utilização do calçadão. A nossa ideia não é ganhar dinheiro com os eventos”. As peças que se encontram na feira estão inseridas na categoria de “artesanato urbano”, devido à utilização de matériasprimas industrializadas ou transformadas (caso do vidro, dos

142 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

A feira junta cerca de 50 expositores The fair gathers about 50 exhibitors

Peças para decoração, trabalhos em vidro, brindes... Pieces for decoration, glass works, giveaways...

ed to handicraft and above all glasswork (through her company, which is called Nha Luany) linked up with others interested in the field and they created a group called “Artesanato em Angola” (Handicraft in Angola). Its head office is on the social network Facebook, The Feira de Artesanato itself came later: “The idea was born from the need that we all feel to display our work in a suitable place,” Henda Traça explained during a chat with Austral. The team that organizes the events is made up of Henda herself, Verena Gois and Virgínia Inglês. “They are all artisans,” says Henda Traça. “Verena, for example, makes candles (she runs a company called Encanto da Vela – The Charm of Candles) and she works with recycled and reused material, and Virgínia creates her own work in the Atelier Shalom. This is the essential point for us. We only want people who put their own work on display.” She goes on to say: “We don’t want people who go travelling and buy things in other countries and then appear at the fair just to sell these items on. In fact, when we are doubtful about whether someone is the one who actually did the work, we ask them to let us have a photo showing them at work. In the ultimate analysis, we may even go and see them to check that the information they have provided is true.” On average, the Feira de Artesanato Urbano brings together around 50 people who set out their stalls here. All through the day – the fair starts at 9 in the morning and goes on till 6 in the evening – there are something like 100 to 150 people walking around on the cobblestones of the Ilha de Luanda (opposite the Casa do Desportista). The area also includes a space for children called Jango da Amizade, where visitors can get together and talk, swap ideas, and have soft drinks, local delicacies and traditional food. “We feel that there are more and more people interested in coming to see us and get to know what we are doing,” explains Henda Traça. “The fair has now been held 25 times. We also thought of the space in terms of its being welcoming, a place where people can feel at home. For example, we advertise what’s on and then other people have come along, and they do dreads, because we felt there was an opening here. There are others who come along and make a point of being with us. They want to turn the paved area into a cultural space – we can mention here, for instance, the group Angolanas Naturais (which is also using Facebook to publicise their work, which is to do natural hairstyles, without chemical products).” If you want to set out your wares at the fair, you must be the person who actually does the work, then you can get in touch with the Organisers. If you get the thumbs up, you have to pay a 3 thousand Kwanza entry fee. She explains: “We have a very small structure. The contribution goes towards paying the provincial government for the use of the area. Making money is not the purpose behind putting on the events.” The items that you’ll find at the fair come in the category of “urban craftwork”. This is because industrial or manufactured

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 143


Aposta no design, em novas técnicas e formatos Bet on design, new techniques and formats

materiais reciclados, entre outros). Esta é uma das grandes diferenças em relação à oferta disponível no “velho” mercado do Benfica, que é um dos mais antigos locais consagrados ao artesanato na capital. Também a aposta no design e em novas técnicas e formatos são factores de diferenciação. Pensar o futuro Henda Traça é formada em Relações Internacionais. “Cheguei a pensar que a minha vida seria na Diplomacia. Mas depois, e com alguma surpresa, aprendi que eu não tenho vocação para diplomata. Quando algo está errado, ou quando não estou de acordo com alguma coisa, a minha tendência é reagir e dizer o que penso. A Diplomacia não funciona assim”, afirma. Como sempre gostou de artesanato, de fazer colares, Henda Traça acabou por aprender a trabalhar objectos em vidro, como ela própria dá a conhecer: “Sempre tive o sonho de trabalhar o vidro. Faço bijutarias, brindes, colares... Uma série de coisas… Como já referi, tenho o meu atelier e também comecei a vender produtos online – a página onde isso acontece chama-se Loja da Criatividade”, explica Henda. Sobre o futuro ela prognostica: “Gostaríamos de ter um espaço onde possamos desenvolver diariamente este tipo de iniciativas. Também gostaríamos de incentivar – com acções de formação, workshops, troca de experiências – outras pessoas a fazerem peças de artesanato urbano. Angola tem potencial e uma grande memória comum de utilização de produtos e referências da terra”, acredita a artesã. “Mas para já não temos grandes planos. Vamos ver onde isto nos vai levar. Por exemplo, já fomos contactadas por pessoas de Benguela e do Lubango, para fazermos nestas cidades eventos parecidos com a Feira de Artesanato Urbano de Luanda. Mas nós achamos que devem ser os núcleos locais a dinamizar e a materializar estas intenções”. “Ou seja: as ideias existem, o potencial também, mas tudo precisa de ser analisado. A grande maioria dos nossos artesãos não vive desta actividade. O artesanato ainda é um hobbie para estas pessoas, ou uma segunda actividade. Há quem trabalhe durante três meses, apenas para vender numa época específica... Ainda estamos no início e, em relação ao futuro, logo se verá onde poderemos chegar”, conclui Henda Traça.

144 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

things are used as the raw materials (such as glass and recycled stuff and so on). This is one of the big differences when compared to what you can find in the “old” market in Benfica, which is one of the oldest points in the capital dedicated to craftwork. Other factors which are given prominence so as to make the difference are the design and the new techniques and formats. Looking forward towards the future Henda Traça’s training was in international relations. “I even thought that my life would be in diplomacy,” she says, “but then, and with some surprise, I realised that I had no vocation for diplomacy. When something is wrong, or when I don’t agree with something, my tendency is to react and say what I think. That’s not what diplomacy is all about.” As she had always liked craftwork, making necklaces for instance, she learnt how to work with objects in glass, as she herself says: “I always dreamt that I would work with glass. I do jewellery, knick-knacks, necklaces… A host of things… As I’ve already said, I have my own studio and I began to sell products online – the page where you can find this is called Loja da Criatividade”, she explains. She looks forward to the future: “We would like to have a space where we could work on this kind of initiative on a daily basis. And we would like to be able to encourage others – with training courses, workshops, exchanging experiences – to create works of urban craft.” She fully believes that “Angola has the potential, and it also has a great common memory regarding the use of products and references of the earth.” “For the moment, though, we have no great plans. We’re going to see where this one takes us. For instance, we have already been contacted by people in Benguela and Lubango, for us to set up events similar to the Feira de Artesanato Urbano that we have in Luanda. We are not of the same opinion: we think it should be local groups that get everything going and change intention into reality.” “To put it another way: the ideas are there, the potential also exists, but everything needs to be thought through. Most of our artisans don’t live from their work. Craftwork is a hobby for these people, or a second string to their bow. There are those that work for three months, just to take advantage of a specific time of the year... We are just at the start and,” Henda Traça concludes, “in relation to the future, we’ll see where this takes us.”

www.taag.com • call center 923 190 000


longo curso long haul

Pertinência do Estudo de Epopeias em Angola The Relevance of Studying the Epic in Angola Texto/text: Agnela Barros Fotos/Photos: Arquivo /Archive

Homero, poeta épico da Grécia Antiga Homer, Ancient Greek Epic Poet

Angola, uma janela aberta ao mundo No cruzamento de povos, línguas, sabores e saberes, Angola sobressai com a peculiaridade da sua situação em África. E com um coração aberto para todas as ideias, mormente na área cultural. Assim, perante a admiração de alguns, foi organizado pela primeira vez em Angola um Simpósio de Estudos Clássicos, pela mão do Instituto Superior Politécnico Sol Nascente - ISPSN, no Huambo, prestigiado por brilhantes prelectores nacionais e estrangeiros. Destacou-se a presença do eminente Professor Doutor José Pedro Serra, do Departamento de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, que na comunicação “O

146 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Angola, a window open to the world With the interchange of peoples, languages, tastes and knowledge, Angola stands out for its special position in Africa. And it has a heart open to all ideas, above all in culture. This then is the backdrop to what has amazed some – the organisation of a symposium on studies in the classics. This was the first time that an event like this had been put on in Angola, organised by the Instituto Superior Politécnico Sol Nascente (The Rising Sun Higher Institute – ISPSN) in Huambo. It was honoured by the presence of brilliant academics, from home and abroad. Salient among them were, for instance, José Pedro Serra, PhD, from the Department of Classics at the

www.taag.com • call center 923 190 000

Caminho dos Clássicos” foi muito esclarecedor sobre a importância dos Estudos Clássicos em Angola e em África. Vinda de Espanha, a Professora Doutora Rocío Orsi debruçou-se sobre “Variaciones sobre el tema del heroismo. De la valentía épica a la valentia trágica”. A adesão massiva de docentes da instituição e de estudantes ávidos de saber confirmou a pertinência e premência do evento. Sobre a realização do Simpósio Desde a sua criação, o ISPSN pauta-se por um horizonte de educação diferencial. Pretendendo introduzir no contexto nacional uma iniciação e divulgação da Cultura Clássica e dos Estudos Clássicos, vem com este evento lançar um desafio no sentido da sua implementação. Para o ISPSN, conforme o seu manifesto a propósito, “pensar a Cultura Clássica é pensar uma boa parte do pensamento crítico actual; é pensar a arte, a ciência, as várias ciências; a literatura, a política, a história, o direito, a religião, a educação e as teologias”. Mas, prossegue, “esta afirmação, sem pecar, não põe em causa, nem pretende minimizar os incontáveis contributos dos egípcios, dos fenícios, dos babilónios, dos chineses ou dos indianos”. Estudos Clássicos e África Se os Estudos Clássicos são importantes, têm todavia de ser encarados numa perspectiva comparatista, em que são analisados também todos os contributos prévios para a maturação da civilização clássica, com especial realce para a contribuição do Egipto Antigo. Segundo o egiptólogo senegalês Cheikh Anta Diop, os seus habitantes “appartenaient à une race africaine, entendez nègre”. Ademais, estudar as outras culturas possibilita uma melhor compreensão da nossa própria cultura que, actualmente, contém características românicas e bantu. Estudar a cultura helénica permite-nos imergir na sua mundividência: política e retórica, com relevo para o papel da “polis”; épica, que continua no modelo trágico; filosófica, com inquietação pedagógica, associada ao equilíbrio e magnanimidade, bem evidentes no episódio do poema épico Ilíada relacionado com a morte de Ajax. Os Romanos legaram-nos o seu Direito. No contexto angolano actual, torna-se relevante o estudo dos poemas épicos Ilíada e Odisseia, atribuídos a Homero, fixados por escrito cerca de 600 anos antes de Cristo e que já existiam há séculos na tradição oral. Estes, juntamente com a Eneida de Virgílio e de outras Epopeias medievais, modernas e contemporâneas, podem ajudar-nos a melhor identificar e potenciar as Epopeias da cultura ancestral angolana, já que este género está presente na cultura de todos os povos. Epopeia de Gilgamesh A Epopeia de Gilgamesh, ou Épico de Gilgamesh, é considerada por muitos como a obra literária mais antiga conhecida. É um antigo poema épico da região da Suméria, que se estendia

www.taag.com • call center 923 190 000

Humanities Faculty of the University of Lisbon, whose paper “O Caminho dos Clássicos” (The Path of the Classics) was a window on to the importance of studying the classics in Angola and in Africa. From Spain came Rocío Orsi, with her paper focusing on “Variations on the theme of heroism. From epic bravery to tragic bravery”. There was a massive response from teachers and students at the Institute, eager to know more, and confirmation of the relevance and pertinence of the event. The organisation of the Symposium The ISPSN has, since its inception, aspired to a differential horizon for education. Its decision to introduce classical culture and classical studies in the country with a view to starting and spreading the subject has thrown down the gauntlet – can it be done? The opinion of the ISPSN, according to its press release on the subject, is that “thinking of classical culture is equivalent to thinking of a good part of current critical thought; it is thinking about art, about science, about a range of sciences; about literature, politics, history, law, religion, education and theologies.” And it goes on, “this statement, without exaggeration, does not call into question, nor does it aim to minimise the countless contributions of the Egyptians, the Phoenicians, the Babylonians, the Chinese and the Indians.” Classical Studies and Africa Classical studies may well be important, but they have to be seen from a comparative perspective, alongside an analysis of all the earlier contributions for the maturity of classical civilisation, with a special mention for the contribution of ancient Egypt. According to the Senagalese Egyptologist Cheikh Anta Diop, its inhabitants “appartenenaient à une race africaine, entendez nègre” (belonged to an African race, which means black). Besides, the study of other cultures gives us a better understanding of our own culture, which now contains characteristics that are from the Romanic and the Bantu world. Studying Greek culture allows us to become immersed in its world view, looking at politics and rhetoric, with the emphasis on the role of the “polis”; the epic, which continues in tragic form; philosophy, with concerns about teaching, associated to balance and magnanimity, as are manifest in the episode related to the death of Ajax in the epic poem Iliad. The Romans bequeathed us their Law. Yet it is relevant in the Angola of today to study the Iliad and the Odyssey, the epic poems attributed to Homer, written down around 600 years before Christ, but already existing for centuries before this in the oral tradition. These epics, along with the Aeneid of Virgil and other mediaeval, modern and contemporary epics, can help us the better to identify and encourage interest in epics from Angolan ancestral culture. Such works are, after all, present in the cultures of every nation. The Epic of Gilgamesh The Epic of Gilgamesh is considered by many to be the oldest literary work known to man. It is an old epic from the Sumeria

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 147


longo curso long haul

do centro ao sul da Mesopotâmia (actual Iraque). Os sumérios são conhecidos como detentores de uma das civilizações mais avançadas da Antiguidade. Destacaram-se nos campos da matemática, engenharia, irrigação, agricultura, astronomia, medicina e na escrita. O alfabeto mais antigo conhecido pelo homem tem origem suméria: a escrita cuneiforme. Calcula-se que esta escrita tenha sido inventada por volta de 4000 a.C. A Epopeia de Gilgamesh, preservada em placas de argila, com caracteres cuneiformes, foi encontrada em ruínas da Mesopotâmia, por volta de 1890, altura em que foi decifrada. Acredita-se que na sua origem estejam diversas lendas e poemas sumérios sobre o mitológico deus-herói Gilgamesh, reunidos e compilados no século VII a.C. pelo rei Assurbanípal. Esta Epopeia contém a mais antiga referência conhecida ao dilúvio, antecedendo à versão bíblica em alguns séculos.

region, which stretched from the centre of Mesopotamia (now Iraq) to the south. The Sumerians were known as having one of the most advanced civilisations in antiquity, especially in mathematics, engineering, irrigation, agriculture, astronomy, medicine and forms of writing. The oldest known alphabet is Sumarian in origin: cuneiform script. It is reckoned that this form of writing was invented around 4000 BC. The epic of Gilgamesh was preserved on plates made of clay, in cuneiform script, and was found in ruins in Mesopotamia around 1890, which is when it was deciphered. There are believed to have been were various Sumarian legends and poems at its origins, based on the mythological god-hero figure of Gilgamesh, brought together and compiled in the century BC by King Assurbanipal. The epic contains the oldest known reference to the flood, predating the Bible by several centuries.

Epopeia e História Por se tratar de obras literárias, com uma forte componente mitológica, as Epopeias não podem ser utilizadas como fontes históricas. Todavia, podem ajudar a historiografia, porque possibilitam não somente a compreensão de alguns costumes dos povos da época, mas também a sua visão do mundo, alguns aspectos da religião e de ordem política e social. Isto é, permitem efectuar uma análise da sociedade da sua época. Esses poemas têm a função social de reunir o saber, os padrões de comportamento, as informações que interessam à vida em todos os sentidos

The Epic and History Epics are literary works, with a big mythological component, and they cannot be used as historical sources. They can, however, be of use in historiography, because they make it possible not only to understand some of the customs of the peoples of the time, but their vision of the world, some aspects of their religion and their political and social order. From that, therefore, they can help open up an analysis of the society of the times. These poems have a social function: they bring together knowledge, patterns of behaviour and other information of interest to life in all its senses.

148 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000


longo curso

longo curso

long haul

Poema épico português do séc. XVI Portuguese epic poem from the sixteenth century

Definição de Epopeia Mas o que é uma Epopeia? O termo é de origem grega (do grego ἐποποιία / epopoiía, de ἔπος / epos “história ou palavras de uma canção” e ποιέω / poieo “para criar”, literalmente, “a acção de fazer uma história “). É um longo poema onde são lembradas aventuras, feitos grandiosos de heróis, que louvam a glória de um povo, de forma hiperbólica. São narrativas da tradição oral, que transportam a memória de um povo e transmitidas por griots, xamãs, contadores de histórias, poetas ou trovadores, de forma falada ou cantada num tom monótono. A partir de 1968, a descoberta da Epopeia como género mundial evidencia-se com os estudos de G. Dumézil, que se debruçam sobre a Índia com o Mahabharata, as sagas nórdicas, passando pela epopeia grega, latina, germânica e uma série de epopeias africanas, etc. Desde então, tem-se assistido a tentativas de sínteses, redefinições e reclassificações, que têm em conta esta globalização do género. As Epopeias Africanas Segundo Kesteloot e Dieng (2009), a África contemporânea ainda tem duas grandes áreas onde o género épico é particularmente forte: a África Ocidental, Central e Oriental, com extensão na África do Sul. Estas duas grandes áreas oferecem uma variedade incomparável de poemas épicos reais, religiosos ou mitológicos, que são fixados por escrito. Há uma constante que se verifica em algumas

150 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

long haul

Livro de poemas apologético de Portugal (séc. XX) Apologetic poems’ book of Portugal (twentieth century)

A definition of the Epic So what is an Epic? The term comes from the Greek (from the word ἐποποιία / epopoiía from ἔπος / epos “the story or the words of a song” and ποιέω / poieo “to create”, literally, “the act of making a story”). It is a long poem which uses hyperbole to tell stories of adventures, great feats undertaken by heroes, and praise to the glory of a people. They are narratives from the oral tradition, which carry the memory of a people, and they are passed on by griots (storytellers), shamans, poets or troubadours, in spoken form or chanted in a monotone. From 1968, it was clear from studies such as those of G. Dumézil that this was a universal form. The form appears in India, with its Mahabharata, in Nordic sagas and the Greek, Latin and Germanic stories, in a series of African epics and so on. From this point on, there have been attempts at syntheses, redefinitions and reclassifications based on the fact that the genre was a global phenomenon. African Epics According to Kesteloot and Dieng (2009), there are two large areas of contemporary Africa where the epic form is particularly strong: Western Africa and Central and Eastern Africa down to South Africa. These two large areas provide an incomparable variety of real epic poems, religious or mythological, that have already been written down. There is a recurring feature in some Western African traditions from the Sudan: the myth of empires being founded by a hero. One of

www.taag.com • call center 923 190 000

tradições da África ocidental sudanesa: o mito de origem de impérios através da figura de um herói fundador. Um dos mais representativos do género épico em África é a gesta de Sundiata Keita, uma personagem apresentada como real, que fundou no século XIII o Império do Mali. Essas histórias são transmitidas na África Ocidental pelos griots, considerados como guardiães das tradições do seu povo. Os etnólogos que investigaram as sociedades africanas, durante a primeira metade do século XX, manifestavam pouco interesse pelo “folclore”, privilegiando os factos sociais e religiosos, quer dizer os mitos cosmogónicos. Djibril Tamsir Niane, um historiador africano, atraiu as atenções em 1960 com a publicação de Soundiata Épopée Mandingue, pela editora Présence Africaine, que relata a história do Mali de forma épica. Gravou a entrevista com um griot e, mais tarde, tentou fazer uma adaptação respeitando a “maneira de dizer” do griot, com os diálogos, refrãos e pormenores, em vez de simplesmente resumir os factos, como acontecia com os seus predecessores. O resultado pareceu-lhe evidente: tratava-se de uma Epopeia. Os críticos e linguistas seguiram o seu exemplo e têm estado a recolher textos épicos em numerosas línguas africanas, até aos dias de hoje. Classificação das Epopeias Africanas Continuando com Kesteloot e Dieng (2009), as Epopeias foram divididas em quatro categorias, consoante os seus con-

www.taag.com • call center 923 190 000

the most representative of the epic form in Africa is the gestation of Sundiata Keita, a figure represented as real, and the founder of the Mali Empire in the 13th century. These stories are passed down in Western Africa by griots, who are seen as guardians of their peoples’ traditions. Ethnologists who looked into questions relating to African societies in the first half of the 20th century showed little interest in “folklore”, and focused rather on features of social and religious interest, meaning features relating to the beginnings of the cosmos. In 1960 Djibril Tamsir Niane, an African historian, drew everybody’s attention with Soundiata, Epic of the Mandinkas, published by the Editora Présence Africaine, which tells the story of Mali in the form of an epic. He recorded the interview with a griot and later tried to make an adaptation respecting the “way that things were told” by the griot with dialogues, refrains and details, instead of simply summarising the facts, as had happened with his predecessors. The result was clear to him: this was an epic. Critics and linguists followed his example and have right until our own times been collecting texts of epics in a wide variety of African languages. The Classification of African Epics Continuing with Kesteloot and Dieng (2009), epics were divided into four categories, depending on their content: narration with great scope; history in rhythmic form; feats of war and other conflicts; acts of bravery, and praise for heroism or honour, related with the universal definition of the epic.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 151


longo curso long haul

Kimpa Vita, profetiza do reino do Congo (séc. XVII) Kimpa Vita prophesy of the kingdom of Congo (seventeenth century)

Soberana Njinga a Mbande Sovereign Njinga a Mbande

teúdos: narração de grande envergadura, história ritmada, feitos de guerra ou outros conflitos, actos de bravura, exaltação do heroísmo ou da honra, relacionados com a definição mundial de Epopeia. Pode-se acrescentar, no que diz respeito às epopeias reais ou feudais, uma função de identidade nacional, importante na medida em que os antigos reinos, ou mesmo os reagrupamentos étnicos, estão presentes nestas histórias que reforçam a consciência da sua história e dos seus valores colectivos. Em todos os casos, as epopeias são conhecidas e repetidas por um público popular. São declamadas, palmodiadas ou cantadas por especialistas da memória que, muitas vezes, também são músicos. Na África Ocidental e Oriental, a casta dos griots é constituída por profissionais ligados aos príncipes dos antigos reinos e encarregues de perpetuar as suas grandes acções, a sua genealogia, as suas alianças etc., num papel de cronistas análogos aos da Idade Média na Europa. Nas sociedades clássicas do Golfo da Guiné e da África Central, as Epopeias foram apoiadas por músicos-contadores de histórias que adquiriram o seu conhecimento e património literário através de um mestre. Não estão ligados ao poder nem à história e gozam de uma maior capacidade de invenção, isto é, de crítica. Todavia, verifica-se que as Epopeias não existem em qualquer tipo de sociedade – se não houver um especialista, o que parece verificar-se também na Europa. Epopeias Africanas famosas As Epopeias mais célebres da África Ocidental continuam em

www.taag.com • call center 923 190 000

Rei Ekuikui II do Bailundo (séc. XIX) Rei Ekuikui II from Bailundo (nineteenth century)

actividade e conservam a sua função identitária e eufórica no estado actual. Referenciou-se Sundiata Keita, do Mali, mas canta-se também a gesta de Ségou y Silamaka, de Macina (fula), e a de Hambodedio (fula). Na Guiné, exalta-se a Epopeia de Samory Touré (malinke) e as de Almamy de Fouta Djalon (fula). No Senegal, reiteram-se as Epopeias wolof de Kajoor et de Walo, assim como a de Amadou Bamba. Na Gâmbia, cantase a Epopeia de Gabou. Na Mauritânia e no Senegal, a Epopeia de Samba Gueladio Diègui também é um clássico. No Burkina Faso, a pesquisa começa somente com a Epopeia Mossi. No Niger, a recolha está mais avançada com as Epopeias Zarma de Issa Korombe, et de Zabarkane, sem contar com a de Askia Mohammed (songhai) e as Epopeias fulas de H. Bododji Paate e a de Garba Mama. Na Nigéria, as Epopeias Haussa são pouco difundidas fora do país, mas o Mvett dos Camarões e Gabão é famoso. Na África Central, as Epopeias Lianja dos Mongo e Mwindo dos Nyanga rivalizam com as Epopeias do Rwanda et do Ouganda. Na África Oriental, as Epopeias swahili circulam entre a Tanzania e o Quénia, enquanto na África do Sul Shaka Zulu se tornou o símbolo da luta anticolonialista. Foram citadas as mais conhecidas, mas o continente-berço contém muitas mais, umas não publicadas, outras ainda não transcritas. África, sobretudo o território a Sul do Sahara, continua sem dúvida como o principal depositário contemporâneo de Epopeias Vivas. Significa que são praticadas num contexto tradicional oral, pouco ou não afectado pelas transformações inevitáveis e alterações que a transição para a escrita impõe. Muitas línguas africanas têm, assim, um termo para designar as suas Epopeias Orais, tam-

www.taag.com • call center 923 190 000

Imperador Shaka Zulu (séc. XIX) Emperor Shaka Zulu (nineteenth century)

Where royal or feudal epics are concerned, the theme of national identity comes into play, and it is important to the extent that ancient kingdoms, or even ethnic regroupings, are present in these stories and reinforce the awareness of history and its collective values. In any case, epics are known and repeated by ordinary people. They are declaimed or chanted or sung by specialists who know them by heart and are also in many cases musicians. In Western and Eastern Africa, the social stratum of the griots is made up of professionals linked to the princes of ancient realms, charged with committing its great feats to memory, along with its genealogy, its alliances and so on. Their role as a chronicler is analogous to those from the Middle Ages in Europe. In the ancient societies of the Gulf of Guinea and Central Africa, epics were backed by musicians who were also story-tellers. They acquired their knowledge and literary heritage through a master. They are not connected to power, nor to history and they have greater freedom to invent, which means to criticise. It is also true, however, that epics do not exists in every kind of society – if there is no specialist to hand. This also seems to be the case in Europe. Famous African Epics The most famous epics of Western Africa are still going the rounds, and they have preserved their function – to focus on identity, and whip up enthusiasm in their world as it stands. Reference has already been made to the Sundiata Keita from Mali, but there is also the lay of Ségou y Silamaka, from

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 153


longo curso long haul

bém utilizado pelos especialistas modernos que as colectam, transcrevem e comentam (idem, 2009).

Macina (the language being Fulfulde), and Hambodedio (also in Fulfulde). In Guinea, praise is heaped on the epic of Samory Touré (in Malinka) and Almamy de Fouta Djalon (in Fulfulde). In Senegal, the Wolof epics of Kajoor and Walo are still repeated, as are those of Amadou Bamba. In Gambia, the Gabou epic is still sung. In Mauritania and Senegal, the Samba Gueladio Diègui epic is also a classic. In Burkina Faso, research has started only on the Mossi epic. In Niger, the collection is farther advanced, with the epics Zarma de Issa Korombe and Zabarkane, not to mention the Askia Mohammed (in Songhai) and the Fulfulde epics of H. Bododji Paate and Garba Mama. In Nigeria, the Haussa epics are not widely known outside the country, but the Mvett from the Camaroons and Gabon is famous. In Central Africa, the epics Lianja dos Mongo and Mwindo dos Nyanga are on a par with those of Rwanda and Uganda. In Eastern Africa, the epics in Swahili can still be heard in Tanzania and Kenya, while in South Africa Chaka Zulu became the symbol of the anti-colonial struggle. The best known have been mentioned, but the continent that was the cradle of mankind has many more, some not yet known to the public, some not yet written down. Africa, including the lands south of the Sahara, is still undoubtedly the main place for living epics in our own day and age. This means they are known within an oral tradition, little or not at all affected by the inevitable transformations and changes that transition to the written language entails. Many African languages therefore have a chance to designate their oral epics, also available to modern specialists that are collecting and writing them up and also commenting on them (idem, 2009).

Epopeia em Angola Ainda não há estudos sistematizados sobre as Epopeias em Angola, nem se conhecem poemas épicos relevantes. Não obstante, acreditamos que Angola tem um grande potencial épico. A valorização de figuras históricas ancestrais pode despertar esta competência, que já se manifesta com as produções à volta da soberana Njinga a Mbande. Mais uma razão para corroborar com a pertinência dos estudos clássicos e de epopeias.

The Epic in Angola There are as yet no systematic studies on epics in Angola, and no major epic poems are known. However, we believe that the country has great epic potential. Bringing the spotlight to bear on historical figures could bring this trove to life, as has already been seen in works relating to Queen Njinga a Mbande. And this is one more reason to agree on the relevance of studies of the classics and of the epic as a genre.

Referências Bibliográficas DUMÉZIL, Georges 1995 Mythe et épopée. 3 vol., Gallimard, Paris KESTELOOT, L. e DIENG, B. 2009 Les Epopées d’Afrique noire, Éditions Karthala et UNESCO, Paris M’BOKOLO, Elikia 2012 África Negra, 2ª Edição, Tomo I, 2ª Edição, edições Colibri, Lisboa NIANE, Djibril T. 1960 Soundiata épopée mandingue, Présence Africaine, Paris ZUMTHOR, Paul 1983 Introduction à la poésie orale, Seuil, Paris

Bibliography DUMÉZIL, Georges 1995 Mythe et épopée. 3 vol., Gallimard, Paris (Myth and the epic) KESTELOOT, L. and DIENG, B. 2009 Les Epopées d’Afrique noire, Éditions Karthala et UNESCO, Paris (The Epics of Black Africa) M’BOKOLO, Elikia 2012 África Negra, 2ª Edição, Tomo I, 2ª Edição, edições Colibri, Lisboa (Black Africa) NIANE, Djibril T. 1960 Soundiata épopée mandingue, Présence Africaine, Paris (Soundiata, Mandinka Epic) ZUMTHOR, Paul 1983 Introduction à la poésie orale, Seuil, Paris (Introduction to Oral Poetry)

Cantor Salif Keita, descendente directo de Sundiata Keita, fundador do Império do Mali Singer Salif Keita, direct descendant of Sundiata Keita, founder of the Mali Empire

154 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

Entretenimento a BORDO

/ Inflight entertainment

ÍNDICE / INDEX FILMES / MOVIES Comédia / Comedy Drama / Drama Romance / Romance Acção / Action Família / Family Documentário / Documentary TV SHORTS / TV SHORTS Ilustrações / Instructions Cultura Africana/ African Culture Documentário / Documentary Tv Comédia / Tv Comedy Tv Shows / Tv Shows PROGRAMA AUDIO / AUDIO PROGRAM Música Clássica / Classic music Música de Sempre / Music all the time favourites Internacional / International Jazz café / Jazz coffee Música Angolana / Angolan Music Música Africana / African Music Música Latina / Latin music Música Pop&Rock / Pop&Rock Music AUDIO A PEDIDO / ON DEMAND CDS Disponíveis / Available CDS Novo / New JOGOS / GAMES Jogos disponíveis / Available

INSTRUÇÕES / Instrutions

COMÉDIA / Comedy

156 www.taag.com • call center 923 190 000

PROGRAMA AUDIO / Audio program

157

159

AUDIO A PEDIDO / Audio on demand

160 AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 155


hora de descanso

entretenimento a bordo

relax time

inflight entertainment

Comédia Romance / Comedy Romance

DURAÇÃO | LENGTH: 105 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES: Mandarim

Comédia / Comedy

Comédia Romance / Comedy DURAÇÃO | LENGTH: 96 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

DURAÇÃO | LENGTH: 89 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES:

Comédia / Comedy

Um fracassado descobre que foi pai de 533 crianças através de doações anônimas para uma clínica de fertilidade de 20 anos atrás. Agora, ele deve decidir se quer ou não se apresentar quando 142 deles mover uma ação judicial para revelar sua identidade. An affable underachiever finds out he's fathered 533 children through anonymous donations to a fertility clinic 20 years ago. Now he must decide whether or not to come forward when 142 of them file a lawsuit to reveal his identity.

MEET DAVE Meet Dave

Comédia Romance / Comedy

DELIVERY MAN Delivery Man

BAGGAGE CLAIM Baggage Claim

ENOUGH SAID Enough Said

THE HEAT The Heat

DURAÇÃO | LENGTH: 92.54 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES: Port

DURAÇÃO | LENGTH: 109 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES: Mandarim

Comédia Romance / Comedy Romance

Comédia Romance / Comedy Romance

FILMES Movies

VENDO OU ALUGO Vendo ou Alugo

Na década de 1960 em Paris, a vida de um casal conservador é virada de cabeça para baixo por duas empregadas espanholas. In 1960s Paris, a conservative couple's lives are turned upside down by two Spanish maids.

Maria Alice vive com a mãe, a filha e a neta num casarão no Leme, bem na entrada de uma favela. Para sobreviver faz os mais diversos trabalhos, mas sabe que o único meio de resolver os seus problemas é vendendo a casa. O problema é que ninguém quer comprá-la, devido à proximidade com o morro. Mas há o dia em que Maria Alice encontra finalmente um estrangeiro, louco por comprar um imóvel na cidade! Maria Alice lives with her mom, her daughter and granddaughter in an old house in Leme, close to a favela. She takes all kinds of jobs but she knows that selling the house is the only way out. However, no one wants to buy it because of the favela. One day, Maria meets a foreigner who is interested in buying a house in town.

DURAÇÃO | LENGTH: 102 min LÍNGUA | LANGUAGE: Fran LEGENDAS | SUBTITULES: Port

DURAÇÃO | LENGTH: 88 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES: Ing

LES FEMMES DU 6ÈME ÉTAGE Les femmes du 6ème étage

156 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

www.taag.com • call center 923 190 000

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 157


entretenimento a bordo inflight entertainment

Acção / Action

Drama / Drama

Drama / Drama

Drama / Drama

Comédia / Comedy

FILMES Movies

THE COUNSELOR The Counselor Um advogado dá por si em terreno delicado, quando se envolve em tráfico de droga. A lawyer finds himself in over his head when he gets involved in drug trafficking.

DURAÇÃO | LENGTH: 100 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

MOULIN ROUGE Moulin Rouge THE BOOK THIEF The Book Thief

GRAVITY Gravity

Apesar de estar sujeito aos horrores da Segunda Guerra Mundial, a jovem Liesel encontra consolo ao roubar livros e partilhá-los com outros. Debaixo das escadas da sua casa, uma refugiada judia está a ser albergada pelos seus pais adotivos. While subjected to the horrors of World War II Germany, young Liesel finds solace by stealing books and sharing them with others. Under the stairs in her home, a Jewish refugee is being sheltered by her adoptive parents.

Uma médica e um astronauta trabalham em conjunto para sobreviver, depois de um acidente os deixar à deriva no espaço. A medical engineer and an astronaut work together to survive after an accident leaves them adrift in space. DURAÇÃO | LENGTH: 91 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

DURAÇÃO | LENGTH: 129.51 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

Nicole Kidman interpreta Satine, estrela do Moulin Rouge e cortesã mais famosa da cidade. Satine se encontra entre o amor de um jovem escritor e a obsessão de um outro homem. Ewan McGregor é o escritor, Christian, que se encontra mergulhado neste mundo decadente, onde vale tudo - exceto se apaixonar. Nicole Kidman portrays Satine, the Sparkling Diamond, star of the Moulin Rouge and the city's most famous courtesan. Satine is caught between the love of a young writer and another man's obsession. Ewan McGregor is the writer, Christian, who finds himself plunged into this decadent world where anything goes - except falling in love. DURAÇÃO | LENGTH: 125 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

THE WOLVERINE The Wolverine

RUNNER RUNNER Runner Runner

DURAÇÃO | LENGTH: 126 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES: Mandarim

DURAÇÃO | LENGTH: 91.28 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES:

Uma adolescente com experiências nas ruas, oriunda de Baltimore, que foi criada por uma ma͂e solteira, viaja para Nova Iorque para passar o Natal com os seus familiares distantes, onde vai embarcar numa jornada surpreendente e inspiradora. A street-wise teen from Baltimore who has been raised by a single mother travels to New York City to spend the Christmas holiday with his estranged relatives, where he embarks on a surprising and inspirational journey. DURAÇÃO | LENGTH: 93 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing | Fran | Port LEGENDAS | SUBTITULES:

www.taag.com • call center 923 190 000

IN TIME In Time

Acção / Action

TAKEN Taken Acção / Action

Drama / Drama

BLACK NATIVITY Black Nativity

158 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Acção / Action

Uma comédia romântica contemporânea sobre um professor do ensino médio que se encontra e se apaixona por uma mulher de negócios bem sucedida. Apesar de suas vidas serem muito diferentes, a relação parece perfeita até que a temporada de beisebol começa, e ela tem que competir com seu primeiro e verdadeiro amor: os Boston Red Sox. A contemporary romantic comedy about a high school teacher who meets and falls in love with a successful businesswoman. Although their lives are vastly different, the relationship seems perfect until the baseball season begins and she has to compete with his first true love: the Boston Red Sox.

DURAÇÃO | LENGTH: 116.31 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES:

Acção / Action

FEVER PITCH Fever Pitch

Um ex-agente do governo sai da aposentadoria e usa em sua extensa formação para resgatar sua filha distante de uma operação de tráfico de escravos. A former government operative comes out of retirement and uses on his extensive training to rescue his estranged daughter from a slave trade operation. DURAÇÃO | LENGTH: 88 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing | Fran LEGENDAS | SUBTITULES:

DURAÇÃO | LENGTH: 108.16 min LÍNGUA | LANGUAGE: Fran | Ing LEGENDAS | SUBTITULES: Port

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 159


entretenimento a bordo inflight entertainment

TV Shorts Cultura Africana / African Cult

Instruções / Instructions

TV Shows / TV Shows

TV Comédia / TV Comedy

TV Comédia / TV Comedy

CONSELHOS A BORDO Advice on board Uma família exemplar vai demonstrar como os passageiros se devem comportar a bordo aconselhados por uma equipa de tripulantes altamente profissional. A very nice family will show how passengers must behave onboard according to the tips of a highly-qualified flight crew. DURAÇÃO | LENGTH: 1.37 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES:

Cultura Africana / African Cult

Cultura Africana / African Cult

BEM VINDO A ANGOLA Welcome to Angola DURAÇÃO | LENGTH: 59 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES: TV Shows / TV Shows

CHARLES CHAPLIN Charles Chaplin A Day's Pleasure PRISON BREAK Prison Break Season 1 - Episode 14: The Rat

JUST FOR LAUGHS Just For Laughs S12 Show 175

Michael tenta atrasar a execução de Lincoln por defeito de cadeira elétrica; Veronica e Nick pedem uma ordem de exumação do corpo de Steadman.

Uma selecção de partidas feitas ao público, com resultados divertidos.

Michael tries to delay Lincoln's execution by tampering with the electric chair; Veronica and Nick pursue an exhumation order for Steadman's body. DURAÇÃO | LENGTH: 45 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing

S12 Show 176

PRISON BREAK Prison Break Season 1 - Episode 15: By The

O show é basicamente composto por uma câmera escondida onde as pessoas são vítimas de pegadinhas sem desconfiarem.

'A Day's Pleasure' is a lightweight entry and a throwback to earlier days. It begins with Charlie, Edna and their two boys leaving their house for a day's outing. The family piles into the family flivver, and after Charlie's amusing efforts to keep the engine running, they arrive at a dock and board a crowded day cruiser.

The show uses a hidden camera to pull pranks on unsuspecting people.

DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

Skin and the Teeth

NOVA AFRICA Nova Africa Nelson Mandela Acompanhe a trajetória desse líder que revolucionou toda uma nação por meio da paz e do diálogo, lutou pelo fim do Apartheid, sistema racista que dividiu a África do Sul em negros e brancos, e viveu duros 27 anos de prisão política.

GERAÇÃO DO SEMBA - PUTO PORTUGUÊS Geração do Semba - Puto Português

FOOTBALL GREATESTS Football Greatests Eusebio

DURAÇÃO | LENGTH: 90 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES:

DURAÇÃO | LENGTH: 28 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing LEGENDAS | SUBTITULES: Port

Cultura Africana / African Cult

TV Shows / TV Shows

DURAÇÃO | LENGTH: 26 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port

Lincoln ganha mais duas semanas quando um juiz ordena que o corpo de Terence Steadman seja exumado, e Sucre exige um favor para ajudar Michael a verificar uma nova rota. Lincoln wins a two-week stay when a judge orders Terence Steadman's body exhumed; and Sucre calls in a favor to help Michael verify a new route. DURAÇÃO | LENGTH: 45 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing

PRISON BREAK Prison Break Season 1 - Episode 17: J-Cat

Follow the trajectory of this leader who revolutionized an entire nation through peace and dialogue, fought for the end of apartheid, racist system that divided South Africa in black and white, and lived hard 27 years of political imprisonment.

Quando Michael é jogado na solitária, ele quase se afoga em desespero; Sucre fica a pavimentar sobre o buraco de fuga na sala dos guardas. When Michael is thrown into solitary confinement, he nearly drowns in despair; Sucre is left to pave over the escape hole in the guards' room.

THE BEST OF ANSELMO RALPH - LIVE The Best Of Anselmo Ralph - Live

DURAÇÃO | LENGTH: 45 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing

DURAÇÃO | LENGTH: 157 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES:

TV Comédia / TV Comedy Cultura Africana / African Cult

A selection of pranks played on the general public with funny results. DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

JUST FOR LAUGHS Just For Laughs S12 Show

160 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

168

S12 Show 169 DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing S12 Show 171 DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port S12 Show 174 DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port Documentário / Documentary

MR BEAN Mr Bean Season 1 - Episode 8 Mr. Bean é um personagem cómico, de típico humor britânico, criado pelo ator Rowan Atkinson. Mr. Bean is a British comedy television programme series written and stared by Rowan Atkinson as the title character. DURAÇÃO | LENGTH: 25 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

Cultura Africana / African Cult Concertos / Concerts

DJAVAN Djavan ARIA

DURAÇÃO | LENGTH: 42 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing LEGENDAS | SUBTITULES:

DURAÇÃO | LENGTH: 25.15 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port LEGENDAS | SUBTITULES: Ing

TV Comédia / TV Comedy

DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

GLEE Glee Season 4 - Glease

HISTÓRIA DO DINHEIRO História do Dinheiro

A Day's Pleasure é uma leve entrada e um regresso aos dias passados. Ela começa com Charlie, Edna e seus dois filhos saindo de sua casa para um dia de passeio. Depois de divertidos esforços de Charlie para manter o moto do auto em funcionamento, eles chegam a um cais e embarcam em um lotado cruzeiro diurno.

Season 4 - Thanksgiving DURAÇÃO | LENGTH: 42 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing LEGENDAS | SUBTITULES:

MALANGATANA É DE TRUZ Malangatana É de Truz DURAÇÃO | LENGTH: 30.14 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port

Season 4 - Swan Song DURAÇÃO | LENGTH: 42 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port | Ing LEGENDAS | SUBTITULES:

www.taag.com • call center 923 190 000

HIDDEN CAMERAS Just Kidding Show 8 DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing Show 9 DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing

www.taag.com • call center 923 190 000

500 GREAT GOALS 500 Great Goals DURAÇÃO | LENGTH: 26 min LÍNGUA | LANGUAGE: Ing LEGENDAS | SUBTITULES: Port

Ária é o décimo nono álbum do cantor e compositor brasileiro Djavan, lançado em 2010, sendo o primeiro em que exerce exclusivamente o papel de interpretar canções de outros compositores. Aria is the nineteenth album by Brazilian singer and composer Djavan, launched in 2010, and it is the first in which he exclusively plays the role of interpreting songs of other composers. DURAÇÃO | LENGTH: 24 min LÍNGUA | LANGUAGE: Port

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 161


entretenimento a bordo inflight entertainment

PROGRAMA AUDIO Audio Program

1

Canal / Channel

2

Canal / Channel

3

Canal / Channel

4

Canal / Channel

5

Canal / Channel

6

Canal / Channel

7

Canal / Channel

8

Canal / Channel

MÚSICA CLÁSSICA Classical

MÚSICA DE SEMPRE Music All Time Favourites

INTERNACIONAL International

JAZZ CAFÉ Jazz Coffee

MÚSICA ANGOLANA Angolan Music

MÚSICA AFRICANA African Music

MÚSICA LATINA Latin Music

MÚSICA POP & ROCK Pop & Rock Music

Johann Sebastian Bach Avi Avital, Mandolin, Kammerakademie Potsdam

O Gente da Minha Terra Mariza

Eu Vi Luanda Filipe Mukenga

Céu e Mar Paquito D'Rivera & Trio Corrente

Hoje Sou Feliz N'Soki

Even In The Dark Nasimiyu Murumba

Saideira Santana ft. Samuel Rosa

Best Day Of My Life American Authors

Paris Marc Lavoine

Some Enchanted Evening Perry Como

Blessings In May Joe Lovano & Us Five

O País Que Nasceu Meu Pai Paulo Flores

Ife Din Mma 2Face Idibia & Tony One Week

Desde El Primer Beso Gocho "El Lápiz De Platino" ft. Wisin

Happy Pharrell Williams

Il mondo Claudio Baglioni

N'Golo Danza Chico Montenegro

Manazinha Carlos Burity

Table Ronde Joseph Kabasele & Grand Kalle

Maus Bocados Cristiano Araújo

Drunk In Love Beyoncé ft. Jay-Z

Cruisin' Smokey Robinson

Bombons André Mingas

Canvas John Hollenbeck ft. Frankfurt Radio BigBand, Theo Bleckmann, Kate McGarry & Gary Versace

Eu Tentei Adi Cudz

La Luz Juanes

Jubel Klingande

Com A Cabeça Nas Nuvens Ana Moura

La Donna Cannone Francesco De Gregori

Orbits Wayne Shorter

Problemas Robertinho

Khona Mafikizolo ft. Uhuru Evo Mix

Arullo de Estrellas Zoé

I Should've Followed You Home Agnetha Fältskog

Sous le ciel de Paris Edith Piaf

Canção D'magne Nanuto

Air Antonio Sanchez

Kadika Zeka David Zé

Como El Viento Juan Magan ft. Farruko

Changes Faul & Wad Ad vs. Pnau

Una canzone per te Vasco Rossi

Mon amant de Saint Jean Lucienne Delyle

Very Special Terri Lyne Carrington

Regressa Yuri da Cunha

Teorias Zezé Di Camargo & Luciano

Somewhere Only We Know Lily Allen

Don't Know Much Linda Ronstadt & Aaron Neville

Segura meu coração Teta Lágrimas

Generation Y Aaron Diehl

DJ Konde

Chica Ideal Chino & Nacho

Hey Brother Avicii

Sua voz Silvia Filipe

That's Amore Dean Martin

What She Wanted Jane Ira Bloom

Um Abraço Moisés e José Kafala

Mujeres Fanny Lu

Sweater Weather The Neighbourhood

La mauvaise réputation Georges Brassens

Palame Carlitos Vieira Dias

Mood Indigo Charles Lloyd & Jason Moran

Merengue de Nany Nany

El Perdedor Enrique Iglesias ft. Marco Antonio Solís

Stolen Dance Milky Chance

Strani Amori Laura Pausini

Cerco un gesto naturale Giorgio Gaber

Amber Road Randy Brecker

Kiene Kia Tocala Eduardo paim

Cambio de Piel Marc Anthony

All Of Me John Legend

Mais Fácil (Easier) Sorriso Maroto ft. Brian McKnight

Dark Horse Katy Perry ft. Juicy J

Propuesta Indecente Romeo Santos

Closer Glenn Lewis

Antenna Fuse ODG ft. Wyclef Jean Antenna (Remixes)

Cuando Estoy Contigo Pacific Mambo Orchestra ft. Carlos Cascante & Karl Perazzo

Stand Down Little Mix

Kalahari Monoswezi The Village

Que Bailes Conmigo Hoy Fifth Harmony

Ludwig van Beethoven Povilas Stravinsky, Piano St. Petersburg Symphony Orchestra Arnold Kaz, Conductor Marcel Grandjany Jon Gillock & Kathleen Bride Modest Mussorgsky Slovak Philharmonic Orchestra Zdenek Kosler, conductor Arvo Pärt Lisa Batiashvili, Violin Hélène Grimaud, Piano Pyotr Ilyich Tchaikovsky Ronan O'Hora, Piano Sergei Rachmaninov Markus Stocker, Cello Viktor Yampolsky, Piano Wolfgang Amadeus Mozart Salzburg Mozarteum Quartet Frédéric Chopin Ida Cernecká, Piano

Baby, Come To Me Patti Austin & James Ingram

Muxima Mário Garnacho ft. Dôdó Miranda

Aquela Janela Virada P'ro Mar António Zambujo

Laughter In The Rain Neil Sedaka

Joe le taxi Vanessa Paradis

Dembita Mario Rui Silva

Mi votu e mi rivotu Carlo Muratori

La petite diligence André Claveau

Then Came You Dionne Warwick & The Spinners

Diala monzo Elias Dia Kimuezo

M'biri M'biri Dôdó Miranda Tio Yo Eddy Tussa

Beu gosse Black Bazar ft. Soleil Round 2 Contolola Zone Fam Contolola Libela Gasandji Gasandji Soubour Songhoy Blues Maison des jeunes Sonje PSE Kassav' Sonjé

Number One DJ Caise ft. Waje Number One

Recado Joana Costa

162 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Adounia Mamadou Kelly Adibar

The Man Aloe Blacc

Corazones Invensibles Aleks Syntek Que Bonita la Vida Dani Martín

The End Mumbi ft. Fadhilee Itulya Discovered' EP

www.taag.com • call center 923 190 000

www.taag.com • call center 923 190 000

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 163


entretenimento a bordo inflight entertainment

AUDIO A PEDIDO On Demand CDS DISPONÍVEIS / Available CDS

CD 01 Michael Bublé / To Be Loved CD 02 Fantasia / Side Effects Of You CD 03 Mumford & Sons / Babel CD 04 Bruno Mars / Unorthodox Jukebox CD 05 Maroon 5 / Overexposed CD 06 Emeli Sandé / Our Version Of Events CD 07 Daft Punk / Random Access Memories CD 09 Avicii / True CD 08 Sara Bareilles / The Blessed Unrest CD 09 Avicii / True CD 10 The Weeknd / Kiss Land CD 11 Lady Gaga / Artrop CD 12 Katy Perry / Prism CD 15 Various Artists / Team de Sonho CD 16 Raimundo Santos / Coming Home CD 17 Various Artists / Angola 90’s CD 18 Yuri da Cunha / Canta Artur Nunes CD 19 Various Artists / 100% Angolano, Vol. III CD 20 Nelo Carvalho / Encontros CD 21 Aline Frazão / Movimento CD 22 Banda Maravilha / As Nossas Palmas CD 23 Bonga / Bairro CD 28 Salif Keita / Talé CD 29 Bibi Tanga & The Selenites / 40º of Sunshine CD 30 Cesaria Evora / Selections from Miss Perfumado (20th Anniversary) CD 31 Miriam Makeba / Mama Africa: The Very Best Of Miriam Makeba CD 32 Vieux Farka Touré / Mon Pays CD 33 Tamikrest / Chatma CD 34 Neuza / Flor Di Bila CD 35 Angélique Kidjo / Djin Djin CD 38 Ana Moura / Desfado CD 39 Bajofondo / Presente CD 40 Stathis Kalyviotis & Kristi Stassinopoulou / Greekadelia CD 41 Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra & Toumani Diabaté / A Curva da Cintura CD 42 Carla Bruni / Little French Songs CD 43 Enya / The Very Best Of Enya CD 44 Various Artists / Putumayo Presents: Music From The Wine Lands CD 45 Dulce Pontes / Momentos CD 46 Amália Rodrigues / The Art of Amália Rodrigues, Vol. 1 CD 47 Djavan / Rua Dos Amores CD 48 Various Artists / Pagode da Hora 2 CD 51 Boney James / The Beat CD 52 Luciana Souza / Duos III CD 53 Anat Cohen / Claroscuro CD 54 Miles Davis / Love Songs CD 55 Various Artists / Selections from The Best Blue Note Album In The World… Ever! CD 57 Kelly Clarkson / Greatest Hits Chapter One CD 58 Etta James / At Last! CD 59 Gladys Knight & The Pips / Ultimate Collection CD 60 Johnny Mathis / The Ultimate Hits Collection CD 61 Elton John / Rocket Man – Number Ones CD 62 Nat King Cole / The World Of Nat King Cole CD 63 Queen / Greatest Hits CD 64 Michael Jackson / Number Ones CD 66 Yo-Yo Ma, Ton Koopman & The Amsterdam Baroque Orchestra / Simply Baroque CD 67 Various Artists / Mozart For Relaxation CD 68 Janina Fialkowska / Chopin Recital 2 CD 69 Avi Avital / Bach CD 70 Berliner Philharmoniker, Sir Simon Rattle / Bruckner Symphony No. 9

164 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

AUDIO A PEDIDO On Demand 13

NOVO / NEW

BEYONCÉ Beyoncé 01 Pretty Hurts 02 Haunted 03 Drunk In Love ft. Jay Z 04 Blow 05 No Angel 06 Partition 07 Jealous 08 Rocket 09 Mine ft. Drake 10 XO 11 Flawless ft. Chimamanda Ngozi Adichie 12 Superpower ft. Frank Ocean 13 Heaven 14 Blue ft. Blue Ivy

14

NOVO / NEW

26

NOVO / NEW

36

NOVO / NEW

49

NOVO / NEW

MÁRIO GARNACHO Tributo a Raul Indipwo 01 Mulowa ft. Filipe Mukenga 02 Menino De Braçanã ft. Kizua Gourgel 03 Lindeza ft. Sandra Horta 04 Rita Flôr Da Canela ft. Carlos Sanches 05 Muxima ft. Dôdó Miranda 06 Vou Levar-te Comigo ft. Olavo Bilac 07 Amanhã ft. Paulo Flores 08 Muamba, Banana e Cola ft. Dany Silva

27

NOVO / NEW

ONE DIRECTION Midnight Memories

ANSELMO RALPH A Dor Do Cupido

01 Best Song Ever 02 Story Of My Life 03 Diana 04 Midnight Memories 05 You & I 06 Don't Forget Where You Belong 07 Strong 08 Happily 09 Right Now 10 Little Black Dress 11 Through The Dark 12 Something Great 13 Little White Lies 14 Better Than Words 15 Why Don't We Go There 16 Does He Know? 17 Alive 18 Half A Heart

01 Intro 02 Promessa 03 Unica Mulher 04 Tas No Ponto 05 Vai Com Calma 06 Mente para Mim 07 Se Fosse Eu ft. Lisandro M 08 Moça Relaxa 09 Aplausos Para Ti 10 Tem Cuidado 11 Vou Te Salvar 12 Era Mais Faliz 13 Eu Te Amava Mais 14 Rei 15 Parte A Loiça Toda ft. BWG 16 É Hoje 17 Muito Obrigado

www.taag.com • call center 923 190 000

56

NOVO / NEW

MANU DIBANGO Ramblin’ Sax TITO PARIS Graça de Tchega

MARTINHO DA VILA Do Brasil e do Mundo

01 Um Ten Graça de Tchega 02 No Intende 03 Joana Rosa 04 Preto e Mi 05 Rainha Estrela 06 Marina 07 Mar di Ilheu 08 Kantador 09 Um Cria Ser Un Poeta 10 Cartinha d'Holanda 11 Um Paixao

01 Vou Viajar 02 O Amor Da Gente ft. Negra Li 03 Ó, Que Banzo, Preta 04 Te Encontro No Ilê ft. Band Aiyê E Margareth Menezes 05 Nos Amamos 06 Madeleine, I Love You ft. Madeleine Peyroux 07 Copacabana 08 Nossos Contrastes ft. Cidade Negra 09 Dê Uma Chance Ao Amor ft. Helena Pittman 10 Calumba 11 Marcha De São Vicente 12 De Volta Ao Chantecler / Perseguidor / Violação 13 Por Ti América ft. Fito Paez 14 Glórias Gaúchas, Candongueiro

37

NOVO / NEW

50

NOVO / NEW

AFRICANDO Viva Africando KAE SUN Afriyie 01 Blackstar Rising 02 Heart Healing Pulse 03 Lion Unleashed 04 Burden Of Love 05 Ship And The Globe 06 Dzorwulu Junction 07 Lead Loaded Letters 08 When The Pot 09 Weh-Weh 10 Stillness

www.taag.com • call center 923 190 000

01 Deni Sabali ft. Amadou Ballaké 02 Xalass Xalass ft. Bassirou Sarr 03 Doundari ft. Sékouba Bambino 04 Xam Sa Bop ft. James Gadiaga 05 Es Para Ti Gnonnas ft. Jos Spinto 06 En Vacances ft. Shoubou 07 Maria Mboka ft. Lokombe Nkalulu 08 Ma Won Mio ft. Jos Spinto 09 Yen Djiguengny ft. Pascal Dieng 10 Noche con Santana: Samba Pa Ti, Oye Como Va, Black Magic Woman ft. Rene Cabral & Eddie Zervigon 11 Destino ft. Raymond Fernandes 12 Bouré Yayé Diama ft. Medoune Diallo 13 Africa Es: “Tribute to Africando” ft. Spanish Harlem Orchestra & Ray de la Paz

01 Maladie d'amour ft. Jacob Desvarieux 02 Le sud 03 Killing Me Softly with His Song 04 Try a Little Tenderness 05 Ode to Billie Joe 06 When a Man Loves a Woman 07 Et maintenant 08 A Night in Tunisia 09 Milady's Song 10 La foule 11 L'été indien 12 Roses de Picardie 13 The Dock of the Bay 14 Isn't She Lovely 15 I Love Paris 16 My Girl 17 Perfidia 18 Le Métèque 42

NOVO / NEW

WHITNEY HOUSTON I Will Always Love You: The Best Of Whitney Houston 01 You Give Good Love 02 Saving All My Love 03 How Will I Know 04 Greatest Love Of All 05 I Wanna Dance With Somebody 06 Didn't We Almost Have It All 07 So Emotional 08 Where Do Broken Hearts Go 09 I'm Your Baby Tonight 10 All The Man That I Need 11 I Will Always Love You 12 I'm Every Woman 13 I Have Nothing 14 Exhale (Shoop Shoop) 15 I Believe In You And Me 16 My Love Is Your Love 17 I Look To You 18 Never Give Up

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 165


porta de saída exit door

JOGOS Games Jogos dísponiveis nos B777-200 / Games available in the B777-200

Jogos dísponiveis nos B777-300 / Games available in the B777-300

MINI GOLFE MiniGolf

O CASINO DO AL Al's Casino

JOGOS DISNEY® CLÁSSICOS Disney's Classic Games®

O objectivo deste jogo é simples: colocar a bola dentro dos dezoito buracos no menor número de tacadas possível. The goal of this game is simple: get the ball into each of the eighteen holes in as few shots as possible.

Viva como um grande jogador neste jogo de casino dos anos 20 e faça a maior quantia de dinheiro possível nos 5. Experience the life of a high roller in this 20s casino game and make the most money out of the 5.

Através de três actividades diferentes, todas no mundo de Disney®, as crianças descobrirão que aprender é divertido. Through three different activities, all set in the world of Disney®, kids will discover that learning can be fun.

HOMEM DAS CAVERNAS Caveman

REVERSI Reversi

PÓQUER HOLD'EM A BORDO In-Flight Hold'em Poker

PAC-MAN® A BORDO In-Flight PAC-MAN®

O homem das cavernas deverá empurrar pedras por todo lado para criar um caminho de saída antes da lava encher o local. You must help Bubba pick his pictures in pairs, using your memory to match them.

Fácil de jogar, mas difícil de dominar. Esta é a lei do Reversi, que terá de descobrir nesta nossa nova versão In-Flight Simple to play, yet difficult to master. This is the law of Reversi, which is yours to discover in our new In-Flight version.

Quando jogar o Hold'Em Poker a Bordo, estratégia e estatística são bom trunfo mas podem ser ofuscadas por um bom bluff. When playing IF Hold'Em Poker, strategy and statistics are great assets but they can be overshadowed by a good bluff.

Ajude o Pac-Man a atravessar o labirinto e a trincar as pastilhas. Evite os desagradáveis fantasmas ou perderá logo! Help Pac-Man make his way through the maze and munch the dots. Avoid the pesky ghosts or you'll be game over soon!

MEMÓRIA DE ELEFANTE Elephant Memory

JOGO DA FISGA DO TIMON E PUMBA Timon and Pumba's Slingshooter

A COBRA VORAZ Gobble Snake

FUTEBOL AMERICANO 3D In-Flight 3D Football

Atire bagas contra os alvos e inimigos, como as hienas, para passar os níveis! Sling berries at targets and enemies like the hyenas to complete the levels!

A Cobra Voraz não pára de crescer. Os níveis mais altos apresentam novos obstáculos, fazendo o desafio ainda maior! Gobble Snake can't stop growing. Higher levels bring new obstacles, making the challenge even greater!

Enfrente equipas adversárias neste clássico europeu que o desafiarão para pensar e reagir como um verdadeiro jogador. Face off against opposing teams in this European classic that will challenge you to think and react like a real player.

INVASÃO Invasion

INFLIGHT TETRIS Inflight Tetris

SOLITAIRE Solitaire

HIEROGLIX Hieroglix

Na tua nave, luta contra os aliens biomecânicos para proteger a Terra. Aboard your ship, fight the biomechanical aliens to protect the Earth.

Jogue o clássico jogo de Tetris. Alinhe as peças que vão caindo para formar linhas. Quando ficar sem espaço, o jogo termina. Play the classic game Tetris. Line up the falling pieces to form lines. When you run out of space, the game ends.

Poderá ter todos os áses. Construa até 4 pilhas de cada naipe por ordem ascendente. You may just have all the aces. Build up 4 stacks of each suit in ascending order.

Evite que os blocos se amontoem combinando as mesmas cores. Ponha aqueles que não pode usar no lado do seu adversário. Prevent the blocks from piling up by matching the same colors. Move those you can't use to your opponent's side.

JOGO DE XADREZ DO KASPAROV Kasparov Chessmate

QUEM QUER SER MILIONÁRIO? Who Wants to be a Millionaire?

Jogue xadrez contra o Garry Kasparov, um dos melhores jogadores do mundo de todos os tempos! É capaz de aceitar o desafio? Play chess against Garry Kasparov, one of the world's best players of all time! Will you accept the challenge?

O jogo de conhecimento visto em todo o mundo e um enorme sucesso de televisão, Quem quer ser milionário? The worldwide knowledge game and gigantic TV success, Who Wants To Be A Millionaire?

DESAFIO DE RALLY A BORDO: SÉRIE DE DESPORTOS In-Flight Rally Challenge: Sport Series

VIAJE PELO MUNDO COM A BERLITZ Berlitz Word Traveler Com os conteúdos e conhecimentos da Berlitz®, tem agora a oportunidade de aprender o básico de 22 línguas. With the Berlitz® expertise and content, you now have the opportunity to learn the basics of 22 languages.

Tem de ajudar o Bubba a encontrar as imagens aos pares, usando a memória para encontrá-las. You must help Bubba pick his pictures in pairs, using your memory to match them.

1 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Chegue à meta de muitas das pistas e enfrente condições de condução desafiantes. Get to the finish line of the many courses and face challenging driving conditions.

SODUKU A BORDO In-Flight Sudoku Ponha um n.º dentro de um quadrado da grelha e assegure-se que todas as linhas e colunas não têm o mesmo n.º 2 vezes. Place a number inside a square grid and ensure that all rows and columns do not contain the same number twice.

www.taag.com • call center 923 190 000

O homem que comia cabelo

The man who ate hair Texto/text: José Luís Mendonça Ilustração/Illustration: Sérgio Piçarra

O domingo acordara com algum massango nos olhos. A atmosfera doía a sua cinza até no pelo do cão semi-dormido junto à porta de entrada. - Desculpa, Irene, não tenho fome, não sei porquê, de repente foi-se-me o apetite... - O quê, Baptista, tu, o devorador dos meus pitéus, hoje, que é domingo, não vais almoçar com as tuas filhas e a tua querida esposa este delicioso bacalhau com natas que preparei com todo o carinho? - Não consigo ingerir alimento algum, Irene. Almoça tu com

www.taag.com • call center 923 190 000

Sunday started cloudy. The atmosphere hurt its ashes even in the fur of the semi a sleep dog next to the entrance door. - Sorry, Irene, I'm not hungry, I don’t know why, but suddenly I lost my appetite... - Baptista, what, you, the devourer of my delicacies today, Sunday, you will not have lunch with your daughters and your dear wife this delicious codfish with cream I have prepared with all my affection? - I can’t eat anything, Irene. You have lunch with the girls and I will seat at the table with you with and have a glass of water.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 167


porta de saída exit door

as miúdas que eu fico à mesa a fazer-vos companhia com um copo de água. A dona de casa aquiesceu: - Eh, princesas! Para a mesa! As duas filhas do casal abandonaram, com algum esforço mental, os aipedes, foram lavar as mãos e concentraramse no sacrifício do bacalhau com natas. O tampo da mesa era de vidro e deixava ver os pés irrequietos da Ilda e da Morena, de dez e sete anos. Em conversa amena foi-se desenrolando a santa ceia da família Costa, até ao fim da sobremesa. Depois reuniramse em redor do deus televisão. Segunda-feira, um flamingo em forma de raio de sol pintou as paredes da casa com o seu bico cor-de-rosa. As meninas acordaram e foram fazer a toilete. Quando terminaram o banho, a mãe foi penteá-las. - Meu Deus, que aconteceu com o vosso cabelo, - gritou a mãe. - Vocês, em vez de dormirem, andaram a brincar às cabeleireiras, não foi?! - Mas, será que a mãe e o pai também andaram a brincar aos cabeleireiros? - Defendeu-se a Ilda - Porquê, minha filha? - Porque a mãe está quase careca! Dona Irene passou a mão sobre a cabeça e suspendeu a alegria matinal num tom de desespero: - Meu Deus, meu Deus! O que é isto? Aonde foi parar o meu rico cabelo? Perante o alvoroço, pai Baptista entra na casa de banho em ritmo de salvador da pátria: - O que se passa, minhas senhoras? Porquê tanta algazarra por causa...!? Meu Deus, mas onde foi parar o vosso cabelo? E logo das três!? - Xé, papá, - deste feita foi a Morena, a quem o estatuto de caçula dava direitos de ascendência verbal. Apontou o indicador direito para a cabeça do pai, - pareces um leão. Já te viste ao espelho? Baptista virou o rosto ainda ensonado para o espelho e até lhe doeu o fígado de medo: - Ei, pá, o que se passa comigo? Virei mesmo leão, ou quê? – Estava irreconhecível. Haviam-lhe crescido o cabelo e a barba. Estava peludo como um homo faber pré-histórico. A senhora dona Irene, mulher de rápidas decisões, virou generala: - Vocês, meninas, hoje não vão à escola. Vamos todos com o vosso pai prá clínica. Baptista anuiu sem pestanejar. A família Costa estava em estado de excepção. O médico era um mais-velho com certa experiência no diagnóstico de doenças tropicais. Chamou dois colegas, um dermatólogo e um endocrinolaringologista. Pediram exames de sangue, urina e cabelo. Porém, diante de um chefe

168 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

The wife agreed: - Hey, princesses! Come to the table! The couple's two daughters dropped with some mental effort the IPads and went wash their hands and concentrated in the sacrifice of codfish with cream. The table top was made of glass and it was possible to see the restless feet of Ilda and Morena, ten and seven years old respectively. The conversation was pleasant during, the Lord's Supper of the Costa family, until the end of the dessert. Then they gathered around the television god. On Monday, a flamingo-shaped like a beam of sunlight painted the walls of the house with its pink beak. The girls woke up and went to the bathroom. When they finished bathing, the mother went comb their hairs. - My God, what happened to your hair, - cried the mother. Instead of sleeping, you were playing hairdressers, weren’t you?! - But you and dad also played hairdressers? - said Ilda in her defense - Why, my darling? - Because you, mom, are almost bald! Mrs. Irene touched her head and her morning joy disappeared and she said in despair: - My God, oh my God! What is this? Where is my hair? With all this chaos, the father, Baptista, enters in the bathroom like a savior: - What's happening, ladies? Why this chaos...? My God, what happened to your hair? All the three of you? - Oh, daddy, - this time was Morena who said something, She pointed her finger to her father’s head, - you look like a lion. Have you seen yourself in the mirror? Baptista looked to the mirror and had a stomach ache: – Hey, man, what's wrong with me? I look like a lion, or what? – He was unrecognizable. His hair and beard had grown. He was hairy like a prehistoric man. Mrs. Irene, a woman of quick decisions, said: - You girls are not going to school today. Let all go with your father to the doctor. Baptista agreed immediately. The Costa family was astounded. The doctor has a certain age so he had some experience in the diagnosis of tropical diseases. He called two colleagues, a dermatologist and an endocrinologist. They ordered blood, urine and hair tests. However, before that man who seemed to absorb the hair of their loved ones, the art of Hippocrates demonstrated his ineptitude. The results did not denounce any symptoms of biochemical abnormality. Medical Verdict: the Costa family should be admitted under quarantine. Each in his own room for permanent monitoring. Nobody, not even the nurse was allowed to approach Baptist’s room, who in that week in the hospital, acquired

www.taag.com • call center 923 190 000

de família que parecia absorver os pêlos dos seus entes queridos, a arte de Hipócrates demonstrava sua inépcia. Os resultados não denunciavam nenhum sintoma de anomalia bioquímica. Veredicto médico: a família Costa devia ser internada em regime de quarentena. Cada um no seu quarto para permanente seguimento. Ninguém, nem mesmo a enfermeira, devia aproximar-se de Baptista que, nessa semana do internamento, adquiriu o aspecto de um orangotango. Os cabelos arrastavam-se pelos azulejos do quarto da clínica. Deixaram-lhe uma tesoura frente à porta, como faziam com as refeições e as roupas de cama. Paradoxalmente, também nessa semana o mais-velho doutor e os dois especialistas médicos que o secundaram na vistoria do homem peludo tornaram-se, como que por artes mágicas, carecas como Barrabás. Mas, o que mais intrigava os três médicos era o facto de Baptista, durante esses sete dias, não ter ingerido alimento. Só bebia água. Litros de água. E depois da mulher e filhas, depois dos três médicos, também os enfermeiros que extraíram o sangue e fizeram as análises, e a enfermeira que o conduziu ao quarto da quarentena, bem como os pacientes junto dos quais passou nos corredores da clínica, todos, sem qualquer explicação plausível, tornaram-se carecas como Barrabás. Dona Cecília, a empregada doméstica da família Costa, que vinha religiosamente todos os dias trazer a roupa lavada e a comida da família, mostrou a cabeça à patroa. Sem um único cabelo! Sorte dela, que sempre usou peruca. - Meu Deus, estamos fritos - conjecturou o velho clínicochefe – mas que raio de doença será esta que nem tem diagnóstico? A dona Irene e as duas meninas tristes e sem cabelo, na qualidade de vítimas, tal como os médicos, não representavam nenhuma ameaça à integridade física da população e puderam regressar ao lar, doce lar. Quando franquearam a porta de casa, depararam com o Zénite totalmente despersonalizado. Parecia uma daquelas esfinges, gatos egípcios sem pêlo. A Morena chorou quando o animal lhe lambeu a face. O ministro da Saúde foi alertado pelo director da clínica sobre o que poderia vir a tornar-se uma epidemia de proporções alarmantes: uma nação careca com um único cidadão misteriosamente peludo. O Executivo reuniu de emergência e, contactado o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, chegou, tal como antes acontecera no caso da epidemia de Marburgo, uma equipa altamente especializada e fortemente protegida nos seus fatos astronautas, impermeáveis a qualquer tipo de ar poluído, fungo, bactéria ou vírus. Analisaram demorada e exaustivamente o paciente. Baptista não sofria de mal algum conhecido deste mundo. Roupa lavada, mudas de cama e água mineral continuaram

www.taag.com • call center 923 190 000

the aspect of an orangutan. His hair dragged on the tiles of the hospital room. They had left him a scissors in front of the door, as they did with meals and the sheets. Paradoxically, on that week the doctor and the experts who followed this case became, as if by magic, bald as Barabbas. But what most intrigued the three doctors was that Baptista during these seven days hadn´t eaten any food. He only had drank water. Liters of water. And then after the wife and daughters after the three doctors, the nurses who drew blood and performed testes, and the nurse that led him to the quarantine room as well as the patients with whom he crossed in the corridors of the clinic, without any plausible explanation, become bald as Barabbas. Mrs. Cecilia, the maid of the Costa family, who came religiously every day to bring the laundry and the family meal, showed her head to the mistress. She didn’t have a single hair! Lucky for her, because she always wore a wig. - My God, this is not good - speculated the chief doctor what the hell is this disease that has no diagnosis? Mrs. Irene and both sad and bald girls, the victims, as well as the doctors, represented no threat to the physical integrity of the population and could return home. When they opened the door of the house, they saw a totally different Zénite. It seemed one of those sphinxes, Egyptian hairless cats. Morena cried when the animal licked her face. The Minister of Health was alerted by the director of the clinic about what might become an epidemic of alarming proportions: a bald nation with a single mysteriously furry citizen. The Executive had an emergency meeting and contacted the Center for Disease Control and Prevention (CDC) of the United States; a highly specialized team arrived, as had happened before in the case of the Marburg epidemic, with their astronauts, waterproof suits and tightly secured to any type of polluted air, fungus, bacteria or virus. They analyzed the patient lengthy and exhaustively. Baptista was not suffering from any known evil of this world. Washed clothes, clean sheets and mineral water continued to be left outside the door of the room where it was withdrawn a massive mountain of hair, after the experts from Atlanta returned to the planet's largest economy. Except that - the news came out in The New York Times and was published by CNN – the American doctors were completely bald within a week. Journalists of the major television networks and major magazines and radio stations from around the world wanted to cover in loco the greatest event of the early twenty-first century: the man who ate hair. Guinness already considered that Baptist had beaten the record of the hairier mammal on Earth. Two more weeks passed with Baptista in absolute isolation and without appetite and his family at home in quarantine.

AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL | 169


porta de saída exit door

a ser depositadas frente à porta do quarto, de onde era retirada uma volumosa montanha de cabelo, depois que os especialistas de Atlanta regressaram à maior economia do planeta. Só que – a notícia saiu no The New York Times e foi veiculada pela CNN – os médicos americanos ficaram completamente carecas no prazo de uma semana. Jornalistas das maiores cadeias de televisão e dos maiores periódicos e estações de rádio do mundo inteiro queriam in loco cobrir o maior evento do início do século XXI: o homem que comia cabelo. O Guiness considerava já que Baptista havia batido o record do mamífero mais peludo à face da Terra. Mais duas semanas transcorreram com Baptista no isolamento absoluto e sem apetite e a família em casa de quarentena. Já viram uma mulher executiva, conhecida pelas suas tranças compridas, à Whoopi Goldberg, entrar assim no escritório careca como a lápide do cemitério? Então a senhora dona Irene resolveu, no seu modo peculiar de mulher sem meias medidas, e tomando o exemplo da dona Cecília, a empregada, comprar três perucas para que, assim artificialmente cabeludas, as três mulheres de Baptista pudessem retomar o trabalho e a escola. O primeiro dia decorreu muito longe do esperado sossego, visto que a imprensa caçadora de sensações, na impossibilidade de contactar e fotografar Baptista, viu no trio dos familiares com as perucas o grande furo jornalístico do ano. Tiveram, pois, Irene e as duas meninas tristes, de regressar a casa às pressas, onde se trancafiaram a sete chaves. Quem saía para as compras e visitas ao chefe da família era a zelosa dona Cecília, a quem nenhum jornalista ousava abordar, visto que era uma mulher imponente que, à mínima tentativa, ripostava em quimbundo com um olhar terrífico: “Vocês não brinquem com a desgraça alheia, ouviram, seus fofoqueiros!” Quando o mês terminou, ocorreu na África Austral um eclipse de Sol que durou três dias. A CPLP decretou feriado regional e ninguém foi trabalhar. Em Angola não houve música de vibrar as janelas dos vizinhos, porque as pessoas estavam receosas do fenómeno: se calhar aquilo dos Maias não fora bem contabilizado e o ano do fim do mundo pode masé ser esse do eclipse prolongado. No quarto dia, o Sol raiou com olhos livres de massango e aqueceu as paredes sombrias das almas. Baptista acordou do seu sono peludo, como naquele domingo em que perdeu o apetite: com a normal aparência. E todos os que haviam, ao seu contacto, perdido o charme ostensivo do couro cabeludo, voltaram, também eles, às antigas xipalas . Os especialistas da CDC e da NASA declararam à CNN tratar-se de um fenómeno paranormal, derivado da conjunção dos astros. Nesse dia, Baptista comeu um leitão assado sozinho à mesa, rodeado pela mulher e as filhas que não paravam de tagarelar, enquanto o Zénite, com o seu pelo renovado, saltava no colo da caçula. Xipala – face; cara.

170 | AUSTRAL 102 • MARÇO/ABRIL

Have you seen an executive woman, known for her long locks, like Whoopi Goldberg, just enter the office bald like a cemetery tombstone? Then Mrs. Irene decided, in her peculiar way, a decided woman, and taking the example of Cecilia, the maid, she bought three wigs so that Baptist’s three women could return to work and school. The first day was far from the expected quiet, since the press hunting for sensational news and unable to contact and shoot Baptist, saw the opportunity in the trio for the big scoop of the year. Therefore Irene and the two sad girls had to return home and lock themselves up. Who went out for shopping and visit the head of the family was the Cecilia, whom no journalist dared to approach, since she was an imposing woman, that at the slightest attempt, fought back in quimbundo (Angolan type of language) with a terrifying look, “Do not play with the misfortune of others, did you hear me, you idiots! “ When the month ended, in southern Africa occurred an eclipse of the Sun which lasted for three days. The CPLP decreed regional holiday and no one went to work. In Angola there was no music vibrating in the windows of neighbors, because people were afraid of the phenomenon: maybe the Mayan were mistaken and the doomsday may be that prolonged eclipse. On the fourth day, the sun was shining and warmed the dark walls of the souls. Baptista awoke from his hairy sleep, like in that Sunday when he had lost his appetite: with normal appearance. And all people who had had contact with him and had lost the charm of their hair, they too, were back to normal, to their old xipalas . The experts at CDC and NASA declared to CNN that this had ben a paranormal phenomenon, derived from the conjunction of stars. On that day, Baptista ate roasted pig at the table alone, surrounded by his wife and daughters who didn’t stop chattering, while Zénite, with its renewed fur, jumped in the lap of the youngest.

www.taag.com • call center 923 190 000



Austral No.102 (2014)