Issuu on Google+

A GestĂŁo do Ciclo de Vida

M 113

(3.a Parte)

Carlos Alberto Alves Responsåvel pela Inovação, Design e Desenvolvimento da Extruplås Tlm.: +351 964 021 341 carlosalves@extruplas.com¡ www.extruplas.com

GESTĂƒO DE RESĂ?DUOS

Continuação da última edição.

4. COMO COMEÇAR A GESTĂƒO DO CICLO DE VIDA?

visionĂĄria e de longo alcance, deven-

seus esforços e recolher toda a infor-

do no entanto ser realista e concreta.

mação necessåria.

Os produtos orientados para o ambien-

Uma empresa deve, por isso, estabele-

te, atĂŠ aqui tĂŞm-se focado no mĂŠtodo,

cer os seus objetivos e o seu nĂ­vel de

4.1.2. Organização

ou seja, no detalhe da gestĂŁo do ciclo

ambição. No entanto, deverå evitar

A organização das medidas Ê, claro es-

de vida, seguido da determinação dos

sinais confusos, sejam internos sejam

           

           -

os que vĂŞm dos seus parceiros de ne-

do projeto. Por isso a discussĂŁo nesta

vos, criados na fase do ciclo de vida.

gĂłcio. NĂŁo deverĂŁo existir “manchasâ€?

fase, deve ser de grande detalhe (ver o

Estes esforços têm frequentemente

entre a polĂ­tica e a prĂĄtica, ou seja,

CapĂ­tulo 4).

acabado por dar origem a uma sĂŠrie de

entre o que a empresa “diz� e o que a

dados e uma sĂŠrie de questĂľes, muito

empresa “faz�.

respeitantes Ă  forma como a empresa

Estabelecer objetivos, determina o nĂ­-

4.1.3. Levantamento – fazer o ponto da situação sobre o conhecimento existente

          

vel de ambição, assegurando a confor-

A maioria das empresas tĂŞm um eleva-

um produto. Se uma empresa nĂŁo tem

midade entre a política e as açþes. Exis-

do nĂ­vel de conhecimento sobre os im-

investigado previamente os impactos

tem, pelo menos, trĂŞs diferentes nĂ­veis

pactos ambientais dos seus produtos e

ambientais de um produto, entĂŁo serĂĄ

de ambição, que se podem distinguir

processos disponĂ­veis, que se repercu-

boa ideia adoptar uma estratĂŠgia ou

uns dos outros da seguinte forma:

tem, por exemplo, na sua contabilida-

abordagem, passo a passo e começar

–

Compromisso interno escrito e,

de ou quando existir, na sua contabili-

compromisso com as melhorias

dade ambiental.

mais do que questĂľes estratĂŠgicas,

centrando-se na perspetiva do ciclo de melhorar as caraterĂ­sticas ambientais

14

ambientais;

vida e nas possibilidades concretas de

        -

desse produto. –

Geralmente, esta informação estå pa-

pos;

tente e disponĂ­vel em termos de pro-

Marketing dos produtos limpos.

cesso de produção, mais do que em ter    

4.1. A abordagem passo a passo A abordagem passo a passo pode en-

Distinguir os diferentes nĂ­veis de am-

o de obter informação relativa aos pro-

volver as seguintes fases, que sĂŁo tam-

bição, permite-nos seguir um plano

dutos, em particular. Esta informação,

bĂŠm as mesmas fases que uma empre-

passo a passo para a implementação

mais tarde, providenciarĂĄ os nĂşmeros

sa tem de atravessar quando introduz

de melhorias ambientais que se torne

que serĂŁo cruciais para a empresa esta-

um sistema de gestĂŁo ambiental (ver

mais ambicioso gradualmente, Ă  medi-

belecer os custos relacionados com os

Figura 5).

da que se adquire conhecimento e ex-

produtos ou sĂŠries de produtos.

periência associados à implementação

4.1.1. Politica – estabelecer os objetivos e o nível de ambição determinado

e à colocação em ação (ver tambÊm o

       -

CapĂ­tulo 10).

to da situação, sobre o conhecimento

Uma polĂ­tica baseada no ambiente

Quando a polĂ­tica ambiental ĂŠ estabe-

do da arte�, recorrendo à literatura e

e na gestĂŁo do ciclo de vida deve ser

lecida, a empresa deve organizar os

à eventual colaboração dos eventuais

e a experiĂŞncia, ou seja, sobre o “esta-

parceiros. 1.

PolĂ­tica

- Estabelecer objetivos e determinar o nível de ambição

Este tipo de levantamento do conhe-

2.

Organização

- Obter o envolvimento do pessoal e da gestĂŁo

3.

Levantamento

- Obter o levantamento do estado atual de desenvolvimento

            -

4.

Objetivo

- Selecionar uma årea onde os esforços sejam diretos e imediatos, determinar os objetivos, e elaborar um plano de ação

5.

Melhorias ambientais - Por o plano em ação

tenham jĂĄ passado pela mesma fase,

6.

RelatĂłrio

- Documentar o efeito dos esforços e tornar públicos os resultados

ou ainda recorrendo a associaçþes em-

7.

Começar outra vez

- Avaliação da experiência, rever a política, a organização, e outros.

8.

Investigação suplementar e obter mais informação

9.

!    " #        "  $  "

10. Entre outros

zando ou recorrendo Ă  experiĂŞncia de outras empresas ou parceiros que

presariais, autoridades, instituiçþes          que a informação obtida resulta, pelo menos, de três åreas (ver Capítulo 9 e

Figura 5. A questĂŁo das melhorias ambientais

Tabela 1).


uma empresa for obrigada a recolher

Esta contabilidade pode encerrar ques-

gĂŞncias, com vista a um maior compro-

todos os seus produtos considerados

tĂľes como:

metimento ambiental e dessa forma

sucata do mercado, conforme deter-

–

De que forma ou a que nĂ­vel foi

poderĂĄ ver-se obrigada a aumentar o

minam as recentes diretivas comuni-

reduzido o consumo elĂŠtrico do

seu nível de ambição. Relembre que, a

     

      

ideia atrås de avançar com uma abor-

Qual a percentagem de produto

dagem passo a passo ĂŠ a de assegurar

      

uma interação recíproca entre o desen-

De que forma e como ĂŠ que o

volvimento do conhecimento no que

     

diz respeito ao impacto ambiental do

naturalmente, que ser incluĂ­da nos

–

planos de ação da empresa, de forma a providenciar uma resposta concreta a

–

este pedido. O objetivo da reciclagem

produto, exigĂŞncias do mercado, e ou-

de materiais e de partes dos produtos podem exigir repensar os mesmos,

Estes resultados podem ser tornados

tros e, a implementação de melhorias

conforme se lista a seguir:

visĂ­veis, fornecendo alguns indicado-

ambientais concretas no produto.

–

Alguns materiais no produto sĂŁo

res, por exemplo qual o consumo ener-

de fĂĄcil reciclagem;

gĂŠtico durante a fase de fabrico do pro-

Um produto que seja facilmente

duto, que podem ser tornados pĂşblicos

desmontĂĄvel, ĂŠ mais facilmente

atravĂŠs de um caderno ambiental, atra-

4.1.8. Faça investigaçþes suplementares para obter mais informaçþes

reciclado;

vĂŠs da justaposição da “ecolabelâ€? ou de

Depois da experiĂŞncia recolhida na pri-

Os materiais selecionados e

uma declaração ambiental do produto.

meira ronda, qualquer empresa tem,

que compĂľem o produto sĂŁo

Este tema, no entanto, serĂĄ tratado

muito provavelmente, ĂĄreas onde se-

reciclĂĄveis;

com mais detalhe no CapĂ­tulo 8.

rå necessåria mais investigação. Se as

–

16

GESTĂƒO DE RESĂ?DUOS

–

–

O produto ĂŠ construĂ­do de

exigências requerem que a empresa forneça mais documentação, com vis-

O produto pode ser re-desenhado

4.1.7. Mantenha o processo em funcionamento, avaliando experiĂŞncias, revendo a politica e organizando a estrutura

para que as peças originais

Depois de completar a primeira ronda

ples. Quando se torna evidente que

possam ser reutilizadas em novos

         

os impactos ambientais estĂŁo na fase

produtos.

da empresa e dos produtos, ĂŠ boa ideia

de uso, entĂŁo ĂŠ necessĂĄrio proceder

respirar fundo e avaliar a experiĂŞncia

a uma investigação que permita de-

obtida nessa experiĂŞncia:

terminar se os desejos do consumidor

–

O que ĂŠ que correu bem e o que

podem ser usados para determinar as

   

mudanças no produto ou o desenvolvi-

Como ĂŠ que se podem melhorar os

mento de novas instruçþes relativas ao

  

uso do produto. Se uma empresa utili-

Podem ser envolvidos mais

za produtos quĂ­micos ou materiais que

que os efeitos dos esforços feitos se-

colaboradores nas medidas

contêm substâncias consideradas peri-

jam documentados e os seus resul-

 

gosas ou indesejĂĄveis, ĂŠ sensato iniciar

Os esforços podem ser dirigidos

um processo de remoção destas do fa-

    

brico. É muito fåcil desenvolver ou criar

Os meios e os mĂŠtodos estĂŁo a ser

uma base de dados do conhecimento

    

  

    

Devem ser envolvidos mais

os produtos de produtos semelhantes,

 

fornecedores, os comerciantes e ou-

O nível de ambição determinado

tros interessados na cadeia do produto

      

(ver Capítulo 9 – Cadeia do produto).

forma modular, o que facilita a reparação dos seus componentes; –

4.1.6. Documente os resultados obtidos e os esforços feitos, tornando públicos esses resultados

–

Com vista a obter o envolvimento da gestĂŁo e dos colaboradores, ĂŠ crucial

tados divulgados. Esta forma de agir

–

–

dĂĄ credibilidade quando a empresa ĂŠ questionada pelos seus clientes, forne-

–

cedores e e outros, com vista à divulgação da política ambiental seguida. A forma como Ê feita essa divulgação

– –

estå dependente do nível da ambição da empresa. É vantajoso que a empre-

–

ta a documentar os impactos ambientais do produto, então Ê necessårio juntar uma avaliação ambiental sim-

Entre outros.

os impactos ambientais que ela esta-

Esta avaliação, levada a cabo uma vez

         ambiental e os seus objetivos

beleceu como objetivo, respondem a

por ano, fornecerĂĄ um excelente su-

Com base na experiĂŞncia, a ĂĄrea da ini-

grupos alvo, para que essa informação

porte para os necessĂĄrios ajustamen-

ciativa e os seus objetivos, sĂŁo iniciados

possa ser dirigida a esses grupos.

tos na polĂ­tica ambiental, de forma

sempre com novos planos de melhoria,

sa tenha priorizado no seu interior, se

consistente com os esforços que estão

sendo estabelecida dessa forma uma

A contabilidade ambiental, que jĂĄ con-

a ser levados a cabo. Depois desta ava-

nova ronda de esforços. No entanto a

tĂŠm detalhes sobre as performances

liação, a empresa pode decidir continu-

atenção centra-se na obtenção de me-

ambientais da empresa, pode ser redi-

ar no mesmo nível de ambição inicial,

       

recionada para o produto, fornecendo

atĂŠ que o compromisso interno esteja

do produto, enquanto se avaliam os

as ferramentas e os documentos para

        

resultados durante o processo de me-

tornar isto visĂ­vel aos olhos do pĂşblico.

os parceiros ou outros façam mais exi-

lhoria em curso.

M


A gestão do ciclo de vida (3.ª Parte)