Issuu on Google+

Deteção de ligaçþes elÊtricas soltas ou oxidadas

M

Vicente Ribeiro, Eng. TermĂłgrafo de NĂ­vel II Senior Technical Specialist Fluke Thermography

A imagem tĂŠrmica de um sistema elĂŠtrico pode indicar o seu estado             

   e durante mais de quatro dÊcadas, a sua principal aplicação tem sido a inspeção de sistemas elÊtricos. A principal razão pela qual a 

             

     de sistemas elÊtricos Ê que os componentes elÊtricos começam a deteriorar-se a partir do momento em que são instalados. Independentemente da carga do sistema, as vibraçþes, fadiga, entre outros, fazem com que as ligaçþes elÊtricas se soltem, enquanto que as condiçþes ambientais podem acelerar o processo de corrosão. Em resumo, todos os sistemas elÊtricos deterioram-se ao longo do tempo. Se estes problemas não são localizados a tempo e reparados, essas mås ligaçþes irão falhar e poderão resultar em danos     

Figura 2. Para poder inspecionar quadros elÊtricos Ê necessårio abrir portas e remover painÊis, mesmo de plåstico transparente, ação            

mento da inspeção não deve ser inferior a 40% da carga nominal måxima. Comece por medir a carga atual para poder comparar as temperaturas observadas com uma utilização normal.

60

DOSSIER › TermograďŹ a e AnĂĄlise de Ă“leos

112

Atenção: por motivos de segurança      !     Figura 1. Ligações mal apertadas provocam um aumento local de resistência que gera calor

              -

por efeito Joule, podendo causar graves avarias. Na imagem, a temperatura jĂĄ atingiu valores

mover as portas e painĂŠis dos quadros

superiores aos limites recomendados para evitar a perda de isolamento dos cabos com alto risco

elĂŠtricos.

de curto-circuito.

Inspecione com a câmara o interior          "

 Felizmente, quando uma ligação estå

dade e podem afetar a segurança de

solta, mal apertada ou oxidada a sua

pessoal e clientes.

temperatura superior a outras ligaçþes

resistĂŞncia aumenta, aumentando tambĂŠm a queda de tensĂŁo e gerando um

Este artigo pretende ilustrar o uso da

aumento localizado de calor, o que nos



             

permite poder detetar a falha antes da

elÊtricos de ligaçþes soltas, mal aper-

ocorrĂŞncia de uma avaria, usando uma

tadas ou oxidadas em sistemas, com-

#   

$  &'   () * -

parando simplesmente a sua tempe-

teção de falhas e correção das ligaçþes

ratura com a temperatura de outras

antes uma avaria, diminui drasticamen-

ligaçþes no interior do mesmo quadro,

te o risco de curto circuitos, incĂŞndios e

              

paragens que podem ser cruciais para a

proceder à sua reparação.

rentabilidade de uma empresa.

Figura 3. Componentes que funcionam em condiçþes de carga semelhantes como estes interruptores, devem em princípio estar

uma empresa, porque se um sistema

O QUE É POSSĂ?VEL “VERâ€? COM A CĂ‚MARA TERMOGRĂ FICA?

primĂĄrio falhar, o aumento de custos

O quadro elĂŠtrico tem que ser contro-

de temperatura superiores a 15Âş C exigem

associados vĂŁo inevitavelmente exigir

   

     +  &'   /)

         

uma redistribuição da força de traba-

Eventuais painĂŠis de plĂĄstico acrĂ­lico

a causa dessa diferença e proceder

lho e de materiais, reduzir a produtivi-

tĂŞm de ser removidos. A carga no mo-

à sua reparação.

Estas açþes preventivas são vitais para

a temperaturas semelhantes. Diferenças


ou a existência de harmónicos. Quando encontra um problema com uma       software para documentar as suas ações num relatório, incluindo uma imagem térmica     de documentar os problemas que encontra e de comunicar quais as repara-

62

DOSSIER › TermograďŹ a e AnĂĄlise de Ă“leos

çþes que devem ser feitas. Figura 5. Uma ligação com uma temperatura

Figura 6. Duas ligaçþes que, no momento da

extremamente elevada e a nĂ­veis perigosos

inspeção, mostram temperaturas absolutas

CONCLUSĂƒO

que deve ser imediatamente reparada.

inferiores a 70º C e diferenças de temperatura

A inspeção de componentes elÊtricos

Veja como, sendo a imagem tĂŠrmica

relativamente Ă  temperatura ambiente

    -

semitransparente, pode localizar-se mais

inferiores a 35Âş C. No entanto, ĂŠ preciso

          

facilmente a ligação no terminal sem erros

tambĂŠm considerar que, se a carga atual

ou oxidadas Ê uma das aplicaçþes mais

e perda de tempo.

for baixa ou inferior Ă  carga em normais

     

condiçþes de funcionamento, um aumento de

industrial.

carga poderĂĄ aumentar a temperatura muito

Segundo CENELEC HD 516, a tempera-

acima dos limites recomendados.

tura de um cabo isolado em PVC nĂŁo

Inicialmente o preço e as dimensþes      

deve ser superior a 70º C e a diferença

elevados, limitando o uso da termo-

de temperatura relativamente ao am-

paragem do sistema sĂŁo de cerca de

        -

biente deve ser inferior a 35Âş C. Para

1.000â‚Ź por minuto.

portantes, como subestaçþes e outros

terminais, esses limites de temperatura

componentes de Alta TensĂŁo. PorĂŠm,

sĂŁo respetivamente 105 e 70Âş C (Figuras

na última dÊcada, as câmaras termo-

PROCEDIMENTO DE CONTROLO

        

As ligaçþes sobreaquecidas devem ser

acessĂ­veis enquanto que a facilidade de

desmontadas, limpas, reparadas e re-

uso ĂŠ agora comparĂĄvel a equipamen-

QUAL É O PREÇO DE UMA AVARIA?

ajustadas. Se apĂłs este procedimento

tos de manutenção como pinças ou

a anomalia persistir, talvez a fonte do

analisadores de qualidade elĂŠtrica.

Se nĂŁo for corrigido, o sobreaqueci-

problema não esteja na ligação, em-

mento de uma ligação elÊtrica solta

bora nunca se deva descartar a possi-

Esta evolução da tecnologia permite

ou oxidada pode provocar problemas

bilidade de que a reparação não tenha

hoje a todas as empresas industriais a

no isolamento de cabos adjacentes.

sido corretamente realizada. Utilize um

redução nas paragens de produção não

Se a temperatura de um cabo ĂŠ dema-

multímetro, pinça ou um analisador

desejadas, curto-circuitos e risco de in-

siado alta, o material plĂĄstico perderĂĄ

de qualidade de energia para localizar

cĂŞndios, um melhor controlo nas repa-

o seu isolamento inicial podendo criar

outras possĂ­veis causas, como uma so-

raçþes feitas e, uma efetiva melhoria na

facilmente curto circuitos, ou mesmo

brecarga ou um desequilĂ­brio elĂŠtrico

qualidade e nos custos de manutenção. M

5 e 6).

incêndios com consequências graves. Mas mesmo um problema mais banal, como um fusível queimado, pode provocar custos elevados e atÊ interromper o processo de produção (Figura 7). Ao custo de substituição do fusível (trabalho e material) teremos que, no mínimo, adicionar uma meia hora de interrupção, tempo necessårio para obter um fusível de substituição do armazÊm e substituir o fusível queimado. Os custos associados às perdas de produção podem variar em função da indústria e do tipo de processo. No entanto, para muitas indústrias, meia hora da perda

Figura 7. A fase T mostra, sem dúvida, uma temperatura tal que a reparação imediata se torna

        

necessåria. Mas tambÊm a fase R tem uma temperatura superior à fase intermÊdia, diferença

muito elevado. Por exemplo, estima-se

que pode ser causada por uma må ligação, uma maior carga ou atÊ problemas de qualidade de

que os custos de perdas de produção

           

na indústria de fundição causadas por

a situação com equipamentos adequados.


Deteção de ligações elétricas soltas ou oxidadas