Page 1

Qualidade, segurança e ambiente

Ecodesign na indústria – a abordagem de uma produção limpa Ecologia industrial 2.a Parte Carlos Alberto Alves Responsável pela Inovação, Design e Desenvolvimento Extruplás

INTRODUÇÃO

res industriais e ao longo das barreiras

formas de reutilizar os resíduos, mas tam-

Atualmente os produtos e processos não

nacionais e culturais.

bém uma seleção ativa dos processos com

são concebidos para que os seus resíduos

a reutilização já em curso.

sejam reintroduzidos no processo. Através

DESIGN E ECOLOGIA INDUSTRIAL

e depois das mudanças do sistema indus-

A ecologia industrial é, antes de mais, uma

GESTÃO AMBIENTAL

trial, para um mais natural ecodesign, os

forma de ver e partilhar conceitos comuns

Entretanto, foi dada uma nova ênfase, ao

resíduos de um produto poderão trans-

aos da abordagem da Análise de Ciclo de

papel da Gestão Ambiental, tendo os gover-

formar-se em matéria-prima de outros

Vida, que coloca os sistemas industriais

nos, na sequência da produção de legisla-

produtos, poupando dessa forma energia e

num contexto mais alargado, de vários

ção, virado agora para políticas com vista

materiais e reduzindo a poluição. Uma eco-

outros sistemas. Alguns autores colocam

à adoção dos conceitos de durabilidade do

logia industrial é um sistema industrial que

a questão do papel do design dos produ-

produto.

está totalmente integrado com os ciclos

tos e processos no desenvolvimento dos

naturais dos recursos ou dos materiais. Ela

ecossistemas industriais e discutem a im-

Tornou-se entretanto mais difícil levar a

fecha o circuito deixado aberto pelo pro-

portância da ACV e outras abordagens do

cabo melhorias nos processos industriais,

cesso industrial convencional e otimiza a

design e do ambiente, num conceito geral

enquanto por outro lado a quantidade de

reciclagem e o uso de cada material sepa-

da ecologia industrial. O design desempe-

população e o consequente consumo con-

radamente, mas ao mesmo tempo permite

nha um papel vital no sucesso de ecolo-

tinua a crescer, significando que quaisquer

espaço para a criação de materiais mais

gia industrial, sendo talvez a chave para a

implicações ambientais das solicitações ou

complexos.

criação de ecossistemas industriais com a

da procura do mercado superam os bene-

reconcetualização dos resíduos como pro-

fícios conseguidos através da melhoria da

dutos. Isto sugere não apenas a procura de

eficiência.

A seguir, estabelecem-se os princípios da ecologia industrial: 1.

A ecologia industrial é: - pro-ativa e não reativa, ela é iniciada e promovida pela indústria e não imposta por fatores externos;

2. A ecologia industrial é: - a conceção e não apenas mais uma das muitas decisões relativas aos aspetos relacionados com os impactos ambientais, que são tomadas na fase do design; 3. A ecologia industrial é: - flexível e não rígida e envolve novos conceitos e tecnologias; 4. A ecologia industrial é: - abraçar e não isolar, e age ao longo de todos os seto-

6

elevare

Gráfico 3. Sistema de Gestão Ambiental.


PUB

do sob a forma como percecionamos e sobre a forma como dispomos desses recursos. Por exemplo, o efeito da atividade humana ao longo deste último século ou a forma como isso nos conduziu a um aumento da produção de CO2 exponencial, são elucidativos do mal que temos vindo a fazer. Os exemplos podem incluir o processamento de recursos naturais em materiais utilizáveis para a extração de emissões de fumos, derivados do uso cada vez maior de automóveis. O aumento da produção de CO2 tem contribuído para o conhecido problema do aumento do aquecimento global. De forma a estabilizar o clima na terra, é importante que durante as próximas décadas sejamos obrigados a reduzir o crescimento de CO2 para valores mais aceitáveis.

Gráfico 5.

A redução efetiva destas emissões, que conseguiremos impor a nós próprios, dependerá de como formos moderados no uso dos nossos recursos naturais, nos ciclos de produção e consumo. A título de exemplo, veja-se o Gráfico anterior, para percebermos o esforço que é necessário fazer para conter esta situação. Um trabalho internacional levado a cabo para ilustrar a nossa dependência dos recursos da terra relaciona o nosso crescimento e dependência com estes mesmos recursos, para a manutenção do atual modelo de vida que temos. Assim, e porque nunca é demais repeti-lo, é importante conseguir o objetivo de “produzir mais com menos” ou, por outras palavras, reduzir o uso dos recursos e ao mesmo tempo aumentar os “resultados” ou as “saídas” dos recursos que utilizamos.

O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que se combina com a água para formar açúcares simples. Estes transformam-se depois em compostos mais complexos, que formam a estrutura da planta. A energia necessária a este processo (fotossíntese) provém do sol.

Ecodesign na indústria – a abordagem de uma produção limpa (2.ª parte)  

Autor: Carlos Alberto Alves; Revista: elevare n.º9

Ecodesign na indústria – a abordagem de uma produção limpa (2.ª parte)  

Autor: Carlos Alberto Alves; Revista: elevare n.º9

Advertisement