__MAIN_TEXT__

Page 1

46

artigo tĂŠcnico

sistema de controlo de acessos – princípios båsicos

Manuel Bolotinha

      

6  G  4 D *CG36'HIJ1 K  G %      +   G  L  &   4  

1. FUNĂ&#x2021;Ă&#x192;O E OPERACIONALIDADE DO SISTEMA O sistema de controlo de acessos destina-se a restringir e controlar o acesso a ĂĄreas especĂ­  <     $mente autorizadas e credenciadas para o efeito. A autorização ĂŠ determinada por programação do software de gestĂŁo do sistema, segundo critĂŠrios de diferentes nĂ­veis de aces =     $    A credenciação ĂŠ processada por intermĂŠdio       #

   lisados no ponto 2, dependendo o processo de credenciação do nível de segurança que se pretende implementar nas diversas zonas com acesso restrito. A marcação do código, a aproximação do cartão ou a leitura dos dados biométricos é transmitida a uma unidade central que con                porta de acesso ao espaço em causa. Por acção de um outro teclado, da leitura de um outro cartão/sensor ou pela actuação numa botoneira ou manípulo instalados no interior do acesso controlado, será permitida a abertura da porta. O contacto magnético acoplado ao sistema    ?               *    1 O sistema de controlo de acessos deve ser desactivado pelo SADI (Sistema 0  

   @     C D 1  cedendo ao desbloqueamento de portas, e deve comunicar com o sistema de detecção       <      $ carem situações anómalas, como a tentativa de utilização de autorizações/credenciações, caso exista, para orientação do sistema para $E     Usualmente, o sistema de controlo de acessos dispõe ainda das seguintes funções:

Interbloqueamento Destina-se a garantir que a abertura de deter *1   *1  * 1     *1              

    *1 porta(s) que se situe(m) no mesmo itinerårio de segurança. A exploração do interbloqueamento estarå obrigatoriamente associada ao funcionamento automåtico do sistema de controlo de acessos, e este deverå permitir que cada leitor possa bloquear outros 3 <     

 

   

www.oelectricista.pt o electricista 59

leitores, ou o prĂłprio, no momento de abertu          os leitores ou parte deles â&#x20AC;&#x153;libertadosâ&#x20AC;? apĂłs o             O sistema de controlo de acessos deverĂĄ, no entanto, possuir capacidade â&#x20AC;&#x153;nĂŁo equipadaâ&#x20AC;? para, em caso da existĂŞncia destes sistemas, disponibilizar saĂ­das e entra        interbloqueamento.

Anti-PassBack             !  res/sensores posicionados nas entradas e saídas de uma mesma porta e destina-se a inviabilizar o desbloqueio das portas e obståculos de segurança aquando da não utilização nos dois sentidos do processo de credenciação de um mesmo utilizador do sistema, impossibilitando ao seu portador a entrada ou a saída do local controlado.

Controlo de parque de viaturas       "        contabilizar a quantidade de viaturas que en        #       $  ocupação total deste, sinalizar esta condição na sala de segurança e/ou portaria. %    

       te tambÊm funçþes associadas ao controlo das barreiras exteriores de acesso ao parque de estacionamento interno, dialogando

      #

 

     estacionamento.

2. CONSTITUIĂ&#x2021;Ă&#x192;O E ARQUITECTURA TIPO DO SISTEMA O sistema de controlo de acessos, cuja arquitectu       &'

  # damentalmente pelos seguintes equipamentos: ( )       *)++012 ( 3    

   !        cartĂľes e/ou sensores biomĂŠtricos; ( )  

      *)+412 ( Unidades de controlo de leitores de can 6)++* $    12 ( AutĂłmato para controlo do sistema de can    60++* $    12 ( BotĂľes de abertura manual de portas; ( Testas (trincos) elĂŠctricas; ( +     

   2 ( &      *&01

 

As fontes de alimentação deverão dispor de um contacto livre de potencial, destinado a gerar um alarme no sistema de detecção de intrusão em caso de tentativa de sabotagem das referidas fontes.

3. CARACTERĂ?STICAS DOS EQUIPAMENTOS A unidade central de gestĂŁo, do tipo microprocessada â&#x20AC;&#x153;PC/Softwareâ&#x20AC;?, destina-se a con       

 base de dados e de memĂłria; os equipamentos de interface do sistema (equipamentos de

        1     ? )+ MBUSN  "      cabo do tipo UTP 4x2x0,5, Cat. 6a. Os equipamentos de credenciação nas instalações mais complexas deverão ser do tipo terminal inteligente devendo, em reE 

      nĂ­veis todos os dados relativos ao controlo de acessos da ĂĄrea a que respeitam (autoriL #$  

           $  dados pessoais de cada utilizador, entre ou  1    E 

  ma de intrusão e transmitir mensagens ao               comunicação entre o sistema central e os equipamentos de credenciação, o sistema continue em funcionamento, sem perda de informação nem redução de níveis de segurança da base. As principais funções dos equipamentos       6 =      são o teclado *        de código alfa-numérico), leitores de cartões, por proximidade (circuito electrónico) ou banda magnética (os cartões devem ser pessoQ

   #$ 1      

*&R1 V ( 4

 ?          proporcionar na respectiva unidade a re

            para imediato (caso de alarme) ou posterior (caso de informações de rotina) registo e tratamento; ( Determinar a validação da credenciação,

 " 

 ?  $     Q  2 ( Autorizar o desbloqueio do acesso após validação do cartão;

Profile for cie

Sistema de controlo de acessos – princípios básicos  

Autor: Manuel Bolotinha; Revista: oelectricista n.º59

Sistema de controlo de acessos – princípios básicos  

Autor: Manuel Bolotinha; Revista: oelectricista n.º59

Advertisement