__MAIN_TEXT__

Page 1

Coluna da APEGAC

A eficiência energética dos elevadores, uma mais-valia para a economia do condomínio Fernando Cruz Presidente da Direção da APEGAC - Associação de Empresas de Gestão e Administração de Condomínios

O conceito de eficiência energética relacio-

de energia e emissões de CO2 por outro,

na-se diretamente com a utilização cons-

passam a ser do seu conhecimento.

ciente da energia que conduza à redução do seu consumo sem que tal resulte de

A APEGAC vem defendendo, junto da ADE-

forma negativa no conforto e bem-estar.

NE, a necessidade premente de a certifica-

A implementação prática do conceito im-

ção energética abranger de forma global

plica forçosamente qualquer custo, sendo

o edifício e os seus equipamentos comuns,

normalmente suficiente a alteração de há-

já que o impacto da eficiência energética

bitos ou aplicar medidas adequadas.

na economia do edifício e no conceito de sustentabilidade tem nas áreas e equipa-

pelas Diretivas de Ecodesign e etiqueta-

A preocupação com a eficiência energética

mentos comuns do edifício alguns fatores

gem energética regulados pela Comissão

deve estar presente desde a conceção dos

de grande importância no conceito de efi-

Europeia. O primeiro produto abrangido

equipamentos passando pela sua utiliza-

ciência energética.

por este sistema foi a janela, e o próximo

ção até à fase do abate. Só muito recente-

será o elevador. Porquê os elevadores? O

mente estas preocupações passaram a ter

No decorrer da implementação do SCE

centro de atenção tecnológico e legislativo

reflexo em ações práticas, nomeadamente

verificou-se a importância de avaliar tam-

destes equipamentos tem estado essen-

ao nível da legislação, mas é naturalmente

bém o desempenho de alguns dos compo-

cialmente relacionado com a segurança,

um caminho que no futuro assumirá uma

nentes do edifício, por forma a avaliar com

embora, nos últimos anos, com o avanço

importância crescente.

maior rigor o desempenho energético glo-

da normalização e regulamentação, é pos-

bal. Desta forma, e como complemento ao

sível observar de forma mais atenta outro

Uma das principais atividades da ADENE -

SCE, foi lançado o Sistema de Etiquetagem

fator de análise, ou seja, o seu consumo

Agência para a Energia, é a gestão do Siste-

Energética de Produtos (SEEP) que tem por

energético.

ma de Certificação Energética dos Edifícios

objetivo informar os consumidores sobre

(SCE), em funcionamento desde julho de

o desempenho energético de produtos

Em Portugal, o parque de elevadores cifra-

2007 e que permite conhecer, com algum

que ainda não se encontram abrangidos

-se em cerca de 140 000 unidades. Tendo

pormenor, o desempenho energético dos

em conta as tendências demográficas de

edifícios portugueses através da atribui-

urbanização e a necessidade crescente de

ção de uma classe energética. A certificação energética permite que no momento da compra ou arrendamento de uma casa, o cidadão esteja já informado sobre o desempenho energético da mesma, permitindo ir além das tradicionais considerações relativas à arquitetura, aos acabamentos, ao preço e ao local. Aspetos como o nível de isolamento da envolvente, os materiais de construção, a eficiência dos sistemas técnicos instalados, as energias renováveis, por um lado, e os possíveis consumos

12

elevare

"O elevador pode representar entre 3 a 5% do consumo de energia de um edifício, pelo que é importante conhecer em detalhe o seu valor e identificar a melhor forma de promover a efi-ciência energética destes equipamentos."

conforto, pode-se esperar um aumento do número de elevadores em Portugal, bem como o consumo energético a eles associado. O elevador pode representar entre 3 a 5% do consumo de energia de um edifício, pelo que é importante conhecer em detalhe o seu valor e identificar a melhor forma de promover a eficiência energética destes equipamentos. Neste sentido, no Decreto-Lei n.° 118/2013 de 20 de agosto o elevador é considerado

Profile for cie

A eficiência energética dos elevadores, uma mais-valia para a economia do condomínio  

Autor: Fernando Cruz Revista: elevare nº12

A eficiência energética dos elevadores, uma mais-valia para a economia do condomínio  

Autor: Fernando Cruz Revista: elevare nº12

Advertisement