{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019

Plano de Formação - 2018/2019

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da CidadelaRua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

Ações de Formação em Cascais 2018/2019


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019

Plano de Formação - 2018/2019

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da CidadelaRua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

O ano letivo 2018/2019, finalmente um ano com algum financiamento { formaç~o por parte do orçamento de estado. Uma candidatura no }mbito do PNPSE, permitiu a concretizaç~o de 41 acções que atingiu 734 docentes e 8 ACD que abrangeu 397 docentes. Recorrendo ainda a formadores internos, parcerias diversas, das quais se destaca a C}mara Municipal de Cascais, permitiu que o volume de formaç~o foi bastante consider|vel. Com a formaç~o realizada no }mbito do PNPSE e com as parcerias que fizemos deu-se resposta a um conjunto de solicitações dos agrupamentos, ao mesmo tempo que se procurou ir ao encontro de necessidades individuais. Neste último caso realizamos algumas ações auto financiadas, mas apesar deste constrangimento tivemos as turmas completamente cheias. Finalmente em parceria com o Município começamos a realizar algumas formações de uma forma mais sistem|tica dirigida a pessoal n~o docente. Prevemos que no próximo ano se faça um levantamento de necessidades de formaç~o para o pessoal n~o docente e assim elaborarmos com a CMC um plano de formaç~o anual para estes funcion|rios que desde h| muito tempo n~o tem tido formaç~o de forma continuada.

Diretor do Centro de Formaç~o de Escolas do Concelho de Cascais

José Marcelino

Direção : José Marcelino Coordenação, paginação e arranjo gráfico: Teresa Gonçalves

2


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da CidadelaRua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

R A P

AL

AP

RA IA

Plano de Formação - 2018/2019

AÚJO

FRE

IBM MUCAN A

SA AR

E D E

EDO

LDE R O

ALC

ÇALO N O G I

EV DE AZ

S I A

C S CA

MATI

ABI

HE C E D

Ações de formação dinamizadas para Docentes Longa Duração

L

RI TO

S

E ID

V L A

O

CIDADE

LA

ÃO O J

E DO

OS

EL V A C R A C

3


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

OFICINAS DE DIFERÊNCIAÇ^O PEDAGÓGICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração

João Brilha / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Alvide Oficina/ 1 turma / 24 formandos 11, 12, 25, 26 set. / 16, 17, 23, 24 out. 2018 25 horas presenciais / 25 horas de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Básica e Secundária de Alvide

Objetivos a atingir

Conteúdos da ação:

 

  

18/02

Produzir os dispositivos pedagógicos necessários para operacionalizar o seu projeto de diferenciação pedagógica; Transformar práticas pedagógicas; Refletir sobre as práticas pedagógicas entretanto desenvolvidas; Construir novos meios processuais ou técnicos numa lógica de diferenciação pedagógica

 

Definição do seu projeto de diferenciação pedagógica; Criação de dispositivos de iniciação/regulação/ avaliação das aprendizagens diferenciadas; Produção de dispositivos de diferenciação pedagógica; Avaliação Final.

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu**

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

O balanço que faço desta oficina de formação é claramente positivo. Progredi e atingi os objetivos a que me propusera e tomei conhecimento de uma série de ferramentas, aprendi a utilizá-las, e, sobretudo, adquiri vários recursos que irão melhorara o meu trabalho enquanto professora e irão, certamente, contribuir para aumentar a motivação dos meus alunos.” “As atividades realizadas que permitiram a partilha de experiências. O Formador esteve sempre disponível para tirar dúvidas. “ Pontos fracos

forma como se realizaria o trabalho final acabou por passar um pouco despercebida até quase ao final das sessões.”

Sugestões

“A

“Nada a acrescentar. Tivemos pena que tivesse terminado.”

*legenda:

Esta ação foi muito útil e adequada, pelo que não refiro pontos a melhorar.”


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net Tel/

OFICINAS DE DIFERÊNCIAÇ^O PEDAGÓGICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

João Brilha / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Oficina/ 1 turma / 20 formandos 5, 6, 7, 18, 19 set. / 2, 3, 10 out. 2018

Duração

25 horas presenciais / 25 horas de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Básica e Secundária Matilde Rosa Araújo

Objetivos a atingir

Conteúdos da ação:

 

  

18/32

Produzir os dispositivos pedagógicos necessários para operacionalizar o seu projeto de diferenciação pedagógica; Transformar práticas pedagógicas; Refletir sobre as práticas pedagógicas entretanto desenvolvidas; Construir novos meios processuais ou técnicos numa lógica de diferenciação pedagógica

 

Definição do seu projeto de diferenciação pedagógica; Criação de dispositivos de iniciação/regulação/ avaliação das aprendizagens diferenciadas; Produção de dispositivos de diferenciação pedagógica; Avaliação Final.

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Proporcionou a aquisição de fundamentação teórica sobre a temática, aliada a uma enriquecedora experimentação, de diversas formas de aplicar a Diferenciação Pedagógica em sala de aula. A componente prática da Ação foi um dos pontos mais fortes. Assim como, a excelente capacidade de comunicação, e de empatia, do formador.” “Houve transmissão de conhecimentos que proporcionam uma nova visão sobre a prática letiva; partilha de informações; abordagem clara acerca de atividades a realizar na diferenciação e na avaliação, nomeadamente. O formador foi objetivo, dinâmico e envolveu todos os formandos nas aula, em todas as sessões. Obrigada.”

Pontos fracos

Sugestões

“A parte prática da ação com o formador deveria ter mais horas para podermos aflorar e aprofundar mais questões relacionadas com o tema da ação. “Condições do equipamento/ espaço da sala “Condições do equipamento/ espaço da sala.”

“Se houvesse mais tempo de duração da Ação, poder-se-ia explorar mais profundamente alguns exemplos conhecidos de sucesso, na aplicação deste tipo de Pedagogia em contexto de aprendizagem. “

*legenda:

5


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net Tel/

OFICINAS DE DIFERÊNCIAÇ^O PEDAGÓGICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

João Brilha / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Escolas de Cascais

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Oficina / 1 turma / 19 formandos 10, 13, 17, 20 set. / 4, 8, 9, 18 out. 2018

Duração

25 horas presenciais / 25 horas de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Secundária de Cascais

Objetivos a atingir

Conteúdos da ação:

 

  

18/33

Produzir os dispositivos pedagógicos necessários para operacionalizar o seu projeto de diferenciação pedagógica; Transformar práticas pedagógicas; Refletir sobre as práticas pedagógicas entretanto desenvolvidas; Construir novos meios processuais ou técnicos numa lógica de diferenciação pedagógica

 

Definição do seu projeto de diferenciação pedagógica; Criação de dispositivos de iniciação/regulação/ avaliação das aprendizagens diferenciadas; Produção de dispositivos de diferenciação pedagógica; Avaliação Final.

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da

Formandos foram envolvidos na

Foi proporcionada troca de experiências

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu**

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos adquiridos

Horário e instalações**

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Apresentação dos conteúdos e envolvimento dos formandos. Matriz de valores. Englobamento do perfil dos alunos. Grupos de trabalho diferenciados durante a oficina (docentes). Fornecimento de suporte e bibliografia (livros e online), também de autores portugueses. Organização do trabalho docente no âmbito do grupo disciplinar. Integração, entre outros, das inteligências múltiplas. Construção de uma lista de verificação (trabalho final da oficina) com docentes do mesmo grupo disciplinar. Gestão eficaz do grupo de formandos pelo formador.” Pontos fracos

Sugestões

“Nada a salientar.”

“A oficina foi bastante pertinente e importante. Talvez possam ser melhorados os horários da mesma .” “Mais tempo de formação dos formandos.”

*legenda:

6


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net Tel/

A SUPERVIS^O PEDAGÓGICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

18/34

Maria João Coelho / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Ag. de Escolas Matilde Rosa Araújo

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 26 Formandos 26 set. / 3, 10, 17, 24, 31 out. de 2018

Duração

25 h (18 h presencias e 7 h em e-learning)

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir

Conteúdos da ação:

 

 

    

Conhecer diferentes paradigmas de supervisão pedagógica; Compreender as finalidades da supervisão pedagógica e integrá-la nos processos de avaliação formativa; Desenvolver competências de organização e prática de supervisão pedagógica; Construir e problematizar diferentes referenciais e instrumentos de supervisão pedagógica; Compreender e problematizar os papéis e competências do supervisor no processo de avaliação de desempenho docente Desenvolver nos docentes uma atitude investigativa, critica e reflexiva;

   

Conhecer diferentes paradigmas de supervisão pedagógica; Compreender as finalidades da supervisão pedagógica e integrá-la nos processos de avaliação formativa; Desenvolver competências de organização e prática de supervisão pedagógica; Construir e problematizar diferentes referenciais e instrumentos de supervisão pedagógica; Compreender e problematizar os papéis e competências do supervisor no processo de avaliação de desempenho docente Desenvolver nos docentes uma atitude investigativa, critica e reflexiva;

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu**

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Os conhecimentos, a eloquência e a simpatia da formadora. A temática da ação e os materiais disponibilizados..” “Colocar em prática no Agrupamento a Supervisão Pedagógica; Ser realizada na escola sede do Agrupamento; O grupo de formandos ser constituído só por professores do Agrupamento “ “Mostra de diferentes formas de aula por parte dos colegas..” Pontos fracos

Sugestões

A dinâmica das sessões (deveriam ser mais práticas). Mas para a consecução dos “A ação deveria ser menos teórica, mais prática.” objetivos identificados, seriam necessárias mais horas.” “O tempo destinado à apresentação dos trabalhos dos grupos de formandos deveria ser “Equipamento de visualização com melhor qualidade!” distribuído por 2 dias ( 2 sessões, por exemplo, em dias alternados)” “Alguma da documentação apresentada foi demasiado massuda e de difícil interpre- “Elaboração de mais documentos para aplicar .” tação.” 7 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

FLEXIBILIZAÇ^O E INTEGRAÇ^O CURRICLAR Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração

Maria Cristina Tudella / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Escolas da Parede Oficina / 1 turma / 21 Formandos 4, 11, 18, 25 set. / 13 out. de 2018 25 h presencias / 25 h de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Secundária Fernando Lopes Graça

Objetivos a atingir     

18/36

Conteúdos da ação:

Identificar os princípios orientadores para as práticas integradas de gestão flexível do currículo; Compreender os fundamentos e metodologias associadas à aprendizagem baseada em projetos; •Abordar os conteúdos da área do saber com base em situações e problemas; Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo nas unidades organizacionais que favoreçam a gestão flexível do currículo, integrando práticas de ensino-aprendizagem centradas no aluno; Conceber, concretizar, avaliar e reformular projetos de natureza disciplinar, multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, tendo em conta a diversidade dos alunos e seus contextos, as áreas do saber e os recursos existentes, considerando e integrando diversas práticas, atividades e tarefa

Medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional;

Princípios orientadores de práticas integradas de gestão flexível do currículo;

Conceção e monitorização de projetos num trabalho de natureza colaborativa;

Coordenação de projetos e reflexão sobre dificuldades emergentes e estratégias para as ultrapassar;

Métodos e técnicas de e para a avaliação das aprendizagens no contexto do trabalho colaborativo.

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu**

Fundamentar e

Desenvolver/melhorar

Desenvol-

Melhorar comunicação

Gerir a atividade de sala

Relem-

Horário e instalações**

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos

Refletir sobre

Formação correspondeu às neces-

“Tema muito pertinente e atual; a multi-formação dos formadores e a sua capacidade de comunicação; os formandos serem de vários níveis de ensino; o horário em setembro mais intensivo. Ser gratuita e na minha escola.” “A partilha e a troca dos saberes adquiridos pelos diferentes professores no quotidiano das suas disciplinas e dos seus alunos e os saberes dos formadores.”

Pontos fracos

Sugestões

“Horário das sessões presenciais e mais tempo para realizar trabalhos e reflexão critica.” “Instalações do local (calor insuportável).” “Não me pareceu necessária a planificação de um DAC pré-existente e já aplicado por colegas noutras escolas, sendo mais relevante mostrar como podemos fazer a aplicação prática e real nas nossas escolas, onde não há tempos letivos destinados à flexibilização .”

“Esta ação teria de ser implementada ao longo de, pelo menos, um período letivo.” “Adaptar a formação à realidade das escolas/e/ou formandos .” “Mais tempo para planificar em grupo conteúdos reais a aplicar em sala de aula. “ “Ser um pouco mais prática.”

*legenda:

8


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

18/37

FLEXIBILIZAÇ^O E INTEGRAÇ^O CURRICLAR Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Maria Cristina Tudella / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Escolas da Alapraia

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Oficina / 1 turma / 18 Formandos

Calendarização

6, 13, 20, 27 set. / 20 out. de 2018

Duração

25 h presencias / 25 h de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Básica da Alapraia

Objetivos a atingir    

Plano de Formação - 2018/2019

Conteúdos da ação:

Identificar os princípios orientadores para as práticas integradas de gestão flexível do currículo; Compreender os fundamentos e metodologias associadas à aprendizagem baseada em projetos; •Abordar os conteúdos da área do saber com base em situações e problemas; Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo nas unidades organizacionais que favoreçam a gestão flexível do currículo, integrando práticas de ensino-aprendizagem centradas no aluno; Conceber, concretizar, avaliar e reformular projetos de natureza disciplinar, multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, tendo em conta a diversidade dos alunos e seus contextos, as áreas do saber e os recursos existentes, considerando e integrando diversas práticas, atividades e tarefa

Medidas de política educativa, ao nível do currículo nacional;

Princípios orientadores de práticas integradas de gestão flexível do currículo;

Conceção e monitorização de projetos num trabalho de natureza colaborativa;

Coordenação de projetos e reflexão sobre dificuldades emergentes e estratégias para as ultrapassar;

Métodos e técnicas de e para a avaliação das aprendizagens no contexto do trabalho colaborativo.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

A partilha de experiências e saberes por parte dos formadores e dos colegas formandos, e também as diferentes formas de ver e atuar perante determinadas situações, foram bastante enriquecedoras e proveitosas, pois fizeram – me refletir e pensar na nossa forma de atuar com os meus alunos enquanto professora/orientadora e ir ao encontro das necessidades de cada aluno como ser individual e único.”

Pontos fracos

Articulação entre ciclos.”

Sugestões

“Mais tempo para experimentar e apresentar dinâmicas de sala de aula. “

“Promover o envolvimento de todos os formandos.”

*legenda:

9


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

18/38

GERIR CONFLITOS EM CONTEXTO ESCOLAR Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Edite Correia / CFECC Professores dos Ensinos Básico e Secundário e do Ensino Especial do Agrupamento de Escolas Ibn Mucana

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso / 1 turma / 16 Formandos 25, 29 set. / 4, 11, 16, 20, 25, 29 out. de 2018

Duração

25 h presencias / 25 h de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Básica e Secundária Ibn Mucana

Objetivos a atingir

Conteúdos da ação:

    

Gestão e Resolução de Conflitos em Contexto Escolar As Abordagens ao Conflito e os Estilos Comunicacionais A Importância de Adotar uma Atitude Proativa e Consciente Mediação de Conflitos: Modelos e aplicações As Habilidades do Mediador

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Esta ação de formação deu ferramentas importantes no desenvolvimento da minha atitude como professora, e mostrou o quão importante isso é para o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança e dos jovens (…)” “Ótimas orientações para a mediação de conflitos em contexto escolar. “ “Analisar e saber gerir da melhor forma, situações de conflito em contexto escolar; abordar os conflitos e os diferentes estilos comunicacionais; definir as capacidades do MEDIADOR.” Pontos fracos

Sugestões

“Penso que esta formação deveria ser realizada três vezes por ano. Ajuda muito os Esta ação superou as minhas expectativas, razão pela qual não tenho nada a acrescen- professores a compreenderem o comportamento dos alunos e a escolher as estratétar. “ gias mais adequadas..” “Os conhecimentos da formadora acerca dos constrangimentos que a operacionaliza- “Possibilidade de antecipar as sessões aos sábados (quando solicitado pelos formanção das aulas envolve, que não permite muitas vezes utilizar as estratégias propostas dos).” para gerir os conflito.” “Esta formação deveria ser para todos os docentes e assistentes operacionais”.

*legenda:

10


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

AVALIAÇ^O NOS ENSINOS B\SICO E SECUND\RIO: COMO AVALIAR PARA O SUCESSO EDUCATIVO? Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

18/39

Andréa Afonso / CEFCC e PNPSE Professores dos Ensinos Básico, Secundário e do Ensino Especial do Agrupamento de Escolas Ibn Mucana

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Oficina de formação / 1 turma / 13 formandos 2, 15, 18, 22, 24, 26, 27, 30 de 2018

Duração

25 h presenciais / 25 h de trabalho autónomo

Local Formação

Escola Básica e Secundária Ibn Mucana

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Refletir sobre os princípios orientadores e as finalidades da avaliação / Consolidar conhecimento sobre as diferentes modalidades de avaliação / Refletir sobre a relevância da avaliação formativa enquanto processo facilitador da regulação do ensino e das aprendizagens / Reconhecer o caráter contínuo e sistemático dos processos da avaliação formativa / Aprofundar os conhecimentos sobre métodos, técnicas e instrumentos de recolha, análise e comunicação de informação / Experimentar, analisar e refletir sobre a adequação desses recursos ao contexto educativo específico / Produzir, testar e ajustar recursos análogos adaptados ao contexto educativo específico / Criar um espaço de partilha / Reflexão sobre a aplicação prática desses recursos e na construção dos critérios de avaliação e de classificação / Construir processos de avaliação das aprendizagens no âmbito do plano de turma / Contribuir para a melhoria da qualidade da prática pedagógica dos docentes no âmbito da avaliação / Melhorar o desenvolvimento das aprendizagens dos alunos.

      

Definição, finalidades e princípios da avaliação; A avaliação centrada nas aprendizagens dos alunos: Por que se avalia? O que se avalia? Quem avalia? Como se avalia? Quando se avalia? Modalidades de avaliação: diagnóstica, formativa, sumativa ; Estratégias de avaliação, critérios de avaliação e de classificação ; Avaliação formativa: processos, estratégias, frequência e intervenientes; Métodos, técnicas e instrumentos de avaliação formativa ; Planificar, registar, analisar e ajustar as práticas Conceição, experimentação e reflexão, em contexto, de processos de avaliação formativa .

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A discussão entre diferentes ciclos de ensino e a construção de materiais e partilha dos mesmos.” “Interação pessoal formadora e formandos.”. “Partilha de experiências entre pares.”.

Pontos fracos

Sugestões

“Não terem sido apresentados instrumentos de avaliação diferentes do que usamos no Agrupamento de Escolas Ibn Mucana, Não ter existido um momento em que se re- “Mais enquadramento com actual legislação”. flectisse sobre os critérios de avaliação do nosso agrupamento.” 11 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA ESCOLA INCLUSIVA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

18/41

Carlota Brasileiro / CFECC , DGE e PNPSE Professores das equipas multidisciplinares dos agrupamentos de escolas

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 23 Formandos 18, 19, 25, 26 set. / 2, 3 out. de 2018

Duração

25 h

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Capacitar docentes para a formaç~o e sua replicaç~o sobre a implementaç~o do novo enquadramento legal da educaç~o inclusiva

        

Enquadramento concetual da educação inclusiva Os Direitos - famílias e crianças Desenho universal para a aprendizagem O trabalho em equipa multidisciplinar Enquadramento legal da educaç~o inclusiva Conceitos, princípios-chave e definições operacionais Recursos específicos de apoio { aprendizagem e { inclus~o Medidas de suporte { aprendizagem e { inclus~o Determinaç~o da necessidade de suportes { aprendizagem e { inclus~o

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

Foi importante a troca de experiências entre os colegas, e os esclarecimentos sobre as nossas preocupações relativamente ao novo decreto.” “Abordar a inclusão numa visão global.” “Interação pessoal dos formadores, pertinência dos temas e forma de abordagem dos assuntos.”

Pontos fracos “O local da formação, tendo em conta as altas temperaturas que se faziam sentir.” “Tempo do horário.”

Sugestões “Devia haver mais informação por parte do ministério, informação mais consolidada.” “mais dias e menos horas por dia.”

“Seria importante haver, pelo menos uma sessão, destinada a discutir/esclarecer dúvi“Menos tempo para a legislação e mais tempo para troca de experiências.” das, de forma mais aprofundada, no que diz respeito ao preenchimento.” 12 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA ESCOLA INCLUSIVA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

18/42

Helena Neves / CFECC , DGE e PNPSE Professores das equipas multidisciplinares dos agrupamentos de escolas

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 22 Formandos 9, 10, 16, 17, 23, 24 out. de 2018

Duração

25 h

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Capacitar docentes para a formaç~o e sua replicaç~o sobre a implementaç~o do novo enquadramento legal da educaç~o inclusiva

        

Enquadramento concetual da educação inclusiva Os Direitos - famílias e crianças Desenho universal para a aprendizagem O trabalho em equipa multidisciplinar Enquadramento legal da educaç~o inclusiva Conceitos, princípios-chave e definições operacionais Recursos específicos de apoio { aprendizagem e { inclus~o Medidas de suporte { aprendizagem e { inclus~o Determinaç~o da necessidade de suportes { aprendizagem e { inclus~o

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

A troca de testemunhos entre formandos e formadores. “Formadoras excelentes tanto do ponto de vista técnico como humano. “ “Tomada de consciência sobre as mudanças legislativas e suas repercussões na prática.” “Importância do tema; troca de experiências, opiniões e conhecimentos.” Pontos fracos “A formação podia ter aprofundado mais aspetos práticos, ao nível da implementação de estratégias.” “Maior empenho de todos os formandos na ação (muitos chegavam atrasados e alguns deles passaram muito tempo agarrados ao telemóvel). Por muito que custe corrigir e criticar o comportamento de colegas, os formadores devem fazê-lo , sempre que se justifique .” “O facto da acção ser em período pós laboral a sua duração 4 horas, pareceu-me excessiva, a partir de certa altura todos os formandos acusavam cansaço.” *legenda:

Sugestões

“Ligação à realidades das escolas em geral, das condições de trabalho, dos horários, instalações, materiais adequados, dimensão das turmas, respeito pelos professores e auxiliares de educação, etç. Caso contrário é quase ficção “ “Dividir as horas de formação para não serem tantas horas juntas; haver espaço para se trabalhar com exemplos práticos de medidas universais, seletivas e adicionais.”

13


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA ESCOLA INCLUSIVA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

18//43

Helena Neves , Carlota Brasileiro, Carla Hébil / CFECC , DGE e PNPSE Professores das equipas multidisciplinares dos agrupamentos de escolas da Alapraia

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 20 Formandos 9, 10, 16, 17, 23, 24 out. de 2018

Duração

25 h

Local Formação

Escola Básica da Alapraia

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Capacitar docentes para a formaç~o e sua replicaç~o sobre a implementaç~o do novo enquadramento legal da educaç~o inclusiva

        

Enquadramento concetual da educação inclusiva Os Direitos - famílias e crianças Desenho universal para a aprendizagem O trabalho em equipa multidisciplinar Enquadramento legal da educaç~o inclusiva Conceitos, princípios-chave e definições operacionais Recursos específicos de apoio { aprendizagem e { inclus~o Medidas de suporte { aprendizagem e { inclus~o Determinaç~o da necessidade de suportes { aprendizagem e { inclus~o

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram Foi proporcionada envolvidos na troca de experiências formação entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

O domínio técnico e eloquência na comunicação por parte dos formadores. “ “Ajudou a refletir e a responder a muitas questões relacionadas com as alterações que aconteceram e acontecerão a partir deste ano letivo.” “A realização de atividades práticas para refletir sobre os tópicos abordados na parte teórica.” “A dinâmica de grupos para reflexão e discussão acerca da teoria passada na formação”. Pontos fracos

Sugestões

“Esclarecimento melhor ao nível prático.” “Calendarização da ação e grupo de formandos demasiado numeroso.” “Não pode ser tanto tempo por dia, torna-se muito cansativo e acabamos por não aproveitar devidamente.” “As atividades práticas realizadas deveriam ter tido um feedback por parte dos formadores (partilha em grande grupo).” “Maior foco na avaliação centrada no aluno.”

“Mais tempo para implementar as novas práticas .” “Outro espaço, mais acolhedor e confortável. “ “Partes da exposição, ser feita por entrevistas a técnicos que gerem estes problemas no seu dia a dia. “ “Algumas questões/dúvidas só serão esclarecidas ao longo da prática. Desta forma, poderia ser dada continuidade a esta formação noutro período (neste ou em próximos anos letivos).”

*legenda:

14


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

LIDERANÇA PESSOAL E PROFISSIONAL AOS PROFESSORES: DESAFIOS EM TEMPOS DE MUDANÇA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 23 Formandos 27 set. / 2, 4, 9, 11, 16, 18, 23, 25, 30 out. de 2018

Duração

25 h

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Luísa Fernandes / CFECC Professores dos Ensinos Básicos e Secundário

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

18//44

Contribuir para o aumento de consciência dos professores sobre a sua responsabilidade enquanto líderes e gestores da sua vida pessoal e profissional. Fornecer técnicas de liderança profissional a aplicar em contextos diversificados, entre os quais, os momentos formais e n~o formais da sua pr|tica docente. Fornecer estratégias de superaç~o de medos específicos dos professores (o medo da indisciplina, da violência, do uso das novas tecnologias, do novo, de fazer apresentações públicas, de expor as suas insuficiências, de partilhar as suas dificuldades, de pedir ajuda aos seus pares procurando um trabalho cooperativo, entre outras). Proporcionar aos professores momentos de reflex~o sobre a gest~o da sua vida, numa perspectiva de liderança pessoal para um desenvolvimento profissional eficaz.

        

Introdução { ação, entrega de documentação e explicações sobre formalidades administrativas; Explicaç~o da metodologia da aç~o e das formas de avaliaç~o; Apresentaç~o da formadora e dos formandos; A Liderança evolutiva pessoal e profissional – Definições e conceitos associados O professor como líder; Tipos de liderança e de líder; A auto-liderança e a hetero-liderança: potencialidades e dificuldades; Comunicaç~o eficaz (com os outros e consigo mesmo); Auto-conceito, auto-estima, pontos fortes, pontos fracos e a atribuiç~o causal; Estilos pedagógicos comunicacionais (passivo, agressivo, manipulador e assertivo).

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“O relacionamento entre pares promovido pela formadora.” “O bom ambiente, a disponibilidade para aprender e para ensinar.” “Os conhecimentos científicos, o poder de comunicação e a disponibilidade da formadora .” “Relação entre pares, melhoria na relação inter-pessoal, com alunos e professores e na comunicação.” Pontos fracos

Sugestões

“O local onde se desenvolveu a ação era barulhento na maior parte das sessões..”

“A formação correu muito bem, é desejável manter/ Insistir na afirmação da qualidade teórica e prática.”

“Layout das apresentações multimédia.” “Duração da ação por sessão deve ser de 3 horas.” *legenda:

“Realização de uma sessão por semana, em vez de duas .” “Aplicação das aprendizagens em contexto de sala de aula.” 15


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

EDUCAÇ^O PARA UMA CIDADANIA: DO ENQUADRAMENTO [S PR\TICAS Formador / Entidade Dinamizadora

Dulce Martins / CFECC

Destinatários

Professores Responsáveis da Educação para a Cidadania nos Agrupamentos de Escolas

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Oficina de formação / 1 turma / 18 Formandos

Calendarização

27 set. / 2, 4, 9, 11, 16, 18, 23, 25, 30 Nov. de 2018

Duração

30 h presenciais / 30 h de trabalho Autónomo

Local Formação

Conteúdos da ação:

 

 

Plano de Formação - 2018/2019

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir: 

18//45

Refletir sobre os conceitos de cidadania e de educação para a cidadania à luz da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC), de referentes teóricos e das conceções e práticas dos docentes; Abordar formas de operacionalização da ENEC ao nível da escola: aprendizagens esperadas em Cidadania e Desenvolvimento (CD); componentes fundamentais dos domínios da educação para a cidadania; exploração, produção e aplicação de recursos educativos de apoio ao trabalho docente em CD; Utilizar metodologias ativas, centradas na aprendizagem vivencial da cidadania democrática e na abordagem inter, multi e transdisciplinar; Promover práticas de avaliação dos alunos adequadas a conteúdos e metodologias de educação para a cidadania.

 

Apresentação da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania ; Metodologia de implementação da componente curricular de ‘Cidadania e Desenvolvimento’: Whole School Approach; Avaliação das aprendizagens dos alunos em Cidadania e Desenvolvimento; Domínios de Educação para a Cidadania, de acordo com os seguintes grupos: 4.1 - Direitos Humanos (civis e políticos, económicos, sociais e culturais e de solidariedade); Igualdade de Género; Interculturalidade (diversidade cultural e religiosa); Instituições e participação democrática; Voluntariado; 4.2 - Desenvolvimento Sustentável; Educação Ambiental; Bem-estar animal ; 4.3 - Saúde (promoção da saúde, saúde pública, alimentação, exercício físico); Sexualidade (diversidade, direitos, saúde sexual e reprodutiva); 4.4 - Literacia financeira e educação para o consumo; Empreendedorismo (nas suas vertentes económica e social); Mundo do Trabalho; 4.5 - Segurança rodoviária; Risco; Segurança, Defesa e Paz; Media.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

Um dos aspetos que considero muito importantes foi a dinâmica que se estabeleceu entre os vários formandos entre si e formadora, partilhando experiências, dúvidas, expectativas e colaborando e ajudando uns aos outros, no decorrer de toda a formação.” “A partilha de experiências vividas em diferentes contextos escolares e a formadora.”

Pontos fracos

Sugestões

“Ter em atenção os horários da formação, bem como a calendarização que por vezes era incompatível com reuniões intercalares ou outras.”

“Trazer também alguém que seja autor da Estratégia de Cidadania que possa ajudar a esclarecer e uniformizar práticas..” “Aplicação dos conteúdos à realidade das escolas e turmas, com utilização de mais casos práticos.” 16 “Adequar a formação às necessidades dos alunos e dos professores.”

“3 horas ao final de um dia de trabalho é muito pesado.”

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

APRENDER COM DISPOSITIVOS MÓVEIS E A APP MILAG APRENDER + NA DISCIPLINA DE MATEM\TICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Ana Paula Natal e Paula Vieira / CFECC Professores dos Grupos de Recrutamento 230 e 500

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Oficina de formação / 1 turma / 11 Formandos 21, 23 fev. / 9, 14, 16, 21, 23 mar. / 2, 4 mai. de 2019

Duração / Local Formação

25 h presenciais e 25 h de trabalho autónomo / Escola Básica e Secundária da Cidadela

Objetivos a atingir:

Plano de Formação - 2018/2019

19/09

Conteúdos da ação:

Capacitar os docentes envolvidos para a utilização da plataforma MILAGE Aprender+, que inclui a aplicaç~o MILAGE Aprender+ Professores e o aplicativo MILAGE Aprender+, valorizando a iniciativa, a autonomia e a enculturaç~o ativa dos docentes na utilizaç~o desta ferramenta tecnológica; /Conceber as atividades direcionadas para a aprendizagem dos alunos, apostando na resoluç~o autónoma de fichas de problemas na disciplina de matem|tica dos ensinos b|sico e secund|rio; /Estimular a autonomia dos alunos na aprendizagem da matem|tica e, desse ponto de vista, a utilizaç~o em uso dos seus saberes na resoluç~o criativa dos problemas; / Envolver os professores participantes na definiç~o de procedimentos de aç~o e na produç~o de materiais de intervenç~o adequados aos seus diferentes contextos de trabalho; /Aplicar, no contexto pedagógico-did|tico da disciplina de matem|tica, os materiais e exercícios produzidos; /Refletir sobre a pr|tica e os resultados obtidos; / Sensibilizar para a necessidade constante de uma atualizaç~o dos meios e tecnologias usados como suporte e dinamizaç~o dos processos de ensino e de aprendizagem; / Valorizar a criatividade, a autonomia e a pesquisa contínua de recursos, técnicas e tecnologias alternativas; / Valorizar pr|ticas de avaliaç~o permanente, envolvendo diferentes agentes como forma de induzir melhorias da qualidade dos processos educativos.

Estratégias e modelos para a educaç~o online;

Introduç~o { plataforma MILAGE Aprender+ pela exploraç~o da aplicaç~o MILAGE Aprender+ Professores e do aplicativo MILAGE Aprender;

Desenvolvimento de conteúdos para o ensino da matem|tica;

Introduç~o {s ferramentas para a produç~o de vídeos;

Capacidades avançadas de ediç~o de vídeos;

Integraç~o dos conteúdos disciplinares de matem|tica na plataforma MILAGE Aprender+;

Apresentaç~o, discuss~o/reflex~o e avaliaç~o dos materiais elaborados pelos formandos.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“O trabalho colaborativo e a aprendizagem de novas tecnologias.” “Formadoras muito competentes e disponíveis..” “Permite elaborar materiais específicos para ajudar os alunos no seu trabalho autónomo. A partilha de conhecimentos entre os participantes.”

Pontos fracos

Sugestões

“Dar mais tempo para a aplicação da 1ª ficha elaborada durante a formação aos alunos dos professores formados.”

“Penso que a data de inicio deste tipo de ações devem ser no inicio do ano letivo.”

*legenda:

17


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

TÉCNICAS DE EXPRESS^O, AQUECIMENTO, DESCONTRAÇ^O DA VOZ E COMUNICAÇ^O ORAL Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Marcantónio / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração / Local da Formação

Curso / 1 turma / 20 Formandos 7, 12, 14, 19, 21, 26, 28 mar. / 2 abr. de 2019 25 h / Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação: 

19/10

Dotar cada formando de uma melhor aplicaç~o do seu aparelho vocal na comunica ç~o que estabelece oralmente no contacto com os alunos.  Desinibir e desbloquear tensões no acto comunicativo oral que impedem a explica ç~o de matérias ou até mesmo a imposiç~o de regras dentro do grupo de trabalho 

Reconhecimento da Voz Interior e Exterior: como ouvimos os outros e como os outros nos ouvem a nós. O Gesto como complemento da Voz (exercícios de improvisaç~o teatral). O Ritmo (exercícios rítmicos a partir do corpo como caixa de resson}ncia da voz). Foco (exercícios de concentraç~o e domínio sobre o discurso oral). A Técnica (exercícios de aquecimento e relaxamento da Voz).

Avaliação da ação:

Plano de Formação - 2018/2019

Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estra-

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“O facto de ter sido uma formação totalmente prática.” “A interação entre formador e formandos e entre formando.” “Os pontos fortes desta Ação de Formação foi permitir uma reflexão sobre a prática e desenvolver a comunicação com os alunos.” “Adquirir ferramentas para uma melhoria global do ensino e do professor. “ Pontos fracos

Sugestões

“Entrega de documentação sobre os assuntos abordados na Ação de Formação.”

“Enviar a documentação da formação em formato digital.”

“Ficou a faltar práticas mais concretas no âmbito da comunicação, ou seja passar dos exercícios hipotéticos e das simulações às ações mais concretas, a experiências em sala de aula.”

“Troca de experiências entre os formandos “ “Ter uma maior duração para se poder trabalhar mais a área da comunicação.”

18 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/11

COMO PROMOVER O BEM ESTAR E CIDADANIA Formador / Entidade Dinamizadora

Patrícia Sarmento / CFECC

Destinatários

Educadores de infância e professores do 1º , 2º ciclos (apenas incluídos no projecti

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Curso de formação / 1 turma / 8 Formandos

Calendarização

14, 17, 21, 24 jan. / 6 fev. / 910 Abr. / 15 mai. / 26 Jun. de 2019

Duração

25 h

Local Formação

Agrupamento de Escolas de Alcabideche

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Identificar os aspetos mais relevantes do desenvolvimento infantil / Identificar os benefícios de educar para o Bem-Estar e Cidadania (BEC) /Identificar as Virtudes e Forças de car|ter e formas de as usar / Reconhecer a import}ncia das Emoções positivas; Relações positivas e Sentido no desenvolvimento pessoal / Reconhecer estes temas na vida do próprio e us|-las de forma intencional / Conhecer as diferentes componentes das competências socioemocionais / Identificar e selecionar atividades que promovem competências socioemocionais nos alunos / Promover o Sentido de vida dos alunos, através do exercício da cidadania Planear e implementar um projeto BEC numa turma.

       

Desenvolvimento infantil Bem-Estar e Cidadania (BEC) nos mais jovens Virtudes e forças de car|cter Contributos para o BEC Emoções positivas Relações positivas na inf}ncia Sentido de vida na pr|tica Partilha de projetos de BEC

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da

Formandos foram envolvidos na

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“As forças de caráter e o seu significado passou a fazer parte do vocabulário e dinâmica entre os alunos.” “A realização periódica de reuniões para a troca de experiências.” “Relação entre todos os participantes, ação adequada à escola.” “Maior conhecimento do perfil da turma, melhor gestão dos conflitos em contexto escolar.” Pontos fracos

Sugestões “Mais partilha entre colegas através da apresentação do trabalho desenvolvido.”

“O espaço de tempo entre as atividades é muito curto.” “Mais partilha de materiais .” “Na minha opinião, as sessões deveriam ser mensais e não quinzenais.”

19 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

TÉCNICAS DE EXPRESS^O, AQUECIMENTO, DESCONTRAÇ^O DA VOZ E COMUNICAÇ^O ORAL Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração / Local da Formação

Marcantónio / CFECC Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário Curso / 1 turma / 20 Formandos 21, 22, 23, 28, 29, 30 mai. / 4, 6 Jun. de 2019 25 h / Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:  

Descobrir com cada um dos formandos um sentido criativo aplicado { sua voz.

Responder {s ansiedades de todos os professores que sabem que os seus alunos ouvem  mas nem sempre aderem ao que lhes é dito.  Proporcionar um espaço de reflex~o e aprendizagem sobre a import}ncia de se aplicar ao ensino convencionado algo de pouco convencional que ajude a dinamizar a sala de aula.  Dotar os formandos de um conjunto de técnicas relativas ao trabalho da voz que, quando aplicadas, podem auxiliar a comunicaç~o na sala de aula. 

Plano de Formação - 2018/2019

19/12

Refletir com os formandos sobre a realidade em que est~o inseridos, dentro e fora da esco-  la, a partir da descoberta de uma voz que apesar de ser individual, comunica com o coletivo. 

Técnicas de aquecimento e descontração da voz (recuperação de alguns exercícios ensinados no NÍVEL I). A palavra criativa (noções gerais de dição, leitura e apresentação de um texto decorado). A voz e os seus fundamentos criativos (aprendizagem de técnicas da Express~o Dram|tica associadas ao trabalho de voz). Três horas. O Role Play (a descoberta da voz do “outro” seja ele aluno, colega, encarregado de educaç~o, funcion|rio, etc, a partir de uma voz inventada e interpretada). A voz social (exercícios pr|ticos de reconhecimento de v|rios estilos de linguagem de grupo). A voz din}mica (noções gerais de team building aplicadas { voz; din}micas de grupo a partir de jogos vocais). A voz performativa (criação de um momento performativo passível de ser aplicado numa sala de aula; dramatizaç~o vocal de uma matéria). An|lise e debate final das competências ministradas. Avaliaç~o pr|tica individual dos formandos. Quatro horas.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Proporcionar a reflexão sobre o uso da voz na atividade profissional.” “Excelente relação formador - formando. Partilhas entre formandos. Possibilidade de dizermos como nos sentimos na formação - dar ideias e sugestões.” “Ajudar-nos a tomar consciência da nossa comunicação com as crianças .” “Ser fundamentalmente prática com dinâmicas diversificadas e interessantes.” Pontos fracos

Sugestões

“Adaptar melhor as técnicas de comunicação ao ambiente de salas de aula.”

“Aumentar o número de exercícios para fortalecer a voz.” “Mais formações nesta área.” “Envio de material para o mail.” 20

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/13

ESGRIMA PARA TODOS Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Nuno Frazão / CFECC Docentes dos grupos 260 e 620 do Agrupamento IBN Mucana

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação/ 1 turma / 23 Formandos 1, 2, 3, 4 de julho de 2019

Duração / Local da Formação

25 h / Escola Básica e Secundária IBN Mucana

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

  

      

   

Conhecimento da modalidade – enquadramento histórico e vertentes; Conhecimento das regras b|sicas de segurança e específicas; Domínio de pr|ticas pedagógicas de ensino em grupo, no }mbito dos gestos técnicos elementares e sua aplicaç~o em jogo no contexto da esgrima desportiva e adaptada; Aplicaç~o artística da modalidade em coreografias específicas ou em interacç~o com outras |reas disciplinares; Construç~o de materiais alternativos; Organizaç~o de workshops de divulgaç~o/experimentaç~o; Organizaç~o de competições.

Enquadramento Histórico Vertentes Regras b|sicas de segurança e específicas Pr|ticas pedagógicas de ensino em grupo – gestos técnicos e jogo Construç~o de materiais alternativos – 1 hora Organizaç~o de workshops de divulgaç~o/experimentaç~o Organizaç~o de provas

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Ação baseada na ação pedagógica do ensino das actividades desportivas.” “A extraordinária qualidade profissional e humana do formador e as estratégias de ensino.” “Interesse e pertinência dos conteúdos; Clareza e competência do formador.” “A forma como a informação foi colocada. Interação entre teoria e prática muito efetiva. Parabens.” “Aplicabilidade dos conteúdos ao contexto de sala de aula.” Pontos fracos

Sugestões

“Sala teórica com recurso a audiovisuais, no pavilhão onde se realizou a formação. “

“Em termos de horário, reduzir o nº de horas/dia.”

“Mais facilidade para obtenção dos materiais.”

“Deveria ser uma acção mais prolongada.” “Realização de uma segunda ação para consolidar os conhecimentos.” 21 “Manter oferta de formação sobre este tema!”

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/15

EDUCAÇ^O PARA OS MEDIA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração / Local da Formação

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário do Agrupamento de Escolas IBN Mucana Curso de formação/ 1 turma / 28 Formandos 13, 20, 27 mai. / 3, 17, 24, 27 de Jun. de 2019 25 h em regime de b-learning/ Escola Básica e Secundária IBN Mucana

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Literacia para os Media: conceitos e linhas de desenvolvimento

O Referencial de Educaç~o para os Media

Compreender e intervir no mundo atual

Aspetos pedagógico-did|ticos da Educaç~o para os Media

Avaliação dos planos dos formandos e da ação

 

Plano de Formação - 2018/2019

José Nogueira / CFECC

  

Promover a formaç~o em educaç~o para os media de um conjunto de formadores ligados aos diferentes centros de formaç~o dos agrupamentos escolares; Habilitar esses formadores a elaborar ações de formaç~o que capacitem os docentes interessados para a implementaç~o do Referencial de Educaç~o para os Media em vigor, seja enquanto |rea autónoma do currículo, seja como dimens~o transversal {s diferentes disciplinas; Perceber a relev}ncia dos diferentes media, nos seus diversos formatos e suportes, na vida dos cidad~os e em particular dos alunos, bem como na vida das escolas e das famílias; Compreender e problematizar a(s) definiç~o(ões) de literacia para os media bem como de outros conceitos com ele relacionados; Desenvolver conhecimentos, competências e estratégias para uma an|lise e utilizaç~o crítica dos media, novos e tradicionais; Promover métodos e técnicas que habilitem a abordagem dos media em contexto escolar; Tomar consciência da relev}ncia da compreens~o do mundo atual bem como de uma formaç~o para a leitura crítica do papel do jornalismo e das notícias; Promover ambientes de melhor comunicaç~o e informaç~o nas instituições educativas, nomeadamente através da elaboraç~o de projetos de meios de comunicaç~o escolares.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estra-

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A aquisição de novas aprendizagens e a troca de experiências bastante enriquecedora na prática diária quer pessoal quer profissional .” “Aplicabilidade ao contexto atual em sala de aula.” “Interação com os formandos e prática em contexto de trabalho.” “Melhorar a comunicação com os alunos.” Pontos fracos

Sugestões

“A velocidade da internet/computadores.” “o tempo de duração da ação, bem como a "altura" de implementação da mesma.” “Condições para aplicação dos conhecimentos (computadores disponíveis) .” “Maior consolidação das (muitas) informações veiculadas.”

“Continuação destas formações.” 22 “Mais sessões de trabalho prático para treino/aprofundamento de competências na área das TIC “Componente mais experimental.”


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo, - Rua Feliciano Castilho, Penedo 2785-365 S. Domingos de Rana;

FLEXIBILIZAÇ^O CURRICULAR E GEST^O INCLUSIVA DA DIVERSIDADE Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Calendarização

Curso de formação/ 1 turma / 21 Formandos 1, 4, 16, 18, 23, 25 de jul. de 2019

Duração / Local da Formação

25 h / Escola Básica e Secundária Frei Gonçalo de Azevedo

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

  

 

  

Plano de Formação - 2018/2019

Cristina Tudella / CFECC Educadores de Infância , Professores dos Ensinos Básico e Secundário e do ensino Especial

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

   

19/35

Dominar os conceitos de autonomia e flexibilidade curricular. Dominar estratégias de articulaç~o curricular e interdisciplinaridade. Conhecer e reflectir sobre o perfil do aluno { saída da escolaridade obrigatória e aprendizagens essenciais. Identificar pontos fortes e fracos no desempenho escolar dos alunos Conhecer e valorizar formas de monitorizaç~o dos progressos dos alunos. Contribuir para a construç~o percursos com base no perfil do aluno. Dominar forma de avaliaç~o das aprendizagens como parte integrante da gest~o do currículo. Estimular a implementaç~o de medidas de gest~o curricular por aplicaç~o de uma abordagem multinível. Dominar estratégias de concretizaç~o da gest~o da flexibilizaç~o curricular. Criar condições organizacionais que promovam o trabalho colaborativo.

    

Melhoria das aprendizagens dos alunos: Intervenç~o preventiva na aquisiç~o da literacia considerando priorit|ria a competência leitora. Planeamento pedagógico contínuo e colaborativo que respeite as singularidades, valorize os interesses e atenda {s necessidades de cada aluno, tendo por base o perfil do aluno { saída da escolaridade obrigatória.. Constituiç~o de grupos tempor|rios flexíveis de homogeneidade relativa. Prevenç~o e regulaç~o da indisciplina em contexto escolar. Aplicaç~o de metodologias ativas e de medidas de gest~o curricular flexíveis e de suporte { inclus~o e { aprendizagem decorrentes de uma abordagem multinível. Criaç~o de ambientes educativos inovadores.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia* 

Metodologia adequada aos objetivos da

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A clareza na comunicação por parte das formadoras; a forma totalmente eficaz como as formadoras geriram alguns momentos de discussão; os exercícios práticos propostos aos formandos, de forma a aplicarem os conhecimentos teóricos abordados.” “Ajudar a perceber alguns conceitos da Flexibilização Curricular que ainda estavam confusos.” “A Formação contribui para a actualização, adaptação e melhoria da pratica letiva e pedagógica.” “novas ferramentas para aplicar em sala de aula.” Pontos fracos

Sugestões

“horário- muitas horas seguidas principalmente no último dia.” “Melhorar a comunicação e os materiais.”

“Esta formação tem sentido ser em molde de Oficina, para serem elaborados materiais úteis.”

“Mais momentos de "trabalho" prático.” 23 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019

Plano de Formação - 2018/2019

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

Ações de formação Dinamizadas para Docentes

em parceria

24


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

VIAGENS DA FOLHA DE OURO Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Laura Feteira / CFECC e CMC Professores do dos grupos 240, 530 e 600

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Curso de formação / 1 turma / 11 Formandos

Calendarização

De 2 a 6 mar / 27 Abr. a 4 ma. De 2019 de 2018

Duração

25 h

Local Formação

Museu Condes Castro Guimarães

Objetivos a atingir: 

Conteúdos da ação:

Conhecer o processo de douramento, talha dourada, gravado, estofa-  do, esgraflito e acharoado/chinoiserir/japanning; 

Dominar a aquisiç~o e a aplicaç~o de conhecimentos sobre as técnicas  de douramento, gravado e manutenç~o;

Refletir criticamente sobre a pertinência dos temas abordados e a sua  aplicabilidade no contexto da pr|tica docente.

Plano de Formação - 2018/2019

19/01i

Talha - Breve referencia { talha, douramento e policromia Talha dourada Douramento sobre madeira Técnicas de imitaç~o Douramento sobre o vidro Outras aplicações da folha de ouro

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Competências da formadora. Troca de experiências entre formandos.” “A ligação entre a ação e os objetos expostos no museu.” “Tema da formação muito útil para o ensino em sala de aula.” “Adquirir novos conhecimentos técnicos de forma a complementar as minhas competências enquanto professor.” Pontos fracos

Sugestões

“Melhorar a ligação à internet.”

“uma vez que estou muito satisfeita com a formação, sugiro que haja um 2º módulo.”

“Aumentar a formação para mais 2 dias (8 horas) de formação com o objetivo de algumas práticas serem finalizadas.” 25 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

GEOMETRIA COM CALCULADORA GRÁFICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

19/02

Ana Margarida Dias / CFECC e CASIO Professores do grupo recrutamento 500

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 24 Formandos 16, 23, 30 Jan. de 2019

Duração

15 h

Local Formação

Escola Secundária S. João do Estoril

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Módulo 1: Ligaç~o da calculadora ao computador.

Conhecer as funcionalidades da calculadora gr|fica na óptica do utilizador e facilitar da sua utilizaç~o por parte dos alunos. Conhecer as funcionalidades da calculadora gr|fica, na perspetiva da criaç~o de recursos educativos digitais, usando imagens e teclas do software da calculadora. Conhecer as funcionalidades da calculadora gr|fica no menu da geometria, fazer construções geométricas, criar animações e explorar a geometria usando imagens.

Módulo 2: Utilizaç~o do menu de geometria Executar uma atividade de geometria que inclua a escolha de um enunciado, construç~o da atividade usando a captura de imagens e vídeos e explicaç~o detalhada da resoluç~o. Esta atividade é um elemento de avaliaç~o. Módulo 3: Apresentaç~o das actividades elaboradas. Avaliaç~o.

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“permitir adquirir conhecimentos enriquecedores e competências para a atividade profissional e capacidade da formadora para tornar um ambiente descontraído e relaxante enquanto se trabalha "a sério".” “Pertinência e aplicabilidade prática.” “Uma ação muito prática e com horário pouco extenso por sessão.” “A prática acompanhada do trabalho com a calculadora, permitiu o esclarecimento de dúvidas e ainda experimentar diversos tipos de erros que se possam cometer, para assim melhor poder ajudar o alunos.” Pontos fracos

Sugestões

“estacionamento.”

“mais ações desta natureza.” “Passar a funcionar como Oficina de Formação.” “Temperatura da sala.” “Aprofundar outras temáticas além da geometria.” “Explorar formas de implementar os conhecimentos adquiridos em sala de aula.” “Maior número de atividades (e com maior grau de dificuldade) para os formandos que “se houvesse mais tempo, seria positivo a proposta de nova situações de exploração realizam as tarefas de forma mais rápida.” pelos formandos.”

*legenda:

26


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

HORTA BIOLÓGICA PRÍNCIPIOS PRA A INSTALAÇ^O DE UMA HORTA NA ESCOLA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração

André Miguel / CFECC e CMC Educadores de Infância, Professores dos Ensino Básico e Secundário Curso de formação / 1 turma / 12 Formandos 16, 23, 26, 30 jan. / 6, 9, 13, 23, 27 fev / 9 mar. de 2019 25 h presenciais

Local Formação

Sala da Adroana e Horta Comunitária do Bº de S. João

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:     

Os formandos devem ser capazes, no final da formação, de conceber, instalar e manter uma horta na escola em regime de agricultura biológica.

   

Plano de Formação - 2018/2019

19/03

 

O Modo de Produç~o Biológico A instalaç~o da Horta (Lavoura e plantaç~o) Solo e Fertilidade A Manutenç~o da Horta (Rega, Sementeira, Sacha, Monda, Amontoa), Construç~o do Compostor V A Rega Construç~o de um sistema de rega, Construç~o de estruturas de apoio {s culturas (Latadas, Redes, Estufins) As principais Famílias de Hortícolas I Construç~o de estruturas de apoio {s culturas (Latadas, Redes, Estufins), A Manutenç~o da Horta (Rega, Sementeira, Sacha, Monda, Amontoa) As principais Famílias de Hortícolas II Construç~o de estruturas de apoio {s culturas (Latadas, Redes, Estufins), a Manutenç~o da Horta (Rega, Sementeira, Sacha, Monda, Amontoa) Estrutura Ecológica e Sanidade Vegetal Identificaç~o de Pragas e Auxiliares, Caldas

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A parte prática realizada na horta comunitária.” “A clareza e a forma prática e intuitiva como os formadores transmitiram os conhecimentos.” “Informação necessária para a instalação/manutenção da horta na escola.” “Aprendizagem eficaz e relacionada com a implementação na atividade docente. Formadores muito disponíveis e competentes.” Pontos fracos

Sugestões

“A horta da minha escola ter mais capacidade.”

“Mais aulas práticas.” “Não me parece que possa melhorar, esta metodologia foi muito eficaz e agradável.” “Dar continuidade a esta formação com novos temas.” 27

“A entrega inicial da documentação sobre o tema/matéria leccionada.” *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/04

PARTICIPAÇÃO E CIDADANIA Formador / Entidade Dinamizadora

Diversos / CFECC e CMC

Destinatários

Professores dos Ensino Básico e Secundário

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Curso de formação / 1 turma / 21 Formandos

Calendarização

14, 15, 21, 22 jan. de 2019

Duração

12 h presenciais

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação: 

Plano de Formação - 2018/2019

 

Exploração dos conceitos: participação - cidadania - empoderamento;

Desenvolvimento de uma visão mais próxima da prática;

Estratégias de promoção destes conceitos;

Ferramentas para a aplicação e desenvolvimento de novas práticas.

 

 

Introduç~o e enquadramento da educaç~o n~o formal, educaç~o formal e educaç~o informal; Confronto entre a teoria e a pr|tica. Seguido de uma breve explicaç~o, ligando a nossa pr|tica di|ria nas nossas instituições de ensino; O modelo ‘Ladder of participation’ (Roger A. Hart) e a identificaç~o de exemplos em cada etapa da escada; Os formandos s~o confrontados com diferentes níveis de participaç~o (baseados na Escada de participação de Hart), através das experiências e como os conceitos de participaç~o podem ser percebidos e compreendidos de diferentes maneiras; Exercício - Mercado de Ações: em grupos pequenos, os formandos s~o confrontados com diferentes desafios sobre como transmitir os conceitos na pr|tica concreta nas instituições educativas; Ferramentas para trabalhar nas suas escolas; Sequência de v|rios exemplos f|ceis de implementar: Aç~o de Cart~o Postal, Projeto UniArt, Experience C, Caixas de Ferramentas on-line;

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da

Formandos foram envolvidos na

Foi proporcionada troca de experiências

Foi relacionada teoria com a prática

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A comunicação que permitiu entre todos, tanto formadores como formandos, e a reflexão sobre as minhas práticas nas aulas.” “Todas as sessões foram muito dinâmicas e práticas e os formadores excepcionais.” “Interacção com os formandos. Essencialmente prática com grande capacidade de fazer o formando refletir sobre a sua pratica.” Pontos fracos

Sugestões

“O espaço onde decorreu a formação devia estar mais acolhedor e a arejado.”

“A ação deveria ter sido mais prolongada.” 28

“Entrega de materiais pedagógicos.” *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela- Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

EDUCAR PARA UMA GERAÇ^O AZUL. ESTRATÉGIAS PARA INTEGRAR A LITERACIA DO OCEANO NA EDUCAÇ^O PARA A CIDADANIA E NO PROJETO DE AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

19/05

Diogo Geraldes / CFECC, CMC, Oceano Azul Fundação Professores do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 17 Formandos Grupo 1: 10, 11, 12 jan. / Grupo 2: 17, 18, 19 jan. de 2019

Duração

12 h presenciais

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Identificar e conhecer os sete princípios da literacia dos oceanos (A- A terra tem um oceano global e muito diverso; B- O oceano e a vida marinha têm uma forte ação na dinâmica da Terra; C- O oceano exerce uma influência importante no clima; D- O oceano permite que a Terra seja habitável; E- O oceano suporta uma imensa diversidade de vida e de ecossistemas; F- O oceano e a humanidade estão fortemente interligados; G- Há muito por descobrir e explorar no oceano); • Reconhecer que a vida na Terra teve origem no oceano; • Reconhecer o oceano como o maior espaço disponível para a vida; • Identificar o oceano como a componente física dominante do planeta Terra.

1. Como é o oceano? 2. Porque é importante o oceano? 3. Quanto vale o oceano? 4. Como influenciou o oceano a Humanidade? 5. Quem é o dono do oceano? 6. Porque é especial o mar de Portugal? 7. Como se protege o oceano? 8. O que h| por descobrir no oceano?

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A ação proporcionou-nos conhecimentos relevantes, sobre a temática abordada, bem como estratégias para os trabalharmos com os alunos.” “As formadoras são excelentes comunicadoras e dinamizadoras, tendo tornado a ação extremamente interessante e motivadora.” “Temática e material de suporte cedido às Escolas.” “A partilha; a envolvência; a motivação; contributo para relembrar e enriquecer acerca da importância dos oceanos.” Pontos fracos

Sugestões

“Cada formando deveria receber 1 caixa de atividades, pois 1 caixa para 5 turmas não é suficiente.”

“Mais atividades experimentais.” “A formação ser um pouco mais longa para se puder fazer mais atividades práticas.” “ Uma visita ao Oceanário para consolidar os conhecimentos adquiridos.” “A ação ser repartida em mais dias, pois era muita informação para dois dias só.” “Maior acompanhamento às escolas .”

“Seria necessário mais tempo para explorar melhor alguns conteúdos.”

29 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

PROMOÇ^O DE COMPETÊNCIAS SÓCIO SÓCIO--EMOCIONAIS E DE H\BITOS DE VIDA SAUD\VEL NO 2º CICLO/3ª CICLO (1º ANO) Formador / Entidade Dinamizadora

Marta Costa / CFECC, Juntas de Freguesia de Cascais/Estoril e S. Domingos de Rana e Prevenir

Destinatários

Professores dos 2º e 3º ciclos

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Oficina de formação / 1 turma / 18 Formandos

Calendarização

9 jan. / 6 fev. / 13 mar. / 24 Abr. / 27 mai. de 2019

Duração

25 h presenciais e 25h de trabalho autónomo

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

1.

Conceitos Chave na Prevenç~o

2.

Gest~o/ Regulaç~o Emocional.

3.

Tomada de Decis~o.

4.

Adolescência e Press~o dos Pares.

5.

Educaç~o Sexual.

5.

Prevenç~o do Consumo de Drogas.

     

Plano de Formação - 2018/2019

19/06

Ajudar os professores a desenvolver estratégias que visem o ajustamento psicológico dos jovens; Promover Hábitos de Vida Saudáveis, através dos cinco elementos que fazem parte da SAÚDE (Social, Alimentação, estudo, Desporto e higiene); Incentivar a aceitação e o respeito pelos outros; Fomentar o autocontrolo e a disciplina; Potenciar o autoconceito e a autoestima dos jovens, corrigindo os modos de ver a realidade derivados dos padrões cognitivos desadaptativos; Definir estratégias para ajudar os jovens na adaptação ao 2º Ciclo/ 3º Ciclo e aumentar a motivação e o desempenho académico, contribuindo para uma melhoria na qualidade do ensino e nos resultados da aprendizagem escolar; Desenvolver competências sociais para fomentar um relacionamento mais adaptativo e uma comunicação mais eficaz com professores, família e pares

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A formadora trabalhar diretamente com a turma.” “A partilha e a troca de experiências entre o grupo de formandos.” “Temas e metodologias de trabalho.” “ A forma com está estruturada .” “As formadoras são excelentes.” Pontos fracos

Sugestões

“Necessitava de mais aulas para desenvolver os temas.”

“Iniciar a formação mais cedo.” “Necessidade de adaptação do Projeto à nova área de Cidadania e Desenvolvimento.” “Reduzir o nº de temáticas a abordar por ano para se poder aprofundar melhor cada tema” “Mais idas à escola por parte da técnica .” 30

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS SÓCIO SÓCIO--EMOCIONAIS E DE H\BITOS DE VIDA SAUD\VEL NO 2º CICLO/3ª CICLO (2º ANO) Formador / Entidade Dinamizadora

Marta Costa / CFECC, CMC e Prevenir

Destinatários

Professores dos 2º e 3º ciclos

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos

Oficina de formação / 1 turma / 6 Formandos

Calendarização

3, 31 jan. / 28 fev. /21 mar. / 27, 30 mai. de 2019

Duração

25 h presenciais e 25h de trabalho autónomo

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:   

Plano de Formação - 2018/2019

19/07

Conteúdos da ação:

Fornecer os conhecimentos e as perícias necessárias aos formandos para serem formadores de professores na área da Promoção da Saúde Mental na Escola. Aumentar a literacia em saúde mental nas escolas, contribuindo para a implementação precoce de estratégias preventivas e para a referenciação para os serviços de saúde. Dotar os professores de informação fidedigna, baseada na melhor evidência científica, para a abordagem da avaliação do risco de suicídio, incluindo o reconhecimento e referenciação da depressão em instituições educativas. Dotar de ferramentas, materiais, instrumentos e linhas orientadoras de boas práticas e agilizar a implementação local ao nível dos sistemas de saúde e educação.

1.

Conceitos Chave na Prevenç~o

2.

Gest~o/ Regulaç~o Emocional.

3.

Tomada de Decis~o.

4.

Adolescência e Press~o dos Pares.

5.

Educaç~o Sexual.

5.

Prevenç~o do Consumo de Drogas.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos adquiridos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Partilha entre docentes de escolas/realidades diferentes.” “O profissionalismo, a competência , disponibilidade e simpatia da formadora, a ótima empatia e troca de experiências entre os formandos e o impacto que esta formação teve junto das minhas turmas, bem como o envolvimento dos EE/pais das minhas turmas no programa.” “Melhoria da auto estima dos alunos.” “Apoio sistemático da formadora; partilha com colegas de outros agrupamentos; acesso a um programa organizado e validado; acesso a recursos específicos e ajustáveis.” Pontos fracos

Sugestões

“O início da formação, isto é, em ambos os anos só iniciou no 2º período, pelo que algumas atividades e temas tiveram oportunidade de serem aprofundados.”

“A aplicação do programa com os alunos tem mais vantagens quando é realizada por dois professores em simultâneo na mesma turma em tempo letivo existente nos seus horários. “ 31

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/08

CRESCER A BRINCAR (4º ANO) Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração Local Formação

Marta Costa / CFECC e Prevenir Professores do 1º Ciclo Oficina de formação / 1 turma / 18 Formandos 8 jan. / 26 fev. / 26 mar. / 30 Abr. / 27 , 28 mai. de 2019 25 h presenciais e 25 h de trabalho autónomo Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:    

Conteúdos da ação:

Desenvolver estratégias que contribuam para o bem-estar e ajustamento psicológico das crianças; Aumentar a Diferenciaç~o Emocional, Cognitiva e Comportamental, que é a base para a Alfabetizaç~o Emocional; Promover um bom Autoconceito e uma Autoestima positiva nas crianças; Dotar os professores de instrumentos e metodologias que lhes permitam trabalhar vari|veis afetivas (capacidade de operacionalizar vari|veis como o “saber-se” e o “saber-estar”).

1. 2. 3. 4. 5. 6.

Conceitos chaves na Prevenção Primária: Fatores de Proteç~o / Fatores de risco / Resiliência; Diferenciação Emocional, Cognitiva e Comportamental: Alfabetizaç~o emocional / Alfabetizaç~o cognitiva / Gest~o e Regulaç~o Emocional; Autoconceito: O que é o Autoconceito / As v|rias dimensões do Autoconceito / Como se desenvolve o Autoconceito; A Autoestima: O que é a Autoestima / As v|rias dimensões da Autoestima / Como promover uma Autoestima positiva; O que fazer na sala de aula?/ Din}mica de Grupo; Estratégias para envolver os pais

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“duração (faseamento)” “Novas estratégias para controlar a disciplina na sala de aula.” “Os materiais, o acompanhamento da formadora na escola e a partilha de estratégias.” “Esta ação permite trabalhar as emoções em contexto escolar.” “A pertinência do tema da indisciplina.” Pontos fracos

Sugestões “Uniformização das edições dos manuais.”

“Diversificação dos materiais a utilizar.”

“Se possível, encontrar um horário de formação mais cedo.”

32 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

RECOLHA E TRATEMNTO DE DADOS USANDO SENSORES E A CALCULADORA GR\FICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração Local Formação

Margarida Dias / CFECC e CASIO Docentes do grupo 510 do Agrupamento de Escolas de Cascais Curso de formação / 1 turma / 7 Formandos 8, 15, 22, 29 de mai. / 5 de Jun. de 2019 15 h presenciais Escolas Secundária de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

1. 2. 3. 4. 5. 6.

 

Plano de Formação - 2018/2019

19/14

Conhecer as funcionalidades da calculadora gr|fica na óptica do utilizador e facilitador da sua utilizaç~o por parte dos alunos. • Conhecer as funcionalidades da calculadora gr|fica, na perspectiva da criaç~o de recursos educativos digitais, usando imagens e teclas do software da calculadora • Usar o analisador de dados e respectivos sensores para realizar uma experiência laboratorial. • Saibam elaborar fichas de trabalho, após a recolha de dados com o analisador de dados da Casio, assim como a manipulaç~o e representaç~o gr|fica dos dados recolhidos.

7.

Módulo 1 – Ligaç~o da calculadora ao computador. Criaç~o de uma ficha no Word usando comandos do software Manager . Módulo 2 – Utilizaç~o dos sensores em ambiente laboratorial . Utilizaç~o do analisador de dados EA-200 e CLAB. Executar diversas experiencias. Criaç~o por parte dos formandos de um protocolo de uma experiência laboratorial . Modulo 3 - Apresentaç~o e debate dos resultados obtidos .

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A formadora ser totalmente conhecedora do que estava ensinar.” “Melhoria das estratégias das aulas experimentais.” “Relação com a prática lectiva.” “Boa capacidade de comunicação da formadora. Disponibilidade da formadora para esclarecer dúvidas e na preparação das Actividades Laboratoriais em sala de aula. Trabalho realizado em grupo.” Pontos fracos

Sugestões

“Duração da formação e espaço de formação.”

A ação podia ser de mais horas

“A carga horária poderia ser mais adequada aumentado o número de sessões.”

33 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/16

ESTATÍSTICA NA CALCULADORA GR\FICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Margarida Dias / CFECC e CASIO Docentes do grupo 500, 510 do Agrupamento de Escolas de Carcavelos

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 24 Formandos 16, 17, 18 de julho de 2019

Duração

15 h presenciais

Local Formação

Escolas Básica e Secundária de Carcavelos

Objetivos a atingir:    

Conteúdos da ação:

- Iniciaç~o { calculadora gr|fica -Utilizaç~o dos menus Estatísticos e Folha de c|lculo Recolher e tabelar dados estatísticos, - Folha de Calculo Calcular regressões, retas de regress~o e respetivos gr|ficos, - Utilizaç~o e explicaç~o das diversas funções Extrair todas as estatísticas, desenho dos diversos tipos de gr|ficos estatísti- - Configuraç~o do ecr~ da folha de c|lculo na calculadora - Passagem do Excel para a folha de c|lculo da calculadora e vice-versa. cos. -Avaliaç~o Ser~o utilizados os menus da Estatística e Folha de C|lculo. -Apresentaç~o e resoluç~o de uma tarefa sobre os conteúdos explorados nas sessões.

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos adquiridos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

muito pratica com boas tarefas Prática e teoria na proporção certa. Trabalho de equipa; Trabalho de equipa e de partilha de experiências; organização e desempenho da formadora; conhecimentos adquiridos; Conteúdo e metodologia de ensino O tema e a calendarização. Uso da Prática (resolução de exercícios) para consolidar conhecimentos Pontos fracos

Sugestões

“O horário que poderia ser seguido (9h-14h) pois não haveria interrupção no trabalho práti“Fazer uma oficina do tema em data semelhante.” co;” “A ação poder ser de 20 horas, em que 5 horas seriam dedicadas a relacionar a estatística com “mais tempo, para treinar e consolidar.” a atividade experimental (sensores).” “A localização, para a próxima na ESFGA.”

*legenda:

34


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/17

FUNÇÕES NA CALCULADORA GR\FICA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Docentes do grupo 500, 510 do Agrupamento de Escolas de Carcavelos

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização Duração Local Formação

Margarida Dias / CFECC e CASIO

Curso de formação / 1 turma / 18 Formandos 19, 24, 25 de julho de 2019 15 h presenciais Escolas Básica e Secundária de Carcavelos

Objetivos a atingir: 

Plano de Formação - 2018/2019

Conteúdos da ação:

Pretende-se que os docentes aprofundem e dominem a calculadora gr|fica usando o menu das funções. Pretende-se que os docentes saibam representar gr|ficos na calculadora, saibam extrair e calcular todos os tipos de pontos, para que assim possam usufruir de uma forma mais eficaz e eficiente das potencialidades de uma calculadora gr|fica na sala de aula.

-Iniciaç~o { calculadora gr|fica -Utilizaç~o dos menus Gr|ficos -Exportaç~o de dados para as tabelas -Transformações de funções -Funções compostas - Família de funções - Tabelas e gr|ficos Tabelas de funções reais de vari|vel real - Gr|ficos 3D -Tarefas de aplicaç~o na sala de aula -AVALIAÇÂO: apresentaç~o e resoluç~o de uma tarefa sobre os conteúdos explorados nas sessões.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“O seu cariz prático” / “Simpatia e disponibilidade da formadora” / “Aquisição de conhecimentos sobre a tecnologia " calcalculadora gráfica- Casio" / “Aplicabilidade” /”Equilíbrio entre a prática e a teoria.” / “Data escolhida, formadora que explica de forma clara e é disponível, importante para a atividade laboral.” Pontos fracos

Sugestões

“Diminuição da quantidade de horas diária.” “Mais tempo para apresentação das tarefas realizadas pelos formandos.” “A localização. Para a próxima na ESFGA.”

“Mais ações desta natureza.” “A modalidade da ação desta temática ser " Oficina" .”

35 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/18 Formador / Entidade Dinamizadora

Vários / CFECC e CMC

Destinatários

Educadores de Infância e professores dos Ensino Básico e Secundário e do Ensino Especial

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização /Duração Local Formação

Curso de formação / 1 turma / 185 Formandos 2 e 3 de julho de 2019 / 12 h presenciais CriArte e Escola Secundária Fernando Lopes Graça

Objetivos a atingir:  

 

Plano de Formação - 2018/2019

Conteúdos da ação:

Conferência: CONTRIBUTOS PARA UMA ESTRATÉGIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESApostar na formaç~o contínua enquanto vertente reflexiva do próprio; SO, José Verdasca, Coordenador do Programa Nacional de Promoç~o do Sucesso Escolar. Divulgar as boas pr|ticas e pr|ticas inovadoras no ensino, implementadas Comunicações: pelas diversas escolas, com impacto nos contextos educativos;  FLEXIBILIDADE CURRICULAR: CONTRIBUTOS PARA UMA SALA DE AIULA MAIS INCLUSIVA E UMA AVALIAÇÃO VERDADEIRAMENTE FORMATIVA, Ana Cl|udia Cohen, Diretora do Ag. E. de Alcanena Partilhar ideias, pr|ticas e reflexões;  (OUTROS) DESAFIOS- ESCOLA (MAIS) INCLUSIVA E AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR: ESTÁ NA HORA DE (OS) INCLUIR!!!, Fernando Elias Sensibilizar para o desenvolvimento de um ensino diferente e diferenciado, - Diretor do Ag. E. de Colmeias com vista ao sucesso; Conjunto de painéis, com apresentação de diversos projectos agrupados tematicamente. Reflectir sobre o papel dos professores na mudança de paradigma da escola Workshops dinamizados por agentes educativos, em que os participantes puderam experienciar pr|ticas de diferentes |reas disciplinares.

Avaliação da ação Participantes:

Estrutura da ação:

OS comunicadores dos diversos painéis, Atingiram os objetivos propostos :

Site do encontro:

Origem dos Formandos:

Origem por grupo de recrutamento:

Expetativas da ação :

Os Conferencistas convidados foram de encontro às expectativas:

Os Workshops disponibilizados foram ao encontro dos interesses:

Calendarização

Horário:

Contributo da ação no desempenho como docente:

Avaliação global

Pontos fortes e fracos

Sugestões

•“Como está patente no meu relatório, esta ação excedeu as minhas expectativas iniciais, principalmente, porque equilibrou muito bem a teoria com a prática.” •“O facto do espaço onde decorreram as conferências não ser o mesmo onde decorreram os workshops considerei negativo. O espaço onde decorreram as conferências - Criarte - não oferece facilidade no estacionamento.” “Pelo quarto ano consecutivo, tenho a possibilidade de participar nestes encontros. Esta formação é uma inspiração para quem quer fazer melhor. Continua a promover medidas estratégicas de boas práticas escolares, promotoras de sucesso, com exemplos de excelentes profissionais do nosso País.” “Um dos aspetos positivos desta ação foi a partilha de práticas e conhecimentos que os docentes puderam trocar entre si, permitindo um contacto mais abrangente com outros ciclos de ensino e outras realidades. Na minha perspetiva estes encontros são extremamente importantes, pois permite a atualização e inovação do conhecimento, num Mundo cada vez mais exigente.”

•Alargar para três dias; •Os formandos continuarem a ter um papel ativo e participativo; •Mais tempo destinado aos workshops; •Novos métodos de ensino, com novas abordagens na forma de pensar e fazer •Temas com aplicação pratica dos saberes •Diversidade de temas para debate •Diversidade e qualidade dos dinamizadores •Praticas educativas que constituem um caminho para a inovação e para a mudança •Continuar com oradores e dinamizadores de fora •“Anseio que “Boas Práticas” como estas nunca findem! Tenho plena consciência que a sua continuidade transmutará as mesmas em “EXCELENTES” práticas.” 36


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/20

NOVOS DESAFIOS DAS ESCOLAS: LIDERAR E PROJETAR A MUDANÇA Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Educadores de Infância e professores dos Ensino Básico e Secundário e do Ensino Especial do Agrupamento de Escolas Ibn Mucana

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 26 Formandos 10, 11, 18 de julho de 2019

Duração

18 h presenciais

Local Formação

Escola Básica e Secundária Ibn Mucana

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Liderança Escolar e Perfis de Competência As Competência do Seculo XXI da Escola - O impacto das competências Pessoais na Escola Os Pilares da Efic|cia Pessoal Growth Mindset Inteligência Emocional A transformaç~o da Escola Pensamento Estratégico e Objetivos Informaç~o e métricas de suporte { decis~o Indicadores de Gest~o e dashboards Liderança e Motivaç~o de Equipas Liderança e Ética Modelos e Metodologias de Gest~o da Mudança

    

Plano de Formação - 2018/2019

Adelaide Franco / CFECC e DGE

  

Desenvolver as competências pessoais de gest~o e liderança dos Diretores e Equipas Diretivas . Apresentar o conceito e pr|ticas favorecedoras do “Growth Mindset. Identificar fatores chave de sucesso no exercício da gest~o escolar. Reforçar as din}micas de comunicaç~o e colaboraç~o entre a equipa diretiva da Escola e as lideranças intermédias. Debater o processo de “mudança como pilar da inovaç~o e excelência da Escola e a import}ncia e papel das pessoas no processo. Promover Mudança Interna / “Espirito de Mudança” nas Escolas como instrumento de melhoria continua. Apresentar modelos e estratégias para a Gest~o da Mudança. Aumentar a efic|cia da gest~o escolar, designadamente dos seus resultados e indicadores de performance. Construir Planos de Mudança segundo metodologia apresentada

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Relembrar/consolidar conhecimentos

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Considero o tema muito atual e útil pois permitiu adquirir novos conhecimentos e relembrar outros já adquiridos.” / “Trabalho colaborativo” / “A assertividade da Formadora” / “A parte prática, a partilha e o trabalho cooperativo. “/ A” partilha entre TODOS os formandos” / “Permitiu refletir sobre o funcionamento da escola com pessoas com as quais nunca trabalhei” / “Ação fundamental para os cargos de liderança e liderança intermédia da escola”. Pontos fracos

Sugestões

“A formação é demasiada compactada. Considero que necessário mais tempo para o seu desenvolvimento” “As instalações nas sessões teóricas-práticas .”

“Proposta de uma Oficina de Formação desenvolvendo estas temáticas.” “Aumentar o número de horas pois foram competências muito úteis k necessitam de alguma consolidação (25h)” 37 “Permitir momentos de partilha, durante a apresentação da "teoria”.

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/25

PARTICIPAÇ^O CIDAD^ Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Professores dos 2º e 3º ciclos do Ensino Básico e Secundário

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 22 Formandos 16 jan. / 11 fev. / 13 Mar. / 8, 22 Mai. / 4 Jun. / 4 jul. de 2019

Duração

25 h presenciais

Local Formação

Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

1 - A Democracia para além do ato eleitoral

     

Plano de Formação - 2018/2019

Rui Miguel Narciso / CFECC e CMC

Refletir sobre a complementaridade entre democracia representativa e a democracia participativa; Discutir as potencialidades, os limites e as condicionantes das componentes normativas em processos participativos; Caracterizar o orçamento participativo, tendo em conta a diversidade de experiências no norte e no sul global; Promover a reflex~o sobre “o lugar” dos jovens na sociedade; Rever mitos e verdades sobre suas capacidades no debate público; Refletir sobre o papel dos professores e facilitadores de processos participativos; Descrever os principais métodos e técnicas que incentivam e apoiam a participaç~o.

2 - O Orçamento Participativo 3 - Os impactos da participação cidadã 4 - A participação de crianças, adolescentes e jovens 5 - Métodos e técnicas a favor da participação cidadã

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estra-

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Organização e formadores” / “A relação saudável entre todos” / “A interligação entre CMC e os vários agrupamentos de escolas do Concelho. A toca de experiências.” “Promoveu a cidadania, incutiu nos alunos o processo da participação ativa, incentivou a um dinamismo empreendedor junto de outros jovens, aproximou a voz dos jovens aos decisores políticos.” “O trabalho colaborativo entre professores e o apoio da CMC.” “O OP Jovem é uma mais-valia, por um lado, porque permite aos jovens consciencializarem-se da sua cidadania, por outro, porque permite a requalificação dos espaços escolares.” Pontos fracos

Sugestões

“A ação devia ter iniciado mais cedo, como no ano anterior e também devia terminar mais cedo por causa da acreditação poder ser contemplada na avaliação dos professores que decorre no final do mês de junho” / “O acompanhamento semanal na escola poderia ter mais dinâmicas de grupo focadas na importância do trabalho em equipa e de uma participação cidadã.”

“Uma calendarização das atividades promovidas com os alunos mais atempada.” “O horário devia ser no início do ano, setembro ou outubro.” “Ajustar a calendarização das fases cruciais do Projeto OP Jovem com o calendário 38 escolar estabelecido pelo Ministério da Educação. - Rotatividade de professores e alunos envolvidos no Projeto OP Jovem, por ano letivo, de forma a permitir a participação de outros alunos e professores.”

*legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

19/28

PR\TICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DAS CIÊNCIAS Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

Professores dos grupos 110, 230, 520, 510

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 1 turma / 25 Formandos 10, 11, 12, 16 de jul. de 2019

Duração

25 h presenciais

Local Formação

Escola básica Raul Lino, Centro de Ciência Viva de Constância, Parque Marechal carmona, Praia das Avencas

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

   

Plano de Formação - 2018/2019

Helena Moita de Deus / CFECC e ERAMUS

No que respeita { educaç~o científica, o CNEB, é um documento centrado no desenvolvimento de competências transversais {s v|rias |reas curriculares, sendo da responsabilidade de todos os docentes, ao longo de todo o Ensino B|sico (EB), a planificaç~o e implementaç~o de experiências educativas significativas para os alunos, partindo de temas unificadores comuns para os três ciclos do EB. Tal pressupõe que todos os professores possuam um conhecimento sólido sobre a globalidade dos conteúdos leccionados em cada |rea curricular de cada um dos CEB, bem como das metodologias de ensino a implementar. A presente formaç~o tem como objectivo ajudar os professores, futuros formadores, a consolidar o seu corpo de conhecimentos nas |reas científicas, motivando-os para reforçarem as suas pr|ticas pedagógicas.

  

Natureza da Ciência. Características do trabalho científico. Preparaç~o de algumas atividades pr|ticas . Ambientes facilitadores da aprendizagem das ciências. Preparaç~o e implementaç~o de algumas atividades pr|ticas . Desenvolvimento das capacidades de inquérito científico dos alunos. Cultura científica. Reflex~o sobre as atividades desenvolvidas ao longo da formaç~o.

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“Dinâmica, apelativa, prática, motivadora, diversidade nos espaços onde decorreu.” “O facto de se ter ido ao terreno e experimentar.” “Tema e metodologia de ensino.” A quantidade de aulas de campo, proporcionando aos formandos uma formação maioritariamente prática. “Competência das formadoras. Interação entre as pessoas.” Pontos fracos

Sugestões

“Nada a melhorar. Todas as formações deveriam ser como esta.” “Mais tempo para desenvolver algumas das atividades propostas” “Mais tempo no Centro de Ciência Viva de Constância” “Diversidade de estratégias e instrumentos para avaliar os alunos.” “Mais partilha entre os formandos.” “O transporte cedido para uma das atividades não tinha as condições necessárias. “

“Prolongar mais os dias de formação com menos horas diárias.” “Desenvolvimento de mais ações dentro do formato e temáticas abordadas.” “Ajudas de custo para o formador.” “Apostar nesta prática em outras formações, adequadas ao curricular dos alunos”

*legenda:

39


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

EDUCAR PARA UMA GERAÇ^O AZUL. ESTRATÉGIAS PARA INTEGRAR A LITERACIA DO OCEANO NA EDUCAÇ^O PARA A CIDADANIA E NO PROJETO DE AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR Formador / Entidade Dinamizadora Destinatários

19/36

Diogo Geraldes / CFECC, CMC e Fundação Mar Azul Professores do 1º e 2º ciclos do Ensino Básico

Modalidade/ nº turmas / N.º formandos Calendarização

Curso de formação / 3 turmas / Grupo 1: 26 Formandos / Grupo 2 27 Formandos / Grupo 3: 25 Formandos Grupo 1 : 10, 11 de jul. / Grupo 2: 22, 23 jul. / Grupo 3: 22, 23 jul. de 2019

Duração

25 h presenciais

Local Formação

Escola básica e Secundária Matilde Rosa Araújo

Objetivos a atingir:

Conteúdos da ação:

Identificar e conhecer os sete princípios da literacia dos oceanos (A- A terra tem um oceano global e muito diverso; B- O oceano e a vida marinha têm uma forte ação na dinâmica da Terra; C- O oceano exerce uma influência importante no clima; D- O oceano permite que a Terra seja habitável; E- O oceano suporta uma imensa diversidade de vida e de ecossistemas; F- O oceano e a humanidade estão fortemente interligados; G- Há muito por descobrir e explorar no oceano); • Reconhecer que a vida na Terra teve origem no oceano; • Reconhecer o oceano como o maior espaço disponível para a vida; • Identificar o oceano como a componente física dominante do planeta Terra.

1. Como é o oceano? 2. Porque é importante o oceano? 3. Quanto vale o oceano? 4. Como influenciou o oceano a Humanidade? 5. Quem é o dono do oceano? 6. Porque é especial o mar de Portugal? 7. Como se protege o oceano? 8. O que h| por descobrir no oceano?

Plano de Formação - 2018/2019

Avaliação da ação: Programa e Materiais*

Metodologia*

Metodologia adequada aos objetivos da formação

Formandos foram envolvidos na formação

Foi proporcionada troca de experiências entre os formandos

Foi relacionada teoria com a prática dos formandos

Formação permitiu*

Fundamentar e enquadrar melhor a planificação

Desenvolver/melhorar estratégias de ensino

Desenvolver/melhorar estratégias de avaliação

Melhorar comunicação com os alunos

Gerir a atividade de sala de aula

Relembrar/consolidar conhecimentos

Horário e instalações*

Formador*

Avaliação global*

Pontos fortes

Adquirir novos conhecimentos sobre a disciplina

Refletir sobre a prática

Formação correspondeu às necessidades formativas

“A ação proporcionou-nos conhecimentos relevantes, sobre a temática abordada, bem como estratégias para os trabalharmos com os alunos.” “As formadoras são excelentes comunicadoras e dinamizadoras, tendo tornado a ação extremamente interessante e motivadora.” “Temática e material de suporte cedido às Escolas.” “A partilha; a envolvência; a motivação; contributo para relembrar e enriquecer acerca da importância dos oceanos.” Pontos fracos

Sugestões

“Cada formando deveria receber 1 caixa de atividades, pois 1 caixa para 5 turmas não é suficiente.”

“Mais atividades experimentais.” “A formação ser um pouco mais longa para se puder fazer mais atividades práticas.” “ Uma visita ao Oceanário para consolidar os conhecimentos adquiridos.” “A ação ser repartida em mais dias, pois era muita informação para dois dias só.” “Maior acompanhamento às escolas .”

“Seria necessário mais tempo para explorar melhor alguns conteúdos.”

40 *legenda:


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

A LÍSTIC O H O ÇÃ ERVEN T N I A UM GAAF -

RUBY:

TAG R

PAR AO UM DES A E EN SCO VOL LA VIM INC EN LUS TO IVA DE

UGBY

AUTONOMIA E FLEXINILIZAÇÃO AL

I ROF P O SIN

ON SSI

Ações de formação dinamizadas para Docentes

Plano de Formação - 2018/2019

EN

Curta duração AV

S

ICO T IDÁ EIS D IS LÁV A I ER NIPU T MA MA

AL IAÇ ÃO

DA SA PR E

ND IZA

GE N

S

E SAÚD S M E ACIA COLA LITERAL NAS ES MENT

EM G IO DE A R Ó Z T E A ÃO R L NDI LABO IMENTAÇ A SU RE EXPER VI -AP DE NO Ú I SA NS E O EDU ÇÃ CAÇ A L ÃO INC RE LUS IVA _LE I 54 /20 ! OR S 18 S E F O R P R E S É L I FÍC FÁCIL. DI É S A L U DAR A TEMPOS E ESPA ÇOS PARA BRIN CAR

41


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR COMO POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇ^O DE UMA ESCOLA PARA TODOS Formador / Entidade Dinamizadora Ariana Cosme / CFECC

Modalidade/ N.º Formandos Calendarização

Objetivos a atingir

Apresentaç~o de uma proposta para que a escola se organize de forma a que : 





A gest~o do tempo possa romper com o pressuposto de que se deve ensinar “tudo a todos como se todos fossem um só”; cumpra a promessa de democratizaç~o do acesso ao conhecimento numa pr|tica mais autónoma de gest~o do currículo; Desenvolva novas pr|ticas educativas que ocorram em espaços que promovam a cooperaç~o entre todos os alunos.

Conferência / 187 participantes 13 Setembro de 2018 3 horas / Auditório da Casa de Histórias Paula Rego

Gest~o contextualizada e flexível do currículo que potencie a possibilidade de se romper com o modo de ensino simult}neo;

A diferenciaç~o pedagógica como pressuposto estruturante de uma aç~o pedagógica flexível.

PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA ESCOLA INCLUSIVA Formador / Entidade Dinamizadora Carlota Brasileiro / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Educadores de Infância e professores dos ensinos básicos e Secundário do Agrupamento de Escolas de Alvide Conferência / 24 participantes 6, 3 novembro de 2018

Calendarização

Analisar o novo enquadramento legal da Educaç~o Inclusiva (D.L. 54, de 6 de julho) e o seu impacto mas pr|ticas educativas;

Capacitar docentes para a implementaç~o do novo enquadramento legal da Educaç~o Inclusiva (D.L. 54, de 6 de julho) da educaç~o inclusiva e replicaç~o do mesmo no seu contexto educativo.

6 horas / Escola sede do Agrupamento de Escolas de Alvide

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

Professores do 2º e 3º ciclos Ensinos Básico e Secundário dos agrupamentos de Escolas de Carcavelos, Matilde Rosa Araújo, Alapria e Ibn Mucana

Conteúdos da ação

Destinatários

Enquadramento conceptual e legal da educaç~o inclusiva;

Diferentes estilos de aprendizagem—Desenho universal para a aprendizagem

Intervenç~o multinível—Medidas de suporte { aprendizagem e { inclus~o

Equipa Multidisciplinar—papel dos docentes Educaç~o Especial

Centro de apoio { aprendizagem

42


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

AVALIAÇ^O PARA A APRENDIZAGEM Formador / Entidade Dinamizadora Domingos Fernandes / CFECC Destinatários

Professores do 2º e 3º ciclos Ensinos Básico do Agrupamentos de Escolas da Alapraia

Modalidade/ N.º Formandos

Conferência / 79 formandos 9 novembro de 2018

Calendarização

Distinguir avaliaç~o de classificaç~o

A avaliaç~o como processo do ensino-aprendizagem

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

3 horas / Escola Básica da Alapraia

Conceç~o de avaliaç~o

Tipos de avaliaç~o

ENCONTRO NACIONAL 2019 “GAAF - UMA INTERVENÇ^O HOLÍSTICA “ Formador / Entidade Dinamizadora Vários / CFECC e IAC - Instituto de Apoio à Criança Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Professores dos Ensinos Básicos e Secundário Conferência / 70 participantes 11 maio de 2019

Calendarização Duração / Local Formação

6 horas / Escola Superior de Educação de Lisboa

Contribuir para o desenvolvimento integral da criança, na defesa e promoç~o dos seus direitos, sendo a criança encarada na sua globalidade como sujeito de direitos na família, na escola, na saúde, na segurança social e justiça.

Conteúdos da ação

Conteúdos do Programa: do Encontro:

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

    

A ligaç~o entre os GAAF e os CPCJ A Escola Inclusiva - ”A Liderança nos processos de construç~o de uma Escola Inclusiva” A Flexibilidade Curricular A Família - “Família a quanto Obrigas!”

43


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

MATERAIS DID\TICOS MANIPUL\VEIS NAS AULAS DE MATEM\TICA DO ENSINO B\SICO Formador / Entidade Dinamizadora Diversos / CFECC e Agrupamento de Escolas da Cidadela Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Professores do Grupo de Recrutamento 110, 230 e 500 Conferência / 20 formandos 9 janeiro de 2019

Calendarização

Abordar o currículo do ponto de vista do professor; Refletir sobre o papel dos materiais did|cticos manipul|veis, incluindo os materiais digitais, na aprendizagem no 1º, 2º, 3º ciclos do ensino b|sico; Promover o uso de materiais did|cticos manipul|veis, incluindo os digitais, nas aulas de Matem|tica; Contribuir para uma mudança educativa e para a inovaç~o curricular; Promover as capacidades de reflex~o, de an|lise critica de gest~o curricular e de cooperaç~o interpares.

  

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

 

3 horas / Escola Básica e Secundária da Cidadela

Gest~o Curricular;

Materiais manipul|veis nas aulas de Matem|tica.

RUBY: TAG RUGBY Formador / Entidade Dinamizadora Ana Monteiro / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Professores dos grupos de recrutamento 110, 260 e 620 Conferência / 22 participantes 9 janeiro de 2019

Calendarização

Conhecer os objectivos do jogo, os princípios t|ticos de jogo, as diferentes formas de jogar e as leis de jogo, em funç~o: 

De um conhecimento mais ou menos vivido do R}guebi e dos comportamentos que implica { capacidade de respeitar as regras essenciais e consolidar os fundamentos do jogo no jogo: a) |rea de validaç~o; b) bola fora; c) pontapé de saída; d) ensaio; e) tag; f) passe para diante; g) avançar; Da capacidade de respeitar as regras essenciais e consolidar os fundamentos do jogo no jogo { capacidade de aplicar os princípios de jogo e a lógica do jogo, em funç~o da defesa: a) fora de jogo; b) toque de meta; c) apoio; d) continuidade.

5 horas / Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

Abordagem ao jogo através de jogos de iniciaç~o – o “Tag Rugby”, com base nos seguintes conteúdos: A corrida com bola; Marcaç~o de Faltas/Reinício do Jogo; Ensaio; 2vs1; Ação defensiva: Tag;

Aprsentaç~o progressiva dos elementos técnico-t|cticos b|sicos, para resolver os problemas que sejam apresentados no decorrer do jogo: Transportar a bola;

Apanhar a bola do solo; Correr com a bola e fintar; Receber a bola com as duas m~os; Passar antes, durante ou depois do contacto; Organizaç~o do apoio; Defesa

44


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

SAÚDE VISUAL E RELAÇ^O ENSINO-APRENDIZAGEM COM OS ALUNOS COM BAIXA VIS^O Formador / Entidade Dinamizadora Andreia Neves e Ana Oliveira / CFECC Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Modalidade/ N.º Formandos

Conferência / 40 participantes 6 fevereiro de 2019

Calendarização

Informar sobre os v|rios grupos de patologias causadoras de baixa vis~o e as características de campo visual em cada caso; Desenvolver estratégias adequadas de modo a potenciar as aprendizagens de alunos com baixa vis~o.

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

3 horas / Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo

    

Estrutura e funcionamento do aparelho visual; Patologias causadoras de baixa vis~o e características do campo visual para cada caso; Necessidades dos alunos com baixa vis~o atendendo { sua patologia visual; Tecnologias de Apoio; Técnicas e estratégias facilitadoras do processo de aprendizagem em alunos com baixa vis~o.

DAR AULAS É F\CIL. DIFÍCIL É SER PROFESSOR! Formador / Entidade Dinamizadora José Miguel Oliveira / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos Calendarização Duração / Local Formação

Professores dos ensinos básico e secundário Conferência / 19 formandos 20 março de 2019 3 horas / CFECC 

Proporcionar uma reflex~o em torno dos 7 pontos enunciados, enquanto aspectos essenciais da gest~o da sala de aula e da efic|cia na actuaç~o do professor enquanto tal. Fornecer pistas de trabalho e treinar algumas das competências associadas a cada um dos 7 pontos, enquanto ponto de partida para um trabalho futuro de reflex~o e mudança de pr|ticas. Mudança de pr|ticas, n~o pela mudança em si mesma, mas com vista { construç~o de um clima de sala de aula mais positivo e mais motivador, onde se possam conjugar as aprendizagens essenciais com o treino e reforço das principais competências para o exercício da cidadania.

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

  

 

O lançar da semente!: (regras para as regras; princípios versus procedimentos…). Construir um clima: relacional positivo (saber escutar; colocar-se no lugar do outro…). Motivar os alunos: (motores da motivaç~o; níveis de desmotivaç~o dos alunos; estratégias…). Fazer da turma uma equipa: (o professor enquanto líder; trabalho colaborativo; classbuilding …). Gerir (e prevenir) a indisciplina: (indisciplina ou indisciplinas?; contextualizaç~o; interpretaç~o do comportamento…). Gerir (e prevenir) conflitos: (comunicaç~o e assertiva e n~o-violenta; gest~o positiva de conflitos…). Da cultura do erro aos erros cultivados: (potencial do erro; Feedback negativo versus positivo…).

45


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

LITERACIA EM SAÚDE MENTAL NAS ESCOLAS APLICAÇ^O DE CURRICULO DE SAÚDE MENTAL EM SALA DE AULA Formador / Entidade Dinamizadora Susana Costa / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Professores do 9º ano ao 12º ano que tenham realizado a 1ª ação de formação (saúde Mental) Workshop / 4 turmas: 29 participantes 16, 30 março de 2019

Calendarização

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

     

Aumentar a literacia em saúde mental nas escolas através da capacitaç~o dos professores, visando a promoç~o da saúde mental nos jovens e a melhoria da qualidade da referenciaç~o; Avaliar a aquisiç~o de conhecimentos, atitudes e comportamentos dos professores ; Avaliar o impacto da aplicaç~o do currículo nos alunos ao nível dos conhecimentos, atitudes e comportamentos; Aumentar os níveis de conhecimento dos alunos sobre saúde e doença mental; Reduzir o estigma; Aumentar os comportamentos de procura de ajuda e obtenç~o de apoio/suporte eficazes; Formar até 15 professores de 3º ciclo (9º ano) e ensino secund|rio, que realizaram previamente o curso b|sico de LSM, na aplicaç~o e utilizaç~o de um currículo de saúde e doença mental destinado aos alunos.

6 horas / Centro de Formação de Escolas de Cascais

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

Estigma sobre doença mental;

Compreender a saúde mental e a doença mental;

Informações sobre doenças mentais comum nos jovens.

OS DESAFIOS DA AVALIAÇ^O E A INOVAÇ^O CURRICULAR Formador / Entidade Dinamizadora Leonor Santos / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos Calendarização Duração / Local Formação

   

Clarificar o conceito de avaliaç~o formativa Refletir sobre a avaliaç~o formativa enquanto pr|tica regular em sala de aula e num contexto interdisciplinar Conhecer e refletir sobre formas de articulaç~o entre avaliaç~o formativa e formaç~o sumativa. Motivar para uma mudança na cultura docente, induzindo uma cultura de colaboraç~o e de responsabilidade partilhada com vista { melhoria da qualidade das praticas letivas, designadamente aos processos de regulaç~o e promoç~o das aprendizagens

Todos os grupos de recrutamento Debate / 42 participantes 3 de outubro de 2018 3 horas / Escola Básica e Secundária da Cidadela

    

Avaliaç~o (clarificações conceptuais) Avaliaç~o sumativa Avaliaç~o formativa O papel do feedback na avaliaç~o A avaliaç~o num contexto interdisciplinar

46


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

SEMIN\RIO DI\LOGOS INQUIETOS SOBRE ENSINO PROFISSIONAL Formador / Entidade Dinamizadora Vários / CFECC e CMC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Professores do Ensino Secundário Seminário / 50 participantes 18 março de 2019

Calendarização

Apostar no Ensino Profissional como uma oferta de qualidade e uma opç~o consciente

Contribuir para que se desenvolvam competências pessoais e profissionais para o exercício de uma profiss~o;

Privilegiar as ofertas formativas que correspondem {s necessidades de trabalho locais e regionais;

Consciencializar para a utilidade do saber fazer numa formaç~o de excelência;

Dar a conhecer cursos profissionais de sucesso na AM

7 horas / Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

  

 

Estratégia Nacional e Local para a Qualificaç~o ; Do lado de l| da escola / Soft Skills na voz dos empregadores; À procura de modelos pedagógicos / Partilha de pr|ticas e diferentes modelos de escolas profissionais a nível nacional; Inovaç~o em Ensino Profissional ; Quando a Opç~o profissional nos surpreendeu.

TEMPOS E ESPAÇOS PARA BRINCAR - MÊS DO BRINCAR Formador / Entidade Dinamizadora Ana Luísa Gil / CFECC e CMC Destinatários

Modalidade/ N.º Formandos Calendarização Duração / Local Formação

Disseminar conhecimentos científicos e experiências pedagógicas na |rea playful learning que em simult}neo articulem o formal com o n~o formal: “Learn to play, play to learn”. Defender e fundamentar a relev}ncia educativa e pedagógica do brincar que se expressa na construç~o de conhecimentos sobre:  a import}ncia que tem para o desenvolvimento da aprendizagem;  As condições para a promoç~o e enriquecimento dos espaços e tempos para brincar.

Educadores de infância e Professores do 1º ciclo, 2º e 3º ciclos: Educação Visual e Tecnológica; Educação Musical; Educação Física Seminário / 43 participantes 3 e 4 de maio de 2019 5 h 30 horas / Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

   

Brincar como promotor do sucesso? Que condições para a promoç~o e enriquecimento dos espaços para e tempos para brincar? Que oportunidades oferecem as AECs na promoç~o de competências sociais, motoras, emocionais e cognitivas? Como é que se organiza e encoraja a participaç~o plena das crianças para a vida cultural, artística e escolar?

47


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

AÇ^O DE SENSIBILIZAÇ^O LEI 54/2018 I EDUCAÇ^O INCLUSIVA Formador / Entidade Dinamizadora Helena Neves e Carla Hélbil/ CFECC e CMC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos

Educadores de Infância da Plataforma Educar Melhor em Cascais Ação de sensibilização / 24 participantes 10 de maio de 2019

Calendarização

Introduç~o ao novo paradigma da Educaç~o Inclusiva

Operacionalizaç~o das medidas preconizadas na atual legislaç~o

Promoç~o de pr|ticas com evidências empíricas

Identificaç~o de domínios de interveç~o

3 horas / Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

Breve enquadramento conceptual e legal da educaç~o inclusiva

Diferentes estilos de aprendizagem—Desenho Universal para a Aprendizagem

Intervenç~o Multinível—Medidas de suporte { inclus~o

Centro de Apoio { Aprendizagem

Equipa Multidisciplinar de Apoio { educaç~o Inclusiva

ENCONTRO DE PROFESSORES “LABORATÓRIOS DE EXPERIMENTAÇ^O” Formador / Entidade Dinamizadora Catarina Cascais Aleluia / CFECC Destinatários Modalidade/ N.º Formandos Calendarização Duração / Local Formação  

   

Investir no contato privilegiado com a comunidade do Bairro dos Museus/ comunidade local; Contribuir { programaç~o e oferta destinada {s comunidades locais (famílias, escolas, agentes educadores, associações culturais); Proporcionar o contacto com o campo das artes visuais; Demonstrar que as artes visuais s~o transversais a todas as |reas do conhecimento (di|logo entre ciências e arte); Trabalhar com a arte contempor}nea em prol da sensibilizaç~o para situações e problemas reais do quotidiano; Viabilizar momentos para a criaç~o artística, com base na indagaç~o, experimentaç~o, colaboraç~o, debate e partilha; Contribuir para a formaç~o contínua de docentes e educadoras/es, através da integraç~o dos seus saberes, fomentando o pensamento questionador e a produç~o artística.

Docentes dos Ensinos Básicos e Secundário Encontro / 53 participantes 3 de julho de 2019 6 h horas / Casa de Histórias Paula Rego



2. 3.

Apresentaç~o do programa ENVOLVE-TE 2019/2020:  Recursos para a construç~o de um Currículo Local  Plano de aç~o Cidades Amigas das Crianças (Unicef)  Projetos com a comunidade  Programa de Formaç~o de docentes e n~o docentes Laboratórios Museu do Mar Rei D. Carlos “À descoberta das exposições e coleções do Museu

48


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano Formação de 2018/2019

Plano de Formação - 2018/2019

Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

Ações de formação dinamizadas para Pessoal Não Docente

49


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

PLANO DE FORMAÇÂO DE AÇÕES DE CURTA DURAÇÃO 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

FORMAÇ^O INICIAL PARA PESSOAL N^O DOCENTE Formador / Entidade Dinamizadora António Tavares e Fátima Andrade/ CFECC Destinatários

Assistentes Operacionais

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 3 turmas / 98 formandos 5, 6 setembro de 2018

Calendarização

3 - Desenvolvimento da Criança e do Adolescente

Modulo 1: Prevenç~o da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

Conteúdos da ação

1 - Prevenção da Segurança, Higiene e Saúde no trabalho;

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Dotar os Assistentes Operacionais de competências nas seguintes |reas:

12 h horas / Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Modulo 3: Inclus~o e Desenvolvimento da Criança e do Adolescente

O (A)BRAÇO INCLUSIVO: PAPEL DO ASSISTENTE OPERACIONAL NA EDUCAÇ^O Destinatários Modalidade/ N.º Formandos Calendarização Duração / Local Formação

Capacitaç~o dos Assistentes Operacionais na |rea do Desenvolvimento da criança e do adolescente para o exercício das sua funções em contexto educativo.

Patrícia Pina / CFECC e CMC Assistentes Operacionais dos Agrupamentos de Escolas Curso/ 3 turmas / 40 formandos Turma 1: 7, 10 set. / Turma 2: 11, 12 set. / Turma 3: 13, 14 set de 2018 14 horas / Escola Secundária de S. João do Estoril

Conteúdos da ação

Formador / Entidade Dinamizadora

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Duração / Local Formação

Módulo I: Desenvolvimento da criança e do adolescente Módulo II: Definiç~o, tipologias e estratégias educativas Módulo III: Comunicaç~o e relaç~o pedagógica Módulo IV: Vigil}ncia no recreio; factores de risco e factores de protecç~o.

50


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano de Formação para Pessoal Não-Docente 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

MAIS VALE UMA PERNA PARTIDA DO QUE UMA INF]NCIA PERDIDA” ATIVIDADE LÚDICA Formador / Entidade Dinamizadora Frederico Lopes / CFECC e CMC Destinatários

Assistentes Operacionais dos Agrupamentos de Escolas

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 60 participantes Turma 1: 3 set. / Turma 2: 4 set. / Turma 3: 10 set de 2018

Calendarização

7 horas / Centro Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Sensibilizar para a import}ncia da brincadeira livre e desafiante no bem-estar e desenvolvimento da criança. Capacitar o assistente operacional enquanto supervisor e facilitador: elaboraç~o de propostas para um recreio amigo da criança (pr|tico).

   

Enquadramento do projeto “Brincar em Cascais” (teórico). A import}ncia do brincar no desenvolvimento da criança e nas aprendizagens escolares (teórico). O brincar e a gest~o dos recreios escolares: partilha e apreciaç~o de experiências (pr|tico) Concepç~o e modelos de funcionamento dos recreios escolares (teórico). O assistente operacional enquanto supervisor e facilitador: elaboraç~o de propostas para um recreio amigo da criança (pr|tico). Reflex~o conjunta (teórico-pr|tico).

BANC Entidade Dinamizadora

CFECC , CMC e Editora Hogrefe

Destinatários

Psicólogos dos SPOS dos Agrupamentos de Escolas e IPSS

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 18 participantes 26 Outubro de 2018

Calendarização Duração / Local Formação

    

Conhecer a import}ncia da BANC na avaliaç~o neuropsicológica Conhecer a amostra de adaptaç~o e os testes constituintes da BANC Perceber o processo de administraç~o da BANC Perceber o processo de cotaç~o da BANC Interpretar os resultados da BANC Analisar estudos de caso

7 horas / Centro Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Conteúdos da ação



Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

      

Relev}ncia da BANC na avaliaç~o neuropsicológica em Portugal Estrutura teórica/factorial da BANC; Desenvolvimento dos Testes. Instruções e procedimentos de administração da BANC. Instruções e procedimentos de administraç~o da BANC. Identificar o material necess|rio para a cotaç~o e registo dos resultados. Cotaç~o de resultados individuais dos testes e índices globais Estudos de Caso (cotar e interpretar um protocolo).

51


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano de Formação para Pessoal Não-Docente 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO_APROFUNDAMENTO Formador / Entidade Dinamizadora António Tavares / CFECC e CMC Destinatários

Assistentes Operacionais

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 20 participantes 17, 18 Abril de 2019

Calendarização Duração / Local Formação

12 horas / Centro Formação de Escolas do Concelho de Cascais

Conteúdos da ação

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Dotar os participantes sobre a |rea da PREVENÇÃO laboral – Direitos – Deveres - Obrigações;

Que comportamentos e atitudes deverão ter os trabalhadores face { prevenç~o nos locais de trabalho / Lei Geral de SST (administraç~o Pública) / O que significa para os participantes o perigo profissional e consequente risco e como evit|-lo apostando nas medidas de prevenç~o e de protecç~o / Os tipos de acidente (local de trabalho, fora do local e in itinere) / Conceitos, normas e procedimentos de SST / Tipos de exame médico / A formação e a informaç~o em matéria de SST / Ergonomia ao serviço do funcion|rio / Avaliação de riscos profissionais e relatórios para a gest~o da autarquia / Gestão da SST em estabelecimentos escolares / Emergência (sinalização, incêndios e evacuaç~o) / Boas pr|ticas em matéria de SST

CUIDA DE QUEM CUIDA Formador / Entidade Dinamizadora Ana Ramos, Elisa Pinto / CFECC, CMC, Fundação Champagnat Destinatários

Assistentes Operacionais dos Territórios de S. Domingos de Rana (turma 1) Alcabideche (turma 2)

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / Turma 1: 20 participantes ; Turma 2: 19 participantes Turma 1: 1, 9 abril / Turma 2: 2, 11 Abril de 2019

Calendarização

Capacitaç~o dos Assistentes Operacionais dos territórios de Alcabideche e S. Domingos de Rana , promovido pela Fundaç~o Champagnat no }mbito do Programa CLDS desenvolvidos pela

14 h horas / Turma 1: Escola Básica e Secundaria Frei Gonçalo de Azevedo / Turma 2: Escola Secundária e Básica de Alvide

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019



Bournout e Gest~o de Stress:  Conceito, sinais e sintomas do burnout  Estratégias para prevenç~o do burnout

2.

Valorizaç~o pessoal e profissional:  O papel do assistente operacional  A pessoa por detr|s do profissional´  O Grupo: Coes~o e trabalho de equipa

3.

Workshop de Artes Marciais: kickboxing e Defesa Pessoal

52


Centro de Formação de Escolas do Concelho de Cascais Registo de Acreditação: CCPFC/ENT-AE-1201/14

Plano de Formação para Pessoal Não-Docente 2018/2019 Escola Sede: Agrupamento de Escolas da Cidadela - Rua Dr. Fernando M. F. Batista Viegas, 1, 2750-503 Cascais Tel/ Fax: 21 452 26 48; Correio eletrónico: cfcascais.secretariado@gmail.com; Site: www.cfcascais.net

O PAPEL DOS PSICOLOGOS NO DECRETO LEI N.º 54/2018 Formador / Entidade Dinamizadora Carla Hébil e Helena Neves/CFECC /CMC Destinatários

Psicólogos dos SPOS dos Agrupamentos de Escolas, IPSS e

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 31 formandos 5 e 12 de julho de 2019

Calendarização

6 horas / Centro de Interpretação Ambiental Pedra do Sal

 

Introduç~o ao novo paradigma da Educaç~o Inclusiva Operacionalizaç~o das medidas preconizadas na atual legislaç~o Promoç~o de pr|ticas com evidências empíricas Identificaç~o de domínios de interveç~o

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

 

    

Breve enquadramento conceptual e legal da educaç~o inclusiva Diferentes estilos de aprendizagem—Desenho Universal para a Aprendizagem Intervenç~o Multinível—Medidas de suporte { inclus~o Adaptaç~o ao processo de avaliaç~o Centro de Apoio { Aprendizagem Equipa Multidisciplinar de Apoio { educaç~o Inclusiva— Papel dos psicólogos (apoio psicológico e psicopedagógico e apoio ao desenvolvimento de sistemas de relações da comunidade educativa)

Mais vale uma perna partida que uma infância perdida (atividade lúdica) Formador / Entidade Dinamizadora Frederico Lopes /CFECC /CMC Destinatários

técnicos que dinamizam Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC)

Modalidade/ N.º Formandos

Curso / 55 formandos

Calendarização

27, out, 24 nov. de 2018 e 12 jan de 2019

Duração / Local Formação

9 horas / Escola Básica S. Pedro do Estoril

- Sensibilizar para a import}ncia da brincadeira livre e desafiante no bem-estar e desenvolvimento da criança, através do contacto com um corpo de conhecimento que vai da biologia, {s neurociências, ao desenvolvimento motor, { sociologia da inf}ncia, { cultura e produções culturais. - Capacitar os participantes com conhecimento teórico e pr|tico sobre como usar materiais soltos naturais e n~o naturais para o enriquecimento dos recreios por forma a potenciar a brincadeira livre e desafiante. - Capacitar os participantes para os diferentes tipos de intervenç~o do adulto nos processos de brincar sempre com vista a perspetiva da criança.

Conteúdos da ação

Objetivos a atingir

Plano de Formação - 2018/2019

Conteúdos da ação

Duração / Local Formação

  

Sensibilizar para a import}ncia da brincadeira livre e desafiante no bem-estar e desenvolvimento da criança, através do contacto com um corpo de conhecimento que vai da biologia, {s neurociências, ao0 desenvolvimento motor, { sociologia da inf}ncia, { cultura e produções culturais. Jogo livre e os efeitos no bem-estar e desenvolvimento Introduç~o ao conceito de brincar livre Os diferentes tipos de jogo

- Capacitar os participantes para a comunicaç~o com pais e outros profissionais sobre a import}ncia de brincar de forma livre em confronto com o risco, com os elementos naturais, com o conflito, com a adversidade.

53

Profile for CFECC

Relatório da formação 2018/2019  

Relatório da formação 2018/2019  

Profile for cfecc
Advertisement