Page 1

Boletim Informativo do CFECC

Partilhar Vale a Pena Volume 1, Edição 1

Encontro de Boas Práticas Lançado o desafio à Comissão Pedagógica, para que se realizasse um Encontro de Professores, cujo objetivo principal seria o de mostrar e partilhar as Boas Práticas das escolas do nosso Concelho, fomos surpreendidos pelos inúmeros projetos que queriam participar. A comissão organizadora optou por não excluir nenhum dos projetos e, Logo do Encontro em boa hora, decidiu de Boas Práticas que a todos seria dada do Concelho de oportunidade para mosCascais trarem o que tinham feito. A dificuldade foi tentar encaixar todos em tão pouco tempo e organizálos tematicamente. Mãos à obra e, apesar

dos parcos recursos, organizou-se o 1º Encontro de Boas Práticas do Concelho de Cascais— Partilhar Vale a Pena.

educação para a saúde, tudo foi passando no palco deste belo auditório, durante os dois dias que durou o encontro.

Com a colaboração da Câmara Municipal que nos cedeu o Auditório da Casa de Histórias Paula Rego, lá estiveram cerca de 200 professores nos dias 7 e 8 de julho de 2016.

As conclusões de tão intenso trabalho não foram nada fáceis de fazer e estiveram a cargo da senhora diretora do Agrupamento de escolas Ibn Mucana, que fez uma bela síntese, da qual se destacam as palavras com que caracterizou este evento: histórias, diferença, diversidade, magia, fantasia, felicidade e SOMOS FELIZES.

Uma conferência inicial com a Professora Doutora Manuela Esteves, deu o mote para a apresentação de 28 projetos de 8 Agrupamentos de escolas e de uma Escola com estatuto de cooperativa.

Abril de 2017

Pontos de interesse especiais:  Resumo dos painéis de boas práticas temáticos  Programa provisório do II Encontro Partilhar Vale a Pena Boas Práticas 2017

Do 1º ciclo ao secundário, das artes às ciências, da matemática à leitura, da cidadania à

FICHA TÉCNICA: DIRETOR: Jose Marcelino COORDENAÇÃO, PAGINAÇÃO E ARRANJO GRÁFICO: Teresa Gonçalves


Página 2

Partilhar Vale a Pena

Programa do Encontro — 1º Dia

Encontro Partilhar Vale a Pena Boas Práticas

Dia 7 de julho (5.ª feira) (manhã) 9.00 Receção aos participantes Entrega das pastas 9.15 Sessão de Abertura Prof. José António Marcelino—Diretor do CFPEC e Dr. Carlos Carreiras—Presidente da Câmara Municipal de Cascais 9.30 Conferência “Existem Boas Práticas? “ Professora Doutora Manuela Esteves 10.15 Painel 1— Apresentações de Boas Práticas no âmbito das Ciências Moderador: Diretor do Agrupamento de Escolas da Cidadela, Prof. José João Gonçalves - A viagem das Sementes (Agrup. Escolas de Alcabideche) - Laboratório Aberto ( Escola Secundária de S. João do Estoril) - Cientistas de Palmo e Meio ( Agrupamento de Escolas de Cascais) - Ciência de Palmo e Meio ( Agrupamento de Escolas Ibn Mucana) 11.30 Intervalo 11.45 Painel 2— Projetos de Matemática e Ciência Moderadora: Diretora do Agrupamento de Escolas de Cascais, Dr.ª Isabel de Carvalho

Dia 7 de julho (5.ª feira) (tarde) 14.30 Painel 3— Projetos de Leitura e interdisciplinares Moderador: Diretor do Agrupamento de Escolas de Carcavelos, Prof. Adelino Jorge Calado - Reading Club ( Agrupamento de Escolas de Carcavelos ) - Estórias de ontem… Histórias de hoje…” ( EB/JI Fernando José dos Santos ) - DesaLinhados em Lilliput: viagem pela leitura e escrita ( Agrupamento Matilde Rosa Araújo) - Este Mar ( Agrupamento de Escolas de Carcavelos ) 15.45 Intervalo 16.00 Painel 4— Projetos de Saúde e outros Moderadora: Virna Ustá, Enfermeira de Saúde Escolar - Escola Global ( Agrupamento de Escolas da Cidadela) - Projeto de Educação para a Saúde ( Agrupamento de Escolas de Carcavelos ) - Projeto de Educação para a Saúde (Agrupamento de Escolas de Alcabideche) - PCA ´rte (Agrupamento de Escolas de Alcabideche)

- Agrupa 7 e 8 de Julho Auditório Maria Barroso Casa das Histórias Paula Rego

(Agrup. de Escolas de S. João de Estoril) - Jogos Matemáticos no 1º Ciclo (Agrup. de Escolas Matilde Rosa Araújo) - Brincar com a Matemática: Torneio do Saber (EB Padre Agostinho da Silva)

17.15 Encerramento dos trabalhos do 1.º dia

- 13.00 Pausa para almoço

Programa do Encontro — 2º Dia Dia 8 de julho (6.ª feira) (manhã)

APOIO:

9.30 Painel 5— Projetos de Arte Moderadora: Dr.ª Ana Gil, Chefe Divisão do APIE da CMC - UPA— Unidos pela Arte (Escola Secundária Fernando Lopes Graça) - Recicl’ARTE—Parede, um olhar Atlântico (Agrupamento de Escolas de Parede ) - EngraçARTE—projeto de teatro ( Escola Secundária Fernando Lopes Graça ) - Filosofia para pequenos pensadores ( Agrupamento de Escolas da Parede)

Dia 8 de julho (6.ª feira) (tarde) 14.00 Painel 7— Apresentação de Projetos de Boas Práticas no âmbito da Cidadania Moderador: Diretor do Agrupamento de Alcabideche Dr. António Gomes - Projeto inDisciplina ( Agrupamento de Escolas Ibn Mucana ) - Empreendedorismo no AEP ( Agrupamento de Escolas de Parede ) - TIC Intergeracional ( Escola Secundária de Cascais) - TeleAula (Agrupamento de escolas de Alcabideche)

10.45 Intervalo

15.15 Intervalo

11.00 Painel 6— Projetos Moderadora: Diretora do Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo, Dr.ª Hélia Rodrigues

15.30 Painel 8— Projetos Moderador: Coordenador Concelhio das Bibliotecas Escolares do Concelho de Cascais RBE, Dr. Carlos Pinheiro - Contraluz ( Agrupamento de Escolas de Parede ) - Direitos Humanos no AEP ( Agrupamento de Escolas de Parede ) - Clube do Ritmo ( Agrupamento de Escolas de Carcavelos ) 16.45 Balanço global dos trabalhos apresentados, Dr.ª Teresa Lopes, Diretora do Agrupamento Ibn Mucana

- A Tribo da Bola ( Escola Secundária Fernando Lopes Graça) - Quando os livros se transformam ( EB1 / JI Branquinho da Fonseca ) - Xadrez na 31 (Escola 31 de Janeiro) 12.30 Pausa para almoço


Página 3

Partilhar Vale a Pena

BOAS PRÁTICAS NO ÂMBITO DAS CIÊNCIAS - Resumo Painel 1 -

A Viagem das Sementes Agrupamento de Escolas de Alcabideche

Laboratório Aberto Segundo a Comissão Europeia

Escola Secundária de S. João do Estoril

O projeto “A Viagem das Sementes” visa a implementação do Ensino Experimental das Ciências no 1º Ciclo na área do Estudo do Meio com o seguintes objetivos:

A recolha diferentes tipos de sementes pelas famílias e pela comunidade educativa;

Comparar a forma, a textura, o tamanho e a cor das sementes;

Observar o comportamento de diferentes sementes em contacto com a humidade;

 

Identificar as partes constituintes de uma semente; Identificar os fatores do ambiente indispensáveis à germinação (terra, humidade, luminosidade, temperatura, ar).

O Projeto “Laboratório Aberto” pretende estimular a curiosidade científica dos alunos do primeiro ciclo do ensino básico e levar os alunos do ensino secundário a desenvolverem comportamentos de autonomia e responsabilidade. Apoiados pelos professores, os monitores, alunos do ensino secundário, seleccionam e preparam experiências que possam vir a ser realizadas por alunos do ensino básico.

(2007),“o ensino das ciências no ensino primário tem

Os alunos do ensino básico, numa tarde de quarta-feira, executam as experiências de física e de química, nos respetivos laboratórios da escola secundária, com o acompanhamento dos alunos monitores e dos professores dos dois níveis de ensino envolvidos no projeto.

um impacto consistente a longo prazo”[…]corresponde ao período de criação da motivação intrínseca, associada a efeitos duradouros. É o período

Cientista de Palmo e Meio Agrupamento de Escolas Ibn Mucana

durante o qual as crianças sentem uma grande curiosidade natural...”

No Projeto “Cientista de Palmo e Meio” construiu-se um conjunto de atividades experimentais e sua aplicação, nas turmas de 2º, 3º e 4º ano da escola Básica Fernando José dos Santos e nas turmas de Pré-escolar da Escola Básica Raul Lino. Pretende-se com este projeto que os alunos desenvolvam:

O gosto pela ciência e o raciocínio lógico/dedutivo desde os primeiros anos de escolaridade;

Nos alunos da ESIM incentivem o sentimento de partilha do seu saber com as crianças mais novas;

Práticas pedagógicas privilegiando atividades experimentais que resultem, a médio prazo, em elevados níveis de literacia científica.

Cientista de Palmo e Meio Agrupamento de Escolas de Cascais

Pretende-se com o projeto “Cientistas de Palmo e Meio” que os alunos do 1º ciclo tenham um contato e conhecimento precoce com os materiais e regras de funcionamento num laboratório e de alguns fenómenos Físicos e Químicos . Através do desenvolvimento de várias actividades, nomeadamente, Abracadabra, a Galinha Magricela, Professor por um dia, os alunos aprendem a Ciência de forma divertida.


Volume 1, Edição 1

Página 4

PROJETOS DE MATEMÁTICA E CIÊNCIA - Resumo Painel 2 -

Agrupa Agrup. de Escolas de S. João do Estoril

O projeto Agrupa visa interagir de forma criativa com os universos da ciência e da escrita.

Jogos Matemáticos no 1º Ciclo Agrup. de Escolas Matilde Rosa Araújo

O Projeto “Agrupa”tem por objectivos : • Fomentar o gosto pelo conhecimento científico. • Desenvolver a competência da expressão escrita. • Desenvolver a competência da expressão oral. • Divulgar a produção de trabalhos livres concebidos pelos alunos. • Fomentar o trabalho colaborativo entre alunos de ciclos de ensino diferentes. • Estimular a atenção, a memória, o raciocínio lógico e competências linguísticas, através da realização de jogos educativos e leitura de histórias. • Usar correctamente a língua portuguesa para comunicar de forma adequada e estruturar o pensamento” (in PEA), através da produção de histórias. • Estimular competências transversais aos currí culos das disciplinas envolvidas, nomeadamente, a educação para a cidadania.

Os Jogos Matemáticos no 1º Ciclo realizam-se em sessões regulares (100 no total) em todas as 34 turmas do 1.º Ciclo, para que os alunos desenvolvam competências como:

“A Matemática não mente.

• Raciocínio lógico-matemático;

Mente quem faz

• Concentração;

mau uso dela.”

• Capacidade de visualização; Albert Einstein

• Memorização; • Avaliação de opções; • Espírito competitivo saudável.

Torneio do Saber EB Padre Agostinho da Silva

O projeto “Brincar com a Matemática: Torneio do Saber”, destina-se aos alunos do 3º ano de escolaridade, para que desde cedo aprendam a gostar da disciplina de matemática, através de uma aprendizagem aliciante, dinâmica e motivadora. O projeto foi aplicado, semanalmente, ao longo do ano letivo. Numa semana, o Problema da Semana e na semana seguinte, o Totocálculo. Os alunos tinham 30 minutos para a realização destas atividades.. Era atribuída uma pontuação semanal, registado e afixado na sala de aula a pontuação de cada aluno. Os professores através deste Torneio, pretendem mostrar que a matemática pode ser criativa e divertida, apresentando-a de forma lúdica e aliciante.

Jogos Matemáticos no 1.º Ciclo

Brincar com a Matemática:

Exemplos de Jogos Matemáticos

Peões, Konane, Amazonas, UN, Aboyne, Epaminondas, Tablut, Y, Jogos Poliédricos, Go, Dao, Abalone, Yoté, Agon, Flume, …


Página 5

Partilhar Vale a Pena

PROJETOS DE LEITURA E INTERDISCIPLINARES - Resumo Painel 3 -

Reading Club Escola Secundária de Carcavelos

Estórias de ontem...Histórias de hoje... VAMOS DIZER O MAR

EB/JI Fernando José dos Santos

Ó MAR O mar não me cansa! Sinto-lhe a brisa... Cai em cima do meu corpo Como poeira mágica no ar. Ó Mar, ai meu rico mar, Tuas ondas, tuas brisas: O ideal para mim

O “Reading Club” tem por objectivos que os alunos:

Desenvolvam a capacidade de leitura e de interpretação de textos variados em língua inglesa;

Melhorem a capacidade de comunicação oral;

Alarguem o leque vocabular e aprofundam competências culturais no que diz respeito a países de expressão inglesa.

A EB/JI Fernando José dos Santos desenvolveu o tema “Estórias de ontem… Histórias de hoje…”, onde foi feita a abordagem à Cultura Portuguesa nas diversas expressões artísticas e em constante articulação com o Currículo do 1º Ciclo do Ensino Básico e Orientações Curriculares do Pré-Escolar. O propósito do projeto desenvolveu-se em atividades/dinâmicas, no tempo curricular, com as professoras titulares e, no tempo das Atividades de Enriquecimento Curricular, com a dinamização de oficinas com a colaboração de toda a comunidade. Toda esta dinâmica realizada em livre escolha, no tempo das Atividades de Enriquecimento Curricular, onde os alunos organizam o seu horário no início de cada etapa, através da escola de oficinas dinamizadas pelos monitores, professores, Encarregados de Educação e elementos da comunidade educati-

Como uma concha, uma criança agradecida Por estares aqui. Ó mar!!!

DesaLinhados em Lilliput: viagem pela leitura e escrita Agru. de Escolas Matilde Rosa Araújo

Joana Melo Agrupamento de escolas de Carcavelos,

O Projeto “DesaLinhados em Lilliput “ tem por objectivos: •Promover a educação literária e estética; •Incutir nos alunos o gosto e o sentido crítico a partir de obras literárias, ilustrações, pinturas, fotografia, escultura e demais formas de expressão artística; •Desenvolver técnicas de escrita criativa;

5.º B, N.º 18 2008/09

•Apoiar o currículo com incidência na área de português e das expressões artísticas; •Aplicar o referencial “Aprender com a biblioteca escolar”.

Este Mar Agrupamento de Escolas de Carcavelos

Nos dias 18, 19 e 20 de Setembro de 2016, “entraram no mar” rumo à Berlenga, 42 alunos e 8 professores das Escolas Básicas e Secundárias da Cidadela e Carcavelos e das Escolas Secundárias de S. João do Estoril e Cascais. Estiveram 3 dias a bordo, percorrendo 147 milhas, onde praticaram um magnifico treino do mar. Este projeto tem por objectivos: Eleger o mar de Cascais como espaço educativo e a náutica como pólo integrador; Editar textos didácticos relacionados com o mar e com as actividades náuticas , numa perspectiva multidisciplinar; Privilegiar e gerir o Galeão “Estou para Ver” como sala de aula do projeto.


Volume 1, Edição 1

Página 6

PROJETOS DE SAÚDE E OUTROS - Resumo Painel 4 Projeto de Educação para a Saúde Agrupamento de Escolas de Alcabideche

O Projecto de Educação para a Saúde desenvolveuse em todos os níveis de ensino, do Pré Escolar ao 3º ciclo. O projeto visa contribuir para que toda a comunidade escolar aprenda a gerir a saúde de modo informado, consciente e responsável. Sensibilizou-se os alunos para que adotassem estilos de vida saudável na escola, na família e em sociedade através da prática de actividade física regular e hábitos alimentares saudáveis. Os alunos foram incentivados a desenvolverem hábitos e atitudes saudáveis de modo a reforçarem a auto-estima e um crescimento harmonioso.

“Boas práticas de

Escola Global Agrupamento de Escolas da Cidadela

Para o incremento do conhecimento relativo ao Futurismo em Portugal, Geração de Orpheu, Fernando Pessoa, Literatura e Cultura Portuguesas, dinamizaram-se inúmeras atividades/eventos transversais a diversos saberes/departamentos disciplinares de carácter cultural, em que se mobilizou a comunidade escolar e o estabelecimento de parcerias com entidades e instituições de diversa índole.

ensino são as que levam os alunos a aprender, a ter sucesso escolar, a alcançar sucesso educativo, num quadro de respeito pelos valores éticos e deontológicos que orientam a ação docente”

Projeto de Educação para a Saúde Agrupamento de Escolas de Carcavelos

Este Projeto desenvolve várias ações em parceria com a Plataforma Saúde da C.M.C.; Centro de Saúde da Parede; Instituto Português do Sangue; PSP – Escola Segura; Farmácia de São Domingos de Rana; Associação de Jovens Diabéticos de Portugal, com os seguintes objectivos: 1. Desenvolver competências na área da saúde mental e prevenção da violência.

PCA’rte Agrupamento de Escolas de Alcabideche

2. Desenvolver competências nos alunos em educação alimentar e promoção da atividade física. 3. Prevenir comportamentos aditivos e dependências. 4. Desenvolver competências nos alunos que facilitem a adoção de comportamentos saudáveis na área dos afetos e da educação para a sexualidade. 5. Envolver os alunos de uma forma ativa nas temáticas desenvolvidas no projeto educação para a saúde.

Através do projeto PCA’rte procura-se estimular o sentido estético dos alunos e sensibiliza-los para as diferentes formas de manifestações artísticas e para o papel da arte com caracter social. Para melhor identificação dos alunos com o espaço escolar, envolveu-se os alunos na pintura de vários espaços escolares. São também objectivos deste projeto: Promover o sentido de responsabilidade e auto estima; Contribuir para o fim da exclusão social e insucesso escolar .

Manuela Esteves


Página 7

Partilhar Vale a Pena

PROJETOS DE ARTE - Resumo Painel 5 UPA - Unidos pela Arte Escola Secundária Fernando Lopes Graça

“Enquanto crianças, estávamos cheias

O Projeto “UPA—Unidos pela Arte” tem por objetivos :

Sensibilizar para diferentes abordagens culturais e artísticas;

Desenvolver o envolvimento livre e responsável dos alunos;

Promover a fruição/contemplação, produção/ criação e reflexão/criação artística;

Assegurar o espaço de interdisciplinaridade;

Explorar competências afectivas a partir de uma convivência consciente;

de espanto. O mundo espantava-nos. Como adultos pusemos de lado a nossa

Recicl’ARTE Parede, um olhar Atlântico

curiosidade infantil e

Agrupamento de Escolas da Parede

“Recicl’ARTE” é um projeto destinado aos Professores de todas as escolas e jardins-de-infância do agrupamento e respetivos alunos, tendo por objectivos: - Desenvolver a criatividade; - Envolver os alunos em atividades de cariz artístico; - Promover a aquisição de conhecimentos técnicos, no âmbito da utilização de materiais diversificados; - Promover a partilha de saberes; - Fomentar o trabalho de equipa.

vivemos numa estrutura de respostas que silencia as questões fundamentais que agora perderam

Pretende-se que cada escola realize um trabalho de caracter artístico, recorrendo a materiais naturais (raízes, folhas, canas, cortiça...), resíduos naturais recolhidos na praia, em casa ou no lixo.

o poder de nos agitar. Encontrámos as respostas, mas perdemos o mistério. Como é que isto aconteceu?”

EngraçARTE Projeto de Teatro Escola Secundária Fernando Lopes Graça

O Clube de Teatro “EngraçARTE”,

sem um horário atri-

buído, com a duração de duas horas, consoante a disponibilidade, desenvolve as seguinte actividades:

Exercícios de autonomização de movimentos de

Daniel Kolak e

concentração de vocalização de expressão de

Raymond Martin

emoções através de atitudes corporais de consciencialização da relação espaço/corpo;

Momentos de improvisação que desenvolvem diversas competências (físicas, pessoais, relacionais/afectivas, cognitivas e técnicas) e a expressão criativa, interpretando e improvisan-

Filosofia para Pequenos Pensadores Agrupamento de Escolas da Parede

As aulas de “Filosofia para Pequenos Pensadores” realizaram-se no 1º ciclo e centraram-se em situações imaginárias, como pequenas histórias, problemas/dilemas, jogos que criem as condições para o questionamento por parte da mesma. Criaram-se situações problemáticas e desafiantes, promovendo o diálogo, através de perguntas que tornarão os pequenos pensadores crianças “desconfiadas” e preocupadas em responder, levantando novas questões.


Volume 1, Edição 1

Página 8

PROJETOS - Resumo Painel 6 -

A Tribo da Bola Escola Secundária Fernando Lopes Graça

O Projeto “Tribo da Bola” visa:

Intervir contra a indisciplina e a influência de maus hábitos de vida;

Criação de zonas de jogo mais pequenas e em maior numero, permitindo a dispersão da população estudantil e a partilha democrática dos espaços de jogo;

Gestão e controlo das actividades sem intervenção dos adultos (competência dos alunos).

“Sendo todos os alunos diferentes enquanto pessoas

Quando os Livros se Transformam EB1/JI Branquinho da Fonseca

e diferentes nos O Projeto “Quando o Livros se Transformam” desenvolve-se na sala UEE1 da Escola EB1/JI Branquinho da Fonseca e pretende facilitar a promoção da leitura de crianças com NEE, consolidando as suas aprendizagens de uma forma lúdica e adequada às competências, contribuindo para uma melhoria ao nível da comunicação, linguagem e escrita nos alunos da UEE.

modos como aprendem, as boas práticas não podem ser estandardizadas, antes são boas por serem contextualizadas, adaptadas, adequadas / adequáveis a alunos concretos, em turmas concretas”

Xadrez na 31 Associação Escola 31 de Janeiro

O projeto “Xadez na 31” teve inicio em 2003 com os seguintes objectivos:

Utilizar o xadrez como complemento educativo e pedagógico;

Aproveitamento dos aspectos lúdico e competitivo do xadrez como jogo;

Utilizar o xadrez como ferramenta para um melhor desenvolvimento de várias capacidades nos alunos.

O ensino do xadrez está integrado na Matemática ou oferta de escola, em que 18 turmas têm uma hora semanal de xadrez, um total aproximado de 430 alunos do 1º ao 9º anos. 100 alunos têm aulas de apoio à alta competição e entre 50 a 100 são federados anualmente.

Manuel Esteves


Página 9

Partilhar Vale a Pena

PROJETOS DE BOAS PRÁTICAS NO ÂMBITO DA CIDADANIA - Resumo Painel 7 -

Projeto inDisciplina Agrupamento Escola Ibn Mucana

“Sendo todos os

O Projeto “indisciplina” surgiu no ano letivo 2012/13, para dar resposta a um conjunto crescente de comportamentos desajustados dos alunos, sobretudo na escola sede, potenciadores de situações de indisciplina. Com este projeto procura-se intervir de forma integrada, numa perspetiva profilática de prevenção e recuperação, em alunos com atitudes/comportamentos desajustados a nível do saber estar.

contextos educativos e escolares diferentes do pon-

O Projeto integra as seguintes estruturas com atividades próprias: “ A Horas Certas”; “ Gabinete de Intervenção Permanente – GIP”; “ Gabinete de Acompanhamento do Aluno Reincidente – GAAR” ; “ Espaço B.E.M.”; Provedor do Aluno.

to de vista social – em função das comunidades de pertença dos alunos, da cultura organizacional de cada escola (incluindo a dinâmica das relações interpessoais), da formação e desenvolvimento dos professores –as boas práticas não

Empreendedorismo no AEP Agrupamento de Escolas da Parede

Este projeto tem por objectivo desenvolver competências empreendedoras nos alunos tais como: iniciativa, criatividade, persistência, organização e espírito de equipa. Em parceria da DNA Cascais e da Júnior Achievement, num 1º momento proporcionou-se formação aos alunos recorrendo à dinâmica de grupos.

Num 2º momento, os alunos desenvolveram os planos de negócios, recorrendo à pesquisa documental e não documental, entrevistas e visitas a empresas, fizeram estudo de mercado, através da aplicação de questionários e tratamento da informação. Finalmente, num 3º momento, apresentaram os planos à comunidade e concorreram ao Concurso das Escolas Empreendedoras do Concelho e Cascais e à Feira Ilimitada da Júnior Achievement.

podem ser universais, antes são boas por partirem de um diagnóstico realista do contex-

TIC Intergeracional Escola Secundária da Parede

to, tirarem partido

O projeto “TIC Intergerecional” promove a inclusão da população sénior na sociedade de informação, favorecendo a interação intergeracional entre os alunos e os seniores do Centro de Dia da Junta de Freguesia de Cascais. Com o apoio dos alunos como monitores, os seniores desenvolvem atividades relacionadas com a literacia digital e da informação (uso do Word; realização de pesquisas; utilização de contas de correio eletrónico; redes sociais, etc.).

dos recursos disponíveis e mostrarem a determinação em superar constrangimentos.” Manuela Esteves

TeleAula Agrupamento de Escolas de Alcabideche

O Projeto “TeleAula” destina-se a crianças jovens internados no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcabideche, para lhes proporcionar continuidade ao percurso escolar, em situação de internamento prolongado. Procura-se criar um ambiente de aprendizagem no qual alunos e professores partilhem experiências e saberes oferecidos nos diferentes contextos em que se encontram. Desenvolvem-se métodos e técnicas de trabalho que contribuam para a construção das aprendizagens, com recurso às Tecnologias de Informação e Comunicação e a outras ferramentas de trabalho disponíveis.


Volume 1, Edição 1

Página 10

PROJETOS - Resumo Painel 8 -

Contraluz Agrupamento de Escolas da Parede m

Com projeto Contraluz pretende-se estimular o desenvolvimento da forma de pensar, sentir, transmitir ideias e sensações, para além do conhecimento técnico em áreas como a fotografia, serigrafia e gravura. Destinado aos alunos do ensino básico e secundário, pretende-se que desenvolvam o gosto pela imagem e formas de representação, incentivando o envolvimento responsável em actividades de cariz artístico e a expressão através da imagem.

“Sendo o currículo formal, nacional, previsto para um aluno abstrato, o chamado “aluno médio”, as boas práti-

Direitos Humanos no AEP Agrupamento de Escolas da Parede

Com o objectivo de promover a participação cívica de toda a comunidade educativa e educar para o respeito, para a paz e para a tolerância, as turmas trabalham os conteúdos relacionados com os direitos humanos em contexto de sala de aula. Produziram materiais (filmes, cartazes, esculturas, pinturas, instalações...) ensaiam sketches de teatro, apresentações, enviam convites para realização de palestras/workshops. Na Semana dos Direitos Humanos em (7 a 11 de dezembro) e a Semana Direitos e liberdades em (18 a 22 abril) realizaram as atividades, exposições , concurso de cartazes e sessões para assinalar essas semanas.

cas não podem ser a concretização acrítica de prescrições curriculares mais ou menos impositivas, antes devem representar uma reinterpretação, uma adequação do nacional ao local, no sentido de fazer evoluir este último e todos aqueles que o habitam”

Clube do Ritmo Agrupamento Escola de Carcavelos

Pretende-se com o Clube do Ritmo: Oferecer aos alunos da escola a possibilidade de desenvolver competências específicas de música de uma forma lúdica e apelativa, mas igualmente desafiadora e com um grau de exigência potenciador de sucesso. Contribuir para a promoção de uma identidade cultural da escola sob o lema da qualidade, atendendo à heterogeneidade de características observáveis na população escolar. Assinalar efemérides e participar em eventos, proporcionando aos intervenientes a consecução de um repertório criteriosamente selecionado e adequado às respetivas faixas etárias.

Manuela Esteves


Volume 1, Edição 1

Página 11

Avaliação do Encontro Comparativo entre inscrições (177) e certificados (126)

180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 Número Total de Inscritos

Número de Certificados

“Sendo todos os professores diferentes, enquanto pessoas, e tendo isso implicações nos profissionais que são, as boas práticas não podem ser uma cópia exata de outras, antes devem ser apropriadas em função de decisões e disposições atitudinaisde cada um, de modo a que se sinta seguro, à vontade e com prazer por aquilo que está a fazer” Manuela Esteves


Volume 1, Edição 1

Página 12

“Todas as boas práticas são inovadoras, não são cópias de um catálogo ou de um receituário, mesmo que cientificamente fundamentado, ou das práticas de um colega ou colegas que se provou serem eficientes (em termos de processo) e/ou eficazes em termos de produtos” Manuela Esteves


Página 13

Partilhar Vale a Pena

Avaliação do Encontro nas palavras dos participantes

Aspectos Positivos “A continuar. Parabéns! “Nada a sugerir porque foi uma formação excelente.” “Gostaria de felicitar os organizadores e dinamizadores pela iniciativa, que me parece bastante inovadora e arrojada (…)” “Nada a sugerir porque foi uma formação excelente.”

“Ação muito interessante, deve repetir-se, pois eu desconhecia os projectos das outras escolas participantes e dá-me outra visão sobre as escolas do concelho.” “Excelente meio de partilha do que o nosso concelho faz de "diferente" na área da educação.”

“(…) Dias da semana bem escolhidos” “Considero que todos os que assistiram ao encontro saíram com a sensação que há muita coisa para fazer e mudar práticas sem necessitar de muitos recursos extra.” “Dar continuidade a estes encontros.

“É uma experiência a repetir. “

“Todas as boas práticas (…) são inovadoras não por o serem à escala universal,

Aspectos a melhorar

mas por serem originais enquanto criadas / desenvolvidas para aqueles alunos, naquele contexto, com os recursos disponíveis, por aquele(s) professor (es), ao serviço daquela comunidade .” Manuela Esteves

(…) futuramente sejam acauteladas as questões técnicas que condicionaram ( ou mesmo impediram) a visualização dos suportes de imagem. Eventualmente definir previamente um formato de gravação para os filmes e experimentar com antecedência para corrigir eventuais problemas. Também a presença de um técnico de informática .“ “Moderador ser mais rigoroso na distribuição do tempo de cada participante/grupo.” “A ação foi muito longa: deveria de ter havido uma seleção das apresentações. Em cada painel no máximo 3 apresentações, para dar hipótese de esclarecimento de dúvidas sobre a aplicabilidade.” “Creio que a realização da ação fora do período letivo e numa época em que a maior parte dos professores não estivesse a corrigir exames é muito adequada. “ “Dilatar no tempo as intervenções para que as comunicações não sejam tão concentradas.“ “Deve haver um maior controlo do tempo concedido a cada comunicação.”

“(…) na quase totalidade dos painéis não houve tempo para intervenções ( tempos de apresentação longos para o tempo disponível) e que várias apresentações decerto justificariam maior aprofundamento (…)” “Julgo que os formadores deverão ter um maior cuidado na preparação dos materiais a apresentar, a fim de conseguirem uma comunicação efetiva e, em certos casos, menos maçadora, pois a forma como apresentam os seus projetos pode desvalorizá-los aos olhos de quem assiste, quando, na realidade, podem ser muito interessantes no concreto da sua aplicação. “ “Ainda não foi disponibilizado material de apoio .” “Deveria ser contemplado mais tempo para o diálogo/interacção.” “De um modo geral, penso que muitas das apresentações foram pouco objetivas e claras relativamente às práticas pedagógicas. Deu-se demasiada importância/ tempo à fundamentação teórica das atividades. (…) . Alguns dos intervenientes manifestaram pouco poder de comunicação e pouca preparação para este tipo de formação. “

“maior rigor no tempo de intervenção; espaço para perguntas.” “(…) No que respeita ao horário e à estrutura da ação, deverão realizarse ajustes. Foi apresentada uma grande diversidade de temas e representados vários ciclos de ensino num período de tempo muito reduzido. Julgo que tal poderá levar a que a informação pareça dispersa e a comunicação não tenha o grau de eficácia desejado.” “Excesso de "boas" práticas apresentadas. Ser mais rigorosa a seleção das mesmas. Os oradores evitarem apresentações apenas e só expositivas.“ “O tempo atribuído a cada participante não foi totalmente respeitado criando desigualdades ente os participantes.” “Poucos temas destinados ao 3º ciclo; apresentações em PP demasiado extensas e pouco claras; os materiais para as apresentações, nomeadamente os vídeos a projetar, deveriam ter sido testados atempadamente para evitar problemas técnicos e momentos de espera dos formandos. “ “Melhorar o som e imagem .“


Volume 1, Edição 1

Página 14

Sugestões para os próximos encontros “(…) sugiro que futuramente possa ser adotada a modalidade de workshop. Teria a vantagem de permitir aos participantes a inscrição nas temáticas de maior agrado, bem como aprofundá-las (…) “ “Considerar a realização de próximas ações em locais onde haja estacionamento gratuito. “ “Gostaria que estas ações acontecessem ao longo do ano letivo sobre o mesmo tema ou outros a acrescentar “ “Ações de formação práticas no âmbito das ciências experimentais.” “Espero que os próximos encontros permitam o diálogo aberto; exposição de trabalhos (…)” “Menos painéis a apresentar e práticas implementadas mais recentes. “ “Sugiro a continuidade da partilha anualmente .”

“Maior controlo do tempo de cada painel; menos painéis .”

“Continuar a fazer o “Encontro anual” nos mesmos moldes.”

“Projetos na área do inglês.”

“Promover novos encontros com a participação das escolas do concelho. “

“O nível 1 atribuído em duas questões deve ser considerado uma crítica positiva/construtiva: Devido à diversidade dos temas e práticas abordados, penso haver necessidade para que a parte mais prática fosse demonstrada "em palco". A componente teórico-prática num Encontro como este revelou ser essencial para alguns painéis, uma vez que outros o registo fotográfico ou de vídeo bastou. É claro que compreende-se perfeitamente que , devido ao guião dado aos colegas oradores participantes, tentaram seguir o que a coordenação da Acção lhes pediu. Outra sugestão: no seguimento da práticas demonstradas, haver umas horas para workshops para aprendizagem dessas práticas com os colegas dos projectos..” “Incluir temas dos outros níveis de ensino ligados ao ensino das ciências. “

“Fazer cumprir o tempo estipulado para cada intervenção e haver lugar a debate.” “Creio que, futuramente, a ação deveria desenvolver-se num tempo mais alargado e organizada por áreas temáticas e/ou por ciclos de ensino, podendo os formandos inscrever-se apenas nas ações que fossem do seu interesse..” “Algumas práticas necessitavam de um tempo mais alargado para se darem a conhecer à comunidade educativa. esta formação poderia perfeitamente ser de 25h.” “Alargamento tempo da acção.” “Dinamizar mais espaços de partilha, redes entre professores.”

“Todas as práticas comprovadamente boas merecem ser teorizadas e divulgadas (…) ir da prática à teoria: a construção do conhecimento praxeológico como forma de superar a velha dicotomia teoria/

Conclusões:

prática” Manuela Esteves

Apesar duma avaliação muito positiva deste Encontro, é necessário ter em conta algumas sugestões para um próximo evento. Assim, no próximo, introduziremos algumas mudanças tanto no formato como na organização. Os aspetos técnicos como o som e as tecnologias informáticas, deverão ser objeto duma maior atenção. Mas a tónica principal terá de passar por uma seleção dos projetos a apresentar, tendo em conta aqueles que forem mais inovadores ou que poderão fazer uma maior diferença nas escolas onde acontecem. Os diversos agrupamentos serão convidados a apresentar os projectos mais significativos, sendo os mesmos agrupados em painéis temáticos. Incluiremos ainda um conjunto de workshops com o que de mais interessante se faz nos agrupamentos e, eventualmente, em algumas instituições privadas do concelho. Não nos esqueceremos de incluir os elementos dos S.P.O. que também desenvolvem projectos importantes e que também serão apresentados e divulgados. Esperemos que o próximo encontro tenha ainda mais sucesso que o anterior e que estes encontros sejam um marco importante para mostrar a qualidade de trabalho feito nas escolas de Cascais.


Página 15

Partilhar Vale a Pena

II ENCONTRO PARTILHAR VALE A PENA - BOAS PRÁTICAS 2017

II Encontro Partilhar Vale a Pena

Boas Práticas

Escola Sede: Agrupamento de Escolas Matilde Rosa Araújo Rua Feliciano Castilho, Penedo 2785-365 S. Domingos de Rana Tel/Fax: 21 452 26 48 Correio electrónico: cfcascais@gmail.com Site: www.cfcascais.net

Programa Provisório

Encontro acreditado pelo CFEPC para Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário de todas as áreas disciplinares, com o Registo de Acreditação CCPFC/ ACC - 86279/16, com 12 horas, conferindo 0,5 créditos. Inscrições em: www.cfcascais.net ou http://cfcascaissecretari.wix.com/boaspraticas Programa disponível em: http://cfcascaissecretari.wix.com/boaspraticas

5 e 6 de Julho 2017 Local a definir

Cascais

APOIO:


Página 16

Partilhar Vale a Pena

Programa 5 de julho (4ª feira) 9.00 - Receção aos participantes Entrega das pastas

3. Organização Curricular através da Arte - Agrupamento Escolas Ibn Mucana

9.15 - Apontamento(s) de Abertura

4. Tabcid - Agrupamento de Escolas da Cidadela

9.15 - Apontamento(s) de Abertura

5. Quando os livros se transformam - Agrupamento de Escolas de Cascais

9.30 - Sessão de abertura 6. (Trans)formação Positiva - Promoção do bemestar e da resiliência nos professores - Luísa Fernandes

10.00 - Conferência de abertura: BOAS PRÁTICAS EM ORGANIZAÇÕES EDUCATIVAS - José David Justino, Presidente do CNE. 1.00 Intervalo

7. Jogo e a Matemática - Paulo Daniel - MRA 8. Leitura em dispositivos móveis - Carlos Pinheiro

10.15 - Painel 1: ENSINAR COM E PELA DIFERENÇA 9. Mindfulness na Educação - Joana Carvalho - Etwinning (Agru. de Escolas da Parede) - Diferenciação pedagógica (Eb 2.3 e Secundária Frei Gonçalo Azevedo/8ºano)

10. Psicoterapia cognitiva comportamentais de 3ª geração - minddfulness uma aprendizagem experiencial - SPO Agrupamento de Escolas da Alapraia

- TabCid (Agrupamento de Escolas da Parede)

11. Trabalho colaborativo - (SPO)

- Cursos PIEF (Agrupamento de Escolas de Alcabideche)

12. Engraçarte - Agrupamento de Escolas da Parede

13.00 Almoço

16.30 Intervalo

14.30 - WORKSHOPS:

17.00 - Palestra:

1. Filosofia para Crianças - Agrupamento de Escolas da Parede

- Pedro Rocha dos Reis –IEUL

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS NA EDUCAÇÃO

20.00 Jantar convívio

2. Biblioteca - Cláudia Almendra - MRA

Programa 6 de julho (5ª feira) 9.30 - Painel 2: O PRAZER NO ENSINO

14.30 - WORKSHOPS:

- Ludobibliotecas (Agru. de Escolas Ibn Mucana)

1. Filosofia para Crianças - Agru. de Escolas da Parede

- Escola em festa (Paula Carido - Agru. de Escolas da Alapraia)

2. Biblioteca - Cláudia Almendra - MRA

- Cientistas de Palmo e Meio (Agrupamento de Escolas de Cascais ) - EMA (Agrupamento de Escolas da Parede) 11.00 Intervalo 11.30 - Painel 3 A: - A Ciência vai à Escola (Paulo Azevedo - MRA) - Unidade de Ensino Estruturado (Agrupamento de Escolas de Alcabideche) - Projeto Sucesso da Matemática (Agrupamento de Escolas Ibn Mucana) 11.30 - Painel 3 B: - Promoção do sucesso pra manter os bons alunos (SPO)

3. Organização Curricular através da Arte - Agrupamento Escolas Ibn Mucana 4. Tabcid - Agrupamento de Escolas da Cidadela 5. Quando os livros se transformam - Agrupamento de Escolas de Cascais 6. (Trans)formação Positiva - Promoção do bem–estar e da resiliência nos professores - Luísa Fernandes 7. Jogo e a Matemática - Paulo Daniel - MRA 8. Leitura em dispositivos móveis - Carlos Pinheiro 9. Mindfulness na Educação - Joana Carvalho 10. Psicoterapia cognitiva comportamentais de 3ª Geração - minddfulness uma aprendizagem experiencial - SPO Agrupamento Escolas da Alapraia 11. Trabalho colaborativo - (SPO)

- Pedagogia High Scope, Waldorf e MEM ( Os Aprendizes)

12. Engraçarte - Agru. de Escolas da Parede

- Práticas inovadoras para a sustentabilidade da Educação - CSPSDR /Colégio da Bafureira

17.00 - Conclusões

13.00 Almoço

16.30 Intervalo 17.15 - Encerramento

Partilhar vale a pena volume 1 abril 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you