Issuu on Google+

Universitários 5 estre las Sessão

Leia em Nossos Talentos p.14

ANO 12 EDIÇÃO Nº59

Y o ã ç a r e G

o h al b ra T e d o ad rc e M ao a ad ct e n o C

Extensão

Fique Ligado! P.10

Revista UNISAL

O que é? Engenharia Ambiental Veja em Graduação P.6

1


Unidades do UNISAL Americana Campus Dom Bosco Rua Dom Bosco, 100 – Santa Catarina 13466-327 - (19) 3471-9700 Campus Maria Auxiliadora Av. de Cillo, 3500 – Pq. Universitário 13467-600 – Americana/SP Campinas Campus Liceu Salesiano Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330 – Jd. Nos sa Senhora Auxiliadora - 13075-270 Campus São José Av. Almeida Garret, 267 – Jd. Ns. Sra. Auxiliadora - 13087-290 Lorena Campus São Joaquim Rua Dom Bosco, 284 – Centro 12600-100 – (12) 3159-2033

Colaboradores Bete Rabello, Cássia Fossaluza e Elaine Cristina Sperandelle. Redatora, editora e Jornalista responsável Fernanda Ito (MTB 37.986) E-mail: fernanda.ito@unisal.br Fone: (11) 3221-3031

Revisão Prof. Henrique Kopke Filho Projeto Gráfico, Capa e Produção Gráfica Renann Pereira da Silva renann.silva@unisal.br Impressão Gráfica Resolução Tiragem 6.500

São Paulo Campus Pio XI Rua Pio XI, 1100 – Alto da Lapa 05060-001 Campus Santa Teresinha Rua Augusto Tolle, 575 – Santa Teresinha 02405-000 A Revista UNISAL é produzida pelo Departamento de Comunicação e Marketing do Centro Universitário Salesiano de São Paulo. 0800 77 12345 Maio/Junho 2013

www.unisal.br Siga o UNISAL

O Centro Universitário Salesiano de São Paulo intera as IUS- Instituições Universitárias Salesianas


P.8

P.13

Sumário 3 5 6

Editorial Institucional Graduação

15 16 18

Você sabe o que é Engenharia Ambiental? Confira na entrevista com Brígida Queiroz.

7 8 10

Pós-Graduação Pesquisa Extensão, Ação Comunitária e Pastoral UNISAL lança o Núcleo de Direitos Humanos.

11

Matéria de Capa Geração Y no mercado de trabalho. Entrevista com Paulo Ortiz.

13

Sou UNISAL

Talentos do UNISAL Aconte nos Campi Momento de Salesianidade Pe. Lima discursa sobre citação de Dom Bosco

19 20

Diferencial UNISAL Artigo Educação Física : Reflexões sobre o mercado com Marília Kobal

21 23 23

Agenda Dicas Culturais Espaço do Leitor Veja e participe da nova área que a Revista UNISAL criou para você


EDITORIAL

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Aos membros da Comunidade Educativa, Estamos no segundo ano de preparação para a celebração do bicentenário do nascimento de Dom Bosco (2015), fundador da Congregação Salesiana. Graças a ele que, desde o início da sua obra, vislumbrou um vasto movimento de pessoas envolvidas no processo de educação e evangelização da juventude, é que existimos. O UNISAL é apenas uma das 79 Instituições 4

Universitárias Salesianas espalhadas pelo mundo, mas uma presença significativa, comprometida com os grandes desafios da educação superior no Brasil. A renovação do compromisso de enfrentar tais desafios com competência é o modo mais concreto que encontramos de participar das celebrações deste bicentenário. Estamos diante de um imensurável panorama de desafios e oportunidades.

Gostaria, nesse sentido, de convidar a comunidade educativa a imaginarse condutora deste processo. Ao sentar-se ao volante, será preciso conjugar duas atitudes: olhar para a frente e, ao mesmo tempo, para trás. Ao olharmos para a frente, teremos, muitas vezes, que acelerar. Acelerar para não perder a ocasião de colher as oportunidades ocasionadas pelas mudanças vertiginosas do tempo presente. Outras vezes, teremos que diminuir a velocidade para poder captar os sinais que se apresentam pelo caminho e poder interpretá-los com sabedoria. Ao olhar para trás, queremos renovar a consciência de sermos portadores de uma história muito maior do que a que vivemos no momento presente. Em outras palavras, nesta corrida, fomos nós que entramos no meio do caminho. E, por isso, somos responsáveis por uma bagagem que nos deve auxiliar nas decisões a serem tomadas. O discernimento se impõe e toda a comunidade é responsável por ele. Só não podemos permitir que o tamanho do retrovisor seja maior do que o do para-brisas ou que acessórios da bagagem constituam um freio independente dos condutores. Discernimento, mais do que ato isolado, é um estilo de vida. Discernir implica colocar-se constantemente na condição de quem sabe não ter respostas para tudo e que, por isso, precisa, como condição para não errar, abrir-se ao outro e comprometer-se com a verdade e o bem. Mais ainda, discernir implica não querer ter respostas para tudo, para poder saborear a experiência de deixar-se conduzir por Aquele que sopra qu ando, como e para onde quer. Portanto, rumo ao bicentenário do nascimento de Dom Bosco, renovemos nossa abertura o Espírito de Deus, o verdadeiro condutor de tudo e de todos.

P. Ronaldo Zacharias Reitor do UNISAL Revista UNISAL


Institucional

UNISAL

apresenta o Projeto de Avaliação de Desempenho Crédito:sxc

A Reitoria do UNISAL - Centro Universitário Salesiano de São Paulo - deu início no mês de abril aos treinamentos da primeira fase do Projeto de Avaliação de Desempenho do corpo técnico-

administrativo, que consiste em treinar avaliadores e avaliados e desenvolver um processo de alto nível, mais transparente, com avaliadores que entendam da ferramenta (avaliação) e estejam capacitados em orientar o funcionário para o seu aprimoramento profissional. Os colaboradores farão autoavaliação e serão avaliados pelos gestores imediatos. Receberão formulário e darão seu parecer em relação aos indicadores de desempenho que compõem a avaliação. Depois haverá uma reunião de feedback, em que o gestor terá a oportunidade de discutir individualmente com seus funcionários os resultados da avaliação, o que permitirá alinhar e propor melhorias com relação ao desempenho profissional de todos os envolvidos. A Avaliação está apoiada em dois pilares: competências e propostas de ação. As competências são as características ou tópicos da avaliação relativos a comportamentos observáveis e desempenho. As propostas de ação referem-se às possibilidades de gestor e funcionário discutirem propostas/ projetos desempenhados durante o ano, em termos de melhorias para o departamento e para a empresa como um todo.

Para os gestores do UNISAL, o Projeto de Avaliação de Desempenho será uma ótima oportunidade para conhecer melhor seus colaboradores e contribuir para o crescimento de cada um e da empresa. “Tenho muito orgulho em afirmar que a relação entre gestores e colaboradores é caracterizada pela Proatividade, Sinergia, Prestação de Serviços, Reconhecimento ao outro pelo que faz e Corresponsabilidade nos trabalhos”, diz Nilson Leis, Pró-Reitor Administrativo. O período de preenchimento da autoavaliação acontece na primeira quinzena de maio. Nas três semanas subsequentes, os gestores farão as reuniões de feedback. Para concluir o processo, os formulários serão encaminhados ao departamento de Recursos Humanos, que fará uma análise dos pontos e consolidará os resultados. A Reitoria é composta por: Prof. Dr. P. Edson Donizetti Castilho (Chanceler), Prof. Dr. P. Ronaldo Zacharias (Reitor), Profa. Dra. Romane Fortes Bernardo (Pró-Reitora Acadêmica), Prof. Ms. Nilson Leis (PróReitor Administrativo ), Profa. Ma. Regina Vazquez Del Rio Jantke (Pró-Reitora de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral).

Pró-Reitora Acadêmica do UNISAL firma acordos de cooperação em Madri A Pró-Reitora Acadêmica do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Romane Fortes Santos Bernardo, participou do I Seminário Intercontinental das Instituições Salesianas de Ensino Superior (IUS) do Education Group, em Madri, na Espanha, realizado em fevereiro. O tema central do evento foi: “A Educação e a Inclusão Social: Uma Revista UNISAL

Crédito:Arquivo Pessoal

Acordo de cooperação com Venezia

compreensão da Pedagogia Salesiana”. Aproveitando a oportunidade, Romane assinou acordos de cooperação em prol de intercâmbios de docentes e alunos do UNISAL com as seguintes instituições europeias: Universidade de Salamanca; CES Don Bosco- Centro de Enseñanza em Humanidades y Ciencias de La Educación Don Bosco - Madri ; IUSVE – Instituto Universitário Salesiano Venezia. 5


Graduação

Engenharia Ambiental Hoje, cada vez mais a sociedade incorpora em seu cotidiano práticas sustentáveis e ecologicamente corretas para preservar o meio ambiente. Nos próximos anos, com a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas no Rio de Janeiro, em 2016, a Engenharia Ambiental terá grandes demandas de trabalho e notoriedade. Para falar do universo da Engenharia Ambiental, a Revista UNISAL entrevistou a Profa. Dra. Brigida Pimentel Villar de Queiroz, Coordenadora do Curso de Engenharia Ambiental do UNISAL Unidade Americana. Brigida atua como coordenadora do curso desde 2007 e incentiva o aprendizado constante, participa junto aos alunos e professores dos trabalhos de campo e visitas técnicas, busca atualização em Fóruns e Seminários da área, fazse presente no Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (CONDEMA) de Americana para entender a problemática ambiental do município e região, e leva profissionais de empresas do setor para ministrarem palestras aos alunos, promovendo o contato direto deles com o mercado de trabalho. Revista UNISAL (RU): Professora, o que é Engenharia Ambiental? Profa. Brigida Queiroz: A Engenharia Ambiental é um ramo da engenharia que tem por objetivos principais estudar e minimizar danos causados por substâncias potencialmente perigosas à saúde humana, protegendo ecossistemas e melhorando a qualidade da saúde humana em geral. RU: O que faz o Engenheiro Ambiental? Profa. Brigida: O Engenheiro Ambiental atua no diagnóstico, manejo, tratamento e controle de problemas ambientais 6

urbanos e rurais. Além de identificar e avaliar a dimensão dos problemas, o profissional propõe soluções, desenvolve projetos para implantá-los e monitorálos, bem como propõe modificações nos projetos e processos já existentes. RU: Qual é a demanda do mercado de trabalho de Engenharia Ambiental? Profa. Brigida: Atualmente, a maior demanda do mercado é o setor industrial, seguido de consultoria, que está superaquecida, o que garante mercado para os profissionais recém-formados. Todos os órgãos públicos e privados têm se preocupado com a sustentabilidade de seus processos, devido ao meio ambiente e principalmente por gerar uma economia de custos. RU: E quanto à presença da mulher na Engenharia Ambiental? Profa. Brigida: Hoje as mulheres estão cada vez mais atuantes no mercado de trabalho de profissões que eram exclusivas para os homens, como é o caso nas engenharias. Na Engenharia Ambiental, a procura por profissionais do sexo feminino é bastante expressiva. O cuidado com a natureza e com os recursos naturais sempre fez parte do universo feminino. Agora, profissionalmente, as mulheres poderão aplicar essas características à profissão. RU: O Engenheiro Ambiental também é Empreendedor? Profa. Brigida: Sim. O profissional de Engenharia Ambiental também usa de sua criatividade para desenvolver tecnologias diferenciadas e com apelo sustentável, sendo estimulado ao empreendedorismo, tanto na vertente da consultoria quanto

Com um mercado superaquecido, a profissão está em crescente ascensão, desperta interesse das empresas e oportunidade de vagas no desenvolvimento de produtos e processos diferenciados. RU: A importância de ter uma formação diferenciada se dá... Profa. Brigida: Com atividades práticas, desde o ingresso na faculdade. O Curso de Engenharia Ambiental do UNISAL tem este diferencial: desde o 1º semestre, os alunos aliam teoria à prática. Além disso, eles têm incentivo ao ensino, pesquisa e extensão, importantes no aprimoramento profissional para o mercado de trabalho. Na parte de infraestrutura, o estudante tem, à sua disposição, laboratórios específicos de efluentes, solo e água. RU: Quais são as atividades práticas vivenciadas pelos alunos do UNISAL? Profa. Brigida: Durante os 10 semestres do curso, os alunos participam de muitas atividades, desde visitas técnicas até projetos de pesquisa, com participação em Programas de Bolsas de Iniciação Científica do UNISAL (BIC-SAL e PIBIC do CNPq). Como resultado de seu empenho, seus projetos são apresentados em congressos nacionais e internacionais. RU: Como estará o mercado para o Engenheiro Ambiental nos próximos anos? Profa. Brigida: O interesse das empresas pelos alunos formados nessa área será manifestado de uma forma mais significativa a partir de 2014, quando todas as regulamentações e prazos para as empresas se adaptarem às novas legislações na área ambiental serão cobrados pelo poder público. Será inevitável a presença de profissionais da engenharia ambiental nos diversos setores deste mercado. Revista UNISAL


Pós-Graduação

A escolha por uma Pós MBA, Especialização ou

Mestrado? O MBA (Master Business Administration) e a Especialização são modalidades de Pós-Graduação lato sensu que oferecem cursos focados no mercado profissional. O Mestrado faz parte de uma Pós-Graduação stricto sensu - curso de longa duração, em que o estudante se dedica a uma formulação de um problema, ou seja, segue uma linha de pesquisa e defende uma tese no final do curso, com o objetivo de atuar na área acadêmica e de pesquisa. A diferença entre MBA e Especialização é esta: o MBA é procurado normalmente por pessoas que já atuam profissionalmente no mercado e buscam cargos de gestão ou já são gestores e procuram a especialização na gestão de áreas específicas. Já a Especialização é indicada para quem quer aprofundar os conhecimentos num nicho de mercado específico. A escolha depende das aspirações futuras de cada um. Os que escolhem fazer uma especialização estão mais focados no mercado de trabalho e esse tipo de curso dará todo o apoio instrumental para uma profissão ou para consolidar a formação profissional.

Saiba o que cada modalidade oferece ao aluno que deseja dar sequência aos estudos depois da graduação.

Qualeéu operfil? s MBA “O MBA pode ser utilizado em qualquer área que envolva processos que possam ser melhorados por meio de técnicas específicas, assim como em qualquer ambiente em que seja necessária a gestão de recursos e de pessoas, estendendo-se, a uma diversidade de campos de atuação como Indústria, Serviços e Saúde.” Diogo G. Caetano Coordenador do curso de PósGraduação em Engenharia e Tecnologia do UNISAL Campinas São José.

Especialização “O aluno terá a qualificação adequada para garantir a empregabilidade, aumentar o rendimento salarial, estender o chamado networking, buscar a atualização constante e aprimorar os conhecimentos adquiridos na graduação. “

Fátima Medeiros Coordenadora de Pós-Graduação Lato-Sensu e Extensão do UNISAL Lorena.

Mestrado “O mestre poderá atuar como docente em Educação Superior, pesquisa acadêmica e corporativa. Hoje o Mestrado possui um novo segmento, o Mestrado Profissional, que tem o objetivo de suprir as necessidades das pessoas interessadas em trabalhar com pesquisa nos campos corporativo e de inovação. Para quem atua na área acadêmica, a evolução na carreira é natural. O mestre tem novas oportunidades de trabalho em instituições de educação superior, tanto públicas quanto privadas.” Renato Soffner Coordenador de Mestrado em Educação do UNISAL Americana

Revista UNISAL

7


Pesquisa

Estrutura de um projeto de pesquisa Por Prof. Dr. Eduardo José Sartori - Coordenador da Comissão Institucional de Incentivo à Pesquisa do UNISAL crédito:sxc

A Pesquisa pode ser dividida em duas categorias fundamentais: Pesquisa Básica Objetiva gerar conhecimentos novos, úteis para o avanço da ciência sem aplicação prática prevista. Envolve verdades e interesses universais. É feita para aumentar o conhecimento sobre algum assunto, sem que se tenha na pesquisa uma aplicação imediata. Aplica o conhecimento conhecimento.

pelo

Busca o conhecimento para a difusão deste na comunidade científica.

Pesquisa Aplicada Gera conhecimentos para aplicação prática, dirigida à solução de problemas/objetivos específicos, que será usado a curto ou médio prazo. É uma investigação original concebida pelo interesse em adquirir novos conhecimentos. A área de Pesquisa Científica do UNISAL - Centro Universitário Salesiano de São Paulo - tem atraído cada vez mais a atenção de alunos de todos dos cursos de graduação, haja vista o crescente número de projetos aprovados no Programa de Bolsas BIC-SAL a cada ano. Para aqueles que estão pensando em montar seu projeto e têm dúvidas de como iniciá-lo, veja quais são as etapas que o trabalho deve seguir. A Pesquisa é um processo sistemático de construção de conhecimentos que tem como metas principais gerar novos conhecimentos ou fortalecer algum 8

conhecimento já existente. Para obter um projeto de sucesso, é preciso seguir as etapas do método científico, que são: observação, formulação do problema, hipótese, experimentação, validação e tese. Observação: acompanhamento de fatos para um primeiro entendimento sobre o seu comportamento, procurando levantar o máximo de detalhes e informações pertinentes ao objeto de estudo;

É realizada ou para determinar os possíveis usos das descobertas da pesquisa básica, ou para definir novos métodos ou maneiras de alcançar certo objetivo específico e pré-determinado. Aplica o conhecimento visando à utilidade econômica e social; busca o conhecimento pela apropriação do knowhow e/ou patentes.

Formulação do Problema: a partir dos fatos observados sobre o Revista UNISAL


Pesquisa Crédito:sxc

objeto de pesquisa, são elaboradas as questões a serem solucionadas para entendimento, melhoria, novas aplicações e modificações em relação a esse objeto de estudo; Hipótese: é a elaboração de possíveis soluções para o problema. A hipótese não necessariamente é a solução, mas uma proposta de solução provisória para o problema; Experimentação: é a aplicação de métodos que procuram validar os questionamentos e propostas construídas pela hipótese, avaliando os resultados por meio dos conjuntos de dados obtidos nos experimentos; Validação: por meio da confrontação dos resultados obtidos na experimentação com os inicialmente levantados pela hipótese, pode-se ou não validar os métodos e propostas inicialmente adotados como sendo os mais indicados para a solução do problema; Tese: é o conjunto de informações obtidas pelas etapas anteriores, com o objetivo de reforçar e defender os pontos de vista do trabalho de pesquisa em questão.

Planejamento é tema de pesquisa de Professor do UNISAL Um estudo sobre as fontes convencionais e alternativas de energia de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, e que resultou em uma proposta de Planejamento Energético Urbano Sustentável para o município, vem chamando a atenção de instituições internacionais e de pesquisadores. O trabalho foi realizado pelo professor Henrique César Sampaio, dos cursos de Engenharia do UNISAL Lorena, em conjunto com os professores da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá – FEG - UNESP, Dr. José Antônio Perrella Balestieri e Dr. Rubens Alves Dias, que foram orientadores de Henrique no doutorado. A grande repercussão em torno do estudo veio com a publicação de artigo dos três professores na Revista Applied Revista UNISAL

Energy, editada pela Elsevier. O texto, intitulado Sustainable Urban Energy planning: the case study of a tropical city (Planejamento energético urbano sustentável: o estudo de caso de uma cidade tropical), aborda a questão do planejamento energético no município (a cidade estudada é Guaratinguetá), envolvendo fontes convencionais e alternativas de energia, e a solução mais favorável do ponto de vista técnico, econômico e ambiental ao longo do tempo. O Prof. Henrique conta que desde a publicação do artigo, em dezembro de 2012, os autores estão recebendo convites de importantes instituições internacionais, como o IIT (Indian Institute of Technology), e consultas de pesquisadores interessados em estagiar no UNISAL e na FEG.

Projeto Energético Um dos principais desafios do Planejamento Energético, explica

o Prof. Henrique, é “identificar e desenvolver sistemas e métodos para o equacionamento das relações sociais, econômicas, energéticas e ambientais de estruturas tanto macroscópicas (um país, um continente), quanto microscópicas (uma cidade, uma empresa), a partir do estabelecimento de cenários prospectivos, com base em séries históricas, e no inventário das disponibilidades energéticas”, de modo a possibilitar o planejamento e o desenvolvimento de uma cidade, pautados por metas e indicadores sociais e ambientais desejados. Segundo ele, com um planejamento integrado de recursos, é possível atender a demanda de energia da população, paralela à disponibilidade ofertada pela concessionária de energia elétrica e de forma otimizada. O trabalho e a tese de doutorado do Prof. Henrique César Sampaio foram entregues à prefeitura de Guaratinguetá, que avalia a aplicação do modelo de gestão energética. 9


Extensão, Ação Comunitária e Pastoral

UNISAL apresenta o Núcleo de Direitos Humanos no III Encontro de Extensão No dia 18 de abril, mais de 70 profissionais entre Coordenadores, Supervisores e Professores dos Cursos de Graduação, Pós-Graduação, Mestrado em Direito, Mestrado em Educação, Serviço de Psicologia Aplicada (SPA), Núcleo de Prática Jurídica (NPJ), Oficina Pedagógica, Observatório de Violências na Escola, Representantes da Extensão, Pastoral, Marketing, RH e Biblioteca participaram do III Encontro de Extensão, que oficializou a implantação do Núcleo de Direitos Humanos UNISAL – cujo objetivo é trabalhar institucionalmente projetos ligados à temática, contemplando as dimensões da Extensão estabelecidas pelo MEC. A abertura do evento foi realizada pelo Reitor P. Ronaldo Zacharias. Em seguida foi iniciada a apresentação dos projetos criados em conjunto pelos profissionais das diversas Unidades. Os diversos Cursos de Gradução das Unidades promoverão os projetos de extensão integrados. O trabalho contará com o apoio e participação dos Cursos de Mestrado em Direito e Educação do UNISAL. Um dos projetos apresentados no III Encontro de Extensão foi o “Lorena pela vida”, coordenado pelo curso de Mestrado em Direito do UNISAL. “O objetivo é levar informações e educação às crianças e adolescentes nas escolas públicas municipais”, informa Grasiele Augusta Ferreira Nascimento, Coordenadora do Programa de Mestrado em Direito do UNISAL. “A instigadora proposta do Núcleo de Direitos Humanos consiste em trabalhar institucionalmente, a temática, contemplando as dimensões da Extensão. Isto significa que grande parte dos projetos foram construídos em conjunto pelos profissionais das diversas Unidades. Houve um efetivo diálogo. Ideias, conceitos, olhares foram refletidos em grupo”, informa Regina Vazquez Del Rio Jantke, Pró-Reitora de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do UNISAL. Após a apresentação dos projetos, o Chanceler do UNISAL P. Edson Donizetti Castilho abençoou as placas alusivas ao início das atividades do Núcleo de Direitos Humanos UNISAL. 10

Crédito: Marketing UNISAL

P. Ronaldo em discurso no III Encontro de Extensão

Observatório de Violências na Escola O UNISAL vem obtendo excelentes resultados com o Observatório de Violências na Escola – um núcleo de estudos e pesquisas do UNISAL que desde 2005 integra a Rede de Observatórios de Violências nas Escolas. Esta rede é formada por instituições nacionais e internacionais cuja sede é na Universidade Católica de Brasília – UCB, para tanto o UNISAL desenvolve um trabalho conjunto na forma de termo de Cooperação Técnica, Científica e Cultural, compondo a Cátedra UNESCO: Juventude, Educação e Sociedade criada pela UCB, e aprovada pela UNESCO, em 2008. O objetivo das atividades do Observatório de Violências na Escola, realizadas no UNISAL - Unidade Lorena, é potencializar ações que envolvem pesquisa, ensino e extensão entre diversos parceiros junto às escolas no diagnóstico, monitoramento

e enfrentamento, assim como na prevenção das múltiplas manifestações de violência e discriminação, promovendo a construção de uma “cultura de paz” nas escolas e contribuindo para a elaboração de políticas públicas preventivas. Entre as ações realizadas estão: cursos para divulgação e discussão do Estatuto da Criança e do Adolescente com professores, mediadores da rede pública e alunos de cursos de graduação e pós-graduação; grupo mensal de estudos, cadastrado no CNPq com a participação de professores, profissionais e alunos do UNISAL e da comunidade externa: professores e diretores da rede pública estadual e municipal, SENAC, PROVIM, Coordenadores das Secretarias de Educação. Prof.ª Dr.ª Sonia Maria F.Koehler Coordenadora do Observatório de Violências na Escola

Revista UNISAL


G

Y o ã ç a r e

m co a t is ev r t En

lo au P r so s e rof op

ue riq n He

Or o c l Fa

.

Essa nova geração de profissionais está cada vez mais em evidência no mercado.

Revista UNISAL

tiz

N ,U

ISA

Matéria de Capa

ha sin e r Te a t an LS

Segundo pesquisa do Instituto Great Place to Work®, edição de 2012, 12% dos funcionários do ranking das “Melhores Empresas para Trabalhar – Brasil” têm pós-graduação e 39% têm o segundo grau. Na faixa etária, 39% têm entre 26 anos e 34 anos, 24% estão entre 35 e 44 anos, 11% têm entre 45 anos e 54 anos e 3% têm mais de 55 anos. A distribuição por gêneros entre as 130 Melhores é composta por 60% de homens e 40 de mulheres; em cargos de liderança, há 33% de mulheres e 67% de homens. A pesquisa mostra ainda que os funcionários da “Geração Y” (nascidos entre 1985 e 2000) e os nascidos antes da década de 1960 são os que melhor avaliam as empresas nas Dimensões Credibilidade, Respeito, Imparcialidade, Orgulho e Camaradagem. Na avaliação do índice de confiança dos funcionários com relação às nove práticas culturais, as mais bem avaliadas foram: Contratar e Receber (86%) e Cuidar (87%). As demais ficaram com os seguintes índices:

Inspirar (85%); Falar (80%); Escutar (81%); Agradecer (76%); Desenvolver (76%); Celebrar (85%); e Compartilhar (77%). Entre os fatores de retenção nas empresas – os motivos que levam o funcionário a permanecer mais tempo em determinada companhia – destacamse: o desenvolvimento profissional/ oportunidade de crescimento (54%); qualidade de vida (27%); remuneração/ benefícios (15%) e estabilidade (4%). Paulo Henrique Falco Ortiz, supervisor de Pós-Graduação em Gestão do UNISAL Unidade São Paulo, campus Santa Teresinha, em entrevista à Revista UNISAL, fala sobre esta geração que está ascendendo, movimentando o mercado profissional e conquistando grandes empresas. Revista UNISAL (RU): Qual é o Perfil da Geração Y? Professor Paulo Henrique Falco Ortiz: Podemos afirmar que o perfil da Geração Y é um perfil alinhado com a tecnologia, ou seja, que acompanha velozmente as novidades e também impõe um ritmo frenético ao tempo, com as coisas que acontecem ao seu redor. Ao mesmo tempo se preocupa mais com a qualidade de vida e com o futuro da humanidade. É uma geração questionadora, sem medo de represálias e pronta para o debate, buscando sentido em tudo. É por natureza mais arrojada e preparada para mudanças, aceita as novas estruturas organizacionais e se adapta mais facilmente a elas. RU: Qual é o comportamento da Geração Y no mercado? Prof. Paulo: O seu comportamento nas empresas não difere do seu comportamento na sociedade, ou seja, o que os Ys realmente são por natureza. São mais abertos aos novos modelos e às suas estruturas de trabalho, e com isso participam ativamente dos processos. São muito práticos, o que os leva a ter pouca paciência para longas reuniões 11


Matéria de Capa e para a espera de respostas. Essa pouca paciência os leva a não respeitar tanto a hierarquia, pois tudo deve acontecer rapidamente e ativamente. RU: Geração x versus geração y: qual é a sua análise sobre as necessidades das empresas hoje? Prof. Paulo: Estamos convivendo com as cinco gerações ao mesmo tempo dentro das organizações: a geração dos Veteranos (nascidos aproximadamente entre 1920 e 1945), a geração dos Baby Boomers (nascidos entre 1945 e 1964), a geração X (nascidos entre 1965 e 1970), a geração Y (nascidos entre 1985 e 2000) e a geração Z ou M (nascidos a partir dos anos 2000). Devemos compreender que a união dessas gerações é capaz de criar uma nova empresa, onde essa força resulta em pró-atividade, empreendedorismo e inovação. A geração X contribui com sua experiência profissional e com sua trajetória dentro da sociedade. Esse acúmulo de experiência e conhecimento é importantíssimo para a nova geração dos Ys, potencializando toda sua expertise tecnológica com a maturidade da geração antecessora. RU: Quais são as vantagens e desvantagens para as empresas em trabalhar com a geração Y?

gerações se pareçam mais, estejam mais próximas. O que acontece é que a nova geração que está despontando, a geração Z ou M, traz consigo comportamento parecido com a geração Y, só que mais potencializado. Os Zs ou Ms são mais impacientes ainda, mais tecnológicos e percebem um mundo mais digitalizado. Acredito que essa geração fortalecerá o ambiente corporativo quando lá estiver, adaptando-se e moldando um novo formato organizacional, como acontece agora com a geração Y e X.

“O mercado exige uma gestão inteligente da diversidade; um caminho menos burocrático e mais ágil” RU: Conte-nos uma história de sucesso de um aluno Y do UNISAL no mercado.

Prof. Paulo: Podemos citar como vantagens o dinamismo que essa geração impõe aos negócios. A agilidade típica dessa geração quando canalizada para os processos organizacionais pode ser um fator de destaque e diferenciação para as empresas. O problema ou desvantagem pode vir da má interpretação e gestão dessa velocidade imposta pela geração Y, prejudicando etapas importantes dos processos. Outro ponto a destacar nesta geração que pode afetar as relações é a não aceitação da hierarquia como relevante para o bom funcionamento institucional. A percepção para esta nova geração é de que essa hierarquia trava o sistema, e não estão errados, apenas tratam de forma muito excessiva. RU: Como será o futuro das novas gerações?

Prof. Paulo: Temos excelentes alunos Y em nossas salas no UNISAL. Essa geração enriquece o ambiente acadêmico. Tive um aluno cuja passagem marcou bastante as aulas no curso de administração. Certa ocasião ele se inscreveu em uma vaga para trainee de uma multinacional conhecidíssima, concorrendo com mais de 50.000 candidatos. O processo seletivo foi todo formatado em uma plataforma web. Nosso aluno foi se classificando etapa após etapa e chegou até o momento em que concorria com apenas 50 candidatos, era a reta final do processo seletivo. Ele não foi aprovado na última etapa. Na conferência com o CEO da matriz alemã, quando a língua estrangeira foi exigida em alto conhecimento ele foi eliminado. Mas meses depois ele se deu bem, pois outra grande empresa o chamou e o contratou, acredito que hoje esteja posicionado em cargos superiores e com grande destaque. RU: Qual é o diferencial que esses jovens têm ou precisam ter no mercado?

Prof. Paulo: A diferença entre gerações, quando o enfoque é a distância no tempo, está cada vez menor e isso faz com que as

Prof. Paulo: Eles já chegam ao mercado com boa

12

bagagem tecnológica. Pela intimidade com essa área, muitos deles trazem o arrojo necessário para desenvolver novos produtos e serviços. Estão totalmente alinhados com a inovação e percebem bem as mudanças impostas pela evolução desse mundo globalizado. Uma delas é de se aproximarem mais das outras gerações que já fazem parte da empresa, aprendendo e trocando experiências para que obtenham algo fundamental para o sucesso, o conhecimento profissional. RU: Como professor e profissional de mercado, no papel de entrevistador, como se daria uma entrevista com esse jovem? Prof. Paulo: A entrevista com os jovens da geração Y deve ser encaminhada dentro de um ambiente descontraído, buscando manter o foco para conseguir perceber o talento e as competências do candidato. Alguns pontos devem ser destacados na entrevista, percebendo o olhar do jovem para a inovação, provocando-o para extrair o máximo do seu conhecimento e, acima de tudo, entendendo o quanto contém de bagagem cultural obtida do convício com outras gerações. RU: Considerações Finais Prof. Paulo: Faço um pedido aos jovens da Geração Y: busquem a aproximação das gerações anteriores. Esse convívio fará parte de um aprendizado muito relevante para os Ys, preparando-os melhor para o mercado de trabalho. Do outro lado, as empresas precisam entender melhor essa nova geração e respeitá-la, proporcionando um ambiente sadio para todos os envolvidos e para a organização.

Revista UNISAL


“A pedagogia me deu toda a base e estrutura para ser a profissional e o ser humano que sou hoje.” Maria Aparecida Nobre Santana

SOU UNISAL Crédito: Marketing UNISAL

a mais importante de todas, pois me deu toda a base e estrutura para ser a profissional e o ser humano que sou hoje”, enfatiza Nobre. No ano de 2003, enquanto cursava o terceiro ano do curso, Cida recebeu um convite da Coordenação de Pedagogia para trabalhar no Setor de Estágios do UNISAL como estagiária e, quando se formou, foi efetivada.

O dia de Maria Aparecida Nobre Santana, 58, começa às 4h30. Durante o seu percurso para o trabalho, Cida aproveita para fazer uma caminhada, pois sua jornada vai até às 22h. Há 11 anos trabalhando no Departamento de Estágios do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo - Unidade São Paulo campus Santa Teresinha, Cida traz em sua bagagem um currículo recheado de formações, especializações e experiências profissionais. Pedagoga formada pelo UNISAL Unidade São Paulo campus Santa Teresinha, na primeira turma de 2004, Economista, Administradora de Empresas, Instrumentadora Cirúrgica, Especialista em Educação Social pelo Revista UNISAL

UNISAL Unidade Campinas campus São José e em Psicopedagogia Clínica/ Educacional, a pedagoga trabalha desde os 14 anos e já foi recepcionista, secretária executiva bilíngue e instrumentadora cirúrgica. “Já passei por empresas do setor imobiliário, hospital, multinacionais do segmento de produtos eletrônicos e alimentos, hospital e escola técnica”, diz Nobre. Em 1994, Cida prestou um concurso público para trabalhar em um Centro de Convivência Infantil – Creche, como Educadora, onde trabalha até hoje. Em 2000, Cida resolveu fazer Pedagogia no UNISAL, no qual abriu novas portas à sua carreira profissional dentro da área de Educação. “De todas as minhas formações, a Pedagogia foi

O Setor de Estágios do UNISAL tem o objetivo de promover a integração e a inserção dos alunos no mercado de trabalho, aliado a três pilares: formação profissional, aprendizado e experiência. “O nosso papel é dar o instrumento certo para que o aluno consiga fazer a sua caminhada com segurança”, alegra-se Nobre. Hoje, além da área de estágios, Cida também está envolvida na organização logística dos eventos de Pedagogia, no apoio à Coordenação do Programa Idade Ativa – voltado à terceira idade - e no Programa Ler e Escrever da Prefeitura, que mantém convênio profissionalizante com o UNISAL.

Cida ama o que faz e para ela trabalhar no UNISAL é estar cercada pela espiritualidade, ética, respeito, solidariedade, cuidado com o outro, dedicação, profissionalismo e diz agradecida: “Considero-me uma pessoa e uma profissional privilegiadas, pois sempre tive ótimos gestores, os quais foram e são comprometidos com uma gestão democrática, participativa e que enxerga no colaborador, um parceiro”. 13


Talentos UNISAL

Universitários 5 Estrelas do UNISAL Crédito: Marketing UNISAL

João Mário de Oliveira Rodrigues e Maria Eliana Mota Sampaio formaram-se este ano pelo UNISAL, Unidade Lorena. Foram destaques do “Programa Universitário 5 Estrelas” - cujo objetivo é incentivar o aluno a enriquecer o currículo durante o período da faculdade e contribuir para sua colocação mercado, e trazem em suas bagagens muitas histórias de sucesso, que você acompanhará nestas entrevistas. João é bacharel em Ciência da Computação e trabalha na área de comércio eletrônico. Eliana é pedagoga, bacharel em História e leciona em escolas públicas para o Ensino Fundamental I, II e educação para jovens e adultos (EJA) de Lorena.

Eliana Sampaio Aluna do curso de História

Revista UNISAL (RU): João o que o levou a fazer Ciência da Computação? Eliana, o que a levou a cursar História? João Rodrigues: Primeiramente o interesse pela área de computação e o desejo de atuar em uma área de destaque e contínuo crescimento no cenário brasileiro e mundial, que oferece inúmeras oportunidades de trabalho. O curso de Ciência da Computação proporciona formação abrangente na área de software e estuda de modo profundo tanto fundamentos quanto tecnologias de software. Os fundamentos formam uma boa base teórica que permite acompanhar com facilidade as rápidas mudanças tecnológicas. Eliana Sampaio: O curso de História sempre foi uma paixão, uma conquista. Sou uma apaixonada por conhecer como se deu a formação de outros povos, outras culturas; 14

Agradeço a Deus, ao meu esposo Adilson, aos meus filhos Hélio Vinícius e Hélio Guilherme, aos meus pais, familiares e aos amigos queridos por essa conquista. Crédito: Marketing UNISAL

Sou muito grato a todos que durante esse período contribuíram com minha formação profissional e pessoal.

João Rodrigues Aluno de Ciência da Computação

Revista UNISAL


Talentos UNISAL como se constituíram suas estruturas sociais, econômicas e políticas, enfim, também pela necessidade em ressignificar o presente com bases no passado. O professor e jornalista Adinalzir (RJ) diz que: “[...] O historiador é uma peça fundamental em todo o tipo de cultura. Ele retira e preserva os tesouros do passado, interpreta a História, aprofunda o conhecimento do presente. Um povo sem História, e sem o historiador, é um povo sem memória.” RU: Como conheceram o UNISAL? João: Por indicações de amigos e pesquisas realizadas que me indicaram que a Instituição é muito bem conceituada e de total confiança. Eliana: Sou filha de Lorena e o UNISAL (com 61 anos...) faz parte de nossa História, de nossa tradição local, então, poder estudar no UNISAL é um privilégio e motivo de orgulho para mim e para a minha família. RU: Como foi a trajetória acadêmica de vocês no UNISAL? João: Além de estudar as disciplinas oferecidas pelo curso de Ciência da Computação, pude participar de diversos eventos e interagir com outros cursos da Instituição. Destaco a oportunidade que tive de participar do evento: “Jornadas de Produção Científica e Prática de Estágio 2012”, realizada pelo UNISAL, na qual pude apresentar um trabalho que desenvolvi ao longo do curso e que contribuiu com minha formação profissional e fortaleceu o meu relacionamento junto à comunidade. Eliana: Minha trajetória é marcada pelo empenho de trazer contribuições profissionais e pessoais para minha vida. As experiências de Estágio Curricular Supervisionado foram marcantes, pois me permitiram a integração entre teoria e prática, criaram a possibilidade do diálogo reflexivo sobre diversos assuntos importantes na comunidade escolar, na vida do aluno, no envolvimento com as famílias, enfim, na parceria de um trabalho de qualidade. RU: O que vocês acham do Programa Universitário 5 estrelas? Revista UNISAL

João: É um programa de extrema relevância para o meio acadêmico, que incentiva os estudantes a desenvolverem ou aprimorarem habilidades que hoje são essenciais para um bom profissional, e premiálos pelo empenho nos estudos e na busca por uma sociedade melhor. Eliana: Sem dúvida, é um incentivo de superação dos medos, do enfrentamento dos desafios neste universo acadêmico, além de preparar o aluno para o mercado de trabalho, dar-lhe visibilidade das competências e habilidades daqueles que querem se destacar. RU: Contem-nos suas experiências no mercado de trabalho João: Atualmente sou responsável pela área de comércio eletrônico da empresa em que trabalho. Para ser um bom profissional, é preciso assumir várias disciplinas no caminho de aprendizagem, tais como administração,

comunicação, ética, e ter plena consciência de que o aprendizado não está limitado a um período de tempo, mas por todo o trajeto profissional. Hoje o meu trabalho exige exatamente isso, a multidisciplinaridade, tendo a responsabilidade de responder pelo bom funcionamento da área e por gerenciar uma equipe. Eliana: Uma experiência que me marcou muito foi o Projeto de Leitura da minha escola no governo Mário Covas, desenvolvido em 2008, em que os alunos (individualmente) escreveram seus livros. Este projeto teve por finalidade a formação de alunos leitores e escritores, competentes e autônomos. As crianças, em contato com a leitura e a escrita, utilizaram diferentes

linguagens e foram capazes de registrar suas vivências e experiências cotidianas no livro cujo título é “PARA LER E CRIAR É SÓ COMEÇAR...”. A cada dia, a cada aula, busco algo novo que faça sentido nessa relação de respeito com os alunos”. A experiência na Educação de Jovens e Adultos - EJA - ministrando aulas de História é uma relação humana que gera “vida”. RU: Quais são os planos ou projetos de vocês para o futuro? João: Iniciei este ano um MBA em Administração e Marketing, com o qual pretendo me qualificar mais para o mercado de trabalho e adquirir os conhecimentos necessários para futuramente realizar um empreendimento. Eliana: Fazer Pós-graduação em Gestão Educacional e Mestrado em Educação ou Desenvolvimento Humano. RU: Os cursos que vocês fizeram são recomendados para pessoas que gostam de ... João: O curso prepara “cientistas da computação” com formação conceitual e tecnológica, habilitando-os a atuarem tanto no desenvolvimento científico quanto em funções técnicas, com perspectiva de benefício para a sociedade. Recomendo-o para pessoas que gostam das especialidades da área de computação, entre as quais cito: inovação tecnológica e desenvolvimento de softwares. Eliana: Estudar cultura, política, relações humanas e as civilizações do mundo. RU: Quais as lições aprendidas do curso no UNISAL? João: No ambiente do UNISAL, pude aprender qual é o real valor de um bom profissional/cidadão por meio da teoria, de seminários, jornadas científicas e principalmente da interação com meus colegas, e professores. Eliana: Garra, força, coragem, determinação e dinamismo para fazer sempre o melhor! 15


Acontece nos campi

UNISAL recebe “Prêmio Trote Solidário” da Câmara Municipal Crédito: Marketing UNISAL

Equipe do UNISAL com o prêmio Trote Solidário

O UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Americana, recebeu, no dia 17 de maio, pela Câmara Municipal de Americana, o Prêmio de Cidadania “Trote Solidário”, por destaque na organização, recepção dos calouros, estimulando o exercício

da cidadania, a preservação ambiental e a participação comunitária. É a segunda vez que a instituição recebe o prêmio. A sessão solene de entrega do prêmio de cidadania contou com a presença do vereador Capitão Crivelari – idealizador do projeto, por meio

VIII Fórum Interdisciplinar do UNISAL Crédito: Marketing UNISAL

do decreto legislativo. Instituições de ensino superior da cidade se inscreveram e desenvolveram projetos sociais que envolvem a organização de recepções aos calouros, estimulando o exercício da cidadania, a preservação ambiental e a participação comunitária. Também participaram da mesa solene o presidente da Câmara – Paulo Sergio Vieira Neves, o diretor de operações do UNISAL – Anderson Luiz Barbosa, a coordenadora do curso de Pedagogia – Regiane Rossi Hilkner, representando o Departamento de Extensão e Ação Comunitária do UNISAL – Vaniria Felippe Tozato e o aluno Daniel Romeu Pântano.

UNISAL sedia reunião do FOREXT Crédito: Marketing UNISAL

Pró-Reitores de Extensão presentes no FOREXT

P. Ronaldo no segundo dia do evento apresentou o palestrante Prof. Hilton Japiassu

Educação e aprendizagem foram os assuntos debatidos no VIII Fórum Interdisciplinar do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade São Paulo campus Santa Teresinha, realizado nos dias 24 e 25 de abril. Os palestrantes, prof. José Pacheco, Mestre em Ciências da Educação pela Universidade de Porto, em Portugal 16

e idealizador da Escola da Ponte, inovadora em projeto educativo sobre autonomia dos estudantes e o prof. Hilton Japiassu, Doutor em Filosofia pela Université des Sciences Sociales de Grenoble (França), entusiasmaram alunos, ex-alunos e a comunidade, tornando o diálogo muito produtivo e interativo.

No dia 20 de maio, o UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade São Paulo, campus Santa Teresinha, sediou a reunião do FOREXT – Fórum Nacional de Extensão das Instituições de Ensino Superior Comunitárias, Câmara Sudeste. Ao longo do ano de 2013, a Vice Coordenação da Câmara Sudeste será exercida pela Pró-Reitora de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do UNISAL – Regina Jantke. Revista UNISAL


Acontece nos campi

UNISAL aplica nova metodologia de ensino focada no trabalho coletivo Crédito: Marketing UNISAL

Larry Michaelson em workshop sobre o método Team Based Learning

Professores do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Lorena, já podem colocar em prática mais uma metodologia ativa de ensino chamada TBL – Team Based

Learning, que tem como ponto forte a ênfase no trabalho coletivo. O TBL foi apresentado a um grupo de 52 professores, no dia 17/5, durante workshop com o idealizador do método,

XII Semana Jurídica do UNISAL

Crédito: Marketing UNISAL

Participantes no auditório do UNISAL na XII Semana Jurídica

O UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Campinas, campus Liceu Salesiano, realizou a XII Semana Jurídica, de 20 a 24 de maio. Entre os profissionais que participaram dos bate-papos com os alunos no decorrer da semana esteve a desembargadora do TJSP Tribunal da Justiça de São Paulo, Dra. Lígia Cristina de Araújo Bisogni, que discursou sobre: “A Atuação Ética dos Sujeitos Processuais”. No último dia do evento, os alunos Revista UNISAL

participaram de um debate com o Delegado Antonio Cunha, sobre a polêmica PEC 37, que trata dos poderes investigatórios do Ministério Público (MP) e com o Promotor Rogério Sanches Cunha, mediados pelo Juiz Estadual, Dr. Fabrício Reale e pelo Prof. João Violante. “A nossa Semana Jurídica foi feita para os nossos alunos e espero que todos tenham aproveitado, diz o Diretor de Operações do UNISAL, Marcelo Scudeler.

Larry Michaelson, da Universidade Central do Missouri, EUA. Participaram do workshop professores de diferentes cursos, e todos se mostraram interessados em aprender mais e iniciar a utilização do método. Os professores Marcilene Bueno e Antonio Sávio, coordenadores do LMI – Laboratório de Metodologias Inovadoras da Unidade de Lorena, explicam que o Team Based Learning envolve estudos e leituras prévias durante os estudos em grupo, e seu foco é o trabalho coletivo, dentro dos grupos, com feedback imediato. No segundo semestre deste ano, o LMI, por meio dos professores Marcilene e Antonio, irá desenvolver o método do TBL e adquirir os materiais necessários para aplicá-lo durante todo o semestre em disciplinas dos cursos de Pedagogia, Direito e de outros cursos cujos professores requisitarem auxílio do laboratório.

UNISAL sedia a UNIEXPO Campinas O UNISAL - Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Unidade Campinas, campus São José, sediou, no dia 27 de abril, a UNIEXPO – VI Exposição Teenager de Universidades e Profissões – em Campinas-SP, que atraiu um público interessado em iniciar a graduação. Participaram da feira 24 faculdades de Campinas e região e mais de 3.000 alunos passaram pelo UNISAL São José. No evento, os alunos receberam informações sobre o funcionamento dos cursos em diversas áreas e também sobre questões do mercado de trabalho das carreiras tais como: salário médio, onde se pode trabalhar e o dia a dia das profissões. 17


Momento de Salesianiedade Crédito: Divulgação

Esta nova seção da Revista UNISAL trará em cada edição comentários de padres salesianos sobre uma frase de Dom Bosco:

“meus caros jovens, eu vos amo de todo coração, basta-me saber que sois jovens para que vos ame profundamente”

Dom Bosco

18

A Predileção de Dom Bosco pela Juventude

A admiração e devoção de Dom Bosco por São Francisco de Sales, santo da amabilidade e da boa educação, deixa transparecer essa sua busca de dominar-se para amar melhor as pessoas. No seu célebre sonho aos nove anos, ele se vê rodeado de moleques mal educados e violentos. Querendo impor-se, parte para cima

deles com a força bruta, murros e pontapés. Ouve imediatamente do personagem misterioso: “Não com pancadas, João, mas com a bondade e o coração você irá conquistá-los”. E aquela turba de incontroláveis garotos se transforma em mansos cordeirinhos. Dedicou então toda sua vida à educação e promoção da juventude, particularmente dos que viviam em situação de risco. Embora, pelos seus dons e carismas, tivesse recebido muitas outras propostas mais aliciadoras, com melhores salários e condições de vida, ele, entretanto, permaneceu fiel a essa opção radical pelos jovens, amando loucamente seus meninos e jovens. Sua frase “meus caros jovens, eu vos amo de todo coração, bastame saber que sois jovens para que vos ame profundamente” traduz em síntese sua orientação de vida e sua pedagogia. Ele viveu numa época que era praxe, na pedagogia, usar mais o método repressivo (castigar quando um jovem erra) do que o sistema preventivo (colocar o jovem na moral impossibilidade de cometer faltas). Sem ser o autor desse método, foi Dom Bosco quem mais o aprofundou e, sobretudo, praticou em sua longa convivência com os jovens, fazendo predominar o amor e o carinho, e não tanto a observância da ordem e da disciplina. Tornou-se um dos maiores educadores do século XIX e foi proclamado “Pai e Mestre dos jovens”. Segundo Dom Bosco, esse sistema pedagógico baseia-se em três simples conceitos: razão, religião e bondade. Ele percebeu que, sobretudo para os jovens carentes de amor e carinho, a atitude primeira seria o amor e a bondade. Ele dizia que um jovem, por mais extraviado que seja, ou piores coisas que pratique na vida, sempre terá no seu coração uma corda sensível ao bem, amor, ao carinho, à bondade. É por essa porta, dizia, que devemos entrar em seus corações. Dom Bosco não só dedicou toda sua vida à juventude, mas também cercou-se de colaboradores de várias procedências e natureza aos quais transmitiu vivencialmente, e com muita paixão, as riquezas desse sistema preventivo e essa predileção pelos jovens: é a família salesiana. P. Luiz Alves de Lima é salesiano, doutor em teologia, professor do UNISAL, campus Pio XI de São Paulo, participou do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, como assessor. Revista UNISAL


Diferencial UNISAL

BIC-SAL 2013 para Iniciação Científica

Cr éd ito

:M ar ke tin g

UN

ISA L

É com grande satisfação que o UNISAL divulgou os resultados dos projetos aprovados de alunos das Unidades de São Paulo campus Santa Teresinha, Americana, Lorena e Campinas campus São José, para o Programa de bolsas – BIC-SAL 2013 – de Iniciação Científica. O objetivo principal do Programa é despertar a vocação de pesquisa científica e incentivar novos talentos potenciais entre os estudantes de graduação dos diversos cursos oferecidos pelo UNISAL. Além disso, o programa: - Contribui para a formação de recursos humanos para a pesquisa científica e incentiva os participantes na continuidade dos estudos em cursos de pós-graduação. - Estimula e incentiva professores pesquisadores produtivos a envolverem alunos da graduação nas atividades científica, tecnológica e artística-cultural. - Proporciona ao bolsista, orientado por um professor pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa e a situação atual do mercado.

Americana Confira o número de projetos aprovados em cada Unidade

A lista de alunos aprovados do BIC-SAL está disponível no site do UNISAL

24 projetos aprovados

Campinas - São José

Campinas - Liceu 2 projetos aprovados

22 projetos aprovados

São Paulo - Santa Teresinha

Lorena

3 projetos aprovados

20 projetos aprovados Revista UNISAL

19


Artigo

relações entre Educação física: “As saúde, exercício e qualidade reflexões sobre físico de vida têm sido bastante difundidas o Mercado pela mídia” Por Profa. Ms. Marília Corrêa Kobal

Crédito: sxc

A Educação Física é uma área de conhecimento e de intervenção acadêmico-profissional cujo objeto de estudo é o movimento humano, com foco nas diferentes formas e modalidades do exercício físico, da ginástica, do jogo, do esporte, da luta/ arte marcial, da dança, ou seja, nas diferentes manifestações da cultura corporal de movimento. Desde 2001, o Curso de Educação Física em nível superior possui duas habilitações: a Licenciatura, que segue as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, e o Bacharelado, que segue as Diretrizes Nacionais para os Cursos de Graduação em Educação Física (2004). A Licenciatura destina-se a formar professores para atuarem na Educação Básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio) e no Ensino Superior, isto é, na educação formal. O Bacharelado (denominado Graduação pelo MEC) tem por finalidade formar profissionais para intervirem de forma apropriada e ética nos seguintes campos: prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde; formação cultural; educação e reeducação motora; rendimento físico-esportivo; lazer; gestão de empreendimentos relacionados às atividades físicas, recreativas e esportivas; outros, que oportunizem a prática de atividades físicas, recreativas e esportivas. O principal objetivo do professor/ profissional de Educação Física é conscientizar a população sobre a necessidade de um estilo de vida ativo para a manutenção da saúde e da qualidade de vida. 20

A área de Educação Física é um mercado de trabalho que se encontra aquecido, uma vez que as relações entre saúde, exercício físico e qualidade de vida têm sido pesquisadas e bastante difundidas, inclusive pela mídia. Dessa forma, o mercado de trabalho tem se expandido e abarcado de modo bastante abrangente os cerca de 20.000 profissionais graduados anualmente nos mais de 400 cursos de Educação Física espalhados pelo país. Assim, a demanda pela qualificação e capacitação dos profissionais da área é cada vez maior. O leque de opções de mercado na esfera do esporte e, especificamente, na gestão esportiva é extenso e necessita ser ocupado por profissionais especializados na área administrativa. De acordo com Capinussu (2002), é imprescindível um conhecimento básico de marketing,

promoção de eventos, legislação, direito administrativo e do trabalho, desenvolvimento organizacional, técnicas gerenciais, relações humanas e outros elementos de substancial importância, úteis para que eles possam realizar seu trabalho de forma segura e evidenciar conhecimentos suficientes para resolver os mais complexos problemas surgidos no cotidiano de suas atividades. A capacitação profissional é uma responsabilidade de mão dupla: da instituição e do aluno, futuro profissional. Quanto mais o aluno se empenhar nos estudos, maior a probabilidade de se firmar no mercado de trabalho, que é exigente e competitivo. O Curso de Educação Física do UNISAL preocupase com a capacitação e com a formação humana, considerada como diferencial no ensino superior. Assim, pretende preparar o profissional para o mundo do trabalho em constante mutação. Revista UNISAL


Agenda Fique ligado nos próximos eventos! Junho 30 de maio a 01 Congresso IUS-Brasil [(Brasília) 05 Dia do Meio Ambiente e dia da Ecologia 07 II Maratona RoboCode da Ciência da Computação, na Unidade Lorena 12 Dia dos Namorados 13 Dia de Santo Antônio 18 Dia do Químico 24 Dia de São João 22 Encerramento do primeiro semestre letivo 29 Encerramento do Semestre Letivo Pós-Graduação (Santa Teresinha)

Julho 01 Início das férias - corpo docente e discente. 01 a 19 Curso de Pós-Graduação em Liturgia (Pio XI) 09 Feriado - Revolução Constitucionalista de 1932. 18 Congresso Mundial das IUS Católicas (Belo Horizonte até 21). 23 a 28 Jornada Mundial da Juventude (Rio de Janeiro)

Agosto 01 Início do 2ºSemestre – Curso de Teologia (PIO XI) 03 Início das aulas Pós-Graduação 2013/2014 (Lorena) 05 Início das aulas - 2º Semestre Letivo

Revista UNISAL

21


Dicas Culturais Uma pedagogia Poética para as crianças. O livro é organizado em três partes, dentre elas a intitulada “Uma pedagogia poética”, onde são feitas considerações sobre a educação da infância, com propostas de experiências criativas, acompanhadas de textos de crianças. Severino Antônio é professor do Programa de Mestrado em Educação Sociocomunitária do UNISAL - Unidade Americana.

A Revolução de 1932 no acervo do Museu Frei Galvão – Reconstrução da Memória Regional A obra é fruto de uma parceria do curso de História do UNISAL – Unidade Lorena- e a empresa AGC Vidros do Brasil. Visa à preservação da cultura e memória sociais, relatando momentos importantes da Revolução de 1932 na região do Vale do Paraíba, SP.

As janelas do Vaticano II Nesta obra, da qual uma das autoras é Rosana Manzini, Diretora Operacional do UNISAL - Unidade São Paulo - campus Santa Teresinha, o leitor verá um retrato panorâmico de um dos maiores eventos dos últimos séculos: o Concílio Vaticano II (1962-1965).

Casos de Juri e Outros Casos O Professor Silvio Artur Dias da Silva, do UNISAL - Unidade Campinas - campus Liceu Salesiano, lançou seu primeiro livro em abril, no UNISAL. Nesta obra, o professor contra 111 casos da sua longa carreira como Advogado e Procurador do Estado, com forte atuação no Tribunal do Júri.

Direitos Humanos, Fundamentais e Desenvolvimento Social. Os Mestrados em Direito do UNISAL, Unidade Lorena, da Unicuritiba (Paraná), da Ucam (Rio de Janeiro) e do Univem (São Paulo) lançaram o livro “Direitos Humanos, Fundamentais e Desenvolvimento Social”, com artigos de professores e orientandos dos quatro Programas. A obra faz parte da coleção Programas Jurídicos, e entre seus autores estão estes professores do UNISAL: José Marcos Miné Vanzella e Antônio Sávio da Silva Pinto. 22

Revista UNISAL


ESPAÇO DO LEITOR A Revista UNISAL abre este novo espaço para você deixar comentários, ideias, fazer perguntas, sugerir pautas para as próximas edições, elogiar ou dizer os pontos que podemos melhorar.

O que você achou do novo

L?

projeto da Revista UNISA

Escreva para nós! divulgacao@unisal.br

Seja bem-vindo ao Espaço do Leitor!

Revista UNISAL

23


Sessão

, o ã ç a c i n u m o c Mais o ã ç a r e t n i s i a m

@unisal

al

/centrounis

/unisal ��cada�dia�as�m�dias�sociais�atraem�mais� usuários� e� ampliam� sua� capacidade� de� facilitar� relacionamentos,� divulgar� produtos�e�serviços,�informar,�comunicar� ��tudo�acontece�de�forma�interativa,�com� espaço�para�todo�tipo�de�manifestação. �� ������� tam��m� navega� nessa� rede� para� compartilhar� informações� e� interagir�com�os�usuários.

24

Revista UNISAL


Revista UNISAL