Page 1

SCANNER

Aquisição de equipamento para uso comum na BC

vivemar

Momentos de introspecção e conhecimento Marista

Fotografias Ensaio fotográfico para colação de grau na Biblioteca

Edição de maio, 2018

vivendo em biblioteca

TCC ONLINE TCCs defendidos na Universidade em formato online PÁGINA 56

SBNU 2018 XX SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS PÁGINA 44


TIME

EDITORIAL c a r ta d o E D I T O R

PRODUÇÃO A união de mentes e propósitos, trazem a existência, ideias que se materializam em obras, as quais, podem organizar a memória como legado. HELOISA HELENA ANZOLIN “Essa publicação nasce como um ca­nal de comunicação para todos Colaboradores. A locomotiva de nossa existência profissional é a informação, insumo de potencial educional voltado para a Comunidade Acadêmica, deste modo, oferecemos préstimos à so­ciedade diretamente. Buscamos vencer barreiras no desafio de conseguir empregar uma lin­guagem acessível. Miramos na riqueza dos conhecimentos que estão em nossas mãos, o modo como facilitamos o acesso e como atendemos nossos usuários que serão os futuros profissionais e cidadãos do mundo. O enfoque sempre será a excelência em todas áreas existenciais, sobretudo, no atendimento, marca registrada de nossa Biblioteca e que sempre pode evoluir”.

COORDENAÇÃO CRIATIVA SANDRA HELENA SCHIAVON contribuição br.freepik.com flaticon.com EBSCO Pearson

colaboração todos parceiros que trazem o aporte de matérias E que propiciam a elaboração do “vivendo em biblioteca”.

aríssimo COLABORADOR E LEITOR, nesta segunda edição do presente ano, desta feita no mês de maio de 2018, comemoramos 1 ano de edições, centenas de visualizações, sendo essa a 8ª no cômputo geral. Ao longo deste tempo registramos nossas atividades, gerando memória e a mantendo de modo digital onde a qualquer momento podemos recorrer e nos ver em cada atividade, pois a Biblioteca é feita por pessoas e atende pessoas, de modo que construímos história, nossa história dentro da história institucional. Diante disto, a partir deste mês também contemplamos a memória que está sendo gerada em Londrina e Toledo, e como é comemoração dispusemos todas as edições num Website feito com carinho e que é de todos, sendo assim, é possível acessarmos qualquer edição sem recorrer a links anteriores que até mesmo já apagamos. Toda evolução dos TICs proporcionam novos horizontes e possibilidades para que possamos criar e desenvolver novas situações ainda a serem exploradas. Parabéns amigos Colaboradores! Esse aniversário de edição também festejamos o dia das mamães, assim como iniciamos ano passado e só podemos e só é viável com a ajuda de todos vocês ! Celio Donizete Correia, Editor.

FOTO DA EDIÇÃO SANDRA HELENA SCHIAVON “Todos somos responsáveis pelas escolhas que fazemos, nossa construção se dá pelas ações e oportunidades que surgem, precisamos reconhecer e aproveitar cada oportunidade para nosso crescimento tanto pessoal como profissional. E a nossa oportunidade agora é mostrar nossa criatividade, nosso potencial jornalístico e transformar nossa história profissional, deixando um legado impresso daquilo que somos e como nos desenvolvemos”. Estejam sempre a vontade de sugerirem, para que assim possamos construir juntos o ‘Vivendo em Biblioteca”.

6

Fotografia: Homenagem as mamães Colaboradoras!

LONDRINA NEWS 10 Apresentação: Conhecendo a equipe e histórico da unidade!

TOLEDO NEWS 16 Colaboradores: Conhecendo a equipe e histórico da unidade!

BC NEWS 24 Dia a dia: Informações da BC!

2

VIVENDO EM BIBLIOTECA

On the cover Junção das imagens do Câmpus Londrina, Maringá e Toledo que integram n o s s a s edições e o SIBI/PUCPR.

CONTEúdo

DIRETOR DE PUBLICAÇÃO HELOISA HELENA ANZOLIN EDITOR e DESIGN / PRODUCão CELIO DONIZETE CORREIA

C

TREINAMENTO EBSCO 26 EDS: Sistema integrado em treinamento no Blaise Pascal!

VIVEMAR 28 Vivência: Colaborador adentra na mística Marista num encontro inesquecível!

CLUBE DO LIVRO 42 Apresentação: Evento aborda temas complexos de violência!

PROJETO VIZINHANÇA 44 Encontro: Identidade Institucional no espírito Marista!

FIM DE UM CICLO 45 Despedida: Bibliotecária Cassiana se despede da equipe!

SNBU 2018 48 Salvador: Encontro ocorre no nordeste do país com apresentação de pôsteres!

ENDNOTE WEB 61 Treinamento: Bibliotecárias mostram o potencial da ferramenta!

BIOGRAFIAS 62 História: Sandra Helena Schiavon! MAIO / 2018

3


COORDENAÇÃO

NEWS Periódicos (ICAP) Inserção de minhas metas e PDI de 2018 no Sistema de Capital Humano. Reunião com aluno Rodolfo Domingos do Curso de Publicidade e Propaganda para programação do Clube do Livro - Sandra, e Janaína 22.03 - Fechamento de minhas metas e PDI de 2017 no Sistema de Capital Humano Envio de arquivos em excel de metas e pdi 2017 da equipe para DDHO. Reunião Pearson com Bruna Benezatto (Coordenadora Inside Sales) - Assunto - Novo Instrumento de Avaliação MEC - participantes: Sandra, Margareth e Joyce.

espaço diretivo do sibi/pucpr Com o enfoque na dedicação por melhorias, adequações na construção, aproximação nas relações com os Colaboradores da Biblioteca Central, este espaço se destina na divulgação de momentos que ocorrem constantemente, embora nem sempre seja possível reunir tais registros. O presente material contempla essa possibilidade, afim de unir cada vez mais a equipe, sobretudo informar o dia a dia diretivo de forma ética com transparência, no que tange a própria sequencia da cultura em Biblioteca, novas aquisições e atribuições, mudanças, divulgações, etc, tendo em vista a clareza e as interações com os Colaboradores. 02 de maio de 2017.

Informativos                    Registros Semanais 05.03 - Reunião com Pró-Reitor de Identidade, Mi s s ão e E x t e n s ã o I r. Ro g é r io M a t e u c i p a r a a l i n h a r ques tões d a B ib lio t e c a ; 06.03 - 1ª Reunião semanal com Pró-Reitor de I d e n t i d a d e , M i s s ã o e E x t e n s ã o I r. R o g é r i o M a t e u c i e equi pe; P apo & C o n e x ã o - G e s t ã o d e De s e m p e n h o 2 01 8 . 08.03 - Reunião com a procuradora institucional junto ao MEC para avaliações de cursos Prof. Daniele S ehl i - N ov o in s t r u m e n t o d e a v a lia ç ã o d e c u r s os. 12 a 16.03 - Formação Gestão Eficaz - Módulo pres enc i al - L o c a l CM M C - He lo is a 14.03 - R e u n iã o d e b ib lio t e c á r io s e a p r e s e n ta çã o

Atual Coordenadora do SIBI/PUCPR já trabalhou muitos anos como Bibliotecária no Preparo Técnico, esteve presente desde a fundação da Biblioteca Central, iniciou em 1986 suas atividades.

de arti gos p o r Ca s s ia n a , G io v a n n a e De o c é lia . 20.03 - A p r e s e n t a ç ã o P r o g r a m a Viz in h a n ç a - FT D A rena D i gi a l

26.03 - Continuação de metas e PDI. Reunião com Cristiane Arns sobre Programa Vizinhança (Heloisa e Sandra) 27.03 - Missa de Páscoa e Inauguração do novo espaço de Identidade Institucional. Webinar - Integridade Acadêmica: o papel da biblioteca para a construção do conhecimento - Mirian Cris 28.03 - Continuação de metas e PDI. Reunião com equipe da Pró-Reitoria de Identidade, Missão e Extensão. 02.04 - Reunião Pró-reitoria de Pós-graduação Prosseguimento de cadastro de metas e PDI 03 e 04.04 - Prosseguimento de cadastro de metas e PDI 05.05 - Finalização de cadastro de metas e PDI de 2018 e envio ao DDHO. 0 6 . 0 6 - R e u n i ã o p a r a b i b l i o t e c á r i o s - A p r e s e n t a ç ã o d o P r o g r a m a Vi z i n h a n ç a . De 15 a 20 de abril, estive participando do XX Seminário de Bibliotecas Universitárias - SNBU. O tema central foi “O futuro da biblioteca universitária na perspectiva do ensino, inovação, criação, pesquisa e extensão. O evento foi em Salvador - BA, organizado pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. N o d i a 1 5 / 0 4 p a r t i c i p e i d e u m m i n i c u r s o s o b r e “ Te n d ê n c i a s e m s e r v i ç o s e tecnologias para as bibliotecas universitárias”. Abordou alguns elementos essenciais relacionados às bibliotecas universitárias do futuro. Dentre eles ressaltam-se as tendências quanto às funções e atividades, espaços, serviços de informação e os suportes da informação da biblioteca universitária. Os estudantes irão cada vez mais se ver como cliente e consumidores, que esperam por instalações e serviços de alta qualidade. No futuro, espera-se que as bibliotecas se tornem mais dinâmicas, democratizadas, acessíveis e centradas nas pessoas, vinculando culturas e experiências (Council on Library and Information Resources, 2005). De 16 a 20/04 várias conferências, mesas redonda e colóquios,como: Inovação e Criação na Universidade; O futuro das bibliotecas é aberto; Acessibilidade, diversidade, percepção e representação do outro; Inovação nos Sistemas de Bibliotecas Universitárias; a Biblioteca Universitária e a inovação; Cultura, recepção e representação, Desafios para a construção d a b i b l i o g r a f i a b á s i c a e c o m p l e m e n t a r, d e n t r e o u t r o s . Paralelamente as sessões de posteres e apresentações de trabalhos , além de visitas técnicas e feira de expositores. Eleição da nova diretoria da Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias - CBBU e apresentação da IES que sediará e edição de 2020. Será sediado ela Universidade Federal de Goiânia - UFG. Os temas predominantes e recorrentes foram inovação nas bibliotecas univ e r s i t á r i a s e o n o v o i n s t r u m e n t o d e a v a l i a ç ã o d e c u r s o s d o M E C / I N E P. ▣

R euni ão P r ó - Re it o r I r. Ro g é r io e e q u ip e d e d i r e to res para d e f in iç ã o d e m e t a s 2 0 1 8 . 21.03 - Live Pergamum - Indexação Compartilha de

4

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

5


6

MAIO / 2018

7


8

MAIO / 2018

9


10

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

11


LONDRINA NEWS

apresentação                   

histórico da biblioteca e a equipe

A

Biblioteca do Câmpus Londrina é integrante do Sistema Integrado de Bibliotecas da PUCPR. Fica localizada no hall de entrada do edifício acadêmico, oferece espaço para estudo e pesquisa, área de acervo, cabines de estudo e Biblioteca Virtual de Bases de Dados. Foi inaugurada em 2003, juntamente com o câmpus, realiza aproximadamente 3500 empréstimos por mês, possui um acervo de 60.000 exemplares e tem uma área de 710,38 m2. Atualmente sua área de abrangência é administração, direito, ciências contábeis, teologia, engenharia de produção, psicologia e medicina.

Equipe da Biblioteca do Câmpus Londrina reunida

A equipe é formada por uma bibliotecária – Nadia Ficht, responsável pela biblioteca, e seis assistentes administrativos, os quais realizam atividades de empréstimo, devolução, guarda de material, conserto e reparos de obras, atendimento em geral. Na biblioteca de Londrina todos da equipe realizam atividades diversas, não são específicos de um ú n i c o s e t o r, a e q u i p e é m u l t i f u n c i o n a l e p r e p a r a d a para todos os serviços oferecidos pela biblioteca. A c o l a b o r a d o r a L u c i l e n e A p a r e c i d a Te i x e i r a , a l é m da guarda, empréstimo e devolução é responsável pelo pré-cadastro de todas autoridades criadas na 12

VIVENDO EM BIBLIOTECA

Colaboradora Lucilene Aparecida Teixeira

Colaboradores Robson, Adriana e Giovana no reparo de obras danificadas

MAIO / 2018

13


LONDRINA NEWS

biblioteca. Além dos serviços triviais da biblioteca, é realizado o conserto e reparo de obras danificadas, como troca de capas, encadernação atualmente a atividade é realizada pelo colaborador Robson Aparecido da Silveira, o qual está ensinado e treinando as colegas Adriana Rafaela Costa e Giovana Helena Ribeiro. No mês de março foram consertadas aproximadamente 20 obras, danificadas pelo uso. Duas colaboradoras Andreia Cicotosto de Lima e Luzia Trovino estão a mais de 10 anos na biblioteca, conhecem todos os serviços, e acompanharam o crescimento tanto do câmpus Londrina como 14

VIVENDO EM BIBLIOTECA

da própria biblioteca, passaram por inúmeras mudanças e melhorias no s e t o r. L u z i a é r e s p o n s á v e l pelo malote entre os campi e Andreia pela précatalogação de obras. A bibliotecária Nadia Ficht, está na PUCPR a 15 anos, já atuou nas bibliotecas de To l e d o , M a r i n g á e a t r ê s anos em Londrina, neste

mês de abril a mesma participa do XX SNBU – Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, neste evento apresentará três trabalhos escritos por ela e demais bibliotecárias da PUCPR, sendo Sandra Helena Schiavon, Kely Comin e Joyce Silva. ▣

Colaboradoras Andreia Cicotosto de Lima e Luzia Trovino

Bibliotecária Nadia Ficht

MAIO / 2018

15


16

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

17


TOLEDO NEWS

apresentação                   

histórico da biblioteca e a equipe

A

B i b l i o t e c a d o C â m p u s To l e d o f o i i n a u g u r a d a em 03 de fevereiro de 2003 juntamente com a criação do Câmpus, tem como objetivo dar suporte às necessidades de informação dos usuários em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Fica localizada no piso inferior do Bloco de L a b o r a t ó r i o s d o C â m p u s To l e d o , c o m á r e a construída de 790,80m². A Biblioteca oferece um amplo espaço para estudo e pesquisa, área de acervo, cabines de estudo e Biblioteca Virtual de Bases de Dados. Seu acervo é composto de mais de 47.000 volumes entre livros, periódicos, CD-ROM, DVDs entre outros materiais bibliográficos. A B i b l i o t e c a d o C â m p u s To l e d o é i n t e g r a n t e do SIBI/PUCPR e obedece ao Regulamento do Sistema Integrado de Bibliotecas da PUCPR. O quadro de colaboradores da Biblioteca de To l e d o é f o r m a d o p o r u m a b i b l i o t e c á r i a e q u a t r o assistentes administrativos multifuncionais que exercem atividades de empréstimo, devolução, guarda de materiais e organização da biblioteca entre outras atividades. ▣ Da esquerda para direita, Colaboradores Eliandro, Mayara, Tânia, a bibliotecária Kely Comin e a colaboradora Vânia na biblioteca do Câmpus Toledo

18

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

19


20

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

21


Maringá NEWS

apresentação                   

histórico da biblioteca e a equipe

A

PUCPR chegou à cidade de Maringá em 2004 para ser mais do que uma instituição d e e n s i n o s u p e r i o r. A U n i v e r s i d a d e v i s a ser um agente de desenvolvimento e de difusão do saber e da cultura, atendendo às demandas da região, de passado agrícola e que hoje tem uma diversidade de atividades econômicas. A Biblioteca do Câmpus Maringá está situada na região central da cidade, com instalações modernas e climatizada, espaço para acervo, leitura, salas de estudo em grupo, área de atendimento, espaço para o Clube do livro e exposições e conta com um elevador para portadores de necessidades especiais.

Esquerda superior Denise Rosa de Souza Moura Reis Central superior Bibliotecária Deocelia Viana Pereira Direita superior Nilma Vieira Fernandes Esquerda inferior Vanessa Camilli de Freitas Nogueira Direita inferior Viviane Cristina da Costa Abaixo Equipe da biblioteca do câmpus Maringá

Atualmente a biblioteca possui 05 colaboradoras, sendo 01 Bibliotecária. ▣

22

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

23


24

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

25


TREINAMENTO EBSCO                   

Auditório Blaise Pascal praticamente lotado no treinamento EDS da EBSCO

EBSCO Discovery Service

Bibliotecária Joyce Leonita da Silva discorrendo sobre o uso do proxy para o acesso remoto

D

ia 07 de maio ocorreu na Biblioteca Central, audi- rápida e com inúmeros tório Blaise Pascal mais um treinamento de pes- recursos auxiliares. ▣ quisa avançada da EBSCO, o novo sistema Organizadora e Bibliotecária Joyce integrado de busca que agregando conteúdo e tecnologia, o Leonita da Silva e o Consultor da EBSCO Renan Neves Turibio EBSCO Discovery Service (EDS) fornece acesso à coleção inteira da biblioteca através dos resultados de pesquisa mais relevantes e precisos. Oferecendo suporte à pesquisa de conteúdo de bancos de dados de texto completo, bancos de dados de citações e coleções de conteúdo, como catálogos de bibliotecas e outras coleções digitais gerenciadas localmente. A experiência de pesquisa integrada é obtida compilando e indexando metadados de uma variedade de fontes de conteúdo em uma plataforma de pesquisa pré-indexada unificada que oferece uma resposta de pesquisa ao usuário 26

VIVENDO EM BIBLIOTECA

Participantes se acomodando no auditório Blaise Pascal momentos antes do início do treinamento MAIO / 2018

27


VIVEMAR

28

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

29


VIVEMAR de ABRIL de 2018                   

Vida Consagrada e Laicato - Setores Provinciais

E

ntre os dias 23 a 27 de Abril de 2018 ocorreu o Vivemar, uma experiência voltada ao desenvolvimento pessoal e espiritual-sensorial. Tudo que fora pensado e s t r u t u r a l m e n t e a m b i c i o n a g e r a r c a t a r s e e i n tr o sp e cçã o , d e modo que todas as atividades são minuciosamente elaboradas com metáforas e simbologias que diante do contexto individual p e r f a z e m o s s e n t i d o s q u e s ã o a g u ç a d o s d e m o d o si n g u l a r em cada integrante, sendo assim, as matérias quanto a essa semana é minha experiência pessoal resumida e sintetizada mais como uma seta para outros amigos da realidade da Biblioteca Central desejarem. Particularmente me aproximei bastante junto ao Ir. Clemente e o Ir. Carlos, aproveitei essa vasta experiência e sobretudo por me identificar como alguém que está diante dos avós, tamanha a acolhida de e a humildade dos irmãos. O irmão Carlos construiu um sabe importante desde o primeiro dia, expondo seu momento de cura ele reiterou inúmeras vezes o que lhe foi significativamente em sua e x p e r i ê n c i a . D i s s e e l e : “ O s e r - h u m a n o é f u n da m e n ta l m e n te bom e fundamentalmente frágil”. Essa cosmovisão seguiu s u a s e s c o l h a s a o l o n g o d e i n ú m e r a s d é c a d a s e fi r m e n e ste propósito e lema até o presente momento. Sua esperança n a h u m a n i d a d e v a i a t é a ú l t i m a d a s c o n s e q u ê n ci a s, e l e p o r v á r i a s v e z e s d e u e x e m p l o s d e s u a e x p e r i ê n c i a e m d i g n i fi ca r a h u m a n i d a d e e o c e r n e f u n d a m e n t a l d a e s t r u t u r a d o s e r, sendo assim, disse ele que estimulado, todo ser-humano p o d e v o l t a r - s e a o c a m i n h o r e t o , n e c e s s i t a n d o d e e stím u l o s, d e z e l o , e d u c a ç ã o e a m o r p a r a a c u r a p r i m e i r a m e n te e a p ó s isso a transformação e retorno da natureza do ser, criados em imagem e semelhança e dignos em valor humano exclusivo. ▣

(Esquerda superior) o Colaborador Celio e o Ir. Carlos Wielganczuk, (Direita inferior) Ir. Clemente e o Colaborador Celio, (Direita superior) espaço do CMMC e alguns símbolos Maristas respaldados no evangelho e na (Direita inferior) a Capela do CMMC 30

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

31


VIVEMAR                   

Mosteiro do Encontro com as Monjas Beneditinas Dia 26 no raiar do sol os participantes do Vivemar tiveram uma experiência profunda com as monjas da ordem beneditina que se encontra em Mandirituba, região metropolitana de Curitiba. Foi um dia todo de reflexões e de momentos de silêncio. Iniciou-se com uma caminhada de cerca de 2 quilometros, onde o Ir. Marista Carlos mostrou sua vitalidade se adiantando dos demais em pouco tempo em ritmo acelerado, na chegada um maravilhoso café da manhã confeccionado pelas freiras, momentos depois a irmã explicou sua vocação, contou um pouco sobre sua trajetória pessoal e escolhas que a definiram em sua jornada, o histórico do mosteiro, sobre a vida em clausura, sobre os vitrais da igreja alocada no mosteiro, etc. após isso, ela respondeu inúmeras indagações por parte do grupo Vivemar. Durante o dia muitas reflexões em grupo, silêncio introspectivo, comprinhas no mosteiro, troca de experiências e muita sabedoria compartilhada pelos irmãos Maristas, como o Ir. Clemente Ivo Juliatto, com suas inúmeras décadas de doação e de serviços prestados à PUCPR na docência, pró-reitorias, sua tarefa incansável e intensa da gestão universitária (SPC), seus 16 anos de Reitorado à frente da Instituição. O café do fim da tarde, selou o encontro, entretanto um pouquinho de cada um permaneceu naquele mosteiro, a acolhida das monjas foi um momento Da esquerda para direita, Ir. Rogério Mateucci, Khalil Z. Abdala, Heloisa Helena Anzolin e Saulo Geber que deixará saudades aos participantes do Vivemar sem nenhuma dúvida. ▣ 32

VIVENDO EM BIBLIOTECA

Monja apresentando a síntese sua experiência no Mosteiro

Ônibus que saiu pela manhã em direção ao Mosteiro

Igreja do Mosteiro

Integrantes do Vivemar em caminhada por 2 KM até o Mosteiro

Colaborador Celio Donizete Correia e uma simpática monja no Mosteiro do Encontro

Integrantes do Vivemar no encerramento com as monjas no café da tarde

MAIO / 2018

33


Reflexão                   

Organizadora Rosana da Silva Alves explicando sobre uma determinada tarefa para reflexão pessoal

pensamentos colhidos do Vivemar

E

xistem milhões de pessoas vontade. Nossa vida é bascicano mundo que vivem insa- mente feita de escolhas”. tisfeitas suas vidas rotineiNo momento em que você faz uma ras e desinteressantes. escolha, está abrindo mão de todos “É muito triste passar a vida inteira os outros “futuros” pertencentes ás cumprindo obrigações sem nunca opções recusadas. Portanto, de ter construído nada de fato”. nada adianta planejar cada ação se não houver direcionamento, “Não há tempo suficiente para que pois os resultados serão aleatórios possamos fazer tudo o que temos

34

VIVENDO EM BIBLIOTECA

dentro do contexto geral da vida.

Durante a nossa vida: Conhecemos pessoas que vêm e que ficam, “Pensamos demasiadamente e senOutras que vêm e passam. Existem timos muito pouco. Necessitamos aquelas que, Vêm, ficam e depois mais de humildade que de máquide algum tempo se vão. Mas nas. Mais de bondade e ternura que existem aquelas que vêm e se vão de inteligência. Sem isso, a vida se com uma enorme vontade de ficar... tornará violenta e tudo se perderá”. Charles Chaplin. ▣ Charles Chaplin , O Grande Ditador (1940). JULHO / 2017

35


VIVEMAR

Pensamentos                    Outra inspiração foi Basilio Rueda, Superior Geral do grupo Marista de 1967 a 1985 com : “pistas para espiritualidade” 1.

PAIXÃO PELO REINO.. (“Não podia ver uma criança...” (Champagnat)

Sem mencionar do amor de Deus, entretanto diferentemente dos adultos a criança acolhe imediatamente de maneira genuína. 2. PURIFICAÇÃO DO CORAÇÃO. Quando o coração está unificado, está posto uma base para uma vida unificada. Quando o coração está dividido não há técnicas nem organização externa que podem produzir a unidade. Para chegar a esta purificação precisa-se de uma ascese valorosa. A cada um toca organizá-la e vivê-la. 3. O encontro com um Deus que fala e atua nas PRESENÇAS COMPLEMENTARES reveladas pela fé. Este encontro acontece nos momentos fortes de ORAÇÃO PESSOAL (Jesus na montanha), no CONTATO COM OS HOMENS E MULHERES, na história, na vida concreta, no progresso... e, com certeza, na Eucaristia e na Palavra de Deus. 4. O crescimento nas M O T I VA Ç Õ E S EVANGÉLICAS. O que ressoa mais profundo em nossos corações quando atuamos?

misericordiosos e atentos a realidade. 5.

A simplificação de nossa vida, graças a um verdadeiro DISCERNIMENTO

DAS CHAMADAS DE DEUS. Não é verdade que é necessário fazer tudo. Provêem de Deus nossos compromissos, nossa hiper-atividade ao qual estamos inundados até à tensão? Orienta-nos assim Deus? Somos queridos por Deus? 6. CRESCIMENTO NO AMOR. “O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espirito Santo que nos foi dado (Rom 5,5) e que se converte em um manancial de água viva de que falava Jesus (João 7,37-39)”. Estes caminhos criam um dinamismo unificador de onde brotam o amor apaixonado por Deus e amor pastoral pelos homens que aparecem na história com diversos graus de generosidade, de doação de si mesmo, de serviço e até o heroísmo dos grandes imitadores de Cristo, como diz pe.. Kolbe: “No há maior amor que a de dar a própria vida...” Ou ainda como bem discerniu Champagnat, quando disse: “Não se pode abandonar quem já está abandonado”. ▣

A espiritualidade tende a nos tornar mais humanos, 36

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

37


Conhecimento Marista

M

arcelino Champagnat nasceu em 20 de maio de 1789, em Marlhes, aldeia de montanha no Centro-Leste da F r a n ç a . A R e v o l u ç ã o F r a n c e s a t i n h a a c a b a d o d e e c l o d i r. Ele é o nono filho de uma família cristã. Sua educação é e s s e n c i a l m e n t e f a m i l i a r. S u a m ã e e s u a t i a r e l i g i o s a , e x p u l s a d o convento, despertam nele fé sólida e profunda devoção a Maria. Seu pai, agricultor e comerciante, possui instrução acima da média; aberto às idéias novas, desempenha um papel político na aldeia e na região. Transmite a Marcelino a habilidade para os trabalhos manuais, o gosto pelo trabalho, o senso das responsabilidades e a abertura às idéias novas. Quando Marcelino está com 14 anos, um padre o visita e lhe faz descobrir que Deus o chama à vocação sacerdotal. Quando Marcelino, de quase nenhuma escolaridade, vai se meter a e s t u d a r, “ p o r q u e D e u s o q u e r ! ” , o s e u a m b i e n t e , s a b e d o r d e s u a s limitações, procura dissuadi-lo. Os anos difíceis do Seminário M e n o r d e Ve r r i è r e s ( 1 8 0 5 - 1 8 1 3 ) s ã o p a r a e l e u m a e t a p a d e verdadeiro crescimento humano e espiritual. N o S e m i n á r i o M a i o r d e L i ã o , t e m p o r c o l e g a s J o ã o M a r i a V i a n n e y, futuro cura d’Ãrs, e João Cláudio Colin, que será o fundador dos Padres Maristas. Junta-se a um grupo de seminaristas que projeta fundar uma Congregação que abrange padres, religiosas e u m a O r d e m Te r c e i r a , l e v a n d o o n o m e d e M a r i a - a “ S o c i e d a d e de Maria” - para cristianizar a sociedade. Impressionado pelo abandono cultural e espiritual das crianças da campanha, Marcelino sente a urgência de incluir nessa Congregação Irmãos para a educação cristã da juventude: “Não posso ver uma criança sem sentir o desejo de fazer-lhe compreender quanto Jesus Cristo a amou”. No dia seguinte de sua ordenação (a 22 de julho de 1816), esses neo sacerdotes vão consagrar-se a Maria, colocando seu projeto sob sua proteção no santuário de N.S.a de Fourvière. M a r c e l i n o é e n v i a d o c o m o c o a d j u t o r n a p a r ó q u i a d e L ã Va l l a . A visita aos doentes, a catequese das crianças, o atendimento aos pobres, o acompanhamento da vida cristã das famílias, são as atividades do seu ministério. Sua pregação simples e direta, a profunda devoção a Maria e seu zelo apostólico, marcam profundamente os paroquianos. A assistência a um adolescente de 17 anos, às portas da morte e sem conhecer Deus, o perturba profundamente, impelindo-o a executar logo o seu projeto. A 2 de janeiro de 1817, apenas a 6 meses de sua chegada a Lã Va l l a , M a r c e l i n o , o j o v e m c o a d j u t o r d e 2 7 a n o s , r e ú n e s e u s d o i s primeiros discípulos: a Congregação dos Irmãozinhos de Maria, ou Irmãos Maristas, nasce na pobreza e humildade, na total confiança em Deus, sob a proteção de Maria. Além de garantir seu ministério paroquial, forma seus Irmãos, preparando-os para a missão de mestres cristãos, de catequistas, de educadores d o s j o v e n s . Va i v i v e r c o m e l e s . Sem tardar abre escolas. As vocações vêm, e a primeira casa, apesar de aumentada pelo próprio Marcelino, torna-se logo 38

VIVENDO EM BIBLIOTECA

pequena demais. As dificuldades são numerosas. O clero em geral não compreende o projeto desse jovem padre inexperiente e sem recursos. Mas as populações rurais não cessam de pedir Irmãos para garantir a instrução cristã das crianças. Marcelino e seus Irmãos participam na construção de sua nova casa para abrigar mais de cem pessoas e que levará o nome de “Nossa Senhora de l’Hermitage “. Em 1825, livre da função de c o a d j u t o r, p o d e d e d i c a r - s e i n t e i r a m e n t e à s u a C o n g r e g a ç ã o : à formação e acompanhamento espiritual, pedagógico e apostólico dos seus Irmãos, à visita das escolas, à fundação de novas obras. Marcelino, homem de fé profunda, não cessa de procurar a vontade de Deus na oração e no diálogo com as autoridades religiosas e com seus Irmãos. Bem consciente de suas limitações, conta apenas com Deus e a proteção de Maria, a “Boa Mãe”, o “Recurso Habitual”, a “Primeira Superiora”. Sua grande humildade, seu senso profundo da presença de Deus, fazeml h e s u p e r a r, c o m m u i t a p a z i n t e r i o r, a s n u m e r o s a s p r o v a ç õ e s . Reza amiúde o Salmo 126: “Se o Senhor não constrói a casa”, convencido de que a Congregação dos Irmãos é obra de Deus, obra de Maria. “Tudo a Jesus por Maria, tudo a Maria para Jesus” é sua divisa. “ To r n a r J e s u s C r i s t o c o n h e c i d o e a m a d o ” é a m i s s ã o d o s Irmãos. A escola é o meio privilegiado para essa missão de evangelização. Marcelino inculca a seus discípulos o respeito, o amor às crianças, a atenção aos mais pobres, aos mais ingratos, aos mais abandonados, especialmente os órfãos. A presença prolongada entre os jovens, a simplicidade, o espírito de família, o amor ao trabalho, o agir em tudo do jeito de Maria, são os pontos essenciais de sua concepção educativa. Em 1836, a Igreja reconhece a Sociedade de Maria e lhe confia a missão da Oceania. Marcelino pronuncia seus votos como membro da Sociedade de Maria. Envia três Irmãos com os primeiros Padres Maristas missionários nas ilhas do Pacífico. “ To d a s a s d i o c e s e s d o m u n d o e n t r a m e m n o s s o s p l a n o s ” , escreve. As providências concernentes à autorização legal de sua Congregação exigem dele muito tempo, energia e espírito de fé. N ã o c e s s a d e r e p e t i r : “ Q u a n d o t e m o s D e u s a n o s s o f a v o r, q u a n d o depositamos nele nossas esperanças, nada é impossível”. A doença prevalece sobre sua robusta constituição. Esgotado pelo trabalho, morre aos 51 anos de idade, a 6 de junho de 1840, deixando aos seus Irmãos esta mensagem: “Que haja entre vocês um só coração e um só espírito! Que se possa dizer dos Irmãozinhos de Maria como dos primeiros cristãos: ‘ Ve j a m c o m o e l e s s e a m a m ! ’ ” . M A R C E L I N O C H A M PA G N AT ( 1 7 8 9 - 1 8 4 0 ) . D i s p o n í v e l e m : < h t t p : / / w w w. v a t i c a n . v a / n e w s _ s e r v i c e s / l i t u r g y / s a i n t s / n s _ l i t _ d o c _ 1 9 9 9 0 4 1 8 _ c h a m p a g n a t _ p o . h t m l > . A c e s s o e m : 3 0 a b r. 2 0 1 8 . MAIO / 2018

39


40

VIVENDO EM BIBLIOTECA

JULHO / 2017 MAIO / 2018

41


Clube do Livro                   

O ÓDIO QUE VOCÊ SEMEIA Dia 11 de abril a Biblioteca Central no térreo foi palco de mais uma edição do Clube do livro, a primeira de 2018, o livro debatido e dialogado foi a obra de Angie Thomas, intitulado como: O ódio que você semeia, apresentado pelo aluno Rodolfo Domingos, uma história juvenil recheada de choques de realidade, num contexto de mundo tão presente devido ao fluxo de tanta crueldade e extremos, de modo que a personagem principal, Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Sem movimentos bruscos, mãos sempre à mostra, responder ao ser perguntada, obediência, etc. Então o enredo essencial inicia quando o amigo de Starr, Khalil, são parados por uma viatura, obviamente que a reação que Starr espera é que ele também conheça tais regras. Então bastando um decore da regras, um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. Instantaneamente seu amigo de infância está no chão, ensanguentado e morto. Duas realidades tão distintas Starr testemunha (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e com isso constantemente em conflito com a polícia), Ela então precisa decidir em meio a um emaranhado de perspectivas e fazer a coisa certa, seguir sua consciência em meio a síntese de argumentos e situações captadas nestes dois mundos. Além das Coordenadora do SIBI/PUCPR, Colaboradores e alunos, o Coro42

VIVENDO EM BIBLIOTECA

nel Janary Maranhão Bussmann participou das discussões apresentando seus pontos de vista, umagarotarepresentantedosdireitoshumanoseigualdadequemilitapelacausaafroracialpara desmistificar preconceitos, foi um clube de livro muito positivo com cosmovisões distintas e oportunidade de esclarecimentos sobre a realidade e o enfrentamento da mesma. ▣ MAIO / 2018

43


Encerrando um Ciclo Apresentação                   

CASSIANA DE SOUZA

Projeto Vizinhança

N

o dia 06 de abril na sala de treinamentos do andar térreo da Biblioteca Central, a Coordenação juntamente com a equipe de bibliotecárias recebeu a Diretora de Identidade Institucional, por intermédio de Cristiane Arns e o redentorista

Alberto. A discussão com a Equipe da BC foi acerca da realização dos projetos que a biblioteca esta envolvida, das quais são: Cinema na Biblioteca e Contação de história (mensal) para as crianças do Projeto Esperança. ▣

N

o dia 14 de abril ocorreu uma festividade de despedida para a bibliotecária Cassiana de Souza, ela estava exercendo sua função desde o dia 11 de setembro de 2017.

A equipe da Divisão de Serviços aos Usuários (DSU), setor em que atuava a bibliotecária, preparou como singela confraternização para este momento de busca de novos desafios. Obrigado Cassiana pelo tempo em que esteve na Biblioteca e pelos amigos e colegas que compartilharam momentos contigo e que ficarão registrados na memória. Boa sorte nesta nova fase! ▣

44

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

45


ENCERRANDO UM CICLO

46

VIVENDO EM BIBLIOTECA

JULHO / 2017 MAIO / 2018

47


SBNU                   

XX SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS

N

os dias 15 ao 20 de abril, no Othon Palace Hotel, em Salvador – BA, ocorreu o SNBU, o evento comemora quarenta anos, é organizado pela Universidade Federal da Bahia, com

48

VIVENDO EM BIBLIOTECA

participação e apoio das Instituições Federais e Estaduais de Ensino Superior, localizadas na Bahia, com a colaboração da Federação Brasileira de Associação de Bibliotecários (FEBAB) / Comissão Brasileira de Bi-

bliotecas Universitárias (CBBU) e do Sistema Conselho Federal de Biblioteconomia / Conselhos Regionais de Biblioteconomia (CFB/CRB), que terá participação efetiva na Comissão Organizadora e na Comissão TécnicoCientífica do Evento. O evento busca contribuir com o debate através do tema: O futuro da Biblioteca Universitá-

ria na perspectiva do Ensino, Inovação, Criação, Pesquisa e Extensão, que, resgatando sua missão histórica, identidade e relevância, assenta sua referência em um contexto contemporâneo, e deve procurar identificar tendências que possam delineá-lo no futuro. Esta é a vigésima edição do SNBU. ▣ MARÇO / 2018

49


Apresentação de poster pela bibliotecária Kely Comin de Toledo

Apresentação de pôster pela bibliotecária Nadia Ficht de Londrina

Foi momento de apresentação, três trabalhos aprovados para pôsteres escritos pelas bibliotecárias Kely Comin, Joyce Leonita da Silva, Nadia Ficht e Sandra Helena Schiavon. sendo eles:

versitárias e colegiados de cursos de graduação: em foco a avaliação do Mec. Autoras Andreia Del Conte de Paiva; Nadia Ficht; Rosane Suely Alvares Lunardelli.

50

VIVENDO EM BIBLIOTECA

1. Aquisição online, uma inovação nas bibliotecas da PUCPR – 2017. Autoras: Kely Comin, Nádia Ficht e Sandra Helena Schiavon. 2. Parcerias entre bibliotecas uni-

3. Livro digital versus livro impresso: uma parceria interessante para as bibliotecas. Autoras: Joyce Leonita da Silva, Nadia Ficht, Sandra Helena Schiavon. ▣ MARÇO / 2018

51


SBNU - Visitas Técnicas                  

Fachada do museu Carlos Costa Pinto

Museu de Arte Sacra (UFBA)

Museu de Arte Sacra (UFBA)

Museu Carlos Costa Pinto

O Museu de Arte Sacra nasce como primeiro museu universitário da Bahia. Sua proposta desde a criação esteve voltada não apenas à valorização patrimonial, mas a disseminação do conhecimento à sociedade, por meio de cursos e pesquisas, servindo como instrumento de investigação científica.

Localizado na Av. Sete de Setembro, 2490 - Corredor da Vitória, Salvador, o museu expõe mobiliário, cristais, joias e objetos pessoais e de arte sacra das antigas famílias baianas, donas de solares e de engenhos de açúcar. Uma viagem no tempo do estilo de vida dos aristocratas na Bahia antiga. Inaugurado em 1969, o Museu Carlos Costa Pinto tem origem na coleção particular do comerciante e exportador de açúcar Carlos Costa Pinto (1885 - 1946). O acervo inclui mais de 3.000 peças dos séculos 17 ao 20. Está instalado em um casarão da família, de 1958, no bairro da Vitória. Inclui uma biblioteca, um auditório para eventos culturais e o Balangandan Café.

É considerado como um dos mais importantes museus das Américas, tanto por sua coleção como pelos destacados conjuntos arquitetônicos. Seu rias,

acervo é mobiliários,

composto por pinturas, azulejapeças religiosas e vários outros.

Inaugurado em 10 de agosto de 1959, mantido como Órgão suplementar da Universidade, vinculado a reitoria. Possui Regimento datado de 1972, localizado na Rua Sodré, n. 276 – Centro, Salvador – Bahia, (<https://mas.ufba.br/>).

52

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

53


SBNU                   

exposições no Museu de Arte Sacra

(UFBA) e Carlos Costa Pinto

AVALIAÇÃO GERAL DO EVENTO por Heloisa Helena Anzolin O SNBU é o maior evento científico da área de bibliotecas universitárias do país. O tema dessa vigésima edição, realizada em Salvador – Bahia, é muito atual e necessário sua discussão, diante das mudanças aceleradas que acontecem mundialmente e que afetam diretamente o fazer das bibliotecas universitárias. Os temas recorrentes abordados, foram o futuro das bibliotecas e o novo instrumento de avaliação de cursos do MEC/INEP. Esses temas vieram de encontro ao que o Sistema Integrado de Bibliotecas da PUCPR está discutindo e trabalhando. A feira de expositores sempre nos apresenta novidades e possibilidades de interagir com os fornecedores diretamente e tirar dúvidas, bem como, assistir demonstrações e programar trials para conhecimento dos novos produtos para avaliação da nossa comunidade acadêmica. De forma geral a participação da equipe bibliotecária, com apresentação de trabalhos desenvolvidos no Sistema e interação com colegas é muito positivo para todos.

54

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

55


56

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

57


Visita                   

Autoatendimento                  

MEC

SCANNER PARA USO COLETIVO

D

ia 09 de abril no horário das 16h a Coordenadora Técnica da Biblioteca Central, Sandra Helena Schiavon acompanhou mais uma visita da Comissão do Ministério da Educação (MEC), desta feita o objetivo principal foi devido ao reconh ecimen to d o C ur s o Tec nologia em J ogos D i g i t a i s que esta sob a coordenação do Profº. Bruno Campagnolo de P aula. ▣

A

C o o r d e n a d o r a d o S I B I / P U C P R , H e l o i s a H e l e n a An zo l i n a p ó s v á r i o s d i á l o g o s e t r a t a t i v a s , r e c e b e u co m o d o a çã o d o P r o g r a m a d e P ó s - G r a d u a ç ã o d e D i r e i to ( PPGD ) , u m S c a n n e r p a r a o a u t o a t e n d i m e n t o c o m r e c u r so s h a b i l i ta d o s p o r t o q u e , o q u a l , o m e s m o , e s t á i n s t a l a d o no 1 º . a n d a r d a Biblioteca Central desde o dia 03 de maio. É uma ótima alternativa aos usuários, pois alem da qualidade do scanner, é totalmente gratuito, podendo ser salvo o material digitalizado via pendrive neste primeiro. ▣

Da esquerda para direita, a Coordenadora Técnica Sandra Helena Schiavon, Profº. Bruno Campagnolo de Paula e integrantes da Comissão do MEC em visita

Disposição do scanner no andar 1 da BC

58

VIVENDO EM BIBLIOTECA

Da esquerda para direita, Erli, a Coordenadora do SIBI/PUCPR, Heloisa Helena Anzolin e Emerson Gabardo do PPGD

MAIO / 2018

59


TCC                   

ONLINE

EndnoTE WEB                 

Base de Dados avançado

A

Biblioteca Central está disponibilizando os TCCs defe nd ido s n a U niv er s idade em f or m at o on- lin e . N o dia 24 de Abril recebemos os TCCs do Curso de Arquitetura e Urbanismo do ano de 2017, ação esta que além de enriquecer o acervo on-line, vai propiciar aos alunos mais u ma fonte de pe sq uisa. Os Coordenadores enviam os TCCs do Curso sob sua responsabilidade para que se possa disponibilizá-los t a mbém, a d isp on ibilizaç ão dos TCCs em f or m at o on - l i n e é u ma obrig ato ried ad e n o Nov o I ns t r um ent o de Av aliaç ã o d o s c ursos d o MEC/INEP. ▣

No dia 16/04 às 14h foi ministrado o treinamento de Base de D a d o s a v a n ç a d o e E n d n o t e w e b p e l a s b i b l i o te cá r i a s Jo yce L e o n i t a d a S I l v a e K e t t u l y M a c h a d o n a s a l a d e tr e i n a m e n to s para os alunos do mestrado e doutorado em Gestão Urbana, a palestra teve a adesão de 32 pessoas. Sobre o O EndNote Web, é um gestor de referências bibliográficas online gratuito, d e s e n v o l v i d o p e l a T h o m s o n R e u t e r s q u e r e a l i za p e sq u i sa s bibliográficas em diversas Bases de Dados de Informação C i e n tí f i c o - Te c n o l ó g i c a ( B D I C T ) , ta i s c o m o Web o f Sci e n ce e P u b M e d / M e d l i n e , é a v e r s ã o g r a t u i t a d o s o f t wa r e En d N o te , mas está vinculada ao uso das Bases de Dados de Informação C i e n t í f i c o - Te c n o l ó g i c a ( B D I C Ts ) d a T h o m s o n , o u se j a , We b of Science, Derwent e Journal Scitation Reports, todas disponíveis no Portal CAPES. ▣

Bibliotecárias Kettuly Machado e Joyce Leonita da SIlva ministrando treinamento

William Sade Junior Professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo e Coordenadora Técnica do SIBI/PUCPR Sandra Helena Schiavon na entrega do CD-ROM com os TCCs na BC 60

VIVENDO EM BIBLIOTECA

MAIO / 2018

61


Biografias

por SANDRA HELENA

SCHIAVON

iiniciei minhas atividades como Bibliotecária na Biblioteca Central no ano de 1993 e foi um ano de grandes mudanças, pois todas as bibliotecas setoriais estavam sendo remanejadas para o novo prédio construído especialmente para a biblioteca. O Setor de Periódicos e Multimeios foi o primeiro setor que trabalhei, este setor ficava no 3 andar da biblioteca. Depois fui transferida para o Setor de Processamento Técnico, desenvolvi minhas atividades na Biblioteca Central até 2004. Em 2005 passei a coordenar a Biblioteca Setorial do Hospital Universitário Cajuru, ficando lá até maio de 2007, uma realidade bem diferente, mas que me trouxe muito aprendizado. Em junho de 2007 mais um desafio fui coordenar a Biblioteca do Câmpus de São José dos Pinhais 62

VIVENDO EM BIBLIOTECA

ficando lá até outubro de 2007. Retornei para a Biblioteca Central em novembro de 2007 para coordenar o Setor de Biblioteca Virtual aonde fiquei até outubro de 2008, após esta data fui convidada para assumir a Coordenação Técnica do Sistema Integrado de Bibliotecas da PUCPR – SIBI/PUCPR aonde estou até hoje. Cursei Biblioteconomia e Documentação na Universidade Federal do Paraná e concluindo o mesmo em 1990, Fiz Especialização em Didática do Ensino Superior e Mestrado na área da Educação na PUCPR. Cresci muito em todos os sentidos nesta Instituição, seja profissionalmente quanto aos fatores no âmbito pessoal e com certeza vou levar para a vida toda os valores Maristas tão presentes nessa caminhada. ▣

Vivendo em Biblioteca - maio, 2018  

Especial dia das mães

Vivendo em Biblioteca - maio, 2018  

Especial dia das mães

Advertisement