Issuu on Google+

Revista Flipiri maio d e 2013

APRESENTA

I ENCONTRO

de ilustradores

Literatura e Imagem Bate-papo com escritores, palestras, oficinas, exposições, música, arte e outras histórias...

FLIPIRI ITINERANTE nas escolas PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA FESTA ABERTURA DO EVENTO: quinta, dia 30 de maio, às 19hs


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Consciência Ecológica na 5ª Flipiri N

esta edição, colocamos em pauta um assunto importante: a sustentabilidade e a educação ambiental. Somos o primeiro evento de Goiás a neutralizar as emissões de carbono, ou seja, nosso impacto ao meio ambiente. Com o auxílio da ONG Idesam - Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, plantamos 29 árvores na nossa querida Amazônia, para compensar os papéis dos nossos flyers e cartazes, o lixo que estamos gerando durante o evento, a emissão de CO2 dos carros indo e vindo para a Flipiri, en-

Como cinco anos passam depressa! Vou lhes contar minha visão da história da FLIPIRI. Um dia, participando da FLIP – Festa Literária de Paraty, percebi como Paraty e Pirenópolis são parecidas. Está certo que lá tem mar, mas aqui, temos cachoeiras! São cidades irmãs. Paraty é o cenário perfeito para a FLIP. Imaginei que Pirenópolis também poderia abrigar, com perfeição, uma festa literária. Ao apresentar o projeto ao recém-empossado prefeito Nivaldo Melo, ele se considerou um homem de sorte por receber uma proposta como esta. Abriu as portas da cidade e a 1ª edição aconteceu em março de 2009, com a mínima verba de R$40.000,00 , patrocínio dos Correios. Nos anos seguintes contamos com patrocinadores do calibre do BNDES, PETROBRÁS, MINISTÉRIO DO TURISMO, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, cada um com o valor que foi possível, mas que possibilitou a realização do evento. A Secretária de Educação Márcia Áurea de Oliveira e o então Secretário de Cultura Gedson Oliveira, abraçaram a causa com empenho. Sem eles e suas equipes não teria sido possível chegar até aqui.

Página 2

A cada ano, fomos compreendendo melhor as necessidades da população, os desejos das escolas e temos procurado realizar a festa sem tirar os olhos do seu objetivo principal que é a FORMAÇÃO DE LEITORES. A pesquisa “Retrato de Leitura no Brasil” (CBL, ANL, e outras entidades) mostram que a falta do acesso ao livro é a principal causa de uma pessoa não se tornar um leitor. Mostra também que a mãe e as professoras são os principais agentes nesse processo. Pensando nisso, convocamos a todos para abraçarem esta causa e cada um dar sua contribuição, seja contando uma história ao filho, levando-o a uma biblioteca, procurando ter livros em casa, participando das diversas atividades oferecidas pela FLIPIRI. Aos poucos, vamos nos apaixonando pelos livros e pela leitura e, é certo, que esta é a grande revolução! Vamos nos tornando mais críticos, mais capazes de expressar nossos pensamentos e sentimentos e, sobretudo, tendo um enorme prazer estético, pois literatura é arte, mais rica ainda, se ilustrada! Iris Borges Curadora da FLIPIRI

tre muitas outras coisas que nem imaginamos e estamos consumindo do Planeta a cada minuto. A decoração da Festa é feita a partir de materiais reciclados, naturais e reutilizáveis – como sofás de garrafas pet, estruturas de bambu e tambores de papelão adornados por alunos. Veja que bonito, as coisas sem valor virarem arte e ganharem utilidade. Você também pode neutralizar suas emissões pessoais, visite o site do Idesam e confira:

http://www.idesam.org.br

Bondinho Literário pelas ruas da cidade Pela primeira vez na cidade, turistas e moradores terão um Bondinho circular nas ruas do Centro Histórico e bairro do Bonfim, subindo e descendo ruas de pedras, levando todo mundo para a Flipiri.

Onde pegar o Bondinho: Na Rua do Bonfim (perto do Mercado Turista), Rua Aurora, Praça do Coreto, Igreja do Carmo, Rodoviária, Rua Direita (perto do Fórum), Igreja Matriz e Rua do Bonfim (perto da ponte de pedra). Página 3


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Roger Mello Homenageado

O tema Literatura e Imagem Todos os anos é escolhido um tema para a FLIPIRI. Em 2009 – Literatura e Cultura Popular, em 2010 - Literatura e Cinema, em 2011 – Literatura e Poesia, em 2012 – Literatura e Música e este ano, Literatura e Imagem. Cada ano explora-se uma vertente que é tão presente na própria cidade. No ano da Poesia, foram experimentados os quintais, no ano da Música, a musicalidade do povo pirenopolino e a maravilhosa acústica do Theatro de Pyrenópolis, no ano do cinema a presença marcante da grande atriz residente na cidade: Eliane Lage que foi homenageada em grande pompa pelo renomeado escritor Ignácio de Loyola Brandão. Na primeira edição, a Cultura Popular que se manifesta na cidade e no campo de inúmeras maneiras. Agora, chegou a vez da IMAGEM. Tudo começou quando a data foi sugerida: Corpus Christi. TAPETES DE SERRAGEM colorida com lindas imagens, feitos pelo povo às vésperas da procissão, que acontece logo cedo, às 7 da manhã do dia 30. Bingo! É isso! Foi então que surgiu a idéia de realizar o I ENCONTRO FLIPIRI DE ILUSTRADORES, para valorizar a vocação natural da cidade para as coisas belas e mostrar isto para os ilustradores e para toPágina 4

dos os que quiserem desfrutar. E, pelo que consta, esta é uma ação pioneira, o que deixa Pirenópolis muito honrada. Foram convidados 10 ilustradores e criadas três mesas e três oficinas para a interação dos ilustradores com o público. O encontro acontece na Salão Paroquial, nos dias 31 de maio, sexta-feira e sábado, 1º de junho. Pirenópolis terá a oportunidade de receber ilustradores com trabalhos maravilhosos nas paredes do Salão Paroquial, onde poderão compartilhar suas ricas experiências. Ainda para contemplar o Tema IMAGEM, várias exposições de fotos, imagens dos ilustradores, de artistas como o homenageado Pérsio Forzani e o brilhante Elder Rocha Lima, seja na forma tradicional ou na fluidez líquida das imagens virtuais que serão projetadas na lateral da Igreja Matriz ou no Theatro. Pirenópolis, já bela por natureza e pela história, fica revestida por belas imagens durante a - FLIPIRI 2013!

O renomado e talentoso escritor de literatura infantil, ilustrador e capista Roger Mello é o homenageado da FLIPIRI. Nascido em Brasília, em 1965, mais tarde se mudou para o Rio de Janeiro onde estudou Design Industrial e Programação Visual. Seu admirável currículo inclui as mais importantes premiações e distinções em literatura e artes plásticas, credenciando-o como um dos mais versáteis e criativos autores de literatura infanto-juvenil. Nos últimos vinte anos, Roger ilustrou mais de cem livros, vinte deles com textos de sua autoria. Entre as inúmeras distinções nacionais e internacionais em reconhecimento a seu trabalho, destacam-se o prêmio suíço Espace Enfants em 2002 e, no ano seguinte, o título vencedor do prêmio Jabuti nas categorias de literatura infanto-juvenil e ilustração com Meninos do Mangue, além de ter sido o primeiro ilustrador brasileiro indicado para a final do Prêmio Hans Christian Andersen em 2010 e 2012. É ainda hors-concours na Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

Sessão de Autógrafos com o Roger Quinta, 30 de maio – das 20h30 às 22h No lounge da livraria, na Praça Flipiri

Página 5


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

1o Encontro Flipiri de Ilustradores Roger Mello e mais 10 feras da ilustração, se encontram no Salão Paroquial. Nascida em São Paulo, é radicada em Goiânia, onde atua como professora de Ilustração e Design Editorial na Universidade Federal de Goiás. Desenvolve amplo trabalho na área Ciça Fittipaldi de pesquisa das visualidades e das narrativas orais indígenas e afro-brasileiras. Autora de vários livros infantis que recontam mitos de diversas culturas existentes no Brasil, já ilustrou mais de 50 livros infantojuvenis, tendo ganhado vários prêmios, entre eles o Jabuti de Ilustração. Começou a desenhar no Chile, onde viveu até os 17 anos. Influenciado pelo expressionismo, cubismo e surrealismo, seus trabalhos para o jornal Correio Braziliense freFernando Lopes quentemente apresentam um tom sombrio e bastante crítico. Atualmente reside em Brasília e soma 30 anos de profissão, com trabalhos também nas áreas de ilustração médica e anatômica, selos postais e trabalhos editoriais. Brasiliense, Jornalista, ingressou no Correio Braziliense em 1967 para participar da aventura de instalação do offset no jornal, para o qual realizou os primeiros cartuns a pedido do jornalista Ary Cunha. Gougon Trabalhou na antiga TV Brasília, introduzindo a charge política de movimento, ainda no tempo da TV em preto e branco. Mas foi no Jornal de Brasília onde permaneceu por mais tempo, produzindo charges políticas, que se transformaram em livros – Que País é Este e Onde está a Nossa Bandeira, Fogo Cerrado e Traçando a Carta.

dor, formado em Comunicação Social na Hungria, participou de revistas em quadrinhos no Brasil, Itália, Grécia e Argentina, entre outros países. Bastante conhecido por ter ilustrado diversos selos dos Jô Oliveira Correios e por ilustrações de livros, dos quais se destacam uma versão de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. Em 2004 foi premiado com o Troféu HQ Mix como Grande Mestre. passado também por outros veículos como O Pasquim e Diário da Manhã (onde tinha a tarefa de ilustrar as crônicas de Carlos Drummond de Andrade). Cartunista, chargista, caricaturista, dono de um humor Jorge Braga afiado e inteligente, Jorge é premiado e celebrado como uma das personalidades mais carismáticas e extrovertidas da cena cultural goiana. Nasceu em 1966, em São Paulo e mudou-se com a família para o interior do estado. Lá viveu até entrar na faculdade, quando voltou à capital. Cursou arquitetura, mas sua Odilon Moraes paixão por livros e desenhos o levou a trabalhar com ilustração e recebeu prêmios como o Jabuti e o Adolfo Aizen, prêmio da União Brasileira de Escritores. Em 2002, a Companhia das Letrinhas publicou A princesinha medrosa, o primeiro livro que Odilon, além de ilustrar, escreveu.

Ilustrador autodidata e autor, mora em Brasília. Destacase pela versatilidade nas técnicas aplicadas em suas obras: aquarelas, guaches, colagens, massa de modelar ou pintura Romont Willy digital. Atualmente, tem mais de 30 livros ilustrados. Já ilustrou trabalhos para agências de publicidade, mas confessa que os livros infantis são sua paixão. Nasceu em Recife, formouse em Arquitetura, mas depois de se apaixonar pela literatura infantil e juvenil, fechou o escritório de arquitetura e passou a se dedicar à ilustração. Rosinha Campos Em 1994 lançou seu primeiro livro, foi votante da FNLIJ durante 7 anos e desde 1998 trabalha com formação de leitores. Em   2007 começou a escrever e hoje divide seu tempo entre texto e ilustração. Recebeu vários prêmios da FNLIJ e o prêmio Jabuti, pela coleção Palavra Rimada com Imagem, publicada pela Editora Projeto. Tem mais de 80 livros publicados. Nasceu no Rio de Janeiro e começou sua carreira em 1989. Dedica-se ao trabalho com desenhos animados (com passagens pelo estúdio de animação do grupo CCAA e Victor Tavares por dois anos no estúdio Terraglyph, na Irlanda) e ilustrações para livros e revistas. Participou, como animador, da produção para a TV de Aladim, dos estúdios Disney. Ilustrou livros e revistas pelo mundo, tendo recebido oito prêmios de ilustrações no Brasil.

SOPHIA PINHEIRO e o Coletivo Fake Fake – Curadora e Mediadora do 1º Encontro de Ilustradores. Graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal de Goiás, é co-fundadora Sophia Pinheiro do Coletivo FAKE FAKE, coletivo de artistas visuais. Trabalha como pensadora visual, artista interessada na poética das imagens e também na estética manual: arte, ilustração, gravura, design gráfico, fotografia, arte e tecnologia. O FAKE FAKE foi Criado em 2008, por estudantes do curso de Design Gráfico da Faculdade Federal de Goiás, para criar circuitos de arte e interagir com espaços, contribuindo com o cenário cultural de Goiás. www.fakefake.com.br

Programação do Encontro Flipiri de Ilustradores no Salão Paroquial Exposição de Ilustrações dos convidados e do coletivo Fake Fake, exposição do artista Jota Clavijo e seus recortes de papel, nas paredes do Salão Paroquial, de quinta à sábado.

S e x ta , 3 1 d e m a i o 9h – Abertura do Encontro 9h15 às 11h45 – Mesa 1 – Ilustração, jornalismo e as diversas mídias com Jorge Braga (GO), Fernando Lopes (DF) e Roger Mello (RJ) 14h às 16h30 – Mesa 2 – Ilustração e Literatura, com Roger Mello (RJ), Romont Willy (DF) , Rosinha Campos (PE) e Victor Tavares (DF) 17h às 19h – Mesa 3 - A carreira do ilustrador com Jô Oliveira (DF), Gougon, Odilon Moraes e Ciça Fittipaldi (GO)

Sábado, 01 de junho Desenhista de histórias em quadrinhos e ilustra-

9h às 12h – Oficina de Ilustração com Odilon Moraes (para adultos) 14h às 17h – Oficina de Ilustração com Roger Mello (para crianças)

Página 6

Página 7


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Pérsio Forzani Homenageado

É com grande honra que a Flipiri presta uma homenagem merecida ao pirenopolino Pérsio Forzani. Um exemplo de pessoa, de força e de amor. José Mendonça Teles descreve bem este grande artista:

Elder Rocha Lima

Sua exposição está no Centro de Artes Ita e Alaor, de sexta a sábado, das 10 às 18hs

Elder é um presente que a Flipiri ganhou. Homem de muitas facetas, arquiteto, pintor, desenhista, crítico de arte, escritor e professor, nasceu na Cidade de Goiás em 1928. Formado em arquitetura na Faculdade Nacional de Arquitetura no Rio de Janeiro, estudou desenho e pintura com Ubi Bava,

o Guia Sentimental da Cidade de Pirenópolis, editado pelo Ministério da Cultura/IPHAN. É Doutor Honoris Causa pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Quer mais? Não dá! São poucas as oportunidades de conhecer seu trabalho, ainda mais na cidade que Elder tanto gosta.

Convidado Especial

Pedro Correia de Araújo e Glenio Bianchettti. Paralelamente à atividade de arquiteto começou a pintar, principalmente paisagens do cerrado e cidades históricas brasileiras. Atuou como professor na Universidade Federal de Goiás e Universidade Católica de Goiás. É autor de sete livros, inclusive

Pirenópolis por Tânia Loureiro Charmosa cidade, é sempre um prazer sensorial revisitá-la e ver de novo suas belezas naturais – cachoeiras, montanhas, a profusão de cores de seus poresdo-sol –, sentir seus cheiros – de pratos da região, de madeira trabalhada pelos inúmeros artesãos que ali vivem –, caminhar por Página 8

suas românticas ruas calçadas de pedras, admirar as convidativas peças artesanais que se encontram por toda parte, mergulhar o corpo e a alma numa sensação de outro tempo, de história, de vivências alheias que acabam por nos contagiar! Viaje no tempo, resgate uma pequena porção de

nossa história, relaxe do correcorre de todos os dias, respire fundo o ar da montanha, grave na retina os matizes de sua natureza, nas narinas, os olores de suas casas antigas, na boca, os sabores de Goiás! E seu coração voltará com nova energia e mais alegria!

“O homem é um passageiro de si mesmo. Ingresso adquirido no cartório existencial ele entra na locomotiva, com dia e hora marcados para a chegada. E são muitos, milhares os passageiros que, diariamente entram e saem dessa engrenagem de ilusão que é a própria vida. E saindo como entraram, são despejados no anonimato das trevas ou na própria valeta do esquecimento. Mas, quando esse homem é um artista, um sonhador que passa pela vida desprezando a própria vida ele também passa, fisicamente passa, mas fica a arte, eternizada no moral das metáforas da sensibilidade. Hipócrates não dizia que “a arte é longa, a vida é breve”? Arte que Pérsio Forzani vem eternizando em sua terra, na difícil e desarticulada passada pelo território de suas pedras existenciais. Ah, meu caro Pérsio, você que tem quase 3 mil quadros depen-

durados nas paredes do mundo – decorando salas de presidentes, ministros, embaixadores, governadores, empresários - por certo, tem a mesma indignação de Picasso: “Não, gente, a pintura não é feita para decorar apartamentos. É um instrumento de guerra ofensiva e defensiva contra o inimigo!“. E esses “instrumentos de guerra” que você vem fabricando desde os 8 anos de idade, mostram ao mundo de hoje, a garra e a perseverança daquele menino raquítico, de pernas atrofiadas, que nasceu no dia 8 de fevereiro de 1935 e hoje, dá lição de vida a todos nós pela pobreza franciscana, pela simplicidade e, sobretudo pelo bom humor com que encara e enfrenta as “passadas” dolorosas do dia a dia. Sua casa simples, seu quartinho de sono onde também sonha e cria seus “instrumentos de guerra”, a cama “patente” onde descansa

suas canseiras, mostra aos visitantes que seu arsenal de batalha está assentado na humildade do evangelho de Deus e, dessa humildade é que se desponta o artista, na universalidade de sua arte. Pérsio Ribeiro Forzani, brasileiro, solteiro, artista plástico e cidadão do mundo, por projetar a sua cidade, a Pirenópolis colonial, com suas igrejas, ruas, becos e casarões pintados em suas telas a óleo em alto relevo, fazendo a alegria disputada de colecionadores. Passageiro de si mesmo, Pérsio Forzani vai caminhando seus passos pela casa da rua anduzeiro, auxiliado pela jovem estudante e empregada Ilva Damasceno Rosa. No quarto, o cavalete, o banquinho, os pincéis, as tintas e o artista, no cotidiano do seu sonho”. (texto extraído da Gazeta Matutina Dezembro 2005)

Sua exposição está aberta no Theatro, de sexta a sábado, das 10 às 18hs

Página 9


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Wisnik, no Theatro

O Cenário na Flipiri

Sábado, 01 de junho, às 20h30

Exposições: do artista Jota Clavijo e dos ilustradores convidado. Exposição do Eder Rocha Lima e palestras.

Apresentações Culturais.

Músico, compositor, cantor, ensaísta, professor, autor de trilhas sonoras para cinema, teatro, dança, poeta consagrado, José Miguel Wisnik é o convidado especial da FLIPIRI, com sua famosa aula-show no dia do encerramento da Festa. Ao piano, o autor de ensaios antológicos como “O dom da ilusão”, sobre a música de Gilberto Gil, e “O Artista e o Tempo”, a partir da obra de Chi-

co Buarque, promete encantar a plateia com versos e uma conversa boa. Intelectual irrequieto, artista inventivo, Wisnik conjuga, com habilidade, o erudito e o popular, na poesia, na música, na literatura e até em sua atividade como crítico literário. Sua obra inclui vários trabalhos sobre música e literatura como “O coro dos contrários: a música em

torno da semana de 22” (1977), contemplado com o Prêmio Jabuti, na categoria Revelação de Autor; “Anos 70/Música Popular”, em colaboração com Ana Maria Bahiana e Margarida Autran (1978); “O som e o sentido: uma outra história das músicas” (1989), entre outros. A obra de Wisnik oferece novas percepções sobre os horizontes da arte, cultura e tradição. Não perca!

Encontro Flipiri de Ilustradores

Barganha Book e projetos da Sec. Municipal de Educação

Mesa sobre Cinema e Oficina de Roteiro para Ficção

um filme de silvio da-rin e equipe

Página 10

Melo, coordenador da Cinemateca Santa Dica, traz para uma mesa-debate o cineasta Vladimir Carvalho, renomado documentarista brasileiro, fundador do curso de cinema da Universidade de Brasília; José Carlos Meirelles, um dos mais destacados sertanistas brasileiros, envolvido com cinema e com importante atuação na Funai, onde teve papel decisivo para a implantação da atual política de respeito aos índios que não querem contatos com nãoíndios; e ainda a turma do Clube do Audiovisual do Ponto de Cultura Coepi, de Pirenópolis. A mesa é seguida de exibição de filmes e do documentário Paralelo 10, novo longa-metragem de Silvio Da-Rin, uma incursão em profundidade ao pensamento de um indigenista e à realidade de uma região da Amazônia. Paralelo 10 é um river movie que segue rio acima durante três semanas, colhendo memórias do sertanista e observando a atualidade da questão indígena no Acre.

31 de maio e 01 de junho, das 9 às 13hs Oficina de Roteiro para Ficção – parte 1 e 2 01 de junho, das 14 às 18hs Mostra Palavra e Imagem: Intercursos Possíveis Mesa Debate + Exibição de filmes e do Documentário Paralelo 10 No Cine Pireneus na Rua Direita

IGREJA MATRIZ

Circuito de Criação

FOGUEIRA DA PROSA

Parada do Bondinho

ENTRADA

R u a

PALCO

PRAÇA CENTRAL

Oca da Leitura

LIVRARIA

LOUNGE LIVRARIA

d a P r a t a

PRAÇA FLIPIRI

Avenida Comendador Joaquim Alves

THEATRO R. Direita

Falando de imagem, não poderíamos deixar o Cinema de fora. Desde as primeiras décadas de sua história até os dias de hoje, a linguagem cinematográfica sempre esteve marcada pelo ato de constituir uma escrita de imagens em movimento. É uma poesia visual e retrata, através das imagens, os sentimentos e percepções humanas. Na sexta e sábado, das 9 às 13hs, oferecemos uma Oficina de Roteiro para Ficção, para estudar as etapas de criação de um roteiro para curta-metragem, formatação de scripts, registro de roteiros e criação de personagens, com o professor Edem Ortegal, que ganhou prêmio de melhor roteiro naapresenta cional e regional na XVIII Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (2011) e foi vencedor do Edital de Curtas-metragens da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (2012). No sábado, dia 01 de junho, das 14 às 18hs, a Mostra Palavra e Imagem: Intercursos Possíveis, com curadoria do professor e pesquisador Anderson

Clínica de Finanças

Barracas de comida

ALAMEDA LITERÁRIA

Para os amantes da 7ª arte

A FLIPIRI

Centro de Artes

SALÃO PAROQUIAL

CINE PIRENEUS

Entroncamento Cultural – BAR e FESTA

Banheiros no Cinema, Theatro, Salão Paroquial e Centro de Artes

Exposição do Pérsio Forzani e aula show do Wisnik.

Exposição de fotografias Eliane de Castro e gisela Maria, oficina de roteiro para ficção e mostra palavra e imagem.

O maravilhoso Bambuzal, que marca esta edição da Flipiri, é resultado do esforço conjunto de duas frentes: da empresa Bambú com Arte, liderada pelo artesão Cesar de Vargas, que dá vida e mil utilidades ao bambú como matéria prima. E do trabalho meticuloso e único dos artistas Raquel e David Noguerol Perez. Irmãos, duas cabeças, mesmo coração.  Espanhóis oriundos de Granada, no sul da Espanha, sempre tiveram uma vida cheia de arte, envolvidos em formas, cores e ritmos flamencos, despertaram os sentidos e transformaram tudo isso em pintura. Aventureiros, amantes da vida, pintam a energia do amor, que faz tudo fluir e não os deixa parar de criar. Hoje residem em Pirenópolis.  A Alameda Literária vem mostrar que a literatura também é visual e a arte também é poesia. Página 11


Página 12 Página 13

29 DE MAIO - FLIPIRI NAS RUAS

DIA 30 DE MAIO (Quinta) - FLIPIRI ABERTA AO PÚBLICO

Show - Banda Trovadores dos Pireneus

21:30 - 23:00hs

Oficina de Roteiro para Ficção: Criando Personagens e Universos para Cinema e TV, com Edem Ortega - parte 1 Roda de Bordado "Saia para Dançar" Oficina Biolúdica com Nurit Bensusan e Clara Rosa Encantando com histórias com Eraldo Miranda Palestra - Família, afeto e finanças com Angélica Rodrigues e Rogério Olegário do Carmo (Abertura: Raquel Gonçalves)

9:00 - 13:00hs 9:30 - 12:00hs 10:00 - 11:00hs 10:00 - 11:30hs 10:00 - 11:30hs

Praça Flipiri

Roda de Brinquedos Cantados com Vera Lúcia Dias

17:00 - 17:30hs

Show - Banda Phoenix Projeções artísticas na fachada do Theatro e lateral da Igreja Matriz Show - Sexta Jovem com diversos músicos de Pirenópolis Show - Mc Murcego e Erotori convidam Aborígine

20:15 - 20:45hs 20:30 - 0:00hs 20:45 - 22:30hs 22:30 - 23:30hs

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Clínica de Finanças com Angélica Rodrigues Santos e Rogério Olegário do Carmo Sessão de Autógrafos - Álvaro Modernell, Vera Lúcia Dias, Roberto Pontes, André Giusti (Mediação: Tino Freitas)

BONDINHO LITERÁRIO com a Palhaça Maizena (Autora: Clara Rosa) Oficina de Encadernação Manual com As Papeleiras Encontro FLIPIRI de Ilustradores - Oficina de Ilustração com Roger Mello (Abertura: Iris Borges) Palestra - Desmitificando a informática na escola com Alexandre Lobão (Abertura: Lucília Garcez)

10:00 - 12:00hs 10:30 - 12:00hs 14:00 - 18:00hs 14:00 - 16:30hs 14:00 - 17:00hs 14:00 - 15:30hs

Show - Grupo Euterpi de Choro e Música Instrumental Sessão de Autógrafos - José Miguel Wisnik Festa de Encerramento em parceria com as festas Mimosa e Tutti-Frutti (entrada R$15,00)

21:30 - 22:30hs 21:30 - 22:30hs 23:30 - 04:00hs

www.fl ipiri. com.b r

realização

Aula Show com José Miguel Wisnik, convidado especial (Apresentação: Margarida Patriota)

20:30 - 21:30hs

mais informações

Roda de Brinquedos Cantados com Vera Lúcia Dias Projeções artísticas na fachada do Theatro e lateral da Igreja Matriz

20:00 - 23:00hs 20:00 - 20:30hs

Fogueira da Prosa

19:30 - 21:00hs

20:30 - 00:00hs

Dança Catira do Cerrado com o grupo Raízes de Pirenópolis Sessão de Autógrafos - Dad Squarisi, Clara Rosa, Nurit Bensusan, Adelmo Carvalho

19:30 - 20:00hs

Encantando com histórias e música com Tino Freitas

Roda de Bordado "Saia para Dançar"

16:30 - 19:00hs

Bumba meu Boi saindo do Coreto às 18hs e chegando na Praça da Flipiri

Abertura do Bar do Entroncamento Cultural com o pessoal do Mimosa e Tutti-Frutti

16:00 - 20:00hs 17:00 - 18:00hs

Clínica de Finanças com Álvaro Modernell

16:00 - 18:00hs

18:00 - 19:30hs

Encantando com histórias com o Grupo Matrakaberta

15:30 - 16:30hs

Exibição de curtas e do documentário Paralelo 10 de Silvio Da-Rin (Uma incursão ao pensamento do indigenista José Carlos Meirelles e à realidade de uma região da Amazônia) seguido de Mesa sobre a Palavra Imagem com Vladimir Carvalho, Anderson Melo, José Carlos Meirelles e CAV

Praça Flipiri

Encantando com histórias com o Grupo Matrakaberta

10:00 - 11:30hs

14:00 - 18:00hs

Cinema Mesa - A arte de narrar histórias com Clara Rosa, Iris Borges e Eraldo Miranda (Abertura: Lucília Garcez)

patrocínio

Entroncamento (Atrás do Theatro)

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Praça Flipiri

Theatro

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Praça Flipiri

Do Coreto para a Praça Flipiri

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Entroncamento (Atrás do Theatro)

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Cinema

Centro de Artes Ita e Alaor

Salão Paroquial

Praça Flipiri

Flipiri nas Ruas

Praça Flipiri

Centro de Artes Ita e Alaor

Oficina de Roteiro para Ficção: Criando Personagens e Universos para Cinema e TV, com Edem Ortega - parte 2

9:00 - 13:00hs 10:00 - 11:30hs

LOCAL

Flipiri nas Ruas

Salão Paroquial

BONDINHO LITERÁRIO com a Rata Racutia (Autora: Raquel Gonçalves)

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Salão Paroquial

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Encontro FLIPIRI de Ilustradores - Oficina de Ilustração com Odilon Moraes (Abertura: Iris Borges)

9:00 - 12:00hs

8:30 - 12:30hs

DIA 01 DE JUNHO (Sábado) - FLIPIRI ABERTA AO PÚBLICO

Fogueira da Prosa

20:00 - 23:00hs

ATIVIDADE

Sessão de Autógrafos - Roger Mello, Tino Freitas, Eraldo Miranda, Lucília Garcez, Luci Afonso e Eunice Azzevêdo

19:00 - 20:30hs

HORA

Sessão de Autógrafos - Marieta Souza, Edelson Rodrigues, Angélica Rodrigues e Rogério Olegário, André Giusti, Júlia Pascali (Mediação: Tino Freitas)

17:30 - 19:00hs

Encontro FLIPIRI de Ilustradores - Mesa 3: A carreira do ilustrador com Jô Oliveira, Ciça Fittipaldi, Odilon Moraes, Gougon e Sophia Pinheiro (Fake Fake)

Encantando com histórias com Tatiana Oliveira

16:00 - 17:00hs 17:30 - 19:00hs

Oficina de Encadernação Manual com As Papeleiras Clínica de Finanças do BNDES com Rogério Olegário do Carmo

15:00 - 18:00hs

Salão Paroquial

14:00 - 16:30hs 14:30 - 17:00hs

Centro de Artes Ita e Alaor

Palestra - A Ética na Educação com Angélica Rodrigues (Abertura: Iris Borges)

Nas ruas do Centro Histórico!

Encontro FLIPIRI de Ilustradores - Mesa 2: Ilustração e Literatura com Roger Mello, Rosinha Campos, Victor Tavares, Romont Willy e Sophia Pinheiro (Fake Fake)

14:00 - 18:00hs 14:00 - 15:30hs

Clínica de Finanças com Álvaro Modernell BONDINHO LITERÁRIO com a Rata Racutia (Autora: Raquel Gonçalves)

10:00 - 12:00hs

Centro de Artes Ita e Alaor

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Cinema

Salão Paroquial Salão Paroquial

Abertura do 1º Encontro FLIPIRI de Ilustradores com Iris Borges

9:15 - 12:45hs

9:00 - 9:15hs Encontro FLIPIRI de Ilustradores - Mesa 1: Ilustração e as Diversas Mídias com Roger Mello, Fernando Lopes, Jorge Braga e Sophia Pinheiro (Fake Fake)

LOCAL

Flipiri nas Ruas

DIA 31 DE MAIO (Sexta) - FLIPIRI ABERTA AO PÚBLICO

BONDINHO LITERÁRIO com a Palhaça Maizena (Autora: Clara Rosa)

ATIVIDADE

Lateral da Igreja Matriz

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Praça Flipiri

Lounge da Livraria (Praça Flipiri)

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri

Praça Flipiri (atrás da Igreja Matriz)

Flipiri nas Ruas

LOCAL

Rua Direita

8:30 - 12:30hs

HORA

21.30 - 0:00hs

Sessão de Autógrafos - Autores: Tânia Loureiro Peixoto, Roberto Pontes, Renato Modernell, Raquel Gonçalves, Waldetes Rezende Projeções artísticas

Sessão de Autógrafos - Roger Mello

20:30 - 22:00hs 21:30 - 23:00hs

Fogueira da Prosa Show - República do Sutiã

Cerimônia de abertura com a presença dos homenageados Pérsio Forzani e Roger Mello (Apresentação da Rata Racutia)

19.30hs 20:30 - 21:30hs

Show - Duo Sertão

20:00 - 23:00hs

BONDINHO LITERÁRIO com a Palhaça Maizena (Autora: Clara Rosa)

18 - 19:30hs

Procissão da Igreja no tapete de Corpus Christi

ATIVIDADE

Montagem e Oficina de Tapete de Corpus Christi na Rua Direita com a presença dos Ilustradores convidados

17:30 - 22:30hs

7:30hs

HORA

20:30 - 23hs

Atividades Literárias Itinerantes (Programação na página Flipiri Itinerante)

DE 27 A 29 DE MAIO - FLIPIRI NAS ESCOLAS

Todas as atividades são gratuitas

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA 5ª FESTA LITERÁRIA DE PIRENÓPOLIS

Adultos

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Infantojuvenil e adultos

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Infantojuvenil e adultos

Adultos (20 vagas)

Adultos

Adultos

Infantojuvenil e adultos

Adultos

Professores e público geral

Infantojuvenil

Adultos (15 vagas)

Todas as idades

Todas as idades

Adultos

Infantojuvenil e adultos

Professores e público geral

Adultos (20 vagas)

Adultos

PÚBLICO

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Infantojuvenil e adultos

Ilustradores, professores, artistas e público em geral

Infantojuvenil e adultos

Adultos

Adultos (15 vagas)

Ilustradores, professores, artistas e público em geral

Professores e Adultos

Todas as idades

Adultos

Professores e Adultos

Infantojuvenil

Infantojuvenil

Adultos (20 vagas)

Adultos (20 vagas)

Ilustradores, professores, artistas e público em geral

Todas as idades

PÚBLICO

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

Todas as idades

PÚBLICO

Todas as idades


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Destaques da Programação

A cada momento a FLIPIRI faz uma provocação cultural... RODAS DE BRINQUEDOS conduzidas por Vera Lúcia Dias, que resgata antigas cantigas de origem portuguesa, cantadas e dançadas em roda. E, engana-se quem pensar que só as crianças gostam... Sexta - das 17h às 17h30 e Sábado – das 20h às 20h30, na Praça Flipiri OFICINA BIOLÚDICA com Nurit Bensusan e Clara Rosa, que constrói labirintos de serragem com todos aqueles que quiserem se divertir nessa lúdica brincadeira. Sexta – das 10h às 11h, na Praça Flipiri FOGUEIRA DA PROSA - Lugar quentinho e à luz do fogo e da lua grande, que convida a todos para prosear, seja jogando conversa fora, fazendo amizades ou analisando a programação da FLIPIRI para escolher o que fazer no dia seguinte. Nas noites de quinta, sexta e sábado – das 20h às 23h, na Praça Flipiri SESSÕES DE AUTÓGRAFOS Com o intuito de aproximar o escritor do seu leitor,várias mesas foram montadas para conversas e autógrafos no Lounge da Livraria. Algumas com mediação e outras não, trata-se de uma ótima oportunidade para o encontro do leitor com o autor.

PALESTRAS - Sempre oferecemos um Seminário para Professores, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Conheça as palestras disponíveis, para educadores e o público em geral (apenas adultos): * FAMÍLIA, AFETO E FINANÇAS com Angélica Rodrigues e Rogério Olegário do Carmo, abordando as crenças que nos impedem de ser prósperos, além de orientações de como organizar as finanças no dia a dia. Também com orientações de como trabalhar o tema na sala de aula. Sexta – das 10 às 11h30 no Centro de Artes Ita e Alaor * A ÉTICA NA EDUCAÇÃO, com a psicóloga e escritora Angélica Rodrigues, que toca nos delicados meandros dos relacionamentos e de como romper as amarras das nossas carências para sermos mais felizes no trabalho e na vida. Sexta – das 14h às 15h30 no Centro de Artes Ita e Alaor * DESMITIFICANDO A INFORMÁTICA NA ESCOLA, com o escritor Alexandre Lobão. Com leveza, Lobão vai mostrando como colocar a informática a nosso serviço, descobrindo e dominando novas ferramentas e procurando entender melhor as diferenças entre o que pensa um aluno e um professor. Sábado – das 14 às 15h30 no Centro de Artes Ita e Alaor

* MESA: A ARTE DE NARRAR HISTÓRIAS, com os escritores e narradores Eraldo Miranda, Clara Rosa Cruz Gomes e Iris Borges. Os três contam como se apaixonaram pelas narrativas e como trabalham com elas, interagindo com os professores e interessados e mostrando os recursos que usam para cativar seus ouvintes. Sábado – das 10 às 11h30 no Centro de Artes Ita e Alaor CLÍNICA DE FINANÇAS - Trata-se de uma consultoria rápida para orientações específicas sobre finanças pessoais com três educadores financeiros: Angélica Rodrigues, Rogério Olegário do Carmo e Álvaro Modernell, que oferecem, gratuitamente, um atendimento individual. Sexta e Sábado, na Praça Flipiri. Confira os horários na programação. LIVRARIA DA FLIPIRI - Há uma grande diferença entre uma Feira de Livros e uma Festa Literária. Uma Feira tem vários expositores vendendo seus livros, com uma programação cultural. Uma Festa Literária é uma Programação Cultural com uma única livraria vendendo os livros dos escritores e ilustradores convidados, entre outros lançamentos e livros relacionados ao tema da Festa, com o intuito de enriquecer a mostra e estimular a leitura.

Encantando com Histórias Seja na forma escrita, falada, jamais podemos subestimá-la. Os contadores de história sabem como ninguém desse fascínio... Se antigamente as histórias eram contadas somente pelos pais e avós na cabeceira da cama ou ao redor de uma fogueira, hoje, o contador se tornou uma profissão. Um dos ofícios mais antigos de que se têm notícia, é através dela, da palavra, que eles vêm encantando gerações. A contadora e escritora Clara Rosa afirma que a meninada do século 21 gosta sim dessa onda high tech, mas não deixa, jamais, de ser criança. “Contar histórias é uma arte, uma magia que encanta qualquer um. Mesmo com a tecnologia, o videogame, o computador, a criança não deixa nunca de se sentir atraída pela contação, porque ela se transporta para um outro mundo, viaja para um universo que é só dela, que ela fantasiou.”. Para Tino Freitas, escritor, quando se conta histórias com paixão, independentemente da forma que for, o ganho pessoal acontece antes da apresentação, quando o contador — que, segundo ele, deve ser antes de tudo um bom leitor — mergulha nos livros, na cultura do mundo, para

escolher o que vai contar para o outro. “Aí, acontece a outra mágica, que é dividir com o outro essas histórias, a alegria de contá-las e, quem sabe, incentivando-o a contar a outro também”, destaca. Um dos principais benefícios proporcionados pela arte de contar histórias é o estímulo à leitura e o resgate de narrativas e personagens dos tempos da carochinha. O músico Marcelo Tibúrcio e a esposa, a pedagoga e professora Adriana de Oliveira Maciel, criaram o grupo Matrakaberta, que segue bem a linha tradicional dessa manifestação artística. “Fazemos um trabalho de incentivo à nossa cultura, ao nosso folclore. As crianças conhecem o Mickey, o Tarzan, a Bela Adormecida, mas não sabem quem é o caipora, o saci, a burrinha”, comenta Marcelo. Na Flipiri eles contam as histórias: Vento Norte, A bruxa do avental, Menina bonita do laço de fita, A velha debaixo da cama, O jabuti e a fruta e O grande velho urso. Nos palcos da Flipiri, contamos ainda com o escritor Eraldo Miranda e a querida Tatiana Oliveira, mostrando a beleza da arte de contar histórias.

Texto baseado em artigo de Ana Clara Brant do Correio Braziliense

Sexta, 31 de maio 10h às 11h30 – Histórias com Eraldo Miranda (Palco) 16h às 17h – Histórias com Tatiana Oliveira (Palco) Sábado, 01 de junho

Página 14

10h às 11h30 – Mesa: A arte de narrar histórias com Clara Rosa, Iris Borges e Eraldo Miranda (Centro de Artes Ita e Alaor) 10h às 11h30 - Histórias com o Grupo Matrakaberta (Palco) 15h30 às 16h30 - Histórias com o Grupo Matrakaberta (Praça Flipiri) 17h às 18h - Histórias com Tino Freitas (Palco)

Autores Participantes: André Giusti Alexandre Lobão Álvaro Modernell Angélica Rodrigues Clara Arreguy Clara Rosa Dad Squarisi Edelson Rodrigues Nascimento Edna Rezende Elba Gomes Eraldo Miranda Eunice Azzevêdo Iris Borges João Rodruigues José Miguel Wisnik Lourenço Cazarré Luci Afonso Lucília Garcez Liduína Bartholo Marco Miranda Margarida Patriota Maria Célia Madureira Nurit Bensusan Raquel Gonçalves Renato Modernell Roberto Pontes Rogério Olegário do Carmo Ruiter Lima Tânia Loureiro Peixoto Tatiana Oliveira Tino Freitas Vera Lúcia Dias Autores de Pirenópolis: Adelmo Carvalho Elder Rocha Lima Júlia Pascali Marieta Souza Waldetes Rezende Ilustradores: Ciça Fittipaldi Fernando Lopes Gougon Jô Oliveira Jorge Braga Odilon Moraes Roger Mello Romont Willy Rosinha Campos Sophia Pinheiro Victor Tavares Coletivo Fake Fake Página 15


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Apresentações culturais A Praça Flipiri é um agito só! Olha o tanto de shows e apresentações que te esperam no palco principal: Q u i n ta – 3 0 d e m a i o

18h às 19h30 – Duo Sertão - Dueto de cordas, com Thiago Siqueira na viola caipira e Gerônimo Forzani no violão, esquentando o ambiente para a abertura da Festa às 19h30.

21h30 às 23h – Trovadores dos Pireneus – Grupo formado pelos amigos pirenopolinos: Myrna Camargo (vocalista), João Paulo Caetano Costa (violão e voz), Alexandre Luiz Pompêo de Pina (trompete, flauta e voz) e Ricardo de Pina (bateria). Com suas canções históricas e agradáveis da música brasileira, são músicos de coração, aprenderam a tocar e cantar com seus pais e avós, num ambiente típico de uma cidade de interior, cheia de cultura e história.

S e x ta – 3 1 d e m a i o

20h15 às 20h45 – A famosa Banda Phoenix e sua grandiosidade, enchem a Praça da Flipiri.

20h45 às 22h30 – Sexta Jovem – Representando a diversidade musical da nova geração de pirenopolinos, os músicos Walter Neto, Erickson Jadder, Jefferson Duque, Stênio Godinho, Salomão Godar, Mariângela de Abreu, Elismar Cardoso e Elivelto Cardoso sobem ao palco e mostram seu trabalho. Com apresentação de Gabriela Carvalho e Walker Meykom e realização do Clube do Audiovisual da Coepi. •Elismar Cardoso: autor de poesias, entre elas: Amordaçado por números, Eutanásia, A mordida mórbida... Vegetariano e amante declarado do ócio, apresenta Prosas e Poesias no palco. •Erickson Jadder e banda: jovem de 20 anos, nascido em Pirenópolis, possui um repertório que vai da MPB ao rock e samba. Banda: Erickson Jadder no violão e voz, Michael no cajon, Manel no baixo e Matheus no violão solo. •Jefferson Duque: 21 anos, nascido em Brasília, teve a influência de seu pai e tios, que sempre lhe apresentaram boas músicas. Começou sua paixão pelo violão aos 16 anos e nunca mais conseguiu largar. Tem influências de folk e rock internacional. •Mariângela de Abreu: é natural de São Paulo e reside em Pirenópolis há 26 anos. Em São Paulo percorreu palcos de teatro e ópera, como atriz, cantora e bailarina clássica. Em Pirenópolis, a artista ministra aulas de canto no Centro de Artes e integra um grupo teatral, além de se apresentar em bares e restaurantes da cidade. Como instrumentista e cantora, desenvolve um trabalho de MPB, que passa por vários estilos, da bossa nova ao baião, do samba ao pop, além de composições próprias. Em janeiro de 2013, foi lançado nas redes sociais um clipe independente da música “Vida Blues” (www. youtube.com/watch?v=LOt7iRu_8bI), de sua autoria. •Salomão Godar: 23 anos, reflete o cotidiano em músicas próprias, se identifica com o rock e outros estilos. Suas letras abordam uma linguagem poética, com a intenção de passar boas mensagens, bons momentos, suas lutas e vivências do cotidiano. •Stênio Godinho: 23 anos, de Pirenópolis, despertou interesse pela música através da influência de sua família. Formou a banda Anexo, junto com amigos da cidade, onde apresentava musicas próprias e covers que ajudaram a desenvolver o gosto pela musica e sua prática. •Walter Neto: 16 anos, de Pirenópolis, junto com seu amigo André Rovo inovou criando a Sexta Jovem, que sempre reuniu amigos em animadas apresentações. Gosta muito de músicas românticas e se dá bem com todos os estilos, já possui composições próprias onde se expressa livremente.

22h30 às 23h30 – Mc Murcego e Erotori convidam Aborígine. Murcego, que além de Rapper é educador popular, atua no Ponto de Cultura Quintal da Aldeia e é fundador do Seminário de Cultura Hip Hop “Piri Rap”, realizado desde 2007 na cidade, onde desempenha um papel importante na conscientização da juventude. Em 2013, vem com uma proposta em formato eletroacústico, acompanhado pela banda “EROTORI”. Com versatilidade musical, intervenção poética, MC Murcego já se apresentou em inúmeros estados e também do maior festival de Hip Hop da América Latina - Hutuz, ao lado do grupo Aborígine. O grupo é formado por Murcego (vocal), Mano Jhow (vocal), Jonas Cruz (guitarra e percussão), Daniel Leal (guitarra), Uriel Cordeiro (violão), Emanuel Leal (baixo), Noel Carvalho (bateria) e Marcos Galvão (backing vocal e teclado). O Projeto “Piri Rap” foi contemplado no Prêmio Preto Ghoez, na categoria Escola de Rua, promovido em 2010 pelo Ministério da Cultura.

Sábado – 01 de junho 20h30 às 21h30 – República do Sutiã – Grupo formado por vozes femininas, mulheres de todas as idades, estilos e ‘tamanhos’, que trabalham em prol da arte, da emoção e da diversão! Há 3 anos, Cassia Portugal e Emília Monteiro se reencontraram nesse sonho e convidaram mais 4 mulheres, igualmente loucas e talentosas, para formarem o grupo: Alessandra Fiorese, Rebeca Abdo, Simone Malty e Tânia Loureiro. A música foi a desculpa, os arranjos vocais passaram a ser a paixão, rir foi ponto fundamental, a não ser quando fosse preciso fazer chorar. E a amizade que hoje as unem, faz com que o trabalho dessas mulheres torne-se único, mágico e muito divertido!

Página 16

18h às 19h30 – Bumba meu Boi que sai da Praça do Coreto e, dançando pelas ruas, chega na Praça Flipiri. 19h30 às 20h – Grupo de Dança Catira Raízes de Pirenópolis - Quem não conhece a dança típica do Cerrado, chamada Catira, não pode perder este grupo de Catireiros autênticos, que se juntam nas folias para pular Catira e bater seus pés, num ritmo forte, lindo e único. São pessoas da cidade, que começam a dançar desde crianças e seguem na tradição com muito esforço, por amor a esta arte, parte da história de Pirenópolis. 20h30 às 21h30 – Aula Show com o convidados especial José Miguel Wisnik no Theatro. 21h30 às 22h30 – Show do Grupo Euterpi de Choro e Música Instrumental.

Página 17


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Venha aprender a arte da Encadernação Manual com As Papeleiras Somos as papeleiras, de Brasília. Trabalhamos com encadernação e amamos o que fazemos. Nossos produtos são feitos com muito carinho e cuidado. Também ensinamos encadernação manual e acreditamos na valorização dessa arte. Não é necessário nenhum conhecimento prévio de encadernação. São turmas de no máximo quinze participantes e, ao final, você terá um caderno feito por você do início ao fim! Venha papelar conosco!

No Lounge da Livraria, na Praça Flipiri. Sexta, dia 31, das 14h30 às 17h30 e Sábado, dia 01, das 14 às 16h30 15 vagas por oficina www.aspapeleiras.com.br

Roda de Bordado

Saia para Dançar! Através de experimentações com linha e agulha o participante é convidado a bordar as saias das cinco Sras da Guaimbê: Taninha, Miusa, Laurita, Dna Helena e Narcisa. O público de iniciantes aos mais experientes será acolhido pelas próprias bordadeiras para essa roda de bordado livre, com prosa e canto. Estará disponível aos partici-

pantes riscos de bordado estampados em técnica de serigrafia. O tema da oficina é a paisagem local da cidade pirenopolina com ênfase na memória da igreja Rosário dos Pretos, construída em 1743 e demolida em 1944. Esta ação integra o projeto “Saia para Dançar” da residência artística de Joana Salles na cidade de Pirenópolis, proporcionado

pela Funarte em parceria com o ponto de cultura Quintal da Aldeia / Guaimbê. Joana Salles é figurinista de teatro com pós-graduação em Moda, Cultura e Arte e realiza projetos que integram memória, bordado e cultura brasileira. Venha pintar, bordar e dançar!

No Lounge da Livraria, na Praça Flipiri. Sexta, dia 31, das 9h30 às 12h e Sábado, dia 01, das 16h30 às 19h 20 vagas por oficina

Página 18

Exposições de fotos completam os ambientes Ana Póvoas, Eduardo Zappia, Eliane de Castro, Gisela Maria e Paulo de Araújo, formam o time de fotógrafos que exibem suas imagens no evento. Eduardo marca presença com suas fotografias de Queimadas, deixando um recado importante de quanto esta prática é nociva e perigosa às cidades e ao meio ambiente. Eliane, que é fotógrafa e Gisela, artista plástica, trabalham em conjunto, em busca de imagens prenhes  de histórias e poesia, onde dois pares de olhos se enredam pelas cidades, seus arredores, naturezas,  habitantes e costumes, trazendo para a imagem peculiaridades e delicadezas que só se revelam quando a alma é tocada, na exposição “Espaços, Imagens e Poéticas”. Ana, além de registrar as imagens da quinta edição em sua máquina, traz ao evento a exposição “Pin Hole – A Origem da Fotografia”, uma mostra interativa, que ajuda o entendimento sobre a concepção da imagem luz. Por último, Paulo, que oferece sua mostra, que é um resgate da identidade  do povo Kalunga e sua riqueza cultural.

Ana Póvoas – Exposição “Pin Hole – A Origem da Fotografia”, na Praça Flipiri. Eduardo Zappia – Exposição “Heróis da Floresta”, no Lounge da Livraria. Eliane de Castro e Gisela Maria – Exposição “Espaços, Imagens e Poéticas”, no Cinema na Rua Direita. Paulo de Araújo – Exposição “Eu Existo: Sou Kalunga”, na Praça Flipiri

Viagem ao mundo da Imagem nas exposições artísticas da Flipiri E neste clima de arte, desenho e tudo mais, preparamos um evento cheio de intervenções artísticas e muita imagem. Com a presença de artistas locais e convidados - todos com muito o que dizer - aguarde um passeio ao mundo das artes e da criatividade. Nomes como Vera Michels, Rosane Régis, Cristina Galeão, Cláudia Azeredo e Mercedes Montero, artistas de Pirenópolis, trazem o Circuito de Criação ao evento, grupo formado pelas 5 mulheres e sua arte, num espaço de encontro e compartilhamento de ideias e reflexões. Jota Clavijo, outro artista de destaque da cidade, também

marca sua presença com seus famosos recortes de papel, expostos na parede do Salão Paroquial e suas incríveis esculturas que embelezam a Flipiri. Walkiria Monteiro completa tudo isso com sua instalação artístico-poética, “À sombra de uma árvore”, onde trabalha com o que mais gosta: as velas e a poesia. Como ela mesma diz, ela “cozinha luz”, fazendo das velas verdadeiras esculturas, cheias de encantos e significados. Não esquecendo dos grandes nomes Elder Rocha Lima e Pérsio Forzani que possuem exposições exclusivas, mais do que imperdíveis.

Circuito de Criação, todos os dias na Praça Flipiri Jota Clavijo, todos os dias, no Salão Paroquial Walkiria Monteiro, todas as noites, na Praça Flipiri Página 19


O que é a Flipiri Itinerante? A FLIPIRI possui dois momentos marcantes: o primeiro é a itinerância e o segundo, a festa aberta ao público. Na itinerância, as coisas funcionam assim: após reuniões com a Secretaria de Educação, as escolas são mapeadas, os escritores escolhidos e as quantidades de livros estipulada, de acordo com o número de alunos de cada escola e com a verba disponível. Nesta 5ª edição, são 17 escolas municipais, sendo 06 da cidade e 11 do campo; 09 estaduais e 01 escola particular. Foram distribuídos 1.500 livros, num total de R$29.000,00 , em cerimônia na Prefeitura Municipal de Pirenópolis, um mês antes do evento. As escolas recebem seus livros com alegria e dão início ao trabalho de distribuí-los entre os alunos, que lêem

e fazem rodízio dos exemplares. Então, começa um processo rico e criativo que são os recontos e outras manifestações dos leitores em relação àquelas obras. Nos dias 28 e 29, dias úteis que precedem a festa pública, os escritores escolhidos chegam a Pirenópolis para o ENCONTRO DOS LEITORES COM O ESCRITOR. E esta é a verdadeira festa. Festa de celebração da alegria de ler, de compartilhar sentimentos, sensações, de participar de um processo criativo tanto da parte do autor como de toda a escola. Não há autor que fique imune à emoção de passar por isto. Com a repetição da experiência, já no seu 5º ano, é visível

o crescimento de todos. A interação dos alunos, as perguntas, cada vez mais profundas e belas, a sensação de pertencer ao mundo de leitores, a intimidade crescente com os escritores que antes eram “mortos” ou muito distantes... Cresce o número de pessoas que estão publicando livros em Pirenópolis e pessoas que perdem o medo de mostrar seus escritos, aproximando, assim, a FLIPIRI de seu objetivo maior que é formar uma base leitora e um dia, Pirenópolis se tornar uma cidade leitora. “O sonho que se sonha junto é o sonho que se torna real.”

Itinerância - Escolas Estaduais Escolas Estaduais

Col. Est. Senhor do Bonfim

Nivel

8º 9º 6º 7º 8º

14h às 16h

EM EM EJA Especiais

Escolas Estaduais Col. Est. Ermano da Conceição Escolas Estaduais Col. Est. Comendador Joaquim Alves

Col. Est. Comendador Joaquim Alves

Escolas Estaduais

Escola Estadual Santo Agostinho

Escolas Estaduais

Col. Est. Comendador Christóvam de Oliveira

Nivel

6º 7º 8º 9º

Nivel

6º A/B 7º A/B 8º A/B 9º A/B/C 6º C 7º C 8º C 9º D Crescer Junto 1 Crescer Junto 2 EJA 1º, 2º, 3º EJA 4º, 5º, 6º Nivel 6º A 7º A/B 8º A/B 9º A/B 6º B 7º C 8º C 9º C Nivel 1º série 2º série 3º série 1º ao 3º EF II 6º ao 9º 1º a 3º série

Escolas Estaduais

Col. Est. Jarbas Jayme (Jaranápolis)

Escolas Estaduais Esc. Est. de Lagolândia Escolas Estaduais Esc. Est. de Goianópolis

Página 20

Horário 10h às 12h

Nivel 6º, 7º, 8º, 9º 1º EM 2º EM 3º EM 6º, 7º, 8º, 9º 1º EM 2º EM 3º EM

10h às 12h 19h às 21h 19h às 21h

Itinerância - Escolas Municipais Dia 29 28 28 28 29

Horário

Dia

10h às 12h

28

Horário 10h às 12h 10h às 12h 14h às 16h 14h às 16h 19h às 21h Horário 10h às 12h

Dia 28 29 29 28 29 Dia 29

29

Horário

Dia

10h às 12h

29

19h às 21h

Goianópolis Escolas do Campo Lagolândia Escolas do Campo Placa Escolas do Campo Capela Escolas do Campo

29

Escolas do Campo Jaranápolis Escolas do Campo Radiolândia Escolas da Cidade Professora Olívia Escolas da Cidade Geraldo de Moraes Escolas da Cidade Dom Emanuel

Dia

Luciano Peixoto

10h às 12h

29

Escolas da Cidade Dom Bosco

29

Nivel

Horário

Dia

6º ao 9º

13h

29

Nivel

Horário

Dia

6º ao 9º

15h30

29

9h30

29

Horário

Dia

9h30

29

Horário

Dia

15h

29

Horário

Dia

15h

29

Nivel

Horário

Dia

Nivel

Horário

Dia

Nivel

Horário

Dia

9h30

28

Horário

Dia

9h30

28

Horário

Dia

15h

29

Ed. Infantil

Nivel

FI (1º ao 5º) Ed. Infantil

Nivel

FI (1º ao 5º) Ed. Infantil

Nivel

FI (1º ao 5º) Ed. Infantil

FI (1º ao 5º)

Escolas do Campo

Horário

19h às 21h

Dia

Santo Antônio

Escolas do Campo

Escolas da Cidade

29

Horário

FI (1º ao 5º)

28

14h às 16h

Nivel

FI (1º ao 5º)

Dois Irmãos

Caxambu

14h às 16h

14h às 16h

Escolas do Campo

Escolas da Cidade Creche - Centro Munic. Educacional Infantil

FI (1º ao 5º) Ed. Infantil

Nivel

FI (1º ao 5º) Ed. Infantil FI

Nivel

Ed. Infantil

Nivel

Ciclo de Alfab. Ciclo de Alfab. Nivel

Ciclo de Alfab. Ciclo de Alfab. Nivel

Ciclo de Alfab. Ciclo de Alfab. 3º ao 5º 3º ao 5º

Nivel

3º ao 5º 3º ao 5º

Nivel

3º ao 5º 3º ao 5º

Nivel

Até 03 anos Até 03 anos

9h30

9h30

Horário

28

29

9h30

29

Horário

Dia

15h

9h30 15h

Horário 9h30 15h

29

29

29

Dia 29

29

9h30

29

Horário

Dia

15h

9h30 15h

Horário 9h30 15h

29

29

29

Dia 29

29

Horário

Dia

13h

29

9h30

29

Itinerância - Escola Particular Escola Particular

Horário

Dia

Jardim Pireneus

10h e 15h

29

Página 21


5ª Edição da Festa Literária de Pirenópolis

Mimosa e Tutti-Frutti

fazem festa oficial da Flipiri Sábado 1º de junho Os projetos Mimosa, do DJ Biondo, e Tutti-Frutti, do mesmo grupo de produtores do Picnik, serão responsáveis pela festa oficial da 5ª Flipiri, a Festa Literária de Pirenópolis 2013, que acontece de 27 de maio a 1º de junho, na cidade histórica. A festa, que marca o encontro de dois projetos divertidos e nada pretensiosos em evidência no cenário da capital, será no sábado, 1º de junho, no terraço comum ao Cinema e Teatro de Pirenópolis, chamado Entroncamento Cultural, no Centro Histórico. O evento está marcado para começar às 16hs e ir até a energia aguentar! A Mimosa + Tutti-Frutti terá a mesma essência que marca os dois projetos, reconhecidos por oferecerem som de qualidade em ambientes aprazíveis e com decoração estilizada. A Tutti-Frutti mistura comida e boa música e acontece mensalmente no entardecer de domingos. Já a Mimosa tem duas versões, também aos fins de semana: Mimosa Dia, que em geral termina às 22hs; e a Mimosa Noite,

com pista de dança e programação para mais tarde. O evento será aberto ao público local e participantes da Flipiri. Os ingressos custarão R$ 15 por pessoa, com direito a cerca de 12 horas de festa. O bar ficará por conta do café Objeto Encontrado que, aliás, foi o berço da Mimosa. O drinque que leva o mesmo nome da festa deverá embalar o evento desde o entardecer, acompanhado por espumante, cervejas, águas, sucos e algumas opções de bebidas destiladas. Os ingressos deverão ser pagos somente em dinheiro, enquanto o consumo poderá ser feito também em cartões de crédito e débito. Simultaneamente, a Tutti-Frutti também traz para o encontro uma de suas características marcantes: petiscos e canapés que estarão à disposição do público ao longo da festa, em um pacote disponível na bilheteria a preço bem acessível. No som, os DJs residentes revezam o controle da ambientação, passeando pela música brasileira, rocks lo-fi, jazz e também musica eletrônica.

Mimosa Uma dose generosa de espumante, suco de boa laranja e a mão certeira do bartender. Pronto! Essa é a receita da Mimosa, um dos drinks mais tradicionais feitos à base do vinho branco borbulhante, geralmente servido nos brunchs, refeição criada pelos americanos entre o café da manhã e almoço. Mas em Brasília, Mimosa agora também é sinônimo de festa! Em setembro de 2012, por uma iniciativa do DJ Biondo com o café Objeto Encontrado, o projeto nasceu regado ao drinque e com uma criteriosa seleção musical calcada na boa MPB. Também compõem o cenário da Mimosa a decoração estilizada, algumas performances feitas por dançarinos com figurinos e o lema que permeia a proposta: Leveza! Fineza! Sempre!

Tutti-Frutti A ideia é de juntar pessoas legais, com clima gostoso, musica boa, ambiente confortável, tecendo tardes de domingo leves e sorridentes, mas também dançantes e animadas. O projeto une dois universos bem ricos: o da gastronomia e o da musica. Para manter unidade, todo o conceito da festa obedece ao tema da edição vigente, incluindo musica, video mapping, decoração, gastronomia. Os temas, aliás, são atração à parte: sempre fazem referência ao universo criacional de grandes artistas, como Esopo e Salvador Dalí, por exemplo.

O quê: Mimosa + Tutti Frutti na Flipiri Onde: Entroncamento Cultural (atrás do Theatro) Quando: 1º de junho –  Bar aberto ao público das 16 às 20hs e Festa das 23:30 às 04 hs Quanto: R$ 15 Mais informações: Sandro Biondo – (61) 8112 7979 Página 22

A importância do apoio local na realização da Flipiri É com grande alegria que agradecemos a todos os estabelecimentos locais que acreditam no projeto e na missão de difundir a literatura e o hábito de ler, nos apoiando e contribuindo para a continuidade da Festa. Deixamos aqui um grande obrigado, a ajuda deliciosa dos restaurantes parceiros - Empório do Cerrado, Piqui de Piri, Bistrô Capim Santo,

Café Pireneus, Feira de Quintal, Pitoresco Café e o Restaurante Central - e às nossas queridas pousadas, que tanto se esforçam para oferecer o melhor da cidade aos convidados. São elas: Pouso do Sô Vigário, Pousada Mandala, Pousada Tajupá, O Casarão, Santa Fé, Nóis Hospeda e Villa das Pedras. Gratos pela confiança e boa Flipiri para todos!

Flipiri nas Ruas

Feira de Quintal recebe o Bar do Escritor Nos dias 30 e 31 de maio e 01 de junho, das 10hs para leitura, manuseio e saboreio. Na sexta e sábaaté fechar o dia, o Bar do Escritor, capitaneado do, das 13h às 18h, brincadeiras literárias com Ânpela dupla de escritores Giovani Iemini e Cristia- gela Barcellos, Sérgio Duboc e a Cia de Arte Poesia no Deveras, lança sua quarta antologia intitulada que Gira, contando histórias. Tomo IV e recebe escritores para lançamentos de livros, autógraAonde: Feira de Quintal fos, recitais e prosa. Para a meninada, um cantinho Rua Rui Barbosa, nº 31 (Próximo à Praça do Coreto) especial com livros à disposição (62) 9188-3024

www.feiradequintalpirenopolis.com.br www.bardoescritor.com.br

Agradecimentos 5a Festa Literária de Pirenópolis Curadoria: Iris Borges Captação de Recursos: Gedson Oliveira Produção Executiva: Gedson Oliveira e Gianna Toni Assistentes de Produção: Lara Lopes, Nayara Oliveira, Patrícia de Paiva, Vitor Giacon e Walker Pina Decoração: Denisio Carnielo de Godoi e Gianna Toni Assessoria de Imprensa: Objeto Sim Website e mídia online: AWeb, Gianna Toni e Raphael Chahini Comunicação Visual: Raphael Chahini Realização: Instituto Casa de Autores e Prefeitura de Pirenópolis  

Revista da Flipiri Gráfica:iGráfica Editora Edição: Gianna Toni Textos e Revisão: Iris Borges, Gianna Toni e Tânia Loureiro Projeto Gráfico: Raphael Chahini Imagens: Divulgação e imagens cedidas pelo participantes   Agradecimento a todos os funcionários da Prefeitura e da Casa de Autores que nos ajudaram a realizar esta Flipiri. Patrocínio:

Página 23



Revista Flipiri