Page 1

REVISTA DO

Praça das Bergamotas: um Jardim de Tudo, um novo espaço para a Educação Infantil Páginas 12 e 13

Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Mais um sonho que se concretiza

O Colégio irá ampliar sua estrutura construindo um novo prédio com 2.580m2. O objetivo não é apenas acomodar melhor o número de alunos que vem crescendo a cada ano, mas qualificar o atendimento aos que já estão na escola. Página Central


REVISTA DO

Expediente Revista do Colégio Sinodal do Salvador – Informativo Semestral Nº 03 – Julho de 2018

Editorial

Novos espaços para promover o desenvolvimento humano integral

Rede Sinodal de Educação IECLB

Colégio Sinodal do Salvador Direção: André Sträher Vice-direção: Cristina Adams Coordenação Pedagógica: Nicole Rebeca Cerbaro Silva Keila Gaspar Martins Sinara Emmel Orientação Educacional: Cristiane Alberti Sônia Schnarndorf Produção editorial:

Jornalista responsável: Carolina Porto Ruwer Relações Públicas: Isadora Reis Textos e fotos: Colégio Sinodal do Salvador Impressão: Gráfica Comunicação Impressa

Q

uem trabalha com educação já está acostumado a desafiar-se com o novo diariamente. Afinal de contas, nada mais dinâmico do que o conhecimento que a humanidade produz. A escola, enquanto espaço de encontro de saberes, também assume esse ritmo de inovação constante. Novas tecnologias e novos ambientes de aprendizagem podem contribuir de forma significativa para o ensino e, Em nossas vidas, por isso, o Colégio Sinodal do Salpessoas vem e vão, vador tem investido na ampliamas dificilmente ção e qualificação de ambos. Tosão apenas davia, estes são apenas recursos passageiras, pois facilitadores que nos auxiliam aquilo que naquele que é o foco de trabalho aprendemos da Instituição: o desenvolvimencom cada uma to humano integral. delas nos marca Mas em que consiste o depor toda a vida. senvolvimento humano integral? Segundo Edgar Morin, o ser humano é de natureza complexa: é a um só tempo físico, biológico, psíquico, cultural, social, histórico e espiritual. Todas suas dimensões passam por processo de desenvolvimento constante e são igual-

mente importantes em sua constituição. Da mesma forma que é importante que o indivíduo amplie sua compreensão do mundo, é igualmente desafiador o autoconhecimento, bem como a percepção de seus potenciais, de suas capacidades e limitações, para que realize as melhores opções para seu projeto de vida. O desenvolvimento das pessoas ocorre também na interação entre elas. Na convivência. Em nossas vidas, pessoas vem e vão, mas dificilmente são apenas passageiras, pois aquilo que aprendemos com cada uma delas nos marca por toda a vida, nos constitui. Tocados por outras pessoas, passamos a olhar o mundo sob uma nova perspectiva. Em um futuro próximo, o Colégio Sinodal do Salvador terá novos ambientes para promover novos encontros. Encontro entre pessoas. Pessoas grandes e pequenas. Pessoas que têm opiniões distintas, experiências de vida distintas e que são diferentes entre si, mas que se reúnem em um mesmo espaço para aprenderem umas com as outras. Prof. André Sträher

02

Escreva para nós! Sugestões de matérias; críticas e elogios; comentários; ou

Rua Voluntários da Pátria, 1260 Floresta | Porto Alegre coimpressa.com.br 51 3212-6011

Impressos campeões

para anunciar aqui:

salvador@salvador.org.br

Vencedora em duas categorias no Prêmio de Excelência Gráfica 2016


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Sinodal Sapiens

Atendimento à Pessoa com Deficiência No mês de maio, a educadora especial Isabel da Costa Cardoso participou da X Edição do Curso Atendimento Multiprofissional à Pessoa com Deficiência e Altas Habilidades, promovido pela Instituição Pública FADERS Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas para PcD e PcAH no RS. O curso abordou diversos temas relacionados à inclusão e possibilitou momentos de compartilhamento entre os participantes que vieram de diferentes municípios do estado e atuam em áreas como Psicologia, Assistência Social, Pedagogia, Fisioterapia e Administração.

Encontro de Equipes Pedagógicas

Novas integrantes da Equipe Pedagógica

O

Colégio Sinodal do Salvador tem como diferenciais ser uma escola acolhedora e desafiadora. Mesmo registrando significativo aumento de alunos nos últimos anos, procura manter, como característica, o acompanhamento individualizado dos alunos, que já é perceptível no portão de entrada, onde todos são tratados pelo nome. Por isso, todos os serviços da escola vêm recebendo importantes reforços, ampliando a quantidade de pessoas para o atendimento das famílias do Salvador. Em 2018, a Equipe Pedagógica também aumentou. Agora, a escola passa a contar com uma Orientadora Educacional com dedicação exclusiva à Educação Infantil e às Séries Iniciais. A professora e psicopedagoga Cristiane Alberti assumiu esta função em fevereiro, retornando à sua casa de formação. Também na Coordenação Pedagógica das Séries Iniciais houve alteração: com a aposentadoria da professora Márcia Freitas, que se dedicou por 31 anos ao Salvador, foi contratada a professora Keila Gaspar Martins, que tem ampla experiência com orientação pedagógica de equipes docentes.

Nos dias 14 e 15 de junho, integrantes da equipe do Salvador participaram do Encontro Nacional de Equipes Pedagógicas, cujo tema foi o estudo da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), aprovada em dezembro de 2017. O encontro, organizado pela Rede Sinodal de Educação, foi sediado pelo Colégio Sinodal Progresso, do município de Montenegro. As palestras apresentaram os princípios da BNCC da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e as principais mudanças previstas. As reflexões deram destaque para as macrocompetências que enfatizam a necessidade de um equilíbrio entre o desenvolvimento além do cognitivo, as competências socioemocionais e as habilidades de comunicação.

Formação em Linguagem As professoras Jonia Duarte, Juliana Tricot, Isabel Fortes, Marjori Reus e Andrea Krick participaram do Encontro Nacional de Linguagem Literária da Rede Sinodal, em Lajeado, em abril. O curso abordou o cenário que se apresenta para a educação a partir das novas formas de transmissão do código escrito por meio eletrônico. O evento também possibilitou o compartilhamento de diversas experiências que exploram a leitura como propulsor da imaginação, da constituição de identidade e da ampliação da visão de mundo.

Encontro de Educação Física Nos dias 8 e 9 de junho, a Rede Sinodal realizou o Encontro Nacional de Educação Física Escolar em Jaraguá do Sul - SC. O evento foi muito bem organizado, envolvendo 103 profissionais. O objetivo foi esclarecer a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), trocar conhecimentos e tornar as aulas ainda mais atrativas e significativas Participaram, representando o Colégio Sinodal do Salvador, os professores Guilherme Vivan e Cláudia Musskopf.

03


REVISTA DO

Sinodal Vida

Teoria, prática e alegria Neste primeiro semestre de 2018, o Colégio Sinodal do Salvador realizou inúmeras atividades pedagógicas, de planejamento, de socialização e de cultura. Confira, nas páginas a seguir, um pouquinho do que aconteceu dentro e fora da escola.

Uma aula junto à natureza Os 1ºs anos do Ensino Fundamental tiveram a oportunidade de explorar a natureza em uma aula diferenciada, na sede Campestre do Sesc. Em maio, as professoras Andréa Krick e Deise Beskow levaram suas turmas para realizar uma Ecotrilha, onde os alunos puderam observar diferentes tipos de árvores, bem como aprender sobre animais silvestres e insetos que fazem parte da fauna local. As crianças visitaram o viveiro com plantas comestíveis e plantaram alface e cenoura para cultivar em casa. Depois de um piquenique, aproveitaram a pracinha em meio às árvores. De volta à escola, aprofundaram seus conhecimentos sobre as abelhas em uma aula especial com a professora Roberta no Laboratório de Ciências. O contato com a natureza propricia a ampliação do potencial dos alunos para a construção do conhecimento. Desenvolver o cuidado com o meio ambiente e reconhecer seus benefícios contribui para que as crianças tenham uma aceitação maior dos alimentos naturais, assim como preservem os animais e as plantas.

4

Av. Adda Mascarenhas de Moraes, 633 Jardim Planalto CEP 91220.140 Porto Alegre/RS

Alunos do 1º ano aprenderam sobre a fauna e a flora do RS em visita à sede campestre do Sesc (foto acima) O dia ensolarado também foi propício para um piquenique e para brincar em meio à natureza (fotos abaixo)


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Alunos divertiram-se nas atrações da Festa Junina do Salvador (acima), que contou com a já tradicional quadrilha dos 3ºs anos (à direita)

Alunos concentrados em prece na Semana da Paixão Dia das Mães: tributo do Grupo Musical da escola no Boulevard Assis Brasil (acima, à esquerda) e 6ºs anos produzindo aromatizante no Laboratório de Ciências (à esquerda) para as homenageadas No Dia da Mulher, a escola surpreendeu as mamães com música ao vivo e um mimo especial (foto acima) Reunião do Conselho de Educação da IECLB em abril

5


REVISTA DO

A turma 042 da Educação Infantil experimentou tecidos acrobáticos para o estudo dos movimentos

Alunos dos 4ºs anos visitam o Jardim do DMAE

Os 2ºs anos em contato com a fauna brasileira no Gramado ZOO

Selfie registra a 161 em aula especial com Contação de Histórias

06

Tio Ely 99983.4299 3470.3376 Tia Leninha 99117.8992 Tio Marcos 99114.0595


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Pais e alunos interagem em diversas oficinas no Dia da Família

Diversão para todas as idades no piquenique de aniversário da escola, no dia 07 de abril, no Park Lindóia

07


REVISTA DO

Gestão Reprodução

Simulação do novo prédio

Ampliando os espaços para novos projetos C om mais de cinquenta anos, o Colégio Sinodal do Salvador tem vários momentos marcantes em sua trajetória. Ao propor a abertura de uma turma de educação infantil em 1964, as senhoras da OASE não podiam imaginar que, um dia, a escola teria mais de 800 alunos e atenderia, também, o ensino fundamental e o médio. Agora, a escola prepara-se para mais uma etapa importante: a construção de um novo prédio com 2.580 m². A necessidade de ampliar a estrutura física do Colégio vem sendo estudada há vários anos pelo Conselho Escolar. Para dar conta do desafio, primeiro foi necessário adquirir terrenos que possibilitassem um desenho funcional ao novo prédio, com espaço suficiente para acolher salas amplas e expandir o pátio. O objetivo se concretizou em 2016 e o Conselho não tardou em aprovar um Plano Diretor, distribuindo as diversas demandas pelo novo espaço, e contratar um projeto arquitetônico que atendesse a esta significativa solicitação.

08

Reprodução Google Maps

O Centro Social Mathilde Trein Renner, inaugurado em 1968, permitiu que a escola ofertasse todas as séries do 1º grau.


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Novos ambientes de aprendizagem O Bloco Sul, como está sendo denominada a nova edificação, terá três pavimentos e comportará 16 salas de aula, um ateliê, um espaço coberto para recreação infantil, uma biblioteca, um laboratório de ciências e um auditório com capacidade para 160 pessoas. Os novos ambientes foram projetados a partir de visitas realizadas a outras escolas brasileiras e do exterior e possuirão soluções arquitetônicas adequadas a novas metodologias de aprendizagem. A área ocupada pelo novo prédio respeitou as árvores já existentes no terreno. Assim, a escola passará a contar também com um pátio arborizado, ampliando o espaço de recreação. O cuidado com o meio ambiente também está presente na reutilização de água da chuva para as descargas nos banheiros, nas bacias de contenção pluvial e na previsão de instalação de painéis fotovoltaicos.

A edificação ocorrerá em duas etapas, pois parte do prédio avança sobre o terreno onde hoje localiza-se a Educação Infantil. Toda a área de obras ficará, naturalmente, isolada sem interferir na rotina da escola ou oferecer risco à comunidade durante a execução. Na primeira etapa, serão construídos as salas de aula e os banheiros e, na segunda, os ambientes especiais. No primeiro pavimento, ficarão concentradas as salas de aula da Educação Infantil e o 1º ano do Ensino Fundamental. Novos acessos facilitarão o trânsito dos alunos no interior da escola. As novas salas de aula no Bloco Sul liberarão espaço no prédio atual e, assim, algumas das salas já existentes poderão funcionar como salas especiais para atividades de teatro, música e artes visuais, oficinas esportivas, sala de línguas ou laboratórios diversos.

Crescer sem perder a identidade Em 2015, impulsionada pela crescente procura, a escola abriu três turmas de 1º ano do Ensino Fundamental. A decisão não era simples, pois pressupunha a abertura de uma turma nova por ano até o ano de 2023, tornando o Salvador uma escola de médio porte. O projetado crescimento da escola e a necessidade de qualificar os ambientes para implantar novos projetos, foram determinantes para que o Conselho estabelecesse a ampliação do espaço físico como uma das principais metas do Plano de Desenvolvimento Institucional do Colégio. A medida que o número de alunos aumenta, a escola tem se preocupado em ampliar também os serviços. Assim, nos últimos cinco anos, o número de funcionários cresceu 29 %.Todos os setores foram ampliados para que a escola continue com seus diferenciais de acolhimento e acompanhamento individualizado. O Colégio vive um momento em que diversos projetos estão represados por não haver onde realizar atividades novas. Para manter um currículo dinâmico e fortalecer seus diferenciais, a escola necessita de novos espaços. Portanto, nessa visão, busca-se, primordialmente, a qualificação dos ambientes para melhor atender o público existente e não somente a ampliação de salas para acomodar mais alunos. No momento, aguarda-se a aprovação do projeto na Prefeitura de Porto Alegre após vários encaminhamentos burocráticos já vencidos. A previsão é de que a obras de edificação iniciem ainda no segundo semestre de 2018, possibilitando a ocupação da primeira fase do Bloco Sul em fevereiro de 2020.

A escola adquiriu, ao longo dos anos, os quatro terrenos da Rua Guiné onde será construído o novo prédio

09


REVISTA DO

Sinodal Artes Reprodução Instagram do artista

Acima, Mr. Doodle em ação

À direita, gelateca decorada pelos estudantes

Imagens espalhadas pela página: obras dos alunos

10

Gelateca com arte Doodle A professora Roberta Weingartner desafiou seus alunos a produzirem uma instalação de arte efêmera. Os alunos se inspiraram nos trabalhos do artista Sam Cox, também conhecido como Mr. Doodle. O desenhos Doodle são divertidos, pois são formados por uma composição de rabiscos que escondem personagens ou objetos. No tapete que produziram no corredor, cada aluno escondeu o desenho de seu brinquedo de infância preferido. Mas nem tudo foi transitório nessa instalação: os alunos também produziram uma gelateca com arte Doodle. Instalada em frente à cantina escolar, a pequena biblioteca dentro da geladeira é repleta de livros para todas as idades, aproximando e incentivando a leitura diariamente.


REVISTA DO

Sinodal Vida

Praça das Bergamotas: um jardim de tudo “Acho que o quintal onde a gente brincou é maior do que a cidade. A gente só descobre isso depois de grande. A gente descobre que o tamanho das coisas há que ser medido pela intimidade que temos com as coisas. Há de ser como acontece com o amor. Assim, as pedrinhas do nosso quintal são sempre maiores do que as outras pedras do mundo. Justo pelo motivo da intimidade.” Manoel de Barros

B

rincar com elementos da natureza faz parte da estruturação de uma simbolização própria da infância. Quando a criança entra em contato com a natureza, cria novos mundos, novas possibilidades, entra em contato com sua própria essência. Os rituais ligados ao brincar com elementos não-estruturados envolvem a potencialidade da criação, imaginação e autoria, provocando que as crianças tenham experiências poéticas, estéticas e sensíveis. Foi pensando nesse encontro potente entre infância, natureza e brincar, que o Colégio Sinodal do Salvador passou a desenhar o sonho de uma praça rabiscada de poesia. A estruturação do projeto também foi realizada com a participação das crianças, por meio de assembleias com os representantes de turma, e dialogada com diversas

12

pessoas que vêm estudando e investigando sobre o brincar na infância. No projeto, alguns direcionamentos importantes: 1) Por que nossa praça deveria ter água? Para lavar a alma; 2) Por que nossa praça deveria ter terra? Para enterrar os medos; 3) Por que nossa praça deveria ter areia? Para construirmos sonhos; 4) Por que nossa praça deveria ter flores? Para lembrar que nada é eterno; 5) Por que nossa praça deveria ter madeira? Para conhecer algo intenso - não oco. E a praça realmente abrigou, em sua essência, elementos como areia, água, pedrinhas, madeira, troncos, terra e algumas plantas, buscando promover ainda mais a capacidade simbólica das crianças no contato com a natureza.

Ao longo dos últimos meses, as crianças acompanharam a construção de um espaço pensado para elas, aprenderam um pouco sobre sonhar, planejar, esperar... Observaram sua gestação e seu nascimento. Nela, imaginário e natureza conspirariam para as essências de ser criança. No centro da praça, foi plantada uma bergamoteira, junto com as crianças, para que possam acompanhar os ciclos da vida. Quando a praça ficou pronta, as crianças pensaram em alguns nomes para ela, os adultos pensaram em outros e fizemos uma grande votação em toda a Educação Infantil. A sugestão mais votada foi proposta por uma criança: Jardim de Tudo, nome que os adultos acharam um pouco estranho, mas que fez muito sentido. A praça deveria se chamar um jardim de tudo, porque abriga a nossa própria essência. Um jardim de tudo, porque ali cabe o mundo! E, não diria o poeta, nosso quintal é maior que o mundo?


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

O espaço foi criado de forma a provocar diferentes estímulos, desde a textura da areia, o contato com diferentes tipos de pedrinhas, a ludicidade da água, dos arbustos, das flores, e, é claro, dos brinquedos que compõem a pracinha, que contou com o auxílio de especialistas em infância.

13


REVISTA DO

Sinodal Vida

Todo apoio para superar os desafios do Ensino Médio

O

Ensino Médio representa uma etapa intensa e desafiadora na vida escolar. Assumir novas responsabilidades e estabelecer uma rotina diária de estudos exige do adolescente um comprometimento que ele nem sempre está preparado para assumir, pois, muitas vezes, contrasta com seus desejos e suas expectativas. Para que os alunos conversem sobre as alegrias e angústias da juventude, a Orientação Educacional da escola formulou um projeto de acompanhamento em que uma das etapas consiste em rodas de conversa com um psicólogo ao longo do ano letivo. Em 2018, a escola convidou o psicólogo Mateus Paveni Luciano para realizar esse momento de reflexão e diálogo, no qual os alunos puderam externar expectativas, anseios, medos e frustrações, auxiliando-os em seu desenvolvimento socioemocional. Como cada série encontra-se em fase distinta, o projeto propõe diferentes temas para cada uma: 1° Ano - Expectativas, desejos e compromissos: quem sou eu? 2° Ano - Escolhas e Responsabilidades: o que queremos? 3° Ano - A saída do Ensino Médio: perspectivas, possibilidades e amadurecimento. Dentro do projeto, no dia 30 de maio, também houve um bate-papo sobre escolha profissional com a psicóloga Luciane Linden, da Unisinos. O momento foi mais uma oportunidade para que os alunos pudessem discutir os rumos futuros, propiciando-lhes reflexão e autoconhecimento. Na tarde do mesmo dia, os estudantes também puderam realizar um teste vocacional, instrumento que serve como auxiliar para a escolha profissional.

14

Secundaristas participaram de conversa com psicóloga e teste vocacional como parte de projeto formulado pelo Serviço de Orientação Educacional da escola

Alunos visitam universidades Como parte da preparação para a vida acadêmica e também como forma de auxiliar os estudantes a definirem seus rumos após a conclusão do Ensino Médio, o Colégio Sinodal do Salvador propicia diversas visitas a universidades. No mês de junho, nossos alunos puderam conhecer a Unisinos e a Feevale, em Novo Hamburgo. Na oportunidade, puderam conhecer o ambiente universitário, as diferentes possibilidades de cursos de graduação, assim como obter subsídios para sua escolha profissional.


Porto Alegre, julho de 2018 - Ano 02 - N° 03 - Edição semestral

Sinodal Sapiens

Plataformas educacionais a serviço da aprendizagem

B

uscando atender ao princípio pedagógico da alternância didática, o Colégio tem investido na adoção de Plataformas Educacionais que possibilitam o compartilhamento de arquivos, a realização de simulados, a construção de espaços virtuais colaborativos e o uso de ferramentas de avaliação e acompanhamento da aprendizagem. As plataformas são um recurso adicional que estará disponível para professores e alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio a partir do mês de julho. Para acessar esses recursos, cada aluno recebeu uma Conta Google institucional que foi utilizada no cadastro das quatro plataformas: Portal do aluno GvCollege, Google for Education, Plurall e App Prova (Grupo SOMOS). Nas plataformas, o aluno conseguirá acessar sua vida acadêmica, verificando pareceres, boletins ou o agendamento de provas. Elas também serão utilizadas para o envio de arquivos, a realização de exercícios, avaliações e simulados on-line, bem como para visualizar os livros no formato digital. Todos esses recursos serão introduzidos de forma gradativa e podem ser acessados até mesmo pelo celular do aluno, por meio de aplicativos.

Foto Michele Plachi

A partir do segundo semestre, alunos e professores poderão contar com mais recursos tecnológicos para auxiliar nas atividades de ensino e pesquisa

Desafio de Matemática e Ciências Naturais No dia 16 de maio de 2018, realizou-se o Desafio de Matemática e Ciências Naturais. A atividade envolve alunos a partir 5º ano do Ensino Fundamental com o objetivo de verificar seu desempenho diante de situações-problema que envolvem o conhecimento científico. Mobilizar competências na resolução de problemas exige conhecimento, interpretação e raciocínio lógico. Por isso, as atividades foram elaboradas de forma diferenciada por série e nível, conforme o processo de aprendizagem dos alunos.

15


Revista do Colégio Sinodal do Salvador - Ano II - Nº 03  
New
Advertisement