Page 1

CICLOS/

ESPACIALIZAÇÃO

CONEXÃO VERTICAL ENTRE ÁREAS PÚBLICAS E PRIVADAS

HABITAT

Por se tratar de habitações transitivas com caráter diferenciado, a distribuição das áreas coletivas de das unidades habitacionais acontece de forma vertical e integrada. Além de maior dinamicidade no prédio como um todo, o programa vertical é utilizado como forma de segurança e controle, como elemento de identificação dos usuários, percepção visual e wayfinding .

CONCEITO

Edificação auto-sustentável, com produções internas apoiando-se nos três pilares do conceito

RELAÇÕES BI-DIRECIONAIS Ciclos bidirecionais entre moradores, abrigo e cidade, em que todos oferecem e recebem uns dos outros

i: 10%

RAMPA

SERVIÇOS DE SUPORTE ÁREA DE USO PUBLICO

APROPRIAÇÃO DO LIXO Assumir a relação entre os moradores de situação de rua com o lixo e explorar a relação cíclica e sustentavel da sua reutilização. Apologia social: “mostrar o que é escondido”.

MORADORES

e SOCIAL Re-inserção transformação dos

ÁREA ÍNTIMA

RUA ARAÚJO FIGUEIREDO

SUSTENTABILIDADE

i: 10%

RAMPA

RUA SALDANHA MARINHO

Insipirando-se no ciclo da vida, o projeto busca proporcionar moradias de transição à moradores em situação de rua. Seguindo o conceito de housing first, busca-se oferecer não só a habitação, mas elementos que proporcionem a transformação dos indivíduos e sua re-inserção na sociedade, para posteriormente se encaminharem a moradias permanentes. O seu conceito está apiado na concepção dos CICLOS a partir de 3 esferas:

ÁREA DE USO COLETIVO

moradores

Produção Sustento

Horta Recilcagem ciclo do lixo Cap. agua da chuva Construção limpa

AMBIENTAL

Formação Suporte

Cidadania

Cidadania

Suporte

ABRIGO

CIDADE

- Econonia circular - Comercialização de produtos locais para

ECONÔMICA

Inserção

LIXO

ESTRUTURA MODULAR

MADEIRA PARA EDIFÍCIOS EM ALTURA - UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL EM ASCENSÃO

IMPLANTAÇÃO Escala 1:500

O projeto se desenvolve em uma estrutura completamente modular, pré-fabricada e inovadora, utilizando-se principalmente da Madeira Laminada Colada (MLC) e Cross Laminated Timber (CLT). A justificativa da escolha se da pelos tantos pontos positivos da Madeira: Um recurso limpo, renovável (utiliza-se madeira de reflorestamento local), de baixo consumo de energia e qualidade de conforto ambiental. A obra Pré fabricada permite cronograma de construção mais curto e limpo, vantajoso para locais urbanos densos. O projeto Organiza-se em uma malha de 3x3, onde se apoiam lajes CLT pré fabricadas em um conjunto de vigotes de MLC, bem como os pilares que vão até o térreo. É nesta modulação que se organizam todos os ambientes e se apoiam as divisórias internas, em sua maioria, Drywall. A circulação vertical, por sua vez, é feita por blocos de concreto armado pré-moldado, que contraventam a estrutra. Já quanto ao subsolo, é feito de concreto moldado inloco, com muros de arrima para contenção dos esforços resultantes da declividade original do terreno.

PROGRAMA

LIM

BLOCO DE HABITAÇÃO E ÁREAS COLETIVAS: Cada 2 andares conformam um “bloco de habitação”, com cozinha e sala coletiva ampla onde acontecem diversas atividades educativas: Aulas, palestras, oficinicas, produção culinária, integrando os mesmos as habitações.

EN

EXTENSÃO TÉRREO

9

OB

RIG

AT Ó

ÁREA DA TORRE SOBRE PILARES

RIO

S

7

8

TO S

O

2

3

4

5

6

ÁREA DA TORRE BALANÇOS

1

20 19 18 17 16 15 14 13 12 11

RR

EN

10

HORTA COLETIVA: Produção de alimentos a serem utilizados para consumo interno e comercialização do excedente no mercado.

TE

AF AS TA M

Freezer

Freezer

ITE

PLANTA BAIXA TÉRREO Escala 1:300 LAJES CLT PRÉ-FABRICADAS

ATIVIDADES DE SUPORTE: Triagem, médico, dentista, psicologia, auxilios. MERCADO PÚBLICO E ATELIÊ: Comercialização de produtos produzidos na edificação e realização de artividades com a comunidade

4

5

6

7

8

9

10

8

3

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

7

2

2

20 19 18 17 16 15 14 13 12 11

3

4

5

6

1

20 19 18 17 16 15 14 13 12 11

1

SUBSOLO: Almoxarifado, estacionamento de carrocinhas de coleta de lixo e área de reciclagem.

20 19 18 17 16 15 14 13 12 11

10

RESTAUTANTE POPULAR E PRAÇA TERREO: Atendimento a comunidade, captação de futuros moradores e área de utilização para eventos 9

ÁREA DE COMPOSTAGEM E SEPARAÇÃO DO LIXO - a partir de compostos produzidos na edificação

GRELHA VIGOTES MLC

PLANTA BLOCO HABITAÇÃO - 5º E 6º PAVIMENTO Escala 1:300

PILARES NUCLEO RIGIDO CIRC. VERITCAL EMBASAMETO CONRETO

PERMEABILIDADE

CONFORMAÇÃO GRADUAL DOS ESPAÇOS E SUA TRANSPARÊNCIA Ripas de madeira acústica forram as paredes dos dormitórios, que gradualmente se abrem para as áreas coletivas e permeáveis. Nas janelas, com o mesma lingaguem das ripas, Brises verticais móveis para conter a forte insolação da fachada leste. As varandas foram posicionadas em ambientes estratégicos para criar diferentes centralidades, intercaladas com jardins verticais.

HORTA COBERTURA

VARANDAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROJETO ARQUITETÔNICO 6 - PROF. EDUARDO WESTPHAL E JOÃO SERRÁGLIO ACADÊMICA: MARIA CANDELÁRIA RYBERG

CICLOS/ Síntese  
CICLOS/ Síntese  
Advertisement