Page 1

OBSERVATÓRIO

HUAYRÃN RIBEIRO

COMUNITÁRIO


OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO Uma coletânea de artigos e crônicas de autoria de Huayrãn Ribeiro publicados no Campinarte Dicas e Fatos, informativo comunitário em circulação no município de Duque de Caxias - RJ

Capa - Huayrãn Ribeiro / Foto de Ilustração 2012

Esta obra foi composta nas oficinas do Campinarte Dicas e Fatos em Nova Campinas - Duque de Caxias - RJ. Edição e coordenação: Huayrãn Ribeiro


A figura do Observador Comunitário aparece pela primeira vez na capa da edição de Outubro de 1997


ATIVIDADES DE HUAYRÃN RIBEIRO Huayrãn Ribeiro nasceu no dia 18 de fevereiro de 1958 na Penha Circular (Zona da Leopoldina) no antigo Estado da Guanabara. No dia 27 de setembro de 1996 lança o primeiro guia comercial de Nova Campinas (Terceiro Distrito) em Duque de Caxias - CAMPINARTE DÁ A DICA. Em 1997, com o crescimento dessa iniciativa e atendento à pedidos, o guia foi transformado no jornal Campinarte Dá a Dica que a partir de outubro do mesmo ano passa a se chamar CAMPINARTE DICAS E FATOS. Foi em meio a esse crescimento e transformações que surgiu a figura do Observador Comunitário. Suas poderosas lentes captaram (e continuam captando) imagens, sons e tudo mais que envolve nossas comunidades. Nessa primeira edição alguns artigos que foram publicados ao longo desses anos no Campinarte Dicas e Fatos assinados pelo seu fundador... Huayrãn Ribeiro


TEXTOS, ARTIGOS E CRÔNICAS PRESENTE DO PASSADO SEM FUTURO LÍDER COMUNITÁRIO CIDADÃO, VOCÊ NÃO FOI DERROTADO JOAQUIM! JOAQUIM! JOAQUIM! A REALIDADE É QUE NINGUÉM GOSTA DE ÍNDIO!!!! NADA NA VIDA É PARA SER TEMIDO AS MOEDAS MÁGICAS DO REI BASTA DESSA FALSA DEMOCRACIA! O ESTADO PEDE DESCULPAS E O POVO TEM QUE ACEITAR É ASSIM QUE O POVO DANÇA NÃO CONHEÇO NADA MAIS RESISTENTE QUE O POVO REPÚBLICA COM "JEITINHO" DE MONARQUIA SALVE ANTIPATIA! O SONHO ROUBADO COISA DE CRIANÇA... CADÊ? CADÊ?


PRESENTE DO PASSADO SEM FUTURO Eu trabalho Tu recebes Ele gasta Nós pagamos Vós enriqueceis Eles... continuam no poder Eu voto Tu és eleito Ele toma posse Nós nos ferramos Vós sonegais Eles... continuam no poder Eu apanho Tu bates Ele rebate Nós caímos Vós pisais Eles... continuam no poder Eu paro Tu miras Ele atira Nós morremos Vós filmais Eles... continuam no poder OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 6


LÍDER COMUNITÁRIO

O

O Campinarte não considera líder comunitário aquele que se intitula com tal – o verdadeiro líder comunitário tem que ser reconhecido pela sua comunidade como LÍDER. O Campinarte não considera líder comunitário aquele que veste a camisa de um partido político; o Campinarte não considera líder comunitário aquele que se lança candidato ou apóia (vereador, deputado, etc.). O verdadeiro papel do líder comunitário é orientar e organizar a sua comunidade em relação aos seus deveres e direitos. Caso contrário esse pseudolíder passa a ser uma figura nociva para a sua comunidade. Ninguém pode servir a dois senhores ao mesmo tempo. Quando alguém que se apresenta como líder comunitário age dessa forma não lhe resta alternativa se não a de abandonar as causas comunitárias. Quando alguém que se apresenta como líder age dessa forma, na verdade já assumiu o papel de Judas. A tendência natural é a comunidade ficar a deriva, sem rumo. O pior é que a comunidade só vai perceber isso quando for tarde demais. Quando um “líder” comunitário se vende, não lhe resta outro papel se não o de trair a sua comunidade. As comunidades precisam sim de bons vereadores; bons deputados estaduais, federais, de bons senadores, precisam sim de um bom governador, um bom presidente – cada qual honrando o seu cargo; as comunidades precisam sim de democracia plena. Só teremos bons políticos se tivermos bons líderes comunitários. A ausência do bom e verdadeiro líder comunitário significa sinal aberto para os oportunistas e enganadores. A ausência do bom e verdadeiro líder significa condenar uma comunidade a perambular sem honra, sem dignidade. E como dizia Gonzaguinha: “sem a sua honra se morre se mata, não dá pra ser feliz”. 7 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


CIDADÃO, VOCÊ NÃO FOI DERROTADO

A desinformação foi a responsável pela deseducação que levou à indisciplina, à desorganização, à desdoutrinação, à desconstrução de uma sociedade inteira. Não estou falando da derrota de um simples cidadão e sim de uma sociedade inteira. Cidadão, você não foi derrotado. A desinformação foi a responsável pelo extermínio da ética, da moral, da seriedade e da honestidade de uma sociedade inteira. Não estou falando da derrota de um simples cidadão e sim de uma sociedade inteira. A desinformação foi a responsável pelo não cumprimento das leis, que levou à corrupção, que levou à violência, que levou à morte, que levou à impunidade e que elevou uma sociedade inteira à categoria de criminosos. Formamos uma sociedade de criminosos. Cidadão, você não foi derrotado. Fomos derrotados pelas nossas próprias ambições, pelas nossas mesquinharias, pelo prazer de provocar (direta ou indiretamente) a infelicidade dos outros, fomos derrotados pela nossa própria crueldade, pelos nossos preconceitos e discriminações, pelas nossas crenças em tantos deuses e doutrinas e pelas nossas devoções e fé cega em tantas ideologias. Fomos derrotados pelas nossas próprias orações, nossas evocações, nossas depressões, fomos derrotados pelos nossos próprios fantasmas e pelos nossos próprios demônios. Fomos derrotados por nossas próprias mentes pequenas. Fomos derrotados pela nossa própria promiscuidade, pela nossa imoralidade legalizada e por nossas perversões institucionalizadas. Cidadão, você não foi derrotado. Fomos derrotados pelo ar que nunca aprendemos a respirar... Fomos derrotados pela comida que nunca aprendemos a mastigar... Fomos derrotados pela água que nunca aprendemos a beber... Fomos derrotados pelas crianças que nunca aprendemos a criar... Fomos derrotados pelos idosos que nunca aprendemos a respeitar... Fomos derrotados, homens e mulheres, porque nunca aprendemos o significado da palavra amor. Cidadão, você não foi derrotado. Não estou falando da derrota de um simples cidadão, e sim de uma sociedade inteira. OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 8

A


JOAQUIM! JOAQUIM! JOAQUIM!

Hoje é dia 21 de Abril e eu gostaria de escrever alguma coisa sobre um certo Joaquim, não necessariamente o Tiradentes, mas, um certo Joaquim que simbolizasse todos os Joaquins, Josés, Silvas e Xavieres (seria assim mesmo, Xavieres? Se não for, por favor, me corrijam). Eu gostaria de escrever sobre um certo Joaquim que não se prendesse às opiniões da multidão. Um Joaquim que viva a sua vida de acordo com as luzes que lhe chegam do alto porque a multidão julga o lado exterior, o íntimo só Deus conhece. Eu gostaria de escrever sobre um certo Joaquim que tivesse uma personalidade própria sabedor que de nada valerá o conhecimento de todas as ciências do mundo, de tudo que está fora de nós, se não conhecermos a nós mesmos. Um certo Joaquim cuja a vida seja cercada de amor e que não tenha prevenção contra seus semelhantes. Eu gostaria de escrever sobre um certo Joaquim que fosse capaz de vencer as barreiras da separação, de aproximar criaturas, de solidificar amizades. Eu gostaria de escrever sobre um certo Joaquim desperto para as verdades superiores que não se iluda com as conquistas fáceis, com os prazeres transitórios, com as sensações efêmeras. Um certo Joaquim que busque intensamente as coisas sólidas e duradouras, espalhando alegria e otimismo, bondade e amor, que são as bases firmes e eternas da felicidade que jamais termina. Joaquim! Joaquim! Joaquim! Que coisa, onde andará esse Joaquim? 9 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO

H


A REALIDADE É QUE NINGUÉM GOSTA DE ÍNDIO!!!!

N

Ninguém odeia mais os índios que povo brasileiro... Ninguém odeia mais os índios que o governo brasileiro... Ninguém odeia mais os índios que a mídia brasileira... Ninguém odeia mais os índios que as denominações religiosas brasileiras e do exterior - eu disse todas... Ninguém odeia mais os índios que as Ong's, associações e fundações brasileiras e do exterior.... O Brasil em relação ao cuidado com os índios é a maior farsa do mundo... O índio é o inimigo útil número 1 dos interesses nacionais e internacionais, só por isso são mantidos "vivos"... O capital nacional e o capital estrangeiro, infelizmente (pra eles) tem que engolir os índios porque precisam deles para explorar, roubar, desviar, internacionalizar nossas riquezas... Já perdemos nosso território, faz tempo... Já perdemos nossos índios, faz tempo... Já perdemos a vergonha, faz tempo... Já perdemos a moral, faz tempo... Já perdemos a ética, faz tempo... Já perdemos a seriedade, faz tempo... Já perdemos a honestidade, faz tempo... Já perdemos o respeito, faz tempo. Não somos um povo, somos um amontoado de carneirinhos submissos, coniventes e acomodados com essa tal de democracia recheada de assistencialismo, esmola e corrupção de toda ordem... E Deus não tem nada com isso... Graças a Tupã! OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 10


NADA NA VIDA É PARA SER TEMIDO

M

Muitas pessoas têm medo de falar, de andar, de reclamar. Uns têm medo de sair de casa, outros têm medo de ficar em casa. O medo anda por aí a solta. Também pudera: com tanta bala perdida, tanta violência, tantas agressões, assaltos... Claro que o povo anda com medo e o medo anda com o povo. O pior é que muitas pessoas andam reprimindo todo esse medo e a conseqüência do medo reprimido é a grande autodestruição. O medo é um ácido que é bombeado na atmosfera de alguém. Ele causa asfixia mental, moral e espiritual, e algumas vezes morte; morte para a energia e todo crescimento. Nós não deveríamos deixar que nossos medos nos impedissem de ter nossas esperanças. Quando se cede com medo do mal, sente-se já o mal do medo. Nós precisamos entender uma coisa: É quase sempre preferível perder pela força a perder somente pelo medo da força. A melhor maneira de espantar o medo é enfrentando a situação de frente, é encarando o medo de frente. A felicidade maior do ser humano é libertar-se do medo. Precisamos confiar que o outro lado de todo medo é a liberdade. É nisso que temos que acreditar. Faça a coisa que receia e a morte do medo será certa. Um dos grandes segredos dessa vida é aprender a dominar o medo de cada dia. E outro grande segredo é que nada na vida é para ser temido. Mas apenas para ser entendido. 11- OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


AS MOEDAS MÁGICAS DO REI Era uma vez um lugar muito distante. Um lugar que fica muito, mas muito longe mesmo. Nesse lugar (que faz lembrar um samba enredo de Carnavais do passado), tudo era fantasia, tudo era ilusão, quanta alegria que fascinação. Tudo parecia real, tudo. Tudo parecia felicidade, tudo. O rei desse lugar era ao mesmo tempo um grande mago que ao invés de uma varinha de condão, para realizar os seus truques ele se utilizava de outro instrumento tão poderoso ou mais, as suas moedas mágicas. Esse grande rei conseguia tudo o que ele queria com as suas moedas mágicas. Se, por exemplo, o povo começasse a reclamar que estava com fome o rei pegava uma de suas moedas mágicas e logo, logo, todas as emissoras de televisão, jornais, revistas publicavam que o povo estava comendo mais e melhor e o povo enfeitiçado por essa magia mesmo desnutrido, fraco, debilitado parava de reclamar e antes de morrer de fome aclamava: Viva o Rei! Viva o Rei! O mesmo acontecia na saúde. Bastava o povo começar a reclamar das filas nos hospitais, da falta de médicos e do alto índice de pacientes infectados por isso ou aquilo o rei mais que depressa pegava uma de suas moedas mágicas e os institutos de pesquisas de lá e (como sempre) toda a grande mídia apresentava dados favoráveis a política de saúde do rei e o povo enfeitiçado por essa magia mesmo desnutrido, fraco, infectado, doente, debilitado parava de reclamar e antes de morrer pelos corredores desses mesmos hospitais aclamava: Viva o Rei! Viva o Rei! Nesse lugar muito distante. Um lugar que fica muito, mas muito longe mesmo. Nesse lugar (que faz lembrar um samba enredo de Carnavais do passado), tudo era fantasia, tudo era ilusão, quanta alegria que fascinação. Tudo parecia real, tudo. Tudo parecia felicidade, tudo. O rei que também era um grande mago, graças as suas moedas mágicas não teve grandes dificuldades para seduzir e enfeitiçar uma boa parte do segmento religioso que movidos por uma ambição desvairada tornara-se cúmplice desse tirano que em troca exigia apenas que (esses líderes) mantivessem suas ovelhas sob total controle. E essas ovelhas submissas a esses líderes enfeitiçados pelo grande monarca e suas moedas mágicas mesmo desnutridas, fracas, infectadas, doentes, debilitadas, desinformadas, deseducadas por uma doutrina às avessas que pregava a acomodação e o conformismo conscientemente aclamavam: Viva o Rei! Viva o Rei!

E

OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 12


Esse grande monarca conseguiu maravilhas graças as suas moedas mágicas. Agiu da mesma forma na educação, na segurança, transportes, etc. O seu reino aos olhos do mundo era realmente o país das maravilhas. Esse país não tinha dívida externa e nem tinha dívida interna, graças às moedas mágicas. Viva o Rei! Viva o Rei! O povo desse reino encantado acreditava (mesmo) que o seu rei bondoso e generoso emprestava dinheiro ao FMI para ajudar a outras nações que necessitassem de ajuda, graças às moedas mágicas. Viva o Rei! Viva o Rei! Esse país era soberano e seu território não era entregue a especulação do empresariado, graças às moedas mágicas: Viva o Rei! Viva o Rei! Esse país não era explorado por Organizações interessadas em internacionalizar suas florestas e sua biodiversidade, graças às moedas mágicas: Viva o Rei! Viva o Rei! Nesse país maravilhoso todas as estradas (de norte a sul) mais pareciam um tapete, graças às moedas mágicas: Viva o Rei! Viva o Rei! Tudo parecia real, tudo. Tudo parecia felicidade, tudo. Era uma vez um lugar muito distante. Um lugar que fica muito, mas muito longe mesmo. Nesse lugar (que faz lembrar um samba enredo de Carnavais do passado), tudo era fantasia, tudo era ilusão, quanta alegria que fascinação... Graças a um Rei e suas moedas mágicas – Viva o Rei! 13 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


BASTA DESSA FALSA DEMOCRACIA!

A

A grande mídia com seus boletins (des) informativos e propagandas enganosas está fazendo a festa cobrindo e encobrindo ações do terrorista Estado Brasileiro que coloca contra a população o tráfico de drogas, a milícia, a polícia e as forças armadas. Chegamos a essa situação graças a conivência de falsas lideranças comunitárias que pela bagatela de trinta dinheiros venderam suas comunidades ou em troca de uma colocação na prefeitura ou no governo estadual e até mesmo uma boquinha no governo federal. Muitos foram além: lançaram suas próprias candidaturas à vereador, deputado estadual, federal e até a senador, acredite se quiser. O Estado pulverizou Brasil a fora uma penca de ONGs, Fundações, Associações e Igrejas transformando-as em verdadeiras usinas de obras sociais de fachada porque na realidade só servem para lavagem de dinheiro. O Estado ainda tem um pouco de força porque de tempos em tempos temos eleições, com certeza, uma das maiores farsas brasileiras. Está mais que provado que esse sistema está falido, está podre, não funciona, pelo menos para o eleitor. Essa farsa chamada eleições só beneficia aquele que é eleito. O voto só serve para quem é eleito. O Estado criminoso, cruel e desumano promove (sempre depois de eleito) uma série de desserviços contra aqueles que o colocaram no poder: fecham hospitais, escolas que não instruem, transportes que não chegam, desemprego, falta de saneamento básico e tudo mais que possa desestabilizar a população, tudo que possa tirar a tranqüilidade do eleitor que só é tratado com cidadão em época de eleição. O que temos que questionar é esse sistema eleitoral que não funciona, vejam: o legislativo não passa de um cabo eleitoral de luxo do executivo e mais – quem legisla é o executivo que trata a população como marionetes cujos cordões são esses parlamentares que também não passam de bonecos nas mãos de prefeitos, governadores e até mesmo do presidente (a) da república. O Estado conta com uma poderosa rede de cúmplices para trabalhar e manter esse sistema de coisas. Não tivemos um registro de qualquer tipo de ação criminal durante a última campanha eleitoral. Isso é

OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 14


no mínimo muito estranho. O Estado conta com uma poderosa rede de cúmplices: grandes empresas nacionais e internacionais, a grande mídia, ONGs, Fundações, Associações, Igrejas, tráfico de drogas, a milícia, polícia e as forças armadas... Tudo contra o povo. Tudo contra um povo que é trabalhador, tudo contra um povo que é ordeiro, tudo contra um povo que faz de tudo para andar conforme a lei. Atenção: um dia essa massa vai se revoltar... Um dia essa massa vai reagir... Um dia essa massa vai cobrar... Um dia essa massa vai querer o que é seu de fato e de direito... Um dia essa massa vai dizer não a esse sistema... Um dia essa massa vai gritar: BASTA DESSA FALSA DEMOCRACIA!... E esse dia parece não estar muito longe. 15 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


O ESTADO PEDE DESCULPAS E O POVO TEM QUE ACEITAR

O Estado desinforma e pede desculpas... O Estado deseduca e pede desculpas... O Estado desemprega e pede desculpas... O Estado debilita e pede desculpas... O Estado deprime e pede desculpas... O Estado oprime e pede desculpas... O Estado abusa e pede desculpas... O Estado negligencia e pede desculpas... O Estado corrompe e pede desculpas... O Estado frauda e pede desculpas... O Estado prostitui e pede desculpas... O Estado estupra e pede desculpas... O Estado rouba e pede desculpas... O Estado trafica drogas e pede desculpas... O Estado prende e pede desculpas... O Estado tortura e pede desculpas... O Estado humilha e pede desculpas... O Estado condena e pede desculpas... O Estado mata e pede desculpas... E o povo desinformado, deseducado, desempregado, debilitado, deprimido, oprimido, abusado, negligenciado, corrompido, fraudado, prostituído, estuprado, roubado, drogado, preso, torturado, humilhado, condenado e morto tem que ACEITAR. OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 16


É ASSIM QUE O POVO DANÇA

Uma rua aqui uma criança ali Uma igreja lá e o sexo acolá E a mídia no meio... Uma criança aqui um traficante ali Um político lá uma igreja acolá E o sexo no meio... O sexo aqui uma ONG ali Um traficante lá e a milícia acolá E a igreja no meio... Um traficante aqui a milícia ali A polícia lá a criança acolá E o político no meio... Um político aqui um traficante ali A mídia lá e a polícia acolá E uma fundação no meio... Uma ONG aqui uma associação ali Uma criança lá a mídia acolá E o traficante no meio... Uma fundação aqui um político ali Uma ONG lá uma igreja acolá E a milícia no meio... Uma ONG uma associação Uma fundação uma igreja Um político a mídia O traficante a milícia A polícia o sexo E uma criança no meio... Morta... 17 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


NÃO CONHEÇO NADA MAIS RESISTENTE QUE O POVO

Não conheço nada nesse mundo mais resistente que o povo. Não acredito que haja no universo alguma coisa mais resistente que o povo. O povo não quebra (enverga), mas não quebra, o povo resiste. O povo é submetido a todas as modalidades de perversões com requintes de crueldades e continua ali, firme e forte, resistindo. O povo é empurrado morro acima para despencar morro abaixo nas primeiras chuvas e em meio aos cacos e trapos coberto de lama e de barro o povo ressurge intacto, ileso, inteiro, para desespero de seus algozes. O povo (penso eu) é imortal. O povo não quebra (enverga), mas não quebra, o povo resiste. O povo é empurrado ladeira abaixo para ser mandado para o andar de cima e tentam de tudo para exterminá-lo: susto, bala e vício, mas não adianta porque o povo resiste. Não conheço nada mais resistente que esse tal de povo que na verdade é tão resistente quanto teimoso. Com o povo ninguém pode: nem trombada de trem e nem catinga de bode (não sei de onde tiraram esse ditado), mas faz sentido. O povo resiste (inclusive) às várias tentativas de envenenamentos seja na alimentação ou na água e até mesmo no ar que respira, o povo é imortal. Acidentes de trânsito, barcas, trens e aviões o povo tira de letra. Assim como nem só de pão vive o povo, também nem só com armas luta ele, aliás, a principal arma do povo é a sua infinita sabedoria na arte da sobrevivência. O povo enfrenta sozinho com a cara e a coragem o Estado muito bem armado com o seu exército (O exército é o partido que o povo paga e arma contra si mesmo) assim como a polícia, a milícia e o tráfico de drogas que é mais uma extensão do Estado que tem o povo como o seu inimigo (útil) número 1. E mesmo assim o povo não tomba, o povo resiste, o povo não quebra (enverga), mas não quebra. O povo vive constantemente em perigo porque é perigoso estar certo quando o governo está errado. O povo enverga, mas não quebra. Não acredito que haja no universo alguma coisa mais resistente que o povo. OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 18

N


REPÚBLICA COM "JEITINHO" DE MONARQUIA

A nossa República tem a cara, o jeito e os trejeitos da velha Monarquia... Até o gerente do país em seus devaneios etílicos age como se fosse o Rei do Brasil... Tem até os bobos da corte (o povo)... O Brasil tem rei pra tudo: Rei do Futebol, Rei da Jovem Guarda, o Rei dos Pastéis... E rainha? A Rainha de Bateria, a Rainha das Padarias, a Rainha das Quadras, a Rainha disso, a Rainha daquilo... A nossa República tem a cara, o jeito e os trejeitos da velha Monarquia... Até o gerente do país em seus devaneios etílicos age como se fosse o Rei do Brasil... Tem até os bobos da corte (o povo)... Tem o Rei da Coca, o Rei da Cocada Branca, o Rei da Cocada Preta... Não poderiam faltar os castelos, certo? Castelo dos Sonhos, Castelo Encantado, Castelo de Cartas... A nossa República tem a cara, o jeito e os trejeitos da velha Monarquia... Tem rei, rainha, bobos e castelos para todos os gostos... Até o gerente do país em seus devaneios etílicos age como se fosse o Rei do Brasil... O Brasil tem rei pra tudo: o Rei das Tintas, o Rei Momo, o Rei da Baixada Fluminense... Pensando bem, o Brasil na verdade (na prática), tem uma Monarquia disfarçada de República... Uma monarquia com algumas adaptações republicanas. Com certeza, deve ser para não dar na pinta... Mas que no Brasil a República tem um “jeitinho” de Monarquia... Isso tem! Tem até os bobos da corte (o povo)... Até o gerente do país em seus devaneios etílicos age como se fosse o Rei do Brasil...

A

19 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


SALVE ANTIPATIA!

E

Eu vejo com muita simpatia a profissão de artista. Eu sonhava em ser artista. Se houvesse uma simpatia que eu pudesse fazer para me transformar num grande arista, minha nossa! Seria maravilhoso! Gosto do Bem Jor quando saúda a simpatia: Salve simpatia! Se bem que tem artista por aí precisando mesmo é de uma simpatia para se tornar simpático. Nem todos os artistas são simpáticos. Na verdade o que eu não vejo com muita simpatia são as simpatias. Se elas funcionassem mesmo... Simpatia não é a mesma coisa que beleza, embora seja uma beleza ser bonito e simpático. Seria juntar a fome com a vontade de comer (não sei por que eu não acho esse dito popular muito simpático). Por ironia do destino, eu que sonhava ser artista (e um artista simpático) acabei me tornando uma pessoa antipática porque sempre trabalhei tentando fazer a coisa certa. Sempre trabalhei tentando de todas as formas seguir as regras, ler as bulas, observar os estatutos, cumprir as leis e pagar os meus impostos como todo e qualquer bom cidadão. Procurei (e procuro) andar no que eu chamo de “caminho da verdade”. Infelizmente acabei descobrindo que para o atual sistema em que vivo não existe nada mais antipático. E justo eu que sonhava em ser um artista (e um artista simpático). Ser simpático e agradável implica necessariamente em ver ouvir e calar. Sou simpático quando olho e não vejo as mazelas os desmandos a deseducação o desserviço. Sou simpático quando escuto e não ouço as baixarias dos políticos ou da programação da televisão ou das “músicas” que tocam nas rádios e outras aberrações pelas ruas. Sou simpático quando consinto com certos conceitos de modernidade que ditam, por exemplo, que vale tudo para se alcançar certo objetivo. Sou simpático quando pego a ética e a moral e mando as favas. Sou simpático quando dou o meu jeitinho. Sou simpático quando promovo ou apoio essa inversão de valores. Sou simpático se não for muito inteligente, culto e principalmente se não tiver bom gosto. Sou simpático a partir do momento que passe a desvalorizar o ser humano a começar (evidentemente) por mim. Perdoe-me Bem Jor, mas vou saudar a antipatia. Salve antipatia! OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 20


Prefiro saudar a todos os antipáticos que botam a boca no trombone, que não se calam diante das injustiças e trabalham por um mundo melhor. Salve antipatia! Salve todos os antipáticos que primam pela família pelos bons hábitos e pelos bons costumes. Salve antipatia! Salve os antipáticos trabalhadores que com seus salários miseráveis tentam levar uma vida digna e honrada. Salve antipatia! E saúdo todos os antipáticos que entendem que só através da educação faremos uma grande nação. Saúdo principalmente aquele antipático que disse: “todo país que se propõe fazer da educação um meio de comércio não se pode esperar nada dele”. Tem é gente por aí precisando mesmo é de uma simpatia para se tornar simpático. O que eu não vejo com muita simpatia são as simpatias. Se elas funcionassem mesmo... Salve antipatia! 21 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


O SONHO ROUBADO

U

Um menino corria e chorava copiosamente. Entre soluços e lágrimas ele dizia “roubaram o meu sonho, roubaram o meu sonho!”. Um homem que passava não se conteve de curiosidade e perguntou para o menino - Roubaram o que de você? O menino respondeu - Roubaram o meu sonho, moço, roubaram o meu sonho! Mas como assim, roubaram o seu sonho? Insistiu o homem. O menino - Moço, pelo amor de Deus, o senhor ainda não entendeu? Roubaram o meu sonho! O meu soooonho! Entendeu agora? Muito bem! O que é que tinha nesse seu sonho? Perguntou o homem. O menino prontamente respondeu - tinha uma praça e nessa praça um coreto e no coreto uma banda. Na praça tinha também muitos bancos e muitos casais de namorados. Tinha o moço da pipoca eu me lembro que tinha também um jardim com muitas flores que os namorados arrancavam para dar para as suas namoradas. Eu brincava com as outras crianças no balanço, mas agora eu não tenho mais nada, moço. Roubaram o meu sonho e tudo isso estava nele. E agora? O senhor por acaso não viu o meu sonho por aí? O homem ficou meditando naquelas palavras e após alguns instantes olhou para um lado e para o outro e o menino já havia desaparecido. Ele pensando em voz alta disse - será que quem roubou o sonho voltou e roubou também o menino e eu nem percebi? Estou começando achar essa cidade muito perigosa. OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO - 22


COISA DE CRIANÇA... CADÊ? CADÊ?

S

Seu vereador... Seu prefeito... Seu deputado... Seu governador... Seu senador... Seu presidente... Cadê o dinheiro que seria gasto no saneamento básico? Foi gasto na campanha eleitoral, menino! Cadê o dinheiro que seria gasto na saúde? Foi gasto na campanha eleitoral, menino! Cadê o dinheiro que seria gasto na educação? Foi gasto na campanha eleitoral, menino! Cadê o dinheiro que seria gasto nas contenções de encostas? Foi gasto na campanha Eleitoral, menino! Cadê o dinheiro que seria gasto na prevenção das enchentes? Foi gasto na campanha Eleitoraaaal, menino! Cadê o dinheiro que seria gasto com a limpeza e dragagem dos rios? Foi gasto na campanha Eleitoraaaaal, menino! Cadê a estrada que passava aqui? Foi encoberta pelo rio, menino! E a casa que ficava ali? Está debaixo d’água, menino! Seu vereador... Seu prefeito... Seu deputado... Seu governador... Seu senador... Seu presidente... E a família que morava nela? Que garoto chato! Faz cada pergunta... Eu sei lá...! 23 - OBSERVATÓRIO COMUNITÁRIO


OBSERVATÓRIO

HUAYRÃN RIBEIRO

COMUNITÁRIO


Observatório Comunitário  

Artigos de Huayrãn Ribeiro publicados no Informativo Campinarte Dicas e Fatos

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you