Page 1

SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO

APLICAÇÃO DOS CONCEITOS DE SUSTENTABILIDA DE EM ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL NA CIDADE DE SÃO PAULO


SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO: APLICAÇÃO DOS CONCEITOS DE SUSTENTABILIDADE EM ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL NA CIDADE DE SÃO PAULO Universidade de São Paulo - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Trabalho Final de Graduação realizado por Camila Barbuy Zaneti e orientado pela Professora Doutora Maria Cecília Loschiavo dos Santos. São Paulo, 24 de junho de 2010


OBJETIVO


BUSCA DA UNIÃO DE VALORES SOCIAIS E CULTURAIS (QUALIDADE DE ENSINO, MELHOR APROVEITAMENTO DO ESPAÇO DURANTE OS PERÍODOS DE LAZER, CRIAÇÃO DE VINCULO ENTRE O PROJETO E A SOCIEDADE) A VALORES AMBIENTAIS (DIMINUIÇÃO DE DEGRADAÇÃO DO MEIO, DIÁLOGO COM CONTEXTO FÍSICO EXISTENTE, ENTRE OUTROS), COM O OBJETIVO DE ATINGIR A CONSCIENTIZAÇÃO DOS USUÁRIOS PARA A PRESERVAÇÃO DO MEIO ONDE ESTÃO INSERIDOS

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL NA CIDADE DE SÃO PAULO BASEADA NOS CONCEITOS DE SUSTENTABILIDADE


Estudos comprovam a relação de benefícios atingidos através da preocupação projetual de aliar o projeto ao meio (Green Design): melhores resultados obtidos em exames escolares, aumento da freqüência escolar, aumento e atendimentos diários, melhoria da performance e da satisfação dos professores, redução de custos operacionais, redução do impacto ambiental, aumento do tempo de vida do edifício. (High Performance Schools, Volume 1, 2006, p.2 – obtido através do site www.epa.gov/iaq/schooldesign/highperformance.html, acessado em 20/09/2009)


PESQUISA ESTUDO DE CASO PROJETO


PESQUISA


ALUNO

ESCOLA

CIDADE

SUSTENTABILIDADE


SOBRE A SUSTENTABILIDADE


SUSTENTABILIDADE

o que é? como promovê-la? como relacioná-la com a arquitetura? -ASPECTOS FÍSICOS -ASPECTOS SOCIAIS


“Desenvolvimento sustentável é aquele que atende às necessidades do presente, sem comprometer o atendimento às necessidades das gerações futuras”. Brundtland Report, 1987


Integrated Education


A escola é um ambiente de aprendizado por excelência, principalmente aquelas voltadas ao público infanto-juvenil, pois são formadoras de cidadãos. Nela são expressos, transmitidos, reforçados, reprimidos, criados e resgatados valores culturais e práticas acumuladas pelo sistema social onde está inserida. Ela tem, portanto, grande responsabilidade, não apenas por fornecer espaço para as reflexões e discussões sobre a sociedade, mas também por participar ativamente no processo de sua construção.


SOBRE A

CIDADE


“LAR É ONDE SE INICIA” (Eliot, T. S. The Four Quartets) ”Home is where one starts from”. Trecho retirado de BARBOSA, Lara Leite. Design sem fronteiras. p.22


Segundo dados do Censo de 2000 do IBGE e da fundação SEADE no período 2000-2004, o município apresentava até aquele momento um déficit de aproximadamente 800 mil unidades habitacionais. Isto equivaleria, segundo tais pesquisas, a aproximadamente três milhões de cidadãos sem acesso à habitação formal ou em habitações precárias: nestes números constam, a população de loteamentos clandestinos e irregulares e a população moradora de favelas e população moradora de cortiços. Em 2006, dos 1.522,986 km² do município de São Paulo, 31 km² eram ocupados por mais de duas mil favelas. Fonte: site Prefeitura de São Paulo


CARACTERÍSTICAS-ESPAÇOS-CONEXÕES-VAZIOS-CARÊNCIAS

Gráficos de metabolismo linear e circular. Gráfico linear representa o metabolismo das cidades atualmente, em contraposição ao gráfico proposto para cidades sustentáveis, com metabolismo circular. (BARBOSA, Lara L. Design sem Fronteiras, p.12)


Fonte: IBGE. Censo Demográfico 2000. Projeção Estatística da Amostra


Fonte: FDE


O

PARQUE ECOLÓGICO DO TIETÊ


DISTRITO CANGAÍBA UIT 243 – Parque Ecológico Tietê 1 SUBPREFEITURA: Penha. 2 LIMITES REFERENCIAIS: Norte: Limite do município de Guarulhos. Sul: Córregos: Tiquatira e Ponte Rasa. Leste: Avenida Olavo Egidio de Souza, Ruas: Luís Imparato e Cândido de Abreu, trecho entre a Rua Cândido de Abreu e a Linha 12 Safira da CPTM até a USP Leste, atravessando a Rodovia Ayrton Senna da Silva. Oeste: Viaduto Imigrante Nordestino, Avenidas: Doutor Assis Ribeiro e Cangaíba e Ruas: Malacacheta e Amorim Diniz. Em função da predominância do tipo de uso e ocupação, foram identificadas três UITs: UIT 241 – Cangaíba UIT 242 – Vila Sílvia 1- LIMITES REFERENCIAIS: Norte: Limite do município de Guarulhos. Sul: Linha 12 Safira da CPTM. Oeste:Viaduto Imigrante Nordestino e Av. Doutor Assis Ribeiro. Leste: Linha 12 Safira da CPTM, USP Leste atravessando a RodoviaAyrton Senna da Silva 2- POPULAÇÃO 2000: 9.287 habitantes (6,76% em relação ao distrito – 137.442 habitantes) Domicílios 2000: 2 331 (6,06% em relação ao distrito – 38 464 domicílios) Área (km²): 8,608km² (51,91% em relação aodistrito – 16,582km²) Densidade demográfica: 1 079 hab./km2.


A

ESCOLA


A

ESCOLA

leitura pedagógico-espacial estudo de seu desenvolvimento desde sua formação


- 1890 a 1920: prestígio - anos 30: nova linguagem - anos 50: a linguagem moderna - anos 60: interrupção obsolescência da arquitetura, resultado da mudança da estratificação do ensino - anos 90: novas iniciativas (FDE, CEUs) desenvolvimento para o futuro: ondeonde-quem alcançar na cidade?


A

ESCOLA

ASPECTOS SOCIAIS


“Não podemos seguir com o paradigma da modernidade que entende a atividade humana como transformação da natureza, a serviço do progresso linear ilimitado, sem a consideração da lógica interna da natureza. Hoje é imperativo: não modificar, mas conservar o mundo. Mas para conservar o mundo precisamos mudar de paradigma e converter mentes coletivas para outros objetivos menos destruidores.” (BOFF, 2004, p.263) – trecho retirado de BARBOSA, Lara L. Design sem Fronteiras, p.13.

A educação, e em particular a ambiental, é potencialmente um instrumento de conscientização no processo de formação de cidadania, por sua capacidade de intervir no processo de construção social da realidade.


DIFICULDADES: DISTÂNCIA ENTRE DISCURSO E PRÁTICA INEXISTÊNCIA DE UM CONCEITO CONSENSUAL SOBRE O QUE É A EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROBLEMAS ESTRUTURAIS, HUMANOS E PEDAGÓGICOS


MATERIIAL DISPONÍVEL ÀS ESCOLAS: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/diretor/escolasustentavel-meio-ambiente-556464.shtml: desenvolvimento de temas relacionados ao meio ambiente abordados na linguagem adequada ao público infantil. Além disso, oferece suporte aos professores para inserir a educação ambiental na sala de aula, através de entrevistas e planos de aulas. http://planetasustentavel.abril.com.br/planosdeaula/: site com grande número de informações voltado à escola que oferece ao professor diretrizes para a criação de planos de aula mais condizentes à sua realidade, abordando questões de meio ambiente, saúde, educação, entre outros. http://planetasustentavel.abril.com.br/planetinha/testes/: através de vídeos, testes, livros entre outros, aborda o tema da educação ambiental, permitindo que crianças do ensino fundamental (ciclo I) estabeleça contato com elementos da natureza e aprenda a lidar com eles de forma correta. http://www.cidadeverde.org/About.aspx:

site

desenvolvido

especificamente para escolas de ensino público, desenvolveu um jogo interativo voltado às crianças de ensino fundamental (ciclo II). Este jogo permite que cada criança forme sua própria cidade baseada nos conceitos de sustentabilidade e educação social.


A

ESCOLA

ASPECTOS FÍSICOS


Considerando o recorte do desempenho ambiental da arquitetura atrelado ao conforto e à eficiência energética adequados ao conceito de sustentabilidade, partindo da fase conceitual e da definição do partido arquitetônico, o projeto de um edifício deve incluir o estudo dos seguintes tópicos: 1- Orientação solar; 2- Forma arquitetônica, arranjos espaciais, zoneamento dos usos internos do edifício e geometria dos espaços internos; 3- Características, condicionantes ambientais e tratamento do entorno imediato; 4- Materiais da estrutura, das vedações internas e externas, considerando desempenho térmico e cores; 5- Tratamento das fachadas e coberturas, de acordo com a necessidade de proteção solar; 6- Áreas envidraçadas e de abertura, considerando a proporção quanto à área de envoltória, o posicionamento na fachada e o tipo do fechamento, seja ele vazado, transparente ou translúcido; 7- Detalhamento das proteções solares considerando tipo e dimensionamento; 8- Detalhamento das esquadrias.

LEI FEDERAL Nº.4771/65 RESOLUÇÃO CONAMA Nº.303/02 RESOLUÇÃO SMA 18/07 RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 DECRETO ESTADUAL Nº.42837/98-SP LEI ESTADUAL Nº.5598/87-SP PLANO REGIONAL ESTRATÉGICO SUBPREFEITURA DA PENHA LEI DE ZONEAMENTO DA CIDADE DE SP Lei_10257_Estatuto_da_cidade ABNT NBR-9050: 2004 ABNT NBR 14276: 2006 ABNT NBR13994 NBR 9077: 2001


Pontos que envolvem a sustentabilidade no processo de concepção-construção-uso de um edifício: · cuidado com a escolha dos materiais durante o processo de pré-fabricação, preocupação com as pessoas envolvidas (aplicação das relações trabalhistas e de segurança); · controle do consumo energético; · preocupação com a distribuição/transporte de produtos; · preocupação com o descarte/abandono de materiais e lixo produzido após a finalização da obra; · manutenção constante do edifício, o que se torna possível através da capacitação de profissionais que participam deste processo de regeneração do sistema, e assim, administram os recursos existentes e estimulam o aprendizado da experiência, percebem e corrigem os erros.

INDICADORES PARA CERTIFICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL BREEAM – desenvolvido pela Building Research Establisment (BRE), na Inglaterra foi inicialmente destinado a edifpicios de escritório, mas atualmente, já existe versões para edifícios escolares, culturais e residenciais. LEED – desenvolvido pela United States Green Building Council (USGBC), dos Estados Unidos, foi também inicialmente destinado à edifícios de escritório; entretanto existe atualmente uma versão para edifícios residenciais e outras em fase de elaboração. (informação disponivel em www.usgbc.org, acesso em 28/11/2009).


REFERÊNCIAS EE União de Vila Nova III e União e Vila Nova IV, São Miguel Paulista. Edifício e seu entorno. Neste caso, para aproveitamento do terreno foram agrupadas duas escolas em um único edifício. Fonte: FDE

Os Centros Educacionais Unificados (CEUs) seguem o modelo idealizado nos anos 1950 pelo educador Anísio Teixeira. A iniciativa teve como objetivo levar aos bairros da periferia de São Paulo equipamentos públicos e oferecer atividades educativas, culturais, esportivas e de lazer abertas à população. CEU Rosas da China, São Paulo. Arquitetos Alexandre Delijaicov, André Takiya e Wanderley Ariza. Foto Nelson Kon. Retirado do site www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq055/projeto2, acesso dia 09/11/2009


HERMAN HERTZBERGER


ESTUDO DE CASO


ESTUDO DE CASO

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANNE FRANK – CICLOS I E II


ENTORNO DA ESCOLA

1.RODOVIA AYRTON SENNA, 2.ESTAÇÃO ENG. GOULART, 3.AV. DR. ASSIS RIBEIRO, 4.RUA GUIRÁ-ACANGATARA, 5.ACESSO AO PARQUE ECOLÓGICO DO TIETÊ, 6.PARQUE ECOLÓGICO DO TIETÊ, 7.VISTA DO BAIRRO JARDIM SÃO FRANCISCO


ÁREA EXTERNA DA ESCOLA ESTADUAL ANNE FRANK


ÁREAS ABERTAS – VIVÊNCIA E ESPORTES


ÁREA DE USO DOS ALUNOS


ÁREA ADMINISTRATIVA E DEPÓSITO


MEMORIAL


PARTIDO

IMPLANTAÇÃO

Adequação de um edifício voltado à educação infantil à proposta apresentada pela Fundação para o Desenvolvimento (FDE). Seguir as necessidades e limitantes locais – sociais, econômicas, ambientais. Melhor aproveitamento do espaço para promover o desenvolvimento infantil. Exploração da horizontalidade, fruto da forma do terreno (50x175m), para permitir a criação de espaços de permanência que permeiam todas as áreas que compõe projeto - área administrativa, educacional e de vivência. Criação de interação entre o edifício e a área restante, remetendo à idéia de parque, com áreas de descanso, lazer e atividades extra-curriculares. Desenvolvimento de espaços que estimulem a interação dos usuários da escola com o ambiente natural do parque, através de espaços que valorizem a proteção e o ciclo de vida do meio ambiente.

O terreno escolhido situa-se dentro da UIT 243 – Parque Ecológico do Tietê. O entorno do Parque apresenta uma carência de equipamentos urbanos. A região é classificada como Zona Mista de Baixa Densidade, com o entorno predominantemente residencial, de média e baixa renda, com formação de favelas (público que faz uso da escola local), sem pontos de cultura e apenas um eixo de comércio degradado, que se desenvolve ao longo da Avenida Assis Ribeiro. O Parque é centralizador das atividades de lazer da região. Porém sua localização fica limitada ao sistema de transporte local, dificultando seu acesso e impedindo sua expansão.


MAPA COM CURVAS DE NÍVEL. NÍVEL. FONTE: FONTE: EMPLASA


PROGRAMA

O programa do edifício é pensado para uma escola pública (acesso universal ao conhecimento) e estadual. Por esse motivo segue os padrões exigidos pelo FDE, o que não significa que serão padrões enrijecidos dentro de moldes obsoletos e apenas preocupados com questões financeiras e de capacidade de público. Esta escola deve ser composta por: BLOCO ADMINISTRATIVO - Direção - Vice-direção - Secretaria - Almoxarifado - Coordenação pedagógica - Sala dos Professores - Conjunto Sanitário Administrativo BLOCO PEDAGÓGICO - Salas de Aula - (14) - Salas de Leitura - (2) - Salas de Uso Múltiplo - (2) - Sala de Leitura - Sala de Informática - Depósito de Material Pedagógico VIVÊNCIA - Cozinha - Despensa - Refeitório - Cantina - Conjunto Sanitário de Alunos – (2) - Depósito de Material de Educação Física - Quadra Coberta - Quadra Descoberta - Pátio Coberto SERVIÇOS - Depósito de Material de Limpeza - Conjunto Sanitário de Funcionários


PROJETO


VISTA 03

VISTA 01

VISTA 02


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO | JUN2010

BANCA - SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO  

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO Banca: 24/06/2010 Orientadora: Profa. Dra. Maria Cecília Loschiavo dos Santos Professor convidado: Prof. Dr. Ore...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you