Issuu on Google+


2


www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

3


EDITORIAL

N

a edição deste mês procuramos mostrar como profissionais

SUMÁRIO

capacitados, a tecnologia e as

novas normas estão proporcionando mais conforto para a sociedade. A população está convivendo cada dia mais com poluição, trânsito e violência. Os níveis de stress estão cada vez maiores, e com isso, as pessoas procuram refúgio, pelo menos, em suas residências. Em julho, por exemplo, entrou em vigor uma nova norma de desempenho da ABNT que exige determinados parâmetros na construção, que irão auxiliar na redução de ruídos e consequentemente, fazer com que o barulho, um dos maiores pro­ blemas em condomínios, seja reduzido. Já uma empresa preocupada com o meio ambiente, lançou um gerador movido a eta­ nol, que pode ser adquirido por condomínios e que proporciona uma redução significativa

VALORES DE REFERÊNCIA Índices com novos valores não homologados................................

PERFIL Jurandyr Machado, diretor da ACS Administração de Condomínios..........................................................................................

SEGURANÇA

10

SUSTENTABILIDADE

15

Novo gerador reduz a emissão de poluentes.............................

TECNOLOGIA

um Conselho Comunitário na Pituba com

Proteção balística garante a segurança.......................................

o intuito de ouvir os habitantes da região e quentemente, agir de forma certeira e pontual contra os bandidos. Além disso, advogados e especialistas informam quais os cuidados

GESTÃO Os cuidados com empresas terceirizadas...................................

para evitar causas jurídicas traba­lhistas ao

SAÚDE AMBIENTAL

contratar uma empresa terceirizada.

Pombo-doméstico: um problema de saúde pública.............

Aproveite, e tenha uma ótima leitura!

PISCINA Tecnologia para a piscina..................................................................

Carla Farias Editora

4

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

7

Conselho comunitário reduz índices criminais..........................

da poluição ambiental. E, também, foi criado

conhecer os problemas de segurança, e conse­

6

CLASSIFICADOS.................................

21 24 26 29

30

www.cadeosindico.com.br


SET/OUT 2013 • EDIÇÃO 45

COLUNAS

DÚVIDAS JURÍDICAS Drª Kátia Gerlin Comarella responde

8

AUDITORIA CONTÁBIL Auditoria como controle da gestão

12

SR. SÍNDICO Diferenças entre as funções de vigia, vigilante e porteiro

16

DIA A DIA DO SÍNDICO Drogas nos condomínios

22

ELEVADORES Acompanhamento da manutenção

www.cadeosindico.com.br

28

18

CAPA

Imóveis novos deverão atender a nova norma de isolamento acústico EXPEDIENTE Gerência Executiva Antônio Castro

Editora Responsável e textos Carla Farias (DRT 3843-BA)

Gerência Comercial Lucas Castro

Projeto Gráfico e Diagramação Adrien Tournillon

Comercial Gardênia Burgos Vera Lucia Barbosa Gerência de Marketing Rafael Castro

Colaboradores Antônio Coradinho Adriana Cavalcanti Nelson Uzeda

Cadê o Síndico é uma revista de publicação bimestral da Editora União Salvador Ltda. Periodicidade - Bimestral Tiragem - 8.000 exemplares (24.000 leitores em média) Rua Portugal, 17, Edf. Regente Feijó - sala 511- CEP: 40015-000 Comércio - Salvador/BA - Tel.: (71) 3491-0710/3242-1084 revista@cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

5


VALORES DE REFERÊNCIA

01 – CONTRIBUIÇÃO DO INSS

04 – REGISTRO DE CONDOMÍNIO

Tabela a ser aplicada, para recolhimento a partir de 01.01.2011. SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$)

ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS

Até R$ 1.247,70

8%

De R$ 1.247,71 até R$ 2.079,50

9%

De R$ 2.079,51 até R$ 4.159,00

11%

Pagamento até o dia 20 do mês subseqüente ao de competência. Não havendo expediente bancário antecipa para o 1º dia útil anterior.

02 – GRPS (INSS) 20% sobre a folha, como parcela do condomínio. 2% sobre a folha, como contribuição de acidente de trabalho.

Passos necessários na regularização do condomínio 1. Registro do condomínio no cartório de imóveis, juntamente com a convenção. 2. Elaboração da convenção, com assinatura de proprietários de no mínimo 2/3 das frações ideais do condomínio. 3. Inscrição das escrituras definitivas das unidades no Cartório de Registro de Imóveis. 4. Expedição do habite-se (pela construtora/ incorporadora). 5. Solicitar o desmembramento do IPTU por unidade. 6. Convocação da primeira assembleia para eleição de síndico e conselho consultivo. 7. Inscrição do condomínio no CNPJ, que torna automática a inscrição no INSS (esta é necessária para o condomínio ser empregador). OBS: CNPJ: É o cadastro de pessoa jurídica. O condomínio precisa desse registro porque, apesar de não pagar imposto de renda (associação sem fins lucrativos), vai reter imposto de renda dos funcionários na fonte.

4,5% sobre a folha, como contribuição de terceiros (SESC, SENAI, etc...) Salário Família: Até R$ 646,55 = R$ 33,16. De R$ 646,55 a R$ 971,78 = R$ 23,36.

05 – PISO SALARIAL

(VÁLIDO ATÉ 31.12.2013)

Data base: janeiro de cada ano

Valores não homologados

Administrador........................................... R$ 1.052,00

03 - OBRIGAÇÕES

Zelador....................................................... R$

855,00

Recolhimento do INSS, até o dia 20 do mês subsequente.

Porteiro ou agente de portaria, arrumadeira e recepcionista.................. R$ Folguista, manobrista, jardineiro e piscineiro................................................. R$ Aux. administrativo, aux. de serviços gerais, serventes e boy............................. R$

Recolhimento do FGTS, 8% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 7 do mês seguinte.

Ascensorista, vigia, garagista, controlador de veículos........................... R$ 765,00

Admissão/Demissão (CAGED) – Comunicar ao Ministério do Trabalho, até o dia 05 do mês subsequente.

Recolhimento do Pis, 1% sobre a Folha de Pagamento, até o dia 24 do mês subsequente. Recolhimento do ISS, (Sobre serviços prestados) pagamento no dia 5 do mês subsequente.

6

Supervisor................................................. R$ 1.052,00

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

855,00 765,00 740,00

ADICIONAL NOTURNO: 25% HORAS EXTRAS: 100% VALE ALIMENTAÇÃO: COND. RESIDENCIAL.....R$ 195,00 COND. COMERCIAL...... R$ 205,00 Valores não homologados

www.cadeosindico.com.br


PERFIL

Serenidade e habilidade O administrador Jurandyr Machado de Souza atrela suas características pessoais à sua função

petentes, além de parceiros e fornecedores igualmente

Por Carla Farias

comprometidos, Jurandyr busca no segmento de admi­

A

tuando há 19 anos com gestão empresarial

nistração de condomínios, o resultado do trabalho de

e administração de condomínios, Juran­

aperfeiçoamento na prestação de serviços. “Ao assumir

dyr Machado de Souza 62 anos, acredita

um condomínio em 2005, onde o mesmo se encon­

que o sucesso no desempenho desta fun­

trava com dificuldades financeiras, passivo trabalhista

ção, depende da serenidade no trato com as pessoas e habilidade de negociação. Além disso, para ele, a vasta experiência deve ser associada ao aprimoramento do co­nhecimento, com o objetivo de buscar sempre novas informações e conteúdos para aperfeiçoar os resultados. Diretor da ACS Administração de Condomínios, fundada em maio de 1994, Jurandyr, administra, controla e monitora 220 condomínios. A empresa de administração de condomínios residenciais e comerciais fornece mão-

Temos como política otimizar continuamente nossos processos ”

de-obra para as áreas administrativa, portaria, serviços gerais, vigilância, prestação de ser­ viços contábeis, assessoria administrativa, assessoria de pessoal, treinamentos e auditoria. “Temos como política

elevado e inadimplência muito alta, conseguimos, após

otimizar continuamente nossos processos, disponibi­

dois anos de trabalho, sanar todos os problemas. O con­

lizando serviços de qualidade, com pontualidade e total

domínio foi reformado e ficou 5 anos sem reajuste da

transparência, utilizando tecnologia moderna, a fim de

taxa condominial”, disse Jurandyr.

superar as necessidades e expectativas dos nossos clien­

Atuação ética, comprometimento, excelência em

tes, possibilitando aos síndicos maior tempo disponível

gestão, profissionalismo, responsabilidade social, trabalho

para o desenvolvimento de suas atividades profissionais

em equipe e transparência na relação com os clientes, são

e pessoais”, afirma Jurandyr.

os valores que Jurandyr aplica no seu trabalho, e trans­

Contando com uma equipe de colaboradores com­

www.cadeosindico.com.br

forma cada cliente em grande aliado.

CS

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

7


DÚVIDAS JURÍDICAS

Por Kátia Gerlin Comarella

Dra. Kátia Gerlin Comarella responde

Dra Katia Gerlin Comarella, titular do escritório KGC Advogados Associados, é especialista em direito condominial, há cerca de 19 anos atuando na cidade do Salvador, tendo estendido a sua especialidade também no estado do Espírito Santo, na cidade de Vitória e Vila Velha, onde também atua, com ampliação ao seu escritório Horta & Gerlin Ltda, dando seguimento aos seus trabalhos. drkatiagerlin@hotmail.com, Tel.: 71 3345-2727 / 3240-8639.

garagem, por diversas vezes, principalmente finais de semana, não estaciona seu carro da forma correta. Isso faz com que eu não consiga abrir a porta do meu carro direito e tenho que sair espremida. O que fazer se a pessoa persiste com essa atitude? Primeiramente, comunicar ao condomínio para

1. Estou inadimplente no condomínio e quero pagar, como cessar a ação judicial antes da audiência? Procurar imediatamente o condomínio e manifestar a vontade de quitar. Preparar uma petição através de um advogado, ou não, informando ao juízo do acordo, e suspendendo ou extinguindo a ação conforme os termos pactuados no acordo. 2. Não concordo com a cobrança de taxa extra, para realizar benfeitorias, sem a convocação de uma AGE. De que forma posso me manifestar contra esse tipo de cobrança? Posso colocar um comunicado no mural ou elevador? A cobrança de taxas extras para realização de benfeito­

não surtir efeito, deverá o condomínio enviar multa pela desobediência das ordens determinadas pelo síndico. Ainda assim, não surtindo efeito, procurar o Juizado Especial e dar uma queixa contra o condômino. 4. No meu condomínio várias pessoas lavam seus carros, até três vezes na semana, com a água do condomínio. Eu não possuo carro e não concordo com essa prática. Afinal, pago por uma coisa que não utilizo. Qual medida deve ser tomada? Esta situação terá que ser regulada internamente entre os condôminos, sugiro que promova uma assembleia com este fim, para que seja formalizada esta situação.

rias terá que ser submetida à deliberação da assembleia,

5. As vagas do meu condomínio são muito apertadas.

se não foi feito desta forma, a cobrança torna-se ilegal, pas­

Existe alguma exigência ou especificação, por parte dos

sível de anulação. O que é preciso fazer: depositar o valor

órgãos responsáveis, sobre o tamanho das vagas?

em juízo e discutir a ilegalidade das taxas cobradas, de qual­ quer forma tem que seguir a Convenção do Condomínio. Para cada caso concreto há uma forma a ser discutida. 3. A pessoa que estaciona o carro ao lado da minha

8

fazer uma advertência ao condômino infrator, se assim

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

Olhe caro leitor, desconheço esta exigência, mas veja a sua escritura, que nela terá as especificações da mesma, se forem conferidas com a escritura, creio que não há o que fazer.

CS

www.cadeosindico.com.br


Espaço do Síndico profissional

O que o mercado busca encontra aqui

www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

9


SEGURANÇA

Conselho comunitário reduz em 30% índices criminais Dicas e informações importantes são trocadas em reuniões quinzenais Por Carla Farias

selho, as reuniões acontecem no Centro Comunitário da

A

medidas que cada cidadão deve adotar para ampliar o nível

Pituba (vizinho a APAE) e são discutidas as condutas e as

Polícia Militar (13ª CIPM), a Polícia Civil (16ª)

de proteção. “Acreditamos que a prevenção é a me­l hor

e o Conselho Comunitário Social e de Segu­

solução, com isso, realizamos os fóruns de discussão para

rança Pública da Pituba (Conseg - Pituba), se

passar dicas e trocar conhecimentos”, disse.

uniram em defesa da cidadania e na busca

Com esta iniciativa 30% dos índices criminais foram

de garantir os direitos individuais e coletivos dos cidadãos,

reduzidos na região, o que representa uma resposta posi­

através da prevenção e segurança de condôminos, fun­

tiva ao trabalho em conjunto. “Com as instruções e dicas

cionários, síndicos, prestadores de serviço e visitantes.

explanadas nas reuniões do conselho, moradores e comer­

O conselho foi criado no dia 19 de março deste ano

ciantes, sentem-se mais à vontade para passar informações,

com o objetivo de suprir a necessidade de um espaço para

que antes não eram transmitidas para a polícia. O conselho

diálogo com a comunidade sobre os problemas de segu­

gera credibilidade, confiança, fortalece a atuação da polícia e

rança pública que afetam a região da Pituba. “A principal

amplia a representatividade pública perante os órgãos públi­

ação do conselho são as reuniões quinzenais sobre assun­

cos. A comunidade nos faz ter conhecimento sobre as ações

tos que envolvem a segurança pública, onde conta com a

criminosas e conseguimos agir corretamente e pontual­

participação de seguimentos organizados e moradores da

mente”, informou o delegado Nilton Tornes, da 16ª Delegacia

Pituba, além de representantes de órgãos go­vernamentais.

Territorial (Pituba, Itaigara e Caminho das Árvores).

Nestas reuniões, relatórios são apresentados à comunidade referente à dinâmica do policiamento na região e as deman­

Para este ano estão previstas reuniões às

comunidade (apontando os pro­b lemas como assaltos,

19h30, e nas seguintes datas: setembro (10/09

movimentação de pessoas estranhas, som alto produzido

e 25/09), outubro (10/10), novembro (04/11 e

por veículos, etc.) no sentido de prover a melhor atuação

26/11) e dezembro (11/12). Toda comunidade pode partici­

das viaturas na área, com policiamento preventivo eficaz em

par das reuniões. Contatos podem ser feitos através do blog

toda a região da Pituba”, informou o Major da Polícia Militar,

(pmcomunidadepituba.blogspot.com), do e-mail (pmcomuni­

Luis Paraíso (13ª CIPM).

dadepituba@gmail.com), ou dos telefones (71) 3116-3103,

De acordo com Carmen Angélica, presidente do con­

10

Programação

das de segurança pública são evidenciadas pela própria

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

(71) 9984-8757/8551.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

11


AUDITORIA CONTÁBIL

Por Michele Lordêlo

Contadora, empresária contábil, coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Unime L.F/Ba, especialista em contabilidade para empresas e condomínios, doutora em educação e membro da comissão mulher contabilista do Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia. m_lordelo@yahoo.com.br, Tel.: (71) 3022-7022.

Auditoria como controle de gestão financeira

E

ste mês convidamos a todos os gestores a

dos títulos de cobrança dos boletos pagos pelos

compartilharmos experiências no dia 30

condôminos e a ausência de controle dos desembol­

de novembro de 2013, quando tratare­

sos com manutenção/conservação, serviços públicos,

mos da auditoria como controle de gestão

benfeitorias, uso e consumo etc. Por outro lado, é

financeira no 1º Congresso Norte-Nordeste de Gestão

responsabilidade do síndico prevista no Código Civil:

Condominial, no Hotel Pestana.

“prestar contas” e para isto não é suficiente apresentá-

O síndico ou o administrador com o apoio dos conselhos, mensalmente se deparam com a aprova­

Os registros detalhados dos desembolsos nos

ção das contas do condomínio que compõem a gestão

extratos, a presença de no mínimo três orçamentos de

financeira do mesmo. O bom desempenho financeiro

prestadores de serviços e a juntada dos documentos

inicia-se com a regularização do condomínio para que

justificativos à pasta condominial são itens fundamen­

o mesmo disponha de sua conta-corrente, sem que pre­

tais para a iniciação dos controles previstas pela gestão

cise “submeter-se” ao uso da conta pool; conta gerida

financeira condominial.

pela administradora em função da ausência do CNPJ do condomínio.

12

las e sim, entendê-las, e controlá-las.

Em se tratando de administração própria ou ter­ ceirizada é possível através da auditoria preventiva

Deparamo-nos nas auditorias realizadas com a

a implantação de todo o processo necessário para a

ausência de controles internos, onde os gestores

adequação dos controles internos em condomínios de

desconhecem o total arrecadado, a adequada baixa

todos os portes.

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

A Onix Brasil chegou a Salvador

com o Programa “Best Solution Condomínios” a “mão amiga do síndico”

N

esta entrevista, Antônio Coradinho, responsável pela

sará a ser a sua identificação, para que o síndico ou o zelador,

unidade de Salvador, explica-nos o que é a empresa e

possam acionar qualquer pedido de serviço ou pedido de orça-

o seu conceito inovador.

mento necessários ao condomínio. No caso dos orçamentos,

O que é a Onix?

por exemplo, estes são internamente analisados e equalizados

R: A Onix Facility Management Brasil é uma empresa com know-how europeu, especializada na área da manutenção e conservação de edifícios, instalações e equipamentos. Na realidade é uma facilitadora na gestão de serviços técnicos com um foco muito específico em condomínios, para os quais desenvolveu o programa “Best Solution Condomínios”. Podemos deduzir que os condomínios são um dos seus principais e potenciais clientes? R: É verdade. Os condomínios sejam eles residenciais ou comerciais são clientes alvo. Porém, a Onix Brasil trabalhará em parceria com empresas de administração de condomínios que por regra não dominam a valência da manutenção e conservação predial. Na realidade, o objetivo é sermos um pilar das administradoras de condomínios na área que não constitui o seu “Core Business”. A Onix Brasil não é então uma administradora de condomínios? R: De modo algum. A Onix Brasil, é uma empresa de gestão de manutenção multidisciplinar que trabalha em conjunto com as empresas de administração de condomínios para os seus clientes condomínios, funcionando como uma entidade de apoio ao zelador, ao síndico e ao conselho do condomínio, disponibilizando-lhes um serviço de assessoria e consultoria técnica permanentes, consignados no programa “Best Solution Condomínios”. Quer dizer que o “Best Solution Condomínios” é um programa de ajuda essencialmente para quem tem a responsabilidade pelo condomínios designadamente o síndico? R: Sim, é isso. O “Best Solution Condomínios”, apresenta-se

e após validação são apresentados ao síndico. Havendo decisão do condomínio relativamente a um dos orçamentos apresentados, a obra tem acompanhamento e supervisão técnica, por parte da Onix Brasil. Certamente que o síndico vai ficar maravilhado em ter alguém para o ajudar na gestão do condomínio quanto à área da manutenção e conservação predial. Mas, toda essa oferta terá um custo salgado? R: Nada disso, pelo contrário. Este programa disponibilizado pela Onix Brasil, em parceria com as empresas de administração de condomínios é totalmente GRATUITO para os condomínios, sendo ainda extensível aos condôminos dos condomínios ade­ rentes, para obras e benfeitorias que estes pretendam efetuar em suas frações. Pressupõe-se que o programa “Best Solution Condomínios” é aplicável a serviços e obras, sejam eles pequenos ou grandes? R: Correto. O programa tem aplicação em tudo o que esteja diretamente relacionado com a manutenção e conservação das áreas comuns do condomínio. Desde um pequeno serviço de eletricidade, passando por uma obra de impermeabilização, até um Retrofit, o síndico e o conselho do condomínio, podem contar com o programa “Best Solution Condomínios”. Quando vai estar disponível o programa para os condomínios e como os interessados podem saber mais ou aderir? R: O programa “Best Solution Condomínios” estará disponível no mercado durante este mês de setembro. As administradoras de condomínios e os síndicos interessados, podem nos contactar desde já, por telefone ou por e-mail e pedir o agendamento de uma reunião. Teremos todo o prazer em atender a todos.

como a “mão amiga do síndico” em tudo o que tenha a ver com a manutenção e conservação do condomínio. Para qualquer ação ou decisão, o síndico passa a contar com alguém conhecedor e disponível para o ajudar, seja na negociação de contratos de manutenção, na compra de equipamentos, no pedido e análise de orçamentos, no acompanhamento e supervisão de obras, etc. Como funciona o programa “Best Solution Condomínios”? R: O condomínio tem de aderir ao programa assinando um termo de adesão. A partir daí, lhe será dado um código que paswww.cadeosindico.com.br

Tel.: (71) 3018 -5603 / 9134-6323 contato.ssa@onix-fm.com setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

13


Informe Publicitário

Desempenho profissional e preço justo Referente ao processo para moderniza­ ção dos elevadores do Metropolitan Center, na Av. Tancredo Neves: “convidamos diver­ sas empresas para a concorrência e a Expel nos atendeu sob os critérios técnicos e de preço. Ainda assim, procuramos obter infor­ mações de satisfação junto a clientes da empresa, onde ficou atestado o alto grau de profissionalismo da mesma, tanto na mo­dernização, quanto a manutenção. Pas­ sados seis meses da conclusão do processo de modernização, somos mais um cliente, até a presente data, a aprovar o desem­ penho profissional da empresa.”

Agilidade, clareza, respeito e baixo índice de retrabalho “É uma parceria que já dura 11 anos, por conta da confiança conquistada no decorrer deste tempo. Fatores como a agi­ lidade na resposta aos chamados, clareza das informações prestadas e o respeito de toda a equipe da Expel conosco são fatores de grande importância para o sucesso desta parceria. Os serviços, dos mais simples aos mais complexos, são prestados de forma rápida, com baixo índice de retrabalho, e tanto os técnicos de campo quanto pessoal de escritório são muito gentis e prestativos.”

“Não estávamos satisfeitos com o serviço de manutenção da antiga empresa. Pes­ quisamos bastante buscando por qualidade e chegamos a conclusão que a Expel Eleva­ dores era a melhor opção, pela credibilidade e confiança de alguns dos seus colaboradores. Temos um atendimento diferenciado de forma rápida e cordial, com técnicos extremamente capacitados para executar os serviços soli­ citados, superando as nossas expectativas. Destacamos ainda o bom relacionamento com todos, independente da hierarquia. Um custo x beneficio super atraente!”

Durval Almeida Neto Síndico do Comercial Vasco da Gama

Jailton Santiago Administrador do Mansão Chateau do Horto

Alfredo Costa Síndico do Cond. Metropolitan Center, na Avenida Tancredo Neves

Relacionamento muito saudável

Responsabilidade e dedicação

”E com muito prazer que venho prestar este depoimento a respeito da Expel Eleva­ dores. Temos um relacionamento profissional antigo e sempre tivemos um relacionamento muito saudável, pois a Expel cumpre de forma honesta e ágil todas as demandas a ela soli­ citadas. Agradecemos e recomendamos os serviços da Expel Elevadores.”

“Foi por uma indicação que a Expel veio ao Pituba Residence Club. Uma escolha certa. Alguém pode dizer que é pequena, mas em termos de qualidade, é grande. Tem responsabilidade, dedicação, funcionários capacitados, um atendimento muito bom! Na modernização, nossas primeiras impressões são boas. Na performance, acabamento, esté­ tica, e no principal, a segurança. Hoje, eu é que indico a Expel Elevadores!"

Caio Laytynher Síndico do Residencial Solar das Violetas na Pituba

Getúlio Santana Síndico do Pituba Residence Club na Pituba

Seriedade e disponibilidade “A Expel se apresentou ao Mansão Plaza Athenée, com disposição para trazer soluções. Fizemos pesquisas e resolvemos tentar uma parceria. Essa parceria deu certo, eu como síndico deste Condomínio aprovei e gostei do trabalho, que ocorre sempre com muita responsabili­ dade, cumprimento de horários, agilidade e principalmente demonstrando ser uma empresa muito séria. Portanto eu indico, como já indiquei a Expel.” Claudio Belfort de Oliveira - Síndico do Mansão Plaza Athenée no Itaigara

14

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

Atendimento diferenciado, rápido e cordial

Bom atendimento e proximidade

Escolheu a Expel “pelas boas informa­ ções adquiridas junto a outros Condomínios” e continua “o que está me agradando em tra­ balhar com a Expel é o bom atendimento, a agilidade em atender as nossas chamadas e a aproximação com a direção.” Idemar Correia, Síndico do Reserva Atlântica 2 no Cabula

Ótima qualidade e facilidade de pagamento “Mantemos, a quase uma década, um relacionamento com a Expel pela sua excelência e presteza no atendimento, sem­ pre com delicadeza. Além dos serviços de manutenção, ficamos muito satisfeitos com a modernização nas botoeiras do elevador. Serviço de ótima qualidade com facilidade no pagamento!” Ana Maria Síndica do Cond. Marie Louise na Federação

www.cadeosindico.com.br


SUSTENTABILIDADE

Novo gerador reduz a emissão de poluentes Gerador movido a etanol é considerado alternativa sustentável para condomínios Por Carla Farias

N

inovador e conta com tecnologia para geração de energia limpa com uso de etanol combustível. Outra vantagem é a sua disposição física, que por ser verti­ cal, ocupa menos de um metro quadrado(m²) no solo. Além disso, é fácil de transportar, possui baixo nível de ruído e vibração, é totalmente automatizado e possui manutenção simples e econômica. “O desenvolvimento

os momentos de interrupção não prevista

do equipamento aten­

no fornecimento de energia elétrica, gera­

deu três necessidades

dores entram em operação. Na maioria dos

de condomínios: falta

condomínios, o gerador fornece energia de

de espaço, redução de

emergência para as áreas comuns, elevador de serviço e

emissão de poluentes

algum ponto de luz nos apartamentos. Até então, os gera­

e economia”, informou

dores eram à base de diesel, gasolina ou gás (propano),

a gerente comercial,

recursos que poluem a atmosfera. Porém, foi lançado o

Scheila Adriane Grade.

gerador movido a etanol, um combustível renovável, que reduz a emissão de poluentes e é fonte de energia limpa.

O equipamento utiliza em grande parte peças automoti­

O gerador movido a etanol é considerado uma alter­

vas, que podem ser encontradas em qualquer revenda

nativa sustentável, pois consome menos energia fóssil

de autopeças e as poucas partes mais específicas a

e reduz as emissões de gases na atmosfera. “O etanol é

empresa têm para pronta entrega. “E a economia não

menos poluente, pois é derivado da cana-de-açúcar, um

para por aí, o gerador vêm com tanque de combustível

recurso renovável. O uso deste biocombustível repre­

e quadro de transferência incorporados, ou seja, pronto

senta uma redução de 68% nas emissões de gases do

para ligar na rede sem necessidade de adquirir peças

efeito estufa, e de lançamento de partículas e óxidos

adicionais”, informou Scheila Adriane Grade.

CS

de nitrogênio na atmosfera”, informou o químico da Cetrel, Raimundo Nouta Pereira. A Geraflex, empresa que introduz inovações de desenvolvimento tecnológico capazes de

Especificações do novo gerador • Dimensões compactas. Ocupa menos de um metro quadrado (m²) no solo.

assegurarem a redução

• Fácil transporte, passa em uma porta padrão.

dos níveis de poluição

• Baixo peso, facilitando transporte e instalação.

ambiental, lançou o

• Baixo nível de ruído.

gerador de emergência

• Utiliza etanol, combustível renovável ecologi­

movido a etanol, o Verflex 85, um

camente correto.

sistema completo, com todos os

• Manutenção simples e econômica.

equipamentos necessários para a

• Design funcional, projetado para facilitar o

geração de energia elétrica emer­

manuseio e manutenção, e agregar valor a

gencial, com 85 kilovoltampere

estética do ambiente.

(kVA). O equipamento é altamente www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

15


SR. SÍNDICO

Por Ionara Ribeiro

Diferenças entre as funções de vigia, vigilante e porteiro

O

belecimento, controla a entrada de pessoas e veículos, desenvolvendo funções mais brandas, de modo menos ostensivo, e não se confunde com as funções do vigilante, até porque, o porteiro de edifício não executa o trabalho armado e não possui o curso exigido pela legislação que regulamenta a profissão. A distinção entre as funções de vigia ou de porteiros e de vigilante está no ponto de vista técnico. Além do curso de

M i n i s t é r i o d o Tr a b a l h o e E m p r e g o ,

formação específico (vigilante), o obreiro tem de ter porte de

a­t ravés da Classificação Brasileira de

arma e trabalhar nas empresas com previsão na lei 7.102/83. A

Ocupações descreve as funções de Por­

ca­tegoria de vigilante, decorre de previsão legal. A Lei 7102/83

teiros e Vigias Noturnos: “Zelam pela

é endereçada a estabelecimentos financeiros onde guarda

guarda do patrimônio e exercem a observação de fábricas,

valores ou movimentação de numerário. O art. 10 estabelece

armazéns, residências, estacionamentos, edifícios públi­

quais atividades são consideradas como segurança privada,

cos, privados e outros estabelecimentos, percorrendo-os

como por exemplo, a vigilância patrimonial, segurança de pes­

sistematicamente e inspecionando suas dependências

soa física e o transporte de valores. No artigo 16 constam os

para evitar incêndios, roubos, entrada de pessoas estra­

requisitos para ser vigilante, com a aprovação em curso de for­

nhas e outras anormalidades. Controlam fluxo de pessoas,

mação de vigilante em estabelecimento autorizado.

identificando, orientando e encami­n hando-as para os

A convenção coletiva de trabalho firmada entre o

lugares desejados; recebem hóspedes em hotéis; acom­

Serconsecs e o Sindcond, no que pese o fato de não ter

panham pessoas e mercadorias; fazem manutenções

validade legal, em razão de não ter sido homologada pelo

simples nos locais de trabalho”.

SRTE, visto que o Sindcond teve seu registro cassado por

Cristalino que a função de porteiro e vigia de condomínio

meio de decisão judicial, e é utilizada pelos condomínios

são similares. Todavia, os próprios empregadores já restringem

tão somente como parâmetro, pois reflete a vontade do

o trabalho de porteiro ao ambiente da portaria e o de vigia

colaboradores, relaciona as funções dos empregados e faz

como sendo exclusivamente ronda.

distinção entre porteiro, vigia e vigilante, também no que

O vigia, bem como o porteiro, toma conta do esta­

16

Dra. Ionara Ribeiro é advogada titular do escritório Ionara Ribeiro Advogados, especializada em Condomínios Edilícios e Incorporações Imobiliárias. ionararibeiro@ionararibeiro.adv.br, Tel.: 71 3797-6277 / 3011-5801.

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

se refere ao piso salarial.

CS

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

17


CAPA

O barulho no condomínio está com os dias contados Nova norma de desempenho estabelece níveis de isolamento acústico das vedações para todos os novos edifícios habitacionais

entrou em vigor no dia 19 de julho deste ano estabe­lece

Por Carla Farias

níveis de isolamento acústico das vedações para todos os novos edifícios habitacionais construídos no País. A Norma de Desempenho NBR 15.575 aponta de forma

S

alto alto, crianças correndo, móveis arrastando

clara e objetiva quais são os níveis mínimos de desem­

e cachorro latindo, esses são os barulhos

penho em quesitos como acústica, térmica e iluminação. A

mais comuns entre as reclamações em con­

norma estabelece, ainda, o tempo máximo de uso (vida útil)

domínios. Mas, esse problema será reduzido

de diversos sistemas de uma edificação (estrutura, pare­

com a nova norma de desempenho da Associação Brasileira

des, revestimentos e pisos). É importante destacar que a

de Normas Técnicas (ABNT), a NBR 15.575 - Edifica­

NBR 15.575 trata de três classes de desempenho acústico:

ções Habitacionais - Desempenho, que

mínimo, intermediário e superior, além de níveis máximos de ruído aceitáveis gerados por equipamentos motores de uso coletivo e instalações hidráulicas. Normas de acústica no Brasil existem desde a década de 80, sendo que a norma de desempenho é a primeira norma brasileira que apresenta parâmetros de isolamento acústico. Na versão publicada em 2008, a norma era res­ trita a residências de até cinco pavimentos, e impôs muitos requisitos inéditos à época, o que resultou em dificuldades de adequação aos construtores, aos projetistas e à indústria de materiais. Já a NBR 15.575 é mais abrangente e contempla pro­ jetos habitacionais de qualquer porte. Para cumprir os requisitos da norma de desempenho acústico pode haver um aumento nos custos das cons­ truções, mas isso irá depender das soluções tecnológicas escolhidas pelos projetistas e construtoras, e fatores como localização, tipologia, porte e nível de desempenho acústico adotado (mínimo, intermediário e superior). Agora, o comprador deve observar se o projeto do seu imóvel já está em conformidade com as normas, atendendo ainda que seja o padrão mínimo de desempenho. Caso isso não seja comprovado através do projeto arquitetônico compatibilizado e laudos elaborados por especialistas, o consumidor não deve efetuar a compra, pois estará sujeito

18

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


a doenças construtivas e estresse.

de projeto. Existem algumas soluções

“Me incomoda muito qualquer ruído

de condicionamento acústico que não

nos apartamentos vizinhos, a par­

necessitam de obras, como a utiliza­

tir de agora irei comprar um imóvel

ção de nuvens acústicas ou baffles.

e verificar a adequação das exigên­

Para isolar sem fazer obra é preciso

cias desta norma. Tenho um vizinho

investir em elementos que “fechem”

de porta que deixa o filho jogar bola

os espaços, como esquadrias e portas

dentro do apartamento, e um em cima

acústicas, etc. A única partição de um

que arrasta móveis a qualquer hora

edifício que não tem como resolver

do dia, e o tempo inteiro. Já reclamei,

completamente, após as pessoas esta­

o condomínio disse que já informou,

rem ocupando é a laje, pois como

mas não adianta, infelizmente, nem

ruídos de vibração são transmitidos

todos têm a consciência de que existe

via conexão rígida, a solução deve ser

alguém próximo, que pode estar inco­

dada sempre no pavimento superior.

modado com o barulho. Essa norma

No entanto, em algumas situações,

...acústica não é luxo e sim uma necessidade para a manutenção da qualidade de vida das pessoas...” Débora Barreto, arquiteta

vai evitar muitos conflitos como esse”,

forros isolantes têm se mostrado efi­

informou Carlos Pires.

cientes na redução sonora, sendo que

De acordo com Débora Barretto,

cada caso deve ser tratado de forma

arquiteta, especialista em acústica

particular, pois depende da tipologia

nas edificações, mestre em enge­

da laje e da estrutura”, explicou.

nharia ambiental urbana na área de

As pessoas estão mais conscientes

poluição sonora e diretora da divisão

de que podem ter mais qualidade de

de acústica da empresa Audium,

vida através do respeito ao próximo.

houve um crescimento na procura por

E principalmente, as construtoras e

soluções acústicas, pois a dissemina­

incorporadoras estão buscando ofe­

ção da importância do silêncio e dos

recer empreendimentos que ofereçam

impactos da poluição sonora tem se

opções de entretenimento de forma

ampliado a cada dia. Pode-se afirmar

saudável, com conforto acústico.

que cresceu cerca de 60% a procura

“Ou seja, além de se adequar ao que

por projetos acústicos nos últimos 5

determinam as leis e normas em

anos. “É possível tanto isolar quanto

vigor, oferecem espaços de convívio

condicionar, mas os custos serão sem­

social (cinemas, salões de festas, espa­

pre maiores quando comparado a

ços gourmet, etc) com tratamento

projetos de empreendimentos que já

de acústica e sonorização que pos­

possuem esse cuidado desde a etapa

sibilitam seu uso sem transtornos

www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

19


CAPA ou incômodos para os condomínios e vi­zinhança”, disse Débora. Nos locais que não é possível reali­ zar uma reforma e instalar o isolamento acústico, os síndicos e administradores devem zelar pela boa convivência e bom senso de todos, informando constante­ mente sobre as queixas, e conscientizando os moradores. “Meu condomínio publica avisos constantemente nos elevadores tentando conscientizar sobre os barulhos, e na convenção estabelece multa para quem ultrapassar as regras”, disse Claudio Ferreira, morador de Alphaville . A norma agrega valor ao empreen­ dimento, comprovando sua qualidade. Cada construção irá se adaptar a uma

Sala de cinema com isolamento acústico

solução com o intuito de evitar doenças construtivas e oferecer mais qualidade

20

de vida e conforto acústico aos usuários. “Não existe um

vida das pessoas, seja em casa ou no trabalho. No caso de

orçamento padrão para projetos acústicos. Tudo depende

ambiente de uma residência que tem problemas de isola­

do problema encontrado e dos cálculos a serem realizados.

mento acústico, por exemplo, um projeto pode variar de

No entanto, é preciso deixar claro que acústica não é luxo

R$1.500,00 a R$5.000,00, sem incluir os materiais a serem

e sim uma necessidade para a manutenção da qualidade de

instalados, finalizou Débora.

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


TECNOLOGIA

Proteção balística garante a segurança Laminados de alta performance são alternativas para a violência urbana Por Carla Farias

C

entanto, conheço condo­m ínios mais an­tigos, que têm suas portarias num pa­tamar superior, onde tem uma visão panorâmica, podendo

om a violência descontrolada em todo

inclusive se antecipar à qualquer movi­

o país, assaltos e tentativas de invasão

mentação suspeita, e mesmo se fosse

aos condomínios têm se tornado uma

surpreendido por algum mal feitor, este

prática cada vez mais comum. Com isso, é

não teria contato direto, dando condições

necessário tomar medidas para minimizar os danos e pro­

de o porteiro tomar as ações necessárias.

teger moradores e funcionários. A guarita de vigilância

Porém, acho importante, independente de cus­

e a portaria devem ser os pontos menos vulneráveis nos

tos a colocação da proteção balística e

condomínios, uma vez que, dominada por criminosos, a

solar, que filtra 99% dos raios UV,

invasão ao local fica mais fácil.

protege a pele dos funcionários,

Uma forma eficaz de garantir a segurança e proteção é

e impede que quem esteja de

realizando a aplicação dos laminados de alta performance,

fora veja a movimentação no

que foram desenvolvidos com objetivo de impedir ataques

interior, facilitando a segu­

criminosos. “A proteção balística permite que o porteiro ou

rança e dando conforto aos

o segurança sinalize uma invasão, ou um ataque, e acione

funcionários”, completou.

a polícia ao identificar a ação suspeita, impedindo o acesso

O material recomendado

às áreas de circulação restrita”, informa Sérgio Franco,

para guaritas é o Laminado S-300,

Diretor Comercial da ACE BAHIA.

que tem uma resistência a impactos de 25

De acordo com a administradora de condomínio Eunice Ribeiro, compete as empresas de construção civil atentar

kfg/cm², inclusive proteção balística para vidros a par­ tir de 10 milímetros.

aos quesitos seguranças, que nos dias de hoje são cada

Guaritas protegidas aumentam a segurança, mas

vez mais necessários. “Tive a oportunidade de implantar

só são válidas se houver uma boa infra-estrutura

condomínios, na atualidade, onde a portaria fica na parte

no condomínio, como câmeras, portões eletrônicos,

mais vulnerável do empreendimento, no térreo (na calçada

muros e entradas bem vigiadas, que funcionariam

da rua), sem nenhuma proteção ao próprio porteiro. No

como complemento.

www.cadeosindico.com.br

CS

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

21


DIA A DIA DO SÍNDICO

Por Rosemar Smera

Dra. Rosemar Smera é especialista em direito condominial e sócia da empresa Adcon Administração de Condomínios. Tel.: 71 3272-1354

Drogas em condomínios

O

uso de drogas em condomínios é muito

Quando o uso de drogas ocorre dentro das uni­

comum e causa vários problemas para a

dades, se torna mais complicado, porque o condômino

comunidade, mas não pode ser ignorado

usuário entende que dentro de seu imóvel ele pode

pelos síndicos e administradores.

fazer o que quiser.

Há casos, inclusive, destes moradores realizarem fur­

Alertamos, entretanto, que a forma de utilização das

tos dentro do condomínio, como extintores de incêndio e

unidades não podem ultrapassar os limites de segurança

som de veículos, ou iniciarem o comércio de drogas nas

e conforto dos demais moradores, então, se o uso das dro­

áreas comuns, aumentando o acesso de pessoas estranhas,

gas nos apartamentos estiver causando transtornos aos

causando insegurança aos demais moradores.

demais condôminos, a unidade infratora deve ser noti­

Para combater o problema, o síndico, inicialmente, deve enviar um comunicado para todas as unidades

descritas na convenção do condomínio.

alertando sobre os vários problemas detectados no con­

Caso nenhuma destas ações dê resultado, os mora­

domínio, inclusive o uso de drogas nas áreas comuns,

dores devem registrar as queixas no livro de ocorrências

lembrando da possibilidade de cobrança de multa em

e o síndico deve se munir de documentos, imagens e

conformidade com a convenção.

todas as informações possíveis e denunciar à policia que

Aumentar a iluminação das áreas comuns, instalar câmeras de segurança, realizar campanhas com panfletos e palestras envolvendo moradores e funcionários, inibe bastante o uso das drogas nestes locais.

22

ficada e multada em conformidade com as penalidades

de forma profissional, saberá como conduzir a situação, especialmente em casos de tráfico de drogas. O mais importante, entretanto, para solucionar esta situação, é o envolvimento de todos os moradores e o

Se o uso das drogas estiver sendo praticado nas áreas

diálogo, que sempre será o caminho para a solução dos

comuns, os usuários devem ser advertidos e caso sejam

problemas, inclusive para evitar o reflexo da falta de

menores de idade, os pais devem ser imediatamente

combate ao uso de drogas nos condomínios que é a des­

comunicados do fato.

valorização dos imóveis.

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


Informe Publicitário

O

O Grupo Equilibrium7 Con­

bém não pode perder

do­ mínios é uma empresa

tanto tempo com ele.

com­prometida com seu tra­balho

Todo condomínio

de administrar, orientar, treinar

precisa de uma gestão

colaboradores e a ssessorar

administrativa e patri­

com orientações aos gestores. Atua na área contábil

monial eficiente, e pa­ra

prestando assessoria para condomínios residenciais

atender a essa demanda

e comerciais e shopping. O slogan da empresa "Seu

a Equili­b rium7 dis­

condomínio, nossa responsabilidade" re­presenta o

põe de ser viços que

compromisso que a Equilibrium7 assume em fazer sem­

contemplam diversas

pre o melhor pelos seus clientes.

rotinas administrativas,

FOTO HERMES CARVALHO

Dedicação e competência na prestação de serviço

Jorge Freitas sócio-diretor

O Grupo Equilibrium7 Condomínios é uma empresa

contá­b eis, financeiras,

dedicada e comprometida com o cliente. Atuando, tam­

operacionais e jurídicas,

bém, no fornecimento da mão de obra especializada para

sendo elas de fácil adequação atendendo as necessidades

serviços de portaria, limpeza, recepção e supervisão,

de qualquer condomínio e shopping.

além de possuir uma parceria com advogados especializa­

Atuamos também no segmento de gestão de

dos em condomínios e serviços necessários, que facilitam

recursos humanos com a finalidade de selecionar, gerir

a atividade condominial.

e treinar os colaboradores com o objetivo da empresa.

A administração de um condomínio vem se tor­

Para isso, terceiriza mão de obra qualificada com com­

nando uma tarefa complexa, exigindo cada vez mais

prometimento, desenvolvendo frequen­temente projetos

tempo, dedicação e competência com transparência

de treinamento e incentivo para os colaboradores, capa­

nas informações. Nesse contexto, o Grupo Equi-

citando, qualificando o profissional e o mantendo sempre

librium7 Condomínios surge com uma proposta de

motivado, comprometido com seu trabalho.

parceria, comprometimento e dedicação absorvendo a

Conheça os serviços que a Equilibrium7 ofe­rece

parte burocrática de seu condomínio e cuidando das

para o seu condomínio. Seus fundadores possuem

relações com os funcionários. Afinal, você não pode

mais de vinte anos no mercado e a empresa está

descuidar do condomínio, de seu patrimônio, mas tam­

sedia­da em Salvador.

www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

23


GESTÃO

Os cuidados com empresas terceirizadas Ao contratar uma empresa terceirizada é importante observar diversos itens para evitar questões jurídicas trabalhistas Por Carla Farias

A

do evento, como

o pensar na gestão de um condomínio,

exemplo, a demissão

uma situação vem à tona, a terceirização de

de um funcionário, o

empresas. Diversos itens revelam a vanta­

condomínio não tem

gem de adquirir este serviço, mas o síndico

custos, porque estes valores já foram

deve ficar atento na empresa que contrata. A terceirização é uma atividade, que possibilita aos

24

seja, na ocorrência

diluídos mensalmente”, informou a síndica profissional, Linda Carvalho.

síndicos obterem um maior aproveitamento em seus obje­

Entretanto, é importante ficar atento às questões

tivos, gerando valor ao seu negócio e oferecendo soluções

jurídicas, principalmente na doutrina e jurisprudência

de serviços integrados para suas instalações, assim, con­

trabalhista. “O condomínio deve exigir mensalmente da

segue manter um nível excelente de qualidade e ainda

empresa terceirizada, sob o pilar do princípio da “Pro­

reduzir seus custos. Para isso, é importante contratar uma

teção do Trabalhador” e da “Culpa in Vigilando”, o zelo

empresa que contenha uma equipe totalmente preparada,

pela observância dos direitos trabalhistas dos emprega­

que passam por rigorosos treinamentos e capacitação

dos, que consiste resumidamente, em verificar se todas

profissional e por um acompanhamento para medir a

as garantias do funcionário estão sendo honradas, inclu­

sa­tisfação dos serviços prestados.

sive INSS, FGTS, pagamento de horas extraordinárias,

A grande vantagem na terceirização é a flexibilidade

férias, 13º salário, entre outras. Desta forma, o con­

que o condomínio tem quando surgem necessidades emer­

domínio se resguardará em eventuais e futuras ações

genciais, ficando sob a responsabilidade da contratada

trabalhistas, já que por consequência legal, responderá

tudo que envolve a prestação de serviço, como seleção,

subsidiariamente naquela demanda, evitando, assim,

admissão, treinamento, supervisão, substituição de fun­

despesas extras, além da quitação do contrato com

cionários no período de férias, folgas, faltas ou quando

as empresas prestadoras de serviço”, explicou o advo­

não atende o perfil do condomínio, além de 13º e rescisões

gado trabalhista Guilherme Simões, sócio do escritório

contratuais. “O condomínio paga mensalmente todos os

Simões, Aleluia e Ritt Advogados e Consultores (gui­

encargos sociais ficando livre do passivo trabalhista, ou

lherme@saradvogados.adv.br).

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

CS

www.cadeosindico.com.br


CS

www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

25


SAÚDE AMBIENTAL

Pombo-doméstico: um problema de saúde pública Após contratação, o monitoramento deve ser periódico

Essas aves são transmissoras de diversas zoonoses (doenças transmitidas de animais para o homem). A trans­ missão ocorre através dos dejetos expelidos pelos pombos, que contaminam diretamente o meio ambiente, a água e os alimentos. As fezes ressecadas podem ainda ser espalhadas pelo vento, contaminando objetos e pessoas. As principais zoonoses transmitidas pelos pombos são salmonelose, ornitose, criptococose, toxoplasmose, histoplasmose, ence­ falite letárgica, além de inúmeras alergias. Apesar de não pertencer a uma espécie nativa do Bra­ sil, os pombos são considerados parte integrante da fauna silvestre brasileira, portanto, estão amparados pela legis­

Por Adriana Cavalcanti

O

26

lação de proteção à fauna. A eliminação direta desses animais só pode ser rea­ lizada quando tiverem sido esgotadas medidas de manejo

pombo-doméstico, Columba Livia, não

ambiental que restrinjam o acesso aos abrigos e fon­

é uma ave nativa brasileira. É originário

tes de alimento (Instrução Normativa Ibama n°109, de

da Europa, e foi trazido para nosso país,

3/8/2006). Do contrário, qualquer ação de controle que

já domesticado. Soltos, permanecem

resulte na morte, danos físicos, sofrimento ou apreen­

próximos das habitações humanas, onde podem causar

são dos animais pode ser considerado crime passível das

problemas econômicos, de saúde e estéticos.

penas previstas em lei.

Atualmente, os pombos tornaram-se um problema de

A Angelo Freitas Saúde Ambiental vem se especiali­

saúde pública, devido aos seguintes fatores que contribuem

zando no controle de pombos por meio de medidas que

para sua multiplicação: encontrar comida em abundância,

impeçam o alojamento do Pombo-doméstico: um problema

principalmente aqueles oferecidos pelas pessoas; não têm

de saúde pública e abrigo dessas aves em residências,

inimigos naturais, como os gaviões; facilidade para obter

caixas de ar condicionado, restaurantes, hotéis e similares.

abrigo, pois fazem seus ninhos em telhados de casas, tor­

Essas medidas são baseadas no isolamento de áreas de

res de igrejas, prédios, beirais de janelas e parques.

acesso dos pombos, como a restrição do acesso aos pousos:

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


parapeitos, grades de janelas, beirais, marquises e saliências de parede, através do uso de

Espaço

Controle de pragas

telas de proteção; instalação de armações de hastes ponti­ agudas tipo “porco espinho”; instalação de fios de nylon ou arame ao longo da superfície de pouso; instalação de espi­ ral ao longo da superfície de pouso; instalação de disposi­ tivos giratórios; vedação das entradas; uso de repelentes químicos. É importante que a a­­­ plicação de qualquer um dos métodos de controle seja complementada com medidas desenvolvidas no entorno da área-problema. Deve-se evitar dar alimento aos pombos; deve-se reco­ lher sobras de alimentação de animais domésticos e cria­ ções; dar correta destinação aos resíduos orgânicos em geral; realizar ações preven­ tivas (por exemplo, isolando locais que possam vir a ser ocupados por pombos desa­ lojados de seus abrigos originais após a adoção de medidas de controle); limpar e desinfetar os locais uti­ lizados pelos pombos para abrigo ou reprodução. Assim, é importante que a efetividade das medidas to­madas sejam mo­­ni­toradas permanentemen­t e por seus responsáveis, pois muitas vezes é preciso recorrer a outros métodos quando os já utilizados deixam de fun­ cionar.

CS

Adriana Cavalcanti é médica veterinária – CRMV/BA -1304 www.cadeosindico.com.br

Para se tornar anuciante no segmento de controle de pragas e saúde ambiental da revista Cadê o Síndico basta estar afiliado a ABCPrag

Síndicos e administradores, ao contratarem uma empresa de controle de pragas, verifique se tem: • Alvará da vigilância sanitária atualizado • Se está enquadrada na resolução RDC 52 de 22 de outubro de 2009 • Se é filiada à ABCPrag Rua Artur de Azevedo Machado, 1252, Ed. Yasmin, sala 201 Costa Azul - CEP: 41770-790 - Salvador/BA atendimento@abcprag.com.br - Tel.: (71) 3013-8788 / telefax: 3013-8777 (atendimento de 8 às 12 horas) março/abril 2013 • Revista Cadê o Síndico

27


ELEVADORES

Por Adriana Novaes

Acompanhamento da manutenção

N

o dia a dia, observa-se que a maioria dos síndi­ cos apenas se limita a pagar mensalmente o valor do contrato de manutenção, delegando completamente a sua responsabilidade e não

verificando se o prestador de serviço corresponde as expecta­ tivas do condomínio quanto à manutenção mensal. A manutenção basicamente consiste em conservar o equi­ pamento - através de uma boa limpeza, lubrificação, ajustes e inspeção dos principais componentes, especialmente os de segurança, corrigindo possíveis defeitos técnicos, e, assim

de Engenharia e Arquitetura - CREA. Nenhum “conserto”, por mais simples que pareça, pode ser realizado por leigos; 2. Não ultrapasse o limite de carga (peso máximo) indicada pela Norma Técnica; 3. Não deixe crianças e adolescentes “brincarem” no interior da cabina; 4. Não deixe crianças utilizarem sozinhas o elevador; 5. Não jogue lixo e objetos no poço do elevador; 6. Não mantenha o elevador em seu andar, impedindo a sua partida com a obstrução da porta através de objetos; 7. Evite água/umidade em seu elevador, seja oriunda das chuvas, infiltrações e/ou limpezas. Pois, além de acelerar a oxidação, pode provocar sérios prejuízos ao seu equipamento; 8. Não utilize o elevador em caso de incêndios; 9. Verifique periodicamente se os itens de segurança

prolongando a sua vida útil. Normalmente, com exceções de

obrigatórios estão funcionando, como interfones, luzes de

obsolescência tecnológica e de materiais, quando um eleva­

emergência e alarmes;

dor apresenta sucessivas chamadas técnicas é bem provável que esteja acorrendo uma deficiência na manutenção pre­ ventiva mensal. Quando isso ocorrer, o síndico deve ficar atento, principalmente ao quesito segurança, e questionar

10. Não entre no elevador quando a luz da cabina estiver apagada; 11. Observe se o elevador está no pavimento e se não há desnivelamento entre a cabina e o andar;

a empresa responsável pela manutenção. É tolerável que

Um forte indicador de qualidade e eficiência, é obser­

ocorra, em média 3 (três) chamadas técnicas ao mês por

var se a empresa está entregando mensalmente um plano

cada equipamento.

de manutenção detalhada dos principais itens do eleva­

Por recomendação, seguem algumas atitudes e cuidados que podem evitar danos ao seu elevador: 1. A manutenção deve ser realizadas por empresas capa­ citadas e credenciadas pela Prefeitura e Conselho Regional

28

Adriana Novaes, bacharel em Direito - UFBA, pós-graduada pelo Ministério Público-BA, advogada atuante no segmento civil e empresária no ramo de transporte vertical. adriana_novaes@ymail.com

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

dor e o tempo que os técnicos permanecerão no prédio. Se ficarem por um período muito curto, pode começar a descon­ fiar... Quando há um bom acompanhamento do trabalho de manutenção, todos se beneficiam.

CS

www.cadeosindico.com.br


PISCINA

Tecnologia para a piscina Por Antônio Coradinho coradinho@coragua.com.br

Inteligência avançada para controle total da piscina Acha-se que os equipamentos acima já facilitam muito o tratamento e limpeza da piscina, imagine um

T

painel inteligente para controlar todas as funções dos enho comentado em meus artigos as van­

equipamentos. Além de controlar a adição e os parâme­

tagens de automatizar o tratamento de

tros do tratamento químico, como adição de cloro, PH,

piscinas. Normalmente, só falo do mais ime­

alcalinidade, controla também o aspirador robot e o

diato que é o tratamento químico da água,

sistema de retrolavagem do filtro.

através de salinizadores, cloradores, ozonizadores ou ionizadores. Mas, hoje se pode tratar uma piscina sem

Aspirador robot com dosador de cloro

praticamente chegar perto dela. Como na Europa ou Estados Unidos a

Possui um software com os dados da piscina, como comprimento, lar­

mão de obra é muito cara, vários equipa­

gura e altura. Programado, aspira

mentos são oferecidos para proporcionar

todo o fundo e paredes laterais

aos proprietários ou responsáveis, uma

da piscina, além de conter um

piscina limpa e com água tratada. Veja

reservatório para dosagem de cloro

alguns dos equipamentos que existem

colocado de noite, pela manhã sua

na Europa para facilitar este trabalho: Filtro com retrolavagem automática

piscina está limpa e tratada. Cobertura automática de lâminas de PVC

O grande problema atual de quem trata piscina é

Mesmo quando não são usadas, a água fica exposta

saber quando é necessário a retrolavagem do filtro.

ao sol, calor e vento, comprometendo rapidamente a

Estes filtros com retrolavagem automática, mudam

qualidade da água e exigindo mais produtos para a

automat icamente a posição da válvula seletora

manutenção desta qualidade.

(cabeçote) e quando a pressão atinge um dado valor,

Esta cobertura em lâminas de PVC fica instalada em

elimina a sujeira acumulada no filtro e retorna auto­

um nicho na lateral da piscina e ao ser acionada por con­

maticamente para a posição de filtrar.

trole remoto, cobre rapidamente a piscina quando não está sendo usada.

Bomba verde

Alguns destes equipamentos já estão disponíveis no

É uma bomba de velocidade variável que permite

Brasil, outros só importando. A automatização através

selecionar uma velocidade ou fluxo muito preciso para

de novos equipamentos e processos para piscinas no

responder perfeitamente às necessidades do cliente.

Brasil é uma questão de tempo, é uma realidade.

www.cadeosindico.com.br

CS

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

29


CLASSIFICADOS

ACADEMIA - EQUIP. DE GINÁSTICA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ACADEMIA - ORIENTAÇÃO COND.

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ACS Administração de condomínios e Contabilidade.......(71) 3384-6395/3384-6495

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 30

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

31


ÁGUA - ECONOMIA

AUTOMÓVEL - COMPRA E VENDA

CLASSIFICADOS

ADMINISTRAÇÃO E ASSESSORIA

ADM. E ASS. - ILHÉUS E ITABUNA

ÁGUA - PURIFICADORES

ALARMES

NVS.................................(71) 3353-0430 / 8826-8575 ECC FILTRO EUROPA.............................(71) 3382- Veja anúncio no título de Segurança 0549........Veja anúncio no título de Filro de Eletrônica. Entrada.

ANTENAS AMPLAVISÃO...........................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título de Segurança eletrônica.

ÁGUA - ECONOMIA

ASSESSORIA JURÍDICA

ACESSE O FACEBOOK

Cadê o Síndico Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 32

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


BOMBAS E MOTORES

CHURRASQUEIRA

CLASSIFICADOS

ASSESSORIA JURÍDICA

COMUNICAÇÃO VISUAL

AR CONDICIONADO MANUTENÇAO TECNOAR................................................(71) 3316-7900

ELETRONACE...........................................(71) 3313-7919 Veja anúncio no título Instalações Elétricas

ARQUITETURA E DECORAÇÃO AMÉLIA ZÁU................................Tel.: (71) 3235-0706 escritorio@ameliazau.com.br TICIANA FAHEL.......................Tel.: (71) 3358-8336 arquitetura@ticianafa­hel.com.br BOMBAS E MOTORES

CONDOMÍNIO ASSESSORIA

COLETA SELETIVA DE LIXO CAEC................................................................(71) 3293-2737 RENOVE...................(71) 3267-0260 / 9979 - 2504

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

33


CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

CLASSIFICADOS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 34

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


CONTROLE DE PRAGAS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

CLASSIFICADOS

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745/9961-2643/9606-6296.

DESENTUPIMENTO – LIMPA FOSSA

CONTABILIDADE - AUDITORIA E TREIN. GRUPO LORDÊLO...............................(71) 3351-6952 Veja anúncio na pág. 12. CONTROLE DE PRAGAS ABC PRAG.....................................................(71)3342-1143 Veja anúncios na pág. 27. CONTROLE DE PRAGAS SWAT....................................................(71) 3289-1498 / 8712-6563.........Veja anúncios na pág. 4.

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

35


DISTRIBUIÇÃO DE IMPRESSOS

ELEVADORES

ELEVADORES

ENGELTECH............(71) 3278-4005/0800 284 4005......................................Veja anúncio na pág. 24.

CLASSIFICADOS

ELEVADORES

ELEVADORES

DISTRIBUIÇÃO DE IMPRESSOS

ELEVADORES

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

ACESSE O FACEBOOK

Cadê o Síndico

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 36

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


ENTULHO

EXTINTORES DE INCÊNDIO

EQUIPAMENTOS PARA COND.

FARDAMENTO

CLASSIFICADOS

ELEVADORES - FORRO

ESQUADRIAS ALUMAR Esquadrias de Alumínio.......................... ................................................................(71) 3356-2152/0116 EQUIPAMENTOS PARA COND.

ANUNCIE

3242-1084

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

37


FILTRO DE ENTRADA

CLASSIFICADOS

FARDAMENTO

INFORMÁTICA - MANUTENÇÃO

INTERNET CONDOMÍNIO ELETRO E.................................................................3488-7755 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

FECHAMENTO DE VARANDA

GÁS - INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO

INFORMÁTICA - REC. DE CARTUCHOS

GÁS - MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA BRASILGÁS...................................UAC 0800 70 10 124 Veja anúncio na contra-capa IMÓVEIS - COMPRA E VENDA UNIMÓVEIS...............(71) 3358-4775/3452-4308 REMAX ALPHA EXCLUSIVE.......(71) 3082-2000

ACESSE A VERSÃO DIGITAL WWW.CADEOSINDICO.COM.BR

LIMPEZA DE CAIXAS D'AGUA CONDOMÍNIOCENTER......................................................... 3335-2029 / 9178-9950 / 8805-2657.

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 38

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

LIXEIRA SELETIVA FRESO..............................(71) 9655-8842/8173-7349 Veja anúncio pág.17.

CLASSIFICADOS

MÓVEIS PLANEJADOS

PARQUE INFANTIL

PARARRAIOS SITELCO.........................(71) 3312-8698/3252-5000 JOGOS - ARTIGOS E EQUIPAMENTOS

Veja anúncio na terceira capa. PISCINA

MARCAS E PATENTES

PISCINA CORÁGUA.................(71) 3334-7977 / 3334-3436 Veja pág. 29. PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA PROTEC.........................................................(71) 8154-0358

Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

39


PISO - TRATAMENTO E LIMPEZA

REGISTRO DE MARCAS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

PROVÍNCIA.................(71) 3016-5574/3481-0325 Veja anúncio no título Marcas e Patentes

CLASSIFICADOS

RELOGIO DE PONTO TOPMAQ AUTOMAÇÃO COMERCIAL.............. (71) 3261-5000. PELICULAS ALTA PERFORMANCE

PRODUTOS DE LIMPEZA MOVICLEAN EQUIP. .......................(71) 3313-3464 Veja anúncio no título Equipamentos para condomínios. PROJETOS - CONST. E REFORMA FR ARQUITETURA..................................................................... (71) 3336-3745 / 9961-2643 / 9606-6296. RADIOCOMUNICAÇÃO

SEGURANÇA ELETRÔNICA SEGURANÇA ELETRÔNICA

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 40

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

MULTICÂMERAS...........Veja anúncio na pág 24

ACESSE A VERSÃO DIGITAL

WWW.CADEOSINDICO.COM.BR ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico Sr. síndico, ao solicitar orçamento, informe que viu anúncio na revista Cadê o Síndico www.cadeosindico.com.br

setembro/outubro 2013 • Revista Cadê o Síndico

41


SEGURANÇA ELETRÔNICA

CLASSIFICADOS

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

SÍNDICO PROFISSIONAL SÍNDICOS PROFISSIONAIS................................. Veja anúncio na pág. 9. TELECOMUNICAÇÃO AMPLAVISÃO...................................(71) 3357-1515 Veja anúncio no título Segurânça eletrônica. TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA SEGURANÇA ELETRÔNICA

SEGURANÇA ELETRÔNICA

TRATAMENTO DE PISOS

ACESSE O FACEBOOK Cadê o Síndico

WW BAHIA................(71) 3355-0409/9926-4330 Veja anúncio no título Piso Tratamento e Limpeza.

ANUNCIE

3242-1084

Sr. síndico, utilize o Cartão Cadê o Síndico e garanta benefícios 42

Revista Cadê o Síndico • setembro/outubro 2013

www.cadeosindico.com.br


www.cadeosindico.com.br

43



Ed45