Revista Portuária - Abril 2022.

Page 1

Economia Negócios REVISTAPORTUÁRIA

Edição ABRIL/2022 / Ano XXIIII

R$ 80,00

SC tem recorde para o 1o trimestre em exportações e importações Análise do Observatório FIESC mostra que o estado exportou US$ 2,5 bilhões e importou US$ 6,7 bilhões no período. Resultado foi o maior registrado para o primeiro trimestre de um ano desde o início da série histórica, em 1997.

MARCOS PORTO

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 1


2

• Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios


EDITORIAL

ISSN - 1981 - 6170

ANO 24  EDIÇÃO ABRIL/2022 Editora Bittencourt Rua Anita Garibaldi, 425 | Centro | Itajaí Santa Catarina | CEP 88303-020

SC tem maior crescimento da atividade econômica do país em janeiro

Fone: 47 3344.8600 Direção: Carlos Bittencourt carlos@bteditora.com.br | 47 9 8405.8777 Presidente do Conselho Editorial: Antonio Ayres dos Santos Júnior Diagramação: Solange Maria Pereira Alves (0005254/SC) solange@bteditora.com.br Capa: Foto: Alfa Bile Contato Comercial: Sônia Anversa - 47 9 8405.9681 carlos@bteditora.com.br Para assinar: Valor anual: R$ 960,00 A Revista Portuária não se responsabiliza por conceitos emitidos nos artigos assinados, que são de inteira responsabilidade de seus autores. www.revistaportuaria.com.br twitter: @rportuaria

Comercial para todo o Brasil

E

m janeiro, o estado registrou expansão de 4,8% no Índice de Atividade Econômica (IBC) na comparação com dezembro de 2021, mostra análise do Observatório FIESC. No mesmo período, o Brasil teve uma retração de 1%. Santa Catarina registrou expansão de 4,8% no Índice de Atividade Econômica (IBC) em janeiro na comparação com dezembro de 2021, na série livre de efeitos sazonais. De acordo com análise do Observatório FIESC, o resultado foi a maior expansão entre os estados do país na variação mensal. No mesmo período, o Brasil teve uma retração de 1%. A indústria foi um dos responsáveis pelo resultado positivo para a economia catarinense em janeiro, com expansão de 0,9% na produção industrial em comparação com dezembro de 2021. No acumulado de 12 meses, Santa Catarina teve o terceiro melhor resultado do país no IBC, com 6,5% de expansão, acima da média brasileira (4,7%). Conforme análise do economista do Observatório FIESC Marcelo de Albuquerque, o setor de Metalurgia catarinense lidera o crescimento industrial neste início de 2022, com a maior expansão da produção industrial no estado - 29,6% em janeiro na comparação com dezembro. O bom momento da construção influencia o resultado. A indústria da confecção de vestuário e acessórios também se destacou no período, com crescimento de 6,5% em janeiro ante dezembro e saldo de 2,8 mil novas vagas formais de emprego criadas no estado. Outra atividade que vem sustentando níveis de produção elevados na indústria é a de veículos automotores, que registrou em janeiro um patamar 11,4% acima de fevereiro de 2020. Divulgado mensalmente, o IBC é medido pelo Banco Central e considerado uma prévia do resultado do PIB.

VIRTUAL BRAZIL Ltda +55 48 3233-2030 | +55 48 9961-5473 MAIL: paulo@virtualbrazil.com.br SKYPE: contatos@virtualbrazil.com.br

Fonte: Fiesc

TRANSPORTE DE CARGAS FRACIONADAS E LOTAÇÕES

BRUSQUE/SC (47) 3351-5111

ITAJAÍ/SC (47) 3348-3292

SÃO JOÃO BATISTA/SC (48) 3265-1311

FLORIANÓPOLIS/SC (48) 3258-5330

GUARULHOS/SP (11) 2085-4500

CURITIBA/PR (41) 3348-7000

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 3


ALFA BILE

Sumário

23. CAPA. SC tem recorde para o 1º trimestre em exportações e importações 6. ENTREVISTA: Guerra na Ucrânia: 5 perguntas para Mário Sérgio Telles 8. Navio Costa Diadema encerra temporada de cruzeiros em Itajaí 9. Itajaí duplica geração de empregos em fevereiro e é a terceira maior do Estado 10. Itajaí defende manutenção da autoridade portuária municipal em audiência pública 11. Contribuinte pode parcelar o pagamento do ITBI em até 24 vezes 12. SINDIPI promove evento nacional para Setor Pesqueiro

4

• Edição ABRIL/2022 ABRIL 2022 • Economia&Negócios

14. Programa InvestSC apoia empreendimento turístico sustentável em Penha 16. Em dois meses, Santa Catarina soma mais de 23 mil novas empresas 17. Em Santa Catarina, 94% dos municípios já recuperaram nível de emprego prépandemia 22. Exportações atingem o maior valor mensal da história, com US$ 29,09 bilhões em março 24. MSC Cruzeiros vai trazer o maior e mais moderno navio da história do país no próximo verão


Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 5


Entrevista: MÁRIO SÉRGIO TELLES

Guerra na Ucrânia: 5 perguntas para Mário Sérgio Telles Em entrevista, o gerente-executivo de economia da CNI, Mário Sérgio Telles, aborda os impactos da guerra na economia brasileira

O gerente-executivo de economia da CNI, Mário Sérgio Telles, conversou sobre os efeitos do conflito entre Rússia e Ucrânia na cadeia global econômica. “O principal impacto da guerra na Ucrânia sobre a economia brasileira é a inflação, que pode ter reflexo sobre a taxa de juros. Mas há outros efeitos, como nas próprias relações comerciais e no fornecimento de insumos”, declarou.

Qual o principal impacto para a indústria brasileira da guerra entre Rússia e Ucrânia? MÁRIO SÉRGIO TELLES - A guerra tem gerado um aumento de preços das chamadas commodities, que são os produtos agrícolas e os produtos minerais, entre eles o petróleo. Esses efeitos acabam sendo reproduzidos no Brasil, como temos visto no caso dos alimentos e dos combustíveis. A alta no preço de outros minerais também afeta, por exemplo, o valor do aço. De uma maneira geral, os custos das empresas acabam aumentando e são repassados aos consumidores. Então, o principal impacto da guerra na Ucrânia sobre a economia brasileira é a inflação, que pode ter reflexo sobre a taxa de juros. Mas há outros efeitos, como nas próprias relações comerciais. A Rússia é um país do qual o Brasil importa bastante, principalmente fertilizantes e petróleo. Um terceiro impacto é com relação ao fornecimento de insumos. Além dos fertilizantes, a Rússia é fornecedora também de um minério chamado palladium, usado para fazer chips e semicondutores. É um insumo que está muito em falta no mercado internacional, gerando problemas 6

• Edição ABRIL/2022 ABRIL 2022 • Economia&Negócios

na indústria automobilística no Brasil e no mundo. A guerra também pode levar a restrições nesse fornecimento. Esse cenário poderá levar a um aumento ainda maior da taxa básica de juros no Brasil? MÁRIO SÉRGIO TELLES - Infelizmente, o aumento da taxa de juros deve ser maior. Como a inflação não deve ter aquele movimento de queda que nós estávamos esperando no final do ano passado e no início deste ano de 2022, o Banco Central vai ter de elevar os juros para um nível acima daquele que elevaria sem os efeitos da guerra. Nós estávamos com uma previsão de que o Banco Central iria aumentar a taxa básica de juros neste ano até o patamar de 11,75%, o que já aconteceu no dia 16 de março. Com as novas pressões inflacionárias vindas como efeito da guerra, esse movimento do Banco Central deve ir além. Devemos rever nossa projeção da taxa de juros provavelmente para 13% ao ano e o impacto para a economia será sobre o consumo, o que vai afetar a indústria. Com taxa de juros mais alta, as pessoas tendem a consu-


o principal impacto da guerra na Ucrânia sobre a economia brasileira é a inflação, que pode ter reflexo sobre a taxa de juros.

 mir menos e aí a indústria vai produzir menos. Um segundo impacto será diretamente nas empresas: com taxas de juros maiores, as empresas acabam se financiando com um custo maior e isso impacta o resultado. O preço dos produtos industriais poderá ser afetado por esse conflito? MÁRIO SÉRGIO TELLES - Todos esses efeitos de que falamos dependem da duração do conflito. Se o conflito eventualmente acabar nos próximos dias, o efeito sobre preços tende a não acontecer porque a indústria tem muita dificuldade para repassar aumento de preços para o consumidor final devido à concorrência com os importados e à concorrência entre as próprias empresas industriais. Ou seja, a indústria tende a reter o aumento do repasse de custos. Se a guerra acabar rapidamente e essas pressões passarem, a tendência é que os repasses de preços sejam menores. Se a guerra se estender, acaba sendo inevitável o repasse do aumento de custos para os preços porque senão a empresa perde completamente sua estabilidade financeira e a sua viabilidade econômica.

Nesse contexto, a saúde financeira das empresas industriais poderá ser afetada? MÁRIO SÉRGIO TELLES - Sim. O aumento de juros afeta diretamente o custo das empresas. As necessidades de financiamento, ainda que seja para capital de giro, são comuns e as empresas tendem a recorrer a esse tipo de operação financeira, que já está mais cara. Isso impacta diretamente no resultado das empresas, muitas das quais têm tido dificuldades nos últimos anos. As empresas industriais já não estavam com a situação financeira positiva devido à crise econômica no Brasil e aos duros efeitos da pandemia. Embora o setor industrial tenha sido um dos primeiros a reagir recentemente, o histórico de anos de maus resultados e de baixa produção, agravados pela pandemia, ainda não foram recuperados. E o efeito sobre a cadeia global de insumos? MÁRIO SÉRGIO TELLES - O impacto fundamental tem se dado nas commodities energéticas, sobretudo no petróleo, e em outras commodities minerais como o palladium. No caso de alimentos, a própria instabilidade gerada pela guerra tem levado ao aumento no preço de alguns produtos e há possibilidade de ter, até mesmo, um novo aumento no transporte marítimo e no preço dos fretes, que tem sido recorrente depois da pandemia. Todos esses efeitos podem se refletir nas cadeias globais de valor, principalmente com essas restrições de insumos e também com o aumento do preço dos fretes internacionais.

Com taxa de juros mais alta, as pessoas tendem a consumir menos e aí a indústria vai produzir menos.

FONTE: CNI

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 7


Marcos Porto

:: TURISMO

Navio Costa Diadema encerra temporada de cruzeiros em Itajaí As nove escalas realizadas movimentaram a economia da cidade em mais de R$ 4 milhões

A

temporada de cruzeiros em Itajaí chegou ao fim no dia 8 de abril. Ao todo, 13.133 passageiros transitaram pelo município durante as nove escalas dos navios Costa Diadema e Costa Fascinosa, que começaram em dezembro do ano passado. A última parada para embarques e desembarques ocorreu nesta sexta. O impacto econômico na cidade com a vinda dos transatlânticos é estimado em mais de R$ 4 milhões. De acordo com o secretário municipal de Turismo e Eventos, Evandro Neiva, a expectativa para a próxima temporada é ainda maior e o Município já realiza estudos para implantação de um novo terminal de passageiros. “A previsão é ter a melhor temporada de cruzeiros da história, com mais de 30 escalas e embarques semanais de mais de dois mil passageiros. Serão duas escalas semanais, com navios da MSC e Costa Cruzeiros", destaca. Além da promoção de turismo, a temporada dr cruzeiros é responsável por impacto econômico e também vínculos empregatícios. De acordo com a CLIA Brasil (Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros), foram movimentados aproximadamente R$ 1,08 bilhões no Brasil. O número representa gastos diretos, indiretos e induzidos das companhias, além de despesas de tripulantes. Ao todo, foram gerados 13.936 empregos no país. A próxima temporada de cruzeiros em Itajaí promete ser mais extensa, com navios da MSC e Costa realizando embarques e desembarques. O início está previsto para 10 de dezembro de 2022. As escalas serão prolongadas até fevereiro de 2023. Em 2022, a suspensão da temporada de transatlânticos no Estado por conta do aumento de casos de Covid-19 durou mais de dois meses. 8

• Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

Homenagem da Costa Cruzeiros A companhia Costa Cruzeiros realizou uma cerimônia em homenagem ao Município e a Superintendência do Porto de Itajaí com entrega de placa de agradecimento. O evento aconteceu dentro do navio Costa Diadema e contou com a presença do secretário municipal de Turismo e Eventos, Evandro Neiva, representando o prefeito Volnei Morastoni, o presidente da CLIA Brasil, Marco Ferraz, e demais autoridades da região e do estado De acordo com a Costa Cruzeiros, Santa Catarina segue como prioridade da companhia. Entre dezembro de 2022 e abril de 2023, o navio Costa Favolosa fará roteiros dedicados à região do Rio da Prata e terá Itajaí e Santos como pontos de embarque. O cronograma ainda inclui as cidades de Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina). 


:: ECONOMIA

Itajaí duplica geração de empregos em fevereiro e é a terceira maior do Estado Números apontam 2.664 novas vagas geradas nos dois primeiros meses de 2022 Itajaí duplicou o número de novas vagas com carteira assinada no comparativo entre os meses de fevereiro e janeiro deste ano. Em 2022, o saldo acumulado é de 2.664 empregos gerados no Município. O resultado coloca Itajaí como a terceira maior cidade de Santa Catarina na geração de empregos formais neste ano. O salto nos dados aconteceu no mês de fevereiro, quando o município registrou 1.776 novas carteiras de trabalho assinadas. O resultado é exatamente o dobro do retrospecto de janeiro de 2022, que fechou com saldo positivo de 888 vagas. O setor de Serviços foi o que mais contratou no começo deste ano, impulsionado pela atividade portuária do Município. Os dados foram divulgados pelo Governo do Estado com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). “Itajaí segue no rumo certo. Investindo em obras de infraestrutura e na qualidade de vida do cidadão. Nosso objetivo enquanto poder público é garantir a base de um desenvolvimento sólido e reforçar as parcerias com a iniciativa privada”, destaca o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Thiago Morastoni. Em comparação com o ano passado, responsável pelo recorde na série histórica do CAGED, os números são ainda mais animadores. No total, o saldo deste ano é de 190 empregos a mais do que no mesmo período de 2021. “Com esses dados positivos, podemos projetar um ano tão bom quanto 2021 ou até melhor. Nossa expectativa é promover o crescimento de Itajaí em todas as áreas”, finaliza o secretário Thiago. Como encontrar uma oportunidade O Município de Itajaí oferece à população que está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho os serviços do Balcão de Empregos. As vagas estão disponíveis pelo aplicativo Conecta.í, no site empregos.itajai.sc.gov.br ou via WhatsApp (47) 3246-1190. Para se candidatar às vagas via WhatsApp, basta enviar mensagem e escolher a opção “Balcão de Empregos”, depois “Candidatar-se à vaga”. 

 Aos que preferem os serviços presenciais do Balcão de Empregos é necessário comparecer a um dos quatro pontos de atendimento:  CENTRO DE SERVIÇOS INTEGRADOS: Rua Antônio Caetano, nº 105, Fazenda (Atrás do Teatro Municipal) Horário: Segunda a sexta-feira, das 13h às 19h Telefone: (47) 3246-1190  CENTRO ADMINISTRATIVO: Rodovia Antônio Heil, nº 11320, Arraial dos Cunhas Horário: Segunda a sexta-feira, das 7h às 18h30 Telefone: (47) 3241-2837  CRAS ITAIPAVA: Avenida Itaipava, nº 4134, Itaipava Horário: Segunda a sexta-feira, das 7h às 18h Telefone: (47) 3349-4348  CÂMARA DE VEREADORES: Av. Ver. Abrahão João Francisco (Contorno Sul), nº 3825, Ressacada Horário: Segunda a sexta-feira, das 8h às 19h Telefone: (47) 3344-7100

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 9


:: PORTO DE ITAJAÍ

Itajaí defende manutenção da autoridade portuária municipal em audiência pública Documento enviado à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) solicitou a prorrogação do convênio de delegação

O

Município de Itajaí reforçou mais uma vez a importância da manutenção da autoridade portuária pública municipal no Complexo Portuário de Itajaí. Um documento foi apresentado de forma oficial à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) para a prorrogação por 35 anos do convênio de delegação ao município. A proposição foi reafirmada na audiência pública realizada em modalidade híbrida no dia 7 de abril. A audiência apresentou a proposta do Governo Federal e contou com as apreciações e contribuições de entidades de classes, órgãos federados e autoridades. Em sua fala o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, reiterou a complexidade do Porto de Itajaí em sua relação com os terminais privados e demais atividades econômicas do rio Itajaí-Açu. “O Município de Itajaí é o maior interessado no sucesso do nosso porto, principal fonte do desenvolvimento econômico e social da cidade. Não somos contra a privatização das atividades, realidade que já existe. Queremos que o novo processo de arrendamento propicie os R$ 2,8 bilhões em investimentos, sem interferir na autoridade portuária”, destacou o prefeito Morastoni. “Essa solução respeita a relação entre o Porto e a cidade. Está em plena sintonia com a competência municipal

em prol do desenvolvimento equilibrado e sustentável de Itajaí e com resultados positivos”, evidenciou o prefeito. O ofício assinado pelo prefeito Volnei Morastoni sustenta a missão de autoridade portuária pública local da Superintendência do Porto de Itajaí até 2048. O órgão manteria seu trabalho de zelar pelos serviços públicos e garantir as operações com qualidade aos usuários. A sustentação do argumento técnico é a comprovada experiência na função e no cumprimento dos padrões atualizados de Governança, Gestão, Transparência e Modernização. Dessa forma, fica sob responsabilidade da empresa privada assumir a realização das atividades de exploração econômica no porto e operações portuárias, assim como é desempenhado pela APM Terminals. No encerramento de sua fala, o prefeito de Itajaí destacou a preocupação com o futuro da cidade. “Nesse processo, estaremos decidindo os próximos 70 anos do Porto de Itajaí. Quase um século e o que queremos é o melhor para Itajaí e para o Brasil”, finalizou Volnei Morastoni. O cronograma apresentado pelo Governo Federal na audiência prevê que o edital seja publicado em setembro deste ano e que o leilão seja marcado ainda para dezembro de 2022. 

Marcos Porto

10 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios


:: PORTO DE ITAJAÍ

Câmara participa de audiência pública sobre concessão do Porto de Itajaí

O

presidente da Câmara, vereador Marcelo Werner (PSC) e o vereador Beto Cunha (PSDB) participaram da reunião para defender seus posicionamentos diante das demandas da cidade. O lançamento do edital de concessão está previsto para setembro deste ano e Itajaí ainda age na tentativa de manter a autoridade portuária sob domínio do Município. O vereador Marcelo Werner se pronunciou durante a audiência e defendeu que o contrato de concessão, caso efetivado, seja feito com garantias aos trabalhadores portuários, evitando perdas salariais e fechamento de postos de trabalhos, entre outros. Werner defendeu ainda, que as áreas pertencentes à União e não afetas às operações portuárias, como a que fica ao lado Centreventos, sigam em posse do Município, dado seu valor econômico, social e cultural para a comunidade. 

O imposto é um tributo municipal que deve ser pago nas transações de compra e venda de imóveis Com o objetivo de facilitar o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), o Município de Itajaí ampliou a opção de parcelamento do tributo de 12 vezes para até 24 vezes com juros de 1% ao mês sobre o saldo devedor. Os contribuintes podem solicitar o parcelamento no setor de ITBI, no térreo da Prefeitura, de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h, ou através do site do Aprova Digital. O imposto é um tributo municipal que deve ser pago nas transações de compra e venda de imóveis. Desde agosto de 2021, os contribuintes contam com a opção de pagamento em até 24 vezes. Nestes casos, a primeira parcela deverá ser paga no ato do parcelamento. Com a quitação da primeira parcela, o contribuinte poderá efetuar a escritura e o registro de matrícula do imóvel. Caso o imposto não seja quitado após a transferência, o contribuinte terá seus dados inseridos nos órgãos de proteção ao crédito, os débitos protestados e posteriormente judicializados. Em caso de dúvidas, a Secretaria Municipal da Fazenda está disponível para esclarecimentos nos telefones (47) 3341-6170, (47) 3341-6044 e (47) 3341-6261. 

MARCOS PORTO

Foto: Davi Spuldaro/CVI

Vereadores atuam para garantir segurança aos trabalhadores do Porto, hoje municipal.

Contribuinte pode parcelar o pagamento do ITBI em até 24 vezes

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 11


:: PESCA

SINDIPI promove evento nacional para Setor Pesqueiro

O

Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (SINDIPI) irá promover nos dias 27, 28 e 29 de abril um evento nacional, em comemoração aos 42 anos da entidade. O 1º Encontro SINDIPI terá uma programação exclusiva, voltada a atender demandas atuais das indústrias e dos armadores. O evento é gratuito e será realizado na sede da entidade, em Itajaí. A programação contará com treinamentos sobre os programas de autocontrole para as indústrias, além de curso referente à importação e exportação de pescados, novas tecnologias para o Setor, mesa redonda sobre estatísticas da pesca, palestra sobre segurança naval e debates sobre normativas governamentais que impactam diariamente os armadores. “Toda a programação foi pensada de maneira a auxiliar nossos associados. Entendemos que o melhor jeito de comemorar o aniversário da entidade é atender demandas do Setor, trazendo alternativas e soluções para que possam otimizar seus trabalhos”, afirma o presidente do SINDIPI, Jorge Neves.

12 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

:: Confira a programação:  Quarta-feira (27) Palestras: Como otimizar processos nas indústrias de pesca. 9h às 12h - 14 às 15h30: Treinamento referente ao Programa de Autocontrole - com o Agente de Inspeção Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal (AISIPOA) Rafael Soriani. 15h30: Mapas Estatísticos com o Agente de Inspeção Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal (AISIPOA) Matheus Ribeiro.  Quinta-feira (28) 09h: Palestra sobre Importação e Exportação de pescado. 9h: Importação de pescado com a Chefe do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional do Arco Sul 3/ 5a. Região da Coordenação De Fiscalização do Trânsito Regular da Coordenação-Geral do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, Renata Schmidt Azevedo de Araujo. 10h30: Exportação de Pescado - Representando o 9º SIPOA Central de Certificação, a Chefe do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional do Arco Sul 3/ 5a. Região da Coordenação De Fiscalização do Trânsito Regular da Coordenação-Geral do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, Renata Schmidt Azevedo de Araujo. 13h30: Mesa Redonda sobre estatística da pesca. A importância de reportar dados reais sobre a captura - com Roberto Wahrlich. O consumo per capita de pescado em 2021 e Importações e Exportações Brasileiras de Pescado - com Wilson Santos. 15h30: Palestra: O exemplo da pesca que deu certo no Nordeste. Como o aplicativo de rastreabilidade (OpenTuna) pode agregar valor ao produto enquanto cumpre a função legal de mapa de bordo - com o empresário Rodrigo Hazin, presidente da Norte Pesca S/A.  Sexta-feira (29) 9h30: Palestra: Segurança Naval - com Marinha do Brasil. 11h: Palestra: Projeto Sardinha - Avaliação de estoque e mudanças climáticas - com Paulo Ricardo Schwingel, oceanógrafo, mestre em Oceanografia Biológica e doutor em Ciências Naturais, responsável pelo Laboratório de Ecossistemas Aquáticos e Pesqueiros da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia da Univali. 14h: Treinamento para Técnicos Responsáveis a adequar as embarcações à Portaria 310/2020 15h: Debate sobre Portaria 310. A importância da implementação da 310 para venda de matéria prima.


O TRATAMENTO HUMANITÁRIO À MULHER GRÁVIDA PRESA DURANTE SUA EXECUÇÃO PENAL CELSO ALMEIDA DA SILVA OAB/SC 23.796-A Sócio-fundador do Silva & Silva Advogados Associados e especialista em crimes empresariais.

P

assa a vigorar hoje (13) a novíssima Lei nº 14.326/2022 que modifica a Lei de Execuções Penais (LEP – Lei nº 7.210/1984) com o intuito de assegurar à mulher grávida presa tratamento humanitário durante os atos médico-hospitalares antes, durante e depois da realização do parto, abrangendo o período de puerpério. Considerando que as mulheres grávidas presas são um grupo vulnerável nos estabelecimentos prisionais, com necessidades e exigências específicas de sua condição em relação às demais internas e aos presos masculinos, vem a nova lei para reconhecer a necessidade de medidas para a humanização do tratamento em relação à pena privativa de liberdade – intensificando também práticas para eliminar todas as formas de violência contra as mulheres – mesmo quando reclusas. Nessa perspectiva, o novo diploma legal insere o parágrafo quarto no art. 14, da Lei de Execuções Penais, que assegura o tratamento humanitário durante a gestação em todas as suas etapas, estabelecendo como responsabilidade do Poder Público a promoção da referida assistência integral à saúde tanto da presa quanto de seu recém-nascido. Lembra-se que a LEP já trazia diversas outras previsões quanto ao tema – tratamento de gestantes presas – agora especificando a humanidade no tratamento dos atos médico-hospitalares. O avanço na humanização dos estabelecimentos prisionais é notório, principalmente nesse tocante ao tratamento de mulheres presas, especialmente as grávidas, que corrobora com as tratativas das Regras de Bangkok das Nações Unidas para o Tratamento de Mulheres Presas e Medidas não Privativas de Liberdade para Mulheres Infratoras, na qual o Brasil participou ativamente da sua elaboração. Com o avanço, espera-se ainda que mais políticas públicas surjam no sentido de erradicar a desigualdade e violência de gênero, já que imprescindíveis para a garantia dos Direitos Humanos daquelas também inseridas no sistema prisional brasileiro.

Balneário Camboriú-SC | Itajaí-SC | Florianópolis-SC | Itapema-SC | Sinop-MT

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 13


:: ECONOMIA SC

Programa InvestSC apoia empreendimento turístico sustentável em Penha

O

Fotos: Ascom/SDE

Sobre o InvestSC

O Núcleo Interinstitucional e o Grupo de Trabalho (GT) são responsáveis por executar as atividades que incentivem os investimentos, além de identificar fontes de financiamento para investimentos e setores/ investidores potenciais. Presidido pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, o Núcleo Interinstitucional conta com a participação de representantes das secretarias da Fazenda (SEF), da Administração (SEA), do Meio Ambiente (Sema), da Infraestrutura e Mobilidade (SIE), de Assuntos Internacionais (SAI); Instituto do Meio Ambiente (IMA), da SC Participações e Parcerias S.A. (SCPAR) e da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).

Programa InvestSC abre as portas para mais um novo empreendimento, desta vez em Penha. Com uma previsão de investimentos em mais de R$ 660 milhões e geração de 500 empregos diretos, o complexo turístico com temática da Amazônia será sustentável, desde a arquitetura e paisagismo, incluindo potencial de geração de benefícios diretos para arranjos produtivos e comunidades na Amazônia, enquanto fornecedores de produtos e serviços na área de economia criativa para o empreendimento hoteleiro e parque temático. O InvestSC é o programa coordenado pelo Governo de Santa Catarina e pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) para atrair negócios por meio de incentivos a novos negócios em Santa Catarina. Além disso, cria oportunidades para investidores, auxilia na criação e manutenção de mecanismos que disponibilizem informações sobre setores e negócios estratégicos e apoia o investidor em todo o processo de implantação do projeto. Para o secretário da SDE, Jairo Luiz Sartoretto, o complexo abrange todos os pilares de um turismo sustentável e, por isso, a SDE apoia a iniciativa. “Este investimento reforça mais uma vez a confiança do setor produtivo no Estado. O InvestSC representa as portas abertas na atração e aceleração de investimentos com o apoio aos novos negócios. Este projeto turístico significa novas oportunidades para Penha e toda a região, fortalecendo o desenvolvimento e o turismo em nosso Estado”, afirma Sartoretto. Para Fernando Raupp, secretário executivo de Assuntos Internacionais (SAI), o projeto de resort temático demonstra que Santa Catarina está aberta não só para investimentos de natureza industrial ou comercial, mas também para lazer e entretenimento. “O InvestSC tem mostrado suas potencialidades, auxiliando empresários que querem se estabelecer em Santa Catarina, abrindo as portas e orientando o que precisa ser feito para que as empresas possam vir com segurança para o Estado”, destaca. “O empreendimento será um equipamento que contribuirá para manter os visitantes por mais tempo em Penha, ampliando a economia local em toda a sua cadeia produtiva. Trará novas famílias que buscam por uma residência de praia, famílias jovens que apostam na sustentabilidade como uma condição de melhorar o futuro do planeta e estão familiarizados com a economia compartilhada”, avalia o prefeito de Penha, Aquiles da Costa. O diretor operacional da Amazon, Márcio Piccoli, afirma que o apoio do Governo do Estado, através do Programa InvestSC, deve atrair novos investidores. “Estamos confiantes que com este apoio a procura pelo Amazon Parques & Resorts será ainda maior por aqueles que desejam investir em um empreendimento inovador e sustentável”. Os detalhes foram apresentados por representantes do projeto à diretoria de Empreendedorismo e Competitividade.

O empreendimento

O complexo terá 699 apartamentos e contará também com investimentos da holding norte-americana Amazon Fun Parks. A 14 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios


:: ECONOMIA SC

Aquiles da Costa, prefeito de Penha

Lançado edital para projeto de zona de processamento de exportação em Imbituba

O empreendimento será um equipamento que contribuirá para manter os visitantes por mais tempo em Penha, ampliando a economia local em toda a sua cadeia produtiva

 primeira fase de obras iniciará em setembro de 2022 e será coordenada também por construtora de Blumenau que deverá entregar os primeiros apartamentos em 2025. Algumas unidades serão administradas pela maior empresa de franquias de hotéis do mundo, a Wyndham Hotels & Resorts. A vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios para América Latina, da Wyndham Hotels & Resorts, Maria Carolina Pinheiro, prevê quem serão os visitantes que devem aparecer em Penha. “Acreditamos em uma parcela considerável de visitantes principalmente das regiões Sul e Sudeste, seguidas pelo Nordeste. Já em relação aos estrangeiros, eles devem responder por 15% a 20% da ocupação”, avalia. Além das torres hoteleiras, o Amazon Parques & Resorts engloba uma área de entretenimento, um parque temático, com várias atividades, entre elas um centro de pesquisas e auditório com atividades continuadas e atrações para a educação ambiental.

Sustentabilidade

A arquitetura será sustentável com preservação de áreas de floresta e um design que inclui fachadas ventiladas com paredes que formam um labirinto térmico para a diminuição de temperatura nos apartamentos, além do uso de água subterrânea para resfriamento em dias de calor intenso, com capacidade de reduzir a temperatura em até 10°C. Haverá um teto verde que contribuirá para regular a temperatura do telhado e ambientes, além de tecnologia para a diminuição de ruídos e coleta de água da chuva para reuso. Outro detalhe do empreendimento é a área de preservação de floresta no terreno e a opção de manter os desníveis locais para desenvolver um bosque de caminhadas e corridas. Com assinatura do escritório de arquitetura NotToScale Architecture, com sede em Lugano, no Sul da Suíça, o projeto do Amazon Parques & Resorts contou com a colaboração de dez arquitetos internacionais, incluindo dois brasileiros, além de designers e outros colaboradores. Você quer fazer um tour pelo empreendimento, acesse o site aqui: https://vt.amazonfunparks.com/pt/ 

Um complexo dedicado ao comércio exterior irá impulsionar a economia do Litoral Sul e reforçar a balança comercial catarinense. A Imbituba Administração de Zona de Processamento de Exportação (IAZPE) lançou nesta sexta-feira, 1º de abril, um edital para contratação de projeto executivo para implantação de um condomínio de predominância industrial em uma área de 59 mil metros quadrados que já pertence à IAZPE. A ideia é abrigar empresas exportadoras, que terão neste local incentivos para vendas para o exterior. O Governo do Estado planeja investir R$ 14 milhões na implantação desse condomínio, situado às margens da BR-101, próximo ao acesso Norte a Imbituba. “O governador Carlos Moisés acreditou no benefício que a IAZPE irá trazer à economia de Imbituba e região”, destaca o presidente da IAZPE, Jeferson Machado. O projeto conta com apoio das secretarias de Estado da Fazenda e do Desenvolvimento Econômico e Social. A previsão é definir o projeto executivo até meados do segundo semestre deste ano. Com isso, seria aberto um novo processo de licitação para a execução da obra, que começaria em 2023.

O que é uma ZPE?

Zona de Processamento de Exportação (ZPE) é uma área de livre comércio, destinada à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior. É considerada zona primária para efeito de controle aduaneiro. As empresas instaladas em uma ZPE têm acesso a tratamentos tributários, cambiais e administrativos específicos. Hoje, há 14 ZPES criadas no Brasil, todas com objetivo de fomentar regiões menos desenvolvidas. Embora seja um modelo consagrado em outros países, ainda não decolaram no Brasil. A aprovação de um novo marco legal, porém, despertou o interesse de empresas em aderir a esse modelo. Por isso, Santa Catarina decidiu apostar na implantação da infraestrutura adequada ao funcionamento da IAZPE.  Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 15


:: ECONOMIA SC

Em dois meses, Santa Catarina soma mais de 23 mil novas empresas

S

anta Catarina segue avançando quando o assunto é abertura de empresas. Em apenas dois meses, o estado contabiliza um saldo positivo de 23.118 novos negócios, uma média de 392 por dia. Só no mês de fevereiro, 18.429 foram constituídas, enquanto as extintas totalizaram 6.829, o que corresponde ao saldo positivo de 11.600 empreendimentos. Os números são do Observatório da Junta Comercial (Jucesc). “Se comparado com os dois primeiros meses de 2019 (saldo 14.042), Santa Catarina aponta em 2022, um crescimento de 64% em novos negócios. Dentre as medidas implantadas pela gestão Carlos Moisés que melhoram o ambiente de negócios para quem quer investir, gerar emprego e renda, estão as dispensas de alvarás e licenciamento. São mais 570 atividades econômicas classificadas como de baixo risco e que não oferecem perigo à saúde e segurança da sociedade. Além disso, 49 municípios catarinenses integram o Programa SC Bem Mais Simples, que possibilitam ainda mais celeridade na abertura de novos negócios”, frisa a presidente da Jucesc, Renata Silva, ao destacar ainda, a simplificação e digitalização dos processos da Junta. Do total de empresas constituídas nos dois primeiros meses de 2022, 78,56% são referentes a MEIs, 19,04% são LTDA e 1,78% têm como natureza jurídica Empresário. Os outros segmentos, como S/A, Cooperativa, Consórcio, entre outros, têm percentual de abertura abaixo de 1%. Já quanto ao ramo de atuação, o comércio segue liderando o ranking, com 7.886 novos negócios em janeiro e fevereiro deste ano. Para o secretário da SDE, Luciano Buligon, o saldo positivo na abertura de empresas é o reflexo da confiança e do otimismo do empreendedor no Estado, sinal de mais emprego e melhor qualidade de vida. “A economia catarinense está aquecida, resultado de ações estratégicas, do trabalho em conjunto e de um sistema eficaz, que funciona para o investidor. Além disso, Santa Catarina tem vários incentivos e programas para quem quer empreender simplificando e atraindo novas empresas”, destaca. O estado possui 1.128.009 empresas ativas. 

16 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

Mulheres empreendedoras A participação das mulheres na vida econômica catarinense aumenta consideravelmente a cada ano. Muitas delas empreendem em busca de uma atividade rentável que possa ser construída de forma autônoma e independente. Dados analisados pela equipe técnica da Jucesc indicam que, em Santa Catarina, 38% dos sócios/administradores de empresas são mulheres, ou seja, 840.170 mil, de um total de 2.190.400 pessoas. “Ao analisar os dados acima, temos mais uma vez a certeza que as micro e pequenas empresas são os grandes impulsionadores do desenvolvimento econômico de Santa Catarina. E as mulheres, cada vez mais representativas nesta fatia de mercado, contribuem para o fortalecimento de novos negócios e oportunidades”, finaliza a presidente.


:: ECONOMIA SC

A recuperação econômica de Santa Catarina segue a passos largos, em especial no quesito geração de empregos. Entre os 295 municípios catarinenses, 277 já ultrapassaram o nível de empregos com carteira assinada que mantinham antes da pandemia. Isso representa uma taxa de aproximadamente 94%, o segundo melhor resultado entre os estados brasileiros, atrás apenas do Acre – o Distrito Federal não possui municípios. O governador Carlos Moisés explica que esse indicador aponta que a retomada do crescimento está ocorrendo mais rapidamente no Estado, já que a média nacional está em 84%. Os dados constam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), numa comparação entre os meses de fevereiro de 2020 e fevereiro de 2022. “É nessas horas que aparece o diferencial da economia catarinense. Nós nos recuperamos mais rápido também por conta do combate eficiente à Covid-19. Temos a menor taxa de letalidade do Brasil. É preciso reconhecer a resiliência do nosso setor produtivo, que manteve o nosso Estado de pé em um momento de grande dificuldade. O Governo do Estado trabalha para ser sempre um parceiro em busca do desenvolvimento”, diz o governador.

Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Em Santa Catarina, 94% dos municípios já recuperaram nível de emprego pré-pandemia

Em números absolutos, Joinville possui o melhor desempenho do estado. Hoje, a cidade tem 220,7 mil trabalhadores com carteira assinada, o que representa um avanço de 19,2 mil vagas em relação a fevereiro de 2020 (9% a mais). Outro destaque fica para Itapema, com um avanço de 28% no período (5,5 mil vagas). 

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 17


:: MERCOSUL-UNIÃO EUROPEIA

Portugal pode ser porta de entrada para produtos de SC na União Europeia

foto: Filipe Scotti)

Assunto foi debatido durante encontro na FIESC, com a participação de uma comitiva liderada pelo embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos. Ele destacou que aguarda com expectativa a entrada em vigor do acordo Mercosul-União Europeia

P

ortugal pode ser a porta de entrada para produtos catarinenses na União Europeia. O assunto foi debatido em reunião na Federação das Indústrias (FIESC). O encontro contou com a participação de uma comitiva portuguesa, liderada pelo embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos. “Há sempre margem para diversificar mais o comércio”, disse, salientando que há expectativa para a entrada em vigor do acordo Mercosul-União Europeia. “Portugal está entre os países da União Europeia mais interessados nesse acordo. Será uma evolução muito positiva nas transações entre os dois blocos”, declarou. O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, lembrou que a entidade tem um importante convênio com a Universidade NOVA, de Lisboa, na área de engenharia. Em sua apresentação, ele apresentou os principais números do comércio entre Santa Catarina e Portugal. “Podemos incrementar a relação comercial. Dada a diversidade da nossa produção e a necessidade que temos também de complementariedade da nossa produção, podemos encontrar caminhos que nos aproximem ainda mais, tanto na exportação quanto na importação”, disse. Em 2021, Santa Catarina exportou US$ 39,4 milhões para Portugal. São produtos ligados aos setores de equipamentos elétricos, agropecuária, alimentos e bebidas, madeira e móveis e máquinas e equipamentos. No mesmo período, o estado importou do país europeu US$ 222,3 milhões de segmentos como alimentos e bebidas (principalmente azeite e vinho), máquinas e equipamentos, metalmecânico, metalurgia e cerâmico. A União Europeia tem um mercado de cerca de 500 milhões de consumidores, informou o diretor da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Francisco Costa. Além disso, Portugal tem ligação com mercados que falam a língua portuguesa e formam uma população de 260 milhões de pessoas. “É muito importante 18 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

identificar novas áreas de cooperação para ampliar o relacionamento bilateral”, afirmou. Ele disse ainda que desde o final de 2021 Portugal aboliu o carvão de seu desenvolvimento econômico. “Ao mesmo tempo os princípios de ESG são cumpridos e há marcos regulatórios que obrigam a adoção de boas práticas ambientais”, completou. A presidente da Câmara de Comércio Exterior da FIESC, Maria Teresa Bustamante, que mediou o encontro, salientou o interesse da indústria em fortalecer o comércio e participar de iniciativas que promovam a aproximação bilateral. “Lideramos o ecossistema de internacionalização de Santa Catarina e estamos à disposição para colaborar”, declarou. 

Portugal está entre os países da União Europeia mais interessados nesse acordo. Será uma evolução muito positiva nas transações entre os dois blocos.

 Luís Faro Ramos, embaixador de Portugal no Brasil


SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DEFINE NOVAS REGRAS PARA COBRANÇA DO ITBI

E

m recente decisão, o Superior Tribunal de Justiça definiu que a base de cálculo do ITBI não pode ser associada à mesma base do IPTU. No mesmo julgamento, restou ainda definido que o valor declarado da negociação entre comprador e vendedor para fins de cobrança do imposto possui presunção de veracidade, devendo ser utilizado como base de cálculo, podendo, contudo, o município instaurar processo administrativo para afastar tal valor. Por fim, o tribunal estabeleceu também que o município não pode exigir a cobrança do ITBI com base em referências estabelecidas por ele mesmo, sem qualquer critério específico para se chegar ao valor venal do imóvel. O julgamento se deu através do Recurso Especial n. 1.937.821, analisado pela 1ª Seção sob o rito dos recursos repetitivos, ou seja, essa decisão vale como orientação para todos os tribunais no país que forem analisar casos idênticos. Em resumo, os Ministros definiram por unanimidade, três teses: • A base de cálculo do ITBI é o valor do imóvel transmitido em condições normais de mercado, não estando vinculada à base de cálculo do IPTU, que nem sequer pode ser utilizada como parâmetro para a tributação; • O valor da transação declarado pelo contribuinte goza da presunção de que é condizente

com o valor de mercado, que somente pode ser afastada pelo fisco mediante a regular instauração de processo administrativo próprio; • O município não pode arbitrar previamente a base de cálculo do ITBI com respaldo em valor de referência por ele estabelecido unilateralmente. Em síntese o Superior Tribunal de Justiça decidiu que o cálculo do ITBI, que incide na transferência de imóveis, deve ser feito com base no valor da transação, que é o declarado pelo contribuinte. Assim, a base de cálculo do imposto, não pode ser definida de forma unilateral pelo município, sem qualquer critério previamente estabelecido. Os Ministros entenderam também pela impossibilidade de se utilizar o valor da base de cálculo do IPTU, porquanto, diferente do ITBI, existe um negócio jurídico, ou seja, um acordo de vontades entre duas partes, onde o valor é baseado em uma série de variantes e interesses pessoais entre comprador e vendedor. O precedente é plenamente favorável aos contribuintes e traz uma segurança jurídica, considerando que o valor a ser cobrado se dará com base no que está efetivamente sendo negociado, respeitando a vontade de ambas as partes, salvo, se for comprovado pelo município, mediante procedimento administrativo próprio, que o valor de mercado é diverso daquele negociado.

Thiago Pereira Seára Advogado Associado OAB/SC n°. 33.285 Área de Atuação: Direito Tributário. Formação Acadêmica: Bacharel em Direito pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI/SC (2011); Graduando em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI/SC (2025); Masters of Business Administration (MBA) em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas – FGV (2014). Pós-Graduado em Direito Civil e Empresarial pela Faculdade Damásio (2017) Pós-Graduado em Direito Imobiliário pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI/SC (2019)

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 19


:: CONSTRUÇÃO CIVIL

SC encerrou fevereiro com abertura de 28,5 mil novas vagas formais de emprego, conforme dados do Novo Caged divulgados nesta terçafeira, 29. De acordo com análise do Observatório FIESC, todos os setores apresentaram saldo positivo.

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Construção tem maior contribuição na geração de empregos na indústria catarinense em fevereiro

S

anta Catarina encerrou fevereiro com abertura de 28,5 mil novas vagas formais de emprego, conforme dados do Novo Caged. De acordo com análise do Observatório FIESC, todos os setores apresentaram saldo positivo. A maior participação foi do setor de serviços, com 16,2 mil novos postos de trabalho, seguido pela indústria geral (7,1 mil), construção (3,4 mil), comércio (1,3 mil) e agricultura (465). O momento favorável da construção, que se estende desde 2021, contribuiu para o resultado positivo. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor gerou 13,6 mil novas vagas. Mais da metade desses postos de trabalho se concentra na construção de edifícios, o que reflete a demanda residencial e comercial crescente no estado. “A construção passa por um momento aquecido em Santa Catarina e no Brasil. É uma atividade que estimula toda a cadeia produtiva e acaba influenciando outros setores da Indústria. A atividade metalúrgica é um exemplo. O setor tem mantido as maiores taxas de crescimento da indústria catarinense em forte relação com a demanda da construção”, avalia o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar. No ranking entre os estados, a indústria da transformação catarinense ficou com a terceira posição em fevereiro na geração de postos formais, com 6.839 novas vagas criadas. No acumulado do primeiro bimestre, Santa Catarina tem o segundo melhor resultado geral entre os estados, com a criação de 51.906 novas vagas. Segundo o economista do Observatório FIESC, Maicon Luiz Brand, outro setor industrial que se beneficia da expansão da construção é o de madeira e móveis, em especial a atividade de fabricação de produtos de

20 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

madeira. “Além da elevada demanda externa para esses produtos, a demanda doméstica da construção segue em elevação, sobretudo para novas obras. Em 2022, o setor de madeira e móveis já gerou mais de 2,7 mil novas vagas formais de trabalho”, avalia. O setor têxtil, confecção, couro e calçados também apresentou destaque em fevereiro, com a geração de 2.086 novas vagas formais de trabalho, impulsionada pela atividade de confecção de artigos do vestuário e acessórios. O retorno das atividades presenciais em diversas empresas, negócios e escolas vêm impulsionando as vendas no setor, que pode também ser observado no crescimento da produção industrial, bem como na criação de vagas de trabalho. 


:: CONSTRUÇÃO CIVIL

SC quer a conciliação sem abrir mão da segunda pista em Navegantes, diz PGE durante audiência de conciliação no STF

O

procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza, participou de uma audiência de conciliação no Supremo Tribunal Federal (STF) para tratar da construção da segunda pista do aeroporto de Navegantes. Durante a reunião oi criada a Comissão Interfederativa e Interinstitucional de Acompanhamento da Concessão, proposta por Santa Catarina a fim de garantir transparência no processo de exploração do terminal pela iniciativa privada. Os termos do acordo serão discutidos nos próximos 30 dias, mas a ideia, segundo o chefe da PGE/SC, é buscar a conciliação sem abrir mão da segunda pista do aeroporto. "O Estado de Santa Catarina tem total interesse numa solução de conciliação neste processo, mas não aceitaremos que não se viabilize a construção da segunda pista. Essa é a nossa posição e qualquer medida que obstrua essa estrutura será rechaçada", afirmou o procurador-geral do Estado. A audiência foi mais uma etapa no âmbito da Ação Civil Pública Originária (ACO 3494) ajuizada pela PGE/SC em abril de 2021. A comissão formada hoje foi proposta pelo órgão central de serviços jurídicos de Santa Catarina em agosto do ano passado, a fim de garantir o cumprimento do que está estabelecido no Plano Diretor do aeroporto desde 2013. Participaram da audiência o Estado de Santa Catarina, representado pelo procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza, e pelo procurador-chefe da Procuradoria Especial em Brasília, Fernando Filgueiras; a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac); a juíza Caroline Lima, do STF; e representantes da União e do município de Navegantes. 

O Estado de Santa Catarina tem total interesse numa solução de conciliação neste processo, mas não aceitaremos que não se viabilize a construção da segunda pista.

Foto Markito/Santur

Alisson de Bom de Souza, procurador-geral do Estado

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 21


:: ECONOMIA CATARINENSE

Exportações atingem o maior valor mensal da história, com US$ 29,09 bilhões em março Secex também apontou recordes de superávit, corrente de comércio e importações para iguais meses de anos anteriores, além de números inéditos em vendas e compras do exterior no primeiro trimestre

Tânia Rêgo/Agência Brasil

A

s exportações brasileiras somaram US$ 29,09 bilhões em março, atingindo um recorde mensal histórico, segundo dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. “É um valor inédito para a exportação brasileira, não só para o mês de março, mas para qualquer mês já registrado”, destacou o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, em entrevista coletiva. O recorde anterior de exportações mensais era de junho de 2021, com US$ 28,3 bilhões. Já as importações aumentaram 27,1% no mês passado e chegaram a US$ 21,71 bilhões, resultando em superávit de US$ 7,38 bilhões, com alta de 19,3%, pela média diária, em relação a março de 2021. A corrente de comércio (soma de exportações e importações) chegou a US$ 50,81 bilhões, em alta de 25,9%. Tanto importações quanto superávit e corrente de comércio foram recordes para o mês de março.

Veja os principais resultados da balança comercial

Segundo Brandão, o recorde histórico das exportações foi puxado pelo aumento de 1,8% no volume, mas principalmente pela alta de 17,2% nos preços dos produtos vendidos pelo Brasil. Os preços também foram o principal fator que influenciaram o aumento das importações, com alta de 29,5%, já que o volume comprado caiu 7,1% no mês. O desempenho positivo de março influenciou o resultado do primeiro trimestre. A corrente de 22 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

comércio subiu 26% e atingiu US$ 132,16 bilhões, nos três primeiros meses do ano, refletindo a alta de 26,8% das exportações, que somaram US$ 71,74 bilhões, e de 25% das importações, que totalizaram US$ 60,42 bilhões. Os três resultados também foram recordes para o período. A balança comercial, por sua vez, fechou o trimestre com superávit de US$ 11,31 bilhões, em alta de 37,6%. Foi o segundo melhor saldo do primeiro trimestre desde 2017, quando chegou a US$ 13 bilhões.

Desempenho dos setores

O recorde mensal das exportações, em março, foi puxado principalmente pelo aumento dos valores das vendas da Agropecuária, que subiram 36,8% e chegaram a US$ 8,17 bilhões, e da Indústria de Transformação, que atingiram US$ 14,47 bilhões, em alta de 35,2%. Já a Indústria Extrativa somou US$ 6,34 bilhões, diminuindo 2,4% em relação a março de 2021. “Destaca-se o grande aumento dos preços dos produtos agropecuários, de 33,4%, e da Indústria de Transformação, de 19,3%, que fez com que o total crescesse 17,2%”, pontuou Brandão. Na soma do trimestre, o crescimento das exportações da Agropecuária chegou a 61%, com US$ 16,45 bilhões, enquanto a Indústria de Transformação vendeu 33,4% a mais do que nos três primeiros meses de 2021, somando US$ 39,02 bilhões. Já na Indústria Extrativa houve recuo de 5,3%, para US$ 15,94 bilhões. Do lado das importações, as compras para a Agropecuária subiram 21% em março, somando US$


510 milhões, e 0,9% no trimestre, alcançando US$ 1,27 bilhão. Na Indústria Extrativa, as compras cresceram 94,9% no mês, atingindo US$ 1,79 bilhão, e 168,1% de janeiro a março, somando US$ 6,13 bilhões. Também aumentaram as compras da Indústria de Transformação, que alcançaram US$ 19,34 bilhões no mês (+25,2%) e US$ 52,43 bilhões no trimestre (+20%). De acordo com a Secex, houve aumento nos preços dos produtos comprados em todas as categorias, em março, especialmente da Indústria Extrativa (+86,4%), que sentiu o impacto da alta dos combustíveis. Nesse segmento, o volume de compras aumentou 50,7%. O subsecretário salientou, no entanto, que os preços vêm influenciando as despesas dos importadores brasileiros desde novembro do ano passado. Só no primeiro trimestre, em média, a alta foi de 29,7%, com impacto maior sobre a Indústria Extrativa, que sentiu uma alta de 110,4% no valor dos produtos comprados.

Parceiros comerciais

Entre os parceiros comerciais, a Secex registrou aumento das exportações para praticamente todos os principais destinos, em março, à exceção de um recuo das vendas para a Coreia do Sul (-14,2%). Destacaram-se o crescimento das exportações para União Europeia (+37,5%), Estados Unidos (+26,1%), países da Asean (+38%), China (+13,1%) e Argentina (+14,1%). Já no acumulado de janeiro a março, as exportações cresceram para todos os principais destinos, principalmente União Europeia (+42,8%), Estados Unidos (+35,3%), Argentina (+20%) e China (+8%). Herlon Brandão comentou que, nos primeiros meses do ano, além de ser um período de entressafra – reduzindo os embarques de soja –, questões climáticas afetaram as vendas de minério de ferro. “Então, é natural que a China comece o ano com uma importância relativa menor. Isso vai crescer, ao longo do ano, por conta da sazonalidade da pauta exportadora brasileira”, explicou. Nas importações, também houve aumento das compras de praticamente todos os fornecedores no mês. Destacaram-se a China (+31,3%), Estados Unidos (+26,8%), Canadá (+105,3%), Argentina (+9%) e União Europeia (+14,5%). No trimestre, cresceram principalmente as compras da China (+39,2%), dos Estados Unidos (+40,8%) e da União Europeia (+11%). Já as importações da Argentina caíram 4,1%. Brandão lembrou que, em 2021, houve necessidade de compra de energia elétrica da Argentina, mas em 2022 essas importações diminuíram.

Estimativas em alta

A Secex também revisou para cima as projeções do comércio exterior brasileiro deste ano. “Há uma demanda crescente dos produtos brasileiros, a preços maiores. Isso fará com que a receita de exportação cresça”, previu Brandão. A estimativa da Secex é de que as exportações atinjam US$ 348,8 bilhões, contra US$ 237,2 bilhões de importações. Assim, a corrente de comércio pode chegar a US$ 586 bilhões, com superávit de US$ 111,6 bilhões. “É um período de grande incerteza, de grande volatilidade das variáveis”, ressaltou o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, acrescentando que os dados são influenciados, entre outros fatores, pelo aumento das cotações internacionais dos produtos. 

ALFA BILE

:: ECONOMIA

SC tem recorde para o 1º trimestre em exportações e importações Análise do Observatório FIESC mostra que o estado exportou US$ 2,5 bilhões e importou US$ 6,7 bilhões no período. Resultado foi o maior registrado para o primeiro trimestre de um ano desde o início da série histórica, em 1997 O comércio exterior catarinense apresentou recorde de valores movimentados no primeiro trimestre deste ano. De acordo com análise do Observatório FIESC, o resultado de US$ 2,5 bilhões em exportações e de US$ 6,7 bilhões em importações foi o maior registrado para o primeiro trimestre de um ano desde o início da série histórica, em 1997. Apesar do valor exportado em março ter registrado um recuo de 2,7% em relação a fevereiro, na série livre de efeitos sazonais, o desempenho do primeiro trimestre é positivo. Os embarques do estado para o exterior nos três primeiros meses do ano cresceram 33,8%, na comparação com o mesmo período de 2021. “Santa Catarina tem avançado na exportação de produtos com alto valor tecnológico, como é o caso dos motores elétricos. A notícia é positiva porque representa competitividade da nossa indústria em escala global”, avalia o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar. A exportação de motores elétricos também registrou o maior valor para um mês de março desde 1997, com US$ 63,1 milhões em embarques. O produto representou 5,8% de participação nas exportações do primeiro trimestre e acumula alta de 114,2% na comparação com o mesmo período de 2021. A demanda dos Estados Unidos e da Alemanha vem sendo um grande propulsor para o setor. Somados, os dois países responderam por quase um terço da demanda do produto catarinense no primeiro trimestre do ano.

Carnes de aves e suína lideram no trimestre

No primeiro trimestre, houve uma queda de 7,2% nas exportações de carne suína na comparação com o primeiro trimestre de 2021. Apesar do recuo, somadas as vendas, as carnes de aves e suína representaram 26,9% do total exportado por Santa Catarina e se mantiveram como os principais produtos embarcados no período. No primeiro trimestre do ano, os dois produtos já somam US$ 676,8 milhões em vendas para o exterior, uma elevação de 11,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior. De acordo com análise do economista do Observatório FIESC, Marcelo de Albuquerque, a abertura do mercado do Canadá para o Brasil deve impulsionar novos negócios para a carne suína catarinense nos próximos meses. O movimento deve compensar parcialmente a queda nas exportações para a China, que vem incrementando a oferta interna após surtos de peste suína dizimarem parte do rebanho. Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 23


:: TURISMO

MSC Cruzeiros vai trazer o maior e mais moderno navio da história do país no próximo verão

A

MSC Cruzeiros celebrou no início de abril o encerramento da sua temporada 2021/2022 no Brasil, a bordo do MSC Preziosa, no Porto de Santos. Na ocasião, Adrian Ursilli, Diretor Geral da MSC Cruzeiros, ressaltou que a Companhia trabalhou nessa atual temporada para consolidar a retomada do setor de cruzeiros no Brasil, sendo a primeira empresa a reiniciar as operações no país, em novembro de 2021, após 20 meses de paralisação do setor devido a pandemia em terra. Apesar do período desafiador no país e em todo o mundo, a MSC Cruzeiros proporcionou viagens memoráveis para mais de 117 mil hóspedes, em 40 cruzeiros, a bordo dos três navios que navegaram pelo litoral brasileiro entre novembro de 2021 e abril de 2022 -- MSC Seaside, que navegou em águas nacionais pela primeira vez, MSC Splendida e MSC Preziosa. Na América do Sul, na temporada 2022/2023, a MSC Cruzeiros terá seis maravilhosos navios, sendo que cinco deles farão parte da temporada regular de cruzeiros na região. Quatro navios

MSC Seashore O novíssimo MSC Seashore fará sua estreia na região e será o destaque da temporada. Famoso por seu design inovador e glamoroso, o navio, lançado em 2021, é uma evolução da classe de navios Seaside e conecta, mais profundamente, os hóspedes com o mar. O MSC Seashore oferece o mais generoso espaço ao ar livre de quase 13 mil metros quadrados, além do maior e mais luxuoso MSC Yacht Club da frota -- o conceito de ‘um iate dentro de um navio’ que fornece aos hóspedes uma experiência de cruzeiro premium allinclusive, com diversas comodidades.

farão embarques no Brasil: o MSC Seaview, o MSC Fantasia, o MSC Armonia e o novíssimo MSC Seashore, grande estrela da temporada que se tornará o maior e mais moderno navio a navegar em águas brasileiras da história do país. O quinto navio, o MSC Musica, terá embarques dedicados na Argentina e Uruguai, e fará escalas em belíssimos destinos brasileiros. O sexto navio será o MSC Magnifica, que visitará incríveis destinos no país, enquanto realiza o seu cruzeiro de volta ao mundo. “A nossa temporada 2022/2023 terá uma oferta total de 158 mil cabines para embarques no Brasil, um crescimento de 35% em comparação à temporada 2019/2020, anterior à pandemia global que impactou as viagens em todo o mundo. Além disso, a Companhia também crescerá em 100% a oferta do seu produto premium MSC Yacht Club no país. Serão ao todo 110 saídas na América do Sul. Essa será a maior temporada de todos os tempos da Companhia na região.” comentou Adrian Ursilli, Diretor Geral da MSC Cruzeiros no Brasil. 

MSC Seaview O MSC Seaview possui um design que privilegia a vista do mar e a luz solar, com amplas áreas ao ar livre e uma promenade externa de 360°, que circunda todo o navio. Seu imponente atrium se estende por quatro andares e suas laterais possuem duas passarelas com piso de vidro que oferecem aos hóspedes vistas espetaculares do oceano. O navio possui amplas áreas de lazer como parque aquático para as crianças, cinco piscinas e 13 hidromassagens, duas tirolesas com 105 metros de comprimento cada, a Ponte dos Suspiros - uma passarela com piso de vidro a 40 metros de altura, toboáguas, 17 bares e lounges, boliche, cinema XD, simulador de Fórmula 1, teatro com shows ao estilo Broadway, discoteca, espaços exclusivos para crianças em parceria com a LEGO® e Chicco®, além de academia equipada com aparelhos de última geração da Technogym, diversas lojas, e o MSC Aurea SPA. Esse navio também possui o produto premium da MSC Cruzeiros, o MSC Yacht Club.

24 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

MSC Fantasia O sofisticado MSC Fantasia conta com 27 mil metros quadrados de áreas comuns, cinco piscinas, sendo uma com teto retrátil, 12 hidromassagens, tobogã, a panorâmica Liquid Disco e o futurista teatro L'Avanguardia. São 18 bares e lounges, além de variadas opções gastronômicas com cinco restaurantes, dentre eles a churrascaria ao estilo americano Butcher’s Cut. Há também espaços dedicados às crianças, spa, além de ampla academia equipada. Esse navio também possui o produto premium da MSC Cruzeiros, o MSC Yacht Club. MSC Armonia Completando a frota de quatro navios que terão embarques em portos brasileiros, o elegante MSC Armonia partirá de Itajaí, oferecendo dois roteiros inéditos: cruzeiros para a Argentina e Uruguai ou para as paradisíacas praias brasileiras. O navio realizará cruzeiros de 6 e 7 noites, visitando alternadamente Ilha Grande, Rio de Janeiro, Cabo Frio e Ilhabela e itinerários de 7 e 8 noites visitando Ilhabela, Punta Del Este, no Uruguai, e Buenos Aires, na Argentina.


:: TURISMO

Costa Cruzeiro terá um navio na temporada 2022-2023 em Itajaí como porto de embarque e desembarque Balneário Camboriú e Porto Belo também receberão cruzeiros

O navio Costa Favolosa fará os roteiros dedicados à região do Rio da Prata, com Santos e Itajaí (SC) como portos de embarque. Entre dezembro de 2022 e abril de 2023, o navio faz viagens de sete noites, visitando Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina) e minicruzeiros, de três, quatro e cinco noites, percorrendo as cidades turísticas de Balneário Camboriú, Ilha Grande e Ilhabela. Inspirado nos contos de fadas, o Costa Favolosa tem 1.508 cabines, um centro de bem-estar com academia, termas, talassoterapia, salas de tratamento, sauna, e solarium de raios UVA, Cinema 4D, nove piscinas e hidromassagens, seis restaurantes, 12 bares, teatro, toboágua, cassino, quadra poliesportiva e o Squok Club para as crianças.

 Serviço cruzeiros regulares:

Costa Favolosa Nome do roteiro: Mini Embarque e Saídas: Santos – de 05/12/22 a 09/04/23 Número de noites: 3, 4 e 5 noites Cidades Visitadas: Santos, Balneário Camboriú, Ilha Grande, Porto Belo e Ilhabela Nome do roteiro: Prata Embarque e Saídas: Santos – de 24/12/22 a 25/03/23. Embarque e Saídas: Itajaí – de 25/12/22 a 19/03/23. Número de noites: 6 e 7 noites Cidades Visitadas: Santos, Itajaí, Montevidéu e Buenos Aires PORTO BELO

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 25


:: CONSTRUÇÃO CIVIL

Porto5 anuncia investimento em Santa Catarina Com expertise desenvolvida em Portugal, construtora chegou ao Brasil em 2012 para trazer a qualidade do padrão construtivo europeu ao mercado. Primeiro empreendimento no Estado será na cidade de Itajaí, com um VGV de R$ 217 milhões.

O

mercado imobiliário catarinense está cada vez mais em evidência, atraindo não apenas um novo perfil de investidores, mas também possibilitando a chegada de novas construtoras que apostam na rentabilidade dos produtos para ampliação de mercado. A Porto5 Empreendimentos, empresa sediada no Rio Grande do Sul e com base de know-how desenvolvido há mais de 40 anos em Portugal, trouxe ao país – e agora ao Estado – toda a qualidade que a construção civil europeia tem a oferecer. A cidade de Itajaí foi a escolhida para a expansão da empresa que traz o seu primeiro lançamento, o Vitta Home Resort, residencial que faz parte da linha que tem como inspiração o conforto e o lazer dos melhores resorts do mundo. “Aportamos na cidade calcados pelos índices de desenvolvimento de toda a região. A valorização imobiliária avança na cidade e está entre as oito cidades brasileiras com maior rentabilidade e valorização. O último relatório FipeZap aponta que a média de valorização, com base nas 50 cidades monitoradas pelo índice no Brasil e incluindo 16 capitais, está em R$ 7.941,00. Acima desta média está Itajaí, com R$ 8.262 e com perspectivas de forte crescimento”, explica o CEO da Porto5, Rafael Nascimento. A Porto5 nasce em terras brasileiras com a visão do empresário Rafael Nascimento, que depois de 12 anos morando em Portugal, decidiu trazer para o Brasil, nomeadamente para Pelotas (RS) todo seu conheci-

26 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

mento adquirido e, em parceria com outras duas construtoras do norte do país europeu (Martlongo e Spintos). Hoje, já são 10 anos de atuação em solo brasileiro contabilizando 32 lançamentos, sendo 16 empreendimentos entregues e 15 em execução, com base em 3 pilares de trabalho: velocidade na execução, qualidade e preço justo. O sistema Fast Building, um dos métodos construtivos desenvolvidos pela empresa, pode reduzir o tempo de construção pela metade, erguendo em média, dois apartamentos por dia. A qualidade, que alia tecnologia e mão de obra especializada à precisão de projetos com propostas contemporâneas. Através das linhas de produto, a Porto5 otimiza seus projetos, possibilitando uma produção de alta performance, com fluxo ágil e que oferece ao mercado o acesso a empreendimentos com valores por metro quadrado extremamente competitivos. O padrão europeu, por sua vez, pode ser identificado em diversos detalhes das áreas internas e externas para composição de isolamentos térmicos e acústicos, além da mão de obra, que conta com profissionais portugueses especialistas à frente das equipes técnicas. O capoto na fachada é uma das marcas da empresa. 


:: CONSTRUÇÃO CIVIL

Balneário Camboriú assume o posto de cidade com maior valorização imobiliária do país A cidade de Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina, conquistou o título de cidade com metro quadrado com maior valorização, em pesquisa que avalia 50 cidades no país. O novo índice FipeZap foi divulgado e a cidade aparece em primeiro lugar no ranking. Vale destacar que até setembro de 2021, Balneário Camboriú ocupava a quarta posição no ranking do FipeZap, em dezembro subiu pela primeira vez para o terceiro lugar, deixando Brasília para trás. E, agora, em março de 2022 passou a ocupar a segunda colocação, bem próxima da valorização do coração comercial do país, São Paulo. A cidade é palco de grandes investimentos, como o recente alargamento da orla, que já se reflete na valorização dos imóveis. O presidente da FG Empreendimentos, Jean Graciola, destaca que a empresa já registra 67% de valorização nos frente mar após o alargamento. “Além disso, mercado da construção civil vem crescendo exponencialmente nos últimos anos, posicionando Balneário Camboriú na rota de grandes investimentos. E mais, estamos cada vez mais atraindo um novo perfil de investidor e abrindo para o capital estrangeiro", destaca. A cidade aparece na pesquisa com preço médio de R$ 9.888 o me-

tro quadrado, com São Paulo em segundo com R$ 9.831 e R$ 9.701 no Rio de Janeiro. Segundo dados da pesquisa, variação de 2022 é de 5,16%. Já em 12 meses, a alta foi de 24,93%, também conforme a pesquisa. Esse último número é quatro vezes maior do que a variação média nacional. Levando em conta as 50 cidades, o aumento em 12 meses foi de 6,10% no país. Se formos analisar os últimos quatro anos, a cidade catarinense registe alta de 45,3% nos preços no acumulado até março de 2022. A FG Empreendimentos, que figura como uma das maiores construtoras do país, terminou 2021 com resultados recordes e anunciando projetos audaciosos. “O grupo registrou em 2021 um VGV de R$ 1,063 bilhão de performance de operação, com receita de mais de R$ 710 milhões e lucro líquido de 35%. Foi um dos melhores resultados de nossa história. E nossa meta de crescimento para 2022 é de 38%”, explica o presidente. Recentemente a empresa apresentou empreendimentos ao mercado, que vem ganhando destaque internacional e atraindo grandes craques do futebol e xeiques árabes. Jean antecipa que ainda no primeiro semestre a empresa deve anunciar novos projetos que colocarão Balneário Camboriú ainda mais no topo e no mercado mundial.

Crédito Hildo Jr

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 27


:: ECONOMIA

Faturamento das PMEs com vendas online de Santa Catarina cresceu 35% no primeiro trimestre de 2022

O estado ocupa o 5º lugar no ranking nacional do e-commerce, com R$ 29,7 milhões em vendas online no primeiro trimestre do ano, e o aumento foi superior ao crescimento nacional

O

estado de Santa Catarina apresentou alta nas vendas online durante os três primeiros meses do ano. De acordo com levantamento da Nuvemshop, plataforma de e-commerce líder na América Latina, as pequenas e médias empresas faturaram cerca de 35% a mais com vendas online no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período do ano passado, taxa superior ao crescimento nacional (de 23%). O estado catarinense ocupa o 5º lugar no ranking nacional do e-commerce, o primeiro da região Sul, com pouco mais de 394 mil produtos vendidos online nos primeiros três meses deste ano. O levantamento foi realizado com os empreendedores do estado dentro da base de mais de 90 mil lojistas cadastrados na plataforma da Nuvemshop. “Mesmo com a volta do varejo presencial, ainda observamos o crescimento do e-commerce no Brasil e no estado de Santa Catarina. Embora as previsões para o setor tenham sido mais tímidas para este ano, indicando certa estabilização, os pequenos e médios empreendedores do estado continuam apostando no ambiente digital. Acreditamos que esses números devem continuar crescendo, em ritmo mais suave se comparado com a expansão do e-commerce em 2020 e 2021, à medida que mais pessoas incorporam as lojas online em suas rotinas” afirma Luiz Natal, gerente de E-commerce e Desenvolvimento de Santa Catarina - Quatro segmentos que mais faturaram neste período de 2022 • Moda (R$ 7,9 milhões) • Joias (R$ 3,5 milhões) • Casa & Jardim (R$ 1,8 milhão) • Saúde & Beleza (R$ 1,7 milhão)

28 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

Segmentos que mais faturaram em todo o Brasil • Moda (R$ 213,8 milhões) • Acessórios (R$ 87,3 milhões) • Saúde & Beleza (R$ 36,4 milhões) • Casa & Jardim (R$ 21,3 milhões) • Arte (R$ 16,6 milhões)

Plataforma da Nuvemshop. O volume de pedidos também apresentou alta, atingindo 94,2 mil no mesmo período (nos primeiros três meses de 2021, foram 74,5 mil). Já o ticket médio nas lojas online do estado foi de R$ 315,31, um aumento de 6,7% em relação ao primeiro trimestre de 2021 (R$ 295,29). Entre as formas de pagamento, a pesquisa mostra que o Pix tem avançado no estado. A ferramenta, que representava apenas 1,1% dos pedidos pagos ano passado, foi o meio de pagamento escolhido para 11,7% dos pedidos em lojas online em Santa Catarina no primeiro trimestre de 2022, ficando à frente do boleto, que representou 4,7%. O meio de pagamento mais escolhido foi o cartão de crédito, que correspondeu a 55,5% dos pedidos pagos nos três primeiros meses do ano. Resultados das PMEs em todo o país Segundo o levantamento nacional da Nuvemshop junto à sua base, as lojas online brasileiras faturaram mais de R$573,2 milhões no primeiro trimestre, valor 23% superior ao mesmo trimestre de 2021. O volume de pedidos online também cresceu 14%, chegando a mais de 2,4 milhões. O ticket médio nacional foi de R$ 236,92, valor 9% superior ao mesmo período do ano passado. 


Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 29


:: PORTOS

Porto Itapoá, pelo 4º ano consecutivo, é o mais recomendado por clientes, segundo IBRC Entidade analisou o nível de satisfação e fidelidade dos clientes entre os portos do Brasil

O

Porto Itapoá novamente é o terminal portuário brasileiro mais recomendado por clientes, segundo o Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC). A instituição certificou o terminal como detentor do maior índice NPS (Net Promoter Score) - indicador global que avalia o nível de fidelidade dos clientes - do País. O porto catarinense já é uma referência nacional no assunto desde 2017, quando foi premiado pela primeira vez pelo IBRC. O presidente do Porto Itapoá, Cássio Schreiner, enfatizou a importância do trabalho que vem sendo desenvolvido para melhorar a experiência dos clientes. “Nós realizamos nossa pesquisa interna de satisfação dos clientes desde 2014 com o objetivo de identificar as potencialidades e oportunidades de melhorias”, comentou. Em sua última edição, em 2020, o levantamento interno apontado por Schreiner apresentou um alto índice de satisfação espontânea (SSI - Spontaneous Satisfaction Index) com 91%. O CJI (Customers Journey Index) representa a satisfação do Cliente com os serviços efetivamente realizados e nesse indicador o Porto Itapoá atingiu 82%. Já o NPS (Net Promoter Score), chegou a 73%. Segundo o presidente, um dos fatores que motivaram os resultados positivos, tanto da pesquisa do IBRC quanto do levantamento próprio, foi a criação de um departamento exclusivo de atendimento ao cliente que, no Porto Itapoá, é chamado de Customer Care. “Em funcionamento desde 2017, o propósito do departamento é centralizar todas as demandas dos Clientes em

30 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

um único processo de atendimento, buscando entregar o máximo possível de resolutividade ao usuário do terminal, seja ele importador, exportador, armador, despachante ou transportador”, explicou Schreiner. “Faz parte do negócio e dos diferenciais do Porto Itapoá estar atento frequentemente às necessidades do Cliente e ofertar o melhor atendimento possível às pessoas, valorizando os relacionamentos”, concluiu Schreiner. O índice NPS O NPS Net Promoter Score é uma métrica de lealdade do cliente criada por Fred Heichheld em 2003. O seu objetivo é medir o grau de lealdade dos clientes das empresas de qualquer segmento, trazendo reflexos da experiência e satisfação dos clientes. O Net Promoter Score é calculado com base nas respostas a uma única pergunta: Qual é a probabilidade de que você recomende a nossa empresa/produto/serviço a um amigo ou colega? Esse indicador-chave de performance (KPI) é amplamente utilizado em todo o mundo em virtude da sua simplicidade, confiabilidade e flexibilidade. Outras Premiações O Porto Itapoá se destaca em muitas esferas e vem conquistado ao longo dos anos importantes premiações em sustentabilidade, inovação, capital humano e no relacionamento com os clientes. Reconhecido como uma das Empresas mais Inovadoras


:: PORTOS

do Sul do País, de acordo com ranking da Revista Amanhã, em parceria com os institutos IXLCenter/GIMI, de Cambridge/EUA, o Porto Itapoá agrega diferenciais de eficiência, modernidade e tecnologia em suas operações e serviços. Também foi agraciado com a premiação Port Financing of the Year realizada pela Revista Latin Finance, em Nova Iorque (EUA). O Porto Itapoá foi vencedor na categoria de Financiamento de Projetos Portuários pela bem-sucedida operação de captação de recursos para as obras de ampliação. A atuação sustentável faz parte da estratégia do Terminal desde o início das operações. O Porto Itapoá criou e mantém a Reserva de Preservação Permanente da Natureza (RPPN) Padre Piet Van der Aart, que compensou em dez vezes a área para a ampliação do terminal. Associada à RPPN Volta Velha, é uma das maiores reservas de Mata Atlântica particulares do Estado e um importante ativo ambiental de Itapoá. No local são realizadas atividades de educação ambiental e plantio de árvores nativas distribuídas à comunidade. O Porto Itapoá também monitora a qualidade da água da Baía da Babitonga e realiza o reuso e reciclagem de resíduos gerados em suas operações, entre outras ações. Essas iniciativas levaram o Terminal a figurar no Ranking IDA da Antaq – Associação Nacional de Transportes Aquaviários – e no Prêmio Via Viva do Ministério da In-

fraestrutura como destaque entre os terminais portuários do país em desenvolvimento socioambiental. Ainda na área ambiental, o Porto Itapoá vem sendo reconhecido ano após ano com o Prêmio Fritz Müller, concedido pelo IMA – Instituto de Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina. Tão importante quanto, está no DNA do Porto Itapoá desde o seu início cuidar das pessoas com foco em uma cultura cada vez mais inclusiva, que permita igualdade de oportunidades, em um ambiente de diversidade. Esses programas e ações foram reconhecidos com o Prêmio Valor, do Valor Econômico, em Liderança no Engajamento de Pessoas e com o Prêmio Ser Humano, da ABRH/SC - Associação Brasileira de Recursos Humanos/Santa Catarina. Esse cuidado com as pessoas é levado também para fora do terminal. Com o Projeto Ampliar, que promove e patrocina projetos de desenvolvimento sociocultural, empreendedorismo e geração de renda para as famílias dos bairros do seu entorno, o Porto Itapoá foi premiado pelo Navis Inspire Awards, realizado em San Francisco, na Califórnia, na categoria Customer and Community Impact. Essa atuação comunitária também rendeu inúmeras premiações como Empresa Cidadã da ADVB/SC, da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina.

Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 31


:: PORTOS

Portonave apresenta números que a mantém como 2º maior Porto do país para comitiva federal

O

Porto de Navegantes recebeu representantes federais da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Tribunal De Contas da União (TCU), e dos Ministérios da Infraestrutura e da Economia, na segunda-feira (11). A visita teve como objetivo conhecer a infraestrutura e os diferenciais competitivos do Terminal. Na oportunidade, foram apresentados aspectos mercadológicos globais do segmento portuário e o crescimento do Porto de Navegantes dentro do cenário nacional, sendo o segundo maior do país em movimentação de contêineres. Além disso, foi realizada uma breve visita na área alfandegada. A comitiva federal também cumpriu agenda para visitar a Superintendência do Porto de Itajaí e pontos da região.  32 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios


Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 33


:: PORTOS

A

embarcação com origem de Punta Pereyra (Uruguai), registrou de acordo com o setor de operações da superintendência do Porto de Itajaí, um volume de 14.000 toneladas de Bobinas de Celulose. Seu destino ao desatracar, seguirá rumo FLUSHING (VLISSIGEN) / HOLANDA. O Superintendente do Porto de Itajaí, Fabio da Veiga, destaca a relevância desse tipo de operação para a Autoridade Portuária, e informa possíveis operações em breve. “É um mercado extremamente importante, com muita quantidade de carga, e que manteria a condição plena de operação no porto, foi um esforço conjunto entre mão de obra que ajustou seus valores para possibilitar essa operação. A Autoridade Portuária concedeu o benefício tarifário dos operadores que foram atrás da carga, e esse navio que finalizou, tenho certeza que será o primeiro de muitos em uma rotina praticamente semanal do recebimento desse tipo de carga, vinculado a exportação. Cada navio que chega, é renda e receita que se distribui na nossa cidade e região”, informa Fabio da Veiga. A celulose é um tipo de carga que pode ser movimentada em fardos ou em forma de bobinas. Por se tratarem de produtos extremamente frágeis, a logística nos segmentos de papel e celulose exige o emprego de equipamentos específicos e cuidados especiais, de modo a proteger as cargas e evitar que sejam, principalmente, molhadas ou danificadas. A primeira operação de celulose no Porto de Itajaí, ocorreu em agosto de 2019 através do navio, SAGA FANTASY, contendo 6.314 toneladas de bobinas de celulose. “Abrir um mercado novo para o Porto de Itajaí, principalmente com uma carga "limpa" e de fácil operação como a Celulose, em uma época de tantas incertezas, motivadas pela desestatização do nosso Porto, é muito importante, e nos traz novas perspectivas e desafios para torna-la regular em nosso município. Houve um grande engajamento do poder público e da inciativa privada em tornar possível esta operação”, destaca Ricardo Amorim – Coordenador de Operações e Inteligência da Fiscalização. Assim como todas as outras cargas movimentadas, é dedicado extremo cuidado para movimentar a celulose, principalmente no que se refere às condições climáticas, pois a umidade compromete a qualidade do produto. 

34 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios

* Fotos: SPI.

Porto de Itajaí opera com carga de celulose


Economia&Negócios • Edição ABRIL/2022 • 35


36 • Edição ABRIL 2022 • Economia&Negócios