Issuu on Google+

ACIC - Empresas unidas em uma só marca

Ano I - Nº8 - Carmo do Rio Claro - MG - 20 de Junho de 2012

ACIC e SEBRAE presenteiam sua empresa A equipe do SEBRAE virá a Carmo do Rio Claro promover um diagnóstico empresarial com as empresas da cidade e região

T

odo bom empresário reconhece a importância de fazer um diagnóstico anual de sua empresa para comparar os resultados e avanços a cada ano. Acontece que, às vezes, a correria dos negócios acaba tomando o tempo da avaliação e perde-se a chance de analisar possíveis desacordos entre as estruturas da empresa e mercado ou, até, a oportunidade de aumentar a lucratividade do empreendimento. É por isto que a ACIC e o SEBRAE convidam todos os empresários, comerciários e empreendedores de Carmo do Rio Claro e região para o evento “Diagnóstico Empresarial”. O evento é gratuito, terá uma palestra sobre Gestão Empresarial e a equipe do SEBRAE auxiliará os participantes no preenchimento de um questionário que será usado para realização do diagnóstico de cada uma das empresas. Neste diagnóstico, serão avaliados itens de gestão, sendo eles; liderança, clientes, sociedade, estratégias, processo, pessoas e resultados. Além do empresário ganhar o diagnóstico da sua empresa, o Micro ou Pequeno Empreendedor pode também, por meio do questionário, participar do prêmio MPE Brasil.

Prêmio MPE Brasil O MPE Brasil é um prêmio de reconhecimento estadual e nacional, voltado para Micro e Pequenas Empresas. Ganhar um prêmio deste nível eleva o ponto de referência e competividade de qualquer negócio. O empreendimento premiado é reconhecido como empresa com sistema de gestão alinhado aos princípios da excelência. O vencedor, além de ganhar o certificado,

ganha o direito de usar a marca do prêmio como instrumento de comunicação. Estão aptas a se inscreverem, empresas com receita bruta anual de até R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais), ter pelo menos um ano fiscal completo, ou seja, ter aberto a empresa até 31/12/2010, ser domiciliada fiscal no Estado da inscrição e comprovar regularidade fiscal e estatutária, caso seja selecionada para etapa de visitas. O primeiro passo para participar é acessar o site www. premiompe.sebrae.com.br, clicar em “apresentação” e, ao fim da página, em inscrição. Depois, entre em contato com a ACIC e reserve sua vaga na palestra “Diagnóstico Empresarial” que contará com uma equipe do SEBRAE para auxiliar os empresários no preenchimento dos questionários. As perguntas respondidas valem para participação da empresa no MPE Brasil e para o diagnóstico empresarial oferecido pelo SEBRAE.

EMPRETEC Como o Diagnóstico Empresarial reunirá os empresários mais engajados da cidade e região, a oportunidade servirá para apresentação do EMPRETEC que será realizado na cidade, em novembro. O EMPRETEC é um dos cursos mais procurados por empresários e futuros empreendedores e apresenta ótimos índices. Uma pesquisa feita em 12 Estados com 1.445 empretecos registrou que, após o programa, 75% das empresas tiveram crescimento médio da receita de 72% no primeiro ano após o seminário de capacitação e de 145% até o fim da

pesquisa. Em média, os entrevistados passaram pelo EMPRETEC há três anos, o que mostra que o crescimento das empresas mais do que dobrou neste período. A pesquisa aponta também que, 62% das empresas passaram a empregar, em média, 48% mais funcionários que antes, e 50% das empresas pesquisadas apresentaram um crescimento de 66% no lucro líquido total. E mais, 58% dos empretecos aumentaram sua renda após o seminário.

“Acredito que o EMPRETEC possa ser uma universidade sem teoria e com muita prática saudável. Em Novembro de 2008, conquistei um grande divisor de águas em minha vida (profissional e pessoal). Embora estejamos no mesmo barco, o EMPRETEC nos ajuda a escolher qual a melhor onda na maior das travessias comerciais e de relacionamentos”. Empreteco Regis Ferreira da Silva, Conclaro Soluções Contábeis. Por Janaína Oliveira


2 Carta ao leitor Olá, colegas comerciantes. No mês de maio completamos um ano de diretoria! Sinto-me feliz pelos projetos realizados e, ao mesmo tempo, ansiosa e tensa por realizar os demais que temos em nosso planejamento. Graças a Deus, conto com uma equipe maravilhosa de colaboradoras que são o porto seguro de nossa diretoria. A elas um agradecimento especial. Nesta edição, divulgamos duas ações em parceria com o SEBRAE: uma é o Diagnóstico Empresarial e a outra é a realização do Seminário EMPRETEC aqui em Carmo. O Diagnóstico Empresarial será gratuito e trará oportunidade do empresário obter uma avaliação técnica da sua empresa, além de poder participar do MPE Brasil, um prêmio de gestões modelo. O EMPRETEC é considerado o melhor seminário de Empreendedorismo da América Latina e posso afirmar que é o melhor que já cursei. Foi realizado em nossa cidade em 2009 e temos muitos colegas que podem opinar a respeito. Quero aproveitar para pedir a esses Empretecos: ajudem a ACIC a divulgar a realização deste seminário! Quanto mais comerciantes passarem pelos acontecimentos do EMPRETEC, mais engajados com a sua empresa eles se tornarão! E quanto mais isso acontecer, melhor para eles e para nossa cidade. Creio que uma Associação Comercial forte se define em união. E o que mais queremos é conseguir unir, sempre, os comerciantes carmelitanos. Para realizar este desejo é necessário que cada um se sinta acolhido e queira se juntar ao nosso propósito. Trata-se de um ímpeto pessoal e que gostaríamos muito de despertar em vocês, caros

Expediente Diretora Geral: Tania Alcântara Jornalista Responsável: Janaína Oliveira MTB: 16.868-MG Publicidade e Vendas: Andréia Brainer (35) 3561-1330 Departamento Financeiro: Marcela Giorgia Colunista: Edson Rodrigo Marinho Reportagem: Janaína Oliveira / Maurício Rey Diagramação: Bruno Santos - (35) 9968-2742 Conselho Administrativo Tania Ap. Bueno Alcântara José Tadeu Pereira Paulo Edson Freire Sílvio Rogério Pereira Tiragem: 1.000 exemplares Impressão: Gráfica N. S. do Carmo (35) 3561-1300 Associação Comercial e Industrial de Carmo do Rio Claro, Rua Campista César, nº88, Centro. CEP 37150-000 – (35) 3561-1330 e-mail: acic2@hotmail.com Facebook: ACIC

Orgulho local

N

o final de novembro de 1987 era inaugurada a Tecelagem WS dos proprietários Vaninha e Wellington. Naquela época eles jamais poderiam imaginar que a loja seria referência em artesanato em Carmo do Rio Claro, e que nos anos seguintes os produtos da Tecelagem WS ultrapassariam os limites do estado e até mesmo do país. Já venderam os produtos para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul chegando a vender também para Itália, Canadá, Portugal e Estados Unidos. Vaninha trouxe uma visão diferente para o artesanato em tear. Introduziu a utilização de materiais como fios de seda, rami, viscose, linho nos produtos da tecelagem. Começou a trabalhar com produtos maiores. E também foi quem trouxe os homens para o ofício do tear como nos conta Wellington Freire Pereira “Quando nos começamos a trabalhar com tecelagem era uma profissão mais exercida por mulheres e havia certo preconceito do homem trabalhar com tear. Aos poucos fomos quebrando isso. Como precisávamos de uma demanda de produção maior, começou a participação do homem. Hoje ele tece, não há nenhum problema, não há mais preconceito”. No ano de 2000 Vaninha foi eleita pela ACIC “Empresária do Ano”. E no ano seguinte, vítima de um acidente, Carmo do Rio Claro perdia uma grande empreendedora. “A qualidade mais importante que Vaninha tinha é que ela sempre acreditava em seus sonhos. Ela foi uma empreendedora muito idealista e sempre tinha muita convicção do que ia fazer, tinha muita determinação. Ela obteve bastante êxito em seu trabalho. Competência também, pois ela conhecia muito de tecela-

Tecelagem WS gem e sabia captar lá fora o que as pessoas procuravam no segmento de decoração e de moda. Ela conseguia colocar isso no tear e fazer o tecido conforme a necessidade do cliente” fala Wellington. Hoje a Tecelagem WS é administrada por Wellington e por seu filho, João Antônio que ajuda a divulgar a empresa pela internet através do facebook e do site. Com vinte e cinco funcionários eles produzem desde mantas, xales, almofadas, toalha de

mesa, jogos americanos, centros para mesa, cobre lanches, bonecas e muitos outros produtos. Agora na época do inverno as pessoas procuram por xales, cachecóis e ponches. Mas isso não significa que eles vendem mais nessa época. A Tecelagem WS por trabalhar com diversos produtos, desde decoração, moda e até brinquedo consegue vender o ano inteiro agradando a todos em todas as estações. Os produtos feitos pela Tecelagem WS são todos feitos em tear manual. Eles não trabalham com o tear mecânico e Wellington explica porque “Trabalhamos somente com o tear manual, primeiro por causa da tradição do trabalho em ser artesanal. No tear manual podemos trabalhar mais detalhes o que no mecânico já não é possível, então nossos produtos tem um diferencial, são bem trabalhados e diversificados. O tear mecânico produz muito em menos tempo, porém é limitado e produz muito do

Maurício Rey mesmo modelo”. Wellington ainda fala que já é bem notável o quanto que o tear mecânico diminuiu a demanda de empregos nesse segmento em Carmo do Rio Claro. É importante lembrar que o trabalho que a Tecelagem WS realiza é uma forma de se preservar a cultura regional. Minas Gerais é um dos Estados que mais absorveu a arte de tecer manualmente. E hoje essa arte enriquece a produção cultural tanto do Estado como de Carmo do Rio Claro. O artesanato aqui na cidade também tem uma grande importância social, a de geração de empregos. A maior dificuldade que Wellington encontra hoje para manter a Tecelagem WS no mercado é a questão de concorrência com os produtos industrializados. “Isso influência e gera dificuldades porque os clientes olham primeiro o preço e não a qualidade. Outra dificuldade são os produtos importados tanto vindos da China e da Índia, que hoje no Brasil tem muito nessa área têxtil, esse é um dos grandes problemas hoje”. Porém Wellington segue firme e confiante e sempre estabelece metas para atingir seus objetivos. E para atrair mais clientes ele aposta na inovação de seus produtos. Logo que a Tecelagem WS foi aberta, a empresa se associou a ACIC pelo fato da associação sempre fornecer um suporte comercial na parte de informações e também por fortalecer o comércio carmelitano. Wellington aproveita o espaço para parabenizar o trabalho da ACIC “A nova diretoria da ACIC está fazendo um bom trabalho, estão no caminho certo, sempre inovando para atender bem os clientes. As funcionárias estão se enquadrando no perfil que a ACIC precisa. Estão de parabéns que continuem assim”.


3 Painel ACIC Novos associados

Proprietário: Luiz Fernando Reis Carvalho

Junqueira e Maria das Graças de Freitas Junqueira

Belo Toque Móveis Rua Capitão Pedro Augusto Correa, 179, Centro. Tel.: 3561-2289 Proprietários: Lucas Pinheiro Marques, Marli Rodrigues Marques e Jucilene Maciel Borges

Posto Tormenta Av. Rondon Pacheco, 850, Acampamento. Tel.: 3561-3958 Proprietária: Vera Marques dos Santos

Serviços e consultas meses de Abril e Maio

Sejam muito bem vindos!

Sul Minas Transporte e Turismo Rua Josefa Rodrigues Santos, 300, Distrito Industrial. Tel.: 3561-1114

Vila Hering Rua João Silva, 262 B, Centro, Nova Rezende. Tel.: (35) 35622663 Proprietárias: Aline de Freitas

Seção Contábil

O

Maio Registro no SPC: 72

Erramos

Na 8ª edição do jornal ACIC Interativo tivemos um erro de digitação no título da matéria da Gráfica Nossa Senhora do Carmo, o correto é: Gráfica Nossa Senhora do Carmo investe em equipamento de pré-impressão.

ABC Financeiro

Como planejar o endividamento com segurança?

endividamento das empresas é, normalmente, uma ferramenta útil para investir em maquinários ou equipamentos que maximizem a produtividade, as vendas e gere expectativa de maior lucratividade do empreendimento. As instituições financeiras, especialmente aquelas controladas pelos governos federal e estadual, em geral possuem disponibilidades com taxas razoáveis e prazo dilatado para emprestar àqueles que apresentam bons projetos a médio ou longo prazo. Os empresários buscam esse dinheiro avidamente, mas nem sempre conseguem aprovação do cadastro ou do projeto devido à falta de um profissional qualificado para auxiliá-los. Em função disso muitas boas ideias ficam no papel e algumas empresas acabam fechando as portas. A concessão de crédito possui outro lado, e é para este que chamo a atenção. Alguns empresários têm extrema facilidade para conseguir crédito e abusam dos recursos de terceiros na aquisição de máquinas e equipamentos, na abertura de novas lojas, na construção de novas indústrias ou da sede própria, no aumento do capital de giro, etc. A captação dos recursos de terceiros está longe de ser ruim ou indesejada, mas é fundamental que seja equilibrada. Para tanto, a análise de cada novo pedido de recurso deve ser feita com profundidade. Entre os vários aspectos que

Abril Registro no SPC: 82 Retiradas do SPC: 56 Consultas balcão: 65 Total de consultas feitas por associados: 958

Retiradas do SPC: 77 Consultas balcão: 103 Total de consultas feitas por associados: 1.116

esse estudo deve considerar, alguns são imprescindíveis: *o lucro a ser gerado é maior do que os juros contratados? *a carência do pagamento é suficiente? *o lucro e o caixa gerados por esse novo investimento será suficiente para pagar as parcelas? (se for insuficiente, o que é mais comum no início, deve-se antecipadamente estudar de onde virão tais recursos) *há mercado consumidor para a alta produção a ser gerada pelo investimento? A empresa conseguirá vender? Solicite o auxílio de um profissional e faça o fluxo de caixa com margem de segurança, para que não aconteça como a Grécia que, mesmo recebendo 50% de desconto dos credores não possui capacidade de pagamento. Esta situação caótica trará consequências gravíssimas tanto para o país quanto para os demais tomadores de dinheiro que projetou a contratação de dívidas sem muita habilidade. Em muitos casos a única solução é pedir concordata, medida que também é fonte de muitos transtornos, mas a tragédia é ser obrigado a decretar falência porque nem a concordata é possível. Planeje o endividamento com segurança e boa sorte. Por Gilmar Duarte, Contado e autor do livro “Honorários Contábeis. Uma solução baseada no estudo do tempo aplicado”. Fonte: www.contabeis.com.br

N

E a poupança como fica?

os últimos dias (Maio 2012) o governo anunciou mudanças nos métodos de cálculos da mais tradicional aplicação brasileira, a Poupança. Agora pelo novo método sempre que a taxa básica de juros, a SELIC, estiver igual ou abaixo de 8,50% ao ano a rentabilidade da poupança será equivalente a 70% desta taxa mais TR. Essas regras passaram a valer a partir do dia 04/05/2012 somente para depósitos a partir desta data, ou seja, para dinheiro aplicado em poupança até 03/05/2012 a forma de calculo do rendimento continua do mesmo jeito: 6% ao ano mais TR (Taxa Referencial). Quanto às demais características básicas da caderneta de poupança continuam da mesma forma, ou seja, a poupança continua com liquidez diária (você pode aplicar e resgatar a qualquer dia), isenção de imposto de renda e garantia pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até R$ 70.000,00 por CPF. Para economia do país essa mudança foi necessária, pois com a SELIC abaixo de 8,50% ao ano os aplicadores em fundos de investimentos (CDB, RDC, Tesouro Direto) poderiam migrar em massa para a poupança (que teria um ren-

dimento mais atrativo) e com isso o governo federal teria dificuldades para rolar a sua divida pública. Agora com o novo método de calculo a equipe econômica do governo pode acolher sem sustos as possíveis reduções na SELIC promovidas pelo Comitê de Política Econômica do Banco Central. Sendo assim a economia do país agradece, pois com juros mais baixos o crédito fica mais barato e o consumo é estimulado movimentando ainda mais a economia do país gerando emprego, renda e divisas. Se você é um dos milhões de brasileiros que aplicam na caderneta de poupança pode ficar tranquilo, pois apesar de ganhar um pouquinho menos pelo seu dinheiro aplicado este investimento ainda vai continuar sendo o mais prático a disposição da população.

Edson Rodrigo Marinho, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Administração e Marketing Contato: edinhomarinho@ yahoo.com.br


4 Divã do Empreendedor

O que empresários de sucesso têm em comum?

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina” (Cora Coralina) A ACIC deseja a todos os aniversariantes dos meses de maio e junho muita saúde, sucesso e realizações. Felicidades sempre! 01/05 Leila Cristina Figueiredo Santos – Nitro Confecções e Acessórios 01/05 Marlon José Miguel – Banco Bradesco 09/05 Patrícia Maria Vilela – Via Única 10/05 Paulo Amilcar Leite – Aquarelas Tintas e Ferramentas 13/05 Heraldo Donizete de Barros – Padaria Delícias do Carmo 20/05 Aline da Silva Nogueira de Oliveira – Óticas Precisão 23/05 Vilma Maria Correa Vilela – Via Única 25/05 Elza Lúcia Elias Junqueira – Lucy Boutique 30/05 Marli Rodrigues Marques – Belo Toque Móveis 01/06 Marcelo Martins de Oliveira – JM Móveis e Eletrodomésticos 09/06 Geber Teixeira de Oliveira - Banco do Brasil 09/06 José Márcio dos Reis Júnior – E Carmo Consultoria e Informática 11/06 Lívia Junqueira Rollim – Junqueira Transportes 11/06 Alcineide Aparecida da Silva – Difatto Magazine 15/06 Vinícius Marinho Vilela – Pimenta Fogo Mineiro 15/06 Lucas Pinheiro Marques – Belo Toque Móveis 17/06 Moacyr Mendes Galvão – Posto Galvão 21/06 Talita D’Ávila Lopes de Lima – Drogaria São João 24/06 Marcos Antônio Vilela – Pimenta Fogo Mineiro 26/06 Jucilene Maciel Borges – Belo Toque Móveis 30/06 João Paulo de Oliveira – Óticas Precisão

ELES SÃO CONFIANTES, MAS HUMILDES. OBSERVAM O QUE ESTÁ ACONTECENDO FORA DA EMPRESA, INCLUSIVE COM NEGÓCIOS MENORES DO QUE OS SEUS, E ESTÃO SEMPRE PREPARADOS PARA MUDAR.

A

pós mais de 12 anos envolvido com o Programa Empreendedor do Ano da Ernst & Young, constantemente me perguntam: o que os empreendedores de sucesso do mundo têm em comum? Cito a seguir as características pessoais, sem considerar fatores externos. Não que sejam garantia de sucesso, porém, todas as vezes que encontrei mais de cinco delas em uma única pessoa, eram empreendedores de enorme destaque: Saber aonde quer chegar. Ter a ideia do tamanho que se quer atingir ou o nicho que se quer explorar – e manter a disciplina necessária para não perder o foco – tem sido uma característica marcante nos empreendedores de sucesso. Eles querem chegar longe. Afinal, o trabalho de pensar grande não é maior do que o de pensar pequeno. Estar pronto para reavaliar a estratégia. Estamos em um mercado em que as mudanças são muito rápidas. Estruturar um negócio que permita a adaptação a essas mudanças coloca o empreendedor em vantagem competitiva. Inspirar as pessoas (certas). Desde

o início deve-se saber identificar as melhores pessoas e dividir os sonhos com elas. O grande desafio aqui é balancear aspectos como: potencial versus experiência, remuneração fixa e variável, além de dimensionamento correto da estrutura. Desapegar-se. O empreendedor conta com fiéis companheiros e familiares que ajudam nas etapas iniciais. Mas às vezes essas pessoas não acompanham as mudanças do negócio e devem ser substituídas. Postergar essa decisão é pior para todo mundo. Há várias formas de recompensar as pessoas sem prejudicar o futuro das mesmas. Outra dificuldade é delegar. No início, o empreendedor acostuma-se a fazer um pouco de tudo e domina o que está acontecendo. Mas a constante intervenção do empresário junto às pessoas a quem confiou missões importantes faz com que todos percam foco, energia e principalmente motivação. Criar uma rede de relacionamentos. As redes de relacionamento trazem para os empreendedores vantagens como: trocar experiências, identificar novos negócios, dar e receber coaching. Expor-se. Exibir o seu negócio desde cedo atrai o interesse dos players, como consultorias, bancos, fundos e investidores. Ter olhos e ouvidos grandes. Uma coisa que sempre me chama a atenção é a capacidade que a maioria dos empreendedores de sucesso

tem em perguntar, escutar e observar muito. Deve-se saber balancear uma boa dose de confiança com a humildade de admitir que sempre há o que aprender com a concorrência e com os parceiros. Renovar e criar. Um fator crítico é sempre se renovar com abertura para associações. Outro aspecto: durante a vida, o empreendedor corre o risco de olhar apenas para o lado ou para cima e se esquece de olhar para outros empreendedores que estão chegando e crescendo a taxas altas. Estar preparado para receber sócios. Essa é uma das melhores formas de aprimorar a governança corporativa, verificar o valor do negócio, testar o retorno de cada investimento e estar atento aos controles internos. Pensar desta forma gera resultados diariamente e evita que, em uma futura operação, o valor do negócio seja penalizado.

O SEGREDO É NÃO TER APEGO Empreendedores de destaque sabem quando é a hora de substituir familiares, delegar funções e receber sócios. *Sócio da Ernst & Young responsável na América do Sul por empresas de alto impacto. PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Maio, 2010


ACIC Interativo